Boas noticias merecem Replay
(51) 3333.8362

 

"O Blog dos Colegas"

 


Findi...

Estou já escrevendo nesta quinta, véspera do findi, aqui na sala de imprensa da feira do livro de porto Alegre.Já está a Sheila aqui nos atendendo de todas as solicitações, ar condicionado ligado, e ela me informa que este ano os jornalistas credenciados terão até um lanchinho no meio da tarde. Mas não é pros bicões....

O Ventura, fotógrafo, também já está por aqui....

Será mais uma feira do livro da nossa vida. Eu conheço a feira desde o começo dos anos 70,quando eu e o Licínio vinhamos pras barracas e pros balaios e surrupíamos algums exemplares de Williaqm Faulkner, de Heminguay e por aí afora....
Acho que nunca perdi uma feira do livro....

Pois ela já está aí, será inaugurada hoje(sexta,dia 29/10) no fim da tarde, mas as barracas estarão abertas desde as 13 horas pro pessoal vir olhar as novidades.

Hoje, quinta, já muita gente está com todos os livros nas barracas, mas ainda não estão vendendo.

Então, a feira do livro está ai pro fim de semana, que além dos livros, também marca a eleição no domingo....

Meu instinto de repórter, na verdade, neste momento, me leva a Buenos Aires, onde estão os acontecimentos de enterro do presidente Kirncher...Mas lá está por sorte( e o repórter também tem que contar com ela...) o Gelson Farias que tem mandado um bom material.

O editor


Valesca de Assis ministra oficininha de artes e autografa na Sapere Aude




Neste sábado dia 30 de outubro, a escritora Valesca de Assis participa do
encerramento da programação comemorativa aos dois anos da Livraria Sapere
Aude (Rua Lopo Gonçalves, 33). A partir das 16h, Valesca e o artista plástico
Antônio Albino Maciel, que utiliza a técnica de colagem, coordenam a
Oficina de Artes e autografam o livro UM DIA DE GATO.

O livro infanto-juvenil, editado pela Libretos, conta a divertida história do
gato Tato e do cão Bolão. Trata-se de uma fábula sobre a compreensão e
o respeito às diferenças. A obra tem ilustrações de Antônio, e design gráfico
de Clô Barcellos.


30/10 (sábado) - Atividade de encerramento da programação comemorativa aos 2
anos da Sapere Aude
Entre 16h e 18h - Oficina de Artes UM DIA DE GATO, com o artista Antônio Maciel
e a escritora Valesca de Assis, e sessão de autógrafos do livro Um dia de gato
Sapere Aude - Rua Lopo Gonçalves, 33 - Cidade Baixa
Entrada franca

Assessoria de Imprensa:
Simone Lersch (51) 3029-6390 / 9803-4420

DE SERAFINA CORREA

Um pouco tarde mas necessario informar o correto dos fatos.

1º-Quem trabalhou para a Candidata à Deputada Estadual Maria Helena Sartori foi à Presidente do PMDB,um Vereador e a Vice Coordenadora do PMDB Mulher e sua equipe.
2º-O Candidato à Deputado Estadual Alexandre Postal teve o apoio e o trabalho de 3 Vereadores,4 Suplente de Vereadores,3 Ex-Vereadores,uma Ex-Vereadora, 2 Ex-Presidentes de Partido,Presidente do PMDB Jovem,Coordenadora do PMDB Mulher e 2 Ex-Prefeitos do PMDB,todo o Diretorio do Partido e todos os lideres de Bairros e Capelas do Partido.
3º-O Candidato à Deputado Estadual Marcio Biolchi teve somente o trabalho de um Ex-Presidente do Partido do PMDB.


De Estrela


No dia 20 de novembro os ex-atletas do Estrela Futebol Clube se reúnem
num jantar no CTG Raça Gaudéria.


Roteiro da feira do Livro

Neste sábado,dia 30.10 a partir de 17h30 minutos estarei autografando meu livro COZI LA ZE STATA NA FEIRA DO LIVRO DE PORTO ALEGRE


Apareçam....O livro é barato, apenas 20 pilas!

E o retorno é garantido!

Memória Política


Quando O PT era pobre....

"Zézinho Guerrilha", ou

a saga do militante José Carlos Dias de Oliveira, que morreu no dia 15 de julho de 1991, poucos antes de completar 33 anos.


fotos do álbum de família

Olívio Dutra, Lula e Zezinho Guerrilha num anto do PT em julho de 1982. Atrás da foto em que está com Lula e Olívio, Zezinho escreve um bilhete de fervor revolucionário,apostando que o PT seria o partido do socialismo e do fim das injustiças sociais. Eis o que ele diz


Clique na imagem para aumentar

O PT seguramente teve poucos militantes tão aguerridos, no começo de sua carreira, quando os jovens acreditam no ideário " socialista" do partido que nascia das greves oriundas no sindicato dos metalúrgicos do ABC paulista do sindicato dos bancários de Porto Alegre como ZEZINHO GUERRILHA, nascido de batismo José Carlos Dias de Oliveira, que morreu poucos dias antes de completar 33 anos. ZEZZINHO NASCEU EM 21 de julho de 1959 e faleceu em 15 de julho de 1991.
Na rua Thomaz Flores, no bairro Bom Fim, de Porto Alegre, reside Maria Oliveira, mãe de Zezinho Guerrilha, um dos militantes mais simbólicos do PT de Porto Alegre, na formação do PT, ou seja, quando o partido era pobre....Seu pai, o ex-prefeito de São Luiz Gonzaga, por 3 gestões e deputado estadual durante duas gestões( uma pelo MDB,outra pelo PSB) Jauri Gomes de Oliveira reside em São Luís Gonzaga.
José Carlos conhecido por ZEZINHO GUERRILHA, apelido dado pelo repórter político João Carlos Terlera ( a mãe não gosta muito que se fale no apelido) cursou,conforme a mãe,quatro faculdades, mas não concluiu nenhuma:
- Ela começava uma faculdade mas achava que sabia mais do que os professores diziam, lembra sua mãe. Zezinho estudou Jornalismo,Direito,História e Economia, mas não concluiu nenhum destes cursos. Ele esteve na PUC e na UFRGS.

Dona Maria lembra que o filho viajava muito e ela guarda num álbum de família muitos fotos que o filho fez em Paris, quando esteve num congresso socialista.
Sobre a doença que o matou, ela não comenta nada. Só disse que o amigo dele, Gérson Almeida, que depois foi vereador do PT em Porto Alegre, foi muito solidário ao filho, tendo ficado com ele no hosptial até o falecimento.

ZEZINHO GUERRILHA nunca trabalhou com seu pai, embora os dois passassem o dia dentro da Assembléia Legislativa do Estado. O pai, como deputado do MDB,depois do PSB e ele como chefe de gabinete de Raul Pont.

Zezinho Guerrilha,ao contrário do que muitos afirmam, nunca trabalhou no governo do PT, na prefeitura de Porto Alegre.

- Mas ele era um dos que mais sabiam o que aconteceria na prefeitura de porto Alegre, quando o PT assumiu. Ele me apareceu aqui na véspera da intervenção dos ônibus ( 1989) e me alertou que de madrugada iria ter um acontecimento muito grave. Eu avisei o Fehlberg( Carlos Machado Fehlberg) editor chefe da Zero Hora, lembrou dias at´ras João Carlos Terlera que era o responsável pela área política do jornal e que trabalhava no gabinete de imprensa da Assembleia Legislativa do Estado.

Outro grande companheiro de militancia no MDB e depois no PT de Zezinho Guerrilha foi o atual deputado estadual do PT, Adão Villaverde:

- O Simon( Pedro Simon) quando liderava o MDB aqui na Assembléia vinha sempre me falar: cuidado Terlera, não dá muito espaço prestes guris da tendência socialista do MDB, lembrou Terlera.

Pouco depois da morte de Zezinho Guerrilha, também morreu um outro irmão dele, num acidente de carro em São Luis Gonzaga. Luis Augusto, um dos cinco filhos de Jauri Gomes de Oliveira e de dona Maria Oliveira se chocou contra um obstáculo que estava numa rua durante uma madrugada. Dos cinco filhos que o casal possui, restam três filhos. No´álbum de família, dona Maria - que é separada do marido - guarda com carinho as fotos dos filhos e mostra com orgulho as fotos que Zezinho Guerrilha fez em Paris com um amigo e uma foto tambem onde estão os quatro filhos homens junto com o pai, no Corcovado, no Rio de Janeiro.
Aos sábados, dona Maria recebe a visita da filha( única mulher) e dos netos a quem acarinha muito....


Mais de 120 Ciclistas pedalam 200 quilômetros na manhã de finados



Mais de 120 ciclistas aproveitam o feriado de 02 de novembro/finados e passam a manhã pedalando. Inscritos na etapa de 200 quilômetros do Audax- prova de resistência que habilita atletas para competirem em campeonatos na Europa- partem às 06h30min do DC Shopping e seguem pela BR290. O percurso inclui as cidades de Porto Alegre, Eldorado do Sul, Charqueadas, São Jerônimo, General Câmara, Vale Verde e retorno ao DC em Porto Alegre. Os participantes devem percorrer 200 quilômetros e não tem vencedores, a única exigência é o tempo máximo de chegada, que nesta etapa é de 13h30 minutos.
De acordo com Sirlei Ninki - Diretora da Sociedade Audax- os primeiros a completar todo o percurso deverão retornar a partir das 13h/13h30minutos.
Para os atletas competirem na Europa é necessário que completem 1200 quilômetros divididos em várias provas chamadas Brevets. São os estágios reconhecidos pelo Les Randonneurs Mondiaux, e que levam à habilitação para a prova maior do Audax: Paris-Brest-Paris.

Histórico do Audax
Em 12 de junho de 1897, um grupo de cicloturistas italianos percorreu 230km entre Roma e Nápoles.Pelas condições da época, essa jornada foi no mínimo “audaciosa”.
Em 1904, Henri Desgranges, pai do Tour de France, criou o Audax Francês, tal como o Audax Italiano, e confiou ao Audax Club Parisien, para a realização dos Brevets Audax na França.
A prova máxima do Audax é o Paris-Brest-Paris, com seus 1200km, que acontece a cada quatro anos. Só tem habilitação para esta prova, quem passa pelos estágios “brevets” de 200, 300, 400, 600 e 1000 quilômetros. O grande foco dos eventos Audax é a possibilidade de percorrer longas distâncias de bicicleta no seu próprio ritmo, terminando o percurso dentro do tempo limite estabelecido.

 


SAÚDE BUCAL

Secretaria da Saúde realiza estudo odontológico com crianças
Levantamento anterior feito em 2008 apontou São Borja como um dos melhores índices do estado


Até o dia 15 de novembro a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) está aplicando o estudo odontológico denominado CPO-D (Cariados, Perdido e Obturados e Dentes Permanentes). A avaliação ocorre em crianças com 12 anos de idade, ou que ainda vão completar até o final do ano, segundo a orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Para colher os dados a equipe do departamento de odontologia está visitando as escolas a fim de avaliar as condições dentárias dos estudantes.
O último levantamento, realizado em 2008, abrangeu 840 crianças de 32 escolas municipais e estaduais, da zona rural e urbana. O estudo apontou o índice de 0,9% no município, ficando abaixo das médias regional e nacional que é de 2,8%. “Quanto mais próximo de zero, melhor”, afirma o diretor de odontologia Dioger Paz. Segundo ele, na época a pesquisa indicou que 53,4% dos estudantes avaliados não apresentaram cáries, perdas ou restaurações dentárias – chamados de dentes hígidos. “A meta é avaliar todas as crianças de 12 anos do município e chegar ao índice de 0,8%”, declara Dioger Paz. Após a finalização, os dados serão repassados à Secretaria Estadual da Saúde e ao Ministério da Saúde.
De acordo com o secretário da saúde e vice-prefeito, Jefferson Olea Homrich, a pesquisa é fundamental para reconhecer a situação no município. “O estudo vai mostrar se os números reduziram ou se é necessária uma maior atenção na área”, pondera Homrich. O secretário atribui a queda do índice aos investimentos realizados recentemente nas unidades de saúde e campanhas de prevenção, bem como, o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO).
Dentro dos programas odontológicos desenvolvidos pela SMS, Jefferson citou a inauguração do Laboratório Regional de Próteses Dentárias, prevista para o dia 17 de novembro próximo. “O município está se tornando referência no atendimento odontológico”. Localizado junto ao CEO, o laboratório atenderá as cidades de Barra do Quaraí, Itaqui, Maçambará, Manoel Viana, Quarai, Santa Margarida do Sul, Santo Antônio das Missões, Garruchos e Santo Ângelo.

DECOM/PSB

Nesta quinta-feira (28/10) os odontólogos estiveram no Colégio Estadual São Borja (Cesb).


Prefeitura de São Borja - Comunicação

De Canoas para o Mundo

Imagino como estão os sentimentos da direita no país com a eleição de Dilma para a presidência do Brasi, conforme indicam TODAS as pesquisas. E estão num brete sem saída. Se a Dilma fizer um bom governo, o que é o mais provável, se reelege com facilidade. Se a petista fizer um governo ruim, o Lula será o candidato em 2014. Sai desta mídia, sai desta PSDB, sai desta DEM.

Remindo Sauim, largando foguetes pela Dilma.



BAILARINA SEM BREU

Mariana Bertolucci

Dia 30 de outubro (Sábado)
17h30 - Talkshow com Fernanda Zaffari,
Mariana Bertolucci e Ana Maldonado.
19h30 - SESSÃO DE AUTÓGRAFOS
Praça de Autógrafos



Pensamentos, ideias, reflexões. Dor de cotovelo, saudade, conselhos. Amizade, falta de vontade. Vontade em excesso. Dia-a-dia, mau humor, bom humor. Sorriso largo, jeito largado. Alegria de viver, curiosidade pela vida, amor pelas pessoas. Tudo isso e mais um pouco, e um pouco mais de muito definem de uma maneira bem tênue uma pequena parte da personalidade da jornalista Mariana Bertolucci.
Todos estes temas características fortes da jornalista que assina a coluna RS Vip do jornal Zero Hora estão no livro bailarina sem breu, que marca a estreia de Mariana no mundo da literatura.
Mariana é bailarina, é colorada, é mãe de Antônia. E agora Mariana é também escritora. Ao longo da vida, já percorreu diversos caminhos, caminhos que nos leva a conhecer nas 21 crônicas publicadas neste livro. Deixando de lado o breu que dá firmeza e equilíbrio na hora da dança, Mariana nos guia para um trajeto que descobre conosco: o ritmo do bom texto, da boa escrita e da boa leitura.
Qualidades que são garantidas por aqueles que trazem breves opiniões sobre a nova autora, como o escritor Luiz Antonio de Assis Brasil, por exemplo, que assina a apresentação: Tenho para mim que só podem dedicar-se à crônica as pessoas otimistas ou que, pelo menos, guardem alguma esperança nos destinos do ser humano em sua relação com a sociedade. Isso é o que se percebe nos textos de Mariana Bertolucci. A publicitária Claudia Tajes também é testemunha: Quando o espaço ficou pequeno para tudo o que sua dona queria dizer, ela passou a escrever suas delicadas observações em um blog. que agora ganha vida própria e se transforma, ao lado de outros textos inéditos, no primeiro livro da autora Mariana Bertolucci . E a escritora Lya Luft complementa: Mariana Bertolucci escreve com gosto e graça. Suas crônicas são encantadoras: humanas, despretensiosas e elegantes .
Editado pela Libretos, o livro é todo ilustrado pela designer Ana Maldonado, que mergulhou no universo da jornalista e fez uma leitura especial das ideias dela.

Bailarina sem breu
Mariana Bertolucci
Ilustrações: Ana Maldonado
Libretos, 2010.
88 páginas, 23cm
ISBN 978-85-88412-39-2
Preço R$ 26,90

Assessoria de Imprensa:
Simone Lersch


NÃO FOI A PIOR CAMPANHA

Por Carlos Chagas

Será exagero considerar a atual campanha eleitoral a pior na crônica da República, tantos tem sido os absurdos, as mentiras e as agressões entre Dilma Rousseff e José Serra.
Já houve coisa pior, por exemplo quando adversários de Getúlio Vargas diziam que ele não seria candidato, mas, se fosse, perderia, ainda que, se vencesse, não tomaria posse, e, se tomasse, não governaria. Era o golpe pregado nos palanques. Seria bom não esquecer, também, que Jânio Quadros fazia campanha agitando um bambu com um rato morto pendurado na ponta, dizendo ser seu adversário, ao tempo em que Ademar de Barros, com outro bambu, mostrava um gambá igualmente sacrificado como se fosse o seu contendor.

Feita a ressalva de que as baixarias não tem limite, vale concluir que o entrevero deste ano não honra ninguém. Nem os candidatos nem seus partidos. Muito menos o Lula, despojado da liturgia de presidente da República em troca da fantasia de cabo eleitoral de subúrbio.

Perdem pontos, e votos, o tucano e a companheira, quando levam as discussões até as profundezas da mistificação. Não dá para aceitar que José Serra e o PSDB acusem Dilma Rousseff de responsável pela privatização do petróleo do pré-sal . Primeiro porque quem inaugurou o regime de concessões foi Fernando Henrique Cardoso. Depois, pelo inusitado de assistirmos os grandes defensores da alienação do patrimônio público nacional referindo-se à sua obra como o maior dos pecados institucionais. Por conta da disputa eleitoral, invertem os valores que até pouco sustentavam.

O outro lado não fica atrás. Denegrir o candidato tucano porque levou uma bolinha de papel na careca, mais um rolo de fita durex, só não constitui agressão maior do que acusá-lo de haver negociado com empreiteiras a distribuição de trechos da nova linha do metrô paulistano.

Numa palavra, os candidatos e seus partidos perderam completamente o senso do ridículo, rebaixando-se na tentativa de rebaixar o adversário. Ficará difícil, para quem vencer, começar a governar a partir dessas lambanças.

MORRER ANTES DE OPINAR
Significativa foi a morte lá na Alemanha do polvo Paul, dias antes de manifestar-se sobre a eleição presidencial brasileira. Preferiu sair de cena o bicho que acertou o resultado de todas as principais partidas da Copa do Mundo de futebol, até a vitória final da seleção da Espanha. Por certo não se mostrava disposto a opinar sobre a disputa entre Dilma Rousseff e José Serra. Caso errasse, desmoralizaria a raça dos octópodes, ainda que, se acertasse, colocaria o eleitorado brasileiro em cômica situação. Melhor fez o Paul despedindo-se das funções de oráculo.

A SOMBRA DAS ABSTENÇÕES
Hesitam os institutos de pesquisa em avançar números a respeito das abstenções na eleição de domingo. Será difícil errarem quanto ao resultado final, quando todos, sem exceção, apontam a vitória de Dilma Rousseff, até por diferença não inferior a dez pontos. Agora, mais complicado será saber o número de eleitores que preferirá aproveitar o feriadão de quatro dias viajando em vez de permanecer em sua cidade para votar. Pode ser ínfimo o número dos fujões, caso as virtudes cívicas dos brasileiros tenham sido despertadas. Mas também poderá ser grande, se a maioria entende já estar decidida a parada. Convém aguardar.

ELOCUBRAÇÕES
No Brasil, é muita pretensão saber o que vai acontecer daqui a quinze minutos, quanto mais daqui a quatro anos. Apesar de tudo, por conta e risco de quem ousa, já se especula sobre o quadro sucessório de 2014. Quais serão os possíveis candidatos?

Na hipótese provável da vitória de Dilma Rousseff, domingo, ela abrirá a lista. Afinal, a reeleição continua artigo da Constituição, dificilmente capaz de sofrer alterações.

O problema é que se o já então ex-presidente Lula quiser, será candidato. Para ele, Dilma abre mão, desde já. Até porque não adiantaria nada enfrentá-lo no âmbito do PT,

Candidata mais ou menos certa será Marina Silva, seguindo o exemplo do Lula, que perdeu três vezes para eleger-se na quarta. A ex-ministra do Meio Ambiente tem idade, paciência e méritos para ir tentando.

Do lado da oposição, erra quem imaginar apenas brilhando a estrela de Aécio Neves. Claro que ele ocupa a pole-position antecipada, no ninho dos tucanos, mas é bom não esquecer o recém-eleito governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Sem perder de vista, lá e cá, o imponderável, aquele fator que costuma dar o ar de sua graça com certa freqüência. Um nome de que não se cogita hoje, mas em condições de aparecer amanhã.


MORTE DE KIRCHNER SURPREENDE ARGENTINOS

Televisões do país mostraram homenagens ao ex-presidente na Casa Rosada.

De Buenos Aires
GelsonFarias

Olides. Em especial, para seu blog, foto do caixão com o corpo do ex-presidente Nestor Kirchner, quando deixava o hospital José Formenti, em Santa Cruz, de Calafate, no extremo sul da Argentina, ( Patagônia) onde estava com sua esposa, repousando após sintomas de angina. Tudo indica, que a presidente Cristina Kirchner lidere uma cerimônia íntima, acompanhada de amigos, parentes e membros do seu Gabinete em El Calafate, enquanto é preparado um funeral de Estado em Buenos Aires com velório que poderia ser celebrado no Congresso, tal como indica o protocolo, ou na Casa Rosada


Corpo do ex-presidente Nestor Kirchner deixa hospital em Calafate


A morte do ex-presidente da Argentina Néstor Kirchner, marido da atual governante, Cristina Kirchner, comoveu os argentinos e gerou uma grande incógnita sobre o futuro político do país a um ano das próximas eleições presidenciais. Kirchner, de 60 anos, faleceu por volta das 11h (horário de Brasília) desta quarta-feira vítima de uma parada cardiorrespiratória
"Foi morte súbita", assinalou Luis Buonomo, médico pessoal de Néstor Kirchner, ao confirmar o falecimento do ex-presidente, que surpreendeu o cenário político argentino e provocou uma avalanche de reações internacionais. A presidente está acompanhada do filho Máximo e de alguns de seus ministros em El Calafate, onde aguarda a chegada da filha Florencia, que estuda cinema em Nova York.

O cardeal Jorge Bergoglio convocou uma missa solene para as próximas horas na catedral e agrupamentos governistas convocaram para as 21h uma concentração na Praça de Maio, em frente à sede do Governo, onde começaram a se concentrar centenas de pessoas para depositar flores e mensagens endereçadas a Cristina Kirchner.
A morte de Kirchner, chefe do governante Partido Justicialista (PJ) e deputado federal, acontecem quando crescia a possibilidade de o ex-líder disputar as eleições presidenciais de 2011. Embora mantivesse a dúvida, Kirchner liderou nas últimas semanas atos em algumas províncias do país para fortalecer o Governo em direção ao pleito, ignorando os conselhos dos médicos, que lhe recomendaram diminuir sua atividade e o grau de tensão após as duas intervenções coronárias as quais havia sido submetido nos últimos meses.

O ex-chefe de Estado, um político participativo e controverso, soube manter-se na linha de frente após deixar o cargo de líder, ao qual chegou depois de ser prefeito de sua cidade natal, Río Gallegos, e três vezes governador da província de Santa Cruz. Néstor Kirchner militou junto a sua esposa na esquerdista ala juvenil do peronismo da década de 70 e abraçou a figura de Juan Domingo Perón, a quem costumava lembrar em seus discursos.
Simpatizantes do ex-presidente disseram lamentar a perda, enquanto que alguns que se opunham a ele disseram simplesmente sentir muito pela família. Os canais de TV mostraram homenagens a Kirchner na Casa Rosada, sede da Presidência do país, onde foram colocados cartazes de apoio à viúva e atual presidente, Cristina Kirchner.
A morte virou o principal assunto das redes de televisão argentinas. No Brasil, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva decretou luto oficial de três dias devido à morte do ex-presidente.
Morte de Nestor Kirchner pára futebol na Argentina
Todos os encontros de futebol agendados para o próximo fim-de-semana na Argentina foram suspensos, em virtude da morte de Nestor Kirchner, antigo presidente do país e atual marido da líder do Governo argentino Cristina Fernandez. Uma informação avançada pela Federação Argentina de Futebol.

Ainda são desconhecidas oficialente as reais cusas da morte do ex-presidemte Nestor Kirchner. A morte ocorreu na no hospital da cidade de Sanata Cruz de Callafate, por volta das 10 horas damanhã de hoje, depois de sofrer uma descompensação cradiaca. Em uma prévia exclusiva, as autoridades provinciais haviam Em nota, agora há pouco, a direção do hospital, informou que Kirchner de 60 ansos de idade, entrou no centro médico por volta das 9 horas da manhã, com um quadro de ataque c ardíaco grave. Foi reanimado mas sofreu várias paradas respiratórias. Ás 10 horas e sete minutos, sua morte foi anotada pelo mpedico cardiologista Mário Boaventura.
O ex-presidente, entrou no hospital em uma maca acompanhado pela presidente Cristina Kirchner e acessores diretos da presidencia. Por agora, segundo o serviço do cerimonial do Palácio da Casa Rosada, ainda não há detalhes sobre como vai acaontecer a transferência do corpo do ex-presidente para a capital federal argentina e sobre as cerimonia funebre que deverá ser realizada no Congresso, como convém a todos os ex-presidentes da nação.

Do Clarim!


Clique na imagem para aumentar


Clique na imagem para aumentar

 


Abertura oficial da 56ª Feira do Livro de Porto Alegre ocorre na próxima sexta-feira



• Na solenidade, Carlos Urbim, patrono da edição anterior, transmite o título para Paixão Côrtes
• O acesso total da imprensa às atividades da Feira depende de credenciamento prévio pelo email imprensa@feiradolivro-poa.com.br

A 56ª Feira do Livro de Porto Alegre dá início à sua programação na próxima sexta-feira, 29 de outubro. A abertura oficial acontece às 19h, no Teatro Sancho Pança, localizado no Cais do Porto. O Presidente da Câmara Rio-Grandense do Livro, João Carneiro; o patrono da 55ª edição, Carlos Urbim; e o folclorista Paixão Côrtes, que assumirá a função este ano, comandam o evento. A maior feira de livro a céu aberto das Américas vai até o dia 15 de novembro.

A cerimônia de abertura oficial inicia um pouco antes, às 17h30, com o cortejo dos grupos folclóricos de Tavares e Mostarda pelos caminhos da Praça da Alfândega, com a narração em versos nos improvisos do pajador Paulo de Freitas Mendonça, numa homenagem a Paixão Côrtes. Logo após, a animação fica a cargo dos CTGs Chico Borges e Patrulha do Rio Grande, da cidade de Santo Antônio da Patrulha, em apresentação na Praça de Autógrafos.

No Teatro Sancho Pança, a solenidade tem início com a Banda Municipal de Porto Alegre, sob a regência de Marcelo Nadruz, que executará o Hino Nacional às 19h. O presidente da Câmara do Livro, João Manoel Maldaner Carneiro, abre o evento, seguido pelo patrono da 55ª Feira do Livro, Carlos Urbim.

O folclorista João Carlos D’Ávila Paixão Côrtes, patrono da edição atual da Feira, assume os trabalhos assim que recebe o troféu da Câmara Rio-Grandense do Livro. Após seu discurso, autoridades municipais e estaduais tomam a palavra e a Banda Municipal acompanha a execução do Hino Rio-Grandense.

A cerimônia segue com o tradicional toque da sineta pelo xerife José Júlio La Porta. E, neste ano, o momento recebe um toque especial gaúcho: Paixão Cortês soma à festa o toque da matraca, instrumento folclórico de chamamento à reunião.

Num cortejo de abertura, autoridades presentes seguem pela feira, do Cais à Praça, inaugurando oficialmente o evento. Na Praça da Alfândega, a Banda Municipal será novamente a grande atração com seu repertório.

A imprensa deve realizar o credenciamento prévio para ter acesso a algumas das dependências da Feira do Livro de Porto Alegre. Locais como o Teatro Sancho Pança não liberarão a entrada sem credencial. Os jornalistas precisam encaminhar nome, veículo, telefone e email para imprensa@feiradolivro-poa.com.br. As credenciais devem ser retiradas na Sala de Imprensa, que fica em frente ao Museu de Arte do Rio Grande do Sul (Margs), na Praça da Alfândega.

A Feira do Livro de Porto Alegre é realizada há 55 anos na Praça da Alfândega. Nasceu em 1955, quando um grupo de livreiros, intelectuais e jornalistas, organizou a primeira edição com o lema “Se o povo não vem à livraria, vamos levar a livraria ao povo". Um dos mais tradicionais eventos culturais da cidade, recebe anualmente mais de um milhão de pessoas, que visitam as cerca de 160 barracas e participam de uma intensa programação de sessões de autógrafos, seminários, debates, mesas-redondas e apresentações artísticas. Em 2006, a Feira do Livro de Porto Alegre recebeu o diploma de Cavaleiro da Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura e, em 2010, a maior feira de livros a céu aberto das Américas foi declarada Patrimônio Imaterial da Cidade pelo Conselho do Patrimônio Histórico e Cultural da Capital.

Assessoria de Imprensa Feira do Livro de Porto Alegre
imprensa@feiradolivro-poa.com.br

TODT / 'A Jonas Schiaffino Arquitetura'

A Jonas Schiaffino Arquitetura, recebeu nesta quinta-feira (28), o Prêmio Top Empresarial Internacional Destaque Empresarial do Ano em Arquitetura, conferido pela Associação dos Empresários do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e MERCOSUL. O escritório é liderado pelos arquitetos Jonas Schiaffino e Diogo Schiaffino e atua há 34 anos na execução de projetos residenciais, comerciais e projetos especiais. Tem trabalhos desenvolvidos em cidades como Porto Alegre, Florianópolis, Pelotas, Gramado, Xangrilá, Santa Maria, entre outras. Com mais de um milhão de metros quadrados de projetos realizados, destacam-se obras como o Camelódromo de Porto Alegre, o Centro de Eventos do Sport Club Internacional e o Lar de Idosos da CEPA. A Jonas Schiaffino Arquitetura também se preocupa com o desenvolvimento de Porto Alegre, representando a Sociedade de Engenharia do Rio Grande do Sul no Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano e Ambiental (CMDUA) e no Conselho Municipal do Patrimônio Histórico (COMPAHC). O prêmio Top Empresarial será recebido pelo arq. Diogo Schiaffino. O evento aconteceu às 20:30hs, na sede da Sogipa.


Todt Comunicação



O governador eleito fala aos pastores


Tarso Genro - Assessoria de Imprensa

www.tarso13.com.br
twitter.com/tarso13

Memória da Imprensa


O TRISTE FIM DA COOJORNAL......


Clarice Aquistapace, uma das que perdeu bens como fiadora de um empréstimo da Coojornal( foto jornal da UFRGS)


EM 16 DE OUTUBRO DE 1996, POUCOS MESES após a morte de Antônio Gonzalez( faleceu em 8.8.1996) que exercia a presidência da ARI e que fora envolvido no episódio da Coojornal onde perdera seu apartamento por ter sido fiador de um empréstimo junto a então Caxa Econômica Estadual(CEE) DEPOIS que mandou um boletim da entidade pra Maputo, em Moçambique, pra colega Lenora Vargas, que fora associada da Coojornal e que lá residia com seu marido de então Osmar Trindade(falecido no ano passado) recebi ela uma carta protestando contra o que se escrevera naquele boletim da ARI.

Eis parte da carta que a Lenora me enviou meio que protestando contra o fato de eu ter lhe enviado o boletim da ARI e parte protestando contra o que nele se escreveu a respeito do episódio do Coojornal, principalmente quanto ao fato da perda do apartaento do Antoninho e parte também do prejuízo que a outra fiador do empréstimo, Clarisse Aquistapasse da Silva teve com o episódio.


' SUTILISSIMA A IDÉIA DE ME MANDAR AQUELE BOLETIM SAFADO DA ARI, que virou " newsletter", quá...quá...quá... Realmente, quando leio coisas como aquelas, passa a entender melhor como o jornalismo gaúcho involuiu....A Beatriz Dornelles(trata-se da editora do boletim da ARI) teve a chance de ouro de sair do anonimato. Que triste glória, não? Ela já deveria ter aprendido que em qualquer reportagenzinha ouve-se sempre os dois lados. Mas ela preferiu( ela ou quem dirige aquele vibrante " newsletter") o tom oba-oba da galera bajuladora do DINOSSAURO DE PAPELÃO que foi o Antoninho Gonzalez. Mas à parte esta minha reação, acho que quem de direito deveria se manifestas, no caso são os cinco principais dirigentes da COOJORNAL. Eu faria isso. Porque, só o que falta é o ANTONINHO GONZALEZ, depois de morto, e a Clarice Aquistapace, viva mas nem tanto, se tornarem os " resgatadores oficiais da história da Coojornal e da honra da categoria". Eles que nunca puseram os pés na cooperativa.

Em seu breve histórico sobre a Coojornal, denominado EM BUSCA DA SOCIEDADE TRANSPARENTE, o jornalista Danilo Ucha resgata parte da história do fim da sociedade que obtivera,desde sua fundação em 24 de agosto de 1974, um grande êxito,tendo se tornado um razoável mercado de trabalho para os jornalistas. O Coojornal, órgão da cooperativa, chegou a se tornar um jornal que deu matérias sobre temas muito proibidos naqueles anos de chumbo, também que com a publicação de uma reportagem sobre segredos do Exército a respeito de guerrilhas, o veículo foi contemplado com o PREMIO ESSO DE JORNALISMO. Os 4 autores da reportagem - Elmar Bones, Osmar Trindade, Rafaelzinho Guimarães e Rosvita Sauressing -acabarem presos e condenados pela Justiça Militar por causa desta reportagem.

Sobre o fim da Coojornal, Danilo Ucha lembra em seu resgate que no dia 14 de abril de 1984, num apedido que mandaram publicar no Jornal do Comércio na capital Clarice e Antônio narra o episódio do empréstimo e lamentam o " triste fim da Coojornal". Dizem que fizeram uma operação de crédito para saldar o empéstico, feito em agosto de 1981, e que em março de 1984, por nunca ter sido paga nenhuma parcela, chegava a cruzeiros 38.024.834,69. " Após tomar conhecimento dos fats", esclareceram " realizamos gestões durante várias semnas com o objetivo de possibilitar a recuperação da cooperativa, que entrou em decadência devido a erros adminstrativos e políticos, rivalidade ideológicas, lutas de grupos pelo poder e má gestão financeira, tudo acrescido das pressões de algumas áreas oficiais". Admitem que nada conseguiram porque " a situação economico financeira da empresa era bem mais grave do que espelhavam os seus registros contábeis"

Outros que marcharam com o fim da Coojornal, foram os associados João Baptista Aveline, Marques Leonam e o professor Viera da Cunha( pai do deputado Vieirinha da Cunhga). Os três eram os fiadores do aluguel da casa onde funcionava a Coojornal, na rua Comendador Coruja e tiveram que pagar 12 milhões em alguéis atrasados. Mas membros da comunidade artística de Porto Alegre contribuíram fazendo shows ou vendendo desenhos para arrecadar os fundos que faltaram....

Este foi o fim da Coojornal, mas a ele deve ser também atribuído pressões da Polícia Federal que na época visitava os clientes mais importantes da entidade fazendo pressões para que desistissem dos anúncios.O médico Arnaldo Mallmann, umdos fundadores do sistema Unimed, foi um que passou por isto e várias vezes ele narrou como isto aconteceu.

HÁ 10 MIL ANOS JÁ TINHA
GENTE EM BRASÍLIA


Eu gosto muito de ler o Correio Braziliense,nos finais de semana. É um jornal muito bem feito,muito bem informado e eu diria até mesmo, muito sério. Neste final de semana publicou uma matéria muito, boa onde conta que a 10 mil anos,atrás,já existia gente pela região do Planalto Central. Alias, logo que eu cheguei aqui por volta de 74, para acompanhar o Presidente JK, que queria voltar ao poder,eu escrevi para a Manchete uma bela mateira sobre o assunto. Mas esta do Correio, está melhor do que a minha. O Correio escreve,que um passeio pelos arredores de Brasília,pode revelar um pouco mais sobre a evolução da humanidade. A região guarda verdadeiras relíquias ignoradas pela maior parte da população. São sinais da presença do homem pré-histórico, à disposição de qualquer interessado em descobrir como ele vivia. Há pontas de lanças, machadinhas e uma infinidade de outros instrumentos fabricados há até 12 mil anos. Estão enterrados ou jogados no meio do caminho,como se não tivessem valor.
As lembranças dos primeiros seres humanos que habitaram o Planalto Central escondem-se em pelo 29 grutas da região,catalogadas por historiadores. Percorrendo alguns pontos encontra-se contrastes. Beleza e também muita degradação e abandono.
Em alguns locais,como na Toca da Onça,em Formosa (GO), a 80 quilômetros do Plano Piloto, os homens das cavernas deixaram também muitas pinturas rupestres. Pesquisadores acreditam que eles tenham usado um tipo de pincel feito especialmente para esse fim e os próprios dedos. O desenhos mostram animais,retratos rústicos dos ser humano e representações do céu, além de muitos outros símbolos ainda não desvendados.
Os tons variam do alaranjado ao vermelho, com traços pretos. A nitidez das imagens – feitas há no minimo,10 mil anos- impressiona. No teto da caverna é possível ver desenhos de pés achatados, sem a curva lateral com a qual o homem atual está acostumado. Alguns têm quatro dedos; outros,seis ou cinco. À primeira vista, o visitante se pergunta: como aqueles pés foram parar ali,tão alto? Habilidades do homem da caverna.

O QUE É UM SÍTIO
ARQUEOLÓGICO

Um sítio arqueológico é onde os homens que viveram antes do início da nossa civilização deixaram alguns vestígios de suas atividades: uma ferramenta de pedra lascada, uma pintura ou até simples marcas de seus passos. A arqueologia,ciência que estuda os costumes dos povos antigos,começou no Brasil em 1834. Nessa época, o dinamarquês Peter Lund(1801-1880) escavou as grutas da Lapa Velha, em Lagoa Santa(MG). Lá,foram encontrados ossos humanos misturados com restos animais de 20 mil anos. Há cerca de 20 mil sítios arqueológicos espalhados pelo Brasil. Poucos tem a proteção do governo.

Sergio Ross

BOTA O RETRATO DO VELHO
BOTA NO MESMO LUGAR

O Roriz,realmente não merece ter
em uma matéria sua, um título que era do velho Getúlio Vargas. Mas como estou com preguiça,vai assim mesmo...
O Tribunal Regional Eleitoral confirmou formalmente que a foto do Governador Joaquim Roriz não será trocada pela de sua mulher Weslian (PSC) nas urnas
eletrônicas, para o segundo turno das eleições que ocorrem no próximo domingo.
A decisão reafirma o posicionamento tomado pelo Tribunal Superior Eleitoral(TSE),
na última semana quando por unanimidade os
ministros da Corte negaram a possibilidade de
mudança da foto,que foi inserida nas urnas
antes de Roriz desistir da candidatura ao Palácio do Buriti,sede do governo do DF.
A pedida para a troca da foto, foi
solicitada pela coligação,Um Novo Caminho, a
qual pertence a Agnelo Queiroz(PT), governador praticamente eleito para governar
Brasília.

A LEI

A Lei nº 9504 que regula o processo
eleitoral,permite a substituição do candidato até 24 horas antes das eleições,em casos de registro indeferido,falecimento ou renuncia.

Sergio Ross

BATENDO CONTINÊNCIA


Por Carlos Chagas
Com atraso inexplicável Dilma Rousseff divulgou, segunda-feira, suas “diretrizes” de governo. Explicou não tratar-se de seu programa de ação, caso eleita, mas de simples objetivos a alcançar, deixando para depois a forma de como viabilizá-los.
Pior fez, ou não fez, José Serra, que nem “diretrizes” anunciou, limitando-se a promessas pontuais como elevar o salário mínimo para 600 reais ou conceder o décimo-terceiro salário para os beneficiados pelo bolsa-família.

Uma novidade, apenas, fluiu do documento da candidata: pela primeira vez desde que lançada pelo presidente Lula, ela se dirige às forças armadas, numa espécie de “carta aberta” à categoria. Fica nos chavões, como o de manter o serviço militar obrigatório, estimular a indústria bélica e prover a imprescindível atualização do equipamento militar.

Será bom não esquecer que Dilma recusou, “por problemas de agenda”, comparecer a um debate com os demais candidatos, no primeiro turno, promovido pelos clubes Militar, da Marinha e da Aeronáutica. Nem ao menos aceitou, pelos mesmos motivos, fazer uma exposição de seu programa de governo a uma das três entidades, ao contrário de Serra.

Agora, a menos de uma semana das eleições para o segundo turno, redime-se e dá atenção às instituições castrenses. Menos mal, ainda que continuem sem resposta as causas do boicote prolongado. Afinal, em vias de ser eleita, a ex-ministra deveria ter presente que logo será a Comandante em Chefe das Forças Armadas. Receberá as continências de praxe do Exército, Marinha e Aeronáutica, desde a posse até as centenas de solenidades a que precisará comparecer. Além de nomear o ministro da Defesa e os comandantes das três corporações.

Seria estultice considerar esse afastamento da candidata motivado por acontecimentos passados. Quando foi presa e torturada, nos idos da ditadura militar, nem capitães eram os generais de hoje. Além de constituir justiça reconhecer a conduta exemplar dos militares, desde a democratização. Engoliram, e pelo jeito ainda engolem, sapos em posição de sentido. As corporações nada tem a ver com os erros e abusos praticados no período de domínio militar sobre as instituições, debitados a maus chefes, jamais ao conjunto constitucionalmente disposto para a defesa da soberania nacional.

De qualquer forma, vale o refrão popular de “antes tarde do que nunca” para a mensagem agora dirigida pela candidata às Forças Armadas. Porque se ela for buscar na História previsões para o futuro, concordará com Getúlio Vargas, que ao preparar-se para tomar posse em 1951, eleito democraticamente, respondeu assim à indagação a respeito do comportamento dos militares: “Os militares? Os militares baterão continência...”

OPORTUNIDADES PERDIDAS
Com o debate de segunda-feira, na Rede-Record, foi-se a penúltima oportunidade de os candidatos atingirem o âmago do sentimento do eleitorado. Resta o debate de sexta-feira, na Rede-Globo, mas, ao que tudo indica, será mais uma oportunidade perdida, tendo em vista que desde o início da campanha o tema “segurança pública” vem sendo relegado a considerações insuficientes. Serra promete um ministério específico, Dilma anuncia que copiará o modelo das polícias pacificadoras do Rio de Janeiro. E só.

Deixaram de perceber os dois, assim como seus assessores principais, a importância de planos e projetos eficazes para combater a insegurança que assola o país inteiro diante da ação da bandidagem na vida de cada um de nós.

Tivessem o tucano ou a companheira prometido concepções e medidas cirúrgicas para a defesa do cidadão e, com certeza, seriam outros os percentuais de sua aprovação, nas pesquisas.

Por exemplo: senão pena de morte, ao menos prisão perpétua para autores de crimes hediondos. Extinção de todos os benefícios legais para quantos torturam e matam, em especial crianças, a começar pelos próprios pais. Cadeia para o resto da vida, sem livramento constitucional ou saídas costumeiras da prisão, para autores de latrocínio e comandantes do tráfico de drogas. Regime prisional sem facilidades de espécie alguma para seqüestradores. Trabalho obrigatório para quantos tenham sido sentenciados por crimes violentos. Tratamento carcerário igual para os criminosos de colarinho branco e para ladrões de galinha. Inflexibilidade na condenação de quantos se envolvam em peculato, desvio de recursos públicos, recebimento de propinas, envio de dinheiro irregular para o exterior ou utilizem funções de estado para cometer ilícitos.

E quanta coisa a mais poderiam ter anunciado os candidatos, acoplando-se à tendência unânime da população de que o principal sujeito da política de direitos humanos precisa ser o cidadão comum?...

O DAY AFTER
A partir de segunda-feira dois tipos de reunião estarão acontecendo no país inteiro. De um lado, os vitoriosos, planejando o futuro. De outro, os derrotados, lamentando o passado.

Quem ganhar a eleição evitará ilações sobre a formação do ministério, mas não deixará, no recôndito da euforia, de estar escalando em silêncio a equipe que o acompanhará a partir do primeiro dia de janeiro.

Quem perder buscará garantir espaços para incluir-se na linha de frente da oposição naturalmente formada pela voz das urnas. Sobreviver será sua preocupação maior.

Os partidos estarão em efervescência, com vistas a aglutinar-se no próximo Congresso. Os governadores, de seu turno, pensarão em acomodar-se diante do novo quadro nacional, influindo ou insinuando-se.

Quanto aos integrantes do governo atual, já então arrumando as malas para voltar à planície ou conseguir permanecer no alto da montanha, precisarão aguardar com ansiedade redobrada. Em suma, nada de novo debaixo do sol.



Mauro Knijnik é confirmado no secretariado de Tarso Genro

Após uma nova reunião, ocorrida na manhã desta quarta-feira (27), o governador eleito, Tarso Genro, confirmou o nome de Mauro Knijnik na Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI). A agência será criada através de projeto de lei a ser encaminhado para a Assembléia Legislativa. A pasta terá como objetivo promover a execução das ações de desenvolvimento regional e microrregional e políticas de atração de grandes investimentos de fora do Estado e do país. A AGDI contará com órgão técnico de apoio aos municípios para elaboração de projetos e captação de recursos.
Mauro Knijnik – Vai dirigir a nova Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI). Knijnik é empresário, economista formado pela UFRGS, com cursos de especialização em diversos países e é técnico aposentado do BRDE. Foi professor em várias universidades presidente do Conselho de Administração do Banco do Estado do RS – Banrisul. Foi secretário da Fazenda do Estado entre 1979 e 1983. Também foi presidente da Federasul. É coordenador do Instituto Ethos no Rio Grande do Sul e é membro do conselho de diversas empresas. É natural de Porto Alegre.

Tarso Genro - Assessoria de Imprensa

www.tarso13.com.br
twitter.com/tarso13


ADENDO: Currículo dos secretários anunciados por Tarso Genro

Mauro Knijnik foi convidado, mas sua participação no governo Tarso Genro não está confirmada.

Abgail Pereira (PCdoB) – Estará à frente da Secretaria de Turismo. Formada em Pedagogia pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), com especialização em Psicopedagogia pela Universidade Castelo Branco (RJ). Foi presidente por três mandatos e é atual vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro, Restaurantes, Bares e Similares e em Turismo e Hospitalidade de Caxias do Sul (Sintrahtur). Também foi vice-presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio e Serviços (Contracs). Foi candidata a vice-prefeita em Caxias do Sul na chapa liderada pelo petista Pepe Vargas , concorreu à Câmara de Caxias do Sul e na última eleição, concorreu à senadora.

Beto Albuquerque (PSB) - Convidado a assumir a Secretaria de Infraestrutura e Logística do governo Tarso Genro, Beto Albuquerque, 47 anos, começou a carreira política em sua cidade natal, Passo Fundo. Formado em Direito pela UPF, concorreu a vereador em 1988 pelo PSB, mas sua primeira vitória nas urnas veio dois anos depois, quando foi eleito deputado estadual. Em 1998 foi eleito para a Câmara dos Deputados, e assumiu a Secretaria dos Transportes do governo Olívio Dutra. Foi reeleito em 2002, 2006 e em 2010 recebeu a segunda maior votação entre os deputados federais do RS.

Estilac Xavier (PT) - O futuro secretário-Geral de Governo Estilac Xavier, 55 anos, foi o coordenador financeiro da campanha de Tarso Genro. Comandou a Secretaria de Obras de Porto Alegre por oito anos durante a administração petista na década de 90, e em 2000 se elegeu vereador da Capital. Dois anos depois chegou à Assembléia Legislativa e, ao fim do mandato, se transferiu para Brasília, onde atuou como assessor especial da Casa Civil do governo Lula. Estilac se formou engenheiro eletricista pela Universidade Federal de Santa Maria, cidade onde nasceu, e bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela UFRGS.

Luiz Antônio de Assis Brasil – Será Secretário de Cultura do Estado. É formado em direito pela PUCRS, mas sempre esteve ligado às artes, como músico e escritor. Foi violoncelista da OSPA e estreou como escritor em 1976 publicando o romance Um Quarto de Légua em Quadro. Publica na imprensa com artigos históricos e literários desde a década de 70. Também nesta época iniciou trajetória como administrador cultural. Foi chefe da secção de Atividades Artísticas da prefeitura de Porto Alegre, diretor do Centro Municipal de Cultura de Porto Alegre e diretor do Instituto Estadual do Livro em 1983. Já ganhou vários prêmios literários.

Marcelo Danéris (PT) – Será Secretario Executivo do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, a ser criado pelo governo de Tarso Genro. Marcelo coordenou o programa de governo de Tarso Genro na eleição estadual. Atualmente está à frente da comissão técnica que formata a nova estrutura do governo. Foi assessor de gabinete do deputado federal e líder do governo Lula, Henrique Fontana. Foi presidente municipal do PT de Porto Alegre e vereador na Capital. Nas eleições de 2008 concorreu a vice na chapa encabeçada pela deputada federal Maria do Rosário (PT) na disputa pela prefeitura de Porto Alegre.

Mauro Knijnik - Vai dirigir a nova Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI). Knijnik é empresário, economista formado pela UFRGS, com cursos de especialização em diversos países e é técnico aposentado do BRDE. Foi professor em várias universidades presidente do Conselho de Administração do Banco do Estado do RS – Banrisul. Foi secretário da Fazenda do Estado entre 1979 e 1983. Também foi presidente da Federasul. É coordenador do Instituto Ethos no Rio Grande do Sul e é membro do conselho de diversas empresas. É natural de Porto Alegre.

--
Tarso Genro - Assessoria de Imprensa
51 3323.8907
www.tarso13.com.br
www.twitter.com/tarso13

É...DOSE

Marilena Chaui, do PT, em discurso na USP, no dia 25.10, conforme reportagem do jornal O Estado de São Paulo:

Diante dos cerca de 2 mil estudantes ali reunidos, Marilena fez uma advertência: ela conclamou todos a usarem a internet, blogs e redes sociais para alertar para o plano dos tucanos de se disfarçarem de petistas e incitarem a violência em um comício de Serra, no dia 29. Tucanos disfarçados com camisetas e bandeiras do PT vão se infiltrar em um comício do Serra para tirar sangue e culpar o PT, afirmou a filósofa, que se recusou a dar entrevista, dizendo que não fala com a mídia. Eles querem reeditar o caso Abílio Diniz, disse Marilena, referindo-se à tentativa de ligar ao PT o sequestro do empresário Abílio Diniz, às vésperas da eleição de 1989.
Aí o PT, conforme noticiado pelo Estadão Online ( jornal O Estado de São Paulo ):
O Diretório do PT em São Paulo fez hoje, na Polícia Civil, boletim de ocorrência de preservação de direitos para tentar evitar que o partido seja responsabilizado por eventuais tumultos em atos de campanha do PSDB nesta semana, a última da campanha eleitoral para a Presidência da República.
Segundo o presidente do PT paulista, deputado estadual eleito Edinho Silva, a decisão foi tomada após militantes e a filósofa Marilena Chauí denunciarem, desde ontem, possíveis articulações para ligar a campanha de Dilma Rousseff (PT) a um tumulto nos últimos eventos de José Serra (PSDB). Um conflito, segundo essas supostas denúncias, ocorreria durante a caminhada prevista para sexta-feira, 29, em São Paulo.
Nós recebemos denúncias de que iriam infiltrar falsos militantes petistas na caminhada de Serra na sexta-feira e a primeira coisa que fizemos foi registrar um boletim de ocorrência para denunciar e evitar que nenhum acontecimento seja utilizado na disputa eleitoral, disse Edinho. Ainda segundo ele, uma caminhada com lideranças petistas de São Paulo, prevista para as 11 horas da próxima sexta-feira, nas ruas centrais da capital paulista, foi transferida para as 16 horas para evitar qualquer tipo de problema.
Mais: um suposto leitor teria publicado no Estadão Online. O conteúdo é este.
Sou morador de São Paulo do bairro Santa Cecília, que fica próximo a avenida São João, e ontém ouvi duas pessoas em um bar que fui nesta avenida, falando baixinho ( até certo ponto ), sobre a armação que tá sendo criada para o dia 29 de outubro. Segundo estas pessoas um número x de camisas foi mandada ser feita com a insignia do PT, a estrelinha, e muitas pessoas vão estar na passeata que FHC promove neste dia, o 29 de outubro, criando um badernaço sem igual e que terá grande mídia cobrindo, com estas camisas sempre aparecendo. Falavam as duas pessoas que toda a grande mídia já sabe deste fato, e que isso quer fazer as pessoas pelo JN dar cobertura, e outras mídias também, de isso fazer o voto mudar, por sentimentalismo das imagens demonstradas, como eles falavam, de total vandalismo no centro de São Paulo, por parte de petistas.Serão apresentadas muitas pessoas ensanguentadas.
Aí o jornalista Reinaldo Azevedo fez o seguinte comentário:
Achei o texto de tal sorte analfabeto que fiquei desconfiado. Pensei: Nem Marcelo Branco e Dilma Rousseff articulando juntos os seus plurals, copidescados por Emir Sader, realizariam tal proeza com a Inculta & Bela. Isso tem cheiro de armação. E fiz o óbvio.
Meti um trecho do texto do Google e me chegou a resposta. O comentário enviado ao Estadão, que chegou a ser publicado até em blogs da VEJA Online, circulava como post nos blogs oficiosos do petismo, aqueles financiados com dinheiro público. A mensagem também está numa página do Orkut. Em suma: trata-se de uma ação organizada.
É...DOSE.

SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS

Recebo dos leitores do meu livro

COSI LA ZE STATA!!!!!

Bom dia, Olides

Na festa de meus 60 anos, que comemorei em Serafina dia 09/10, ganhei de presente de uma das minhas tantas sobrinhas (18) um livro de sua autoria.
Ontem a noite li parte das muitas historias relatadas, e até tragédias que eu desconhecia....
Estou indo a Porto Alegre a trabalho no dia 11/11 – 12/11 e para Serafina no dia 13/11....e quem sabe poderíamos nos encontrar numa típica cantina italiana e contar umas “frotoles”.
Aguardo seu retorno com seu celular.
Abraços e até breve.
(Antoninho)
Antonio Santin

Urgente

Este site tem o orgulho de ter um corresponsal em Buenos Aires.Tanto que ontem ele começou cedo a mandar chasques desde lá informando nossos leitores que hoje terão uma cobertura feita localmente....o editor.


Olides. Morreu agora, há pouco, aqui, na argentina de ataque cardíaco, o ex- presidente Nestor Kichner.
Mais tarde de mando mais detaLHES.

Veja que fizemos várias materias aqui, neste blog, sobre a a vida e a as siatuações da vida familiar do ex prtesidentye Kirchner.
Olides. Somentre neste ano, ele esteve internaod uas vezes para realizar, pequenas operações no coração, no vendrículo equerdo
da vávula do coração. Dois meses atrás eçe fez uma engioplastia para desosbstrução de coran[arias. Mas o caso dele, era sério.
Os médicos inclusive, haviam pedido para ele deixar um pouco as atividades çpolíticas de lado e tratar de cuidar maiis da saúde.
Ele estava descansando com a mulher, quando se sentiu mal. Foi socorrido mas morreu.
Olides. Eu não tenho aqui, agora, maisores informações mnas acredito quer estoude dando esta informação em FURO.
OBS: Se fores publicar esta notícia dá uma penteada pois existentes alguns erros de concordâncias verbais.... OK.

Abraços Gelson


Morre o ex-presidente ar argentina Nestor Kirchner


De Buenos Aires
Gelson Farias



PERFIL


Kirchner, que sofria de problemas cardíacos, teve uma parada cardiorespiratória nesta madrugada. Ele foi levado a um hospital na cidade turística de El Calafate, na província de Santa Cruz, na Patagônia, mas não resistiu. Hoje é feriado do censo no país, quando os argentinos devem ficar em casa para responder as perguntas dos recenseadores. Kirchner era cotado para suceder sua mulher, a presidente Cristina Kirchner, como candidato do governo nas eleições do ano que vem. Ele também exercia o cargo secretário-geral da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) e de deputado federal pelo Partido Justicialista (peronista).
O ex-presidente, que governou a Argentina de 2003 a 2007, já havia sido internado por problemas de saúde três vezes este ano. Na última, em setembro, foi submetido a uma angioplastia.
Carreira política
Kirchner ganhou projeção nacional ao se tornar governador da província de Santa Cruz, por dois mandatos na década de 90.
Após a renúncia do presidente Fernando de La Rua (1999-2001), devido a uma grave crise econômica, a presidência do país foi assumida por Eduardo Duhalde, responsával por completar o mandato até 2003.
Nas eleições de abril daquele ano, Kirchner saiu como candidato da Frente para a Vitória e ficou em segundo lugar, atrás do ex-presidente Carlos Menem. Antes do segundo turno, Menem desistiu da candidatura e Kirchner foi declarado vencedor.
Durante seu governo, Kirchner conseguiu tirar a Argentina da recessão e antecipar o pagamento de empréstimos ao FBI, bem como aumentar os salários e pensões e diminuir a pobreza. O mandato de Kirchner também foi conhecido pela reabertura de julgamentos da ditadura argentina (1976-1983).
Em 2007, lançou sua esposa, a então senadora Cristina Kirchner como candidata a sua sucessão, que também foi eleita. OLIDES, foi o que deu para conseguir. Braços Gelson


Olides. É feriado nacional aqui na Argentina, hoje., não pela morte do ex-presidente Nestor Kirchner, mas porquê, esta sendo realizado o senso 2010.

De Buenos Aires
Gelson Farias

Pela primeira vez na história, toda a Argentina está mobilizada desde as 8 horas de hoje para a maior operação civil já registrada no país: o Censo 2010, que não só contabilizará a população, mas também recolherá informações importantes sobre a situação de vida dos argentinos. A operação terminará às 20h e está sob responsabilidade do Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec), órgão federal equivalente ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os resultados provisórios do Censo 2010 serão divulgados no dia 15 de dezembro e os definitivos, em 20 de junho de 2011.A Argentina é constituída por 23 províncias (estados) e pela cidade autônoma de Buenos Aires. O último censo no país foi feito em 2001, registrando 36 milhões de habitantes. No ano passado, um levantamento sem base estatística, mas com projeções matemáticas e índices de crescimento populacional, estimou que esse número já pode ter chegado a 40 milhões.
A mobilização de hoje envolve 650 mil recenseadores, que visitarão literalmente todas as residências da Argentina - mesmo que estejam localizadas em regiões remotas como as seis bases do país na Antártida - para registrar quantas pessoas foram encontradas em cada uma delas. Serão incluídas no censo mesmo as pessoas que não residem no local mas que estejam em visita, por exemplo. De acordo com informações do Indec, o custo do Censo 2010 é de 523 milhões de pesos argentinos, o equivalente a R$ 260 milhões.
Em diversas comunicações feitas ao longo das últimas semanas, autoridades federais ressaltaram que responder às perguntas do censo é uma obrigação e um dever dos cidadãos, uma vez que o Artigo 47 da Constituição Argentina, determina que o levantamento é uma política de Estado e não de um governo específico. Por meio do censo, o governo terá condições de reunir dados que servirão de base para a criação de políticas públicas abrangentes que possam incluir, a partir de agora, os casais gays, as populações afrodescendentes e indígenas, além de pessoas com deficiência física.
Portanto, o governo argentino decretou feriado nacional no dia de hoje, interrompendo a prestação de serviços públicos e as atividades comerciais e bancárias, mantendo em operação exclusivamente os serviços considerados essenciais, o que permitirá a permanência da população em suas casas para receber os recenseadores.
O governo começou a preparar a população para o Censo 2010 em março passado, informando que os 650 mil recenseadores, devidamente identificados, foram recrutados na estrutura educativa da Argentina. Assim, boa parte do verdadeiro exército de recenseadores é formada por estudantes e professores universitários, além de funcionários públicos. Cada recenseador receberá pagamento de 250 pesos argentinos, o equivalente a R$ 125.
Na manhã de hoje, o ministro argentino da Justiça, Julio Alak, informou que o governo mobilizou 50 mil policiais de todo o país para manterem a segurança da população e também a logística de aplicação dos formulários do Censo 2010. Segundo o ministro, o efetivo federal de segurança, junto com as Forças Armadas e as polícias estaduais, usarão 'toda sua capacidade operativa para ajudar no êxito de uma jornada fundamental para a Argentina'.


CONSTERNAÇÃO PELA MORTE DE NESTOR KIRCHNER



De Buenos Aires
Gelson Farias



Olides. Esta foto, estampada, agora, numa edição especial do jornal La Nación, mostra o ex- presidente Néstor Kirchner durante a apresentação para estudantes da juventude sindical em luna Park, na semana passada.

Ainda são desconhecidas oficialente as reais cusas da morte do ex-presidemte Nestor Kirchner. A morte ocorreu na no hospital da cidade de Sanata Cruz de Callafate, por volta das 10 horas damanhã de hoje, depois de sofrer uma descompensação cradiaca. Em uma prévia exclusiva, as autoridades provinciais haviam Em nota, agora há pouco, a direção do hospital, informou que Kirchner de 60 ansos de idade, entrou no centro médico por volta das 9 horas da manhã, com um quadro de ataque c ardíaco grave. Foi reanimado mas sofreu várias paradas respiratórias. Ás 10 horas e sete minutos, sua morte foi anotada pelo mpedico cardiologista Mário Boaventura.
O ex-presidente, entrou no hospital em uma maca acompanhado pela presidente Cristina Kirchner e acessores diretos da presidencia. Por agora, segundo o serviço do cerimonial do Palácio da Casa Rosada, ainda não há detalhes sobre como vai acaontecer a transferência do corpo do ex-presidente para a capital federal argentina e sobre as cerimonia funebre que deverá ser realizada no Congresso, como convém a todos os ex-presidentes da nação.

TODT

O Tecon Rio Grande recebeu nesta terça-feira (26) novos equipamentos para a movimentação de contêineres. Tratam-se de 2 STS – Ship to Shore Crane (guindastes Super Post Panamax) e 4 RTG (Rubber Tyred Gantries) fabricados pela empresa chinesa Z.P.M.C. Os STS serão utilizados para movimentação de contêineres no cais (carga e descarga de navios) e tem capacidade de 50 toneladas, podendo alcançar até 22 contêineres de largura nos navios (os maiores em atividade). Já os RTGs, utilizados para movimentação de contêineres no pátio do terminal, tem capacidade de 40 toneladas, podendo operar 6 + 1 contêineres de altura e 7 + 1 de largura. Os equipamentos são os mais modernos existentes e usam tecnologia Siemens. O programa de investimento do Tecon Rio Grande – principalmente em novos equipamentos, proporciona ao porto do Rio Grande, através de seu terminal, um substancial ganho de produtividade na movimentação de contêineres.


Todt Comunicação


Debates sobre a Cultura Negra

Mesas-redondas, encontros de autores com estudantes e uma atração musical traduzem o tema na Feira do Livro de Porto Alegre

A cultura negra tem espaço especial na 56ª Feira do Livro de Porto Alegre. Em destaque, o seminário “A Cor da Escola”, realizado em parceria com o Centro Ecumênico da Cultura Negra. O evento, que acontece no sábado, 13 de novembro, no ciclo “A Hora do Educador”, inicia com uma mesa redonda sobre a história e a cultura africana e afro-brasileira na escola. À tarde, os debates serão sobre a África para as crianças e jovens brasileiros e “Cazumbinha, tecendo tradição e fantasia entre gerações”. O seminário será realizado na Casa do Pensamento, localizada no Cais do Porto. Entre os principais nomes que debaterão nas mesas redondas estão Maria de Lourdes Siqueira, pesquisadora e professora da Universidade Federal da Bahia, e Edileuza Penha de Souza, organizadora do livro “Negritude, Cinema e Educação: Caminhos para a implementação da lei 10.639/2003”.

No mesmo dia, 13, acontece o debate “Centenário da Revolta da Chibata”, e, no domingo, 14 de novembro, ocorre uma discussão sobre o museu de percurso do negro, abordando “A (in) visibilidade do negro e um novo olhar sobre o patrimônio do centro histórico”.

Uma atração artística complementa a programação. É a apresentação do coral do Centro Ecumênico da Cultura Negra, que ocorre no dia 14, às 19h30.

Além das palestras e mesas redondas, a 56ª Feira do Livro de Porto Alegre contará também com autores como Nei Lopes, Júlio Emílio Braz e Rogério Andrade Barbosa que falam sobre a cultura negra em encontros com alunos (mediante agendamento escolar já realizado e leitura prévia de obras). Confira a seguir a programação:

SERVIÇO:

Dia 5/11:
*Sessão de autógrafo
Autor: Nei Lopes
Obra: Mandingas da mulata velha na cidade nova – Editora Língua Geral
Horário: 14h30
Local: Praça de Autógrafos - Praça da Alfândega

Dia 13/11:
*Ciclo A Hora do Educador – Seminário A Cor da Escola
Local: A Casa do Pensamento (Cais do Porto)
Programação:
9h – Mesa redonda “A questão da história e da cultura africana e afro-brasileira na escola”, com Edileusa Penha de Souza, Maria de Lourdes Siqueira e Rosa Margarida de Carvalho Rocha.
14h – Mesa redonda “Um olhar real sobre a África para as crianças e jovens brasileiros”, com Rui de Oliveira, Dagoberto Fonseca e Aroldo Macedo.
18h – Mesa redonda “Cazumbinha, tecendo tradição e fantasia entre gerações”, com Marie Ange Bordas e Meire Cazumbá.
*Mesa redonda “Africanidades II - História, Arte e Cultura: O centenário da Revolta da Chibata”
Horário: 16h
Local: Sala dos Jacarandás
Participantes: Marçal Menezes Paredes, Arilson dos Santos Gomes, Álvaro Pereira do Nascimento, José Antônio dos Santos, Rita de Cássia dos Santos Camisolão, Alcy Cheuiche e Leonor Baptista Schwartsmann.

*17h, na Casa do Pensamento (Cais do Porto), Sessões de Autógrafos de:
- Aroldo Macedo
Obras: Luana - As sementes de Zumbi / Luana - Capoeira e Liberdade / Luana - A menina que viu o Brasil neném / Luana - Asas da liberdade
- Edileuza Penha de Souza
Obras: Negritude, cinema e educação - Volume I e II
- Maria de Lourdes Siqueira
Obras: N´Assysim: a íris dos olhos da alma africana / Zumbi dos Palmares / Agô Agô Lonan / Os orixás na vida dos que neles acreditam
- Rosa Margarida de Carvalho Rocha
Obras: Alfabeto Negro / Almanaque Pedagógico Afro-brasileiro / Educação das relações étnico-raciais / Comedores de palavras
- Meire Cazumbá, Marie Ange Bordas
Obra: Histórias da Cazumbinha.

Dia 14/11:
Debate sobre o Museu de percurso do negro. Tema: A (in) visibilidade do negro e um novo olhar sobre o patrimônio do centro histórico.
Horário: 17h30
Local: Sala Leste do Santander Cultural
Participantes: Iosvaldyr Bittencourt, Arilson Gomes, Vinícus Vieira e Nilo Feijó.

*Apresentação do Coral do Centro Ecumênico de Cultura Negra (Cecune)
Horário: 19h30
Local: Teatro Sancho Pança – Cais do Porto

A Feira do Livro de Porto Alegre ocorre de 29 de outubro a 15 de novembro, na Praça da Alfândega e no Cais do Porto de Porto Alegre.

A Feira do Livro de Porto Alegre é realizada há 55 anos na Praça da Alfândega. Nasceu em 1955, quando um grupo de livreiros, intelectuais e jornalistas, organizou a primeira edição com o lema “Se o povo não vem à livraria, vamos levar a livraria ao povo". Um dos mais tradicionais eventos culturais da cidade, recebe anualmente mais de um milhão de pessoas, que visitam as cerca de 160 barracas e participam de uma intensa programação de sessões de autógrafos, seminários, debates, mesas-redondas e apresentações artísticas. Em 2006, a Feira do Livro de Porto Alegre recebeu o diploma de Cavaleiro da Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura e, em 2010, a maior feira de livros a céu aberto das Américas foi declarada Patrimônio Imaterial da Cidade pelo Conselho do Patrimônio Histórico e Cultural da Capital.


Assessoria de Imprensa Feira do Livro de Porto Alegre
imprensa@feiradolivro-poa.com.br

TSE rejeita recurso e confirma eleição de Loureiro



O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em sessão na noite desta terça-feira, negou recurso proposto pela Procuradoria Eleitoral do Rio Grande do Sul e confirmou a validade da candidatura do pedetista Adroaldo Loureiro, reeleito no último 03 de outubro para a Assembleia Legislativa. A promotoria alegava inelegibilidade do parlamentar, por manter uma casa de passagem (albergue) para pessoas do interior que se deslocavam à Capital em busca de atendimento na área da saúde.

O deputado, que já tinha sido absolvido duas vezes pelo Tribunal Regional Eleitoral gaúcho, considerou que a decisão final do TSE faz justiça a quem prestou um serviço social em função de uma deficiência do Estado, que até hoje não disponibiliza locais para que doentes e seus familiares possam se abrigar enquanto estão longe de casa. Loureiro mantinha um albergue, em parceria com o deputado federal Pompeo de Mattos. O local, no entanto, foi fechado ainda em 2007 para evitar problemas judiciais, já que em 2006, Loureiro e Pompeo haviam sofrido processo. Nesta última eleição, Loureiro concorria a reeleição e Pompeo a vice-governador.

Sempre acreditei na justiça, na absolvição, mas o entendimento da procuradoria acabou prejudicando a campanha eleitoral e causando dúvida no eleitor. Agora isso acabou. Quero agradecer as muitas manifestações de apoio que sempre tive durante esse processo, destacou Loureiro.

Imprensa PDT
João Silvestre
51-9678 1406

Coleguinhas

*Gravei,ontem, pro Guto Villanova, da rádio da URGS,o sonoridades. Falamos de tudo um pouco....


*Na saída encontrei o Celito de Grandi que me informou que a primeira edição do livro do caso Kliemann já esgotou...


*Domingo, no Grenal, o Jurandir Soares, estava na Tribuna de Honra do Olímpico...

* Airton Ferreira da Silva, o Pavilhão, é fã do Antônio Augusto.


A velha " Gasparina"


No meu livro COSI LA ZE STATA que autografo no sábado na feira do livro de porto alegre tem muitas histórias da velha Gasparina, como a chamavam. Seu nome é Hercília Fonini Gasparin.

Nesta foto ela está ao lado do prefeito Sérgio Massolini(de barba) durante a inauguração do busto do seu filho, Irceu Gasparin, que faleceu em dezembro de 1982.



Na foto vemos o prefeito Sergio Massolini acompanhado pela Gasparina, a viuva do prefeito Irceu e filhos, na inauguração do busto da praça Pio Xll.


Ao fundo do poço pelo crack

(Archimedes Marques)

Não há outra droga que produza um declínio físico e mental maior para o seu usuário quanto o crack. O poder sobrenatural do crack é simplesmente horripilante e avassalador. Crack e desgraça são indissociáveis e quase palavras sinônimas. Relatos dos seus usuários e familiares, fatos policias diários e opiniões de especialistas sobre os efeitos e as conseqüências nefastas da droga podem ser resumidos em três palavras tão básicas quanto contundentes: sofrimento, degradação e morte.
As ocorrências no terreno familiar, social e criminal vão caminhando sempre em largas vertentes para dias piores. A vida vivida pelos envolvidos com o vício do crack parece sempre transpor os inimagináveis pesadelos.
Lançando um olhar no passado, o viciado, vê o rumo errado que tomou, mas dificilmente tem força de voltar atrás. Olhando ao futuro somente se lhe afigura a tumba, no entanto continua caminhando em sua direção. O seu presente é só o crack e, esse mal passa a ser o senhor do seu viver, o seu real transformador do bem para o mal, o destruidor da sua família, o aniquilador do seu bem maior.
O crack trás a morte em vida do seu usuário, arruína a vida dos seus familiares e vai deixando rastros de lágrimas, sangue e crimes de toda espécie na sua trajetória maligna.
O Brasil assistiu recentemente com imensa tristeza e pesar uma reportagem televisiva em que crianças recém nascidas de mães viciadas em crack, são também barbaramente atingidas pelos efeitos nefastos da droga. Nascem como se viciadas fossem, com crises de abstinências, com compulsão à droga, tremores, calafrios e com problemas físicos diversos, principalmente com lesões no cérebro que provavelmente os levarão às demências ou a outros tipos de problemas inerentes, ou seja, uma nova geração de vítimas do crack sem sequer ter consumido a droga por vontade própria. A maioria das mães drogadas também perde o instinto materno e termina doando os seus filhos debilitados.
A dimensão da tragédia do crack é difundida nos diversos Estados da Nação através de reportagens jornalísticas que comprovam o retrato devastador em todos os lugares possíveis e imagináveis aonde chegou o filho mortal da cocaína. O crack invadiu grandes e pequenas cidades, periferias e lugares de baixa a alta classe social, municípios, povoados, zona rural...
Não bastassem os tristes casos sociais, casos de saúde e os casos criminais diversos envolvendo essa droga avassaladora vividos por uma grande parcela da população brasileira, agora apareceu mais um melancólico caso. Um deprimente e desolador caso em que a mãe trocou a virgindade da sua própria filha de pouco mais de 10 anos de idade por algumas pedras de crack. Entregou a sua filhinha para uma monstruosidade sem precedência. Entregou a inocência de uma criança para um estuprador macabro, desalmado e cruel que também era um traficante de crack. O símbolo do amor puro que está no amor de mãe se rendeu ao poderoso crack.
Uma mãe viciada, na histórica cidade de São Cristovão, primeira capital do pequeno, mas bonito e aprazível Estado de Sergipe acabou por ceder a inocência da sua própria filha, uma garotinha que migrava dos 10 para os 11 anos de idade para um desumano estuprador-traficante de drogas no sentido de que o mesmo saciasse a sua frieza sexual animalesca, em troca de algumas pedras de crack.
O crack agora é capaz também de transpor, de matar o amor de mãe, que é o mais precioso, o mais profundo, o mais verdadeiro, o mais ardoroso, o mais fervoroso amor que pode existir.
Este impulso sentimental que é o mais sublime dos amores foi superado pela força sobrenatural do crack e, ao invés de confortar, destruiu, degradou, sobretudo desvirtuou o sentido real do amor que aquela mãe tinha pela sua filha. O amor de mãe que não tem ganância, não tem egoísmo, não tem orgulho, não tem o sentido de posse, não tem o princípio de fomentar a maldade e a ignorância do bem, que busca a simplicidade, a humildade e abnegação acima de todas as coisas da matéria foi de tudo ultrajado pelo crack.
É realmente uma triste, trágica e inconcebível realidade ocorrida naquele município que contrasta com o seu povo pacato e ordeiro. É o fundo do poço pelo crack...

(Delegado de Polícia no Estado de Sergipe. Pós-Graduado em Gestão Estratégica de Segurança Pública). archimedes-marques@bol.com.br

Memória Política

" Sapo" brigou com taxistas e nunca mais se elegeu.

Oex-vereador de Alegrete, Eroni Nogueira Carús (falecido anos atrás) fez um projeto de lei na sua cidade para extinguir os 4 pontos de táxi que existem na cidade. Queria que ficasse apenas um...

Um domingo de manhã, ele ia passando( costumava carregar junto um revólver) e quando chegou na frente de um dos pontosque ele havia proposto extinguir, um dos taxistas o peitou:
- Ainda tens coragem de passar aqui?

- Tenho,disse Carús, que era conhecido por " sapo".

E ato contínuo tirou um baita TREZOITÃO e começou a esfregá-lo. O taxista trocou de assunto na hora.

Mas o projeto lhe custou a nãoreeleição em Alegrete.

Carús teve os direitos políticos cassados pelo AI-5,em 1968.

Afastado, compulsoriamete das funções de servdor legislativo do Rio Grande do Sul, em1969.

Enfrentou ainda 375 dias de prisão política não consecutiva entre Porto Alegre, Alegrete, Uruguaiana e Sõ Gabriel.

Ele foi o primeiro anistiado em 1979 e reintegrado as suas funçõe de servidor legislativo.

Quando seu conterrâneo Adão Faraco assumiu a Secretariados Transportes, no Governo Simon, m 1987, Carús levou a equipe de imprensa da secretaria para uma conversa no Bar do João na Venâncio Aires, onde costumava ir. Entre os vários colegas da imprensa estava o Bruno Ferreira, que como polical( era da Divisão de Censura) atuara nas passeatas contra os estudantes no final dos anos 60 quando estes iam protestando pela Rua da Praia.
O dono do bar João quando viu Bruno mandou-o porta afora, se negando a servi-lo.
Quem lembrou deste episódio foi um dos que estavam no pequeno encontro, Serginho Araujo.

O Bar da feira do livro

Em 1984, por sugestão de Antônio Carlos Castro, um amigo de Dirceu Russi,dono do ESpaço IAB, montou-se o bar da feira do Livro, que Luis Fernando Verissimo chamou numa crônica de Bar Nota Sete.

"Eu ia na barraca do Castro, que era meu amigo, e ele comentou que queeu deveria ir também pra lá com um bar" recordou Russi, numa entrevista a este repórter.

Foi apoiado pelos livreiros Ivan Pinheiro Machado, Paulo Lima, Sérgio Lüdcke e Euardo Luizelli(Aurora). Todos eram seus clientes do Bar do IAB.


Na 30 feira do livro, o bar da feira ocupou um espaço igual ao de uma barraca,ous eja, 2 X 3 m.

Sem esgoto ou água encanada, só podiam servir refrigerantes, água mineral e cerveja. Nada de cafezinho. Alimentos já eram preparados e levados pra lá...

" Era uma coisa bem pequenina mas fez um sucesso enorme" contou-me Russi.

Funcionava durante 17 dias e ali, eu conheci gente que eu jamias imaginei na minha via que poderia um dia conhecer, contou,ainda, Russi.


No segundo ano do bar, os organizadores permitiram que fosse colocado um toldo.


Russi tocou o bar da feira por noves anos e depois foi " traído" por uma combinação da Brahma, que era o fornecedor da cerveja e dos refris, com os donos do Bar Opinião.

" Na época, eles ( a Brahama) não quiseram renovar comigo,alegando que não tinham interesse, deram mil desculps. Então, eu saí, mas depois fiquei sabendo que eles tinham fechado nas minhas costas" lamentou Russi.

Descontente, ele alegou que " foi eu que criei aquela história".

Depois,diz Russi, só fizeram coisa ruim lá tanto que hoje ,diz, ele, o verdadeiro bar da feira é o do MARGS....


Coleguinhas

O Guto Villanovanão entendeu porque chamo o Luis Carlos Reche de Padre Marcello: é a cara do padre...

Na homenagem que lhe fizeram na Câmara, Reche contou que começou vendendo pastel.Então é por isto que nos seus programas tem tanto patrocínio do cenoura pastal, do George Pastel, e outros.....

EXCLUSIVO!

O "PAVILHÃO"

EM CADEIRA DE RODAS!


Airton Ferreira, o Pavilhão, é o primeiro da esq para a direita agachado no estádio Walter Jobim.


No domingo que vem, dia 31.10, Airton Ferreira da Silva, o Pavilhão, completa 76 anos. Junto com Renato Portaluppi(atual treinador do Grêmio) e Ronaldinho Gaúcho é considerado um dos maiores ídolos do tricolor da Azenha.

Airton quando começou a jogar era do FORÇA E LUZ, um time da CEEE, que era o dono do estádio da Timbauva, no bairro São Manoel.Este terreno,ocupado até recentemente pela escola de samba Bambas da Orgia, foi comprado agora pelo Grupo Zaffari.

Airton tem um patrimônio razoável, mas é visível nele o fato de ter jogado futebol numa época que ele não dava tanta grana como hoje em dia.


- Sou de Escorpião, como Felipão, Maradona,Dunga, diz ele.

Nos últimos tempos, Airton tem tido dificuldades em se locomover por conta de problemas nos joelhos onde terá que colocar prótese. Mas,informa, os médicos temem operá-lo com medo de hemorragias....

Morando ao lado do estádio Olímpico,Airton ouve os jogos do Grêmio, mas às vezes frequenta o estádio porque além de torcedor, é conselheiro.

Sua casa de alvenaria fica na rua José de Alencar, 1620.

Histórias de La Undeze.

Irceu Gasparin

foi o prefeito que mais fez por Serafna


Longe dos demais, o prefeito Irceu Gasparin fez muito pela cidade. Trouxe para lá o Colégio Carneiro de Campos, entre outras escolas que mandou contruir.

Nesta foto ele enfrenta a realidade das estradas locais que era como estavam no seu período de governo, nos anos 70.

Quando foi eleito prum segundo mandato, nos anos 80, morreu por insufiência renal....



A foto mais bonita. Nela vemos o Prefeito Irceu Gasperin acompanhando a patrola da prefeitura rebocando um FNM da sociedade estrela na estrada velha, no moro da linha 13.



Da memória de um político


O deputado do PTB, Justino Quintana(PTB) no começo dos anos 60, tinha uma preocupação: saber onde andava o repórter político do jornal o Dia, Carlos Fehlberg. E cobrava isto do seu assessor Rômulo Brasil.

- Onde está o Fehlberg, onde está o Fehlberg, queria saber o deputado porque sabia que o repórter enxergava longe....


Da memória de um repórter

Em 1978, Pedro Simon se despedia dos funcionários do seu gabinete na Assembléia Legisltiva do Estado, onde fora o chefe Rômulo Brasil.

Simon fora eleito senador(MDB)

José Barrionuevo, repórter político da Caldas Junior chegou no gabinete e disse a Simon:

- Nunca consegui uma notícia, um furo com o Brasil. Só as notícias de praxe.

Pra Brasil, foi um elogio.

Histórias de La Ùndeze

O delegado que deixou muitas " estórias"

em Serafina


O delegado Cicero Loureiro da Silva, ladeado pelos petebistas de Serafina: Laurindo Marocco,Ricardo Vivian,José Zanella. Arquivo de Marcos Vivian.


O delegado Cícero Loureiro da Silva esteve dirigindo a delegacia de Polícia de Serafina Corrêa no começo dos anos 60, pelo que consegui levantar durante a feitura do meu livro Cosi la ze stata...

Ele foi o delegado que comandou a prisão de dois foragidos que durante semanas espalharam o horror no meio dos colonos, porque um deles era famoso por atirar bem. Seu nome era Portella.

Os colonos acabaram prendendo estes meliantes e num domingo de manhã, os detidos foram trazidos pra cadeira da cidade, por uma multidão de colonos enfurecidos, com suas espingardas a tiracolo...

Antes todos assustados, os colonos viraram valentes depois que os dois foragidos foram presos, num matagal.

Cícero Loureiro tinha uns cavalos de corrida e os mantinha numa hípica em Guaporé.

Os colonos estavam começando a comprar jipes e era com ele que eles tinham que obter a carta de direção.

Os mais antigos da cidade, como o ex-vice prefeito Nelson Assoni, que sempre foi da Arena e agora é do PP, lembra que o delegado Cícero" era um partidário do Brizola, do Jango e do Getúlio. Ele meio que escondia isto de nós aqui, mas a gente sabia que tinham mandado pra cá meio como castigo" lembrou Assoni.

Outras estórias do delegado que marcou época em Serafina estão no meu livro que autografo no sábado,dia 30/10 a partir das 17h30minutos. Apareçam.

Coleguinhas

Por incrível que possa parecer- ou não - o repórter Caco Barcellos( conhecido por sua atuação a favor dos desprovidos) tinha uma relação muito boa com o delegado de Polícia Romeo Tuma.


A Lima que eu conheci


Memórias deste repórter


No fim da primavera de Porto Alegre, de 1974,depois de fazer um estágio na rádio da UFRGS, cancelei minha matrícula na Fabico e com o intuito de ir até o México voltei a viajar pela América Latina....
Mas parei, de novo, em Lima.

Pouco tempo depois havia enturmado com um grupo de jovens do bairro de Monterico, um bairro classe média de Lima, localizado nos afueras da capital, No verão de 1975, costumávamos ir muito a uma praia localizada a uns 50 km ao sul da capital, que se chama El Silêncio, bem perto de Punta Hermosa, que os surfistas do mundo todo conhecem por causa das ondas que ali se encontram...

A praia de Punta Hermosa aparece até num filme chamado Summer Less,ou Eterno Verão...

Iamos de Lima para El Silência sempre de carona, Pegávamos a ruta Panamericana, que corta o país de sul a norte,

O El Silência era uma praia que tinha sua turma especial que a frequentava.
Sempre havia umas gaivotas sobrevoando-a um quiosque onde se comia ceviche( o prato típico peruano)

Iamos pra lá porque os jovens que se tornaram minhas companhias naqueles verdes anos da década de 70 achavam Lima muito bandeira para aquilo que eles queriam fazer. Preferiam umas praias mais desertas, longo do borburinho...

Meus companheiros em todos guris de classe média, entre 18 e 25 anos. Filhos como já disse de classe média,
compunham-se de uma mistura social inexplicável. havia um filho de um general, que chamávamos de CHICHILON( sem nome verdadeira era Cesar) e que até o revóver do pai, um general, havia vendido no comércio clandestino para comprar aquilo que ele queria consumir.


Quando o Exército peruano descobriu aquela arma no meio de traficantes deu um bafafá dos diabos. Imagina...

O cantor inglês Elton John estava no auge das paradas de sucesso naquele verão limenho com Lucy in the sky wich diamonds, a música do Beatles....

Nós acabávamos sempre pegando alguma carona de famílias que de férias estavam indo passar o dia numa daquelas praias do Pacífico.

El Silêncio é o que se chamaria hoje de um point. Lá diziam um vacilon....

- Que vas hacer hoy, perguntavam

- A El Silêncio, huevon! respondiam, como uma forma de dizer que iriam pra aquela praia.

Ficávamos naquele praia geralmente do meio-dia até o anoitecer...Ninguém ia embora antes do pôr-do-sol. Isto era quase um ritual sagrado....

Tínhamos que ver aquilo que eles chamam lá de La puesta del sol e que os peruanos curtem muito.

Na nossa turma havia uma garota,seu nome era Patrícia, que era muito drogada....


Não namorava ninguém em específico, ou todos ao mesmo tempo....

Depois daquele nosso ritual de El Silêncio, que obviamente se repetia no dia seguinte, era hora de voltar.

Pra mais fervo de noite no bairro de Monterico.


Os primórdios da feira do livro

Quando o bar era o centro das atenções....

 

foto do alfonso abraham, o espanhol.

feira do livro de 1997. entre eles, está este autor(quando ainda tinha cabelo) e uma colega do Espanhol.

Houve um tempo em que tudo era festa....no bar da feira do livro. Mas aí deu ciumeira porque muitos expositores começaram achar que o pessoal ia mais pra feira pra ir ao bar - o que era uma verdade - do que pra comprar livros.O bar da feira acabou por vários motivos,não só por este. Teve ainda um fato que tem a ver com crédito junto aos fornecedores....Depois jogaram o bar lá pro cafundó do judas e aí ninguém mais o procurou...virou um monte de barracas vendendo de tudo,sem charme nenhum.

O bar que existiu na feira, tinha charme. O primeiro proprietário foi o mesmo que era dono do "Espaço IAB", um bar que houve na frente da Santa Casa, onde começou a surgir o espetaculo Tangos e Tragédias....Ele foi convidado plos livreiros pra colocar um bar na feira....Isto foi em 1984, bem numa época que o país começava a viver um clima de certa liberdade, a respirar mais aliviado depois de anos de ditadura. Tudo era meio festa....

Depois do primeiro dono, o bar da Feira passou para os mesmos donos do Opinião para finalmente hoje estar numa pedaço da feira que praticamente não seduz mais ninguém. O Bar da feira de hoje acabou sendo o bar do MARGS.


Coleguinhas

Recebo do colega e leitor

Guto Villanova


O guto é muito mais moço que eu mas gostou das histórias doblog sobre o Ruy Sommer.

Ele também lembra que o Breno Caldas (refere-se ao dono do Correio do Povo) investiu uma fortuna na TV Guaíba - equipamentos carissimos, mobiliário idem) e que não quis fechar contrato de retransmissão aqui com o Silvio Santos a quem se referia como "aquele camelô"...

Guto também aguarda a leitura do meu livro Cosi la ze stata porque algumas histórias que já contei aqui são um termômetro disto...

Os leitores compensam o esforço diário que faço aqui pra atualizar este site.

BRDE realiza Seminário sobre Inovação



Como parte do calendário de comemorações de 50 anos do BRDE, será realizado, nos dias 08 e 09 de novembro, no Teatro do CIEE em Porto Alegre, o Seminário Inovação: Importância e Fontes de Financiamento.
Para debater o tema, o BRDE vai reunir representantes de agentes financiadores que aportam recursos em projetos para a inovação, especialistas e representantes dos governos federal e estadual. As inscrições são gratuitas.

Em uma economia cada vez mais globalizada, a inovação é fator determinante para competitividade das empresas. O intercâmbio entre meio acadêmico e o setor produtivo, visando acelerar a transferência de conhecimento entre um e outro, é cada vez mais decisivo para o desenvolvimento socioeconômico de uma região ou país.
Infelizmente no Brasil, os investimentos nessa área ainda são pouco expressivos se comparados com os dos países desenvolvidos e mesmo com os de outros em desenvolvimento como Coréia do Sul e China, por exemplo.
Os investimentos em pesquisa e desenvolvimento ainda são majoritariamente estatais. No entanto, existe uma série de programas governamentais, como incentivos fiscais e linhas de financiamento à disposição do setor privado, mas que muitas vezes são desconhecidas de grande parte dos empresários.
O objetivo deste seminário é justamente destacar a importância da inovação para a competitividade das empresas nacionais e divulgar os diversos programas governamentais existentes, visando ampliar o volume de recursos aplicados em inovação, particularmente pelo setor privado.

Segue a programação e a lista de palestrantes com currículo. Mais informações acesse www.brde.com.br ou entre em contato com a assessoria de comunicação:

Melissa Louruz Cachapuz
Assessora de Comunicação
Fone: 51 3215.5184
Fax: 51 3215.5121
www.brde.com.br


Programação

Dia 08 de novembro
08h30 as 09h15 - Credenciamento
09h15 as 09h45 - Abertura
10h00 as 11h00 - Inovação e Desenvolvimento Econômico
Palestrante: Ricardo Felizzola - Programa Gaúcho para Qualidade e Produtividade
11h00 as 12h15 - Ferramentas do Sebrae/RS para estimular a Inovação nas Micro e Pequenas Empresas
Palestrante: Marta Folha - Sebrae/RS
14h00 as 15h00 - Parques Tecnológicos: Ambientes de Inovação
Palestrante: Jorge Audy - Tecnopuc
15h15 as 16h15 – Fontes de Financiamento: Linhas do BNDES
Palestrante: Flavia Kickinger - BNDES
16h45 as 17h45 – Ações do Governo Federal
Palestrante: Reinaldo Fernandes Danna - Ministério da Ciência e Tecnologia
Dia 09 de novembro
09h00 as 10h30 – Fontes de Financiamento: Finep
Palestrante: Alexandre Cabral - FINEP
11h00 as 12h00 – Fontes de Financiamento: Fundos de Capital de Risco
Palestrante: João Marcelo Eboli - Companhia de Participações - CRP
14h00 as 15h00 - A Inovação no Brasil
Palestrante: Fernanda de Vilhena C. Silva – IBGE
15h15 as 16h15 – Fontes de Financiamento: Experiências de Bancos de Desenvolvimento
Palestrante: Carlos Fernando Vianna - BDMG
16h45 as 17h45 - Lei de Inovação do Rio Grande do Sul
Palestrante: Júlio Ferst – Secretaria de Ciência e Tecnologia
18h00 - Encerramento


Melissa Louruz Cachapuz
Assessora de Comunicação

Tuma

Morreu o senador Tuma: que a terra lhe seja leve.....


Coleguinhas

*Armando Burd, apresentador e colunista do O Sul e do sistema Pampa, produz seus programas. Ou seja, chuta o escanteio e corre pra cabecear. Ao contrário de muitos colegas por aí, que tem dois ou três produtores....toing....c'est la vie....

Os primórdios da feira do livro


Quem é afinal o criador

da feira do livro de Porto Alegre?

Não há um em especial,embora o Rodrigues Till diga que foi Say Marques. Na verdade, teria sido um esforço coletivo entre Henrique Bertaso(editora Globo), Leopoldo Boeck( editora sulina) Maurício Rosenblatt(livreiro e gerente da Globo) e o próprio Say Marques, como o segundo mais importante diretor do jornal Diário de Notícias que nos anos 50 tinha muita força no EStado.

Fui pesquisar nos arquivos da Câmara Municipal de Porto Alegre e fui informado de que a dúvida permanece quem teria sido o vereador autor da lei que fez a feira do livro.o documento não foi localizado porque sumiu num incêndio que aconteceu neste arquivo. Outra hipótese é a de que teria sumido,mesmo.

É de se lembrar que o vereador Say Rodrigues Marques, do Partido Libertador, foi vereador em Porto Alegre( morava na rua Eça de Queirós, em Petropolis) no perído entre 1960 e 1963 e 1964 a 1967.

Já a lei da feira é de 1959.

Já há quem ache que o verdadeiro autor da idéia teria sido o proscrito partido comunista brasileiro, que querendo vender seus livros, fez que passasse uma lei na Câmara Municipal neste sentido. Para tal teria usado o vereador Marino Rodrigues dos Santos, um médico, que exerceu seus mandatos no legislativo de Porto Alegre entre 1947-1951 e entre 1961 e 1963.Ele renunciou ao segundo mandato porque foi eleito deputado estadual. Ficou preso durante 10 meses no ano de 1948.

Mas a ficha que dá nome a feira do livro de Porto Alegre é do vereador Alberto André e tem como data outubro de 1959.

Say Marques, jornalista e depois vereador, mantinha com Alberto André uma acirrada disputa no legislativo municipal. André era do PTB (fora do PL) e Say do PL.

Say era irmão do médico Halley Marques, médico dermatologista.

De família muito rica, tinham estância em São Donato, interior de Itaqui, a 40 km de São Borja.

Say tinha dois filhos: Raul e Edson, que é falecido. Raul mora em São Borja na Granja São Vicente, que já foi de João Goulart e depois do seu filho , João Vicente que vendeu.

Foi na granja são Vicente que desceu Leonel Brizola, de volta do exílio em 7.09. 1979.


Da memória de um repórter


Synvall Guazzelli, duas vezes governador do Estado, não pregava prego sem estopa. Depois que jOão Dêntice montou o PP( Partido Popular) no EStado, ele resolveu ingressar nele e praticamente ficou como sua principal estrela.....

CUIDADO COM O DESATINO DAS ELITES

Por Carlos Chagas

Seria oportuno que Dilma Rousseff e José Serra dessem uma olhada para fora, preparando-se para os efeitos da segunda etapa da crise já avançada na Europa, prestes a cruzar o Atlântico. Ela coincidirá com a posse do novo governo, encerrando o período de euforia um tanto fictícia dos dois mandatos do presidente Lula.
França, Grécia, Portugal, Espanha, Inglaterra e Alemanha, entre outros, defrontam-se com o que suas elites denominam de necessidade de evitar a bancarrota através do equilíbrio entre receita e despesa. Mais uma vez, guardadas as peculiaridades de cada nação, coincidem todas na solução anacrônica e perversa do sacrifício das massas assalariadas. Numa palavra, a supressão de direitos sociais conquistados a duras penas. A conta será enviada para onde sempre foi, ou seja, os ombros dos menos favorecidos. No Velho Mundo, os especuladores multiplicaram seus ganhos, os banqueiros locupletaram-se com a poupança popular, os investidores criaram ilusões e os governos acobertaram a lambança.

Agora, impõem restrições às aposentadorias, dispensas em massa no serviço público, desemprego nas atividades privadas, redução nos salários, aumento de taxas e impostos, limitação de benefícios trabalhistas, enxugamento da máquina administrativa, corte de gastos e de investimentos públicos, aviltamento da moeda e toda a tradicional receita imposta goela abaixo dos mesmos de sempre.

As imagens transmitidas pelas telinhas variam apenas na intensidade das forças policiais baixando o cassetete e arremessando bombas de gás lacrimogêneo nas praças, avenidas e esquinas de suas capitais e principais cidades. As greves são tidas como subversão explícita ao tempo em que a autoridade pública sustenta não haver outra saída.

Concluirão pelo sacrifício dos outros aqueles sempre preparados para preservar suas benesses, prontos para participar até o último momento da farra de seus privilégios. Depois, que os governos se disponham a socorrê-los, ainda que às custas da maioria.

O problema é que com a nova onda de convulsão econômica à vista, graças à mídia eletrônica desta vez também vem chegando até nós as manifestações de protesto, capazes de pegar feito sarampo.

Na hipótese da vitória de Dilma Rousseff, ficará difícil ao seu governo explicar como exigir medidas de contenção e sacrifício depois de tão prolongada euforia lulista. Mesmo prevendo-se que continue imposta a mordaça aos movimentos sindicais, a classe média se insurgirá. No improvável reverso da medalha, isto é, com a eleição de José Serra, será impossível evitar a rebelião das massas frustradas por oito anos de ilusões.

Em suma, quem vier a tornar-se presidente da República deve estar preparado para enfrentar de imediato a segunda rodada da crise que falsamente fomos os últimos a sentir e os primeiros a cair fora. Como? Ora, adotando as mesmas fórmulas do modelo aplicado há séculos, de levar a população a pagar pelo desatino das elites. Pode ser que desta vez não dê certo.

BOMBA-RELÓGIO
Fala-se da mulher do ex-governador Joaquim Roriz, de Brasília. Ameaçado de ser candidato, eleger-se e não levar, por conta da lei da ficha limpa, Roriz retirou-se e lançou sua mulher, dona Weslian. Sem experiência política de espécie alguma, a indigitada senhora passou a prometer tudo o que lhe veio à cabeça: perdão das centenas de milhares de multas de trânsito e outras taxas; duplicação do bolsa-família pago pelo governo federal; distribuição em massa de lotes a quem demande a capital; certificados de propriedade para quantos residam em terras públicas; salário-desemprego ilimitado no tempo para quem não se dispuser a trabalhar; multiplicação dos salários do funcionalismo público...

Transformou-se, a digna dona de casa, numa bomba-relógio prestes a explodir o Distrito Federal, caso vitoriosa nas urnas de domingo.

TEMPESTADES EM COPOS D’ÁGUA
Por conta da ilimitada obsessão de derrotar o presidente Lula, certos veículos da mídia vem criando tempestades em copos d’água. Insurgem-se contra projetos de lei estadual tramitando em algumas Assembléias Legislativas, estabelecendo os Conselhos Estaduais de Comunicação Social, cujo objetivo seria monitorar a ação dos veículos de comunicação nos respectivos estados. Acusam a iniciativa de tentar censurar a imprensa quando fica evidente, pela Constituição, a impossibilidade da prática desse horror. Tanto no artigo quinto quanto no capítulo da Comunicação Social, nossa lei maior proíbe qualquer cerceamento à liberdade de expressão e manifestação do pensamento. Exige que nenhuma lei possa conturbar esse direito. Assim, estariam aprovando inconstitucionalidades as Assembléias Legislativas que porventura estabelecessem restrições à imprensa – o que não é o caso, até agora. Acresce já existir, no plano nacional, o Conselho de Comunicação Social, funcionando como apêndice da mesa do Senado desde o governo José Sarney, sem que nenhuma obstrução tenha promovido à referida liberdade, também por limitação constitucional.

SÓ FALTA MAIS UM
Depois de mais um insosso, amorfo e inodoro debate entre os candidatos presidenciais, na noite de ontem, na TV-Record, felizmente só resta mais um. Acontecerá na TV-Globo, sexta-feira. Com certeza a mesma pasmaceira, eivada de algumas baixarias, sem nada acrescentar ao que seria a finalidade dos debates, ou seja, esclarecer o eleitorado a respeito das propostas de cada um.

Fica a experiência para futuras eleições: os debates não deveriam mais ficar à mercê dos interesses das emissoras, engessadas pela tentativa de cada uma em conquistar audiência. E publicidade. Tanto no primeiro quanto no segundo turno, se houver, precisariam ser regulados e conduzidos pela Justiça Eleitoral, no máximo um em cada período. Sem limitações de tempo para perguntas e respostas, réplicas e tréplicas.
Até agora o tiro saiu pela culatra, ou, no máximo, atingiu a paciência do telespectador, como alvo. Basta ver os baixos índices de audiência alcançados pelo monte de debates até agora reaizados.


Feira do livro que abre na sexta vem aí!

A arte de ilustrar histórias

Mais importante mostra de ilustração de literatura infantil e juvenil do país, a 7ª Traçando Histórias faz parte da programação da 56ª Feira do Livro de Porto Alegre

O universo das ilustrações receberá espaço especial com a 7ª Traçando Histórias, que estará, de 29 de outubro a 15 de novembro, na 56ª Feira do Livro de Porto Alegre. A principal mostra de ilustrações de literatura infantil e juvenil do país apresentará obras de 37 profissionais publicadas em livro entre 2008 e 2010. Cada artista participará com duas ilustrações. No evento, Eva Furnari, Angela Lago e Anna Raquel, que completam 30 anos de carreira este ano, vão receber homenagem especial.

Na 7ª Traçando Histórias estarão expostas, no Armazém A do Cais do Porto, obras de Ana Raquel, Ana Terra, Alê Abreu, Angela Lago, Ângelo Abu, Cárcamo, Cris Eich, Cristina Biazetto, Daniel Bueno, Elisabeth Teixeira, Ellen Pestilli, Elma, Elvira Vigna, Eva Furnari, Fernando Vilella, Flávio Fargas, Graça Lima, Guazzelli, Guto Lins, Ionit Zilbermann, Jean Claude, Janaina Tokitaka, Jô Oliveira, Laura Castilhos, Lélis, Luiz Maia, Lucia Hiratsuka, Maria Eugênia, Marcelo Cipis, Marília Pirillo, Mário Bag, Mateus Rios, Maurício Negro, Roger Mello, Salmo Dansa, Simone Matias e Suppa.

A mostra também será oportunidade para aprender e trocar ideias em mesas-redondas e oficinas com alguns dos mais importantes ilustradores brasileiros. A programação da Traçando Histórias ocorrerá nos dias 3 e 4 de novembro, com carga horária de 20h e caráter de curso de extensão da UFRGS. As inscrições gratuitas já estão abertas pelo e-mail leitura@camaradolivro.com.br. Informações: 3289.8292.

SERVIÇO

O quê: 7ª Traçando Histórias - Mostra de Ilustração de Literatura Infantil e Juvenil
Quando: de 29 de outubro a 15 de novembro – 56ª Feira do Livro de Porto Alegre
Onde: Armazém A do Cais do Porto

Programação

O quê: Programação da 7ª Traçando Histórias (20h/aula) – 56ª Feira do Livro de Porto Alegre
Quando: dias 3 e 4 de novembro, das 9h às 20h30min
Onde: Ducha das Letras, Ateliê da Imagem e Casa do Pensamento
Inscrições gratuitas: leitura@camaradolivro.com.br. Informações: 3289.8292 e www.feiradolivro-poa.com.br

PROGRAMA

Dia 3 de Novembro

Oficina com Maria Eugênia
9 às 10h15min (grupo A) e das 10h30min às 13h (grupo B)
Local: Ducha das Letras

Oficina com Odilon Moraes
9h às 10h15m (grupo B) e 10h30m às 13h (grupo A),
Local: Ateliê da Imagem

Oficina As múltiplas caras da ilustração, com Guazzeli
14h às 15h30m (grupo A) e 15h45m às 18h (grupo B)
Local: Ducha das Letras

Palestra Criação e técnica de ilustração em Literatura Infantil e Juvenil, com Salmo Dansa
14h às 15h30m (grupo B) e 15h45m às 18h (grupo A)
Local: Ateliê da Imagem

Mesa-redonda: Ilustração e diferentes expressões através da imagem: cinema, publicidade, novas tecnologias. com Daniel Bueno, Guazzelli e Salmo Dansa
18h30min às 20h30min
Local: Casa do Pensamento

Dia 4 de Novembro

Oficina A construção cultural da imagem, com Graça Lima
9h às 10h15min (grupo A) e 10h30min às 13h (grupo B)
Local: Ducha das Letras

Oficina com Marcelo Cipis
9h às 10h15min (grupo A) e 10h30min às 13h (grupo A)
Local: Ateliê da Imagem

Oficina com Daniel Bueno
14h às 15h30min (grupo A) e 15h45min às 18h (grupo B)
Local: Ducha das Letras

Oficina com Ellen Pestilli
14h às 15h30min (grupo B) e 15h45min às 18h (grupo A),
Local: Ateliê da Imagem

Mesa-redonda com Ana Raquel, Angela Lago e Eva Furnari: 30 anos de ilustrações – Relato de experiência
Mesa-redonda Ana Raquel, Angela Lago e Eva Furnari: 30 anos de ilustrações
Mediação de Roger Mello
18h30min às 20h30min
Local: Casa do Pensamento

Carga horária: 20 horas/aula
A Feira do Livro de Porto Alegre é realizada há 55 anos na Praça da Alfândega. Nasceu em 1955, quando um grupo de livreiros, intelectuais e jornalistas, organizou a primeira edição com o lema“Se o povo não vem à livraria, vamos levar a livraria ao povo". Um dos mais tradicionais eventos culturais da cidade, recebe anualmente mais de um milhão de pessoas, que visitam as cerca de 160 barracas e participam de uma intensa programação de sessões de autógrafos, seminários, debates, mesas-redondas e apresentações artísticas. Em 2006, a Feira do Livro de Porto Alegre recebeu o diploma de Cavaleiro da Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura e, em 2010, a maior feira de livros a céu aberto das Américas foi declarada Patrimônio Imaterial da Cidade pelo Conselho do Patrimônio Histórico e Cultural da Capital.


Assessoria de Imprensa Feira do Livro de Porto Alegre
imprensa@feiradolivro-poa.com.br


Cena de humilhação numa fila em Brasília

Os citados na matéria tem todo o direito de dar sua versão neste site.


Olhe o que acontece quando uma pessoa prepotente e autoritária tem poder!


Assunto: Sou Ari Pargendler, presidente do STJ. Você está demitido'
http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2010/10/22/sou-ari-pargendler-presidente-do-stj-voce-esta-demitido-334576.asp

A frase acima revela parte da “humilhação” vivida por um estagiário do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) após um momento de fúria do presidente da Corte, Ari Pargendler (na foto).
O episódio foi registrado na 5a delegacia da Polícia Civil do Distrito Federal às 21h05 de ontem, quinta-feira (20). O boletim de ocorrência (BO) que tem como motivo “injúria real”, recebeu o número 5019/10. Ele é assinado pelo delegado Laércio Rossetto.
O blog procurou o presidente do STJ, mas foi informado pela assessoria do Tribunal que ele estava no Rio Grande do Sul e que não seria possível entrevistá-lo por telefone.
O autor do BO e alvo da demissão: Marco Paulo dos Santos, 24 anos, até então estagiário do curso de administração na Coordenadoria de Pagamento do STJ.
O motivo da demissão?
Marco estava imediatamente atrás do presidente do Tribunal no momento em que o ministro usava um caixa rápido, localizado no interior da Corte.
A explosão do presidente do STJ ocorreu na tarde da última terça-feira (19) quando fazia uma transação em uma das máquinas do Banco do Brasil.
No mesmo momento, Marcos se encaminhou a outro caixa - próximo de Pargendler - para depositar um cheque de uma colega de trabalho.
Ao ver uma mensagem de erro na tela da máquina, o estagiário foi informado por um funcionário da agência, que o único caixa disponível para depósito era exatamente o que o ministro estava usando.
Segundo Marco, ele deslocou-se até a linha marcada no chão, atrás do ministro, local indicado para o próximo cliente.
Incomodado com a proximidade de Marcos, Pargendler teria disparado: “Você quer sair daqui porque estou fazendo uma transação pessoal."
Marco: “Mas estou atrás da linha de espera”.
O ministro: “Sai daqui. Vai fazer o que você tem quer fazer em outro lugar”.
Marco tentou explicar ao ministro que o único caixa para depósito disponível era aquele e que por isso aguardaria no local.
Diante da resposta, Pargendler perdeu a calma e disse: “Sou Ari Pargendler, presidente do STJ, e você está demitido, está fora daqui”.
Até o anúncio do ministro, Marco diz que não sabia quem ele era.
Fabiane Cadete, estudante do nono semestre de Direito do Instituto de Educação Superior de Brasília, uma das testemunhas citadas no boletim de ocorrência, confirmou ao blog o que Marco disse ter ouvido do ministro.
“Ele [Ari Pargendler] ficou olhando para o lado e para o outro e começou a gritar com o rapaz. Avançou sobre ele e puxou várias vezes o crachá que ele carregava no pescoço. E disse: "Você já era! Você já era! Você já era!”, conta Fabiane.
“Fiquei horrorizada. Foi uma violência gratuita”, acrescentou.
Segundo Fabiane, no momento em que o ministro partiu para cima de Marco disposto a arrancar seu crachá, ele não reagiu. “O menino ficou parado, não teve reação nenhuma”.
De acordo com colegas de trabalho de Marco, apenas uma hora depois do episódio, a carta de dispensa estava em cima da mesa do chefe do setor onde ele trabalhava.
Demitido, Marco ainda foi informado por funcionários da Seção de Movimentação de Pessoas do Tribunal, responsável pela contratação de estagiários, para ficar tranqüilo porque “nada constaria a respeito do ocorrido nos registros funcionais”.
O delegado Laercio Rossetto disse ao blog que o caso será encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF) porque a Polícia Civil não tem “competência legal” para investigar ocorrências que envolvam ministros sujeitos a foro privilegiado."
Pargendler é presidente do STJ desde o último dia três de agosto. Tem 63 anos, é gaúcho de Passo Fundo e integra o tribunal desde 1995. Foi também ministro do Tribunal Superior Eleitoral.

REGIONAL

São Borja sedia encontro de prefeitos das missões
No encontro, Prefeitos conheceram alguns projetos desenvolvidos no município


Assembleia da AMM destacou as finanças públicas e o orçamento 2011 dos municípios.
Crédito imagem: DECOM/PSB


Administrações de vinte e seis municípios, que compõem a região das missões, estiveram reunidas nesta sexta-feira (25/10) na assembléia geral da Associação dos Municípios das Missões (AMM). Após a abertura oficial, os encontros aconteceram no restaurante do Parque de Exposições Serafim Dorneles Vargas e no auditório da ACISB, no centro da cidade.

A reunião foi coordenada pelo presidente da AMM e prefeito de Santo Ângelo Eduardo Loureiro que, no ato de abertura, ressaltou a importância de a cidade ser escolhida para sediar o encontro. Eduardo Loureiro aproveitou a oportunidade para ressaltar os temas abordados na 2ª marcha gaúcha dos prefeitos realizada em Porto Alegre na semana passada.

Em seu pronunciamento, o prefeito de São Borja e presidente da Associação dos Municípios da Fronteira Oeste (AMFRO) Mariovane Weis, destacou a construção da hidrelétrica de Garabi, em Garruchos, que auxiliará no desenvolvimento da região. “Uma luta do Brasil e da Argentina”, enfatizou. Weis convidou os prefeitos para a reunião que acontece nesta sexta-feira, dia 29, para tratar do assunto. “Temos que mobilizar e cobrar das autoridades brasileiras e argentinas para agilizar as obras”. Mariovane prevê a participação de 12 prefeitos argentinos. Outro ponto destacado pelo prefeito foi as obras da BR 472, que liga São Borja à Uruguaiana. O assunto também foi abordado pelo vereador Roque Feltrin, que representou o legislativo. Segundo Mariovane Weis, o projeto de continuidade da estrada até a cidade de Porto Xavier está previsto pelo Governo Federal. “A estrada vai beneficiar o interior e ainda os municípios de Pirapó, São Nicolau, entre outros. Vai estreitar as relações, desenvolver o turismo e o mercosul", disse.

A reunião com os prefeitos teve a participação da Unipampa e do Instituto Federal Farroupilha (IFF) que apresentaram a estrutura de ensino no campus local. O secretário de planejamento Léo Tatsch apresentou o programa Syntesis, um software de gerenciamento de projetos utilizado na prefeitura de São Borja.

Em um segundo momento descentralizado, o encontro aconteceu em dois pontos diferentes. No parque de exposições, secretários das pastas da Saúde, Agricultura, Meio Ambiente, Administração, Planejamento e Educação discutiram as idéias propostas nos municípios e conheceram os projetos que estão em desenvolvimento em São Borja. No auditório da ACISB, secretários de assistência social e primeiras-damas estiveram reunidos e discutiram a política de assistência nos municípios. Na ocasião, a secretária Maria Ilda Fagundes ressaltou os programas de capacitação desenvolvidos a partir do Índice de Gestão Descentralizada (IGD) do programa Bolsa Família. Maria Ilda Fagundes salientou que no estado apenas São Borja e Novo Hamburgo possuem cinco Centros de Referência em Assistência Social (CRAS). Os participantes conheceram ainda os projetos Despertando Valores e Produtores de Mudas, desenvolvido no CRAS Arneldo Matter.

Na quinta-feira a noite, um encontro coordenado pelo vice-prefeito e secretário de saúde Jefferson Olea Homrich, reuniu os integrantes da Associação dos Secretários e Dirigentes Municipais de Saúde (Asedisa) com o Colegiado de Gestão Regional (Cogere) e debateram os programas de saúde dos municípios.
Prefeitura de São Borja - Comunicação


PRIVATIZAÇÕES


O Fernando Henrique teria participado de um seminário sobre privatizações. Bah! Que coisa, hein!
Nesta eleição são criticadas as privatizações. Certo?
A da telefonia. Antes da privatização, em 1990, tinhamos 10,3 milhões de linhas fixas; depois, em 2010, já são 60 milhões; no que se refere a celulares, em 1990 tinhamos 667 mil; em 2010 já são 190 milhões. Em 1997, antes da privatização, uma linha custava cerca de 970 reais (no paralelo cerca de 9.000 reais); agora paga-se apenas R$ 115,00 pela instalação, que leva sete dias úteis.
Hoje até o pessoal do Bolsa Família tem seu celular. A Telemar, uma das empresas surgidas com a privatização da telefonia, foi a empresa que investiu uma boa grana na empresa do Lulinha, quando ele, de monitor de zoológico, passou a ser empresário.
E a Embraer? Em 1997, estatal, entregou quatro jatos; em 2010: 227. Em 1997 tinha 6.087 funcionários; hoje são 17.009. Em 1997 faturou 764 milhões de dólares; em 2010 faturou 5 bilhõoes de dólares.
E a Vale do Rio Doce? Tinha 11.000 funcionários em 1997; hoje tem 40 mil. Em 1997 produzia 114 milhões de toneladas; hoje são 300 milhões; em 1997 o lucro líquido foi de 756 milhões de reais; em 2010: 10,12 bilhões.
A Petrobrás continua estatal, embora os petistas digam que o FHC tentou privatizá-la.
Leiam o que acontece hoje: Em 2003 ela tinha 123 mil funcionários terceirizados; hoje tem 295 mil, cerca de 80% do quadro geral da empresa; empregados da estatal alegam que isto tem causado paradas e panes não programadas. Em 2003 estes problemas teriam causado perdas de 183 milhões de dólares; em 2009 o valor subiu para 418 milhões de dólares. Esta terceirização não seria uma espécie de "privatização"?
A seguir resumo de um texto de Reinaldo Azevedo sobre a Vale
? Em 2007 o deputado Iva Valente (ex-PT, depois foi para o PSOL) propôs um decreto legislativo para fazer um plebiscito que perguntaria aos brasileiros se eles eram ou não favoráveis à reestatização da Vale do Rio Doce, que TEVE PARTE DA AÇÕES - SÓ PARTE - PRIVATIZADA EM 1997.
A quem cabia dar seqüência ao pedido? O primeiro crivo era da Comissão de Assuntos Econômicos da Câmara. O relator da proposta de Valente foi o deputado José Guimarães (PT-CE), irmão do deputado José Genoino (SP). Pois bem: ali estava uma chance de ouro. Se o que se chama - erradamente, diga-se - de privatização da Vale era um mal, que se tentasse fazer o plebiscito. Dada a satanização do processo feita pelo pelo PT, seria bico ganhar.
"O partido de Lula não perdeu a chance e tentou reestatizar a Vale". Não!!!
Falando em nome do PT, José Guimarães fez uma defesa da "privatização da Vale" que nenhum tucano conseguiu fazer, não com tanta clareza. Vocês vão ficar estarrecidos. Seguem alguns destaques. As perguntas são minhas. Extraio as respostas do relatório feito pelo petista.
A privatização fez mal ou bem à Vale?
O petista responde, em nome do seu partido:
"De fato, pode-se verificar que a privatização levou a Vale a efetuar investimentos numa escala nunca antes atingida pela empresa, graças à eliminação da necessidade de partilhar recursos com o Orçamento da União, o que, naturalmente, se refletiu em elevação da competitividade da empresa no cenário internacional e permitiu a série de aquisições necessárias para o crescimento do conglomerado minerador a nível internacional".
O Estado brasileiro mantém poder de interferência na Vale?
O petista responde em nome do seu partido:
"Com efeito, o Conselho de Administração da Vale é controlado pela Valepar S.A., que detém 53,3% do capital votante da empresa (33,6% do capital total). Por sua vez a constituição acionária da Valepar é a seguinte: Litel/Litela (fundos de investimentos administrados pela Previ) com 58,1% das ações, Bradespar com 17,4%, Mitsui com 15,0%, BNDESpar com 9,5%, Elétron (Opportunity) com 0,02%".
A Vale não foi desnacionalizada?
O petista responde em nome do seu partido:
"Se forem consideradas as ações da Previ (cuja diretoria é indicada pela União) e do BNDES como de influência direta do Governo Federal, este gerencia, por posse ou indicação, cerca de 41% do capital votante (incluindo participações externas à Valepar). Incluindo-se, ainda, a participação do Bradesco e dos investidores brasileiros, cerca de 65% do capital votante da empresa se encontram no País".
O Brasil teve prejuízo com a privatização da Vale?
O petista responde em nome do seu partido:
"Após a privatização, e em conseqüência do substancial aumento dos preços do minério de ferro, a Vale fez seu lucro anual subir de cerca de 500 milhões de dólares em 1996 para aproximadamente 12 bilhões de dólares em 2006. (...)De fato, em 2005, a empresa pagou 2 bilhões de reais de impostos no Brasil, cerca de 800 milhões de dólares ao câmbio da época, valor superior em dólares ao próprio lucro da empresa antes da privatização".
E para o emprego? Foi bom?
O petista responde em nome do seu partido.
"O número de empregos gerados pela companhia também aumentou desde a privatização - em 1996, eram 13 mil e, em 2006, já superavam mais de 41 mil. Ademais, a União, além de ser beneficiária desses resultados através do BNDES, de fundos de previdência de suas estatais e de participação direta, ainda viu a arrecadação tributária com a empresa crescer substancialmente".
Então vamos reestatizar tudo?
O petista responde em nome do seu partido:
"Assim, é de difícil sustentação econômica o argumento de que houve perdas para a União. Houve ganhos patrimoniais, dado o extraordinário crescimento do valor da empresa; houve ganhos arrecadatórios significativos, além de ganhos econômicos indiretos com a geração de empregos e com o crescimento expressivo das exportações. A rigor, a União desfez-se do controle da empresa, em favor de uma estrutura de governança mais ágil e moderna, adaptando a empresa à forte concorrência internacional, mantendo expressiva participação tanto nos ganhos econômicos da empresa, como na sua própria administração".
(...)
Pelas razões expostas, votamos pela rejeição do Projeto de Decreto
É só pesquisar e ver o relatório completo do deputado petista.

SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS

Pesquisa até hoje, 25 de outubro

Podes usar está atualizada até a data de hoje,

Abraços

Remindo Sauim


Novos nomes no secretariado de Tarso Genro


Tarso confirma novos nomes

Depois de algumas reuniões ocorridas ontem e na manhã de hoje, o governador eleito, Tarso Genro, afirma que convidou e aceitaram o convite para compor o seu secretariado as seguintes pessoas:

Abgail Pereira - Turismo

Infraestrutura e Logística - Beto Albuquerque (atenção: a secretaria não sofrerá alterações. Permanecerá com as atuais atribuições).

Secretário Executivo do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social - Marcelo Danéris

Secretária Geral de Governo - Estilac Xavier

Tarso também anunciou a criação de uma equipe técnica que será responsável por assessor o vice-governador Beto Grill na coordenação de projetos de desenvolvimento microrregionais para a Metade Sul do Estado.


Guilherme Gomes

Imprensa Política

Coleguinhas

OMAR DE BARROS FILHO, o popular MATICO,dos tempos da esquina maldita - que nunca mais se livrou da famosa mancada que deu quando voltou do Rio de Janeiro e lhe aplicaram na Folha da Manhã que o Jorge Mautner tinha morrido num acidente de carro o que provocou uma das mais famosas barrigas do rádio gaúcho - depois de uns tempos na Amazônia, agora anda por aqui,novamente. Criou um site para quem quiser lembrar da revista VERSUS, QUE POR coincidência, nasceu em outubro de 1975, mesma data da morte do Jornalista Wladimir Herzog, que foi muito divulgada pelo EX. Como a ditadura cerceava a chamada grande imprensa, estes jornais,denominados alternativos ( na verdade tratavam aquilo que os grandes não podiam) foram se espalhando na segunda metade dos anos 70...e foram de certa forma os que obrigaram a grande mídia a tratar de temas que se negavam a fazê-lo. Pois o Matico criou o site WWW.versus.jor.br pra quem quiser matar a saudade do jornal VERSUS ONDE ELE TEVE INTENSA PARTICIPAÇÃO JUNTO COM O MARCÃO FAERMANN....

CARTA ABERTA A FERNANDO HENRIQUE CARDOSO


Carta aberta a Fernando Henrique Cardoso

“Lamento muito o destino do Serra. Se ele não ganhar esta eleição vai ficar sem mandato, mas esta é a política. Vocês vão ter que revisar profundamente esta tentativa de encerrar a Era Vargas com a qual se identifica tão fortemente nosso povo. E terão que pensar que o capitalismo dependente que São Paulo construiu não é o que o povo brasileiro quer. Vocês vão ficar na nossa história como um episódio de reação contra o vedadeiro progresso que Dilma nos promete aprofundar. Ela nos disse que a luta contra a desigualdade é o verdadeiro fundamento de uma política progressista. E dessa política vocês estão fora”.
O texto integra a ‘Carta aberta a Fernando Henrique Cardoso’, escrita porTheotonio Dos Santos publicada em seu blog, 25-10-2010. Os textos em caixa alta são do autor. Theotonio Dos Santos é Professor Emérito da Universidade Federal Fluminense, Presidente da Cátedra da UNESCO e da Universidade das Nações Unidas sobre economia global e desenvolvimento sustentável. Professor visitante nacional sênior da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Eis a carta.
Meu caro Fernando
Vejo-me na obrigação de responder a carta aberta que você dirigiu ao Lula, em nome de uma velha polêmica que você e o José Serra iniciaram em 1978 contra o Rui Mauro Marini, eu, André Gunder Frank e Vânia Bambirra, rompendo com um esforço teórico comum que iniciamos no Chile na segunda metade dos nos 1960. A discussão agora não é entre os cientistas sociais e sim a partir de uma experiência política que reflete, contudo este debate teórico. Esta carta assinada por você como ex-presidente é uma defesa muito frágil teórica e politicamente de sua gestão. Quem a lê não pode compreender porque você saiu do governo com 23% de aprovação enquanto Lula deixa o seu governo com 96% de aprovação.
Já discutimos em várias oportunidades os mitos que se criaram em torno dos chamados êxitos do seu governo. Já no seu governo vários estudiosos discutimos, já no começo do seu governo, o inevitável caminho de seu fracasso junto à maioria da população. Pois as premissas teóricas em que baseava sua ação política eram profundamente equivocadas e contraditórias com os interesses da maioria da população. (Se os leitores têm interesse de conhecer o debate sobre estas bases teóricas lhe recomendo meu livro já esgotado:Teoria da Dependencia: Balanço e Perspectivas, Editora Civilização Brasileira, Rio, 2000).
Contudo nesta oportunidade me cabe concentrar-me nos mitos criados em torno do seu governo, os quais você repete exaustivamente nesta carta aberta.
O primeiro mito é de que seu governo foi um êxito econômico a partir do fortalecimento do real e que o governo Lula estaria apoiado neste êxito alcançando assim resultados positivos que não quer compartir com você... Em primeiro lugar vamos desmitificar a afirmação de que foi o plano real que acabou com a inflação. Os dados mostram que até 1993 a economia mundial vivia uma hiperinflação na qual todas as economias apresentavam inflações superiores a 10%. A partir de 1994, TODAS AS ECONOMIAS DO MUNDO APRESENTARAM UMA QUEDA DA INFLAÇÃO PARA MENOS DE 10%. Claro que em cada pais apareceram os “gênios” locais que se apresentaram como os autores desta queda. Mas isto é falso: tratava-se de um movimento planetário.
No caso brasileiro, a nossa inflação girou, durante todo seu governo, próxima dos 10% mais altos. TIVEMOS NO SEU GOVERNO UMA DAS MAIS ALTAS INFLAÇÕES DO MUNDO. E aqui chegamos no outro mito incrível. Segundo você e seus seguidores (e até setores de oposição ao seu governo que acreditam neste mito) sua política econômica assegurou a transformação do real numa moeda forte.
Ora Fernando, sejamos cordatos: chamar uma moeda que começou em 1994 valendo 0,85 centavos por dólar e mantendo um valor falso até 1998, quando o próprio FMIexigia uma desvalorização de pelo menos uns 40% e o seu ministro da economia recusou-se a realizá-la “pelo menos até as eleições”, indicando assim a época em que esta desvalorização viria e quando os capitais estrangeiros deveriam sair do país antes de sua desvalorização. O fato é que quando você flexibilizou o cambio o real se desvalorizou chegando até a 4,00 reais por dólar. E não venha por a culpa da “ameaça petista”, pois esta desvalorização ocorreu muito antes da “ameaça Lula”. ORA, UMA MOEDA QUE SE DESVALORIZA 4 VEZES EM 8 ANOS PODE SER CONSIDERADA UMA MOEDA FORTE? Em que manual de economia? Que economista respeitável sustenta esta tese?
Conclusões: O plano real não derrubou a inflação e sim uma deflação mundial que fez cair as inflações no mundo inteiro. A inflação brasileira continuou sendo uma das maiores do mundo durante o seu governo. O real foi uma moeda drasticamente debilitada. Isto é evidente: quando nossa inflação esteve acima da inflação mundial por vários anos, nossa moeda tinha que ser altamente desvalorizada . De maneira suicida ela foi mantida artificialmente com um alto valor que levou à crise brutal de 1999.
Segundo mito; Segundo você, o seu governo foi um exemplo de rigor fiscal. Meu Deus: um governo que elevou a dívida pública do Brasil de uns 60 bilhões de reais em 1994 para mais de 850 bilhões de dólares quando entregou o governo ao Lula, oito anos depois, é um exemplo de rigor fiscal? Gostaria de saber que economista poderia sustentar esta tese. Isto é um dos casos mais sérios de irresponsabilidade fiscal em toda a história da humanidade.
E não adianta atribuir este endividamento colossal aos chamados “esqueletos” das dívidas dos estados, como o fez seu ministro de economia burlando a boa fé daqueles que preferiam não enfrentar a triste realidade de seu governo. UM GOVERNO QUE CHEGOU A PAGAR 50% AO ANO DE JUROS POR SEUS TÍTULOS, PARA EM SEGUIDA DEPOSITAR OS INVESTIMENTOS VINDOS DO EXTERIOR EM MOEDA FORTE A JUROS NORMAIS DE 3 A 4%, NÃO PODE FUGIR DO FATO DE QUE CRIOU UMA DÍVIDA COLOSSAL SÓ PARA ATRAIR CAPITAIS DO EXTERIOR PARA COBRIR OS DÉFICITS COMERCIAIS COLOSSAIS GERADOS POR UMA MOEDA SOBREVALORIZADA QUE IMPEDIA A EXPORTAÇÃO, AGRAVADA AINDA MAIS PELOS JUROS ABSURDOS QUE PAGAVA PARA COBRIR O DÉFICIT QUE GERAVA.
Este nível de irresponsabilidade cambial se transforma em irresponsabilidade fiscal que o povo brasileiro pagou sob a forma de uma queda da renda de cada brasileiro pobre. Nem falar da brutal concentração de renda que esta política agravou dráticamente neste pais da maior concentração de renda no mundo . VERGONHA FERNANDO. MUITA VERGONHA. Baixa a cabeça e entenda porque nem seus companheiros de partido querem se identifica com o seu governo... te obrigando a sair sozinho nesta tarefa insana .
Terceiro mito: Segundo você, o Brasil tinha dificuldade de pagar sua dívida externa por causa da ameaça de um caos econômico que se esperava do governo Lula. Fernando, não brinca com a compreensão das pessoas. Em 1999 o Brasil tinha chegado à drástica situação de ter perdido TODAS AS SUAS DIVISAS. Você teve que pedir ajuda ao seu amigo Clinton que colocou à sua disposição uns 20 bilhões de dólares do tesouro dos Estados Unidos e mais uns 25 BILHÕES DE DÓLARES DO FMI, Banco Mundial e BID. Tudo isto sem nenhuma garantia.
Esperava-se aumentar as exportações do país para gerar divisas para pagar esta dívida. O fracasso do setor exportador brasileiro mesmo com a espetacular desvalorização do real não permitiu juntar nenhum recurso em dólar para pagar a dívida. Não tem nada a ver com a ameaça de Lula. A ameaça de Lula existiu exatamente em conseqüência deste fracasso colossal de sua política macro-econômica. Sua política externa submissa aos interesses norte-americanos, apesar de algumas declarações críticas, ligava nossas exportações a uma economia decadente e um mercado já copado.
A recusa dos seus neoliberais de promover uma política industrial na qual o Estado apoiava e orientava nossas exportações. A loucura do endividamento interno colossal. A impossibilidade de realizar inversões públicas apesar dos enormes recursos obtidos com a venda de uns 100 bilhões de dólares de empresas brasileiras. Os juros mais altos do mundo que inviabilizava e ainda inviabiliza a competitividade de qualquer empresa. Enfim, UM FRACASSO ECONÔMICO ROTUNDO que se traduzia nos mais altos índices de risco do mundo, mesmo tratando-se de avaliadoras amigas. Uma dívida sem dinheiro para pagarFernando, o Lula não era ameaça de caos. Você era o caos. E o povo brasileiro correu tranquilamente o risco de eleger um torneiro mecânico e um partido de agitadores, segundo a avaliação de vocês, do que continuar a aventura econômica que você e seu partido criou para este país.
Gostaria de destacar a qualidade do seu governo em algum campo mas não posso faze-lo nem no campo cultural para o qual foi chamado o nosso querido Francisco Weffort(neste então secretário geral do PT) e não criou um só museu, uma só campanha significativa. Que vergonha foi a comemoração dos 500 anos da “descoberta do Brasil”. E no plano educacional onde você não criou uma só universidade e entou em choque com a maioria dos professores universitários sucateados em seus salários e em seu prestígio profissional. Não Fernando, não posso reconhecer nada que não pudesse ser feito por um medíocre presidente.
Lamento muito o destino do Serra. Se ele não ganhar esta eleição vai ficar sem mandato, mas esta é a política. Vocês vão ter que revisar profundamente esta tentativa de encerrar a Era Vargas com a qual se identifica tão fortemente nosso povo. E terão que pensar que o capitalismo dependente que São Paulo construiu não é o que o povo brasileiro quer. E por mais que vocês tenham alcançado o domínio da imprensa brasileira, devido suas alianças internacionais e nacionais, está claro que isto não poderia assegurar ao PSDB um governo querido pelo nosso povo. Vocês vão ficar na nossa história como um episódio de reação contra o vedadeiro progresso que Dilma nos promete aprofundar. Ela nos disse que a luta contra a desigualdade é o verdadeiro fundamento de uma política progressista. E dessa política vocês estão fora.
Apesar de tudo isto, me dá pena colocar em choque tão radical uma velha amizade. Apesar deste caminho tão equivocado, eu ainda gosto de vocês (e tenho a melhor recordação de Ruth) mas quero vocês longe do poder no Brasil. Como a grande maioria do povo brasileiro. Poderemos bater um papo inocente em algum congresso internacional se é que vocês algum dia voltarão a freqüentar este mundo dos intelectuais afastados das lides do poder.
Com a melhor disposição possível, mas com amor à verdade, me despeço;
Theotonio Dos Santos

Da memória de um repórter


João Carlos Terlera,antes de vir para Porto Alegre, onde trabalhou na Caldas Junior e depois na RBS, trabalhava na Rádio Alto Taquari, onde teve muitos colegas que se tornaram conhecidos,depois, como Sérgio Zambiazi, Mondongo( Erico Sauer) entre outros.

Mas ele guarda a história de um corretor que vendia anúncias pra rádio em toda a região. Era João Quevedo, pai do Paulo, que é o dono da Folha de Estrela.

O João passava o dia vendendo os anúncios para rádio Alto Taquari, mas de noite, das 10 as 11 horas apresentava um programa onde só tocava muito platina,ou seja, tangos e boleros. E o Quevedo pra agradar fazia encenação, passando a mão junto do microfone, o que provocava um som. Ele queria era agradar as suas ouvintes. Tinha uma lambreta com a qual ele e Terlera,depois dos programas, partiam partiam para a " zona" de Lajeado.

Quevedo ficou mais conhecido como corretor da Alto Taquari mas o programa noturno que apresentava sempre era muito comentado entre seus ouvintes.

Na rádio Alto Taquari, de manhã cedo,entre 7 e 8 da matina, outro cantor apresentava o DO PAMPA AO SERTÃO. Era Teixeirinha que atacava de violão,tendo Antoninho da Rosa na gaita. A Mery Terezinha ainda não tinha entrada na vida do conhecido músico.

MEMORIA DA CIDADE

QUANDO A AV.IPIRANGA

DEVERIA CHAMADA DE 'MAURICIO SOBRINHO'!

Em 7.5.1986, Logo após a morte de Maurício Sirotsky Sobrinho, fundador da RBS, ocorrida em 24.03.do mesmo ano, o prefeito municipal Alceu Collares remeteu o PLE( Projeto Lei do Executivo) a Camara Municipal trocando o nome da avenida Ipiranga para o do fundador da RBS. Houve uma grita geral dos comerciantes e a família do empresário fez sabe que abria mão da homenagem.Mas os vereadores já tinham aprovado a troca.

O vereador Jorge Goularte propôs,então, que se compensasse a homenagem, trocando o nome do Parque Harmonia para parque Maurício Sirotsky. Mas muitos continuam referindo-se a ele como Parque da Harmonia.


Clique aqui para ler o processo 959 de 1986


Tuma


Que tu acha dos cara lamentando a morte do Tuma... o cara foi chefe do DOPS da Ditadura!!!!
Sem fundamento.
Ainda morreu filiado ao PTB, mesmo partido (ou melhor sigla, porque o partido não é o mesmo) combatida pela ditadura.

Letier Vivian


Os leitores se manifestam sobreTuma....

do Letier Vivian, de São Borja.


Que fique claro que eu não fico feliz com a morte de alguém. Mas também não lamento

Regina Lemos de dieta...

Depois que comeu muito churrasco pelos pampas, Regina Lemos, a coleguinha que mora em Sampa, está de dieta....

Promete perder 15 quilos.

Na foto, com colegas, ela comendo apenas " pasto"!


Memóriada Imprensa

A morte de Vlado Herzog


O II Exército divulgou em 25.10.1975 uma nota oficial sobre o " sucídio" de Herzog. Ei-la

" O Comando do II Exército lamenta informar o seguinte:

1) Em prosseguimento às diligências que se desenvolvem na área do II EXército , que revelam a estrutua e as atividades do Comitê Estadual do Partido Comunista, apareceu, citado por seus companheiros, o nome do sr. Vladimir Herzo, diretor-responsável de telejornalismo da TV-Cultura Canal 2, como militante e integrante de uma céulua da base do citado partido.

2) Convidado a prestar esclarecimentos, apresentou-se, acompanhado de um colega de profissão, às 9horas do dia 25(10.1975) do mes corrente,sendo tomadas por termo suas declarações.

3) Relutando,inicialmente, sobre suas ligações e atividades criminosas, foi acareado com seus delatores Rodolfo Konder e George Jatay Duque Estrada, que o aconselharam a dizer toda a verdade, pois assim haviam procedido.

4) Nestas circunstâncias admitiu sua atividade dentro do PCB,sendo-lhe permitido redigir suas declarações de próprio punho.

5)

Deixado após o almoço e por volta de 15 horas em sala, desacompanhado, escreveu a seguinte declaração: eu, Vladimir Herzog, admito ser militante do PCB desde 1971 ou 72, tendo sido alicido por Rodolfo Konder. comecei contribuindo com 50,00 quantia que chegou a 100,00 em 1974 ou começo de 1975. meus contatos com o PCB eram feitos através dos colegas Rodolfo Konder, Marco Antônio Rocha,Luis Weiss, Antônio de Britto, Miguel Urbano Rodrigues, Antônio Padro e Paulo Markun enquanto trabalhava na revista Visão.

Admito ter cedido minha residência para reuniões edesde 1972. recebi o jornal a Voz Operária uma vez pelo correio e duas ou três pelas mãos do Rodolfo Konder.

Relutei em admitir neste órgão minha militância, mas após acareações e dante das evidências confessei todo o meu envolvimento e afirmo não estar interessado mais em participar de qualquer militância político-partidária.

Assinatura ilegível...

E a nota do II Exército conclui dizendo que nada fazia supor o extremo gesto por ele perpretado.


No dia seguinte, os jornais noticiavam:

O Jornalista Wladimir Herzog foi sepultado ontem de manhã no cemitério israelita do Butantã,durante uma cerimônia simples e rápida, assistida por uns 600 repórteres,redatores,editores,cinegrafistas, radialistas, artistas,estudantes,deputados e senadores. Não houve nenhum incidente durante o enterro, com exceção da indignação de familiares pela pressa com que foi feito, a mãe de Vlado, como ele era chamado chegou a quadra numero 28 do cemitério quando seu filho já tinha sido enterrado no túmulo 64. A cerimônia de sepultamento durou 15 minutos e não as duas horas que costumam durar quando são observados todos os rituais e preceitos judaicos.

O cardea. Dom Paulo Evaristo Arns compareceu ao Hospital Alçbert Einstein, onde o corpo de Vladimir estava sendo velado desde a tarde de domingo, quando foi liberado pelo Departamento de Operações Internas do II Exercito, em cujas dependências ele morreu no sábado passado.
O cardeal estranhou a ausência de rabinos no velório> foi recebido por colaboradores da Chevrah Kadish, ou santa Sociedade, organização que se encarrega de cumprir o ritual fúnebre previsto pela religião judaica.

Entrou no velório em companhia do senador Franco Montoro e cumprimentou os familaires do jornalista que delicadamente -para evitar emoções mais fortes- lhe pediram para não fazer qualquer pronunciamento público.

O cardeal orou em silêncio durante alguns minutos, confortou os amigos de Vlado e saiu, sempre em companhia do senador Franco Montoro e vários deputados federais e estaduais que o acompanhavam. O clima, enquanto isto, era de intensa expectativa, mais por causa dos agentes armados que passaram a madrugada no hospitaz\l, que logo cedo foram substituidos por fotógrafos e cinegrafistas que não pertenciam ao sindicato ou a qualquer orgão de imprensa.
houve caso de desmaios e as crises de choro foram frequentes. As 10h30 minutos quando mais de 660 pesoas se avolumavam no hospital, o caixão negro contendo a urna lacrada em que o corpo de Vladimir foi encerrado pelas autoridades foi transportado ao carro fúnebre

( Jornal da Tarde de 28 de 10. de 1975)

" Pensamento do dia"

Uma leitora de site de relacionamento saiu-se com esta, politicamente incorreta, nestes sites em que os leitores dão sua opinião. Gostei dela...

É UMA BOSTA AMAR E NÃO SER AMADA"

TOING!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

SAUDADES DO
SANDUÍCHE ABERTO

Uma das coisas que eu tenho muita saudades de Porto Alegre é daqueles velhos sanduíches abertos, que se comia muito por volta de 50 ou 60, nas casas de “chopp” que tinham aos milhares por aí.
O fato é que o chef José Luiz Paixão Cortes, um gauchão de Bagé, que cozinha melhor do que ninguém, está preparando um novo bar aqui em Brasília(O Paixão daqui, é primo irmão do Paixão da estátua do Laçador).
O bar, que se chamará On the Rocks, terá o estilo clássico,fechado, sem varanda e um grande balcão revestido de couro no meio do ambiente, quase novaiorquino.
O bar terá apenas 30 lugares e só abrirá a partir do happyhour, com jantar. O negócio vai ser chique mesmo.
Paixão, que é um dos integrantes da nossa mesa no Stella Grill e também consultor do restaurante do Celso Kaufmann, é um um grande conhecedor e apreciador da boa comida, está preparando um cardápio sem frituras e muitos frutos do mar,canapés e os sanduíches abertos, bem ao nosso estilo do Rio Grande do Sul.
O Paixão que é expert em carreteiro e em carneiro, faz um Arroz de Puta Pobre pra ninguém botar defeito.
Já estou contando os dias para a inauguração do bar dele... Sergio Ross

TEXTO

Não gostaste do texto sobre privatizações?

O Felipe Vieira, tal como eu, é natural de Butiá.

SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS

Versus


Versus renasce em antologia para revelar como se fazia jornalismo de resistência na década de 70, com um olhar alternativo sobre a cultura,
a política e a história do país e do continente.
Por Omar L. de Barros Filho

O projeto que deu origem a esta antologia começou a nascer no final dos anos 90, quando conheci um assinante de Versus na fronteira do Brasil com a Bolívia, às margens do rio Guaporé, em Rondônia, onde vivi em uma fazenda isolada do mundo das notícias por muitos anos. Ele fazia parte de um grupo de consultores do Banco Mundial que percorria a área em busca de padrões de sustentabilidade para as atividades econômicas da região.

Ao me apresentar como jornalista e comentar que tinha sido editor de Versus nos anos 70, ele disse: “Li e colecionei Versus por muito tempo. Foi, na época, o jornal que mais ajudou em minha formação política e me fez ver a América Latina de forma diferente.” Depois que nos despedimos, pensei se seria possível sintetizar em uma nova publicação o resultado da atividade frenética e da inquietação cultural que sempre marcaram a redação de Versus, em São Paulo. Versus foi uma experiência única de jornalismo alternativo, que surgiu da mente inventiva de Marcos Faerman, o Marcão, para quem teve a felicidade de conhecê-lo e aprender com ele, um dos mais brilhantes repórteres e editores brasileiros de todos os tempos.

Faerman costumava dizer que Versus nascera sob o signo da tristeza provocada pela morte do jornalista Vladimir Herzog nos porões da ditadura, fato que horrorizou o país em outubro de 1975. O drama de Herzog na prisão coincidiu com a impressão da primeira edição do jornal, em torno de 12 mil exemplares, formato tablóide, 52 páginas. Distribuído precariamente de mão em mão, em bancas de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e outras poucas cidades, e financiado, em parte, por um salário anual extra de Faerman, Versus calou fundo na sensibilidade dos leitores, e iria mais longe do que o esperado.

Aos poucos, o grupo inicial de colaboradores ampliou-se, com a adesão voluntária de jornalistas, escritores, poetas, professores, cineastas, sociólogos, ilustradores, chargistas, além dos próprios leitores, que enviavam suas colaborações do Brasil e do exterior. Na redação, costumávamos dizer que o carteiro era nosso melhor repórter, porque trazia as matérias de que necessitávamos para fechar cada edição, e que completavam a pauta dia-a-dia. Foi um mutante que por um bom tempo praticou severa autocensura para sobreviver. Sempre carente de recursos, ainda assim resistiu durante quatro anos às pressões e limites estreitos estabelecidos pelo regime militar.

Versus foi também porto seguro para “desgarrados” latino-americanos e brasileiros, refugiados políticos, e outros discriminados pela sorte. Hoje, pode-se dizer, sem medo de exagerar, que a redação era uma espécie de “Cruz Vermelha”. Recebia não só fugitivos estrangeiros em busca de asilo, trabalho e documentos, como dava guarida a qualquer brasileiro com talento atrás de um espaço em uma folha de jornal para registrar suas idéias, crenças ou experiências. Muitos iniciaram em Versus o ofício de escrever, reportar ou desenhar. Era uma casa caótica e de poucas regras, mas sempre aberta, onde se respirava o jornalismo em sua verdadeira essência quase artesanal.
Logo, o projeto de construção de Versus não estava imune às influências externas. À medida que a distribuição nacional se consolidou, a vendagem em bancas cresceu, e a tiragem se multiplicou até atingir 30 mil exemplares, a influência cultural e política de Versus passou a ser muito maior do que imaginávamos ou pretendíamos no início. Nosso programa, até então, resumia-se a uma expressão-síntese sobre a qual trabalhávamos arduamente: “a cultura como forma de ação”.

Entretanto, turbulências no cenário internacional, com os Estados Unidos passando a retirar seu apoio às ditaduras, e no plano nacional, com a entrada em cena do movimento estudantil, provocaram mudanças em nossa linha editorial. Também as diferentes posições políticas existentes na redação passaram a se manifestar, algo natural em um jornal alternativo, em que muitos editores e colaboradores militavam em organizações clandestinas, na oposição institucional, ou mesmo simpatizavam com tendências estudantis nas universidades. A erupção do movimento operário no ABC paulista, as greves dos metalúrgicos e, depois, nos sindicatos de classe média, alteraram em definitivo o rumo de Versus.

O leitor desta obra perceberá as transformações decorrentes da politização da redação, que, passo a passo, abandonou o discurso original – literário, poético e épico da história da América Latina – em troca de uma visão mais crua, sociológica e imediata de nossa realidade, não só a brasileira como a do continente. A metáfora literária cedeu lugar à política, e isso se expressava não só nas reportagens, ensaios e entrevistas, mas também no próprio grafismo de Versus, nas charges, nas ilustrações, enfim, na organização editorial em seu conjunto.

Amizades foram perdidas e alianças se romperam no processo. O tempo, como sempre, tratou dos ressentimentos. Não podia ser diferente, mais de trinta anos depois. Independentemente das divergências do passado, que hoje soam pueris, o fim do caminho para Versus foi, em última análise, o mesmo de toda a imprensa alternativa. Os “nanicos”, como éramos chamados pejorativamente, desapareceram um a um no compasso da reconquista democrática, da liberdade de expressão, das crises econômicas, e do curso da monopolização da informação pelos grandes e tradicionais meios. Éramos mais de 100 jornais, li em alguma estatística, mas fazíamos o ruído de mil.

Em algum ponto do caminho, no entanto, deixamos de ser necessários.

Quanto a mim, constatei que, de todos os editores e assistentes que passaram por Versus em seus quatro anos de história, fui o que mais tempo vivenciou a aventura de fazê-lo, de novembro de 1975 a outubro de 1979, desde que deixei Porto Alegre e mudei para São Paulo com o objetivo de doar meu tempo e existência ao jornal. Em dias mais recentes, o fato de deter a memória daquele período fez com que pesquisadores, professores e estudantes passassem a me procurar na web para responder sobre questões envolvendo os caminhos de Versus, o que reforçou a idéia de que era chegada a hora de editar esta antologia.

Enquanto Versus viveu, imprimimos 33 edições normais, três extras de quadrinhos, e outras que fugiam ao calendário, mas eram relacionadas com mobilizações políticas, como as edições especiais voltadas aos aniversários do golpe do Chile e de 1º de maio, no ABC paulista. Além delas, editamos, com êxito, outros nove livros e cadernos. Versus – Páginas da utopia guarda parte de nossa história, assim como a do jornalismo que praticamos. Outras duas antologias virão a seguir.

De Serafina

O velho casarão dos Assoni, na esquina da rua Orestes Assoni com Miguel Soccol, quando ainda estava de pé, poderia ter sido preservado para ser um local onde as raízes da cidade fossem lembradas. Mas ele foi posto abaixo meses atrás e agora no local há apenas um buraco( que os gringos chamam de "buson". O dono da casa, Nelson Assoni, diz que guardou todas as tábuas da antiga casa que pertenceu a seu pai, o velho Deonísio Assoni, que os colonos simplificavam por NIZIO ....

nO SEU local todos já sabem que será construído um prédio.

Já o filho do Nelson , que reside em Porto Alegre está construído um bar a semelhante do PEDRINI, da av. Venâncio Aires, num local chamado de tripão, ou seja, um pedaço de terreno onde funcionou primordiamente e onde começou a funcionar a pizzaria GRAO DE BICO. é UM TERRENO QUE fica na av. Miguel Soccol, área nobre, localizado entre os terrenos que foram do JOVELINO MONTANARI E DO SORDI...


NA DEPENDÊNCIA DE DOIS DEBATES


Por Carlos Chagas
Debate ganha eleição? Depende. Há quem diga que John Kennedy tornou-se presidente dos Estados Unidos depois de bater Richard Nixon num entrevero na televisão. Como até hoje se argumenta que Fernando Collor foi para o palácio do Planalto por haver-se preparado melhor do que o Lula no segundo debate de 1989.
Como também existem os que negam propriedades miraculosas a esses já tradicionais encontros entre candidatos às vésperas do pronunciamento do eleitorado, melhor ficarmos em cima do muro: os debates entre Dilma Rousseff e José Serra, na TV-Record, e sexta-feira, na TV-Globo, poderão mudar os presumidos resultado das urnas de domingo. No reverso da medalha, poderão confirmar as previsões feitas pelos institutos de pesquisa, de vitória da candidata do PT.

Se por hipótese Serra brilhar e Dilma perder-se, será possível imaginar muitos eleitores mudando seu voto. Mas a ponto de inverter o rumo dos ventos? Parece difícil, ainda que não impossível.

Quanto ao conteúdo das inquirições entre a companheira e o tucano, novidades não devem ser esperadas. A ladainha é a mesma desde que se defrontaram no início da campanha pelo primeiro turno, na TV-Bandeirantes. O baixo índice de audiência dos diversos debates realizados até agora revelou resultado sofrível, para não dizer lamentável. Serra e Dilma limitaram-se aos chavões que nada esclarecem, muito menos detalharam alternativas de ação futura. Só resta aguardar.

ACOMODAÇÕES
Ajeitam-se os institutos de pesquisa, agora que falta uma semana para a eleição. Eles vinham favorecendo a hipótese de um empate técnico entre Dilma Rousseff e José Serra, refletindo a vontade e os interesses da maioria dos veículos de comunicação, seus parceiros. Sem a menor dúvida os jornalões e as principais redes televisivas trabalhavam e ainda trabalham em favor do candidato tucano, certamente por receio da incógnita que pode representar a companheira. Sem que os números tivessem influenciado as tendências, no entanto, os institutos caíram em si quando verificaram a vantagem permanente de Dilma sobre o adversário. Insistir num equilíbrio inexistente seria prejudicial à própria sobrevivência, no caso das empresas pesquisadoras.

Sendo assim, desde o início da semana que Ibope, Datafolha, Vox Populi e Sensus vem prevendo a vitória de Dilma por margem de dez a doze pontos sobre José Serra. Pode até ser que esses resultados não se concretizem, mas, por via das dúvidas, alinham-se todos. Resta aguardar a única e verdadeira pesquisa, a própria eleição...

POR ENQUANTO VALE O FICHA LIMPA
Enquanto o Tribunal Superior Eleitoral vem confirmando a vigência da lei ficha limpa nas eleições do dia 3, considerando inválidos os votos dados a candidatos antes condenados pela Justiça, o Supremo Tribunal Federal mantém o suspense. Até agora não decidiu, mas ao apreciar recurso de algum ficha suja precisará fatalmente definir-se: a lei irá retroagir para prejudicar, mesmo em se tratando de lambões? Ou só poderá ser aplicada nas eleições de 2012?

Presume-se que a falta de uma decisão por parte da mais alta corte nacional de justiça continue debitada ao empate de 5 a 5 entre seus ministros. Não deixará de ser constrangedor caso o Supremo nada resolva até o dia 31, mas pior ficará se apenas depois do segundo turno das eleições vier a palavra final do Supremo, tanto faz para lá ou para cá.



ERNESTO GEISEL DE SAIA?

Por Carlos Chagas

Ainda bem que falta apenas uma semana para o segundo turno das eleições presidenciais e de alguns governadores. Do jeito que as coisas continuarão indo até o próximo domingo, o mínimo a esperar será José Serra fazendo campanha com capacete de aço e Dilma Rousseff de guarda-chuva, mesmo com tempo seco.
O episódio da bolinha de papel e do rolo de fita durex arremessados sobre o tucano só foi igualado pelas bolas de água jogadas sobre a comitiva da companheira. Baixaria óbvia, prenúncio de entreveros mais graves caso estivéssemos no início da corrida eleitoral, não na reta final.

São essas contradições que fazem do Brasil um país singular: dispomos do mais avançado sistema de votação e apuração em todo o planeta, mas, ao mesmo tempo, demonstramos selvageria explícita na luta pelo poder. Nem se fala das intervenções esdrúxulas do presidente da República em todo o processo eleitoral e, agora, nesse episódio infantil e inconcluso das brigas de rua.

A pergunta que se faz é a partir do day after. Se vencer a candidata, como indicam as pesquisas, haverá apenas festa comandada pela militância do PT? Ou vão multiplicar-se as bolinhas de papel e os rolos de fita durex lançados sobre a tucanagem?

Se confirmada a continuação do lulismo, maior do que o petismo, no palácio do Planalto, deve-se esperar apenas a continuação do atual modelo de governar? Há quem preveja surpresas por parte de Dilma. A primeira, de que deixará o palco aquela senhora sorridente e bem-educada que nos últimos meses andou atrás de votos, substituída pela implacável madre-superiora do convento, empenhada em enquadrar as noviças em que seremos todos transformados. A população que aplaude e se delicia com os improvisos, as gafes e a tolerância do Lula será levada a trocar o humor pela severidade. Pode parecer exagero, mas viveremos um período de severidade e de cobranças permanentes, onde os primeiros a sofrer serão os ministros e altos auxiliares presidenciais, estendendo-se o clima de colégio interno a toda a máquina administrativa federal.

Da vitória até a posse acontecerá a metamorfose, ou melhor, a volta da personagem ao implacável figurino anterior, de rígida ministra e coordenadora da ação oficial a comandante em chefe do convento. O país desaprenderá do sorriso fácil e sentirá saudade dos tempos em que “jeitinhos” pautavam a vida da grande maioria.

É claro que a presença do rei permanecerá balizando as iniciativas da sucessora, mas caberá ao Lula preparar-se para o refúgio, isolando-se em cones de sombra do tamanho de São Bernardo, se não quiser aborrecer-se. Diminuirá a tolerância do governo com os ricos, aqueles “que jamais ganharam tanto dinheiro como agora”. E os políticos profissionais que se cuidem: a nova presidente não admitirá feudos ou capitanias hereditárias na máquina pública. Servirá como exemplo o primeiro que escrever e não souber ler. Que tome cuidado o vice-presidente Michel Temer, se pretende servir de interlocutor entre facilidades do Congresso e necessidades do Executivo. Ou, mais grave ainda, se o ainda presidente da Câmara pretende mesmo repartir o pão com seus partidários.

A realização do segundo turno terá sido cruel para a candidata, mas serve para que a nova presidente da República venha a instrumentalizar-se conforme uma evidência maior: apoio nas próprias forças, sem que essa diretriz exprima algum refrigério para o PT. Muito pelo contrário. Nomeações fisiológicas estarão na alça de mira, tanto quanto indicações meramente políticas.

Em suma, a Dilma candidata ficará no meio da estrada, substituída pela Dilma presidente, com contas a ajustar em seu próprio pano de fundo. Como se dizia décadas atrás, “é melhor comprar galochas, porque vai chover”.

Nenhum perfil se adaptaria melhor para definir o futuro próximo que o do general Ernesto Geisel, que Deus o tenha lá nos espaços mais profundos...

DILMA GOVERNARÁ COM O LULA OU O LULA GOVERNARÁ COM DILMA?

Por Carlos Chagas

Certeza, ninguém tem. Surpresas sempre podem acontecer. Mas como os ventos sopram em favor de Dilma Rousseff, importa raciocinar em função da vitória da candidata, domingo que vem. Com quem ela irá governar, impossibilitada de repetir a experiência do Lula, que nos últimos oito anos governou com ele mesmo, acima e além do seu partido?
Posiciona-se o PT para ocupar os espaços que, senão negados por completo, foram-lhe reduzidos pela onipresença do presidente. Imaginam os companheiros que com Dilma será diferente, tendo em vista o artificialismo de sua candidatura, tirada do bolso do colete presidencial. Pode repousar aqui o primeiro erro do partido: o lulismo não desapareceria mesmo se o Lula pretendesse entrar em cone de sombra, hipótese descartada pela própria personalidade do presidente em vias de tornar-se ex-presidente. Se na campanha prevaleceram integralmente a palavra e os conselhos do rei, porque seria diferente no governo da rainha? Para o primeiro-companheiro estarão voltadas as atenções e as expectativas dos novos ocupantes do palácio do Planalto. Aliás, nem tão novos assim, tendo em vista a presença obrigatória de ex-ministros no ministério a ser formado.
É preciso registrar, também, que depois de dois mandatos pendurados no salva-vidas oferecido pelo Lula, o PT não é mais o mesmo. Os que desejavam as mudanças fundamentais e até a revolução proletária dos idos da criação do partido não conseguiram faze-las. Naufragaram, em grande maioria. E os que falsamente tentaram faze-las, não as desejavam. O resultado foi a transformação do PT, de partido operário em partido de funcionários públicos, agarrados os líderes que sobraram às estruturas do estado, às diretorias de estatais, às ONGs de ocasião e até a uma burocracia fajuta.
Será esse o PT que pretende conduzir o governo Dilma Rousseff? Ela mesmo conseguirá dispersar e botar para correr quantos companheiros tiverem coragem de tentar condicioná-la. Bastaria um de seus tradicionais gritos tão a gosto de sua performance no governo Lula.
Sendo assim, a primeira conclusão será de que Dilma governará com o Lula, muito mais do que com o PT. E o Lula governará com Dilma, apesar do PT. Quebrará a cara quem imaginar o PMDB pensando em infiltrar-se no núcleo palaciano através do vice-presidente Michel Temer. O grande obstáculo a impedir essa trajetória chama-se Lula.
A MONTANHA GEROU UM RATO
A imagem é conhecida: raios, trovões e tempestades concentraram todas as atenções para o alto da montanha, de onde poderia surgir a hecatombe universal. No fim, quando temerosos e apavorados habitantes da planície procuraram o resultado, encontraram um ratinho...
Com todo o respeito, assim se registra o último fim de semana de atuação da mídia semanal empenhada em demolir e implodir a candidatura de Dilma Rousseff. Imaginou-se a revelação de escândalos inomináveis, de revolução nos intestinos do poder, de falência total das estruturas governamentais.
Fora a bolinha de papel e o carretel de fita durex que atingiram a careca de José Serra, apareceu o que? A denúncia de um ex-funcionário do ministério da Justiça, posto para fora depois de flagrado em irregularidades com uma quadrilha de chineses, dando conta de que a candidata pedia dossiês a respeito de adversários do governo. Só que não se revelou mais nada. Nem nomes, nem situações, muito menos provas, sequer evidências. A montanha gerou um rato...



Da memória de um repórter

A chegada do general,de surpresa!


João Carlos Terlera estava na antesala da ala residencial do Palácio Piratini lá pelo ano de 1978,1979. Lembra que era no meio de uma tarde e que o sequestro dos uruguaios estava em pleno andamento, com grandes revelações a todo dia...Synval Guazzelli era o governador e se mexia como um bailarino se equilbrando todo pra não desagradar às esquerdas - onde ele tinha muitos conhecidos,amigos e até apoiadores, mesmo ele sendo da Arena, o partido do governo - e tendo que atender aos militares que costumavam adverti-lo com a já famosa frase:
- Lembre-se governador, que a Revolução não deve satisfações a ninguém....

Pois quando menos viu, João Carlos Terlera viu um carrão,daqueles usados por militares adentrando os portões do Palácio Piratini.

Dele,segundo Terlera, desceu um general, meio com o rosto queimado do sol, um nordestino,afirma. Seria,segundo Terlera, o general Antônio Bandeira, que na época comandava o III EXército. Embaixo das mãos portava uns papéis( com os quais não saiu,quando deixou o palácio mais de uma hora depois)

e foi entrando sem nem dar boa tarde, porque o repórter notou que estava com a cara de poucos amigos.

( Na versão de Luis Claudio Cunha, esta visita inesperada ao governador Guazzelli foi feita pelo general Samuel Alves Correa, comandante do III EXército).

Terlera ficou aguardando otérmino do encontro de Guazzelli com o general e na saída, perguntou ao militar.
- O sr. poderia me dizer o que veio fazer?
- Não posso, não senhor. Manda que quem fala é o dono da casa. Pois eu fiz uma visita de cortesia ao governador do Estado,sentenciou o general.

Terlera, não contente com isto, perguntou:
- Visita de cortesia de mais de uma hora?
- Pois é....

Todos os repórteres estavam na sala de imprensa e ninguém pegou esta visita.

Na mesma noite,Terlera fez uma matéria de duas laudas e meia e que acabou sendo capa da ZH no dia seguinte.

Terlera diz que isto aconteceu pouco tempo depois de ele ter assumido a editoria de política da ZH.

O editor da jornal, Carlos Fehlberg lhe fez inúmeras perguntas mas acabou dando a matéria que acabou sendo outro furo do jornalista.

De São Borja

ENJOO DE
CHURRASCO
DE CORDEIRO


Alguns assessores mais próximos do governador eleito Tarso Genro notaram que nos últimos roteiros de campanha na região da Fronteira antes de se eleger no primeiro turno,ele evitava carne de cordeiro. Como Tarso é oriundo de São Borja, criado em Santa Maria, ninguém entendeu este fastio do então candidato...

Mas depois enfim o mistério se desfez. Era excesso de carne de cordeiro na mesa do agora governador eleito.
Descobriram que o prefeito da terra natal de Tarso, Mariovane Weis, do PDT, sempre que viajava a Porto Alegre levava um cordeiro para o candidato do PT. Mariovane tem uma relação com o PT de São Borja. Na sua primeira eleição a prefeito " usou" o partido para se eleger e depois " criou" uma crise e se desvencilhou dele terminando com a coligação PDT/PT que o havia legado ao poder no Paço João Goulart.

Agora, no segundo turno, apesar de tantos cordeiros que ele levou ao governador eleito, não foram suficientes para que o PT sãoborjense aceitasse o prefeito na coordenação local da campanha de Dilma Rousseff, candidata a presidente da República, no segundo turno


Luiz Carlos Reche recebe título de Cidadão nesta terça-feira

Foto: radioagencia.com.br

O "padre Marcelo" do futebol ganha título de cidadão de Porto Alegre.


Luiz Carlos Reche recebe nesta terça-feira (26/10) o título de Cidadão de Porto Alegre, por proposta apresentada pelo vereador Haroldo de Souza (PMDB). A solenidade acontecerá às 19 horas, no Plenário Otávio Rocha do Palácio Aloísio Filho, na Avenida Loureiro da Silva, 255.

Homenageado

Natural de Lagoa Vermelha, Reche integra a equipe de esportes da Rádio Guaíba desde 1985, onde atualmente é o Chefe de Esportes. Possui, ainda uma coluna dominical no jornal Correio do Povo e o programa esportivo Cadeira Cativa, transmitido pela UlbraTV.

Vítor Bley der Moraes (reg. prof. 5495)

Ditados


encontrei o melo no Olimpico, no domingo e lhe fiz uma previsão sinistra. O gremio perderia o grenal...mas errei,ainda bem. Ontem ele me mandou estes ditados, pra começar bem a semana!!!!!


PIOR DO QUE NÃO TER O QUE VESTIR,
É Não Ter Alguém Para TE Despir...


Casamento começa em 'motel'
e termina em 'pensão'!

PINTO É QUE NEM DÓLAR:
SOBE NO PARALELO
E CAI NO OFICIAL.

'Um casamento vai para o brejo, quando você começa a engolir
tantos sapos, que não sobra mais tempo para comer a perereca!'

É fazendo muita merda que se aduba a vida!!!

'Ironia do destino é quando um jardineiro tem um filho florzinha e uma filha trepadeira...'

'ex-mulher é igual a McDonalds:
a gente sabe que não deve, mas acaba comendo de vez em quando...'

Qual mulher nunca comeu uma caixa de Bis por ansiedade, uma folha de alface por vaidade e um cafajeste por saudade?

'Não adianta ser rico e usar roupas caras,
se o melhor da vida a gente faz pelado.'

'Nóis só num bebe acetona
porque tira o esmalte dos dente.'


'Se tiver que casar,
case com uma mulher baixa.
Dos males, o menor!'

'Mulher boa deve ser tratada como o bom vinho: mantida na horizontal, no escuro e com rolha na boca.'

'Passar a mulher para trás é fácil,
difícil é passar adiante!'


Feliz é o dono de sex shop, que pode dizer:
'Pegue suas coisas e vá se foder!'
E o cliente ainda sai todo feliz.

'Às vezes, é melhor ficar quieto e deixar que pensem
que você é um idiota, do que abrir a boca
e não deixar nenhuma dúvida.'

Homem é como orelhão:
A cidade está cheia deles,
só que 75 % não funciona,
e o restante está ocupado.

Pelotas recebe seminário sobre o Pré-sal nesta terça-feira



Por proposição do deputado estadual Ronaldo Zulke (PT), a Comissão de Economia e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa promove a partir das 9h desta terça-feira, 26, no auditório da Universidade Católica de Pelotas, o seminário O Pré-sal e o Rio Grande Oportunidades para a Indústria, Trabalhadores e Sociedade. A entrada é franca e não requer inscrições prévias.

Participam do evento o presidente da Petrobras Biocombustíveis, Miguel Rossetto, o coordenador do Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás e Energia da Fiergs, Marcus Coester, o reitor da Ucpel, Alencar Proença, o vice-reitor da Universidade Federal de Rio Grande, Ernesto Cesares Pinto, o vice-reitor da Universidade Federal de Pelotas, Manoel Luiz Brenner de Moraes, e o pró-reitor de Extensão do Instituto Federal Sul, Renato Louzada Meireles. O coordenador da mesa será o deputado Ronaldo Zulke, representando a comissão da Assembleia.

Pré-sal aquecerá a economia brasileira

A descoberta de petróleo na camada do pré-sal, com extensão de 149 mil km², abriu novas perspectivas para o Brasil. Segundo levantamentos realizados, 28% da área, abrangendo os sítios de Tupi e Iara na Bacia de Santos (SP) e o Parque das Baleias na Bacia de Campos (ES), já foi licitada, o que, por si só, duplica as reservas nacionais petrolíferas, que eram da ordem de 14 bilhões de barris. Trata-se de uma extraordinária riqueza. Parte dos recursos auferidos contemplará programas de combate à pobreza, enfrentamento das mudanças climáticas e desenvolvimento da educação, cultura, saúde e ciência e tecnologia, comemora Zulke.

Segundo o deputado, a cadeia de produção do pré-sal incrementará também os titãs da indústria naval brasileira: Pernambuco, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, onde o governo federal já destinou R$ 10 bilhões para o polo naval de Rio Grande. A meta é aumentar de 2% para 10% a participação dos setores produtivos gaúchos no fornecimento de equipamentos, serviços e mão de obra para a Petrobras.

A meta, de acordo com Zulke, justifica-se em razão da grande produção dos navios no polo naval de Rio Grande, que serão utilizados na exploração do pré-sal.O fato de o governador eleito, Tarso Genro, haver incorporado em seu plano de governo esta bandeira de luta é uma notícia alvissareira, destaca.

O seminário O Pré-sal e o Rio Grande Oportunidades para a Indústria, Trabalhadores e Sociedade será realizado também em Caxias do Sul, na quarta-feira, 27. O evento é uma realização da VerdePerto Comunicação e conta com patrocínio da Petrobras.

Suicidio da Ditadura

Fazem 35 anos da morte de Vlado Herzog! (1937-1975)

Ontem,dia 25.10.2010 completaram-se 35 anos da morte " simulada" do jornalista da TVE de São Paulo Wladimir Herzog.

Nos próximos dias, vou contar os desdobramentos deste episódio. O presidente Ernesto Geisel teve que mudar o comandante do II EXército em São Paulo por causa do episódio e enfrentar uma sublevação discreta do seu ministro do Exército, Sílvio Frota. Quase que a abertura lenta,gradual e segura foi pro saco neste epísódio. Colaborou também para as mudanças que Geisel teve que fazer a morte no xadrez do DOPS de São Paulo do operário Manoel Filho.


“Quando perdemos a capacidade de nos indignar com as atrocidades cometidas contra os outros, perdemos também a nossa condição de seres humanos.” Vladimir Herzog


Wladimir Herzog...


Bêbado e a Equilibrista
João Bosco
Composição: João Bosco e Aldir Blanc
Caía a tarde feito um viaduto
E um bêbado trajando luto me lembrou Carlitos
A lua tal qual a dona do bordel
Pedia a cada estrela fria um brilho de a...lu...guel
E nuvens lá no mata-borrão do céu
Chupavam manchas torturadas, que sufoco louco
O bêbado com chapéu coco fazia irreverências mil
Prá noite do Bra...sil, meu Brasil
Que sonha com a volta do irmão do Henfil
Com tanta gente que partiu num rabo de foguete
Chora a nossa pátria mãe gentil
Choram marias e clarisses no solo do Brasil
Mas sei que uma dor assim pungente não há de ser inutilmente
A espe...rança dança na corda bamba de sombrinha
E em cada passo dessa linha pode se ma...chu...car
Azar, a esperança equilibrista
Sabe que o show de todo artista


Tarso a milhão...

No domingo, por volta de 17 horas, uma camionete com a voz gravada do governador eleito Tarso Genro percorria os arredores do Olímpico agradecendo os votos que o candidato havia recebido.


No tempo que as feiras tinham rainha


A feira do livro de Porto Alegre já teve rainhas. Uma delas foi Verônica Boeck, filha de Leopoldo, dono da Livraria Sulina(falecido). Verônica tem hoje uma livraria no bairro Moinhos de Vento.

A idéia da feira do livro ter rainha é porque qualquer evento tinha. E a primeira comemoração, recorda o ainda vivo e participante da primeria feira de 1955, Edgardo Xavier,foi no galeto do Marreta, em Petrópolis.

As rainhas da feira do livro em geral eram filhas dos livreiros e editores. É que a feira no começo tinha um ar de confraternização e de quermesse.A escolha da rainha se dava por aclamação. Segundo Xavier, a primeira rainha da feira do livro não era filha nem de livreiro nem de editor. Era uma funcionária da livraria Americana. No primeiro galeto que os livreiros deram foi oferecido a ela dar umas baforadas em um charuto e ela ficou tonta.

Dela, ficou apenas a lembrança do nome: OLÌVIA....
O resto virou fumaça....

Verônica Boeck, uma das rainhas da feira do livro de Porto Alegre recordou em 1997 que para as eleitas tinha uma emoção especial.

Verônica recorda que como todo filho de livreiro era levada para lá pelo pai.Ela fingia ajudar o pai nas vendas dos livros. " Aquilo era algo sagrado para nós" recordou a Verônica.

O Roberto Marinho do Chile

Este Salvador Pinera saiu melhor que a encomenda. Como sabe " faturar" mídia,hein...Ontem, jogou com os resgatados...uma partidita de futbol....

Não é por nada que o cara é o dono da Lan e da principal rede de tevê do Chile!

De São Borja


José Odon, um bom contador de histórias...

Foi numa das feira do livro de S. Borja, acho que em 2008 que um médico do Ceará apareceu pra lançar um livro sobre Jango...E na noite dos autógrafos conheci o José Odon de Souza Marques, um bom contador de causos e histórias, principalmente sobre Jango, com quem seu pai tinha um parentesco.
Soube depois que é veterinário,fazendeiro e acima de tudo " militante trabalhista" dos mais fiéis...

Já foi presidente da Juventude do PDT e do PDT de São Borja.

Pois também fui informado que José Odon é um excelente tribuno, talvez o melhor que o pDT tem em São Borja e um dos melhores da Fronteira Oeste.

Eu apenas conheci sua verve contando causos do Jango como fazendeiro, mas mais que isto, do Jango como comprador de gado. Disse o Odon que Jango sabia quantas cabeças de gado tinha num campo, dando uma olhada de cima....Era muita experiência...

 


Zélia Garcia

Eliziário Goulart Rocha*

Éramos todos muito jovens quando a conheci, nos anos 80, na redação do jornal Zero Hora. Os traços delicados, a pele morena, os cabelos radicalmente negros, a voz suave e algo rouca cujo tom eu jamais a veria elevar, formavam um conjunto que tornava Zélia Garcia uma mulher de todo modo interessante, mas havia mais: a delicadeza dos gestos, a educação refinada, os modos elegantes, a discrição sobre a vida pessoal, o charme natural reforçado por um guarda-roupa de bom gosto, com ênfase em cores escuras, em especial o preto, concediam a ela uma aura especial.
Aos poucos nos aproximamos, mas foi quando troquei o Esporte pelo Segundo Caderno, no final daquela década, que o caminho de Zélia Garcia e o meu se cruzaram em definitivo. Eu era editor assistente e ela repórter especializada em moda, beleza, estilo e comportamento, assuntos sobre os quais viria a escrever para as maiores revistas nacionais do segmento, como Vogue, Marie Claire e Elle. Na primeira vez em que peguei um texto dela para editar, uma matéria sobre beleza para a contracapa da Revista ZH, chamei-a e perguntei se gostaria de me ajudar. Zélia, de acordo com os usos e costumes das redações de então, entregara o material e dera o assunto por encerrado, uma vez que os repórteres não costumavam ser convidados a participar da edição.
O convite foi aceito com entusiasmo, Zélia sentou-se ao meu lado e “fechamos” a página juntos, com todas as decisões partilhadas e a certeza de que o material seria publicado do modo como ela imaginara, sem as costumeiras surpresas de dia seguinte. Começava a nascer ali um sentimento mútuo de respeito, carinho e admiração que perduraria por toda a vida. Um sentimento verdadeiro e longevo como só as amizades desprovidas de outras intenções ou interesses conseguem ser.
Saí do Segundo Caderno e assumi um cargo executivo na redação, cujas funções me faziam trabalhar até bem tarde, sendo sempre um dos últimos a ir embora. Era frequente a presença solitária de Zélia no espaço destinado a sua editoria, preparando reportagens especiais para o final de semana. Meticulosa, perfeccionista, além de dotada de um ótimo texto ela tinha uma visão privilegiada de como uma reportagem deveria ser apresentada ao leitor, qual a melhor forma de ilustrar, qual o melhor acabamento. Muitas vezes eu saía e ela ainda ficava lá, praticamente fechando a redação.
Um episódio é emblemático dessa dedicação: o telefone celular era uma novidade e a RBS comprara dois dos primeiros aparelhos disponíveis em Porto Alegre. Um deles, a serviço da redação durante o dia, à noite ficava comigo para que eu fosse chamado em caso de emergência. Eu era um editor em permanente plantão. Certa vez, já de madrugada, caiu um ministro da Fazenda – se não me falha a memória foi o Marcílio Marques Moreira – e a Zélia era a única jornalista ainda presente no prédio do jornal. Ela me ligou, deu-me a notícia e disse que já havia mandado um carro me apanhar. Voltei, parei a rodagem, alteramos a capa e uma página interna e o jornal foi às bancas com a notícia.
Alguns anos depois ela saiu da ZH, depois eu também, sendo que, no meu caso, houve muitas andanças. De lá para cá morei em Brasília (quando eu ainda estava no jornal), em São Paulo, em Florianópolis, idas e vindas que nos afastavam fisicamente, mas, mesmo nessas circunstâncias, sempre dávamos um jeito de nos falar por telefone ou pela internet. E as conversas se estendiam. Ao receber ou fazer uma ligação para ela eu já tratava de avisar que não me esperassem para o jantar, por exemplo, porque estava com a Zélia ao telefone. Tínhamos muito em comum e adorávamos trocar idéias um com o outro. É sempre bom falar com quem, de fato, tem algo a dar em troca.
Voltamos a trabalhar juntos, ainda que remotamente, em 2002/2003, quando eu assumi a direção de redação da revista Forbes, em São Paulo, e lhe encomendei algumas reportagens, entre as quais um perfil de Jorge Gerdau Johannpeter. No começo da apuração, diante de dificuldades em obter certas informações, e do fato de que ele não podia lhe conceder uma entrevista naquele momento, e como eu queria publicar logo a matéria, conversamos sobre a montagem do texto, falamos de Gay Talese e seu célebre perfil de Frank Sinatra, peça antológica do new journalism, feito a partir de observações e depoimentos de terceiros, uma vez que Sinatra se recusara a lhe dar entrevista, embora lhe tenha franqueado acesso ao seu dia-a-dia.
A reportagem de capa, sob o título “O homem do aço” e o título interno “Os saltos bilionários do cavaleiro Jorge” (em alusão ao notório gosto do empresário pelo hipismo e por cavalos de modo geral) converteu-se em tremendo sucesso. Tão logo a revista foi distribuída em Porto Alegre, eu estava na redação, em São Paulo, quando ouvi Augusto Nunes, o diretor geral da operação Forbes, falando ao telefone – como sempre num italianíssimo tom de voz: “Valeu, Dr. Jorge, que bom”. “Obrigado, vou transmitir com certeza” e coisas do gênero. Ao desligar, Augusto me disse: “Dê os parabéns à Zélia. O Dr. Jorge falou que foi a melhor reportagem que já fizeram a respeito dele.” Logo depois ligaram da Gerdau para o departamento comercial querendo comprar as eventuais sobras daquela edição para distribuir a amigos e clientes. Mais um golaço da Zélia.
Em reportagem sobre relógios, clássicos, de luxo, históricos, todos sonhos de consumo masculino, Zélia incluiu o Time Dimension, peça sem ponteiros, que utiliza círculos concêntricos, jogo de luzes e sombras para marcar a passagem do tempo, desenhado por Hans Donner, famoso pela criação da vinheta da Rede Globo, mas com bem sucedidas incursões em vários ramos do design e até da arquitetura. O Time Dimension viria a chamar a atenção de Bill Gates e se consagrar em sua versão virtual como protetor de tela do Windows.
Assim que a revista foi às bancas do Rio, Zélia estava em seu apartamento, em Porto Alegre – há cerca de três anos, por ocasião da morte do pai, mudara-se para Esteio a fim de ficar próxima da mãe – quando recebeu uma ligação: “Aqui é o Hans Donner”, falou a voz do outro lado da linha. Ela pensou que se tratava de brincadeira de algum amigo, quem sabe até minha, mas era ele mesmo, dizendo-se muito feliz por ter sido colocado ao lado de ícones da relojoaria. O designer manifestou vontade de escrever um agradecimento para publicarmos na seção de cartas. Quando fechávamos a edição seguinte, e o prazo se encerrava, ele, direto da maternidade, onde acabara de nascer João Henrique, seu primeiro filho com Valéria Valenssa, a notória Globeleza, encontrou tempo para redigir um bilhete carinhoso que fez chegar às nossas mãos em tempo de ser publicado.
São apenas dois exemplos, pois várias foram as reportagens de sucesso que a Zélia emplacou na Forbes, incluindo uma sobre o mercado da beleza masculina com Marcello Antony na capa, que, por razões óbvias, estendeu o público da revista ao universo feminino. Eu já sabia que a parceria daria bons frutos mais uma vez, pois eu não a convidara apenas por amizade, e sim pela competência, pelo talento e pelo profissionalismo dela, capazes de engrandecer a revista e o meu próprio trabalho. Quem faz isso, de convidar só pela amizade, compromete o produto e o futuro profissional. Conforme me ensinaram um dia, não tem qualquer problema em contratar um amigo se o amigo é competente, o segredo é não se encantar com medíocres.
Com Zélia a admiração nascera do conjunto: profissional séria, criativa e eficiente, pessoa de caráter inquestionável, chique, mas nunca esnobe, ética, bondosa, generosa, solidária e leal. Jamais brigamos, não tivemos sequer daquelas discussões bobas que os amigos às vezes têm. Talvez porque tanto ela quanto eu sempre selecionamos muito bem os amigos. Melhor que sejam menos, mas melhores e, sendo menos, possam dar e receber maior atenção. Fizemos muitos projetos e planos, alguns realizamos, outros não deu tempo.
Na tarde da quarta-feira 13 de outubro de 2010, com a mesma discrição com que viveu, Zélia, uma das melhores pessoas que conheci, deixou este mundo.
* Eliziário é jornalista.

Este texto foi extraído do blog do colega Prévidi.


O Piano de Dilma Rousseff


Foto do blog robsonpiresxerife.com

Por Rita Santana

Os textos que circulam na internet contra Dilma são preconceituosos e colaboram apenas para a formação de uma sociedade machista e excludente. É tão preconceituoso quanto o discurso de Serra. A imagem da mulher ainda está associada a uma pessoa que tem necessariamente que ser doce, pudica e pacata. Nós, mulheres, somos sempre assim? Vocês se encaixam nos padrões de feminilidade divulgados pela mídia? Todas vocês são Cléo Pires, Luana Piovani ou Larissa Riquelme, a musa da Copa? Acho improvável! Eu estou bem longe desse padrão. Durante o primeiro debate do segundo turno, Serra continuou agredindo com ironias e sarcasmos a candidata e ela reagiu a isso, não como uma musa indefesa, mas como uma mulher com a sua história e o seu currículo poderia, e deveria, reagir: com garra, força, determinação e com fatos, dados, que nós mulheres sabemos empregar muito bem quando nos sentimos ameaçadas e insultadas. Infelizmente, os homens e muitas mulheres – o que é ainda mais triste – não suportam encontrar, no gênero feminino, pessoas combativas, como se todas tivessem que ser cândidas e suaves sempre. Um colega, que vota nela inclusive, perguntou se ela estava de TPM no debate! Recurso, aliás, bastante utilizado pelos homens para desqualificarem nossos discursos, reações, protestos, nossas palavras ríspidas e nossas insatisfações. Como se mulheres fossem destituídas de rispidez, fala, protesto e indignação. Não somos! Temos fala, senhores e senhoras!
Existem mulheres guerreiras desde sempre no Brasil, podemos citar Maria Quitéria, que até hoje é honrada pelo exército brasileiro pelo seu heroísmo durante a guerra pela Independência da Bahia e do Brasil, e que só foi ao campo de batalha porque se vestiu de homem e fugiu de casa. Após ser reconhecida pelos seus méritos de soldado, teve que pedir ao Imperador que intercedesse junto ao seu pai para que ele a aceitasse de volta. Nunca foi fácil ser uma mulher de luta, de combate. Não acredito que a moça tivesse gestos delicados e jeitinho de fragilidade que nos foram impostos por uma sociedade absolutamente machista; nem que fosse o tipo que se conformasse em ficar fazendo fofoca e bordados enquanto o destino do País estava sendo decidido. Dilma também teve que assumir uma postura durante a ditadura militar, e o fez quando foi absolutamente necessário e isso é motivo de orgulho para todas nós. Era preciso, como agora, interferir, lutar e utilizar armas que colaborassem para o crescimento e a liberdade do Brasil, não para o seu retrocesso histórico. A minha única arma é a minha escrita e meu voto.
Um dos textos que circulam pela rede parece defender que a mulher deve ter um único marido, nunca se separar, nunca se aventurar em outros amores, nunca lutar por ideais políticos. E todo esse discurso, após tantos anos de conquistas, tantas lutas, tantas mulheres que morreram tentando provar o contrário?! Provar que somos capazes e que temos que quebrar as algemas sociais para sermos felizes, lutando pelos nossos ideais. Afinal, a felicidade não é uma receitinha pronta para simplesmente ser seguida, sem questionamento. A felicidade, às vezes, leitoras de Clarice Lispector, é Clandestina! A felicidade às vezes tem que ser guerrilheira, combativa, inusitada, variada, diversificada, inesperada, múltipla, herética e errática!
O texto, que me moveu a escrever, é muito antiquado e feito para destruir a imagem da candidata Dilma. Entretanto, o que ele destrói é a imagem de Serra e dos seus comparsas que reproduzem o pensamento de que cabe à mulher um papel silencioso e submisso diante da história do País e da sua própria história. O período de ditadura, que vivemos no passado, não foi fácil e muitos ficaram aqui para lutar contra a opressão, de forma armada sim, porque era a única forma de combater aquele regime, ele sim, assassino. Corpos de guerrilheiros, artistas, jovens, escritores, pais e mães de família, militantes, ainda hoje são procurados por seus familiares. Viúvas ainda sonham em enterrar os seus mortos.
Mulheres como Luíza Mahim, que participou da revolta dos Malês, aqui na Bahia, cujo filho Luís Gama, abolicionista, foi vendido ainda pequeno como escravo pelo próprio pai, certamente não são o tipo de mulher que a sociedade e algumas mulheres aceitem facilmente. Mas foram elas que fizeram a história. Foram mulheres que enfrentaram os olhares de repúdio e desprezo, os ataques e as calúnias, que construíram o País. Maria Filipa, negra, na ilha de Itaparica lutando capoeira e pensando de forma estratégica, conseguiu incendiar embarcações portuguesas e, assim, ajudar na nossa libertação. Mulheres assim são insubordinadas, não se acomodam com a classe ou a casa confortável dos seus pais ou maridos, ignorando o resto da população miserável e oprimida. Mulheres assim participam de movimentos sociais, lutam, amam, separam, brigam, estudam, divorciam, amancebam, assumem postos de poder, escrevem, e atuam para a transformação social. Algumas delas assumem a Presidência da República e não podem ser jogadas na fogueira do preconceito por causa disso! Estão ateando fogo e jogando pedra em Dilma, cujo pecado é disputar a Presidência da República. A Inquisição já acabou! Quem são os inquisidores de hoje e que armas eles utilizam? A internet?
Se não fosse a ousadia de uma Chiquinha Gonzaga, mulata, bastarda, não teríamos a nossa primeira maestrina capaz de compor músicas tão lindas, afinal, a sociedade do século XIX não aceitava mulher tocando o piano (vejam como o piano é velho e simbólico dentro da educação de mulheres no País), senão, dentro de casa e para o seu marido e os seus convidados. Ou seja, o piano era restrito ao espaço privado. O piano de Chiquinha queria mais! O piano de Chiquinha gritava para sair de dentro de casa e tomar as ruas, os bares, os boêmios, os negros excluídos da época. Porque a música que a interessava estava entre eles, produzida por negros. Isso era inaceitável para aquela sociedade. Mas a música de Chiquinha exigia mais! E ela enfrentou e combateu a todos para seguir o seu talento, o seu desejo!
Dilma também não aceitou administrar, apenas, a economia doméstica, como tantas de nós fazemos, e somos, até, elogiadas pelos homens por isso. Dilma regeu a administração do País inteiro ao lado do Presidente Lula, que preteriu a muitos nomes tradicionais do Partido, contrariou a muitos, inclusive a mim, no princípio, ao eleger como sua candidata, a sua preferida, Dilma. Certamente não o fez pelos seus encantos pessoais, nem pela sua beleza. Foi a sua competência que desviou o Presidente dos nomes esperados e sinalizados pelo Partido. Não deve ter sido fácil fazer essa opção, mas ele o fez com coragem e enfrentamento.
Voltando a Chiquinha, era necessário ir pros botecos, tocar com os negros e abandonar os seus filhos, pois não poderia criá-los sem a estabilidade do lar e do marido, sem a aprovação social da época. Assim é Dilma! Ela não poderia ser tão competente, aos olhos do maior Presidente da história brasileira, o nosso cara, e limitar a sua atuação ao anonimato da burocracia do governo! Era pouco e o presidente Lula, nordestino, sensível, homem surpreendente e encantador, percebeu isso. Ela era digna e capaz de ocupar o posto mais alto do País, não pela sua beleza ou simpatia, mas pela sua capacidade de gerir, administrar áreas comumente ocupadas por homens. Ministra das Minas e Energias, liderando a Petrobrás, tomando conta da Casa Civil. Mas o povo e, particularmente, algumas mulheres queriam que ela fosse simpática, agradável, doce. Lembro que o nosso povo votou em Collor porque muitos (e muitas) o consideravam bonito!!! Lula teve que suar e o povo que sofrer muito até colocá-lo no poder, e ele iniciar uma revolução democrática no País. As elites, que são muitas, não se conformam porque a população pobre, negra está ocupando, também, espaços sempre destinados às classes sociais elevadas. O povo está nas Universidades.
Com esse tipo de e-mail, estamos colaborando para o preconceito contra a mulher, contra a liberdade, contra a inteligência como um atributo feminino. São mães que estão negando às suas filhas a possibilidade de termos uma mulher, indicada por Lula, para dar continuidade às transformações sociais que as atingem diretamente. Suas filhas também serão mais respeitadas a partir de agora. Nós mulheres seremos mais ouvidas a partir de agora. Nossos discursos serão menos desprezados. Somos responsáveis pelos e-mails que enviamos e as ideias que eles divulgam. Leio os textos e vejo um exercício de manipulação dos fatos; vejo o retorno de um tempo tão longínquo (hoje eu já tenho 41 anos), onde propalavam que os vermelhos comunistas comiam criancinhas. Agora dona Mônica Serra diz que Dilma é assassina de criancinhas. Parece que essa gente subestima a NOSSA inteligência, a nossa capacidade de discernimento, a nossa capacidade crítica.
Sobre o aborto! Dilma hoje já prometeu não enviar leis para serem aprovadas nesse sentido. O que é perfeitamente compreensível nesse País tão cheio de pudores religiosos, onde os evangélicos ocupam de forma acintosa tantos canais de televisão, fazendo uma campanha acirrada contra a nossa candidata, que parece encarnar para os fanáticos a própria Eva ou Lilith. Quantas mulheres conhecemos que praticaram uma vez na vida algum aborto? Conhecem alguma mulher pobre que morreu em mãos de açougueiros ou tomando remédios por conta própria? Eu conheço! E sei que ela não teria morrido se o meu País não fosse tão hipócrita e ela pudesse ter sido atendida por um médico de verdade, com assistência legal. Afinal, a sua “escolha” de não ser mãe, naquele momento, já era tão difícil, tão dolorosa e triste, pessoal e intransferível. A sua morte abalou a todos daquela comunidade. Um abalo silencioso e proibido. Que ela tivesse, pelo menos, assistência médica; que não fosse tratada como bandida, que não morresse. São mulheres cidadãs e trabalhadoras que muitas vezes recorrem a essa – única – saída. Quantas casadas, decentes, honradas, amadas, vocês conhecem que também já o fizeram correndo risco de morte? O risco deve continuar? Até quando? Em nome de quê? O aborto legalizado ainda é um tabu nesse País de mulheres tão santas, católicas e evangélicas. País de não pecadoras! É hipocrisia considerar que não é preciso discutir a necessidade de adotarmos medidas de saúde pública para conter o número imenso de mulheres pobres, negras e brancas, mortas por praticarem aborto, pois as ricas têm assistência médica. É simples!
Essa certamente não é a plataforma de governo de Dilma! Os seus planos para o País são estruturais e ideológicos e vão além. Mas o aborto é o alvo principal dos seus inimigos. Dilma não legalizará o aborto, fiquem tranquilos! Ela já o prometeu! Está prometido aos evangélicos! Aqui ninguém o pratica e ninguém morre assim, certamente os números alarmantes apontados pelas pesquisas são uma ilusão, um engano. Além do mais, somos muito católicos e evangélicos para pensarmos nessa possibilidade. Vejam que as pedras do velho testamento continuam sendo atiradas contra a Mulher. Jesus veio e enfrentou o apedrejamento, lembrem-se! A adúltera não foi morta, pois alguém tinha que atirar a primeira pedra. Alguém que nunca tivesse pecado! A mulher foi salva por Jesus Cristo, no entanto, o que é essa guerra conta Dilma senão um apedrejamento simbólico, tão selvagem contra o bíblico?! A sede da nossa sociedade de punir a mulher que desobedece às leis sociais, que peca por contrariar o desejo masculino, por invadir um espaço social, público, destinado aos homens. Peca por disputar o poder com um homem que fala em nome da moral e dos bons costumes, com o visível propósito de atingir a candidata, como se ela e a sua biografia não fossem dignas. Serra com a sua moral falaciosa! Um homem agressivo, acintoso, que utiliza do cinismo o tempo inteiro para atrair aqueles que também se querem virtuosos e virtuosas. Hipócritas! Gente com a sanha do apedrejamento, que deve ser um desejo coletivo inconsciente capaz de mobilizar as massas para grandes espetáculos mórbidos, como acontecia durante a Inquisição. Vamos ver as bruxas morrerem na fogueira! E se possível vamos apedrejá-las também!
A mulher que sai da toca e afirma-se como um ser pensante e participativo, que pega em armas como Maria Quitéria, como Anita Garibaldi, como Olga Benario. Elas são mulheres muito próximas de Dilma, parceiras, companheiras (aquelas que dividem o pão) e certamente jamais teriam como amante, marido, namorado, companheiro um tipo como José Serra. Certamente – e aqui vai o meu delírio utópico/poético – essas mulheres amavam homens intensos e verdadeiros, atraentes, sedutores e, principalmente, sonhadores. Homens que respeitavam seus discursos e acreditavam no direito da mulher de ser Grande. Certamente seriam homens que se orgulham do poder feminino e da sua capacidade de gerir empresas, como Dilma, e de gerar filhos, também como Dilma! Jamais um forjado Zé Serra capaz de divulgar esse tipo de pensamento sobre sua adversária política e de tratá-la de forma tão grosseira e deselegante. Um casca grossa!
Parece que a sociedade acredita na mulher apenas administrando a sua cozinha. Mas Dilma, Chiquinha, Luíza, Anita, Olga, Filipa, Quitéria, Joana Angélica, quiseram bem mais. O texto que me moveu faz alusão ao piano que Dilma tinha na casa dos pais. Moça de família! O piano foi a arma de Chiquinha Gonzaga, mas o piano de Dilma não respondia às necessidades de transformação social que ela aspirava. Por isso, certamente, Dilma, foi fazer política e suas armas foram e são outras. O falo da fala, como diria Maria Rita Kell.
Um beijo, companheiras históricas de tantas batalhas que ainda temos que enfrentar! E que a fama de que nós, mulheres, não somos solidárias umas com as outras não seja consolidada nesse momento histórico do País. Sejamos solidárias com a competência de Dilma e com a sua qualificação para dirigir o nosso País. Em anexo, uma música de Chiquinha Gonzaga para abrandar e encantar nossas almas. Lua Branca é a música.


A TRAGEDIA DO RG-254

A NOITE POR TESTEMUNHA

DE IVAN SANT'ANNA

Pois é ,assim que vi o presidente Lula falar em Rojas me lembrei que naquela noite havia ocorrido uma tragédia com um avião da Varig, que saíra de São Paulo, com destino a Belém, mas que o comandante, César Augusto Padula Garcez ,então com 32 anos,gaúcho e solteiro se perdeu na rota entre Marabá e Belém,caindo a 1.200 km do seu destino, já dentro do estado do Mato Grosso, depois de 3h46 m de um vôo absurdo.Durante muito tempo a farsa do goleiro Rojas foi meio que culpada pela tragédia aérea...já que segundo alguns versões surgidas logo após a queda do avião o comandante Garcez estava entretido ouvindo o jogo do Brasil e Chile
.Abre aspas: é o relato do Ivan Sant'anna em seu livro:
CAIXA PRETA
Numa entrevista ao jornalista Walter Lima, do programa Revista Nacional, da Rádio Nacional de Brasília, Josete Maria da Fonseca,sogra de Liceia e Kátia Melzao( duas das que estavam no avião sinistrado) criticou severamente GarceZ. Disse que o comandante do aeronavE, além de estar ouvindo o jogo BRASIL X CHILE , bebia uísque e namorava a comissária Jacqueline( Jacqueline Klimeck Gouveira,então com 23 anos,carioca e então solteira) durante o vôo.

Disse também que a chefe de equipe Solange levou uma bandeja com bebidas alcóolicas pra o cockpit e que Gacez e Jacqueline brindaram com uísque, em meio a uma algazarra.
Em nenhum momento este avião se aproximou do seu destino, muito antes pelo contrário. Depois de tomar o rumo Oeste, o comandante Garcez, obviamente não encontrou Belém onde deveria ter chegado uma hora e pouco depois de ter decolado em Marabá, última escala antes do destino final. O vôo nasceu em São Paulo, naquele domingo de manhã, final do inverno, dia 3 de setembro de 1989.
( Lula deve lembrar bem disto porque foi pouco antes dele perder a eleição no segundo turno para Fernando Collor de Mello)
Dos 54 ocupantes do avião, após a queda, ( o avião perdido voou até acabar o combustível, quando o comandante Garcez fez um pouco no meio da selva...)
apenas 10 deles saíram ilesos ou com ferimentos menores.
Doze faleceram.Os demais sobreviveram.

Narra ainda Ivan Sant'Anna:

Num depoimento que comprometeu seriamente os dois aviadores( O COMANDANTE GARCEZ E O CO-PILOTO Nilson de Souza Zille,mineiro, na época solteiro e até hoje com este estado civil) o então diretor de Operações da Varig Milton José Comerlato, declarou à Polícia Federal que " hovue por parte do piloto e do-cpiloto negligência na operação e indisciplina operacional, não consultando mapas, manuais e não procedendo o acompanhamento da rota do vôo".

Para quem quiser saber, a Varig procurou restringir a culpa a Garcez e Zille eximindo-se de qualquer erro. O argumento da empresa é que apenas eles interpretaram incorretamente o plano de vôo computadorizado.
E conclui Sant"anna:

Quanto as acusações de que Garcez e Zille haviam bebido(flaou-se até que cheiravam cocaína a bordo durante o vôo) não existe nenhuma prova e nem mesmo indício deste comportamento.E também improvável que um deles estivesse namorando uma aeromoça no cockpit: a etapa Marabá-Belém dura menos de uma hora , tempo que costuma ser consumido nos procedimentos de subida e descida e na cabine de passageiros no trabalho de preparar servir e recolher as bebidas.
Nas restantes duas horas e meia de vôo( quando o comandante estava perdido) quando o avião se encontrava perdido, nem mesmo se Romeo fosse o piloto e Julieta a comissária, teria havido clima para um namoro.

Jamais,afirma o autor de Caixa Preta, se saberá aoc erto ( a não ser que um deles o confesse) se os pilotos estavam ou não escutando o jogo do BRASIL X CHILE após a decolagem de Marabá. na fita CVR, só ficaram gravados os últimos 30 minutos de vôo.
Apontam que o maior erro do comandante, que era muito orgulhoso e ficou com medo de perder o emprego, foi não ter avisado ao Centro de Controle de Tráfego Aéreo e aos colegas pilotos com os quais conversou ao longo do vôo, que estava perdido, tão logo o percebeu( toda a tripulação se dera conta que o comandante estava voando totalmente sem rumo, porque Belém,que deveria surgir logo em seguida, não aparecia nunca....)

Garcez e Zille tiveram seus brevês cassados pelo Ministério da Aeronaútica . Foram condenados pela Justiça Federal, ambos a quatro anos de prisão. Apelaram da sentença. Em 2000, quando Sant"anna redigia seu livro Caixa-Preta, ambos aguardavam em liberdade o julgamento do recurso pelo Tribunal Regional Federal da primeria região, em Brasília.

Em 2000,Zille era solteiro, vivia no Rio e trabalhava numa organização de festas.

Garcez tinha se casado, tem um filho e e ganha avida em Florianópolis, onde vivia naquele ano.

Em 1997, o Fantástico, da rede Globo, fez uma matéria sobre esta tragédia. O repórter Roberto Cabrini apresentou trechos do CVR, com os diálogos travados pelos pilotos no cockpit e o speech de Garcez, minutos antes da queda, . Cabrini entrevistou passageiros e tripulantes daquele Boing, inclusive o piloto e co-piloto.A reportagem teve grande audiência e ganhou prêmio internacional.
Garcez admitiu que errou mas disse que foi induzido ao erro pelo plano de vôo mal elaborado.
Zille disse que Garcez poderia ter evitado a tragédia que matou 12 pessoas.
" Aquele acidente só aconteceu por excesso de confiança do comandante . E por egoísmo.Por ele não ouvir ninguém. Fazia questão de que as coisas se processassem como ele queria". Zille ainda disse que o colega provocara a morte de 12 pessoas por ter medo de ser demitido.


Rojas


Em 1989, precisando vencer o Brasil em pleno Maracanã para se classificar para a Copa do Mundo da Itália de 1990, o Chile protagonizou uma maiores farsas da história do futebol. Com sua equipe perdendo de 1 a 0 e dando adeus ao sonho de disputar o Mundial, o goleiro Roberto Rojas se aproveitou do fato de um foguete sinalizador ter sido atirado no gramado próximo a ele, tirou da luva uma pequena navalha e se cortou, simulando ter sido atingido pelo artefato.
O lance ocorreu aos 24 minutos do segundo tempo e o goleiro saiu carregado pelos companheiros e levado ao vestiário. O juiz Juan Lostau esperou 20 minutos e encerrou o jogo.
O time chileno saiu de campo, tentando provocar uma nova partida ou mesmo ganhar no tapetão, mas a farsa foi descoberta.
Médicos legistas que o examinaram após a partida encontraram só uma "ferida incisa sem vestígios de pólvora" em seu supercílio. Ele disse que colocou em seu relatório que o Chile abandonou o campo.
Como punição, o Chile ficou impedido de disputar jogos oficiais por cinco anos e Rojas foi banido do esporte. Pouco tempo depois descobriu-se a identidade da pessoa que atirou o rojão. Era uma mulher, Rosenery Mello, que ficou conhecida como "a fogueteira do Maracanã".
Anos mais tarde Rojas voltou a trabalhar no futebol como preparador de goleiros e mais tarde como treinador do São Paulo.
Fonte: Folha Online


Coleguinhas

Cristiano Dartsch, leitor deste espaço, acha que a presidente do Grupo Conceição e suplente de deputada estadual pelo PCdoB, Juçara Cony tem chances de ser a futura secretária de Saúde do governo Tarso. Ou então o deputado federal, do PT, Henrique Fontana, que é médico.


O "Santo" Serra !

Boa foto do fotógrafo da zero hora. Pegou bem a lâmpada na cabeça, dando a impressão de que Serra tenha uma auréola.....



Como diz seu ditadozinho de campanha:::

Serra é do Bem, serrá é do Bem!

Será?


Será Charqueadas?

nada como ter leitores atentos. Obrigado Josi.


Sempre soube que o Felipe Vieira era (nasceu??) em Minas do Butiá, ou simplesmente, Butiá. Isso porque a Ligia Tricot, que é de Arroio dos Ratos (cidade vizinha de Butiá) sempre brincava com ele devido a vizinhança.

abs
Josi Negreiros


Tarso visita Lajeado dos Bugres


O governador eleito Tarso Genro visita Lajeado dos Bugres, onde foi bem votado.


Tarso Genro - Assessoria de Imprensa

www.tarso13.com.br
twitter.com/tarso13


Pelé 70 anos!

Já vai tarde...

O jogador, 10

O cidadão, putz!!!!


Bares que viraram lenda....

O EncouraçadoButikin( final)

No dia da inauguração do Butikin, uma multidão se fez presente,lembra num texto, Tatata Pimentel.O festerê durou até as 9 da manhã e as mulheres iam saindo da nova boite de óculos escuros....

Ruy Sommer trouxe muitos espetáculos a sua nova casa....Trouxe estrelas da música nacional, como a " divina!" Elizete Cardoso..Também trouxe Maria Bethânia...

Muitas excentricidades e celebridades conheceram o bar que virou a sensação de uma época. Dizem até que houve quem " noivou" e casou dentro do Butikin....

Uma vez um Rolls Royce subia a av. Independência, deu a volta na Praça Júlio e na descida pára na frente da boite: do carro desce o embaixador,sua mulher e a filha: iam para Buenos Aires mas queriam conhecer o Butikin.

Simone e Gal Costa, vindas diretamente da Bahia, iam cantar no Butikin mas seu aspecto era tão " medonho" que o dono da boite contratou o Elifas Cabelereiro pra dar uma arrumada nelas...

Dois garçons se destacaram nesta época: Almir e Alvacir....
Eles conheciam as manhas de cada freguês...
Gilberto Dieterich colocava a tocar principalmente música francesa.

O dono não dormia. Morava na casa. Mas aí com os cachês dos artistas cada vez mais caros, começaram os empréstimos.

O arquiteto Milton Mattos projetou uma reforma da boite.

Alguns dizem que o jornal contestador Pato Macho teria nascido dentro do Butikin. Luis Fernando Verissimo nega o fato. Diz que as reuniões de pauta do jornal que costumavam ser melhores do que o próprio jornal em si, eram feitas na sua casa.

Mas alguns dos titulares do Pato Macho frequentavam o Butikin, como Coi Lopes de Almeida, Sérgio Rosa, Fernando Ferlauto..
A doença que pegou o dono chega e Ruy Sommer luta contra ela...

Ainda tentou trazer Elis Regina prum show na casa, mas ela nunca veio.
Ruy na verdade morreu tão abandonado como o Butikin ficou.
Quem o acompanhou no cemitério foi seu sempre amigo Tatata Pimentel, que narra:
- Eu e o corpo do Rui numa pavorosa noite de velório no cemitério. Amigos de estaleiro no Encourçado e amigos na morte....

O Butikin passou depois para outros proprietários....


Curiosidade

Este ano outubro terá 5 sexta-feiras, 5 sábados e 5 domingos.

Isto acontece uma vez a cada 823 anos. Estes anos são conhecidos
como 'money bags'.


CONVITE - PRÉ-ESTREIA - 27 out 2010 - 21h - TEATRO RENASCENÇA - PORTO ALEGRE

Inauguração da Agência da Boa Notícia Guajuviras

Uma bela notícia para o teu blog, mesmo que já tenha acontecido!


Olá a Todos & Todas,

Convidamos para para a festa de inaguração da Agência da Boa Notícia Guajuviras, que será realizado na próxima SEGUNDA-FEIRA, 25/10, às 10 horas, na sede do projeto de mesmo nome, localizada na Av. Boqueirão nº 3367, bairro Guajuviras, Canoas, RS, pelo Sr. Prefeito Municipal.

O evento contará com as presenças do Sr. Reitor da Unisinos, dos professores das oficinas, jovens, escolas, membros do Comitê do Território de Paz, entidades, agentes comunitários, autoridades locais e comunidade em geral.

Esse é um projeto inovador de jornalismo cidadão, uma iniciativa da secretaria de Segurança Pública com Cidadania (SMSPC), da Prefeitura de Canoas, que faz parte do Programa Nacional de Segurança Pública com cidadania (Pronasci), do Ministério da Justiça. O objetivo é capacitar 240 jovens do bairro Guajuviras, em Canoas, para produzir conteúdos de comunicação cidadã, videodocumentários, boas notícias, programas de webtv e rádioweb, além de conteúdos multimídia para Internet. Os participantes terão à sua disposição uma sede com dois estúdios e salas de oficinas, assim como com equipamentos para a criação de conteúdos próprios e receberão formação em sete tipos diferentes de oficinas.

Uma equipe com 17 pesquisadores da Unisinos acompanha e avalia, conjuntamente com a equipe de técnicos municipais, o andamento dos trabalhos.

ANOTE E VENHA PARTICIPAR

DATA: 25/10

HORA: 10h

LOCAL: SEDE DA AGÊNCIA DA BOA NOTÍCIA GUAJUVIRAS (Av. Boqueirão, 3367 - Rótula do Guajuviras - Canoas - RS)

PROGRAMAÇÃO

10h - Recepção dos convidados pelo Sr. Prefeito Municipal
10h15 - Pronunciamentos
10h40 - Apresentação de peça de teatro pelos jovens do Protejo
11h - Ato de inauguração
11h10 - Entrevista coletiva com Prefeito de Canoas, o reitor da Unisinos e os jovens da Agência da Boa Notícia Guajuviras
11h15 - Apresentação de funk pelos Mulekis Sedutores

TRAJETO

Trensurb até a parada Mathias Velho - ônibus Guajuviras pela Boqueirão até a Rótula da entrada do bairro Guajuviras


Vamos fazer um grande encontro com os jovens e as jovens pela comunicação cidadã.

Contamos com VCS!
Um abraço,

Andrea de Freitas,
Coord. Observatório de Comunicação Cidadã - Agência da Boa Notícia Guajuviras,
Diretoria Pronasci,
Secretaria Municipal de Segurança Pública com Cidadania - Prefeitura Municipal de Canoas - RS.

 

Domingo

Madruguei neste domingo porque tinha que estar na Guaíba antes das oito. E com este horário de verão, ainda era noite fechada.

Quando desci no Mercado Público deu tempo de tomar uma meia taça de café com leite e comer um pastel,feito na hora. O atendente, ainda veio quer contar-me o barraco que fora sua casa na noite anterior e eu ali morrendo de sono....

Na Guaíba, quando cheguei, uma senhora de 90 anos , uma italiana, esperava o programa pra falar do livro dela, sobre a II Guerra Mundial já que ela tem 90 anos....

Mas ela deve ter dormindo cedo,imagino, pra estar desperta aquela hora da manhã.


O DOMENICA ITALIANA é apresentado ao vivo, e este é seu grande mérito. Carmione Mota o comanda.

Tem uma legião de ouvintes, principalmente junto a colônia italiana....


RENATA LOUCA PELO MAR....

Vendo a foto da minha neta Helena no barco de pescadores em Floripa, me lembrei de uma passagem,ocorrida há 30 anos atrás, quando sua mãe, quase tão pequena quanto ela, fugiu para o mar . E me saiu esta crônica
, deveras melancólica e saudosista:

No começo dos anos 80( do século passado) Floripa não era tão habitada quanto o é hoje. Não tinha ainda o jornal DIARIO CATARINENSE , do Grupo RBS, fundado em 1986, e a " ilha" como Floripa é chamada pelos ilhéus, ou os " manezinhos"(habitantes nativos) era formada fundamentalmente por funcionários públicos federais,estaduais e municipais.
As cidades industriais de Santa Catarina com seu PIB forte eram e são as localizadas mais ao Norte da ilha, ou seja, Blumenau,Itajaí, no denominado Vale do Itajaí
.

Mas Floripa fazia as delíciais do verão, porque lá existia e existe 42 ou 46 praias. A gaucholândia passou a se mudar para lá bem nos anos 80....

De uma feita percorri todas estas praias da " ilha" em companhia do fotógrafo(já falecido Adolfo Alves) pra fazer um a matéria pra um Guia de Verão da ZH.

E o que me despertou a atenção é que mesmo estando em novembro naquele ano que lá fui a serviço, era que a secretaria de turismo do Estado só funcionava à tarde. De manhã, seus funcionários estavam todos curtindo uma prainha...

O expediente burocrático da secretaria só a partir das 14 horas, ou seja,cidade boa de se viver, mas ruim de se ganhar dinheiro.

Praias mais comentadas naqueles primeiros anos da década de 80 eram Jurerê, Ingleses( com as placas já pichadas pelos argentinos, que detestavam ver simplesmente a placa com o nome de Ingleses...)Santinho( onde hoje tem o costão era um descampado e lembro até dos morros cheios de grama onde a magrinhagem ia queimar um que outro....)

Pois foi num destes verões do começo dos anos 80, que perdemos a Renata(mãe da Helena). Eu e a mãe dela....

Ficaríamos acampados no apartamento do estudante de medicina, Mário Sérgio, que ficava ali onde hoje term um grande supermercado, acho que é na Praia Norte. Hoje tem shopping, mas naqueles anos havia oc ampo do Avaí...
Mário Sérgio era de Criciúmas mas este pequeno muquifo ele o usava quando ia passar uns dias em Floripa...

Chegamos numa Brasília verde numa sexta bem de tardezinha. As gurias eram pequenas e estavam loucas pra largar aquele carro depois de uma tarde inteira dentro dele...

Eu e a mãe da Renata ficamos desocupando os pertencences de dentro da Brasília, e não prestamos atenção na Renata, que literalmente fugiu pro mar, que não ficava distante de onde iríamos nos hospedar.


E nada da Renata, quando nos demos conta que ela tinha sumido.

Saímos atrás da guria, como dois desesperados, Eu por um lado e a mãe dela, pelo outro...


Aquela meia hora do desaparecimento me pareceu uma eternidade.A mana dela, a Ana, não sabia dizer para onde a irma tinha saído....Já íamos correndo para uma rádio para anunciar o extravio da guria quando depois da mãe dela ter percorrido várias ruas em volta dali a avistou no colo de uma senhora....

Depois de achada,v oltou tudo ao normal... A nós, a safada ainda confessou que depois daquela viagem interminável ela queria mais era pegar uma praia, mesmo já sendo fim de tarde...e aproveitou nosso descuido pra ir pro mar. Só que se perdeu.
Foi para um lado, mas acabou indo pro outro. Dado como era acabou no colo de uma senhora que viu a criança perdida na rua...

NADA MUDOU

Por Carlos Chagas

Já se vão 21 anos da pedrada que acertou a testa do jornalista Cláudio Humberto, então assessor de imprensa do candidato Fernando Collor, a quem o arremesso se dirigia. Foi em Niterói, no final de um comício, sendo aquele ato de violência atribuído a um grupo de partidários da candidatura de Leonel Brizola. O ex-governador do Rio reagiu com veemência, denunciando que a pedra partira de adeptos do Lula, disfarçados de brizolistas. Nada foi apurado como devia e o episódio não durou mais do que as 24 horas regulamentares.
O tempo passou e a moda, agora, mantido como palco um subúrbio do Rio, parece de acertar candidatos com rolos de adesivos. O alvo foi a careca de José Serra, mas, desta vez, nem sangue correu. Por via das duvidas o tucano procurou um hospital, constatando-se nenhuma seqüela.

Dada a amplíssima cobertura jornalística que cerca a campanha eleitoral, dúvidas inexistem de ter sido a militância do PT responsável pela agressão, ainda que a sessão fluminense do partido tenha desmentido, em nota oficial. Registraram-se sucessivas imagens do entrevero entre os companheiros e a segurança de José Serra.

Mudou alguma coisa, de 1989 para 2010? Desafortunadamente, não. Porque de hoje até o dia 31 mais se acirrarão as campanhas, seus exageros e suas baixarias. Reflui ao patamar do subdesenvolvimento o Brasil que em matéria de técnica eleitoral dá lições até aos Estados Unidos. Podemos ser os mais rápidos do mundo em termos de apuração de votos, mas na briga pela sua conquista, igualamo-nos a certas repúblicas africanas e asiáticas. A imagem que correu os cinco continentes, ontem, foi a de José Serra cobrindo a careca com as mãos. Há 21 anos, foi do Cláudio Humberto com razoável curativo na testa...

DEUS NÃO TEM PARTIDO
Houve tempo, nas décadas de quarenta, cinquenta e sessenta, em que a Igreja Católica participava ativamente do processo eleitoral. Bispos e até cardeais divulgavam listas de candidatos nos quais os fiéis estavam proibidos de votar, sob pena de excomunhão. Nos sermões de domingo, não apenas os filiados ao Partido Comunista eram proscritos. Também os desquitados e os que viviam um segundo casamento. Ameaçava-se com o fogo do inferno quantos descumprissem as diretrizes eclesiásticas.

A própria Igreja encarregou-se de corrigir aqueles excessos, entendendo que a opção político-partidária nada tem a ver com o dogma ou a liturgia. E até desestimulando padres de concorrer a postos eletivos.
O diabo (com perdão do substantivo mal-empregado) é que outras igrejas proliferaram e se transformaram em agentes político-partidários. Apresentam candidatos em proporção muito maior do que os católicos apresentavam antes, bem como se arvoram em árbitros eleitorais. Exigem dos candidatos compromissos formais com suas doutrinas, intimidando-os e levando-os a perigosas omissões por conta da ameaça de colocá-los num index redivivo.

Seria bom o poder público prestar atenção nos possíveis desdobramentos desse fenômeno. Afinal, as igrejas não pagam imposto...

NÃO PODEM MAIS ERRAR
Depois do vexame de suas previsões no primeiro turno das eleições, encontram-se os institutos de pesquisa numa cruel encruzilhada. Não podem simplesmente escafeder-se, renunciando às suas próprias finalidades, mas, no reverso da medalha, estão proibidos de errar. Chegaram a alardear a vitória no primeiro turno de um candidato, depois da adversária dele. Pisaram feio na bola quando examinaram as sucessões estaduais e a composição do Senado e da Câmara. Agora, diante do segundo turno das eleições presidenciais e de alguns governos estaduais, sabem da inocuidade de afirmar que o eleitorado mudou, da noite para o dia. Os números precisarão, no mínimo, seguir as tendências majoritárias. Este alerta explica as pesquisas do fim de semana.

DEBATES
Mais um debate vem centralizando a atenção dos candidatos e de suas respectivas assessorias. Será na TV-Record, dia 25, segunda-feira. O horário não favorecerá a audiência: 11 horas da noite. Depois, ficará faltando o último encontro entre Dilma Rousseff e José Serra, na sexta-feira, 29, na Rede Globo.

O problema é que nem os privilegiados cérebros dos principais comandantes das campanhas conseguem mais produzir novas idéias e diferentes propostas para os candidatos sustentarem. Ainda mais dentro das rígidas regras impostas pelas emissoras. Obrigados a resumir em no máximo dois minutos qualquer programa ou diretriz de governo, Serra e Dilma obrigam-se a repetir os mesmos chavões diante das mesmas indagações.
Ainda bem que dia 31 termina tudo.

Recebo do Letier Vivian, de São Borja...

Ele ficou com medo,acho eu!


Tu viu o nome do índio que casou com 2 mulheres no teu site???
AZAHR!!!!!

Viu, entendeu? AZAR!
heheheheheh
o cara não dá conta de uma e pega logo 2?
Psssss, coitado


Estréia do clipe "Soy Pecadora" de ANA PRADA na MTV.




A cantora e compositora uruguaiaAna Prada é hoje um dos nomes mais celebrados da nova música da América Latina. Com dois Cds lançados "Soy Sola" (2006) e "Soy Pecadora" (2009) consegue realizar de forma exitosa a fusão dos ritmos folclóricos do pampa (chamamé, milonga, vanera...) com a música pop atual. Nos últimos anos, foi convidada especial de muitos shows de grandes nomes da canção latino-americana como Jorge Drexler, León Gieco, Liliana Herrero e Fernando Cabrera, entre outros. Recentemente deve-se destacar a sua participação no tributo latino aos Mutantes, Cd "El Justiciero Cha,Cha,Cha" (2010), ainda sem previsão de lançamento no Brasil, onde a "cantautora" natural de Paysandú gravou uma curiosa versão de "Fuga Nº 2".
Em 2011, a MS2 Produtora, responsável pela carreira de Ana Prada no Brasil vai lançar com exclusividade no país, através de seu selo musical, o mais recente trabalho da cantora e compositora uruguaia, o elogiado "Soy Pecadora".

Mas antes disso, os brasileiros poderão conhecer o ousado clipe de "Soy Pecadora", o primeiro filme promocional do trabalho homônimo. A estréia nacional ocorrerá nesta terça-feira (26/10), no LAB matinal da MTV. E os porto-alegrenses também poderão conferir em mais de 100 ônibus da frota da capital, o clipe de "Soy Pecadora", através do Canal Você da Ativa (http://www.canalvoce.com.br/), sendo o mesmo veiculado a partir deste domingo (24/10).

Serviço:

O que: estréia nacional do clipe "Soy Pecadora" de Ana Prada
Quando: manhã de terça-feira (26/10)
Onde: LAB MTV

A partir de domingo (24/10), o clipe "Soy Pecadora" será exibido em mais de 100 ônibus da frota da capital via Canal Você da Ativa.

assista ao clipe Soy Pecadora - http://t.co/Lvm34ui

Guto Villanova
Jornalista
Assessoria de Imprensa da MS2 Produtora

A prisão do desafeto

Ellen Augusta Valer de Freitas

As crianças, com raras exceções, percebem o animal como coisa, como parte do mundo. Isto porque, no mundo da criança, tudo faz parte dela.
A educação humanitária ensina que, para mostrar respeito ao outro, devemos respeitar sua individualidade, sua condição diferente da nossa.
Os zoológicos são lugares perversos nesse sentido. Eles reforçam o caráter egoísta do ser humano e mostram de maneira óbvia como tratamos os animais. Coisas a serem admiradas, invejadas, tomadas.
Quem já foi a um sabe bem: multidões fazendo churrasco, enchendo a cara, jogando comida, pedras e outros objetos nos animais. Furando os olhos dos mais mansos com gravetos. Essa é a condição egoísta de nossa espécie. Curiosa e arrogante por natureza. Diferente dos santuários, que abrigam animais carentes, sobretudo os que vêm do tráfico de animais e já não tem mais nenhuma chance de readaptação em seu ambiente natural, os zoológicos são centros de lazer para humanos e prisões para o restante dos animais.
Os santuários abrigam animais e até podem receber visitação, mas é orientada. A precariedade dos zoológicos e o foco centrado no lazer para humanos fazem deste lugar algo terrível.
Quando era criança, fui ao zoológico de Sapucaia do Sul e não me lembro de absolutamente nada. A ideia romântica de que o zoológico é uma experiência incrível para as crianças não é bem assim. Nas vezes em que voltei ao zoológico, já como estudante de biologia, detestei o que vi.
Alguns animais, só conheci pois os vi mortos na estrada ou em trabalhos dentro da faculdade de Biologia (os animais nativos do RS que morrem no zoológico de Sapucaia do Sul eram fornecidos para o Instituto Anchietano de Pesquisas para serem reaproveitados em trabalhos dentro do centro. E eu fui voluntária nesta parte do trabalho que era desmembrar os animais já mortos para montar uma coleção de esqueletos para serem usados em comparação na zooarqueologia). Neste ponto, é um importante recurso para substituição da vivissecção, mas na área de arqueologia e zooarqueologia não se pratica vivissecção, pelo menos até onde saiba.
Não acho que o fato de não ter visto animais como leões, girafas, camelos tenha comprometido minha visão sobre os animais. Não temos o direito de ver os animais que não vivem em nossa região. E temos que aprender a aceitar e entender isso.
Cada ser vivo pertence a um contexto, alguns vivem nas profundezas abissais e jamais viveriam fora de lá. Não temos o direito de interferir em suas vidas apenas por uma curiosidade mórbida, e jogando mais uma vez o peso sobre as crianças – que é a desculpa que ouço sempre – “as crianças precisam conhecer o canguru”.
Não precisam. Elas precisam conhecer o respeito aos seres vivos, precisam conhecer os animais de sua região, estudar seus modos de vida, visitar lugares onde eles vivem livres. E aceitar que não podemos ver tudo, que bugios podem não querer contato conosco. E teremos de respeitar sua vontade, não jogando pedras e nem fazendo cara feia.
Mas como é difícil aceitarmos o outro, e desenvolver em nós sentimentos genuínos de amor e respeito, quem sabe, amizade.
Ontem pela manhã a TV mais uma vez refletiu de maneira perfeita a mentalidade de muitos, mostrando o “amor” dos criadores de animais. “Para mim são como filhos”. Curioso é vender e agenciar a reprodução dos “filhos”.
No mundo onde poder falar sem parar num celular é o que conta, mesmo que só se digam bobagens, pouco se investiu na qualidade dos sentimentos, tudo é uma questão de compra e venda de afetos.
Compram o bichinho fofinho, mas só querem daquele tipo x, o com cara de lobo, o com cara de ursinho, de acordo com o freguês. E recentemente a campanha contra a compra de girafas importadas da África para “abastecer” o zoológico de Sapucaia do Sul mostra que nem todos estão girando nessa mecânica. Ainda existem pessoas que sentem de verdade, pensam de forma realmente inteligente, e deixam um pouco para lá nossa curiosidade e vontade de comprar o mundo e a felicidade.




A MAIS PURA VERDADE...

A medida que envelheço e convivo com outras, valorizo mais ainda as mulheres que estão acima dos 30. Elas não se importam com o que você pensa, mas se dispõem de coração se você tiver a intenção de conversar. Se ela não quer assistir ao jogo de futebol na tv, não fica à sua volta resmungando, vai fazer alguma coisa que queira fazer...

E geralmente é alguma coisa bem mais interessante. Ela se conhece o suficiente para saber quem é, o que quer e quem quer. Elas não ficam com quem não confiam. Mulheres se tornam psicanalistas quando envelhecem.

Você nunca precisa confessar seus pecados... elas sempre sabem... Ficam lindas quando usam batom vermelho. O mesmo não acontece com mulheres mais jovens... Mulheres mais velhas são diretas e honestas.

Elas te dirão na cara se você for um idiota, caso esteja agindo como um!

Você nunca precisa se preocupar onde se encaixa na vida dela. Basta agir como homem e o resto deixe que ela faça... Sim, nós admiramos as mulheres com mais de 30 anos! Infelizmente isto não é recíproco, pois para cada mulher com mais de 30 anos, estonteante, bonita, bem apanhada e sexy, existe um careca, pançudo em bermudões amarelos bancando o bobo para uma garota de 19 anos...

Senhoras, eu peço desculpas! Para todos os homens que dizem: "Porque comprar a vaca, se você pode beber o leite de graça?", aqui está a novidade para vocês: Hoje em dia 80% das mulheres são contra o casamento e sabem por quê?

"Porque as mulheres perceberam que não vale a pena comprar um porco inteiro só para ter uma lingüiça!". Nada mais justo!

Arnaldo Jabor

Restaurantes comunitários

Olides

As fotos dos Restaurantes Comunitários não são minhas. São do GDF.
Sergio

PS: pelo menos me conta o que o JK disse de mim...

Sergio Ross

 

ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL (ESP/RS) ESTÁ COM INSCRIÇÕES ABERTAS PARA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA 2011

O processo seletivo é para Residência Médica (RM) e Residência Integrada em Saúde (RIS).
As Residências da ESP/RS tem o objetivo de especializar profissionais médicos para a atuação em Equipe de Saúde e compreensão da Atenção Integral à Saúde, capacitando-os para uma intervenção interdisciplinar, analítica, crítica, investigativa, resolutiva e propositiva no âmbito técnico, administrativo e político do Sistema Único de Saúde (SUS).
Na Residência Médica (RM) as áreas de ênfase são R1-Medicina de Família e Comunidade, R1-Psiquiatria, R4-Psiquiatria/Área de Atuação - Infância e Adolescência e em Dermatologia. Já para a Residência Integrada em Saúde (RIS) as profissões atendidas são Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Serviço Social, Educação Artística, Educação Física e Terapia Ocupacional.
O valor da bolsa é de R$ 2.491,39, já inclusos auxílio moradia e alimentação. A aplicação da prova escrita (data provável) está marcada para 27 de novembro.

As inscrições, ao valor de R$130,00, serão realizadas no período de 20/10/2010 à 11/11/2010, pela Internet, no endereço www.fundatec.com.br ou na sede da FUNDATEC, na Rua Professor Cristiano Fischer, nº 2012, em Porto Alegre, das 9h às 17h.

Tarso e Dilma


Tarso e Dilma caminham em Porto Alegre na última quinta....na rua da Praia(foto feita decima)


Tarso Genro - Assessoria de Imprensa

www.tarso13.com.br
twitter.com/tarso13

Dilma,Tarso e Lula no comício em Caxias na última quinta!


Fotos: Caco Argemi


Escritor

Dias atrás, no restaurante Copacabana, num almoço de um grupo de intelectuais, o autor do livro sobre o bairro Moinhos de Vento, CABissón, saiu-se com esta, pra delírio da massa dos presentes:

- O FABRICIO CARPINEJAR É O TIRIRICA DA LITERATURA GAUCHA!


FABRÍCIO é o da foto.

Não tenho opinião formada porque nunca lida nada do escritor....


Um filme sobre o luto...


Momento do filme que o personagem de ana paula arósio aceita um gesto de afeto de uma nova companheira....(Natália Lage....)


Como esquecer é um tristissimo e belo filme....O vi com lágrimas nos olhos...Não tem o menor sentido a propaganda do filme que o está tornando conhecido pelo fato da relação ser homessexual, no caso entre duas mulheres.

Ana Paula Arósio faz o papel de uma professora de literatura, no Rio, que acaba de se separar de uma companheira( a Antônia, que não aparece no filme) com a qual tinha uma duração estável de mais de 10 anos. O luto é terrível....

Mas aí junta-se a um amigo gay, que é quase um irmão pra ela(aguenta todos os desaforos que ela lhe diz na maior paciência....)e com mais uma terceira mulher( a única não gay) da história vão morar numa casa numa praia distante do rio....

Bom o resto é pra vocês verem o filme. Só escrevi isto pra despertar a curiosidade. É o grande filme existencialisma que vi depois dos do Júlio Bressane e do Domingos de Oliveira...como tenho horror a filme politicamente engajado, adoro estes filmes que colocam a alma humana no fio da navelha...

Claro que na sessão que vi no cinebancários, 99% dos presentes eram gays que foram ver duas mulheres trepando na cama....

Mais também faz parte de um enorme esforço de desmistificação ...haverá um dia que isto será tão comum, quando os heteros....

Aí talvez, como diria um outro, perca a graça, porque a graça está no proibido...

Mas indico o filme pela sua seriedade, pelo esforço da diretora( Malu de Martino) que fez este belo filme com 900 mil reais). A produtora contou depois pra quem esteve no cinebancários alguns bastidores do filme, mas isto foi um privilégio pra quem estava lá....

Ah, e tem mais: como o filme está em cartaz no circuito comercial a distribuidora não queria deixar que ele passasse em circuito de filmes sobres público homossexual...

República do Rock com Astronauta Pingüim e Impressionistas



Terça-feira, 26 de outubro tem edição do República do Rock. Sobe ao palco do Teatro de Câmara Túlio Piva, a banda Astronauta Pingüim, com sua canções e versões recheadas de sintetizadores MOOG, vocoders e outras velharias bacanas. Junto a eles tocam Impressionistas, representantes da nova cena rockeira.
O evento tem início marcado para às 19h30. Os ingressos são adquiridos no local em troca de 1 kg de alimento não perecível. As senhas começam a ser distribuídas uma hora antes do evento. O Teatro de Câmara Túlio Piva fica na Rua da República, 575, bairro Cidade Baixa.
O República do Rock é idealizado pela Coordenação de Música da Secretaria Municipal da Cultura e promove mensalmente o encontro de uma reconhecida banda de rock da Capital com outra em ascensão no cenário. Apresentação e curadoria do jornalista Léo Felipe.
As próximas apresentações serão no dia 23 de novembro. Os nomes serão: Fernando Noronha & Black Soul e Oly Jr & Os Tocaios.

Mais informações abaixo e no site www.portoalegre.rs.gov.br/smc.


Astronauta Pinguim
www.myspace.com/astronautapinguim

A carreira solo do músico e produtor gaúcho Astronauta Pingüim teve início no ano de 2000. Depois de passar por várias formações importantes da cena gaúcha (tocou e gravou com Júpiter Maçã e Wander Wildner, entre muitos outros) o Astronauta resolveu lançar-se em carreira solo com o CD “Petiscos: sabor churrasco”, no qual ele regravou versões instrumentais para clássicos do rock “made in RS”, utilizando-se para isso vários de seus teclados antigos, originais dos anos 60 e 70 (sintetizadores MOOGs, piano elétrico Wurlitzer, órgão Farfisa, vocoder).
Este projeto acabou tendo maior repercussão no centro do país, o que levou o Astronauta a mudar-se para São Paulo. Já na nova casa, passou a ser requisitado para dirigir shows e projetos de grandes nomes da musica brasileira, como Elba Ramalho, Zezé Motta, Maria Alcina e Perla, entre outros.
Em 2008 lançou seu segundo disco solo seu segundo disco solo, “Supersexxxysounds”, com composições próprias. Nos shows, as musicas deste segundo disco são apresentadas juntamente com canções que estarão no terceiro álbum solo, “Zeitgeist/Propaganda”, lançado recentemente.
Astronauta Pingüim garante sempre versões recheadas de sintetizadores MOOG, vocoders e outras velharias bacanas, num estilo batizado por Pingüim de “Pink Rock”.


Impressionistas
www.myspace.com/impressionistas

A Impressionistas surgiu em Porto Alegre em 2008, inspirada pelo Impressionismo – movimento independente onde um grupo de artistas desafiou os padrões da época. Ricardo Bento (voz), Eduardo Barretto (baixo e voz), Gustavo Chaise (guitarra e voz) e Lucas Dellazzana (bateria) apresentam um universo delirante e peculiar, embebido em psicodelismos e belas melodias.

A sonoridade da banda é enérgica e visceral, com canções repletas de lisergia e arranjos vocais bem construídos. Uma das fortes influências são as obras do pintor francês Claude Monet, que mantinha um recanto imaculado chamado Jardim de Giverny, onde realizou muitos dos seus trabalhos. Imagine um majestoso jardim, cercado por arbustos ornamentais, com uma ponte japonesa cruzando um lago tomado por exuberantes ninféias. Este seria o local perfeito para sentar-se, confortavelmente, e ouvir as canções da Impressionistas.

Após apresentações nas mais importantes casas de espetáculos da capital e do interior gaúcho, a Impressionista segue na divulgação do primeiro single – com destaque para a faixa “Não Vou Apalhaçar”. Com os dois pés firmes no chão e a mente sobrevoando as deslumbrantes paisagens impressionistas, a banda se prepara para o lançamento do primeiro disco, previsto para 2011.



REPÚBLICA DO ROCK • OUTUBRO / 2010

Local: Teatro de Câmara Túlio Piva (Rua da República, 575 – Cidade Baixa)
Data / Horário: 28/09 às 19h30
Ingressos: 1 Kg de alimento não perecível - (retirada de senhas 1h antes do espetáculo).

---
DIVULGAÇÃO
---
Coordenação de Música
Secretaria Municipal da Cultura
---
tel. (51) 3289 8119
e-mail: cm2@smc.prefpoa.com.br
site: www.portoalegre.rs.gov.br/cultura
Endereço: Centro Cultural Usina do Gasômetro
Av. Pres. João Goulart, 551, sala 606 - 6º andar.



Magoou....

Um escritor que passou pro Celito de Grandi dados sobre o deputado Luis Fernando Staub(usados no livro do caso Kliemann) magoou-se por não ver seu livro citado na bibliografia....


Coleguinhas


Thais Bretanha está no Correio do Povo.


*Folha de São Paulo mantém duas repórteres acompanhando cada candidato a presidente. No caso do Serra, sexta, passada, havia duas acompanhando o ato de apoio de Ana Amélia Lemos no Everest Hotel.


* Teve muita leitura a historinha que conto aqui no blog dos tempos ( fins dos anos 60) que Celito de Grandi e sua companheira da época, Ione de Grandi, recepcionavam em sua casa o então secretário da Economia de Ildo Menheghetti, Octávio Cardoso( deputado da Arena) e futuro senador biônico. É que aqueles carteados serviam também para um encontro entre a jovem repórter do Correio da Manhã, Ana Amélia Lemos e o secretário, que era casado, na época.Ana Amélia conheceu seu futuro marido quando ia fazer entrevistas na secretaria de Economia. Ela pelo Correio da Manhã.

Celito, que era o "chefe" de Ana Amélia, agora senadora eleita, involuntariamente fez o papel de cupido. Todos sabem que a senado do PP, Ana Amélia Lemos casaria,depois, com o então senador bionico Octávio Cardoso.
Outro jornalista que era assíduo na casa do Celito pros carteados era o repórter político JK, ou Jayme Keunecke.


Recebo

A respeito do seu comentário sobre o governador eleito em visita a Ijuí com o deputado Burmann, do PDT.

A título de informação, o PDT de Ijuí, mantém coligação com o PT na prefeitura local. Balin do PDT é o prefeito e o Bira, do PT é ovice prefeito.

Por Neuza Penalvo

O DIA DA FARSA

Lula instituiu ontem o Dia da Farsa, em homenagem ao farsante José Serra.
No ano que vem, nesta data em todas salas de aulas, em todos locais de trabalho
e residências brasileiras, serão feitas guerras de bolinhas de papel.
Então, até 21 de outubro de 2011.


Tiririca levantamento

O IBGE AGRADECE AOS ELEITORES DO ESTADO DE SÃO PAULO PELO LEVANTAMENTO.





SEM COMENTÁRIOS!!
Colaboração de Mírian Martins



Visita de Serra


Pouco movimento na frente

do hotel onde Serra se encontrou

com Ana Amélia

Era muito inferior ao de dias atrás, o movimento de partidários e cabos eleitorais na frente do Everest Hotel, na sexta de tarde, quando o candidato José Serra chegou pra receber o apoio da senadora gaúcha recém eleita, Ana Amélia Lemos.As pesquisas do Datafolha, divulgada na manhã de sexta, com larga vantagem para Dilma serviu como uma ducha de água fria, nos militantes de Serra que na primeira vez que ele esteve neste hotel, antes de ir a Rio Grande, estavam muito eufóricos, diante da possibilidade de uma virada na eleição como um todo.

Os cabos eleitorais ali postados só vibravam um pouquinho mais quando passava algum carro com propaganda da adversária Dilma Rousseff. Assim mesmo, o locutor,improvisado numa camionete, que ficou postada no viaduto da Duque de Caxias, a poucos metros do Everest,

Ana Amélia chegou bem antes do candidato e entrou pra o hotel,aguardado José Serra.

Foi recepcionada por Hermes Dutra, ex-vereador do PDS, e atual coordenador da bancada do PP na Assembléia Legislativa do Estado.

Os prédios em volta do hotel Everest permaneceram sem gente em suas janelas. Uma que outra bandeirola do candidato chegou a ser colocada, ou algum cartaz.



O que fazer no findi!!!


*Indico uma série de filmes que o Cinebancários passará sobre diversidade Sexual. Entre eles o Como esquecer? lançamento atual onde a Ana Paula Arósio faz um papel de uma mulher lésbica num triangulo amoroso( prato cheio pra muita gente ver,mas podes crer, filme de arte, ninguém vai, ou poucos vão...) DE 21 a 24 de outubro, na Ladeira, em Porto Alegre.


*No teatro Newton Filho, na Grão Pará, 179 sempre as 21 horas. Fone 3233.04.49 show para homenagear DOLORES DURAN E ANTONIO MARIA PORQUE em outubro lembra-se sua morte. E quem canta as músicas deles é a Gisele Rodrigues, bola cheia da noite de Portinho...

*No Teatro DC Navagentes tem show do DE CACHORRO MANCO....

Vai lá e confere....

*Ah e pros amantes do futebol, no domingo tem GRENAL seis e meia da tarde no Olímpico. Ingressos esgotados...

*Mas também tem show domingo no Santander,seis da tarde....


Minha viagem ao Peru(4)

De Pucalpa a Iquitos

num barco onde viajava de tudo


Depois de ter chegado em Pucalpa, na selva peruana, decidi, naquele outono de 1974, seguir viagem porque queria retornar ao Brasil.

Comprei passagem num barco que viajaria em seguida com destino a Iquitos, na selva peruana e a viagem neste barco foi uma das maiores experiências que tive na vida....Ali ia de tudo um pouco....Turistas muito pouco...

Pintado com cores fortes, ele coadunava bem com com a explosão que é a selva peruana....

Perto das quatro da tarde, de um dia de semana( é tudo o que consigo lembrar) o barco ficou cheio de passageiros. Já no barco fui ao fundo para avistar a cidadezinha de Pucalpa, que ali do porto fluvial divisávamos bem....

Conheci ali um passageiro que iria em busca de trabalho em Iquitos e ficamos parceiros de viagem...

Ele se aprontou pra viajar ali e percebi logo que estava bem preparado para uma longa viagem...

Aquilo pegou tanto que a buzina de partida soou fortemente, despedindo-se da cidade.

Pucalpa foi desaparecendo aos poucos e cada passageiro foi tomando seu lugar, aprontando suas redes pra dormir de noite. O pessoal que viaja nestes barcos sabe como como isto é....Estes barcos sãousados principalmente pelas populações ribeirinhas destes rios nascentes do Amazonas.

Os seis dias que levamos pra vencer este trecho de 600 km estão ainda bem nítidos nas minhas memórias. A rotina se estabeleceu dentro do barco. Refeições e esperar o tempo passar. O rio, à medida que o navegávamos, ia ficando mais largo e mais volumoso...

O meu parceiro de viagem estava sempre pronto pro seu ritual: de manhã,de tarde e às vezes à noite...

Lentamente fomos nos acercando de Iquitos e me lembro que a cidade, peruana, fica na divisa com Letícia, que é da Colômbia e vizinha ainda com Tabatinga, no lado brasileiro.
Minha impressão primeira depois de seis dias de viagem por paragens pouco ou nada habitadas era que Iquitos era enorme....

Quando o barco atracou no porto de Iquitos, apesar das amizades e parcerias da viagem, cada passageiro correu em busca de seus pertences e tratou de descer da embarcação....
Eu tratei logo de sumir de Iquitos, onde não conhecia viva alma....

Me lembro que fui caminhando, a pé, e venci os poucos quilômetros que faltava pra entrar em território brasileiro...

Ali em Tabatinga pedi pouso num quartel do Exército Brasileiro...Como havia muitos militares do Sul, apesar da surpresa inicial, me deram guarida e pouso. DEpois embarcei num avião da FAB que pegaria estudantes em Benjamin Constant pra voltar pro Sul. Eram estudantes que haviam estado no projeto Rondon...Estávamos em 1974 e Ernesto Geisel recém fora empossado.

Começava no Brasil a abertura lenta gradual e segura....

Lula e Tarso em Rio Grande, ontem!


Tarso Genro - Assessoria de Imprensa

www.tarso13.com.br
twitter.com/tarso13

Conselho sugere nome para rótula

Os integrantes do Conselho Municipal de Proteção ao Patrimônio Histórico Cultural se reuniu na tarde desta quinta-feira, dia 21, na Sala dos Conselhos da Prefeitura. O objetivo do encontro foi debater um nome para a rotatória em construção nas proximidades do parque General Vargas. O Conselho encaminhou ao prefeito Mariovane Weis um documento solicitando que a obra se chame Borges do Canto. De acordo com os integrantes, e denominação se deve à uma das vias que passa pela rótula é a rua Borges do Canto, além de ser uma homenagem ao soldado conhecido como o “conquistador das missões”.

DECOM/PSB

Reunião rótula

DECOM – Departamento de Comunicação da Prefeitura de São Borja

Lançamento do livro Caso Kliemann

O vestibulo da Assembléia Legislativa lotou pro lançamento do livro do jornalista CelitoDE Grandi, sobre o Caso Kliemann.

Colegas, autoridades,( a própria governadora Yeda esteve presente) o diretor do BRDE, Dr. MárioBernd, o médico Luchese, entre outros fizeram uma enorme fila pra pegar o autógrafo do livro do jornalista que está se consagrando em fazer biografias de políticos.

Celito ocupou vários cargos importantes na sua vida profissional e atualmente se dedica a pesquisa histórica.


Jornalista de Goiás denuncia censura em TV pública



ESTELITA HASS CARAZZAI
DE SÃO PAULO

O jornalista Paulo Beringhs, apresentador de um programa noticioso na TV Brasil Central --mantida pelo governo de Goiás--, declarou que estava sendo censurado pelo governador Alcides Rodrigues (PP). A declaração foi feita ao vivo, durante a transmissão do Jornal "Brasil Central", na noite de quarta-feira (20).
"Estamos sendo censurados. Estamos sob intervenção", disse o jornalista.
Acompanhe a Folha Poder no Twitter
Conheça nossa página no Facebook
Beringhs se referia ao veto à entrevista com o senador e candidato ao governo de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) --adversário político de Rodrigues. Perillo disputa o segundo turno com Iris Rezende (PMDB), que tem o apoio do governador e que não compareceu ao programa para a entrevista.
"Iris não veio, Marconi Perillo viria hoje [quinta-feira, dia 21], só que eu recebi ordens de não trazer Marconi Perillo ao programa", disse o jornalista no ar, durante o programa noticioso.
Ainda no programa, Beringhs também declarou que o grupo de Iris Rezende "tem tradição em censurar a imprensa", embora afirmasse que o jornalismo da TV Brasil Central tinha liberdade até então.
O jornalista ainda fez referências a Jorcelino Braga (PP), ex-secretário da Fazenda de Alcides Rodrigues e que atualmente integra o marketing da campanha de Rezende, sugerindo que ele teve participação na ordem de censurar a entrevista.
Beringhs também anunciou a presença de outro jornalista na bancada do programa e disse que ele estava lá para substituí-lo a partir do dia seguinte --o que é negado pelo colega. "Você sabe exatamente o que aconteceu. Garanta o seu emprego, que eu garanto minha dignidade", disse Beringhs.
OUTRO LADO
O presidente da Agecom (Agência Goiana de Comunicação), Marcus Vinícius de Faria Felipe, que é responsável pela TV Brasil Central, do governo do Estado, nega que tenha havido censura.
Segundo ele, a entrevista com o candidato tucano não chegou a ser desmarcada, e não houve ordens para que fosse.
"Não há censura à participação de nenhum dos candidatos; o espaço está aberto", disse. Ele afirmou que o Jornal Brasil Central já havia entrevistado Marconi Perillo na última quinta-feira (14).
Sobre as declarações de Beringhs, disse que "não sabe das razões" do apresentador para afirmar que houve censura. "Às vezes, acontece esse tipo de conflito. Não é a primeira vez que um apresentador é intempestivo no ar. Não sei das razões do Paulo", afirmou Felipe.
O diretor ressaltou que a TV quer que o jornalista continue na emissora e que ele não foi demitido. No telejornal de ontem, Beringhs afirmou: "Certamente, amanhã [hoje], já não estarei mais à frente deste programa".
Beringhs tem um contrato com a TV Brasil Central, em nome de sua empresa, para produzir o telejornal. O contrato, que prevê que ele seja o apresentador do programa, não foi rompido, de acordo com Felipe. "A gente o reconhece como um bom profissional", afirma.
Segundo Felipe, se Beringhs se afastar da apresentação do telejornal, terá sido por iniciativa própria.
O jornalista afirmou que não pretende mais comandar o programa.

Passeata tão
meio fracote!!!

Por acaso estava indo pra Ulbra TEvê ontem quando passei na esquina democrática. A passeata com a líder das pesquisas não era o bicho....

Mas nos últimos dias minha sensibilidade( é um medidor que uso intuitivamente) estaria a justificar o que as pesquisas apontam: tenho visto muita gente com botons e adesivos( utiliza-se agora o verbo' ADESIVAR) da candidata Dilma Rousseff do que do José Serra.


Ontem, do Serra só vi fazendo panfletagem na Voluntários da Pátria, na frente do camelódromo!( Ufa ali é ponto de povão mesmo!!!! e não havia ninguém do PT, que se mudou pra RUA DA PRAIA)

 

Atrasada...

A Cristina Mazzei ancora principal do Diversidade da ULBRA TEVE se perdeu no caminho ontem(21.10) e chegou tarde pro seu programa. Ainda bem que o Santana e o Glei Soares deram conta bonitinho do recado.....

SER POBRE EM BRASÍLIA
É UMA LERDA...


A vida de pobre em Brasília,está cada vez pior.
Primeiro, dos dez restaurante comunitários que foram criados aqui no
DF, nove foram fiscalizados por órgãos da saúde, que os reprovou por
falta de higiene e agora os mandou fechar
O segundo drama dos pobres é a falta de
estrutura no sistema de saúde. Para terem uma idéia,20 mil
pessoas,estão aqui,na fila de espera por uma cirurgia.
Populares e baratos. Assim são conhecidos os Restaurantes
Comunitário do Distrito Federal. Por apenas R$ 1,oo, é possível ter um
almoço de cardápio variado para as mais de 25 mil pessoas que
freqüentam
diariamente as unidades espalhadas por várias cidades
do DF. Nove dos dez restaurantes comunitários,foram visitados pela
Vigilância Sanitária e foram intimados por irregularidades.
Num desses restaurante, a situação mais grave aconteceu num
localizado em uma cidade satélite Lá foram encontrados 1.550 quilos de
carne,jogados no chão de uma sala,sem refrigeração e muito sujeira. E
o que é pior: essa carne estava pronta para entrar em panelas e ser
servida no almoço.



O governo do DF,através de sua assessoria de imprensa, disse que a
Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Transparência de
Renda (Sedest) (que nome bonito...) responsável pelo funcionamento
desses restaurantes,disse que fiscalizará para que a carne encontrada
em São Sebastião, não seja consumida. Aí “negrão”, estamos salvos
dessa...Não é possível. Isso só pode ser gozação...
Agora, o se gundo drama da pobreza em Brasília, é na área da saúde.
O povão come mal e o que é pior: fica doente e não tem pra onde
correr. O caos no sistema de saúde,chegou ao seu ápice. Infraestrutura
precária,descaso dos funcionários,falta de vagas na Unidades de
Tratamento Intensivo(UTI), ausência de médicos enfermeiros,falta de
medicamentos,20 mil
pessoas na fila de espera de uma cirurgia e falta até de materiais
básicos para a limpeza,formam o conjunto de
graves problemas enfrentados pelos mais de dois milhões de moradores
da capital federal. Isso sem contar com os moradores do Entorno.



Com todos os graves problemas encontrados
na rede de saúde publica do DF, a parte mais critica é em relação ao
surto da superbactéria KPC, que tem alto poder de propagação nos
indivíduos submetidos à assistência médica. Hoje a Secretaria de
Saúde do Distrito Federal contabiliza 183 pessoas portadoras d a
bactéria, sendo que 46 estão infectadas,ou seja apresentam sintomas
da grave doença. Dezoito, já morreram...
E a gente tem que ficar ouvindo os horários políticos dizendo
mentiras e mais mentiras o dia todo E ainda agüentar histórias de um
Amauri Ribeiro Jr. de um Luiz Lanzeta e de uma Erenice Guerra e
filhos. É muita coisa para o povão...


Vocês viram que eu não falei nos
discursos da Dilma e do José Serra, que está lesionado. Coitadinho,foi
atingido por uma bobinha de fita durex
dessas bem pequeninhas...
Sergio Ross


Pesquisas

Pode usar estas pesquisas atualizadas
Remindo Sauim


Memória da Imprensa


Na casa de Celito, a jovem Ana Amélia Lemos

se encontrava pra jogar cartas com quem seria seu futuro marido....


Era na segunda metade dos anos 60 e a agora senadora,Ana Amélia Lemos( a Meméia dos intimos) então repórter de economia do jornal CORREIO DA MANHÃ, chefiado em Porto Alegre, por Celito de Grandi( atualmente em grande evidência com o lançamento do seu livro o Caso Kliemann) havia conhecido o então secretário de Economia do Governo Ildo Meneghetti, o deputado estadual originário da Arena, Octávio Cardoso, cujas origens políticas são do Partido Libertador( PL).

Participavam dos carteados na casa de Celito e Ione de Grandi, além da Ana Amélia o repórter Jayme Keunecke(JK) e sua esposa.

JK lembra que participou como repórter da cobertura de um encontro em Salvador, na Bahia, junto com o colega Loureiro( da Caldas Junior) da União Parlamentar Interestadual e para lá também viajou na ocasião, como deputado da Arena, Octávio Cardoso.

Pois foi no meio de uma recepção no Palácio da Ondina, sede do governo da Bahia, que o então governador, interrompeu a recepção e o jantar que estava dando para anunciar que o Presidente Costa e Silva acabara de assinar o famigerado AI-5, que mudaria a vida do país, endurecendo o regime. Era 13 de dezembro de 1968.

 


Pré-sal na pauta de seminário com Petrobras nesta sexta-feira



Por proposição do deputado estadual Ronaldo Zulke (PT), a Comissão de Economia e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa promove a partir das 9h desta sexta-feira, 22, no hotel Embaixador em Porto Alegre, o seminário O Pré-sal e o Rio Grande ? Oportunidades para a Indústria, Trabalhadores e Sociedade.

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli de Azevedo apresentará painel seguido de debate com o coordenador do Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás e Energia da Fiergs, Marcus Coester, com o presidente da Petrobras Biocombustíveis, Miguel Rossetto, e com o vice-reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rui Vicente Oppermann. O coordenador da mesa será o deputado Ronaldo Zulke, representando a comissão da Assembleia.

Pré-sal aquecerá a economia brasileira

A descoberta de petróleo na camada do pré-sal, com extensão de 149 mil km², abriu novas perspectivas para o Brasil. Segundo levantamentos realizados, 28% da área, abrangendo os sítios de Tupi e Iara na Bacia de Santos (SP) e o Parque das Baleias na Bacia de Campos (ES), já foi licitada, o que, por si só, duplica as reservas nacionais petrolíferas, que eram da ordem de 14 bilhões de barris. Trata-se de uma extraordinária riqueza. Parte dos recursos auferidos contemplará programas de combate à pobreza, enfrentamento das mudanças climáticas e desenvolvimento da educação, cultura, saúde e ciência e tecnologia , comemora Zulke.


Oficina de Teatro-Fórum

PARA ATORES E NÃO ATORES



Oficina com 20 horas de duração onde são experimentados jogos e exercícios teatrais do Método do Teatro do Oprimido, criado por Augusto Boal. Os participantes da oficina montarão um teatro-fórum baseado em algumas experiências que viveram de opressão, essa peça-fórum poderá ser levada a público se for vontade dos participantes. E o espect-ator poderá intervir nos rumos dessa história, porque no teatro-fórum é assim, você assiste à peça e no final pode interferir na história tentando solucionar os conflitos.

Com: Celso Veluza

Dias: 8, 22, 29 de Novembro e 6 e 13 de Dezembro, segundas-feiras, das 19h às 22h.

Local: Centro Cultural Usina do Gasômetro, sala 502

Organização: NETO – Núcleo de Estudos do Teatro do Oprimido

Últimos temas apresentados pelo teatro-fórum: Conceitos Ecológicos, Casos de Família, A Saúde Em Cena, Bullying, Homofobia, Racismo, Comercio e Consumo de Drogas, Loucura, Discriminações e Preconceitos, Opressões Internas, As Varias Faces da Opressão.



Oficinas: uma inovação pedagógica real
Oficina não é um método ou técnica a mais, mas sim uma modalidade de ação.
Não é somente um lugar para aprender fazendo. Supõe, principalmente, o pensar, o sentir, o intercâmbio de idéias, a problematizarão, o jogo, a investigação, a descoberta e a cooperação.
Prevê a realização conjunta de projetos.

Toda a oficina precisa promover a investigação, a ação, à reflexão, combinar o trabalho individual e a tarefa socializada, garantir a unidade entre a teoria e a prática.

N E T O
Núcleo de Estudos do Teatro do Oprimido


O Teatro do Oprimido, criado pelo teatrólogo Augusto Boal, é o único Método Teatral elaborado no hemisfério sul (Brasil e América latina) que é utilizado em mais de 70 países dos cinco continentes.
É um Método Estético que reúne exercícios, Jogos e Técnicas Teatrais que objetivam a desmecanização física e intelectual dos seus praticantes e a democratização do teatro, estabelecendo condições práticas para que o participante se aproprie dos meios de produzir teatro e amplie suas possibilidades de expressão, estabelecendo uma comunicação direta, ativa e propositiva entre espectadores e atores.

Últimos temas apresentados e debatidos pelo teatro-fórum: Conceitos Ecológicos, Casos de Família, A Saúde Em Cena, Bullying, Homofobia, Racismo, Comercio de Drogas, Loucura, Discriminações e Preconceitos, Opressões Internas, As Varias Faces da Opressão.

www.teatro-do-oprimido.blogspot.


Serviço
O que: Oficina de Teatro Fórum – para atores e não atores
Onde: Centro Cultural Usina do Gasômetro na Sala 502 – 5º andar
Endereço: Avenida João Goulart, 551- Porto Alegre
Dias: 8, 22, 29 de Novembro e 6 e 13 de Dezembro
Horário: 19 às 22h – segundas –feiras
Valor: R$110,00
Promoção: NETO – Núcleo de Estudos do Teatro do Oprimido
Apoio: Projeto Usina das Artes



Vice prefeito participa da 2ª Marcha Gaúcha


O vice prefeito e secretário da Saúde Jefferson Homrich representou o prefeito Mariovane Weis na 2ª Marcha Gaúcha, realizada nesta terça-feira, dia 19, na Assembleia Legislativa. Organizado pela Famurs (Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul), a Marcha contou com a participação de cerca de 700 pessoas, entre eles, 300 prefeitos. Foram entregas reivindicações para os poderes legislativo, executivo e judiário.

Entre os pedidos está o aumento do repasse do transporte escolar às prefeituras no próximo ano; a criação do fundo de catástrofe, que servirá para agilizar o auxílio financeiro para os municípios atingidos por problemas climáticos; a implantação definitiva do Piso de Atenção Básica da Saúde (PAB); e o cumprimento dos contratos para finalização de acessos asfálticos em 109 municípios.

Homrich, juntamente com o deputado Cássia Carpes (PTB), entregou ao governador eleito Tarso Genro (PT) um documento com reivindicações de São Borja. Entre elas está a solicitação de recursos para melhorar a infraestrutura do aeroporto João Manoel. Outro pedido é a pavimentação da estrada que liga a cidade ao Rincão de Santana, que já possui uma emenda parlamentar de R$ 1 milhão destinada pelo deputado Cassiá.

DECOM – Departamento de Comunicação da Prefeitura de São Borja


Coleguinhas

Felipe Vieira...

o bom jornalismo nas

tardes da Band

Foto Marco Nedeff

Felipe Vieira

O colega Felipe Vieira sempre foi ligado ao rádio....Mas quem o levou pra Gaúcha, se não me falha a memória, foi a Núbia Silveira.

Felipe é de Charqueadas e volta e meia o colega Rogério Mendelski o lança a prefeito de lá. Teve gente que já pensou que era pra valer, mas era uma mera brincadeira do Rogério...

De manhã, junto com o colega Diego Casagrande, Felipe tem um programa na Band FM, que tem um público muito qualificado na audiência.

Ele também tem um site onde dá sua opinião e informa seus leitores.

Nesta foto,esta na sessão de autógrafos do livro Meu nome é Jorge. Disse que foi lá depois de ter entrevistado o autor do livro.

 

POLÍTICA SEM ÓDIO: UMA ILUSÃO?


Por Carlos Chagas


Política não se faz com ódio, repetia o presidente Lula desde sua campanha vitoriosa, em 2002, mas, convenhamos, o primeiro-companheiro parece haver esquecido seus próprios conselhos. Desde que Dilma Rousseff precisou disputar o segundo turno tem sido freqüentes os destemperos do chefe do governo. Ainda agora, em Goiânia, atacou os tucanos como se fossem urubus, chamando o senador Marconi Perilo de mau caráter e de mentiroso.
A indagação é sobre que motivos levam o presidente a perder a têmpera: por não haver conseguido transferir à candidata o número necessário de votos para eleger-se no primeiro turno ou por temer a vitória de José Serra. Um acerto de contas com o passado ou o risco de embaralhar o futuro?

De qualquer forma, assistimos um novo Lula no palco, exasperado porque sua imensa popularidade não bastou, dia 3, para fechar o calendário eleitoral. Não agiu assim quando, em 2006, precisou enfrentar Geraldo Alckmin na segunda votação. Foi para o novo confronto sem vacilações e ganhou fácil. Estaria duvidando das possibilidades de Dilma fazer o mesmo, agora?

Faltam dez dias para o segundo turno e as pesquisas, como sempre, refletem os interesses dos institutos, dos veículos que promovem seus resultados e até um pouco das tendências do eleitorado. Pelo jeito, estabilizou-se a diferença entre a primeira e o segundo colocados na votação inicial. Resta saber se até o dia 31 os números permanecerão como se encontram hoje ou se, mais uma vez, confirmarão que o povo não é bobo.

E SE CONTINUAREM?
Acentua José Serra, em sua campanha, que as invasões de terra não podem continuar. O MST, que acaba de aderir formalmente à candidatura Dilma Rousseff, finge não ouvir e prepara novas invasões. Na hipótese da vitória da candidata, propriedades rurais continuarão sendo invadidas? Ganhando José Serra, o número será multiplicado?

A reforma agrária insere-se no rol dos problemas impossíveis de ser resolvidos com discursos. Nem o popularíssimo governo Lula conseguiu evitar as invasões. Farão o que, Serra ou Dilma, para enfrentá-las? Deixar que os estados continuem sem meios nem ânimo para estancar a ocupação de terras produtivas? Esperar que o Poder Judiciário faça valer suas decisões? Ou agilizar o ministério da Reforma Agrária, que em vez de distribuir bissextamente terras inaproveitadas, poderia transformar-se no mais eficaz instrumento de realização da função social da terra.

PERGUNTAR NÃO ADIANTA
Duas perguntas, coincidentemente feitas por jornalistas, não foram respondidas pelos presidenciáveis no recente debate promovido pela Rede-TV e a Folha de S. Paulo: José Serra não sabia das atividades inusitadas de Paulo Preto, nem Dilma Rousseff das trapalhadas de Erenice Guerra?

A candidata mostrou-se inflexível na condenação ao nepotismo. O candidato, na defesa do dinheiro público. Nenhum dos dois reconheceu saber de coisa alguma em termos de irregularidades praticadas por seus antigos auxiliares.

Virou moda, praticada pelo presidente Lula desde seu primeiro governo, proclamar que não sabia de nada.

PAPÉIS INVERTIDOS
Há mais de um ano que, anunciada a reserva de petróleo no pré-sal, China e Estados Unidos começaram a enviar milhões de dólares para a Petrobrás, por conta de assegurar a aquisição de parte da produção futura. Pagaremos em petróleo os recursos utilizados na difícil operação de extração do produto. Será, por acaso, alienação da riqueza nacional ou privatização? De jeito nenhum.
Mesmo assim, deve preparar-se o Lula para receber e rebater a acusação já no bico dos tucanos, de estar o governo entregando patrimônio público ao estrangeiro. Invertem-se os papéis ideológicos por conta da campanha eleitoral.


Coleguinhas


ZH tem até a foto do ganhador da Megasena de São José do Herval. Repórter Radicci, ou Humberto TRezzi fez todo o levantamento do feliz ganhador. Dou as iniciais O. J. N tem o apelido de BILO, na família.


A foto o Trezzi conseguiu com uma irmã. Mas não publicaram, por decisão da direção..


O Trezzi chegou a receber ameaças vias fone pra que não publicasse a identidade....
O ganhar da Megasena está no exterior,depois de fazer a aplicação na poupança da CEF em Porto Alegre.

Onde anda o Grizzotti?

Ah, no Paraguai fazendo matéria sobre como vender um carro no país vizinho. Saírá tudo neste domingo que vem, no Fantástico, da Rede Globo...


Coleguinhas

Sinduscon lançou jornal próprio com tiragem de 10 mil exemplares.


*Lançamento do livro do Celito de Grandi trouxe muitos " dinossauros" - os dindos - do jornalismo gaúcho a Assembléia Legislativa. Lembro de alguns que vi: Florianinho Soares, João Borges de Souza,O LOKO MARÇAL, MAS Também houve gente mais jovem, como André Pereira, Humberto Trezzi,entre outros....

* Danilo Ucha, o Gordo Ucha, não foi. Mandou o enteado, Ariozinho, ao seu lugar. Ariorizinho me disse que depois do quiproquó do Banrisul( corte de publicidade) as coisas ficaram dificeis pro Jornal da Noite, que o gordo Ucha edita há 25 anos.

*Chamou-me atenção da não presença no lançado do livro do Caso Kliemann da Núbia Silveira eo Wanderley Soares.


Frase Magnífica!!!!



Recebo a frase do Serginho Ross:

“Não adianta discutir o aborto agora.
Os políticos já nasceram mesmo...”


Os cabos eleitorais


Os modernos cabos eleitorais tem sua vida controlada por quem os contrata. Viraram tão importantes na política atual que candidato não vive sem eles...Alguns custam até 7 mil reais por campanha. Geralmente são presidentes das entidades localizados nas vilas das cidades. Conhecem os moradores e tem acesso a eles...

Alguns dos cabos eleitorais são ex-vereadores,ou gente que se profissionalizou na política, como assessores de políticos.

Mas repito: candidato nenhum não vai a lugar algum,sem eles, mesmo com a televisão e o rádio.

O poeta Clemar Dias contou na FSB que um cabo eleitoral, com seu candidato eleito( só pode ser alguém do Cassiá Carpes, da Juliana Brizola, do Luis Carlos Heinze) que deveria ser todos sorrisos entrou no La Barca de cara amarrada,Ele,diz Clemar, teria contado umas mais gordas e esqueceu que é um bolo disputado por muitos.

Aí é que são elas: muitos,diz um coordenador da campanha de reeleição de um deputado estadual do PDT, são trovadores. Dizem que tem na mão 400 votos, quando na verdade, este número não chega a 200.

- Mas tem que contratar tanto o balaqueiro, como o que consegue o que te promete, porque senão o outro candidato pega. E ensina o coordenador:

- Aí ele vira fera contra ti, e faz o dobro pro outro candidato que o contratou

E ainda dizem que vida de político é fácil....


Do caso Kliemann( narrado por Celito de Grandi)

*- Eu disse que estava na frente de um cadáver. E quando revelei o nome da vítima, o MIRANDA JORDÃO, homem forte do Samuel Wainer, achou maravilhoso. Quase subiu pelas paredes de tanta alegria( de Laila Pinheiro, repórter policial da Ultima Hora, que foi a primeira a chegar ao local da morte de Margit Kliemann, no casarão da Barão de Santo Angelo)

A cobertura da imprensa no caso.

Jornal do Dia: cobertura foi feita pelo repórter e inspetor de polícia, Aldo Gomes,

no Correio do Povo, o noticiário era " conservador" e repórter Wilson Zin, funcionário da Polícia


Na Folha da Tarde, Amir Domingues foi escalado por suas ligações com a área policial.

Já o Diário de Notícias e a Ultima Hora disputaram a melhor cobertura policial do caso.
Além de informações verdadeiras, também tinha uma boa dose de fantasia.


Mário de Oliveira foi o repórter da Ultima Hora e José Leopoldo foi do Diário de Notícias.

Na Ultima Hora, lembra Celito, os textos finais eram de Sérgio Jockymann que brilhava nas páginas daquele jornal.
E Jockymann tripudiava encima da Polícia, pelos seus erros:

- Ficou a imprensa do lado de fora, mas,dentro do palacete, entraram, além de deputados, candidatos e políticos,secretários, cabos eleitorais, ajudantes e amigos e conhecidos todos eles com o desejo incontido de assistir ao espetáculo. E o espetáculo era triste: uma mulher assassinada.


Feira do livro(56)

O Poeta Luiz Coronel, diretor da Matriz, agência de propaganda que vai trabalhar pra feira do Livro, estava chegando ao Master Hotel, na manhã de quarta,passada, pro café da manhã onde seria anunciado como seria o evento este ano:

Aí pega no elevador o ainda meio dormido Paixão Cortes, que é o patrono, e lhe conta um causo. Diz o Coronel:
- Sabe, Paixão, uma vez eu trabalhava na Galeria do Rosário e tinha uma ascensorista que sempre que a gente entrava no elevador ela anunciava solenemente:
TERRIMO....


QUERIA DIZER TÉRREO, É CLARO....

FEIRA DO LIVRO (56)


*APESAR das obras do projeto MONUMENTA a feira do livro deste ano terá o mesmo número de expositores,disse o presidente da CRL João Carneiro


*O projeto MONUMENTA( RECUPERAÇÃO da Praça da Alfandega) não será interrompido durante a feira do livro, pra não haver atraso nas obras

*A CRL enfatiza que a feira do livro não sairá do centro da cidade. Há quem ache que a CRL vai morrer abraçada com o evento....

Feira do Livro(56)

O patrono da feira do livro,atual, Carlos Urbim é da localidade de CERRO CHATO, EM SANTANA DO LIVRAMENTO....o QUE SERÁ EMPOSSADO,DIA 29 PRÓXIMO TAMBÉM É DE LA...Muita coincidência....

Será que não virá um outro daquelas bandas? Pois é Juremir Machado, que sempre é citado como patronável, não é de Cerro Chato, é de Palomas...

O colega Bicudo, que trabalhou anos em Livramento( na Platéia) conhece bem os meandros da localidade....


Gre - Nal na Federasul


Da coletiva de Paulo Odone e Vitório Piffero, na Federasul, na quarta passada extraí estes dados:

*53% a 54% dos torcedores gremistas do Olímpico são do interior. Mormente a faixa que vai de Porto Alegre a Serra gaúcha. Por isto que o estádio do Gremio, o novo, no parque Humaitá, já facilitará a demanda para o interior.


*A Rodovia do Parque vai cair perto do Arena, que pelos cálculos do Grêmio, deverá ficar pronto em dois anos.A OAS ficará com toda a área do Olímpico que será demolido. Ali serão feitas novas construções.

*O Grêmio, pelo contrato, só vai entregar o Olímpico depois que receber o Arena. Haverá, conforme Odone, um jogo de despedida do Olímpico e um de inauguração do Arena....

*O Arena será, no dizer do presidente eleito do Grêmio, um estádio atual, como a Fifa, requer. Terá até rampas para deficientes físicos.

*O Grêmio tentou salvar o estádio Olímpico, mas o problema é que este tipo de estádio,apenas para jogo de futebol está superado. O conceito atual é de estádio multiuso, ou Arena Multi Uso, como se diz. Haverá restaurantes, bares, shoppings,entre outros tipos de entretenimentos...

De São Borja


Letier acerta todas...

Segundo a crônica de Clemar Dias, na FSB, o Letier Vivian é o maior acertador de resultados eleitorais da região.

Logo após a eleição, Letier escreveu a este blog.

Acertei boa parte do meu bookmaker.

Disse que Cassiá faria 9.000 e fez 9.300

que o Rangel faria 3.500 e fez 4.000 votos

Cristhopher disse que faria 3.000 e fez 2.900

Nadine Dubal que faria 2000 e fez 1.700
E Loureiro que faria 1.200 e fez 1.135 votos.

Parabéns ao Letier,então....

 


Salinha das LIBRAS

ganha o nome de sala MADRE PELETIER...

nA aSSEMBLÉIA legislativa, há uma salinha, apartada da sala JCTerleria, destinada as libras(tradutoras de sinais para surdos e mudos na TV Assembléia) E como a salinha onde elas fazem seu trabalho é pequena, tem pouco espaço, praticamente só cabem duas pessoas, elas a apelidaram de sala MADRE PELLETIER, uma referência ao Presídio Feminino de Porto Alegre.

 

 

Abertas as inscrições para as oficinas da 56ª Feira do Livro de Porto Alegre

Crônicas, traduções e incentivo à cultura são alguns dos temas abordados

Já estão abertas as inscrições para as oficinas da 56ª Feira do Livro de Porto Alegre. Os interessados devem comparecer de segunda a sexta-feira ao Memorial do Rio Grande do Sul, Térreo, das 14h às 18h. Serão realizadas aproximadamente trinta oficinas durante os 18 dias de Feira. Grandes nomes da literatura gaúcha e nacional como Moacyr Scliar e Fabrício Carpinejar estão entre os ministrantes.

Moacyr Scliar analisará grandes autores da crônica e seus textos na Oficina de Introdução à Crônica, que acontece no dia 9 de novembro, a partir das 13h30 na Biblioteca do Centro Cultural CEEE Erico Veríssimo. Fabrício Carpinejar vai mostrar na oficina Amar é o quanto uma carta de amor pode gerar um fato literário ao apresentar correspondências de escritores e obras epistolares como ponto de partida para a discussão, nos dias 10, 11 e 12 de novembro, às 19h, na Biblioteca do Centro Cultural CEEE Erico Verissimo.

A rotina da mulher também estará entre os temas abordados pelas oficinas. Nos dias 9 e 10 de novembro, às 19h, na Sala de Pesquisa do Centro Cultural Erico Verissimo, Maria Helena Weber desenvolverá atividades de leitura, contação e escritura de pequenas histórias sobre afetos, perdas, paixões e rotinas da mulher. Os projetos culturais no sistema Fumproarte serão apresentados por Alexandre Magalhães e Silva na Oficina Fumproarte, nos dias 3 e 4 de novembro, às 16h30, na Sala de Pesquisa do Centro Cultural Erico Verissimo.

Para conferir todas as oficinas literárias, acesse o Guia da Programação, no site da Feira do Livro: www.feiradolivro-poa.com.br.

A Feira do Livro de Porto Alegre ocorre de 29 de outubro a 15 de novembro, na Praça da Alfândega e no Cais do Porto de Porto Alegre.

A Feira do Livro de Porto Alegre é realizada há 55 anos na Praça da Alfândega. Nasceu em 1955, quando um grupo de livreiros, intelectuais e jornalistas, organizou a primeira edição com o lema “Se o povo não vem à livraria, vamos levar a livraria ao povo". Um dos mais tradicionais eventos culturais da cidade, recebe anualmente mais de um milhão de pessoas, que visitam as cerca de 160 barracas e participam de uma intensa programação de sessões de autógrafos, seminários, debates, mesas-redondas e apresentações artísticas. Em 2006, a Feira do Livro de Porto Alegre recebeu o diploma de Cavaleiro da Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura e, em 2010, a maior feira de livros a céu aberto das Américas foi declarada Patrimônio Imaterial da Cidade pelo Conselho do Patrimônio Histórico e Cultural da Capital.


Assessoria de Imprensa Feira do Livro de Porto Alegre

A Lima que eu conheci( 3)


Rumo a selva peruana


Abril / maio de 1974


Meu destino saindo de Lima seria Pucalpa, como já disse, na selva peruana. Quem acompanhou a atuação do SENDERO LUMINOSO , UM GRUPO DE MAOISTAS que queria derrubar o governo pela luta armada nos anos 90 - sabe de que região estou falando.

Comprei meu boleto(passagem) e fui Peru adentro, com a cara e a coragem. Viajava naqueles ônibus coloridos, cheios de cholos e cholas, todos fedorentos, que não se limpam nunca, e que quando queriam mijar desciam do ônibus e se mandavam a la pampa carajo, como diziam os motoristas destes coletivos.

Era assim mesmo que se viajava pelo interior do Peru.

As cholas ( indias) desciam daqueles micros todas mijadas,fedendo, carregadas de crianças no colo. DEpois de alguns dias de viagem, chegamos a Pucalpa.

No coração da selva peruana, onde as gurias aos 10 anos já tem seios desenvolvidos e já praticam sexo abertamente.

Todos os dias chove na selva peruana.

O clima era totalmente diverso do de Lima, onde não chove nunca e muitas casas não têm nem teto....

Não fiquei nem 24 horas em Pucalpa, ao contrário de minhas previsões antes da viagem.

Deu a coincidência de que havia um barco que sairia em direção a Letícia, no norte do Peru, na divisa com a Colômbia( agora falam muito do local por causa da atuação das FARC).Nosso destino de Pucalpa seria Iquitos, quase na divisa com o Brasil. Previsão de viagem: 6 dias( continua....)


Feira do livro ( 56)

Causos

Com 83 anos, o atual patrono da feira do livro, Paixão Cortes, também chamado de folclorista, contou ontem que nos primeiros anos o movimento era fraco junto às barracas que os livreiros deixavam elas sozinhas e iam tomar um cafezinho no Matheus, do outro lado, junto a rua da Praia. E espreitavam de longe : quando viam alguém se aproximar da barraca,corriam pra atender, na esperança de vender alguma coisa.

Causos(1)

Já o livreiro Edgardo Xavier me contou que a feira do livro dos primeiros anos era coisa de alguns malucos....eles se reuniam na Editora Globo e daí partiram pra levar os livros pra praça da Alfandega. Ele lembra da poesia que havia em torno da feira do livro: os pais levavam os filhos, menores, pras barracas. Muitos deles pegavam no sono encima dos livros.

Causos(2)

Hoje, segundo Edgardo Xavier, a Camara Riograndense do Livro virou um CABIDE DE EMPREGOS.


CAUSOS(3)

OUTRO NOME, que conforme Edgardo Xavier, está ligado a criação da feira do livro de Porto Alegre é RUY DINIZ NETO que trabalhava na editora Globo e que depois virou diplomata e adido de imprensa em Lisboa.

Se na India, pode, porque aqui não Pode?


Poligamia: homem se casa por amor 24h após união arranjada

Haidri posa com Rumana Aslam (esq.), por quem é apaixonado, e Humaira Qasim, sua noiva desde criança
Foto: AP

Um homem da cidade de Multan, no Paquistão, encontrou uma solução para seu dilema sobre aceitar um casamento arranjado pela família ou casar-se por amor. Azhar Haidri, 23 anos, oficializou sua união com as duas mulheres envolvidas - e fez tudo em 24 horas. As informações são da agência AP.
Inicialmente, Haidri havia se recusado a casar com Humaira Qasim, 28 anos, de quem era noivo desde a infância. O homem queria pedir em casamento a mão de Rumana Aslam, 21 anos, por quem estava apaixonado.
No entanto, a decisão de romper o noivado ameaçou prejudicar a família de Azhar Haidri, já que os matrimônios arranjados fazem parte do costume da população. "Eu disse que pediria as duas em casamento", disse Haidri antes de seu primeiro casamento, com Qasim, no domingo. "As duas concordaram", afirmou.
Azhar Haidri oficializou sua união com Aslam na segunda-feira, menos de um dia depois de ter se casado com a outra noiva. A história do paquistanês chamou a atenção da imprensa do país - algumas rádios e canais de TV locais planejavam cobrir ao vivo o segundo matrimônio de Haidri.
As duas mulheres disseram que gostaram do casamento, e que planejam viver como amigas ou irmãs. "Estou feliz que nós duas amamos o mesmo homem", disse Rumana Aslam.
Haidri se considera sortudo. "É muito raro que duas mulheres fiquem felizes ao concordarem em se casar com o mesmo homem", afirmou.
A lei paquistanesa aceita a poligamia com base no conceito de que o Islã, a religião principal do país, permite até quatro mulheres. Entretanto, os homens que têm várias mulheres geralmente esperam alguns anos para se casar novamente - e devem obter a aprovação de sua primeira mulher antes de um segundo matrimônio.


Memória da Política

Wolmar Castilho teve que

" desmaiar" pra que Pedro Simon não perdesse no diretório do PMDB!


Pedro Simon, Marcos Klasmann(de barba)Jorge Bandara, Carlos Giacomazzi, Wolmar Castilho examinam cassação de Klasmman em 1972. foto da Imprensa da Assembléia Legislativa, autor desconhecido.


A história é lembrada pelo lendário repórter político João Carlos Terlera, que tem até nome seu na Assembléia Legislativa:houve uma disputa, num ano que ele não lembra, dentro do diretório do PMDB e por um descuido quase que Jorge Krieger de Melo(advogado de presos políticos) e o deputado Lindo Zardo, de Nova Prata, derrubaram do comando o cacique mor do partido, Pedro Simon.

Faltou muita gente aquele encontro e mesmo assim puseram em votação. Só que quando Lélio Souza percebeu que a turma de Pedro Simon iria perder a disputa mandou que um da sua turma, Wolmar Castilho, " desmaiasse" pra que a votação fosse adiada. Wolmar realmente desmaiou. Foi lá pra frente, tomou um tombo e saiu um corte na testa, com um baita galo, lembrou Terlera, que é um repertório de histórias e causos da política riograndense dos anos 60 para cá....


Lançamento do livro

que teve até banda de rock...

Fui na terça na Casa de Cultura pro lançamento do livro Meu nome é Jorge.

O cara foi sem teto,sem tudo e conseguiu sair da chamada situação de risco,...que na verdade é a marginalidade...

sim, porque vencer os preconceitos da sociedade,quando o cara cai no fundo do poço e mesmo que queira sair,não é moleza. que o diga quem passou por isto, como o Jorge. Leiam o livro dele. Vai ser um sucesso da feira do Livro

E que bom que a Clô Barcellos topou editá-lo. Só a Clô mesmo. quando ia saindo do evento, encontrei a Clô,sempre querida, sempre simpática, e lhe sussurei no ouvido:
- Só tu pra editar livro de apenados da FASE

Ela ainda me atalhou:
- Não vai botar isto no blog.

Aí está....


Memória da Cidade

Clique aqui para ler a Lei 6450


Em1986, o prefeito Alceu Collares enviou uma PLE ( Proposta Lei do Executivo) pra Câmara Municipal alterando o nome da avenida Ipiranga para av. Maurício Sirostsky Sobrinho, que falecera em 24 de março de 1986, meio que de surpresa.

A grita foi tanta principalmente entre os comerciantes porque teriam que mudar todos os talonários que a RBS,depois de mandar fazer uma pesquisa, desistiu.Mas, conforme o vereador da época, Caio Lustosa, a aprovação já acontecera na Câmara Municipal e então a própria Ipiranga, teria,ainda hoje, o nome verdadeiro sendo como o do fundador da RBS.

A Cãmara Municipal, já na gestão de Olívio Dutra, como forma de " compensação" aos familiares da RBS votou o nome do Parque da Harmonia para Parque Maurício Sirotisky Sobrinho, mas a população ainda o trata até hoje por Parque da Harmonia.

Da memória de um repórter

João Carlos Terlera usou anos sua influência que tinha na imprensa gaúcha pra furar bloqueios, conseguir notícias exclusivas, mas nunca frequentou salões. Terlera costumava,. por exemplo, entrar no gabinete do governador, por um elevador privativo que se acessa a ele por meio da Casa Civil. Ia lá quando o governaldor o chamava, ou então ia na Casa Civil atrás de algum ato do governador pra sua coluna. Nunca foi de frequentar badalações...Tem horror a isto....

Diz a lenda que quando assinava a coluna Bastidores na ZH, alguns deputados chegavam a se ajoelhar na frente tentando conseguir um espaço pros seus projetos de lei...( acho particularmente isto um exagero, mas não é de se duvidar,né...)

Num dia ele viu que Pedro Simon o usou direitinho pra tirar GILBERTO MUSSI da Casa Civil, porque o governador estava constrangido em comunicar ao correlegionário que teria que deixar a pasta que ocupava para dar lugar a César Schirmer.

É que Schirmer era Secretário da Fazenda e chegaram até o Governador algumas denúncias sobre alguns dos seus assessores. Habilmente o governador tratou de substituir Schirmer, - aí os assessores teriam que ir embora também -sem que isto provocasse um abalo no governo como um todo.

Terlera,q ue fala muito - por isto um colega o apelidou de BOCÃO DA ROYAL - foi até o gabinete do governador Simon que lhe comunicou que faria a troca de Mussi por Schirmer.

Depois de conversarem a sós um bom tempo, Simon aconselhou Terleram que naquela altura nem desconfiava que tinha um segredo de Estado nas mãos:

- Vai no Mussi como tu sempre fazes pra ver se não tem algum ato que te interesse.

Terlera, conhecido por não guardar segredo e falar alto, chegou na sala do chefe da Casa Civil e foi logo perguntando:
- Mussi,quando é a posse do Schirmer.

Mas ele não desconfiava que Mussi ainda não fora comunicado que seria substituído.

- Ah, tou tratando disto, vamos ver nos próximos dias, desconversou um atônito ainda Chefe da Casa Civil ....

Terlera acabara de fazer ali o que Simon queria: comunicar a Mussi que seria subsittuído sem magoa-lo.

 

ACABAR COM OS RICOS E COM OS POBRES?

Por Carlos Chagas

Nada como uma campanha eleitoral embolada no segundo turno para despertar revelações inusitadas. Esta semana o presidente Lula, numa espécie de desabafo emocional declarou que jamais os ricos ganharam tanto dinheiro como agora, em seu governo. Insurgia-se contra meia dúzia de vaias desfechadas contra sua carreata em favor da candidatura Dilma Rousseff, ao atravessar um bairro de mansões de gente rica, em Curitiba. Dois dias depois, em Goiânia, falou a mesma coisa.
Certíssimo em seu diagnóstico, o primeiro-companheiro confirmou o que se supunha ser uma aleivosia de seus adversários. Realmente, banqueiros e especuladores, investidores, barões da industria, do comércio e dos serviços jamais foram tão favorecidos quanto no governo do PT. Basta conferir os balanços.

O singular nesse episódio é que os ricos, apesar das benesses, continuam preferindo José Serra a Dilma Rousseff. Confiam desconfiando do Lula, mas quando se trata da candidata, extravasam seus temores de forma absoluta. Temem que ela, eleita, possa retornar à pregação inicial e longínqua do partido, de acabar com a pobreza às custas da riqueza, iniciativa mais ou menos próxima das palavras do então primeiro-ministro de Portugal, Otelo Saraiva de Carvalho, em seu diálogo com Olav Palme, saudoso primeiro-ministro socialista da Suécia. Saraiva, no auge de seu delírio revolucionário, disse ao interlocutor que em Portugal estavam quase chegando ao objetivo final da revolução dos cravos: acabar com os ricos. Palme sorriu e retrucou que em seu país estavam tentando precisamente o contrário: acabar com os pobres...

A explosão do Lula exprime a perplexidade do atual momento brasileiro. Dilma promete acabar com a pobreza, ao tempo em que o seu mentor dá sinais de voltar à estratégia verbal do passado, ameaçando os ricos. Seria até bom se a troca patrimonial pudesse acontecer assim, num passe de mágica, mas ninguém garante que exterminando os ricos, a consequência será o desaparecimento dos pobres.

GUERRA À BOLÍVIA?
Mais uma vez o candidato José Serra abordou a questão de nossas fronteiras, prometendo policiá-las para acabar com o contrabando de armas e o ingresso drogas em nosso território. Citou a Bolívia como fator principal de suas preocupações, anunciando dura ação da polícia federal, das forças armadas e demais instituições encarregadas da repressão.

O diabo é que a economia desse país-irmão repousa essencialmente na produção de coca, q uer dizer, vive da cocaína e sucedâneos. Erigir um muro entre os dois países, além de burrice, seria inócuo. Apelar para os bons sentimentos do presidente Evo Morales, uma ilusão. Caso eleito, o ex-governador paulista ficaria sem outra saída senão fechar a fronteira com a Bolívia e botar a tropa de prontidão. Qualquer incidente transformar-se-ia num caminho sem volta para o rompimento com La Paz. Depois, ninguém sabe...

NÃO DÁ PARA FICAREM OFENDIDOS
Agora é o instituto Vox Populi a atravessar o samba. Ao contrário do Ibope, Datafolha e Sensus, sua previsão dá 12 pontos de diferença para Dilma, na pesquisa contra Serra. Os concorrentes vinham diminuindo a diferença entre os dois candidatos, que já estava em 5 pontos. De repente, amplia-se o espaço entre eles. Aceitar que o povo mudou outra vez, volúvel que é? Contestar metodologias, desconfiar de alinhamentos ou apenas aguardar a verdadeira pesquisa, dia 31? O que fica até hilariante é registrar a ofensa dos institutos sempre que se lhes revelam falhas e discrepâncias.

QUALQUER DIA ELE EXPLODE
Quem parece em vias de explodir é o deputado Michel Temer, candidato a vice na chapa de Dilma Rousseff. Não que tenha diminuído sua participação na campanha, porque de fato ela nunca existiu. Aqui e ali o presidente da Câmara pode ser visto num palanque, mas integrar o alto comando e opinar sobre as grandes decisões, nem pensar. É tolerado, mesmo assim de vez em quando.

Caso a candidata saia vitoriosa, Michel aguardará ser chamado, mas jamais para preencher ministérios conforme sua escolha, muito menos da cúpula do PMDB. Receberá pratos-feitos, restando saber se frios, apimentados ou dormidos.


Para o pândego Olides...

Oi, Olides

Obrigado por publicar os meus textos. Se bem que uma foto do Fernando Carvalho e do Serra chamaria mais a atenção. Mesmo assim, muito obrigado, mais uma vez.
Agora...

Você é uma figura, hein ?...rs... um pândego !!!!
Pega o texto do Tatata Pimentel sobre o Butikin publicado num livro que EU organizei (Sobre Porto Alegre) e diz que foi um DEPOIMENTO dele ????....rs...

És um pândego !!!!
Eu quase sei de cor esse texto !

Abs
Bissón

CONVITE SESSÃO DE AUTÓGRAFOS - 30/10 - FEIRA DO LIVRO


clique na imagem para aumentar

Coleguinhas


Tem gente achando que o " LUZ NO FIM DO TUNEL" voltou pra ZH por causa deste artigo dele. Ele não desencana da ZH, não adianta. Não engoliu até hoje o ponta pé na bunda que levou do Marcelo Rech,quando cheio de razão foi pedir aumento,querendo salário igual a da Martha Medeiros....


Olides:
Dê uma olhada nas páginas de opinião de ZH de hoje, tem um artigo meu sobre a Livraria do Globo.
Goulart

Memória Política

Recebo do Rômulo Brasil, que cuida da memória do PMDB gaúcho esta foto que lhe foi cedida pelo Esdras Rubim.

Ela é de dezembro de 1'987. O governo Simon tinha levado um pau, principalmente dos professores, que acamparam na praça da Matriz e trouxeram pro seu lado um deputado do PMDB,importante, o José Antônio Daudt.

O Governo Simon andava numa maré tão baixa que geralmente nos fins de tarde, o secretário dos transportes, Adão Faraco, convidava seu assessor Valdir Cócarro pra passarem no Palácio Piratini pra levar algum assunto de relevância para o governador tomar conhecimento e Faraco dizia pro colega da Secretaria:
- VAMOS LEVAR UMA NOTÍCIA BOA PARA ESTE POBRE HOMEM!

mAS EM dezembro de 1987, pra deixar marcado o primeiro ano de governo, houve um almoço de fim de ano, nos fundos do Galpão Criollo do Palácio Piratini, do qual participaram os secretários de estado e suas esposas. E uma foto pra ficar na história da política riograndense.


Olides:

Conforme prometido, segue foto dos secretários no Governo Simon com legenda.

Abraço,

Rômulo Brasil
Coordenador PMDB Memória/RS


Secretários de Estado, Chefe da Casa Civil, Diretores, Presidentes e outros, acompanhados de suas respectivas esposas – Governo Pedro Simon. 1987-1990.

Da esquerda para direita (em pé):
José Bacchieri Duarte, Ladislau Fernando Rohnelt, Orlando Corrêa, Sanfelice Neto, Luiz Ribeiro Bilibiu, Assis Roberto Sanchotene de Souza, Ruy Carlos Ostermann, Gilberto Mosmann, Alcides José Saldanha, Cezar Augusto Schirmer, João Carlos Bona Garcia, Esdras Rubin, Fábio André Koff, José Ivo Sartori, Fernando Lemos, Jarbas Pires Machado, José Francisco Sanchotene Felice, Manoel André da Rocha, Waldir Walter, Pedro Jorge Simon, Ricardo Antônio Silva Seitenfus, Sinval Guazzelli, José Fernando Cirne Lima Eichemberg, José David, Adão Dorneles Faraco, João Brusa Neto, Odacir Klein, Cláudio Francisco Accurso e Sérgio Menuzzi.

Local: Palácio Piratini – Porto Alegre/RS
Fotógrafo: Autor não identificado
Fotografia doada por Esdras Rubin
Projeto PMDB Memória/RS

Coleguinhas

Mau atendimento na imprensa da

FEDERASUL
RECEBO DO COLEGA MÁRIO MARIO CUTRUNEU, DO GRUPO CUBO DE COMUNICAÇÃO.

PREZADO EDITOR.

No dia 10 de agosto passado, pedi creden ciamento para almoço na federasul, em palestra de Nelcir Tessaro. Recebi de resposta da assessora Karen:

- entro em contato para informar que o credenciamento está limitado e já foi encerrado, dando prioridade para os veículos locais e diários.

Se quiser, pode participar da coletiva de imprensa marcada para as 11h30 minutos.

assinado karen.

Descredenciamento

depois desta atitude,que pode ser considerada " grosseira" - ou uma grosseria, dá a entender que o repórter só ia lá pra pegar a boia - o grupo solicitou que não mais mandassem emails pra sua caixa de correspondência e solicitou seu descredenciamento.

Não é a primeira queixa que ouço sobre o atendimento na federal.

Coleguinhas

Ninguém a não ser o colunista JCTERLERA,no ABC, tocaram nesta nota que o GLOBO deu...

Pois porque,será?


Transtorno na vida policial


(Archimedes Marques)

Desprende-se de grande parte da nossa sociedade os pensamentos errôneos de que todo policial é arbitrário e violento, irresponsável e ineficiente, corrupto e corruptível, covarde e delinqüente se comparando até ao seu próprio opositor, o bandido.
Tais pensamentos ilógicos e insensatos, além de emperrar uma real interatividade entre o povo e a sua Polícia ainda ferem de morte o brio do bom e verdadeiro policial que em verdade faz parte da grande maioria do contingente institucional em todas as Polícias do Brasil.
É bom que se frise que o policial é um funcionário público encarregado de prestar a segurança pública à sociedade e deve agir sempre de acordo com as normas. Quando ele comete algum abuso ou crime está sujeito à punição como qualquer outra pessoa do regime em vigor e até ainda com mais rigor devido a sua qualidade de guardião da Lei, pois ninguém está autorizado neste país a praticar excessos.
Já se foram os tempos em que os policiais frequentemente e facilmente se desvirtuavam das suas missões de bem proteger o povo, guardar a Lei e lutar pela ordem do país. Entretanto, não é isso que o povo vê e sente, muito pelo contrário, quando ocorre um deslize de um membro de qualquer instituição policial, logo a sociedade generaliza o malefício para todos os nossos componentes, colocando os fatos negativos como regra em toda a corporação ao invés de usá-los como exceção.
Assim, o bom policial, o digno e leal policial, aquele que veste a camisa da Polícia, aquele que verdadeiramente se veste completo de Polícia, paga perante o conceito depreciativo de parte substancial do nosso povo, pelos atos insanos do falso policial, do travestido de Polícia.
O malevolente pensamento arraigado no seio da sociedade brasileira, grudado feito sanguessuga a sugar o néctar da honradez do verdadeiro policial, é um dos motivos que também freia o nosso progresso, ou seja, tranca a evolução da polícia, pois aliados a tal conceituação depreciativa, assim muitos governantes não reconhecem o nosso real valor.
As políticas de segurança pública relacionadas principalmente à valoração profissional dos membros policiais sempre estão aquém das nossas expectativas. Com raras exceções de alguns Estados do país, assistimos de uma maneira ampla os nossos salários sendo sucateados e achatados, assistimos com tristeza os nossos policiais sempre desvalorizados e humilhados pelo poder público, assistimos com profundo pesar o povo tanto exigir da Polícia, massacrar as nossas ações, usar e descartar os nossos policiais e, assistimos enfim, a sociedade muitas vezes criticar por criticar a Polícia ao invés de apoiar a nossa luta pelo resgate da dignidade perdida ao longo dos anos, dignidade essa que por certo refletirá em uma melhor segurança pública para todos.
Poucos enxergam o policial como ser humano altivo, destemido, defensor, protetor, benfeitor e amigo. Não é nada fácil exercer a função policial neste país tão cheio de contradições que até os próprios Direitos Humanos, que em tese seriam para todas as pessoas, pouco nos alcançam. Os Direitos Humanos até mais valem para os marginais que ferem a ordem e rasgam as Leis do país do que para os policiais que as defendem e as guardam acima até das suas próprias vidas.
Mesmo assim, o bom e verdadeiro policial, apesar de todos os percalços na sua trajetória, dos transtornos da sua vivência, persiste e não desiste no fiel cumprimento do seu dever. Mesmo assim o digno e honrado policial mostra que acima de tudo faz parte de uma LEGIÃO DE FORTES IDEALISTAS que trabalha com amor à profissão e caminha ultrapassando muitas barreiras para servir essa própria sociedade que tanto o reprime.

(Delegado de Polícia no Estado de Sergipe. Pós-Graduado em Gestão Estratégica de Segurança Pública). archimedes-marques@bol.com.br


Memória da Imprensa

Ambos jornalistas, ambos ligados a dois importantes veículos( Correio do Povo,Alberto André) e Diário de Notícias( Say Marques) se pegaram feio na Câmara Municipal como mostra este recorte do jornal A HORA.

E os dois também tem outro elo: a feira do livro de porto alegre.

A lei que institui a feira do Livro é de 1959 do vereador Alberto André, mas Rodrigues Till afirma que Say Marques seria o verdadeiro " criador" da feira do Livro.

Conversando com Edgardo Xavier, umdos primeiros liveiros a expor na feira do livro, já na de 1955, ele disse que Say teve sua importância pela força que dentro dentro do jornalismo. Mas assegurou que Maurício Rosenblatt , Leopoldo Boeck e seu irmão, da livraria Sulina, foram tão ou mais decisivos na criação da feira do Livro do que Say Marques.

 

Feira do livro ( 56)

Um patrono guasca!

Mais grosso, só por falta de espaço, poderia-se dizer de Paixão Cortes, o patrono desta feira do livro.


Ontem, com suas tiradas gaudérias,que ele diz trazer lá do CERRO CHATO, a localidade onde nasceu em Livramento - por sinal a mesma do Carlos Urbim, que é o patrono até o dia 29 próximo, Paixão tomou o tempo de dezenas de repórteres, contando suas gauchadas e de como chegou onde chegou,segundo ele...

Mostrou uma foto de 1957,quando Ildo Menheghetti,governador do Estado, foi visitá-lo na barraca da feira onde só se vendia grossura, como Paixão chama coisa de gaúcho.

É um tipo. Paixão encarna o próprio personagem, como o josé pinheiro machado, encarna o Anonymus Gourmet na televisão....o cara deixa de ser ele, e vira o personagem. Há muito que Paixão vive do personagem, porque, mesmo quando " trabalhava" como funcionário público diziam que usava o expediente pra fazer suas pesquisas de folclore pelo interior do Estado.

Paixão tornou-se célebre no dia que o usaram pra pintar do Laçador. Ali ele começou a surfar na onde e a não fazer mais força, porque é nome,sabe como é...

Ninguém vai se meter contra o cara que representa os valores,nem que sejam totalmente ultrapassados e fora de época do Estado.

O que é o RS pra ter um Paixão como patrono de sua mais importante feira das letras?

Aos 83 anos, Paixão merecia mais uma aposentadoria e ficar em casa cuidando dos seus netos.

Mas a CRL virou um celeiro de marqueteiros que buscam mais espaço na imprensa do que propriamente valorizar o livro...

A mídia dita as regras na CRL,sem dó nem piedade. Os livreiros parecem cachorrinhos acuados, fazendo o que a mídia manda....

E lá vai o nosso patrono encerrando com termos bem gaudérios sua fala de ontem:

- NÃO SOU MANDO DAS PRETAS!

aH,ENTÃO ele mesmo reconhece sua grossura.

Não é por nada que quando o presidente da CRL o João Carneiro abriu pras perguntas,depois de falar,ontem, ninguém perguntou nada, a não ser este repórter. Ele, desiludido disse:
- Eu entenderam tudo, ou não entenderam nada.

Na verdade, a feira do livro não interessa mais nada a ninguém.

VIROU UM EVENTO DO CALENDÁRIO A MAIS DA CIDADE!


Feira do livro(56)


Como sempre, repórteres chegaram todos sonolentos ao Master Hotel, no centro da cidade. É costume já fazer este café da manhã, que é cheio de bicões....


*Bicudo, apesar de andar arrecadando grana pra resolver seu assunto do Jornal JA, chegou lá pelas 9 e meia da manhã. Achou que a feira daria coletiva neste horário....


* Me lembrou o falecido LUPI MARTINS, QUANDO era da EBN. Sempre chegava atrasado nas coletivas e como era da empresa oficial, ficava pegando as informações com os coleguinhas


*Na coletiva da feira de ontem, nenhuma novidade essencial. Trocou a assessoria de imprensa. Vamos ver se melhora porque a anterior só dava colher pros cupinchinhas deles...

*Esperemos que a CRL tenha contratado gente mais profissional pra atender aos jornalistas...aos que trabalham em grandes e pequenos órgãos, não como era anteriormente feito.


*Não sei o motivo porque a CRL deixou a empresa anterior que fazia a assessoria, mas COMPADRISMO misturado com assunto profissional sempre acaba em INCOMPETENCIA....

*Jussara Rodrigues e a senhora que cuida da área infantil são meio a cara da CRL e por consequencia da Feira do Livro de Porto alegre, pelo menos pra quem trabalha nos bastidores


*Nova empresa que cuida da imprensa está negociando até pra ter lanchinho pros repórteres de tarde. O que vai dar de bicão não tá no gibi...

Mais feira do livro (56)

Lançamento foi no Master Hotel, no centro

*O patrono paixão cortes chegou cedo, com sua esposa, Marina.


*Quando deram a palavra ao Paixão, levou no bico umas duas horas....


*Não parava de falar com seus trejeitos gaudérios.....


*O Paixão é uma atochada...bem falante, bem como gaúcho gosto,trovador....atochador. engraçado como este tipo faz sucesso...popular...


*Aos 83 anos, Paixão virou o patrono da feira do livro. que diferença do Frei Rovílio Costa( que pra santo não servia) mas que era pelo menos menos trovador.


*O Paixão distribuiu um monte de folheto dele próprio,durante o evento. Pudor ele não tem nenhum...

Vou guardar todos e dar pro Serguinho, que gosta destas gaitadas de gaúcho e além de tudo tem raízes NA SANTANA, como eles mesmo dizem... que gente trovadora...


*E Paixão fez o favor de chamar o CARLOS URBIM DE CARLOS REVERBEL....jÁ ESTÁ GAGÁ...TAMB ÉM AOS 83 ANOS BOTAM O VEIO PRA PATRONO DA FEIRA....


PERDEMOS UM PARCEIRO

Estamos aqui em Brasília,muito tristes. É que o nosso parceiro e companheiro embaixador, Rubens Correia Barbosa, um dos integrantes da mesa inteligente do Stella Grill,está deixando Brasília e seguindo para a Austrália,onde será nosso representante naquele país.
O Rubens que estava cedido ao Ministério das Minas e Energia,já algum tempo, era um dos caras que mais entendia de petróleo. No ministério onde assessorou o ministro Edson Lobão, era quem dava a palavra final quando o assunto era o petróleo. Vai deixar muita saudades.
Mas o embaixador vai deixar saudades também na noite de Brasília.
Ele e um seleto grupo de médicos,engenheiros e economistas,tinham um conjunto de jazz que tocava seguidamente na noite brasiliense. Os cachês que recebiam,eram transferidos para entidades beneficentes.
Faziam um sucesso tremendo, Vamos sentir saudades.
Como despedida,os seus amigos do Stella Grill,ofereceram a ele um almoço especial.
Muitos poucos integrantes da mesa, deixaram de comparecer.
Nas fotos, vocês podem ter uma idéia do que foi a reunião em homenagem ao Rubens.
Sergio Ross


O embaixador discursa agradecento a homenagem que prestamos a ele


O discurso do embaixador


A turma do almoço no Stella, antes de chegarem ao
restaurante,dão uma passadinha no escritório do Chagas,
para tomarem uma dose de wisky(?). Na foto,o embaixador Rubem e o
Padre Aleixo. O padre é o nosso capelão na mesa do Stella. Ele é filho
do grande político mineiro,chamado Pedro Aleixo e é da ordem dos
jesuitas. Um cara inteligentissimo,que já lecionou inclusive no
Vaticano.


A turma da mesa,brinda o embaixador


O embaixador discursa agradecento a homenagem que prestamos a ele


Ca rlos Chagas, Padre Aleixo e o embaixador Rubem Correia Barbosa.


Na mesa,Chagas o Pe.Aleixo e o Celso Kaufmann o homem do Stella Grill


Na foto o Jolino Madeiro,um gaucho de Cruz Alta, que depois
de viver pelo mundo, hoje vive aqui em Brasília.


De São Borja!


Recebo carta, manuscrita, enviada CARTA SOCIAL( que foi pra pagar menos,também faço isto....) do poeta Clemar Dias. de São Borja, dentro cinco pilas, meio velhotes, mas que deu pra pagar o lotação e ainda sobrar um pouco...Clemar se recupera e diz que não é pão-duro coisa nenhuma, como espalham seus detratores no La Barca....

Vamos ao conTIUDO da carta...

" CARO OLIDES

COMO ESTE MUNDO É PEQUENO. LENDO TEU LIVRO ME DEPAREI COM O DELEGADO CICERO LOUREIRO DA SILVA ESTE PERSONAGEM FOI INSPETOR AQUI E MUITO AMIGO DA MINHA SOGRA E PADRINHO DO MEU CUNHADO QUE TINHA O MESMO NOME.
não sei se antes de Serafina, ou depois, sei que aqui( ...impublicável....) foi para o Mato Grosso a serviço do Dr. Jango.


O PAI DESTE DELEGADO FOI CASADO COM UMA TIA DA MARIA TERESA GOULART CONTAVAM OS MAIS ANTIGOS ESTE ( deixa pra lá.....) fOI EMBORA DAQUI E ENTROU PRO SERVIÇO PUBLICO ISSO LÁ POR JAGUARÃO ONDE O DELEGADO NASCEU DE SEGUNDAS NÚPCIAS.

MINHA MULHER QUE ESTAVA EM PORTO ALEGRE NA CASA DA VÓ PATERNA DA NOSSA NETA - DONA ALTAIR PANDOLFO - NISTO CHEGOU CHEGOU UMA VOVOZINHA QUE SABENDO QUE A VISITA ERA DE SÃO BORJA PERGUNTOU SE NÃO CONHECIA JOCELINA VIEIRA QUE TINHA FILHOS CÍCERO E MARIAZINHA DO QUE MINHA MULHER RESPONDEU;
- A MARIAZINHA SOU EU. dEPOIS DISTO ATRAVÉS DESTA SENHORA FIQUEI SABENDO MUITO DOS CASOS ACONTECIDOS NO ANTIGAMENTE


A HISTORIA DO TEU TIO-AVO CANTON QUE MORREU AQUI ME PARECEU UM NOME QUE EU JÁ TINHA OUVIDO. MUITOS DOS MEUS ANTEPASSADOS SERVIRAM NO BATALHÃO FERROVIÁRIO.

QUEM SABE POR ISSO O NOME NÃO ME SOOU ESTRANHO.


MAS AGORA NÃO TENHO MAIS COMO APURAR ISSO.

AGRADEÇO A GENTILEZA DO AMIGO E OS CINCO PILAS E PRA SALDAR E PERDER A PECHA DE PÃO DURO.ISSO É COISA DAQUELES ( impublicável...) lá do La Barca que não são uma fonte confiável. pois se emborracham e sobra toda a carne.
]
Não toma o vinho de lá ser de baixa qualidade já ganhou o apelido de ze nilo porque tu vai bebendo e vai mudando a cor da tua pele.

sem mais, pode contar com este amigo para SERVIÇOS LEVES

CLEMAR DIAS

Respostas

1) impublicável: leia-se se eu pussesse no papel,dava rolo

2) claro que o clemar não ia se oferecer pra trabalhos pesados

3) a carta social prova seu pão durismo que não foi espalhado no La Barca. foi na Câmara Municipal mesmo e ele tem como localizar o foco onde falam muito mal dele.

 

OT- Compra-se TV que sintonize a Globo. Favor entregar na Editora Abril

Participante pega, com a boca, olho de boi dentro de aquário cheio de larvas em Hipertensão


Que a revista Veja é uma pobreza, sempre soube. Mas não a ponto de precisarmos fazer uma vaquinha para ajudá-la a comprar um televisor que sintonize a Globo.
Semana sim, semana também, a publicação quer ensinar os outros a fazer TV de qualidade, já que jornalismo impresso eles não conseguem. Na edição desta semana, a revista da marginal subiu no palanque para criticar o que considera “apelativo”, “humilhante” e “impiedoso” na programação da Record e do SBT. Nenhuma linha sobre a Globo.
Deve ser mania de oligopólios. Eles que se acham grandões e intocáveis devem se entender muito bem. Até combinam. Devem se ver por aí.
Falta de sintonia com a emissora que não é. O que falta é eles sintonizarem o canal da Velha Senhora para aprender o que é sensacionalismo de qualidade.
Até o Faustão já pediu desculpas por fazer seu serviço, quando expôs seus anões e seu circo de domingo. E Hipertensão? A nova "sensação" de Boninho e sua trupe já bastava para demonstrar o quanto a reportagem foi parcial.
Esse programa é o requinte da crueldade. Outro dia, vi uma pizza de larvas com olho de boi sendo engolida em meio a vômitos dos participantes ao lado. Sem cortes. Quanta elegância! O site do programa descreve uma prova da seguinte maneira, bem acadêmica: "Na Prova de Eliminação desta quinta-feira, os temidos olhos de boi vieram acompanhados de miolos. Os quatro participantes na berlinda tiveram que se ‘deliciar’ no tempo máximo de dois minutos. Quem demorou mais para estourar os olhos e em seguida comer o cérebro foi o perdedor".
Estourar os olhos e o cérebro do telespectador parece ter virado especialidade da atração.
A diferença é que eles escolhem garotões sarados e mocinhas bem nascidas para o papel de cretinos. Se o elenco tiver a cara da elite branca, então pode?
TV aberta é entretenimento. Quando dá, presta serviço e informa. É um mundo difícil, para estômagos e mentes fortes. O povo quer se divertir, e tem esse direito.
Nessa hora, aparece uma revista iluminada e diz o que é bom e o que é ruim. Acusam o Lula de agir como messias, mas não perdem a chance de abrir o Mar Vermelho. Para a Globo passar.
http://noticias.r7.com/blogs/o-provocador/

Colaboração de Mírian Martins

Semana de Defesa da Concorrência RS - 21 e 22 de outubro

Governador eleito participa de evento em Ijuí....


Tarso e Burmann juntos em Ijuí

PDT e PT são coligados na prefeitura de Ijuí. Isto deve explicar a presença do deputado Gérson Burmann, do PDT, neste evento que o governador eleito Tarso Genro prestigiou dias atrás.

Tarso Genro - Assessoria de Imprensa

www.tarso13.com.br
twitter.com/tarso13

Pesquisas segundo turno

Olides, o jacaré abriu a boca novamente.
Podes publicar.

Remindo Sauim

DE SÃO BORJA


o POETA CLEMAR DIAS que deu pra se meter em política( poeta quando se mete em política é um DESASTRE, vide Antônio Holfeldt que foi fazer a intervenção dos ônibus na capital e foi aquilo que se viu, uma bola nas costas do companheiro Olívio, que não foi mole.....) mnada dizer que o cabo eleitoral continua magoado...mas quem será ele...todo mundo quer saber.

Eu deduzo que é alguém que trabalhou para o deputado Cassiá Carpes.

Diz o Clemar, na sua crônica do sábado passado, na FSB, que o fuxico veio a tona no BAR DO CHITA, ...Mas em que lugar isto poderia vir à tona a não ser naquele bar onde se REUNE O ANTRO DOS FALADORES DA VIDA ALHEIA DE SÃO BORJA!!!!

 

MEMORIA DA IMPRENSA


LIVRO DE CELITO

JOGA LUZ SOBRE LAILA PINHEIRO E


SÉRGIO JOCKYMANN

jÁ TOTALMENTE FORA do dia-a-dia das redações de jornais, dois grandes repórteres da imprensa gaúcha, Laila Pinheiro( a primeira repórter policial do Estado) e Sérgio Jockymann - que está residindo em Campinas(SP) - voltam a tona com o livro que será lançado hoje, dia 20, na Assembléia Legislativa do Estado(vestíbulo nobre) a partir de 19 horas.


Sérgio Jockmaymann foi o responsável por vender milhares de exemplares da ULTIMA HORA, jornal de Samuel Wainer,com suas criações sobre o caso KLIEMANN. a cELITO DE GRANDI ELE CONFESSOU:
- NOS MENTIMOS MUITO NOS JORNAIS ATÉ QUE UM DIA EU PAREI PARA PENSAR E VI QUE O CASO TODO TINHA SIDO MUITO IMPORTANTE NA MINHA VIDA.

PASSE A TER MAIOR RESPONSABILIDADE E ME ARREPENDO,SINCERAMENTE DO QUE ESCREVI.


E DISSE MAIS:

foi um crime transformado em caso político que reflete muito bem aqueles anos. Uma situação típica de época. Dois lados políticos se devorando, com jornalistas no meio mentindo, com policiais fazendo o mesmo....

Jockymann em suas crônicas na Ultima Hora citava muito uma DAMA DE VERMELHO e por isto há até uma lenda que o delegado encarregado do caso, teria dito aos jornais:

- DAMA DE VERMELHO,APAREÇA EU JÁ TENHO SUA IDENTIDADE....

MAS o criador desta lenda não foi o cronista de ULTIMA HORA COMO OBSERVA NO livro que lança hoje Celito de Grandi e sim o jornalista Leopoldo e Silva, do DIÁRIO DE NOTICIAIS.

LAILA PINHEIRO foi a primeira repórter policial do jornalismo gaúcho e no depoimento que deu pra fazer o livro GOLPE MATA JORNAL, de Jefferson Barros, ela fala:

- FIZ TODO O CASO KLIEMANN. ESTIVE NO LOCAL DO CRIME, VI A MULHER MORTA, VIA A MARCA DA PULSEIRA. ESSE CASO FOI DIVIDIDO ASSIM; ENTRE OS REPÓRTERES DE POLICIA E EU E O LUIS AUGUSTO, QUE ERA COLUNISTA SOCIAL, PORQUE EU FAZIA UM DUBL~E DE POLÍCIA COM COLUNISTA SOCIAL.

EU TRABALHAVA DAS DUAS DA TARDE ÁS DUAS DA MANHÃ. PELAS OITO DA NOITE IA PARA O COUNTRY CLUB COM O LUIS AUGUSTO. NA COBERTURA DA MORTE DE MARGIT FUI PRA BARÃO DE SANTO ANGELO, NA CASA DELA, ONDE ELA MORREU, LOGO QUE CHEGOU A INFORMAÇÃO. MAS O MEU PRIMEIRO CASO DE POLICIA FOI OUTRO.

O DE UMA PROFESSORINHA DE UM COLEGIO PÚBLICO DE PORTO ALEGRE QUE ENTREGAVA CRIANÇAS A SANTA CASA, PARA ADOÇÃO. QUEM ME TROUXE O CASO FOI O FELHBERG( CARLOS MACHADO) que na época TRABALHAVA NO JUIZADO DE MENORES.

E QUEM ME LEVOU PARA UMA REDAÇÃO FOI O FLÁVIO TAVARES. NÃO TINHA NENHUMA FORMAÇÃO PROFISSIONAL.

MAS ME DESENVOLVI NA REPORTAGEM E NO COLUNISMO SOCIAL.

POR EXEMPLO, EU FUI PARA SANTA CRUZ , NO ENTERRO DE MARGIT, PORQUE TINHA EXPERI~ENCIA NA COBERTURA DE SOCIEDADE, COMO SE DIZIA. MAS APROVEITEI PARA CONSEGUIR O QUE O REPÓRTER DE POLÍCIA PROCURA.. NO CASO DAS FOTOS DO ÁLBUM DE MARGIT, NÃO FOI BEM UM ROUBO.

MANDARAM UM TECO-TECO NOS LEVAR EM SANTA CRUZ EU O LUIZ AUGUSTO, PRÁ MISSA OU CULTO - ACHO QUE ELA ERA PROTESTANTE - DO CORPO PRESENTE.

QUANDO EU ESTAVA INDO Á MISSA, ME DISSERAM ONDE A CASA FICAVA. DE LOGNE, VI UMA FOTOS DELA QUE SE ENXERGAVA DA RUA.

EU ESTAVA DE SALTO ALTO PARA O CULTO. ME PERGUNTOU O QUE EU QUERIA.

EU DISSE QUE TINHA IDO VER UMAS FOTOS DA DONA MARGIT. E ELA ME DEU UM PORTA RETRATOS.

EU TIREI A FOTO ESCONDIDA, ENTREGUEI O PORTA RETRATO E SAI ' VOANDO'. MAS TIVE VÁRIOS CASOS POLICIAIS, PORQUE EU TRABALHEI TODO TEMPO NA POLÍCIA.

TEVE UMA COISA QUE ME TOCOU MUITO, LÁ NA VILA NOVA, COM UMA MENINA JAPONESA, UMA NISSEI. ELE SE APAVOROU PORQUE TEVE UM FILHO, AÍ MATOU A CRIANÇA E SE ENFORCOU. NÓS CHEGAMOS NO SÓTÃO DA CASA, COM ELA PENDURADA NUMA VIGA E A CRIANÇA MORTA NO BERÇO. EU FIQUEI MUITO ASSUSTADA".

Sem palavras

Pena que só quem já concorda lê textos tão fantásticos.... verás quem não foge a luta

Só mais este Canton, para entenderes que tem muita gente indignada com a "bondade" e a "baixaria" de quem, de repente, se apresenta como o "MESSIAS".
Josi Negreiros


por Leonardo de Souza *


Você não votou na Dilma no primeiro turno. Também não pretende votar nela no segundo turno. Não apenas você não vai votar nela, como você tem alertado sobre os perigos de se votar na candidata petista. Você tem suas razões para achar que o voto em Dilma não é o melhor para o Brasil.
Eu não penso como você. Entendo que o melhor voto para o Brasil é o voto em Dilma Roussef, e não em José Serra.
A principal razão que, no meu ponto de vista, justifica o voto em Dilma não é uma única razão. Na verdade, são 53 milhões de razões: entre 2003 e 2008, foram 21 milhões de brasileiros que deixaram a miséria e outros 32 milhões que ascenderam à classe média. Os números dos que chegaram à classe média correspondem mais ou menos ao total de torcedores do Flamengo, e os que saíram da pobreza correspondem aproximadamente à torcida do Corinthians. É isso mesmo: o número de brasileiros que melhoraram de vida na Era Lula é um pouco menor que a soma das torcidas do Flamengo e do Corinthians. A pobreza extrema no país foi reduzida à metade nos anos Lula. Esse salto não se deveu apenas ao bom momento econômico. Isso é fruto de medidas específicas do Governo Federal, tais como o Bolsa Família e o Bolsa Escola.
Você chama esses programas de assistencialistas, de demagogia paternalista. Na sua concepção liberal de “Estado mínimo”, esses programas não têm justificativa. Mas os países socialmente mais justos foram aqueles em que o Estado assumiu um papel ativo na promoção do bem estar social. Você condena os programas brasileiros, mas, quando vem à Europa, se embasbaca dizendo que a Suécia ou a Dinamarca é que são países “de verdade”, pois se importam com seus cidadãos. Os programas sociais brasileiros são irrisórios se comparados aos de países da Europa ocidental. Por que você etiqueta os programas assistencialistas suecos de “justos” e os brasileiros de “demagógicos”? O número de programas de suporte social de um país como a França é muito superior ao do Brasil. Para você ter uma ideia, aqui eu recebo uma ajuda de moradia, fornecida pelo governo francês a todo estudante que paga aluguel, seja ele francês ou não. Isso custa uma grana preta aos cofres franceses. Certa vez, comentei com um colega no trabalho que recebia essa ajuda. Nunca vou me esquecer do que ele falou: “Puxa, nem sabia que isso existia aqui na França. Sou classe média, não preciso desse auxílio, mas fico feliz de saber que os impostos que eu pago servem para ajudar estudantes como você”. Isso é civismo. É impensável ouvir isso da classe média brasileira, notória pelo seu acivismo. O que se ouve deles é que “a classe média é explorada”.
Você deveria é ficar feliz de saber que parte de seus impostos são destinados a ajudar os brasileiros que podem menos. Votar em Dilma é votar na continuidade desses programas. É a garantia de que mais compatriotas irão melhorar de vida. Ou você acha que vai manter esses programas um cara cujo vice propôs punir quem dá esmolas e que chamou o Pronasci de “bolsa-bandido”? Um cara cuja esposa chamou o Bolsa Família de “bolsa vagabundagem”? Você acha que esse senhor tem capacidade de diálogo com os mais desprovidos? Um cara que diz não entender os sotaques de goianos, mineiros e pernambucanos? Um cara que, como bem observou Idelber Avelar, inventou a favela de plástico? Um cara que diz para uma eleitora na favela, “Não posso conversar agora. A senhora não poderia me mandar um fax?”? Esse senhor não demonstra ter canais de comunicação com os pobres. Serra diz que vai manter os programas sociais. Só que eu não confio no que Serra diz. Aliás, não confio sequer no compromisso que ele assume por escrito em cartório.
Foi sob o Governo Lula que a economia brasileira conheceu um período de crescimento expressivo, inclusive durante a crise mundial. Conheço seu argumento: “Lula continuou o que FHC fez”. Só que o próprio FHC reconheceu recentemente que a gestão econômica do PT tem méritos próprios. Insistir na tese de que tudo de bom da economia brasileira não tem sequer uma contribuição da equipe econômica de Lula, mas apenas de FHC e do Plano Real, tem tanto sentido quanto dizer que a pujança da indústria automobilística brasileira nos dias atuais é mérito de apenas um homem: JK.
Não foi apenas no plano econômico que a gestão Lula foi primorosa. Há que se destacar a revitalização do sistema universitário público. Comparar a gestão Lula com Paulo Renato é como comparar o Barcelona ao Madureira. Foi nos anos FHC que o ensino superior privado conheceu fulgurante expansão – na maior parte das vezes, sem a contrapartida da qualidade –, rifando vagas universitárias a megagrupos empresariais. Ao mesmo tempo, as universidades federais entraram em processo de sucateamento: Paulo Renato cortou verbas, restringiu concursos para professores e funcionários, priorizou a expansão do ensino privado, não promoveu uma política de assistência estudantil. Fiz o curso médico na UFMG durante os anos FHC. O descaso governamental provocava greves recorrentes (a de 1998 foi marcante) e provocou inclusive o fechamento do Hospital das Clínicas da UFMG, pelo simples motivo de que a verba federal não era repassada: centenas e centenas de alunos, além de milhares de pacientes carentes, sofreram com o fechamento do hospital. Hoje, o campus da UFMG tem outra cara: prédios novos e modernos foram inaugurados (Economia, Farmácia, Odontologia, Engenharia).
A Cynthia Semíramis concorda comigo. Lula investiu no ensino superior: criou 14 universidades federais e outras dezenas e dezenas de escolas técnicas, muitas delas em regiões menos desenvolvidas do país. Foi a política de Lula que permitiu a criação, por exemplo, do Instituto de Neurociências de Natal, que já está aí, repatriando pesquisadores e fazendo pesquisa em alto nível. Cargos docentes foram criados e a carreira universitária foi valorizada, em flagrante contraste com a ativa promoção da penúria que marcou a gestão Paulo Renato. Tudo isso propiciou que os mestres e doutores formados no Brasil ocupassem cargos na universidade brasileira, evitando o brain drain que por tantos anos sangrou a academia brasileira.
O salto na pesquisa brasileira desde a eleição de Lula é bastante expressivo. Em 2003, os investimentos em ciência e tecnologia foram de 21,4 bilhões de reais; em 2008, já atingiam R$ 43,1 bilhões. Paralelamente, houve notável aumento da produtividade científica brasileira: as publicações em peer-review journals saltaram de 14.237 em 2003 para 30.415 em 2008. Subimos da 17ª posição no ranking da SCImago, em 2000, para a 14ª, em 2008. Passamos países com maior tradição de pesquisa, como a Suíça e a Rússia. A política de pesquisa do Governo Lula foi elogiada inclusive pela Nature, uma das revistas científicas mais importantes do mundo (aí, Tio Rei, coloque mais essa na lista do jornalismo chapa-branca). Eu não voto em José Serra porque não quero que a universidade e a pesquisa brasileiras sejam sucateadas novamente. Não merecemos outro Paulo Renato.

Você diz que o governo do PT é anti-democrático, que ele coíbe a liberdade de expressão e que ele ameaça a liberdade de imprensa. Você acha que o PSDB representa uma proposta democrática. Discordo nos dois pontos. Houve declarações atrapalhadas do governo no que diz respeito à imprensa, e não aprovo a atitude de Lula no episódio Larry Rother. Mas daí a dizer que governo do PT é anti-democrático e que cerceia a liberdade de imprensa vai uma distância muito grande. Nem mesmo FHC sustenta que o Lula é stalinista – só aloprados como Olavão e o Tio Rei é que alimentam besteiras assim. Se, como você diz, o PT censura a imprensa a seu favor e coloca um monte de jornalista chapa-branca nas redações de todo o país, olha, então o PT tem que aprimorar seus métodos. Dê uma olhada nas últimas capas da revista semanal de maior circulação do país, ligue a TV no principal canal, ou visite um dos blogs políticos mais acessados e veja (ops!) se há algum indício de que o PT tolhe quem fala mal dele e quem aponta as lambanças do partido. Aí você diz que, no governo Lula, tentou-se criar o Conselho Nacional de Jornalismo e que isso era uma tentativa ditatorial de controlar a liberdade de imprensa. Se isso é ditadura, sua lista de governos anti-democráticos deve incluir também países em que o Conselho já existe, como a França e a Inglaterra, como bem lembra Jânio de Freitas. Você critica a TV Brasil, dizendo que o governo não tem que manter canal de TV. Diga isso a um francês. Ele vai lhe dizer que na França não existe um canal de TV nacional que seja público. Existem cinco.
Eu também li o editorial do Estadão, dizendo que Dilma é “o mal a evitar”, por representar uma ameaça à democracia e à liberdade de imprensa. Você achou bonita essa defesa do “Estado de Direito”, né? Por que o Estadão nunca fez um editorial como esse quando o Brasil efetivamente vivia sob uma ditadura, nos anos de chumbo? Por que, dias depois desse editorial, esse mesmo órgão que se põe como baluarte da democracia plural demitiu sumariamente uma colunista que apoiou o Bolsa Família?

E será que o PSDB é tão comprometido assim com a democracia constitucional e com a liberdade de expressão? E os arapongas da Abin na gestão FHC? De qual partido é Eduardo Azeredo, que propôs uma lei de controle da internet que é carinhosamente chamada de AI-5 digital? De qual partido é Yeda Crusius, que mobilizou a PM gaúcha para espionar uma deputada de oposição, inclusive suas crianças (via Idelber)? De qual partido é Beto Richa, que censurou sete pesquisas eleitorais, um blog e até um twitter? E o que dizer do Serra, que telefonou a Gilmar Mendes para que ele tomasse a decisão que o PSDB preferia, no que diz respeito aos documentos necessários à votação? Isso é respeito às instituições democráticas?
Você reprova a política externa do Lula, dizendo que ele desonra a democracia brasileira, privilegiando o diálogo com regimes fechados e ditatoriais. Então me responda: onde estava sua indignação quando FHC condecorou o ditador peruano Alberto Fujimori com a Ordem do Cruzeiro do Sul?
Você vê com maus olhos as alianças políticas do governo Lula e acha que isso é um argumento forte para não votar no PT. Eu também não gosto do Sarney, do Collor, do Calheiros, do Temer, do Hélio Costa. Preferiria que eles estivessem longe do poder. Mas já passamos da idade de acreditar em purismo ideológico, né? Isso é coisa de adolescente que descobre a política. Fazer política é fazer alianças, muitas das quais difíceis de serem engulidas. Vai me dizer que você gostava de ver o sociólogo da Sorbonne de mãos dadas com o PFL de ACM e cia.? Você gostava de ver o Renan Calheiros como Ministro da Justiça do FHC? Talvez você nem sequer goste do Índio da Costa… Bem vindo à real politik, mon ami.


E sim, você vai me falar da corrupção na gestão petista. É verdade. No que diz respeito ao combate à corrupção o governo Lula não foi virtuoso – longe disso. Houve mesmo bastante corrupção. O mensalão existiu, não foi invenção. Mas, será que a oposição é impoluta e pode mesmo posar de moralmente superiora? Lembra-se do Mensalão Mineiro e do Azeredo? Do Ricardo Sérgio de Oliveira, caixa do alto tucanato, que levou R$ 15 milhões na privatização da Vale? Dos R$ 400.000 a cada deputado que votou a favor da reeleição? E o esquema de corrupção e espionagem, revelado no escândalo dos grampos durante a privatização da Telebrás, envolvendo FHC, o presidente do BNDES (André Lara Resende) e Luiz Carlos Mendonça de Barros (ministro das Comunicações)? E a farra do Proer? E o favorecimento ilícito da Raytheon na instalação do SIVAM ? E a endinheirada relação entre Chico Lopes (ex-presidente do BC) e o banqueiro Salvatore Cacciola? E Eduardo Jorge, assessor pessoal de FHC envolvido em diversas negociatas, inclusive em “caixa dois” para a reeleição de FHC? Por favor, não me venha com essa conversa de que o PSDB não compactua com a corrupção.

Eu vou concordar com você que o Brasil precisa de investimento em infra-estrutura: portos, rodovias, aeroportos. Mas será que o governo que impôs à população brasileira o racionamento de energia é mesmo o mais preparado para conduzir esses avanços em infra-estrutura? Acho que não.
Mas talvez nenhuma dessas questões sobre economia, educação e gestão pública importem para você. Talvez o que mais lhe opõe à candidatura de Dilma Roussef sejam questões religiosas. Pode ser, por exemplo, que você se oponha à política petista em defesa dos direitos civis dos homossexuais. Você chama isso de “tentativa de implantação de uma ditadura gay no Brasil”. É engraçado ouvir que existe ditadura gay no Brasil das mulheres-fruta, das dançarinas de axé, da erotização infantil, das peladonas do carnaval, das bancas em que pululam revistas masculinas de orientação heterossexual. Fique tranqüilo, essas coisas vão continuar acontecendo e ninguém está propondo instituir o monopólio da G Magazine entre as revistas de entretenimento adulto (fugiremos juntos do Brasil quando isso acontecer, ok?). Estamos falando em estender a uma pequena parcela da população os direitos civis desfrutados pela maioria. Nenhum governo do mundo tem poder para forçar alguém a assumir determinada sexualidade, porque os determinismos neurobiológicos da sexualidade passam ao largo da legislação dos homens – do contrário, eu acharia que os labradores machos lá do sítio da minha família só montam um no outro porque o governo PT apóia a causa homossexual (e eu desconfio que meus labradores não entendem muito bem o que seja o PL 122). A questão aqui é apenas garantir que a expressão de determinado comportamento sexual não seja discriminada. Isso não é forçar a população a ser homossexual, nem calar heterossexuais. O prefeito de Paris é gay, assim como o de Berlim e a Primeira Ministra da Islândia. Eu, heterossexual, não sofro por morar em uma cidade governada por um gay.
Aproveitando o tema, permita-me uma pergunta: o que aconteceria se, ao invés de se mobilizarem maciçamente contra o “casamento gay”, os evangélicos se movessem por coisas que importam, como metrôs, ensino público, bons hospitais e punição a corruptos? Por essas e outras, é que indicadores como mortes violentas, saneamento básico e crianças nas escolas são bem melhores em Paris do que em São Gonçalo, cidade do Brasil com maior concentração de evangélicos. A luta contra a miséria e os embates por educação, transporte e hospitais de qualidade não parecem sensibilizar evangélicos – mas se dois marmajos querem juntar escovas de dentes no mesmo copo do banheiro, aí eles entram na briga, né? Essa miopia política acívica atrasa o país. O Brasil seria bem melhor para todos se os evangélicos batalhassem politicamente por coisas que realmente importam – e isso certamente não inclui ajustar o mundo aos estritos códigos comportamentais que defendem.

Há o aborto também. Você está certo: a Dilma é a favor do direito ao aborto (este vídeo é como batom na cueca, não tem o que discutir). Mas preste atenção: estamos tratando de uma eleição presidencial, não de um plebiscito sobre o aborto. E você sabe: o presidente não tem poder para assinar um papel e legalizar o aborto por conta própria, sem aprovação do Congresso, como se estivesse assinando uma ordem para comprar canetas Bic para escolas públicas. A discussão e a legislação sobre aborto são matéria do Congresso, não do presidente. Não misture as coisas. Não entre na onda dos que estão transformando essa eleição em um plebiscito.
O Brasil melhorou muito sob a égide de Lula. A imprensa mundial, dos veículos mais à esquerda aos mais à direita (tá aqui o Figaro que não me deixa mentir), saúda os avanços na Era Lula. Você dirá, com razão, que toda unanimidade é burra. Sim, é verdade. Mas isso não significa que toda forma de discordância é inteligente. Não é inteligente negar que, nos anos Lula, o Brasil se tornou um país socialmente mais justo e menos desigual. Isso é negar os fatos. E negar os fatos nunca é inteligente.

Você pode até não votar na Dilma, por razões várias. Eu, de minha parte, prefiro apoiar quem tem feito do Brasil um lugar melhor para o maior número possível dos filhos deste solo: os brasileiros.

* Leonardo de Souza é médico formado pela UFMG. Especialista em Neurologia, trabalha desde 2005 no Centro de Doenças Cognitivo-Comportamentais do Hospital da Pitié-Salpétriêre, em Paris. É doutorando em neurociências na Université Paris VI. Este texto foi publicado inicialmente em seu blog: aterceiramargemdosena.opsblog.org.

Memória política

Pouca gente pro

primeiro dia do batente!

Pedro Simon iria ganhar as eleições em 1982, na primeira eleição depois da redemocratização, mas perdeu para o candidato do PDS, Jair Soares, por cerca de 20 mil votos. Simon diz até hoje que a eleição foi " roubada". Jair desmente veementemente isto.

Mas o fato é que em 1986, com o Plano Cruzado congelando os preços e José Sarney com enorme popularidade( tão ou mais do que o presidente LULA DA SILVA tem hoje em dia ) simon GANHOU A ELEIÇão e o dia da posse, num domingo muito calorento de 15 de março de 1987,marcou sua posse solene na Assembléia Legislativa do Estado.

Mas depois da posse oficial, convidados vindos de todos os cantos do Estado e até gente de fora do Estado, foram participar de jantares e outros congraçamentos.

Na segunda, primeiro dia de trabalho, não tinha ninguém no Palácio Piratini, às seis horas da manhã, quando o novo governador gaúcho chegou chego de vontade de trabalhar para seu primeiro dia de expediente útil.
Somente uns garçons sonolentos, umas cozinheiras fazendo cafezinho novo e a secretária Leocádia Jung, que Simon trouxe do comitê da transição que funcionou junto ao prédio do Ipê.

Troféu Palavra Viva

Dulce Helfer

No dia 22 de outubro, às 20h, Valesca de Assis recebe o Troféu Palavra

Viva, pelo conjunto de sua obra e pela dedicação à arte literária, bem
como pelas atividades que desenvolve a favor da formação de leitores.

A premiação, promovida pelo Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário
Federal no Rio Grande do Sul - Sintrajufe/RS, está em sua quinta edição
e será realizada no Auditório do Centro Cultural CEEE Erico Verissimo.

Na ocasião também será entregue a premiação aos vencedores do 6ª
Concurso Literário Mario Quintana.


Valesca de Assis
Natural de Santa Cruz do Sul, Valesca cursou a Faculdade de Filosofia da UFRGS.
É professora de História especializada em Ciências da Educação. Estreou como
escritora em 1990, com a publicação de A valsa da medusa, obra que recebeu Voto
de Congratulações da Câmara de Vereadores de Porto Alegre. Publicou o romance
A colheita dos dias, O livro das generosidades - receitas compartilhadas , Harmonia
das esferas, PRÊMIO APCA/2000: REVELAÇÃO DE AUTOR (Associação Paulista de
Críticos de Artes), Prêmio Especial do Júri da União Brasileira de Escriores e finalista
do Prêmio Açorianos, além de Todos os meses, Prêmio AGES/Livro do Ano/2003, para C
rônica, de Diciodiário, Prêmio O SUL-Nacional e os Livros 2005, para a coleção GRILOS.
Em 2010, lançou sua primeira obra infanto-juvenil Um dia de gato (Libretos).

Entrega do Troféu Palavra Viva à escritora Valesca da Assis
Auditório do Centro Cultural CEEE Erico Verissimo - Rua dos Andradas, 1223
22/10 (sexta-feira), às 20h

Assessoria de Imprensa:
Simone Lersch (51) 3029-6390 / 9803-4420

Bares que viraram lenda

ENCOURAÇADO BUTIKIN( 2 )

AINDA SEGUNDO DEPOIMENTO

DADO POR TATATA PIMENTAL.....


" Um segredo queRuy levou para o céu é a autoria do nome: uns dizem que foi da Gilda Marinho. Mas, na verdade, acho que foi uma criação coletiva. A esquerda festiva estava em moda. Na UFRGS ocorria uma amostra de filmes soviéticos e CHE Guevara era o ídolo da intelectualidade.
O parto do Encouraçado era urgente. Só havia a Baiúca( boite de Carlos Heitor Azevedo) como concorrente. Nas portas do sucesso, muita gente queria entrar. Primeira ação: a ação de despejo dos moradores da casa de pensão. Depois, o aluguel do prédio cuja proprietária morava no Rio.

Isso feito, a decoração. Nada de espelhos. Seria um revival das caves francesas.

Embora com vinte anos de atraso, a noite existencialista chegava em Porto Alegre.

Retirou-se à picareta o reboco das paredes mais arcos do do porão colonial aparecem, sustentam-se as vigas de madeira com trilhos de ferro.

Constrói-se o pequeno bar tendo na parede um imenso quadro abstrato de Toyota comprado por Rui quando o Museu de Arte do Estado ficava no foyer do teatro São Pedro...


A pista de dança é montada em madeira nobre, que, de ano a ano, será trocada, gasta pelos milhões de passos e sapateados sobre ela.

Como inaugurar?

Deveria haver um show!

Na época de estudante universitário, ia muito ao Rio, era o tempo de Carcará em Liberdade! Liberdade!. E a musa da bossa nova, NARA LEÃO mantinha uma correspondência comigo. Que tal ela então pra inaugurar? Aceitoru na hora( prossegue....)

 

De São Borja

Atual vice, pode

ser menina dos olhos

do Mariovane!


Agora que terminou a eleição, já começam as especulações pra eleição de prefeito em 2012.

É dado como provável que o atual vice-prefeito, Jefferson Homrich, o KIKO troque de sigla, passando para a do prefeito Mariovane Weis, o PDT, podendo assim o alcaide atual fazer seu sucessor. KIKO já deveria ter assinado no PDT em 1 de outubro de 2009, QUANDO foi inaugurado o MUSEU DO JANGO, mas CASSIÁ CARPES , que controla o PTB local o segurou....
No PT, seguramente Rene Ribeiro será candidato.

No PP, ainda se se sabe se o dr. Luciano irá concorrer novamente,ou não....

No PDT porém, há outros dois pretendentes: o vereador Celso Lopes e o neto de Jango, Cristhopher Goulart.

Mas cabe lembrar que o prefeito controla o diretório municipal do partido.

Câmara lança 56ª Feira do Livro de Porto Alegre


A programação e a campanha do evento serão anunciados em coletiva de imprensa na próxima quarta-feira, 20 de outubro, às 8h30

A Câmara Rio-Grandense do Livro (CRL) convida a imprensa para o lançamento da 56ª Feira do Livro de Porto Alegre na próxima quarta-feira, 20 de outubro, às 8h30, no Master Hotel. A coletiva marca o anúncio oficial da programação e da campanha do evento. Também será uma oportunidade para conhecer as novidades da Feira e detalhar as informações com o presidente da Câmara Rio-Grandense do Livro, João Carneiro. Os jornalistas vão receber ainda, em primeira mão, a Revista da Feira do Livro, com destaques da programação. O patrono da 56ª Feira do Livro de Porto Alegre, o folclorista Paixão Côrtes, também estará presente no encontro. A maior feira de livros a céu aberto das Américas acontece de 29 de outubro a 15 de novembro na Praça da Alfândega.

Serviço:
Lançamento da 56ª Feira do Livro de Porto Alegre
Data: 20 de outubro de 2010
Local: Master Hotel (Rua Riachuelo, 1070 – Centro)
Horário: 8h30


A Feira do Livro de Porto Alegre é realizada há 55 anos na Praça da Alfândega. Nasceu em 1955, quando um grupo de livreiros, intelectuais e jornalistas, organizou a primeira edição com o lema“Se o povo não vem à livraria, vamos levar a livraria ao povo". Um dos mais tradicionais eventos culturais da cidade recebe anualmente mais de um milhão de pessoas, que visitam as cerca de 160 barracas e participam de uma intensa programação de sessões de autógrafos, seminários, debates, mesas-redondas e apresentações artísticas. Em 2006, a Feira do Livro de Porto Alegre recebeu o diploma de Cavaleiro da Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura e, em 2010, a maior feira de livros a céu aberto das Américas foi declarada Patrimônio Imaterial da Cidade pelo Conselho do Patrimônio Histórico e Cultural da Capital.


Assessoria de Imprensa Feira do Livro de Porto Alegre
imprensa@feiradolivro-poa.com.br

http://www.radioguaiba.com.br
Informação com credibilidade

NOVO CASAL FAZ
SUCESSO EM BRASÍLIA

Um novo casal está “bombando” em Brasília.
Segundo o colunista social Gilberto Amaral, que disputa com a Marlene Galeazzi o título de mais bem informado,abriu a sua coluna de hoje,no Jornal de Brasília,com a notícia de um novo romance que esta acontecendo por aqui. Ele noticia o romance que estão vivendo o ex presidente Fernando Henrique Cardoso e a Ministra do Supremo Tribunal Federal, Ellen Gracie Northfleet.
A ministra Ellen, até dias atrás era a namoradinha do nosso conterrâneo Roberto D'Avila. Deu o fora nele e passou a namorar o ex presidente FHC,que já está com 79 anos (de-le Viagara e Cialis...)
Segundo os fofoqueiros de plantão daqui,esse romance já era antigo.
Só não foi oficialmente assumido na época,porque a dona Ruth Cardoso estava viva...
Fernando Henrique foi quem em novembro de 2.000,então presidente da República, nomeou a d.Ellem para exercer o cargo de Ministra do Supremo Tribunal Federal.
Ela foi a primeira mulher a integrar a Suprema Corte do Brasil.
Sergio Ross

REMINDO: NÃO PERDES
POR ESPERAR...


Remindo

Tú não perdes por esperar. Daqui a alguns dias,se a Dilma for eleita, se é que vai ser, tu vais ver o que acontecerá no PT.
As fontes do Cláudio eu conheço bem. E ele depois da primeira informação,checa tudo o que é possível. Ele não entra na área sem caneleiras. E as minhas fontes,são tão competentes como as dele,e me deram a mesma informação. Alias essa nota já dei no blog do Olides há mais de um mês. Mas tudo bem. Aguarde para depois me gozar.
Eu te faço uma proposta: se eu estiver errado, te pago uma churrascada a onde quiseres. Agora se o Lula for escanteado como já anunciam os cumpanheiros,tu me paga um churrasco na tua cidade, Canoas, que eu sei que tem uma boa carne.

Um abraço

Sergio


PS: Tu deves achar que eu sou do Serra,não é????. Não. Não sou. Só não escrevo sobre ele,porque não perco tempo com idiotices.
Sergio Ross

Debates, por que promovê-los?


Carlos Chagas


Do Paulo Preto a Erenice Guerra, das privatizações ao abandono das rodovias, do aborto à insegurança publica, não dá mais para aguentar. E ainda faltam dois. Falamos dos debates entre Dilma Rousseff e José Serra. Depois da Bandeirantes e da Rede TV, vem por aí a Record, no domingo, 24, e a Globo, na sexta-feira, 29. Submeteram-se, os candidatos, à ditadura das redes de televisão. Por isso, bem feito para eles, candidatos e redes, pela falta de coragem para programarem um único entrevero, e sem as regras restritivas que vem impedindo o livre curso de suas propostas de governo. Um único vídeotape teria bastado para demonstrar a inocuidade desse tipo de expediente eleitoral. Bem fez o SBT por não mergulhar no novo abismo de mediocridade revelado pela sucessão presidencial.
As grandes redes vangloriam-se de altos índices de audiência, mas é mentira. Depois de cada debate as assessorias de tucanos e de companheiros apregoam a vitória de seu candidato. Mera ilusão, para dizer o mínimo. Domingo, Serra e Dilma forneceram mais uma oportunidade para o cidadão comum perceber como são parecidos. Pela impossibilidade de desenvolver projetos com começo, meio e fim, dada a exigüidade de tempo, passam por despreparados, que certamente não são.
Tempos atrás ainda cabia a associações de classe e entidades do meio civil abrir oportunidade aos candidatos para a apresentação de seus planos. A imprensa escrita, no dia seguinte, divulgava em detalhes a fala de cada um. É claro que em meio a comícios, carreatas e passeatas onde os chavões tinham seu lugar. Sem esquecer as entrevistas, geralmente coletivas.
A PROVA
Não são poucos os tucanos que lamentam o afastamento de Aécio Neves como candidato presidencial no lugar de José Serra. Poderia ter sido diferente caso se tivesse realizado no ninho a prévia defendida pelo então governador de Minas, hipótese que teria selado a chapa Serra-Aécio ou Aécio-Serra. Em qualquer dos casos, a impressão transmitida ao eleitorado seria de unidade e eficiência. Talvez tivessem sido eleitos ainda no primeiro turno.
BRASÍLIA APAGADA
Falta de energia virou rotina na capital federal. Não se passa um dia sem que bairros inteiros sejam submetidos a apagões regulares, pela manhã, à tarde ou à noite. O cidadão fica exposto a um trânsito caótico, com os semáforos interrompidos, isso quando consegue tirar o carro da garage, manualmente. Escolas obrigam-se a adiar as aulas, postos de saúde suspendem os atendimentos, escritórios fecham e os serviços variados interrompem suas atividades. A pergunta que se faz é quando Dilma ou Serra, em suas campanhas, abordarão tema tão incômodo quanto vergonhoso. O principal, no entanto, é saber se o vencedor terá condições de enfrentar a crise.
CONSPIRAÇÃO?
Paranóias à parte, mas quem garante não estar em andamento um conluio entre certos institutos de pesquisa e parte da chamada grande imprensa, apresentando a cada dia as mesmas informações sobre a diminuição dos índices de preferência entre Dilma e Serra? Parece tudo meio arrumadinho, uma repetição do já célebre escândalo da Proconsult, no Rio, quando o então candidato a governador, Leonel Brizola, ia sendo garfado. Só não foi por haver estrilado a tempo.


Dia do médico

Minha filha Ana é médica. Mandei cumprimentos pro dia do médico que foi segunda e ela me respondeu:

Obrigada, pai!
Trabalhei o dia todo.
Atendi 26 pacientes. Cansativo.
Bjo grande, Ana.

De São Borja


O vereador Celso Lopes( PDT) encaminhou um projeto meritório

ao executivo. Acotnece que muitos escritores vão por conta própria a S. Borja pra feira do livro.

I N D I C A Ç Ã O


O Vereador signatário nos termos regimentais realiza a seguinte INDICAÇÃO ao Poder Executivo Municipal:

QUE CUSTEIE A HOSPEDAGEM E ALIMENTAÇÃO DE AUTORES LITERÁRIOS QUE VENHAM À SÃO BORJA LANÇAR SUAS OBRAS DURANTE A “FEIRA DO LIVRO”


EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS


A Feira do Livro de São Borja vêm consolidando-se e chamando a atenção de diversos autores da região e do Estado, que dirigem-se à São Borja com a finalidade de lançar suas obras durante o evento que ano a ano atrai um público seleto e qualificado.
Uma vez que a municipalidade através de lei autorizativa e regradora desta matéria venha a custear a hospedagem e alimentação destes escritores, auxiliará de sobremaneira a alavancar e tornar ainda mais atrativa a Feira do Livro de São Borja, fomentando também importantes atividades comerciais e turísticas do Município.
No aguardo de um posicionamento favorável do Poder Executivo frente ao exposto e diante de assunto do mais elevado interesse como é a cultura, encaminhamos a presente Indicação.

Sala LEONEL BRIZOLA, 19 de Outubro de 2010.

Vereador CELSO A. LOPES
Bancada do PDT


NOTICIA ANTIGA


NOTÍCIA ANTIGA, MAS QUE....É INTERESSANTE.


Governo consegue empréstimo
de R$ 343,8 mi para o Bolsa Família
Brasil vai começar a pagar dívida só em 2015 e terá 30 anos para quitar débito
Da Agência Brasil

O Bird (Banco Mundial) aprovou nesta sexta-feira (17) um empréstimo de R$ 343,8 milhões (US$ 200 milhões) para reforçar o Bolsa Família ? programa do governo federal que beneficia famílias de baixa renda.

O dinheiro será usado para fortalecer atividades de gerenciamento do programa - como o cadastramento de beneficiários e a consolidação de um sistema de avaliação - e financiará a integração do Bolsa Família com investimentos em educação e cursos de formação profissional.

O empréstimo compõe a segunda fase do programa de apoio do Bird ao Bolsa Família. A primeira fase contou com empréstimo de R$ 983,2 milhões (US$ 572 milhões), aprovado em 2004.

O Brasil terá 30 anos para pagar o segundo empréstimo, que tem juros variáveis e está atrelado ao cumprimento de compromissos. O país começará a pagar só em 2015.
(Publicado em 17.09.2010)
SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS



Internacional é o José Serra do futebol

Recebo do escritor portoalegrense....

Carlos Augusto Bissón
Como colorado, acho que é um disparate se chamar de “estrategista” a atual direção do Internacional, sobretudo sua estrela-mor, Fernando Carvalho, que está abrindo mão do Brasileirão para tentar vencer o Mundial em Abu Dhabi. O resultado é que o time está dando vexame no Brasil, empatando com o Goiás no Beira-Rio e perdendo de 3 a 0 para a dupla Fla-Flu no Rio. Ué, mas como isso pode acontecer, se o Internacional tem “um dos melhores plantéis do Brasil” ? Fernando Carvalho não é o homem “que entende de futebol e de jogadores como poucos no RS” ? O fato é que o Estado adora mitos, e Carvalho é um deles, cultivado com todo o carinho nas estufas de nossa imprensa. É impossível criticar o homem por aqui, embora ele já tenha trazido, do ano passado para cá, cerca de 20 jogadores para “reforçar” o time. Quantos deram certo ? Dois: Tinga e Rafael Sobis. Entretanto, a dupla já estava no time quando este conquistou a Libertadores em 2006. Ou seja, Fernando Carvalho não é um “estrategista” qualificado para enfrentar as supostas complexidades de um cenário futebolístico em permanente mutação, mas um homem de uma idéia, ou melhor, de uma fórmula só. Se ela deu certo no passado, também é certo que ele pode repeti-la ad infinitum.
O Inter e Carvalho parecem o José Serra (PSDB). Antes da propaganda eleitoral na TV, os antipetistas diziam que Serra era muito mais experiente e bem mais “preparado” do que Dilma Roussef (PT). Partindo-se dessa premissa, tida como “incontestável”, ele iria “arrasar” com a candidata petista nos debates. Só que isso não está acontecendo. No confronto de idéias, o máximo que ele está conseguindo é, como o Inter recente, “empatar” a discussão. O fato é que, durante a propaganda eleitoral do primeiro turno, Serra se revelou, como Carvalho, um político de uma idéia só: saúde. É verdade que Dilma faz muitas besteiras, criticando em demasia, por exemplo, as privatizações (ora, foi esta que nos permitiu o acesso irrestrito aos telefones). Entretanto, ela tem sido, nesta eleição, uma espécie de “Grêmio” no segundo turno do Brasileirão, indo muito além de suas possibilidades como candidata novata. Já Serra, que tem mais chances de se tornar presidente do que o Inter vencer o Mundial Interclubes, é como o Inter de Carvalho: fabuloso na propaganda boca a boca de seus adeptos mas muito ruim ( e bota ruim nisso) de jogo.
O paulista Serra parece melhor do que é
Por que elogiam tanto a capacidade administrativa de José Serra ? Realmente, como Ministro da Saúde de FHC, ele fez uma coisa extraordinária: quebrou a patente de medicamentos, criando os genéricos. Entretanto, foi durante sua gestão que a dengue se disseminou pelo Rio de Janeiro. Mais, uma vez, empate....
Por que, então, elogiam tanto Serra ?
Ora, porque ele é paulista.
E qual é o cenário político de |São Paulo? Diferente do RS, aquele Estado, desde 1982, é governado pelo mesmíssimo grupo, oriundo do antigo MDB. Inicialmente, os paulistas elegeram, pelo PMDB, Franco Montoro (1982), Orestes Quércia (1986) e Luiz Antônio Fleury Filho (1990). Depois veio o aparentemente interminável ciclo do PSDB, partido surgido, como se sabe de uma dissidência do PMDB: Mário Covas (1994 e 1998), Geraldo Alckmin (2006), José Serra (2006) e, mais uma vez, Alckmin (2010).
E por que esse pessoal está no poder por tanto tempo ? Minha hipótese é de que isso se deve à fabulosa riqueza de São Paulo. Lá, o Estado, a administração pública, tem muito dinheiro, o que não ocorre, por exemplo, com o governo gaúcho. Com verbas, é possível, evidentemente, fazer grandes obras. É natural, portanto, que os paulistas votem pela continuidade. Pode parecer simplismo, mas, com aqueles fabulosos recursos, qualquer governador e político parece mais competente do que efetivamente é. Já o Estado do RS está financeiramente falido. Se tivéssemos o dinheiro que os paulistas têm, até o nosso tosco e beligerante Dionilso Marcon (PT) poderia se tornar governador, e acredito que seria considerado um Churchill ou um Adenauer por aqui...
Postura admirável

Dá vontade de aplaudir o artigo "Pelo fim da guerra santa nas eleições", escrito pelo Pastor Walter Altmann e publicado na Zero de domingo (17/10). Presidente da Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil (IECLB), Altmann diz que é princípio fundamental da Reforma de Lutero o respeito à consciência de cada pessoa e que são "incompatíveis com a fé cristã as tentativas de sacralizar o embate político, sobretudo de satanizar ou demonizar pessoas ou forças políticas adversárias". E o pastor completa: "quem o faz (...) deve ser questionado se não está sendo ele próprio instrumento da injustiça e do mal". No artigo, o religioso luterano prega que se avalie, "acima de tudo" as propostas dos candidatos Dilma e Serra, sobretudo, entre outros tópicos, se elas são exequíveis e se avançam a justiça e a solidariedade no país.
A postura assumida pelo Pastor Altmann é admirável num momento em que as seitas auto-intituladas "evangélicas" introduzem no cenário político o debate "medieval" sobre o aborto e prelados da Igreja Católica se dividem entre os que demonizam furiosamente Dilma e os que cerram fileiras em torno dela incondicionalmente. Cabe lembrar que a Igreja de Confissão Luterana, cuja fé foi professada pelos homens que construíram a industrialização gaúcha (Renner, Wallig, Gerdau, Bier etc), não foi sequer relacionada entre as 20 instituições religiosas consideradas pelo Censo do IBGE como representativas do povo brasileiro. Santa ignorância.

Arterosclerose

- OMS prevê que, em 30 anos, o Brasil lidere o ranking
mundial de mortes por doenças cardiovasculares;
- O RS contribui muito para isso: os gaúchos apresentam
elevados índices de fatores de risco;
- Já que as pessoas não adotam estilo de vida saudável,
os médicos correm para salvar cada vez mais vidas;
- Especialistas se reúnem em Porto Alegre para difundir
métodos avançados de tratamento da principal causa
de óbitos: arterosclerose (gordura na artéria que obstrui
a passagem do sangue e leva órgãos à falência).


Evento: CAAT 2010 - Curso Avançado de Aterotrombose
Datas: 22 out – sexta-feira - das 8h às 19h
23 out – sábado – das 8h às 12h20
Local: Centro de Eventos do CIEE
(Rua Dom Pedro II, 861)- Porto Alegre - RS
Promoção: Centro de Pesquisa Cardiovascular do
Hospital São Lucas da PUCRS
Programação: www.caat2010.com.br
Coordenação - Cardiologista Paulo Caramori
Palestrantes estrangeiros: Koen Deloose, da Bélgica,
Michael Farkouh, dos EUA, e Dr. Olivier Wittenberg, da França.
Participantes: cardiologistas, cirurgiões cardiovasculares,
hemodinamicistas, internistas, endocrinologistas,
geriatras, nefrologistas, neurologistas, angiologistas,
residentes e acadêmicos.


Médicos brasileiros querem reverter
previsão alarmante da Organização Mundial
da Saúde
Reunidos, na Capital, especialistas
difundem métodos avançados para estancar mortes
por aterosclerose

Cerca de 315 mil brasileiros morrem, por ano,
vítimas de doenças cardiovasculares. As
previsões da OMS é de que esse número continue
aumentando e, em 30 anos, o Brasil fique em
primeiro lugar no ranking mundial de mortes por
infarto e acidente vacular cerebral (AVC), superando,
inclusive os EUA.

E, o Rio Grande do Sul figura como um dos principais
responsáveis por essa liderança. Os hábitos alimentares
dos gaúchos como o churrasco provocam, desde a infância,
a formação de placas de gordura nas artérias. Depois,vem
o fumo, sendo que, no RS, vivem os que mais fumam no país.
Esses fatores, aliados ao sedentarismo, à hipertensão e
ao colesterol elevado ocasionam o aumento progressivo e
silencioso dos blocos de gordura. Essas placas ateroscleróticas
ou ateromas estreitam as veias e chegam a obstruir a passagem
normal do sangue.

- A pessoa começa a sentir algum sintoma como dor só
quando 70% da artéria já está comprometida. – explica
o cardiologista Paulo Caramori.
Pode ser afetada qualquer artéria. São mais preocupantes
as que irrigam órgãos vitais como o cérebro, rins e coração.
Se as veias acometidas são as que levam sangue para o
cérebro, a pessoa poderá sofrer um acidente vascular
cerebral - AVC, conhecido como derrame, ou, se são aquelas que
levam sangue para as pernas, ela sentirá dor ao caminhar,
podendo chegar até à gangrena e, no caso de obstrução nas
artérias coronárias, que levam sangue ao coração, o sintoma
será dor no peito, o que caracteriza a angina ou infarto.

Especialistas querem reverter o quadro
Muitos casos fatais poderiam ser evitados se as pessoas adotassem
um estilo de vida saudável. A falta de conscientização faz com que
os médicos chamem para si o desafio de salvar um número cada vez
maior de potenciais vítimas da aterosclerose. Com auxílio da tecnologia
e da farmacologia, os especialistas aplicam métodos avançados
de tratamento, na maioria das vezes, pouco invasivos.
Para atualizar e multiplicar os avanços na área será realizado,
nesta sexta e no sábado (22 e 23out), no Centro de Eventos do CIEE (Rua
Dom Pedro II, 861), em Porto Alegre, Curso Avançado em Aterotrombose
- Caat 2010. Coordenados pelo Dr. Paulo Caramori, cerca de 500
especialistas participam do encontro científico que conta com palestras
de renomados pesquisadores internacionais como Koen Deloose, da Bélgica,
Michael Farkouh, dos EUA, e Dr. Olivier Wittenberg, da França.

Algumas palavras sobre Dr. Paulo Caramori – Coord. do Caat2010
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1988)
Mestrado em Cardiologia e Ciências Cardiovasculares pela UFRGS (1995)
Doutorado em Ciências da Saúde: Cardiologia e Ciências Cardiovasculares pela UFRGS e Universidade de Toronto (1999).
Chefe Centro de Diagnóstico e Tratamento Intervencionista do Hospital São Lucas da PUCRS
Orientador e professor do Curso de Pós-Graduação em Cardiologia e Ciências Cardiovasculares da UFRGS
Interventional Cardiology Fellowship pela Universidade de Toronto
Médico cardiologista intervencionista do corpo clínico do Hospital Mãe de Deus e e Hospital Moinhos de Vento.
Experiência na área de Cardiologia, com ênfase em Hemodinâmica, atuando principalmente nos
seguintes temas: stents farmacológicos, angioplastia coronariana, cardiologia intervencionista,
síndrome coronariana aguda e infarto agudo do miocárdio.


Júpiter Maçã abrindo pro Paul no Beira-Rio. Petição rolando

Friends,

há umas semanas escrevi um texto no blog da MS2 (http://ms2produtora.wordpress.com/) sobre a confirmação do show de Paul McCartney em Porto, no Beira-Rio, dia (07/11). Ali humildemente tomei a liberdade de sugerir que quem poderia fazer a abertura do espetáculo é o grande Júpiter Maçã, que segundo um amigo meu é o "maior compositor brasileiro vivo". Abaixo vai o link com a petição que tá rolando na web com o intuito de colocar essa legenda do rock brasileiro no palco antes do Macca. Abraços

http://www.petitiononline.com/abertura/petition.html

Guto Villanova
Jornalista


VINTE E QUATRO HORAS: DOIS INCIDENTES COM AIRBUS DA QANTAS


De Buenos Aires
Gelson Farias
(Uma aeronave da Qantas passou por apuros hoje) no momento da aterrissagem no Aeroporto de Ezeiza, aqui em Buenos Aires. Outro dia após outra aeronave da empresa se ver obrigada a retornar ao aeroporto após falha num dos motores.
O Airbus A380-842, prefixo VH-OQC, realizando o voo QF-32 de Cingapura para Chile, com escala em Buenos Aires, e ao aterrissar, teve dois de seus pneus estourados assim que tocou a tocar na pista 16R.
Assim que o avião parou na pista, a tripulação solicitou a presença dos bombeiros para atender a aeronave. A Torre informou que tinha visto fogo nos freios durante a aterrissagem. Todavia, o fogo cessou quando o avião parou.

Este é o Airbus A380-842 envolvido no incidente de hoje

Nenhum fogo ou fumaça era visível após a parada definitiva. Outra aeronave que alinhava atrás do A380 da Qantas, informou ter visto faíscas no trem de pouso e um monte de borracha na pista. Os serviços de emergência informaram que todos os pneus do trem de pouso principal esquerdo haviam desinflado e o avião estava apoiado nas rodas.

As 244 pessoas a bordo foram levadas de ônibus para o terminal, porque o avião não tinha condições de taxiar na pista. O porta-voz da Qantas disse sob condição de anonimato devido à política da empresa. O A380 ficou na pista para ser avaliado pelos engenheiros. A causa do incidente não havia sido determinada.

OUTRO INCIDENTE

No sábado último, um Boeing 747-400, prefixo VH-OJI, que iria realizar o voo QF-5 de Sydney para Cingapura, com 414 pessoas a bordo, teve que retornar a Sydney depois que o piloto descobriu um problema com o motor nº 3 (o do lado interior na asa direita)logo após a decolagem, às 17:00 (hora local).
A tripulação estabilizou a aeronave a 3.000 pés e emitiu um "Mayday". Em seguida, o motor foi desligado e o Boeing 747 foi levado a 10.000 pés, onde despejou combustível no mar da Tasmânia, voltando para a aterrissagem na pista 16R do Aeroporto de Sydney, onde fez um pouso seguro cerca de 70 minutos após a partida. O avião taxiou para o terminal após ser inspecionado pelos serviços de emergência.
Em dezembro, outro Boeing 747 da Qantas, que fazia a rota Singapura-Melbourne foi forçado a voltar ao aeroporto depois de um problema no motor. Alguns dos 354 passageiros e 19 tripulantes a bordo, informaram ter visto chamas saindo de um motor, mas a Qantas negou que houve qualquer incêndio. Graças a Deus não houve feridos graves. Apenas com pequenas ecoriações.


Lançamento


Hoje lançamento do livro do celito. Já li quase a metade. Gostei da redação que ele deu, de certa forma um romance policial.

Já havia lido muito sobre isto,q uando trabalhei no livro sobre a ULTIMA HORA. Me debrucei sobre a coleção deste jornal e gostava de ler as crônicas do Sérgio Jockmann,que fantasiava muito sobre o caso mas que deve ter vendido milhares de jornais com aquelas crônicas. Assim contribuiu com o uísque do patrão, Samuel Wainer.


Celito De Grandi reconstitui o Caso Kliemann :
política, paixão e morte no Brasil dos anos 60
Livro Caso Kliemann A história de uma tragédia resgata o episódio
com revelações surpreendentes


O jornalista e escritor Celito De Grandi debruçou-se durante meses sobre documentos, promoveu entrevistas e obteve o testemunho inédito das filhas do casal Euclydes e Margit Kliemann. Com isso, conseguiu reconstituir, com novas revelações, a fantástica história que abalou o Rio Grande do Sul na década de 60.
Esta minuciosa reportagem transformou-se no livro Caso Kliemann: a história de uma tragédia, coeditado pela Literalis em parceria com a EDUNISC, de Santa Cruz do Sul. O lançamento será no dia 20 de outubro, no Vestíbulo Nobre da Assembleia Legislativa, em Porto Alegre.
A tragédia da família Kliemann assemelha-se a uma fascinante obra de ficção. A realidade contempla ingredientes essenciais de um romance dramático: conflitos políticos, paixões segredadas; um casal jovem, rico e poderoso; um casaco de vison, a mítica Dama de Vermelho , uma cartomante; violência, duas mortes, um mistério; e o comovente desfecho: três meninas órfãs.
Para o professor e escritor Luiz Antonio de Assis Brasil,
...Todo esse drama saturado de eletricidade encontrou a pessoa certa para contá-lo: Celito De Grandi, escritor que nos deu provas de seu talento não apenas em sua longa vida jornalística, mas também nos livros em que retrata pessoas e instituições...
A história da família e do casal Euclydes e Margit Kliemann sempre fascinou Celito, na época jovem repórter do Diário de Notícias. O historiador Sérgio da Costa Franco destaca a habilidade com a qual o autor investigou e remontou os acontecimentos:
...O fato de haver escolhido uma pauta de quase cinquenta anos passados não o prejudicou. A vivacidade dos relatos, com idas e vindas no tempo, sem uma obsessiva servidão cronológica, mantém o clima de novidade, com mudança de cenários e de protagonistas. E a fartura e densidade de informações faz de seu livro um capítulo de pura História, que o pesquisador da política rio-grandense de meados do século 20 não poderá relegar a segundo plano...


O professor de pós-graduação em Comunicação Social da PUC/RS, Antonio Hohlfeldt, faz, no posfácio, uma detalhada análise do papel da imprensa no episódio:
...De tudo, podemos e devemos, pois, agradecer ao jornalista Celito De Grandi por sua iniciativa, predisposição e perseverança em retomar este caso. Teoricamente, do ponto de vista da polícia, um caso sem solução. De Grandi sugere que a solução existia e que se tivesse havido outro contexto político-partidário, quem sabe as autoridades teriam chegado a bom termo quanto à descoberta e solução do crime. Mas, mais que isso, Celito De Grandi, distanciando-se declaradamente da tendência sensacionalista e escandalosa daquele tipo de cobertura que o caso teve na época, abre novas abordagens, sobretudo a partir do momento em que humaniza os acontecimentos, trazendo a palavra e os sentimentos daquelas que foram suas principais e maiores vítimas ao longo do tempo, as filhas...
O deputado Euclydes Kliemann foi assassinado por um adversário político nas dependências da rádio Santa Cruz do Sul, daquela cidade. O tiro foi transmitido ao vivo. Já o mistério da autoria da morte de sua mulher, Margit, ocorrido um ano antes, mantém-se até hoje.
Celito fornece pistas importantes, como observa Assis Brasil em seu prefácio:
...Com esta obra, são postos à disposição do leitor todos os elementos de que necessita para que essa história de escândalo encontre seus protagonistas ocultos. Com isso quero dizer que o autor usa de um dos artifícios de exímios escritores de narrativas, na medida em que confia ao leitor a verdadeira descoberta dessa trama que até hoje nos assusta. Sim, quem ler com atenção, como eu mesmo o fiz, quem souber compreender as entrelinhas, encontrará uma revelação, ao final, que não é bombástica, mas que nos ajuda a formar uma convicção e uma certeza. Isso aconteceu comigo.
Sérgio da Costa Franco assina a orelha do livro e afirma:
Temos em Porto Alegre e no Estado um farto cardápio de crimes rumorosos, alguns não esclarecidos, que dariam margem a reportagens investigativas ou mesmo a romances históricos sensacionais. Mas é preciso ter a garra, a persistência, a sensibilidade e a seriedade do Celito, para não transformar um tema dramático ou trágico num superficial roteiro de novela televisiva. Com a biografia de José Loureiro da Silva e o ensaio sobre a história do Diário de Notícias e de seu diretor Ernesto Corrêa, ele já ocupava um lugar destacado entre os escritores gaúchos. Este Caso Kliemann o insere entre os melhores narradores da confraria.

Caso Kliemann: a história de uma tragédia
Celito De Grandi
Cooedição: Literalis e Edunisc
256 p., 2010
Preço de capa: R$39,00

Lançamento do livro Caso Kliemann: a história de uma tragédia, de Celito De Grandi
Dia 20 de outubro (quarta-feira), às 19h
Vestíbulo Nobre da Assembleia Legislativa


Assessoria de Imprensa:
Simone Lersch (51) 3029-6390 / 9803-4420

FH esteve em evento sobre privatização em Foz do Iguaçu promovida por grupos estrangeiros.

Noto, pelos comentários, que o Remindo, não é tão ISENTO, quanto se dizia no começo!


Bomba, bomba, bomba
FH esteve em evento sobre privatização em Foz do Iguaçu promovida por grupos estrangeiros. É o míssel de prata na candidatura Serra.
Este é o assunto que vai estourar nesta semana. Como é que o tucano pode ser tão burro.
Remnindo Sauim

Seminário discute o Pré-Sal e o Rio Grande do Sul



Por proposição do deputado estadual Ronaldo Zulke (PT), a Comissão de Economia e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa promove nesta sexta-feira, 22, no hotel Embaixador em Porto Alegre, o seminário O Pré-sal e o Rio Grande ? Oportunidades para a Indústria, Trabalhadores e Sociedade. A abertura do evento está marcada para as 9h e será feira pelo governador eleito do RS, Tarso Genro.

Após a abertura oficial, o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli de Azevedo, apresenta painel. Em seguida, inicia debate com o coordenador do Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás e Energia da Fiergs, Marcus Coester; com o presidente da Petrobras Biocombustíveis, Miguel Rossetto; e com o vice-reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rui Vicente Oppermann. O coordenador da mesa será o deputado Ronaldo Zulke, representando a comissão da Assembleia.

A descoberta de petróleo na camada do pré-sal, com extensão de 149 mil km², abriu novas perspectivas para o Brasil. Segundo levantamentos realizados, 28% da área, abrangendo os sítios de Tupi e Iara na Bacia de Santos (SP) e o Parque das Baleias na Bacia de Campos (ES), já foi licitada, o que, por si só, duplica as reservas nacionais petrolíferas, que eram da ordem de 14 bilhões de barris. Trata-se de uma extraordinária riqueza. Parte dos recursos auferidos contemplará programas de combate à pobreza, enfrentamento das mudanças climáticas e desenvolvimento da educação, cultura, saúde e ciência e tecnologia, comemora Zulke.

Segundo o deputado, a cadeia de produção do pré-sal incrementará também os titãs da indústria naval brasileira: Pernambuco, Rio de Janeiro e o Rio Grande do Sul, que vai receber do governo da União R$ 10 bilhões para o polo naval de Rio Grande. A luta, de acordo com o parlamentar, é para aumentar a participação do RS no desdobramento dos investimentos em peças, máquinas, equipamentos, serviços e mão de obra necessária à construção dos 8 navios sondas projetados para exploração do pré-sal.

Dados da FIERGS mostram que o setor produtivo estadual fornece 2% desses itens, num total de dois mil componentes usados em cada navio. A meta é alcançar 10%, incidindo positivamente sobre o PIB gaúcho e criando milhares de novos empregos. O fato de o governador eleito, Tarso Genro, haver incorporado em seu plano de governo esta bandeira de luta é uma notícia alvissareira, destaca Zulke.

Bares que viraram lenda....

Não haverá outro como o encouraçado

BUTIKIN( frase do amante da noite,

advogado Luis Fernando de Araujo Elhers, o LULU)


reprodução do jornal PATO MACHO, feita por Marcia Cristina das Chagas.
Nela aparece o fundador do Butikin, o advogado Rui Sommer, que morreu jovem....


Em Porto Alegre, nenhuma boite,nenhum bar, nenhum local da noite DEIXOU tanta saudade e tem tanta lenda e história em volta de si, como o Encouraçado Butini, na Indepe,936, no coração do bairro que foi boêmio nos anos 60 e 70.

Estes dias fui entrevistar a jornalista IVETE BRANDALISE, cujo marido, O ARQUITETO MILTON MATTOS decorou a pedido do dono do Butikin - sim porque para os íntimos ele é apenas o BUtikin - E INHA PAUTA com ela era sobre a bomboniere ATLANTIDA, mas ela praticamente só me contou histórias do Butikin, muito boas, por sinal....

É Tatata Pimental, que dispensa apresentações,quiça o melhor amigo que Rui,fundador do Butikin teve na vida,
quem discorre sobre o começo do Butikin

- Entre os rapazes disponíveis havia um chegando de Montenegro,formando-se em Direito, começando uma bela carreira de advogado: Rui Sommer.Frequentávamos, eu e ele, todos os locais noturnos de Porto Alegre. Fazendo as contas, propus: em vez de gastarmos tanto dinheiro em casa dos outros, poderíamos ter a nossa. Rui, retido em seu escritório, não queria envolver-se na escolha do local ou na procura de funcionários.
Propõs,então, que ele entraria com o dinheiro e eu com o konw-how da noite. A casa ainda não possuia nome,nem localização.Procurava-se. Certa noite, nas temporadas de vernissagens, Ivan Vianna e Emília Marvão convidam-me para uma exposição na Galeria Lakar, situada na avenida Independência,936. A galeria de arte ficava no porão e os convidados entravam por uma minúscula porta. Ao fundo, um tapume de madeira, delimitava a sala. Depois de vários coquetéis e premido por uma necessidade fisiológica urgente, pergunto a Emilinha onde era o xixi.
Ela responde que passando os tapumes.Acho a porta enjambrada e me deparo com um porão mais romano que as termas de Caracalla. Arcos de tijolos antigos reforçavam as paredes, e os três patamares conduziam a um imenso espaço, na época usado para secar a roupa dos habitantes do cortiço. ESTAVA DESCOBERTO O ENCOURAÇADO BUTIKIN( PROSSEGUE....)

Cuthab discute situação de famílias em área de risco

A Comissão de Urbanização, Transportes e Habitação (Cuthab) da Câmara Municipal de Porto Alegre realiza reunião nesta terça-feira (19/10), às 14h30min, para tratar da situação das 42 famílias que moram em área de risco (Beco do Arvoredo e Beco do Lara) da Vila Três Figueiras do Sul, no Bairro Campo Novo. A reunião será realizada na sala 301 da Câmara Municipal. Presidida pela vereador Elias Vidal (PPS), a Cuthab também é integrada pelos vereadores Engenheiro Comassetto (PT), Alceu Brasinha (PTB), Paulo Marques (PMDB), Nilo Santos (PTB) e Paulinho Rubem Berta (PPS).

Carlos Scomazzon (reg. prof. 7400)

Notícias: http://www2.camarapoa.rs.gov.br/default.php?p_secao=56

Zator


O ZATOR( prof. Mauro Rocha) escreve desde Sarandi!, norte do estado, berço do MST gaúcho....Lá estão todos com a Dilma!

Espero que seja este !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Não conheço, pessoalmente, o Sérgio Ross e nem o Mazza, mas como me
"arrolaste", ao grupo, claro, de forma pejorativa, fico solidário com
eles. Devem ser gente boa pois causam preocupação.

Em Serafina não se diz findi( di Porto Alegre), lá é findi( te la
undeze). Tá certoq ue vives, desde 1968 na capital( garanto que não
lembras ou não queres te lembrar, das histórias, sim, histórias de de
tua chegada à capital. Lembro de todas...quando quiseres eu escrevo
algumas. Se contar para o "malhor", terá frouxos de riso. O Gasperin
foi um santo, melhor , um anjo para o OLidasso. Que Deus o tenha em
companhia !!!!!!!!!!!!!!!!

MAURO.

Prezado Olides !

Teu blog é leitura obrigatória( que faço com prazer) todos os dias.
Percebi que te manifestaste forte, em relação ao nosso amigo e verador
de la undeze, Paulo Massolini.Tens intenção de apoiá-lo para prefeito
? E a Profª Salete ? abandonaste ?

Espero que sejas generoso, também, no espaço em teu blog, para com
nossa amiga Salete Cadore, afinal, ela poderá ser a primeira mulher
eleita "prefeita", em la undeze. Te vedaré !!!!!!!!!!!, quem sabe com
o apoio do PDT !!!!!!!!!. Quando a família dela era da ARENA - TE LA
RENNER-, eu estava no MDB. Agora que(faz 20 anos), estou no PDT, ela e
seus familiares estão no PMDB. Gheto visto que mestier ?

Erraste o pulo com tua amiga Neiva Penalvo. Não sabias que filho de
brasileiro nascido no exterior, tem nacionalidade direta ? Quase que
tua filha, conforme teu relato, nasceu no Peru e, nem por isso, seria
peruana. No mínimo teria dupla nacionalidade.

Quanto ao segundo turno, como bom blogueiro, estás em cima do muro.
Compreendo, tens excelentes relações com teus leitores, queres e
deves, preservá-las. Mas acho que vai dar DILMA
!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!,apesar de tutti quanti se parla de le
done ( no ritmo de Passione)

Não falarei em futebol pois aquilo que meu time anda jogando não se
parece com tal e nem o é. E vocês ainda não nos alcançaram
!!!!!!!!!!!!!!!!, embora venham jogando bem. O MALHOR está indo à
loucura com o padeiro de Guaporé !!!!!

Continue com tuas informações sobre São Borja. O prefeito não viu o
e-mail que mandei a ele sobre o Centro de Zoonoses. A foto do cachorro
no túmulo é emblemática e instigante. Dá uma crônica, fazendo uma
analogia com a postura de alguns políticos
!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Na tua opinião. O Simon foi o grande perdedor desta eleição no RS ? o
partido foi fragmentado para a campanha e 'MENOSPREZOU', a figura do
vice que, é um natural gerador de votos. Foi "esquecido" pelo
marqueteiro do PP. Não tinha visto esta ainda. Um marqueteiro filho de
adversário político. Por mais profissional que seja, não tem como não
se deixar influenciar.

E se não for muito incômodo, me envie o e-mail da Nadilce Zanatta. Sou
muito amigo de seus familiares pois fui vizinho deles.?

E a cantina onde até de uva se fazia vinho ? Perso ?


UM ABRAÇO.


MAURO ROCHA

O PT pobre

LAURO QUADROS TROCOU

A DIREITA PELA ESQUERDA!


José Lauro Quadros, quando usava " barba"!


Quando o PT era pobre, nos anos 80, o único comunicador de nome que abriu seu voto para o Lula foi o José Lauro de Quadros.E por isto foi muito massacrado. Hoje, ele não pegou nenhum cargo depois que o metalúrgico virou presidente, continuou na dele, fazendo o seu programa Polêmica e o Sala de Redação, da ´Gaúcha. Ao contrário de muita gente que " virou PT desde criancinha" depois que o PT cresceu, Lauro Quadros sempre defendeu Lula por convicção. E nos acalorados debates que tinha com os colegas no "Sala" Lauro sempre tinha uma convicção: Lula não chegava lá porque pobre não vota em pobre....

Sobre sua conversão ao PT, dele mesmo disse para uma edição do Jornal VERSÂO, publicação do Sindicato dos Jornalistas:

- TODO MUNDO SABE QUE VOTO NO PT EM TODAS AS ELEIÇÕES DESDE O SEGUNDO TURNO ENTRE LULA E COLLOR EM 1989. MAS A MAIORIA DESCONHECE QUE EM 1963, FUI ELEITO PELA UDN( UNIÃO DEMOCRÁTICA NACIONAL) E ASSUMI NO ANO seguinte PELA ARENA JÁ DURANTE O REGIME MILITAR. FIZ A CAMINHADA DA DIREITA PARA A ESQUERDA E NÃO ME ARREPENDO".


O respeito do autor para com o Lauro não é porque ele passou da direita para a esquerda, é porque ele fez isto por convicção....

Meu encontro com dois " dinossauros"

do comunismo!


Na sexta passada,15/10, tive o prazer de ver o encontro de dois velhos comunistas, que conversaram entre si como se tivessem o Luis Carlos Prestes( líder comunista morto em 1990) ao lado deles...Ainda ouvindo-os falar sobre Stalin e o fim do stalinismo, de personagens que acompanharam o líder soviético no massacre de milhões de soviéticos nos anos em que o comunismo imperava a ferro e fogo.

Não é que os dois velhos companheiros - o livreiro Augusto Carneiro, de 88 anos, e o dentista e ex-repórter José Nelson Gonzales , de 84 anos - tenham renegado totalmente suas convicções do passado, mas sua vida deu muitas voltas....

Carneiro foi o responsável pela livraria do PCB, a Farroupilha e depois virou livreiro. Ia muito para o interior vende enciclopédias. Formou-se em Direito e tornou-se um dos principais ecologistas do Estado,tendo sido um dos fundadores da AGAPAN.

José Nelson Gonzales foi da Tribuna Gaúcha, jornal do PCB,depois foi sócio da revista Granja - ele dirigiu também a gráfica Moderna, onde foram impressos, por exemplo, além da própria revista, os primeiros jornais dos irmãos Gusmão, que deram origem ao Grupo SINOS - Mas a vida profissional de José Nelson Gonzales tomou outro rumo, quando ele passou a se dedicar a odontologia.

Foi engraçado e comovente vendo-os recordando velhas histórias principalmente da era stalinista do PCB, lembrando nomes de personagens que as outras gerações, como a desta redator, só conhecem através de episódios históricos.

De Canoas para o Mundo

Serginho Ross, está na cara que o amigo não conhece nem o Lula nem o Franklin Martins. Ir atrás do Claudio Humberto e de assessores é acreditar em tudo. Assessores que sabem o que acontece não passam adiante o que sabem, os que ficam fofocando são os que estão por fora. O futuro de todos assessores é o segredo, quem vaza contra seu contratante não sobe na carreira. Isto é primário nas relações na política. O Claudio Humberto é livre atirador, bota duzentas notinhas na coluna, fura 199, acerta uma e faz o maior carnaval. Está na cara que o Lula vai ser o amarrador das alianças que estão nascendo com a eleição da Dilma. Este sempre foi o maior predicado do presidente e agora estará livre para negociar sem o peso e a responsabilidade do cargo. Conseguindo manter o PMDB, o PSB, o PTB e o PP dentro do governo, o Lula garante para o PT a reeleição da Dilma e sua volta para mais 8 anos em 2018.
Si non é vero é bien trovato.

Remindo Sauim, com a Dilma até 2018


Secretário da Saúde se reúne com funcionários do Hospital Ivan Goulart



Divulgação / SMS

Giruá



O vice prefeito e secretário da Saúde, Jefferson Homrich, participou de uma reunião na última quinta-feira, dia 14, na sede do Sindisaúde. A pauta do encontro foi o Hospital Ivan Goulart. Além do vice prefeito, estavam presentes o consultor Adalécio Moreira; a presidente do Sindisaúde municipal, Neuza Rambo; o presidente da Federação dos Empregados da Saúde, Milton Kampser; outros membros da diretoria e associados.

Os funcionários da instituição solicitaram a reunião para esclarecer o funcionamento de alguns serviços de saúde do município e pedir o apoio do poder executivo nas negociações com a diretoria do hospital. De acordo com relatos, entre o principal problema enfrentado está o atraso salarial.
Homrich explicou aos presentes sobre os repasses de recursos feitos pela Administração através do Pacto pela Saúde: “Nós repassamos mas não temos gerência sobre eles. Quem decide para onde será destinado o recurso é a direção do hospital”. O secretário também salientou que os repasses estão rigorosamente em dia. A próxima parcela está aguardando a formalização do contrato solicitado pela direção do hospital para ser liberada. No início de setembro, uma comissão foi formada para realizar avaliação do hospital, incluindo servidores da Prefeitura, da 12ª Coordenadoria Regional de Saúde, do Conselho Municipal de Saúde e do hospital.
O secretário informou que a administração está tomando medidas para garantir o direito dos servidores do hospital: “Cada funcionário tem a sua função e precisa ter o seu direito preservado. Uma das cláusulas do contrato estabelece que, para receber o repasse, a direção precisa apresentar o comprovante de pagamento dos salários do mês anterior”.
A Unidade de Pronto Atendimento (UPA), os postos de saúde e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foram outros assuntos tratados na reunião.

Mano Lima

colaborou a Folha de São Borja


Gosto muito do músico Mano Lima. Algumas das minhas visitas a São Borja fiz tratativas pra entrevistá-lo mas sai frustado porque geralmente sua mãe que me atendia, dizia ou que ele estava viajando ou que tinha ido para fora, para uma propriedade que possui no interior do município.

Queria saber dele principalmente como um músico nativista da qualidade dele vive sem uma grande gravadora por trás....Mano Lima tem um esquema quase amador( no bom sentido). Ele mesmo , pelo que sei, agenda seus shows....E num dos aniversários de Serafina Correa estava lá, mas não pude ver sua apresentação.

Enfim, meu encontro com o cantor ficou para outra.

Agora vejo na coluna do Deco Almeida que ele andou pela feira do Livro da cidade. Também estava lá, mas não o vi....


Coleguinhas


Prévidi.com mais uma

vez dá um furo na concorrência!


O ex-Ellen Gracie( sim, porque ele ficou com o título, no caso) Roberto Davila, que não é de Bento, e de Passo Fundo,segundo me asseguram, estaria,conforme o Prévidi de história com a ex- do deputado federal Zé Otávio Germano, também célebre no caso Detran...Méritos pro colega,então que tem boas fontes neste setor,digamos, da vida de ti-ti-ti....

UMA NOTÍCIA
BOA OUTRA RUIM

O fim de semana em Brasília começou com duas notícias que chamaram a atenção nos jornais. Uma muito ruim. Mas a outra, até que foi bem boa.
A ruim informou que surgiu no DF uma nova vítima da superbactéria KPC. Agora o número de mortes por infecção sobe de 14 para 15.Já a quantidade de pacientes contaminados pelo micro-organismo conhecido pela sigla KPC,salta de 111 para 135 em apenas uma semana. Isto quer dizer um aumento de 21,%6, segundo um balanço divulgado neste final de semana pela Secretaria de Saúde.
Hoje,48 brasilienses infectados pela super-bactéria permanecem internados nos hospitais públicos e particulares da capital. A disseminação preocupa pacientes,familiares e profissionais da saúde.
A Klebsiella Pneumoniae Carbapenemase, KPC é uma bactéria resistente a 95% dos antibióticos disponíveis no mercado.
Ela causa desde infecções mais fáceis a serem combatidas,como as que atingem o sistema urinário,até pneumonia de difícil controle.
Para prevenir a contaminação, as medidas são simples:
médicos,enfermeiros e visitantes devem lavar as mãos e desinfetá-las.
Já a Sociedade Brasileira de Infectologia afirma que não há motivo para alarde e garante que medidas simples podem amenizar e até resolver o problema das infecções por KPC.
Já a notícia boa quem informa são pesquisadores do observatório Sismológico da Universidade de Brasília (Obsis-UnB). Eles acreditam ser pouco provável que um novo abalo sísmico,como o ocorrido na semana passada em Mara Rosa(GO),seja sentido novamente na cidade. Segundo o Observatório Sismológico o Brasil não está livre de terremotos, mas aqui eles ocorrem em tão baixa intensidade que chegam a ser imperceptíveis. Pesquisadores e professores da UNB,continuam estudando as causas do abalo que preocupou o brasilienses e os moradores da cidade goiana,localizada a 330 quilômetros do DF. Já o Observatório Sismológico da UNB, considerou o tremor da semana passada como o maior já sentido por aqui. De acordo com o órgão,o abalo alcançou 4,6 pontos na escala Richter.
Apesar da surpresa dos brasilienses,o fenômeno já era esperado pelos pesquisadores que estudam a possibilidade de terremotos no local há mais de sete anos.
A cidade goiana de Mara Rosa está localizada em cima de uma falha geológica onde é comum o deslocamento de blocos. O abalo sísmico que durou cerca de 30 segundos,gerou tensão entre os moradores.
Alguns cogitam abandonar a cidade com medo de novos tremores.
Era só o que nos faltava. Terremotos em Brasília. Já não chega a corrupção que corre solta por aqui,agora a gente ter que ver a terra tremer sob os nossos pés...
Sergio Ross

Bienal B - Oficial

Ocorrerá no próximo domingo o concurso da UFCSPA.

A Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) realizará no próximo domingo, dia 24 de outubro, o concurso público que selecionará candidatos de nível médio e superior.

Ao total, 6545 inscritos concorrerão a 1591 para as vagas de nível superior e 4954 para as vagas de nível médio no processo seletivo da UFCSPA. As vagas de nível superior são para fisioterapeuta (1), jornalista(1), pedagogo(1), programados visual(1), relações públicas(1), secretário executivo(2) e cadastro de reserva de regente e técnico desportivo.
Na parte da manhã, do dia 24 de outubro, a partir da 8h30 (os portões abrem às 7h30), ocorrerá aplicação das questões de nível superior. Na parte da tarde, serão executadas as provas de nível médio, a partir das 14h30(os portões abrem às 13h30). O gabarito preliminar será divulgado no dia seguinte, 25/10, até as 15h no site fundatec.com.br.
A Fundatec, executora do certame, ressalta que os candidatos devem chegar com antecedência à FAPA, Av. Manoel Elias, 2001, onde será aplicada a prova, a fim de evitar transtornos relativos ao trânsito. A EPTC já foi comunicada e estará organizando o trânsito nos arredores da FAPA.
Mais informações pelo telefone (51) 3320.1016 ou pelo e-mail concursos@fundatec.com.br.
Cesar Menezes


É hoje lançamento do livro Meu nome é Jorge


Meu nome é Jorge
Uma história de abandono, sofrimento e superação, quando se ressuscita antes de morrer

O gaúcho Jorge Luis Martins conta sua impressionante trajetória em Meu nome é Jorge (Libretos), seu livro de estreia. Desde o primeiro berço em uma caixa de sapatos a uma sobrevivência digna, Jorge narra a árdua construção de um projeto de vida. Expõe seus caminhos, especialmente os atribulados anos da infância, como menino de rua, até as reflexões de um homem maduro sobre a própria existência.

O autor cresceu num cenário perfeito para mergulhar no universo das drogas e dos crimes. Entretanto, sua personalidade e visão de mundo foram cruciais para transpor as inúmeras adversidades enfrentadas já a partir da primeira infância.

A obra tem edição de textos de Antonio Falcetta, capa de Marco Nedeff e design gráfico de Clô Barcellos e nos apresenta uma história sobre força de vontade, o papel da família e a conquista de uma vida cidadã. O escritor Tailor Diniz, que assina a orelha, observa: ?Singular virtude deste livro é, ainda, a disposição do autor de não esconder o passado. Jorge mostra-o em toda a sua dimensão ? e contribui com isso para que, a exemplo dele, possamos também enfrentar os duros percalços da vida, tornando o mundo melhor, mais solidário e mais humano.?

O lançamento acontece no dia 19 de outubro, terça, às 19h, no Mezanino do Poeta, na Casa de Cultura Mario Quintana. Haverá uma participação da ONG Canta Brasil com a apresentação artística de crianças e jovens das comunidades atuantes. E ainda, a banda de rock gaúcho Jasmins do Paraíso fará um show acústico.

Jorge Luis Martins
Nasceu em 12 de agosto de 1957 em Novo Hamburgo/RS. Fez Administração da FARGS, cursou Teatro no TEPA ? 2000. Concluiu o Curso para Atores para Televisão e Cinema da Casa de Talentos, no Rio de Janeiro. Como ator, participou de diversos programas de tevê (Série Especial de Natal, da RBS), em novelas (O Segredo e Laços de Família) e em filmes (Em teu nome, Clô Dias e Noites, O homem que copiava). É microempresário do ramo de locação de veículos e de imóveis.

Meu nome é Jorge
Jorge Luis Martins
Edição de textos de Antonio Falcetta
Libretos, 2010
140 págs., 21cm. 2010
ISBN 978-85-88412-42-2
R$32,00

Serviço
Lançamento com sessão de autógrafos do livro Meu nome é Jorge, de Jorge Luis Martins.
Participação da ONG Canta Brasil com a apresentação artística de crianças e jovens e show acústico da banda de rock gaúcho Jasmins do Paraíso.
Dia 19 de outubro (terça), às 19h
Casa de Cultura Mario Quintana Mezanino do Poeta Rua dos Andradas, 736
Assessoria de Imprensa:
Simone Lersch (51) 3029-6390 / 9803-4420

 

Campanha de apoio ao Jornal JÁ – Pelo direito à informação.

:Informativo JÁ na sua versão online
http://issuu.com/ctiburski/docs/ja-25anos?mode=embed&layout=http://skin.issuu.com/v/light/layout.xml&showFlipBtn=true



Há um mês foi criado o Movimento Resistência JÁ – formado por cerca de 50 jornalistas e cartunistas, com a finalidade de dar visibilidade à crise que ameaça o Jornal JÁ, promover ações que garantam a sua sustentabilidade e, ao mesmo tempo, discutir o direito da cidadania à informação.
A crise do JÁ se agravou recentemente, quando, depois de intervir financeiramente no jornal, uma decisão judicial bloqueou os bens pessoais de seus diretores. As medidas judiciais visam a garantir o pagamento de indenização por dano moral à família do ex-governador Germano Rigotto, pela repercussão de matéria publicada em 2001. O jornal foi absolvido no processo crime por injúria, mas condenado num segundo processo por dano moral. A ação foi movida pela mãe do ex-governador, Julieta Rigotto.
O Movimento protesta contra a pressão financeira que sufoca o jornal, mas quer discutir principalmente o direito da população a ser informada por diferentes fontes de informação, numa pluralidade democrática. “O sentido é chamar a atenção para a situação do JÁ, que não é única”, afirma Elmar Bones, diretor do jornal. Sua tese é que existe um déficit de informação sobre o que realmente acontece.
Há, também, um ambiente hostil a pequenos projetos, como o do JÁ. Os jornais de bairro crescem em todos os lugares, não em Porto Alegre. Dos quase 50 existentes, atualmente, são menos que 20. As verbas publicitárias são concentradas nas grandes corporações e não há espaço para os pequenos projetos.
Para tanto, além de defendemos a existência de políticas públicas capazes de incentivar os pequenos projetos, buscamos como alternativa uma campanha pública para garantir a sobrevivência do Jornal JÁ e a continuidade de uma informação comprometida com a formação da cidadania.
Neste sentido encaminhamos nossa proposta de assinatura ao JÁ, ressaltando que o pagamento será feito, via doc, somente após o assinante receber a primeira edição do jornal.
PARA SOLICITAR UMA ASSINATURA, BASTA PREENCHER OS DADOS ABAIXO E RETORNAR PARA jaeditores@gmail.com.

Inventário das eleições.


' UM GRUPO SIGNIFICATIVO DE MILITANTES COM RELEVANCIA politica está aprontando as malas para deixar o PDT" da coluna de claudemir pereira, do último sábado, no jornal A RAZAO,de santa maria.


Logo após conhecido o resultado das eleições do dia 3 passado, uma militante do mesmo partido - PDT - me escrevia:

AS URNAS RESPONDERAM QUE EU NÃO ESTAVA ERRADA E QUE A POLITICA DE ALIANÇAS DA DIREÇÃO ESTADULA DO PARTIDO IA DE GABINETE EM GABINETE SEM IMPORTAR O PARTIDO......


Agenda Tarso Genro 19 de Outubro Divulgação


14h00 ás 15h30 – Agenda 2020
Local: Centro de Eventos Plaza São Rafael
End. Av. Alberto Bins, 509 - Centro

16h00 – Participa da 2° Marcha Gaúcha dos Prefeitos – FAMURS
Local: Auditório Dante Barone – AL
End. Praça Marechal Deodoro, 101 - Centro


Coleguinhas


Fernando Albrecht, no JC de ontem, dia 18.10 faz a " defesa" do falecido empresário Paulo Teixeira, de que não estaria correndo tanto como dizem por aí....

Segundo Albrecht, um empresário do ramo assegura que na hora do choque o carro de Paulo não estaria a mais do que 80 km por hora....


Ao contrário do que dizem,que ele estava a mais de 200 km por hora....

Por falar nisto, a Porsche do falecido empresário era a única deste modelo no Estado. Seu custo é de 500 mil reais...

 


Coleguinhas

Rogério Mendeski,na Guaíba, dia depois do acidente do falecido Teixeira, também não criticou o excesso de velocidade e por isto levou " pau" dos atentos e qualificados ouvintes do BOM DIA!


a FAMILIA TEIXIERA tem um histórico de mortes por acidentes de carro. Três irmãos morreram disto e um, Gabriel, se suicidou anos atrás em Brasília. Dos cinco irmãos homens, resta apenas Pedro,diretor da Planalto Transportes.


Recebo do colega Letier Vivian, de São Borja


Já sei que na cidade todo mundo quer saber quem é o cabo eleitoral emburrado...esperemos que não seja uma ficção do poeta CLEMAR DIAS!!!!


Clique na imagem para aumentar


A Lima que eu conheci(2)


continuação da parte anterior( a lima que conheci 1)


Era presidente do Peru, o General Juan Velasco Alvarado. Os militares, de cunho nacionalista, tinham feito uma revolução - a toda hora na tevê eles glorificavam el gobierno revolucionário que diziam não ser nem de direita,nem de esquerda -e tomaram as terras dos grandes latifundiários na marra,sem pagamento de indenizações.

A casa onde me homiziei era um exemplo do que ocorrera com estes latifundiários expropriados.

As terras tomadas dos grandes latifundiários foram entregues aos cholos(descendentes dos Incas) que nela teriam que trabalhar. A reforma agrária que andava em marcha não deu certo e este foi um dos motivos pelos quais a revolução militar de esquerda, no Peru, não deu certo.

No Peru é preciso atentar pro fato de que a palavra cholo é altamente pejorativa. Quando alguém da elite, geralmente descendentes de europeus, quer ofender a alguém lhe chama de cholo,ou cholito, embora esta última denominação tem mais um tom carinhoso...


NA " VIEJA CASONA" era este o modo como nós, os viajantes, a chamávamos aqui em Porto Alegre - pertencera a famíla Nunes del Arco. Ali moravam a viúva, dona Rosa e os filhos Mino, Cecília, Pepe,Eduardo,entre outros filhos cujos nomes não lembro mais. Havia uma entrada lateral, que dava numa pequena antesala e depois vinha a cozinha.

As partes nobres da casa haviam sido atingidas pelos constantes temblores( terremotos) e a casa já quase estava praticamente toda desabada....Era um ambiente no mínimo,aterrador...

Junto ao banheiro, uma pequena "ponte" improvisada permitia que se chegasse até ele.

Na "vieja casona" reunia-se um pouco de tudo. Santiago, um hippie argentino, muito louco, que perambulava pela América Latina e que namorou uma estudante de jornalismo da UFRGS, tendo estado com ela em Garopaba(SC).

Quando cheguei em Lima, no outono de 1974, nos meus " verdes anos" Santiago já não residia mais na " vieja casona" mas era muito amigo de dona Rosa e lá ficara morando seu eterno companheiro de estrada, outro argentino, o Oscar....

Santiago aparecia diariamente na " vieja casona",sempre a mil por hora, com um fusca com o qual corria por toda a Lima ....

Perguntou-me pela namorada que deixara em Porto Alegre e depois de ouvir minhas breves notícias, ele sentenciou:
- Nara es una condenada....

Tudo o que Santiago queria era fechar um "job"....

Oscar, companheiro de Santiago, magrinho, meio fragilizado, era o protegido da dona da casa, dona Rosa. Oscar era o oposto do amigo: introspectivo, lia muito a Bíblia ficava muito na dele e fazia suas viagens particulares.

Ia e voltava a Buenos Aires fazendo autostop( de carona)

Esta foi a primeira vez que me hospedei na " vieja casona". Fiquei lá não mais do que um mês.

Depois decidi tomar o rumo da selva peruana com o objetivo de ir a Pucalpa, cidade situada na selva peruana, nascente do rio Ucayali, um dos formadores do rio Amazonas.

( prossegue....)

Imagens do Peru e da Bolívia,

que me são familiares, colhidas pelas

lentes de Maria Suliprandi, no começo dos anos 80.


Os caminhões fazem transporte de passageiros. As cenas mostram La Paz, o lago Titicaca, e Cusco....

 

Sindicato promove parceria com Unisinos para cobertura da Feira do Livro

A 56ª Feira do Livro de Porto Alegre acontece de 29 de outubro a 15 de novembro no coração da Capital gaúcha, e a sede do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RS fará as vezes de redação. Alunos do curso de Jornalismo da Universidade do Vale do Rio dos Sinos, de São Leopoldo, vão realizar a cobertura da feira, com textos, fotos e áudio, como parte das atividades curriculares.

Fotos: Marcio de Almeida Bueno

Presidente do Sindicato recebeu professores e aluno da Unisinos


Nesta sexta-feira, 15, uma reunião na sede do Sindicato tratou da parceria que vai permitir que os estudantes utilizem a sede da entidade, localizada a uma quadra da Feira do Livro, como redação. Com supervisão de professores, os futuros jornalistas terão reunião de pauta, computadores para redigir matérias, descarregar câmeras digitais e gravadores de áudio, com fechamento e envio do conteúdo produzido. Haverá ainda palestras de abertura e encerramento, com nomes experientes do Jornalismo, a confirmar.


Livro registra a memória fotográfica das colônias africanas em Porto Alegre




No dia 19 de outubro, a partir das 19h, será lançado o livro 'Colonos e Quilombolas - memória fotográfica das colônias africanas em Porto Alegre', de Cidinha da Silva, Dorvalina Elvira Fialho, Vera Daisy Barcellos e Zoravia Bettiol, com coordenação editoral de Irene Santos. O evento acontece no Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo, localizado na rua João Alfredo, 582, na Cidade Baixa.

A obra faz o levantamento da história dos territórios negros
urbanos surgidos na Capital no período posterior à abolição do trabalho escravo, e remove o estigma dessas regiões como locais de intensa pobreza, vagabundagem, crimes e prostituição. Mais informações sobre a publicação em www.irenesantos.fot.br.

José Maria Rodrigues Nunes
Presidente
Assessoria de Imprensa
Marcio de Almeida Bueno (Mtb 9669)


Midian Almeida e Luiza Caspary no Sons da Cidade



Dia 19 de outubro, terça-feira, tem mais uma edição do Sons da Cidade.
Midian Almeida e Luiza Caspary serão as atrações numa noite de pop/rock. O evento será realizado no Teatro Renascença e tem início marcado para às 20h. A entrada é 1kg de alimento não perecível.
O projeto Sons da Cidade é um oferecimento da Secretaria Municipal da Cultura, por meio da Coordenação de Música. A apresentação fica por conta do jornalista Paulo Moreira.

Mais informações abaixo e no site www.portoalegre.rs.gov.br/smc.


www.midianalemida.com

www.ocaminhocerto.com.br


Midian Almeida iniciou sua trajetória musical no ano de 1993, participando de festivais de música e tocando em bares do Vale do Sinos e região metropolitana de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.
Em 2000, Midian atuou com o cantor e compositor Oswaldo Montenegro no musical “Lendas da Ilha” e gravou solos e vocais no cd homônimo do espetáculo. Este trabalho, que inclui interpretação teatral, tornou-se um marco na carreira da cantora, dando a ela visão profissional e novos conhecimentos.
Em 2005 obteve um destaque importante no cenário publicitário do Sul, pela gravação da música da campanha “Educar é tudo" (RBS TV do RS e SC). Sua voz foi inserida aproximadamente 44.000 vezes nos intervalos das programações de TV e rádio da emissora! Isso lhe rendeu a atenção das crianças e seus pais.
Já em 2006, a cantora foi convidada a mostrar seu trabalho na França. Midian levou a música brasileira e conquistou todos com sua simpatia, talento e desenvoltura.
Ao retornar para o Brasil começou a se dedicar à gravação de seu primeiro cd autoral, aos shows com a banda Splash (da qual é uma das criadoras) e também aos trabalhos de publicidade.
Ao completar 15 anos de carreira, partiu para a concretização do trabalho autoral, com o CD “A Minha Vez” lançado em 2009.


Luiza Caspary iniciou sua carreira como cantora e atriz aos 8 anos de idade no ano de 1997, cantando jingles e fazendo locuções publicitárias.
Logo, ingressou no Coral infantil da Ospa, participando de óperas e do Musical “O Pequeno Limpador de Chaminés” cantando e atuando. Compõe desde os 13 anos de idade, em 2005, aos 16, concorreu ao Festival de Música de Porto Alegre e tirou 2° Lugar.
Atualmente, Luiza está gravando seu 1º álbum com músicas autorais em português, inglês e espanhol. O disco conta com a produção de Léo Henkim e tem como título o nome da música de trabalho “O Caminho Certo”. Suas músicas são uma mistura de referencias que vão do pop ao mpb.
Além de se dedicar à musica, também é atriz e nos últimos 3 anos participou de 3 musicais. Dois deles indicados ao Prêmio Tibicuera, e com sua trilha musical gravada.


SONS DA CIDADE - OUTUBRO
Data: 19/10 – terça-feira
Horário: 20 h
Local: Teatro Renascença (Av. Érico Verissimo, 307 – Menino Deus)
Entrada: 1 kg de alimento não perecível

DIVULGAÇÃO

Coordenação de Música
Secretaria Municipal da Cultura


Grêmio

O Serginho, hoje de manhã cedo, de Brasília, disse que não torce mais pro Grêmio. Só pro EX- ESPORTIVO!!!!

Aqui no hotel Ritter, tinha umc asal de jovens, com a camisa do tricolor. Eram Mezzomo, que vieram pro jogo. O casal portava a camiste do Glorioso....

Vai,SErginho, tua turma é outra. fica lá pro lado Beira_Rio. Te junta ao Zator de Sarandi!


Coleguinhas

da coluna do claudemir, na Razão do sábado último....


TIAGO MACHADO, que ocupou a chefia da publicidade da Assembléia na gestão de Ivar Pavan volta em 2011 com Valdecir Oliveira, que se elegeu deputado estadual....

O claudemir pega no pé do prefa de Santa Maria. Por isto que o alcaide se refere a ele por aquele elogio máximo: " aquele fdp....." toing....Político geralmente não gosta de jornalista que não seja " dócil" ou seja, que diga apenas o que ele quer que se diga. Era o caso do Carlos Sávio com o Pedro Simon, anos atrás.Simon só queria o Sávio por perto e os chefes do Carlos faziam o jogo.


*Ainda do claudemir, na coluna do último sábado, nojornal A RAZAO: dois grandes perdedores da eleição última de santa maria: peemedebista TUBIAS CALIL E O PETISTA FABIANO PEREIRA....

*UM coleguinha que trabalha na bancada do PT na Assembléia Legislativa confessou a este colunista, que a turma da Dilma já dava como favas contadas a eleição no primeiro turno....Tanto que já haviam desmobilizado a turma que fazia o programa da tevê....

Na entrevista que estou publicando hoje, do Carlos Araujo, dada ao O GLobo, também se nota o já ganhou.....

Calma, vi este filme em 1998,quando a turma do Brito, no comitê, só queria festa...Dois ou três trabalhavam, os demais só apareciam pro Brique no domingo de manhã....


Caso Kliemann


Estou lendo o livro do Celito sobre este rumoroso caso...eu tomei conhecimento mais detalhado quando em 1998/99 participei do livro sobre a Ultima Hora e tive que ler muito aquele jornal, que pra mim foi um grande exemplo de jornalismo popular,sem ser popularesco....

O livro do Celtio vai ter um problema, pra ele: ele toma partido. Diz que não foi o marido que assassinou a mulher..Bom o resto da história comprem o livro...

O lançamento será dia 20,agora, no vestíbulo nobre da Assembléia Legislativa...

Preço: não foi divulgado.

Em tempo: dois repórteres voltarão a ser falados por causa deste livro: Laila Pinheiro, que me parece foi a primeira a chegar na mansão da Barão de Santo Angelo, no dia do crime e o famoso cronista Sérgio Jockmann, que fez chover,durante um ano, com suas crônicas na ULITMA HORA e deve ter ajudado Samuel Wainer a beber muito bom uísque....

 

E AGORA
JOSE?


Olides

Meses atrás escrevi aqui no teu blog, que o Lula seria descartado do governo, caso a Dilma vencesse as eleições. Teve neguinho aí,que me chamou de fofoqueiro e desinformado. Tudo bem engoli... Mas agora, vejam o que os coleguinhas bem informados, estão escrevendo em suas colunas e em seus blogs. O meu amigo Cláudio Humberto,que eu considero um dos coleguinhas com fontes mais competentes, está escrevendo neste final de semana o que eu já anunciei tempos atrás.
Com o título-REBELIÃO NO PT: LULA JÁ NÃO TEM A ÚLTIMA PALAVRA e aí escreve:
A coordenação da campanha de Dilma Roussseff adotou nova postura em relação a Lula: recados dele, antes acatados como ordens,agora são recebidos com a consideração habitual, mas só como “sugestões”. Dilma e coordenadores como o presidente do PT, José Eduardo Dutra,Antonio Palocci e o deputado José Eduardo Cardozo(SP),já acham que a eleição não foi resolvida no primeiro turno em razão de erros de Lula...
Segundo ainda Cláudio Humberto,a
nova atitude dos coordenadores de Dilma,está na origem do conflito deles com o ministro da Propaganda ex-jornalista Franklin Martins.
Já uma fonte,agora minha,me disse que o Franklin,tão brilhante no passado(leia-se sequestro do Embaixador Americano),virou um fofoqueiro de marca maior. E o olha que a minha fonte trabalhou com ele,até dias atrás.
Sergio Ross

 


A Lima que eu conheci(1)

' DEJAME QUE TE CUENTE LIMENHA....

DEJAME QUE TE DIGA EL ADIÓS.....

Assim fala uma célebre música do folclore do Peru, com a letra muito romântica por sinal...


Vargas Lhosa,o escritor peruano vencedor do Nobel de Literatura, andou por Porto Alegre e já foi embora.


casa de Mario Lhosa em Lima, no Peru, tendo o Pacifico como cenário

Pois vou contar um pouco minhas memórias de Lima...

Conheci Lima em 1974, no inverno. Cheguei a ela depois de uma viagem em que atravessei toda a Argentina em plena ditadura militar. Fui fazendo autostop, pegando carona em carros particulares, e em caminhões. Quando dava, pegava um trem...Recordo que num domingo estava viajando de carona num caminhão e o caminhoeiro resolveu entrar num povoado e participar de um lauto almoço...O país ainda não entrara em crise e o que se comia de carne naqueles restaurantes era coisa de cinema....Vinhlo e soda e mais pão pra arrematar, porque no país do trigo em abundância, tudo era barato....

Levei semanas para Atravessar a Argentina...

Fui subindo, enfrentando alguns policiais meio toscos que encontrava pelo caminho...

Comia nos restaurantes aquilo que os caminhoneiros que me davam carona me pagavam. Sempre restaurantes de beira de estrada, mas como já disse, a Argentina vivia naqueles anos na fartura...

Eu era repórter policial da Folha da Manhã, uma nata do jornalismo,quando por um motivo particular - que não vem ao caso,aqui - tomei uma decisão radical. Pedi demissão ao diretor Ruy Carlos Ostermann, que demorou pra me entender, e decidi viajar. Como disse, foi uma decisão intempestiva, mas era o que eu queria fazer naquele momento...

No mesmo dia que ganhei minha demissão peguei um trem em direção a Uruguaiana(ainda havia trens), um trem comum, e no dia seguinte atravessei a temida fronteira de Passo de Los Libres. Do outro lado, os militares argentinos com suas metralhadoras me botavam um medo de pelar. Mas enfrentei...

Depois de ter viajado muito de trem cheguei numa madrugada em Salta, norte da Argentina( voltaria a esta cidade em 1988, numa viagem como repórter da Zero Hora) perto de LA CHIACA, divisa com a Bolívia. Da estação do trem dirigi-me a uma pracinha, no centro da cidade, e morto de sono, adormeci num banco. Fui acordado no meio daquele maravilhoso sono e me surpreendeu ver uma baioneta apontada para meu rosto. Era um militar argentino tocando-me com sua arma,pedindo por documentos. No mínimo pensou que tinha pego um terrorista do MIR( Movimento Izquierda Revolucionária) que naqueles anos atormentava a ditadura argentina com sequestros e atos de terror.(


Quando cheguei em Lima, depois de passar por toda a Bolívia,dirigi-me a uma referência que tinha levado de Porto Alegre( uma namorada que estivera lá antes...)fui para av. Lima,104, bairro de Barranco, a três quadras do mar(oceano Pacífico) Lembro que naquela casa, que nós a chamávamos de " vieja casona" havia ainda uma gata siamesa, cuijo nome era "Micha"...

A " vieja casona" era onde sempre se homiziavam um grupo de hippies que naqueles anos subaim e desciam a América Latina fazendo autostop....A proprietária era dona Rosa Nunes del Arco, viúva,descendente de nobres espanhóis. Seu falecido marido fora um dos expropriados pela reforma agrária que o General Velasco Alvarado( os livros de Vargas Lhosa falam disto) implantara no Peru, no começo da década de 70, do século passado.

A família havia perdido todas as terras e vivia numa espécie de penúria....( prossegue....)


De São Borja

Lula em São Borja, em 1998,

quando Brizola foi seu vice !

Lula já está reclamando do cafezinho frio que lhe trazem no Palácio do Planalto, depois de oito anos no poder...Estes dias ele andou dizendo que os " cumpanheiros agora só querem saber da Dilma...."

E BRizola já faleceu...

Pois esta foto é de 1998,quando Lula concorreu a presidente tendo Brizola como vice.FHC ganhou no primeiro turno.

No meio dos dois está o " camundongo" ( ele não gosta do apelido) o vereador do PDT sãoborjense, Celso Lopes, bem mais moço, né.

Quem sabe Celso, ou Celsinho pros amigos, emplaque a prefa em 2012!!!???

 

Tarso visita delegado baleado em Canoas



O governador eleito esteve nesta sábado no HPS de Canoas para conversar com o delegado Luiz Franscisco Pires e a amiga Gilmara Ferreira Gamster, que foram baleados nesta madrugada. A Polícia Civil acredita que o mais provável é que o caso tenha sido vítima de uma tentativa de assalto.

Tarso Genro prestou solidariedade e ressaltou que com a aplicação do Pronasci no Estado os índices de criminalidade terão uma forte redução.



FOTO: CACO ARGEMI


O novo governador Tarso Genro e o prefeito de Canoas visitam policial baleado!


SÉCULO XX: O SÉCULO DOS GENOCIDAS

De Buenos Aires

Gelson Farias

"Quando a tortura é praticada por quem é portador de autoridade pública, os responsáveis não devem ficar impunes, independentemente de quem for a vítima: se um ativista político com peso na opinião pública ou um morador da periferia",


Tortura Nunca mais!

O século XX ficou marcado como o século dos genocídios. A presença de regimes opressivos e totalitários, que se mantiveram através da força bruta, originou os métodos científicos de tortura, disseminados por todas as nações do planeta. Quem pensa que a tortura é fruto do século que passou engana-se, desde os primórdios da história universal que o homem convive com ela. Dos antigos egípcios aos mesopotâmios, da inquisição medieval aos regimes totalitaristas nazistas, fascistas e stalinistas; a tortura foi uma forma que se desenvolveu para extrair depoimentos de oposicionistas, intimidarem a população e consolidar os governos ilegítimos, construídos sem a participação ou o consentimento popular.
Aqui na Argentina, no século XX, a tortura foi praxe no maior período ditatoriais que o país viveu, (1963-1983) o famoso regime de chumbo.
Foi durante a ditadura militar que as maiores atrocidades foram cometidas contra os que se opunham ao regime. Neste período os estudantes, os intelectuais, os engajados políticos, foram as principais vítimas do sistema que contestavam. Ser comunista passou a ser terrorista. Combatê-los era, segundo a visão do regime, defender a pátria de homens que comiam criancinhas, pregavam o ateísmo e destruíam as igrejas e os conceitos familiares. No engodo de proteger a Argentina da ameaça comunista, instalou-se uma ditadura, que para manter os princípios da caserna ortodoxa, calou, torturou e matou sem o menor constrangimento, centenas de argentinos, homens e mulheres.

A tortura durante o período do regime militar não livrou o a Argentina dos militantes de esquerda, tão pouco destituiu da mente das pessoas o direito à liberdade de expressão que todos sonhavam. Se na sua propaganda o regime salvou a Argentina de terroristas comunistas, nos seus porões ela garantiu a sobrevivência de sete anos de um Estado ilegítimo, feito sob a força bruta e o silêncio dos seus cidadãos. Apesar de ter durado menos que a brasileira e a chilena, a ditadura militar na Argentina – que se estendeu de 1976 a 1983 - fez cerca de 30 mil vítimas, entre mortos e desaparecidos, segundo a Comissão Nacional para os Desaparecidos Políticos (Conadep) e entidades de direitos humanos. O país tinha 28 milhões de habitantes na época.


Memorial dos desaparecidos em Córdoba


A Argentina havia voltado à democracia pouco tempo antes, em dezembro de 1983. O país era governado pelo presidente Raúl Alfonsín (1983-1989), que enfrentava pressões intensas dos quartéis para não “ousar” realizar o julgamento que colocaria no banco dos réus os responsáveis pelas graves violações aos Direitos Humanos ao longo dos sete anos de regime militar.
Na ocasião, as principais figuras da ditadura, entre elas os generais Jorge Rafael Videla, Roberto Viola, Leopoldo Galtieri e o almirante Emilio Massera, sentaram no banco dos réus para responder à acusação de sequestros, torturas, detenções ilegais em campos de concentração clandestinos, roubo de bens e o assassinato de 30 mil civis, além da ocultação da maior parte dos corpos das vítimas, que ficaram conhecidas como os “desaparecidos”.
O promotor Julio César Strassera disse ao Estado que devido ao número de 10 mil de delitos sobre os quais existiam constâncias, foi necessário focalizar o julgamento sobre os “casos paradigmáticos”. Desta forma, a promotoria apresentou 709 casos, dos quais o tribunal decidiu examinar 280.



Jorge Rafael Videla ( exército) e Emilio Eduardo Massera, ( marinha) militares que lideraram a ditadura argentina

O general Videla e o almirante Massera foram condenados à prisão perpétua. Outros, como o general Viola, receberam a sentença de 17 anos. O julgamento, iniciado em abril, concluiu em dezembro de 1985.
REBELIÕES – No entanto, uma série de rebeliões militares paralisou o processo das investigações dos restantes crimes da ditadura. Em 1986, um dos levantes dos quartéis obrigou o governo Alfonsín a assinar a Lei de Ponto Final, que determinava um prazo exíguo para a abertura de novos processos contra os militares. Em 1987, outra rebelião forçou o governo a assinar a Lei de Obediência Devida, que eximia os subordinados de qualquer culpa, já que haviam cometido crimes “por ordens superiores”.
Em 1990, o presidente Carlos Menem decretou um polêmico indulto dos líderes militares. Apesar dos perdões presidenciais, organismos de defesa dos direitos humanos conseguiram explorar uma brecha nos indultos, a dos sequestros de crianças. Desta forma, vários militares puderam ser levados novamente à prisão, como o general Videla, detido em 1998 em prisão preventiva.
Em 2005, a declaração de inconstitucionalidade das leis do perdão ao ex-integrantes da ditadura permitiu a retomada de uma série de processos que haviam sido engavetados desde o final dos anos 80.



Mães filhos e netos participaram de uma passeata para lembrar os desaparecidos político da ditadura (Argentina)


Uma lista oficial dos mortos e desaparecidos no período da ditadura militar da argentina (1976-1983), foi divulgada durante uma passeata de mães filhos e netos dos presos políticos mortos durante o regime militar. São considerados desaparecidos casos que se têm dados da tortura cometida contra o militante e da sua eventual morte, mas que o seu corpo jamais foi encontrado ou identificado. Entre os casos está o de uma jovem grávida...
Este relato foi feito por ex-agente do exército argentino, que estava para executar a jovem, mas na hora H, ele não quis executá-la. Carlos Beltrán conta...
“Era noite quando os levamos em um caminhão Unimog a um monte e pediram-me que os fuzilasse. Neguei-me a fazê-lo, dizendo que isso era um assassinato”, relatou o agora ex-agente policial. Ele lembrou que fizeram as duas vítimas cavarem uma fossa e, quando estas se recusaram, outros agentes policiais precisaram cumprir a ordem.
“A menina ficou cansada e, quando tentou se reanimar, um deles tirou uma pistola e atirou nela até matá-la”, contou Beltrán, antes de afirmar que os corpos foram “encharcados com combustíveis” e, em seguida, queimados.
“Nessa noite, deixaram-me sozinho no monte e fui chamado de covarde. Mais tarde, fui dado baixo da força”, disse. Carlos Beltrán foi uma das testemunhas que depôs nesta quinta-feira na 11ª audiência do julgamento do general reformado Luciano Benjamín Menéndez, um emblemático repressor do último regime de fato, e de outros sete ex-militares que atuaram sob seu comando na jurisdição do Terceiro Corpo do Exército. Os mortos foram divididos na lista como militantes políticos e outros. Quanto mais tempo durava o regime militar, mais pessoas faziam oposição às atrocidades por ele cometidas. Estudantes, padres, intelectuais e vários setores da sociedade passaram a contestar o regime. Aumentava a contestação, a resposta era a intensificação da tortura, conseqüentemente, a sofisticação dos métodos ocasionava um grande número de mortos.

Métodos científicos de tortura foram desenvolvidos. Monstros torturadores escreveriam o seu nome em letras gigantes nas páginas pungentes da história da Argentina.
] Os prisioneiros chegavam nas cadeias com as mãos amarradas as costas e ventados. Em seguida eram espancados e feridos, sangrando e muitos vezes, já agonizantes. Ali eram pendurados recebendo descargas elétricas. Furadeiras elétricas eram usadas para perfurar corpos, navalhas rasgavam a carne, cigarros queimavam órgãos genitais, mulheres sofriam abusos sexuais. Socos, pontapés, afogamentos, eram complementos às torturas, que ficavam cada vez mais elaboradas.



Neta de desaparecido (foto)


Na madrugada do dia 24 de março de 1976 uma junta militar derrubou a presidente civil Isabelita Perón. A ditadura, que duraria sete anos – considerada a mais sanguinária da História da América do Sul – teria um saldo de 30 mil civis assassinados nos centros clandestinos de detenção. A ditadura também seqüestrou 500 bebês, dos quais somente 101 recuperaram sua identidade até hoje.
O saldo econômico do regime também foi desastroso. Em sete anos de ditadura a dívida externa disparou de US$ 8 bilhões para US$ 45 bilhões. A inflação aumentou de 182% anual para 343%. Além disso, a pobreza cresceu de 5% da população para 28%.
De quebra, a ditadura implantou uma ciranda financeira que intensificou o caos econômico. E, para complicar, a improvisada administração militar provocou um déficit de 15% do PIB. Além disso, a ditadura argentina programou grandes negociatas, entre elas a organização da Copa do Mundo de 1978, cujo orçamento inicial era de US$ 70 milhões. Custo final da Copa: US$ 700 milhões (o valor supera amplamente o custo da Copa realizada na Espanha, em 1982, que foi de US$ 520 milhões).
Na área militar a ditadura programou uma corrida armamentista com o Chile em 1978. Os dois países, que disputavam o canal de Beagle, quase entraram em guerra. A invasão argentina foi detida graças à mediação do papa João Paulo II. Quatro anos depois, o ditador Leopoldo Galtieri ordenou uma improvisada invasão das ilhas Malvinas, sob controle britânico, desafiando a primeira-ministra Margareth Thatcher a enviar tropas. A guerra terminou com a estrepitosa derrota da ditadura em dois meses e meio.
Paradoxos: A Ditadura tinha um discurso anticomunista, mas continuou vendendo trigo para a URSS e não aderiu ao boicote americano contra as Olimpíadas de Moscou em 1980.


Buenos Aires. Sala de julgamento. Réus à esquerda, juízes à direita

Autores do Hino da Legalidade


No dia 12 passado, morreu,quase incógnita, no Rio de Janeiro( por coincidência, os dois autores do HINO DA LEGALIDADE) vivem na capital fluminense.

Pesquisei e num livrinho que sobre os 25 anos da Legalidade,da Editora Redactor(seguramente esgotado) encontrei um batepapo com o Peréio e com a Lara de Lemos onde eles contam como fizeram o hino e como outros tentaram faturar encima deles....como sói acontecer....

Eis o texto:

" Dois integrantes do Comitê de Resistência Democrática dos Intelectuais, entre os tantos que se reuniram na sede do Teatro de Equipe em Porto Alegre com o fervor revolucionário daqueles dias de agosto de 1961, tiveram uma participação destacada no movimento.

Entre batucadas na mesa, em apenas algumas horas, fizeram o HINO DA LEGALIDADE.

Lara de Lemos, poetisa, foi criando versos. Paulo César Peréio,ator fez a música.

Um trabalho tão marcante na vida dos dis que, despertados com o telefone na mesma época, só que 25 anos depois, tinham na memória aqueles fatos como se tivessem acontecido ontem.

Lara no silêncio do seu sítio a 15 Km de Nova Friburgo e Pereio no fervilhante bairro da Gávea.

Lara - Havia um teatro de Equipe onde os artistas, intelectuais da época se reuniam para discutir a situação tensa criada com a renúnca do Jânio.


Pereio - No dia que estourou o movimento, abrimos na sede que ficava na General Vitorino, 512, pertinho da Santa Casa, um comitê, um centro de cadastramento de pesoal. A coisa tinha uma certa ordem. O clima era de pegas nas armas mesmo...

- Lara _ a Gente fazia jingles, faixas, frases...Muitas vezes rimos quando lembrávamos. Aí o Brizola pediu pra o Mário de Almeida, um dos fundadores do Teatro, para a gente criar um hino para o movimento. O clima era contagioso.esatva todo mundo dopado em fazer a revolução. E a tarefa que nos foi dado era para ontem. Como a gente estava em assembléia permanente, o Pereio começou a batucar a música e eu fui pondo os versos. Começava assiom:
Avante brasileiros de pé

unidos pela liberdade


marchemos todos juntos de pé

com a bandeira que prega a liberdade".

- Pereio - fiz a música me inspirando no Hino Nacional e na Marselhesa( hino nacional francês)Ingenuamente, sem saber que estava acertando. Hoje, em termos de marketing, se sabe que se deve fazer algo parecido com outro bem conhecido.

A música é legal,direta,forte,marcial e ao mesmo tempo melódica. A segunda parte diz o seguinte:

" Protesta contra o tirano

se recusa à traição

que um povo só é bem grande
se for livre como a Nação.

Lara - essa segunda parte foi mudada do original , assim cmo duas palavras da primeira. Onmde era gaúchos passou a ser brasileiros e ali onde dizia legalidade ficou igualdade.

Pereio 0 Legalidade caiu com a negociação que levou Jango para a presidência, mas com o parlamentarismo e o Tancredo Neves de primeiro ministro. Foi asism até o plebiscito que trouxe o presidencialismo de volta.


Lara - Na segunda parte mudou mesmo. Fiz assim: ...que o grito em teu peito bravo/ ressoa por toda a Nação.


Mas quando acabei, tinha um verso de pé quebrado. Aí fomos até a casa da Madelaine Rouffier, uma francesa que tinha um coral importante naquela época e ela nos ajudou...

Pereio - Tudo na mão, fui na Mesbla, confisquei três acetatos e segui direto ao est´duio de gravação de um comediante da rádio Farroupilha, aquel que fez um papel no Auto da Compadecida, era um homem do povo....
Não lembro o nome dele....O estúdio ficava no Larga da Merda(nota do autor..esquina da rua da praia com a Ladeira). Nem cheguei a escrever o hino. Jutnamos uns vinte lá do teatro,todos decoraram e gravamos neste estúdio. Eu cantava e regia.!

Lara - só mesmo com aquele clima de euforia,esperança, tão grande, que foi tudo tão rápido. Em quatro dias a gente já ouvia o hino pela cadeia da legalidade( nota do autor: requisição de rádios pra transmissão dos discursos do governador Brizola) A gente acreditava que ia mudar o país. Era um entusiasmo total...


Pereio - Mas o disco não chegou às prateleiras. Nós impugnamos. Tinha o Brizola na capa. Isgto tuo porque surgiu o Demóstenes Gonzales, que dizia que tínhamos feito um monstro, e se declarou co-autopr. Não dei autorização.


- Lara - eu também não.

Pereio - foi o momento mais heróico e mais anedótico da minha vida. Tinha 20 anos e achava engrçado meu heróismo,aquela disposição de morrer pela pátria..Mas me due muita felicidade.é uma ventura que enxergo com muito carinho. Teve muita influência no resto de minha vida.

Lara - Tenho carinho por aquele momento heróico. Depois do Médici quando sofri muito com minha família, fiquei com naúsea de tudo. Agora estou aqui retirada,com um cachorro e um gato, envelhecendo como pedi a Deus. Ouço música, caminho,escrevo....Criei quatro filhos, plantei árvore e escrevi livro. Tenho o direito de envelhecer,ter rugas e cabellos brancos....",

Primórdios da feira

do livro de Porto Alegre

foto editora fulgor ltda. acervo Augusto Carneiro.

Augusto Carneiro, ( dentro da barraca) Leopoldo Boeck e sua filha Vitória(hoje dona de livraria) em 1957, na feira do livro de Porto Alegre. Acervo de Augusto Carneiro.

 


Estou chegando agora, sexta,dia 15/10, de uma conversa longa com o livreiro Augusto Carneiro, que aos 88 anos ainda está bastante lúcido, embora a surdez o prejudique um pouco no seu contato com os demais.

Augusto é a memória viva das primeiras feiras do livro de Porto Alegre, porque participou delas, ou seja, das de 1955,1956 e 1957. As duas primeiras ele foi lá como livreiro e vendedor da livraria do Partido Comunista, do qual foi membro até se desligar e virar um dos fundadores mais tarde, em 1971, da AGAPAN ( Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural ) .

Esta livraria do PCB se localizava na rua Andrade Neves, 155, no centro de Porto Alegre.Vendia basicamente livros ligados a URSS.

O aluguel da livraria tinha a garantia de um fiador, um advogado militante do PCB, Franklin de Araujo, pai do advogado Carlos Araujo.

Augusto Carneiro lembra dos antigos livreiros que participavam das primeiras feiras: Edgardo Xavier, Nelson Boeck, Leopoldo Boeck(eram irmãos)um brigadiano que representava a Livraria Espírita.

Carneiro também disse que o jornalista Say Marques, que é considerado por um livro escrito por Rodrigues Till, como o criador da feira do livro de Porto Alegre, estava sempre pela feira do livro porque era um dos principais jornalistas do Diário de Notícias, que tinha encampado a idéia dos livreiros de expor durante 15 dias os livros para venda na Praça da Alfândega.

Carneiro diz ainda que a grande maioria dos pioneiros da feira do livro de Porto Alegre são falecidos. Outros se retiraram do ramo e alguns dos herdeiros não querem nem saber, mas há exceções:por exemplo, Luizzelli, filho do Sétimo Luizzelli, que participou pela livraria Aurora das primeiras feiras do livro de porto alegre,continua no ramo. Outra que desde criancinha ia na feira do livro(vide foto) é Vitória, filha de Leopoldo Boeck e que hoje é dona de uma livraria numa galeria do bairro Moinhos de Vento.


O imóvel da Livraria Farroupilha, localizado na rua Andrade Neves, tinha como fiador o velho Afrânio Araujo, comunista militante,natural de São Chico de Paula.

O espigão na frente da cantina


na sedac( secretaria estadual da cultura) cresce a olhos nus....

Depois que a Justiça liberou a construção de um prédio na frente da antiga cantina da sociedade estrela guaporense, na av. Miguel Soccol, o prédio cresceu a olhos nus....Rapidamente vai tapar toda a visão frontal da principal avenida da cantina.

O movimento preservacionista que conseguiu junto ao IPHAE o tombamento do prédio histórico - a cantina completa 90 anos no ano de 2011, aguarda agora com expectativa a reação da SEDAC diante da construção do prédio que teve liberação judicial para ser feito.

O terrendo pertence ao empresário Beto Chiarello, proprietário da pizzaria Grão de Bico que funcionava ali durante uns 20 anos.

Agora a pizzaria mudou-se para um local mais retirado da cidade.

O terreno custou ao empresário pouco mais de 60 mil reais,quando ele o adquiriu mediante liberação judicial para que a sociedade estrela guaporense pudesse vendê-lo já que os oito herdeiros da família proprietária da sociedade estrela disputam a herança há cerca de 30 anos, sem nenhum decisão até agora.

De São Borja

Por Olides Canton,com informações dos jornais locais


Cassiá será candidato a prefeito

de São Borja!

Pra quem isto comece a acontecer na prática, falta só que o deputado estadual reeleito pelo PTB transfira seu título eleitoral para a Terra dos Presidentes. Mas é quase certo que no devido tempo ele o fará.

Cassiá se mostrou surpreso,dias atrás, no corredor do legislativo estadual, quando este repórter o informou que um jornal da fronteira oeste tinha noticiado que ele pretende postular a cadeira principal no Palácio João Goulart em 2012.

- Mas já deram, disse o deputado, surpreendido.

Outros postulantes

No PDT, com o último mandato de Mariovane Weis, a disputa será seguramente acirrada. Há Celso Lopes,vereador, que já candidato uma vez, que tem isto como um sonho político.

Também Cristhopher Goulart, neto de Jango, se credenciou bem fortemente, com quase três mil votos que fez como candidato a deputado estadual.

Ninguém,porém, ainda sabe quem será o ungido do prefeito Mariovane. Mas como ele tem demonstrado, pode sair aí um acordo com o PTB, jáque seu vice, Jefferson Honrich, é além de vice, secretário municipal da saúde e tem se saído a contento.

Sairá lasca na próxima eleição a prefeito de São Borja. Quem viver, verá, disse um assíduo frequentador do bar La Barca, por sinal de um filho de um ex-prefeito local.


Cassiá é filho, os outros são netos

Na campanha pra reeleição a deputado, Cassiá Carpes, provavelmente já utilizando o mote da próxima campanha a prefeito de São Borja, lançou um bordão:

- Cassiá é filho de São Borja, os outros são netos!

Mais sutil, impossível....


Presidência da Assembléia

Legislativa do Estado

 

A presidência da Assembléia Legislativa será novamente ocupada a partir de 2011 por um dos partidos cujas bancadas são as maiores. Assim,ficará ou para o PP, PMDB, PT ou PDT.

No PP, Silvana Covatti, a mais votada,reivindica a vaga. Fez mais de oitenta mil votos.

No PMDB, Alexandre Postal já queria na gestão passada mas trombou com Alceu Moreira, que acabou levando.Tem ainda o Deputado Edson Brum,

No PT, na gestão passada, a bancada rachou: ficou entre os deputados Adão Villaverde e Raul Pont. Como ficou cinco a cinco, o deputado Ivar Pavan acabou sendo o tertius.

No PDT, a mais votada Juliana Brizola poderá ocupar a presidência da Assembléia.

Tanto se for Juliana, como Silvana, farão história. Será a primeira vez que uma mulher vai ocupar a presidência da Assembléia....

CHÁ DE ROSAS


Para você que é viajada e conhece uma boa parte do dito primeiro mundo, conhece a Europa com tanta intimidade, assim como eu conheço os limites do meu universo. Achei muito engraçada a expressão do teu rosto quando falei que aqui tem uma casa que entre outras coisas serve várias espécies de chá, dando maior destaque ao chá de rosas. Ficou me olhando de um jeito cético e, se não fosse deselegante, terias rido na minha cara. Ora... Chá de rosas, aqui. Na verdade mesmo, este lugar existe, mas não assim na ordem direta de existir existindo. Existe, mas não funciona como os similares, é preciso procurá-lo e seu endereço não está disponível para os simples mortais. Seu proprietário, um velho que viveu no Tibet, contou-me que quando moço esperou por uma mulher que tinha lhe amado por uma grande e inesquecível noite. Quando amanheceu, ela, cheia de pudores, vestiu-se e foi embora, prometendo voltar na noite seguinte. Da sacada de seu hotel ficou a observá-la, com passos firmes e elegantes, atravessar a alameda da praça, virar a cabeça e abanar, mas... Nunca mais voltou. Esperei por intermináveis noites, me disse ele, para um chá, uma conversa, e ansiosamente esperando para depois o amor. Por isso da criação do bar do chá de rosas, para que o coração de quem esperasse se mantivesse aquecido, nas longas noites de ronda.
Ainda não sei se chegarás lá num primeiro momento, talvez, quem saiba, um dia. É preciso ver através do tempo e, até o tempo precisa de tempo. Se um dia fores a Paris e andares pelos Champs Elysées, tem um boticário logo adiante do Arco do Triunfo: passando o boticário tem uma ruela, quase nem se nota, é onde vivem os artistas e suas artes. Bem lá no fundo tem uma pequena galeria e no fundo desta galeria tem um barzinho cujo nome é “Cabala”. Entre e procure sentar em uma das mesas à esquerda, para observar a rua através da vitrine e, em tom baixo, diga: “Vim tomar o chá que não tomei com ele”. Ah! Antes que eu esqueça, tem um piano e um velho pianista, se ele captar tua alma, tocará Mademoiselle de Paris, e saberá que você faz parte da confraria dos que não tomaram o chá.

Clemar Dias


Depois sou eu que provoco, é.....!!!!!

Vou juntar o Mazza e o ZATOR, de sarandi e faz saon, como dizia o Primo Cavasotto, lá na linha Onze, quando os filhos pequenos o incomodavam....Faz saon quer dizer, matar e fazer sabão, porque os colonos juntavam os restos dos porcos, principalmente gordura, botavam soda caustica e dele fogo.

Olides!

Pô! Gringo do interior de Serafina dizer "findi", para síntetizar o final
de semana... A turma de Linha Onze não vai perdoar. Viva Serafina, a
terra que cresceu depois que alguns foram para a Capítal.

Abraço,
mazzarino


ProVegan e Vanguarda Abolicionista estarão na Praça de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável neste domingo


Foto: VAL

Banquinha vai tratar de veganismo




O Comitê Gaúcho de Ação da Cidadania promove neste domingo, dia 17 de outubro, a Praça de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável 2010, que estará instalada ao redor do Munumento do Expedicionário na Redenção, em Porto Alegre. Haverá stands de entidades como Associação Gaúcha de Nutrição, Emater, Conselho Estadual de Segurança Alimentar, Embrapa, Instituto de Cardiologia, Fome Zero, Organização de Mulheres Negras, Secretaria da Saúde e muitos outros, das 10h às 17h.
A equipe do site ProVegan e a Vanguarda Abolicionista terão uma banca educativa com distribuição de impressos informativos sobre o veganismo, em parceria com a Sociedade Vegetariana Brasileira. O Movimento Justiça Ecológica, da colaboradora Eliane Carmanim Lima, também terá stand, com distribuição de panfletos e informações sobre o vegetarianismo, aspectos nutricionais e filosóficos. A entrada é franca.
Clique aqui para ver a programação completa deste ano. Clique aqui para ver como foi a feira do ano passado.


www.vanguardaabolicionista.com.br

A HISTÓRIA NÃO PODERIA SER ESQUECIDA, PARA QUE AS COMPARAÇÕES FOSSEM CORRETAS.

Será que os jovens, os trabalhadores de todo o comércio, indústria e serviços sabem que as leis trabalhistas que os amparam foram criadas pelo trabalhismo ?
Os direitos trabalhistas são garantidos pela CLT Consolidação das Leis Trabalhistas, criada pelo maior líder do trabalhismo GETÚLIO VARGAS.
Quando seus direitos trabalhistas da CLT não são cumpridos pelos empregadores tem a Justiça do Trabalho, criada, também, por GETÚLIO VARGAS.
Todo o ano recebem o 13º salário, que foi um projeto, em co-autoria, do antigo Deputado Federal trabalhista FLORICENO PAIXÃO, que, aprovado e transformado em lei ( Lei nº 4.090, de 13.07.1962 ), esta foi sancionada pelo presidente trabalhista JOÃO GOULART.
Todo mês descontam um percentual de seu salário para a Previdência Social, para que, futuramente, possam se aposentar. A Previdência Social, nos moldes hoje existentes, foi criada pelo líder trabalhista GETÚLIO VARGAS.
A Carteira Profissional, que é assinada pelo empregador, registrando o tempo de serviço, que permitirá comprovar o tempo para a aposentadoria, no futuro, foi criada, também por GETÚLIO VARGAS.
Os parentes, já aposentados, também recebem o 13º salário, que existe porque o Deputado federal trabalhista FLORICENO PAIXÃO, de novo, apresentou projeto de lei que, aprovado e transformado em lei ( Lei nº 4.281, de 8.11.1963 ), esta foi sancionada, também, pelo presidente trabalhista JOÃO GOULART.
A maioria, creio, não sabe nada disto, pois não conhece a história.
E o PT, Lula e cia. ?
Surgiu, com a ajudinha do Golbery do Couto e Silva, para se contrapor a Brizola e ao trabalhismo, tanto que na sua carta de princípios, de 01.05.1979, temos os seguintes parágrafos:

Cientes disso também é que setores das classes dominantes se apressam a sair a campo com suas propostas de PTB. Mas essas propostas demagógicas já não conseguem iludir os trabalhadores, que, nem de longe, se sensibilizaram com elas. Esse fato comprova que os trabalhadores brasileiros estão cansados das velhas fórmulas políticas elaboradas para eles. Agora, chegou a vez de o trabalhador formular e construir ele próprio seu país e seu futuro. Nós, dirigentes sindicais, não pretendemos ser donos do PT, mesmo porque acreditamos sinceramente existir, entre os trabalhadores, militantes de base mais capacitados e devotados, a quem caberá a tarefa de construir e liderar nosso partido. Estamos apenas procurando usar nossa autoridade moral e política para tentar abrir um caminho próprio para o conjunto dos trabalhadores. Temos a consciência de que, nesse papel, neste momento, somos insubstituíveis, e somente em vista disso é que nós reivindicamos o papel de lançadores do PT.


As tentativas de reviver o velho PTB de Vargas, ainda que, hoje, sejam anunciadas sem erros do passado ou de baixo para cima , não passam de propostas de arregimentação dos trabalhadores para defesa de interesses de setores do empresariado nacional. Se o empresariado nacional quer construir seu próprio partido político, apelando para sua própria clientela, nada temos a opor, porém denunciamos suas tentativas de iludir os trabalhadores brasileiros com seus rótulos e apelos demagógicos e de querer transformá-los em massa de manobra para seus objetivos.

Lula, em 21 de setembro de 1977, numa entrevista à revista Isto É: Não temos compromisso com ninguém, com esquerda, direita ou centro. Só com a classe trabalhadora. No passado, a classe trabalhadora foi usada pelo Partido Trabalhista Brasileiro, e farei de tudo para evitar que seja novamente usada .
O PT está conseguindo destruir o trabalhismo e,por pura ironia, com a ajuda do próprio PDT, que no seu site se apresenta como o VERDADEIRO TRABALHISMO.
E O PT fez o que? O Bolsa Família.
É de se ler, então, o início da lei que o criou:

Lei nº 10.836, de 9 de janeiro de 2004
Cria o Programa Bolsa Família e dá outras providências.
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1o Fica criado, no âmbito da Presidência da República, o Programa Bolsa Família, destinado às ações de transferência de renda com condicionalidades.
Parágrafo único. O Programa de que trata o caput tem por finalidade a unificação dos procedimentos de gestão e execução das ações de transferência de renda do Governo Federal, especialmente as do Programa Nacional de Renda Mínima vinculado à Educação - Bolsa Escola, instituído pela Lei nº 10.219, de 11 de abril de 2001, do Programa Nacional de Acesso à Alimentação - PNAA, criado pela Lei nº 10.689, de 13 de junho de 2003, do Programa Nacional de Renda Mínima vinculada à Saúde - Bolsa Alimentação, instituído pela Medida Provisória nº 2.206-1, de 6 de setembro de 2001, do Programa Auxílio-Gás, instituído pelo Decreto nº 4.102, de 24 de janeiro de 2002, e do Cadastramento Único do Governo Federal, instituído pelo Decreto nº 3.877, de 24 de julho de 2001.
Brasília, 9 de janeiro de 2004; 183 o da Independência e 116º da República.
LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA
José Dirceu de Oliveira e Silva

Como se pode ver, o Bolsa Família é a união de três cartões de auxílio criados no Governo FHC e um do Governo Lula. A sugestão da união destes quatro cartões foi dada ao Lula, numa reunião de Governadores, pelo então Governador de Goiás, Marconi Perillo, do PSDB. Há um vídeo na internet em que, numa reunião em Brasília, o Lula agradece ao Governador a sugestão.
E o que Lula e o PT fizeram mais ? De substancial ?
A defasagem dos aposentados que recebem mais de um salário mínimo já é maior no Governo Lula do que a do Governo FHC: no governo FHC foi de 18,77%, ao passo que no de Lula foi de 42,75%.
E muito mais se poderia escrever.

SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS

COMPARAÇÃO ENTRE AS QUANTIDADES DE BENEFICÍOS DAPREVIDÊNCIA SOCIAL,
EM SALÁRIO MÍNIMO,
DE SETEMBRO DE 2003 E AGOSTO DE 2010.


EM SETEMBRO DE 2003
2,2% recebiam menos de um salário mínimo;
63% recebiam um salário mínimo;
12,5% recebiam de 1 a 2 salários mínimo;
7% recebiam de 2 a 3 salários mínimo;
4,8% recebiam de 3 a 4 salários mínimo;
4,4% recebiam de 4 a 5 salários mínimo;
3,1% recebiam de 5 a 6 salários mínimo;
2% recebiam de 6 a 7 salários mínimo;
0,9% recebiam de 7 a 8 salários mínimo;
0,2% recebiam mais de 8 salários mínimo.

EM AGOSTO DE 2010

2,2% = menos de um salário mínimo;
66,7% = um salário mínimo;
13,8% = 1 a 2 salários mínimo;
7,3% = 2 a 3 salários mínimo;
5,6% = 3 a 4 salários mínimo;
3,4% = 4 a 5 salários mínimo
0,9% = 5 a 6 salários mínimo;
0,1% = 6 a 7 salários mínimo;
De 7 a 8 e mais de 8 = nenhum beneficiário.

É só comparar para vermos que o nivelamento vai ficando, cada vez mais, por baixo.

SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS

Travestis argentinos


Adorei o texto Pesquisa sobre travestis de Buenos Aires quebra mitos, de Gelson Farias.

Sobre este trechinho da senadora (abaixo), ela mistura fertilidade com disposição para adoção. Uma coisa nada tem a ver com a outra. A Argentina é um ótimo exemplo na minha opinião de país desenvolvido, seguindo o exemplo de Portugal e diversos países, pois a união é um direito civil e nada tem a ver com religião. Se casais hetero fossem exemplo para adoção, não haveriam crianças em orfanatos, o fato é que inventam estas falácias para negar o direito deles. Este estudo que ela pede nunca poderá ser realizado se não forem permitidas adoções para estas pessoas.
Ellen Augusta, bióloga

Trecho a que me refiro:
'Já a senadora Sonia Escudero, do PJ, justificou sua oposição à lei dizendo que.
"O impacto do casamento gay sobre as eventuais crianças adotadas não tinha sido analisado. Não houve estudo sobre o impacto do casamento homossexual sobre as crianças. Não é correto dizer que o matrimônio entre pessoas do mesmo sexo tem o mesmo efeito que o matrimônio entre heterossexuais. A relação entre um homem e uma mulher é fértil. A relação entre homossexuais é estéril“.'

Zulke propõe seminário sobre o Pré-sal no RS



Por proposição do deputado estadual Ronaldo Zulke (PT), a Comissão de Economia e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa promoverá o seminário O Pré-sal e o Rio Grande. O evento está marcado para as 9h dia 22 de outubro no hotel Embaixador em Porto Alegre e contará com a presença do presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli.

Também participam o governador eleito do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, e o coordenador do Comitê de Competitividade de Petróleo e Gás da FIERGS, Marcos Coester, além de representação da UFRGS.

Segundo Zulke, o objetivo do seminário é discutir a participação do Estado no fornecimento de máquinas, equipamentos, serviços e mão de obra gaúcha na cadeia produtiva do pré-sal. O pré-sal está se constituindo na principal cadeia produtiva do Estado após os investimentos de R$ 10 bilhões do governo federal na indústria naval em Rio Grande, ilustra.

Coleguinhas

*Osiris Marins, da Band AM entrou na sexta de CANTON, na China....

*Leio que morreu a Zélia Garcia> mas que sacanagem do destino.!!!!!Era uma colega muito querida. Ficávamos ali no barzinho da ZH conversando largamento. E não era " metida"..

*Ah, e teve um caso com um coleguinha que é conhecido e que todo mundo diz que é gay escondido no armário...Nome, nem pensar!?


*Guardo a lenbrança da colega Zélia....


Agenda Tarso Genro

 

AGENDA CAMPANHA DILMA no RS

16.10 (sabado)
TARSO GENRO: 11h00 – Carreata em Viamão
TARSO GENRO: 15h00 - Canoas
BETO GRILL: Agenda pelos municípios de Encruzilhada do Sul, Santana da Boa Vista, Amaral Ferrador e Don Feliciano.

17.10 (domingo)

TARSO GENRO, BETO GRILL:
10h – Brique da Redenção –
Atividade com lideranças gaúchas que apoiam Dilma Presidente

O que fazer no findi!

A semana passou rápido,até demais pro meu gosto, mas enfim....

Hoje sexta é o melhor dia da semana,segundo alguns que apreciam a véspera de uma folga....

Mas no findi tem programações culturais aqui em Porto: a peça do Claudio Benevenga( no teatro Renascença) , o filme aquele do Morro do Céu, no Santander, o Brique da Redença, no domingo de manhã, e pra quem é gremista, como é meu caso, o jogo da tarde de domingo, contra o Líder Cruzeiro.

Vamos lá,enfim, que mais um findi vem aí....

LUIZ ESTEVÃO ESTA
VOLTANDO

Filiado ao PMDB, Luiz Estevão, o primeiro senador cassado do país,esta voltando. Ele participa ativamente das decisões do núcleo de coordenação da campanha de Weslian Roriz. Sem poder disputar cargo, ele teria lugar de destaque em um eventual governo da primeira dama.
O escândalo do Fórum Trabalhista de São Paulo, em 1999,comprometeu o passado político de Luiz Estevão. A Lei da Ficha Limpa pode limitar suas pretensões futuras.
Mas o fato é que atualmente o primeiro senador cassado da história, transita nos bastidores do processo de sucessão eleitoral do Distrito Federal. Ele é um dos principais conselheiros da família Roriz.
Filiado ao PMDB,Estevão pertence à turma de dissidentes que apóia Joaquim Roriz. Desde o inicio da campanha,quando o ex governador era candidato e agora,com a indicação de Weslian,ele participa das decisões do núcleo de coordenação da coligação rorizista.
A ligação estreita com o casal projeta o ex- senador a lugar de destaque em eventual governo liderado pela ex-primeira dama.
Luiz Estevão está condenado a 31 anos de prisão pelos crimes de formação quadrilha,peculato,estelionato,uso de documentos falsos e corrupção ativa. Por isso ele deverá permanecer apenas nos bastidores. Isso,no entanto,não significa que não poderá ter poder.
Por causa da confusão judicial, todo o patrimônio de Luiz Estevão está bloqueado como forma de garantir o ressarcimento de prejuízos aos cofres públicos.
Com 460 mil votos Luiz Estevão elegeu-se senador em 1998. Logo comprou uma briga feia com o senador Antonino Carlos Magalhães e Roberto Arruda. Foi abatido na CPI do Judiciário que investigou denuncias de corrupção na obra do Fórum Trabalhista paulista. Ele foi o primeiro senador cassado.
Hoje, alem de seus negócios imobiliários ele é o dono do Brasiliense um time que está na segunda divisão
Sergio Ross


De Estrela

O Roque Schwertner, depositário de todas as atas do Estrela Futebol Clube desde 1931, - seu pai, também dono de tipografia - foi um dos presidentes do clube - mandou digitalizar todas as atas do clube até 1962,que foram motivo no começo deste ano de uma ação judicial, já que ele as havia emprestado ao secretário de esportes do município e este não queria devolvê-las dizendo tratar-se de um documento público que deveria ficar com o acervo do clube. Mas a Justiça mandou devolver os documentos ao Roque,que agora, depois de digitalizadas estão à disposição do público no site de sua livraria www.opaladino.com.br


Bispos católicos, pastores e outros homens de Homens da fé cristã defendem a eleição de Dilma.


"Se nos calarmos, até as pedras gritarão!”

Somos homens e mulheres, ministros, ministras, agentes de pastoral, teólogos/as, padres, pastores e pastoras, intelectuais e militantes sociais, membros de diferentes Igrejas cristãs, movidos/as pela fidelidade à verdade, vimos a público declarar:

1. Nestes dias, circulam pela internet, pela imprensa e dentro de algumas de nossas igrejas, manifestações de líderes cristãos que, em nome da fé, pedem ao povo que não vote em Dilma Rousseff sob o pretexto de que ela seria favorável ao aborto, ao casamento gay e a outras medidas tidas como “contrárias à moral”. A própria candidata negou a veracidade destas afirmações e, ao contrário, se reuniu com lideranças das Igrejas em um diálogo positivo e aberto. Apesar disso, estes boatos e mentiras continuam sendo espalhados. Diante destas posturas autoritárias e mentirosas, disfarçadas sob o uso da boa moral e da fé, nos sentimos obrigados a atualizar a palavra de Jesus, afirmando, agora, diante de todo o Brasil: “se nos calarmos, até as pedras gritarão!” (Lc 19, 40).

2. Não aceitamos que se use da fé para condenar alguma candidatura. Por isso, fazemos esta declaração como cristãos, ligando nossa fé à vida concreta, a partir de uma análise social e política da realidade e não apenas por motivos religiosos ou doutrinais. Em nome do nosso compromisso com o povo brasileiro, declaramos publicamente o nosso voto em Dilma Rousseff e as razões que nos levam a tomar esta atitude:

3. Consideramos que, para o projeto de um Brasil justo e igualitário, a eleição de Dilma para presidente da República representará um passo maior do que a eventualidade de uma vitória do Serra, que, segundo nossa análise, nos levaria a recuar em várias conquistas populares e efetivos ganhos sócio-culturais e econômicos que se destacam na melhoria de vida da população brasileira.

4. Consideramos que o direito à Vida seja a mais profunda e bela das manifestações das pessoas que acreditam em Deus, pois somos à sua Imagem e Semelhança. Portanto, defender a vida é oferecer condições de saúde, educação, moradia, terra, trabalho, lazer, cultura e dignidade para todas as pessoas, particularmente as que mais precisam. Por isso, um governo justo oferece sua opção preferencial às pessoas empobrecidas, injustiçadas, perseguidas e caluniadas, conforme a proclamação de Jesus na montanha (Cf. Mt 5, 1- 12).

5. Acreditamos que o projeto divino para este mundo foi anunciado através das palavras e ações de Jesus Cristo. Este projeto não se esgota em nenhum regime de governo e não se reduz apenas a uma melhor organização social e política da sociedade. Entretanto, quando oramos “venha o teu reino”, cremos que ele virá, não apenas de forma espiritualista e restrito aos corações, mas, principalmente na transformação das estruturas sociais e políticas deste mundo.

6. Sabemos que as grandes transformações da sociedade se darão principalmente através das conquistas sociais, políticas e ecológicas, feitas pelo povo organizado e não apenas pelo beneplácito de um governante mais aberto/a ou mais sensível ao povo. Temos críticas a alguns aspectos e algumas políticas do governo atual que Dilma promete continuar. Motivo do voto alternativo de muitos companheiros e companheiras Entretanto, por experiência, constatamos: não é a mesma coisa ter no governo uma pessoa que respeite os movimentos populares e dialogue com os segmentos mais pobres da sociedade, ou ter alguém que, diante de uma manifestação popular, mande a polícia reprimir. Neste sentido, tanto no governo federal, como nos estados, as gestões tucanas têm se caracterizado sempre pela arrogância do seu apego às políticas neoliberais e pela insensibilidade para com as grandes questões sociais do povo mais empobrecido.

7. Sabemos de pessoas que se dizem religiosas, e que cometem atrocidades contra crianças, por isso, ter um candidato religioso não é necessariamente parâmetro para se ter um governante justo, por isso, não nos interessa se tal candidato/a é religioso ou não. Como Jesus, cremos que o importante não é tanto dizer “Senhor, Senhor”, mas realizar a vontade de Deus, ou seja, o projeto divino. Esperamos que Dilma continue a feliz política externa do presidente Lula, principalmente no projeto da nossa fundamental integração com os países irmãos da América Latina e na solidariedade aos países africanos, com os quais o Brasil tem uma grande dívida moral e uma longa história em comum. A integração com os movimentos populares emergentes em vários países do continente nos levará a caminharmos para novos e decisivos passos de justiça, igualdade social e cuidado com a natureza, em todas as suas dimensões. Entendemos que um país com sustentabilidade e desenvolvimento humano – como Marina Silva defende – só pode ser construído resgatando já a enorme dívida social com o seu povo mais empobrecido. No momento atual, Dilma Rousseff representa este projeto que, mesmo com obstáculos, foi iniciado nos oito anos de mandato do presidente Lula. É isto que está em jogo neste segundo turno das eleições de 2010.

Com esta esperança e a decisão de lutarmos por isso, nos subscrevemos:

Dom Thomas Balduino, bispo emérito de Goiás velho, e presidente honorário da CPT nacional.
Dom Pedro Casaldáliga, bispo emérito da Prelazia de São Feliz do Araguaia-MT.
Dom Demetrio Valentini, bispo de Jales-SP e presidente da Cáritas nacional.
Dom Luiz Eccel – Bispo de Caçador-SC
Dom Antonio Possamai, bispo emérito da Rondônia.
Dom Sebastião Lima Duarte, bispo de Viana- Maranhão.
Dom Xavier Gilles, bispo emérito de Vina- Maranhão.
Padre Paulo Gabriel, agente de pastoral da Prelazia de São Feliz do Araguaia /MT
Jether Ramalho, Rio de Janeiro.
Marcelo Barros, monge beneditino, teólogo
Professor Candido Mendes, cientista político e reitor
Luiz Alberto Gómez de Souza, cientista político, professor
Zé Vicente, cantador popular. Ceará
Chico César. Cantador popular. Paraíba/são paulo
Revdo Roberto Zwetch, igreja IELCB e professor de teologia em São Leopoldo.
Pastora Nancy Cardoso, metodista, Vassouras / RJ
Antonio Marcos Santos, Igreja Evangélica Assembléia de Deus – Juazeiro – Bahia
Maria Victoria Benevides, professora, da USP
Monge Joshin, Comunidade Zen Budista do Brasil, São Paulo
Antonio Cecchin, irmão marista, Porto Alegre.
Ivone Gebara, religiosa católica, teóloga e assessora de movimentos populares.
Fr. Luiz Carlos Susin – Secretário Geral do Fórum Mundial de Teologia e Libertação
Frei Betto, escritor, dominicano.
Luiza E. Tomita – Sec. Executiva EATWOT(Ecumenical Association of Third World Theologians)
Ir. Irio Luiz Conti, MSF. Presidente da Fian Internacional
Pe. João Pedro Baresi, pres. da Comissão Justiça e Paz da CRB (Conferência dos religiosos do Brasil) SP
Frei José Fernandes Alves, OP. – Coord. da Comissão Dominicana de Justiça e Paz
Pe. Oscar Beozzo, diocese de Lins.
Pe. Inácio Neutzling – jesuíta, diretor do Instituto Humanitas Unisinos
Pe. Ivo Pedro Oro, diocese de Chapecó / SC
Pe. Igor Damo, diocese de Chapecó-SC.
Irmã Pompeia Bernasconi, cônegas de Santo Agostinho
Cibele Maria Lima Rodrigues, Pesquisadora.
Pe. John Caruana, Rondônia.
Pe. Julio Gotardo, São Paulo.
Toninho Kalunga, São Paulo,
Washingtonn Luiz Viana da Cruz, Campo Largo, PR e membro do EPJ (Evangélicos Pela Justiça)
Ricardo Matense, Igreja Assembléia de Deus, Mata de São João/Bahia
Silvania Costa
Mercedez Lopes,
André Marmilicz
Raimundo Cesar Barreto Jr,
Pastor Batista, Doutor em ética social
Pe. Arnildo Fritzen, Carazinho. RS.
Darciolei Volpato, RS
Frei Ildo Perondi – Londrina PR
Ir. Inês Weber, irmãs de Notre Dame. continua
Pe. Domingos Luiz Costa Curta, Coord. Dioc de Pastoral da Diocese de Chapecó/SC.
Pe. Luis Sartorel,
Itacir Gasparin
Célio Piovesan, Canoas.RS
Toninho Evangelista – Hortolândia/SP
Geter Borges de Sousa, Evangélicos Pela Justiça (EPJ), Brasília.
Caio César Sousa Marçal – Missionário da Igreja de Cristo – Frecheirinha/CE
Rodinei Balbinot, Rede Santa Paulina
Pe. Cleto João Stulp, diocese de Chapecó.
Odja Barros Santos – Pastora batista
Ricardo Aléssio, cristão de tradição presbiteriana, professor universitário.
Maria Luíza Aléssio, professora universitária, ex-secretária de educação do Recife
Rosa Maria Gomes
Roberto Cartaxo Machado Rios
Rute Maria Monteiro Machado Rios
Antonio Souto, Caucaia, CE
Olidio Mangolim – PR
Joselita Alves Sampaio – PR
Kleber Jorge e silva, teologia – Passo Fundo – RS
Terezinha Albuquerque – PR.
Marco Aurélio Alves Vicente – EPJ – Evangélicos pela Justiça, pastor-auxiliar da Igreja Catedral da Família/Goiânia-GO
Padre Ferraro, Campinas.
Ir. Carmem Vedovatto
Ir. Letícia Pontini, discípulas, Manaus.
Padre Manoel, PR
Magali Nascimento Cunha, metodista
Stela Maris da Silva
Ir. Neusa Luiz, abelardo luz- SC
Lucia Ribeiro, socióloga
Marcelo Timotheo da Costa, historiador
Maria Helena Silva Timotheo da Costa
Ianete Sampaio
Ney Paiva Chavez, professora educação visual, Rio de janeiro
Antonio Carlos Fester
Ana Lucia Alves, Brasília
Ivo Forotti, Cebs – Canoas – RS
Agnaldo da Silva Vieira – Pastor Batista. Igreja Batista da Esperança – Rio de Janeiro
Irmã Claudia Paixão, Rio de Janeiro
Marlene Ossami de Moura, antropóloga / Goiânia.
Ir. Maria Celina Correia Leite, Recife
Pedro Henriques de Moraes Melo – UFC/ACEG
Fernanda Seibel, Caxias do Sul.
Benedito Cunha, pesquisador popular, membro do Centro Mandacaru – Fortaleza
Pe. Lino Allegri – Pastoral do Povo da Rua de Fortaleza, CE.
Juciano de Sousa Lacerda, Prof. Doutor de Comunicação Social da UFRN
Pasqualino Toscan – Guaraciaba SC
Francisco das Chagas de Morais, Natal – RN.
Elida Araújo
Maria do Socorro Furtado Veloso – Natal, RN
Maria Letícia Ligneul Cotrim, educadora
Maria das Graças Pinto Coelho/ professora universitária/UFRN
Ismael de Souza Maciel membro do CEBI – Centro de Estudos Bíbicos Recife
Xavier Uytdenbroek, prof. aposentado da UFPE e membro da coordenação pastoral da UNICAP
Maria Mércia do Egito Souza agente da Pastoral da Saúde Arquidiocese de Olinda e Recife
Leonardo Fernando de Barros Autran Gonçalves Advogado e Analista do INSS
Karla Juliana Souza Uytdenbroek Bacharel em Direito
Targelia de Souza Albuquerque
Maria Lúcia F de Barbosa, Professora UFPE
Débora Costa-Maciel, Profª. UPE
Maria Theresia Seewer
Ida Vicenzia Dias Maciel
Marcelo Tibaes
Sergio Bernardoni, diretor da CARAVIDEO- Goiânia – Goiás
Claudio de Oliveira Ribeiro. Sou pastor da Igreja Metodista em Santo André, SP.
Pe. Paulo Sérgio Vaillant – Presbítero da Arquidiocese de Vitória – ES
Roberto Fernandes de Souza. RG 08539697-6 IFP RJ – Secretario do CEBI RJ
Sílvia Pompéia.
Pe. Maro Passerini – coordenador Past. Carcerária – CE
Dora Seibel – Pedagoga, caxias do sul.
Mosara Barbosa de Melo
Maria de Fátima Pimentel Lins
Prof. Renato Thiel, UCB-DF
Alexandre Brasil Fonseca , Sociólogo, prof. da UFRJ, Ig. Presbiteriana e coordenador da Rede FALE)
Daniela Sanches Frozi, (Nutricionista, profa. da UERJ, Ig. Presbiteriana, conselheira do CONSEA Nacional e vice-presidente da ABUB)
Marcelo Ayres Camurça – Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Religião – Universidade Federal de Juiz de Fora
Revd. Cônego Francisco de Assis da Silva,Secretário Geral da IEAB e membro da Coordenação do Fórum Ecumênico Brasil
Irene Maria G.F. da Silva Telles
Manfredo Araújo de Oliveira
Agnaldo da Silva Vieira – Pedagogo e Pastor Auxiliar da Igreja Batista da Esperança-Centro do Rio de Janeiro
Pr. Marcos Dornel – Pastor Evangélico – Igreja Batista Nova Curuçá – SP
Adriano Carvalho.
Pe. Sérgio Campos, Fundação Redentorista de Comunicações Sociais – Paranaguá/Pr.
Eduardo Dutra Machado, pastor presbiteriano
Maria Gabriela Curubeto Godoy – médica psiquiatra – RS
Genoveva Prima de Freitas- Professora – Goiânia
M. Candida R. Diaz Bordenave
Ismael de Souza Maciel membro do CEBI – Centro de Estudos Bíbicos Recife
Xavier Uytdenbroek prof. aposentado da UFPE e membro da coordenação pastoral da UNICAP
Maria Mércia do Egito Souza agente da Pastoral da Saúde Arquidiocese de Olinda e Recife
Leonardo Fernando de Barros Autran Gonçalves Advogado e Analista do INSS
Karla Juliana Souza Uytdenbroek Bacharel em Direito
Targelia de Souza Albuquerque
Maria Lúcia F de Barbosa (Professora – UFPE)
Paulo Teixeira, parlamentar, são paulo.
Alessandro Molon, parlamentar, Rio de janeiro.
Adjair Alves (Professor – UPE)
Luziano Pereira Mendes de Lima – UNEAL
Cláudia Maria Afonso de Castro-psicóloga- trabalhadora da Saúde-SMS Suzano-SP
Fátima Tavares, Coordenadora do Programa de Pos-Graduação em Antropologia FFCH/UFBA
Carlos Caroso, Professor Associado do Departamento de Antropologia e Etrnologia da UFBA.
Isabel Tooda
Joanildo Burity (Anglicano, cientista político, pesquisador da Fundação Joaquim Nabuco,
Prof. Dr. Paulo Fernando Carneiro de Andrade, Doutor em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma, Professor de Teologia PUC- Rio
Aristóteles Rodrigues - Psicólogo, Mestre em Ciência da Religião
Zwinglio Mota Dias - Professor Associado III – Universidade Federal de Juiz de Fora
Antonio Francisco Braga dos Santos- IFCE
Paulo Couto Teixeira, Mestrando em Teologia na EST/IECLB
Rev. Luis Omar Dominguez Espinoza
Anivaldo Padilha – Metodista, KOINONIA, líder ecumênico
Nercina Gonçalves
Hélio Rios, pastor presbiteriano
João José Silva Bordalo Coelho, Professor- RJ
Lucilia Ramalho. Rio de janeiro.
Maria tereza Sartorio, educadora, ES
Maria jose Sartorio, saúde, ES
Nilda Lucia sartorio, secretaria de ação social, Espírito santo
Ângela Maria Fernandes – Curitiba, PR
Lúcia Adélia Fernandes
Jeanne Nascimento – Advogada em São Paulo/SP
Frei José Alamiro, franciscano, São Paulo, SP
Ruth Alexandre de Paulo Mantoan


EXCLUSIVO


GANHADOR DA MEGASENA

JÁ ESTÁ VIAJANDO


ata da emancipação de S.José do Herval. Um destes é o ganhador da megasena.

o GANHADOR DA MEGASENA, que fez a aposta em Fontoura Xavier, está viajando. Ele é de São José do Herval, um município vizinho a Fontoura Xavier, na Serra Gaúcha.

Segundo a imprensa gaúcha, o felizardo, que já aplicou toda a dinheirama - 119 milhões de reais - numa poupança da Caixa Econômica Federal(CEF) numa agência de Porto Alegre, e não da Grande Porto Alegre, como foi noticiado.A aplicação renderá em torno de 800 mil reais por mês. A imprensa gaúcha destaca,ainda, que ele é dono de um frigorífico e que estaria passando por dificuldades financeiras.

A imprensa deu algumas pistas de quem é: participou da luta emancipacionista do município em 1988 e depois
ganhador na chapa do PDS que concorreu a prefeitura, mas perdeu a eleição.

A CEF mantém sigilo absoluto sobre os nomes dos vencedores destas loterias.

Poucos funcionários ficam sabendo quem são os apostadores que venceram.

E a CEF orienta os ganhadores do que fazer com tamanha fortuna na mão.

Mas há um detalhe: 95% destes felizardos acabam botando tudo fora....não sabendo como lidar com tamanha mudança de vida.

 

A fama era que na

barraca se praticava sexo....


Das muitas histórias que o seo Edgardo Xavier me contou sobre a primeira feira do livro de Porto Alegre, em 1955, eu achei algumas particularmente engraçadas. Mostram como a feira ainda era uma quermesse, embora fosse feita pra vender livros.

Acontece que uma barraca, de um livreiro, pegou fama de que lá dentro se praticava o chamado conúbio carnal, nas horas em que menos frequÊNCIA Havia na praça da alfandega....Se era verdade,ou não,s eo Edgardo Xavier não sabe...

mas eis que o seo Leopoldo Boeck, um dos dois irmãos que eram os donos da Livraria Sulina, um dia foi até esta barraca - eu tenho o nome mas quero preservar - onde se vendia especialmente livros franceses e o dono estava com uma visita, mas uma senhora super família que estava sentada de uma maneira que o seo Leopoldo Boeck não pudesse enxergar de fora.

O dono da barraca fez um gesto apontando pra senhora, mas o dono da Sulina entendeu aquilo como se fosse um gesto libidinoso( vocês leitores já sabem qual é....e aquele mesmo que o povão faz,sem cerimônia) e o Leopoldo Boeck da Sulina, entendeu que ali dentro ia ter era uma cena de sexo em seguida e ele teve apenas o tempo de dizer:

- MAS ENTÃO É VERDADE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

qUIS dizer que a fama de que na barraca do colega não se vendia apenas livros estava se confirmando ali....

Coleguinhas

Que moleza fazer tevê.....


Estou chegando agora do Diversidade, onde participo,todas as quintas Participo não é bem o termo, porque só tenho tempo de falar alguns segundos. Mas tevê é assim, a gente vicia, então vamos com calma...

Agora que entendo, depois que tenho participado um pouquinho só, porque que todo mundo quer mesmo ir pra teve. Não requer maior habilidades e o que vejo de gente meio despreparada participando não é mole....

Que diferença do meu tempo quando a gente entrava numa redação de jornal, quando a gente começava a profissão. Os chefes e editores nos tratavam aos gritos e ai de quando não voltássemos com os bonecos das pessoas que tinham morrido. Por isto que aprendi e me virar( no sentido aquele mesmo de batalhar) e eu não desisto enquanto não consigo fazer uma mat[eria Ontem, por exemplo, descobri o nome do ganhador da Megasena, na maior moleza.Dei o nome na Ulbra tevê e hoje estou dando no meu site. Um médico que estava lá disse: que sacanagem. Sacanagem, não doutor, isto é informação.

Legislativo recebe Orçamento para 2011 nesta sexta

O presidente da Câmara Municipal de Porto Alegre, vereador Nelcir Tessaro (PTB), recebe amanhã (15/10), às 14 horas, no Salão Nobre Dilamar Machado, a peça orçamentária da Capital para 2011. A proposta, que será entregue pelo prefeito José Fortunati, prevê em torno de R$ 600 milhões, de um total de R$ 4,1 bilhões, para investimento em obras.

No projeto também estão previstas iniciativas para a Copa 2014, PAC, Reluz e do Projeto Integrado Socioambiental (Pisa). O texto deverá ser votado pelos vereadores até 5 de dezembro e, logo após, ser encaminhada ao prefeito para sanção até 15 de dezembro.

Regina Andrade (reg. Prof. 8423)


Bastidores

de artistas


A produtora Vanja, que esteve ontem,dia 14/10 no Diversidade da Ulbra TV contou alguns casos com artistas, uns menos estrelas, outros mais....

Ela disse por exemplo que uma atriz ( não deu o nome) veio a Porto Alegre anos atrás e cílios postiços não eram tão comuns como hoje em dia....


Até que não acharam os tais cílios, esta atriz não gravou seu comercial. Foram achar o objeto num especialista na zona sul de Porto Alegre....

Uns são artistas mesmo, outro são chinelões....

E Cristina Mazzei aproveitou pra contar que esteve num domingo nos bastidores do Faustão, na TV Globo, e lá viu alguém em começo de carreira exigir entrar no horário...enquanto Caetano Veloso ficou na dele, esperando pra entrar no programa.


Histórias da feira do livro de

Porto Alegre


Numa das feiras do livro de Porto Alegre, choveu todos os dias....aquilo sim era de torrar .... no final da feira, como era tradição,Mauricio Rosemblatt convidou o prefeito Célio Marques Fernandes para a festa de congraçamento entre os livreiros, que geralmente acontecia,ou no Marreta( na Obino, onde hoje está o clube União, em Petrópolis) ou então na churrascaria Boi na Brasa, na Ramiro Barcellos, perto da Cristovao onde um dos sócios era irmão do Arthur Dallegrave, que foi ligado ao Internacional....

Pois sempre cabia ao livreiro Edgardo Xavier , da Leonardo da Vinci, fazer uma pequena apresentação, já que ele tinha este dom...

Compareceu o prefeito de então, Célio Marques Fernandes.... e Xavier apareceu no palco num traje de mergulhador. O discurso que ele preparou falava em CHUVA a toda hora. Era pra lembrar que aquela fora uma feira com muita chuva....

De uma outra feita, Edgardo Xavier montou um palco como se fosse um tribunal do júri, porque o Advogado do Diabo fora o livro mais vendido naquele ano.

A festa quando foi apresentado esta peça foi na churrascaria Boi na Brasa, na Ramiro Barcellos.

O Brasileirão

QUANDO É MELHOR PERDER

Por Luiz Oscar Matzenbacher

Se o Internacional tivesse vencido o jogo contra o Santos, mesmo com o time misto, teria entrado novamente na disputa efetiva do título do Brasilerão/2010. Mas isso ainda é prioridade para um clube que por ser o bicampeão da América/2010 vai disputar o Mundial de Clubes da FIFA em dezembro e já está classificado para a Libertadores/2011?
Pois, dentro de 60 dias começa o Mundial de Clubes da FIFA, exatamente uma semana depois do último jogo do Brasileirão. E a CBF continua sendo a madrasta de sempre. O Internacional foi punido, por sua ousadia de vencer a Libertadores da América, em ter que jogar quatro jogos do Brasileirão em 10 dias apenas, além de ceder jogadores para as seleções da Argentina e do Brasil, sem que a CBF tenha respeitado as chamadas datas-FIFA, marcando jogos da Seleção no mesmo dia do Brasileirão.
O Brasileirão vale o prejuízo de chegar extenuado ao Mundial de Clubes da FIFA? Devem estar perguntando jogadores, diretoria e o técnico do Internacional.
Luiz Oscar Matzenbacher

RECEBO DO LETIER VIVIAN,DE SÃO BORJA!

Show

Olides vi a resposta da Neuzinha sobre o Janguinho ter nascido na Inglaterra... acho que ela não gostou... hehehehe...

 


Pesquisas 2º turno


Luiz Coronel na 4ª edição do Porto Poesia



O poeta Luiz Coronel integra o elenco dos poetas convidados por Cristina Macedo para participar da programação da 4ª edição do Porto Poesia. Seu recital ocorre no próximo dia 16 de outubro, sábado, às 19h, na Sala Museu, do Centro Cultural Erico Verissimo.
A atividade será conduzida pela professora e contista Cristina Macedo e terá como objetivo apresentar cada uma das múltiplas faces da obra do poeta, sua poesia amorosa, social, infantil e regional. Cada participante receberá um livro do autor oferecido pela Editora Mecenas.
O Porto Poesia é um dos maiores eventos de poesia do Brasil e acontece no Centro Cultural CEEE Erico Veríssimo, de 11 a 17 de outubro com entrada franca.

Taciane Corrêa

Tarso e Beltrame garantem intercâmbio entre órgãos de segurança do RS e do RJ


MARCOS BENJAMIN (DIVULGAÇÃO SESEG/RJ)


O governador eleito do Rio grande do Sul, Tarso Genro esteve no Rio de Janeiro, na última quarta-feira, dia 13/10.

Tarso e Beltrame garantem intercâmbio entre órgãos de segurança do RS e do RJ

Uma reunião de trabalho muito produtiva. Foi assim que o governador eleito do Rio Grande do Sul e o secretário de Segurança do Rio de Janeiro, que também é gaúcho, resumiram o encontro ocorrido nesta quarta-feira (13) na capital fluminense. José Mariano Beltrame apresentou a Tarso Genro o sistema de gestão da Secretaria e as metas estabelecidas pelo Governo para diminuição dos índices de criminalidade no Estado. "Os resultados são altamente positivos já que, atualmente, o Rio de Janeiro registra os melhores resultados dos últimos 20 anos na área de segurança pública. Mostra o êxito na aplicação das políticas públicas previstas no Pronasci (Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania)", ressaltou Tarso.

Também ficou definido que a partir de janeiro os órgãos que atuam na segurança dos dois estados irão estabelecer uma forte integração para troca de experiências nas áreas de policiamento, policiamento comunitário, investigação, inteligência, entre outras. "Este intercâmbio, a troca de experiências, servirá para fortalecer e integrar as nossas corporações", garantiu o governador eleito.

Policiais gaúchos já são convidados para coordenar treinamentos em outros Estados. Nos Jogos Pan-americanos de 2007 no Rio, diversos gaúchos participaram do aparato de segurança. Por outro lado, os representantes do Rio de Janeiro podem colaborar na organização das Polícias Comunitárias em solo gaúcho.

Atualmente, existem 12 Unidades de Polícia Pacificadora distribuídas na capital fluminense. Com ações preventivas e a permanência nas comunidades, as UPPs se transformaram em referências para as populações que antes eram dominadas pelo crime organizado.

Ainda nesta quarta-feira, Tarso também participou de um seminário organizado pela OAB no Rio de Janeiro (http://www.oab-rj.org.br/index.jsp?conteudo=13576). Nesta quinta, em Brasília, o governador participa de uma reunião com a coordenação de campanha da ex-ministra Dilma Rousseff.

Tarso Genro - Assessoria de Imprensa

www.tarso13.com.br
twitter.com/tarso13

SEXO, MENTIRAS e GARGALAHADAS


Um “Stand Up Comedy” de personagens que é um verdadeiro show de humor

. Com um desfile de seis engraçadíssimos personagens, interpretado pelos atores Pablo Capalonga, Paulo Adriane e Claudio Benevenga, autor e diretor dos conhecidos sucessos, “Como Emagrecer Fazendo Sexo...” e “Como Agarrar um Marido antes dos 40” .


Durante setenta minutos os três atores se revezam em tipos cômicos que transitam pelo universo do sexo, como a apresentadora de televisão e sexóloga Shana, o nerd Rogério com suas dicas e investidas no mundo virtual, a surpreendente idosa Isolina na sua radical mudança de estilo de vida, o ingênuo garoto de programa Joselito em sua busca pelo estrelato nos palcos da noite, a fogosa mulata e madrinha de bateria Rosimar e suas aventuras pelo mundo e o aspirante a cantor Stevenson do Cavaco no lançamento de seu primeiro CD.
Com suas divertidas histórias e mentiras, estes carismáticos tipos, garantem muita diversão e muitas gargalhadas, num espetáculo totalmente leve, inovador e muito divertido, que tem no encerramento um grande número musical feito ao vivo pelos três atores, com música, coreografias, gelo seco e efeitos especiais de iluminação.

Assista os vídeos da peça no youtube pelos links abaixo:
http://www.youtube.com/watch?v=sJ2RwJ_GHFA&feature=player_embedded
http://www.youtube.com/watch?v=telJy362ZTI&feature=player_embedded


Serviço
O que? Sexo, Mentiras e Gargalhadas
Quando? Dias 09 a 31/10/2010. Sexta e sábado às 21h e Domingo às 20h
Onde? Teatro Renascença (Erico Veríssimo,307)
Quanto? R$ 25,00(inteira) com 50% de desconto para estudantes e idosos e 40% de desconto para professores associados do SINPRORS (mediante apresentação de carteirinha)

Ficha Técnica
Textos:
Claudio Benevenga, Pablo Capalonga e Paulo Adriane

Direção:
Claudio Benevenga

Elenco:
Paulo Adriane
Pablo Capalonga
Claudio Benevenga

Ator standin:
Henri Iunes

Iluminação:
Anilton Souza

Trilha Sonora:
Jorge Foques

Cenotécnico:
Hélio Pequelin

Coreografia:
Paulo Adriane

Cenário e Figurinos:
Claudio Benevenga

Projeto Gráfico:
Dian Paiani

Fotos:
Henri Iunes e Bárbara Ferraz

Produção Executiva:
Claudio Benevenga e Denizeli Cardoso


Morreu uma das autoras

do HINO DA LEGALIDADE


Um discreto comunicado publicado pela ZH,de ontem, comunica a morte de Lara de Lemos, uma das autoras do HINO DA LEGALIDADE!


O movimento de resistência contra a posse de Jango Goulart na presidência da república em agosto de 1961, conhecido por LEGALIDADE - quem deu o nome é discussão acadêmica que se trava até hoje - teve até um hino, conhecido por HINO DA LEGALIDADE.

sEUS AUTORES FORAM O ATOR PAULO CESAR PEREIO E A ATRIZ E JORNALISTA LARA DE LEMOS, que faleceu no Rio de Janeiro,onde residia. Sua morte aconteceu no último dia 12/10.

A seguir a letra do Hino da Legalidade:


AVANTE BRASILEIROS,DE PÉ
UNIDOS PELA LIBERDADE
MARCHEMOS TODOS JUNTOS COM A BANDEIRA


QUE PREGA A IGUALDADE

PROTESTA CONTRA O TIRANO

RECUSA A TRAIÇÃO

QUE UM POVO SÓ É BEM GRANDE

SE FOR LIVRE SUA NAÇÃO.


a LEGALIDADE é considerada por alguns historiadores o maior acontecimento de Porto Alegre no século passado. Outros acham que foi a enchente de 1941.


A morte de Lara de Lemos


O HINO DA LEGALIDADE


ERA SEMPRE tocado e abria as transmissões que eram feitas desde o porão do Palácio Piratini através da rádio Guaíba, que Leonel Brizola requisitou.

Brizola convoca a resistência ao golpe. Discurso no rádio. Porto Alegre (1961)

21/08/1961


Em resposta ao veto dos ministros militares à posse de João Goulart na Presidência da República, o governador do Rio Grande do Sul, Leonel Brizola, convoca os gaúchos e os brasileiros a defenderem a Constituição. Entricheira-se no Palácio Piratini, mobiliza a Brigada Militar e, através da “Cadeia da Legalidade”, formada por dezenas de emissoras de rádio, convoca o país a resistir ao golpe. A firme atitude Brizola divide as Forças Armadas, com a adesão do poderoso III Exército, sediado no Sul e comandado pelo general Machado Lopes, à tese do respeito à Constituição. O discurso abaixo foi transmitido no dia 28 de agosto de 1961.

O DISCURSSO
“Peço a vossa atenção para as comunicações que vou fazer. Muita atenção. Atenção, povo de Porto Alegre! Atenção Rio Grande do Sul! Atenção Brasil! Atenção meus patrícios, democratas e independentes, atenção para estas minhas palavras!

Em primeiro lugar, nenhuma escola deve funcionar em Porto Alegre. Fechem todas as escolas. Se alguma estiver aberta, fechem e mandem as crianças para junto de seus pais. Tudo em ordem. Tudo em calma. Tudo com serenidade e frieza. Mas mandem as crianças para casa.

Quanto ao trabalho, é uma iniciativa que cada um deve tomar, de acordo com o que julgar conveniente. Quanto às repartições públicas estaduais, nada há de anormal. Os serviços públicos terão o seu início normal, e os funcionários devem comparecer como habitualmente, muito embora o Estado tolerará qualquer falta que, porventura, se verificar no dia de hoje.

Hoje, nesta minha alocução, tenho os fatos mais graves a revelar. O Palácio Piratini, meus patrícios, está aqui transformado em uma cidadela, que há de ser heróica, uma cidadela da liberdade, dos direitos humanos, uma cidadela da civilização, da ordem jurídica, uma cidadela contra a violência, contra o absolutismo, contra os atos dos senhores, dos prepotentes. No Palácio Piratini, além da minha família e de alguns servidores civis e militares do meu gabinete, há um número bastante apreciável, mas apenas daqueles que nós julgamos indispensáveis ao funcionamento dos serviços da sede do Governo. Mas todos os que aqui se encontram estão de livre e espontânea vontade, como também grande número de amigos que aqui passou a noite conosco e retirou-se, hoje, por nossa imposição.

Aqui se encontram os contingentes que julgamos necessários, da gloriosa Brigada Militar - o Regimento Bento Gonçalves e outras forças. Reunimos aqui o armamento de que dispúnhamos. Não é muito, mas também não é pouco para aqui ficarmos preocupados frente aos acontecimentos. Queria que os meus patrícios do Rio Grande e toda a população de Porto Alegre, todos os meus conterrâneos do Brasil, todos os soldados da minha terra querida pudessem ver com seus olhos o espetáculo que se oferece.

Aqui nos encontramos e falamos por esta estação de rádio, que foi requisitada para o serviço de comunicação, a fim de manter a população informada e, com isso, auxiliar a paz e a manutenção da ordem. Falamos aqui do serviço de imprensa. Estamos rodeados por jornalistas, que teimam, também, em não se retirar, pedindo armas e elementos necessários para que cada um tenha oportunidade de ser também um voluntário, em defesa da legalidade.

Esta é a situação! Fatos os mais sérios quero levar ao conhecimento dos meus patrícios de todo o País, da América Latina e de todo o mundo. Primeiro: ao me sentar aqui, vindo diretamente da residência, onde me encontrava com minha família, acabava de receber a comunicação de que o ilustre General Machado Lopes, soldado do qual tenho a melhor impressão, me solicitou audiência para um entendimento. Já transmiti, aqui mesmo, antes de iniciar minha palestra, que logo a seguir receberei S. Ex.a com muito prazer, porque a discussão e o exame dos problemas é o meio que os homens civilizados utilizam para solucionar os problemas e as crises. Mas pode ser que essa palestra não signifique uma simples visita de amigo. Que essa palestra não seja uma aliança entre o poder militar e o poder civil, para a defesa da ordem constitucional, do direito e da paz como se impõe neste momento, como defesa do povo, dos que trabalham e dos que produzem, dos estudantes e dos professores, dos juízes e dos agricultores, da família. Todos, até as nossas crianças desejam que o poder militar e o poder civil se identifiquem nesta hora para vivermos na legalidade. Pode significar, também, uma comunicação ao Governo do Estado da sua deposição. Quero vos dizer que será possível que eu não tenha oportunidade de falar-vos mais, que eu nem deste serviço possa me dirigir mais, comunicando esclarecimentos à população. Porque é natural que, se ocorrer a eventualidade do ultimato, ocorrerão, também, conseqüências muito sérias. Porque nós não nos submeteremos a nenhum golpe, a nenhuma resolução arbitrária. Não pretendemos nos submeter. Que nos esmaguem! Que nos destruam! Que nos chacinem, neste Palácio! Chacinado estará o Brasil com a imposição de uma ditadura contra a vontade de seu povo. Esta rádio será silenciada tanto aqui como nos transmissores. O certo porém é que não será silenciada sem balas. Tanto aqui como nos transmissores estamos guardados por fortes contingentes da Brigada Militar.


Assim, meus amigos, meus conterrâneos e patrícios ficarão sabendo por que esta rádio silenciou. Foi porque ela foi atingida pela destruição e porque isso ocorreu contra a nossa vontade. E quero vos dizer por que penso que chegamos a viver horas decisivas.

Muita atenção, meus conterrâneos, para esta comunicação. Ontem à noite o Sr. Ministro da Guerra, Marechal Odílio Denys, soldado no fim de sua carreira, com mais de 70 anos de idade, e que está adotando decisões das mais graves, as mais desatinadas, declarou através do "Repórter Esso" que não concorda com a posse do Sr. João Goulart, que não concorda que o Presidente constitucional do Brasil exerça suas funções legais! Porque, diz ele numa argumentação pueril e inaceitável, isso significa uma opção entre comunismo ou não. Isso é pueril, meus conterrâneos! Isso é pueril, meus patrícios! Não nos encontramos nesse dilema. Que vão essas ou aquelas doutrinas para onde quiserem. Não nos encontramos entre uma submissão à União Soviética ou aos Estados Unidos. Tenho uma posição inequívoca sobre isto. Mas tenho aquilo que falta a muitos anticomunistas exaltados deste País, que é a coragem de dizer que os Estados Unidos da América, protegendo seus monopólios e trustes, vão espoliando e explorando esta Nação sofrida e miserabilizada. Penso com independência. Não penso ao lado dos russos ou dos americanos. Penso pelo Brasil e pela República. Queremos um Brasil forte e independente. Não um Brasil escravo dos militaristas e dos trustes e monopólios norte-americanos. Nada temos com os russos. Mas nada temos também com os americanos, que espoliam e mantêm nossa Pátria na pobreza, no analfabetismo e na miséria.

Esses que muito elogiam a estratégia norte-americana querem submeter nosso povo a esse processo de esmagamento. Mas isso foi dito pelo Ministro da Guerra. Isso quer dizer que S. Ex.a tomará todas as medidas contra o Rio Grande. Estou informado de que todos os aeroportos do Brasil, onde pousam aviões internacionais de grande porte, estão guarnecidos e com ordem de prender o Sr. João Goulart no momento da descida. Há pouco falei, pelo telefone, com o Sr. João Goulart, em Paris, e disse a ele que todas as nossas palestras de ontem foram censuradas. Tenho provas. Censuradas nos seus efeitos, mas a rigor. A companhia norte-americana dos telefones deve ter gravado e transmitido os termos de nossas conversas para essas forças de segurança. Hoje eu disse ao Sr. João Goulart: "Decides de acordo com o que julgares conveniente. Ou deves voar, como eu aconselho, para Brasília, ou para um ponto qualquer da América Latina. A decisão é tua! Deves vir diretamente a Brasília, correr o risco e pagar para ver. Vem. Toma um dos teus filhos nos braços. Desce sem revólver na cintura, como um homem civilizado. Vem como para um País culto e politizado como é o Brasil e não como se viesse para uma republiqueta, onde dominam os caudilhos, as oligarquias que se consideram todo-poderosas. Voa para o Uruguai, então, essa cidadela da liberdade, aqui pertinho de nós, e aqui traça os teus planos, como julgares conveniente".

Vejam, meus conterrâneos, se não é loucura a decisão do Ministro da Guerra. Vejam, soldados do Brasil, soldados do III Exército! Comandante, General Machado Lopes! Oficiais, sargentos e praças do III Exército, guardiães da ordem da nossa Pátria. Vejam se não é loucura. Esse homem está doente! Esse homem está sofrendo de arteriosclerose ou outra coisa. A atitude do Marechal Odílio Denys é uma atitude contra o sentimento da Nação. Contra os estudantes e intelectuais, contra o povo, contra os trabalhadores, contra os professores, juízes, contra a Igreja. Ainda há pouco, conversando com S. Exa Rev.ma., Arcebispo D. Vicente Scherer, recebi a comunicação de que todos os cardeais do Brasil haviam decidido lançar proclamação pela paz, pela ordem legal, pela posse a quem constitucionalmente cabe governar o Brasil, pelo voto legítimo de seu povo. Essa proclamação está em curso pelo País. As Igrejas protestantes, todas as seitas religiosas clamam por paz, pela ordem legal. Não é a ordem do cemitério ou a ordem dos bandidos. Queremos ordem civilizada, ordem jurídica, a ordem do respeito humano. É isso.

Vejam se não é desatino. Vejam se não é loucura o que vão fazer. Podem nos esmagar, num dado momento. Jogarão o País no caos. Ninguém os respeitará. Ninguém terá confiança nessa autoridade que será imposta, delegada de uma ditadura. Ninguém impedirá que este País, por todos os seus meios, se levante lutando pelo poder. Nas cidades do interior surgirão as guerrilhas para defesa da honra e da dignidade, contra o que um louco e desatinado está querendo impor à família brasileira. Mas confio, ainda, que um homem como o General Machado Lopes, que é soldado, um homem que vive de seus deveres, como centenas, milhares de oficiais do Exército, como esta sargentada humilde, sabe que isso é uma loucura e um desatino e que cumpre salvar nossa Pátria. Tenho motivos para vos falar desta forma, vivendo a emoção deste momento, que talvez seja, para mim, a última oportunidade de me dirigir aos meus conterrâneos. Não aceitarei qualquer imposição.

Desde ontem organizamos um serviço de captação de notícias por todo o território nacional. É uma rede de radioamadores, num serviço organizado. Passamos a captar, aqui, as mensagens trocadas, mesmo em código e por teletipos, entre o III Exército e o Ministério da Guerra. As mais graves revelações quero vos transmitir. Ontem, por exemplo - vou ler rapidamente, porque talvez isso provoque a destruição desta rádio -, o Ministro da Guerra considerava que a preservação da ordem "só interessa ao Governador Brizola". Então, o Exército é agente da desordem, soldados do Brasil?! É outra prova da loucura! Diz o texto: "É necessário a firmeza do III Exército para que não cresça a força do inimigo potencial".

Eu sou inimigo, meus conterrâneos?! Estou sendo considerado inimigo, meus patrícios, quando só o que queremos é ordem e paz. Assim como esta, uma série de outras rádios foi captada até no Estado do Paraná, e aqui as recebemos por telefone, de toda a parte. Mais de cem pessoas telefonaram e confirmaram. Vejam o que diz o General Orlando Geisel, de ordem do Marechal Odílio Denys, ao III Exército: "Deve o Comandante do III Exército impedir a ação que vem desenvolvendo o Governador Brizola"; "deve promover o deslocamento de tropas e outras medidas que tratam de restituir o respeito ao Exército"; "o III Exército deve agir com a máxima urgência e presteza"; "faça convergir contra Porto Alegre toda a tropa do Rio Grande do Sul que julgar conveniente"; "a Aeronáutica deve realizar o bombardeio, se for necessário"; "está a caminho do Rio Grande uma força-tarefa da Marinha de Guerra", e "mande dizer qual o reforço de que precisa". Diz mais o General Geisel: "Insisto que a gravidade da situação nacional decorre, ainda, da situação do Rio Grande do Sul, por não terem, ainda, sido cumpridas as ordens enviadas para coibir ação do Governador Brizola".

Era isto, meus conterrâneos. Estamos aqui prestes a sofrer a destruição. Devem convergir sobre nós forças militares para nos destruir, segundo determinação do Ministro da Guerra. Mas tenho confiança no cumprimento do dever dos soldados, oficiais e sargentos, especialmente do General Machado Lopes, que, esperamos, não decepcionará a opinião gaúcha. Assuma, aqui, o papel histórico que lhe cabe. Imponha ordem neste País. Que não se intimide ante os atos de banditismo e vandalismo, ante esse crime contra a população civil, contra as autoridades. É uma loucura.

Povo de Porto Alegre, meus amigos do Rio Grande do Sul! Não desejo sacrificar ninguém, mas venham para a frente deste Palácio, numa demonstração de protesto contra essa loucura e esse desatino. Venham, e se eles quiserem cometer essa chacina, retirem-se, mas eu não me retirarei e aqui ficarei até o fim. Poderei ser esmagado. Poderei ser destruído. Poderei ser morto. Eu, a minha esposa e muitos amigos civis e militares do Rio Grande do Sul. Não importa. Ficará o nosso protesto, lavando a honra desta Nação. Aqui resistiremos até o fim. A morte é melhor do que vida sem honra, sem dignidade e sem glória. Aqui ficaremos até o fim. Podem atirar. Que decolem os jatos! Que atirem os armamentos que tiverem comprado à custa da fome e do sacrifício do povo! Joguem essas armas contra este povo. Já fomos dominados pelos trustes e monopólios norte-americanos. Estaremos aqui para morrer, se necessário. Um dia, nossos filhos e irmãos farão a independência do nosso povo!

Um abraço, meu povo querido! Se não puder falar mais, será porque não me foi possível! Todos sabem o que estou fazendo! Adeus, meu Rio Grande querido! Pode ser este, realmente, o nosso adeus! Mas aqui estaremos para cumprir o nosso dever.”

legalidade

MEMORIA DA IMPRENSA


DEPOIMENTO DE LARA DE LEMOS( UMA DAS AUTORAS DO HINO DA LEGALIDADE) PARA O LIVRO SOBRE O JORNAL ULTIMA HORA, DADO EM 1999.


" EU ERA muito tímida naquela época , eu era de uma timidez quase doentia, eu acho. Numa ocasião a GILDA MARINHO,não pode fazer uma cobertura de um baile de carnaval, e drags queens, travestis, sei lá o que era , lá na PRAIA DE BELAS , UM NEGOCIO ASSIM.

quiseram me mandar eu fiquei super preocupada." Eu não posso" ,embora fosse uma hora em que as crianças já estivessem dormindo e tudo.

Aí, eu fui.

Eu também lecionava em colégios, o nível secundário e superior e eu encontrei um aluno meu, que me olhou espantadissimo. Eu não tive coragem de entrar. Fui embora e a partir daí, eu fui procurar um analista pra ver porque não tive coragem de entrar. Mas a cobrança era tão grande, tão grande, não só por conta dos familiares. Quando fui fazer análise, se eu te contar isso,, isso é cômico, quando eu fui fazer análise, pela primeira vez, eu contei a história do baile eu contei para o analista, ele se chamava Knijnik e eu o chamava de Nijisnki, porque o Nijinski tinha fraturado a cabeça e tinha ficado esquizofrênico.

Como eu projetava ele na minha própria esquizofrenia, na minha própria possibilidade de me dividir, eu chamava ele de Nijinski. Levei tempos chamando o homem assim.

Nas primeiras sessões ele não dizia nada e eu só mostrava uma grande ansiedade,,uma grande insegurança e tal. quando eu coloquei esta história do baile, da ULTIMA HORA, que eu tinha que fazer a cobertura de um baile, com drag queens, etc etc e que eu encontrei com um aluno, a reação, dele, eu acho - e já achei na ocasião - foi terrível pra um analista.

Ele disse-me assim:
- Eu acho que a senhora está muito errada, porque a senhora é casada com um homem importante,professora, e com filhos e tudo e vai prum bailes desses.
Ele ficou apavorado, como um pequeno burguês,qualquer,entende?

E aí eu disse pra ele, mas se eu quisesse essa opinião eu ia a um padre, não precisava ter vindo aqui. Coitados dos meninos( dos redatores daquela cobertura dobaile inconclusa) Eles cumpriram do jeito deles, mas eles disseram que eu fiz muita falta. Eles não sabiam o que era um paetê,um veludo, um não sei o quê, as cores das fazendas, aqueles coisas que mulher é que sabe...

Eu sei que abandonei.

Abandonei mesmo e me fui embora.

Abandonei mesmo fugi da reportagem.

E a partir daí passei a fazer análise.

Mas essa análise foi um fracasso. Eu tentei duas vezes análise em Porto Alegre e aconteceram duas coisas gozadas.

Essa então achei incrível: um padre teria dito a mesma coisa que eu fiz muito mal, que não estava certo.

Isto é uma visão moralista da coisa, e não uma visão técnica e profissional, uma visão moralista. E a própria visão em cima de uma mulher que trabalhava era uma visão moralista".

Neoliberais de centro-esquerda

MALES MENORES

Por Luiz Oscar Matzenbacher

Imagino os blogs do baixo clero político e dos caçadores de petistas, depois da melhora do termômetro do Serra nas pesquisas. Vão tripudiar hoje nos petistas ou nos tucanos paulistas, lançando dejetos para todos os lados. Mas vale a pena se incomodar tanto com uma campanha política cheia de tantas baixarias, quando os dois candidatos são de tendência de centro-esquerda moderada e neoliberais na economia, na prática? Pois creio que dos males, a Dilma e o Serra, se é que são males, são os menores.



Pós eleição


PDT realizou em sua sede de Porto Alegre( que na verdade é estadual, ) encontro ontem, quarta, entre o presidente Romildo Bolzan Jr e os prefeitos. Antes teve um papo com os deputados que se elegeram...


*Há quem já sinta saudades do Giovani Cherini, que se muda pra Brasília, aqui na Assembléia gaúcha....Diz que é um dos deputados mais tratável. Igual a ele, só o Pompeo de Mattos. Costumam ouvir os assessores.

*Já o Vieira da Cunha é diferente, mas também quando entra num assunto, vai fundo.


*Surpreendeu a todos, embora ninguém diga por razões obvias a queda da votação do deputado ADROALDO LOUREIRO....Mas teve que concorrer em S. Borja, por exemplo, com dois candidatos fortes do PDT, Juliana Brizola e Cristhopher Goulart....

 

O PSOL lambe as feridas, num artigo publicado no Correinho nesta semana!


Clique na imagem para aumentar

FORA DO DIÁLOGO NÃO HÁ SALVAÇÃO

Por Carlos Chagas

Vale um exercício de cartografia. Tome-se o mapa do Brasil, dividido em estados, mais um lápis amarelo. Vamos pintar dessa cor Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Minas, com direito a fazer o mesmo com Mato Grosso do Sul e Goiás. São esses os estados onde os governadores eleitos no primeiro turno pertencem ao PSDB, ao DEM ou a grupos afins.
É um pedação de terra, mais um monte de gente e uma infinidade de recursos. Na hipótese da vitória de Dilma Rousseff nas eleições presidenciais, dia 31, Brasília ficaria isolada, envolta em território politicamente hostil.
Fazer o quê? Guerra de conquista em cima desses estados importantes não dá. Mobilização das forças populares visando depor as autoridades constituídas? Quem garantiria ?
Só restará para a nova presidente da República, no caso dela ser eleita, a opção do diálogo. A aproximação com os eleitoralmente contrários, no Congresso e na administração.

PROGRAMAS, ENFIM?
Anuncia-se para esta semana a divulgação, senão de planos de governo, ao menos da lista de principais objetivos de cada candidato presidencial. Singularmente, Serra e Dilma programaram iniciativas idênticas, evidência de que estavam mesmo devendo explicações à opinião pública. Espera-se algo mais do que simples referências a “educação”, “saúde”, “segurança” e outras propostas.

AUSÊNCIA DE MENSAGEM
O tema é complicado, de parte a parte, mas já tarda a aproximação. Fala-se dos dois candidatos presidenciais e das forças armadas. Já era tempo de um diálogo informal, incapaz de ser levado exclusivamente por quem vier a ocupar o ministério da Defesa no futuro governo, de Serra ou de Dilma. Não houve acordo entre os então oito candidatos do primeiro turno e os clubes Militar, da Marinha e da Aeronáutica, para um debate entre todos. Nem está havendo agora, apesar de a limitação em apenas dois favorecer todo mundo.
Não será por conta de sua resistência à ditadura que Dilma ou Serra deveriam sentir-se desobrigados de ouvir e ser ouvidos pelos militares. Afinal, nos idos de 1964, uma tinha 18 anos e outro, 21. Sem esquecer que os generais de hoje eram cadetes naquela época, sem nenhuma participação no que aconteceu.

 

PESQUISA SOBRE TRAVESTIS DE BUENOS AIRES QUEBRA MITOS


De Buenos Aires
Gelson Farias

Para muitos homossexuais, ainda é difícil estabelecer uma amizade profunda com heterossexuais principalmente por conta de visões distintas sobre a sexualidade. Para outros, entretanto, isso não é algo que marque uma diferença. E para você?

“É revoltante vemos que há milhares de webcartões para casais de homem e mulher e praticamente nada para nós homossexuais. Mas, em vez de só reclamarmos, da estruturação completa três anos dessa iniciativa. E assim faremos até que todos os amores e desejos sejam reconhecidos”,
diz Priscila Fantinni, vice-presidente da entidade sobre pesquisa realizada em Buenos Aires a esse respeito.

Priscila Fantinni (foto)

Um dos mais importantes levantamentos que a estruturação já realizou foi a Pesquisa Transgêneros Profissionais do Sexo que trabalham em espaços públicos em Buenos Aires. Pela primeira vez, se pôde conhecer mais sobre um dos segmentos LGBTs que mais sofrem com a violência. O estudo foi todo ele financiado pela secretaria de Saúde do governo federal Argentino.
Foram entrevistadas 69 travestis e transexuais. O nome transgênico foi utilizado porque o movimento LGBT pretendia usar esse termo para abolir a expressão “travesti”. A proposta era abrigar travestis e transexuais sobre esse termo maior, mas, nos anos seguintes, essa tentativa foi abandonada. Para eles, a denominação ‘ransgênero’ é aplicada especificamente para pessoas que não pertencem a nenhum gênero especificamente. Travestis e transexuais estão no mesmo nível, tratam de identidades. O estudo quebrou muitos mitos e evidenciou cenários preocupantes de violação de direitos. Veja alguns dados:
- 48% das entrevistadas foram aceitas sem nenhum conflito pela família e 7% foram expulsas de casa.
- 41% moram sozinhas.
- Nenhuma tinha curso superior incompleto ou completo
- O medo da discriminação na escola ou ter sofrido discriminação na escola foi o segundo motivo mais alegado para deixar de estudar (30%). O mais citado foi a necessidade de trabalhar.
- 48% já se prostituíram no exterior.
- 29% tinham sido levadas para a delegacia mais de três vezes nos semestre anterior à pesquisa.
- 86% tinham sofrido alguma violência por conta da identidade delas nos semestre anterior à pesquisa.

Alta prevalência de HIV, Hepatite na comunidade de travestis

A expectativa de vida é 40 anos. Mostrar que existe uma prevalência de até 40% das infecções sexualmente transmissíveis.
BUENOS AIRES-Uma investigação que levou os médicos e especialistas das associações civis na Capital Federal alertou que as pessoas com identidade de gênero diferente do sexo biológico (travestis, transexuais e transgêneros) dominam a Aids e sífilis, como os males de maior destaque .
Foi o primeiro levantamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), que teve como objetivo incluir este setor da sociedade que, na maioria dos casos não têm acesso à saúde.
Um artigo publicado pelo jornal La Nación disse, no entanto, através de um programa latino-americano que foi implementado no ano passado no Hospital Ramos Mejía, foi capaz de aumentar 10 vezes a consultas e tratamentos, a expectativa de vida como dos travestis é de apenas 40 anos.
"Com essa estratégia mostrou que, em pouco tempo, você pode construir uma ponte entre o sistema de saúde e essa parte da sociedade, apesar dos preconceitos, a moral ou a maneira de olhar para o sexo", disse Marcelo Losso, imunocomprometidos Chefe do hospital. Preocupar-se dados No primeiro levantamento sanitário envolvido Buenos Aires AIDS Foundation (FBAS), a Associação de Travestis, Transexuais e Transgêneros Argentina (ATTTA), uma equipe de médicos e enfermeiros do centro de saúde. No trabalho, que duraram quatro anos, analisou as condições de saniarias 4.118 pacientes. Desse total, 105 foram transgêneros e 100% deles eram travestis, que prestou serviços sexuais.

Os estudos indicaram que a prevalência de infecção por Aids para sífilis e outras doenças sexualmente transmissíveis (hepatite B, herpes genital, úlceras e verrugas genitais causadas pelo vírus do papiloma humano) excederam os números dos demais pacientes. Se as travestis, a presença do HIV alcançou 27,5%, 6,2% ao contrário do grupo de transexuais não. Na Argentina, a prevalência desta doença entre mulheres profissionais do sexo não exceda 4,5%. Entretanto, a sífilis surgiu em 42% dos atendidos. Outro fato que os pesquisadores foi que nenhum dos pacientes usuários de drogas injetáveis estudados, confirmando que contratou através do mal sexual. Apesar disso, o percentual de uso correto do preservativo foi baixo em ambos os travestis (13,5%) e transgêneros não-pacientes (18%).

"Isso demonstra uma falta de educação e acesso à informação, mas também são um indicador de marginalidade em que vive este sector da população Este é um problema de saúde muito graves:. Você pode olhar para o outro e fazer conta não existe ou não fazer algo a respeito ", refletiu.


Travestir argentinos fazendo o dever de casa no centro de Buenos Aires


Quanto ao Programa de Prevenção e Diagnóstico Precoce do HIV e DST na população Trans Cidade de Buenos Aires, que foi desenvolvido em 2008, disse que a perda foi favorável, porque 10 multiplicado pelo número de consultas e testes.

"Infelizmente, os dados foram obtidos no estudo foram mantidas. Isto significa que não apenas confirmou a prevalência anterior, mas são 10 vezes mais pessoas com testes positivos", disse ele.


Presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad

A Estruturação- LGBTs lança, nesta quarta feira, uma coletiva de imprensa marcada às 12h30, para falar sobre o assunto. A Estruturação reunirá um abaixo-assinado digital, e impetrará uma denúncia junto ao Conselho de Direitos Humano Argentino solicitando um parecer do órgão sobre o assunto.
“Ao mesmo tempo, a página estará no ar colhendo assinaturas e informando a população do passo a passo da semana. Voluntários estarão buscando assinaturas nas ruas da Capital Federal de Buenos Aires, no Facebook e Twitter estarão ativos recebendo adeptos”, adverte o presidente da ONG, Juliana Du Prá.
O presidente da ONG Argentina, disse que na semana passada, mais uma vez, o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, figura polêmica no que diz respeito a direitos humanos, declarou que em seu país não existem homossexuais, que nunca houve Holocausto e que pretende “varrer Israel do mapa”. Além disso, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, afirmou recentemente que o Irã representa um risco para o mundo por causa de seu programa nuclear e deve ser responsabilizado.
O ato terminará na sexta-feira, com a entrega para a Presidência da República Cristina Kirchner de um relatório confeccionado pelos representantes do movimento com toda a mobilização social feita e com a assinatura dos membros da ONG.


O travesti mais famoso da Argentina vai se casar de vestido branco, o que dirá a Igreja Católica?

Numa sociedade em que beijo na boca no horário nobre é coisa comum (aqui ), nada mais normal que um travesti se casando de branco, por que não? Ela é Florencia de la V, o travesti mais famoso da Argentina. Há dez anos namora o dentista Pablo Goycochea. Ontem, ela anunciou no horário nobre da televisão que no dia 1 de novembro vão se casar. Quer usar vestido branco, como corresponde. "Se eu sempre quis casar com vestido branco, por que não posso casar de vestido branco?"

O interessante será saber o que a Igreja Católica dirá agora. Florencia é uma das artistas mais populares da Argentina.


Membros do movimento


Como se sabe, a Argentina se tornou o primeiro país da América Latina a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A decisão veio do Senado, após os senadores aprovarem a lei que reconhece a união homossexual. A iniciativa, impulsionada pelo governo da presidente Cristina Kirchner, foi aprovada por 33 votos a favor, 27 contra e três abstenções. Os dias que antecederam a votação foram cercados de muita tensão em Buenos Aires, capital do país. Manifestantes favoráveis e contrários à medida fizeram pressão em frente ao Congresso. Em um país de maioria católica, havia dúvidas se a proposta realmente passaria o que acabou acontecendo nesta quinta-feira.
Para o líder do governo no Senado, Miguel Pichetto, a aprovação representa uma vitória dos direitos humanos na Argentina.
-


Passeata dos homossexuais no dia da aprovação da lei pelo senado

A senadora Lucía Corpacci, do FPV, afirmou que, apesar das tensões geradas pela mudança, a aprovação era uma questão de igualdade de direitos. “Toda mudança sempre gera tensão. Os gays não são anormais, e por isso têm os mesmos direitos que qualquer outro cidadão argentino, entre eles, o direito ao matrimônio”.

O senador de oposição Gerardo Morales destacou que a sociedade argentina mudou, dizendo que o projeto teve como objetivo garantir os direitos das minorias. Já a senadora Sonia Escudero, do PJ, justificou sua oposição à lei dizendo que.
"O impacto do casamento gay sobre as eventuais crianças adotadas não tinha sido analisado. Não houve estudo sobre o impacto do casamento homossexual sobre as crianças. Não é correto dizer que o matrimônio entre pessoas do mesmo sexo tem o mesmo efeito que o matrimônio entre heterossexuais. A relação entre um homem e uma mulher é fértil. A relação entre homossexuais é estéril“.

Pela nova lei, a nomenclatura para casais não será mais de “marido e mulher”, mas sim de “parceiros de casamento”. Além disso, casais do mesmo sexo terão os mesmos direitos legais dos heterossexuais em relação à adoção, à família e à previdência social.
No mundo, a Argentina é a 10ª nação a aprovar o casamento gay. Holanda, Bélgica, Espanha, Canadá, África do Sul, Noruega, Suécia, Portugal e Islândia são as outras em que a união entre homossexuais já é aceita.



AUTODOOR: Artistas apóiam o casamento gay em Buenos Aires.


passeatas do fundamentalistas religiosos contra a lei


Nem mesmo o ódio causado pelos fundamentalistas religiosos, foi capaz de impedir que a Argentina chegasse ao infelizmente ainda pequeno grupo das nações que respeitam o direito de todos os seus filhos, independente de sexo, cor ou religião. Que neste ano de eleições no Brasil este dia histórico na Argentina, sirva de exemplo, para que só votemos em pessoas realmente compromissadas com as causas LGBT.

A VIDA COMO ELA É

De Buenos Aires
Gelson Farias

Estamos no mês de eleição ao segundo turno e, portanto, é hora de prestarmos atenção para que o nosso voto não seja motivo de mais mazelas sociais causadas por más administrações. Sabemos, no entanto, que manter-nos informados quanto ao que realmente acontece em nossa sociedade não é tarefa fácil, uma vez que boa parte da grande mídia está a serviço do capital e de partidos políticos – geralmente conservadores.
As campanhas eleitorais das duas principais candidaturas já estão claramente colocadas. O mapa calculado para o momento em que o nome de Dilma foi consagrado apresenta Touro no Ascendente e o regente da carta, Vênus, numa excelente situação na casa 10, em Peixes (signo de exaltação de Vênus) e em conjunção com Júpiter. O mapa do lançamento informal de Serra como candidato da coligação PSDB-DEM apresenta o Ascendente no início de Câncer e em oposição a Plutão.


Nós adquirimos nossos genes na concepção. O ambiente do útero determina os genes que serão expressos e os que serão silenciados, definindo já no útero ao que estamos expostos tanto físicos como psicologicamente. Sabemos que as substâncias químicas, drogas, álcool e outros atravessam a barreira da placenta e entram no sangue do bebê. Sabemos que as doses toleradas pela mãe são overdoses para o feto, cujo fígado imaturo não consegue desintoxicar o sangue.
À medida que o feto está se desenvolvendo dentro do útero, são amplas e profundas tendências, tais como uma sensação de segurança e auto-estima. A partir dessas tendências, personalidades específicas são desenvolvidas na infância mais tarde. Por exemplo, um bebê pode nascer ansioso e com medo. Mais tarde, essa ansiedade pode gerar a timidez. Ou um bebê pode nascer saudável e descontraído. Uma personalidade otimista e confiante pode ser desenvolvida a partir disso.

Memórias de Chumbo

Ficha da Dilma no DOPS
"Eu não fujo quando a situação fica difícil. Eu não tenho medo da luta... Não participei de ação armada e sequer fui julgada por isso"
Dilma Rouseff

Minhas lembranças

do ATACAMA


Deserto do Atacama


A IMPRENSA MUNDIAL ESTÁ FALANDO NESTE momento do deserto de Atacama, que é onde está situada a mina que soterrou os 33 mineiros,agora,felizmente,resgatados....

Conheci e cruzei este deserto em abril de 1988, numa excursão que na época foi apelidade de EXCUSÃO marcopolo, PELO COLEGA josé Barrionuevo do Correio do Povo.

Iamos em busca de subsídios para uma ligação transcontinental, ou seja, de Rio Grande, porto, a Antofagasta, também porto no norte do Chile.

A Cruza ,ou cruze, como os castelhanos chamam, do deserto de atacama, o fizemos durante uma manhã,apenas. Quando saímos dele - as paisagens são muito bonitas, mas inóspitas, porque não vestígios de vida - damos em São Pedro de Atacama, no norte do chile, que é uma cidade procurada por malucos e exóticos do mundo inteiro e também por abonados de grana. Ali, de noite, o frio é de zero graus e durante o dia tem-se que tirar o casaco, de tanto calor que faz.

Nesta excursão Marcopolo, como foi denominada pejorativamente, aconteceram algumas cenas hilárias, por suposto.

Quando cruzávamos numa camionete, e víamos do lado da rodovia, de chão batido, alguns cadáveres de animais, dentro do veículo - era uma camionete Chevrolet, com seis ocupantes - o humor negro vinha à tona. Os comentários eram tipo;
- AQUELES SÃO OS RESTOS MORTAIS DOS ULTIMOS QUE SE AVENTURARAM A PASSAR POR AQUI!

QUANDO chegamos na fronteira da Argentina com o Chile, tivemos que enfrentar a alfandega chilena, muito rigorosa, Revirou tudo na nossa bagagem e encontrou uns salamitos que o engenheiro Newton Pereira, o MINIEIRO, levava escondido porque se houve algum incidente e não chegássemos, ele teria o que comer. Os policiais da alfandega lhe retiraram os salamitos, que ele havia comprado no mercado de Salta, norte da Argentina,porque no Chile é proibido o ingresso de qualquer produto animal pra evitar propagação de doenças.

Esquecemos não sei mais o quê e tivemos que voltar pro posto da alfandega. Encontramos 10 minutos depois os policiais atracados nos salamitos do MINEIRO, pra gaúdio nosso.

A gozação encima do colega foi enorme....


Esposa de mineiro não quer ir ao resgate porque amante confirmou presença


Por Redação Yahoo! Brasil



Nos momentos de tragédia algumas verdades emergem, como um triângulo amoroso revelado graças ao acidente na mina San José, no norte do Chile. Marta Salinas, esposa do mineiro Yonny Barrios, disse que não vai ao resgate do marido. Casada há 28 anos com o chileno, descobriu que ele tinha "outra" no acampamento em Copiapó. Susana Valenzuela, amante de Yonny, chorava pelo mesmo homem soterrado há 700 metros abaixo delas.
Assista ao resgate ao vivo (No Yahoo! News)
De acordo com matéria publicada no jornal argentino Clarín, a esposa disse ao marido: "Ou ela, ou eu". "Estou contente porque ele se salvou, é um milagre de Deus, mas não vou ver o resgate. Ele me pediu, mas também convidou a outra senhora e eu tenho decência", contou a esposa traída. Marta ainda afirmou que nem pela televisão vai acompanhar a saída do mineiro. Dizem que o marido, ou futuro ex-marido, estava receoso em sair da mina.

 


De São Borja


O cantor Israel Lucero, que ganhou o programa Idolos, da Record, apresentou-se na última segunda,dia 11/10 no cais do porto de São Borja. A Brigada Militar calculu a multidão em 30 mil pessoas. Foi a primeira vez que ele se apresentou na cidade natal,depois de virar uma celebridade nacional....

As fotos foram enviadas pelo Letier Vivian


De São Borja

Os participantes da campanha da agora já eleita deputada estadual(PDT) Juliana Brizola capricharam e fizeram um " santinho" de agradecimento aos amigos que votaram na sua candidata.

Surpreende no santinho a grande votação que Juliana fez na capital...


Meméia no muro?


Ana Amélia Lemos


Igual a um já conhecido senador do Rio Grande - que quando era governador reclamava que até o café doce ou sem açúcar cabia a ele escolher - Ana Amélia Lemos, eleita pelo PP parece que já subiu no muro: ontem não foi ao encontro do presidenciável José Serra. Mandou o suplente....

Mas assim tão cedo????

João Batista Burzlaff receberá homenagem

A Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou, na sessão desta quarta-feira (13/10), projeto de autoria do vereador Mário Manfro (PSDB) que concede o Diploma de Honra ao Mérito ao Doutor em Odontologia João Batista Burzlaff.

Vítor Bley de Moraes (reg. prof. 5495)


Coleguinhas

foto do blog de Regina Lemos

Regina Lemos


Ontem foi dia de lutao na salinha JCTerlera. Não,calma, não morreu ninguém, mas estamos todos tristes. A Regina Lemos que alegrou e nos trouxe tanta confusão durante alguns meses tomou o avião no domingo e retornou a Sampa.

Qualquer hora destas ela pinta de novo nos pampas.... Regina que conheço há trinta anos, é a pessoa mais rebelde que conheço: não se pode dizer nada pra ela, que ela se rebela....


Memória da feira do
livro de Porto Alegre


Ernani da Costa Nerva, sem óculos,da Companhia Editora Nacional, na primeira feira do livro de Porto Alegre, em 1955 na praça da Alfandega.


Maurício Rosemblat, líder dos livreiros....


Edgardo Xavier, que foi um dos primeiros livreiros - no caso dele era da livraria Leonardo Da Vinci,especializada em livros franceses , a participar da feira de Porto Alegre contou-me muitas passagens pitorescas das primeiras feiras do livro de porto alegre, principalmente do seu lado amador,quando a feira do livro era uma verdadeira quermesse.

Mas ele disse que havia uma rixa, uma disputa muito grande entre o livreiro da Companhia Editora Nacional, Ernani da Costa Nerva e Maurício Rosemblat, então na Livraria do Globo. Enquanto Maurício era um intelectual, que usava a feira como veículo para divulgar a cultura, o livro, Nerva queria era vender livro.

Xavier no entanto dava razão a Nerva porque segundo ele a feira do livro provoca muitos encargos,despesas para os livreiros.Mesmo sendo um homem de espírito prático, que estimulava a venda de livros para cobrir os custos, Nerva, no entender de Xavier, era um homem sensível. Ele teve uma experiência com o livreiro da CEN:

- Uma das minhas filhas, Marie Anne, se perdeu durante uma das feiras. E o Nerva foi um dos primeiros que saiu a procura dela. A encontrou lendo ,sentada,dentro da barraca das Irmas Paulinas, recordou o português, que aos 88 anos, ainda tem muita memória sobre as primeiras feiras do livro da capital.

Ele explica o espírito de vendedor do Nerva, como um dom que o livreiro tinha pras vendas:

- Se fosse hoje, ele colocaria os livros do Vargas Lhosa na frente das barracas porque o escritor ganhou o Nebel de Literatura e vai ter seus livros muito procurados na próxima feira, ensina o velho livreiro, hoje aposentado e lutando contra problemas de saúde.

Banheiros do térreo da Assembléia

estragam de novo

Estão novamente estragados os banheiros masculinos do térreo da Assembléia Legislativa. Ontem, um membro da segurança fez a foto e a encaminhou pro respectivo setor pra que tomem providências....


Celito De Grandi reconstitui o Caso Kliemann

O jornalista e escritor Celito De Grandi debruçou-se durante meses sobre documentos, promoveu entrevistas e obteve o testemunho inédito das filhas do casal Euclydes e Margit Kliemann. Com isso, conseguiu reconstituir, com novas revelações, a fantástica história que abalou o Rio Grande do Sul na década de 60.

Esta minuciosa reportagem transformou-se no livro 'Caso Kliemann: a história de uma tragédia', coeditado pela Literalis em parceria com a Edunisc, de Santa Cruz do Sul. O lançamento será no dia 20 de outubro, no Vestíbulo Nobre da Assembleia Legislativa, em Porto Alegre.

A tragédia da família Kliemann assemelha-se a uma obra de ficção. A realidade contempla ingredientes essenciais de um romance dramático, com conflitos políticos, paixões segredadas, um casal jovem, rico e poderoso, um casaco de vison, a mítica 'Dama de Vermelho', uma cartomante, violência, duas mortes, um mistério e o comovente desfecho, com três meninas órfãs.

A história da família e do casal Euclydes e Margit Kliemann sempre fascinou Celito, na época jovem repórter do Diário de Notícias. O professor de pós-graduação em Comunicação Social da Pucrs, Antonio Hohlfeldt, faz no posfácio uma detalhada análise do papel da Imprensa no episódio. "De tudo, podemos e devemos, pois, agradecer ao jornalista Celito De Grandi por sua iniciativa, predisposição e perseverança em retomar este caso. Teoricamente, do ponto de vista da polícia, um caso sem solução. De Grandi sugere que a solução existia e que se tivesse havido outro contexto político-partidário, quem sabe as autoridades teriam chegado a bom termo quanto à descoberta e solução do crime. Mas, mais que isso, Celito De Grandi, distanciando-se declaradamente da tendência sensacionalista e escandalosa daquele tipo de cobertura que o caso teve na época, abre novas abordagens, sobretudo a partir do momento em que humaniza os acontecimentos, trazendo a palavra e os sentimentos daquelas que foram suas principais e maiores vítimas ao longo do tempo, as filhas", escreve.

O deputado Euclydes Kliemann foi assassinado por um adversário político nas dependências da rádio Santa Cruz do Sul, daquela cidade. O tiro foi transmitido ao vivo. Já o mistério da autoria da morte de sua mulher, Margit, ocorrido um ano antes, mantém-se até hoje.

O quê: lançamento do livro 'Caso Kliemann: a história de uma tragédia', de Celito De Grandi, com 256 páginas
Quando: 20 de outubro, quarta-feira, às 19h
Onde: Vestíbulo Nobre da Assembleia Legislativa, em Porto Alegre
Quanto: o preço de capa do livro é R$ 39, mas a entrada é franca, e toda a categoria está convidada
Informações: 51-3029-6390 e 9803-4420, com
Simone Lersch

Fonte:

Visita de Serra
ao Estado!


A duplicação da travessia sobre ao rio Guaíba( mais uma ponte) e a construção de um metrô em Porto Alegre foram duas propostas que Serra fez no Everest Hotel,caso seja eleito presidente da República no próximo dia 31, numa entrevista muito tumultuada.


Quando chegou ao hotel,vindo diretamente de uma visita que fez ao ex-ministro do STF, Paulo Brossard, Serra foi pro oitava andar, onde teve reunião com os coordeandores de sua campanha no Estado, entre os quais Darcísio Perondi,Osmar Terra, Berfran Rosado,entre outros.

Depois foi para o auditório do hotel, no andar terreo, onde foi recepcionado por grupos de apoio a sua candidatura,entre os quais vários vereadores da Capital, que foram liderados por Sebastião Mello(PMDB) que não conseguiu se eleger deputado estadual no último pleito.

Serra , que chegou por volta das 14 horas ao Everest, localizado no centro de Porto Alegre, na rua Duque de Caxias,saiu por volta das 16 horas e foi a pé até a Rua da Praia.

Depois voou para o Sul do Estado, Rio Grande e Pelotas, onde no primeiro turno a candidata do PT, Dilma Rousseff fez cerca de 380 mil votos a mais que ele.

 


Coleguinhas

Haroldo na Jusitça

contra Guaíba!

Haroldo "Magrão" de Souza entrou na Justiça contra a rádio Guaíba na última sexta-feira por quebra de contrato.Éque ele tinha vários assinados- com a tv, com o correio do povo e com a própria rádio, mas alguns foram cortados, com rebaixamento de salário.

Haroldo voltou a " namorar" com a Band AM! Se vai dar casamento, não se sabe.

 


Coleguinhas


Na Band AM os colegas não sabem o que houve com Adão Oliveira. Mas ele está fora da emissora....


Segundo turno


O deputado estadual Márcio Biolchi(PMDB) abriu o voto ontem: vai de Serra.


Minha filha


Parece que foi ontem,mas minha filha maior completou ontem 34 anos. Concebida num parque no bairro de Casuarinas, um bairro classe média alta de Lima, no Peru, ela só veio para o Brasil, num avião da Varig, que vinha de Tóquio poucos dias antes de nascer. E por isto em Lima, no Peru, não queriam deixar que sua mãe embarcasse. Foi quase um parto convencer a Varig, de Lima, que autorizasse o embarque da mãe....É que pelas leis internacionais da navegação aérea quem nasce dentro de um avião tem direito a viajar pelo resto da vida, de graça , por todo o mundo.

Com a mãe grávida, barriguda e com poucos recursos, íamos seguido a agência da Varig, no centro de Lima, atrás da passagem que viera do Brasil e que teríamos que usar em seguida, antes que a guria nascesse.

Ela se chamaria Renata,desde sempre....

Hoje, a minha filha, formada em Jornalismo, mora no Rio, já é mãe e ao que parece saiu uma boa mãe....Pelos emails que me manda,tenho esta impressão.

Assim é a vida. Quando a gente aprendeu um pouco, já está na hora de partir para outra etapa....

Otelo e a Prisioneira do Castelo


Teatro – Divulgação

O Centro Cênico do Castelinho Cultural do Alto da Bronze composto pelo Grupo Teatral Agenda, Grupo Companhia A Hora do Anjo e C.E.I.- Centro de Experimentações Ilimitadas apresentam nos dias 5, 6, 7, 12, 13 e 14 de Novembro (sexta, sábados e domingos) em duas sessões a peça teatral:
OTELO E A PRISIONEIRA DO CASTELO.


O cenário usado é o próprio Castelinho do Alto da Bronze - que fica na Rua Vasco Alves com Fernando Machado, e atualmente se constitui como mais um centro Cultural da Cidade. Suas pedras abrigam oficinas de escultura, desenho, pintura, caleidoscópios, literatura e teatro. Famoso em porto alegre por ser construído por Carlos Eurico, um aficionado por Castelos que deixou no imaginário coletivo de Porto Alegre uma história de ciúme e cárcere privado. O texto costura e faz uma releitura do espólio do imaginário popular sobre a prisioneira do Castelo do Alto da Bronze. Mistura passagens da obra de Willian Shakespeare Otelo e De Nietzsche. O público vai circular pelo espaço histórico do Castelinho.
A Bela e alva Nilza Desdêmona vive com o negro mouro Carlos Otelo uma relação intensa e dramática. Carlos Otelo desconfia fortemente da fidelidade e dos sentimentos de Nilza Desdêmona. Entre o ciúme e as alucinações de Carlos Otelo um sentimento de ternura persiste. O masculino e o feminino passeiam nos espaços do Castelinho do Alto da Bronze.
Dramaturgia: Lisete Bertotto.
Direção: Celso Veluza
Atuação: Érica Soares e Paulo Rodriguez
Fotografia e Filmagem: Cristinne Crisguer
Produção e Realização: Grupo Teatral Agenda, Companhia Hora do Anjo e C.E.I - Centro de Experimentações Ilimitadas

SERVIÇO:
O que? Otelo e a Prisioneira do Castelo
Quando? 5, 6, 7, 12, 13 e 14 de Novembro em duas sessões, uma às 19h e outra às 21h
Onde? Castelinho do Alto da Bronze
Endereço: Rua Vasco Alves, 432. Centro. Porto Alegre
Quanto? R$ 20,00
Maiores informações, ingressos antecipados e agendamento de grupos para apresentações especiais em horários alternativos entrar em contato com:
Érica: 9255.4246 ou kikabcs@bol.com.brPaulo: 9398.7009 ou paulo_rodriguez1000@yahoo.com.br
Lisete: 9816.2355 e 3085.2143 ou lisebclise@gmail.com
Somente 15 pessoas por apresentação, sem acesso a cadeirantes.
Se necessário, solicite fotos em alta resolução com celso.veluza@gmail.com

 

Coleguinhas

O Serginho me ligou fulo da vida com o presidente chileno, na terça de noite passada....Mas o que o homem ia fazer, no deserto de Atacama, a não ser faturar a soltura dos mineiros daquelas covas....


*Tudo virou um grande espetáculo, né...Hoje em dia, mais do que nunca, somos a aldeia global, como a gente estudava nos distantes anos 70 e 80( do século passado)


*O serpentário não é mais o mesmo....Os veinhos tão todos bonzinhos, não falam mais mal do Governo, do salário. Perdeu a graça frequentá-lo.


*Estarei,hoje, quinta, no Diversidade, da Ulbra TV...Minha participação é breve, mas o importante é a sequência de programas.

*Paulo Teixeira, o empresário da Carhouse, vinha da churrascaria Brasileiro, na madrugada de segunda passada, dia 11/10. E o acompanhante decidiu ir junto dele...Estava com o filho. No caminho encontrou a morte. Ninguém foge ao destino, por mais que se tente, às vezes....

MELANCIA DE BEIRA DE ESTRADA

Por Carlos Chagas

Tempo ainda há. Coragem, talvez não. O resultado pode ser desastroso não só para os dois candidatos que disputam o segundo turno, mas para todo o processo eleitoral. Houvesse menos desconfiança entre Dilma Rousseff e José Serra e eles já estariam decidindo, hoje, de comum acordo, interromper a lamentável segunda temporada dos debates televisivos. Porque quem tem razão, no caso, é o Tiririca: pior não fica.

Qualquer que seja o modelo, de candidato perguntando para candidato, de jornalista questionando candidato ou de locutor dando palpite descabido – a verdade é que os debates faliram. Exauriram-se sem haver, na presente sucessão, prestado o serviço de anos anteriores, de esclarecer o eleitorado. Basta registrar a pequena audiência do debate da noite passada, na TV-Bandeirantes, como de resto a audiência ínfima dos múltiplos debates realizados no primeiro turno por todas as redes. Um amontoado de chavões. A repetição monótona de respostas para perguntas que não foram feitas. A sucessão de ilusões sobre o passado e de promessas para o futuro.

Falta coragem para os candidatos enfrentarem as grandes emissoras televisivas, demonstrando que elas precisam muito mais deles do que eles, delas, e partirem para cuidar da vida e da eleição de verdade, nestas três semanas que faltam. Torna-se essencial dispensar os estúdios enlatados, o faturamento abusivo dos intervalos comerciais, os rapapés na entrada e na saída, a obrigação de permanecer passivo diante das telinhas, tudo empurrado goela a dentro do eleitor, sem a mínima participação dele a não ser no simples ato de desligar os aparelhos.

Melhores resultados alcançariam Serra e Dilma caso dedicados a comícios, visitas a municípios longínquos, carreatas, diálogo e contacto direto com o público, obrigando o cidadão comum a participar. É falsa a impressão de que assistindo debates, com supostas audiências iguais às das novelas, os eleitores definiriam seus votos. No recôndito de sua casa, de bermudas e chinelos, sem ter feito o menor esforço para ver e ouvir candidatos, o eleitor comum sente-se um rei para desligar o aparelho, ou deixa-lo ligado, sem áudio. É a história da melancia de beira de estrada, que o caminhoneiro despreza, preferindo a fruta do galho mais alto, suculenta mas a exigir esforço de quem a cobiça...

MOVIMENTAÇÃO
Rebelião não há, porque no PMDB o mais bobo de seus dirigentes dá nó em pingo d’água. Movimenta-se, porém, a cúpula do maior partido nacional, sinalizando para o PT e para Dilma Rousseff: repousa em mãos do PMDB a chave para o sucesso ou o malogro da candidatura da companheira. Claro que jamais confirmarão ou tornarão público o raciocínio com cheiro de ameaça já formulado junto a quem de direito, no PT. A participação maciça, nos estados, dos governadores, senadores e deputados peemedebistas eleitos no primeiro turno constituirá penhor de vitória para a companheira, mas um certo distanciamento pode ser desastroso.

Sendo assim, os dois lados fizeram as contas e concluíram que, por via das dúvidas, melhor seria Dilma prestigiar logo o PMDB. Discutir o número de ministérios dados ao partido no caso de vitória ficaria para depois. É claro que o partido ainda presidido pelo vice de Dilma, o deputado Michel Temer, já começa a selecionar seus alvos.


DEUS E O DIABO NA CAMPANHA ELEITORAL

Por Carlos Chagas

Antes de entrar na política partidária Fernando Henrique Cardoso ostentava o título de livre pensador, junto com o diploma de sociólogo. Não hesitava, nas aulas e nas conferências que ministrava, em negar a existência de Deus. Depois, as circunstâncias levaram-no a reformular o pensamento. Candidato à presidência da República, com o Lula ainda liderando as pesquisas, entrevistei-o na saudosa Rede Manchete, perguntando em dado momento se acreditava em Deus. Em vez de responder diretamente, tirou a carteira do bolso do paletó e mostrou um santinho com a imagem de São Judas Tadeu, por sinal o padroeiro dos desesperados. Respondia assim, sem responder, porque fica evidente que quem venera um santo submete-se ao chefe de todos os santos, no caso, Deus. .
Essa história se conta a propósito da necessidade que tem todos os candidatos (e candidatas) ao palácio do Planalto de transmitir ao eleitorado a crença inconteste na existência de um Ser Superior. É muito mais produtivo, eleitoralmente, porque a negativa subtrairia alguns milhares de votos.
No debate de domingo entre os dois presidenciáveis, José Serra evitou perguntar a Dilma Rousseff se ela acreditava em Deus, certamente por já saber a resposta óbvia. Preferiu lembrar que no passado, quando guerrilheira, a adversária deixou depoimentos contestando a existência do Padre Eterno e dizendo-se agnóstica, para depois desferir o golpe: “agora você se apresenta como beata...”
Dilma fez que não entendeu a maldade e um dia depois foi à Basílica de Nossa Senhora Aparecida assistir missa e, garantem dirigentes do PT, rezar pela salvação da alma, jamais pela eleição do concorrente.
A gente fica pensando até onde irão as baixarias dessa campanha, porque a candidata também não hesita em manejar o punhal sempre que Serra lhe dá as costas. Chegou a acusá-lo de defender a entrega da Petrobrás às multinacionais, afirmação descabida quando se sabe que ele não retornou ao ministério do Planejamento, depois da malograda campanha para prefeito de São Paulo, precisamente por se opor às privatizações efetivadas por Fernando Henrique Cardoso.
Só falta mesmo, no próximo debate, Dilma indagar de Serra se ele trás o Capeta no coração e Serra perguntar a Dilma se o Belzebu votará nela...

O PMDB COM O VENCEDOR
Na hipótese da eleição de Dilma Rousseff parece definido o quadro parlamentar para o início do novo governo: o PT ficará com a presidência da Câmara, o PMDB com a presidência do Senado, umbelicalmente ligados os dois partidos. Provavelmente Cândido Vacareza e José Sarney comandarão as duas casas.
E se o vencedor for José Serra? Quinze minutos depois estará desfeita a aliança entre o PMDB e o PT. O bloco majoritário no Congresso será formado pelo PSDB e o PMDB, queiram ou não os Democratas. Os peemedebistas oferecerão a presidência da Câmara aos tucanos e, no Senado formarão a base de apoio ao palácio do Planalto. Se alguém duvida, é só esperar.

 


Recebo do escritor Carlos Augusto Bisson


Caros irmãos

O fato de o aborto ter ocupado tanto espaço em nossa imprensa e na campanha eleitoral reforçou em mim aquilo que todos nós, brasileiros, sabemos: o Brasil é um país profundamente religioso. E, mais do que isso, católico. Sendo assim, me convenci de que o que precisamos é de um presidente que seja, acima de tudo, fervoroso católico. Somente um governante católico poderia defender os dois valores mais importantes: o direito à vida, que é inalienável, e as nossas criancinhas, que são o futuro do Brasil. E, ao ver José Serra comungando na Basílica de Aparecida, ao constatar que sua mulher, Mônica, estava tão tomada de êxtase cristão que lágrimas corriam-lhe pelas faces, eu próprio, compungido, concluí: Ecce hommo! Ou, mais brasileiramente, esse é o cara !
Porém, como Pedro naqueles instantes anteriores à sua negação de Jesus, somente uma dúvida atormenta meu coração, no momento em que mal contenho minha vontade de ir ao encontro do candidato tucano em Porto Alegre, como outrora os 12 apóstolos, de acordo com o livro santo, acorreriam ao chamado do nosso Salvador.
Minha dúvida é:
Será que Serra, eleito presidente e sendo profundamente católico, vai fazer com nossas criancinhas o que os padres têm feito com os menininhos deles ?

Visita de Serra


Assanha a "Direita" gaúcha!


José Serra


Por incrível que possa parecer, a visita do ex-exilado José Serra assanhou a " direita" gaúcha, como nunca antes neste país !

Estas são as voltas que a vida e as coligações (políticas), no caso de um segundo turno dão.

Junto ao candidato do PSDB a presidência da República neste segundo turno, pode-se ver o ex-governador Jair Soares( do PP, mas que foi governador pelo PDS) João Antônio Dib( prefeito nomeado pela Arena a Porto Alegre) e hoje vereador do PP, Otávio Germano( que foi vice-governador de Amaral de Souza, ) e depois disputou a prévia pra concorrer em 1982,entre muitos outros próceres do PP, como o vereador de Porto Alegre João Carlos Nedel(PP)

No Everest Hotel, onde foi realizado o encontro do candidato a presidente José Serra, também acorreram muitos políticos do PMDB. Um dos que mais deu as cartas foi o deputado federal Darcísio Perondi(PMDB) reeleito deputado federal. Outro foi Omar Terra, também reeleito com grande votação,que junto com Perondi é um dos coordenadores da campanha de Serra no Rio Grande do Sul.

BRIGA DE CACHORRO
GRANDE!!!!


O Alexandre Garcia e a Marlene Galleazi, vocês conhecem bem. Pelos menos sabem da existência deles. O Alexandre é hoje uma das estrela da TV Globo e a Marlene que é de Cotiporã,é a grande colunista social de Brasília. Depois e estrear na Manchete em 1974, ela foi para o Estadão e para a Veja. Hoje é a colunista mais lida e mais temida em Brasília por causa das suas notas, escritas no Jornal de Brasília.
Pois bem,os dois são muito amigos. Só que dias atrás,o Alexandre escreveu para o livro “No Planalto com a Imprensa” lançado pela Presidência da Republica, dando sua versão, de como foi demitido pelo Figueiredo,depois de ter pousado para a revista Ele -Ela, quase pelado e contando as histórias de seus romances...
A Marlene que pautou a matéria para a revista da Bloch, que fez a produção das fotos e escreveu o apimentado texto,ficou puta da cara. É que o Alexandre deu a entender no seu texto, que foi ele quem deu a sugestão da matéria,do texto e da produção das fotos.
Eu não quero puxar brasa para nenhum dos lados. Eu já estava de volta à redação da Manchete no Rio e participei de perto de todo o esquema. Acho que o Alexandre pisou na bola. A versão da Marlene é a mais real. Mas tudo bem. A Marlene depois de ler o que o Alexandre escreveu,mandou brasa na coluna de seu jornal neste domingo e está prometendo no seu blog,dar mais detalhes apimentados dos fatos. Para quem quiser saber, o blog da Marlene é: www.clicabrasilia.com.br. Mas para um aperitivo,vai aqui o que ela escreveu no seu jornal, na edição deste domingo:

NÃO DÁ PARA ESQUECER I

Daí a César o que é de César e a Marlene o que é dela.
Alexandre Garcia,do alto do seu poder global,que me perdoe. Nada contra ele,meu conterrâneo e com que tenho bom relacionamento,mas a sua memória precisa ser revisada. Refiro-me ao trecho da entrevista dada por ele e publicada no livro “No Planalto com a Imprensa” sobre a polêmica entrevista “O Porta-Voz da Abertura”,feita por mim e publicada na Revista Ele-Ela hà 30 anos atrás, o que motivou sua demissão.

NÃO DÁ PARA ESQUECER II

O tempo passou,mas minha memória,herança familiar, é muito boa. Sobre isso até se comenta na região italiana do Rio Grande do Sul( leia-se Cotiporã,Nova Prata e Veranópolis) que quem tem “memória de Galeazzi não esquece nada.” Ao ler o tal trecho no livro que recentemente foi lançado no Palácio do com a presença do presidente Lula,levei um susto com o que estava escrito. No melhor estilo “sonho de uma noite de verão”,Alexandre afirma que a revista Ele-Ela ao ver uma entrevista dada por ele à Playboy,” pediu uma entrevista maior,uma entrevista de fundo”.


NÃO DÁ PARA ESQUECER III

A história não foi bem contada pelo ex-porta voz de Figueiredo. Ou pelos anos que se passaram,ou pela confusão,motivada pelas muitas entrevistas que ele vem dando em sua vida. Quem pediu a entrevista fui eu,no dia em que ao chegar de matéria no Alto Xingú,encontrei o Alexandre almoçando com dona Sarah Kubitschek,no restaurante da sucursal da revista Manchete em Brasília. Época em que se discutia a construção do Memorial JK. No meio do almoço Alexandre me contou que deu uma entrevista à revista Playboy falando sobre sexo e outras coisas não muito comuns naquela época. Matéria que,confesso,nunca vi e sobre a qual nem sei se foi publicada.

NÃO DÁ PARA ESQUECER IV

Como repórter antenada que era,deixei a mesa do almoço,fui para a redação e liguei para o Lincoln Martins,editor da Ele-Ela,que ficava no Rio de Janeiro,contando o fato. Ele consultou o Sergio Ross,na época um dos coordenadores de Jornalismo do Grupo Bloch, e autorizou-me a tentar fazer a matéria dizendo o seguinte:“faça com o Frederico Mendes(fotógrafo).Se sair na Playboy, a gente esquece,se não sair, a gente publica”. Não saiu na Playboy e a gente publicou.

NÃO DÁ PARA ESQUECER V

Lembrando os 30 anos desta matéria que marcou minha vida profissional e com inúmeras versões, na semana que vem contarei todos os detalhes no meu blog do portal Clica Brasília:www.clicabrasilia.com.br/site/blogs/marlene/.

Sergio Ross

Meu nome é Jorge


Livro

Uma história de abandono, sofrimento e superação, quando se ressuscita antes de morrer

O gaúcho Jorge Luis Martins conta sua impressionante trajetória em Meu nome é Jorge (Libretos), seu livro de estreia. Desde o primeiro berço em uma caixa de sapatos a uma sobrevivência digna, Jorge narra a árdua construção de um projeto de vida. Expõe seus caminhos, especialmente os atribulados anos da infância, como menino de rua, até as reflexões de um homem maduro sobre a própria existência.

O autor cresceu num cenário perfeito para mergulhar no universo das drogas e dos crimes. Entretanto, sua personalidade e visão de mundo foram cruciais para transpor as inúmeras adversidades enfrentadas já a partir da primeira infância.

A obra tem edição de textos de Antonio Falcetta, capa de Marco Nedeff e design gráfico de Clô Barcellos e nos apresenta uma história sobre força de vontade, o papel da família e a conquista de uma vida cidadã. O escritor Tailor Diniz, que assina a orelha, observa: Singular virtude deste livro é, ainda, a disposição do autor de não esconder o passado. Jorge mostra-o em toda a sua dimensão e contribui com isso para que, a exemplo dele, possamos também enfrentar os duros percalços da vida, tornando o mundo melhor, mais solidário e mais humano.

O lançamento acontece no dia 19 de outubro, terça, às 19h, no Mezanino do Poeta, na Casa de Cultura Mario Quintana. Haverá uma participação da ONG Canta Brasil com a apresentação artística de crianças e jovens das comunidades atuantes. E ainda, a banda de rock gaúcho Jasmins do Paraíso fará um show acústico.

Jorge Luis Martins
Nasceu em 12 de agosto de 1957 em Novo Hamburgo/RS. Fez Administração da FARGS, cursou Teatro no TEPA 2000. Concluiu o Curso para Atores para Televisão e Cinema da Casa de Talentos, no Rio de Janeiro. Como ator, participou de diversos programas de tevê (Série Especial de Natal, da RBS), em novelas (O Segredo e Laços de Família) e em filmes (Em teu nome, Clô Dias e Noites, O homem que copiava). É microempresário do ramo de locação de veículos e de imóveis.

Meu nome é Jorge
Jorge Luis Martins
Edição de textos de Antonio Falcetta
Libretos, 2010
140 págs., 21cm. 2010
ISBN 978-85-88412-42-2
R$32,00

Serviço
Lançamento com sessão de autógrafos do livro Meu nome é Jorge, de Jorge Luis Martins.
Participação da ONG Canta Brasil com a apresentação artística de crianças e jovens e show acústico da banda de rock gaúcho Jasmins do Paraíso.
Dia 19 de outubro (terça), às 19h
Casa de Cultura Mario Quintana Mezanino do Poeta Rua dos Andradas, 736
Assessoria de Imprensa:
Simone Lersch

Cow Parade

O Marcelo Ribeiro agora está no Jornal do Comércio. Encontrei ele domingo, com seu jeitão soft, caminhando na Protásio, indo procurar uma vaquinha pra fotografar. Eis aí algumas fotos pros leitores.


salve!

achei que tinha um outro mail seu mas o endereço estava perdido.
Mando essas imagens pelo contato e acho que vais receber sem problemas.
A primeira tá na cara né... rodoviária da nossa bela cidade. A seguinte também não é segredo; esquina democrática. A terceira é na Praça Júlio de Castilhos, aquela no cruzamento da Ramiro com Independência, frente a um bradesco.

Tenho outras, mas creio que para ilustração do teu blog são o suficiente.
Peço que confirme o recebimento das imagens, esse hotmail que uso é meio canalha... sabe como é né?
Abraço

Marcelo G. Ribeiro

AgendaTarso Genro - governador eleito

14/10/10 - quinta-feira

19h00 – Plenária de Ato de Campanha da Campanha Dilma no 2° Turno – Porto Alegre
Local: Centro de Eventos do Hotel Plaza São Rafael
End. Av. Alberto Bins, 509
Responsável: Pestana

20h00 – Encontro com Evangélicos
Local: Hotel Plaza São Rafael – Sala Cambará
End. Av. Alberto Bins, 509

MP-SP investiga Record e SBT por exploração de imagens de menores e deficientes

Da Redação

Os programas "Domingo Espetacular", da Record, e "Domingo Legal", do SBT, serão investigados pelo Ministério Público de São Paulo, que recebeu denúncias de exploração indevida da imagem de menores de idade e de portadores de deficiência nas atrações dominicais.

As denúncias citam os casos de Jocélia, cearense de 9 anos afetada por uma doença que causa envelhecimento precoce, e de Elisany, jovem portadora de um distúrbio que a fez atingir 2,06 metros aos 14 anos.

Para o procurador regional dos Direitos do Cidadão, Jefferson Aparecido Dias, as emissoras estão cometendo uma irregularidade ao expor as garotas sem a devida autorização. "Mesmo com a presença e consentimento dos pais, é necessário que um juiz autorize a exposição de uma criança dessa forma".

Nos próximos dias, o MP deverá notificar as emissoras cobrando explicações. Após isso, o órgão emitirá um terno de ajuste de conduta.

A Record e o SBT ainda não foram notificados, de acordo com suas assessorias, as emissoras só devem se pronunciar depois que receberem a notificação.

As informações são da Folha de S.Paulo
Fonte: Comunique-se.


Tarso vai ao Rio para conferir aplicação do Pronasci



Dois anos depois de começar a aplicar as políticas de segurança previstas no Pronasci, o Rio de Janeiro já registra os menores índices de criminalidade dos últimos 20 anos. O destaque é a consolidação das Unidades de Polícia Pacificadora que estabelecem o policiamento comunitário em localidades que antes eram conhecidas pelos conflitos diários e pela dominação de traficantes e milicianos.

Criador do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania, quando era ministro da Justiça, Tarso estará na capital fluminense nesta quarta-feira (13) para uma reunião com o secretário de segurança, José Mariano Beltrame. O objetivo do governador eleito do Rio Grande do Sul é conferir os dados e buscar mais subsídios para aplicação do Pronasci aqui no Estado.

A reunião está marcada para às 15 horas na Secretaria de Segunça do Rio de Janeiro.

Pela manhã do dia 13, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil no Rio, Tarso acompanha a palestra do juíz espanhol Baltasar Galzón. O ato faz parte da campanha da OAB-RJ em apoio à abertura dos arquivos da ditadura militar no Brasil.

Reportagem do site www.oab-rj.org.br



Juiz que decidiu por prisão de Pinochet visita Seccional

Da redação da Tribuna do Advogado

A OAB/RJ vai receber para uma palestra, no próximo dia 13, às 10h, o juiz espanhol Baltasar Garzón, conhecido por suas decisões em favor das vítimas de regimes totalitários. Sua sentença de maior destaque foi a que determinou a prisão do ditador chileno Augusto Pinochet. Garzón também presidiu investigações sobre a prática de genocídio na Argentina, de que foram vítimas também cidadãos espanhóis, quando aquele país vivia sob o regime militar.

A visita tem como contexto a Campanha pela Memória e pela Verdade, lançada pela Seccional em apoio à abertura dos arquivos da ditadura militar no Brasil. A Seccional aproveitará a ocasião para entregar uma placa em homengaem ao magistrado e manifestar solidariedade a ele, que foi afastado das investigações que conduzia sobre crimes cometidos pelo regime franquista. Para o Conselho Geral do Poder Judicial da Espanha, responsável também pela suspensão de Garzón do exercício da magistratura, a decisão do juiz de investigar crimes do regime franquista é "ilegal e abusiva".

Em artigo publicado em junho no jornal Folha de S. Paulo, o presidente da OAB/RJ, Wadih Damous, afirmou que "o afastamento de Garzón é um duro golpe no direito internacional dos direitos humanos", e reiterou que as leis de anistia não devem servir para "acobertar genocídios ou crimes contra a humanidade".
Estarão presentes o ministro da Secretaria Especial de Direitos Humanos, Paulo Vannuchi, o ex-ministro da Justiça e governador eleito do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, o presidente da Comissão de Anistia do Governo Federal, Paulo Abrão, e o presidente da OAB nacional, Ophir Cavalcante.

Tarso Genro - Assessoria de Imprensa

www.tarso13.com.br
twitter.com/tarso13


Coleguinhas

A dança dos fotógrafos:Marcelo Ribeiro está no JC e Mauro Schefer foi pro Correinho, no turno da noite.


*A ARI corre sério risco de não estar na feira do livro....com sua barraca, bem entendido...

*Com a JA cambaleante, a ARI era ou é o desaguadouro dos jornalistas para venderem seus livros...

*A Libretos terá barraca na feira


*Li ontem no site sul 21 sobre o debate de Serra e Dilma na Tvevê Band: " procurei sondar a repercussão entre jornalistas não alinhados partidariamente!. quem escreveu isto foi Ruda Ricci...Pô, mas jornalista misturado com partido político boa coisa não pode dar...e eu conheço alguns por aí que ficaram sempre entre o jornalismo e o partidarismo político. Mas os tenho como meros aproveitadores.

*Site sul 21 está com outdoors nas ruas centrais de porto Alegre.
Site incomodará muita gente. Mistura artigos com política.

BRASÍLIA TREMEU E BACTERIAS

INVADEM A CIDADE


Calma,o título não tem nada a ver com politica, mensalão, Caixa de Pandora ou
outras roubalheiras.

É que sexta feira,tudo estava tranqüilo aqui em Brasília,quando
por volta das 17h17,um pequeno tremor de terra assustou meio mundo.
Durou apenas quatro segundos, alcançou entre entre 4,6 e 5 pontos na
escala Richter,mas foi suficiente para assustar milhares de pessoas.
No ano do cinqüentenário do DF, registrou o maior abalo sísmico de sua
história. O terremoto foi o reflexo de um tremor na região de Mara
Rosa,ao nortes de Goias,a 300 km da capital federal.

O fenômeno foi percebido em vários pontos e em muitos prédios do
Plano Piloto. Em pouco mais de uma hora, a Defesa Civil e o Corpo de
Bombeiros,receberam mais de 250 ligações. Por razões de
segurança,servidores públicos abandonaram edifícios como o do Tribunal
de Justiça e o do Tribunal Superior Eleitoral.

Sismólogos da Universidade de Brasília analisaram as causas do
abalo e não descartaram a ocorrência de replicas. Eles atribuem o
terremoto a uma falha na placa tectônica sob os estados de Goiás e
Tocantins.

Em casos de novos tremores, especialistas recomendam ao povão,proteger-se
de baixo de uma mesa ou posicionar-se sob um um portal.

Já na área da medicina, uma desconhecida bactéria que requer muito
cuidado, está assustando os moradores da cidade.

A bactéria chama-se KPC,ou seja: bactéria Klesiella pneumoniae carbapenemase.
O primeiro caso de infecção no Brasil ocorreu em Recife,no ano de
2006. No Distrito Federal,a primeira ocorrência registrada foi em
janeiro deste ano. Segundo a Secretária de Saúde foram somados 58
casos colonizados - infectados e 18 óbitos diretamente
relacionados
a bactéria no Hospital Regional da cidade satélite de Santa Maria.
Este foi o maior índice registado

A KPC, é um tipo de bactéria que está entre a as causadoras da
pneumonia,mas também pode gerar,sobretudo,infecção gastrointestinal e
infecção no trato urinário. Além disso, o microoganisamo e
multirresistente aos efeitos de antibióticos. Entre as formas de
transmissão estão o contato com as fezes e a saliva infectada. Os
pacientes com a KPC estão em leitos isolados. A possibilidade de
contágio
da bactéria é maior em quem está com a imunidade baixa. Os infectados
estão sendo acompanhados por enfermeiros técnicos exclusivos,para
evitar contato com outros paciente debilitados.

A KPC foi descoberta a dez anos atrás,nos Estados Unidos. No Brasil
os primeiros casos foram registrados em 2006. No DF,ela chegou em
janeiro de 2010

Sergio Ross

 


BRIGA DE CACHORRO
GRANDE

Olides

Está começando aqui em Brasília,uma briga feia.
Uma briga dessas de cachorro grande.
A Marlene Galeazzi, está brigando com o Alexandre Garcia, porque
ele está contando a sua versão de como foi demitido no governo do
Figueiredo. Ele era o porta voz. A Marlene, foi a causadora de toda a
confusão. Ela publicou na revista Ele-Ela, uma matéria com o Alexandre
onde deu o rolo todo. E agora também está contando a sua história.
Já tenho um bom material para escrever,pois participei do caso. Mas
como estou com namorada nova,só vou poder escrever nos próximos dias.


Sergio Ross

 


Poucos no bandeiraço.....

 

Se a coisa anda assim, imagine....

Ontem,dia 12/10( dia da criança) e final de feriadão, por volta de 17 horas, apenas o vereador Adeli Sell, presidente do diretório municipal do PT de porto Alegre e mais alguns militantes distribuindo panfletos da Dilma pro público que chegava do interior....

Do Serra não vi ninguém!!!!

De Buenos Aires

Nosso repórter no front argentino( e tem gente que acha que é " cascata". Leiam o recado dele do café pra ver que escreve desde Buenos Ayres. Quanta honra ter um corresponsal desde la capital portenha....O Serginho se baba de inveja, mas ainda bem que é a inveja sadia, não a maligna.....


OLIDES. A PRESIDENTE CRISTINA KIRCHNER, EM CADEIA DE RÁDIO E TV, HOJE Á NOITE, FALOU SOBRE O QUE O EXÉRCITO INGLÊS ESTA FAZENDO NAS ILHAS MALVINAS.

Palavras de Cristina... " O governo argentino, assim como o seu povo, estão outra vez estarrecidos... A verdade é que a uma provocação". No seu discurso, extremamente firme, ela disse... “Devo dizer ao povo desta nação, que as ilhas Malvinas (Falkland) e suas dependências continuam sendo território Argentino. Nenhuma agressão, nenhuma invasão mudará isso. O governo tomará as providências para que essas ilhas sejam libertas da ocupação e retornem à administração e da soberania argentina, o mais rápido possível”, declarou.

Estopu prevendo que vai dar MERDA. Essa mulher esta dizendo besteira. Será que não se lembra que a vinte e oito anos atrás, aocnteceu a mesma coisa. RESULTADO. Em 2 de abril de 1982, uma vanguarda de 3 mil soldados argentinos desembarcou nas Malvinas. Depois de uma feroz e honrosa resistência, as poucas dezenas de marines foram dominados. A bandeira argentina tremulava sobre a residência do governador, e os principais portos das ilhas foram rapidamente ocupados por outros 9 mil soldados que desembarcaram. O presidente Galtieri se tornava naquele instante o homem mais popular de seu país. E o que foi que aconteceu depois...
Em seguida, a primeira-ministra britânica Margaret Thatcher, anunciou que sua frota já se preparava para ir ao Atlântico Sul. A partida aconteceu em 5 de abril, com os porta-aviões Hermes e Invincible à frente, escoltados por 11 fragatas e destróieres, três submarinos, um navio de assalto anfíbio e o paquete de cruzeiro Camberra, transportando 3 mil homens da terceira brigada de royal marines. Naturalmente, a operação era muito arriscada. Afinal, o objetivo estava a 8 mil milhas dali e as provisões teriam de ser alongadas ao máximo. Além disso, por causa das condições meteorológicas do inverno austral, qualquer desembarque se tornaria impossível até o final de maio e as operações terrestres seriam inexecutáveis depois do final de junho. Enfim, a perda de um só porta-aviões comprometeria irremediavelmente a operação.
Mais surpresas desagradáveis aconteciam à medida que a força-tarefa britânica se aproximava das Malvinas. Em 2 de maio, o cruzador argentino General Belgrano foi torpedeado pelo submarino nuclear Conqueror e afundado com 320 membros da tripulação. Nas próprias Malvinas começava-se a sentir o peso da réplica britânica: a pista de vôo de Stanley foi destruída pelo bombardeiro Vulcain, vindo da ilha de Ascensão, e as posições argentinas eram submetidas a bombardeamentos navais intermitentes. Muitos jovens argentinos morreram.
Assim acabou a querra. O que poderá aconteceu agora, após o discurso de Cristina Kischner. O primeiro-ministro conservador britânico, David Cameron,acredito irá, chamar para Londres o embaixador Britanico e conversar com ele sobre o assunto.


Sobre aquela outra matéria... tua es que sabe se podes publicar ou não. Na matéria, não existe nunhuma conotação que desabone a honra de serra. Pelo contrário. O fato é todo de cunha jornalístico. Um abraço Gelson farias.
Obs: nosso café vai ficar para o final deste m^Çes quando eu voltar para POA, quando das eleições do segundo turno, ok.
Gelson Farias

Dia das Crianças

Os leitores nada têm a ver com isto, eu sei, mas a minha neta está ouvindo musica na pracinha do Rio. E encontrou a coleguinha da escola, por cima!
Apresentação de música na pracinha, encontrou coleguinha de escola!


Coleguinhas


Rádio Guaíba, ontem,dia 12.10, colocou uma criança em cada programa.Ué, até que a idéia foi boa.

*Rogério Mendelski foi " pescado" por váfrios ouvintes,ontem, no seu programa da Guaíba. Todos entenderam que ele não deu um pau no excesso de velocidade que viajava o empresário Paulo Teixeira(segundo a PRF a cerca de 200 km por hora), mas quando é chinelo que dirige,aí o Rogério senta a lenha....Os ouvintes dele são inteligentes e acompanham o que ele diz, né.É o preço que ele paga pela audiência selecionada. Isto tem mão e contramão, como ensinava o velho colega Flávio Alcaraz Gomes

*Denise Nunes passeava ontem de manhã,cedo, com seu cachorro( por favor, não vou escrever dog, que isto é coisa de colunista social suburbano) pela rua Carazinho nas imediações da casa onde vive....que é na Lavras, é minha vizinha a colunsita de economia do Correinho.

*Denise é amiga dos bichos, cachorros e gatos...

*Guilherme Baumbach está desde ontem ,dia 12/10 substituindo Osiris Marins, na Band AM, no jornal Gente. Osiris embarcou pra China, numa missão do Sebrae.

*Edgar Schmidt trocou ontem, na Guaíba, Inglaterra por USA...Era o local onde fora o jogo do Brasil, na segunda. Também dia de feriado,acontece...

 


De São Borja

Na Folha de São Borja de 6/10 o colunista Edson Arce, na pagina Gente e Política comenta um assunto, o da eleição do neto do Jango, Cristhopher Goualrt. Diz que "há quem diga que Cristhopher prepara uma futura candidatura a vereador ou uma majoritária aqui em São Borja"

Bão, isto este site já tinha adianta,seo Arce!

 


Memória da Imprensa


MILLOR FERNANDES

COMEU O PÃO QUE O DIABO AMASSOU!


sABEM o Millore Fernandes? Pois é, comeu o pão que o diabo amassou. Seu nome verdadeiro é Milton Fernandes. Começou na Revista O CRUZEIRO em 1938 como office-boy. Órfão de pai e mãe, desde cedo morou com os tios numa fase de sua vida que ele lembra como dckeniana quase lúnpem(marginal) A do garoto que vê os outros comerem cinco meninos e quatro bifes....

Foi um dos poucos do Pasquim em 1969 que não foi preso o que provocou suspeitas sobre ele, principalmente vindas de Tarso de Castro. Vriaram inimigos figadais, tanto que quangto Tom Cardoso foi fazer a excelenter biografia do passofundense, procurou Millor que nem o atendeu.


Coleguinhas

Fábia Marçal, na Guaíba, repercutiu na segunda, dia 11/10 o envio de 4 oficiais da Brigada Militar para o jogo do Inter nos emirados...Todos com diárias de 114,5 dólar cada um....Diz ele que gozação em Brasília entre os jornalistas era muito grande!

 


De Serafina!

Espigão cresce a olhos vistos

e vai tapando a cantina do Fioravante!


Me informam de SErafina que a obra do Beto Chiarello( um espigão,segundo os detratores e um edifício de conjunto comerciais,segundo quem aprova o prédio) - localizada em frente a cantina de vinho tombada pelo IPHAE - está sendo feito a toque de caixa. também ficou 4 meses parado por questões judiciais.

Assim, a laje do primeiro piso já está concretada e já esconde parcialmente a cantina da sociedade estrela guaporense, cujo prédio foi tombado, por solicitação do Ministério Público.

Diz o missivista que a ' A BI DEVE ESTAR CATIVA"( TRADUZINDO DO DIALETO. A BI( Rosa Maria Cervieri que lutou pra que o espigão não fosse construído) deve estar braba!


Tarso é homenageado já como novo governador


em Sta Cruz do Sul.

Foi,ontem,dia 12/10!

Tarso Genro - Assessoria de Imprensa

www.tarso13.com.br
twitter.com/tarso13


Histórias pitorescas da feira do livro


Estive,ontem, no feriado, conversando longamente com um dos primeiros barraqueiros de livro da feira de Porto Alegre. Seo Edgardo Xavier vive num confortável apartamento na Mostardeiro, zona nobre da cidade, ao lado do Parcão. Com sua segundo esposa ( a primeira faleceu) Jurema, que é costureira , ele vai enfrentando alguns problemas de saúde mas diz que seu médico o advertiu: são problemas advindos da idade. Como o senhor não quis morrer cedo,agora vai ter que enfrentá-los.

Muito irônico e culto, Xavier - cuja filha Ana Paula é casada com o atual INDIANA JONES da literatura gaúcha, o escritor Airton Ortiz, que no passado foi editor pela TCHE, lembra que os 15 dias que antecedem as feiras do livro de porto alegre, nos últimos 20 ou 30 anos são os seus 15 dias de glória porque historiadores, jornalistas e afins o procuram pra saber como nasceu a feira do lviro de porto alegre.

Nos próximos dias, contarei aqui algumas passagens pitorescas daqueles anos que os pioneiros achavam a feira do livro mais uma quermesse do que um negócio....Muitos dos atuais livreiros, como o dono do sebo Aurora, o Luizzelli, por exemplo, se criou no meio dos livros da feira do livro de porto alegre, porque seu pai, sétimo, foi um dos primeiros que ocupou as barracas sob os jacarandás floridos da Praça da Alfândega....(prossegue...)

Recebo e publico

Recebo o protesto da Neuza Penalvo. Informo, porém, que o comentário de que o Cristhopher nasceu na Inglaterra, por ter refletido e não achá-lo assim tão definitivo, será suprido.( o editor)


Olides!
Acho q brincadeira e gozação tem hora....Completamente desnecessário teu comentário sobre o Chris ter nascido na Inglaterra! E não me venha com que "alguém" disse e tu publicaste. O blog é teu... Tu ainda não sabe xq ele nasceu lá? Tu e esses ignorantes e mal intencionados q acham "engraçado" ele ter nascido na Inglaterra e agora concorrer a cargo eletivo aqui AINDA NÃO sabem xq ele não nasceu no Brasil?????????? Ou vcs. acham q filho de exilado brasileiro não tem direito a isso? A Constituição Federal Brasileira garante o direito a cidadania a filho de brasileiro nascido no exterior, portanto, nós, filhos de exilados, nascidos no exterior durante o exílio de nossos pais temos cidadania brasileira pois cumprimos os tramites que a lei determina. Mas q maldade hein Olides! Q falta de sensibilidade, humanidade, com o agravante de que o comentário veio de um Jornalista!!!


SERRA O BEM AMADO


Incrível a diferença entre a Record e a Globo. Eu abri o video em que aparece o Bournier, da Globo, que deu 4,15 minutos de elogios e nem falou do protesto. Já a Record, fez a matéria mais sucinta e mais crítica em 1,47 min. Depois dizem que a imprensa não tem partido!!! Veja, o link está nos quadrinhos do Youtube, abaixo da matéria da Record.
Abraços,
Valdir

OLHEM O BEM AMADO E A HIDRELÉTRICA DE BELO MONTE!!!!!


SERRA O BEM AMADO
http://www.youtube.com/watch?v=Pug_mWvqq_k




Cansei...Basta!! Vou votar no Serra, do PSDB.

Cansei de ir ao supermercado e encontrá-lo cheio. O alimento está barato demais. O salário dos pobres aumentou, e qualquer um agora se mete a comprar, carne, queijo, presunto, hambúrguer e iogurte.
Cansei dos bares e restaurantes lotados nos fins de semana. Se sobra algum, a gentalha toda vai para a noite. Cansei dessa demagogia.

Cansei de ir em Shopping e ver a pobreza comprando e desfilando com seus celulares.

O governo reduziu os impostos para os computadores. A Internet virou coisa de qualquer um. Pode? Até o filho da manicure, pedreiro, catador de papel, agora navega...

Cansei dos estacionamentos sem vaga. Com essa coisa de juro a juro baixo, todo mundo tem carro, até a minha empregada. " É uma vergonha! ", como dizia o Boris Casoy. Com o Serra os congestionamentos vão acabar, porque como em S.Paulo, vai instalar postos de pedágio nas estradas brasileiras a cada 35 km e cobrar caro.

Cansei da moda banalizada. Agora, qualquer um pode botar uma confecção. Tem até crédito oferecido pelo governo. O que era exclusivo da Oscar Freire, agora, se vende até no camelô da 25 de Março e no Braz.

Vergonha, vergonha, vergonha...

Cansei de ir em banco e ver aquela fila de idosos no Caixa Preferencial, todos trabalhando de office-boys.

Cansei dessa coisa de biodiesel, de agricultura familiar. O caseiro do meu sítio agora virou "empreendedor" no Nordeste. Pode? Cansei dessa coisa assistencialista de Bolsa Família. Esse dinheiro poderia ser utilizado para abater a dívida dos empresários de comunicação (Globo,SBT,Band, RedeTV, CNT, Fôlha SP, Estadão, etc.). A coitada da "Veja" passando dificuldade e esse governo alimentando gabiru em Pernambuco. É o fim do mundo.

Cansei dessa história de PROUNI, que botou esses tipinhos, sem berço, na universidade. Até índio, agora, vira médico e advogado. É um desrespeito... Meus filhos, que foram bem criados, precisam conviver e competir com essa raça.

Cansei dessa história de Luz para Todos. Os capiaus, agora, vão assistir TV até tarde. E, lógico, vão acordar ao meio-dia. Quem vai cuidar da lavoura do Brasil? Diga aí, seu Lula...

Cansei dessa história de facilitar a construção e a compra da casa própria (73% da população, hoje, tem casa própria, segundo pesquisas recentes do IBGE). E os coitados que vivem de cobrar aluguéis? O que será deles? Cansei dessa palhaçada da desvalorização do dólar. Agora, qualquer um tem MP3, celular e câmera digital. Qualquer umazinha, aqui do prédio, vai passar férias no Exterior. É o fim...

Vou votar no Serra. Cansei, vou votar no Serra, porque quero de volta as emoções fortes do governo de FHC, quero investir no dólar em disparada e aproveitar a inflação. Investir em ações de Estatais quase de graça e vender com altos lucros. Chega dessa baboseria politicamente correta, dessa hipocrisia de cooperação. O motor da vida é a disputa, o risco... Quem pode, pode, quem não pode, se sacode. Tenho culpa eu, se meu pai era mais esperto que os outros para ganhar dinheiro comprando ações de Estatais quase de graça? Eles que vão trabalhar, vagabundos, porque no capitalismo vence quem tem mais competência. É o único jeito de organizar a sociedade, de mostrar quem é superior e quem é inferior.

Eu ia anular, mas cansei. Basta! Vou votar no Serra. Quero ver essa gentalha no lugar que lhe é devido. Quero minha felicidade de volta.”


O candidato do Dem


O Remindo tem razão. Eu também tive esta impressão e olha que eu não olha a propaganda do Serra com os olhos petistas do ISENTO!!!!!


A propaganda do Serra soa assim na rádio e TV, "ele é o candidato do Dem". Bem que eu desconfiava. O PSDB já o abandonou.

Remindo Sauim


Recebo e publico!

A Valdir como ela mesma me conta, não foi ao show do " MAL HUMORADO DOS PAMPAS" QUE É COMO EU CHAMO O NEY LISBOA...Brincadeira, porque o Ney é gente fina e canta bem pra caramba!


Nei Lisboa no Auditório Ibirapuera

Meu caro, eu acabei não indo. Minha irmã teve um compromisso de última hora e eu não achei companhia pra ir.
Em compensação, vi no sábado a ópera "O Ouro do Reno", de Richard Wagner, diretamente do Metropolitan Opera Theatre, de New York, transmitida ao vivo em um cinema daqui. Essa é uma experiênciaa nova e a transmissão via satélite em alta definição e som digital é feita para 45 países. A temporada de ópera do Metropolitan está começando agora. Eu fiquei embasbacada, sem fôlego, encantada. Eu nunca vi nada igual. No próximo dia 9 de novembro vai ter a segunda ópera e vai passar em Porto Alegre também. Procure saber na rede Cinemark local. É um espetáculo imperdivel. O cinema lotou completamente. É como o se vc estivesse dentro do teatro, a câmera mostra o povo (elite, melhor dizendo) chegando, se acomodando naquele imenso teatro. E que teatro, acho que ali cabem mais de 2 mil pessoas. Um apresentador fala sobre o espetáculo, outro entrevista os artistas e a câmera percorre os bastidoress, as cochias. O espetáculo é todo high tech, cheio de efeitos especiais, coisa que americano faz com maestria. O palco é vertical, dá pra imaginar? Uma fileira de tábuas formam uma parede e os atores presos em cordas de nylon descem e sobem naquela parede. Tem hora que a parede se divide em três partes e uns atores-cantores ficam no palco na horizontal, outros na vertical. Qundo um ator sai de cena, ele desce e desaparece num foso invisível para a platéia. Outra hora aquelas tábuas se deslocam em paralelo formando uma escada. As luzes transformam o palco em um leito do rio, as tabuas se movimentam como se fossem ondas das águas. As luzes fazem pôr de sol, noite, amanhecer. Os atores cantam maravilhosamente bem. A orquestra é um capítulo à parte. O maestro estava retomando a orustra depois de um longo perúiodo d afastamento por problemas de saúde, mas é tão querido pelos americanos que foi aplaudido vários minutos. Eu não sou chegada a ópera, pois nunca tenho grana pra ir. Quando tem temporada aqui em SP, custa caríssimo e os ingressos se esgotam 6 meses antes. Eu só vi em vídeo em casa e no cinema. Mas esta, foi como se eu estivesse ao vivo no teatro.
Valeu o fim de semana inteiro.
Bom, agora vou desligar porque quero assistir ao debate.
Vou te mandar, antes, uma crônica, "Porque vou votar no Serra" (não sei quem escreveu, mas gostaria eu de te-la escrito. Os tucanos vão odiar.!!!
Abraço,
Valdir

Sobe e desce

Pelo que eu observei ultimamente na cena política do PT, posso me atrever a fazer um pequeno " esqueleto" de quem sobe( ou seja saiu mais fortalecido da eleição) e de quem desce....e olhe que eu não sou entendido nas correntes internas do PT


SOBE

TARSO GENRO ( só podia, né, eleger-se governador no primeiro turno)

ARI vANAZZI( ACHO QUE JUNTO COM CLOVIS PESTANA SÃO OS QUE MAIS SAIRAM FORTALECIDOS)

PAULO PIMENTA,

ESTILAC XAVIER

ADAO VILLAVERDE


DESCEM

RAUL PONT

OLIVIO DUTRA

FABIANO PEREIRA


Tragédias de carro

marcam TEIXEIRA

DA PLANALTO TRANSPORTES !


Há cerca de dez anos atrás, o fundador da Planalto Transportes,- fundada em 1949 - José Moacyr Teixeira, que ainda vive em Santa Maria, com cerca de 90 anos - disse numa entrevista ao repórter André Pereira, do Jornal do Comércio, que tudo o que ele pedia a Deus nesta sua fase da vida era ter uma morte sem dor....


José Moacyr ( o Grupo JMT homenageia o fundador) viu na madrugada de segunda feira última, dia 11/10, concretizar-se mais uma das tantas perdas que teve ao longo dos seus 96 anos....É o quarto filho que enterra e o terceiro que morreu num desastre automobilistico.....José Moacir e sua falecida esposa, Norma Helga( daí a empresa de aviação do grupo se chamar NHT) tiveram oito filhos . Além do falecido Paulo, que foi enterrado às 18 horas de ontem,dia 11/10 no cemitério Jardim da Paz, zona leste de Porto Alegre,já faleceram também em acidentes automobilisticos, Henrique e Gabriel. O primeiro em Assunção, no Paraguai e o segundo em Brasília.
A tragédia de Paulo de Tarso Teixeira, 53 anos, casado,pai de três filhos( duas meninas e um menino) que morreu na entrada de Porto Alegre,dirigindo um Porsche que segundo a Polícia Rodoviária Federal estava a 200 km por hora.

Henrique faleceu há 39 anos em Assunção, também num acidente envolvando um ônibus. Ele fora para a capital paraguaia para ver um jogo da Seleção Brasileira.
Para a liberação do corpo, José Moacyr Teixeira contou naquela oportunidade com a ajuda do dono da rodoviária de Santa Maria, Valdomiro Aita que junto com outro amigo foram a Assunção tratar dos trâmites para trazer o corpo de Henrique para o enterro.

Dona Helga Teixeira faleceu há cerca de 5 anos.

Antes de morrer, ela e o marido tinham como hobby viajar num motohome que mandaram construir especialmente para seu lazer. Com ele percorreram boa parte do Brasil.

História da Planalto.

A história da Planalto - conhecida entre os gaúchos por uma das " três Marias" - as outras duas empresas que detém o maior filão do transporte gaúcho são Ouro e Prata e Unesul - confunde-se com a do seu fundador, José Moacyr Teixeira. Nascido em 13 de dezembro de 1914, ele começou suas atividades comerciais em uma olaria na Vila Mariante, no município de Venâncio Aires. Depois se mudou para Horizontina. Nesta mudança, seo José e dona Helga,sua esposa, levaram seu maquinário da olaria em duas carroças de boi, consumindo 16 dias para fazer o trajeto.

Em Horizontina, seo José haveria de mudar de trajetória: fez amizade com um dono de um " auto de praça" como eram chamados os taxistas, que lhe informou de um ônibus que estava à venda em Santo Angelo.

Seo José optou por vender as duas máquinas da olaria que tanto esforço lhe custaram a transportar e passou a vender secos e molhados. Mas o ônibus que estava a venda em Santo Angelo não lhe saía da cabeça. Tempos depois, ele voltou a Vila Mariante pra conseguir emprestados 13 mil cruzeiros para a compra do veículo.

Mesmo com a II Guerra Mundial em andamento, com a natural dificuldade de se obter combustível, ele comprou o primeiro ônibus em 1944. Era um Ford 40 a gasolina com carroceria e bancos de madeira, como eram os õnibus naqueles anos. Eram conhecidos por " jardineiras".

Localizada primeiro em Tupanciretã( daí advem o nome Planalto ) a empresa mudou seu endereço para Santa Maria em 16 de novembtro de 1953 e seu primeiro endereço foi na rua Tiradentes, ao lado do número 55. Depois passou pela Borges de Medeiros, 1079. Em 1966, a empresa mudou-se para a rua Domingos de Almeida, 1088, no bairro Dores, onde ficou 33 anos e onde se consolidou como uma das principais transportadoras do Estado.

Depois veio a mudar-se para uma edificação moderna, localizada às margens da BR-158m no km 323, numero 1.000, no bairro Nossa Senhora de Lourdes, num complexo conhecido como Matriz do grupo e sede administrativa JMT


Coisas do " Estadão"!


Este caso deveria constar da história das eleições de 2010, espero que aprecie,
Valdir
“Fui demitida por um ‘delito’ de opinião”
Por Bob Fernandes
A psicanalista Maria Rita Kehl foi demitida pelo jornal O Estado de S. Paulo depois de ter escrito, no último sábado (2/10), artigo sobre a "desqualificação" dos votos dos pobres. O texto, intitulado "Dois pesos...", gerou grande repercussão na internet e mídias sociais nos últimos dias.

Nesta quinta-feira (7/10), ela falou a Terra Magazine sobre as consequências do seu artigo:

– Fui demitida pelo jornal O Estado de S. Paulo pelo que consideraram um "delito" de opinião (...) Como é que um jornal que anuncia estar sob censura pode demitir alguém só porque a opinião da pessoa é diferente da sua? [Ver o artigo "Dois pesos" no pé desta página].

Leia abaixo a entrevista.

Maria Rita, você escreveu um artigo no jornal O Estado de S.Paulo que levou a uma grande polêmica, em especial na internet, nas mídias sociais nos últimos dias. Em resumo, sobre a desqualificação dos votos dos pobres. Ao que se diz, o artigo teria provocado conseqüências para você...

Maria Rita Kehl – E provocou, sim...

Quais?

M.R.K. – Fui demitida pelo jornal O Estado de S.Paulo pelo que consideraram um "delito" de opinião.

Quando?

M.R.K. – Fui comunicada na quarta-feira, 6/10.

E por qual motivo?

M.R.K. – O argumento é que eles estavam examinando o comportamento, as reações ao que escrevi e escrevia, e que, por causa da repercussão (na internet), a situação se tornou intolerável, insustentável, não me lembro bem que expressão usaram.

Você chegou a argumentar algo?

M.R.K. – Eu disse que a repercussão mostrava, revelava que, se tinha quem não gostasse do que escrevo, tinha também quem goste. Se tem leitores que são desfavoráveis, tem leitores que são a favor, o que é bom, saudável...

Que sentimento fica para você?

M.R.K. – É tudo tão absurdo... A imprensa que reclama, que alega ter o governo intenções de censura, de autoritarismo...

Você concorda com essa tese?

M.R.K. – Não, acho que o presidente Lula e seus ministros cometem um erro estratégico quando criticam, quando se queixam da imprensa, da mídia, um erro porque isso, nesse ambiente eleitoral, pode soar autoritário; mas eu não conheço nenhuma medida, nenhuma ação concreta, nunca ouvi falar de nenhuma ação concreta para cercear a imprensa. Não me refiro a debates, frases soltas, falo em ação concreta, concretizada. Não conheço nenhuma, e, por outro lado...

...por outro lado...?

M.R.K. – Por outro lado a imprensa que tem seus interesses econômicos, partidários, demite alguém, demite a mim, pelo que considera um "delito" de opinião. Acho absurdo, não concord o, que o dono do Maranhão (senador José Sarney) consiga impor a medida que impôs ao jornal O Estado de S.Paulo, mas como pode esse mesmo jornal demitir alguém apenas por que expôs uma opinião? Como é que um jornal que está, que anuncia estar sob censura, pode demitir alguém só porque a opinião da pessoa é diferente da sua?

Você imagina que isso tenha algo a ver com as eleições?

M.R.K. – Acho que sim. Isso se agravou com a eleição, pois, pelo que eles me alegaram agora, já havia descontentamento com minhas análises, minhas opiniões políticas.


Diretor do Estadão: "Não houve censura a Maria Rita Kehl"

O diretor de conteúdo do Grupo O Estado de S.Paulo, Ricardo Gandour, conversou com Terra Magazine sobre a demissão da colunista Maria Rita Kehl, psicanalista, que, no último sábado (2), publicou no jornal um artigo no qual tratava da "desqualificação do voto dos pobres". Gand our, para começo de conversa, diz que "não houve demissão":

– Não é demissão. Colunistas se revezam, cumprem ciclos.

Disse ainda o diretor de conteúdo do Grupo O Estado de S.Paulo:

– Havia uma discussão em torno de novos rumos para a coluna, essa conversa começou na última terça-feira pela manhã, (...) Horas depois, houve um vazamento na internet que precipitou a decisão. Não houve censura. Tanto que a coluna saiu integralmente.

A seguir, a conversa com Ricardo Gandour.

O que aconteceu entre o jornal o Estado de S.Paulo e a colunista Maria Rita Kehl?

Ricardo Gandour – O projeto original no caderno C2 + Música é de ter ali, aos sábados, um espaço em torno da psicanálise. Um divã para os leitores. Mas esse não era o enfoque que ela vinha praticando e frequentemente conversávamos sobre isso.

Com você?

R.G. – Não comigo diretamente, mas com a editora do caderno. Assim iniciou-se com a autora uma discussão em torno de novos rumos para a coluna. Inclusive com o contrapropor da colunista.

Quando começou essa conversa?

R.G. – Essa última conversa começou na última terça-feira, pela manhã. Ela chegou a contrapropor alguma coisa, tinha um diálogo rolando... Horas depois, houve um vazamento na internet que precipitou a decisão...

Mas vocês atribuem isso a ela?

R.G. – Eu não sei, não posso afirmar. E estão dizendo na internet que houve censura...

Na verdade, o que há na internet é uma entrevista com Maria Rita Kehl, onde ela diz: "Como é que um jornal que está, que anuncia estar sob censura, pode demitir alguém só porque a opinião da pessoa é diferente da sua?"

R.G. – Não houve censura, a coluna saiu integralmente, sem mexer em uma vírgula.
< strong>
Mas houve consequências...

R.G. – Tinha uma conversa em torno dos rumos daquele espaço. Estão dizendo que foi a coluna de sábado que causou isso, mas não foi, não. Era o foco daquele espaço que era outro. Claro que a coluna de sábado foi uma coluna forte...

Forte...

R.G. – Dentro da questão de que não era esse o foco.

Então, a demissão não se deu pela opinião da Maria Rita e por posterior censura à ela?

R.G. – Não é demissão... colunistas se revezam, cumprem ciclos. A Chris Mello saiu do jornal em agosto, o Mark Margolis entrou em outra seção. O jornal tem 92 colunistas, e esse ano saíram três e entraram três ou quatro. O que estava havendo aí era a simples gestão de uma coluna específica.

Desde...

R.G. – Tinha um diálogo rolando e esse diálogo vazou e eu lamento que esteja h avendo uma leitura histérica disso.

Talvez porque é um momento...

R.G. – O momento é delicado, crítico, de eleições, mas abriu-se um diálogo que vazou e nós mantivemos a linha. O fenômeno da rede social é que uma conversa entre três pessoas passou a acontecer entre 3 mil pes