Boas noticias merecem Replay
(51) 3333.8362

 

"O Blog dos Colegas"

 




25 anos da morte do Teixeirinha


Briga na família: Beta Teixeira, da Fundação Teixeirinha e o irmão Vitor estariam de pratos quebrados. O cantor nem foi ao evento na última quinta, das celebrações dos 25 anos da morte do pai...na Casa de Cultura....


*OSPA vai fazer um concerto pro Teixeirinha...o famoso cantor está virando cult,agora?


*Um amigo meu, falecido, conviveu com o Teixeirinha na rádio Gaúcha. Diz que ele só não era mais grosso por falta de espaço....

*E Teixeirinha lambeu muito a bota dos milicos. Me lembro que vivia adulando general....foi ,ou quis ser candidato a deputado pela ARENA...Depois que Leonel Brizola voltou do exílio " virou brizolista desde criancinha...."

*E a Mary,onde anda? Andava, anos atrás em petição de miséria...Um advogado a ajudou pra não ser despejada....Pra ver o que é a glória. Eu li um livro dela, num depoimento que ela deu pro falecido Dedé Ferlauto( que depois não quis concluir o livro) e a editora TCHÊ publicou o livro. Ela diz cobras e lagartos do ex-companheiro....


*A Mary andou morando uns tempos em Torres. ..depois não se soube mais nada dela...Mas também se enrabichou pelo Ivan Trilha, queria o quê?


TARSO GENRO

contempla mais dois derrotadas nas

urnas com secretarias....


Com o anúncio,feito na quinta passada, de que o suplente de deputado Federal, Affonso Motta( produtor rural de Alegrete e ex-vice presidente do Grupo RBS) e do deputado estadual Kalil Sebhe Netto, que não se elegeu deputado federal irão compor seu secretariado a partir de 2011, o novo governador Tarso Genro acabou nomeando 7 derrotadas nas urnas para seu primeiro escalão.

Quando todos imaginavam que no xadrez político do novo secretariado Motta iria mesmo pra Brasília, no lugar de um deputado federal eleito do PDT que seria puxado pro secretariado, isto acabou não ocorrendo.Ele foi pro Gabinete dos Prefeitos. Já Kalil Sebhe acabou ficando na secretaria dos ESportes, em decorrência do fato de não ter se elegido.

Nos bastidores comenta-se também que Ciro Simoni, eleito novamente deputado estadual pelo PDT, teria ido meio a contragosto pra Saúde.

BITOLA LARGA

DURANTE a recente campanha a DEPTUADO federal, o produtor rural Affonso Motta, que ficou como primeiro suplente de deputado federal do PDT, revelou que seu plano é um dia eleger-se governador do RS.


Coleguinhas

O repórter Silvio Lara e a governada Yeda Crusius em 10.06.2010 durante uma festa do consulado Português no salão do Palácio Piratini.

O colega mais surpreendente que conhecia frequentando a salinha,aqui JCTerlera, é o Sílvio Lara, da rádio ESperança...

Uma espécie de GIL GOMES dos pampas, ele bate firme nas autoridades durante seus boletins. Ninguém sabe se todos vão ao ar, mas ele baixa um cacete sensacional....quando acha que é a vez de fazê-lo.

Por isto, na salinha ganhou o apelido dos colegas de AQUI AGORA, uma referência ao bordão que Gil Gomes usava nas suas reportagens do SBT.

Lara mora em Belém Novo e usa o transporte coletivo nos seus deslocamentos. Pega aqueles ônibus tri lotados da Tinga e dentro deles vem observando o comportamento do povão. Foi ali por exemplo, que estes tempos, tirou substância pra uma matéria sua que é as brigas dentro dos ônibus por causa dos radinhos...um ouve o que o outro não quer e dá rixa...

Consequência disto - ou não - o fato é que a Cia Carris começou uma campanha dentro dos seus veículos de educação aos passageiros no sentido de que usem fone de ouvido pra ouvirem seus radinhos a fim de não incomodar o vizinho do banco do lado...

TRABUCO

ANDANDO dentro dos ônibus, Silvio se protege e com medo de assaltos, carrega sempre um "trabuco" que carrega na cinta...Diz ele que até agora nunca precisou usá-lo.

Lara é natural de São Borja,onde foi militar...

Está na rádio Esperança, mas faz boletins também para rádios do interior....
E é bom repórter: sempre confere de cima os acontecimentos, não se contentando com a versão dos outros. Vai sempre ao local. Estes dias caiu uma marquise e lá foi o Lara conferir os FATOS. Digo isto porque não é todo mundo que faz isto. Geralmente os colegas pegam pelo rádio, ou na internet..." Fazem ambiental por telefone" como dizia, debochadamente, o falecido colega Melchiades Stricher....

Apetite municipal

Teria sido oferecida ao deputado estadual Luiz Fernando Zachia(PMDB) a SMAM, mas ele quer a SMOV. Mas lá está tudo dominado pelo PTB....


Memória Política

COM OITO DEPUTADOS

CASSADOS, ASSEMBLÉIA ELEGE

PERACCHI O PRIMEIRO GOVERNADOR

BIONICO

NO REGIME MILITAR


O Coronel Walter Peracchi Barcellos, governador biônico do RS, tendo a sua direita o Marechal Costa e Silva e a sua esquerda o general Emílio Garrastazu Médici.Foto de Orlando Britto.


Cassados oito deputados,o coronel Walter Peracchi Barcellos foi eleito na sessão de 3 de setembro de 1966 governador dos gaúchos para suceder Ildo Meneghetti, que fora eleito em 1962. O Diário Oficial da Assembléia Legislativa publicou o resultado desta eleição apenas em 8 de setembro de 1966.
Dos deputados estaduais, 23 votaram a favor de Peracchi - que fora escolhido em convenção da Arena algum tempo antes, quando disputou contra Tarso Dutra( que tinha o controle do partido)- e contra o professor Rui Cirne Lima, do PL.
Vinte e dois deputados estaduais se ausentaram da votação e três votaram em branco.

Com a colaboração do memorial do legislativo, consegui recuperar os nomes dos deputados e seus votos naquela sessão que acabou " histórica".

Votaram em Peracchi Barcellos para governador:

Alexandre Machado; Alberto Hoffmann; José Augusto Amaral de Souza; Antonino Fornari; Alberto Hoffmann; Ari Delgado; Arlindo Kunler; Antônio Mesquita; Gudbem Castanheira; Getúlio Marcantônio; Hed Borges; Heitor Campos; Júlio Brunelli; Lani Faria; Mário Mondini; Oscar Westendorft; Porfírio Pinto; Reinaldo Cherubini; Romeo Scheibe; Synval Guazzelli; Solano Borges

Se ausentaram da sessão:

Aldo Fagundes, Brusa Netto, Carlos Santos, Darcilo Giacomazzi, Enilton Grill, Flávio Ramos, Fidélis Coelho, Honório Severo, Henrique Henkin; Ivo Sprandell, Ludovino Fanton, Moab Caldas, Marcísio Loureiro, Neli Joner, Pedro Simon, Siegfried Heuser, Sueli de Oliveira, Valdir Lopes, Valter Bertolucci, Honório Severo e Paulo Brossard.

Votaram em branco:

José Sanseverino; Dario Beltrani e Nelson Marchezan...

Curiosidades: dois deputados que nesta ocasião eram do apoio do chamado governo revolucionário - Amaral de Souza do PSD e Synval Guazzelli da UDN - acabaram também eleitos governadores bionicos do regime militar.

Peracchi, que em 58 havia perdido a eleição direta a governador para Leonel de Moura Brizola,virou,enfim governador. Quando foi eleito, ocupáva a pasta do Ministério do Trabalho do presidente Castelo Branco.

A posse de Peracchi no Piratini deu-se em 31 de janeiro de 1967.

Nótícias da Câmara Municipal(POA)


*Um pedreiro foi cobrar uma conta do vereador Comassetto, na quarta da semana passada, e saiu com um pau atrás do vereador, alegando que este lhe devia...

*Um comerciante pichou o gabinete do vereador Adeli Sell(PT) alegando que este o prejudicara quando ocupou a SMIC.

*Os vereadores vão,seguindo aquele provérbio que diz que depois da porta arrombada é que se faz a tranca de ferro,colocar catracas pra restringuir o ingresso de transeuntes....

Autores da Libretos autografam na 28ª Feira Regional do Livro de Novo Hamburgo

foto Dulce Helfer

Valesca de Assis

Marco Nedeff

Jorge Martins


No dia 30 de novembro (terça), a escritora Valesca de Assis autografa sua obra infanto-juvenil
Um dia de gato, às 15h30. Antes disso, às 15h, o Grupo de Atuadores Pur'Arte conta a
história do gato Tato e do cão Bolão para as crianças. E o autor Jorge Martins fala sobre seu
livro de estreia Meu nome é Jorge, no sábado, dia 04 de dezembro, às 17h, com sessão de
autógrafos às 17h30.

A 28ª Feira Regional do Livro de Novo Hamburgo acontece na Praça Vinte de Setembro, em
frente ao Centro Municipal de Cultura (Rua Engenheiro Inácio Cristiano Plangg, 66), no centro
de Novo Hamburgo.

Assessoria de Imprensa:
Simone Lersch

De São Borja


Os vereadores Roque Feltrin(PDT) e Farelo de Almeida(PDT) já se " bicam" na Câmara Municipal pela indicação para candidato a prefeito em 2012.

Por fora, correm dois " azarões": Cristhopher Goulart e Celso Lopes...o Celsinho...

Mas há também uma outra " chapa" em construção: Renê Ribeiro, do PT e Beto Souza, do PTB.

Além disto, o PP sempre é um partido que disputa com chances a prefeitura de São Borja.




Seminário Música de Sul a Sur, no Santander Cultural

Os novos e mais intensos contatos entre músicos de Porto Alegre, de Buenos Aires e de Montevidéu estão entre os destaques de 2010. Em março, onze destacados artistas e grupos gaúchos dividiram o palco com grandes músicos argentinos na capital portenha. Logo depois, Luiz Carlos Borges lançava, lá, um disco recheado de convidados de lá (entre eles Mercedes Sosa), e Vitor Ramil também lançava seu CD Délibáb, gravado lá com o violonista argentino Carlos Moscardini. Em seguida, Ramil participa em Porto Alegre do show do internacional uruguaio Jorge Drexler.
Daniel Drexler e sua conterrânea Ana Prada, cantam mais de uma vez em Porto Alegre e têm seus discos lançados por uma produtora da capital gaúcha. Quase ao mesmo tempo, a cidade recebe os uruguaios Sebastian Jantos e Pablo Grinjot, enquanto seus novos amigos Richard Serraia e Marcelo Delacroix se apresentam nas duas capitais do Prata. Mas tem mais. Responsável pela primeira vinda de Jorge Drexler (e de outros tantos latino-americanos), o Santander Cultural pensa que este é um tema importante para suscitar discussão mais profunda e vai promover, nos dias 4 e 11 de dezembro, o seminário A música de Sul e Sur

4 a 11 de dezembro, 14h30
Entrada franca

Dia 4 de dezembro, 14h30
Painelistas: Ana Prada (Uruguai), Sergius Gonzaga e Vitor Ramil
Depoimentos: Marcos Borghetti e Raul Ellwanger
Debatedor: Juarez Fonseca

MS2 PRODUTORA

"muy companheiro"....

Ouvi vários observações a respeito do governador eleito Tarso Genro ter indicato para ocupar a secretaria que cuida do Detran a deputada estadual Stela Farias...Foi ela que se destacou na recente CPI do Detran....Agora é tudo com ela....

Coleguinhas


*Fiquei sabendo,agora, por meio da revista PRESS que o colega Clóvis Heberle foi repórter....


*Ercy Thorma, presidente da ARI, esteve na quinta passada, com o superintendente de comunicação da ALE. Atrás de grana pro prêmio ARI, que encerrou as inscrições na sexta e que ainda não tinha patrocinador....??Pode ser....


O LOKO DO MARÇAL....

Diogenes de Oliveira( em pé) a historiadora Mariângela Martins e o loko do Batista Marçal....no lançamento do livro Dicionário da Esquerda gaúcha, em 16.10.2008 no chalé da praça XV de Novembro.


o COLEGA JOÃO BATISTA MARÇAL ANDA SUMIDO.... ou melhor, vive recluso em sua casa, em Viamão e pouco sai...Às vezes, para algum evento, ou para lançamento de um livro seu...O último livro dele foi uma pesquisa sobre esquerdistas de P.Fundo.

Marçal,dizem quem o conhece bem, já passou por todas as redações possíveis e imagináveis de Porto Alegre. Principalmente de rádios. Em algumas ficou alguns dias. Dava pau nos milicos e aí era posto pra rua...Isto aconteceu em várias delas...

Nascido no Quaraí, o finado Teixeirinha dizia dele, conforme João Batista Aveline, que " ele fala mais gaúcho que os gaúchos". Teixeirinha queria dizer que o homem do campo, o fronteiriço....

Sempre que o encontro por aí, nas quebradas, ele dá umsorriso e vai logo perguntando:

- E a lama? qual é a lama....

Lama pra ele é falar mal dos outros...Ele aprecia muito isto, como também aprecisa uma cachacinha...Geralmente pinta na livraria Palmarinca, nos fins de tarde, e lá dá um talagaço da boa, que o Rui,dono da livraria, guarda especialmente para ele...

Se há um patrimômio imaterial, como agora virou moda dizer, a ser tombado no Rio Grande do Sul este é o Marçal....É meu candidato a patrono da próxima feira do livro, mas já sei que não tenho a menor chance....

Gosto dele pra caramba....ele te diz na cara o que tem que te dizer....

E dou um recado: não procurem por ele de manhã, porque dorme. Mas é o maior guardião da história da imprensa operária e alternativa gaúcha, quiçá do Brasil.

Desapareceu o jornalismo mergulhado na realidade

Por Luiz Oscar Matzenbacher

Hoje eu estou particularmente feliz. Comemoro meus 63 anos de idade e mais de 40 anos de trabalho, dedicados ao Jornalismo Brasileiro e do Mercosul. Comecei no jornalismo na Zero Hora (antes da RBS). Depois estive na Rádio Gaúcha, Jornal de Santa Catarina, Zero Hora (já da RBS), Agência Folha(s), Correio do Povo, O Sul, Jornal do Comércio de Porto Alegre, FM POP, FM Amizade. Também prestei serviços ao Parlamento do Mercosul, Assembléia Legislativa do RS e Palácio Piratini, mediante concurso público. Mas minha primeira experiência profissional foi lá no longínquo 1962 no Departamento de Comunicação da Samrig, de Porto Alegre (Grupo Bunge).
Foi o destino que me ligou ao jornalismo. Pois em 1966 minha família mudou-se para Santa Catarina e comecei a trabalhar na função de estagiário/noticiarista na Rádio Difusora Blumenauense (SC), fazendo a copidescagem e adaptação regional dos noticiários das rádios Diário da Manhã, Globo, Record, Farroupilha e Guaíba. Não existia o telex, nem os assessores de imprensa e muito menos a Internet. As notícias percorriam o mundo através das emissoras de rádio de Ondas Curtas. Os gravadores pesavam mais de 10 quilos e só funcionavam ligados à corrente elétrica. Mas ouvindo as notícias e o texto genial das rádios Globo, Record e Guaíba eu fui me familiarizando com o bom jornalismo brasileiro. E hoje eu considero a Internet como responsável pelo massacre da qualidade dos textos jornalísticos brasileiros. São todos parecidos, com os mesmos jargões, numa repetição monótona, sem criatividade, sem originalidade, reescritos pelo mesmo copidesque, o todo poderoso Mr Windows.
Profissionalmente conheço o Brasil de Sul a Norte, de Leste a Oeste. Estive na Antártida por três vezes e conheci realizando reportagens, grande parte do Uruguai, Argentina, Chile e particularmente o chamado Fim do Mundo, a extremidade Sul do Chile e da Argentina. Sobrevoei grande parte da Amazônia e tomei banho nos igarapés de quatro estados amazônicos. Percorri mais de 200 municípios gaúchos e mais de 100 municípios catarinenses e paranaenses. Morei, trabalhando na imprensa ou rádios, em Porto Alegre, Blumenau, Florianópolis e São Paulo.
Hoje, são raríssimos os repórteres que viajam além da telinha do computador.


O jornalismo sem apalpar a realidade

Olides: E o Antônio Manoel Oliveira, como está? Foi com ele, lá em 1970 que eu comecei. Era meu vizinho e me convidou para tebtar ser repórter na ZH.
Abraço
Matz
PS: Olides, como é que tu consegues publicar livros. é na base do financiamento próprio? Como baratear os custos?
Abração.
Matz.


Sectur recebe inscrições para o "stammtisch"/
12º Encontro de Amigos em Balneário Camboriú

A Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico (Sectur), promotora do 12º Encontro de Amigos de Balneário Camboriú ou “stammtisch”, como é conhecido na região, convida os grupos interessados a participar do evento, para que se agilizem e façam suas inscrições através do email marketing@secturbc.com.br, até a data limite de 8 de dezembro. Vale lembrar que somente serão confirmadas as inscrições quando o representante do grupo vier até a Sectur e trouxer 15 brinquedos de meninos, 15 brinquedos de meninas (podem ser usados, mas desde que estejam em bom estado) e mais cinco quilos de alimento não perecível, exceto sal. Os donativos serão distribuídos à entidades sociais.

Nesta edição de verão, o encontro acontecerá na Avenida Atlântica, entre a rua 2.500 e a Praça Tamandaré, no centro da cidade, e terá novidades. Uma delas será o show com uma das bandas da Oktoberfest, que promete abrilhantar o evento. A Sectur ainda aguarda confirmação de outra banda da cidade de Pomerode (SC).

O secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico de Balneário Camboriú, Ademar Schneider, ressaltou a importância de que os grupos se inscrevem, participem e prestigiem o Encontro de Amigos de Balneário Camboriú. “Está é uma festa que já faz parte do calendário de eventos da cidade e, novamente, serão repassadas as informações e fotografias à mídia local e nacional, que poderão dar visibilidade do encontro e de Balneário Camboriú”, destacou.

O evento é promovido pela Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico (Sectur) e conta com apoio da Secretaria de Segurança municipal (agentes de trânsito), Secretaria de Saúde, polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, os serviços de iluminação pública, através da Cosip e ainda com os trabalhos da Engepasa/Coneville, que realiza a coleta de lixo na cidade.

Reunião - Regras

A reunião para definir regras aos grupos participantes acontecerá no dia 8 de dezembro, às 19h, na Casa da Sogra, localizada no final da rua Angelina, no bairro dos Municípios. A expectativa da Secretaria de Turismo é de que 100 grupos se inscrevem e de que passem pelo local do encontro cerca de 15 mil pessoas. Mais informações no setor de Marketing e Eventos, da Sectur, com Nagel, no telefone (47) 3367-8122.


Prefeitura de Balneário Camboriú

EM QUEM OS PRESOS VOTARAM ?

 

Para o governo paulista, os mais votados foram Aloizio Mercadante, do PT, com 824 votos, Geraldo Alckmin, do PSDB, escolhido por 278 detentos, além de Fábio Feldman (PV) com 68 votos, Celso Russomano (PP) com 56, e Paulo Skaf (PSB) com 45.
Na eleição para a presidência, Dilma Rousseff (PT) obteve 858 votos, Marina Silva (PV), 292, e José Serra (PSDB), 191 votos.
Lauro Jardim informou: assim como em São Paulo, os presos do Rio de Janeiro também preferiram Dilma Rousseff nas urnas. De 478 eleitores aptos a votar, 94 escolheram a petista e 41 escolheram José Serra. O resto ficou distribuído entre detentos que anularam, votaram em branco ou não votaram.
O curioso é que Dilma encolheu nas celas fluminenses. No primeiro turno, 100 eleitores votaram na candidata do PT.

SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS


A RESPONSABILIDADE DOS USUÁRIOS DE DROGAS

Por Carlos Chagas

Quando eclodem as guerras, os países envolvidos dedicam-se a analisar suas causas, justificando-se pelo envolvimento nos confrontos. Ainda em 1939 as democracias européias acusavam a Alemanha de invadir outras nações, ao tempo em que Adolf Hitler alegava o esbulho do Tratado de Versailles contra o povo germânico.

Sucedem-se as explicações sobre a conflagração no Rio, com a polícia e as autoridades denunciando a extensão do crime organizado no controle das favelas e os narcotraficantes sustentando que a miséria e o desemprego não lhes deixaram outra opção de sobrevivência.

Só que ambos os lados em choque, com raras exceções, omitem o fator principal de responsabilidade pela conflagração: os usuários de droga. Não tivessem os viciados se multiplicado em progressão geométrica e não estaríamos assistindo essa novela de horror.

Os números não deixam mentir: só da Vila Cruzeiro escaparam perto de 600 narcotraficantes, refugiando-se no Complexo do Alemão. Multiplique-se pelas outras mil favelas fluminenses o número de bandidos empenhados em adquirir, vender e distribuir cocaína, maconha e outras drogas, e se terá o número aproximado de dezenas de milhares de criminosos assolando a antiga capital e adjacências.

Isso significa número muito maior de viciados, daqueles que recebem a droga a domicílio ou freqüentam as bocas de fumo. Duzentos mil, quinhentos mil, no Rio? São eles os responsáveis pela guerra. Carregam a culpa pela intranqüilidade da população inteira, mais os assassinatos, os roubos e as depredações. No entanto, são tratados como vítimas, coitadinhos, pobres doentes contaminados pela angustia...

Aqui para nós, é preciso criminalizá-los. Identificá-los. Expô-los à sociedade. Torná-los responsáveis perante a Justiça, aplicando-lhes penas que, mesmo não sendo de prisão, precisam ser conhecidas dos vizinhos, parentes, patrões e empregados. Em especial os melhor favorecidos, os ricos e os integrantes das elites. Vale repetir, são eles os culpados pelo que vai acontecendo, porque se não existissem, não existiria o narcotráfico. Nem a guerra.

APOIO POPULAR

O povo do Rio aplaudiu a entrada das Forças Armadas na guerra travada em seu território. A Marinha saiu na frente, com os fuzileiros navais e seu equipamento. O Exército entrou ontem, assim como a Aeronáutica. Algo de novo aconteceu no cenário institucional, mais do que elogiável. Foram superadas décadas de indecisão. Ainda bem. Importa menos saber quem comanda as operações, pois a defesa da ordem pública é dever dos militares.

DILMA NO RIO?

O senador Pedro Simon sugeriu ontem, da tribuna do Senado, que a presidente Dilma Rousseff siga para o Rio o mais breve possível, solidarizando-se com a população e apoiando as autoridades empenhadas na guerra contra o crime organizado. O problema é que o presidente Lula ainda não foi. Talvez possa ir hoje, quando voltar da Guiana.

IMPASSE

PMDB e PT ainda não se entenderam a respeito da presidência da Câmara. A tradição recomenda que o partido com a maior bancada indique o presidente. Nesse caso, seria um petista, assim como a presidência do Senado está e continuará com o PMDB, com número superior de senadores. Quanto a promover um rodízio entre os dois partidos, na Câmara, só se for estendido ao Senado. Não chega a ser uma iniciativa ética buscar a formação de blocos com outras legendas, visando quebrar as maiorias. Até porque, o vento que sopra de um lado, sopra de outro.


Deu na Folha de São Borja



Coordenadora de Educação é exonerada por engano
Causou muita surpresa às pessoas ligadas à região educacional de São Borja um ato assinado pela governadora Yeda Crusius e publicado no Diário Oficial do Estado de segunda-feira, dia 25 de julho, que exonerou a coordenadora Regional de Educação, Meri Monzon. A surpresa é que o atual governo do PSDB só termina em 31 de dezembro e não teria razão para que a exoneração acontecesse dois meses antes. O clima na coordenadoria segunda-feira era de tristeza e de dúvidas, visto que ninguém esperava pelo ato. Meri estava como titular na 35ª CRE desde junho deste ano. Falando à reportagem da FSB na segunda-feira à tarde, a professora Meri Monzon disse que recebeu informação da secretaria estadual de Educação de que houve engano quanto à sua exoneração. Que muitos documentos com exonerações de detentores de cargos de confiança do governo do Estado foram assinados pela governadora Yeda Crusius e que o que constava seu nome não deveria ter sido redigido. A promessa da SEC, que afirma não ter partido dela a exoneração da coordenadora, promete reverter o caso até esta quarta-feira, dia 27.

O CARTEIRAÇO DO NELSON

NA DELEGACIA DO SOGRO DO FILHO!


Foi cremado na última sexta, o delegado Claudio Barbedo, que morreu vítima de um câncer.Conheci profissionalmente Barbedo quando ele comandava a então DFV(Delegacia Furto de Veiculos) no ano de 73,74. Ficava nos fundos do Palácio da Polícia e o Barbedo, pelo que me lembro, não dava muito moleza pros bandidos, não...

Era o tempo da ditadura militar e os familires dos presos não tinham como ir a Assembléia Legislativa se queixar que os presos estavam apanhando...

Nós repórteres às vezes tínhamos que entrevistar algum preso que estava com a cara muito inchada.Mas alguns " ratos" - era o termo que usávamos pro policial - quando viam que o repórter não era de muita confiança largavam de mão e diziam:
- Pô esse cara apanhou muito, não apresenta não...

Bom, mas o delegado Barbedo ocupou,depois do Palácio de Polícia,uma delegacia de bairro, no caso o centro da cidade, na Riachuelo.

Um dia, um amigo meu, o Nelson Gonzalez - cujo filho Nelsinho era casado com a Kátia, filha do Barbedo ( pô , o filho de um comuna, militante filiado ao Partidão durante muitos anos foi casar com a filha de um delegado que fora do DOPS - teve sua carteira roubado dentro da Santa Casa de Misericórdia, mais propriamente dentro do bureau que tem ao lado da cama do enfermo. Sua falecida esposa, Celina, estava internada ele foi pro consultório trabalhar e a Celina adormeceu. Os larápios não deram mole, nem no hospital : levaram a carteira do Nelson com um talão de cheques novinho em folha.

Ele depois que viu que foi roubado foi no administrativo do hospital, mas lá o mandaram registrar queixa na delegacia.

Ele procurou, já era noite, a delegacia da Riachuelo. Dois inspetores o atenderam.

- Ah, mas não é aqui, Santa Casa tem que registrar lá na Jacinto Gomes, disse um sonolento e cheio de má vontade o inspetor.

Nelson pensou e resolveu dar um carteiraço. Perguntou:
- Quem é o delegado aqui?
- É o Barbedo.
- Meu filho é casado com a filha dele, disse o velho comuna.

- Ah, desconfiou o inspetor, já achando que estava sendo vítima de um velhote malandro.

- E como é o nome dela, da filha do Barbedo.
- É Kátia, ela tem dois filhos com meu filho.

Em 30 segundos o chefe dos dois disse:
- Registra aí a queixa dele, faz o registro do furto.

- Mas porque agora vocês vão registrar, perguntou Nelson, já meio satisfeito, mas támbém puto da cara..

- Com um carteiraço destes, o senhor acho que a gente não ia registrar resignou-se o policial.

Secretária nota 10!

Não conheço a Jeane Morais, mas é ela que manda os textos do Chagas aqui pro Brog....

Ela, fiquei sabendo, vai tirar uma licença. Eu perguntei a ela se era licença maternidade. Mandou-me dizer que não é nada disto, que sai de cena um tempo " pra dar uma arrumada no corpo". Mas que de casa vai mandar os artigos. Ainda bem, porque com aqueles dois velhuscos, ninguém sabe mexer em internet....Inda mais o Serginho que veio aqui pro Sul, Jeane, com laptop e tudo, mas quase foi detido no aeroporto com aqueles suspensórios suspeitos. Os caras acharam que o Serginho era do Al Quaeda....

Ainda falando da Jeane, ela me diz na sua missiva tri simpática que não quer mais filhos. Te uma filhota de um ano e 3 meses e um guri de 10 anos. " Não quero mais filhos" diz ela taxativa....

Coleguinhas


Este repórter bisbilhoteiro e cheirador ( no sentido da notícia, por favor) descobriu que foifeio o auê entre o ex-chefe de imprensa do Grêmio, o Haroldinho(Haroldo dos Santos) e seu subordinado Márcio Neves.

- Vou fazer que nem o Bruno, teria ameaçado num momento de raiva, Haroldinho. Cruiz credo....


De São Borja

Muito exibido, o assessor do vereador Celso Lopes, o Letier Vivian anda lustrando as botas e pronto pra pegar um busun da Planalto pra vir pra posse da chefe Juliana Brizola, no dia 31.01.2011.

Porém anda se exibindo:
- Tu viu que todos os prefeitos de porto Alegre são da fronteira, me disse num rasgo de prepotência e cheio de orgulho
- O Tarso é de São Borja, O Raul, de Uruguaiana e o Olívio de Bossoroca.

Como eu não costumo perder pra fronteiriço, lhe larguei nas chincas:
- É que os gringos na Serra não tem tempo pra política. Lá eles trabalham pra sustentar o Estado....

Almoço no PIANTELLA

TODOS SABEM , ou deveriam saber, que o PIANTELLA é o restaurante dos chiques, dos que tem poder em Brasília. Lá iam Ulisses,Tancredo FHC et Caterva....
Pois o Serginho Ross anda sempre lá no domingo em companhia do seu amigo Carlos Chagas, colunista aqui deste brog, e familiares.( Durante a semana eles formam a mesa " mais inteligente de Brasília" mas é porque nela também é habitué o colunista político mais bem informado da capital federal, que é o CH.
( OMazzarino, aquele corneta de Encantando,vai dizer que estou puxando o saco do CH porque ele citou meu livro.E é verdade....)
Num domingo não muito distante, a Helena Chagas, filha do Carlos Chagas, também foi....Ora, a Helena tem tudo pra ser a ministra da Comunicação da presidenta Dilma Rousseff.Depois que a Helena , o pai, a mãe foram embora, a mesa do Serginho e amigos ficou atulhada de curiosos:
- Mas vocês são amigos da Helena é??? perguntam...

Em Brasília( tudo é cheiro de poder...)

NO BANCO DOS REUS, PENINHA

MARCHA COM 30 MIL REAIS!

Segundo informa o colunista Marco Antônio Birnfeld, no JC da sexta, o escritor Eduardo Bueno, o Peninha, foi condenado a pagar 30 mil reais ao juiz de futebol Carlos Eugênio Simon.

As ofensas que deram no processo e que geraram os danos morais foram escritas no livro NADA PODE SER MAIOR, do escritor.

Na queixa-crime, Simon relata que nos últimos tempos começou a receber cartas lhe reportando que no livro do Peninha estava sendo acusado de que " ser um dos que roubou o Grêmio ao longo dos últimos cem anos".


Vereador

O vereador Adeli Sell ( PT) volta ao batente nesta segunda, depois de um giro pela Europa, de férias....


Coleguinhas

Corneteando eles....


Tive um tempinho, ontem,d epois de ver dois bons filmes no Santander e dar uma olhada no brog do Lauro Dieckmann....Pô o Lauro " tá me copiando", só que melhor porque ele faz fotos dos lixos pela cidade....E também dá pau no trabalho dos coleguinhas....Fazer o quê, é da vida tem concorrentes à altura....eu sei que depois deste comentários seus acessos vão aumentar....

*No brog do Lauro, tem uma paulada num escritor gaúcho - pelo que entendi oué o Juremir Machado, ou nosso novo secretário da cultura Assis Brasil...Diz o Lauro que o camarada ensina o que não saber fazer, que é escrever....tem um ditado que diz que o cara vai ensinar, quando nãosabe fazer...

Secretariado...

Alguns setores da educação apostavam em dois nomes pra secretário de Tarso Genro: ou o que foi, o José, ou então Paulo Paim, que trabalha no Ministérioda Educação, no setor de educação de base.

O que se dizia era que José queria, mas que o governador tinha outra preferência....


ALÔ REMINDO!!!
ALÔ MAZZARINO!!!


Mazzarino:
Tu tens razão quanto a minha tolerância em relação ao Olides. Tu podes não acreditar,mas o cara me liga todas as manhãs por volta das sete horas, para conversar. Ele perde o sono e então liga o telefone. Aí fica me cobrando um monte de matérias como se ele
me pagasse alguma coisa. Até hoje espero os queijos e o vinho da Linha Onze, que me prometeu quando escrevi para o blog dele, as primeiras linhas.
Mas o pior Mazzarino, é que ele está ligando a cobrar...Mas deixa isso pra lá.
Um abração

Remindo

Tu entendes muito mesmo é do PT. Gosto de ver como defendes o partido e o teu líder, o cumpanheiro
Lula. Meus parabéns. Isso é bonito. Continue...Continue com a Dilma. Ela vai precisar muito de ti. Agora,de sanduíche aberto,tu não entendes nada. Eu posso te garantir,que só vi esse tipo de sanduíche aí no sul ou mais precisamente em Porto Alegre e em algumas cidades de colonização alemã
Mas hoje em Porto Alegre,só tem dois bares que servem esse tipo de comida. Um é o restaurante Prinz,lá no fim da linha do velho bonde Petrópolis.
Outro restaurante é o El Raton,que fica em frente ao Barranco. O sanduíche continua bom,mas o chopp é horroroso. Por falar em Barranco e churrasco,nos
fizemos uma aposta. Não me lembro o que foi. Mas se eu perder,(tu vais me lembrar)podemos comer o nosso churrasco no Barranco. Se bem meu caro Remindo,que comi lá três vezes e não comi bem. E isto, que em uma
das vezes,fui com a governadora Yeda Crussius...
Ah! Outra coisa: não vamos levar o Olides. Já tive algumas experiencias com ele e me dei mal. O cara
come como eu nunca vi alguem comer assim.
Um abração também
Sergio Ross




Tráfico...

Depois das imagens divulgadas ontem de crianças pobres nadando nas piscinas que os traficantes do morro proporcionam, não sei não.....O Estado não dá, o tráfego está dando....

Recebo e publico

Não vou polemizar com a Neuza Penalvo mas a informo que o referido palavrão a que Jango se referiu ao seu cunhado eu tenho a fita gravada de uma entrevista que fiz em São Borja...

Portanto, não " inventei" nada...


Jango/Brizola: Sr. Jornalista Canton, fiz um esforço tremendo e não consegui sequer imaginar de onde você conseguiu a informação, se é que conseguiu, acerca das relações do Dr. Jango e Dr. Brizola no exílio. Tenha certeza Sr. Jornalista, que o Dr. Jango, que eu recorde do tempo em que com ele convivemos ou de ouvir dizer, da lembrança de amigos ou pessoas que por diversas ciscustancias o conheceram, não costumava usar palavrões em seu vocabulário ou para se referir ao Dr. Brizola. Portanto, não tente fazer as vezes de historiador que você não é. Noticie os fatos do momento. Neuza Penalvo


Alcy Cheuiche retorna a Pelotas, sua cidade natal,
para o lançamento de João Cândido, o almirante negro
dia 30 de novembro (terça-feira)


Dez e meia da noite de 22 de novembro de 1910. Dois tiros de canhão sacodem a cidade do Rio de Janeiro. O jovem poeta Oswald de Andrade, que viria a tornar-se famoso alguns anos depois, é testemunha ocular daquele momento. Estilhaços de vidraças espatifando-se no chão. Habitués da Avenida Central correndo, apavorados, em diferentes direções. Um automóvel desgovernado que sobe na calçada. Ruído de ferro contra ferro. Faíscas do cabo elétrico de um bonde que escapara da roldana. O ruído lúgubre da sirene de um navio de guerra. Mãos trêmulas apontando para o lado do mar.
Assim começou a Revolta da Chibata , extraordinário acontecimento político e social narrado neste livro. Um capítulo da História do Brasil que chega ao centenário, mas ainda quase desconhecido do povo brasileiro. Certamente porque o marinheiro João Cândido, seu líder inconteste, foi um homem que nasceu filho de escravos, em 1880, e morreu como pária, em 1969, no auge da repressão da ditadura militar.
Por essa razão, o autor dedica esta obra a todos que ajudaram a tirar o Almirante Negro da sua última masmorra, o esquecimento. E a masmorra da Ilha das Cobras, onde João Cândido escapou da morte, é vizinha da outra de onde Tiradentes só saiu para ser enforcado.
Alcy Cheuiche, no dizer de Armindo Trevisan, é um dos mais notáveis ficcionistas do Rio Grande do Sul, situado entre os mais identificados com sua gente, seus ideais de cara limpa, suas noites estreladas.
Por isso, certamente, intercalada com a narrativa dos principais fatos ocorridos no Rio de Janeiro durante a Revolta da Chibata , o autor descreve imagens da vida de João Cândido a partir de sua infância em Encruzilhada do Sul, então um pequeno arraial pertencente ao município gaúcho de Rio Pardo. Libelo contra a escravatura, de ontem e de hoje, não é por acaso que o primeiro capítulo do livro situa-se em maio de 1888 e descreve O bambaquererê, a dança dos escravos fugidos comemorando a liberdade.
Quando o Almirante Negro coloca ao pescoço um lenço vermelho, única diferença de seu uniforme para o dos demais camaradas, o leitor já sabe que esse lenço é o mesmo dos Lanceiros Negros da Revolução Farroupilha. E ao acompanhar João Cândido na Amazônia, durante a revolta de Plácido de Castro, ou na Inglaterra, ao escutar a saga do encouraçado Potemkin, entende porque aquele marinheiro humilde foi capaz de liderar uma revolta que sacudiu as bases da estrutura reacionária e ainda escravagista do Brasil.

João Cândido, o almirante negro
Alcy Cheuiche
L&PM Editores
Formato: 14 X 21 cm
176 páginas R$ 32,00

Lançamento do livro João Cândido - O Almirante negro, de Alcy Cheuiche
Dia 30 de novembro (terça), às 19h
Instituto Simões Lopes Neto - Rua Dom Pedro II, nº 810 - Pelotas

Assessoria de Imprensa:
Simone Lersch

Cloraldino


As vezes o Serginho elogia....


OLIDES

Estou emocionado até as lagrimas. Pô,que blogue competente. Dez minutos depois de mandar uma noticia daqui de Brasilia.
a gauchada aí já no teu blog.

Tenho o material do Cloraldino aqui comigo.Mas se for para fazer gracinha,não mando porra nenhuma.


Sergio

DESDE QUE O MUNDO É MUNDO, A MESMA FARSA

Por Carlos Chagas

Não é por acaso que na Europa as populações protestam através de passeatas, greves e confrontos com a polícia. Em Portugal, França, Inglaterra, Grécia, Irlanda e outros países sucedem-se manifestações cada vez menos pacíficas contra os governos respectivos, elevando a temperatura em suas capitais e principais cidades. O cidadão comum europeu, com os estudantes à frente, protesta contra a adoção das milenares receitas para enfrentar crises econômicas: redução de salários, demissões de funcionários públicos, enxugamento das empresas privadas, também com dispensa de trabalhadores, aumento de impostos e supressão de direitos sociais.

Tem sido assim desde que o mundo é mundo: a conta dos erros, excessos e incompetência das elites vai para os menos favorecidos, incluindo-se a classe média no rol. Mesmo variadas, as causas da crise debitam-se em especial à especulação financeira, à ganância e à irresponsabilidade dos grupos econômicos, em geral artífices, formadores e integrantes dos governos.

Desta vez generaliza-se a reação dos oprimidos. Nada que possa redundar em revolução ou impasses institucionais profundos, mas, com toda certeza, movimentos capazes de alterar o equilíbrio político-partidário vigente na maioria dos países referidos. Basta esperar as próximas e sucessivas eleições para constatar que o conservadorismo estará saindo pelo ralo. Em termos democráticos, é a melhor solução, caso haja tempo para a extinção por via pacífica da farsa das elites.

Essas considerações se fazem a respeito das recentes declarações de Guido Mantega, conservado no ministério da Fazenda, pela necessidade de o Brasil apertar o cinto. A barriga continua sendo a nossa, ou seja, os funcionários públicos não terão reajuste salarial, ano que vem, os cortes atingirão os investimentos públicos e o custeio da máquina oficial, além da ameaça de aumento de impostos. A mesma receita, por enquanto menos aguda do que no Velho Mundo, mas seguindo o modelo de sempre.

Nem lá nem cá o poder público preocupa-se em tirar recursos de onde eles são fartos. Nada de taxar especulações, muito menos de restringir privilégios e benefícios das elites. É bom tomar cuidado. Um dia as manifestações de protesto eclodirão por aqui, e não haverá bolsa-família que dê jeito...

É TERRORISMO MESMO

O que aconteceria caso os narcotraficantes estivessem vendendo livros de Marx e Lênin em vez de cocaína, pregando a ditadura do proletariado em lugar de dominarem comunidades cada vez maiores no Rio de Janeiro, onde pensa o leitor que estariam as Forças Armadas? Claro que nas ruas, com todo o seu poderio, combatendo e esmagando a subversão.

Qual a diferença, se a antiga capital vive dias de guerrilha urbana explícita, com todo o horror e a bestialidade que mídia apresenta? Nenhuma, porque metralhar postos policiais em nada difere de explodir quartéis, como queimar ônibus e carros particulares é a mesma coisa do que incendiar viaturas militares.

Com todo o respeito, as Forças Armadas já deveriam estar ocupando bairros e subúrbios do Rio, intimidando com sua presença a ação do terrorismo. Invadir as bocas de fumo no alto das favelas difere em quê, das operações antes desencadeadas contra “aparelhos” no alto de edifícios?

À maneira dos paquidermes, o poder público arrasta-se no sentido de reconhecer a necessidade imperiosa de mobilizar Exército, Marinha, Fuzileiros e Aeronáutica. Já era para o presidente Lula ter dado a ordem, com base na Constituição, mesmo sendo o bandido de bermudas e sandálias havaianas fisicamente distinto dos subversivos do passado, de calças jeans, camisas pólo e sapatos sem cadarço.

A pedido das autoridades fluminenses a Marinha saiu na frente, oferecendo viaturas de combate para a Polícia Militar invadir uns tantos morros. Falta pouco, mas é um parto perigoso, significando perda de tempo por parte do poder público e ocupação de espaços, pela bandidagem. O terrorismo tem muitas faces, mas Osama Bin Laden e Elias Maluco formam uma só pessoa.

A TAREFA MAIS DIFÍCIL

Montada as equipes econômica e palaciana, por Dilma Rousseff, aceitando indicações do Lula, mas nem tanto, a pergunta é como a presidente eleita se livrará da tutela dos partidos da base oficial. Chegou a hora de começar a escolher os representantes do PT, do PMDB, do PSB e outros aliados. Caso prevaleçam as indicações partidárias exclusivas, começará aos tropeções o novo governo. Menos mal se ela exigir dos partidos a apresentação de gente com capacidade óbvia para dirigir os diversos setores da administração pública.

Já se alertou aqui para a importância de a presidente dar um murro na mesa. Se deu, estava de luvas. Ou atingiu apenas o vento.

A corrida por lugares na equipe não se limita a ministérios, envolvendo diretorias de órgãos da administração direta e de empresas estatais. O perigo é de um agrônomo acabar nomeado para a Fundação Nacional de Saúde ou de um médico tornar-se coordenador político (ops, cala-te boca...).

ANTES DA HORA NÃO É HORA

O comentário era do presidente Castello Branco: “antes da hora, não é hora, mas depois da hora, também não”.

Tem gente cobrando de Dilma Rousseff definições que ela ainda não pode tomar. Como escolher o novo ministro das Relações Exteriores sem antes definir se manterá a política ditada por Celso Amorim, de que só diplomatas de carreira devem ocupar embaixadas e postos correspondentes do Brasil, lá fora? O presidente Lula começou nomeando três embaixadores fora da carreira: Itamar Franco para a Itália, Paes de Andrade, para Portugal, e Ildem Santiago, para Cuba. Em menos de dois anos o ainda chanceler conseguiu tirar o tapete dos três, convencendo o chefe de só indicar funcionários do Itamaraty.

Historicamente, nossas representações lá fora tem servido para acomodar políticos, amigos e até incomodas presenças para os donos do poder. Delfim Netto foi mandado por Ernesto Geisel para Paris, já que aqui continuaria criando problemas. Dilma Rousseff não teria de quem se livrar, a começar pelos companheiros derrotados no último outubro? O novo (ou a nova) chanceler, antes da escolha, precisará definir-se a respeito da norma do antecessor, ou melhor, esperar que a presidente eleita se defina.

ÂNGELA JOBIM E BANDA MUNICIPAL JUNTOS NO MULTIPALCO




A Banda Municipal de Porto Alegre vai se juntar à cantora Ângela Jobim para o show que será realizado no dia 1º de dezembro, quarta-feira, a partir das 19h, na concha acústica do Multipalco do Theatro São Pedro. A entrada é um quilo de alimento não perecível. A regência da Banda estará a cargo do maestro Marcelo Nadruz.
Ângela irá interpretar canções como “Baby” e “Tropicália”, ambas de Caetano Veloso; “Sabiá”, de Tom Jobim e Chico Buarque de Holanda; “Que Pena”, de Jorge Ben Jor e Toquinho; “Arrastão”, de Edu Lobo e Capinam e “Cérebro Eletrônico”, de Gilberto Gil. Já a Banda Municipal vai mostrar “Bebê”, de Hermeto Pascoal; “Maria Maria”, de Milton Nascimento e Fernando Brant; “Três Jóias da MPB (“Se Todos Fossem Iguais a Você”, de Tom Jobim & Vinícius de Moraes; “As Rosas não Falam”, de Cartola e “Isso Aqui o que é, de Ary Barroso”) e “Symphonic Overture”, de Charles Carter, entre outras.



De acordo com a diretora da Banda Municipal, Liane Schüler, “este concerto será uma oportunidade de mostrar um formato sinfônico da banda, já que estão sendo contratados mais dez músicos para a ocasião”. Salienta também que “é um sonho antigo contar com um número de músicos adequado aos parâmetros do que se convencionou chamar de Banda Sinfônica”. Além disso, Liane Schüler destaca que “é uma grande honra para a Banda Municipal realizar um evento ao lado de uma cantora da qualidade de Ângela Jobim”.
Com isso, fecha-se o círculo de trabalhos da Banda Municipal com as principais intérpretes femininas de Porto Alegre, já que, em duas ocasiões anteriores, foram realizadas apresentações com nomes como Marisa Rotenberg, Vanessa Longoni, Renata Adegas e Andréa Cavalheiro. O show terá entrada franca, sendo recomendada a entrega de um quilo de alimento não-perecível destinado às instituições carentes da capital.
A realização é da Coordenação de Música da Secretaria Municipal da Cultura, que está a cargo de Jorge André Brittes.


SERVIÇO:
SHOW DE ÂNGELA JOBIM & BANDA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE

DIA 1º DE DEZEMBRO – QUARTA-FEIRA – 19H

CONCHA ACÚSTICA DO MULTIPALCO DO THEATRO SÃO PEDRO

ENTRADA FRANCA – UM QUILO DE ALIMENTO NÃO-PERECÍVEL


COORDENAÇÃO DE MÚSICA: 3289-8119

DIREÇÃO DA BANDA MUNICIPAL: 3289-8147

Teixeirinha

Na ultima quinta, dia 25.11 começou na Casa de Cultura, com um filme, Teixeirinha sete provas, onde atua também JIMY PIPIOLLO, QUE VEIO de Tramandaí, onde reside e tem 71 anos, os eventos para lembrar os 25 anos da morte do cantor e compositor Victor Matheus Teixeira, o TEIXEIRINHA..

o COLEGA Gelson Farias, que foi o repórter que cobriu pela ZH a morte do cantor, fez um resgate de sua memória.

Como fã incondicional do Teixeirinha que é ( embora ele tenha vergonha de dizê-lo) eu sei que o Serginho Ross vai ler este material, vai imprimir e levar para a " mesa mais inteligente de Brasília" no Stela Grill.

Serginho, nos anos em que andávamos vistoriando rodovias na Amazônia tinha a mania de nos acordar,de madrugada, botando no seu gravador, uma fita com músicas do "compadre Teixeira"



Teixeirinha: o maior fenômeno musical do Rio Grande do Sul


Teixeirinha gravou 700 músicas em 49 discos e vendeu mais de 25 milhões de cópias - 1985

Por Gelson Farias



Estátua em homenagem a Teixeirinha, em Passo Fundo


Teixeirinha teve uma infância difícil, especialmente por ter perdido aos sete anos o pai, um carreteiro e aos nove anos a mãe, em um incêndio. Vítima por um câncer, Teixeirinha morreu na noite do dia 4 de dezembro de 1985. Em 1960, Teixeirinha estoura nas paradas de sucesso com a música "Coração de Luto", que descreve sua triste infância e principalmente a morte trágica de sua mãe. O lançamento de "Coração de Luto" tornou-se sucesso nacional, pois vendeu milhões de cópias e se tornou um dos singles mais vendidos da história da música mundial. "Coração de Luto" chegou a ser regravada por diversos intérpretes, entre eles, a dupla sertaneja Milionário & José Rico com uma roupagem sertaneja. Em 1961 conheceu em Bagé a cantora Mary Terezinha, que se tornou sua efetiva companheira. Atuou também no cinema, sendo que o filme Coração de Luto, de 1967, era uma autobiografia.



Olides, como mostra a capa da Zero Hora, ( acima) na noite em que Teixeirinha morreu, ( 4 de dezembro de 1985) eu estava chegando para mais um plantão do setor de polícia da Zero Hora. Eram aproximadamente meia noite e 50mt, quando o Carlos, um amigo que trabalhava no Instituto de Criminalística, me ligou. “ Olha, Gelson, estou indo para a casa do Teixeirinha. Ele morreu há cerca de duas horas.”. Agradeci pela informação ao Carlos, e liguei para o plantão do Centro de Operações (CO), (hoje extinto) da polícia civil, para falar com o delegado Olorival Meleu Brasil. Confirmada a notícia, fui comunicar o fato ao Editor-chefe, Carlos Fellberg. Como era naquela época o costume de rodar primeiro o jornal que vai para o interior do Estado, a notícia da morte de Teixeirinha saiu somente para os leitores da capital e grande Porto Alegre. Não esqueço que nesta noite, tive o auxílio do jornalista João Paulo, da redação da ZH. Preparamos três boas laudas sobre os acontecimentos que resultaram na sua morte e uma pequena biografia do cantor Teixeirinha.


Túmulo do cantor no cemitério da Santa Casa.


Teixeirinha foi um típico músico da linha mais popular da música gaúcha, tendo-se tornado, em seu tempo, um ícone do estilo. Uma de suas canções mais famosas é "Querência Amada", que em sua introdução possui uma dedicatória ao pai e acabou se tornando um hino informal ao Rio Grande do Sul. Teixeirinha e Mazzaropi foram os maiores fenômenos populares do cinema sul-americano regional. No caso do cantor gaúcho, seus filmes chegaram a superar 1,5 milhões de espectadores, obtidos apenas nos três estados do sul do país. Eram co-produzidos por distribuidores e exibidores locais, que lhes asseguravam a permanência em cartaz. Sua última produção, "A Filha De Iemanjá" foi distribuída pela Embrafilme com fracos resultados. Uma análise mais detalhada dos resultados de exibição pode conduzir a uma melhor compreensão da relação regional da distribuição e da exibição.



Gremista, o corpo foi velado no salão nobre do Grêmio

Teixerinha teve um recorde de venda de discos sendo que até 1983 vendeu 88 milhões de cópias.Estima-se que até os dias atuais tenha ultrapassado a marca de 120 milhões de cópias em todo o mundo Teixeirinha teve 6 filhas e 3 filhos, Marisa Sirley; Liria Luisa; Victor Filho; Margareth; Elizabeth; Lisete Fátima; Márcia Bernadeth; Alexander e Liane Ledurina. Teixeirinha, um dos maiores músicos brasileiros, morreu no dia 4 de dezembro de 1985 e está enterrado no cemitério da Santa Casa em Porto Alegre Rio Grande do Sul
Discografia
• 1960 - O Gaúcho Coração do Rio Grande
• 1961 - Assim é nos pampas
• 1961 - Um gaúcho canta para o Brasil
• 1962 - Teixeirinha, volume 4
• 1963 - Saudades de Passo Fundo
• 1963 - Teixeirinha interpreta
• 1963 - Êta gaúcho bom
• 1964 - Teixeirinha Show
• 1964 - Gaúcho autêntico
• 1964 - Canarinho cantador
• 1965 - O rei do disco
• 1965 - Bate-bate coração
• 1965 - Disco de ouro
• 1966 - Teixeirinha no cinema
• 1967 - Coração de Luto - trilha sonora do filme
• 1967 - Mocinho aventureiro
• 1967 - Dorme Angelita
• 1968 - Doce coração de mãe
• 1968 - Última tropeada
• 1969 - O rei
• 1969 - Volume de prata
• 1970 - Carícias de amor
• 1970 - Doce Amor / Vejo Nosso Amor no Fim
• 1971 - Num Fora de série
• 1971 - Entre a cruz e o amor
• 1971 - Chimarrão da hospitalidade
• 1972 - Ela tornou-se freira - trilha sonora do filme
• 1972 - Minha homenagem
• 1973 - O Internacional
• 1973 - Sempre Teixeirinha
• 1974 - Última Gineteada / Menina que passa
• 1975 - Pobre João - trilha sonora do filme
• 1975 - Aliança de ouro
• 1975 - Lindo Rancho
• 1977 - Novo Som de Teixeirinha
• 1977 - Norte a Sul
• 1977 - Canta meu povo / Fronteira gaúcha
• 1978 - Amor de verdade / Inseparável violão
• 1978 - Menina da gaita / O Centro-Oeste brasileiro
• 1979 - 20 anos de glória
• 1979 - Menina da Gaita
• 1980 - Menina Margareth / Vida e morte
• 1981 - Rio Grande de Outrora / Crime de Amor
• 1981 - Iemanjá - trilha sonora do filme
• 1982 - Que droga de vida / Infância frustrada
• 1982 - Os Reis do Desafio - Dez desafios inéditos - Teixeirinha e Mary Terezinha
• 1983 - Chegando de longe / Apenas uma flor
• 1984 - Guerra dos desafios - Teixeirinha e Nalva Aguiar
• 1984 - Quem é você agora / Amor desfeito
• 1985 - Amor aos passarinhos
• 1993 - Milonga da Fronteira [Contendo os grandes sucessos de Teixeirinha](Póstumo)
• 1994 - Teixeirinha Canta com Amigos (Póstumo)
Participação Especial
• 1980 - A Grande Noite da Viola - ao vivo
Filmografia
• 1967 - Coração de Luto
• 1969 - Motorista sem limites
• 1972 - Ela Tornou-se Freira
• 1973 - Teixeirinha 7 Provas
• 1974 - O Pobre João
• 1976 - Na Trilha da Justiça
• 1976 - Carmen a Cigana
• 1976 - A Quadrilha do Perna Dura
• 1978 - Meu Pobre Coração de Luto
• 1978 - Gaúcho de Passo Fundo
• 1979 - Tropeiro Velho
• 1981 - A Filha de Iemanjá


Teixeirinha no Canadá


Que Teixeirinha alcançou um sucesso incontestável no Rio Grande do Sul e em todo o Brasil, é um fato comprovado. Seus programas de rádio eram transmitidos ao vivo para diversas rádios gaúchas e por tapes para emissoras de outros estados brasileiros. Os filmes, através de distribuidoras variadas, chegavam às salas de cinema de Norte a Sul. Já os discos podiam ser encontrados nas melhores lojas do ramo, como se dizia na época. O brasileiro, portanto, não tinha dificuldades para ouvir e ver Teixeirinha (e olha que nem toquei nas tantas vezes em que o cantor participou de programas de TV e nem nas diversas publicações onde ele aparecia). Mas, não é de hoje que muitos brasileiros saem da pátria verde-amarela para tentar a vida em terras estrangeiras. Já nos anos 60 e 70 eram milhares os emigrantes brasileiros pelo mundo. Como destinos principais, a Europa e os Estados Unidos se destacavam na preferência dos que buscavam melhores condições de vida em outros países.



A antiga residência de Teixeirinha da Oscar Pereira ainda hoje é parada obrigatória para os fãs do cantor. A propriedade é enorme, lembrando uma chácara urbana. A casa, no mais alto estilo dos anos 1970, tem a sua piscina em forma de cuia de chimarrão.

Vitor Mateus Teixeira, nascido em 3 de março de 1927, no interior do município de Rolante, teve uma infância dramática: aos seis anos, perdeu o pai, vitima de um ataque cardíaco. Aos nove, morreu sua mãe, que, durante uma crise de epilepsia, caiu sobre o fogo que ateava em folhas secas. Sozinho, mudou-se para Porto Alegre, onde vendeu balas, entregou viandas e trabalhou em pensões de estudantes, antes de se tomar conhecido como Teixeirinha, um dos maiores fenômenos da indústria fonográfica do país e um dos principais nomes do regionalismo gaúcho.
Vitimado por câncer, Teixeirinha morreu no dia 4 de dezembro de 1985. Mais de 50 mil pessoas acompanharam o cortejo fúnebre até o Cemitério da Irmandade Santa Casa de Misericórdia, em Porto Alegre. Durante o tempo todo, foram cantados alguns de seus grandes sucessos. Suas músicas, por sinal - foram mais de 700, gravadas em 49 discos que até hoje continuam sendo vendidos -, já haviam sido imortalizadas. Teixeirinha aprendeu a tocar violão de ouvido. No final de sua adolescência, começou a se apresentar em programas de auditório no interior. Foi num deles que, em 1959, recebeu o convite para gravar seu primeiro disco, em São Paulo, com as faixas Briga no Batizado e Xote Soledade.
Depois, gravaria aquele que seria o maior sucesso musical da história do país: Coração de Luto, um drama inspirado na morte de sua mãe. Na opinião da crítica, uma composição de "muito mau gosto". O grande público, porém, não pensou assim. A música foi a mais vendida em todos os tempos, no Brasil e a principal responsável pelo sucesso de Teixeirinha. Entre 1960 e 1995, 25 milhões de cópias de seus 49 compactos, LPs e CDs foram vendidas. Houve época em que seus discos, gravados pela Chantecler, eram prensados em três fábricas e, mesmo assim, a gravadora não conseguia atender à demanda. Caminhões carregados nem chegavam aos depósitos. Eram levados diretaincnte para as distribuidoras e lojas.
No final dos anos 50, Teixeirinha casou-se com Zoraida, mãe de seis de seus oito filhos. Em 1961, durante uma apresentação em Bagé, conheceu Mery Terezinha, uma garota de apenas 14 anos que tocava todas as suas músicas no acordeão. Começou ali unia parceria que extrapolaria os palcos. Com Mery, ele gravaria a maioria de seus discos, dividiria durante mais de 15 anos programas líderes de audiência no rádio, faria 12 filmes e teria dois filhos. Teixeirinha manteve duas famílias até 1983, quando Mery o abandonou para se casar com o mentalista Ivan Trilha. Essa separação o deixaria muito abalado, a ponto de sofrer um enfarte no ano seguinte.
Teixeirinha foi sucesso também no cinema, atuando em 12 filmes: Coração de Luto, Motorista sem Limites, Pobre João, A Quadrilha do Perna Dura, Meu Pobre Co@o de Luto, Tropeiro Velho, Ela Tornou-se Freira, Teixeirinha a Sete Provas, Cannen, a Cigana, Na Trilha da Justiça, Gaúcho de Passo Fundo e A Filha de Iemanjá.
Decorridos 14 anos de sua morte, o cantor, que foi um personagem dominante na música regionalista por mais de 25 anos, continua sendo uma referência, conhecido também no Exterior, em países africanos e europeus e nos Estados Unidos, onde fez muitos shows.
Foi, também, tema de uma dissertação de mestrado apresentada pela gaúcha Miriam de Souza Rossini, publicado com o título Teixeirinha e o Cinema Gaúcho. SE OUTRO CABELUDO APARECER...



Em 1959, Teixeirinha gravou e lançou seu primeiro disco de 78 RPM. No mesmo ano, um outro cantor desconhecido tentava o sucesso com as músicas “João e Maria” e “Fora do Tom”. Este desconhecido era o capixaba Roberto Carlos, na época com apenas 18 anos de idade. É no mínimo curioso o fato de que os dois cantores tenham gravado pela primeira vez no mesmo ano. Mas as coincidências não param por aí. As primeiras gravações de Roberto Carlos não alcançaram sucesso imediato, assim como acontecera com Teixeirinha. Ambos também demoraram 2 anos até que gravassem o primeiro álbum.
A maior diferença é que, em 1961, enquanto Teixeirinha vendia “O gaúcho coração do Rio Grande” (seu primeiro LP) como água, Roberto Carlos amargava o pouco sucesso de seu LP “Louco por você”.Como todos sabem o sucesso logo bateu à porta de Roberto Carlos. Com a explosão da Jovem Guarda (1965), o cantor se popularizou, impôs o estilo “roqueiro” e se tornou – ao lado do próprio Teixeirinha – o maior fenômeno de vendas em todo o país. Suas músicas nestes anos 1960 tratavam de carrões, namoro e muito, mas muito iê-iê-iê.
De estilos bastante diferentes – um roqueiro e um gaúcho – Roberto Carlos e Teixeirinha acabaram construindo carreiras sólidas e que resistiram ao tempo. Com grande potencial artístico, exploraram ao máximo seu talento. Através da música (cantando ou compondo), lotaram auditórios em todo o país e se tornaram reis: o gaúcho o “Rei do Disco”; o capixaba, simplesmente “O Rei”.
Em 1967, quando chegou às telas de todo o país o estrondoso sucesso “Coração de Luto” – filme produzido pela Leopoldis Som e encenado por Teixeirinha – Roberto Carlos também estreava no cinema. O filme era “Roberto Carlos em ritmo de aventura”, dirigido por Roberto Farias. “O Rei” ainda atuaria em mais dois longas-metragens. Já Teixeirinha, apareceria em 12 filmes. Neste mesmo ano de 1967, porém, Teixeirinha e Roberto Carlos se “encontraram” em uma música pela primeira vez. Não, eles não gravaram juntos. Tampouco um gravou composições do outro. O “encontro” foi promovido pelo próprio Teixeirinha e de forma quase subliminar na rancheira “Lindo brotinho”, gravada pela Copacabana e lançada no LP “Dorme Angelita”.“Lindo brotinho” é uma nítida alfinetada muito bem humorada de Teixeirinha aos cantores da Jovem Guarda, em especial Roberto Carlos. Na letra, Teixeirinha diz que tem uma linda moreninha (o brotinho, gíria dos jovens da época) e que passa maus bocados escondendo a bela dos “cabeludos”. Na terceira estrofe da rancheira, Teixeirinha fala num tal cabeludo a duzentos por hora num calhambeque! E mais: diz que quando ele pára o carro, tira os cabelos dos olhos e fala “É uma brasa, mora!”. Era o “Rei” dando em cima da morena de Teixeirinha...
A música fala de outras figuras que “arrastam a asa” para o brotinho. Mas é impossível não reparar na menção explícita que Teixeirinha faz ao tal cabeludo do calhambeque:

*

Eu tenho uma moreninha
Um lindo brotinho, conto pra vocês
Por causa dos cabeludos
Já escondi ela até no xadrez

Um deles, muito intrometido
Quis conquistar ela, proposta ele fez
Eu apelei pra ogum
Sarava pra ti, tu-tu-fum três ‘vez’

*

“Sai, meu irmão... Vai em frente! Sai da linha!”
Esses ‘dia’ ela saiu na rua
Passou um cabeludo a duzentos por hora
Travou o seu calhambeque
Saiu do asfalto, derrapou lá fora

Tirou o cabelo dos ‘olho’
Disse pro meu broto: ‘É uma brasa mora!’
Meu santo baixou ali
Sarava pra ti, tu-tu-fum, vai embora

*

“Essa não é tua terreira, meu irmão! Vai baixar noutro lugar!”
Eu tenho ciúmes dela
Porque a moreninha é gostosa demais
Um velho de setenta anos
Viu o meu brotinho, quis bancar o rapaz

A dez por hora na sua lambreta
É uma brasa fria que não queima mais
Chamei ogum ligeirinho
Sarava, velhinho bobo não dá mais

*

“Que isso vovô? Seu tempo já passou! Sai da encruzilhada!”

A moreninha ginga a cinturinha
Quando ela passa todos ‘fica’ olhando
Até o guarda lá da sinaleira
Erra o seu controle, fica só manjando

Ela me vê e corre pro meu lado
Todo enciumado, fico criticando
Carrego ela pra casa
Eu também sou brasa que ainda está queimando
Nem me botando água eu não me apago!”


E foi justamente assim que aconteceu aquele que, talvez, tenha sido o único encontro entre os dois reis.

Que Teixeirinha havia atuado em rádio, disco, cinema e televisão todo mundo já sabia. Agora, você sabia que ele também foi personagem de história em quadrinhos? Isso mesmo! Foi em 1974, na revista “Coração de Luto em quadrinhos”.

Não se sabe de quem foi a idéia da publicação. O que sabemos é que, depois do sucesso da música e do filme “Coração de Luto”, a carreira de Teixeirinha ficou tão ligada ao fenômeno que não faltaram maneiras de explorá-lo. A revista em quadrinhos, com primeira edição de 1974, teve tiragem inicial de 10.000 exemplares. Ela foi impressa pela Editora Metrópole de Porto Alegre, mas deveria ser pedida num endereço bastante conhecido: a Galeria Di Primio Beck, onde se localizava o escritório de Teixeirinha. Num momento posterior, a revista ganhou uma segunda edição, com a mesma tiragem. Os 20.000 exemplares foram esgotados tão logo chegaram às bancas.
“Coração de Luto em quadrinhos” tinha como história central a saga de Teixeirinha quando menino. A revista baseia-se por completo no roteiro da primeira parte do filme “Coração de Luto”, descrevendo os passos do pequeno Vitor Matheus Teixeira do nascimento até a orfandade, com nove anos. A criação, adaptação e os desenhos ficaram sob responsabilidade de Fernando Jorge Uberti. Já a supervisão do projeto foi encargo da Person Publicidade LTDA. A apresentação inicial do livrinho foi assinada pelo conhecido Darcy Fagundes, que em determinado momento afirma: “Esse Teixeirinha é gente, barbaridade. Sempre foi, desde que nasceu.”
A história de “Coração de Luto” traz 39 páginas com as principais fases da vida do menino Vitor. Os desenhos retratam a vida no interior, as dificuldades enfrentadas por Ledurina e Saturnino (pais de Teixerinha) e as tragédias que abalariam a vida do futuro cantor. No último instante, uma passagem interessante: “O que viria depois era ainda uma interrogação para aquele menino órfão, com o coração de luto, que chegava sozinho para enfrentar o desconhecido. Mas duas coisas ele trazia consigo: a certeza de que o futuro não poderia ser pior do que o passado; e o violão, a única companhia que lhe restou.”
Mas “Coração de Luto em quadrinhos” não trazia apenas a trágica infância do Rei do Disco. Na metade final da revista, é mostrada um pouco da intimidade do cantor em “Assim vive Teixeirinha”. São dezenas de fotos do artista em sua casa na Glória em Porto Alegre. No pátio, na varanda, na piscina em formato de cuia, assistindo televisão, no aconchego de seu lar. São diversas poses de Teixeirinha, ora abraçado a violões, ora dirigindo alguns de seus automóveis.
Divididas por determinados temas, algumas fotos mostram Teixeirinha em meio a bezerros, cavalos, porcos e outros animais naquele que, supõe-se, seria o futuro Rancho do Capivari. Uma das fotos que mais impressiona é a do interior de seu escritório, onde se avistam milhares (quem sabe milhões) de cartas de seus fãs. Uma terceira parte da revista (que tem, no total, 65 páginas), traz algumas das letras mais famosas do cantor. Dentre elas, destacam-se a toa da Milonmga “Coração de Luto” e “Relho Trançado”. Na contracapa, uma bonita foto de Teixeirinha e Mary Terezinha (ele abraçado ao violão e ela à acordeona). O retrato segue acompanhado pela dedicatória “A você, com nosso carinho” e o autógrafo dos cantores. Um trabalho muito bem feito, onde se destacam a preocupação com a qualidade do material e satisfação do leitor.
“Coração de Luto em quadrinhos” foi comercializada no Brasil por Cr$ 10,00 e em Portugal por Esc. 50$00. Isso mesmo! A revista foi parar até na terra de Cabral, comprovando o sucesso do cantor por além-mar. Apesar do bom número de exemplares vendidos, podemos imaginar que muitos deles não tenham sobrevivido até o presente.

EDUCAÇÃO
Premiação valoriza o hábito da leitura

 

Será realizado na próxima segunda-feira (29/11) a solenidade de entrega da premiação no projeto Prêmio Leitura na Escola. O ato acontecerá no plenário da Câmara de Vereadores a partir das 9h30. O Prêmio, realizado pela Secretaria de Educação e Cultura, está em sua sexta edição e engloba todos os alunos das escolas municipais, estaduais e particulares. A premiação é destinada ao estudante que possuir mais assiduidade na leitura dos livros das bibliotecas internas das escolas e/ou da Biblioteca Pública Municipal Getúlio Vargas. Após a leitura do livro, o aluno elaborará um resumo com a sua interpretação ao texto.
O projeto é divido em duas fases, sendo a primeira até julho e a segunda a partir de agosto. O prêmio é um diploma em três vias, que contém os dados e foto do vencedor do concurso, além de uma coleção de livros. Também recebem menção honrosa os educadores responsáveis e os diretores das escolas vencedoras. A EMEF do Ivaí foi contemplada com um microcomputador e mobiliário por contar com o maior número de alunos vencedores na soma das duas etapas.
De acordo com a secretária Ana Claudia Gattiboni Dutra o objetivo do Leitura na Escola é estimular a leitura entre crianças e jovens, ampliando os horizontes dos conhecimentos através dos livros.

Resultado da 1ª etapa:
Alunos participantes - 315
Trabalhos produzidos - 2.909
Escolas participantes - 14
Alunos vencedores:
3ª e 4ª séries: Maurício Stefano Martins da Silva
Centro Escolar de Turno Integral Municipal Neuza Goulart Brizola - CETIM
5ª e 6ª séries: Mariane Rodrigues de Oliveira
Escola Municipal de Ensino Fundamental Ivaí
7ª e 8ª séries: Juliana Costa Dornelles
Escola Municipal de Ensino Fundamental Ivaí
2º e 3º anos: Juliano Antunes
Escola Municipal de Ensino Fundamental República Argentina
4º e 5º anos: Ane Isabelle Cardoso Dorneles
Centro Escolar de Turno Integral Municipal Neuza Goulart Brizola - CETIM

Resultado da 2ª etapa:
Alunos participantes - 428
Trabalhos produzidos - 2785
Escolas participantes - 12
Alunos vencedores:
3ª e 4ª série: Claiton Amaral Oliveira
Escola Municipal de Ensino Fundamental Bom Sucesso
5ª e 6ª série: Silvana Faguaça Skrebsky
Escola Municipal de Ensino Fundamental Ivaí
7ª e 8ª série: Andressa Rosa Araújo
Escola Municipal de Ensino Fundamental Ivaí
2º e 3º ano: Vanessa Marante Martins
Centro Escolar de Turno Integral Municipal Neuza Goulart Brizola - CETIM
4º e 5º ano: Paulo Onesio da Silva Junior
Escola Municipal de Ensino Fundamental Ivaí

Crédito imagem: DECOM/PSB

Lançamento do Prêmio ocorreu em março

MEIO AMBIENTE

Contrato permitirá o plantio de 140 mil mudas de árvores nativas em São Borja

Um contrato firmado entre a Associação dos Municípios da Fronteira Oeste (AMFRO) e a prestadora de serviços ambientais, Ibirubá Florestal Ltda, vai garantir o plantio de 812 mil mudas de árvores nativas em áreas degradadas. A ação teve origem no programa “Árvore é vida” de responsabilidade do Departamento de Florestas e Áreas Protegidas (DEFAP) da Secretaria Estadual do Meio Ambiente. As mudas irão beneficiar os 12 municípios que fazem parte da associação. O Prefeito de São Borja e atual presidente da AMFRO, Mariovane Weis irá a Porto Alegre nesta terça-feira (30/11) para assinar o convênio para o recebimento. O prefeito estará acompanhado do secretário de Desenvolvimento Rural Odilon Bilhalva da Silva. A assinatura do documento acontecerá na sede da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (SEMA), na rua Carlos Chagas, nº 55, as duas horas da tarde.

Conforme Weis, São Borja é o município que mais vai receber as mudas. Ele considerou uma conquista da AMFRO em sua gestão. “Este é o maior projeto de reflorestamento já desenvolvido na Fronteira Oeste. Esta ação contribuirá diretamente com a preservação do meio ambiente, além de deixar as cidades mais bonitas”, destaca.

O repasse das mudas é uma espécie de compensação de uma empresa multada por prejuízos ambientais. O ressarcimento chega a aproximadamente R$ 1,3 milhões.

Pref. municipal de São Borja


O MINISTRO NÃO TERIA

ACEITADO A PROPOSTA


Vou vender este " peixe " do modo que me contaram....No final do governo Figueiredo, Cloraldino Severo foi ao Rio, onde já havia sido aberto um famoso inquérito da Sunamam( Superintendência Nacional da Marinha Mercante).
Havia trapaças na forma como se conseguia o dinheiro e no fabrico dos navios....

Mas em fim de Governo, estava dificil tocar adiante a investigação...

Depois de um dia de muitas reuniões, o então Ministro dos Transportes do Governo Figueiredo, Severo, foi visitado no escritório do DNER em que despachava quando estava na capital carioca um emissário de um grupo de armadores.

Na sala com Cloraldino, naquele final de tarde de uma sexta-feira carioca, estava seu então assessor de imprensa, o nosso conhecido Sérgio Ross.
O emissários dos armadores perguntou a Cloraldino, que o recebeu em pé, se Sergio podia ficar na sala( antes do emissário entrar, o ministro pediu ao seu acompanhante que não saísse da sala...já tinha intuído para o que seria procurado...)

- Ministro o senhor tem tanto( e aí falou em cifras...) depositado no tal banco pra não mexer no inquérito da Sunamam. Simplesmente não mexa, deixe na gaveta....

Cloraldino,segundo a versão que me contaram, simplesmente agradeceu a visita e despachou o emissário.

Ele e Serginho Ross pegaram um táxi e enquanto iam pro Galeão pra tomar o avião pra Brasília, Cloraldino disse ao seu subordinado:

- O que tu achastes?
- Do que ministro?
- Da proposta e da minha resposta?
Aí Cloraldino comentou:
- Em compensação agora vou chegar em casa e quando for dormir, vou pôr a cabeça no travesseiro e descansar.

Na sua irreverência, Serginho disse:
- Ministro, aquela grana toda, eu até passava a noite em claro me preocupando...

Como todos lembram, o inquérito da Sunamam fechou vários armadores e um deles, o mais famoso do rico, acabou se suicidando em função das dívidas.


Histórias de La Ùndeze


CURI EGGI,

CURI EGGI...( CORRE,CORRE....EGGI)


No começo dos anos 70, houve uma debandada de filhos de pequenos agricultores de Serafina Corrêa para o interior de São Paulo em busca de novos horizontes....foram ser garçons e churrasqueiros em casas montadas à beira das rodovias....Décadas anteriores, os filhos dos pequenos agricultores procuraram o Oeste de Santa Catarina num processo migratório que ocupou aquela região de Xaxim,Xanxerê,Chapecó...etc...

Na capela São Pedro, por exemplo,onde me criei, a maioria se mandou pro interior de São Paulo, desiludida com os baixos preços dos produtos agrículos, com as secas, com a falta de um seguro agrícola contra intempéries e por aí afora.

Havia ainda - embora eu não seja sociólogo - um encantamento para ir pra regiões onde se supunha que o progresso, ou aquilo que se entende por tal, tinha chegado com mais vigor, no caso São Paulo.

O processo migratório sempre tem como pano de fundo a explicação econômica, ou seja, quando num lugar não se pode mais conseguir o meio de subsistência digno, a humanidade migra pra novos horizontes...

Pois a capela San Piero foi dizimada pela febre dos filhos dos colonos que queriam ser garçãos no interior de São Paulo do que ficar naquelas " pelagras"( terras pouco produtivas) trabalhando de sol a sol, para às vezes conseguir apenas subsistir de forma precária...

Me lembro que minha mãe sempre nos dizia:

- Vamos embora destas pelagra( pra quem não sabe, pelagra era uma doença , uma anemia,que atingia os italianos,antes de imigrarem pro Brasil, provocada por baixas calorias...porque quase não tinham o que comer.)

Pois tudo isto aí de cima eu contei pra falar de um personagem muito rico, um vizinho do meu pai, o BEPI de Costa, QUE poucas vezes vi na enxada na roça, mas que nos fins de tarde sempre ia tomar mate com meu pai,sempre carregando no lombo uma lebre que ele havia abatido na roça, pouco antes. Era muito raro que ele saísse com sua espingarda e não voltasse com uma lebre sob o lombo...

BEPI DE cOSTA também migrou pra o interior do Paraná com seus filhos...Mas ele e sua mulher, Flora Boff, não se acostumaram com os novos hábitos e deixaram lá todos os filhos, menos o menor deles, cujo apelido apenas lembro de EGGI....

E quando o velho BEPI queria vir do interior do Paraná, onde tinham churrascaria, ou posto de gasolina, pra Serafina, ele subia num corcel velho, daqueles amarelos, e como tinha pressa em chegar em Serafina, ordenava ao filho EGGI que estava na direção, porque achava que não chegariam até o entardecer...

- CURI EGGI, CURI EGGGI

Cada vez que vou ao salão paroquial de Serafina, falo com o sobrinho do BEPI - que morreu cedo, de um câncer de próstata - o Giaretta, dono do restaurante, que sempre me lembra que uma tarde foi visitar o tio doente.Quando ele acordou no meio da tarde, Giaretta lhe perguntou:
- Como vai tio, como tem passado?
- Ah,disse BEPI, bem ao seu estilo franco, até que se vai indo, mas sabe como é: sempre tem parente incomodando a gente.

Giaretta,que iria ficar pra dormir, não pensou duas vezes: meia hora depois picou a mula e voltou pra casa, mesmo tendo que caminhar uns 12 quilômetros.

Roteiro do Findi

*No Santander Cultural prossegue programa de filmes sobre violência e democracia, promovido pela MJDH...


*Também no Santander, show musical de todos os domingos, 18 horas...


*No sindibancários, prossegue o filme SOLO...

Filmes da TV Brasil


Sexta-feira, dia 26 de novembro


DocTVCPLP – 22h


Eugênio Tavares - Coração Crioulo
O filme mostra o legado que o poeta deixou à cultura cabo-verdiana
Eugénio Tavares, o poeta que melhor soube expressar os sentimentosda alma cabo-verdiana, é a figura central do documentário Eugénio Tavares – Coração Crioulo, de Júlio Silvão, e que a TV Brasil exibe nesta sexta (26), às 22h.
O filme foi rodado na Ilha Brava, terra natal do poeta, escritor, músico e jornalista, na Praia, e em Lisboa. É um elogio à maestria com que Eugênio Tavares explorou na música e na poesia a trilogia Ilha, Mar, Amor, três objetos inseparáveis do seu pensamento poético-literário.
Uma trilogia muito bem explorada. “Ninguém até hojeentrosou melhor do que Eugénio Tavares esses três objetos, e de um modo tão íntimo, quase vivo, servindo ao mesmo tempo de palco para venerar o amor, através da mulher cabo-verdiana, na sua musica “Ô mal de Amor ca bu matan, Ô mal de Amor ca bo dexam”, afirmou odiretor Julio Silvão.
E continuou: “Nunca a alma de um povo encontrou, tão perfeitamente, a sua expressão, numa única manifestação de arte. Através dos poemas e das músicas de Tavares e do cruzamento dessa trilogia com o pensamento dos diferentes escritores de gerações procedente, dos testemunhos dos velhos da ilha, dos músicos e declamadores, pode-se compreender a verdadeira dimensão desta trilogia e a sua manifestação na alma crioula, a maneira de ser, sentir e agir das gentes das ilhas, as histórias de amor, irreverência, emigração, saudades e liberdade".

Ano: 2010 Gênero: Documentário. Duração: 52 min. País: Cabo Verde. Direção: Júlio Silvão . Co-produção: Júlio Silvão/Silvão-Produção, Filmes/Comunidade dos Países de Língua Portuguesa–CPLP.
O DOCTV- CPLP é uma iniciativa da Empresa Brasil de Comunicação/TV Brasil, da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e da Fundação Padre Anchieta/TV Cultura. A série leva ao público nove documentários inéditos produzidos nos países da CPLP e em Macau, que serão veiculados simultaneamente na grade de programação das TVs que integram a Rede DOCTV-CPLP. A iniciativa integra uma operação de fomento e teledifusão do audiovisual em TVs públicas nos nove países da Rede, que são: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor Leste e Macau.
Horário: Sextas, às 22h

Programa de Cinema – 23h
A Hora da Estrela
Filme retrata a tragédia social de uma retirante nordestina protagonizada por Marcélia Cartaxo

A Hora da Estrela é baseado no romance homônimo de Clarice Lispector. É o primeiro longa-metragem de Suzana Amaral, e narra a tragédia social do retirante nordestino a partir do percurso de Macabéa, uma imigrante alagoana que abandona o Nordeste para viver na metrópole. O filme alcançou expressiva repercussão e conquistou alguns dos principais prêmios nos festivais de Brasília e Berlim.
Macabéa é uma imigrante nordestina semianalfabeta que trabalha como datilógrafa numa pequena firma e que vive numa pensão. Lá ela conhece o também nordestino e operário Olímpico, e os dois começam a namorar. Glória, uma colega de trabalho de Macabéa, rouba-lhe o namorado, seguindo o conselho de uma cartomante. Macabéa também consulta a mesma cartomante, que prevê seu encontro com um homem rico, bonito e carinhoso. Macabéa sai feliz, sem saber o destino trágico que a espera.
Marcélia Cartaxo recebeu o Urso de Prata em Berlim, em 1986, por sua interpretação de Macabéa.
1985. Gênero: Drama. Direção de Suzana Amaral, com Marcélia Cartaxo, José Dumont, Tamara Taxman, Fernanda Montenegro, Denoy de Oliveira, Lizete Negreiros, Umberto Magnani, Claudia Rezende e Maria do Carmo Soares. 14 anos
Livre
Horário: Sextas, às 23h
Sábado, dia 27 de novembro
Programa de Cinema – 22h
A ostra e o vento
Filme do diretor Walter Lima Jr. marca a estreia de Leandra Leal no cinema
Dirigido por Walter Lima Jr., A ostra e o vento é baseado no livro de Moacir C. Lopes e marca a estreia da atriz Leandra Leal, que tinha 13 anos na época, e foi muito elogiada pela crítica. O filme tem direção de fotografia de Pedro Farkas, trilha sonora de Wagner Tiso e canção-tema de Chico Buarque de Holanda.
Trata-se da vida da jovem Marcela, que vive com o seu pai em uma ilha distante do litoral. Ele é o responsável pela manutenção do farol da ilha e a sufoca com um amor possessivo e autoritário. Em função da grande solidão imposta aos dois pelo lugar, ela se revolta contra o pai e desenvolve uma paixão pelo vento que açoita a ilha e que acaba se tornando um dos personagens da história.
A ostra e o vento recebeu o prêmio de Melhor Atriz (Leandra Leal), no Festival de Cinema Brasileiro de Miami (EUA); o Prêmio Especial do Júri para Fernando Torres e os prêmios de Melhor Fotografia, Melhor Direção, Melhor Montagem e Melhor Filme, no Festival do Recife; troféu APCA nas categorias de Melhor Fotografia, Melhor Filme e Melhor Atriz Revelação (Leandra Leal), da Associação Paulista de Críticos de Arte; prêmio CinemAvvenire, no Festival de Veneza (Itália); e troféu Don Quixote, no Festival International de Films de Fribourg (Suíça).
1997. Gênero:Drama. Dirigido por Walter Lima Jr., com Lima Duarte, Leandra Leal, Fernando Torres e Débora Bloch, entre outros. 14 anos.
Horário: sábado, 22h


O FIM DO MUNDO
VEM AÍ...


Em Brasília, o assunto nos últimos dias,não é o novo gabinete ministerial da cumpanheira Dilma Rousseff. O assunto é uma previsão de Nostradamus e do antigo povo Maia. Eles afirmaram que o mundo deverá
acabar no dia 22 de dezembro de 2012.
Já ouvimos esta história muitas vezes. Esta lenda, virou até marchinha de carnaval e nada do
mundo acabar.
Mas por garantia, já disse aos meus amigos do Stella Grill, que no dia 21 de dezembro de 2012,vou encher Brasília de cheques sem fundo. Depois pego um avião e me mando para Bento Gonçalves. Lá apanho os meus caniços e me vou para a barranca do Rio das Antas,no passo velho de Guaporé,pescar os últimos lambaris que ainda vivem naquelas aguas. Não quero nem saber de fim de mundo...

PS: Olides, não te assuste. O mundo não vai acabar. Isso é uma brincadeirinha Eu vou continuar te aturando e acordando às sete da matina,com os teus telefonemas a
cobrar... Ah!Ah!Ah!...

Sergio Ross

COLEGUINHAS

QUANDO O AMOR

ENVELHECE


Fiquei sabendo que o colega Joseph Zukauskas, que foi da Caldas Junior, do Jornal do Brasil(chefe de redação) e do Palácio Piratini(assessorou Jair Soares) anda às voltas com sua esposa Terezinha, também jornalista que está enferma.Precisa providenciar ambulância e estas coisas todas que os enfermos necessitam.

A história de amor dos dois nasceu,segundo narrou num espaço Antônio Goulart, que ele tinha na revista PRESS, quando os dois compartilhavam a redação da Revista do Globo, onde também Goulart trabalhou.
É,então, um dos poucos casamentos que sobreviveu ao longo dos anos, igual ao do Goulart.

A maioria dos jornalistas tem vários casamentos....

" Vocês não casam, vocês passam temporadas..." costumava ironizar João Batista Aveline, que na redação da ZH, nos anos 70, ficava espantado com a facilidade com os coleguinhas casavam e descavam dentro da própria redação...

Por exemplo, os casamentos eram tantos que o atual famoso Anonymus Gourmet, nos anos 70, na redação da Folha da Manhã, já tinha passado por vários casamentos. Os parentes não queriam nem mais dar presentes porque a cada poucos anos ele estava com um novo casamento marcado.

PRIMEIRO CASAMENTO
EM REDAÇÕES

Segundo narra o colega Goulart,o primeiro casamento entre jornalistas profissionais no Rio Grande do Sul foi entre Joseph Zukauskas e Maria Terezinha Rodrigues no distante ano de 1955(portanto há 55 anos atrás) que se conheceram, como já foi dito, na antiga redação da Revista do Globo,..( os dois estão vivos pra confirmar). Logo depois os dois foram para o jornal A HORA.

Foi lá que Josué Guimarães, com seu espírito irreverente e brincalhão, quando nasceu o primeiro filho do casal, espalhou entre os colegasque o meninotinha sido batizado como ARI, uma homenagem dos pais a ASSOCIAÇÃO RIOGRANDENSE DE IMPRENSA. Ao voltar a trabalhar, depois da licença maternidade, Terezinha, por muito tempo teve q1ue explicar às pessoas que pediam notícias do pequeno ARI: " Meu filho não se chama ARI, coisa nenhuma. O nome dele é Alexandre".

Cabe lembrar também que foi na A HORA que Lauro Schirmer e Célia Ribeiro começaram sua história.

Depois casaram no Uruguai, porque Lauro teve que se divorciar, e na época no Brasil, divorciado não podia casar,ou a Igreja Católica não casava.

Maria Terezinha R. Zukauskas nasceu em 19.04. 1930e, Camaquã, filha de Victor Correa Rodrigues e Ida Perez Rodrigues.

Trabalhou ainda na Secretaria de Cultura, Desportos e Turismo do Governo do Estado. Já o marido Joseph Adam Zukauskas nasceu pouco depois, mas no mesmo ano, em 28.10.

Um dos endereços em que Terezinha residiu foi na Rua Dr. Campos Velho, 1177, no bairro Cristal.


Mineirosda Nova Zelândia estão mortos, diz polícia


explosão de gás metano não deixou sobreviventes na jazida de Pike River

Por Gelson Farias



Peter Whittall (dir.), diretor da mina de carvão, fala ao lado do comandante da polícia Gary Knowles

Olides.
Posso falar de cadeira, porque estive bem perto desta mina, quando da minha viagem à Nova Zelândia. Não conseguimos chegar perto, é proibido, mas cerca de cem metros do local. É uma área, muito bonita, e afastada de casas de moradores, uma grande vila,que leva onome de Pike River, que em Maori, ( língua dos nativos) quer dizer , Rio Pequeno

Todos os 29 trabalhadores presos na mina Pike River, na Nova Zelândia, desde o dia 19 estão mortos, de acordo com autoridades locais. Segundo o responsável pelas equipes de resgate, Gary Knowles, uma segunda explosão de gás metano na mina, que aconteceu por volta das 14h30 desta quarta-feira (horário local), não deixou nenhum sobrevivente. "Estava perto da entrada da mina e o barulho foi impressionante", afirmou. Knowles também disse que a prioridade das equipes passa a ser a recuperação dos 29 corpos.

Fotos de familiares dos mineiros mortos


Entrada Mina de Piki River


Entrada principal da Mina de Pike River.

Após ouvir a notícia, dezenas de famílias deixaram a sala de imprensa emocionada e alguns parentes tentaram agredir os policiais, revoltados com o fato de as equipes de resgate não terem entrado na mina no primeiro momento. Para especialistas, o alto nível de gases tóxicos tornava arriscada qualquer tentativa de operação. Durante a manhã, uma análise do ar revelou uma concentração de monóxido de carbono e gás metano, além de oxigênio insuficiente. Autoridades chegaram a enviar sondas com câmeras para o interior da mina, mas nenhum sinal de vida foi encontrado desde a primeira explosão, na sexta-feira. Os mineiros presos tinham idades entre 17 e 62 anos, sendo 24 neozelandeses, dois australianos, doisbritânicos e um sul-africano.

O papel de Lula no governo de Dilma


Ricardo Kotscho

Num ponto, pelo menos, as personalidades de Lula e Dilma são muito semelhantes: os dois são teimosos, não gostam muito de ouvir palpites e conselhos, e apreciam exercer a autoridade, às vezes de forma brusca, deixando claro quem manda.
Por isso mesmo, não dou crédito a esta história de que o governo Dilma será apenas um terceiro mandato de Lula com outro nome. Quem diz isso não conhece a Dilma nem o Lula.
Claro que o futuro ex-presidente estará sempre à disposição da presidente eleita para colaborar, ajudar na articulação política e nos momentos de crise, mas só quando for chamado por ela, por iniciativa dela, jamais dando uma de oferecido. Não é do feitio dele.
Os dois têm grande respeito e admiração um pelo outro – Lula pela gestora Dilma e Dilma pelo líder político Lula. O atual presidente não atropelaria a autoridade de quem foi eleita por indicação dele mesmo para exercer o poder central em seu lugar. Até seus piores inimigos concordam que Lula pode ser chamado de tudo, menos de burro.
Dilma tem plena consciência de que deve o mandato a Lula e será fiel aos princípios do atual governo, que deverá manter, em especial na política econômica. Ninguém, nem eles, pode ter absoluta certeza sobre o futuro, mas não acredito num possível rompimento entre criador e criatura, como muitos já especulam, e outros nem disfarçam a torcida para que aconteça.
Até porque, um continua dependendo muito do outro: Dilma depende do apoio de Lula para governar em paz com seus aliados e Lula precisa que o governo Dilma dê certo para preservar sua credibilidade, a própria imagem e a do seu governo.
Por isso mesmo, e mais duas razões bem simples, Lula não deverá voltar a se candidatar em 2014:
* Se o governo Dilma for um sucesso, ela certamente será a candidata natural do PT à reeleição.
* Se tudo der errado, a imagem de Lula também será abalada porque, afinal, ele foi o mentor e o fiador da eleição de Dilma.
Mesmo na remota hipótese de vir a ser candidato e de ser eleito, Lula sabe que correria o sério risco de perder, num eventual terceiro mandato, o prestígio que conquistou nos dois primeiros, chegando a mais de 80% de aprovação popular _ o que é inédito e não deverá se repetir tão cedo. Seu lugar na história já está garantido. Para que arriscar?
Pelo menos nos primeiros tempos do governo Dilma, depois de um breve descanso, Lula deverá se dedicar mais a fazer política lá fora do que aqui dentro do país. O instituto que pretende criar tem como principal foco levar a experiência das políticas públicas e dos projetos sociais do seu governo para países pobres da América Latina e da África.
Além disso, Lula terá que correr o mundo em 2011 para receber dezenas de títulos de “doutor honoris causa” que lhe foram outorgados ao longo destes últimos oito anos. Por razões que desconheço, ele deixou para receber todos só depois de deixar o governo. O metalúrgico vai virar “doutor Lula”…

Coleguinhas

*Levei uma bronca,ao vivo, do João Henrique, da imprensa do PDT...pela nota sobre a richa entre Santana e Kenny.....


*As inscrições ao PREMIO ARI DE JORNALISMO deste ano chegam ao fim,hoje, dia 26/11. Mas apenas 35 tinham se inscrito,até ontem. Espera-se para hoje mais inscrições." O pessoal sempre deixa pro último dia" me disse uma funcionária.


*Até agora, a governadora YEDA não bateu o martelo, liberando a verba do Banrisul pra este prêmio...


*A coluna do Iltor Mombach, do Correinho, de ontem, também sinaliza que serão dificeis as relações entre Vicente Martins e Renato Portaluppi, se houver futuro entre eles..

DERROTADOS

NAS URNAS COMPÕEM

SECRETARIADO ATÉ AGORA

ANUNCIADO


Dos 23 nomes conhecidos para o primeiro escalão do novo governo estadual, pelo menos cinco foram derrotados nas urnas no pleito de 3 de outubro passado: Fabiano Pereira, do PT, não se elegeu deputado federal;Ivar Pavan, do PT, não se elegeu deputado federal; Jussara Cony, do PCDOB, não se elegeu deputada estadual;Maurício Dziedricki,vereador do PTB de Porto Alegre, não se elegeu deputado federal;e Abigail Pereira, não chegou ao Senado, como candidata do PCdoB.


Fabiano Pereira


Ivar Pavan


Jussara Cony


Maurício Dziedricki


Abigail Pereira

Nos bastidores, dá-se como certo que mais dois novos secretários também tomaram pau nas urnas em outubro passado; se forem confirmados os nomes de Kalil Shebe Netto para a secretaria dos Esportes e de Affonso Motta para a secretaria dos Prefeitos.Mesmo que o PDT indique Flávio Lammel para a secretaria dos prefeitos, este também não se elegeu no pleito passado.

HISTORIAS DE LA ÚNDEZE

MEU ENCONTRO COM

O PADRE POETA



O Bico Branco(prefeito) o professor Darci Lusatto e o padre Giovani Simonetto, no recente encontro da língua TALIAN, em Serafina Correa.


Na segunda feira dia 15.11 estava no bar Marucco, no centro de Serafina( em frente a Igreja) - que é um antro de fofocas políticas,esportivas e afins -QUANDO VI o padre Giovani Simonetti cruzando toda a Praça Pio XII, ajudado por uma bengala. Era feriado, não havia viva alma na praça porque todos ainda dormiam, a não ser o amigo do Serginho Ross, o Janguta( Nelson Assoni) que já estava na labuta, ou seja, terminando seu futuro bar Calabria( coitado, o Nelson é tão pobre, mas tão pobre, que precisa de um bar pra sobreviver....)

O padre lançou um livro de poemas, todos em Talian, neste ano, mas ele ousa fazer poesia há muitos anos, tanto que tem um poema dele, feito para a torre da igreja, que está no meu livro COSI LA ZE STATA...

o PADRE, COMO ia dizendo,cruzou, naquela manhã, toda a praça e veio vindo, veio vindo e eu pensando:
- Porra de merda( aí me lembrei dos palavrões que o Serginho diz a todo momento) será que este padre xarope vai vir pro meu lado....

Não deu outra...o padre veio vindo, com sua bengalinha,atravessou a avenida Miguel Soccol e quando vi estava no bar Marucco.e DEPOIS DE saudado pela dona, uma garçonete muito simpática, o padre Giovani veio na minha direção. Só falta, pensei, esta padre de merda vir querer me catequisar logo agora, que estou de mau humor e que sempre tive como desejo colocar um bar na frente da igreja destes padres com o nome de PORCO DIO, uma blasfêmia, justamente pra desafiar estes m.....de padres.

- Padre, fui logo lhe dizendo, eu o respeito como poeta, não como padre, pelo amor de Deus...

O padre Giovani, muito paciencioso, me disse:

- Meu filho, pois eu usei uma lupa para ler todo seu livro...tem lá um poema meu e vi que o padre tem orgulho de seus escritos.

Pô, não me converti, não, mas o padre ao s91 anos leu todo meu livro, enquanto que o Mazzarino, um balaqueiro de Encantado, foi no lançamento, mas deu o livro de presente.

E não deu outra . Veio em minha

Bares que viraram lenda...

Carinhoso, o " sonho da pulga..."!


Artur Zanella, CoronelHart Golan, jornalista Paulo Guerchmann e Flávio Pinto Soares nas colinas de GOLAN, FRONTEIRA TRIPLICE do LIBANO, SIRIA E ISRAEL EM JULHO DE 1981.

Flávio Pinto Soares, dono de cartório, falecido em 1996, aos73 anos, era um bom vivant e por isto gostava de coisas boas, bares confortáveis e viagens.
Foi dono de cartório e para compensar este mundo da burocracia, ele descontraía indo muito a restaurantes e festas. Para tanto, resolveu montar um bar que ele chamou de sonho da pulga, porque como ele mesmo dizia, o sonho de toda pulga é ter um cachorro só pra si...

Durante 30 anos, o Carinhoso foi a paixão do Flávio Pinto Soares, conformediz o filho Wladimir Oliveira Soares.E como toda paixão, tinha seus momentos de intensa raiva com o próprio bar, pelas incomodações que alguns amigos abusados lhe causavam....

Inicialmente, Flávio teve um sócio no empreendimento,chamado de Paulo.
O filho diz que seu pai foi "uma pessoa do mundo, tinha várias maneiras de encarara vida".

Sobre o fato de um dono de cartório ter um bar, o filho acha que o bar era a válvula de escape dele, onde ele botava todos os demônios dele para fora...

Na parte de cima do Carinhoso,localizado na rua Joaquim Nabuco esquinacom a Josédo Patrocínio( Cidade Baixa), bem perto de onde hoje está o Opinião.

" O pai não tinha o Carinhoso para dar lucro" informa o filho Wladimir.

O restaurante, localizado na parte superior da loja, deu mais certo do que o bar, porque chegou dar lucro, informa o filho Wladimir.

O Carinhoso nunca fechou, a não ser para reformas.

Ali se apresentou,segundo Wladimir " noventa por cento dos músicos e intérpretes da música popular de Porto Alegre".

Antes de morrer, de um câncer, Flávio Pinto Soares vendeu a casa, porque nenhum dos quatro filhos quis continuar com o empreendimento.
Nenhum deles também seguiu com a atividade cartorial.
O Carinhoso foi vendido para uma mulher, de nome Ana, que permaneceu com o bar aberto, mas sob uma nova proposta.

Segundo o filho Wladimir a nova dona do Carinhoso, assumiu o segmento de pretos e mulatos e criou um ambiente de respeito e conforto para eles, dando aquilo a que eles até então não tinham em Porto Alegre....

Historinhas

1)Flávio Pinto Soares ,segundo conta o ex-vereador Arthur Zanella, era um manancial de histórias e episódios engraçados.

- Daria um livro só com estas histórias, diz Zanella.

Pois eles estavam numa ocasião diante das Piramides do Egito e ali Zanella resolveu inquerir o amigo sobre a necessidade dele fazer um testamento( era muito rico, dono de cartório e de inúmeros imóveis tanto que era uma das pessoas físicas de Porto Alegre que mais pagava Imposto de Renda...)
Flávio era casado com a Walkiria, que era sua segunda esposa,e tinha quatro filhos com a primeira mulher.A convivência não era das mais tranquilas.
E diante da pergunta de Zanella, Flávio deu a sua versão para não fazer o testamento:
- Com os parentes que eu tenho,quando eu morrer Zanella, seguramente eu vou pra o céu, pois já paguei todos os pecados...
e acrescentou:
-Mas o céu deve ser uma coisa muito monótona e chata. Então eu vou ficar lá de cima me divertindo vendo a Walkiria e meus filhos brigando pela repartição dos meus bens....

2)Zanella costuma chamar seu amigo falecido de " príncipe dos pobres". Embora fosse um homem rico - no centro de Porto Alegre tinha 300 boxes - Ele fazia de tudo pela escola de samba Restinga, onde foi patrono da escola e servia de mecenas para músicos como a cantora Lourdes Rodrigues.


3)Estando em Israel, certa vez, junto com Paulo Gerchamann e Arthur Zanella, eles já tinham viajado bastante pelo país e o serviço secreto - Mossad - já sabiam quem eles eram todos.

- Você,disseram ao Zanella, é político, mas eleéw um grande cozinheiro e não vai embora daqui sem fazer um grande jantar. Então preparaou uma paella pra os milicos...


4)Mais uma do viajante Flávio Pinto Soares:

Entre 1985 e86 estava em Cote DS'Azur. Carregava 15 mil dólares numa pochete. Todos em travellers cheques e pegou no sono na praia...mesmo com um sol escaldante...

Foi o que bastou pra que os ladrões, que estão sempre por ali espreitando uma situação destas, lhe roubassem os travellers...

Os larápios levaram o passaporte e ele correu pra dar queixa à Polícia.

Problema: o posto policial só abriria as cinco da tarde.

Sem passaporte, pra ingressar no hotel onde estava hospedado tinha que estar acompanhado de Arthur Zanella. Zanella estava lá com sua mulher, Beatriz e Flávio com a Walkíria.

Flávio fez contato com o filho Wladimir, em Porto Alegre, pra lhe mandar dinheiro.
Foram para Barcelona esperar o dinheiro que viria pela Aerolíneas Argentinas. Wladimir mandou ao pai 12 mil dólares
numa época que o limite de remessa era mil dólares.
No aeroporto de Barcelona, foram no banheiro pra pegar o dinheiro.

Sobre os 15 mil dólares roubados Flávio achou uma solução simples: cortou no ato a idéia de comprar um casaco de seis a sete mil dólares para a Walkíria e também desistiu dos presentes aos filhos.
No cálculo dele, ficou elas por elas...Uma hora depois do furto ter sido registrado, a polícia descobriu os ladrões dos travellers que já os tinham gasto fazendo compras nas boutiques das lojas do balneário....


Coleguinhas

De Rebelde a

Chapa Branca


Antônio Manoel de Oliveira


O jornalista Antônio Manoel de Oliveira, que foi presidente do Sindicato dos Jornalistas - RS e membro da Cooperativa dos Jornalistas-RS fez o caminho inverno, ou seja, foi do radicalismo da redação para o jornalismo chapa branca,ou seja, o jornalismo oficial....Quando dirigiu o Sindicato dos Jornalistas, Antônio Manoel era dos mais radicais, tanto que num dos movimentos dentro da redação da ZH, onde a ampla maioria queria um movimento paredista, - naqueles anos de ditadura, atrever-se a fazer uma greve na redação de um jornal era como botar gasolina num incêndio - ele como dirigente do Sindicato( presidente) era o mais incendiário...queria pichar as paredes do jornal, fato impensável naqueles anos...

Antônio Manoel nasceu em Imbituba , SC, em 13.06.1944.Filho de Inácio de Oliveira e de Inez de S. Machado, ele morou na rua Miguel Tostes,414/4. Em 1973, quando eu comecei na ZH, Manoel de oliveira residia neste endereço e se vangloriava da beleza de sua filha, Laura, nascida pouco tempo antes.
Manoel era casado com Clara Beatriz, ( 21.03. 1948) de quem se separou anos depois.

Na ZH, nos anos em que eu comecei lá, ele era o Editor de Esportes e fazia um segundo turno como editor de notícias na rádio Gaúcha.

Era só, naquele ano de 1973, passar do térreo, onde era a redação do jornal, para o segundo andar, onde estava a redação da rádio....Muitas vezes vi o Manoel pegar pilhas e mais pilhas de telex que ele separava para depois fazer seu noticiário na rádio Gaúcha.

Em 1983, Manoel foi junto com Osmar Trindade para Moçambique, depois de uma crise na Coojornal, onde ambos eram diretores.

Lá Antônio ficou 6 anos, mas não residiu apenas em Maputo, foi pro interior, ensinar os moçambicanos a fazer jornal num país que precisava ser reconstruído depois de um longo período de guerra interna, contra os colonizadores portugueses.

Nos últimos tempos, Antônio trabalhou na Trensurb, como chefe do setor de imprensa.

Voltou a casar novamente, desta vez com a Teresa,que ele chama carinhosamente de " baixinha" que foi com ele a Moçambique....


Coleguinhas


*Tentei ler o Prévidi,ontem, mas até 17hs não estava atualizado....

*Bah, uma mulher foi presa e diz ser sobrinha de Leonel Brizola. Isto em Belo Horizonte...


*O comentário ontem, pelo menos aqui na salinha JCTerlera era sobre o Rio de Janeiro....Não ia ser diferente, né...


*Haroldinho Santos, ex-assessor de imprensa do Grêmio, teria se estranhado com seu subordinado Márcio, quando ainda estava no Grêmio. Foi demitido....


Tarso recebe comitiva da Fórmula Indy

Foto: Caco Argemi

 

Porto Alegre pode sediar o Grande Prêmio do Mercosul da Fórmula Indy em 2011. Nesta quinta (25), o governador e eleito Tarso Genro e o vice-governador eleito, Beto Grill, receberam a comitiva da categoria no Brasil e o presidente da divisão comercial da Indy, Terry Angstadty.
O grupo apresentou o desejo de realizar o evento na capital gaúcha, que ocorreria em um circuito de rua. A categoria é a principal do automobilismo americano, semelhante a Nascar, o equivalente a Stock Car do Brasil. Já ocorreu, além dos Estados Unidos, no Canadá, Japão e no Brasil, em São Paulo – onde a corrida abriu a temporada deste ano.


Stela Farias será a secretária de Administração do governo Tarso Genro

Foto: Caco Argemi

Tarso Genro anunciou a deputada Stela Farias como a futura secretária Estadual de Administração e Recursos Humanos. Ela será responsável pela relação do governo com os servidores, pelo patrimônio e compras do Estado. O governador eleito fez o anúncio na tarde desta quinta em coletiva no seu escritório, localizado no bairro Moinhos de Vento, Porto Alegre.
Stela Farias (PT) – A deputada estadual reeleita tem 46 anos e é natural de Ibirubá, no noroeste do RS, mas construiu sua carreira política em Alvorada. Graduada em História com pós-graduação em Gestão Pública, após um mandato como vereadora, tornou-se em 1996 a primeira mulher a comandar a cidade da Região Metropolitana. Foi reeleita prefeita com 65% dos votos, e em 2006 chegou à Assembleia Legislativa, onde ganhou notoriedade como presidente da CPI da Corrupção.

EXCLUSIVO!

De São Borja


Cristhopher Goulart, neto de Jango,


vai transferir título eleitoral para São Borja


Apesar de já ter perdido duas eleições - uma para vereador em Porto Alegre,quando estava no PTB e outra agora como candidato a deputado estadual pelo PDT, Cristhopher Goulart, neto do presidente Jango, vai continuar na política. "Vou transferir meu título eleitoral para São Borja" disse a este repórter,ontem.

A boa votação que fez na terra natal do seu avó,- cerca de 3 mil votos - Cristhopher tem o entendimento de que saiu mais vitorioso nesta eleição de que quando entrou nela....

- O prefeito(Mariovane Weis) me chamou pra trabalhar com ele, mas por enquanto nada decidi, disse ele ontem.

Cristhopher possivelmente não aceitará cargo nenhum na prefeitura de São Borja.

Por enquanto, dois vereadores do PDT postulam concorrer a prefeito: Farelo Almeida e Roque Feltrin.

-Coloquei meu nome à disposição do partido.

Cristhopher não cogita ser candidato a vereador de São Borja.

VINHO SE TORNA OFICIALMENTRE A BEBIDA NACIONAL ARGENTINA

De Buenos Aires
Gelson Farias


A presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, assinou decreto na quarta-feira que oficializa o vinho como "bebida nacional" do país. Argentina é o quinto maior produtor mundial de vinhos, nono maior exportador e sétimo maior consumidor - cada pessoa bebe em média 30 litros anuais de vinho, segundo dados oficiais.
"É maravilhoso, porque se poderia crer que essa é uma atividade de caráter profundamente econômico, mas acho que tem a ver profundamente com a cultura e identidade de um povo", disse Cristina na cerimônia em que fez o anúncio.A indústria vinícola argentina recebeu um grande impulso a partir de 2001, quando a crise econômica causou uma forte desvalorização da moeda argentina, fazendo com que os vinhos locais ganhassem competitividade no mercado internacional.
"Primeiro eram (as províncias de) San Juan e Mendoza que historicamente identificávamos com a atividade, mas hoje temos Salta com sua (uva) torrente (...), Catamarca, e também vinhos patagônico", disse a presidente. Tradicionalmente, a Argentina se dedicava à produção de vinhos mais baratos e de menor qualidade, destinados ao consumo local, com baixo nível de investimentos. Mas na década de 1990, época em que havia paridade cambial entre o peso e o dólar ocorreram uma onda de investimentos no setor, e a área ocupada com videiras para fins vinícolas passou a ocupar mais de metade da área cultivada.
A capital argentina do vinho
Mendoza é uma cidade do oeste da Argentina, capital da província de Mendoza. Trata-se de uma cidade de médio porte, com cerca de 110 mil habitantes. Seu maior destaque se deve a sua grande produção de vinho e azeite. A economia de Mendoza também está fortemente ligada à indústria petroquímica.


Vinhos produzidos em Mendoza

A primeira bodega que conhecemos foi a Catena Zapata, que tem 70 anos de existência e está sendo administrada pela quarta geração da família.


A visão foi estonteante – em junho todos os vinhedos estão alaranjados -,quilômetros de vinhedos do lado direito e do lado esquerdo e no meio uma estrada que leva a um imponente prédio em forma de pirâmide. A sede da Catena é das mais luxuosas, toda construída com granito, mármore e outros materiais nobres e propicia do alto uma vista impressionante dos vinhedos e da Cordilheira nevada que acompanha tudo lá do fundo.

A caminhada de ida e volta foi um prazer à parte, já que a cidade conta com 52 praças e 3 parques e todas as ruas são cercadas de plátanos. Lindo mesmo! Realmente, o fim de semana dos namorados em Mendoza tinha começado com muito charme e já regado ao bom vinho.


Vinhedos de Mendoza


Vinhedosdo Chile

A cidade Argentina de Mendoza foi fundada por Pedro Del Castillo em 02 de março de 1561, com o nome de "Ciudad de Mendoza del Nuevo Valle de La Rioja". Este nome deve-se ao fato de García Hurtado de Mendoza ser o governador do Chile à época. Mendoza foi fundada por causa da necessidade de haver um ponto de parada para quem cruzava a Cordilheira dos Andes seguindo o caminho que ligava o Rio do Prata a Santiago do Chile. Por isso, neste período Mendoza era a segunda maior cidade da região. A região de Cuyo, onde está localizada Mendoza, sofre freqüentemente com abalos sísmicos. Geralmente, estes são de baixa intensidade, entretanto, em 20 de março de 1861 houve um grande terremoto que destruiu boa parte da cidade e matou 40% de sua população. Depois deste incidente, várias medidas preventivas foram tomadas, e a cidade foi reurbanizada de maneira a aumentar a segurança de seus habitantes. As obras realizadas após este terremoto ainda são a base da estrutura urbana de Mendoza.
A partir do Peru, o cultivo da vinha se estendeu ao sul do continente, chegando à Bolívia, Chile e Argentina. Uma corrente colonizadora proveniente do Chile chega a Santiago del Estero (Argentina), liderada por um sacerdote, que atravessa a cordilheira dos Andes trazendo as primeiras mudas de vinha. Mas o verdadeiro desenvolvimento da vinha deve ser atribuído aos primeiros colonos espanhóis que tomaram posse do vale de Güentata.
A partir de 1561, Mendoza teve duas fundações. Ambos os fundadores, Pedro del Castillo e Juan Jufré, foram viticultores entusiastas. A vinha foi, desde o primeiro momento, a principal riqueza de Cuyo e, em 1598, 37 anos após a fundação, apareceram os primeiros vinhos da cidade em Buenos Aires. De acordo com o censo de 1739, havia em Mendoza 120 vinhas em mais de 66 hectares, com uma produção de 400.000 litros. Em 1887, a superfície de vinhedo mendocino era de 2.693 hectares, distribuídos nos departamentos de Guaymallén, Las Heras e San Vicente (Godoy Cruz).


Vinho de Mendoza


O cultivo das vinhas criollas era predominante, apesar dos viticultores se manifestarem entusiasmados pelo cultivo de variedades introduzidas. As variedades francesas que tinham maior preferência eram o Cabernet Sauvignon e o Pinot Noir. O comércio de vinhos em Mendoza era promissor. Em 1903, a cidade já possuía 16.379 hectares de vinha francesa e somente 5.749 de vinha criolla. Em pouco mais de 15 anos, a fisionomia do vinhedo mendocino se havia modificado radicalmente.
Dois fatores preponderantes influíram no grande auge da viticultura. Por um lado, a grande proporção de população imigrante européia em Mendoza, proveniente de países latinos, onde a viticultura era uma grande indústria. Por outro, a chegada a estas terras, em 1885, da ferrovia. Sua influência sobre a indústria vitivinícola foi revolucionária, já que em 1887 começou transportando 2.742 toneladas de vinho cuyano em garrafas de madeira e, em julho do mesmo ano, a quantidade ultrapassava as 7.076 toneladas.
Circuitos
Mendoza é a região onde se produzem os melhores vinhos argentinos. A secretaria de turismo da província propõe sete Caminos del Vino, circuitos ideais para seguir de carro ou com um guia durante um dia, com opções de alojamento, museus temáticos e, é claro, degustações ao pé da vinha.Cidade, Godoy Cruz, Guaymallén. Partindo do centro da Cidade de Mendoza, você poderá visitar o Museu da Área Funcional, onde se encontram restos arqueológicos do Cabildo de la Antigua Ciudad. Logo, poderá visitar duas bodegas centenárias mendocinas: Bodegas y Viñedos Santa Ana, com sua típica arquitetura do final do século XIX, e Escorihuela, conhecida por apoiar os artistas mendocinos, com exposições permanentes em sua Sala de Arte.
Em pleno coração de Gutiérrez, Maipú, a Bodegas López se apresenta como uma das mais tradicionais bodegas argentinas. O circuito continua com o Museu Nacional do Vinho Casa de Giol e com a visita à mais importante coleção de ferramentas de vinicultura antigos e de imagens religiosas cuyanas na Bodegas La Rural. Trapiche o surpreenderá por ser uma das maiores bodegas da Argentina, enquanto na Viña El Cerno você poderá participar de uma degustação dirigida pelos próprios donos.
A 30km da Cidade de Mendoza se encontra essa região vitivinícola de solos pedregosos, nas cercanias das Barrancas del Río Mendoza. A poucos passos de Finca Flichman, encravada no que foi um assentamento huarpe, se encontra a mais antiga capela de Mendoza, a Nuestra Señora del Rosário. Por último, a Bodega Cruz de Piedra se destaca por sua arquitetura de estilo mediterráne Na Área Alta do Rio Mendoza, conhecida pela qualidade de seus vinhos, se encontra a Bodegas Etchart, que pertence a um importante grupo francês, assim como a Bodegas Chandon, onde se produzem os champanhes conhecidas em todo o país com a mais alta tecnologia. Por último, em Dolium você poderá apreciar as novas tendências em projetos de bodegas de estilo internacional.
Na mesma região você poderá visitar a Bodega Norton e degustar seus vinos de qualidade internacional, enquanto desfruta de uma incomparável visita à Cordilheira dos Andes. A poucos metros, você encontrará a Cabrini, uma bodega familiar conhecida por sua produção de vinhos para missa e que também se dedica à elaboração de vinhos varietales. Ao final do circuito, a Viniterra lhe oferecerá em seu wine shop uma completa linha de acessórios para o vinho, famosos charutos e, é claro, seus vinhos.A Bodega Lagarde é conhecida por seus prestigiosos vinhos elaborados em limitadas partidas, em uma bodega centenária localizada perto da cidade de Luján de Cuyo. Próximo a ela se encontra o Museu Provincial de Bellas Artes Emiliano Guiñazú, onde viveu o famoso artista mendocino Fernando Fader. Localizada na pitoresca área de Chacras de Coria, a Bodegas Alfredo Catena oferece seus destacados vinhos. Depois, você poderá visitar uma antiga bodega no distrito de Carrodilla que foi cuidadosamente restaurada por seus novos donos, a Viña Amália. Um pouco mais ao norte, você encontrará o Santuario de la Carrodilla, onde ano após ano se reúnem milhares de católicos durante a Semana Santa.
Ao pé da Cordilheira dos Andes se encontra esse vale apreciado pela beleza de suas paisagens e pela qualidade de seus vinhos. Na Bodega Nieto Senetiner você desfrutará do agradável ritual da degustação do vinho com o majestoso entorno do Cordón del Plata. Em Domaine Vistalba, seus proprietários franceses conjugam o savoir faire de suas origens com a tipicidade desses terrenos. Regressando à Cidade de Mendoza, na Pequeña Bodega você encontrará vinhos varietales artesanalmente elaborados e de estilo jovem.


Cloraldino

Olides

O Cloraldino vai ser recebido agora às 10,30 horas pelo Ministro Sergio Passos. Vem acompanhado do Presidente do Sindicato
das Empresas de Transportes de Carga e Logistica.
Se eu fosse pago por ti,iria entrevista-lo. Mas como não sou,vou so cumprimenta-lo

Sergio


Projeto Coojornal



Pessoal.
Estamos desenvolvendo um projeto de resgate da história do Coojornal, uma ideia que era do Trindade e estamos agora viabilizando. O projeto se compõe de 3 produtos:
- Livro reunindo as principais reportagens do Coojornal e um texto de apresentação falando do jornal e da cooperativa.
- DVD (encartado no livro) de entrevistas com integrantes, colaboradores e apoiadores do jornal
- Site www.coojornal.com.br
Para que esta história seja contada a tua participação é fundamental.
Vamos encontar o maior número possível de coojornalistas.
Divulgue em seus espaços de atuação.
Dia 18 de dezembro estaremos promovendo um evento-reportagem para lembrar essa história e coletar depoimentos.
Será no Shopping Total (na frente da Comendador Coruja), no salão da La Pizza Mia, a partir das 18 horas.
ENTRE NO SITE E SE CADASTRE.
Rafael Guimaraens
Editora Libretos



Tarso confirma Afonso Motta e Kalil Sehbe no secretariado


Depois de uma reunião de integrantes da direção do PDT, ocorrida nesta tarde na Assembléia Legislativa, ficou definida a presença de mais dois trabalhistas no Governo Tarso Genro. Afonso Motta será o secretário do Gabinete dos Prefeitos e Relações Federativas e Kalil Sehbe assumirá a Secretaria de Esporte e Lazer.

"Recebi neste fim de tarde as indicações do Partido Democrático Trabalhista e considero a participação do PDT completa, com quadros de excelente qualidade. A partir deste momento vamos trabalhar juntos para completar as equipes, cujo momento culminante será o seminário de gestão que iremos realizar no dia 145 de dezembro. Agradeço ao presidente Romildo Bolzan Júnior e aos demais representantes diretivos do PDT o esforço que fizeram para que a gente atue junto em defesa do Rio Grande do Sul, do Brasil e do Mundo", declarou Tarso Genro.

Afonso Motta (PDT) – Advogado e produtor rural, trabalhou por mais de 23 anos no Grupo RBS, onde desempenhou diversas funções. É idealizador do Canal Rural e ex-presidente da Associação Gaúcha de Emissoras de Rádio e Televisão (AGERT-RS). Foi conselheiro da OAB, onde integrou as comissões de Ética e Disciplina, de Estudos do Problema da Terra e de Políticas Criminais e Segurança Pública. Nasceu em Alegrete e tem 60 anos.

Kalil Sehbe (PDT) – Começou a carreira política como vereador em sua cidade natal, Caxias do Sul. Chegou em 1997 à Assembleia Legislativa, onde cumpre seu quarto mandato. Assumiu em 2003 a Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia. Jogou nas seleções gaúcha e brasileira de handebol, e presidiu a federação regional desse esporte. Sehbe, 49 anos, é formado em Administração com mestrado em Ciências Sociais.

Mais informações em www.blogdotarso.com.br e www.rs13.com.br
twitter.com/tarso13
(051) 3323 8900

POR QUE NÃO AS FORÇAS ARMADAS?

Por Carlos Chagas

A bestialidade dos acontecimentos recentes no Rio faz reacender questão que precisará ser enfrentada pela presidente Dilma Rousseff, podendo atéreceber uma ajudinha do Lula nestes dias que faltam para a troca no poder. Trata-se do emprego das Forças Armadas na defesa da ordem pública.Está mais do que provado: as Polícias Militar, Civil e Rodoviária do Rionão bastam para conter a ação dos animais empenhados em intranqüilizar a população, queimando carros, assaltando cidadãos e atirando contra agentes da lei. É insuficiente o número de policiais,se comparado com as quadrilhas que todas as noites ganham o asfalto com bombas incendiárias, fuzis e armamento variado.

Por que não botar os soldados na rua, patrulhando as vias públicas não apenas na proximidade dos quartéis, mas em zonas pré-determinadas? Seria problemático fazeros recrutas subirem os morros, mas que tal ficar em baixo, impedindo o livre trânsito dos marginais?

As Forças Armadas podem ser acionadas a pedido de um dos poderes da União. Em caráter emergencial, não só garantiriam a tranqüilidade dos cariocas, mas desestimulariam as organizações criminosas, aliás,em trégua entre elas, unidas contra a sociedade constituída. Não há que esperar a eclosão de uma guerra inviável com algum país vizinho ou nossa participação em novas forças de paz para dar a Exército, Marinhae Aeronáutica a missão específica de garantir a ordem pública.

PROBLEMA PARA O SUCESSOR

Bento XIV, Cardeal Prósper Lambertini, foi Papa no conturbado período de 1740 a 1758. Chegou ao Vaticano precedido pela fama de excelente teólogo e competente advogado. Às voltas com o crescimento do protestantismo e a onda iluminista que revolvia a Europa, manteve sempre o espírito conciliatório, além do bom humor.

Certa vez, em Roma, foi abordado por um frade maluco que anunciou o nascimento do anticristo, prenúncio do fim do mundo. Com toda paciência, indagou: “e que idade ele tem?” O frade não titubeou, respondendo: “deve ter uns três anos, hoje.”

Bento XIV seguiu placidamente o seu caminho, comentando: “então vou deixar o problema para o meu sucessor...”

Essa história se conta a propósito dos maus augúrios que vem chegando ao gabinete de Dilma Rousseff, levados por economistas de péssima tempera, todos prevendo o acirramento da crise mundial no câmbio e o retrocesso de países emergentes como o Brasil. Deveria, a presidente eleita, deixar o problema para o seu sucessor...

ALERTA OU AMEAÇA?

Em artigo publicado ontem na “Folha de S. Paulo”, o vice-presidente Michel Temer surpreendeu, pela contundência de conceitos. Escreveu que podem desligar-se do PMDB, que ele continuará presidindo, quantos líderes se colocarem contra as determinações da convenção nacional. Para ele, melhor o partido ser menor,mas unido, do que grande e desunido.

Seria esse o primeiro passo para uma depuração no PMDB? O enquadramento de todos em torno do governo Dilma Rousseff?A exigência de fidelidade integral, mesmo quando parece ainda muito distante a reforma política?

Algum recado Michel Temer mandou, seja para os paulistas que seguem a orientação de Orestes Quércia, os pernambucanos liderados por Jarbas Vasconcelos ou os catarinenses formados em torno de Luiz Henrique. A ressalva é de que essa diretriz vale daqui por diante, deixando de ser aplicada no passado.

TRAPALHÃO SEM MANDATO

Para ficarmos no PMDB, também chamou a atenção a entrevista concedida pelo senador reeleito por Alagoas, Renan Calheiros. Ele vibrou tacape borduna no ainda líder do PT, Aloísio Mercadante, chamando-o de trapalhão e aloprado por intrometer-se na escolha do novo presidente do Senado “quando não é mais senador”.Renan defende a recondução de José Sarney para o biênio 2011-2012 e não admite composições com o PT, tendo em vista a superioridade da bancada do PMDB.

Como Mercadante parece a um passo de tornar-se ministro, não se sabendo apenas em que ministério, é possível que alguns companheiros senadores venham a solidarizar-se com o ainda líder, criando dificuldades para a permanência de Sarney.

A SEGURANÇA DO
HENRIQUE MEIRELES

Por Sergio Ross


Eu tenho uma amiga aqui em Brasília, que por sinal é gaucha da fronteira (Bagé),que tem uma academia onde se faz Pilates. Um dos freqüentadores é o Presidente do Banco Central, Henrique Meireles. Ele vai lá,todos os dias, entre 16 e 20 horas. Não usa calção. Põe seu abrigo de lã e toca malhar como um garotão. Depois da ginástica,põe seu terno e volta para o Banco Central,onde trabalha até tarde.
Me disse a minha amiga,que ele tem permanentemente,seis seguranças. Dois entram com ele na academia discretamente. Ficam ao lado dele,malhando,como não se conhecessem.
Outros dois,ficam na porta,mas do lado de fora, olhando o céu e ouvindo os passarinhos cantar.
Os dois últimos,ficam na carro oficial do
ministro e no carro dos seguranças.
Até aí,tudo bem, o homem é ainda uma das mais importantes autoridades do país. Só que dos seis seguranças,quatro são da Policia Federal e os outros dois,são seguranças pagos pelo Banco de Boston, banco onde até hoje Meireles está ligado. Se ele perder o emprego no Brasil,como praticamente já perdeu,ele volta para Washington,onde tem um lugarzinho garantido.
Por falar em Meireles,ele está puto da cara
com o Lula. É que o nosso cumpanheiro,antes da campanha da Dilma para a Presidência da República pediu a ele,para não concorrer a nada. O homem queria ser governador do estado de Goiás. Largou tudo porque achou que continuaria no seu posto,ou seja no Banco Central. Só que a Dilma,puxou o tapete dele. Não gostou dos juros que ele pretendia deixar lá nas alturas... e
mandou sua brasinha,indicando Alexandre Tombini, que
por sinal é um gaúcho,que chega aqui no no Planalto como um cara competente.

PS: não te disse Remindo, que o Lula não ia mandar nada no governo da cumpanheira?

O ISENTO , no melhor dos mundos!

( Deixa estar jacaré, que a lagoa há de secar!"

De Canoas para o Mundo

Não poderia querer nada de melhor, PT em Brasília, na presidência e no governo do Distrito Federal, PT no governo do Estado e DNA do PT na prefeitura. Como toda imprensa queria, os petistas pacificaram o Estado, está todo mundo ou dentro do governo ou no seu entorno, menos o PSDB que não existe aqui no Sul.

Não agüento mais a turma do PDT falando nas escolas de tempo integral. Querem criar um depósito de crianças. A meninada tem que estudar 4 horas e ter o resto do dia para brincar, para ver TV escutar música e outras distrações. Querem criar uns monstrinhos sem distração. Eu estudei durante 4 anos em dois turnos, o que além não me adiantar de nada, só prejudicou minha vida social e sentimental. Depois passei a odiar a escola.

A Dilma já revelou uma de suas seis mulheres para o ministério, faltam mais 5.

Remindo Sauim



Ivar Pavan será o secretário de Desenvolvimento Rural e Cooperativismo


O principal desafio na nova pasta será superar o problema da renda da agricultura familiar

A partir de janeiro de 2011, Ivar Pavan fará parte da equipe do governo Tarso Genro. O deputado estadual foi convidado pelo governador eleito para assumir a nova pasta de Desenvolvimento Rural e Cooperativismo pelo fato de ser “profundamente ligado à agricultura familiar”, como ressaltou o governador. O anúncio do nome de Pavan foi feito nesta quarta-feira (24/11) no final da tarde.
Militância histórica na agricultura familiar
Ivar Pavan começou sua militância nos movimentos sociais, como presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Aratiba, no Norte do Rio Grande do Sul. Lutou por crédito, seguro, aposentadoria e habitação para os trabalhadores rurais e para o reconhecimento da Agricultura Familiar como categoria profissional.
Contribuiu para formar e fortalecer sindicatos e cooperativas, como a Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar da região Sul (Fetraf-Sul). Entre os sistemas cooperativos apoiados por Pavan está a Creral, que é modelo de produção de energia limpa, a Agricoop (Sistema Corlac) na área do leite, o Sistema Cresol na área do crédito e a Cooperhaf na área da habitação. Pavan participou da fundação da União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes), que congrega um grande volume desses empreendimentos.
Em 1990, Pavan foi eleito para seu primeiro mandato como deputado estadual. Ao longo de seus quatro mandatos na Assembleia Legislativa, mediou diálogos entre diferentes setores. Foi líder da Bancada do PT por sete anos e líder do governo Olívio Dutra por outros três. Indicado pela Bancada do partido, se tornou presidente da Assembleia Legislativa em 2009, na primeira vez que o PT assumiu o cargo em 22 anos de presença no Parlamento.
Agricultura familiar na economia
A agricultura familiar é o foco principal de atuação da nova secretaria. O setor é responsável por 70% dos alimentos consumidos no Brasil e por 75% da mão de obra no campo. De cada dez ocupados no campo, sete estão nessa atividade, que emprega 15,3 pessoas por 100 hectares. As cadeias produtivas vinculadas à agricultura familiar representam 10% do PIB nacional e 27% do PIB gaúcho. Estima-se que no RS haja cerca de 400 mil agricultores familiares.
Garantia de renda para os trabalhadores rurais
Pavan defende a necessidade de se promoverem políticas específicas voltadas para o setor, para incentivar que os agricultores permaneçam no campo, com maior qualidade de vida. Mais de 30% das propriedades hoje não têm sucessor. “O fortalecimento do cooperativismo é parte da luta pela construção de alternativas aos trabalhadores da agricultura familiar. Com o governo Lula, já avançamos muito, agora temos que integrar o Rio Grande às políticas federais. É preciso uma política que garanta renda a quem produz alimentos”, diz.
O fortalecimento das agroindústrias é uma das prioridades da nova secretaria, que cuidará de agricultura familiar e agroindústria, cooperativismo, agroecologia, assentamentos, extensão e pesca. “Precisamos garantir crédito para os agricultores, resolver problemas de infraestrutura em assentamentos da reforma agrária e enfrentar outros desafios sentidos pelo setor”, diz Pavan. A Emater e a Ceasa, antes vinculadas à Secretaria da Agricultura, serão gerenciadas pela nova pasta.
Algumas das medidas a serem tomadas para ampliar o mercado dos produtos gaúchos são a reativação do Programa Sabor Gaúcho, criado pelo governo Olívio Dutra para estimular os empreendimentos, e a adesão ao Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa), que permite que os produtos das agroindústrias sejam comercializados em todo o Brasil.


Contato Assessoria de Comunicação:
Cristina Rodrigues

Recebo do leitor Letier Vivian, de São Borja

e informo. saiu no ABC do Grupo Sinos(deve ter na internet....)


Que queimada aquela reportagem do Lara no teu blog, de que jornal saiu aquilo?


Feira do Livro de São Borja


Meio atrasado, mas aí vai uma foto minha pegando o autógrafo do poeta RAMÃO na recente feirinha do livro de São Borja.

Gentileza do "capincho"


Tive que parar pra pensar: estou hoje, dia que redijo, com o mesmo par de sapatos, a mesma camisa e a mesma calça. Como dizia la madre de Gabriel Garcia Maques, dona Luisa Santiaga, ' LA POBREZA SE LA MIRA EM LOS OJOS"


Tarso anuncia novos integrantes do secretariado

Meio atrasado, mas aí vai o escalão superior do governador eleito Tarso Genro!


FOTOS: CACO ARGEMI

 

Governador Tarso Genro anuncia mais 13 secretários
Após várias reuniões com os partidos que vão compor a coalizão, o governador eleito do Estado anunciou nesta quarta (24), no Centro de Treinamento da Procergs, onde ocorre a transição, treze novos nomes para compor o primeiro escalão do Governo. Agora já são 23 o número de secretários oficializados pelo governador eleito. Tarso Genro anunciará os secretários que ainda faltam após o retorno de suas férias, que ocorrerão de 26 de novembro a 02 de dezembro.
"Eu e o vice-governador Beto Grill estamos satisfeitos por anunciarmos a integração do PDT no nosso governo", declarou Tarso ao saudar a participação dos pedetistas no governo. "Estamos com provavelmente 80% do secretariado completo", afirmou ele, aplaudido por dezenas de militantes dos partidos da base aliada.
Confira os treze novos integrantes do governo Tarso, anunciados nesta quarta:
Secretaria da Saúde
Ciro Simoni (PDT) – Natural de Osório, Ciro Simoni, 59 anos, é formado em Medicina pela UFRGS, com especialização em Radiologia. Foi eleito prefeito de Osório em 1988 e chegou à Assembléia Legislativa em 1994. Atualmente, exerce o seu quarto mandato como deputado estadual, tendo sido reeleito este ano.
Secretaria de Justiça e Direitos Humanos
Fabiano Pereira (PT) – Antes de ser eleito deputado estadual, em 2002, foi vereador e secretário da Saúde em sua cidade natal, Santa Maria. Em 2007, assumiu seu segundo mandato na Assembleia Legislativa gaúcha. Presidiu a CPI do Detran e lidera há oito anos a Jornada Estadual Contra a Violência Sexual de Crianças e Adolescentes. Tem 37 anos.
Assessoria Superior do Governador
Coordenador Geral
Flavio Koutzii (PT) – Eleito vereador de Porto Alegre em 1988, Koutzii chegou à Assembleia Legislativa em 1990. Até 1998, comandou a bancada petista e foi um dos líderes da oposição na Casa. Assumiu no ano seguinte a chefia da Casa Civil do governo Olívio Dutra, cargo que ocupou até 2002, quando foi reeleito deputado estadual. Coordenou o Conselho Político durante a campanha de Tarso Genro este ano.
Secretaria do Desenvolvimento Rural e Cooperativismo
Ivar Pavan (PT) – Foi o primeiro presidente da Assembleia Legislativa do RS pelo PT. Foi deputado estadual por quatro mandatos, líder de bancada e líder do governo Olívio Dutra. Agricultor, 59 anos, mantém suas atividades rurais em Aratiba, no Norte gaúcho, onde nasceu. Militou em diversos movimentos sociais e ajudou a criar vários deles, como a CUT. É ligado à agricultura familiar.
Secretaria de Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico Jorge Guimarães (sem filiação partidária) – Médico veterinário com doutorado em Ciências Biológicas, é professor titular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e professor emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). A convite do então ministro da Educação, Tarso Genro, assumiu a presidência da Capes em 2004, cargo que ocupa até hoje. Foi também diretor científico do CNPQ. Natural de Campos (RJ), tem 71 anos, sendo mais de 50 dedicados à ciência brasileira.
Secretaria de Educação
José Clóvis de Azevedo (PT) – Natural de São Sebastião do Caí, formou-se em História e lecionou na rede pública nas décadas de 70 e 80. Foi secretário-geral do CPERS, e em 1997 assumiu como titular Secretaria de Educação de Porto Alegre. Coordenou o grupo esponsável por criar e estruturar a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS), e foi seu primeiro reitor. Atualmente, Azevedo, 65 anos, é professor e coordenador de pesquisa e pós-graduação do Centro Universitário Metodista IPA.
Meio Ambiente
Jussara Cony (PC do B)– Deputada estadual por quatro mandatos (1991 a 2006), é farmacêutica e funcionária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Comandou o Grupo Hospitalar Conceição, em Porto Alegre, de 2007 a 2010. Nascida em Cacequi, tem 68 anos de idade.
Secretaria de Obras e Irrigação
Luiz Carlos Busato (PTB) – Arquiteto pós-graduado em Urbanismo, 62 anos, é natural de Caçador, Santa Catarina. Foi reeleito este ano para seu segundo mandato na Câmara dos Deputados. Em 2004, elegeu-se vereador por Canoas, e comandou a secretaria de Planejamento Urbano da cidade. Atuou por 15 anos na construção civil na cidade metropolitana.
Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio
Luiz Fernando Mainardi (PT) - Foi vereador por duas legislaturas em Bagé, deputado federal de 1995 a 2000 e prefeito de Bagé de 2001 a 2008. É autor da emenda que incluiu o Programa de Fruticultura da Metade Sul no orçamento da União e propôs o Pronasci Abigeato. Foi coordenador do movimento que resultou na criação da Universidade do Pampa. Mainardi, 49 anos, é natural de Sobradinho (RS) e foi eleito
deputado estadual no pleito deste ano.
Secretaria da Habitação, Saneamento e Desenvolvimento Urbano
Marcel Frison (PT) – Atual secretário de Planejamento de São Leopoldo, é o responsável pela captação de recursos e pela implantação dos projetos do PAC na cidade. Frison, 46 anos, participou das equipes das últimas quatro campanhas petistas ao governo do Estado e foi membro da coordenação nacional de Programa de Governo na campanha de Lula, em 2002. Foi chefe de gabinete do Ministério da Pesca e é o atual vice-presidente estadual do PT. Nasceu em Sapucaia do Sul.
Secretaria das Mulheres
Márcia Santana (PT) – Ligada ao movimento feminista, é assistente social e chefe de gabinete da deputada federal Maria do Rosário. Foi diretora da Fundação de Proteção Especial do Estado. É natural de Porto Alegre e tem 33 anos.
Secretaria de Economia Solidária e Apoio a Micro e Pequena Empresa
Maurício Dziedricki (PTB) – Vereador mais votado de Porto Alegre na eleição 2008, o advogado Dziedricki tem 31 anos e é natural de Curitiba. Entre março de 2006 e abril de 2010, licenciado da Câmara, comandou a Secretária Municipal de Obras e Viação. Está em seu segundo mandato como vereador da Capital.
Chefia de Gabinete
Vinícius Wu (PT) – Historiador, será o chefe de Gabinete de Tarso Genro após ter sido seu assessor durante a campanha eleitoral. O carioca de 30 anos foi Assessor Especial do Ministro da Justiça, Chefe de Gabinete da Secretaria de Reforma do Judiciário do MJ e diretor da União Nacional dos Estudantes (UNE). Também foi membro do Conselho Nacional de Juventude da Presidência da República.
Secretários já confirmados
Abgail Pereira - Turismo
Arno Augustin - Fazenda
Beto Albuquerque – Infraestrutura e Logística
Carlos Pestana – Casa Civil
Estilac Xavier – Secretaria Geral de Governo
João Motta – Planejamento, Gestão e Participação Cidadã
Luís Augusto Lara – Trabalho e Desenvolvimento Social
Luiz Antônio de Assis Brasil – Cultura
Marcelo Danéris – Secretário Executivo do Conselho de Desenvolvimento
Econômico e Social
Mauro Knijnik - Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento

Mais informações em www.blogdotarso.com.br e www.rs13.com.br
twitter.com/tarso13

Recado

Olides

Pare com esta frescura de escrever no teu blog , que eu só falo palavrões.
Encontrei nos meus arquivos,fotos do Dorval quando jogava no Força e Luz. Agora descobri que o Dorval voltou a trabalhar na Prefeitura de São Paulo,como treinador em uma escolhinha de futebol.
Estou então, procurando uma solução para te mandar o texto
Espere para não escrever besteira como escreveste no texto do Airton. Pô.tu dizes que nos não nos conheciamos...Eu acho que na
hora do nosso encontro tu estavas "tchuco" ou sesteando...

Sergio

PS: Bonitas as fotos dos trigais da Linha Onze.Eu não conheço a fotografa Aline Ferronauto.


Explicação

O Gelson Farias explica os personagens da foto da redação da Folhinha,que está no blog!


Olides.

Para o que segue... Sobre a foto na redação da Folha da Manhã, vamos lá... Quem é de família rica lá do Paraná ( dizem até que os familiares dele, tios e primos, eram
homens que trabalhavam no campo, não sei qual é a cultura, pessoas de bem) é o Chico Salvatori Digo isso porque ele morou um tempo, num apartamento que é de nossa família na Lima e Silva. O outro sim, esse é de família abastada, os SALTON, ele é primo do médico Paulo Roberto Salton, que trabalhou na Santa Casa. Este é sim de grana, com raízes em Bento Gonçalves. Trabalhei com ele, na Caldas Júnior e na Corsan. Isso faz muito anos, Olides.


O PDT NO GOVERNO DO COISA ESTADUAL



Depois da reunião de 22.11, quando o PDT votou na sua maioria para fazer parte do Governo do Coisa do PT, a letra da música
é: NÃO PODEMOS DEIXAR DE NOS ENTREGAR PROS HOME ( se entregaram pro Olivio, pro Rigotto )
e PRAS MUIÉ, também, já que, lá no inicio de seu governo, se entregaram para a Yeda.

Sempre haverá a ENTREGA. Não resistem a um cargo, uma sinecura, embora afirmem ser a adesão POR PROJETOS. Quais ?

Tal como aconteceu das outras vezes, inclusive no Governo do Coisa Federal ( que elegeu a Coisa para substituí-lo ), irão, de repente, exigir ESCOLAS DE TEMPO INTEGRAL. O Coisa Federal não construiu nenhuma. Tem o tal de Mais Educação, que não tem nada de CIEP; quando muito um CIEP meia boca.

SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS

Recebo e publico

( mas explico aos leitores que pesquisem no blog. Não faço trabalhos pra leitores....)

Bom dia, Sr. Canton.
Como vai?

Sou filha da Nadilce Beatriz Zanatta (neta do Nadir).
Estudo para, um dia, ser também jornalista. Por enquanto estou no sexto semestre do curso.
Minha mãe tem falado muito bem do Sr. Creio estar recorrendo à pessoa certa.

Como forma final de avaliação da cadeira de radiojornalismo, o professor sugeriu uma mesa redodna. Cada aluno deverá argumentar, com base em dados, estatísticas etc., sobre as últimas eleições no Brasil.
Confesso que sou bastante leiga no assunto (terrível falha que, aos poucos, pretendo corrigir!).
Portanto, caso não seja muito incômodo, gostaria que o Sr. me fornecesse alguma base sólida, que fuja das opiniões pessoais, e informações relevantes dentro do assunto.

Sem mais, quero que o Sr. saiba que passei a admirar abertamente o trabalho do "deolhoseouvidos". Espero agregar tanto conhecimento quanto o Sr. nessa minha jornada.

Agradeço desde já a atenção.

Até breve,
Renata.

renata zanatta


Coleguinhas

*Um silêncio sepulcral reina sobre o furo que dei aqui da crise de relacionamento entre o Grêmio e o narrador esportivo Haroldo de Souza...


*Pra quem leu, Haroldo " audiência" de Souza depois de um incidente com uma funcionária do Grêmio, estaria impedido pela segurança de tomar o elevador.


*Ontem,dei uma zapeada pelas rádios, porque o Mendelski estava tocando muito Cauby Peixoto( ele é bom,sim) e eu queria ouvir notícias. Na Band peguei mais um bafafá entre o Cascatinha eo Osiris Marins, tudo por conta de um pequeno detalhe: o cara que cheira uma vez por semana é dependente ounão?? Osiris dizia que é, Cascatinha que não. Na coluna do meio, Affonso Ritter acho que nem sabia o que é isto... porque ficou quieto.

*Também trago-vos boas notícias, como dizia o porta-voz aquele de Tancredo Neves, lembram dele? Antônio Britto Filho: o imbróglio com o chefe da comunicação do Grêmio,Haroldo dos Santos, o Haroldinho, no mês de agosto passado, que redundou em sua demissão,teria sido com o Márcio, seu subalterno ou com o Vitór Rodrigues, que cuida da imprensa na área do futebol....

*Pela entrevista que ouvi,ontem do Vicente Martins, ao Dal Pizzol, na Guaíba, esta parceria, como se diz modernamente, entre Grêmio e Renato não tem futuro....Podem me cobrar mais adiante....O Renato já acha que tem que ter um monumento no Olímpico pra ele...e os outros também não deixam por menos. Dois bicudos não se beijam, como diria aquele ditado...

PDT confirma entrada no Governo Tarso



Uma reunião ocorrida nesta quarta-feira (24), no escritório do governador eleito, selou o acordo entre Tarso Genro e o Partido Democrático Trabalhista. O PDT ficará com a Secretaria da Saúde e mais duas pastas que ainda serão definidas. O deputado estadual Ciro Simoni, médico e ex-prefeito de Osório, foi confirmado como secretário.

Esse é um momento histórico para o Rio Grande. Nós acabamos de consolidar a maior frente política, democrática e progressista da história do Estado do Rio Grande do Sul depois da legalidade em 61, com a presença do Partido Democrático Trabalhista no nosso governo”, comemorou Tarso.

O governador eleito também confirmou o nome de Jorge Guimarães na Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação. Ainda nesta tarde, após algumas reuniões, Tarso Genro irá confirmar outros nomes no secretariado.

A apresentação dos nomes está marcada para as 16 horas no centro de treinamento da Procergs, onde ocorre a transição de governo.

Secretaria da Saúde

Ciro Simoni (PDT) – Natural de Osório, Ciro Simoni, 59 anos, é formado em Medicina pela UFRGS, com especialização em Radiologia. Foi eleito prefeito de Osório em 1988 e chegou à Assembléia Legislativa em 1994.
Atualmente, exerce o seu quarto mandato como deputado estadual, tendo sido reeleito este ano.


Ciência, Tecnologia e Inovação

Jorge Guimarães – Médico veterinário com doutorado em Ciências Biológicas, é professor titular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e professor emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). A convite do então ministro da Educação, Tarso Genro, assumiu a presidência da Capes em 2004, cargo que ocupa até hoje. Foi também diretor científico do CNPQ. Natural de Campos (RJ), tem 71 anos, sendo mais de 50 dedicados à ciência brasileira.


FOTOS: CACO ARGEMI

Tarso recebeu representantes do PDT

Governador eleito Tarso Genro anuncia ingresso do PDT no seu futuro governo!


FORAM OS JUROS, ESTÚPIDO!

Por Carlos Chagas

Henrique Meirelles está sendo defenestrado da presidência do Banco Central por razão bem superior a um eventual desencontro de palavras, isto é, pouca importância teve na decisão de Dilma Rousseff de não conservá-lo a declaração de que só aceitaria caso mantivesse autonomia e independência. Primeiro porque num sistema presidencialista quem tem a caneta e o poder de nomear e demitir presidentes do Banco Central é o presidente da República. Depois, porque Meirelles tem cabeça para não declarar tamanha bobagem. Na verdade, a divergência envolve a questão dos juros: Dilma pretende reduzí-los a 2% no prazo de um ano ou pouco mais. Meirelles sustenta a permanência indefinida das taxas mais altas do planeta.
Outra versão a ser desmentida é de que o presidente Lula aconselhou a presidente eleita a manter Meirelles no cargo. A sugestão presidencial envolveu apenas o ministro da Fazenda. Sabendo-se da divergência entre Guido Mantega e Henrique Meirelles, fica claro que o primeiro-companheiro jamais proporia a continuação da dicotomia. Acresce que o ainda presidente do Banco Central é banqueiro, categoria não propriamente bem situada nas graças de Dilma.

Mesmo sendo cogitado o nome de Alexandre Tombini, atual diretor de Normas do BC, a decisão ainda não teria sido tomada pela presidente eleita. Certo, mesmo, é que Guido Mantega responderá diretamente a Dilma pelo comando da política econômica, tendo o Banco Central sob sua supervisão, coisa que não acontece no governo Lula.

DEFESA: OUTRO NÓ A DESATAR

É antigo o distanciamento entre Dilma Rousseff e Nelson Jobim. O ministro da Defesa foi o primeiro, quem sabe o único, a reagir ao estilo áspero e deselegante da então chefe da Casa Civil, nas raras vezes em que despacharam. Conta-se até que teria se referido à necessidade de conter os arroubos da ministra, no café da manhã num hotel de Buenos Aires, na presença de mais dois ministros brasileiros, por ocasião de uma visita do presidente Lula à Argentina. Os três fizeram um pacto de resistência, naqueles idos em que nem se cogitava da candidatura de Dilma. Se os outros dois cumpriram ou ficaram apenas na intenção, é outra história.

Por conta disso ignora-se a hipótese da continuação de Jobim, na bolsa das especulações. Apesar de fartamente elogiado pelos comandantes das três forças armadas, o ministro ainda não foi convocado pela presidente eleita para conversar.

A Defesa é um ministério delicado, exigindo de seu titular densa biografia, bem mais do que representatividade partidária. Nomes como Waldir Pires e em especial o vice-presidente José Alencar, e depois Nelson Jobim, preencheram esses requisitos. Caso Dilma Rousseff pretenda designar outro ministro, precisará sair de lanterna em punho, pois as opções à altura são poucas.

CATUCANDO COM VARA CURTA

Cuidar-se o presidente do PTB, Roberto Jefferson, posto no ostracismo desde antes de sua cassação como deputado federal. Mesmo com o partido integrando a base parlamentar do presidente Lula, Jefferson jamais foi convidado para reuniões do Conselho Político ou audiências isoladas. Por conta disso, tem funcionado como livre atirador, causando certos constrangimentos no governo, como a repetição de que o mensalão continuou existindo até muito depois de havê-lo denunciado ao chefe do governo. Na recente sucessão presidencial, liberou o PTB para apoiar qualquer dos candidatos, tendo pessoalmente ficado com José Serra, cuja campanha criticou de forma ostensiva. Mas não perde oportunidade de jogar farpas na presidente eleita e em seu criador. Ainda agora acaba de dizer que não adiantou o eleitorado escolher uma mulher para presidente, porque na verdade quem manda é um homem. No caso, o presidente Lula. Dilma não deve ter gostado nem um pouco...

ÁGUIA, LOBO MAU OU ONÇA?

Durante a campanha, a empresa aérea contratada para transportar a candidata recomendava às suas tripulações manter contacto permanente com seus diretores. Criaram um código para trocar informações, que sempre começava com “a águia decolou”, “a águia está no ar, rumando para tal lugar” ou “a águia pousou”.

Agora, com o humor da referência de Dilma Rousseff a seus três principais auxiliares como sendo “os três porquinhos”, ainda na reunião do diretório nacional do PT chegaram as perguntas a José Eduardo Dutra, José Eduardo Cardoso e Antônio Palocci: “quem é o lobo mau?” Conta a lenda que pelo menos dois dos três porquinhos não seguraram o riso, olhando fixamente para a presidente eleita.

Há quem se prepare para uma terceira incursão no reino zoológico, porque depois de algumas semanas de empossada, será fácil verificar que a mulher é uma onça...


Recebo e publico!

 

Boa tarde,

Em primeiro lugar queremos reiterar nosso agradecimento pela sua participação em nosso jornal. Temos recebido muitos comentários positivos sobre o mesmo.
Com certeza a aceitação se dá em virtude da qualidade de todos nossos colaboradores e da linha editorial adotada.
Já na edição nº 5 , circulamos também em Nova Tramandaí, Oasis-Sul e em Capivari do Sul, totalizando cinco cidades, 4.000 exemplares e "on line" no nosso site: www.guiadolitoralrs.com.br.
Fechamos as edições todas as terças-feiras à noite, sendo que na - terça-feira - fazemos as revisões e inserimos os classificados.
Pedimos, dentro de sua possibilidade, que remeta seu artigo preferencialmente até sábado, isto nos adiantará muito o trabalho e evitará problemas de última hora.
Se preferir pode também antecipar algumas matérias.
No mês de dezembro teremos edições no dia 3, 17 e 31.
A edição do dia 17 antecede o Natal, se você quiser fique a vontade para escrever alguma coisa alusiva a data
Na edição do dia 31 estamos elaborando uma edição especial.
Se você tiver alguma propostas nos envie.
No dia 16 de DEZEMBRO, gostaria de convidar todos nossos colunistas colaboradores para um jantar de confraternização também para troca de idéias e oportunidade em que todos venham a se conhecer. Gostaríamos de contar com você e seus convidados.
Convidarenos também nossos anunciantes, amigos e as entidades que também colaboram com o jornal, principalmente as Associações Comerciais e CDL's.
Muito obrigado

Eron Ferreira


Coleguinhas


A " radio-corredor" informa que três coleguinhas estariam com a corda no pescoço, na RBS, ou melhor, iriam ser aposentados: Nando Gross( da rádio Gaúcha,comentarista esportivo), Wianey Carlet, da ZH e da Gaucha e o Mário Marcos de Souza, só da ZH. Cabe lembrar que o Mário, no começo dos anos 90, pediu demissão do HCPA porque optou por ficar apenas na ZH


Renato, o CARETA


o RENATO PORTALUPPI virou a fina flor da caretagem. Mandei umas perguntas pra ele responder sobre os tempos em que era notívago no porto prum livro que estou escrevendo e ele mandou dizer que só fala do Grêmio...

Pô, aí é como ir a Roma e não ver o Papa.....


Bares que se tornaram lenda


CHURRASCARIA NOVA BRÉSCIA

Oscar Bassegio, da Churrascaria Nova Bréscia, integrava a chamada Confraria dos Italianos...

a NOVA BRÉSCIA AINDA é lembrada como Churrascaria, tanto que mesmo não existindo mais, aparece em pesquisas de marcas. Ficava na rua 18 de Novembro,81( seu fone era 3342.3285.

Dirigida por Oscar Basségio, um gringo de Nova Bréscia, fez a fama dele e do município como cidade de churrasqueiros, tanto que na entrada da cidade há uma estátua homenageando a figura tradicional do assador de carnes...

Lugar de muitos comunicadores, quando estava no auge, a Nova Bréscia sempre era o local onde iam fazer suas refeições os locutores esportivos da Bandeirantes e da Globo, quando vinham transmitir jogos na capital gaúcha. DEpois, especialmente o Luciano do Valle, aproveitava pra transmitir um abraço pro Oscar, no ar, e acabava, indiretamente, fazendo a melhor propaganda que uma casa pode ter que é uma indicação de uma personalidade pública: podem perguntar a qualquer churrasqueiro, ou bodegueiro, tudo o que ele quer é isto, não é botar anúncios comerciais em rádios, tevês e afins.


A Nova Bréscia se tornou famosa principalmente em função da qualidade de suas carnes...

E com este nome ajudou a cidade de onde é originária a família de seu ex-dono a se tornar sinônimo de gente que sabe assar uma carne: tanto que qualquer churrascaria espalhada pelo país, com o nome de Nova Bréscia, dificilmente dá errado...

Diz a lenda que há até uma churrascaria de gente de Nova Bréscia, em Milão, na Itália....

A Nova Bréscia ficou conhecida por ser uma casa do rodízio, que os gaúchos gostam de chamar de espeto corrido...

Nos anos 90, começou a decair e ninguém nunca soube explicar quais os motivos....

Havia várias versões....

Nos últimos tempos, o Oscar Basségio era visto trabalhando numa nova casa que abriu na Carlos Gomes, a X e Y....Mas informarem-se que saiu de lá também...

Deu empate de novo....

Segundo informa o colega Burd, no O SUL, de ontem, a bancada do PT está novamente dividida entre Raul Pont e Adão Villaverde.

Sete pra cada lado. Na outra vez, entrou o Ivar Pavan, de tertius.

Agora, quem será???


INACREDITÁVEL....


MAIS UMA DA SERIE, vou morrer e não ter visto tudo...

Liguei ontem pro estádio Olímpico atrás do telefone do ex-centro avante do Gremio, Alcindo MARTHA DE FREITAS...Depois de passa pra cá, pra lá, caiu numa funcionária que me disse:
- POR FAVOR ME EXPLIQUE QUEM É ESTE SENHOR QUE EU NÃO SEI


NÃO ME GUENTEI....


- DISSE A ELA, VOCE NÃO PODE ESTAR TRABALHANDO NO GREMIO. FOI SIMPLESMENTE O MAIOR CENTROAVANTE DA HISTÓRIA DOGREMIO!!!

é mole, mas sobe, como diz o coleguinha aquele de Sampa....

DILMA, QUANDO

ERA DESCONHECIDA!!!


O jornal ABC, do dia 21..11 fez uma resgate interessante: como o Grupo Sinos tem interesses em São Chico de Paula foram para lá fazer uma matéria dos tempos que a presidenta eleita, Dilma Rousseff ia pra aquela cidade serrana em companhia do marido, Carlos Araujo.

Transcrevo parte do que disse o ABC do domingo.

- Em 1986, durante as eleições estaduais, o cenário político da cidade(São Chico de Paula) já estava mais arejado. O regime militar havia se encerrado oficialmente com a posse de José Sarney, o primeiro presidente civil a subir a rampa do Planalto desde os anos 60. Na campanha estadual que elegeria Pedro Simon(PMDB) como governador, o PDT, em aliança com o PDS, defendia a candidatura de Aldo Pinto(PDT.

Em São Francisco de Paula, a dipusta política ganhava novos adeptos. O PMDB havia inaugurado um comitê feminino, a Aliança das Mulheres Serranas que era encabeçada por esposas de políticos ligados às duas siglas. O encontro lotou o Salão Paroquial na época.

Entre as participantes estava Dilma Rousseff." Ela estava muito entusiasmada com o comitê", recorda Geni Oliveira.

O encontro é lembrado como um momento marcante da política local, inclusive pelo atual prefeito da cidade, Décio Colla(PT) que na época militava no PMDB. " O salão estava todo lotado só de mulheres. Depois desse encontro, duas mulheres saíram candidtas à vereança e conseguiram se eleger", relata o prefeito, que confessa não se recordar de Dilma naquele período.

DEpois desse episódio, as visitas de Dilma e Araújo foram ficando cada vez mais raras. No final daquela década, ela assumir um cargo na prefeitura de Porto Alegre, na administração Alceu Collares(PDT.

Em tempo:

o pai de Carlos, Afrãnio, é de São Chico!

Em Brasília, Beto Grill defende prioridade na votação da Lei Kandir e Fundo de Combate à Pobreza


O vice-governador eleito do RS participou nesta terça-feira (23) das reuniões entre governadores e vices eleitos, o vice-presidente eleito Michel Temer, os ministros Paulo Bernardo (Planejamento) e Alexandre Padilha (Relações Institucionais) e líderes do Congresso. Beto Grill viajou a Brasília para tratar de assuntos que interessam diretamente ao Estado, como a votação das prorrogações da Lei Kandir e do Fundo de Combate à Pobreza e para participar da reunião da bancada federal gaúcha.

Representantes de sete Estados defenderam a aprovação até o final do ano de duas propostas que tramitam na Câmara. A primeira (PLP 352/02) prorroga a Lei Kandir, reduzindo em parte os prejuízos tributários impostos pela desoneração do ICMS e ampliando a apropriação de créditos do imposto previstas na lei complementar 87/96. Caso não ocorra a prorrogação, o impacto na arrecadação, somente no RS, pode chegar a quase R$ 1,5 bilhão. A segunda (PEC 507/10) prorroga por tempo indeterminado o Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza, cuja vigência termina neste ano.

Para que a Câmara atenda aos pedidos dos governadores eleitos, é necessário que se resolva o impasse com relação à apreciação dos projetos do pré-sal, que estabelece o regime de partilha na exploração de petróleo e estabelece o Fundo Social (de interesse dos governos) e da PEC 300, que fixa um piso nacional do salário de policiais militares. Com relação às reivindicações dos Estados, Grill foi enfático: “Não podemos correr o risco dessas votações ficarem trancadas na pauta da sessão extraodinária”.

Para os governadores, o pré-sal, a o Fundo de Combate à Pobreza e a Lei Kandir devem ter prioridade sobre qualquer outro projeto. “A nossa posição é clara: precisamos que as votações ocorram até o final do ano, pois esses temas estão relacionados diretamente ao orçamento dos Estados”, finalizou Beto Grill.

Também estavam presentes os governadores eleitos Geraldo Alckmin (SP), Antonio Anastasia (MG) e Renato Casagrande (ES), os reeleitos Jaques Wagner (BA) e Cid Gomes (CE), além do vice-governador do Rio, Luiz Fernando Pezão.


Claiton Silva
Assessoria de Comunicação


Coleguinhas

 

O resgate que o ABC fez no domingo passado da presença da agora presidenta Dilma Rousseff em São Chico foi feito pelos jornais locais CORREIO SERRANO E O IMPRENSA POPULAR.

*A matéria diz que a impressão que a agora presidenta deixou na cidade - que lá não voltou nunca mais - era de uma pessoa simples...

E Serra ganhou a eleição por lá, mesmo com os vestígios da agora presidenta!


IMPRENSA

o ABC(grupo Sinos) do domingo passado, deu na pleura, nos rins, como dizia o finado Melchiades Stricher, do deputado Augusto Lara,(PTB) que entra governo, sai governo, ele está neles....Este ganha do Tancredo Neves, em política, que os inimigos diziam que conseguia tirar a meia sem tirar o calçado....

Boa matéria, bem costuradinha...e pra variar, ao lado da matéria, o veneno mor do jornalismo político gaúcho, JCTerlera. Terlera chama o deputado de CAMALEÃO.... E pergunta que reina grande expectativa sobre os 4 votos do PTB na Assembléia que conseguem estar no Governo Yeda e ao mesmo tempo já integrar a base do futuro governo. Só que ao atualgoverno interessa que aprovem os projetos e ao futuro, não....Toing!!!!!!!!!!!

FALANDO ALTO....

O presidente regional do pDT, Romildo Bolzan Jr, saía da Assembléia ontem de tarde, falando alto ao celular. Acompanhado de apenas um assessor(ou amigo) ele explicava no celular pro interlocutor como funciona e o que é a Secretaria dos Prefeitos....

Aí tem!!!!!

Perc POA - Festival de Percussão da Cidade de Porto Alegre - de 03 a 05 de dezembro com entrada franca



De 03 a 05 de dezembro acontece a 3ª edição do Perc POA ? Festival de Percussão da Cidade de Porto Alegre, o maior encontro de percussionistas do sul do Brasil. Este festival, voltado às diversas manifestações rítmicas da cultura brasileira, promove a integração de todos os músicos e pessoas envolvidas com o tambor, o batuque, a bateria e a música de forma universal.
Nesta edição o projeto, além dos shows e oficinas de ritmo, contará com exibição de filmes e a realização do Seminário Consciência dos Tambores. Todas as atividades têm entrada franca. As ações do Perc POA estão concentradas no Teatro de Câmara Tulio Piva, com exceção das oficinas de sábado, que acontecem na Redenção e no Afro Sul-Odomodê.
No encerramento do evento, serão realizadas homenagens e premiações e um show coletivo com um grande time de músicos (Paulo Romeo, Mestre Paraqueda, Maracatu Truvão, Mestre Giba Giba, Esdras Bedai, Mestre Walter Borel, Odomodê Tambor, Mestre Gersy Saraiva, Zé da Terreira, Areal da Baronesa do Futuro, Luiz Jakka, Fernando do Ó, Richard Serraria, De Santana, Turucutá Batucada Coletiva, entre outros). Ao final, os artistas descem do palco, juntam-se ao público e deixam em cordão o Teatro de Câmara Túlio Piva, fazendo a Caminhada dos Tambores na Cidade Baixa.

Memória Política

Peracchi, o primeiro

governador " biônico!"


O Cel da BM que virou governador....

Com as novas regras impostas pela ditadura militar, que fazia questão de ser chamada de Governo Revolucionário, processou-se a eleição para a escolha do sucessor de Ildo Meneghetti. Pela coligação governista, integrada pelos deputados do PSD,UDN,PL, PRP, e MTR disputavam o direito de ser candidato Peracchi Barcellos e Tarso Dutra.

Como porém se estabeleceu que o escolhido teria que ter o apoio do governador e principalmente dos chefes militares, a escolha caiu em Peracchi Barcellos, então ministro do Trabalho de Castelo Branco.


A Revolução teve dificuldades na Assembléia Legislativa, já que alguns deputados, sob a liderança de Paulo Brossard, do PL, e Cândido Norberto, do MTR, se recusavam a votar em Perachi e passaram a apoiar e articular o nome de Ruy Cirne Lima.

Cirne Lima, tanto quanto Brossard e Cândido, havia apoiado a Revolução de 1964.

Os chefes militares, como era regra naqueles anos, já haviam decidido que o governador seria Perachi. Para tal, o chamado poder revolucionário se encarregou de tomar as medidas: baixou um ato Institucional cassando-se os mandatos de Brossard(PL) e de Cândido Norberto(MTR) e mais seis outros deputados...

A convenção da Arena, partido ao qual pertenciam Peracchi e Tarso Dutra foi feita no Teatro São Pedro.

- O Tarso Dutra tinha o controle do partido, mas o Golbery do Couto e Silva veio de Brasília e manobrou virando a convenção pra escolher o Peracchi, relata o jornalista João Carlos Terlera, que transmitiu aquela convenção da Arena pra rádio Farroupilha.

E, lembrou Terlera, Carlos de Britto Velho que apoiava a candidatura de Rui Cirne Lima, quando foi falar, levou vaias e se saiu com esta:

- Ouçam senhores ouvintes da rádio Farroupilha o " coaxar" das rãs, mas apesar disto prossigo no meu discurso...

Assim,com a cassação de oito deputados, Peracchi teve seu nome aprovado no legislativo estadual e governou o Rio Grande do Sul entre 1966 e 1970.

A Tarso Dutra, que tinha a Arena na sua mão, coube um consolo dado pelo chamado Governo Revolucionário: virou senador(biônico,também).


CASSADOS NO EPISODIO

Conforme o setor de memória do legislativo estadual, foram cassados Alvaro Petraco da Cunha(PTB) em julho de 1966, Antõnio Simão Visintainer( PTB) em junho de 1966, Helio Fontoura, em outubro de 1965, mas só comunicado em julho de 1966, do PTB, Vilmar Corrêa Taborda, em 21.07.1966, do PTB e Omar Lautenschleiger, do MTB cassado em 19.7.1966.

O deputado do MTR, Cândido Norberto dos Santos, foi cassado em 21.7.1966


HUMANIZAÇÃO DA GESTÃO

O Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha do Rio Grande do Sul (Sinborsul) promove no dia 29 de novembro a palestra Humanização da Gestão, que será proferida por Luiz Ildebrando Pierry, do Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP). O evento será realizado no Centro das Indústrias de São Leopoldo, às 16h30min. Ingresso: 1 kg de alimento não perecível. Informações: fone (51) 3590.7733.
Todt Comunicação Ltda


Convite Lançamento Coletânea Segunda Edição

Coleguinhas

O BAIANO está

sempre num

buteco pelo

centro da cidade.


Paulo Ricardo Soares de Moraes

Se você quiser encontrar o Baiano, como é conhecido o Paulo Ricardo Soares de Moraes, nascido em Porto Alegre, em 20.02.1959 é só andar num buteco que ele estará por ali. Cabelão enorme, o "PRI"´- o apelido que tinha na redação da ZH - toma seu traguinho, sem a menor pressa. Por isto carrega do apelido de Baiano...

Na última sexta, dia da consciência negra, Paulo Ricardo foi contemplado com um destaque dado pela Câmara Municipal de Porto Alegre, no setor de literatura.

Paulo é filho de José Flávio de Moraes e de Iolanda Soares Moraes. Já residiu na rua São Francisco de Assis,104 e na José do Patrocínio,804/901.

Foi casado com Vera Lúcia, a Verinha e tem o filho Horácio.

Começou sua carreira no jornalismo como radialista provisionado.

Trabalhou na rádio Farroupilha( rua Tenente Cel. Corrêa Lima, 2118) como repórter.

Coleguinhas

O escritor Carlos Augusto Bisson mandou dizer que ontem estava se programando pra ir num concerto de Mozart, em NYork. .gente fina é outra coisa.....


Muito doente


Achei " distante" o semblante da ex-Miss Universo, Maria Ieda Vargas, publicada no JC de anteontem....

Parecia muito longe...

Está doente.....

Outro que está doente é o radialista Armindo A.Ranzolin

FRIEZA

O MAESTRO Isaac Karabtchevsky foi uma frieza,só na noite do seu último concerto, na terça, na reitoria da UFRGS.

Regeu a Nona sinfonia de Beethven,sem dar um pio...nem na entrada, nem na saída, ele disse uma sílaba. Já o presidente Ivo Nesralla se queixou do futuro. Cesar Prestes, representando a governadora, deu a melhor notícia da noite pros músicos: os atrasados vão ser pagos....

Quem brilhou como mestre de cerimônias, se sentindo a vontada, foi a jornalista Balala Campos....

A ZH de ontem se referiu a ele, como o maestre demissionário...

Ele regia a OSPA desde o governo Rigotto.

Um mistério guardado a sete chaves é quando que ele ganhava pelo contrato.

Nunca foi divulgado.....

Ontem, a OSPA completou 60 anos e foi homenageada no Grande Expediente da Assembléia Legislativa.

Coleguinhas

wp.clicrbs.com.br

Kenny Braga e Paulo Santana

O Kenny Braga não teria gostado nada,nadinha mesmo, do modo como seu colega de bancada do Sala de Redação teria se referido a ele durante um programa na semana passada em Santana do Livramento.E Santana ainda por cima falou do assunto em sua coluna na ZH.

Kenny que gosta de vender a imagem de grande " namorador" não se sentiu à vontade com alguns comentários do colega Santana. Administrar dois egos deste quilate não deve ser mole....

Dá um gancho num deles, que logo se acalmam....


Convite


Recebo do Israel Lopes convite de um evento do Teixeirinha(25 anos sem ele...)

O amigo leitor e advogado levou 18 anos pra aprontar a biografia do cantor...

E ele não tem pressa...agora está fazendo uma do Pedro Raimundo...

O Israel despacha em plena praça XV de Novembro. Os clientes o abordam e ele dá consulta sobre os processos de cada um....

C O N V I T E
Ao Amigo
Jornalista e Escritor
OLIDES CANTON

São Borja, 22 de novembro de 2010

Estamos encaminhando o CONVITE anexo sobre o nosso evento “QUERÊNCIA AMADA, 25 Anos Sem Teixeirinha” que será, por ocasião da nossa “3ª Charla ao Pé do Fogo” (promovida pelo Departamento Cultural do CENTRO NATIVISTA BOITATÁ que tem como Diretora a Sra. Terezinha Bernardes).
O evento será levado a efeito no dia 1º de dezembro de 2010, a partir das 20 horas e 30 minutos, numa quarta-feira, no Galpão Evaristo Bastos Pinheiro, na sede do CENTRO NATIVISTA BOITATÁ, conforme o Convite.
O evento será gravado e enviado uma cópia para o Arquivo da FUNDAÇÃO TEIXEIRINHA que tem, como objetivo, preservar e divulgar a obra do grande artista do Rio Grande do Sul.
Contando com a prestigiosa presença do amigo, desde já agradecemos e receba um grande abraço.

ISRAEL LOPES
(P/Comissão Organizadora do evento QUERÊNCIA AMADA - 25 Anos Sem Teixeirinha)
Fone: 3431-3260

Recebo e publico

Ora, cara leitora, vai se inteirar. eu não sou teu leitor....

Oi rapaz!

publicas no blog a minha pergunta, porém não respondeste o que ocorreu com a escritora levada pelos brigadianos. Perguntei a ti, poi sei que estavas sempre na feira e, antenado como ninguém, deves saber o motivo.
até...
Josi Negreiros


De São Borja

Começou a sucessão " municipal"!


Está detonada a eleição para prefeitura de Terra dos Presidentes. Ou pelo menos, alguns pretensos candidatos estão querendo que tudo comece, apesar do silêncio sepulcral do Palácio João Goulart.

A recente estada do ex-candidato a deputado estadual Cristhopher Goulart que do alto dos seus quase três mil votos que fez no município pretende postular a candidatura pelo PDT parece que detonou o processo. Cristhoplher teria pisado na bola ao se exibir com quem trabalhou pra sua " prima" Juliana Brizola que não alcansou os mil votos em São Borja. " Fiz três por um" contra ela, disse o neto de Jango, parecendo ainda demonstrar uma rivalidade que está no DNA dos familiares de Jango e Brizola, já que o ex-governador e o ex-presidente apenas se toleravam....por causa das relações familiares(eram cunhados...). Jango, no exílio, em algumas circunstâncias, se referia ao cunhado como " aquele filho da p....do Brizola"!

Na sua estada há poucos dias na Terra dos Presidentes, Cristhoplher Goulart colocou " seu nome a disposição para concorrer"." Este guri fomos nós quer trouxemos pro PDT. Ele era do PTB" diz o chefe de gabinete do prefeito Mariovane, o único a se pronunciar pelo lado oficial do prefeito . Como todos sabem, Weis controla o diretório local. Mas o prestígio de Mariovane ficou fortemente abalado depois que ele apoiou publicamente Flávio Lammel a candidato a deputado estadual e fez apenas 468 votos em São Borja, o que é digamos, muito pouco,s e se contar que havia CCs da prefeitura que estavam fazendo campanha pra Lammel e também secretário municipais.

" Não é fácil vender um candidato de fora", concordou Sereno Chaise, que foi no passado presidente estadual do PDT.

E pra esquentar ainda mais as turbinas, um veterinário colocou um cartaz na cidade propagandeando a dobradinha Rene Ribeiro(PT) e o atual presidente da Câmara dos Vereadores, Beto Souza, do PTB.Neste momento Rene é arquiinimigo de Mariovane Weis, atual prefeito,depois dos dois terem compartilhado a prefeitura durante o primeiro mandado...

Mas Rene na ocasião quase foi " expulso" da prefeitura por Weis. Aconteceu algo semelhante a Collares e Glênio Peres que na prefeitura da capital Peres não tinha nem sala pra despachar...
Mas isto faz parte do cenário de São Borja.

Ou então é melhor fazer como aconselhava Getúlio Vargas(logo ele...) que segundo contam numa tarde, depois de muito ouvir as queixas das sacanagens que Leonel Brizola e João Goulart faziam contra ele José Vecchio, presidente do velho PTB, a velha raposa da política riograndense saiu-se com esta, após um olhar pensativo e uma baforada:

- Vecchio, faz como eu, não te mete em política!


Agenda Tarso Genro

A agenda do governador eleito marca pra hoje, 24/11 um encontro com o PDT. é o dia do FICO!

ORA SE O pdt não ia ficar!!!!!


Agenda Tarso Genro_24 de Novembro - quarta-feira_Divulgação
11h30 – Reunião com direção do PDT
15h30 – Entrevista ao Correio do Povo
Local: Centro de Treinamento da PROCERGS
End. Rua Dr. Mario Totta, 64 – Tristeza
16h00 as 18h00 – Reservado para Reuniões partidárias.

Mais informações em www.blogdotarso.com.br e www.rs13.com.br
twitter.com/tarso13
(051) 3323 8900


Mais fotos da Patagônia chilena...

Numa delas vê-se a sede de um jornal na nas Ilhas Falklands(Malvinas) e na outra a chegada as ilhas Falklands(Malvinas) com uma temperatura de cinco graus.... tudo isto em fevereiro de 2009.

Crise ( na comunicação)

do Olímpico

Pelos barzinhos onde os conselheiros e outros membros ligados ao Grêmio circulam,depois do expediente, perto do Olímpico comenta-se muito a saída do jornalista Haroldo Santos, o Haroldinho, do Grêmio,ocorrido em fins de agosto passado.

Teria sido uma crise séria com um subalterno(a) da área da comunicação.

Há muito compadrio dentro do clube. Uma filha do ex-jogador Tarciso trabalha no marketing, uma ex-mulher do narrador Haroldo de Souza trabalha no clube.

Haroldinho foi pro Novo Hamburgo. Outro jornalista que tinha ficado sete ou oito anos no Grêmio, Serginho SChuller, saiu do Grêmio pra dar lugar a Haroldinho. Abriu um restaurante na zona sul da cidade....
Hoje Vitor Rodrigues faz assessoria pro clube, mas apenas no setor de futebol....


Apoio com "desconfiança"

Esta é boa. O PDT, reunido na última segunda, em sua sede na zona norte de Porto Alegre, apoiou o ingresso no governo do PT mas com " desconfiança".

Parece a " IMPARCIALIDADE ATIVA"

OS DOIS SE MERECEM,...digo o Fogaça e o PDT!


Pompeozinho

Se o atual deputado federal POMPEO DE MATTOS for mesmo de volta pro BB, como ele tem dito, se consagra|!!!!

Qual o cardápio?

Na semana passada, o deputado Adão Villaverde(PT) almoçou com o candidato derrotado ao senado do PMDB, Germano Rigotto. Não se sabe o cardápio qual foi!


Foto


ESTA FOTO BEM QUE SE PODERIA CHAMAR " eu vou morrer e não terei visto tudo!!!"


Tarso propõe “diálogo permanente” ao PP


O PAVILHÃO EM

CADEIRA DE RODAS!


O outrora Pavilhão está quase numa cadeira de rodas, por causa de um joelho que o incomoda...Precisa operar, mas ele tem medo.

Airton Ferreira da Silva, que tantas glórias deu ao Grêmio, hoje vive de recordações junto ao que sobrou de seus familiares. Por destino, vive ao lado do Grêmio, na José de Alencar. è quase uma sombra do clube...

Imagino que nos dias de grandes jogos ele escuta tudo o que acontece dentro do estádio, pela reação da torcida...

Estes dias estando o Serginho Ross em Porto Alegre, quis proporcionar um encontro entre os dois. Mas como são duas grandes estrelas( quase dois cometas..) não foi fácil....O Serginho veio de Brasilia pra matar as saudades de Bento, mas acabou nem indo. Assim que quando falar de Bento, é pura mentira....

Veio comer sanduiches abertos em Porto Alegre, que segundo ele não tem em Brasília.


Almoçamos na Parrilla del Sur..Eu fiquei ali na entrada esperando. Uma guria que fazia a recepção me disse que ainda não havia chegado num baixinho invocado, mandando todo mundo a merda, tomar no c....etc e tal...

Aí eu disse pra ela:

- Espera um pouco que vais ver...

Dito e feito. Não deu outra. Dali uns 15 minutos, quando vi um táxi se aproximando, pisquei pra recepcionista e lhe disse:
- Tá chegando e vais ver como vai chegar falando mal do taxista, dizendo...porra este táxi de merda ficou dando voltas...

Não deu outra coisa. A guria só me olhou e riu baixinho. Ele nem notou, como marido enganado....

Comemos um matambre no meio da torcida colorada, que aquilo é um antro. Serginho, como sempre, começou mentir sobre seu tempo de Grêmio.

Quis que eu o levasse ao Airton Ferreira, seu antigo conhecido...

Lembrou que o Airton fora um dos cracões do Grêmio no tempo da BAIXADA. Airton,lembrou-me meu colega, foi o cara que jogava no FORÇA E LUZ a E FOI TROCADO PELO GREMIO EM TROCA DE UM PAVILHÃO DE MADEIRA DA BAIXADA. Por isto que ficou com o apelido.

Eu disse ao meu amigo que tinha estado dias atrás com o Airton que está praticamente numa cadeira de rodas. Marquei uma visita e na sexta seguinte, depois que meu amigo tinha ido ver suas fazendas em Pelotas e visitar seu amigo SARARá, FOMOS visitar o craque do Grêmio.

Fomos recebidos com a simplicidade e a cortesia de sempre, pelos familiares, que tem o hábito de sempre servir um cafezinho. Isto pouca gente faz com jornalitas bisbilhoteiros...

Os dois não se conhecima muito, não, pelo que vi. Airton mostrou completo desconhecimento sobre o tempo do Serginho no Grêmio, mas viu logo que o colega conhecia os mesmos jogadores.

Aí começa a falar de um,fala de outro,até que veio o DELEM COMO assunto...

O Delem foi juvenil do Grêmio de 50 a 53. Jogava com a camisa 10 e dominava o meio de campo. Em 53, o ano do cinquentenário do clube, foi campeão pelo time juvenil, aliás o único time do Grêmio que ganhou alguma coisa naquele ano( claro que o Serginho disse que foi por causa dele...ora bolas...)

O Internacional, tradicional rival, papou o título de campeão gaúcho. Foi uma decepção muito grande para a torcida tricolor que esperava além do Olímpico, um título de campeão.

Mas o Delem, lembrou o Airton, foi um jogador ou caso muito estranho. Jogava como ninguém nos aspirantes, mas quanto tinha que jogar no time principal, era um fracasso, tanto assim que foi logo, logo, vendido ao Vasco da Gama. No Vasco voltou a fazer sucesso e chegou a seleção brasileira.
O fato dele ter ido bem no Vasco foi tão grande que acabou contratado pelo River Plate de Buenos Aires, onde virou um ídolo histórico. Mesmo depois de ter deixado o futebol, Delem continuou vivendo em Buenos Aires e aí resolveu criar no Monumental de Nunes, uma escolinha de futebol que criou grandes craques , muitos deles jogando até hoje em grandes times esplhados pelo mundo( Conca do Fluminense é um deles). Delem morreu no ano passado e até hoje deixa muita saudades na " inchada" do River.


O Serginho com sua boa memória contou pro Airton que o Grêmio em 1954 contratou o úngaro LAZLO ZEKELLY para que desse o título do cinquentenário do Grêmio. A primeira coisa que o Lazlo Zekelly fez foi subir para o time principal a metade da equipe juvenil, que havia ganho o campeonato de sua categoria.

Serginho diz que o Delem e ele passaram a receber um gordo salário. Recebiam mil e quinhentos cruzeiros. Mas o Grêmio para reforçar o time, tirou do Renner o seu zagueiro central, o Enio Rodrigues e pagou como salários 15 mil cruzeiros mensais.

Isso irritou o Delem e o Ross( que era o nome de guerra do Serginho no futebol) como era chamado n BAIXADA...

Uma tarde, depois de um puxado treino, os dois voltavam pra cidade. Tomaram o bonde Independência( sim, jogador andava de ônibus e de bonde, por incrível que isto possa hoje parecer) e no caminho Delem convidou Serginho para irem até a sede do time(clube) que ficava no centro da cidade( rua Uruguai,ou rua da Praia) Serginho,ou Ross,como queiram, perguntou ao Delem o que ele iria fazer na sede do clube aquela hora da tarde. Delem disse que ia entregar o doucmento assinado pelo seu pai, autorizando ele a assinar um contrato como jogador profissional, já que ele não tinha 18 anos ainda. Aí o Serginho que era bem mais culto( bah....esta é boa...) decidiu assumir a responsabilidade da entrega do documento.

Aí Ross disse para o Delem que ele ia cuidar do assunto. Quando chegaram nasede do Grêmio, o Serginho com o documento na mão, ficou esperando a chegada do diretor Martim Aranha que era diretor de futebol.

Assim que o Martimm chegou, Ross foi pra cima dele, pra negociar um novo contrato para o Delem. De cara pediu um salário de cinco mil cruzerios, que cabou em três e quinhentos. Delem teve um aumento eo Ross foid ado de presente para o E.C. CRuzeiro( da Colina Melancólica) que era dirigido pelo Foguinho . Assim, foi querer ajudar o colega e acabou dado prum rival.... Que fim melancólico, como o nome do estádio....

O TRÂNSITO QUE EU
VI EM PORTO ALEGRE

Sergio Ross

Quem me conhece bem,sabe que eu sou um gaúcho dos mais gaúchos que andam por ai. Saí do sul porque tinha que trabalhar e a proposta que me levou para o Rio,era irrecusável. Hoje em Brasília,continuo o mesmo. Ninguém fala mal do Rio Grande perto de mim. Então falar mal de Bento, está sujeito a levar um tiro( eu ainda tenho o revolver Rossi 32 que ganhei nos Porões da Legalidade em 61 e não devolvi...).
Mas a gauchada que me desculpe. Eu estive dias atrás em Bento e Porto Alegre. O que eu vi no trânsito me assustou. Os nossos conterrâneos estão dirigindo muito mal. E olhe que em Brasília, nós temos os goianos,
que não são fáceis.
Nesses dias, de uma estada maravilhosa em Porto Alegre e Bento,fui conduzido por um sobrinho, garotão ainda,que eu pensava que fosse um Aristides Bertuol na direção(quem não se lembra do Bertuol ou dos irmãos Andreata ????), pois bem,foi uma decepção terrível. Não tinha sinaleira que o fizesse parar. Eu reclamava e ele se defendia dizendo que os caras que vinham atrás, também não paravam e ele ia acabar sendo batido. E a verdade é que ninguém parava mesmo.
Mas o que me deixou mais assustado
foi o fato de ninguém ai,respeitar as faixas de
segurança. Eu mesmo, acostumado aqui em Brasília,no primeiro dia que caminhei por uma das ruas onde tinha uma faixa muito bem assinalada,dei o sinal da mãozinha e quase fui atropelado por um ônibus. O carrão veio para cima de mim e seu não fosse ligeiro estaria
ainda por aí, mas no São Miguel e Almas. Ouvi uma putiada daquelas, que hà muito tempo não ouvia.
Tudo bem,não quero ser o dono da verdade,mas a verdade é que aqui em Brasília
vivemos hà anos com essas faixas e nos damos muito bem. Isso, apesar da goianada e de alguns gaúchos que vivem por aqui.
Eu tenho uma namorada gaúcha, que mora aqui já hà algum tempo. A moça não para de jeito algum, nas faixas de segurança.
Quando eu reclamo, ela alega que as pessoas passam muito devagar e ela sempre anda
com pressa. Já tivemos brigas incríveis,mas a
moça não quer nem saber. Então,cada vez que ela vai à Porto Alegre,volta pior...
Se vocês se acostumarem com as
faixas brancas,vocês vão ver só, como a vida vai melhorar para todo mundo...

Governador Tarso com deputados do PDT fechando o apoio na Assembléia Legislativa

O PDT que entrou com o vice na aliança contra Tarso,agora adere ao novo governo. Em política, tudo é possível. Até aquilo que parecia impossível....

E a população a nada entende...Por isto que eu particularmente acho que a Ana Amélia Lemos, ao cancelar suas CCs no Senado, está pavimentando com um asfalto de boa qualidade, o caminho para o Piratini, embora isto provoque, pelo menos, urticárias no Serginho Ross e na turma da mesa do Stela Grill, de Brasília que acham ser a mesa " mais inteligente" da capital da República!
Mais informações em www.blogdotarso.com.br e www.rs13.com.br
twitter.com/tarso13


PODER PÚBLICO VERSUS MERCADO?


Por Carlos Chagas


Garantir, ninguém garante, mas há sinais de que esta semana a presidente Dilma Rousseff poderá divulgar sua equipe econômica e, mais, os nomes dos chamados ministros da casa, ou seja, com gabinete no palácio do Planalto. Guido Mantega passou a certeza, para continuar no ministério da Fazenda. Antônio Palocci também, como chefe da Casa Civil ou titular de uma remodelada Secretaria Geral da Presidência da República. E outros que a cautela recomenda esperar a divulgação.
A evidência parece de que só na segunda quinzena de dezembro serão anunciados os ocupantes dos ministérios hoje objeto de ampla disputa entre os partidos da base governista. Há tempo para aguardar o resultado dos entreveros entre PT, PMDB e penduricalhos, ainda que a presidente eleita já possa dispor, no íntimo, de suas definições maiores. Em especial os integrantes de um setor capaz de ficar de fora das seqüelas partidárias tanto quanto da prevalência do modelo econômico vigente. Numa palavra, o setor social.
A pergunta que se faz é a respeito da possibilidade de definição de um perfil ideológico do novo governo. Por enquanto, apesar de diferenças de estilo entre os diversos possíveis agraciados, prevalece o denominador comum da acomodação à política econômica inaugurada nos tempos de Fernando Henrique Cardoso. Mantegas, Paloccis e companhia carecem de vontade para qualquer guinada além do centro-direita. Continuam fazendo a felicidade da Avenida Paulista.
Há, no entanto, quem sustente a hipótese de que, ao compor o quadro de ministros da área social, Dilma Rousseff poderá alterar a supremacia imposta pelo sociólogo. Nada do esquerdismo anacrônico do século passado, mas uma espécie de compensação favorável à maior distribuição de renda, resgate dos direitos trabalhistas surripiados ao longo das últimas décadas, ampliação do assistencialismo e combate aos privilégios e benesses devidos às elites.
Se for por aí, deve preparar-se a presidente para o refluxo e a reação inevitável dos que se sentirem prejudicados. Será mais um capítulo da interminável novela que opõe o poder público ao mercado.

A REFORMA POLÍTICA
É cedo para prognósticos, o futuro Congresso ainda parece uma equação inconclusa, mas atentando para o choque entre os partidos, com vistas à composição do ministério, parece difícil que a reforma política se viabilize ano que vem. E se não acontecer em 2011, ficará para 2015, 2019 e, em suma, para nunca.
Cada partido, e dentro dos partidos, cada grupo, preparam-se para sustentar seus interesses. A cláusula de barreira tornou-se sonho de noite de verão por conta da reação dos pequenos partidos, já ameaçando formar razoável bloco na Câmara. O financiamento público das campanhas é rejeitado pelas oposições, com o PSDB à frente e acolitado pelo DEM. O voto nas legendas, em substituição ao voto individual, levanta suspeições no próprio PT, tendo em vista a existência de seus sete ou oito grupo inconciliáveis quando se trata da sobrevivência. Voto distrital, mesmo misto, provoca indignação nos grandes estados. Equiparação do número de cadeiras na Câmara com a população provocaria rebeliões nos pequenos.
Apesar de o presidente Lula haver declarado sua disposição de dedicar-se à reforma política assim que deixar o poder, será preciso, primeiro, que unifique seu próprio partido. Quando a Dilma Rousseff, acabará concluindo como os antecessores que o assunto não é do Executivo, mas do Congresso...




CARLOS LUPI COM
O REI NA BARRIGA

Sergio Ross

Ah! se o companheiro Leonel Brizola estivesse vivo,tenho certeza de que o atual presidente do Partido, Carlos Lupi não estava botando essa banca toda.
Ele anunciou aqui em Brasília,dias atrás, que pretende botar no mercado,mais de 3 milhões de empregos. Mas o pior, é que se ofereceu através de uma entrevista coletiva, que conseguiu com dificuldade convocar,para continuar Ministro no governo de Dilma.
Pô o homem é mesmo cara de pau.
Disse na entrevista:” A Dilma eleita, tem toda a liberdade para escolher quem vai ficar no cargo. Mas se eu receber um convite,
aceitarei com prazer”.
Só que ele esquece que o partido,não tem prazer nenhum que ele aceite qualquer coisa no futuro governo.

COMBATE IMPLACÁVEL AO CRIME ORGANIZADO

Por Carlos Chagas

Falta a data, mas é certo que Dilma Rousseff, antes de tomar posse, reunirá os governadores eleitos ou reeleitos visando estabelecer nova estratégia para a segurança pública. O governo federal e os estados deverão agir em conjunto para enfrentar a violência crescente em todo o país. Torna-se urgente uma espécie de mutirão, incluindo o Poder Judiciário, o Ministério Público, as Forças Armadas e as prefeituras das capitais e principais cidades. Ao contrário de José Serra, a presidente eleita não cogita criar um ministério específico para a segurança pública, mas fará do combate ao crime organizado um de seus maiores objetivos. O tráfico de drogas e o contrabando, em especial de armas, serão combatidos de forma implacável, tem comentado a presidente eleita. O poder público deve uma resposta ao cidadão comum, cada vez mais ameaçado pela bandidagem.

O SEGUNDO TEMPO

Lembramos dia 11 episódio transcorrido no mesmo dia, no longínquo 1955, quando o ministro da Guerra, general Henrique Lott, impediu a deflagração de um golpe engendrado em detalhes para impedir a posse do presidente eleito, Juscelino Kubitschek. O presidente Café Filho havia se afastado, a pretexto de uma crise cardíaca, ocupando o palácio do Catete o presidente da Câmara, Carlos Luz, escalado para demitir o general Lott, única voz contrária à trama ditatorial. O militar, já exonerado, foi horas depois alertado pelo Alto Comando e dispôs-se a resistir, botando a tropa na rua. O Congresso viu-se “convidado” a considerar Carlos Luz impedido, empossando o presidente do Senado, Nereu Ramos, na presidência da República. Seu primeiro ato foi pedir ao Congresso a decretação do estado de sítio, com a suspensão dos direitos e garantias individuais.

Naquele mesmo mês, precisamente nesta semana, 55 anos atrás, aconteceu o segundo tempo da crise. Café Filho, surpreendentemente recuperado, mandou avisar que reassumiria o poder. Ainda no hospital, recebeu a visita do ministro da Guerra, que apelou para a decisão ser revista e o presidente continuar afastado. Café não aceitou e foi para seu apartamento, em Copacabana, pronto para retornar ao Catete. Quinze minutos depois, o quarteirão estava cercado de tanques e soldados. Ninguém podia entrar nem sair, a começar pelo presidente. O perigo de sua volta era de o golpe ser revitalizado.

Nereu Ramos não titubeou. Disse a Lott que se Café aparecesse ele imediatamente entregaria o governo. Fazer o quê para continuar garantindo a posse de JK? Novo “convite” ao Congresso para votar outro impedimento, agora de Café Filho, o que aconteceu de madrugada. Disposto a lutar, o presidente impetrou mandado de segurança junto ao Supremo Tribunal Federal. Era seu direito, apesar de torto porque, se concedido, reabriria a crise. Os ministros da mais alta corte nacional de justiça encontraram a solução: não poderiam decidir porque o país encontrava-se sob estado de sítio. Café acomo dou-se. Em janeiro, Nereu passou o poder a Juscelino e Lott continuou ministro da Guerra, no novo governo. Tudo sem que corresse uma gota de sangue, apesar de tiros de canhão terem sido disparados, quando as fortalezas do Exército abriram fogo contra o couraçado “Tamandaré”, onde havia se refugiado Carlos Luz. Felizmente, não acertaram, dizem que por estarmos no Brasil...


PDT

Vão acabar " arrumando emprego" pro primeiro suplente de deputado federal do PDT, Affonso Motta.

Deve ir pruma secretaria, ou pro Banrisul.

Pra RBS, uma fonte bem situada me havia dito que não voltaria.


E ele tem mais força que se imagina no partido. Isto eu vi no ano passado, em começo de outubro, em São Borja. O presidente regional, Bolzan Junior me deu a impressão que come pela mão dele.

Histórias de La Ùndeze

A época do trigo

Aline Treviso Ferronatto

do Site da pref. de Serafia Correa

Aline Treviso Ferronatto

do Site da pref. de Serafia Correa

Aline Treviso Ferronatto

do Site da pref. de Serafia Correa


Vendo estas três lindas fotos, lembrei-me justamente de quando era garoto, como a menina aí da foto, e se" andea taiar formento"( a expressão em dialeto quer dizer ir cortar trigo)

Hoje em dia não se corta mais trigo com le "Cezole"( pequeno utensílio doméstico usado pra cortar vegetais) hoje em dia é tudo mecanizado...mesmo em

cordo que na época " dei santi i morti" ( dia de todos os santos e dos finados) era época já da colheita do trigo. Eu ia om meu pai e com o Bepi de Costa, um vizinho, cortar trigo mesmo em dia que não se trabalhava. Lá pelas quatro da tarde, sob um sol escaldante, fazíamos uma paradinha pra comer " i grostoli"( cueca virada, como chamam nosgrandes centros urbanos) e tomar uma água gelada de la " bordoleza"( um pequeno cantil feito de madeira) que se deixava escondido atrás dos arbustos pro sol da tarde não deixar muito quente.

Vendo estas fotos me lembrei de tantos anos atrás, quando os trabalhos na colônia ainda eram rudimentares. De noite se dormia um sono só, porque o cansaço pegava...
São meras recordações, propostas pelas fotos ingênuas que estão aí....

Ainda se planta trigo,sim, nas encostas e nos morros de Serafina, embora todo os colonos trabalhem hoje na Perdigão ou na Credeal...

Depois da colheita do trigo, vinham o Giombelli( com sua trilhadeira) que passava de casa em casa, fazendo com que o cereal fosse pronto para ir ao moinho, sempre da Sociedade Estrela Guaporense. Assim, se fazia o pão...

Quando a safra de trigo era boa, no final do ano geralmente tínhamos uma torta....


UM PATO É UM PATO

Por Carlos Chagas

O que é, o que é? Tem bico de pato, pé de pato, pena de pato, anda e nada feito pato? Pela lógica, é um pato.
Com todo o respeito, mas um governo com Guido Mantega, Antônio Palocci, Paulo Bernardo, Gilberto Carvalho, Maria Fernanda Coelho, Aldemir Bendini e Henrique Meirelles não será um governo Lula? Pode ser chamado de governo Dilma, mas será a mesma coisa.
Nenhuma restrição pode ser feita a esses e outros nomes que serviram e servem com lealdade ao presidente Lula. Ou a própria presidente eleita não integrou esse time, como coordenadora?
Antes mesmo da divulgação do ministério as engrenagens vão se compondo para a conclusão de que, por decisão própria, Dilma Rousseff quer uma administração igual à de seu antecessor. Claro que escolherá ministros que não participaram da atual administração, assim como deverá imprimir sua marca e suas características ao conjunto. Mas assim como um pato é um pato, o governo Dilma é o governo Lula.

CONDIÇÕES PARA SER DE ESQUERDA

Muito tempo atrás, precisamente há 28 anos, tive oportunidade de participar de uma entrevista na televisão reunindo os candidatos ao governo de São Paulo, nas primeiras eleições diretas lá realizadas, ainda no regime militar. Coube-me questionar o Lula, então de barba preta e mal aparada, disposto a enfrentar Franco Montoro, afinal eleito, Reinaldo de Barros e outros. Indaguei sobre sua ideologia: o que era, afinal? Socialista, comunista, direitista, centrista, esquerdista ou o quê?

A resposta veio simples e arrancou aplausos da pequena platéia comprimida no estúdio: “eu sou torneiro-mecânico...”

Ainda recentemente, com o Lula já no segundo mandato na presidência da República, no palácio da Alvorada, diante das câmeras, repeti a pergunta. Meditando e não mais de bate-pronto, ele definiu-se como “de esquerda, voltado para o socialismo”.

Os jornais publicaram esta semana comentário do presidente anunciando que depois de deixar o poder irá dedicar-se a aglutinar as esquerdas. Claro que não aquelas anacrônicas de dois séculos atrás. Nada de socializar os meios de produção nem de decretar a ditadura do proletariado. Muito menos de extinguir o capitalismo ou de garrotear os veículos de comunicação.

O problema é que para ser de esquerda, voltado para o socialismo, nos tempos modernos, determinados requisitos básicos continuam prevalecendo. Estará o já então ex-presidente Lula disposto a sustentar, por exemplo:

O fim da especulação financeira que faz fluir para os bancos lucros cada vez mais indecentes, e para o investidor estrangeiro os juros mais altos do planeta, sem deixar um centavo de imposto entre nós, quando vai embora?

A participação dos empregados no lucro das empresas e a obrigatoriedade da co-gestão?

O imposto sobre grandes fortunas?

O reajuste do salário mínimo conforme dispositivo constitucional, capaz de garantir dignidade ao trabalhador para alimentação, habitação, vestuário, saúde, educação e até lazer?

A reestatização, ou seja, o controle pelo poder público de setores intrinsecamente ligados à soberania nacional, como a exploração do subsolo e as telecomunicações?

A volta a direitos trabalhistas básicos suprimidos pelo neoliberalismo, como a estabilidade no emprego e o salário-família?

Tratamento igual, pelo Poder Judiciário, para criminosos de colarinho branco e para ladrões de galinha?

Extinção dos privilégios concedidos aos integrantes do Poder Legislativo?

Proibição de grupos econômicos possuírem diferentes e variados meios de comunicação, como televisão, rádio, jornais e revistas, sem esquecer a parafernália eletrônica?

Outros requisitos seriam necessários para definir um esquerdista e abrir-lhe condições para recuperar a ideologia perdida. Ousará quem se propõe a tanto?

TRÊS CONSELHOS

Dois conselhos que, se estivesse entre nós, Antônio Carlos Magalhães daria a Dilma Rousseff: não nomear para o ministério quem não poderá demitir e, se precisar fazer maldades, fazê-las de uma só vez, deixando as bondades para anunciar em pílulas, devagar e sempre...

O controvertido líder baiano, se pudesse, também recomendaria a seus companheiros do DEM: “tomem vergonha!”

IMPUNIDADE

Agora que se anuncia a imediata nomeação do décimo-primeiro ministro do Supremo Tribunal Federal ainda pelo presidente Lula, seria bom que os meretíssimos se preocupassem com o julgamento dos 40 réus do mensalão. Em mãos do ministro Joaquim Barbosa, de saúde abalada, os processos arrastam-se sem perspectiva de solução. Logo se dará a prescrição. Assim como o Executivo ficou devendo ações mais diretas e cirúrgicas quando da eclosão do escândalo do mensalão, estaria o Judiciário na mesma rota?


De Canoas para o Mundo

Já que o Serginho citou meu nome, vamos as polêmicas:

O Messi passou por 6 na defesa e a culpa é daquele que perdeu a bola lá no meio campo. Mas o Serginho está perdoado, as defesas dos adversários do Grêmio também não enxergam nada de mais no Douglas, então ele se aproveita, deita e rola.

Não esqueça que Dilma é mineira e mulher, vai se adonando do meio campo no maior silêncio, este é o estilo dela. E no seu ministério estarão no mínimo meia dúzia de mulheres.

O PDT está se fazendo de noiva difícil, quando se der conta as secretarias estarão todas ocupadas.

Não sou viajado, mas sanduiche aberto tem em diversos países do mundo. O nome pode ser outro mas tecnicamente é a mesma coisa.


Remindo Sauim


APAIXONAMENTO DE ALGUNS DO PDT PELO PT

Eu não entendo este apaixonamento do PDT pelo PT; também dos trabalhadores, aposentados e pensionistas, principalmente os da iniciativa privada.
Tudo o que existe de substancial para trabalhadores, aposentados e pensionistas da iniciativa privada foi obra do trabalhismo, senão vejamos:
Os direitos trabalhistas são garantidos pela CLT Consolidação das Leis Trabalhistas, criada pelo maior líder do trabalhismo Getúlio Vargas.
Quando direitos trabalhistas da CLT não são cumpridos pelos empregadores há a Justiça do Trabalho, criada, também, por Getúlio Vargas.
Todo o ano os trabalhadores recebem o 13º salário, que foi um projeto, em co-autoria, do antigo Deputado Federal trabalhista Floriceno Paixão, que, aprovado e transformado em lei ( Lei nº 4.090, de 13.07.1962 ), esta foi sancionada pelo presidente trabalhista JOÃO GOULART.
Todo mês é descontado um percentual do salário para a Previdência Social, para que, futuramente, os trabalhadores possam se aposentar. A Previdência Social, nos moldes hoje existentes, foi criada pelo líder trabalhista Getúlio Vargas.
A Carteira Profissional, que é assinada pelo empregador, registrando o tempo de serviço, que permitirá comprovar o tempo para a aposentadoria, no futuro, foi criada, também por Getúlio Vargas.
Os aposentados e pensionistas também recebem o 13º salário, que existe porque o Deputado federal trabalhista Floriceno Paixão, de novo, apresentou projeto de lei que, aprovado e transformado em lei ( Lei nº 4.281, de 8.11.1963 ), esta foi sancionada, também, pelo presidente trabalhista João Goulart.
Tudo ligado à dignidade do trabalho, que perduram até hoje, diferentemente da Bolsa Família (união de três cartões criados no Governo FHC e um no Governo Lula, união esta, ao que consta, sugerida pelo então Governador do Goiás, Marconi Perilo, do PSDB ), que não exige que se trabalhe para recebê-la. Nada contra o Bolsa Família, mas ela não pode ser eterna.
Não podemos esquecer, também, o SAPS Serviço de Alimentação da Previdência Social ; o SAMDU Serviço de Atendimento Médico de Urgência; os imóveis construídos pelos Institutos de Previdência ( Bairro IAPI, em Porto Alegre, é um exemplo ).
O Brasil não começou com o PT ou com o Governo Lula
E o sindicalismo ? Quando, na década de 80, Brizola foi visitar Lula lá no Sindicato, no ABC, o mesmo o recebeu secamente e, para azedar o encontro, passou a desancar o antigo sindicalismo, que era controlado por pelegos do PTB. A coisa ficou feia quando ele, que já devia ter tomado alguma, começou a falar mal do presidente Vargas, ensejando um bate-boca que só não foi mais inflamado devido a providencial intervenção da turma do deixa disso. Mas nessa hora, o líder trabalhista interrompeu a conversa e foi embora sem maiores formalidades. Esta narrativa é atribuída a Cibilis Viana.
E as Centrais Sindicais, hoje, no Governo Lula ? Não são pelegas ?
Apenas um dado: o pagamento do 13º salário até o final do ano vai injetar na economia R$ 102 bilhões, ou seja, quase 3% do PIB, e será pago para 74 milhões de brasileiros.

SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS


Coletânea inédita de crônicas marca inauguração
de espaço cultural na Zona Sul de Porto Alegre

Coquetel de inauguração do Espaço Cultural Nobel Zona Sul
e lançamento da coletânea inédita de crônicas de Caho Lopes:
Alma Inconquistável — Aprendizados de Vida e Esperança

7 de dezembro de 2010 (terça-feira) • 19h

Av. Otto Niemeyer, 2.364 (Bairro Camaquã)
(em frente ao Banco Real)


Contato Caho Lopes
(51) 8177-7177 / (51) 3242-4005
caholopes@uol.com.br
www.nobelzonasul.com.br
Assessoria de imprensa
Marcello Campos
(51) 9833-0162
jornal26@gmail.com

Experimente digitar o nome “Caho Lopes” no Youtube.com e você encontrará dezenas
de vídeos: o empresário gaúcho, que na década de 90 alcançou notoriedade nacional
por conta de seus relatos associados à superação da dependência química, aparece em entrevistas a programas como Jô Soares Onze e Meia (SBT), Jornal Nacional,
Rede Brasil (TVE-Rio), Jornal Hoje, Rede Cidade (Band), Globo Repórter, Bom Dia Brasil, Jornal do Almoço e Jornal da RBS, entre outros tantos. As imagens também mostram
Caho casando, palestrando e até saltando de paraquedas.

As experiências e reflexões que proporcionaram a esse porto-alegrense o controle
sobre o próprio destino também fizeram dele um empreendedor cultural bastante ativo.
O próximo capítulo dessa aventura acontece no dia 7 de dezembro (terça-feira), às 19h, quando Caho Lopes inaugura a segunda unidade da Livraria Nobel em Porto Alegre,
no bairro Camaquã, ocasião em que será lançada a sua coletânea inédita de crônicas intitulada Alma Inconquistável — Aprendizados de Vida e Esperança.


Crônicas elogiadas

Com 120 páginas, edição independente e tiragem limitada a 300 exemplares,
este é o segundo livro de Caho Lopes, autor do sucesso Ala Fechada, publicado pela
Editora Sulina em 1994. “O cronista consegue ser simples e complexo em sua reflexão sobre coisas essenciais e cotidianas. Impossível não se reconhecer nas inquietações
onde tudo soa verdadeiro, vivido, sentido e pensado”, depõe o jornalista e escritor Juremir Machado da Silva, responsável pelo texto de apresentação do livro. “Trata-se
de autoconhecimento, não de autoajuda, pois o autor passa longe dos conselhos, receitas e lições de moral, não se põe na condição de guia espiritual. Ele viveu intensamente o belo
e feio, andou no fio da navalha, sentiu-se forte e fraco, aprendeu e continua aprendendo.”

A publicação não será comercializada. Para obtê-la, basta aderir à iniciativa beneficente da empresa, adquirindo R$ 25 em produtos indicados pela empresa e que serão destinados a uma creche carente do bairro Camaquã. “Essa é uma forma de o nosso Espaço Cultural cumprir também o seu papel social na comunidade”, justifica Caho Lopes.

Espaço diferenciado na Zona Sul

Os 250 m2 do Espaço Cultural oferecem um amplo acervo, em meio às confortáveis instalações para leitura, combinadas ao espaço interno para eventos dirigidos aos públicos adulto e infanto-juvenil, revistaria, papelaria e cafeteria com ampla variedade de opções que incluem doces e salgados da Confeitaria Maomé e “o melhor capuccino da cidade”.
Na avaliação do sócio-proprietário Caho Lopes, a livraria “de calçada”, com estacionamento próprio, representa uma importante alternativa à correria e ao imediatismo dos shopping centers. “Nossa ênfase no aspecto cultural resulta em um clima mais tranquilo e menos consumista”, ressalta.

Esta é a segunda unidade da rede Nobel em Porto Alegre, que já conta com uma livraria
no Shopping Total, além de franquias em São Leopoldo, Santa Maria, Passo Fundo e Torres. Em todo o Brasil e Exterior, são 180 lojas da empresa paulistana, fundada em 1943.

Carta de ex para ex

Querida,

Escrevo para dizer que vou lhe deixar.
Fui bom marido por 7 anos.
As duas últimas semanas foram um inferno.
O seu chefe me chamou para dizer que você tinha pedido demissão e isto foi a última gota.
Na semana passada, nem notou que não assisti ao futebol..
Te levei no restaurante que mais gosta.
Chegou a casa, nem comeu e foi dormir depois da novela.
Não diz que me ama, nunca mais fizemos sexo.

Está me enganando ou não me ama mais.
PS. Se quiser me encontrar, desista.
A Júlia, aquela sua "melhor amiga" da academia e eu vamos viajar para o nordeste e vamos nos casar!
Seu Ex-marido.


Resposta:
Querido ex-marido,
Nada me fez mais feliz do que ler sua carta.
É verdade, ficamos casados por 7 anos, mas dizer que você foi um bom marido é exagero...Foi mais ou menos vai?
Vejo a novela para não lhe ouvir resmungar a toda hora, não valia a pena. Realmente reparei que não assistiu futebol, mas com certeza, foi pq seu time tinha perdido e VC estava de mau humor.
A churrascaria deve ser a preferida da minha amiga Júlia, pois não como carne há dois anos.
Fui dormir porque vi que a cueca estava manchada de batom.
Rezei para que a empregada não visse.
Depois de tudo isto, eu ainda o amava e senti que poderíamos resolver os nossos problemas.
Assim quando descobri que eu tinha ganhado na Loteria, deixei o meu emprego e comprei dois bilhetes de avião para o Taiti, mas quando cheguei em casa você já tinha ido embora. Fazer o quê?
Tudo acontece por alguma razão, não é mesmo?
Espero que você tenha a vida que sempre sonhou,como vou ter.
O meu advogado me disse que devido à carta que você escreveu, não terá direito a nada. Portanto, boa sorte e se cuida!

PS. Não sei se lhe disse mas Julia, minha "melhor amiga", está grávida do Jorginho, nosso personal. Espero que isto não seja um problema... E antes que se ofereça para viajar comigo, a passagem que tinha sobrando já encontrou dono...O seu melhor amigo,que sempre deu encima de mim,e nunca dei bola...
Ass: Milionária, Gostosona e Solteira...Wooooooohooooo! kkkkk

Extra - Extra : O Vaticano libera o uso de camisinha

O Papa Bento XVI afirmou que o uso de preservativo em alguns caso excepcionais, como sexo com prostitutas, seria justificado.

Comentário aqui no trabalho:

A igreja fez isso porque estava nascendo muito filho da puta!

Sergio Ross

DESDE SERAFINA!


O banner do evento dos italianos continua no ar no site da prefa.Já passou, meu! Tirem do ar,que fica chato....


Coleguinhas


*Cel. aposentado da Brigada Militar, Élvio Pires, é ex-conselheiro do Grêmio. Foi ele que " proibiu" Haraldo de Souza de usar o elevador do Olímpico pra chegar na cabine depois de um incidente com uma ascensorista do Grêmio.

Pires,recordou-me um ex-presidente gremista, foi um dos brigadianos envolvidos no famoso caso do " Homem Errado", que deu prêmio Esso Regional ao colega Darci Demétrio, quando este trabalhava na ZH.Pires é uma espécie de segurança do ex-presidente do Grêmio, Luis Carlos Silveira Martins, o Cacalo, que seguidamente menciona o nome do militar aposentado no Sala de Redação, do qual Cacalo é integrante.


*Direção local da Rede Vida está mudando....


*Mercado publicitário aposta emVera Spolidoro( que é filha de um médico) pra gerir a comunicação do futuro governo Tarso Genro.

Moçambique X

Brasil


O repórter Luciano Machado disse na Epoca da semana passada, que a viagem do presidente Lula da Silva a Moçambique,dias atrás, quase foi pra inaugurar coisa nenhuma. É que os equipamentos pra fabrico do remédio contra HIV só deverão chegar a Maputo a partir de março de 2011...
Isto me fez lembrar a viagem do cantor e ministro da Cultura, Gilberto Gil, alguns anos atrás a Maputo. Ficaram lá oito dias, assinaram um monte de projetos mas a grana que é boa, os moçambicanos, passados alguns anos, não tinham visto ainda a cor....


Recebo do Mauro Rocha, uma " corneta" sobre o Inter!


ESPERO RECEBER TEUS CUMPRIMENTOS, APÓS NOSSO SUCESSO EM ABU DABHI.
ESTOU CONFIANTE NO BI. ALIÁS, INÉDITO NO SUL DO BRASIL
!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

E O GRÊMIO RENOVOU COM O RENATO, POR UMA FORTUNA( TIME DE RICOS E
BURGUESES!!!!!!!!), IMAGINA SE TIVESSE GANHO ALGUMA COISA. BEM LIVRAR
UM REINCIDENTE ESPECÍFICO DA SEGUNDONA, JÁ É ALGO IMPORTANTE
!!!!!!!!!!!!!!


TÍTULO EM 2010 PARA VOCÊS.......................SÓ OS DE PROTESTO.


MAURO.

22 de novembro: dia em o presidente Kennedy foi morto a tiros em Dallas


Por Gelson Farias

Ao meio-dia e meia do dia 22 de novembro, passando pela Dealey Plaza, Kennedy é atingido por dois tiros, um no pescoço (que também atinge o Governador do Texas John Connally) e outro fatal na cabeça. Jackie Kennedy que estava ao seu lado, sobe em desespero na traseira do carro em movimento. Kennedy morre menos de trinta minutos depois do atentado. Um ex-marine, Lee Harvey Oswald, de 24 anos, que trabalhava num depósito de onde foram vistos os disparos, foi detido e acusado pelo homicídio de Kennedy. No dia 24, quando Oswald seria transferido para outra prisão, acabou por ser também assassinado por Jack Ruby, ligado à Máfia americana e portador de uma doença terminal. Muito foi dito, pouco foi provado, mas é essencial dizer que em 1976, uma comissão de investigação do congresso americano, concluiu um novo relatório, e lá foi dito, que no incidente de 22 de novembro de 1963, houve provável conspiração.


Deste dia então, 22 de novembro de l963, mais tragédias aconteceram na vida da família dos Kennedy.
A morte do senador americano Edward 'Ted' Kennedy, vítima de um tumor cerebral aos 77 anos, encerra uma saga que dominou a política dos Estados Unidos desde os anos 60. 'Teddy' foi o único dos irmãos homens do clã Kennedy que não morreu violentamente. O irmão mais velho, Joseph, piloto, morreu durante a Segunda Guerra Mundial num acidente aéreo.

"Edward M. Kennedy, o marido, pai, avô, irmão, tio que amamos tão profundamente, morreu no fim da noite de terça-feira em casa em Hyannis Port, Massachussetts", revelou um comunicado da família.

"Perdemos o centro insubstituível de nossa família e uma alegre luz nas nossas vidas, mas a inspiração da sua fé, optimismo e perseverança viverão nos nossos corações para sempre". A morte de Ted Kennedy encerra uma era da política americana, na qual sua família parecia predestinada a governar. "Agradecemos a todos os que cuidaram dele e o apoiaram no último ano e a todos os que estiveram junto dele durante tantos anos na incansável marcha para o progresso através da justiça, igualdade e oportunidades para todos. Amava o seu país e dedicou sua vida a servi-lo", completa a nota da família.
Ted Kennedy faleceu perto do local onde os Obama passam férias. O senador apoiou Obama durante a campanha eleitoral do ano passado e compareceu à convenção democrata em Denver há 12 meses, apesar da doença, para pedir votos àquele que se tornou o primeiro presidente negro dos Estados Unidos. O chamado "leão liberal" do Senado americano era o mais novo dos nove irmãos Kennedy, que incluíam o presidente John F. Kennedy, assassinado em 1963, e o senador Robert Kennedy, assassinado durante a campanha pela indicação presidencial democrata de 1968.

O mártir dos Direitos Civis e da Paz

Robert Francis Kennedy com a foto do presidente John Kennedy ao fundo
Em 04 de abril de 1968, o Senador norte americano, Robert Francis Kennedy, candidato democrata a presidência dos Estados Unidos, contrariando as orientações de seus assessores, proferiu para uma platéia eminentemente negra, um emocionado discurso, ocasião em que anunciou aos presentes a morte (assassinato) do Pastor Martin Luther King.


A saga da família Kennedy

'Teddy' foi o único dos irmãos homens do clã Kennedy que não morreu violentamente. O irmão mais velho, Joseph, piloto, morreu durante a Segunda Guerra Mundial num acidente aéreo.

Mas Ted Kennedy nunca alcançou o que muitos consideravam ser o seu destino: a presidência. Perdeu a indicação democrata para o então presidente Jimmy Carter em 1980, mas a sua vida já estava marcado por uma série de escândalos.

Em 1969 perdeu o controlo do carro e caiu de uma ponte de Chappaquiddick, Massachusetts, num acidente no qual morreu a sua secretária, Mary Jo Kopechne. O escândalo agravou-se quando foi noticiado que Kennedy nadou para se afastar do veículo, abandonando Kopechne, e só alertou as autoridades um dia depois. Mas o então jovem senador recebeu apenas uma leve sentença e obteve uma reeleição fácil para o Senado.

Kennedy lutou durante toda a carreira política por uma reforma do sistema de saúde nos Estados Unidos. "Esta é a causa da minha vida", declarou durante a convenção democrata de 2008. "O trabalho começa outra vez. A esperança eleva-se outra vez. E o sonho vive", declarou Kennedy na ocasião. Consciente dos graves problemas de saúde e um guerreiro político até o fim, Kennedy pediu em Julho ao governador e aos legisladores de Massachusetts, numa carta divulgada há poucos dias, a modificação da lei em vigor para poder substituir rapidamente uma cadeira vaga em Washington.

O Senado é atualmente cenário de uma árdua batalha política sobre o projeto de reforma do seguro de saúde proposto pelo presidente Obama. O pedido de Kennedy pretendia não deixar a bancada democrata com menos homens por muito tempo na batalha em caso de vaga no lugar. Em 1962, Edward Kennedy foi eleito para o Senado no liberal estado de Massachusetts, cadeira deixada vaga pelo irmão John ao ser eleito presidente. Ele ganhou uma reputação de congressista agressivo em causas como migração, direito ao voto, a reforma da saúde e o controlo de armamentos. Já no início de Agosto, devido aos problemas de saúde, não compareceu ao enterro da irmã Eunice em Massachusetts.
Eunice Kennedy Shriver, fundadora dos Jogos Olímpicos Especiais, faleceu a 11 de Agosto em Massachusetts, aos 88 anos. Edward e Eunice Kennedy, assim como outros seis irmãos falecidos, serão recordados como membros de uma família que cumpre o papel de uma espécie de aristocracia para os americanos. A única que sobrevive é Jean, que foi embaixador na Irlanda entre 1993 e 1998, atualmente com 81
Olides. Amanhã vamos tomar aquele bom e gostoso café... um forte abraço. Gelson.

Morte de Kennedy


às vezes tenho a impressão que me lembro como esta notícia chegou lá no interior de Serafina, neste distante ano...Me lembro muito bem da morte dos papas e de como eram eleitos os demais, me lembro da fumaça branca, quando ela saía, era sinal de que havia Papa. Claro que naqueles grotões nunca imaginei que um dia iria conhecer o Vaticano( e ver que tudo aquilo não passa de um grande comércio da fé...)


Recebo do velho Mazza( do vale do Taquari, para o Mundo)

Prezado Dromedário:

01) – Quem pediu informações do Caco Barcellos foi o senhor. Eu
apenas as enviei. E continuarei a fazê-lo quando solicitado.
02) – Boa gente o Caco. Ele é menos balaqueiro que alguns jornalistas
blogueiros que conheço.
03) – Sábio é o Sérgio Ross, que tu sempre o detona e ele tolera.
Possivelmente, em outra encarnação Ross foi monge tibetano em Linha Onze,
interior de Serafina Corrêa.
Abraço,
Mazzarino
#- Em Tempo: Caco falou de ti. Mas a conversa vai te custar uma garrafa
de vinho.


Coleguinhas


*Encontrei ontem de tarde, no ônibus, o Antônio Manoel de Oliveira. Trabalhou em Brasília, depois de deixar a Trensurb.

" Lokão" como sempre, mas é colega firme em suas posições.

Agora, está devarde, mas espera que o seu candidato, ou melhor o candidato para o qual trabalhou na campanha, Paulo Ferreira, seja chamado, porque é segundo suplente de deputação federal(PT).

Antônio foi assessor de imprensa no Governo Olívio Dutra e editou um jornal, que era distribuído gratuitamente no Estado, chamado INFORME DO PIRATINI!

ENGRAÇADO, que todos os exemplares do jornal sumiram
Quando o Governo Rigotto assumiu, os responsáveis pela imprensa andavam a cata de exemplares do jornal do Olívio, como chamavam, mas não se encontrou um único exemplar.


*Emanuel Mattos saiu da revista VOTO!

Coleguinhas

Opa. EStou magoado. Meu ego não chega aos pés do do Juremir Machado(ainda bem!!!!) mas ontem achei que pelo menos o Prévidi, que sei que lê meu blog e vez que outra repercute algum furinho, não o fez...Falo da restrição do Haroldo no Olímpico....

*Ah e me disseram mais. Que o coronel Élvio Pires teria dito ao Haroldo, ao informá-lo de que não poderia mais usar o elevador pra chegar nas cabines:

- Tu estás na Band, né...Então vai de escada mesmo!!!!!

Mas como, quer dizer que uma rádia é mais importante que a outra???!!!!


De São Borja


Segundo nota publicada pelo colunista Deco Almeida na FSB do dia 13.11, Celso Rigo, o mais beneficiador de arroz da Fronteira Oeste, jantou recentemente em Porto Alegre em companhia de Tarso Genro e de outros empresários.

Na ocasião, informa Deco, Tarso se comprometeu a comparecer à próxima festival da BARRANCA( Uma tertúlia musical que ocorre em São Borja, sempre na Semana Santa).

Um que nunca falta ao festival, há anos, é o ex-governador Olívio Dutra.
Diz o repórter policial da rádio Cultura, EDuardo Belmonte( o prato fino) que Olívio sempre ganha de Rigo uma cachaça pra trazer de recordação de São Borja.

E uma cachaça de grife, uma mineirinha.

Todos sabem que o ex-governador aprecia esta iguaria....


Investimentos na fronteira


Um médico, meio que ligado ao setor primário, me disse ontem que Santana do Livramento se prepara não apenas pra ter cataventos(produção de energia).

Mas havia ali a instalação do frigorífico MARFRIZ...cujas fazendas produziriam,cada uma, 10 mil cabeças de ovelhas.

E os empreendedores seriam três grandes icones da cena nacional: dois ligados a política e um ao setor financeiro.

O tempo dirá....

Memória Política

Do livro No Planalto, com a Imprensa

a " POBREZA" do presidente Figueiredo!


João Figueiredo e seu assessor, o jornalista Alexandre Garcia.


- Acredita que ele se arrependeu depois que a pronunciou?( o repórter se refere à famosa frase " quero que me esqueçam" que Figueiredo disse numa entrevista a Alexandre Garcia)

- Acho que não. Penso que, se hoje fosse vivo, ele a repetiria. Há um episódio contado pelo fotógrafo Orlando Brito, que cobriu o Palácio durante muito anos, foi chefe de fotografia da Veja.

O Brito estava andando pela praia de São Conrado( isto ocorreu na manhã do dia 13 de maio de 1989, quando Orlando Brito era editor de fotografia do Jornal do Brasil e foi o início de uma série de conversas, cujos principais trechos o fotógrafo divulgou na revista Veja, na edição de 12 de janeiro de 2.000).
e encontrou um senhor sentado no canteiro do meio, coçando a canela, e achou-o muito parecido com o Figueiredo". Foi lá, era o Figueiredo. "`Presidente, o que o senhor está fazendo aí" " Ah, eu estou com dor no peito, eu estava caminhando, senti dor no peito e parei".
" Mas, presidente, o senhor não tem segurança para ajudar o senhor?" " SEgurança?! Eu não tenho segurança, eu não tenho nada. Leve-me para casa, por favor".
Foram conversando, e ele disse: " Está vendo este edifício aí? O que eu ganho mal dá para pagar o condomínio, já vendi tudo o que eu tinha. Aqui só moram artistas, eu não consigo sustentar isso aí".
Subiram,ele apertou a campainha. Dona Dulce veio à porta e,quando viu que ele estava acompanhado, não quis deixar o Brito entrar. Aí, o Figueiredo disse: " Ele vai entrar,sim, ele é meu amigo e me trouxe aqui". Aí o Brito me contou qu eentrou e viu por que a dona Dulce não queria deixá-lo entrar. Os móveis estavam velhos, o sofá rasgado, uma pobreza imensa lá dentro. Ele estava vivendo a vida de recluso e de esquecido, sem recursos para sobreviver.


Caco no Sul


Estes primeiros dias da semana, o Caco Barcellos deverá estar por aqui mais precisamente pra fazer uma matéria pro seu programa PROFISSÃO REPORTER, na Globo, sobre um menor que quebrou o braço de uma professora e que está " apreendido" na FASC...

Mas até sábado último, ele não havia conseguido liberação de entrevistar o infrator.

Nota imprensa


A Comissão Executiva do PT/RS reuniu-se hoje (22) pela manhã com o governador eleito Tarso Genro, alguns dos novos secretários e a equipe de transição.
O encontro avaliou positivamente, que os avanços na integração ao bloco de governo do PDT, PTB e PRB, estão em sintonia com o objetivo de formar um governo democrático popular além da Unidade Popular. A direção petista confia que esta ampliação é capaz de garantir governabilidade e levar a diante as políticas e os projetos aprovados pela população gaúcha no último pleito.
A Comissão Executiva Estadual considerou, também, exitosa a viagem do governador eleito e sua comitiva no roteiro na Espanha e Portugal. Os contatos realizados abrem amplas perspectivas para o Rio Grande no próximo período, com agendamento de novas atividades e seminários que visem a divulgação do Rio Grande para empresários, instituições e representantes governamentais dos países visitados.
Por fim, a Comissão Executiva considerou adequados os passos dados pela Comissão de Transição, junto com o governador eleito Tarso Genro, na composição do próximo governo. As ações estão em sintonia com a direção partidária, com as políticas comprometidas durante a campanha e com as contribuições de todas as correntes do partido na construção do novo governo.
Na expectativa de que nesta semana tenhamos, após as definições do PDT, a composição do conjunto do governo, a Executiva petista reafirma sua convicção no exitoso processo de formação do novo governo com ampla coesão e governabilidade legislativa.

Comissão Executiva do Partido dos Trabalhadores do RS
Porto Alegre, 22 de novembro de 2010

Romantismo na Patagônia

Pois estamos em época de lua cheia. Eis aí uma noite de luar sobre os lagos da Patagônia....


A redação da " Folhinha"

Nenhum professor,nenhum projeto se habilitou, que eu saiba a escrever experiência jornalística que foi a Folhinha da Manhã, nascida da Folha da Tarde Esportiva.

Fica tudo no blá...blá...blá...

Pesquisar dá trabalho, e como dá...

Esta foto é dos anos 80, começo deles, quando houve uma reformulação geral no jornal, depois que Ruy Carlos Ostermann pediu demissão e quase trinta profissionais saíram e foram fundar a Coojornal. A grosso modo é isto.

Nesta época, a Folhinha foi dirigida pelo Walter Galvani e pelo Rogério Mendelski...

da esq para direita

...,Celso Rosa, ...., Wanderley Soares, Anilson Costa, Gelson Farias, Renato Panatieri e Celso Viola. Um dos não identificados é Chico Salvatore. Acervo de Gelson Farias.aos fundos,sentada, com cara de " nojo" a repórter Beatriz Marocco.


O destino de cada um que está na foto

Wanderley Soares é colunista de O SUL; Celso Viola foi pra Bahia,
Beatriz Marocco é professora da Unisinos,

Anilson Costa assessorou José Fogaça na prefeitura de Porto Alegre, até dias atrás,e está se aposentando:
Gelson Farias está na Braskem, em Buenos Aires

Renato Panatieri, está no Correinho

Núbia esteve de niver

na sexta!


Núbia Salete Marques Silveira

Núbia Salete Marques Silveira completou 64 anos na sexta passada. " Já rodei muito bolsinha por aí" disse ela no começo desta década, numa palestra que fez para o Sindicato dos Jornalistas, no Ritter Hotel, quando contou, junto com Denisa Nunes, sua experiência junto ao Diário Catarinense, onde Núbia foi editora.

Núbia já trabalhou no Correio da Manhã( sucursal gaúcha) no Diário de Notícias - como repórter fez uma campanha para que fosse construído um novo terminal rodoviário em Porto Alegre, porque o antigo, na Júlio de Castilhos,estava totalmente saturado.
- Ela fazia matérias diariamente no Diário de Notícias dando pau na superlotação da rodoviária, no mau atendimento, no congestionamento dos ônibus nos feriadões, recorda o jornalista José Nelson Moura, que trabalhava no DAER e por dever de ofício tinha que ler aquelas matérias.

Ao longo dos anos, ela ganhou vários apelidos dos coleguinhas. Estes dias, ou melhor, na sexta passada, ao lembrar do seu niver, Rogério Mendelsky, na rádio Guaíba, referiu que a chamavam de " professora" na redação da Folha da Manhã, onde foram colegas.

Núbia é filha de Ayr Azambuja Silveira e de Neuma de Souza Marques Silveira.

Nasceu em 19. 11.1946 em Minas do Butiá.( mesma terra natal do colega Felipe Vieira).

Já residiu na rua Pinheiro Borda, 512, no bairro Cristal, ena 17 de Junho,926.
Atualmente mora no centro da cidade, na rua Riachuelo.

Quando esteve em Brasília, Núbia trabalhou na Sucursal do Estadão.
Também foi da Assembléia Legislativa, em duas gestões, onde geriu a Agência de Notícias.

Conhecida pelo seu talento em gerir uma equipe,eu estranhava na ZH,quando foi minha editora, que às vezes, principalmente às sextas de tardezinha, a víamos em prantos...Da primeira vez, achei que fosse algum familiar seu que estava doente e me comovi...Depois me avisar que era o Fehlberg que lhe havia tirado tantas páginas do jornal( era este o motivo do choro da Núbia....)

Sinceramente, aí me irritei e quase fiquei com nojo...

Chorar por uma causa destas?

Com a Núbia pode!


E X C L U S I V O !!!!!!!!!!!!!!

Coleguinhas

portaltransparencia

Haroldo de Souza


O "magrão" - o mais ouvido do Rio Grande - segundo dizia Luiz Carlos Reche, seu ex-colega na Guaíba, andou se complicando pelo lado do estádio Olímpico.

Este repórter, com antenas ligadas dentro da ACEG, ficou sabendo que o magrão( Haroldo de Souza) agora na Band AM teve um desentendimento com uma ascensorista do elevador do estádio Olímpico e a coisa quase virou em processo.

Entrou a turma do deixa disso e a funcionária não vai abrir processo contra o narrador.
Haroldo tomava o elevador pra ir pra parte das cabines da transmissão, porque agora, o coronel da BM, Élvio Pires, aposentado, que cuida desta parte no Olímpico( é conselheiro) proibiu Haroldo de subir de elevador. Tem que galgar aquelas escadas todas como um simples mortal....

O elevador, no Olímpico, digamos é um privilégio. Nele sobem os narradores, comentaristas, e alguns conselheiros, como Airton Ferreira da Silva, que não pode caminhar porque está com um joelho com problemas.

Outro que sobe pelo elevador quando vai ao Olímpico é o Jorge Mendes, veterano jornalista.


Coleguinhas


MAINARDI QUERIA

O FIGADO DO VITELLO!


Luiz Rache Vitello Filho

O Superintendente da Rede Ferroviária federal(S/A),engenheiro Edmar Mainardi, queria o fígado de Luiz Rache Vitello Filho. Isto nos anos 90,quando Vitello andou trabalhando como assessor de imprensa naquela estatal, que nem mais existe.

O assunto começou por causa de uma intriga que Vitello teria feito junto ao Ministro dos Transportes, Odacir Klein.

Mainardi que se achou injustiçado com a " lama" não deixou por menos. Esperava sempre o jornalista com um revólver no Salgado Filho quando Vitello vinha de Brasília acompanhando o então ministro.

Porém, nunca houve o encontro.

Vitello nasceu em Porto Alegre em 28.01.1951, filho de Luiz Rache Vitello e de Célia Petersen Vitello.

Residiu na rua Mata Bacellar, 283/303 e na Rua Dona Laura, 65.

Trabalhou em vários veículos de imprensa, no setor de esportes. Foi da Folha da Tarde e da Folhinha da Manhã.
Trabalhou na sucursal de O GLOBO onde foi sub chefe de redação.

Uma vez acompanhando um selecionado da FGF na América Central foi o responsável por ter enviado um resultado trocado pro seu jornal, da época, a Folha da Tarde. Como era convidado da delegação, não quis dizer que o time local havia perdido o amistoso e mandou justamente o contrário: no outro os redatores da Folha da Tarde, receberam, pelos telex das agências, o verdadeiro resultado: o timo da FGF tinha perdido o jogo.
Quem me lembrou desta histórinha foi o Benito Giusti, que trabalhava naquele jornal,quando isto aconteceu.

Vitello, além de colega, foi muito amigo de Paulo Gerson Antunes de Oliveira, o Paulinho Fumaça e de José Antônio Zulian.

Eles trabalharam juntos no setor do PMDB,de imprensa, na Assembléia Legislativa do Estado.

Vitello faleceu há alguns anos.

Sua esposa foi Doris(31.12.1952) com quem teve o filho Rodrigo Weidmann que seguiu a carreira política tendo concorrido a vereador da capital( pelo PMDB).

Memória Política

Em 1986, finalmente,

Simon chega a governador!

Crédito:Assessoria parlamentar do PMDB. Acervo: Memória PMDB.

em 1982, Simon foi ouvir o povo, mas Jair ganharia aquela eleição.

 


Depois de ter amargado uma derrota para Jair Soares, em1982, por uma diferença de apenas 22.373 votos, Pedro Simon se elegeu governador gaúcho em 1986, perfazendo 2.009.381 votos, um total de 41, 68% dos sufrágios.

Para ganhar aquela eleição, ele fez uma jogada: trouxe para o PMDB, o ex-governador Synval Guazzelli, quebrando a espinha dorsal do PDS, porque Guazzelli era homem da " Arena" e como tal havia sido governador, quando Simon, na Assembléia Legislativa do Estado, liderou a Oposição. Desta época vinham suas afinidades, porque Simon ajudou Guyazzelli na empreitada de trazer para o Rio Grande do Sul o Polo Petroquímico.

Acompanhei parcialmente aquela campanha e fui em alguns roteiros pelo interior do Estado, principalmente na Serra gaúcha, nas pequenas comunidades.Sentia-se no ar que o candidato do PMDB tinha reais chances de sair vitorioso do pleito´porque, além de um candidato muito conhecido, era favorecido pelo PLANO CRUZADO e o povo saboreava os baixos preços dos custos alimentícios.

Nas pequenas cidades da Serra gaúcha,quando em alguns finais de semana pude acompanhar algum roteiro, pode-se ver que a vitória desta feita dificilmente escapadria das mãos do " turco"!

Não era apenas no interior que se via a força do PMDB: alguns municípios da Grande Porto Alegre, como num roteiro de Alvorada em que compareci,deu pra ver a popularidade do candidato,reforçada pela presença do então candidato a deputado estadual, um super conhecido radialista da Farroupilha: seu nome, Sérgio Zambiazi.

Me impressionava que nos becos, nas vilas, nos pequenos valos onde a comitiva ia, a popularidade era maior do Zambiazi do que do próprio senador em campanha.

- Aí Rádio Farroupilha, gritavam desde dentro dos casebres, quando reconheciam o radialista que estava presente. Alguns homens e mulheres,fãs do radialista, chegavam a ter chiliques ao vê-lo frente a frente.

Algumas cenas eram até constrangedoras para Simon,diante da popularidade de Zambiazi.

Ele concorria pela primeira vez a deputado estadual, pelo PMDB

DIA DO VOTO

pOR SORTE, ou destino, acompanhei a abertura das eleições naquele ano. Nuam sede que o PMDB tinha na rua Sete de Setembro, fui pra lá. Lembro da presença de familares do candidato( o filho mais velho, Thomas, da irmã do senador, Alice,entre outros) e do arquiteto Telmo Magadan Quando começaram a abrir as urnas, o primeiro resultado veio de Sapucaia do Sul, onde Simon esperava perder para Collares, já que o PDT lá era muito forte. Mas Simon ganhou.
O candidato mostrou sorrisos de satisfação, mas não teceu qualquer comentário, ao contrário da irmã, Alice, que abraçada ao sobrinho, Thomas, comemorava o resultado:
- Viu, viu, vocês não acreditavam. Ganhamos em Sapucaia, ganhamos em Sapucaia...

André Forster, outro dirigente do PMDB, também acompanhou aquele pequeno grupo que esperava a abertura das urnas.Com a abertura das urnas na Grande Porto Alegre, Alice Simon foi deixando de ser aquela pilha de nervos que estava antes de que a Justiça Eleitoral começasse a contar os votos.

Bares que se tornaram lendas

UMA INSTITUIÇÃO

PORTOALEGRENSE CHAMADA DE

SANDUICHE ABERTO....


o SANUICHE ABERTO,esta instituição portoalegrense, escreve o engenheiro Saul Gil Cardoso, um portoalegrense exilado em Floripa, teria nascido no LUIZ ALBERTO( Cristóvão Colombo esquina com Ramiro Barcellos próximo do Cine Ipiranga) nos anos cinquenta( do século passado).Depois teria sofrido uma maioridade no bar Urso Branco que ficava na rua Pinto Bandeira, logo acima da Alberto Bins.

O dono do Urso Branco era seo Paulo, diz ainda Saul, que atendia no local junto com a esposa " simpaticissimo casal que depois abriu o Prinz na Protásio".

Mas a polêmica cresceu ainda mais quando fui conversar com o BETO CANARINHO, um misto de gerente e garção do ODEON, na Andrade Neves, que se orgulha de ter conhecido todos os bares de Porto Alegre. Ele os tem anotado num papel, que não mostra pra ninguém, nem sob tortura. Dependendo do seu humor, Beto é capaz de citar alguns destes bares que ele frequentou em décadas passadas...

Pois Beto Canarinho garante que o SANDUICHE ABERTO TEM quatro possibilidades de nascimento:

1) Aurora, localizado na avenida Cristóvão Colombo com Santo Antônio;
2) Urso Branco( na Pinto Bandeira)

3) no Hubertu's( na Praça Otávio Rocha)

4) Luiz Alberto, na Cristóvão Colombo.


- Os bodegueiros todos ficavam em volta da Brahma( atual Shopping Total) lembra Beto Canarinho.

E,diz ele, eram todos alemães. Até o dono do Líder , o Waldemar, era alemão, acrescenta o garção do Odeon.

RECEITA

BETO CANARINHO INFORMA qual era a receita do sanduíche aberto quando este nasceu:

PÃO PRETO, pernil de porco desfiado,ou fatiado no próprio local( pois era cozido no bar) encima disto tudo queijo, e pepino.Encima do pão preto ia o molho de pernil quente feito no bar, na hora com a mostarda feita na própria casa.

- Era uma coisinha pra acompanhar o chopp, diz ainda o Gerente-garção do Odeon. Não era este mata-fome que é hoje em dia, como o servido no Caverna do Ratão, enfatiza Beto.

O tomate e o ovo, que hoje em dia se usa no sanduícho aberto, não existia quando ele nasceu.


Segundo Beto Canarinho, o sanduíche aberto surgiu em Porto Alegre nos anos 40.

Mais pra perto do final dos anos 40, diz ele.

o BAR AURORA pertenceu a dona JULITA METZGER, que ainda vive e deve ter cerca de 90 anos.

Ela foi mãe do FREDDY que emprestou seu nome a um bar, que ficava localizado no mesmo endereço.

Robert,outro filho de JULITA, teve também um bar, mas " entrou pra luta armada, foi exilado no Chile, depois foi pra Paris, onde vive até hoje" diz Beto Canarinho.

Beto lembrou que havia um circuito de bares entre os quais cita o Lilliput, o Urso Branco,o Arthur( que ficava na Alberto Bins) o Hubertu's que ficava na Praça Otávio Rocha, uma sequencia de nomes de um bar no mesmo endereço que foi o Henrique,depois Brahms, e finalmente Barcaça(quando pertenceu ao prefeito Sereno Chaise).

No bar Freddy( Cristovão Colombo com Santo Antônio) tinha encima dele funcionando o bar Aurora, que era da mãe do Freddy, a Julita.

Quanto ao fato de que o Lider ter sido umr eduto dos gremistas, principalmente dos diretores, Beto Canarinho discorda: diz ele que o Lider não era dos gremistas, que os dirigentes do time da Azenha ia mais no Escandinávia que funcionava na rua Doutor Flores.

- Uma vez fugi correndo do Líder e terminei de correr lá no estádio do Grêmio que ficava onde hoje é o parcão, conta Sérgio Ross, que foi no Lider e que lá encontrou o presidente do Grêmio, Martim Aranha.Serginho era ponta esquerda dos juvenis do Grêmio e diz que naqueles anos jogadores não podiam frequentar a noite, como ocorre hoje em dia.

Serginho fugiu do seu presidente com medo de alguma represália. Ele refere que também Milton Kuelle,que também jogava no Grêmio costuma ir ao Lider, que ficava na esquina da Barros Cassal com a Independência.

Beto Canarinho lembrou ainda de outros bares dos arredores da Brahma, como o Rubayat( santo Antônio esquina com avenida Independência) Stylo( ao lado antigo Cine Vogue, na Independência esquina Garibaldi e o Uísque a Gogô, que ficava na Independência, mas que era considerado um " inferninho".

 

O colunista de gastronomia CARLOS PIRES DE MIRANDA LEMBRA UM DADO IMPORTANTE PRO RESGATE

da história do sanduíche aberto em Porto Alegre.

Ele diz que o conheceu no Corujão, no GILBERT'S E DEPOIS NO LUIZ ALBERTO.

ASSIM QUE ENTÃO MEUS CAROS BETO CANARINHO E SAUL VAMOS COM CALMA....NINGUEM TEM A PALAVRA FINAL SOBRE ESTE ASSUNTO...EMBORA EUSAIBA QUE NINGUEM DEMONSTROU ESTA PRETENSÃO....

foram apenas lembranças de cada um....


Clepto - Mortis


Um ladrão assalta uma funerária, numa madrugada e rende o vigia. Vasculha tudo e não encontra nada digno de ser roubado. Volta para o vigia, dá-lhe uns cascudos e arranca os míseros sete reais que o coitado tinha no bolso, com os quais compraria pão e leite para os quatro bacuris que acordariam na próxima manhã, contando com esta possibilidade. O pobre diabo tenta dialogar com o ladrão: “- Oh, deputado, o senhor vai desvestir um santo, para vestir outro”. E chora copiosamente (mistura tudo, sede, fome, meus filhos). O ladrão insensível castiga mais o vigia que não se saiu bem na apelação. Mas, para todos os efeitos, lhe devolve três para que estanque a choradeira.
O que o ladrão não sabe é que a vigilância eletrônica estava monitorando seus movimentos e, a polícia já estava do lado de fora. Quando o ladrão deu pela coisa, só lhe restava a fuga, o que fez cinematograficamente. Pega o carro fúnebre e sai levando tudo por diante, com a Brigada de cirene aberta correndo atrás. Levava ele sem saber dentro do carro um caixão e, dentro do caixão um presunto.
Com helicópteros, radares, bodoques e submarino, conseguem encurralar o facínora em um destes estacionamentos de vários andares. O meliante decidido que venderia caro a sua captura, tem a brilhante idéia de entrar para dentro do caixão e se fazer de morto. Com o envelope de madeira ocupado, teve de dar nova redação ao plano. Arranca o presunto do envelope e faz o mesmo de refém. “- Quem tentar algum, eu estouro os miolos deste imbecil”. Os brigadianos cairam na risada. O chefe da operação pelo megafone, diz: “- Oh, Mané, o teu refém já era, olha aqui o atestado de óbito, diz aqui que morreu de doença braba, vais te contaminar...
O ladrão: “- Aí é que vocês se enganam, este é o Agripino, lá da minha vila. Esta deve ser a terceira vez que ele se faz de morto, para burlar o INSS e receber o auxílio Pé na Cova. Por esta os brigadianos não esperavam, e, na dúvida da estória do Agripino, chamaram o alto escalão para negociar com o ladrão. Rádio, TV, o Santo Clero, todos à postos...
O megafone “- Tudo bem vamos negociar a soltura do presunto. Vou subir.
O ladrão: “- Quem tentar se aproximar, eu dou um téco no Agripino e jogo o corpo para vocês. Os desocupados que se acotovelavam na calçada em frente gritavam: joga... joga... O que queres, pergunta o mega.
“- Eu quero a presença do Ministro da Justiça, com um projeto de auxílio furto, nos mesmos moldes do Seguro Desemprego, onde será feita uma estimativa de quanto o ladrão requerente consegue arrecadar por mês, mantendo um mínimo, para não prejudicar o ladrão pé de chinelo. Se levarem em consideração quanto custa um homem para a segurança, entenderão a viabilidade da minha proposta.
Enquanto distraído defendia o projeto, um brigadiano que estava esperando a oportunidade de imobilizá-lo veio por traz e o laçou, com Agripino e tudo. Ladrão preso.
A televisão tenta de toda a forma um Habbeas Corpus para levar o ladrão em um programa de horário nobre para explicar o seu projeto, com mais riqueza de detalhes. Só com uma condição: Tem de levar o Agripino.

Clemar Dias


Rádio Independente - Caco Barcellos

Entrevista à Rádio Independente/Am, Lajeado, radialista Eduardo Eggers.

http://www.independente.com.br/player.php?cod=9333 Clique no link ao lado para ouvir a entrevista

Fernando Carvalho em Lajeado

Pô na palestra do cacao barcellos não divulgaram a grana pro ingresso. O Carvalho só dez pilas, é pros pelados mesmo. Sim, imagina a prole colorado ouvindo seu lider malhor!!!!

Fernando Carvalho em Lajeado

Solicitamos e agradecemos sua colaboração para a divulgação e
presença no
evento abaixo:


O Consulado Fúria Colorada convida para PALESTRA com FERNANDO CARVALHO e
comitiva dia 22 segunda-feira em LAJEADO!!!!

Local: Salão Paroquial de Moinhos
Esquina ruas Sete de Se tembro e Carlos Spohr Filho-Bairro Moinhos

Horário: a partir das 19 h 30 min

Serviremos carreteiro a R$ 10,00 ( opcional)

Aguardamos sua ilustre presença!

Saudações coloradas,
Liesel Dick
Representante
Consulado Fúria Colorada - Lajeado
INTER. MORTAL.

Materia Caco Barcellos - A Hora


Coleguinhas

Dizem que o Mazzarino foi visto puxando a mala do Caco Barcellos no aeroporto Salgado Filho. O homem virou fã do Caquinho...não te entusiasma muito não, Mazza, o Caco é gentil com todo mundo, mas sabe cuidar muito bem do lado dele....( não tomem isto por crítica....)


*Conheço o Caco desde o tempo que ele esquecia o DLUCT( um jornaleco que teve 3 edições) em 1972 e que fazíamos de noite, num centro acadêmico da PUC. Eram folclóricas as dormidas do nosso amigo e colega. Uma noite ele veio com o jornal pro centro porque iríamos vender no Kikão que tinha ali na frente do Clínicas e dormiu no ônibus. Esqueceu o pacote de jornais. Corremos pro centro e achamos ainda o ônibus no terminal Sepúlveda, com o jornal dentro. Madrugamos vendendo aqueles exemplares. Eu tinha uma estratégia. Como os casais namoravam naqueles anos dentro dos carros, eu chegava na mulha e oferecia o jornal, um exemplar. Pra se ver livre do chato, ela obrigava o marido a comprar, porque queria seguir os amassos.Assim vendi muito Dluct....na frente do Clínicas...


*Outra famosa dormida do Caco foi quando ele já estava na Folhinha da Manhã. Saiu de lá, pegou um ônibus e foi pra casa no Partenon...Dormiu e no outro dia sua manhã o acordou:

- Meu filho teu pai precisa do táxi pra ir trabalhar, onde tu deixou.

Sonolento o caco se lembrou que nem tinha tomado o carro na frente da Caldas Junior. O táxi tinha dormido na rua....


Inter adota o voto direto pelos Correios. É fácil e seguro

Por Luiz Oscar Matzenbacher

Ser Sócio Colorado é realmente viver em plena cidadania esportiva. Recebi nesse sábado, pelo Sedex, o envelope com a cédula secreta para votar nas eleições da nova diretoria e do Conselho Deliberativo do Sport Club Internacional. O retorno do voto lacrado é também via Sedex. Foi possível assim, exercer com alegria e satisfação, o direito de ajudar a escolher o presidente, a diretoria e os conselherios do Sport Club Internacional.
Quando vamos poder votar assim, pelos Correios, nas eleições no Brasil? Justificar a ausência é anular o voto. Mas, é tão simples votar pelos Correios. Dezenas de países já adotam esse sistema do voto pelos Correios com eficiência.
No caso da eleição por correspondência do Sport Club Internacional, os sócios que residem no interior do RS, outros estados ou exterior e não poderão comparecer ao Beira-Rio para a eleição presencial no dia 04 de dezembro próximo, foram consultados pela Internet e Correios. Tiveram que informar ao clube a impossibilidade de comparecer e automaticamente receberam a cédula pelo Sedex, com o envelope a ser lacrado e reenviado, depois de assinalado o voto, através do sistema de Porte Pago.
Concorrem três chapas ao conselho deliberativo e duas chapas à diretoria. Os candidatos à presidência são: Chapa 1 - Pedro Antônio Affatato (atual 1° vice-presidente) e Chapa 3 - Giovanni Luiggi (um dos quatro atuais assessores do departamento de Futebol). Luiggi é apoiado pelo ex-presidente Fernando de Carvalho e pode-se dizer que a chapa 1, de Affatato é a de oposição, embora ele seja o vice da atual diretoria. A Chapa 2 não obteve o número necessário de votos no primeiro turno que é disputado apenas com o sufrágio do Conselho Deliberativo.
A eleição é direta no Segundo Turno e estão aptos a votar todos os 106 mil associados com as mensalidades em dia e com mais de dois anos de participação no quadro de associados.
Só não conto em quem eu votei. O voto é secreto.

Tarso antecipa agenda em Lisboa e retorna a Porto Alegre


Sem agenda de trabalho para o fim de semana, Tarso Genro decidiu retornar a Porto Alegre no sábado para comandar os trabalhos da transição. O retorno estava previsto para ocorrer apenas na segunda-feira.

O almoço com o delegado Paulo Lacerda, adido da Polícia Federal em Lisboa, que ocorreria sábado, foi realizado quinta. Com isso, o governador eleito teria dois dias livres na capital portuguesa.
“Pensamos em voltar porque temos de adiantar uma série de consultas para abrir a semana dialogando com mais profundidade com nossos aliados, sem apressá-los”, afirmou Tarso, que viajará acompanhado do futuro chefe da Casa Civil, Carlos Pestana Neto.

Os dois desembarcam na capital à 1h de domingo e retomam a montagem do novo governo. Na análise do governador, a transição “vai bem”, mas é um processo “mais demorado porque as coisas não são resolvidas de maneira arbitrária. É uma frente política e essa frente tem de respeitar o tempo de cada partido e ao mesmo tempo encaminhar questões concretizadas, como essa parte do secretariado que já apresentei”.

No último dia de trabalho em Portugal, a missão gaúcha se encontrou com representantes da Tagus Pharma. A indústria farmacêutica tem interesse em investir no RS, atraída pela situação econômica, social e, principalmente, logística_ o Porto de Rio Grande e a fronteira com Argentina e Uruguai.

À tarde, Tarso teve reunião com o político português Francisco Louçã e com Manuel Carvalho. Presidente da Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses, Carvalho deve vir ao Brasil no próximo ano conhecer a Câmara de Negociação Permanente, órgão de negociação com os servidores que será implantado no futuro governo.

O último compromisso foi um encontro com Mário Soares, ex-presidente de Portugal, para conversar sobre democracia e gestão pública, que devem ser ter temas de um seminário no Estado no próximo ano.

Mais informações em www.blogdotarso.com.br e www.rs13.com.br
twitter.com/tarso13
(051) 3323 8900

Contato de Uruguaiana


O leitor Fernando Cezar questiona dizendo que não entendeu o motivo da revolta dos irmãos, ou do irmão da falecida Tânia Chanan Simon no velório.
Lamento se não consegui explicar ao leitor. Mas achei que não precisava entrar em detalhes, para reviver uma tragédia que provocou tanta dor a uma família.

Se me fiz entender, os irmãos da falecido estavam revoltados com o viúvo, que chegaria de Brasília para o enterro e a quem eles " culpavam" pelo ocorrido no Hospital da PUC.

Prezado Olides,

sou teu leitor diário e duas dúvidas mais uma sugestão me cabem fazer:

1) a história da segunda vez que Guilherme Villela foi nomeado conselheiro da AGERGS não o enobrece mais que a da primeira - quando preferido a Melíbio: já no governo Yeda (ou Rigotto?), respaldado, sim, pelo PP, para onde voltou depois de breve - e inútil - filiação ao DEM, que rompera com Yeda, mas com o apoio decisivo (e comprometedor) das concessionárias, a quem competia a indicação e junto a quem fez campanha - não é à toa que o forte movimento que há em Uruguaiana, terra natal dele, pelo fim do monopólio do transporte coletivo, nunca foi levado em consideração pela AGERGS ...; A Planalto é quem manda lá!!;

2) não ficaram claros o motivo por que estavam "revoltados" os irmãos da dona Tânia Simon em seu velório ...;

Abraço,

Fernando Alves.
www.blogdofernandoalves.blogspot.com



Novo governo


Conversei no sábado de manhã com uma fonte minha do PDT. No sábado, segundo ele(a) a situação dos três deputados federais eleitos era esta:

1) Vieirinha( depois da CPI que indiciou uns quarentas caras do PT, não será nunca secretário do governador Tarso)

2) Ênnio Bacci, também não irá mais pro secretariado, pelo menos do pT, embora nunca tenha sido cogitado.

Resta Giovani Cherini, o mais votado. mas na Agricultura ele não quer porque o PT vai tirar a Emater da Agricultura.

Há uma chance de que o suplente Kalil Sehbe vá pra secretaria de Esportes.

Engraçado: minha fonte não citou nem Juliana Brizola, nem Cristhopher Goulart.

É verdade que é muito colorado e está pensando só naquilo, em DUBAI!

Recebo da colega Josi Negreiros e publico!

Oi Canton,

O que houve realmente com essa escritora?
Estou chocada com o que assisti nesse vídeo!
até/Josi

http://www.youtube.com/watch?v=C20SQnXgMr8

http://poesilha.blogspot.com/

DE BRASILIA
ESPECIAL PARA O OLIDES

Por Sergio Ross

SELEÇÃO DOS AMIGOS DO MANO

Li na Zero Hora de quinta feira,que está tudo certo
entre o Renato e o Grêmio. Diz o Presidente Kroef,que o pedido de aumento do Renato só foi atendido,porque ele
conseguiu com que o Douglas voltasse a jogar futebol.
Olides, eu acho que vocês aí ao vivo,conseguem ver
um outro futebol. Eu aqui em Brasília,pela televisão não consigo ver esses jogos. Deve ser problema de televisão ou de aparelho. E olha que a minha TV é novinha...
PÔ!!! O Douglas não tem futebol nem para jogar ai,muito menos em uma seleção brasileira.
Só jogou, digo, deu um passe para o Messi fazer o gol
porque essa nossa seleção poderia ser chamada de A SELEÇÃO DOS AMIGOS DO MANO...
PS: Já havia escrito o texto acima. Mas hoje sábado,vi o jogo do Grêmio com o Coritiba.Olides,não consigo mudar
a minha opinião sobre o Douglas.

DILMA PERDE TERRENO

A cumpanheira Dilma,começou a perder terreno,bem muitos dias antes de tomar posse na Presidência.
Segundo minhas fontes que são muito bem informadas, a futura Presidente,não está conseguindo
controlar o PMDM e até mesmo os cumpanheiros de partido.
Ela não está conseguindo emplacar ninguém. Segundo o Chagas,se ela não der um murro na mesa,já,já,acho que a vaca vai para o brejo antes de começar o seu trabalho na Presidência.
PS: lembre o Remindo, nosso cumpanheiro de Canoas que não sou “serrista” como ele pensa...

LEMBREM ESSE NOME

Olides- Quem almoçou conosco no Stella Grill está semana, foi o Murilo Portugal,para nós o Murilinho.
Nós intimamente o chamamos assim, porque ele é um velho amigo e ex integrante da nossa mesa.
O Murilinho hoje é um dos mais importantes diretores do Banco Mundial. É um economista brilhante.
Acho que no Brasil só tem ele e o Delfin.
Chegou a vice presidência do Banco Mundial,não como uma cota do Brasil. Chegou lá porque é um craque
mesmo.
Murilinho esteve no Brasil até a queda do Palloci. Ele era o segundo dele e desgostoso com que assistiu,atendeu um convite para viajar para Washington,sede do Banco.
Mas Olides, o que eu queria te dizer, é que ele não apareceu por aqui a passeio. Foi chamado pela Dilma
(ele diz que não...) Parece que foi convidado para assumir o Banco Central ou Ministério da Fazenda.
Não esqueçam esse nome. O homem é craque. Não vai fazer feio, tenho certeza.

O CRIME DA 113

A polícia de Brasília está rindo atoa. Acha que solucionou o famoso crime da Super Quadra 113, onde foram assassinados de forma brutal o ex-ministro do
Tribunal Superior Eleitoral, José Guilherme Villela,sua
mulher,Maria Carvalho Villela, e a empregada da casal,
Francisca Nascimento da Silva.
Os suspeitos são,Leonardo Campos Alves, 44 anos e seu sobrinho Paulo Cardoso Santana de 23 anos.
Mas delegadas que estão no controle do caso(duas mulheres)a delegada Mabel de Faria e a delegada Debora Menezes, estão se pegando a tapas. Cada uma quer aparecer mais do que a outra e estão conseguindo embaralhar tudo, ou seja não vão conseguir solucionar o caso que foi cometido à mais de um ano.
Na verdade,uma delas quer incriminar a filha do casal que até presa já esteve presa. Eu não sou um Sherlock, mas acho que a filha está mesmo envolvida ate
as raízes dos cabelos. Vamos torcer para que os ultimos
suspeitos e que estão presos aqui,sejam os verdadeiros
assassinos.


Recebo e Publico

A presidente do PMDB de Serafina Corrêa( que o Serginho chama de ONZE) e que ninguém mais sabe que é isto - "e porque o Serginho é velho pra caramba" - Salete Pinto Cadore contesta uma informação que dei dias atrás sobre sua atuação no domingo,dia 13;11,durante uma missa quando ela teria panfleteado em favor da cantina de vinho local( só o prédio) contra um espigaão que foi construído na sua frente...

FIQUE ATENTO

Nao é verdadeira a informaçao sobre a distribuiçao do Folder informativo sobre o Tombamento da Cantina Brilhante, no domingo 13. Foram entregues alguns e bem depois do final do evento e somente a pessoas de Serafina que nao o conheciam ainda.


DANRLEI JÁ
CIRCULA PELA CAMARA

Por Sergio Ross

Danrlei que vocês ai conhecem bem, já
circula com grande desenvoltura pelos corredores do Congresso.
Eleito pelo PTB gaúcho, ele tem comparecido a reuniões na Casa e já anda fazendo alguns contatos para atuar como liderança política no esporte visando a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 que ocorrem no Brasil.



Desde São Borja

Recebo do poeta Clemar Dias, que pelo visto não está para brincadeira. Está por aqui, como se diz, com seus detratores, que o acusam de pão-durismo.

Mas eu sei outra virtude do poeta: não é chegado a trabalhos pesados....

Até o Folha Reginal sua esposa compra!

Ele lê...

Isto me faz lembrar uma briga entre o Jefferson Barros( jornalista) e sua esposa de então, a Rosinha Fischer. Era nos anos 70. Eles trabalhavam, na FIDENE,se não me engano. Era um troço lá dos freis( O falecido Jefferson tinha esta coisa de padre, de religião). Um dia depois do almoço a Rosinha pediu pro companheiro lavar os pratos. Ele disse:
- Aqui eu penso, quem lava pratos é a mulher.

Adivinhem o que aconteceu?
Quem pensou que a mulher os jogou todos na sua cara,acertou....


grana, grana, muita grana

Aviso aos incautos: Minha vingança será maligrina.
Quero o meu livro autografado. do contrario te faço uma proposta: tu me mandas os teus, Meu Nome não é Jorge e o do Celito Grande. E teremos a certeza de futuro grandes negocios.
Quanto ao Falcão a batata dele está assando. engraçado: em tudo o que é 0800 que ocorre na região os jornalistas Wolmer Jardim e José Nilton Falcão farejam a notícia e o pão duro sou eu? Sou loco, mas não cheiro no fogo e nem rasgo dinheiro.
tai o recibo que enviei a grana, pois como diria a prostituta: Comigo é bunda no chão e o dinheiro na mão.

Clemar Dias


De Brasília!

O Serginho andou falando aí do Murilo Portugual. Pois eu li o depoimento do Antônio Britto, no livro dos porta-vozes e ele é citado como um membro,digamos, do governo da ditadura. Trabalhava com a imprensa do Figueiredo. Ah, quanta gente que serviu aos dois lados, hein!!!!!!

Coleguinhas

*Marco Antônio Pereira segundo narrador da Gaúcha AM, foi reeleito presidente da ACEG.

*Para ter Haroldo de Souza como narrador, a Band AM abriu mão de três profissionais: o comentarista esportivo João Carlos Belmonte,o narrador Marco Couto e o repórter Leandro Schaba.

Belmonte e Couto foram pra Guaíba. Schaba pra Gaúcha.

*Para surpresa de alguns colegas, Luiz Carlos Reche admitiu, no domingo, 13/11, no jogo Inter X Avaí, a perda do colega Haroldo de Souza e teceu uns comentários, que, a quem os ouviu, não pareceram lá tão elogiosos....

*Mas, enfim, é a vida ....
EX, SABE COMO é passa a ter todos os defeitos. Ninguém mais lembra das virtudes. Dignidade não é uma coisa que se compra em super, com cartão de crédito.


Coleguinhas

*Helder Lazzari, repórter do Estadão, está de férias....

*Carlos Alberto Fruet,depois de um acidente feio, está retomando sua vida normal....

Está ajudando um irmão a compor uma biografia do jogador Chinesinho, que ainda vive em Rio Grande!


Recebo do Mauro Rocha( o zator) desde sua longinqua terra, Sarandi, este chasque. Ele que andava quieto!


A melhor notícia é que o Nicola foi , definitivamente, liberado pela justiça.

Será o futuro prefeito de Sarandi, não tenho dúvidas.

A feira terminou, mais comercial que literária,e agora o Paixão vai,
merecidamente, descançar..........................das tuas ácidas
críticas !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!.

Tens que resgatar para teu blog
algo sobre teu coleguinha, já falecido, MELCHÍADES STRICHER.Acho que
ele merece.

Fico feliz que tenhas lembrado do teu amigo aqui. Que, aliás, está
convalescendo de uma "artrite gotosa". Doença de quem come carne,
segundo os médicos( excesso de proteína).

Vou me preparar para tua visita, no inverno próximo, para saborearmos
um DON GENTIL, produzido na Barra Funda, terra dos Tasca.

Um abraço.

Fica aqui, meu convite para que acompanhes o único clube da AMÉRICA,
que terá tividade até dia 16 de dezembro. Os demais, por não terem
compromisso , estarão em merecidas férias !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

E o PDT, deverá participar do governo TARSO. Apesar da Deputada
Juliana ser contra. Amanhã haverá reunião definitiva sobre o
assunto.Repercuta em teu blog , por favor.........notícia importante
esta !!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Prof. Mauro Santos Rocha
Diretor - UPF Sarandi

Seminário debate Mobilidade Urbana e Inclusão Social

Encontro reunirá cerca de 70 especialistas em trânsito e transporte
Técnicos das áreas de trânsito, transporte e desenvolvimento urbano de diversas cidades brasileiras, e também do exterior, participam, de segunda, 22, a terça-feira, 23, do Seminário sobre Mobilidade Urbana e Inclusão Social. O encontro, promovido pela Prefeitura, por intermédio da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), com apoio da Carris, Trensurb e Sociedade de Engenharia do Rio Grande do Sul (Sergs), terá a presença, entre outras autoridades, do prefeito José Fortunati; do secretário municipal dos Transportes, Vanderlei Cappellari, e do superintendente da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), Marcos Bicalho, responsável pela palestra de abertura. O seminário acontece no Hotel Embaixador, Centro Histórico, com início previsto às 9h de segunda-feira.

A iniciativa faz parte das atividades da cidade coordenadora da Unidade Temática de Desenvolvimento Urbano da Rede Mercocidades “Porto Alegre”. A previsão é da presença de cerca de 70 técnicos especialistas nas áreas de trânsito, transporte e desenvolvimento urbano. Além das realidades de Porto Alegre e da região metropolitana, serão apresentadas, e debatidas, experiências nas questões de mobilidade de cidades como Buenos Aires, Montevideo, Santiago do Chile, Bahía Blanca (Argentina), La Victoria (Peru), Caxias do Sul, Recife, Belo Horizonte, São Bernardo do Campo e Diadema, entre outras

PDT debate hoje

na Félix da Cunha

ingresso no Governo Tarso


A partir das 19 horas, o PDT deverá se reunir em sua sede para debater sua participação no Governo Tarso.

Como sempre, será bem escaldada a reunião.

Lembre-se do dia que o presidente Sereno Chaise largou a presidência do partido: ele esqueceu papéis, estava no carro,quando alguém o lembrou:

- Não, não,disse Sereno, eu mando buscar depois....

Que grana!

Segundo o C. Humberto, o Chico Buarque terá 12 milhões de reais para seus projetos...

Assim, até eu apoio............


Feira do Livro

Fiquei com um misto de sentimento diante da moça, esta que foi levada pelos brigadianos da feira do livro. Pelo menos famosa ficou,quem sabe tire proveito disto!

ABOMINÁVEL LOTEAMENTO

Por Carlos Chagas

Quem quiser que bote panos quentes, mas a verdade é que neste período de montagem do ministério de Dilma Rousseff o país vem assistindo o mais um abominável espetáculo de loteamento do poder público e de chantagem explícita feita contra a presidente eleita. Desde a instauração da Nova República não se via coisa igual. Aliás, é preciso debitar parte da precipitação da doença de Tancredo Neves às pressões por ele sofridas nas vésperas de sua posse, que não houve. Naqueles idos, PMDB e Frente Liberal, cada um com grupos e alas conflitantes, todos de goela aberta, levaram o saudoso mineiro a desabafar: “resolvam vocês mesmo, eu já não agüento”. E não agüentou.
Dilma agüenta, mas enfrenta verdadeiro massacre que Fernando Collor, Itamar Franco, Fernando Henrique e o próprio Lula não enfrentaram. Dirão os otimistas que na transição da ditadura para a democracia reuniram-se forças tão díspares ao redor de Tancredo quanto outras se juntaram agora, para a eleição de Dilma. Pode ser, mas a explicação não justifica essa corrida desavergonhada ao poder.
Porque não se trata apenas de reivindicações do PMDB, do PT e dos penduricalhos. Falasse cada partido uma só linguagem e ainda poderiam compor-se com Dilma. O diabo é que em todas as legendas situam-se alas e grupos estanques e independentes, cada qual julgando-se no direito de impor seus representantes.
Por exemplo: há o PMDB de Michel Temer, mas também o PMDB do Rio de Janeiro e o PMDB do Nordeste. Como existe o PT de Minas Gerais, o PT de São Paulo, o PT do José Dirceu e o PT da Bahia, entre muitos. Já não tentam impor apenas ministérios, tanto os que detém no governo Lula quanto outros. Levam abertamente aos coordenadores da transição imposições a respeito das presidências e das diretorias do Banco do Brasil, da Caixa Econômica, do Dnit, da Petrobrás e de uma infinidade de empresas públicas e órgãos da administração direta.
Raras vezes se tem loteado o poder como agora. Registre-se o brado ímpio do ressuscitado Severino Cavalcanti , do PP: “Pernambuco não pede. Pernambuco exige!”
Completa essa equação de horror o componente Lula. Por mais que o presidente repita não indicar nem vetar ninguém, do lado da Dilma todos pisam em ovos na simples suposição de que o primeiro-companheiro poderia gostar ou não gostar desta ou daquela indicação. Acresce que eles tem conversado sobre nomes, como na madrugada de terça-feira, no palácio da Alvorada.
Em suma, se não tiver havido ou se não houver um basta, nas próximas horas, a nova presidente da República assumirá enfraquecida e refém do que há de pior em sua base política. Como temos sugerido, urge um murro na mesa e uma determinação fundamental para o futuro: escolher os melhores e os mais capazes sem aceitar imposições.

PACIFICAÇÃO, SÓ DEPOIS DA GUERRA

Posto no meio da frigideira efervescente, Michel Temer deve estar arrependido de não haver-se licenciado ou até renunciado à presidência do PMDB. Sobre ele precipitam-se pedidos e reclamos de toda espécie, bem como nós a desatar que nem a espada de Alexandre conseguiria. Ainda agora, diante das críticas sobre a formação do tal bloco de centro-direita, de seu partido com o PP, o PTB e outros, saiu-se o vice-presidente eleito com singular declaração à imprensa: “conseguimos a pacificação!” Ora, se houve paz, e não houve, é porque antes havia guerra, e ainda há.
Estivesse Temer apenas na condição de vice-presidente da República e metade de suas agruras não existiria. Fica, porém, o reverso da medalha: na hipótese de haver abandonado a direção do PMDB, o partido já teria se esfacelado.

NÃO FOI COINCIDÊNCIA

Em espionagem prevalece a máxima de que coincidências não existem. Se determinado cidadão envolvido numa conspiração amanhece morto pelo que pareceu um ataque do coração, será bom verificar se não havia veneno no chá que ele tomou antes de deitar.
No palácio do Planalto deveria valer a mesma cautela. Não dá para aceitar que o defeito numa tecla da nova aparelhagem de som posta à prova na reunião do Conselho Político tenha, por coincidência, transmitido os debates secretos apenas para o auto-falante da Sala de Imprensa. Por que não para as instalações da cozinha, do almoxarifado ou do dormitório da guarda?
Deliciaram-se os jornalistas com os diálogos de fisiologismo explícito verificados na reunião e até com o bom humor do presidente Lula, empenhado em descobrir o prazo de validade dos biscoitos ofertados pelo deputado Sandro Mabel. Quem, no entanto, proporcionou a festa para os repórteres que cobrem a presidência da República? Respostas para o dr. Watson, durante as férias do Sherlock Holmes.

A ETERNA DESCULPA

Mais uma vez assumiu o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, o pretexto de que o salário mínimo não pode passar de 540 reais senão a Previdência Social vai quebrar. Não vai. Bastaria, para afastar a sombra de um déficit jamais comprovado lembrar-se das aulas de ciência que terá tido no ginásio, a respeito dos vasos comunicantes. A Previdência Social é pública, não constitui um corpo solto no espaço. Se falta dinheiro no setor, sobra na Receita Federal, por exemplo. Acresce que para fazer face ao mais do que necessário maior reajuste do salário mínimo, bastaria cobrar imposto de renda dos especuladores estrangeiros acostumados a levar seu dinheiro para fora depois de aplicá-lo no Brasil sem pagar um centavo.


RS-010

Olides, está polêmica da RS-010 está muito boa, a obra tem seu custo orçado em quase 1 bilhão de reais, ficando em torno de 25 milhões por quilômetro construído. E já estão previstos 4 pedágios para ela. Será que alguém fez um estudo para ver se esta estrada é realmente necessária, ou estão usando sua construção para valorizar as terras por onde ela irá passar. Ora, vão acabar criando um monte de bairros em torno dela e em pouco tempo ela também estará congestionada.
Pelo que já li em teu blog, tens conhecidos no Daer. Podias fazer uns levantamentos para ver se esta obra, do jeito e custo que está sendo proposta. Todas as notícias são muito por cima. Não dá para se ter nenhum parâmetro por elas.

Remindo Sauim


Cosi la ze stata!


Recebo da escritora Leda Saraiva, de Imbé a respeito do meu livro Cosi la ze stata!


Bom dia!

Agradeço - lhe o livro enviado. Estou lendo e apreciando bastante. É muito interessante toda luta por um começo. O pioneirismo chega a ser um heroísmo. Muito bom

Obrigada.

Leda

HISTÓRIA DE UM TEXTO DATILOGRAFADO


Por Gelson Farias

Que tal voltar aos velhos tempos da máquina de escrever? Datilografar textos que não poderão ser deletados caso saiam erroneamente escritos? É o que estou tentando neste momento, exercitando os dedos numa velha máquina datilográfica da marca "Olivette". Sinto que não tenho mais a agilidade dos velhos tempos de datilógrafo. Ou melhor, agilidade até que tenho, no entanto, os teclados estão pesados e não são como os teclados de um computador que deslizam sob nossos dedos.
Aqui, na velha "Olivette" que contribuiu comigo em textos passados e, diga-se de passagem, textos memoráveis na minha ótica de ver as coisas, luto para não digitar, ops, quero dizer: escrever coisas erradas e que precisem de correção.


Este texto foi redigido em 1995


Errou, não tem jeito. Errado fica. Ao contrário do computador.
A velha "Olivette" está aposentada. Agora é a vez do computador, no entanto, para a alegria dela, minha mulher solicita que a coloque para trabalhar. Estou tentando fazer. Talvez até por falta de uma lubrificação, a "Olivette" não se mostra muito amigável comigo. Estão pesados, os tipos sobem lentamente, principalmente os que contêm os acentos gráficos. O carretel que comanda a fita, também não obedece, fica constantemente parado e quando consegue rodar, ao chegar ao seu final, não quer mais voltar como fazia antigamente.
Ufa, finalmente consegui chegar ao meio da lauda. É muito para quem demorou retorna a escrever textos numa velha máquina datilográfica. E o tempo gasto? Já é decorrido mais de 20 minutos de iniciado o texto. Lembro dos tempos e que trabalhava em rádios, ( farroupilha, Gaúcha e Guaíba) quando havia a necessidade de se redigir um bom e velho texto para os noticiosos. A boa e velha máquina de escrever era indispensável. Foi meu colega, no antigo Setor de Comunicação Social, da Polícia Civil, e também na Folha da Tarde, onde estive por dois anos, - quando o Valter Galvani e o Edmundo Soares foram os manda chuva do aquário -- como repórter especial junto com o jornalista e comissário Adroaldo Bachieri Lucas. Ele era exímio na datilografia. Não lembro agora, mas eram tantos toques por segundos... o homem era genial. Eu, por outro lado, não sou muito rápido, mas da para o gasto.
E assim o tempo vai se esvaindo, eu conseguindo o meu tin, digo: intento de redigir alguma coisa na velha e boa máquina de escrever “ Olivette" aposentada e esquecida num canto de prateleira, após a chegada do moderno, do novo, da avançada tecnologia: o computador. Como teste valeu.

OCASO DA VIDA
Aos poucos vai chegando a hora de partir. As pessoas com as quais vivi e vivo e que são da minha faixa etária, estão se despedindo do seu ciclo de vida. Portanto, está chegando a minha hora.
Lamento apenas pelo que deixei de aproveitar em vida. De nada me arrependo, mesmo porque sempre fui cercado de carinho pelos que me rodeiam e até mesmo pessoas outras que tive oportunidade de conviver.
Àquelas que não tiveram o mesmo olhar para comigo, saberão depois quem realmente eu era ou sou.
Considero que o meu tempo está-se esgotando e por isso, todas as noites peço e rogo a Deus para não acordar no dia seguinte. ELE é quem sabe quando devo partir para ir ao encontro dos que se foram antes de mim.
Desmotivado e lutando contra um moinho de vento imaginário, só me resta esperar pelo ato final de uma vida carregada de emoções alegres, tristes e mais das vezes coroada de esperanças que nunca se concretizaram, mas, fazer o quê? Vida que segue.
INVENTO
O primeiro registro de patente de uma “máquina artificial para impressão de letras” data de 1714, apresentado pelo inglês Henry Mill. O invento passou por várias atualizações e pegou de vez em 1910, quando o italiano Camilo Olivetti lançou o modelo que leva seu nome. Outra coisa que sumiu depois que os computadores substituíram as máquinas de escrever foram os cursos de datilografia.

Habilitação

Apesar de não ter pegado uma Carteira Internacional de Habilitação para dirigir veículos no exterior, consegui traduzir a minha habilitação e estou dirigindo pelas ruas de Buenos Aires. No começo, estranhei demais. Não é a toa que a maioria dos brasileiros aqui residentes, optou em comprar carros com câmbio automático, eliminando o ato de estar cambiando as marchas constantemente. No momento, também estamos com esse tipo de veículo o que nos facilita e muito, o ato de dirigir.
Em comentário anterior já falei que a cidade é provida de bastante sinalização e na maioria das ruas não se pode trafegar acima de 60 km. No centro da cidade a velocidade máxima permitida é de 50 km e se houver obras em qualquer artéria, a velocidade é reduzida para 25 km no trecho onde está sendo executada a referida obra. Incrível, todo mundo obedece.
Dirigindo pelas ruas de Buenos Aires, me chamou atenção o fato de alguns veículos terem as letras “P” e “L”, colados no vidro traseiro, daí procurei saber o que significava aquilo. O motorista que estiver conduzindo o carro com a letra “P” informa que se trata de um habilitado provisoriamente e que só após um ano, terá a sua carteira definitiva. Já a letra “L”, identifica que o condutor do veículo é um aprendiz. Em ambos os casos, o condutor não pode cometer qualquer tipo de infração sob pena de ter sua carteira de habilitação definitiva liberada pelo o órgão competente.
Os imigrantes podem dirigir com a habilitação oriunda do seu país, devidamente traduzida ao espanhol, porém ao conquistarem o visto de permanentes devem se submeter aos exames obrigatórios como psicológico, conhecimentos das regras do trânsito e teste de direção nas ruas da cidade. Um fato interessante a registrar. As carteiras de habilitação não têm prazo de validade, a não ser que o motorista venha a cometer uma infração pesada e conseqüentemente ter o seu direito de dirigir, cassado.


Lendo o texto do Gelson, que lhe saiu saudosista, lembrei desta letra. Aí vai:


Veterano


Está findando meu tempo
A tarde encerra mais cedo
Meu ombro ficou pequeno
E eu sou menor do que penso
O bagual tá mais ligeiro
O braço fraqueja às vezes
Demoro mais do que quero
Mas alço a perna sem medo

Encilho cavalo manso
Mas boto laço nos tentos
Se a força falta no braço
Na coragem me sustento

Se lembro tempo de quebra
A vida volta prá atrás
Sou bagual que não se entrega
Assim, no mais

Se lembro tempo de quebra
A vida volta prá atrás
Sou bagual que não se entrega
Assim, no mais

Nas manhãs de primavera
Quando vou parar rodeio
Sou menino de alma leve
Voando sobre pelego
Cavalo do meu potreiro
Mete a cabeça no freio
Encilho no parapeito
Mas não ato nem maneio

Se desencilho pelego
Cai no banco onde me sento
Água quente e erva buena
Para matear em silêncio

Neste fogo onde me aquento
Removo as coisas que penso
Repasso o que tenho feito
Para ver o que mereço
Quando chegar meu inverno
Que me vem branqueando o cerro
Vai me encontrar venta aberta
De coração estreleiro

Mui carregado de sonhos
Que habitam o meu peito
E que irão morar comigo
No meu novo paradeiro
Anterior Próxima
As Razões do Boca Braba
Herdeiro do Pampa Pobre

Autor
Antônio e Everton Ferreira

Interpretação por
Leopoldo Rassier

Caco Barcellos relata trajetória em palestra


Caco Barcellos


O jornalista gaúcho Caco Barcellos foi a atração de palestra realizada hoje à noite no Clube Tiro e Caça, em evento integrante da programação da Expovale 2010 e organizado pelo jornal A Hora do Vale. Detentor de diversos prêmios de jornalismo nacionais e internacionais, o repórter da Rede Globo contou a cerca de 500 pessoas sua trajetória profissional, desde o início da carreira em Porto Alegre até o atual momento, onde lidera jornalistas iniciantes no programa “Profissão Repórter”, que vai ao ar às terças-feiras. “O encontro serviu para relatar as experiências que tive à frente de grupos de investigação jornalística, e também à frente do Profissão Repórter”, conta. Barcellos lembrou episódios interessantes da carreira, principais desafios e abriu espaço para perguntas do público. Ele comentou sobre a possibilidade de jornalistas atuais trabalharem questões como o livro Rota 66, onde revelou crimes cometidos por um grupo da polícia militar paulista conhecido como “Rota, a polícia que mata”. “É possível realizar ainda este tipo de trabalho, mas é complicado mexer com poderosos”, observa.

Foto Elise Bozzetto

Caco Barcellos falou sobre sua trajetória hoje à noite

Surpresa 1

Olha, o Caco lendo meu broig....

foto de Carolina Leipnitz/J.AHora

 

Surpresa 2

O Mazzarino teve que fazer uma palhaçada. Ele que é o Tiririca do Vale do Taquari. Poderia,isto sim, tem feito um GUAXO pra entregar pro Caco!

foto: Carolina Leipnitz/J.AHOra


AFINIDADES ENTRE PT E PDT

Lula ( argh! ) na inauguração do Centro de referência do Trabalhador Leonel Brizola, em Brasília, disse que PT e PDT têm mais pontos em comum do que divergências, mas que a imagem passada pela imprensa é de que existem conflitos entre as duas legendas .
É um piadista, sem graça.

Lula, em 21 de setembro de 1977, numa entrevista à revista Isto É: Não temos compromisso com ninguém, com esquerda, direita ou centro. Só com a classe trabalhadora. No passado, a classe trabalhadora foi usada pelo Partido Trabalhista Brasileiro, e farei de tudo para evitar que seja novamente usada .

Dois parágrafos da Carta de Princípios do PT, de 01.05.1979, detonam o trabalhismo:

Cientes disso também é que setores das classes dominantes se apressam a sair a campo com suas propostas de PTB. Mas essas propostas demagógicas já não conseguem iludir os trabalhadores, que, nem de longe, se sensibilizaram com elas. Esse fato comprova que os trabalhadores brasileiros estão cansados das velhas fórmulas políticas elaboradas para eles. Agora, chegou a vez de o trabalhador formular e construir ele próprio seu país e seu futuro. Nós, dirigentes sindicais, não pretendemos ser donos do PT, mesmo porque acreditamos sinceramente existir, entre os trabalhadores, militantes de base mais capacitados e devotados, a quem caberá a tarefa de construir e liderar nosso partido. Estamos apenas procurando usar nossa autoridade moral e política para tentar abrir um caminho próprio para o conjunto dos trabalhadores. Temos a consciência de que, nesse papel, neste momento, somos insubstituíveis, e somente em vista disso é que nós reivindicamos o papel de lançadores do PT.


As tentativas de reviver o velho PTB de Vargas, ainda que, hoje, sejam anunciadas sem erros do passadoh ou de baixo para cima , não passam de propostas de arregimentação dos trabalhadores para defesa de interesses de setores do empresariado nacional. Se o empresariado nacional quer construir seu próprio partido político, apelando para sua própria clientela, nada temos a opor, porém denunciamos suas tentativas de iludir os trabalhadores brasileiros com seus rótulos e apelos demagógicos e de querer transformá-los em massa de manobra para seus objetivos.

Na época Brizola ainda não tinha perdido a sigla do PTB e estava tentando reorganizá-lo.

O ex-deputado Sinval Boaventura, em entrevista ao Jornal OPÇÃO,de Goiânia,de outubro de 1995, ante a pergunta:

É verdadeira a história de uma reunião na casa do então deputado Simões da Cunha, na qual a deputada Ivete Vargas (PTB) teria contado que saíra de um encontro com o general Golbery e este revelou que ia projetar o sindicalista Lula para ser o anti-Brizola ?, respondeu:
A Ivete Vargas disse que tinha estado com o ministro Golbery, na chácara dele, e que ele dissera que precisava trazer o Brizola para o Brasil porque ele estava se tornando um mito muito forte fora do país. Que era melhor ele voltar e disputar eleição, porque assim perderia o prestígio político. Fui ao Golbery e ele confirmou a conversa com Ivete. Explicou que sua estratégia era estimular a imprensa para projetar o Luiz Inácio da Silva, o Lula, um grande líder metalúrgico de São Paulo como uma liderança inteligente e expressiva, para ser preparado como o anti-Brizola. Sou testemunha dessa tese do general Golbery.

O marido de Ivete Vargas, Paulo Martins, trabalhava com Golbery.

" Leonel Brizola preparou-se para reorganizar o PTB, mas foi vitimado por Golbery que, autoritariamente, entregou, via Justiça Eleitoral, a sigla à Deputada Ivete Vargas, cujo marido, Paulo Martins, trabalhava para o "bruxo". Diante do golpe, Brizola cria o PDT."
A primeira certeza dessa tarefa confiada ao ex-líder metalúrgico de São Bernardo ele teve pouco depois de voltar do exílio. Alguns deputados da esquerda do MDB articularam uma visita de Brizola a Lula, lá no sindicado, no início dos anos 80.
Segundo seu parceiro Cibilis Viana, que participou da visita, Lula deixou Brizola chocado e muito amargurado. Ao recebê-lo em sua sala, o presidente do Sindicato sequer levantou-se da cadeira para
abraçá-lo. Aquilo já foi uma ducha de água fria.
Lula recebeu-o secamente e, para azedar o encontro, passou a desancar o antigo sindicalismo, que era controlado por pelegos do PTB . A coisa ficou feia quando ele, que já devia ter tomado alguma, começou a falar mal do presidente Vargas, ensejando um bate-boca que só não foi mais inflamado devido a providencial intervenção da turma do deixa disso. Mas nessa hora, o líder trabalhista interrompeu a conversa e foi embora sem maiores formalidades.

Apesar de tudo isto, o Brizola, dando demonstração de superioridade, a meu ver, apoiou várias vezes o Lula e até foi vice dele em 1998, embora, na minha visão, tenha sido humilhado pelos petistas, pois nas suas propagandas a maioria deles não colocou o nome dele como vice.

Desta forma não me conformo que o meu partido, o PDT, possa estar juntos com quem surgiu tripudiando sobre a história do trabalhismo. Trabalhismo este que é responsável por tudo aquilo que veio em benefício dos trabalhadores, aposentados e pensionistas: salário mínimo, CLT ? Consolidação das Leis Trabalhistas, Justiça do Trabalho, Previdência Social, nos moldes hoje existentes (Getúlio Vargas), 13º salário (Floriceno Paixão e João Goulart).

Não posso concordar, também, que alguém venha dizer que o Lula é a continuidade de Getúlio Vargas, João Goulart, Brizola, Darcy Ribeiro.

Reportando-me apenas a Getúlio Vargas e João Goulart, que foram presidentes da República, para corroborar esta minha discordância, é de se lembrar que em 1994, quando Lula esteve em campanha no Rio Grande do Sul, tendo ido à São Borja, ignorou por completo Getúlio e Jango, nascidos lá, ignorância esta que fez com que o ex-Ministro do Trabalho, Almir Pazzianoto , escrevesse o artigo O ESQUECIDO DE SÃO BORJA.

Em 29.05.2005 Léo de Almeida Neves escreveu o artigo Trabalhismo autêntico, publicado no Jornal do Brasil.

Léo de Almeida Neves foi diretor do Banco do Brasil. Foi Secretário do PTB no Paraná, quando o Senador Souza Naves era Presidente Regional e Vice-Presidente Nacional. Foi Deputado Estadual e em 1966 o Deputado Federal mais votado pelo MDB do Paraná. Foi cassado em 13.03.69.
Um trecho:
Embora as administrações militares, seguintes a Castelo Branco, tivessem alguma semelhança na área econômica com as diretrizes governamentais de Vargas e Goulart (fortalecimento das estatais, criação da Embrapa e da Embraer),seria profundamente ultrajante aos militares o ressurgimento do trabalhismo no governo central, uma vez que haviam derrubado Vargas em 1945, encurralando-o em 1954 e deposto Goulart em 1964.
Com essa ótica, entrou em ação o mago do regime, o estrategista General Golbery do Couto e Silva. Houve tolerância para as reivindicações operárias do ABC paulista, conduzidas por Luiz Inácio Lula da Silva, e ao robustecimento de um sindicalismo sem compromissos com o trabalhismo, e desvinculado de Brizola. Depois, serviram-se da ex-deputada Ivete Vargas, cujo marido trabalhava para Golbery, a fim de aprovar um simulacro de partido de apoio ao sistema vigente, já nos seus estertores. Manobrando com a frágil Justiça Eleitoral da ocasião, conseguiram registrar um artificial PTB, solidário ao governo inclusive nas votações no Congresso.

E o PDT, vassalo e servil, comandando pelo Lupi, se entrega nos braços desta turma. É a Síndrome de Estocolmo política.

SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS

Alcy Cheuiche lança 'João Cândido, o almirante negro' na Livraria Travessa, no Rio de Janeiro

créd Marco Nedeff



Na próxima segunda, dia 22 de novembro, às 17h, na Livraria Travessa do Ouvidor, no Rio de Janeiro, Alcy Cheuiche lança seu mais recente livro João Cândido, o almirante negro.

O evento é comemorativo ao centenário da Revolta da Chibata, ocorrida em 22 de novembro de 2010. O autor gaúcho conversa com os leitores sobre o tema e, logo em seguida, autografa a obra.

Masmorra do esquecimento
Dez e meia da noite de 22 de novembro de 1910. Dois tiros de canhão sacodem a cidade do Rio de Janeiro. O jovem poeta Oswald de Andrade, que viria a tornar-se famoso alguns anos depois, é testemunha ocular daquele momento. Estilhaços de vidraças espatifando-se no chão. Habitués da Avenida Central correndo, apavorados, em diferentes direções. Um automóvel desgovernado que sobe na calçada. Assim começou a Revolta da Chibata, extraordinário acontecimento político e social narrado em João Cândido, o almirante negro.

O livro relata um capítulo da história do Brasil que chega ao centenário, mas ainda é quase desconhecido do povo brasileiro. Talvez porque o marinheiro João Cândido, seu líder inconteste, tenha sido um homem que nasceu filho de escravos, em 1880, e morreu como pária, em 1969, no auge da repressão da ditadura militar. Por isso, o
autor dedica esta obra a todos que ajudaram a tirar o Almirante Negro da sua última e mais cruel masmorra: a do esquecimento.

Alcy Cheuiche, no dizer de Armindo Trevisan, é um dos mais notáveis ficcionistas do Rio Grande do Sul, situado entre os mais identificados com sua gente, seus ideais de cara limpa, suas noites estreladas. Alcy intercalada com a narrativa dos principais fatos ocorridos no Rio de Janeiro durante a Revolta da Chibata , com imagens da vida de João Cândido a partir de sua infância em Encruzilhada do Sul (RS). Libelo contra a escravatura, de ontem e de hoje, não é por acaso que o primeiro capítulo do livro situa-se em maio de 1888 e descreve O bambaquererê, a dança dos escravos fugidos comemorando a liberdade.

João Cândido, o almirante negro
Alcy Cheuiche
L&PM Editores
Formato: 14 X 21 cm
176 páginas R$ 32
ISBN 978-85-254-2080-0

Bate-papo seguido de sessão de autógrafos do livro João Cândido, o almirante negro, de Alcy Cheuiche
Dia 22 de novembro (segunda), às 17h
Livraria Travessa do Ouvidor - Travessa do Ouvidor 17 - Rio de Janeiro

Assessoria de Imprensa:
Simone Lersch (51) 3029-6390 / 9803-4420

De São Borja

CLEMAR DIAS,

se pegar piolho, não terá como se coçar.....( diz o colunista FALCÃO, da Folha Regional!


Recebo notícia que me enviam da " Terra dos Presidentes" onde me informam que a FOLHA REGIONAL ,edição de sexta, 19.11, cita meu blog no editorial.Diz que o brog deste escriba " segue sendo muito visitado por são-borjenses de todas as latitudes. E eu vou de carona", diz o colunista FALCÃO.
iNFORMA aos seu sleitores que este blog seguidamente posta sobre a cidade " abastecido por perdigueiros locais, entre os quais está incluido o escriba CLEMAR DIAS .

Falcão diz que o Clemar é o mão-de-vaca. O Clemar, diz Falcão tem evitar ter piolho do contrário como fará para coçar a cabeça,se não abre a mão?"


Estorvo


Um dos principais estorvos à participação de Cristhoplher Goulart, neto de Jango, no governo Tarso Genro que não se elegeu deputado estadual pelo PDT, seria, segundo me informam desde São Borja, o prefeito local, Mariovane Weis. Conhecido pelo rancor que guarda quando alguém o contraria, Weis não teria engolido o fato de Goulart ter acampado 60 dias em São Borja e tem concentrado sua campanha ali. Fez quase 3 mil votos na terra natal do avó, o que não é pouca coisa....

E, pior ainda: a mãe do prefa, dona Dininha Weis, apoiou abertamente o neto de Jango, o que provocou,digamos, uma cisão familiar, pelo menos em termos de candidaturas, já que Mariovane apoiou o candidato Flávio Lammel, que não fez 500 votos em São Borja e que teria,desta forma, mostrado um pouco da falta de prestígio momentânea do alcaide.


Otimismo marca encontro de Tarso com investidores portugueses


Nesta terça, a comitiva de Tarso Genro se encontrou em Lisboa com empresários e investidores das indústrias farmacêutica, naval, de infra-estrutura e do turismo. Com a crise dos mercados da Europa e o sucesso do Governo Lula, os portugueses estão otimistas com a situação do Brasil e as perspectivas do Rio Grande do Sul.
Os membros da missão gaúcha deixaram a reunião com a expectativa de investimentos portugueses no Porto de Rio Grande e no turismo, mirando a Copa do Mundo “Tivemos uma reunião muito boa, muito forte, com possibilidades concretas de novos investimentos no Estado”, revelou Tarso, ressaltando a importância desta viagem: “Nosso primeiro ano será de negociações e de criação de condições técnicas e institucionais para que os investimentos cheguem. Estes processos maturam durante um ou dois anos para desabrochar já no terceiro ou no quarto ano. Mas isso que estamos fazendo agora é que garante o sucesso deste processo", ressaltou o governador eleito. Os investidores ficaram satisfeitos com a apresentação e destacaram a questão logística como principal atrativo do Rio Grande do Sul.
Depois, Tarso foi recebido pelo embaixador do Brasil em Portugal, Mário Vilalva, para um almoço com lideranças políticas do país. À tarde, a comitiva se reuniu com o presidente e representantes do Conselho Econômico e Social de Portugal. Ficou definida a cooperação entre a entidade e o futuro conselho gaúcho, tendo o Mercosul “como um espaço de intervenção comum”, segundo Vinícius Wu, assessor de Tarso. Os portugueses foram convidados para o encontro ibero-americano de conselhos, que será realizado em Porto Alegre no próximo ano.
O governador eleito se encontra nesta sexta às 10h (7h no horário de Brasília) com diplomatas e adidos lotados na capital portuguesa. A partir das 15h (12h em Brasília), ele participa do seminário internacional “Direitos sociais, integração econômica e democracias contemporâneas”, promovido pela Fundação Mário Soares.

Mais informações em www.blogdotarso.com.br e www.rs13.com.br
twitter.com/tarso13
(051) 3323 8900


Prefeitura recebe projeto de revitalização do Museu Getúlio Vargas

O projeto para restauração do Museu Getúlio Vargas foi entregue nesta quinta-feira (18/11) para a Prefeitura. O prefeito Mariovane Weis recebeu o projeto da arquiteta Anna Carolina Dellazzana, da empresa Têmpora Projetos de Arquitetura, responsável pela elaboração. Também estavam presentes no gabinete o secretário de Planejamento, Orçamento e Projetos (SMPOP), Léo Tatsch, e arquitetos da secretaria.
A AesSul será parceira na restauração, que será realizada através da Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal, com apoio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Rio Grande do Sul (IPHAE). O prefeito Mariovane pediu agilidade aos técnicos da SMPOP na análise do projeto.
O prédio do museu, localizado na avenida Presidente Vargas, foi construído em 1910. O ex-presidente viveu no local de 1911 até 1922. O Museu foi criado em 17 de fevereiro de 1982 como Associação Cultural Getúlio Vargas, que administrou o local até 1995, quando foi repassado para a Prefeitura.

Crédito imagem: DECOM/PSB

Restauração MuseuGV


Casal de São Borja é destaque em festival na Argentina

O casal Caio e Vânia Benevenuto participaram da 46ª edição do Festival do Folclore Correntino em Santo Tomé, realizado dias 12 e 13. Eles, que representam a Prefeitura em eventos tradicionalistas, venceram a etapa classificatória, habilitando-se para participar da 21ª Festa Nacional do Chamamé e 7ª do Mercosul, que acontecerá em janeiro na cidade de Corrientes, capital da província. O casal dançou chamamé, valsa e rasquido doble. Segundo Caio, eles se preparam há um bom tempo para apresentar as danças típicas argentinas.
Desde 1970, quando Cenair Maicá e Noel Guarany venceram a sétima edição do Festival com a música Fandango na Fronteira, que artistas brasileiros não levavam um prêmio, apenas participavam como convidados sem concorrer.

Crédito imagem: Divulgação

Festival Correntino

Pref. de São Borja


O amor está no ar....

Com este título a colega Rosane de Oliveira, deu, na última sexta, um tópico, dizendo que o ex-prefeito de Porto Alegre,Guilherm Villela " está apaixonado novamente".Pela secretária geral do Governo, Ana Pellini,diz Rosane.

Faz alguns anos, quando Villela se separou de sua primeira mulher, Arthur Zanella recebia sempre telefonemas da ex-mulher preocupada com a situação emocional do ex-marido.
Arthur, que é um grande gozador, contava pros amigos:
- E eu nunca tinha visto o Villela tão bem!!!!!


????????????????

O Lula se gaba de ter mudado o Brasil. É uma maravilha. A situação do povo melhorou. O Bolsa Família, então, é o máximo. Tudo mudou. Tudo melhorou. Ou não ? Tem gente desinformada. Por exemplo: a Rede Globo, que continua realizando o Criança Esperança e o Silvio Santos, que continua realizando o Teleton. Ou não tem nada a ver ?

SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS


PRIVATIZAÇÃO DA TELEFONIA

Em 09.07.2005 foi publicado:

A produtora Gamecorp, que possui em seu quadro de sócios Fábio Luis Lula da Silva, filho do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, recebeu, em janeiro passado, investimento de R$ 5 milhões da empresa de telefonia Telemar. O dinheiro aplicado rendeu à Telemar 35% das ações da produtora e exclusividade sobre o conteúdo elaborado pela Gamecorp - programas de TV a respeito de videogames, atualmente veiculados pelas emissoras Bandeirantes e Mix TV.
Em 15.11.2010 foi publicado:

Os beneficiários do programa Bolsa Família vão receber seu benefício pelo celular. A novidade está sendo avaliada por um grupo de trabalho criado pela Caixa Econômica Federal. O serviço deverá ser implantado no início de 2011. Para isso, o telefone será equipado com um novo chip, que transformará o telefone em um cartão de pagamento.

Isto não seria a prova de que as privatizações deram certo ?

SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS

Roteiro do Findi!


Tem filme bom ( um argentino que falam bem dele...) na Casa de Cultura e outro(SOLO) no cinebancários.


E no fim da tarde do domingo - 18 hs - tem show como sempre no Santander

Bares que viraram lenda

BERTHOLDO'S BAR


Não ficava em Porto Alegre, mas sim em Floripa e era um butecão daqueles o pessoal saía da praia com uma fome imensa e ia matá-la lá. Muito fiz isto....

Lá pelo meio da década de 80, ou pouco antes, quando este repórter ia passar férias em Floripa - que então não passava de uma cidadezinha com 300 mil habitantes,se tanto - havia um restaurentezinho no meio do caminho entre a Trindade, onde eu ficava hospedado e a praia da Joaquina. O bar se chamava, ou melhor, os estudantes da UFSC o chamavam de Bertholdo's Bar...uma homenagem ao seu dono, porque nem placa tinha...

Ele ficava por ali, nas imediações da UFSC,não muito longo do campi e era local onde os estudantes iam matar a fome.

Era sobretudo barato, esta é uma das referências que tenho.

Não custava mais que um dólar por um almoço.

Quando se chegava da praia faminto, porque o mar dá fome,principalmente com aquelas ondas da Joaquina quebrando nas costas da gente, íamos matar el hambre de uma comida caseira, bem feita, que não era lá uma brastemp, mas que vinha bem servido de arroz, feijão, peixe e camarão em abundâncias que eu não estava acostumado.

O que tinha de original naquele restaurantezinho, se me faço entender, era uma coisa bem típica deles, dos catarinas, do mané da ilha.

Os garçãos, por exemplo, estavam sempre atrapalhados. Se pedia uma coisa, eles traziam outra.Os garçãos traziam a comida pra gente que muitas vezes tínhamos a necessidade de fazer uma enorme fila pra chegar a nossa vez de comer.

Ficávamos na espera porque a qualidade e o pratão que serviam,com aquele preço, compensava.

E ali apareciam todos os surfistas que tinham ficado na água na Joaquina.Vinham também os surfistas das outras praias de Floripa, porque era meio que um point deles...

Era, estranhamente, também o bar onde iam comer os entregadores de bebidas que percorriam com seus caminhões toda a ilha de Floripa.Eles faziam a parada na hora do almoço, porque a bóia,além de farta, era barata e boa....

O engraçado é que o Bertholdo's bar não tinha serviço de copa, eu acho que os próprios garçãos lavavam os pratos. Então, na hora do aperto, do almoço, ficavam empilhando pratos nos fundos do restaurantezinho...Descobri isto depois de ir lá algumas vezes, porque ninguém ficava dando bola para este detalhe.

Eles iam tirando os pratos sujos das mesas e em seguida vinham com mais pratos servidos. Iam largando os pratos pra lavar depois.

E ia ficando aquela pilha de louça suja pra lavar..

Eu não via onde nem quando lavavam os pratos sujos e em seguida vinham com mais pratos servidos.

Aí um dia um amigo que ia comer comigo e que morava em Floripa me disse que o expediente deles era este:
deixavam tudo pra lavar depois das quatro da tarde.

era então quando o movimento baixava, embora neste horário ainda chegasse gente vinda da praia pra comer, que os garçãos iam lavar os pratos do Bertholdo's...

Não lembro do dono, mas dos garçãos perguntando se ia mais uma " galega" lembro...Galega é pra eles uma cerveja ,principalmente a mais gelada. E a prefêrência de todos era pela Antártica de Joinville, porque tinha um sabor especial...

Vinham gente de praias distantes, como de Jurerê, Canasvieiras, Pantano do Sul pra comer lá...

E o moscaredo juntava em volta dos pratos sujos, cheios de restos de peixe, arroz,feijão e camarão.

Tudo aquilo atirado num canto do bar....
O bar foi fazendo fama entre os estudantes da UFSC que passavam a dica pros amigos que iam veranear....
Pelados e mal pagos de toda sorte pintavam lá....inclusive, este que vos fala....

Mas lembro que se comia bem e que a galega gelada caía bem...

Não sei do destino do Bertholdo's. Nunca mais voltei lá, depois.


Tomara que tenha sobrevivido e que hoje seja uma griffe de Floripa.

Novo Governo


Ao contrária da "prima" Juliana Brizola que não teria aceitado o cargo de secretária da Educação representando o PDT, Cristhopher Goulart, neto de Jango, que não se elegeu deputado estadual, apóia o ingresso do partido no futuro governo Tarso.E teria chances de vir a representar o partido no novo governo.


DE São Borja


Não teria sido o La Barca , do Chita, o cenário do " desentendimento" entre o neto do Jango, Cristhopher Goulart e Letier Vivian, assessor do vereador Celso Lopes, do PDT.

O assunto começou pelo messenger(MSN)...depois terminou num bar....

Mas pelo lado do neto do Jango, está tudo resolvido...


Memória da Imprensa


Melíbio acabou

fora da Agergs


desembargador Luiz Melibio Uiraçaba Machado

O desembargador Luiz Melíbio Uiraçaba Machado ajudou a montar o arcabouço jurídio que constituiu a Agergs, que foi criada no Governo Britto( 1995/1998) pra gerir os pedágios e as concessionárias de energia elétrica que foram desmembradas e privatizadas.

Melíbio era para ser indicado como um dos conselheiros, mas seu nome não passou pela bancada do PPB,atual PP, porque um irmão do deputado Marco Peixoto( hoje conselheiro do Tribunal de Contas do Estado)que era do então PPB que fora prefeito de Santiago do Boqueirão, fora cassado no tempo que o desembargador geria o Tribunal de Justiça do Estado.

Vizinho de Melíbio no prédio onde ambos moravam e ainda moram, o jornalista João Carlos Terlera, já fora da Zero Hora, mas com uma coluna política na sucursal da Gazeta Mercantil, advertiu o colega de prédio de que havia resistência ao seu nome na indicação de conselheiro da Agergs.

Melíbio procurou o governador e depois disse a Terlera que Britto lhe prometera que iria conversar com a bancada do PPB, que integrava a coalização com a qual Britto contava no poder legislativo do Estado.

- Acho que o teu nome corre risco de não ser aprovado, voltou a advertir Terlera ao seu vizinho.

Não deu outra: o único nome do PPB que a bancada aprovou como conselherio foi do ex-prefeito de Porto Alegre e ex-deputado estadual, Guilherme Socias Villela, que é conselheiro da entidade até os dias atuais.

Melíbio é conhecido do grande público porque sempre participava do programa Guerrilheiros da Noticia, na TV2,Guaíba onde dava sua opinião sobre os vários acontecimentos políticos do Estado e do país.


Deu no conversa afiada


Globo combate os portugueses
e se esquece do Google



Na foto, D João VI e comitiva desembarcam na rua Lopes Quintas, no Rio

Saiu no Estadão, pág. A7, reportagem que, por incrível que pareça, guarda notável parentesco com as ideias do Senador Evandro Guimarães, representante biônico e vitalício da Globo em Brasília.

Trata-se de “Câmara discute capital estrangeiro na mídia”.

O deputado Eduardo Gomes do PSDB de Tocantins e o senador eleito e ex-ministro das Comunicações (êpa !) Eunício de Oliveira, do PMDB do Ceará, propõem aquilo que, por coincidência, o Senador Evandro também seria capaz de propor.

O deputado Gomes quer perseguir o grupo Ongoing, dos jornais O Dia, do Rio, e Brasil Econômico, porque a proprietária é casada com um português.

O grupo é de origem portuguesa e está ligado à Portugal Telecom e ao banco Espírito Santo.

O grupo vendeu a Vivo, está de caixa alta e, como todo bom empresário português, quer vir para o Brasil.

Os bons empresários portugueses fogem hoje de Portugal como D João VI fugiu de Napoleão.

E os dois supra-citados parlamentares brasileiros querem impedir a Abertura dos Portos do Visconde de Cayru.

Eles dois, o Senador Evandro e a Globo, ora pois.

O grupo Ongoing é candidato natural a comprar o SBT.

Clique aqui para ler “O Silvio obrigou a Dilma a fazer a Ley de Medios”.

O senador eleito, e ex-ministro das Comunicações (êpa !), quer perseguir o portal Terra, da espanhola Telefônica.

Ou seja, os dois nobres parlamentares – será que eles conhecem o Senador Evandro, por acaso ? – querem legislar sobre a Constituição e mexer, parcialmente, num dos artigos: o artigo 222, que trata da preferência a profissionais brasileiros nos meios de comunicação.

A Globo, ao nascer, era do Grupo americano Time-Life e, na época, defendia ardorosamente a colaboração com o capital americano (e a Embaixada americana).

Como se sabe, o Congresso brasileiro, até hoje, não regulamentou três artigos da Constituição de 1988 que tratam da Comunicação.

O 220 – sobre o direito de resposta; o 221, sobre a regionalização e a programação das redes; e este bendito 222.

O professsor emérito Fabio Comparato entrou no Supremo com uma Ação Direto de Inconstitucionalidade por Omissão, para que o Congresso, finalmente, se mexa e legisle (contra o PiG e a Globo).

O senador Oliveira e o deputado Gomes – talvez, quem sabe ?, eles conheçam, assim, de vista, o Senador Evandro – os dois querem legislar sobre um pedaço do 222.

É como se eles retalhassem o Comparato.

Ignorassem o “Compa”, ignorassem o “ra” e quisessem tratar do “to”.

Mas, no “to”, no artigo 222, só mexer para atormentar os portugueses da Ongoing e os espanhóis do Terra.

Os portugueses da Portugal Telecom controlam o IG e fatia suculenta do UOL.

Sobre isso, o deputado e o senador eleito – vai ver que, um dia, tomaram cafèzinho com o Senador Evandro – sobre isso, os dois se calam.

Gibbon já demonstrou que uma das características da fase de decadência dos Impérios é combater o inimigo errado.

A Globo combate a Ongoing e o Terra.

É que a Globo ainda não soube da existência de dois garotos das Arábias que inventaram um troço chamado Google.

Os filhos do Roberto Marinho – êles não têm nome próprio – provavelmente preferem navegar de barco e, não, na internet.

Por isso, ignoram que “televisão com internet tem vídeo melhor e facilita leitura de noticias”, diz a Folha (*) na reportagem de Fernanda Ezabella, na pág. B8.

“Controle remoto da Google TV é como um teclado gorducho, que exige malabarismo dos dedos das duas mãos.”

Trata-se de um “um novo nicho de aplicativos exclusivos para TV”.

“Além de aplicativos para compra de conteúdo na web para ver TV, aparelho traz canais próprios”.

A propósito, o Google é dono do YouTube.

Ou seja, os dois parlamentares que, provavelmente conhecem o Senador Evandro pelo menos de nome, esses dois parlamentares lembram aqueles “luzias” e “saquaremas” do Império brasileiro que criavam expedientes para adiar a libertação dos escravos.


Paulo Henrique Amorim


De São Borja


Beto Souza, o neguinho que era mecânico e que chegou a presidência do legislativo municipal está por encerrar seu mandato como presidente do legislativo. DEve ir pro seu lugar, o camundongo, também conhecido por Celso Lopes, do PDT.

Uma vez o repórter Silvio Lara entrevistava o Beto Souza, que gago, se atrapalhava todo...

Silvio queria saber do Beto assuntos da área cultural....E o nobre edital, se empacou todo:

- DACU....DACU.....DACU....balbuciava, sem sair disto.....

O QUE VI NO CHILE E ME SURPREENDEU: USOS E COSTUMES

Por Gelson Farias

O Chile, e por isso muita gente pergunta o porquê, a cidade tem um clima muito parecido com o Rio Grande do Sul. A temperatura média gira em torno dos 23, 24 graus com a umidade relativa sempre em alta, tornando baixo, o ar bastante úmido. Ao chegar a Santiago, cidade de um milhão de habitantes, fiquei surpreso com o número elevado de obesos, bem como idosos, sendo que estes últimos são aproveitados em vários trabalhos remunerados ou de voluntários.
É comum vê-los dirigindo suas cadeiras de rodas pelas ruas da cidade, sozinhos, resolvendo todos os seus problemas particulares e não gostam de serem ajudados. Carregam consigo alimentos para as refeições durante o dia, caso não voltem logo para suas casas.
A maioria das casas tem um equipamento coletor de água de chuva para ser reutilizada, principalmente para regar os jardins e hortas da casa. A água desprezada pelas máquinas de lavar roupa, também é reaproveitada, uma vez que os sabões fabricados aqui são biodegradáveis. Há uma lei que obriga todas as novas casas construídas ter o equipamento coletor de água de chuva. Como a cidade vive em racionamento d’água, há horários e dias específicos para regar os jardins, com exceção das residências que fazem o tal reaproveitamento e para isso têm uma placa indicando, “ aqui água reaproveitada, ou coisa parecida”..
Outro fato que me surpreendeu. A maioria dos parques tem equipamento para um suporte àqueles que queiram fazer pic-nic. Churrasqueira, mesas, bancos, bebedouros com água fluoretada e sanitários incrivelmente limpos, são encontrados para atender os freqüentadores dos parques, estes excedem em mais de 15 em toda a capital. É comum ver aos domingos, famílias e amigos comemorando aniversário de alguém nos parques, logo agora que estamos em plena primavera e esperando a chegada do verão.
Qualquer lugar, público ou privado, em que você for usar os sanitários, encontrará os vasos com dois estágios para dar descarga: um para líquidos, outro para sólido, deu para entender? Além de lavabos com água quente e fria para lavar as mãos. A qualidade de vida do morador de Adelaide é qualquer coisa de surpreendente. Aqui se trabalha para viver e não, viver para trabalhar. Um exemplo concreto dessa minha afirmação está na hora do comércio local.
De domingo a domingo, o comércio abre das 09hs00 às 17: horas, inclusive Shoppings, com exceção de alguns supermercados que funcionam até as 20, 21 horas. Nesse quesito há uma tradição por aqui. O comércio dos bairros, nas quintas-feiras abre até as 21 horas, o mesmo acontecendo com o comércio do centro da cidade às sextas-feiras. As calçadas, ou passeio público como queiram, são cuidadas pelo Governo municipal, cuja administração é dividida em quatro. A calçada danificada é imediatamente reparada sem ônus para os proprietários das residências.
Santiago também dispõe de várias bibliotecas espalhadas pela cidade. Fui conhecer uma delas. Computadores à disposição do leitor, jornais do dia, revistas semanais, além de livros, Cds, Dvds, tudo ao seu alcance para uma perfeita pesquisa. Caso o livro que você pediu não se encontrem no momento, eles têm o seu endereço eletrônico e comunicam a biblioteca mais perto de sua casa para entregar o dito livro. Os prazos para a devolução do material solicitado, variam, chegando a alguns casos até 25 dias e você não precisa se deslocar para devolver o livro naquela biblioteca que lhe cedeu o material. Inclusive foi nessa livraria que encontrei um DVD com um documentário realizado por uma repórter australiana no Brasil, sobre nossa culinária. Ela visitou Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belém, Salvador, Recife, Porto de Galinhas e Fazenda Nova onde entrevistaram o ator Luciano Zafir. A matéria foi do ano de 2005
Os chilenos, basicamente, valorizam a cortesia e o uso de certas frases, ainda que, como estrangeiro, você desfrutará de certo bonus por ser de fora ("gringo").
Toma certo tempo acostumar-se aos cumprimentos. Entre homens se dão as mãos, enquanto que os homens com as mulheres e as mulheres entre elas se dão um beijo do lado direito, inclusive entre desconhecidos, os que ademais podem agregar um aperto de mão. O mesmo vale para as despedidas. O que se deve dizer é "Buenos días" (até o meiodia), "Buenas tardes" (desde o meiodia até as 20h00) e "Buenas noches" (à partir das 20h00, mais ou menos); para despedir-se, diga "Hasta luego" (Até logo) ou "Adiós" (Adeus). Quando recuse uma oferta ou convite, sempre diga "No, gracias" (Não, obrigado); somente "Gracias" pode significar consentimento, como "Sí, gracias" (Sim, obrigado). Para os compromissos com hora marcada, existe um período de 15 minutos de "margem de estiramento".
Os ônibus de longa distância e os aviões são em geral pontuais. Pequenos detalhes, como o cabelo comprido, brincos nos homens, minissaias, pernas e axilas não depiladas nas mulheres, assim como não usar desodorante, são motivo de repulsão para os observadores chilenos. No trabalho, a roupa é formal e na maioria das oficinas, a gravata é obrigatória. Contudo, as pessoas farão rapidamente a transição entre o formal termo "USTED" para o mais familiar "TÚ" com colegas e conhecidos, exceto em situações muito formais; ademais, em geral aos jovens (até 35 anos) não se lhes trata de "USTED". Quando tenha dúvidas, é mais seguro usar o mais formal "USTED", sobre tudo com os mais velhos.
Os chilenos são muitos hospitaleiros com a maioria dos estrangeiros. A cultura chilena inicia-se na época pré-hispânica com a chegada dos primeiros seres humanos ao atual território chileno faz uns 13.000 anos. Sucessivas ondas de povos invasores (mapuches e posteriormente incas) foram conformando a cultura ancestral ou originaria que encontraram os primeiros conquistadores é espanhóis. Como vestígio de sua existência, têm ficado numerosos yacimientos arqueológicos que são parte do atual Património Cultural de Chile. Destes primeiros puladores descem grande parte os atuais habitantes de Chile.


Casa colonial no campo chileno


Posteriormente a chegada do conquistador espanhol significou, sem dúvida, o mais importante mudança cultural ocorrido em Chile. Introduz-se a escritura, passa de uma religião animista e politeísta a uma monoteísta e a mistura de crenças dá forma a uma mitologia chilena. Ademais teve uma mudança na estrutura econômica da época; produzem-se mudanças na tendência e exploração da terra, mudanças na base alimentícia, onde passa do maíz ao trigo e os legumes, se introduzem as aves de corral, o porco e o ganhado vacano. A introdução do cavalo e seu uso para toda atividade econômica, militar e recreacional foi a base do nascimento da cultura huasa ou cultura criolla chilena. A cultura chilena se viu enriquecida com a delimitação atual de suas fronteiras, ficando dentro do território nacional as expressões culturais huasa, aimará, chilote, mapuche, rapanui e patagônica. Atualmente a cultura chilena é um conjunto de tradições, valores e expressões humanas que dão uma identidade ao povo chileno. Isto o vê refletido em costumes próprias da chilenidd e em atividades tão disímiles como os dances típicos, o cinema, a conservação de monumentos arqueológicos, as festas populares, a literatura, etc. A valoração e preservação da cultura chilena fez que o 4 de junho de 2003 se aprovasse por unanimidade no Congresso Nacional a lei 19.891 que cria o Conselho Nacional da Cultura e as Artes.


Tradições religiosas
São festas ou celebrações que contribuem a manter e reproduzir as tradições locais unidas a uma crença religiosa, comumente associada à Católica Apostólica Romana.
Carnavais
Os carnavais são celebrações ou festividades locais que comemoram eventos de importância para a comunidade, não necessariamente de conotação religiosa. Em Chile encontram-se concentrados principalmente na I Região de Tarapacá II Região de Antofagasta e XV Região de Ari Ca Parinacota representando quase o 50% do total país. Em general realizam-se em fevereiro precedendo à celebração da Quaresma.



O povo Mapuche, com raízes no profundo Chile, onde seus aborígenes fazem muito, que ali têm a sua comunidade, estão a ser obrigados, a abandonar os seus costumes ancestrais, para forçosamente fazerem parte da sociedade industrializada do Chile, desenraizados de todos os seus rituais. Nenhum governo tem o direito de exercer pressão, sobre suas tribos, para que estas larguem todos os seus ritos, e se transformem em algo de patético enxovalhado os seus deuses. É das raízes dos povos aborígenes dos vários países, que uma nação se engrandece, preservando seus usos e dos seus descendentes.
A história escreve-se, desses povos, pois foi deles que nasceram as civilizações, e, é deles, povo Mapuche, que agora se alicerça a nação chilena. Que direito temos nós em interferir em algo tão antigo, e de raízes semeadas pelo povo Mapuche? O governo chileno tem de repensar o que significa a história e as memórias, de seus povos indígenas, na história ancestral do Chile, porque eles são o Chile. Temos de nos inteirar sobre o que se passa e não deixar que o governo chileno, subverta o seu procedimento, que vem de seus antepassados, e seu modo de viver – livres. Libertem o povo Mapuche e deixem-nos viver em paz com as suas raízes.


Lei de Pinochet que enquadra povo Mapuche como terrorista em potencial ainda não foi revogada. E aí? Será que a mídia corporativa - que hipocritamente levanta a bandeira dos Direitos Humanos quando lhe convém - vai divulgar isso?


A valorização da libertação dos chamados "prisioneiros políticos" de Cuba pelo governo chileno e inclusive por algumas pessoas da oposição e o não pronunciamento sobre os mapuches presos e processados pela lei antiterrorista é uma posição paradoxal, disse o advogado José Aylwin, do Observatório Cidadão, que os considera "presos políticos".

Hoje, o observatório e a organização Acción pediram ao governo de Sebastián Piñera e também à oposição que tenham o mesmo critério de tratamento entre os presos cubanos e os indígenas mapuches. Atualmente 19 deles estão em greve de fome, de um total de 58 presos já condenados ou aguardando julgamento. As organizações pedem o fim da aplicação da lei antiterrorista imposta pela ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990), que é mantida e aplicada ainda hoje contra grupos indígenas, porque "não cumpre com as condições de um devido processo". Os 19 mapuches que entraram em greve de fome em 12 de julho também exigem o fim da aplicação da medida, além da desmilitarização das comunidades indígenas e do desenvolvimento de um "devido processo" para seus casos.

" Podemos falar em prisão política, porque o Estado utiliza politicamente a lei antiterrorista para processar os mapuches. Há claramente uma analogia com os presos cubanos", disse Aylwin, em declarações à ANSA. Ele ainda acrescentou que os chilenos não sabem da existência de "58 pessoas processadas ou condenadas por esta legislação, além de meia centena de processados por crimes ordinários no marco de conflitos por terras". Aylwin sustentou que a lei antiterrorista foi aplicada de forma inadequada contra quem é acusado de cometer crimes "nos marcos de um protesto social por reivindicação por terras ou pelo exercício de direitos políticos".

Ele explicou que "existe uma legislação penal ordinária que permite julgar e eventualmente condenar estes delitos, mas a opção do Estado é aplicar a lei antiterrorista que data do regime militar, que tem sérias limitações para um devido processo e agrava as penas substancialmente. É uma opção política". O senador Alejandro Navarro, do Movimento Amplo Social, visitou na segunda-feira cinco dos detidos em greve de fome na prisão El Manzano, na cidade de Concepción, a 513 quilômetros ao sul de Santiago. O parlamentar pediu a instalação de uma mesa de diálogo com os indígenas para analisar suas reivindicações.

" Esta greve de fome é séria. Peço que o governo atue agora e não se equivoque, porque depois pode ser muito tarde, já que estes processos se alongam e se tornam pouco contornáveis", advertiu Navarro. Nesta segunda-feira (dia22 de novembro) os senadores de oposição Patrícios Walker reuniram-se na Chancelaria do Chile para acertar as condições de recepção do cubano José Izquierdo, que esteve preso por sete anos e faz parte da lista dos dissidentes soltos, divulgada pela Igreja Católica há alguns dias. A ida de Izquierdo ao Chile foi solicitada pelo próprio dissidente e constitui-se o primeiro pedido de viagem a este país.
Nação que não respeita seus costumes ancestrais, suas tribos, é uma nação sem futuro, e torna-se algo de sintético e absurdo. Ao povo Mapuche estão a serem retiradas suas «terras», sem livre arbítrio e usando do poder do governo, para que estes façam parte da sociedade comercial e industrial, do país chileno. Eles já são o Chile, o Chile ancestral, e deve-se deixá-los viver com os seus usos e ritos. Ele tem a sabedoria de sua nação, são chilenos, como os outros, mas vivem à parte, na terra dos seus antepassados. Têm esse direito, como povo sábio, que fez a história do Chile. Lutemos contra a colonização do povo Mapuche e que este viva livre.

Parabéns!

Começaram as gozações. Deixa eles!

Prezado Olides!

Aqui de Liverpol te parabenizo.
Li no Cláudio Humberto sobre o teu livro.
Um abraço aos gringos de Serafina, que sempre souberam cantar minhas
canções.
Meu sonho é conhecer Linnha Onze e provar uns vinhos.


Abraço,


Paul Mccartney


Claudio Humberto

Prezado Gringo!

Se até ontem não era fácil te aguentar, é de imaginarmos o que virá de
agora em diante, ao seres motivo de nota da coluna do Cláudio Humberto.
Linha Onze, a Vila Restinga de Serafina Corrêa, nunca mais será a mesma.

A ciumeira em Guaporé deverá ser grande.

E com o sucesso te inundando o ego, não vai demorar a querer ser Patrono
da próxima Feira do Livro. E nós faremos o que tu fizestes com o Paixão
Cortês.

Abraço,

adriano mazzarino


Estrela


Neste sábado, o 2ª Encontro dos Ex-Atletas e Ex-Dirigentes do Estrela FC.
Vai ser com as esposas, começa na parte da tarde, no Estádio Municipal.
Será realizada uma partida de futebol entre os ex-atletas. Depois, a
partir das 19h, no CTG Raça Gaudéria, inauguração do Mural de Fotos,
aperitivo, bate-papo e jantar. Deve no mínimo dobrar o número de
participantes do primeiro encontro, realizado ano passado na Boate da
Sociedade Rio Branco. Parabéns aos organizadores. Não vou citar nomes
para não omitir ninguém, todos merecem os cumprimentos.


(Folha de Estrela - Coluna do Luca Freitag)


Recebo de Maputo( Mozambico)

 

alo gringo

Margarida Cardoso é uma diretora de cinema portuguesa, minha amiga. está fazendo um documentario de 90 min sobre o meu trabalho, vida, amigas etc... esteve um mês filmando, quando estava filmando o meu ultimo filme A Noiva das Putas. No começo do proximo ano estarei na Franca, possivelmente, trabalhando na montagem desse filme. Ainda nao conheço o meu programa, mas te aguardo com muito amor e emoçao.
hasta la vuelta.
Licinio


Recebo e publico

Os leitores se manifestam

Antecedentes do Ressaca?

Olides,

Tendo saído de Porto Alegre meia dúzia de anos antes, não cheguei a conhecer o Ressaca, mas perambulei muito por aquelas imediações de Luiz Afonso & João Pessoa entre 53 e 65, em função do que vou te dar alguns antecedentes. Presumo que a esquina correspondente ao Ressaca seja aquela voltada para o início da João Pessoa.
Pois bem, em meados dos anos 50 havia nessa esquina um restaurante chamado Ao Antigo Continente do Petry. Esta denominação, por sua vez, fora proveniente de um cinema ali existente na primeira metade da década, ocupando até mais ou menos onde hoje situa-se o Posto de Combustíveis. A cobertura desse cinema, com o nome de Continente, era feita de lona, tendo no interior umas cadeirinhas de abrir também muito espartanas. Por volta de 1954 o cinema terminou num grande incêndio e foi só depois disso que surgiu o restaurante, meio que no “rescaldo”. Um ótimo filme que lembro de ter ali assistido foi o antológico “Matar ou Morrer”, com Gary Cooper e Grace Kelly, esta então em início de carreira.
Fico a conjecturar se o “bar que não tinha dado certo”, cujas instalações foram aproveitadas pelo Ressaca, teria sido o próprio Petry como resumidamente era conhecido o restaurante, ou algum bar existente em período intermediário.
Já que estás investindo na recuperação da historia de bares porto-alegrenses, te sugiro tentar rastrear de forma bem fundamentada as origens dessa instituição gastronômica aí de POA chamada sanduíche aberto. Dou-te duas “dicas”: (i) nos anos cinquenta dizia-se que o “inventor” da iguaria tinha sido o bar Luiz Alberto, que ficava na Cristóvão, esquina com Ramiro, próximo ao então cinema Ipiranga. (ii) creio, entretanto, que a “maioridade” ao sanduíche foi concedida pelo bar Urso Branco, que ficava na Pinto Bandeira logo acima da Alberto Bins. O Urso Branco era de propriedade do Seu Paulo, que atendia no local junto com a esposa, simpaticíssimo casal que depois abriu o Prinz na Protásio.
Grande abraço,
Saul

A HORA DO MURRO NA MESA

Por Carlos Chagas

Ou Dilma Rousseff dá um murro na mesa, já, ou assumirá o governo pela metade, ou menos, no primeiro dia de janeiro. Tornaram-se atrevidos os urubus que até agora voavam sobre a Granja do Torto: dos vôos rasantes passaram a descer nos jardins, a quebrar vidraças com seus bicos afiados e a ocupar os cantos obscuros das salas de reunião.
Perderam a compostura os partidos da base oficial e até as legendas que ficaram de fora da candidatura vitoriosa. Da imposição de manterem os ministérios de que dispõem no governo Lula, passaram a exigir novas pastas, formalizando a criação de blocos parlamentares destinados a chantagear a presidente eleita.
A pretexto de disputar a presidência da Câmara, PMDB, PR, PSC e até o PP, que não apoiou Dilma, e o PTB, que apoiou Serra, movimentam-se para lotear ministérios e impor ministros. Do outro lado, PT, PDT e PC do B não querem outra coisa, enquanto o PSB imagina-se em condições de agir sozinho, mas com as mesmas intenções.
Quando das eleições em outubro, não houve um só eleitor que tivesse votado para presidente da República levando os partidos em consideração. Tratados como apêndices desimportantes, meros penduricalhos incômodos, os líderes políticos em nada influíram no resultado. Agora, ameaçam com a sombra de impasses legislativos e rejeições de projetos de interesse do palácio do Planalto caso não se vejam contemplados na repartição do pão a que não tem direito.
A hora é de a nova presidente botar as quadrilhas para correr, pela força de seus mais de 50 milhões de votos, compondo o ministério que mais se adaptar a seus planos e projetos, mesmo aproveitando figuras partidárias de capacidade reconhecida. Fora daí, será um péssimo começo.

OS MINISTROS DELES E OS MINISTROS DELA

Enquanto se arrasta a novela da formação da nova equipe de governo, emerge esse critério que seria cômico se não fosse trágico, apesar de não constituir novidade: existem ministérios que são da presidente da República e ministérios que são dos partidos que a apóiam ou chantageiam, Admite-se que no parlamentarismo seja assim, mas no presidencialismo a prática configura uma aberração. Para não falar em sinal de fraqueza do Poder Executivo.
Como a moda é essa desde a posse do presidente Lula, não há como Dilma Rousseff livrar-se sem dar o acima referido murro na mesa e deixar claro que quem manda é ela. Por enquanto, inexistem sinais dessa manifestação de vontade e de poder, apesar de condições não lhe faltarem. O que o país assiste é a impertinência dos partidos, reivindicando pastas pelo número e não pela qualidade dos eventuais indicados. O PMDB tem seis ministérios na atual administração e exige no mínimo permanecer como está. O PT tem dezenove e mantém a goela aberta. O PSB cresceu nas eleições e quer mais, além dos dois que possui. O PDT, com um, está atrás de dois. E assim por diante.
O instrumento de pressão dos partidos vem da maioria de que o governo precisa dispor no Congresso, quer dizer, com todo o respeito, assistimos um ato explícito de vigarice: sem ministérios não haverá apoio parlamentar para os projetos de necessidade do novo governo.
Por conta dessa situação, vale repetir, que não é nova, divide-se o ministério em duas categorias: dos ministros indicados pelos partidos e dos ministros da quota pessoal da presidência da República, como se não fossem todos da livre escolha de seu titular. Um abominável loteamento do poder público.
Passando da teoria à prática, o que se ouve em Brasília é que estariam excluídos da cobiça das legendas governistas a chefia da Casa Civil, a Secretaria Geral da presidência da República, o Gabinete de Segurança Institucional e os ministérios da Fazenda, Defesa, Relações Exteriores, Educação e Saúde, além do Banco Central.
Existem, assim, os ministérios deles e os ministérios dela, em menor número, ainda que a presidente possa selecionar entre as indicações partidárias os nomes de sua preferência.

ABUSO DE PODER

Impossível fugir da evidência de que o Congresso é o retrato da sociedade. Nem melhor nem pior do que ela. Justifica-se, assim, a presença de alguns luminares, tanto quanto de certos lambões, nos extremos. Da mesma forma, surge clara no meio da massa majoritária a explicação de porque o Tiririca foi o deputado mais votado do país: porque o eleitorado, quer dizer, a sociedade, quis assim.
Ontem, tanto na Câmara quanto no Senado, crescia a indignação por conta da perseguição movida contra o singelo vitorioso por parte do Ministério Público e até do Poder Judiciário. Não tinham nada que submeter o Tiririca a um exame de alfabetização, que por sinal ele cumpriu, mas, pior ainda, à segunda época, exigindo que faça uma redação, como exigência para ser diplomado. Não deveria, o novo deputado, submeter-se a essa nova humilhação, exigida pelo promotor Maurício Ribeiro Lopes. A situação lembra os tempos em que, nos Estados Unidos, para evitar os votos da raça negra, exigiam de seus integrantes que resolvessem problemas de álgebra, condição para receberem o título de eleitor...

O CAMINHO NATURAL

Os elogios da semana vão para o presidente do Superior Tribunal Militar, Carlos Alberto Soares, por haver promovido a liberação para o público dos autos do processo que levou Dilma Rousseff e mais 70 pessoas à prisão, nos idos de 1969. Mesmo discutindo-se a argumentação anterior do ministro, de não liberar o material durante a campanha eleitoral, pelo perigo de sua utilização política, prevaleceu na última terça-feira o dispositivo constitucional da liberdade de acesso à documentação processual. Por dez votos a um, o plenário da mais antiga corte nacional de justiça seguiu a orientação de seu presidente. Saber que acusações a ditadura impôs à presidente eleita é direito de todos.

O Dunga nunca perdeu para eles

Por Luiz Oscar Matzenbacher

Já apareceram jornalistas afirmando que o Capitão Dunga, enquanto técnico, nunca perdeu para os amigos e rivais argentinos. Mas, os colorados já estão, pelo menos em pensamento, lá em ABU DHABI, para o Mundial de Clubes da FIFA. Quem sabe o site da FIFA que declarou o clube gaúcho bicampeão do Mundo 2010, tenha o dom de premonição? E, se os deuses do futebol nos concederem a graça e a glória do Sport Club Internacional voltar bicampeão e recoloquem o futebol brasileiro no topo do mundo?
Mas de qualquer maneira são dois os Internacionais que estarão em Abu Dhabi. Um dos dois poderá ser o campeão.
Creio que o Brasil inteiro vai torcer pelo Internacioal. Seja o de Porto Alegre ou o de Milão, se ambos passarem pelas semifinais. Pois o Pachuca, o Mazembe, o campeão coreano e o clube de Papuá Guiné, pelos compactos dos jogos que tenho visto, andam nas pontas das chuteiras e jogando o fino da bola. Não existe mais "japonês"no futebol mundial.
Por favor, desobriguem o Internacional de escalar os titulares nesses três jogos restantes do Brasileirão. É melhor para o espetáculo. Imaginem se um jogador do Botafogo, do Baruerí ou do Vitória, lesione involuntariamente a perna de um jogador que iria disputar o Mundial de Clubes da Fifa dentro de 25 dias. O uso de reservas pelo Internacional, que não tem mais o que fazer no Brasileirão, pois já está classificado automaticamente para a Libertadores/2011 e não poderá mais ser campeão ou rebaixado, é melhor para os adversários e até para quem depende de uma eventual vitória colorada nesses três jogos.
MESSI
Ainda bem que o Douglas que entregou a bola para o Messi não é do Inter! No GRENAL de Doha, ganhou o "Cabeçon" D'Alessando. No jogo ganhou a seleção que manteve seus craques em campo até o fim. No Brasil ainda não temos alguém próximo da genialidade do Messi. Temos, mas é argentino e joga no Inter, o D'Alessandro, ou no Fluminense, o Conca.
Aquele meia ofensivo, ou meia atacante, ou "enganche" como os chamam os argentinos, tipo Zico, Falcão, Carpeggianni, Rivelino, ainda não surgiu na atual geração. Talvez o Giuliano, do Inter seja o cara. Na falta deles, o Ronaldinhio Gaúcho tem que ficar até o fim do jogo.

 

Grupo Santander sinaliza com ampliação de investimentos no RS



Antes de deixarem Madri para a segunda etapa da viagem internacional, Tarso Genro e sua comitiva participaram de uma reunião com o presidente do Banco Santander, Emilio Botín. Acompanhado também do embaixador do Brasil na Espanha, Paulo Campos, o governador eleito recebeu a confirmação de que o banco tem perspectiva de aumentar sua presença na América do Sul, em especial no Rio Grande do Sul.

Botín destacou as qualidades e a estimativa de crescimento econômico do Estado nos próximos anos, além da amizade com Tarso.

"Quando era prefeito de Porto Alegre, trabalhamos juntos na transformação do Santander Cultural que passou a ser referência no centro da capital gaúcha", ressaltou o governador.

Tarso Genro e a comitiva que o acompanha deixaram a Espanha na tarde desta quarta rumo a Portugal. O governador eleito fez um balanço positivo dos quatro dias em Madri e antecipou o que os aguarda em Lisboa: "O foco estará na área acadêmica, políticas públicas e no interesse especial dos portugueses no turismo no Brasil".

Já na capital portuguesa, depois de um atraso no voo, Tarso teve um encontro com o deputado estadual Pedro Westphalen, do PP. A reunião foi cordial, centrada em temas de interesse público. Um dos assuntos discutidos foi a questão da saúde pública, já que o parlamentar tem atuação no setor. Tarso e Westphalen ressaltaram a importância de haver um novo compromisso político no Rio Grande do Sul, que possibilite o encaminhamento de projetos estratégicos para o Estado. A conversa não tratou de composição de governo.

Nesta quinta, a agenda começa às 9h (6h no horário de Brasília) com um encontro com o embaixador brasileiro em Portugal, Mário Vilalva. Às 10h (7h em Brasília), a missão gaúcha se reunirá com empresários e investidores portugueses, e às 15h (meio-dia em Brasília) será recebida por representantes do Conselho Econômico e Social de Portugal.

Mais informações em www.blogdotarso.com.br e www.rs13.com.br
twitter.com/tarso13
(051) 3323 8900


De Canoas para o Mundo

Sei que nos teus tempos de jovem repórter fizeste varias reportagens com o MST. Este movimento sempre foi bem tratado pelos repórteres e castigado pelos editores e colunistas. Vais gostar da notinha postada pelo Altamiro Borges.
Escola do MST recebe melhor nota do Enem
Nos últimos dias, a mídia demotucana tem feito um grande alarde contra o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Devido a falhas lamentáveis em algumas provas, ela decidiu transformar o assunto na sua primeira bandeira de oposição ao futuro governo Dilma Rousseff. De quebra, ainda presta um serviço à poderosa indústria do vestibular e às faculdades privadas. O Grupo Folha, dono da gráfica que imprimiu as provas irregulares, é um dos que mais fustiga o Enem.
Com sua cobertura enviesada e manipuladora, a mídia omite fatos curiosos do Enem. Um deles, que ela nunca divulgaria, é que a Escola Semente da Conquista, localizada no assentamento 25 de Maio, em Santa Catarina, foi o destaque do Exame Nacional em 2009, conforme noticiado na página oficial do Enem. Ela ocupou a primeira posição no município, com nota de 505,69.
Mas não li isto em nenhum grande jornal e em nenhum colunista.

Remindo Sauim

O colega A. Goulart fez este artigo sobre a feira do livro de Porto Alegre


Feira das Vaidades


Com o encerramento da 56 feira do livro de Porto Alegre fecou-se também o principal palco da feira de vaidades literárias que toma conta de nossa cidade todos os anos.

Duvido que haja outro espaço de maior número de vaidosos por metro quadrado do que o pavilhão de autógrafos erguido na Praça da Alfândega.

Foram mais de 600 sessões durante os 15 dias de feira. Mas quantos desses mereceriam ser realmente selecionados?

O que levou tanta gente a reivindicar um lugarzinho naquela vitrine? O desejo de aparecer, de ouvir seu nome anunciado pelos alto-falantes, a vontede de dizer " olha, eu também sei escrever, eu também sou escritor!" Enfim, pura vaidade.

Mesmo que junto à mesa de muitos autores aparecessem uns poucos " gatos pingados", dois ou três amigos ou parentes.

Sou de opinião que os organizadores da feira do livro deveriam repensar este quesito.
Valeria a pena banalizar as sessões de autógrafos? Não seria melhor valorizar a qualidade em vez da quantidade?

Há algumas figurinhas carimbadas, que todos nós conhecemos, que aproveitam esta época par alançar seus livros.

Muitos sem qualquer aifnidade com o ofício literário, mas ´lá aparecem só porque dispõem de um mínimo de notoriedade em outras áreas.

Tudo por um único motivo: vaidade.

Todo escritor, ou aspirante a, é uma vaidoso por excelência.

Não quer dizer que todo vaidoso seja escritor, mas todo escritor é vaidoso.

Para não ficar só na generalidade, não posso deixar de citar alguns nomes . Embora reconheça no professor e escritor Luís Augusto Fischer um intelectual talentoso e atuante, surpreendi-me ao ver que seu nome figurou no Guia da Feira em nada menos do que oito eventos, seja autografando livros, fazendo palestras, ou coordenado debates.

A seu lado, com o mesmo número, está também MarÕ barbieri.

O terceiro mais votado foi Alcy Cheuiche, com seis aparições.

Todos superaram o próprio patrono da feira Paixão Cortes e o nosso imortal Moacyr Scliar, ambos citados quatro vezes.
Até que ponto a vaidade teve influ~encia nesses números?
Não desanimem.Tudo deve se repetir no ano que vem.


Bom, depois do artigo do nobre colega eu devo e quero fazer uns adendos ao que disse aqui o Goulart

1) Há muito que notei que a nossa feira do livro, como dizem, é a feira, não da vaidade, mas da MIDIA...a mídia manda na feira do do livro no sentido de que a CRL faz o que mais agrada a MIDIA...

2) O patrono deste ano, sinceramente, foi uma PIADA DE MAU GOSTO...Mas dá mídia, né....

3) O colega Goulart, que é um ótimo pesquisador, sabe que nem sempre seriedade é sinônimo de sucesso. Vai mais pela badalação. Vide Peninhas e Cia...!!!!!

4) Por fim, conheço ótimos trabalhos literários que durante a feira, não tiveram uma linha sequer, um segundo numa rádio....

5) Há muito que encaro a feira como um mero empreendimento comercial. Assim, neste sentido, não a levo a sério....No comérico, ganha quem tem mais grana...

56ª Feira do Livro de Porto Alegre supera expectativas


Visitação de 1,7 milhão de pessoas e crescimento de vendas de 16% em relação ao ano passado são os destaques de 2010


A maior feira de livros a céu aberto das Américas registrou aumento de número de visitantes e de vendas em 2010. De 29 de outubro a 15 de novembro foram comercializados 411.519 livros, o que representa uma expansão de 16% em relação ao ano anterior. Os dados foram divulgados durante coletiva de imprensa, nesta quarta-feira 17/11, no auditório do Memorial do Rio Grande do Sul. Quando analisados por área, os números revelam peculiaridades, como o crescimento da Área Internacional em relação ao ano anterior com aumento de 50% nas vendas, isto é, 21.698 livros. Na Área Geral, o percentual de crescimento foi de 19%, com 300.762 livros; e na Área Infantil e Juvenil, o aumento foi de 2%, com 89.059 obras comercializadas.

A 56ª Feira do Livro de Porto Alegre também foi sucesso de público, com mais de 1,7 milhão de pessoas durante os 18 dias do evento. “A Feira é o momento culminante de uma série de programas de fomento à leitura realizada ao longo do ano pela Câmara Rio-Grandense do Livro. Os resultados desta edição refletem, afinal, que todos os esforços para promover a leitura valem à pena”, sintetiza João Carneiro, presidente da CRL. Entre as iniciativas mencionadas, destacam-se o Programa Adote um Escritor, o Fome de Ler e o Lendo para Valer, organizados em parceria com a Secretaria Municipal da Educação, Ulbra e Secretaria Estadual de Educação, que preparam os alunos e as escolas para o encontro com escritores e ilustradores nas escolas e durante a Feira do Livro.

A harmonia entre a Câmara Rio-Grandense do Livro e a Prefeitura Municipal de Porto Alegre colaborou para que o andamento da Feira do Livro não fosse afetado pelas obras do Projeto Monumenta. Verificou-se que não houve interferência no fluxo de visitação. O Centro Histórico de Porto Alegre foi tomado pela Feira exatamente como em todas as outras 55 edições. O trabalho conjunto garantiu que um dos principais eventos culturais da cidade fosse mantido em seu espaço original e tradicional. Também a Feira foi realizada de modoa não prejudicar o andamento das obras do Monumenta com a criação da passarela que ligou a Rua dos Andradas à Rua Sete de Setembro. “Por fim, revelou-se também um espaço cultural. A passarela conseguiu unir arte e leitura com obra. Por que não uma obra literária?”, indagou o presidente da CRL ainda no dia 29 de outubro, na cerimônia de abertura da Feira.

Com o patrocínio da Brascril, o artista plástico André Venzon, aplicou frases em tapumes de obra que foram preenchendo o espaço ao longo dos dias. Por meio de uma promoção-relâmpago, internautas sugeriram nomes à passarela que acabou sendo batizada de Caminho das Letras. A vencedora foi Gisselle Simões, de Porto Alegre. Outra boa notícia que envolve a CRL e a Prefeitura é que, durante a 56ª Feira do Livro, em audiência com o Prefeito da Capital, foi instituído oficialmente o Grupo de Trabalho para dar encaminhamentos ao Plano Municipal do Livro e Leitura.

Outros olhares sobre a Feira – A dimensão da Feira do Livro de Porto Alegre também pode ser medida com outros olhares importantes, sobretudo quando se trata de programação totalmente gratuita. Em 2010, nos eventos destinados ao público adulto foram 293 ações realizadas com total de 20.135 participantes. Em palestras, foram 176 encontros com total de público de 11.147. Foram 71 apresentações artísticas, com público de 6.239 visitantes e 16 sessões de cinema com 1.600 espectadores. Nas 30 oficinas oferecidas, em67 módulos, foram1.149 participantes. Vale destacar que a programação foi possível pela presença dos 652 convidados palestrantes, mediadores e artistas, sendo 583 gaúchos, 56 de outros estados do país e 13 internacionais.

Na área de programação Infantil e Juvenil, concentrada no Cais do Porto, os números merecem apontamentos relevantes. Na programação sem agendamentos, o Teatro Sancho Pança recebeu 31 eventos com total de público de 13.020 pessoas. Foram três concertos musicais emocionantes: Orquestra Jovem do Sesi, OSPA e Concertos Comunitários Zaffari. No espaço Arena das Histórias, foram 30 contações diferentes para 4.590 crianças e adultos, que se divertiram e aprenderam mais sobre leitura e literatura. Foram ainda 57 eventos dentro do Ciclo A Arte Levada a Sério com 7.866 participantes. Nas oficinas dos espaços Ateliê de Imagem e Ducha das Letras, 115 inscritos participaram. As 25 sessões de autógrafos promovidas por escolas entre outras atividades no Largo da Escrita reuniram 6.900 pessoas. Corais, bandas, danças e outras manifestações de arte somaram 15 eventos no Deck dos Autógrafos. Além disso, a 6ª edição da Traçando Histórias – Mostra de Ilustração de Literatura Infantil e Juvenil recebeu mais de 4.000 visitantes que assinaram o livro, sem contar a visitação das escolas.

Também a área Infantil e Juvenil teve expressivos resultados para atividades com agendamento escolar. No Ciclo Autor no Palco – Encontros com escritores e ilustradores para alunos do Ensino Fundamental, no teatro Sancho Pança, foram 30 eventos com público de 13.824 pessoas. Na Arena das Histórias, foram 31 encontros e 6.364 pessoas. Já a Casa do Pensamento, com capacidade para 200 pessoas, recebeu 19 encontros e 3.296 visitantes. Os encontros para alunos da Educação de Jovens e Adultos e do Ensino Médio noturno totalizaram 12 eventos e 3.338 estudantes. No QG dos Pitocos para crianças em idade pré-escolar foram 20 encontros com autores e teatro de bonecos e um público de 1.707 crianças.

Na programação para educadores e para alunos na programação prévia e paralela à Feira, o total de eventos realizados foi de 236 com público de 87.616. Vale um registro para o sucesso do 11º Encontro de Organizadores de Feiras do Livro. Foram 75 participantes, inclusive representantes de cidades como Criciúma (SC) e Feira de Santana (BA).

Na Praça de Autógrafos, este ano ocorreram 672sessões. As mais concorridas e que formaram imensas filas de espera foram as dos autores Benjamin Moser, Thalita Rebouças, Luís Fernando Veríssimo, Santiago, José Antônio Pinheiro Machado (Anonymous Gourmet), Tarso Genro, Martha Medeiros, Ziraldo e Júlia Lemmertz com Cleodon Coelho. No Memorial do Rio Grande do Sul ocorreram 60 sessões de autógrafos e no Deck do Cais do Porto foram 56 sessões. O total ficou em 788 sessões.

Homenagens – Importantes homenagens também fizeram parte da programação da Feira do Livro de Porto Alegre, a começar pelo patrono da 56ª edição. O folclorista Paixão Côrtes, de 83 anos, participou intensamente do evento, em palestras, reconhecimentos, sessões de documentários e autógrafos, revelando as raízes do povo gaúcho. Mais que isso, Paixão também levou à Praça elementos originais da cultura do Estado e pessoas que nunca tinham ido à Feira ou saído de suas cidades. “Não é exagero afirmar que o Paixão ajudou a Câmara a colocar os livros no caminho de muitas pessoas que não se sentiam estimuladas para a leitura”, reconhece Carneiro.

Outro evento exemplar no estímulo à leitura, a Jornada Nacional de Literatura de Passo Fundo, recebeu a Ordem dos Jacarandás, no dia 11 de novembro, no Memorial do Rio Grande do Sul. A comenda marcou o início das homenagens aos 30 anos do evento e suas 13 edições. “A Jornada merece permanente reconhecimento por ser exemplo e fonte de inspiração para quem trabalha de forma efetiva pela construção de uma sociedade leitora no País. Sabemos das dificuldades em realizar eventos na área literária, por isso, nosso reconhecimento a este movimento”, acentua João Carneiro, presidente da CRL.

Uma terceirahomenagem desta edição foi protagonizada pela simpatia de Amélia Marques. Esposa do jornalista Say Marques que há 56 anos idealizou o evento, ela recebeu uma placa condecorativa, no domingo, dia 14 de novembro, em cerimônia no Deck dos Autógrafos, no Cais do Porto. A visão de futuro e a persistência de Say Marques em seu projeto de levar os livros a um espaço público foram destacadas tanto pela CRL, quanto pelo patrono Paixão Côrtes. Aos 94 anos, Amélia Marques falou sobre o amor de seu marido pelos livros e da ideia de criar uma feira a céu aberto, uma inspiração que trouxe do Rio de Janeiro. “Say estaria muito feliz ao ver que a feira, que nasceu com cinco estandes, hoje já tem bem mais de 100. Ele dizia que a mocidade precisava dos livros”, disse Amélia, emocionada.

Pesquisa – A Câmara Rio-Grandense do Livro fechou parceria com a Equilíbrio Assessoria Econômica Solidária, empresa júnior do curso de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Ao longo dos 18 dias de evento foi realizada pesquisa para avaliar os impactos econômicos e o perfil dos visitantes do evento. Os resultados serão divulgados nos próximos dias. Porém, já é possível adiantar parte da coleta de dados. Trata-se do levantamento dos livros mais comprados. De maneira aleatória, foram abordados 600 visitantes. Em uma das perguntas, o entrevistado deveria listar até 10 livros que havia comprado durante a 56ª edição da Feira. As amostras que mais se repetiram estão situadas nesta lista.

Confira os livros mais citados como objeto de compra:

1) 1808, Laurentino Gomes
2) Fora de Mim, Martha Medeiros
3) 1822, Laurentino Gomes
4) A Cabana, William P. Young
5) Comer Rezar Amar, Elizabeth Gilbert
6) Percy Jackson e o Ladrão De Raios, Rick Riordan
7) A Batalha do Apocalipse, Eduardo Spohr
8) Caso Kliemann - A História de Uma Tragédia, Celito De Grandi
9) Direito, Constituição e Transição Democrática no Brasil, Tarso Genro
10) Havana, Airton Ortiz
11) Para Ser Escritor, Charles Kiefer
12) Amanhecer, Stephenie Meyer
13) Ela Disse Ele Disse, Thalita Rebouças
14) Historia em Quadrões, Maurício De Souza
15) Meu Nome é Jorge, Jorge Luis Martins
16) O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec
17) Caim, José Saramago
18) Clarice, Benjamin Moser
19) Eu vos abraço milhões, Moacyr Scliar
20) Crepúsculo, Stephenie Meyer
21) Eis o Homem, Paulo Sant’Anna
22) Bella Toscana - A Doce Vida na Itália, Frances Mayes
23) Capitão Cueca, Dav Pilkey
24) Comprometida, Elizabeth Gilbert
25) Contos Gauchescos, Simões Lopes Neto
26) Cristianismo e Espiritismo, Leon Denis
27) Diário de Um Banana - Faca Você Mesmo, Jeff Kinney
28) Dossiê Beatles, Daniel Rodrigues Aurélio
29) Dossiê Nietzsche, Daniel Rodrigues Aurélio
30) Getúlio, Juremir Machado Da Silva
31) Jô na Estrada, David Coimbra
32) Lolo Barnabé, Eva Furnari
33) Nosso Lar, Chico Xavier
34) Querido John, Nicholas Sparks
35) Vale Tudo - O Som e a Fúria de Tim Maia, Nelson Motta



Assessoria de Imprensa Feira do Livro de Porto Alegre

imprensa@feiradolivro-poa.com.br / Geral: (51) 3311-8850
Sheila Meyer: (51) 9977-9966 e Tatiana Csordas (51) 8111-8734

Formação do novo governo(estadual)


Já há queixas contra o secretário EStilac Xavier!!!!


E X C L U S I V O !!!!!!!!


Memória da Imprensa

Tempos da Ditadura


O dossiê mandado a imprensa mostra

Dom Ivo namorando num cinema carioca!


carta explicando origem das fotos acompanhava o dossiê contra Dom Ivo.
Clique na imagem para ampliar

Fotos no cine Azteca, no Rio de Janeiro, mostram o arcebispo Dom Ivo Lorscheiter em grande amassos com sua " gata"!

A imprensa do Brasil, principalmente do Rio de Janeiro e São Paulo recebeu em 1979, uma carta, não assinada, com várias fotos do arcebispo Dom Ivo Lorscheiter aos amassos com uma namorada dentro do cinema Azteca, no Rio de Janeiro. Ninguém deu a matéria.

A Revista MANCHETE também recebeu este material que foi endereçado a Diretor da Revista Manchete, Rua do Russel, 804, Glória, Rio de Janeiro, RJ.
A carta contendo as fotos foi posta em 3 de maio de 1979 no bairro Copacabana,como o comprova o envelope e seu respectivo carimbo.

Na parte do remetente diz apenas COMPANHIA DE JESUS, rUA DA bAMBINA, 115/Botafogo/

RJ.

O teor da carta, anônima, que acompanhava as fotos de Dom Ivo é o seguinte:

COM CRISTO, em defesa de sua Igreja

Em dezembro de 1974, envaimos, aos prelados brasileiros, dados que denunciavam conduta indecorosa do sr. Arcebispo Dom Ivo Lorscheiter. Assim procedemos na suposição de que a própria Igreja se encarregaria de defender-se contra o Pastor indigno.


Agimos como Cristãos, em defesa de nossa Igreja.

A maioria dos destinatários omitiu-se. Os que se manifestaram, fizeram-no em defesa de Dom Ivo,caluniando-nos e afrmaram,sem provas, que haváimos forjado uma "fotomontagem".


Calamo-nos,na esperança de que , mais tarde, os senhores Bispos saberiam encontrar o melhor caminho para a nossa Igreja.


Dom Ivo Lorscheiter acaba de ser eleito Presidente da CNBB para o período de 1979/83.


Como Cristãos, voltamos à tentativa de defender a nossa Igreja, já agora, evidentemente,fora dos limites da própria Igreja. Desta feita, encaminhamos nossa denúncia aos homens de bem, interessados como nós, na preservação dos mais caros princípios do Cristianismo.

Em anexo, remetemos fotografias de Dom Ivo Lorscheiter, tiradas no Cine Azteca, Rio de Janeiro, nos dias 17 e 22 de janeiro de 1974, quando, acompanhado, assistiu em sessão noturna, os filmes: " Eram os deuses astronautas" e " Encontro com a Felicidade", num dia, e " Esses médicos irreverentes" e " Pistoleiros sem armas", noutro dia.

Submetemos à douta apreciação de V. Sa. as fotografias de Dom IVO, sugerindo, para evitar más interpretações, que sejam submetidas à perícia técnica, para a comprovação de autenticidade."


De Canoas para o Mundo

Vamos entender o Partido Progressista, que faz parte da coalizão montada pelo Lula para apoiar a Dilma. Convidado pelo Tarso para compor também o governo estadual do RS, agradeceram o convite e disseram que preferem ficar na oposição, para aprovarem os projetos que interessam ao Rio Grande. Ora, o PP é o Partido dos Prefeitos, com 149 prefeituras no estado, mas nunca elegeu o governador. Segundo suas lideranças, a idéia é lançar um candidato ao governo em 2014, sempre de olho na votação que a senadora Ana Amélia conquistou nestas eleições. O risco é de ficarem 4 anos fora do governo e mais 4 anos depois, se o Tarso fizer um bom governo e for reeleito. E como sua base é municipalista, os progressistas podem ter seus prefeitos apoiando os petistas, afinal, o dinheiro ou está com o Tarso ou com a Dilma.

A Ana Amélia está avisando aos quatros ventos, ou as quatro redes de TV, que vai recusar o auxilio moradia em Brasília. E precisa, ela já não tem uma bela mansão na Capital Federal?

Nem a Juliana Brizola recusou o Secretaria de Educação, nem lhe foi oferecida. O nome do(a) secretário(a) ainda está sendo tratado entre o governador eleito e o Ceprs Sindicato.

A pauleira no Enem dava a impressão de terceiro turno. O Ministro Haddad colocou tudo nos seus devidos lugares.

Com as composições da Dilma e do Tarso, uma coisa fica descartada. Não vamos ter CPIs neste próximos 4 anos.

Remindo Sauim


Memória Política


A tragédia pessoal

do senador Pedro Simon

do livro de José Bachieri Duarte sobre a vida de Pedro Simon

Tânia, ao lado de Pedro Simon e outros políticos, participa de uma caminha na praia a favor da Diretas Já

do livro de José Bachieri Duarte sobre a vida de Pedro Simon

Tânia Simon( com seus três filhos) é sempre lembrada pela beleza!


O período que vai de outubro de 1984 a junho de 1986 na vida do senador Pedro Jorge Simon (PMDB), é de grande luto: em menos de 20 meses, ele perdeu dois grandes afetos, o filho caçula, Matheus, a quem chamava carinhosamente de Matheusinho, e a esposa Tânia Chanan Simon. Simon ,depois da perda do filho em um acidente de carro, declarou algumas vezes que Matheus tinha grande potencial político. A esposa veio a falecer internada no Hospital da PUC para tratamento psiquiátrico.
O acidente que resultou na morte de Matheus deu-se na véspera de um feriadão de Finados, uma sexta-feira, dia 27 de outubro de 1984, na auto-estrada Porto Alegre-Osório (free way). Seu enterro aconteceu no Cemitério Ecumênico João XXIII, dia 28.10.1984.
Tânia dirigia o carro indo para a casa de praia em Rainha do Mar quando o acidente aconteceu. Os outros dois filhos, Tiago e Thomas, não sofreram lesões. Surgiram algumas especulações de que era o menino que dirigia o carro na hora do acidente, porém nada disto ficou comprovado. Pedro Simon ficou retido em Brasília por compromissos e não pode vir passar o feriadão com a família.
- Eu lembro que estava no auditório Araujo Viana cobrindo uma assembléia de professores no tempo que o Jair Soares era governador. Apareceu lá o Geraldo Canalli que estava na TV Gaúcha e me disse que tinha ocorrido este acidente na free way, lembrou a então repórter e hoje presidente do PMDB feminino, Eunice Flores.
Eunice saiu do Araujo Viana e foi direto para o Hospital da PUC naquela véspera de feriadão de Finados para acompanhar o estado de saúde de Tânia Simon, que fora trazida em ambulância do litoral para Porto Alegre.
- O menino estava morto, disse Flores.
Eunice lembra que tem coragem de enfrentar situações dificeis: foi ela também que teve que noticiar, não como repórter, mas como companheira do PMDB, aos colegas a morte do presidente do partido, André Forster, ocorrida mais adiante, no ano de 1996.
Leocádia Jung, militante do PMDB, refere que não tem lembrança de Tânia Chanan Simon na campanha a prefeito de Porto Alegre, quando o partido concorreu com a chapa Carrion Junior/José Fogaça.
- Lembro dela em 1982,quando Simon perdeu para Jair Soares, mas não lembro dela na campanha a prefeito, referiu Leocádia.
Porém ela tem claro a morte da esposa do senador:
- Eu a visitei no dia anterior no Hospital da PUC. Fui lá eu, os filhos e uma mulher que trabalhava na casa do Simon. No dia seguinte, a Tânia faleceu, lembrou Leocádia.
Era o inverno de 1986,mais precisamente o dia 17/06/1986.
Enterro tenso
No Cemitério Ecumênico João XXIII, o enterro de Tânia Chanan Simon foi em clima " tenso".
Seus familiares estavam revoltados, principalmente os irmãos.
- Eu ajudei a acalmá-los quando chegou o viúvo, disse em uma ocasião o falecido advogado Fernando Degrazia, que foi padrinho do casamento de Pedro Simon e Tânia.
O enterro de Tânia Chanan Simon realizado no meio da tarde de 18 de junho de 1986 foi acompanhado, à distância, pelo então repórter da revista Veja, Vitor Vieira, que hoje é editor do site Videversus.

Valesca de Assis autografa 'Um dia de gato' neste sábado (dia 20/11)

foto Dulce Helfer

Valesca de Assis


A escritora participa da Feira do Livro do Colégio João XXIII no próximo sábado.
Às 10h30, os alunos assistem à contação de histórias do Grupo de Atuadores Pur'Arte.
A trupe encena as aventuras do gato Tato e do cão Bolão, presentes no livro Um dia
de gato, de Valesca de Assis. Em seguida, às 11h, acontece a sessão de autógrafos
com a autora.

O livro infanto-juvenil, editado pela Libretos, é uma fábula sobre a compreensão
e o respeito às diferenças. A obra tem ilustrações de Antônio Albino Maciel, e
design gráfico de Clô Barcellos.

Feira do Livro do Colégio João XXIII
Dia 20 de novembro, a partir das 10h30
Rua Sepé Tiaraju, 1013 - Medianeira

Assessoria de Imprensa:
Simone Lersch (51) 3029-6390 / 9803-4420

Jornalista da RBS: “Hoje qualquer miserável pode ter um carro”

por Conceição Lemes

Em São Paulo, há muitos anos existe o rodízio de circulação de carros, baseado no final das placas. Para driblá-lo, as famílias mais abastadas logo deram um jeito. Passaram a ter dois, três, quatro carros na garagem, o que contribuiu, sem dúvida, para o aumento da frota nas ruas. Engraçado. Ninguém reclamou.
Porém, bastou o sonho do veículo próprio (automóvel ou moto) se tornar realidade para muita gente das camadas populares, para a chiadeira começar. A culpa? Ora, para a elite inconformada com o ascensão social dos pobres, é do presidente Lula, graças às facilidades de crédito.
O comentário do jornalista Luis Carlos Prates (veja o vídeo abaixo) num dos telejornais da RBS, afiliada de TV Globo em Santa Catarina, é exemplo da intolerância e do preconceito. O que será que ele disse quando um “mauricinho”, filho de um dos diretores da emissora em que trabalha, estuprou uma colega adolescente de Florianópolis? Será que o abafamento do caso pela polícia e mídia locais também é culpa do Lula?

Coleguinhas

Comentário de Luis Carlos Prates, na RBS TV, foi parar também no site de Luiz Carlos Azenha, o www.viomundo.com.br com muita repercussão!

Coleguinhas


*Wolmer Jardim está em Alegrete.Diz que de vez em quando vai a São Borja.

Sobre o já tão famoso pãodurismo do poeta Clemar Dias ele opina: O Clemar não vai nada no Rio Uruguai porque se o fizer morre afogado,de tão mão fechada que é....

Coleguinhas


*Salinha JCTerlera virou point onde coleguinhas se transferem dicas de comes e bebes,eventos, viagens e por aí....

Em nada dignifica a classe, mas isto faz parte.....é a turma que aproveita o glamour do jornalismo que casa perfeitamente com assessorias que precisam botar gente em eventos.


Coleguinhas

Wolmer Jardim está no semanário Em Questão e em breve põe no ar um site....tudo no Alegrete!


Feira do livro

Pra onde vão as putas nos 15 dias da feira?!

Perguntei isto ao presidente da CRL ontem na coletiva e ele disse que não há cordo tácito nenhum pra que as chamadas " profissionais do sexo" sumam da praça como somem....

- Elas vão embora e depois voltam, disse João Carneiro.

Também os meninos de ruas que perambulam pela praça da Alfândega somem. E a CRL fez até dois projetos para incorporá-los depois que acaba o evento.

Recebo de Maputo(Mozambico)

alo camarada
obrigado por falar mal, é bom pois todo mundo fala bem.

Estou indo esta semana pra França, começar a montagem de meu ultimo filme "A Noiva das Putas". Depois vou uma semana mostrar filmes em universidades alemãs, comer chucrute e beber cerveja.
Beijos

lcinio


De São Borja

1) O atual vereador do pDT, Celso Lopes pode ser o novo presidente da Câmara Municipal. A eleição é nos próximos dias. Vai substituir Beto Souza, do PTB.

Panorama da eleição pra prefeito.


No PDT há possibilidade de três candidaturas. O vereador Roque Feltrin seria,digamos, o candidato chapa branca porque tem o apoio do prefeito Mariovane Weis.

De vice seria o atual vice de Mariovane, Jefferson Homrich. Uns o chamam pelo apelido de Kiko Olea mas depois que virou vice não gosta mais ser chamado pelo apelido. Ele é do PTB.

Também no PDT querem disputar a indicação o vereador Farelo de Almeida.SEu nome é Antônio Carlos, mas pegou o apelido de família, Farelo, porque é o útlimo de uma enorme coleção de filhos que os pais tiveram.

Por fora e muito por fora, está o neto de Jango, Cristhopher Goulart, que como foi muito bem votado pra deputado estadual reivindica a indicação.

Um destes candidatos vai enfrentar uma coligção do PP com o PT. O PP deve ir ou de Eugênio Dutra, ou Rangel( que foi candidato a deputado estadual) ou o médico Luciano Loureiro, que já foi candidato na última eleição de prefeito.De vice deve ir o Rene Ribeiro, que já foi vice de Mariovane e que agora brigado,virou algoz do prefa.


Memória da Imprensa

Invento de Coester

finalmente sairá do papel?


Oskar Coester, que não tem curso superior, junto a sua jeringonça em Porto Alegre

Conheci o aeromóvel quando era um pequeno protótipo na zona sul de Porto Alegre, no final dos anos 70, na chamada estrada da Serraria.O loko do Oscar Coester, que então ninguém sabia quem era, inventou de mandar fazer ali uma pequna maquete e fazia sua jeringonça correr carregada de sacos de areia de cá para lá. Parecia que ele estava brincando...Brincando coisa nenhuma..

Alguém falou no invento pro arquiteto Jorge Francisconi, que então presidia a EBTU, uma estatal do transporte urbano. O cara foi lá apenas pra dar uma olhadinha: ficou duas horas. Dali nasceu,ainda na gestão do Amaralzinho de Souza o trecho do aeromóvel na Loureiro da Silva,implantado pela EBTU e pelo Governo do Estado.

Contam que depois que Jair Soares assumiu, ele ficava da janela do Palácio Piratini esbravejando contra aquela jeringonça que não parava de ir e voltar diariamente fazendo testes na av. Loureiro da Silva que pode ser visto da janela do gabinete do governador.


O trecho do aeromóvel em Jacarta, que derrubou o ditador Mabuto no dia da inauguração.

- Ainda se tivessem feito isto lá na Zona Sul, distante de todos, mas aqui onde todo mundo vê a toda hora , dizia Jair aproveitando pra alfinetar seu antecessor.
O fato é que a edição deste mês da revista Amanhã traz uma grande reportagem de cinco páginas com o titulo de O inventor que venceu o tempo contando os 30 anos em que Oskar Coester ( que não é engenheiro embora sempre digam que o é....) esperou pra ver finalmente um trecho construído em Porto Alegre. A revista conta que o Ministério das Cidades liberou uma verba de 28,8 milhões de reais pruma linha no aeroporto Salgado Filho. Coisas da Copa do Mundo de 2014.

DERRUBOU O DITADOR.

Depois de muita propaganda pelo mundo todo, de até ter sido aventada a hipótese de que os japoneses queriam roubar o segredo industrial do aermóvel, o fato é que o primeiro trecho inaugurado do aeromóvel foi propriamente pra aquilo que Oskar diz que tem que ser, transporte público de algo desempenho. Foi num parque de diversões em Jacarta, na Indonésia, em 1989, que o aeromóvel emplacou um trecho. Mas houve um pequeno sinistro: algo não deu certo, o aeromóvel empacou e quase derrubou dentro da cabine o ditador daquele país, o Mabuto, que estava no poder há muitos anos. A segurança saiu dando tiros para tudo era lado, achando que fosse um atentado contra o ditador.

- Eu estava no hotel dormindo quando um repórter da FRANCE PRESS me ligou de Paris querendo saber o que ocorrera, contou Oskar tempos atrás quando lhe perguntei sobre aquele acidente no dia em que o trem foi posto em funcionamento.

A ZH onde eu trabalhava recebeu a notícia via agência Estado, ou France Press e deu a notícia. Coester não gostou e me reclamou muito.

Neste tempo todo, o inventor do aeromóvel viajou o mundo todo.Vai apresentar sua jeringonça em qualquer congresso mundial de tecnologia que existe e sempre faz grandes demonstrações. Começou há muitos anos atrá spela feira de Hannover, na Alemanha.

Quando o conheci era ainda um jovem, que usava óculos, frequentava a apraia de Daniela em Floripa( porque não tinha asfalto e então pouca gente ia lá) e passava os fins de semana num sitio que tem em Minas dos Ratos, na região carbonífera.

Hoje, depois de um ataque cardíaco, Coester pode se dizer um sobrevivente. Como seu trem.

Ele espera não morrer antes de ver seu sonho ser aplicado no dia a dia do transporte coletivo de massas.


Em busca de uma Polícia verdadeiramente cidadã


(*Archimedes Marques)

Vários fatores contribuem para o aumento desenfreado da violência e criminalidade no nosso país que traduz a crescente sensação de insegurança existente, contudo, o ponto nefrálgico de cobrança do povo em geral, é sempre a Polícia.
Realmente parece ser a Polícia a única responsável pela segurança da população, mas não é. Em verdade, apenas tem a instituição policial a função mais árdua de todas, porque atua na prevenção e na repressão ao crime, na garimpagem de criminosos e na execução da lei penal, a fim de torná-la efetiva ao exigir o seu cumprimento objetivando auxiliar a Justiça penal a solucionar os diversos conflitos inerentes.
A nossa Carta Magna vigente estabelece que a segurança pública é dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, assim, como pode ser percebido, a chamada Constituição cidadã, alicerçada no binômio direito e responsabilidade, embora imputando ao Estado o encargo principal, chama a população à co-participação para tão importante situação.
Atualmente, porém, é lugar comum a atribuição de culpa exclusiva ao Estado, mais de perto à Polícia, pela situação vexatória na qual nos encontramos. Fala-se sempre no direito à segurança, o que é correto, mas nunca na responsabilidade de todos no que tange ao tema. Aqui, mais uma vez, o pensamento liberal parece ser reinante, pois o direito é alardeado, enquanto a responsabilidade, esquecida.
Além da responsabilidade esquecida, para complicar ainda mais a situação, o povo generaliza que a Polícia é ineficiente, corrupta e corruptível, que todo policial é ignorante, arbitrário e irresponsável, quando na verdade, de uma maneira geral, tais entendimentos não passam de pensamentos ilógicos e insensatos, pois a Polícia também evoluiu com o tempo, não estagnou como continuam em teimar com tais concepções retrógradas.
A questão da violência policial de outrora que ultrapassaram todos os limites dos direitos do cidadão quando da ditadura militar que assolou o país por muito tempo, trouxe pechas marcantes e desagradáveis para a Polícia atual, pois daí nasceu o estigma da expressão polícia-repressão que foi passando de geração até os nossos dias. Repressão esta que não era em sentido de reprimir o crime e sim como sinônimo das atrocidades que ocorriam nos porões dos departamentos policiais, através das práticas de tortura e até desaparecimento de opositores ao regime do governo ditatorial. Pessoas não criminosas, e sim revoltosas, quedaram violentadas nos seus direitos fundamentais nas mãos da polícia ditatorial, da polícia-repressora, que ao invés de ser o órgão de conservação e garantidor da paz e da tranqüilidade pública, na verdade era o braço humano utilizado pelo governo nessas práticas covardes.
Esta espécie de tatuagem ideológica ainda não fora removida da mentalidade do nosso povo. Diminuída, humilhada, submetida, à polícia só restaram as críticas, as denúncias, as desconfianças, os despojos, o lixo proveniente das duas décadas do golpe militar.
O conjunto das regras que garante a segurança e a ordem que rege os atributos da Polícia se confundem com esses problemas citados e cria os preceitos verdadeiros de que vivemos uma atividade desprezada, uma função incompreendida, uma trajetória ilógica, uma vida atropelada dentro de uma classe tão humilhada.
Repensar esses conceitos irracionais é resgatar o próprio bem estar da coletividade. É lutar para que haja uma maior união e interatividade entre o povo e a sua Polícia. É sonhar que um dia haja a confiança do cidadão nas ações da sua Polícia. É ter esperança que em breve a sociedade possa ter a Polícia como sua amiga, como sua aliada no combate ao crime e no cumprimento das leis.
A Polícia cidadã, acima de tudo, é a guardiã da sociedade e da cidadania. No seu cotidiano o policial investiga, protege o bem, combate o mal, gerencia crises, aconselha, dirime conflitos, evita o crime, faz a paz e regula as relações sociais. O policial é também o sustentáculo das leis penais e deve seguir sempre o princípio primordial de jamais colocar as conveniências da sua carreira acima da sua trajetória moral.
Entendemos então que a Polícia cidadã que nasceu com a atual Constituição e ainda não se firmou apesar de mais de duas décadas de existência e tentativa, é o elo de boas ações que estabelece um sincronismo entre o seu labor direcionado verdadeiramente a serviço da comunidade.
Concluímos assim, que remediando esses males elencados, com a ajuda e a conscientização de todos os segmentos possíveis, teremos então uma Polícia verdadeiramente cidadã saída da teoria para a prática, que por certo alcançará os seus objetivos com mais presença para oferecer uma conseqüente melhor segurança pública para a sociedade.

*Delegado de Polícia no Estado de Sergipe, Pós-Graduado em Gestão Estratégica de Segurança Pública pela UFS. archimedes-marques@bol.com.br


NOMES, SÓ DEPOIS DO PERFIL

Por Carlos Chagas

Os exemplos vem de longe. O ministério do marechal Eurico Dutra foi correto, mas sem brilho, caracterizado por figuras que participaram do Estado Novo e por adversários da ditadura deposta. Getúlio Vargas, eleito em seguida, mostrou desconsiderar o conjunto de seus auxiliares ao rotulá-lo como “ministério da experiência”. Buscou atrair adversários, mas mudava de ministros como quem muda de camisa. Se havia um perfil no ministério, era o do presidente, que abafava os demais. Café Filho compôs uma equipe parcial, só com gente da direita, golpistas, exceção do ministro da Guerra, general Henrique Lott, que botou água no chope da aventura anti-democrática. Juscelino Kubitschek optou por unir os contrários mas sem abrir espaço para seus adversários, preferido técnicos entre políticos de menor expressão.
Jânio Quadros empolgou o país ao eleger-se presidente da República, despertando intensa ansiedade quanto ao seu ministério. Imaginava-se que seria escalada a equipe dos sonhos. No final, veio um ministério provinciano, cheio de paulistas desconhecidos do restante do país. O começo do fim talvez estivesse ali. João Goulart seguiu o exemplo de Getulio, trocava de ministros todas as semanas e terminou perdendo o apoio até da maioria das forças que o cercavam. O tal governo de união nacional durou poucos meses.

Os generais-presidentes foram parciais em suas escolhas, os poucos selecionados fora do “sistema” não se aguentaram, como Milton Campos, na Justiça, no governo Castello Branco, ou Severo Gomes, na Indústria e Comércio, no governo Ernesto Geisel. Número exagerado de militares ocuparam pastas civis com Costa e Silva e Garrastazu Médici, brilhando a estrela do general Golbery do Couto e Silva nas administrações Ernesto Geisel e João Figueiredo, pelo menos até o Riocentro. Mas em todos prevalecia a identidade negativa que os obrigava a amar o movimento militar ou deixar o poder. No máximo, dividiam-se entre “desenvolvimentistas” e “contencionistas”.

Tancredo Neves sofreu todo o tipo de pressões, no final já não ligava muito para as indicações, como as de que o Ceará e a Bahia, por exemplo, tinham de indicar três ministros cada, para apaziguar os grupos locais em choque. José Sarney, quando conseguiu fazer o seu ministério, viu-se envolto numa colcha de retalhos, aumentando o grau de mediocridade ministerial à medida em que seu mandato chegava ao fim.

Com Fernando Collor aconteceu coisa singular. Começou com a República das Alagoas, ninguém que fosse considerado do primeiro time, em especial na área econômica. Quando decidiu mudar, compondo talvez a mais brilhante equipe em muitas décadas, já não dava mais tempo. Itamar Franco formou um ministério “feijão com arroz”, mas eficiente na medida em que cobrava resultados e até mandava passear os desenquadrados.

Fernando Henrique e o Lula ofuscaram seus ministros, revelados alguns apenas com o passar do tempo, mas nenhum parecendo estrela com luz própria. O atual presidente chega ao máximo de dispor de ministros que não despacham com ele a não ser de seis em seis meses.

E o ministério Dilma Rousseff? Diversas variáveis ainda inconclusas pesam na composição por enquanto desconhecida: será um ministério formado à imagem e semelhança do Lula, com boa parte dos ministros continuando no governo? Ou uma equipe mista, com gente velha e gente jovem? Dificilmente um grupo totalmente novo. Um ministério com prevalência de mulheres? Ou provindo essencialmente de embates partidários, com ministros impostos pelo PT, o PMDB e penduricalhos? Haverá, da parte da nova presidente, preocupação com a unidade doutrinária e até ideológica de seu governo? Ministros fortes e ministros fracos? Algum controlador ou primeiro-ministro enrustido? Um colegiado com voz e autoridade ou uma classe de freirinhas submetidas ao rigor da madre superiora?

Fica no ar a definição do perfil do ministério Dilma. Talvez só depois dele conhecido possam ser especulados nomes.

CONSELHOS OPORTUNOS
Vem de Tancredo Neves um oportuno conselho para Dilma Rousseff: um presidente da República tem que sorrir sempre, não apenas na campanha. Cenho fechado, respostas ásperas e ar de superioridade são bons para professores em sala de aula, não para governar o país. Deve também o governante estar preparado para aceitar exageros verbais e encenações irreais da massa à qual se dirige.

Até que Dilma seguiu essa lição, enquanto pediu votos, mas agora começa o jogo para valer.

Por que Tancredo chegou a essa conclusão? Pela experiência de ver Juscelino Kubitschek governando, mas, também, pelo anti-exemplo do marechal Henrique Lott, quando candidato derrotado, em 1960. Certo dia, visitando São João Del Rey, desfilavam ambos em carro aberto. A multidão, eufórica, aplaudia, mas só Tancredo sorria. Numa determinada esquina, com o tráfego interrompido, um popular aumentou os decibéis de seu entusiasmo e, aproximando-se, falou para o marechal: “Eu servi com o senhor, como soldado!”. O diálogo parecia estabelecer-se quando Lott indagou onde, mas diante da resposta de que tinha sido em Uruguaiana, seguiu-se a frustração: “Mentiroso! Eu jamais servi em Uruguaiana!”...

A VERDADE E A LENDA
O fim de semana prolongado pelo feriado, mais a chuva, ensejaram a muita gente ficar em casa diante da telinha, buscando filmes antigos. Dos inscritos na galeria das obras-primas, passou “O Homem Que Matou O Fascínora”, de John Ford. A história é de um jovem advogado que vai para o interior disposto a fazer valer a lei contra a truculência, interpretado por James Stewart. Perseguido por um bandidaço, Lee Marvin, o mocinho foi protegido por um campeão da lei, John Wayne, de quem acaba roubando a namorada. Décadas depois, por haver enfrentado e matado o mau caráter num duelo, mesmo sem saber atirar, e tendo-se tornado por isso deputado, senador e duas vezes governador do estado, Stewart volta à cidadezinha para o enterro de Wayne, que morreu de velho. Lá, resolve contar a um jornalista a verdadeira história: ele não era herói coisa nenhuma, muito menos havia matado Lee Marvin. Quem fizera isso fora John Wayne, escondido do outro lado da rua.

No final, o jornalista rasga as anotações e conclui: “Quando a verdade prejudica a lenda, mantenha-se a lenda.”

Quem quiser que interprete...

PORQUE BRIZOLA NÃO
GOSTAVA DO SEBASTIÃO NERY


Por Sergio Ross


Dias atrás, o Sebastião Nery esteve por aqui para lançar o seu 16ºlivro intitulado “A Nuvem:O que ficou do que passou”.
Comprei o livro mas ainda não o li. Estou no fim do livro do Celito, sobre o caso Klieman.
Mas o que eu quero contar aqui, é a história
da briga de Brizola com o Nery.
O Carlos Chagas foi quem me contou o motivo. Disse o Chagas, que logo que o nosso conterrâneo voltou do exílio, ficou amigo de
infância do Sebastião Nery. O Nery, querendo ser mais esperto do que Brizola,começou a se insinuar como futuro candidato ao governo do Rio de Janeiro. Brizola que estava deixando o
cargo depois de uma administração mais ou menos razoável,tinha um outro candidato. Aí o Sebastião começou a fazer fofocas. Brizola que não era muito chegado a esse tipo de papo e não queria ninguém a cima dele, resolveu cortar o mal pela raiz e desligou o Nery do PDT que logo se aproximou do Fernando Collor.
O Chagas me contou ainda,que várias vezes
tentou aproximar os dois,mas que Brizola não quis saber reatar a velha amizade...

De Serafina

Na terça passada, concretaram o teto do espigão que construíram na frente da cantina da sociedade estrela. E se este prédio tiver que ser posto abaixo?

Dizem que parte das salas do prédio já estaria vendida. Uma delas para um ex-prefeito que não saía do local quando lá funcionava a pizzaria grão de bico. Será verdade?

 


By By Brasil!!!!

Adeli Sell, o homi do chapéu, presidente do PT de Porto Alegre, afivelou as malas como dizem e se mandou pras Europas. Só volta dia 29 próximo. Foi descansar. Mas não está na comitiva do governador Tarso, que também anda no chamado Velho Mundo!


Lajeado


Com vasta experiência no jornalismo, o repórter gaúcho Caco Barcellos estará, em Lajeado, amanhã, para dividir com o público sua trajetória de vida. Ele trará um pouco do seu conhecimento e estudos sobre a história e a realidade brasileira. Barcellos é hoje um dos mais renomados nomes da comunicação no Brasil, especializado em jornalismo investigativo, documentários e reportagens sobre assuntos sociais, principalmente injustiças e violência.
Hoje, à frente do programa Profissão Repórter, exibido nas terças-feiras na Rede Globo, trabalhou como correspondente internacional em Nova Iorque e Londres e como repórter das revistas Veja e Istoé, e dos programas Globo News, Globo Repórter, Fantástico e Jornal Nacional. Barcellos traz informações sobre sua carreira, seus erros, acertos, instigando o público a ser persistente e empreendedor. Ele retrata as dificuldades e barreiras enfrentadas até hoje em sua carreira, bem como seus sucessos e fatos inusitados.
Barcellos aborda, entre outros temas, a credibilidade do jornalismo; a gestão de grupos de jornalismo investigativo; a produção de reportagens sobre problemas sociais associados à violência, ética e cidadania; e comunicação. O evento é uma promoção do jornal A Hora com apoio da Expovale 2010 e patrocínio de Lojas Benoit e Languiru.

Uma aula sobre a realidade brasileira

Repórter da TV Globo, Caco Barcellos, é convidado do jornal A Hora para debater com estudantes e empresários sobre jornalismo e seus efeitos econômicos e sociais na sociedade. Evento ocorre, amanhã, no Clube Tiro e Caça, a partir das 18h30min

Livros, prêmios e grandes reportagens

O currículo de Caco Barcellos é digno dos grandes jornalistas mundiais. São três livros lançados. Dois deles, Rota 66 e Abusado, fazem parte do currículo escolar da periferia de grandes cidades brasileiras. O último é indicado em alguns vestibulares como leitura indispensável. O repórter recebeu o Prêmio Jabuti, um dos mais prestigiados do país.
Rota 66 é muito lembrado por ter identificado 4,2 mil vítimas mortas pela Polícia Militar de São Paulo. Após o lançamento do livro, o jornalista teve de deixar o país devido a constantes ameaças de morte. A publicação rendeu-lhe outro Prêmio Jabuti na categoria reportagem e mais oito prêmios de direitos humanos. Seu primeiro livro, A Revolução das Crianças, foi escrito após o autor acompanhar a vitória dos guerrilheiros sandinistas na guerra civil da Nicarágua.
O jornalista recebeu mais de 20 prêmios, todos por reportagens e documentários televisivos. Foi premiado como melhor correspondente internacional nos anos de 2003 e 2005, e em 2006 e 2008, eleito o melhor repórter da televisão brasileira. Esses prêmios foram realizados pelo site Comunique-se com um júri formado por 60 mil jornalistas. Para coroar, Caco recebeu em 2008 o Prêmio Especial das Nações Unidas, sendo eleito como um dos cinco jornalistas que, nos últimos 30 anos, se destacou na defesa dos direitos humanos.
Jornalista Caco Barcellos estará em Lajeado a convite do jornal A Hora para falar sobre credibilidade no jornalismo


Coleguinhas


Carlos Fernando Karnas


Karnas foi outro que

"archou" com a Coojornal!


Carlos Fernando Karnas, nascido em 22.11.1946, esteve na feira do livro de porto alegre lançando um livro seu. Num dos intervalos, pudemos tomar um café quando ele me contou que também marchou na já famosa história da Cooperativa dos Jornalistas. Ele me contou que o Antoninho Gonzalez o levou ao Banrisul na época da fundação da Cooperativa dos Jornalistas e lá fez um empréstimo do qual Karnas também assinou algumas notas promissórias como fiador da Coojornal
- Eu tive que ir no Banrisul muitas vezes depois pagar aquela nota promissória. Ganhando pouco, minha mulher da época ficou furiosa comigo porque fui ser avalista da Coojornal. Mas ninguém conseguia dizer não ao Antoninho Gonzalez, diz Karnas.

Quem quiser mais dados desta história é só procurar seu autor. Não tem o menor problema. Ele até deixou-me seu contato.

Repórter Policial

Quando começou no jornalismo, Carlos Fernando Karnas foi repórter policial da Zero Hora. Seu editor era o agora presidente da Adesg,delegado Wilson Muller, que na época era o editor de Polícia do jornal.

Dentro da escola da Ultima Hora, o jornal não podia perder a foto do local de um acidente, ou de deixar de levar para a redação do jornal o Boneco da vitima, em caso de morte.

Aconteceu que o Karnas chegou tarde num local deum acidente onde acontecera uma morte.
O fotógrafo, que segundo Juarez Haase, o "Juca Paranga", que me contou ontem esta história na Praça da Alfandega,não sabe quem foi, deu uma sugestão: como o morto fora levado pelo camburão, sugeriu ao Karnas, que usava uma calça Lee, que deitasse no chão se fazendo de morto, no lcoal do verdadeiro que tinha morrido.

E o retratista bateu os bonecos. Quando revelaram as fotos e fizeram os contatos, mostraram ao editor, O Wilson Muller que logo se deu conta da enjambração que logo saiu aos gritos.

- Alemão filho da puta, alemão filho da puta, tu queres me derrubar...E não deu a foto,claro, depois de mijar de cima a baixo tanto o fotógrafo, como repórter.

Assim eram as redações de antanho!

" Frescuras" da feira do livro

1) O livro mais vendido foi o 1808, do Laurentino Gomes. Vai ver que foi porque o Juremir caiu de pau nele, que acabou fazendo sua propaganda. Sempre digo, falem mal, mas falem de mim....

2) Surpresa mesmo é o livro Meu Nome é Jorge. De uma editora pequena, a Libretos da Clò Barcellos, que não se pode chamar de Clotindo porque ela sobe nas tamancas...

3)Juremir Machado também vendeu bem seu livro do Getúlio...ficou no 30 lugar pelos dados da feira do livro


4) O " guasca" do patrono, Paixão Cortes, tirou risadas durante a coletiva de imprensa ontem ao vir com suas expressões gaudérias do tipo: boleou a perna do cavalo!

Etale guasca grosso este.....

5)João Carneiro, presidente da CRL, disse que Paixão agregou outro tipo de público à feira.

6) 411.519 livros foram vendidos. 16% a mais que o ano passado. A meta era 15%


7Das 672 sessões de autógrafos as ,mais concorridas foram as de lFV, Martha Medeiros, Tarso Genro,( acho que o autor do levantamento é do PT porque a sessão de Pedro Simon também tinha muita gente) Anonymus Gourmet( de novo???!!!!!)

8) Também dentro dos salamaleques, deram uma placa pro " idealizador" da feira, o jornalista Say Marques. Quem a recebeu foi Amélia Marques, que tem 94 anos. Ele teria 98.

Em tempo: pelas pesquisas que fiz, não foi Say o fundador da feira do livro de Porto Alegre. Mas se convencionou que foi!!! Say foi apenas mais um que participou do esforço!

9) Paixão Cortes chamou a feira de " rodeio de literatura". Não se sabe se o próximo patrono será outro do estilo popular como o foi deste ano!

 


DE Serafina!

O Mazzarino ficou com "celos" que eu ganhei um vinhozinho lá em Serafina. Fica frio, Mazza, ele não sairá de minha casa!

É muito vinho para Brasília. manda uma parte para o Vale do Taquari.
Vamos espraiar a sabedoria do Vinho de Serafina!
mazzarino

 


Coleguinhas


Comentário, no mínimo destemperado de Luis Carlos Prates, na RBS TV de Floripa, foi parar no blog de Paulo Henrique Amorim, o www.conversaafiada.com.br

Olides Canton citado na coluna de Cláudio Humberto de ontem, quarta (17/11/2010)


Rima gentil

O falecido cantor Teixeirinha e sua parceira Mary Terezinha foram recebidos pelo então governador do Rio Grande do Sul, Sinval Guazelli, que, depois da audiência, os levou para um almoço com jornalistas no Galpão Criollo do Piratini. Segundo conta com muita graça o jornalista Olides Canton, em seu livro “Pauta - o avesso das redações”, Teixeirinha, muitíssimo gentil, conseguiu rimar Guazelli com Geisel, o general Ernesto que na época presidia o Brasil.

Beto Grill e Mano Changes discutem projetos de interesse do Estado


FOTO: CACO ARGEMI

Beto Grill e Mano Changes no gabinete do deputado progressista

O vice-governador eleito e o deputado progressista se reuniram nesta quarta-feira (17) para conversar sobre projetos que estão tramitando na Assembléia Legislativa. Beto Grill segue a missão de coordenar as ações políticas do futuro governo durante a viagem de Tarso Genro pela Europa.

Durante o encontro Mano Changes ressaltou que está mobilizando colegas de partido para que o PP estabeleça um processo de diálogo e de entendimento com o governo Tarso. O objetivo é viabilizar projetos de interesse do Estado, como a questão da inclusão digital, por exemplo, principal bandeira do parlamentar. O deputado conta com o apoio do prefeito de Morrinhos do Sul, Leandro Evaldt, também do PP, que participou do encontro.

“Temos obrigação de apresentar aos deputados o nosso ponto de vista em relação a projetos que estão para serem votados e que terão reflexos na nossa administração. E este canal de diálogo direto entre governo e deputados estará permanentemente aberto”, ressaltou Beto Grill.

Logo após a vitória no primeiro turno, Tarso Genro procurou o PP para conversar sobre alguns pontos de convergência programática entre progressistas e integrantes da Unidade Popular Pelo Rio Grande. O governador eleito lembrou que estes partidos possuem grande densidade na área da agricultura familiar. Tarso destaca a importância do diálogo, mas afirma que não houve convite para o PP ingressar no Governo: “Até agora não ocorreu nenhuma proposta direta ou indireta nem do futuro governo, nem do PP, para participação no nosso governo”.


EM DEFESA DO DIPLOMA


Por Carlos Chagas
O “seu” Manoel, dono do açougue ali da esquina, é um craque na arte de cortar carne.Tira cada filé e cada costela que fazem gosto. Por conta disso deve pendurar o avental, vestir um jaleco, entrar no Hospital Distrital e operar alguém de apendicite? O camelô da estação rodoviária é um mestre da palavra. Vende tudo o que apresenta em sua bancada, convence todo mundo. Estará autorizado a usar a beca, ingressar no plenário do Supremo Tribunal Federal e defender algum cliente?
Pois é. Por dispor do dom de escrever bem, qualquer cidadão poderá exercer a profissão de jornalista? Torna-se o diploma desnecessário, como nos dois casos anteriores? Será a universidade dispensável para o exercício da medicina e da advocacia?

O dom de escrever faz o escritor, e nenhum deles está proibido de escrever em jornal. Mas deverá fazê-lo como colaborador, não como jornalista. Porque ser jornalista não é ser melhor nem pior do que escritor. É apenas diferente, pelo acúmulo de conhecimentos adquiridos nos cursos de comunicação, desde saber editar, selecionar, reportar e diagramar até receber conhecimentos de História, Filosofia, Ética, Geografia, Política e quanta coisa a mais?

Outra vez discute-se a necessidade do diploma para jornalistas, ressurgindo a tese de sua inocuidade. Alguns ingênuos e certos malandros tentam obter da Justiça o reconhecimento de que, para ser jornalista, basta a boa vontade. Ou a má. Na realidade, muitos pretendem evitar o sentimento de classe forjado nos bancos universitários, responsável por evitar que a informação se transforme numa gazua a serviço de interesses variados. Além de dar à categoria força suficiente para reivindicações salariais.

Houve tempo em que para ingressar numa redação bastava ser amigo do dono do jornal ou recomendado por alguém de suas relações. A lealdade do jornalista era para com o patrão, muito mais do que para com a notícia. Com a exigência do diploma, alterou-se a correlação de forças, precisamente o que muitos pretendem evitar. É claro que existem os bem intencionados adversários do diploma de jornalista, mas é bom prestar atenção. Ou se posicionam, também, contra o diploma de médico e de advogado?

Outro argumento a desfazer é o da precariedade dos cursos de comunicação, muitos deles formando jornalistas que escrevem “sal” com “ç”. Se for assim, que se renove o estudo do jornalismo, que se aprimorem as cadeiras e se exija muito mais dos formandos. O mesmo se aplica, por exemplo, aos advogados e à proliferação de cursos de Direito. Vale, nos dois casos, a lei do mercado. Os bons obterão sucesso.

SÓ DEPENDE DELES
Queixam-se senadores e deputados da má vontade da imprensa, que de algumas semanas para cá só abre espaço para escândalos, denúncias e acusações envolvendo o Congresso. Só depende deles inverter a equação. De um lado, criando fatos legislativos, debatendo e apresentando projetos de interesse nacional. De outro, interrompendo a cadeia de permissividade que marca a performance do conjunto.
Existem, na Constituição, perto de cem artigos ainda não regulamentados. Um deles é o que determina à lei ordinária criar mecanismos para defender o indivíduo e a família dos excessos da programação de rádio e televisão. Por que nada se fez, em vinte anos?

NOVAS CASAS DAS EXCELÊNCIAS

Por Sergio Ross

Segundo o nosso conterrâneo,Lúcio Vaz, de Pelotas e que escreve para o Correio Braziliense, os novos deputados que chegarão por aqui no fim do ano,vão inaugurar dois
prédios funcionais inteiramente mobiliados. Outros quatro blocos ficam prontos até o meio do próximo ano.
As novas casas das excelências atrasou
25 meses e custou R$ 9.6 milhões adicionais
aos cofres públicos(LEIA NOSSO BOLSO).


Os parlamentares não pagam aluguel e não trocam nem os vidros quebrados dos apartamentos. Ao longo de 2011, a Câmara vai gastar R$ 15,4 milhões em reparos e conservação das 433 residências,sendo
RS 4,4 milhões em pequena obras e R$ 11 milhões em serviços como limpeza,vigilância e
portaria.
Os primeiros blocos residenciais que estão localizados na SQN 302,foram
concluídos em 1975 e nunca passaram por nenhuma reforma estrutural ao longo de 35 anos. Hoje,estão completamente deteriorados
Só com água,luz e gás foram gastos
nos últimos quatro anos mais de R$ 10milhões de reais...
Ah! Só de enxoval para cada apartamento,
vão ser gastos R$ 25 mil.
Viva o Brasil...
Eu conheci bem um desses apartamentos,
quando um ilustre deputado gaúcho,anos atrás, entrou nele. E vi com estes olhos que a terra há de comer,quando a ilustre excelência
deixou o prédio. Porca miséria...Que coisa mais indecente. O que o nosso conterrâneo não conseguiu quebrar, ele levou de lembranças para a sua cidade natal...


Coleguinhas


*Mário Lima está de volta aos pagos, narrando futebol na rádio Guaíba. Mas sua fama é de esquentado !

Coluna do Cláudio Humberto

Olides

Compre agora o jornal O Sul e leia a coluna do Claudio Humberto.
Eu já fui citado na coluna dele,mas com elogios,isso nunca aconteceu.
Sergio Ross


O Serginho aproveitou

pra fazer graça da citação do meu livro na coluna

prestigiosa do Claudio Humberto.

Também sou fã do Bateu, Levou! Sei umas histórias dele, que um dia, num outro livro, publico!


Cumpanheiro Olides

Meus parabens pela coluna do Claudio Humberto. Sou citado diariamente por ele,mas elogios,não recebi nenhum.
Na coluna, me chama de ignorante e "borracho"mas nunca nada parecido como ele escreveu para ti.
Um abraço do cumpanheiro

Lula



Meu caro Olides Canton da Linha Onze

Hoje pela manhã cedo,recebi aqui na Granja do Torto,onde estou morando temporariamente,(mandei dedetizar o Alvorada) o "cliping" que nos mandam diariamente.Ao ler a coluna do Claudio Humberto,fiquei emocionada e até algumas lagrimas brotoram dos meus olhos a ponto de estragar a minha maquiagem. Eu espero que no futuro mereça do homem que criou a frase "bateu-levou",tambem elogios iguais que ele fez para ti.
Meus parabens e um abraço

Dilma



Meu Caro Olides Canton

Assim que eu retornar ao Governo do Distrito Federal (sim porque não vão comprovar nada contra mim.Fiz tudo bem certinho)
espero que aceites o meu convite para ser o meu Porta Voz.
Um repórter que é elogiado pelo Claudio Humberto na sua coluna, merece ocupar uma função de destaque na imprensa nacional.
Um abraço

Arruda


Dilma

Coleguinhas


Agora já posso dizer que estou na galeria dos ilustres, junto com o A. Goulart, aqui do Sul, que também teve seu nome citado na coluna do prestigioso colega CHumberto, de Brasília.

No meu caso, não imaginei que uma notinha do Teixerinha fosse sensibilizar o CHumberto, mas é que envolve o Geisel, então tá explicado.

Obrigado ao Bateu,Levou. Também gosto do seu estilo de fazer jornalismo.

Exposição fotografica

Exposição do Juremir foi aberta em Encantado. Na foto reconhei o Zé Doval, o Ricardo Giusti, entre outros.


Juliana Brizola

declinou de ser secretária da Educação


A deputada estadual eleita pelo PDT com 61.305 votos( a mais votada) teria declinado do convite que o governador eleito Tarso Genro lhe fez pra ser secretária estadual da Educação.....

De São Borja


Cristhopher Goulart, neto de Jango, que fez 5.829 votos pra deputado estadual na última eleição, quer ser candidato a vereador ou a prefeito de São Borja.

Andou se informando com um assessor da Câmara de Vereadores local quanto ganha um edil( cerca de 3.500,00 reais)

E o neto de Jango que fez quase 3 mil votos em São Borja, também se informou sobre o salário do prefa( cerca de 12 mil reais).

Cristhoplher está em São Borja. Na última terça-feira teve uma mini discussão com Letier Vivian, que trabalhou na campanha de Juliana Brizola, parente do neto de Jango. Tudo porque Cristhopher ficou provocando que ele fez 3 por um contra a parente na " Terra dos Presidentes".

O cenário da encrenca: o local onde mais se fuxica em São Borja, o La Barca, no centro da cidade, do Chita....


Oigalê

Aí vai a dica do colega Wolmer!


Olides, como costumas dar atenção a coisas e gente de São Borja, recomendo que dês uma olhada no site http://www.oigale.com.br
É de uma cooperativa teatral e emite conceitos muito estranhos sobre São Borja e sua população. Sigo sendo visitador diário de teu magnífico blog.
Abraços. Wolmer Jardim.

Coleguinhas

Amoleceram o coração do

Geisel!



O Serginho, que os fatos não me desmentem, adora um poder....

Quem não gosta...!!!!!

Eis ele nesta foto , em 1974, com o seu conterrâneo de Bento, o General Geisel, no dia que o "alemão" como era chamado na caserna topou fazer sua foto oficial de Presidente da República.

Como se pode deduzir, Serginho está de trololó, como dizia o Zé Serra,contando pro Geisel suas aventuras de quando jogou na ponta-esquerda do Grêmio.

Geisel,claro, fingia que acreditava e ria....

A história desta foto é a seguinte: O presidente Geisel resistia a ser fotografado até que um o secretário de Imprensa, Humberto Barreto, avisou o SErginho, chefe da Manchete em Brasília:
- Amanhã aqui na biblioteca do Planalto o homem faz a foto. Mas avisa teu pessoal que é só 15 minutos.

Serginho ligou pro Rio e avisou o JAQUITO( diretor da Manchete, sobrinho do dono, Adolpho Bloch):
- Manda o fotógrafo pra Brasília

Nicolau Drew voou naquela noite pra capital federal.

No dia seguinte, na biblioteca do Planalto, quando Geisel perguntou ao Serginho quem ele era e ele disse que era filho do Miguel Ros, o alemão se derreteu:
- Ele começou a me perguntar pelo Fasolo, pelo meu pai, por todo aquele pessoal de Bento...

Na vida do Serginho, hoje Bento é só um retrato na parede, como disse Carlos Drummond de Andrade, de sua terra natal, Itabira.

Mas naquelas circunstâncias ser de Bento lhe abriu as portas e ele teve muito acesso as fontes de notícias( e de anúncios) pra Manchete durante o governo Geisel.

Ah, em tempo: de 15 minutos, a sessão de fotografia durou 2 horas.

Geisel, que não era chamado a muito salamaleque de fotógrafo, deixou-se fotografar de tudo quando era jeito que o Nicolau sugeriu e pedia...

Amoleceram o coração do alemão!

A foto que publico está no livro No Planalto, com a Imprensa, publicado pela Secom, este ano.

Eleições na Argentina

De Buenos Aires
Gelson Farias

Na Argentina as eleições presidenciais ocorrerão em Outubro de 2011


A morte de Nestor Kirchner ajudará Cristina a continuar no poder

O chefe de gabinete argentino, Aníbal Fernández, afirmou que com a morte de ex-presidente Nestor Kirchner, o caminho ficará aberto para a presidente de a Argentina Cristina Kirchner concorrer à presidência pelo PJ (Partido Justicialista) em 2011. De acordo com ele, o governo “continuará se a sociedade quiser, e como os argentinos não se suicidam”, afirmou, em alusão a uma suposta vitória da oposição, “não tenho dúvidas que vamos ganhar”, antecipou o funcionário. Fernández também disse que os setores da oposição que pregam o fim do “Kirchnerismo” irão “se decepcionar bastante”, e afirmou que, como o oficialismo produziu uma transformação no país, “esses setores estão contrariados, pois eram privilegiados anteriormente”.



Aníbal Domingues Fernandez ( foto)


Adversários
Os candidatos presidenciais serão definidos em eleições partidárias internas, realizadas dentro de um ano, dois meses antes das eleições gerais de outubro de 2011. O prefeito de Buenos Aires, Mauricio Macri, deve ser um dos principais rivais de Cristina Kirchner nas eleições. Ele, que atualmente enfrenta acusações por um escândalo de espionagem, anunciou no início do mês que concorrerá à presidência pelo partido de centro-direita União PRO.

Como sacolejar o esqueleto ao ritmo do musical Evita
“Voltarei e serei milhões”. A lenda diz que Evita pronunciou essa frase segundos antes de morrer. Os “milhões”, indicava o mito, eram os milhões de trabalhadores que viriam reclamar suas conquistas. Mas, na realidade, transformaram-se nos milhões de dólares gerados anualmente por este ícone pop.
Peronistas de todo tipo tentaram usar a imagem de Evita. O neoliberal ex-presidente Carlos Menem citava Evita como exemplo a seguir. A presidente Cristina Kirchner cita Evita como exemplo a seguir.
Candidatos afinam estratégias para disputa eleitoral


Carlos Reutmann. Estou avisando que serei o presidente


Outro possível candidato é o ex-piloto de Fórmula 1 Carlos Reutemann, ex-governador da província de Santa Fé e o peronista com a melhor imagem pública. O vice-presidente Julio Cobos também poderá concorrer ao principal cargo do país com o apoio dos radicais e dos social-democratas. Na Argentina, para evitar o segundo turno, um candidato precisa obter ao menos 45% dos votos, ou 40% com uma liderança de 10 pontos percentuais do candidato seguinte.


A presidente Cristina Kirchner e o marido, o ex-presidente Nestor, falecido recentemente.


A eleição presidencial na Argentina ainda vai demorar um ano para ocorrer, mas os possíveis candidatos já estão ocupados costurando alianças, fazendo comícios e viajando pelo país em busca de apoio. O partido peronista, no poder desde a eleição de Néstor Kirchner em 2003, ganhou força nos últimos meses graças a uma retomada econômica e a generosos gastos na área social da presidente Cristina Kirchner.
No momento, as preocupações com inflação alta e a criminalidade são vistas como fatores que podem afetar a possível candidatura de da atual presidente Cristina Kirchner a um segundo governo em 2011. Seus rivais - uma miscelânea de peronistas dissidentes, candidatos de centro-direita e esquerdistas - ainda lutam para se colocar dentro do radar dos eleitores. No entanto, até o momento, os esforços da oposição ainda não conseguiram produzir um candidato capaz de representar um desafio a Kirchner.
O prefeito de Buenos Aires, Mauricio Macri, visto como o adversário mais forte está envolvido num escândalo envolvendo grampos telefônicos que poderá afetar suas ambições presidenciais. Líder do partido de centro-direita União PRO e ex-presidente do Boca Juniors, Macri acusou o governo de buscar manchar sua reputação. Jogo de dois tempos No entanto, apesar da falta de um concorrente dentro e fora do governo no primeiro turno, analistas políticos afirmam que as altas taxas de desaprovação a Kirchner podem dificultar sua vitória em um segundo turno.


Mauricio Macri. Vou ser o presidente das mãos limpas.


"Os maiores problemas do atual governo, não vêm da oposição. Suas principais dificuldades surgem com o alto nível de rejeição enfrentado por uma parte na sociedade", disse o analista Pascual Albanese, do Instituto de Planejamento Estratégico (IPE), uma empresa de consultoria privada.
Analistas políticos afirmam que, embora os anúncios de candidatura e mudanças de última hora, a morte de Nestor Kirchner o cenário básico já está desenhado para a eleição de outubro de 2011. Roberto Stark, da Infomedia Consulting, afirmaram que há três principais facções movendo-se para a eleição - defensores do governo, peronistas dissidentes e os que apóiam o partido de centro União Cívica Radical (UCR).
"Em princípio, a cena eleitoral está dividida nesses três níveis", afirmou ele.
Dentro da facção governista, Kirchner é visto como o candidato de maior peso, embora Cristina recentemente tenha sugerido a possibilidade de concorrer à reeleição.



“Esta é a bandeira mais bonita Del mundo”


Os senadores argentinos aprovaram a nova lei de meios de comunicação do país. A íntegra mantém o texto do projeto do governo da presidente Cristina Kirchner que tinha gerado fortes críticas da oposição. Para eles, muitos artigos podem gerar batalhas judiciais.

A Lei de Meios, como foi batizada, teve 44 votos a favor e 24 contra.

Entre as mudanças trazidas está, por exemplo, que proprietários de meios de comunicação deverão optar entre empresas de TV aberta e a cabo, numa mesma região, e vender um investimento ou outro no prazo de um ano. O texto estabelece ainda limites na quantidade de informações regionais e nacionais na programação das emissoras de rádio e de televisão. O que provocou a reação de rádios como a “Cadena 3”, da província de Córdoba, que tem conteúdo nacional.

Foram mais de dezoito horas de debates e integrantes da oposição indicaram que muitos artigos poderão terminar em “batalhas judiciais”, como afirmou o senador opositor Emilio Rached, da Frente Cívico.
Para a oposição, o Grupo Clarin, o maior do país, é “o alvo” da medida do governo. E deverá escolher entre o canal 13 e a emissora de TV a cabo, TN (Todo Notícias). Recentemente, a TN colocou mensagens no ar, dizendo que “pode desaparecer”. Nos últimos dias, a presidente Cristina defendeu a lei do governo em diferentes discursos e afirmou que a Argentina vive tempos de “fuzilamento midiático”.





Clarim e La Nación, e Perfil, não deixam a presidente Cristina Kirchner em paz.


Os jornais argentinos, entre eles Clarin, La Nación e Perfil, têm publicado, com freqüência, matérias apontando casos de irregularidades de integrantes do governo e ainda questionando a declaração de renda do ex-presidente Kirchner e da presidente, que se multiplicou enquanto no poder.

Cristina Kirchner foi eleita presidente com excelente votação, vencendo no primeiro turno com 46% dos votos. Contudo, seu governo tem sido marcado por conflitos políticos. Disputas com o agronegócio, em função da proposta de aumento dos impostos sobre o setor, paralisaram o país no início de 2008 e resultaram em bloqueios de estradas, protestos contra a presidente e falta de alimentos essenciais, como carne e leite. A popularidade da presidente despencou para 20% e atualmente está ao redor dos 30% - um dos piores índices da América do Sul, onde mandatários como Lula no Brasil e Álvaro Uribe na Colômbia ultrapassaram os 80% de aprovação.

A crise com o agronegócio fragilizou a base de apoio do governo no Congresso. Parlamentares de províncias onde a agricultura tem peso econômico romperam com a presidente e votaram contra sua proposta tributária para o setor. O voto decisivo foi dado pelo próprio vice-presidente, Julio Cobos, que desde então tem uma relação difícil com o chefe de Estado. Além das disputas com o agronegócio, Cristina Kirchner enfrenta problemas de confiança, devido às denúncias de corrupção contra altos dirigentes do governo e de seu partido, e pelas acusações de manipulação dos índices oficiais de inflação – estimativas independentes apontam que ele seria pelo menos o dobro do valor apontado oficialmente. Tais dificuldades não só afetou sua popularidade, como também prejudicaram a imagem internacional da Argentina, com a desvalorização dos títulos públicos do país nos mercados financeiros.

Crise

Os efeitos da crise econômica internacional agravaram a situação do governo argentino. Cerca de 2/3 das exportações do país são concentradas em produtos primários agrícolas, minerais e combustíveis, cujos preços caíram bastante em função das turbulências globais. As autoridades reagiram adotando uma série de medidas protecionistas, para tentar equilibrar a balança comercial. Mas essas decisões têm causado longas discussões com o principal parceiro comercial da Argentina, o Brasil, que foi atingido em setores importantes, como o têxtil. O aumento das barreiras não tem resultado em recuperação da indústria argentina, mas no crescimento de importações das nações asiáticas, sobretudo China e Índia, que têm explorado com habilidade as oportunidades trazidas pelas disputas.

A crise também traz preocupações fiscais para o governo argentino. Os gastos do Estado foram muito ampliados como parte da estratégia de recuperação após o abismo de 1998-2002. Foram criados programas sociais como o Chefes e Chefas de Família (semelhante ao Bolsa Família brasileiro) e lançados incentivos oficiais às indústrias. A malfadada tentativa de aumentar os impostos sobre o agronegócio visava a remediar o déficit fiscal. Com o fracasso da iniciativa, o governo se vê em situação difícil, ainda mais porque os mercados financeiros consideram o país com desconfiança, devido à história recente de instabilidade e não-pagamento da dívida externa, e dificilmente concederão novos empréstimos.

Contudo, mesmo com a morte do marido, um grande e amigo das horas difíceis, Cristina Kirchner tem a vantagem de enfrentar uma oposição dividida em coligações frágeis, que reúnem de peronistas dissidentes a adversários de direita (o partido Pro, do prefeito de Buenos Aires, Maurício Macri), centro (a União Cívica Radical, dos ex-presidentes Raúl Alfonsín e Fernando de la Rúa) e esquerda (Coalizão Cívica, da deputada Elisa Carrió, a segunda colocada na última disputa presidencial) do atual governo. A presidente joga suas cartas mais importantes na capital e na província de Buenos Aires - nesta última, se estivesse vivo, seu marido, o ex-presidente Néstor Kirchner, sem dívida iria liderar liderar a lista partidária. A região é tradicionalmente um bastião do peronismo, pela presença de bairros de trabalhadores e forte atividade sindical. Ao antecipar as eleições em quatro meses, o governo aposta em sua melhor capacidade de organização, sobretudo para retomar a influência sobre peronistas dissidentes. Essa característica pode se mostrar decisiva, em cenário onde os partidos de oposição são em sua maioria bastante recentes e ainda não consolidaram o apoio de setores expressivos da população.



Sob a foto de Eva Perón, a presidente Cristina Kirchner e Hugo Moyano - poderoso líder da CGT (a maior central sindical argentina)

Emilia Delfino, autora de “O homem do caminhão”, biografia de Moyano, ressalta que o líder da CGT “é um homem simples, mas maquiavélico. Ele primeiro bate. E aí, depois, é que ele negocia”.


Bares que viraram lenda


O RESSACA


Só podia ser coisa de bebum, mesmo: criar um bar só para eles beberem. Pois isto aconteceu com o Ressaca, no meio dos anos 70. Localizado na Luiz Afonso, esquina com avenida João Pessoa, pertenceu a Helinho Wolfrid, um grande " gozador" e a José Antônio Daudt, um comunicador que tinha seu lado boêmio.


- Eu cheguei prum amigo de saudoso memória, o José Antônio Lopes Daudt e lhe propus: nós tínhamos que abrir um bar pra sustentar nosso vício, lembra hoje o Helinho Wolfrid, que tem uma loja no Shopping Tottal(onde era a Brahma, que coincidência!)

Eram tempos de tédio e de ditadura. E cabe lembrar o dito pelo poeta W.H.AUDEN em THE AGE OF AUXIETY: " Quando o processo histórico se interrompe...quando a necessidade se associa ao horror e a liberdade ao tédio, a hora é boa para se abrir um bar".

Curta duração

O Ressaca teve curta duração. De 1972 a 1975, mas muitos ainda o lembram:seus frequentadores eram os jogadores do Grêmio, Cói Lopes de Almeida, um gremista fanático,Tatata Pimentel,Roberto Gigante, entre outros.

Como começou:

A narrativa é do Helinho Wolfrid:

Vocês fizeram um bar para vocês mesmo?
- Isto é verdade, é verdade. Eu já era empresário em outro setor completamente diferente mas era um jovem com bastante saúde e gostava muito de sair à noite para tomar uns aperitivos fortes.Tinha uma turma muito grande que se reunia no bar Paraná na Protásio Alves onde o gerente que atendia era um gordo chamdo Gino Faustino Antonell, o Franchischini que se apresentava sobo título de conde.

O bar Paraná tinha uns croquetes muito bons até uma certa hora da noite depois ficavam ruins que era quando a dona Xandoca, a cozinheira, começava a transpirar. Dizem que ela pegava uma porção de carne moída e na altura da axila com o movimento circular do braço fazia o croquete que era jogado na plataforma de azeirta muito quente ou banho muito quente.

Então nós lá no Paraná que ficávamos até mais tarde para completar a quota de chopp que tomávamos os croquetes iam piorando de qualidade conforme dona Xandoca suava mas ainda assim era muito bons.
Acontece que se ganhava pouco e se bebia cada vez mais e a conta começou a consumir o salário da gente ...a conta no bar Paraná começou a matar o salário da gente.
Helinho Wolfrid conta: Eu disse ao Daudt que se abríssemos um bar poderíamos sustentar nosso pequeno vício e dava até pra lucrar e comprar um carro, lembra Helinho, na entrevista, que só é interrompida de vez em quando pra tomar algum comprido, dos 39 que os médicos o obrigaram a tomar.

- Daudt concordou com minha idéia e no outro dia sai a procurar um lugar:na esquina da João Pessoa com Luiz Afonso, na cidade Baixa, havia um local com uma placa de aluga-se

Tiveram sorte a dupla de sócios: o local tinha quase tudo pronto.tinha cadeiras, instalações, porque no local havia funcionado um b ar que não tinha dado certo.

Helio Wolfrid que nunca tinha empreendido na vida deixou tudo a cargo do contador:em apenas 10 dias estávamos abertos, recorda ele.

José Daudt levava para o novo point dos dois amigos de colegas a diretores da RBS como Fernando Ernesto Correa.

Mesmo tendo funcionado de 1972 a 1975, até hoje se contam façanhas deste bar: o convite de inauguração foi mandado fazer na gráfica da Venâncio Aires, a Santa Terezinha e ele era um deboche a ditadura miltiar.

Não se conhece ninguém que tenha uma relíquia destas guardadas. Helinho Wolfrid diz ter uma, mas não a encontra em seus escondidos que tem em casa. O jornalista Carlos Pires de Miranda, que era da turma, não se lembra do convite.


"DEsastre"

Quem se lembra do Carlos Pires de Miranda no Ressaca é o garção Orlando Modulo Justo, que por causa do apelido que o Miranda lhe pôs, nunca mais chamaram ele pelo nome de batismo: só por Desastre, que foi o apelido que o Miranda lhe deu:

Desastre conta como nasceu seu apelido:
- Vim do interior em 1962 e em 1972 comecei a trabalhar na copa do Ressaca. Eu queria trabalhar como garção,mas os donos, o falecido José Antônio Daudt e o Helinho Wolfrid não queriam. Eu pedi para o jornalsita Pires de Miranda me dar uma força.Ele falou que ia tentar, mas se desse resultado, ia ter um apelido. Perguntei qual seria e ele falou que seria DESASTRE. Eu topei,s e era pra conseguir a promoção, eu aceitava.

Desastre lembra que o Ressaca juntava de tudo um pouco, mas muitos carnavalescos ligados a comunicação como Claudio Brito, que na época era narrador de esportes,Sérgio Ivan Borges e o Mathias Flach( então delegado de Tóxicos) que eram todos do júri do Carnaval. Também eram habitués do Ressaca o Soneca, o Paulo " Pato", o Bayard, o falecido Paulo Rogério Amoretti, e a turma do Touring Clube que ficava do lado.

O Ressaca fechou em 1975, porque fazia muito barulho.


A amizade entre Helinho e Daudt começou em 1968, quando Daudt apresentava um programa de auditório chamado de " Sexta-Feira 12". Daudt viu no amigo qualidades de comunicador e o indicou para assumir o programa " Atire a Primeira Pedra" que entrava no lugar do " Show do Gordo" do Ivan Castro.

Antonio Gouart refere num memorial da imprensa gaúcha que o Ressaca" transformou-se num reduto de intelectuais e de gente de imprensa".

É verdade: no ano de 1973/74, até os repórteres de ZH que cobriam carnaval, que acontecia na João Pessoa, faziam seus lanches no Ressaca. Eu conheci o bar.

Com a fama,vieram as invenções dos donos. Criaram um torneio: Proprietários X Clientela pra saber quem bebia mais.Ou seja, número de copos ou de doses consumidas de cada lado.
O Ressaca durou de 1972 a 1976(ou seia 1975?).
De lá os donos se mudaram para outro bar o " OuroVelho" na Getúlio Vargas, em parceria com Airto Fagundes.

Este lado de dono de bar do falecido Jornalsita Daudt refere bem a sua faceta de ter um lado seu oculto.Publicamente ele dizia que não era festeiro,não sou homem de andar em festas e em bares." Volto ao meu trabalho,dizia Daudt, como água de olaria..que não pára o dia inteiro de rolar".

Ficaram,lembrou Wolfrid,famosas as feijoadas que eles faziam,de graça, sempre às segundas. Mas quem ia lá comer, tinha que se submeter ao ritual de apreciar uma boa feijoada, com direito a capirinha na abertura dos trabalhos.

Grande ressaca!

Meu desejo é que ao ler esta reportagem,alguém me obsequie com uma cópia do convite de sua inauguração!!!!!

Senado esgota títulos na Feira


Carlos Augusto Bissón

Os funcionários da Gráfica do Senado Federal que vieram de Brasília para montar uma barraca na Feira do Livro comemoravam, ontem à noite, o resultado das vendas. De um catálogo de 130 títulos que inclui clássicos da historiografia e do memorialismo nacionais, eles conseguiram esgotar todos os exemplares disponíveis de vários títulos. Entre estes campeões de vendagem, figuram Viagem ao Rio Grande do Sul (Saint-Hilaire), Um passeio pela cidade do Rio de Janeiro (Joaquim Manoel de Macedo) e Diário de minha viagem à Filadélfia -1798-1799 (Hipólito José da Costa). O pessoal da Gráfica ficou exultante com o fato de que até conseguiu esgotar as duas remessas da História da Literatura Ocidental, de Otto Maria Carpeaux (1900-1978). O mais notável é que as mais de 2.000 páginas de Carpeaux eram oferecidas a 200 reais. Todos estes títulos foram mencionados em matéria anterior deste site. Quem não teve a saída que a Gráfica do Senado esperava foi Atualidade de Alberto Pasqualini, do Senador Pedro Simon. Eles acreditavam que o prestígio de Simon no RS impulsionasse as vendas.


NOVO VOLARE DW9 É APRESENTADO
NO FESTIVAL DO TURISMO DE GRAMADO

Modelo possui plataforma Mercedes-Benz

Caxias do Sul (RS), 16 de novembro de 2010 - O novo miniônibus Volare DW9 será o destaque da marca na 22ª edição do Festival do Turismo de Gramado, que acontece nos dias 19 e 20 de novembro, no Centro de Feiras e Eventos Serra Park. O modelo apresentado, o primeiro da marca com plataforma mecânica desenvolvida pela Mercedes-Benz e na versão Turismo, possui configuração interna para 27 passageiros.

Externamente, o novo Volare DW9 é idêntico ao tradicional W9, que continua sendo fabricado com plataforma Agrale, assim como os V5, V6, V8 e W8. Segundo o diretor da Volare, Nelson Gehrke, a marca produz veículos completos, ao contrário dos demais miniônibus disponíveis no mercado.

"Fechamos uma parceria com a Mercedes-Benz para o fornecimento de um conjunto-plataforma especialmente desenvolvido para o nosso produto e diferente do chassi comercializado pela montadora em sua rede de concessionários. O objetivo é ampliar a oferta de modelos para o nosso cliente", explica o executivo.

O Festival do Turismo de Gramado terá feira e congresso e deverá reunir participantes de cerca de 30 países e 2.600 marcas, expostas nos salões de Ecoturismo e Turismo de Aventura, Tecnologia, Turismo Rural, Saúde, Salão Místico, Religioso e Esotérico, Cultural e GLS.

Secco Consultoria de Comunicação


Nico profético

Na última vez que vi o apresentador Nico Fagundes foi na cancha acústica do Teatro São Pedro. Estava meio de arrasto, mas faceiro porque ia pra Patagônia. E profetizou:

- Esta será minha última cavalgada.

Acho que acertou na mosca.Ontem seu estado de saúde inspirava cuidados.


Leitor qualificado

Hermes Dutra, ex-vereador do PDS de Porto Alegre, e hoje coordenador da bancada do PP na Assembléia Legislativa é leitor deste blog o que aumenta nossa responsa...



Coleguinhas


Rosane Marchetti está acompanhando o governador eleito Tarso Genro pelo seu périplo na Europa. DEve ter perdido o medo de voar de avião porque no meio da década de 80, eu fui ao Rio de Janeiro acompanhar o secretário dos transportes, Adão Faraco, para um encontro no BNDES.A Rosane embarcou no mesmo vôo e no aeroporto me pediu pra sentar ao meu lado, porque tremia de medo de avião.

No Galeão, ela tomou um táxi pra TV Globo onde ia fazer um curso e nós fomos pro centro do Rio!


Almoço da Abrajet

É hoje ao meio dia o almoço da Abrajet, que alguns maliciosos como o Santarosa chamam de " Abrajanta". No cardápio, o verão em Santa Catarina....


O caso Vladô
O lado oficial...

Completou-se 35 anos da morte de Vladimir Herzog, no último dia 25.10

No livro No Planalto,com a Imprensa, o então chefe de imprensa do presidente Ernesto Geisel , Humberto Barreto,dá o lado, a versão do Governo sobre o desenrolar dos fatos....


Pergunta :
Outra interferência sua foi no caso Herzog, não?

- Não sou uma pessoa que ignorava a possibilidade de ter havido alguma tortura...Pode-se falar em interferência porque um jornalista perguntou: " Você acha que foi suicídio?" Eu disse que não. Eu não tinha informação, mas achava que não podia ter sido. Como um sujeito se enforca com as pernas encostadas no chão?

E a imprensa divulgou?

- Não, ninguém comentou nada. O jornalista era pessoa de confiança e eu sabia com quem podia falar.

Sua participção noc aso Herzog foi restrita ao comentário com os jornalistas?
- Havia ocorrido a morte do jornalista Vladimir Herzog. O presidente estava com viagem marcada para São Paulo no dia seguinte ao fato. Ele me chamou e disse:" Olha, vai na frente,hoje, conversa com os jornalsitas, porque não vou de3smarcar a viagem; vou cumprir todo o programa, conversar com ogovernador e com o Ednardo d'Avila Mello, comandante do EXército em São Paulo.

Isso não pode acontecer. Então fui, jantei com o presidente do sindicato dos jornalistas, Audálio Dantas, e com Marcos Sá Corrêa. Nós três conversamos,trocamos idéias e no dia seguinte, o presidente cumpriu todo o programa predeterminado, após o que fomos ao palácio do governador, onde ele teveuma conversa reservada com o general Ednardo, de umas ou menos duas horas. Dali saímos para o aeroporto e embarcamos para Brasília. Quando o avião decolou, o presidente me chamou à cabine presidencial, onde ele me contou a conversa com o general, de quem era muito amigo e colega de turma. O general Ednardo era uma pessoa, vamos fazer justiça, que nos ajudou muito.]]Voltemos à conversa entre os dois. Primeiro falou o presidente: " Olha, Ednardo, você não saber...isso não pode acontecer! Você pode não ser o culpado, mas é o responsável, porque o comandante é você. Portanto,fique avisado: não quero que isso aconteça mais!" É a mesma história: " sim, senhor".
Após cerca de três meses, aconteceu a morte do Manoel Fiel Filho, um operário de São Paulo. Foi de domingo pra segunda. Eu não sabia de nada, só fui saber de manhã cedo, quando cheguei ao Planalto.
O presidente me chamou ao seu gabinete e disse: " Prepara ai, porque aconteceu isso, não dormi a noite inteira. O Paulo Egydio havia me ligado às onze e meia. Fiquei acordado, pensando que atitude tomar. Se não tomar uma atitude rápida, perco o controle da situação. Então,r esilvi: vou demitir o EDnardo agora! Pode preparar o pessoal, que já vou assinar o decreto. Eu não vou chamar o Frota".
E aí como era esperado,cresceu uma onde de maneira assutadora. Folhetos e panfletos foram distribuídos nos quartéis,dizendo que ele era comunista, tinha ficado contra os colegas, ao lado dos inimigos, uma total confusão: não foi fácil, não!

Quando esses que estão aí hoje batem no peito e dizem que " conquistaram a democracia", simplificaram em demasia os fatos, pois nós não conquistamos nada.
Vamso devagar. Não foi bem assim. De qualquer maneira, um dia iríamos conquistar tudo, não podia ficar aquela desgraça mesmo...nós fizemos muito pouco, apenas apoiamos tudo o que o Geisel estava fazendo. Quando ele demitiu o Sylvio Frota, todo mundo achava que ele ia cair. No entanto, o pessoal naõ reclamou. Agora, eu digo,bastava ele dizer assim: " Meu sucesso é o general Sylvio FRota e pronto".
Cadê a conquista nossa? bastava isso. O Brasil chegaria lá,mas não sei a que preço. Esse aí é que é o grande problema; mas era o grande projeto dele,acho que foi o principal, no seu governo. Na área econômica, também fez muita coisa, tudobem, mas não era o que mais interessava. O problema maior de todos era a vigência do AI-5. A vitória maior dele, do presidente Geisel, foi,portanto, extinguir o AI-5 ,aCABOU TUDO. e ELE Não fez a anistia porque não quis. Porque quis prestar uma homenagem ao Figueiredo."


De Canoas para o Mundo

Olides, os jornais do Rio e São Paulo estão colocando em manchetes que o banco Panamericano do Sílvio Santos pagava juros de 28% ao ano a um empresário. Não sei o que os jornalistas acham tão estranho nesta porcentagem. O mesmo banco cobrava 238% ao ano em seus cartões de crédito. Não foi por este lado o furo.

Aqui, no RS parece que acabou a oposição, com o Tarso seguindo a receita do Lula. Só o DEM e o PSDB vão ficar a ver navios. Aqui como lá.

Se eu sou a Manuela vou armando um grande plano para Porto Alegre, por que, quer queira, quer não vai ser a prefeita desta cidade em 2012. Limpar o Guaíba e tornar Porto Alegre a "Cidade das Águas" iria deixar a jovem senhora prontinha para vôos mais altos. Em torno de um Guaíba limpo daria para fazer uns 20 balneários, com centenas de hotéis e atrações para milhões de turistas. Está na hora dos porto alegrenses pensarem alto.

Aqui em Canoas, devagarinho o PT vai colocando as coisas nos eixos. Ao assumir o Hospital da Ulbra a prefeitura faz o correto para garantir o atendimento da população.

Remindo Sauim

Tarso se reúne com investidores e intelectuais em Madri


Em um dia de agenda intensa, o governador eleito do Rio Grande do Sul teve um encontro com empresários e investidores na tarde desta terça em Madri. A receptividade dos espanhóis aos projetos e perspectivas do Estado animou os membros da comitiva gaúcha.

Tarso recebeu dos sócios espanhóis da Ventos do Sul Energia a confirmação da sua intenção de dobrar a capacidade de geração do parque eólico de Osório. O número de aerogeradores, hoje em 75, chegaria a 150. “ É possível garantir a parte do governo nesse investimento através da utilização do novo Fundopem, que será restruturado pelo nosso governo”, afirmou Tarso.

Outro grupo de empresários demonstrou interesse na revitalização do Cais Mauá, tema de disputa entre o atual governo e a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). “O interesse em revitalizar a área do cais existe,” disse o futuro governador, “mas são necessárias todas as garantias jurídicas para que não haja prejuízo ao Estado ou aos investidores”.

Reunião com intelectuais e movimentos sociais

Pela manhã, acompanhado do Embaixador do Brasil, Paulo Campos, Tarso participou de um grande encontro com intelectuais, pesquisadores, representantes de fundações, entidades sindicais e diplomatas na embaixada em Madri. No seminário “Direitos Sociais, integração econômica e democracias contemporâneas” foram discutidas formas de inovação da gestão pública, visando a ampliação da participação da sociedade, a transparência e a eficiência.

“A colaboração intelectual e acadêmica também integra uma visão inovadora e transformadora da gestão pública neste inicio de século”, destacou pelo Twitter o assessor de Tarso, Vinícius Wu.

No encontro o governador eleito destacou que o Rio Grande do Sul vai retomar o papel de protagonista nas discussões dos assuntos estratégicos para o Estado e para o Brasil, além de voltar a ser referência na aplicação de políticas públicas para as áreas de educação, saúde, segurança e justiça social.

“Na medida em que o Rio Grande do Sul passa a ter uma projeção ainda maior no cenário internacional, os reflexos para a economia são imediatos. Isso aconteceu em Porto Alegre em função do Orçamento Participativo e do Fórum Social Mundial”, ressaltou Tarso.

Nesta quarta, a comitiva do governador parte para a capital portuguesa, Lisboa, onde o governador terá mais uma série de reuniões e encontros em busca de recursos e parcerias para o Estado.

Mais informações em www.blogdotarso.com.br e www.rs13.com.br
twitter.com/tarso13
(051) 3323 8900


Porto Alegre leva clima do Mundial a Gramado



Cidade-sede da Copa 2014, Porto Alegre fará do futebol sua identidade visual no 22º Festival de Turismo de Gramado, que começa nesta quinta-feira, 18, na cidade da Serra gaúcha. Da grama sintética que cobrirá o piso do estande de 32 metros quadrados às camisetas do Internacional e do Grêmio que serão usadas pela equipe de atendimento da Secretaria Municipal de Turismo (SMTUR), tudo remeterá ao clima do Mundial na ação promocional da Capital gaúcha.

O estande ocupará quatro módulos da feira, no Serra Park, localizados entre as ruas Girassóis e Jardim das Tuias, e será ambientado, externa e internamento, com imagens das torcidas dos dois maiores times gaúchos e de pontos turísticos da Capital. O público encontrará no espaço uma animação especial e a oportunidade de uma experiência imediata com o esporte da preferência nacional no jogo eletrônico Pro Evolution Soccer 2010 (PES 2010), que será instalado no local em parceria com o Porto Alegre Convention & Visitors Bureau. Além disso, o visitante do estande poderá voltar para casa com uma das duas bolas oficiais de futebol, da marca Puma, que serão sorteadas durante os dias da feira, entre outros brindes.

A organização da feira do Festival de Turismo de Gramado prevê um público superior a 13 mil profissionais do setor.Para esse público especializado, Porto Alegre será também promovida nos kits de materiais de divulgação, compostos por folderes institucionais da cidade e de parceiros privados dos segmentos de hotéis, restaurantes, agências receptivas e de atrativos, como o Futeboltur, programa organizado pela SMTUR em parceria com o Inter e o Grêmio, agências de turismo e rede hoteleira de Porto Alegre na promoção de visitas guiadas aos estádios dos dois times.

Eliana Zarpelon (MTb 3821)
Coordenação de Comunicação


PORQUE BRIZOLA NÃO
GOSTAVA DO SEBASTIÃO NERY

Por Sergio Ross


Dias atrás, o Sebastião Nery esteve por aqui para lançar o seu 16ºlivro intitulado “A Nuvem:O que ficou do que passou”.
Comprei o livro mas ainda não o li. Estou no fim do livro do Celito, sobre o caso Klieman.
Mas o que eu quero contar aqui, é a história
da briga de Brizola com o Nery.
O Carlos Chagas foi quem me contou o motivo. Disse o Chagas, que logo que o nosso conterrâneo voltou do exílio, ficou amigo de
infância do Sebastião Nery. O Nery, querendo ser mais esperto do que Brizola,começou a se insinuar como futuro candidato ao governo do Rio de Janeiro. Brizola que estava deixando o
cargo depois de uma administração mais ou menos razoável,tinha um outro candidato. Aí o Sebastião começou a fazer fofocas. Brizola que não era muito chegado a esse tipo de papo e não queria ninguém a cima dele, resolveu cortar o mal pela raiz e desligou o Nery do PDT que logo se aproximou do Fernando Collor.
O Chagas me contou ainda,que várias vezes
tentou aproximar os dois,mas que Brizola não quis saber reatar a velha amizade...

UM FUTURO PAPA
VIVE EM BRASÍLIA

Por Sergio Ross

Não é piada não. O Olides vai dizer que estou mentindo. Não faz mal. A historia é a seguinte. Mesmo eu não sendo um católico, praticante,tenho vários amigos padres e que me contam histórias sensacionais.
Pois é,dias atrás eu estava em uma festa na Embaixada Russa e encontrei um velho amigo. Um padre muito bom de papo. Começamos a falar sobre política e acabamos falando de um futuro Papa. Pois não é que o homem me surpreendeu como uma historia sensacional.
Me disse ele, que em Brasília, o Vaticano está criando, com todo o carinho e sem grandes badalações, um futuro Papa. Não será o próximo,mas um Papa que logo logo,assumirá o comando da Igreja Católica.
Claro que fiquei curioso e insisti em saber o fim da história. Nesse momento chegou perto de nós um homem fortão,com uma batina muito bem feita,de um tecido muito fino e muito sorridente. Eu já havia sido apresentado a ele em uma outra oportunidade. Era o Don Lorenzo Baldisseri. Ele pertence ao serviço diplomático do Vaticano e é hoje o Núncio Apostólico.
É o homem que comanda a embaixada da Igreja Católica por aqui
Don Lorenzo é uma figura simpaticíssima. Toca piano como ninguém. É um artista. Em todas as festa
que vai,acaba dando uma canja e é sempre aplaudidíssimo. Já gravou um CD, cuja renda angariada é
distribuída para as igrejas da Amazônia.


Pois bem,depois conversou conosco. Quis
saber um monte de coisas do Rio Grande. Eu falei de Bento,da imigração italiana e sobre a guerra que a Igreja Católica está perdendo para os evangélicos. Aí então ele nos deixou. Foi conversar com um outro grupo.
O Padre meu amigo,me disse sem nenhum rodeio : Taí...você acabou de falar com um futuro Papa. É claro que eu ri e quis saber mais detalhes. O meu amigo depois de olhar por cima do meu ombro, para se certificar que não estava sendo ouvido por mais ninguém, continuou:o Don Lorenzo, está sendo observado pelo Vaticano hà muito tempo. Isso sempre acontece quando a Igreja pretende lançar alguém, em uma oportunidade futura, como candidato a Papa. Aí não me contive. Perguntei então,o porquê das reuniões dos Cardeais no Vaticano para escolherem o futuro Chefe da Igreja??? Meu amigo me respondeu,que na oportunidade, os cardeais recebem muitas informações e uma dessas informações é a que a Igreja discretamente está colhendo em Brasília sobre o Don Lorenzo.


Don Lorenzo nasceu em San Pietro in Campo em 29 de setembro de 1940. Já foi Núncio Apostólico no Haiti(1992-1995) no Paraguai (1995-2002),na Índia e Nepal(1999-2002). No Brasil foi nomeado Núncio em 12 de dezembro de 2002.
Meu amigo depois de pedir ao garçom mais uma taça de champagne, bateu no me ombro e sorridente se
despediu de mim. Mas antes de sair caminhando,olhou bem nos meus olhos e disse: vou indo, pois preciso trabalhar...Se eu entendi bem,o meu amigo é um dos que corre o mundo observando os candidatos a futuro chefes da Igreja...


FERIADÃO COM CHOCOLATES NO BEIRA-RIO

Por Luiz Oscar Matzenbacher

O chocolate do Sub-23 do Internacional nos 3X0 no Corinthians no Beira-Rio foi assistido por 13,2 mil torcedores, em pleno feriadão. O Inter venceu o 1º Campeonato Brasileiro de SUB-23 e logo em cima do Corinthians, com a torcida em festa.
Mas depois, no jogo principal, foi o Internacional que levou um chocolate, do Avaí. O representante dos ilhéus, desesperado para escapar do rebaixamento, foi para cima do Internacional, que continua levando gol em cima de gol no Brasileirão.
Entra quem quer, sem pedir licença, na área do Internacional, depois da conquista do bicampeonato da Libertadores. O Celso Roth vai ter que armar melhor a retaguarda rubra. Ou, o Inter voltará mais cedo de Abu Dhabi. No Mundial de Clubes de 2006, o zagueiro direito era o Índio, agora ele foi deslocado para a esquerda, na avenida deixada pelo Kléber, que sobe com eficiência para o apoio, mas, desde as venda do Sandro e do Tayson, não recebe a cobertura adequada.
O Índio, jogando pela direita, deu o lançamento que resultou no gol do Gabirú e do título mundial contra o Barcelona. Além de ter segurado o Ronaldinho Gaúcho em 2006. Foi através da fixação como meia direita, que o Giuliano foi o craque da Libertadores e permitiu que o Inter chegasse às finais.
Chega de invenção, Roth. O Bolívar joga muito bem pela esquerda, o Índio pela direita e o D'Alessandro joga melhor pela esquerda. Desentorta logo esse time, Roth!

Poesia!

Esta é a poesia de Homero de Almeida Bueno, de Veranópolis.
Ela ficou em primeiro lugar no 15º Concurso Mansueto Bernardi, na categoria Maturidade.
Fonte da foto: yogayahn.blogspot.com

A pedra

Para um instante, ó viajante,
E contempla o seixo que pegaste, distraído!
Não é uma pedra comum, sílica simples,
É a pedra primordial,
O começo e o fim de tudo!
Ela pariu Cronos, Thor, Santo Agostinho.
Lastreou as naus de Gama.
Foi esteio, base, de monumentos
Esfarelados pelo tempo.
Rasga teus livros,
Quebra o violino,
E retorna teu olhar a essa pedra,
Não é mina singela, é a pedra Elemental,
Zigoto cósmico.
Nela verás toda a sabedoria do universo,
Muito mais
Do que os sábios te disseram.
Volta, volta, e esquece tua insana busca.
Guarda essa pedra, no teu bornal de linho.
Não acharás no Mundo, nada mais
Que tudo contenha e que responda a tudo!

Fonte: http://www.oestafeta.com.br/editoria.php?cod=1238&pub=1 e http://desobedienciavegana.blogspot.com/

Show do Paul

O colega Bisson fez as dotos do cantor Paul no gigante da Beira Rio com sua sony 12 MP.

Diz ele que quem estava no show do Gigante( que os gremistas chamavam de " bóia cativa") e não conseguiu ver a movimentação de Paul McCarthey, tinha a opção de dois telões verticais,situados ao lado do palco.


Sei disto,c aro colega Bisson: em 88, também vi o show do Paul no Maracanã e vi tudo pelo telão. Só ouvia ele cantar, mas não o vi no palco. Estes shows em estádio ssão uma grande furada. Nunca mais me pegam....

Fotos do show histórico do Paul( como já dizem os mais íntimos do cantor) no Beira-Rio!

O maior fofoqueiro de celebridades internacionais, o Bissón, mandou as fotos!

 


Recados proClemar


1) Compro o livro e depois vejo como faço...o mais óbvio tu sabes,né, depoista a grana e eu envio pelo correio.

2) Não tem consumo interno. Adorei teu chasque, não ofende ninguém, por isto publico!


Oi amigo Olides, tudo bem?
Como faço para te enviar grana para comprares para mim o livro do Caso klimamm (?)e remeter. ou me vende o teu depois de lido. Tem gente aqui apostando que se a Feira do Livro durasse mais um pouco o Paixão Cortes te faria cruzar por dentro da argola do mango de um laçaço. (laçaço é tão nossa que é a única palavra com duas cedilhas que conheço) são corneteiros né?
(esta mensagem é de consumo interno).
Este negócio de laçaço tem uma muito engraçada acontecida com o Manuel Dubal (pai da Nadini Dubal) O Memeu dizia que um determinado candidato não alcançava a X votação e o seu secretário teimava que iria a mais. Lá em uma altura o secreta disse: - quer apostar? Apostar é com o Memeu.
vamos apostar o que? Vamos apostar um laçaço de rabo de tatu! Disse Memeu. Apostaram e o secreta perdeu. Não apareceu mais nem para acertar as contas. Sumiu da área.
Clemar Dias


"VVR 2010" - EXPO ÔNIBUS E CAMINHÕES ANTIGOS


Busólogo, vê se pode, mas existe.

Lá vem o Loko do Salomão com seus ônibus e calhambeques antigos.

"VVR 2010" - EXPO ÔNIBUS E CAMINHÕES ANTIGOS


PROGRAME-SE:

Exposição de ônibus antigo não é apenas para busólogo...
O maior evento de resgate da história dos transportes, realizado na Capital há seis anos, é fonte de pesquisa para estudantes, professores e uma viagem cultural ao passado. Prepare-se, dias 20 e 21 (sábado e domingo), no Memorial da América Latina
ADAMO BAZANI / CBN
O Memorial da América Latina, na Barra Funda, zona oeste da Capital Paulista, mais uma vez será palco nos dias 20 e 21 de novembro, sábado e domingo, da exposição denominada "VVR - Viver, Ver e Rever, A Evolução", uma iniciativa do Primeiro Clube do Ônibus Antigo Brasileiro, patrocinada pela Mercedes-Benz do Brasil Ltda.
Muito mais que um passeio de busólogo, pessoas que admiram ônibus e estudam esse meio de transporte público, o evento é uma oportunidade única de voltar ao passado, para as gerações mais antigas, ou de conhecer esse passado pela primeira vez, para as novas gerações.
Além disso, é importante fonte de pesquisa para estudantes, estudiosos e professores de diversas áreas, desde os segmentos técnicos até os humanos e comportamentais.
Isso porque cada ônibus antigo preservado pelas empresas, não é apenas um veiculo. Ele carrega um contexto, a representação de uma época.
Quem sabe disso na prática é o presidente do Primeiro Clube do Ônibus Antigo, entidade reconhecida e registrada oficialmente, Antônio C. Kaio Castro.
"As pessoas se mostram muito interessadas quando falamos que vamos expor dezenas de veículos antigos de transporte coletivo. Admiram-se dizendo que não faltariam a um evento assim" - disse Kaio.
Um dos principais motivos, segundo ele, é o papel que o ônibus tem na vida das pessoas, mesmo de quem não o utiliza constantemente.
"O ônibus marca vidas e marca épocas, ainda mais num país como o nosso cujos transportes urbanos baseiam-se no modo sobre pneus. Antes, como profissional do setor, eu via isso, há algum tempo, como organizador do evento, sinto isso: o ônibus é um dos principais elos da sociedade. Ele integra as pessoas entre elas e as liga não apenas ao trabalho, mas aos demais serviços e oportunidades oferecidas pela urbanização: à escola, à saúde, ao lazer, ao namoro ou mesmo a um trânsito menos congestionado. Imagine se todos que estão dentro do ônibus decidissem cada um pegar um carro de passeio também?" - explica Kaio.
No evento são apresentados diversos veículos, desde as jardineiras dos anos de 1920, passando pelos primeiros ônibus feitos de estrutura metálica, nos anos de 1940, mas ainda com chassi e dianteira de caminhão, pelo primeiro monobloco da Mercedes-Benz, o O 321, produzido em 1958 e que firmou o conceito de verdadeiro ônibus (e não veículos para passageiros sobre chassis de caminhão). A viagem continua pelos primeiros ônibus com carrocerias mais retas e práticas, fabricados nos anos de 1970, como o Caio Gabriela II, pelos veículos mais desenvolvidos fabricados a partir dos anos de 1980, a exemplo do luxuoso Diplomata 380, um exemplar do curioso Fofão, de Jânio Quadros, de 1987, o ônibus de dois andares da extinta CMTC até chegar a evolução, com a apresentação de um Volvo B 12 M, articulado, Marcopolo Viale, totalmente computadorizado e com sistema de controle de suspensão, inclinação de carroceria, elevação e agachamento dependendo do trajeto percorrido entre outras novidades.
Aliás, uma das características do evento é o fato de ele ser eclético. Além de mostrar várias épocas e, mesmo a Mercedes-Benz sendo a patrocinadora, são mostrados os legendários Ford e GMs, Volvos, Scanias e os próprios carros da Mercedes-Benz.

UMA OPORTUNIDADE DE RESGATAR TESTEMUNHOS DE ÉPOCA:

"Muito mais que mostrar a evolução industrial e tecnológica, os ônibus mostram o crescimento econômico e os costumes de cada época. Aquela jardineira de madeira, dos anos 20, nos faz pensar como era forma de vida desta fase. Como as pessoas se deslocavam para o trabalho num veículo simples, passando por ruas de terra e vencendo verdadeiros desafios." - exemplifica Kaio. Por isso a exposição é interessante para as diversas áreas do conhecimento, como a engenharia, a arquitetura e urbanismo, a antropologia, filosofia, entre outras.
Estudantes de diversos níveis, desde o básico ao superior, professores e pesquisadores terão oportunidade não só de verem os veículos antigos. Há também veículos importados, como os tradicionais ônibus escolares amarelos norte-americanos e verdadeiras relíquias, como o GM Coach, de uma igreja norte-americana, importado pela Turismo Santa Rita. O ônibus é um espetáculo. A carroceria de alumínio polido brilha e até reflete a imagem de quem chega perto.
Além de ônibus de diversas épocas há caminhões antigos.
O evento não é só para busólogo, mas também é para este grupo que tem como passatempo principal admirar essas gigantes máquinas de conduzir vidas.
É uma ótima oportunidade de conhecer este grupo de admiradores, trocar idéias e aumentar o conhecimento sobre os transportes.
Para os apaixonados por ônibus, comunidade que com o advento da Internet vem crescendo, há miniaturas em exposição e à venda, revistas, chaveiros, brindes, etc.
Kaio vai além e faz o convite
"Há muitas pessoas que gostam de ônibus e não são '"busólogos'" Isso eu posso garantir pelas experiências anteriores, das outras edições e convido a todos testarem essa sensação. Visitar o passado dos transportes vai fazer com que a pessoa saia com mais conhecimento das épocas, diferente até". A VVR, realizada desde 2004 numa garagem de ônibus, passou, a partir de 2007, a acontecer no Memorial da América Latina, graças ao incentivo da Mercedes-Benz do Brasil Ltda.
A imprensa terá atendimento especial durante todo o evento e poderá trabalhar com todo apoio.
SERVIÇO:
Evento: VVR - VIVER, VER E REVER - Exposição sobre a História dos Transportes
Data: Dias 20 e 21 de novembro (próximos sábado e domingo.
Local: Memorial da América Latina - Barra Funda - S. Paulo (ao lado das estações de trens da CPTM , do Metrô e do Terminal Rodoviário da Barra Funda)
ENTRADA FRANCA - FOTOS E IMAGENS PERMITIDAS
Ádamo Bazani, jornalista da CBN e busólogo

SAÚDE BUCAL


Laboratório de Próteses Dentárias começa atividades nesta quarta-feira

Uma solenidade na manhã de quarta-feira (17/11) dará início as atividades do Laboratório Regional de Próteses Dentárias em São Borja. O Laboratório será implantado junto ao Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), localizado no antigo Hospital São Francisco. A cidade será pólo e abrangerá os municípios de Barra do Quaraí, Itaqui, Maçambará, Manoel Viana, Santa Margarida do Sul e Santo Antônio das Missões. O recursos serão provenientes do Ministério da Saúde e da Secretaria Estadual da Saúde. O número total de próteses que poderão ser confeccionadas pode chegar a 242, englobando próteses totais e também parciais removíveis.

O laboratório é mais uma conquista para a saúde municipal. Na área odontológica, a Secretaria da Saúde (SMS) possui uma equipe com diversos profissionais realizando atendimentos gratuitos para a população. O CEO possui três cirurgiões dentistas e oferece serviços de média complexidade, periodontia, cirurgia oral, diagnósticos de patologias bucais, endodontia e atendimento à pacientes com necessidades especiais. Além dos três profissionais do CEO, a cidade conta atualmente com mais 15 cirurgiões dentistas: 13 nos ESFs; e dois cedidos pela Secretaria Estadual de Saúde, atuando junto ao CEMAE.

Crédito imagem: DECOM/PSB

Centro Especialidades Odontológicas

Prefeitura Municipal de São Borja


A REPÚBLICA PROCLAMADA POR ACASO

Por Carlos Chagas

Amanhã é dia de festa, de divulgação de versões patrióticas sobre a Proclamação da República, mas, também, de acertamos contas com a memória nacional.
O saudoso e incomparável Hélio Silva, dos maiores historiadores brasileiros, titulou um de seus múltiplos livros de "A República não viu o amanhecer". Contou em detalhes, fruto de muita pesquisa, que a República foi proclamada por acaso. As lições daquele episódio não devem ser esquecidas. Vale lembrá-las com outras palavras e um pouquinho de adendos que a gente colhe com o passar do tempo, junto a outros historiadores e, em especial, pela leitura dos jornais da época.
Desde junho que o primeiro-ministro do Império era o Visconde de Ouro Preto. Vetusto, turrão, exprimia os estertores do chamado "poder civil" da época, muito mais poder do que civil, porque concentrado nas mãos da nobreza e dos barões do café, com limitadíssimas relações com o cidadão comum. O Brasil havia saído da Guerra do Paraguai com cicatrizes profundas, a começar pela dívida com a Inglaterra, mas com novos personagens no palco. O principal era o Exército, composto em maioria por cidadãos da classe média, com ênfase para os menos favorecidos. Escravos aos montes também haviam sido libertados para lutar nos pântanos e charcos paraguaios. Nobres lutaram, como Caxias e Osório, mas a maioria era composta daquilo que se formava como o brasileiro médio.

Ouro Preto, como a maior parte da nobreza, ressentia-se daqueles patrícios fardados que começavam a opinar e a participar da vida política. Haviam sido peça fundamental na abolição da escravatura, em 1888. Assim, com o Imperador já pouco interessado no futuro, o governo imperial tratou de limitar os militares. Foram proibidos de manifestações políticas, humilhados e punidos, como Sena Madureira e tantos outros.

Havia, nos quartéis e em certos círculos políticos, um anseio por mudanças. Até o Partido Republicano tinha sido criado no Rio e depois em São Paulo, mas seus integrantes estavam unidos por um denominador comum: República, só depois que o "velho" morresse, pois era queridíssimo pela população. E quem passaria a mandar no Brasil seria um estrangeiro, o Conde d'Eu, francês, marido da sucessora, a princesa Isabel.

Cogitava, aquele poder civil elitista, de dissolver o Exército, restabelecendo o primado da Guarda Nacional, onde os coronéis e altos oficiais careciam de formação militar. Eram fazendeiros, em maioria. Os boatos ganhavam a rua do Ouvidor, no Rio, onde localizavam-se as redações de jornal.

Na tarde de 14 de novembro movimentam-se um regimento e dois batalhões sediados em São Cristóvão. Com canhões e alguma metralha, ocupam o Campo de Santana, defronte ao prédio onde se localizava o ministério da Guerra, na região da hoje Central do Brasil. Declararam-se rebelados e exigiam a substituição do primeiro-ministro, que lá se encontrava com seus companheiros. Comandados por majores, estava criado o impasse: não tinham como invadir o prédio, por falta de um chefe de prestígio, mas não podiam ser expulsos, já que as tropas imperiais postadas nos fundos do ministério não se dispunham a atacá-los. O Secretário-Geral do ministério da Guerra era o marechal Floriano Peixoto, que quando exortado por Ouro Preto a investir à baioneta contra os revoltosos, pois no Paraguai haviam praticado feitos muito mais heróicos, saiu-se com frase que ficou para a História: "Mas no Paraguai, senhor primeiro-ministro, lutávamos contra paraguaios..."

Madrugada do dia 15 e os majores, acampados com a tropa revoltada, lembram-se de que ali perto, numa casinha modesta, morava o marechal Deodoro da Fonseca, há meses perseguido pelo governo imperial, sem comissão e doente. Dias atrás o próprio Deodoro recebera um grupo de republicanos, com Benjamim Constant, Aristides Lobo e outros, aos quais repetira que não contassem com ele para derrubar o Imperador, seu amigo.

Acordado, Deodoro ouve que dali a poucas horas Ouro Preto assinaria decreto dissolvendo o Exército. Não era verdade, mas irrita-se, veste a farda e dispõe-se a liderar a tropa. Não consegue montar a cavalo, tão fraco estava. Entra numa carruagem e acaba no pátio fronteiriço ao ministério da Guerra. Lá, monta um cavalo baio e invade o prédio, com os soldados ao lado, todos gritando "Viva Deodoro! Viva Deodoro!" Saudando-os com o agitar o boné na mão direita, grita "Viva o Imperador! Viva o Imperador!". Apeia e sobe as escadarias, para considerar Ouro Preto deposto. Repete diversas vezes : "Nós que nos sacrificamos nos pântanos do Paraguai rejeitamos a dissolução do Exército." Estava com febre de 40 graus. O Visconde, corajoso e cruel, retruca que "maior sacrifício estava fazendo ele ouvindo as baboseiras de Vossa Excelência!" Foi o limite para Deodoro dizer que estava todo mundo preso.

O marechal já ia voltando, o sol ainda não tinha nascido e os republicanos, a seu lado, insistem para que aproveite a oportunidade e determine o fim do Império. Ele reluta. Benjamin Constant lembra que se a República fosse proclamada naquela hora, seria governada por um ditador. E o ditador seria ele, Deodoro. Conta a lenda que os olhos do velho militar se arregalaram, a febre passou e ele desceu ao andar térreo, onde montou outra vez o cavalo baio. A tropa recrudesceu com o "Viva Deodoro! Viva Deodoro!" e ele agradeceu com os gritos de "Viva a República! Viva a República!"

Não havia populares nas proximidades, muito menos operários. Aristides Lobo escreverá depois em suas memórias que "o povo assistiu bestificado a proclamação da República."

Preso no Paço da Quinta da Boa Vista, com a família, o Imperador teve 48 horas para deixar o Brasil. Deodoro quis votar uma dotação orçamentária para que subsistissem no exílio. D. Pedro II recusou, levando apenas pertences pessoais. A República estava proclamada.

Conta-se o episódio pelo dia que transcorre amanhã, apenas? Não. Conta-se porque a História do Brasil é feita de episódios como esse...


Beto Grill reúne aliados na Assembléia para definir estratégias do futuro governo

FOTO: CACO ARGEMI



Na manhã desta terça-feira (16), o vice-governador eleito reuniu alguns atuais e futuros deputados do PT, PTB, PDT, PSB, PC do B e PRB para discutir a estratégia que as bancadas irão adotar nas votações que ocorrerão ainda este ano na Assembléia Legislativa. Enquanto o governador eleito Tarso Genro segue em viagem de trabalho por Espanha e Portugal, Beto Grill coordena a articulação dos partidos que irão integrar a coalizão.

Os parlamentares que participaram do encontro apresentaram algumas preocupações com relação aos projetos de construção do presídio de Canoas, da RS 010 e da revitalização do Cais do Porto que estão sendo encaminhados através de PPPs. “Há quatro meses enviei, por ofício, um pedido de informações sobre a RS 010. Até agora o executivo estadual não me respondeu”, afirmou o deputado Federal Luis Carlos Busato (PTB).

Ficou definido que as equipes técnicas dos partidos da coalizão irão preparar um levantamento aprofundado sobre os temas que estão em discussão. Na próxima segunda-feira (22), as bancadas e representantes do futuro governo voltam a se reunir para fechar uma posição. A Comissão de Serviços Públicos também irá convocar uma audiência pública para discutir os projetos que terão reflexos no Governo Tarso Genro.

“No governo de coalizão é vital a relação direta com os partidos que integram o governo. Já estamos estabelecendo uma sistemática e o diálogo permanente com as nossas bancadas aqui na Assembléia”, ressaltou Beto Grill.

FOTO: CACO ARGEMI


Coleguinhas


*O Serginho,agora, deu pra fazer lobby junto ao Vaticano. Eu morro e não vejo tudo...

No tempo do Geisel, o baixinho dava cada guinada que vou te contar...

Agora é que está com saudades do poder que já teve em BSB!


*Pior: trouxe de Serafina, quatro garrafas do vinho que o baixinho gosta. É aquele de uva isabel.As ganhei do Lazzari, minha fonte inesgotável de La Ùndeze! Os caras de Bento se acostumavam a tomar vinho feito daquelas uvas produzidas naquelas encostas brabas do rio das Antas


*Quem será o próximo patrono da feira do livro de POa?

SErá jornalista,ou apenas um escritor..Chega de Paixões Cortes, por favor. E fiquei pasmo com o cartaz que este senhor tem, só fazendo trololó, como dizia o Serra!

*Parabéns pela coebrtura que o rato de redação e a Larisso Roso fizeram na ZH na feira do livro. Me obriguei a ler suas matérias. Esta menina a Larissa, tem talento de sobre e aplicação...


*Já a cobertura do JC deixou a desejar. Como leitor, que saudades da Maria Wagner. Achei a cobertura do JC, apenas burocrática, nada criativa.


*Até O SUL conseguiu se superar e apresentou bons textos sobre a feira do Livro


*Hoje, quarta, às 9h30 minutos é a coletiva onde saberemos quanto se vendeu. Mas pelo visto a feira bombou....

E este escriba vendeu razoavelmente seu livro do Getulio e o meu sobre serafina. Só um cara levou 4 de uma sentada!





TREM-BALA: O PERIGO DE QUEIMAR ETAPAS

Por Carlos Chagas

Agora que o duplo poder encontra-se na Coréia, vale aproveitar o interregno para mergulhar em tema mais profundo e menos pontual. O Senado discutiu, esta semana, a oportunidade do trem-bala, tendo em vista a necessidade de aprovar ou não medida provisória abrindo crédito para a implantação do projeto. E sob a desconfiança de uma cláusula que transfere para o tesouro nacional os custos da obra caso o pool de empresas privadas responsáveis venha a apresentar prejuízo. Quer dizer, se o trem-bala custar mais do que os bilhões que o BNDES adiantará, ou se o número de passageiros não corresponder à expectativa, a conta será apresentada para nós, os contribuintes. Negócio fantástico para as empresas, por sinal.
A questão que se põe é se o Brasil necessita ou não dessa maravilha do mundo dos transportes, capaz de ligar São Paulo ao Rio em duas horas, apesar de estar beneficiando apenas as duas unidades mais ricas da federação. Questiona-se se seria preferível utilizar tanto dinheiro assim na construção de linhas férreas normais, interligando o território nacional, a começar pela Norte-Sul que há décadas arrasta-se feito tartaruga.

É preciso lembrar que até os anos sessenta viajava-se de trem do Rio Grande do Sul ao Rio de Janeiro, que o digam os revolucionários de 1930. Ao redor da antiga capital funcionava correta malha ferroviária: ia-se pelos trilhos a Petrópolis, Teresópolis, Friburgo, Santa Maria Madalena e Campos, para não falar do Vale do Paraíba e da correspondente ligação com as principais cidades de São Paulo. Não eram apenas passageiros a beneficiar-se, pois as composições levavam carga a preços muito mais baratos do que os caminhões.

De repente, foi tudo água abaixo. Com a “gloriosa”, a partir de 1964, implantou-se de forma definitiva o rodoviarismo. A recém instalada indústria automobilística nacional deu as mãos ao complexo petrolífero internacional e a palavra de ordem foi “erradicar os ramais anti-econômicos” em vez de tentar torná-los econômicos. Cumpriu-se tão ao pé-da-letra esse crime de lesa-pátria que os trilhos e dormentes eram arrancados para que deles não nascessem filhotes. Os prédios das estações ferroviárias em cada município, mesmo os menores, foram doados às prefeituras, alguns felizmente transformados em escolas. Até um dos ícones da nossa História foi levado de roldão: feito ministro da Viação, o marechal Juarez Távora incorporou-se aos novos mandamentos ditados pelo artífice maior da carnificina, o ministro do Planejamento, Roberto Campos.

Em poucos anos desapareceram as estradas de ferro, que se estavam defasadas e anacrônicas, deveriam ter sido recuperadas, não extintas. Desativaram-se até as ligações entre o Rio, São Paulo e Belo Horizonte, feitas em composições de luxo. Os mais desconfiados supõem, até hoje, que em boa parte o massacre se fez para afastar do processo político e social a classe dos ferroviários, das mais ativas na resistência à ditadura. Tanto faz, porque o resultado foi essa interminável, inócua e caríssima estratégia de levar o transporte para as rodovias. A sabotagem teve mesmo um episódio que teria sido cômico se não fosse trágico: no governo do general Ernesto Geisel bilhões foram gastos para a implantação da chamada Ferrovia do Aço, ligando Minas ao Espírito Santo, só para transportar minério. Pontes, viadutos e túneis consumiram fabulosas somas de dinheiro, mas, de repente, sem mais aquela, a obra foi abandonada. Ainda restam escombros da aventura malograda.

No governo José Sarney muita fumaça e pouco fogo, na tentativa de recuperação do programa ferroviário, mas, pelo menos, a mentalidade começou a mudar. Fernando Collor nada fez, Itamar Franco tentou e Fernando Henrique tinha outras prioridades, como sepultar a Rede Ferroviária Federal, entregando-a ao capital privado que preferiu extinguí-la.

As coisas parecem diferentes, hoje, ao menos plano das intenções. Mas será uma boa proposta começar a realizá-las com o trem-bala? Vale repetir, não seria preferível investir em ferrovias mais lentas mas menos custosas, porque muito mais amplas? Queimar etapas para recuperar o tempo perdido costuma ser perigoso.

ANIMAIS À SOLTA
O país inteiro horroriza-se com as imagens da mais recente rebelião de presidiários, desta vez no Maranhão. Dezoito corpos mutilados entre os próprios internos, depredação das instalações, reféns quase sacrificados e as autoridades penitenciárias comprometendo-se a cumprir as exigências dos rebelados, a começar pela transferência de seus líderes para outros estabelecimentos.

Fazer o que com esses animais, sabendo-se que tais surtos de violência costumam pegar feito sarampo, repetindo-se em cadeias de outros estados?

Agora que passou a campanha eleitoral, já não se ouve mais falar em projetos para cuidar da segurança pública. José Serra, derrotado, não terá condições de criar um ministério específico para a questão. Dilma Rousseff não poderá limitar-se a reunir os governadores, lembrando pertencer a eles a maior parte da responsabilidade. A hora é de o governo federal chamar a si a solução para proteger o cidadão comum. O primeiro passo seria manter os animais nas jaulas, sem facilidades, benefícios ou favores legais, começando por dispor que rebeliões em presídios devem ser reprimidas com todo o peso da autoridade pública. Contemporizar e negociar dá nisso: dezoito cadáveres.

A HORA DA MUDANÇA
Daqui até o primeiro dia de janeiro é tempo de equacionar mudanças. Nada que signifique desdouro para o governo atual, mas passos adiante para superar dificuldades ancestrais. Tome-se o contrabando. A idéia, boa por sinal, é mobilizar forças armadas, tropas auxiliares e estruturas estaduais para fechar as fronteiras, por onde entram a droga e de armas sofisticadas, além de produtos variados. Tudo bem, mas o noticiário continua demonstrando estar nos portos e aeroportos a grande janela de entrada do contrabando. Pente fino neles, com a contrapartida da punição de maus funcionários de toda espécie e estirpe, dos maiores aos menores.



Coleguinhas

Roteiro Elizabeth Arden


Os diplomatas do Itamaraty chamam de roteiro Elizabeth Arden o que inclui Nova Iorque. Pois é o que o colega Bisson fará depois de vistar o Obama, na casa Branca. Irá para a cidade mais cosmoplita do mundo. Se ele mandar matérias, os leitores vão ganhar e muito....enfim, um correspondente em Nova Iorque, será o Nosso Paulo Francis....

Coleguinhas

Estranhei, ontem que o colega Bissón( pronto, este será seu nome porque ele não gosta que erre, como novo William Faulkner que é....) me mandou fotos do Paul do concerto no Beira rio...aquela hora uma e meia da tarde???

Notívago, o Bisson dorme as 8 da matina depois de fechar o Nito e beber todas com o dono do bar...

mas aí ele me explicou


- Estou acordado porque tinha que comprar uma mala e dólares. Vou a Washington as 22 horas de amanhã.

Então,tá....

Boa viagem, Bisson!


Coleguinhas


Caco Barcellos,a cantora Angela Maria e Licinio de Azevedo


Licinio de Azevedo no começo dos anos 70.

Quem diria que aqueles dois malucos do começo dos anos 70, na redação da Folhinha da Manhã se tornassem as celebridades que são hoje?

Pois o Licínio até um filme, um documentário estão fazendo sobre ele.A cineasta portuguesa cineasta portuguesa Margarida Cardoso, que mora em Lisboa, me tem escrito solicitando material daqueles anos. Diz ela que no depoimento Licínio refere a memória da Folha da Manhã como uma SALA ONDE ESTAVA TUDO JUNTO na sequência, na idéia de troca de ideias,noticia policial,cultura mais nesse sentido.

Ah,entendi:trabalhei ali apenas dois meses, mas acho que o colega quis dizer que todos palpitavam em tudo...era mesmo uma zoeira criativa...

Talvez não haja existido na história da imprensa gaúcha um local tão criativo mas tão provocador, tanto que uma turma de 24 pessoas se demitiu em função da crise que uma matéria do Caco Barcellos provocou. Não era a primeira matéria sobre denúncias da BM que davam problema e aquela foi o detonador. A mate´ria que deu o rebu seria uma que foi feita numa vila de Canoas, me parece que a Niterói, onde o fotógrafo do jornal,segundo refere o Caco nun depoimento que deu depois a Coojornal, teria se negado a fotografar policiais jogando bola com a " cabeça" de um detento...

A ousadia da redação da Folhinha era qualquer coisa, para aqueles tempos de ditadura....

Coleguinhas


João Batista de Melo Filho


Nascido em Lagoa Vermelha, em 10.01.1941, Batista Filho não pensa em outra coisa: quando será presidente da ARI.

O atual presidente, Ercy Torma, tem o direito, pelos novos estatutos de se reeleger mais uma vez.Serão mais três anos para Torma, que ocupa o posto desde a morte de Antoninho Gonzales, em 8.8.1996.
Batista Filho sempre foi ligado do PDT e como tal, no governo municipal de Alceu Collares ocupou a presidencia da Epatur.

Também foi presidente da TVE no governo de Collares e diretor da CRTur( alguém ainda lembra o que foi isto?)

Filho de João Batista de Melo e de Elcídia de Melo, já residiu na av. Getúlio Vargas 1196/701.

É um dos atuais vices-presidentes da ARI e trabalha na TV Assembléia.

Batista Filho é casado com Olenca(19.08.1943) e tem os filhos João Batista M.Neto(02.04.1971) e Andrei Kamps( 04.05.1972) que é reporter da TV Globo.

Batista começou na antiga TV Piratini, na rua Tenente Cel. Correaq Lima, 2118 onde foi editor de Telejornalismo.

Segundo sua versão, foi ele que " teria descoberto" o talento do colunista Paulo Santana que como simples torcedor do Grêmio participava do Conversa de Arquibancada um programa de futebol da TV Piratini que tinha tanta audiência que no dia sweguinte os operários chegavam atrasados ao serviço porque ficavam vendo a discussão.

Beto Grill acerta detalhes da posse com Cherini

Foto: Claiton Silva

Após coordenar duas reuniões dos grupos de trabalho responsáveis pela transição, o vice-governador eleito Beto Grill se reuniu na manhã desta sexta-feira (12) com presidente da Assembleia Legislativa, deputado Giovani Cherini (PDT), para tratar do ato de posse do novo governo. Ficou definido que a posse ocorrerá às 8h30min do dia 1º de janeiro, no Plenário 20 de Setembro da AL. Cherini deixou claro que o novo governo terá total cooperação por parte da Assembleia. “Vamos fazer o que for preciso para viabilizar todos os projetos encaminhados a pedido do novo governo, para que em 1º de janeiro de 2011, Tarso Genro e Beto Grill possa assumir a administração em plenas condições de exercer sãs atividades”, garantiu.
Para Beto Grill, este é um exemplo do diálogo que o futuro governo quer como marca de sua gestão. “A disposição da AL em cooperar mesmo antes da assumirmos o governo é muito importante para o Estado. Queremos o Executivo e o Legislativo trabalhando unidos em prol RS”, disse. Acompanhado do Assessor Especial de Tarso Genro, Flávio Koutzii, e de João Vítor Domingues, membro da coordenação do grupo de transição, Beto foi recebido por Cherini na Sala da Presidência.
Com a solenidade pela manhã, haverá tempo para acompanhar em Brasília a posse da presidente da República eleita, Dilma Rousseff. Beto lembrou que a própria governadora Yeda Crusius já havia se colocado à disposição para fazer a transmissão de cargo na parte da manhã.

Palestra na URCAMP
O vice-governador eleito Beto Grill, foi o convidado na noite desta quinta-feira (11), da II Semana Acadêmica da Área Econômica da Universidade da Região da Campanha (URCAMP) do Campus de Caçapava do Sul. Beto ministrou palestra sobre o tema “A importância da universidade no desenvolvimento regional da Metade Sul e as propostas do novo governo”.
Na chegada, a comitiva foi recepcionada pelo prefeito de Caçapava do Sul, Coronel. Tiaraju de Castro, Pró-Reitor da Urcamp professor Roberto Zamberlan. Beto apresentou as políticas do novo governo para o desenvolvimento da Metade Sul. Na nova administração, o vice-governador eleito será o responsável pela coordenação dos projetos de desenvolvimento microrregionais para essa região do Estado. “Nosso programa de governo tem como compromisso o desenvolvimento harmônico do RS, investindo na base produtiva instalada e prospectando novos mercados para nossos produtos”, disse.
Outro ponto ressaltado na apresentação foram os empreendimentos que o governo federal está realizando na região. “Com o advento do Polo Naval em Rio Grande, a construção de novas estruturas nas Usinas de Candiota e a expansão da rede pública e comunitária de ensino superior que estamos vivenciando, temos plenas possibilidades de alavancar a região Sul do Estado à um novo patamar de desenvolvimento. Para isso, buscaremos investimentos em nível nacional e nas esferas internacionais”, acrescentou.
Com relação ao papel da universidade neste processo, Beto foi enfático: “A universidade deve exercer o seu protagonismo como instituição, participando ativamente dos fóruns regionais, apresentando contribuições e promovendo a qualificação da mão-de-obra necessária para os empreendimentos instalados e futuros na Metade Sul”, complementou.
Assessoria de Imprensa – Beto Grill

 

Inscrições ao Prêmio Açorianos de Música vão até o dia 29/dez




Estão abertas até 29 de dezembro de 2010 as inscrições para o Prêmio Açorianos de Música 2010.

As fichas, incluindo CDs ou DVDs, devem ser entregues à Coordenação de Música da Secretaria Municipal da Cultura, na sala 606 (6ºandar) da Usina do Gasômetro (Av. Presidente João Goulart, 551), de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h.

Informações, Ficha de Inscrição e Regulamento
No site da Secretaria Municipal da Cultura (www.portoalegre.rs.gov.br/smc).
link direto (http://www2.portoalegre.rs.gov.br/smc/default.php?reg=166&p_secao=184).

Mais informações podem ser obtidas pelos fones (51) 3289-8119 e (51) 3289 8153, ou pelo e-mail cm@smc.prefpoa.com.br.


COMO FUNCIONA?

Pode ser inscrita toda produção musical gaúcha dentro dos padrões de qualidade e de produção industrial comprovadamente lançada e/ou divulgada em Porto Alegre durante o ano de 2010.

Em cada Gênero da Categoria Disco (Pop & Rock, MPB, Regional, Erudito, Instrumental, Rap, Reggae e Blues/Jazz), são premiados compositor, intérprete, instrumentista e disco (no gênero musical rap, a categoria melhor instrumentista será substituída pelo melhor DJ).
Independente de gêneros, também são premiadas as categorias DVD do Ano, Espetáculo do Ano, Homenageado do Ano, Arranjador, Projeto Gráfico, Disco do Ano, Revelação do ano, Melhor Disco Infantil, Produtor Musical, Produtor Executivo e Menções Especiais, definidas pelo grande júri.
A cerimônia de entrega da premiação acontece em abril de 2011.


O QUE É NECESSÁRIO PARA INSCRIÇÃO?

Na Categoria Disco
- 3 exemplares do CD
- Material que comprove apresentação/divulgação
- Ficha de inscrição (retirada e preenchida no ato da inscrição ou no site da SMC)

Na Categoria DVD
- 24 exemplares do DVD (sendo 21 por empréstimo e devolvidas após a premiação, 3 não serão devolvidas integrando o acervo da Coordenação de Música).
- Ficha de inscrição (retirada e preenchida no ato da inscrição ou no site da SMC)

Na Categoria Espetáculo
- 24 cópias do registro audiovisual do show. (sendo 21 por empréstimo e devolvidas após a premiação, 3 não serão devolvidas integrando o acervo da Coordenação de Música).
- Ficha de inscrição (retirada e preenchida no ato da inscrição ou no site da SMC)



CRONOGRAMA DO PRÊMIO

Novembro de 2010 Publicação do Edital.
Dezembro de 2010 Divulgação e nomeação dos integrantes da Comissão Julgadora
Janeiro e Fevereiro de 2011 Reuniões da Comissão Julgadora
Março de 2011 - Divulgação dos Indicados na Categoria Disco
- Reuniões da Comissão Julgadora.
Abril de 2011 - Divulgação dos Indicados nas Categorias: DVD, Espetáculo, Melhor Disco Infantil, Arranjador, Produtor Musical, Produtor Executivo, Projeto Gráfico, Revelação do Ano.
- Reuniões da Comissão Julgadora.
- Solenidade de entrega dos Prêmios


---
DIVULGAÇÃO
Coordenação de Música



Desde Serafina

Fui comer um costelão,como chamam agora aqui o bom e velho churra no clube dos motoristas. Reencontrei o Santin, que havia compartilhado com ele a nossa pensão na JUC-5 nos anos 70...Mas quem convivia mais com o serafinense hoje radicado em Sampa era meu irmão Valmor...
O Santin mudou,claro em 40 anos anos. Está hoje um senhor executivo, mas não fui besta apesar do seu sucesso digamos econômico..


Outra daqui

*Quando cheguei no cluebe dos motorisstas, na sexta , pude pegar um baita discurso de um dos donos contra o evento do Talian que se realizou aqui. A corneta éra com a grana que a prefa coloca nisto:- Estes italianos nos jogaram num navio e mandaram prá e nunca mais quiseram saber d enós. Agolra nós pagamos pra eles vieram pra cá nos darem lições,esbravejava o pobre home.
Olha, dito assim,simploriamente, é até uma grosseria, mas que o camarada não deixa de ter sua razão....

Ele no caso pedia mais empenho na saúda, na educação, ela acha que estes eventos de lingua talain não daão em nada....Discordo um pouco, mas o homem precisa ter sua voz...Claro que a corneta era contra o BICO BRANCO, o prefeito de Serafina.


*Mais uma

Conheci um neto do João Variani,que foi o terceiro morador de serafina. Os caras estão putos com tujdos porque dizem que sempre que vão contar a história local ninguyém fala no avó que doou terras pro cemitério atual e foi quem vendeu as terras pro frigorífico. Eu sempre digo: depois que tu faz um livro, todo mundo quer contgar a sua história. Feito o registro...

*Na sexta,quando cheguei ao hotelzinho aqui onde fico, me cruzou uma camionete, cinza, de cabine simples e dentro uma mulher ( que até era bonita, pelo pouco tempo que a vi) me berrou:
- TU AINDA TENS CORAGEM DE BOTAR OS PÉS AQUI.
Na hora me dei conta que era algum desafeto por causa do meu livro que lancei sobre a cidade.

É, muita gente que não tginha quase o que comer quando criança, subiu na vida e agora acha que pode tudo. Não tou nem aí pra eles...eu continuou vindo aqui...É semnpre assim: não se faz omelete sem quebrar ovos!

Um mes da morte...

Faz um mês 11/11 que morreu o empresário Paulo Teixeira, naquele acidente horroroso. Conheci uma vez o Paulo, numa entrevista. Sempre ouvi dizer que tinha uma disputa grande com o irmão Pedro...

E depois que morreu se espalharam várias estórias sobre ele.

1) que numa festa ele teria pego um monte de notas de cem reais, as rasgado e dito:
- Dinheiro pra mim não é nada!

Outra informação que me passaram foi que quando faleceu o seu acompanhante, parentes do Paulo foram ao enterro e teriam sido hostilizados pelos familaires do falecido.


Desde Searfina


*O prefa BICO Branco( de quem o Mazzarino virou fã) levou pra equipe dele o Jacir Salvi...ex-prefeito do PMDB local. Salvi, foi pro PT,concorreu em 2002 a deputado federal pelo PT fez 23 mil votos e agora será secretário municipal da saúde, uma pasta que costuma dar votos...

Será que vai ser candidato a que? vereador, deputado ou a prefeito

Tem uma história engraçada dele com a velha Gasparina.;

Como ele e o filho da dona Hercilia eram adv ersários políticos, ela o encontrou na agência da CEF e quando o viu, perguntou quem era e deu uma cusparada em sua direção. Era seu nojo com o adversário do filho.

- Mas depois ficamos amigos, me disse o Salvi...


*Uma correção:

Domingos Calza, dono do moinho local, não foi do PTB antigo, me informa o médico Beto Arroque que é casado com a Neiva, fiklha do domingos.

- O Calza era do PSD do padre chico Lollato,disse Beto.

E depois ainda dizem que os padres não se metem em política?

Mas o filho do Domingos, o Chico Calza foi do MDB e foi vereador em Guaporé.

Feito o reparo,então.

*Corneta da preservacionsita e presidente do PMDB local Salete Cadore.

- Falam tanto em preservar língua italiana, mas fazem um espigão escondendo a caqntina de vinho que representa a história do municipio...

Toing!!!!!

Aeromóvel em porto?

Li que um trecho do aeromovel vai funcionar no aeroporto.

Bão,espero que aconteça tudo de bem, porque na Indonésia, em Jacarta, quando foi inaugurado num parque teve um treco que derrubou até o ditador Mabuto, senão me falha a memória.

- Fui acordado de noite no hotel pela AFrance Press que queria saber noticia disto o que era me contou o inventor, Oskar Coester, sobre o fato.

A ZH publicou a notícia aqui que veio via agencia Estado e o Coester ficou fulo da vida...ele só gosta de noticia a favor do seu invento

 


Desde Serafina

Palestra interessante fez o arquiteto Julio Pozenato, na sexta a tarde, dentro do evento do italiano. Ele disse que os italianos foram jogados nos navios pra serem substitutos da mão de obra escrava em Sampa. E os que não aceitram esta condições, foram mandados para sterras inóspita, onde tudo devia dar errado, obrigando-os assim a retornar a escravidão da colheita de café em Sampa.

*Pra surpresa, sem dar nomes, Pozenato criticou os radialistas que fazem escracho da situçaão do italiano ironizando0 e para isto utilizando o veneto. Ele acha que este modo grosseiro, vulgar e malicioso em nada contribuiu pra lingua veneta, pelo contrário, só a diminui no conceito popular....( eu acho este comentário dele muito elitista...)

*Pozenato também disse não gostar de um bordão que a sociedade MASSOLIN DEI FIORI de Porto Alegre tinha difundido nos anos 80. Ela dizia. MI SON TALIAN GRACIE DIO( sou italiano, graças a deus) ( também não gosto dela)

*Virou coqueluche no meio das rádios fazer programas debochados em talian. Em serafina as duas rádios fazem. tanto a rosário, como a odisseia que é do paulo massolini, um dos promotres do evento do lingua talian

 

IOTTI NA MIRA?

Há quem diga que muitos dos intelectuais que preservam a memória dos descendentes italianos não gostam do personagem RADICI DO humorista IOTTI. Ele não contribuiria com o resgate da dignidade dos italianos que colonizaram vastar egião do sul do país...

Polemica á vista?


De Canoas para o Mundo

Direitos trabalhistas

Diversos economistas de plantão, principalmente na nossa imprensa liberal, pregam acabar ou reduzir os direitos trabalhistas. Queria ver as cara e os bolsos dos empresários, se terminasse o 13º, é a entrada deste dinheiro que sustenta suas empresas por no mínimo 3 meses durante o ano. E o FGTS então, quantos empresários da área da habitação só vendem seus prédio graças ao uso deste fundo. E sem os 40% da multa rescisória, todos os compromissos assumidos com bancos, lojas, prestações de carros, de casas e etc, de uma hora para outra ficariam sem serem pagos. E as férias, sem elas adeus aos lucros das agências de viagens, hotéis, empresas aéreas e toda área de turismo ficaria ao Deus dará. Na área de saúde nem se fala, os Planos de Saúde perderiam uns 70% de sua clientela, os médicos e hospitais ficariam ou só recebendo dos milionários ou do governo.
Remindo Sauim

NOTÍCIAS RÁPIDAS
DE BRASÍLIA 2

Por Sergio Ross

A ROUPA DA DILMA

Segundo a minha fonte,que circula livremente junto
ao alto comando da Dona Dilma, inclusive na casa onde mora a Presidenta,me jurou de pés juntos, que a
grande preocupação da cumpanheirada mais chegada, não é o novo ministério muito menos os planos que o novo governo vai utilizar etc...A grande preocupação é com o guarda roupa que a Presidenta, vai ter que usar nos próximos quatro anos.
Vários costureiros ou melhor vários criadores de moda,já foram consultados e o “tailler” (nem sei o que é isso...)é quem está ganhando.
Eu como bom gaúcho,sugeri que procurassem entrar em contato aí em Porto Alegre, com o nosso Rui, um cara que mais conhece moda no Brasil. Ele tem bom gosto,sabe de tudo e teria o maior prazer em sugerir o que a nossa Presidenta deverá usar, daqui para a frente.
Já me ofereci até, para dar o endereço dele aí em Porto
Alegre

AÇÕES PRIORITÁRIAS DA PREFEITURA DE PALEGRE

Quem almoçou quinta feira última,conosco no Stella Grill,foi o vereador Luciano Marcantônio,do PDT,que vem a ser o Secretário Adjunto da Secretaria Municipal de Coordenação Política e Governança Local.
Ele teve que almoçar correndo, pois deveria visitar todos os senadores e deputados gaúchos, que integram hoje a bancada do Rio Grande do Sul.
Ele entregou a todos o Relatório de Ações Prioritárias da Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Um documento,assinado pelo Prefeito José Fortunati, que foi elaborado pelas Secretarias e Departamentos municipais,com o objetivo de oferecer à Bancada Gaúcha a relação completa de importantes Projetos,
muito dele oriundos do Orçamento Participativo,que aguardam recursos para serem implementados na Capital e que podem ser foco de Emendas Parlamentares à Lei
Orçamentária Anual(LOA 2011).
O documento muito bem elaborado,reúne 197 Ações consideradas de extrema importância pelo Município e apresenta,entre outros dados,os bairros atingidos assim como o número de pessoas beneficiadas
Fortunati diz no documento, que reitera a disposição da Prefeitura em trabalhar de modo parceiro e articulado com os Parlamentares gaúchos,visando sempre o desenvolvimento e melhoria da qualidade de vida da população do Estado e de Porto Alegre,muito especialmente no momento em que a cidade se prepara
para receber um dos maiores eventos esportivos do planeta: a Copa do Mundo de 2014.
Disse Fortunati que é importante destacar que todos os Projetos selecionados possuem viabilidade técnica para a execução. Eu espero que o Luciano tenha tido exito na entrega da documentação e que a bancada gaúcha atenda o pedido do Prefeito de Porto Alegre.

DE OLHO NA DILMA

Eu tenho um amigo gaúcho aqui em Brasília, hoje um almirante reformado, que começou a gostar da marinha quando estudava comigo no Colégio Rosário e passava os dias navegando em um barquinho de madeira,pelas águas do Guaíba. O velho marujo, hoje está reformado. No auge da “redentora”, era do alto comando do serviço secreto da marinha.
Apesar do tempo ter passado,continua encontrando comunistas até em cima de arvores do cerrado. Me disse,que ele e outros velhos companheiros da direita, contestadores, estão atentos ao governo de Dilma.
Me disse ainda que estão fazendo um levantamento,da quantidade de dinheiro que a Petrobras,Banco do Brasil,Caixa Econômica etc...injetaram na campanha da dona Dilma nos últimos meses. Com os olhos em fogo,me garantiu que foi uma fortuna. Perguntei então,o que eles pretendem fazer,já que nas tropas hoje, ninguém está a fim ir para o pau. Ele me falou pedido o maior sigilo,que este material está sendo entregue a Folha de São Paulo,
que vai bater firme na nova presidenta, tão logo ela tome posse.
Me contou também que o presidente do Superior
Tribunal Militar vetou a divulgação dos inquéritos e do processo referentes à atuação de Dilma Roussseff quando, tempos atrás,(1969),foi presa e torturada por lutar contra a ditadura. Aí não me contive,disse que ele
lesse no blog do Olides, o artigo do Chagas, que conta em detalhes essa historia que a Folha também insiste em levantar.

LULA PRESIDENTE DE NOVO

O presidente Lula,já conformado em deixar a presidência,vai começar a lutar a gora,por uma outra presidência: quer ser o presidente do PTB.
Logo a Dilma assuma o comando,ele vai começar a luta para ocupar o cargo. Vai ter que disputar o cargo com o Zé Dirceu,que está de olho na presidência do partido. Vai ser uma briga de cachorro grande...

OS AVIÕES FRANCESES

Até o dia 31 de dezembro,será anunciado o vencedor da concorrência aberta ainda no governo do Fernando
Henrique,para a compra dos aviões franceses. São 36 caças que a FAB pretende adquirir.
Lula disse agora na sua volta que pretende nos próximos dias conversar com a Dilma e com o nosso
conterrâneo Nelson Jobin,sobre isso. Bobagem. O Nelson Jobin, já comemorou com os vendedores,a venda dos
aviões. Foi uma bela festa em Paris regada a champanhe nacional. Só tinha Veve Clicot pra cima...
Mas mesmo assim o suecos continuam insistindo junto a oficialidade da FAB, com os seus caças Saab, que segundo me informou um brigadeiro que está na guerra,são muito melhores e muito mais competentes Este negocio não vai resistir a uma comissão de inquérito,logo logo.



Mais de 1 milhão de pessoas já passaram pela Feira do Livro

A maior feira de livro a céu aberto das Américas já recebeu mais de 1,080 milhão de pessoas. A estimativa foi divulgada pelo 9º Batalhão da Brigada Militar e contabiliza o público até a última sexta-feira, 12 de novembro. Mesmo com feriadão, a movimentação é intensa neste sábado e deve agitar a 56ª Feira do Livro de Porto Alegre nos últimos dias. O evento vai até segunda-feira, 15 de novembro, e funciona das 9h30 às 20h na área infantil e juvenil (no Cais do Porto) e das 12h30 às 21h, na área adulta (na Praça da Alfândega).

As vendas também estão em alta. A Câmara Rio-Grandense do Livro, organizadora da Feira do Livro, divulgou os números registrados até sexta, 12 de novembro. Foram comercializados 323.254 livros, um acréscimo de 14% em relação ao mesmo período de 2009.

O balanço da 56ª Feira do Livro de Porto Alegre será divulgado na próxima quarta-feira, 17 de novembro, às 9h30, em coletiva de imprensa no Auditório do Memorial do Rio Grande do Sul, localizado no primeiro andar do edifício.

 

 

MOVIMENTO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS/Brasil INFORMA:


Murió Massera y tambien Romeu Tuma..................

Maravilloso poema que bien le cabe a estes siniestros personajes


POEMA DE MARIO BENEDETTI ANTE LA MUERTE DE PINOCHET
Los canallas viven mucho, pero algún día se mueren

Vamos a festejarlo
vengan todos
los inocentes
los damnificados los que gritan de noche
los que sueñan de día
los que sufren el cuerpo
los que alojan fantasmas
los que pisan descalzos
los que blasfeman y arden
los pobres congelados
los que quieren a alguien
los que nunca se olvidan
vamos a festejarlo
vengan todos
el crápula se ha muerto
se acabó el alma negra
el ladrón
el cochino
se acabó para siempre
hurra
que vengan todos
vamos a festejarlo
a no decir
la muerte
siempre lo borra todo
todo lo purifica
cualquier día
la muerte
no borra nada
quedan
siempre las cicatrices
hurra
murió el cretino
vamos a festejarlo
a no llorar de vicio
que lloren sus iguales
y se traguen sus lágrimas
se acabó el monstruo prócer
se acabó para siempre
vamos a festejarlo
a no ponernos tibios
a no creer que éste
es un muerto cualquiera
vamos a festejarlo
a no volvernos flojos
a no olvidar que éste
es un muerto de mierda.


Desde Serafina!

Humorista IOTTI é criticado

por fazer escracho da

figura do imigrante italiano!

A Genoveva e cia, personagens do humorista Iottti não são tão bem vistos como se possa imaginar por estudiosos que pretendem resgatar a dignidade do imigrante italiano.

Dentro do evento do Talian, do dialêto que ocorreu neste fim de semana em Serafina,chamou-me a atenção a quantidade de rádios do interior que transmitem em veneto, ou que possuem programas falados em talian...

Mas sobrou pro IOTII, o humorista que faz escracho com o afigura do imigrante italiano....

Seu nome foi mencionado e deu pra ver que alguns dos pensadores e dos historiadores que lidam com o resgate da cultura vêneta não gostam muito da Genoveva e cia....

Muitos criticaram também a continuidade do personagem Naneto Pippeta, uma figtura popular criada pelo frei Aquiles Bernardi. Este personagem hoje em dia prossegue no Correio Riograndense mas conforme seus críticos ele está completaqmente disfugurado. A critica neste sentido partiu de Silvino Santin, professor da Universidade Federal de Santa Maria. Sugeriram até que alguns membros procurem os freis capuchinhos que são os donos do personagem pra levar o protesto quanto ao caminho que os novos redatgores estariam daqndo aqo Naneto Pipppeta. Pipoeta é um personagem que mostra as peripécias e sofrimentos da colonização italiana no século retrasado.

Os comunicadores em dialeto, todos de rádio, falaram cada um de suas experiências em suas localidades. Dois radialistas de Ajuricaba, pequena cidade ao lado de Ijuí,contaram que apresentam seu programa numa rádio comunitária sempre aos domingos entre 20 e 22 horas e que segundo estatísticas, a emissora obtem grande audiência na região.

Outro que deu o tom de sua experiência foi um humorista de Serafina Edgar Maróstica, que virou celebre depois ee ganhar o festival da mentria de nova brescia. Consagrado, faz shows em toda a região serrana e vende muitos CDs.

- Estou ganhando muito dinheiro. Agora fui a Antônio Prado e voltei com 2.400,00 reais da venda do meu CD contou ele ao público presente no evento do Talian.

NEGOCIOS

Mas o que ficou transparecendo é que o talian virou isto sim um bom negócio....Está dando dividendos. Todos os comunicadores em dialeto disseram que os rendimentos em publicdade é que garantem seus programs em suas emissoras.

- O Maróstica grava os comerciais da minha cooperativa lá de Sanduva porque a voz dele é melohor que a minha é bom ter duas vozes no prograqma, disse um apresentador de rádio daquela cidade.

Em Serafina Correa, tanto a rádio Rosário, como a Odisseia FM, tem programas em dialeto que rendem grande publicidade pros limites da região. São aos domingos e disputam muita audiência. Feitas num misto de humor e deboche e também falando coisas certas, é a receita que deu certo.

O vendedor Guerino de Costa, que a vida inteira teve uma casa de jogo, agora virou celebridade na cidade e na região com as piadas que conta no programa Voce del Veneto, na Odisseia FM, aos domingos de manhã.Com suas piadas contadas maliciosamente no programa da Ódisséia ele só não está ganhando muito dinheiro com a fama porque já aos 70 anos se conformou com o que tem.
Mas seu parceiro de program a, o Fifo, que também fatura fama, lançpou recentemente um livrinho onde conta suas piadinhas e o livro é 70% de propaganda, o que atesta a popularidade que o programa em Talian lhe deu.

Inventário

No RS existem 18 programas de rádio em Talian( um dialeto falado na região do veneto, norte da italia, trazido pro rio grande do sul).SC tem 4 programas ( principalmente no Oeste de SC) e no Mato Grosso um programa.

O representante do Mato Grosso contou que viajou 2.450 km para estar presente no evento e emocionou a platério dos comunicadores em veneto.

As pesquisadores Marley Pertile e Alcione Maschio, da UCS, fizeram durante um ano um levantamento sobre a situação do dialeto no Brasil. Foram até o Espirito Santo.
Marley enfatizou que os programas de rádio feitos neste dialeto, ou língua, são ainda os grandes responsáveis pela sua mantutenção mas a pesquisa mostrou que os pais não falam mais em veneto com os filhos.

Isto estaria fazendo a língua desaparecer.

Muitos perguntaram ainda se as restrições da Era Vargas -quando só se podia falar em português - não foram a causa do desaparecimento destes linguajares.

- Um dia falaremos todos a mesma lingua, talvez o ingles, ou o mandarim e desaparecerão estas peculiaridades, protestou alguém na platéia.

Desde Serafina

Encontro dos italianos( do linguajar veneto)

*Uma humorista, de Carlos Barbosa, se apresentou e fez todo mundo rir....Ela tem um programa derádio em veneto.É aúnica mulher metida neste encrecna....um universo ainda masculino.

*Salete Cadore, que é lider preservacionista em Serafina, vendeu o peixe dela no encontro dos italianos. Fez abaixo-assinado pela preservação da cantina local que é motivo de uma polêmica na cidade.

*Um assunto que ainda vai dar pano pra manga é onde foram parar fotos e outros objetos que muitas familias tinham doado ao museu de serafina.

- Foram todos jogados num canto da prefeitura quando o museu fechou e quem queria pegava pra si, disse -me um vereador que na época do ocorrido éra da Oposição.

O museu de serafina está fechado. A area onde funcionava foi vendida pela prefeitura e hoje é um estacionamento. Ficava no centro da cidade.

Hoje foram tentar fazer o mesmo na saída da cidade, mas segundo explicou Inelves Carnavalli, secretária do turismo, descobriram que a área não é do municipio.


*Cantina da sociedade estrela, que é um dos poucos prédios antigos ainda de pé - só está de pé por sorte porque há uma briga judicial entre os herdeiros dela - deverá mesmo ficar com a prefeitura municipal. Negociações neste sentido foram abertas pelo prefeito Bico Branco com os herdeiros.Sei que houv eum encontro dele com os herdeiros na Justiça que durou 4 horas.

*Area da cantina é muito cobiçada, principalmente pela grafica serafinense que teria pra onde se expandir....


Desde Serafina

Encontrei o Bico Branco junto com a esposa recepcionando a " orsada" ou seja,os 400 familires ligados a familia ORSO que neste domingo fizerem seu encontro aqui no clube dos motorista em SErafina. Mas tinha ORSO que nãotermianva mais....


Ao lado a família MIgliavacca foi mais elitista: fez a festa no cluibe Gaúcho!


Desde Serafina!

Cresce o espigão na frente da cantina da sociedade estrela serafinense contra o qual o movimento preservacionista protesta.

Nestas fotos a gente pode ver como era antes do espigão e depois dele( mas o prédio já está na altura da cantina).

O movimento preservacionista está fazendo de tudo,segundo informa Salte Cadore, parqa que o prédio, mesmo tombado pelo patrimônio cultural do estado, não seja demolido, já que sua parte dianteira com o espigão perdeu toda a visão.


Desde Serafina

*O ex-prefeito Luis Gheller, do PMDB, declarou apoio a Dilma Rousseff desde op primeiro turno.

*Na missa em talian que foi rezada domingo aqui num bairro depobres - Gramadinho -( a igreja católica que outrora dominava a região já está perdendo fiéis para outras in stituições religiosas) a lider do preservacionismo local,professora Salete C adore distribuiu seus panfletos pela preservação da cantina da sociedade estrela.

*" Até fui comunguar" me confessou ela tudo pela causa....Esta Salete já foi do Cpergs e sabe levar adiante sua luta.


Desde Serafina

Aqui todo mundo sabe, mas é bom repetir....não chamem pro mesmo jantar a professora Salete Cadore, preside3nte do PMDB local e o vereador do DEM, Paulo Massolini.

Ele consegue tirar ela do sério....


Desde Serafina


Assinaram um documento
´pensando que fosse outro???!!!!

É uma história mal contada e eu só ouvi um lado da versão. Mas um colono daqui, o Eliseu Trentin,que morreu 21 de outubro passado, aos 87 anos, teria sido enganado anos atrás, por um arrendatário de suas terras,onde ele planta. Na capela São Pedro, onde este colono vivia com sua irmã Gema, todo mundo comenta o assunto a boca pequena. Não sei detalhes de como se passou, mas o colono Eliseu teria assinado um documento em cartório que ao invés de ser o que lhe disseram que era, uma doação de suas terras ao inquilino que planta nelas.

É como digo uma história mal contada, porque eu apenas a recolhi da boca dos vizinhos.

E agora muitos atribuem a morte do Eliseu a este desgosto.

Na verdade são terras planas, onde hoje a agricultura é feita por mecanização. Sua avaliação seria em torno de 1 milhão de reais. Não é pouca grana.
De quaçlquer modo o advogado de defesa do falecido proprietário e de sua irmã é um profissional conhecido na cidade, o professor Egydio Chiarello.


Desde Serafina

O padre " invadiu" o terreno

do Janguta!

esta é boazinha, como dizia o finaldo Melchiades Stricher. O Nelson Assoni, que o Serginho Ross chama de Janguta,aqui em Serafina, foi fazer um bar na frente de sua casa, num terreno que tem e descobriu que o padre Francisco Lollato,quando mandou fazer o salão paroquial lhe roubou 2 metros de seu terreno. " O padre invadiu meu terreno, agora tou acertando com os vizinhos o negócio do baulho" disse- me Janguta na segunda, mesmo sendo feraido ele dava duro na obra com o filho PACHU e os operários....

O Nelson me prometeu que se eu levar o Serginho a Serafina, ele mata uma ovelha e vamos churrasquear. Mas aí será um milagre porque nunca ninguém viu o dinheiro daquele homem.

E ele tá meio incomodado que eu tenho falado no " buson" ou seja, o bucaro que abriu depois que ele mandou demolir o velho casarão da loja do seu pai, Dionísio.


Por isto mandou fazer um tapume, pra não se ver o burcaco da rua....


O bar que o Janguta(Nelson Assoni) e seu filho PACHU vão abrir em Serafina se chamará Calabria. E pelo visto será show de bola. Inspiraram-se no Pedrini, de Porto Alegre.



Roteiro Amazônico

Casa Flutuante no rio Solimões ( gentileza Alenir Canton)


Olides
Esta foto é uma casa flutuante no rio Solimões.
Assim, que tiver mais fotos, mando
abraços
Alenir



O que você não leu sobre o show
de Paul McCartney em POA


Carlos Augusto Bissón
Paul McCartney passou por aqui e, durante aquelas quase três horas de show, iniciado com um atraso “britânico” de apenas seis minutos (21h06), Porto Alegre teve a ilusão de que era uma cidade cosmopolita, um grande centro internacional. Terminado o show, porém, a magia “européia” logo se quebrou. Gente que saía das arquibancadas e do gramado gritava nos corredores do Beira - Rio “Grêeemiooo, Grêemiooo”. Ou seja, o fato de seu time ter ultrapassado o Internacional no Brasileirão já havia tomado completamente as mentes desses caras em detrimento daquele momento musical único que haviam presenciado. Puxa, com que rapidez retornamos ao nosso provincianismo tacanho...
Brincadeiras (digamos assim) à parte, o fato é que as indescritíveis emoções do espetáculo da noite de domingo (07/11) já estão criando nos jovens que lá estiveram a sensação de que o que a cidade vier a presenciar no futuro em termos musicais ( e artísticos em geral) será um anticlímax. Basta conferir o que tem sido dito nas redes sociais (Twitter, Facebook). Ainda com contornos mal definidos, o sentimento de mal estar vigente é: o que poderia superar Paul McCartney daqui por diante ?
Como o assunto ainda vai dominar as conversas da cidade por um bom tempo – e os sentimentos provocados pela música de Paul foram dissecados por Zero Hora na segunda e na terça-feira (08 e 09/11) – cabe mencionar aqui algumas verdades e boatos envolvendo o show que não foram suficientemente destacados pela imprensa.

1. Ao que parece, Porto Alegre não estava incluída no roteiro da tournê de Paul ( Up and Coming) na América do Sul. Felizmente, a DC-7 se “atravessou” nas negociações, a RBS entrou na jogada e eles conseguiram incluir a cidade antes de Buenos Aires e São Paulo. Os patrocinadores (Oi, Nescafé e Lojas Colombo) foram arrumados às pressas.
2. Há um boato de que os custos de montagem do palco, instalação do som e segurança tenham triplicado em relação ao habitual. Porque se tratava de Paul McCartney, garantia de maciça presença de público.
3. Não é verdade que a organização do show na cidade tenha sido impecável. Pelo menos, em termos de tratamento dos seus espectadores. Como ressaltou o fotógrafo Eurico Salis, faltou policiamento ostensivo dentro e fora do estádio, os banheiros orgânicos estavam imundos e sem luz e - o que quase causou brigas - se formaram duas filas de expectadores na entrada do Portão 5. Uma “oficial” e outra “alternativa”. Embora o repórter Luciano Périco estivesse alertando sobre esse fato na Rádio Gaúcha desde às 17h, nenhuma providência foi tomada para resolver o problema. Tudo isto, somado às dificuldades de trânsito e estacionamento, faz temer pela organização de uma Copa do Mundo em Porto Alegre.
4. Por falar nos banheiros orgânicos, o site oficial do cantor (http://www.paulmccartney.com/news.php#/2063/2010-11) diz que o movimento provocado pelo show fez com que “trabalhadores colocassem toaletes portáteis para fazer frente ao movimento do público”. Não se sabe se, dizendo isso, os ingleses quiseram “turbinar” o entusiasmo pela presença de Paul em Porto Alegre ou se, de fato, acreditam que os repulsivos banheiros orgânicos só são usados na cidade em situações de emergência...
5. Apesar do tititi causado pela presença de colunáveis e artistas nacionais nos camarotes e no Emotion Club, quem merece aplausos é o pessoal que adquiriu o ingresso Hot Sound Vip. São os cerca de 250 fãs que pagaram... sente-se para não cair... 1500 DÓLARES para ver Paul McCartney. Eles chegaram antes das 13h no Beira-Rio para usufruir dos benefícios oferecidos por esse ingresso. Entre estes, um almoço sem carne - que foi generosamente considerado por eles como tributo ao vegetarianismo de McCartney (penne, bruschetta, berinjela) - bebida à vontade (incluindo-se vodka, champanhe e Johnnie Walker) e, sobretudo, a oportunidade de assistir o ídolo ensaiar antes do show, fazendo aquilo que se chama de passagem do som. Às 16h30, esses fãs ardorosos (e abonados) entraram num Beira-Rio completamente vazio e viram Paul tocar canções dos Beatles que não entraram no espetáculo (como I’m looking through you). O ensaio durou até às 18h, atrasando a abertura dos portões (prevista para às 17h30). Antes do grande público entrar no Beira-Rio, eles foram posicionados pela organização nas primeiras filas do gramado, bem em frente ao palco. A partir daí, terminaram os privilégios. Todos assistiram ao show de pé e não podiam sair dali para ir ao banheiro ou ao bar. Caso contrário, perderiam aquela posição privilegiada.
6. Muito se elogiou a vitalidade física de Paul durante o show. De fato, ela, inegavelmente, existe. Contudo, houve um detalhe na interpretação do rock pesado I've got a feeling que deu - a mim, pelo menos - o que pensar. Na gravação original da canção (incluída no CD Let it be), Paul grita dois ou três "iheheheheheheheheees" poderosamente agudos entre as estrofes. No show de Porto Alegre, eles desapreceram. Na época da gravação, ele tinha 29 anos. Agora, tem 68. Pergunta: a supressão daqueles gritos foi opção artística ou ele resolveu não arriscar a voz ? A pergunta cabe na medida em que todas as outras 34 canções foram, assim me pareceu, cantadas da mesma forma com que foram gravadas há três ou quatro décadas. A exceção foi I've got a feeling.
7. Finalmente, não podemos deixar de mencionar algo que talvez confirme o ressentimento latente de muitos gaúchos contra São Paulo. Embora o show de Paul McCartney em Porto Alegre abrisse a turnê sul-americana após mais de 10 anos de ausência, a revista Veja não deu uma linha sequer sobre a apresentação. É provável que o astro-pop se torne assunto da dita quando ele realizar seu megashow na capital paulista (21/11 e 22/11). Decididamente, o que acontece na província não interessa ao centro...

 


É a vez dos trens bons

Por Luiz Oscar Matzenbacher

A presidente eleita do Brasil é mineira, descende de um povo que vivia em cima de vagões. Mas também é gaúcha de vivência, povo que adorava viajar de trem. Será que a gestão de Dilma Rousseff será a de "UAI, TREM BÃO, TCHÊ; ou "BAITA TREM BÃO, TCHÊ?"
Existe a esperança de que a Dilma Rousseff devolverá ao Brasil aquilo que o também mineiro, Juscelino Kubitschek, começou a nos tirar - o prazer de viajar sobre os trilhos.
O transporte ferroviário com tração elétrica é o Ovo de Colombo, em um país cuja matriz energética é mais de 80% baseada nas hidrelétricas que não causam poluição e poupam o Planeta Terra do efeito estufa ou aquecimento global. O país campeão das hidrelétricas não pode mais continuar sendo o campeão mundial do transporte rodoviário de carga pesada e ainda por cima em estradas extensas e de difícil manutenção. É possível que o Brasil consiga financiamento dos créditos verdes internacionais, subsidiados, se realmente vier a propor a troca do transporte de cargas pesadas por rodovias que provocam alto consumo do óleo diesel poluente, por trens movidos a energia oriunda de hidrelétricas.
Vamos ver cada vez mais baitas trens bons nesse Brasil, tchê dona Dilma?


Memória Política

" Gauchão" era como se chamava no Partidão

o guerrilheiro Edmur Péricles de Camargo


Indio Vargas conhecia Edmur Péricles de Camargo, o Gauchão, como militante da ALN( Aliança Libertadora Nacional) - uma facção guerrilheira que pregava a lutar armada pra derrubada do regime militar - e depois que " ele fez uma coisa que não devia fazer" arrumou pra ele um "aparelho"- no jargão da guerrilha urbana significava um lugar seguro onde o militante precisa ficar escondido pra não ser pego pela repressão.

- Mas ele ficou meio "preso" lá, sem poder se deslocar pra nada, me lembra Indio, que acrescenta que o aparelho ficava no bairro Moinhos de Vento. Ele não revela onde ficava e quem era as pessoas que davam esta guarida.


Edmur tinha prestígio dentro do Partidão, lembra Indio. Ele acrescenta que o guerrilheiro que teria sido jogado ao mar no começo dos anos 70, depois de ter sido preso no aeroporto de Ezeiza, na Argentina,tinha o apelido entre os colegas de Partidão de Gauchão.

- Uma vez fui eu e o Tarso Genro(atual governador eleito) no Plazinha para um encontro com Prestes. Quem nos recebeu foi o Dulphe Pinheiro Machado que me apresentou como um sujeito que tinha tido ativadas junto do Edmur. Ali vi como o Prestes( Luiz Carlos Prestes, líder comunista brasileiro) se referiu ao Edmur:
- Sim, o Gauchão, fez isto fez aquilo, trabalhou em Sorocaba...

Prestes, conforme Indio, " tinha o Partidão na cabeça", sabendo quem era quem no PCB.

Indio Vargas acrescentou que Edmur não tinha grande preparação intelectual, mas era um homem decidido e que não fraquejava na hora de uma ação guerrilheira.

- Ele foi preso aqui lá em Viamão, onde eles tinham um aparelho e fizeram um assalto ao Banco do Brasil daquela cidade.

Ousado, arrojado, são outras lembranças que Indio guarda do colega de militância política clandestina.

Tarso prepara seminário internacional para intensificar combate a corrupção

Uma reunião-almoço com um dos mais renomados magistrados da Europa, ocorrida nesta segunda-feira (15) em Madri, serviu para dar partida a um grande seminário de combate a corrupção que será promovido pelo governado eleito em Porto Alegre. A ideia surgiu da conversa entre Tarso Genro e o juiz espanhol Baltasar Garzon, conhecido por aplicar sentenças contra corruptos e ditadores. O jurista confirmou presença no evento, que ainda não tem data confirmada, mas deve acontecer no primeiro semestre de 2011.

“Temos que aprimorar as formas de dificultar a ocorrência de crimes contra o Estado, através de novos métodos de identificação e controle com participação das instituições e da sociedade civil. Este seminário vai proporcionar o debate mais intenso sobre corrupção”, ressaltou o governador.

Ainda nesta segunda, Tarso Genro, acompanhado do embaixador do Brasil na Espanha, esteve reunido com representantes do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Espanha, que serviu de modelo para o Conselhão brasileiro, criado por Lula e organizado por Tarso no primeiro mandato do presidente.

O governador e o futuro secretário do CDES gaúcho, Marcelo Danéris, discutiram com os espanhóis alguns temas e os mecanismos recorrentes no Conselho. Nesta terça-feira, Tarso e a comitiva seguem em Madri para um encontro com intelectuais e representantes de movimentos sociais, sindicais e politicos. O tema da reunião é “Direitos Sociais, integração econômica e democracias contemporâneas”.

Mais informações em www.blogdotarso.com.br e www.rs13.com.br
twitter.com/tarso13
(051) 3323 8900


Xeripe pelas caronas...

É precário o estado de saúde do Xerife da feira do livro(Salvador La Porta)

Ontem, no encerramento, não se sabia se cumpriria seu ritual como sempre tocando a sineta....

Está se locomovendo com a ajuda de um carrinho.


O ex-presidente da Câmara Riograndense do Livro ( CRL ) Júlio Zanotta Vieira depois de um longo tempo fora de Porto Alegre, voltou a residir na capital do RS. Mora com a mãe...

Júlio foi o responsável pela chamada " internacionalização" da feira do livro de Porto Alegre.

Foi dono de sebos.

Também foi um dos criadores do grupo teatral OI Nós Aqui Traveiz.


Auê no prédio do Sindicato dos Jornalistas!!!!!!!!!!


Por denúncia do Ministério Público, a Polícia Civil fechou ontem um depósito de máquinas caça-niqueis no 12 andar na rua da Praia, onde funciona no 13 andar o sindicato dos jornalistas.

As 17 horas os elevadores ficaram entulhados de máquinas que eram recolhidas e seriam levados pro cais do porto, porque no depósito da policia civil não tem mais lugar, segundo me disse um policial que participou da operação.


- Nós não sabíamos de nada, mas víamos muitos velhos com grana subindo pra este andar. E a desculpa era que era um cyber, alguma coisa assim, contou uma das ascensoristas que não quis se identificar.

O seu João que é o zelador do prédio ajudava os policiais na retirada das máquinas que haviam chegado desmontadas.

- É o joguinho de sempre, disse um policial...


Roteiro pro findi

O findi é ainda de feira do livro, que termina no dia 15. Este ano só teve um dia de chuva, o pessoal aproveitou pra vender e acho que vendeu bem...

Os livreiros vão comemorar...

Tem filmes ( bons ) passando. Um no sindibancários.

E acho que boa parte da galera já se mandou pro litoral, principalmente santa....

Coleguinhas


Um " veterano" que

mantém o charme


Carlos Bastos num evento entre as colegas Francis Maia(assessora imprensa do PDT) e Celina Canabarro(diretora da TV Assembléia) entre outras colegas de trabalho. Foto arquivo pessoal.


Aos 76 anos de idade, o atual Superintendente de Comunicação Social da Assembléia Legislativa do Estado ainda faz sucesso com o sexo oposto.

Carlos Henrique Esquivel Bastos, conhecido entre os colegas por " Nenê", nasceu em Passo Fundo em 25.07;1936. Dirigiu muitos veiculos de imprensa, entre eles a rádio Guaíba, a TV Gaúcha, a rádio Difusora, a TV Gaúchae a TVE.Trabalhou também em jornais como a Ultima Hora, Clarim( um jornal do PTB,patrocinado por Leonel Brizola)Zero Hora e Jornal do Comércio, onde foi colunista político.

Filho de Brasileiro de Araujo Bastos e de Rosa Esquivel Bastos, Bastos tem quatro filhos do primeiro casamento, com Regina. São eles: Lisiane( 16.01.1966), Patricia ( 12.04.1970), Carlos Henrique( 12.12.1972) e Rosa Cristina( 15.12.1976).

Bastos, que é um brincalhão, gosta sempre de contar que uma vez,quando chefiou o Jornalismo da TVE, um repórter chegou assustado pra trabalhar no começo de uma tarde.
Pediu pra falar com ele, e muito cerimonioso lhe contou que naquela noite sonhara que ele, Bastos, tinha morrido.

Mas isto é bom sinal, reagiu o chefe.

Depois de pensar um pouco, Bastos não resistiu e lhe perguntou:
- Mas escuta aqui, fulano, neste teu sonho tinha muito mulher em volta do caixão chorando?


Belezas da paisagem da Patagônia(chilena)

Vulcão Osorno

Estando uma vez em Bariloche, o vulcão Osorno começou a trabalhar. Fica a 300 e poucos quilômetros e fiquei com vontade de me mandar pra lá. Mas acabei não indo....faltou logística....e interesse na cobertura do jornal onde trabalhava....preferiram as matérias das agências internacionais. É bem verdade que eu estava de férias por minha conta, mas a notícia não descansa....


Uma turista nas Ilhas Falkland(Malvinas) com uma praça com dente de baleia. Já a outra foto mostra um monumento aos soldados argentinos mortos nas ilhas Falklands,ou Malvinas


O vulcão Osorno e outra paisagem da Patagônia chilena


INCONSTITUCIONAL


http://radiolazurda.tripod.com/

La Suprema Corte de Justicia (SCJ) declaró por unanimidad la inconstitucionalidad de la Ley de Caducidad para los veinte casos que están en manos de la fiscal Ana María Telechea y la jueza Mariana Motta.
20 COMPAÑEROS, 20 VIDAS, 20 VECES JUSTICIA.

El 1º de noviembre de 2010 la Suprema Corte de Justicia, órgano máximo y supremo del Poder Judicial, falla por 2º vez, y por unanimidad de los cinco Ministros, declarando inconstitucionales e inaplicables los artículos 1º, 3º y 4º de la Ley de Caducidad para 19 homicidios políticos incluidos todos en la causa “Organizaciones de Derechos Humanos” contra Juan María Bordaberry.
La Ley de Impunidad se debió haber anulado por mayoría absoluta en el primer gobierno de izquierda, sin plebiscitarla, ya que es inconstitucional desde su nacimiento.
A pesar de ello el Poder Ejecutivo sigue dando vueltas para no eliminarla, ya no por convicción, ni siquiera por la presión que ejercen los organismos internacionales, como la Corte Interamericana de Derechos Humanos.
En la Cámara baja (Diputados) se votó con 50 votos a favor del oficialismo contra 30 votos en contra de la oposición.
En la Cámara alta (Senadores) se suspendió momentáneamente ya que dentro del oficialismo hay votos en contra de: J. Saravia, N. Novoa, E. Huidobro, Baraibar y Curiel.
Se necesitarían todos los votos para modificar el texto interpretativo de la Ley de Caducidad y así poder separar el Poder Ejecutivo del Poder Judicial (como debe ser) y la justicia no tendría impedimentos para investigar todos los casos a presentar en el futuro como los que están en curso y los ya archivados.
La Suprema Corte de Justicia declaró a la Ley inconstitucional por 1º vez en el caso de:
Nibia Sabalsagaray: Tenía 24 años cuando fue asesinada en menos de 24 horas, mediante torturas, el 29 de julio del año 1974. Era una brillante estudiante y ejercía su profesorado en literatura y militante de la UJC. La llevaron al Batallón de Ingenieros y Servicio de Trasmisiones Nº 5. Su cuerpo despojado de vida, fue entregado a su familia con la orden de no abrir el cajón y diciendo “que se suicidó”. A pesar de eso, la autopsia comprobó su cuerpo lacerado por las torturas.

Ahora falló para los casos de:
Nuble Yic: Tenía 47 años y 4 hijas, estaba convaleciente de un infarto cardíaco cuando es detenido en su domicilio. Murió el 15 de marzo de 1976, en el Batallón 2º y 3º de Infantería, de un paro cardíaco a causa de las torturas recibidas durante 5 meses. Era obrero del gremio de la carne y activo militante sindical y político. Su cuerpo fue entregado con prohibición de abrir el cajón. A pesar de ello, familiares y amigos lo hicieron constatando la saña marcada a fuego en su cuerpo, le faltaban las uñas y tenía fractura de clavículas entre otras marcas visibles. El sepelio se realizó con fuerte custodia militar.
Ivo Fernández: Tenía 42 años cuando muere a causa de las torturas el 21 de enero de 1976 en el Batallón de Infantería Nº 8 de Paysandú. Era empleado portuario, militante político y sindical. Fue entregado a su familia en un ataúd lacrado y con orden de no abrirlo. Los testigos denunciaron dando los nombres de los militares autores materiales de los hechos.
Eduardo Mondello: Tenía 30 años y 2 hijos cuando fallece el 9 de marzo de 1976 a causa de las torturas que le fueron aplicadas mientras estaba detenido en el Batallón de Ingenieros Nº 4 ubicado en Laguna del Sauce, Maldonado. El cuerpo es entregado a su familia 4 días después de su muerte y enterrado en el Cementerio de Pan de Azúcar con custodia militar.


Hugo Pereyra: Tenía 55 años, era plomero y trabajaba como capataz en el gremio de la construcción en Montevideo. Militante del Frente Amplio. A pesar de sufrir del corazón y de hipertensión es torturado y obligado a bañarse en la mañana con agua fría en pleno invierno. Se desvanece en el baño y muere el 28 de agosto de 1977 camino al Hospital Militar a un año y medio de su detención.
Walter Arteche: Tenía 28 años y pertenecía al MLN-T. Muere en el Batallón “Florida” de Infantería Nº 1 el 19 de agosto de 1973, el mismo día de su detención. Lo fusilaron a quemarropa luego de torturarlo bárbaramente.
Gerardo Alter: Tenía 27 años, era estudiante de Arquitectura (Universidad de La Plata) Militante del MLN-T en Uruguay y del PRT / ERP en Argentina. Muere el 19 de agosto de 1973, en el Batallón “Florida”, junto a Walter Arteche mientras estaba estaqueado para aplicarle magnetos.
Iván Morales: Con 26 años de edad y 3 hijos, muere a causa de las torturas en el Batallón de Ingenieros Nº 1 el 22 de noviembre de 1974, dos días después de su detención. Depositaron el cuerpo en una empresa fúnebre que fue la encargada de comunicar el fallecimiento a la familia. Cuando entregaron el cuerpo, el rostro de Iván estaba desfigurado por los golpes y su cuello totalmente cortado, había sido brutalmente cosido.
Amelia Lavagna: 55 años de edad y un hijo, profesora de educación física y militante del Frente Amplio. Fallece el 29 de abril de 1975, al día siguiente de su detención, en el Batallón de Ingenieros Nº 4, Laguna del Sauce, Maldonado. Se ha comprobado que su muerte se debió a causa de las torturas que le fueron aplicadas mientras estaba detenida.
Carlos Curuchaga: Edad 65 años, empleado de comercio, militante del FA – PCU. Es detenido en su casa donde se encontraba convaleciente de una hemiplejia cerebral. Fue torturado en la Dirección Nacional de Información e Inteligencia. Muere el 26 de setiembre de 1975 a un mes y medio de su detención. La tortura que sufrió le provocó una repetición de la hemiplejia y falleció.
Carlos Argenta: Tenía 63 años y era jubilado de la Administración Nacional de Puertos, militante del PCU y de su sindicato (SUANP) Fallece el 17 de diciembre de 1975 a 8 días de su detención. Es torturado primero en Inteligencia y luego en el Batallón de Infantería Nº 3, sin que se hubiera levantado en ningún momento su incomunicación, murió por efectos de la tortura.
Julián López: 66 años de edad, jubilado del transporte (CUTCSA) y taximetrista. Militante del FA – PCU y de su sindicato UNOT. Es recluido y torturado en Artillería Nº1, “La Paloma”. Fallece allí mismo el 5 de enero de 1976, 5 días después de su detención. Las autoridades entregaron su cadáver dentro de un ataúd cerrado y precintado, que no se permitió abrir. Debió enterrárselo luego de unas breves horas de velatorio, conservando el féretro las vendas con que se lo había precintado.


Pedro Lerena: Tenía 33 años y 2 hijas, funcionario de la Caja Rural y militante del MLN-T. Es detenido en la vía pública y recluido en: Artillería Nº 1 “La Paloma”, Casa de Punta Gorda, Regimiento de Caballería Mecanizada Nº 4 y por último es trasladado al Regimiento Nº 9 de Caballería. Muere el 2 de setiembre de 1975, 4 meses después de su detención. Su cuerpo presentaba quemaduras varias producidas por alquitrán hirviendo, fractura de falanges de las manos, había perdido unos 30 kilos de peso.
Bonifacio Olveira:Edad 56 años y 2 hijos, obrero metalúrgico y militante del PCU y del UNTMRA. Luego de recorrer varios centros clandestinos de detención y torturas, fallece el 17 de febrero de 1976, a 4 meses de su detención, en Artillería Nº 1 “La Paloma.
Humberto Pascaretta: 45 años de edad, 1 hijo, obrero de la fábrica de papel CICSSA y empleado de UTE. Militante de PCU y AUTE. Muere en el lugar de reclusión el 4 de junio de 1977, a un mes de su detención, por “peritonitis”
Silvina Saldaña: Tenía apenas 28 años y era estudiante del Instituto de Profesores Artigas (IPA). Empleada y militante de la UJC y de la FEUU. Es recluida y torturada en varios centros clandestinos de detención y tortura. Un día sus compañeros del Batallón Nº 13 vieron que la vistieron y se la llevaron, luego una compañera la escuchó en el 5º de Artillería. Murió a consecuencia de las torturas el 13 de junio de 1976, cuatro meses después de su detención.
Gilberto Coghlan: Edad 36 años, 2 hijos, obrero ferroviario, militante político y sindical. Es llevado por varios centros de detención y tortura. Estando en el 9º de Caballería sufre un desmayo, pese a que no acude nadie por un tiempo prolongado, es sacado por dos oficiales del barracón. La muerte de Coghlan, el 14 de diciembre de 1973, a 5 meses de su detención, fue consecuencia de las torturas que recibió.
Aldo Perrini: Tenía 34 años y 2 hijos, era vendedor de helados y simpatizante del Frente Amplio. Es recluido en el Batallón de Infantería Nº 4 de Colonia. Muere el 3 de marzo de 1974, un mes y medio después de su detención, a causa de las torturas recibidas.


Están comprendidos en esta causa también: Felipe Fernández y Nicanor Lerena.
Todavía se espera el fallo de la Suprema Corte de Justicia para “Los fusilados de Soca”.
Debo destacar la ética de los Ministros de la SCJ y la dedicación de los abogados Defensores de Derechos Humanos. Pero esto es apenas un avance. Tod@s los uruguay@s debemos de ser concientes y no bajar los brazos en la lucha por la verdad y la justicia. No solamente por todos ellos, si no por las generaciones que vienen. Debemos dejarles un país con democracia plena, un país donde puedan vivir y desarrollarse con garantías y en paz. Tenemos que trabajar para que Nunca Más vuelvan a ocurrir estos horrores.
MARYS YIC 7/11/10

 


FATO lança novo Curso Superior de Tecnologia em Produção Cênica


As Faculdades Monteiro Lobato estão com uma proposta inovadora que promete ser um marco no desenvolvimento da economia da cultura de nosso Estado: Curso Superior de Tecnologia em Produção Cênica. O objetivo é a formação de profissionais capazes de conceber, produzir e promover projetos artísticos e eventos culturais, o que é extremamente importante para o desenvolvimento de projetos culturais nas mais diversas áreas relativas à produção e circulação de espetáculos..
O Curso Superior de Tecnologia em Produção Cênica é o único curso superior do Brasil especificamente dedicado à formação de produtores culturais e possui uma excelente qualidade do corpo docente, composto por grandes nomes da produção cultural gaúcha.
A formação de produtores culturais qualificados deve propiciar aumento na realização de atividades artísticas e conseqüente ampliação do mercado de trabalho para artistas e técnicos, além de zelo pela qualidade e pela ética nas ações culturais e provocação de maiores empreendimentos, patrocínios e financiamentos culturais.
O Tecnólogo em Produção Cênica atua na produção de espetáculos e eventos que envolvem música, dança, circo, cinema, vídeo, teatro e linguagens multidisciplinares. Esse profissional trabalha com tecnologias e propostas estéticas, realiza projetos para captação de recursos e atividades de planejamento, execução e divulgação de eventos e espetáculos. São características desse curso: conhecimento histórico-interpretativo das artes da cena e domínio de códigos, convenções, legislação de incentivo cultural e técnicas de produção dessas linguagens específicas.
O curso:
Duração: 4 semestres / 1.744 horas/aula
Possibilidade de opção por turno diurno (manhã) e noturno.
Início das aulas em março de 2011.
Inscrições: www.fato.edu.br
Vestibular:
20 de novembro de 2010.
Local:
Rua dos Andradas, 1180 – Centro – Porto Alegre
Horário – de segunda a sábado, das 08h às 22h
No dia 20/11/10 as inscrições poderão ser realizadas até as 8h30.

Professores:
Prof. Esp. Luiz Armando Capra Filho
Prof.ª Me Dedé Ribeiro
Prof. Esp. Jessé Oliveira
Prof.ª Esp. Viviane Juguero
Prof. Dr. André Lanzer
Prof.ª Me Adriane Mottola
Prof.ª Me Heloísa Gravina
Prof.ª Débora Rodrigues
Prof. Esp. Bruno Gularte Barreto
Prof.ª Janaína Aguillera
Prof. Dr. Antônio Hohlfeldt
Prof. Esp. Cida Herok
Prof. Everton Rodrigues
Prof.ª Esp. Cláudia Debem
Prof.ª Esp. Jane Schoeninger
Prof. Me Hamilton Braga
Prof.ª Esp. Adriana Donato
Prof. Esp. Breno Ketzer
Prof.ª Esp. Sílvia Abreu
Coordenação e idealização geral do curso: Viviane Juguero
Assessoria de Imprensa:
Simone Lersch
(51) 3029.6390 / 9803.4420

 


SAÚDE




Homrich apresenta modelo da saúde de São Borja em seminário
Parceria com a Ordesc foi considerada modelo pela Famurs e Assedisa

O prefeito em exercício e secretário da Saúde Jefferson Homrich e o consultor jurídico Adriano Moraes participaram ontem, dia 10, do 22° Seminário de Municipalização da Saúde. O evento, que ocorreu em Canela, foi organizado pela Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) e a Associação dos Secretários e Dirigentes Municipais de Saúde (ASSEDISA). O objetivo foi apresentar as alternativas possíveis e jurídicas para a gestão da saúde nos municípios.

Cerca de 250 cidades estavam representadas por prefeitos, secretários e dirigentes da saúde. Também participaram do Seminário o vice governador eleito Beto Grill; a secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann; o corregedor-geral do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Hélio Miléski; o representante da Consultoria em Direito Público, Gladimir Chiele; e o presidente da Famurs,Vilmar Zanchin.

Hélio Miléski falou sobre a terceirização na área da saúde, inclusive afirmando que votou favoravelmente no processo que debatia o assunto, pois a terceirização está autorizada pela Constituição Federal. Miléski também alertou os gestores sobre as diferenças na contratação das equipes de saúde da família (ESF) e dos agentes comunitários. “O Estado tem o compromisso de regular e ditar as políticas públicas. E os órgãos de controle da saúde precisam evoluir, mudando a forma de agir”, ponderou Hélio.

Foram desenvolvidos painéis para a exposição dos modelos aplicados em alguns municípios do Estado. O secretário Jefferson apresentou o modelo adotado por São Borja, através do termo de parceria com uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), a Ordesc. Devido aos resultados positivos apresentados, o modelo gerou interesse dos participantes do evento e foi considera modelo de eficiência pela Assedisa e pela Famurs. Este tipo de gestão na área da saúde permite a ampliação e implantação de novos serviços.

Também apresentaram os seus modelos de gestão Novo Hamburgo, Santa Rosa e Esteio que possuem convênio com fundações. Já a cidade de Feliz apresentou seu modelo de Organização Social (OS). Logo após os painéis, os representantes das cidades participaram de uma mesa redonda para esclarecer os interessados sobre aos modelos aplicados.



AGRICULTURA

São Borja sedia reunião da Amfro
Secretários da área rural apresentam políticas públicas de inspeção sanitária

Inspeção sanitária versus os maus exemplos praticados por estabelecimentos que fazem o processamento de produtos alimentícios foi um dos temas em destaque da reunião da Associação dos Municípios da Fronteira Oeste (AMFRO). O evento, que aconteceu nesta quita-feira (11/11), no Parque de Exposições Serafim Dornelles Vargas, reuniu técnicos e secretários municipais de desenvolvimento rural, agricultura e pecuária para o debate e troca de experiências entre os municípios sobre as políticas públicas implementadas e os resultados práticos para melhorias do setor de inspeção sanitária municipal.

LEGISLAÇÃO
De acordo com a lei n° 7.889, de 23 de novembro de 1989, a prévia inspeção sanitária e industrial dos produtos de origem animal é de responsabilidade da União, do Estado e dos municípios. Cabe à secretaria municipal responsável pelas questões rurais das localidades inspecionar, apreender, condenar matérias-primas, produtos, subprodutos, e derivados de origem animal, quando não apresentarem condições higiênico-sanitárias adequadas ao fim a que se destinam, ou forem adulteradas.
A inspeção se dá desde o abate do animal, transporte até ao local de processamento do produto. A fiscalização, após esta etapa, quando o produto já está pronto para a venda e for encaminhado aos estabelecimentos comerciais passa a ser de responsabilidade da secretaria municipal da saúde, através do departamento de vigilância sanitária.

INSPEÇÃO SANITÁRIA
Segundo apresentação de técnicos presentes no encontro, durante as inspeções sanitárias são verificados casos de péssimas condições de higiene, tais como produtos expostos ao esgoto nas salas de processamento, câmaras frias sem vedação, ganchos totalmente oxidados utilizados para pendurar a carne, produtos manipulados próximos à vasos sanitários e animais domésticos- como cachorros- sendo utilizados como guardiões para evitar o roubo da carne de charque exposta ao sol. A contaminação por produtos de limpeza sem identificação junto à área de manipulação dos alimentos e leite sendo transportado em embalagens de agrotóxicos e transportado para o processamento com destinação final para creches municipais, também foram algumas das situações apresentadas e que colocam em risco a vida dos consumidores.

POLÍTICAS PÚBLICAS
Para regularizar a situação, em Santana do Livramento a prefeitura criou algumas políticas públicas que apresentaram bons resultados no trabalho final da inspeção sanitária do município e que foram compartilhadas nesta reunião. Através de convênio com uma cooperativa, a prefeitura disponibilizou um responsável técnico, remunerado pelo município, para certificar a qualidade dos produtos das agroindústrias de pequeno porte que estivessem regularizadas; promoveu cursos de capacitação e desburocratizou a instalação das indústrias de pequeno porte, concedendo a licença de funcionamento em 60 dias. Além destas medidas, a prefeitura efetuou a inclusão do município no Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI- POA) afim de padronizar os procedimentos de inspeção e garantir a segurança alimentar.

Crédito imagem: DECOM/PSB

Apresentação

Prefeitura Municipal de São Borja


Dilma em Portinho?

Há uma possibilidade de que a presidenta eleita do Brasil, Dilma Rousseff almoce emPorto Alegre neste sábado.

NInguém,sabe, contudo, onde....

Os " arianos" incorporados do

ex-governador, apreciaram uma cachachinha!!!!!

Depois sou eu que " implico"!

Faltou o Mazzarino pra incrementar esta elite intelectual!


Como já virou tradição, na última quarta-feira, na barraca da ARI da Feira do Livro, rolou mais uma rodada de chimarrão, promovida pelo Ayres Cerutti e incrementada com uma boa cachacinha mineira levada pelo companheiro Antônio Goulart, que se fez acompanhar da própria mulher, Maria do Carmo. Além do presidente da ARI, Ercy Torma, também compareceu, entre outros, o veterano jornalista João Paulo, com sua farta e já esbranquiçada barba. Outro que deu a honra da presença foi o ex-governador Olivio Dutra, com dona Judite. Foi um dos que também apreciou a purinha. Todos sentiram a ausência do editor deste blog. Foi por isso, com certeza, que a garrafa não foi inteiramente esvaziada.

Goulart


O Senado (quem diria) está
promovendo a cultura nacional



Lembram-se da gráfica do Senado Federal ? Aquela que, nos anos 90, era suspeita de desperdiçar o dinheiro público imprimindo o material de campanha dos nobres senadores, inclusive, supõem-se, do então (1994) candidato à Presidência da República, Fernando Henrique Cardoso ? Pois é: ela, como o Brasil, parece ter mudado, e muito. Não se sabe se a gráfica continua atendendo, prioritariamente, aos interesses eleitorais dos parlamentares. Agora, é incontestável que ela, hoje, vem prestando um serviço inestimável à memória nacional através das Edições do Senado Federal. Trata-se de mais de 130 títulos clássicos, cujo primeiro vislumbre na enorme barraca instalada pela instituição na atual Feira do Livro (entre pela Andradas e dobre no primeiro vão à direita) provoca um pensamento reconfortante: pelo menos, o Senado está servindo para alguma coisa...e de importância fundamental para quem conhecer a História do Brasil.
São obras de caráter histórico-memorialístico que estavam relegadas às bibliotecas de nossas universidades, já que as editoras particulares não têm interesse em reeditá-las. Contudo, elas constituem referência bibliográfica fundamental para quem quiser pesquisar sobre a trajetória brasileira do Descobrimento à República. Todo o candidato a historiador já se deparou, por exemplo, com os nomes de Capistrano de Abreu, Pandiá Calógeras e Francisco Varnhagen. Eles estão à venda na barraca por preços que vão de 20 reais (os dois primeiros) a 30 (Varnhagen). E há também Oliveira Viana, cujo O ocaso do Império sai por inacreditáveis 10 reais.
A historiografia marxista sempre reconheceu o valor documental, descritivo e factual do quarteto acima citado, mas sempre os considerou historiadores conservadores. Contudo, ninguém imputaria tal pecha a Eduardo Prado. Seu livro A ilusão americana foi lançado no final do século XIX, vendeu muito e foi apreendido no mesmo dia pela polícia. Motivo: Prado já defendia, naquela época, a tese de que o Brasil deveria ser autônomo em relação aos estrangeiros. Ele dizia, por exemplo, que a fraternidade norte-americana era um blefe. Tampouco se chamaria de reacionário consumado a Joaquim Nabuco, um dos maiores intelectuais brasileiros do tempo do Império. O Senado editou quatro de suas obras, oferecidas a preços que vão de 10 a 15 reais: O Abolicionismo, Campanha Abolicionista no Recife, Balmaceda e A intervenção estrangeira na Revolução de 1893. E quais são os temas de Nabuco, além da questão da escravatura? Ora, Presidencialismo, Parlamentarismo e relações internacionais. Tudo atualíssimo, não é ? Ele chega até a insinuar a necessidade de uma reforma agrária em Campanha Abolicionista no Recife, escrito em 1885...
Há, porém, mais, muito mais. Todo jornalista ouviu falar em Hipólito José da Costa, fundador do primeiro jornal brasileiro (Correio Brasiliense) e nome do nosso Museu de Comunicação Social. Pois ele comparece com Diário de minha viagem à Filadélfia(1798-1799), onde relata suas impressões da nascente república norte-americana. Há Joaquim Manoel de Macedo, autor do terror escolar de nossa adolescência, A moreninha, mas que exercita bem seus dotes de cronista em Memórias da Rua do Ouvidor e Um passeio pela cidade do Rio de Janeiro. E como não negar o acerto do Senado em relançar essas obras se O Velho Senado, incursão jornalística do nosso gigante das letras, Machado de Assis, pode ser adquirido por irrisórios cinco reais ? Até uma obra capital para se conhecer os primórdios de nosso estado, Viagem ao rio Grande do Sul (Auguste Saint-Hilaire) está disponível lá. Por fim, o Senado Federal também reeditou a monumental História da Literatura Ocidental, do austríaco radicado no Brasil, Otto Maria Carpeaux (1900-1978). É a maior obra do gênero já publicada no país. São mais de 2.000 páginas, divididas em quatro grossíssimos volumes, os quais são oferecidos a 200 reais. É o título mais caro da barraca, mas, garanto, vale cada centavo. Além de cobrir toda a aventura literária humana, fundamentando-a dentro de um quadro histórico-cultural bastante vívido, Carpeaux tem uma prosa luminosa, acessível a qualquer colegial razoavelmente bem informado.
Todo esse tesouro bibliográfico foi editado pelo Senado, imaginem, durante as gestões de Garibaldi Alves Filho e José Sarney (que faz a apresentação de alguns títulos, nenhum citado aqui). Não se espantem, por favor. Como dizia o título de um filme quase tão antigo quanto essas obras, mas sem o mesmo valor cultural, do lodo também nasce uma flor. Pois vá correndo até a Feira do Livro, antes que ela feneça (termina neste final de semana).

Carlos Augusto Bissón

Desde Serafina


Espigão cresce a olhos vistos

mas movimento preservacionista quer


impedir "habite-se"

O segundo round entre o grupo de preservacionistas de Serafina Corrêa, composto por Bi Cervieri, Salete Cadore e Ivete Vivian pode ser o " habite-se" ao espigão que o empresário Beto Chiarello está construindo na frente da cantina da sociedade estrela guaporense, na av. Miguel Soccol, centro da cidade.

Motivo de um grande round entre as preservacionistas e o empresário, Beto voltou a tocar sua obra depois que venceu três vezes na Justiça, inclusive no âmbito federal.
- Nao fiz nada fora do que a lei manda....quando chegava o oficial de Justiça com a intimação eu mandava a empreiteira parar a obra imediatamente, disse-me ele na noite-madrugada de quinta para sexta, em sua pizzaria grão de bico,que toca num esquema familiar,aqui em Serafina Corrêa.

Beto não diz mas se comenta a boca pequena que ele teria gasto 50 mil reais entre as rodas de fofocas daqui,principalmente os que se reúnem no bar do Maruco, na mesma avenida. Ali é o local onde as novidades da cidade correm e onde se fica sabendo às vezes antes das próprias rádios locais o que está ocorrendo na cidade.

CALVARIO DO EMPRESÁRIO

bETO Chiarello começou seu calvário em 10 de janeiro deste ano quando o prédio, de dois andares, que está construindo no antigo local onde mantinha sua pizzaria, teve aobra embargada por decisão judicial, a pedido do movimento preservacionista da cidade.
- Recebi uma notificação do município para não construir ali, disse-me ele.

- A obra de lá para cá parou quatro vezes, diz Chiarello.

Mas a maior paralisação foi da última vez quando os pedreiros ficaram parados 90 dias. Muita gente na cidade achava que o prédio que Beto mandou levantar para garantir sua aposentadoria com o aluguel dos conjuntos comerciais não voltaria mais a ser feito, por intervenção do movimento preservacionista que alega que o prédio na frente da cantina lhe tira a visão.

A cantina, construida para esmagamento de uva e fabrico de vinho, era da sociedade estrela guaporense, que no ano que vem completa 90 anos, mas que está inativa desde a morte do seu presidente, Fioravante Cervieri, em 1973, de um câncer.
Os 9 filhos brigam até hoje na Justiça pela herança.

Atualmente a cantina é alugada para cultos religiosos aos finais de semana.

Dentro dela, porém, há todo o equipamento, como tonéis usados para esmagamento de vinho, originais, que estão como quando começaram a operar, muitos anos atrás.

Havia uma outra cantina de vinho, no bairro Gramadinho, denominada Vinicola Guaporense, mas há 50 anos que fechou.O prédio, que hoje foi comprado por um investidor local, Nesson Assoni, pegou fogo tempos atrás e não faltou quem desconfiasse que o incêndio fosse criminoso, mas nada, porém foi provado.

TOMBADO

o PRÉDIO da cantina da sociedade estrela guaporense é tombado desde junho pelo IPHAE( nivel estadual) desde junho passado. As preservacionistas comemoraram sua preservação e estenderam uma faixa nele noticiando seu tombamento. Muitos entenderam a faixa como uma " provocação" ao empresário que constrói um prédio na frente da cantina, que pode tapar a visão desde a avenida..

- Fiz tudo o que poderia fazer, deixei um espaço entre o prédio e a cantina, diz Beto Chiarello.

Há no entanto quem acuse que ele estaria invadindo a área de uma escolinha lateral. Nada disto está provado.

Beto Chiarello é o típico micro empresário filho de um agricultor local que veio da roça para trabalhar como empregado no comercio local. Beto fundou uma pizzaria e desde então vem criando seu espaço na cidade.

A briga com o movimento preservacionista é uma faca de dois gumes, até porque ele sempre apoiou localmente os candidatos do PMDB local, principalmente Luís Gheller( já foi prefeito e perdeu uma eleição, a última para o candidato do PP, o Bico Branco( Ademir Presotto).
A líder do movimento preservacionista, Salete Cadore, é a presidente local do PMDB.

Na cidade, há quem ache que quando o prédio ficar pronto ele tem que fazer uma grande comemoração.
Como já teve muitas despesas com advogado, o empresário apenas refere que só depois que estiver com o Habite-se que vai pensar no assunto.


Desde Serafina

Prefeito não se mete

na encrenca do espigão


Qual Poncio Pilatos, o prefeito de Serafina, Ademir Presotto( PP), não se envolveu na briga entre as preservacionistas que defendiam a não construção de um prédio comercial na frente da antiga cantina da sociedade estrela guaporense.

Bico Branco, como o chamam os nativos- por causa do seu vasto bigode - não quer se desgastar porque é candidato à reeleição. Fica fora o que pode das áreas de atrito.

A área onde está sendo levantado o espigão,ou ´prédio comercial, pertencia a sociedade estrela mas foi comprado pelo empresário. Diz-se que ele teria pago a módica quantia de 60 mil reais. A compra só foi possível porque a Justiça liberou avenda do terreno já que os herdeiros da sociedade estrela tem muitas dívidas fiscais.


Os notívagos

São 8h47 m inutos de sexta feira, e o coelga Carlos Augusto Bisson(que sempre erro o nome) me manda umas matérias e o recado.

Agora vou dormir!

Pô os caras ficam acordados a noite toda...como pode, eu já estou a milhão aqui no outro dia....

 

NOTÍCIAS RÁPIDAS
DE BRASÍLIA

Por Sergio Ross


MASTURBAÇÃO NÃO É MAIS PECADO


A mesa mais inteligente de Brasília,
que fica no Stella Grill,ferveu ontem aqui. A primeira discussão,foi entorno de uma decisão
histórica, que o Vaticano deverá tomar no próximo ano. Segundo o Padre Cortez,um jesuíta casca grossa, que não fala muito bem do atual papa e é um dos integrantes da nossa mesa,anunciou para quem quisesse ouvir, que no próximo ano o Vaticano,vai terminar com essa história de que masturbação é pecado. Se você for se confessar hoje, já não terá que pagar mais penitência. Desculpem a palavra chula,mas agora a punhetinha está liberada.
Segundo o Padre Cortez um riograndense do norte,é para diminuir a pressão de que alguns padres fazem no Vaticano,para que o casamento deles padres seja liberado. Eu acho no entanto, que agora os pedófilos da igreja,vão andar menos histéricos e respeitando mais os seus pequenos fieis.
O padre Cortez é companheiro do padre Aleixo,um mineiro que até alguns anos
atrás,era professor no Vaticano. O padre Aleixo é um dos caras mais inteligentes que eu conheço e sempre que almoça conosco é pressionado pelos ateus da mesa, a cometer pecados... O padre é filho do veterano político mineiro e grande amigo de JK o Pedro Aleixo

DILMA NÃO USA AVIÃO DA PRESIDENCIA

A presidenta eleita Dilma Rousseff, não quis usar um avião da Presidência para voar para Seul. Preferiu um avião da TAM para voar para Frankfurt e de lá voar em um avião da Lufftansa, para a Correia do Sul.
Na volta sim,viaja na companhia do cumpanheiro Lula.

O OURO AGORA VALE OURO NOVAMENTE

Nos próximos dias o ouro vai voltar a
ser novamente no mundo o padrão monetário. O seu dinheirinho vai crescer ou diminuir, de acordo com o ouro e não mais conforme o dólar.
Vocês sabem,qual os países que mais ouro tem em seus cofres????? Pois bem, se falaram em Estados Unidos e Israel acertaram.

SEBASTIÃO NERY LANÇA SEU 16º LIVRO

O jornalista Sebastião Nery,esteve dias atrás aqui em Brasília. Veio lançar o seu 16º livro, - A Nuvem:O Que Ficou do Que Passou,
um registro de memórias de alguém que tem
muita história para contar em 58 anos de estrada como repórter,advogado e político.
“Não é só um livro político, é um livro de viagens também,viagens internacionais”
que fiz como estudante e como jornalista”
explica o Nery. Em pouco mais de 600 páginas,
a obra percorre toda a vida do autor,desde a
saída da cidade natal,Jabaquara(BA),em 1944,até 50 anos depois,quando retornou de
Paris.
Antes de completar 11 anos, Sebastião
Nery foi estudar num Seminário na capital baiana e carregava dentro de si a carreira
sacerdotal,logo abandonando,graças a uma
paixão que vivia no Colégio de Freiras ao lado.
Por isso ou depois disso, ele já casou mais de quinze vezes. Ele gostava de vir seguido à Brasília,onde almoçava sempre conosco. Mas como a ultima esposa é muito ciumenta, ele só veio agora para lançar o seu livro e voltou correndo para o Rio,onde mora.
Sebastião levou seis meses para compilar todas as histórias de quase 60 anos de carreira em livro.
Esta é a terceira edição do livro. O laçamento da primeiro, aconteceu em dezembro do ano passado no Rio e esgotou
rapidamente.
O primeiro livro que escreveu foi o Sepulcro Caiado-O Verdadeiro Juraci, em 62,
sobre o governo Juraci Magalhães na Bahia.
O Sebastião foi muito amigo de Brizola,
mas brigou feio com o nosso conterrâneo,que no fim da sua vida,não podia ouvir o nome dele.

Memória da Imprensa


O " homem do relho" não

deu certo na TVEs


Leonid Streliaev, o alemão UDA, fotógrafo dos mais renomados, tentou se eleger deputado federal em 1990, mas mesmo exibindo um relho - ele queria botar os colegas,ou supostos colegas a trabalhar - sua campanha moralista não pegou e o eleitorado fugiu dele como o diabo da cruz.

Pra compensar o governador eleito Alceu Collares colocou o alemão, ou o louco do UDa na presidência da estatal de tevê. Tinha tudo pra dar errado e deu, mas Uda quase deu uma mexida geral lá...Tanto assim que quando Alfredo Fedrizzi,o presidente que estava deixando o cargo, foi lhe apresentar o que a televisão tinha( afora as centenas de empregados, alguns "fantasmas", que nunca pintam no emprego) não mostrou um monte de kombis que estavam na garagem,todas com algum defeito não podendo circular.

- Eu peguei aquelas kombis e chamei a Panambra. Fizemos uma permuta: pelo conserto, eles teriam propaganda na tevê, disse-me dias atrás o Uda, enquanto tomávamos uma ceva aqui na feira do livro.

TANIA CARVALHO

mAS O novo presidente começou a bater de frente com uma " estrela" da tevê, a apresentadora Tânia Carvalho.

- Ela pegava as informações que ouvia na TVE e levava pro Clóvis Duarte, no Câmara Dois( tevê Guaíba) onde ela também se apresentava, disse-me Uda.

Um destes episódios ocorreu da seguinte maneira: Clóvis Duartte ficou sabendo de quantos pares de sapato a primeira dama, Neusa Celina Canabarro tinha e fez um escarc eu no Câmara Dois. A represália veio em seguida. O secretário de Comunicação, Carlos Bastos, cortou-lhe um anúncio da Caixa Econômica Estadual(CEE).

Clóvis Duarte " comprou " a briga: continuou dando pau na Neusa Canabarro porque achou que o anúncio voltaria.

Nesta encrenca toda, Uda teve que demitira da TVE a apresentadora Tânia Carvalho, que o acusou publicamente de mandar apagar do acervo da TVE uma entrevista que ela fizera com o líder comunista Luiz Carlos Prestes.

- Nunca mandei apagar nada, nega Uda, hoje.


CLIMA RUIM

Sobre o clima dentro da TVE que se estabeleceu no poucos meses que Uda foi seu presidente, a colega Josi Negreiros deu o seguinte depoimento pra este site:

- É claro que lembro do Leonid na TVE. No pouco que ele ficou lá foi um estresse lá só com vários funcionários.

Eu ficava bem quieta no meu canto e deixava que os " outros" mais " antigos" comprassem a briga.


Foi feio, mesmo. Ele se achou a última " bolachinha do pacote" por ter sido nomeado pelo Collares para umc argo que não tinha qualquer aptidão.

Então é isto.

O que lembro do Uda na TVE é que eu fui lá como repórter da ZH fazer uma matéria sobre as condições que os carros da estatal se encontravam. Estava tudo destroçado. E coloquei o UDA encima de uma kombi. Louco e maluco como é, ele topou. No outro dia saiu no jornal aquela foto do presidente encima da kombi....

Recordo ainda que foi acusado de "vender" publicidade pra TVE, o que não pode. Ele me informou que tem todos os recibos da publicidade depositadas na conta corrente da estatal.

TVE , um olhar para a cultura

Quero ressaltar neste breve documento a importância de a TVE ter um olhar específico para a cultura, com investimento em equipamento e pessoal que possa oferecer condições de torná-la referência no registro e promoção da rica diversidade artística e cultural do Rio Grande do Sul, do Brasil e da América Latina. Como há previsão, dentro de uma proposta de reestruturação administrativa, dela vincular-se à futura Secretaria da Comunicação, é fundamental que não se perca ou se reduza esse referencial histórico da fundação – TVE e FM Cultura – para a promoção, divulgação e registro da cultura local e nacional em todos seus vetores - música, vídeo-cinema, literatura, dança e outros.

O debate qualificado, democrático e plural de temas inerentes à sociedade também pode ganhar qualidade e versatilidade a partir de um olhar de sensibilidade apurada, uma direção que insira a cultura no centro da gestão.

Historicamente a fundação experimentou gestões compartilhadas entre comunicação e cultura. É razoável avaliar que a TVE, apesar dos desvios dos dois últimos governos, tenha se constituído em espaço de promoção e informação de fatos e ações importantes para a sociedade e para o próprio governo, dentro de uma visão republicana e transparente de gestão. Esta é a ótica que sempre defendemos, referendando a importância de se reforçar e ampliar o caráter público da fundação.

Mas é preciso compreender que, para a área cultural, a TVE é essencial. É muito mais do que apenas um veículo de comunicação. Trata-se de um dos raros meios que dispomos para proporcionar uma visão respeitosa, ampla, civilizatória e de caráter humanista da nossa sociedade.

Não devemos descuidar deste elemento. A fundação, a despeito de suas carências históricas, tem exercido um papel fundamental de divulgação, registro, reconhecimento e acervo da enorme diversidade da cultura gaúcha, brasileira e latinoamericana. Entre altos e baixos e prioridades muitas vezes contestáveis, uma imensa gama de atores sociais, grupos, projetos e artistas têm encontrado neste veículo uma das raras possibilidades de acesso a um universo maior de público e ao registro de sua obra com um mínimo de qualidade.

Por isso, é importante que se reforce e se amplie uma estrutura específica de produção, registro e documentação histórica e contemporânea das manifestações e expressões artísticas. Afinal, queremos ser “do Brasil e do mundo”.

Com a premente e necessária inserção e intercâmbio do Rio Grande do Sul com nossas culturas irmãs do Brasil e da América Latina, é importante investir no registro do folclore, das tradições, da vida das comunidades, das festas, dos festivais, do patrimônio histórico e simbólico, dos eventos e personalidades que retratam as múltiplas faces de um mundo em acelerada transformação. É no registro da imagem e do som que guardamos para as outras gerações nossas riquezas tangíveis e imateriais, que resguardamos nossas sólidas bases culturais, que extraímos e consolidamos valores estéticos e simbólicos para uma sociedade melhor.

Para isto, é aconselhável uma direção cultural que seja munida da melhor estrutura possível e que caminhe ao lado do jornalismo na busca da ampliação das redes de transmissão. Que possa produzir conteúdo dos principais momentos vividos pelas comunidades, pelas cidades, pelas regiões. Este olhar e compreensão, em nosso entendimento, é fundamental, visto que o mercado e as grandes empresas de comunicação – a grande mídia como um todo – vêem a cultura mais como um produto, resultado de interesses comerciais.

Em conjunto com a TV Brasil, cuja relação deverá proporcionar um salto de qualidade e quantidade na programação, novas possibilidades serão alcançáveis e mais portas serão abertas. Se pensarmos na importância que as redes sociais vêm adquirindo em nossas comunidades e na inter-relação com os novos meios e suportes digitais, que vem acelerando exponencialmente nossas vidas e ampliando a produção de conteúdo independente, estas possibilidades se ampliam ainda mais.


Gilmar Eitelwein – jornalista


Nome da TVE!

Tomem nota,depois me dêem o crédito, por favor de mais um " furo"!

Vai dar Gilmar Eitelwein pra TVE!!!!!!( o popular XINECO)

Não é informação, é palpite.

Aveline


a ficha de afilhado no sindicato dos jornalistas onde ainda ressoam seus gritos durante as assembléias em que Aveline sempre tinha decisiva participação.

 

Eu teria muito a falar sobre o velho Aveline, mas escolhi um texto da sua filha, que está no meu livro Pauta, pra lembrar sua memória. Neste dia 13/11 completam-se 5 anos de sua morte.


Depoimento de Maria Helena Aveline:


Como pai, mesmo, foi muito autoritário, machista, muito preconceituoso. Não queria que eu namorasse, não deixava que eu me pintasse, não queria que eu me casasse. Isto me marcou muito. Mas quando eu era criança, até os 10 anos de idade, chegava a me esmagar de tão carinhoso que era.

Meu pai era uma pessoa muito simples e nunca nos expôs. Ao mesmo tempo era uma pessoa muito difícil. Estou meio perdida com relação à personalidade dele, muito controversa. Ele não era uma unanimidade. era amado e odiado.
Acho que ele tinha problema de humor, agravado pelo fato de ser de signo de gêmeos. Assim como davas risadas e fazia piada de tudo, também era muito depressivo. Tinha pavor de fim de semana, principalmente domingo,quando ele se sentia muito solitário. E não gostava de festas. Minha avó paterna, Eulinda Machado Aveline,dizia que ele era anti-social.

Em casa, na família, sempre ausente em função do Partido Comunista.


Foi muito fiel à minha mãe, mas não era nem um pouco carinhoso. Nunca soube que tivesse outra pessoa, até os dias de hoje.Mas ele era seco com ela. Nunca vi ele fazer um carinho, nunca vi ele dar um beijo nela, que era uma pessoa muito discreta, uma baiana submissa, muito pacienciosa, que agüentava tudo. Mas ele admirava muito a minha mãe.


A nossa grande adversária, a amante dele, foi o Partido Comunista. Nós, os filhos, tinhamos ciúmes do Partidão. Eu gheguei a odiar o Partido Comunsita. Acho que eu odeio o Partido Comunista Brasileiro.

Estudei no Colégio Nossa Senhora da Glória, das freiras, dos sete aos 17 anos. Era uma coisa meio esquizofrênica, porque eu vivia mentindo pras freiras. Mentia que tinha feito a primeira comunhão, quando não tinha feito, que tinha sideo crismada, dizia que ia à missa àos domingos, que comungava. Era horrível. Mas também desenhava a foice e o martelo, escondido, emj tudo que era lugar.

Nós brigávamos muito. Mais brigamos do que ficamos em paz. Tínhamos uma relação neurótica que, acho que vai levar anos para eu resolver. Nossas brigas começaram na adolescência e terminou há pouco, quando me despedi dele pra viajar, poucos dias antes de sua morte. Na viagem bati uma foto de uma pomba rolinha. A foto desta passarinha é a cara do meu pai. Ele adorava a natureza, uma das muitas coisas produtivas dele.


Com 10 anos de idade, eu disse pra família reunida: eu não acredito em DEus. O Pai abriu um sorriso comunista, de satisfação. Mas em compensação, também não existe diabo, disse eu. Foi ele quem me ensinou a ser revolucionária. Acho que herdei dele o gen político. Hoje, estou querendo que Deus exista. Estou precisando acreditar em Deus, porque o meuj DEus se foi.

Me abalei com a morte do Brizola(Leonel) que eu achava que nunca ia morrer. Fiquei impressionada com a morte do Bira Valdez, na flor da idade, como disse meu pai. Mas quando meu pai morreu, eu perdi o chão. Tomeis dois " Lexotan" na hora pra me segurar. Meus irmãos machões ficaram abalados, sentados, chorando, sem condições de fazer nada. Meu primo Antônio Ricardo Aveline me ajudou a escolher a roupa, a gravata, a camisa , o terno. Escolheu um terno que lhe ficava muito bem,até. Me acompanhou ao necrotério na madrugada. Escolhemos o caixão juntos, que não fosse pobre que parecesse avareza, nem tão sofisticado que custasse muito caro.

O sobrenome Aveline é de origem francesa,judeu-francês. A imagen no brasão da família é de uma avelã pequenininha. A inscrição: La virtud de la aveline est le feau( A virtude do avelã é o fogo...) Havia momentos em que ele gostava de saber sobre o brasão da família,outras dizia que era um sentimento pequeno-burguês.
Meu pai nasceu em Porto Alegre, na rua do Arvoredo,hoje Ferrnando Machado, no dia 19 de junho de 1919. Meu avÕ, de vergonha registrou como tendo nascido no dia 21. Ele perdeu o pai aos dois anos. Com a morte do paí, vítima de um câncer na garganta,, sua mãe teve que trabalhar e mantinha os dois filhos com grandes dificuldades. " Nossa infância foi muito difícil" disse João Aveline numa entrevista." Estudava a semana toda e aos domingos a mãe me dava 500 réis para ir ao cinema, na avenida Presidente Roosevelt, gerlamente filme de mocinho".

Cursou o primário e o ginásio no Colégio Militar, em Porto Alegre.Ele queria seguir a carreira miltiar e com 19 anos , em 1938, foi para o Rio de Janeiro tentar a Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende. Enfrentou uma " prova de fogo" mas foi reprovado num exame médico porque tinha varicoceli. Ele chegou a ser operado no Hospital Miltiar em Porto Alegre e depois no RJ, mas não conseguiu ser admitido. Apaixonado pelo RJ romântico dos anos 40, do tempo do borogodó, do samba, da lapa, de pegar bonde andando, das mulheres chamadas de " madame", chegou a dormir em banco de praça pra nãot er que pedir dinheiro pra mãe,ou voltar pra Porto Alegre.

Desencantado da frustação de não pdoer vestir a farda desejada, foi trabalhar na Polícia de Felinto MUller, como investigador policial. Minha mãe adorava um chapéu de detetive que ele usava com a aba para o lado.


Conheceu a mãe, Asdila, em 1944, numa pensão no bairro das Laranjeiras. Ela tinha vindo da Bahia com a família de 17 anos . Foram um casal moderno pra época, pois " transaram" antes do casamento. Quando casaram em 19.10.1946, Asdila já estava grávida do filho mais velho, Luiz Carlos, uma homenagem ao Cavaleiro da Esperança,Luiz Carlos Prestes. Foi um escandalo.


Meu pai era um homem muito bonito quando moço e minha mãe morria de ciúmes dele. Quando ele saía pra trabalhar na delegacia de Polícia minha mãe o seguia à distância. Um dia ele voltou-se e levou um susto: deu de cara com ela. Ficou furioso. Perguntava por quê ela o seguia, se não tinha necessidade. Muito brabo, ordenou que ela nunca mais fizesse isto. Ela obedeceu.

Aveline II

Em 1975, João Batista Aveline foi preso.Ele era chefe de reportagem da ZH naquele ano e foi preso em sua casa.

A filha narra como foi.


Ele foi preso na minha frente.Eu trabalhava na Secretaria Estadual da Saúde e me preparava para ir ao Hospital São Pedro quando chegaram dois camaradas. " O Aveline está?", perguntou um deles. Disse que sim, está ali, preparando-se para sair e apontei pra ele, que apareceu dirigindo o fuquinha dele. Quando olhei de novo meu pai tinha um revólver dos grandes, prateado,apontado para a sua cabeça. Em questões de segundos fizeram ele sair do carro, o amarraram, o algemaram e obotaram dentro de um Opala azul, onde tinha mais um homem.Deixaram o carro dele atravessado no meio da rua.Comecei a gritar e a fazer escandalo. em plena diktadura. Meu pai ficou apavorado. Gritava: " vai pra casa", desesperado,morrendo de medo que me levassem junto. Eu mal sabia dirigir, mas o pouco que eu sabia manobrei o carro e botei na garagem. Eles me passaram uma chave de braço, rasgaram o meu músculo, meu bíceps e , sem forças, abri a mão deixando cair a chave do fuca. Eles abriram o carro, arrebentaram todo por dentrto, vasculahram tudo. Mas não acharam nada.


Nós morávamos em duas casas geminadas na av. Paulino AZurenha, 30, a nossa família e a de meu tio, Tony ,irmão dele. Na frente tinha um mujro que dividia as duas casas, mas o pátio, nos fundos, era comum . Meu irmão Alvaro, o mais novo, com 1'7 anos, dormia o sono adolescente no quarto de meu pai e não viu nada. Ainda bem,porque ele era todo revoltadinho.


Minha mãe ficou nervosa, ela era cardíaca. Eles apontaram uma arma para uma senhora que foi fazer um chá para acalmá-la.
E eu indiquei o quarto do meu tio quando perguntaram onde meu pai dormia. Eles vasculharam todo o quarto do meu tio e só encontraram coisas de galo de briga que ele gostava. Não encontraram nada do que procur4avam. Nem entraram no quarto donde Alvaro dormia. Se entrassem, tinha um monte de jornais " A Voz da Unidade" do Partido Comunista.

Eu, no desespero, aprendi a me virar. Como diz o ditado " a dor ensina a gemer". Minha tia Zilda e minha mãe ficaram caladas. Entenderam que era melhor assim.

Um vizinho que morava na frente e tinha um táxi viu os camaradas levando meu pai e resolveu segui-los com seu fuquinhalaranja. " pra onde vão levar seu Aveline" penseou e seguiu o Opala azul pelas ruas Aparício Borges e Bento Gonçalves. Em determinado momento, os " camaradas" pararam,saíram do carro e com fuzies e metralhadoras perguntaram:" onde o senhor pensa que vai?" e mandaram-no embora.

Liguei pra ZH e falei:" tô ligando pra avisar que hoje meu pai não vai trabalhar porque simplesmente ele foi preso".

Consequência da prisão, João Aveline foi posto nas oficinas da ZH porque o dono do jornal,quando o chamou de volta o avisou:

- Sou eu que tenho que dar explicações lá no III EXército.

Aveline, na circunstância, aceitou.

Ele justificava tudo, aceitava humildemente, porque a " luta revolucionária" pra ele justificava tudo....


Mas eu sou testemunha que o velho, como o chamávamos, tinha vergonha desta prisão.
Não gostava que se falasse dela...Em 2005, quando íamos juntos, no mesmo táxi ao lançamento de um livro do Delmar Marques, eu sentado atrás do carro, perguntei a ele em que ano fora preso.

- Explica pra ele que eu não sou batedor de carteira, reagiu o velho Aveline.

No caso, ele queria que o motora soubesse que sua prisão fora política.


Feira do Livro de Porto Alegre

 

Oficina BRINCANDO COM ARTE
Dia 15/11 (segunda-feira)
Ministrante: Viviane Juguero

Das 9h às 13h Território das Letras
Das 15h às 19h Ducha das Letras
8h / aula com emissão de certificado


A oficina BRINCANDO COM ARTE enfoca o trabalho de Arte e Expressão voltado à Primeira Infância. A oficina, que será realizada na Feira do Livro de Porto Alegre, faz parte do projeto ?Jogos de Inventar, Cantar e Dançar?, financiado pelo FUMPROARTE e é voltada para educadores, pedagogos, artistas e recreacionistas que tenham foco no trabalho com crianças de zero a seis anos.
A observação e o respeito ao grau de desenvolvimento das crianças é fundamental para a construção de uma atividade lúdica que as atinja e possibilite que desenvolvam suas capacidades expressivas. Por meio da proposição de atividades lúdicas, é possível observar quais os movimentos e sons extracotidianos que as crianças produzem, quais as associações e efeitos de imaginação e de que forma os jogos se estabelecem dentro de cada grupo. A partir disso, o profissional encontrará caminhos de formalização de novas atividades, tendo o cuidado de que cada proposta seja um modelo estimulador da participação e da inventividade e não uma forma rígida para ser copiada e reproduzida fielmente.
A oficina será lúdica e agradável, realizada em dois momentos: Na parte da manhã acontecerá a apresentação da proposta do trabalho e a exemplificação do processo, realizando algumas atividades (presentes no Livro e CD) que foram criadas e largamente experimentadas com crianças. Os oficinandos participarão ativamente na realização das atividades lúdicas propostas. Na parte da tarde, trataremos do processo de desenvolvimento de propostas artístico-expressivas, onde o grupo deverá criar possíveis atividades e debater sobre a importância da arte na educação.

Viviane Juguero é artista e produtora cultural há dezesseis anos. É Bacharel em Interpretação Teatral e Especialista em Teoria do Teatro pela UFRGS. Atualmente, é diretora do Teatro de Arena de Porto Alegre, da Delta V. Produções/Bando de Brincantes e faz parte de trabalhos do Circo Girassol. É coordenadora do Curso Superior de Produção Cênica / Faculdades Monteiro Lobato. Viviane realiza intenso trabalho dedicado à primeira infância desde 2003, além de ministrar cursos sobre o tema. Como escritora, possui textos para teatro, contos, poemas, canções e artigos publicados. Suas publicações especialmente dedicadas à primeira infância são CANTO DE CRAVO E ROSA (texto teatral do espetáculo homônimo que está em cartaz até a data de hoje) e JOGOS DE INVENTAR, CANTAR E DANÇAR (livro, CD e espetáculo com poemas e canções que Viviane compôs a partir da relação direta com crianças de zero a seis anos, em quatro anos de pesquisa).

Os interessados podem se inscrever, SEM CUSTO, pelo e-mail leitura@camaradolivro.com.br

Assessoria de Imprensa:
Simone Lersch (51) 3029-6390 / 9803-4420


Coleguinhas

*Voz de Haroldo "Audiência" de Souza pode ser ouvida ontem na rádio Guaíba, mas apenas no comercial do CALMADOR....ESTÁ NA BAND AM.


*ESSA É DE cabo de esquadra: O ghost writter( escritor oculto) do Carlos Chagas, que tout le mond sabe que é o Serginho Ross, consegiu um feito: errou o dia em que viajou e que passou por um vexame no Salgado Filho....

Disse que foi no domingo: não foi no sábado...

*Edgar Schmidt falou ontem acordado....

*Uma leitora pediu pra parar de pegar no pé dos coleguinhas " porque não foram na minha sessão de autógrafos".

Mas quando jornalista lê? Samuel Wainer dizia que jornalista não lê nem sua própria matéria.

*Se eu dependesse dos coleguinhas, seguramente morria de hambre....

Memória Política


Nos tempos do PMDB!


Esta foto é de uma coletiva do senador Pedro Simon,antes de 1982, dada no segundo andar na Assembléia Legislativa do Estado.

Entre os presentes, consegui identificar, com a ajuda do colega João Carlos Terlera, Rubens Porciuncúla( um ex-cassado da Rede Ferroviária Federal S/A, que está com a bolsa sob o braço), Nivaldo Soares, que deveria ser então líder do partido na Assembléia Legislativa, o advogado Anselmo F. Amaral( autor de alguns livros), um militante com a camiseta de Adão Villaverde, que era candidato( não sei a quê).

Da esq para a direita foi possível identificar também o jornalista Décio Walter.

Porque motivos todos estão a rir? ninguém sabe


O repórter que pergunta parece que era da rádio Farroupilha e atrás dele tem um canetinha anotando.

O autor da foto não está identificado mas pertence ao Gabinete de Imprensa do PMDB. O Acervo é da memória do PMDB/RS.

George W. Bush

Ao lançar sua própria biografia o Ex-Presidente Yanke (George W. Bush) assume que ordenou práticas de torturas na prisão de Guantánamo, em Cuba. Acho que essa confissão poderia ser apreciada por tribunais internacionais pelo crime de violação dos direitos humanos.


Letier Carvalho Vivian


A trilha ecológica


Minha irmã trabalhou na vida - " comeu o pão que o diabo amassou " no começo da vida dela fora de casa,quando até empregada doméstica foi em Caxias do Sul. DEpois, trabalhando subiu na vida. Hoje é representante comercial e ganha razoavelmente em função do seu esforço laboral.

Seu hobby é fazer umas viagens, de vez em quando...

Sua última fora Moscou, onde pagou uma fortuna por um pedacinho de galeto que eu acho que fora produzido em Serafina, na Perdigão...

Mas é assim...

Agora fez uma trilha ecológica pela Amazâonia.

Eis aí uma foto da vitória-régia....


A Feira ultrapassa a Praça



A Feira do Livro de Porto Alegre é uma festa para crianças e jovens – e não só no Cais do Porto. Na etapa prévia e durante a Feira do Livro de Porto Alegre, milhares de alunos recebem autores em suas escolas através de programas de leitura desenvolvidos pela Câmara Rio-Grandense do Livro com diferentes parceiros. “A feira não é um fato isolado. É o momento culminante de programas e projetos de leitura desenvolvidos em diferentes regiões do Estado, muitos em parceria com a Câmara Rio-Grandense do Livro”, destaca Sônia Zanchetta, responsável pela programação infantil e juvenil do evento.

Levar escritores e ilustradores para ficar frente a frente com crianças e jovens é uma das estratégias mais bem sucedidas. Antes dos encontros, alunos, educadores e outros membros da comunidade escolar leem obras de sua autoria, para tornar as visitas mais produtivas. Os autores residentes no Rio Grande do Sul visitam as escolas a partir de agosto e os de outros estados, durante a Feira do Livro, aproveitando sua viagem a Porto Alegre para participar da programação.

A história começou em 2002, com o programa Adote um Escritor, desenvolvido pela Câmara com a Secretaria de Educação de Porto Alegre. Só este ano, são 131 encontros em 96 escolas. A Região Metropolitana e o interior também têm essa oportunidade. Criado em 2003, o Programa Fome de Ler, promovido pela Câmara, com a Ulbra (Guaíba, Canoas e Rede de Escolas) e as prefeituras de Canoas e de onze municípios do Centro-Sul do Estado, já beneficiou cerca de 30 mil alunos. O caçula dos projetos é o Lendo para Valer, iniciado em 2007, em parceria com a Secretaria de Estado da Educação, que disponibiliza os livros para a leitura prévia. Funciona em 21 municípios. Este ano, 56 instituições de ensino vão receber os escritores. Os muros da escola não são limite para a leitura.

Amanhã, dia 11, o Lendo pra Valer leva a escritora Stella Maris Rezende à Escola Estadual Tom Jobim, que funciona no Centro de Atendimento Socioeducativo – Regional 1, na Vila Cruzeiro, e o cordelista Fábio Sombra mantém encontro com alunos e educadores da Escola Municipal Porto Alegre no espaço do Projeto Asteroide, na Área Infantil e Juvenil da Feira, através do Adote um Escritor.

Entre outros autores que manterão encontros, em escolas, ainda esta semana, estão Júlio Emílo Braz, Álvaro Ottoni, Luiz Raul Machado, Marta Lagarta e Heloísa Prieto.


Feira vai à Fase- Desde 2002, a Câmara Rio-Grandense do Livro promove, ao longo de todo o ano, encontros de autores com jovens que estão cumprindo medida socioeducativa, na Biblioteca Dona Margarida, do Centro de Internação Provisória Carlos Santos, da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Fase). A partir de 2009, o Centro de Assistência Socioeducativa da Regional 1, localizado na Vila Cruzeiro, também aderiu ao projeto A Feira vai à Fase.


Machista?


Na comitiva do governador eleito Tarso, nenhuma mulher. Governador machista?

Paixão enjoou da feira do livro!!!!

jornalja.com.br

Paixão Cortes

 

Estrela é assim, ou melhor ,se acha estrela...

Ontem, na quinta, o patrono não pintou pelo segundo dia nesta semana, à feira do livro. Mandou,desmarcar entrevistas qaue estavam agendas, como na terça, quando só veio de noite pros seus autógrafos. Este repórter é de olhos e de ouvidos.....

Ficam enchendo a bola do cara e ele tá se achando...

Bom feito...quem pariu mateus, que lo embale....

Como diz o macaco simão, NÓIS SOFRE, MAS NÓIS GOZA!


que eu vou pingar o meu colírio alucinógeno....!!!!!!!!!!!!!!!

PODEM MUITO MAS NÃO PODEM TUDO


Por Carlos Chagas


Continua o Brasil sendo o país dos exageros, tanto faz se de um lado ou de outro. Durante o regime militar a Justiça ficou impedida de apreciar os atos ditos revolucionários, praticados pelos generais-presidentes com base na legislação ditatorial. Uma aberração.
Pois não é que estamos passando de um extremo a outro? Agora uma simples juíza do Ceará suspende não só a divulgação dos resultados do Enem, mas considera nulo o exame realizado em todo o país, envolvendo mais de dois milhões de estudantes.

Convenhamos, nem tanto lá como nem tanto cá. Só aos tribunais superiores deveria caber a prerrogativa de cancelar uma ação nacional, praticada pelo governo federal. Claro que nenhuma instituição deve estar acima da apreciação judicial, mas a lógica indica precedências hierárquicas. Se um juiz singular qualquer detiver tamanho poder, um dia desses sentenças de primeira instância suspenderão o tráfego aéreo em todo o território nacional, por conta dos maus serviços prestados pelas empresas. Ou virá o cancelamento dos jogos do Brasileirão no país inteiro, em função da violência das torcidas organizadas.

A Justiça pode muito, mas não pode tudo. Do jeito que as coisas vão, algum juiz ainda decretará que todo brasileiro está obrigado a ser feliz...

E A PRESIDÊNCIA DO PMDB?
Michel Temer anunciou que deixará a presidência da Câmara a 17 de dezembro, data de sua diplomação como vice-presidente da República. Nada mais natural, mas a pergunta que fica é quando deixará a presidência do PMDB.

A situação, se ele continuar, lembra outra já pertencente à História. D. Pedro I dissolveu a Assembléia Constituinte e outorgou um texto, aliás muito bom, com exceção de suas atribuições. Seria, como foi, chefe do Poder Executivo, mas, também, chefe de um estranho Poder Moderador, instituído para dirimir dúvidas e embates entre os outros três poderes. Assim, haviam quatro cadeiras na sala, com uma vazia: quando chefe do Poder Executivo e entrava em choque com o chefe do Poder Legislativo, levantava-se e ocupava a cadeira de chefe do Poder Moderador, dizendo aos demais: “bem, vou agora resolver essa crise com os poderes que me foram facultados pela Constituição...”

Como vice-presidente da República e coordenador político do governo, Michel Temer terá a tarefa de compor os embates entre os diversos partidos da base de apoio a Dilma Rousseff. Se como presidente do PMDB estiver batendo de frente com o PT, pedirá ao companheiro-presidente para esperar um minutinho, pois já resolverá a questão, como vice-presidente da República?

NINGUÉM PEDIU?
O presidente do Superior Tribunal Militar vetou a divulgação dos inquéritos e do processo referentes à atuação de Dilma Rousseff quando, nos idos de 1969, foi presa e torturada por lutar contra a ditadura. Exorbitou da máxima constitucional de que todo brasileiro, inclusive o pessoal da “Folha de S. Paulo”, tem direito a conhecer a documentação dita criminal, relativa a qualquer cidadão ou cidadã processados pelo poder público. Para isso, inclusive, a Constituição criou o hábeas-data, primo do hábeas-corpus.

Mesmo assim, o douto ministro mantém a proibição, sob a alegação de que tornar público o processo poderia influir nas passadas eleições e até na formação do novo governo. No plenário do STM há empate a respeito da decisão, que pelo jeito não será resolvida este ano.

A dúvida é saber se o presidente da mais alta corte militar do país agiu por conta própria ou se cedeu ao apelo de alguém do governo. Aliás, teria sido um erro, pois a divulgação das peças referidas só faria engrandecer a presidente eleita e tornar pública mais uma etapa das aberrações praticadas naqueles anos bicudos.

SIONISTA DIREITISTA VERSUS ESPIÃO DO HAMAS
Depois de aposentado, o ex-ministro Flávio Flores da Cunha Bierrembach aproveita o ócio viajando para aprimorar seus conhecimentos de política internacional. Acaba de passar um mês em Israel, país que muito admira, tendo conhecido em detalhes a situação na Galiléia, Samaria e Judéia. Participou, em Jerusalém, de um seminário sobre a crise no Oriente Médio, e em dado momento sustentou a tese controversa da inexistência de um povo palestino, já que a Palestina é apenas uma região, durante muito tempo habitada por árabes, mas, também, por israelitas. Por incrível que pareça, um diplomata de Israel insurgiu-se, achando a intervenção um exagero e agredindo o representante brasileiro, a quem chamou de sionista direitista.

Bierrembach, de pavio curto, reagiu no mesmo diapasão, rotulando o diplomata israelense de espião do Hamas infiltrado no governo judeu...



Memória Política

O " guerrilheiro" que jogava

tarot

O jornalista Alexandre Garcia completou,ontem, 11.11, 70 anos de idade. Nascido em Cachoeira do Sul, Garcia foi concursado do Banco do Brasil S/A e trabalhando na agência de Viãmão, no começo dos anos 70, foi testemunha de uma fato até hoje lembrado: o guerrilheiro Edmur Péricles de Camargo, que fundara o M3G( Mao, Marx,Marighella e Guevara) que tinha optado pela luta armada contra o regime militar, assaltou aquela agência porque tinha gente de Viamão participando da guerrilha. Estes moradores - me parece que era uma mulher, que usava o codinome Vera, ou Verinha) de Viamão auxiliaram no assalto com o que se chamaria hoje a logística, ou seja, com as informações sobre o funcionamento da agência.

Depois do assalto, eles fugiram num ônibus.

" A guerrilha era pobre" lembrou ontem Rogério Mendelski, na rádio Guaíba, ao narrar parte do episódio.

O lado digamos folclório do Edmur era que além de assaltante de banco, como guerrilheiro, ele acreditava nos astros.

João Aveline depôs para José Mitchell:
- Ele gostava muito de astrologia e consultava os astros para ver se as missões poderiam ser cumpridas com êxito. E dizia que tudo ia dar certo, após examinar o mapa astral de cada um," acrescentou Aveline para Mitchell.

No dia de sua prisão, lembrou Mitchell, a imprensa divulgou a apreensão de livros de horóscopos na bolsa do guerrilheiro: Naquele dia, oito de abril de 1970, o horóscopo dos nascido em Escorpião, como ele, aconselhava ironicamente:
- Procure repousar um pouco, deixa de lado a agitação e você se sentirá melhor.

 

ENSIMESMADO

Jose´Nelson Gonzalez, que pertenceu ao Partidão, como Edmur, lembra dele, no tempo que trabalhou no jornal Tribuna Gaúcha.
- Ele era uma pessoa muito estranha.

Gonzalez diz que a tarefa de Edmur, que era pago pela Tribuna a mando do PCB, era distribuir o jornal Tribuna Popular.

- Ele chegava na redação lá pelas seis da manhã.

Se vivesse,hoje em dia,s eguramente Edmur seria um grande marqueteiro porque tinha boas idéias. Haja visto a logomarco do seu foco guerrilheiro: homenageava Marx, Mao e Marighella além de Guevara...

Pelos depoimentos, Edmur não era propriamente um intelectual. Era mais um trabalhador braçal.
Mas era pernóstico e formal.
Quando foi preso ele fez questão e insistiu tanto, que conseguiu: cumprimentar o Secretário de Segurança, Jaime Mariath por tê-lo preso e " vencido aquela batalha, mas não a guerra".

Para outros guerrilheiros, como João Carlos Bona Garcia, EDmur não passava de " um trapalhão".

Que o diga o militante do Partidão, João Aveline.
Edmur , um negro de quase dois metros de altura,era acusado de ter matado uma pessoa em São Paulo. Veio para o RS e para desespero dos colegas comunistas gaúchos, como o Aveline, não se escondia e andava com freqüência na Rua da Praia. Sabia-se até que ele tomava café da manhã todos os dias, num bar da rua Riachuelo, zona central da cidade. Quer dizer, um mumu pro DOPS prendê-lo.
Preocupados, os colegas do Partidão lhe ofereceram um local onde pudesse se esconder.
Formalmente, ele agradeceu e recusou.

Conforme José Nelson Gonzalez, o ensimesmamento de Edmur era tanto que quando o Partidão promovia festinhas, bailes de congraçamento pra recolher fundos, ele ia mas ficava num canto lendo.

- Ele levava pros bailes livros do Marx, do Engels, do Lenin e ficava num canto, lendo.

Gonzalez acrescenta:
- Ele era discreto. Não era do tipo cheguei.

Nelson saiu da Tribuna Gaúcha e perdeu o contato com Edmur.

- Durante sete anos nunca mais soube nada dele.
Depois vi nos jornais que ele andava metido em atividades guerrilheiras, acrescentou o veterano comunista, hoje ainda filiado ao PCdoB.

Colegas falam do guerrilheiro

Depoimento de Perseverando Fernandes Santana( do livro Retratos do Exílio)

- Aqui teve um outro negro...que tava no cerco do Marighella, e se escapou, o Péricles! Mas tinha o apelido de Gaúcho, terrível esse nego. Mataram ele porque foi pro Chile,deu volta pro Brasil e a ditadura prendeu ele na Argentina, e atirou ele ao mar. Nego. Esse nego é interessante, mas ele era de guerrilha, de sequestro. Claro, dissidentes. Ele agarrou o cônsul alemão aquele em Porto Alegre, assaltou banco do Estado lá em PortoAlegre,E teve aí em Rivera, conversava muito comigo.
E esse nego meu deu um susto que até hoje eu tenho. Ele assaltou um banco,não pode sequestra esse cônsul, e tavam em torno dele, na busca dele em Porto Alegre acssim como quem procura uma agulha...na televisão e tuydo...E eu tava na Galeria Rosário ali em Porto Alegre...EDmur o nome dele! E eu vi aquele que vinha de capa de chuva assim....e eu olho assim e digo, parece que o EDmur, o Péricles...aí ele diz assim, - O Perseverando! Como vais?

E eles procurando aquele nego em toda Porto Alegre, na televisão a toda hora. Pá! e eu entro assim de um lado, e digo, Tchê, mas tu te expondo assim...não mas eu tô disfarçado, diz ele.

Mas vai a puta que te pariu..Aí dois ou três dias pegaram ele...tava hospedado num hotel no centro da Cidade. DEpois que ele saiu daqui, lá por 67,68...ele que tava no cerco doMarighella. Não era fácio o nego. Aí ele foi pro Chile que era o Allende. E de lá para o retorno para o Brasil, sempre conspirando....e pegaram ele na Argentina.

Formalidade até na hora

da " expropriação" ou do assalto!

O mesmo depoente fala de Edmur em Rivera:

- E ele tava aí exilado, ali na Metropolitana, que era dos companheiros, e ele fazia doce ali. Deram emprego pra ele. E muitas vezes falei com o nego. Uma vez me pediu para levar uma carta para Porto Alegre, e levei...lá na rua do Arvoredo..era ligação clandestina, esse negócio de guerrilheiro. E ele tinha isso nacabeça e foi, e agiu no Brasil, assaltou o Banco do Brasil, a Caixa Econômica,assaltou uns três bancos. Um rapaz que foi assaltado por ele me contou.Diz que ele chegou ali, fez uma preleção com o revólver, disse senhores,deitem-se no chão, não reajam que os senhores vão defender o carrasco...abram o cofre, tirem o dinheiro...e se escapou!!!

MJDH investiga fim de Edmur

Anos depois, o MJDH,através do seu presidente, Jair Krischke, chegou a conclusão sobre a morte de Edmur. Ele teria sido entregue ao avião da FAB,depois de preso, na Argentina, por ordens do embaixador Manoel Pio Corrêa, que monitorava os exilados no exterior.
Ainda há dúvidas sobre a data da morte do guerrilheiro.

Os ativistas Nirlando Miranda e Carlos Tibúrcio sustentam que a detenção de Edmur em Ezeiza e troca de aviões pode ter acontecido em 1973, após uma fuga estratégica do Chile( golpe de Pinochet). Mas um documento de teor secreto, emitido pelo Ciex, em 21 de outubro de 1971, dá conta que Edmur teria sido detido em Ezeiza em 17 de junho de 1971,sendo entregue a policiais brasileiros e argntinos, não tendo mais se comunicado com seus companheiros em Montevideo ou Buenos Aires.

 


Convite lançamento de documentários

Demi Moore
completa 48 anos!


A gafe do Serginho...

Uma das tantas " mentiras" que o Serginho Ros me contou - e eu fingi que acreditei - foi que numa das suas idas a Nova Iorque hospedou-se num hotel perto do Central Park onde estava hospedada a atriz Demi Moore.

De manhã, conta o " ghost Writter" do Carlos Chagas, ele pegou o elevador e dentro tinha uma " baixinha" bonitinha que o cumprimentou.

- Good morning, sir...

Ele que estava de mau humor, nem respondeu.

Lá pelas cansadas, no outro dia, pegaram na mesma hora o mesmo elevador pro café da manhã.

Coincidência das coincidências, a mesma norteamericana estava no elevador. Quando a porta se abriu, um batalhão de fotógrafos caíram em cima da atriz. Era a Demi Moore

E nosso representante de Bento Gonçalves, ainda se saiu com esta:
- Lá em Bento as gringas e as colonas que vão à missa ao domingo são bem mais bonitas.

Bota bairrismo nisso!!!


O Governador eleito nem assumiu e o " povo" já quer saber:

- Quantas mulheres integrarão seu secretariado???

Até agora, pelo menos uma: Abigail Pereira, na secretaria do Turismo.

Já a presidenta Dilma já disse que seu ministério terá um terço de mulheres...afora a presidência da Petrobrás que vale por 15 ministérios....

 

A MAIOR CUIA
DO MUNDO

Por Sergio Ross

A gauchada de Brasília,está se preparando para fazer parte do livro dos recordes, o Guines Book,como sendo o local
onde está sendo montada maior cuia de chimarrão do mundo e onde será realizado o
maior churrasco de todos os tempos.
Os organizadores querem quebrar
esses recordes durante o Festival Nacional do
Churrasco e do Chimarrão(FenaTchê) que
ocorrerá em dezembro.
O lançamento desse desafio,contou
com 300 cavaleiros e vários entusiastas das
tradições gauchas,que desfilaram pelas ruas de Brasília.


Tarso embarca para Europa em busca de parcerias e recursos

Após a vitória no primeiro turno e marcar o início do processos de transição, Tarso Genro embarca nesta quinta-feira para uma viagem de 10 dias à Europa.

Na Espanha, o governador eleito e sua comitiva visitarão Madri, e em Portugal, Lisboa. Durante sua entrevista coletiva na manhã desta quarta, Tarso ressaltou que a missão não terá apenas o propósito de busca recursos para o Estado, mas de estabelecer relações com “a academia, movimentos sociais e sindicais, conselhos de desenvolvimento e grupos empresariais”.

Os dois países foram escolhidos como primeiro destino após as eleições não só pela proximidade diplomática, econômica e social com a América Latina. Também pesaram os laços entre a prefeitura então administrada pela Frente Popular e entidades espanholas e portuguesas em função do sucesso do Orçamento Participativo.

Tarso vai buscar a experiência europeia em conselhos de desenvolvimento, conceito que surgiu no continente no pós-guerra e serviu de inspiração para o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, organizado e comandado pelo futuro governador no governo Lula. A agenda prevê ainda encontros com intelectuais e diplomatas dos dois países.

A comitiva que acompanha o governador Tarso Genro é composta pelos futuro secretários Estilac Xavier, (Secretaria Geral), Carlos Pestana Neto (Casa Civil), Marcelo Danéris (Conselho de Desenvolvimento Economico e Social), Luis Augusto Lara (Trabalho), além de Caleb de Oliveira (presidente do PSB), Adalberto Frasson (presidente do PC do B), Vinicius Wu (assessor de Tarso) e Luiz Fernando Mainardi (deputado estadual).


1. Programação:
12/11 (sexta-feira):

10:35 h- Desembarque em Madri – Aeroporto Madri Barajas
15:00 h -Almoço com empresários e investidores espanhóis organizado pela Câmara de Comércio Brasil-Espanha e pelo Banco Santander.

13/11 (Sábado)
14:00- Almoço com Antonio Baylos e convidados
15/11 (segunda-feira):
11h - Encontro com representantes do Conselho Econômico