"O Blog dos Colegas"

 

O autor e a equipe desejam aos leitores um bom fim de semana!

 

Capa e Contracapa

 

Como sei que tem muitos corneteiros por aí - todos capitaneados pelo Serginho, o corneteiro mor de Bento - achando que meu livro sobre Serafina é atochada, publico a capa e contracapa que a editora do Suliani me passou pra revisar.

Olhaí, ó....pra ocês...!!!!(invejosos, nem todos, claro!!!!)


Capa do livro de Olides Canton


Contracapa do livro de Olides Canton

 

Go mia dito que ficaria bela

 

Varda só que bel que la se la undeze desso.? Quem a conheceu em
dezembro de 1965, como eu, quando passei três meses com minha família,
no Hotel de Joanin Alban, antes de vir morar em definitivo
!!!!!!!!!!! . Não tinha calçamento, nem água encanada..........mas
tinha um Ginásio e muito calor humano
Sobre nossa estada no Holliday Alban, também tenho uma história.Conto
outra hora.

PARABÉNS OLIDASSO !!!!!!!!!!!, QUE VENHA O LANÇAMENTO !!!!!LEVA O
MALHOR !!!!!!

Mauro Rocha

"ODEIO"
GUAPORÉ!!!!

 

 


O " Mazza" me mandou este convite - que publico por educação - mas ainda se atreveu a fazer uma sugestão. Que desviasse meu roteiro de Anta Gorda(onde os Canton terão seu 7 encontro no sábado) para ir antes a Guaporé. Mas, olha só, mal sabe ele que todo serafinense odeia Guaporé...Acho que ele não leu meu livro sobre a rivalidade entre as cidades vizinhas.


Convite

Pois eu vou reproduzir o artigo do meu livro que está na página 81,82,83,84.

" Guaporé sempre foi PTB,Serafina Corrêa, PSD. Hoje, Serafina Corrêa é industrializada, Guaporé é uma cidade comercial, calcada nas vendas de jóias.
Mas a rivalidade entre os dois municípios que se situam a 20 km um do outro ficou mais acirrada quando Serafina Corrêa deu ares emancipacionistas.
Depois de muita luta, Serafina Corrêa conseguiu fazer passar o projeto de lei na Assembléia Legislativa gaúcha que lhe deu condições de ser município. O movimento foi vitorioso em 1960, mas no meio do caminho muita gente tombou.


A história do município prefere lembrar dos vitoriosos,sem falar muito dos que criaram as condições para a emancipação do município e que foram reprimidos de forma abrutal nos anos anteriores por Guaporé.

Mas vamos aos fatos. Segundo relata o dentista Dino Soccol, filho de Serafina Corrêa, esta rivalidade além de política, se potencializava nos campos de futebol. Guaporé tinha um time que era uma potência, o Juventude e outro de menor importância, mas que tinha como dirigente Otaviano Busnello, dono da Toniolo, Busnello S/A, uma empreiteira nascida no município.


Corria o ano de 1958, Serafina Corrêa ainda era distrito de Guaporé eo município teve que organiza rum time de futebol para enfrentar o Independente de Guaporé, pela liga dos Amadores. O Gaúcho, de nome pretencioso, não tinha, porém, nem local para treinar. O fazia nos " potreiros do Pasqualotto", segundo relata Dino Soccol. O time foi montado com o " enxerto" de gente de fora. Três jogadores vieram de Porto Alegre, três de Bento Gonçalves( claro que não estava o Serginho Ross, porque este nunca jogou "nada"!), um de Nova Prata, um de Nova Bassano, um de São José do Ouro. Dirigentes do Gaúcho e do Independente vieram a Porto Alegre pra entrevistar-se com o presidente da Federação Gaúcha de Futebol,Anerom Correa de Oliveira. Ficou acordado que o time que ganhasse a partida prosseguiria no campeonato, o outro sairia fora.
Os jogadores do Gaúcho se prepararam a semana inteira com treinos.( Depois do expediente, é claro....)
O estádio de futebol de Serafina Corrêa foi montado graças à ajuda do Frigorífico Ideal(atual empresa Perdigão), que cedeu um terreno localizado ao lado das suas instalações.( Na verdade, foi Dino Soccol,filho de Miguel,dono do frigorífico que encheu tanto o saco do pai dele e do Affonso Martinelli, sócio do empreendimento, que eles liberaram o potreiro pro Gaucho treinar)
Foi uma luta montar aquele estádio de futebol. Foi construído com alambrado, sanitários e três degraus de arquibancada. Aquilo, para a época, só faltava ser chamado de monumento.

Na semana do jogo com o Independente de Guaproé, os jogadores do Gaúcho foram levados para " concentrar" longe do borburinho( meia dúzia de casas de madeira....) não da cidade em si, porque era uma pequena vila, mas das possíveis provocações de gente enviada de Guaporé.

No domingo do jogo, o Gaúcho venceu o Independente por 4 a zero. Otaviano Busnello ficou furioso com a derrota, tentou reverter a situação, mas não foi possível devido ao acordo firmado anteriormente junto a FGF.

O Gaúcho prosseguiu no campeonato da região e venceria o Fortes e Livres de Muçum, um legendário time de futebol na região, numa disputa memorável. Bastava um empate ao Gaúcho, mas o Fortes e Livres vencia até o último minuto. Então veio um pênalti a favor do gaúcho, não se sabe se "arranjado" ou não pelo juiz. O batedor o converteu e o time sagrou-se campeão naquele ano.


Juventude de Guaporé e Fortes e Livres de Muçum,diga-se de passagem,era o clássico mais disputado da região. Segundo o jornalista João Carlos Terlera, filho de Muçum, a rivalidade era tanta que embora as duas cidades fiquem 50 km uma da outra e não havia asfalto nesta época, quando um dos times perdia, os torcedores do outro iam soltar foguetes no meio da noite na cidade vizinha só para atazanar a vida dos moradores que já estavam dormindo. Era preciso lembrá-los de que haviam sido derrotados naquela tarde pelo timo do município vizinho.

 

DE BRASÍLIA

 



O ex governador José Roberto Arruda, que foi defenestrado do governo de Brasília,desde que saiu da prisão, estava sumido. Disseram que estava descansando ( descansando de que???)em uma fazenda, aqui por perto do DF. Mas tudo bem. Ele ontem,quarta feira,apareceu no consultório acupuncturista chamado de Chico Agulha, que fica puto da cara quando é assim chamado
Arruda aparentava estar muito deprimido e com uma barba bem crescidinha. Foi até o Chico Agulha,levar algumas agulhadas para melhorar o seu visual...


*Aqui em Brasília tem um grande shopping, chamado de Shopping Pátio Brasil. É um dos shoppings mais movimentados da capital. Mas leva um apelido nada simpático. É chamado de o “ Shopping dos suicídios”. É que ali já ocorreram 12 suicídios. Como a imprensa de Brasília, não noticia esses fatos para evitar novos casos, eu acredito, que por ali,aconteceram muitos mais. As pessoas se atiram do quarto andar,onde funciona a Praça da Alimentação.


A direção do shopping, decidiu construir uma grade de proteção para evitar novas mortes. Mas a Agencia de Fiscalização (Agefis) um orgão que aqui cuida de obras em prédios já habitados,decidiu impugnar a obra por falta, de autorização.

Em nota oficial, o Shopping Patio Brasil,está informando que está trabalhando em todas as frentes e tomando as providências possíveis para prevenir incidentes de natureza de saúde públicamido e com uma barba bem crescidinha. Foi até o Chico Agulha,levar algumas agulhadas para melhorar o seu visual...

*Aqui em Brasília tem um grande shopping, chamado de Shopping Pátio Brasil. É um dos shoppings mais movimentados da capital. Mas leva um apelido nada simpático. É chamado de o “ Shopping dos suicídios”. É que ali já ocorreram 12 suicídios. Como a imprensa de Brasília, não noticia esses fatos para evitar novos casos, eu acredito, que por ali,aconteceram muito mais. As pessoas se atiram do quarto andar,onde funciona a Praça da Alimentação.

A direção do shopping, decidiu construir uma grade de proteção para evitar novas mortes. Mas a
Agencia de Fiscalização (Agefis) um orgão que aqui cuida da liberação de obras em prédios já habitados,decidiu impugnar a obra por falta, de autorização.

Em nota oficial, o Shopping Patio Brasil,está informando que trabalha em todas as frentes e tomando as providências possíveis para prevenir novos incidentes de natureza de saúde pública.


Olides, atochada é o que tu escreves no teu “blog” e estas escrevendo no teu próximo livro, que nos vamos lançar na Linha Onze,com um jantar, que vai ter sopa de capeletti, macarrão e muito vinho de Bento.
Eu só não digo o nome do meu amigo, que viu a BB pelada,porque ele não gosta de propaganda e porque também,a sua terceira mulher, com quem vive hoje no Rio é muito ciumenta. Mas tu não perde por esperar. Ele vai seguido à Porto Alegre e vai te procurar...

Outra coisa Olides,estou consultando o Ministério da Saúde,ou mais precisamente o Ministro Temporão,para saber, se este novo tratamento,contra a hipertensão,só vale fazer com a própria ou usar a receita com parceiras diferentes????

Sergio Ross

 

De São Borja

 

 


Depois de 145 anos, a imagem de São Francisco de Borja, que teria sido roubada na Guerra de 1865 pelos paraguaios, está chegando hoje,30/04 a São Borja. Ela deixou o Rio de Janeiro, na terça-feira,dia 27/04. A imagem estava na casa de Denise Goulart, filha do ex-presidente João Belchior Marques Goulart, o Jango.A imagem foi um "presente" do ditador paraguaio Alfredo Strossner, de quem Jango ficou muito amigo principalmente quando esteve no exílio.
A ex-primeira dama, Maria Thereza Goulart contou ao repórter Mário Fernandes, da Folha de São Paulo, em dezembro de 2009, que se lembra bem de quando, no Palácio de Los López, sede do governo de Assunção, Alfredo Strossner presenteou o presidente brasileiro deposto com a imagem de São Francisco de Borja. Era o começo da década de 70.Segundo a ex-primeira dama, Strossner foi convicto com o casal: a imagem do santo de 1,40 metro de altura,fora levado pelos paraguaios nos saques que se efetivaram em São Borja, em junho de 1865.
Principiava ali o episódio que passou à História como " A Guerra do Paraguai"(1864-1870).Na verdade, fora o ataque em solo gaúcho das tropas do caudilho do Paraguai,Francisco Solano López.

Como Jango estivesse no exílio, Strossner enviou a escultura de São Francisco de Borja para o sítio de Capim Melado, propriedade do ex-presidente, localizado na Zona Oeste do Rio de Janeiro.
Jango havia decidido que devolveria o santo para a Igreja de São Francisco de Borja,segundo assegurou Maria Thereza ao repórter da FSP.

A peregrinção do santo!

A imagem de São Francisco de Borja teria se mudado várias vezes. Como Jango vendera o sítio de Capim Melado,promoveu-se no sítio uma "rapina" de objetos da ex-primeira dama.
Conforme Maria Thereza, em 1982, um remetente anônimo enviou um pacote gigantesco ao seu apartamento, em Copacabana, no Rio de Janeiro.
A imagem do santo reapareceu.
Como ela se mudara para uma habitação pequena em Porto Alegre, enviou a escultura de São Francisco de Borja para a casa do filho, João Vicente, na Vila Conceição, também na capital gaúcha.
Quando Maria Thereza voltou ao Rio de Janeiro, levou a imagem consigo.

Até que o transferiu para a residência da filha Denize, onde estava até terça-feira passada, quando iniciou viagem de regresso a São Borja.

Segundo a ex-primeira dama relatou a Mário Magalhães da FSP em fins de 2009, -matéria publicada neste jornal no dia 25/12/2009 - o santo compunha o acervo do palácio de Assunção.

O presidente paraguaio,Strossner, o teria prometido em visita a Jango quando ainda ele governava. A conversa que consagrou a doação destinava-se a tratar do passaporte paraguaio com que Jango viajava, já que lhe provaram de um brasileiro. Sua administração havia dado cobertura a Strossner. E era um hábito do presidente-ditador paraguaio mimosear amigos com obras sacras.

Maria Thereza ainda disse que muitas vezes tentou entregar o santo mas que os religiosos e políticos fizeram pouco caso. " Um dia alguém vai se interessar", pensava ela, nestas ocasiões.
O neto de Jango, Cristhopher Goulart, filho de João Vicente, foi um dos que se empenhou junto a avó para que o santo fosse "liberado" e finalmente pudesse regressar à terra "natal". A chegada da imagem do santo evoca ele próprio que um dia teria escrito:"todos nós somos peregrinos".

( Com a colaboração da FSP de 25.12.2009)


 

A trajetória e o horror do crack

 

É um prazer ter como "colaborador" um profissional da segurança pública!


Por Archimedes Marques*


Os fatos criminosos, as conseqüências horripilantes na área social e familiar e o sortilégio causado ao usuário do crack, comprovam que essa droga, sem sombras de dúvidas, é mais perigosa do que todas as outras juntas.
De poder avassalador e sobrenatural, o crack sempre vicia o usuário quando do seu primeiro experimento e o que vem depois é a tragédia certa. Crack e desgraça são indissociáveis e quase palavras sinônimas. O crack é a verdadeira degradação humana.
Há alguns anos atrás, quando o crack foi introduzido no Brasil, em especial em São Paulo, seu uso estava praticamente restrito a classe paupérrima da nossa sociedade devido ao seu baixo custo de venda, começando assim a sua trajetória com os moradores de rua que eram viciados em álcool, maconha ou em cheirar cola e que assim viam naquela nova e poderosa droga mais barata e acessível, a pretensa solução para resolver ou para esquecer dos seus problemas.
Na época as autoridades constituídas viviam as ilusões de que esse subproduto da cocaína não sairia do consumo dos mendigos, dos pobres, dos desafortunados e dos desgraçados, por isso pouco se importavam com a problemática, contudo, o seu consumo rompeu esse quadrilátero, conquistou as demais classes sociais, expandindo-se rapidamente, virando uma epidemia nacional e aí, diante do clamor público, o Estado passou a correr atrás do prejuízo.
A dimensão da tragédia é difundida nos diversos Estados da Nação através de reportagens jornalísticas que comprovam o retrato devastador em todos os lugares possíveis e imagináveis aonde chegou o filho mortal da cocaína. O crack invadiu grandes e pequenas cidades, periferias e lugares de baixa a alta classe social, municípios, povoados, zona rural e já chegou até às aldeias indígenas.
O fracasso da política antidrogas do governo federal é estampado nos quatro cantos do Brasil. A cada reportagem televisiva assistimos atônitos pessoas adultas, jovens, adolescentes e crianças consumindo o crack, deitados no chão das praças, das calçadas, debaixo dos viadutos, das marquises, sem se incomodarem com nada ou mesmo correndo em desespero, vivendo aquele mundo imaginário, sem perspectiva de vida alguma. Meninos e meninas na flor da idade se prostituem até por 1 real e praticam qualquer ato ou tipo de crime possível em busca do crack. Famílias inteiras se desesperam vendo os seus entes queridos buscando o fundo do poço pelo crack.
O crack trás a morte em vida do seu usuário, arruína a vida dos seus familiares e vai deixando rastros de lágrimas, sangue e crimes de toda espécie na sua trajetória maligna. Assistimos recentemente com imensa tristeza e pesar uma reportagem mostrada na TV Record em que crianças recém nascidas de mães viciadas em crack, são também barbaramente atingidas pelos efeitos nefastos da droga. Nascem como se viciadas fossem, com crises de abstinências, com compulsão à droga, tremores, calafrios e com problemas físicos diversos, principalmente com lesões no cérebro que provavelmente os levarão às demências ou a outros tipos de problemas inerentes, ou seja, uma nova geração de vítimas do crack sem sequer ter consumido a droga por vontade própria. A maioria das mães drogadas também perdem o instinto materno e terminam doando os seus filhos debilitados.
Ao contrário da maioria das drogas, o crack não tem origem ligada a fins medicinais, muito pelo contrário, ele nasceu para alterar o estado mental do usuário, para viciá-lo de maneira sobrenatural e para aniquilar todos os seus órgãos, levando-o a uma morte breve, mas sofrível para si e para todos que o cercam.
A cocaína gerou o crack para terminar de arrasar as diversas gerações que dele buscam sensações diferentes, mas que não imaginam que na verdade caminham para a desgraça absoluta. Achando pouco os efeitos insanos da droga mãe, o homem adicionou ao lixo do processo da sua fabricação, alguns produtos químicos altamente nocivos e perigosíssimos para a saúde humana para depois repassá-la ao seu semelhante como passaporte para a morte.
Absurdamente são adicionados à borra da cocaína para compor uma fórmula maligna e cruel, a amônia que é usada em produtos de limpeza, o ácido sulfúrico que é altamente corrosivo e usado em baterias automotivas, querosene, gasolina ou outro tipo de solvente que é para dar a combustão ao produto e, para render aumentando a sua lucratividade, a cal virgem, ou cal viva que também é tóxica e usada em construções ou plantações, que ao serem misturados e manipulados se transformam numa pasta endurecida de cor branca caramelizada onde se concentra mais ou menos 40% a 50% de cocaína. Assim nasceu o crack para o bem do traficante, para o mal da sociedade e para o horror da humanidade.
A fumaça altamente tóxica do crack é rapidamente absorvida pela mucosa pulmonar excitando o sistema nervoso, causando euforia e aumento de energia ao usuário, com isso advém, a diminuição do sono e do apetite com a conseqüente perda de peso bastante expressiva. Logo o usuário sente a aceleração ou diminuição do ritmo cardíaco, dilação da pupila e a elevação ou diminuição da pressão sanguínea, ou seja, uma transformação total da sua normalidade física.
Com o tempo o crack causa destruição de neurônios e provoca ao seu usuário a degeneração dos músculos do seu corpo, conhecida na medicina como rabdomiólise, o que dá aquela aparência esquelética ao indivíduo, ou seja, ossos da face salientes, pernas e braços finos e costelas aparentes.
O usuário do crack pode ter convulsão e como conseqüência desse fato, pode levá-lo a uma parada respiratória, coma ou parada cardíaca e enfim, a morte. Além disso, para o debilitado e esquelético sobrevivente seu declínio físico é assolador, como infarto, dano cerebral, doença hepática e pulmonar, hipertensão, acidente vascular cerebral (AVC), câncer de garganta e traquéia, além da perda dos seus dentes, pois o ácido sulfúrico que faz parte da composição química do crack assim trata de furar, corroer e destruir a sua dentição.
O crack vai destruindo o seu usuário em vida ao ponto dele perder o contato com o mundo externo, se tornando uma espécie de zumbi, ou morto-vivo, movido pela compulsão à droga que é intensa e intermitente. Como os efeitos alucinógenos têm curta duração, o usuário dela faz uso com muita freqüência e a sua vida passa a ser somente em função da droga.
Ainda não existem estatísticas oficiais nos Estados brasileiros que venham a comprovar o rastro da devassidão e desgraça causada pelo crack, entretanto já se comentam que as vítimas fatais mensais superam em dobro as vítimas de acidentes de trânsito, e em assim sendo, considerando que o Brasil sempre está nas primeiras colocações em mortes de transito no contexto mundial, conclui-se, portanto, que estamos caminhando para o caos absoluto por conta dessa droga.
Pelas matérias jornalísticas observa-se que o Estado do Rio Grande do Sul é o mais atingido pela tragédia do crack. Segundo o Jornal Zero Hora, há cinco usuários de crack para cada grupo de mil gaúchos, enquanto que é previsto para até o final do ano de 2012, apesar da grande taxa de mortalidade, que essa população de zumbis alcance o número de 300 mil componentes.
Já aqui no nordeste, mais de perto em Salvador, capital da Bahia, é fato em notícia que 80% das pessoas com idade entre 12 a 25 anos que vem a óbito são egressos do crack e morrem do crack ou pelo crack.
A dificuldade que o dependente do crack tem ao querer deixar o seu consumo também é imensa e requer uma força de vontade fora do comum, diferente do que acontece com os usuários das outras drogas.
A Universidade Federal de São Paulo atestou uma pesquisa que acompanhou a trajetória de 131 usuários de crack após 12 anos da saída dos mesmos de um hospital de tratamento, chegando a seguinte conclusão: Apenas 33% se recuperaram e venceram a droga, enquanto que 67% foram derrotados, e desse número, 17% continuavam dependentes, 20% desapareceram, 10% estavam presos e 20% foram mortos em decorrência do mal da droga ou assassinados por conta dela.
Conclui-se assim que estamos caminhando para uma espécie de genocídio, ou seja, morte em massa decorrente de ações de uma causa só, conforme previu o traficante colombiano Carlos Lehder Rivas, preso e condenado nos Estados Unidos da América em 1985, ao afirmar naquela data que o crack seria a terceira bomba atômica a ser lançada contra a humanidade e que iriam morrer mais pessoas do que todas as guerras mundiais juntas.
Correndo contra o tempo o Ministério da Saúde lançou um Programa emergencial em junho de 2009 que prevê investimentos na ordem de 118 milhões de reais até o fim de 2010, com proposta de aumentar o número de leitos e de profissionais dedicados à saúde mental, assim como, de instalações de novos núcleos de apoio à saúde da família e centros de atenção psicossocial, entretanto, essa verba, mostra-se pequena para a extensão da gravidade do problema.
Enquanto isso, milhares de pessoas no Brasil ingressam na Justiça com ações contra o Estado pleiteando direito à indenização ou ao tratamento adequado em clínicas particulares para os seus familiares viciados que estão vivendo o drama do crack. Nesse sentido o Estado de Sergipe é exemplo nacional através do Juiz de Direito da Comarca de São Cristóvão, Manoel Costa Neto, que além de desenvolver um trabalho de conscientização contra os riscos do uso dessa droga, vem decidindo em sentenças justas e humanitárias, através das ações individuais apoiadas pelo Ministério Público e posteriormente por conta de uma Ação Civil Pública ingressada pela Defensoria Pública, que todo aquele dependente químico, principalmente do crack, que reside dentro da circunscrição daquele município, já pode ter do Governo a compensação no seu tratamento, ou seja, o Estado está sendo obrigado a arcar com as despesas dos drogados em clínicas particulares.
O crime organizado continua investindo pesado do tráfico de drogas. Muita cumplicidade perversa promove e mantém o crack no seio da nossa sociedade. Tudo prolifera e floresce com muito arranjo sinistro. A política de repressão ao tráfico não esta sendo suficiente para conter o avanço do crack. A Polícia, apesar de todos os esforços empreendidos, com prisões e apreensões diariamente de muitos traficantes e de grandes quantidades de crack, não é forte o bastante para vencer essa batalha.
Assistimos também desolados, jovens e crianças abandonando as escolas e recrutados pelo tráfico em troca do crack e algumas migalhas em dinheiro. O documentário apresentado pela Rede Globo no programa Fantástico no ano de 2006 denominado “Falcão - meninos de tráfico” comprovou essa triste realidade brasileira. Durante as gravações, 16 dos 17 meninos “falcões” entrevistados morreram, sendo 14 em apenas três meses, vítimas da violência na qual estavam inseridos.
Por sua vez, apesar de tudo isso, apesar dessa realidade brutal e com perspectivas de piorar ainda mais a sua problemática, sentimos o poder público ainda meio tímido, sem verdadeira vontade política para debelar tal situação.
O Estado tem a obrigação de investir em massa não só na área curativa do mal, mas também na repressão e principalmente na prevenção que é a raiz da problemática, elaborando projetos que efetivamente influenciem os nossos jovens a nunca experimentar droga alguma, em especial o crack, ou então teremos taxas de mortalidade inaceitáveis com o suposto genocídio em ação, tragédias familiares e sociais no extremo, além do aumento geométrico da criminalidade, destarte para os crimes de furto, roubo, homicídio e latrocínio por conta dessa droga avassaladora.
Aliados a tais medidas governamentais é preciso também da conscientização popular principalmente na área da educação. Dentre as formas de prevenir está a questão de se oferecer atividades escolares extracurriculares que despertem mais atenção dos estudantes, além de um convívio mais profundo e dialogado entre alunos com professores, psicólogos e especialistas, assim como, entre pais e filhos, para enfim, lutarmos com todas as forças possíveis contra essa epidemia. Não podemos achar que a polícia e a medicina resolverão os problemas, que, muitas vezes, se iniciam nos lares, escolas, festas, shopings center e outros lugares de convivência social, principalmente dos jovens, mais expostos, por vários motivos, à atração do mundo das drogas.

*Delegado de Polícia. Pós-Graduado em Gestão Estratégica de Segurança Pública pela Universidade Federal de Sergipe

Coleguinhas

 

Corneteando
"ELES"!!!!

* O pau que o plantonista Antônio Augusto deu na Guaíba - chamando-a de 'RADIO DO PASTOR" - na Pampa, no seu programa de quarta,28/04 vou te contar....Ele disse aí algo que tá toda a cidade falando: que depois da Copa do Mundo, babaus pro Esporte da Guaíba. Parece que metade vai bailar na curva. Mas o Antônio Augusto, o " plantão das multidões" como se autointitula o "GREMISTÃO" ,disse que um dos estrelas do Esporte da Guaíba iria comprar,ou fundar uma rádio. Pela gana com que falava,acho que se referia ao RECHE(Luis Carlos)!


*O Prévidi .com de ontem 29/04 pisou na bola....Disse que LASIER MARTINS que teria se sentido mal, não foi apresentar o PALAVRAS CRUZADAS! Até onde sei, é CONVERSAS CRUZADAS!
E é um programa apresentado na TVCOM, com bom índice de audiência. Na verdade, fizeram este programa pra combater o Câmera Dois, isto quando o programa do Clóvis Duarte bombava no Canal Dois. Hoje ninguém mais sabe que existe!!!!Nem sabem em que canal está????

* O Renato Martins também foi da Rádio Sucesso. Fiquei sabendo no Prévidi.Com. Alguém tem que contar a história desta rádio, como já fizeram com a Continental. Da sucesso, que eu saiba saiu o Pedro Ernesto, o Wianey,entre oturos cobras....

Coleguinhas

 

Corneteando ELES!

*O coleguinha Lauro Dieckmann, que não suporta críticas e fica mal humorado quando alguém as faz,está em Porto, Portugal, aliás de onde manda matéria pra cá....Mas deixado postado no seu blog Que QUENTE com falta de imaginação e mau gosto! Não seria GENTE, caro Laurinho!!!!!

 

 

Coleguinhas

 

Cornetenado ELES!

Oh, vaidade!!!!

Um famoso caso, com repercussão internacional, digamos de quebra de correspondência, numa redação de um jornal brasileiro,com circulação grande, que virou assunto policial, teve por um dos protagonistas, uma saída,digamos , bem humorada. Ao consolar o colega que teria tido sua correspondência violada, ele lhe disse;
- Foi a única coisa que tu escreveu até hoje que todo mundo leu!

 

 

Coleguinhas

 

Cornetenado "ELES"!

*Não, Serginho, nem me passava pela cabeça que tu eras hipertenso!!!!

Mal e mal sei das minhas doenças!!!! Vou saber das tuas????


 

DIA DO TRABALHADOR

 

Neste sábado, comemora-se mais um DIA DO TRABALHADOR!

Eis uma síntese histórica da data!

História


Em 1886, realizou-se uma manifestação de trabalhadores nas ruas de Chicago nos Estados Unidos da América.
Essa manifestação tinha como finalidade reivindicar a redução da jornada de trabalho para 8 horas diárias e teve a participação de milhares de pessoas. Nesse dia teve início uma greve geral nos EUA . No dia 3 de Maio houve um pequeno levantamento que acabou com uma escaramuça com a polícia e com a morte de alguns manifestantes. No dia seguinte, 4 de Maio, uma nova manifestação foi organizada como protesto pelos acontecimentos dos dias anteriores, tendo terminado com o lançamento de uma bomba por desconhecidos para o meio dos policiais que começavam a dispersar os manifestantes, matando sete agentes. A polícia abriu então fogo sobre a multidão, matando doze pessoas e ferindo dezenas. Estes acontecimentos passaram a ser conhecidos como a Revolta de Haymarket.
Três anos mais tarde, a 20 de Junho de 1889, a segunda Internacional Socialista reunida em Paris decidiu por proposta de Raymond Lavigne convocar anualmente uma manifestação com o objectivo de lutar pelas 8 horas de trabalho diário. A data escolhida foi o 1º de Maio, como homenagem às lutas sindicais de Chicago. Em 1 de Maio de 1891 uma manifestação no norte de França é dispersada pela polícia resultando na morte de dez manifestantes. Esse novo drama serve para reforçar o dia como um dia de luta dos trabalhadores e meses depois a Internacional Socialista de Bruxelas proclama esse dia como dia internacional de reivindicação de condições laborais.
Em 23 de Abril de 1919 o senado francês ratifica o dia de 8 horas e proclama o dia 1 de Maio desse ano dia feriado. Em 1920 a Rússia adota o 1º de Maio como feriado nacional, e este exemplo é seguido por muitos outro países. Apesar de até hoje os estadunidenses se negarem a reconhecer essa data como sendo o Dia do Trabalhador, em 1890 a luta dos trabalhadores estadunidenses conseguiu que o Congresso aprovasse que a jornada de trabalho fosse reduzida de 16 para 8 horas diárias.
Dia do Trabalhador no Brasil
Até o início da Era Vargas (1930-1945) certos tipos de agremiação dos trabalhadores fabris eram bastante comuns, embora não constituísse um grupo político muito forte, dado a pouca industrialização do país. Esta movimentação operária tinha se caracterizado em um primeiro momento por possuir influências do anarquismo e mais tarde do comunismo, mas com a chegada de Getúlio Vargas ao poder, ela foi gradativamente dissolvida e os trabalhadores urbanos passaram a ser influenciados pelo que ficou conhecido como trabalhismo.
Até então, o Dia do Trabalhador era considerado por aqueles movimentos anteriores (anarquistas e comunistas) como um momento de protesto e crítica às estruturas sócio-econômicas do país. A propaganda trabalhista de Vargas, sutilmente, transforma um dia destinado a celebrar o trabalhador no Dia do Trabalhador. Tal mudança, aparentemente superficial, alterou profundamente as atividades realizadas pelos trabalhadores a cada ano, neste dia. Até então marcado por piquetes e passeatas, o Dia do Trabalhador passou a ser comemorado com festas populares, desfiles e celebrações similares. Atualmente, esta característica foi assimilada até mesmo pelo movimento sindical: tradicionalmente a Força Sindical (uma organização que congrega sindicatos de diversas áreas, ligada a partidos como o PDT) realiza grandes shows com nomes da música popular e sorteios de casa própria.
Aponta-se que o caráter massificador do Dia do Trabalhador, no Brasil, se expressa especialmente pelo costume que os governos têm de anunciar neste dia o aumento anual do salário mínimo. Outro ponto muito importante atribuído ao dia do trabalhador foi a criação da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, em 01 de maio de 1943.

 

"Passeata em Moscou dos saudosistas do comunismo"

 

Para lembrar o dia do Trabalhador, que se comemora sempre em Primeiro de Maio, posto aqui três fotos que minha irmã fez em Moscou, quando esteve lá recentemente. É que estávamos acostumados a ver pela tevê,sempre, os grandes desfiles que eram feitos em Moscou no Primeiro de Mario.

Eis o relato da minha irmã:

" Eles pensam que na época viviam melhor, tinham casa, comida, remédios, enfim, o que precisavam.Segundo eles hoje está bom para quem tem dinheiro. E querem a volta do comunismo. O salário para quem é jubilado em Moscou é mais oumenos 100 dólares, não dá para fazer quase nada.

Também conversei com gente jovem, que, por sinal, fumam muito, bebem e se vestem com roupas de marca. Pelo que pude perceber, a juventude se diverte bastante. Basta passear em frente às universidades no sábado à noite - os jovens fazem isto - é um desfile de motos possantes,limusines, roupas de marcas e muita bebida e cigarro( muita gente bonita). Moscou é uma bela cidade....me encantou muito.Não fui, porém, aos arredores de Moscou, somente conversei com uma agente de turismo de mais ou menos 60 anos. Segundo ela, as pessoas morrem de fome (nos arredores)(Alenir Canton).

foto de Alenir Canton

Esta foto, um protesto dos saudosistas do comunismo

Foto de Alenir Canton

Mais uma passeata dos saudosistas do comunismo em Moscou

Foto de Alenir Canton

Os comunistas passeiam na Praça Vermelha!

 

 

Lei das Carroças: Comissão discute função da EPTC

 

 

A Comissão Especial da Câmara Municipal de Porto Alegre destinada a tratar da implementação da Lei das Carroças na Capital tem reunião marcada para esta quinta-feira (29/4), a partir das 16 horas, na Sala de Comissões 303, no segundo andar da Casa (Avenida Loureiro da Silva, 255). Estará em pauta o papel da EPTC com relação às carroças no trânsito de Porto Alegre. Estão convidados para este encontro representantes da EPTC, DMLU, Ministério Público, Fasc, Brigada Militar, Conselho Tutelar, além dos carroceiros e de entidades de proteção aos animais.

De autoria do vereador Sebastião Melo (PMDB), a Lei das Carroças, em vigor há um ano e meio, estabelece a redução gradativa e progressiva dos veículos de tração animal (carroças) e de tração humana (carrinheiros) em Porto Alegre. Em um prazo de oito anos, deverão ser retiradas todas as carroças das ruas da Capital. Para isso, foi criado, na Secretaria Municipal de Governança, um Comitê responsável por cadastrar, em um prazo de dois anos, as carroças, carrinhos e as pessoas que trabalham com esses veículos, além de reunir propostas de políticas de inclusão social e alternativas de geração de renda para essas famílias.

Participam desta Comissão Especial os vereadores Beto Moesch (PP), presidente; Airto Ferronato (PSB), vice-presidente; Luiz Braz (PSDB), relator; Sebastião Melo (PMDB); Elias Vidal (PPS); Alceu Brasinha (PTB); Haroldo de Souza (PMDB); Fernanda Melchionna (PSOL); Engenheiro Comassetto (PT); Waldir Canal (PRB); Adeli Sell (PT) e Dr. Thiago Duarte (PDT).

Carla Kunze (reg. prof. 13515)

 

 

Convite

 

HOMENAGEM A AUGUSTO BOAL (1931-2009) In Memoriam
Teatro da Transformação Social
Vídeos - Workshop - Bate Papo
2 de Maio, Domingo das 17 às 20h
Entrada Franca

Evento para lembrar, um ano sem Augusto Boal.

Apresentação dos documentários:

JANA SANSKRITI, Um Teatro em Campanha dirigido pela franco-brasileira Jeanne Dosse. O filme narra a experiência do grupo de mesmo nome que a partir das técnicas do Teatro do Oprimido atua em 10 regiões da Índia envolvendo cerca de 3 milhões de camponeses. Foi exibido na Mostra de cinema de São Paulo e ganhou o prêmio do Júri no festival Semaine du Cinéma Méditerranéen de Lunel.

BRANCA ASSALTA NEGRO e FEIA CONTRA GOSTOSONA peças de teatro-fórum produzidas em Porto Alegre e apresentadas no Teatro Renascença em 1999, com comentários de Augusto Boal.

Foto divulgação

Cena

Convidados para o bate-papo

Silvia Balestreri
Professora do DAD e do PPGAC/UFRGS, com dissertação de mestrado e tese de doutorado sobre Teatro do Oprimido.
Participou da primeira formação e foi uma das fundadoras do CTO-Rio, com direção de Augusto Boal. Responsável pelas disciplinas Teatro do Oprimido I e Teatro do Oprimido II no curso de Teatro da UFRGS.

Foto divulgação

Oficina


Noeli Turle da Silva (Licko Turle) - a confirmar
Professor, ator, diretor, pedagogo.
Doutorando e Mestre em Teatro - Educação pela Unversidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (dissertação A Poética do Oprimido e a Poesia da Negritude).
Foi um dos fundadores do CTO-Rio, em 1989, com direção de Augusto Boal, do qual fez parte até 1995. Integra hoje o Instituto Tá Na Rua para as Artes, Educação e Cidadania, no Rio de Janeiro, que fundou, com Amir Haddad, em 1999.

Araxane Jardim
Coordenador junto com Déia Alencar do Grupo de Teatro do Oprimido Comparsaria das Façanhas da cidade de Guaiba.

Foto divulgação

Oficina


Celso Veluza
Ator, diretor e produtor de teatro e teatro de bonecos. Integrante do Núcleo de Estudos do Teatro do Oprimido de Porto Alegre e da Companhia A Hora do Anjo. Desde 2005 é artista residente no Centro Cultural Usina do Gasômetro onde desenvolve pesquisas com as artes cênicas.

 

Doce Portugal

 

 


As fotos deste 'post' são de Porto (as mais de baixo) e Guimarães. Uma coisa que logo chama a atenção de quem chega aqui é o falar dos portugueses desta região. Falam um português tão doce, tão simpático, trocam os bês pelos vês e falam 'deixer', em vez de descer, por exemplo. E como são simpáticos/as e corteses/as.

Lauro Dieckmann

Doce Portugal

Guimarães é o local de fundação do Portugal como reino, como país. A terceira foto lá de cima é da estátua de D. Afonso Henriques, que desafiou a própria mãe, espanhola, para tornar independente da Espanha o condado que herdou do pai. É uma história que daria um belo filme, como eu já tinha imaginado, quando li sobre o assunto muito tempo atrás, e que a guia do passeio expressou igualmente hoje.

Lauro Dieckmann

Doce Portugal

Toda a região, por aqui, é bem desenvolvida. O Porto tem, no centro histórico, uma área reconhecida pela Unesco como 'patrimônio da humanidade'. Por lá, existe muita coisa maltratada pelo tempo, mas estão recuperando aos poucos (há incentivos do governo, como A REDUÇÃO DE IMPOSTOS).

Lauro Dieckmann

Doce Portugal

As estradas são ótimas (pavimentadas em concreto), as partes novas das duas cidades são bem construídas, tudo é muito limpo (assim, tipo Alemanha e Holanda). Nada de decadência, como por exemplo em Buenos Aires.

Lauro Dieckmann

Doce Portugal

Anteontem, foi Portugal que teve sua nota rebaixada por uma classificadora de crédito; ontem, foi a Espanha. O dinheiro dos ricos da Europa e FMI vai demorar alguns dias para chegar. A Ângela Merkel só vai liberar a verba depois das eleições alemãs que vai acontecer daqui a pouco.

Lauro Dieckmann

Doce Portugal

Amanhã (30), tomo o rumo de Lisboa, passando por Fátima e Óbidos.

Lauro Dieckmann

Doce Portugal

Bye.

Em tempo: este 'post' foi redigido, em sua parte final, ouvindo um programa da Igreja Universal numa rádio local. Não quis deixar o micro para ir trocar de estação. Aturei até o final. Mas o programa é bem feito. Tipo novela. Bem dramatizado. Dá um baile, em termos de produção, nos programas das rádios católicas.

Lauro Dieckmann

Doce Portugal

Lauro Dieckmann

Doce Portugal

Lauro Dieckmann

Doce Portugal


A propósito, visitei uma igreja do Porto bem na hora que começava a missa. Missa bem rezada, em língua portuguesa, não em latin, como nos bons tempos, e não com o texto ruim que os padres-colonos que tomaram conta da Igreja Católica no Rio Grande do Sul nos impingem.

Lauro Dieckmann

Doce Portugal

Lauro Dieckmann

Doce Portugal

A missa dos padres cariocas (como eu já assisti) também é bem legal. Nós, os gaúchos, temos uma missa muito pobre... Uma pena.
Lauro Dieckmann, direto do Porto (Portugal)


Dia do Trabalhador

 


Meu dia do trabalhador quando criança sempre foi comemorado por tabela. Nós ,quando crianças, invejávamos os colegas cujos pais trabalhavam no Frigorífico Ideal (atual Perdigão) em Serafina porque o Miguel Soccol,dono do frigorífico, dava uma churrascada pros operários dele, pros filhos e as esposas. Era uma baita festa. Lembro até hoje.

Depois com o tempo o dia do trabalhador passou a ser mais um feriado,sem grandes importâncias.Lembro mais dos desfiles monumentais dos países comunistas, que sempre comemoravam muito a data.

Quando ingressei no jornalismo, passou a ser mais um dia como qualquer outro,porque mesmo neste dia, sempre trabalhei. Notícia não faz feriado e sempre estava na escala.


 

Diário da Europa

 

Por Lauro Dieckmann!


Olides,
o primeiro 'post' foi mais imprecionista pq eu fiz rapidinho, só para não deixar passar o dia da chegada sem mandar nada (em atenção ao mourinha). era fim de tarde, início da noite, e eu não havia dormido ainda. não consegui dormir no voo e, depois que cheguei, fui para as livrarias do porto, comprar livros para mim e para o guilherme, que me pediu uns livros de direito de autores portugueses. acho que foram quase 24h sem dormir.
mas o de hoje também está meio leve, embora com umas pauladinhas na argentina e na igreja católica, mas é que meu lado português (abreu) está em festa. são tantas emoções...
nunca imaginei que isso daqui seria tão legal.


em tempo: fui na lello e irmão http://pt.wikipedia.org/wiki/Livraria_Lello_e_Irmao, considerada a livraria mais bonita do mundo, ou uma das três mais bonitas do mundo. meu primeiro dicionário, que ganhei quando entrei no ginásio, era dessa editora. um petit larousse ilustrado em versão para o português.


Poesia

 

Oi, Olides, acuso recebimento Fitness e como não tive a graça de ver Brigitte Bardot peladinha da silva, mando uma poesia pertinente ao negocio que mais entendes.

Rostos de Bares

Alguns marcados pelo sofrimentos
Outros contentes felizes da vida
Outros mostrando fundas cicatrizes,
Mal suturadas por mágoas reprimidas.

Bebem à vida em copos de bares
São moribundos sem extrama-unção
Se comunicam só pelos olhares
São traduzidos na voz do violão

Alguns são nômades, outros sedentários
Num vai e vem da estranha procissão.
o importante é que entre si se amparam,
São carinhos se tratam de "irmão"

Que coisa estranha - os rostos de bares-
cada um um livro, que sua história encerra,
Cada qual um mapa que apagou caminhos
Sobreviventes de todas as guerras!

Entre esta gente também sou contado,
Também sou porto e não tenho cais,
Portanto, hoje beba do meu copo
porque eu não sei se nos veremos mais.

Bar Estação do Som - São Borja
Inverno de 1999
Clemar Dias

Clemar Dias

 

Imagens de Portugal

 

"Olha o Mundo!" exclamou um garotinho de seus seis aninhos quando o boengzinho da Gol despregou da pista do Salgado Filho. Os outros, irmãozinhos ou priminhos, também fizeram a festa. Todos queriam ver onde ficava a escola de cada um deles. Um deles deixou bem claro que iria 'contar' para os colegas que havia visto o mundo do alto.


Lauro Dieckmann

Imagens de Portugal


Pois então, começou bem a viagem. Talvez pela terça-feira radiosa que fez ontem, depois de vários dias de tempo feio. Quando o avião ganhou os ares, pareceu-me até que haveria aplausos. Mas, de qualquer forma, havia um clima de felicidade no ar.

Lauro Dieckmann

Imagens de Portugal


Ligeirinho e com muito poucas trepidações, chegamos a São Paulo. E aí, sem estresse, foi só esperar as 19h do início do vôo para a cidade do Porto (era para sair às 18:30, mas atrasou). Também um ótimo voo nos A 330 da Tamancos Aéreos Portugueses (eu não ia deixar passar a oportunidade, claro).

Lauro Dieckmann

Imagens de Portugal

 

Aviões limpos e bem ajabrados, nada como aquelas coisas sebosas e barulhentas que me levaram e trouxeram de Paris em setembro do ano passado.
Chegamos ao Porto um pouco depois das 8h. Então, sim, houve aplausos para o piloto, pelo pouso tranquilo.

Lauro Dieckmann

Imagens de Portugal


Estamos, aqui, na Primavera. Já deu para tirar algumas fotos e constatar que a cidade é limpa e bem arranjada. Muitos prédios novos e modernos, sem serem modernosos. Tudo coisa simples e de bom gosto, tipo 'clean'.

Lauro Dieckmann

Imagens de Portugal


No aeroporto, enquanto esperava o transfer, já deu para dar uma peruada nos jornais, que me parcebam bem bonzinhos. Diagramação dinâmica e bastante enfoque econômico.

Lauro Dieckmann

Imagens de Portugal


Na economia, justamente, o destaque é para a desqualificação dos créditos de Portugal, por uma dessas empresas especializadas.
É crise que começou na Grécia e está se alastrando. É aquele negócio dos PIGS. Mas, apesar de tudo e até agora, parece que eles (os governos em melhor situação, especialmente a Alemanha) vão dar uma mão para os que estão a perigo. Isso porque os bancos, especialmente os alemães, tem muito dinheiro aplicado nos PIGS. Assim, o que eles não querem é uma quebradeira de tais países.


Lauro Dieckmann

Imagens de Portugal


Bom, por estes dias que estarei por aqui, haverá muita notícia sobre este assunto. Que acompanharei com muito gosto, sem dúvida.
As fotos que ilustram este post, são as primeiras tiradas em solo português.
Texto e fotos de Lauro Dieckmann, direto do Porto/Portugal

 

MOSQUITO DA DENGUE
ATACA CASA DE DILMA



A nova casa de Dilma Roussef,agora paga pelo PT(R$ 12.ooo,oo),tem três quartos. É uma casa até bem modesta,que serve para a candidata a presidência se reunir com sua assessoria mais direta.
Segundo informações do próprio PT,Dilma não fez grandes exigências na mudança para a nova casa. Só recomendou cuidado com seus livros e uma boa instalação para o seu cachorro Nego, herança de José Dirceu.
Mas Dilma não contava com um visitante indigesto:o mosquito da Dengue. Esse mosquito,tão combatido no país,já derrubou um segurança e uma jornalista de sua assessoria.

Sergio Ross

Para Olides

 

Já vou responder ao Serginho as " pauladas" que ele me dá em público:

1) Foi graças aos tópicos que eu publico que ele já foi entrevistado pela Guaíba pra falar do Juscelino

2) Ele andava no ostracismo, agora taí fazendo leilão( tipo onde vou escrever)
3) Este petiço tem corrida, ele já circulou com gente de muito poder. Sabe puxar o saco certo!

4)E também foi graças a projeção que está tendo aqui que foi sondado pela Folha de S.Paulo pra colaborar na coluna Painel.

5) Não enche,Serginho! Faz teu trabalho que tá bom!( Não abatuma, como certos bolos quando crescem!)


PARA OLIDES


Olides

Tu sabes que eu sou um hipertenso. Diariamente a minha pressão bate recordes olímpicos. Mas hoje, graças a entrevista coletiva do Ministro da Saúde,Gomes Temporão, eu descobri a razão da minha doença...Ah! se eu soubesse tempos atrás,muitos tempos atrás,eu seria outro homem. Poderia hoje comer sal a vontade e comer costelas com bastante gordura. Mas tudo bem. O que há de se fazer? Pô, cinco vezes por semana é realmente um bom tratamento. É pena que essa receita do Ministro só chegou agora para mim...
Ontem à noite depois dos jornais na TV,uma namoradinha minha,ligou para a minha casa,me perguntando se eu havia visto a entrevista do Temporão. Eu disse que sim e ela emendou, me perguntando se eu não queria iniciar logo esse novo tratamento.
Ora Olides,gostaria muito. Mas a receita chegou tarde...
Mas na verdade,pensei em te escrever essas poucas e mal traçadas linhas,para agradecer ao Mazzarino a defesa que fez de mim.
Mazzarino, o Olides não perde por esperar. Como eu já disse a ele,me viram aqui em Brasília, saindo da uma sucursal, de um jornal,que tem grande repercussão no Brasil. Mazarino, ele não paga nada para a gente e só exige trabalho. E o que e pior, me liga diariamente as sete da matina para cobrar pautas que ele inventa. Para tu teres uma idéia,ele me prometeu um queijo da Linha Onze há mais de uma ano e nunca encontra alguem,para trazer o meu presente. Mas Mazzarino,como dizia a Tia Neiva, a mulher que criou o Vale do Amanhecer aqui em Brasília? Deus e pai....
Muito obrigado pelo apoio. Assim que for possível,vou até Encantado te conhecer. Vamos poder conversar muito sobre o nosso companheiro Brizola. Vou te contar a historia que muita gente me desmente. O dia em que o nosso companheiro, decretou a Independência do Rio Grande,numa grande manifestação que aconteceu em Carazinho,quando ele era governador do Rio Grande.
Um abraço

Sergio Ross

O ENGENHEIRO

 

Atenção: Esta é no "fígado"
dos advogados!


Um Engenheiro morreu e

chegou às portas do Céu. (É sabido que os Engenheiros, por

sua honestidade, sempre vão para o céu.

rs...)


São Pedro

procurou a ficha do Engenheiro em seus arquivos mas, como

andava um pouco desorganizado ultimamente, não a encontrou

na montanha de

documentos. Então, ele falou para o

Engenheiro:

- Lamento, mas Seu nome não consta em minha

lista....

Assim, o Engenheiro foi até as portas do Inferno,

onde lhe deram imediatamente moradia e

alojamento.

Pouco tempo

se passou e o Engenheiro se cansou de sofrer as agruras do

inferno.

Ele se pôs,

então, a projetar e construir melhorias.. Com o passar do

tempo, o Inferno já

tinha ISO 9000, sistema de monitoramento de cinzas, ar

condicionado,

banheiros com drenagem, escadas rolantes, aparelhos

eletrônicos,

redes de telecomunicações, programas de manutenção

predial, sistemas de

controle visual, sistemas de detecção de incêndios,

termostatos digitais,

etc...

E o Engenheiro passou a ter uma excelente

reputação.

Um dia, Deus,

estranhando a falta de reclamações que normalmente lhe

chegava das

bandas do Inferno, chamou o Diabo pelo telefone e perguntou

desconfiado:

- Como estão vocês aí no

Inferno?

- Nós

estamos muito bem! Temos ISO 9000, sistema de monitoramento

de cinzas, ar

condicionado, banheiros com drenagem, escadas rolantes,

aparelhos

eletrônicos, internet, etc. Se quiser, pode me mandar um

e-mail para meu

endereço, que é o diabofeliz@inferno. com.

E olhe que

eu ainda nem

sei qual será a próxima surpresa que o Engenheiro nos

reserva!

- O QUÊ?! O QUÊ?! Vocês TÊM um Engenheiro aí

no Inferno?? Isso é um erro! Nunca deveria ter chegado aí

um Engenheiro! Os Engenheiros sempre vão para o Céu; isso

é o que está escrito e já está resolvido. Mande-o de

volta para o Céu

imediatamente!

- De jeito

nenhum! Eu gostei de ter um Engenheiro na organização....

E ficarei

eternamente com ele.

- Mande-o

para mim ou... EU LHE PROCESSO!!.

E o Diabo, dando uma tremenda gargalhada, respondeu

a Deus:

- Ah, sim??

Então, só por curiosidade, me responda: DE ONDE você

TIRARÁ UM ADVOGADO, se

todos estão aqui?

 

Coleguinhas

 

Corneteando " eles"!


* Otto Bede, produtor do Bom Dia, no programa do Mendelski, na Guaíba, tá muito "submisso" ao chefe. É melhor quando está só na produção. Explico: com o luto do locutor oficial do programa, Vladimir Oliveira(morreu a mãe) o Otto ocupa a produção e faz o papel do Vladimir. Mas tem muito " medo" do chefe de quem ele é o produtor. É até natural que assim seja, mas o ouvinte percebe.

*O Mendelski falou,ontem, dia 28/04 no "POLO METAL MECANICO" de Caxias do Sul. Pois quando o governador Synvall Guazzelli assinou o decreto criando este polo, muita gente mudou-se de outros municípios e chegou em Caxias procurando a "sede" do polo a procura de emprego, é claro.

*A FOLHA DE SÃO PAULO, de hoje, dia 29/04 trará reportagem sobre o grupo de intelectuais, ministros, jornalistas que diariamente se reune para almoço no Stella Grill em Brasília. Diz o Serginho Ross, um dos comensais que se trata do grupo mais inteligente da Capital Federal.Sei não?

* Fábio Marçal continua com seu bom boletim que manda de manhã pro programa Bom Dia, na Guaíba. Rápido e rasteiro, como o ouvinte gosta.Sem encher muita linguiça....

* Vocês repararam que quando repórter não conhece o assunto, ele começa a trovar, encher linguiça. O cara que tá sabendo vai direto ao assunto

Coleguinhas

 

Olha, fui mexer com o " Mazza" e ele veio a milhão!!!!

Recebi outro mail do Laurinho, que está em Portugual.
Pra sintetizar, ele diz que eu sou IRRECUPERÁVEL. Só isto! E pior, depois eles se queixam que eu publico tudo. Quem manda deixar estas bolas picando na entrada da pequena área....

Seu mala, o único cara que tá com a agenda mansa e imexível é o Roberto
Carlos, cantor. Eu tô correndo atrás.
Se tu tiveres paciência as morangas se ajeitam.
Renovo: férias, vinho, Rio Carrero e uns caras de Encantado para botar
pilha.

abraço,
mazzarino


Humor

 

Advertência:

Prezado editor.

Todo mundo gosta de pegar no pé do ENEM. Vamos combinar que isto tudo não seja do ENEM, mas publico para rirmos um pouco, porque como dizia o mestre Charles Chaplin, um dia sem riso é um dia perdido. O autor

Chegaram as tão esperadas pérolas anuais!!!
DIVIRTAM-SE.


MAIS PÉROLAS DO ÚLTIMO ENEM - EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO


'O sero mano tem uma missão...'
(A minha, por exemplo, é ter que ler isso!)

'O Euninho já provocou secas e enchentes calamitosas. .'
(Levei uns minutos para identificar o El Niño...)

'O problema ainda é maior se tratando da camada Diozanio!'
(Eu não sabia que a camada tinha esse nome bonito)

'A situação tende a piorar: o madereiros da Amazônia destroem a Mata Atlântica da região.'
(E além de tudo, viajam pra caramba, hein?)

Não preserve apenas o meio ambiente e sim todo ele.'
(Faz sentido)

'O grande problema do Rio Amazonas é a pesca dos peixes'
(Achei que fosse a pesca dos pássaros.)

'É um problema de muita gravidez.'
(Com certeza...se seu pai usasse camisinha, não leríamos isso!)

'A AIDS é transmitida pelo mosquito AIDES EGIPSIO.'
(Sem comentário)

'Já está muito de difíciu de achar os pandas na Amazônia'
(Que pena. Também ursos e elefantes sumiram de lá)

'A natureza brasileira tem 500 anos e já esta quase se acabando'
(Foi trazida nas caravelas, certo ?)

'O cerumano no mesmo tempo que constrói, também destroi, pois nos temos que nos unir para realizarmos parcerias juntos.'
(Não conte comigo)

'Na verdade, nem todo desmatamento é tão ruim. Por exemplo, o do Aeds Egipte seria um bom beneficácio para o Brasil'
(Vamos trocar as fumaças pelas moto-serras)

.... menos desmatamentos, mais florestas arborizadas. '
(Concordo! De florestas não arborizadas, basta o Saara!)


'Isso tudo é devido ao raios ultra-violentos que recebemos todo dia.'
(Meu Deus...... Haja pára-raio!)

'Tudo isso colaborou com a estinção do micro-leão dourado.'
(Quem teria sido o fabricante? Compaq ? Apple? IBM?)

'Imaginem a bandeira do Brasil. O azul representa o céu , o verde representa as matas, e o amarelo o ouro. O ouro já foi roubado e as matas estão quase se indo.. No dia em que roubarem nosso céu, ficaremos sem bandeira..'
(Caraca! Ainda bem que temos aquela faixinha onde está escrito 'Ordem e Progresso'..)

'.... são formados pelas bacias esferográficas. '
(Imaginem as bacias da BIC.)

'Eu concordo em gênero e número igual.'
(Eu discordo!)

'Precisa-se começar uma reciclagem mental dos humanos, fazer uma verdadeira lavagem celebral em relação ao desmatamento, poluição e depredação de si próprio...'
(Putz, que droga é essa?)

'O serigueiro tira borracha das árvores, mas não nunca derrubam as seringas.
(Esse deve ter tomado uma na veia)

'Vamos deixar de sermos egoistas e pensarmos um pouco mais em nos mesmos.'
(Que maravilha!)

'As chuvas foram fortes, mas não tivemos danos morais'
((Palavra de algum vereador de astorga (quem seria processado? São Pedro?))

 

TECNOSINOS TERÁ CENTRO
TECNOLÓGICO DE ALIMENTOS

 



O Parque Tecnológico de São Leopoldo - Tecnosinos - já é um dos três maiores do Brasil e dentro de um ano passará a contar, também, com um polo de Nutracêutica e Alimentos Funcionais. A informação foi prestada pela diretora do Tecnosinos, Susana Kakuta, ao falar no café da manhã Bom Dia Engenharia realizado hoje (28) no auditório da Sociedade de Engenharia do Rio Grande do Sul (Sergs). Explicou que a nova especialidade será referência em termos de América Latina, tendo por objetivo contribuir para o desenvolvimento do agronegócio, através da agregação de valor aos produtos do setor. Terá um centro de inovação e prototipagem, área de prestação de serviços tecnológicos e área para abrigar unidades de pesquisa e desenvolvimento de empresas do setor de alimentos. Conforme Susana, o Tecnosinos está completando 10 anos de instalação, reunindo 53 empresas que faturam R$ 1,0 bilhão anuais e geram 2.100 empregos diretos. Em sua maioria, as empresas atuam nos segmentos de tecnologia da informação, automação e engenharia e comunicação e convergência digital. Conta, ainda, com 38 empresas incubadas.

Todt Comunicação

 

RODADA DE NEGÓCIOS BUSCA AUMENTAR
AS EXPORTAÇÕES GAÚCHAS DE ARROZ

 




Até esta quinta-feira (29) o Rio Grande do Sul está recebendo uma comitiva de 10 importadores de arroz, representando a Argentina, Costa Rica, Equador, Guatemala, Índia, Suriname, Emirados Árabes, Uruguai, Bélgica, El Salvador, Nigéria e Angola. Eles vem para participar da 2ª Rodada Internacional de Negócios com 15 indústrias gaúchas de beneficiamento de arroz da Zona Sul do Estado, organizada pela Ei-Log Export, Import and Logistics com o objetivo de expandir as exportações gaúchas do cereal. O diretor de mercado da empresa, Fernando Curi Estima, lembra que a realização da Rodada faz parte de um esforço maior que objetiva promover o marketing do arroz brasileiro no mercado internacional. ?Nosso País já acumula modelos de sucesso, neste sentido, com o café, açúcar, soja, carnes bovina e de frango, por exemplo. Entretanto há outros itens em que é possível avançar, como é o caso do arroz, e o Rio Grande do Sul tem tudo para liderar este processo, pois participa com mais de 60% da produção brasileira?. Além da promoção de Rodadas de Negócios anualmente, outro propósito é a participação em feiras e exposições do setor de alimentos no exterior, como o SIAL em Paris, Anuga na Alemanha e a Gulfood em Dubai, entre outros eventos especializados. ?A participação em feiras facilita o contato com importadores aumentando a visibilidade dos produtos brasileiros?, explica Estima. Na primeira edição da Rodada, que ocorreu em 2009, foi obtido como resultado a exportação de cerca de 400 toneladas de arroz, para países como Bélgica e África Ocidental. Na segunda edição da Rodada, a expectativa é de abrir novas oportunidades no mercado internacional às industrias brasileiras. ?A meta, a médio prazo, é de obter volumes médios de exportação de 1,2 milhão de toneladas/ano, ou seja, algo em torno de 10% da produção total?, completa. Os organizadores do movimento destacam como fundamental para o sucesso da iniciativa o engajamento dos vários agentes de fomento, como o IRGA, instituições financeiras (BB e HSBC), empresas de logística e operadores portuários, como a Supermar S/A (grupo Supermaritime da Holanda), Shiploader Logistic e o Tecon-RG. O grupo de importadores visitará indústrias de arroz e os terminais portuários do porto de Rio Grande, além de cumprir agenda de negociações com empresários do setor.
Todt Comunicação

 

 

 

Vulcão da Islândia ainda provoca suspensão de viagens a brasileiros

 


Agora se sabe alguns dos transtornos provocados pelo recente vulcão da Islândia, que paralisou os voos na Europa, provocando prejuizos de bilhões de euros.
Até no Brasil isto teve efeito.Rebecca Schumacher, que tem cidadania alemã ia viajar com a mãe, Ingrid para Nova Iorque nesta semana. Como as duas têm passaporte alemão, não precisam de visto.Mas o passaporte alemão da Reveca tinha ido para a Alemanha para renovar porque ele venceria em três meses e para ingressar nos Estados Unidos tem que ter seis meses,digamos, assim, de adianto( pela frente...)

Reveca pediu renovaça e com o problema dos voos da Europa para o Brasil, a chegada do seu passapoarte atrasou.Era para ter chegado na semana passada, mas o consulado alemão em Porto Alegre a informou que não poderiam contar com ele aqui esta semana( não deram certeza!)

Então, mãe e filha, que iriam visitar a irmã Claudia, que mora em Nova Iorque adiaram a viagem para junho, mas na CVC para desmarcar a viagem pagaram multa.
Não adiantou a alegação do problema dos voos atrasados por causa do vulcão.

 

De São Borja

 

 

A ZH de terça,dia 27/04, noticiou que uma imagem de São Francisco de Borja estaria viajando do Rio de Janeiro para São Borja, onde deverá,ainda segundo esta notícia, chegar na sexta-feira, dia 30/04.
Já o bem informado colunista da Folha de São Borja, Deco Almeida, deu na sua coluna de sábado passado,24/04 que a imagem do santo missioneiro não iria ser transladado para São Borja e continuaria na casa de Denise Goulart, filha do ex-presidente Jango e de Maria Thereza Fontella Goulart. A nota de Deco informa que a ex-primeira dama teria desistido de devolvê-la as suas origens.
Sinteticamente, a história do sumiço da imagem de São Francisco de Borja e de seu possível retorno é a que segue:

Durante a Guerra do Paraguai, da Tríplice Aliança, em 1865, os paraguaios invadiram São Borja,saquearam a cidade levando entre outras coisas objetos de arte, imagens missioneiras da Igreja matriz. Entre elas estava a imagem em madeira, tamanho natural, de São Francisco de Borja, terceiro na sucessão jesuíta da Companhia de Jesus. Em 1962, tendo João Goulart como Presidente da República, o Brasil inicia as negociações com o Paraguai do Presidente Alfredo Strossner para a construção de Itaipu.

Num desses encontros, Strossner tomando conhecimento de que João Goulart era de São Borja, resolve devolver o troféu, " botin de guerra", pois haveria uma lenda de que para o lugar progredir seu Santo Padroeiro deveria retornar ao local de origem, neste caso a Igreja Matriz de São Borja. O santo foi entregue a Joao Goulart tempos depois mas este não teve tempo de trazê-lo para São Borja devido às circunstâncias que envolveram seu mandato( foi deposto pelo golpe militar de 31 de março de 1964).
O santo permaneceu com a família Goulart e por diversas vezes saiu e acabou retornando a família. Uma das vezes foi devolvido empacotado. Agora noticia-se que estaria viajando de volta a São Borja.
Se isto realmente vier a acontecer, os titulares da Igreja São Francisco de Borja, respectivamente padre Irineu Machado e Padre José Augusto deverão organizar uma grande recepção.

 

Não se anistia o nazismo. Nem a tortura.

 


Pedro Simon*

O Supremo Tribunal Federal terá nesta quarta-feira a oportunidade de reconciliar o país com sua história, de ajustar a memória à verdade, lavando uma ferida que ainda sangra e machuca.
O STF julgará, enfim, a Argüição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) n° 153, proposta em outubro de 2008 pelo Conselho Federal da OAB.
O que pede a OAB é simples: que o STF interprete o Artigo 1° da Lei da Anistia declarando, de forma clara e definitiva, que a anistia não se aplica aos crimes de tortura praticados por agentes da repressão durante o regime militar de 1964. Tortura e desaparecimento forçado são crimes de lesa-humanidade, imprescritíveis. Não podem ser objeto de anistia ou auto-anistia. Lei nenhuma, no Brasil ou no mundo, acolhe ou a reconhece a tortura.

O Brasil é o único país da América Latina que ainda não julgou criminalmente quem torturou e matou. Ao longo de 21 anos de regime autoritário, vicejou aqui um sistema repressivo estimado em 24 mil agentes que, por razões políticas, prendeu cerca de 50 mil brasileiros e torturou algo em torno de 20 mil pessoas – uma média de três torturas a cada dia de ditadura.
"Anistia não é amnésia", lembrou o ex-presidente da OAB, Cezar Britto. Tortura não é crime político. É pior: é um grave atentado à dignidade humana — ontem, hoje e sempre. Torturadores que atentaram contra a vida e a dignidade não são esquecidos em todos os lugares, em todos os tempos. É por isso que, até hoje, criminosos de guerra nazista, apesar de seus 80 ou 90 anos, ainda são caçados. Não é pelo prazer da caça, mas pelo dever moral que a civilização tem de lembrar a todos que seus crimes não se apagam, não se perdoam.
No Tribunal de Nuremberg, que julgou os criminosos nazistas da II Guerra Mundial, a defesa dos principais chefes do III Reich alegou que eles apenas "cumpriam ordens". O juiz americano Francis Biddle fulminou esta tese com uma frase imortal: "Os indivíduos têm deveres internacionais a cumprir, acima dos deveres nacionais que um Estado particular possa impor". Ficou assim encravado na consciência moral do mundo que todos nós somos responsáveis pelos atos que praticamos. Ninguém é inocente para "cumprir ordens" contra a lei, a moral, a ética e a verdade.
Ninguém, neste país, tinha ordens para torturar. Nem mesmo o AI-5, a lei mais dura do período mais sangrento do regime de 64, mencionava ou liberava o uso da tortura. Os torturadores têm algo em comum: eles têm vergonha do que fizeram. É um crime, portanto, sem pai nem mãe.
Anistia não é esquecimento, é perdão. Não se pode esquecer o que não se conhece. Também não se pode perdoar o que não foi punido – privilégio imaculado de todos os torturadores que ainda existem no país.
O nazismo não merecia a amnésia, muito menos a anistia. A tortura, também.
O historiador americano Edward Peters, da Universidade da Pensilvânia, escreveu: "O futuro da tortura está indissoluvelmente ligado ao futuro dos torturadores". No berço da tortura não punida nasceu a impunidade da violência não resolvida do Brasil — antes na ditadura, agora na democracia. A impunidade do torturador acaba garantindo a perenidade da tortura e de sua filha dileta, a violência.
O Brasil que evita punir ou sequer apontar os torturadores da ditadura acaba banalizando a violência que vitimiza o cidadão comum em plena democracia. Esta mesma impunidade que nasceu nos quartéis sobrevive hoje nas ruas.
A tortura é verdade. A verdade sob tortura é mentira. Esconder da história a verdade é a maior de todas as mentiras. Não podemos ser cúmplices.
O esquecimento da história é o berço da impunidade. E a impunidade é ancestral da violência.
Punir os torturadores, de hoje e de ontem, não é revanchismo.
É uma obrigação moral e ética de um país que deve olhar sem medo, para trás, para encarar sem receios o caminho que tem pela frente.
Vamos lavar e cicatrizar nossas feridas, acatando o pedido da OAB e os clamores de um país consciente de seu passado e confiante em seu futuro.

* Pedro Simon é Senador pelo PMDB-RS.

 

Simon X
Ditadura Militar

 


Na homenagem pelos cinquenta de vida pública que está sendo feita ao senador Pedro Simon há um pequeno tópico onde se lembra sua atuação na ditadura militar. Apenas com fotos.Sempre se perguntou muito sobre a atuação de Simon durante o período ao qual ele sempre se referiu como " do arbítrio".
Simon nunca usou, pelo menos em público, a palavra ditadura.
Era neste assunto, segundo o advogado Nereu Lima, um "radical da prudência"!
Para os mais jovens, DOPS era a polícia política do tempo da ditadura. Somente citar o DOPS fazia com que as pessoas desfizessem a rodinha e sumissem.


Pedro Simon e a ditadura militar

Coleguinhas

 

Polo Metal Mecanico...

O editor Antônio Suliani, da editora Letra e Vida, me ajuda neste episódio que o pessoal ia a Caxias do Sul procurar emprego depois que o Governador Synval Guazzelli decretou que a cidade era o Polo Metal Mecânico.

"Aconteceu,sim,diz Suliani.

Vinha muita gente de outras cidades procurando emprego no tal Polo, achando que fosse uma grande empresa nova sendo instalada. Está no Pioneiro, só não sei o ano.

Caxias tem sido um verdadeiro ímã de pessoas/famílias em busca de emprego por causa do número e dimensão da indústria, sobretudo a metal-mecânicaa. Quase todas sem preparo técnico e por isso "sobrando" na periferia e quando muito conseguindo subempregos. Houve época em que a prefeitura levava ( de caminhão) grupos de volta aos locais de origem( com a mudança que haviam trazido) porque sequer conseguiam onde moarr e não tinham dinheiro para voltar.

Dizem, por exemplo, que há mais "bom-jesuenses em Caxias do que em Bom Jesus. Si no é vero, é bene trovato, e possibele.

É fácil verificar que municípios sem indústrias têm pouco comércio e serviços, e portanto, os empregos são escassos. Não é difícil concluir por que a migração para centros maiores, sobretudo com potencial industrial.
Antônio Suliani( que foi morador de Caxias do Sul)

Coleguinhas

 

* Estou tendo "coceira" pra publicar o bilhete que o Lauro Dieckmann me mandou de Portugual. Mas, como ele diz, não posso porque estou " sujissimo" com ele. Não sei o motivo!!!!! E ele mandou direto pra blogueira. Nem mais passa por mim? Diz o emissário que mandou a matéria em atenção ao Nelson Moura que ele encontrou no ônibus e lhe pediu pra enviar....Ah, eu sabia, o Moura sempre foi meu amigo!

* O Serginho Ross usou num chasque dele o termo Eixo Rio-São Paulo( ah, lembrei é no texto da Brigitte Bardot nuazinha). Acho que aquela história dele é atochada do amigo dele. Nesta eu não acredito. A BB no esplendor dos anos ali, nuazinha, e o cara não fazer nada? pera aí, conta outra.....

 

João Antônio vai abrir um bar na Maryland


o Abbey Road foi vendido pelos ex-proprietários, João Antônio e Júlio Furst, para o dono do DRAKAR, de Floripa.foto do Abbey Road,da Plínico Brasil Milano, do acervo de Julio Furst.


O ex-sócio do Sargent Peppers, da dona Laura, no Moinhos de Vento e do Abbey Road, na Plínio Brasil Milano, João Antônio - que até hoje é lembrado por ter estrelado uma campanha de casacos da Tevah - vai abrir um bar na rua Maryland, esquina com a Mata Bacellar, na Auxiliadora, num local que se tornou ponto de gastronomia e de lazer na noite de Porto Alegre.
João Antônio era sócio do locutor Júlio Furst no empreendimento noturno Abbey Road, que eles venderam há cerca de dois anos.

No local onde estava o Abbey Road, o novo proprietário fez uma reforma geral e instalou uma filial de um bar que funciona muito bem em Florianopolis, na Lagoa da Conceição, chamado Drakar.

 

OS LIVROS DE JK


Por Sergio Ross


O presidente Juscelino, assim que voltou do exílio resolveu escrever sua história. Se cercou então dos imortais, Carlos Heitor Cony e Josué Montello, que acabaram escrevendo não um só livro, mas quatro.
JK, feliz da vida com a sua obra, deu aos livros os seguintes títulos: MEU CAMINHO PARA BRASÍLIA, 50 ANOS EM 5, PORQUE CONSTRUI BRASÍLIA E A ESCALADA POLÍTICA.

Sergio Ross

OS LIVROS DE JUSCELINO



O seu Adolpho, mais feliz ainda do que JK, deu ordem para que os livros fossem impressos. Como bom gráfico que era, usou o melhor papel que tinha na gráfica em Parada de Lucas. Mandou os melhores diagramadores que tinham na casa para montar a obra de JK. Na capa, usou papel grosso e muitas cores. Na verdade era uma obra prima o trabalho com que o Adolpho pretendia inundar o Brasil. Mas havia um problema. Havia a censura, que liberava ou não, qualquer trabalho gráfico que fosse para as bancas ou livrarias. Aí então começou a correria.
Seu Adolpho me mandou então, os textos originais dos quatro livros, para que eu os levasse até ao Ministro da Justiça, Armando Falcão, que deveria liberar ou não os livros. Imediatamente liguei para a dona Lourdinha, secretaria do homem, pedindo uma audiência. Para a minha surpresa, ela me disse que eu poderia ir ao gabinete a qualquer hora daquele dia. Peguei o pacote dos livros, por sinal um pacote muito bem feito e me toquei para o Ministério. O ministro me recebeu com cara de poucos amigos se bem que aquela cara era a que usava quando estava diante de um jornalista, pois nunca “tinha nada a declarar...”
Como eu já o conhecia muito bem,levei o encontro na esportiva e pedi que ele lesse os livros e se possível, liberasse para a devida impressão. O ministro Falcão me pediu 15 dias para ler os livros. Passada só uma semana, me chamou no seu gabinete e me entregou o pacote bem feitinho como estava. Não havia aberto o pacote e foi logo me dizendo, que aqueles livros não poderiam ir para as livrarias e bancas de jornais. Humildemente agradeci, peguei o pacote e me mandei para a sucursal, para dar a triste notícia ao seu Adolpho.
Assim que o seu Adolpho atendeu o telefone, foi logo me fazendo a sua clássica pergunta que fazia quando falava comigo. Não dava nem bom dia, nem boa tarde, só perguntava: “Você está fodendo muito”? Não respondi nada porque estava ansioso para a dar a triste notícia. Mas antes que eu abrisse a boca, como um adivinho que era, me atropelou:”Pega os livros e leva então para o teu conterrâneo. O meu conterrâneo era o General Golberi, que era de Rio Grande e Chefe da Casa Civil do meu outro conterrâneo, o Presidente Geisel.

Com os livros de baixo do braço, corri para o Palácio do Planalto. Não liguei o telefone para pedir uma audiência. Fui no peito e na raça. O Ministro me mandou logo entrar no seu gabinete e com a cara de brabo que na verdade também não era muito brabo, me perguntou: “Petiço, o que tu queres desta vez??? (a pergunta cabia, pois eu vivia pedindo coisas para Bento...) Contei,que estava levando para ele, os originais dos livros do Presidente Juscelino, para o seu conhecimento, pois queria liberá-los na censura. A velha raposa riograndense nem deixou eu terminar a frase e mandou brasa: “Tchê guri...se o ministro Falcão não liberou os livros, eu não posso liberar também...” e deu por encerrado o assunto.
Novamente, com os livros de baixo do braço,voltei para a sucursal, disposto a não dar num mesmo dia duas noticias desagradáveis ao seu Adolpho.
No dia seguinte, apareceu na hora do almoço, como fazia diariamente, o meu amigo General Hélio Lemos, um gorilão de primeiro time que estava no gabinete do General Silvio Frota então ministro do Exército e que depois tentou dar o golpe no Presidente Geisel. O general Hélio Lemos foi um dos comandantes da rebelião e era um grande amigo do Aluísio Paraguaçu, que está aí em Porto Alegre e poderá confirmar a história. Me viu triste e foi logo perguntando porque eu estava triste. Contei a ele então a história do Ministro Falcão e a história do Golbery. Para minha surpresa ele me perguntou se eu tinha os livros na sala. Disse que sim e mostrei a ele o pacote bem feito do seu Adolpho e que não havia sido tocado. O general chamou seu motorista e mandou levar o pacote para o seu carro. Me disse: “Me dá dez dias que eu te dou uma posição...Agora vamos almoçar que estou com fome...”

Os Irmãos Karamabloch

JK e o editor Adolpho Bloch caminham no calçadão de Copacabana

 



Passado uma semana, o general apareceu na sucursal foi logo me dizendo: “Ligue agora para o Adolpho e diz a ele que pode botar os livros nas bancas, pois está tudo liberado...”
Nessa hora o Paraguaçu entrava na minha sala com o seu amigo Nelson Marchesan outro freguês do meu restaurante. Cheio de coragem e com a presença dos dois gaúchos fui dizendo ao General: “Calma general...o senhor tem quatro estrelas ai no ombro. Está na ativa e pode falar isso. Mas e eu que não tenho nenhuma estrela e ainda sou amigo do Paraguaçu? Aí eu ouvi a frase que até hoje me impressiona: “Olha Sergio,não tem ninguém com culhões hoje aqui em Brasília, para liberar os livros do teu amigo JK. Como também não tem ninguém com culhões para mandar prender os livros. Pode botar os livros nas bancas que eu me garanto...” Olhei para o Paraguaçu que estava mais assustado do que eu e liguei para o Rio. Mas antes de falar com o seu Adolpho, liguei para a Gráfica da Empresa, que ficava em Parada de Lucas, para falar com um outro conterrâneo. Era o Johny Bueno, de Mussum e que comandava o Parque Gráfico com mãos de ferro. Um gauchão competente e gentilíssimo. O Johny, assim que atendeu o telefone foi logo me dizendo que já não agüentava mais o seu Adolpho, que sem autorização de Brasília, já havia mandado imprimir todos os cinco livros e ameaçava mandar tudo para as bancas no dia seguinte. Tranqüilizei o Johny, dizendo que ia dar ao seu Adolpho a boa notícia.
O velho, quando atendeu o telefone foi logo me dizendo, antes que eu dissesse qualquer coisa: “quero que esses milicos se fodam... já mandei botar os livros nas bancas...”
Os livros foram para as bancas. Foi o terceiro maior encalhe que a empresa teve em toda a sua história. Primeiro encalhe foi a Manchete quando deu na capa o Paulo Malluf em uma cama de hospital com a perna engessada, pois tinha caído de um cavalo. O seguinte, foi quando publicamos o Brizola e dona Neuza, na capa, anunciando a sua volta ao Brasil.

 


Bilhete do secretário de Geisel, Heitor Aquino, para o diretor da Manchete, em Brasília.


Carta do presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira para o presidente Ernesto Geisel onde ele conta porque escreveu suas memórias.

Os acervos são de Sérgio Ross.

SERGS DEBATE TECNOSINOS
E FUTURO DA ENGENHARIA



A diretora do Tecnosinos, Susana Kakuta, será a palestrante do café da manhã Bom Dia Engenharia que a Sociedade de Engenharia do Rio Grande do Sul – Sergs – realiza nesta quarta-feira (28) às 8h30min em sua sede social – Trav. Eng. Acylino de Carvalho, nº 33 – 7º andar. Falará sobre o tema “Tecnosinos e o Polo Tecnológico de Alimentos”. Às 12h15min, na sede social da Sergs, na Av. Coronel Marcos, 163, bairro Pedra Redonda, estará reunido o Conselho Deliberativo da entidade. Serão palestrantes o presidente do CREA-SP e da Febrae, eng. José Tadeu da Silva, que falará sobre “A Engenharia no Brasil: Perspectivas de Futuro” e o presidente do CREA-RS, eng. Luiz Alcides Capoani, que abordará o tema “Integrando Profissionais e Sociedade”.

Todt Comunicação

Coleguinhas

 

* Luis Carlos Fiorin vai embora mesmo de Serafina Correa, onde atuou nos últimos 14 anos na Odisséia FM.Seu programa Rede Cidades era líder de audiência nas manhãs de Serafina. Mas os donos da rádio resolveram torná-la mais " ligth" e Fiorin não abriu mão de fazer o jornalismo que faz.

* Não acho o Fiorin nenhum herói pela atitude que tomou. Até porque, como diz o Cazuza, meus heróis morreram todos de OVERDOSE!
Mas o colega foi coerente com o que gosta de fazer e pronto.
Já colocou à venda até a" cobertura" que mora em Serafina(algum coleguinhas se habilita a comprar???)e sua esposa, a Daiana, irá residir em Paraí, de onde é, e ele muda-se para Bento Gonçalves, em Julho, onde vai apresentar um programa numa rádio que o Mazzarino conhece.

* Rogério Mendelski, em seu blog, encheu a bola da Ana Amélia Lemos. Aí que mora o perigo do Germano Rigotto, o candidato do PMDB que concorre,digamos, ao senado, na mesma faixa ideológica. O Paim é outra história....

*O Nelson Moura coleguinha que sempre colabora comigo - não tenho queixas dele - fez um protesto sobre o que coloco no ar. O leitor tem uma relação de amor e ódio com o que lê...isto é da vida!

*Fiquei impressionado com o Júlio Furst, da Itapema FM. Precisei agendar uma entrevista com ele e o fez sem grandes delongas. Ao contrário de umas " celebridades" por aí que se fazem de dificeis....É o que diz o ditado,aquele: o bom geralmente é simples...

* O colega Benvegnu, que é de um município localizado na "GRANDE SERAFINA CORREA" é que está assessorando a campanha do PP.

* Laurinho Dieckmann embarcou ontem ao meio-dia pra São Paulo e de lá voaria para Madrid no seu mais atual giro pela Velha Europa.


* Uma vez ( aliás a única que estive na Europa) voei do Rio para Madrid( e de lá para Paris) num vôo da Aerolíneas Argentinas. Nunca tomei tanto vinho argentino, como naquela noite. Como era fevereiro, tinha passado um sábado e um domingo na praia do Pepino, em São Conrado e de lá fui pro frio da Europa. Em três dias de Paris, sob neve, perdei toda a pele, por causa da calefação.

Coleguinhas

 

*Foi só o Gutto Villanova que tem um programa na rádio da UFRGS "ameaçar" me entrevistar que choveram solicitações querendo que eu avise quando esta já célebre entrevista for ao ar.

Mas se ela não acontecer, serei obrigado a colocar um desmentido na capa de um diário de grande circulação,dizendo que o Guto me convidou e eu não quis dar a entrevista.

Farei o que Tancredo Neves fez uma vez com um " oferecido" que queria participar do seu governo em Minas.
- Dr. Tancredo, o que eu digo pra imprensa, querem saber se eu vou ser secretário?
Ao que o matreiro político respondeu:

- Diz que eu te convidei e tu não aceitou!

 

EU VI BRIGITE BARDOT
PELADINHA!!!

 


Eu tenho um amigo de muitos anos,hoje um destacado empresário que vive
no eixo Rio – São Paulo. Foi casado com uma gaúcha que atualmente vive
no sul.
Mas antes desse casamento,era um tremendo playboy. Tinha em Buzios,
quando aquilo era uma vila de pescadores uma tremenda casa,uma mansão,
onde até hoje, passa, quase todos os seus fins de semana.

Em 64,a Brigite Bardot veio ao Brasil,trazida pelo seu namorado,Bob
Zaguri,um marroquino, produtor de cinema e que tinha vivido por muitos
anos no Rio. Muito amigo desse meu amigo playboy.
BB, como ela era mais conhecida, badalou pelo Rio como nunca. Para
descansar,o Bob Zaguri pediu ao meu amigo a casa de Buzios emprestada.
Pra lá se tocaram todos os amigos desse meu amigo e claro, ele, o dono
da casa.
Certa noite,ou melhor certa madrugada, o meu amigo teve sede e
resolveu ir até a cozinha beber um pouco de água. Quando foi chegando
perto da cozinha,viu que a luz estava acessa. Foi entrando e …
a grande surpresa. Brigite nuazinha em pelo,também estava na cozinha,
para beber água.

Meu amigo, pego de surpresa, pediu desculpas e começou a se retirar da
sala. BB,completamente desinibida,o convidou para sentar na mesa,pois
estava sem sono e gostaria de conversar um pouco. Meu amigo, meio
constrangido se bem que era um tremendo “sacana”,concordou e por mais
de 30 minutos ficou diante daquele monumento considerado na época, “a
devoradora de homens”. A mulher mais desejada do mundo.
Estou escrevendo esta história agora porque dias atrás, ele esteve em
Brasília e na mesa de um hotel cinco estrelas (por ordens do Olides,
não posso mais citar o nome de restaurantes ou bares, onde eu como ou
bebo), conversamos muito para matar a saudades do tempo em que vivi no
Rio. Mas aí, não me agüentei e quis saber como ele tinha reagido ao
papo de mais de meia hora, com BB, peladinha como veio ao mundo. Ele
um verdadeiro cavalheiro, desconversou e pediu ao garçom mais uma doze
do whisky...Pouco depois ele subiu para o seu quarto e eu fui para a
minha casa, pensando como eu reagiria ficar sentado diante da mulher
mais cobiçada do mundo, completamente pelada...

Sergio Ross

 

 

Bichos & Amigos estréia novo endereço do brechó


Neste domingo, dia 2 de maio, será realizado o primeiro brechó do ano da ONG Bichos & Amigos, estreiando a nova sede - rua Aliança, 289, Jardim Lindóia, a duas quadras do Shopping Lindóia, Porto Alegre. O evento acontece das 10h às 18h, com venda de roupas femininas, masculinas e infantis, calçados, bijouteria, enfeites, livros, CDs, LPs, equipamentos e outros. Toda a renda obtida é destinada ao sustento de mais de 150 gatos e cachorros acolhidos pela entidade, além de tratamento veterinário, esterilização e despesas afins. Informações em www.bichoseamigos.org.br, 51-8461-5077 ou bichoseamigos@bichoseamigos.org.br. Os animais agradecem.

 

 

 

APOSENTADOS

 

 

O Governo Lula, do PT, ao que parece, está contra o ?aumento do aumento? dos aposentados que recebem mais de um salário mínimo, embora este ?aumento do aumento? não passe de migalhas. Uns querem que os 6,14%, dados em janeiro, passe para 7%, ou seja, mas 0,86% ( 7 ? 6,14 ); outros sugerem que passe para 7,7%, isto é, mais 1,56% ( 7,7 ? 6,14 ). Sendo aprovado, ou não, os aposentados que recebem mais que o mínimo continuarão com sua via crúcis, vendo seus benefícios minguarem ano após ano..
E a aposentadoria do Lula ?
Lula tem uma aposentadoria especial para anistiado político, concedida em 1996 e requerida um ano antes, que retroagiu a 5/10/1988, um dia antes de ele completar 43 anos ( o companheiro - deles - presidente tinha 22 anos de serviço, na ocasião ), por ter ficado preso cerca de 30 dias numa sala (não foi em presídio), ao fim dos quais, além de receber uma indenização ao redor de R$ 100 mil, obteve uma aposentadoria privilegiada , acima do teto do INSS ( atualmente R$ 3.416,54 ), que hoje soma por volta de R$ 5.500,00, ISENTA DO IMPOSTO DE RENDA. E Lula não foi torturado.
Solução para os demais aposentados ?
Pedir a equiparação com o Lula, ou seja, ficariam em prisão domiciliar sem poder sair de dentro de casa por 30 dias, ao fim dos quais receberiam, também, uma indenização de cerca de R$ 100 mil e teriam a aposentadoria reajustada para R$ 5.500,00, ISENTA DO IMPOSTO DE RENDA ( OU IMPOSTO SOBRE SALÁRIO ). Os aposentados, faz tempo, estão sendo torturados pela defasagem de seus benefícios.
Disse o Alexandre Padilha, o substituto da Dilma:
?Ficou evidente que, nas últimas semanas, não existe mais esta proposta de 7%. Esta proposta desapareceu. Em função disso,o Governo mantém os 6,14%. Esse Governo fez e vai continuar fazendo mais pelos aposentados.?
Repetindo: Esse Governo fez e vai continuar fazendo mais pelos aposentados.
Como piada não tem a menor graça.
A defasagem dos aposentados que recebem mais que um salário mínimo:
1. No Governo FHC : 18,77%
2. No Governo Lula : 43,83%
Um último dado: de 2003 até 2009 o Governo Lula gastou R$ 7,7 bilhões em publicidade, ou seja, uma média de R$ 1,1 bilhão ao ano. Dizem que, se o ?aumento do aumento? for concedido, as despesas aumentarão em cerca de R$ 1 bilhão/ano. O dinheiro da publicidade.

SERGIO OLIVEIRA

 

Tá reclamando de quê?

 

Tá Reclamando do Lula? do Serra? da Dilma? do Arrruda? do Sarney? do Collor? Do Renan? do Palocci? do Delubio? Da Roseana Sarney? Dos politicos distritais de Brasília? do Jucá? do Kassab? dos mais 300 picaretas do Congresso? E você?

Brasileiro Reclama De Quê?
O Brasileiro é assim:
1. - Saqueia cargas de veículos acidentados nas estradas.
2. - Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.
3. - Suborna ou tenta subornar quando é pego cometendo infração.
4. - Troca voto por qualquer coisa: areia, cimento, tijolo, dentadura.
5. - Fala no celular enquanto dirige..
6. -Trafega pela direita nos acostamentos num congestionamento.
7. - Para em filas duplas, triplas em frente às escolas.
8. - Viola a lei do silêncio.
9. - Dirige após consumir bebida alcoólica.
10. - Fura filas nos bancos, utilizando-se das mais esfarrapadas desculpas.
11. - Espalha mesas, churrasqueira nas calçadas.
12. - Pega atestados médicos sem estar doente, só para faltar ao trabalho.
13. - Faz "gato" de luz, de água e de TV a cabo.
14. - Registra imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.
15. - Compra recibo para abater na declaração do imposto de renda para pagar menos imposto.
16. - Muda a cor da pele para ingressar na universidade através do sistema de cotas.
17. - Quando viaja a serviço pela empresa, se o almoço custou 10 pede nota fiscal de 20.
18. - Comercializa objetos doados nessas campanhas de catástrofes.
19. - Estaciona em vagas exclusivas para deficientes.
20. - Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se fosse pouco rodado.
21. - Compra produtos piratas com a plena consciência de que são piratas.
22. - Substitui o catalisador do carro por um que só tem a casca.
23. - Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do ônibus, sem pagar passagem.
24. - Emplaca o carro fora do seu domicílio para pagar menos IPVA.
25. - Freqüenta os caça-níqueis e faz uma fezinha no jogo de bicho.
26. - Leva das empresas onde trabalha, pequenos objetos como clipes, envelopes, canetas, lápis.... como se isso não fosse roubo.
27. - Comercializa os vales-transporte e vales-refeição que recebe das empresas onde trabalha.
28. - Falsifica tudo, tudo mesmo... só não falsifica aquilo que ainda não foi inventado.
29. - Quando volta do exterior, nunca diz a verdade quando o fiscal aduaneiro pergunta o que traz na bagagem.
30. - Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes não devolve.
E quer que os políticos sejam honestos...
Escandaliza-se com a farra das passagens aéreas...
Esses políticos que aí estão saíram do meio desse mesmo povo ou não? Brasileiro reclama de quê, afinal?
E é a mais pura verdade, isso que é o pior! Então sugiro adotarmos uma mudança de comportamento, começando por nós mesmos, onde for necessário!
Vamos dar o bom exemplo!
Espalhe essa idéia!
"Fala-se tanto da necessidade deixar um planeta melhor para os nossos filhos e esquece-se da urgência de deixarmos filhos melhores (educados, honestos, dignos, éticos, responsáveis) para o nosso planeta, através dos nossos exemplos..."
Amigos!

A mudança deve começar dentro de nós, nossas casas, nossos valores, nossas atitudes!

Sapotec Soluções Ambientais

 

A Sapotec Soluções Ambientais estará presente na FIEMA BRASIL 2010 – Feira Internacional de Tecnologia para o Meio Ambiente, que será aberta nesta terça-feira (27) estendendo-se até sexta-feira (30) em Bento Gonçalves. Em seu estande, a empresa apresentará suas tecnologias disponíveis para o mercado de consultoria e serviços ambientais. A Sapotec pertence ao Grupo Zech, da Alemanha, com mais de 100 anos de atuação nas áreas de construção civil e meio ambiente. No Brasil, está presente desde 2000, contando, desde 2009, com a certificação ISO 14001.

Todt Comunicação

 

Simon diz que eleição
ao Governo do Estado
deste ano é " complicada"

 


O senador Pedro Jorge Simon(PMDB) que foi homenageado durante grande expediente ontem,dia 27/04, pela Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul pelos seus 50 anos de vida pública aifrmou em coletiva à imprensa, depois da homenagem que a eleição para o Governo do Estado neste ano é " complicada"! Sobre as alianças dos partidos políticos para esta eleição,ele disse que o PP( Partido Progressista) está " peruando".
Já o PPS, segundo Simon,deverá mesmo marchar com a governadora Yeda Crusius, candidata à reeleição.

Simon disse que tem esperança de que o deputado federal Beto Albuquerque ( PSB )entre para a coligação do PMDB/PDT e seja ocupante de uma das vagas para o Senado, que ainda não foi preenchida. Uma das vagas para o Senado pela coligação é do ex-governador Germano Rigotto.

Para presidente da República, Pedro Simon diz que apoia o candidato do PMDB, Roberto Requião. Entre elogios,tanto a ministra Dilma Rousseff, que segundo ele, foi a " melhor" escolha dos quadros do PT , quanto a José Serra(PSDB) - " que é dez vezes melhor que FHC" o senador peemedebista mostrou seu estilo muito conhecido, o de " dar uma cravo e outra na ferradura".

Na homenagem, a qual compareceu um bom público, um dos deputados que arrancaram risos da platéia foi Paulo Odone Araujo Ribeiro(PPS), - ex-colega de PMDB do senador - quando disse que eles dois tinham grandes diferenças: ele era gremista e Simon é conhecido torcedor do Internacional.

 

Coleguinhas

 

* Quem marcou a coletiva com o senador Pedro Simon(PMDB) pra sala Júlio de Castilhos, ontem,depois da homenagem que os deputados de todos os partidos lhe prestaram, ou odeia a imprensa ou é uma anta....

Com a barulheira que se fazia em volta do senador e do deputado Alexandre Postal, os repórteres penaram pra perguntar e ouvir a voz do senador.

Haja paciência!

 

Omar Ferri

 

Com seus cabelos brancos a la senador romano, o advogado Omar Ferri- de Encantado - esteve ontem 27/04 na Assembléia Legislativa do Estado para assistir a homenagem que os deputados de todos os partidos, - PT e PCDB, inclusive - ao senador Pedro Simon.Simon e Ferri tem relações porque a primeira esposa de Simon, Tânia Schanan era da terra natal de Ferri.

Ferri lembrou-se do seu amigo Serginho Ross, que conheceu em Guaporé. " Sempre que ia a Brasília, ia visitá-lo na redação da Manchete" lembrou.

Ferri também lembrou-se do anarquista Leonida Carpi, dono do Hotel Carpi, em Guaporé, onde somente se hospedavam os partidários do PTB(Partido Trabalhista Brasileiro).]

" Uma vez tive que defender o Leonida num processo que um delegado de polícia, um imbecil lá moveu contra o Leonida" disse Ferri, na sua já conhecida irreverência.

Coleguinhas

 

Corneteando os coleguinhas!!!!

* Xuvisco( Luis Fonseca)assessor do senador Pedro Simon esteve em Porto Alegre, na segunda, mas ontem,dia da homenagem ao chefe, já tinha voado pra Brasília!

* Cuidado, Flávio Pereira: o Armando Burd, que todos sabem que gosta de ocupar espaços, ainda mais quando estão vazios, estava ontem na coletiva do Simon, com bloquinho e caneta na mão como qualquer foca( principiante) E olha que quando eu comecei no jornalismo, em 1973, Armando era o editor-chefe de ZH. Pra falar com ele,então, só com hora marcada!

*Gustavo Motta andava pela Assembléia,ontem agora que está de casa nova: mudou de dial, saiu da Guaíba e foi pra Band AM.
Dizem que o Gustavo tem muitas fontes dentro do PMDB, por isto alguns chegam a confundi-lo com " funcionário" do partido, o que,evidentemente, ele não é....

* Gustavo Motta trabalha na seção de rádio da Assembléia Legislativa....

* Na exposição da entrada do prédio da Assembléia Legislativa, sobre a vida pública do senador Simon, há uma foto dele em 1978, no Clube dos Repórteres Políticos: aparece o Carlos Sávio,José Mitchell, Renatinho Pinto da Silva e José Barrionuevo. Destes, só Mitchell continua militando na grande imprensa!

 

Histórias de La Ùndeze!

 

O "orgulho" da capela São Pedro!

toda família de pequenos agricultores, nos anos 50 e 60 era ter um filho padre. Dava um enorme status à família que emplacasse um filho como padre.

Mas não eram todos que conseguiam.
Uns iam para o seminário apenas para sair de casa,estudar e depois saltavam fora do serminário para ir para outras profissões. Isto era muito comum no meio das numerosas famílias dos agricultores de imigrantes italianos.

Na capela São Pedro,onde me criei, houve uma família que emplacou um padre: a da Santina Costela de Costa, que além do padre Armando, também teve algumas filhas que se tornaram religiosas(freiras).O pai de Armando, morreu cedo, aos trinta e poucos anos de uma septicemia provocada por uma infecção num dente. A mulher,Santina, estava grávida, quando o marido morreu. Estes dramas eram muito comuns nos anos 50,60,quando os recursos nas colônias dos pequenos agricultores eram muito pequenos, pra não dizer inexistentes.

Acervo do autor

Santina de Costa e seu filho padre Armando de Costa em 10/05/1956. Foto de Studio Marchetto, de Guaporé.

Padre Armando morreu há dois anos atrás, de cirrose. Seu sonho era ter rezado uma missa na casa onde nasceu na capela São Pedro, mas não foi possível. O padre Roberto Ciotolla a rezou,depois, por ele.

De São Borja

 


João Luiz
conhece Museu de Jango

( Acervo Neuza Penalvo).

o ex-presidente do Tribunal de Contas e pré- candidato a deputado, João Luiz Vargas visita museu de Jango, em São Borja.


O ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado, João Luiz Vargas, esteve em São Borja onde aproveitou para conhecer o Museu do Presidente João Belchior Marques Goulart, o Jango, localizado na av. Presidente Vargas, 2033. Inaugurado em 1 de outubro de 2009, o Museu do Jango, como é conhecido, tem recebido inúmeras visitas, de fitguras públicas, de escolares e do público em geral.

Localizado no chamado corredor cultural de São Borja, o Museu do Jango esrá localizado numa casa que é histórica por ali, em 1945, teriam se dado as primeiras reuniões para a fundação do Partido Trabalhista Brasileiro(PTB) no município.

A casa pertencia ao Cel. Vicente Goulart, pai de Jango, que também viveu durante um período de sua vida neste domicílio.

A residência, onde viveu Percy Penalvo e sua família, desde que regressou do exílio, em 1978, foi desapropriada pela prefeitura municipal de São Borja nos anos 90, durante a gestão do prefeito José Pereira Alvarez, conhecido em São Borja por Juca.

João Luiz Vargas era assíduo frequentador da casa quando Percy Penalvo ali residiu com sua família. Sempre que estava em São Borja passava lá e fazia suas oraçaões na " capelinha" informa a filha de Percy, Neuza Pinto Penalvo.

Na foto aparece João Luiz, de barba, Neuza Penalvo( com bolsa) e o casal de filhos do ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado.
Em tempo: João Luiz Vargas confirmou a este autor, dias atrás, que é pré-candidato a deputado estadual pela sigla do PDT.

 


Recebi e publico.

 

Olides!
Se eu fosse você, trataria melhor o Sérgio Ross, que eu não conheço, mas
espero que tu me ofereças dia desses tal oportunidade.
Caramba, o cara cruza semanalmente com o Cláudio Humberto, com o Carlos
Chagas, no DF, e ainda perde tempo em ler um gringo corneteiro do
interior de Serafina? Haveremos de convir, vai ter bom coração assim lá
em Bento Gonçalves.
Eu pessoalmente ter sido citado pelo Ross, diante da realidade acima
descrita, é item de bom currículo.

Observ.: E o Fiorin, da Odisséia vai para a Viva. Vai incomodar mais
gente. Que bom!

Abraço,

mazzarino


Coleguinhas

 

* Lauro Dieckmann embarca,hoje, dia 27/04 pra Espanha e Portugual. Volta dia 13 de maio, dia de Nossa Senhora de Fátima.

* Falei domingo com a Lenora Vargas. Está trabalhando numa empresa. E vai juntar papelada pra entrar com um processo daLei da Anistia...

* Meu Deus...todo mundo está tentando esta lei da Anistia....Um dos poucos que não entrou nesta foi o ex-deputado Carlos Araujo, que pegou em armas no tempo da ditadura.

O " Anjo " do voo 3054 da TAM

 

 

O autor deste texto, o jornalista e escritor Carlos Augusto Bissón me assegurou que quem lhe passou a história assegura que ela seja verídica. Ela está na spaginas 216,217,218 do livro Moinhos de Vento deste autor. Ei-la a seguir:

" Para muitos, a história a seguir , relativa ao acidente do voo JJ3054, da TAM, é inacreditável. Seria apenas mais uma lenda urbana . Uma narrativa fantasiosa apresentada por algumas pessoas como sendo rigorosamente verdadeira, mas , de fato, criada pelo imaginário popular para expressar anseios, temores e expectativas surgidas em situações de grande dramaticidade e consternação coletiva. Testemunhas fidedignas garantem, porém, que foi um acontecimento real, e envolveu, de forma indireta, uma moradora do Bairro Moinhos de Vento ( nota minha: a "amante" que se tornaria o "anjo" da história" seria uma médica ) no maior acidente aérea da História do Brasil. O relato não veio a público pela discrição dos envolvidos.

Tudo começou na Bela Vista , um dos bairros de maior poder aquisitivo de Porto Alegre. Na manhã do dia 17 de julho de 2007, uma segunda-feira, um empresário de nível médio aproveitou a circunstância de que iria viajar para São Paulo a negócios somente no final da tarde para desfrutar do amoroso convívio com a família( mulher ae casal de filhos). Situado na faixa dos 40 anos, ele já havia comunicado a todos que tomaria o voo JJ3054 da TAM. O avião ia decolar às 17h16min. Uma hora e meia antes da partida, paortanto, sua mulher pegou o carro e o deixou no Aeroporto Salgado Filho.

Contudo, a família do empresário não sabia de duas coisas. Primeira: ele não tinha a intenção de ir para SãoPaulo naquela segunda-feira. Como seu compromisso comercial ocorreria no dia seguinte(18/07), aquele homem de fartos recursos havia comprado outra passagem - a qual estava escondida na mala. Ela previa o vvo para a manhã de terça-feira. Entretanto, a única passagem que ele mostrou para a família foi a do voo 3054, da TAM. A segunda coisa justifica a primeira: o empresário tinha uma amante.
Profissional liberal muito bem sucedidada, ela está na faixa dos 30 anos e mora no Moinhos de Vento. E foi para a casa dela que ele se dirigiu, meia hora após ter sido deixado no aeroporto pela esposa.

Tomando um táxi, o empresário chegou ao Moinhos ainda com dia claro. O endereço era o de um apartamento da rua Barão de Santo Ângelo. Após os beijos e abraços iniciais, os amantes foram conversar despreocupadamente, enquanto degustavam queijos e vinhos.
A noite seria prazerosamente longa, antes e após o jantar.
Como a tevê , o rádio e, evidentemente, os celulares estavam desligados, o único som ambiente era proporcioando pela sucessão de músicas no aparelho de cds.

Enquanto isto, o Brasil recebia a notícia chocante. Ao tentar aterrisar em São Paulo às 18h51 min, um Airbus A320 da TAM tinha atravessado a pista molhada do Aeroporto de Congonhas sem conseguir reduzir sua alta velocidade.
O avião virou à esquerda, saiu do espaço do aeroporto e se chocou contra um prédio da companhia aérea, situado em plena avenida Washington Luiz. Era o vvo JJ3054, que tinha saído de Porto Alegre pouco depois das 17h.


Naquela noite, todas as emissoras de TV transmitiram as imagens das chamas que consumiram o avião.
A reconstituição das circunstâncias do acidente foi repetida dezenas de vezes.
A visão da aeronave enterrada na estrutura de concreto da TAM Express era onipresente. À medida que as horas passavam, crescia a certeza de que não havia sobreviventes.

O acidente era manchete em todos os jornais do mundo , e correspondentes estrangeiros falavam em 200 mortos, entre passageiros, tripulação e funcionários da TAM que estavam no prédio.

Portanto era o maior desastre aéreo já acontedido no país.
Mais da metade dos passageiros do Airbus era composta de gaúchos e, entre os primeiros corpos identificados, estavam do deputado federal Júlio Redecker( PSDB) e de Paulo Amoretty, ex-presidente do Internacional.
Boa parte do Estado viveu de angústia e expectativa , já que os familiares , amigos e conhecidos estavam ( ou poderiam estar) no vvo 3054 da TAM.
Até mesmo o público presente na apresentação da célebre soprano Kiri te Kanawa no Teatro do Sesi buscava informações pelo celular. Durante a madrugada, a divulgação da lista dos passageiros para os parentes das vítimas em Porto Alegre provocou um dos mais terríveis momentos de dor e desespero já presenciados no Estado.

Alheios a todas essas circunstâncias drmaáticas em seu, como diriam os escritórios de subúrbio, " ninho de amor" no Moinhos, o empresário e a amante acordaram cedo e tomaram café da manhã no dia 18. Os pombtinhos nao leram jornais, não escutaram rádio e nem ligaram a tevê. O empresário iria apegar o avião para São Paulo por volta das 9h30min. A moça o levou para o aeroporto - mais uma vez, ouvindo apenas música produzida pelo cd. Esse estado de alienação do mundo não é surpreendente: os únicos grupos que jamais deixam de acompanhar as notíciais via rádio, TV e jornal são os profissionais da comunicação, os intelectuais e os assessores políticos.
A maioria das pessoas, porém, vive encapsulada em seu mundo de interesses particulares, vez por outra dando uma espiada nos assuntos públicos. Quando os amantes estavam se aproximando do Salgado Filho, chegaram até a anota uma movimentação incomum na região, que incluía a presença de viaturas da Brigada Militar. Ainda assim, imaginaram que tivesse ocorrido apenas um pequeno tumulto popular, causado por mais um atraso de voos, comuns em todos os aeroportos brasileiros naquele período.

Após se despedir da moça e entrar no saguão para o embarque, o empresário reassumiu o papel de marido atencioso. Ele fez o que havia prometido à sua mulher no dia anterior: ligar de " São Paulo" na terça-feira pela manhã.
Do outro lado da linha, ela estava aos prantos. Quando se refez da emoção, a mulher perguntou se o marido havia trocado de voo. Foi,então, que ele deu a resposta serena, mas enfática, que o incriminou de forma inapelável: " Não. O voo foi tranquilo. Cheguei, jantei ae dormi bem" .
Mais lágrimas do outro lado da linha. A seguir o empresário ficou sabendo de todo o profundo sentimento vivido por sua família na noite anterior, diante da certeza de sua morte no avião ada TAM.

A mulher acabou pedindo separação do marido. Há quem tivesse encarado com bom humor ao desfecho dos acontecimentos, sugerindo ao empresário que apresentasse a amante do Moinhos de Vento como o " ANJO DO VOO 3054" , que o impediu de ir ao encontro da morte em São Paulo.
" Afinal de contas,a ela me salvou para ti", poderia ele acrescentar.
Nenhuma esposa e mãe, porém, atem esse sendo de humor cínico. Durante uma semana, o empresário foi impedido pela mulher, com apoio dos filhos, de entrar em sua casa para pegar suas roupas.
Posteriormente, ele foi morar num flat e não conseguiu recuperar , ainda, o respeito da família. Quando resolveu cair nos braços do seu "anjo" do Moinhos ao ainvés de, como estava programado, ir para os céus de São Pauloa, o empresário acabou fazendo de sua vida um inferno...."


O que eu acho disto tudo:

1) O autor, o Bissón, teria que ter investigado os nomes..

2) É muito provável que seja uma lenda urbana

3)Já ouvi dizer que a Catherine Deneuve esteve uma vez homiziada na casa de um suposto amante na rua Santana, que o Richar Gere foi visto jantando no antigo bar Langur, da Felipe Camarão, entre outras lendas que se criam às quais o povo dá imaginação....

 

Fotos da Ana Amélia

 

 

Um coleguinha, leitor atento de sites , manda uma observação: " Creio que assunto Ana Améliaa deveria ter espaço maior no site do PP(Partido Progressista) no item fotos.Feita a observação. O nome foi preservado, porque ele solicitou. ( eu não vejo motivo, mas o cara pediu,então, tá). Agora o assunto virou da alçada de quem edita o site do PP, que não sei quem é....

 

 

MOVIMENTO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS/Brasil INFORMA:

Para no olvidar… y por los juicios pendientes –también- en España.

 

Clique aqui para ver PPS.

 

 

Mais uma



Alguns desses mais velhos que adoram desfilar com namoradas bem mais
novas e descoladas estão gastando em dobro. É que muitas delas exigem
sexo a três. E ai é preciso contratar mais uma, que, para esse tipo de
programa, costumam dobrar o preço. A lista de mulheres que exigem outras
mulheres na cama com seus maridos ou namorados é enorme na cidade. Só
peixe grande. E são conhecidas porque as contratadas não conseguem
guardar segredo.

Cacau Menezes

Sexo no supermercado

 


Hollywood é o símbolo da indústria do cinema ocidental. Lá acontece de
tudo. Ou quase. Mas há fatos aqui na região que são cinematográficos e
que nenhum diretor dos EUA ousa criar. Duvidam? Pois vejam!
Um gerente de um supermercado, numa cidade que circunda Lajeado, gostava
de uma funcionária. E a funcionária gostava do chefe. A paixão como todos
sabem, não tem horário e ambiente.
E então eles decidiram saciar as suas sedes de prazeres em plena
empresa, durante o horário de atendimento. E ninguém viu. Ou melhor, as
câmeras de segurança do estabelecimento ‘viram ‘e grava ram. Ela noiva e
ele casado. Os pombinhos foram demitidos!


( extraído Coluna do Mazzarino - Jornal A Hora/Lajeado)


Coleguinhas

DIARIO DA CORTE

* O seu Adolpho pediu certa vez que o Sergio Ross,então diretor da Sucursal da Manchete em Brasília, convidasse o embaixador da França, que estava chegando no país,para um almoço na sucursal da revista.
Serginho como conhecia bem seu eleitorado,antes da chegado do embaixador,pediu a turma da casa que tivessem mais recato,na hora da comida, uma vez que o convidado estava chegando ao Brasil.
Serginho pediu a sua repórter Marlene Galleazi,
que era a mais desbocada de todos,que tivesse mais cuidado com os palavrões.
Marlene sentou-se ao lado de um francês,adido de imprensa da embaixada. Bonitão e um tremendo conquistador.
Assim que começaram a comer,Marlene levantou-se do lugar onde estava e gritou para o Sergio: “Sergio !!! Sergio !!! começou a sacanagem e não fui eu quem começou”. O Serginho sentiu que aí vinha bala e discretamente perguntou a Marlene o que estava acontecendo. Ela emendou de primeira: “o adido aqui esta querendo ketchupp...”. È claro que ela estava confundindo de proposito o pedido do jovem diplomata.

*No restaurante da Revista Manchete em Brasília, geralmente às sexta feiras,havia uma feijoada em que todo mundo era convidado. Mas também aparecia por lá,muitos penetras.
Numa sexta feira,o Serginho estava recebendo os convidados,quando viu sentado em uma mesa,localizada quase no fim do salão,um sujeito enorme de gordo e um pretinho,discretamente sentados e já traçando uma caipirinha,que era servida para abrir ainda mais o apetite da turma.

*Serginho chegou perto da dupla e o cara gordão,se identificou dizendo que era americano e o empresário do cantor Jonny Mattis. Disse que tinha estado com o seu Adolpho e que ele recomendara que não deixassem de almoçar a tradicional feijoada. Só não tinham procurado antes o dono da festa,uma vez que o Jonny Mattis,no auge da sua carreira se apresentaria à noite no baile do Clube Naval,um baile em black tie e que gostaria antes do seu show,jogar um pouco de golfe para relaxar.

*À noite no baile a mesa do Serginho e de sua mulher Yara,estava em um lugar nobre ou seja,pertinho do palco onde o Jonny Mattis se exibia. A mesa estava cheia de amigos do casal e o Jonny Mattis, durante o seu show,talvez como agradecimento pela feijoada,entre uma musica e outra abanava para o Sergio. Os convidados não entenderam nada. Mal sabiam que o cantor, então no auge da sua carreira, tinha comido a famosa feijoada das sextas feiras na Manchete.

*Outra da repórter Marlene Galleazi.
O Adolpho Bloco,pediu ao Serginho,que convidasse para um almoço o seu amigo,embaixador da Alemanha.
*Mesa posta,como a Marlene era a única mulher presente,sentou-se ao lado do embaixador.
*Serginho e o embaixador conversam quando o representante alemão,quis saber que equipamento a revista usava para a sua impressão. Contou que a gráfica da empresa era praticamente toda equipada de máquinas alemãs.
*O embaixador todo animado disse ao Serginho: “ É claro... tinham que ser alemãs. Afinal eram da terra de Gutemberg”.
*Marlene que estava voando,entrou na conversa: “ gente...ele trabalha aqui no lado,no Jornal de Brasília...”O embaixador não entendeu nada...Marlene estava se referindo ao jornalista Luiz Guttemberg,editor politico do jornal...



DIARIO DA CORTE

*O seu Adolpho pediu certa vez que o Sergio Ross,então diretor da Sucursal da Manchete em Brasília, convidasse o embaixador da França, que estava chegando no país,para um almoço na sucursal da revista.
Serginho como conhecia bem seu eleitorado,antes da chegado do embaixador,pediu a turma da casa que tivessem mais recato,na hora da comida, uma vez que o convidado estava chegando ao Brasil.
Serginho pediu a sua repórter Marlene Galleazi,
que era a mais desbocada de todos,que tivesse mais cuidado com os palavrões.
Marlene sentou-se ao lado de um francês,adido de imprensa da embaixada. Bonitão e um tremendo conquistador.
Assim que começaram a comer,Marlene levantou-se do lugar onde estava e gritou para o Sergio: “Sergio !!! Sergio !!! começou a sacanagem e não fui eu quem começou”. O Serginho sentiu que aí vinha bala e discretamente perguntou a Marlene o que estava acontecendo. Ela emendou de primeira: “o adido aqui esta querendo ketchupp...”. È claro que ela estava confundindo de proposito o pedido do jovem diplomata.



*No restaurante da Revista Manchete em Brasília, geralmente às sexta feiras,havia uma feijoada em que todo mundo era convidado. Mas também aparecia por lá,muitos penetras.
Numa sexta feira,o Serginho estava recebendo os convidados,quando viu sentado em uma mesa,localizada quase no fim do salão,um sujeito enorme de gordo e um pretinho,discretamente sentados e já traçando uma caipirinha,que era servida para abrir ainda mais o apetite da turma.
*Serginho chegou perto da dupla e o cara gordão,se identificou dizendo que era americano e o empresário do cantor Jonny Mattis. Disse que tinha estado com o seu Adolpho e que ele recomendara que não deixassem de almoçar a tradicional feijoada. Só não tinham procurado antes o dono da festa,uma vez que o Jonny Mattis,no auge da sua carreira se apresentaria à noite no baile do Clube Naval,um baile em black tie e que gostaria antes do seu show,jogar um pouco de golfe para relaxar.

*À noite no baile a mesa do Serginho e de sua mulher Yara,estava em um lugar nobre ou seja,pertinho do palco onde o Jonny Mattis se exibia. A mesa estava cheia de amigos do casal e o Jonny Mattis, durante o seu show,talvez como agradecimento pela feijoada,entre uma musica e outra abanava para o Sergio. Os convidados não entenderam nada. Mal sabiam que o cantor, então no auge da sua carreira, tinha comido a famosa feijoada das sextas feiras na Manchete.

*Outra da repórter Marlene Galleazi.
O Adolpho Bloco,pediu ao Serginho,que convidasse para um almoço o seu amigo,embaixador da Alemanha.
Mesa posta,como a Marlene era a única mulher presente,sentou-se ao lado do embaixador.

*Serginho e o embaixador conversam quando o representante alemão,quis saber que equipamento a revista usava para a sua impressão. Contou que a gráfica da empresa era praticamente toda equipada de máquinas alemãs.

*O embaixador todo animado disse ao Serginho: “ É claro... tinham que ser alemãs. Afinal eram da terra de Gutemberg”.

*Marlene que estava voando,entrou na conversa: “ gente...ele trabalha aqui no lado,no Jornal de Brasília...”O embaixador não entendeu nada...Marlene estava se referindo ao jornalista Luiz Guttemberg,editor politico do jornal...
Sergio Ross



 

Tablado Andaluz promove mostras e oficinas abertas ao público no Dia Internacional da Dança

 

Nesta semana, o Tablado Andaluz celebra o Dia Internacional da Dança com uma programação especial. Mostras e oficinas de dança abertas ao público, além de shows no Bar Flamenco são as atividades agendadas na Escola e no Bar Flamenco.
Na sexta-feira, a banda flamenca Tirititrá se apresenta no palco do Tablado Andaluz. O grupo mostra um novo repertório de Rumbas, Sevillanas, Bulerias e Salsa, dentro da mais recente tendência da Espanha, o POP FLAMENCO, aliado ao Flamenco de Raíz, que fica a cargo dos bailes interpretados pelas solistas do Tablado. A TIRITITRÁ traz a seguinte formação: Giovanni Capeletti (guitarra flamenca), Rafael Melo (cajon e percussão), Edu Saffi (baixo elétrico) e Pedro Fernández (direção artística e musical e voz).

Rafael A.do Canto

Andréa Franco


No sábado é a vez da Cia de Dança Campanha Flamenca, de Novo Hamburgo, mostrar seu talento.Sob direção de Ana Cândida Amaral, que há mais de 20 anos estuda esse estilo de dança, a companhia é a única dedicar-se exclusivamente ao flamenco no Vale dos Sinos.

Rafael A.do Canto

Tirititrá


Dia 29 de abril (quinta-feira) - 22h - mostra de dança grátis, com artistas convidados. No Bar Flamenco.Dia 30 de abril (sexta-feira) – 22h - Banda Flamenca TIRITITRÁ e bailarinas do Tablado Andaluz.

Rafael A.do Canto

Tabacalera

 

No Bar Flamenco.-Dia 1º de maio (Sábado): Aulas de dança abertas ao público na Escola 14h - BALLET CLÁSSICO com a professora GRAZIELA SILVEIRA
15h - Aula de dança flamenca para iniciantes com BELÉN FERNÁNDEZ16h - Aula de Samba
22h - SHOW FLAMENCO com Cia de Danza Flamenca CAMPANA FLAMENCACouvert Artístico: R$ 12,00 e R$ 8,00 para clientes que jantam o Buffet de Paella. No Bar Flamenco. TABLADO ANDALUZ
Escola de dança – Av Osvaldo Aranha 418
Bar Flamenco – Av Osvaldo Aranha 476

 

 

Agenda

 

Abre hoje, no hall de entrada da Assembléia Legislativa do Estado, homenagem dos 50 anos de vida pública do senador Pedro Simon(PMDB). Parece - até ontem não se sabia - que ele vai dar uma coletiva, ou no local ou na bancada, ou no gabinete do deputado Alexandre Postal(PMDB).
O Simon nunca decide nada. Nem onde vai dar a coletiva. Conta-se que uma vez Nestor Fedrizi, que era diretor da Corag, foi ter agenda com o governador. Levou 15 assuntos para decidir. Simon não decidiu nenhum. Um era pra falar com Fabio Koff(chefe da casa civil) o outro com não sei quem....
A í Nestor Fedrizi encontrou o filho,Alfredo Fedrizi, presidente da TVE, na sala de espera,aguardava para ter audiência com o governador. O pai disse pro filho:
- Meu filho, olha porque não dá pra trabalhar com o Simon. D e quinze assuntos, ele não decidiu nenhum!

 

Tragédia e descaso: Projeto Qualificação das Paradas de ônibus teve execução zero em Porto Alegre


Por Marco Aurélio Weissheimer.


Paulo Muzell


Os dois lamentáveis acidentes ocorridos há poucos dias em Porto Alegre – o do estudante eletrocutado numa parada de ônibus e o do motoqueiro vítima de uma obra viária mal sinalizada – suscitaram, como não poderia deixar de ser, justificada indignação da população e, a seguir, um acirrado debate na mídia e na opinião pública sobre causas e responsabilidades. O prefeito que recém assumira começou muito mal: deu uma primeira entrevista sobre o episódio “parada de ônibus” e foi em seguida desmentido pelo seu secretário de Transportes que apresentou uma outra versão do fato. Começou um jogo de empurra-empurra CEEE-Prefeitura em torno de competências. O prefeito errou novamente: inocentou seu secretário – na verdade maior o responsável pelas ações da Prefeitura no setor,- botando a culpa nos funcionários de carreira, que teriam se omitido no diagnóstico e nas ações corretivas não tomadas. Fácil, o chefe “lava as mãos” e a culpa é de um anônimo, o cara lá da “ponta“, do quinto escalão, que teria se omitido e que deve ser punido. Depois, embora tardiamente, Fortunati se deu conta, voltou atrás, assumiu os erros e responsabilidades.
Na verdade estes e outros lamentáveis episódios ocorridos ou que venham a ocorrer na cidade são conseqüência de um evidente abandono de que é vítima Porto Alegre nesse obscuro período Fogaça/Fortunati. Se olharmos com atenção os anuários estatísticos da Prefeitura dos últimos anos, veremos que há flagrante redução no número de servidores concursados ativos e um despropositado crescimento do número de estagiários e de CCs, os cargos de confiança. Só nos primeiros quatro anos (o último anuário é de dezembro de 2008) o número de funcionários diminuiu em 1.300, o de CCs cresceu 80% e o de estagiários praticamente duplicou, são hoje mais de 3.200 nas Secretarias e autarquias, caracterizando um processo de aparelhamento e desprofissionalização do serviço público municipal. A coleta de lixo diminuiu, idem os serviços de varrição e capina, reduziu-se sensivelmente a construção e conservação de vias, a manutenção do sistema de coleta pluvial é um desastre, temos uma cidade mais escura, esburacada e mal sinalizada. A taxa de investimento reduziu-se quase à metade, do investimento previsto nas leis orçamentárias foram aplicados meros 38% entre 2005 e 2009. O OP agoniza, as plenárias regionais decidem apenas 8% do investimento total do orçamento; o número de demandas atendidas reduziu-se sensivelmente.
Se consultarmos o SDO – Sistema de Despesa Orçamentária da Prefeitura – veremos que o projeto “Qualificação das Paradas de Ônibus” do programa Cidade Acessível teve em 2008 execução zero, não saiu do papel. Em 2009 constava e novamente teve execução zero. Em 2010 desistiram, o projeto foi excluído da programação. Falta de recursos: certamente não. De janeiro de 2008 a abril de 2010 a SMT gastou 1 milhão, 851 mil reais em publicidade.
Há carência de fiscais na SMOV e na SMIC, faltam profissionais na área de saúde – é o Conselho Municipal quem afirma e mostra os números; diminuiu, também, o número de professores nas escolas municipais. Os salários do funcionalismo pioraram, o treinamento praticamente inexiste. Aumenta a terceirização, gastou-se em pagamento de serviços no ano passado 135 milhões a mais do que em 2004. Cabe repetir a pergunta: por que certos governos gostam tanto de privatizar e contratar serviços?
Uma gestão descuidada enfeia a cidade, diminui os investimentos e as obras, piora os serviços prestados à população. E o descaso, quando levado ao extremo, gera tragédias.

do site RS Urgente!


Juremir " ex-do- barulho" vira
celebridade e dá palestra
sobre Getúlio

Juremir Machado da Silva, colunista do Correio do Povo, encheu o plenário da Câmara Municipal de Vereadores de São Borja na última sexta para palestrar sobre Getúlio Vargas.
Ele escreveu um livro sobre o maior estadista do século passado do Brasil,entre outras obras.
Um dos primeiros livros do Juremir trata do bairro-boêmio do Bom Fim, de Porto Alegre.


Juremir Machado da Silva

Juremir começou sua vida de repórter cobrindo o Grêmio onde atuava pela Zero Hora junto com o "setorista" do Grêmio Carlos Alberto Fruet.
" Ele era um repórter comum e não é verdade que seja bronqueiro" disse-me Fruet na sexta,dia 23/04, mesmo dia que Juremir estava palestrando em S. Borja.
Mas foi em 1995, que Juremir se envolveu num episódio que acabou demitindo-o do jornal onde trabalhava.Escreveu um artigo onde teria afirmado que Erico Verissimo teria assinado um manifesto a favor do fascimo. E mostrou,depois na televisão, este documento.
Ele era na época repórter do Caderno de Cultura do jornal.
O cronista Luis Fernando Verissimo comprou a briga e exigiu da direção do jornal sua demissão. A cabeça de Juremir foi posta numa bandeja.
O imbróglio entre Verissimo( que acabou "demitindo" o colega) e Juremir o tirou de um local onde ninguém sabia quem ele era para torná-lo uma quase "celebridade".
Daí para o estágio atual foi um pulo.
Particularmente não tenha nada contra, e nada a favor. Nem o conheço.Mas costuma "atirar para todo o lado".

 


boletim LINHA DIRETA do sindicato dos jornalistas-rs em 1995 "entra no conflito JUREMIR X LUIS FERNANDO VERISSIMO".

 


Boletim do sindicato dos jornalistas-rs de 1995.

 


Juremir Machado da Silva nasceu em Santana do Livramento( vai ver por isto que fala tanto em Palomas) em 29.01.1962. Filho de Victor Pires da Silva e de Eneida da Silva. Começou sua vida como repórter no jornal Zero Hora onde era repórter de esportes.Cobria o Grêmio.
Já residiu na Sarmento Leite, 1082/307.

Hoje é professor da PUC e articulista do Correinho e comentarista da rádio Guaíba.

 

De São Borja

 

São Borja recebe Juremir Machado da Silva de Casa cheia. O plenário do Palácio Presidente Getúlio Dornelles Vargas, onde funciona a Câmara de Vereadores de São Borja, estava lotado nesta luminosa manhã de sexta-feira 23 de abril para ouvir a palestra do jornalista e professor universitário Juremir Machado da Silva. Estudantes da Escola Estadual Getúlio Vargas e Colégio Estadual de São Borja, Prefeito, Secretária de Educação e Cultura, Diretores, Vereadores, representantes de partidos políticos e público em geral ouviram com atenção por aproximadamente 1h15min. o ilustre visitante.

Após houve momento para perguntas e debates. Juremir relatou que leu mais de 150livros sobre o Presidente Vargas e entrevistou mais de 70 pessoas até escrever o livro "Getúlio". Tem no falecido Professor Décio Freitas, um dos principais incentivadores para a pesquisa sobre Getúlio Vargas e sua personalidade multifacetada. À tarde, á partir das 14h. nova palestra do Prof. Juremir.

Neuza Penalvo.

 

Folha de São Borja

 

*Chegou a nova Folha de São Borja. Nova diagramação, maior, mais informações. Notei algumas modificaçãoes de orientação. Por exemplo, a coluna social não realça mais tanto a figura do seu titular, o jornalista Deco Almeida. Apenas assina num canto de página. Antes tinha até foto do titular.

São Borja e região está bem representada com este jornal, mais a Folha Regional.

 

Serginho faz chantagem

 

 

O Serginho manda carta dizendo que foi convidado pra trabalhar num grande jornal. Isto é um truque dele pra mim botar no site a matéria na hora que ele manda. Mas eu não sou o Adolpho Bloch, de quem eles extorquiam dinheiro tanto que quebraram o velho e a empresa. Essa turma tem corrida, eu conheço bem com quem tou lidando....É a velha escola do Samuel Wainer, que sabia tudo de uma chantagem...

Olides

Almocei com a Marlene.

Como o teu blog,não tem dia e hora certo para ser divulgado,vou dar mais detalhes do meu encontro com a Marlene Galleazi. Almocei com ela no Stella Grill, hoje,sexta feira,dia 23 de abril.
Ela me disse que morou sim no penssionato da JUC, que era administrado por freiras.Disse ainda, que conheceu o Saul.Mas, me disse mais:" Se o Saul disser que me comeu, é mentira dele,pois nessa época eu ainda era virgem...". Na verdade, ela usou uma palavra mais chula.Palavra que nos gaúchos usamos muito, quando queremos falar em virgindade,como por exemplo: cabaço. Como sou um rapaz fino e educado de Bento,usei a palavra virgindade...para ficar mais leve.
Outra coisa: recebestes o texto do Chagas??? À noite ligue para mim, a cobrar...É que me viram esta manhã, saindo da sucursal de um importante jornal nacional. Pois não é que me convidaram para voltar ao jornalismo? Eu ainda não acertei por causa da grana. Não tenho mais idade nem saco para receber um dinheirinho muito mixuruca. Mesmo tu, não me pagando nada,só com a promessa,de mandar o tal queijo da Linha Onze, que vives ameaçando me mandar,acho que vou ficar no teu blog,que não tem dia e nem hora para ser divulgado....
Sergio Ross

Coleguinhas

 

NOS DEDOS!

Hoje (sexta-feira), dia 23 de abril, uma entrevistadora levou nos dedos do presidente da UNE (União Nacional dos Estudantes), Augusto Chagas, durante o Programa Atualidades, da Rádio Gaúcha.
A sucessora da Ana Amélia Lemos em Brasília, Carolina Bahia, perguntou ao Chagas se a posição da UNE nas eleições já não estava comprometida devido as verbas recebidas do Governo Federal. Sem vacilar, o presidente da entidade respondeu que nunca insinuou que os veículos de comunicação estavam comprometidos por receberam verbas de publicidade de quem está no poder e que ela desconhecia que os recursos recebidos provinham de emendas parlamentares. TOING!!! Ela nem mais entrou no ar para encerrar a entrevista. Quem o fez foi o André Machado.
A pauta da entrevista era o 58º CONEG (Conselho Nacional de Entidades Gerais da UNE), que reúne no Rio de Janeiro, até domingo, cerca de 500 lideranças de todo o país, para discutir a posição política da entidade nas eleições e temas de interesse dos estudantes, além do Pré-Sal.

Josi Negreiros

Coleguinhas

 

* Há quem afirme que o programa de rádio Balonê,apresentado das 8 da noite, até a meia-noite, às sextas, na Itapema FM é um " xerox" de um programa que a Magda Beatriz e a Tânia Carvalho tiveram na Band FM, anos atrás.

 

Do Cloaca News

 

Clique aqui para ver PPS sobre Terreno

 

Carta

 

Me avisa quando fores entrevistado na Rádio Universidade, que quero ouví-lo.
Muito bom o blog dessa sexta-feira, com notícias curta e ótimas. As fotos do Serginho, do aniversário de Brasília, tbém estão ótimas, apesar da crítica do "rançoso".
As tuas notícias estão em cima dos fatos. Parabéns!
Bom findi e até...
abs/Josi

 

Prestando atenção
no " mestre"

 


Não havia ninguém mais atento do que o poeta,cronista,ensaísta - considerado o mais preparado intelectual de São Borja, desde que trate de carnaval, é claro - na platéia do Palácio Presidente Getúlio Vargas na sexta passada,23/04 em São Borja, Clemar Dias. Ele foi beber na "sabedoria" do mestre Juremir, um obscuro repórter de cultura e esporte, até que um editor-chefe de Zero Hora o jogou numa disputa com Luis Fernando Verissimo e o tornou,querendo,ou não, uma "celebridade" local,embora ele se ache mais famoso na França do que em Palomas, sua Livramento.

 



Pomerode e a cultura que não poderá ser domada

 

Marcio de Almeida Bueno

Toda aquela vontade que os que se apegam ao passado têm, de sentar o sarrafo em quem pensa o oposto, de prender e arrebentar se assim pudessem, se fez fato em Pomerode. Para quem bebe a violência como diversão de final de semana, nada mais natural que, no auge da raiva reprimida contra o patrão, a esposa chata, o governo, as contas a pagar, o vizinho e as perspectivas de desemprego, bastou alguém acenar com um posicionamente contrário, para virar alvo. Se o lazer é ver uma parelha de cavalos suando para puxar uma tonelada, o diálogo – que com certeza nunca existiu com letras maiúsculas em seus lares – se faz na base do sarrafo. E toda a cena busca salvaguarda no carimbo burocrático de ‘cultura’.


Foto http://www.anda.jor.br/

Curiosamente, a alegação do uso de animais-escravos sempre foi grampeada às palavras ‘necessidade’ e ‘tradição’. Realmente é uma necessidade ver os animais tentando puxar peso de um lado para o outro, sem o qual a vida em um cafundó não faz o menor sentido. E nos altos e baixos do Império Romano, o populacho se divertia com animais lutando entre si, atacando gladiadores ou comendo cristãos. Tempos depois, Roma se convertia ao cristianismo – para ver como a ‘tradição’ muda de rumo conforme o vento sopra, e só quem chegou atrasado à evolução a ela se apega, como garantia de alguma coisa, como uma reza na hora do aperto. Com aquele medo de não se sentir em grupo, mimetizado com outros nulos como si próprio.

Ver um outro humano, mas diferente na essência da abordagem frente à vida, que refletiu e se desamarrou dos grilhões voluntários da tradição, deve ser muito perturbador para aquele cujos horizontes se encerram na trinca trabalho – refeições diárias – lazer ‘qualquer nota’. E na confusão mental do álcool, da intolerância, na euforia do comportamento ‘hooligan’ de grupo, a resposta é a mais primal e autêntica possível – apedrejar, bater com tacape. A incapacidade de conviver com opinião diferente da sua.

Na defesa dos animais, a grande força opositora é o susto das pessoas, de perceber que gente esclarecida, culta, altruísta – talvez mais do que já tenha visto nos círculos que frequenta – está dedicando parte de sua vida a levantar a voz por quem segue pisoteado pelas forças invisíveis. Quem é pego de surpresa, arregala os olhos e esperneia como se visse um fantasma – ou um espelho onde o rosto humano pode trazer ou não a expressão de compaixão, esse sentimento assustador que se desloca do noticiário da televisão para… um cavalo? Uma vaca? Um rato branco na escola do filho, um golfinho no Japão?

Não a compaixão com hora marcada, estabelecida para soltar suas comportas no Natal, nem a compaixão que aplaca o remorso do cidadão médio pateta graças ao telefone ao alcance da mão, discando 0300-alguma-coisa. Pode haver uma vontade de se derrubar as cercas entre as espécies, e as castas que se solidificaram com o passar dos séculos, sem vislumbrar lucro ou votos lá adiante, nem empreguinho para parentes, ou conchavos afins – e isso está algo diferente do que se esperava do mundo, e contra o qual se repete um mantra boca-suja. Pelo contrário, é mais fácil que os mecanismos de repressão social ajam para manter o status quo, para que todos se divirtam ao ver o Coliseu fedendo a sangue de cristãos, estrangeiros, escravos, gladiadores, desafetos ou animais. É mais fácil apanhar na rua e ir parar no hospital – no futuro, isso tudo será muito esquisito.

A psicóloga Eliane Carmanim Lima, mestre em Sociologia da Violência e Criminalidade, explica que “esta cultura que vemos nascer é a que se reúne em praça pública para pedir justiça. Se hoje conseguimos enxergar o crime de maus-tratos a animais, arbitrado desde 1934, é porque nosso olhar mudou. Atinge a alimentação, a educação, a economia e mesmo hábitos que muitos pensavam estarem resguardados pela ‘tradição’. A mudança segue a galope, cada vez mais célere e indomável. Não poderá ser freada ou domada como têm sido os animais”.

 

Recebi e publico esta denúncia.

 

 

O autor assinou seu nome
A prefeitura tem o mesmo espaço para responder!


Subject: Fwd: riachuelo 284
Quero fazer uma denuncia formal e posteriormente certamente farei pela imprensa do absurdo que constatei na sua secretaria.
Em 2005 iniciou a demolição e posteriormente a construção de um prédio no atual número 284 da rua Riachuelo. A demolição e a construção causaram danos em meu prédio e outros desde 2005 no momento da demolição e posteriormente na construção que está paralisada exatamente como ficou em meados de março de 2009. Fui até a Secretaria de obras solicitar registro das fiscalizações e o que recebi foram duas autuações por descumprimento de embargo em agosto de 2007 e setembro de 2009.
Pergunto:Onde está o embargo que não veio junto com a minha solicitação?.
Fui verificar o processo, e para minha surpresa e total indignação, assim como a de todos os meus vizinhos, constatei que a Prefeitura liberou a obra para construção a partir de 2009 considerando o terreno como vazio.
Abominável, deprolorável, inominável.
Os agentes de fiscalização vieram até aqui e embora todos passam ver um esqueleto de prédio construído de forma totalmente irregular, atestaram que o imóvel estava sem benfeitorias e livre para construção. Liberaram então a construção de um imóvel que já estava parcialmente construído e que na demolição do anterior prejudicou vários outros imóveis. Negando inclusive a informação visual,

Como?? De que forma??? De que maneira conseguiram não ver um esqueleto que está sendo erguido desde 2005 embora todos os protestos, reclamações, denúncias dos vizinhos da rua?

Como a Prefeitura se torna conivente com a ilegalidade e autorizar a construção e uma obra que já está em andamento e que já prejudicou várias pessoas sem que nada fosse feito a respeito?

Como a Prefeitura de Porto Alegre se torna conivente com um absurdo desse tipo prejudicando vários cidadãos que pagam seus impostos regularmente e que tiveram seus imóveis danificados pelo descaso e agora libera a obra como se ela não existisse antes de junho de 2009 quando todos na rua sabem que esse elefante branco nos ronda desde 2005?

Na busca de nossos direitos encontramos no processo existente na Prefeitura vários solicitações de liberação da obra de diferentes pessoas e finalmente por um laranja que ninguém conhece, pois todos sabemos que quem está levando a obra adiante são os solicitantes iniciais da obra encabeçados pelo sr Zaidi Centenaro, proprietários de uma armazém na esquina da Riachuelo com a Vasco alves, que agora alegam que não tem absolutamente nada a ver com a construção do prédio, negando todas as evidências e as ocorrência anteriores a maquiada liberação da obra em 2009.

De que forma agentes públicos que deveriam ser funcionários públicos, ou seja, pessoas que deveriam prestar serviços a todos nós se permitem um descalabro desse porte?

Como ficam todos os atos danosos causados pelos proprietários da obra anteriores a fraudulenta liberação efetuada em 2009?

Como pode a SMOV autorizar a construção de uma obra que já está sendo construida?
Como pode o engenheiro Genésio Antonio Festa credenciado no CREA RS se propor a assinar a solitação da construção de algo que está sendo construído clandestinamente.[

Aguardando as suas providências, certamente buscaremos também judicialmente a justiça que merecemos no caso.

Landemir Pretto


Açorianos de Música será entregue no dia 28 de abril

 


Prêmio Açorianos




A edição 2009 do Prêmio Açorianos de Música será realizada no dia 28 de abril no Theatro São Pedro. A cerimônia tem início marcado para às 20h30. A entrada é franca. Sob a apresentação de Vivian Schaefer, serão premiados os destaques, nos diversos gêneros, da produção musical gaúcha no ano de 2009.

Por sua vida e obra, o pianista, compositor e arranjador Geraldo Flach será o homenageado do ano. Considerada por muitos a maior sambista do Rio Grande do Sul, Zilah Machado receberá menção especial, assim como o Teatro CIEE, o trabalho social "Coleção Mario Quintana para a Infância" e a Rei Magro Produções, pelos projetos 2ª Maluca e Ocidente Acústico.

As participações especiais ficam por conta da cantora paulistana Virgínia Rosa, Renato Borghetti, Bandinha Di Da Dó, Daniel Sá, Lúcia Helena, Maracatu Truvão, Orquestra de Flautas Villa-Lobos, Pedro Figueiredo, Vitor Peixoto e Yanto Laitano.

As indicações ao prêmio saíram de um grupo de jurados, composto por Betha Teixeira, Claudinho Pereira, Daniel Soares, Divox, Domício Grillo, Evandro Matté, Geraldo Flach, Ivo Ladislau, Juarez Fonseca, Luís Bíssigo, Luis Henrique Fontoura, Luizinho Santos, Marcelo Nadruz, Márcio Paz, Mary Mezzari, Nilton Fernando, Norminha Duval, Paulo Moreira, Rosana Orlandi, Thadeu Malta, Tiago Flores e Zé Augusto Marques.

Este ano, o Prêmio Açorianos de Música chega a sua edição 19ª edição, sempre prestigiando a produção musical do nosso estado.

Para conferir a lista completa dos indicados, acesse o site da Secretaria Municipal da Cultura no endereço: http://www.portoalegre.rs.gov.br/smc.

Realização: Secretaria Municipal da Cultura - Coordenação de Música.

DIVULGAÇÃO
---
Produção
Coordenação de Música
Secretaria Municipal da Cultura
---
tel. (51) 3289 8119
e-mail: cm2@smc.prefpoa.com.br
site: www.portoalegre.rs.gov.br/cultura
Endereço: Centro Cultural Usina do Gasômetro
Av. Pres. João Goulart, 551, sala 606 - 6º andar.

 

A TRUCULÊNCIA NÃO PASSOU EM BRANCO


Carlos Chagas

Dias antes de o presidente Geisel haver decretado o “pacote de abril” já se respirava, em Brasília e fora de Brasília, o clima carregado da volta ‘a exceção dentro do regime de exceção. O governo do quarto general-presidente partia para o enfrentamento com a oposição, no Senado. Havia enviado ao Congresso projeto de reforma do Poder Judiciário, sabendo que até senadores governistas votariam contra. Tratava-se de uma peça truculenta que além de não resolver os entraves da Justiça, atingia diretamente a independência dos tribunais.


O "arbítrio" cassava deputados e fechava o Congresso.

Acervo de Sérgio Vargas Ross

 


A reforma do judiciário foi o pretexto que o governo militar encontrou para mudar regras criadas pelo próprio regime, mas que haviam sido ultrapassadas pela vitória do MDB nas eleições de 1974, quando dos vinte estados com eleição para senador, as oposições elegeram 16. Foi o prenúncio de que, não podendo votar para governador, muito menos para presidente da republica, os adversários da ditadura poderiam, quatro anos depois, formar maioria no Congresso. E em seguida elegerem o sucessor de Geisel, no Colégio eleitoral indireto, formado por senadores, deputados federais e deputados estaduais. Como era inadmissível o MDB vencer, o tonitruante presidente da República, acolitado pelo chefe da Casa civil, general Golbery do Couto e Silva, engendraram um falso impasse para mudar outra vez as regras do jogo.


O "arbítrio" cassava deputados e fechava o Congresso.

Acervo de Sérgio Vargas Ross



Gatos do tamanho de elefantes fora incluídos no ato que decretou o recesso do Congresso, com a edição da reforma do Judiciário com desculpa. Criaram os senadores “biônicos” quer dizer, que não seriam eleitos pelo povo, mas nomeados por eles. Assim, manteriam a maioria na Câmara Alta.
Estabeleceram a vinculação total de votos, quer dizer, quem votasse para o vereador de um partido, obrigava-se a votar no prefeito, no deputado estadual, no deputado federal e no senador do mesmo partido. Quebrar a cadeia de vínculos equivaleria a anular o voto. Fizeram mais: suspenderam a eleição para prefeito num monte de municípios onde o MDB sairia vencedor, transformando-os em municípios “de segurança nacional”, onde os prefeitos seriam nomeados por eles.
Mudaram as regras de cálculo do número de deputados federais de moda a reduzir as bancadas do Sul e do Sudeste, onde a oposição crescia, aumentando as do Norte e do Nordeste, regiões que ainda dominavam.

O pior daquela farsa foi que o general Geisel decretou o recesso do Congresso e, em seguida, num novo ato, dispôs que “estando o Congresso fechado, o Executivo legislaria em seu lugar”, impondo todo aquele lixo. Mas quem tinha fechado o Congresso?

Petrônio Portella, presidente da Arena e do Senado, disse ser aquele o pior dia de sua vida, mas engoliu as abomináveis reformas para começar a lutar contra elas, mais tarde. O general Golbery, anos depois, explicou com desfaçatez que eles agiram assim para manter o poder, ameaçado pelo crescimento da oposição. Para preservar o poder, valia tudo.

Em suma, o “pacote de abril” foi antes de tudo um gesto de força, que a imprensa, amordaçada, só pode criticar pela metade. Mesmo assim, nada passou em branco, mesmo naqueles tempos bicudos.


Ministro escreve livro

 

Olides

Quem esteve em Brasilia,foi o Ministro Flávio Rockembach,Ele foi integrante do Superior Tribunal Militar.É neto do General Flores da Cunha.
Ele nos contou que conclui o livro sobre o STM e que deverá lançar no fim de agosto deste ano.
Quem leu os originais nos disse, que as histórias que o Flávio escreveu,vão dar muito o que falar.
Conheço o Flávio já á alguns anos.O homem que tem sangue gaúcho nas veias,por causa do seu avo, um velho guerreiro,não tem papa na língua.Vamos esperar.
Sergio Ross

 

Quem é Inter, quem é Grêmio

 

 


Fui tomar um café com meu amigo e colega Carlos A. Fruet. Com sua "assessoria" montei um pequeno mapinha da crônica esportiva, pequeno,depois volto ao assunto.

Aí vai a cor partidária do pessoal ligado ao futebol

Francisco Paulo Santana( todo mundo sabe de sua paixão pelo Grêmio)

Kenny Braga( todo mundo sabe que é colorado)

Farid Germano Filho( é gremista)

José Alberto Andrade : é colorado

João Garcia( não descobrimos!)

Leonardo Meneghetti ( só podia ser colorado, parente do ex-governador,Ildo, que foi 9 vezes presidente do Inter)

Cristiano Silva : colorado

David Coimbra : gremista!

Cristina Ranzolina : é colorada

Lupi Martins : era gremista

Lasier Martins: é colorado
Luis Carlos Silveira Martins : é gremista, foi presidente do Grêmio

Guerrinha( Adroaldo Guerra Filho) do Sala de Redação: é colorado

Ruy Carlos Ostermann: é uma incógnita( alguns dizem que torce ainda pelo Aimoré de São Leopoldo)

Lauro Quadros : gremistão de vibrar nas redações quando o Grêmio ganhava um Grenal.

Pedro Ernesto Denardim: Gremistão

Haroldo Joaquim de Souza : incógnita( eu arrisco que é colorado)
Luis Carlos Reche : colorado
Marco Antônio Pereira, segundo locutor da Gaúcha e presidente da ACEG : gremistão
Nobrinho( José Evarristo Villalobos) : colorado fanáticoa, trabalha no Inter.
Marco Villalobos: filho de Nobre, é gremista como o pai.
Flávio Dall Pizzol : Colorado
Wianey Carlet : ( tudo indica que seja colorado)
Chargista Marco Aurélio: colorado
LFVerissimo: colorado
João Carlos Belmonte( não se sabe)

João Garcia: também é uma incógnita

Osiris Marins: colorado

 

Memória da Imprensa

 


O Serginho Ross tá usando a expressão " é que me viram saindo de um jornal nacional". Isto é uma manha que ele aprendeu na Ultima Hora. Havia lá um coleguinha que ficava chantageando o Ari de Carvalho, o dono, pedindo aumento. E mandava recados:

- Diz pro Ari que hoje me viram saindo da Caldas Junior.
Queria dizer que tinha recebido um convite do Dr. Breno!

 

De São Borja: Juremir palestra sobre Getúlio!

 


Juremir Machado da Silva esteve em São Borja com palestrante convidado pelo Departamento de Assuntos Culturais e Camara de Vereadores que aliados comemoram os 128 do nascimento Getúlio Vargas. Juremir falou para um público bastante significativo por duas ocasiões nesta sexta feira. fez uma abordagem sobre seu romance recentemente lançado e fez um passeio pela história com a competência de
jornalista e professor coisa que lhe é peculiar.pode-se afirmar que palestrante e platéia interagiram de forma dinamica.
Clemar Dias


Xandy Vieira estaria doente?

 


Músico Xandy Vieira


O músico Xandy Vieira, 44 anos, um dos nomes mais conhecidos da noite portoalegrense estaria doente. Ele foi fundador e " Leeder Band" da Anexo 44. Participou das bandas Inconsciente Coletivo e Corações Solitários. Tem mais de 20 anos de noite da capital.
É um dos empreendedores do Kakfa Bar, Kilt Pub e Sargents Peppers, onde ainda está ligado.

Na foto, Xandy é o que usa boné. A foto é do seu site.

 

Diário da Corte!

 



Olides

* Brasília está em polvorosa. Com a posse hoje,sexta feira,do Ministro Cesar Pelusso na Presidência do Superior Tribunal de Justiça, hà um temor no ar, de que uma intervenção no DF está mesmo por um fio. O Ministro Pelusso,é um dos ministros que apoia a intervenção. Outra coisa:o governador do DF, Rogério Rosso,não teve a sensibilidade,de evitar empossar em seu governo,recem iniciado,gente do Arruda. E o que é pior,gente totalmente envolvida em todas as vigarices ainda reinantes por aqui
* No almoço de hoje,esteve conosco,um velho amigo.Trata-se de um Brigadeiro em plena atividade, que nos confidenciou que a FAB vai ter que engolir os caças franceses. Disse que ainda tentaram dividir a compra dos aviões em tres contratos. Doze aviões seriam da França,outros doze dos Estados Unidos e os doze ultimos,da Suecia.Mas parece que o marido da Carla Bruni,vai levar tudo
* O embaixador Rubens Barbosa,novo velho amigo e integrante da mesa mais inteligente de Brasília,recebeu o "agriment "do governo australiano. Isto quer dizer, que o governo daquele país, concorda em receber como Embaixador do Brasil,na Australia o nosso Rubens Barbosa.
Rubens Barbosa,deverá nos próximos dias ser sabatinado no Senado.Êle inteligente e competente com é,deverá se sair muito bem. Pelo menos uma grande torcida estará ao seu lado,nesse dia.

Sergio Ross

Provedores

 

Conversando com meu colega e amigo Carlos Augusto Bissón, ele me alertou para o desaparecimento de muitos provedores, como Ibest, ig, bol,uol,pop entre outros. Segundo Bissón, está praticamente tudo concentrado em quatro. Hotmail,terra, yahoo e gmail.Mas o Globo também é forte, me alerta ao amigo Carlão,aqui do cyber.

 

 

"Rigotinho" terá vez
contra " Meméia"!

 


Germano Rigotto na campanha a governador de 2002.

Começaram a ir ao ar os spots em rádio da propaganda do PP(Partido Progressista) da Ana Amélia Lemos( "Meméia", para os íntimos). Olha, de comunicação deu pra ver que ela entende do riscado. E o partido está apostando tudo nela. Quem sobrará desta disputa, ela ou Rigotto, no caso o ex-governador Germano Rigotto, conhecido por "Rigotinho" nas hostes peemedebistas?

Se a " Meméia" é boa em comunicação, Rigotto é bom de voto. Sempre foi. Por exemplo, na última vez que concorreu a deputado federal, em 4 de outubro de 1998, fez 151.260 votos, perdendo apenas para dois outros bem votados, Paulo Paim(agora seu concorrente na eleição para o Senado) e para Nelson Proença, na ocasião no PMDB(depois foi pro PPS).
Casado com Claudia Eberle Scavino , Rigotto tem com ela dois 2 filhos. O dentista começou sua carreira política em Caxias do Sul, pelo então MDB,quando se elegeu vereador no ano de 1976. Foi vereador até 1982. Neste ano concorreu a deputado estadual pelo MDB e já mostrou que era bom de urna fazendo 31.248 votos.
Reelegeu-se em 1986 aumentando a votação para 53.837 sufrágios. Em 1990 tentou vôo mais alto para a Câmara Federal. Não fez feio,principalmente depois de ter feito uma forte campanha em favor da não privatização do Banco Meridional(ex-Sulbrasileiro).
Neste ano fez 94.077 votos para deputado federal.
Apenas perdeu para o fortissimo candidato do PMDB, Mendes Ribeiro( o pai, não o filho) que fez mais votos que ele, mas Ribeiro tinha uma máquina na mão, que era a RBS( olha aí a coincidência com a Ana Amélia Lemos).
Em 1994, de novo para deputado federal, Germano Rigotto fez 108.334. Filho de Julieta Vargas é primo-irmão do ex-prefeito de Caxias e atual deputado federal do PT, Pepe Vargas. Em 1996, Germano Rigotto perdeu a eleição de prefeito para o parente por uma ínfima diferença:apenas 4 mil votos numa eleição com segundo turno. Rigotto foi para esta eleição para prefeito de sua cidade natal depois de ter um destaque nacional como líder do Governo FHC.
Diga-se de passagem que não foi a primeira vez que ele perdeu uma eleição para prefeito de Caxias. Em 1988 perdeu a eleição para a prefeitura de sua terra natal para outro político caxiense, muito manhoso, o ex-prefeito Mansueto de Castro Serafini Filho, que o senador Pedro Simon apelidou de " Soneca" nos tempos que ambos militavam no MDB. É que quando Simon chegava na sua terra natal, Mansueto,geralmente, ainda não havia levantado.
Nesta eleição entre Serafini e Rigotto, a diferença pró-Mansueto foi de cerca de 12.500 votos( fui cobrir a eleição para a ZH e perdi uma aposta com o Mansueto porque achei que ele ganharia, mas por pouquissima vantagem).
Antes de entrar para a política, Germano Rigotto foi dentista e atuava no Sindicato dos Bancários de Caxias do Sul. É torcedor do Caxias, fanático.Rigotto sempre lutou muito para conquistar seu espaço. Por exemplo, quando entrou pra a Assembléia Legislativa gaúcha, não podia ver um "pau de luz"( de televisão) que se postava para dar entrevista. Por isto ganhou do repórter político João Carlos Terlera, o apelido de "borboleta".
No sindicato onde atuava como profissional, começou a fazer suas "bases" para ganhar projeção nacional em 2006 quando até tentou ser o candidato a presidência da República pelo PMDB, mas acabou não levando. Perdeu para Anthony Garotinho, ex-governador do Rio de Janeiro.

Germano Rigotto também já autou como diretor do Recreio da Juventude,localizado na rua Senador Pinheiro Machado, de Caxias, um clube da classe média alta.

Em 1998, afirmou que estava disputando sua última eleição proporcional. Depois só majoritária.
Sobre o fato de ele nunca ter sido eleito prefeito de sua terra natal e ter chegado a governador do Estado, em 2002, vencendo em segundo turno, o candidato do PT, Tarso Fernando Herz Genro, Mansueto Serafini, que lhe ganhou uma eleição para a prefeitura diz:
- É que aqui em Caxias nós o conhecemos, no Estado não o conheciam por isto ganhou aquela eleição.
Quando Rigotto se elegeu governador em 2002, numa eleição que começou com baixissimo percentual nas pesquisas( já que a disputa estava entre Tarso e Antônio Britto Filho, que saíra do PMDB pra ir pro PPS) um político de muita projeção em Caxias do Sul e atuação na Assembléia Legislativa gaúcha fez um prognóstico para um jornalista político:
- O Estado até poderá estar mal, mas ele estará sempre bem....

Na eleição de 2002, na coligação entre PMDB,PHS e PSDB no segundo turno Rigotto fez 2.426.880 votos. Já em 2006, no primeiro turno(foram pro segundo, a atual governadora Yeda Crusius e Olívio Dutra) ele ficou em terceiro lugar com 1.679.902.
A governadora Yeda nesta eleição "roubou-lhe" o patrimônio eleitoral que representa o anti-petismo no Estado.
Ele, de estilo conciliador, não quis agredir muito ao PT e a gestão de Olívio e acabou "bailando na curva", como se diz.


Quem é a família?

A família Rigotto é uma família tradicional de Caxias do Sul. O pai dos seis irmãos - Julieta,Germano, Beatriz, Lindomar(falecido em Rainha do Mar, em 1999),Júlio e Dulce) Germano João Rigotto foi um corredor de carros décadas atrás em Caxias do Sul.
A mãe dos irmãos, Julieta, é irmã do pai do deputado federal e ex-prefeito de Caxias, pelo PT, Pepe Vargas.
Os irmãos Rigotto têm profissões diferentes: Julieta foi casada com um bisneto do conhecido industrial caxiense Abramo Eberle, de quem está separada;Germano é político e dentista; Beatriz é médica do Hospital Conceição de Porto Alegre; Lindomar, o Téti era empresário da noite;Júlio começou como disk-jóquei na Atlântida FM na década de 60 e hoje comanda as organizações Ibiza, no Litoral Norte do Estado e Dulce, a mais nova de todos, é psicóloga e atua como relações-públicas das Organizações Ibiza que tem casas no Litoral gaúcho e em Jurerê, Floripa.

 

Coleguinhas

 

José Lauro Dieckmann Siqueira embarca neste dia 27/04 para a sua turne européia. Desta feita fará Espanha e Portugual.
O coleguinha que mantém seis, sim, eu disse seis blogs no ar, também faz trabalho voluntário no Direito, porque é advogado.
Aos curiosos que querem saber porque a Rosinha Lopes, sua esposa não vai junto - todo mundo tem sede de "lama" - é simplesmente porque ela tem medo de avião....Viu,seus curiosos....


José Lauro Dieckmann Siqueira

E o Lauro viaja muito porque é isento de imposto de renda, por um motivo muito particular, que ele me "proibiu" de revelar.Então aproveita pra torrar sua grana em viagens...

Coleguinhas

 

Torves operou o joelho

mas se recupera no Planalto Central


Zé Torves discursa num almoço de fim de ano no Mercado Público


O colega e ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas-RS, Zé Torves, andou operando um joelho, em Brasília, onde passou a morar depois que deixou a presidência do sindicato.
Pouco tem sido visto aqui no Sul,depois que foi embora. Quando vem, vai direto a Livramento, visitar familiares.

Zé Torves ficou seis anos na presidência do sindicato dos jornalistas. Ele se "arrependeu" do segundo mandato. Atualmente trabalha pra se eleger presidente da Fenaj.

Com toda sua vida ligada ao rádio e a tevê, Torves sabe muito dos bastidores destes veículos no RS, porque trabalhou em muitos deles.

Ainda hoje há quem se lembre de seu "vozeirão" comentando jogos de futebol que passavam na TVE.

E ele gostava de contar estes causos, como todo homem fronteiriço.

Filho de gente simples,humilde, seu pai foi frentista de posto de gasolina. Ele me contava que quando veio a Porto Alegre resolveu ser jornalista(foi também militante do PCB).
Voltou pra Livramento e contou ao pai,que,sinceramente, lascou na lata do filho:
- Ah, então tu vais ter a mesma profissão daquele teu primo vagabundo...

Referia-se a um cronista de futebol muito famoso, também de Livramento.

Quando Torves, de outra feita, voltou a Livramento e contou ao pai que trabalhava em televisão, o "velho" saiu-se com esta:
- Ah, meu filho, estudar tanto pra consertar aparelhos de tevê!

Torves era assim: de uma sinceridade muito grande, mas também gostava de " tancrediar" como ele dizia, quando não queria tomar uma posição ou não externá-la.
Muitas vezes o vi atendendo o telefone no sindicato e responder a ligação com o mantra:" estou aqui tancredeando"...

Conciliador por natureza, embora participasse de manifestações do MST(algumas feitas defronte ao prédio da Zero Hora , na avenida Ipiranga, quando ao MST queria "invadir" o jornal) Torves também conciliava,quando necessário.
Grande parte das historinhas de bastidores que estão no meu livro Pauta,o avesso das Redações, devo a ele.

Mas dois assuntos motivavam muito meu colega e amigo: era contar as histórias acontecidas no Porta-Larga( um bar na avenida Erico Verissimo, ao lado da ZH) e outra de quando era coordenador de esportes da rádio Gaucha. Assegura ele, com convicção que um atual famoso comentarista, numa determinada noite, depois de haver tomado tomas no Porta-Larga deu um p....no ar no programa Show dos Esportes, do Pedro Ernesto Denardim. O Pedro teria desafiado este colega que estava para lá de Maraquech e ele teria baixado as calças e as cuecas e assim que o Show dos Esportes voltou ao ar, depois dos comerciais, este atual comentarista, que participava do programa então como repórter teria posto no ar um p....

Se é verdade, não sei. Eu não ouvi e nunca ouvi falar disto. Mas que demos muitas risadas no sindicato imaginando a cena, isto damos.

Saudades do colega....

Coleguinhas

 

* No sábado,dia 24/04, no barzinho da ARI ( com público reduzido) Glei Soares liga para sua mulher, Cristina Mazzei. Ela atende e lhe responde:
- Tava pensando em ti!

Glei, conhecido por seu estilo franco, rebate pra mulher pra todo mundo ouvir:
- Ainda bem que era em mim, não no Outro.....

Engraçado, este Glei

 

Barzinho da ARI

 

* A mesa central do barzinho da ARI, que há dez anos aos sábados era disputada a tapas porque ali só sentavam os ilustres, tem lugar de sobra hoje em dia pra quem quise ocupá-la. Foi-se o glamour da casa ! Uns que sentavam ali faleceram e outros desistiram. Nem mais Jayme Copstein frequenta o barzinho....muito menos Sérgio da Costa Franco. Não foi por falta de aviso que isto aconteceria.Agora é juntar os cacos e dar a volta por cima!

Coleguinhas

 

*Pô , va lá que a mesa do Stella Grill,onde o nosso Serginho " pega" as notícias que manda pra cá tenha gente inteligente, mas chamá-la de a mais inteligente de Brasília, aí já é provocação....

Isto me faz lembrar uma vez que o saudoso João Aveline queria dar uma manchete sobre a morte de alguém meio exagerada: O Lauro Schirmer, que era um "radical da prudência" argumentou com o Aveline:
- Aveline guarde esta manchete pra quando Deus morrer!

 

 

Mudança de Dial!

 

 

O radialista Luis Carlos Fiorin deve deixar nos próximos dias a Odisséia FM,de Serafina Correa, onde apresenta todas as manhãs o programa Rede Cidades.

Por orientação da direção da rádio - os donos são os irmãos Enio e Paulo Massolini - a Odisséia vai ficar mais light,segundo o diretor Paulo.
E, assim, Fiorin deverá se desligar da rádio.

Ele deverá se transferir para a rádio Viva News, da Rede Serrana( seis rádios) de Bento Gonçalves, onde deve apresentar um programa das 5 as 9 da manhã.
Mas vai continuar com o Gazeta Regional, o jornal de Serafina que fundou há 4 anos.

 


O autor e a equipe desejam aos leitores um bom fim de semana!

 

Serginho, embora p. da vida
explica sua foto!!!!


Olides

Na materia que mandei sobre o aniversário de Brasília e que como sempre,publicastes atrasado,tem uma foto do Congresso a onde na frente, aparece um grupo de meninos brincando com uma bola. A foto que mandei,não era só para mostrar o Congresso, era par mostrar que o futebol americano,está invadindo o Brasil e já chegou a Brasília.
A garotada como ainda não tem campo para treinar,treina´periodicamente nos gramados da cidade.
A coisa está virando uma febre.Logo logo, estaremos vendo grenais de futebol americano.
Não sou contra a esse tipo de esporte,mas que, me parece uma idiotice das mais violentas,isso me parece sim.
Sergio Ross



Carta

 

Olá Olides,
Por volta de 57, havia em POA um pensionato de moças na Av. João Pessoa, entre Luiz Afonso e República, mais ou menos na altura do Posto de Combustíveis. Como um dos moradores da JUC nas proximidades e “antenados” que éramos, fizemos relacionamento com as meninas do pensionato, as quais eram nitidamente lideradas por uma Marlene Galeazi, sempre elegante e charmosa, liderança essa que ela exercia inclusive sobre a louríssima filha do desembargador que residia ao lado do pensionato.
Nos últimos dez anos, à medida que comecei a tomar conhecimento da atuação da jornalista de Brasília, fiquei sempre a conjecturar se trataria da mesma pessoa. Embora minha memória visual não possa ser considerada à prova de falhas, depois de todo esse tempo, a foto que publicaste me pareceu pelo menos “compatível” com essa lembrança, apesar de, no meu “arquivo mental”, achar que a Marlene Galeazi do pensionato da João Pessoa fosse de Garibaldi.
Grande abraço,
Saul

 

Temperos típicos uruguaios


adobo


chimichurri



Após o sucesso obtido na comercialização de alfajores, o ex-jogador do Nacional de Montevidéu e da Seleção uruguaia, Marco Vanzini, está diversificando os produtos fabricados no País vizinho que sua empresa representa no mercado brasileiro. A partir de agora, Vanzini passa a representar a linha de produtos da tradicional indústria uruguaia Monte Cudine, empresa fundada em 1876, em Montevidéu. A Monte Cudine foi pioneira na introdução de vários tipos de alimentos e ocupa posição de liderança de mercado na região, além de exportar para países da América Latina e Europa. A linha de produtos da Monte Cudine, que já está sendo comercializada através da rede gaúcha Zaffari, abrange massas e arroz saborizados, sopas cremosas, caseiras e instantâneas. Mas o grande destaque fica por conta dos condimentos, especialmente o chimichurri e a sua versão seca ? o ADOBO, que a maioria das pessoas que visitam a fronteira, trazem na bagagem ou no portamalas dos carros para temperar o tradicional churrasco gaúcho. Também são sucesso de vendas na loja de produtos uruguaios localizada na Rua Félix da Cunha, nº 1143 em frente ao Moinhos Shopping, em Porto Alegre.

Todt Comunicação

Carta

 

Caro Canton!

Obrigada, amigo, pela informação sobre o 19 de abril.
A imprensa (e fazemos parte dela) só divulga que é "Dia do Índio" e do aniversário do Roberto Carlos.
Prefiro, porém, homenagear a minha mãe, que faz aniversário nesse dia, e lembrá-lo, a partir de agora, como dia de nascimento de Getúlio Vargas.

Tem gente massacrando a língua portuguesa na Newsletter do Sindicato dos Jornalistas. A última foi "chamar" a Câmara Municipal de Porto Alegre, instituição que abriga os nossos "competentes edis", de Câmera de Vereadores (com "E" mesmo). Estamos mal, não acha?

abs

Joséte/jornalista


Coleguinhas

 

* Só pra " castigar" o Serginho mais ainda, porque anda muito reclamão, agora vou botar o Teixeirinha cantando não mais as sete da manhã, nos domingos, mas as seis. Como ele fazia nos quartos dos acampamentos das empreiteiras onde ele, eu, o " motorista de kombi"( Bruno Ferreira ) o Adão Oliveira, o "Mal. Rondon" e outros dormíamos um sono pesado as seis da matina. Serginho colocava a todo volume uma rancheira braba do compadre Teixeira e nós tínhamos que levantar pra seguir o trecho com o aloprado do Cloraldino, que não podia ver estrada....A vingança, como diz aquele velho ditado, é um prato que a gente come pelas bordas....ah...ah...ah....

 

Exclusivo

 


Lotérica do Bolão

segue fechada e

"contempladas" nada ganham!

O " crime", às vezes, não compensa.

A lotérica Esquina da Sorte, de Novo Hamburgo, que em fevereiro passado vendeu um bolão sem registrar a aposta nos terminais da CAIXA está fechada pela Caixa Econômica Federal ( CEF ) e assim continuará.
Enquanto isto o dono,José Paulo Abend e a funcionária,Diane Sanar da Silva respondem processo na Justiça Federal.
A Caixa Econômica Federal(CEF) não pagou nenhum dos " contemplados".

 

Coleguinhas

 

*De um observador atento, que entrou no site do Jornal do Comércio; ' PO ESTE JORNAL SÓ TEM VEINHO DE COLUNISTA! AINDA BEM QUE TIRARAM O BASTOS SENÃO VOU TE CONTAR!"

Coleguinhas

 

*Rodrigo Roddenbuch provando que é bom mesmo, está dando um show na transmissão que faz de manhã cedo pra Guaíba sobre a Feira de Hannover. Com uma vantagem: sabe tudo sobre a Alemanha, país onde vive,atualmente.

*Voltei a ouvir o Jornal Gente: hoje(ontem) falaram muito da Lima e Silva. Um dos comentaristas parecia um "pastor" de igreja pregando moral e bons costumes.Tá que a gurizada azarra, isto é verdade. Mas então mude-se para longe do centro da cidade...Toda cidade grande tem isto, né.

*Adão Oliveira chamou a anteção neste mesmo programa - Jornal Gente, da Band AM - se Fernando Albrecht não estava usando de dois pesos e duas medidas: criticando a "baderna" da avenida Independência provocada pelos jovens que frequentam o Cabaret Voltaire e não dizendo nada sobre a Padre Chagas!?

*Osiris Marins, o timoneiro do programa a que me referi, estava nem contra, nem a favor, muito antes pelo contrário!

*Também moro numa rua que nos fins de semana tem movimento por causa de uma pizzaria...Mas com o tempo a gente se habitua. E uma madrugada destas fui acordado ouvindo um grupo de jovens cantando o Hino riograndense. Cantavam e sabiam tudo de cor. Nem acreditei!!!!Pra ver como ainda tem jovem "patriota".

 


De São Borja

 


São Borja ganha

Nova Delegacia de

Polícia em local

onde funcionou o Forum

Desde o último dia 5, São Borja conta com uma moderna delegacia de Polícia, localizada em área nobre da cidade, ou seja, na av. Presidente Vargas, 2062.
A área tem 1.100 metros quadrados e o novo prédio da Primeira Delegacia de Polícia abriga, ainda, a Segunda DP e o Posto de Identificação.

Folha de São Borja

Ao ato que marcou a entrega do novo local, compareceram autoridades federais,estaduais e municipais.
Representando a federação, esteve o deputado federal Luiz Carlos Heinze(PP), já o General Edson Goularte, Secretário da Segurança Pública, representou a governadora Yeda Crusius.
O prefeito Mariovane Weis(PDT), o vice-prefeito Jefferson Homrich(PTB) e alguns vereadores também prestigiaram o ato.

O prédio ficou desativado durante três anos até que começassem as reformas que custaram 517 mil reais( 457 mil do Tesouro do Estado e 60 mil da comunidade sãoborjense).

Hoje, atuam na Primeira DP, 17 servidores, dos quais 12 na área de investigação.

Assassinato

Muitos sãoborjenses ainda lembram do assassinato ocorrido na frente do prédio do ex-Forum, atual Central de Polícia - ocorrido no começo dos anos 80.
A cena, para quem a recorda, é digna de um filme de faroeste: Mady Martins, um " financista" muito conhecido em São Borja e na região estava entrando no Forum, quando um fusquinha azul parou perto do prédio. O motorista permaneceu na direção enquanto o "carona" abriu a aporta e posicionou a arma e atirou no máximo 2 ou 3 vezes em direção à váitima, que ato contínuo tombou ali na calçada.
O motivo do crime seria a pressão que Mady Martins estaria fazendo sobre membro de uma tradicional família sãoborjense por causa de uma dívida. O " pressionado" não tendo como pagar, acabou suicidando-se.Para vingar a morte do irmão, dois integrantes desta tradicional família resolveram executar o " financista".
Mady Martins morreu no local, na frente do Forum e os vingadores cumpriram pena. Hoje estão soltos.
Até pouco tempo atrás, antes de se iniciarem as obras para a reforma do prédio, que agora virou Central de Polícia, podia-se perceber os vestígios da tragédia porque as balas despejadas pelo executor deixaram marcas no prédio do Forum.Quem presenciou a cena, e houve quem viu tudo, não esquece da tragédia.
O Forum, ficava em frente ao atual Executivo Hotel, quase na esquina da Praça XV de Novembro. Na ocasião, ainda não era o hotel que funcionava ali, mas sim uma livraria do pai do atual vereador Celso Lopes ( PDT).
( Com a colaboração da Folha de São Borja,edição 3432,de 07.04.2010).

 

Histórias de La Ùndeze

 

O " patrola" se livrou

do infarto!


Todos os amigos - e também os inimigos - vibraram que o infarto que o Flávio Soccol - conhecido por poucos por PATROLA - teve dias atrás e que o levou ao Hospital São Vicente de Paulo, em Passo Fundo, já está em casa. Provavelmente restabelecido, já foi ver os velhinhos do asilo que ele cuida em Guaporé, por conta da Credeal.

Aos 60 e tantos anos, o Flávio levou a vida que pediu a Deus.

Sempre fazendo pouca força, ele vive bem em Serafina. Foi secretário do turismo e suas boas relações o faziam colocar Serafina toda hora no Jornal do Almoço, da RBS, porque minha irmã, que era produtora lá, dava um jeito. O Flávio sempre foi assim: com pouca força, ele consegue as coisas....

Há uma grande disputa entre ele e o advogado Oraldo Rodrigues pra ver quem foi que bolou o bordão; SERAFINA,CIDADE SIMPATIA!
Oraldo diz que foi ele, por ocasião dos 10 anos de emancipação, em 1970. E como prova tem um recorte do Correio do Povo daquela época.

Já o Flávio teria se apoderado desta bordão, que faz sucesso. Há um outro, SERAFINA AMORE MIO, que parece que foi o Flávio também que "tomou" de alguém quando era secretário de turismo.

Na verdade, tudo o que ele fez quando ocupou esta função, há anos atrás, era levar as gurias do Garota Verão pra desfilarem na RBS TV e mandou plantar umas mudas de azaléia que "importou" de Gramado.

Mas " cartaz" ele fez muito....

Não conheci na vida, pessoa mais marqueteira que ele.
E olha que já tenho estrada!

Carta

 

Olides
Sentindo a tua falta lá pela Câmara.
Ainda existe vida util por lá
ABraços do
ADELI


 

Brasília, 50 anos!

 

 

Foi bonita a festa, pá....

Fiquei contente....

Ainda guardo renitente....


Era assim que o Chico Buarque falava nos anos da ditadura. Brasília comemorou 50 anos e pronto. Agora só os 100. O "Paparazzo"esteve lá e registrou pra posteridade.
Agencia Edison Castêncio

fotos da agencia edison castêncio

Brasília

fotos da agencia edison castêncio

Brasília

fotos da agencia edison castêncio

Brasília

 

Carta

 


Queria agradecer o OLides por reproduzir no deolhoseouvidos.com.br a divulgação do show do Léo Ferlauto no Sgt Peppers Pub no dia 15 de abril. Valeu d++++
Estou sempre conferindo o que ele escreve neste site que é uma referência para nós jornalistas. Eu tb queria convidá-lo para ir no meu programa na Rádio da Universidade uma horas dessas. Queria conversar com ele sobre rádio, jornalismo, música e outros.

Abraço
Guto Villanova

Carta

 

Bom dia!
Obrigada p/atenção!
Abraços desde São Borja.
Neuza

Tempos que não passam

 



Olides
Agradeço por restituir a verdade em relação ao Kolecza. Aproveitei e atualizei a leitura do blog. Estás fazendo um trabalho de grande valor em relatar, contar e recontar histórias de jornalistas, de velhos jornais, todos lidos porque tinha gente "de olhos e ouvidos". A nossa profissão é nobre e é preciso valorizá-la. Aproveito para um comentário sobre encontro na terça-feira, dia 20, no auditório do Tribunal de Contas do Estado. O Marcos Rolim chamou para debate com o Solano Nascimento, sobre jornalismo investigativo. Aproveitei o final da homenagem pelo aniversário da Assembleía e me fui pela escadaria da Riachuelo abaixo, antes que me chamassem para novo discurso. A conversa foi interessante, mostrou o Solano em números que o jornalismo investigativo não investiga, porque superado pelas investigações em curso no país e, então, denomina jornalismo sobre investigação o que lemos todos os dias nos jornais. Mas estranhei que os debates estavam direcionados para os jovens, "porque vocês, jovens jornalistas, sim, os jovens que estão començando devem aprender que..., e os jovens prá lá e prá cá". Como o meu tempo acabou, saí de lá um pouco acabrunhada, envelhecida, estranhando essa linguagem boba para os jovens. Pelas perguntas, a juventude vai demorar para entender a complexa missão que assumimos e os nós cegos, proibidos e secretos que temos que desvendar. Vou sugerir ao Rolim que, no próximo debate, chame os velhos dinossauros da nossa imprensa, os bem velhos, aqueles que contam histórias e sabem todos os segredos da profissão. É com eles que se aprende o mais importante. Depois, é praticar de acordo com o seu talento.
Francis Maia

 

Aniversário de Brasília

 

 

Moro em Brasília desde Maio de 2000. Ontem vi uma multidão reunida na Esplanada dos Ministérios desde 08h e entrou madrugada a dentro, fechando com chave de ouro: Milton Nascimento. Mas o melhor da festa é que não tinha política no meio. Nada de políticos fazendo discursos demagógicos para o povão. O novo Governador não foi para a festa e, segundo a imprensa, por causa das manifestações contrárias ao escândalo do mensalão do DEM de Brasília sofridas no dia anterior. Não fez falta nenhuma.
Foi bonito ver como os moradores da capital estavam felizes. Parecia que era aniversário de alguém muito próximo da gente, um familiar ou um grande amigo. As pessoas se arrumaram para ir à festa ou mesmo só para dar um passeio e aproveitar o dia lindíssimo que fazia. O céu estava mais azul que nunca. Parecia que também queria fazer sua parte para presentear a cinquentona, que está cada dia mais bonita e conservada ( estou me referindo ao plano piloto ).
Como estamos em Abril, a seca ainda não chegou, as árvores estão lindas, verdinhas, os canteiros em flor, a grama e os parques também estão em seu momento mais bonito ( parece início de primavera no RS).
Como é dia de festa vamos falar só de coisas boas. Não vamos falar na brutal desigualdade entre “avião” e suas cidades satélites ( como é conhecida a periferia no DF ) e cidades próximas, especialmente as do Estado de Goiás.
Tinha atrações para todos os gostos, idades, tribos, etc... As emissoras de TV e rádios só falavam da festa e de como foi a construção de Brasília. Tenho certeza que nunca mais terá outra festa assim. O bom de fazer 50 anos é ainda tem muita gente que ajudou a construir a capital que está viva e cheia de lembranças dando entrevistas, se sentido importantes. Diria que ontem, pela primeira vez nestes quase 10 anos que moro aqui, quem tomou conta dos noticiários foram pessoas simples, felizes, agradecidas por estar aqui e viver este momento legal. Eu também me senti assim, feliz e agradecida por poder desfrutar da qualidade de vida que essa cidade ainda proporciona, independente dos políticos e da política.
Pena que só se faz 50 anos uma vez na vida....

Depoimento de Ana Maria Canton sobre o dia 21 de Abril de 2010, quando Brasília completou 50 anos.

 

Vereador quer federalizar Hospital São Francisco de Borja

 

O vereador Celso Lopes aproveitou a ida do candidato ao Governo do Estado, José Fogaça, dia 16/04 para lhe entregar o pedido de federalização do Hospital São Francisco de Borja. É uma longa luta dos sãoborjenses para que isto venha a acontecer!


fotos de Letier Vivian, do gabinete do vereador Celso Lopes

Fogaça

fotos de Letier Vivian, do gabinete do vereador Celso Lopes

Fogaça

fotos de Letier Vivian, do gabinete do vereador Celso Lopes

Homenagem

fotos de Letier Vivian, do gabinete do vereador Celso Lopes

Homenagem

 

 

O " SOL"
AGORA VIROU CELEBRIDADE!

 

 


Solano Nascimento


Quem diria, como a vida dá voltas. Vi na ZH de segunda passada, que o Solano Nascimento, o nosso SOL dos anos 80 e 90 da ZH virou best seller com um livro sobre jornalismo.Depois a Francis Maia escreveu dizendo que foi ver sua palestra no Tribunal de Contas do Estado.
Pra ouvir o Solano, não tiro minhas pantufas de jeito nenhum!
O Solano chegou na redação da ZH, nos anos 80, acho que vindo de um curso de jornalismo que a falecida Eunice Jaques dava dentro da própria empresa. Era um prata da casa.

Muito tímido, nós implicávamos muito com ele!

Uma das brincadeiras mais gostosas de fazer com ele, era irritá-lo dizendo que estavam procurando no telefone o PAULO SOLANO, que na verdade na época era o apresentador de um programa sobre aposentados que fazia muito sucesso nas manhã de sábado na Band AM.E era verdade. De vez em quando ligavam atrás dele, por causa de uma informação,coisa corriqueira, mas os leitores perguntavam pelo nome famoso,PAULO SOLANO...

A outra que sei dele é menos leve. O Solano foi numa coletiva do secretário dos transportes do Estado, Matheus Schmidt e começou a entesar com o Matheus querendo saber como ele que tinha empresa de ônibus podia dar aumento de passagem.
Até onde sei o Matheus quase se botou no Solano, que quando jovem tinha um estilo muito provocador e irônico.
Hoje, pelo que vi na foto da ZH, está mais amadurecido mas continua com temas interessantes como este do jornalismo investigativo. Eu de minha parte acho que todo jornalismo é investigativo!

 

Carlos Nobre terá museu

 

 

Deu na rádio da UFRGS que será inaugurado um museu para preservar a memória do humorista,cantor,tanguista, Carlos Nobre, cujo nome de nascência era José Evaristo Villabos Junior.

Nobre, nascido em Guaíba, em 7 de abril de 1929 começou no rádio cantando seresta. Em 1954, na rádio Gaúcha passou a apresentar o " Jogo Bruto",depois o " Campeonato em Três Tempos" e daí em diante fez uma exitosa carreira.

Nobre era uma pessoa muito simples:quando entrava na redação da ZH, por exemplo, vinha cumprindo todo mundo e geralmente fazendo " palhaçada".
Não se sabe de onde ele tirava este bom humor, principalmente pela manhã.


Carlos Nobre, de piteira, redigindo sua coluna

 

Existem inúmeras lendas sobre ele.
Uma delas diz que uma noite, no restaurante Copacabana, onde ele frequentava muito,o Chico Spina,seu grande amigo, lhe comunicou que tinha nos fundos um cabrito que no dia seguinte seria sacrificado. Nobre se apiedou do animal, comprou-o e levou pra casa no seu fusquinha.

Sua esposa, Virgínia, disse que Nobre cumpriu sua missão, que foi a de transmitir alegria a todos quantos o conheceram.
Quando morreu, em 16 de dezembro de 1985, prematuramente, sua coluna em ZH foi extinta, porque ele não tinha substituto.

Mas Nobre também tinha uma faceta muito vaidosa.
Uma vez foi contratado para um show no Sindicato das Empresas de Transportes de Carga.Seu show andava de vento em popa,quando chegou seu Avelino Andreiss,dono da transportadora Aurora. Seo Avelino, um gringo grosso de Passo Fundo,entrou falando alto.
Nobre parou o show e não o retomou. Ficou amuado e não quis nem seu cachê. Foi embora.
Quem melhor descreveu esta sua faceta foi o diretor da RBS,Fernando Ernesto Correa, que num depoimento para um livro disse:
- Nobre tinha uma grande virtude:era CIUMENTO!
Se a gente deixasse passar uma semana sem procurá-lo para almoçar no Copacabana ou no Pastoriza, seu mundo vinha abaixo.
Pensava que nós não gostávamos mais dele, que ele caíra em desgraça. Mal sabia que aqueles almoços com o seu gênio e humor nos retemperavam. Como eu sinto falta dele!

 

Grande texto sobre o Flávio

 

quem o ler terá frouxos de riso

Repassei, agora, como faço todas as semanas o teu blog e quero te
cumprimetar sobre o que colocaste sobre o prefeito Irceu e a sra. sua
mãe.

Realmente, o Irceu se empenhava muito, para ambientar os serafinenses
que dirigiam-se à Porto Alegre em busca de estudo e emprego. Nós (
eu, tu, o Mire e Fred Rodrigues), também passamos pela mão dele.Creio
que tu tinhas uma relação mais estreita com ele. Devo a ele minha
entrada no Julinho pois, não passei na seleção da qual participei.

Muita carona peguei com ele de Serafina à POA e, mesmo não tendo
votado nele em 1972 e depois em 1982, ele sempre ma tratou muito bem,
com muito respeito.Logo após ter me formado, acompanhou-me em busca de
colocação pelos órgãos públicos da capital( claro que eu não lograria
êxito pois, somente filhos de arenistas conseguiam emprego).
Entretanto, sou-lhe grato e reconhecido porquanto, não tinha a menor
obrigaçao de fazê-lo.

Quanto à Gasparina, mesmo com sua personalidade forte e uma fera na
política ( colono spussa á can etc....), era uma grande mulher e
merece nosso perdão.

Mauro.

Aliás, em 1982, ele venceu as eleições na onze, contra o João Mior e
meu pai, candidato à vice, ironicamente, não pode tomar posse. esta é
a verdade.

O pai concorreu a prefeito em 1976 contra o Egídio e perdeu. O Lauro
Ghiggi era candidato à vice na época.

Mauro Rocha

 

SIPAR LANÇA
DREAM TOWERS

 



A SIPAR está lançando as vendas das DREAM TOWERS, as Torres dos Sonhos, com 30 milhões de faturamento, que são a reserva especial do FOREST ZONA SUL, um novo conceito de bairro que está sendo criado pela SIPAR, numa área de 50.000m² na Av. Cavalhada, ao lado do BIG Shopping, Strip Center Zona Sul e da Universidade Anhanguera com 20.000 alunos, a maior universidade privada do país. Os apartamentos tem três dormitórios, suíte, churrasqueira e vagas para 2 carros, e custam a partir de R$ 168.000,00, com financiamento da Caixa Federal. A SIPAR afirma que seu preço por metro quadrado é o mais baixo numa pesquisa feita entre 71 empreendimentos em Porto Alegre, à disposição no seu show-room de vendas.

O Volume Geral de Vendas do FOREST ZONA SUL é de R$ 175.000.000,00 (cento e setenta e cinco milhões de reais), sendo 544 apartamentos de 3 dormitórios, 180 de 2 dormitórios, um edifício garagem para 301 carros e um centro comercial com comércio de conveniência. Já foram comercializados na 1ª etapa R$ 60.000.000,00 (sessenta milhões de reais) de vendas. A previsão para 2010 é de 120 milhões de reais.

A SIPAR apresentou um crescimento de 201% em 2009, em relação a 2008, atingindo 60,04 milhões de reais em vendas.

A SIPAR se orgulha de ostentar a marca “A Construtora 100% Gaúcha”, criada exatamente para tentar disputar de igual para igual o mercado gaúcho, caracterizado pela presença majoritária das grandes construtoras do centro do país.

2.A SIPAR ganhou no ano passado dois prêmios TOP DE MARKETING da ADVB, de ARQUITETURA E DECORAÇÃO e CONSTRUÇÃO CIVIL, com seu empreendimento FOREST ZONA SUL.
Todt Comunicação

 

 

Coleguinhas

 

*Serginho Ross está todo prosa, o Fábio Marçal foi entrevistá-lo sobre Juscelino, que Serginho conhece como poucos....

 

 

Coleguinhas

Olides

Dizer que eu não conheço Encantado é muita sacanagem tua...Conheço aquela cidade muito bem,pois ainda tenho parentes por lá.Depois fui com o Esportivo jagar muitas vezes na cidade. A verdade é que eu não me lembro de ter perdido um só vez.
Agora, o Mazzarino eu não conheço. Ele é de uma geração mais moderna, mas já estou fã dele
sergio


QUE ANIVERSÁRIO

MAIS MIXADO...

 

Quarta feira,Brasília comemora 50 anos de fundação. O brasilienses e
principalmente os “candangos”(são o que nasceram no DF) há dois anos
vem esperam por esse dia. Há dois anos que essa gente, vem preparando
a festa do cinqüentenário. Está chegando o dia da festa e a maior
tristeza e decepção,toma conta de nos todos.

Foto enviada por Sergio Ross

Vai ser a festa mais triste do ano. E olha que já tinham feito uma
programação de fazer inveja para todo o mundo. Até o fim deste
ano,teríamos festa todos os dias. Haveriam grandes consertos, vários
shows de musica popular,shows de musica sertaneja,torneios de futebol
e até mesmo um mundial de vôlei na areia. O mundial vai sair,
mas
ninguém mais esta curtindo o torneio. Mas seja o que Deus quiser...

Foto enviada por Sergio Ross

A nossa revolta é que este bando cafajestes e ladrões, foram soltos e
já andam por aí de novo. Estou escrevendo estas poucas e mal traçadas
linhas,babando de revolta. Só espero que os meus netos,que nasceram
por aqui,possam comemorar bem o centenário da cidade. Espero que até
lá o seu Arruda e a sua camarilha,não estejam mais por aqui.

Foto enviada por Sergio Ross

Tempos atrás,quando nos gozavam,dizendo que vivíamos em terra de
ladrões,nos contestávamos,

dizendo que os ladrões chegavam aqui nas terças feira e nas quinta já
estavam de volta aos seus estado. Hoje já não podemos mais falar. Os
ladrões, os cafajestes, os lobistas desonestos e cretinos, são nossos
vizinhos.

Foto enviada por Sergio Ross

Para completar nossa tristeza,quem anda por Brasília,só vê obras
inacabadas,quando não paralisadas. Neste fim de semana,milhares de
turistas muitos estrangeiros desembarcaram por aqui. Não viram nada.
Até a famosa catedral,uma obra prima de Oscar Niemeyer,estava coberta
um imenso tapume e ninguém pode ver nada.

Foto enviada por Sergio Ross

Nem por fora e muito menos
por dentro. A esplanada dos Ministérios,palco de grandes
acontecimentos,já esta coberta de tendas completamente ainda desertas
e sem nada para mostrar. O Palácio do Planalto, em obras (estariam
prontas dia primeiro), está cheia de operários e tapumes por todos os
lados. Outros monumentos em restauração, ainda estão em obras se não
em obras que não saem do chão.

Foto enviada por Sergio Ross

Neste sábado foi eleito um governador tampão. Deverá ficar até o fim
do ano. Ele é homem de Arruda...Seja o que Deus quiser.
Sérgio Ross

Foto enviada por Sergio Ross

Foto enviada por Sergio Ross

Operários preparam busto do presidente Juscelinio para os 50 anos do aniversário da capital federal.

Foto enviada por Sergio Ross

Operários preparam busto do presidente Juscelinio para os 50 anos do aniversário da capital federal.

Foto enviada por Sergio Ross

Operários preparam busto do presidente Juscelinio para os 50 anos do aniversário da capital federal.

 

 

O ANIVERSÁRIO DE
CLAUDIO HUMBERTO


Ontem o Cláudio Humberto esteve de aniversário. Quando ele chegou,no Stella Gril para almoçar,como faz todos os dias,encontrou praticamente todos os integrantes da mesa, que já virou atração turística,graças a quantidade de coleguinhas de primeiro time que ali se encontram.



dois pesos-pesados do jornalismo-brasileiro: Claudio "Bateu - Levou" Humberto e Carlos Chagas, que assessorou Costa e Silva.


Cláudio Humberto foi saudado pelo Carlos Chagas, que em breves palavras,contou como é difícil ser porta voz presidencial. Ele e o aniversariante foram porta vozes,respectivamente de Costa e Silva e Fernando Collor de Melo.
Cláudio Humberto aproveitou para comemorar também a vitória do seu time,no Rio de Janeiro,o Botafogo.

Sergio Ross

Coleguinhas

 

* Affonso Ritter escreve de Hannover: " Obrigado, Olides. Chegar aqui na última hora de abertura do aeroporto foi um pouco de sorte mas valeu. Abraços.Affonso"

* Ieda Risco, como anunciaram na Guaíba, não foi a Hannover. Deve ter sido a tal de nuvem do vulcão. Mas que eu ouvi um comercial anunciando a ida dela, eu ouvi na Guaíba. Quem está fazendo a cobertura é Rodrigo Roddembuch, que mora na Alemanha.
* Dois pesos e duas medidas: alguns coleguinhas blogueiros foram convidados pro café da manhã da segunda, dia 19/04., com o presidente do poder legislativo estadual, Giovani Cherini. Outros não. Qual o critério?

* Claudio Humberto, o do Bateu Levou, faz niver no dia do Indio. Os coleguinhas de Brasília comemoraram no Stella Gril...

* Dois porta-vozes da presidência da República estiveram neste niver: o próprio aniversariamente e Carlos Chagas, que foi porta-voz do presidente Arthur da Costa e Silva.

* Carlos Chagas pesquisa sobre a censura no tempo da ditadura. Mas já descobriu que a TV Globo sumiu um documento tri importante: trata-se de uma noite em que o CID Moreira( que agora até livro de memórias lançou) estava lendo um comunicado dos sequestradores de um embaixador na TV Globo, interrompeu a leitura pra dizer que aquilo não era a opinião nem dele, nem da TV e sim dos sequestradores. Quis tirar o dele da reta...Quem homem corajoso, este???!!!!

 

A UH!

 

Há um livro escrito pelo jornalista Jefferson Barros, denominado Golpe Mata Jornal que ilustra bem o que foi a publicação de Samuel Wainer, no RS.
Um jornal vibrante, combativo, popular, sem ser popularesco, que tratava polícia, política, sociedade, com seriedade, mesmo escrevendo os textos de uma forma muito solta.

Como trabalhei na parte de entrevistas para o livro do Jefferson, me surpreendi quando conheci jornalistas que não eram da minha geração e que haviam trabalhado na UH gaúcha, como o IB Kern, na política, o Wanderley Soares, na Polícia, o Goida, no cinema,o Nédio Cechin, no copyrigt,entre outros.
Fui,então, ler as coleções dos jornais gaúchos feitos pela UH e fiquei impressionado com o tipo de jornalismo que faziam. Na faculdade, nenhum dos professores que passaram por mim tinham falado da UH gaúcha, muito menos brasileira.


Na redação da Ultima Hora, na av. Sete de Setembro, 738, no centrão de Porto Alegre, funcionou a UH, de Samuel Wainer. Na foto, Ivo Correa Pires,sentado, batendo matéria, Sérginho Ross(exibido como sempre, fazendo "palhaçada"), Florianinho Correa, na frente, copidescando um texto e nos fundos, rindo das palhaçadas do Serginho, o colunista de turfe, que Serginho,dono da foto não lembra o nome. Acervo: Sergio Ross


uma eleição ( Serginho não sabe do que) dentro da Ultima Hora.
Da esquerda para a direita: Gastão Guglielmi(fotógrafo).Foi para o Rio trabalhar na revista Manchete.
Sentado: Wilde Pacheco, o " Kid Trombadilha" :editor e policial,
João Baptista Aveline:( contando) ou " roubando" os votos de uma eleição " que eu não sei do que" diz o dono da foto. Sergio Ross, Paulo Koetz(veterano copydesk da UH)
Edilton Hoffmann( colunista social,irmão do fotógrafo Assis, escrevia a coluna " Luzes da Cidade")
De perfil,atrás, o fotógrafo Eurico Tavares, um dos cobras da fotografia da UH.

 

Visita

 

Flagrantes da visita de José Fogaça, Pedro Simon, Ibsen Pinheiro, Pompeo de Mattos, entre outros a São Borja, no dia 16/04, onde deram início a campanha ao governo do Estado no interior.


Celso Fogaça e Pompeo


Homenagem


Fogaça e Bisneto de Brizola


Homenagem


Discurso de Fogaça

 

 

Brasília , 50 anos hoje!


Agencia Edisoncastencio

 

 

Tancredo NEVER!!!!

 

25 anos da morte de Tancredo Neves, aquele que

o general Otávio Medeiros, do SNI, ironizou chamando de


Tancredo NEVER!!!!


Os que acompanharam o "martírio" do presidente eleito do Brasil, Tancredo de Almeida Neves do Instituto do Coração tem bem presente os flashes que a televisão dava a toda hora sobre seu cada vez mais periclitante estado de saúde.

Finalmente, num domingo de noite, no dia 21 de abril - que coincidência, logo no dia do grande herói de Minas, Tirandentes - lá pelas 22 horas e poucos minutos apareceu o "barbudo" porta-voz Antônio Britto Filho com sua voz pausada,dizendo:

- Lamento informar que faleceu esta noite, no Instituto do Coração em São Paulo, o presidente eleito do Brasil, Tancredo de Almeida Neves.

E Britto não respondeu nada mais aos sequiosos jornalistas que ocupavam o auditório do hospital.

A palavra " eleito" sempre foi uma exigência da família de Tancredo que fosse usada. Ele foi eleito pelo Colégio Eleitoral, mas foi eleito! Eram as regras de então.

E jogou o jogo estabelecido.
Em 1984, durante a votação da emenda das Diretas,do deputado Dante de Oliveira, todos nós ficamos a noite inteira dentro do plenário da Assembléia Legislativa porque lá o sistema de som nos permitia ouvir o resultado da votação em Brasília, que tivera a transmissão pelo rádio e tevê proibida.
Venceu a eleição indireta, e alguns de nós foi chorar em bares, no meio de cervejas.

A eleição indireta não nos empolgou tanto quanto a direta, que só viria em 1989 (quando saiu vitorioso o caçador de marajás, Fernando Color de Mello).

O "martírio" da doença de Tancredo, a todos nos tocou. Seu sepultamento,depois de toda aquela agonia, virou um grande show de televisão. Não desgrudávamos para ver o próximo lance. Lembro com nitidez do esquife subindo a rampa do Palácio do Planalto no entardecer do dia 22 de abril de 1985 e o repórter Álvaro Pereira, da TV Globo, dizendo mais ou menos: " Tancredo finalmente sobe a rampa do Planalto, mas dentro do caixão!".

A cena que mais me tocou,realmente, foi a da noite do sepultamento em São João del Rey, em Minas. As tevês transmitiam ao vivo e já eram altas horas da noite, mas o coveiro, roubou a cena. Não sei o que houve que ele demorou uns 15 minutos para fechar aquela cova.E ainda no final fez um gesto de respeito ao corpo de quem ele estava enterrando.
Poucos anos depois, por motivos de trabalho, estive no cemitério de São João del Rey, onde está enterrado Tancredo. O guardinha do cemitério nem deu muita importância ao meu interesse. E achei o túmulo do falecido presidente até um pouco bagunçado. Não sei se foram estranhos que haviam mexido no túmulo e também não tenho informação sobre o conserto do local.
Pelas circunstâncias da história - final de uma ditadura, que abominávamos e pelo começo da redemocratização- Tancredo marcou a toda uma geração, a qual tenho a honra de pertencer.

 

MAGIA NEGRA CONTRA TANCREDO NEVES?

 



Por: Carlos Chagas

Exclusivo para este blog!

Os 25 anos da morte de Tancredo Neves continuam fazendo aflorar na memória uma série de episódios fundamentais para a compreensão da Nova República. Uns claros, outros ainda cercados de mistério. Vai o relato de um deles.
Naqueles idos, entre março e abril de 1985, com o presidente eleito internado num hospital de São Paulo e já submetido a seis operações, diminuía a expectativa de que pudesse recuperar-se. Mesmo assim, as esperanças continuavam.
Em Brasília, José Sarney governava interinamente, com o ministério antes escolhido por Tancredo.
Francisco Dornelles era ministro da Fazenda, nossa amizade vinha de longe. Quase todos os dias trocávamos informações sobre a saúde do presidente. Certa manhã recebo dele uma intimação: “venha imediatamente ao meu gabinete, aqui na Esplanada.”
Fui. O gabinete estava vazio mas logo surge o ministro, de uma pequena porta ao lado. Pegando-me pelo braço, entramos numa pequena sala onde, sentados num sofá, estavam dois senhores de aspecto modesto, paletó sem gravata e camisa abotoada no colarinho. Meias brancas com sapatos pretos.
Dornelles apresentou-me como amigo, dizendo tratar-se de dois monges que há dias tentavam comunicar-se com ele. Recebeu-os naquela manhã, quando disseram pertencer a um mosteiro no interior de Goiás. Tinham vindo à capital federal informar o ministro e sobrinho do presidente que Tancredo estava sob os efeitos de um forte trabalho de magia negra. Como eram cultores da magia branca, punham-se à disposição para desfazer o mal.
Na presença dos monges, o ministro falou não haver acreditado numa palavra daquela história e já ia mandá-los embora quando um deles atalhou, pedindo para demonstrar o que diziam. Disse que no apartamento particular de Tancredo, numa das super-quadras do Plano Piloto, estavam as provas do tal “trabalho”. Como se estivesse no ministério outro sobrinho do presidente, Gastão Neves, primo de Dornelles, foi pedido que acompanhasse os monges.
Nessa altura do relato que o ministro me fazia, ele aproximou-se de uma pequena mesa redonda, coberta por um lençol, que abriu e acentuou: “veja o que eles acharam dentro do travesseiro do Tancredo”.
Um dos objetos era um boneco rústico, desses que a gente vê em filmes de vudu, todo espetado por alfinetes. O outro era um terço, tão a gosto das beatas, mas formando o perfil de uma cabeça humana.
Não entendi nada. Dornelles contou que na presença do Gastão os monges haviam ido pouco antes ao quarto de dormir de Tancredo e logo, com um canivete, abriram o travesseiro e retiraram as duas peças, que levaram ao ministério.
Fazer o quê? Foi quando um dos monges explicou estar ali a evidência do falavam. Havia apenas uma forma de desfazer o malefício: levar os dois objetos e colocá-los debaixo de uma queda d’água natural, o mais próximo possível de Brasília, e serem levados, os dois, ao quarto de Tancredo, no hospital paulista, para orações. Junto com o primo Gastão, encontraram pequena cachoeira de água límpida, nos arredores do entorno da cidade.
Enquanto isso, quando ainda estávamos na salinha, Dornelles tomou a decisão. Disse que continuava não acreditando em nada, mas, por via das duvidas, tomaria providências. Telefonou para o delegado Romeu Tuma, encarregado da segurança de Tancredo, no hospital de São Paulo, dizendo-lhe estar enviando dois amigos no jatinho particular do ministério. Encareceu a Tuma que os recebesse no aeroporto e fizesse o possível para atender-lhes os pedidos.
É claro que era proibido entrar no quarto de Tancredo, transformado em UTI. Os monges contentaram-se em ficar o mais próximo possível do ilustre doente. Tuma encontrou a solução colocando-os um andar acima, num quarto exatamente sobre o quarto de Tancredo. Lá, passaram a noite rezando.
Todos os dias a equipe médica que atendia o presidente divulgava um boletim, lido pelo professor-doutor chefe das operações hospitalares. Naquela tarde, um dia depois da passagem dos monges por Brasília, o país inteiro teve suas esperanças renovadas. Depois de anteriores e seguidas informações pessimistas, o médico anunciou que Tancredo havia tido sensível melhora, na pressão sanguínea e outros exames.
Eu estava em meu local de trabalho quando o telefone toca. Era Dornelles, que emocionado comenta: “você viu? Não acredito, mas como desconhecer o que aconteceu?”
Semanas depois Tancredo morreu. Os monges sumiram, internando-se no mosteiro misterioso, tendo destruído o boneco e o terço. Concluí, apenas, que entre o céu e a terra existem coisas que nossa vã inteligência não explica...

 

Os bastidores da
morte do Presidente Tancredo Neves


Do livro, Arte da Política,
de Fernando Henrique Cardoso(FHC)


" No Riacho Fundo, esperei longo tempo que o Presdiente eleito terminasse um encontro com o ex-governador e deputado Miguel Arraes(PMDB-PE). Havia rumores de que Tancredo estava com alguma leve enfermidade,talvez problemas de garganta. Não notei nada. Conversamos não muito tempo em um alpendre largo. Perguntei-lhe sobre o que esperava de mim. Respondeu que gostaria que fosse a pessoa de sua confiança no Congresso - Câmara e Senado em conjunto, que em várias situações apreciam como uma só casa determinadas questões - , e que não me preocupasse com mais nada. Ele iria chamar o recém-eleito presidente do Senado, José Fragelli(PMDB-MS), que venceu a disputa com Lucena, e daria instruções para que fossem demolidas paredes e adaptassem uma sala iensa para mim.Assim, disse-me, logovão ver quem tem poder....

Fiquei para o almoço, juntamente com Arraes e com o casal Yvone e Henry Gigliotti, ele embaixador da Ordem de Malta no Brasil.
À mesa, sentado ao lado de Tancredo, ouvi do outro lado a esposa, dona Risoleta,pedir que não se oferecesse vinho ao Presidente. Como seu copo estivesse servido, troquei-o com o meu. Boa parte da conversa, amena,girou,ironicamente , sobre a boa saúde de Tancredo.
Ele,gracejando, disse que todos viam-no como adepto de tomar sais de magnésio,hábito em moda entre os senadores, o que, corrigiu, não era correto.
E brincou dizendo que nem ginástica fazia, mesmo porque os leões , que se saiba, não a praticam e, afinal de contas, são os reis dos animais.
Ao final do almoço, acompanhou-nos , a Arraes e a mim, até o carro, abriu a porta para nós e ainda brinquei, tentando impedir o gesto, dizendo que me sentia honrado em ser ajudado pelo Presidente da República, mas que o protocolo não lhe permitia mais tais gentilezas.

Foi a útlima vez que vi Tancredo com vida. Na antevéspera da posse, quando jantava no Tarantella, recebi uma chamada de Fernando Lyra, recém-designado ministro da Justiça, para comentar rumores sobre uma crise de apendicite do Presidente eleito. No outro dia,jantávamos na embaixada de Portugual, com o Presidente Mário Soares, Ulysses Guimarães, penso que o deputado Pimenta da Veiga(PMDB-MG) e outros políticos, quando chegou a má notícia: Tancredo tivera que ser internado em caráter de urgência no Hospital de Base de Brasília.
Para lá rumamos todos.Entrei até a antecâmara do quarto onde ele se encontrava.Falei rapidamente com seu sobrinho, o ex-secretário da Receita Federal e ministro da Fazenda designado Francisco Dornelles. que acabara de estar com o tio. Minutos depois passava Tancredo em uma maca rumo ao elevador que o conduzira ao centro cirúrgico.

Dirigi-me a outro andar onde se encontravam vários políticos.Em uma roda conversavam,entre outros Sarney,Ulysses,Fragelli e o general Leônidas. Sarney dizia que não pretedia assumir, que tinha dúvidas sobrem quem deveria suceder Tancredo durante o impedimento, que todos imaginavam temporário.Àquela altura, Afonso Arinos, constitucionalista de peso, havia declarado pelos meios de comunicação seu entendimento de que correspondia ao Vice-Presidente, e não ao presidente da Câmara,isto é, Ulysses,asumir a interinidade.
Em certo momento, creio que foi Ulysses quem disse:
- Vamos conversar com o professor Leitão de Abreu para tomar uma decisão.

Leitão de Abreu era ministro-chefe da casa Civil da Presidência e figura-chave do governo Figueiredo,além de, como vimos no Capítulo 1, ministro aposentado do STF. Saímos sorrateiramente, Ulysses, o general Leônidas e o senador Fragelli e, no automóvel do general, nos dirigimos a toda velocidade para a Granja do Ipê,residência oficial do ministro.
Somente um jornalista se apercebeu da manobra, Jorge Bastos Moreno, de O GLOBO, que nos viu entrar nos portões do Ipê.

Passava da meia-noite, e aparentemente o dr. Leitão de Abreu se recolhera. Esperamos bom tempo até que viesse ter conosco, mas ele surgiu na sala trajando paletó, gravata e colete.
Colocada a questão, continuavam as dúvidas. Recordei-me do livro de Afonso Arinos, Rodrigues Alves, apogeu e declínio do parlamentarismo, no qual há referências a situação semelhante, quando o Presidente Rodrigues Alves, que governara de 1902 a 1906, não pôde tomar posse do segundo mandato, em 1918, abatido pela gripe espanhola.
O vice Delfim Moreira assumiu e tornou-se Presidente efetivo dois meses depois, com a morte de Rodrgues Alves. A biblioteca do professor Leitão, porém, já estava encaixotada, não poderíamos consultar o livro.
Havia disponível apenas um exemplar da Constiuição. Foi lido com cuidado por todos nós. O general Leônidas disse que não era jurista e acataria qualquer decisão. Leitão de Abreu parecia pender para a interpretação que favorecia o presidente da Cãmara como sucessor constitucional, posto que ainda não ocorrera a posse do vice.
Ulysses Guimarães, no entanto,secundado pelo presidente do Senado, alinhou-se com a tese de Arinos e convenceu o professor Leitão de Abreu da validade desua exegese. O ministro do Exército e eu ficamos a ouvi-los,sem credenciais para discutir o mérito. A certa altura alguém perguntou:
- E a faixa, o Presidente Figueiredo vai transmiti-la?
O Chefe da Casa Civil redargüiu com firmeza:
- Presidente só transmite faixa a outro Presidente.
Assunto encerrado.
Está aí a verdadeira razão que levou o Presidente Figueiredo a não transmitir o cargo - e a faixa - a Sarney. Diferentemente do que diz a lenda, segundo a qual Figueiredo " saiu pelos fundos do palácio" para não passar a faixa porque não suportava Sarney, houve uma discussão prévia a re4speito do assunto com o chefe da Casa Civil e renomado jurista Leitão de Abreu, em que se levantou uma questão constitucional que incluía outra, de protocolo. Figueiredo, podia,efetivamente, não tolerar Sarney, a quem não perdoava a deserção do PDS, mas a realidade dos fatos é que a agora descrevo."


TV SENADO INOVA...

 

A TV Senado resolveu inovar na sema do feriado da quarta feira.
Como não tinha uma viva alma no Congresso e por isso não tinha assunto para encher os seus espaços na televisão, não teve duvidas: está pondo no ar entrevistas ou discursos dos nobres senadores, feitos no passado e usam na tela o cartazinho : AO VIVO...
Isso que é ética no jornalismo....

Sergio Ross

 

Agradecimento Luiz Coronel e Tatiana Druck

 

Bom dia


Gostaríamos muito de agradecer o apoio de vocês para o sucesso do evento e o espaço concedido para o lançamento dos livros Quirelas & Cintilações, de Luiz Coronel e Par e Ímpar, de Tatiana Druck e dizer que ficamos muito honrados com a presença.

Muito obrigada

Taciane Corrêa
Bom dia

 

Coleguinhas

 

* Não se se foi pelo feriado, mas o locutor Wladimir Oliveira deu um deixa pra lá no produtor do Bom Dia, na Guaíba, ontem,dia 21/04 que vou te contar: o Otto que sempre entra como Viamão lotado no programa do Rogério(sem nem se apresentar ao ouvinte) fez uma observação sobre calvície e cérebro,algo assim. E disse que um não é proporcional ao outro, ou seja, ter muito cabelo, não quer dizer ter muita inteligência. Ato seguinte se autoelogiou,dizendo que ele é a exceção. Ao que o Wladimir, num lance de muita sinceridade, aparteou:

- Tu que pensa!!!!


Toing.....

* Provoquei, como ouvinte, o Adãozinho Oliveira pra falar sobre os 25 anos da morte do presidente Tancredo Neves, que ocorreram,ontem,dia 21/04.

Adão contou muitos lances, alguns inteiramente conhecidos do público. Mas um eu não sabia. De que o MR-8( criado no tempo da luta armada) queria "tomar"o corpo do Tancredo assim que ele chegasse no aeroporto de Brasília.

Foi boa a aulinha de história que o Adão deu.
Claro que um dos participantes da bancada quis meter o bedelho e falar do seu próprio umbigo. Eu particularmente queria ouvir o Adão, que tinha vivido o lance em Brasília e que tinha mais bastidores.

Ah, e nenhum dos três da bancada deu o nome correto do General que avalisou José Sarney para tomar posse: seu nome Leonidas Pires Gonçalves. Falaram num Leonidas Albuquerque, seguramente confundindo com Albuquerque Lima, que era general da linha dura do regime.

 

Coleguinhas

 

* O que o Rogério Mendelski pensa dos governos ditos "esquerditas" da América Latina é problema dele e ele sabe disto.Mas como homem inteligente que é, viajado, já deveria saber que Coca-Cola derrete sim gordura e dentes também. Experimente colocar um dente de uma criança dentro de um copo de Coca - Cola pra ver quanto tempo levar pra derreter?!

Então , o que o Evo Morales,presidene eleito da Bolívia disse no México não é tão desproposital como o colega quer fazer parecer....

 

Coleguinhas

 

* Ainda o comentário do Adão Oliveira, no Jornal Gente, da Band, ontem,dia 21/04: O Adão revelou que a faixa presidencial que Figueiredo deveria passar para José Sarney, não foi entregue a ele. Então mandaram o fotógrafo Gervásio Baptista, do Palácio do Planalto, ao Rio de Janeiro,fazer uma faixa para Sarney tomar posse....

* A Band colocou também no ar ,ontem, dia 21/04 no Jornal Gente, o Antônio Britto Filho, então o porta-voz do martírio do presidente Tancredo, no Instituto do Coração, em São Paulo. Tinha um colega meu, na Trensurb, o Juanito Higueras, que muito ironicamente apelidou nesta época o Antônio Britto de ' SENHORES TRAGO-VOS BOAS NOTICIAS".
isto porque de vez em quando,durante a agonia do presidente Tancredo, ele dava umas melhoradas e o Britto chegava todo satisfeito pra anunciar aos jornalistas a melhora do presidente.

*Quem fez a cobertura pela Gaúcha desde São Paulo da doença do presidente foi Mendes Ribeiro.Pela Guaíba não tenho certeza, mas me parece que foi o Tairo Arrial.

* Britto foi contato num lance espetacular pela LPM editores para escrever a agonia do presidente para virar livro.
E como estava hospedado num hotel paulista, de primeira linha, despachava telefonemas para tudo quanto era lado. Os editores, conhecidos munhecas , se apavoraram com as despesas que tiveram que bancar dos telefonemas do Britto.
Mas o livro publicado pouco depois, chamado Assim Morreu Tancredo(se não estou enganado) foi um grande best seller e pagou as despesas com hospedagem e ainda deu pra sobrar um bocado,algo em torno de 150 mil dólares.

 

Coleguinhas

 

* Mas bah,tchê..a Francis Maia,da imprensa do PDT me deu nos dedos sobre o que escrevi do Kolecza, seu outrora colega também de bancada do PDT. " Pô o Kolecza tem três irmãs, o que ele faz na vida não é só cuidar da mãe. Escreveu um livro aí que nenhuma editora do Sul quis editar, patati, patatá...."

A Francis entendeu como demérito eu dizer que no momento o Kolecza cuida da mãe. Eu não....!!!!

Datas:

 

 

Hoje, 19 de abril, dia do Índio, é também comemorada a data do nascimento do que é considerado o maior estadista brasileiro do século passado, isto é, Getúlio Dornelles Vargas. Filho de ricos estancieiros, Manoel do Nascimento Vargas e Maria Cândida Dornelles, a " Candoca" ele nasceu em São Francisco de Borja em 19 de abril de 1883. Teve quatro irmãos:Protásio,Viriato, Espártaco e Banjamin(Bejo).
Coincidentemente, Getúlio,que desposou Darcy Sarmanho, também teve o mesmo número de filhos que seus pais: a saber:Getulinho, Lutero, Jandira, Alzira e Manoel Antônio.


Um pouco das origens de Getúlio:

Em 1889,na Proclamação da República, o General Manoel do Nascimento Vargas,ficou com parte da Fazenda Santos Reis, que era do sogro, o monarquista Serafim Dornelles.Natural de Taquari, Serafim se mudara para S. Borja,onde tornou-se um dos homens mais poderosos do município.O genro era republicano, ele monarquista.
Quando Manoel ficou velho e precisava encaminhar a sucessão, escolheu para seu sucessor,o filho mais velho, Viriato.
Mas Viriato cometeu um crime,Em 1915, mandou matar o médico Benjamin Torres deste modo: Torres estava atrás do balcão da farmácia que tinha em São Borja.Entrou um homem com o pé enfaixado pedindo uma pomada.Quado o médico se agachou para pegá-la deram-lhe uma saraivada de balas saídas de um " 38".
A briga foi motivada pela disputa de uma mulher.Viriato e Torres se conheciam de Juiz de Fora, Minas Gerais,
Viriato fugiu para Santo Tomé, do outro lado do rio Uruguai, província argentin de Corrientes. Ficou lá um tempo como foragido da Justiça.
Era presidente do RS Antônio Augusto Borges de Medeiros que mandou abrir inquérito policial.
Getúlio percebeu a vacância do poder na família e montou o cavalo encilhado que passou por ele.
Muitos se levantaram contra os Vargas por causa deste crime, mas também houve quem saísse em sua defesa:
Os Aranha,de Itaqui,os Oliveira, de Santo Ângelo, João Neves da Fontoura, de Cachoeira do Sul,Firmino Paim Filho,de Vacaria,e Protásio Alves, entao Secretário de Borges de Medeiros.
Nesta época Getúlio era promotor e advogava em São Borja. Borges de Medeiros lhe ofereceu a chefia de polícia, que Getúlio recusou.
Na juventude, Getúlio queria ser militar, mas foi expulso do quartel de Rio Pardo.Formou-se advogado na faculdade de Direito de Porto Alegre onde integrou a mocidade castilhista.


A certidão de nascimento de Getúlio atesta que ele nasceu em São Francisco de Borja em 19 de abril de 1883.

Dica:
Indo a São Borja, procure o Museu Getúlio Vargas, na avenida Presidente Vargas,1772.
Ele está aberto das 9hs as 13 horas e das 14 hs as 18 horas. Aos domingos das 14 às 18 horas.
O fone é 55.3431.4455(ramal 311)
O Museu, com bastante material sobre o presidente Vargas, está na casa onde Getúlio residiu com a família de
de 1911 a 1923. A casa construída em 1910, está em bom estado de conservação.
A responsável pelo museu é a professora Verônica Dutra Krassmann.

Coleguinhas


* Affonso Ritter está em Hannover, na feira industrial: nada de novo. A surpresa, pra mim, foi a Guaíba ter mandado a Ieda Risco, que é uma repórter de Polícia, embora sob o comando do Ataídes Miranda, o Jornalismo da Guaíba tem este lema: aqui ninguém escolhe pauta.Tá certo, o Ataídes,senão vira a casa da mãe Joana....

 

Coleguinhas


Atenção: este site conseguiu unir dois " brizolistas" mesmo não se conhecendo: o Serginho e o Mazza. Mas o Sergio que é de Bento, nunca foi a Encantado, nem sabe onde fica....ah...ah...


Mazzarino

Muito prazer em te conhecer.Leio sempre o que escreves no blog desse incompetente habitante da Linha Onze que ele insiste em chamar de Serafina Correia.
Mas estou te enviando estas poucas e mal traçadas linhas, para me solidarizar contigo;
Tudo o que eu mando por e-mail ou tudo o que falo no telefone com ele, ele publica.Como não tem assunto para encher o seu blog,faz essas cagadas. Ah!!!, eu não te disse: ele liga para mim diariamente antes das sete da matina. É um saco...
Assim sendo Mazzarino, conte comigo.
Um abraço
Sergio Ross


 

Ecos de S. Borja!

 

PMDB e PDT iniciaram sua campanha pelo interior, justamente pela meca do trabalhismo, ou seja, São Borja.Foi na sexta,dia 16, passado. Depois Fogaça foi no sábado a Santa Maria, onde caminhou no calçadão Salvador Isaía, uma espécie de Rua da Praia da " cidade coração do Rio Grande!"
Já seu principal rival nas pesquisas, o ex-ministro Tarso Genro também andou pelo interior neste fim de semana que passou, assim como a governadora, que continua inaugurando obras.


Da esq para direita Pompeo de Mattos(PDT), José Fogaça,Cristhopher Goulart,Juliana Brizola, Pedro Simon e Romildo Bolzan Jr.


Da esq para direita Pompeo de Mattos(PDT), José Fogaça,Cristhopher Goulart,Juliana Brizola, Pedro Simon e Romildo Bolzan Jr.


Dr. Jannot de Oliveira,Pompeo de Mattos,Juliana Brizola, Dep estadual Adroaldo Loureiro, José Fogaça, Pedro Simon, Cristhopher Goulart, Mariovane Weis.


No túmulo de Jango e Brizola,sob o olhar atento de um "histórico" do PDT, dr. Ney Ortiz Borges, o senador Pedro Simon (provavelmente contando algum causo da política) fala para uma pequena mas atenta platéia,entre os quais o candidato a deputado federal, Affonso Motta e o neto de Jango, Cristhoplher.

Fotos enviadas para este blog por Letier Vivian, da assessoria do vereador Celso Lopes(PDT) de S. Borja

 

Roberto Carlos

 

 

Como o cantor Roberto Carlos voltou à baila com a morte da mãe e porque completou exatos 69 anos no dia do enterro da mesma - que coincidência,prato cheio pra quem acredita em ciências ocultas - escolhi alguns detalhes ( credo, que falta de imaginação a minha!) do cantor contados pelo seu empresário no começo de carreira, Ronaldo Bôscoli, reveladas no livro EU X ELES.

* " Os cabeluddos eram a turma da Jovem Guarda. E foi assim que nasceu o programa deles na Record. Dirigido de maneira muito competente por Carlos Manga. Passou-se um tempo. O Fino da Bossa acabou. Eu e Miéle inventamos uma outra forma de programa, o Especial, idéia tirada de musicais americanos. Fizemos o primeiro Especial da televisão brasileira: Elis Especial. Chamamos Roberto Carlos para gravar um quadro com Elis: O Rei e Elis Regina.Ficou ótimo, e o "rei" novamente se apaixonou pela nossa direção."

Outra do Roberto Carlos contada pelo "indiscreto" Ronaldo Bôscoli:

* " Num show, Roberto Carlos quis incluir a música TRAUMAS, em que conta a dor que sentiu ao sofrer o acidente que o mutilou.Quando criança,Roberto teve o pé massacrado por um trem.Um lance terrível,teve que amputar a perna.
Com muita dignidade,assumiu publicamente no show o " defeito" físico. Eu e Miele colocamos um telão( telão pra época) com uma catedral ao fundo,cheia de vitrais belíssimos. Sobre eles, aos poucos iam batendo " manchas de sangue", que escorriam. Cortava para a imagem de um teto de hospital,cheio de luzes passando rápido - do ponto de vista de um cara sendo levado numa maca. E aí,no palco,Roberto aparecia e cantava Traumas. Um momento emocionante."


Mais uma do Ronaldo Bôscoli,sobre seu amigo Roberto Carlos

* " Por falar em cisma, não posso deixar de dizer: Roberto Carlos é o cara mais fiel às suas manias,cismas e verdades que eu conheço.Nunca vi coisa igual. Uma vez, ele se encantou por uma música do Cartola, A s Rosas não falam. Adorou. Quis incluir num show. A gente achou ótimo, música linda etc...
Na hora dos ensaios, Roberto estava cantando, belamente por sinal, mas interrompia. Interrompia sempre num pedaço:" As rosas não falam/Simplesmente as rosas exalam/ O perfume que roubam de ti...." Não conseguia cantar.Até que nos confessou:

- Bicho, não posso cantar isso. É mentira. Converso todo dia com minhas plantinhas. Falo com elas.As plantas falam, bicho.
Esatva indignado. Miéle, sem perceber a irredutibilidade do cara, tentou argumentar com espirituosidade:
- - Pô,Roberto, se as plantinhas falam, conversa com elas. Conta que você vai cantar num show a música. Não é sua. Elas vão entender.
Roberto percebeu que estava sendo sacaneado e ficou puto. Foi para o camarim chateado com a gente e, principalmente, com o Miéle. Depois, nós fomos lá atrás dele, os dois fizeram as pazes e ficou tudo bem. Mas ele não cantou a música do Cartola. De jeito nenhum."

 

Manifestação do leitor

 

Os leitores(inteligentes) como o Saul
se manifestam!


Olá Olides,
Como integrante do grupo, não só dos “que viram”, mas dos que gostaram de agora ver o teu oportuno resgate do Posto do Avião, queria te sugerir uma aprofundamento da matéria, comentando uma vizinhança “nobre” do Posto, constituída pela boite Marabá na qual, nos Anos Dourados, se podia desfrutar de “atrações artísticas” que visitavam Porto Alegre na época. Muitas delas vinham à Capital para se apresentar no Teatro Coliseu e, depois do espetáculo, costumavam comparecer no Marabá para, como se diz atualmente, “dar uma palhinha”.
Vale lembrar também das moças que circulavam à noite pelas imediações do Posto do Avião as quais, muito apropriadamente, eram denominadas “aeromoças” no jargão notívago de então.
Grande abraço,
Saul

Coleguinhas

 

* Nuvem de pó do vulcão pode ter "gourado"a viagem do Lauro Dieckmann à Europa,agora,dia 27/04. Pode ser por isto que seu humor está intragável....

*Das Europas, onde está na feira de Frankfurt, Affonso Ritter volta a ser uma pessoa religiosa(ele que já foi padre...)
Disse que Deus e a natureza estão mostrando sua força. Pelo menos eu li no seu blog, postado desde o front dos acontecimentos do vulcão...

* Não adianta: jornalista nasce jornalista. O Affonso, se fosse um rastaquera, nem daria bola pro vulcão. Poderia simplesmente ignorar a notícia. Mas como nasceu com a alma de jornalista, está enchendo seu blog de notícias do vulcão.

* Uma vez estava em Bariloche a turismo. Explodiu um vulcão a 400 Km dali e uma colega que estava por lá queria ir até o local. Eu não fui, ela também acabou não indo.Mas o correto era ter ido.

* Num feriadão de fim de ano, nos anos 90, peguei o avião da VARIG aqui em Porto Alegre pra passar o feriadão em Floripa. Pegou fogo a asa do danado e quando chegamos, tivemos que descer em escada inflada. Foi um susto e tanto. Mas corri pro Diário Catarinense ( que estava às moscas porque eram 11 horas da manhã de um dia de muito sol e tava todo mundo se preparando pro Reveillon)e mandei matéria pra Zero Hora que publicou ainda na edição do mesmo dia. O Diário também correu pra fazer matéria, porque o avião sinistrado ficou lá dias e mais dias...

* Notícia não escolhe hora pra acontecer...quem quiser ser jornalista, não pode ter horário!


Histórias de La Ùndeze!

 

 

O contador de causos
alguns picantes!

Sempre que o FIFO, que conduz o programa La Voce del Veneto, todos os domingos, na rádio Odisséia FM, de Serafina, soa uma "matraca" - eles dizem que ela pertenceu a Fortunato Migliavacca que a usava quando ia de carroção pras colônias comprar porcos para o Frigorífico Ideal - os milhares de ouvintes do programa La Voce...sabem que aí vem uma piada "suja" contada pelo Guerino de Costa, que teria tudo para não ser o que é....um "sporcachon", como dizem em vêneto, isto é, um contador de históricas ditas "sujas".


o contador de histórias do programa La Voce del Veneto, da rádio Odisséia FM

Guerino, ou " Guerinet" é filho da capela São Pedro, no interior de Serafina. Lá basicamente, moram famílias de Costa, Cavasotto e Cella.
Seu pai, Virgínio, faleceu muito jovem, de uma bobagem: um dente lhe provocou uma septicemia e ele não quis procurar recursos em Guaporé e acabou falecendo. A mãe de Guerino,Santina, estava grávida, quando isto aconteceu. Mas no meio dos agricultores tudo é atribuído à vontade de Deus e mesmo estas histórias tristes passam com o tempo.

Guerino teve um irmão padre, o Armando, que era como que um "orgulho" da capela São Pedro. Também teve diversas irmãs freiras. Ele é que saiu "errado" no entender de alguns...

Mesmo depois que se tornou uma celebridade local, com sua repentina fama em toda a região por causa das piadas que conta no programa dos domingos na rádio local, Guerino mantém sua simplicidade. Ele é visto no salão paroquial jogando cartas junto com todo mundo...
Claro que a fama lhe trouxe algumas vantagens: é seguidamente convidado a jantares e almoços na região na casa de famílias, sempre na esperança de que ele tire do fundo do baú, alguma história nova...porque geralmente as do seu repertório já as contou todas no programa dos domingos.


Brasília, 50 anos!

 

 

Brasília completa neste 21/04 , 50 anos de existência.Pra comemorar a data, publicou historinhas e texto de duas jornalistas que estão atuando lá há tempos.

Eliane Cantanhêde, Colunista Política da Folha de São Paulo


Eliane Cantanhêde,em Foto de Ricardo Stuckert

" Ainda falta muito para que as mulheres realmente possam competir com os homens na política, mas na cobertura política ela já está arrasando.

A mulher conquistou o direito de ser votada em 1932 e só chegou à Cãmara nas eleições de 1934, com uma única deputada federal: Carlota Pereira de Queirós. Nem Berta Lutz, com toda sua garra e aura feminista, chegou lá.

Passados 66 anos, e mesmo depois da lei dos 25% de vagas para candidatas dos partidos, a coisa não aevoluiu muito. Hoje, tudo o que elas têm é 6% das cadeiras da Cãamara. Uma mixaria!
No jornalismo, nós fomos bem mais rápidas,determinadas. Os chefes e repórteres da década de 60 só conseguem citar uma colega: Maria das Graças, exilada na Embaixada da Iuguslávia no golpe de 64.


Marlene Galeazi
foto de André Dusek.

Já na década de 70, Sôania Costa, Leda Flora, Sílva Caetano e Cristina Tavares,depois eleita deputada,abriram um promissor caminho para a mulher no jornalismo político. Hoje, a mulher brilha não só quantitativa quanto qualitativamente na cobertura política.Somos colunistas, diretoras,chefes,coordenadoras. Metade,ou quase, dos credenciados na Câmara e no Senado são mulheres.
Nas outras áreas do jornalismo, não ficamos para trás.Estamos nas direções,na economia,nos cadernos de cultura. Na Folha,quase 40%. No Globo, mais que isto.Só para citar dois exemplos.
Segundo o presidente da CPI do Narcotráfico,deputado Magno Malta,todas as procuradoras e delegadas deveriam ser mulheres " porque são mais corajosas e mais honestas".
Pesquisa CNT-Vox Populi mostrou que ele não falava sozinho:84% votariam em candidatas a prefeitas,80% votariam em candidatas a governadoras e 72% votariam em candidatas a Presidência da República.
O eleitorado,segundo a pesquisa, acha a mulher mais confiável, honesta, competente ,firme , capaz e responsável.
Daí a conquistar um lugar ao sol na política, vai uma diferença enorme.Como mostra a prática, como confirmam os números.Mas já é um bom começo.Aparentemente, basta a mulher querer e ir à luta.
Pois que vá!"

Extraído doi folheto As mulheres vão à luta.

 

Brasília,50 anos

 

Marlene Galeazi

Jornalista que fez toda sua vida profissional em Brasília, ela é natural de Cotiporã, na serra gaúcha.

Marlene trabalhou na Revista Manchete, na Veja, entre outras publicações.

Foi ela que primeiro descobriu o " índio" Juruna, - depois deputado federal pelo PDT -como uma fonte inesgotável de matérias para as publicações.
Cobrindo o episódio da contaminação do Césio 137, em Goiânia, teve problemas de saúde.

UM CRIME QUASE
PERFEITO?




No dia 28 de agosto do ano passado,Brasília ficou chocada com o assassinato do advogado José Guilherme Villela,de 73 anos,Ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE),de sua esposa Maria Carvalho Villela,de 69 anos e da empregada domestica do casal Francisca Nascimento da Silva de 58 anos.
Hoje,passado oito meses, a policia resolveu voltar ao crime. Inicialmente, perdidos no espaço,arrumaram uma grande quantidade de possíveis autores. Agora se voltam para novos suspeitos. Desta vez,gente ligada diretamente à família.
Logo após o crime,chegaram quase a conclusão de que,dois policiais civis e um policial militar,de Goias teriam participado do assassinato. Diz a polícia agora, que os policiais seriam os executores do triplo assassinato e teriam enganado os mandantes depois que descobriram, por acaso,muito dinheiro e jóias em fundos falsos,no apartamento. Mais de R$ 700 mil em dinheiro foram levados, além de colares,pulseiras, gargantilhas em ouro,brilhantes e pedras preciosas.
Pessoas próximas a família, agora voltam a serem apontadas pelos investigadores como envolvidas nas mortes. Mas segundo uma fonte a participação dos policiais na execução é reforçada pela perfeição com a qual o autores executam o crime, sem deixar pista. As impressões digitais,que poderiam ter ficado no apartamento,foram limpas com cotonetes ou material semelhante e deixou apenas pequenos vestígios,considerados insuficientes para a apuração do triplo homicidio.
“Acreditamos,diz uma fonte da policia,-que os policiais envolvidos nesse bárbaro crime e premeditado nos mínimos detalhes podem ser identificados a qualquer momento. Assim como os mandantes.”

E ATENÇÃO OLIDES
Em Brasília,são 16 horas

Vou interromper o meu texto, porque a minha fonte na Polícia acaba de me dizer,que os investigadores tem como certos a prisão dos assassinos a qualquer momento.
Me disseram que localizaram duas cartas escritas por Maria Villela,demonstrando um relacionamento conturbado entre ela e a filha,Adriana. Uma das cartas estava no escritório de advocacia e a outra no apartamento dos Villelas. Disse ainda minha fonte, que no sábado os investigadores cumpriram mandado de busca e apreensão na casa de Adriana e de uma amiga. O material, foi todo levado para a sede do Departamento de Polícia Especializada.

Olides,vou agora para a rua,ver o que há de novo no caso que começou a esquentar. Mas se leres a informações que te passei uma semana após o crime,vais encontrar no texto,onde eu já dizia que o crime era coisa de gente da própria a familia.
Assim que tiver noticias,volto a te informar.

Exclusivo, de Brasília

Por Sergio Ross!



De Serafina!

 


Flávio Antônio Soccol está internado no Hospital São Francisco de Paulo, em Passo Fundo. Teve um enfarte.

 

 

Orra meu

 

Mazza, não ofende que são as

únicas cartas tuas que o pessoal lê!!!

 

Olides, gringo canalha!
Orra meu! Não posso te mandar nada que tu colocas no site!
Uma hora destas vou falar mal da tua Serafina C., aí quero ver tu
publicar.

Abraço,
mazzarino


Festival do Sagu

 

foto de Juliano Jaques, da Folha de São Borja.

participantes no encerranto do festival da Barranca, também chamado de festival do Sagu!


Não se sabe porque, mas a Maria Luiza Benitez que entende do riscado de nativismo chama o Festival da Barranca, realizado em São Borja, sempre durante a Semana Santa, de Festival do SAGU!

Bom, o deste ano, que foi a 39 edção, foi vencido pela composição " Nas Gavetas da Memória" de Rafael Ovídio com música de Miguel Teixeira e Pirisca Grecco.O segundo lugar foi para "Quando as vozes se calam" e o terceiro para a música "ZÉ"!

O Festival da Barranca, uma criação dos Anguerras, de Nico Fagundes, do Jacaré, entre outros, nasceu de uma pescaria que era sempre feita na Semana Santa e no feriado de Sete de Setembro.

" Barranqueiros" como eles se autointitulam são quase que devotos. Não perdem uma edição. Entre as figuras ilustres das artes e da política riograndense que não deixam de ir ao pesqueiro, onde se realiza o acampamento, estão o ex-governador Olívio Dutra, o deputado Ronaldo Zulke, também do PT.


Machismo

Há um boato no ar que na edição do ano que vem um grupo de mulheres vai protestar na entrada da fazenda onde sempre se realiza o festival. É que numa tradição machista, bem ao estilo gaúcho, a participação feminina é vetada. São vestígios do tempo em que a mulher era considerada um ser subalterno, bem ao contrário dos tempos atuais em que homens e mulheres compartilham das mesmas tarefas e dos mesmos prazeres.

A informação de que poderão existir protestos no ano que vem veio de um repórter que na região é tido como o primeiro a saber das novidades.


Coleguinhas

 

* Adão Conceição Dornelles Faraco,quando secretário dos Transportes do Governo Pedro Jorge Simon gostava de se dirigir aos repórteres chamando-os de colega. Poucos sabiam que ele era do métier, porque trabalahra na Gazeta do Alegrete, o jornal mais antigo do Estado.Mas quem não o aguentava era o falecido MONDONGO, o Érico Sauer, que trabalhava na imprensa da Secretaria dos Transportes do Estado. MONDONGO, que é falecido, chegava sempre recheado das " trapalhadas" do secretário e foto fim de tarde, eu ia esperá-lo no corredor que dava pra rádio Gaúcha pra ver qual era a do dia...Não havia dia que não tivesse uma....Eu me forrava....
No dia seguinte, ia na secretaria e via que o secretário fazia nariz torcido pro meu lado, mas como a notícia era verdadeira, ele devia era ficar encanzinado sem saber quem era minha fonte: agora, tantos anos depois, posso dizer: era o MONDONGO, um grande jornalista, de Estrela!


* Tenho outra do Faraco que é sensacional: Ele me levava literalmente a tiracolo pras audiências dele. Um dia fomos ao Rio de Janeiro e fomos na alta direção do BNDES. Os diretores do BNDES que iam financiar estradas vicinais nem poderiam desconfiar que eu era jornalista, militante, de um veículo poderoso. E o Faraco na maior cara de pau, me levava pra cá, pra lá, ninguém perguntav a quem eu era, ou não. Passava por assessor, de confiança. Ora bolas, depois sentava na máquina e desovava tudo o que tinha visto.

* Nesta viagem ao Rio de Janeiro, me lembro que tomamos o avião as 7 horas da manhã no Salgado Filho. Junto ia a Rosane Marchetti,então uma jovem repórter, que pediu pra sentar do meu lado, porque tinha medo de avião. O secretário ficou me olhando, me olhando, sem entender muito nada. Mas ficou na dele.
No Rio, no Galeão, a Rosane tomou um táxi pra TV Globo( ia fazer um curso) e nós dois fomos pro BNDES.

Como não era o tempo do telefone celular, na década de oitenta,ainda, o Faraco entrava nos gabinetes e a primeira coisa que fazia era pedir pra secretário dos diretores uma ligação. Falava com Alegrete, falava duzentas vezes com sua secretária na Secretaria dos Transportes. Uma tarde, estávamos na LBA( não sei o que ele queria lá, mas foi....) e de repente vejo ele no telefone dando ordens pra Porto Alegre:
- Cuida bem daquele PETIÇO!!!

Referia-se ao seu assessor de imprensa, Serginho Araujo. Mas o cuida,aí, era no sentido de vigia bem ele....


* Uma sensacional do Faraco foi quando fomos a um congresso de transportes de carga em São Paulo. O Romeo Luft era o presidente da NTC e pra fazer uma " média" com seu estado, convidou o secretário.

A Vavá Dariaga,relações públicas da secretaria não foi junto e eu acabei indo pra fazer matéria. Fomos dormir num hotel tri fino no centrão de Sampa, perto da Paulista. Na manhã seguinte, assim que acordo, Faraco viu um ônibus estacionado na frente do hotel. Chegou lá, todo engravatado, tirou sua carteira de autoridade e lascou na cara do motorista com esta ordem:
- TU ( com o linguajar gauchesco) não me sai daqui enquanto eu não subir neste ônibus.

Fomos pro café e meia hora depois,quando voltamos eu e ele pro ônibus havia um mini levante entre os passageiros. É que era uma excursão, nada tinha a ver com o congresso que a gente ia participar e o motorista, com medo do secretário, não saiu antes que recebesse a ordem do Faraco!

 

Protesto do Mazza!!!!

 

Olides!
Te mandei um envelope com jornais em 12/02/2010. Ele voltou.
Mandei no endereço av.Lavras. 425/303.
Pô, achei que tinhas mais prestígio.


mazzarino


Haverá este ano

almoço de " aniversário "
da Folha da Tarde?

 


Alguns dos " sobreviventes" do jornal Folha da Tarde, que pertenceu a Cia Jornalistica Caldas Junior(CJCJ)fechado em 16 de junho de 1984- sempre tem alguém que não trabalhou no veículo que se infiltra pro almoço, mas como cada um paga o seu, tudo bem - estão descontentes de que o ano passado não foi feito o tradicional almoço pra "comemorar" o aniversário do jornal. É uma comemoração meio neurótica, mas va lá!

fotos de Otacílio Gonçalves. Data 26/04/2008

o último almoço pra "comemorar" o aniversário da Folha foi há dois anos!

" Tem até uma sala com o nome de Folha da Tarde lá no Copacabana" protestou dias atrás o Nelson Moura que foi da Folha durante muitos anos.

 

fotos de Otacílio Gonçalves. Data 26/04/2008

o último almoço pra "comemorar" o aniversário da Folha foi há dois anos!

É que quem chefiava os festejos era o Benito Giusti e ao que parece, o Benito estaria impossiblitado por motivos de saúde na família de comandar mais este evento. Então ficaria com a Jurema Josefa, que ainda está no batente!

fotos de Otacílio Gonçalves. Data 26/04/2008

o último almoço pra "comemorar" o aniversário da Folha foi há dois anos!


Mas por enquanto não há nada confirmado. Sairá ou não o almoço dos remanescentes da Folha, onde eles gostam de recordar tantos feitos do passado?!

fotos de Otacílio Gonçalves. Data 26/04/2008

o último almoço pra "comemorar" o aniversário da Folha foi há dois anos!

 

Zambiazi voltará ao microfone?

 


Pois é, é o que dizem as mais bem informados coleguinhas da praça. Uns
dizem que o atual senador do PTB concorrerá a uma vaga a deputação
estadual. Mas estes dias perguntei ao Marcelo, seu assessor de imprensa
que me respondeu na lata:
- Se tu souberes o futuro do Zambiazi,me informa.
Isto prova que tudo são especulações....


.........................

Gringo!
01) - Onde estão as tuas muitas horas de poeira e estrada?
02) - A frase não prova nada.
03) - Faça a mesma pergunta para o Cláudio Manfrói!
04) - Quem será o grande site/blog/repórter que vai furar o bloqueio
antes do anúncio oficial.
05) - O conceituado Gustavo Motta/Band vai conseguir antecipar algo?
06) - De novo. Logo tu, ir na conversa do Marcelo? Que por sinal está no
papel dele.

Viva Serafina, terra de gente boa! Depois, é claro, que os maldosos
fugiram pra Capital.

Abraço,


mazzarino


PESQUISAS SENSUS

 


Olides,

Os municípios da pesquisa Sensus 1570/2010 e da 7594/2010 são os mesmos, apesar de ter havido "sorteio aleatório"; no Rio Grande do Sul, entre a primeira e a segunda, mudou o número de entrevistados,senão vejamos:
Bagé, do PT, de 8 para 32;
Cacique Doble, do PMDB, de 11 para 15;
Carazinho, do PP, de 10 para 14;
Caxias do Sul, do PMDB, de 11 para 10;
Dois Irmãos, do PT, de 12 para 14;
Novo Hamburgo, do PT, de 12 para 15;
Pelotas, do PP, de 10 para 11;
Porto Alegre, do PMDB, de 15 para 11, pasmem;
Sapiranga, do PT, de 12 para 14;
Sinumbu, do PP, de 14 para 16.
Notem que nos municípios do PT o número de entrevistados aumentou em 31; nos do PMDB diminuiu em 1 e nos do PP aumentou em 7.
Por que será ?

SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS


O " OOHH" da Martha Medeiros diante do

motoqueiro atropelado por um carro

 

* Neste sábado, saía pra caminhar e quando cruzei a Ijuí, em direção a Pracinha da Encol, dei de frente com a cronista Martha Medeiros, que vinha em sentido contrário,caminhando também.Ato contínuo, ouvi um estrondo. Era um carro que pegara um motoqueiro na esquina da Ijuí com a Nilo Peçanha. Vi a Martha gritar um OOOHHHH! e pôr as bocas na boca de espanto.Já quem caminhava com ela se aproximou do motoqueiro caído pra socorrê-lo, mas ela não teve esta " frieza". Cronista é sensível. E não estou criticando a Martha.Me lembrei de uma coleguinha no começo dos anos 70, na Zero Hora. Mandaram ela fazer uma matéria num lixão onde tinha um corpo desovado ela voltou aos berros,sem fazer nada espantada com a cena que acabara de presenciar.

 

De Serafina!

 

As obras de um prédio na frente da Cantina, quer dizer, do prédio do que um dia foi uma cantina de vinho, na av. Miguel Soccol, reiniciam esta segunda, dia 19/04,depois de mais de um mês interrompidos em função de uma liminar judicial. A cantina de vinho, que produzia os vinhos Brilhante, pertenceu a Sociedade Estrela Guaporense que ainda existe apenas no papel, porque já não funciona.

"Beto "Chiarello manteve na frente do prédio da cantina uma pizzaria, chamada Grão de Bico durante quase 20 anos. Agora, foi para outro endereço mais espaçoso e ali está construindo um prédio para lojas comerciais. Mas a construção foi embargada em virtude de uma ação civil pública impetrada pela presidente do PMDB local, Salete Cadore.

 

Coleguinhas

 

mauro, eu vou sim a Rondinha
mas vou levar junto o César Tasca, que até Sarandi
vai parar no mínimo em 40 bares pra tomar a saídeira. É que o Cesar que voltar a Linha Agussu, em Barra Funda, onde se criou. " A la cria",então, como dizem os gaudérios!!!!

Olides !

Não mandei o recado a tempo pois fui à Rondinha parlar com pretti. Foi
tranqüilo, ficou muito feliz em me reconhecer , dopo quaranta e tre ani.

Disse-lhe que, em data a ser marcada, acompanharia meu colega Olides
até Rondinha, pois este desejava reencotrá-lo. Falei teu sobrenome e
acrescentei, dos Canton de quem vai para o carreiro. respondeu-me; lá
se tuto Canton.

Assim, que ele te espera um domingo à tarde para conversar.
Aconselho-te o dia 23 de maio, quando Rondinha terá sua feira; FIPAR.

Peço-te que me avises com antecedência, para que eu possa
providênciar, junto ao prefeito de Rondinha, a emissão do decreto de
"hóspede oficial", para meu amigo e colega Olides
!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Naquele final de semana estarei à tua disposição. Vais comer um
chapão( traga essência de olina, do contrário não rsistirás).

Mauro.

Mando igual, em outro e-mail, uma mensagem para meu amigo GIjão. O
malhor goleador de la undeze, conforme o filósofo Ghisolfi.



Histórias de La Ùndeze

 

O prefeito morreu
antes do segundo mandato!


Irceu Gasparin, o terceiro da esq. para a direita. Antes está Nelson Assoni( " Janguta",o chamavam os colegas do Conceição,de Guaporé)seu tio Albino, Irceu, o governador Synval Guazzelli, uma tia de Nelson, Dionísio Assoni e Zenaider Assoni. O ato era a inauguração de uma escola municipal na Linha Moreira César com o nome de Orestes Assoni, pai de Albino e de Dionísio. Ato foi durante primeiro mandato de Irceu em Serafina.

Irceu Antônio Gasparin - que hoje tem um busto na Praça Pio XII, a única em Serafina - morreu em 14 de dezembro de 1982, antes de ser diplomado pelo Tribunal Regional Eleitoral(TRE) eleito que fora contra o candidato do MDB, Lauro "Ghighi".
Irceu já fora prefeito entre 1973 e 1977. Sua morte chocou a cidade,embora esperada. Morreu de problemas com rins, na mesma idade do seu pai, Ricardo.Que também faleceu em consequência de problemas com rins.


Data 1981: Um ano antes de morrer,e já adoentado,Irceu,no centro da foto, de gravata, com a esposa, Isar, paraninfa uma turma de formandos do Ginásio Nossa Senhora do Rosário,dentro da igreja do mesmo nome.
Entre os formandos está o irmão deste autor, José Paulo.

Irceu, no começo dos anos 70, era uma espécie de "cônsul" de Serafina em Porto Alegre. Ele trazia todo mundo que queria estudar na cidade grande dando enorme incentivo. Foi uma das pessoas mais entusiasmadas que conheci.Parecia avinhar que teria poucos anos de vida.

Sua mãe, dona Hercília, ainda tentou doar-lhe um rim. Mas o transplante não funcionou porque houve rejeição, mesmo que tenha sido feito num hospital de Nova Iorque.


adore juram compromisso durante o ato de posse à frente da prefeitura municipal de Serafina.Foto do arquivo Pessoal de Jefferson de Carvalho.

Poucos choraram tanto sua morte, como sua mãe.Mesmo sendo uma mulher de uma força incrível - botava autoridades a correr com sua faca, quando a riscava no chão - a "velha Gasparina" tombou com a morte do filho.
Não foi mais a mesma. Nas poucas vezes que a visitei depois da tragédia, quando ela começava a falar do filho, as lágrimas lhe eram inevitáveis. Quem estava com ela, compreendia a dimensão da perda.


Irceu Antônio Gasparin jogando na ponta direita do time do Gaúcho, de Serafina. Ele é o primeiro agachado, da esq. para a dir.
A foto está no Arquivo Público Estadual e a data é de abril de 1958.Outros jogadores do time são Carlos Migliavacca,Nino Marini(goleiro) Ildacir Grando(morreu afogado no rio Carreiro),Nelsinho Grando, os irmãos Aldo e Rui Soccol(agachados). A " camiseta" tinha o patrocínio da Sociedade Estrela Guaporense que patrocinou o Gaucho por apenas dois ou 3 anos, segundo Ewaldo Cervieri, um dos diretores da então Sociedade Estrela.

Em Serafina, se diz que ela " fez o filho prefeito".
Funcionário do Tribunal de Contas do Estado, Irceu tinha um padrinho na política que foi longe: o ex-governador Jair Soares.
Quando morava em Porto Alegre, residia na Glória e se negava a beber água do DMAE porque dizia que ela tinha um odor insuportável de cloro.Então, Irceu, como um ser interiorano, pegava seus baldes pré-preparados e ia até a Gruta de Nossa Senhora, na Glória, pegar aquela água que naqueles anos 70 ainda era límpida...pra ele beber e cozinhar seus alimentos.

No dia do seu enterro - foi velado na no salão da prefeitura municipal por desejo do vice, Sérgio Massolini, que ficou com a vaga - a igreja foi pequena para a missa de despedida. O padre Roberto Ciotolla aproveitou aquela comoção e como havia uma "onda" de suicídios em Serafina por causa de dívidas nos bancos ( os agricultores se endividavam e depois com a seca, a soja não produzia tanto e eles tinham as terras "tomadas" pelo banco ) disse no sermão que ali estava uma pessoa que havia feito de tudo para tentar continuar vivo. Que os serafinenses vissem naquele exemplo de luta para não tomaram um ato derradeiro por causa de problemas com dívidas.
" Por uns seis meses diminuiram os suícidios, mas depois voltaram" relembrou a sob rinha de Irceu, Marlusa de Carvalho.
Os adversários da vitória de Irceu, no segundo mandato, tentaram impugnar a eleição junto ao TRE, alegando que Irceu não fora ainda diplomado e que por isto a eleição seria nula. O TRE não aceitou o pedido e diplomou,então, Sérgio Massolini, que governou a localidade por dez anos.
Duas obras são marcas de Irceu em Serafina: a canalização do riacho que cruza a cidade, o Feijão Cru e a construção de um grande colégio, o Carneiro de Campos, que hoje é estadual.

Está enterrado no jagizo da família de Vila Oeste,( União da Serra,hoje) de onde veio sua mãe,Hercília,que depois de viver mais longos anos também faleceu e lá está também sepultada.
Fotos: Acervo do autor.

 

Ex-ministra e candidata
é garota propaganda da Marcopolo?

A foto que os jornais publicaram neste sábado, dia 17/04, foi produzida na fábrica de carrocerias Marcopolo, de Caxias do Sul.Nela aparece a candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff dirigindo um ônibus da empresa caxiense.

A foto foi feita pelo mesmo fotógrafo que trabalha para o presidente Lula da Silva, Roberto Stuckert Filho.

 

Entendendo a notícia!

Marcoplo X PT!

Quando o Partido dos Trabalhadres(PT) ainda era o "bicho-papão" e os empresários fugiam dele mais que o diabo da cruz, este escriba ouviu do dirigente da Marcopolo, José Antônio Martins- hoje presidente da Associação do Aço - uma expressão que naquela época poucos empresários a assumiriam:
- São gente séria, disse Martins, numa ocasião,referindo ao PT e a Olívio Dutra, que em 1989 assumira a prefeitura de Porto Alegre.
A verdade é que Martins e sua equipe nunca pregaram prego sem estopa. Martins também estava pensando na venda de carrocerias que a Marcopolo faria com a renovação da frota de ônibus que a encampação promovida pelo governo de Olívio Dutra fez em Porto Alegre.
Agora, a Ministra Dilma,candidata do PT a presidência, foi fotografada num ônibus da compahia. Nada de novo para este escriba que acompanha esta relação há mais de 20 anos!

 

Fechamento do Pagoda!

 

Os taxistas sabem tudo,ou quase nesta vida: um deles, o Japa,como chamam, sabe o motivo pelo qual o restaurante que tinha mais de 50 anos de funcionamento em Porto Alegre, o PAGODA, fechou as portas: faleceu a senhora que era a "alma" do Pagoda. A família mora no mesmo prédio onde ele funciona, na Protásio Alves, perto do viaduto Tiradentes, nas imediações do Clínicas.

 

O autor e a equipe desejam aos leitores um bom fim de semana!

 

APOSENTADOS

 


Tem gente querendo enganar os aposentados que recebem mais de um salário mínimo; é ano eleitoral; em janeiro foi concedido o aumento de 6,14%; agora estão com a história dos 7,7%
( haveria um acréscimo de 1,56% ) ou 7% ( acréscimo de 0,86 % ); tanto o ministro da Previdência, quanto o da Fazenda, e não lembro quantos mais, já disseram que é impossível dar esta diferença de aumento; que, se for aprovada, o Lula vetará; quem está querendo mostrar estar ao lado dos aposentados, em favor dos mesmos ? O Paim faz tempo que usa os aposentados, mas até hoje não conseguiu aprovar nada de substancial para os mesmos; o que os aposentados tem é a aposentadoria propriamente dita, lá da década de 30, e o 13º, originado de um projeto de lei do ex-Deputado Federal do RS, Floriceno Paixão, que aprovado e transformado em lei, esta foi sancionada por João Goulart em 1963. Nada mais, exceto alguma migalha. E o governo atual é do PT, o partido do Paim.
Qual o argumento para que não se dê aumentos maiores para os aposentados que recebem acima do salário mínimo ? Falta de recursos. Conversa mole para boi dormir.
A ANFIP - Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil demonstra anualmente, através de seus relatórios denominados Análise da Seguridade Social, a mentira do déficit da Previdência Social. Segundo estas análises, de 2000 a 2008 tivemos os seguintes números: Superávit total : R$ 392,2 bilhões, ou seja, a diferença entre o total das receitas da Seguridade Social menos o total das despesas. Sobrou toda esta grana. Mesmo com a diminuição dos valores da DRU ? Desvinculação das Receitas da União, no total de R$ 237,7 bilhões, ainda assim, sobrou o total de R$ 154,5 bilhões.
Segundo a ANFIP no primeiro semestre de 2009 a Seguridade Social teve um Superávit de R$ 20.039,5 bilhões ( publicado na Revista de Seguridade Social ? outubro/dezembro ? 2009 ), ou seja, arrecadadas todas as receitas de custeio da mesma e pagas todas as despesas com Assistência Social, Previdência Social e Saúde, sobrou todo este dinheiro. Ainda não foi divulgado o superávit do segundo semestre de 2009. Deve ter sido semelhante.
Como não há dinheiro ?
Tem gente, com esta história de dar uma migalha de aumento agora, querendo se mostrar amigo dos aposentados. Ano eleitoral. Cuidado.
Sou aposentado.

SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS


Gringo!

 


Acho que tu vai te incomodar com o assunto Nereu Lima/madrigal.
Invasão de privacidade e etc, etc, etc (coisas do juridiquês...)

Mazza




Coleguinhas

 

Com o Serginho aconteceu aquilo que eu sempre digo: o melhor amor é o antigo!!!!Ele não desencarna. Da última vez que veio a Porto Alegre, me levou, saudoso, no abrigo dos bondes, na Praça XV de Novembro, e cabisbaixo dizia:
- Aqui eu esperava a Ivete sair do teatro e a gente vinha comer cachorro queante...

Ah, eu entendo, todo mundo tem estes lances melancólicos!

É da vida!(e que bom que assim seja....)

FILA DOS VELINHOS

Olides

Eu tenho um amigo que me recomenda sempre,não entrar na fila dos idosos.Nem em super mercado e muito menos em Banco.Mas como ontem tu me chamou de coloteiro porque eu não paguei R$ 25,oo por um livro que mandastes e eu não encomendei, corri ao banco,paguei, para minha imagem não ficar muito deteriorada. Mas PQP,fiquei mas de 45 minutos na fila e isto que só tinha na minha frente,cinco caras bem velhinhos
Mas tudo bem. Já que es um vendedor de livros eu pergunto: e os meus livros do Gremio e o livro da Ivette???.
Pô, vai vender bem livros assim em Serafina. Tú és o unico italiano que não sabe ganhar dinheiro.Isso deve ser herança da Linha Onze . O pessoal de Guaporé não é assim. Eles sabem trabalhar.

Sergio Ross

 

JESUS E MADALENA

 

Olides

Olha só que poesia bonitinha me mandaram agora à noite


JESUS E MADALENA


Madalena estava bela naquela noite
E Jesus todo chic com uma flor na lapela
Seguia-lhe os passos algo maravilhado
E ao romper o compasso de um tango bem cadenciado
Jesus se aproximou de Madalena e falou:
Queres dançar este tango mavioso com teu Jesus ditoso?
Sim, assentiu Madalena
Bailava pelo salão o lindo par
E depois,com que dulsor juraram amor.
Terminada a dança, Jesus o chapéu tomou
E o cachecol ao pescoço curto e grosso enrolou.
Vens comigo falou.Sim disse Madalena,vou.
E num Ford corriqueiro,lá se foi o par brejeiro.
Fora - alguém perguntou:
Mas... quem são os herois da conquista?
Ela é Madalena da Silva uma modista
Ele, Jesus de Vasconcellos,cirurgião dentista...

Sergio Ross

 

Zambiazi sorri pro seu " ganha pão"!

 

foto de Vinicius Reis

Assembléia Legislativa do RS. Acervo do autor.

 

O que estará dizendo o senador Sérgio Zambiazi pra este aparelho de rádio?

- Foi tu que me deixou rico!

Deve ser,seguramente.

O senador,que deixará a vida política - segundo alguns ele continuará nela, porque seu desejo é ser prefeito de Porto Alegre - deve ir mesmo para a rádio Guaíba e talvez levar junto Gugu Streit,segundo se comenta.

 

Zambiazi voltará ao microfone?


Pois é, é o que dizem as mais bem informados coleguinhas da praça. Uns dizem que o atual senador do PTB concorrerá a uma vaga a deputação estadual. Mas estes dias perguntei ao Marcelo, seu assessor de imprensa que me respondeu na lata:
- Se tu souberes o futuro do Zambiazi,me informa.
Isto prova que tudo são especulações....

 

Assalto

 

Como somente o Carrefour da José de Alencar tem câmaras filmadoreas, o dono do Agapio,Cesar Tasca, foi lá tentar uma cópia porque o carro que ficou esperando os dois assaltantes que entraram na madrugada de quarta, no seu empreendimento, pode ter sido filmado pelas câmaras do Carrefour. A responsável pelo setor de segurança da grande rede de super, pediu 500 reais pelas cópias. E tem um detalhe: não fornecem pra ninguém, só pagando!

 

Histórias de La Ùndeze

 

 

Por Mauro Rocha, médico veterinário e professor da UPF!


O Vazenton Cunha


O Vazenton Cunha deu de frente com o padre Giuseppe Finotto!

Quem era o padre pra ensinar moral para os demais?!

Mas ele tinha este poder e acabou mandando embora do Ginásio Nossa Senhora do Rosário o professor de Educação Física e Geografia, Vazenton Cunha, porque este cometera uma indelicadeza com três alunos: Mauro Rocha,Luiz Alberto Alban( " João Bolinha" ) e Paulo Fernandes( " Nervoso").
A seguir, o protagonista deste episódio, Mauro Rocha, narra os fatos. ( Tanto o professor, como o padre estão mortos).

- E aquela do Vazenton Cunha( faleceu em 17.11.2007).

" 1967: segunda série ginasial. O professor não nos deixava jogar bola após os exercícios físicos e nós o dedamos para o padre Giuseppe Finotto, que era diretor do ginásio.

Diante de nossa reclamação deque só os meninos não podiam jogar bola enquanto as gurias jogavam vôlei, o Vazenton foi direto pros questionadores( eu, Mauro Rocha, " João Bolinha" e o "Nervoso" e respondeu:
- Por que vocês não botam uma "chechequinha" e vão jogar vôlei também?

Mesmo constrangidos, fomos ao padre diretor e contamos o ocorrido ao que o padre disse:
- Mas vocês sabem o que é isso?
Quase que respondi:
- Saber eu sei o que é, mas não experimentei até o momento. Tinha 14 anos!

Pra encurtar, o professor foi chamado e dispensado em função de sua atitude. Não sei se ganhamos ou perdemos com a troca.
Acredito que ganhamos".

2) Outra do Vazenton:

Quando ele se apresentou em sala de aula, foi colocando o nome VAZENTON no quadro negro e o colega João Grando perguntou:
- Mas que bicho é este?

Coleguinhas

 

A " nobre" missão do(velho)
Kolecza:
cuidar da mãe!


Carlos Alberto Kolecza

Encontrei na noite de terça, dia 13/04, saindo do Margs, o coleguinha Carlos Alberto Kolecza( se as novas gerações de jornalistas não sabem quem foi, quem vão se informar!) Kolecza tinha ido levar sua mãe, dona Maria, de 88 anos, andando com dificuldades com uma bengala na sessão de lançamento de um livro do poeta Luiz de Miranda."Há 37 anos que ela vai as sessões dos autógrafos do Miranda" me disse Kolecza, orgulhoso da mãe que tem.
Pensei: pra ter um filho louco que nem o Carlos Alberto, só uma mãe louca, no bom sentido da palavra, né.

Já que muitos coleguinhas já não sabem quem foi Kolecza, o pai, aí vai uma palhinha:
Kolecza andou por muitos veículos da Capital e do Interior do Estado.Nascido na Grande Santa Rosa,cursou o Cientifico no Colégio Estadual Júlio de Castilhos, em Porto Alegre. Não tem o curso superior, sendo, portanto, um autodidata.
Em 1960, ele ingressou Na A Platéia, de Livramento.Ficou um ano e pouco e depois mudou-se para outro jornal local, o Folha Popular. Em 1962 mudou-se para Porto Alegre onde veio trabalhar no projeto revolucionário de Samuel Wainer, o jornal Última Hora.Com o fechamento da UH, Kolecza mudou-se a Zero Hora onde ficou até 1968.Em 1970, trabalhou no Jornal do Brasil e depois ingressou na rádio Gaúcha. Saiu da Gaúcha em 1972 e foi pra Folhinha, outro projeto revolucionário do jornalismo gaúcho( no qual este autor trabalhou por dois meses em 1974),. Em 1974, Kolecza voltou para a ZH e comandou o reerguimento do jornal que patinava e não saía da mesma,sendo totalmente esmagado pela predominância dos jornais da Caldas Junior.Kolecza ficou na ZH até 1981, quando saiu por diverguir dos rumos do jornal, num episódio sobre o qual ele nunca falou. Não se sabe até hoje se ele se atritou com os donos do jornal, com a direção do mesmo.
O fato é que pediu demissão e saiu para fundar um jornal próprio O DENUNCIA, que não teve grande duração mas que serviu pra mostrar o que era fazer um jornalismo independente e vigoroso. Um exemplo: uma matéria feita pelo DENUNCIA mostrou como a imobiliária Princesa do Lar, com quem a grande imprensa compactuava, ludribriava os inquilinos. A matéria aniquilou com a credibilidade da imobiliária que depois dela, nunca mais se reergueu.
Por vários motivos, Kolecza fechou O DENUNCIA e foi trabalhar como assessor de imprensa da Assembléia Legislativa do Estado, até se aposentar.
Hoje cuida da mãe!


A cruz missioneira com um
manto vermelho....

 

Lá pelo final da década de 80, morreu Cenair Maicá, um grande cantor missioneiro. Como o Carlos Alberto Kolecza tem um orgulho grande de suas raízes missioneiras, e era amigo do Cenair, nem foi trabalhar na Assembléia Legislativa naquele dia. Ficou em casa " curtindo" a morte do amigo.
Lá pelo meio da tarde, preocupada que o colega não tinha ido trabalhar, sua colega Francis Maia resolveu ir visitar Koleca. A " cena" que ela encontrou é digna de cinema. O repórter estava cabisbaixo,sentado num banquinho( o Kolecza sempre detestou cadeira, na praia, ele sentava no chão, na sala do Hotel Beira Mar ) e no apartamento, totalmente tomado por jornais espalhados por todo o chão, havia uma cruz missioneira, com um lenço vermelho a tiracolo. Era como se Kolecza estivesse velando Cenair Maicá.

- Nunca mais esqueci aquela cena, lembra a Francis.

 

 

Memória da Imprensa

 


Onde anda quem fundou
a Ipanema FM!

A Ipanema FM do grupo Bandeirantes foi fundada em 1983. Ficava numa casa da esquina da rua José Bonifácio com a Santa Terezinha, nada a ver com o endereço,atual, no morro Santo Antônio.

Nesta foto, que tirei do livro Prezados Ouvintes, do Mauro Borba, vemos vemos o locutor Nilton Fernando( de Cachoeira do Sul) do lado de fora, na bicicleta( hoje está na Pampa AM, entre 6 e 8 da matina), Wlamir Rosa da Costa( que hoje gerencia a boite Santa Mônica, na Dom Pedro II ), o próprio Mauro Borba( que hoje está na Ulbra e apresenta o Cafezinho, que tanta audiência tem ) Bete Portugual( foi casada com o Chicão Daniel, está na TV Globo) em Sampa e duas secretárias.

 

Julinho,depois de leiloeiro
vende anúncios na rede Vida!


Júlio Cesar Dreyer Pacheco no pátio onde era leiloeiro na rua Alberto Silva.(anos 90) foto de Marcelo Ribeiro. Acervo do autor.

 

Encontrei o Julinho Pacheco, na terça, na rua da Praia. Estava indo para um encontro com o" homem do trem," como ele disse. Se tratava do Carlos Gomes, que fora candidato a presidente da República numa certa época e que prometera um trem. Pra onde? Não sei!( Uma vez, estando na praia e não tendo assunto, a colega Alda Souza disse pro interventor de Tramandaí que vinha visitar o governador Amaral de Souza pra trazer o projeto de um trem ligando o litoral a capital. E ela que não tinha notícias da praia, encheu o Renner das 13 com esta notícia, cuja obra até hoje não saiu, por supuesto!)

Conheci o Julinho em 1976,quando me mandaram a Blumenau fazer uma pauta QUINHENTOS! Mas bota quinhentos nisto....( é a pauta obrigatória,vinda da direção do jornal).
O então ministro das Comunicações, Cel. Euclides Quandt de Oliveira, iria ser homenageado e a ZH foi lá fazer uma matéria disto.Viajamos a noite toda para tal, eu um motora e o Pirulito, o Antônio C. Mafalda.

Depois nunca mais vi o Júlio.

Voltei a me encontrar com ele, nos anos 90,quando o Júlio era leiloeiro e tinha um grande depósito na av. Alberto Silva, na zona norte da cidade.Ele tinha um enorme cachorro que ficava sempre na sua soleira e quando a gente ia cobrar dele os trabalhos, ele dizia:
- Olha que este cachorro é brabo e não gosta de jornalista.

O Julio morava na Paragem dos Verdes Campos, em Gravataí e até fizemos um jornalzinho do condomínio.

Depois o Júlio deixou de ser leiloeiro e voltou a atividade de vendedor de anúncios agora na Rede Vida.
Voltou a morar no centro de Porto Alegre, onde morou quando criança.
Ele conheceu a rádio Gaúcha quando esta era no edíficio União.
Julio foi leiloeiro a partir de 1983. Antes era diretor da RBS, tendo representado a empresa em Brasília e em Caxias do Sul.
Um dia me chamou pra comer um mocotó, no Rei do Mocotó porque queria escrever um livro. Mas desistiu no meio dele:
- Não vai dar pra escrever o que sei! consolou-se

 

De S. Borja!

 


Fogaça e Pompeo
começam campanha por S. Borja

Acervo: PDT de São Borja(RS).

Leonel Brizola e Alceu Collares no Cemitério Municipal Jardim da Paz. Anos 90. Foto de Gaudência.

 

A campanha no interior dos candidatos do PMDB/PDT, José Fogaça e Pompeo de Mattos começa hoje,16/04, no interior,justamente pelo chamado " berço nacional do trabalhismo", ou seja, São Francisco de Borja ( também conhecida pelo codinome de " Terra dos Presidentes").

Foto de Luiz Ávila.

Cemitério Jardim da Paz, em 23.06.2004, deputado Vieira da Cunha discursa ano enterro de Brizola.


E,como soe acontecer com todo ato político promovido pelo PDT na antiga " capital da produção" ele ou começa, ou se encerra no Cemitério Jardim da Paz. Quemé de fora e não conhece o ritual talvez estranhe, mas é assim mesmo. É que lá estão depositados os restos mortais dos grandes ícones do trabalhismo, como João Goulart,Leonel Brizola e até agosto de 2004, do maior deles todos, o ex-presidente Getúlio Dornelles Vargas.Na mesma fileira destas celebridades do trabalhismo, também está enterrado o mais polêmico de todos os personagens históricos do trabalhismo, o guarda-costas de Getúlio, Gregório Fortunatto, também conhecido por " Anjo Negro", ou o " Negro Gregório"!


Monumento a Getúlio Dornelles Vargas na Praça XV de Novembro, em S. Borja. Pompeo de Mattos, segundo da esq. para a dir, volta hoje a São Borja para iniciar campanha a vice-governador junto de Fogaça. Data da foto 21.06.1008


Fogaça e Pompeo começam,então, hoje sua campanha no interior por S. Borja. Mas lá não vão encontrar unanimidade, principalmente porque setores do PDT, digamos alguns históricos, estariam mais inclinados a apoiar a candidatura de Tarso Genro, ex-ministro da Justiça e e da Educação de Lula, do que Fogaça/Pompeo.

Acervo de Eduardo Belmonte.

Leonel Brizola e correligionários no Jardim da Paz, em S. Borja. Aos fundos o radialista "Prato Fino( Eduardo Belmonte) da rádio Cultura,de S. Borja e Isaac Ainhorn,entre outros.

Na foto aparece também Neuza Penalvo, com as flores na mão, do seu lado a menininha é Isabela, filha do dirigente do PDT de S.Borja Janot. Detrás de Neuza, o radialista Paulo, que apresentava nesta ocasião um programa numa rádio em Santo Tomé.Esta é uma foto histórica, porque é a última visita de Leonel Brizola a " Terra dos Presidentes".

" O Fogaça vai chegar lá e vai acalmar todo mundo", disse estes dias um prócer do PDT metropolitano!

Foto Belmonte

Museu de Jango

virou referência em S. Borja


Outro local que a comitiva Fogaça/Pompeo deve conhecer hoje é seguramente o Museu João Goulart, na av. Presidente João Goulart, 2033.No chamado corredor cultural de São Borja o Museu de Jango foi inaugurado em 1 de Outubro de 2009. Nesta casa, teria sido fundado o PTB( Partido Trabalhista Brasileiro) em 1945, por Vicente Goulart, pai do ex-presidente Jango.
Depois que regressou do exílio, no local residiu Percy Penalvo, com sua família.A casa foi desapropriada durante o Governo de José Pereira Alvarez, o Juca, para se tornar o atual Museu João Goulart.

Na foto, feita em 1 de março deste ano, aparecem na frente do Museu,entre outros, o prefeito de São Borja, Mariovane Weis(PDT) o deputado federal do PDT, Vieira da Cunha. o neto de Jango, Cristhopher Goulart, o neto do ex-presidente Getúlio Vargas,Getúlio Vargas Neto,o Getulinho, entre outros.

Deu no blog do Olides!

 

 

* Engraçado: há tempos observo que o SIMERS( SINDICATO MEDICO DO RS) que tem na direção só gente de " esquerda" só patrocina blogueiros ditos de " direita"!
Então sou eu que não entendo mais nada, ou é a máxima aquela em ação: " faça o que eu digo mas não faça o que eu faço!"


* Faltou cerimonial:
Segunda,dia 19/04( por sinal, dia do Índio) o presidente da Assembléia Legislativa do Estado, deputado Giovani Cherini, recebe jornalistas para um café da manhã às 8h30min. Mas nem todos os que cobrem política legislativa do Estado receberam convites....

* Muita gente torce o nariz para alguns comentários ou informações que dou aqui. Olha, não tou nem aí pra isto.Não são elogios que espero exercendo esta profissão tão ingrata. E pra mim jornalista que recebe elogios não é jornalista é ERREPE, tipo Wilsinho Muller, com todo respeito!

 

 

Luiz Coronel e Tatiana Druck lançam livro de poesia dia 19 de abril

 

 

O poeta e escritor Luiz Coronel e a estreante Tatiana Druck fazem
lançamento conjunto na noite do dia *19 de abril*, a partir das *20h *no
*Café de La Musique. *O evento além de sessão de autógrafos tem
performance poética e musical com a artista /Fernanda Carvalho Leite/ e
com o músico /Sérgio Rojas/.


Luiz Coronel e Tatiana Druck

Os autores trazem a mensagem de que a poesia continua acessa, depoente e
necessária. São dois livros diversos na forma e no conteúdo. Luiz
Coronel incentivou a novata Tatiana Druck a editar suas poesias que
estão repletas de uma sensualidade travessa e de um senso de surpresa.

O livro de *Luiz Coronel,* "*Quirelas & Cintilações"* recebe o primeiro
impulso nas "Trovas Populares" de Fernando Pessoa. O cotidiano com seus
temas mais prosaicos e despojados e, também, as inquietações de mais
alto vôo se sucedem nas 215 trovas e coplas. Como observa o autor há nas
trovas certa graça e referência de berço luso-açoriano. Já nas coplas um
perfilar-se nitidamente espanhol, posto que são conduzidas pela vibração
das guitarras. O elenco de críticos que avaliam a obra ressaltam o humor
e agradabilidade da leitura.

E o livro* "Par e Ímpar"*, de *Tatiana Druck* surge de um redemoinho de
vacilações e se construí em uma novela poética da separação. Dimensionar
as experiências pessoais, principalmente, amorosas dentro de uma
contenção formal e, ao mesmo tempo, uma tensão de vida, parece
desafiador. Mas é exatamente o que a autora conquista em /Par e Ímpar/.


Luiz Coronel

*Quirelas & Cintilações* e *Par e Ímpar* possibilita perceber o que
existe de constante e variável. Constante este desejo irreprimível de
fazer um balanço dos dias colhendo suas dádivas e padecendo seu
desconforto. Variável é a forma de sentir e dizer. Nela, seu jato de
espontaneidade e ironia; nele, a travessa melancolia. Com toda a
voltagem da civilização da informática, da solidão instantânea, da
violência sob efeitos especiais, nada estará perdido enquanto houver um
homem assobiando pelas calçadas ou alguém andando sobre as águas
revoltas do cotidiano com seu livro de poesia embaixo dos braços.

Os livros estarão à venda no local do lançamento e posteriormente nas
livrarias.


Luiz Coronel é poeta, escritor, publicitário, compositor e
conferencista. Sócio e diretor da Agência Matriz. Tem mais de 50
composições gravadas e 44 livros publicados.

Tatiana Druck é advogada e professora universitária, mestre e doutoranda
em Direito. Participou de oficinas de literatura ministradas pela
escritora Cintia Moscovich. No último semestre, Tatiana conquistou três
prêmios literários nacionais: 2º lugar na categoria crônica e 3º lugar
na categoria poesia no V Concurso Literário Mário Quintana/RS e 2º lugar
no II Concurso de Poesia Barão de Japurá/RJ.

Taciane Corrêa

 

Flávio Dutra assumiu na prefeitura

 


Flávio Dutra


Flavio Antônio Vieira Dutra, nascido em 06.01.1950 é o novo coordenador de comunicação social da Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Filho de Dastro Moraes Dutra e de Thélia Vieira Dutra, ele já passou pelos seguintes veículos: rádios Guaíba e Gaúcha e jornal Zero Hora. Tem os filhos Flávia ( 19.01.1978) e Rafael ( 05.11.1980). Trabalhou em outras assessorias de governos, como de Antônio Britto e também trabalhou na TVE.De uma tradicional família de políticos, Flávio nasceu em Porto Alegre.

 

"Quem pensa aqui,sou eu, disse Faraco
para Serginho Araujo, seu assessor de imprensa!"


Adão Conceição Dornelles Faraco

 

Adão Conceição Dornelles Faraco, nascido no Alegrete em 08.12.1934( por isto carrega o Conceição no nome) é filho de José Lúcio Zácaro Faraco e de Nair D. Faraco.Começou a profissão de jornalista no jornal mais antigo do Estado, o GAZETA DO ALEGRETE.
Político muito conhecido, foi cassado pela "Revolução" de 1964 e depois de muitos anos conseguiu na Justiça reaver seus direitos políticos. Entrou com uma ação na Justiça e todo o dinheiro que conseguiu reaver da União fez uma doação.
Faraco,quando assumiu a Secretaria dos Transportes do Goveno Pedro Simon(1987-1990) costumava convocar "coletivas" na sua pasta. Gostava de fazer um "misce en cene". Numa daquelas tardes modorrentas em que ele ia falar para a imprensa, seu diligente assessor de imprensa, Serginho Araujo entrou "estabanado" na sala da coletiva interrompendo o chefe, que falava para alguns jornalistas:
- Secretário, interrompeu Sergio, eu pensei!!!....

Serginho não terminou a sua frase. Faraco o interrompeu:

- Calma aí, calma aí, quem pensa aqui sou eu...

De uma outra feita, ainda como secretário dos transportes, ele foi convocado para ir falar no programa do Lasier Martins, na rádio Gaúcha, o " gaúcha entrevista". Como Faraco sempre deixava tudo para a última hora, faltavam cinco m inutos pra ele entrar no ar e ainda estava no 21 andar do prédio da Secretaria dos Transportes, na avenida Borges de Medeiros.
Eis senão quando ele literalmente "arranca" um mapa que estava pendurado na parede de sua sala de despachos e sai com o mapa envidraçado corredor afora. Ninguém imaginava o que o secretário iria fazer com aquele mapa.
Chegou na rádio Gaúcha bem quando o Lasier o anunciava. Faraco debruçou aquele mapa encima da mesa da rádio enquanto Lasier Martins, espantado, olhava para aquilo. Quando Faraco começou a falar, Lasier o interrompeu:
- Mas secretário, a rádio não é ao vivo, não adianta o senhor ficar apontando pros locais do mapa, ninguém está vendo a não ser eu.
E o pior era que o mapa envidraçado ocupou toda amesa da Gaúcha.

Gaúcho criado na fronteira Oeste, Adão Faraco conserva aquele seu jeito fronteiriço e aberto de falar. Muitas vezes o vi desculpando-se com sua esposa, a dona Laura, por não poder ir para casa almoçar - um costume que no Alegrete é sagrado - com esta expressão:

- PRENDA MINHA ESTOU AQUI NUM ENTREVERO!

Saudades tenho eu das " trapalhadas" do nosso coleguinha, que é jornalista formado na PUC!

 

 

Memória da Imprensa

 

(Na foto dos arquivos do colega Antônio Goulart, aparecem o presidente da Federação da Agricultura do RS(Farsul) Ary Marimon rodeado pelos colegas Marcelo Rech(hoje diretor da RBS)Roberto Azeredo(hoje na direção da TVE),Priscila Lemos,entre outros.Em pé, está Heron Vidal e o colega que foi ser sócio do Horst Knack, na agência Ciranda.Nos fundos, os garçãos preparam o regabofe!
Provavelmente uma coletiva antes de um almoço de fim de ano nos quais as entidades de classe costumam dar o famoso "balanço" de como foi o ano( a " choradeira" geralmente campeia!)

Local da foto: Na Farsul

Ano: 1985

 

Coleguinhas

 

Deu no Blog do Olides!

* Coincidência ou não com a publicação de um dossiê de autor desconhecido chamado Nãodeunojornal e tornado público no Cloaca News, o apresentador Felipe Vieira não está ocupando seus espaços na Band.

*Antônio Goulart está pesquisando o Érico Verissimo jornalista

* Reunião importantísssima, ontem, no Conselho da ARI. Ah, então os veinhos vão fazer alguma coisa? Duvido!!!É mais fácil um elefante passar por uma agulha do que isto acontecer!

 

Foto



Da esquerda para a direita: O embaixador Rubens Barbosa, integrante antigo da mesa do Stella Grill e que hoje e
assessor da area dipolomatica do Ministerio das Minas e Energia. E um dos caras que mais sabe sobre petroleo e o pre sal.Mas ja esta de viagem marcada para a Australia,onde devera assumir o comando da Embaixada do Brasil. O seguinte e o Paixao Cortes.Ao seu lado, Luiz Recena, um gaucho agora abaianado. O ultimo na foto e o Claudio Humberto. Aquele do bateu levou....
Sergio Ross

 

RECENA EM
BRASILIA



Quem passou esta semana em Brasília,foi o nosso coleguinha, Luiz Recena. Hoje ele vive em Salvador na Bahia como editor de um jornal quinzenal que ele chama de Gazeta-Cidadania & Negócios. Acho que ele usou o nome Gazeta,para homenagear o seu passado,quando foi por vários anos da equipe do jornal que criminosamente fecharam. Ele veio almoçar no Stela Grill para rever seus coleguinhas e contou que tem uma criação de passarinhos que vivem soltos no pátio de sua casa que fica na beira do mar de Dorival Caimi.
Recena conta que está gastando uma nota com os banquetes dos mais de mil passarinhos de diversas especies,que voam ao seu redor.
Já o “famoso cozinheiro “ José Luiz Paixão Cortes ( ele é primo do monumento e é de Bagé, também) passou alguns dias na Bahia com o Recena,conta que ele já se adaptou aos costumes baianos. Tanto assim,que o Recena quando acorda,por volta das 14 horas,já acorda sesteado...Ah!, ele já dorme também em rede...

Sergio Ross

 

 

“Como Agarrar um Marido Antes dos 40”

 

Segue em temporada na
CCMQ a comédia que vai revelar os segredos que nem Santo Antônio descobriu

Do mesmo autor do consagrado sucesso
“Como
Emagrecer Fazendo Sexo...”, a comédia “Como Agarrar um Marido
Antes dos 40” , que está no seu terceiro
ano de sucesso, e já foi assistida por mais de 50 mil espectadores, este
espetáculo aborda de forma divertida e bem-humorada um dos assuntos mais
badalados do mundo contemporâneo: a
busca pela alma gêmea.

Lúcia (Marlise Damine), uma
bem-sucedida advogada, percebe que vai fazer 40 anos e ainda está solteira. Ela
entra em total desespero e resolve achar de qualquer maneira um marido nos seis
meses que ainda lhe restam antes da fatídica data.

A história conta todas as
investidas, atropelos e aventuras da protagonista, sua melhor amiga recém
separada (Suzi Martinez) e sua empregada de santo forte e língua afiada
(Denizeli Cardososo) na busca de um grande amor antes do seu 40º aniversário.

Quer saber a recita para arrumar
um marido e ainda se divertir muito tentando?

Então junte uma solteirona
com crise de meia idade, mais uma divorciada bem resolvida, uma empregada de
santo forte e língua afiada mais uma corrida contra o tempo..

O resultado é uma
divertidíssima comédia que vai revelar os segredos que nem Santo Antônio
descobriu.

Serviço:

O que? “Como Agarrar um Marido
Antes dos 40”

Quando? De 09/04 a 02/05/2010. sexta a domingos às 20h

Onde? Teatro Carlos Carvalho da
Casa de Cultura Mario Quintana

Quanto? R$ 20,00 (na sexta) R$25,00
(sábado e domingo), 50% de desconto para estudantes e idosos (mediante
apresentação de carteirinhas). E 20% de desconto para assinantes do clube ZH

Ficha
Técnica:

Texto e direção

Claudio Benevenga

Elenco

Suzy Martinez - Débora

Denizeli Cardoso – Dalva

Marlise Damime – Lúcia

Figurinos

Zélia Mariah

Cenário

Claudio Benevenga

Iluminação

Anilton Souza

Trilha Sonora Especialmente Composta

Leandro Nunes

Fotos

Claudio Benevenga

Projeto Gráfico

Dian Paiani

Produção Executiva

Claudio Benevenga e Denizeli Cardoso

Contatos
de produção:

Site do espetáculo:

https://sites.google.com/site/comoagarrarummarido/

e-mail:

crtbene@yahoo.com.br

 

Coleguinhas

 

* É muito "Tucana" a revista VOTO !

* O " Colarinho" na Ladeira ( Gal Cãmara) é uma boa pedida pra se tomar um chopp, nos fins de tarde! É do Silva's! Com o tempo irá ser descoberto....

* Adão Oliveira, na sua coluna do JC, de 13/04, tocou na posse do Secretário César Busatto na prefeitura, com o destaque que Busatto não falou na ex-secretária, Clênia Maranhão. Como são ex, muito cuidado, companheiro Adão pra não meter a mão em cumbuca!

 

Folclore Político

 

 

Olides


Em 1988, creio, o Hilário Braun concorria à reeleição pelo PMDB e visitava a região de Palmeira das Missões e do " Grande Sarandi". Como eu trabalhava na Coordenadoria Regional de Saúde em Palmeira, fomos convidados para uma inauguração na região e, na volta, acompanhamos a caravana do Hilário. Este, por sua vez, em cada cidade pequena da região, visitava um cabo eleitoral, para fortalecer sua campanha.

Na casa de um deles, foi abordado por uma " prenda" esbelta, de curvas bem feitas, morena,simpática, atraente mesmo, que encantou o deputado em busca de votos.

A moça, muito educada e tratando o Hilário com muito respeito, entrega a ele para que levasse a Brasília e entregasse em nome do município - não lembro mais se Palmeira, Três Passos ou Trindade do Sul - ao Ministério da Assistência Social, um pedido para compra de novilhas para produção leiteira - só no Brasil um programa destes é gerido pela Assistência Social - reforçando a importância do mesmo ser contemplado com o programa das " vacas". O deputado, encantado com a bela morena e acredito, um pouco mamado, respondeu:
- Minha filha, hoje nós não estamos tratando do programa das vacas, somente estamos nos preocupando com as "potrancas".
Constrangimentos à parte , alguém retomou o rumo da conversa, encaminhando-a para outro lado.
Cara de pau. Cantando a morena na casa dela...

Mauro Rocha

Médico Veterinário e professor da UPF.

 

Assalto!

 

 

Demorou muito:assaltaram o Agapio, da av. José de Alencar, a uma e meia da madrugada do dia 14/03, quarta-feira!

" Até que demorou três anos" consolou-se o dono, César Tasca.

 

Festa!

 

 

Quem viu a cena, diz que ela foi muito engraçada. Madrugada destas, o advogado criminalista, Nereu Lima, junto com uma turma de amigos, dançava carnaval lá pelas cinco da matina na boite Madrigal, em Porto Alegre.

 

Para os que viram e para os que nunca mais verao

 

POSTO DO AVIÃO - Porto Alegre / RS
Posto do Avião - Porto Alegre RS
Essa foto foi enviada por uma amigo de POA e retrata o Posto do Avião que ficava no Centro de Porto Alegre.
Esse posto passou por enchentes e por volta dos anos 60 foi derrubado. Uma pena...
Repare ainda, sob a asa do avião, uma antiga bomba de gasolina.
Melhor ainda é ver essa quantidade de veículos antigos, com destaque para o Buick 1950 conversível.
A marca registrada de que a revenda Hudson foi das mais fortes e presentes nos anos 50 em Porto, perdendo só para o Rio e SP, está nessa bela Hudson1953 sedan que aparece na foto.
OBS: foto cedida pelo amigo Paulo Bajesteiro

Sergio Ross

 

Saul Gil Cardoso

fala da noite portoalegrense que ele
"não " conheceu! Imagina se tivesse conhecido!



Olides,
Minha “qualificação” para escrever sobre a boite Marabá é bastante limitada e te sugiro rastrear velhos boêmios, testemunhas oculares da história, que certamente ainda os há aí na Portinho. A razão da minha pouca vivência na época foi econômico-estudantil dado que, diferentemente de outras casas noturnas do Centro de Porto Alegre, no Marabá havia cobrança de entrada, havendo também um certo “patrulhamento” no sentido de que os não abonados não ficassem “zanzando” de um lado para outro, sem sentar a uma mesa e consumir pelo menos uma Cuba. Nessas circunstâncias, em geral só dava para frequentar caso, como pré-condição, tivesse ocorrido à tarde o acerto do ganhador no “desquite” (o páreo de encerramento do programa de corridas do saudoso Hipódromo Moinhos de Vento). Para não ficar totalmente omisso, lembro de uma noite em que o “cabaretier” (será que alguém ainda sabe lá o que isso significa?) anunciou como atração a presença do compositor do cha cha cha La mamadera, sucesso da época. Imediatamente a orquestra atacou e o compositor deu o recado “Si el niño no duerme, No puede bailar... La mamadera..(refrão)”. A boite era também popular no meio dos estudantes de engenharia da época, porque havia um colega (vou chamá-lo ficticiamente de Fritz) que tocava pandeiro no conjunto da boite e que, por esse motivo, atendia entre os colegas pela alcunha de “Fritz Marabá”.
Uma vez que estás engajado nesse projeto da “noite portoalegrense de antanho”, não deixa de dedicar umas linhas ao Ma Griffe, que ficava ali na Bento Gonçalves e conseguia aliar as qualidades de ambiente aconchegante, consumação acessível e “plantel” de primeira linha, tudo isso creditável à competência gerencial da simpática Carla, uma coroa dotada com “la physique du rôle” para a função. Fato notável ocorreu no ano em que a Prefeitura de Porto Alegre (talvez tenha sido à época do 2º mandato Loureiro da Silva) resolveu promover um Baile Municipal de Carnaval, ao qual compareceram as “pupilas” da Carla produzidas a caráter, causando estrondoso sucesso. Creio até que saiu fotografia delas na capa de uma revista encartada em jornal aí de Porto. No Ma Griffe não tocava conjunto, o som provinha de discos reproduzidos em alta fidelidade, que apresentavam os boleros obrigatórios do período, com destaque para o equatoriano Julio Jaramillo, cantando Nuestro Juramento, música que entre alguns amigos batizamos de “Hino do Ma Griffe”.
Grande abraço,
Saul


DILMA E LEÔNIDAS SEM DIFERENÇA

 


Por Carlos Chagas
Há décadas mestre Helio Fernandes escreve que, no Brasil, o dia seguinte sempre consegue ficar um pouquinho pior do que a véspera.
Com todo o respeito, mas Dilma Rousseff também. Depois da trapalhada feita em Minas, quando conclamou os tucanos locais a votarem em Antônio Anastasia para governador e nela para presidente da República, a candidata superou-se. Sábado, quando José Serra discursava em Brasília, numa evidente referência ao adversário, ela declarou em São Bernardo que não fugiu da luta, durante a ditadura.
Referia-se ao seu papel de guerrilheira, participante da luta armada durante os anos de chumbo, aliás, uma heróica e elogiável bobagem praticada por parte dos que se opunham ao regime militar, porque só fizeram aumentar pretextos para a ditadura continuar.
O principal na afirmação de Dilma, porém, estava na comparação: ela não fugiu, quer dizer, não se exilou, não foi para o exterior, mas Serra foi. Então fugiu...
Nem é preciso relembrar a História. O hoje candidato do PSDB era presidente da União Nacional dos Estudantes. Havia discursado no comício do dia 13 de março. Estava na lista dos mais procurados, possivelmente vivo ou morto. Quantos mais fizeram o mesmo, de João Goulart a Leonel Brizola, de Luiz Carlos Prestes a Celso Furtado? Teriam sido fujões?
Triste se torna a estocada pelas costas quando se lembra que, não mais do que há uma semana, essa mesma imagem foi feita em entrevista na televisão pelo general Leônidas Pires Gonçalves, que negou a existência de exilados para taxá-los todos de fujões. O general chefiou o DOI-Codi do Rio de Janeiro, em certo período. Escorregou no diagnóstico, apesar do reconhecimento de que, mais tarde, manteve conduta exemplar quando da volta do país à democracia. Graças a ele, escolhido ministro do Exército por Tancredo Neves, foi evitada uma aventura golpista por parte de generais contrários à posse de José Sarney. Depois, segurou os militares nos quartéis, onde estão até hoje. Mesmo assim, na recente entrevista, saiu-se mal ao chamar exilados de fugitivos.
Exatamente como fez Dilma Rousseff agora, igualando os conceitos. Quem sabe se Michel Temer recusar a vice-presidência na chapa oficial, a candidata não se lembre de convidar o general Leônidas?

FALTA POUCO
Deixa poucas dúvidas, apesar do desmentido feito minutos depois à Folha de S.Paulo, a declaração de Aécio Neves de que estará ao lado de José Serra onde quer que seja convocado. Adiantou menos ter explicado, depois do discurso, que sua disposição era de acompanhar o candidato tucano por todo o país, mantendo sua condição de candidato ao Senado.
Certas definições comportam dupla interpretação, mas essa, não. Aécio sabe que fará a diferença, como candidato a vice-presidente, em especial se as pesquisas continuarem indicando empate técnico entre Dilma e Serra. A união umbelical de São Paulo e Minas poderá decidir a disputa. Melhor evidência não haverá do que o entusiasmo dos 4 mil participantes da reunião do PSDB convocada para formalizar Serra. Para o Alto Tucanato, maio será o mês da rendição do ex-governador mineiro.






Memória da Imprensa

 

 


Jango não deixou

Assis fotografá-lo!


Logo depois que saiu a VEJA, em 1968, a revista publicou uma matéria que o ex-presidente Jango Goulart,então morando em Montevideo - segundo Assis Hoffmann, fotógrafo, o apê do Jango ficava perto do estádio do Penharol -con siderou desfavorável a ele.Sabe como é, político vai logo dizendo se a reportagem lhe convém ou não. É do jogo!
Assis Hoffmann e José Antônio Severo foram destacados pela VEJA pra irem a Montevideo entrevistar o presidente deposto que vivia no Uruguai exilado.

- Quando chegamos no apartamento dele, ele estava de chinelo de dedo pintando a porta da entrada do apê. Eu fiz que ia levantar a máquina e fotográ-lo mas ele me cortou:
- Não, não, você pode fazer outras fotos minhas, essa não!

 

Coleguinhas

 

*A TV URBANA foi comprada pela Rede Vida. Quem me disse foi o Julinho Pacheco e não pediu segredo.

 

Gugu enfrenta crise na Record





Com empates e derrotas consecutivas em ibope para o Programa Silvio Santos,
do SBT, o Programa do Gugu enfrenta uma crise interna. Na semana passada,
após desentendimentos internos, a atração perdeu o diretor do quadro Sonhar
Mais Um Sonho, Alexandre Rodrigues.
Dias atrás, uma editora e uma produtora pediram demissão após alguns embates
com a direção. Fontes da produção garantem que a produtora deixou o programa
após ter seu trabalho chamado de "TCC de faculdade" pelo diretor da atração,
Homero Salles. Mais dois jornalistas da produção também pediram para ser
transferidos. Baixas vistas apenas como "arrumação de casa" na rede.


Por Keila Jimenez - O Estado de S.Paulo

matéria do site: http://www.adnews.com.br/publicidade/101888.html


 

Histórias de La Ùndeze

 

 

Por Mário Rocha, professor da UPF!

O Altamir( " Mire") tentou "enrolar" o padre!


O padre Roberto Ciotolla como tu bem sabes, Olides, era todo rigor nas aulas de Português( ainda bem que o era, pos com ele acho que me tornei menos ignorante no nosso idioma).
Acredito que ele fazia uso da pedagogia da problematização( construtivista-Esther Grossi-Paulo Freire etc....) mesmo que nesta época não existisse tais teorias.

Com isso, el véchio( refere-se ao padre Roberto ) passava todos os dias em que havia aulas de português, algo para que realizássemos, como por exemplo, uma redação, - ele mesmo dava o tema - e nós tínhamos que trazer para a próxima aula, ele recolhia e pacientemente, corrigia e dava nota. Costumava também passar exercícios para resolvermos em casa, os quais, eram cobrados no outro dia, invariavelmente( eu gostava de Português, embora mau aluno.)
Um determinado dia( isso tudo em 1968, na quarta série) o padre Roberto passou-nos alguns exercícios de gramática e, como sempre, nos cobrava na aula seguinte, pedindo a um dos alunos que fizesse a leitura dos mesmos, para eventuais correções e oportunos comentários.
Não precisa dizer que, quando tu eras o sorteado, Olides, nós ficávamos felizes pois, ao menos era a garantia de que tudo estava certo.
Pois o escolhido para fazer a leitura dos textos e respectivas respostas, após aquele dia determinado, foi nosso dinâmico colega e amigo - hoje promotor - Altamir Francisco Arroque, filho(fiol) de Joanin(João) que comandava a fábrica( como era conhecida o Frideal).
Com sua preguiça e natural paciência ( sentava logo atrás de ti na segunda fileira da janela para a parede, foi folheando o caderno para achar a página onde deveriam estar os exercícios.Sim,deveriam pois, como era costume o Altamir não os tinha feito e mesmo assim,escolheu uma página e começou a ler o enunciado, quando em segundos o padre percebeu que ele estava tentando aplicar o 171. E, o pior, que eu e o João Grando assistimos a tudo, de camarote, pois sentávamos na primeira fila da janela, atrás dele, percebemos o furo e, mesmo em desespero, nada podíamos fazer, afinal, a oção de "criar" um texto foi do Altamir.
A medida que o "Mire"( Altamir) avançava - poucos segundos se passaram - o padre( o pretti) percebeu a manobraa e, "rosso"(vermelho) que nem um peru, aproximou-se da classe do "Mire"( Altamir) que a esta altura estava branco, pôs o dedo no caderno, baixou-o lentamente, comprovando a fraude.
Veio fora "cativo"( Ficou muito brabo!) il pretti( o padre) dirigindo ao "Mire"(Altamir) os piores adjetivos possíveis, aproveitando o " mau" exemplo para dar uma lição de moral na aturma, embora nunca algo semelhante tivesse acontecido.
O " Mire"(Altamir) em seguida ficou vermelho e começou a enrolar o cabelo(era um a tique nervoso que tinha) aguentando no osso o sermão dado pelo nosso estimado Ciotolla.
Ao final sentenciou o padre:" E TU SÓ RETORNARÁS A ESCOLA NA COMPANHIA DE TEU PAI, DO CONSTRÁRIO CONSIDERE-SE EXPULSO", convidando colega a retirar-se.

Imagina o impacto social da medida. Tratava-se do filho do gerente do Frigorífico. Que exemplo!!!!!!!!
Claro que após ter faltado algumas aulas, "Mire"(Altamir) retornou ao nosso convívio, nunca mais repetindo tal feito, formando-se conosco.

Mas tu tens razão, era o " rei da preguiça!"

Mauro Rocha

P.S. Encontrei o Altamir em Palmeira das Missões, em 1988, quando foi designado promotor lá.a Muito frequentei a casa dele. A filha mais velha dele é natural de Palmeira.



Nadadora

 

 

Um homem conheceu uma linda moça e decidiu casar-se com ela.
Ela disse:

- Mas não sabemos nada um sobre o outro!

Ele respondeu:

- Não há problema, nós nos conheceremos com o tempo.

Ela concordou. Casaram-se e foram passar a lua de mel num luxuoso resort. Certa manhã, estavam ambos recostados, junto à piscina, quando ele se levantou, subiu no trampolim de 10 metros, realizou uma perfeita demonstração de todos os
saltos que existem e voltou para junto da esposa.
Ela disse:

- Isso foi incrível!

- Fui campeão olímpico de saltos ornamentais. Eu te disse que nos conheceríamos com o tempo - respondeu ele.

Nisso, ela se levanta, entra na piscina e começa a nadar, ida e volta em impressionante velocidade. Depois de 30 voltas ela sai e vai recostar-se junto ao marido, sem demonstrar nenhum cansaço.
Ele disse:

- Estou surpreso! Foste nadadora olímpica?

- Não, explicou a donzela, fui puta em Veneza e atendia a
domicílio...

 

 

FOGAÇA-POMPEO

 

O PDT de São Borja, cumprindo seu cronograma de reunir seu Diretório Municipal todo dia 12, realizou reunião nesta segunda-feira para ultimar os detalhes da visita dos pré-candidatos da chapa majoritária ao governo do Estado Fogaça/Pompeo PMDB/PDT nesta sexta-feira dia 16 de abril. Programação: Chegada 15h. Visita ao Palácio João Goulart Prefeitura Municipal de São Bojra; Visita ao Museu Getúlio Vargas e Memorial João Goulart e Visita ao Cemitério Jardim da Paz, Jazigo da Família Goulart onde estão sepultados Dr. Leonel Brizola e sua mulher D. Neusa Goulart Brizola e o ex-Presidente João Goulart. O evento ficará registrado como um pré-lançamento de campanha eleitoral. Destacamos que entre os trabalhistas de São Borja não ha unanimidade no apoio a esta composição de chapa. Algumas lideranças trabalhistas, ex-veredores, fundadores, por exemplo, já vem manifestando sua contrariedade a aliança com o PMDB de Fogaça, Simon e Padilha, até por que ainda não houve a Convenção para homologar o acordo partidário.

 

 

Morre ex-deputado Hilário Braun

 

Corpo do ex-deputado Hilário Braun é velado na
Assembleia Legislativa
Extraído de: Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul - 2 horas atrás
Está sendo velado na manhã desta terça-feira (13), no Salão Júlio de Castilhos da Assembleia Legislativa, o corpo do ex-deputado Hilário Braun. Ele morreu aos 60 anos, na noite de ontem (12), no Hospital Santa Rita, do Complexo Santa Casa, vítima de câncer no fígado. O corpo será cremado às 16 horas, no Crematório Metropolitano.
Bancada do PMDB lamenta falecimento de Hilário Braun


Natural de Três Passos, Hilário Braun foi deputado estadual e federal nas décadas de 1980 e 1990, tendo participado da Assembleia Nacional Constituinte. No Parlamento gaúcho ingressou em 1983, pelo PDS. Mais tarde, filiou-se ao PMDB.


Autor: Sheyla Scardoelli - MTB 6727

 

Memória Política

O arquiinimigo político foi ao
enterro de Hilário Braun

Pouco depois que o caixão contendo o corpo do ex-deputado estadual e federal (PMDB) Hilário Braun saiu do salão Júlio de Castilhos, ontem, da Assembléia Legislativa do Estado, para o crematório metropolitano de Porto Alegre chegou o também ex-deputado do PMDB, Rospide Neto, que hoje é diretor do Banrisul.
Rospide atrasou-se para o velório mas seguiu para o crematório metropolitano, para os atos de cremação de um político que ele processara no passado,embora ambos fossem da mesma agremiação partidária.
Rospide e Hilário tiveram uma grande briga política numa das eleições dos anos 80. Rospide Neto processou Hilário Braun por causa de centenas e centenas de cartazes distribuidos na região do Alto Uruguai, onde os dois tinham seus currais eleitorais. Os " cartazes"continham uma denúnca contra Rospide Netto que sentindo-se ofendido entrou na Justiça contra o colega de partido. O advogado de Rospide Netto foi Nei Moura.
Hilário Braun era filho de Alcides Braun, comerciante " forte" do Alto Uruguai. Depois que deixou a política, tinha se mudado para o Tocantins, onde comprara terras.

 

Dados do dep. Hilário Braun


Nome: HILÁRIO BRAUN FALECIDO: 12/04/2010
Data de Nascimento: 08/01/1950
Partido: PDS
Natural de: Três Passos/RS
Pai: Alcides Braun
Mãe: Eva Braun
Profissão: Comerciante

MANDATOS ELETIVOS NA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA
46ª Legislatura: 31/01/1983 - 31/01/1987

46ª Legislatura
31/01/1983 a 31/01/1987

Dia 15/12/1982, foi diplomado pelo T.R.E. do RS. Obteve 36.092 votos, pelo PDS.
Ano de 1983 - Janeiro: Dia 31, foi compromissado e assumiu o mandato de dep. estadual, foi indicado representante da Comissão Representativa.
Março: Dia 9, foi designado membro da Comissão de Economia e Desenvolvimento.
Abril: Dia 13, foi eleito Presidente da Comissão Especial criada para estudo das implicâncias da construção do complexo hidrelétrico na bacia do rio Uruguai.
Agosto: Dia 2, foi designado membro da Comissão Especial para proceder análise e apreciação da situação das famílias desalojadas quando da construção da Usina Hidrelétrica, do Passo Real.
Dezembro: Indicado membro da Comissão Representativa.
Ano de 1984 - Março: Dia 12, foi eleito 4.º Secretario da AL.
Dia 22, foi designado vice-presidente da Comissão de Agricultura e Pecuária.
Agosto: Dia 29, foi eleito Presidente da Comissão Especial de estudos e fiscalização das empresas colonizadoras e reassentamento de agricultores do RS.
Ano de 1985 - Abril: Dia 7, foi designado membro da Comissão de Saúde, trabalho e bem-estar social.
Ano de 1986 - Março: Dia 5, foi reconduzido membro da Comissão de Saúde, trabalho e bem-estar social.
Ano de 1987 - Janeiro: Dia 31, encerra-se a presente legislatura.

 

 

Episódio com o deputado Hilário Braun

 


Numa das tantas campanhas de que participou, o ex-deputado estadual e federal do PMDB, Hilário Braun foi vítima de um acidente com a bomba do chimarrão. Ele viajava na camionete,dirigindo, e tomando chimarrão, quando a bomba furou o céu de sua boca. Foi um acidente feio e muito comentado entre os colegas do PMDB!

 

Coleguinhas

 

*O senador Sérgio Zambiazi(PTB) disse-me que é um " radialista desempregado".Mas ontem conversando com uma fonte que o conhece desde os tempos " que ele chegou de Estrela e redigia notícias na rádio Difusora" esta mesma fonte, que continua ligada a comunicação, me informou que o senador já estaria " acertado com a Guaíba" depois que terminar o mandato:
Em tempos: meu informante sabe ainda que Zambiazi foi o primeiro profissional que ganhou " luvas" quando ingressou na RBS. " Ele ganhou um karmanghia para deixar a Itaí e ingressar na Farroupilha",disse-me.

 

Coleguinhas

 


Osvil Hortêncio Lopes

* Osvil Hortencio Lopes nascido em São Francisco de Paula foi titular de uma coluna muito importante sobre música na Folha da Tarde e também tinha um programa musical na rádio Guaíba. Hoje, aposentado, vive em Porto Alegre. Osvil nasceu em 02.03.1941 filho de Wilmar Oliveira Lopes e de Maria Lopes. Residiu na rua Riachuelo, 809/1016.
Quando residiu na Rua Duque de Caxias, houve um fato curioso com sua irmã, Rosinha Maria Lopes. Ele ficou hospedada em seu apartamento,enquanto o irmão viajava. Um dia, depois do meio-dia,alguém bateu na porta e era o Cauby Peixoto procurando pelo Osvil. Para se ter uma idéia da importância do cronista musicial que ocupava bons espaços nos veículos da Cia Caldas Junior.

Coleguinhas

 

A diretora do sindicato dos jornalistas
cujo sonho e ver-se advogada!

Todo fim de tarde, sem exceções, a diretora do Sindicato dos Jornalistas-RS, Neusa Teresinha Nunes comparece a sede da entidade e fica por lá trabalhando em alguma papelada. É expressamente proibida falar com ela quando está entretida nestes assuntos, com o risco de vê-la estressada. Mas não são assuntos do jornalismo que ela trata, são estudos da faculdade de Direito que está quase concluindo, depois de longos e penosos estudos.


Neusa Teresinha Nunes

Em muitas tardes a vi saindo correndo do sindicato,com os braços carregando pastas e pastas, depois de se despedir do gerente, Cristiano Nunes e tomar o elevador para acessar depois o trem metropolitano afim de chegar na faculdade de Direito, em Canoas, na região da Grande Porto Alegre, onde ela estuda. Também dá duro para pagar os estudos, já que é funcionária pública.

Neusa Teresinha faz aniversário numa data especial, sempre no último dia do ano pois nasceu a 31 de dezembro de 1963.É solteira. Filha de José Mário Nunes e de Iná Araújo Nunes tem um irmão: Jose Luiz( 19.09.1966). Neusa Teresinha já morou na avenida Antônio de Carvalho, 1644/112.
Quero de público parabenizar a coleguinha pelo seu esforço para buscar o canudo na área de Direito. E que nela se sinta plenamente realizada profissionalmente. O jornalismo perderá uma colega, mas o Direito ganhará com certeza uma grande profissional. O esforço que ela está fazendo para se formar é o maior testemunho do empenho com que exercerá a profissão.

 

Fechamento
do PAGODA

 

Exclusivo.

O mais tradicional restaurante de comida chinesa de Porto Alegre fechou as portas dias atrás. Trata-se do Pagoda, localizado na av. Protásio Alves,434. Na porta uma breve comunicado dá a triste notícia:" ENCERRAMOS NOSSOS SERVIÇOS AGRADECENDO AO PUBLICO QUE NOS PRESTIGIOU AO LONGO DOS ULTIMOS 50 ANOS. RESTAURANTE PAGODA"


 

Crônica de uma
morte anunciada.

 

 

Eu sei, eu sei...é o nome de um grande livro do Gabo( Gabriel Garcia Marques) onde ele narra um desfecho de desentendimentos entre dois moradores de sua querida Arataca(Colômbia) que no romance Cem Anos de Solidão ganhou o já famoso codinome de Macondo( a Lorena Paim, nos anos 70, chamava Garopaba, pelo seu abandono e melancolia, de Macondo)

Mas eu quero dizer que tudo indicava que terminaria na Polícia, ou na Justiça o desfecho entre um inquilino e uma entidade de classe,ligada ao jornalismo.
O que acontecerá? Bom, agora é com as autoridades!


Coleguinhas

 

Gládis ficou com medo
que o Fehlberg morresse e ela
com os originais do seu livro
de memórias em suas mãos


Gladis Berlato


Na década de 90, depois que deixou a editoria da Zero Hora, Carlos Machado Fehlberg mudou-se para Florianópolis, onde passou a dirigir outro projeto da RBS, o jurnal Diário Catarinense que iniciou com sua circulação em 1984.Mas ao mesmo tempo, passou a redigir um livro de memórias que está há anos escrevendo.Muitos políticos aguardam o lançamento deste livro do Fehlberg - alguns acham que ele nunca o editará . Nele Fehlberg, pelo que se sabe, fará um amplo desenvolvimento da política gaúcha dos anos 50,60,70,80 do século passado e também brasileira. Aguarda-se por exemplo, o que ele falará sobre a formação da Frente Ampla, no Uruguai, assunto que ele cobriu. Outros temas que Fehlberg também cobriu muito foram as campanhas de Jânio da Silva Quadros para presidente da República, as de Walter Peracchi de Barcellos, no Rio Grande do Sul,entre inúmeros outros episódios.
Fehlberg foi repórter político do Jornal do Dia, dos padres, trabalhou na Última Hora, de Samuel Wainer, um jornal praticamente " dominado " pelo Partido Comunista Brasileiro(PCB) e mais tarde veio a ser porta-voz do Governo Médici, convidado pelo Ministro João Leitão de Abreu.
Mas ele deixara os originais do seu livro com a Gládis Berlatto para que a colega desse uma lida. Até que um dia, o editor teve um problema de saúde e veio internar-se no Hospital da Santa Casa em Porto Alegre.
A Gládis ficou preocupada.
- Imagina e se o Fehlberg morrer e eu com os originais do seu livro aqui na mão, comentou.
Ela procurou a filha do editor e os devolveu.
Portanto, a Gládis já deve ter lido com absoluta primazia o que o Fehlberg deverá publicar para os demais leitores.

Coleguinhas

 

* O Paparazzo( o fotógrafo Edison Castêncio) depois de uma longa temporada no Sul( não no jornal, mas sim o estado mais meridional do Brasil, ou seja, o RS) voltou ontem a Brasília. Boas fotos Paparazzo. Muito briguei com ele,quando o conheci. Mas agora nos damos bem...Sobre brigas, nunca vou esquecer que uma vez participei de uma reunião de moradores do edíficio Condado de Windsor, onde morava, na Perpétua Teles, 55( Petrópolis) e dois moradores - um meu vizinho, seo Camboim e outro brigaram a noite inteira. No final da reunião, na hora de votar, um votou na proposta do outro....

* A foto que o Prévidi está publicando no seu site do professor Wladimir Ungaretti ele tirou do meu site. Podias dar o crédito, né coleguinha. Tu sabes que chegar nesta foto que tu publicou, fazendo blague com o Guri de Uruguaiana, me deu trabalho, véio....Podias ter dado a fonte da foto, né. Pois como não a destes, eu dou aqui: tirou do site de olhos e ouvidos, o melhor site sobre a memória do jornalismo gaúcho....O Wladimir, nestes anos, quando usava este bigode, era chefe de reportagem da Zero Hora e o falecido João Aveline o apelidou de ' CANASVIEIRAS" justamente por causa de um personagem do Chico Anísio que era a cara do nosso colega...

Médicos residentes,

que luta antiga!

 

 

Por acaso, ontem de manhã, ouvi a repórter Fernanda Bagatini, na Guaíba, falando de uma greve dos médicos residentes. Que questão mais antiga, lembrei-me. Fui pros arquivos e desencavoquei duas fotos das greves dos residentes dos anos 80,quando eles já lutavam pra melhor sua " vida"! Que luta mais comprida, esta, hein!

acervo de Maria Cademartori Siliprandi

médicos residentes fazem manifestação em apoio ao projeto de lei substitutiva à Lei da Residência vigente então na frente do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Presentes: Hospital Conceição, Hospital de Clínicas, Hospital Lazarotto, Hospital Ernesto Dornelles.Ato público pelo substitutivo realizado em abril de 1980.
Estão entre eles Dr. Claudinor Forbuj
Cesar santos, Cícero Coimbra, Francisco Bruno
Carlos Eduardo (Maninho) Pinheiro, Jairo NathanTrombka, Dino Mezzari.

acervo de Maria Cademartori Siliprandi

Gilberto Schwartzman(presidente da Associação Médicos Residentes do HCPA),
César Graeff Santos,Jairo Nathan Trombka, o braço que aparece é da médica Maria Cademartori Siliprandi em outubro de 1980. A assembléia que pôs fim a greve dos médicos residentes de outubro de 1980.

 

 

A Nova Raça de Cachorro de Rua



Foto http://i.olhares.com

Hoje em dia, toda grande cidade que se presa tem uma ou duas dezena de cães de rua, mas o que pouco se sabe é que os famosos vira-latas estão, não mais em processo, e sim em plena extinção. Não porque há muitas carrocinhas, como deve estar passando em sua mente meu caro leitor, ou porque não existem pessoas cruéis que abandonam os seus animais, ou pessoas descuidadas que perdem os seus companheiros fieis. A verdade é que uma nova raça surgiu e desbancou os amigáveis vira-latas. Muito mais ágeis e inteligentes, os rasga-sacos dominam as ruas das grandes, médias e pequenas cidades.
Eles tem uma inteligência incomparável à dos seus antecedidos. Herdeiros do século 21, os rasga-sacos tem a incrível habilidade de atravessar avenidas movimentadíssimas (habilidade essa muito invejada por mães de crianças pequenas). Eles circulam entre os carros desviando dos pára-choques ou esperam sem presa sentados na calçada a hora certa de passar para o outro lado da rua. Essa percepção nunca antes pode ser registrada nos ultrapassados vira-latas. Nascidos nas décadas de 20, 30, 40 e 50 os velhos cães de rua não precisavam se preocupar com os perigos da travessia. No máximo um ou outro era encontrado amassado por um carro, moto ou bonde, mas isso raramente acontecia. Eles não tinham o incrível corpo flexível visto hoje nos rasga-sacos. A nova raça parece ter ossos feitos de borracha. Tu, meu caro leitor, já deves ter presenciado, assim como eu, uma ou duas colisões entre autos e a super-raça canina de rua e notado que após o choque o animal levantou-se, sacudiu a poeira de seu curto pelo e saiu caminhando normalmente. Algo inexplicável e nunca documentado anteriormente.
Esses animaizinhos peludos tem também a incrível percepção de afeto. Basta olhar mais carinhosamente para um deles para ele logo perceber que ganhará um almoço. Ao contrário do vira-lata que era desconfiado e neurótico. Bastava alguém estranho passar pela rua para ele começava a latir insistentemente atrás do cidadão.
Olhando atentamente a arvore genealógica das duas raças percebe-se muita coisa, por exemplo:
A extinta raça era descendente de cachorros de porte pequeno (Schnauzer, Dachshund, Pequinês, Pug) e por isso tinham o comportamento neurótico, possessivo, desconfiado e temperamental. E o aspecto acinzentado, com fiapinhos de pelos caindo da cara (a famosa barba de arame), olhos saltados da órbita, pernas curtas e estatura baixa.
Já os simpáticos rasga-sacos descendem de cães de porte médio e grande (Labrador, Pointer, Golden Retriever, Colie) e, portanto são amigáveis, companheiros e permanentemente alegres. São altos, de pelagem variada, têm orelhas tortas e caídas sobre a cara, rabo comprido que vai afinando até a ponta onde enrosca um pouquinho (o famoso rabinho de anzol) e olhos de uma doçura incomparável aos de qualquer cão de raça. Eles parecem sempre estar fazendo a mesma pergunta: “- Tem uma comidinha ai???” ou “- Será que eu posso ser seu amigo??”.
Belos ou não, brabos ou não, cães de rua existem em qualquer cidade. Isso é uma grande pena, pois todos eles tem um potencial inesgotável de amar, aliás, todo cão tem. Apenas devemos prestar mais atenção nesses nossos amigos esquecidos que vagam por ai procurando quem os ame. A amizade de um cão é algo que nem um outro ser pode superar. Só ele tem a capacidade de ser feliz 24 horas por dia e de fazer quem está por perto feliz também. Observando isso se aprende muito.
Adote um cão de rua, ensine-o a comer em um pratinho que ele lhe ensinará a amar.

Renata Soares.

 

Sou filha da Nice (amiga sua da Encol, dona do Bento). Estou começando a escrever. Estou lhe enviando uma cronica minha. Se for possivel, por favor, lei-a e me de sua opinião sincera.

Abraço,

Renata Soares


 

MOVIMENTO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS/Brasil INFORMA:

 

O REPÓRTER vs. O GENERAL
A arte de perguntar
Por Luiz Cláudio Cunha em 7/4/2010

O jornalista Geneton Moraes Neto, é um gênio da raça. Da raça dos jornalistas. Sua empreitada atual é escarafunchar os subterrâneos da ditadura militar, ouvindo agora a voz sempre silenciosa de alguns de seus principais personagens: os generais.
No sábado (3/4), o Globonews Dossiê de Geneton entrevistou o general Leônidas Pires Gonçalves, ex-comandante do DOI-CODI do I Exército, no Rio de Janeiro, no período mais sangrento do governo Ernesto Geisel.
No sábado (10/4), será a vez do general Newton Cruz, o notório Comandante Militar do Planalto, que em 1984 chicoteava os carros na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, enquanto suas tropas cercavam o Congresso no momento em que o trator governista esmagava em plenário a emenda das Diretas Já.
Fantasias fardadas
O primeiro impacto foi provocado pela bombástica entrevista de Leônidas, mais conhecido como o primeiro ministro do Exército pós-ditadura, o general nomeado por Tancredo Neves e que se tornou o principal cabo eleitoral e fiador da posse de José Sarney.
No Globonews Dossiê, a primeira surpresa é que o entrevistado aparece não como o ministro da democracia, mas como o chefe da repressão da ditadura. Leônidas é identificado, na legenda, como "chefe do DOI-CODI, 1974-77".
O general falou, com uma fluência inédita e uma sinceridade desconcertante, levantando temas que beiram a fantasia, a leviandade e a arrogância. Desafiou qualquer um a dizer que foi torturado no DOI-CODI que ele comandou durante quase três anos, na fase mais turbulenta do governo Geisel.
"Não houve tortura na minha área", garantiu Leônidas.
Deve ser um milagre na Terra, porque no mesmo I Exército, comandado pelo general Sylvio Frota entre julho de 1972 e março de 1974, o DOI-CODI carioca era um centro de morte, conforme apurou O Globo. Naquele espaço de 21 meses, contou o jornal, morreram 29 presos nas masmorras da Rua Barão de Mesquita, onde funcionava o centro de torturas do Exército, comandado pelo notório major Adyr Fiúza de Castro, um dos radicais mais temidos da ditadura.
Bastou chegar ali e assumir o DOI-CODI carioca, diz o general Leônidas, e a paz dos anjos se instalou.
Confessa que foi dele a idéia de subornar um ex-dirigente do PCdoB, Manoel Jover Telles, que revelou local, dia e hora da reunião do Comitê Central do partido, em dezembro de 1976, em São Paulo. Leônidas diz que entregou uma quantia equivalente a R$ 150 mil à filha do delator, que depois ganhou um emprego na fábrica de armas Rossi, em São Leopoldo, onde hoje vive aposentado. A operação de cerco foi montada pelo chefe do setor de operações do CIE (Centro de Informações do Exército), coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, o criador e primeiro chefe do DOI-CODI paulista do II Exército, na Rua Tutóia.
Ustra comandou pessoalmente o ataque à casa do PCdoB, num tiroteio que prendeu dirigentes e matou três chefes do partido num entrevero sangrento conhecido como o "Massacre da Lapa". Por coincidência, o coronel Ustra chefiou a tropa de ataque do CIE no mesmo período – 1974-77 – em que o general Leônidas comandava o remanso de paz da Barão de Mesquita. Entre outras fantasias, Leônidas continua acreditando que o jornalista Vladimir Herzog é apenas um "suicida assustado" pelo simples fato de ser convocado ao centro de torturas da Tutóia.
Efeitos desastrosos
O que não surpreende, nesta entrevista, é a competência do entrevistador, talvez o melhor perguntador da imprensa brasileira. Aos 54 anos, Geneton Moraes Neto é um repórter discreto, persistente, talentoso e criativo, que tem o faro da notícia e uma habilidade invulgar para fazer as perguntas precisas para as pessoas certas nos momentos mais inesperados, jogando luz sobre a história e dissecando biografias com a precisão de um legista. No seu blog, faz um relato bem-humorado de uma carreira que começou como repórter no Recife, onde nasceu, passou por Paris, onde sobreviveu como camareiro de hotel, motorista e estudante de cinema, e continua agora no Rio, onde é um dos astros mais tímidos da equipe de jornalismo da Rede Globo. Lá foi editor-executivo do Jornal da Globo e do Jornal Nacional, correspondente em Londres, repórter e editor-chefe do Fantástico, até pousar na Globonews como repórter de matérias especiais.
Entre uma e outra pauta na TV, Geneton ainda encontra tempo, método e talento para escrever. Já são nove livros, entre 1983 e 2007, que revelam o prazer visceral de um jornalista veterano que exibe o ardor de um repórter iniciante. Ele mesmo se descreve, exibindo a diversidade de quem descobre temas e personagens de velhas histórias renascidas e recontadas com o viço de coisas novas, diferentes e inéditas. Escreve Geneton sobre seu fascínio pelo bom jornalismo e suas peripécias:
"É a melhor profissão para quem não consegue ser outra coisa na vida. [Tive] a chance de percorrer corredores da morte em prisões de segurança máxima americanas, ruínas de campos de concentração na Alemanha, além de entrevistar três astronautas que pisaram na Lua, duas sobreviventes do naufrágio do Titanic, o co-piloto do avião que jogou a bomba atômica sobre Hiroshima, o produtor de todos os discos dos Beatles, o assassino do líder negro Martin Luther King, o promotor britânico que comandou a condenação dos criminosos nazistas no Tribunal de Nuremberg, o agente secreto britânico que armou um atentado – frustrado – para matar Hitler, o golpista que engendrou o célebre assalto ao trem pagador inglês. Entre trancos e barrancos, o jornalismo pode valer a pena."
E vale mais a pena quando vem pelo cálamo e pelo talento de Geneton, que consegue tornar simples uma dos mais complexos fundamentos do jornalismo: a arte de perguntar.
Uma pergunta bem formulada, precisa, cirúrgica, não deixa saída ao entrevistado, não permite fuga, não abre desvios. O bom repórter, antes da acuidade para ouvir, deve ter a competência para inquirir. E, neste campo, ninguém é melhor, mais certeiro, mais direto do que Geneton. Seus livros e seus programas na TV valem por um curso completo de jornalismo.
Algo mais doura esta habilidade inata de Geneton. Suas perguntas são objetivas, enxutas, minimalistas. Deve-se desconfiar, sempre, de repórteres que gastam cinco, dez, quinze linhas para formular uma simples pergunta, o que acaba revelando geralmente uma cabeça complicada, enredada, confusa. Os repórteres brasileiros estão cada vez mais prolixos, fluviais, espichados, em perguntas que mais confundem do que explicam.
A receita fica pior quando o repórter atrapalhado resolve emendar duas, três, quatro perguntas numa só. Em jornalismo escrito, é um erro factual. Na telinha da TV, é um erro mortal, porque tem dois efeitos desastrosos. Para o entrevistado, dá a chance dourada de desprezar a pergunta mais incômoda e difícil para escapulir pela resposta mais favorável. Para o telespectador, figura passiva e indefesa diante do que vê e ouve, a barafunda de perguntas em cascatas embaraçam conceitos e embaralham frases.
Vale a pena
A quem ainda não aprendeu que, no jornalismo, o entrevistado é sempre mais importante do que o repórter, a lição de humildade e competência de Geneton Moraes Neto é sempre um alento para quem está disposto a crescer no jornalismo.
Sem arrogância, Geneton enfrentou o general Leônidas com perguntas precisas que iluminaram a história e conseguiram arrancar o melhor (e o pior) do chefe da repressão política que se orgulha de seu trabalho na ditadura. Preocupado com a edição do programa na TV, Leônidas se apressou em ensinar jornalismo a Geneton: "Que minhas idéias não sejam suprimidas na edição. Se houver um corte, você me deixa mal", avisou o general, esquecido de que o regime que ele defendeu se esmerava em cortes sistemáticos pela censura burra que suprimia idéia e fatos que sempre deixam mal as ditaduras. Geneton não cortou, e ainda assim o general Leônidas ficou muito mal pelas idéias que exprimiu, livremente.
Sempre educado, mas incorrigivelmente firme, Geneton questionou a exótica versão do general de que líderes do regime deposto – como Arraes, Brizola, Jango, Prestes – saíram do Brasil, a partir de 1964, "porque quiseram". Leônidas mirou no ex-governador Miguel Arraes:
– Ele podia ficar em casa.
– Deposto – emendou Geneton.
– E qual é o problema? – admirou-se o general.
– Todo – encerrou Geneton, com a sintética sabedoria que o general, aos 88 anos, ainda não apreendeu.
– Não havia condições de exercer a política no Brasil, naquela época, general.
O ex-chefe do DOI-CODI desdenhou toda uma fase de arbítrio e violência, dizendo que o país não teve exilados pelo golpe de 1964, mas apenas ‘fugitivos’.
– Eles que ficassem aqui e enfrentassem a justiça – pregou Leônidas.
– General, num regime de exceção, a justiça não é confiável – replicou o repórter.
Geneton Moraes Neto, por coisas assim, é uma prova de que, com ele, o jornalismo vale a pena.

 

30 anos de injustiça

 


Você compactua com a idéia de que a Lei de Anistia de 1979 deveria alcançar crimes comuns praticados por agentes públicos? Está de acordo eu perdoar homicídios, abuso de autoridade, lesões corporais, desaparecimento forçado, estupros e atentado violento ao pudor contra opositores do Regime Militar? Se sua resposta for positiva, estará de acordo aos pareceres da Procuradoria Geral da República e Advocacia Geral da União.
Agora, se você, como eu, tem a convicção de a Lei 6.683/1979 está impregnada de injustiças, acompanhe ao julgamento do STF na sessão do dia 14 de abril. Uma Argüição de Descumprimento de Preceito Fundamental ajuizada pela OAB será apreciada, tendo como relator o Ministro Eros Grau. Será um momento ímpar na história brasileira de começarmos a prestar contas pelo terrorismo de Estado praticado num passado recente.
Não cabe mais o argumento de que a Lei não poderia ser revista em função de que “resultou de um longo debate nacional, com a participação de diversos setores da sociedade civil, inclusive da OAB”. Por um motivo muito simples. Em 1979 a ditadura repressora continuava a pleno vapor, e não existiam as liberdades democráticas, hoje consolidadas, para tratar de um tema tão polêmico. Então, a interpretação correta é de que tal Lei foi imposta arbitrariamente nos termos de conveniência da ditadura. Não há justiça. Há cegueira proposital.
E antes que saltem os defensores de frases prontas, contrapondo-se a uma idéia de justiça em razão de um suposto “revanchismo”, vamos recordar dos fatos ocorridos nos campos de concentração nazista. Durante a ditadura militar ocorreram fatos semelhantes, mesmo que em menor proporção, mas no mesmo nível de crueldade. Isso é imperdoável. Crimes assim, como a tortura, são crimes de lesa a humanidade.

Portanto, convivemos há 30 anos com uma Lei injusta. As Leis de anistias não podem impedir jamais a investigação e punição destes crimes praticados em qualquer lugar do mundo. O desprezo e o desrespeito pelos direitos humanos são atos bárbaros que ultrajam a consciência da humanidade. Resta conferir de qual lado estará nossa Suprema Corte: da covardia do esquecimento, amparada em formalidades legais distantes da realidade ou da coragem de aplicar justiça efetiva.

Christopher Goulart
Presidente da Associação Memorial João Goulart

 

 

Ofício de jornalista

 

O " ofício" de jornalista é muito ingrato. Geralmente somos criticados.

As vezes ,poucas, entendidos e compreendidos.


Li uma reportagem que o Sr. Olides escreveu no seu site sobre o Moinho da Família Calza, que começou com meu Avô Sr. Domingos e hoje segue com meu tio Edemar, relembrei de minha infância, quando meu pai Primo Nelso, nos levava no moinho para ver o vovô, e nós brincávamos muito naquelas balanças enormes, de pesar os sacos de farinho, milho,trigo... no segundo piso, correndo ao meio daquelas correias que moviam o moinho. Lembro, do meu avô sentado ao lado da "pedra" que faz a melhor farinha de polenta que já comi. Agradeço por ter escrito esta linda reportagem e também de outras que li. Também tive a oportunidade de ouvir falar do livro Serafina Corrêa, seu tempo, sua gente, gostaria muito de recebê-lo, pois a melhor parte da vida da gente é passada na infância e tento levar isso para sempre, nossa cultura, hoje minha mãe e meus irmãos ainda moram em Serafina e sempre vou para lá, é uma cidade maravilhosa e ainda cultiva nossa cultura.

Desde já agradeço a atenção e fico no aguardo da resposta. um abraço
Luciana Calza


 

Histórias de La Úndeze

 

 

Tempos de Ginásio .

Sim. Somos do tempo do Ginásio, antes da "reforma", protagonizada pelo
Dr. Tarso Dutra quando ministro da ditadura, a qual,promoveu uma
formação que poderia ser denominada de -"geléia real educacional".
Claro, o tempo de formação foi encurtado, como se tevéssemos pressa,
em detrimento da solidez de conhecimentos.Enfim, tema para teses de
mestrado ou doutorado, na área de educação.

Nós, eu e o Olides também, vivÍamos o sonho juvenil frequentando o
Ginásio Nossa Senhora do Rosário. Minha formação se deu,
respectivamente, no Ginásio São Francisco de Paula, na cidade que lhe
empresta o nome - terra do ZINI e dos parentes do José Alberto
Andrade, cujo bisavô materno é o meu também - (JUCA DA RATA),e depois
em Serafina, no Ginásio supra referido.

Naquela idade( 13, 14, 15 ), junto com as transformações físicas que
são perceptíveis a olho nú, acompanham as de caráter psicológicos,
estas últimas, fortíssimas pois alteram completamente nossa reações,
que são comandadas, prioritariamente, por hormônios. E como eles
aparecem, aos borbotões, fazendo-nos ver coisas que, antes, não
percebíamos.

Na quarta série ginasial, claro que na terceira também, começávamos a
perceber tais mudanças em nós e, principalmente, em nossas
colegas.Ocorre que, éramos levados a nos apaixonar pelas colegas de
aula.Eram poucas mas todas lindas, algumas mais destacadas, pelas
formas um tanto mais avantajadas, angulosas, que nos atraiam mais e
chamavam atenção dos outros moçoilos que freqüentavam o Ginásio.


Dentre as colegas, uma delas se destacava pela beleza, charme, e um
certo atrevimentos em seus atos, considerando a época em que vivíamos.
Uma morena, diferente do biotipo da "italiana" clássica, porte médio,
um metro e setenta e dois, que escondia segredos inimagináveis, por
debaixo daquela saia rodada do uniforme.Como diria o analista de Bagé.
Uma potranca "crioula" BT.

Tinha um ar de superioridade, e não dava muita bola para nós, mais
jovens, a não ser que, em alguma prova, sentada próximo de nós,
necessitasse de uma ajuda-cola - para resumir.

Quando percebia nossos olhos espichados para sua figura, derretia-se
em charme, cruzava as pernas com frequência, com a rapidez de uma
galgo, deixando a descoberto, diríamos, o necessário para confirmar e
reforçar o conceito que todos nós homens tínhamos sobre ela. Sim, ela
era muito boa, mas muito boa. Inatingível para nós. Sempre a víamos
de papo com os mais velhos, pelo que, morríamos de inveja e isso só
fazia aumentar nossa tesão.

O conjunto da obra nos era atraente, entretanto, intelectualmente não
tinha destaque.Era comum, talvez com mais dificuldade que nós mas
parguntamos: estaríamos nós interessados, envoltos naquele turbilhão
de hormônios, preocupados com o nível intelectual da ragaza ? Não,
nunca, em termos de nível o que nos chamava atenção, e único, era o da
barra da saia da moça, sem dúvida o mais generoso de todos, ousado,
abusado, transgressor.

Certa feita fomos à loucura quando, ao sairmos da aula, percebemos um
professor a acompanhá-la e, o mestre, num misto de atrevimento e medo,
pegou, ainda bem que por segundos , em sua mão, caminhando célere e
realizando alguns inesquecíveis passos, como a mostrar o "troféu"
conquistado.

Frustou-nos o caro professor que, acreditamos, tenha também se
frustado pois, a morena, mesmo que se desse direito a estes arroubos,
não desgarrava do namorado. Não sei se casaram. Não a vi mais, mas
que perturbou-nos durante os últimos anos de ginásio, com certeza o
fez, juntamente com nossos hormônios.

Prof. Mauro Rocha, da PPF

Senador Zambiazi diz que por
enquanto é "radialista desempregado"!

 


Já é público que o senador Sérgio Zambiazi (PTB) não vai concorrer a cargo eletivo este ano. Ontem,falei com o senador que me garantiu que não tem definição de onde irá trabalhar após o término do seu mandato.Brinquei com o senador e lhe perguntei se ele não irá colocar um bar na frente da Igreja de Serafina Correa com o nome de PORCO DIO!
O senador deu gostosas gargalhadas, porque entende perfeitamente o dialeto vêneto.

Aguardemos, pois, a definição do futuro de Zambiazi!

 

Coleguinhas

 

* Felipe Vieira, da Band AM , estaria de licença a alguns dias...

* O que há com o Pedro Ernesto Denardim que não tem sido visto nos seus espaços da RBS?

* Gustavo Motta, talvez o repórter melhor informado do Estado na sua área, está entrando no Jornal Gente, da Band AM.

* Nova paginação do Jornal do Comércio melhorou muito o layout do periódico.

* Juremir Machado teve acesso a um dossiê publicado no Cloaca News e comentou o assunto com o titular do programa da Guaíba, Rogério Mendeslki.

* Prévidi é um leitor inveterado dos blogs dos coleguinhas.

 

DE BRASÍLIA...

 




Pode até parecer mentira, mas é a pura realidade. O Carlos Chagas que não me deixa mentir...
A verdade que o nosso primeiro companheiro, senhor Lula da Silva,está proibido de pelos seus assessores mais diretos,de comparecer a qualquer eventos ruins, que quanto mais se repetissem mais estabeleceriam no consciente coletivo uma ligação entre ele e as catástrofes...
Mas vou transcrever aqui, trechos de um artigo que Chagas publicou neste final de semana em alguns dos jornais do país...
PORQUE LULA NÃO VAI A DESASTRES

Por Carlos Chagas

Quando do terremoto no Haiti, mesmo levando algum tempo, o presidente Lula mandou-se para lá, em sinal de solidariedade. Belo exemplo, mas com a mortandade longe do nosso território.

O diabo é que o primeiro-companheiro sequer sobrevoou Angra dos Reis, depois da tragédia recente. Nem foi às regiões atingidas pela tempestade, no Rio, semana passada. Muito menos a Niterói, agora.

Dirão os otimistas que no auge das inundações, em Santa Catarina, ele passou por cima, de helicóptero. Mas ficou nisso.

Lei não há, exigindo dos presidentes da República solidarizarem-se pessoalmente com as vítimas de inusitadas manifestações da natureza. Muito bem fazem providenciando, em seus gabinetes, iniciativas capazes de minorar o sofrimento de populações inteiras, desde a liberação de verbas até a mobilização de contingentes militares de auxílio. Só que a presença física dos governantes maiores torna-se expectativa nacional. E o Lula está devendo, desde que assumiu, tornando-se exceção sua ida ao Vale do Itajaí

Muita gente pergunta, em meio a essa que parece a grande catástrofe nacional das últimas décadas, porque o presidente preferiu ficar no palácio da Alvorada, como ficou no Copacabana Palace quando da recente inundação do Rio, mesmo a pouca distância das favelas postas em desespero. Em especial, porem, indaga-se porque não chegou a Niterói ainda na quinta-feira, ou na sexta, horas depois da avalancha responsável pela morte de mais de 200 inocentes.

A resposta não está numa improvável falta de sentimentos. Sequer em cuidados exagerados com a própria segurança, que jamais teve em tempos de líder sindical.

É política a ausência do Lula, destas e de anteriores tragédias. Parece de caso pensado, urdida nos porões sombrios da estratégia de preservação do poder pelos que o detém. Importa menos saber de que assessores partiu, faz muito, a sugestão de que o presidente não deve ligar sua imagem a desastres. Quando no estrangeiro, tudo bem. Aqui, nunca, apesar da ida a Santa Catarina, talvez um descuido do grupo que o envolve.

O raciocínio é de que a população ligaria a presença do presidente a coisas ruins, que quanto mais se repetissem mais estabeleceriam no consciente coletivo uma ligação entre ele e as catástrofes. Ilude-se quem quiser ao imaginar que cada passo ou iniciativa do Lula não é milimetricamente analisado pelos luminares incrustados à sua volta. Eis aí um exemplo claro. Comparecendo a lugares de sofrimento, acabaria por ser ligado a eles, com os prejuízos decorrentes da simbiose. Poupando-se, ou dando preferência a compromissos alegres como inaugurações e festas, acaba sendo lembrado como responsável pela felicidade geral.

Pode parecer fantasia, mas é assim que as coisas funcionam...

Sergio Ross

 

"Meméia" ,candidata,
faz afagos em Zambiazi

 

 


Foi ontem durante encontro com jornalistas no Sheraton Hotel. A candidata do PP(Partido Progressista) ao senado, Ana Amélia Lemos disse que o senador Sérgio Zambiazi fará falta no senado.Isto porque ela disse que o senador Pedro Simon se dedica mais "às causas nacionais", Paulo Paim, aos aposentados e Zambiazi, no caso , se dedica mais aos fatos do dia-a-dia do eleitor.

Ana Amélia também disse aos jornalistas que quando foi convidada por Francisco Turra, ele a chamou para ser candidata a governadora, o que ela não aceitou.Ana Amélia falou para cerca de 15 a 20 jornalistas, um bom público para uma segunda-feira.

 

Pulseiras do sexo

 

As " famosas" pulseiras do sexo

e o que significa cada cor...

Eis o que significa a cor de cada pulseirinha, as do sexo, como dizem. As autoridades estão começando a se preocupar com isto.

 

 

ARRUDA PODERÁ SER SOLTO AINDA HOJE

 

U R G E N T E


O ex governador de Brasília poderá se solto a qualquer momento.
A| Justiça decidiu ha poucos mintos atrás que Arruda não poderá mais atrapalhar as investigações em andamento.\
Por isso poderá ser solto aqualquer momento.
Mais tarde,volto a te informar...
Sergio

Convite

 

 

Estância da Harmonia

 

Foi lá que no sábado,dia 10/04 eu e a Rosinha levamos o " Tosco" pra almoçar. Só tinha gringo, porque a churrascaria foi fundada pelo Catraca, que é de Nova Bréscia. E na entrada dela, há um busto do Carlos Nobre, que era o maior filador de rango que este Estado já viu....

Aproveitei a presença de um espetáculo e embora sem grandes recursos fiz estas fotos que estão agora disponibilizadas para os (milhares) de leitores do blgo do " Tosco". Olha, até que gostei do nome, quem sabe ele muda este nome pomposo de Olhos e Ouvidos para o Blog do Tosco!

Por Lauro Dieckamnn que o " Tosco" chama de Laurinho...


Vídeos

Conjunto e intérpretes da churascaria Galpão Crioulo, do Parque da Harmonia (Porto Alegre)

 

Danças Gaúchas - A Chula

 

Danças Gaúchas - O Tatu

 

Danças Gaúchas - O Balaio

 

Danças Gaúchas - Dança dos Facões

 

 

Lauro Dieckmann

 

JADER NEVES
O BOMBEIRO

 




Em 1975,eu dirigia a sucursal da Manchete em Brasília. Um tempo bom. Não tínhamos mensalão. Não tínhamos essas roubalheira toda que invadiu o país. Mesmo eu sendo contra a revolução, gostava da seriedade do meu conterrâneo Ernesto Geisel. Mas isso é outra história.
Numa manhã de março,recebi um telex do Justino Martins,pedindo que eu fosse até a fazenda do senhor Camargo Correia,que ficava no meio do Pantanal,para mostrar o que o homem tinha construído,no meio daquela imensidão de água. Era uma fazenda para ninguém botar defeitos. Ela criava gado zebu da mais alta qualidade.
Convoquei o Jader Neves,um dos craques da equipe fotográfica da empresa, para me acompanhar.
Aluguei um Cesna,com quatro lugares e me mandei para a fazenda. Ah!!! a fazenda do homem,tinha uma pista de pouso asfaltada,modernamente sinalizada de dar inveja a muita pista de pouso de aeroportos que estão por aí.
O vôo era de brigadeiro. Nenhuma nuvem no céu, totalmente azul. Quando ao longe já avistamos a beleza da pista o comandante meio sobre o assustado,disse que alguma coisa errada,estava acontecendo na cabine do aviãozinho Ele disse que estava sentindo um cheiro de queimado e logo identificou de onde vinha o cheiro. Era da porta que ficava do lado direito do avião. Alguns fios estava começando a pegar fogo. Era um pequeno incêndio mas que preocupava,mesmo a gente, já vendo a pista se aproximar de nós. Pediu calma dizendo que estava tudo bem e que pousaríamos sãos e salvos.
Eu,ex aluno do Aero Clube de Bento Gonçalves,onde tirei o breve com pilotos como o Calefão e o Alvio Basso,que estava pilotando aquele avião da VARIG,que em 70 e poucos,caiu na cabeceira do Aeroporto de Orli em Paris,me sentia muito seguro.
O Jader,apesar de também veterano em acidentes de avião,balançou um pouco. Virou-se no banco e apanhou uma sacola cheia de bergamotas que o Victor Faccioni,então deputado federal,havia trazido para mim,lá do Rio das Antas. Não teve dúvidas,começou a espremer as minhas bergamotas em cima da porta, que já estava cheia de fumaça. É claro que não adiantou nada mas pousamos tranqüilos. Na pista o senhor Camargo Correia,já nos esperava,acreditem,com um imponente carro de bombeiros que servia na segurança da fazenda.
Assim que pulamos do avião e os bombeiros entraram em ação, o Jader mais mentiroso do que bombeiro,começou a contar para o senhor Camargo Correia, que o incêndio só não foi trágico, porque ele havia controlado o fogo, na fiação da porta com as minhas bergamotas. Claro que todo mundo fez que acreditou. Eu só não achei graça da historia,como fiquei puto da cara,pois trazia aquelas bergamotas, para comer tranqüilamente, enquanto fazia a reportagem na fazenda, que era realmente de cinema...

Sergio Ross

 

A vida como ela é....

 

 

O " formigão" ataca
em Petrópolis!


Pues, como eu ia lhe dizendo, o " formigão" ( é um termo lá do interior, que significa um sujeito paquerador, namorador) - que eu conheço desde o curso Clássico, no Julinho - agora anda arrastando suas asas pela avenida Alegrete em Petrópolis, a meia quadra de onde moro.Não seria nada demais, no seu currículo, se não fosse que sua pretendida já foi casada com um grande amigo do " formigão".

Um amigo que o " formigão" quase que venera, não só admira...Pra ti ver como são as coisas...

Tanto são amigos que quando este astro da imprensa brasileira vem ao Sul, ele o acompanha em palestras e assemelhados porque as menininhas estudantes de Jornalismo vão ver estas palestras e pegar os autógrafos do astro ( que é portoalegrense de nascença) e sempre sobra alguma destas menininhas pro "formigão"!

Não se sabe se ele terá ou não sucesso nas suas investidas. O que se sabe,até agora, é que ele já andou lá fazendo chimarrão e portou-se tri comportadinho, coisa que normalmente não é...

Já avisei a minha vizinha que esta é sua tática: ela disse que vai lhe dar corda e que vai "usá-lo" bastante mandando-o fazer muitas tarefas....

Quem sabe lá o final desta história!?

Coleguinhas

 


Espatifou o parabrisa

pra abrir o carro!


Um diretor de uma grande empresa de comunicação gaúcha costumava nos fim de tarde convidar alguns executivos para sua sala pra tomar uns que outros...." Quando ele botava as pernas encima da mesa e se deitava pra trás, nós sabíamos que ele estava pra lá de Marraquech" disse-me um dos assíduos participantes destas rodadas de fim de tarde....que por sinal não era executivo na empresa.

E da sala deste diretor,localizada no terceiro andar do prédio, podia-se apreciar o pôr-do-sol no Rio Guaíba...Cenário, melhor, impossível...

Um dia destes, quando terminou o mini convescote, o diretor "convocou" seu colega que não era executivo( não vou dizer o que fazia e faz, porque senão entrego ao cara) a ir embora com ele. Mesmo que ele não quisesse, não teve saída...Nobless obligue....

Quando chegaram na Lucas de Oliveira, onde morava este funcionário da empresa, o diretor, que é muito digamos "eufórico" quando tomas uns que outros, lascou:

- Vou subir no teu apartamento pra dar um beijo na tua mulher....

Os dois se conheciam e o diretor, é realmente " expansivo". Ainda mais quando toma um trago !

Fechou a porta do carro e esqueceu a chave dentro. Coisa tri comum...

Quando desceu, não teve dúvidas: pegou uma enorme pedra que havia por ali,solta, e triturou o parabrisas....A vizinhança saiu toda pra ver o que era aquele enorme barulho...

Ele entrou no carro, ligou o motor e foi embora....

 

Convite de "urso"!

 

 


Na sexta passada, o Laurinho me mandou um chasque me convidando pra almoçar no sábado. Mas acrescentou:" Não vai mulambento!!!"


* Isto me fez lembrar em 1973 um episódio que me ocorreu. Havia um delegado de Polícia, todo metido a fino, o delegado Marangheilli( já deve ter morrido,com certeza e que a terra lhe seja leve....)que entre outras finuras fumava cachimbo e que atendia na delegacia de Defraudações( as chamadas "especializadas"). O delegado reclamou minha mandeira de vestir: bem de acordo com a época e com o dinheiro que eu ganhava, né...pouco...né...Falou pro Milton Galdino( O Churrasquinho) pra não me mandar mais lá fazer entrevistas, ou mudar de roupas. O editor de Polícia de Zero Hora, Renatinho Pinto da Silva veio me falar do assunto, todo constrangido....

 

Imprensa:

 

Ja Bom Fim voltou a circular....

Depois de alguns meses de paralisação o jornal Já Bom Fim, da editora JA, ( Elmar Bones da Costa) voltou a circular em março, com apenas oito páginas.
Registre-se o esforço do editor, que sozinho, faz o papel de "chutar a bola no escanteio e correr para cabecear..."

Também registro o lançamento, depois de um bom tempo fechado, de nova edição do Jornal da ARI(Associação Riograndense de Imprensa).

As matérias do Jornal da ARI são basicamnte sobre a entrega dos prêmios ARI de Jornalismo do ano passado!

Mas valeu o esforço!

Baixa

 

Rodrigo Brunetto, 30 anos, assumiu o escritório comercial do Tecon Rio Grande na Serra Gaúcha. Formado em Comércio Exterior, Brunetto veio da CMA CGM para assumir o novo desafio. Neste mês de abril o Escritório está completando 3 anos de atividade na região da Serra, buscando sempre estar mais próximo dos clientes.



Um abraço
Todt Comunicação


De São Borja

 

 

* Penca do Arroz !

Neste fim de semana, foi realizada mais uma das edições da Penca do Arroz.. Trata-se de uma corrida de cavalos com boa premiação.Acorrem afeiçoados de tudo quanto é canto. Dizem que é uma das maiores premiações em dinheiro do Brasil.


Fabiano Pereira no Clóvis Duarte

 

Olá,

No programa Clóvis Duarte desta quinta-feira, fiz um comentário acerca das pulseiras do sexo, que viraram febre entre os jovens mas que devido à falta de informação, a sua utilização tem sido responsável por recentes episódios de violência contra adolescentes no país. Acompanhe no http://www.youtube.com/watch?v=wVu89hG9JvU.

Acompanhe também no www.fabianopereira.com.br

Abraço e bom final de semana
Gab Fabiano Pereira


" Bingueiro assumido" !!!!

 

 

Haroldo " Audiência" de Souza, o narrador esportivo mais ouvido do Estado - segundo as pesquisas Top of de Mind, da Revista Amanhã - foi um dos detidos numa batida policial tempos atrás num bingo da avenida Princesa Isabel.Bingo se chama Coliseu. Não foi a primeira vez que foi pego jogando bingo. Ele aprova a liberação dos cassinos. " Não foi preso, apenas a pedido da Brigada Militar, assinei um termo cincunstanciado" explicou na Câmara Muncipal o também vereador Haroldo de Souza(PMDB).

Coleguinhas

 

* Neusa Tasca, filha do Albino Tasca, um dos fundadores da Churrascaria Barranco, em Petrópolis,está cuidando de Yolanda Goulart, irmã do ex-presidente João Goulart.

Neusa foi uma das principais diagramadoras da Zero Hora nos anos 70 e depois mudou-se para São Paulo, onde também trabalhou na Folha de São Paulo.

 

 

A espera de uma biografia...

 

 

O ex-governador Ildo Meneghetti ainda espera por uma boa biografia. Aqui está ao lado do irmão Mário,quando este era Ministro da Agricultura. O arquivo é do colega Nelson Moura.

 

New York!
New York! - Mais Fotos

 


No Rockefeller Center, em Nova Iorque.


Enterro. Frente de uma capela mortuária, no bairro do Queens. O morto era resultado de um assalto que tivera grande repercussão na mídia do dia anterior. Quando passei pela frente da capela mortuária, no dia seguinte, estava saindo o enterro.


Hospital Público de Nova Iorque


Hospital Público de Nova Iorque


Rockefeller Center. Nova Iorque

 


Ponte de Nova Iorque


Administrador da Prefeitura de Nova Iorque que fui entrevistar sobre o metrô. Ele tinha grande admiração pelo gaúcho Mário Ramos que conhecera quando estivera em Porto Alegre participando de um simpósio sobre o futuro das cidades no mundo realizado no Plaza São Rafael.


Ponte de Nova Iorque


Rockfeller center, Nova Iorque(Ilha de Manhatann)


Capela mortuária no bairro do Queens em Nova Iorque. O mesmo cenário da foto anterior,de um morador morto durante assanto e no dia seguinte consegui pegar a saída do seu enterro. O caso tivera grande repercussão nos tablóides populares da cidade.


Hospital Público de Nova Iorque


Rockfeller Center, em Nova Iorque

Fotos de fevereiro de 1990. São todas do acervo do autor.

Globo: pobres não deviam nem ter água e luz

 


010 às 12:32



Se dependesse da Globo, os favelados ainda estariam levando latas d´água na cabeça, como nos anos 40, para não incentivar as favelas
Pobre, para o império Globo, só serve para assistir sua programação e lhe dar retorno publicitário. Hoje, o jornal faz campanha contra os governantes que procuraram dar aos moradores dos morros cariocas um mínimo de serviços públicos.
Brizola, por exemplo, é atacado por levar água encanada, esgoto e regularizado as ligações de luz para o Morro do Bumba, onde ocorreu a maior tragédia das chuvas.
Fala que isso “incentivou” a ocupação do morro, como se as pessoas já não estivessem morando ali, por falta de opção, devessem carregar latas d´água e ficar no escuro.
Talvez devessem, não é? São pobres, e a única coisa de útil que fazem é trabalhar e assistir a TV Globo, para dar receita de publicidade. Porque a luz chegaria, por gatos, irregulares, perigosos. Se uma criança morresse eletrocutada ou a favela pegasse fogo, a culpa era deles mesmos.
O Globo, como a Folha e o Estadão, não acusaram a prefeitura e o Governo de São Paulo por haver água e luz no Jardim Pantanal, que ficou alagado um mês, sem que nada se fizesse de imediato para socorrê-los.
Lá, pode. A prefeitura fez um conjunto habitacional e uma escola. Isso incentiva a ocupação?
A casa do presidente da Firjan, cuja foto o jornal publicou ontem, em situação terrível, quase caindo, pendurada numa encosta ímgreme do Humaitá, tinha água, luz e esgoto? Quem botou isso lá “incentivou” a ocupação?
Triste, triste, ver o papel de jornalistas que, diante da tragédia que se abateu sobre esta gente que não tem nada, ainda criticar que possuíssem uma torneira com água, um cano de esgoto e uma lâmpada ou uma tomada em suas casas.
Não dão uma palavra sobre o fato de este país não ter tido, durante os governos dos seus “queridinhos” FHC, Collor e Sarney, durante quase 20 anos um único programa habitacional e que só agora começa a ter, com o “Minha Casa, Minha Vida”.
Gente má, gente ruim, gente impiedosa. Deviam ter vergonha de olhar nos olhos dos seus filhos.

O Tijolaço

Agência Edison Castêncio

 

Collares apóia

o senador Paulo Paim(PT)

É o que vazou do almoço realizado também no Chalé da Praça XV de Novembro, sexta passada, dia 9/04. Reuniram-se pra troca de idéias, Alceu Collares ( que completa 83 anos em sete de setembro próximo)o senador Paulo Paim,do PT, candidato a reeleição, o pré-candidato ao Senado pelo PTB, Luiz Francisco Corrêa Barbosa, o Barbosinha, e o militante do Partido Socialista Brasileiro(PSB) Waldemar Pernambuco. Foram acertar os ponteiros, como se diz. Collares propôs a criação de comitês suprapartidários para apoiar Paim.
É uma das vozes mais firmes, dentro do PDT, que estão apoiando o PT, neste momento.

foto da agência edison castêncio


Na ensolarada sexta-feira portoalegrense, o chalé da Praça XV de NOvembro foi palco de encontros políticos. O Paparazzo, que volta amanhã a Brasília, não deu mole e foi lá e fez o fraglante deste almoço que reuniu Cesar Busato, que reassume nesta segunda,dia 12/04, a Secretaria da Coordenação Política e Governança Local de Porto Alegtre. Atualmente ele integrava o secretariado do prefeito César Schirmer, de Santa Maria.

foto da agência edison castêncio


Guido Mantega na Fiergs em 08.04


o candidato do PT ao governo do Estado, Tarso Genro e o Ministro da Fazenda, Guido Mantega, na Fiergs.


Da passagem do Ministro Guido Mantega, da Fazenda, pela Fiergs, na última quinta-feira, dia 08.04

 

Coleguinhas

 


* No intervalo,sábado,dia 10/04 do jogo Inter X Ipyranga, o Andrezinho saiu-se com esta pérola:
- A gente VAMOS MANTER A SERIEDADE NO SEGUNDO TEMPO QUE MANTIVEMOS NO PRIMEIRO !Toing. Deu pra lembrar do Claudiomiro, o grande centroavante que nos anos 70 agradeceu a Antartica a caixa e Brahma que lhe haviam mandado. Tudo pelo rádio...eta rádio,véio de Guerra!

* O zelador Adolar, funcionário da Associação Riograndense de Imprensa, contra quem pessoalmente não tenho nada, manda mais no prédio que o presidente da entidade. E o presidente com seu eterno jeito de passar a mão por cima de tudo, vai enterrar a ARI. Quem viver, verá. No sábado, dia 10/04, havia duas pessoas as 11h30 minutos no Barzinho da ARI, num dia maravilhoso,ensolarado.Depois chegou o Glei Soares, pra apresentar o programa da rádio da UFRGS.Em tempos idos, as 11h30min o barzinho da ARI num dia como o sábado passado, estaria bombando. Até o histo riador Sérgio da Costa Franco, de quem não sou procurador, nem porta voz, não vai mais aos sábados no barzinho da ARI. São várias pessoas de quem já ouvi queixas do jeito que o zelador Adolar os tratou dentro do prédio da ARI. E não é de agora.... Desculpem o desabafo, leitores....

* O " padre", leia-se Affonso Ritter esteve de aniversário no dia 10/04. Quantos anos fez? Seguramente mais de 70!

 

Serginho mal humorado!!!

 

 

Pô noite de sábado já tava dormindo ( velho como eu dorme cedo) e toca o telefone.O telefone lá em casa pouquissimo toca e como não tenho celular, graças a Deus, pouco me comunico com o mundo. Pensei cá com os meus botões, ou é algum chantagisgta me propondo mulher pra casamento ( já me aconteceu mas aí era domingo de noite) ou que pensei que fosse aquela vizinha ao lado que não me dá bola mas que naquele sábado estaria sozinha e queria uma companhia. Que nada era o Serginho, cheio de reclamações...Pensei: hoje é meu dia de inferno astral. Já tinha me acontecido uma baixaria na ARI pela manhã(vide coleguinhas) e deixei rolar...Como dizia uma namorada que tive a anos atrás, meus ouvidos não são penico.... Mas aí vai pros leitores a grande indignação do Serginho...


Olides

Eu tenho duas reclamações.A primeira: por que tu não paras de editar este teu FITNESS??
Estas gastando dinheiro. Não tem nada para se ler.Só serve para fazeres propaganda da tua familía ou de restaurantes onde tens boca livre.Ninguém mais aguenta as tais noticias do Barranco. As cinco vezes que fui lá,não consegui comer porra nehuma... Olha que uma vez fui lá levado pela Governadora do teu estado, a Yeda Crussius.
A outra reclamação,é que não pudemos assistir o jogo Barcelona e Real Madrid. A Net, da qual eu sou assinante,simplesmente ignorou o jogo do século Viva a TV Globo...
.Sergio

 

 


O autor e a equipe desejam aos leitores um bom fim de semana!

 

Coleguinhas

 


"Tudo nos conformes"? como assim....????!!!!!

Uma das colunas diárias que leio é a da Rosane, na ZH.Principal jornal do EStado, é obrigação ler a colunista política. Sei de um caso, quando o João Carlos Terlera era o títular da coluna política deste mesmo jornal, que todas as manhãs, a mulher que residia em Porto Alegre ligava para S.Paulo,onde vivia o marido, para ler a coluna Bastidores do Terlera.No caso, quem lia era daqui de Portinho era a marchand Ignes Pinto de Moraes para o marido, o pintor Glauco Pinto de Moraes.

Mas vamos ao que me interessa:estranhei onde os termos usados pela colega na sua nota "TUDO NOS CONFORMES". A Rosane parece, na nota, que estaria censurando coleguinhas?
E ela usou aqui o verbo " espalhou" com um sentido de divulgar sem checar, sem responsabilidade.

De minha parte, havia ouvido esta notícia na rádio Guaíba, no dia anterior, levado ao programa do Rogério Mendelski, pelo repórter político Voltaire Porto.Será que era a ele que a titular da Página 10 de ZH se referiu?

 

Memória da Imprensa

 

 


Logo depois que regressou do exílio, em 7 de setembro de 1979, Leonel de Moura Brizola começou um giro pelas redações dos jornais.

Nesta foto, originalmente publicada na revista PRESS( na biografia do jornalista Carlos Bastos) vemos o ex-governador sendo recebido pelo "alto" comando da Zero Hora de então.Carlos Machado Fehlberg, está nos fundos, junto à porta(era editor-chefe do jornal) Carlos Bastos( de barba) atrás de Brizola, Lauro Schirmer,então diretor-editor e nos fundos, só aparecendo parte do rosto Carlos Alberto Kolecza, com uma caneta na mão porque seguramente iria entrevistar o lider trabalhista.

Francisco Paulo Santana, naquele começo dos anos 80, já um colunista famoso, ( e sempre declarado admirador de Brizola) está com um casaco nas mãos. Também aparecem o fotógrafo Carlos Contursi,assessor de Brizola e Sereno Chaise, outro líder político, que acompanhava o ex-exilado.

 

New York!
New York!

 

 

Nova Iorque é mais deslumbrante do que se possa imaginar. Em fevereiro de 1990,quando fiz estas fotos, era a segunda vez que conhecia a grande metrópole, pela qual sempre fui fascinado através do cinema, do teatro, da música, enfim do grande mercado que os USA fazem de tudo.

Quando fui pela primeira vez, em 1989, primeiro conheci Miami, porque fui a um congresso a trabalho. Depois tomei um avião norteamericano e voei a Nova Iorque. Claro que foi um choque! Andava qual barata tonta pelo centro da Ilha de Mannhatan,até que fui me acostumando e conhecendo os quarteirões.Quem me havia convidado a participar do congresso de Miami não entendia o que eu queria fazer em Nova Iorque:
- Lá só tem aquele metrô de 100 anos atrás, me disse quem me patrocinou a viagem.
- Pois, respondi, é por isto mesmo que quero ir!

E não me arrependi...

Outro dia conto a história do administrador de Nova Iorque que estivera em Porto Alegre e que conhecera o político local Mário Ramos(já falecido) de quem ele guardou uma boa impressão.


O autor defronte ao prédio do jornal THE NEW YORK TIMES( localizado na Ilha de Mannhatan, no bairro do Times Square! Data : fevereiro de 1990!)


As pontes da Ilha de Mannhatan, que já inspiraram até filmes.... elas atravessam o rio Hudson


O caminhão do jornal THE NEW YORK TIMES! e uma limusine passando na frente.

 


A ponte do VERRAZZANO!

 


O autor na porta do Jornal THE NEW YORK TIMES


Pontes da Ilha de Mannhatan, em Nova Iorque


No Rockfeller Center, em Nova Iorque


Pontes de Nova Iorque


A ilha de Mannhatan, com vista do Empire State Building e da área portuária.

 


Outra vista das pontes de Nova Iorque


Cena comum na Grande Metrópole: os executivos "almoçam" na rua, com comida comprada ou trazida de casa. Aqui n o Rockfeller Center, no coração da grande cidade.

 

Bronca Judicial!

 

Terminou a " ronha"

nas barrancas do Taquari!

Um acervo precioso composto pelo livro de atas do Estrela Futebol Clube dos anos de 1931 a 1960 e o Estatuto dos anos 40 do clube voltaram por ordem judicial ao seu antigo depositário, o livreiro Luiz Roque Schwertner.Luiz Roque os havia emprestado, no ano passado, a Nardir Rosemundo Steffens, que é secretário de Esportes de Estrela e depois quando Luiz Roque os pediu de volta, Nardir,segundo Luiz Roque, se negara a devolvê-los dizendo que eles pertenciam ao Estrela Futebol Clube.
Luiz Roque é filho do ex-presidente do clube Aloisio e foi também jogador do clube.Assim, ele entrou com uma ação de reintegração de posse, que lhe foi concedida pela Comarca de Estrela.


oficial de Justiça retomou as atas do Estrela Futebol Clube.


 

Poeta Luis de Miranda lança livro!

 

 

 

Palanque!

 

 

* Francisco Dornelles, deputado federal pelo PP, do Rio, poderá vir a ser o vice na chapa de José Serra.


* Beto Albuquerque(PSB) não deverá ir a nenhuma majoritária: será mesmo candidato à reeleição.

 

 

 

SINDIVINHO/RS APÓIA
SELO FISCAL DO VINHO



A presidente do Sindicato da Indústria do Vinho do Rio Grande do Sul (SINDIVINHO/RS), Cristiane Passarin, classifica como “extremamente positiva” a adoção do Selo Fiscal de Controle para vinhos nacionais e importados, que deverá ser oficializada pelo Ministério da Fazenda nos próximos dias. “O selo vem trazer a ordenação e a moralização do setor vitivinícola e proporcionará uma concorrência leal entre as empresas do ramo”, resume. Lembra que a medida, aprovada pelas entidades representativas do setor, tem o objetivo de combater a sonegação, a falsificação e o ingresso de vinhos contrabandeados – portanto, sem o pagamento dos impostos devidos. “Ou seja, trata-se de uma providência que vem favorecer o vinho brasileiro e as empresas que trabalham corretamente, dentro das obrigações legais e fiscais”, salienta. A presidente do Sindicato ressalta que o selo não irá trazer aumento do preço dos vinhos, com a vantagem de trazer a tranquilidade para o consumidor de estar adquirindo um produto genuíno, livre de qualquer tipo de fraude. Cristiane Passarin faz questão de destacar que o valor do selo pode ser creditado no Pis/Cofins e, portanto, o seu único custo diz respeito à mão de obra e à colocação. “No caso das pequenas empresas, não é necessária nenhuma máquina pois o selo poderá ser colocado manualmente pela mesma pessoa que aplica o rótulo e cápsula no produto”. A previsão é de que o custo do selo será de R$ 0,02 por garrafa. Estima-se que nos últimos anos mais de 15 milhões de litros ao ano tenham sido comercializados de forma irregular no mercado brasileiro.

Todt Comunicação

 

PORTOS: MANTELI RECEBE
HOMENAGEM EM SANTOS

 



O presidente da Associação Brasileira dos Terminais Portuários (ABTP), o gaúcho Wilen Manteli, recebeu nesta quarta-feira (7) em Santos (SP) o Prêmio Personalidade PortoGente 2009, conferido pelo site Portogente/PortFolk, um dos mais importantes canais de informação e debate sobre o setor portuário do País. A solenidade foi realizada na Pinacoteca Benedicto Calixto, às 18h30min, em Santos. O porto de Santos está comemorando o seu 118º aniversário, contando com um programa de investimentos de R$ 3,4 bilhões para os próximos cinco anos. Com isso, o porto paulista – o maior da América Latina, deverá passar a movimentar 229 milhões de toneladas/anuais até 2029, contra 83 milhões de toneladas em 2008.


Todt Comunicação

 

 

Vanguarda Abolicionista realiza protesto na Feira de Filhotes do DC

 


Fotos: Rafael Santini e Fernando Schell


por Marcio de Almeida Bueno


Nesta Sexta-feira Santa, 2 de abril de 2010, o grupo Vanguarda
Abolicionista esteve realizando protesto na abertura da Feira de
Filhotes do Shopping DC Navegantes, em Porto Alegre. Desde as 14h,
ativistas e protetores instalaram banner e cartazes na entrada
principal do DC, com panfletagem para o público passante. O objetivo
foi propor a adoção de animais de estimação abandonados em abrigos
de ONGs, evitando a compra de filhotes - a feira coincidia com o
frenesi consumista da Páscoa, sugerindo filhotes como presente. Os
populares recebiam explicação sobre a exploração dos animais para
produção de ninhadas, além de existirem dezenas de cães e gatos
sem lar para cada exemplar adquirido em feira.


Apesar da marcação cerrada da segurança do shopping e do forte
calor, os ativistas se dirigiram à outra entrada do estabelcimento,
pela BR-116, próximo à ponte para Guaíba - o trânsito de
carroças era constante.
A feira se realizava exatamente naquele ponto, então todos que
entravam nos stands podiam ver o protesto, e muitos foram os que,
pela grade, solicitaram panfletos e conversaram com os manifestantes.
Quem se aproximava de automóvel também era abordado, e a maioria
manifestou apoio à ação. "Se soubesse do evento, estaria aqui com
vocês", disse a passageira de um dos veículos.


Inconformado com a presença dos ativistas, um participante da feira
de filhotes foi até a calçada externa para tirar fotos, supostamente
visando intimidar os presentes. Uma vez que um balão de propaganda
foi inflado e panos foram estendidos na grade entre a feira e o
protesto, o grupo voltou para a entrada principal do DC, próximo à
Farrapos.


No final da tarde, quase no fim da manifestação, a Brigada Militar
foi chamada pelo dono da feira, e uma viatura estacionou junto ao
ponto do protesto. Os policiais, bastante solícitos, conversaram com
os participantes e conferiram o documento protocolado pelo grupo na
véspera do evento, junto ao Batalhão local da Brigada. Em seguida,
dirigiram-se à feira, para averiguação do chamado.

 


O grupo seguiu panfleteando até a hora combinada, e centenas de
materiais foram distribuídos, com o público parando para conversar
e saber do porquê do protesto. Saldo positivo para a causa animal.

Passada a Páscoa, começa o abandono de coelhos

 

 

UM APARTAMENTO DO BARULHO...




Tendo como companhia o fotógrafo Jairo Bradenburski e o cinegrafista Odilon Lopes,da TV Piratini eu era uma das poucas pessoas que permaneciam no Palácio Piratini, depois que o Governador Hildo Menegheti seguiu para Passo Fundo.
O Palácio era um deserto. Pouca gente circulava lá dentro. Ele ficou então sob o comando do Secretário de Obras Públicas o Engenheiro João Magalhães que tinha como seu fiel escudeiro o Augusto Castello Branco, que nos chamávamos carinhosamente de Sapinho. O único militar que também andava por lá era um capitão da Brigada Militar. Um grande gozador, que para quebrar um pouco aquela falta de qualquer informação, punha uma bala na boca tirada de um bolso de sua japona, dizendo que resistiria até a “ultima bala...”

Lá pelas cinco da tarde, a coisa clareou e a Brigada voltou ocupar o Palácio. A primeira providência dos novos comandantes foi nos expulsar do prédio.

Comecei então a procurar o “cumpanheiro” Leonel Brizola. Fui até a um apartamento na Rua Duque de Caxias, onde eu sabia que a Dona Neusa estava. Claro que não encontrei o homem, mas a Dona Neusa sempre gentil me disse meio sussurrando:” porque você não vai para São Borja ? O presidente está lá na fazenda dele...”. Não perguntei mais nada. Desci, peguei o carro da Manchete que estava me esperando, passei na sucursal da revista que ficava na Rua Senhor dos Passos, apanhei o dinheiro que tinha no caixa e me mandei para São Borja.

Mas para chegar a São Borja, não foi nada fácil. As estradas não eram asfaltadas. Era um lodaçal só. Me recordo que cheguei na porteira da fazendo, mais ou menos às 16 horas. Depois de me identificar a um peão que estava de guarda na porteira, cheguei a sede da fazenda. Lá, fui recebido pelo Maneco, que era um dos pilotos do Presidente Jango.
Perguntei ao Maneco pelo homem. Ele apontou para o céu, me mostrando um aviãozinho que acabara de decolar da pista da fazenda e me disse: “mas tchê... tu chegou tarde. O homem está naquele avião, seguindo para Montevidéu” e completou: “já que tu estás por aqui, porque não vai também para Montevidéu???Mas entra por Santana, pois o cônsul do Brasil em Rivera é nosso companheiro e poderá facilitar a tua vida...”.

Eu estava perdido no tempo. Perguntei para o Maneco que dia da semana nos estávamos. A correria em Porto Alegre a viagem à noite em uma estrada cheia de atoleiros, tinha me desnorteado. Maneco rindo, me disse que era um sábado de tarde. Pô pensei cá com os meus botões, se é fim de semana,não tem banco aberto e o dinheiro que eu tinha não dava para chegar a Santana. Contei para o Maneco o meu drama e ele prontamente resolveu. “Agüenta aqui, que eu vou arrumar uma grana, para pelo menos chegares a Santana...”.Ele entrou na casa principal de fazenda e voltou de lá com um maço de notas de cinco cruzeiros,aquelas notas em que aparecia um índio, com um apito na boca. Era grana que não acabava mais...Mas o Maneco foi mais atencioso ainda, mandou encher o tanque de gasolina da nossa Rural Willis. Gasolina para chegar até Santana.

Reabastecidos, pusemos o pé na estrada e nos tocamos para Santana. Já era madrugada de domingo quando chegamos. No primeiro hotel que encontramos nos hospedamos. Mas bem cedo, depois de um bom café com leite, pão e manteiga,corremos até o posto de gasolina mais próximo. Mas surpresa...A gasolina só poderia ser fornecida, com ordens expressas do Comandante do Sétimo Batalhão de Cavalaria que nessa altura, já havia aderido a “redentora”. Foi uma conversa dura com o homem. Não sei porque, o Comandante nos liberou para enchermos o tanque do carro. Corremos então para Rivera, para encontrarmos o cônsul do Brasil, que segundo o Maneco, quebraria o nosso galho. Mas o nosso representante, logo que nos viu, já foi dizendo: “estou fora. Já estou exilado aqui no Uruguai e não posso fazer mais nada por vocês. Mas vou dar mesmo assim, um documento “frio”, onde está autorizada a entrada do carro de vocês em território uruguaio.

Aquele papel e nada era a mesma coisa. Mesmo assim agradecemos. Conseguimos “cambiar” na recepção de um hotel os nossos poucos cruzados e seguimos para Montevidéu.
Chegamos à capital Uruguaia na segunda feira cedo. Mesmo sem dormir, fomos atrás do Presidente Jango. Na primeira banca de jornais comprei o jornal que tinha na manchete a chegada do homem. Li então, que Jango e a família estavam na praia de Solimar, em uma pequena casa que fora emprestada por amigos uruguaios.
Lá, encontrei o fotógrafo da Manchete, Jader Neves ,que havia chegado um dia antes, vindo de avião do Rio.

Jader tinha ordens para regressar, assim que eu pusesse os pés Montevidéu. Estava com uma boa quantidade de dólares no bolso para me entregar. Era para eu encarar os próximos 40 dias, que deveria permanecer cobrindo a estada de Jango no Uruguai. O Jader, além da “plata”, me entregou a chave do apartamento que o Maneco tinha em Montevidéu para seus encontros amorosos. Pô, foi uma boa. O fotógrafo, o motorista e eu deixamos imediatamente o hotel e nos “bandeamos” para o apartamento do Maneco.
Passávamos o dia todo de plantão na praia de Solimar, em frente à casa do Presidente, o homem só aparecia de longe e acenava de lá. Mas também não adiantava muita coisa mesmo. As nossas matérias enviadas para o Rio acabavam nas mãos dos censores.
Uma tarde, quando voltávamos para o apartamento, ficamos sabendo que no terminal da ONDA, empresa de ônibus uruguaia, havia dois brasileiros que pareciam estar perdidos.

Corremos para lá. Era o Darci Ribeiro e o baiano Waldir Pires, que haviam chegado de ônibus, pois, o aviãozinho que haviam tomado para deixar Brasília, havia caído pouco antes de chegar à Montevidéu. Darci Ribeiro queria saber de Jango e pediu para nós o levarmos até Solimar para falar com o homem. Conversou umas duas horas e voltou me pedindo para levá-lo a um hotel bem barato.

Levamos para um hotel na cidade velha de Montevidéu que mais tarde foi comprado pelo Jango e administrado pelo Leocádio Antunes, se não estou enganado. Mas antes de me deixar, pediu emprestado cem dólares, pois estava duro. Emprestei e nunca mais vi a cor do dinheiro. Ma tudo bem, guerra é guerra...
Numa tarde, estávamos “sesteando” no apartamento, quando alguém começou a bater na porta de forma enlouquecida. Levantei correndo e fui abrir a porta. Era um castelhano de dois metros de altura. Puto da cara, queria saber o que nós estávamos fazendo no apartamento. Eu, de Bento, muito macho, perguntei: e tu quem és para estar me perguntando.... Pô, o cara se encheu de moral gritou num espanhol meio aportuguesado; “eu sou o dono deste apartamento, porra...“que dono coisa nenhuma, retruquei. Este apartamento é do Maneco que nos emprestou as chaves”.. “Este apartamento é meu”, disse ele. “Eu emprestei ao Maneco para ele passar uma noite. Ele usou e não me devolveu as chaves. Já tirei daqui de dentro um outro brasileiro que disse ser fotógrafo da Manchete”...
Pô, sacanagem do Jader. Nos meteu numa fria. Mas tudo bem, saímos de “nuestra habitacion”, e voltamos para o hotel. Passado alguns dias recebi ordens para voltar ao Brasil.
Fui me despedir do Darci Ribeiro. Ele me perguntou se não podia ficar no apartamento do Maneco?..Como eu tinha ficado com a chave e tendo a oportunidade para me vingar dos meus cem dólares, que não foram pagos, não tive dúvida, passei a chave para o Darci, que foi para lá com o Waldyr Pires.

Horas depois, voei para o Rio e nunca fiquei sabendo se o castelhano dono do apartamento para encontros, também teria expulsado de lá o nosso caríssimo Darci Ribeiro...
Sergio Ross

Observações:

1) O nome do hotel a que o articulista se refere é o LA ALLAMBRA.

2) Fica na CIUDAD VIEJA, da capital uruguaia e está em frente à praça onde também está a Catedral de Montevideo.

3) Muitos exilados brasileiros de 1964 passaram pelo LA ALLAMBRA!

 

 

Em nome da história de Jango

Neto do ex-presidente João Goulart, o Jango, Chistopher Goulart, 33 anos, tem percorrido o Estado divulgando a história do avô. Na última segunda-feira, ele foi o palestrante da aula inaugural do curso de História da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Chistopher tinha dois meses de idade quando Jango morreu, em 1976. Mas o neto cresceu ouvindo a história de Jango, inclusive sobre a suspeita de o avô não ter sofrido um ataque cardíaco e, sim, um atentado. Presidente do Memorial João Goulart, em São Borja, e diretor do instituto com o mesmo nome, em Brasília, Chistopher está acompanhando as investigações no Ministério Público Federal sobre essa hipótese. Além dessas atividades, o advogado arrumará mais uma: se lançará candidato a deputado estadual pelo PDT nas eleições de outubro, aproveitando o sobrenome famoso.

Fonte :Grupo RBS

 

Grande Olides. Entrei em contato com o Presidente. Ele vai verificar uma data para estarmos em Serafina, realizando uma palestra sobre as Reformas de Base do Sr. João Goulart. Recentemente estive em Santa Maria, palestrando na UFSM. Segue o link da notícia do Diário de Santa Maria, publicada no último fim de semana.

Abraço. Christopher Goulart

 

 

Enquanto isso !!

 


Miriam Leitão

Nos quartéis, o desejo é que o presidente Lula conclua o seu mandato no tempo regulamentar e que a crise ensine como melhorar a democracia. Oficiais superiores acham que qualquer saída — mesmo constitucional — que signifique rupturas afetaria a imagem do Brasil como país estabilizado e institucionalmente maduro. O que eles mais temem é uma evolução igual àquela prometida pelo ex-ministro José Dirceu: a convocação dos movimentos sociais para as ruas.

Vinte anos depois do fim da ditadura, os militares não fazem exatamente um mea-culpa sobre o que aconteceu no período 64-85, mas garantem que tudo mudou completamente. Tanto que decidiram nem fazer reunião de alto comando para discutir a crise. Acham que seriam mal interpretados. Os comandantes dizem que têm profundos valores democráticos e total controle das tropas. Não acham que o cenário mais provável da evolução da crise seja o de conflitos sociais. Mas lembram que uma de suas missões constitucionais é o que eles definem com a sigla GLO, Garantia da Lei e da Ordem.

Houve um tempo em que a interpretação dos militares brasileiros sobre Lei e Ordem era rasgar as leis e ferir a ordem. Hoje em dia, eles demonstram com convicção terem aprendido o que não podem fazer. Acompanham com atenção os índices de popularidade das Forças Armadas, que vem aumentando ano após ano desde 94. Numa pesquisa feita em maio, registrou-se que 75% dos brasileiros confiam nas Forças Armadas, e só 20% não confiam.

A insatisfação salarial continua, mas já foi mais aguda. Hoje eles acham que o governo fez o que pôde, por enquanto. Garantem que o movimento das mulheres que esteve nas ruas pedindo aumento não é representativo.

Sobre economia, acham que o país precisaria crescer mais rapidamente e investir mais em infra-estrutura e logística. Mas temem a inflação. Portanto, até olham com interesse idéias desenvolvimentistas, desde que isso não signifique a volta da inflação.

Numa atitude um pouco diferente da que já tiveram até no passado recente, os militares acreditam que precisam justificar o dinheiro gasto pelos cidadãos para mantê-los. Por isso querem mostrar à opinião pública que têm hoje múltiplas tarefas no país e não se furtam à convocação da sociedade.

— Hoje ela quer de nós que também atuemos na garantia da segurança urbana. Claro que não podemos nos transformar em polícia; nossa missão não é essa. Mas não podemos ignorar o que a sociedade nos pede. Por isso, nos preparamos para ações localizadas, emergenciais, colaboração com outras forças, utilização de inteligência para enfrentar momentos de tensão — disse um oficial superior.

No ano passado, o Exército participou de 13 operações urbanas e neste ano, até agora, cinco. São ações como a de Belo Horizonte onde, com a polícia em greve, houve uma série de tumultos na rua. Outra ocorreu em Vitória. Já participaram de ações no Rio de Janeiro. Preparam-se já para garantir a segurança dos Jogos Pan-Americanos, com muito mais efetivos do que na época da Rio-92. Estão há três meses no Pará e acham que está na hora de passar o bastão para a Polícia Federal. Foram para lá depois da morte da freira Dorothy Stang, quando havia ameaça de morte contra outros religiosos.

O Exército decidiu ter uma unidade especializada em operações urbanas de garantia de segurança interna. Acham que o treinamento tem que ser totalmente outro, o armamento diferente, porque eles estarão atuando no meio da população civil e, por isso, treinam em Campinas (SP). Foi instalada na cidade uma Brigada com sete mil homens que tem o objetivo de se especializar em ações urbanas: tomar favelas do narcotráfico, conter rebeliões e distúrbios civis. É a 11 Brigada de Infantaria Leve- Garantia da Lei e da Ordem, BIL-GLO.

Mas estão convencidos de que não é com repressão que se vencerá a violência urbana, mas com combate à lavagem de dinheiro, ao tráfico de drogas e de armas nas fronteiras. Aumentar a presença nas fronteiras brasileiras é uma velha reivindicação. Não é inimigo externo, invasão de país estrangeiro o que temem. Acham que ajudam a combater crimes, como o desmatamento. Quando há denúncia ou informações de satélite de desmatamento, o Ibama atua com apoio logístico, transporte, alimentação, garantia de segurança, das Forças Armadas.

— No meio da selva, não há um botequim na esquina, temos que levar tudo que eles possam precisar — conta um oficial.

A preocupação deles hoje é passar para a opinião pública a dimensão das suas múltiplas tarefas no país em todas as áreas, inclusive na formação pessoal de 100 mil jovens brasileiros, em geral pobres, a cada ano. Um milhão se alistam, só 10% podem servir e eles garantem que os jovens passam por importante processo de educação e preparação para a vida.

As Forças Armadas estão hoje lendo os velhos livros de estratégia e tática bélica e os novos de redução de custos, aumento de produtividade e eficiência.

— Sabemos que o dinheiro é pouco, queremos fazer mais com menos — comenta um deles.

Acham que também não é muito entendida a importância da presença de tropas em missões da ONU. Em ações como no Haiti, está se consolidando a imagem do Brasil, mas também treinando, na prática e a custos menores, os soldados brasileiros, porque parte do gasto é ressarcido pela ONU e os militares não estão em simulações, mas enfrentando desafios reais.

 

 

Cordilheira Branca no Peru

 

O Peru é um dos países mais lindos e exóticos que conheci até hoje.Quem quiser conhecer todo tipo de paisagem é pra lá que deve ir. Eis aí umas fotos da Cordilheira daquele país andino, onde os "cholos" com suas roupas típicas imperam.


Coleguinhas

 


* Fernando Veroneze está adoentado. Depois que " tiraram" ele da Guaíba, o velho Veroneze entrou em depressão.

* No" serpentário", na mesa dos jornalistas, andam com medo de morrer. É que na mesa UM do serpentário, já foram para o " desconhecido" dois ou três habitués daquela mesa.

* Paulo Moura, que trabalha na editoria de Esportes do Correinho, não vai mais lá aos sábados e domingos.Fez oitentinha e quer descansar nos findi...

* Dizem que a famosa frase a Press tem na capa da última edição os dois homens da vida da Bebel(ilustradora) não teria sido pronunciada pelo Rekern, e sim pela própria....É pura gozação do chargista Marco Aurélio que anda espalhando isto e outras intrigas: como a de que quando a PRESS fica com o lado onde aparece o marido da Bebel, o Beto Callage, ela encalha. Quando ela é mostrada na banca com a foto do lado em que ele aparece, ela esgota....É gozação do Marco, é bem dele....

*A editora Letra e Vida, do Antônio Suliani, vai lançar um livro-depoimento pra lá de polêmico....


Palanque!

 


O colega Mauro da Rocha, professor da UPF, informa que o ex-prefeito de Sarandi, Reinaldo Antônio Nicola é pré-candidato pelo PDT a deputado estadual pela AMZOP( Associação dos Municípios da Zona da Produção). Reinaldo é natural de Barra Funda, onde já foi prefeito.Depois governou por duas vezes o município de Sarandi.

 

 

De Brasília, por Edson Quadros....

 

Vcs estão sabendo que vai faltar açucar no Brasil?????

É que o PT quer tornar a Dilma mais doce....rs

PS: Piadinha foi ouvida na fila de um mercado aqui em Brasília e
divulgada na seção de cartas do Correio Braziliense (07/04).

 

R.CORREA LEVA A
COPA ATÉ VOCÊ



Aproveitando a realização da Copa do Mundo da África do Sul neste ano, a R.Correa Engenharia lançará no próximo domingo (11) a campanha “R.Correa Leva a Copa Até Você”. A campanha terá duração de 60 dias, sendo encerrada em 11 de junho, na abertura da Copa. Nesse período, todos os compradores dos empreendimentos Urbano Station, situado na Av. Azenha, 680 e Urbano Ipiranga, na Av. Ipiranga, 8.901 ganharão um televisor LCD 42 polegadas e uma camiseta oficial da Seleção brasileira. Igualmente, os visitantes dos estandes de vendas, que estarão decorados com temática alusiva à Copa, serão contemplados com brindes diversos. Está programada também a distribuição de volantes da campanha em bairros próximos contendo a tabela dos jogos da Copa. No Urbano Station, os apartamentos de 2 dormitórios com box têm preço a partir de R$ 166 mil e prestação de R$ 355,00 mensais e no Urbano Ipiranga, a prestação dos apartamentos de 3 dormitórios com box é de R$ 579,00 mensais com preço a partir de R$ 199 mil. As obras de ambos os empreendimentos estão em fase adiantada de execução. O Urbano Station será entregue em julho de 2011 e o Urbano Ipiranga em fevereiro de 2012.


Todt Comunicação

 

Coleguinhas

 

Memória da Imprensa!

A carta " triste" do Marcão

O fotógrafo Assis Waldir Hoffmann tem na mão uma carta que mostra a decepção do repórter Marcão Faermann com o jornalismo gaúcho do final da década de 60.A carta dá conta de uma grande decepção que Marcão teve com um jornal de Porto Alegre. Eu tenho quase certeza que ele se refere a uma experiência de colocar a Zero Hora dominicial e que não deu certo, no fim dos anos 60. Uma pena que o Lauro Schirmer tenha morrido, senão o Lauro matava isto a pau....

Eu sei por exemplo, pelo que me contaram que o Marcão Faermann ficou tão puto da vida, quandos os irmãos Sirotsky mandaram interromper este projeto - da ZH dominical - que ele teria "defecado" na máquina de escrever.


" Marcão Faermann escreve para Assis Hoffmann depois que foi para Sampa"(anos 60).

Era sua rebeldia.

Conheci,através de amigos comuns, o Marcão quando já era famoso em Sampa. Tinha todo um mito em volta dele, como se fosse hoje o Caco Barcellos. Com uma diferença: o texto do Marcão dava de 10 a zero no do Caco porque o Marcão lia muito literatura e o Caco nunca foi de leituras.

( O Caco é mais investigativo, mas isto é outra conversa!!!)

Marcão Faermann escrevia no Jornal da Tarde, do Grupo dos Mesquita, do Estadão e suas reportagens ocupavam geralmente duas ou três páginas. Era um texto a la Gabriel Garcia Marques, um texto saboroso, literário....


"Marcão Faermann já um repórter conhecido na Paulicéia, entrevista um skinhead( " punk careca") favoravel ao nazismo para um livro que nunca chegou a concluir, porque morreu antes." ( a foto é de autoria de Avani Stein, e o acervo é dela também.)

 

Quem conhece grandes histórias do Marcão aqui é o Luis Fernando Verissimo( eles começaram junto na Zero Hora) o Pilla Vares conhecia, o Marco Aurélio Garcia, Ministro de Lula também, Flávio Koutzi,Armando Burd, Moacyr Scliar,entre outros que foram contemporraneos do repórter.
a gremistão fervorso e não escondia de ningém sua paixão tricolor.
Tanto que quando o Grêmio ganhou o primeiro campeonato nacional, em 1981, com um gol do "Balthazar" o goleador de Deus, ele escreveu umas matérias para Zero Hora bem apaixonadas, como era do seu estilo.
Em Sampa Marcão fundou também a Editora Versus, que publicou muitos livros sobre a realidade latinoamericana e editava o jornal Versus, que durante um bom tempo dava voz ao que a chamada grande mídia não publicava.

Marcão foi demitido do Jornal da Tarde numa renovação do jornal e passou a fazer frilas. Entre seus projetos, antes de falecer prematuramente, estava um livro sobre os "punks carecas" que agridem judeus. Era um projeto que tinha na fotógrafa Avani Stein sua parceira.

Mas não o concluiu

 

Memória da Imprensa

 

 

Jornalismo e boemia sempre se complementaram. Hoje em dia é que os jovens saem das redações e vão pra casa ou outros locais. Mas antigamente, até pela hora que os jornais e rádios fechavam, jornalistas acorriam principalmente a bares , boites, inferninhos, para continuar a discussão do fechamento do jornal.
Nas sextas,então este era o programa quase que obrigatório...

foto do acervo de Assis Waldir Hoffmann.

" jornalistas e boemia se complementam"

Na ZH, ao lado do prédio, ficava o Porta-Larga, um boteco que servia de local para desopilar nos finais de tarde e nos finais de semana.

Nesta foto, aparece uma turma da Ultima Hora, jornal do Samuel Wainer, que tinha a redação na Sete de Setembro,738.Entre as duas mulheres, está sentado um camarada que depois seria famoso: Flávio Tavares, na época apenas conhecido em Lajeado, onde nasceu(hoje vive em Búzios, RJ).
Aparecem na foto Serginho Ros,Joaquim Campos, Eurico Tavares(fotógrafo)Belmiro Southier(depois foi da Manchete) Jairo Bendenbuski,entre outros.

O músico não era da Ultima Hora, e sim um profissional contratado para a ocasião.

Coleguinhas

 

O fotógrafo do Figueiroa nu....


Foi lá por 1973. Espero não errar no ano!
Era presidente da Federação Gaúcha de Futebol, um "bronco" de Palmeiras das Missões, chamado Rubens Freire Hoffmeister.


Hipólito

E logo que o Figueiroa chegou a Porto Alegre, ele virou o xodó das mulheres.

Que que o Chargista Marco Aurélio bolou: fotografar o ídolo nu, tomando banho, depois de um treino...

Botou um grande fotógrafo na campana e lá foi o Hipolito Vieria Pereira( hoje no Globo, do Rio) fazer a campana.

Levou alguns dias até que conseguisse "roubar" a foto,até que conseguiu.

As fotos do Figueiroa peladão, se enxugando numa toalha(aparecia seu derriére todo) - se fosse hoje, época de Big Brother, não fariam qualquer sucesso - apareceram na coluna do Marco Aurélio e foi o que bastou: enciumado pela notoriedade do "chileno" - que do ponto de vista pessoal tinha umas posições meio engraçadas, porque até defendia o Pinochet e sua ditadura - Rubens Freira Hoffmeister mandou suspender a rodada do Gauchão. Pronto: não podiam fazer coisa melhor para o Marco Aurélio e pro Hipólito...passaram a celebridades, deram entrevistas(poucas porque o Marco não fala) mas o Hipólito pouco tempo depois já era convidado pelos grandes veículos do centro do país para ir para lá devido a notoriedade que ganhou junto ao jornalismo esportivo.

O campeonato gaúcho ficou parado uma rodada,depois voltou tudo ao normal.

Hipólito começou como fotógrafo na Zero Hora. Nasceu em 02.01.1950 filho de Juarez Maya Pereira e de Luci Vieira Pereira. Residiu na Rua Felicissimo de Azevedo, 679.

 

 

Um dos primeiros
correspondentes do "Folhão", no RS

 


Evilázio


Evilázio B. de Oliveira, nascido em Bom Jesus(RS) em 11.03.1947 foi repórter policial na Zero Hora(onde fomos contemporrâneos)e depois trabalhou na Folha de S.Paulo, tendo sido, na capital gaúcha , um dos primeiros correspondentes do jornal paulista.
Filho de Valdomiro Esteves de Oliveira e de Justina Boeira, Evilázio é atualamente repórter da revista O Carreteiro.
Teve experiências, curtas, com um jornal de Farroupilha, mas abandonou o barco, devido à precariedade das condições de trabalho.
Evilázio tem um filho, Rodrigo(06.11.1973).

 

 

Um padre
do barulho!

 


os paroquianos de Rondinha com a Biblia escrita à mão!

Nos anos 50/60 Serafina Correa, teve um padre do barulho...No sentido de que era polêmico.Era amado ou odiado. Trata-se do padre Francisco Lollato que depois foi para Rondinha.
Em Serafina, ele fez o atual Cristo Rei, o Salão Paroquial, uma obra grandiosa, e levou o ginásio para lá.

Também participou do processo de emancipação do município, ocorrido em 1960,como presidente da Comissão de Honra.

Depois que foi para Rondinha, pouco se ouvia falar dele.

Mas os padres são assim: vão e deixam suas marcas, ou ruins, ou boas.
Assim, como os prefeitos, os delegados, etc...

Em Rondinha, ficou célebre pela obra que nos anos 90 conseguiu levantar com seus paroquianos: copiaram a Biblia à mão...Estes dias ela estava exposta no térreo da Assembléia Legislativa do Estado pra quem quisesse ver.

Levaram 4 ou 5 anos para fazer isto...

O padre ainda vive...está com mais de oitenta anos. Tinha ido para a Itália, mas depois resolveu regressar.

Vive em Rondinha,ainda.

 

Lançada a Frente Parlamentar de Renovação das Concessões Públicas de Energia Elétrica

 

 

A Assembleia Legislativa lançou, nesta quarta-feira, a Frente Parlamentar para a Renovação das Concessões Públicas de Energia Elétrica. Liderada pelo deputado Adroaldo Loureiro (PDT), com a participação e o apoio de outros 40 parlamentares, a Frente tem por objetivo a formação de um movimento político em defesa das estatais de energia, de modo a permitir a renovação de contratos que vencem em 2015.



É um tema da mais alta importância em um país que possui uma matriz energética invejável, construída com muito sacrifício?, disse Loureiro. De acordo com o parlamentar, a Constituição Federal prevê a obrigatoriedade de licitação para serviços de concessão de energia elétrica, o que vem causando insegurança com relação à renovação dos contratos. "Cinco anos parecem longe, mas estão logo ali", disse o parlamentar. Duas proposições que tramitam no Congresso Nacional, por iniciativa do deputado federal Vieira da Cunha (PDT-RS) pretendem alterar a legislação sobre o tema, possibilitando a renovação das concessões nos serviços de geração, transmissão e distribuição de energia por empresa pública.

Conforme Loureiro, além de lutar pela aprovação das matérias, a Frente Parlamentar buscará sensibilizar outros parlamentos estaduais a tomar iniciativas similares, encaminhar audiências com autoridades federais do setor e divulgar à sociedade a importância das renovações. O presidente da CEEE, Sérgio Camps de Moraes, elogiou a atitude da Assembleia, reforçando que o Brasil vive fase de crescimento econômico, o que demanda investimentos em energia.

Participaram da instalação os deputados Giovani Cherini (PDT), presidente do Legislativo, Ciro Simoni (PDT), Adão Villaverde (PT), Raul Pont (PT), Heitor Schuch (PSB), Fabiano Pereira (PT) e Pedro Westphalen (PP), além de representantes de estatais do setor elétrico (Copel, do Paraná; e Eletrosul); associações de servidores da Ceee; entidades sindicais como Sintec, Sindaergs, Senge e Sinergisul, além do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea).

Joao Roberto Silvestre

 

 

Show de lançamento

 

O músico e compositor Léo Ferlauto faz show de seu mais recente trabalho o Cd "Simples_mente" na quinta-feira (15/04), 22h, no Sgt Peppers Pub (rua Dona Laura, 329). O bar abre às 21h e o valor do ingresso é de 15 reais.




Léo Ferlauto sente-se em casa no Sgt Peppers Pub, durante 12 anos foi o tecladista da banda dos Corações Solitários. Performático, energético, inspirado e transgressor Léo Ferlauto anda animadíssimo com as três indicações que recebeu para o Prêmio Açorianos de Música na categoria Pop-Rock como: melhor compositor, melhor intérprete e melhor disco por Simples_mente (2009). Enquanto o resultado não chega, Léo mostra a quem quiser ver o repertório de seu elogiado Cd.
A banda que acompanha Léo Ferlauto é Renato Mujeiko (baixo), Álvaro Luthi (violão e guitarra) e Bebeto Mohr (bateria)

 




 

A " Alemoa" do espanhol!

 



Se há alguém que o "Espanhol "( Alfonso Abraham)teme, esta é sua esposa, que ele chama de Alemoa.A "Alermoa" esteve de cumpleanos no dia 30/03, teve festa e tudo, mas não deu pra eu ir. Eu fiquei sabendo que o Ayres Cerutti foi. É que a Alemoa está fazendo um barzinho no prédio da ARI.
Esperemos que este barzinho, no térreo do prédio da ARI, venha logo!

 

 

O Golpe de 64....

 

 

O guardinha da casa
nada sabia do que ali
se passara 46 anos antes


Saio nesta sexta-feira, dia 0204, e Porto Alegre está deserta, desertinha, como sempre ocorre nestes grandes feriadões. Subo a Nilo Peçanha(moro em Petrópolis) e sigo pela Carlos Gomes. Pego a Dom Pedro e na Cristóvão Colombo depois de apenas duas quadras, chego a uma casa de alvenaria, grande, de estilo sóbrio. Ali é o número 3232 da Cristóvão Colombo,esquina com a rua Carlos Von Koseritz, um bairro de Porto Alegre onde moram muitos alemães.
Fiz o trajeto para chegar à casa justamente porque ali, há 46 anos atrás, pouco depois do amanhecer , um presidente da República, depois de uma noite de discussões e troca de idéias, havia resolvido abandonar o país - o cargo de presidente já lhe haviam surrupiado em Brasília -e seguir para o exílio. Havia decidido ir para o Uruguai, mas antes deu um tempo em São Borja.

É claro que falo do ex-presidente João Goulart.

Pergunto ao guardinha que vigia na guarita nesta sexta-feira santa de 2010:
- O senhor sabe quem foi Jango?
- Não, nem eu tinha nascido, nem sei quem foi,diz sem conversar muito.

Como há 46 anos atrás, a casa ainda é residência oficial do comandante do III EXército.

Hoje não sei quem é , mas em 1964, era o General Ladário Telles, que fora empossado no cargo poucos dias antes do Golpe.( Há quem diga que se ele tivesse feito isto antes, o Golpe não teria vingado!)
Meu colega e amigo Assis Waldir Hoffmann, já repórter fotográfico crescido em 1964, tem exata noção do que ocorrera ali na noite do dia 1 para dois de abril. Ele ficou de campana do lado de fora da casa esperando para fazer fotos para a revista Manchete.

- Quando chegamos lá naquela noite, víamos as pessoas dentro de casa estourando champagne porque havia a informação de que o presidente Jango chegaria e anunciaria a resistência ao Golpe. Mas quando amanhecia, ví gente chorando lá dentro e aí entendi logo que o presidente decidira rumar para o exílio. E, seguida, começaram a colocar malas nos carros que estavam estacionados na rua...

Assis,que não é um homem culto, mas é muito inteligente, lembra que alguns assessores do presidente ainda tentaram passar um cachorro na imprensa, despistando,dizendo que o presidente iria inspecionar as obras da Refinaria Alberto Pasqualini.

Mas houve pelo menos um camara, Odilon Lopes( já falecido) que não embarcou na versão e acompanhou e filmou Jangto no aeroporto embarcando para S. Borja.

Os demais colegas de reportagem foram todos esperar Jango na Refinaria Alberto Pasqualini....

Voltando a sexta,agora, de 2010, o guardinha não me dá muita conversa e vejo que dali não tenho mais o que tirar....
Pergunto a alguns moradores da Carlos Von Koseritz se sabiam o que tinha ocorrido naquela rua e naquela casa 46 anos atrás, justamente num amanhecer de dois de abril???Nada, ninguém sabe nada...

Agora este escriba dá uma sugestão: porque o prefeito Fortunatti não manda colocar uma plaquinha com esta referência na casa....Eu sei que ela é do Exército, mas é uma referência histórica....

 


Coleguinhas

 


* Coleguinhas que almoçaram com integrantes da RBS de Brasília na quinta, dia 1/04, saíram com a impressão de que a empresa acha a eleição da Ana Amélia Lemos quase como favas contadas..." Ela será a segunda oção de muita gente, até de quem votar no candidato do PT" interpretam os ex-colegas da " Meméia".
Mas em caso de não eleição da colunista estes mesmos coleguinhas acham que ela voltará ao seu posto antigo...na Capital Federal.

* Está se tornando imperdível o comentario do Fábio Marçal no programa do Mendelski na Guaíba. Como não é gravado, aí está justamente sua graça....

*Quando é que o Armando Burd começa a escrever,finalmente, no O SUL?

* Coleguinha aquele que deixou a feira de Nâo Me Toque, dias atrás, pra ir a um encontro em Camobi (SMaria) e regressar cedissimo no outro dia pra entrar no programa de rádio não é marinheiro de primeira viagem. Já aprontou outras, pra outra e uma vez se deu muito mal por casua disto. Mas ele gosta, gosta de grandes emoções.....


*Meu amigo Deco Molina da Butui FM, de S. Borja, é fã do Flávio Alcaraz Gomes e lamenta que o Sul não chegue à Terra dos Presidentes pra ele poder ler a coluna diária do seu ídolo....

Deco apresenta o programa de nativismo NA BOCA DA NOITE, que é sucesso de audiência nas tardes-noite de S. Borja e região.

Há outro comunicador em S. Borja com o nome de Deco. Este é Almeida e tem uma coluna social na Folha de São Borja, o jornal que completou 40 anos dias atrás....Deco Almeida é também diretor de Assuntos Culturais da prefeitura....é irmão do Farelo, um vereador bom de voto na cidade....

* Depois que voltou de PortoAlegre, onde veio participar de um encontro de vereadores do interior, o chefe de gabinete do vereador Celso Lopes,Letier Vivian tem sido visto pensando, pensando...Será que quer se mudar pra capital do estado?Quem sabe o " Camundongo" não dá uma graninha a mais pro meu amigo Letier permanecer na Terra dos Presidentes. Quando o Celso ( Celsinho pros intimos) for candidato a prefeito v ai precisar do Letier pra coordenar a campanha....

 

Feriadão de Luxo no Litoral Catarinense

 


Por Luiz Oscar Matzenbacher


O início do feriadão da Páscoa foi fantástico em Porto Belo e Bombinhas. Muitos gaúchos ainda confundem, mas Bombinhas já é município próprio. Tomou de Porto Belo todas as praias situadas ao Sul e ao Leste de Bombas, ou seja o filé mignon do litoral catarinense.

 


Em Bombinhas, além da sol, do mar azul, transparente e da gauchada chegando aos poucos, a temperatura da água era superior a 25º Celsius. Em Bombas a água estava cristalina, desde quarta-feira. Não parecia água do mar, pois nem esverdeada estava. Era totalmente transparente. Incrível, talvez só nas Ilhas do Pacífico Sul exista uma água do mar tão cristalina, como se fosse atmosfera e não o oceano.
No sábado a temperatura caiu um pouco, ficou nublado e o mar ficou prateado.
Mas as previsões de uma invasão dos gaúchos no Litoral Catarinense nessa Páscoa não se confirmaram. De Porto Alegre a Florianópolis nenhum congestionamento daqueles grandes, na BR-101. No Carnaval sim, muitos chegaram a levar 12 horas para percorrerem esses 448 quilômetros entre Porto Alegre e Floripa. Mas, agora, na Páscoa, foi no máximo de sete a oito horas de viagem. É possível que os grandes congestionamentos do Carnaval tenham inibido o fluxo de gaúchos nessa Páscoa. A previsão é que na volta, no retorno, nessa segunda-feira pela manhã, possa haver algum congestionamento maior na BR-101.
Um fator que melhorou bastante, foi a redução dos trechos não duplicados. De Florianópolis até Torres já são menos de 80 quilômetros sem duplicação dos 250 quilômetros totais nesse trecho, na BR-101. O Governo Federal promete que 90% do trecho entre Florianópolis e Torres - na BR-101 - estará duplicado até o próximo veraneio.

Cultura Sem Fronteiras

 

 

O projeto Cultura Sem Fronteiras apresenta, no dia 15 de abril, em Santa Maria, um concerto com a Orquestra de Câmara Theatro São Pedro, Renato Borghetti, Geraldo Flach e Plauto Cruz. O espetáculo, com entrada franca, acontece no Centro de Eventos do Park Hotel Morortin, a partir das 20h30. As senhas estarão à disposição para retirada a partir do dia 12 abril, na Planalto Turismo (Rua Venâncio Aires, 2741). O concerto tem patrocínio da PLANALTO TRANSPORTES e PLANALTO ENCOMENDAS, por meio do financiamento da Lei Federal de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura. A realização é da Cida Planejamento Cultural e conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Santa Maria, através da Secretaria da Cultura e Park Hotel Morotin. A Orquestra de Câmara Theatro São Pedro, sob a regência de Antônio Carlos Borges-Cunha, divide o palco com os solistas Renato Borghetti (Gaita Ponto), Geraldo Flach
(teclados) e Plauto Cruz (flauta), que interpretam gêneros populares, como a milonga, o baião, o chorinho e a MPB. No repertório, Joana Francesa, de Chico Buarque; Asa Branca, de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira;Milonga para as Missões, de Gilberto Monteiro; Lamentos, de Pixinguinha e Doce de Coco, de Jacob do Bandolim são algumas das composições consagradas presentes.

PROGRAMA Plauto CruzLamentos

(Pixinguinha)Doce de Coco (Jacob do Bandolim)Odeon (Ernesto Nazareth) - Arr.: Maurício CarrilhoRosa (Pixinguinha) – Arr.: NevesMigalha de Amor (Jacob do Bandolim)Brasileirinho (Waldir Azevedo) - Arr.: Maurício Carrilho Geraldo FlachJoana Francesa (Chico Buarque) - Arr: Geraldo FlachBaiãozinho (Geraldo Flach) - Arr: Vagner CunhaChoro por Julio (Geraldo Flach) - Arr: Geraldo FlachO Vôo da Águia (Geraldo Flach) - Arr: Vagner CunhaAsa Branca (L. Gonzaga/ H. Teixeira) - Arr: Geraldo FlachEncontros e despedidas (M. Nascimento/ F. Brand) - Arr: Geraldo Flach Renato BorghtettiTaquito Militar (Mariano Mores) - Arr.: Daniel SáMilonga para as Missões (Gilberto Monteiro)Barra do Ribeiro (Guinha Ramires) - Arr.: Arthur BarbosaRedomona (Os Serranos)Mercedita (R. S. Rios) - Arr.: Paulo DorfmanRancheirinha (Gerando Flach) - Arr.: Geraldo Flach Regente: Antônio Carlos Borges-Cunha Cultura Sem
FronteirasConcerto com a Orquestra de Câmara Theatro São Pedro, Renato Borghetti, Plauto Cruz e Gerado Flach

Dia 15 de abril às 20h30

Local: Centro de Eventos do Park Hotel Morotin - Santa Maria / RS ENTRADA FRANCA – as senhas poderão ser retiradas a partir de 12 abril na Planalto Turismo (Rua Venâncio Aires, 2741 – Santa Maria)

Patrocínio: PLANALTO TRANSPORTES e PLANALTO ENCOMENDASApoio: PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA, através daSECRETARIA DA CULTURA e PARK HOTEL MOROTIN

Financiamento: LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA – MINISTÉRIO DA CULTURA
Realização: CIDA PLANEJAMENTO CULTURAL www.cidaplanejamentocultural.com.br

VEREADOR DÁ ENCAMINHAMENTO À REIVINDICAÇÃO DA ESCOLA REPÚBLICA ARGENTINA

 

 

O vereador Celso Lopes, encaminhou ao Chefe do Executivo, requerimento, atendendo a reivindicação da Escola Municipal República Argentina, localizada no bairro do Passo, que solicita que aquele educandário seja transformado em Escola de Turno Integral.

Celso argumenta que a adequação naquela escola é relevante pois é atendida uma população realmente carente de nossa cidade, em especial da Vila Santa Rosa. “As crianças e jovens desta comunidade estão em situação de vulnerabilidade social. Com a escola de turno integral podemos afastar nossos estudantes dos malefícios ocasionados pelo uso de entorpecentes, e, principalmente, oportunizando uma melhor qualidade de vida”. O vereador pedetista ainda salienta que uma escola integrada com a comunidade oferta uma gama de serviços de alta relevância social, capaz de transformar a vida daqueles que ali realizam seus estudos, obtendo educação de qualidade, com a prática de esportes, atendimento médico/odontológico, aulas de acompanhamento, noções de cidadania e alimentação balanceada.

Assim como a Escola Municipal República Argentina, outros estabelecimentos de ensino merecem nossa atenção. Também foi requerido por Celso, ao executivo, que a Escola Municipal Ubaldo Sorrilha da Costa, que atende aproximadamente 560 estudantes das Vilas Progresso, Arneldo Matter, Ernesto Dornelles, Arno Andres e Complexo Habitacional Mário Weis, passe a atender em turno integral.

O Vereador Celso finaliza suas proposições afirmando que não faltam motivos para que seja atendida a solicitação da Escola República Argentina e seu requerimento sobre a Escola Ubaldo Sorrilha da Costa. Celso ainda declara: Nos somamos à causa da educação e das escolas municipais de turno integral em nosso município, agora é verificar as disponibilidades orçamentárias da administração municipal, através da Secretaria competente, e torcemos para que brevemente este sonho seja transformado em realidade”.


Entre em contato conosco.
Faça sua reivindicação, crítica ou sugestão para construirmos um mandato democrático e popular.
E-mail: celsolopes12@yahoo.com.br
Telefones: Gabinete: 3431-1435
Celular: 9943-7597
Visite nosso Gabinete na Câmara de Vereadores.
www.camarasaoborja.com.br

 

 

 

Memória

 

 

A presença de Matheus Schmidt em
São Borja!

 

O ex-deputado federal e ex-secretário estadual dos transportes, Matheus Schmidt, desaparecido aos 84 anos no útlimo dia 27 de março, sempre fez um grande esforço para estar presente nos eventos trabalhistas realizados na " Terra dos Presidentes".
Mesmo nas ocasiões em que tinha outros compromissos partidários ele fazia um enorme esforço´para prestigiar, com sua presença, os companheiros de partido.

As fotos a seguir testemunham esta presença de Matheus Schmidt em São Borja.

Elas foram tiradas em momentos diferentes, conforme explicam as legendas.


Acervo de Neuza Penalvo, de São Borja

" Matheus Schmidt com a juventude trabalhista. Ele é o sexto, da esquerda para a direita. Local Avenida Presidente Vargas, 2033, onde hoje está o Museu João Goulart. Ali, dizem os mais antigos, ocorreram as primeiras reuniões para a fundação do antigo Partido Trabalhista Brasileiro(PTB) de São Borja. A casa pertencia ao Cel. Vicente Goulart, que era o pai do ex-presidente Jango Goulart."

Acervo de Neuza Penalvo, de São Borja

" Reunião política na casa de Percy Penalvo, localizada na av. Getúlio Vargas, 2033, atual Museu João Goulart."

Acervo de Neuza Penalvo, de São Borja

Da esquerda para a direita, Florêncio Aquino Guimarães, Oneron da Rocha,Matheus Schmidt e Percy Penalvo.

Acervo de Neuza Penalvo, de São Borja

Matheus Schmidt com a juventude no pátio da casa amarela.

Acervo de Neuza Penalvo, de São Borja

Matheus Schmidt com juventude trabalhista, durante campanha a deputado federal.



Acervo de Neuza Penalvo, de São Borja

Leonel Brizola, Carlinhos Fernandes(filho da Emilia Fernandes) Percy Penalvo e Matheus Schmidt no Parque de Exposições Serafim Dornelles Vargas.

 

Acervo de Neuza Penalvo, de São Borja

No aeroporto João Manoel( ex-Leonel Brizola) Percy Penalvo, Matheus Schmidt e Waldir Pires. Também está na foto Alba Rita Batanolli Lima (mãe do cantor Mano Lima)

Acervo de Neuza Penalvo, de São Borja

Sede do PDT (centro) de S. Borja.Aparecem entre outros, o deputado federal Pompeo de Mattos, Adroaldo Loureiro(deputado estadual) Leonel Brizola,Matheus Schmidt(discursando) Emília Fernandes, Sereno Chaise, Percy Penalvo,entre outros. Também está na foto Pedro Ruas.

 

 

Horror carioca

 

Recebo carta do Rio de Janeiro me dando conta da situação provocada pelas chuvas: " Todos em casa, todas as aulas foram cancelas , escolas, universidades. Horrível. Estamos ilhados.Tudo alagado.As pessoas dormiram nos empregos. Não conseguiram chegar em casa. Ninguém foi trabalhar, hoje(ontem). Tudo parado!!!!...Caos total....."

 

 

Há dezessete anos falecia

Neusa Goulart Brizola

 


Foi na semana santa de 1993, no dia 7 de abril, que faleceu,aos 72 anos, no Rio de Janeiro, a esposa do ex-governador Leonel de Moura Brizola. Filha de Vicente Goulart e de dona Vicentina, ela nasceu em 22 de janeiro de 1921, em São Borja, numa família abastada.

Em Porto Alegre, conheceu o jovem e impetuoso engenheiro Leonel de Moura Brizola, que vinha de Cruzinha(Carazinho) para estudar na capital do Estado.Embora de extratos sociais bem diversos, a união deu certo e dela
nasceram três filhos:José Vicente, Otávio e Neusa Maria.

Neusa Goulart Brizola foi enterrada em S. Borja, no jazigo da família.

Era a mais velha das cinco irmãs.

 

As quatro irmãs costumavam ir ao Uruguai - quando Jango e Brizola estavam asilados lá - visitar os irmãos Jango e Neusa. Tinham este costume: primeiro visitavam Jango, na Estância El Rincon, em Tacuarembó e de lá Percy Penalvo as levava até Durazno ao encontro da irmã,Neusa e do cunhado, Leonel Brizola.

 

Acervo de Neuza Penalvo.

Da direita para a esquerda , Yolanda Goulart, Sylla Goulart do Valle,Celeste Penalvo, Neusa Goulart Brizola, Maria Goulart Dornelles e Elfrides Goulart Macedo.

Local: Estância em Durazno, no Uruguai.
Data entre os anos de 1977 ou 1978. Leonel Brizola fora expulso do Uruguai e Neusa ,sua esposa, foi a Durazno.

 

acervo de Neuza Penalvo.

D. Neusa Goulart Brizola, Percy e Celeste Penalvo


" Declaração de Leonel Brizola a Tarso de Castro para o jornal Enfim, em Nova Iorque, em 1979"

 

 

Coleguinhas

 


Será que a " Meméia" chegará lá?


Ana Amélia Lemos, a Meméia dos amigos e colegas, não fez feio na primeira pesquisa Datafolha para o Senado: está com 31% das intenções de voto, atrás de Paulo Paim(PT) e do provável candidato do PMDB, o ex-governador Germano Rigotto.

Em Brasília, nas rodas dos jornalistas, principalmente no almoço do Stella Grill, estes dias um "corneteiro" levou uma lista de comunicadores que não deram certo - não se elegeram - na política partidária.

Será que isto acontecerá com a " Meméia"!

Particularmente vi um grande comunicador que não deu certo na política: Francisco Paulo Santana.

Num domingo estávamos na redação da Zero Hora, perto do meio-dia, eu ali , de plantão, fazendo matéria e ele como um rato de redação por ali,fumando,quando soou o telefone. Era um eleitor do Santana, desde Santiago do Boqueirão. Por sorte o Santana estava na redação do meu lado.
O leitor-eleitor do Santana estava p....da vida com a coluna daquele domingo do Santana. Me parece que haveria um GreNal, de tarde, algo assim.

Santana, ouviu atentamente no telefone, depois deu uma desligada e desabafou para mim:

- É por isto que nunca mais vou me meter em política partidária!!!!

 

 

Fim de semana terá “Domingo no Campo” na Capital




Uma opção diferente, fora do centro urbano, junto à natureza e à paisagem da Zona Sul da Capital, fará parte do lazer aos finais de semana em Porto Alegre. A novidade será conhecida a partir deste domingo, 11, quando porto-alegrenses e turistas poderão embarcar no ônibus de transporte turístico que sairá às 10h da Av. Osvaldo Aranha, próximo à unidade do Serviço de Atenção ao Turista (SAT) do Mercado do Bom Fim, junto ao Parque da Redenção, para conhecer atrativos naturais e de pequenas propriedades da rota turística Caminhos Rurais de Porto Alegre.

Esta será a primeira edição dos passeios “Domingo no Campo – Uma volta às origens sem sair da cidade”. O programa será oferecido todos os domingos. O ônibus sairá sempre do mesmo local, com retorno previsto para as 17h, no mesmo ponto do embarque.

Três propriedades - A cada domingo será realizado um roteiro diferente, sempre orientado por guia de turismo. Na primeira edição, Domingo no Campo levará os participantes do passeio a três pequenas propriedades rurais. Duas paradas ocorrerão no bairro Lami, para uma visita à Granja Santo Antônio, de produção ecológica da hortifrutigranjeiros, e à Granja Lia, onde haverá almoço. No bairro Lageado, o desembarque será na Cabanha La Paloma, onde os visitantes encontrarão uma paisagem típica das fazendas do interior gaúcho. Dedicada à hospedagem de cavalos, a propriedade é a promotora das consagradas Cavalgadas da Lua Cheia. Interessados em passar um Domingo no Campo sem sair da cidade poderão adquirir o pacote no domingo junto ao local de embarque ou fazer reserva antecipada pelo telefone (51) 3348.1649 ou pelo e.mail alo@rotacultural.com.br. O custo por pessoa será de R$ 55 e crianças de até 5 anos serão isentas. O almoço será opcional, a R$ 15.

Turismo rural - A oferta de passeios semanais a partir de um dos locais mais freqüentados da cidade aos domingos tem o objetivo de incrementar a visitação à rota de turismo rural da Capital. Caminhos Rurais de Porto Alegre conta cerca de 40 propriedades e atrativos, com serviços e alternativas de lazer diversificadas como cantinas de produtos coloniais e artesanato, restaurantes, hospedarias, haras, campings, centros de tradições gaúchas, festas típicas anuais, áreas de preservação ambiental, espaços para trilhas, caminhadas e pesca. O programa Domingo no Campo é promovido pela Associação Porto Alegre Rural e operado pela agência de viagem Rota Cultural e a transportadora Turisilva com o apoio das secretarias municipais de Turismo (SMTUR), da Produção, Indústria e Comércio (SMIC) e a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).


Domingo, 11
O que: primeiro passeio do programa “Domingo no Campo – Uma volta às origens sem sair da cidade”
Hora: 10h
Local: Av. Osvaldo Aranha, próximo à unidade do Serviço de Atenção ao Turista (SAT) do Mercado do Bom Fim, junto ao Parque da Redenção



Eliana Zarpelon (MTb 3821)

 

 

MOVIMENTO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS/Brasil INFORMA:

GENERAL RESPONDE A MIRIAN LEITÃO

Resposta do General Torres de Melo à carta da jornalista.

À Senhora Jornalista Miriam Leitão

Li o seu artigo "ENQUANTO ISSO", com todo cuidado possível.
Senti, em suas linhas, que a senhora procura mostrar que os MILITARES BRASILEIROS de HOJE, são bem diferentes dos MILITARES BRASILEIROS de ONTEM.

Penso que esse é o ponto central de sua tese. Para criar credibilidade nas suas afirmativas, a senhora escreveu: "houve um
tempo em que a interpretação dos militares brasileiros sobre LEI E ORDEM era rasgar as leis e ferir a ordem.

Hoje em dia, eles demonstram com convicção terem aprendido o que não podem fazer".

Permita-me discordar dessa afirmativa de vez que vejo nela uma injustiça, pois fiz parte dos MILITARES DE ONTEM e nunca vi os meus camaradas militares rasgarem leis e ferir a ordem.
Nem ontem nem hoje.

Vou demonstrar a minha tese.

No Império, as LEIS E A ORDEM foram rasgadas no Pará, Ceará, Minas, Rio, São Paulo e Rio Grande do Sul pelas paixões
políticas da época.

AS LEIS E A ORDEM foram restabelecidas pelo Grande Pacificador do Império, um Militar de Ontem, o Duque de Caxias, que
com sua ação manteve a Unidade Nacional.

Não rasgamos as leis nem ferimos a ordem. Pelo contrário.

Vem a queda do Império e a República.
Pelo que sei, e a História registra, foram políticos que acabaram envolvendo os velhos Marechais Deodoro e Floriano nas lides políticas.
A política dos governadores criando as oligarquias regionais, não foi obra dos Militares de Ontem, quando as leis e a ordem foram rasgadas e feridas pelos donos do Poder, razão maior das revoltas dos tenentes da década de 20, que sonhavam com um Brasil mais democrático e justo.

Os Militares de Ontem ficaram ao lado da lei e da Ordem.
Lembro à nobre jornalista que foram os civis políticos que fizeram a revolução de 30, apoiados, contudo, pelos tenentes revolucionários, menos Prestes, que abraçou o comunismo russo.

Veio a época getuliana, que, aos poucos, foi afastando os tenentes das decisões políticas.

A revolução Paulista não foi feita pelos Militares de Ontem e sim pelos políticos paulistas que não aceitavam a ditadura de Vargas.

Não foram os Militares de Ontem que fizeram a revolução de 35 (senão alguns, levados por civis a se converterem para a ideologia vermelha, mas logo combatidos e derrotados pelos verdadeiros Militares de Ontem); nem fizeram a revolta de 38; nem deram o golpe de 37.

Penso que a senhora, dentro de seu espírito de justiça, há de concordar comigo que foram as velhas raposas
GETÚLIO - CHICO CAMPOS - OSWALDO ARANHA e os chefetes que estavam nos governos dos Estados, que
aceitaram o golpe de 37.

Não coloque a culpa nos Militares de Ontem.
Veio a segunda guerra mundial. O Nazismo e o Fascismo tentam dominar
o mundo. Assistimos ao primeiro choque da hipocrisia da esquerda.

A senhora deve ter lido - pois àquela época não seria nascida -, sobre o acordo da Alemanha e a URSS para dividirem a pobre Polônia e os sindicatos comunistas do mundo ocidental fazendo greves contra os seus próprios países a favor da Alemanha por imposição da URSS e a mudança de posição quando a "Santa URSS" foi invadida por Hitler.

O Brasil ficou em cima de muro até que nossos navios (35) foram afundados.

Era a guerra, a FEB e seu término.

Getúlio - o ditador - caiu e vieram as eleições.
As Forças Armadas foram chamadas a intervir para evitar o pior.
Foram os políticos que pressionaram os Militares de Ontem para manter a ordem.
Não rasgamos as leis nem ferimos a ordem.

Chamou-se o Presidente do Supremo Tribunal Federal para, como Presidente, governar a transição.
Não se impôs MILITAR algum.

O mundo dividiu-se em dois. O lado democrático, chamado pelos comunistas de "imperialistas", e o lado comunista com as
suas ditaduras cruéis e seus celebres julgamentos "democráticos" .
Prefiro o primeiro e tenho certeza de que a senhora, também.
No lado ocidental não se tinham os GULAGs.
O período Dutra (ESCOLHIDO PELOS CIVIS E ELEITO PELO VOTO DIRETO DO POVO) teve seus erros - NUNCA CONTRA A LEI E A ORDEM - e virtudes como toda obra humana.

A colocação do Partido Comunista na ilegalidade foi uma obra do Congresso Nacional por inabilidade do próprio Carlos
Prestes, que declarou ficar ao lado da URSS e não do Brasil em caso de guerra entre os dois países.

Dutra vivia com o "livrinho" (a Constituição) na mão, pois os políticos, nas suas ambições, queriam intervenções em alguns Estados , inclusive em São Paulo. A senhora deve ter lido isso, pois há vasta literatura sobre a História daqueles idos.

Novo período de Getúlio Vargas. Ele já não tinha mais o vigor dos anos trinta. Quem leu CHATÔ, SAMUEL WEINER (a senhora
leu?) sente que os falsos amigos de Getúlio o levaram à desgraça.

Os Militares de Ontem não se envolveram no caso, senão para investigar os crimes que vinham sendo cometidos sem apuração pela Polícia; nem rasgaram leis nem feriram a ordem.

Eram os políticos que se digladiavam e procuravam nos colocar como fiéis da balança. O seu suicídio foi uma tragédia
nacional, mas não foram os Militares de Ontem os responsáveis pela grande desgraça.

A senhora permita-me ir resumindo para não ficar longo.

Veio Juscelino e as Forças Armadas garantiram a posse, mesmo com pequenas divergências.
Eram os políticos que queriam rasgar as leis e ferir a ordem e não os Militares de Ontem.

Nessa época, há o segundo grande choque da esquerda.

No XX Congresso do Partido Comunista da URSS (1956) Kruchov coloca a nu a desgraça do stalinismo na URSS. Os intelectuais esquerdistas ficam sem rumo.

Juscelino chega ao fim e seu candidato perde para o senhor Jânio Quadros. Esperança da vassoura. Desastre total.
Não foram os Militares de Ontem que rasgaram a lei e feriram a ordem.
Quem declarou vago o cargo de Presidente foi o Congresso Nacional.. A Nação ficou "ao Deus dará".

Ameaça de guerra civil e os políticos tocando fogo no País e as Forças Armadas divididas pelas paixões políticas,
disseminadas pelas "vivandeiras dos quartéis" como muito bem alcunhou Castello.

Parlamentarismo, volta ao presidencialismo, aumento das paixões políticas, Prestes indo até Moscou afirmando que já estavam no governo, faltando-lhes apenas o Poder.
Os militares calados e o chefe do Estado Maior do Exército (Castello) recomendando que a cadeia de comando deveria ser mantida de qualquer maneira.

A indisciplina chegando e incentivada dentro dos Quartéis, não pelos Militares de Ontem e sim pelos políticos de esquerda; e as
vivandeiras tentando colocar o Exército na luta política.

Revoltas de Polícias Militares, revolta de sargentos em Brasília, indisciplina na Marinha, comícios da Central e do Automóvel Clube representavam a desordem e o caos contra a LEI e a ORDEM.

Lacerda, Ademar de Barros, Magalhães Pinto e outros governadores e políticos (todos civis)incentivavam o povo à revolta.
As marchas com Deus, pela Família e pela Liberdade (promovidas por mulheres) representavam a angústia do País.
Todo esse clima não foi produzido pelos MILITARES DE ONTEM.

Eles, contudo, sempre à escuta dos apelos do povo, pois ELES são o povo em armas, para garantir as Leis e a Ordem.
Minas desce. Liderança primeira de civil; era Magalhães Pinto. Era a contra-revolução que se impunha para evitar que o
Brasil soçobrasse ao comunismo.

O governador Miguel Arraes declarava em Recife, nas vésperas de 31 de março: haverá golpe. Não sabemos se
deles ou nosso.
Não vamos ser hipócritas. A senhora, inteligente como é, deve ter lido muitos livros que reportam a luta política daquela
época (exemplos: A Revolução Impossível de Luis Mir - Combates nas Trevas de Jacob Gorender - Camaradas de William Waack - etc).

E sabe que a esquerda desejava implantar uma ditadura de esquerda. Quem afirma é Jacob Gorender.
Diz ele no seu livro: "a luta armada começou a ser tentada pela esquerda em 1965 e desfechada em definitiva a partir de 1968"..
Não há, em nenhuma parte do mundo, luta armada em que se vão plantar rosas e é por essa razão que GORENDER afirma:
"se quiser compreendê-la na perspectiva da sua história, A ESQUERDA deve assumir a violência que praticou". Violência gera violência.
Castello, Costa e Silva, Médici, Geisel e João Figueiredo com seus erros e virtudes desenvolveram o País.
Não vamos perder tempo com isso. A senhora é uma economista e sabe bem disso.

Veio a ANISTIA.
João Figueiredo dando murro na mesa e clamando que era para todos; e Ulisses não desejando que Brizolla, Arraes e outros
pudessem tomar parte no novo processo eleitoral, para não lhe disputarem as chances de Poder. João bateu o pé e todos tiveram direito, pois "lugar de Brasileiro é no Brasil", como dizia.

Não esquecer o terceiro choque sofrido pela a esquerda: Queda do Muro de Berlim, que até hoje a nossa esquerda não sabe desse fato histórico.
Diretas já.
Sarney, Collor com seu desastre, Itamar, FHC, LULA e chegamos aos dias atuais.

Os Militares de Hoje, silentes, que não são responsáveis pelas desgraças que vivemos agora, mas sempre
aguardando a voz do Povo. Não houve no passado, nem há, nos dias de hoje, nenhum militar metido em roubo, compra de voto,
CPI, dólar em cueca, mensalões ou mensalinhos. Não há nenhum Delúbio, Zé Dirceu, José Genoíno, e que tais.

O que já se ouve, o que se escuta é o povo dizendo: SÓ OS MILITARES PODERÃO SALVAR A NAÇÃO.
Pois àquela época da "ditadura" era que se era feliz e não se sabia...
Mas os Militares de Hoje, como os de Ontem, não querem ditadura, pois são formados democratas. E irão garantir a Lei e a Ordem, sempre que preciso.
Os militares não irão às ruas sem o povo ao seu lado.
OS MILITARES DE HOJE SÃO OS MESMOS QUE OS MILITARES DE ONTEM.

A nossa desgraça é que políticos de hoje - as exceções justificando a regra - são ainda piores do que os de ontem.
São sem ética e sem moral, mas também despudorados.

E o Brasil sofrendo, não por conta dos MILITARES, mas de ALGUNS POLÍTICOS - uma corja de canalhas, que rasgam as leis e criam as desordens.

Como sei que a senhora é uma democrata, espero que publique esta carta no local onde a senhora escreve os seus artigos,
que os leio atenta e religiosamente, como se fossem uma Bíblia. Perfeitos no campo econômico, mas não muitos católicos ou
evangélicos no campo político por uma razão muito simples: quando parece que a senhora tem o vírus de uma reacionária de esquerda.

Atenciosa e respeitosamente,

GENERAL-DE-DIVISÃO REFORMADO DO EXÉRCITO

FRANCISCO BATISTA TORRES DE MELO.

(Um militar de ontem, que respeita os militares de hoje, que pugnam pela Lei e a Ordem).

Coleguinhas

 

Os " caminhoneiros da Borregaard" queriam

bater o brim n o Zé Carneiro Lopes

José Cezenário Carneiro Lopes, natural de Cruz Alta, nascido em 03.08.1943,era um repórter atípico. Assim,como conseguia um grande furo, também dava uma grande "barrigada".Trabalhou como repórter policial na rádio Gaúcha, no jornal Zero Hora( por um pouco de tempo) e depois foi "assistente superior de divulgação" da Assembléia Legislativa do Estado.

Como repórter era de linha de frente.

Em 1973, quando o secretário da Saúde, Jair Soares, tomou a decisão de fechar a fábrica de celulose em Guaíba a Borregaard Zé Carneiro Lopes teve que ir pra linha de frente e entrevistar os caminhoneiros que transportavam as acácias para a fábrica e que com seu fechamento ficaram desempregados.

Quando um grupo de caminhoneiros, trafe gando pela BR-290, viu o logotipo no fusquinha que andava perto deles, da rádio Gaúcha, e reconheceram que ali estava o "inimigo" que havia lutado pra fechar a fábrica, quiseram " bater o brim" no repórter. O motorista do Zé Carneiro conseguiu sair fora, mas por pouco...

Assim como tinha estes grandes lances, Zé Carneiro também tinha outros onde "fraquejava". De uma feita, seu editor no Correspondente Maisonave fez contato com ele e lhe disse que o noticioso da rádio Gaúcha estava fraco naquele começo de tarde. Lido pelo locutor José Oldair, o "Maisonave" era o principal noticioso do Estado, só perdendo para o Renner da Guaíba.

Zé Carneiro Lopes nao teve dúvidas. " Inventou" uma notícia. Mandou pra editoria um "acidente" que não acontecera na esquina da av. Borges de Medeiros, com a Ipiranga. No acidente imaginário, houveram feridos e tudo.

O editor do Maisonave não teve dúvidas. Deu como última notícia do correspondente, ou seja, a principal.

Assim que terminou de ler, o telefone tocou.
Era do corpo de Bombeiros avisando a Gaúcha que aquilo era uma grande confusão, porque eles não haviam socorrido ninguém...

José Carneiro Lopes é filho de Zacarias Lopes e de Maria Carneiro Lopes.

É casado com Magda Regina(10.02.1950) e tem os filhos Rafael( 08.12.1972), José Maurício( 04.01.1980) e Emmanuel( 16.06.1984).

O que se sabe do colega é que teria uma concessão de uma rádio e estaria vivendo em Garopaba(SC) onde estaria esta sua rádio.

 

 

Candidaturas....

 

O ex-prefeito de Sarandi(zona norte do Estado),Nicola, será candidato a deputado estadual pelo PDT. Caso não se eleja, será novamente candidato a prefeito do município que ele já governou em duas ocasiões.

 

 

De S. Borja!

 

Visita ilustre

Ontem,dia 6/4, a Câmara Municipal de São Borja recebeu a visita do Embaixador da Palestina no Brasil, Ibrahin Al Zeben,diplomata, que fez referências aos ex-presidentes Getúlio Dornelles Vargas, João Belchior Marques Goulart e ao embaixador Osvaldo Aranha que propôs a participação da Palestina na ONU(Organização das Nações Unidas) em 1947.

 

As migrações do
século passado

 

Esta foto mostra um grupo de agricultores em Iraceminha(SC) no oeste catarinense. A grande maioria deles havia sido transportada pela empresa Iguassù, de transportes coletivos, criada em Serafina Correa - naqueles anos conhecida por La Ùndeze - por Ricardo Vivian e José Zanella,entre outros. Esta empresa foi uma das que se juntaram para formar a atual Unesul.


A empresa Iguassù, além dos ônibus pra transportar os agricultores para as chamadas " novas terras" também comercializava estas terras. " Nós transportamos com os ônibus dos meus avós quase 300 famílias de agricultores de Serafina para Iraceminha" diz um do netos de Vivian.Em Iraceminha, a empresa colonizadora que eles haviam aberto tinha mais de mil colônias para vender aos novos agricultores.

Em Iraceminha, há um museu que conta esta história....


Projeto de Lei

 

De S. Borja

Vereador cria projeto

proibindo pulseiras " do sexo" em escolas!

 


Projeto de Lei
Autoria: Vereador CELSO A. LOPES

“NÃO É PERMITIDO O USO DE PULSEIRAS COLORIDAS, CONHECIDAS COMO “PULSEIRAS DO SEXO” NAS REDES DE ENSINO MUNICIPAL, ESTADUAL E PARTICULAR NO TERRITÓRIO DO MUNICÍPIO DE SÃO BORJA”.

Art. 1º Não é permitido o uso de pulseiras coloridas, conhecidas como “pulseiras do sexo”, nas redes de ensino municipal, estadual e particular no território do Município de São Borja.

Art.2º - O Corpo Docente das Unidades Municipais de Ensino realizarão reuniões com os pais e alunos para esclarecer tal medida e orientá-los com relação às situações envolvendo questões sexuais.

Art.3º - Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação.

Sala LEONEL BRIZOLA, 06 de Abril de 2010.

Vereador CELSO A. LOPES
Bancada do PDT

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS


Senhor Presidente,
Senhora Vereadora,
Senhores Vereadores.

O presente projeto prevê a proteção das crianças e adolescentes de uma moda, originada na Inglaterra e que se disseminou pelo mundo, mediante a qual os adolescentes usam as pulseiras de silicone coloridas, que fazem parte de um jogo com conotação sexual.
Segundo um código baseado nas cores, conforme a pulseira arrebentada, a menina deveria submeter-se a práticas que vão desde um inocente beijo até a relação sexual.
Embora esta “moda” tenha surgido em nosso Estado apenas no ano passado, mal começou este ano letivo e o uso das pulseiras virou uma febre, e está causando muita preocupação aos educadores, pais e também a nós, Legisladores, pois tememos que a “brincadeira” seja um forte estímulo ao sexo precoce.
Entendo, embora haja controvérsias em relação ao assunto, que esta “moda” é perigosa, pois põe em risco a integridade física e moral das crianças e adolescentes, sendo dever da família, da sociedade como um todo e do Poder Público a proteção integral dos mesmos, por ordem expressa do Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA.
Devido à importância que o assunto se reveste, contamos com a aprovação unânime do presente Projeto de Lei, por parte dos Nobres Pares.

Sala LEONEL BRIZOLA, 06 de Abril de 2010.

Vereador CELSO A. LOPES
Bancada do PDT

 

Os gaúchos estão em alta

 


Por Luiz Oscar Matzenbacher


Estou de alma lavada. O Inter na base da garra, mas ainda sem muita técnica, fez dois a zero no jogo contra o Cerro do Uruguai, no Beira-Rio e assumiu a liderança do grupo na Copa Libertadores de América. A torcida colorada proporcionou um concerto de vozes, mais um pacífico espetáculo ao vivo de cores, beleza, integração cultural e racial, raros de se encontrar nos estádios do centro do país, ultimamente. Imagino, se ao espetáculo da torcida e à garra do time, se juntasse um pouco mais da técnica que a equipe detinha no ano passado. Teria sido uma goleada inolvidável.´
Foi de lavar a alma também, a vitória obtida pelo professor Dourado no BBB 2010. Eu nem acompanhei o programa. Mas fiquei orgulhoso em saber que o preconceito contra os gaúchos está diminuindo entre o povo brasileiro. O Dourado, que é gaúcho e colorado e não esconde, recebeu mais de 155 milhões de votos. Nem o Lula, se pudesse tentar a reeleição pela segunda vez, conseguiria a metade desses votos. O povo do Rio de Janeiro também votou em peso no Dourado. O povo carioca é maravilhoso, mesmo.

A mulher contemporânea e os ideais de Simone de Beauvoir

 

 

Após o lançamento no Rio de Janeiro, na Livraria Travessa do Leblon, a editora Libretos lança, em Porto Alegre, o romance A amante do Lobo, de Ana Paula Fohrmann, no dia 06 de abril, na Fnac do Barra Shopping Sul. O livro nos apresenta uma mulher de 42 anos, independente e professora universitária. Ela mantém um relacionamento com um homem casado e mais velho até encontrar um jovem estudante que a faz repensar os padrões psicológicos, em que estabeleu sua relação com o amante. A história é marcada por influências de caráter psicoexistencialista, na linha francesa, ideias especificamente desenvolvidas por Simone de Beauvoir. A intenção da autora é conduzir o leitor, na forma quase de um diário, a uma reflexão sobre questões ainda tabus no universo do comportamento, tais como dominação e poder - no que se refere à figura masculina - e passividade e masoquismo - no caso da figura feminina.

Também nos traz a França, e suas cidades-noir, principalmente seus dias solitários e chuvosos, quando um café, flores e vinho, além da ópera e a companhia de um bom livro, fazem toda a diferença. Ana Paula Fohrmann tomou como base o livro de contos La Femme Rompue (A Mulher Desiludida), de Simone de Beauvoir e, particularmente, o mesmo conto que deu o nome a essa obra, que enfoca o drama do triângulo amoroso a partir do ponto de vista da esposa. A escritora carioca constrói seu romance da perspectiva da amante, aparentemente independente e bem resolvida internamente. A sessão de autógrafos será precedida de um bate-papo literário com a autora; a psicanalista, membro da APPOA, Marieta Madeira Rodrigues, e a Doutora em Literatura Francesa pela USP, Zila Bernd sobre A mulher contemporânea e os ideais de Simone de Beauvoir.


Ana Paula FohrmannNasceu em 1971, no Rio de Janeiro. É Bacharel em Direito e Mestre em Direito Público pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Em 2002, mudou-se para a Alemanha, onde se doutorou pela Faculdade de Direito da Ruprecht-Karls Universität Heidelberg, com bolsa de estudos do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD). Paralelamente, fez aperfeiçoamento em Curso de Direito Internacional pela Académie de Droit Internacional de La Haye e estágio nas Nações Unidas, em Nova Iorque. Desde 2008 trabalha como pesquisadora, tradutora e editora jurídica. No final de 2009 concluiu seu Pós-Doutorado pela Universität Heidelberg. A amante do lobo é a sua estreia na Literatura.

 


A amante do LoboAna Paula Fohrmann94 págs., 14 x 21 cm.ISBN 978-85-88412-30-9Preço – R$ 28,00


LANÇAMENTO>>Dia 06 de abril, terça-feira, às 19h30>>Fnac - BarraShopping Sul - Av Diário de Notícias, 300 / lj 1121>> Bate-papo literário com a escritora Ana Paula Fohrmann; a psicanalista, membro da APPOA, Marieta Madeira Rodrigues, e a Doutora em Literatura Francesa pela USP, Zila Bernd sobre a "A mulher contemporânea e os ideais de Simone de Beauvoir". Logo após, sessão de autógrafos com a autora.
Assessoria de Imprensa:Simone Lersch (51) 3029.6390 / 9803.4420


Feliz Páscoa

 

“ Eu queria fazer um livro não da vida como ela é , mas como eu queria que ela fosse...
Um livro para a gente pegar e ler quando quisesse esquecer da vida real ... ( Érico Veríssimo )

Meu amigo ,eu te desejo uma Feliz Páscoa
Abraço
Naira

Visitas ao site

 

Este mês de março tivemos 15.354 visitas. Obrigado aos colaboradores e aos leitores!

 

 

Sete Dicas de Gestão Empresarial!

 

 

1- Um rapaz vai a uma farmácia e pergunta:

-Tem preservativo? Minha namorada me convidou para jantar esta noite na casa dela.

O farmacêutico dá-lhe o preservativo e o jovem sai. De imediato, volta, dizendo:

-Senhor, dê-me outro. A irmã da minha namorada é uma gostosona, vive cruzando as pernas na minha frente. Acho que também quer me dar...

O homem dá o preservativo ao jovem. Ele volta, dizendo:

-Quero outro. A mãe da minha namorada também é boa pra caramba. A velha vive se insinuando, deve ser mal comida, e como eu hoje vou jantar lá na casa delas...

Chega a hora da comida e o rapaz está sentado à mesa com a namorada ao lado, a mãe e a irmã à frente. Neste instante entra o pai da namorada . O rapaz baixa imediatamente a cabeça, une as mãos e começa a rezar:

- Senhor, abençoa estes alimentos, blá,blá.. Damos graças por estes alimentos...

Passa-se um minuto e o rapaz continua de cabeça baixa rezando: - Obrigado Senhor...blá,bla...

Passam-se cinco minutos : - Abençoa Senhor este pão... Todos se entreolham surpreendidos, e a namorada lhe diz ao ouvido:

-Meu amor, não sabia que eras tão religioso...

-E eu não sabia que o teu pai era farmacêutico!

Conclusão: Não comente os planos estratégicos da empresa com desconhecidos, porque essa confidência pode destruir a sua própria organização.

2- Um homem está entrando no chuveiro enquanto sua mulher acaba de sair e está se enxugando.

A campainha da porta toca. Depois de alguns segundos de discussão para ver quem iria atender a porta, a mulher desiste, se enrola na toalha e desce as escadas..

Quando ela abre a porta, vê o vizinho Nestor em pé na soleira.. Antes que ela possa dizer qualquer coisa, Nestor diz: - Eu lhe dou 3.000 reais se você deixar cair esta toalha!

Depois de pensar por alguns segundos, a mulher deixa a toalha cair e fica nua. Nestor então entrega a ela os 3.000 reais prometidos e vai embora. Confusa, mas excitada com sua sorte, a mulher se enrola de novo na toalha e volta para o quarto.

Quando ela entra no quarto, o marido grita do chuveiro:

- Quem era?

- Era o Nestor, o vizinho da casa ao lado, diz ela.

- Ótimo! Ele lhe deu os 3.000 reais que ele estava me devendo?

Conclusão: Se você compartilha informações a tempo, pode prevenir exposições desnecessárias.


3- Um padre está dirigindo por uma estrada quando vê uma freira em pé, no acostamento.

Ele pára e oferece carona. A freira aceita. Ela entra no carro, cruza as pernas revelando suas lindas pernas.

O padre se descontrola e quase bate com o carro. Depois de conseguir controlar o carro e evitar o acidente, ele não resiste e coloca a mão na perna da freira. A freira olha para ele e diz:

- Padre, lembre-se do Salmo 129! O padre, sem graça, se desculpa:

- Desculpe Irmã, a carne é fraca.... E tira a mão da perna da freira.

Mais uma vez a freira diz:

- Padre, lembre-se do Salmo 129!

Chegando ao seu destino a freira agradece e, com um sorriso enigmático, desce do carro e entra no convento.

Assim que chega à igreja o padre corre para as Escrituras para ler o Salmo 129, que diz:

'Vá em frente, persista, mais acima encontrarás a glória do paraíso'.

Conclusão: Se você não está bem informado sobre o seu trabalho, pode perder excelentes oportunidades.

4- Dois funcionários e o gerente de uma empresa saem para almoçar e na rua encontram uma antiga lâmpada a óleo.

Eles esfregam a lâmpada e de dentro dela sai um Gênio. O Gênio diz:

- Eu só posso conceder três desejos, então, concederei um a cada um de vocês!

- Eu primeiro, eu primeiro.' grita um dos funcionários... Eu quero estar nas Bahamas dirigindo um barco, sem ter nenhuma preocupação na vida ' ..

Pufff e ele foi ....

O outro funcionário se apressa a fazer o seu pedido:

- Eu quero estar no Havaí, com o amor da minha vida e um provimento interminável de piñas coladas!

Puff e ele se foi ....

- Agora você - diz o gênio para o gerente..

- Eu quero aqueles dois palhaços de volta ao escritório logo depois do almoço para uma reunião!

Conclusão: Deixe sempre o seu chefe falar primeiro.

5- Na África, todas as manhãs, o veadinho acorda sabendo que deverá conseguir correr mais do que o leão, se quiser se manter vivo.

Todas as manhãs o leão acorda sabendo que deverá correr mais do que o veadinho, se não quiser morrer de fome.


Conclusão: Não faz diferença se você é veadinho ou leão, quando o sol nascer, você tem que começar a correr..


6- Um corvo está sentado numa árvore o dia inteiro sem fazer nada.

Um pequeno coelho vê o corvo e pergunta:

- 'Eu posso sentar como você e não fazer nada o dia inteiro?'

O corvo responde, sorrindo:

- 'Claro, porque não?'

O coelho senta no chão embaixo da árvore, e relaxa.

De repente uma raposa aparece e come o coelho.

Conclusão: Para ficar sentado sem fazer nada, você deve estar no topo.


7- Um fazendeiro resolve colher algumas frutas em sua propriedade, pega um balde vazio e segue rumo às árvores frutíferas.

No caminho ao passar por uma lagoa, ouve vozes femininas que provavelmente invadiram suas terras.

Ao se aproximar lentamente, observa várias belas garotas nuas se banhando na lagoa. Quando elas percebem a sua presença, nadam até a parte mais profunda da lagoa e gritam:

- Nós não vamos sair daqui enquanto você não deixar de nos espiar e for embora.

O fazendeiro responde:

- Eu não vim aqui para espiar vocês, eu só vim alimentar os jacarés...

Conclusão: A criatividade é o que faz a diferença na hora de atingirmos nossos objetivos mais rapidamente.

 

 

Momento da posse do vice na Câmara Municipal

 


Os flhases do Paparazzo registram o momento que o PDT, por meio do vice José Fortunatti voltou a ocupar o Paço Municipal.Fazia 20 anos que isto não acontecia. O ùltimo prefeito do PDT fora Alceu Collares.A posse oficial foi dada na Câmara Municipal de Porto Alegre no dia 30/03/2010.
Agencia Edisoncastencio

Foto: Agência Edisoncastêncio

 

Foto: Agência Edisoncastêncio

 

Foto: Agência Edisoncastêncio

 

 

Agência Edisoncastêncio

 

No dia 29/03 a majoritária do PMDB/PDT(José Fogaça, Pompeo de Mattos e Germano Rigotto) junto com o presidente do PMDB( tirando uma "soneca") na prefeitura de Porto Alegre.

Agencia Edisoncastencio

 

Foto: Agência Edisoncastêncio

Foto: Agência Edisoncastêncio

Foto: Agência Edisoncastêncio

 

 

Mundo Desigual - Por Planeta Voluntários

 


"O maior assassino do mundo e a maior causa de doenças e sofrimento ao redor do golfo é? a extrema pobreza."
Desigualdade Social
21 países retrocederam em seu Índice de Desenvolvimento Humano, contra apenas 4 na década anterior. Em 54 países a renda per capita é mais baixa do que em 1990. Em 34 países a expectativa de vida ao nascer diminuiu, em 21 há mais gente passando fome e em 14 há mais crianças morrendo antes dos cinco anos;
No Brasil, 10% brasileiros mais pobres recebem 0,9% da renda do país, enquanto os 10% mais ricos ficam com 47,2%. Segundo a Unicef, 6 milhões de crianças (10% do total) estão em condições de ?severa degradação das condições humanas básicas, incluindo alimentação, água limpa, condições sanitárias, saúde, habitação, educação e informação?.
A pesquisa ainda mostra que 15% das crianças brasileiras vivem sem condições sanitárias básicas. As áreas rurais do Brasil concentram a maioria das crianças carentes, com 27,5% delas vivendo em ?absoluta pobreza?.
Segundo a OIT, os dados de trabalhadores domésticos infantis é espantoso: no Peru, 110 mil; no Paraguai, 40 mil; na Colômbia, 64 mil; na República Dominicana, 170 mil; apenas na Guatemala, 40 mil; no Haiti, 200 mil; e no Brasil ? o campeão de trabalho doméstico na América Latina e talvez no mundo ? 500 mil.
Com 53,9 milhões de pobres, o equivalente a 31,7% da população, o Brasil aparece em penúltimo lugar em termos de distribuição de renda numa lista de 130 países. É o que mostra estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) que o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, divulga hoje em Brasília.
Das 55 milhões de crianças de 10 a 15 anos no Brasil, 40% estão desnutridas. 1,5 milhão entre 7 e 14 anos está fora da escola. A cada ano, 2,8 milhões de crianças abandonam o ensino fundamental. Das que concluem a 4ª série, 52% não sabem ler nem escrever.
Mais de 27 milhões de crianças vivem abaixo da linha da pobreza no Brasil, e fazem parte de famílias que têm renda mensal de até meio salário mínimo. Aproximadamente 33,5% de brasileiros vivem nessas condições econômicas no país, e destes, 45% são crianças que têm três vezes mais possibilidade de morrer antes dos cinco anos.
A cada 12 minutos, uma pessoa é assassinada no Brasil. Por ano, são registrados 45 mil homicídios no País. No entanto, a probabilidade de um assassino ser condenado e cumprir pena até o fim no Brasil é de apenas 1%.
O Brasil é, segundo a ONU, o país onde mais se mata com armas de fogo. Todos os anos são mortos 40 mil brasileiros;
1,9% do PIB brasileiro é consumido no tratamento de vítimas da violência;
A Aids já deixou mais de 11 milhões de órfãos na África; o devastador avanço desta doença fará com que, em 2010, pelo menos 40 milhões de menores em todo o continente tenham perdido pelo menos um de seus pais, segundo a UNICEF. A cada minuto, uma criança morre de AIDS.
Mais de 1,1 bilhão de pessoas não têm acesso à água potável no planeta, segundo dados da ONU. Outros 2.4 bilhões não têm saneamento básico. A combinação do dois índices é apontada com a causa de pelo menos 3 milhões de mortes todo ano. Um europeu consome em média entre 300 e 400 litros diariamente, um americano mais de 600 litros, enquanto um africano tem acesso a 20 ou 30 litros diários.
Um em cada seis habitantes da Terra não tem água potável para beber e dois em cada cinco não dispõem de acesso a saneamento básico.
Até 2050, quando 9,3 bilhões de pessoas devem habitar a Terra, entre 2 bilhões e 7 bilhões de pessoas não terão acesso à água de qualidade.
A fome no mundo, depois de recuar na primeira metade dos anos 90, voltou a crescer e já atinge cerca de 850 milhões de pessoas. A cada ano, entram nesse grupo mais 5 milhões de famintos.
A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que 160 mil pessoas estão morrendo por causa do aquecimento global, número que poderia dobrar até 2020 - contabilizando-se catástrofes naturais e doenças relacionadas a elas.
Além da morte, a desnutrição crônica também provoca a diminuição da visão, a apatia, a atrofia do crescimento e aumenta consideravelmente a susceptibilidade às doenças. As pessoas que sofrem de desnutrição grave ficam incapacitadas de funções até mesmo a um nível mais básico.
Muitas vezes, são necessários apenas alguns recursos simples para que os povos empobrecidos tenham capacidade de produzir alimentos de modo a se tornarem auto-suficientes. Estes recursos incluem sementes de boa qualidade, ferramentas adequadas e o acesso a água. Pequenas melhorias nas técnicas de cultivo e nos métodos de armazenamento de alimentos também são úteis..
Muitos peritos nas questões da fome acreditam que, fundamentalmente, a melhor maneira de reduzir a fome é através da educação. As pessoas instruídas têm uma maior capacidade para sair deste ciclo de pobreza que provoca a fome.
Fontes: Documentos internacionais, principalmente da ONU, UNICEF, OMS, FAO e UNAIDS.


Por: Marcio Demari / Diretor Presidente do Planeta Voluntários - Brasil

 

 

Estudo elaborado pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário

 

Estudo elaborado pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário – IBPT – mostra a incidência de impostos sobre os produtos mais consumidos na Páscoa. Os ovos de páscoa e os bombons, pagam 38%, o bacalhau sofre incidência tributária de 43,78% e o vinho 54,73%. Das garras do leão nem o coelhinho de pelúcia escapa, visto que tem carga de 29,92%. Se todos os itens tradicionais da Páscoa forem acondicionados em uma cesta para presentes, ainda quem sai ganhando é o governo, já que na embalagem levará vantagem no papel celofane, com tributação de 35,20% e no laço de fita com 34%. Para o diretor do IBPT no RS, Fernando Steinbruch, “os altos impostos embutidos nos produtos da Páscoa elevam os preços, inibindo o consumo da população de baixa renda, o que torna cada vez mais seleto o grupo de pessoas que pode desfrutar dos artigos da data, em razão dos preços praticados”.

PRODUTOS TRIBUTAÇÃO
Bacalhau 43,78%
Bombom 38,00%
Cartão 37,48%
Coelhinho de pelúcia 29,92%
Colomba pascal de chocolate 38,68%
Colomba pascal tradicional 36,02%
Fita para cesta 34,00%
Laço de fita 34,00%
Ovo de Páscoa 38,00%
Papel celofane 35,20%
Peixes em geral 34,48%
Vinho 54,73%


Todt Comunicação

 

De S. Borja

 

( Do enviado especial)


" Barranqueiros" tentam sorte no cassino

antes de acampar pro " Comício dos Espíritos"


Os moradores de São Borja começaram a identificar os " barranqueiros " - participantes do Festival da Barranca que ocorre todo ano durante a Semana Santa, numa fazenda à beira do rio Uruguai - ainda na terça-feira passada, dia 30/03.
É fácil identificá-los: pelas vestimentas: bombacha e chapéu e principalmente porque são pessoas conhecidas da cultura musical e política gauchesca.

Mas alguns dos "barranqueiros" que chegaram com certa antecedência - o festival começou somente ontem de noite - foram vistos " del otro lado del rio",testando a sorte no "Casino del Litoral", ou seja, em Santo Tomé.

Participar do Festival da Barranca não é para qualquer um: precisa ser convidado por um outro participante. E " mala" é discretamente avisado para não mais pintar lá, num outro ano.

Há participantes do festival que chegam de longe, tipo Mato Grosso, Bahia,entre outros estados. Deixam os jatinhos no aeroporto João Manoel, pegam um táxi, e se hospedam na cidade. Depois vão para o festival.


O rio Uruguai aos fundos, em cena poética

 

Do Rio Grande do Sul, um que não perde uma edição nos últimos anos é o ex-governador Olívio de Oliveira Dutra.

Também o deputado estadual Ronaldo Zulke (PT) é um entusiasta participante anual do Festival da Barranca.

Os jornalistas Emílio Pedroso(fotógrafo) e Renatinho Dornelles , de Zero Hora, depois que foram para lá numa edição do festival para fazer uma reportagem sempre voltaram. Já o apresentador do programa Conversa de Jornalista, da Rádio da UFRGS, jornalista Gley Soares,também participa este ano pela terceira vez.

Ele acha muito bom estar lá durante estes três dias:
- É muito prazeroso e descontraído. E mala não tem vez, declara Gley, que já fez uma reportagem para o programa de sua mãe, Marley Soares, mas atuou de forma muito discreta:
- Lá todo mundo é igual. Não tem ninguém mais importante que outro.


Luis Carlos Borges e amigos num dos festivais da Barranca

Os " barranqueiros" sao um círculo muito fechado. Gley Soares diz que houve uma edição em que "resolveram abrir" e nela houve participantes demais.

- Não deu certo. Na outra edição passaram a restringir de novo!

As origens

Como sempre acontece nestes casos, o Festival da Barranca que foi batizado de " Um Comício dos Espíritos" pelo poeta Sérgio Jacaré Metz teve sua origem de uma forma simples:o grupo os Angueras, de São Borja, e mais alguns amigos, desde 1965, realizavam duas grandes pescarias por ano: uma na Semana Santa e outra na Semana da Pátria, ou seja, no feriadão de Sete de Setembro.

 


Yamandu Costa se apresentando num Festival da Barranca


Há uma tradição no Festival da Barranca de que mulher não entra.
Não se tem muito claro o motivo disto...Seria disputa, ou porque?
Em 1985, num artigo que escreveu contando a origem do festival, o poeta Apparicio Silva Rillo diz :
"Os Angueras,desde 1965, realizavam duas grandes pescarias por ano: uma na Semana Santa,outra em setembro. A primeira para o tradicional jejum de carne( mulheres não nos acompanhavam e até hoje não)".

 


Uma apresentação dos "artistas" durante uma das edições do Festival da Barranca

 

Será este o motivo da ausência do sexo feminino?!

Pois uma mulher protesta diante do "machismo" imperante até hoje no Festival da Barranca. Machismo nestes tempos ainda? questiona ela.

 


Um " barranqueiro" mostra o peixe que pegou no Uruguai

 

E acrescenta:
- Quem não gostaria de estar num ambiente daqueles com muita sombra, pessoas inteligentes, gastronomia variada, bebidas, com gente de muita sensibilidade para cantar o homem do campo, o trabalhador rural, o peão da estância, cantar aqueles que no cabo da pá e da enxada, no lombo do cavalo, ainda hoje em dia trabalham para que possamos desfrutar de encontros como este por exemplo?

Pois aí está,então, a resposta com os organizadores do festival...

 


O golpe de 1964

 

 

Os " banidos"

Leonel Brizola, no filme, Jango, de Silvio Tendler identificou o que ele chamou de "um golpe dentro do golpe". Assim, segundo ele, ,os civis que compartilharam com os militares do movimento de 1964- como Magalhães Pinto, Carlos Lacerda,entre outros foram não só totalmente alijados do esquema de podercomo alguns deles tiveram seus direitos políticos cassados. No regime de 64, se instalou como identicou o ex-governador, a face mais dura que havia participado da conspiração.


presos políticos libertados - banidos -
no dia 15/06/1970 em troca da vida de Ehrenfrieed Von Holleben, embaaixador da Alemanha no Brasil.

 

Foi lá pelo meio de 1969, começo dos anos 70, que começaram os sequestros, a opção pela luta armada dos que acharam que esta era a forma mais correta para libertar o país da ditadura que havia se instalado em 1964.
Assim, em troca de autoridades - principalmente de embaixadores estrangeiros - o regime teve que ceder e entregar prisioneiros políticos, cuja presença nos porões das cadeias e presídios, era denunciado no Exterior pelo bispo Dom Hélder Câmara , cognominado de " Bispo Vermelho" pelas autoridades constituídas.

 


O fim do sequestro do embaixador norteamericano Charles Burke Elbrick. Treze dos 15 presos iriam para o México. Foto feita na base aérea do Galeão. Wladimir Palmeira, líder estudantil dos movimentos de 1968, no centro,agachado e com os punhos levantados, mostrando as algemas José Dirceu.

 

As denúncias de torturas nos presídios brasileiros, por crimes de idéias, tornou Dom Hélder Câmara o inimigo público número UM do regime ditatorial, que em 1970, trabalhou nos bastidores para que Dom Hélder não ganhasse o Prêmio Nobel da Paz.

Os brasileiros naqueles anos sombrios em que os direitos civis dos cidadãos estavam supridos se acostumaram a ver nos noticiários as notícias dos " banidos" ou seja,brasileiros que em troca das autoridades sequestradas eram libertados e viajavam para fora do país.


A ditadura caça "terroristas" como se fossem animais

O caso
de Gabeira

Fernando Gabeira, que havia participado do sequestro do embaixador norteamericano Charles Burke Elbrick( dele também participou o atual ministro Franklin Martins) narra em uma entrevista concedida ao jornal O Pasquim em fins de outubro de 1978, em Paris, como recebeu a notícia, no presídio de que seria um dos libertados em troca de uma autoridade sequestrada:
- Eu tava na Ilha Grande( presídio do Rio de Janeiro) ouvindo uma rádio uruguaia quando de repente falaram:" sequestraram o Embaixador Alemão no Rio de Janeiro, em Santa Teresa!" Na mesma hora PAM! PAM! PAM!, bateram nas portas: " Todos os rádios aqui"!!!!!
Os caras tinham sabido da notícia e vieram tomar nossos rádios.Mas cheguei a ouvir a notícia do sequestro.Começamos a pensar na nossa experiência: Será que esses caras levaram ele direito pra casa ? Será que não vão cometer um erro"?


Em 14.01.1971 pela troca da vida do embaixador suiço Enrico Bucher a ditadura entregou 70 prisioneiros políticos. Mas 17 deles tiveram os nomes vetados. O embaixador seria executado, mas o comandante Carlos Lamarca lhe salvou a vida.


Em 14.01.1971 pela troca da vida do embaixador suiço Enrico Bucher a ditadura entregou 70 prisioneiros políticos. Mas 17 deles tiveram os nomes vetados. O embaixador seria executado, mas o comandante Carlos Lamarca lhe salvou a vida.

Eles tinham feito aquele sequestro com um requinte que a gente não tinha, com uma capacidade muito superior à nossa.
Tomaram todos os nossos rádios mas a gente acompanhava através dos presos comuns que liam as notícias e passavam adiante:"Quarenta!" E entre esses quarenta da lista tinham três da Ilha Grande. Os presos comuns sabiam quem estava lá.
Então, ao amanhecer - todos nós nas celas, naquela tensão - um preso gritou::" Fulano de tal, bom dia!! Fulano de tal bom dia ....GABEIRA bom dia!" Foi o Bom dia mais bonito da minha vida. Os presos todos gritando nossos nomes e dizendo bom-dia!
Daniel Fausto e Domingos. Os caram foram buscar a gente. "Agora tem que fazer a barba, cortar o cabelo, não sei o que...."

Como eu tinha feito uma luta no Dias Moreira(presídio) me botaram numa cela solitária durante 15 dias. Eu tava ficando quase louco!
Busquei contato com o ser humano que tava na solitária do meu lado e constatei que ele tava louco.
Era o cara que tinha matado a Luz del Fuego. Isso é que é desespero: o único ser humano com quem consegui um contato tava inarticulado!

Mas consegui sair sem ficar maluco. No dia que eu ia sar o Diretor da Penitenciária me disse: " Gabeira, por que naquele dia daquela confusão você não me disse que ia ser solto? Eu te trataria melhor".

Pra você ver, né. No momento em que gritaram " Fulano, bom dia" tava amanhecendo na Ilha Grande . Ninguém tinha dormido. Olhei pro Daniel e disse: A gente tá aqui hoje, amanhã já tá no exterior".
Fomos para a Argélia.


Imprensa

 

 


A revista PRESS, do Júlio Ribeiro, está nas bancas, com sua edição de março,contendo a história de dois ícones gaúchos, um da publicidade(Beto Callage, fundador e dono da DCS) e o chargista Marco Aurélio (Boca) Carvalho.

A entrevista do Marco Aurélio é muito interessante. Claro que ele contou só 10% do que ele sabe da RBS.Não se esperaria outra coisa. O fato do incêndio no prédio da ZH ter sido provocado pelo seu cigarro seria uma novidade apresentada na edição. Mas não foi suficientemente explorada pela edição. Se ele realmente assumisse isto,seria manchete da edição.


Chargista Marco Aurélio, o " BOCA"

Como estava lá no dia do incêndio,- num fim de tarde do primeiro semestre de 1973 - recordo muito bem que o fogo teria começado

num aparelho de ar condicionado.

Marco Aurélio, na entrevista pra PRESS diz meio que brincando que foi ele com um extintor de incêndio que teria propagado mais o fogo. Outro dado interessante é o começo dos classificados da Zero Hora, no que eu concordo com ele: ali começou a derrocada da Caldas Junior, pois os Classficados do Correião eram sua mina de ouro.
O Marco Aurélio só não contou do que que ele apanhou na entrada do prédio da ZH, bom mas isto deixa pra lá...vai ver que o repórter não sabia e não lhe perguntou...

A entrevista com o Beto Callage é mais interessante para os publicitários em geral, mas eu vizinhei com o Beto no segundo semestre dos anos 70 e me lembro dele chegando em casa, num Fiat todo ruim....
Ali, naquele prédio da rua Antônio Parreiras, nasceu seu filho Márcio, em 1978. Hoje o guri é pai e o Beto avó.
Recordo bem pois o Beto e sua esposa da época viviam de festa,principalmente nas noites de verão. Os amigos habitavam muito aquele pequeno apartamento e no dia seguinte eu tinha que limpar os cacos de vidro das garrafas de cerveja ou dos copos que caíam do andar do Beto na pequena sacada do apartamento onde eu morava....


Beto Callage, uma das estrelas dos redatores de publicidade do RS.

O Beto trabalhava naquela época na Ampla. Era o redator. Todo fim de tarde, o diretor da agência( que ficava na rua Mata Bacelar, no bairro Auxiliadora, numa ampla (desculpe o trocadilho!) casa,Jesus Iglesais(falecido) "abria os trabalhos" nos fundos, junto à churrasqueira.Mas o Beto pegava seu Fiat e ia pra casa, porque no outro dia, as oito da matina ele tinha que pegar no pesado, começar a aprontar o trabalho. A Ampla era uma " house" do Grupo Joaquim Fonseca.

- Lá vai o nosso burocrata, era como desabafava o diretor Jesus Iglesias,diante da negativa do Beto Callage em participar do convescote que Iglesias sempre armava nos fundos.

Mas a festa do Iglesias era coisa boa...Lá sempre acorriam artistas como Ivan Lins, Geraldo Flack e artistas da TV Globo que vinham se apresentar em peças de teatro.

Atenção,então, jovens publcitários: na história do Beto Callage,hoje tão incensado, teve muito suor, além de talento criativo. A entrevista dele mais ou menos deixa isto claro....


 

A miss que tinha que taxar os jornais do centro do país....

 


Quando o ex-deputado estadual Jarbas Lima ocupou a presidência da Assembléia Legislativa do Estado colocou lá uma equipe de auxiliares de primeira grandeza. Entre eles estava o Jornalista Flávio Pereira, hoje na Pampa e no O Sul.

Flávio lembra que no gabinete estava lotada a Paula Rech, ex-Miss RS. E deram a ela a tarefa de taxar os jornais do centro do país.

Num fim de semana, o jornal O Estadão publicou um grande anúncio do lançamento de uma camionete Subaru. Na segunda-feira, a Paula taxou o anúncio e mostrou pra todo mundo..

- Que carro é este?Suruba???!!!!!

O apelido na Paula pegou e segundo o Flávio ela nunca mais se livrou dele.

Coleguinhas

 

A EXPODIRETO não produz só bons negócios

produz encrencas em casa, também!


Há um ditado gaúcho que diz: " cachorro ovelheiro, só matando". Pois este se adecua muito bem a um coleguinha que volta e meia arranja encrenca no lar....

Estes dias ele esteve com a comitiiva de sua empresa em Não Me Toque, na Expodireto.Mas não se aguentou. Teve que dar uma escapadela a Camobi. Viajou lá pelo anoitecer,sem que ninguém soubesse. Não avisou ninguém de sua turma de colegas em Não Me Toque....

Como conhece muito bem a região, em pouco tempo venceu os 300 km que separam Camobi de Não Me Toque.Em Lá chegando, procurou a " changa" que tem lá mas tiveram o azar de ir no supermercado. Adivinha o que aconteceu????

Uma das "sete" cunhadas que ele tem em Santa Maria viram ele....

Em casa, ele jura pela sua mãe que não era ele, era um cara parecido.

Resultado. Deu tudo certo, no outro de manhã bem cedo estava de volta pra apresentar seu programa de rádio mas deu xabu em casa. Uma das cunhadas fez a caveira dele.

- Agora vou ter que dar a mensal, comentava ele estes dias numa rodinha com outros coleguinhas.

É isto daí....Nervoso até que ele ficou mas quando viu a patroa mais condescendente, ele começou a se acalmar e a pensar na próxima que vai aprontar. " Cachorro ovelheiro só matando, mesmo!!!"

 

TECON E ASGAV INSTALAM
COMITÊ ESTRATÉGICO

 



Foi instalado nesta terça-feira (30) na sede da Associação Gaúcha de Avicultura (ASGAV) em Porto Alegre o Comitê Estratégico integrado pelo Terminal de Contêineres de Rio Grande (TECON RG) e os representantes dos segmentos avícola, suinícola, bovino e lácteo, a exemplo do que já acontecera com os segmentos fumageiro e moveleiro. O objetivo principal é acompanhar o nível de serviço que o Terminal presta aos exportadores, bem como antecipar a solução de problemas que possam vir a acontecer no escoamento das safras. As ações integradas do Tecon RG e da área produtiva têm como finalidade a redução de custos logísticos e o consequente aumento da competitividade dos produtos gaúchos no mercado internacional.

Todt Comunicação

 

Lula entrega Ordem do Mérito das Comunicações a jornalistas

 


Comenda é entregue há 26 anos por relevantes serviços ao Brasil.
Octavio Frias de Oliveira, postumamente, e Alberto Dines foram agraciados.
O presidente Lula entregou nesta segunda (29) a Ordem do Mérito das Comunicações Jornalista Roberto Marinho aos jornalistas Alberto Dines e, postumamente, a Octavio Frias de Oliveira, representado pela filha, Maria Cristina Frias. A comenda é entregue há 26 anos a personalidades que do setor de comunicação por relevantes serviços prestados ao país. Dines é pesquisador do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo da Universidade de Campinas; Frias era publisher do jornal ?Folha de S.Paulo?
O jornalista Alberto Dines, apresentador e editor do programa Observatório da Imprensa, da TV Brasil, recebeu ontem do presidente a Comenda Roberto Marinho de Comunicação, concedida pelo Ministério das Comunicações. A solenidade foi no gabinete do presidente Lula e a entrega foi feita pelo ministro Helio Costa. Outro agraciado, em caráter póstumo, foi Octavio Frias, fundador da Folha de São Paulo. A comenda foi recebida por sua filha Maria Cristina.
A COMENDA É DO MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES.LEVA O NOME DE ROBERTO MARINHO, DA GLOBO, DO GLOBO = PIG.- PARTIDO DA IMPRENSA GOLPISTA.
FOI ENTREGUE POSTUMAMENTE AO FRIAS, DA FOLHA DE SÃO PAULO = PIG ? PARTIDO DA IMPRENSDA GOLPISTA E ACUSADA DE APOIAR SERRA.
POR QUE PAULO HENRIQUE AMORIM, RODRIGO VIANA, LUIZ CARLOS AZENHA, LUIZ NASSIF, ENTRE OUTROS, NÃO FAZEM UMA CAMPANHA PARA MUDAR O NOME DA COMENDA ?
SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS

Coleguinhas

 

A procissão do Morro da Cruz: a pauta maldita!


Pelo menos nos anos 70, o repórter escalado para trabalhar na imprensa portoalegrense em geral, na Sexta-feira Santa, corria o risco de ter que cumprir uma pauta que ninguém queria: fazer a cobertura da procissão do Morro da Cruz. Era o legítimo porre, ou como dizem os mais jovens de hoje, nada a ver....

Vou contar um episódio que o saudoso João Baptista Aveline me contou várias vezes, eu procurei ver se estava escrito no livro dele - Macaco preso para interrogatório - mas não está lá.Então vamos a ele.

 


" Gaguinho, tocando violão, no bar Porta-Larga, irritou-se com o deboche do Marona"

 

Era no começo de uma sexta-feira santa e na redação da ZH o chefe de reportagem, o Aveline, se preparava para ver quem seria a vítima que faria a procissão do Morro da Cruz, aquela em que o vereador Oliboni(PT) sempre faz o papel do Cristo Crucificado.Vem um repórter, vem outro até que chega Mário Marona...com sua sacola pendurada a tiracolo como todo militante-repórter da LIBELU carregava naqueles anos.

Aveline vai com as boas e se prepara para dar o bote:
- Marona, tenho uma bela pauta pra ti hoje?
- O que é? desconfiou Marona

- A procissão do Morro da Cruz!

Foi como se tivesse dado um tapa no rosto do subordinado.

- Eu me nego a fazer esta pauta de merda....!!!!!

E saiu dizendo palavrão.

Hábil como era para lidar com os " magros " -termo que o próprio velho Aveline cunhou pra designar os repórteres novos, cheios de tesão pelo jornalismo mas rebeldes - Aveline convidou Marona prum cafezinho no bar do seu Aurélio e da dona Maria no subsolo da ZH.

Na volta, com aquela lábia do Aveline, Mário Marona já estava conquistado. Faria a pauta, mas daria um desdobre pelo lado "social".

Marona voltou já tarde e o Gaguinho(José Antônio Ribeiro) que ficava mais tempo no porta-larga( um bar ao lado da ZH) do que propriamente na redação que era o secretário que baixava as matérias já estava impaciente.
Até que Marona entregou 6 ou 7 laudas de matéria....

Mas quando o Aveline as leu, se apavorou.

Tinha pegado pesado demais.

No final, Marona, um repórter talentoso, ainda se deu ao luxo de reclamar que a bacia com a qual lavaram os pés do "Cristo Morto"(Odacir Olibonbi) era de Plástico.

Aveline chamou seu repórter e lhe disse:
- Não vai embora. Vai dar merda...Tu vais ver os estrilhos do Gaguinho com este teu deboche.

Marona ficou por ali na redação e Aveline entregou a mataéria, depois de dar uma rápida copidescada, mas intuiu que o Gaguinho chiaria.

Desceu pro bar pra tomar outro cafezinho e disfarçar.

Não deu nem tempo. Quando estava na metade da escada em direção ao bar, ouviu os gritos estridentes do Gaguinho que berrava:

- MMMMAAAAAGGGGRRRRROOOOOOO!!!!!! ( Gaguinho tinha a mania de chamar todo repórter de magro) filho da puta, tu queres que eu baixe esta matéria, tu quer é me foder!

Aveline voltou e negociou alguns termos com o Gaguinho enquanto Mário Marona - que um dia depois chegaria a ser editor do Jornal Nacional , da Tv Globo - saía de fininho pela porta, não sem antes dar uma risadinha sádica porque tinha se vingado da pauta que nenhum repáorter queria cumprir na sexta-feria santa.

 

O Golpe de 64

 

" SESSENTA E QUATRO,SESSENTA E SEIS

UM MAU TEMPO,TALVEZ) - Flávio Bicca em Bailei na Curva

( 1 )

Como Jango deixou o Brasil!

Do livro de Iberê Athayde Teixeira,
"Nuvens de Chumbo sobre o Tambaí"


" Como observara no Rio de Janeiro e Brasília, Jango também decidiu sair de Porto Alegre e voar para uma das suas fazendas em S. Borja: o ambiente na capital gaúcha, após a ilegalidade consumada de sua " deposição" e segundo a sua percepção, estava se transformando numa ratoeira. Era evidente a disposição dos militres em prendê-lo a qualquer custo.


Pouco tempo depois de ter se asilado no Uruguai, o presidente João Goulart recebe brasileiros. Entre eles o fotógrafo Assis Waldir Hoffmann a quem Jango teria confidenciado que "imaginava que a bronca era com ele. Se tivesse imaginado que fosse diferente, teria resistido ao golpe" segundo o relato feito pelo fotógrafo Assis Hoffmann.

 

Eram 11h30min do dia 02/04(1964) quando João Goulart embarcou num Avro da Força Aérea Brasileira, pilotado pelo Capitão Lott, filho do General Henrique Duffles Teixeria Lott, que fora seu companheiro de chapa em 1960 na disputa pela Presidência da República. Com ele, rumo a S. Borja, partiram do Aeroporto Salgado Filho apenas os amigos e auxiliares mais chegados.

Apesar do ânimo guerreiro do Dr. Brizola, que,pretendia reviver a epopéia da Legalidade,Jango foi mais realista:" Não quero derramar o sangue dos brasileiros para defender o meu mandato", foram suas últimad palavras .

Segundo seu amigo e piloto particular, Manoel Soares Leães, Jango nutria a velada esperança de poder continuar no território brasileiro, mesmo deposto, desfrutando da bucólica e pacífica vida de estanciero.

Em 3 de abril, porém a esperança de apaziguamento dos ânimos militares se desvaneceu com as notícias chegadas do centro do país: o surto de violência contra as forças populares tomava ares de verdadeira hecatombe.


Os auxiliares haviam partido e Jango estava quase só na sua Fazenda Rancho Grande. Coube ao piloto Maneco voar em direção a Montevideo, levando a mulher e os filhos do Preside3nte para um lugar que lhe parecia seguro e cujo Governo João Goulart consultou, e recebeu resposta positiva, sobre um pedido de asilo político.

Antes de partir, no entanto, Jango foi até o " pesqueiro", uma pequena propriedade às marges do rio Uruguai, onde costumamava espairecer com caniço, anzul e linha de naylon, na pesca depiavas e dourados, um lazer de que não abria mão.

Finalmente, o Cesnna azul e branco do Presidente decolou do " pesqueiro" e aterrissou na pista da Fazenda Cinamomo, no município de Itaqui.

Foi ali em solo itaquiense que, João Belchior Marques Goulart passou os derradeiros instantes de sua vida no Brasil e viveu um terno momento de simplicidade: aspirando o aroma de liberdade trazido pelos ventos da campnha e avistando ao longe o gado pastando indiferente sobre o verde das coxilhas, Jango almoçou um singelo " arroz de carreteiro" feito pelo seu capataz.


Em suas horas de reminiscências no Uruguai, chimarreando solito na lonjura dos campos de Maldonado, Jango relembraria as suas últimas horas vividas na Fazenda Cinamomo com um misto de saudade e nostalgia. Talvez por isso, entre os amigos que visitavam a Estância e amainavam a solidão do seu exílio, os itaquienses eram sempre recebidos com saudo afeto e redobrada ternura.

No meio da tarde de 4 de abril de 1964, com a garganta apertada e o coração descompassado, João Goulart se despediu da peonada e dos poucos amigos que restavam e decolou rumo ao estrangeiro, para um encontro com o seu próprio destino. Um destino que lhe reservava, como epílogo , a morte longe da pátria."

O Golpe de 64!

 


" Os milicos", os novos
donos do Poder!


Assim que o novo presidente brasileiro, o Mal. Humberto de Alencar Castelo Branco foi empossado pelo Congresso Nacional, os " milicos" começaram as cassações . Em setembro de 1964, por exemplo, conforme cita o jornal da UFRGS na edição de março de 2010, instensifica-se a política de expurgos da UFRGS.

 

acervo de Nelson Moura.

O jornalista Nelson Moura entrevista o comandante
do III Exército, Gal. Adalberto Pereira dos Santos.

 


Foi para tal instalada o que se chamou de "Operação Limpeza". Foram expulsos 16 professores e funcionários da UFRGS oriundos dos cursos de Direito,Medicina,Esconomia,Filosofia,Agronomia,Veterinária, Belas Artes,Arquitetura e Faculdade de Direito de Pelotas, na epoca vinculada a UFRGS.


O golpe de 64. Os "milicos", novos detentores do Poder!

Dentro das redações dos jornais brasileiros, uma nova categoria de jornalistas começa a ganhar grande valor: os que sabem as entranhas dos quartéis.
Carlos Castelo Branco, por exemplo, pelo Jornal do Brasil, dá um banho de informaçãoes porque tem muito prestígio no meio dos quartéis.

Para ser um repáorter bem valorizado no tempo da ditadura, é preciso antes de mais nada, não entender do Congresso Nacional, nem de eleições, mas das promoções do Almanaque do Exército.

Um dos melhor informados sobre quem seria o próximo presidente era sempre o locutor dorepórter ESSO, Heron Domingues, tanto que numa visita a Uruguaiana, quando o General Emílio Garrastazu Médici era o chefe do Serviço Nacional de Informações(SNI) Heron praticamente já sabia que ele era o ungido do chamado Alto Comando.

Coleguinhas

 

Na Revolução de 1964, Serginho Ross e Assis Hoffmann partiram para Santo Angelo para fotografar um foco guerrilheiro que teria se formado naquela região.Seria comandado pelo Sargento Alberi. Andaram no meio do mato, mas o que encontraram foi um touro furioso que quis agredir um dos milicos. Ele fugiu para a copa de uma árvore e não queria descer de lá.

acervo de Assis Waldir Hoffmann

Assis e Serginho com os milicos.

- Mas tu não fostes treinado pra combater guerrilheiros? lhe perguntaram.

- Guerrilheiros sim, mas não fui treinado pra dar conta de um touro brabo como este.

E não desceu da copa da árvore enquanto o touro,enfurecido, ficou por ali.



De S. Borja

 

 


Onerom da Rocha pensava que fosse uma pegadinha:

saiu dos bailes de carnaval e fantasiado foi esperar o presidente Menem no aeroporto!

 

Foto de Gaudêncio e acervo do PDT/S. Borja(RS)

" Onerom da Rocha é o que está sentado aos fundos, de camisa azul. Os demais integrantes da foto são da esq. para a direita Pedro Ruas,Percy Penalvo, Leonel Brizola, Gastão Ponsi, Lair Fontella, Florêncio Aquino Guimarães, Sereno Chaise,Matheus Schmidt. Anos 90, em S. Borja, no Hotel Executivo."

 

Ainda hoje nas rodinhas que se formam após o almoço, ou no entardecer, nos locais de troca de conversa em S. Borja, como no La Barca, do Chita, lembra-se com muito bom humor um episódio acontecido lá nos distantes anos 80,quando era prefeito de S. Borja Paulo Maurer(PMDB) e vice, Luiza Gattiboni(PDT).

Houve um grande temporal em pleno carnaval - a natureza não escolhe data para suas intempéries - e no dia seguinte o presidente argentino Carlos Saul Menem(aquele das "costeletas" que mais se parecia a um cantor de tango) tomou o seu Tango Uno, o avião presidencial e rumou a Santo Tomé para ver os estragos.
Queria inspecionar in loco os estragos do grande temporal.

Como não havia aeroporto compatível para descer um avião daquele porte, a comitiva argentina solicitou liberação do aeroporto de S. Borja, antigo Leonel Brizola, hoje João Manoel - para a aterrissagem.

O prefeito Paulo Maurer que passara a noite de carnaval indo de um clube a outro - prefeito tem que prestigiar a todos - acompanhado de alguns de seus secretários convocou seus subordinados a comparecerem ao aeroporto local para recepcionar o presidente argentino. O Ilustre visitante chegaria lá pelas nove da manhã.

Onerom da Rocha , um dos secretários que havia passado a noite em claro, quando recebeu o telefonema convocando-o para aquela missão fora de hora - sim porque depois de uma noite de carnaval, o que mais se quer é dormir - achou que era mentira, que era uma pegadinha.

E sem se preocupar muito foi como estava, ou seja, saído direto do carnaval para o aeroporto.

Seu traje, no entanto, é que não condizia muito com a tarefa de recepcionar um presidente. Quando o prefeito Maurer avistou seu secretário ainda vestido para um baile de carnaval, quase surtou. Mas o secretário se defendeu apenas alegando que " me chamaram"!

Foi no entanto convencido a ir até sua casa e trocar de roupa!
Em S. Borja, os amigos tem muito carinho pelo Onerom da Rocha. O acham um " gordo bonachão!"

 

Sísifo Re-inventado

 

Performance: Sísifo Re-inventado

Texto: Charles Bukowski e pesquisa em "O Mito de Sísifo, ensaio sobre o
absurdo" de Albert Camus

Onde: Usina do Gasômetro na Sala 502 – 5ºandar

Dia: 03 de Abril (sábado)

Horário: 19 horas

Atores: Celso Veluza e Paulo Rodriguez

Companhia: A Hora do Anjo

Ingresso: Entrada Franca

Projeto: Usina das Artes

Fotos: Letícia Souza

Atriz na Foto: Cláudia Rodrigues

Sísifo amava a vida e menosprezava os deuses e a morte. Por isso, foi
condenado pelos deuses gregos a um trabalho inútil, contínuo e cotidiano que
consistia em levar uma pedra até o topo de uma montanha. Quando o sol caía,
Sísifo já estava quase alcançando o topo. Quando o sol nascia, a pedra havia
rolado ao pé da montanha novamente. E assim sucessivamente a cada dia. Os
deuses haviam pensado, com alguma razão, que não há castigo mais terrível do
que o trabalho inútil e sem esperança.

Sísifo re-inventado é uma abordagem contemporânea do mito, atualizando-o em
territórios urbanos, com imagens que refletem nossa vida cotidiana,
realizando mutações.

.Qual o real sentido da vida? Qual a liberdade absurda?

Sísifo prossegue no seu tormento para que possamos superar o nosso. É um
herói trágico e absurdo. A pedra de Sísifo tem, nos dias de hoje, outros
nomes, mas é inútil o trabalho de erguê-la.

Para o ser humano, existe a possibilidade de modificar sua rotina absurda,
de lançar longe o rochedo das misérias, da ignorância e da inconsciência.
Deixar de repetir os dias, os anos e as vidas sem variação alguma para
construir o próprio destino – eis o desafio de Sísifo.

Exposição Afetividades Aleatórios

Dia: De 03 a 24 de Abril

Local: Usina do Gasômetro (corredor do 5° andar)

Exposição Afetividades Aleatórias é composta de programas de espetáculos de
teatro e dança recolhidos, juntados e guardados de forma aleatória e alguns
de forma afetiva por Celso Veluza, a partir dos anos 80 e que antes de
jogá-los fora numa limpeza, resolveu expor alguns como curiosidades no 5°
andar da Usina, o corredor dos pequenos teatros.


Palpite

 


Não dou dois ou três anos no máximo: OBBB será o programa da família brasileira, no lugar da novela! Passei no Barranco na noite da final e não havia ninguém que não estivesse com os olhos grudados no telão. Menos o Chiquinha Tasca, o dono, que por "envergonhado" não olhava para aquelas carnes todas. O Chiquinho as conhece do seu tempo de solteiro do Gruta Azul!

 

 

 
 
Arquivo do Blog

2007
             Set  Out
2008
xMaix
2009
2010                

 
 


Espaço dos Leitores

 
 


Olides Canton - Jornalista e Escritor

Nascido em 16 de Janeiro de 1952 na cidade de Serafina Corrêa-RS, Olides Canton passou nesta cidade toda a sua infância. Mudando-se para Porto Alegre, cursou a Escola Julio de Castilhos, tornando-se Bacharel em Comunicação Social pela FABICO/UFRGS em 1982. Trabalha como Jornalista desde 1970. Trabalhou na Companhia Jornalística Caldas Júnior, Jornal Zero Hora. No Jornal do Brasil e Revista Carga e Transporte atuou como free-lancer. Editor do Jornal de Bordo e Revista Fitness. Possui 9 livros publicados. Ganhou quatro prêmios de Jornalismo, um do Badesul, dois do Setcergs e um da ARI. Registro no Sindicato dos Jornalistas RS: 2776 - Registro Jornalista - Mtb 4959.

Telefone: (51) 3330-6803
e-mail: contato@deolhoseouvidos.com.br

Autor de inúmeros livros, Olides Canton firmou-se como um
exímio contador de histórias contemporâneas.
Conheça agora as obras do autor

© "de Olhos e Ouvidos"  -  Todos os direitos reservados
Os textos e imagens publicados neste site são de inteira responsabilidade de Olides Canton.

 




EDIÇÕES DO FITNESS

Edição 131
Edição 130
Edição129
Edição128
Edição127
Edição 126
Edição125
Edição 124

Edição 123
Edição 122
Edição 121
Edição 120
Edição 119
Edição 118
Edição 117
Edição 116
Edição 115
Edição 114
Edição 113
Edição 112
Edição 111
Edição 110
Edição 109
Edição 108
Edição 107
Edição 106
Edição 105
Edição 104
Edição 103
Edição 102
Edição 101
Edição 100
Edição 99



ANUNCIE NO SITE!

Entre em contato conosco


Edições Anteriores do Blog



LINKS QUE RECOMENDAMOS



Aceg
Agência Edison Castêncio
Assembéia Legislativa RS
Cloaca News
Comuniquese
Correio Do Povo
Darci Filho

Diário da Fronteira

Diário Popular
Ecoagencia.com.br
Enfato

Folha de São Borja
Governo do Estado do RS
RSUrgente
KaduNew
Jornal A Hora
Jornal do Comércio
Jornal do Mercado
Jornal O Sul
Jornal Panorama Regional
José Luiz Prévidi

Laura Peixoto
Lauro Dieckmann
Políbio Braga
Política para Políticos
Prefeitura de P.Alegre
Prefeitura Serafina
Correa

Ricardo Noblat
Rogério Mendelski
Rosane Oliveira
Sindicato dos Jornalistas
Tijolaço
Via Política
VidaSustentável
Vide Versus
Zero Hora

REPORTAGENS
ESPECIAIS


Veja em "Memória"