"O Blog dos Colegas"

 

 

Copa do Mundo!!!!

 

 

Como sempre....

Há um clima pessimista na imprensa. O Brasil seria campeão, na Suécia!!!!


Da esquerda para direita

Fotógrafo Otacílio Dias, Jorge Mendes, Nelson Moura e o jogador Rivelino. Data: 11.04.1986.
Esta Copa o Brasil perdeu, lembro bem!


Amarildo, a grande sensação na ponta-esquerda

da Seleção Brasileira, depois que Pelé se machucou!

 

André Gerdau Johannpeter receberá título de Cidadão na terça

 

O empresário e medalhista olímpico em Atlanta 1996 e Sidney 2000, André Gerdau Johannpeter, 47 anos, receberá na próxima terça-feira (1º/6), às 17h, o título de Cidadão de Porto Alegre na Câmara Municipal. A proposta é do vereador João Bosco Vaz (PDT). André conquistou as medalhas de bronze para o Brasil no hipismo, nas provas de saltos por equipe. A solenidade ocorrerá no Plenário Otávio Rocha da Câmara Municipal, localizada na Avenida Loureiro da Silva, nº 255.

Também estão no currículo do atleta títulos nacionais e internacionais, como os de campeão brasileiro sênior, em 1997, e sul-americano júnior, em 1978. André já conquistou, em 2000, o primeiro lugar individual da prova The Best Jump, o mais tradicional evento do hipismo no Estado.

Desde 2007, André Gerdau Johannpeter é diretor-presidente do Grupo Gerdau, um dos maiores produtores mundiais de aço. A empresa é líder na produção de aços longos nas Américas e uma das maiores do mundo. A Gerdau possui operações industriais em 14 países da América, Europa e Ásia.

Para João Bosco Vaz, autor do projeto, a homenagem a André Johannpeter se justifica "pela demonstração e exemplo de que a força e a disciplina do esporte podem gerar efeitos numa brilhante e promissora carreira profissional". Bosco já concedeu, na Câmara Municipal de Porto Alegre, homenagens a outros desportistas, como o técnico da Seleção e capitão do Tetra Dunga, ao técnico do Penta Luiz Felipe Scolari e a campeã mundial de ginástica Daiane dos Santos Garcia.

Leonardo Oliveira (reg. prof. 12552)

Sala de Redação em Caxias!!!!

 


Não é agora e quem diria? o Sala de Redação, tão famoso, que tem até um livro escrito, foi apresentado na TV Caxias,da RBS nos anos de 1974,1975 e 76 por Cândido Norberto,seu criador na rádio Gaúcha. Ninguém nunca tinha referido isto. Quem me informou foi Julinho Pacheco, que era o diretor da TV Caxias nesta época.

- O Cândido subia a Serra no sua OPALÃO contou--me Julinho.O programa ia ao ar às 22 horas de sexta-feira, com patrocínio da MARCOPOLO....

Cândido coordenava os debates com personalidades da região que eram convidadas a debater um determinado assunto."Pegava toda a região da Serra e às vezes vinha gente de Passo Fundo pros debates" disse Julinho.

Cândido geralmente retornava a Porto Alegre no domingo . Hospedava-se no Alfred Hotel.


 

Histórias de La Ùndeze!

 


Esta é contada pelo engenheiro Frederico Alban Neto, diretor da Tedesco, um serafinense( de quatro costados!)

Na época que o Pe. Chico era vigário lá, eu era coroinha. Ele me fez descer um andaime dentro da igreja de Serafina que saía dos braços da cruz de concreto no altar principal e descia até o corredor central da igreja numa noite de Natal vestido de anjo, com asas e tudo mais. Tive que deixar o cabelo crescer por mais de 6 meses....

Foram vários ensaios à noite com a igreja fechada descendo daquela altura com 10,12 anos. sem cinto de segurança, correndo na descida chegando no meio do povo e dizendo:

- Eu vos anuncio uma grande alegria que é para todo o povo: nasceu o Salvador Jesus Cristo.
Depois voltava correndo lá pra cima e descia por trás da cruz por uma escadinha de madeira que o José Gonzatyto tinha preparado...Gostou desta???

 

Histórias de La Ùndeze!

 

 

Mandei perguntar ao meu irmão Paulo se ele se lembrava o que er LA MESCOLA! Eis o que disse:

" Claro que lembro. Cansei de mexer LA MESCOLA( uma pá de madeira pra virar a farinha de milho enquanto ela ferve pra se fazer a polenta). Todo mundo vivia comendo polenta. Por sinal, que polenta boa, não acho igual.

O Alcides Meneghatti( um vizinho nosso, que hoje mora no Paraná) dizia que na casa deles só comiam pão. Mentira: comiam polenta como nós....

A polenta era considerada comida dos mais pobres. O pão era tido como a comida das elites".

Então,tá!!!!

O DINOSSAURO DOS JORNALISTAS


Arquimedes Fortini é beijado por Jurema Josefa, em 1972, na redação do Correião.

Arquimedes Fortini, foi durante anos, tido como símbolo dos jornalistas que não deixavam as redações...nem quando o patrão exigia. Havia muito disto, principalmente dentro da Caldas Junior. O pessoal ia ficando,ficando até morrer, como os elefantes.

Bem que Breno Caldas,dono do Correio, tentou aposentar Arquimedes Fortini, uma legenda, porque o velho usava o prestígio do centenário jornal pra fazer suas campanhas meritórias, tipo auxiliar Pão dos Pobres,e Santa Casa.Mas numa das vezes, contam, Arquimedes começou a chorar como criança e Breno mandou deixar pra lá...

Quando enfim,depois de mais de 50 anos de casa, ele escreveu uma carta emocionada se despedindo por conta próprio do jornal, aeu fui com o Caco Barcellos - que era empregado da Folha da Manhã e com o Olívio Lamas - fazer uma matéria especial sobre o velho Arquimedes, que morava num prédio da 24 de Outubro, no Moinhos de Vento...(enbaixo tinha um cinema, hoje fechado)./
Caco usava uma barba e cabelos compridos assim como o Lamas. O velho "carola"- Fortini era muito "papa- hóstia" - não gostou de ver os cabeludos, como se dizia, e ameaçou não dar a entrevista. E meio na brincadeira, queria jogar o Caco pela janela.
- Pra comunista eu não dou entrevista, alegava....

Depois, deu é claro....
Mas por trás do grande carola, havia um outro. Quando Antônio Goulart foi fazer um perfil do dinossauro dos jornalistas gaúchos, ficou sabendo por exemplo, que os objetos que Fortini guardava nas gavetas da sua mesa no Correio do Povo não era propriamente terços....Eram imitaçãoes de plástico do aparelho sexual masculino....

Por trás de todo grande moralista, há, bom, deixa pra lá.....

 

Memória da Imprensa!

 

 

 

Um conservador que dava

"guarida" a profissionais comunistas


Breno Caldas foi durante muitos anos um barão da imprensa gaúcha. Mas nos seus veículos também trabalhavam alguns comunistas, que no tempo da ditadura militar(1964/1985) ficaram marcados. Ele fala deste tempo ao repórter José A.Pinheiro Machado( o atual conhecido Anonymus Gourmet).


Luis Carlos Prestes, grande liderança comunista do Brasil.

" Os comunistas não podem ter queixa de mim.
Nunca fiz discriminação a nenhum dentro do jornal.Um deles eu ajudei em momentos decisivos.Um foi o Lauro Hagemann que depois foi vereador do Partido Comunista. No tempo que era deputado cassado(pós 64) todos sabiam que era ligado ao PC, então na clandestinidade. Numa época de dureza política, ele apareceu na minha sala, desempregado:
- Dr. Breno, o senhor é a minha esperança. Criaram uma barreira em torno de mim, ninguém quer me aceitar....Ele era um locutor de prestígio, mas aceitaria qualquer coisa. Queria só um emprego. Coloquei-o no ar, num dos principais noticiosos da Rádio Guaíba.

Quando alguém me falava sobre a presença de comunistas no jornal,eu ironizava dizendo que tinha um cuidado: mantê-los empre em minoria...
E que se um dia conseguissem a maioria,paciência.....o que é que eu poderia fazer?

que assumissem logo o comando do Correio....


Breno Caldas, dono do Correio do Povo,até 1984,quando parou a circular(depois voltou, mas com outro dono, o Ribeiro)

Um dia recebi o recado de que o Prestes(Luis Carlos, líder comunista) tinha ligado. Telefonei para o númeroa que ele deixou e ele mesmo atendeu. Fiquei surpreso com a firmeza da voz, o tom positivo,apesar da idade - ele deveria estar com 90 anos.

Disse-me então que lamentava muito que o Correio tivesse fechado que o Correio deveria voltar, que era importante para a imprensa brasileira....

Eu já conhecia o Prestes há tempos. Primeiro,na década de 20, as histórias da Coluna Prestes, ele era apenas um nome, um mito, uma figura lendária para mim. Aquela imagem heróica e romântica da Cavaleiro da Esperança...Depois, em 30, naquele episódio do Siqueira Campos, eu acho que ele foi muito correto não querendo disputar o poder. Quando foi preso, em 1935, o Prestes ficou incomunicável e houve um pedido da família para que os diversos jornais mandassem assinaturas ou mesmo exemplares dispersos para a prisão em que ele estava, no Rio de Janeiro. Mas durante os 9 anos em que o Prestes esteve preso, o único jornal que foi mandado sempre, que chegou lá,a diariamente, pontualmente, foi o Correio do Povo....Quando ele foi solto, com a anisita de 1945, veio a Porto Alegre e esteve no jornal, que nesse dia festejava o cinquentenário.Ele vinha acompanhado de um verdadeiro séquito, até o Trifino, que era guarda-costas dele. Agardeceu os jornais que eu tinha mandado a ele na prisão, dizendo que, durante todos aqueles anos incomunicável, o CORREIO DO POVO tinha sido o elo de ligação dele com o mundo....

No dia aquela da visita do Prestes, o Correio do Povo saíra com um " a pedido" publicado pelos integralistas contra a presença dele em Porto Alegre.
O Prestes,então,disse que " eu não podia" publicar uma coisa dessas. Expliquei-lhe que era matéria paga, que não se confundia com certas coisas, " nem pagando" um jornal como o Correio do Povo poderia aceitar. Disse-lhe que era posição pessoal dele, e que a minha maneira de dirigir o jornal era outra. Enfim, foi uma discussão em todo educado, mas dura...."

 

Irpapos

 

O Irpapos, da rua da Praia, comemora num jantar, mensal, seus encontros diários na frente da Gal. Chaves. O Grupo, capiteaneado pelo Paulinho Bueno, também conhecido por Paulinho Quarta-Feira, isto porque toda quarta-feira ele tinha um compromisso "extra", no passado,se encontra uma vez ao mês pra celebrar a vida, num jantar. Uns bebem, ou só ficam na coquinha.....

É o caso de um frequentador que já tomou todas no passado e agora está se preservando pra próxima encarnação,dizem....


Jantar do Irpapos


Jantar do Irpapos Brinde


Jantar do Irpapos Brinde


Jantar do Irpapos - brinde

 

 

Coleguinhas

 


Flávio Pereira, hoje no O SUL, recebeu um dia um telefonema do vereador Reginal Pujol(DEM):
- Flavinho, vai amanhã no descerramento da placa da rua do Eliziário....

Bom,pensou Flávio, fui colega do cara na Zero. ( Eliziário Goulart da Rocha)...

No sábado, acordou, tomou café e foi perto do Cristo Redentor. Chegou lá tinha duas velhinhas, só e a placa esperando pra descerrar o nome da rua....

Uma delas, chega pro Flávio e pergunta:
- Mas onde o senhor conheceu papai?

- Fomos colegas na Zero Hora...Flávio já tinha visto que havia confusão...

Era a placa das carrocerias Eliziário, ou seja, do Eliziário Goulart da Silva.


 

Negócios...

 

Almocei, na sexta, num restaurante da rua da Praia, com o colega Cristiano Darsch.
Detrás de mim, uma mesa negociava jogadores de futebol. Os três falavam muito no VERARDI( ah, são 4 milhões pra mim, não sei o que....)

E quando o celular tocava, despertava o hino tricolor....


Coleguinhas

 

*A turma do esportes da rádio Guaíba, nos anos 70, tinha como senha,quando queria dizer que ia se encontrar com uma mulher( não a esposa,claro) dizer que tinha ido a igreja...

- Ah, fui a igreja.

era a senha!

Um dia o Lauro Quadros chegou e alguém perguntou onde ele estava:
- Estive na CATEDRAL....

Foi uma gargalhada geral....!!!!

Desde Serafina

 


Vereador teria
parte em cabaré!


Foi a informação que trouxeram de Serafina , na terça-feira passada, dia 25/05, os integrantes da Jornada Contra Violência de Crianças e Adolescentes que estiveram na cidade na noite do dia 24/05 passado. As audiências foram no Clube Familiar Paulo VI, da Igreja Católica.
Além do deputado estadual do PT, Fabiano Pereira, que preside a Jornada, esteve presente também uma senhora, de de Brasília, de sobrenome Alberton. Numa conversa informal, depois das audiências formais, um vereador de Serafina teria sido identificado como o verdadeiro dono do cabaré Haras, localizado à direita da RS-129,entre Guaporé e Serafina Corrêa.

Não se sabe se houveram ou não denúncias de que neste cabaré haveria a presença de meninas menores.



Feliz da vida....

 

 

Sábado,dia 29/05,encontrei o Beto, garção do Odeon, na Andrade Neves, feliz da vida, tomando uma ceva,noMercado Público. É que o Odeon foi eleito o melhor bar pra música pela Veja....este ano. Antes havia sido o Bar do Nito e o Sargent Pappers, na dona Laura.


Só vinho


Na sexta, me contou o Beto, o Sérgio da Costa Franco esteve no Odeon onde só tomou vinho. É o que ele aprecia....


Suliani

Antônio Suliani, meu editor, está em casa. Mas vai ter que colcoar uma ponte de safena. Parou de fumar. O filho toca a editora.

Coleguinhas

 


*Flávio Pereira queria ir a B.Aires, no jogo Grêmio X Boca, tempos atrás....pela Libertadores.Vira e mexe, conseguiu dois ingressosd.. Iria de carro atè Uruguaiana...
Depois seguiria de ônibus, com a filha.No entanto, no dia de viajar,acordou com febrão....40 graus,etc...não deu pra ir...Ligou pro seu amigo vereador Reginaldo Pujol, que ficou louco de contente. Estava atrás dos ingressos na Bombonera, mas não havia mais estavam esgotados. Cairam do céu pra ele....


*Joabel Pereira está no TRT(Tribunal Regional do Trabalho)

 

Palanque

 


O engenheiro Estilac Xavier, ex-vereador e ex-deputado estadual do PT coordena a campanha da pré-candidata Dilma Rousseff no Estado e é membro da coordenação financeira da campanha do pré-candidato Tafrso Genro ao governo do Estado....

Rápida

 

 

O vereador Adeli Sell, presidente do PT de Porto Alegre, quer ser prefeito da capital....

 

 

Perda

 


Morreu Dennis Hopper, estamos todos mais tristes......

Blog


Blog sobre Gêmeos

“Em 09 de Abril de 1969 eu e minha vizinha de Útero, viemos ao mundo. Nossa
infância foi divertida. Éramos muito unidas, tínhamos sintonia e
cumplicidade. Brincávamos e brigávamos com a mesma frequência. Na
adolescência, ela escolheu estudar nos Estados Unidos e eu escolhi ficar. A
partir daí, perdemos nossa sincronia. Hoje temos uma relação civilizada,
porém, superficial. Na distância, sentimos aquele tipo de amor esquisito que
não amadureceu. Uma ligação atrofiada. Nossa vida é marcada por desencontros
- mas ninguém tem culpa nisso. Durante muito tempo eu não entendi essa
distância emocional, essa lacuna que minha irmã gêmea provocou em mim. Mas
hoje eu sei que nunca foi intencional nem proposital. Eu a amo
incondicionalmente. Não há rancor. E é justamente por estar liberta deste
conflito, que me senti preparada para criar este blog. Hoje compartilho meus
sentimentos sem medo, porque não dói mais” Por Jemima Pompeu

*Vizinhos de Útero foi criado com o propósito principal de reunir histórias
de gêmeos - contadas por eles próprios ou por seus familiares.
Vale ressaltar que todos os textos são postados com os devidos
créditos. Aqui você encontra também, fotos de gêmeos famosos, depoimentos de
pais, artigos relacionados e curiosidades do universo gemelar.*

*http://www.vizinhosdeutero.blogspot.com

Comentário...

 

Saí há poucos minutos do filme Em Teu Nome, que é a " história" Glamurisada do Bona Garcia e de sua esposa, a Célia. Eu já tinha lido o livro....Não creio que o filme vá arrastar multidões, apesar da história de amor melosa que pintam no filme. Claro que na real, não deve ter sido tão glamouroso....Pelo que que deprendi, esta mulher, no caso a Célia, não a Cecília deve ter comido o pão que o diabo amassou....
Bom, o fime é curtinho e pra quem já viu Batismo de Sangue, do Frei Beto, este é uma cafezinho com açúcar....Não vão esperar coisas muito densas, porque exploraram mais a aventura dos dois mesmo.

Mas valeu a pena para reconstituição dos tempos. Lembro que em 1974, logo depois que o Allende caiu, eu vivia em Lima e quando ia no Ministério de Relaciones Exteriores pra renovar minha Visa era sempre um tumulto porque havia dezenas de exilados chilenos pedindo também passaportes, vistos e o que precisassem. Também havia brasileiros- não era o meu caso, eu não era exilado - exilados pedindo vistos e passaportes....

O filme sobre o Bona e a Célia coloca de novo a história da VPR da luta armada....Imagino que quem participu disto sempre deve ter algumas restrições a como são colocados os fatos....

Também traz o tema da anistia, dos brasileiros exilados lutando por ela....

No final do file, aparece o casal, já maduro e o Bona dizendo que não cruzaria a rua se encontrasse um sujeito que o torturou. Então ele superou os tristes episódios.

Mas muito me debati no passado com colegas e conhecidos que haviam passado pela luta armada - uma opção deles - e que de certa forma apresentavam a conta aos que ficaram alienados no auge da ditadura brasileira. Esta é uma questão que sempre sucitqa debates calorosos quando é trazida à tona. Talvez o mérito do filme do Paulo Nascimento seja este mesmo... Enhgajada ou não a arte sempre é revolucionária....

Histórias de Política...

 

 

Traições,traições!!!!!.
Quando João Bosco concorreu pela primeira vez a vereador em 1988,angariou o apoio do ponta-direita do Inter, Valdomiro,que era deputado estadual.

- O Valdir vai te ajudar no comitê. Se te elegeres ele vai contigo pra Câmara.

Valdir e Valdomiro se conheciam do Inter. Valdir foi lateral-direito lá. Valdomiro, todos conhecem. Diz o Bosco que no comitê o comportamento do Valdir era estranho.

Todos que iam falar com o Bosco, falavam com ele antes,depois é que ele liberava.

Um dia, um habitué do comitê, que ficava na Jerônimo Coelho, puxou o Bosco e disse:
-Olha, o Valdir é candidato a vereador.
- Não pode!

No dia da inauguração do comitê, com a presença de Antônio Britto,candidato a prefeito( perdeu pro Olívio Dutra) Valdir ficou o tempo todo na cozinha.
Dona Natália, esposa do Valdomiro, acordou o Bosco no dia segunte,bem cedo.

- Estou demitindo o Valdir aqui da Assembléia(trabalhava no gabinete do Valdomiro)

-O que houve? Esse negrão tem lá seus votinhos.

- Estás sentado?, perguntou dona Natália.
- Sim.
- O Valdir é candidato pelo PFL.
Os dois perderam: Valdir perdeu o emprego e não fez nem 500 votos. Bosco perdeu o assessor e a eleição para o Luiz Braz por 12 votos.

Traições,traições...

 

 

Todos sabem que Alexandre Postal(PMDB) trabalhava no gabinete do deputado estadual Antônio Lorenzi....


E todos sabem que Paulo Pimenta trabalhava no gabinete do deputado estadual Marcos Rolim....

Saúde

 

O músico Xandy(Alexandre) Vieira, que toca no Sargent Peppers, está bem de saúde. Viaja dia 7 próximo. Está com um pequeno problema na fala....Mas está trabalhando normalmente.....

 

Coleguinhas

 

 


Affonso Riiter é o único coleguinha que atualiza site nos domingos....Ontem o fez 17h31 minutos. Um dia chego lá!!!!

Carta

 

 

A Josi não concorda que o Pozas seja chamado de Feio!

Então, tá a alma dele é bonita!

 


E não chama o meu amigo Possas de feio. Tem gente muito pior, verdadeiros dráculas e nem por isso são estigmatizadas. O que importa é ter uma alma bonita e isso o Possas tem.
Te falei, né, que não existe o email do tal de Sergio. Que pena!!

até. agora vou ao velório do Veronese, mais uma grande perda para o rádio gaúcho. só estão ficando os medíocres!

abs

Josi Negreiros

Desde São Borja

 

( Exclusivo)

Pompeo analisa
possível renúncia a chapa PMDB/PDT!


O assédio ao PMDB por partidos fora da coligação PMDB/PDT(leia-se pressão de José Serra) pode ser o motivo pelo qual Pompeo de Mattos estaria pensando em renunciar a candidatura de vice na chapa de José Fogaça!
Desde São Borja

 

Uma homenagem

aos moradores ribeirinhos que "sofrem"

com as enchentes.....


Balseiros

Balseiros do Rio Uruguai
Barbosa Lessa


Oba, viva veio a enchente
o Uruguai transbordou
vai dar serviço p’ra gente.
Vou soltar minha balsa no rio,
vou rever maravilhas
que ninguém descobriu.
Amanhã eu vou m'embora
pros rumo de Uruguaiana
vou levando na minha balsa
cedro, angico e canjerana.
Quando chegar em São Borja,
dou um pulo a Santo Tomé
só pra ver as correntinas
e bailar um chamamé.
[Bis do refrão]
Oba, viva veio a enchente
o Uruguai transbordou
vai dar serviço p’ra gente.
Vou soltar minha balsa no rio,
vou rever maravilhas
que ninguém descobriu.
Se chegar ao Salto Grande
me despeço deste mundo,
rezo a Deus e a São Miguel e
solto a balsa lá no fundo.
Quem se escapa deste golpe,
chega salvo na Argentina.
Só duvido que se escape do
olhar das correntinas.

 


Histórias de La Ùndeze

 

 

A nova meca do
trabalho, no RS!

Um primo meu, Jurides Santin, costuma chamar,debochadamente, Serafina, na Serra gaúcha, de " Nova Pelotas". É que alguns anos atrás, de cada 4 trabalhadores que chegavam pra trabalhar no frigorífico Perdigão, 3 eram de Pelotas, ou das redondezas. Com a crise e a quebra de muitos frigorificos na Zona Sul do Estado, os trabalhadores braçais, ou não, migraram para Serafina( e outros municípios) em busca de emprego.

Isto criou duas situações:
os imóveis de aluguel subiram fora do mercado e a alimentação é mais cara no município do que na capital. Sei disto porque vou lá mensalmente e vejo isto.

Somente a unidade da Perdigão - antigo Frigorifico Ideal - tem 4 mil empregados. Trabalham diuturnamente,sem domingos,sábados ou feriados.A chaminé está sempre despejando fumaça.

A indústria de cadernos Credeal, a maior da América Latina, também tem grande demanda por trabalhadores.O que aconteceu? Os trabalhdores rurais hoje apenas vivem na roça, mas todos trabalham ou na Credeal, ou na Perdigão, ou na Gráfica Serafinense.

Em 1993, quando a Credeal precisava se expandir queria ficar em Serafina. Mas encontrou dois problemas,segundo o diretor Fernando Alban disse a Mauro Rocha, que foi tentar levar a unidade para Palmeira das Missões, onde ele residia: faltava energia elétrica e mão de obra.

A Credeal optou por estabelecer-se em Guaporé, a apenas 20 km da matriz. Hoje tem no Paraná,também.
Sou testemunha do grande fluxo de trabalhadores da zona sul do Estado, da Fronteira Oeste(S. Borja, Uruguaiana,Itaqui,onde escasseia o trabalho)para Serafina. Ao lado da rodoviária, nos fins de grandes feriadões,quando tomo meu ônibus para Porto Alegre, sempre tem coletivos estacionados junto ao local esperando os passageiros que foram a Serafina visitar parentes. Isto ocorre muito nos feriadões, tipo Páscoa, Natal, Corphus Cristhi,ano novo etc....

Mesmo meu pai, que tem um "porão" onde sempre moram trabalhadores,nunca deixou ele vazio. Sai um inquilino,entra outro. Nos últimos quatro ou cinco anos, acho que já teve mais de dez famílias de fora morando na peça.
É sempre gente de longe,tipo Santa Rosa, Santo Cristo, Giruá,Pelotas e por aí afora.

Um dos inquilinos ganhou uma casinha da prefeitura e agora sempre visita meus pais, porque se fizeram amigos.

É isto: grande absorvedora de mão de obra, La Ùndeze antiga, deixou de lado o romantismo, pra se tornar famosissima no Estado como uma nova meca de trabalhadores!

Desde São Borja

 

(Exclusivo)

Pompeo de Mattos avalia a possibilidade de renunciar a candidatura a vice na chapa PMDB/PDT!



Esta é boazinha. Extraída do livro Pisando na Bola, do Bosco.

 

 

E vem a calhar porque estamos em tempo de pré-campanha a presidência ....


Quando a festa dos Navegantes era acompanhada de barco pelo rio Guaíba, o vereador Zanella, levou a mãe dele, dona Lina, na mesma embarcação em que iam o governador Simon,o prefeito Collares, e outras autoridades,entre elas....o deputado Carlos Araujo.
Dona Lina,que também era Araujo, mas de Três Passos, do distrito de Feijão Miúdo,queria saber se o deputado carlos Araújo tinha algum parentenco com ela.
- Não, não, acho que não temos nenhum parentesco...

- Mas o senhor deve conhecer os meus filhos, o vereador Zanella...

- Ah. o vereador Zanella,eu conheço.

- E os outros, o Nelson, o Renato...

- Não, não conheço.

- Ah, mas tem um da minha família aque o senhor deve conhecer . Ele é muito famoso, é o Major João Jaime Araújo, promotor militar do Estado.
- Sim, este eu conheço, foi quem me condenou na justiça militar.

- Não pode ser, o Jaime é tão bonzinho...

- Pois é, mas condenou....

- Mas o senhor fez o que?
- Expropriei algumas coisas...

Dona Lina saiu pro lado e falou:
- Eu sabia que alguma coisa ele deveria ter feito, porque o João Jaime é gão bonzinho....


 

Show Coletivo de Lançamento do CD da Radioweb Buzina do Gasômetro

 

Show Coletivo de Lançamento do CD
da Radioweb Buzina do Gasômetro
"Só cresce quem se conhece!"



Convite



No próximo dia 01 de junho acontece o lançamento do Cd coletivo da Rádio Web Buzina do Gasômetro,
com a participação dos maiores expoentes da música popular gaúcha na atualidade.
São 23 artistas, nomes consagrados e grandes revelações, que estarão juntos dividindo o mesmo espetáculo.
Há muito tempo não se via em Porto Alegre uma movimentação musical tão intensa.
Venha participar deste show histórico. O evento acontece no Salão de Atos da UFRGS às 20 horas.
A entrada será franca com doação de agasalhos.
Participam Bebeto Alves, Richard Serraria, Nelson Coelho de Castro, Marcelo Fruet, Leandro Maia,
Gelson Oliveira, Fausto Prado & Caetano Silveira, Marisa Rotenberg, Raul Ellwanger, Misselânea K.,
Marcelo Delacroix, Luiza Caspary, Mônica Tomasi, Midian Almeida, Buenas e M'espalho, Kako Xavier,
New e Luis Mauro Vianna, Serrote Preto, Caio Martinez, Mário Falcão, Otávio Segala, Zé Caradípia e
Sombrero Luminoso.

O QUE: SHOW COLETIVO DE LANÇAMENTO DO CD DA BUZINA
ONDE: SALÃO DE ATOS DA UFRGS
QUANDO: DIA 01 DE JUNHO 2010 - ÀS 20 HORAS
ENTRADA FRANCA

A Buzina do Gasômetro é um site dedicado exclusivamente à música de Porto Alegre e Grande Porto Alegre.
Conta com mais de 500 artistas cadastrados e uma rádio web no ar 24 horas por dia com uma programação
de muita qualidade indicando a excelente fase da produção musical da nossa capital.

Nossa música popular pede passagem e buzina pra chamar a atenção do público.
"Só cresce quem se conhece !"


 

Palanque!

 


Se ficar confirmado que o Beto Grill será o vice do pré-candidato Tarso Genro, do PT, ao Governo do Estado, a coligação terá optado por um quase ilustre desconhecido.....do grande público.


 

Rádio sucesso

 

A leitora Josi Negreiros manda dizer que que trabalharam também na rádio Sucesso João Garcia, Luis Fernando Siqueira( famoso "Pelotinha") José Alfredo Possas( o cara do jornalismo,depois do Barcellos, mais feio que conheci até hoje) e Mário Lima." Outros mais que não lembro o nome faziam parte daquele TIMAÇO" lembrou a Josi.


Correções


A especialiasta em museus que citei aqui é Maria Osmari e não Osmani, como escrevi.
O correto é Pilla Vares e não Varres, como grafei aqui.

 

 

Desde São Borja!

 

O rio Uruguai está baixando.....e aliviando a tensão dos moradores ribeirinhos!


 

Palanque

 

Beto Grill, que é dado como vice na chapa do pré-candidato Tarso Genro, foi deputado estadual do PDT. Também foi prefeito de Cristal, um município que se separou de Camaquã.

 

 

Todos a favor da Copa!!!!

 

 


No dia que os olheiros da Fifa estiveram no Rio Grande do Sul para averiguar as condições do Beira-Rio, Leonardo Meneghetti,diretor da Band AM e João Paulo Záchia( que é dono do programa de Esportes na emissora) chamaram todos os componentes que trabalham em esporte e deram uma ordem:

- Hoje,aqui, ninguém vai SER CONTRA A COPA DO MUNDO VIR PRO BRASIL EM 2014!

Foi uma ORDEM UNIDA!

E ninguém chiou...como diz aquele ditado....manda quem pode, obedece quem não é louco.

 

 

Confidencialmente....

 

 

No RS, em política, continuamos no tempo dos chimangos e maragatos: não tem terceira via.Ou é Fogaça,ou Yeda que vai pro segundo turno,contra Tarso Genro. Disto até a pedra mais perdida do fundo do rio Carreiro sabe....

Pois nunca esqueço uma historinha: dia 18 de agosto de 1998, se armava um temporal e Pedro Simon, candidato a reeleição pelo PMDB ao senado,estava em Cruz Alta, em campanha. Era dia do aniversário do município. Corremos pro aeroporto pro helicóptero decolar antes do mau tempo...
Mas antes Simon foi abordado por uns 5 jovens do PMDB que queriam falar com o velho caudilho...

De 10 metros de distância, ouvi Simon dizendo aos guris:

- Por muitos e muitos anos vai ser NÓS ( eu penso que ele queria dizer o PMDB) contra ELES( aí tenho certeza que se referia ao PT).

 

Coleguinhas

 

 

Darci Filho, hoje radialista,foi candidato pelo PMDB à Camara Municipal. Mas se infurnou em dívidas de campanha e nunca mais se meteu na política. Não tem jeito pra isto,aguentar chato não é assim tão fácil.....

 

Ccs

 

Coleguinha que foi a procura do atual prefeito José Fortunatti em busca de uma CC não passou do primeiro AMANSACHATO que tem na prefeitura. O que disseram pra ela é que as CCs estão todas ainda com o PESSOAL DO FOGAÇA! Pelo menos até outubro este seria o acordo...

E depois, pergunto eu


Será choro e ranger de dentes?

 

Gracias!!

 

Pra quem quiser matar as saudades do LOKO(maravilhoso!!!) do Icaro eis aí seu email:jornalistamatter@hotmail.com

No momento, o que tenho a colocar é meu agradecimento pela lembrança do "loko" em teu aprumado blog. Olha só, nestas viradas da existência eu falando blog, site, etc. Cria dos tempos do linotipo, da radiofoto..., ainda não estou bem acostumado com essas maravilhas tecnológicas. Porém, importante é que fui lembrado.
Caríssimo Olides Canton, um forte abraço do Ícaro Cerqueira.

 

Lembranças do velho repórter....

 

Ainda ao ensejo dos 83 anos do PAPA da comunicação, como gosta de ser chamado, há uns 2 anos atrás, numa feira do livro de Porto Alegre, Flávio Alcaraz estava autografando um livro. Peguei o diário do Presídio dele, um livro denso, maravilhoso e lá fui pegar seu autógrafo.

Quando chegou minha vez, vi que a filha, Laura, ficou meito esquisita ao ver-me com aquele exemplar. Eu disse ao colega:
- Flávio vim pegar este autógrafo porque este é teu melhor livro. E eu fui te ver quando estavas preso....

O " durão" quase foi às lágrimas.

A filha me pediu pra não me demorar.....

 

Lembranças do velho repórter(1)

 


Numa das vezes que fui até O GUERRILHEIROS DA NOTICIA, na TV2,Guaíba, encontrei o Flávio se preparando pra entrar no ar. Estavam lá batendo papo, ele, o Baldi e o JK, com quem "brigou",agora.
A Laura,sua filha e produtora( será certamente a herdeira do programa) foi falar com ele porque o deputado Vieirinha(Vieira da Cunha) queria trocar de dia:
- Diz pro VIERINHA que o dia dele aqui é na quarta . E diz a ele que a estrela aqui sou eu!

 

Lembranças do velho repórter(2)

 

Quando fui tentar botar o Maneco Vargas no programa dele, o forum, da TV2,Guaíba, foi uma missa rezada em LATIM...

Duas estrelas, não, dois cometas....

quando um podia, o outro não....

Levei 4 meses pra juntar o dois....

Até que num dia de março de muito calor em Porto Alegre fui pegar o Maneco Vargas na Mostardeiro,onde morava. Pegamos um táxi e o Maneco de chinelo de dedo....de camisa toda aberta...não parecia um fazendeiro, parecia um peão....

Na TV Guaíba,quando as duas estrelas se encontraram, o Flávio deu um berro:

- Dr. Maneco, bem que quando o senhor era prefeito me disse pra mim não construir no Morro Santa Teresa que iria sofrer de falta de água. Até hoje sofro disto....

Maneco deu uma pigarreada, bem ao seu estilo, e apenas disse:
- È...é....é....

 

Histórias de la Ùndeze

 


O prefeito chorão....

Guerino A. Massolini, um motorista de ônibus, comerciante, foi o segundo prefeito de Serafina. Muito prestigiado na cidade, tinha um costume: todas as sextas,de noite, reunia o que chamavam de "arigós" da prefeitura(os funcionários simples)e faziam um churrascada, com vinho da colônia(de garrafão). Quem assava a carne era meu tio Domingos Etelvino Staefenon.
Depois de alguns copos de vinho e do jantar, Guerino gostava de cantar canções antigas, trazidas pelos seus antepassados, que falavam principalmente da II Guerra Mundial.

Acervo: Titi Migliavacca.

O prefeito Guerino Massolini(de chapéu)Bruno Marocco(de blusão,por baixo do casaco) e trabalhadores da prefeitura municipal num churrasco.

- Durante umadestas canções, que falava de uma pessoa que tinha ido a guerra e que não voltara, ele chorava...lembra-se Titi Migliavacca que participava destes jantares e que se aposentou da prefeitura, onde era motorista, no dia 30 de abril passado.

Acervo: Titi Migliavacca.

O prefeito Guerino Massolini(de chapéu)Bruno Marocco(de blusão,por baixo do casaco) e trabalhadores da prefeitura municipal num churrasco.

Guerino Massolini antes de prefeito foi motorista de ônibus de uma linha que ia até o Oeste de Santa Catarina. Uma vez, levou junto com ele um serafinense, mas aprontou uma sacanagem pra ele. Disse:
- Nós vamos dormir naquele hotel em Chapecó. Mas o dono é surdo. Tens que gritar com ele,forte...

Acervo: Titi Migliavacca.

O prefeito Guerino Massolini(de chapéu)Bruno Marocco(de blusão,por baixo do casaco) e trabalhadores da prefeitura municipal num churrasco.

Quando chegarama, foi no dono do hotel e disse:
- Trouxe um cara junto mas ele é surdo. Grita com ele quando falares...

Ele foi tomar um banho e quando saiu, viu os dois um gritando mais pro outro, numa confusão danada....Guerino caiu na gargalhada e aí pagou cerveja pra todo mundo.

Acervo: Titi Migliavacca.

O prefeito Guerino Massolini(de chapéu)Bruno Marocco(de blusão,por baixo do casaco) e trabalhadores da prefeitura municipal num churrasco.

Dos filhos de Guerino, dois são politicos.Sérgio foi 10 anos prefeito de Serafina e Paulo é vereador.

Acervo: Titi Migliavacca.

O prefeito Guerino Massolini(de chapéu)Bruno Marocco(de blusão,por baixo do casaco) e trabalhadores da prefeitura municipal num churrasco.

 

Coleguinhas

 

*Rogério Mendelski não se entusiasmou muito hoje(27/05) a dar a notícia do delegado da Bahia que foi morto enquanto dava entrevista....

Quem tem tem medo..... diz o ditado

Um dos cunhados dele é delegado de Polícia.....

 

 

Palanque

 


Mineiro é fogo.... Só é solidário no câncer!
O Aécio parece feliz com a desbancada do "correlegionário" José Serra...Ah, a política....

Como diziam antigamente, a vingança é um prato que se come lentamente, pelas bordas....

 


Serpentário !

 

 

Apareceu,ontem,dia 27/05 no serpentário - um café na Uruguai - Bagre Fagundes. Perguntei aquela história de que ele teria chamado, num comício, em Palmeira das Missões, aos seus possíveis eleitores de chinelada braba.

- Não é verdade, foi o Paulo Santana que inventou e até escreveu uma coluna sobre isto!
E todos pensam que é verdade!

 

Coleguinhas

Silmar Muller


O repórter que
queria ficar rico!


Enquanto os demais repórteres tinham a ilusão de que iriam mudar o mundo - era meu caso - com o jornalismo, Silmar César Muller sempre teve pressa pra ganhar dinheiro.Ele entrava na redação no final do expediente, vindo das ruas, onde geralmente tinha a ver com empresários. Não entrava na " chacrinha da redação" sentava na sua mesa, não dava papo pra ninguém, porque tinha pressa de escrever suas matérias. Engravatado, via-se que ele tratava com quem decidia sobre o dinheiro.
E por isto era muito respeitado na redação. Quem falava com ele era só seu editor(Economia) ou o diretor do Jornal, no caso, o Lauro Schirmer, na ZH.
Silmar não tinha tempo pra picuinhas. Parecia mais um corretor da bolsa de NY do que um repórter. Sua área era a rural, que nos anos 70, despertava com o boom da soja. E não deu outra. Silmar, esperto, viu que tinha voo próprio e montou o que hoje chamam de newsletter para suas fontes e passou a ganhar dinheiro com isto. Os nossos pruridos de fazer a "revolução" com o jornal dos Sirotsky ele viu que era uma grande bobagem e deixou isto longe dele.

Montou sua própria editora Safras e Mercado ancorado no grande empresário da soja, Aldair Heberle e foi cuidar de sua editora e ganhar dinheiro, não mereca que é o que ganham os repórteres de toda a vida.

Além da ZH, Silmar atrabalhou em O Globo e escreve colunas em revistas especializadas. Seu conhecimento e suas fontes estão no agronegócio.

Silmar nasceu em 8.12.1946 filho de Aldemar Müller e de Silvia Gonçalves Müller. Morou na rua Venâncio Aires,1106/34. Também morou na rua Monsenhor Veras,361/303.

É casado com Iaraporan(13.01.1948).

Otacílio Grivot

Otacílio Grivot nasceu em Bagé em 21.01.1947 filho de Alice Grivot.Morou na Bernardino Caetano Fraga,415 e na rua das Guenoas,824 e na Martin Afonso,115.Foi eidtor-chefe do Campo e Lavoura da TV Gaúcha. Sua esposa é Maria Janete(20.09.1953) e tem os filhos Ramiro(07.07.1978) e Diogo ( 03.03.1980).


Valdir Swetsch

Valdir começou a ZH Dominical, no começo dos anos 70.Mas antes havia passado pelo O CRUZEIRO( em S.Paulo) e REALIDADE, também em S. Paulo.
Aqui, antes da ZH, foi da Folha da Tarde, da Cia Caldas Junior. Nasceu em 27.01.1947 filho de Alvis Zwetsch e Luiza Ema Zwetsch. Se não estou enganado, também trabalhou no jornal O EXEMPLAR, junto com Juarez Fonseca, Sônia Fonseca e Sérgio Becker.
Quando o conheci morava na Rua Laurindo, pertinho do colégio Julinho, num apê térreo. Ali a esquadrilha da fumaça do jornalismo fazia seus encontros.
Estava nesta época casado com a Harumi, famosa pela sua beleza( e inteligência).
Muito amigo do escritor Caio Fernando Abreu, da ilustradora Magliani, esta era sua praia,seu povo ...
Levou o Caio pra escrever na ZH Dominical que ele criou e o Caio, irreverente,sentava encima das mesas, cruzava as pernas em posição de meditação, acendia um incenso( as vezes outra coisa também) para o desespero do diretor Lauro Schirmer, que ia a loucura. Mas o Valdir segurava a barra do Caio, porque eram amigos e pelo talento do futuro famoso escritor.
Quando o Caio faleceu, nos anos 90, não vi nenhum dos seus pretensos " biógrafos" contar estas loucuras do Caio na redação da ZH. Já vi até fotos por aí do Caio sentado encima das mesas na redação da ZH com aquela sua bata e com seus longos cabelos e sua barba. Parecia um monge do Tibet.
Valdir mudou-se para SPaulo, onde está até hoje,tendo passado pelo TV Globo, Band e agora se não estou equivocado está na Record. É muito bom editor.


Delmar Marques

Já completou em abril passado dois anos da morte do Delmar Marques.Natural de Rio Grande, Delmar foi repórter a vida toda, mas no seu final, criava cavalos em SP, num haras que infelizmente,acabou famoso: foi onde o jornalista Pimenta Neves matou sua ex-namorada,algum tempo atrás por desavenças de namoro.

Filho de Admar Corrêa e de Divina Marques Correa, Delmar ganhou nos anos 70, um prêmio Esso de Jornalismo,regional - o prêmio mais cobiçado entre os coleguinhas e que mais prestígio dá. Foi editor do Jornal do Comércio,de Porto Alegre, por pouco tempo.Trabalhou na Coojornal( rua Comendador Coruja,372), no Jornal do Brasil, na ZH, na rádio Gaúcha. Uma vez, conta seu colega e amigo Carlos A. Kolecza, Delmar editava um informativo. Kolezca, que só faltava dormir na rádio Gaúcha, foi até sua casa tomar um banho e comer pra depois voltar. Mas atento,deixou ligado na Gaúcha. Quando viu estava o Delmar irradiando o noticiário. Correu pra lá....Nunca se sabia o que ele poderia dizer no ar...Tinha-se que dar sempre uma vigiada, porque podia vir um " contrabando". O Delmar não se importava muito com isto e também não era de ficar chorando mágoas....Se fosse demitido no outro dia estava procurando outro emprego.

Faleceu em S.Paulo, no Instituto do Coração,onde estava internado esperando um transplante depois de ter se sentido mal durante uma viagem que fez no final do ano ao Sul e ao Uruguai.

Delmar foi casado com Jussarinha Porto( 10.11.1952) - com quem tem a filha Lunara e também com a diagramadora e atual dona da Libretos,Clô Barcellos.

 

Paulo Renato Poli


A " velha guarda" do jornalismo conheceu Paulo Renato Poli, que já falecido. Ele foi do Jornal do Comércio,onde era redator, no tempo que o JC funcionava nas salas do Palácio do Comércio, no centro de Porto Alegre.

Filho de Adão Poli e de Alayde F. Poli, já residiu na av. Cristovão Colombo,1591/11.

Nasceu em 19.01.1942. Conheci o Poli no começo dos anos 70, na antiga redação do Diário de Notícias, na av. S.Pedro. Ele era editor lá. Levaram ele do JC pra lá, pra tentar salvar o Diário de Notícias, que fazia água.

Também trabalhou no Correio do Povo.É falecido.


Atualizando

Olá, Olides

Já que costumas dar a ficha do pessoal, aí vão alguns dados sobre o Mário Seixas Aurvalle.
Marião, já falecido, coisa de uns dois anos, deixou além da Vera, a filha Heloisa, que era funcionária do antigo Tribunal de Alçada, depois incorporado pelo Tribunal de Justiça.

O filho caçula, do segundo casamento com Juremi Aurvalle, é o ex-Procurador da República e atual Desembargador Federal Luis Alberto D'Azevedo Aurvalle. Nenhum dos três filhos envolveu-se com jornalismo, todos com formação na área jurídica.

Abraço
Sérgio Pessôa

 

 

São Borja

 

Olides, recebemos tua correspondência.
Se precisar de cabo eleitoral em Serafina estamos em uma turma grande para te apoiar.
Depois me dá uma tetinha na Prefeitura!! Hehehehe
A pescaria vamos combinar da próxima vez que vc vier com mais tempo... pq aqui é barbada... só nos organizarmos.
Um grande abraço e bom final de semana!
Letier

Tragédia pouca é besteira

 


Por Luiz Oscar Matzenbacher


A Paulicéia briga para escolher a localização do novo estádio para a Copa de 2014. Pois, façam em São Paulo como o Grêmio pretende e o Avaí já o conseguiu - a construção de estádio nas cabeceiras das pistas dos aeroportos internacionais de Porto Alegre e Florianópolis. Sempre há espaço livre.
Além da "diversão" do congestionamento nos horários do jogos, coincidindo com os picos nas áreas de embarque e desembarque, a emoção é maior entre os torcedores ao verem subir e descer os imensos jatos sobre as cabeças deles. Se o jogo estiver ruim, os jatos dão o toque extra de entretenimento, ainda mais se algum piloto resolver fazer um vôo rasante.
Coisa de louco, tchê! Se o time é derrotado, o treinador não perde tempo, Embarca no primeiro vôo. Tragédia pouca é besteira nesse Brasil.

 

 

Coleguinhas


Ary de Carvalho

Ary de Carvalho, por Ronaldo Boscoli

" Tive muitos patrões, muitos mesmo, porque trabalhei a vida inteira. Três deles se tornaram meus amigos realmente: samuel Wainer, Adolpho Bloch e Ary de Carvalho.Jamais fui puxa-saco de chefe, talvez nunca tenha sido nada justamente por isso, mas desses três homens magnificos fiquei amigo.

Ary de Carvalho é meu último patrão, no jornal O Dia. Uma pessoa muito amiga, que me dá uma força enorme e me deu sempre, mesmo quando estive doente. Este livro de memórias devo à força dele,à sua ajuda e ao seu incentivo.
Ary é uma figura. Um dos poucos self-made man que consegue conjugar boemia e trabalho.Profundamente sensível em relação à música, também canta direitinho e adora um violão.Ao mesmo tempo é dono do império que é o dia. Um homem vitorioso,jovem e bem-sucedido. Não é apenas um jornalista, mas também um homem de jornal, o que é bem diferente.É um excelente administrador:administra com a caneta, o computador e o coração.Muitas vezes ele fica de portas trancadas, todos pensam que está no auge do trabalho, mas na verdade está compondo uma musiquinha com o Michel Sullivan e com o Nonato Luiz( ou comigo mesmo)Somos parceiros numa música. Nem por isto o jornal deixa de andar, muito pelo contrário.
Conheci Ary de Carvalho,então dono da Última Hora, na boate que eu administrei junto com o Miéle, o Pujol. Eu estava com Elis e ele disse que queria falar conosco. Tietão da Elis,musical pra burro, conversamos muito. E ele foi o responsável pela minha volta ao jornalismo escrito. Naquela noite mesmo acertamos muita contratação para uma nova coluna, chamada " Lobo Bobo".

Ele sugeriu,Elis adorou e eu fui voto vencido. " K]Lobo bobo", minha coluna no jornal Última Hora.

Tempos passados, eu me separei de Elis, mas não do Ary. Frequentamos muito a noite juntos. E numa época em que ele estava separado de sua mulher, viajei algumas vezes para a casa dele em Teresópolis, perto da Granja Comari.

Ele comprou o jornal O Dia, o que na época foi uma ousadia. Dr. Chaga Freitas achou que ele era o homem certo: jovem,esforçado, inteligente. Tinha razão: o Ary transformou a imagem de O Dia, que aos poucos caminha pra ser um nvo JB ou O Globo."

Algumas coisas que sei do Ary de Carvalho:

1) Foi dono da ZH até 1969,quando,endividado com Maurício Sobrinho, "teve" que lhe passar suas ações ao sócio.

2) Na UH gaúcha,da qual Ary de Carvalho era o dono, os gaiatos,segundo me contou o falecido Jesus Iglesias, resolveram contratar um boy pra pagar as contas deles. O boy ficava na redação, mas era uma espécie de Geny.Os caras apelidaram o boy de Ary e quando o patrão chegava,depois do almoço, pro expediente, a turma começava.:
- Ary filho da puta, hoje vais me pagar a conta da luz,

Ary,seu corno, tu vais lá me pegar este negócio...

Depois de um tempo com esta torração de saco, o patrão chamou o boy e lhe deu uma grana pra sumir da redação.


Em Porto Alegre, Ary de Carvalho tinha um apartamento em Petrópolis onde se reunia pra tocar violão...Era mesmo um boêmio....

 

 

Coleguinhas

 


*Virginia Rigatto,referida pelo Mendelski,ontem,dia 26/05 no Bom Dia, da Guaíba, está em Bruxelas. É casada com Douglas Neumann, diplomata norte-americano.Mendelski lembrou que ela foi Miss Rainha das Piscinas....pô a Virgínia ficou "marcada" por isto....

*Pai conservador, Mário Rigatto, o "professor- borboleta", foi o primeiro médico combativo contra o uso do cigarro. Fazia campanha dentro da Associação Médica pelo abolição do uso do cigarro. Mas era um pai "conservador". Quando a Virgínia, sua filha, separou-se do Bocão Pegoraro(os dois tem o filho Pedro)e queria se candidatar a um cargo de disputa de beleza no Leopoldina- Juvenil,ele que era do júri,avisou a filha:
- Vou votar contra ti!

*Outra coleguinha que depois das redações conheceu a vida diplomática foi Marina Woodcke.Também casou com um profissional da diplomacia....

Marina foi da Folhinha da Manhã e da ZH,além da Manchete.


Coleguinhas

 


1)Julinho Pacheco me liga lembrando que Edgar Schmidt trabalhou sim em televisão...eu dissera que não.Edgar apresentou o FUTEBOL DE CARTOLA, na TV Caxias, nos nos de 1974,75 e 76.Julinho era o diretor lá. Júlio não lembra o patrocinador do programa, que era sempre às segundas de noite.Levava junto pra Serra um jogador da dupla Grenal.Ficavam hospedados no Hotel Alfred.

2)Edgar trabalhou sim em tevê. Era o dono do CADEIRA CATIVA, na TV2,Guaíba. Sempre às segundas, das 9 e meia em diante. Durou muito tempo. O nome passou para Luiz Carlos Reche.


Coleguinhas

 


*Não convidem pro mesmo jantar Darcy Filho e o produtor Otto Bede. As relações entre ambos já foram melhores, até porque foram colegas numa outra emissora.


*O nome todo do Darcy é Darcy Rodrigues Mello Filho. É sim irmão do famoso "Melinho" que neste momento assessora a campanha de Germano Rigotto ao Senado. Melinho(Luis Carlos Mello) é um dos mais competentes assessores que conheço na política. Na campanha de 1998, quando Antônio Britto Filho, tentou se reeleger governador, Melinho era dos mais ativos participantes no comitê de Britto instalado na rua 18 de Novembro, nas cercanias do Salgado Filho.O outro ativo participante daquele comitê foi o ex-deputado e ex-prefeito de Encantado que hoje é diretor-presidente da Cia Carris.


*O Paulo Solano que apresenta o BOCA NO TROMBONE da Band AM, aos sábados de manhã, é filho do antigo PAULO SOLANO ,um policial que se tornou uma grife apresentando este programa, onde os aposentados iam BOTAR A BOCA NO TROMBONE! O senador Paulo Paim deve ter aprendido muito naquele programa, mesmo só na audiência! O paulo Solano, pai , faleceu. Era policial.

*Por conta da fama de Paulo Solano, pai, vi muita gente na ZH fazer troça do repórter SOLANO NASCIMENTO. O grande público não tem muita noção das coisas e ligava pra ZH...as telefonistas passavam o telefonema pro Solano, que ficava puto da vida....com a confusão....

 

Um livro sobre a Gazeta Mercantil

 

 


Saiu um livro muito bom(diz quem o leu) sobre o drama do fechamento da Gazeta Mercantil,durante muitos anos o principal jornal de Economia no país.
Escrito por Roberto Müller Filho, se chama, Intuição,Política e Jornalismo. Roberto apresentava,nos anos 80, junto com Lilian Wite Fibe um programa de Economia na TV Bandeirantes, aos domingos de noite, depois das 22 horas. O espaço era comprado por eles.


Redação da Gazeta Mercantil - ano: 1997

Ali, a depois famosa apresentadora do JN, da TV Globo, teve sua iniciação com televisão.Hoje ,fora da Globo, Lilian tem um blog.

Da Gazeta Mercantil, guarda uma grande lição de jornalismo: a de que o jornal não aceitava qualquer tipo de promiscuidade com suas fontes e anunciantes. Era, no melhor sentido da palavra, a meu ver, o jornal mais ético do país. Não aceitava convites, jantares, regabofes,viagens pagas, qualquer promiscuidade com as fontes. Se a pauta interessava, eles a mandavam fazer, mas pagavam as despesas.Sem essa de viagens,aquele clássico ....' O REPORTER VIAJOU A CONVITE DE ..." Isto,queira, ou não, pressupõe um compromisso. Vivi isto na pele:
Nos anos 80, aceitei um convite pruma viagem de muambeiros a Assunção e o ônibus era uma caieira velha que começou quebrando ainda na avenida Mauá....A viagem foi um horror...pra mim como repórter, nada melhor....


Lilian veio da GM pra TV Globo. Nesta foto, ela tem o famoso ataque de risos enquanto lê uma notícia.

 

Na volta, dei um pau sem tamanho, contava que o ônibus pingava dentro quando chovia na viagem...

Ah, pra que, quando cheguei no jornal no dia seguinte, estava armado um temporal. Quem me havia convidado,ficou indignado com aquilo.
Só faltou pedir pra ler a reportagem antes....


 

Gazeta Mercantil (II)

 

 

No ano de 1982, em Recife, conheci um grande repórter da Gazeta Mercantil. Seu nome: José Roberto Alencar. Usava óculos com fundo de garrafa, e todos nós estávamos lá como convidados de um congresso, menos ele que o jornal o tinha mandado às expensas do jornal. Ele precisava entrevistar o Ministro Cloraldino Severo, dos Transportes. Ainda era o tempo da ditadura, e os órgãos da repressão ainda estavam tinindo...

José Roberto Alencar mandou um telex pra redação da Gazeta, em SP, com o seguinte teor:
- Vou tentar sequestrar o ministro,enxugá-lo e depois falamos até o fim da tarde!

As meninas que mandavam os telex, da organização, trocaram os números e o telex caiu, por desgraça, numa fárbica de armas em S. Bernardo do Campo.
Em menos de uma hora, ao centro de Convenções de Recife, estáva tomado pelo DOPS de Pernambuco.

José Roberto,depois de esclare cer aos policiais, aquele seu jargão, entrevistou o ministro e o conteúdo publicado na segunda seguinte.

 

 

Histórias de La Ùndeze...

 

Nos anos 50,60 e 70, por causa do Frigorífico Ideal, Serafina desenvolveu um grande contingente de caminhoneiros.Tinham até um capitel em homenagem a São Cristóvão, na entrada da cidade, quem vem do bairro Gramadinho. Hoje, ali, foi construído um monumento.

Estes caminhoneiros comeram o pão que o diabo amassou. Estradas ruins,sem asfalto, atoleiros,os "peludos" como eram apelidados, os faziam acorrentar os caminhões e alguns ficavam fora de casa até dois meses.

Dinheiro pra família era mandado através dos colegas que encontravam que iam pra casa....

Cartas eram enviadas assim e também recebidas deste modo, porque o telefone era precarissimo....Levava semanas pra completar a ligação....

No final do ano, os caminhoneiros se encontravam em casa. Todos mandavam revisar os caminhões e era quando ficavam em casa uns 15 dias. Ali então faziam a famosa quermesse e procissão em homenagem a S. Cristóvão, com procissão e tudo. Tudo era no dia 6 de janeiro, dia de santos reis.
Mas antes,durante uma semana, todas as noites, havia quermesse no local aonde hoje se encontra a lotérica Cervieri, na esquina da rua Miguel Soccol com Armando Azambuja,atual J.B. Scalabrini.Quem comandava estas quermesses eram os festeiros,recrutados entre caminhoneiros. Os mais conhecidos: Casemiro Zanetti, José Sonaglio,Silvestre Soccol e outros.
Hoje Serafina perdeu muito o status de cidade de caminhoneiros...



Caminhoneiros de Serafina em uma vulcanizadora de Curitiba(PR). A mulher é esposa do dono da vulcanizadora.


caminhoneiros de Serafina em uma vulcanizadora de Curitiba(PR). A mulher é esposa do dono da vulcanizadora.


Caminhoneiros de Serafina na estrada....

 

 

Flávio completa 83 na maior vitalidade....


Flávio Alcaraz aos 83 anos! A mil pelo Brasil!


O Flávio Alcaraz Gomes parece como o vinho:quanto mais velho, melhor. Completou,dia 25/05, 83 anos. Com uma vida rica em fatos e ousadias, ele ficou marcado por uma tragédia em 1976, quando, involuntariamente, matou uma jovem.
Mas se redimiu cumprindo pena no Presídio Central. Nesta circunstância o visitei, junto com o Luiz Armando Vaz, fotógrafo.

Filho de Alcides Gomes, um dos diretores da Folha da Tarde, Flávio morou muitos anos na Gen. João Telles, 280, no Bom Fim, em Porto Alegre e isto marcou afetivamente o velho repórter. Suas memórias, ou remembranças como diz,são marcadas de fatos ocorridos neste tempo. Hoje, mora no Morro Santa Tereza, na rua Sinke, 179. O Flávio é destas pessoas que fizeram a forma e a jogaram fora. Não há nada semelhante!

Sou leitor voraz de tudo quanto escreve: lia seu tópico no Correinho, leio sua coluna no O SUL e fui leitor inveterado de seu famoso Diário do Presídio que mandava pra ZH,quando estava detido.

Flávio tem o jornalismo no sangue:quando fui em 1993, dizer-lhe que queria que ele entrevistasse o Maneco Vargas, filho do Getúlio, ele me retrucou na hora:
- Tem que fazer um FORUM

Era um programa de uma hora que ele tinha às 19 horas na TV2,Guaíba, nos domingos de noite.

Aquela gravação,depois, ele a usou dezenas de vezes, porque o Maneco se matou em 1997, pouco tempo depois...
Ele tinha uma preciosidade nas mãos....


Mas sua contundência continuava arrumando broncas com quem se sentia ofendido. Em 15 de setembro de 1995, ele escreveu um tópico, no Correinho chamado de Abuso de autoridade e foi processado pelos brigadianos que se sentiram ofendidos. Em 16 de outubro de 1995, também arrumou outro processo por causa de outro tópico chamado de Repórter & Carroça....

Os dois a esta altura dos acontecimentos foram resolvidos.

Ele ganhou uma causa trabalhista contra a Record há pouco tempo, porque pediu vínculo empregatício depois que saiu da empresa.

Hoje está vinculado ao grupo Pampa e Jornal O SUL.

 

Coleguinhas

 


*Opa! Ontem,como sempre que posso, li o TIJOLAÇO....do Brizola Neto...Mas a certa altura, o nobre deputado se classifica sem a menor modéstia de ' BLOG PROGRESSISTA"!

*Opa!!!!! Tem uma boa dose de autoritarismo nisto!

 

 

Jornalista é demitido da National Geographic por criticar Veja no Twitter

 



Por Eduardo Neco/Redação Portal IMPRENSA


O jornalista Felipe Milanez, editor da revista National Geographic Brasil, licenciada pela editora Abril, foi demitido nesta terça-feira (11) por ter criticado via Twitter a maior publicação da casa, a revista Veja.
Milanez, na National desde outubro de 2008, publicou, em seu perfil no microblog, comentários a respeito da reportagem "A farsa da nação indígena", veiculada na última edição da revista. "Veja vomita mais ranso racista x indios, agora na Bolivia. Como pode ser tão escrota depois desse seculo de holocausto? (sic)", escreveu em post no último domingo (9).
Em mensagem no mesmo dia, Milanez complementou dizendo que ignorava a Veja, mas "racismo" da publicação fez com que se manifestasse. "Eu costumava ignorar a idiota Veja. Mas esse racismo recente tem me feito sentir mal. É como verem um filme da Guerra torcendo pros nazistas (sic)".
Em entrevista ao Portal IMPRENSA, Milanez admitiu que fez observações contundentes sobre a publicação, mas que foi surpreendido pela demissão. "Fui bem duro, fiz comentários duros, mas como pessoa; não como jornalista. Fiquei pessoalmente ofendido [com a reportagem]. Mas estou chateado por ter saído assim. Algumas frases no Twitter acabaram com uma porrada de projetos", lamentou o ex-editor.
A decisão de demitir o jornalista, segundo ele, teria vindo diretamente de setores da Editora Abril ligados à revista Veja e repassada aos responsáveis pela National Geographic. "Não sei quem decidiu e como", disse.
O redator-chefe da National, Matthew Shirts, confirmou à reportagem que Milanez foi demitido pelos comentários no Twitter. "Foi demitido por comentário do Twitter com críticas pesadas à revista. A Editora Abril paga o salário dele e tomou a decisão", disse.
Ao ser questionado se concordava com a demissão do jornalista, Shirts declarou que "fez o que tinha que fazer exercendo a função".


*Colaborou Ana Ignacio/Da Redação
Portal IMPRENSA

 

 

Não foi às ganhas

 


Por Luiz Oscar Matzenbacher


O primeiro milho é dos "pintainhos" - como dizem nossos amigos lisboetas. Quando for "peleado às ganhas", à moda dos gaúchos, creio que vai dar o Internacional.
O São Paulo botou time completo e jogou tudo no Beira-Rio, para escapar da lanterna no Brasileirão. Obteve uma arbitragem francamente favorável. O Inter jogou desfocado, descontado e com time misto.
Na Libertadores será diferente. Acho que os dois têm
50% de chances reais de passar adiante. Não há favoritismo. Seria lindo um Mundial de Clubes com o duelo final Internazionale x Internacional.
Mas é só um jogo de bola.
Agora, todas as atenções voltam-se para a África do Sul. Acho que vai dar Brasil, mesmo sem o Ganso.
Foi ridículo no Beira-Rio. Os equívocos da arbitragem beneficiaram ao São Paulo. Foram três pênaltis não marcados. O técnico do Inter beneficiou ao São Paulo escandalosamente, escalando os reservas, alegando que os titulares tinham chegado cansados de Buenos Aires depois do embate contra o Estudiantes. Mas na avant-premiérè deu Fernandão. O Inter foi derrotado no Beira-Rio. Não é normal. O Fossatti arriscou demais.

 

 

Palanque

 

O pré-candidato do PT a deputado federal, Paulo Ferreira tem o apoio de um importante dirigente do PT de Porto Alegre.
Nascido em Santiago do Boqueirão, Ferreira - também conhecido por "Ferreirinha" - já foi da Pastoral Católica.É tido como um burocrata do PT.

Ele nasceu em Santiago do Boqueirão.

Ontem almoçou com o presidente municipal do PT, vereador Adeli Sell, que tem ambições de disputar a vaga do PT para a próxima eleição à prefeitura de Porto Alegre.

 

 

Guaíba na Copa

 


*Haroldo de Souza, Luis Carlos Reche, Flávio Dall Pizzol, Ricardo Oliveira estão assegurados na ida a África do Sul pra cobrir a Copa do Mundo.

*Já do Correinho vai o colunista Hiltor Mombach, que também fará comentários pra Guaíba.


E ainda não se sabe se irá ou não um fotógrafo.


Haroldo entrou em férias no dia deste mês....

 

Contratação

 


Importante entidade de classe de jornalistas contratou na feira do Livro do ano passado uma colega repórter pra fazer um FRILA sobre lançamentos de livros na feira dos jornalistas. Ela foi lá,fez a reportagem( o fotógrafo foi também) e depois ligaram que não havia grana pra lhe pagar....

Ou seja, ficam por aí pregando moral e outros babados e depois eles mesmos não cumprem o que seria a lei, ou seja, pagar um colega contratado.

E a babaca não entrou na Justiça, pedindo o pagamento....

A matéria acabou saindo feita por outro colega.( e a tal da panelinha....)


Coleguinhas

 

Corneteando eles.


Márcia Camarano não está,depois de muitas gestões, na chapa da próxima diretoria do sindicato dos jornalitas-RS.

Seu marido, Roberto Santos, sumiu da entidade faz tempos....


 

Elogio

 

Na rua da Praia,ontem, o exigente A. Goulart - que não gosta do apelido " luz no fim do túnerl "(ele fazia o Almanaque da ZH quando ganhou este apelido - disse que este blog está melhor editado e com correções.Goulrt fez a orelha do meu livro Cosi la ze stata,que sairá agora, e me esculhambou do começo ao fim. Mas como sou democrata, publico o artigo dele....

 

 

Histórias de La Ùndeze

 

O padre teve que zarpar:
o envolvimento com uma professora
se tornara público....

-Ah, uma fraqueza humana, foi como me disse,condescendente, o padre Francisco Lollato,quando lhe perguntei,no dia 22/05 sobre o episódio do padre José Finotto, quando foi mandado embora de Serafina, nos anos 60.Além de ter sido mandado embora, ele perdeu a batina.

- Deixou de ser padre, me disse Pe. Chico.

Muito condoido ainda pelo episódio, padre Chico nega que tenha sido ele que comunicou a decisão da congregação ao padre José Finotto.
- Não fui eu. Foi o bispo Dom Claudio Colling.

Pe.José Finotto, que vivia com um cigarro no meio dos dedos e que por isto tinha os dedos totalmente amarelados, fora posto em Serafina para dirigir o ginásio N.Sra do Rosário. Mas se envolveu com uma professora da instituição de modo que o assunto vazou...

Ao ir embora de Serafina,dizem, ele fez o gesto bíblico de bater um pé no outro para tirar até o pó do sapato e não levar junto com ele qualquer vestígio da terra onde trabalhava.

Pe.Francisco Lollato, que vive e é paroco em Rondinha(RS) está com 84 anos. Ele e José Finotto são conterrâneos. Nasceram os dois na Itália, em Bassano de Grappa e de lá já se conheciam.

Pe. Jose Finotto foi morar em Rio Grande.Casou com uma ex-freira e teve uma filha. Morreu faz uns quatro ou cinco anos e foi enterrado na cidade onde vivia.


 

Picho

 

Uma rádio FM local que é muito ouvida pela turma da esquadrilha da fumaça fez uma proposta de 800 mangos pra um comercial entre 9 e 11 da noite pro dono do Agapio, ali na José de Alencar. Dizem os maldosos que o nome do programa é A HORA DA LARICA....

 

Criminalidade

 

Caiu a criminalidade em Palmeira das Missões. Mas é porque os distritos de Lajeado do Bugre,São José das Missões, São Pedro das Missões ,Jaboticaba e Sagrada Família viraram municípios. Nestas localidades, qualquer desavença, é resolvida a faca ou a balaços.

Constatação do professor Mauro Rocha que foi jurado em Palmeira das Missões durante muitos anos.


 

No " ninho"
dos Tasca!

 

 

Domingo, por cortesia do " reitor" de Sarandi, Mauro Rocha, fui até a já famosa LINHA SÃO JOSÉ AGUSSO, no interior de Barra Funda, terra da água mineral Sarandi. Porque fui lá?

Fui atrás dos vestígios da família Tasca,de onde vieram os quatro irmãos que fundaram a churrascaria Barranco: Santo,Vicente, Ernesto e Albino.Em linha Agusso eram pequenos agricultores, porque as origens estão em Bento Gonçalves.


Da esquerda para a direita: Elson Furini(dono do Barranco) Vicente e Santo Tasca,fundadores da churrascaria.

Santo veio para Porto Alegre, comprou o bar AZUL, na Riachuelo, e depois fundou ali a CHURRASQUITA.Mais tarde, junto com um sócio,fundaria o Barranco, que depois de tanto tempo, virou a grife que é hoje.

Mas a história da família Tasca, dos quatro irmãos, é também uma história de brigas familiares.
Dos quatro, apenas um herdeiro ficou lá:Chiquinho,filho de Vicente. Os demais herdeiros venderam suas participações para Elson Furini, que começou na churrascaria,como garção.

Alguns dos herdeiros queixam-se até hoje de como tudo terminou....

Há quem diga que alguns do sócios iniciais terminaram a vida sem dinheiro nem pros remédios que precisavam tomar.


O interior da churrascaria Barranco com o quadro Banquete dos Mendigos pintado por Ivan Pinheiro Machado.

Na linha Agusso, onde tudo teria começado, não sobram vestígios dos Tasca, embora todo mundo se lembre deles.

- Ah, me disse um colono, as terras do Claudino estão mais pra trás, quando nos perdemos naquela pequena estrada de chão....

Claudino é um sobrinho do Santo, que ficou na colônia mas que hoje mora em Sarandi.

Há quem diga que Santo Tasca, que era o líder dos quatro irmãos , quis que um seu conhecido, Peruzzo, de Sarandi, comprasse sua parte, já que os filhos não quiseram.

A verdade é que hoje muitos herderios dos irmãos Tasca, não botam os pés na churrascaria que seus pais fundaram nem pra almoçar,como clientes comuns. Ficaram os ressentimentos.


Redações antigas

 


Aí está a redação da ZH(av. Ipiranga, 1075) nos anos 70(segunda metade)...

Nos dias de aniversário do jornal, era uma zoeira, porque rolava chopp e até seo Maurício vinha festejar!

As fotos são de momentos de concentração do jornal: fim de tarde,hora de fechamento!


Redação antiga


Redação antiga

 

Jornal

 

Jornal da ARI está sendo feito pelo Cléber Dioni, da Já Editores.


*Turma da ARI compareceu,ontem de noite,25/05, no coquetel da churrascaria Sto Antônio(75 anos). Festas e coquetéis é com eles...


*Os papacoquetéis seguramente também foram.....

 

 

Coleguinhas

 

*Nilza Scotti, que editou o Versão, jornal do sindicato dos jornalistas-RS,durante um ano, está na prefeitura de Gravataí(RS). Já trabalhou na prefa de Canela.

*Maria Osmani está em S. Gabriel, onde sua firma ganhou concorrência pra organizar os arquivos daquela prefeitura. Maria já fez isto na Santa Casa, de Porto Alegre e na ARI.

 

Caetano

 

Utopia....

Quem sabe,ao invés da Marina Silva, votemos logo no Caetano(Veloso) pra presidente do Brasil!

 

 

Coleguinhas

 


Guaraci dos Santos Andrade

O fotógrafo virou editor

Depois de muitos anos como fotógrafo de coluna social, Guaraci dos Santos Andrade, virou editor e teve seus próprios negócios. Foi dono da revista NOME E SOBRENOME.Também teve agências fotográficas. Uma delas a Diafragma, na rua José do Patrocínio,104. Nascido em 12.02. 1959 em Porto Alegre, Guaraci trabalhou com Gasparotto e conheceu o público que gosta de aparecer. Aí centrou seu foco.

Filho de Armando Andrade e de Gessi dos Santos Andrade, já morou na av. Farrapos, 1743/16.

Sempre cobria carnaval pela ZH. Uma das vezes, os filmes que mandou do Rio se extraviaram no balcão da Varig em São Paulo e ele que dormia de dia, pra trabalhar toda a noite, foi acordado várias vezes no hotel pelo editor, Carlos Fehlberg, que na redação exigia o material pro fechamento da edição.Até que a secretária Vânia Weber localizou os filmes perdidos num balcão em São Paulo e não foi necessário atrasar o jornal....


Décio Osmar Bombassaro

O Correio Riograndense completou 100 anos no ano passado.Figuram entre seus diretores Décio Osmar Bombassaro. Nascido em 21.12.1938,filho de Armindo Bombassaro e Erondina Streit Bombassaro, já residiu na Rua Feijó Júnior, em Caxias do Sul(RS).É casado com Adair(11.05.1946) e tem os filhos Carla Cristina(28.05.1964),Alessandra Isabel(21.11.1967) e Elisa Fernanda (15.08.1969).

 


Guilherme Arruda.

Também conhecido entre os coleguinhas por " CYBORG", Guilherme Antônio R. de Arruda, nascido em Porto Alegre, em 25.05.1952( esteve de aniversário ontem quando completou 58 anos). Trabalhou na Folha da Tarde, da CJCJ e na Gazeta Mercantil, ambos jornais fechados. Filho de Rubens de Arruda e de Erondina Rodrigues de Arruda sua esposa é Angela(1.09.1955),irmã de um comunicador muito conhecido, Mário Mazzeron,locutor da Guaíba e da rádio da UFRGS,que já morreu.
Na Gazeta Mercantil, fazia a parte de transportes. Não sei do seu destino nos últimos anos....


Mário Seixas Aurvalle


Redator auxiliar do Correio do Povo, Mário nasceu em 17.07.1919,filho de Carlos Oswaldo Aurwallle e de Branca Aurwalle. Residiu na Praça Dom Feliciano,126/81 em Porto Alegre.Teve a filha Vera Maria(16.01.1950).

 


Pedro Maciel

O atual diretor-editor do Jornal do Comércio, Pedro Vitorino de S. Maciel nasceu em 6.01.1950. Filho de Júlio Veiga Maciel e de Doralina de Souza Maciel, Pedro começou no jornalismo na Zero Hora, como repórter. Depois foi da Revista Veja(em 1978,quando houve o sequestro de Lilian Celiberti ele estava na revista). Na Zero Hora, nos anos de 1971 e 1972, foi um dos líderes do movimento tido como a REVOLTA DOS CRACHÁS,quando houve um levante na redação do jornal contra a obrigação de uso deste utensílio.
Maciel já residiu na rua Demétrio Ribeiro,973/403 e na Visconde do Herval,437/308.
Seu primeiro casamento com uma médica veterinária teve curta duração. Hoje está casado com a ex-mulher de um colega, Gérson Schirmer.
O Jornal do Comércio,veículo onde Maciel é editor-chefe completou 75 anos. Nasceu como um boletim que informava o movimento do porto de Porto Alegre.
" Nós recebíamos este boletim mimeografado. Era bom porque assim conhecíamos as compras e vendas da concorrência" contou-me ontem o engenheiro Mário Landgrahf,um dos primeiros assinantes do diário que fez festa ontem na Fiergs para marcar a data.

 

 

Em algum lugar do passado!

 

acervo de Alfonso Abraham

O atual candidato ao governo do Estado pela coligação PMDB/PDT participou ativamente da Campanha das Diretas em 1984/85. Aqui ao lado da musa das Diretas Já, a cantora Fafá de Belém e do locutor Osmar Santos.

 

 

Situação da Saúde Pública

 

 

Cá estou eu mais uma vez!
Trago duas matérias de jornal, uma da Folha Online e outra do Estadão sobre o (mau) atendimento do Sistema Público de Saúde do nosso País.
Espero que seja um deles possa lhe ajudar com uma boa pauta. Vamos ajudar a população com informação!

Parabéns pelo conteúdo do seu blog. ;)
Um abraço, JLineu
(www.twitter.com/inconformado)


**

SUS deverá atualizar a lista de medicamentos

Um novo projeto aprovado pelo Senado e a caminho da Câmara pode significar uma grande vitória para a saúde pública: ele estabelece que o SUS deve atualizar suas tabelas de remédios e procedimentos, no mínimo, anualmente.

Isso é importante porque, quando não reconhecidos, esses medicamentos e tratamentos não podem ser oferecidos ao público, motivo pelo qual milhares de processos vêm sendo abertos contra o SUS.

O linfoma de Dilma Rousseff, por exemplo, ilustra bem essa realidade. Uma doença séria que precisa de tratamento rápido e que já possui medicamentos eficazes disponíveis no mercado, mas não na rede pública.

Apesar de ainda ter uma luta pela frente, a iniciativa está caminhando. Fique de olho no comportamento dos políticos e confira a íntegra da matéria publicada na Folha Online: http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u736201.shtml

Vamos ficar de olho!


Demora nos exames de câncer de mama no SUS

O dado é alarmante: em 1/3 dos casos, o período entre a solicitação da mamografia e o resultado chega a demorar 30 dias no sistema público de saúde brasileiro – como se não bastasse o fato de não haver mamógrafos o suficiente para atender à população.

Para se ter uma ideia, a Sociedade Norte-Americana de Câncer recomenda o prazo de 30 dias entre a descoberta do nódulo com autoexame até a cirurgia, caso exames detectem um câncer.

Confira a íntegra da matéria no Estado de S. Paulo: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,resultado-de-exame-de-mama-demora-ate-um-mes,553794,0.htm

 

 

Morte

 

Roqueiros lamentam a morte de Bebeco Garcia,aos 61 anos. Falecido de um tumor no cérebro.Tocava no Garotos da Rua.

 

 

 

Ditados

 

De Sarandi, trouxe cultura interiorana...

Por exemplo, chamam lá de CHAPÃO a um prato que é servido geralmente à beira da BR-386.Deve ser porque é feito numa chapa mesmo...

CHINERO...outro termo de Sarandi, Palmeira das Missões e cercanias. É o homem que come muitas mulheres.Um político de Palmeira das Missões, que já foi prefeito lá, tem esta fama....

e SALEIRO....o local do triturador, onde se reúnem na cidade pra falar de futebol, política e de quem come quem na cidade...Ali nada passa em vão. Em Sarandi é a padaria AURORA....!!!


 

Palanque

 

O deputado estadual Dionilso Marcon(PT) - ligado aos pequenos produtores e ao MST,anda fulo da vida....Ele é pré-candidato a deputado federal e dentro do partido tem gente cruzando os céus do Rio Grande, também com a mesma pretensão, mas de jatinho,enquanto ele anda de carro.


 

Palanque

 

Edgar Pretto, filho do falecido deputado federal Adão,atualmente lotado no gabinete do deputado estadual Dionilso Marcon(PT) é pré-candidato a deputado estadual pelo PT.


 

Palanque


Lourenço Ardenghi, que migrou do PDS(ex-Arena) para o Partido dos Trabalhadores(PT) é o prefeito eleito de Palmeira das Missóes. Até aí, nada demais. Mas está entrando em rota de colisão com os militantes do PT. Habilidoso, já que fora prefeito no passado, pelo PDS, ele vai acomodando as abóboras durante o andar da corroça. Há quem preveja futuros rompimentos....


 

Palanque

 

Prefeito Lourenço Ardenghi, de Palmeira das Missões é tio de Rubens Ardenghi. Ex-deputado federal, Rubens "desapareceu" de sua terra natal, depois da tragédia da morte de suas duas filhas, num acidente de carro, nos anos 90.

 

Palanque

 

Se Tarso Genro vier a governar o Rio Grande, há quem aposte que Antônio Marangon, ligado ao MST, ex-deputado estadual do PT, possa ser secretário de Estado....


Coleguinhas

 

Corneteando eles...

Muito bom o resgate jornalístico feito neste domingo,23/05, no Correinho por Rogério Mendelski, da História dos Sequestros nos anos 70. Com datas, nomes, trabalho de fôlego de repórter. E sem opinitivos. Prevaleceu o espírito de repórter do colunista....

*Dunga X Imprensa, eis aí uma briguinha boa que se avizinha na Copa do Mundo....


Por imprensa, leia-se aí alguns monstros sagrados, tipo Juca Kfouri, Falcão e outros....

Mas com Dunga a parada é mais dura!

O cara de Ijuí não é de dar mole, não!

Tem personalidade de sobra....

Não se sabe até quando os cartolas vão bancá-lo.....


 

Historinha

 

Pra ver a personalidade do Dunga:


No dia 19 de julho de 1998, era meu primeiro compromisso como assessor de imprensa na campanha de reeleição ao senado da República acompanhando o senador Pedro Simon(PMDB).

Fomos para um compromisso coriqueiro, em Soledade, na Quinta Frexop. Depois de umas voltas na exposição, fomos pro almoço no famoso restaurante de beira de estrada, o Italian's(onde param os ônibus da Ouro e Prata e excursões em geral).
Lá é costume das famílias de Soledade almoçaram aos domingos. Mas tem gente que vem de Carazinho,P. Fundo e redondezas também para o almoço dominical.

Vi que Dunga, um dos jogadores que uma semana antes havia tomado 3 a zero da França, pela Copa do Mundo,estava lá com a família. Estava voltando de Ijuí, e parara pro almoço.

Todo mundo em volta do Dunga....

Queriam saber o assunto que era a bola da vez: que ocorrera com o Nazário(lembrem que o cara se sentiu mal, foi prum hospital e não jogou....)

Antevendo que Pedro Simon, na saída, pararia pra cumprimentar o atleta, corri até Soledade e trouxe um fotógrafo da Folha Soledadense. Quando Simon foi saindo, passou na mesa do Dunga e o parou. Mas o centromédio não se levantou. Falou com Simon mas não se levantou. O cara fez as fotos e eu todo entusiasmado pra mandar as fotos de noite pro Barrionuevo na ZH e pro Burd, no Correinho.

Fomos no escritório do Simon, na Protásio e aguardamos o Chuvisco(Luis Fonseca) retornar da casa do senador.
Quando voltou, vi a cara do Chuvisco séria:
- E aí Chuvisco, me dá os filmes que vou levar pros jornais.

- Simon disse que ele nem se levantou, não tem foto no jornal.....


 

Coleguinhas

 

O bem informado
Cacau Menezes

Nos anos 80, quando saiu o Diário Catarinense(1986) e eu ia muito de férias pra Floripa, comecei a ler uma coluna social assinada por Cacau Menezes que me chamou a atenção pela grande quantidade de informações e pelo rigor com que trabalhava a informação.Depois ouvi "falarem muito mal dele" o que em jornalismo pra mim é um OTIMO SINAL!


Pedrinho Sirotsky com Cacau Menezes.

" NÃO SE JOGA PEDRA EM ARVORES QUE NÃO DÃO FRUTOS", diz aquele velho ditado...

Sei que uma vez o Cacau entregou o Gabriel o Pensador, na sua coluna.contando que Gabriel estivera na BOCARA, uma chamada "casa de tolerância" - ih, que nome mais antigo - e que lá fora visto numa noitada. A " fofoca" chegou aos ouvidos da esposa do Gabriel, no Rio, que estava grávida...
Quando Gabriel voltou a Floripa, foi dar uma entrevista pro Cacau na TV da RBS no Jornal do Almoço de lá
e ao vivo cobrou do Cacau o que ele tinha escrito na sua coluna do DC. Cacau segurou a bronca no osso do peito....


DE Sarandi

 


O filho do 'ZATOR"

virou autoridade em Sarandi


Andávamos no domingo de manhã,23.05 pelo interior de Barra Funda, ao lado de Sarandi(RS) a procura da casa do Claudino Tasca, o último da famosa família que fundou a churrascaria Barranco em Porto Alegre, em 1969,quando paramos ao lado do "capitel"( uma pequena igreja) e um salão comunitário em S.José Agusso, a linha de onde saíram os Tasca(Santo,Albino, Vicente ) e veio um cidadão que estava em casa pra nos socorrer:
- Olha, as terras do Claudino estão mais pra trás, nos alertou.


O filho do 'ZATOR"

Em seguida, aquele senhor de barbas brancas olho fixamente pro cidadão que estava na direção do carro e sentenciou:

- Mas o senhor eu conheço, o senhor é nosso REITOR!

O professor da UPF Mauro dos Santos Rocha, que dirige a unidade de Sarandi da instituição, ficou entre orgulhoso e emcabulado e assentiu:
- Sou o diretor...

Ali o camarada já deu uma "mordida"(queria que a UPF contratasse o som do filho dele).
Mauro Rocha virou autoridade em Sarandi, onde vive com a Chica,sua esposa e o filho, Maurinho. A filha ficou pela "Palmeira"- como eles chamam Palmeira das Missões há pouco mais de 30 km adiante - mesmo. Só vem pra visitar os pais...

Em cada esquina,cada rua,cada restaurante de Sarandi que andei,alguém conhecia o Mauro...O verdadeiro prefeito dali acho que é ele....

Como teve um pequeno enfarte dias atrás, todo mundo queria saber da saúde....Mas embora esteja longe de Serafina Corrêa-onde fomos colegas no ginásio e firmamos amizade - há muitos anos, guarda muitas lembranças da ONZE como ele se acostumou a chamar a antiga cidade. E cada um dos seus amigos e afetos da ONZE, carregam um apelido...


Como seu falecido pai, Mário Rocha, que era exator estadual(funcionário da Secretaria da Fazenda) era chamado pelos colonos de ZATOR, eu agora o chamo de "filho do Zator ".

Entre as semelhanças que carrega com seu velho pai, está a do gosto pela política. Foi secretário municipal em Palmeira das Missões, onde morou por longos anos e onde casou com a Chica, do prefeito Celso Valduga, do PDT. Agora em Sarandi não pratica a política partidária porque ele no município é o "REITOR".Em suma, uma autoridade....


Coleguinhas

 


Luiz Afonso Franz, o alemão Franz está no Grupo Sinos.

 

 

Coleguinhas

 

A mala do Dico

Durante o Bom Dia, na Guaíba, 24.05, o repórter Dico Reis fez várias intervenções sobre uma mala que o GAT tinha estourado....no fim das contas não tinha nada dentro, algumas roupas....

"Foi alguma patroa que botou a mala do mala na rua" disse a Ellen Braun....

Pois é,conta o Isnar Ruas, da Editora Intermédio, que numa sexta-feira, véspera de carnaval, o Tadeu Loko(Arthur Monteiro) chegou pra ele, e mais alguns colegas e anunciou:
- Vou sumir neste carnaval...

Na quarta de cinzas, voltou pra casa, todo cheio de confetes e serpentinas. Mas a mulher, Vera Zílio, teria deixado sua mala pronta junto a porta e assim que ele chegou, a recebeu....

 

 

Palanque

 

Ibsen (1)

Ibsen Pinheiro(PMDB) não concorre mais....calma lá....pode ser que vá a senador, na segunda vaga....


Ibsen (2)

Ibsen não vai mesmo a reeleição. Não quer pedir dinheiro pra campanha. Ele queria a reforma política com o financiamento público de campanha.


Ibsen (3)


Se for mesmo pra segunda vaga ao senado, Ibsen Pinheiro não precisa pedir dinheiro. Só meter a cara dele na tevê e a voz no rádio...

 

Coleguinhas

 

Paulo Totti- ex-Veja - está no Valor Econômico. Já foi da Gazeta Mercantil. Foi também da assessoria de imprensa do BNDES.

 

Coleguinhas

 


Verene Wodkce está na Confederação Nacional da Indústria(CNI) onde assessora o presidente. Em Brasília.

 

Coleguinhas

 

Surpreendente este Valério Campos que é o coleguinha perfilado do Prévidi.com desta semana....


Rádio Esperança - eu nem sabia que tinha - terceira no IBOPE...E nós ouvidndo Mendeskis e afins....


Realmente, intelectual não tem nada a ver com o povo, ou para usar um termo discriminatório, o povão!


Coleguinhas

 


Rui é o segundo da esq.para a dir. de pé. noite de 25 de julho de 1957 num torneio de basquete em S.Leopoldo.


O " professor" vai a sua décima copa do mundo...

Escaldo pela RBS,onde trabalha, Ruy Carlos Ostermann cumpre sua 10 Copa do Mundo.Começou na da Inglaterra, em 1966, naquele desastre que foi a Seleção Brasileira,quando fomos desclassificados por Portugual de Eusébio e Cia....

Ruy nesta época era da poderosa Caldas Junior.Depois mudou-se pra RBS. Nascido em 26.09.1934 em São Leopoldo, foi jogador destacado de basquete, do Aimoré.

Foi levado pra Caldas Junior pelo Foguinho,se não me engano.Alguém disse que havia um moço que merecia uma chance porque escrevia bem. Ingressou na Folha da Tarde.

É o coordenador do Sala de Redação, das 13h às 14 hs, na rádio Gaúcha, programa de debates muito tradicional.
Também tem um projeto próprio,de entrevistas, chamado " Encontros com o Professor".

 


Edgar Paschoal Schmidt

Edgar é comentarista esportivo da rádio Guaíba, há muitos anos.Com a saída de Ruy Ostermann da emissora, virou o titular do comentário esportivo.
Nasceu em Cachoeira do Sul em 27.02.1949,filho de Oscar Schmidt e Miraci Paschoal Schmidt. Começou na rádio Cachoeira do Sul e depois se mudou pra Guaíba.
Nunca escreveu em jornal e nem aparece em televisão.

 

 


Osmar Trindade


Já faz quase um ano que morreu Osmar Béssio Trindade(ele faleceu em 30.06.2009).
Trindade veio de Santana do Livramento para Porto Alegre. Lá havia trabalhado na A Platéia. Nasceu em 11.10.,1936.
Em Porto Alegre foi chefe de reportagem do Jornal A Semana, do Grupo Sinos, que se localizava na rua Uruguai.
A cada repórter que ia procurá-lo ele sempre o atendia com este bordão:
- Viestes ver se tem uma pautinha?

Trindade tem um longo currículo. Foi editor da Folhinha,(CJCJ) foi repórter do Globo,(cobriu o caso Lilian Celiberti pela Coojornal,onde era diretor e ainda como autor de uma reportagem onde foram revelados segredos do Exército na Guerrilha do Vale da Ribeira, em São Paulo,acabou preso junto com outros três autores da mesma reportagem)teve uma temporada na TV Gaúcha, no programa Campo e Lavoura(foi demitido por causa de uma matéria sobre fabricantes de adubos,ou pesticidas). Teve dois casamentos: do primeiro tem os fiolhos Jefferson,Márcio Jailton e Jadson e do segundo, Tércio.

Seu enterro, no João XXIII, conseguiu reunir colegas da Coojornal que não se encontravam desde o fechamento da cooperativa.

 

Antônio Carlos Mafalda, o Pirulito

Dizem em Palmeira das Missões, terra natal de Antônio Carlos Mafalda, que quando ele subiu na Torre Eiffel, em Paris, teria exclamado:

- Do rio da Várzea para o mundo!

O rio da Várzea é um rio que passa perto da propriedade rural onde Mafalda nasceu.

Mafalda começou como fotógrafo no jornal de Palmeira das Missões. Depois foi estudar em P.Fundo, onde foi aluno de dona Ione Pacheco, futura esposa de Maurício Sirotsky.
Mafalda também trabalhou no Interior de Carazinho,dirigido por Waldir Hech.

- Vi logo que ele era metido. Mandei fazer uma entrevista com o Roberto Carlos quando ele foi lá se apresentar e de repente o Mafalda estava do lado do Roberto falando com ele...

Filho de Antônio Mafalda( que conheci numa viagem que fizemos juntos a trabalho em Palmeira das Missões) e de Avany ele foi muitos anos fotógrafo de ZH. Foi ele quem fez o Papa João Paulo II colocar aquele chapéu de gaúcho na entrada do Gigantinho quando ia se encontrar com religiosos num sábado perto do meio-dia.

Hoje Mafalda vive em Florianópolis, com sua segunda mulher,Imara Stallbaum. Os dois já tem netos.

 

 

Informativo Tambor da aldeia

 

Porto Alegre (RS) - O jornal Diário da Manhã, de Pelotas (RS), e José Antônio San Juan Cattaneo, conhecido como “Capitão Gay”, foram condenados pela 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça gaúcho a indenizar um leitor citado como homossexual no veículo de comunicação. Em texto publicado na “Coluna do Meio” em 2004, o “Capitão Gay” cita o nome do leitor expressamente e chega a classificar o autor da ação como “um dos nossos leitores mais empolgados” que teria enviado mensagem eletrônica defendendo os homossexuais. O autor da ação, que é servidor público, nega que tenha enviado qualquer tipo de e-mail ou comentário ao jornal ou ao colunista, e diz que sofreu graves prejuízos morais com a publicação. A decisão de primeira instância condenou os réus em R$ 12,4 mil, como indenização ao servidor público, além da exigência de publicar a decisão no jornal. Em sua defesa, os réus alegaram que o e-mail havia sido
enviado pelo leitor e que a nota publicada não tinha caráter ofensivo. Mesmo depois de recorrer, o veículo e o colunista foram condenados por dano moral, mas o valor da indenização foi reduzido para R$ 3.000,00. De acordo com a Justiça, a conta de e-mail foi criada exclusivamente para enviar a mensagem ao jornal e não pertencia ao servidor público. Mas o magistrado sustentou que mesmo que o endereço fosse do leitor, os réus deveriam apurar e assegurar a identidade da fonte.
do Informativo Tambor da aldeia


 

 

Coleguinhas

 


Eis aí a gentileza do Franz:


o cidadão que escrevia para os jornais se chamava afrânio dutra. era parente do tarso dutra.
Luiz Afonso Franz

Carta de leitora

 

Bom dia sr. Canton, tudo bem?

descobri seu site/blog e achei muitas matérias interessantes, principalmente sobre Serafina Corrêa onde nasci. Quandos serafinenses hoej vivem fora de sua terra assim como eu, que estou em São Paulo, moro no Morumbi, hoje noiva de Sérgio Cooksey, ele é bacharel em direito e comerciante, filho da famosa dra. Olga Almada Cooksey (do Morumbi, especialista em criminal). Fui cantora da Orquestra Zaccaro e ápresentadora/produtora do Italianíssimo com o falecido maestro Zaccaro (+2003). Hoje sou bacharel em turismo e pós-graduada em comunicação e mídia pela UNIP. Trabalho como secretária executiva da INTERBOLSA DO BRASIL, que comprou recentemente a Finabank brasileira. A Interbolsa é colombiana e trabalha com câmbio, títulos e valores mobiliários e localiza-se no centro de São Paulo agora!
Parabéns pelo seu trabalho!

Viviane Vidmar.

 

Lançamento da VI Semana do Alimento Orgânico ressalta respeito à natureza e ao consumidor

 

Cerca de 40 pessoas participaram do café orgânico oferecido pela Comissão
Estadual da Produção Orgânica no Rio Grande do Sul (CPOrg-RS) na manhã de
hoje (20), na Tortaria Café Brasserie. Profissionais da imprensa, produtores
ecologistas, entre outros representantes de entidades da sociedade civil
confraternizaram no encontro de lançamento da VI Semana do Alimento
Orgânico, promovida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
(Mapa), por meio da Superintendência Federal de Agricultura no Rio Grande do
Sul, juntamente com a CPOrg-RS.

O Rio Grande do Sul tem se destacado na promoção da Semana, que ocorre de 24
a 30 de maio, com a realização de mais de mil ações em todo o Brasil. Estão
programados mais 150 eventos, sendo 60 só em Porto Alegre, e em mais de 40
municípios do Estado, entre palestras, cursos, oficinas, degustação e
visitas de campo, beneficiando diretamente 400 mil pessoas. As atividades
contam com 148 parceiros governamentais, da iniciativa privada e do terceiro
setor, como supermercados, escolas, universidades e entidades associativas
de moradores e produtores.

Parceria e conscientização

Segundo a médica veterinária e coordenadora da CPOrg-RS, Angela Escosteguy,
houve um significativo aumento no número de atividades desde 2006, quando
pela primeira vez o Estado participou da Semana, com oito eventos. Em 2007,
foram 14, 2008, 42, 2009, 105 e agora são 152, constituindo o maior volume
no país. Para ela, o fato do Rio Grande do Sul estar conseguido realizar um
maior número de ações é fruto do trabalho em parceria, harmonioso e
comprometido, desenvolvido nos últimos cinco anos entre os integrantes da
CPOrg-RS, que integra 36 entidades governamentais e não governamentais.
?Também reflete o crescimento da conscientização da própria sociedade e o
conhecimento do consumidor sobre o tema?, explicou. Angela mencionou
pesquisas internacionais que revelam que a preocupação com o meio ambiente,
a qualidade dos alimentos e o bem estar dos animais figuram como prioridades
para a maioria da população nas decisões quanto ao consumo.


Sem fertilizantes sintéticos solúveis, agrotóxicos e transgênicos, os
alimentos orgânicos, de origem animal ou vegetal, comprovadamente são mais
saudáveis, com maior diversidade de vitaminas, sais minerais e outras
substâncias importantes para a saúde. Além disso, a produção orgânica
caracteriza-se pela responsabilidade ambiental e social, contemplando o uso
saudável e responsável do solo, da água, do ar e de outros recursos
naturais, promovendo o fortalecimento da agricultura familiar e o
desenvolvimento sustentável.


Respeito à natureza e ao consumidor

Lembrando eventos de entidades do exterior, o superintendente Federal de
Agricultura no Rio Grande do Sul, Francisco Signor, disse que ficava
admirado com a quantidade de produtos orgânicos de outros países, sendo que
o Brasil tem todas as condições de ser um grande produtor, em virtude do
clima e da biodiversidade. Ele afirmou que o Mapa está encaminhando a
certificação dos alimentos orgânicos ainda em 2010. Os produtores já estão
se cadastrando, e em 2011 todos os produtos deverão ser certificados com o
selo do Sistema Brasileiro de Avaliação de Conformidade Orgânica (Sisorg),
com exceção dos alimentos vendidos diretamente pelos agricultores
familiares. Signor referiu os sinais dados pela natureza e que é preciso por
em prática a agricultura orgânica ?como um processo inovador que representa
mais respeito à natureza e às pessoas?.

Regina Dossin, proprietária da Tortaria Café Brasserie, complementou: ?É
preciso reeducar o consumidor para que os restaurantes possam trabalhar com
alimentos orgânicos?. Conforme a empresária, como os produtos tem como
característica a sazonabilidade, a relação com o cliente tem que mudar. ?Se
um alimento não é oferecido por que não está na temporada, o cliente tem que
ter uma relação de confiança, pois isso significa respeito a ele e à
natureza?. Há 11 anos instalada no bairro Moinhos de Vento, desde 2008 a
empresa aplica os princípios de sustentabilidade, começando na decoração com
luminárias LED e o descarte dos resíduos numa composteira (no caso, um
minhocário), até a realização de palestras sobre nutrição e disponibilização
de material informativo. Integrando a programação da VI Semana do Alimento
Orgânico, a Tortaria realiza uma palestra no dia 25, às 19h.

Resgate, construção e afirmação

Representando a Feira dos Agricultores Ecologistas (FAE), Juarez Pereira, da
Banca do Arroz, resumiu com entusiasmo o sentimento que tem ao trabalhar com
a produção orgânica: ?é uma atividade de esperança porque faz um resgate,
uma construção e uma afirmação?. Para o produtor, a agricultura ecológica
constitui um resgate cultural, ?de saberes e sabores?; construção de canais
de comercialização e de novos relacionamentos; e a afirmação de um modelo
produtivo que possibilita a permanência das famílias no campo. Também
representante da FAE e integrante da Comissão, Flávia Ryzewski, do Sítio
Nahyr, apresentou o ?Guia da Feira? ? comemorativo ao aniversário de ?21
anos de biodiversidade? praticados no local, com o engajamento e a promoção
dos princípios ecológicos por ONGs e entidades e o desenvolvimentos de
campanhas ambientais em prol da sustentabilidade. O Guia traz a relação das
bancas, telefones para contato, produtos e a localização na quadra da rua
José Bonifácio. Flávia lembrou que a FAE participará da Semana com
divulgação, sorteios e outras atividades nos dias 22 e 29.

A representante do Banrisul na CPOrg-RS, a analista da Unidade de Negócios
Rurais Simone Portela de Azambuja, falou da exposição de sementes crioulas
dos agricultores agroecológicos e da distribuição de sementes orgânicas de
hortaliças da BIONATUR que o banco fará em conjunto com a Feira dos
Agricultores Ecologistas durante a Semana, beneficiando produtores de 30
municípios. De acordo com Simone, a atividade foi planejada tendo em vista o
Ano Internacional da Biodiversidade, com o objetivo de divulgar o consumo
consciente, o sistema de produção orgânico que respeita o equilíbrio
ecológico e favorece a preservação da biodiversidade, bem como estimular a
troca de sementes entre os agricultores.

Estiveram presentes no lançamento da VI Semana do Alimento Orgânico, o
diretor de Comunicação do Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul
(NEJ-RS), Juarez Tosi; profissionais e bolsistas da Fundação de Ciência e
Tecnologia (CIENTEC) e do Instituto de Ciência e Tecnologia de Alimentos
(ICTA), da UFRGS; representantes da Associação Gaúcha de Nutrição (Agan) e
da Manique Soluções Ambientais, entre outros. Destacaram-se entre os
alimentos oferecidos para degustação os produtos do Sítio Pé na Terra,
Volkmann Alimentos, Pão da Terra e Ecocitrus. TV Educativa, Programa Vida
Orgânica (Record), Agência Radioweb, Mercado Rural TV e Correio do Povo
também prestigiaram o evento.

A EcoAgência Solidária de Notícias Ambientais (www.ecoagencia.com.br) e o
programa Sintonia da Terra, que vai ao ar todas as quintas-feiras, a partir
das 10h, na Rádio da Universidade (www.ufrgs.br/radio) estarão acompanhando
as principais atividades da VI Semana do Alimento Orgânico. O Sintonia da
Terra vai sortear cestas de produtos orgânicos para seus ouvintes. Assim, o
Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul se insere na campanha que visa
mostrar que os alimentos orgânicos são fundamentais para a nossa saúde e
para o equilíbrio ambiental.

A programação está em anexo. Em breve, estará disponível na página do
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
(http://www.agricultura.gov.br/).

"Entre para o mundo da vida saudável. Prefira alimentos orgânicos."


Assessoria de imprensa:

Gelcira Teles

 

Parabéns Serafina

 


Olá Olides.
Também sou filha de Serafina.
Parabéns pelo Blog, mas principalmente pelas tuas obras.
(Nesta bem(maldita)Internet se cata fora de tuto).
Sou filha do Nadir Zanatta, ecco, se no te ricordi...Vedemo...Elias, Ordália, Renê, Enio, etc
Minmha filha cursa jornalismo na UCS, moramos aqui, Caxias.
Grande abraço
Nadilce Beatriz.

 

IMPLANTAÇÃO DO SELO
FISCAL DO VINHO

 



O Sindicato da Indústria do Vinho do Rio Grande do Sul – SINDIVINHO/RS – em parceria com União Brasileira de Vitivinicultura – UVIBRA – promove na próxima terça-feira (25) às 14h evento sobre a implantação do Selo Fiscal, com a participação do agente da Receita Federal em Bento Gonçalves, Nilson Sommavilla Primo. Na oportunidade, serão esclarecidos aspectos como os primeiros procedimentos para as empresas buscarem a documentação necessária, dando início à utilização do Selo Fiscal; quais os controles e procedimentos de aplicação do Selo Fiscal; e quais as responsabilidades das empresas em relação ao Selo Fiscal. O encontro será realizado no auditório do CIC – Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves – Alameda Fenavinho 481. Informações: fone (54) 3451.1062 ou e-mail uvibra@uvibra.com.br
Todt Comunicação

 

Coleguinhas

 

*Antônio Goulart é da comissão eleitoral do Sindicato dos Jornalistas-RS


*Barcellos, da diretoria do sindicato dos jornalistas-rs, sugere uma pautinha interessante: como existem lajes soltas na rua da Praia, na rua Uruguai, por todo o centro....O que faz a mídia do dia a dia que não se ocupa disto????


*Existia um cidadão portoalegrense -agora não lembro o nome dele - que vivia mandando cartinhas pros jornais sobre os problemas da cidade. Este sim era um fiscal do serviço público, voluntário. Não vi a Câmara de Vereadores dar um título pra ele....

*Folha de São Borja de 15 de maio, na seção Gente e Política exagera sobre futebol. Dos 7 tópicos da coluna , dois são sobre Gremio e Inter.....Não é assinada, mas tem tudo pra ser redação do colega Arce....

 

Coleguinhas

 

*Danilo Ucha exagerou na dose no último Jda Noite. Pô, só na capa tem duas fotos dele: mais uma dentro do jornal. Parece o engenheiro Ribeiro, da RFFSA que numa edição do jornalzinho interno , colocou 12 fotos suas....

Te segura, GORDO!!!!

*O GORDO é uma figuraça.Anos atrás, num almoço na Expointer, promovido pelo Banrisul, tinha lá um "mar" de coleguinhas. E o gordo sincero:

- Aqui é tudo patrocinado pelo Banrisul. Se tiver algum que não está atrás do patrocínio...

Pelo menos o Gordo foi sincero....

Pior são as vestais.....

 

Exclusivo


Barranco pode

abrir em

São Paulo!


o Barranco dos anos 70: uma "tasca" na av. Protásio Alves

Os sócios da Churrascaria Barranco - na av. Protásio Alves - estão negociando a abertura de uma casa com o nome de Barranco em S.Paulo. Quem me passou a informação foi o sócio do Barranco, Chico Tasca, filho de Vicente, o único da família Tasca,fundadora da casa, que permanece na churrascaria.


Chiquinho Tasca, o remanescente da família que fundou o Barranco!

 

" Estamos negociando" me adiantou Chiquinho.
Ele acha que para uma expansão maior -como fez a churrascaria Fogo de Chão - também nascida no Sul, o Barranco precisa se expandir para S.Paulo e depois pros USA.

 

 

Memória das Eleições!

 


O depois da posse....

A Oposição se preparou pra ganhar a eleição pra governador no RS, em 1982, mas o candidato do governo, Jair Soares, acabou vitorioso. Até hoje se discute se foi "roubada" ou não esta eleição. O que é fato é que o TRE proclamou o ex-Ministro da Previdência Governador e estamos conversados.

(autor não identificado)

Em 15/03/1987, Pedro Simon lê o discurso de posse na ALE.

Fora da lei, não há salvação!

Mas Simon venceria em 1986, porque era a época do Plano Cruzado e Sarney estava aqui com o povo!

Estive no plenário da ALE naquele domingo festivo.Discursos, abraços, depois festas privadas....

Mas na segunda feira, o dia depois, pouca gente compareceu ao Palácio Piratini pra arregaçar as mangas.

Até onde sei, só foi lá o próprio Simon, Renato Abreu,seu fiel escudeiro,Rômulo Brasil e me parece uma secretária...

Os demais estavam todos em casa,curando a ressaca da noitada....

- O Simon queria que eu fosse pra lá, mas eu fiquei na minha secretaria, conta até hoje a Leocádia Jung,que participou daquela transição, no gabinete montado no prédio do IPE....

 

Coleguinhas

 



Fátima Regina Torri.

Fátima Regina Torri nasceu em Santa Maria em 29.04.1953,filha de Antônio Victor Torri e de Modesta R. Torri. Começou na Folha da Manhã,como repórter.Depois foi pra ZH e de lá saiu para montar sua consultoria de assessoria de imprensa. Já residiu na rua Lopo Gonçalves, 543/1005.

Ângela Meyer da Silva.

A portoalegrense Ângela nasceu em 07.04.1956.Filha de Roberto Bier da Silva e de Marieta Meyer da Silva. A conheci como repórter de ZH nos anos 70, depois sumiu de vista.....

Luiz Paulo Pilla Varres

 

" EL PILLA ES MOBILE COMO EL VIENTO"

parodiavam os coleguinhas que tomavam trago com o Pilla no Porta - Larga, ( um boteco que existe ao lado da redação da ZH),embora fosse de" esquerda" e "trotskista", na hora de segurar seu emprego, ele deixava o discurso de lado....como muita gente que se dizia de "esquerda" vi fazer na vida.Não quero dizer que toda pessoa que "de esquerda", fique apenas no discurso...

Reconheço o valor do Pilla como um intelectual. Era o único jornalista que vi ler um livro dentro da redação.(ele podia fazer isto....)
. Também era um excelente editor. Pra nós repórteres dava sempre um conselho: não escrevam muito que o jornal não é de borracha, não se espicha.
Nascido em Porto Alegre em 05.03.1940, filho de Paulino de Vargas Vares, famoso advogado,e de Lucy Pilla Vares, Pilla foi casado com a educadora Sônia(08.04.1943) com quem teve o filho Ângelo(09.06.1973).
Torcedor fanático do Inter e da Escola de Samba Imperadores, foi um dos responsáveis pelo surgimento da banda DK.
Feio como um demônio, fazia muito sucesso com o sexo oposto.

É famosa a história ocorrida com ele, que foi presssionar uma diagramadora para que baixasse primeiro suas páginas numa sexta-feira porque Pilla queria ir embora cedo. A mulher subiu numa cadeira e gritou para alguns que estavam em volta ouvir:
- Pilla, não adianta tu me pressionar, eu não vou ao motel contigo hoje.

Pilla se abaixou e saiu se esgueirando entre as mesas voltando para sua mesa. Como era hora de baixamento, a cena chamou pouca atenção.
Foi secretário de Cultura de Porto Alegre na gestão do prefeito Olívio Dutra.Dizem as más línguas que Olívio indiretamente acabou prestando um serviço à empresa onde Pilla trabalhava porque queriam se livrar dele e não sabiam como. Mas Pilla depois que saiu da política voltou a escrever uma coluna de 15 em 15 dias na ZH.Quando assumiu a secretaria da Cultura, Pilla continuou frequentando seus bares prediletos: o Bar do Beto, na Viera de Castro com Venâncio Aires e o Pedrini, na própria Venâncio Aires.Uma noite no Bar do Beto aconteceu uma cena esquisitissima:quando se deram conta, os demais frequentadores do bar, viram a NEGA LU, - um transformista muito conhecido - sentado no colo do Pilla a berrar;
- AGORA QUE TU VIROU MINISTRO DA GUERRA TU NÃO DÁ MAIS BOLA PRA GENTE, protestava NEGA LU....

Depois Pilla foi para a Secretaria de Cultura do Estado, no Governo Olívio Dutra. Seu gabinete ficava num andar da Casa de Cultura Mário Quintana. Alguns subordinados tinham pressa em "despachar" os assuntos de rotina da secretaria porque Pilla também estava com pressa; para descer pro bar e ler o JB tomando seu uísque...

No final de sua vida, trabalhava na Assembléia Legislativa do Estado, lotado na bancada do PT.Já bem adoentado, chegava por volta do meio-dia e no meio da tarde,se retirava. Tinha terminado seu "expediente". Faleceu em 09.10.2008. Acordou-se aquela madrugada lá pelas quatro e se sentia mal. Tomou um uísque e às seis horas morreu.Seus amigos espalharam suas cinzas no Rio Guaíba, ao lado da Usina do Gazometro.

Luis Roni Paganella


Volta e meia,algum leitor me manda um email perguntando onde anda o Paganella. Está em Brasília,onde passou a viver depois de um acidente de carro, ocorrido perto de Alegrete, quando acompanhava a delegação do Grêmio, que ia a São Borja jogar.

Filho de Gentil Paganella e de Rosa Berton, Rony nasceu em 25.08.1949.
Quando foi morar em Brasília pra ficar mais próximo de tratamento, Rony recebeu toda a assistê ncia possível da ZH,onde trabalhava quando se acidentou.
- O Maurício e o Nelson me pediram pra dar toda a assistência a ele, disse-me Júlio Pacheco, que era o responsável pela RBS em Brasília naqueles anos.
O acidente de Rony teria ocorrido junto a uma ponte, com uma Rural da ZH. Estava no carro o hoje conhecido radialista, Claudio Brito, então um repórter da ZH, totalmente desconhecido do grande público.
O ônibus da delegação do Grêmio é que teria batido na Rural.
Ronny foi transportado no táxi aéreo do comandante Caleffi que taxiou na BR-290, em Alegrete, para o transporte do paciente.

 

Pastel

Carlos Ribeiro
longe do poder!


Carlos Ribeiro é o terceiro da fila da direita num encontro com amigos no chamado "Espaço Senadinho", do Barranquinho.

Carlos Ribeiro dirigiu a Empresa Jornalística Caldas Junior durante 20 anos porque o dono,seu irmão Renato Ribeiro, vivia mais nos Estados Unidos que no Brasil.
- Ele aproveitou muito bem este tempo de sua vida, diz o livreiro Jorge Silva, seu amigo e que durante este período chegou a ter um espaço na rádio Guaíba onde divulgava sua livraria Papyrus,depois fechada.
Carlos Ribeiro como diretor do Correio do Povo foi convidado,por exemplo, a algumas viagens pelo Exterior.
Denise Nunes, que tem uma coluna no Correio do Povo diz que ela sempre foi muito respeitada pelo ex-diretor.

- Ele sempre me tratou com muito respeito e foi sempre muito gentil, diz a colunista que trabalhava com a área mais sensível do jornal, que envolve anunciantes.

Tão logo os Ribeiro assumiram ao controle da Caldas Junior, em 1988, algumas regras foram adotadas. Releases no Correinho,totalmente remodelado,só de quem tinha anúncio.Os Ribeiro descobriram logo as "malandragens" do mercado.As assessorias de imprensa despejavam suas notas no Correinho, mas a mídia paga ia toda pra RBS. Como bons comerciantes cortaram logo os naipes dos espertos: releases só entravam depois que passasse pelo comercial.
Há quem diga,afinal, que este departamento é o mais sensível de uma publicação.

Histórias de La Ùndeze

A primeira diretora do ginásio...

A professora Teresina de Costa - hoje vive em Curitiba(PR) foi a primeira diretora do Ginásio N.Sra do Rosário,depois que ele foi fundado no final dos anos 50,começo dos 60. Foi ela que assinou o meu certificado de aprovação de ingresso no ginásio em 7 de dezembro de 1964.Recordo até hoje que acabrunhado entrei na sala de aula e ela fazia a recepção dos novos alunos do ginásio:
- Lille (meu apelido de casa...) vai sair pelo mundo falando francês, inglês....disse ela na frente de toda turma enquanto eu ouvia aquilo sem entender muito bem o que estava acontecendo.


Casamento de Teresina de Costa e Carlos Migliavacca


Olha, não foi tanto quanto a entusiasmada professora Teresina disse naquele distante dia em que recepcionava os novos alunos do ginásio mas quando tive que usar meu francês até que me defendi.
Perdi a professora Teresina de vista faz anos. Soube que ela vive em Curitiba, no Paraná. Separou-se do marido Carlos, com quem casou aos 28 anos.Nascida em 12.09.1934, na capela São Pedro, no interior, formou-se professora. Conheceu Carlos,seu marido, no próprio ginásio. Ele era um ex-seminarista.
Casaram em 12.10.1962 e separaram-se. Seu ex-marido vive em Nova Petrópolis(RS).
Tiveram os filhos Carla e Rodrigo e adotaram Ronaldo.


 

Melhora

 

O editor Antônio Suliani saiu da UTI do ProntoCor da PUC e foi pra um quarto, na sexta 21/05. Ele sofreu um enfarte na semana passada.

 

 

 

Histórias de La Ùndeze

 

Estou chegando de Rondinha, aqui no Norte do Estado - 370 km de Porto Alegre - onde acabo de entrevistar o padre Francisco Lollato, chamado de Pe. Chico, que vive na paróquia de Rondinha, há longos anos. Fui esperando encontrar uma pessoa,encontrei outra....Agora é sábado,dia 21.05, e escrevo em Sarandi(RS).
Pe. Francisco fo vigário de Serafina por 11 anos, saindo de lá em 1968,quando se mudou para Rondinha.
O Pe Chico,dentro do seu rigorismo, mesmo estando hoje com 84 anos - nasceu na Itália em janeiro de 1926 - não deixou de responder nenhuma das perguntas polêmicas que lhe fiz. Muito do que me contou sobre o tempo que passou em Serafina(11 anos), e que vou aproveitar ao longo dos dias pra contar aqui, ele não deixou eu gravar, mas alguma coisa permitiu que gravasse.

Claro que muito do que vou contar aqui interessa ao leitor que é de Serafina. Paciência....

Temas polêmicos:

A HISTORIA DE QUE O FIORAVANTE CERVIERI VIU O DIABO....DENTRO DO COFRE


Pe. Chico diz que foi um motorista de Serafina, cujo nome começa com F que a inventou. Pegou tanto que ele foi chamado a Passo Fundo pelo bispo Dom Claudio Colling:

- Ma Chico, perguntou o bispo, é verdade que o diabo apareceu pro Fioravante dentro do cofre?

Francisco desconversa nem nega, nem confirma que ele foi chamado pela família de Fioravante para abençoar
o cofre e deste modo espantar o diabo....


OS PROFESSORES DO GINÁSIO NÃQ
QUERIAM RECEBER DO FIORAVANTE


Tão logo foi constituído o Ginásio de Nossa Senhora do Rosário, em Serafina, ele colocou lá alguns professores entre eles Teresina de Costa, Carlos Migliavacca e outros. E conseguiu junto ao Governador do Estado, Ildo Meneghetti,cuja secretária da educação era Zilá Totta,que o Estado pagasse os professores. Mas não tinha banco em Serafina - o Banrisul foi pra lá em 1970 - e o único que funcionva era uma espécie de agência do Sulbrasileiro dentro da Sociedade Estrela. Só havia um pequeno problema. Fioravante não queria que os professores vissem a cor do dinheiro. Ele queria pagá-los em mercadoria que ele mesmo comercializava na loaj....Aí os professores não quiseram mais ir no banco receber o salário....


Esta quem contou não foi o Pe. Chico. Mas dizem que o motorista Bordin quando ia prestar conta das viagens que fazia pela Socieadade Estrela sempre tinha que devolver muito dinheiro que recebia pra despesa. Mas como pensava ele...
Entregava as notas de despesas ao Fioravante. Um dia olhou pro chão e descobriu o que ocorria. Seu patrão tinha o hábito de deixar cair a nota maior de despesa e colocava os pés encima....


Nossa Senhora estava
esquecida atrás do altar..


Diz o Padre Chico que foi durante sua gestão em Serafina que começou a se incrementar a devoção a N.Sra do Rosário que hoje é muito grande na cidade,tanto que a igreja virou santuário." A imagem da santa estava atrás do altar, lá,esquecida. Eu a tirei e coloquei na frente, conta o padre Chico.

Havia duas capelas Santo Antônio. Então o Pe. Chico cassou um dos santos numa capela e colocou o nome de São Pedro tudo para que quando os moradores dela morrerem e cheguem no céu possam entrar, conta ele...Mas alguns moradores não gostaram desta atitude e no começo ficaram ressabiados.


Contra as mulheres!

Pe. Chico sempre teve fama de ser meio anti-mulher. Não é nada disto,disse ele, é que as mulheres,segundo ele, faziam "intrigas" e isto o incomodava....

Colorado doente

Ele confirmou que como colorado doente era verdade que fazia uma molecagem: sempre que o Inter ganhava um Grenal ia na Sonora(sistema de som usado na torre da Igreja) e tocava flauta para o Gremista doente que era Bruno Marocco. Mário Rocha lembra-se que Bruno era torcedor do " Renner".


Segundo Mário Rocha, grande amigo de Bruno Marocco falecido em 1984,em Matelândia, Paraná, ele morreu por uma molecagem. Aconteceu assim: um sujeito de Nova Prata que fora para aquele município estava com muitas dívidas e Bruno foi advogado da parte contrária e executou o devedor.
O inadimplente mandou vários recados ao advogado para que fosse ouvido ou fosse negociado a dívida. Um dia, enquanto Bruno estava com uns amigos em Céi Azul, num bar, ele entrou, foi até o bar, comprou algo e na volta,sem dizer, tirou o revólver e deu vários tiros ao Bruno. Ele morreu quando estava sendo levado para o Hospital de Medianeira(PR).

 

La undeze

 

Martinha Rocha, nossa miss estudante de Serafina Correa, nos anos 80, embarcou no sábado,dia 21.05 pra Europa....Vá entender a Martinha: ela é funcionária pública, da Susepe e viaja assim pra lugares tão exclusivos...

Martha foi eleita Miss Rainha dos Esudantes nos anos 80 e se gaba :

- Vieram a Porto Alegre comprar um vestido pra mim na Casa das Sedas por isto!!!

O andar debaixo que morra de inveja!

 

UMA VIAGEM NO OURO E PRATA NOITE ADENTRO!

 

- Vou de Executivo,penso. Assim é mais rápido. Onze e pouco estou em Sarandi.

No entanto, na hora do embarque não presto atenção em nada. Sento o coletivo mas noto que na frente do veículo está escrito Alpestre, como destino final...nem dou bola. O ônibus vence a congestionada BR-11 na sexta, dia 21.05 e noto que entrou na rodoviária de S. Leopoldo. Depois Noia,depois Montenegro,depois Estrela. Ai pego o motora e grito:
- Este onibus chega que hora a Sarandi?

- Uma e meia, me responde o motorista, um carequinha....

- Este é o pingão! me responde...

Fico puto da vida e digo a ele que o professor Mauro Rocha me espera as 11.

- As 11 vamos estar em Soledade.

- Então resolve e avisa o professor que vou me atrasar....

Em Soldade, entra na rodoviária e depois no restaurante prum lanche. O motora janta. Assim que sai, um brigadiano que tinha entrado em Lajeado corre pra frente e diz: eu tenho que ficar em Soledade.

- Não posso mais voltar, diz o carequinha do motora....

O brigadiano ficou mais adiante,num posto e depois a Brigada iria buscá-lo.

A neblina densa da subida da Serra da BR-386 já desapareceu. Agora estamos com um céu estrelado, uma lua crescente e vou conversando com o carequinha.Me distraio. A passageira do meu lado já tinha tirado o sapato e dormia,enroscada, mas ainda bem que não era roncadora. E era bem bonitinha, por sinal...

O motora vai me contando sua vida...foi cooptado pra empresa pelo sogro, que trabalhou 34 anos na Ouro e Prata, mas agora está aposentado.Está há 16 anos no serviço....

Iria até Alpestre naquela madrugada de sexta e depois sete da manhã estaria num ônibus da empresa, de carona, até Soledade, pra buscar um carro que alguém havia comprado:
- Vou ganhar 800 reais com isto. A gente vai juntando porque precisa. O salário de motorista está em 1.400 reais, me explica.

Mas é todo elogios a empresa onde trabalha.

Entramos em Carazinho e na saída, já passa da meia-noite. Diviso o parque gráfico do Correio do Povo...

Agora a noite vai deixando a rodovia apenas para alguns ônibus. Os carros particulares somem....
Um " Santa Cruz" passa pro nós...

- Vai pro Paraguai,decerto...quando amanhecer, vai chegar lá, me diz o carequinha.

Em carazinho,adormeço,finalmente....

Quando acordo, o ônibus parou. Olho pra fora, diviso apenas o nome SARANDI
Ah,FINALMENTE NO DESTINO

Quando saio, vejo um sujeito que não reconheceria nunca se não soubesse que tava me esperando: o professor Mauro Rocha, que não via há 40 anos.
Fomos pro hotel e diviso na entrada, uma foto na parede de um sujeito que reconheço logo: o presidente Lula de chapéu, com o dono do estabelecimento.

- Ele dormiu aqui, me diz o funcionário, sonolento...


DOS DISCOCUECAS
( 1977/1997)

(Beto Roncaferro, Júlio Fürst, Gilberto Travi e João Antônio)

"BOMBACHA MECANICA"

EU SOU GAÚCHO

NASCI LÁ NO SUL

DEBAIXO DE UMA MANGUEIRA

TENHO OS OLHOS PRETOS

COMO ANU

E OS OINHO COR DE CAGANEIRA.....


Outra deles!

SEXO SELVAGEM!

O PADRE CONDENA

DIZ QUE É SACANAGEM

É QUE ELE NÃO SABE O QUE É

SEXO SELVAGEM!

 

 

Celso Lopes

 


proposta de federalização ou reabertura do Hospital São Francisco de Borja ao Candidato Tarso Genro


proposta de federalização ou reabertura do Hospital São Francisco de Borja ao Candidato Tarso Genro

Encaminho fotos do Vereador Celso Lopes na entrega da proposta de federalização ou reabertura do Hospital São Francisco de Borja ao Candidato Tarso Genro em visita a São Borja no dia 18 de maio.

A idéia é que sua equipe que formata o plano de governo do candidato inclua essa proposta no projeto político.

Atenciosamente.


Letier

 

 

 

Desde S. Borja!

 


O pré-candidato do PT ao Governo do Estado, Tarso Genro, que visitou São Borja, sua terra natal, nesta semana, - 18/05 - esteve na Igreja São Francisco de Borja, onde foi conhecer a imagem do santo que foi devolvido pela família Goulart à comunidade. Depois esteve num café na "Pracinha da Lagoa" e finalmente conheceu o Memorial João Goulart - na av. Presidente Vargas, 2053, esquina com rua Félix da Cunha .

Celeste Penalvo e Tarso Genro, que aparecem no Museu João Goulart, em foto publicada neste site, foram companheiros de exílio. Tarso Genro, quando foi exilado, passou uma temporada em Tacuarembó. na estância El Rincón, do presidente João Goulart, que era amigo do seu pai, Adelmo.

A relação de amizade e respeito entre o pré-candidato do PT ao Governo do Estado e Celeste Penalvo vem desta época. Os esclarecimentos são da filha de Celeste, Neuza.

 


FLEHR ENGENHARIA
EM EXPANSÃO



A Flehr Engenharia, escritório gaúcho de cálculo estrutural, fechou o primeiro trimestre de 2010 com forte expansão de seus negócios, acompanhando o incremento de atividade do setor da construção civil. Concluiu no período os projetos da fábrica da BR Foods, em Três de Maio, a ampliação do Centro de Distribuição da Planalto Transportes, em Porto Alegre e da loja-âncora do grupo Dass, no shopping Conquista Sul, em Vitória da Conquista-BA. Para atender a demanda de novos projetos estruturais, a empresa agora conta com novos colaboradores e oferece, além dos projetos de estruturas metálicas, também projetos de proteções coletivas e de estruturas de concreto. Já inserida neste novo segmento, a Flehr acaba de firmar parceria nas obras da Goldsztein-Cyrela e Arquisul.

Todt Comunicação

 

Poema

 

 

GALANTEIOS


Tu és linda, como o sol que se debruça
sobre o tapete verde das coxilhas!
Tu és linda, como as flores
que desabrocham nas manhãs de primavera!
Tu transmites em teu olhar
toda a ternura da chuva que cai lá fora,
enquanto eu estou aqui sozinho,
pensando em ti.
Porque tu és linda, é que eu sinto desejos
de protegê-la carinhosamente nos meus braços,
e provar o gosto dos teus beijos,
e sentir o calor desse teu corpo juntinho de mim,
e acariciá-la com todo o fervor,
na intimidade do meu quarto, só os rangidos da cama
quebram o silêncio do nosso romantismo.
O vento sopra com toda a velocidade,
batendo portas e janelas,
com ciúmes do nosso amor.
Os galos cantam anunciando um novo dia,
os pássaros festejam alegremente o romper da aurora.
Eu vejo a claridade pela fresta da janela,
olho o meu relógio, confiro as horas,
e tu percebes que eu quero ir embora.
Mas me aperta com todas as forças em teus braços,
e diz: “É cedo, não vai agora, fica mais um pouco juntinho de mim”.
Mas as minhas palavras são muito pobres e descoloridas
para expressar todo o amor que eu sinto por ti.
Se todas essas palavras que eu disse,
se traduzem por um grande amor? Então, eu te amo!
Eu te quero! Eu adoro você.

ARISTIDES VIANA GONÇALVES

 

Danilo Suliani

 

 

Estaleiro...

O presidente da Associação dos Aposentados do PDT, bioquímico Danilo Groff está adoentado. De cama, com forte gripe. Dona Ione é toda zelos....

Estaleiro II


Antônio Suliani, editor, está na UTI do ProntoCor do Hospital da Puc. Teve um enfarte na segunda passada. Seu filho, Marcus está tocando a editora....

 

 

 

Historinha

 

 

A Vida como ela é....

Os fatos são inventados, qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência....


A amante foi ao velório

mas foi ignorada pela

esposa.....


Não faz muito que isto ocorreu. Escritor já na fase madura e jornalista muito conhecido foi velado em local público,nobre, tipo assim solar dos câmara....

Com direito a toque da OSPA e tudo....

Aliás, ainda lembram hoje os que lá compareceram que a esposa ficou firme e dura até o momento que a OSPA tocou a música que era a preferida do defunto. Aí ela desabafou a chorar, como uma criança, não se segurou.

Mas antes disto, mesmo quando a amante chegou - uma " cabelereira" , olha só um homem tão distinto e conhecido apaixonar-se por uma mulher de uma profissão tão singela são os milagres do amor, ou então o poder da " periquita" como diziam suas subordinadas no museu onde ele foi terminar seus dias - a esposa ficara impávida. Recebia os cumprimentos dos conhecidos,amigos e colegas do defunto. Ignorou solenemente a entrada da amante, que transformou-se na "atração" principal do acontecimento porque todo mundo queria saber quem era....(dizem os historiadores que na morte do presidente Tancredo Neves, sua esposa, Risoleta, obrigou a secretária do falecido presidente , a poderosa Dona Antônia, a entrar na fila comum para se despedir do ex-presidente).

A amante,aliás, emplacara seu filho, no museu, numa espécie de nepotismo às avessas. É que seu filho estudava Biologia na PUC e então o seu amor encontrou uma justificava pra contratá-lo: os jornais e livros continham pequenos bichinhos que precisavam ser estudados....

Ora bolas....

O poder de uma "periquita" sentenciavam as maldosas funcionários do museu...
Um dia houve uma reunião entre elas e quando esta digamos "baixaria" rolou, chegaram a suspender a reunião porque todo mundo caiu na gargalhada e não havia,digamos, mais clima pra se falar de assunto sério....


Memória

 

 

Desde São Borja!


O vereador Celso Lopes(PDT) era o único vereador que, na tarde de quarta,19/05, assistiu,concentrado,as palestras no Seminário Cultura e Memória que transcorre na Câmara.

 

Coleguinhas

 

foto de Cléber Dioni

Carlos Fehlberg

 

O jornalista mais completo que conheci!


Existem muitas " lendas" sobre Carlos Machado Fehlberg, o jornalista mais completo que conheci.

Não é bem a elas que vou me ater, mas a seu lado sério,digamos profissional.


Pra mim foi o profissional mais comprometido com o jornalismo com quem compartilhei uma redação.

Tá certo, o Fehlberg às vezes exagerava, mas isto está no kit....

Nascido em Bagé, sua profissão não era o jornalismo, mas formou-se médico.

Medicina que nunca exerceu.Às vezes dava dava umas receitas aos colegas na redação quando lhe pediam, mas apenas para gripes e afins...

Fehlberg vivia sim pro jornalismo.

Não podias comentar uma pauta com ele, que um mês depois era certa a cobrança:
- E aquela matéria???

Mas também era muito desconfiado e precavido:
Uma vez, ganhei um convite para ir na inauguração de uma ponte em Foz do Iguaçu, e ele queria que fosse o Danilo Ucha....

Liberou a viagem, mas quem faria as matérias seria o Danilo. E justificou-se pra mim:
- Eu tenho que pensar o todo do jornal!

É que o Danilo cobria Mercosul e lá estariam vários presidentes.
Quis o destino,depois, que eu fosse um dos sorteados pra perguntar. Passei a pergunta ao Danilo.

Outra de suas desconfianças e precauções foi quando o Loir Gonçalves descobriu que estavam fazendo a Estrada do Mar. Loir morava em Torres e soube disto. Fizemos a reportagem,eu e o próprio Loir e ele a engavetou. É que o Terlera, repórter político de sua extrema confiança, fora fazer uma intriga....

Mas o Fehlberg também defendia seus repórteres. Pra ser justo com ele tenho que contar que em 1976, tão logo voltei a ZH, fui fazer uma "inocente" matéria sobre a procissão da Medianeira em Santa Maria. Na hora do almoço, ouvi que o Guazzelli(governador) edom Ivo Lorstcheider ...(então presidente da poderosa CNBB) cochichavam....Dom Ivo lhe entregou uma carta pra que fosse entregue ao presidente Ernesto Geisel. Era sobre anistia e presos políticos. Assunto sensível pra lá de metro naqueles anos....

Quando voltei, redigi a matéria sobre a procissão e coloquei este tópico no final na esperança de que não fosse censurado internamente.

No dia seguinte, vi o que coloquei e sozinho, vibrei. Uma vitória minha....

Mal sabia eu que poucos dias depois um agente da Polícia Federal foi na redação ouvir-me sobre isto. O Fehlberg o recebeu na redação e resolveu o assunto. Só fui saber dele alguns anos depois....

Comentei pouco tempo atrás com o Lauro Schirmer sobre o fato de eu ter colocado no final da matéria este tópico sensível na esperança de que o Fehlberg, que no jornal diziam que tirava matérias, não o lesse. Lauro, vendo minha ingenuidade, disse-me:
-E tu achou que o Fehlberg não lia tudo?

Lendas como a de que o Fehlberg comprava pastéis numa confeiteria no centro da cidade e os colocava nos bolsos do casaco,esquecendo-os alguns dias, ainda são contadas por aí,sempre que se encontram jornalistas que compartilharam redação com ele.

Outras historinhas deles que são lembradas são de quando se escondia em locais tipo armários,ou sob as mesas pra pegar notícias sigilosas que vazavam durante reuniões....

Aposentado da RBS, Carlos Fehlberg escreve sobre política,assunto que domina ao extremo, num site. Quando posso, o leio....

 

 

 

Prefeitos

 

 

Corneteando eles....

DEZ pra ZH de hoje(20.05) que divulgou o vídeo este dos prefeitos pelos gabinetes de Brasília.Um dia ainda quero ver um prefa desabafando sobre o calvário do Pires na Mão.....

E ZERO pro presidente da entidade esta, o gaúcho Paulo Zukoski, que conchavou com a ministra Dilma e aceitou não exibi-lo aos candidatos.....Pô, os caras começam a ceder, a ceder.....

 

 

Coleguinhas

 

 

A dificil "arte" da entrevista....


- Desejo felicidades a eles. E que me esqueçam.

O repórter ficou surpreso e engoliu em seco.Tinha pedido ao antigo chefe que dirigisse algumas palavras ao brasileiro médio,do povo, povão....

Jamais poderia esperar aquela resposta.

Sua convivência direta com o Presidente da República tinha durado um ano e meio.

Sabia que o antigo chefe não teria saudade do cargo que deixava. Era como se estivesse se livrando de um fardo. Mas não imaginava que a mágoa chegasse a tanto.


Ainda desconcertado, emendou:


- Mas o senhor é o último presidente militar, o senhor está passando quase trinta anos de regime militar para o civil.
Esquecer o senhor, esquecer por quê? O senhor fez a anistia, promoveu a volta dos cassados.....


No entanto, o presidente Figueiredo não mordeu a isca.

- EU QUERO QUE ME ESQUEÇAM -reafirmou.

A entrevista terminou aí.


Dez anos depois, o jornalista Alexandre Garcia relembraria a Carlos Tramontina o episódio enquanto passa a mão pela barba branca cuidadosamente aparada.
A entrevista de Alexandre com Figueiredo foi na Granja do Torto, em Brasília, a residência oficial do presidente da República na época.
A gravação aconteceu no dia 22 de janeiro de 1985,dois dias antes de ir ao ar.A repercussão foi tão grande que o programa acabou reprisado uma semana depois. Figueiredo, estava inquieto, cruzava as pernas para um lado e para o outro e as mãos não paravam.
Tinha dito que não daria a entrevista e só mudou de opinião depois que viu a equipe pronta para gravar. Era " um sujeito esquentado".

No exato instante em que a declaraçãoa bombástica foi registrada, o repórter, aentre surpreso e espantado, percebeu que tinha na mão um furo de reportagem . Pensou na gravidade da afirmação.

Por um momento temeu que ela fosse desmentida em seguida. Não o foi, nem pelo presidente, nem pelo porta-voz oficial da Presidência da República, Carlos Átila, que acompanhava tudo a paoucos metros de distância.

Passado algum tempo, quando se dispôs a falar sobre o assunto, Figueiredo negou ter feito a declaração da maneira como foi ao ar. " Eu não disse com aquele sentido", afirmou o militar aposentado.

" É muito difícil alguém pinçar, montar, aparecendo só o desejado. O certo é que eu não disse aquilo, textualmente, como saiu."
A explicação jamais conseguiu convencer a Nação...

Alexandre Eggers Garcia foi subsecretário de imprensa da Presidência da República por dezoito meses. Acabou demitido pelo Ministro Said Farhat por causa de uma entrevista que concedeu à revista ELE E ELA ( Da Bloch Editores),onde falava,entre outras coisas, de sua vida sexual. Ainda que a saída tenha sido traumática ,acha que foi um desfecho previsível de um longo desentendimento.
Ao mesmo tempo, considera que viveu,de perto, o melhor período do Governo Figueiredo: a volta dos cassados, o fim do bipartidarimso, a abertura....

" Mas, depois que o Figueiredo perdeu o Golbery, perdeu também o gosto pelo Governo e a segunda metade de seu mandato passo sem que tivesse acontecido nada de importante. Alguns me acusam: ' Você trabalhou para o Figueiredo?' Sim, e daí? Foi época de tortura? Não, foi a volta dos banidos.....Figueiredo foi o ' prendo e arrebento quem estiver contra a abertura' , foi o sujeito que encerrou o período militar....tanto que a reportagem que foi a gota d'água para eu ser demitido tinha por título ' o porta voz da Abertura'."

O presidente José Sarney se encontrou com o presidente dos Estados Unidos, Ronald Reagan, na Casa Branca, em Washington. Era a primeira visita oficial de sarney àquele país desde a posse. A reunião, no dia 10 de setembro de 1986, foi presenciadaa pelo então embaixador brasileiro nos Estados Unidos, Rubens Ricúpero. Logo em seguida, o diplomata contou detalhes do encontro fechado entre os dois. E terminou com uma frase daquelas:" E anão falaram em cavalos".
Alexandre garcia que acompanha a comitiva na condição de enviado especial, gostou e na reportagem do dia encerrou o texto com a frase sem citar a fonte.
Figueiredo ficou furioso. " Você se referia a mim, você quis dizer que eu e o Reagen, quando estivemos juntos, só tratamos de cavalos...." " Não, presidente", tentou explicar, " eu não quis dizer isso." O presidente não aceitou. " Ah,sim...você é um repórter inteligente, e eu, como sempre, sou um general burro."
" Bom, presidente, se o senhor acha isso eu peço desculpas." Não adiantou nada. " Ah, você pede desculpas no particular e me ofende em público...."


Alexandre não teve mais contato com seu ex-chefe depois do episódio, que ele prefere definir como " zanga". " Hoje, eu apenas mando um telegrama no dia do aniversário dele."

Esclarecimento:o depoimento do Alexandre, a Carlos Tramontina, foi dando nos anos 90. Figueireido ainda vivia....


 

Viagem

 

 

Reencontro

Vou a Sarandi esta noite e amanhã,sábado, o Mauro Rocha e eu vamosa Rondinha entrevistar o Pe. Francisco Lollato,que está em Rondinha há muitos e muitos anos...." Il Prete" como o chama o Mauro, deixou suas "marcas" na pequena Serafina. Fez o Cristo Redentor, o Salão Paroquial,e correu com muitoguri que incomodava dentro doCinema. Quem sabe destas histórias maravilhosas é o Dr. Roberto Arroque...

Também está nos meus planos uma entrevista com o Dr. Nicola,que foi prefeito de Sarandi e que é candidato a deputado estadual pelo PDT.

Diz o Mauro que a rodoviária de Sarandi é uma "obra de arte" do século passado. Pela ironia, só imagino o que deva ser.Mas como já escrevi um livro contando a história das rodoviárias gaúchas conheço bem este chão...

Porto Alegre

 

Clique aqui para assistir um PPS sobre a cidade.

 

 

Coleguinhas


Adalberto Preis

 

O atual presidente
do Grêmio Empreendimentos
foi cine-repórter....


Adalberto Preis, prócer da construçao da Arena do Grêmio, já foi na vida cine-repórter. Trabalhou na Rádio e Televisão Gaúcha, quando ela ficava no Edifício União, 11 andar.
Ele nasdeu em 06.11.1943, filho de Henrique Preis e de Zilda Arns Preis.

Já residiu na av. Osvaldo Aranha, 360/404, na Florêncio Igartua,155/53 e na av. Carlos Gomes, 1805/103.

 

 

Coleguinhas


Licinio

 

O "Baião"
da Cuiabá!!!!

Esta foto do Licínio foi feita quando ele era o editor de Polícia da Folha da Manhã - 1974 -e nós morávamos num apartamento localizado na Rua Cuiabá,358/10, no bairro Medianeira. O apê já ficou meio que famoso porque consta até no livro que a professora Sandra Moura,de Alagoas, escreveu sobre o Caco Barcellos.No livro constam algumas "versões" que não se enquadram dentro da proposta que era o apê. Diz a professora Sandra,na sua tese que virou livro sem má intenção, que aquele local onde o Caco morou era uma comunidade hippie. Nada mais marqueteiro!!!

Nunca foi comunidade hippie e participei do projeto desde o começo, portanto, ninguém vai querer me "corrigir",agora....
O apartamento foi locado pelo Licínio(nem sei quem foram os fiadores....) mas morávamos lá, eu, Licínio, Caco(que chegou depois....) Emílio Chagas e Carlinhos Mossmann.

Todos éramos jornalistas com carteira assinada e à exceção de Emílio - que não me lembro se era da rádio Continental, ou se estava numa agência de propaganda - os inquilinos participavam todos do projeto inovador de jornalismo gaúcho, que foi a tal da Folhinha....

Carlinhos Mossmann( que tocava muito bem violão) era redator da editoria Internacional, cuja editor era Jefferson Barros.
Caco era repórter policial(meio que especial...) idem eu, Licínio era o editor de Polícia.

Às vezes a casa se tornava uma extensão da redação....

Não lembro com certeza quanto tempo aquele apê durou,antes de pintar sujeira, que aconteceu da seguinte forma: não moradores passaram a frequentá-lo e como lá era PROIBIDO PROIBIR( quem o fizesse era careta) alguns abusos começaram a acontecer....

Os vizinhos não gostaram,evidentemente, e nos entregaram...

Um dia em pleno fim de tarde, na Folhinha da Manhã, o fotógrafo Floriano Bortoluzzi me deu o toque:

- O Muller( delegado Wilson ) mandou dizer que vocês baixem a bola senão ele vai ter que dar um atraque lá!

Foi o que bastou....

Não levou muitos dias pra que isto acontecesse.

Uma das visitas - hoje procuradora do Ministério Público - estava lá acompanhada por um namorado seu tri pedido...
Tivemos que escondê-lo.
Assim,em maio acho, daquele distante ano de 1974, viajei ao Peru, de mochila e quando regressei, tempos depois, bati lá num sábado à tarde. O apartamento estava fechado, o grupo tinha se desfeito e parte dos moradores se mudaram para a Av.Princesa Isabel,160/1009. Dois deles tenho certeza que viviam lá: Caco e Licínio. Emílio não foi para lá, e o Carlinhos Mossmann também não recordo com certeza. Mas isto é assunto pra outro tópico!

 

Coleguinhas


Caco Barcellos

 

Caco Barcellos: a "grife" que hoje
dá entrevista pra Angelica só comia
arroz integral (pra poupar....)


Depois que o " baião" - na Rua Cuiabá fechou - um grupo pequeno de remanescentes alugou um apartamento num edifício grande, na av. Princesa Isabel,160/1009.

Era um apartamentozinho de dois quartos, se não me falha a memória...

Tinha uma salinha, onde o pessoal se encontrava pra "curtir som" - como se dizia nos anos 70 - e outras cositas más.... que se fazia muito no coletivo naqueles anos e uma pequena cozinha onde se guardavam meia dúzia de pratos.

Caco e Licínio continuavam na Folha da Manhã, e pelo que pude perceber naquela primavera de 1974, estavam enfiados até a goela no projeto. Pouco ficavam em casa. Licínio - que havia trocado de companheira - ficava mais no jornal e nos bares, de noite, do que em casa. O Caco viajava muito( naquelas kombis do jornal....)

Homiziei-me ali porque não tinha um puto pra alugar qualquer coisa. Estava desempregado e retomei a Faculdade de Jornalismo. Foi ali que fui fazer um estágio na rádio da UFRGS. O Licínio queria que eu voltasse pra Folhinha da Manhã, de onde eu pedira demissão irrevogável em abril , mas eu não quis. Estava num outro pique....

Foi neste apartamento, por sinal, que surgiu uma das lendas que me perseguiram no meio durante alguns anos. Quem a inventou e espalhou foi o João Aveline. Diz a lenda que uma tarde foram me procurar no apartamento e que eu estava "fora do ar" - até aí nada demais - e que só falava em castelhano:

- TENGO HAMBRE,TENGO HAMBRE !!!!

Minha temporada na companhia do Caco e do Licínio terminaria aí para sempre. Eu voltei pro Peru(Lima) no final do mesmo ano e eles saíram da Folhinha em 1975. Viajaram pra América Central e de lá foram pra São Paulo. Um ficou em Sampa(Caco) e o Licínio foi pra Africa, pros projetos de socialismo de Samora Machel, em Moçambique. de Lá nunca mais voltou a não ser em pequenas temporadas. Tenho quase a certeza que vai deixar os seus ossos descansarem para sempre no continente africano que ele adotou. Grande "Gajo", como o chamávamos....

Coleguinhas

 

 

*Flávio Alcaraz Gomes, do alto dos seus 83 anos, continua com uma vitalidade impressionate. Livreiro que o procurou estes dias ficou impressionado. ...ele tá sempre perguntando por um, por outro...agora seu programa dos Guerrilherios da Notícia vai ao ar das 13 às 14 horas , na TV Pampa...

*Flávio perguntou de sopetão pro livreiro (que é amigo tanto dele, como do "Pastel"(Carlos Ribeiro)

- COMO VAI O "PASTEL" FORA DO PODER?

- Olha, Flávio,disse o livreiro. Tá lá trabalhando com o irmão( Renato Ribeiro, ex-dono do Correio do Povo).

*Flávio entrou com ação trabalhista contra a Rede Record, que comprou a empresa Jornalistica Caldas Junior. Ganhou 1,5 milhão de reais, que estariam sendo pagos em 10 parcelas....

*O que a rádio Corredor fala na Guaíba é que depois da Copa do Mundo " cabeças graúdas do Espaorte vão rolar".

mas que o departamento em si não seria fechado, como se diz por aí....


 

A gigante dos contratastes

 



São Paulo tem mania de grandeza: é a cidade mais populosa do país onde habitam os mais ricos, a classe média e os mais pobres, numa segregação natural. No Morumbi, por exemplo, dos apartamentos que custam mais de R$ 2 milhões, se vêem a maior favela da cidade, Paraisópolis e o fétido Rio Pinheiros. O tamanho da cidade o trânsito caótico inibem as pessoas de saírem do no próprio bairro para diversão, mas a Prefeitura arranjou um jeito de juntar os habitantes dos bairros nobres com os da periferia distantes no velho centro para a Virada Cultural que, no último fim de semana, chegou à sexta edição.
Para manter a mania de grandeza a Virada promoveu nada menos que mil shows gratuitos durante 24 horas assistidos por cerca de 4 milhões de pessoas. Nessas 24 horas (das 18hs de sábado às 18hs de domingo),todas as ruas do centro ficaram interditadas ao tráfego de veículos e o jeito foi caminhar quilômetros de um palco ao outro. Sem a correria do dia-a-dia, sem carros nas ruas foi possível admirar as edificações históricas, a maioria restaurada e iluminada, passar sem ser molestados pela cracolândia, cruzar com tipos exóticos e assistir os mais variados shows.
A Orquestra Sinfônica do Estado, os setentões da Jovem Guarda, sambistas cariocas, bailarinos clássicos, metaleiros do rock, malabaristas de circo, renomados DJs de caras casas noturnas, novos cantores e compositores de todo estilo de música, todos tiveram a chance de mostrar seu trabalho, seu talento e sucessos para milhares de admiradores.
Não era difícil encontrar jovens tagarelas na fila do pastel próximo ao palco enquanto a Orquestra Filarmônia Municipal apresentava a ópera Carmina Burana; inúmeras pessoas falando ao celular ao mesmo tempo diante dos bailarinos do Municipal, outros dormiam profundamente em pleno show dos Titãs, ou a mulher alcoolizada que aos gritos resistia á tentativa dos enfermeiros de retirá-la defronte ao palco de Jair Rodrigues. Não faltaram empurra-empurra para se aproximar do palco dos cantores ou bandas mais famosos, ou quem furtasse latinhas de cerveja ou garrafas de vinho dos ambulantes que em vão levantavam suas caixas de isopor. A Prefeitura espalhou centenas de banheiros químicos nas proximidades dos palcos, mas nenhuma limpeza foi efetuada no decorrer da Virada. Por isso, o forte odor de urina espantava quem precisava usá-los. Por isso, muitos, sem cerimônia, esvaziavam a bexiga na rua mesmo.
Ao final, no metrô, nos ônibus ou nas avenidas do centro, o público cantarolava sucessos recém ouvidos, retornando para casa fazendo elogios à festa e prometendo retornar em 2011.

Valdir dos Santos, de SP.


 

Histórias de La Ùndeze

 

fotos do acervo de Tite Migliavacca.

Em pé, da esq p dir Arthur Deitos,Ildacir Grando,Raul Deitos, Hélio Deitos, Carijo, Titti Migliavacca, Valdir Vicari,Eugênio Taparo,Amantino Montanari.Agachados: Jonas Zancanaro, Rui Vivian,m Aldo Soccol, Hércules Yesbick, Edílio Deitos.



O " potreiro" do Gaúcho

Os matos que aqui nestas fotos ainda se divisam hoje é pura cidade. Este era o campo do Gaúcho, de Serafina, que foi construído pelo próprio Frigorífico Ideal. Quem idealizou o campo foi Dino Soccol,filho de Miguel, dono do empreendimento.

O time do Gaúcho teve altos e baixos.Ele era formado basicamente por empregados do próprio frigorífico. Os que se destacavam. Como sempre acontece com os times do interior, que eram amadores.

fotos do acervo de Tite Migliavacca.

João Aristides Soccol, Eugênio Táparo, Wilson Zanchet, Carijo, Titti Migliavacca, Aldo Soccol, Edilio Deitos(estes os reconhecidos....)

Dino me contou que seu pai e o sócio, Affonso Martinelli não queriam campo de futebol acoplado ao frigorírico. Mas ele tanto insistiu que levou. A cerca que divisava o campo era composta de eucaliptos cortados pintados a olho cru...

 

fotos do acervo de Tite Migliavacca.

Em pé da dir pra esq...
Nelson Assoni,Maria Tereza Boni,Tenório Yesbik, Elio Deitos,Bruno Canton, Walmor Grando, Canali, Neiva Rottava e Pedro Daalla Pascoa.

Agachados: Wilson Zanchet....., Aldo Soccol, Titti Migliavacca, Edílio Deitos.

Muitas brigas aconteciam nestes estádios...Ao final dos jogos,geralmente o time visitante era corrido debaixo de muitas brigas. Mas depois tinha o troco,quando o Gaúcho tinha que ir visitá-los. A rivalidade maior era com os times de Guaporé - Independente e Juventude- e com o Fortes e Livres de Muçum.

 

CAFÉ

 

Evento

É agora de manhã, 8h30min, o "café orgânico" que lançará a Sexta Semana do Alimento Orgânico. Diz a Gelcira Teles que terá " sucos,pães,bolos e até nata!".
Mas o Beto Bottega acha que não:

- Isto é café com bosta de vaca, me disse, desafora....

Vou lá conferir!


 

Festa!

 

Ecos da Festa do Bosco....


Mais conhecida como a " Festa do Bosco", o evento que ocorreu na segunda passada, à noite, na Sogipa, reuniu umas duas mil pessoas.


Ela é mais uma edição do encontro com o Esporte que Bosco edita há alguns anos...Neste ano, quem roubou a cena foi o ANIMAL, isto é, o jogador Edmundo, que queria tirar fotos e divulgar seu blog, segundo um participante.

Edmundo é hoje comentarista de futebol num canal de tevê!

 

Coleguinhas

 

Corneteando eles....

Guilherme Baumbach está muito bem no Jornal Gente da Band AM. Ele deixa os dois comentaristas falarem,embora um deles, ache que o mundo gira em volta do seu umbigo.....

 

 

Desde São Borja

 


O pré-candidato do PT( Partido dos Trabalhadores) ao Governo do Estado, Tarso Genro, esteve em São Borja, na terça-feira, passada, dia 18/05. Seu compromisso na cidade foi uma discussão com empresários locais. Ele esteve na " Terra dos Presidentes" - onde nasceu, por sinal - a convite da Associação Comercial Industrial ade São Borja.

Foto de Neuza Penalvo.

"Tarso Genro, pré-candidato do PT ao Governo do Estado,visita Museu Joao Goulart, em São Borja(RS)".


Na estada em S. Borja - rápida - Tarso aproveitou para visitar o Museu João Goulart, na av. Presidente Getúlio Vargas, 2053,esquina com Rua Félix da Cunha.
Foi recepcionado pelas encarregadas do Museu e por dona Celeste Penalvo, viúva de Percy, que ali residiu com a família por longos anos,quando o local pertencia à família Goulart.Nas fotos, tem-se a vista do lado externo do Museu, de Tarso observando o material que está exposto no museu e de Tarso com funcionárias do Museu e com dona Celeste Penalvo(de óculos) no local conhecido por "capelinha" que é onde ficam as imagens sacras.

Foto de Neuza Penalvo.

"Tarso Genro, pré-candidato do PT ao Governo do Estado,visita Museu Joao Goulart, em São Borja(RS)".

Foto de Neuza Penalvo.

"Tarso Genro, pré-candidato do PT ao Governo do Estado,visita Museu Joao Goulart, em São Borja(RS)".

 

Tarso em São Borja

 


Prognóstico meu: o ex-ministro da Justiça, Tarso Genro, deverá fazer dois por um da votação em São Borja. Natural da cidade, isto pesa e pesam ainda os investimentos que ele como ministro da Educação fez na cidade. Foi graças a ele e ao presidente Lula que hoje existe a Urcamp na " Terra dos Presidentes".

 


Coleguinhas

 

Corneteando eles....


De São Borja, recebo a informação de que o repórter Eduardo Belmonte, o " Prato Fino", não desgrudou do pré-candidato do PT ao Governo do Estado, Tarso Genro em sua estada, na terça passada. Grande Belmonte, nasceu com a alma de repórter....


Coleguinhas

 

Corneteando eles...

Leo Nunes, que esteve na diretoria do Sindicato dos Jornalistas-RS, nos últimos 15 anos, deverá voltar aos quadros da emissora.

Ele não consta da chapa da nova diretoria da entidade que concorre no próximo pleito.

 


Coleguinhas

 

Corneteando eles....


*Errei feio,escreve uma coleguinha:David Coimbra que é estrela de primeira grandeza ganharia,segundo ela, uns 25 quilos de alcatre( eu acho que não, no entanto....)

Já ainda segundo ela, quem estaria ganhando 10 quilos de alcatre mensais seria o Daniel Scola, considerado o " bombril dos veículos"(mil e uma utilidades).Pô, tão pagando bem,hein!!!!

 

Coleguinhas

 


José Barrionuevo

 

Barrio "desapareceu"
da grande mídia.


Estes tempos o chefe de gabinete do prefeito Mariovane Weis me perguntou em São Borja o que tinha ocorrido com o José Barrionuevo que saiu de um patamar tão elevado na RBS e "desapareceu".

- Não faço a menor idéia, lhe respondi.

Terça-feira vi o "Barrio" - como é chamado - dando entrevista pra TV Assembléia e falando sobre a crise da Grécia. Até estranhei, porque o Barrio pra mim entendia de política gaúcha e nacional.
" Tá atirando pra tudo quanto é lado",conclui.

José Barrrionuve dirige hoje uma agência de assessoria de imprensa chamado Barrionuevo Gestão de Imagem.

Ele, que quase foi " padre" nasceu em Gaurama, em 07.03.1947 filho de João Baptista Barrionuevo e de Guilhermina. Trabalhou em veículos como Folha da Tarde, Rádio Pampa, rádio Guaíba, Correio do Povo.
Depois foi pra RBS,onde fazia o papel de multimídia(Rádio,TV e Jornal).
Barrio já residiu na Rua Alberto Torres, 111/17 e na Sofia Veloso,192/202.

Foi casado com Marisa( 08.12.1952).

Sua atual companheira é a Bernardette, " a Berna".

 

 

Coleguinhas


Carlos Bastos

 

O conhecido "Nenê" - Carlos Henrique Esquivel Bastos sempre foi um talento entre a militância política e o jornalismo.
Pertence aos quadros do PDT, é casado em segundas núpcias com uma sobrinha do ex-presidente Jango, - Aninha Lopes de Almeida - e atualmente é o Superintendente de Comunicação da Assembléia Legislativa do Estado na gestão do deputado Giovani Cherini(PDT) como presidente da casa legislativa.

"Nene", como é conhecido, no passado, flertou com o PCB.
Nasceu em P.Fundo em 25.07.1934, filho de Brasileiro de Araujo Bastos e de Rosa Esquivel Bastos, uma argentina.

O próprio Bastos - ou " Bastinhos" como os amigos o chamam -reconhece que a vida sempre o empurrou para "cargos diretivos".
Talvez seja um talento político, misturado com o jornalismo.

Na época da Constituinte, em 1988, Bastos foi levado pela RBS para Brasília. Lá não foi muito bem recepcionado, mas "Bastinhos" sabe que é da vida engolir sapos.Já o dizia seu líder e amigo, Leonel de Moura Brizola, que no segundo turno de 1989, engoliu o "sapo barbudo".

Bastos engoliu os de Brasília e sobre eles não fala até hoje....

Mas não os nega....

Bastos tem quatro filhos: Lisiane(16.01.1966), Patrícia,(12.04.1970), Carlos Henrique( 12.12.1972) e Rosa Cristina(15.12.1975). Com sua atual esposa, não tem filhos.

Seu grande amigo e concunhado, o falecido Isaac Ainhorn tinha uma frase que definia bem o Bastinhos: passa Governo,entra Governo, ele tá sempre numa boa! É seu talento político,digo eu....

Coleguinhas


Clóvis Dias Costa

 

Clóvis Dias Costa foi muito conhecido nos anos 70, quando apresentava um programa na extinta Rádio Continental( não a atual).

Ele nasceu em 23.06.1945 filho de Manoel Costa Jr. e de Carlinda Tavares Dias. Quando trabalhou na Continental, que ficava na rua dos Andradas,1155/5 andar, fazia o papel de produtor e de apresentador.Tinha um programa onde apresentava rock.

Atualmente Clóvis está fora do rádio e da tevê.

 

Coleguinhas


Manosso o primeiro a falar em vinhos....

 

Antes que virasse uma espécie de modismo jornalista falar em vinho, José Manosso o fez, e com algumas críticas por sinal por parte vindas destes coleguinhas.

Mas o "aturavam": afinal, nascido em Caxias do Sul, o que Manosso podia entender, a não ser de vinho....São os estereótipos.

Manosso, como era seu nome de guerra, nasceu em 19.02.1946 filho de Angelo Manosso e de Scolástica Maria. Esteve na ZH, como redator de Esportes, depois foi um tempo para Santa Catarina - na região de Blumenau - e também passou uma temporada - pra usar a expressão do velho João Aveline - na França. Manosso era apaixonado pela cultura daquele país.

Um dos seus prazeres era reunir os amigos e colegas e cozinhar.
Residiu em Porto Alegre na Rua Henrique Dias,236/25 e na rua Santana 1397/406.
No Jornal do Comércio, às sextas, publicava uma coluninha onde falava de vinhos.

Naqueles anos 80, isto era brega pra lá de metro....

Os jornais tinham que se preocupar com as pautas do dia a dia....

Sem filhos, Manosso faleceu numa sexta-feira, do começo desta década, quando trabalhava no gabinete do deputado Estilac Xavier, do PT. Sentiu-se mal, foi levado ao HPS e lá faleceu.
Está enterrado em Caxias do Sul, para onde os familiares levaram seu corpo.

 


Recebo e Publico!

 

A/C Responsável !!!

Tem gente precisando de você!

Prezados radialistas, responsáveis por rádios, web rádios, ajude-nos da divulgação do Planeta Voluntários, temos spots de 30 segundos, para aderir a campanha, basta acessar o link a seguir escolher um dos 4 spots, e colocando na sua programação, avise-nos para incluirmos sua Rádio ou programa na seção de Imprensa do Planeta Voluntários.

Obs. Temos também espaço para troca de banners.


http://www.spots.minhahome.com

Após inserção, envie-nos seu endereço para incluirmos na seção imprensa, agencia_comunicacao@hotmail.com


Atenciosamente,
Fábio Molina
Agência de comunicação


Coleguinhas

 

Corneteando eles...

Leo Nunes, que esteve na diretoria do Sindicato dos Jornalistas-RS, nos últimos 15 anos, deverá voltar aos quadros da TVE, de onde é originário e estava cedido pro sindicato dos jornalistas-RS.

Ele não consta da chapa da nova diretoria da entidade que concorre no próximo pleito.

 


Coleguinhas

 

 

Corneteando eles...

Teria sido feio o "enrosco" entre Leo Nunes - que participava da diretoria do sindicato dos jornalistas há 15 anos,sempre cedido pela TVE - com o presidente atual da entidade, José Nunes....

Leo não está nem na chapa que concorre à reeleição e terá que voltar ao basquete na TVE...

O perigo é o dia que chamarem de volta todos os funcionários da TVE. Não vai ter cadeira pra todos.....

O pátio, de tarde, já fica pequeno!

No governo Rigotto, mandaram fazer uma auditoria e ficam espantandos: a televisão estatal custa aos cofres do Estado-leia-se contribuintes - a bagatela de 500 mil dólares mensais...

Durma-se com um barulho destes...

E o contribuinte dorme todo o santo dia!


 

Coleguinhas

 

 

*Me informam que Verene Wodcke,desde que saiu de ZH,mudou-se para Brasília. Isto faz mais ou menos 10 anos.Trabalha,ou trabalhou no Correio Brasiliense.Foi setorista de Economia(isto fazia em ZH) Teve também uma coluna naquele jornal....


*Correção: quem ganhou o jogo pela segundona,domingo passado, em Santa Maria foi o Cruzeiro de Porto Alegre e não o "Periquito"(Riograndense) da Boca do Monte. Eu errei....


 

Coleguinhas

 

Oficial: Leo Nunes voltou pra TVE porque ele quis,segundo me informam no sindicato dos jornalistas-rs. Não quis mais ser liberado como vinha ocorrendo há 15 anos. E está sim na chapa que concorre em julho de novo a diretoria.....

 

 

Persio Colombo Lima

 

Agradeço, emocionada, o que escreveste sobre meu pai.
Obrigada.


Tania Mara Lima Lul.

 

Leitores

 

Gratidão....

O jornalismo tem muitas ingratidões e eu estou acostumado com elas....Uma vez fui fazer uma viagem pela Zero Hora e dois municípios - Porto Xavier e um outro do lado, que não recordo o nome - estavam disputando uma ponte. Eu fiz a reportagem sem saber da disputa. Quando vi uma comitiva de prefeito,vereadores e as chamadas " forças vivas da cidade" adentraram a redação da ZH dizendo que eu estava na gaveta do outro município, uma bobagem destas....

Disse tudo isto aí de cima porque a cartinha da leitora Tania Lul - que eu nem conheço - me alegrou esta terça chuvosa....É a minha razão de viver.....

 

 

Coleguinhas

 

Terlera só casou,
depois que a mãe,
Madalena, faleceu...


Quando quis se livrar do álcool, o repórter político João Carlos Terlera foi internado no Hospital Ernesto Dornelles. Sua mãe, Madalena, não saía do lado de sua cabeceira.
Um dia,o senador Pedro Simon e mais alguns políticos foram fazer uma visita ao repórter que estava lutando contra o vício. Para encorajá-lo Simon disse:
- Terlera, agora que vais parar de beber, vais poder casar....

Pra que, dona Madalena que ouvia a conversa, reagiu:

- E eu, senador, eu como é que fico...

 


João Carlos Terlera, outrora um fumante....

 

E assim ocorreu. João Carlos Casarotto Terlera só arrumou companheira depois que sua mãe,Madalena faleceu. Ela morreu em 4 de junho de 2003, aos 88 anos.

Nasceu em 1915, em Muçum,assim como Terlera também.
Madalena vigiava tanto os passos do filho, que durante uma época, nos anos 80, Terlera fez um longo tratamento dentário e ela lhe mandava sempre comidinhas leves até o gabinete de imprensa da Assembléia Legislativa do Estado. Tal era o zelo que ela cuidava o filho.


Coleguinhas

 

Corneteando eles....

*Dione Freitas, mãe do plantonista de esportes da Guaíba, Maurício, "estreou" como comentarista da rádio WRI.COM.BR no domingo último, em Santa Maria, ano jogo entre Riograndense e Cruzeiro de Porto Alegre,vencido pelo Riograndense.
Dione diz que deu apenas alguns pitacos....Durante um tempo ela foi " maetrocínio" da rádio....


Coleguinhas

 

Ainda SILVIA POPPOVIC!


" Ela nunca pensou em ser jornalista, ir para a rua, correr atrás da notícia, ser repórter para valer. Tornar-se uma das mais conhecidas e respeitadas apresentadoras da televisão brasileira, então, nem em sonho...


É verdade que o ambiente familiar sempre encaminhou a garota, naturalmente, para a área de ciências humanas ou comunicação: a mãe, educadora e psicóloga Ana Maria Poppovic, e o pai, Pedro Paulo Poppovic, então diretor da Abril Cultural, desde cedo estimularam as atividades intelectuais da filha. É verdade também que Sílvia sempre foi muito curiosa,sentia um prazer especial em saber das coisas e estar presente nos lugares onde algo importante acontecia. Deu no que deu.

Tudo começou no DIARIO DE SÃO PAULO, onde teve sua primeira experiência na imprensa e depois em O ESTADO DE SÃO PAULO.


Daí para a tevê foi um pulo. O aprendizado aconteceu na extinta TV Tupi. Depois vieram a TV Globo, Abril Vídeo, TV Record( duas vezes), SBR e TV Bandeirantes.

No meio do caminho passou uma temporada nos Estados Unidos estudando televisão e esnobou um curso de pós-graduação na Universidade da Colúmbia,em Nova Iorque.
Fez o teste,passou, mas na hora em que foi chamada, para desespero do pai, preferiu ficar no Brasil por causa de um namorado e porque já trabalhava na TV Globo. Em outro período, apareceu na telinha apenas no horário político - foi a apresentadora oficial na campnha do deputado Ulysses Guimarães à Presidência da República em 1989.

Hoje Sílvia tem uma presença forte no vídeo e personalidade inconfundível. É franca ao extremo: elogia o entrevistado ou interrompe a fala dele, sem vacilar, se perceber que não está sendo sincero ou está se tornando um chato.

Já foi acusada de agressiva e de impedir que seus convidados falem. Mas não se preocupa. Por causa de tudo isso,criou um estilo e tornou-se uma especialista em conduzir debates."( do livro Entrevista, de Carlos Tramontina).

 

Coleguinhas

 

*Essa é de cabo de esquadra. Em Santa Maria existe a rádio PERIQUITA. Pertence ao Clube Riograndense, chamado lá de O Periquito....ah, se o Zé Simão descobre esta, hein???!!!!!

 

Coleguinhas


Gecy Belmonte

 

Gecy Belmonte: o jornalismo econômico!


Gecy Nunes Belmonte nasceu em 23.03.1953 em Itaqui(RS). Filha de Lotário Trilha Belmonte e de Eloá Nunes Belmonte. Trabalhou na Folha da Tarde( da Cia Jornalística Caldas Junior) no Diário do Sul, na Associação Comercial(Federasul).

Já residiu na Av. Duque de Caxias, 1382/11, e na mesma avenida em outro endereço:300/502.

Foi companheira do colega Euclides("Quidinho") Lisboa e até pouco tempo esteve casada com o executivo Pedro Parente.

 

Coleguinhas


Jakzem Dalla Leite Kaiser

 

O revisor de Zero Hora, Jakzem Dalla Leite Kaiser, foi embora para Florianópolis nos anos 90 e de lá mudou-se para a Capital Federal.

Kaiser nasceu em 06.12.1961 e é portoalegrense.Filho de José Manoel Dalvair Kaiser e de Jurema Rita Leite Kaiser. Já morou na rua Duque de Caxias,812/704.

 

 

Coleguinhas


Wellington Alberto Landerdahl

 

Há dois anos o
" Betinho" nos deixou


Foi em abril de 2008 que enterramos o colega Wellington Alberto Landerdahl. Seu jeito de ser era tão difícil quando o nome pra escrever....

Nascido em Santa Maria da Boca do Monte, em 01.06.1941 - filho de imigrantes suecos - Wellington se amuava por pouca coisa. Trabalhando com o colunista Saul Junior, ele ficou bravo porque seu patrão não contratou um automóvel pra levá-lo a Gramado fazer um evento.Negou-se a ir de ônibus. O "Betinho" era pobre, mas era um pobre luxento....diria eu,exigente.

Muito criativo, foi publicitário,além de diagramador da Folha da Tarde(Jornal da extinta Cia Jornalistica Caldas Junior).
Ao seu enterro compareceram poucos, mas sinceros. Quem estava lá era por ele...

Morava na rua Voltaire Pires, 485/16, no bairro Partenon.

Formou-se em Jornalismo, pela Famecos.

Além da Folha da Tarde, " Betinho" trabalhou na TV Educativa e também trabalhou num gabinete de um deputado estadual.

Pouco antes de morrer, andava contente que nasceria sua netinha. Não chegou a conhecer.

Quando morou em Curitiba foi muito amigo do poeta Paulo Leminski, a quem sempre citava em suas "charlas".
Wellington é daqueles sujeitos que fazem e que botam fora a forma.Não existirá outro igual....semelhante sim, mas igual não....

Foi a primeira vez na vida que carreguei um caixão!

 

Coleguinhas


Hiltor Mombach

 


Hiltor Mombach
joga palitinho com
os garçãos do Barranco!

Nascido em Erechim, em 17.06.1953,filho de Carlos Dario Monbach e de Maria Nilda, o colunista de esportes do Correio do Povo se deu bem em jornal. Em rádio ou tevê, pouco aparece.
No entanto, pros amantes de futebol, sua coluna diária no Correinho é obrigatória. Tem milhares deles...

Hiltor sempre foi do Correio. Nunca passou pela RBS, num dos poucos casos, como seu colega de empresa, Luis Carlos Reche(rádio Guaíba e Correinho).

Fora da profissão, Hiltor é conhecido por ser um grande bebedor de cerveja e chopp. Os garçãos do Barranco contam inúmeras noitadas em que ele madrugou com eles jogando palitinho no famoso restaurante.
E derrunando copos e copos de chopp....


Coleguinhas


Roberto Kovalich Amado


Outro "santanense" a
se projetar nacionalmente !

Filho de "Santana" - como os nativos se referem a Santana do Livramento - o repórter da TV Globo Roberto Kovalich Amado nasceu em 24.03.1965.Seus pais são Jessé Coelho Amado e Carmen Kovalich. Em Porto Alegre, quando trabalhava na TV Gaucha(atual RBS TV) ele residiu na rua Buarque de Macedo,418/2.

 

 

Coleguinhas


Augusto Franke Bier

 

O chargista Augusto Franke BIER(nome pelo qual é conhecido) ganhou destaque recentemente por causa de um publicação onde ele desenhou os personagens do centro de Porto Alegre. Bier é filho de Santa Maria, onde nasceu em 27.05.1959. Seus pais são Ernesto Maximiliano Bier e Varina Franke Bier.

Começou fazendo charges para o jornal O Interior, de Carazinho.
Já residiu na Marquês do Pombal, 741/10 e também na Duque de Caxias,955/1304 B.

 

É um dos líderes da entidade de chargistas que se chama GRAFAR. Participam dela, Bier, Luis Fernando Verissimo, Corvo, Edgar Vasques,entre outros. Podem ser encontrados, no verão, num barzinho que existe nos altos do Viaduto da Av. Borges de Medeiros, mas apenas nas terças.Se você tiver sorte, o Luis Fernando Verissimo, nosso Woody Allen, pode aparecer por lá. Não vai tocar, mas somente a sua presença muda, já dá um status a quem for até a GRAFAR!


 

Fabiano destaca dia de luta contra a exploração sexual infanto-juvenil

 

 

O deputado Fabiano Pereira (PT) destacou nesta terça-feira (18) os esforços da sociedade gaúcha no combate à violência sexual infanto-juvenil, em função do Dia Nacional de Luta contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Atuante na área desde o início de seu primeiro mandato parlamentar, Fabiano citou dados deste tipo de crime e lembrou ações e conquistas da rede de proteção no Rio Grande do Sul.

Um dos principais pontos destacados pelo deputado é a consolidação da Jornada Estadual contra a Violência e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, que neste ano chega à oitava edição. Idealizada e coordenada por Fabiano, a Jornada reúne desde 2003 diversas entidades de defesa da infância e juventude, visitando municípios de todas as regiões gaúchas para traçar diagnósticos e propor soluções para o problema.


Como conquistas da Jornada, Fabiano cita o Depoimento Sem Dano e os projetos Acolher e Sentinela. O parlamentar lembrou ainda os crimes virtuais – tema da última edição da Jornada – afirmando que o Brasil registra uma média de um crime sexual a cada hora, segundo a ONG Safernet. Na edição deste ano, o evento busca conscientizar a comunidade escolar sobre a exploração sexual infanto-juvenil.

A DATA

O dia 18 de maio foi instituído pela Lei Federal 9970/00 como Dia Nacional de Luta contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A data foi escolhida para lembrar a morte, em 1973, em Vitória (ES), da menina Araceli, de apenas oito anos. Ela foi raptada, drogada, estuprada, morta e carbonizada e os responsáveis, jovens de classe média alta, ficaram impunes.


Ass. Com. Dep. Fabiano Pereira


ANISTIA POLÍTICA


Amigo Olides, tenho sido injustiçado por três erros de grafia de meus sobrenomes, cometidos pela Comissão de Anistia do Ministério da Justiça. Sou um anistiado político. Meu sobrenome certo é Donat Matzenbacher, mas eles grafaram Donato Matzembacker. A partir desse erro alguns coleguinhas resolveram dizer que eu não havia sido anistiado político. Eu fui anistiado conforme o Diário Oficial da União publicou em 05/03/2002.
A anistia foi por minha prisão política de março de 1972 a dezembro de 1972 em São Paulo (DOI-CODI; DEOPS-SP e Presídio Tiradentes). Fui julgado e condenado a seis meses de prisão, pela II Auditoria Militar Federal de São Paulo em processo ligado à reorganização da UNE e PCdoB, que tramitou em instâncias superiores até o STM, que manteve a condenção, já cumprida anteriormente. Também fui anistiado pela suspensão na UFRGS por três anos pelo DEC-Lei 477 e perda do mandato de presidente do DCE-UFRGS em 1971. Agradeço pela reprodução da portaria que me anistiou e está logo abaixo.
Abraços.


Luiz Oscar Donat Matzenbacher


-PORTARIA Nº 212, DE 6 DE MARÇO DE 2002-
"O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas atribuições legais, com fulcro no artigo 10 da Medida Provisória n 2.151-3, de 24 de agosto de 2001, publicada no Diário Oficial de 27 de agosto de 2001 e considerando o resultado da apreciação da 6 sessão ordinária da Comissão de Anistia, realizada em 25 de fevereiro de 2002, publicado no Diário Oficial da União, página 38, de 5 de março de 2002, resolve:
Declarar LUIZ OSCAR DONATO MATZEMBACKER anistiado político, concedendo-lhe a reparação econômica, de caráter indenizatório, em prestação única, no valor correspondente a 90 salários mínimos, equivalente, nesta data, a R$ 16.200,00 (dezesseis mil e duzentos reais), nos termos do artigo 1 , incisos I e II, da Medida Provisória n 2.151-3, de 24 de agosto de 2001."
ass. ALOYSIO NUNES FERREIRA"


 

Bolsa Copa

 



O Lula resolveu criar o Bolsa Copa, como já está sendo chamado o projeto que enviou ao Congresso,em favor dos jogadores vencedores das Copas de 58, 62 e 70, que ainda estão vivos, e dos familiares daqueles que já faleceram. Complementação do benefício previdenciário até o teto do INSS ( R$ 3.416,54), bem como um prêmio de R$ 100 mil. Justo ? Acho que não. Privilégio. Enquanto isto a maioria dos aposentados e pensionistas recebem até um salário mínimo ou ficam abaixo do teto; que tal estender esta ?bondade? aos mesmos, uma vez que, embora não tenham participado de nenhuma Copa do Mundo, participaram de outra Copa, a Do Trabalho, durante 30, 35 ou mais anos. Ainda assim, perderiam para o Lula, que se aposentou com 42 anos, 22 anos de serviço, recebendo uma indenização de cerca de R$ 100 mil, recebendo cerca de R$ 5.500,00, acima do teto, portanto, do INSS, e isentos do imposto de renda.

SERGIO OLIVEIRA
APOSENTADO
CHARQUEADAS - RS

 

 

SINDIVINHO/RS PROMOVE PALESTRA
SOBRE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

 



O Sindicato da Indústria do Vinho do Rio Grande do Sul – SINDIVINHO/RS, promoverá nesta terça-feira (18.5) às 13h30min palestra sobre “Licenciamento, Fiscalização e Gestão Ambiental”. O tema será apresentado pelo chefe da Divisão de Controle da Poluição Industrial da Fepam, engenheiro químico Renato Chagas e pela especialista em Gerenciamento Ambiental da Econsulting Projetos e Consultoria Ambiental, engenheira química Cristiane Trindade. O evento conta com o apoio do Instituto Brasileiro do Vinho – Ibravin e será realizado na sede do SINDIVINHO/RS, Rua Ítalo Victor Bersani, nº 1.134 – bairro Jardim América, em Caxias do Sul. As confirmações de presenças podem ser feitas pelo telefone
(54)3021.0012 ou e-mail sindivinho@terra.com.br



Todt Comunicação


Anedotário Político

 


Conta a história do Congresso Nacional que de uma feita a deputada federal Ivete Vargas estava discursando e dando um pau violento no congressista Carlos Lacerda, da UDN, que a tudo assistia,quieto, com a mão segurando a testa.

Lacerda, que Samuel Wainer, dono da Ultima Hora, apelidou de O Corvo, se não conseguiu ficar quieto quando viu a deputada federal - que mais tarde Leonel Brizola chamou de " Dona Redonda" - chamá-lo de pergunte. Ele pediu um aparte, o que não tinha feito nas agressões anteriores. Subiu na tribuna e desferiu:
- Nobre colega, se eu sou um purgante, a senhora é o efeito dele!


A deputada Ivete Vargas, apelidada por Leonel Brizola, de " Dona Redonda" acabou abocanhando a sigla do PTB.


A deputada Ivete Vargas, apelidada por Leonel Brizola, de " Dona Redonda" acabou abocanhando a sigla do PTB.


Carlos Lacerda, cuja alcunha era O Corvo!


 

O Içamento do DIB

 

 

Quando a Mitsui fabricante japonesa dos trens que agora completaram 25 anos de operação, mandou entregar o produto no porto de Porto Alegre, o prefeito João Dib esteve no porto. Mas haveria um pequeno coquetel a bordo, que o comandante queria oferecer. Como o prefeito João Dib não teria como subir a escada, o comandante mandou iça-lo.
- Eu disse pro Ministro Cloraldino( dos Transportes) o senhor pode ter certeza: quem vai sair na televisão sou eu.
De noite, no RBS TV, lá estava Dib sendo içado..


O Içamento do DIB

O Içamento do DIB

Quando a Mitsui fabricante japonesa dos trens que agora completaram 25 anos de operação, mandou entregar o produto no porto de Porto Alegre, o prefeito João Dib esteve no porto. Mas haveria um pequeno coquetel a bordo, que o comandante queria oferecer. Como o prefeito João Dib não teria como subir a escada, o comandante mandou iça-lo.
- Eu disse pro Ministro Cloraldino (dos Transportes) o senhor pode ter certeza: quem vai sair na televisão sou eu.
De noite, no RBS TV, lá estava Dib sendo içado..


O Içamento do DIB


O Içamento do DIB

 

 

Histórias de La Ùndeze!

 


A filha do colono

só podia perder o cetro pra

filha do "Zator"


Ambas são bonitas até hoje, mas quando jovens deveriam ser muito mais....Minha irmã Alenir( cuja beleza sempre foi ressaltada) e Martha Rocha, filha de Mário Rocha, o exator de La Ùndeze durante alguns anos ( que os colonos chamavam de "Zator")- também muito bonita ainda hoje - tiveram uma disputa besta, aos olhos de hoje, mas não quando eram jovens e o título de Rainha dos Estudantes, no Ginásio Nossa Senhora do Rosário valia muita coisa.

- Ele me "garfeou" o título,disse-me um dia minha irmã, quando comentei que encontrei a Martha num curso de direito de Penas Alternativas, na Faculdade de Direito da UFRGS, no inverno de 1998.
Depois perdi a Martha de vista!

Eu não quis dizer pra Alenir, mas pensei com meus botões:
- Quando é que a filha de um colono iria ganhar uma disputa prum título importante da filha do exator da cidade...Nem o dia que o sargento Garcia prender o zorro!

E não estou acusando a Martha de ter "roubado", ou " se apropriado" de nada. Simplesmente os jurados, ou sei lá quem foi , conferiu-lhe o cetro e pronto. As coisas são assim mesmo!

Meu grande amigo e irmão, Mauro Rocha,irmão da Martha, que além de tudo foi meu colega no Ginásio, me solicitou que não cometesse injustiças com sua irmã quando lhe solicitei uma espécie de "licença" pra contar este pequeno causo...
E vale aqui lembrar aquele ditado famosissimo ditado do filósofo espanhol Ortega Y Gasset, Yo soy Yo e mis circunstâncias...
Assim caminha a humanidade....
Alenir Canton ficou de primeira princesa e ela nem recorda mais quem ficou de segunda....


 

MEU COMENTARIO S/JUREMIR NO MENDELSKY

 

SOUBE PELO AMIGO CLEMAR DE SUA REFERENCIA A UM COMENTARIO QUE FIZ SOBRE O LIBRO GETULIO, DO JUREMIR, AGRADEÇO A DIVULGAÇAO E AQUI ESTOU A DISPOSIÇAO PARA O Q O AMIGO DESEJAR. VOU TE ENVIAR MAIS ALGUNS COMENTARIOS SOBRE O LIVRO. UM BOM FIM DE SEMANA - FLAVIO FONTELLA - SAO BORJA -

 

Coleguinhas

 

Corneteando eles....

* Domingo,dia 16/05,encontrei no jogo Grêmio X Corinthias, o fotógrafo Nico Esteves. " Estou lá e aqui" me disse. O lá deve ser Sampa....

Ele ia fotografar o jogo, não perguntei pra quem...


*Jornal novo,gratuito,de oito páginas, distribuído na entrada do Olímpico, no domingo, tinha todas as fotos da agência Freelancer.A agência, do Nabor Goulart, que agora fotografa a campanha de José Fogaça, ao Governo do Estado.


*Na entrada do Olímpico, também encontrei João Bosco Vaz. Estava "despachando" com ao que parece um cabo eleitoral , da Vila Restinga. Bosco é pré-candidato a deputado estadual, pelo PDT....Com chances, dizem os que entendem de eleições.


*Ontem, no Café do Bingo(antiga casa Sloper,) na Rua da Praia, "Cascatinha" dava sua "palestra" a turma do Irpapus, que silenciosamente, ouvia....

*Fábio Marçal entrou bem de Brasília, ontem....


*Ellen Braun, no lugar do Vladimir de Oliveira, no Bom Dia, da Guaíba, parece que pegou o timing do apresentador...

*Com a saída da editora, o caderno Viver, do Jornal do Comércio, caiu muito...

*Revistas segmentadas em S. Paulo "sofreram" muito no ano passado, com o corte de anúncios de grandes anunciantes.
Este ano melhorou, mas estão tendo que pagar a conta do ano passado...

*Caco Barcellos esteve no sábado,dia 15/05 no programa da Angelica, da própria Globo.A emissora não prega prego sem estopa, só entrevista os próprios "artistas". Vai promover o dos outros,agora?


Coleguinhas

Nilton Fernando:

Sempre gostei dele, de longe...Não sabia o motivo. lendo o que disse no Prévidi, agora sei porquê.....

 


 

Desde São Borja!

 


"Folha de São Borja" circula
com nota social
registrando aniversário da
mãe do colunista social antes que acontecesse...


Maria Rocha Almeida


Um fato sui generis no jornalismo gaúcho,talvez nacional. No dia 12 de maio,a edição 3442, da Folha de São Borja, noticiou na sua coluna social, assinada pelo prestigiado colunista Deco Almeida - que é também diretor do Departamento de Assuntos Culturais do município - os oitenta anos de sua mãe, Dona Maria Rocha Almeida, que seriam completados somente no dia seguinte à circulação do jornal,ou seja, no dia 13/05. Ousado foi o colunista, pois se tivesse ocorrido um infausto acontecimento, ele entraria pra história do jornalismo mundial, já que registrou assim, no passado(quando a data nem havia ocorrido)

" Pois é...Nem sempre se faz 80 anos e nem sempre se comemora. Pois no dia 13 de maio nós temos motivos para estarmos felizes.Maria Rocha Almeida, ou simplesmente Maria, chega aos emblemáticos 80 anos mais iluminada do que nunca." Além de Deco, Maria é mãe de outro ilustre são-borjense: o vereador Farelo Almeida. Ele é " Farelo" justamente porque é a rapa de tacho dos 9 filhos que ela teve. E o apelido o ajudou na política, porque o vereador é muito conhecido dos são-borjenses. Está no seu segundo mandato pelo PDT.


 

Histórias de La ùndeze

 

 


A casa da foto é a típica casa de Serafina, nos anos 50,60. Existiam poucas casas de alvenaria. A grande maioria era de madeira que existia em abundância na região. Por isto existiam várias madeireiras. Os tetos eram geralmente de telhas, ou de "scandole" ( tábuas de madeira). E sempre a chaminé de zinco, que era para o fogão a lenha. As ruas não tinham calçamento( os primeiros paralelepípedos foram colocados em fins de 1964, começo de 1965) e a luz com sua extensa fiação passava rente às moradias.


Casa de Titi Migliavacca na av. Arthur Oscar, 1569.

 

Coleguinhas

 

*Aguardamos o livro de memórias do rádio do Nilton Fernando....Será outro sucesso como o do Mauro Borba, outro cachoeirense.....


 

Recebo e publico!

 

Olides, eu não estou entendendo. Passar para quem? Também não quero vingança. Só que publiques no teu blog que é o mais lido do RS, para que fique claro o erro da comissão.
abraços.
Luiz Oscar Matzenbacher


Biografia

 

Telefonemas caros....

Saiu finalmente uma biografia do jornalista Paulo Francis. A certa algura do relato, o autor conta que a Folha de São Paulo, pra quem Francis trabalhava em Nova Iorque, se assustou com as despesas dos telefonemas internacionais que o articulista dava para Londres. Francis justificou-se ao editor-chefe. Era para falar com suas fontes principalmente do centro financeiro.

Depois foram ver: ele batia papo com Ivan Lessa, seu grande amigo e confidente!(foram colegas de Pasquim)!

 

Coleguinhas

 

*Nova diagramação do Caderno de Cultura de ZH não deixou contente anunciante livreiro que sempre põe seus reclames na capa do Caderno que circula aos sábados.....

 

Caros

 

Caro

Outro autor caro foi Antônio Britto Filho quando foi escrever seu livro de memórias Como Morreu Tancredo. Hospedado num cinco estrelas de São Paulo Britto disparava telefonemas pra tudo que era canto,assustando os editores Ivan Pinheiro Machado e Paulo Lima, da LPM.

 

Coleguinhas

 

*Colega "catarina" Luis Oscar Donat Matzenbacher diz que sou blogueiro " mais lido do Sul".

Não faz isto comigo, colega, senão desperta muita inveja. E pode ser que eu acredite!

 

 

Artistas do povo

 

Os políticos, concluo,
são os artistas do povo....

Tempos atrás encontrei o deputado federal Beto Albuquerque (PSB) e lhe sugeri que mantivesse sua candidatura ao Piratini.

- É que pra mídia só tem dois candidatos, o Fogaça e o Tarso, reclamou Beto não sem razão!

Mas me encorajou:

- Guarda este teu voto aí....

Ontem vi no Correinho que ele desistiu....

Perdeu o voto porque pra deputado federal tenho outro candidato....

 

 

Coleguinhas

 

 

A morte da mãe mudou a vida de Poppovic!

Silvia Poppovic era uma repórter comum, não uma estrela, até que se abateu uma tragédia sobre ela: sua mãe foi atropela na av. Sumaré, no centrão de São Paulo e morreu. Sílvia pegou o trânsito de São Paulo como tema e passou a fazer matérias que a destacaram.
Com isto começou a ganhar notoriedade. Virou da TV Globo e nos anos 90 tinha um programa no meio da tarde, da Band TV, que dava muito ibope. Sílvia, com a morte da mãe, passou a ser celebridade na tevê brasileira.


Silvia Poppovic

 

 

Palanque

 

Ultimas da eleição...
O que dizia,ontem,17.05 era que odeputado Wilson Covatti(PP) teria emplacado a vice na chapa da reeleição de Yeda Crusius.Sua vaga seria ocupada, caso eleito, pelo filho. Fariam a dobradinha Silva Covatti pra deputada estadual e seu filho pra federal. Isto sim que é trabalhar em família...

 

 

Palanque II

 

Dos vereadores do PDT de POrto Alegre, concorrem a deputado estadual, JOão BOscoVaz( que ontem fez a festa na Sogipa do Encontro com o Esporte),MárcioBins Ely e Juliana Brizola.

 

 

 

TRABALHISMO : ONTEM E HOJE

 


O PTB antigo, pré-64, foi fundado por Getúlio Vargas, João Goulart e Leonel Brizola, entre outros.
E o novo PTB ? Sim, é novo PTB, que não tem nada a ver com o PTB pré-64. Quem diz isto ? Que há o antigo PTB e o novo PTB ?
Vejamos:
1. Sergio Zambiasi ( atual senador do PTB do Rio Grande do Sul ), num artigo intitulado POR QUE APOIO BRIZOLA ?, publicado no Jornal do PDT de agosto de 1989, na página 4, escreveu no último parágrafo :
" E o PTB do Rio Grande do Sul está nesta luta. Todas as suas lideranças, os vereadores entraram com forte propósito de apoiar Brizola, porque nós entendemos o seu trabalho, o respeitamos, e quando era do PTB antigo foi o melhor governador que tivemos, Por isto, temos agora a obrigação de devolver a ele tudo o que Brizola fez pelo Rio Grande do Sul."
2. Quando do episódio do Roberto Jefferson com o Mauricio Marinho, aquele dos Correios, o advogado e jornalista BENSION COSLOVSKI entrou com uma representação na Câmara dos Deputados contra Jefferson, questionando suas atitudes, elencando 28 ANTECEDENTES, sendo o primeiro:
" O requerente orgulha-se de ter sido um dos fundadores do novo Partido Trabalhista Brasileiro, nos idos de 1981/82."
Notem bem : Zambiasi fala do "PTB antigo", o fundado por Getúlio, João Goulart e Brizola, ao passo que Bension Coslovski cita o " novo Partido Trabalhista Brasileiro ", fundado por Ivete Vargas.
Apenas a sigla é a mesma.
Na peça BAILEI NA CURVA, de Julio Conte e outros, muito famosa, há uma personagem, a Gabriela, que, num texto sobre a peça, é apresentada como uma pessoa " que sonha ser médica e o pai é sindicalista ligado a tradição popular do antigo PTB de Brizola".
Tem mais: o jornalista Carlos Castelo Branco, que por mais de 20 anos escreveu uma coluna sobre política no Jornal do Brasil, na época da fundação do PTB atual, o novo, num artigo intitulado O PTB DE HOJE NÃO É O PTB DE ONTEM, escreveu, no último parágrafo:
" ..... Três adesões foram decisivas para gerar o novo PTB, o PTB não getulista: Jânio Quadros, em São Paulo, que no passado teve o apoio de quase todos os partidos menos do PTB; Sandra Cavalcanti, herdeira do lacerdismo e Paulo Pimentel, egresso do sistema de Ney Braga, fundador e secretário geral do PDC. Com isso o PTB ganhou viabilidade eleitoral mas perdeu seu vínculo com o passado. A legenda tem outra destinação e outro futuro que não são os de restabelecer a pálida reminiscência do prestigio de Getúlio Vargas e João Goulart."
Ainda mais: na revista VEJA de 14.05.80, sob o título PTB SOB MEDIDA, com o subtítulo O PROCURADOR AJUDOU IVETE QUE AJUDA O GOVERNO, está escrito, sobre a perda da sigla por Brizola :" sigla tirada de Brizola e dada à Ivete Vargas, com a ajuda de Golbery e do procurador geral da Justiça Eleitoral na época, Firmino Ferreira Paz "
Já o ex-deputado Helio Duque, num artigo intitulado UM TESTEMUNHO, a determinada altura escreveu :
" Leonel Brizola preparou-se para reorganizar o PTB, mas foi vitimado por Golbery que, autoritariamente, entregou, via Justiça Eleitoral, a sigla à Deputada Ivete Vargas, cujo marido, Paulo Martins, trabalhava para o "bruxo". Diante do golpe, Brizola cria o PDT."
Por sua vez o ex-deputado Sinval Boaventura, em entrevista ao Jornal OPÇÃO, ante a pergunta ,
É verdadeira a história de uma reunião na casa do então deputado Simões da Cunha, na qual a deputada Ivete Vargas (PTB) teria contado que saíra de um encontro com o general Golbery e este revelou que ia projetar o sindicalista Lula para ser o anti-Brizola ?, respondeu:
A Ivete Vargas disse que tinha estado com o ministro Golbery, na chácara dele, e que ele dissera que precisava trazer o Brizola para o Brasil porque ele estava se tornando um mito muito forte fora do país. Que era melhor ele voltar e disputar eleição, porque assim perderia o prestígio político. Fui ao Golbery e ele confirmou a conversa com Ivete. Explicou que sua estratégia era estimular a imprensa para projetar o Luiz Inácio da Silva, o Lula, um grande líder metalúrgico de São Paulo como uma liderança inteligente e expressiva, para ser preparado como o anti-Brizola. Sou testemunha dessa tese do general Golbery.
Sergio Gobetti, no jornal O Estado de São Paulo, em 06.10.2006:
" O PTB já foi motivo de inúmeras disputas, como a da ex-deputada Ivete Vargas, sobrinha de Getúlio, com o ex-governador Leonel Brizola. O Líder trabalhista, quando voltou do exílio, tentou ficar com a sigla, mas quem levou a melhor foi Ivete. Embora o atual PTB não tenha vínculo político e ideológico com o velho trabalhismo, continua lucrando com a popularidade da sigla, que só perde em antiguidade para o nome do PCB (Partido Comunista Brasileiro), de 1922."
Quando ainda estava no PDT, Eloi Guimarães, então vereador, numa homenagem à Getúlio Vargas, na Praça da Alfândega, ao criticar os falsos trabalhistas, disse que "o PTB está usurpando o trabalhismo e traindo suas idéias." Hoje ele está no PTB que dizia ser usurpador ( sendo vereador e Secretário da Administração do Governo Yeda ).
Por fim, Mauro Santayana e Flávio Aguiar, em artigo sobre Brizola, tão logo ocorreu sua morte, escreveram a determinada altura:
" Mas antes de se esvair, o regime de 64 conseguiu seu maior triunfo contra o trabalhismo, roubando a sigla do Partido Trabalhista Brasileiro de seu herdeiro legítimo, Leonel Brizola, que retornava do exílio. O "PTB" perdeu sua profundidade histórica e o próprio lastro trabalhista, virando hoje, um "nome fantasia" como outro qualquer."
Concluindo :
O PTB antigo, para nós do PDT, é o PDT de hoje, fundado por Brizola, que foi um dos fundadores do PTB antigo.

SERGIO OLIVEIRA
BANCÁRIO APOSENTADO
CHARQUEADAS - RS

 

Coleguinhas

 

*Pô, Jacir de Oliveira,narrando o jogo do ano, Grêmio X Santos, deve ter levado uma tunda de laço de audiência do Marco Antônio Pereira, na Gaúcha...A Guaíba tá brincando?


*Futebol,aqui no Sul, é ainda Guaíba X Gaúcha. As demais entram na rebabarba dos " despentelhados", como dizia o velho João Batista Aveline. Isto é que nem o público que ouve o Antônio Augusto Na Pampa: é meia dúzia de ressentidos que ouvem o cara dar pau todo dia....O prazer deles é ouvir o cara dar pau e nada mais....


*
Na terça, dizem nos bares da vida, o Grêmio tinha até pronto uma coletiva de imprensa pro Vitor, às 14 horas.
Meus amigos, a gente tá sempre aí aprendendo.Inda mais em se tratando de convocação pra Seleção...

*Leio no (bem informado) colega Prévidi que Roberto Siegmann,diretor de comunicação do Inter, processa Wianey Carlet, da RBS e João Garcia, da Band. O primeiro porque chamou os jogadores do Inter de "bêbados" e o segundo porque chamou o próprio Roberto de "nazista".

*Previsão minha: não vai dar em nada....
No máximo,algumas cestas básicas....

 


Recebo e publico!

 

Amigo Olides, tre enviei, duas vezes a íntegra da portaria da anistia política, na qual mostro como garafaram meu sobrenome com dois erros que impedem os coleguinhas de saberem de minha anistia, motivo pelo qual uns maldosos espalharam que eu nunca fui anistiado. Dá a materinha em qualquer canto, teu blog é uma espécie de Correião da mída gaúcha. Resgataria minha memória.
Abraços.
Luiz Oscar Matzenbacher

 

Coleguinhas

 

Carlos Coelho, uma lenda no

jornalismo,frequentava o PELOTENSE e o

DONA MARIA


Morto na década de 90, Carlos Coelho ainda é lembrado pelo seu talento entre os colegas que o conheceram e que com ele dividiram redações de jornais.

João Carlos Terlera conheceu bem Coelho - seu nome de guerra - quando ambos frequentavam , junto com Rogério Mendelski e outros, uma mesa no Bar Pelotense, uma confeitaria que existiu na Riachuelo e que servia um dos melhores mocotós da cidade.

Coelho não era de se misturar muito. Quando chegava na redação, ia pro seu canto, redigir suas notas.Chegava recheado de informações. Muitas de suas fontes eram das cúpulas do Judiciário, das elites da cultura e do poder econômico. Na área econômica, sua fonte principal foi o dono da primeira transportadora de valores do Estado. Luis Fernando Verissimo, que frequentava o Encouraçado Butikin, nos anos 70, era também uma fonte. Uma nota "picante" dada na página 3 da Zero Hora, vinha,às vezes, de LFV.

No Pelotense, quando estava pra lá de marakech, se segurava com uma habilitade que adquiriu com o tempo: colocava a ponta do dedo da mão direita no chão e assim conseguia se equilibrar, não caindo da cadeira. Coelho, como sabem seus amigos, bebia todas....

Carlos Coelho nasceu em Santo Amaro da Imperatriz. Foi casado e teve filhos. Em Porto Alegre, ao que se sabe,sempre residiu em hotéis.

Um dos hotéis onde Coelho morou foi o Preto Hotel, localizado na Av. Salgado Filho, cujo prédio pertence ao IPE. O Hotel foi encampado pelo Estado.

Rogério Mendelski, que gostava de aprontar e inventar "maldades" era companheiro de Carlos Coelho e de outros no Pelotense. Mendelski trabalhava nesta época no Estadão.Tinha como apelido entre os colegas de "Magrão" - porque era magro mesmo....

Na Bar Pelotense, Mendelski descobriu que uma das garçonetes era irmã de uma camareira do Preto Hotel. Mendelski armou uma contra Coelho. Deu um troco pra camareira do Preto Hotel,via irmã do Pelotense, para que todos os dias ela quando entregasse o café da manhã no quarto do hóspede Carlos Coelho,sempre fizesse sumir alguma coisa, ou a colherzinha, ou o açucar...Como Mendelski sabia que Coelho acreditava em coisas do além, sabia que o colega logo imaginaria que um ser estranho também habitava seu quarto.

E a maldade de Mendelski pegou. Tanto que o colega sempre chegava logo depois do meio-dia na Pelotense, geralmente assustado porque no café da manhã, servido no Preto Hotel tinha faltado algum detalhe do equipamento do café da manhã. Supersticioso, Coelho via coisas do além neste simples fato....

João Carlos Terlera acha que o texto de Carlos Coelho era tão bom quanto o de Lauro Schirmer.

Quando começou a fazer o tipo de informe que a Zero Hora tem até hoje na página 3, Coelho chamou a coluna de SAL DO DIA!. Depois mudou-se para INFORME ESPECIAL.

Durante anos, ele foi o redator do Informe Especial da ZH.

Carlos Coelho entrou para o serviço público estadual indicado por Mário Bernardino Sesta.
Conta-se que uma vez um cidadão muito "honrado" e cheio da grana teria sido esfaqueado pela amante. O assunto não poderia sair de modo algum. Maurício Sirotsky,conhecendo os bois com que lavrava, chamou Lauro Schirmer e lhe orientou pra não deixar o Coelho espalhar este assunto.
Lauro esperou o redato na soleira da porta:
- Coelho,aquele assunto do Moinhos de Vento, nem pensar!
- Ah, desconversou Coelho, que não sabia de nada. Eu até ia dar uma notinha amanhã.

Coelho passou a monitorar o enfermo e quando ele deixou o Moinhos de Vento e quando Lauro Schirmer tinha levantado a guarda, ele deu na sua coluna um pequeno tópico,dizendo que os amigos do fulano estavam contentes pela sua pronta reabilitação. No dia seguinte, Lauro, desolado, o esperou de novo e sentenciou:
- Coelho, contigo não tem jeito, né....

Ainda bem, digo eu....Os leitores é que gostavam!
Grande Coelho....

Ficaram algumas "imitações" que ainda militam por aí....


 

Valter Todt

 

A partir deste mês a consultoria gaúcha Genesis Internacional passa a representar para o sul do Brasil o consultor italiano Nicola Minervini, conhecido pelo seu famoso livro O Exportador, que desde 1991 é responsável pela formação de gerações de executivos internacionais em nosso país e no exterior. Minervini visitará regularmente o Brasil para ministrar cursos e prestar consultoria para empresas que objetivam se inserir no mercado internacional.


Valter Todt

Segundo Geraldo Rodrigues da Fonseca, diretor da Genesis Internacional, Minervini é um dos maiores especialistas em consórcios de exportação, tendo adaptado o modelo italiano à realidade brasileira e latino-americana. O consultor italiano já está com trabalhos agendados no Brasil para este mês.

Um abraço
Todt Comunicação


Candidatos

 

Afora cinco deputados estaduais do PDT que têm pelos prognósticos sua reeleição garantida, alguns setores do PDT estadual indicam mais dez nomes de pré-candidatos com reais chances de se elegerem. Um deles é o que o professor Mauro Rocha , da UPF, perfilou para este site: Reinaldo Nicola, ex-prefeito de Sarandi(RS) onde Mauro reside.

 

Reinaldo Antonio Nicola, é nascido na Barra Funda, ex-distrito de
Sarandi. Filho de produtores rurais, estudou no seminário de Guaporé.

Ao retornar para casa dos pais, após desistir da carreira religiosa,
dedicou-se, em tenra idade, à política local, tendo sido vereador em
Sarandi, pelo MDB, ainda muito jovem.

Cresceu politicamente e foi eleito Vice-Prefeito de Sarandi no segundo
mandato de Robert Merten.

Foi membro fundador do PDT em Sarandi e também na Barra FUnda.

Quando da emancipação política de Barra Funda, onde participou
ativamente como membro da comissão emancipacionista, foi indicado,
numa chapa de consenso, para prefeito. Assim, junto com o empresário
JOÃO ROBERTO PIAIA, tornou-se o primeiro prefeito e vice,
respectivamente, de sua terra natal.

Após o mandato, dedicou-se as atividades comerciais sendo buscado
pelos sarandiense, em 2000, para concorrer à Prefeito. Eleito com
diferença de 512 votos sobre seu adversário Vladimir Perusso, na
época, prefeito da cidade.

Realizou uma admibistração revolucionária, notadamente em dois campos;
saúde e ducação. no primeiro, criou e implantou o CONSÓRCIO
INTERMUNICIPAL DE SAÚDE, o qual, até hoje, vem dando excfelente
contribuição à saúde local e regional, tendo como um dos resultados
positivos, a viabilização do Hospital Comunitário, o qual, tem
excelente estrutura.

Na área da educação, além de qualificar e equipar a rede municipal de
ensino, articou a vinda de uma universidade, designando uma comissão
pró-ensino superior, para estudar a viabilidade, trabalho que resultou
na instalação da Universidade de Passo FUndo, ainda em 2003, tornando
SARANDI, também um pólo de ensino técnico e superior. Com isso Sarandi
ganhou o satatus de " cidade universitária".

Ao primeiro mandato, que pode ser caraterizado como "revolucionário",
seguiu-se o segundo, fruto de uma reeleição, por 1.300 votos , desta
feita, sobre o ex-prefeito JOÃO CARLOS SCHEIBE, figura tradicional da
política local.


Neste segundo mandato, Nicola consegui projetar SARANDI, para
receber muitas obras de infraestrutura, as quais, estão sendo
continuadas, felizmente, no atual mandato de seus adversários.

Destaca-se o CENTRO VOCACIONAL DE CONFECÇÃO TÊXTIL E O CENTRO
CULTURAL,respectivamente,obras com verbas federais, de valores
significativos, de grande importância, considerando uma das mais
fortes vocações da cidade, qual seja, pólo de confecção têxtil, bem
como, tornando Sarandi um pólo cultural.

Registre-se que, e stes dois centros, estão sendo construídos em área
contígua àquela ocupada pelo campus da UPF em Sarandi, com 12.000
metros quadrados.

Com esta bagagem e experi~encia política, NICOLA, é um líder natural
do trabalhismo na região, sendo respeitado na região norte do estado,
notadamente, na região da AMZOP, entidade que presidiu como prefeito,
em duas ocasiões.

Atualmente, NICOLA, presta consultoria a diversos municípios do
estado, ao tempo em que colocou-se como pré-candidato à Assembléia
Legislativa do estado, pelo PDT, com grandes chances de alcanças seu
objetivo.

Na região da AMZOP, tem recebido manaifestações de apoio da maioria
dos municípios, notadamente, daqueles que são do PDT. Seu trabalho, no
entaanto, transcende, não só a região geográfica da AMZOP, com as
barreiras partidárias pois, presta serviços à inúmeras prefeituras do
estado, ocupadas por os mais diversos partidos, as quais, estão, ao
natural, comprometendo-se com su pré-candidatura.

Com a possível eleição de NICOLA à assembléia, a região norte do
estado, terá a oportunidade de preencher, com candidato da região, o
espaço político-representativo , do qual não desfruta, há muito tempo.

OBS.: desculpe se fui prolixo mas lembre-se, sou
brizolista.........logo..........compreendeu ?

Mauro Rocha

Coleguinhas

 

 

Curtas

* Fernando Veroneze está internado numa UTI da cidade.

* Rui Strelow, locutor veterano da Guaíba entrou em férias. Na volta, comentou que pediria demissão.

* Sidnei Coelho, diretor comercial da Guaíba, também foi demitido.

* Irpapus,grupo que se reune na rua da Praia ao meio -dia pra botar conversa em dia, mudou local do cafezinho:agora é num bingo.

* Advogado Antônio Augusto Bandeira, dissidente do Irpapus - e que um dos habitués só quer falar ele - costuma fazer happy hour no bar Odeon, do garção Beto.

*Amigos de um ex-Ministro da Justiça torcem pela sua saúde!

* Jorge Silva, conhecido na cidade por JOVEM HEBREU( alcunha dada pelo Flávio A. Gomes) vendeu livros num valor de 850,00 para David Coimbra, da ZH, semana que passou.
- Só me aparece aqui depois da Copa, disse David, que deve ganhar uns 15 quilos de alcatre por mês na empresa onde trabalha.

* Jovem Hebreu" também subiu o Morro de Santa Teresa e foi vender livros para seu guru, Flávio A. Gomes.

* Então quer dizer que vem bomba aí contra um vereador portoalegrense que surpreendeu pela quantidade de votos que fez e acabou secretário municipal do José Fogaça. É o que se fala na rua da Praia...

*Carlos Augusto Bissón, que escreveu o livro sobre o bairro Moinhos de Vento, está concluindo um sobre a av. Independência.

 

Colona

 

*A foto da "agricultora" que estava no site A21, na sexta,dia 14/05, na notícia sobre agricultora familiar é uma mera simulação. Tem paciência.....aquilo nunca foi agricultora...não tem as cicatrizes do sol na testa...agricultora eu conheço razoavelmente bem.


Coleguinhas

Tailor Netto Diniz

Nascido em Júlio de Castilhos, em 24.09.1955,filho de Astrogécilo Diniz e Evany Diniz, o escritor e jornalista trabalhou em Santa Maria, nas rádios de lá tendo se mudado,depois para Porto Alegre.

Na capital, foi da Rádio Guaíba,onde foi redator.
Já escreveu várias obras.É casado e tem dois filhos.

Na antiga livraria Prosa I Verso, no 5 Avenida Center, onde ele costumava frequentar uma confraria de escritores, o conheciam por "Tailor de Oliveira".

Tonho


Tonho,ou Francisco Antônio Caldas, poderia ser um personagem do romance Os Belos e Malditos de Scott Fitzgerald.Ele foi do oito aos oitenta. Quando dispunha do fausto, costumava fechar a mais badalada boite do Sul do país, o Encouraçado Butikin, apenas pra fazer festa pra ele e pros amigos. Também era muito visto nas grandes corridas do Jóquei Club do Rio Grande do Sul onde tinha cavalos. Com a falência da Caldas Junior, foi ser empregado dos donos do Jornal do Comercio e passou a dirigir o jornal O Balcão que o JC editava.No tempo da boemia, Tonho também era muito visto em companhia de mulheres esplendoras no barzinho Galarim, na Mal. Floriano,centro de Porto Alegre.
Morreu de um câncer, aos cinquenta e poucos anos.Nascera em 15.7.1937 e residiu na Bordini,antiga casa de seu pai, Breno Caldas, antes deste mudar-se para o Arado, uma área rural na Zona Sul de Porto Alegre.Sua mãe foi Ilse Kesller Caldas.

Mola

Se disserem no meio jornalistico Nelson Carlos Matzenbacher Ferrão, ninguém sabe quem é...agora Mola, todo mundo sabe...

Nascido em Porto Alegre em 26.02.1950,filho de Olavao da Silva Ferrão e de Ilma Matzenbacher Ferrão, Mola já residiu na José do Patrocínio,753.
Foi desde o começo dos anos 70, subeditor de Polícia na ZH.
Foi um dos que constituiu nos anos 70, uma excelente equipe de redatores da Rádio Continental, que marcou época.
Hoje Mola é executivo do Grupo NH, onde ocupa uma diretoria de Desenvolvimento.

Sérgio da Costa Franco

O conhecido historiador de Porto Alegre tem mais um livro no prelo.Mas ele não nasceu na capital e sim em Jaguarão(RS). Seu novo livro versará sobre pequenos verbetes com sua explicação. Tipo assim: Jornal a Federação....David Canabarro....

Sérgio é promotor público aposentado,tendo nascido em 12.6.1928.
Tem vários livros escritos.Seu maior sucesso de vendas é seguramente o Guia Hostórico de Porto Alegre. Filho de Álvaro da Costa e de Gilda Costa Franco. Em Porto Alegre residiu um longo tempo na av. Venâncio Aires,174/6.Os locais onde morou e os municípios estão contados no seu livro Memórias de um Escritor de Província.

Sérgio trabalhou longos anos como editorialista do Correio do Povo, onde foi um " dos homens de Breno Caldas".
É casado com Ignez Maria( 14.3.1927) com quem tem os filhos Sérgio(30.9.1952), Maria Ignez( 27.5.1955) e Miguel( 2.9.1958)
Na ZH, para onde foi a convite de Maurício Sobrinho - com o convite tendo sido feito por Wilson Muller - Sérgio fez parte do time de articulistas. De 15 em 15 dias ainda escreve pra ZH Dominical.

Loir

Fotógrafo de pavio curto, quando foi demitido da ZH,quiseram que ele reconsiderasse e ficasse na equipe do jornal. Ele então não quis mais...

Pegou toda a grana da indenização e comprou tudo em rolo de filme...

Manoel Loir Gonçalves, conhecido pelos coleguinhas por Loir, nasceu em 25.02.1951, em Torres, onde vive.Filho de Manoel Miguel Gonçalves e de Maria Antônia de Bittencourt.
Trabalhou no Diário de Notícias,quando este ficava na av. São Pedro,733.
Depois foi para o Correio do Povo.
Muito bairrista, nunca deixou de ser apegado a sua terra natal,tanto que nunca mudou seu título eleitoral para Porto Alegre. Ele trabalhava em Porto Alegre nos dias da eleição, pegava o carro no final da tarde para chegar em Torres ainda em tempo de votar.

Sua primeira esposa foi Silvai Beatriz com quem teve os filhos Luciano Machado e Claudia Beatriz. Separou-se e casou com a colega Carmen Gonçalves, com quem vive hoje em Torres(RS).
Loir foi quem descobriu primeiro que o DAER estava construindo a Estrada do Mar. A imprensa não sabia. Ele me deu a dica e fomos lá fazer a reportagem. Só que depois por uma intriga do repórter João Carlos Terlera, o editor chefe Carlos Machado Fehlberg não liberava a publicação da mesma....

 

Histórias de La Úndeze!

 

O " arenista" de quatro costados

passou pro PMDB!

A terra dá voltas e com ela as pessoas. O professor de inglês Egydio Chiarello - único prefeito de Serafina filho de agricultores - foi seminarita,depois passou a lecionar inglês no colégio N.Sra do Rosário.


O prefeito Egydio tomando mate, numa barraca no Rio Carreiro.


Com grande influência na comunidade, Egydio se elegeu vereador em 1973,depois de ter comandado, em 1968, a reação da Arena, contra o candidato do MDB, Bruno Marocco, que por um triz não ganhou a eleição."Viramos aquela eleição na última noite" contou-me Egydio.Foi a eleição mais disputada dos 50 anos de Serafina. Bruno perdeu por 100 e poucos votos...

Quando fazia campanha para vereador e prefeito, Egydio se dizia "um arenista de quatro costados".
Depois ingressou no PMDB mas abandonou a vida pública. Hoje é advogado mas com atuação limitada porque uma trombose numa das pernas o mantém parte do dia imobilizado.
Ás vezes é visto fazendo longas caminhadas pelas ruas de Serafina,sempre no seu estilo quietão,de falar pouco.

 

 

CONVITE

 

 

Café da Manhã Orgânico

Lançamento da VI Semana do Alimento Orgânico


Cardápio

Água
Suco da Luz do Sol
Suco de uva Niágara branca
Suco de uva Niágara rosa
Suco de uvaia
Suco de pêssego
Suco de guabiju
Café
Leite
Chá
Frutas
Linhaça
Granola
Aveia
Açúcar mascavo
Iogurte natural - vários sabores
Arroz com maçã
Pão de semente de girassol
Pão de 12 Grãos
Pão de aipim
Pão de trigo com linhaça
Cuca
Bolo de cenoura com calda de chocolate
Mel
Geléias
Manteiga
Kaschimer
Nata
Ricota
Pasta de cenoura
Pasta de inhame com azeitonas
Pasta de inhame com manjericão

Veja nos anexos: o convite para você participar do Café da Manhã Orgânico no dia 20, às 8h30, e o cardápio que será oferecido na Tortaria Café Brasserie, localizada na Rua Fernando Gomes, 114, Moinhos de Vento.

O objetivo desse encontro com a imprensa é divulgar a VI Semana do Alimento Orgânico, promovida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, por meio da Superintendência Federal de Agricultura no Rio Grande do Sul, juntamente com a Comissão Estadual da Produção Orgânica no Rio Grande do Sul.

O Estado tem se notabilizado na promoção da Semana, estando programados mais de cem eventos em diversas cidades do Rio Grande do Sul, entre palestras, cursos, oficinas e visitas de campo. A atividade conta com parceiros governamentais, da iniciativa privada e do terceiro setor, como redes de supermercados, escolas, universidades e entidades associativas de moradores e trabalhadores.

A VI Semana do Alimento Orgânico ocorre de 23 a 30 de maio.

"Entre para o mundo da vida saudável. Prefira alimentos orgânicos."

Favor confirmar sua presença ou de seu representante até 18/5, às 17h30, pelo telefone 3284.9643.

Atenciosamente,


Gelcira Teles, jornalista, 6790/RS


Recebo do amigo Mauro Rocha, de Sarandi(RS)!


De fato, o Tasca está um tancon, com aquela barriga.

Li sobre a história de meu pai. Podes retificar pois, fiquei como
fosse o protagonista do episódio. Tu confundes Mário e Mauro. Não será
o último a fazê-lo.Ficou muito boa.

Em Serafina, no idos de 1967, jogava no BOTAFOGO E DEPOIS NO GAÚCHO,
um promissor craque. Tratava-se de Valmor Grando.Talento e técnica
que, infelizmente, um tétano encurtou a carreira. Era irmão do Idalcir.

Creio que tu nunca ouviste falar nele.

E a Gasparina era fera mesmo.

MAURO.

 

 

Da (boa) coluna política de Claudemir Pereira, neste sábado, 15.05, no jornal A Razão de Santa Maria :


De um só candidato preferencial do PMDB a federal, do prefeito César Schirmer, que era Osmar Terra,depois de um encontro que durou 20 minutos na semana passada, regado a chimarrão, com o deputado federal Eliseu Padilha, saíram mais dois candidatos "preferenciais" de Schirmer e dos peemedebistas da cidade: a saber o próprio Padilha( que se confirma assim que é candidato a reeleição) e de Darcísio Perondi.
Diz o articulista:"dois ex-presidentes do PMDB de Santa Maria foram as únicas testemunhas( da conversa entre Padilha e S chirmer).Uma conversa regada a chimarrão.E algum nervosismo.Episódios passados, como as eleições de 2000 e de 2004, e também 2008,foram repassados. E o prefeito lembrado ao apoio direto, consistente e fundamental dado por Padilha.Como dirigente político.Mas não só. Apoio bastante forte,relembrou-se"..


Diria eu: Padilha foi cobrar a fatura!

 

A vida como ela é.....

 

 


As mal amadas de
La Úndeze....

Advertência:
Os fatos aqui narrados nada tem a ver com a realidade.
São mera invenção...qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência....


Numa cidade da Encosta Superior do Nordeste,do RS, que os antigos chamavam de La Úndeze,há o time das "beatas" e o time das " mal amadas".

As beatas todo mundo as conhece. Atravessam as ruas, lentamente, quando o sino da Igreja Matriz toca para ir a missa....Algumas são viúvas, algumas separadas,outras casadas.
São as que se postam bem na frente, pros padres as verem de perto...

A missa que as beatas mais gostam de frequentar é a do sábado de tardezinha, às 18 horas, que digamos, passou a ser a missa da elite...antigamente, esta missa acontecia as 10 horas da manhã de domingo, mas hoje em dia a elite de La ùndeze vai à missa no sábado de tarde, pra se sentir livre da " obrigação"...

Já em La ùndeze tem também o time das "mal amadas". Nunca casaram(isto não quer dizer que não tenham tido homens, por suposto), quero dizer, nunca constituiram família padrão...

Umas até saíram da pequena cidade,ganharam projeção estadual em sua carreira e agora estão de volta a cidadezinha....

Outras mesmo tendo ficado sempre em La ùndeze também ganharam projeção local,tendo ocupado importantes funções públicas. Tiveram projeção,destaque e agora estão recolhidas praticamente ao anonimato, para não dizer ostracismo....

Por isto,sempre que surge uma causa em que as "mal amadas" podem se intrometer, elas complicam!

Assim caminha La Úndeze!

Burd

 

Corneteando eles....


*Posso ter minhas "diferenças" com o Armando Burd, mas reconheço seu talento pra notícia. Sua coluna no O SUL é leitura obrigatória...principalmente as " rápidas". Falta só o dr. Arsênico....


*Clésio Boeira e Armando Burd agora dividem espaço no mesmo veículo. No Correinho tinham o que se chama de "relação difícil".
Clésio era subordinado do Burd....


*Mazzarino, tem um advogado de Serafina que quer teu fígado...Tudo porque tu andou falando que os serafinenses "maldosos" foram exportados. Ele é um....te cuida, Mazza!

Memória política

 


Brizola perde
a sigla PTB
(e chora em público!)


Brizola reunido num hotel no Rio, chora a perda da sigla do PTB!

O regresso de Brizoal ao país ( 7.7.1979) tornara mais intrincado o movimento das peças no tabuleiro de xadrez imaginado pelos militares para a transição do poder aos civis.

Nos avanços e recuos da Anistia,,era o nome dele quem botava os quartéis em xeque.
Amplo e geral, o projeto empacaria algumas vezes entre o restrito ou irrestrito. Brizola, que resistira à primeira investida autoritária dos militares com a Cadeia da Legalidade e, depois, tentara empurrar João Goulart para uma resistência ao Golpe Militar de 1964, era um obstáculo aparentemente intransponível para os militares no processo de abertura, mas excluí-lo,de outro lado, deixaria ainda mais marcado no líder gaúcho a condição de primeiro e maior adversário do regime.

Se aceitá-lo de volta era inevitável, também foi inevitável que tentassem dificultar ao máximo seu retorno à cena política.

Entrava em marcha uma meticulosa operação para tornar "segura" a abertura que , lenta e gradual, vinha se desenhando desde desde que o "Pacote de Abril", de 1977, fechara o Congresso. Um processo que, para parir uma democracia do ventre de uma ditadura, tinha de ser,claro, prenhe de contradições.

João Baptista de Figueiredo foi ungido como comandante deste processo por Ernesto Geisel. Rude,franco,direto,cavalariano, era a esperança de alguém capaz de tornar-se um governante popular - como antes fora Emílio Médici: a face bonachona, com seu radinho de pilha ligado no futebol - de um período infame da história brasileira. Um formulador e um negociador foram colocados a seu lado para a missão. O primeiro, Golbery do Couto e Silva,a quem se atribuía, verdadeira ou falsamente, uma maquiavélica capacidade de manipular as relações de poder.
O segundo, Petrônio Portella, habilidoso parlamentar, foi guindado ao Ministério da Justiça, a quem se atribui a " Missão Portella", que pavimentaria os caminhos no Congresso. Portella, porém,morre logo nos primeiros dias de 1980.

Com ele, na visão de muitos analistas, morrem também as possibilidades de uma transição negociada com a ala moderada do PMDB.
Em novembro de 1979, o Governo promulgara uma nova legislação eleitoral que acabava com o bipartidarismo e estabelecia que todas as legendas que fossem criadas a partir de então agregassem a letra "P" na frente. Mais importante: os novos partidos deveriam ter filiados pelo menos 10% dos representantes na Câmara dos Deputados e no Senado ou o apoio em votos equivalente a 5% do eleitorado que houvesse participado na eleição geral de 1978 para a Câmara dos Deputados, distribuídos por pelo menos nove estados e com um mínimo de 3% em cada um deles.

Formar um partido, portanto,seria tarefa difícil.
A Arena procurou vestir-se com roupagem moderna no PDS, Partido Democrático Social, enquanto o MDB cinde-se no PMDB dos que pretendem continuar sendo uma frente ampla de oposição e proclamam que nada mudariaa, exceto o "P" exigido por lei à frente da sigla, e o PP, Partido Popular,mais moderado e disposto a conciliar com o regime, liderado por Tancredo Neves e Thales Ramalho, aberto a receber parte do aparato político governista.

Brizola trabalhava na reconstrução da sigla do PTB desde a chegada ao Rio. Mantinha contatos com todos os trabalhistas históricos. Reunia em torno dele a fina -flor do trabalhismo: Alm ino Affonso,Waldir Pires,Darcy Ribeiro,José Colagrossi Neto, Cibilis Viana,Neiva Moreira,e Doutel de Andrade.

Encarregarra Lysâneas Maciel de formular um novo programa com base na Carta de Lisboa,espécie de constituição do Encontro dos Trabalhistas no Exílio,realizado em junho de 1979, com influências do socialismo que ele havia absorvido nos encontros com os social-democratas europeus. No novo trabalhismo, formavam também militantes da luta armada contra a ditadura em diversas fases: da frcassada Guerrilha do Caparaó, do MNR brizolista dos primeiros anos do regime militar e os jovens oriundos do combate urbano de organizações como a VPR(Vanguarda Popular Revolucionária) e a Colina, que se uniram na VAR-Palmares e da ALN.

Na empreitada para refazer o partido posto na ilegalidade durante vinte e cinco anos, com parte dos seus quadros jogados no exílio e a outra parte abrigada sobre o guarda-chuva em que se constituíra o MDB, conversa com todos - dos comunistas a lideranças do novo sindicalismo, entre eles o metalúrgico Luiz Ignácio da Silva, que ainda não havia incorporado o apelido Lula ao nome.

Na sede do sindicato dos metalúrgicos, ocorre o primeiro encontro entre ambos. Segundo revelaria Brizola, anos depois, o então líder sindical se mostrou muito pouco receptivo.

Mas era entre os remanescentes do velho PTB que estava o grande problema de Brizola.Cãndida Ivete vargas Tattsch, neta de Viriato Dornelles Vargas, irmão mais velho de Getúlio articula-se com o ministro-chefe da Casa Civil do Governo João Fi gueiredo, Golbery do Couto e Siulva arquiteto do processoa de distensão política iniciado no mandato de Ernesto Geisel.Mesmo antes de saberem destas ligaçaões, muitos trabalhistas do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Sul já torciam o nariz para os seguidores de Ivete Vargas por causa do passado fisiológico dos petebistas de São Paulo, seção do partido sempre problemática desde a expulsão de Hugo Borghi, em 1947.

De início, parecia que Brizola e Ivete poderiam caminhar para um entendimento. Doutel de Andrade,que tinha bom relacionamento com Ivete e era o braço direito do líder gaúcho na empreitada de reorganizar o trabalhismo, promoveu diversos encontros entre ambos. Inutilmente, porém. Apesar de muito cortês e gentil, o ex-governador sabia das articulações palacianas da paulista.

Não demorou a que a disputa se tornasse jurídica. Um requerimento, cheio de falhas e montado às pressas, foi protocolizado ano dia 14 de março de 1980 pelo grupo de Ivete, que assinava ao lado de Gilberto Mestrinho , um polêmico ex-governador amazonense apelidado de " Boto Tucuxi" e recebe o número 29. Uma semana depois, no dia 21 de março, ingressa o pedido do grupo brizolista, que recebe o número 30. Meia hora depois o grupo ivetista ingressa com documentos exigidos no pedido de registro, que não haviam sido apresentados inicialmente. Foram mais de três meses de escaramuças jurídicas até que a decisão de 12 de maio de 1980( trinta anos atrás,portanto) deixaria para sempre no ar uma dúvida que ninguém pode responder:o que ocorreria de Brizola com o poder da sigla PTB, capaz de evocar memórias coletivas em que,ainda hoje, o varguismo remanesce?

A este episódio chamam de ' A ULTIMA MALDADE DE GOLBERY"
( Fonte: Leonel Brizola, Parlamentares Gaúchos, dos jornalistas Cleber Dioni, Elmar Bones, João Souza e Kenny Braga.

 


A " esperteza" de
Mário Rocha!

 

 


Mário Rocha, que foi exator da Receita Estadual em Serafina Corrêa - os colonos o chamavam de 'ZATOR' - em Canela e em Gramado foi protagonista de uma pegadinha durante um Festival de Gramado, para onde gostava de ir depois de se aposentar, em 1984.

Como era de fazer muitos amigos, logo que se aposentou passou a visitá-los. Um dos seus preferidos foi o Dr. Bertolucci, seu amigo de longa data,político do velho PTB(foi deputado estadual pela sigla ) e Mário Rocha trabalhou para Bertolucci ao tempo que Leonel Brizola governou o Rio Grande do Sul.

Durante os festivais de cinema de Gramado, Mário Rocha ia se postar na frente do Cine dos Festivais para ver o movimento do público,atores entrando, mas jamais segundo, relata seu filho Mauro, se sentiu atraído por assistir os filmes que concorriam ao Kikito.

Num destes festivais, Mário estava por lá e resolveu entrar no recinto do cinema sem a inteção de ver os filmes.

No Hall, foi recebida por uma senhorita, toda gentil, da organização do festival que o abordou perguntando-lhe qual era sua profissão( no mínimo para encaminhá-lo para o devido local....)Mário Rocha, perspicaz e sempre pronto para uma brincadeira, respondeu:
EX-...ATOR!!!!

A recepcionista entendeu que estava diante de um ator ,ou ex-ator e o convidou a ingressar no recinto informando-o ainda que a organização tinha pensado neles e que havia uma ala reservada para " vocês"!

 

 

Histórias de La Ùndeze!

 


O "QUATRO RODAS"


Como passaram a chamar Roberto Montanari - morto há dois anos atrás, de um câncer - de Quatro Rodas, ninguém tem certeza, mas a versão mais confiável é a de que ele rodou 4 anos consecutivos no vestibular de Medicina de Porto Alegre.Era muito comum nos anos 70, os rapazes virem fazer Vestibular e rodar....
Continuavam na boa vida, mais um ano....Isto os que os pais mandavam dinheiro, é claro.

Mas há uma outra versâo: diz que ele se apaixonou pelo fusca azul que seu primo, José, médico formado, teria comprado logo que chegou pra clinicar em La Ùndeze....

Roberto cuidava tanto do tal fusca a exemplo da revista Quatro Rodas, que ele ganhou este apelido...

De um coisa todos tem certeza: quem alcunhou o Roberto foi o médico Carlos Alberto Benincá.

 

Coleguinhas

 


Verene Beatriz Wolke

Verene Beatriz Wolke nasceu em Porto Alegre em 12.10.1958.Filha de Ernesto José Wolke e Maria Madalena Wolke.

Começou sua carreira na Fundação da Produtividade, em Carazinho, levada por Moisés Mendes. De lá também veio para a Zero Hora também pelas mãos do seu editor, Moisés Mendes.

Fazia Economia no jornal. Perdi, há tempos, a colega de vista!


Fernando Goulart

 

Todas as manhãs, na rua Jerônimo de Ornellas, Fernando Goulart está sentado na calçada de um barzinho,sorvendo sua vodca...Só bebe vodca...

Fez um acordo com o médico que lhe liberou a bebida. Sempre o acompanha dois cachorrinhos de estimação, que ele apelidou de "Stalin" e " Lenin".

Fernando tem como dom dar apelidos nas pessoas: seu filho, Guilherme( filho da Otília Riet) ele chama de SUJO...
Foi o Fernando que quando militávamos juntos na ZH me apelidou de Sugismundo. Felizmente, o apelido - referência aquele ratinho que havia na televisão incentivando as pessoas tomarem banho - não pegou....

Só alguns mais antigos, como o Carlos Karnas, se lembram dele....

Fernando nasceu em Pelotas, em 5.10.1948. Filho de João Torres Goulart e de Eglantina Lemos Goulart. Em Porto Alegre, chegou a morar na Av. Bento Gonçalves, 489.Também residiu na rua Peri Machado,123.

Trabalhou na Zero Hora, na reportagem policial e na Folha da Tarde, no ESporte, onde cobriu o Inter.

Na vida pessoal,Fernando teve dois casamentos: um com a colega de profissão Otília Riet ( com quem tem o filho Guilherme) e outro com a atual esposa, uma professora do Estado.
Sua vida foi feita de altos e baixos. Passou por um acidente automobilistico quando regressava de Pelotas, nos anos 70, que levou meses para se recuperar,tendo que caminhar com muletas. Mesmo assim cumpria sua pauta de trabalho.

Há alguns anos atrás, num acidente dentro de casa, fraturou a cabeça e foi salvo pela habilidade dos médicos que o atendeu.O útimo emprego do Fernando - que foi também repórter durante anos de O Estado de São Paulo( de quem ganhou uma ação trabalhista milionária) - foi na Câmara Municipal de Porto Alegre, onde se aposentou.

 

Sérgio Moita


Falo com muito carinho do falecido colega Sérgio Moita, que conheci nos anos 70 na redação da ZH. Sérgio Roberto Souza Moita nasceu em 25.05.1948.Foi um dos primeiros repórteres de economia.
Filho de Walter Moita e de Ilka Maria Souza Moita.
Residiu na rua Gal. Lima e Silva, 697/11.
Trabalhou na Folha da Manhã - a Folhinha - da Cia Jornalística Caldas Junior.
Morreu na década de 80.

João Bosco Vaz


Um dia João Bosco Vaz,que era repórter da TV Gaúcha, com aquele seu jeito "xiru" de Bagé, entrou na redação da Zero Hora e lembro bem, anunciou a editora Núbia Silveira que iria ser candidato. Eu desdenhei, porque ouvi a conversa:
-Tu não te elege nem síndico do prédio,disse eu.

Mordi a língua.

Bosco foi pra política e é candidato(com chances razoáveis) a uma vaga de deputado estadual pelo PDT nas eleições de outubro.Nascido em Bagé em 16.07.1955, João Bosco Granato Vaz é filho de João Ignácio Vaz e de Amélia Granato Vaz. Já morou na rua Luiz de Camões,337/8.
Trabalhou no Correio do Povo e na Zero Hora.
Pra ver como seu deu bem na política em 2008, foi o segundo vereador do PDT mais votado em Porto Alegre. Só perdeu pra neta de Leonel Brizola,Juliana.

 


Leila Paixão Weber

A cruzaltense Leila Paixão Weber anda sumida do mapa. Nasceu em 08.08.1941.Filha de José Frederico Weber e de Suzana Paixão Weber.
Já residiu na rua Riachuelo, 841, na rua 17 de junho, 462/203 e na Cipriano Ferreira, 551/07.
É solteira. Tem um filho, que se chama Pedro nascido em 29.03.1970.Leila trabalhou no Diário de Notícias, onde ganhou um Prêmio ARI de Jornalismo. O Diário neste época ficava no Morro Santa Tereza.Leila foi editora nele. Mas também foi colunista no Jornal do Comércio, onde abrasileirou o termo shopping para "xopin". Sua coluna no JC era a "Nossa Cidade".
Se o nome define o futuro da pessoa este é caso da Leila:é paixão pura...ela canta e toca violão. Inúmeras vezes empunhou o violão e tocou no barzinho da ARI e nos bares da vida...
Era ciceroneava o casal Alceu Collares e Neusa Celina Canabarro quando os dois iam a algum barzinho da cidade, sendo Collares governador do Estado. Leila era apenas amiga dos dois, não tinha nenhuma CC...

Depois foi trabalhar, como boa notívaga, de assessora de imprensa no bar do Lupinho, o "Gente da Noite". Irreverente, porque Lupinho atrasava os salários, ela o apelidou de SE ACASO VOCE PAGASSE!!!

Bem da Leila!

O loko do Icaro!

Sempre pilchado e falando com um vozeirão, Ícaro Matter Cerqueira era o clássico - repórter que tinha causa, que tinha lado....

Ele nasceu em Porto Alegre, em 18.09.1943. Filho de Ademar Cerqueira e de Alma Matter Cerqueira.
Residiu na rua Guiné, 223, no Jardim Itati.
Trabalhou na rádio e televisão Difusora,atual Bandeirantes e na Folha da Tarde, da Cia Caldas Junior. Também trabalhou na Indústria de Carrocerias Serrana Ltda, na av. Sete de Setembro, 1058, em Erechim(RS).

Tem a esposa Regina (29.05.1948) e os filhos Viviane Sunziarai (23.12.1972) e Alessandra (19.04.1974).


 

Delmo Moreira,
o repórter de economia!

 

 

Delmo foi um dos primeiros repórteres da editoria de Economia de ZH, no começo dos anos 70.Raros eram os repórteres especializados neste setor. Delmo era um deles...

Foto de Ed Viggiani.

Delmo Moreira é o terceiro da esquerda para a direita. Ele comanda no Estadão uma reunião de Pauta em 1997.

Por isto, ascendeu profissionalmente, já que os jornais precisavam e precisam muito deste tipo de profissional. Ele lida com um setor muito sensível da sociedade, qual seja o das finanças...

Delmo nasceu em Esteio(RS) em 08.04.1954. Filho de Darcy Almeida Moreira e de Terezinha Marenco Moreira. Já residiu na av. Lavras, 400/303.
Trabalhou, além de ZH, na Gazeta Mercantil Editora Jornalística S/A. Casado com Neusa( 23.06.1953) tem os filhos Mariana( 06.02.1977 )
e Paula (10.07.1982).

Mudou-se para São Paulo,e em 1997, era um dos editores de "O Estado de São Paulo".

 

Coleguinhas

 

Corneteando eles....


* Inaugurado na segunda, dia 10/5,com pompa e circunstância, o site Sul21, editado por Vera Spolidora - ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas e ex-assessora de Tarso Genro - continuava fora do ar,ontem,dia 12/05 ao meio-dia....


* Hélio Gama, editor do Jornal OI Menino Deus, esteve ontem no forum que a Sociedade de Engenharia promoveu com o secretário da Infraestrutura do Estado,engenheiro Daniel Andrade....


* Jornal Gente, na Band AM, virou ontem de manhã12/05, discussão de 'TRÊS GRANDES ENTENDIDOS EM FUTEBOL": Affonso Ritter, Fernando Albrecht(Cascatinha) e Osiris Marins. Nenhum deles sabe a dimensão de um campo de futebol e nunca viram uma partida ao vivo diretamente de um estádio!Ah, tinha esquecido o que os três "sábios" do futebol discutiam: a convocação da Seleção Brasileira....Nossa....como diz aquele coleguinha que pelo menos cobre futebol há muitos anos....

* Serginho Ross não tem mandado matéria mais de Brasília. Ficou amuado porque eu "perfilei" uma coleguinha de Brasília. Ué, não sabia que ela tinha " donos"!!!

 

 

Coleguinhas

 

 

Corneteando eles...


*Paulo Moura, que trabalha há 50 anos no Correinho,encontra dias destes o diretor da Record no Sul, Natal Furucho, no corredor.

- O senhor trabalha aqui? disse Furucho

- Trabalho, mas tou louco pra me ir embora,responde Moura.

- Ah,mas nós precisamos dos novos e dos mais experientes, desconversou Furucho.


*Luis Carlos Vaz, hoje editando o jornal Solidário, trabalhava no Jornal do Comércio nos anos 80. Um domingo de noite, havia um SAMBA SUL, no Gigantinho, evento carro-chefe da rádio Princesa, do Grupo do JC,e foi um fotógrafo para o Gigantinho para fazer uma foto que iria pra capa do jornal.

Vaz tinha que fechar o jornal, porque ele vai por ônibus pro interior. Não podia "queimar" o horário.Colocou uma foto em que parte do Gigantinha estava bem vazia....

Na tarde do dia seguinte, foi trabalhar normalmente e quando chegou na portaria, o funcionário o orientou a passar direto no Departamento de Pessoal. Estava demitido. A " torre de Babel" que era o JC nos anos 80, culpou o editor de capas pelo vazio no Gigantinho....


*Luiz Carlos Vaz era assessor de imprensa da Rede Ferroviária Federal S/A - foi pra ´lá na gestão do coronel Paulo Nunes Leal - e logo descobriu que muitos viajantes do interior batiam na porta do prédio da RFFSA querendo hospedagem. É que aquele prédio na entrada da avenida Castelo Branco fazia crer que era um hotel na entrada da cidade.


*Vaz se esqueceu durante um acidente de trem de avisar a Zero Hora do acidente. A Folha da Tarde - da Cia Jornalistica Caldas Junior - foi lá e fez um carnaval. Vaz não sabia o que o esperava. Carlos Machado Fehlberg, que não perdoava, e era o editor de Zero Hora, começou a ligar pro Vaz na Rede. E dizia:

- Olha, Vaz, o PIlla( Luiz Pilla Vares, secretário do jornal) não vai mais publicar aqui teus artigos...

Vaz passou a tarde toda atendendo os telefonemas do editor-chefe de ZH.


Coleguinhas

 

 

*José Carlos Torves, ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas-RS está no pedaço. Veio pro congresso dos jornalistas que se desenvolve nesta sexta e sábado em Nóia....


*Causos do Passado....


Nelson Moura entrou concursado no DAER. Assumiu a assessoria de imprensa , numa época em que no departamento ninguém sabia muito bem como lidar com jornalistas e afins....

Moura, ou Mourinha, pros amigos, ficava numa sala que antecedia a sala do diretor-geral, que na época era Ernesto Kurt Lux ( foi quem fez a atual rodoviária de Porto Alegre ). Um dia chegou lá pra ser recebido pelo Kurt Lux o prefeito de Não-Me-Toque.

Moura estava em sua sala, quando Kurt Lux abriu a porta e ordenou:

- Introduz aqui o nosso prefeito....

Moura ficou encabulado!

 

Coleguinhas

 

 

Corneteando eles....

Luiz Carlos Vaz escreveu um artigo que foi publicado no Jornal do Comércio defendendo a manutenção da rodoviária de Porto Alegre no atual local( Largo Vespasiano Veppo). Havia uma polêmica pra se retirar a rodoviária e levá-la pra o lado do bairro Humaitá, ou seja, nas imediações do Aeroporto Salgado Filho.

Vaz disse no artigo que em volta da rodoviária existem terrenos pertencentes ao Estado e que ali a rodoviária poderá ser ampliada.

Mal sabia ele que dentro do próprio Governo do Estado, havia gente graúda fazendo lobby para que a rodoviária fosse levada para o bairro Humaitá....

Mas ela está lá até hoje.....

 

 

PONTE RECEBE PRÊMIO
EM SANTIAGO DO CHILE




O diretor-presidente da Construtora Pelotense, eng. Luis Roberto Ponte, receberá nesta quinta-feira (13) em Santiago do Chile, o “Premio por Transcendencia Empresarial y Gremial”, conferido pela Federação Interamericana da Indústria da Construção (FIIC). A empresa gaúcha é a única do Brasil a receber a premiação, por indicação da Câmara Brasileira da Indústria da Construção – CBIC. A escolha visa destacar não apenas o desempenho empresarial mas também a participação na atividade associativa. Fundada em 1958, a Construtora Pelotense atua ininterruptamente há mais de meio século nos vários setores da Engenharia Civil, incluindo os diferentes segmentos da construção pesada e de edificações. Luis Roberto Ponte presidiu o Sinduscon/RS e a CBIC, tendo sido igualmente constituinte, deputado federal, chefe da Casa Civil da Presidência da República e secretário estadual do Desenvolvimento e dos Assuntos Internacionais. O prêmio foi outorgado em comemoração aos 50 anos de fundação da FIIC, e será entregue durante o XXVII Congresso Interamericano da Indústria da Construção, que transcorre até esta quinta-feira (13).

Todt Comunicação

Concerto

 

Inglês tocou flauta

no teatro S. Pedro


Dentro do projeto Musical Petropar - que já tem quase 20 - o inglês Michael Titt, flautista - que vive nos USA - tocou ontem, dia 12/05 no teatro São Pedro, para uma reduzida platéia.O inglês veio dos USA especialmente para se apresentar dentro deste projeto.

No programa J.S. Bach ( Triosonata para 2 flautas) Adagio, Allegro Ma Non Presto, Adagio, Presto) Cécile Chaminade( Concertino para Flauta em Ré Maior)

Michael Head( By the River in Spring), Heitor Villa-Lobos( Hommage à Chopin, Nocturne e Ballade) e Franz Doppler( Andante e Rondo para 2 Flautas e Piano).
O projeto é sempre às 4, as 12h30minutos. Os próximos concertos serão dia 19/5( Graça Garcia) , dia 26/05, Alberto Heller.

 

Coleguinhas

 

 

Corneteando eles....


* Sobre o comentário na Band AM, de ontem de manhã, o colega Affonso Ritter manda dizer;

"É futebol demais para meu gosto. Acho que nosso público não é disso. Talvez hoje(ontem) por causa da seleção" Affonso.


*Tem gente achando que o sindicato dos jornalistas-RS errou ao fazer seu congresso em Novo Hamburgo. É muita mão de obra todo este deslocamento...


*Se em Porto Alegre , a participação dos jornalistas já é complicada, imagina levar isto pra cidade da Grande Porto Alegre!


*
José Carlos Torves ficou 3 meses andando de muleta por causa de uma cirurgia de menisco. Agora já está bom.

 

 

Justiça do RJ nega indenização a 800 garis por comentário de Boris Casoy

Falei aqui do assunto Bóris Cassoy X Garis....

Pois a Justiça segundo notícias do Portal Imprensa está negando direito aos "ofendidos"!


Redação Portal IMPRENSA


Divulgação

Boris Casoy


O 4º Juizado Especial Cível do Rio de Janeiro negou pedido de indenização impetrado por 800 garis contra a Band, por comentários contra a classe feito pelo apresentador Boris Casoy. Na sentença, o juiz Brenno Mascarenhas considerou que a declaração do jornalista, realizada no dia 31 de dezembro, não foi ofensiva à categoria.
Durante o "Jornal da Band", sem saber que estava sendo gravado, Boris comentou uma mensagem de ano novo protagonizada por dois garis. "Que m...dois lixeiros desejando felicidades...do alto de suas vassouras. O mais baixo da escala de trabalho", disse o apresentador. Um dia depois, após intensa repercussão, Casoy pediu desculpas pela declaração.
Segundo o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), após o comentário, foram impetradas 163 ações contra a emissora e o jornalista. Em sua defesa, Casoy disse classificou a declaração de "gafe".

Mascarenhas avaliou que apenas os dois garis mostrados no vídeo poderiam entrar com ação por danos morais contra o jornalista, o que não aconteceu. Mesmo ao negar a indenização, o juiz argumentou que a declaração de Casoy revela "constrangedor preconceito e produz indisfarçável preconceito" do apresentador.
No dia 07 de abril, houve audiência da ação e não houve acordo entre a emissora e os garis que acionaram o jornalista e a emissora.

 

Laurinho nervoso...

 

 

Era como andava na terça, Lauro Dieckmann em Barcelona pronto pra voltar pro Brasil, nesta quinta. Mas tudo depende das cinzas do vulcão islandês....

Foi o tour mais longo dele dos dois últimos anos...Saiu daqui dia 27 de abril passado....

Lauro aproveita pra viajar porque usa o que ele chama de "vale-câncer". Como operou-se deste mal, ele não pagará imposto de renda por cinco anos....


*O último post do Laurinho no seu ( bom) site foi na segunda,dia 10/05. Mas ele tem torpedeado pra Rosinha, sua esposa em Porto Alegre....


Coleguinhas

 

 

Corneteando eles....

Nao convidem para a mesma mesa Salete Cadore, que hoje é a presidente do PMDB de Serafina Corrêa e o vereador do DEM, o prestigiado médico da cidade, Paulo Massolini, filho de um ex--prefeito do município, Guerino. Num velório no ano passado, um amigo comum dos dois políticos - Salete e Paulo - ficou ouvindo a "corneta" da Salete contra Paulo. E ele sem ter o que fazer, porque é amigo dos dois e estava em Serafina - reside em Sarandi(RS) apenas para "prantear" o amigo que morreu cedo e inesperadamente.....

 

 

Currículo

 

 

Salete Cadore, atual presidente do PMDB de Serafina, foi secretária adjunta da Educação quando ocupou a pasta Marisa Abreu. Antes fora do Governo de José Ivo Sartori, em Caxias e foi também secretária da Saúde de Serafina, num dos governos de Valcir Reginatto, o Polaco.


 

Odone

 

Na Folha de São Borja, edição 3440, vejo este "enorme" anúncio do deputado Paulo Odone....pensei,pensei...mas o que tem haver o Paulo Odone, da Barra do Ribeiro, com a terra natal do ex-presidente Jango....

Aí meu caiu a ficha!!!!!


anúncio do deputado Paulo Odone


 

Felipão

 


Luis Felipe Scolari


Era 1973 e o Aimoré, de São Leopoldo disputava uma partida contra o Grêmio Portoalegrense. Lá estava Luis Felipe Scolari, como zagueiro do time "capilé"!!!


 

 

Desde São Borja!

 

 


O último dos três políticos municipais mais importantes de São Borja que integraram o velho PTB, MDB, PDT ou PMDB faleceu no útlimo dia 02 , aos 90 anos. Trata-se do engenheiro agrônomo Pérsio Colombo Lima que foi velado na Câmara Municipal e enterrado,às 10 horas do dia 03, uma segunda-feira,no Cemitério Jardim da Paz, onde já repousam importantes figuras políticas da cena riograndense, como o ex-presidente Jango e o ex-governador carioca e gaúcho, Leonel de Moura Brizola.

A morte de Pérsio encerrou um ciclo da vida pública da "Terra dos Presidentes",iniciado em 1964,após o golpe militar, tendo como protagonistas o próprio Pérsio, Florêncio Aquino Guimarães e Mauá Benjamin da Costa Ferreira.

Como adversário deste três, atuou o ex-prefeito de São Borja e ex-deputado estadual, Juca Alvarez.

Currículo

Pérsio foi vereador pelo PTB de Itaqui(RS) em 1952 e sem São Borja, para onde se mudou, exerceu seis mandatos, dois pelo antigo PTB, um pelo MDB e dois pelo PMDB. Foi presidente da Câmara Municipal por três vezes tendo encerrado seu mandato em 1996, aos 76 anos.
Pérsio foi fundador do PTB, do MDB e do PMDB e manteve estreita ligação com os ex-presidentes Getúlio Vargas e João Goulart.
Foi um dos artífices da redemocratização e ficou gravado na memória dos seus conterrâneos o discurso que ele fez na Praça XV de Novembro, centro de São Borja, debaixo de uma chuva torrencial, no retorno de Sereno Chaise à política.

Durante aquele pronunciamento, Pérsio fez o povo vibrar e disse uma frase que até hoje ecoa na memória dos sãoborjenses e que representa um dos mais belos momentos da rica história dos políticos locais:
- Cadeia foi feita para homem e não para covarde e se esse for o preço da minha luta pela democracia, estou pronto a cumpri-la, porque sei, mesmo estando lá segregado, que eles, os nossos algozes é quem na verdade estarão aprisionados, pelas suas idéias de ódio e de vingança, quando a luta deveria ser por uma causa e a causa da verdade e do povo brasileiro está conosco.

Na cerimônia de despedida, falaram pelo PMDB a presidente local, Tânia Carpes. O vereador Roque Feltrin,presidente em exercício do legislativo municipal e o prefeito Mariovane Weis(PDT) também discursaram enaltecendo a figura do político que estava sendo enterrado.

 

 

Palanque!

 


Pelo visto, o atual presidente da Federasul, José Cairolli , está fechado com a reeleição da governadora Yeda Crusius. Ou então é a entidade...que aderiu ao segundo mandado da governadora.

Ontem, de manhã, perante um bom público de engenheiros, na Sociedade de Engenharia, o secretário da Infraestrutura, o engenheiro Daniel Andrade, também citou Cairolli.

 

 

Foi-se a Ford!

 

 


Faz 11 anos que a Ford não "veio" para Guaíba (RS).Fato foi lembrado pelo engenheiro Daniel Andrade, secretário da Infraestuturta do Governo do Estado em palestra na Sociedade de Engenharia,ontem,dia 12/05.
E disse que a governadora irá fazer em Guaíba os investimentos que a Ford " faria...."


Falar nisto, onde andam aqueles motoristas de carros de Porto Alegre que em 1998 ostentavam um decalco que dizia: TE FORD PT!

 

A " informalidade" das redações!

 


Redação de jornal(ou rádio,ou tevê) nos anos 60,70,80,90 era
local de guerrinhas de papel(porque tinha a lauda) de pequenas
brincadeiras como esconder o sapato de alguém que o tirasse, entre
outras brincadeiras. Dizem que uma vez havia uma briga de papel e de
laranjas na redação da Folha da Tarde e que estava chegando ao
expediente o Dr. Breno( Breno Caldas, dono do jornal). Um dos
atiradores acertou uma laranjada no dr. Breno, que levou na
esportiva.


A " informalidade" das redações


Botar as pernas encima da mesa de trabalho, era
corriqueiro....Contam que o ex-presidente Médici veio visitar seu
ex-assessor de imprensa, Carlos Fehlberg, na redação da ZH e que o
ex-subordinado estava com as pernas sobre mesa, falando ao telefone
e comendo um sanduíche enquanto falava. Médici teria lhe passada
uma carraspana pela falta de compostura....


A " informalidade" das redações


A " informalidade" das redações


A " informalidade" das redações


A " informalidade" das redações


A " informalidade" das redações


A " informalidade" das redações

 

 

Prestigio

 

 

O secretário da Infraestrutura do Governo do Estado, Daniel Andrade mostrou ontem, na Sociedade de Engenharia que tem prestígio entre os deputados: estava lá o presidente do legislativo estadual, Giovani Cherini(PDT) e Pedro Whesphalen, do PP.

Federal

O deputado estadual Kalil Shebe confirmou,ontem, a este site que concorre a deputado federal pelo PDT.

 

 

Porto Alegre x Milão

 


Por Luiz Oscar Matzenbacher


Tive um sonho fantástico. Sonhei com Inter x Inter, em dezembro nos Emirados, pelo Mundial de Clubes. Pois, há um ano atrás eu iniciei um artigo assim, Porto Alegre é cada vez mais idêntica à cidade de Milão, na Itália. Nem tanto pelos descendentes de italianos e muito menos pelo tamanho da população, ao redor de 1,5 milhão de habitantes, considerada o ideal da Pólis Contemporânea. Ambas têm as melhores qualidades de vida das capitais de seus países. Porto Alegre e Milão também são os centros de áreas metropolitanas de alto desenvolvimento econômico, social, ecológico, cultural e se afirmam como atrações turísticas e futebolísticas mundiais. Pois se agora, a Capital Gaúcha está mais parecida ainda com Milão, imaginem se o Inter seguir em frente na Libertadores.
Nenhuma outra cidade brasileira ou italiana têm dois clubes que estão constantemente na crista da onda do futebol nacional e mundial, como o Internacional e o Grêmio ou Mílan e a Inter de Milão.
Em Porto Alegre temos agora, em uma semana apenas, dois jogos decisivos da Libertadores e Copa do Brasil. No ano passado eram jogos da Recopa, Copa Brasil e Libertadores. Agora, o Dunga treinador gaúcho, oriundo do Inter de Porto Alegre, convoca jogadores e começa a trabalhar com a Seleção Brasileira, na mesma semana em que o Grêmio inicia a decisão das semifinais da Copa do Brasil com o Santos e o Inter disputa as quartas de finais com o Estudientes de La Plata, atual campeão da Libertadores de América. Lá em Milão, o Inter deles, busca o título europeu, enquanto aqui o nosso Inter, busca o título sulamericano. Já imaginaram uma final Internazionale x Internacional em dezembro, no Mundial de Clubes da Fifa/2010?

Lamentamos apenas que a nossa Juve, o Juventude, tenha caído. Mas a deles também penou por esse caminho. E, se for preciso, o Caxias já começa a substituir o Juventude, na Grande Porto Alegre.
Eu sei que os caxienses não vão gostar de serem chamados de moradores de um arrabalde de Porto Alegre, mas estamos a menos de 1h30min de distância, tanto por ônibus como por automóveis. Em São Paulo e no Rio de Janeiro poucos bairros estão tão próximos ao centro como Caxias do Sul está do centro de Porto Alegre.
Sei que vão dizer que nós gaúchos somos muito orgulhosos do nosso futebol. Mas, eu que nasci em Porto Alegre e torço para o Internacional, posso ou não posso ter esse orgulho, tchê?

 

 

Coleguinhas

 

 

O Mazza pede pra não divulgar. Mas não consigo. Uma coisa tão boa, como ficar só pra mim!!! Os leitores são a minha razão de viver!!! Se não querem que eu publique, não escrevam e não mandem...escrever cartas pra gente não tem graça. Parece história - de Serafina,claro - de um vizinho lá do meu avó que jogava cartas com um "cego" imaginário que ele inventava. O " cego" lhe roubava e ele xingava o "cego" imaginário....

 

*Sempre que posso, leio o Prévidi Com. Não acho que o Cabeça seja aquela
Brastemp que ele pensa que é, mas tem boas fontes. Digamos que é arroz
com feijão, mas qual o dia que a gente não come arroz com feijão......

Bom, ele tá pedindo pro Mendelski contar a História do Grupo
Ivanhoé...Bah, só pra ti, porque ela já foi contada pelo João Carlos
Terlera, pelo próprio Rogério, várias vezes. Não requenta café,
coleguinha....Já tá ficando até chata de tanto que contaram esta do Grupo
Ivanhoé....Meu pai sempre dizia que uma música, mesmo sendo muito
boa,quando tocada seguidamente, enjoa.,..


.............. ..

Ô Seu Olides, te toca!


01) - Sobre a nota 1: Cuida do teu site! Deixa o cara trabalhar.

02) - Sobre a nota 2: O Caso Ivanhoé as novas gerações não conhecem. A
história precisa ser contada sempre, para permanecer viva. Essa e todas
as outras. Caso contrário, encerra também as tuas histórias de Serafina
C. E outras tantas que publicas ou reproduz.

03) - E nâo precisa divulgar este posicionamento (O Sérgio Ross tem
razão). Vai parecer que quero fazer média com o Prévidi e o Mendelski,
que por sinal são vinhos de boa pipa, que alguns corneteiros não gostam e
isto os fazem melhores.

04) - Eu insisto: Vá pro Rio Carrero, férias, vinho, uns livros e talvez
alguns de Encantado pra botar pilha.


05) - Viva Serafina, a terra que só cresceu depois que os maldosos foram
pra Capital ver O Laçador!

Abraço,


mazzarino


 

O Novo mapa eleitoral do Uruguai!

 

Los votos por departamento según la Corte
Caídos del mapa

Según los datos primarios de la Corte Electoral, así está repartido el país después de las elecciones departamentales.


 

 

SECRETÁRIO DANIEL ANDRADE NO
FÓRUM DE INFRAESTRUTURA

 



O secretário de Infraestrutura e Logística, Daniel Andrade, fará palestra nesta quarta-feira (12) na abertura dos trabalhos do Fórum de Infraestrutura das Entidades da Engenharia, abordando o tema “A Infraestrutura como Agenda de Estado”. O evento será realizado às 8h30min, na sede central da Sociedade de Engenharia do Rio Grande do Sul – Sergs, Travessa Eng. Acylino de Carvalho, nº 33 – 8º andar. Integram o Fórum, além da Sergs, a Ageos, Crea/RS, Coinfra/Fiergs, Senge/RS, Sicepot e Sinaenco. O Fórum de Infraestrutura das Entidades da Engenharia foi criado com o objetivo de implementar ações e projetos que visam o desenvolvimento de políticas de Estado para o setor. Vai discutir, articular e promover estudos, realizar diagnósticos de problemas bem como promover o desenvolvimento integrado e sustentável para a redução de desequilíbrios no segmento de infraestrutura e logística do Estado.

Todt Comunicação

 

Palanque

 

foto de Eduardo Belmonte

Olívio Dutra,ex-governador, no Museu João Goulart.

O silêncio de Olívio Dutra!

O ex-governador Olívio de Oliveira Dutra não tem dado sinais de que vá concorrer a algum cargo nas próximas eleições. Depois de deixar o cargo de presidente estadual do PT(Partido dos Trabalhadores) - foi eleito para o mesmo o deputado estadual Raul Pont - Olívio tem mantido um silêncio quase sepulcral sobre quase tudo. Dias atrás, os ouvintes da rádio Guaíba - no programa Bom Dia, do Mendelski - estranharam algumas declarações do ex-governador que alegava não falar sobre seu passado. Não era Olívio, era um sósia, no caso o apresentador André Haar, da Record, que sabe imitar pessoas públicas como Olívio à perfeição.

 

 

Histórias de La Úndeze!

 

A pessoa pública mais
conhecida de Serafina,
vem da roça,
não da cidade!

Por paradoxal que possa parecer, a pessoa pública mais conhecida de Serafina,fora do município, não nasceu na cidade e sim na roça. Chama-se Casemiro Mior, foi jogador do Grêmio e do Inter - e de outros clubes - também e seu nome é uma homenagem que seu pai fez ao amigo Casemiro Zanetti, da linha Caçador, de Nova Bassano.

 

Acervo Olvindo Canton

Casemiro Mior, a figura pública mais conhecida de La ùndeze,

em visita a terra natal sendo recepcionado por torcedores.

Casemiro começou jogando no time amador chamado de Canarinho, na Capela Santana,na Linha Doze.Naquele time, nos anos 70, começaram a despontar alguns talentos. Além do próprio Casemiro, seu irmão, Armando, que também jogou em times profissionais, mas que veio a falecer, aos 24 anos,em 04.08.1988, vítima de um AVC. Armando,depois de iniciar nos times amadores, jogou em times profissionais como o Curitiba e o Juventude de Caxias. Mas ambos os irmãos - Casemiro e Armando - atuaram nos times de Serafina, o Gaúcho e o Botafogo.

Na edição do último domingo, do Correinho, na sua coluna, Luis Carlos Reche relembrou toda a trajetória de Casemiro, que iniciou no Canarinho, da capela Santana.
Casemiro nasceu em 7/1/1958, Reche diz que Casemiro " não era craque. Foi regular".

 

Lixeiros não largaram o pé do Boris Cassoy

 


Boris Casoy


O apresentador Boris Casoy, aquele que usa o bordão," Isto é uma vergonha"!, hoje na TV Band, não conseguiu fazer um acordo com os lixeiros que o processam...Tudo por causa de um comentário que os lixeiros consideraram injurioso que Casoy fez na edição do jornal de 31 de dezembro do ano passado, aqueles balanços que as televisões costumam fazer sobre o ano que está terminando.

Boris Cassoy já trabalhou em Jornalismo impresso e na Folha de São Paulo era o responsável durante anos pela coluna Painel.

 

Coleguinhas

 

Corneteando eles....

*Pô vai ser fã assim lá em Lajeado...O Laurinho Dieckmann no seu blog indica três blogs da coleguinha Laura Peixoto...Vai ver é porque são homônimos...mas ele indica o Varal da Laura, o Escrevinhadores e Escritores e o Guarda-Chuvas e outros Achados....Também acho a Laura Peixoto original, mas não pra tanto...!!!


*A Ellen Braun tá quase "batumando". No programa Bom Dia, na rádio Guaíba, onde ela substituiu o veterano locutor Vladimir Oliveira, que não se deslumbra mais com "adulações" dos ouvintes...A Ellen, pelos comentários, já tá se achando. Dizendo de onde vem a família, e outros que tais....tá no ponto de começar a sair na rua e dizer:
- Sabes com quem tá falando!!!


* Olha, fui acostumado num outro tempo. Talvez este nem mais exista. Mas bajular repórter, não existia no meio de jornalismo...Talvez por isto me espanto quando vejo coleguinhas por aí querendo ser a notícia....

* Uma vez, na ZH, a Bebel Braga, queria sair na ZH e o Lauro Schirmer cortou-lhe os naipes. Como dizia o Lauro, notícia na ZH de gente da casa era só da família imperial, dos Sirotsky....

 

 

Histórias de La Ùndeze!

 

 

O futebol sempre foi uma forma de lazer em Serafina, embora poucos craques tenham saído daquelas colônias. Muitas pernas se quebraram naqueles potreiros dando trabalho aos "justaossi"( massagistas amadores) que quebravam o galho, pela falta de recursos médicos.


Titi Migliavaca e um Tasca, da Linha Doze!

Nestas fotos vemos as atividades futebolísticas do Atílio Migliavaca, conhecido na cidade por Titi. Ele era motorista da prefeitura municipal e se aposentou no dia 30 de abril passado.


Titi Migliavaca,segurando um cigarro, dá entrevista a radialista de Veranópolis. Observado aos fundos pelo craque Kide Fedatto.

 

Segundo um serafinense "importado", Mauro Rocha - filho do "Zator" Mário, como os colonos chamavam o exator Mário Rocha, Titi era o "meia-esquerda " do Gaúcho. Jogar no Gaúcho era sinônimo de grande status, embora ali sempre tivesse lugar os filhos do Miguel Soccol, que era o dono do frigorífico Ideal que patrocinava o Gaúcho.


Titi Migliavaca e um Tasca, da Doze, levantam a taça!


Mauro, hoje professor da UPF, residindo em Sarandi(RS) lembra que Titi era além de motorista da prefeitura municipal ! meu vizinho e cunhando do grande gol-kipper-Yesbik e meia-esquerda do Gaúcho".
Se o Mauro disse, está dito!

Grande Titi....
Mas não reparam pra "pança" do Tasca,colega dele, porque lá em Serafina jogavam assim mesmo!!!

Coleguinhas

 

Corneteando eles....

* Caco Barcellos está hoje, dia 12/05, em Porto Alegre onde vai fazer matéria sobre os "meninos da vila...." Não sei não, com o Dunga tendo cortado as asas deles, acho que a pauta caiu....

* Era muita pretensão do coleguinha Caco Barcellos na semana passada: querer que o Dunga, no momento mais importante que o Lula, fosse dar entrevista pra ele poucos dias antes do anúncio da lista da seleção brasileira...Esta o Caco não levou. Tentar, não custa nada!

* Isto é bem do estilo do Caco: marqueteiro pra caramba...se ele consegue que o Dunga fale, ele sai mais falado que o próprio treinador....

*TVE e FM Cultura não dão mais matérias sobre Polícia e Futebol. " E que pautas nós vamos fazer" queixou-se pra mim a repórter Heydi Gherard .


* Fogacinha, irmão do candidato a governador, José Fogaça, está assumindo a TV Cultura, em São Paulo.


Coleguinhas

 

Corneteando eles....

Com grande destaque na mídia ontem,dia 11/05, com matéria e foto na página dois do Correinho, o site da Vera Spolidoro(leia-se PT!) Sul21 estava fora do ar, ontem, por volta das 17horas. Dizia apenas; POR PROBLEMAS TÉCNICOS, ESTAMOS FORA DO AR!"
Um dos sócios do empreendimento é o advogado Jorge Buchabqui, ex-secretário de estado(Administração ) do Governo de Olívio Dutra e amigo pessoal do candidato do Governo do Estado do PT, Tarso Fernando Genro.

 

 

Lucimar

 

Não acreditando no próprio taco!

Pelo visto, a pré-candidata a deputada federal pelo PTB, de Serafina Corrêa, a ex-vereadora e ex-presidente da Câmara Municipal local Lucimar Magon não está acreditando no próprio taco. Ela está em Fortaleza, há vários dias, onde o marido, Nestor, que foi candidato a prefeito local nas últimas eleições pelo PTB tem negócios em hotelaria.


 

Banho de água....

 

Valter Todt, que diariamente almoça no Gambrinus, no Mercado Público, levou ontem um banho de água, quando se preparava pra assinar o cheque e pagar a conta....Pior...a água não veio propriamente da rua, embora chovesse. Veio do andar de cima, de um outro restaurante que existe no andar superior...Sacanagem da grossa. Chamaram guardas e tudo, mas aí não acharam mais ninguém. Todt ficou puto da vida...com toda a razão.....

 

 

Só a bóia....

 

Hoje, a Federasul, entra só com a bóia pros repórteres setoristas de todas as quartas. É que o executivo da Brasken que falará hoje na entidade suspendeu a coletiva aos jornalistas porque um evento maior assim o exigiu. Fala-se num novo negócio da empresa.....


Deputados

 

Lista de políticos que não concorrem a reeleição;

Ibsen Pinheiro(PNDB), Sérgio Zambiazi(PTB) Germano Bonow(DEM), Alberto Oliveira(PMDB).

Há dúvidas sobre Luis Fernando Záchia e Giovani Feltes,ambos do PMDB!

* Já algumas hostes do PDT dão como certa a eleição de oito deputados estaduais aumentando a atual bancada de sete pra oito cadeiras...

Além de cinco dos atuais, que são dados como reeleitos certos, há boas perspectivas para novos nomes entre os quais citam-se Juliana Brizola, Nicola(de Sarandi) e outros oito....

 

 

Histórias de La Undeze!

 

Abramo Dallanhol queria ser

vereador mas lhe faltaram os votos!


Abramo Dallahol, tio deste autor, vivia para a política. Mesmo sendo um agricultor , gostava de ir de casa em casa conversar sobre seu tema predileto. E era fanático do PTB. Quando veio 1964, Abramo, que naqueles interiores não entendeu muito o que estava ocorrendo, ficou um tempo quieto, com medo dos militares, mas depois voltou a particvipar da política, no partido das Oposições, o MDB

Depois de muitos anos pedindo votos para os outros, Abramo, que nunca foi de basquetear muito, resolveu ser vereador. Quando deu a notícia em casa, teve logo a Oposição de sua filha, Palmira, a segunda, que lhe deu uma ducha de água fria.

- Pai, ao invés de gastar com campanha, vai arrumar teus dentes....

Abramo vendeu o jeep e foi seguir sua paixão, porque achou que se elegeria fácil. Precisaria de no mínimo 170 votos...

Percorreu capelas, cumprimentou parentes - se todos votassem nele estaria eleito, mas sabe como é, parente gosta de dar contra - comeu churrascadas, outras ele pagou...mas no fim das contas, ficou difícil. Mas ele era um incorrigível otimista e achava que se elegeria. Tanto que já estava fazendo cálculos para se tornar o Presidente da Câmara dos Vereadores...

Mas no dia da eleição, os eleitores é que não foram suficidentes...Dos 170 votos que precisava, fez apenas 72, segundo seu genro, Pedro Paloschi...

Abramo ficou com vergonha. Durante uma semana não foi a nenhuma bodega, coisa que ele fazia todos os dias, em umas quatro ou cinco....
Ficou uma semana em casa, curtindo sua ressaca e depois voltou a sair....

Mas sem o jeep que ele tinha gastado na campanha....

Pessoalmente, lembro dele num sábado em que o então senador Pedro Simon,candidato a governador, em 1986, chegou a Serafina Corrêa para um comício. Era o ano do Plano Cruzado e aquilo era quase um " estelionato" eleitoral porque todo mundo votaria no PMDB.
Meu tio estava no trevo de acesso a Serafina Corrêa aguardando a comitiva. Carregou nos ombros o senador e com ele caminhou alguns metros. Foi seu dia de glória, porque infelizmente na Câmara dos Vereadores nunca puderam ouvir um discurso seu....

Faleceu antes de completar 70 anos de idade!

 

 

De Brasília!

 

Ministro na Corda Bamba!

O Ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal(STF),está resistindo mas as dores na sua coluna o estão deixando praticamente impossibilitado de não pedir aposentadoria. Muitas sessões das quais participa o ministro - que ganhou o respeito do país ao analisar o Mensalão - ele tem que ficar em pé porque não consegue sentar. A situação é crítica......

 

 

MOVIMENTO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS/Brasil INFORMA:


Queridos(as) Companheiros(as) e Amigos(as) Todos(as):

Olá !

A OAB-RJ colocou um abaixo-assinado pela abertura dos arquivos da ditadura em sua página na internet.

Aderir é bem rápido !!!

Segue o link:

http://www.oab-rj.org.br/forms/abaixoassinado.jsp

Com os meus agradecimentos, segue um abraço dos bem fortes,

Jair Krischke


 

 

Coleguinhas

 

Corneteando eles...


Pouco caso...

Os telespectadores gaúchos não conseguem mais assistir ao telejornal " Leitura Dinâmica" ou ao " Programa do Amaury Junior". A Rede Pampa que é repetidora da Rede TV! em Porto Alegre, não deixa. Os programas da emissora em questão foram substituídos pelo " Studio Pampa"! uma coisa absolutamente assustadora.Terrível.De tão ruim chega a ser engraçado.

( Da coluna Canal 1 de Flavio Ricco, do dia 9/05/2010

* Rogério Mendelski, no Bom Dia, de 10/05, chamou o falecido deputado estadual(e federal) Hilário Braun(PMDB) de LINO BRAUN....Coleguinha, misturastes as estações: é Lino Zardo e Hilário Braun....

Mendelski disse que quando Braun vinha de Três Passos - ele que tinha uma cadeira de lojas - trazia gremistas e os levava pra " capelinha" do Grêmio, no caso a boite GRUTA AZUL, da avenida Farrapos.


* Caco Barcellos, da TV Globo, andou aí de quinta passada,até o sábado. Foi a Ijuí, atrás do treinador da seleção brasileira, Dunga...Mas não o achou. Aí Caco tentou a ajuda de Nando Gross,da rádio Gaúcha. Mas mesmo assim a resposta foi que Dunga não dá entrevista pra ninguém. Vai dar a lista da seleção brasileira nos próximos dias....
Só depois dela, é que fala...

Caco volta nesta quarta,amanhã, pra fazer matéria com os " guris" do Santos que jogarão contra o Grêmio, pela Copa do Brasil. Não prometo nada, mas se possível vou entrevistar a "estrela" da Globo que saiu do Partenon pra se tornar a griffe que é hoje...

* Ainda o Caco: ele embarca dia 5/06 pra Africa do Sul, onde faz matérias sobre a Copa do Mundo!

 

 

Coleguinhas

 

Corneteando eles....

Encontrei,hoje,10.05 na rua o Cristiano Darsch que me larga:
- Bah, te deram uma porrada e bem dada!

- Então tu lestes tudo?
- Claro...

Lembrei-me daquele caso dos anos 90: na redação da ZH, houve uma interceptação de correspondência eletrônica.
O editor chega pro subordinado e tenta consolá-lo:
- Foi a única coisa que tu escrevestes até hoje que foi tudo lido....

Bah....Bah....Bah....

 

 

Coleguinhas

 

* Antônio Goulart - nascido em Pinhal Grosso, no interior da Vacaria e também chamado maldosamente de " haja luz no fim do túnel" - porque ele foi o responsável pelo Almanaque da ZH durante alguns anos, concluiu uma pesquisa interessantissima: o Erico Verissimo escritor. Ele me adiantou que Erico teve muita importancia jornalística,embora este seu lado seja o menos conhecido.
Érico foi um dos presidentes da ARI, Associação Riograndense de Imprensa, ao tempo que a entidade tinha o respeito da sociedade.

* A JA EDitores, do" Bicudo",( Elmar Bones da Costa), deverá editar o livro do A. Goulart, que ainda não tem título.

* Esperemos e torcemos que o Juremir Machado da Silva não pegue no pé do Goulart por causa de "falhas" do livro....É que Juremir tem uma obsessão nos temas dos Verissimo!

* Jornalistas do Estado vão se reunir na Fenac na sexta-feira de noite e no sábado em congresso estadual! Um dos palestrantes é da Folha de São Paulo, mas é gaúcho....

* Fontella, de São Borja, mandou chasque esta manhã- 10.05 pro Mendelski na Guaíba,sugerindo que Juremir Machado da Silva ao invés de falar mal dos Vargas, fosse tratar de um outro tema....Nossa!!!como diria o professor aquele....eu não li o livro do Juremir sobre Getúlio, agora até fiquei com curiosidade!


 

Diário de viagem de Lauro Dieckmann

 

Granada - mais impressões


O nome Granada vem da planta que, em Português, chamamos romã. A fruta tem grãos, daí... Talvez esta seja também a etimologia de granada, a arma de guerra. Ainda não olhei no Google, mas tudo indica que seja.
A atividade econômica da região é baseada na lavoura - criação de porcos, principalmente o porco da pata preta, de laranjas, verduras etc... - na vida acadêmica - tem uma das universidades mais importantes da Europa e no turismo (bom clima, bons hotéis, boas estradas e muitas atrações).
Como outras cidades espanholas, que estão implantando ou ampliando o metrô que já existe, Granada faz o mesmo. O que vai ampliar a área urbana e ocupar a zona rural que fica no entorno da cidade.
Salvo um que outro pedinte, não se vê pobres nas ruas. O tráfego, nas principais vias, é lento (não é novidade, em qualquer cidade européia é assim). Além dos carros - tudo novo, incluindo o Skoda Octavia, que é um belo carro - há muita, mas muita mesmo, moto circulando. Desde a do tipo Biz até a motos de grande porte.

No momento em que escrevo este 'post' a TV informa que os Trabalhistas -- diante de tantas c...das do governo Gordon Brown (corrupção, inclusive, embora uma corrupção muito mais amena que a que campeia no Brasil) perdeu as eleições. A terceira-via dos liberais-democratas, que ameaçou surpreender, acabou superada pelo voto útil nos conservadores. Manteve-se, portanto, a tradição do bipartidarismo.

A propósito de política, chama a atenção de como os jornais europeus, em sua maioria de proprietade de grupos empresariais, caem de pau nos governos socialistas, no estado do bem-estar social que ainda predomina na Europa. Explica-se estado do bem-estar social é uma ampla difusão da previdência social, que inclui aposentadoria, saúde, apoio ao desempregado, renda social de inserção. Por causa dessa renda social de inserção é que não há miseráveis por aqui, não há quase pedintes nas ruas etc.

Os jornais reclamam de tudo isso. E como reclamam. Chegam a ser tão chatos como a Folha de São Paulo, que pega o assunto do dia e pauta todos os comentaristas - e como tem - para falarem todos sobre o mesmo assunto (caindo de pau no governo, embora aí, no Brasil, mereça).

Ainda as eleições inglesas: os conservadores ganham, mas não têm a maioria no Parlamento, o que obriga conchavos (como no Brasil).

E, na França, o Sarko está indo ladeira abaixo. Bem, o cara não tem o menor conteúdo, é uma jogada de marketing. Aconteceu, com ele, o mesmo que acontece agora na Inglaterra (o partido no poder fez tanta, digamos, bobagem, que deu a vitória à oposição).

Para finalisar, futebol: os europeus estão loucos por Cristiano Ronaldo e Messe.

Ah! mais uma: aqui e ali se le uma notinha falando bem do Brasil, do desempenho do país diante da crise de 2008, das perspectivas, da estabilidade (graças ao Plano Real do FHC), do Presal etc... Mas eles não deixam de publicar, também, tudo que de exótico acontece por aí.
Quem está mal na foto é a Argentina, por causa do calote da dívida que eles deram (e continuam sendo cobrados).
(o texto está sem revisão e sem fotos, pois está na hora do café da manha e de partir para Toledo e Madri)

 

Contato

 

Caro Sr. Olides,

a pedido de meu pai, estive procurando na Internet por um velho amigo seu, Roni Luiz Paganella.
Em seu blog, descobri, que o senhor também o conhece e que inclusive já escreveu um livro sobre seu acidente.
Gostaria de lhe pedir, gentilmente, o contato com Roni pois meu pai (José Sampaio) gostaria muito de retomar o contato.
Desde já agradeço e me desculpo pelo incômodo.
Cordialmente,
Viviane Sampaio.

 

Entrevista do presidente Lula da Silva ao Jornal El País, de Madrid.

 

"Hay que cambiar la ONU. Si sigue así, no servirá para el gobierno global"


Un socialismo del sentido común.


JUAN LUIS CEBRIÁN 09/05/2010


Prefiero un carnaval a una guerra". Posa su mano de obrero sobre mi rodilla, en un ademán de complicidad, de camaradería, de evidente franqueza, porque esa es su fuerza y su convicción, la de comportarse como lo que es, como verdaderamente le miran los brasileños, "soy uno de ellos, uno como ellos", viene de donde ellos vienen, habla como ellos hablan, "no soy un extraño en el nido", y hasta que llegó al poder vistió como ellos visten, "aunque trabajé durante veintisiete años bajo un overol nunca me encontré a gusto; con dos meses de corbata no tuve dificultad en acostumbrarme a ella, es una bonita prenda". Me viene a las mientes la reflexión de Sancho Panza antes de ocuparse como regidor de la ínsula, "vístanme como quisieren, que de cualquier manera que vaya vestido seré Sancho Panza", porque la sotana no hace al cura, y Lula es Lula cualquiera que sea su atuendo, "me comunicaron que tenía que ir de frac a la cena de palacio con el rey de España, mandé decirle a Juan Carlos que yo no usaba eso y aquí en Brasil muchos me criticaron, ¡qué falta de elegancia, de capacidad para ejercer la Presidencia!, hasta que el Rey llamó, venga como usted quiera, pues de traje y corbata, porque no quiero ser visto como un extraño en mi pueblo, lo que pasa es que la liturgia del poder está toda preparada para alejarte de aquél, cuando eres candidato vas a cielo descubierto, saludando, pero una vez llegas a presidente te montan en un coche blindado y nunca más ves el rostro de los ciudadanos".


Lula da Silva
A FONDO
Nacimiento:
27-10-1945
Lugar:
Garanhuns


Juan Luis Cebrián Echarri
A FONDO
Nacimiento:
30-10-1944
Lugar:
Madrid


"Brasil era capitalismo sin capital. Resolví que era preciso construir el capitalismo para después hacer el socialismo"
"¿Por qué Brasil no es miembro del Consejo de Seguridad de la ONU? ¿Por qué no la India o algún país africano?"
"Un jefe de Estado no es una persona, es una institución, no tiene voluntad propia. Aprendí eso en el poder"
"Gane el que gane (las próximas elecciones) nadie hará ningún disparate, el pueblo no quiere volver atrás"
"En el ejercicio del poder soy un ciudadano, ¿cómo diría...?, multinacional, multiideológico, ¿no?"
"Me llevé bien con Aznar y me llevo bien con Zapatero; y con Piñera en Chile, igual que con Bachelet"
Me pregunto a qué se parecen más las huelgas, si a las guerras o a los carnavales. Luiz Inácio Lula da Silva fraguó su carrera política en las movilizaciones populares, en la agitación callejera y en la lucha a pie de obra en defensa de los derechos de los trabajadores. Casi millón y medio de obreros brasileños fueron a la huelga, capitaneados por él, durante el año 1979, y a partir de esa fecha este correoso dirigente sindical emprendió una carrera política llena de altibajos que le llevaría un cuarto de siglo más tarde a la presidencia de la República. "Es notable que ni yo ni mi vicepresidente, un empresario de éxito, tengamos título universitario", señala con cierto tono de orgullo que irrita a la oposición por la ambigüedad que ese mensaje puede representar en un país en el que la educación es propósito fundamental del Gobierno y empeño necesario para acabar con las desigualdades y la pobreza. Pero lo que él quiere transmitir es que la democracia funciona en Brasil, que no son los méritos profesionales, académicos ni de cualquier otro género, sino la voluntad de los electores la que es decisiva para llegar al poder. Un poder del que Lula se apeará, al menos formalmente, el próximo mes de diciembre después de ocho años de ejercicio en el cargo, y del que sale rodeado de tal popularidad que algunos esperan verle levitar en cualquier momento, como hacía el curilla de García Márquez en Cien años de soledad, sólo que a base de ingerir café brasileño, que él consume a cada rato con avidez, en vez de tazones de chocolate.
"El momento más extraordinario del poder es el periodo entre el día de la victoria y la toma de posesión. Luego uno ve que las cosas no son tan fáciles, estás ante una carrera de obstáculos. Yo tendría motivos de sobra para decir que a mí el poder me ha dado más alegrías que tristezas, porque pocas veces en la historia de Brasil sucedieron cosas tan importantes como durante mi gobierno, pero me iré lamentando lo que no he podido hacer, la reforma del Estado, por ejemplo. No hemos sido capaces de procurarle mayor agilidad; desde que tomamos una decisión hasta que se ejecuta nos topamos con quinientos obstáculos en nombre de la democracia. Está el Congreso Nacional, con sus dos Cámaras, la Administración pública, los sindicatos, la justicia, las cuestiones ambientales, donde las ONG son muy activas... o sea, que pasan dos años y medio o tres antes de que un proyecto cristalice. Hace falta un consenso que nos permita eliminar tantas dificultades y retrasos. No podemos renunciar a la fiscalización, pero tampoco es aceptable utilizarla como una manera de impedir que se hagan las cosas que Brasil necesita".


Su pragmatismo, su campechanía, su sentido común, todo en él recuerda al gobernador de la Barataria. Casi ocho años después de ocupar la primera magistratura de la República, sus maneras personales, su método de trabajo, su aire decidido y socarrón son los del Lula joven que, huyendo de la burocracia sindical, se reunía por las tardes en la taberna regentada por Tía Rosa en San Bernardo del Campo, donde él todavía mantiene el domicilio familiar. Allí, con sus compañeros de lucha, un grupo de amigos antes que un comité organizado, preparaban entre chato y chato las movilizaciones en defensa de un mayor salario para los obreros. Ninguna ideología alimentaba sus acciones, que enseguida estuvieron apoyadas, sin embargo, por los movimientos de base católicos. "El PT no hubiese existido sin la ayuda de millares de curas y comunidades cristianas de Brasil, le debe mucho al trabajo de la Iglesia, a la teología de la liberación, a los sacerdotes progresistas. Todo ello contribuyó a mi formación política, a la construcción del PT y a mi llegada al poder. Mi relación personal con la Iglesia católica ha sido y sigue siendo muy fuerte, pero somos un país laico, tratamos a todas las religiones con respeto". Le interrumpe por un momento su jefe de gabinete, Gilberto Carvalho, "este era seminarista, iba para cura, y lo abandonó para venirse al PT, para construir conmigo", y despacha un par de asuntos a la sombra de un crucifijo gigantesco que preside su mesa de trabajo, mientras yo me barrunto que para algunos peteros de la época la agitación política era también una especie de sacerdocio. La influencia religiosa ("esta es la Iglesia más progresista de América Latina, probablemente del mundo") es evidente también en el tratamiento de las leyes de aborto en Brasil, aunque el presidente busca la equidistancia. El Vaticano "tiene una actitud muy conservadora sobre este punto. En Brasil, el aborto está prohibido, salvo en caso de violación de la madre. Yo, como ciudadano, soy contrario al aborto, y no creo que haya ninguna mujer que se muestre favorable a él porque genera un gran sufrimiento a quien lo practica. Pero como jefe de Estado pienso que se trata de una cuestión de salud pública. Debemos proteger a las chicas que tratan de abortar ellas mismas metiéndose agujas en el útero y cosas así. El Estado tiene la obligación de atender a esas personas".
Para los progres europeos, que adoran a Lula, una declaración de este género puede resultar decepcionante, tanto como la que él mismo ha hecho muchas veces en el sentido de que no se considera de izquierdas. "Mi trayectoria, mi perfil político, mi vida en el sindicato, la creación del PT, me caracterizan, desde luego, como un izquierdista. Pero el propio PT es una novedad en la izquierda mundial. Nació contra todos los dogmas de los partidos marxistas-leninistas, que obedecían fielmente a Rusia o China. Al principio era algo parecido a una hinchada del fútbol; un grupo de obreros que, junto con el movimiento social, la Iglesia católica y algunos intelectuales que habían creído y participado en la lucha armada, decidieron crear un partido político. No teníamos entonces un programa definido y a mí nunca me gustó que me encasillaran, menos aún al asumir la presidencia. Un jefe de Estado no es una persona, es una institución, no tiene voluntad propia todo el santo día, sino que tiene que llevar a cabo los acuerdos que sean posibles. He aprendido eso en el poder y creo que ha sido bueno para Brasil. No puede ser que me guste un presidente porque es de izquierdas y otro no, por ser derechista. Me llevé bien con Aznar y me llevo bien con Zapatero; tengo que relacionarme con Piñera en Chile igual que lo hice con Bachelet. En el ejercicio del poder soy un ciudadano, ¿cómo diría...? multinacional, multiideológico, ¿no?".
Con sus ojos brillantes, inquietos, reclama mi aprobación para ese pragmatismo, y se transforma de pronto en un agitador de la torcida, la hinchada brasileña; se levanta, se sienta, se vuelve a erguir, sonríe primero, luego se estremece, se desternilla, te guiña el ojo, busca la cercanía, el cariño, soy un brasileño más, un ciudadano más de este país que es capaz de contagiar la alegría, de este país con trescientos días de sol al año, de este país inmenso, autosuficiente, pacífico, "del que estamos tratando de eliminar cincuenta o sesenta años de atraso, de desconfianza, años en que nadie quería invertir aquí. Y por eso estamos construyendo un capitalismo moderno, el Estado de bienestar. Cuando entré en el Gobierno, Brasil no tenía crédito, no tenía capital de trabajo, ni financiación, ni distribución de la renta. ¿Qué coño de capitalismo era ese? Un capitalismo sin capital. Resolví entonces que era preciso primero construir el capitalismo para después hacer el socialismo; hay que tener qué distribuir antes de hacerlo. Si el país no tiene nada, no hay nada que distribuir, y los empresarios tienen que saber que hay que pagar salarios un poco mayores para que la gente pueda comprar los productos que fabrican. Esto ya lo decía Henry Ford en 1912".


Estamos en plena campaña electoral y Lula aprovecha para hacer la propaganda de su partido, se le escapan algunas críticas acerbas, probablemente injustas, contra su antecesor, el socialdemócrata Fernando Henrique Cardoso, tiempo atrás compañero suyo en la lucha contra la dictadura y con el que ahora no se muestra en absoluto generoso. Pero el milagro brasileño empezó precisamente con Cardoso, un profesor respetado y un demócrata ejemplar que niveló las cuentas públicas y venció la inflación. Lula hace un balance diferente. "Hoy el Banco de Brasil tiene más crédito que el de todo el país cuando llegué al poder. De modo que cuando yo deje la presidencia habremos creado más de catorce millones de puestos de trabajo en ocho años. Sólo China e India pueden competir con una realidad así". Le interrogo entonces sobre si eso es un triunfo del capitalismo y enseguida se apresura a aclarar que es un triunfo de su Gobierno "porque ha tenido el coraje de enfrentarse a la crisis, en vez de quejarse: haciendo inversiones, desgravando la actividad en sectores clave para la economía, emprendiendo muchas obras públicas. Si Brasil mantiene en los próximos cinco años seriedad en las políticas fiscal y monetaria, en las inversiones y el control de la inflación, lo tiene todo para transformarse en una potencia respetada en el mundo. Si la economía sigue creciendo entre un 4,5% y un 5,5%, en 2016 puede constituir la quinta economía mundial".
No sé si descubro rastros de la herencia portuguesa en esta ensoñación un poco hiperbólica del presidente, que le hace por momentos alejarse de la sesuda prudencia de Sancho para asemejarle más a la locura idealista de su señor don Quijote, porque mientras Lula habla, las encuestas, allá fuera, siguen dando probable vencedor, aunque por escaso margen, a José Serra, candidato del PSDB, el partido de Cardoso. "Gane el que gane, nadie hará ningún disparate; el pueblo quiere seguir caminando y no volver atrás. Pero déjeme decirle que yo no veo la posibilidad de que perdamos las elecciones". Muchos piensan que si así sucediera, no sería por los méritos de Dilma, la candidata del PT, una antigua guerrillera y una política eficaz, pero sin el carisma que unas elecciones presidenciales demandan, sino por el formidable apoyo que le presta el propio Lula, cuya personalidad lo impregna todo de lulismo, "sí, ya sé que mucha gente, para justificarse, dice, a mí no me gusta el PT, me gusta Lula; gente de derechas, claro. Pasa con otros líderes políticos, Felipe González, por ejemplo. Normalmente las figuras públicas estamos menos ideologizadas que los partidos y tenemos la capacidad individual de congregar en torno nuestro gentes que de ninguna manera se sienten cercanas a nuestras formaciones. Pero no creo que haya un 'lulismo' como tal, prefiero saber que vamos a fortalecer la democracia y que los partidos políticos van a saber organizarse y ser fuertes".


En cualquier caso parece descontada la continuidad en la política económica, que Lula salvaguardó desde un principio nombrando a un antiguo militante del partido de Cardoso gobernador del Banco central. La consecuencia de esas políticas ha sido la prosperidad que permite situar al país entre las potencias emergentes agrupadas en torno a lo que ha dado en llamarse los BRIC (Brasil, Rusia, India y China). Junto a ellos, Lula ha hecho valer su voz afirmando su independencia como un protagonista de la política internacional singular e inclasificable. ¿Está camino su país de convertirse en una superpotencia? ¿Podría hacerlo sin ser poseedor -el único de los BRIC en esta circunstancia- del arma atómica? "La Constitución prohíbe las actividades nucleares salvo para fines pacíficos, están prohibidas, ¿quiere verlo?", me señala acuciante con su mano mutilada el artículo 21, inciso 23, "el presidente no decide en las cuestiones nucleares, es el Congreso, y no tenemos interés en ser una potencia militar si no es del tamaño de nuestra soberanía. Necesitamos unas Fuerzas Armadas adecuadas para garantizar la seguridad del pueblo, mantener una política de defensa respetable. No queremos invadir ningún país, pero tampoco que nos invadan a nosotros...", le interrumpo, entre irónico y risueño, invadir Brasil me parece difícil, presidente, una tarea casi titánica, y él impertérrito, "no se puede menospreciar la locura de algunos seres humanos, es preciso cuidarse". ¿Cuidarse de quién? No creo que sea de Chávez ("un hombre muy inteligente, aunque a veces comete equivocaciones y él lo sabe") ni de Evo ("un retrato de su pueblo, nadie lo representa mejor que él; en el tema del petróleo, yo comprendí que Brasil tenía que pagar mejor a Bolivia, no peleé con Evo, porque él tenía derecho") ni de Colombia, Argentina o Uruguay ("Brasil ha trabajado mucho con ellos para consolidar la democracia en su plenitud. Tenemos que generar una política de confianza. La doctrina utilizada antes por las grandes potencias era considerar a Brasil como enemigo de América Latina, la gran amenaza; nosotros estamos destruyendo esa visión negativa y demostrando en cambio que podemos ser su gran aliado").
El lulismo, si es que existe, hunde sus raíces en el sindicalismo, la lucha como presión y el acuerdo como respuesta. "El llamado mundo desarrollado tiene que comprender que la geopolítica ha cambiado. La democratización de África y el crecimiento de países como China, India y algunos de América del Sur sugiere una nueva dimensión. Yo no quiero la guerra, soy un hombre de diálogo, y en la cuestión nuclear Brasil tiene una política muy definida. Quiero agotar hasta el último minuto las posibilidades de un pacto con el presidente de Irán para que pueda seguir enriqueciendo uranio, teniendo nosotros la tranquilidad de que sólo lo va a utilizar para fines pacíficos. Mi límite son las decisiones de la ONU, a la que, por cierto, pretendo cambiar porque tal y como está representa muy poco. ¿Por qué Brasil no es miembro del Consejo de Seguridad? ¿Por qué no lo es India? ¿Por qué no hay ningún Estado africano? Si la ONU continúa así de débil, sin representatividad, con países con derecho de veto, nunca va a servir correctamente al gobierno global que se necesita".


Felipe González dice que los ex presidentes son como los jarrones chinos. Todo el mundo en casa sabe que se trata de piezas valiosas que merece la pena conservar, aunque no necesariamente aprecian su belleza y la gente no sabe dónde colocarlos: estén donde estén, siempre estorban el paso. A partir del próximo mes de diciembre, Luiz Inácio Lula da Silva, uno de los políticos más carismáticos, admirados y sorprendentes del último medio siglo, engrosará esa colección de grandes porcelanas. Los visitantes de los museos de cera venerarán su imagen, como la de Lincoln, la de Mandela, la de tantos grandes hombres capaces de surgir desde la nada. Lleno de vida, desbordante de ideas, no le imagino retirado en su piso de San Bernardo, compartiendo con sus vecinos las nostalgias de cualquier tiempo pasado. "El mejor servicio que puede prestar un ex presidente de la República es el de estar callado, dejar gobernar a quien gane las elecciones y él permanecer en silencio". Al buen callar llaman Sancho, pero yo no imagino así a Lula cuando hay tanto que denunciar, tanto que demandar, tanto que proponer. Entonces, quizá se limite a estar ausente, o lejano. "Voy a salir del Gobierno habiendo cosechado un montón de políticas exitosas y quiero compartir ese aprendizaje, esa auténtica lección vital, con países más pobres de América Latina y de África. No sé si lo haré a través de una fundación, porque en ningún caso quiero emprender nada que no esté en consonancia con el Gobierno. Sólo quiero transmitir a los demás la experiencia que adquirí, porque los pobres no tienen acceso a los gobernantes, los pobres no van a los cócteles, claro, y eso que no hay político que gane una elección hablando mal de ellos, puede denostar a los banqueros, a los grandes empresarios, pero a los pobres... de ninguna manera, en campaña electoral un pobre es la cosa más extraordinaria del mundo. Eso sí, una vez que el candidato gana la votación termina su mandato sin reunirse con un pobre ni una sola vez, sólo sabe que existen por lo que lee en los periódicos, no hay interacción, no hay vínculo. Yo, las próximas navidades, cuando mi periodo llegue a su fin, quiero invitar de nuevo a los cartoneros de São Paulo, hace ocho años que me reúno con ellos en palacio por esas fechas (también lo he hecho con los sin casa, con los okupas), y hemos comprobado que esa gente no quiere parar de recolectar papel, pero aspira a una existencia más digna, o sea, que organizamos cooperativas, centenares de ellas en todo Brasil, financiadas por el Estado, que permiten trabajar a cientos de miles de personas, capaces de llevar todos los días a su casa algo que comer gracias al resultado de su trabajo".


Cuando todo eso suceda, el palacio presidencial ya habrá sido reconstruido. De momento, Lula se aloja en unas oficinas prestadas del centro cultural del Banco de Brasil mientras los operarios se esfuerzan en recuperar las ajadas estructuras de Planalto, cuya remozada construcción no pudo estar a punto para la celebración del cincuentenario de Brasilia. Pero el próximo 23 de diciembre el presidente se despedirá de sus cartoneros paulistas en los aposentos elegantes y sobrios destinados al primer magistrado de la nación. Quizá lo haga pensando, como Sancho en su partida, que "saliendo yo desnudo como salgo, no es menester otra señal para dar a entender que he gobernado como un ángel". Seguro estoy, al menos, de que el cronista de ese momento venidero podrá de nuevo relatarlo con las mismas palabras de Cervantes: "Abrazáronle todos, y él, llorando, abrazó a todos, y los dejó admirados, así de sus razones como de su determinación tan resoluta y tan discreta". Vale.

 

 

Coleguinhas

 

Reche lembrou que foi Sauer quem o empregou na Guaíba


Érico Sauer

 

Neste domingo,dia 9/5 Luis Carlos Reche, na sua coluna do Correinho, lembrou que foi o plantonista Érico Sauer quem acabou arrumando-lhe emprego na rádio Guaíba. Reche ia lá fazer bicos,sem remuneração, porque trabalhava num cartório. E o todo-poderoso lá era o Lasier Martins. Um dia, Érico Sauer, tremendo gozador e bom colega, pegou todo o serviço que o Reche fazia, todo aquele fichário que o jovem cheio de entusiasmo tinha feito e entregou ao comandante. Que diante do testemunho,autorizou sua contratação. Faz isto 25 anos.

Érico Sauer, tremendo plantonista de futebol, era dono do maior acervo de dados sobre os clubes gaúchos. Natural de Estrela(RS) onde nasceu a 06.09.1939, Érico é filho de Orlando Sauer e de Leontina Bergesch Sauer.O plantonista faleceu nos anos 90.

Teve com a esposa Sonia( 08.10.1943) os filhos Sonia Helena( 20.07.1964) Sandro Roberto (26.09.1965) Sandra Helena(20.12.1969) e Susan Helena(05.02.1971.

Em Estrela, Érico tinha o apelido de Bom Cabelo. Mas em Porto Alegre, sua alcunha entre os coleguinhas era Mondongo, tudo porque era bom cozinheiro,tanto que era requisitado para assar churrascos. Quando o treinador Tele Santana andou pelo Sul treinando o Grêmio Portoalegrense, fez amizade com o plantonista. Depois, Érico era convidado a se deslocar a BH onde ia especialmente para preparar um churrasco para Telê Santana, levando do Sul a carne.

 

 

 

Coleguinhas

 

 

Jorge Seadi Junior
completou 61anos!


Jorge Seadi Junior

 

Um colega que conheço desde o começo de minha carreira de jornalista, Jorge Seadi Jr. completou 61 anos. Vinha ocupando até um mês atrás o cargo de diretor de jornalismo da TVE, mas foi desligado. Jorge Seadi Jr. é filho de Jorge Seadi e de Odila Sastre Seadi. Nascido a 07.05.1949 começou no jornal Zero Hora onde era repórter esportivo.
Depois passou pela Rádio Difusora e pela Band TV, onde chegou ocupar cargo de direção.
Também foi da RBS TV.

 


 

O Cartão SUS que não pegou

 

 

Olá, Olides, tudo bem?
Sou leitor do seu blog e admiro muito o seu trabalho. Uso um perfil no Orkut e Twitter para fazer um serviço de informação sobre política e legislação. Por isso estou espalhando este texto, um "resumão" do que foi dito na última ediçõa da Revista Época.

Espero que seja uma pauta bacana ao seu ver.
Abraços, JLineu - twitter.com/inconformado

Josue Lineu

O Cartão SUS que não pegou


Ousado, projeto federal para criar cartão eletrônico desperdiça R$ 418,6 milhões.


O Cartão SUS, uma das ações de um projeto federal criado há dez anos para modernizar o atendimento da rede pública de Saúde, tornou-se mais um caso da desastrosa gestão na aplicação de recursos públicos. Com a inovação magnética, seria possível montar um cadastro nacional dos usuários do SUS, construir o histórico clínico dos pacientes, agilizar o atendimento de consultas e procedimentos, como também ampliar e melhorar o acesso da população aos medicamentos. De 2000 a 2009, o projeto não trouxe benefícios para a vida dos brasileiros e já consumiu R$ 418,6 milhões.

Em 2000, a ousada vontade política ganhou fôlego com o dinheiro vindo de um financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Cenário perfeito para que os gestores ignorassem completamente uma análise inicial dos riscos na implementação de um sistema informatizado em um país com enormes diferenças regionais. Do alto da burocracia, também se esqueceram de mobilizar a peça-chave no contato com o paciente: o profissional de saúde. O peso no quadrante de fraquezas e ameaças, já anunciava o desastre.

Ainda se somam as clássicas denúncias de favorecimento nas licitações, superfaturamento, desvios e descumprimento dos contratos de fornecimento. Já não se sabe mais o que é causa e consequência do desperdício de dinheiro. Hoje, mais de 10 mil terminais de atendimento e servidores entregues pelo governo espalhados em 44 municípios viraram sucata, o investimento no treinamento de 13000 funcionários foi perdido e o Governo não sabe dizer quantos dos 14 milhões de cartões magnéticos prometidos para o projeto piloto foram emitidos.

A disparidade na qualidade e na metodologia dos dados coletados nas regiões enterrou por completo a ambição de construir um cadastro nacional informatizado. Enquanto São Paulo - que não participou do Projeto - criou uma base própria de dados, o cartão magnético de uma das unidades do SUS em Brasília é de papel.

Coincidência triste é que durante os mesmos dez anos, a tecnologia também permitiu um avanço científico considerável nos tratamentos e desenvolvimento de novos medicamentos. Uma lei garante que todas as mulheres acima dos 40 anos realizem a mamografia pelo SUS. Porém, não há mamógrafos distribuídos por todo o país e em bom funcionamento. O câncer de mama é a 1º. causa de morte entre as mulheres. Segundo dados do Ministério da Saúde, 70% da população brasileira depende do atendimento público. Contrassenso, é que a lista de medicamentos do SUS não é atualizada há mais de dez anos, negando a milhares de pacientes melhores chances de cura. A rota dos pacientes tem sido as ações judiciais que estão transferindo ao Judiciário a questão de saúde pública.

Alguma coisa está fora da ordem. É cartão magnético de papel, é lei que não pega. O Ministério da Saúde promete algumas correções até o fim do ano. Um projeto ambicioso que jogou muito dinheiro fora e infelizmente entra no rol do descaso com a saúde pública.

 

 

Eleições lá! ( no Uruguai)

 


Uruguai
(eleições municipais)

Das eleições municipais de domingo último,dia 9/5 no Uruguai, a grande novidade foi a eleiçãode Ana Oliveira, que será a primeira mulher a dirigir a Capital do país, Montevideo.Ana é da Frente Ampla. Com a vitória da Esquerda, Montevideo chegará a um quarto de século( 25 anos) de governo frenteamplista.

Outra mulher também saiu eleita prefeita deste pleito: Patricia Ayala , também da Frente Ampla, que se elegeu prefeita de Artigas. A impresna uruguaia analisou a eleição das duas mulheres nestes dois municípios,principalmente a capital, como uma tendência inédita na história política do vizinho país.

Ontem de manhã, quando os jornais fechavam suas edições do dia, a Frente Ampla(partido de esquerda) assegurava a vitória em Montevideo, Canelones,Maldonado,Rocha e Artigas. Em Payssandu,Salto,Florida,Rio Negro,Trinta e Tres a Frente Ampla disputava a eleição voto a voto com os partidos tradicionais( Blanco e Colorado).

 


Eleições lá( no Uruguai!)

 


Rivera, vizinha de Santana do Livramento, com cerca de 86 mil eleitores,elegeu o comunista Marne Osorio Lima, do PC para prefeito. O resultado foi este: FA: 21,46%; PN: 24,53%; PC: 48,60; PI: 0,28% e Blancos e Anulados 5,14%.

 

Coleguinhas

Olides!
Sabe a última????
O Lulla vai homenagear o nosso amigão, o repórter Belmonte...

Agora vai dar nome a uma usina hidroelétrica... de BELmonte.

PS: Registramos o falecimento do senhor Roque Amaral, Brizolista e pai do Ex-Vereador Carmelito do Amaral (PT).

Abraço!!!

Letier

 

O povo, a Polícia e o marginal


Archimedes Marques

Infelizmente grande percentagem da população brasileira não tem a Polícia como sua amiga ou sua parceira no combate ao crime. As pessoas apenas usam os policiais quando precisam e logo os descartam. Para muitos Policia e bandido se confundem e são até palavras sinônimas do submundo da nossa sociedade.
A frase popular de autor desconhecido sempre é vivenciada tristemente por todas as Policias do Brasil: “Quando alguém está em perigo, pensa em Deus e clama pela polícia. Passado o perigo, se esquece de Deus e execra a polícia”.
Aliados a tais pensamentos insensatos os governos pouco investem nas suas Polícias. A segurança pública sempre foi esquecida e sucateada através dos anos. As Polícias sempre foram relegadas ao segundo plano, principalmente no que tange a valorização profissional dos seus membros. Com raras exceções, poucas conquistas foram alcançadas pelas classes policiais em alguns Estados da Nação.
Entretanto, na área penal, destarte para diversos tipos de crimes, vários benefícios surgiram e alcançaram os seus praticantes. O avanço nesse sentido foi significativo para os transgressores da Lei e dentre tantas conquistas destacam-se: A regressão das penas com os consequentes cumprimentos em regimes fechado, semi-aberto e aberto, a prisão domiciliar, a liberdade condicional, o indulto de Natal (aquele benefício em que boa parte dos detentos vai passar em casa e nunca retornam), as penas alternativas e até o auxilio-reclusão que já existe para dar proteção aos dependentes dos presos, dado as suas impossibilidades de prover a subsistência dos mesmos. Tais benefícios chegaram para o bem dos delinqüentes mesmo contra a vontade popular e para sobrecarregar o trabalho policial em vários sentidos.
Enquanto para os delinqüentes seus direitos evoluíram, para os Policiais estagnaram e até regrediram, vez que até os próprios direitos humanos que na teoria são para todos, na prática pouco lhes alcançam, ao passo que, quanto ao povo, continua a sua triste sina do desamparo quase que absoluto.
Sem se aprofundar muito nesta questão social e só para citar um índice, o do desemprego, é triste constatação que recentemente houvera inscrição em concurso para Gari no Rio de Janeiro (não desfazendo dessa classe, mas por se tratar de uma profissão que requer a mínima cultura para exercê-la) e então, por falta de opção, 1.026 dos mais de 100 mil inscritos possuíam nível Superior completo, dentre os quais 45 com Títulos de Doutorado e 22 com Mestrado, ressaltando que tudo isso por uma busca de um salário mínimo, enquanto que o auxilio-reclusão atinge bem mais do que isso para os familiares dos presos e que em contra-senso, por ironia do destino para os familiares das suas próprias vítimas, destarte para as vítimas de homicídio e latrocínio, só lhes restam as lembranças dos seus entes queridos quando em vida.
Buscando algo ilustrativo para o fiel dessa balança incompreensível encontrei publicado em diversos sites, o artigo exemplo intitulado CARTA A UM BANDIDO escrito pelo colega Delegado de Polícia Civil do Estado do Pará, WILSON RONALDO MONTEIRO, que agora o transcrevo na íntegra:
“Senhor Bandido,
Esse termo de senhor que estou usando é para evitar que macule a sua imagem ao lhe chamar de bandido, marginal, delinqüente ou outro atributo que possa ferir sua dignidade, conforme orientações de entidades de defesa dos Direitos Humanos.
Durante vinte e quatro anos de atividade policial, tenho acompanhado suas “conquistas” quanto a preservação dos seus direitos, pois os cidadãos e especialmente nós policiais estamos atrelados às suas vitórias, ou seja, quanto mais direito você adquire, maior é nossa obrigação de lhe dar segurança e de lhe encaminhar para um julgamento justo, apesar de muitas vezes você não dar esse direito as suas vítimas. Todavia, não cabe a mim contrariar a lei, pois ensinaram-me que o Direito Penal é a ciência que protege o criminoso, assim com o Direito do trabalho protege o trabalhador, e assim por diante.
Questiono que hoje em dia você tem mais atenção do que muitos cidadãos e policiais. Antigamente você se escondia quando avistava um carro de polícia; hoje, você atira, porque sabe que numa troca de tiros o policial sempre será irresponsável em revidar. Não existe bala perdida, pois a mesma sempre é encontrada na arma de um policial ou pelo menos sua arma é a primeira a ser suspeita.
Sei que você é um pobre coitado. Quando encarcerado, reclama que não possuímos dependência digna para você se ressocializar. Porém, quero que saiba que construímos mais penitenciárias do que escolas ou espaço social, ou seja, gastamos mais dinheiro para você voltar ao seio da sociedade de forma digna do que com segurança pública para que a sociedade possa viver com dignidade.
Quando você mantém um refém, são tantas suas exigências que deixam qualquer grevista envergonhado. Presença de advogados, imprensa, colete à prova de balas, parentes, até juízes e promotores você consegue que saiam de seus gabinetes para protegê-los. Mas se isso é seu direito, vamos respeitá-lo.
Enfim, espero que seus direitos de marginal não se ampliem, pois nossa obrigação também aumentará. Precisamos nos proteger. Ter nossos direitos, não lhe matar, mas sim de viver sem medo de ser um policial.
Dois colegas seus morreram, assim como dois de nossos policiais sucumbiram devido ao excesso de proteção aos seus direitos. Rogo para que o inquérito policial instaurado, o qual certamente será acompanhado por um membro do Ministério Público e outro da Ordem dos Advogados do Brasil, não seja encerrado com a conclusão de que houve execução, ou melhor, violação aos Direitos Humanos, afinal, vocês morreram em pleno exercício de seus direitos.”
Em verdade os nossos policiais são verdadeiros heróis que vivem tudo isso e que dão as suas próprias vidas em defesa da sociedade que em contra-senso, ao invés de aplaudir as suas ações e ajudar a resgatar as suas dignidades que os governantes fizeram perder ao longo dos tempos ainda cometem a tamanha insensatez de críticas descabidas e atitudes insanas que só fortalecem a marginalidade e as ações em prol dessa mesma classe.
A sociedade brasileira que também é uma sobrevivente a tais aberrações, precisa sentir a Polícia à luz do valor da amizade, funcionando como sua parceira contra o crime e contra certos desmandos, enquanto que, por sua vez, o poder público deve valorizar mais a sua Policia, e por outro lado, tentar de uma melhor maneira recuperar os delinqüentes quando dos seus crimes nas suas segregações, não com tantos benefícios, com direitos exacerbados, e sim com efetivos e verdadeiros projetos de ressocialização dando-lhes ocupações, cursos profissionalizantes e trabalho ao invés da ociosidade recompensada e breve liberdade para retorno ao crime.

(Delegado de Policia. Pós-Graduado em Gestão Estratégica de Segurança Publica pela Universidade Federal de Sergipe)


Histórias de la Ùndeze!

 


O " drama" de
Vendelino Assoni!


Quando comecei minha pesquisa pro livro que lanço sobre a história de Serafina Corrêa, o Nelson Assoni, de uma tradicional família( foram dos primeiros imigrantes da cidade) me alcansou 13 fotografias. Uma em preto e branco,grudada numa cartolina, em preto e branco, ainda em ótimo estado, era a clássica foto dos casamentos, em que as famílias guardam pra recordação dos que os sucederão. Eu reconheci, das 35 pessoas que há nela, apenas um casal,cujo rosto me é familiar. Os demais, nem imaginava. Nem poderia desconfiar da " riqueza" histórica que a foto continha, assim que comecei a decifrá-la. Não era propriamente um enigma, mas o drama humano que ela contém, daria um grande romance, tendo-a como pano de fundo!

Acervo de Nelson Assoni.

" Carmela Aschidamini e Vendelino Assoni casam. Na frente da Igreja
Nossa Senhora do Rosário,de Serafina. Entre 1941 ou 1942. Quatro
anos depois, ele foi abatido com vários tiros em Erechim.
Foto de Atelier Fedrigo,de Guaporé.

Quando Nelson me entregou a foto disse apenas:

- Mataram o Vendelino em Erechim, foi por causa de uma mulher!!!

Mas,embora estivéssemos sós na sala, naquela manhã de domingo, ele falou baixinho, como se isso fosse uma mancha, uma vergonha, na trajetória da família Assoni. Depois vi que o nome do Vendelino, que é filho do pioneiro Orestes Assoni, nem consta no túmulo da família no cemitério local,embora lá seus restos mortais tenham sido levados...

A morte

O drama de Vendelino Assoni aconteceu apenas seis anos depois de seu casamento - da data em que foi feita esta fotografia - ou seja, em 1947. Aconteceu da seguinte forma: Vendelino, que era casado com Carmela Aschidamini,estava hospedado no hotel Vitória em Erechim quando foi abatido com um tiro certeiro que partiu do segundo ou do terceiro andar do hotel Erechim, que ficava na frente.
Deixou pequenos os filhos Orestes Assoni e Roberto.
Viúva, Carmela teria se tornado "namorada" de um religioso(quase-padre) irmão de uma pessoa que está na fotografia do casamento.Depois deixou Serafina,mudou-se para Alvorada,onde casou novamente e teve outro filho, Ricardo.

Sobre a morte de Vendelino, Casemiro Zanetti, que foi casado com uma sobrinha da vítima, Adelézia Assoni, disse-me:" havia uma conversa assim que ele estava envolvido com outra mulher lá de fora e não se sabe ao certo ou por algum engano que possa ter acontecido porque não foi descoberto o certo porque se deu a morte dele". Ele acrescenta: " Deve ter sido uma vingança". Casemiro afirma que o fato ocorreu num dia de semana, uma terça-feira, porque o ônibus partiria às 6h30min de Erechim em direção a Serafina Corrêa. Tanto Casemiro, como Vendelino dirigiam naqueles anos os ônibus da Transportes Assoni.Segundo Casemiro Zanetti, pelo que a Perícia calculou foi dado um tiro de um segundo ou terceiro andar do hotel da frente. Ele tava saindo da porte do Hotel Vitória quando foi alvejado" recordou Casemiro Zanetti.
Os dois filhos de Carmela e Vendelino, José Orestes Assoni e Roberto vivem em Porto Alegre. José Orestes diz que " pelo que minha mãe me dizia, eu era um ' xerox' do meu pai!"

 

 

Sobre o dia
das mães....

Quando o leitor for ler este texto, o dia das mães de 2010 já terá passado. Mas não teve outro jeito....Porque a blogueira não trabalha no sábado....
então só hoje mesmo!

 

Acervo do autor.

José Paulo Canton e Vilma Canton, em Serafina Corrêa.

 


É difícil escrever sobre minha mãe porque sempre tive uma relação muito "conflituosa" com ela...Quando pequeno, lembro que ela me dizia que eu seria o culpado de sua morte...Ela faz chantagem até hoje, não comigo que não ligo mais, mas com minhas irmãs... Eu a vejo fazendo "cena" com elas e fico louco pra me meter mas fico quieto. Comigo, as chantagens dela não colam mais....Eu faço o que quero....
Apesar da minha relação difícil com ela, não deixo de reconhecer o enorme valor da minha mãe. Pariu 9 filhos, uma morreu aos quatro anos de leucemia e estes tempos quando eu andava preocupado porque minha filha maior estava grávida, ela desdenhava e dizia:
- Ela lá com todos os recursos à mão, eu trabalhava até o último dia da gravidez.
Pra minha mãe, o trabalho é como se fosse uma religião...Sempre,quando crianças, nos botava a trabalhar....Também nos ensinou valores como economizar,principalmente.Todos meus irmãos foram embora de Serafina Corrêa- a cidade onde ela mora com meu pai. Ela é a responsável por isto! Para o bem , ou para o mal!
Não queria que nenhum filhoficasse naquelas " pelagras"( que em vêneto quer dizer, pobreza) como ela chamava o pequeno pedaço de terra que meu pai herdou do meu avó. Seus filhos,entre os quais me incluo, foram todos embora. E do ponto de vista econômico, a maioria deles se deu bem, com muito trabalho.
Não sei quanto tempo ainda vai ver (está com 81 anos) mas ainda se arrasta pela casa, embora há anos sofra de um joelho. E ainda tem seus ataques de "fúria" que me faziam correr longe quando criança pra não apanhar!


"Florianão", a
ingenuidade em pessoa....



Floriano Corrêa, num almoço da Fiergs.


Se há um jornalista " ingênuo" este Floriano Hengist Corrêa, que aos 82 anos vive em Porto Alegre, aposentado, cidade onde nasceu.

Florianão, como é conhecido entre a " velha guarda " é tão desligado que uma vez,quando editava o Correspondente Renner na rádio Guaíba deu como última notícia da edição das 13 horas( que todo mundo ouvia) uma notícia "contra" o secretário de Estado,onde ele, funcionário público era lotado. Quando chegou para o "expediente" da tarde, o guarda lhe disse:

- O senhor não vai subri aqui!

- Mas, como indignou, Florianão,dando uma de esperto!

- O secretário mandou proibir seu ingresso aqui...
Outras de suas ingenuidades: na rádio Gaúcha queria convencer Maurício Sobrinho, dono da rádio a colocar mais noticiários ao invés de publicidade. Ao que o patrão lhe respondia:
- Floriano,quando eu e o Jayme( Sirotsky,seu irmão) estávamos falidos, indo na Laderia(Gal.Câmara) pagar contas o povo não ia lá nos prestar solidariedade. Agora que ouçam propaganda!

Todos os causos que o Florianão conta, daria pra encher vários volumes. Ele nasceu em 1927 mas se encantou com o Repórter Esso, em 1942, quando decidiu que seria jornalista.

Depois, com o ingresso sério na carreira, ele foi da Última Hora, do Jornal do Dia,Rádio Guaíba,Correio do Povo,Folha da Tarde, Zero Hora, RBS TV e rádio Gaúcha.

Quando trabalhou na assessoria de imprensa do DAER, viajávamos muito pelo interior, ele pelo órgão público e eu pelo jornal.
Tive que rir muito durante as viagens, ouvindo o Floriano contando suas histórias, de jornalistas antigos....
Era um manancial delas e parecia que seu repertório fosse inesgotável....

Durante esta época, inventou de ser produtor do seu colega Jayme Copstein, que apresentava o Gaúcha na Madrugada, na rádio do mesmo nome. Só que Jayme dormia de dia e o Floriano saía de madrugada no seu fusquinha, ia até Viamão,onde morava e de manhã cedo voltava pra pegar no expediente do DAER. Resultado: lá pelas dez estava o Florianão roncando encima de sua mesa com suas colegas em volta todo constrangidas pela cena.

Até que convenceram o Floriano a desistir desta empreitada.

Floriano ficou viúvo e morava com sua filha Betina em Viamão. Muitas vezes fui lá visitá-lo. A filha começou a namorar um "gaudério" que ia na sua casa todo pilchado. Resultado: o Floriano não gostou,achou o "cuera" um baita grosso e o proibiu o namoro da filha, que ficou meses triste por causa disto.

Depois se mudou para Porto Alegre, num apartamento da Cidade Baixa.
Teve um enfarte e foi salvo pela habilidade de um cardiologista do Instituto de Cardiologia....

Casamento

Ele não diz, mas sou o responsável, de certa parte, pelo seu atual casamento com sua segunda esposa, a Líbera.

Numa sexta de tarde, bem no finalzinho da tarde, falávamos pelo telefone, quando se cruzou uma linha onde duas mulheres conversavam.
Ninguém conhecia ninguém... As duas, descomprometidas, nos convidaram pra passear no sábado na Redenção...Eu não fui, mas o Florianão foi e gostou. Pouco tempo depois estava casado...

A partir daí, perdi o contato com ele...

Volta e meia quando encontro o Serginho Araujo, que privou com ele no DAER, voltamos a nos perguntar onde anda e como está o Florianão???

 


Floriano Correa trabalhava na Secretaria de Obras Públicas,que ficava na Av. Siqueira Campos, quando teve seu acesso impedido por causa de uma notícia que dera na Guaíba.

Florianão nasceu a 08.06.1927. Em Viamão, residiu na Av. Açores, 233, no bairro Tarumã. Morou ainda na rua Deputado Arami Silva, 118.
O médico que lhe salvou a vida no Instituto de Cardiologia foi o Dr. Oscar, a quem Florianão sempre foi muito grato.

 

Causos do Florianão

 

" Ordem na Praia"!

1)Maurício Sobrinho estava de saco cheio de receber denúncias e " ouvir a corneta" do que acontecia no hotel onde a turma da RBS estava hospedada pruma cobertura de Verão. Chamou Florianão a sua sala e lhe ordenou:
- Floriano, vai lá e acaba com aquela putaria, senão eu vou mandar fechar tudo e não tem mais cobertura de praia, nenhuma....

Com seu habitual jeito conciliador, Florianão chegou no Hotel Beira Mar(ou seria o outro, o anterior, um que ficava bem no centro ) e juntou Roberto Thomé, Tude Munhoz, os cameras "Capacete","Alegrete" entre outros e os avisou:

- Olha , o homem mandou eu fechar isto aqui e todos vão regressar a Porto Alegre, trabalhar naquele sol de 40 graus.

No dia seguinte, a turma da RBS parecia um convento de freiras. Todos bem comportadinhos....

2) Florianão entrou de férias no DAER e foi veranear na colônia de férias do DAER em Imbé. No outro dia abriu a Zero Hora e viu lá uma chamada na capa: Petrobrás corta gasolina do DAER. Falta de pagamento. Ah, vou voltar, pensou logo ele. Estava armando um lio...era este repórter que vasculhando sua sala, havia descoberto um telex ordenando a paralisação das obras...

3)Florianão ficava amuado facilmente: era muito sensível. Não suportava que o desdenhassem. Quando Adão Faraco assumiu a Secretaria dos Transportes, no Governo de Pedro Simon, Florianão, num dos seus ataques de ingenuidade foi "oferecer-se" pro novo secretário....Faraco ficou quieto e não usou o jornalista pra nada. Quando Faraco saiu da secretaria convidou Florianão pra trabalhar na sua campanha política. Ouviu apenas uns desaforos....

 

 

A ESTRELA MARLENE GALEAZZI

Parte Final

O DRAMA DO CÉSIO 137

Testemunha ocular e também vitima do Césio 137, a repórter Marlene Galleazi relembra a dolorida tragédia que se abateu em Goiânia 23 anos atrás. No final da tarde do dia 13 de setembro de 1987,começaria a viver o drama do maior acidente radioativo na história do Brasil.
Vou deixar então a Marlene,relatar tudo o que viveu por quatro meses em Goiânia. São lembranças doidas sobre o maior acidente radioativo do país.
“ Uma capsula de dois centímetros de comprimento por dois milímetros de espessura totalmente lacrada e escondida nas entranhas de um cabeçote de chumbo que pesava em torno de 300 quilos,ao ser liberada por dois catadores de papel e vendedores de ferro-velho,provocou há 23 anos uma verdadeira guerra contra um inimigo invisível e poderoso. O compacto de pó branco, que gerava um fascinante brilho e uma mágica luz azul, não era nada mais,nada menos, que uma fonte radioativa,uma bomba de Césio 137,usada em tratamentos de radioterapia. Uma tragédia histórica ocorrida em Goiânia,que mobilizou físicos,químicos,cientistas,médicos e a imprensa do Brasil e do exterior.
Tudo começou no final da tarde do dia 13 de setembro de 1987. Goiânia,cidade em ritmo acelerado de crescimento, mas de costumes ainda interioranos,mantinha seus domingos calmos como aquele,com as ruas quase desertas. O período era de seca, de baixa umidade e as ventanias freqüentes anunciava a próxima estação das chuvas. Na esquina da Avenida Tocantins com a Avenida Paraíba,dentro de um barracão semidestruído,localizado na área da antiga Santa Casa de Misericórdia onde alguns anos atrás funcionara o Instituto Goiano de Radioterapia, um aparelho que pesava em torno de uma tonelada,estava abandonado.

Acervo de Marlene Galleazi

Marlene numa vaquejada no interior de Pernambuco quando escrevia para Veja!


Verdeiro achado para Wagner Mota Pereira de 19 anos,casado,pai de uma menina de teres meses e para Roberto dos Santos Alves,de 22 anos,que viviam de recolher sucatas. Eles sabiam que poderiam conseguir um bom preço levando a peca para Devair Alves Ferreira,36 anos, dono de um ferro velho,com quem costumavam fazer negócios. Ninguém por perto, a remoção não teria testemunhas.
O problema era como transportar a gigantesca maquina. A solução foi dividi-la em partes e chamar o amigo Eterno Almeida Santos,catador de papel que morava numa favela,para que ajudasse o fizesse o frete em sua carroça manual. Trabalho que seria pago após a venda do material.
Negocio fechado,os três deixaram o local carregando a peca radioativa para a rua 57, onde Roberto morava num pequeno terreno ocupado por varis barracos e onde a peça seria desmantelada. A partir daí começa a ser escrito o mais triste capitulo da historia da capital de Goias.
Na mesma noite,no quintal embaixo de uma mangueira e sobre um tapete velho, os dois amigos iniciaram o desmonte de parte do equipamento, fazendo com que as pecas interligadas se soltassem, e que dividida em partes,daria um bom dinheiro. Sem nunca ter ouvido falar em máquinas radioativas,usando ferramentas inadequadas, Wagner consegue romper a janela de um 1 mm de iridio,metal brilhante,branco,duro mas maleável,cujo nome vem do grego iris, que significa arco-iris,pelo colorido brilhante de seus sais. Já espatifada, dentro dela estava a fonte do césio que fora importado em 1971,conforme autorização da Comissão Nacional de Energia Nuclear, responsável pela sua fiscalização, igual a todos os outros aparelhos de radioatividade que existem no Brasil.
Usadas para curas e tratamentos do câncer, daí para a frente passou a ser o simbolo da morte, de doenças e tragedias sem fim. Exposto,sem qualquer tipo de proteção, o Césio radioativo 137, uma fonte eletromagnética do tipo RX, que se forma na proporção de 6,2% durante o processo de fusão atômica do urânio 235, emite raios beta e gama de alto poder de penetração. O destino estava selado e os primeiros a serem atingidos pelos raios luminosos que encantavam a a todos como se fossem brilhantes,foram exatamente os que acreditaram ter encontrado um tesouro.
Wagner e Roberto não conseguiram dormir direito. Tiveram vômitos e se sentiram mal. Tomaram chá caseiro e um deles atribuiu o mal estar ao fato de ter comido manga com coco,algo que, segundo a crença popular, não combina na hora da digestão. Enquanto isso,os moradores do terreno não paravam de se deslumbrar com a luz que a pedra,já esfarelada, emitia. Um cachorro que atendia pelo nome de Sheik,fiel companheiro de Roberto,ficou por perto e até dormiu em cima do tapete onde estava a peça com o Césio.
Roberto também não quis sair de perto para admirar durante a noite escura o brilho do seu achado. No dia seguinte,bem cedo,Wagner,já com uma diarreia incontrolável,notou que suas mãos estava ficando inchadas. A mãe de Roberto,Eunice dos Santos,começou a ficar pálida,se sentindo muito mal. O jeito foi procurar um vizinho e pedir ajuda. No caso Paulo Henrique de Andradas,48 anos,presidente do então Círculo dos Amigos do Menor Patrulheiro de Goiânia,uma obra assistencial que atendia até 250 crianças de 12 a 18 anos de idade. Paulo Henrique,pegou o pessoal e levou para o Hospital Geral de Goiânia. Lá receberam atendimento mas ninguém sabia do que se tratava. Diziam que era indigestão ou coisa parecida. Depois de serem medicados,voltaram para casa.
Dona Eunice faleceu. Foi a primeira vítima do césio.
Wagner,com muitas queimaduras na mão e nos braços,procurou assistência médica. Tanto ele quantos os médicos não sabiam do que tratava. Alguém poderia imaginar um acidente radiológico em Goiânia? A medicação foi mais indicada para queimaduras e mal-estar do estomago e figado. Tudo isto aliado a receitas e chás caseiros. Apesar de continuar se sentindo mal, os dois amigos ficaram em casa e ainda fizeram alguns trabalhos. Sempre sem deixar de se encantar com a luz que o Césio emitia
No sábado,dia 19, a rota da contaminação pelo Césio,numa área que chegou a 2 quilômetros,
começou a ser traçada. Roberto e Wagner venderam parte do equipamento para o ferro velho de Devair Alves dos Santos, que ficava localizado não muito distante no Setor do Aeroporto. O transporte novamente foi feito por Eterno Almeida dos Santos que,deixava passar o resto da tragédia maior que estava para vir. Chegando lá,Israel Batista dos Santos, 22 anos, funcionário de Devair e Admilson Alves de Souza,18 anos,manuseiam o equipamento e a fonte. Dois dias depois,Devair fascinado pelo brilho do pozinho,colocou parte da fonte na sala e passou a distribuir fragmentos a parente e amigos. Entre eles, sua sobrinha Leide das Neves,uma garotinha de seis anos de idade,que ao ingerir o pó com um ovo, terminou se transformando na maior bomba de Césio de que se tem notícias.
Parte da blindagem de chumbo também foi vendida a outros dois ferro-velhos. A irradiação começou a se espalhar. Os problemas de saúde,inclusive com a queda imediata dos cabelos e dentes, a aparecer,e estranha notícia a correr pelos quatro cantos da cidade,em forma de comentários que afirmavam que algo completamente diferente estava acontecendo nas ruas 57 e 26. Dois números que nunca mais saíram da cabeça dos goianos.
Coube a dona Maria Gabriela Ferreira, mulher de Devair, que ao chegar de uma viagem a Minas Gerais ficou exposta à radiação,sentir que o problema todo estava relacionado ao cabeçote da luz azul. No dia 28 de setembro,ela e Geraldo Guilherme da Silva,empregado do ferro-velho,colocaram a peça num saco plastico,entraram num ônibus, caminharam duas quadras à pé. Ele levando o fardo nos ombros, em direção à Vigilância Sanitária de Goiânia.
Ao entrar no gabinete do sanitarista Paulo Roberto Monteiro, disse : “ Doutor,este trem está matando meu povo”. Daí para a frente começou uma guerra silenciosa contra o inimigo invisível, que no momento,mobilizou mais de 800 pessoas,deixou em estado de prontidão o Hospital Marcílio Dias,da Marinha,no Rio de Janeiro e teve à disposição um velho avião Bandeirante da FAB, fabricado em 1974, pertencente ao Esquadrão de Transportes Aéreos do Galeão, que servia para missões secretas que sempre aconteciam nas madrugadas.

Acervo de Marlene Galleazi

O Didi, dos Trapalhões, era grande amigo da Marlene. Na foto, ela na casa de Didi no Ceará.


No retorno aos hotéis,os jornalistas, já de madrugada,com o remorso e a depressão tomando conta de todos,alguns notaram o ruido de um avião que levantava do Aeroporto Santa Genoveva. Era o Bandeirante que a FAB
havia cedido na luta contra o Césio. Em operações sigilosa,levava para o Rio de Janeiro,um grupo de contaminados que estavam passando mal e com poucas chances de vida. O estado mais grave era da menina,Leide da Neves,de seis anos. Eles seguiriam para o Hospital Marcílio Dias,da Marinha,dotado de um pavilhão de isolamento dos mais bem equipados do País e de uma Central de Medicina Nuclear. No vôo,foram acompanhados pelo médico Nelson Valverde, de Furnas,especialista no atendimento a pessoas acidentadas por radiação. Todos usavam roupas especiais, máscaras e uma especie de luvas. A parte interna do avião tinha sido toda preparada para que a radiação não afetasse.
Despedidas dramáticas,dor e choro dos parentes. Enquanto isso num ritmo frenético,técnicos limpavam a área,reuniam o lixo atômico que mais tarde teria algum destino que já estava sendo delineado. Foi aí que surgiu mais um grande problema: como recolher,sem chegar perto, o tapete onde o aparelho do Césio 137,foi destruído? Como recolher o cachorro Sheik que,depois de longa agonia, morreu e estava lá como uma bomba? Estados Unidos e Rússia ofereceram seus robôs. Nada feito,pois eles não subiam degraus. O jeito
foi colocar a criatividade brasileira a funcionar e criar uma peça metálica em Goiânia mesmo. Uma gigantesca pinça manual foi feita numa fábrica de persianas. Uma especie de robô tupiniquim, que foi das peças mais importantes na retirada do lixo atímico.
Na época que não existia o celular,nem o laptop,tampouco a internet. A dificuldade do trabalho era muito grande. Telefone,telex, fax e telefoto eram disputados quase a tapas. De um lado, editores cobrando mais matérias e mais detalhes. Do outro, os especialistas sobre o assunto explicando pouco para evitar pânico,mas insistindo nos cuidados para que ninguém, se aproximasse muito perto dos “contaminados”, que estavam confinados em um estádio de futebol, onde foram instaladas barracas para alojamento. Uma espécie de campo de concentração que as pessoas só viam filmes,com doentes vestidos de branco. Quem precisava se aproximar deles,tinha que se submeter a medição do tal aparelho que marcava a intensidade da radioatividade. Grandes filas se formavam nas imediações. Todos queriam saber se tinha sido afetados”pelos raios do tal Césio”. Um número que só foi revelado no final da operação. Do dia 30 de setembro até 21 de dezembro,foram monitoradas e registradas
112.800 do público. Destas 249 identificadas com taxas de exposição indicativas de contaminação interna ou externa, de acordo com a CNEN.
O medo tomava conta das pessoas e todos os dias eram divulgados boletins,mapeando os locais atingidos e interditados, os suspeitos e os liberados. Algumas pessoas começaram a se mudar para outras cidades. O governo a cata de novo focos,colocou a disposição da população o telefone de número 191 para denuncias. Ninguém mais comentava sobre o Grande Premio Brasil de Motovelocidade, que fora realizado no dia 27 de setembro,pela primeira vez em Goiânia. A alegria cedeu lugar a dor, ao sofrimento e a espectativa dos momentos difíceis que estava chegando.
Um helicóptero da Secretaria de Segurança Publica do Distrito Federal,cedido a pedido do governado Henrique Santillo – o Carcará 1 – começou a fazer o rastreamento de Goiânia para verificar os níveis de radiação e a presença de novos focos. Pilotado pelos comandantes Torres e José Américo, levava a bordo o geólogo Paulo Barreto e o físico nuclear Evaldo Simões,ambos técnicos em medidas radiométricas. Com eles,três espectrômetros ( que medem a radiação gama emitida pelo Césio 137), um computador para transmitir estas informações para o papel e detectores de radiação. Apenas um novo foco foi encontrado numa fábrica de papel. A coisa estava ficando mais séria do que se pensava. O alerta em cima dos jornalistas virava pressão: “Não cheguem perto e nem sonhem se aproximar dos doentes. É perigoso, pode dar câncer ou outras doenças” alertavam os mais preocupados. Um alerta que não fazia eco no meio daqueles que amavam a profissão e que estavam ali para fazer notícia,saber da verdade. Os que se impressionavam iam embora ou pediam para serem substituídos.

Acervo de Marlene Galleazi

Marlene era grande amiga dos sertanejos Leandro e Leonardo. Aqui ela aparece com Leonardo na fazenda dele em Goiás.


Com o aumento das notícias na televisão, as famílias também faziam a sua parte. A repórter da Rede Globo,Ilze Scamparini, que lá estava,tentou entrevistar uma repórter,sobre a história de que teria ouvido em relação ao pedido da família dela, para que registrasse em cartório o fato de que,só estava ali,correndo perigo,por imposição da empresa em que trabalhava. Uma especie de garantia para o futuro. A sugestão da família realmente houve,mas a reporte se negou a faze-lo,pois sabia que o perigo também era parte de sua profissão. Uma noite, um pequeno grupo de profissionais da imprensa brasileiros e estrangeiros, e algumas pessoas que estavam fazendo trabalhos e Goiânia,na maior descrição, tiveram uma atitude irresponsável, mas logo depois,perdoados pelos colegas – porque sabiam que era resultado do estresse, da tensão,do medo de usar papel para escrever (e precisando faze-lo). Temia-se até o papel higiênico,que poderia ter vindo da nova área detectada pelo helicóptero.
A festa intitulada “Noite do Brilho - por causa da luz azul- realizada numa boite da periferia,contou até com a presença de algumas profissionais do sexo.

Acervo de Marlene Galleazi

Páscoa na casa de Leandro em Goiania.


Depois do embarque de cinco adultos e uma criança para o Hospital da Marinha,no Rio,e dos seis doentes que continuaram internados no Hospital do Inamps,em Goiânia, a situação começou a se complicar ainda mais. Numa operação vigiada pelo Serviço Nacional de Informação (SNI) para que não fosse vazada,mesmo o dinheiro era monitorado. É o que garante, anos depois e pela primeira vez, Cesar Luiz Vieira Ney, engenheiro químico,mestre em Engenharia Nuclear,que na época trabalhou no controle da área.
“A monitoração do dinheiro foi uma operação sigilosa, que eu mesmo fui encarregado de fazer, no Banco do Brasil de Goiânia, Anápolis e Brasília. No fim do expediente,tendo como testemunhas o gerente e um dos funcionários, mediamos a radiação das cédulas. Foram encontradas 30 notas contaminadas. Pela lei,elas não puderam ser juntadas ao lixo atômico. Foram guardadas num recipiente blindado. Só depois de sua desvalorização com a troca da moeda,enterradas com todo aquele material”


Cenas de intolerância



O tempo foi passando e o medo tomou conta da cidade. Quando , no dia 23 de outubro, chegou a notícia da morte de Maria Gabriela Ferreira (que entregou a máquina mortal à Vigilância Sanitária) e da pequena Leide das Neves,que engolira o pó brilhante,só se via tristeza nos olhos dos goianos. No enterro das duas primeiras vitimas,uma cena dramática,patética mesmo,com algumas pessoas tentando evitar a passagem do funeral, nas proximidades do Cemitério Parque. A razão: receavam que o sepultamento contaminasse a área. A polícia com armas de grosso calibre, teve que dar ordens para que o motorista forçasse a entrada. Dentro do cemitério, uma verdadeira guerra, com cruzes sendo arrancadas dos túmulos e jogadas contra o carro que transportava os dois caixões de chumbo, que formam uma blindagem especial e cada um pesando 600 quilos. Por causa do peso,foram içados por um guindaste. O da garotinha pesava um pouco mais. Devido ao alto grau de contaminação, ela teve que ser envolvida também em dois lençóis de chumbo,de dois milímetros de espessura cada um. Na hora do sepultamento, o momento mais forte,que fez jornalistas e as mulheres presentes chorarem:antes do breve culto,realizado por um padre e por um pastor, a mãe de Leide chegou da Febem – onde estava em tratamento e já praticamente descontaminada, para se despedir da filha. Viu seu rostinho através de um vidro temperado com chumbo,perguntou se lá dentro estavam suas bonecas e desmaiou.


Uma rosa vermelha



Um adolescente que a conhecia jogou na profunda cova uma rosa vermelha. O cantor goiano Itamar Correa,cantou uma música em homenagem à menina, que todos passaram a chamar de “O anjo de prata”. No dia seguinte, também morre no Rio de Janeiro,Israel Batista dos Santos e no dia 28,Admilson Alves dos Santos,que eram funcionários do ferro velho.
A partir daí,passa a ser rotina os doentes embarcarem para o Rio, voltarem para o Hospital do Inamps, em Goiânia, ou serem tratados nas dependências da Febem, que passou abrigar esses casos. Roberto dos Santos Alves
( que teve uma parte do braço amputado) e Wagner mota Pereira (que apresentava queimaduras),responsáveis pelo rompimento da bomba,se livraram da morte. Devair Alves Ferreira, o homem que pagou pelo peça mortal,só morreu anos depois.
A soma entre os contaminados,os supostos irradiados e os possíveis futuros focos, deixaram de ser o alvo principal da imprensa, que voltava sua atenção para duas novas tragédias que se abatiam sobre Goias: 1ª) encontrar um lugar para colocar o lixo atômico,que já somava toneladas e toneladas de objetos,roupas,concreto, animais e tudo o que tinha sido contaminado,dentro de contêiners fabricados especialmente para esse fim.2ª)com a discriminação que a população sofria e a queda de venda dos produtos.
João Paiva na época secretário estadual de Industria e Comercio,lembra: Não se vendia quase mais nada e até fomos impedidos de mostrar e negociar nosso artesanato na Feira da Providência no Rio. Quarto produtor de arroz do Brasil, naquele ano, passamos a ter dificuldade em coloca-lo no mercado,bem como o nosso gado e nosso leite”. José Sarney então presidente do Brasil visitou alguns pontos críticos da cidade e alguns doentes no Hospital do Inamps. O empresário Olavo de Castro colocou a disposição seu hotel Castro´s, primeiro cinco estrelas de Goias,para hospedar artistas e gente famosa – como a atriz Beth Faria e Chacrinha que lá foram prestar solidariedade e conversar com os doentes. Os goianos de uniam de todas as formas para tirar do buraco o Estado,que hoje tem uma das melhores economias do País.
Depois de muita luta, de consultas e propostas rejeitadas para que o cemitério do lixo atômico fosse para Serra do Cachimbo (PA),terminou ficando numa área de Abadia,quase ao lado de Goiana.
A primeira parte removida num caminhão do Estado,com forte aparato, correspondeu a 14 toneis,sendo que primeiro deles estava o tapete onde foi rompida a bomba de Césio e o resto do lixo dos hospitais onde estavam internados os doentes. Programado para ser feito na segunda-feira,foi antecipado para o domingo,1º de novembro,quando a cidade,por estar voltada para o GP de Moto velocidade, não perceberia a movimentação.
Quando os assuntos já estavam quase esgotados,surgem os pregadores das coincidências e das fatalidades,escrevendo nova versão. Segundo eles,tudo já estava escrito: é só somar o número da rua da tragédia(57) com o número da rua com a qual faz esquina (80). Resultado: 137. Nas profecias de Nostradamus, tem-se Centúria 5, Quadra 7, Juntos formam 57. Quando a maior parte da imprensa foi embora de Goiânia,deixou enterrado no campo do passado a certeza de que tudo o que poderia ter sido feito, o foi. Por se tratar do primeiro acidente do Césio 137 no mundo,pouco se sabia como trata-lo e as condições,na época,eram muito precárias. No final de tudo, a história do acidente envolveu questões sociais com desempregados,morosidade da Justiça do Estado, a irresponsabilidade dos donos do Instituto de Radioterapia, da falta de vigilância por parte do CNEN,do
comercio paralelo entre catadores de papel e compradores e vendedores de ferro-velho.
E o fascínio fatídico por uma misteriosa e magica luz azul.



Olides

A Marlene tinha mais alguma coisa para escrever. Não resistiu escrever mais sobre



o trauma que viveu em Goiânia e pediu para encerrar assim o seu texto.
A Marlene, depois da cobertura brilhante que fez para a Veja,de toda crise do Césio em Goiânia,adoeceu vítima da poluição atômica. Passou por duas complicadas cirurgias, mas graças a Deus,está aí novamente firme e forte trabalhando no Jornal de Brasília, onde tem uma brilhante coluna social. Alias, a mais lida do Distrito Federal.

Sergio Ross






Coleguinhas

Filha de peixe,
peixinho é....


Suzana Velhinho

Suzana Velhinho Englert é filha de Paulo DÁrrigo Velhinho e de Ruth Velhinho. Nasceu em Porto Alegre há 06.02.1955. Formada em Jornalista, atua em assessorias de imprensa e faz aparições esporádicas na televisão, principalmente no Câmare Dois, do Clóvis Duarte, onde comenta de tudo um pouco, sendo uma espécie de franco atiradora. Mas suas intervenções são caracterizadas pela sua argúcia e inteligência.

Suzana já trabalhou na Companhia Riograndense de Saneamento(Corsan)( Rua Cldas Junior,120). Reside na Corte Bela,374. É casada com Mário Englert,( 01.05.1955)arquiteto e tem os filhos Paula( 31.01.1979) e Pedro( 05.02.1980).

 

Coleguinhas

 

O industrial que sempre foi ligado à imprensa!

Talvez por saber do seu poder de influência, Paulo DÁrrigo Velhinho sempre foi ligado à imprensa e a jornalistas em geral. Foi ele, por exemplo, que deu um freezer de presente à Associação Riograndense de Imprensa(ARI) pra colocar no seu barzinho e gelar as "Antárticas" que o Hélio Corá dava anos atrás pra entidade. Hoje estas mordomias estão amortas e tudo lá é pago....


Paulo Velhinho, uma espécie de "mecenas" dos jornalitas...

Paulo Velhinho já residiu na Rua Cel. Lucas de Oliveira,594. Trabalhou na Springer Admiral,localizada na rua Siqueira Campos.Residiu ainda na Alameda Victor Kessler 31/301 na Auxiliadora e na rua Antônio Parreira, 145/500. Foi casado com Ruth que faleceu.

Coleguinhas


Um repórter que
eu admiro!

O vereador João Dib tem grande apreço pelo repórter Flávio Alcaraz. Eu também tenho.
Mesmo com toda sua fama de mal humorado - tanto que os antigos o conhecem pelo seu apelido de FIGADO, Flávio Alcaraz deixará sua marca indelével na imprensa gaúcha. Tá certo, ele matou uma jovem, mas pagou para isto. Poderia ter fugido, não o fez.

Caco Barcellos, alguns anos atrás, me fez de emissário porque queria entrevistá-lo justamente por Flávio ter ficado no país e não fugado, mas ele se negou. Mandou dizer que não queria falar sobre isto....

foto Instituto de Criminalística

Flávio Alcaraz sendo fichado no Instituto de Criminalistica...

Ainda no ginásio, no interior, comecei a ter contato com seus escritos.Li Morrer por Israel, num tapa. Depois,quando Flávio estava preso, no Presídio Central, esperava às segundas de manhã pra ler seu Diário do Presídio, que a Zero Hora passou a publicar. Era o melhor da edição,sempre. Quebrava aquela monotonia da imprensa da Trensurb, onde eu dava expediente....

Poucos textos são tão carregados de emoção e de drama,quanto os que o Flávio escreve....

E quando servi de intermediário e levei Luis Carlos Prestes para lhe dar uma entrevista na rádio Gaúcha, em meados dos anos 80, fiquei impressionado com a sua cultura. Ele sabia tanto da Coluna Prestes, quanto o próprio. Flávio ia levantando a bola e Prestes chutava. Ele lembrava de detalhes do ocorrido durante aquela marcha....

Flávio é natural de Porto Alegre, onde nasceu em 1927.É formado em Direito, pela UFRGS e em Jornalismo, pela PUC.
Vem de longe: começou no jornalismo em 1944, onde iniciou na Cia Jornalistica Caldas Junior, onde seu pai, Alcides, foi um dos diretores da Folha da Tarde.

Passional...

João Dib diz que Flávio é um espanhol, é um passional." Na verdade, ele briga com todo mundo, mas gosta de todo mundo" conta Dib, que o conhece há anos.

Um vereador lhe deu o título de Cidadão Emérito de Porto Alegre. Ele não quis nunca ir recebê-lo. Não queria muito movimento em volta dele. Um dia quando João Dib virou presidente do legislativo de Porto Alegre, ele ligou pro amigo e disse:
- Quero receber este título?
- Diz como tu queres e vem aqui,disse Dib.
Flávio marcou uma pequena reunião no gabinete da presidência.

Chorou como uma criança grande, quando lhe entregaram o título....
Estavam lá uns poucos: a família( que foi quem ficou do seu lado durante a tragédia)Natale Ferrari e mais uns ou dois amigos...

Talvez tenha sido seu estilo passional que o fez matar involuntariamente,segundo ele, a jovem Maria José Alberto Silva em 11.04.1976.Pagou por isto...O visitei na cadeia quando estava preso, junto com o fotógrafo Luis A rmando Vaz. Ele nos recebeu no pátio do presídio central, onde conversamos um bom bocado, mas ele falou mais com o Vaz de que comigo.

Estrela....

Quando entrevistei Maneco Vargas para meu livro sobre Getúlio, fui falar com ele para que Maneco fosse dar uma entrevista na Guaíba.
- Vamos fazer um Fórum,decidiu logo Flávio.
Mas levei uns três meses pra reunir as duas estrelas, ela e o Maneco...Quando um podia, o outro não....

Quando criança, morou na rua João Telles, 280, no Bom Fim e de lá ele tira histórias para contar. Mas há anos que vive no Morro Santa Tereza.
Como bom espanhol, Flávio sempre sesteia....O Fúlvio Petracco, diretor do Inter, descobriu isto e aos sábados, lá pelas três horas, mandava os vigias do Inter a dar tiros em direção ao morro saindo do Beira-Rio. Flávio descobriu que a sacanagem era com ele e denunciou isto na Guaíba...

Hoje está na Televisão Pampa e no Jornal O SUL, onde sua coluna sempre tem muitos ensinamentos históricos.
Suas colunas de estilo sarcástico, já lhe provocaram alguns processos que ele respondeu na Justiça...


Coleguinhas

O matz tava mortinho, agora ressuscitou!!!!

 

Especulações

No interior, mais precisamente em Serafina,onde estive no fim de semanaq, se diz - junto ao PP local - que a candidata ao senado Ana Amélia Lemos poderá ser "acoplada" a candidatura de Luis Augusta Lara a governador pelo PTB.

E também se diz que o atual senador Sérgio Zambiazi iria sim a deputado estadual,mas os progressistas não acham que ele vfá estourar a bola do balão em votos como das vezes anteriores....

 

 

Paim

*O sentimento que colho nas ruas é de que o senador Paulo Paulo (PT) está reeleito e com grande votação. Estes dias vi um eleitor dizendo que Paim tinha que ser era presidente, não senador. Tudo por causa do fator previdenciário. Mas se o presidente Lula vetar, o " amor pode virar ódio!"

* A outra vaga ao senado, vai ser uma luta de foice entre Ana Amélia Lemos e o ex-governador Germano Rigotto!

* No Jornal O PIONEIRO do dia 8.05, Odacir Klein deu duas páginas de entrevista contando todo seu drama com o alcoolismo. O gancho foi o livro Conversando com meus netos que ele lançou em Caxias do Sul. Entrevista muito corajosa, expõe as víceras do alcoolismo, do qual ele foi dependente muitos emuitos anos. Klein não deixa de abordar nem a morte do seu filho, Felipe, em 2004, motivo que o fez parar de beber...


Coleguinhas

Corneteando eles....


*
Sempre que posso, leio o Prévidi Com. Não acho que o Cabeça seja aquela Brastemp que ele pensa que é, mas tem boas fontes. Digamos que é arroz com feijão, mas qual o dia que a gente não come arroz com feijão......

Bom, ele tá pedindo pro Mendelski contar a História do Grupo Ivanhoé...Bah, só pra ti, porque ela já foi contada pelo João Carlos Terlera, pelo próprio Rogério, várias vezes. Não requenta café, coleguinha....Já tá ficando até chata de tanto que contaram esta do Grupo Ivanhoé....Meu pai sempre dizia que uma música, mesmo sendo muito boa,quando tocada seguidamente, enjoa.,..


*
A Eloá Faé foi demitida da FM Guaíba. Ela tinha um programa das 11 da noite, a uma que eu quando podia ouvia só pra me divertir, porque saía cada uma lá que ...só rindo....Quando vinha então a história do dia, melhor da noite, que era sempre um caso de como um homem e uma mulher tinham se conhecido, aquilo ficava a maior pieguice que já vi em rádio....Mas eu me divertia, pra desopilar!!!

 

 

O autor e a equipe desejam aos leitores um bom fim de semana!

 

Histórias de La Ùndeze!

 

Ascensão e queda
da família Soccol

Não houve nos anos 30,40,50,60 e 70 do século passado família mais influente e poderosa em Serafina, que a de Miguel Soccol. Dono do Frigorífico Ideal, ele "mandava" no município,indiretamente. Os primeiros prefeitos - Amantino Montanari e Guerino Soccol,depois de novo Amantino,depois Irceu Gasparin - todos foram eleitos sob a influência do Frigorífico Ideal, que era quem dava renda ao município e emprego pra população.
Miguel Soccol,segundo contam ainda os mais antigos só não impôs sua vontade a um poder maior naqueles tempos: da Igreja Católica. Miguel,católico praticante e colaborador da igreja, queria que o vigário, Padre Luiz Pedrazzani ( hoje nome de rua) mandasse construir a torre da igreja na frente da mesma. O Padre entesou e quis que a torre fosse atrás. Durante muito tempo, Miguel e o padre estiveram rompidos. Miguel que sempre colaborava com as obras da paróquia, não deu dinheiro pra a construção da torre, que acabou assim mesmo sendo levantada, com o esforço da comunidade.

Acervo Nelson Assoni

Na av. Julio Campos, atual Miguel Soccol, o casarão de dois pisos de Miguel e sua família, que continua ainda lá. O posto Atlantic, a barata estacionada é do dono do posto Guerino Soccol e a vulcanizadora.Também o pó do caminhãozinho porque a pavimentação ainda não começara. data provável: fins de 1964, começo de 1965.

Nome de Rua

Miguel Soccol é hoje nome da principal avenida de Serafina. O frigorífio que teve foi primeiro em sociedade com seu pai, Pedro. Os dois foram de Dois Lajeados para Serafina .Lá eles haviam sido sócios também de um frigorifico( na época eram pequenos matadores de porcos).
De Dois Lajeados, Miguel Soccol foi pra Santos onde jogou na loteria e ganhou um prêmio muito grande.Foram mil contos de réis. Com este dinheiro,ajudou o pai a pagar a dívida do frigorífico, mudando-se então para a então LINHA ONZE DE GUAPORÉ, o atual município de Serafina Corrêa.
Na Linha Onze de Guaporé, ele comprou um matadouro já existente, o matadouro do Nardi e Franciosi Ltda.
Foi isto que se tornou o embrião do futuro Frigorífico Miguel Soccol,depois Frigorífico Ideal(produtos Sulina) e, mais recentemente, Perdigão.
Miguel casou com Natalina Antônia Brandalise, natural de Linha Emília, de Dois Lajeados.

A família do Miguel era a família de mais poder aquisitivo,embora o pai fosse muito discreto. Sua esposa, Natalina, era pouco ou quase nada vista na rua.
Miguel era visto na igreja, onde ia sempre usando um suspensório. Depois da missa, recolhia-se a sua casa, uma mansão feita toda em granito pelo engenheiro Maximiliano Cremonese, que Miguel " importou" da Itália, porque era um " sobra" de guerra....

Cremonese construiu a casa com vastos espaços interiores e com um grande pátio nos fundos. Ali havia sempre passarinhos exóticos "importados" ou do Paraná,ou do Mato Grosso que faziam a alegria, pelas suas penas coloridas, das crianças que passavam na calçada.

 

Acervo Nelson Assoni

Em pé da esquerda para a direita:Pedro( +)Aldo(+)Diva,Miguel(+)Natalina Brandalise(+) Sérgio(+),Ivo(+) e Rui; sentados: Dino,Ovídio(+) e Rony( Acervo Dino Soccol).

 

Colonizadora

Miguel e sua esposa, tiveram os filhos, Dino,Ovídio,Rony,Rui,Ivo,Sérgio,Diva,Aldo e Pedro. São vivos,ainda, Rony,Dino, Rui e Diva.
Diva mora em Milão, na Itália, onde se mudou há anos.
Dino é dentista aposentado e reside em Porto Alegre.
Rony é o único que ficou em Serafina e Rui mora em Medianeira.

Os filhos de Miguel Soccol fundaram uma colonizadora e praticamente fundaram a cidade de Medianeira, no Paraná, no começo dos anos 60.
A casa, que por sinal, tem um sistema de calefação com água quente que passa pelo interior de todas as paredes da construção deixando-o bem aquecida durante os dias frios do inverno.
O modo como o frigorífico foi vendido, não se tornou público.
Os filhos que foram para o Paraná segundo versões que se contam em Serafina, jogavam muito carteado do outro lado da fronteira, ou seja, em Puerto Strossner, no cassino e lá teriam consumido boa parte da fortuna.
A história da família de Miguel Soccol é quase que um exemplo prático daquele ditado que diz: Pai rico, filho nobre, neto pobre!





A ESTRELA MARLENE GALEAZZI




Quando cheguei em Brasília, em março de 74,para dirigir a Sucursal das revistas da Bloch Editora,comecei a montar a minha esquipe de jornalismo. Um dia minha secretaria,convidou para almoçar conosco, uma moca gaucha, de origem italiana,natural de Cotiporã. Me parecia estar vendo uma colona da minha região. Falava rápido,cantado e sabia de tudo o que acontecia em Brasília. Me disse depois,que estava por aqui, vendendo terrenos no Lago Sul, hoje parte nobre da cidade e que,para ganhar mais uns trocados,copidescava a coluna social de um jornalista goiano que escrevia sal com c cedilha...

Acervo de Marlene Galeazzi.

...." Marlene com o Juruna e seu inseparável gravador. Marlene assim que descobriu o Juruna, foi para a aldeia dele para uma reportagem para a Manchete. "


Achei a Marlene bem interessante. Achei que ela bem trabalhada,faria sucesso na minha redação.
Passado alguns dias,a minha pauta estava lotada e eu precisava uma matérinha para a Fatos e Fotos. Ai,pensei: vou chamar a Marlene. Marlene chegou e eu dei as dicas do que a Fatos e Fotos queria. Marlene se mandou na mesma hora com um fotógrafo para o interior de Goias. Dois dias depois,voltou com um belo material, que não acreditei que ela fosse conseguir. Fatos e Fotos deu quatro páginas. No mesmo dia,pedi ao Rio a contratação dela.
De um dia para o outro a Marlene,virou estrela. A redação no Rio, começou a respeita-la e começou a pedir que ela,só ela cobrissem determinados fatos.
A Marlene nascia para fama. Era uma bela pauteira. Adquiri confiança e ela se projetou.
Descobriu o índio Juruna. Descobriu a Tia Neiva que era uma caminhoneira e nas horas de folga praticava o espiritismo. Tia Neiva morreu há alguns anos,mas hoje existe aqui nos arredores de Brasília, uma cidade onde seus seguidores vivem e é chamada de Vale do Amanhecer. Entrevistou gente famosa como Jacques Custeau,Toni Benett e alguns políticos que tentaram misturar o seu trabalho com sacanaAgem.
Marlene foi a repórter que colocou o Alexandre Garcia, então do Gabinete de Figueiredo,pelado em uma cama redonda com lençóis de cetim, em uma matéria para a revista Ele Ela. É claro que o Alexandre foi demitido na mesma hora.
A “estrela” de Cotiporã, já na terceira idade é a grande cronista social do Jornal de Brasília. Hoje,virou fonte para muitos coleguinhas.

Acervo de Marlene Galeazzi.

Juruna e seu inseparável gravador.


Sei que estou me alongando. Mas não posso deixar de contar a historia dos senadores gaúchos que atropelavam a nossa conterrânea.
Certa vez, mandei a Marlene fazer uma entrevista com um senador gaúcho ( não insistam em querer saber quem é,pois o homem já morreu).Dei a pauta do que queria e lá se foi a Marlene para o Senado,toda arrumada, perfumada e o cabelo muito bem penteado,num cabeleireiro que tive que pagar.
Passado umas três horas a Marlene voltou. Quando entrou na minha sala,puta da cara,parecia que tinha estado num furacão ou numa guerra. Estava descabelada e com a blusa toda rasgada. Não tive coragem para perguntar o que havia acontecido, mas ela foi logo me chamando de vigarista,baceira e não sei mais o que. Disse que eu sabia o que ia acontecer no meio da entrevista. Eu sabia bem que o nosso senador não era de deixar passar a mão num corpo bonito.
Aí a Marlene me contou que assim que ligou o gravador o nosso senador,não teve a menor dúvida. Se botou nela,cheio de amor para dar. Marlene me contou mais ou menos a historia assim.- “entre uma pergunta e outra, eu tinha que pular por cima da escrivania do homem e até em cima de um armário. Olha só com os meus joelhos estão todos machucados...”
Realmente a nossa “estrela” chegou bem lesionada. Mas a Manchete deu seis páginas da entrevista que foi um furo e repercutiu nacionalmente,sem que fosse adicionado alguns detalhes do assedio sexual.
Tinha um outro senador gaúcho, que não podia chegar perto da Marlene. Sempre que a encontrava,ia se chegando e discretamente passava a mão na sua bunda.

Acervo de Marlene Galeazzi.

Marlene num baile de debutantes em Nova Prata ,onde morou depois de Veranópolis


Certa vez no estávamos em um jantar,na embaixada da Alemanha. A Marlene elegantemente vestida (nem parecia que tinha vindo de Cotiporã...)circulava pelos salões em busca de matérias para o Posto de Escuta. Eu conversava com alguns coleguinhas e com o adido de imprensa da Embaixada
da Alemanha. De repente ela vem na minha direção,bufando como se fosse um touro. Quando perguntei o que tinha acontecido,imediatamente me disse furiosamente: “se este cara (falando do senador) vier para cima de mim,aqui na Embaixada eu não sei o que vou fazer...” Pedi que ela tivesse calma e bebesse mais uma dose de um vinho alemão, que estava sendo servido. Mas mal acabei de pedir paz a ela,o nosso senador se aproximou. Com um copo de vinho em uma das mãos,foi logo cumprimentando a nossa “estrela”. A Marlene,não deixou a bola quicar e mandou de “prima”:
“Olha aqui...disse,se tu chegares perto de mim e passar a mão na minha bunda,eu vou te cagar de tapas, aqui mesmo.”
Foi um silencio geral. Cagar de tapas uma expressão muito nossa,não era nada conhecida na diplomacia...
Este é um resumo da história da “estrela”.Eu espero que um dia ela bote no seu livro,tudo o que eu sei dela. Tenho certeza de que será um grande um grande sucesso.

Sergio Ross

Prossegue amanhã


Cotidiano

 

Cai número de passageiros

transportados em Porto Alegre!

O Secretário da Inovação Tecnológica de Porto Alegre,vereador Newton Braga Rosa disse ontem durante café na Sociedade de Engenharia do Rio Grande do Sul que o Governo Federal errou ao isentar os carros de toto o IPI." Deveria ter isentado aos poucos, porque enquanto no restante do mundo a produção de carros decresceu, aqui no Brasil, ela aumentou e todos nós estamos vendo como estão as ruas e avenidas de Porto Alegre. Em certos horários, não se pode nem trafegar."

Rosa disse que tem informações de que nos últimos 20 anos apesar de ter aumentado a população da capital,tem decrescido o número de passageiros transportados por ônibus.


 

Desde São Borja!

 

Faz uma linda e luminosa manhã de outono em São Borja! O Rio Uruguai que até poucos dias nos assustava com sua " invasão de território" majestosamente recua e segue seu curso normal. Aos poucos os moradores de zonas ribeiririnhas vão voltando para suas casas,iniciando aquele velho ritual de limpeza e pintura, juntando o que restou de seus pertences e de suas esperanças por melhores dias, iniciando uma nova etapa de vida de ribeirinho.

Por Neuza Penalvo.

 

ARRECADAÇÃO DE ISS CRESCE
COM MENOR TRIBUTAÇÃO



Mesmo com a redução do Imposto Sobre Serviços (ISS) de 4% para 2% para o setor de serviços de arquitetura e de engenharia de Porto Alegre em 2007, a arrecadação do tributo cresceu 6% em 2008, primeiro ano de vigência da medida. O anúncio foi feito hoje (6.5) pelo coordenador do gabinete de Inovação e Tecnologia – INOVAPOA, Newton Braga Rosa, ao falar no café da manhã Bom Dia Engenharia, promovido pela Sociedade de Engenharia do Rio Grande do Sul (Sergs). O palestrante apontou este exemplo como demonstração concreta do princípio de que a redução da carga fiscal faz a atividade econômica crescer de tal forma que acaba proporcionando aumento de arrecadação. A mesma situação ocorreu com o setor de informática, em que, em 2005, o ISS foi reduzido de 5% para 2%. Outros segmentos em que a medida foi adotada são os de publicidade, telemarketing e recapagem de pneus. Em sua apresentação, Newton Braga Rosa explicou que a INOVAPOA foi criada no ano passado para viabilizar novas oportunidades baseadas na inovação e na tecnologia para empresários, profissionais e estudantes.


Todt Comunicação

 

Coleguinhas

Corneteando eles!


* O jornalismo tanto precisa de mim( e de outros,evidentemente) que eu existo. Comecei este blog com mil acessos e já estou quase nos 20 mil. E isto que não tenho "propaganda" em local algum, justamente por dizer aquilo que alguns " pretensos donos do jornalismo" não gostam, ou pior, não têm interesse que se escreva. Eles foram com a massa, eu voltei com a pizza!

* Germano Rigotto, ex-governador, vai começar a campanha ao senado em meados deste mês. Até poucos dias atrás ainda não tinha um assessor de imprensa.

* Mendelski no Bom Dia,de ontem, 6/5 lembrou que era dia do taquigrafo e que João Carlos Terlera e Rosane Marchetti entraram na Assembléia Legislativa fazendo concurso para taquígrafo.

 

Festival da Bergamota...

Na entrada do plenário da Assembléia Legislativa ,ontem, dia 6/5, o pessoal aproveitou pra comer esta fruta ( que o paulista chama de mixirica, ) mas que pra nós é bergamota...Vieram promover o festival do Vale do Caí e a distribuição foi farta....Todo mundo comendo bergamota....

 

 

Coleguinhas

Rogério Boelcke, ex-Guaíba, agora na rádio ABC ontem,dia 6/5 apareceu na turma que veio promover um festival de bergamota...

Rogério saiu da Guaíba porque tinha uma ação contra a TV Record. Os novos donos pediram pra ele retirá-la, ele não a retirou e foi pra rua....

 

 

 

Coleguinhas

Corneteando eles...
`PASSARALHO NA GUAIBA!!!!

Era o assunto entre coleguinhas na tarde de ontem. Teriam sido demitidos 15 funcionários,entre eles Sidney Coelho(diretor comercial,com muitos anos de casa) Lizemara Prates( da área rural da emissora)entre outros nomes, uns mais,outro menos conhecidos.

* Na TV da Assembléia, entra mais fácil (isto é, consegue dar entrevista com maior facilidade) quem é do PDT!


*Banheiro interditado da " Casa do Povo" permanecia,ontem,6/5 na mesma situação....
Fica no andar térreo. Os funcionários já descobriram uma manha: sobem um andar e vão num banheiro que fica na frente da entrada da TV Assembléia....

* Um telefone interno de um elevador da " Casa do Povo" " aceita " ligação a cobrar....
Teve gente que fez a experiência.


* João Carlos Terlera foi dar colher pro "Brasinha" - que já havia trabalhado para o deputado Germano Rigotto quando este era deputado estadual - e agora ele o meteu na Justiça do Trabalho pedindo vinculo empregatício...Fazia bicos de ruas, tipo compras, e pagamentos em geral....

*Isto é comum na Assembléia: durante anos um "boy" de rua ia na Imprensa da Assembléia Legislativa e pegava todos os serviços de rua pra fazer pra quem trabalhava lá. Depois de muitos anos entrou na Justiça do Trabalho pedindo vínculo empregatício e levou. Mas logo que meteu a mão na grana, faleceu.

* Vereador Adeli Sell(PT) tem coleção de chapéus...ontem estava com um preto....

* Adeli não esconde sua meta: ser prefeito da capital, ele que é um "catarina" que veio pra Porto Alegre.Cerca de 40% dos habitantes de Porto Alegre que são de fora...


 

Coleguinhas

Os irmãos Frantzeski


Francisco H. Frantzeski

Francisco e Georges Frantzeski são de origem grega. Ambos fotógrafos.

Francisco nasceu em 18.12.1930. Mora em Tramandaí. Foi fotógrafo do Jornal do Dia,cuja redação ficava na rua Duque de Caxias. Residia na rua Wenceslau Escobar ,3459. Também trabalhou na Cia Jornalística Caldas Junior(CJCJ).Filho de Michael e de Celina Frantzeski.George também trabalhou no Jornal do Dia e na Caldas Junior.
Ambos fotógrafos, trabalharam nos mesmos veículos.George faleceu na década de 90, de um câncer. Ele nasceu em 18.02.1933.Também na Grécia, como o irmão.

 


Mário Antônio da Silva Pereira

O dono de um exímio texto!

Conheci o Mário Pereira, nos anos 70, na redação da Zero Hora. Era redator e copidesque. Quando queriam que um texto saísse impecável, era com ele.Na Zero Hora ascendeu ao cargo de sub-secretário.
Nascido em 21.07.1941, Mário Pereira mudou-se para Santa Catarina, onde vive até hoje.
Filho de João Batista da Silva Pereira e de Geny B. Pereira.

Uma vez, o repórter Vilmo Medeiros, fez uma matéria para as páginas 2 e 3 do jornal e deu uma pauleira na prefeitura municipal. Como a matéria seria assinada, o editor Carlos Machado Fehlberg pediu a Mário que desse uma "penteada"(jargão que em jornal quer dizer tirar os termos mais pesados) no texto. Mário negou-se porque achava que se a matéria seria assinada, ele não deveria mexer no texto, a não ser em pontos e vírgulas.

Carlos Fehlberg chamou a si a responsabilidade de pentear o texto, mas Vilmo Medeiros, conhecido pela sua radicalidade, ordenou ao seu chefe:
- Se mexer no texto,tira meu nome...

O episódio está relatado por João Batista Aveline em seu Macaco Preso para Interrogatório.

Mário Pereira residiu em Porto Alegre na rua Alberto Bins, 628/1304.

 


O jornalista que virou senador.

Chiarelli sabia tudo sobre a profissão:
tanto que só dava entrevista quando os jornais
não tinham assunto


Carlos Alberto Chiarelli nasceu em 3.5.1940 em Pelotas, no RS.Filho de Matteo Salvadod Chiarelli e de Maria Gomes Chiarelli. Residiu na rua General Neto, 102, em Pelotas.
Em 3,5.1963 entrou pra o Diário Popular de sua cidade natal.
Mas tarde,deixou a profissão para ser político, onde chegou a senador.

Como conhecia intestinamente a imprensa -outro político que tinha esta vantagem foi o ex-governador Antônio Britto - Chiarelli só dava coletivas quando sabia que os jornais e rádios estavam sem assunto. Ou dava coletivas pela metade, geralmente no aeroporto, onde também trabalhava seu assessor de imprensa, Otálio Camargo.
A chegada de Camargo em uma redação de rádio ou de jornal naqueles anos 70,80 significava que vinha uma notícia de Chiarelli.

A estratégia de Chiarelli era sair de Pelotas, marcar coletiva com a imprensa no aeroporto e deixar que a imprensa voltasse procurá-lo quando ele regressasse de Brasília. Assim estava sempre na mídia....


Celito de Grandi

 

O jornalista que
virou pesquisador.

Celito de Grandi, nascido em Marcelino Ramos, em 16.02.1942, filho de Modesto de Grandi e de Lídia de Grandi, está para lançar, junto com Núbia Silveira e João Souza um livro sobre Breno Caldas, que durante anos foi um " barão" da imprensa gaúcha.Este não é contudo o primeiro trabalho nesta área de pesquisa de Celito: já lançou um livro sobre o prefeito José Loureiro da Silva, um sobre Ernesto Correa e está também escrevendo um sobre o Caso Kliemann.
Como jornalista Celito foi diretor do Diário de Notícias, na Rua Sete de Setembro,1126.
Também trabalhou na Secretaria do Trabalho e Ação Social, onde chegou a Delegado Regional do Trabalho.Também da Cia União de Seguros Gerais. Celito sempre esteve ligado ao falecido deputado federal Nelson Marchezan.No Governo de Germano Rigotto ocupou por algum tempo, a Secretaria de Comunicação Social.
Foi casado com Ione de Grandi.



 

Coleguinhas


" Galo Cego",ou" Luz Alta"
é o que o chamam,mas é esperto
pra mais de metro..


Noé Cardoso

 

Noé Cardoso está com uma rádio na Grande Porto Alegre, mas não é sua primeira experiência como dono de rádio, já que foi dono da Sucesso.

Já trabalhou como repórter em veículos,como na Folha da Tarde, da Cia Jornalistica Caldas Junior, onde João Carlos Terlera o apelidou de " Luz Alta". Tudo por causa de um defeito que tem num olho.
Noé Cardoso também foi redator da Zero Hora, quando esta ficava na Rua Sete de Setembro. Depois foi assessor de Comunicação do Palácio Piratini,quando o governador foi Amaral de Souza, o "Amaralzinho".Filho de Oscar Salvador Cardoso e de Maria R.S. Cardoso,ele nasceu em Novo Hamburgo, em 11.09.1942.
É desquitado do seu primeiro casamento.
Quando ganhou a concessão da rádio Sucesso, ele trabalhava em Brasília, no Geipot. Deixou aquele emprego para vir cuidar de sua rádio.
Foi também presidente da AGERT.

 

 

 

Histórias de La Ùndeze!

Um trabalhador humilde
sai de cena!


Atílio( Titi) Migliavacca se aposentou da prefeitura municipal de Serafina Correa no dia 30/04, depois de muitos anos trabalhando no serviço público local.Ultimamente ele dirigia um ônibus da prefeitura.Se você perguntar pelo Atílio, ninguém conhece, seu nome conhecido é Titi.

Acervo de Luiz Zanluchi.

Na garagem da Prefeitura Municipal em1968. Da esq. para a dir :

1-Bruno J.Marocco.2-José H.Dondoni.3-Funcionário da Corsan.4-Func.Corsan ou Daer.5-Guerino Antonio Massolini(Prefeito).6-Titi Migliavacca.7-Flori C.de Oliveira.8-Baiano.9-José Sonaglio.10-Func. Daer ou Corsan.11-Luiz Marin.12 Func.Daer ou Corsan.13-Marcilio Padilha.14-Func.Daer ou Corsan.15 Luiz Zanluchi e 16-João Menegatti.

Titi é do tempo que a prefeitura ficava ali na avenida Miguel Soccol, onde hoje está a loja Por Menos.

E era um dos assíduos frequentadores dos famosos churrascos que o segundo prefeito do município ( 1964-1968) Guerino Antônio Massolini promovia sempre às sextas, à noite, nos fundos do prédio da prefeitura, onde havia uma garagem para guardar um jipe, um automóvel e uma patrola, que era tudo o que a prefeitura tinha no começo..

Segundo Titi Migliavacca e Luis Zanluchi, dois dos assíduos frequentadores destes churrascos, Massolini gostava de reunir a turma dos " arigós" como eles se autodenomivam, que eram os funcionários humildes ...Bruno José Marocco, secretário desta gestão, não gostava,segundo a irmã Celina Marocco , que eles se autodenominasem de "arigós".

Mas depois do churrasco e de uns copos de vinho artesanal( da colônia, como se diz em Serafina) os participantes começavam a entoar canções antigas( melancólicas) dos tempos que chegaram os primeiros imigrantes." E o prefeito geralmente chorava. Não sei porque, mas o Massolini se emocionava com aquelas canções que falavam da guerra" lembrou Titi.
Guerino Massolini é pai de Sérgio Massolini,que foi também prefeito de Serafina e do vereador Paulo(DEM).

 

 

Banheiro estragado

completa aniversário

no andar térreo da Assembléia

 


Banheiro estragado

 


Faz seis meses que o banheiro masculino do andar térreo da Asembléia Legislativa do Estado está estragado. " Aqui no térreo nós somos muita gente. E quando tem as manifestações na Praça da Matriz todo mundo que precisa utiliza este banheiro" reclamou um funcionário, usuário do banheiro estragado.


o autor deste site indica o banheiro estragado.

É!!!!!

Assim deste jeito, o pesoal fica com saudades do Macalão!!!!


o autor deste site indica o banheiro estragado.

 

 

 

BEM VINDO AO LAR, SÃO FRANCISCO DE BORJA

 


São Francisco de Borja voltou! O Padroeiro de São Borja, primeira cidade dos sete povos das missões, regressou ao seu lar no dia do trabalhador, neste ano em que completou 500 anos de nascimento. O retorno da imagem sacra, roubada da antiga igreja da cidade pelas tropas de Solano Lopez, em junho de 1865, na guerra do Paraguai, mobilizou a fronteira oeste.

Fotos de Letier Vivian, do gabinete do vereador Celso Lopes(PDT).

População de São Borja foi recepcionar imagem do santo padroeiro que estava fora há 145 anos!


Momento histórico na cidade, a riqueza cultural da cerimônia, celebrada com missa, procissão e carreata, na presença da mais de 4000 pessoas, tem relevância política, histórica e religiosa. Devolvida pelo presidente paraguaio Alfredo Stroessner na década de 1970 para o presidente brasileiro, o são-borjense João Goulart, a imagem do Padroeiro ainda teve que esperar para seu retorno. Jango deixou a vida em 1976, no exílio, desterrado de sua pátria, e não pôde concretizar a vontade de devolver São Francisco de Borja à Igreja. Mas seu sangue continua nas veias das novas gerações para seguir sua missão e o Santo é forte. E agora está com sua gente.
Superior Geral da Companhia de Jesus em 1565, Francisco pregava a lição de que “todos nós somos peregrinos”. Faz sentido acreditar que depois de tanto tempo peregrinando, já sabia que seu retorno estava marcado. Neste país de tantas descrenças, precisamos da fé representada por São Chico.

Fotos de Letier Vivian, do gabinete do vereador Celso Lopes(PDT).

População de São Borja foi recepcionar imagem do santo padroeiro que estava fora há 145 anos!


Por aqui, São Chico, definitivamente, algo não vai bem. Estamos perdendo valores humanos elementares, inseridos numa realidade competitiva e egoísta. Por vezes, esquecemos que o amor é o sentimento mais precioso da humanidade. Por que a caridade ao invés de justiça Social? Por que a violência ao invés da paz? Para enfrentar tudo isso, mais do que nunca precisamos da tua bênção. Bem-vindo ao lar novamente.


Christopher Goulart
Presidente Memorial João Goulart

 

 


A ESTRELA MARLENE GALEAZZI


MINHA IRMÃ MARLENE ANNA GALEAZZI

A Marlene Anna Galeazzi nasceu em Cotiporã e cresceu em Veranópolis, cidade batizada com esse nome por nosso pai, Rogério Galeazzi, quando foi interventor do município por 9 anos, na época de Getúlio Vargas. Neta de imigrantes italianos, sendo, por parte de mãe, da tradicional família Lenzi de Nova Prata, essa "gringa da serra", como era chamada pelos amigos, no período em que estudou e morou em Porto Alegre, sempre teve uma personalidade irrequieta. Talvez por isso veio aportar em Brasília, na década de sessenta, atendendo a um convite de sua irmã mais velha, já falecida, Lourdes Galeazzi, que era professora na Capital Federal, selecionada por concurso de nível nacional.
Seu espírito aventureiro e sua facilidade em escrever e descobrir pautas interessantes, a levaram a ser convidada pelo jornalista gaúcho de Bento Gonçalves, Sergio Ross, na década de setenta , a trabalhar na revista Manchete. E foi naquela casa que Marlene desenvolveu um riquíssimo trabalho jornalístico, que a levou a vários localidades por esse Brasil afora, a diversos países, e a ter experiências marcantes, como uma grande viagem pela Amazônia, com a equipe de Jacques Cousteau, e uma matéria sobre a juventude em crise nos anos 80 - esta feita da Europa.
Outro tema que ela desenvolveu com paixão foi sobre os índios. Ela foi designada para fazer uma matéria numa aldeia do Xingu com o Juruna, que estava despontando no cenário nacional, Lá ficou muitos dias e se entrosou tanto, que firmou uma grande amizade, não só com Juruna, mas também com o cacique Aniceto. Isso lhe rendeu belos trabalhos no Xingu, sendo que um deu até capa na Revista Geográfica Universal. Ela voltou outras vezes à aldeia, participou de festas, foi condecorada pelos índios , chegou a aprender um pouco da língua xavante . Depois que Juruna veio para Brasília, ia visitá-la com freqüência, carregando seu inseparável gravador, não só na Casa da Manchete, como em sua própria casa, onde adorava comer doces e queijo..
Com os ciganos ela também teve grande ligação e fez boas reportagens. Ela chegou a ser representante deles em Brasília, do Centro de Cultura Cigana da Almerica do Sul. Marlene chegou até eles através do professor Ático Vilas-Boas, de Goiânia, que era um estudioso e interessado em preservar a cultura cigana. Ela participou de diversas festas e casamentos nos acampamentos e, em Goiânia, chegou até a dormir na barraca de Milus Traiko que, na época, era um grande chefe cigano.

acervo de Marlene Galeazi

Marlene Galeazi e Jacques Cousteaux

Aventureira, quixotesca, versátil, Marlene definia seu trabalho tão louco, quanto sua cabeça, e por isso , não seguia uma linha para suas reportagens. Para a Manchete fez trabalhos desde o Xingu, até o Miss Mundo, em Londres. Fez matérias esotéricas, ufológicas até na Bolívia. Se embrenhou pelos garimpos de Goiás, usando arma na cintura para se proteger. Entrou em cavernas, o que lhe ocasionou uma lesão num dos olhos. Mas nada detinha seu espírito aventureiro. Esteve me Berlim Oriental na Queda do Muro. Na Bulgária ,onde foi a convite da Sophia Press,perdeu a mala e ficou horas abandonada no aeroporto, mas nada a intimidava.

acervo de Marlene Galeazi

Marlene Galeazi e Jacques Cousteaux


Das inúmeras pessoas que conheceu em sua trajetória jornalística, guarda carinho especial por Jacques Cousteau, com quem manteve contato por muitos anos. Ela o conheceu no gabinete do Ministro da Marinha,em Brasília quando Cousteau estava acertando a viagem que sua equipe faria pelo Amazonas. Depois de um outro encontro com Custeau, ele a convidou para participar da viagem precursora com sua equipe, que incluía o famoso cineasta Coulin Mounier e o responsável pelo sonoplastia de todos os seus filmes, Guy Youás. Assim, Marlene foi a única mulher e única jornalista presente a essa famosa viagem.
Marlene se tornou conhecida nacionalmente através do episódio em que, em razão de uma entrevista a ela concedida para a revista Ele e Ela, da editora Bloch, Alexandre Garcia, porta Voz do Palácio do Planalto no governo Figueiredo, foi destituído do cargo. Depois do rumoroso caso, Garcia foi trabalhar na TV Manchete.

Graciosa Galeazzi.


Prossegue amanhã.



 

De São Borja!

Tour em Manaus

Segundo leio na Folha de São Borja(30.04.2010) uma comitiva foi a Manaus, conhecer projeto de saneamento básico. Foram o secretário de Planejamento, Léo Augusto Tatsch e os vereadores Celso Lopes, Farelo Almeida e Jeovane Contreira.

Depois eles se "queixam" quando o Giovani Grizzotti pega no pé deles!

 

 

Coleguinhas

Corneteando eles!

* Fábio Marçal falou,ontem,5/5, na Guaíba que estava com problema de transmissão de Brasília para Porto Alegre. Mas ele usou um termo técnico que a grande maioria dos ouvintes não conhece. Podia explicar pra nós ,simples mortais, o que seja isto???

* Fernanda Bagatini mencionou , dias atrás ,o seu já tão citado apartamento mencionado pelo Prévidi.Com. Ela disse que não tem cachorro porque vive em apartamento!

* Ellen Braun e Rogério Mendelski, no Bom Dia, é o que se poderia chamar de encontro de geraçaões! Tudo porque quando a Ellen era levada para a maternal pelo pai, ele ia ouvindo o seu atual colega do Bom Dia!

 

São Borja

 

Corneteando eles!

Sou informado de que o vereador Celso Lopes(PDT) está de volta do tour que fizeram em Manaus, onde foram conhecer um projeto de saneamento básico. Mas ir até Manaus, pra isto?Olha, eu leio a Folha de São Borja, por isto sou bem informado!

 

 

Interior

 

De Jaguarão

Casório virou atração!


Uma leitora foi passear em Jaguarão neste último final de semana (Feriado do Dia do Trabalhador) e me contou uma cena digna de cinema: tinha um casamento na noite de sábado e toda a cidade foi pra praça pra ver o tal casório. Diz a minha amiga que tinha gente dentro do carro com binóculo pra acompanhar os lances mais de perto...
Só que assim que os noivos adentraram a igreja e os convidados também, o padre fechou as portas pros curiosos.

 

 

Memória da Imprensa!

 

Carlos Chagas assessorou
Ciro Gomes por poucos dias

Acervo PDT/ São Borja

Ciro faz campanha a presidente em 2002, em São Borja, apoiado por Britto e por Leonel Brizola.


Quando começou a campanha a presidente da República, em 2002, o staff de Ciro Gomes, que gozava de altos índices de popularidade, convidou o jornalista Carlos Chagas para sua assessoria de imprensa. Chagas convidou seu colega de escritório Sérgio Vargas Ross, que depois de alguns dias, pediu " demissão".
Dois ou três dias depois, Chagas também caiu fora.

 

Pela liberdade de imprensa!

 

Adeli Sell*


Nossa bandeira sempre foi e sempre será a liberdade de imprensa. O PT nasceu lutando contra a ditadura e suas mordaças. Nossa história se construiu com textos que passavam de mão em mão, impressos muitas vezes ao risco da liberdade, músicas cantadas “apesar de você”, numa imprensa que resistia para conseguir informar um mínimo do que acontecia, mesmo que fosse nas entrelinhas que os censores não percebessem.
Por isso, os ataques feitos a nós do PT a partir de um fórum organizado pelo Instituto Millenium são intoleráveis, ao tentar colocar o carimbo de agentes da censura na testa do PT.


vereador Adeli Sell


Lembramos que os chefes da mídia conservadora boicotaram a recente Conferência de Comunicação e fizeram a sua paralela. A Conferência Nacional de Comunicação (Confecom) foi um processo democrático que ocorreu em todos os Estados da Federação, culminando, em dezembro último, com o encontro nacional dos 1,3 delegados, entre empresários, movimentos sociais e governo. A contrapartida, organizada pela Millenium, foi para 180 participantes, que desembolsaram R$ 500 por dia de atividade. E agora, do alto da representatividade desse encontro, aproveitam o IV congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores – cujas resoluções apenas reiteram o controle público das mídias -, para nos acusar de stalinistas e ditatoriais.
O que seria cômico, não fora trágico, é estarem entre estes poucos, os proprietários dos grandes meios de divulgação, que monopolizam informações e se gabam de eleger e derrubar governos a seu bel prazer. Uma grande mídia que age deslavadamente operando omissões, criando factóides, deturpando e mentindo.
Em Porto Alegre, por iniciativa do PT de Porto Alegre, reunimos militantes da mídia: imprensa alternativa, blogueiros, twitteiros. A ideia de todos é que urge organizar uma Frente de Mídia Livre e democrática, sem medo de responder críticas e muito menos de receber críticas por isso.
Ou seja, sem subterfúgios, queremos – como sempre fizemos – vir a público para expor nossa visão real, sempre abertos para o debate democrático:
- Pela liberdade de imprensa!
- Pela verdade!


Adeli Sell é vereador e presidente do PT/Porto Alegre.

 

 

Recebo e publico!




Olides,
É lamentável a nota que “dedicas” à memória, no teu blog, do meu falecido pai na tua coluna, já recheado de outras inverdades contra jornalistas. Não deveria perder meu tempo contigo, mas acho que isto não pode passar assim novamente. Como é do teu já conhecido “estilo”, tu vens cometendo verdadeiras imprecisões jornalísticas para dizer o mínimo, aliás como também são os teus livros, se é que pela pobreza literária assim podem ser classificados. Acho, Olides, que esqueceste um pedido que já havia sido feito por minha também falecida mãe: se for para denegrir a imagem do meu pai é melhor que o esqueça. Ele não foi esquecido pelos amigos, ao contrário de ti que só alcançou respeito enquanto trabalhava na Zero Hora e hoje não é nem sombra daquele jornalista que ameaçava, intimidava e até certo ponto se valeu disto para se afirmar. Este tempo passou, não assustas mais ninguém, não és mais temido. A falta de talento te deixou nesta situação, onde num texto pobre tu expões somente a tua falta de caráter e de respeito com os teus colegas, especialmente os mortos. Hoje, não passas de um arremedo de jornalista, que brinca irresponsavelmente na internet. Teus amigos não te esqueceram, ao contrário do que afirmas sobre a memória do meu pai, eles lembram muito bem quem tu foi e quem tu és e te evitam. Tu és um triste solitário, sem memória e sem rumo. Meu pai, Olides, bebia sim, e este é um problema que muitos jornalistas mais talentosos e sérios tratam como uma doença e que fere e maltrata a todos, mas isto nunca levou meu pai a uma circunstância com a que tu relataste. Ao contrário, meu pai foi sempre um bom pai de família, trabalhador, honesto, amigo, responsável e um jornalista íntegro. Jamais foi demitido, nem abandonado pela família ou pelos amigos. Coisas que tu já não podes escrever nas tuas lembranças. Não te esqueças também que conheço muito bem a tua trajetória. No entanto, apesar de tudo, acho que deves estar sofrendo de algum problema pessoal ainda não superado pelas consecutivas perdas na tua vida, afinal um homem que só perdeu, não tem mais nada a ganhar. Mesmo que isto fira algumas pessoas, mesmo que isto macule algumas memórias, mesmo que isto te transforme numa figura execrável. Vai te tratar, viva em paz, o jornalismo já não precisa mais de ti.

José Luiz Monteiro Fuscaldo

 

 

Reunião da Câmara Técnica de Assuntos Jurídicos do CONAMA

Representando o Conselho Federal de Engenharia e Arquitetura (CONFEA), o engenheiro civil e advogado gaúcho Newton Quites participará em Brasília, nesta quinta-feira (6) da Reunião da Câmara Técnica de Assuntos Jurídicos do CONAMA - Conselho Nacional do Meio Ambiente (órgão do Ministério do Meio Ambiente). Na pauta do encontro, dois temas atuais: a proposta de resolução que dispõe sobre definição de Metodologia de Recuperação das Áreas de Preservação Permanente (APPs) e a proposta de resolução que dispõe sobre a Movimentação Interestadual de Resíduos Perigosos.


Todt Comunicação

 

 

COORDENADOR DO GABINETE DE INOVAÇÃO
FALA NO BOM DIA ENGENHARIA DA SERGS



O coordenador do Gabinete de Inovação e Tecnologia de Porto Alegre, prof. Newton Braga Rosa, será o palestrante do café da manhã Bom Dia Engenharia que a Sociedade de Engenharia do Rio Grande do Sul (SERGS) realiza às 8h30min desta quinta-feira (6) em sua sede, Trav. Acylino de Carvalho, nº 33 – 7º andar. Falará sobre os resultados da redução do ISS na Construção Civil e a inserção de Porto Alegre na rota de feiras internacionais (o case CeBIT da Hannover Messe AG, que virá pela primeira vez a Porto Alegre em 2011).


Todt Comunicação


Serra

Candidato José Serra
fez campanha
(ou melhor, pré-campanha)
pelo interior
levado pelo PMDB!

Ao ser questionado pelos jornalistas, numa coletiva muito tumultuada e mal organizada,ontem,dia 5/5 na Federasul - após sua palestra no "Tá na Mesa" - o ex-governador de São Paulo e pré-candidato do PSDB a presidência da República, José Serra, disse que gostaria de ter no Rio Grande do Sul " todos os palanques que fossem possíveis". Mas deu uma pista:
- Ontem de noite( ele se referia a terça-feira de noite,dia 4/5),disse o ex-governador paulista, estive num evento organizado pelo PMDB.

José Serra fora levado a Santa Rosa, numa festa da soja, pelo secretário estadual da Saúde, do Governo Yeda Crusius, Osmar Terra, que é do PMDB.
Osmar Terra confirmou que foi ele que levou o ex-governador a Santa Rosa, mas adiantou que não é nada partidário." É uma relação de amizade minha com o Serra" desconversou na frente do prédio da Federasul, enquanto aguardava o palestrante e a governadora saíram do prédio, que somente aconteceu após às 15 horas.

Serra concordou com quase todas as perguntas feitas pelos repórteres. Disse que vai manter o bolsa-família caso seja eleito. Também posicionou-se favorável ao Mercosul, mas não respondeu quando questionado se era favorável a que a Venezuela ingressasse nele.
Além de Santa Rosa, onde se situa o reduto eleitoral do deputado federal e secretário estadual da Saúde Osmar Terra(PMDB) Serra também esteve na visita ao Rio Grande do Sul na cidade de Santa Maria, que é também governada pelo PMDB(César Schirmer).
Donde se conclui, que pelo menos parte do PMDB gaúcho não estará com Dilma Rousseff, a candidata do PT que deve ter como vice o atual presidente da Cãmara dos Deputados, Michel Temer( PMDB)
.

 

Coletiva

Respingos da coletiva do
pré- candidato José Serra
na Federasul!

* Uma sala para refeições foi reservada para os jornalistas na Federasul. Eles viram a palestra do presidenciável do PSDB pelo telão....

* Durante a organização da coletiva, após a palestra, imperava a lei dos mais "forte". Era um tal de empurra-empurra,entre fotógrafos,canetivas ( repórteres),câmaras. Quem deveria organizar a coletiva, olhava de longe....

* O presidenciável Serra não se importou com aquela multidão de flashes, microfones e afins: afinal, pra ele isto é prestígo. Se ele estivesse lá embaixo nas pesquisas, não haveria nem meia dúzia de gatos pingados....

* Flávio Pereira, colunista político de O SUL, não foi no almoço da imprensa da Federasul. Chegou só pra coletiva.

* Sandra Terra acompanhava a governadora Yeda Crusius, quando ela saía da Federasul e tomou outro destino.

* Heron Vidal , do Palácio Piratini, e do Correinho, está usando um "bigodinho". E "sarreou" que Flávio Pereira está pintando o cabelo com tinta "vagabunda" made in China!


Coleguinhas

*No pequeno perfil que fiz do falecido colega Carlos Átila Fuscaldo, publicado aqui, não mencionei o nome de sua falecida esposa e mãe dos seus filhos, a quem eu sempre respeitei. O nome dela é Tizza Monteiro. Quando ao episódio que narro sobre o ocorrido no trem,- que provocou uma resposta indignada do filho José Luiz Monteiro Fuscaldo que estou publicando hoje - tenho uma testemunha que estava comigo naquela viagem.Trata-se do testemunho insuspeito do jornalista Luiz Carlos Vaz, que na ocasião estava na viagem e era assessor de imprensa da Rede Ferroviária Federal. Mas ao contar o episódio não tive a intenção de denegrir a memória do falecido colega, com quem sempre mantive boas relações.

 

Coleguinhas

O " alemão" tem fama de "azedo"

mas é competente!


Claudio Dienstmann


Caminhando esta manhã com meu amigo Alberto Blum, o Betinho, na pracinha da Encol lembramos de um colega, o Claudio Dienstmann. Ele tem fama de "azedo", " mal humorado" mas é competente no que faz. Eu diria até que é uma griffe do jornalismo esportivo gaúcho.Atualmente, parece que com o aval do Pedro Ernesto Denardin, seu colega em muitos livros, " o alemão" está lotado naquela secretaria que criaram pra Copa do Mundo de 2014.
Dienstmann nasceu em Estrela(RS). Filho de Osvino e de Amanda Dienstmann. Nasceu a 04.11.1943.Sempre foi repórter esportivo e durante uma temporada, no começo dos anos 70, era o correspondente da Cia Jornalistica Caldas Junior, no Rio de Janeiro( no tempo das" vacas gordas" da Caldas).

Residiu em Porto Alegre, na rua Andrade Neves, 121.
Foi repórter esportivo da Folha da Tarde( da CJCJ) e depois da Zero Hora, onde saiu em começo dos anos 90, com a reformulação do jornal.
Atualmente também se dedica a pesquisa e recentemente participou de um projeto de um livro dos 100 anos do Internacional, de onde ele já foi assessor de imprensa.

 

Coleguinhas


Vacilia era diretora da rádio da

UFRGS em 1974 quando fiz um estágio lá!


Vacilia Derenji


O Guto Villanova me consultou pra ir conversar com ele num programa que ele tem na rádio da UFRGS e me lembrei de 1974,quando fiz estágio nesta rádio, porque cursava a Fabico e tinha que cumprir uma cadeira que exigia esta tarefa.
O meu chefe era o Urbim, o Carlos, o " crianceiro" que no ano passado foi o patrono da feira do Livro de Porto Alegre. Com minhas velhas calças rasgadas( como diz a música do Luis Melodia) ia trabalhar e a diretora Vacilia Derenji me olhava de soslaio, mas ia me aturando. Até que um dia o Urbim me falou que ela não queria mais minha presença lá(talvez a incomodasse meu jeito descontraído) mas antes eu fiz algumas boas reportagens pra rádio da UFRGS. Principalmente uma entrevista com a Elis Regina quando ela estava no antigo Teatro Leopoldina, que depois virou da Ospa. Fui lá numa tarde que ela ensaiava pro show Trem Azul e esperei,esperei a tarde inteira. No final da tarde, a Elis desceu pro camarim e eu fiz a entrevista. Dificilmente, a rádio deve ter esta sonora guardada em seus arquivos.

Estes tempos precisei provar meu estágio lá e entrei com processo na UFRGS, mas o processo depois de rolar dois anos de secretaria em secretaria concluiu que eu nunca estagiara na UFRGS. Se eu achasse a entrevista da Elis, estaria ali a prova.

Vacilia Derenji, que dirigia a rádio quando lá estagiei, nasceu em 18.11.1931. Residiu na rua Anita Garibladi, 1730/401.e na rua Alegrete,136, no bairro de Petrópolis.Também foi funcionária do Correio do Povo, onde em novembro de 1960 era redatora. Entrou pra a Associação Riograndense de Imprensa por indicação de José Setembrino Machado e Remi Gorga.Aposentada,vive em Gramado(RS).


Ecos de São Borja!

 

Olides!!!

Parabéns pelas 18577 visitas mensais.

Fico muito feliz pelo Amigo!

Vou ver o que consigo sobre o Santo.

Abraço!

Letier

 

PORTADORES DE HIV RECEBEM ASSISTÊNCIA NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA


Com apoio da Frente Parlamentar de Combate e Prevenção à AIDS e Tuberculose, coordenada pelo deputado Paulo Borges (DEM), a Rede Nacional de Pessoas Vivendo com AIDS (RNP) está promovendo, todas as terças-feiras, das 18h30min às 21h30min, na sala Maurício Cardoso ou na José Lutzemberger da Assembleia Legislativa encontros para orientação, apoio e encaminhamentos para as pessoas soropositivas.

Foto Divulgação

Reunião da Frente Parlamentar de Combate à AIDS e Tuberculose.

A Frente Parlamentar, que teve aderência de todos parlamentares da Casa, já atua há mais de um ano Estado concretizando ações na área da saúde e formulando projetos para o bem-estar de todos os acometidos pela tuberculose e o vírus HIV. Diversas instituições participam dos encontros da Frente, incluindo o GAPA, o Conselho Estadual de Saúde e a Secretaria de Saúde.


Assessoria de Imprensa Gabinete Deputado Paulo Borges
Daiana Bado - Jornalista Mtb 11617
Estagiário: Rodrigo Azevedo

 

 

No andar debaixo,
se sofre!!!!

 

A Josiane, do cafezinho ( terceirizada) caiu numa escada,ontem,aqui na Assembléia Legislativa do Estado lá por 13 horas. Cair, qualquer um pode, né. Ouvi os gritos da funcionária logo que ela caiu, porque foi aqui do lado da salinha J.C. Terlera. Engraçado, que a Rosa Loureiro,aqui da salinha, correu pra socorrê-la e chamou o SAMU, mas eles fizeram exigências do tipoalguém do celular do lado dela, dando informações para eles, em tempo real.(Isto deve ser pra evitar trotes,né...)
Tempos depois, a ambulância chegou, mas não sabiam onde ficava o prédio da Assembléia Legislativa. Até que enfim a Josiane foi levada ao HPS....
Ela ficou mais de meia-hora, sentada na escada, esperando a ambulância da SAMU porque a Assembléia Legislativa não tem!!!!

 

Coleguinhas

 

*Dona Chica Espinosa, que faleceu domingo, tinha 86 anos de idade....

* A ZH completou,ontem,dia 4/5, 46 anos....

* Serginho Ross está sendo corneteado sempre que senta no Stella Grill pra almoçar, em Brasília. A turma leva um laptop, lê suas notícias "no blog mais lido na mesa mais inteligente de Brasília" e pega no seu pé....


* Serginho Ross promete dar o troco ao Clemar Dias, de S. Borja, que não acreditou na sua história da Brigitte Bardto peladinha, em plena forma, e o cara não podendo fazer nada...."Vou dar o nome dele, só não dou porque senão ele fica furioso comigo" me disse, acrescentando tratar-se de uma empresário gaúcho, que foi pioneiro em Búzios, no Rio...

 

BRASÍLIA À BEIRA DE
UMA INTERVENÇÃO



O Durval Barbosa,o homem da Caixa de Pandora e que entregou todo mundo à Policia Federal e ao Ministério Púbico, aqui em Brasília, para ficar numa boa,está agora,ameaçando fazer novamente funcionar sua metralhadora.
Durval afirmou à alguns amigos que depois de ter derrubado o Governador Arruda, tem ainda, muita munição guardada. E que as próximas vítimas serão gente do PT e o novo Governador Rogério Rosso.
Se isso realmente acontecer, não está afastada uma intervenção no Distrito Federal.
Alias, Brasília só teve governadores e deputados eleitos,depois do Sarney, na Presidência. Até então,quem indicava os mandatários de capital, era o Palácio do Planalto. Tínhamos poucos problemas no quesito honestida,seriedade e outras co-
sitas mais. Só quem pisou na bola,foi um governador gaúcho, que eu nem me lembro do nome dele. Mas foi coisa muito pequena.
Agora, eu só espero que se essa intervenção, chegar mesmo até nós, que não venha com o ranço de política,de apadrinhagem,coisas que hoje a gente costuma ver muito por aqui.
Sergio Ross, de Brasília


Palanque

 

* Letier Vivian, chefe de gabinete do vereador Celso Lopes(PDT) " O camundongo" - que em S. Borja apoia Juliana Brizola para deputada estadual e Affonso Motta para federal, tucanou. Diz que vai de Serra!

* Carlos Bastos anda apostando " cafezinhos" que Affonso Motta se elege...

* Prefeito de Serafina Correa - terra natal deste escriba - fez 55 anos no dia 1 de maio passado.O " Bico Branco" como o povo o chama - por causa dos bigodes brancos - grameou no primeiro ano de mandato, mas agora anda surfando em boas ondas de popularidade....

* Coletiva de José Serra(PSDB), hoje, na Federasul,será às 14 horas. Depois do regabofe!


Fuscaldão tomava todas!!!


Carlos Fuscaldo


Praticamente já esquecido dos colegas, Carlos Átila Fuscaldo foi repórter muitos anos do Jornal do Comércio, onde cobria um setor ligado aos transportes terrestres e aquáticos.
Tanto que Fuscaldão,como era conhecido pelos colegas,era funcionário do antigo DEPREC( área portuária) e fazia boletins do sindicato dos donos de caminhões.

Hora de trabalho,de trabalho, mas hora do trago,era com ele...Fuscaldão saía do JC e já tinha pré-estabelecido seu roteiro de bares.

Chegava em casa, na Zona Norte, já altas horas..

Carlos Atila Fuscaldo nasceu em 16/07/1926.Seus pais são Carlos e Albertina Fuscaldo.
Foi casado com uma Monteiro, irmã de outro jornalista muito conhecido,Arthur Tadeu Monteiro.Com ela teve os filhos Carlos Roberto Fuscaldo, José Luís Monteiro Fuscaldo( o conhecido Fuscaldinho, um dos donos da Coletiva. Net) e Alexandre Áttila Fuscaldo.

No trem
Uma vez fui a uma viagem de inspeção ferroviária que o ministroCloraldino Severo faria entre Porto Alegre e Santa Maria. Passamos a noite na festa, mas quem exagerou na vodca foi o " Fuscaldão".
Quando amanhecia e o trem estacionou na gare de Santa Maria, Fuscaldão simplesmente resolveu tirar as calças e faz um strep tease, pra todos verem..Tinha bebido a noite toda...

Uns colegas o protegeram, levaram-no pruma cama no dormitório do trem e ele dormiu a manhã inteira. Acordou de ressaca depois do meio-dia, quando nós tínhamos feito todas as matérias que tinhamos que fazer.
Na volta,de tarde, de trem, Fuscaldão veio quietinho até Porto Alegre, apenas sorvendo a beleza dos campos e das coxilhas que aquele trem especial nos proporcionava ver..

Não deu um pio de Santa Maria a Porto Alegre...

 

Visitas do mês de abril

Visitas mensais 18577

Agradeço aos leitores e aos colaboradores. ( que não os pago porque um dia os pagarei com as indulgências plenárias, como faziam os padres donos do Jornal do Dia...)

 

 

INDIOS EM PÉ DE GUERRA




Neste sábado que passou, tivemos um sábado lindo de muito sol e um céu azul como não existe em qualquer canto do Brasil. Só mesmo por aqui em Brasília.
Resolvi então, passear pela Explanada dos Ministérios. Fui até a frente do Congresso e do Ministério da Justiça, para ver a movimentação dos turistas. Mas a minha atenção, voltou-se para um imenso acampamento indígena. Como velho repórter,fui saber o que aquela gente estava fazendo ali. Eram mais de 250 índios, representantes de várias etnias brasileiros. Estavam ali, acampados desde o começo do ano,aguardando o próximo dia 5 de maio,quando então o Congresso examinará o pedido de revogação de um decreto (7.056) que privatiza a Funai extinguindo Postos de Administração do orgão retirando direitos adquiridos de indígenas e servidores.
O acampamento é de lona(não foi possível trazerem das suas aldeias a palha para cobrirem suas tendas).
Fui entrando e conversando com um e outro índio. Aí, chegou até mim um índio baixinho, mais baixinho do que eu, que meço um metro e cinqüenta e cinco. Era o chefe de uma tribo do Amazonas. Chamava-se Koruba. Não tinha mais do que 50 anos. Conversa vai,
conversa vem,ficamos amigos de infância. Aí o Koruba me contou que estava ali lideram o pessoal da sua tribo, que são todos baixinhos e que estava esperando para as próximas horas, os índios gaúchos,kaing gangs. Já mais desinibido e mostrando ser um grande gozador,me contou que o seu acampamento não era no chão, mas em cima de uma das arvores da Esplanada dos Ministérios. Me levou até em baixa dela e me disse que os índios da Amazonas,moram em árvores por causa das chuvas que alagam o chão. Perguntei se ele não tinha medo de cair,quando dormia. Sabem o que ele me disse? Me disse que tinha dez mulheres e que elas dormiam lá em cima com ele. Quando viu meu ar de espanto,acrescentou:” tenho dez, mas em cada aldeia...” Já intimo do Koruba, emendei então,”com tanta mulher, tu não tens problema de pressão alta...” Fui mais adiante,e quis saber então, quantos filhos ele tinha? Me disse que já tinha perdido a conta...
O Koruba começou a me contar historinhas de sua tribo. Me contou que, lá por perto de onde vive,ainda tem índios antropófagos. Com cara de gozador,me disse que um padre,resolveu catequizar essa tribo. Foi para la e tentou conversar com o pessoal. Ensinou a indiada a levantar o braço, a indiada assim que recebeu a ordem do padre,levou o braço. O padre animado,ensinou o pessoal a fazer o sinal da cruz. Um,duas e muitas vezes...Quando terminavam,beijavam a mão. Na verdade não beijavam,passavam a mão nos lábios como viam o padre fazer. Me disse o Korumba,que um índio,vendo aquele gesto,achou que o padre queria falar em comida. Resultado,comeram o padre... Korumba meio rindo,olhou para mim e me convidou para ver a cozinha deles. Puta velha,claro que não fui. Não sou louco para servir de comida de índio e fui saindo de mansinho. Korumba me convidou para visitar a sua aldeia no Amazonas. Mas para me convencer,me disse que eu seria tratado como um chefão. Claro que perguntei,se teria direito a dez índiazinhas, também Korumba me disse,que eu teria mais de dez,se eu
tivesse competência. Claro que perguntei,se lá tinha Viagra ou coisa parecida. Me disse que tinha coisa melhor. Fiquei então de visitar o Korumba na sua aldeia, assim que puder.
Mas antes de sair do lado dos indios, encontrei uma índiazinha, que era uma graça. É claro que resolvi atropelar a moça. Ela tinha uns 25 anos. Era também da aldeia do Korumba, mas não era mulher dele. Pois a índiazinha que falava um português melhor do que muita gente por aí, estava com a camisa do Flamengo. Me contou que gosta muito de futebol e torce mesmo para o Flamengo. Conhece vários times,inclusive gosta do Grêmio aí em Porto Alegre. Manoela,seu nome em português,me contou que o Presidente da Funai,pediu ao Ministro da Justiça,Luiz Paulo Barreto,que com a polícia,tirasse os índios da Explanada,pois estavam deixando muito feio a frente o Ministério...
Quarta feira, estarei no Congresso, torcendo pelo Korumba e por sua indiada...

Fotos e texto de Sergio Ross de Brasília

Sergio Ross

Índios em pé de guerra

Sergio Ross

Índios em pé de guerra

Sergio Ross

Índios em pé de guerra

Sergio Ross

Índios em pé de guerra

Sergio Ross

Índios em pé de guerra

Sergio Ross

Índios em pé de guerra

Sergio Ross

Índios em pé de guerra

Sergio Ross

Índios em pé de guerra

Fotos dos índios

 

Pra ver como isto aqui não é jogada ensaiada. Os colaboradores brigam as ganhas com o seu editor.!!!Mas aí que tá a graça!!!! A gente briga mas não quebra os pratos.


Olides

Acabei de mandar as fotos dos indios e as fotos da Marlene(o texto segue hoje à noite,pois podes peder como sempre...)
O Koruba aparece só nas fotos. Não tem como errar.A indiziazinha,Manoel, aparece em frente ao meu carro.Para legendar o material,não vais ter problema.Mesmo tu tendo a,feito teu curso de jornalismo em Guaporé, vais conseguir identificar as fotos. Mas por favor não use o texto que costumas usar ou seja: NO CLICHÊ QUE ACIMA REPRODUZIMOS....
Outra coisa: tu és mesmo um mau carater.Me liga todos os dias,a sete da manhã,para pedir que eu conte histórinhas que vivi durante a minha vida. Ouve,morre de rir e pede que eu escreva tudo para o teu "blog". AÍ, vais para o computador e escreve que eu sou mentiroso e fico inventando essas histórinhas. Pô, já tentastes procurar coleguinhas nossos, para me desmentirem e quebrastes a cara. Olha aí o Janguta, olha aí o Tico Tico e os meus amigos da Linha Onze.
Daqui para a frente,não vou te contar mais nada. F......

Sergio Ross

 

Para Prefeito

 

Quando cheguei pra trabalhar na sexta de tarde, encontrei na tela do computador da salinha J.C.TERLERA esta molecagem do Flávio Pereira....(colunista político de O SUL e apresentador da Pampa...)

Eu não comecei!
Agora vou contar uma dele: estes tempos foi visto em Camobi,do lado de Santa Maria, por um familiar. Pois, oficialmente lá não era seu destino, deveria estar em Não Me Toque!!!!

Aceito a sugestão do Flávio: quem sabe transfira meu título pra Serafina. Uma vaguinha de vereador me basta. Uma sessãozinha por semana, às segundas, das 19 às 23 horas e mais de mil paus depositados no fim do mês.Sem estresse, coleguinha!

 

 

Histórias de La Ùndeze

 

A vechia Gasparina botava a bunda na

janela para a vizinha Olva Pasqualotto Assoni e gritava


- Varda coa , PUTANA!!!!


Só pode acreditar nesta história quem conheceu o temperamento de dona Hercília Fonini Gasparin(por sinal parente de minha mãe).

A velha tinha um temperamento que vou te contar...Delegacia de Polícia pra ela era fichinha. Era assídua frequentadora. Andava sempre com o 38 na sua bolsa. Uma vez foi receber a aposentadoria na Caixa Economica Federal(CEF) com a neta, Marlusa, e viu lá o ex-prefeito Jacir Salvi. Ela deu uma cusparada na direção do ex-prefeito, só porque ele era do PMDB e ela do PDS. " Depois ficamos muito amigos" me contou Salvi, dizendo que o fato é verídico.
Como um dia ela cismou que a vizinha Olva (Olga) Pasqualotto Assoni - ainda viva aos 92 anos, mora em Porto Aelgre, com o filho Valmor e mais uma filha - deu bola pro seu marido, Ricardo, ela marcou a vizinha na paleta.Segundo Valmor, sua mãe não era de fazer isto que era acusada. É que o Ricardo tinha nos fundos da casa dois pequenos toneixinhos onde deixava sua cachaça e ele sempre ia se servir um copinho de aperitivo antes do almoço. A dona Hercília daí cismou que a vizinha andava arrastando a asa pro marido....
Diz o decorador Valmor Assoni, filho de Olva, que a velha Gasparina passou dez anos judiando da mãe.

- Ela puxava as calcinhas pra baixo, botava a bunda na janela e gritava pra minha mãe.


- Varda coa, varda coa, PUTANA!!!!( numa tradução livre, olha aqui,olha aqui, sua puta....)
Quando o filho de Hercília, Irceu,que era funcionário do Tribunal de Contas do Estado, ia a Serafina, visitava a vizinha para apaziguar os animos. Mas depois que ele voltava pra Porto Alegre, a velha Gasparina começava com as provocaçãoes de novo...

De um temperamento muito forte, dona Hercília também só sabia fazer o bem. Atendia os colonos e os medicava,sem nada cobrar. As vezes eles pagavam com porcos,cabritos. Por isto, nos fundos de sua casa, parecia mais uma criação que outra coisa qualquer.
Uma vez foram lhe pedir pra ela acabar com aquela criação, porque os bezerros faziam muito barulho e aquilo era zona urbana. Ela recebeu o prefeito Sérgio Massolini( que fora vice do seu filho Irceu) e foi muito educada, como sempre era. Serviu cafezinha. ambrosia, conversou. Quando ele tocou no assunto dos bichos, que a Câmara de Vereadores queriam que ela acabassem com aquela criação, ela acalmou-se. Finda a charla, foram até a entrada do prédio, um casarão de dois andares, que ainda existe.

Ela foi até a cozinha, puxou um facão, riscou o chão e disse ao prefeito:
- Varda coa, Sergio, de coa par fora comanda ti que te ze el prefeito, de coa pra dentro comando mi, que le mio....( Olha aqui,Sergio, daqui pra fora mandas tu que és o prefeito, mas daqui pra dentro mando eu que sou a dona....)

Eu sabia muitas histórias da velha Gasparina, mas esta de ela mostrar a bunda pra vizinha não conhecia. De uma feita, como era parteira, ela foi fazer uma cesária, e uma mulher, me parece que da família Yesbik, faleceu durante o parto. Quando ela andava na rua, as pessoas riam baixinho e comentavam:

- Varda lá el diaol, varda lá el diaol.....( olha aí o diabo olha aí o diabo....)


Coleguinhas

 

Corneteando eles....

* No Prévidi.com leio que o Reni Marques se quebrou fazendo esqui em Bariloche e Valle Nevado. Tá bem de grana, nosso colega. Jornalista nestes locais, só depois que virou patrão. Antes,como repórter, só como enviado especial, e olhe lá....

* Riiter responde os mails que se manda. mesmo quando é provocação...

* Ficou muito bom a Ellen Braun no Bom Dia. Segura, não se micha pro " monstro " sagrado que é o titular do programa....

* Olha, esta é uma pergunta que sempre me faço. Pô, há quarenta e tantos anos, o Flávio Alcaraz já era meu ídolo lá em Serafina. E hoje, eu já sou quase um veinho e o homem ainda tá aí ocupando espaço. Assim é difícil pros jovens....

*ACEG funciona direitinho em dias de jogos. Quando vou me credenciar, sempre o faço em alguns segundos. Sem broncas. Acho que é uma das poucas entidades que funcionam, que fazem algo de útil....

*Darci Filho caminha sempre na pracinha da Encol. Hoje,3/5A além dele, estava lá a cronista Martha Medeiros fazendo seus exercícios...

*Ademir Bacca até de fotógrafo também para a prefeitura de Serafina Correa, onde é assessor de imprensa.

 

Não é a primeira (nem será a última) gafe do Santana!


Paulo Santana

 

Cornetearam muito o Santana(Paulo) por causa da gafe esta do Zeca Pagodinho. Já vi outras dele. Em 1983, quando o trem metropolitano vindo do Japão chegou a Porto Alegre, ele veio envolvido num plástico azul(proteção) . Cheguei na redação e fui fazer um brincadeira com ele, que andava todo entusiasmado porque o Grêmio fora campeão do mundo. Disse a ele, naquele fumodromo que tem na entrada da redação:
- Santana,até o trem é azul. Bah, ele associou logo ao Japão, o trem japonês e fez um longa coluna sobre isto. Mas no outro dia pegaram no pé dele. Ele me reclamou:
- Pô não me dá estas bolas nas costas!!!

Não sei não, mas quem deve estar em maus lençóis é o cara que fez a tal brincadeira. Só não vai pra rua, porque senão virá a grande vítima, é capaz de virar outro Juremir Machado, como naquele episódio do Luis Fernando Verissimo.

Quem Santana é mega, todo mundo sabe. Uma vez ele "desmaiou" quando ia entrar no ar no Jornal do Almoço,depois da conquista do Grêmio no Japão. Enrolado numa bandeira do Grêmio, fez todo aquele teatro.
Carlos Bastos num dia de almoço no Barranco lhe perguntou se ele tinha desmaiado mesmo:
- Olha, Bastos, tu sabe que nem eu sei mesmo! respondeu Santana.

Na verdade,poucos comunicadores sabem fazer suas jogadas de marketing igual ao "torto" como Bastos o chama,quando está irritado com ele....

Agnaldo Rayol quebrou a perna quando deixava Porto Alegre



Agnaldo Rayol


Vi que o cantor esteve ontem de aniversário. Eu o conheci no finalzinho do ano passado,quando esteve em Porto Alegre,fazendo shows na Praça da Matriz. Muito profissional, me contou que uns anos atrás, quando deixava a capital gaúcha sofreu uma queda no Salgado Filho e de lá foi direto pro Mãe de Deus, onde levou um tempão pra se recuperar.

Dono de uma simplicidade que me cativou, ele parecia mais um dos frequentadores não habituais da sauna que frequento, num hotel. Conversamos sobre muita coisa, principalmente sobre bastidores da morte da Elis Regina, do qual me parece que ele sabe bastante.

Como iria cantar naquele sábado à noite, foi embora antes de todos nós. Peguei seu autógrafo e vi no SUL,de ontem, 3/5 que esteve de aniversário.

Seu drama da perna quebrada, - me parece que foi fêmur - o fez passar por um calvário, que não vale a pena mencionar aqui. Mas ainda manca e muito por causa da queda.

Coleguinhas


* Mazzarino iria me dar uma carona de Encantado a Anta Gorda.Prum compromisso familiar, no sábado. Mas pulei fora: tá louco, o Mazza me fotografa na frente daquele monumento horroroso da Anta( os gringos dizem "Zanta") e me coloca no GUAXO! Aí sim tou frito....

* Falando sério: Zambiazi,depois do mandato, vai pra onde,afinal: Farroupilha ou Guaíba?

* Agora descobri quem foi a noiva com a qual o Serginho andou fazendo lua de mel no fininzinho do ano passado. Mas tou proibido de revelar,até porque sei que é de faca na bota. E já sei por tabela que não é muito fã do meu trabalho....imagina que chatice,se todos gostassem!!!

 

 

De São Borja!


Cerca de cinco mil pessoas participaram no sábado,dia 1 de maio ( feriado do dia do trabalhador )da recepção à imagem de São Francisco de Borja que regressou a terra natal depois de 145 anos de separação.

A imagem de São Francisco de Borja já está na Igreja Matriz local.

A imagem do santo foi uma doação da ex-primeira dama do país, Maria Thereza Fontella Goulart.
Ela estava em seu poder desde que o ex-presidente paraguaio, Alfredo Strossner, a havia devolvido ao presidente João Goulart com quem mantinha relações de amizade.( Quando exilado, Jango tinha um passaporte paraguaio dado pelo presidente Alfredo Strossner).

A imagem de São Francisco de Borja teria sido roubada pelos paraguaios em 1865,durante a Guerra da Tríplice Aliança.


Memória da Imprensa


El comandante não falou pra Guaíba:
estava dormindo no avião!

A rádio Guaíba AM que completou 53 anos no dia 30/04, encerrou as atividades do seu Correspondente Guaíba - que teve mais fama como Renner - no dia do aniversário. Seu locutor, Milton Ferreti Jung será transferido para um programa esportivo do meio-dia.

Muitas façanhas podem ser contadas da rádio ( Eu acho que ela está sendo "sangrada" pelos atuais donos, pra mudarem totalmente de público) neste seu já tão longo período.

Vou contando algumas, picotadas....

A de hoje me foi contada pelo Amir Domingues(falecido) num dia que fui entrevistá-lo( O Antônio Goulart estava junto).
Amir nos contou que na sua longa trajetória da rádio - ele era um dos primeiros funcionários - (inaugurada em 30.04.1957) uma vez,sentiu-se muito frustado, quando não conseguiram colocar no ar uma entrevista com Fidel Castro, que "passava" por cima dos céus do Rio Grande do Sul, regressando a Cuba, depois de ter participado de uma conferência em Punta del Este.
- Fidel Castro voltava de lá. Ele era a bola da vez...Era el comandante.Nós montamos aqui junto com o Homero Simon(engenheiro) a perspectiva de ouvi-lo.
Como a gente se dava muito bem com a Panair do Brasil, ela tinha uma estação aqui e ele voava pela Panair . Nós conseguimos marcar uma entrevista com ele, nós de terra e ele falando do ar, através da emissora da Panair que era aqui no São João, por ali.

Tudo preparado na hora se testou a comunicação e o comandante disse para um dos auxiliares de Fidel que tava tudo pronto para ele vir.Quando esta pessoa junto do Fidel(isto nos contaram depois, conta Amir)o Fidel Castro estava dormindo e quem se animaria em acordar el Comandante. Quando ele acordou, já tinha passado e não deu pra entrevistar, contou-nos, triste ao lembrar do episódio, o falecido colega.

 

 

Em OFF!!!!!


Me contaram que no GRENAL de domingo, a Brigada Militar fez seu primeiro teste de policiamento visando a Copa do Mundo de 2014!

Até me disseram que os brigadianos não portariam revólver. Mas na saída do jogo, falei com um deles que me disse que estavam armados,sim!!!!

 

 

Coleguinhas

 

* Pra onde irá Luis Carlos Reche???


Os boatos nos meios do jornalismo esportivo são muitos: iria para uma rádio de Campo Bom(Progresso) mas pediram um milhão e meio e a rádio estaria com 500 mil de dívidas...

Outra opção seria a Pop Rock....da Ulbra....

Tem ainda uma outra versão: que ele e Haroldo de Souza iriam para a Pampa AM pra transmitir futebol, é claro, que é onde são conhecidos....

O que parece quase certo é que a Guaíba vai ficar com pouco noticioso sobre esportes....Havia duas correntes lá dentro: uma queria acabar por completo o esporte(ficar só com jornalismo) e a outra manter um pouco de futebol. Natal Furucho,presidente, estaria mais inclinado pra segunda opção,...

Tudo pra depois da Copa!!!!

Ora bolas!!!

 

Ecos de Anta Gorda!


Não pude ir a Anta Gorda, no 7 encontro dos Canton. Mas sei que foi o que menos gente foi....

Pro próximo, ficou decidido que será em Palmitos(SC) mas aí vão juntar duas famílias: Canton e Rigoni. Tudo porque deu muita " cruza" entre as duas famílias....

Se vivo estiver, vou ver se posso ir!

Coleguinhas

 

O que parece certo - bom,certo só que o sol nasce todos os dias - é que a rádio Guaíba AM não será mais a mesma...

Bom, mas isto se intuía quando os atuais donos a compraram!!!

 

 

A redatora que virou executiva


Vera Zilio é hoje vice-presidente da Vivo, empresa de telefonia. Ela mora em Brasília mas a executiva já foi redatora no Diário de Notícias,(quanfo ficava na rua Sete de Setembro). Depois trabalhou na rádio e televisão Difusora e finalmente na TV Guaíba.

 


Vera Zilio, no tempo do Diário de Notícias.

 

Filha de DORVALINO ZILIO (que teria nascido em Mussum) e de Odila Zília, Vera já residiu em Porto Alegre, na av. Guaíba,612, no bairro Cristal.

Ela nasceu na cidade gaúcha de Erebango porque seu pai se mudara para lá para trabalhar numa madeireira(parece que foi dos Sirotsky/Birmann, ou da Sibisa).

No fim dos anos 60, Vera conheceu seu futuro marido, o também jornalista, Arthur Tadeu Monteiro, com quem casou e teve sua única filha, Maria Alice( que hoje está casada com um diplomata e reside também em Brasília, como ela).Quando conheceu Arthur, Vera confidenciou para sua grande amiga e também jornalista Núbia Silveira:

- Agora é sério,vou casar!

Separaram-se depois de alguns anos.

Vera voltou a casar,desta feita com o executivo da RBS, Barichello.
Hoje está solteira.

De estilo decidido, Vera Zílio entrou para a Associação Riograndense de Imprensa, em 9 de agosto de 1967,levado pelo então presidente Alberto André.

 

A livraria mais linda do mundo

 

A Livraria Lello e Irmão, também conhecida como Livraria Chardron ou simplesmente Livraria Lello situa-se na cidade do Porto em Portugal.

Lauro Dieckmann

A Livraria Lello e Irmão

Lauro Dieckmann

A Livraria Lello e Irmão

Lauro Dieckmann

A Livraria Lello e Irmão

Lauro Dieckmann

A Livraria Lello e Irmão

Lauro Dieckmann

A Livraria Lello e Irmão

Lauro Dieckmann

A Livraria Lello e Irmão

Lauro Dieckmann

A Livraria Lello e Irmão

Lauro Dieckmann

A Livraria Lello e Irmão

Lauro Dieckmann

A Livraria Lello e Irmão

 

Mentira

 

*A historinha contada aqui dias atrás de que um empresário - vejam bem,sempre um empresário, não podia ser um trabalhador braçal que tivesse uma casa em Búzios???!!!!! - teria ficado uma hora de madrugada, observando a Brigitte Bardot nuazinha, já é forte candidata a GANHAR O FESTIVAL DA MENTIRA DE NOVA BRÉSCIA na edição deste ano...

Olha,aí Serginho, acho que vais levantar a taça em Nova Bréscia!!! E tão dando um carro. Quem ganhou no ano passado foi o Maróstica, de Serafina Correa, que contou uma mentira menor que a tua....

 

 

Coleguinhas

 

Corneteando eles!!!!


* Jurema Josefa, editora do Correinho, tem sido vista com frequência almoçando no Gambrinus.


* Disseram que o atento repórter Eduardo Belmonte, da rádio Cultura AM, teria sido visto na sexta-feira,30/04 com sua moto na entrada de São Borja, atento pra chegada de uma caminhão de transportadora. Quiseram saber o que ele fazia ali e ele disse que queria ser o primeiro a entrevistar a imagem do santo Missioneiro que estava regressando,depois de mais de 100 anos longe de sua cidade de origem....

* Vladimir Oliveira, depois de três dias de folga na Guaíba, voltou ao programa Bom Dia! Bom pros ouvintes!

* Dizem por aí que a Guaíba desativaria boa parte do seu staff ligado ao Esportes depois da Copa do Mundo?!

* Foi um pouco pesada uma discussão na sexta,dia 30/04 entre o presidente do Sindicato dos Jornalistas-RS, Zé Nunes com outro integrante da diretoria, a portas fechadas. Nem outro diretor que estava chegando pra reunião entrou....

* Sindicato dos Jornalistas promove dias 14 e 15 congresso na Fenac em Noia, com a presença de colegas do centro do país....

* O Jornal do Prévidi( não lembro o nome agora) impresso é muito bom....Gosto daquela parte de memória, que pouca gente ainda faz sobre a capital de todos os gaúchos. Tem boa matéria sobre o bar Adelaides, neste último...

*Préviidi já teve uma revistinha de portos com o Luiz Reni Marques. Uma vez o Reni aventurou-se a viajar para a Europa e deixou toda a administrção dom o "Cabeça" que simplesmente rasgava as contas que chegavam.
*Luiz Reni e Cabeça desfizeram a sociedade, mas continuaram amigos. Engraçado é que no começo dos anos 70, os dois tinham passado num concurso do Banco do Brasil, foram mandados a Palmeira das Missões trabalhar e pediram demissão do banco pra seguir no jornalismo.

 

 

Fátima - Um ´post´ só para católicos

 

para o blog do Olides

O local que, em 1917, era área rural, onde os três pastorinhos portugueses viram a Virgem do Rosário, atualmente está em plena área urbana. Cercado de edifícios residenciais e hotéis que recebem os peregrinos, o local da Cova da Iria está totalmente desfigurado. Foi transformado em um amplo logal de devoção, todo pavimentado e composto por uma basílica, uma cadetral, uma pequena capela e os locais para queima de velas e ex-votos.
Em 1917, se alguém falasse que o homem pisaria na Lua, ninguém acreditaria (talv ez apenas um ou outro sonhador, como Jules Verne). Muitos não acreditáaam, também, nos três segredos que a Virgem do Rosário confiou aos partorinhos (para mais detalhes, procure no Google).
Mas os três segredos acabam se confirmando: a Primeira Guerra Mundial terminou no ano seguinte, o comunismo acabou 70 anos depois e o Papa sofreu um atentado. Este último foi o segredo que a Igreja Católica só revelou depois que o atentado ocorreu.
A região onde se situa Fátima é muito bonita, numa área rural entre a cidade do Porto e Lisboa, com acessos rodoviários fáceis e muito bem construídos (como todas as estradas de rodagem em que trafeguei até aqui).
A visita ao Santuário, nesta sexta-feira, foi tranquila. Havia movimentação de peregrinos e simples turistas (muitos chineses, que, certamente não acreditam em nada daquilo), mas sem atropelos. Agora em maio, o Papa Benedito virá a Fátima, aí o santuário reviverá seus melhores dias (tem capacid ade para 300 mil pessoas).
De Fátima, vou para Óbidos, no caminho para Lisboa.

Lauro Dieckmann

Lauro Dieckmann

Basílica

Lauro Dieckmann

Colunata

Lauro Dieckmann

Pequena capela no local das aparições

Lauro Dieckmann

Missa na pequena capela

Lauro Dieckmann

Réplica da árvore onde aparecia N. Sra. do Rosário

Lauro Dieckmann

Vista geral do Santuário

Lauro Dieckmann

Ainda a pequena capela

Lauro Dieckmann

Local para queima de velas

Lauro Dieckmann

Pagando promessa

Lauro Dieckmann

Catedral

Lauro Dieckmann

Laurinho peregrino


Coleguinhas

 

* Zambiazi,depois do mandato de senador, irá mesmo pra Farroupilha, é o que informou um assessor de primeira linha do senador ao repórter João Carlos Terlera. Fala-se que ele teria assinado contrato com a Guaíba. Segundo este assessor, Zambiazi volta a casa antiga.


*Mudou tudo, ou quase tudo, na secretaria da governança local. Esdras Rubim, por exemplo, não está mais lá...

*Da secretaria da Governança local, saiu Clênia Maranhão e voltou Cesar Busatto. Os dois são ex....

 

De Sao Borja!

 

O que se comenta em São Borja é que a passagem do candidato Fogaça e do vice Pompeo, no dia 16/04 deixou uma promessa no ar: assim que terminar seu segundo mandato à frente da Prefeitura Municipal, caso Fogaça/Pompeo se elegam uma secretaria de Estado irá para Mariovane.
Havia rumores, meses atrás, de que Mariovane iria a deputado estadual pelo PDT, seu partido. Mas não irá....

 

Coleguinhas

 

* Não li o que o Prévidi escreveu sobre a Fernanda Bagatini, mas li a resposta.Olha pra isto tudo só tem um ditado: " só se joga pedra em árvores que dá frutos"!

 

 

DE BRASÍLIA

O crime quase perfeito



Faz oito meses que Brasília presenciou um crime bárbaro, um triplo homicídio. Na super quadra 113 da Asa sul,vivia o ministro aposentado, do Tribunal Superior Eleitoral,Guilherme Villela, de 73 anos,sua esposa Maria Carvalho Mendes Villela e uma empregada muito antiga, chamada Francisca Nascimento da Silva, de 58 anos.
No fim da tarde, do dia 28 de agosto,do ano passado,essas três pessoas, foram friamente
assassinadas com mais de oitenta facadas.
A polícia civil de Brasília assumiu o caso e entregou o comando para a delegada chamada de Martha Vargas. Foi
uma zorra total. A delegada encontrou um monte suspeitos. Vários foram presos mas nada de aparecer o criminoso ou os criminosos. Agora a delegada Martha Vargas, foi demitida de suas funções pelo diretor-geral da Polícia Civil,Pedro Cardoso de Santana Filho, que em entrevista coletiva,declarou que a policia brasiliense,apontada como a melhor do país,errou e errou feio. A delegada Martha Vargas poderá ser advertida,suspensa e até mesmo expulsa da corporação.
Por outro lado, o delegado Pedro Cardoso,determinou que a Corregedoria da Policia Civil passe a investigar o caso.
Os tiras de Brasília,vão recomeçar o caso, suspeitando de três policiais goianos. Eles teriam sido contratados por familiares do Ministro, para cometerem o bárbaro assassinato. Depois do terem praticado o crime,fizeram uma limpeza no apartamento,eliminando todas as manchas de sangue que teriam se espalhado pelo chão e pelas paredes. Aí teriam encontrado, em gavetas secretas, grande quantidade de jóias e grande quantidade de dinheiro. Resolveram então se desligar dos mandantes. A policia ainda tem como principal suspeita do crime, a filha do casal,Adriana Villela, que já prestou depoimentos na condição de suspeita.
Vamos torcer para que esse assassinato não se transforme num caso Klimman,como aconteceu aí em Pôrto Alegre,nos anos 50.

Sergio Ross

 

O BIFE DE BRIZOLA


O governador Leonel Brizola,um ano antes de morrer,viajava todas as semanas para Brasília. Vinha até aqui,conversar com o seu pessoal do seu partido. Mas também,assim que chegava,ia procurar o Carlos Chagas, no escritório que eu e ele, temos em sociedade.
Não pedia conselhos, isso não era do seu estilo, mas queria saber do Chagas, tudo o que estava acontecendo na área política. Chagas muito bem informado,deixava o homem abastecido de todos os acontecimentos. Mas um dia, na hora do almoço,convidou o nosso Brizola para almoçar conosco no Stela Grill. Brizola prontamente aceitou. No restaurante,sentamos na nossa mesa cativa. Chagas sugeriu que comecemos uma carne. Brizola,velho gauchão, concordou imediatamente. Pedimos então três bifões.
Passados uns trinta minutos, o prato com os bifes chegaram na nossa mesa. O maitre do restaurante, educadamente,serviu primeiro o nosso conterrâneo que ficou olhando para a cara dos bifes. Brizola meteu o garfo e a faca na carne,parou e pediu eu que eu chamasse o cozinheiro,que havia feito os bifes. Chamei o homem, que chegou todo alegre,pensando que receberia um baita elogio. Que nada, o Brizola com a cara mais feia do mundo, olhou para o cozinheiro e disse: “ Vou lhe explicar uma coisa,bife para ficar bom tem quer ser batido. A carne tem que ficar mole”. Ao mesmo tempo que aumentava o seu tom de voz,batia com com a mão e com força na mesa,como se estivesse batendo num pedaço de carne.
Todo mundo parou para ver.
A bronca do nosso “comandante”, surtiu efeito. Hoje você come aqui na Stela Grill,um bife bem molezinho, graças a bronca do homem.


Sergio Ross

Coleguinhas

 

Corneteando eles...

* Pô, depois eu que sou malka? E o Folhão que usou a tal mesa inteligente do Stella Grill pra outros fins, qual seja dar pau num cara que vai lá e que é ligado a um partido político. O fotógrafo do Folhão campanou o cara saindo do fino restaurante....Virão grandes emoções por aí....A turma,foi, de fato USADA pelo Folhão pra cumpir a pauta....Sempre digo. Em jornalismo, não existem princípios. Os princípios estão todos mortos. Só servem pra belas aulas de começo de ano nas faculdades de comunicação e nos congressos dos sindicatos que viram verdadeiras " masturbações" profissionais. Na realidade, vale tudo pra CUMPRIR A PAUTA E BOM É QUEM CUMPRE A PAUTA, INCLUSIVE O ' ETICO' CACO BARCELLOS!!!

 

 

Memória da Imprensa

 

 

IVO CORRE PIRES,O
MANDARIM QUE FOI DO "PARTIDÃO"!


Em 1948, Ivo Correa Pires chegou de Rio Grande,mandado pelo Partido Comunista Brasileiro - chamado de "Partidão" - para trabalhar no jornal da agremiação, A TRIBUNA GAUCHA, cuja redação se localizava na Rua da Ladeira,( Gal. Câmara) em Porto Alegre.
Todo o jornal era feito por militantes do PCB.Ivo Correa Pires havia se destacado em sua terra natal por ser um intelectual com capacidade de escrever . Por isto foi encaminhado para a Tribuna Gaúcha.Mas ele nunca trabalhara em jornal,antes.
Na Tribuna, ele fazia material diverso, como reportagens de rua,,entrevistas,textos. Com o passar do tempo, foi adquirindo experiência.
Mais tarde se mostraria um excelente redator, com grande facilidade para redigitr, muito minucioso,,mas ele nunca chegou à direção do jornal.
Foi redator,repórter, mas nunca ascendeu.
Alguns acham que isto se deveu a sua grande timidez.
Não era daqueles sujeitos:" Cheguei"!!!

Na Tribuna Gaúcha, Ivo Correa Pires conheceu um dos que seriam no futuro seu colega mandarim no Internacional: Ibsen Pinheiro.Na verdade, Ivo foi meio que professor de Ibsen.
Ivo era já o melhor redator que a Tribuna Gaúcha tinha em seus quadros quando Ibsen chegou ao jornal levado pelo irmão, Ophyr.
Ibsen Pinheiro não tinha mais que 15 anos quando chegou à Tribuna Gaúcha.
Em 1957, a Tribuna Gaúcha parou de circular.Na redação da Tribuna Gaúcha se destacaram três jornalistas: Ivo Correa Pires, na reportagem; Plínio Cabral, nos editoriais e José Gonçalves Thomaz nos temas ideológicos.
Assim, os redatores do jornal que ainda estavam lá quando ela fechou, como Ibsen Pinheiro, Ivo Correa Pires,Ophyr Pinheiro, foram procurar trabalho em outros órgãos de imprensa.Ivo Correa Pires foi para a Cia Jornalistica Caldas Junior, no vespertino Folha da Tarde.
Ivo entrou lá fazendo algum tipo de teste, porque ele não tinha curso superior. Naqueles anos, recem estavam começando os cursos de jornalismo.
Ivo gostava muito de esporte,tanto que na Tribuna Gaúcha era ele que se dedicava a redigir o pouco que o jornal publicava de esportes.
Ivo gostava especialmente de futebol e sempre se mostrou um colorado fanático.
Isto desde que chegou de Rio Grande, em 1948, nunca escondeu suas cores clubisticas.
Depois que Ivo deixou a tribuna Gaúcha ele arrumou uma companheira com quem teve um filho.Ele veio a perder este filho,pouco tempo depois, numa circunstância muito dolorosa para ele.
No dia da morte do menino, Ivo Correa Pires estava acompanhando o Internacional numa excursão ao Nordestes(Ceará, ou Pernambuco).O redator sentiu muito o fato de ter perdido o filho que tinha e também por não estar aqui no dia do falecimento.Ficou muito abatido.
No final da década de 80, um advogado, que estava tratando de aposentar Ivo Correa Pires procurou seu antigo colega de Tribuna Gaucha para que servisse de testemunha junto ao Instituto Nacional de Seguridade Social(INSS) para poder comprovar o tempo em que Ivo tinha trabalhado na Tribuna Gaúcha porque eles trabalhavam sem carteira assinada e obviamente isto era necessária para conta o tempo de serviço para a aposentadoria.
A Tribua Gaúcha não assinava a carteira dos seus colaboradores.
Ivo Correa Pires tinha trabalhado de 1947 a 1957 na Tribuna Gaucha.
Quem conviveu com o Ivo Correa Pires o descreve com o um sujeito muito introspectivo, mas um "cara de muito bom coração"!.
Mesmo quando solteiro, sua personalidade não era extrovertida. Pelo contrário, muito quietão.
Com a perda do filho, ficou mais ainda...
Ivo Correa Pires teve grande influência junto ao Inter, no tempo do presidente Carlos Stechamann.

Ivo tinha outra característica: gostava de teatro.Ele produzia escretes para o teatro. Não teatro com atores mas teatro lúdico,com bonecos de papel higiênico e gesso. Nelson Medeiros, colega de Ivo na redação da Tribuna Gaúcha,que tinha vindo de bairro Fragata, de Pelotas, por isto chamado pelos colegas por " Fragata", era dono de um voz densa,de terror. Ivo tomou sua tonalidade de voz para usar em um boneco.O boneco fez enorme sucesso.
Ivo tinha ainda o dom de modular diferentes vozes. Isso lhe propiciava dar personalidade a cada fantocha(boneco).
Suas apresentações com bonecos eram feitas no Sindicato dos Alfaiates e Costureiras.


Marinou

 

Corneteando
eles!

A coleguinha Laura Peixoto, blogueira mais vibrante do Vale do Taquari, " marinou"!!!!

* Que incrível, na sexta,dia 30/04, segundo registra o Previdi.com,. foi ao ar o útlimo Renner, que agora era Guaíba. Fez história nestes 53 anos de Guaíba,completados dia 30/4.
O Renner (atual Guaíba, vinha definhando,definhando...mataram por asfixia... O " pastor" tá mudando a Guaíba,tanto AM como FM! E vem mais novidades por aí...dizem que o Esporte ali vai terminar....


 

Recado, via meu blog, do
Serginho pro " Mazza"!

 


Mazzarino

Mandei hà pouco, para o Olides a matéria da Proclamação da Independência do Rio Grande do Sul.
proclamada pelo nosso chefe, governador Leonel Brizola. Sei que vai ter muita gente que não vai acreditar. O proprio Olides ,insistiu para eu escrever. Quer me gozar,dizendo que essa história é uma invenção minha,como foi a história da Brigit Bardot. Mas não tem nada. Assim que nos encontramos, vou te contar esse fato e muito outros que tenho com o nosso líder.
Um abraço

Sergio

Acervo Sergio Ross

Brizola e Sergio Ross, no avião!



BRIZOLA PROCLAMA A
INDEPENDÊNCIA DO RIO GRANDE



Brizola era governador do Estado. Era verão no sul. Então nos meses de janeiro e fevereiro, a gente torrava. Morria de calor. Nos sentíamos calor,mas para o trigo era uma benção. A safra daquele ano (não me recordo se 59 ou 60), era uma safra recorde. 0 governo federal,comandado pelo Jango, não dava colher de chá para os produtores e anunciava um preço muito a baixo do que o pessoal que havia plantado o trigo queria. Brizola resolveu ir à Carazinho, conversar com os triticultores
Passava um pouco do meio dia. Eu estava na redação da Ultima Hora que ficava na Sete de Setembro,em cima de um cinema. Não estava lá por acaso,mas sim porque na verdade, eu era solteiro e morava na redação...
Estava lendo a Folha da Tarde. Eu na época, cobria o Grêmio, e estava ali, fazendo hora para ir para o Olímpico. O Neu Reiner,que era o diretor do jornal, chegou na minha mesa e muito educadamente,aos gritos, mandou que eu me tocasse para o Palácio Piratini e fosse com o Brizola para Carazinho, onde o governador conversaria com os homens do trigo. Estranhei a ordem e perguntei porque o Flávio Tavares, que cobria o Piratini não ia... O Neu,não me respondeu e mandou que eu me apressasse. Fiquei sabendo depois, que o Flávio, puta velha, soube da viagem e se escondeu para não enfrentar o calorão.
Fui para o Palácio e de lá para o Aeroporto. A VARIG, na época era comandada pelo senhor Rubem Berta,que tinha um carinho muito grande pelo Brizola e sempre que o Brizola precisava,cedia os aviões da empresa. Neste dia cedeu dois Douglas, na época aviões moderníssimos e estourando de novos. Num dos aviões,foi o Brizola, seu secretariado e um monte de “aspones”. No outro avião,foram os coleguinhas da imprensa. Naquela época,como não tinha ainda TV,foi o pessoal de jornais e rádios o que já era muita gente(só de jornais tinha cinco, a Ultima Hora,O Dia, a Folha da Tarde,o Correio e o Diário de Noticias).
Assim que chegamos em Carazinho, Brizola foi para a Prefeitura e da sacada do prédio,comandou um imenso comício. Tinha gente na praça, que não acabava mais. O nosso governador foi se entusiasmando e lá pelas tantas,não teve dúvidas, tascou: “ se o nosso presidente João Goulart, não resolver o problema dos triticultores, está proclamada a independência do Rio Grande do Sul ...”. O povão foi a loucura e os coleguinhas,mais enlouquecidos ainda para chegarem em Porto Alegre para dar a notícia ( naquela época,não tinha essa facilidade de telefones e computadores).
Ah! Os triticultores havia jogado toneladas e toneladas de trigo nas estradas,fechando o trafego na região.
Mas assim que embarcamos no nosso avião, eis que entra o Governador. Sentou-se ao meu lado e o avião decolou. Brizola chamou o comissário de bordo e mandou servir guaraná para todos nós: olha aí,disse ele para o comissario. Sirva ai uns guaranas, pois a rapaziada,aqui está com muito calor”. Assim que os guaranas foram servidos e o avião já bem no alto, os coleguinhas se levantaram e cercaram o homem e é claro, que a pergunta foi, como seria a Proclamação da nossa Independência?? O Brizola olhou para todos os rostos que estavam ao seu redor e tascou:” pois olha...tem certas coisas que a gente pode dizer,mas não pode escrever”.Foi como um balde de água fria na rapaziada. Eu, ainda novinho na profissão, não quis nem saber. Assim que cheguei na redação,sentei na minha Olivetti e tasquei o “lead” da matéria: Esta´proclamada a Independência do Rio Grande.
O Neu, nessa hora chegou por trás de mim e mais um vez,educadamente arrancou a folha de papel, onde eu escrevia a matéria mais importante da minha vida e foi me dizendo,secando com um lenço o suor que corria no seu rosto: “deixa isso pra lá. Escreva só, sobre a parte de economia”...) É claro que escrevi e a nossa independência, não foi então proclamada.
Sei que vai aparecer muita gente, que não estava em Carazinho, para dizer que eu sou louco e que essa história nunca aconteceu. O próprio Brizola,uma vez em Brasília, no escritório do Carlos Chagas,conversava comigo. Eu me enchi de coragem e perguntei a ele, como é que tinha sido a história da nossa Independência. Ele me olhou, com a mesma cara que nos olhou no avião, para dizer que certas coisas a gente fala mas não escreve e me disse: “pois olha tchê, tu sabes que eu não me lembro disso...”
E aí terminou mais uma vez a nossa proclamação. O Chagas sempre que pode, me goza, dizendo que eu inventei essa história. É uma pena,que eu não possa provar. Todos os meus coleguinhas já estão no céu e por isso, não tenho nenhuma testemunha. Mas continuo me lembrando muito bem,do homem na sacada da Prefeitura de Carazinho, proclamando a Independência do Rio Grande do Sul.

Sergio Ross


 

CLAUDIO HUMBERTO MATA
NA SUA COLUNA GASTONE RIGHI

 




O Cláudio Humberto,um dos cobrões do jornalismo, as vezes também pisa na bola. Pois não é que ele, na sua coluna de domingo,”matou” o ex deputado Gastone Righi(PTB-SP), que esta vivinho da silva, morando em Santos,São Paulo.
Cláudio Humberto escreveu, que a barba do ministro Eros Graú,do Supremo Tribunal Federal,tem um simbolismo especial: segundo amigos,ele seria velho admirador da longa barba do “falecido” deputado Gastone Righi.
Hoje Claudio Humberto,na sua coluna,escreveu: o ex deputado Gastone Righi, está vivinho da silva,ao contrário do que esta coluna publicou,e dedicado as suas empresas,como a Rádio Enseada FM em Santos. Pedimos desculpas pelo erro.


Sergio Ross




Coleguinhas

 


* Na vida tem que ter também sorte. A morte do cantor Leonardo abriu um enorme espaço no horário nobre dos domingos para Maria Luiza Benitez9 6 às 8 horas) que já tem um programa na emissora - Guaíba - todos os dias das 5 às 6 da matina. Aso sábados estende-se um pouco....

* Pouco antes do meio - dia de ontem, dia 2/5 Laurinho Dieckmann torpedeou para Porto Alegre dando conta de que estava numa praia portuguesa,com certeza, onde se via muita gente de top less.... Parece que a praia era Cascais, talvez por isto não mandou mais nenhuma matéria, Estava contemplando o panorama, o sem-vergonha....

*Juremir Machado e Rogério Mendelski, na quinta passada, dia 29/04, tiraram sarro sobre a coluna(já famosa do Paulo Santana em que conta na ZH que foi convidado a gravar com Zeca Pagodinho. Todo mundo sabe já que foi um trote de um talentoso coleguinha do Pretinho Básico , da mesma RBS...Mas o sarro dos dois da emissora co-irmã convidada o Luis Carlos Reche a também gravar com o pagodeiro...

*Ieda Risco, além de excelente repórter, também faz locução na rádio Guaíba. No dia 30/4 ela gravou as manchetes do Correio do Povo para a emissora. Eu seja, é pau pra toda obra!


 

Coleguinhas

 

Corneteando eles!!!

Vocês não vão acreditar mas eu tive que ouvir com estes ouvidos que a terra há de comer(espero que demore ainda um bocado...)
O Serginho Ross, ontem, domingo, dia 2/5 exagerou, mas ele jura que é verdade. Sim, em poucas linhas a história é esta.
Ele foi pra Nova Iorque e lá iria ficar num hotel 3 estrelas. Mas tinha uma grande convenção na Ilha( ah, sim ele fala como um legítimo novaiorquino,diz a ilha, ou seja Manhatan, o chic dos chiques...)e o cara do hotel mandou ele prum cinco estrelas localizado na frente do Central Park....

Não é que era um hotel de japoneses!!!!!! Só havia japa hospedado ali.......

No primeiro dia, nosso personagem, de carne e osso, tomou banho, se arrumou todo - estes caras de Bento são assim - e desceu pra tomar o café da manha. No mesmo andar, vinha uma mulher - " baixinha como eu" - segundo o cara de pau, e ele nem bola. Os dois entraram no elevador, mas ele mostrou-se cavalheiro. Abriu-lhe a porta,e no elevador, ele nem deu pelota pra ela.

No dia seguinte, a mesma cena. Só que desta vez, ela sorriu diante da casualidade, e deu um

- Good Morning, sir.....

Ele a cumprimentou e não deu mais trela.

Quando abriu a porta do elevador, um batalhão de fotógrafos se atirou sobre ela...
Adivinhem quem era....

- A DEMI MOORE!!!!! em carne e osso....

Ela,segundo o caradura do Serginho,fora a Nova Iorque lançar o filme STREPTEASE e de noite vendo tevê ele a viu dando entrevista no famoso programa do David Lattermann...Se é verdade, ou não...quem sabe lá. O meu amigo conta com convicção isto....

 

 

 

 
 
Arquivo do Blog

2007
             Set  Out
2008
xMaix
2009
2010              

 
 


Espaço dos Leitores

 
 


Olides Canton - Jornalista e Escritor

Nascido em 16 de Janeiro de 1952 na cidade de Serafina Corrêa-RS, Olides Canton passou nesta cidade toda a sua infância. Mudando-se para Porto Alegre, cursou a Escola Julio de Castilhos, tornando-se Bacharel em Comunicação Social pela FABICO/UFRGS em 1982. Trabalha como Jornalista desde 1970. Trabalhou na Companhia Jornalística Caldas Júnior, Jornal Zero Hora. No Jornal do Brasil e Revista Carga e Transporte atuou como free-lancer. Editor do Jornal de Bordo e Revista Fitness. Possui 9 livros publicados. Ganhou quatro prêmios de Jornalismo, um do Badesul, dois do Setcergs e um da ARI. Registro no Sindicato dos Jornalistas RS: 2776 - Registro Jornalista - Mtb 4959.

Telefone: (51) 3330-6803
e-mail: contato@deolhoseouvidos.com.br

Autor de inúmeros livros, Olides Canton firmou-se como um
exímio contador de histórias contemporâneas.
Conheça agora as obras do autor

© "de Olhos e Ouvidos"  -  Todos os direitos reservados
Os textos e imagens publicados neste site são de inteira responsabilidade de Olides Canton.

 




EDIÇÕES DO FITNESS

Edição132
Edição 131
Edição 130
Edição129
Edição128
Edição127
Edição 126
Edição125
Edição 124

Edição 123
Edição 122
Edição 121
Edição 120
Edição 119
Edição 118
Edição 117
Edição 116
Edição 115
Edição 114
Edição 113
Edição 112
Edição 111
Edição 110
Edição 109
Edição 108
Edição 107
Edição 106
Edição 105
Edição 104
Edição 103
Edição 102
Edição 101
Edição 100
Edição 99



ANUNCIE NO SITE!

Entre em contato conosco


Edições Anteriores do Blog



LINKS QUE RECOMENDAMOS



Aceg
Agência Edison Castêncio
Assembéia Legislativa RS
Cloaca News
Comuniquese
Correio Do Povo

Diário da Fronteira

Diário Popular
Ecoagencia.com.br
Enfato

Folha de São Borja
Governo do Estado do RS
RedeCidade
RSUrgente
RenePT
KaduNew
Jornal A Hora
Jornal do Comércio
Jornal do Mercado
Jornal O Sul
Jornal Panorama Regional
José Luiz Prévidi

Laura Peixoto
Lauro Dieckmann
Políbio Braga
Política para Políticos
Prefeitura de P.Alegre
Prefeitura Serafina
Correa

Ricardo Noblat
Rogério Mendelski
Rosane Oliveira
Sindicato dos Jornalistas
SUL21
Tijolaço
Via Política
VidaSustentável
Vide Versus
Zero Hora

REPORTAGENS
ESPECIAIS


Veja em "Memória"