foto de Marcos Eifler

"O Blog que fede e cheira"



roteiro do findi

atentem pros filmes que estão no sindibancários e no santander. duas mostras muito boas que encerram neste findi.

findi

tem o baile da redenção no sabado à noite, mas eu acho isto um porre.....nesta hora tou dormindo. nunca fui de bailes...

roteiro do findi

Serafina Acontece!

clique aqui para ler

Bom dia! A Assessoria de Imprensa encaminha o Serafina Acontece! com a
programação para os próximos dias.

Participe da Inauguração do CRAS - Centro de Referência de Assistência
Social que acontecerá amanhã, dia 30, às 9:30, no antigo Centro do
Idoso, próximo ao Trevo São Cristóvão, em Serafina Corrêa - RS.
Participe!

Atenciosamente,
Adriana Sabadin - Assesssora de Imprensa
Jornalista MTE 15791
54 3444 1130
54 9134 6411
www.serafinacorrea.rs.gov.br

A 5ª edição da FestiPoa Literária tem pré-estreia dia 31 de março com a presença de escritores e poetas

A festa literária de Porto Alegre, que se realizará entre 18 e 28 de abril de 2012, homenageia o dramaturgo Ivo Bender


Dia 31 de março será lançada em Porto Alegre, na Casa de Cultura Mario Quintana, a programação da 5ª edição da FestiPoa Literária. Para as atividades desse dia estão confirmadas as presenças de Sérgio Vaz, Tânia Rösing, Marcelino Freire, Martha Medeiros, Marina Colasanti e Maria Rezende.

Vaz e Freire, além de escritores premiados e prestigiados pelo público e crítica, são idealizadores e coordenadores de grandes ações e eventos de literatura em São Paulo. Os dois escritores estarão ao lado de Tânia Rösing, professora, idealizadora e coordenadora-geral da Jornada Nacional de Literatura de Passo Fundo há 30 anos. A FestiPoa Literária, ao reunir esses três gigantes ativistas da literatura brasileira, em um encontro inédito, prestará homenagem a todos os que trabalham para o crescimento da literatura e difusão da leitura no país.
Em um segundo momento deste dia está programado outro encontro muito especial para a FestiPoa: a mesa de leituras de poemas e conversa sobre poesia com as poetas Marina Colasanti e Martha Medeiros. Marina e Martha - escritoras de diferentes gerações, autoras de dezenas de livros de crônicas, ensaios, poesia e ficção, cuja mútua admiração vem de longa data – dividirão com o público a alegria e o prazer que a leitura de poesia é capaz de proporcionar. A mediação será da jovem poeta carioca Maria Rezende.
Fechando a programação do dia, Marcelino Freire lançará o seu mais recente livro de contos, “Amar é crime”, (editora Edith) e serão distribuídos ao público a plaquete “Livro leve livre” (com o conto “Vale das Tílias”, de Ivo Bender) e uma edição especial do jornal “Vaia”, inteiramente dedicada ao evento.
Em 2012, a FestiPoa Literária acontece de 18 a 28 de abril
A 5ª edição do evento tem como homenageado, neste ano, o dramaturgo, tradutor, ficcionista e professor Ivo Bender e será realizada de 18 a 28 de abril. Um dos grandes momentos culturais da cidade, a festa literária reúne no mesmo tempo e local uma programação artística variada e diversidade de escritores – desde autores que acabaram de estrear até nomes consagrados e premiados, nacional e internacionalmente – para debater e refletir sobre a produção literária contemporânea. Entre os mais de cem autores convidados, figuram nesta edição nomes como Henrique Schneider, Antonio Carlos Secchin, Armindo Trevisan, César Aira, Heloísa Buarque de Holanda, Ivan Izquierdo, Joca Reiners Terron, Luis Fernando Veríssimo, Luiz Tatit, Marcelino Freire, Márcia Denser, Marina Colasanti, Mário Prata, Martha Medeiros, Miguel Sanches Neto, Paulo Lins, Paulo Scott, Rafael Coutinho, Regina Zilberman, Santiago, Sérgio Sant’Anna e Sérgio Vaz.
Leituras, lançamentos, oficinas, exposições, debates, shows, espetáculos de teatro, filmes, recitais, performances: tudo realizado para festejar a literatura, com a participação de dezenas de escritores e artistas convidados. As atividades acontecerão em vários pontos da cidade: Palavraria, Casa de Cultura Mario Quintana, Salão de Atos da Ufrgs (Sala II), Goethe Institut, Cinebancários, Sintrajufe-RS, Casa de Teatro, Centro Cenotécnico e Ocidente Bar.
A 5ª edição da Festa Literária de Porto Alegre – FestiPoa Literária, cuja produção e realização é do jornal Vaia, tem o patrocínio da Iesa Veículos, com financiamento do Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), Caixa Econômica Federal e Sintrajufe-RS. A FestiPoa, ainda, conta com o apoio cultural da Casa de Cultura Mario Quintana.

Toda a programação tem entrada franca. Confira a seguir o que está programado para o pré-lançamento do evento.

31 de março/sábado

Pré-estreia da Festipoa Literária 2012 e divulgação da programação:
Local: Casa de Cultura Mario Quintana/Jardim Lutzenberger (5º Andar)
16h – A Plenos Pulmões - Tânia Rösing, Sérgio Vaz e Marcelino Freire
18h – O prazer da poesia - Martha Medeiros e Marina Colasanti. Mediação: Maria Rezende
Lançamento de “Amar é crime”, livro de contos de Marcelino Freire. Lançamento da plaquete “Livro leve livre” (com o conto “Vale das Tílias”, de Ivo Bender) e lançamento do jornal “Vaia” (edição especial)


Assessoria de imprensa:



Simone Lersch (51) 3029-6390 / 9803-4420


Três fraglantes da Revolução de 31 de março de 1964, que completa 48 anos neste sábado, 31.03.2012.


NA LUTA

O EX-MINISTRO DA CASA CIVIL JOSÉ DIRCEU vai dar uma " ofensiva",na sua defesa do processo do " mensalão", informa uma fonte qualificada.

Ele é advogado e como tal dá consultorias.

HOMEM SIMPLES

HISTORINHA MINHA PESSOAL. UM DOMINGO ESTAVA EM CASA e não sei porque cargas de agua precisava entrevistar ou pedir um anúncio(acho que a segunda opção é a mais correta) na Marcopolo. Liguei pra casa do dono da empresa, Paulo Bellini. Ele me atendeu, foi gentil, não reclamou que o procurei em sua casa, num domingo e apenas me orientou pra que ligasse " pra fábrica" na segunda de manhã. Claro, liguei, mas pra gente mais do baixo clero.Ficou a lição!




NOVO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA MARCOPOLO

Paulo Bellini é eleito presidente emérito
Mauro Bellini é presidente do Conselho de Administração

Caxias do Sul (RS), 29 de março de 2012 - A Assembleia Geral de Acionistas da Marcopolo S.A., realizada hoje, dia 29 de março, introduziu modificações na administração da empresa, aperfeiçoando o sistema de governança corporativa, com a criação do cargo de presidente emérito. Paulo Bellini foi eleito para a nova função.

Agradecendo a indicação dos acionistas, Paulo Bellini declarou, na ocasião, a sua satisfação em continuar colaborando diretamente com a Marcopolo em sua nova posição. A Assembleia Geral Ordinária elegeu também os sete novos integrantes do Conselho de Administração da Marcopolo, que passará a contar, no período 2012/2014, com os nomes de Mauro Gilberto Bellini e Oscar de Paula Bernardes Neto (indicados para presidente e vice-presidente respectivamente), Luciano Moisés Bado, Maria Letícia de Freitas Costa, Fuad Jorge Noman Filho, Paulo Cezar da Silva Nunes e Manuela Cristina Lemos Marçal.

Valter Gomes Pinto continuará exercendo o seu mandato como diretor da companhia.


Crédito da foto: Júlio Soares

Secco Consultoria de Comunicação

PAULO COELHO ESTEVE OU NÃO NO NIVER DO DEPUTADO PAULO FERREIRA??


O presidente municipal do PT, vereador Adeli Sell informa que na festa do deputado não viu o escritor Paulo Coelho.


Mas confirmou a presença do José Dirceu de OIiveira e Silva, o popular Zé Dirceu.

niver


A CIDADE DO TEIXEIRINHA

Ontem Soledade completou 137 anos....


Conhecida por TERRA DO TEIXEIRINHA , de Soledade foram muitos trabalhadores para o frigorifico Ideal de Serafina.

Sou capaz até de lembrar alguns versos do cantor...

Soledade terra de gaúcho forte

se é preciso enfrenta a morte

Não liga pro tempo feio!

Parabens aos soledadenses,então!

O PT E O FUTURO

Por Carlos Chagas

Os companheiros estão preocupados, e não apenas com a possibilidade de Fernando Haddad sequer passar para o segundo turno. Registra-se razoável temor nas elites pensantes do PT diante do futuro. A má performance nas eleições municipais de outubro poderá refletir-se nas eleições gerais de 2014. A presidente Dilma mantém altos graus de popularidade, mas parece distante do partido. Talvez por isso tenha sido lançado o movimento “Volta, Lula!”, do qual participam líderes petistas de expressão.
Ouve-se em alguns corredores do Congresso uma espécie de alerta fundado no raciocínio de que não basta para o PT a impressão de sucesso através de bem urdida propaganda nos tempos do Lula e, em parte, de Dilma. Se não perdeu a alma, o partido anda perdendo a fé. Sua militância deixou de freqüentar a rua, mais preocupada em ocupar espaços de poder na administração federal e penduricalhos. Seu braço sindical, a CUT, viu-se engessada pela dificuldade de exigir mudanças sociais de um governo que ajudou a formar e precisa reverenciar. O resultado é que além de se ter aburguesado, o PT murchou como instrumento de reformas e de protesto, base anterior de seu crescimento.
A hipótese de perder a presidência da República daqui a dois anos já não parece história de lobisomem, ainda que sempre exista a alternativa Lula. Mesmo assim, os companheiros assistem apreensivos o renascer dos tucanos, que as próximas eleições confirmarão ou não. Mas os dois maiores colégios eleitorais do país, São Paulo e Minas, encontram-se sob o controle do PSDB, podendo aumentar caso José Serra se eleja prefeito.
Em suma, o sonho do partido prevalente, senão único, esvai-se com as prévias que começam a pipocar nas capitais dos estados, em maioria desabonadoras para seus candidatos a prefeito.
JAMAIS CONTRA O POVO
A máxima é algumas vezes milenar, vem de antes dos tempos de Ramsés II: greve se faz contra patrão. Jamais contra o povo. Brasília não é melhor nem pior do que outras capitais, é apenas diferente. Porque as greves, aqui, penalizam essencialmente a população. Há quase três semanas estão parados os professores da rede pública de ensino. Tem toda razão, ganham muito pouco e o governo local descumpre compromissos celebrados antes com a categoria. O diabo é que milhares de crianças ficam sem escola e sem merenda. Como seus pais e mães trabalham, são deixados à mingua.
Anuncia-se para a próxima semana nova greve nos transportes coletivos. Da mesma forma que os professores, motoristas e trocadores também tem razão, pelos mesmos motivos. O problema reside nos passageiros. Sem ônibus, como chegarão a seus empregos? Os donos das empresas, quando não estimulam as paralisações, festejam os movimentos grevistas cujo resultado tem sido sempre o aumento das tarifas.
Por mais de quinze dias, enfermeiros e atendentes dos hospitais da rede pública cruzaram os braços. Prejuízo para quem? Para a massa carente de planos de saúde e de recursos para freqüentar a rede privada.
A HORA DA VERDADE
Entre vários problemas graves a enfrentar, quando de seu retorno da Índia, a presidente Dilma precisará nomear os sete integrantes da Comissão da Verdade. No Congresso, poucos especulam a respeito, dada a falta de informações. Militares estão fora de cogitação. Antigos subversivos e terroristas, também. Da mesma forma parlamentares e magistrados no exercício de suas funções, ainda que aposentados possam ser lembrados.
Quanto mais demorar a constituição do grupo, mais polêmica, inclusive com respeito ao funcionamento da comissão. Que critério será utilizado para a convocação de antigos agentes do poder público acusados de crimes de tortura e até de coisa pior? Denúncias de cidadãos atingidos? A farta literatura existente? O que farão os indigitados sete cidadãos se algum convocado negar-se a comparecer? Se os depoentes denunciarem práticas semelhantes por parte de suas vítimas, elas serão chamadas? A imprensa terá acesso a todos os depoimentos?
Essas e outras dúvidas impõem rápida ação da presidente, pois o prazo para o funcionamento da Comissão da Verdade é de dois anos, a partir da instalação dos trabalhos.
PRÊMIO PINÓQUIO
Ao deixar o Hospital Sírio-Libanês, onde encontrou-se com o ex-presidente Lula, terça-feira, o ex-presidente Fernando Henrique disse aos jornalistas que não conversaram sobre política. Falaram dos institutos que presidem...
Mais de uma hora reunidos, vamos admitir que quinze minutos versaram sobre a saúde do Lula. Outros dez sobre os afazeres atuais dos dois antigos chefes de governo. E o resto?
Outro candidato ao Prêmio Pinóquio, esta semana, foi o deputado Marco Maia, no exercício da presidência da República. Disse que não há crise entre governo e Congresso.

belo texto

que texto elegante tem esta henriqueta sollares.


também pra escrever pro Clarim não pode ser qualquer porqueria, como diziam no Peru.....

Raul Seixas


Uma noite, dos anos 70 ou 80, estava em SP e o Caco barcellos estava na VEJA. Era uma sexta....como havíamos ido prum bar localizado acho que nos Jardins com nome de um filme italiano -agora não lembro - e estávamos esperando o Caco chegar. eu, sua mulher de então a avani stein e mais uma pessoa.


La pelas cinco da manhã, o bar todo enfumaçado, o caco não chegava, eis que vejo a avani engalfinhada numa discussão com um cara de louco, comóculos totalmente vermelhos...os dois discutiam aos berros, naquele barulho dos infernos, filosofia. nitzche....shconepnhaur,...não sei quem mais( os nomes não tão corretos, eu sei) ...ai a avania que é doida de atar - mais que a marlene galeazi seguramente - perguntei ao oponente:
- quem você é?

- sou o raul seixas, disse o cara...

era o raulzinho em carne e osso!

Caro Olides

Dicionário
O Além de "petralha", em breve teremos também em nossos dicionários o neologismo, "privataria", verbete criado pelo premiado jornalista, Amaury Junior, singela referência a administração tucana que se locupletou com a venda de estatais brasileiras durante seus 8 anos de governo. Uma palavra que está para mudar de sentido em nossa língua é "cachoeira", que agora significa "jorro de dinheiro para os bolsos de senadores de conhecido partido órfão da ditadura". Mas "Reinaldo Azevedo" também corre o risco de se tornar um adjetivo, para exemplificar aqueles que não entenderam as mudanças no país. Ex.: pouco inteligente o rapaz, um "reinaldo azevedo" da vida.

Confusão
Acho que o amigo do interior mais uma vez confunde as coisas, jornalista, assim como qualquer pessoa, que se mistura com bandidos e corruptos sempre acaba cooptado. É a lei da selva.

Última chance
A pesquisa do Correio do Povo, foi mortal com as candidatura de oposição para prefeito de Porto Alegre. Correm o risco, tanto o Villaverde, como a Manuela, de tudo acabar no primeiro turno. O Fortunatti está conseguindo manter seu nome no noticiário e mostra um jogo de cintura impressionante. Ou o PT e o PCdoB se unem, ou o PDT emplaca mais um mandato.

Remindo Sauim

é sim ele

sabias que andou aqui em porto, incógnito, na quinta passada, na festa de niver do Paulo Ferreira, deputado federal, aquele que andava por todo o Rio Grande de jatinho durante a campanha e que o deputado aquele do MST, o Selvino Marcon, que se elegeu também esteve a ponto de tornar pública a denuncia.

é o paulo coelho que escreveu o roteiro do Mago...sabes que voces ai tão mal informados??? é das parcerias do Raul Seixas,sim senhor. O Zé dirceu também esteve aqui, o presidente da camara também passou pelo local, entre outros proceres do PT. A festa foi no cais do porto e segundo calculos da BM havia 2 mil pessoas. tri prestigado o novel deputado federal, que assumiu a vaga do Pepe Vargas.


Olides
Quem é Paulo Coelho?????? Não vais me dizer que é o amigo inseparável do Raul Seixas????
Pô qual é a tua????
Tanto o Paulo Coelho como o Zé Dirceu,não tem votos na nossa mesa. Só o Zé Dirceu, que as vezes a gente se interessa em falar. Como por exemplo: será que ele será julgado mesmo em maio???
A gente só fala dele, quando falamos sobre ele e a camarilha do PT, que botaram e ainda botam a mão na grana...por aqui.
Se um dia quiseres anúncios do Banco do Brasil,da Caixa Economica, BNDS, Petrobrás ou outro menos votadas, fale com eles.
Olides
O Paulo Coelho e o Raul Seixas, que era namorado da Marlene Galeazzi, durante seis meses comeram no restaurante da
Manchete aqui em Brasília, pois não tinham.a onde cair mortos... Bom,mas deixa isso prá lá...
O negócio é o seguinte:
O jornal Metrô,deverá ser lançado em grande estilo aqui em Brasília. Já começaram a contratar os melhores coleguinhas
que estão em jornais daqui, como o Correio Braziliense e Jornal de Brasília. E a grana que estão oferece não é pouca. Superam em muito o que ganha o pessoal do Globo,Folha e TV Globo... O cara que vai comandar isso tudo é o Claudio Humberto,que
ontem assinou o contrato.
Amanhã, volto a te escrever.Tenho histórias novas do Lula, da sucessão em São Paulo, do candidado do Lula à Presidencia da República e uma histórinha do Ginásio Nilson Nelson, daqui de Brasilia, que leva esse nome por causa de um jornalista coleguinha nosso que foi boy da Zero Hora no tempo do Florianão,do Aveline e deste que vos fala. Alias, isso tudo já escrevi na semana passada, mas que tu ignorou o meu material...
Agora tenho que ir,porque vou almoçar com o novo diretor do jornal O Metrô,,,

morte do Millor(1)


Sobre isto, lembra da bronca dos caras do PASQUIM, com ele, que teria SACANEADO no episódio da prisão deles em 1970, quando todos foram pro xilindró...


Morte do Millor(2)


Tarso de castro e ele depois da prisão nunca mais se deram..viraram inimigos figadais. tanto que o tarso saiu do pasquim, com outros, como luis carlos maciel, depois da prisão


Morte do Millor(3)

Nunca ficou claro porque o Millor não foi preso naquela vez....vai ver tinha UMA FONTE MILITAR....


Mais ou menos como o nosso Pedro Simon, que nunca foi cassado!

morte do millor(4)

tinha gente que achava o gênio muito só na dele...cuidava do dele e os demais que se danassem...

Acesse


http://lauramertenpeixoto.blogspot.com/

MILLÔR DEFINITIVO

PEDI AUXILIO A REGINA LEMOS(DE SP) PRA SABER QUEM ERAM OS PERSONAGENS DA FOTO

O CRONISTA - PRA MIM O MAIS BRILHANTE QUE CONHECI, JOSÉ CARLOS OLIVEIRA E SUA NAMORADA COTINHA.

EIS AI O RECADO DA REGINA

COTINHA ERA DE PORTO ALEGRE. FAZIA MAPA ASTRAL. COBRAVA EM DOLAR. ELA ERA MUITO BONITA E ELE MUITO FEIO. MAS ERA UM GENIO E SAIA COMIGO NA BANDA DE IPANEMA. VESTIA ROUPA DE MULHER!

DE BSB


ESSA TAL DE MESA DO STELA GRILL NÃO É A MAIS INTELIGENTE E MAIS BEM INFORMADA PORRA NENHUMA...

NÃO SABEM NADA...

NEM SABIAM QUE O ZÉ DO MENSALÃO DIRCEU ERA SÓCIO DO MAGO PAULO COELHO!

silencio...


Intui que o nome do livro do araguaia que está sendo lançado é também um brado pra que a dilma abra os arquivos da ditadura. sabe quando? no dia que o sargento garcia prender o zorro!(agora eles não tem mais interesse, estão no PODER)

Calendário de lançamento do livro
Antes do Passado: O silêncio que vem do Araguaia

de Liniane Haag Brum

Dia 03/04- Porto Alegre, Livraria Cultura
Dia 09/04- São Paulo, Livraria Cultura da Paulista
Dia 26/04- São Sepé, Fundação Cultural Afif Jorge Simões Filho
Dia 27/04- Sta.Maria, UFSM

Vamos divulgar estes eventos entre
nossos colegas e amigos.


Obrigado pela divulgação e engajamento.
Lino Brum


Lembrar para não esquecer.


É tarde para mudar aquilo que aconteceu, mas nunca
é tarde para lembrar aquilo que aconteceu.

HISTORIAS DE LA UNDEZE


QUANDO

VER TEV? ERA UM SUPLICIO


Nos anos 70,quando os colonos começaram a comprar tevês, meu pai Alfredo, foi um dos primeiros a ter uma na capela São Pedro. Em peb..evidente...

Era pros filhos verem o jogo de futebol,principalmente.


Mas televisão naqueles anos em serafina era um suplício...DIZ meu irmão Francisco, que eles mesmo de noite, ficavam todos vendo os jogos do Inter(nos anos 70, o Inter estava por cima) e que mesmo de noite, um deles tinha que correr até um cinamomo que havia no cortivo da casa(patio) e arrumar a antena, ou seja, vira-la de um lado pro outro, até que eles conseguissem ver novamente o jogo...

Mas raramente se tinha uma imagem boa...geralmente era tudo chuvisco,uma tremedeira dos diabos.

E o velho alfredo, que naqueles anos ainda era novo, ia dormir, mas lá pelas onze da noite, pedia pra desligarem o aparelho.
Francisco lembra até hoje que quando ele passava ao lado do aparelho pra ir pra cama, dava uma pequena baixada no volume e que eles guris, tinham pavor deste gesto.

Eu disse a ele, numa conversa tri fraterna que tivemos na noite de quarta ultima, enquanto tomávamos um vinho tinto - e ele comia pizza e eu não porque estou de dieta, que no ano de 1970, na Juc-5 na venancio aires, nós também tinhamos uma tevê velha e sem cores e que ali vimos todos os jogos da copa do mundo do méxico. Recordo o domingo de tarde que o Brasil foi campeão...os irmãos fedato - kide e bruno - eram fanáticos do gremio e do brasil e o colega Corbellini, o gerente eleito da JUC-5, que era contra a ditadura, entendia que a cada gol do Brasil, era uma vitória do Médici e gritava lá do seu quarto, no térreo, onde estudava pro vestibular de medicia(acabou rodando,depois)

- Cambada de ANARFA, comemoram seus ANARFA....

eram assim que ele chamava a quem torcia pelo Brasil diante daquela velha tevê em preto e branco que tinhamos na JUC-5

Francisco recordou ainda que na capela são pedro a tevê deles não funcionava saindo as vezes durante uma semana do ar...aí tinha que esperar o PEDRINHO SOCCOL( POR FAVOR MAURO ROCHA, ME DIZ AI QUEM ERA:???) IR ARRUMAR A ANTENA DA CIDADE QUE ESTAVA ENTÃO COLOCADA NO MORRO DO GIUSEPPIN( José de Costa) e somente depois eles podiam ver os jogos do Inter de novo.


Meu irmão Paulo, um dos que viam os jogos, hoje nem mais sabe nada do Inter. virou sãopaulino porque mora em são paulo desde 1982 e nem mais sabe onde fica o RS. estes dias ele me ligou e ouvindo musica gaúcha, ele me disse que eu sou o unico dos irmãos que ainda liga pra estas coisas do rio grande. e acho que até tem raz

de são borja


o vereador Celso Lopes, do PDT, distribuiu a seguinte nota sobre a apreensão de material pela PF em seu gabinete.


NOTA DE ESCLARECIMENTO


Considerando determinação da Circuscrição Eleitoral do Rio Grande do Sul, 47º Zona Eleitoral, com relação ao mandado de busca e apreensão, efetivado na data de 8 de março do corrente ano, no Gabinete do Vereador subscritor, de material informativo do mandato deste, cabe esclarecer:

O referido material foi confeccionado com recursos próprios, havendo todos os documentos fiscais para comprovação;

O material têm caráter informativo, relativo à prestação de contas do mandato, referente ao ano de 2011, encartado no final daquele ano, nos jornais O Regional e Folha de São Borja.

A apreensão foi de sobra do material, que estava guardado no Gabinete, não tendo havido distribuição à população do mesmo, após aquele período;

Temos plena convicção que agimos dentro dos princípios constitucionais que regem a Administração Pública, e Legislação Eleitoral vigente, o que será devidamente esclarecido à Justiça Eleitoral, oportunamente.

À Sociedade São-borjense cabe ainda afirmar, que na condição de homem público, sempre prezei pela legalidade, transparência e lisura em minhas ações, desta forma, nada temo perante denúncias que visam meramente anteceder a disputa eleitoral que se avizinha, assim sendo, reafirmo meu compromisso de dedicação e trabalho em prol do bem comum da população desta cidade, até o final de meu mandato.


CELSO A. LOPES
Vereador

Olha aí o charqueadas dando nota de esclarecimento.

Mas o Voltaire Schilling deu aquela paulada no tarso também se dar o nome!é que o prof. voltaire é PSDEIANO!!! É DO PESSOAL LÁ DA CULTURA DA PREFA! MAS É UM GRANDE INTELECTUAL E RESPEITADO. PEGARAM ELE COM ALGUMAS DIÁRIAS AI NO TEMPO DO MEMORIAL. MAS ACHO QUE PELA RAIVA DELE FOI UMA CAMA DE GATO QUE ARMARAM NELE!

 

A figura que eu mencionei, sem dar o nome, porque não interessa, que está sempre tecendo loas ao regime cubano e depois vai passar férias.........................................................em Paris, não é o atual inquilino do Palácio Piratini.

SERGIO OLIVEIRA/CHARQUEADAS/RS

Instituto divulga Dia de Conscientização do Autismo

Plenário
Instituto divulga Dia de Conscientização do Autismo
A representante do Instituto Autismo & Vida, Alessandra Araújo Gudolle, compareceu, nesta quinta-feira (29/3), à sessão ordinária da Câmara Municipal de Porto Alegre para lembrar a passagem do Dia Mundial de Conscientização do Autismo, em 2 de abril, data decretada pela ONU. Alessandra é mãe de duas crianças autistas, uma menina de oito anos e um menino de quatro. "Há dois milhões de autistas no país. Trata-se de uma doença mais comum que o câncer e o diabetes infantil", observou Alessandra, que é jornalista e disse que usa de sua profissão para conscientizar e informar a sociedade sobre a doença.
Alessandra disse que será realizada programação em Porto Alegre para marcar o Dia do Autista. Conforme ela, no dia 1º de abril, no Brique da Redenção, a partir das 9 horas, serão montadas tendas para a recreação de crianças. "As 11h30min, sairá do local uma caminhada com familiares, amigos, professores, pedagogos e demais pessoas que apoiam o movimento." No dia 2, às 20 horas, haverá show com as bandas Ilusão de Ótica, Chimarruts e Papas da Língua e a dupla sertaneja Edu e Renan, no Gasômetro.

No dia 3, às 17 horas, será realizada palestra com o médico Carlos Gardia intitulada "Autismo: como chegamos até aqui e para onde vamos?". No mesmo dia, às 20h30min, a Ospa fará um concerto para marcar a data, no Salão de Atos da Ufrgs. No dia 4, às 22 horas, no início do jogo entre Internacional e Santos, no Estádio Beira-Rio, membros do instituto entrarão com uma faixa do Dia do Autista.
O que é o autismo
*Autismo infantil é um transtorno global do desenvolvimento caracterizado por: a) um desenvolvimento anormal ou alterado, manifestado antes da idade de três anos, e b) apresentando uma perturbação característica do funcionamento em cada um dos três domínios seguintes: interações sociais, comunicação, comportamento focalizado e repetitivo. Além disso, o transtorno se acompanha comumente de numerosas outras manifestações inespecíficas, por exemplo: fobias, perturbações de sono ou da alimentação, crises de birra ou agressividade (auto-agressividade).
*Definição da CID-10 (2000) publicada no site do Instituto
Marco Aurélio Marocco (reg. prof. 6062)

Reunião Pública sobre inscrições no Pronatec

Abertas inscrições para o Programa de Qualificação Profissional e em Porto Alegre ainda não se sabe como fazer

Frente a completa falta de informações que da Prefeitura de Porto Alegre, através dos seus Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) e do Sistema Nacional de Emprego municipal (Sine), sobre as inscrições no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) de Formação Inicial e Continuada, lançado pelo Governo do Estado esta semana, a vereadora Sofia Cavedon (PT), presidente da Frente Parlamentar de Combate à Fome e à Miséria, promove uma reunião pública nesta sexta-feira (30/3).

O encontro, que será às 14h, na sala 301, da Câmara Municipal de Porto Alegre (Av. Loureiro da Silva, 255), e contará com representações dos programas RS Mais Igual, Pronatec e Bolsa Família. “A comunidade da Lomba do Pinheiro nos chamou no mesmo dia do lançamento do programa e denunciaram a demora no atendimento para o recadastramento nos programas do Bolsa Família, por exemplo, item obrigatório para inscrição no Pronatec”, destaca Sofia.

Conforme a vereadora foram convidados para a Reunião Pública que debaterá o tema, as secretarias estaduais do Trabalho, da Ciência e Tecnologia e das Mulheres; Casa Civil, através do Programa RS Mais Igual; Núcleos de Fome Zero; coordenadores de CRAS e comunidade organizada.

Pronatec

O Pronatec tem o objetivo de capacitar as pessoas e proporcionar-lhes melhores condições de inserção no mercado de trabalho. A coordenação do CRAS da Lomba do Pinheiro explicou a dificuldade de atendimento em razão da falta de funcionários e estagiários.

“Verificamos que os CRAS não tinham informações sobre como inscrever e/ou orientar a população sobre os cursos, pois no folder de lançamento do Programa diz para as pessoas irem aos CRAS ou SINE, que também não tinham conhecimento de como fazer a inscrição”, salientou a vereadora.

O governo Federal e o Estadual estão abrindo muitas oportunidades de renda, formação e qualificação no Rio Grande do Sul. São muitas vagas gratuitas em diversas áreas: construção civil, serviços, indústria de roupas, indústria, entre outras. O acesso a estes programas, no entanto, depende da organização e trabalho das prefeituras, enfatiza a vereadora.

O Governo do Estado, através do Pacto pela Educação, lançou na segunda-feira (26) o Plano Estadual de Qualificação Profissional - Pronatec, que disponibilizará 68 mil vagas. O evento ocorreu na Escola de Educação Profissional Senai Visconde de Mauá, em Porto Alegre, que será um dos centros de formação.

Foto: Nani Ribeiro

Fonte: Sofia Cavedon – 9953.7119

MEMORIA

A RBS queria se expandir, nos anos 90, e mandou Bolivar Madruga Duarte a Buenos Aires.

Ele integrava o comitê gestor da empresa. Madruga criou uma rede CONOSUR de rádios, onde entrou também a Gaúcha, com intercâmbio de notícias e comandou a compra de 40% das ações do Jornal LA NACION, DE BUENOS AIRES.Este jornal tem 150 anos e ainda é dirigido pelos descendentes de Bartolomeu Mitre, o fundador.


Quando o contrato estava por ser assinado, a RBS desistiu da compra. Madruga ia às terças para Buenos Aires e voltava às sextas de noite já que na segunda participava de reuniões dos diretores da empresa em Porto Alegre.

Ao completar 60 anos, ele se aposentou e hoje vive no Paraná e presta consultorias, entre elas do Hospital Mãe de Deus em Porto Alegre.

MEMORIA


20 anos de

Augusto Nunes

na Zero !

a DIREÇÃO DA RBS QUERIA SUBSTITUIR LAURO SCHIRMER E CARLOS MACHADO FEHLBERG DO JORNAL ZERO HORA PORQUE ENTENDIA QUE ELES TINHAM BATIDO NO TETO.

MADRUGA DUARTE O DIRETOR COMERCIAL DO JORNAL E O DIRETOR MARCOS DVOSKIN FORAM CONTRATAR UM SUBSTITUTO DE LAURO SHIRMER.

o PRIMEIRO NOME INDICADO E SONDADO FOI DE WALTER MATTOS JR.,GENRO DE ARI DE CARVALHO( QUE FORA UM DOS DONOS DA ZERO HORA ) , de O Dia, no Rio de Janeiro.


Walter brigara com a mulher e estava saindo de O DIA, mas pra RBS pediu muito alto.

( DEpois ele se associou ao O Globo, conseguiu dinheiro no Exterior e fundo " O Lance". a SEGUNDO ESCOLHA DA rbs recaiu sobre MILTON COELHO DA GRAÇA, mas quando este esteve em Porto Alegre Madruga o achou muito truculento.

O terceiro da lista foi Augusto Nunes da Silva, que acabou emplacando. Ele trouxe pra ser o editor-chefe José Onofre( que fora da Folhinha da Manhã, da CJCJ). No dia 6 de janeiro de 1992, a ZH tinha no expediente do jornal o nome de Carlos Fehlberg como editor-chefe. Já no dia 07.01.1992, apenas um dia depois, o nome de Fehlberg tinha sumido e aparecia no expediente como diretor Augusto Nunes da Silva.. O jornal não fez nenhum comunicado aos leitores, não deu nenhuma nota endereça ao seu público. Ficou como mera questão interna. Apenas mudaram os nomes no expediente, o que pouquinha gente nota.

No dia 01.12.1996, o nome de Augusto Nunes tinha sumido do expediente como diretor de redação entrava o de Marcelo Rech.

nO PERIODO DE CONTRATAÇÃO DE AUGUSTO NUNES DA SILVA , ele teria prometido aos diretores da RBS que dos 300 funcionários que havia em ZH, ele precisaria de 180 apenas. os demais seriam dispensados.

E que dobraria os salários dos que permaneceriam em troca do fim do duplo emprego prática muito comum em ZH que a direção queria dar fim.

Segundo Madruga Duarte, Augusto Nunes mais que um " bom jornalista é um bom gestor"!


TENHO UMA HISTORINHA BOA DO MÉDICI

QUANDO ERA O COMANDANTE DO III EXERCITO, UM DIA ELE FOI NUMA AGENCIA DO BANCO AGRICOLA MERCANTIL, QUE TINHA NO MOINHOS DE VENTO.
QUANDO CHEGOU, O ATENDENTE LHE CEDEU UMA CADEIRA, UM CAFEZINHO - SABE COMO É OS MILICOS TAVAM COM TUDO - E FOI VER O TALÃO DE CHEQUES PRO GENERAL. COMO DEMOROU UM POUCO, O MEDICI INTIMOU O GERENTE:

- TEM ALGUMA COISA AI COM MEU TALÃO DE CHEQUE.

- NADA GENERAL, SÓ TÁ DEMORANDO UM POUQUINHO, DESCULPOU-SE O GERENTE.

A FOTO É DO SITE DO CH

 

SERMÃO

DA NAMORADA!

Uma vez\ num restaurante da cidade baixa, um coleguinha, cujo nome também é Lauro, entrou num bistrauzinho e reconheceu lá seu ex-chefe levando um baita sermão da namorada..

- Porque isto, porque aquilo e o Lauro, com aquela cara de songamonga que ele fazia, quando queria dissimular, ouvia quieto.

O Lauro que acabara de chegar e ver com constrangimento a cena, fez que não viu.....

LAURO NÃO LEVAVA A NAMORADA EM RESTAURANTES


DOS AMIGOS


FICO SABENDO AGORA QUE O LAURO SCHIRMER QUANDO SAI PRA FAZER REFEIÇÕES COM SUA NAMORADA LIZIA COLARES - QUE ESTÁ COM UMA AÇÃO DE UNIÃO ESTAVEL NA JUSTIÇA -NÃO IA COM ELA EM RESTAURANTES DA ELEONORA RIZZO QUE ERA AMIGA COMUM DELE E DA MULHER CELIA RIBEIRO.


O QUE DIZEM TAMBÉM POR AÍ É QUE O LAURO TERIA ' DADO UM SALÃO DE BELEZA NA DUQUE PRA NAMORADA' MAS QUE ELA ' TERIA POSTO FORA'...

ENFIM, SÃO LES CHOSES DE LA VIE!

HISTORIAS DE LA UNDEZE


O PRIMEIRO FRIO A GENTE NUNCA ESQUECE


O FRIO GOSTOSO E SEQUINHO, COM AQUELE VENTINHO QUE VEM DOS ANDES- APRENDI COM O COSTUREIRO RUI SPHOR QUE A GENTE DEVE ABRIR TUDO NESTES DIAS PORQUE ESTE VENTO, QUE CHEGA SECO DOS ANDES, TIRA TODA A UMIDADE DENTRO DE CASA - ME FEZ RECORDAR O PRIMEIRO GRANDE FRIO QUE PEGUEI EM 1969, ASSIM QUE VIM MORAR EM PORTO ALEGRE. E ESTA FOTO QUE TENHO AI GUARDADA, QUE ESTÁ NO DOCUMENTO QUE FIZ DA DISPENSA DO SERVIÇO MILITAR, ACABOU SE TORNANDO HISTÓRICA PORQUE NELA ESTOU COM UMA BLUSA DE LÃ VERMELHA QUE USEI NESTE PRIMEIRO GRANDE E FORTE FRIO QUE FEZ EM PORTO ALEGRE EM 1969...

GUARDO BEM NA MEMÓRIA QUE QUEM ME COMPROU A BLUSA DE LÃ - PORQUE AO SAIR EM PLENO VERÃO NÃO TROUXERA NEM UMA BLUSA PRO FRIO - NÃO FOI POR ACASO QUE ANOS E ANOS MAIS TARDE, QUANDO O LICINIO DA SILVEIRA DEPOS NUM LIVRO SOBRE OS AMIGOS DO CACO BARCELLOS A MINHA REFERENCIA ERA DE QUE EU VINHA DE UMA FAMILIA MUITO POBRE DE SERAFINA...OUTRA COISA QUE O QUERIDO AMIGO DIZIA ERA QUE EU NÃO PASSAVA DE UM CRISTÃO DESLUMBRADO COM A CIDADE GRANDE, O QUE TAMBÉM COINCIDIA COM A REALIDADE...

MAS ENFIM,VOLTEMOS A FOTO QUE PUBLICO.

NELA ESTOU COM MINHA PRIMEIRA BLUSA DE LÃ, VERMELHA, DE LÃ MESMO QUE O IRCEU GASPARIN COMPROU LÁ NUMA LOJINHA QUE HAVIA NA CASA DO DINO SOCCOL...ELE ME TROUXE A BLUSA, PORQUE NAQUELA PASCOA - FOI DIA 6 DE ABRIL DAQUELE ANO, POR COINCIDENCIA GUARDO A LEMBRANÇA DE QUE FOI O DIA QUE INAUGUROU O BEIRA RIO - E NEM LEMBRO MAIS SE PAGUEI A BLUSA OU NÃO. USEI DURANTE ANOS AQUELA BLUSA DE LÃ, VERMELHA, DE UM VERMELHO ENCARNADO.
FIZ ESTA FOTO QUE ACABOU INDO PRA ESTE DOCUMENTO DO EXERCITO E QUE MEU PAI GUARDOU ANOS E ANOS, ATÉ QUE UM DIA ME DEU...ELE SEMPRE GUARDAVA OS DOCUMENTOS QUE A GENTE PRECISAVA COM MUITO CARINHO ATÉ QUE UM DIA O ENTREGAVA PRO DONO FOI ASSIM COM O MEUS BOLIETINS DO COLEGIO E FOI ASSIM COM UMA FOTO DO PADRE ROBERTO CIOTOLLA, PORQUE SABIA QUE EU GOSTAVA DELE...

POIS ESTA FOTO,SINGELA, COM CARA DE GURI ME FEZ RETORNAR AO PRIMEIRO GRANDE FRIO QUE PEGUEI EM PORTO ALEGRE. FAZIA FRIO SIM, FRIO IGUAL A ESTE QUE PEGAMOS ONTEM, OU MAIS.

ERA PÁSCOA, MORÁVAMOS NA JUC-5 E NÃO RECORDO PORQUE MOTIVO, ACABEI NÃO INDO PRA CASA NAQUELA PASCOA...POUCOS MESES DEPOIS, NO DIA 29 DE JUNHO DO MESMO ANO, ACABEI INDO PRA FACA, SENDO OPERADO NO HOSPITAL CRISTO REDENTOR, DE EMERGENCIA, PORQUE UMA APENDICITE IA ESTOURAR E EU IA MORRER DE SEPTCEMIA...FOI O CELITO, COLEGA DE QUARTO QUE ME LEVOU AO HPS E DE LÁ ME LEVARAM PRO HOSPTIAL DO CRISTO, ONDE UM MÉDICO, CUJO ROSTO NÃO LEMBRO, ME DISSE NAQUELE ENTARDECER: NOUS ALONS COMENCÉ....ASSIM MESMO EM FRANCES...

MAS ISTO TUDO NADA TEM A VER COM MINHA BLUSA,QUE O FRIO AGORA DO OUTONO ME TROUXE DE VOLTA A LEMBRANÇA!

DE BSB


ESSA TAL DE MESA DO STELA GRILL NÃO É A MAIS INTELIGENTE E MAIS BEM INFORMADA PORRA NENHUMA...

NÃO SABEM NADA...

NEM SABIAM QUE O ZÉ DO MENSALÃO DIRCEU ERA SÓCIO DO MAGO PAULO COELHO!

vereador adeli visita zé nunes no sindicato dos jornalistas

foto: http://www.jornalistas-rs.org.br


O QUE TERÁ LEVADO O VEREADOR DO CHAPEU A PALESTRAR COM O ZE NUNES??

NOS CORREDORES DO SINDICATO FICARAM SE PERGUNTANDO SE O ADELI NÃO QUER PASSAR A ADAGA AQUELA NO PESCOÇO DO SACOMORI, DE QUEM ELE TEM BRONCA....

SUCESSO


De um leitor deste blog!

Ao fim e ao cabo a japinha é uma mulher que acabou dando certo!

frio


Fez frio em Serafina, mas não teve geada, informa o correspondente local.

Memória

20 anos de Augusto Nunes

' QUEM É QUE FOI HOJE"

PERGUNTAVA O CHARGISTA REKERN

AS SEXTAS???


De abril de 1992 - dia 13, até agosto de 1992, a redação da Zero Hora viveu grandes traumas e tormentas. Com a chefia de Augusto Nunes inaugurou-se um período de muitas demissões - ele afirma que " não demiti ninguém" - mas há quem calcule que o número chegou próximo dos 100 funcionarios.

Foi o período de maior trauma vivido dentro da redação. Um dos que ficou foi o chargista REKERN ( sim é preciso lembrar que a redação na época foi dividida entre os que ficaram e os que sairam - aliás como todo o departamento de artes, chefiado pelo Lino Adolfo, que assim que a chefia mudou exigiu da mesma uma posição sobre o que aconteceria no departamento.

Rekern lembra:

- Quando eu chegava às sextas, sempre havia algum tipo de comentários sobre demissões que tinham ocorrido. Eu já me limitava a perguntar : quem é que foi hoje??

Rekern,agora aposentado, diz que este período de demissões foi de abril a agosto, quando sem que fosse uma ordem escrita ou que o valha, o editor EDUARDO BUENO, O PENINHA, FEZ SABER A TODA A REDAÇÃO QUE AS DEMISSÕES CESSARIAM. Foi uma forma de distender o ambiente que andava muito tenso.

Do Sergio Ros(enojado com a corrupção????)

Olides
A fofóca aqui é a história de um ex ministro da Dilma, que dias atrás,deu uma tremenda surra na esposa.
Dizem as fofoqueiras (só podia ser a mulherada, amigas da vitima) que a moça que apanhou está até hoje com ataduras pelo corpo.Eu, sábado,quando ouvi essa história, fiquei triste pois tinha até então, uma pequena simpatia pelo nosso conterrâneo...
O presidente da FIFA, Joseph Blatter, que andou por aqui dias atrás,está disposto a dar um ponta pé na bunda do francês, que andou espalhando por aí, que o Brasil merecia um ponta pé no trazeiro. Blatter, que tem um conselheiro brasileiro e que por sinal o ouve muito,disse que está conversando com várias pessoas, para poder tomar essa decisão. Blatter adiantou que o seu preferido é o Franz Beckenbauer. A confirmação desta história tu vais ler nos próximos dias nos jornais ou ver na Globo... E depois tu me goza, fazendo gracinha com os caras que estudaram no Conceição em Guaporé(viva o Janguta...)
Olides, domingo à noite, depois ver no Fantástico a história de corrupção nos hospitais ( das muitas) que a imprensa denuncia, fiquei enojado.
Realmente não vivemos num país sério, como já disse De Gaulle. Porra, a imprensa denuncia ( com provas e tudo mais). A polícia prende e a nossa Justiça simplesmente solta todo mundo. Eu então fiquei aqui pensando, com os botões da minha bombacha,que comprei na última vez que fui à Bento: aonde nós vamos chegar???????
Olides, mas vou ter contar uma historinha mais alegre. É que, com a aproximação da Páscoa, me lembrei de uma via sacra
que assisti em Pelotas,lá por 1963/ 64. As solenidades desta festa estavam começando a virar popularmente espetáculos teatrais. Eu tinha um amigo que gostava muito de teatro.Era um bom repórter e colunista de artes no Diário Popular.Com a chegada da Páscoa, resolveu encenar e dirigir o espetáculo da via sacra, nas ruas da Praia do Laranjal. Juntou vários atores amadores da cidade e passou a ensair diaramente o espetáculo que ficou sendo aguardado por Pelotas inteira. Na Semana Santa lá foi ele com a sua "troupe" para a bela praia da Lagoa dos Patos... Mas na hora do espetácuo,faltaram os dois perssonagens, que fariam o papel dos soldados que batiam com seus açoites no Cristo, um robusto soldado da Brigada. A
solução encontrada, foi arregimentar esses perssonagens no público presente. Logo de cara apareceram dois caras que poderiam quebrar o galho.
Mas no dia da apresentação, que tinha um publico imenso, fazia um daqueles frios de renguear cusco. A solução dos novos astros, foi tomar umas e outras para enfrentar o velho Minuano que soprava da Lagoa e mesmo para poderem tomar mais coragem para as suas apresentações.Só que exageram nas doses e chegaram na hora do show,mas prá lá do que prá cá.Resultado: começaram a bater no pobre do Cristo com força mesmo. O Cristo lá pelas tantas,começou a reclamar, primeiro falando bem baixinho, por entre os dentes.Mas logo depois resolveu apelar e engrossar a sua bronca.Largou a cruz e virando-se para os seus guardas,não teve duvidas,mandou essa..."porra está doendo.Batam mais devagar...A procisão continuou mais alguns metros e quando parecei que estava tudo solucionado, os guardinhas,voltaram a atacar. Tome mais porrada. Aí o nosso Cristo não teve dúvidas, largou de vez a cruz no meio da rua e foi bater nos dois gambás que até hoje andam correndo pel as areias do Laranjal.

5° ENCONTRO LATINO-AMERICANO POR MEMÓRIA, VERDADE E JUSTIÇA.
CUMPRIR COM A VERDADE


Porto Alegre será sede, de 30 de março a 1º de abril de 2012,
do 5º Encontro Latino-Americano por Memória, Verdade e Justiça
Local: Plenarinho – Assembléia Legislativa – Porto Alegre/RS
CUMPRIR COM A VERDADE.
Porto Alegre será sede, de 30 de março a 1º de abril de 2012, do 5º Encontro Latino-Americano por Memória, Verdade e Justiça > CUMPRIR COM A VERDADE.
O Movimento de Justiça e Direitos Humanos, em conjunto com a Comissão de Anistia – Ministério da Justiça, e da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul – Comissão de Cidadania e Direitos Humanos, levará a efeito o 5° Encontro Latino-Americano por Memória, Verdade e Justiça – Cumprir com a Verdade.
O referido Encontro representa a continuidade daqueles que já ocorreram na Argentina, no Uruguai, no Chile e na Bolívia, e que possibilitam a troca de experiências e ações, objetivando avanços na luta pela Memória, Verdade e Justiça em todo o Continente.
O 5° Encontro realizar-se-á na cidade de Porto Alegre/RS, nos dias 30 e 31 de março e 1° de abril/2012, no Plenarinho da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, localizada na Praça Marechal Deodoro, 101 - Centro Histórico. O evento contará com a participação de personalidades e organizações, representando a Argentina, o Uruguai, o Chile, o Paraguay e a Bolívia, além do Brasil.
A realização deste 5º Encontro, que será de grande importância para consolidar e estreitar os laços de irmandade latino-americana, buscando escrever a nossa verdadeira história, desfazendo mentiras na luta contra a impunidade.
Jair Krischke - Presidente
Movimento de Justiça e Direitos Humanos/Brasil.

PAULADA

Pegando o gancho do Charqueadas , sabado passado, no seminário sobre judeus no Brasil, o professor Voltaire Schilling deu uma paulada no Tarso Gerno que vou te contar: sem dar o nome dele,disse que hoje em dia ainda há governantes que dãoguarida a assassinos em pleno Palácio!

Pô, não exagera, professor, que vão achar batom na sua cueca...Não acharam estes tempos?

VERBETE/DICIONÁRIO

Como vocês sabem, o “Grande Dicionário Sacconi da Língua Portuguesa” (Editora Nova Geração), do professor e lexicógrafo Luiz Antônio Sacconi, passou a registrar a palavra “petralha”.
Pois bem. Na mais recente edição do dicionário, houve uma atualização do conteúdo. O verbete ficou assim:


Razões do ócio

Carlos Chagas

Para a presidente Dilma, derrotas parlamentares do governo fazem parte do sistema democrático. Ela fez bem ao despedir o líder do governo no Senado, Romero Jucá, que colaborou para a rejeição de um indicado palaciano para a ANTT, mas não há explicação para que tenha protelado a votação da Lei da Copa e do Código Florestal. Se é da essência da democracia ganhar ou perder projetos, o natural teria sido a entrada dos dois textos na pauta da Câmara. O resultado é a paralisação dos trabalhos no Congresso, já que no Senado medidas provisórias estão trancando as votações.
Parte da responsabilidade cabe também a deputados e senadores, pelo jeito pouco interessados em melhorar a lamentável imagem de que dispõem junto à opinião pública. Bem que as mesas das duas casas poderiam agilizar os trabalhos, mesmo sem ofender a chefe do governo. Afinal, nenhuma evidência existe de que a sólida maioria oficial foi desfeita por uma derrota isolada no Senado. Muito menos que ruralistas e evangélicos tornaram-se de repente árbitros maiores das decisões legislativas. A venda de bebidas alcoólicas nos estádios conta com votos suficientes para calar os puritanos, assim como o ambientalismo parece sobrepor-se aos interesses dos donos de terras.
Ainda assim, o governo encolheu-se. A explicação surge clara: Dilma desconfia que por trás de evangélicos e de ruralistas esteja a chantagem de grupos integrantes dos partidos aliados exigindo ministérios, nomeações, liberação de verbas e até sinecuras. A turma do toma-lá-dá-cá é a responsável pela desestabilização nas relações entre Legislativo e Executivo. Por isso a presidente recomendou o recuo nas votações, matreiramente aceito pelas direções parlamentares. Por isso, também, sinais são dados de seu gabinete, sobre não aceitar as candidaturas de Renan Calheiros, no Senado, e Henrique Eduardo Alves, na Câmara, para o biênio 2013-14. Ambos estariam estimulando a revolta fisiológica.
Assim está o impasse entre governo e Congresso, com a presidente na Índia, logo depois nos Estados Unidos e os parlamentares gozando relativo ócio, em Brasília.

CONSELHO ERRADO
Atribui-se ao advogado do senador Demóstenes Torres o conselho para que se mantenha à sombra, sem dar explicações para as denúncias que o atingem e, em especial, para que fuja dos jornalistas. Se verdadeira a informação, deixa mal o competente causídico, porque tanto pelas suas características quanto pela crise que o envolve, o senador Demóstenes deveria estar imitando o homônimo grego e discursando a mais não poder. Calando, deixa no mínimo a suposição de que tem algo a esconder.
Be Sociable, Share!

FALANDO EM DITADURA E, POR CONSEGUINTE, EM DITADORES


Lula, várias vezes, elogiou Médic e Geisel.
Sirte, Líbia - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva por pouco não elogiou abertamente as ditaduras da África ontem na Cúpula da União Africana, em Sirte, na Líbia. Disse que não se pode ter “preconceito” contra líderes não democráticos.
Logo após abrir seu discurso chamando o ditador líbio Muamar Gaddafi de “meu amigo, meu irmão e líder”, o presidente brasileiro elogiou “a persistência e a visão de ganhos cumulativos que norteia os líderes africanos” e ressaltou que “consolidar a democracia é um processo evolutivo”.
Depois, em entrevista coletiva, Lula criticou a imprensa pelo que chamou de “preconceito premeditado” por sua proximidade com ditadores. “Eu não trabalho com preconceito, porque se trabalhasse, não estaríamos nem na ONU (Organização das Nações Unidas), tamanha é sua diversidade.” (02.07.2009)
Ao lado do ditador Obiang Nguema Mbsogo, há 31 anos no poder na Guiné Equatorial, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou acordos e divulgou um comunicado afirmando que os países são comprometidos com a democracia e o respeito aos direitos humanos. Mbsogo é acusado por organizações internacionais de perseguir opositores do regime, fraudar eleições e violar direitos humanos. É também um dos mandatários mais ricos do mundo. (06.07.2010).
E muito mais poderíamos enumerar, pesquisando.
SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS

Tá bom,Charqueadas, tá bom, pelo que entendi é o atual ' INQUILINO DO PALÁCIO PIRATINI' COMO DIRIAM OS ANTIGOS COLUNISTAS SOCIAIS!

Se Cuba é esta maravilha que alguns pintam, por que a maioria dos brasileiros, por exemplo, que vai para o exterior, para passear ou trabalhar, preferem os Estados Unidos? Tem um notório defensor de Cuba aqui no Estado, que todo o ano vai passar as férias em..........................................Paris, onde, ao que parece, tem um apartamento. Havana não seria melhor?
BODY { font-family:Arial, Helvetica, sans-serif;font-size:12px; }
SERGIO OLIVEIRA/CHARQUEADAS/RS

Po eu peço olivro, o serginho consegue e o Chagas lê. Protesto!!!!!!

quero o meu como assessor cultural do Chagas!


Olides
Já estou com o teu livro nas mãos. Li algumas páginas e não gostei. Acho que tu também não vai gostar. É coisa de nordestino(pô, não posso falar mal daquela gente.Meus nestos são de lá...)
O Chagas pediu para ler. Ele lê numa noite. Assim, amanhã,quinta feira já ponho o livro nos Correios
Sergio

A ESTULTICE É PRIVILÉGIO DOS ESTULTOS

E os estultos não entendem muitas vezes o que é escrito, digitado, etc.
Eu não pretendi justificar a escravidão. Só informar, e isto é história, que a próprias tribos negras da África vendiam seus "irmãos" para os brancos, paras os traficantes. O que eu pretendi dizer é que este argumento das cotas, de levar em conta a escravidão, é bobagem, na minha opinião, pois faz tempo ela foi abolida; eu, por exemplo, não tenho culpa alguma quanto à mesma, pois nunca escravizei e nem açoitei qualquer pessoa, seja a cor da pele que tenha ou tivesse. E sou branco. Se alguém se acha culpado, que assuma esta culpa, indenizando alguma família de negros, que não tenha um imóvel, por exemplo, entregando o seu.
Quanto ao repórter da Veja ter tido contato com o tal Cachoeira, nada mais natural; quantas vezes repórteres contatam bandidos para terem informações; eles que se entendam; não tenho nada com isto; o Cachoeira é aquele da turma do Waldomiro Diniz, que, por sua vez, fazia parte da gang do Dirceu, o chefe (ou sub-chefe?) do MENSALÃO, que só foi descoberto porque um membro da quadrilha, o Bob, contrariado por só ter recebido R$ 4 dos R$ 20 milhões que fora prometido pero PT, como em todas a quadrilhas (só se faz descobertas quando alguém da mesma dá com a línguas nos dentes), botou a boca no trombone. Não sei o teor das conversas do repórter com o Cachoeira, mas só pode ter sido para obter informações privilegiadas sobre as safadezas das quais participou o Cachoeirinha, que começaram lá com o Waldô do Dirceu.
Tivemos o MENSALÃO DO PT e outras safadezas. Tivemos o MENSALÃO DO DEM e agora outras safadezas. Já sei, ele
dirá que o MENSALÃO começou em Minas, com o PSDB. Sou contra todos eles e não procuro justificar nenhum deles, como faz o estulto: safadeza só é safadeza quando os outros fazem; quando é sua tchurma tudo é justificado.
SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS

Llegó la primera ola de frío del año y cubre a todo el país
La temperatura más baja fue de 0,2 grados y se registró a las 7 en Bariloche. En Capital y GBA la máxima prevista es de 7 y para mañana se espera una mínima de 4.


De Buenos Aires
Enriqueta sollares


El otoño llegó puntual y barrió con todo resabio del verano, a tal punto que las temperaturas fresquitas de los últimos días se transformaron hoy en una ola de frío que cubre a todo el país y que tuvo su pico mínimo en Bariloche, donde a las 7 de la mañana el termómetro apenas superaba los cero grados. En Capital Federal y el Gran Buenos Aires, se registraban a la misma hora 8, 2 grados, con una sensación térmica de 7, 5. Hoy la máxima podría escalar sólo hasta los 17. En el Río de la Plata rige un alerta por vientos intensos provenientes del sudoeste, con intensidades de entre 50 y 60 kilómetros por hora. Para mañana, en tanto, se espera la mínima más baja de la semana: 7 grados, pero el sol radiante que pronostica el Servicio Meteorológico Nacional (SMN) permitirá hacer más llevadero el clima. El frío que empezó a dar señales hace algunos días obligó hoy a cambiar las sandalias por las botas y los saquitos de medio tiempo por las buzos, sweaters y camperas. La imagen se repitió en todo el país.



IMÁGENES

Primeros días de frío en la Ciudad de Buenos Aires.

El rincón más frío del territorio fue Bariloche, en Río Negro, a las 7 de la mañana, cuando se registraron 0,2 grados. A esa hora en Villa Reynolds, San Luis, la temperatura era de 1,4; en Malargüe, Mendoza, alcanzaba sólo los 2,4; en la ciudad de Neuquén 3,1; y en Trelew (Chubut) y Río Grande (Tierra del Fuego) 3,6. El SMN anunció que durante la jornada de hoy continuará el viento del sudoeste, aunque hacia la noche comenzará a rotar al oeste y mañana con una jornada fría todavía comenzarán a soplar vientos leves del noroeste. No obstante, el frío se mantendrá al menos hasta el viernes inclusive, aunque irán subiendo paulatinamente y el fin de semana largo podrá disfrutarse con temperaturas agradables y máximas que rondarán los 25 grados.

Blog valoriza matéria de Carlos Karnas (Blog Crítica & Afago)
Caros(as).

Blog do jornalista Irani Lima valoriza publicação de minha autoria.

"Se você gosta de história, não deixe de ler o texto do jornalista/escritor Carlos Karnas que publico nesta postagem. Leitura obrigatória para quem pretende saber como funcionava os porões da ditadura." (Irani Lima)

Veja em:
http://www.iranilima.com/2012/03/o-testemunho-de-karnas-sobre-tortura.html

ou em "Crítica & Afago":
http://criticaeafago.blogspot.com.br/2011/10/e-x-c-l-u-s-i-v-o-e-i-n-e-d-i-t-o-do.html

Carlos Karnas

memoria


João Carlos Terlera, repórter politica da ZH até 1992, assinava a coluna Bastidores. Foi retirado da redação em 1992 e posto a trabalhar junto a direção da RBS, no prédio administrativo, subordinado ao superintendente do grupo, Fernando Ernesto Correa.


Sua missão era fazer informes especiais sobre poltiica e governo com notas exclusivas que passavam pelo crivo da direção. Mas Terlera notou que alguma das notinhas acabavam vazando porque ele dava cópia para o diretor Correa e outra para outro diretor, Marcos Dvoskin.

Estas informações acabavam sendo usadas pelo colunista José Barrionuevo, que acabara de ser contratado pela empresa e que passava a assinar a coluna Pagina 10.

Terlera avisou Correa que prepararia uma cama de gato. Colocou uma nota com uma informação " furada" e foi tiro e queda: saiu na Pagina 10 esta informação improcedente.

Marcos Dvoskin chamou Terlera a sua sala e lhe reprendeu:

- Tu me traístes!


- Eu não,disse Terldera. Estou saindo da empresa e entrando na Justiça contra ela.


O FILHO DO CORONEL
ACHOU QUE TINHA CHEGADO SUA HORA


o DR. aRY DOS sANTOS, DIRETOR JURIDICO DO GRUPO RBS ACHOU QUE SERIA PEGO PELA LAMINA AFIADISSIMA DO SAMURAI....

- Passou perto, comentou com um conhecido, ainda mostrando seu temor:

- Desta vez achei que iria, disse ainda Ary.Mas alguns dos subalternos do dr. Ary foram degolados.


Ary é um dos conhecidos algodão entre os cristais.


Nas crises Ary - que é filho do "CORONEL" ARI DOS SANTOS,que durante muitos anos comandou o esporte da Gaúcha - é sempre quem atua segurando seus xiiitas...

ao tempo do presidente Schroeder, no sindicato dos jornalistas, quando as negociações tinham ficado entesadas, ele dizia pro presidente:

- Segura teus xiiitas que eu seguro os meus.

"JAPA DA DEGOLA"


PREZADO LAURO DIECKMANN

LI NO SEU BLOG, QUE APRECIO MUITO, NOTICIA COM FOTO DA VISITA QUE O DIRETORES DA RBS FIZERAM AO PRESIDENTE ZE NUNES DO SINDICATO DOS JORNALISTAS.

UM PERDIGUEIRO ME CONTOU QUE NA SEXTA, DIA DA VISITA, QUANDO O DIRETOR ,TAMBÉM CHAMADO DE O SAMURAI, CHEGOU, A DENISE RITTER, UMA COLEGUINHA ADENTROU O RECIENTO ANUNCIANDO:

- ta aí o JAPA DA DEGOLA, O JAPA DA DEGOLA....


é o titulo mais inteligente que vi do assunto...
é que nem aquele slogan do PSTU que o proprio Olivetto disse estes tempos que é o mais inteligente que ele viu em campanhas politicas. diz assim

CONTRA BURGUES, VOTO 16....


criatividade não tem nada a ver com grana!


memoria da imprensa


CREOLINA PRA LIMPAR O COI

LOPES DE ALMEIDA!


Carlos Ronald Goulart Lopes de Almeida, o Coi Lopes, foi preso e levado ao porão da temida OITAVA DELEGACIA DE POLICIA( onde todo detido tinha pavor de cair) localizada na av. Protásio Alves. A mãe de Coi, Landa Lopes de Almeida procurou pelo Coi pela cidade inteira e nada de encontrá-lo.

Depois de três dias, Carlos Heitor Futado Azevedo - fundador das boites Crazy Rabitt e Vila Velha - que carregava uma carteira de inspetor de Polícia chegou na Oitava Delegacia dando carteiraço pedindo pelo COI.

O delegado consultou a lista dos presos e com este nome não havia ninguém


Carlos Heitor não se deu por vencido. Pediu pra ir ver o porão....onde ficavam os presos.

Num fedor dos infernos,adentrou aquele covil de condenados e atirados a propria sorte e enfrentando um fedor insuportável, começou aberrar pelo nome doCoi...

Apareceu o próprio, todo sujo de merda e mijo, fedendo horrores.


Carlos Heitor descobriu então que haviam fichado Coi com o nome de Ronald de Almeida, justamente pra não ser localizado por nenhum familiar.

Tirou-o da cadeia, levou-o pra casa e deu um banho nele com mangueira e creolina.


PRESTES E SUA FILHARADA!


ESTA UNIÃO QUE A FOTO MOSTRA É DE 50 ANOS ATRÁS, PORQUE COM A MORTE DO VELHO PRESTES AS FAMILIAS BRIGARAM....

POUCO SE TEM OUVIDO FALAR DE ALGUMA ATIVIDADE POLITICA DOS FILHOS DO PRESTES A NÃO SER QUE O LUIS CARLOS PRESTES FILHO REFEZ O TRAJETO DA COLUNA PRESTES, 71 ANOS DEPOIS.

PRESTES ESTÁ ENTERRADO NO RIO DE JANEIRO.

EM PORTO ALEGRE, HAVIA DUAS ENTREVISTAS COM ELE. UMA FEITA PELA TANIA CARVALHO, NA TVE, que o Leonid Streliaev,quando presidiu a emissora mandou deletar....( motivos: richa entre ele e a Tânia)

A outra entrevista, - até o ponto que eu sei - foi feita pela rádio Gaucha, por Flávio Alcaraz Gomes. Estive presente nela...Prestes estava sendo homenageado na Camara Municipal e depois foi pra emissora acompanhado do dr. Dulphe Pinheiro Machado.

Lá foi inquirido pelo Flávio que demonstrou grandes conhecimentos sobre a história da Coluna


Tentei localizar este depoimento na Gaucha, mas me informaram que não foi localizada. Então alguém sumiu com ela.

NO RIO

MARCOS MARTINELLI QUE JÁ CHEFIOU A RECORD LOCAL, ESTÁ NO RIO DE JANEIRO!

COLEGUINHA POR FORA!


Na festa de quinta passada, do deputado federal Paulo Ferreira, um coleguinha, editor de um site, esteve a dois metros do consagrado escritor PAULO COELHO e não o reconheceu....


também a mídia gaúcha não registrou a passagem do MAGO pelos pampas....!

Coleguinhas


NA FESTA DO DEPUTADO FEDERAL PAULO FERREIRA, DO PT, NA QUINTA PASSADA, A PRESENÇA DA EDITORA DA REVISTO VOTO, KARIN.

O QUE DIZEM POR AI


QUE O EX-MINISTROZÉ DIRCEU E O ESCRITOR PAULO COELHO SÃO SOCIOS!

PODER

NO NIVER DO DEPUTADO PAULO FERREIRA!


NO NIVER DO DEPUTADO FEDERAL PAULO FERREIRA-PT - NA QUINTA PASSADA, NO CAIS DO PORTO DE PORTO ALEGRE, A PRESENÇA DO ESCRITOR PAULO COELHO, O EX-MINISTRO DA CASA CIVIL ZÉ DIRCEU, O PROPRIO PAULO FERREIRA, O PRESIDENTE DA CAMARA DOS DEPUTADOS, MARCOS MAIA, O EX-VICE GOVERNADOR MIGUEL ROSSETTO( QUE ERA O QUE MANDAVA MESMO NO TEMPO DO GOVERNO OLIVIO) HOJE É DIRETOR DA PETROBRÁS...O VEREADOR TODESCHI E ADELI SELL, ADÃO VILLAVERDE.

chamou aatenção a não presença do

GOVERNADOR TARSO GENRO!

MEDIANERAS


ACABO DE VER O FILME MEDIANERAS, TÃO INCENSADO PELA CRITICA....

CLARO, É TUDO POLITICAMENTE CORRETO. OS PERSONAGENS FUMAM MACONHA- HJ EMDIA ISTO VIROU ORBIGAÇÃO, NÃO É MAIS COMO NOS ANOS 70,QUANDO ERA REBELDIA - FALAM PELO COMPUTADOR, ACESSAM O CELULAR....NA VERDADE, UM MUNDO VAZIO( NÃO POR FUMAR MACONHA)...

TUDO GIRA EM TORNO DA SOLIDÃO....QUE É DEPOIS DA DOENÇA, O QUE MAIS METE MEDO NAS PESSOAS....


O FILME VALE SER VISTO!

MAS NÃO É ESTA BRASTEMP QUE ANDARAM DIZENDO POR AI....

RECEBI DE UM LEITOR QUE PEDE ANONIMATO UM ELOGIO PRO NOME DE FEDE E CHEIRA QUE DEI AO BLOG....


POIS ISTO SURGIU ASSIM:FALANDO COM UM AMIGO, NUM DOMINGO DE MANHÃ, CONTANDO A ELE OS PROBLEMAS QUE TENHO TIDO COM O MEU LIVRO DE SERAFINA, CONCLUI QUE MEU LIVRO FEDE E CHEIRA...

DAI ME SURGIU ESTA IDEIA!

MEMEIA, TENS MEU VOTO PRA GOVERNADORA( O EDITOR)

A Meméia em sua nova foto oficial para as próximas campanhas políticas em Porto Alegre.
Foto oficial anexada

MOLA TENTOU SEGURAR

JUAREZ FONSECA MAS ELE


CAIU DA BOCA NO ABC


oS JORNAIS DO GRUPO SINOS - ABS,NH,DIARIO DE CANOAS - FIZERAM UMA PADRONIZAÇÃO DE SUA DIAGRAMAÇÃO. E NESTA OS COLUNISTAS DO ABS TIVERAM QUE DIMINUIR SEU APETITE POR ESPAÇO. O JUAREZ FONSECA, QUE FALAVA DE MUSICA, NÃO ACEITOU A REDUÇÃO DE TAMANHO E NEM O APELO DO DIRETOR DE LÁ, O CONHECIDO COLEGA MOLA, DEU CERTO.

JUAREZ PEDIU AS CONTAS E SE MANDOU.

PRA ONDE IRÁ?

SERÁ MAIS UM DE O SUL?

HISTORIAS DE LA UNDEZE!


A APARIÇÃO


vOU FALAR DE MIM, OU MELHOR DE UM ACONTECIMENTO QUE MARCOU PRA TODO O SEMPRE. LEMBREI DISTO HOJE NO ONIBUS QUANDO VINHA PRA CÁ...ALIAS LEMBRO QUASE QUE SEMANALMENTE DISTO.

TINHA A IDADE DA MINHA NETA, OU POUCO MAIS...


NUMA MANHÃ, QUANDO ACORDEI - DORMIAMOS NO SOTÃO DAQUELE CASARÃO DE MADEIRA, DE ESTILO DA COLONIA ITALIANA FEITO DE SCANDOLE-TABUAS DE PINHEIRO - ERA UM DOMINGO, LEMBRO AGORA PORQUE MINHA MÃE ESTAVA NA ESTREBARIA TIRANDO O LEITE DAS VACAS, - E FUI SAINDO DO MEU QUARTO POR UM CORREDOR QUE HAVIA - PODERIA DESENHA-LO - AO PASSAR NA FRENTE D E UM QUARTO QUE FICAVA SEMPRE VAZIO, A ESPERA DOS PARENTES QUE VINHAM NOS VISITAR DE SANTA CATARINA - AS IRMÃS DE MEU PAI FORAM TODAS PRA LÁ, PORQUE FIZERAM PARTE DAQUELA LEVA DE COLONOS QUE FORAM PRO SERTÃO COMO SE DIZIA E FORAM COLONIZAR OS LADOS DE CHAPECO,XANXERE, XAXIM,ENTRE OUTROS NOVOS POVOADOS( HOJE EM DIA OS DESCENDENTES DAQUELA GENTE NEM UM TELEFONEMA DÃO ) VI,ENFIM, UM SUJEITO JÁ DE CERTA IDADE, DE CHAPEU NA CABEÇA E TODO VESTIDO DE BRANCO- ESTE DETALHE É O QUE ME CHAMOU A ATENÇÃO - COM UM ROSTO JÁ BEM MADURO, OLHOU-ME E SORRIU SEM DIZER NADA.

NÃO OUVI A PORTA SE ABRIR, NÃO OUVI NADA. sÓ TINHA ESTA VISÃO.

ATORDOADO PELA APARIÇÃO, VAMOS DIZER ASSIM, DEI UM GRITO E NESTE EXATO MOMENTO, PERANTE MEU GRITO, VEIO UM TIO, OU IRMÃO EM MEU SOCORRRO. DALI COMEÇAMOS A INSULTAR AQUELE SUJEITO QUE EU TINHA VISTO. SÓ QUE ALI NÃO HAVIA NADA, NEM PORTA ABERTA, NEM NADA...

AQUILO ME PROVOCOU UM IMENSO TEMOR,TANTO QUE NA NOITE DE DOMINGO, NÃO QUIS DORMIR SOZINHO E LEMBRO QUE MINHA MÃE TEVE QUE DORMIR COMIGO, PELO MENOS ENQUANTO PEGUEI NO SONO.

CLARO QUE O ASSUNTO VIROU MAIS UM TABU, SOBRE O QUAL NINGUÉM NUNCA FALOU LÁ EM CASA.


MEUS PAIS NUNCA FALARAM, POR EXEMPLO, COMO ELES SE CONHECERAM. EU FIQUEI SABENDO PELO TELVO BAZZO, UM VIZINHO DA CAPELO SÃO PEDRO, QUE É A MEMÓRIA VIVA DOS MORADORES MAIS ANTIGOS DO LUGAREJO NAQUELE INTERIOR.

O QUE TERIA SIDO AQUILO NEM ME INTERESSA SABER A ESTA ALTURA. SÓ SEI QUE ACONTECEU..

QUEM ACHAR QUE SOU UM LOUCO, OU LUNÁTICO, QUE VA FAR UM CULO, COMO DIZEM OS ITALIANOS

EM PORTO ALEGRE, ATO CONTRA ACUSADO PELA JUSTIÇA ITALIANA

Em Porto Alegre, cerca de 100 jovens estiveram hoje às 9h da manhã em frente à casa do Coronel Carlos Alberto Ponzi, ex-chefe do Serviço Nacional de Informações de Porto Alegre e um dos 13 brasileiros acusados pela Justiça Italiana pelo desaparecimento do militante político Lorenzo Ismael Viñas em Uruguaina (RS), no ano de 1980, para exigir justiça.

A rua aparentemente tranquila mudou com a chegada da juventude. Os muros antes brancos agora denunciavam: “Aqui em frente mora um torturador!”. Os gritos de ordem, cartazes e cantos chamavam a atenção dos vizinhos, que se amontoavam nas janelas para entender o que se passava. Durante os 40 minutos de manifestação, quem transitou pela rua soube que naquele prédio mora um torturador e que o povo está organizado para não deixar que seus crimes caiam no esquecimento.

A atividade seguiu com distribuição de panfletos e conversa no campus da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

QUEM É CARLOS ALBERTO PONZI

Carlos Alberto Ponzi chefiou em Porto Alegre o Serviço Nacional de Informações (SNI), um dos braços da repressão do ditadura, que foi criado em 13 de junho de 1964 para supervisionar e coordenar as atividades de informações e contra-informações no Brasil e exterior.

A Justiça italiana abriu processo contra Carlos Alberto Ponzi, sob a acusação de assassinato. A denúncia, aberta em dezembro de 2010, abrange outros dez militares e civis brasileiros, que chefiaram unidades de repressão política no governo João Baptista Figueiredo. Carlos Alberto Ponzi não pode entrar em território italiano sob o risco de prisão pelo desaparecimento em Uruguaiana (RS) do ítalo-argentino Lorenzo Viñas, no dia 26 de junho de 1980.

O caso está com o juiz Giancarlo Capaldo, que presidiu um processo contra Pinochet pelo desaparecimento de cidadãos ítalo-chilenos em Santiago. “Queremos chegar às responsabilidades individuais”, diz Giancarlo Maniga, que representa as famílias das vítimas na Itália. “Eles desapareceram na Operação Condor”, afirmou Claudia Allegrini, mulher de Viñas, que foi subsecretária de Direitos Humanos da Argentina. As famílias de Viñas e Campiglia acusam o governo brasileiro pela responsabilidade.

Em dezembro de 2007, a Justiça da Itália pediu a extradição de Carlos Alberto Ponzi e mais 139 militares e policiais sul-americanos envolvidos em sequestro, tortura e morte de pelo menos 25 militantes políticos que foram alvo da Operação Condor e tinham cidadania italiana. Treze brasileiros foram acusados de participar do desaparecimento dos ítalo-argentinos Horacio Domingo Campiglia e Lorenzo Ismael Viñas. Dos 13, seis já morreram. Os que ainda permanecem vivos podem prestar esclarecimentos ao Ministério Público.

O coronel Carlos Alberto Ponzi sofre também acusação pelo desaparecimento de Viñas do Ministério Público Federal, que ajuizou representações em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Uruguaiana (RS), pedindo a abertura de inquérito contra ex-autoridades da ditadura militar acusadas de assassinato e sequestro. As ações foram movidas pelos procuradores Eugênia Augusta Fávero e Marlon Alberto Weichert.


Na contra-mão da história

( eu torço pela briga dos dois, porque rende audiência...já propus um programa de rádio, mas nenhum topou a parada....)


Pelo que entendi do texto do amigo do interior, ele tenta justificar a escravidão que tanto manchou o passado de nosso Brasil.
E a Veja, que ele tanto lê, teve um de seus diretores pego nos grampos com o contraventor Carlinhos Cachoeira, condenado a 8 anos de prisão.
Ainda bem que ele não defende o golpe de 64, pois a gurizada num movimento chamado Levante da Juventude está identificando os torturadores e seus apoiadores, para que os brasileiros saibam quem foram estes brasileiros do mal.
Remindo Sauim

Coleguinhas


*Sinceramente, o Fábio Marçal podia ser menos choroso nos seus boletins....


que a realidade é triste, todos sabemos. nem tanto pra ele, porque ele vai pra gramado, quando vem pra cá....


*Mendelski tirou uma semana de férias...no seu lugar, o anterior, Jurandir Soares..que muitos chamam de Juremir.


*Tou ouvindo o Macedão de madrugada. Ele não é tão RUIM como dizem por aí...


*Macedão é outra cria do Ranzolin....

Audiência Pública em Porto Alegre

Aconteceu, no dia 21 de março de 2012, na Assembleia Legislativa, a Audiência Pública da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos. O assunto tratado foi a Situação das Mulheres após a aprovação da Lei Maria da Penha.
O TCel Paulo Cesar Franquilin Pereira, chefe da Assessoria de Direitos Humanos da Brigada Militar e o Adjunto da Assessoria Cap Ney Humberto Fagundes Medeiros, compareceram na Audiência Pública nº 04/2012, do Deputado Miki Breier, que tratou da Situação das Mulheres Após a Aprovação da Lei Maria da Penha.
Participaram, ainda, como convidados: representantes da Delegacia da Mulher; Brigada Militar, Secretaria de Políticas para as Mulheres; Poder Judiciário, Defensoria Pública, Ministério Público Estadual, SUSEPE, Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres da Presidência da República, THEMIS. O município de Serafina Corrêa esteve representado pela Primeira Dama, pela Coordenadora da Coordenadoria da Mulher e pela Presidente e membros do COMDIM do município.
A Audiência teve como objetivo discutir políticas públicas de proteção às mulheres, além de debater a situação após a aprovação da Lei Maria da Penha.

A POSSE DO GRINGO POSTAL

EM 31 DE JANEIRO ULTIMO

Os assessores de Postal estão gostando de trabalhar com ele. No findi, por exemplo, ele dá mole. Não precisa se estressar. Quando viaja, o gringo dá um jeito de se virar,sem muitos assessores por volta....


estas fotos são do Vinicius Reis/ALE

BUENOS AIRES: AUTORIDADES DO MERCOSUL PARTICIPAM DE EVENTO SOBRE DIREITOS HUMANOS

De Buenos Aires
Gelson Farias

Começou hoje (26) e vai até quinta-feira (29), aqui em Buenos Aires, Argentina, a 21ª Reunião de Altas Autoridades em Direitos Humanos e Chancelarias do Mercosul e Estados Associados (Raadh). O evento será realizado no Centro Cultural de La Memória Haroldo Conti. A ministra dos Direitos Humanos do Brasil, Maria do Rosário Nunes, participa do encontro na quarta-feira (28). Entre os pontos a serem discutidos entre as autoridades estão o fortalecimento do Sistema Interamericano de Direitos Humanos, o projeto de Convenção Interamericana contra o Racismo e Toda Forma de Discriminação e Intolerância e o projeto de Convenção Interamericana para a Promoção e Proteção dos Direitos dos Idosos.

Ministra dos Direitos Humanos do Brasil, Maria do Rosário Nunes.

O encontro terá discussões sobre o combate à discriminação, racismo e xenofobia; a promoção dos direitos da criança e do adolescente; a defesa dos direitos da pessoa idosa e da pessoa com deficiência; e o fortalecimento da educação e da cultura em direitos humanos. Pela delegação brasileira participam a secretária nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos, Salete Valesan Camba, e a secretária nacional de Promoção dos Direitos Humanos da Criança e do Adolescente, Carmen Silveira de Oliveira, entre outros gestores das políticas de direitos humanos da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. No segundo semestre deste ano a Raadh será realizada no Brasil.

tou começando a desconfiar

que metade da coluna do CH sai daquela mesa mais inteligente de BSB, no stella grill. e que o serginho colabora com muito disto(claro que é ironia....o dia que eu deixar a ironia de lado, perde a graça)

Olides
Quem tem amigos,e amigos bem informado,está sempre com tudo. Graças a esses meus amigos(Carlos Chagas e Claudio Humberto) consegui no nosso almoço de ontem as informações que precisava para comprar o teu livro. O livro chama-se Curral da Morte e é da Editora Record. O livro vai estar nas minhas mãos quarta feira pela manhã.Como eu não gostei muito do que o Chagas e o Claudio Humberto falaram do livro,acho que nem vou le-lo. Assim, quarta feira mesmo, ponho no Correio para ti.
Olides
Por falar em fonte bem informada, a minha fonte me garantiu que o Lula,vai nos próximos dias,jogar a toalha.Vai deixar nas
entrelinhas que não pretende mais concorrer nas eleições presidências de 2014. Mas a grande novidade é que lançará a candidatura do governador de Pernambuco,Eduardo Campos, a presidência da republica...(não precisa rir. O que tu leu é sério)
Segundo a minha fonte que está voando para a India com a companheira Dilma,me disse mais, que o Lula não está nada
inclinado a discutir com a Presidente esse assunto.Ele,Lula acha que a Dilma não está inetressada na sua reeleição.Reeleição dela...Acha ainda que a Dilma,pelo menos está agindo assim. Ou seja:não está interessada em ser simpatica com as pessoas.Trata todo mundo mal e de maneira grosseira...
Se bem que o Palácio do Planalto,deverá hoje ou mais tardar amanhã,quarta feira,divulgar uma pesquisa que "encomendou",onde Dilma aparece com um indice enorme de popularidade.Esse negocio de pesquisa é a coisa mais fajuta que inventaram nos ultimos tempos. Se tiveres uma graninha,eu mando fazer uma pesquisa onde o teu blogue vai aparecer como o blogue mais lido do país...Mas deixa prá lá.Isso é outro papo...

ARGENTINA: FASE FINAL DO JULGAMENTO POR ROUBOS DE BÊBES DURANTE A DITADURA
O processo foi movido pela líder da organização Avós da Praça de Maio, Estela de Carlotto.

De Buenos Aires
Gelson Farias


Depois de 15 anos do começo das investigações sobre o roubo de bebês durante a ditadura militar na Argentina (1966-1973) recomeçou ontem, segunda-feira (26) a última etapa do processo de julgamento sobre esses casos. A Procuradoria de Justiça deve pedir penas de até 50 anos de prisão, segundo o procurador Niklison Martin. A previsão é que o julgamento dure de cinco a seis dias. A sentença deve ser proferida às vésperas da Semana Santa. Todos serão julgados por "subtração, ocultação, retenção e substituição de identidade”. Os principais acusados são Jorge Rafael Videla e Reynaldo Bignone. Eles se defendem informando que recebiam ordens superiores para cometer os sequestros.

Reynaldo Bignone, Jorge Rafael Videla, o ex-capitão da Martinha, Jorge acosta, conhecido por El Tigre e o ex-general Santiago Omar Riveros.
Além de Videla e Bignone há denúncias contra o ex-general Santiago Omar Riveros, o ex-almirante Antonio Vanek, o ex-capitão da Marinha, Jorge Acosta, conhecido como Tigre, o ex-prefeito Jorge Azic, o ex-fuzileiro naval Ruben Franco e o médico Jorge Magnacco. O processo foi movido pela líder da organização Avós da Praça de Maio, Estela de Carlotto. A organização reúne mães e avós de adultos e crianças desaparecidos durante os governos militares na Argentina. Tradicionalmente, às sextas-feiras, elas se reúnem na Praça de Maio, em frente à Casa Rosada, sede do governo argentino, em Buenos Aires, para pedir providências das autoridades. Niklison disse que há provas de que na Escola de Mecânica Armada (Esma), em Buenos Aires, que se transformou em centro de torturas, havia uma maternidade no subsolo do prédio principal. Segundo ele, há provas suficientes para acusar todos os envolvidos.

Avós da Praça de Maio, na frente do tribunal.

No tribunal, estarão presentes cerca de 400 testemunhas, incluindo vítimas e suas famílias, além de sobreviventes dos centros de detenção do período da ditadura. No total serão analisados 35 casos de apropriação ilegal de recém-nascidos das mães mantidas em cativeiro.
(Telam)

HISTORIAS DE LA UNDEZE!

UMA FOTO DA ANTIGA CASA DE DIONISIO ASSONI, A TIPICA CONSTRUÇÃO DOS PRIMEIROS IMIGRANTES ITALIANOS.


O CASARÃO FOI DEMOLIDO AS PRESSAS PELO DONO, NELSON ASSONI, QUANDO SOUBE QUE A BI CERVIERI E A SALETE CADORE ESTAVAM CORRENDO PRA TOMBA-LO, COMO FIZERAM(FELIZMENTE) COM A CANTINA DA SOCIEDADE ESTRELA.

AOS POUCOS, SERAFINA VAI PERDENDO A SUA CARACTERISTICA DE ANTIGA COLONIA ITALIANA E ASSUMINDO A MODERNIDADE COM PREDIOS, EDIFICIOS E ATÉ CONGESTIONAMENTOS....

Moyano habló de “Estado Soviet” y cruzó a Cristina: “Se victimiza permanentemente”


Dijo que se sintió muy mal cuando la Presidenta lo atacó en una reunión de la UIA. “Ella sabía que yo hacía poquito había perdido a un hijo. Me dolió y me lastimó. ¿Sólo ella siente dolor? ¿El resto no lo siente?”, se quejó el jefe de la CGT.

De Buenos Aires
Enriqueta Sollares

El secretario general de la CGT, Hugo Moyano, criticó a la presidenta Cristina Fernández, al sostener que "se victimiza permanentemente" por la muerte de su esposo Néstor Kirchner, la acusó de implementar un Estado tipo "soviet" y de no tener "simpatía con el movimiento obrero organizado". El gremialista remarcó también que le causó "muchísimo dolor" cuando la jefa de Estado el 23 de noviembre del año pasado durante la 17º Conferencia Industrial de la UIA irónicamente preguntaba '"¿Está Moyano? ¿Se fue?", en momentos de tensión por el tema del reclamo sindical para que haya reparto de las ganancias de las empresas a los trabajadores.

A la victoria. Moyano, ayer, al salir del almuerzo en la sede de la CGT.
"Yo quedé que iba sólo al mediodía. Ella sabía que no estaba ahí, me dolió muchísimo, ella decía: '¿dónde está Hugo'?, y ella sabía que yo hacía poquito que había perdido a un hijo. Eso me dolió muchísimo y me lastimó", señaló Moyano durante un extenso reportaje emitido anoche en canal 26. Al respecto, Moyano, cuyo hijo Emiliano falleció el pasado 3 de noviembre, agregó: "Muchos se victimizan cuando han perdido un ser querido, como lo hace ella permanentemente. Ni quiero desearle el dolor que se pasa cuando uno pierde un hijo, por eso me duele muchísimo, no es una falta de respeto a mi, es una falta de respeto a mi hijo". "Ella (por Fernández de Kirchner) se victimiza permanentemente, pero el dolor de los demás parece que no los viera", apuntó el jefe de la CGT.
De inmediato se preguntó: "¿Ella sólo siente dolor? ¿El resto no lo siente? ¿Perder un hijo no es sentir dolor? ¿La desgracia (del tren) de Once es una desgracia y esa gente no sufre? No es la única que sufre ella". Moyano, quien subrayó que "ella nunca tuvo simpatía con el movimiento obrero organizado", manifestó que "desgraciadamente hay una actitud muy especial que no se compadece con idiosincrasia de los argentinos". "Parece el soviet, parece que estuviera sovietizado el Estado, y eso no puede ser así", aseveró el dirigente sindical.


COLEGUINHAS

A VONTADE EM REDAÇÕES

REDAÇÕES SEMPRE FORAM LOCAL PRA FOLGAS, NO BOM SENTIDO....


REPORTERES E REDATORES GOSTAM DE COLOCAR AS PERNAS ENCIMA DA MESA E ASSIM,DESCANSADAMENTE, FALAR COM AS FONTES AO TELEFONE.


ANITIGAMENTE, NA TRIBUNA GAUCHA, UM JORNAL DO pARTIDÃO QUE FUNCIONOU EM PORTO ALEGRE, UM REDATOR, HOJE MORTO, LEVAVA ATÉ UMA GARRAFA DE CACHAÇA PRA REDAÇÃO E ENQUANTO REDIGIA DAVA SEUS GOLES.


HOJE ESTA TUDO MUDADO...

AS REDAÇÕES VIRARAM LUGARES ASSÉPTICOS,SEM ESCULHAMBAÇÃO,SEM GUERRA DE LAUDAS ENTRE OUTRAS FORMAS QUE EXISTIAM PRA DESCONTRAIR O AMBIENTE.

O FIOL DEL ZATOR VAI SE APOSENTAR( MA COMO SE NON GHA MIA LAORA NIENTE???)

 

OLIDES !

AGORA ENTENDO O DRAMA DA PREVIDÊNCIA !!!!!!!!ATÉ QUEM FAR NHIENTE SE
APOSENTA!!!!!!!!!!CLARO QUE TEM QUE DAR DÉFICIT PERMANENTE.

VOU TRATAR DE ME APOSENTAR LOGO, POIS ACHO QUE MUDA A LEI E, COM TANTO
INCHAÇO,NO GA MIA SOLDI DOPO, PARA PAGAR TUTTI QUANTI !!!!!!!!!

TORÇO PARA QUE TE APOSENTES. SOMENT AGORA, COM 59 ANOS E 34 DE
CONTRIBUIÇÃO, ESTOU DANDO VALOR À APOSENTADORIA.BENDITA A PREVIDÊNCIA
COMPLEMENTAR, PARA A QUAL DESCONTEI -PREVI BANCO DO BRASIL -, DURANTE
13 ANOS.


MAURO.

UNZINHO

Um perdigueiro me contou que o Rekenr foi chegado num unzinho até 1982, o ano que o Brasil perdeu a copa na espanha. Faz tempão, hien.....

PEGARAM A VEJA, É???


é DIFICIL NÃO TEM BATOM EM CUECA....


PEGARAM A VEJA,AGORA...

DELA LEMBRO DE UM EPISÓDIO CONTADO PELO MARIO SERGIO CONTI, NO SEU EXCELENTE NOTICIAS DO PLANALTO....


HAVIA, NO TEMPO DO COLLOR DE MELLO, UMA DENUNCIA MUITO GRAVE QUE A VEJA IRIA DAR...


O ENTÃO MINISTRO BORNHAUSEN FICOU SABENDO DO ASSUNTO, NA SEXTA, DIA DE FECHAMENTO DA FAMIGERADA PUBLICAÇÃO , PEGOU UM AVIÃO, FOI A SP, ENTROU NA REDAÇÃO DA VEJA E FOI DIRETO AO GABINETE DE CONTI.


ENTROU E PERGUNTOU:

- TEM CU NO MEIO DESTA MATERIA?

- nÃO,DISSE CONTI.

BORNHAUSEN DEU MEIA VOLTA E FOI JANTAR,TRANQUILO.

MEMORIA DA IMPRENSA


Quando Eleonora Rizzo, chamada de CHAMADINHA( perdão pelo trocadilho) entrou na ZH pra trabalhar na DG, viu lá um magrão, estranho, que quando chegava se abaixava nas mesas e sussurava palavras em direção ao Marco Aurélio sem que ninguém entendesse o que ele queria dizer.


DEpois ficou sabendo que era o Rekern, simbioso de Renato Kern....


Kern, que trabalhava na TV Gaúcha, foi um dos primeiros que trabalho na empresa quando ela era pobre e não tinha os samurai das degolas....

Bom, eram outros tempos.


Um dia, uma figurinha me contou que no começo da vida, o chargista era chegado num unzinho!|( teria sido a sua atual esposa que enquadrou na vida direita....)

ALO ALO BRASILIA


O QUE SIGINFICA MESMO ' INSEPARÁVEL"?????PRA VCS AÍ??????

Protesto


Este protesto de segunda de manhã na frente de um " torturador" me parece mais para efeito de imprensa pra chamar4 atenção pra abrir um congresso que vai ter no findi aqui em Porto Alegre que envolve todos os órgãos da America Latina que vivem deste tema....


Cuidado: tão cutucando onça com vara curta....

TODO MUNDO PERDEU

Por Carlos Chagas

Duas semanas perdidas? Depende do ângulo de onde se observe a decisão dos líderes do governo e dos partidos, estabelecendo para só depois da Semana Santa a votação de projetos polêmicos. Ganha o governo, é claro, porque até o dia 10 de abril não correrá o risco de ser derrotado. Mas também perde pela demora na aprovação da Lei da Copa e do Código Florestal, necessários aos seus planos. Os partidos da base oficial podem festejar o adiamento como uma vitória: levaram o palácio do Planalto às cordas, obrigando-o a recuar. No reverso da medalha, lamentam os efeitos da pressão feita sobre a presidente Dilma, cuja disposição de resistir à chantagem cresce a cada dia, fechando a avenida que levava a ministérios, nomeações, liberação de verbas e favores de toda ordem.
Como conclusão, todos perderam mais do que ganharam. E mais perderão, caso prolongado o impasse.
O singular nesse calendário ainda inconcluso é que a 10 de abril a presidente Dilma estará fora do país, em viagem aos Estados Unidos. Se for derrotada aqui, dificilmente deixará Barack Obama perceber, pois “grito e cara feia” não fazem parte de sua agenda externa.
REFLEXOS FUTUROS
Até prova em contrário a crise entre governo e partidos poderá ser resolvida pela fórmula clássica: se atender às exigências fisiológicas dos líderes que a apóiam, a presidente Dilma não terá problemas para aprovar seus projetos. Há quem sustente que desta vez não vai dar certo, dada a inflexibilidade da chefe do governo em atender postulações malfeitas. Nesse caso, as relações do Congresso com o palácio do Planalto seguirão aos trancos e barrancos, importando menos se a popularidade da presidente crescerá por conta disso. Mesmo assim, reflexos serão inevitáveis quando se abrirem as preliminares da sucessão de 2014.
Com a candidatura do Lula indefinida, tanto por razões de saúde quanto por reconhecer à sucessora o direito de reeleger-se, as atenções se voltarão para os partidos. Eles podem não ter votos para decidir contra a voz rouca das ruas, qualquer que essa venha a ser, mas sem sua chancela não vai dar. Em especial se pulverizados em candidaturas próprias.
Os caciques do PMDB, por exemplo, no caso de não serem atendidos em suas postulações, resistiriam à tentação de uma candidatura própria? Michel Temer, Roberto Requião, Sérgio Cabral – nomes não faltarão. A possibilidade de apoiarem Aécio Neves não surge tão absurda assim, eles que já apoiaram José Serra contra o Lula. O PP não fica atrás, sendo seu líder maior, Francisco Dornelles, primo do ex-governador de Minas.
O Partido Socialista ensaia vôo solo, desde já, com o governador Eduardo Campos, de Pernambuco. As legendas trabalhistas estão para o que der e vier. Vindo, poderão acomodar-se com a reeleição de Dilma, mas não dando, correrão para quem der mais.
Partidos dispõem de tempo de televisão, na propaganda eleitoral gratuita, fator que se não for decisivo, é quase. O PT, sozinho, não dará conta da candidatura Dilma, até porque os companheiros também se ressentem de caras feias e gritos.
Em suma, o que acontece agora irá refletir-se daqui a dois anos.
CULPADOS DA VIOLÊNCIA
Costuma permanecer em Brasília o renomado escultor Darlan Rosa, quando não está expondo ou inaugurando obras no exterior. Criador do Zé Gotinha, décadas atrás, não descuida da forma física, empreendendo todos os
dias longo percurso de bicicleta, por cautela no Parque da Cidade, que está para a capital federal assim como o Central Park para Nova York. Milhares de pessoas, todos os dias, freqüentam o local, ainda que de noite passem ao largo, dado o perigo de assaltos e de violência.
Pois não é que esta semana, ao meio-dia, quando pedalava, Darlan viu-se agredido por dois vigaristas que, armados de faca, tomaram-lhe o veículo e se escafederam. Gostaram da bicicleta do escultor, incrementada e sofisticada.
Até aqui, nada demais. Esses assaltos acontecem aos milhares, no país e no mundo inteiro. O singular, na história, é que ao prestar queixa na delegacia respectiva, Darlan ouviu do responsável pela preservação da ordem o absurdo dos absurdos: a culpa da violência era dele...
Quem mandou pedalar numa bicicleta perfeita, com quatro marchas, farol, freios especiais, campainha eletrônica e outras modernidades? Estivesse se exercitando numa máquina enferrujada, caindo aos pedaços e com pneus carecas, nada teria acontecido...
Eis o retrato do Brasil, capaz de ser encontrado ao redor da Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio, ou em qualquer parque de outra capital.
OS MESMOS DE SEMPRE
Durante três horas, ao receber os 28 maiores empresários do país, quinta-feira, a presidente Dilma ouviu as mesmas ladainhas de sempre. Queixas sobre queixas a respeito da carga fiscal, de impostos ditos abusivos, da política de juros estratosféricos, das dificuldades de crédito, da falta de infra-estrutura de transportes, da deficiência dos portos, dos altos encargos trabalhistas, dos obstáculos ás exportações, do tamanho da máquina do estado e dos desperdícios do governo.
Nada de novo, a cantilena se repete possivelmente desde os tempos do Brasil Colônia. O que terá deixado decepcionada a presidente da República é que, como sempre, nenhum dos nossos grandes empreendedores trouxe uma só contribuição para o governo, à exceção de sugestões destinadas a melhorar a vida de cada um.

diversos...


Sergio Ross


Olides
Só quinta feira, abri meu computador. Procurei o teu livro mas preciso do titulo,pois aqui ninguém sabe que livro é esse.
A fofóca aqui é a história de um ex ministro da Dilma, gaucho, que por sinal, dias atrás,deu uma tremenda surra na esposa.
Dizem as fofoqueiras (só podia ser a mulherada, amigas da vitima) que a moça que apanhou está até hoje com ataduras pelo corpo.Eu, sábado,quando ouvi essa história, fiquei triste pois tinha até então, uma pequena simpatia pelo nosso conterrâneo...
O presidente da FIFA, Joseph Blatter, que andou por aqui dias atrás,está disposto a dar um ponta pé na bunda do francês, que andou espalhando por aí, que o Brasil merecia um ponta pé no trazeiro. Blatter, que tem um conselheiro brasileiro e que por sinal o ouve muito,disse que está conversando com várias pessoas, para poder tomar essa decisão. Blatter adiantou que o seu preferido é outro frances, o Plattini, que hoje é o Presidente da UEFA. A confirmação desta história tu vais ler nos próximos dias nos jornais ou ver na Globo... E depois tu me goza, fazendo gracinha com os caras que estudaram no Conceição em Guaporé(viva o Janguta...)
Olides, domingo à noite, depois ver no Fantástico a história de corrupção nos hospitais ( das muitas) que a imprensa denuncia, fiquei enojado.
Realmente não vivemos num país sério, como já disse De Gaulle. Porra, a imprensa denuncia ( com provas e tudo mais). A polícia prende e a nossa Justiça simplesmente solta todo mundo. Eu então fiquei aqui pensando, com os botões da minha bombacha,que comprei na última vez que fui à Bento: aonde nós vamos chegar???????
Olides, mas vou ter contar uma historinha mais alegre. É que, com a aproximação da Páscoa, me lembrei de uma via sacra
que assisti em Pelotas,lá por 1963/ 64. As solenidades desta festa estavam começando a virar popularmente espetáculos teatrais. Eu tinha um amigo que gostava muito de teatro.Era um bom repórter e colunista de artes no Diário Popular.Com a chegada da Páscoa, resolveu encenar e dirigir o espetáculo da via sacra, nas ruas da Praia do Laranjal. Juntou vários atores amadores da cidade e passou a ensair diaramente o espetáculo que ficou sendo aguardado por Pelotas inteira. Na Semana Santa lá foi ele com a sua "troupe" para a bela praia da Lagoa dos Patos... Mas na hora do espetácuo,faltaram os dois perssonagens, que fariam o papel dos soldados que batiam com seus açoites no Cristo, um robusto soldado da Brigada. A
solução encontrada, foi arregimentar esses perssonagens no público presente. Logo de cara apareceram dois caras que poderiam quebrar o galho.
Mas no dia da apresentação, que tinha um publico imenso, fazia um daqueles frios de renguear cusco. A solução dos novos astros, foi tomar umas e outras para enfrentar o velho Minuano que soprava da Lagoa e mesmo para poderem tomar mais coragem para as suas apresentações.Só que exageram nas doses e chegaram na hora do show,mas prá lá do que prá cá.Resultado: começaram a bater no pobre do Cristo com força mesmo. O Cristo lá pelas tantas,começou a reclamar, primeiro falando bem baixinho, por entre os dentes.Mas logo depois resolveu apelar e engrossar a sua bronca.Largou a cruz e virando-se para os seus guardas,não teve duvidas,mandou essa..."porra está doendo.Batam mais devagar...A procisão continuou mais alguns metros e quando parecei que estava tudo solucionado, os guardinhas,voltaram a atacar. Tome mais porrada. Aí o nosso Cristo não teve dúvidas, largou de vez a cruz no meio da rua e foi bater nos dois gambás que até hoje andam correndo pelas areias do Laranjal.

Pequena história da infâmia
Por Remindo Sauim

O apoio aos que assaltaram a pátria
O golpe militar de 1964 foi louvado pela grande imprensa paulista e carioca. Os editoriais da época eram todos a favor dos usurpadores. As Organizações Globo e Grupo Folha, cresceram a sombra das torturas e assassinatos, a quem davam apoio editorial e emprestavam seu patrimônio.

Saem os militares mas ficam seus órfãos
Com o fim da ditadura, continuaram defendendo as idéias da extrema direita. Ignoraram as Diretas Já e seus editorias batiam diariamente contra os movimentos populares.

União contra o PT
Com o crescimento da esquerda, este grupo midiático apóia Collor contra Lula e Brizola. Com a queda Collor, a direita e a imprensa escolhem Fernando Henrique Cardoso como salvador de suas idéias. Depois de 8 anos, a política do PSDB coloca o Brasil no fundo do poço. José Serra e seus parentes promovem as Privatarias Tucanas

União contra o PT
Com o sucesso de Lula, a família Marinho, a família Frias e mais os Civitas tentam atacar de todas as formas a política petista e em concluo com o contraventor Carlinhos Cachoeira, deputados e senadores do DEM e PSDB criam o famoso Mensalão.

O Mensalão
Este esquema começou em Minas Gerais no ano de 1998, para financiar a campanha de reeleição do tucano Eduardo Azeredo, ao governo de Minas Gerais. Era um caixa 2, método usado por todos os partidos brasileiros para financiarem suas campanhas. Em maio de 2005, para escapar de uma acusação de corrupção nos Correios, o deputado do PTB, Roberto Jefferson, denunciou um caixa 2 do PT.

A mídia eloquece
Aproveitando a deixa, as Organizações Globo, o Grupo Folhas e a Editora Abril criaram um esquema de colocarem notícias contra o PT em seus veículos e os políticos do DEM e PSDB repercutiam no Congresso, o que era colocado na imprensa como novas denúncias contra o PT. Quem a fonte por detrás destas denúncias era o contraventor Carlinhos Cachoeira.

O PT dá a volta por cima
O povo não entra no esquema midiático, reelege Lula e 4 anos depois elege Dilma sua sucessora, depois de uma feroz campanha da mídia a favor de José Serra. Com medo de acabar mal, Roberto Jefferson nega a veracidade de sua denúncia e grampos da Polícia Federal conseguem desvendar o esquema entre o Senador Demóstenes Torres, Carlinhos Cachoeira e o diretor da sucursal da Veja de Brasilia Policarpo Jr.

Uma nova CPI
Espera-se para os próximos dias uma CPI em Brasília para investigar essas associações entre deputados e senadores da oposição, jornalistas e contraventores.

prezado serginho

o livro se chama o golpe abortado.do flávio tavares....LPM editores. mas fica frio que te mando o teu que tu já pagou. estou lendo e é bom...apesar de uns chutes.


Olides
Só quinta feira, abri meu computador. Procurei o teu livro mas preciso do titulo,pois aqui ninguém sabe que livro é esse.
A fofóca aqui é a história de um ex ministro da Dilma, gaucho, que por sinal, dias atrás,deu uma tremenda surra na esposa.
Dizem as fofoqueiras (só podia ser a mulherada, amigas da vitima) que a moça que apanhou está até hoje com ataduras pelo corpo.Eu, sábado,quando ouvi essa história, fiquei triste pois tinha até então, uma pequena simpatia pelo nosso conterrâneo...
O presidente da FIFA, Joseph Blatter, que andou por aqui dias atrás,está disposto a dar um ponta pé na bunda do francês, que andou espalhando por aí, que o Brasil merecia um ponta pé no trazeiro. Blatter, que tem um conselheiro brasileiro e que por sinal o ouve muito,disse que está conversando com várias pessoas, para poder tomar essa decisão. Blatter adiantou que o seu preferido é outro frances, o Plattini, que hoje é o Presidente da UEFA. A confirmação desta história tu vais ler nos próximos dias nos jornais ou ver na Globo... E depois tu me goza, fazendo gracinha com os caras que estudaram no Conceição em Guaporé(viva o Janguta...)
Olides, domingo à noite, depois ver no Fantástico a história de corrupção nos hospitais ( das muitas) que a imprensa denuncia, fiquei enojado.
Realmente não vivemos num país sério, como já disse De Gaulle. Porra, a imprensa denuncia ( com provas e tudo mais). A polícia prende e a nossa Justiça simplesmente solta todo mundo. Eu então fiquei aqui pensando, com os botões da minha bombacha,que comprei na última vez que fui à Bento: aonde nós vamos chegar???????
Olides, mas vou ter contar uma historinha mais alegre. É que, com a aproximação da Páscoa, me lembrei de uma via sacra
que assisti em Pelotas,lá por 1963/ 64. As solenidades desta festa estavam começando a virar popularmente espetáculos teatrais. Eu tinha um amigo que gostava muito de teatro.Era um bom repórter e colunista de artes no Diário Popular.Com a chegada da Páscoa, resolveu encenar e dirigir o espetáculo da via sacra, nas ruas da Praia do Laranjal. Juntou vários atores amadores da cidade e passou a ensair diaramente o espetáculo que ficou sendo aguardado por Pelotas inteira. Na Semana Santa lá foi ele com a sua "troupe" para a bela praia da Lagoa dos Patos... Mas na hora do espetácuo,faltaram os dois perssonagens, que fariam o papel dos soldados que batiam com seus açoites no Cristo, um robusto soldado da Brigada. A
solução encontrada, foi arregimentar esses perssonagens no público presente. Logo de cara apareceram dois caras que poderiam quebrar o galho.
Mas no dia da apresentação, que tinha um publico imenso, fazia um daqueles frios de renguear cusco. A solução dos novos astros, foi tomar umas e outras para enfrentar o velho Minuano que soprava da Lagoa e mesmo para poderem tomar mais coragem para as suas apresentações.Só que exageram nas doses e chegaram na hora do show,mas prá lá do que prá cá.Resultado: começaram a bater no pobre do Cristo com força mesmo. O Cristo lá pelas tantas,começou a reclamar, primeiro falando bem baixinho, por entre os dentes.Mas logo depois resolveu apelar e engrossar a sua bronca.Largou a cruz e virando-se para os seus guardas,não teve duvidas,mandou essa..."porra está doendo.Batam mais devagar...A procisão continuou mais alguns metros e quando parecei que estava tudo solucionado, os guardinhas,voltaram a atacar. Tome mais porrada. Aí o nosso Cristo não teve dúvidas, largou de vez a cruz no meio da rua e foi bater nos dois gambás que até hoje andam correndo pelas areias do Laranjal.

BRIZOLA E OS CIEPS


Enquanto os netos pedem pra que as fotos do avó com a matraca na Legalidade seja tirada da sede do PDT-RS, aqui vai uma foto do veio Leonel( por quem pessoalmente nunca morri de amores) visitando sua obra preferida do Rio, um Ciep....

NETOS TEM VERGONHA

DE BRIZOLA ARMADO


Brizola e a matrica durante a legalidade.


a deputada Juliana Brizola(neto do ex-governador) com Mariovane Weis(prefeito de S. Borja) durante enterro de Neusa Maria Brizola, em 2010.


O COLUNISTA DO GLOBO,ANCELSO GOIS DISSE EM SUA COLUNA QUE A DEPUTADA JULIANA BRIZOLA, GAUCHA, TEM PEDIDO PRO PDT TIRAR A FOTO DO AVÓ COM A ARMA QUE ESTÁ POSTA NA FRENTE DO PRÉDIO DO PARTIDO.

OU É VERGONHA DO AVÓ ARMADO, OU ENTÃO É MAIS UM CAPITULO DA BRIGA PELO ESPOLIO DE BRIZOLA ENTRE ELA E O DEPUTADO VIEIRINHA.


QUANDO DA MORTE DO BRIZA, DESCONFIEI QUE ERA MUITO AMOR AQUELE CHORO TODO...EM TUDO O QUE HÁ DE EXCESSO, TEM ALGUM INTERESSE ESCONDIDO.TENHO DITO.

historias de la Undeze


A SORVETERIA DO

SEVERINO PALHARINI


i MENEA SU EL LATE E EL SORVETE COM LA MESCOLA( MEXIAM NO LEITE E NO SORVETE COM UMA MESCOLA)


Ficava ali na esquina da Arthur Oscar com Otavio Rocha - não tenho certeza deste último nome - na frente do frigorifico, ao lado do eusébio dondoni...

quando saímos da missa, nos domingos de manhã cedo, passávamos ali pra comprar um sorvete, ou picolé, mesmo no verão....ou no inverno, quando faziam ainda que com muito frio os picoles e sorvetes.

de tardezinha, quando saímos do colegío passavamos ali na frente e com o sol ainda alto dava uma vontade louca de comprar um picolé ou sorvete. O sorvete vinha carregado, pingando até o chão de tanto que carregavam...

As vezes vejo minha neta ganhando muitas coisas e me lembro que isto não pode ser legal pra sua edução...ter tudo assim o que se deseja...

conosco não foi assim....ruim ou bom, mas foi assim. Nem sempre tinhamos uns trocados pra tomar um picolé.


Ali uma vez meu padrinho me negou um picolé e durante anos carreguei aquilo como uma desfeita. que bobagem....é preciso saber perdoar...

talvez ele nem tivesse, mas no coração de uma criança, ela acha que isto é sempre uma desforra, uma falta de afeto.


A sorveteria do severino Palharini - estão todos mortos, me disse esta amnhã o Lalo Rodrigues - serviu ainda pra estas lembranças que espero não sejam amargas aos olhos de quem as ler...

O MAURO CANTANDO LA VERGINELA, DEVE SER DE DOER OS OUVIDOS!

OLIDES !

NÃO ME PEÇA MAIS, ......10 LINHAS, NÃO CONSIGO ESCREVER POUCO, NEM
TAMPOUCO PARLAR POQUETIN!!!!!!!MI SON QUE NEM LEONEL
BRIZOLLA.....COMPREENDEU ? PROLIXO !!!!!!

AGORA LEMBRO ! APRENDI A VIRGINELA, OUVINDO OS "CANTORES" DO BAR DO
PALHARINI, E APERFEIÇOEI MINHA "CANTORIA ITALIANA ", COM OS ARTISTAS
QUE CANTAVAM NO PACASSA.

TI TE SÉ MIA NHIENTE.SOL QUE DE LA CAPELA SAN PIERO !!!!!!!!


MAURO.

POR MAURO ROCHA,
de palmeira das Missões( a centenária e espartana)!

POIS FUI VIZINHO DO SEVERINO. NOSSA FAMÍLIA MOROU- 1971-1972-EM UMA
CASA SIMPLES, RECÉM POR ELE CONSTRUÍDA, EM FRENTE A SALA DE CURA DO
SALAME DO FRIDEAL, AO LADO DO IRMÃO DO LALO(JOSÉ RODRIGUES E DOS
DONDONI),FICOU MUITO AMIGA DA DELE. GENTE SIMPLES, QUE LAURAVA, TANTO
NA BODEGA( SORVETERIA, CACHAÇARIA, VENDA DE DULCE,
REFRIGERANTE-LARANJINHA MONTANARI-),E PALCO DE GRANDES CANTORIAS,
ANTES DE SURGIR O PACASSA.

O SEVERINO VENDIA VINHO PARA A GAUCHADA QUE TINHA MIGRADO PARA O
PARANÁ( OESTE). NUMA 350 FORD (DE CARREGAR PORQUI), TODA
SEGUNDA-FEIRA, SAÍ AELE A VIAJAR EM DIREÇÃO AO OESTE E CENTRO-OESTE,
DE SANTA CATARINA E PARANÁ, RESPECTIV-TRISETE, AMENTE.

VALE LEMBRAR QUE O SEVERINO ERA DE ESQUERDA. GRANDE ARTICULADOR DA
CANDIDATURA DO BRUNO, NA PRIMEIRA VEZ( 1968) E DOPO EM 1972. CLARO
QUE, ESTEVE FIRME, COM MEU PAI NAS OUTRS ELEIÇÕES. RESISTIA ÀS
PERSEGUIÇÕES- MUITO COMUNS IN LA UNDEZE-PORQUANTO NÃO DEPENDIA DO
MERCADO INTERNO E VENDIA VINHOS BRILHANTE, PRODUZIDOS PELO ADVESÁRIO
POLÍTICO QUE,CERTAMENTE, O POUPAVA.

OS OPERÁRIOS TINHAM NO BAR DO PALHARINI E SEU OÁSIS. DEPOIS DE UM
JORNADA DE TRABALHO, MARCADA POR MUITO ESFORÇO, ATRAVESSAVAM A RUA
OTÁVIO ROCHA( EM BREVE TEREMOS UMA VIELA IN LA UNDEZE, COM O NOME DE
MÁRIO ROCHA-GUARDADAS AS DEVIDAS PROPORÇÕES-)E DELEITAVAM-SE COM
APERITIVOS VARIADOS E JOGATINA, MUITO GRANDE.
ATÉ ALGUMAS HORAS DA NOITE( 8 OU NOVE) ENTREMEADAS COM CANTORIAS QUE,
INVARIAVELMENTE, NOS TRAZIAM UMA MELANCOLIA

EM 1973, MU DAMOS PARA CASA DO ARISTIDES, QUE TINHA IDO PARA
MATELÃNDIA, QUASE QUE EXPULSO DE SUA TERRA PELA "RENNER", EM FUNÇÃO DA
PERDA DE MAIS UMA ELEIÇÃO, POR SEU CUNHADO BRUNO................E O
RESTO TA SA MIA..............

MINHA HOMENAGEM À FAMÍLIA PALHARINI, GRANDES PESSOAS E GRANDES
VIZINHOS. TINHAM SOLIEDARIEDADE DE SOBRA !!!!!!!!!


MAURO ROCHA
QUE MOROU IN LAU DEZE, NA RUA OTÁVIO ROCHA, AO LADO DO BAR DO PALHARINI !

AS COTAS E OS QUE NÃO ENTENDERAM O QUE ESCREVI

Disse o carinha: “Acho que ele não sabe que no Brasil houve uma coisa que se chamou ESCRAVIDÃO, onde brancos tomaram para si o direito sobre a vida e morte dos africanos e índios escravizados. Milhões foram mortos durante as viagens dos navios negreiros, outros milhões foram mortos nas plantações e outros milhões foram mortos apenas por não serem brancos.”
A ESCRAVIDÃO JÁ ACABOU FAZ TEMPO. HOJE TODOS TÊM OS MESMOS DIREITOS E SÃO IGUAIS. EM QUALQUER VILA OU BAIRRO EXISTEM ESCOLAS PARA TODOS ESTUDAREM, DE GRAÇA, O ENSINO FUNDAMENTAL, POR EXEMPLO. SE UM NEGRO E UM BRANCO ESTUDAM NA MESMA ESCOLA, DURANTE OITO ANOS, AO SAIREM TEM OS MESMOS CONHECIMENTOS, OS MESMOS CONTEÚDOS.
OU NÃO? PARA QUE COTAS?
Os portugueses, e depois os brasileiros, fizeram do negro africano uma valiosa mercadoria. Os traficantes de escravos da Bahia se abasteciam mais na África Ocidental, na região do Golfo de Benin, e os cariocas na África do centro-sul, onde ficam o Congo e Angola, e depois na costa oriental, em Moçambique. Não pensem os leitores que para trazer escravos da África, era necessário entrar no mato para caçá-los. As próprias tribos africanas vendiam aos traficantes outros negros de outras tribos, prisioneiros de guerra ou simplesmente capturados para serem negociados. Vendiam não, faziam escambo: trocavam por farinha, feijão, carne seca, cachaça, rolos de fumo, sal, arroz, tecidos, armas de fogo, facas, navalhas e até espelhos e bugigangas.


ENSINO MÉDIO, HOJE: JÁ EXISTEM INÚMERAS ESCOLAS PÚBLICAS. SE UM NEGRO E UM BRANCO ESTUDAREM OS TRÊS ANOS NA MESMA ESCOLA, NA MESMA SALA, COM OS MESMOS PROFESSORES, SAIRÃO EM IGUALDADE DE CONDIÇÕES, COM OS MESMOS CONHECIMENTOS, CONTEÚDOS.
OU NÃO? OU O NEGRO É INFERIOR, NÃO TENDO A MESMA CAPACIDADE DE ASSIMILAR CONTEÚDOS TAL QUAL O BRANCO?
AMBOS TENDO O ENSINO MÉDIO, NUM CONCURSO QUE EXIJA ESTE GRAU DE INSTRUÇÃO, OS DOIS NÃO CONCORRERIAM EM IGUALDADE DE CONDIÇÕES? O QUE TEM A VER ISTO COM ESCRAVIDÃO E AS OUTRAS BABOSEIRAS QUE ELE ESCREVEU. PARA QUE COTAS?
QUANTO A “Mas o que me preocupa é que em pleno século 21, ainda tem gente que acha que as políticas de avanço para uma igualdade social não deveriam existir. Estas mesmas pessoas são contra os pobres, contra os sem terras, contra a ascensão das mulheres e contra os nordestinos. Agora que nosso querido amigo do Interior sabe o porquê das cotas, tenho certeza que ele vai lutar por elas, como qualquer cidadão que quer um futuro melhor para todos os brasileiros.” IDIOTICE PURA.

SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS

Rock y Dictadura: historia de La música argentina
Reviví la entrevista al periodista y escritor Sergio Pujol. Los músicos exiliados y la lista de los artistas censurados

De Buenos Aires
Enriqueta Sollares

Aquel día negro de 1976 la Junta Militar tomaba el control y anunciaba la implementación del llamado plan de "reorganización nacional" al margen de la Constitución. Tomaron el control de todo: decidían qué se podía leer, decir, hacer y qué música había que escuchar. Se confeccionaran listas con las canciones que no podían ser pasadas por las radios. Muchos artistas fueron prohibidos y tuvieron que dejar el país. La lucha emprendida por el Proceso para disciplinar a los jóvenes sería lenta y estaría marcada por las razzias. Esta forma de persecución estaba a cargo de las fuerzas de seguridad. El periodista Sergio Pujol, autor del libro Rock y Dictadura, fue testigo de esos años duros y recopiló la historia en la palabra de los protagonistas.
"En la música en general, la dictadura estableció un vinculo de tensión y hostigamiento. Sobre algunos géneros más que con otros. Tuvo una relación cordial con el tango o con algunas figuras representativas del género y violenta con el folclore, especialmente con el llamado del nuevo cancionero como César Isella o Mercedes Sosa. Había una línea de compromiso político y muchos representantes se fueron del país". En cambio, la relación fue distinta con el rock.

PEDAZO DE HISTORIA. Sergio Pujol escritor del libro "Rock y Dictadura".

Ser rockero era sinónimo de subversivo. Esto quedó registrado en el discurso que brindó el almirante Emilio Massera el 25 de noviembre en la facultad de Ciencias Sociales de la Universidad del Salvador. "El estremecimiento de la fe terrorista, derivación previsible de una escalada sensorial de nítido itinerario (...) continúa con el amor promiscuo, se prolonga en las drogas alucinógenas y en la ruptura de los últimos lazos con la realidad objetiva, común y desemboca al fin en la muerte, la ajena o en la propia, poco importa ya que la destrucción estará justificada por la redención social", sostenía Massera frente a los alumnos. Pujol recordó estas palabras del almirante "ese famoso discurso es tenebroso, estaba colgado en la redacción de la revista Expreso Imaginario (revista de rock que nació en 1976) porque ahí hay una idea de persecución que va más allá del militante político. Por el sólo hecho de ser joven es objeto de sospecha y debe ser vigilado. El rock argentino de los ´70 y principios de los ´80 no era masivo, era un género seguido por la clase media y no ocupaba los titulares en los diarios y no había suplementos o recitales auspiciados por marcas de cervezas o celulares. No era marginal porque había revistas o discos, pero era un público minoritario".
Muchos músicos se tuvieron exiliar hacia Estados Unidos, México y Europa. "León Gieco contó que viviendo en el exterior, tomaron conciencia de lo que pasaba en la Argentina gracias a la información que manejaban los organismos de derechos humanos, principalmente en Europa. Los que volvieron, la mayoría de ellos antes del 83, lo hicieron con los temores que se habían ido y con una idea más firme de los que sucedía", completa Sergio Pujol. El poder de prohibir. La Junta Militar armó "listas negras" con las canciones que no se podían emitir en los medios de comunicación. Charly García optó por el sentido más poético y así logró la difusión de sus canciones. Sobre el tema, Sergio Pujol agrega que "las letras de las
canciones apelaban a las alegorías o metáfora y no al mensaje directo. Charly fue un gran crítico de costumbres, tuvo la valentía y la agudeza para traducir en sus canciones ese clima de la época de asfixia. Uno escucha la letra de "Viermes 3 am " y experimenta una sensación de ahogo, lo mismo pasa con “ Alicia em El país” y en otras canciones". Los recitales de rock de la época eran un refugio, un lugar donde los jóvenes se juntaban en medio de tanto silencio, para escuchar música. Como dice Luis Alberto Spinetta en la canción " Cantata de puentees amarillos”:"Aunque me fuercen yo nunca voy a decir que todo tiempo por pasado fue mejor ¡Mañana es mejor!".

AS DITADURAS E SUAS HISTÓRIAS MACABRAS
A ditadura argentina, considerada uma das mais sangrentas, também amarrava prisioneiros e os dinamitava vivos, além de fuzilamentos em massa.

De Buenos Aires Parte I
Gelson Farias

Tal como os funcionários do Terceiro Reich que recorreram aos fornos crematórios para eliminar os prisioneiros dos campos de concentração – como forma rápida de eliminar os vestígios dos corpos dos judeus massacrados – a ditadura argentina optou pelos “voos da morte” como uma de suas modalidades preferidas para “desaparecer” as pessoas sequestradas. Além da Armada argentina, a Aeronáutica e o Exército também realizaram “voos da morte” já que estas duas forças preferiam o enterro dos cadáveres em fossas comuns clandestinas.

No Chile, “A Caravana da Morte era uma viagem fatídica de um oficial do exército por todo o país, passando de norte a sul matando todos os presos políticos que se encontravam nos regimentos”.
Disparavam nos joelhos, nas partes genitais e depois no coração. Se alguém sobrevivia, davam um golpe de misericórdia na cabeça. Algumas vezes, tiravam os olhos dos presos. Se queriam seus anéis, cortavam os dedos. “Além de serem atos de terrorismo de Estado, esta era uma mensagem clara das forças armadas chilenas: é assim que temos que tratar nossos inimigos”.

Com essas palavras, o chileno Juan Guzmán Tapia descreveu alguns dos horrores da ditadura militar liderada por Augusto Pinochet. Ele também condenou Pinochet num segundo processo, desta vez pela Operação Condor, que afetou todos os países no Cone Sul através de acordos internacionais para facilitar a perseguição de opositores dos regimes em seus países. Ambos os processos foram arquivados por cortes de apelação. Ao todo, Pinochet foi processado em cinco ocasiões, todas acompanhadas de perto por Juan Guzmán Tapia, incluindo o caso que levou à ordem de prisão do ditador chileno em Londres, em 1998, a pedido da Justiça espanhola. Assim foram enquadrados os desaparecimentos de militantes políticos que, portanto, deixaram de estar suscetíveis à prescrição da pena e também ao apoio dado por juízes chilenos aos crimes praticados à época no país.


No Uruguai, no dia 16 de março, o presidente José Mujica, percorreu um quartel nos arredores de Montevidéu, o batalhão 14, de péssima e justificada fama. Durante a última ditadura militar, que durou de 1973 a 1875, o batalhão 14, foi um tenebroso centro de torturas. Agora, o governo de Mujica, assumiu, em nome das vítimas da ditadura a sua responsabilidade pelos crimes praticados.



O ex-presidente Nestor Kirchner (2003-2007) abriu caminho para novos julgamentos de militares e pôs fim às chamadas leis de impunidade aos acusados de crimes nos anos de chumbo.


Em 2010, Cristina Kirchner assinou um decreto ordenando a abertura dos arquivos sobre a atuação das Forças Armadas durante a ditadura. Segundo o decreto, os papéis classificados como "não públicos" serviram apenas para "ocultar ações ilegais do governo de fato”.


Da esquerda para a direita: o almirante Emílio Massera ( já falecido) general Antonio Domingo Bussi, que foi eleito em Tucuman; o general Jorge Videla, condenado à prisão perpétua; e o general Guilermo Suarez Mason, o brigadeiro Basilio Lami Dozo, o capitão Alfredo Astiz e os almirantes Jorge Isaac Anaya e Armando Lambruschini, que ao lado de outros 46 militares foram condenados à prisão perpétua por genocídio, terrorismo e tortura.


Integrantes da Comissão Nacional sobre o Desaparecimento de Pessoas (CONADEP) visitam local onde os presos políticos eram mantidos presos na ESMA. A comissão foi pioneira na América Latina. Em nove meses, ouviu mais de 1500 pessoas. No relatório final, a Comissão recomendou que o Judiciário tratasse "adequadamente agilizado os trâmites investigativos e de comprovação das denúncias recebidas" e assistência social e econômica para os filhos e/ou familiares dos desaparecidos.


O ex-presidente Raúl Alfonsín ( falecido) deu os primeiros passos para punir os responsáveis por crimes cometidos na ditadura argentina. Em dezembro de 1983, ano em que foi eleito, ele assinou o Decreto 158, que estabelecia que todos os integrantes das três primeiras Juntas militares deveriam ser levados a julgamento no Supremo Conselho das Forças Armadas e o julgamento de sete líderes dos Montoneros e do Exército Revolucionário do Povo.


Chile - Junta militar que governou o Chile logo após o golpe em 1973. O primeiro passo, para reestabelecer a ordem e os direitos humanos no país foi à derrota de Pinochet nas urnas, em 1989. O advogado Patricio Aylwin venceu, sendo o primeiro presidente democrático eleito em 17 anos. Ao tomar posse, lembrou que "a consciência moral da nação" exigia que fosse esclarecida a verdade a respeito "dos desaparecimentos de pessoas, dos crimes horrendos e outras graves violações aos direitos humanos, ocorridos durante a ditadura”.

Manuel Contreras e Pedro Espinoza, dois ex-generais da polícia secreta, a DINA, durante a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990). Em 2005, Contreras foi condenado a sete anos de prisão pelo assassinato de, pelo menos, dois militantes. No mesmo dia, 15 ex-agentes da Inteligência chilena também foram condenados pela execução de 12 militantes de esquerda, em 1987, na chamada Operação Albânia, entre eles Espinoza. Em 1978, presos políticos são libertados com a Lei de Anistia. No Chile, a mobilização para punir os responsáveis por crimes começou antes do fim da ditadura. O sucessor de Pinochet, Patricio Aylwin, estabeleceu três prioridades: os detidos desaparecidos, executados e torturados, a situação dos exilados e a situação dos presos políticos. Só quatro anos depois, em 1994, os últimos presos políticos foram indultados.



Uruguai - O ex-ditador Juan María Bordaberry (1972-1976), de 79 anos, que teve sua prisão decretada pela Justiça e se entregou à polícia em Montevidéu, em 2003. Ele foi o primeiro dirigente uruguaio a responder por crimes ocorridos durante a ditadura, acusado pelo assassinato de dois parlamentares, Zelmar Michelini e Héctor Gutiérrez Ruiz, e de dois militantes do grupo marxista Tupamaros, Rosario Barredo y William Whitelaw, ocorrido em Buenos Aires, em maio de 1976.


Vista geral do Parlamento do Uruguai no dia da aprovação da lei que permitirá o julgamento dos militares que cometeram crimes durante a ditadura de 1973 a 1985 e que estavam protegidos por uma anistia, em 26 de outubro do ano passado. A lei aprovada já havia sido derrotada em 1989 e em 2009. Jorge Silveira e José Gavazzo foram os primeiros militares a serem processados pela violação contra os direitos humanos praticados durante o período da ditadura militar. Em novembro de 2011, ao lado de outros três oficiais, eles foram condenados à prisão pelo assassinato de María Claudia García de Gelman, nora do poeta argentino Juan Gelman.


Familiares de desaparecidos na ditadura uruguaia durante protesto. Entre 2000 e 2003, a Comissão para a Paz do país concluiu que 38 pessoas desapareceram durante a ditadura, além de outros 182 uruguaios que sumiram na Argentina, oito no Chile, dois no Paraguai e uma no Brasil. No entanto, com a antiga Lei da Anistia, a Justiça era impedida de condenar os militares responsáveis pelos crimes. A revogação da lei marca o recomeço da busca por justiça no país.
Próxima repostagem: No Brasil, a Ditadura Militar teve ao todo cinco presidentes e uma junta governativa, estendendo-se do ano de 1964 até 1985, com a eleição do civil Tancredo Neves.


MUITA GRANA


QUEM ESTÁ RINDO A TODA É O EX-CHEFE DOCOMERCIAL DA RECORD, SIDNEY COELHO....ELE VAI LEVAR MAIS DE 1 MILHÃO DE REAIS COM UMA AÇÃOTRABALHISTA QUE MOVEU...

O CARA TINHA MAIS DE 50 ANOS DE CASA E ASSIM MESMO OS LUMINARES O DEMITIRAM...


TENTARAM QUE ELE VOLTASSE GANHANDO DEZ PAUS POR MES, MAS AGORA ELE NÃO QUER...


*flavio alcaraz gomes teria levado 400 mil reais de sua ação trabalhsita contra o grupo record.


Ficou com a família porque o veio morreu.


*O diretor de gestão da RBS, o Matsou, foi ao sindicato dos jornalistas levando seu crachá da empresa. Já o ary dos santos foi de cara limpa, sem crachá.


*dia 24, no sabado, completou26 anos da morte fo fundador dogrupo RBS....

Vi seu filho,Nelson, na tevê falando sobre a Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho(os feitos da mesma)


*Na véspera da morte do Maurício, tinha morrido Josué Guimaraes.

Liguei naquele domingo de tarde pra Salvador - trabalhava na Zero - e entrevistei Jorge Amado. Vi a simplicidade do grande escritor.

*Bah, se fosse com alguma figurinha de hoje vou te contar.

Bares diferentes


ENQUANTO O CHEFE DE GABINETE DO GOVERNADOR TARSO GENRO PREFERE O PANELAS BISTRO QUE ABRIU HÁ POUCO TEMPO NA DUQUE, ALGUNS JORNALISTAS DO PALÁCIO, COMO JOSÉ ANTONIO SILVA VÃO MESMO É NO TUIM.....

Memória da Imprensa


Simone Iglesias,quando trabalhava no Correio do Povo, - no tempo dos Ribeiro - também dava 4 horas de expediente na secretaria da administração. Isto no Governo Rigotto.


Uma vez tinha que acompanhar o governador numa viagem ao exterior pelo correio e o secretário Jorge Gobbi, titular da pasta, entesou que não liberaria sua funcionária.

Vira e mexe, simone foi...

Hoje a competente repórter está na FSP na sucursal de Brasilia.

Pouco tempo atrás, teve um bebê!(parabens a ela e ao pai)

NO CENTENÁRIO DE PALMEIRA

O DONO DA RODOVIÁRIA GASTOU OS TUBOS:

RESULTADO: FALIU!

Fotos Prof. Mauro Santos Rocha
Diretor - UPF Sarandi

OLIDES !

INÍCIO O TEXTO SOBRE A RODOVIÁRIA, AINDA ESTANDO A LAURAR NO CAMPUS
DE PALMEIRA-HOJE NÃO FUI NA SARANDI DE LACERDAS E COSTANEIRAS-,APÓS
TER RECEPCIONADO A REITORIA, QUE VEIO FAZER A ACOLHIDA DOS CALOUROS.

O QUE ESTÁ DEFINIDO É QUE CONTINUAREI RESPONDENDO PELO CAMPUS PALMEIRA
E TITULAR DO CAMPUS SARANDI, ALIÁS, ONDE QUERO PERMANECER ATÉ A
APOSENTADORIA, QUE PODE SE DAR , AINDA EM 2012.FAÇO 60 ANI EM
NOVEMBRO, ZIO CAN, PIU VÉCHIO !!!!!

A HISTÓRIA RECENTE DA RODOVIÁRIA DE PALMEIRA DAS MISSÕES, TEM COMO
MARCO REFERENCIAL O ANO DE 1974( EU AINDA NÃO ESTAVA NA LEGENDÁRIA),
ANO DO CENTENÁRIO DE PALMEIRA, CUJO PRESIDENTE DA COMISSÃO DE FESTEJOS
ERA , JUSTAMENTE, O DONO DA RODOVIÁRIA- DAVI FIGUEIREDO MARTINS-.

O SR. DAVI, ERA GENRO DE UM PRIMO DE JOSÉ AUGUSTO AMARAL DE SOUZA, O
SR. ALARICO AMARAL.PORTANTO, CONVIVEU PRÓXIMO AO PODER( AMARAL
DEPUTADO, VICE E GRNADOR).

TAMBÉM FOI PROPRIETÁRIO DA SOCIEDADE RÁDIO PALMEIRA JUNTO COM O SOGRO,
TENDO VENDIDO A EMISSORA, EM 1985, AO ENTÃO E ATUAL PREFEITO -
LOURENÇO ARDENGHI FILHO -, TIO DO EX-DEPUTADO RUBENS ARDENGHI.

O SR. LOURENÇO, QUE NUNCA FEZ RÁDIO NA VIDA, PRATICAMENTE GANHOU ESTA
EMISSORA DO SR. DAVI MARTINS POIS, ALÉM DE COMPRÁ-LA COM PREÇO BAIXO
PARA ÉPOCA- NINGUÉM QUERIA SABER DE EMISSORA DE RÁDIO - PROMOVEU
NAQUELE ANO, EM 11 DE JULHO( MEU FILHO MAURINHO TINHA 7 DIAS), UM JOGO
DE UM COMBINADO DE PALMEIRA E REGIÃO,CONTRA O GRÊMIO, TEU GREMILDO
!!!!!!!!!

A RENDA DO JOGO PAGOU A RÁDIO, DIZEM AS MÁS LÍNGUAS, E O COMBINADO
DEU O MAIOR SUFOCO NO GRÊMIO DE MAZZAROPI, OSVALDO, BAIDEK, RENATO,
BONAMIGO E CAIO JUNIOR, SÓ PERDENDO NO SEGUNDO TEMPO E POR UM A ZERO,
GOL DO CAIO JUNIOR.


NAQUELA TARDE COMENTEI O JOGO PELA RÁDIO PALMEIRA AM-, E DIANTE DAS
INÚMERAS E IMPORTANTES DEFESAS DO GOLEIRO -MENEGON-,FEITAS NO PRIMEIRO
TEMPO, ABRI MEU COMENTÁRIO( MELHOR QUE O EDGAR SCHMITH, COM CERTEZA EU
ERA- NÃO BEBO), COM UMA FRASE INESQUECÍVEL, DIRIA, LAPIDAR, SEM
MAIORES PRETENSÕES : "QUEM VEIO ASSISTIR RENATO PORTALUPII, ACABOU
VENDO SÉRGIO MENEGON.

AO FINAL DO JOGO, COMENTEI QUE MINELLI, COMO TERINADOR COMPETENTE QUE
ERA, DEVERIA LEVAR MENEGON PARA TESTES. NÃO DEU OUTRA, FOI COM A
DELEGAÇÃO. APÓS MESES DE TREINAMENTO E UM OU DOIS AMISTOSOS PELO
GRÊMIO, NÃO FICOU PORQUE ESBARROU EM MAZZAROPI, QUE NUNCA SE
MACHUCAVA. RECONHEÇAMOS, GRANDE GOLEIRO.

RETOMO EM CASA, EM OUTRO E-MAIL, A QUESTÃO DA RODOVIÁRIA.


MAURO

COMO O CAMPUS DA UPF NA ESPARTANA E LEGENDÁRIA, É PRÓXIMO DA RODOVIÁRIA

 

DEMISSÕES NA RBS!

Segunda um experiente jornalista, a direção da RBS não acha que existe uma igualdade entre as demissões do Augusto e as deste ano. Segundo eles, na redação só dançaram o chaveirinho, o editor-chefe, o Boró e o Friolin. A vassoura pegou mesmo é fora da redação. Parece que na redação foram muitas as saídas, entre novembro e janeiro, mas todas por funcionários insatisfeitos com a diretor e o editor-chefe de então. Acho que neste ponto eles até tem razão. O chaveirinho era o bode na sala. Só que o pessoal ainda está borrado, mesmo depois da reunião que os jornalistas tiveram com o tal samurai.

IR A CANOSSA!

foto: Marcio de Almeida Bueno

Deli Matsuo, vice-presidente de Gestão e Negócios do Grupo RBS e Ary dos Santos, direotor do Juridico da RBS


Na sexta passada, dia 24/03,o presidente do Sindicato dos Jornalistas, Zé Nunes, recebeu a visita do Vice-presidente de Gestão e Negócios do Grupo RBS, DELI MATSUO...


IR A CANOSSA(!1)

 


DELI MATSUO, JÁ IDENTIFICADO ENTRE ALGUNS COLEGAS AO CHEGAR A SEDE DO SINDICATO POR ' O JAPA DA DEGOLA" ESTAVA ACOMPANHADO DO DIRETOR JURIDICO DA rbs, ADVOGADO ARY DOS SANTOS.


iR A cANOSSA(3)


aO PASSAR NA FRENTE DA SALA ONDE TRABALHA O REPÓRTER mÁRCIO BUENO, QUE ASSINA A REPORTAGEM DE MARÇO DO JORNAL VERSÃO SOBRE AS DEMISSÕES NA RBS - ALGUNS COLEGUINHAS, COM MEDO DA RBS AS CHAMAM DE MUDANÇAS NA RBS -DELI MATSUO OLHOU PRO RE?ORTER E COMENTOU EM TOM DE BRINCADEIRA:
- tU ME DEVES DUAS.


ir a canossa(4)

Ary dos Santos seguramente foi designado para a missão de levar o Vice-presidente de Gestão e Negócios ao sindicato dos jornalistas pelo " mal estar" que a matéria do jornal Versão criou principalmente no meio dos jornalistas da própria RBS.

Ir a Canossa(5)

Como o repórter Márcio Bueno havia mandado 4 perguntas ao diretor de Gestão e Negócios da RBS e elas não foram respondidas, agora seguramente, a visita de sexta ultima foi para que na próxima edição do jornal, haja uma explicação do que vem ocorrendo na av. Ipiranga,1075.

Ir a Canossa(6)

Estranhamente, mesmo visitando o sindicato da categoria dos jornalistas, a Gerente de Comunicação Corporativa do Grupo RBS, jornalista Anik Suzuki, não acompanhou os dois diretores que estiveram visitando a instituição que fica na Rua da Praia.


Ir a Canossa(7)

Pelo que este repórter conseguiu apurar " pegou bem" no sindicato dos jornalistas do RS a visita que os dois diretores fizeram. Mostraram respeito pela instituição a que não havia dado bola, quando foram procurados pela reportagem


Ir a Canossa(8)

Esta expressão - oriundo de um episódio politico da Idade Média - explico :o imperador Henrique VI do Sacro Império Romano Germanico, conhecido por ' O NERO GERMANICO" queria nomear também os bispos ,como era praxe, mas levou um peitaço do Papa Gregório VII. Durante 3 dias, o imperador ficou na porta do castelo onde o Papa estava refugiado na casa da condessa Matilde,depois de acompanhado da esposa e do filho cruzar em peregrinação os Alpes, num mês de fevereiro, num dos invernos mais tenebrosos da Europa. O Papa lhe concedeu o perdão senão seria excomungado e a expressão passou para a politica como o ato publico de reconhecimento do erro e demonstração de arrependimento em situação as quais está em risco a própria sobrevivência politica"

Sobre Anik Suzuki, Gerente de Comunicação Corporativa do Grupo RBS recebo de um leitor:

Trabalhou na economia da Zero Hora, depois passou para a área de assessoria de comunicação, agora é executiva da Área. É muito bem vista pelos colegas e patrões. Parece ser boa gente. Subiu rápido na empresa.

MORTE DE CHICO


*o aRNO mACIEL NÃO PERDOA NEM MORTO. nA SEXTA, AQUI NA SALINHA jctERLERA, DIZIA:

- FOI TARDE ESTE REACIONÁRIO, se referia a Chico Anysio.

 


Coleguinhas


*Karen Mello, que assessora a deputada Juliana Brizola vai sair da função em abril.


Recebo de um leitor

sobre as "fofocas" das RBS!

 

É o que dizem, ela é da Comunicação Corporativa do Grupo RBS. Saiu no teu blog hoje. Tinha um milhão de apaixonados por ela entre os executivos e ela não dava bola para ninguém, até aparecer o cara do Google. Acho que ela foi Miss Nissei da colônia japonesa no Estado. É um mulherão.

Pô que surpresa o Remindo Lê o sul 21???

Pensei que só lesse o Políbio!!!!!!

Tucanos querem fazer a reforma Agrária só para os com-terra

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) se empenha para aprovar o quanto antes na Assembleia Legislativa de São Paulo um projeto que legaliza terras griladas na região do Pontal do Paranapanema. O projeto, de autoria do Executivo, foi protocolado em 2011 e deve ir para votação no plenário na próxima terça-feira (27). Pela medida, 96% das propriedades do Paranapanema seriam legalizadas – totalizando 31 mil terras de até 500 hectares. A legalização se dará mediante o pagamento de apenas 10% do valor da propriedade ao governo, independente do valor de mercado. O secretário-geral da Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Fetraf), Marcos Pimentel, disse que “estão fazendo reforma agrária ao avesso”.

Do site Sul 21

O AMOR É LINDO

rONALDO bERWANGER( SEU PAI É PRIMO DO FAMOSO ENIO BERWANGER, UM DOS ENVOLVIDOS NO FAMOSO CASO QUE MATOU O ARCEBISPO DOM VICENTE SCHERER, EM 1958/58 EPISODIO CONTADO ALGUMAS VEZES NESTE BLOG REFERIDO PELO LAURO QUADROS NO SALA DIAS ATRAS, MAS SEM EXPLICAR O QUE QUERIA DIZER.)

JÁ PEDIU DEMISSÃO DA GUAIBA, ONDE LIA O CORRESPONDENTE E ESTÁ DE MALAS PRONTAS PRA IR TRABLHAR NA RADIO WEB DO PAULO GILVANES EM bsb...

bOM, MAS SEU CORAÇÃO É QUE ESTÁ DIVIDIDO. NÃO GOSTARIA DE DEIXAR NOS PAMPAS, UMA COLEGUINHA DA PROPRIA GUAIBA.

NÃO SE SABE, NO ENTANTO, O RESULTADO DAS CONSULTAS QUE PAULO GILVANE FEZ JUNTO A COLEGAS DA EMISSORA SOBRE A COLEGA.


TUDO ESTÁ NAS MÃOS DO DONO DA RADIO WEB OU NÃO ATENDER O DESEJO DE RONALDO, QUE AOS 28 ANOS, TEM UMA GRANDE CHANCE DE DESLANCHAR NA CAPITAL FEDERAL. TALENTO TEM E DE SOBRA!

BERWANGER, DIAS ATRÁS, AO SUBIR AS ESCADAS DO PREDIO DA CALDAS, FOI LER O CORRESPON DENTE E TEVE UM ACESSO DE FALTA DE AR TENDO QUE PARAR DE LER.

FOI SOCORRIDO PELA MARIA LUIZA BENITEZ.

Lembrando


Antonio Augusto Bandeira


Uma fotografia antiga, mostra meu pai , seu Henrique, de chapéu, com um guri de calças curtas, passeando na Galeria Chaves, na rua da Praia. Será eu este menino?
Na casa da minha avó, na janela que dava para a rua gostava de ficar olhando, em dias de chuva, a janela embaciada, perdido em pensamentos encantados.
O Colégio Anchieta era na Duque de Caxias, e eu, ia de bonde Gasômetro,Quieto, tímido,gostava de ouvir em casa a série no radio do "Vingador"...
E os almanaques dos jornais no fim do ano, eram delicias que saboreava lendo..
Quando descobri Alexandre Dumas me apaixonei pelo passado, pela França.
No Rio estudando no Instituto La-Fayette, indo aos cinemas da Praça Saêns Pena- América, Carioca, Metro,Olinda.
As aulas na Faculdade de Filosofia e na Faculdade de Direito da URGS.
Trabalhar com os Drs..Gabriel Obino e Roziul Miranda.
Tudo corre rápido, nesta caminhada pelo passado.
Um passado que passou e não volta mais.
O beijo que não dei no meu pai quando estava morrendo, homem não beijava homem, cuja falta sinto até hoje,
Os passeios por quase todo Brasil, Uruguai, Argentina,Chile, Paraguai, México, Estados Unidos, Canadá, Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Itália, Escócia, Pais de Gales, Irlanda, República Checa, Áustria, Bratislava, Hungria, Polônia, Rússia, Finlândia, Noruega, Dinamarca, Marrocos, África do Sul, Egito, Suiça, Turquia...sei lá...Suécia...
Tudo corre mostrando que o ser humano, ainda que falando línguas diversas,raças diferentes, religiões também, é sempre o mesmo ser humano.

Todos que nascemos , vamos morrer. Vamos deixar o egoísmo e buscar auxiliar os outros.
Ricos, pobres,católicos, protestantes, muçulmanos, judeus, brancos, pretos, asiáticos, todos somos iguais.
Tolerância.
Amor.
E nestas lembranças me fixo nesta palavra: "amor", como o sentimento mais lindo do ser humano.

SEM PULO - TÚNEL DO TEMPO


Olá Olides,
Permita-me remeter a Sem Pulo e Túnel do Tempo
deste sábado que escrevo na Folha Popular de Teutônia.
Abraço
Rudimar Thomas

Mais emprego, mais desenvolvimento e crescimento!

Em cerimônia que reuniu autoridades e empresários, a Prefeitura Municipal de Serafina Corrêa promoveu, no dia 21 de março de 2012, a assinatura de onze contratos que dizem respeito à concessão de direito real de uso de terrenos situados no Loteamento Industrial Salete e no Bairro Industrial. O objetivo principal é promover o crescimento e desenvolvimento aos empresários, para que possuam um espaço amplo, bem localizado, de fácil acesso e regularizado que atenda as necessidades de cada empresa.
As empresas beneficiadas foram:
JOICIMAR ZANLUCHI, PROPRIETÁRIO DA EMPRESA METALÚRGICA JZ.
VALDEMIR GIOMBELLI, PROPRIETÁRIO DA EMPRESA GPI CONEXÕES LTDA.
EDILIO SCRITORI, PROPRIETÁRIO DA EMPRESA METALÚRGICA SCRITORI & SCRITORI LTDA.
RUDINEI BALBINOT, PROPRIETÁRIO DA EMPRESA RUDINEI BALBINOT.
FABIANO DA ROSA PROPRIETÁRIO DA EMPRESA CONSTRUTORA LF LTDA.
NESTOR BAROSSI, PROPRIETÁRIO DA EMPRESA TUBOS BAROSSI LTDA.
DIRLEI DA SILVA CUNHA, PROPRIETÁRIO DA EMPRESA DIRLEI DA SILVA CUNHA.
JEAN GIACOMINI, PROPRIETÁRIO DA EMPRESA GIACOMINI TRANSPORTES RODOVIÁRIOS LTDA.
MAURÍCIO VIVIAN, PROPRIETÁRIO DA EMPRESA AMM TRANSPORTES, COMÉRCIO E SERVIÇOS.
MARILDA DA COSTA PROPRIETÁRIO DA EMPRESA WILLYMAR SERVIÇOS DE CARREGAMENTO LTDA- ME
SÉRGIO ANTÔNIO MASSOLINI, PROPRIETÁRIO DA EMPRESA ARSAM TECNOLOGIA DO AR LTDA,
Após seis anos de atividades no imóvel recebido em concessão do direito real de uso e comprovados o cumprimento dos encargos e prazos da lei e a manutenção da empresa em atividade, o Poder Público Municipal ficará autorizado a realizar a doação desse imóvel à empresa concessionária, com a condição de ser mantida a sua destinação para fim industrial ou comercial ou para atividades de prestação de serviços.
Investir na indústria, proporcionar infraestrutura, adequar e regularizar o direito real de uso é uma garantia de desenvolvimento e crescimento do município. Os empresários estão otimistas, pois com o apoio da Prefeitura, há a possibilidade de desenvolver seus negócios, gerando empregos, renda e crescimento. Durante o evento, houve a assinatura dos contratos que permitirão a instalação das empresas por seis anos, dispondo de mais emprego e qualidade de vida.

Ainda sobre Che

Se Che estivesse vivo, certamente estaria olhando para Cuba e pensando, que apesar da pressão da força militar do império americano, a ilha de Fidel nunca se dobrou, permanece pobre, mas com saúde e com educação e orgulhosa. Olharia também para o Brasil, e diria que Lula foi um guerrilheiro desarmado que transformou o Brasil. Apoiaria as lutas de Chávez, Evo Moralez, José Pepe Mujica e Cristina Kirchne, para melhorarem as vidas de seus conterrâneos. Em qualquer campo de futebol sempre tem uma bandeira com a figura do eterno combatente. Milhões de jovens desfilam com camisetas onde estão impressas suas fotos. Ao morrer ainda jovem, Che se transformou no maior mito da América Latina. O biógrafo Jon Lee Anderson, apesar de seus livros sobre o argentino, não entende nada de América Latina. Che saiu de Cuba para levar a Revolução onde ela era necessária, e morreu por isso. Ao morrer, sua trajetória se tornou mais viva na mente de milhões de jovens em todos este sofrido continente.

Remindo Sauim

roteiro do findi...

tá cheio de coisas por ai. Jà vi no MEtro...tem debates e apresentações no centro cultural erico verissimo (procurem nos sites o que tem) já vim que é coisa da secretaria de cultura...mas esta gente só leva os amiguinhos pros seus eventos, tipo voltaire schilling, jorge mautner ,entre outros.

cultura popular que é bom, zero....
é que eles que se acham tri cultos, tem vergonha do que é popular. Só que depois pra ganhar a eleição na prefeitura( onde eles ficam mamando na teta) vão a procura do PTB que é quem segura as pontas.


*Tem ai um show das velhotas,cantoras do rádio no são pedro. Eu vi o filme e sinceramente não gostei...


Muito marketing, só!

Roteiro do Findi

Lançamento do Livro Outonos de Fogo



Marcel Citro

ISBN 978-85-88412-62-0 | 1ª edição | 2012
Formato 16 cm x 23 cm | 260 páginas
Papel Lux Cream 70
Design Gráfico: Flávio Wild

“O tema é o Sul, esse Sul de que falava J.L. Borges, um Sul transformado [e encantado] pela ficção. Não é um Sul idealizado, ainda bem – é o Sul que nos toca viver, com suas idas e vindas, com seu jeito próprio.(...) o leitor acompanha a história dos seres humanos que fizeram o Rio Grande do Sul desde que este era habitado apenas pelos indígenas; segue com as primeiras presenças européias; acompanha as revoluções que conflagraram a província, as guerras em que se envolveram os gaúchos, as barbaridades que correram por aqueles campos; mas tudo isso é contado por segmentos que têm seus enfoques específicos(...) Os personagens de Marcel Citro apresentam-se ante nós com carne, ossos e nervos. As ações que praticam – ou a que assistem – são reais, convincentes, fortes. No fundo, o sentido é de um romance da formação da identidade gaúcha e sulina. (...) O prazer está na fluência do texto; o conhecimento está no retrato de época passadas, e a transformação está nos dizendo que nas épocas pretéritas os seres humanos são idênticos a nós, com nossas preocupações, nossos amores e ódios. Tudo está aqui. “ Luiz Antonio de Assis Brasil.

 

O concurso fotográfico "Surpreenda-se com Porto Alegre"

a comissão julgadora escolheu as 30 melhores fotos, entre estas, três são de minha autoria, com os títulos: Mitológica, Contraste urbano, Alameda.
Que estão no FACEBOOK para o voto popular, peço o voto apenas por uma questão técnica, minhas fotos foram elaborados sem nenhum recurso artificial a não ser a própria criatividade e a luz solar, a côr natural do dia fotografado sem nenhum tratamento posterior,como aberrações e distorções que deformam a realidade, com auxílio de programas...
Se gostar das fotos clique em curtir
Muito obrigado pelo apoio

Alfonso Abraham

O silêncio que vem do Araguaia
de Liniane Haag Brum

comentário meu( pessoal) livro caro!

Não e facil vender livro amais de 20 ,30 pilas!


O silêncio que vem do Araguaia

de Liniane Haag Brum

LANÇAMENTO • PORTO ALEGRE

Data: 3 de abril (terça-feira)
Horário: 18h30
Local: Livraria Cultura do Bourbon Shopping Country
(Av. Túlio de Rose, 80 - Loja 302 - Porto Alegre – RS)
Cilon Cunha Brum foi visto pela última vez em 9 de junho de 1971.
Militante comunista, deixou para trás a faculdade e uma carreira promissora
para combater a ditadura na chamada Guerrilha do Araguaia, um dos mais
controversos episódios do período do regime militar. Cilon nunca voltou da
selva. Seu sumiço foi encoberto pela mesma névoa de segredo e temor que a
de outros desaparecidos políticos. Mas ele nunca foi — nem poderia ser —
esquecido.
Antes do passado é um livro único porque ilumina um momento crucial
da história brasileira pelo ponto de vista do núcleo familiar, sem cair nas
armadilhas do interminável embate ideológico entre esquerda e direita, civis
e militares, vítimas e algozes. Durante quase vinte anos, Liniane, a afilhada
que Cilon não viu crescer, refez o percurso do padrinho, revirando arquivos
e entrevistando pessoas que o conheceram.
Entre viagens ao Araguaia e mergulhos na intimidade familiar, Liniane
traça um perfil emocionante do homem que sempre lhe pareceu um
mistério. Os acontecimentos são narrados em crônicas — escritas a partir de
depoimentos, recortes de jornal, fotos e documentos — e cartas endereçadas
à avó Lóia, mãe de Cilon. O resultado é uma prosa ao mesmo tempo cortante
e poética, revelando uma história de família que é também a história de um
país inteiro.
Obra selecionada pela Bolsa Funarte de Criação Literária 2010.
Sobre a autora:
Liniane Haag Brum, nascida em 1971, é gaúcha de Porto Alegre. Formada
pela PUC do Rio Grande do Sul, atuou como publicitária e professora
universitária. Foi produtora, editora e roteirista em dezenas de produções
audiovisuais para o cinema e a televisão. Vive em São Paulo desde 1995,
onde trabalha como editora na TV Cultura.
Informações para a imprensa:
Tito Montenegro
tito@arquipelagoeditorial.com.br
Telefones: (51) 3012-6975 e (51) 8187-1456
www.arquipelagoeditorial.com.br
Formato: 14 x 21cm
272 páginas
ISBN: 978-85-60171-22-
Preço: R$ 39,00

RECEBO DE UM LEITOR

O ' SAMURAI ' É O CARA DO MOMENTO!


APOSTO: VAI DAR A PRIMEIRA ENTREVISTA PRA PRESS E UMA ENTREVISTA TOTALMENTE CHAPA BRANCA, COMO AQUELA REVISTA COSTUMA FAZER.

PRO JORNAL VERSÃO DO SINDICATO, ELE SE RECUSOU A RESPONDER 4 PERGUNTAS. CLARO QUE ISTO É ORIENTAÇÃO DOS CONTROLADORES. NÃO SOU TÃO INGENUO!

Um jornalista assíduo do blog pergunta. O que leva um executivo a sair do Google, onde era o responsável pela área Recursos Humanos para a América Latina, e se enfiar numa empresa perdida aqui no sul do Brasil. Só pode ser um caminhão de dinheiro, ele não quer acreditar em outro motivo. O novo contratado desfila numa brilhante BMW pela cidade, causando inveja a outros executivos da RBS. O assíduo jornalista também acompanhou o samurai pelo seu twitter e o achou muito "puxa-saco" das ações do grupo que o emprega. Também pelo twitter acompanhou suas noitadas pelos restaurantes da cidade onde deixa sempre generosas gorjetas. Bom, tem como gast ar.

EIS O EXECUTIVO

QUE PROVOCOU UM TSUNAMI( COM O PERDÃO DOS JAPONESES QUE SOFRERAM COM O DESASTRE )

NA RBS!!!!!

RECEBO DE UM LEITOR

E só colocar o nome dele no Google que tem um monte de fotos dele.

Estou te mandando uma que saiu numa revista da Abril. E o link da página do twitter do japa.

https://twitter.com/#!/delimatsuo


O japa ainda ganhou a paixão de todos executivos da RBS a Anik Suzuki, gerente de Comunicação Corporativa do Grupo RBS, uma bela japinha de trinta e poucos anos. De BMW e com aquele baita mulherão, tá todo mundo olhando o cara torto. Dizem que o verdadeiro nome dele é Deli Matsunami tal a onda de demissões que ocorreu na RBS depois da sua chegada.

Falei hoje com gente da Zero. Tá todo mundo cagado. Da redação, aos executivos, só se fala em contratar gente nova e que trabalhe 10 horas por dia.

Uma notícia sobre o Santana, finalmente ele aceitou parar de dirigir sua camioneta. Mas os motoras não aguentam as manias do gremistão. De saúde ele vai se aguentando, mas estava velhinho e fraco.

BAR DA ARI

MORREU?????


Depois que o misto de garção/porteiro/zelador/guarda e limpador da frente do prédio ADOLAR, RIOGRANDINO DE QUATRO COSTADOS, SE APOSENTOU E FOI MORAR COM A FILHA EM PORTO SEGURO, NA BAHIA, O BAR DA ARI NÃO ABRIU MAIS...

QUEM SERIA O CHE HOJE

AOS 83 ANOS????


Boa pergunta:peguei o gancho do recado da Valdir e fui ver uma entrevista que o Valor publico na sexta passada com o maior biógrafo do CHE, Jon Lee Anderson. Perguntaram a ele quem seria CHE HOJE. SABEM O QUE ELE DISSE respondendo a se che consideraria a América Latina(ou Latrina) em situação melhor hoje do que 45 anos atrás???

- Não, dia o biografo. Ele era um marxista dogmático. Asos 83 anos, Che provavelmente seria incapaz de afirmar que a ideologia pela qual viveu, pela qual muitos de seus amigos deram a vida, fracassou. Certamente viveria em Cuba e olharia com alguma esperança, exatamente como Fidel, para os que se este chama de ! jovem geração" Hugo Chavez,Evo Morales. Ele os veria como novos representantes deuma proposta de mudança radical no continente. Che ainda seria o profeta da revolução. Mas estamos falando de um cenário fantasioso. O che real deixou Cuba. Ele saiu de Havana, em parte, por conta de seu desencantamento com o que acontecia na ilha. Esse mal-estar ele levou para o túmulo.


Eu estive algumas vezes na Alemanha, não há como não gostar de qualquer país europeu, tenho amigas que vivem lá e me convidam, mas ando sem grana pra viajar. Recebi seu texto e comecei a ler, mas salvei no meu micro pra continuar lendo mais tarde. Parece interessante e revelador do seu lado mochileiro. Acho que pode ser interessante para os jovens, que não conhecem a América do Sul.
O Walter Salles fez um filme "Diários de motocicleta", vc viu? Conta a viagem que o Che Guevara jovem e (esqueci o nome do companheiro) fizeram pela América do Sul. Eu adorei, a paisagem é fantástica!! E o roteiro engajado. N!ao era seu caso, né?
Valdir

Assembleia instala Subcomissão que discutirá os resíduos sólidos no RS

Encontrar soluções inovadoras, economicamente e ambientalmente sustentáveis para um dos principais problemas que atingem as cidades gaúchas, os resíduos sólidos (lixo). Esta é a proposta da Assembleia Legislativa, por intermédio da Subcomissão que trata da Política Nacional de Resíduos Sólidos no Rio Grande Sul. A instalação da Subcomissão ocorrerá nesta sexta-feira (23), às 9h no Palácio Farroupilha, e tem como coordenador e relator o deputado estadual Jurandir Maciel (PTB).

“O nosso papel será o de articular junto às autoridades, entidades, setor produtivo e sociedade, soluções para este problema que tem causado dor de cabeça aos prefeitos e secretários municipais, além de gerar um custo muito alto para as cidades”, explica o deputado Jurandir Maciel. O parlamentar acrescenta que um dos objetivos da Subcomissão que coordena é obter uma radiografia do atual cenário da gestão dos resíduos sólidos, conhecer algumas iniciativas que estão sendo realizadas e orientar os municípios para que seus gestores avaliem e produzam bons planos que privilegiem a coleta, tratamento e reciclagem do lixo.

Para se ter a dimensão do problema, somente em Porto Alegre a produção diária de resíduos sólidos ultrapassa 1,5 mil toneladas. O transporte do lixo da Capital para o município de Minas do Leão – único aterro sanitário no Estado com capacidade para receber o volume gerado pela Capital - é feito por 20 carretas que percorrem 17,5 mil km/dia ou uma volta ao mundo em dois dias.
Palestras
A abertura da audiência contará com palestras da secretária estadual do Meio Ambiente, Jussara Cony; do prefeito de São Borja e presidente da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), Mariovani Weis; do prefeito de Canoas e presidente da Associação dos Municípios da Grande Porto Alegre - Granpal, Jairo Jorge; do reitor da Univates, Ney Lazari; do vereador e presidente da União dos Vereadores do Rio Grande do Sul (Uvergs), Antonio Baccarin; do diretor-executivo do Pró-Sinos, Júlio Dorneles; do representante do Fórum de Catadores do Rio Grande do Sul, Irmão Antônio Cechin; do secretário-executivo do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, Marcelo Danéris, e do consórcio das Universidades Comunitárias do Rio Grande do Sul, Comung – Reitor Ney José Lazzari.
Estão programadas mais oito reuniões até junho, em Porto Alegre; Canoas, Bento Gonçalves; São Borja e Santana do Livramento; Passo Fundo, e outra em local a ser definido. Ligada à Comissão de Saúde e Meio Ambiente do Legislativo estadual, a Subcomissão que trata da Política Nacional de Resíduos Sólidos no Rio Grande Sul conta com apoio técnico do Governo do Estado, através da Secretaria do Meio Ambiente, Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social e Subchefia da Casa Civil; Famurs; Uvergs; Granpal; Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas (Comung); Tribunal de Contas do Estado, e do Fórum dos Catadores.

Fonte: Deputado Jurandir Maciel -

Paulo Ricardo Fontoura
Jornalista - RPMT 6.611

HISTORIAS DE LA UNDEZE


o frigorifico Ideal em 1958 no ano em que começou o movimento pela emancipação do municipio de Serafina concretizado em 22.07.1960.

a rua Arthur Oscar era então uma bucólica ruazinha,cheia de buracos e que quando chovia, enchia de água, com o Feijão Cru transbordando.

Vê-se o Frigorifico Ideal, com os " chiqueirões" onde centenas de porcos eram confinados até o abate ...que sempre ocorria de manhãzinha...podia-se ouvir os gritos dos animais indo pro abate de quilômetros de distância em dias de chuva.

" LA VIDA NO ES LO QUE UNO VIVIO, SINO LO QUE UNO RECORDA E COMO LO RECORDA PARA CONTAR-LA" ( gABRIEL GARCIA MARQUES)

QUANDO OS GURIS

ROUBAVAM O TORRESMO DO

SABINO GASPAROTTO

SEGUNDO UM LEITOR DESTE BLOG, O |Frigorifico Ideal S/A( cujo dono era o velho Miguel Soccol) TINHA COMO COMANDANTE UM GERENTE INDUSTRIAL que mandava e desmandava. Tratava-se de Sabino Gasparotto.

Escreve este leitor, que hoje tem 64 anos.

- SÓ SEI QUE ESTE SENHOR DE JALECO BRANCO QUE ANDAVA PRA CIMA E PRA BAIXO COM SUA BATUTA, PREPOT?NCIA E ARROGANCIA PERSEGUIA OS EMPREGADOS ADEPTOS DO PTB. Inicialmente criava um clima de animosidade, vindo a seguir execração, alijava a pessoa até a demissão. Isto perdurou até a década de 80 quando foi vendido pra Perdigão. Neste perídood este senhor que faleceu há pouco tempo foi perdendo a autoridade, caindo no esquecimento e hoje ninguém lembra dele, não virou nome de rua nem no bairro Pedregal.

Outras das lembranças deste leitor é do tempo quando eles,guris, iam roubar, aos domingos, o torresmo que era fabricado dentro do Frigorifico Ideal:

- Não havia aquela cerca que tem hoje. O frigorífico era aberto. Aos domingos depois do catecismo,íamos roubar o torresmo pra comer. Um dia o Sabino nos pegou e meu pai, que era empregado do frigorifico, botou as mãos na cabeça e disse:

- Bah, e agora o que eu vou ouvir.

O pai deste leitor era do PTB.

Outro dos briqnuedos da gurizada( entre eles Vilson Sonaglio, hoje morando em P.Fundo,filho da Teolides( aquela que só ia visitar seu tio, José Canton, nos tempos em que tinham figos maduros e as uvas bem prontinhas nas parreiras, antes nunca apareciam por lá...) era subir no potreiro do Frigorifico Ideal( que aparece neste foto, aos fundos, onde tem um grande mato, nos fundos, que na verdade era uma plantação de eucaliptos) pra fazer os touros ali dentro brigarem entre si...

Gurizada malvada, esta. Aí os touros ficavam furiosos e davam com os cornos nas cercas de arame..


Assim era a vida em volta do Frigorifico Ideal nos anos 50 e 60. Esteio da economia de Serafina, sem ele, a cidade ou teria sumido( o mais provável) ou seria uma Montauri da vida( com todo o respeito pela terra dos Nardi...)

Coleguinhas


Não é bom o estado de saúde da colega Leila Weber, internada desde janeiro no Hospital Militar.

Na semana passada, nem falava com quem a visitava.

Mas dias atrás falou pelo fone com uma amiga, dando mostras de uma pequena melhora.


*Moisés Mendes,da zh,não voltou ao trabalho depois das férias.


*WIANEY CARLET, da Gaucha, e da ZH, PINTOU O CABELO. na quarta passada, no sala de redação, Lauro Quadros, o mediador, deu uma grande volta( incompreensível pros ouvintes que não sabiam desta importante informação) pra dizer disto, dizendo que uma feita o presidente do Gremio Fábio Koff pintara o cabelo.

A indireta do Lauro ficou só pra turma do sala mesmo...darem grandes gargalhadas.

*Cacalo tem sido um bom debatedor no Sala...polemiza com o Kenny...e o sala sem polêmica não tem graça.

INTRIGA

PALACIANA


O PRESIDENTE MUNICIPAL DO PT, - QUE ESTEVE ENTRE OS PREFEITURÁVEIS DO PARTIDO EM 2012, - ESTARIA COM DIFICULDADES DE INDICAÇÕES AO GOVERNADOR TARSO GENRO.

DE QUEM É A INTRIGA????

E isto que o vereador Adeli Sell tem dado a cara pra baterem em defesa do PT, nunca se esquivando a nada!

O CRONISTA DE IPANEMA


O lendário cronista que não saia do bistro Antonio's


ESPERO QUE O SERGINHO ROS NÃO O CHAME DE BABACA...

PRA MIM, QUANDO ELE ESCREVIA NO jotabÊ ERA A MELHOR CRONICA DO JORNAL...

nÃO ERA DE ESQUERDA, COMO TODA AQUELA IMPRENSA FESTIVA DE IPANEMA, ERA...

PELO COTRÁRIO, TINHA A CORAGEM DE ELOGIAR ATÉ ALGUNS ATOS DA DITADURA, NO TEMPO DELA. E OLHA QUE CARLINHOS PEGOU A DITADURA EM CHEIO...AI-5, PASSEATAS DOS 100 MIL E POR AÍ AFORA. ALIÁS ELE FEZ UMA CRONICA ,DIZER BRILHANTE É PLEONASMO, SOBRE ESTA PASSEATA...

ACOMPANHEI toda sua longa decadência lendo tempos atrás uma biografia dele do Terson, que recuperou a trajetória deste escritor maldito.

Maldito,sim, mas com talento.

Bom, o Serginho podia falar dele, porque compartilharam a revista Manchete ....


Recebo do ex-colega do Ginásio de Serafina esta amável cartinha!

Prezado Olides! Abraço forte! Mais de 40 anos. Telefonei ontem e
mandaste para o blog, queria conversar. Mesmo assim pude ver tua foto.
Tentei contato contigo em Serafina mas nunca houve a oportunidade de
te encontrar na nossa terra. Adquiri teu livro COZÍ LA ZE STATÁ.
Parabéns! Acompmahei , mesmo que de longe tuas atividades na área
jornalística. Tens um colega, meu filho, João Werner Grando que está
na Abril na revista EXAME. Passou pelo DC ( dei judéi) como teu colega
da RBS antes de ir para SP. Formou-se na Ufsc. Estou com a Rose e
temos 2 filhos. O outro é o Paolo, da área do direito que ainda mora
com a gente. Go fato sessánta uno, e deromai semo vechi( assim foi o
dialeto que eu aprendi. Não consegui chegar ao gol 3.000, parei no ano
passado.Também Desisti da corrida atrás do milhão de euros. Fiz minha
vida no ensino e na pesquisa(mais ensino), durante 39 anos no
magistério estadual(aposentado desde 94) e, Pricipalmente na UPf nas
áreas de zoologia e ecologia nos cursos de Biologia, Arquitetura e
Urbanismo e Med. Veterinária. Ano passado me aposentei. Estou lendo,
viajando, fazendo cursos de culinária(amadora). Basta. O que tu achas
de encontrar a turma? Já falei com o Renato Bordignon, le meso mal
tchapá, ma el parala bem. Triste ver o Walter Menegati, acompanhei sua
internação em P. Fundo. Deixa. Estou muito feliz em falar com você.
Deixe um fone, pois, estou em PoA seguidamente vendo algumas atrações.
Abraço Amigo! João

MAIS UM LANCE NA CHANTAGEM

Por Carlos Chagas

Pior não fica? Pois ficou, e o Tiririca nada tem ver com a trapalhada. Fala-se da gangorra em que se transformou o governo, através de seus líderes no Congresso. O lance mais recente é trágico, depois de outros terem sido cômicos.
Joseph Blatter veio ao Brasil, encontrou-se com a presidente Dilma, almoçou com o presidente da Câmara e com os líderes oficiais no Congresso, além do ministro dos Esportes e, após anteriores desencontros, ficou acertada a aprovação da exigência da Fifa para a venda de bebidas alcoólicas nos estádios onde se realizarão os jogos. A Lei da Copa seria votada nesses termos na Câmara e no Senado.
O diabo é que menos de uma semana depois da visita do barão do futebol, com direito à presença de Pelé e Ronaldo, reúnem-se os líderes do governo e dos partidos e decidem pela segunda vez retirar do texto do projeto a referência à venda de bebidas alcoólicas. A Fifa que vá negociar com os governadores dos doze estados cujas capitais abrigarão o certame.
É claro que a Fifa não vai. Como também é evidente que essa nova reviravolta deveu-se ao medo do governo de ser derrotado na votação da Lei da Copa, ou seja, não apenas as bancadas evangélicas, mas a massa de descontentes dos partidos da base oficial, votariam para derrotar a proposta pelo simples fato de ser endossada pelo palácio do Planalto.
Ignora-se a reação da presidente Dilma, que ontem passou o dia no Rio, visitando iniciativas federais. Não deve estar satisfeita, a primeira-companheira, porque até deputados do PT formam entre os dissidentes empenhados em derrotá-la. Nem adianta falar no PMDB, PDT, PR e outros.
Traduzindo a confusão: deputados e senadores que supostamente apóiam o governo, com dirigentes e líderes à frente, continuam fazendo pressão e chantagem sobre Dilma. Tem pouca importância se o torcedor poderá ou não tomar o seu copo de cerveja durante as partidas, ainda mais se ficará limitado a uma marca específica da bebida, aquela que patrocina a Fifa. A Copa do Mundo de 2014 tem muito pouco ver com a confronto entre Executivo e Legislativo. Mas risco de M. Blatter indignar-se é grande. E desta vez, com razão. Ou o Brasil não será mesmo um país sério?
NÃO ERA ASSIM
Até que Ivo Cassol foi um bom governador de Rondônia, tanto que reeleito. Veio agora para o Senado, mas, pelo jeito, comeu alguma coisa que lhe atrapalhou o raciocínio. Declarou que os políticos são muito mal remunerados e, por isso, interrompeu a votação do projeto que extinguia o décimo-quarto e o décimo-quinto salários de deputados e senadores. Pior de tudo foi o seu argumento: ganham pouco...

O PAPEL DO PAPEL
Autor muito pouco citado nos tempos atuais, o presidente Mao costumava dizer que uma folha de papel aceita qualquer coisa. Da poesia mais bonita à mais execrável das bobagens, basta ter um lápis.
José Serra pode ter sido maoísta, nos tempos em que presidiu a União Nacional dos Estudantes, discursou no comício de 13 de março e precisou exilar-se no Chile e nos Estados Unidos para escapar da ditadura. Mas escorregou feio, esta semana, quando declarou que sua promessa não cumprida de completar o mandato na prefeitura de São Paulo foi feita num simples “papelzinho”. Não tinha nada que desculpar-se, abriu mão de ser prefeito para candidatar-se a presidente da República. Se tivesse sido eleito ninguém cobraria dele a iniciativa. Porque perdeu, deveria explicar-se? Agora, papel é papel, se nele estiver a assinatura de qualquer cidadão.
TEMPO DÁ, SE HOUVER VONTADE
Silenciam os ministros do Supremo Tribunal Federal diante da nova onda de pessimismo que invadiu prognósticos sobre poderem os réus do mensalão começar a ser julgados em maio. Parece que a dúvida invadiu a mais alta corte nacional de justiça. A sombra da prescrição volta a pairar sobre a Praça dos Três Poderes, despertando alegria no Congresso e indiferença no palácio do Planalto. A impunidade continua impávida.

MAIS UM PENINO

AO SABER DOS ' CRITERIOS' DE PREENCHIMENTO DE ALGUMAS CCS NA tve, O PRESIDENTE MUNICIPAL DO PT APENAS SUSPIROU E DISSE:ERA SÓ O QUE ME FALTAVA...

ADELI SELL JÁ TEM POUCOS CABELOS EMBAIXO DAQUELE CHAPEU...

AINDA MAIS SEGURAR OS XIITAS DO PT QUE QUEREM EXPULSAR A PRESIDENTE DO CEPRGS, A REJANE DE OLIVEIRA. TÃO LOUCOS QUE ELA VIRE HEROINA E VÃO CONSEGUIR.

ISTO ME LEMBRA NOS ANOS 70 OU 80, QUANDO ESTE PESSOAL DO PT ACHOU QUE TINHA DESCOBERTO A CLASSE TRABALHADORA(QUANDO CHEGARAM AO PODER, COMEÇARAM A OLHAR O MUNDO DE OUTRO MODO,PRINCIPALMENTE ATRAVÉS DE CAMIONETES CHEROQUES....)

EM SP, POR ESTAÉPOCA, O PLINIO ASSMANN, UM EXECUTIVO COMPETENTE FOI POSTO PRESIDENTE NA COSIPA. ELE COMEÇOU A TORNAR A ESTATALLUCRATIVA, COM UMA SÉRIE DE MEDIDAS. A TURMA DA DITADURA DEU UM JEITO DE TIRA-LO DELÁ.

O JORNAL DA TARDE, DO ' REACIONÁRIO' GRUPO DO ESTADÃO, MANCHETOU:

- não aguent aram tanta competencia.

com esta manchete, plinio assmann, um executivo queito,careca, encerrou sua carreira. tinha tudo pra contar pros seus netos.

e achoq eu isto vai aocntecer com a rejane de oliveira também(perdão se me alonguei)

 

“Quarta Guerra Suína”

De Buenos Aires
Gelson Farias
O governo da presidente Cristina Kirchner arrancou do Brasil um compromisso para limitar a entrada de carne suína brasileira no mercado argentino. Desta forma, os exportadores brasileiros terão que aceitar a imposição de cotas exigidas pela administração Kirchner, que oscilariam entre três mil e 3,5 mil toneladas por mês. A decisão sobre as cotas – medida que viola o espírito de livre comércio do Mercosul – foi o resultado das negociações realizadas na sexta-feira entre o ministro da Agricultura do Brasil, Jorge Mendes Ribeiro, e seu colega argentino, Norberto Yahuar.

Os Ministros, Jorge Mendes Ribeiro do Brasil e Norberto Yahuar da Argentina.

Tudo esta bem quando termina bem. Na semana passada, o ministro da agricultura da argentina, Norberto Yahuar recebeu de presente do também Ministro da Agricultura do Brasil Jorge Mendes Ribeiro, uma camiseta do Grêmio de Porto Alegre (10) time para o qual Ribeiro é torcedor. O único derrotado neste armistício são os produtores brasileiros. A foto dos dois ministros, do Brasil X Argentina foi durante uma coletiva para os correspondentes brasileiros na Embaixada do Brasil, o ministro Ribeiro afirmou que a cota, que será definida na semana que vem entre ambos os governos, “estaria entre três mil e 3,5 mil toneladas mensais”.

JORNALISTAS SÃO AMEAÇADOS DE MORTE DURANTE INVESTIGAÇÃO DE TRÁFICO HUMANO DA ARGENTIN
A informação é da Organização Internacional Repórteres Sem Fronteiras

"Repórteres sem Fronteiras defende os jornalistas aprisionados e a liberdade de imprensa no mundo, isto é o direito de informar e ser informado, de acordo com o artigo 19 da Declaração Universal dos Direitos do Homem”.

De Buenos Aires
Gelson Farias


Enquanto tentavam apurar denúncia de um suposto tráfico humano de famílias bolivianas em uma fazenda de Mendoza, neste final de semana, os jornalistas Julián Chabert e Raúl Zalazar, do Canal 7, foram agredidos, ameaçados de morte e obrigados a tirar suas roupas, de acordo com o Diario Uno.
O cinegrafista e o repórter contaram que o dono da fazenda, Horacio Isgró, os prendeu na cozinha e os ameaçou de morte com uma arma, após a tentativa de investigação sobre a exploração do trabalho de 15 imigrantes bolivianos. Usando seu telefone celular, Chabert conseguiu chamar a polícia, que resgatou os jornalistas e prendeu os proprietários do local.


CRISTINA CRITICA REPORTAGEM DE REVISTA SOBRE JORGE VIDELA
A presidente da Argentina, Cristina Kirchner criticou a imprensa ao comentar as recentes declarações do ex-presidente argentino, Jorge Videla, à revista espanhola Cambio 16.


De Buenos Aires
Gelson Farias


"Esta invocação de Videla para se unir à oposição me faz concordar com outras recomendações que lemos diariamente em editoriais e análises de comentaristas políticos", afirmou Cristina, criticando a reportagem da Cambio 16 que reproduziu na matéria ataques político do ex-ditador contra o atual governo. Na reportagem, a revista aborda declarações feitas por Videla à imprensa no fim da ditadura (1976-1983), onde recriminava a oposição política do país por não ter se unido para "combater esta praga" se referindo ao governo de Cristina. A presidente argentina considerou ofensiva uma frase de Videla sobre "o famoso problema dos desaparecidos" políticos na Argentina durante a ditadura.
"Com sinais de interrogação, Videla se pergunta: (Os desaparecidos) é uma realidade, uma invenção, uma especulação política ou econômica? O que de fato são os desaparecidos?", destacou Cristina. E em resposta afirmou que "a realidade é que devemos homenagear a democracia, a infinita possibilidade de viver como vivemos, dizer o que queremos, mas também pedir reflexão dos que curiosamente concordam com essas frases, com essas ideias, com essas posturas".
Videla (86) foi o primeiro governante da última ditadura argentina. Está preso em uma penitenciária, em Buenos Aires, após receber condenação à prisão perpétua por executar presos políticos em 1976 e diversos processos de violação dos direitos humanos. .

VIDELA ADMITE EXECUÇÕES NA DITADURA ARGENTINA E AGRADECE AJUDA DA IGREJA

De Buenos Aires
Gelson Farias


"A ditadura militar cumpriu seus objetivos." Com estas palavras o general Jorge Rafael Videla justificou o golpe militar do qual participou em 1976, dando início a um regime militar de sete anos de duração, que deixou milhares de civis torturados e mortos pela ditadura, além de centenas de milhares de exilados políticos e econômicos. Em entrevista à revista espanhola Cambio 16 ( semana passada) suas primeiras declarações à imprensa desde o fim da ditadura, em 1983 - Videla, de 87 anos, que está preso há vários anos na Unidade 34 do Serviço Penitenciário do quartel de Campo de Mayo por crimes contra a humanidade, reconheceu a morte de sete mil civis por parte da ditadura.
A declaração significa uma drástica mudança na posição de Videla, que durante as últimas três décadas, nos diversos julgamentos aos quais foi submetido, negou a existência de desaparecidos, de uma política sistemática de campos de concentração e da eliminação física dos críticos do regime. Na entrevista, concedida à publicação madrilenha após oito meses de negociações, Videla desconsiderou o número de 30 mil desaparecidos, estatística defendida pelas organizações de direitos humanos desde 1983, além de negar os 10 mil mortos oficiais registrados pela Comissão Nacional de Desaparecidos, dirigida nos anos 80 pelo escritor Ernesto Sábato.
O ex-ditador, que cumpre duas penas perpétuas pelo assassinato de civis, afirma que os julgamentos de integrantes da ditadura - que ocorreram desde a revogação das leis do perdão em 2004 no Parlamento e a confirmação dessa medida pela Corte Suprema em 2007 - "não são justiça, mas vingança" dos governos do ex-presidente Néstor Kirchner e da presidente Cristina Kirchner. "Agora predomina o espírito de absoluta revanche. Não existe justiça."
Videla - que até o início deste mês, só havia falado no banco dos réus, o ex- ditador, reclamou que os militares são tratados como "os malvados" e os integrantes de grupos "terroristas" (os guerrilheiros e militantes de organizações como Montoneros e o Exército Revolucionário do Povo) são apresentados como os "bons". O ex- ditador sustentou que sua relação com o clero foi excelente. "Mantivemos uma relação muito cordial, sincera e aberta", afirmou. "Capelães militares davam assistência para nós e nunca foi quebrada essa relação de colaboração e amizade."
Segundo Videla, a situação institucional atual, com o governo da presidente Cristina Kirchner, é "pior" do que na época de María Estela Martínez de Perón, mais conhecida como "Isabelita", a presidente que o general depôs em 24 de março de 1976. As declarações do militar tiveram ampla repercussão. Taty Almeida, uma das líderes das Mães da Praça de Mayo-Linha Fundadora, afirmou que Videla e outros ex-ditadores "estavam acostumados à impunidade e nunca imaginaram que um dia chegaria a Justiça legal". A organização Hijos, composta por filhos de desaparecidos, respondeu a Videla: "Nossa única vingança é a de ser felizes".

JORNAL EDITADO NAS MALVINAS CHAMA PRESIDENTE DA ARGENTINA DE “VACA”

De Buenos Aires
Gelson Farias

O jornal semanal Penguin News, das Ilhas Malvinas, aumentou a revolta dos argentinos na última quarta-feira, após publicar uma foto da presidente argentina, Cristina Kirchner, cujo nome de arquivo era bitch (em português, uma ofensa semelhante a “vaca”). A foto ilustrava uma reportagem sobre o anúncio em que Cristina fez à Organização das Nações Unidas (ONU) ao denunciar a militarização do arquipélago. A foto causou alvoroço entre os argentinos, que inundaram as redes sociais com críticas, reclamações e ataques ao jornal de língua inglesa e ao Reino Unido. Rapidamente, a foto foi trocada e agora os arquivos com a imagem de Cristina estão nomeados como “Kirchner”. O site, porém, não exibe nenhuma nota de esclarecimento ou pedido de desculpas sobre o caso. Mas um “print screen” corre a internet e é divulgada pelos argentinos.

O episódio acontece em um momento de crescente tensão entre o Reino Unido e a Argentina, que há três décadas entraram em guerra pela soberania do território. Após a chegada do príncipe William para um treinamento militar de seis semanas como piloto da Força Aérea Real nas ilhas e o anúncio do envio de um moderno navio de guerra britânico para o Atlântico Sul, Cristina Kirchner afirmou que vai levar o caso ao comitê de descolonização das Nações Unidas. A proximidade do aniversário de 30 anos de guerra pelo arquipélago, em abril, também reacende a disputa.

Os desinformados e as cotas

pegando carona no assunto, na quarta, na salinha JCTerlera deu uma discussão sobre este assunto...a Vera Deyse Barcellos,que é do nucleo dos afro-descendentes do sindicato do jornalistas, já estava dando discurso dentro da salinha,q uando o Vilnei Herbistrith foi se queixar ao Rodrigo, que interrompeu aquele debate. Debate é no plenário, no andar de cima, não ali!


Os desinformados e as cotas
O nosso querido Charqueadas pede esclarecimento sobre o porquê das cotas para ingresso na Universidade.
Acho que ele não sabe que no Brasil houve uma coisa que se chamou ESCRAVIDÃO, onde brancos tomaram para si o direito sobre a vida e morte dos africanos e índios escravizados. Milhões foram mortos durante as viagens dos navios negreiros, outros milhões foram mortos nas plantações e outros milhões foram mortos apenas por não serem brancos.
Estes afrodescendentes, ao acabar a escravatura, foram colocados em liberdade, sem nenhum apoio do Império de então, para eles assumirem um vida livre e com o mínimo de decência. As cotas são o mínimo que um governo preocupado com as desigualdades pode fazer.
Mas o que me preocupa é que em pleno século 21, ainda tem gente que acha que as políticas de avanço para uma igualdade social não deveriam existir. Estas mesmas pessoas são contra os pobres, contra os sem terras, contra a ascensão das mulheres e contra os nordestinos. Agora que nosso querido amigo do Interior sabe o porquê das cotas, tenho certeza que ele vai lutar por elas, como qualquer cidadão que quer um futuro melhor para todos os brasileiros.
Mas nada disso impede que o governo, e acredito, com o apoio do nosso querido amigo, crie também cotas para os mais pobres.

Remindo Sauim

UM CASQUENSE QUER GOVERNAR SERAFINA


ARNAlNDO PACASSA

O VEREADOR ARNANLDO PACASSA(pp) ESTAVA FELIZ DA VIDA DIAS ATRÁS QUE SEU NOME APARECIA NUMA PESQUISA ELEITORAL DE SERAFINA.


NASCIDO EM CASCA(SEU PAI ERA AGREGADO DO SEMINÁRIO) ELE MORA há 40 anos em Serafina. Já foi várias vezes vereador.
Costuma-se encontrá-lo na frente do posto Pacassa, na rua Orestes Assoni, colocando gasolina nos carros que param pra abastecer.

Pacassa tem uma filha, de 16 anos, que quer ser aeromoça...

Deve ser candidato de novo a vereador. Talvez numa próxima seja ele o candidato do PP.

HISTORIAS DE LA UNDEZE


O Mauro Rocha, formado em ZOOTECNIA - ele sabe capar touros como ninguém e o presidente Figueiredo o chamaria de gigolo de vacas - pugna pra que uma rua de serafina( que agora todo mundo acha lindo) se chame de Mario Rocha, que foi o pai dele que lá residiu de 1965 a 1972(pouco tempo pra tanta honra...)

Mas o Mauro quer apagar da história que seu pai era do MDB e lá onde a RENNER(ARENA) MANDAVA, ele tinha pouco poder...Se limitava a brir a exatoria, a dar umas carimbadas e a ficar no posto do Soccol, trocando assunto sobre os fatos e causos pitorescos da cidadezinha, que tinha apenas uma rua e onde todo mundo sabia de todo mundo...

Até da vida pessoal de uma professora que era chegada numa batina.....

Em tempo: acho que a Renner que manda no paço municipal de lá não vai mexer uma palha pra botar uma rua com o nome do eminente exator que fez oposição na Undeze..

O Mauro, como bom fi lho, tem todo o direito de reivindicar pro velho esta honraria: mas em Seafina dizem que a mãe do Mauro tinha pavor da cidade...

A DITADURA

SUMIU COM OS

RESULTADOS ELEITORAIS

DE 1963

Pesquisando no centro de memória do TRE descobriu dias atrás que a ditadura militar - ou o golpe de 1964 - tinha tanto horror a eleições que até os mapas eleitorais do ano de 1963 que o TRE deveria ter eles fizeram sumir...


Restaruam apenas estes, que viraram relíquia e que estão lá guardados.

clique aqui para ler

clique aqui para ler

clique aqui para ler

clique aqui para ler

Ainda RBS

Teve quem dentro da RBS achou a charge do SANTIAGO sobre demissões muito talentosa...O Santiago pegou bem o espírito da coisa....

AINDA

RBS

*Fernando Ernesto Correa continua sócio da RBS...

*O ex-gerente do Pioneiro, Zamin, estaria muito abalado com sua demissão, apesar dos 700 mil reais que levou na rescisão


*Muitos chefes, com altos cargos dentro da RBS, achavam que a adaga do Samurai(leia-se o diretor de gestão e pessoas) atingiria desta vez seu pescoço também.


*O clima está ruim na Ipiranga com Erico Verissimo!

DINO AMPUTOU UMA PERNA


Dino Soccol, com seus companheiros da sauna do Ritter Hotel em janeiro de 1993, depois de um almoço de fim de ano.

O dentista aposentado Dino Soccol amputou uma perna como consequencia de má circulação.

Dino, dentista, nascido em1929, é filho de Miguel Soccol, que foi dono do Frigorifico Ideal.

É casado com Teresinha Cervieri, a filha mais velha de Fioravante Cervieri e de Luiza Marin.

QUANDO O SERGINHO MANDAVA


na BR-364 em 1983...O MAL. RONDON ( APELIDO QUE DEMOS DURANTE A VIAGEM) O NARRADOR E O SERGINHO ' QUE MANDAVA"!

LI ESTUPEFACTO esta manha uma carta do Serginho lembrando que me tratava a pão de lá quando ele mandava. Era verdade. Ele ligava,dando ordens, como sempre, e dizendo-me empleno domingo de tarde:

TEU PTA está no aeroporto.

PTA era uma passagem que vinha não sei como mas que se retirava.

Lá iamos eu e o bruno Augê Ferreira, falecido há pouco tempo, pra Brasília pra depois ir comer poeira nas rodovias que o Cloraldino estava construindo.


Mas valeu a pena. Não tenho remorso, nem má lembrança de nada. Só que o Serginho colocava musicas do Teixerinha pra nos acordar de manhã cedo.

E o assessor dele, o Adão Oliveira, era quem pagava o pato.

Havia um radialista da Radiobrás que apelideram de MARECHAL RONDON, porque mandava boletins pra Voz do Brasil

Trabalhamos, mas verdade seja dita, nos divertimos.

E, pelo menos eu, nunca fui a um cabaré....( que é o que todo homem casado, como eu era na época, sonha quando viajava. sentir-se livre pra ir pro chinaredo)

Serginho

O serginho nunca mandou porra nenhuma...nem ele, nem os outros que tinham cargos. quem mandava mesmo era o Otávio Medeiros, o Figueiredo, os caras do SNI...os demais eram todos ovelhinhas das botas dos milicos.

TITITI NA TVE


tá rolando o maior tititi sobre a contratação emergencial da TVE que foi lançado edital.

O papo é que o Antônio Oliveira foi direto da agencia de noticias da ALE pra uma chefia na TVE e outra " agregada" -com todo o respeito - do secretario Fabiano Pereira teria a opção de escolher pra onde queria ir na estatal da comunicação.

Durma-se com um barulho destes!

campanha morna...

No mínimo morna é o que se pode chamar até aqui a campanha de prefeito de Porto Alegre!!!!

Historias de la Undeze


A Credeal,que historicamente abria filiais emoutros estados, agora está apenas em SErafina. Foi fechada a de Biguaçu, em SC(perto de Floripa)

antes teve noRJ e em AStorga, no Paraná.


O dono,Carlinhos Alban, agora anda num galáxie pela cidade, onde tudo começou e onde está a matriz até hoje.


Dois dos principais diretores da Credeal, do Rio, nos anos 90, o Polaco e o irmão LEta, agora abriramuma concocrrente em Guapore´. Se chama Panamericano...

O TRABALHISMO E CHARQUEADAS

A AÇOS FINOS PIRATINI, HOJE GERDAU AÇOS ESPECIAIS
PORTARIA Nº 110

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, no uso de suas atribuições legais institui , junto ao Gabinete de Administração e Planejamento, um Grupo de Trabalho (GT-5), integrado pelos químicos BERNARDO GEISEL, LELIO TELMO DE CARVALHO, engenheiro SINVAL CIRIO e economista DANTE D’ANGELO, para, sob a coordenação do primeiro, promover todas as medidas necessárias a instalação de Indústria Siderúrgica no Rio Grande do Sul, podendo contratar estudos e projetos, elaborar pedidos de financiamento, organizar projeto de sociedade de economia mista e outras medidas e providências que julgar convenientes ou necessárias.
O referido Grupo de Trabalho requisitará todos os elementos humanos que necessitar às diversas Secretarias de Estado.

PALÁCIO PIRATINI, em Porto Alegre, 29 de julho de 1960

LEONEL BRIZOLA
Governador do Estado

Depois, pela Lei nº 4.072, de 29 de dezembro de 1960, autorizou a constituição da Aços Finos Piratini S.A. O local escolhido para a instalação foi Charqueadas. Claro que Brizola não a construiu. É de se perguntar, no entanto, se ele não a tivesse criado, será que ela existiria hoje? Até hoje ela é o maior empreendimento de Charqueadas, sendo responsável por considerável parte da arrecadação de nosso município.

Agora, uma nova Administração Municipal, com um Prefeito do PDT, do trabalhismo, com a ajuda dos partidos coligados, traz parte do Polo Naval do Rio Grande do Sul para nosso município, com a instalação de empresas que atuam nesta área.

É O TRABALHISMO SEMPRE PREOCUPADO COM A ECONOMIA DE CHARQUEADAS E DA REGIÃO; COM A GERAÇÃO DE EMPREGOS PARA NOSSA GENTE.
CHARQUEADAS: 30 ANOS. PARABÉNS !
HOMENAGEM DO PDT DE CHARQUEADAS

EXCLUSIVO


Dentro da RBS,acharam a matéria do jornalVersão demarço( que está neste site) até light...pelo menos me confidenciou uma fonte.

Eles(ou ele, quem me contou) achou que o sindicato, no seu jornal, explorou muito pouco o agora já chamado SAMURAI, que se trata dovice-presidente de Gestão e Pesoas, Délio Matsuo( não fizeram nem um box sobre quem é, de onde veio,isto é preguiça e falta de esmero do repórter que fez, ou então falta de infra mesmo, ou então que os caras não falam, mas valia, isto eu também acho, uma pesquisinha sobre quem é o agora famoso SAMURAI,que segundo a charge do santiago passou a adaga no pescoço de todo mundo...)

Também apurei que na apuração da materia o repórter Márcio Bueno,que assina a matéria, mandou 4 perguntas pro diretor juridico da empresa, o advogado Ary dos Santos e 4 para opróprio diretor de GEstão e Finanças. Pelo menos o Dr. Ary não as respondeu, mandando tratar o assunto com a assessoria de imprensa da empresa.

Admito aqui que apurar uma matéria como esta, com apenas umrepórter, não é mole. Mas pelo menos o sindicato tratou do assunto.

Dentro da RBS - pelo menos segundo minha fonte, - gostaram da maneira que a Press tratou do assunto.

Enfim, a própria direção da empresa sabia que as demissões repercutiriam fora da empresa.


Mas eles estão achando que o link feito agora, principalmente do jornalVersão , com as demissões do tempo do Augusto Nunes( 20 anos atrás) NÃO TEM NADA AVER, PRA USAR UMA EXPRESSÃO DA MINHA FONTE, QUE RESGUARDO COM TODO A CAUTELA.

Mais RBS


- Ogerente doPioneiro de Caxias, ou da RBS, Zanini, se nãoestou enganado no nome, sentiu muitosua demissão tanto que está doente.


*O Clima depois das demissões ficoumuito ruim,segundo apurei...isto é normal, fica um trauma...


*Ricardo Stefanelli,que foi enviado a SC,dirigir oDC, estaria não se dando tãobem como ele imaginava. Os catarinas geralmente tem resistencias a gauchos, embora não o digam abertamente.


OPERAÇÃO KIKO: PROCURA-SÉ!

De Buenos Aires
Gelson Farias


Tudo começou quando um amigo jornalista, do La Nación, comentou que o Carlos Villagrán, ator que interpreta o Kiko na lendária série Chaves, está morando em Buenos Aires. Desde então tenho uma missão na vida: encontrar o Kiko e confirmar se ele realmente está entre nós.


Você não vai com a minha cara?

Ontem mesmo já mudei meu tradicional caminho a pé de volta pra casa para explorar novas ruas com minha máquina fotográfica. Vai ver que encontro alguém com roupa de marinheiro andando pelas Calles Gorriti ou ali pela El Salvador ou mesmo pela Corrientes. A busca apenas começou. Ainda tenho muitas ruas para percorrer, vizinhos para conversar e pistas para investigar. Prometo que deixarei os leitores atualizados na Operação Kiko.

SENADO MEXICANO APROVA LEI PARA PROTEGER JORNALISTAS

A observação da imprensa compreende críticas, denúncias e compreende também celebrações. Se o objetivo é buscar a excelência no jornalismo e promover um maior rigor nos padrões de exigência, o louvor pode ser mais efetivo e duradouro do que as reprovações.
Roberto Kennedy.

De Buenos Aires
Gelson Farias


O Senado do México aprovou mudanças constitucionais que tornariam todos os ataques a jornalistas crimes federais. As mudanças só terão efeito quando for aprovado por pelo menos 17 das 31 legislaturas estatais do país, e então assinado pelo presidente Felipe Calderón. Geralmente, criminosos que cometem ataques a jornalistas no México não são processados.

Professor Peter Freud Erg.
A comissão de direitos humanos nacional afirma que 74 jornalistas foram assassinados no país de 2000 a 2011. Portando, esta longe de acabar a matança desenfreada contra jornalistas mexicanos. O caso é inédito não só no volume, mas também no nível de crime e barbárie. É um banho de sangue sem precedentes.
A afirmação é de o professor Peter Freud Erg titular da cadeira de jornalismo da Universidade John Kennedy, Em Boston, durante uma entrevista para a televisão C5N, aqui de Buenos Aires, na noite de ontem.
“Os jornalistas não são as únicas vítimas, mas quando se mata um jornalista por causa do trabalho que ele está fazendo podemos considerar um atentado à liberdade de imprensa”.
Segundo ele, na última década, mais de 80 jornalistas foram mortos no México em total impunidade.
“Não conheço nenhum caso em que os criminosos tenham sido presos nessas últimas séries de crimes. A situação é de crueldade que os jornalistas mexicanos vivem desde 2006, ano em que o atual presidente Felipe Calderon declarou guerra contra os narcotraficantes”. Disse.

Manifestantes exibem fotos em protesto na Cidade do México contra os assassinatos e desaparecimentos de jornalistas nos últimos anos.
A impunidade seria o maior problema dos crimes contra a imprensa mexicana?
Como ninguém é punido a sangria continua. Mas devemos ponderar que isso não acontece somente no México. A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) fez uma campanha justamente contra a impunidade contra jornalistas em toda a América latina. O Brasil está entre os países perigosos para fazer jornalismo. Embora não exista essa sensação, as estatísticas mostram muitas vezes que a repercussão é maior fora do Brasil. Não existe sensibilização para estes crimes t5ambpem no Brasil. O caso mais triste foi do jornalista Tim Lopes, assassinado por traficantes no Rio de Janeiro.


O jornalista Tim Lopes foi sequestrado, torturado e morto por traficantes do Rio de Janeiro em 2002.

Já o México se supera pela crueldade. Os narcotraficantes matam, torturam e esquartejam profissionais da imprensa. O México fica muito centralizado em Cidades como Guadalajara e Monterrey e a maioria dos crimes contra os jornalistas não são nessas cidades e sim em regiões fronteiriças como Ciudad Juarez ou Nuevo Laredo.
O histórico de corrupção do país também contribui para essa situação?
Morei no México nos anos 80 e persiste a questão da corrupção. Esse histórico gera uma desconfiança mútua entre os jornalistas. A primeira reação acontece quando se ouve falar que jornalistas no interior foram assassinados. Geralmente a primeira reação é imaginar que eles estavam envolvidos com traficantes. Existe isso, mas não se deve generalizar. Em várias partes do México os veículos se renderam completamente. O que acontece em algumas regiões é pior que uma ditadura de pessoas que usam a tortura, assassinato e até terrorismo. Na cidade de Nuevo Laredo há mais de três anos o jornal de lá não fala absolutamente nada sobre narcotráfico. Está completamente censurado pelos cartéis. Não existe nenhuma garantia do Estado para garantir segurança ao jornal. O que resta é a comunicação direta entre os cidadãos. Se entrar no Twitter é botar “nuevolaredo” verá histórico de compartilhamento de informações sobre coisas que acontecem na cidade. É um fenômeno interessante: a comunidade falando com ela mesma. Se existe um tiroteio em Nuevo Laredo, que praticamente paralisa a cidade, o jornal não publica nada. Quando o corpo de um jornalista apareceu no ano passado com uma mensagem de ameaça, o jornal da cidade dava como manchete uma vaca morrendo pela seca.
Representantes da Confederação de Jornalistas da América Latina e Caribe, Dirigentes dos repórteres Sem Fronteiras e a Comissão Interamericana de Direitos Humanos desde há muito tempo pedem às autoridades mexicanas que investiguem o desaparecimento de jornalistas e, que adotem medidas para proteger os profissionais de imprensa. Pediram também que o governo proteja igualmente com soldados da guarda armados os promotores de justiça especializados que atuam em crimes cometidos contra profissionais da mídia. Representantes do Repórter Sem Fronteiras, uma organização internacional com sede em Paris, afirma que recentemente o México e Honduras foram apontados como os países mais perigosos das Américas para os jornalistas.
“Nossos colegas sabem que história alguma vale uma vida”,


OS PIQUETES DE BUENOS AIRES
Os protestos, não tem hora nem dia para começar. Até de madrugada eles não param.

De Buenos Aires
Gelson Farias

Quem mora aqui sabe muito bem o que é ficar esperando no trânsito enquanto ruas e avenidas estão fechadas por causa de um protesto. É ótimo ver que o povo vai às ruas reclamar seus direitos, mas isso já perdeu qualquer tipo de controle e senso em Buenos Aires. Qualquer rua pode ser fechada a qualquer hora do dia e a polícia nada faz. Não importa o motivo do protesto ou a quantidade de pessoas. Foi criada toda uma cultura de piquetes onde muitas vezes os manifestantes nada têm a ver com a causa e só estão lá para ganhar um dinheiro que os sindicados dão.
É algo como um vale-protesto, um kit com dinheiro e comida. Para ter uma ideia, nos últimos nove meses foram nada menos que 440 interrupções no trânsito apenas! O jornais de Buenos Aires de hoje, falam sobre “Buenos Aires, cidade Piquete” e abordam a total inoperância do governo e a disputa do prefeito da cidade com a presidenta.


Os piqueteros na Nove de Julio.
Ricardo Arjona, um cantor latino brega que lota estádios, disse numa entrevista pra Revista Caras, na semana passada, que “A las mujeres no hay que entenderlas, hay que quererlas mucho”. É basicamente esse o sentimento de muitos argentinos com esse país. Eles costumam dizer... Argentina, eu não te entendo, mas gosto de você. Fazer o quê? Só assim para não achar um absurdo fecharem a Avenida 9 de Julio, a mais importante do país, por 31 horas. Alguns movimentos sociais acharam que bloquear a Avenida seria a melhor maneira de protestar contra o governo, que os havia excluído de um plano chamado “Argentina trabaja” que poderia gerar cerca de 5 mil empregos.

Ontem foi a manifestação fabricada pela Cristina, hoje são os taxistas. Cada dia um agito diferente na Plaza de Mayo, o super point dos piquetes. Se você quer reclamar alguma coisa, lá é o the place to be.
”Estou esperando minha vez pra quando haja o protesto dos jornalistas”

Não estou por dentro do plano da Cris K e nem dos detalhes, mas só sei que fechar a Nove de Julio por 31 horas, transformando o lugar num verdadeiro acampamento com direito a um churrasquinho, não é mesmo o jeito de conquistar a simpatia da opinião pública. Quem ficou ‘P’ da vida com todo acontecimento foi Maurício Macri, o prefeito de Buenos Aires. Ele pediu para a polícia federal tirar a galera da Avenida para liberar o trânsito logo que começou o protesto. Mas por causa de picuinhas políticas, culpa da briga do governo municipal com a presidência, nada foi feito.
Mas pasmem os leitores deste blog. Aqui em Buenos Aires, em um sindicalista que é pago pelo governo argentino para protestar a favor da situação, bate e esmurra fala mal e diz que odeia os “brancos de Barrio Norte”, acusa os setores do campo de estarem tramando uma conspiração econômica, diz que vai se armar para defender a democracia, recebe grana do Hugo Chavez e ainda elogia o Irã.


Luis D’Elia ( foto) tem as costas quentes e sempre consegue se safar dos apuros em que se envolve. Existem inúmeros relatos de ações praticadas pelo sindicalista. Uma delas diz que; Luis D’Elia teria burlado os controles do aeroporto de Ezeiza com uma bolsa de couro velha que continha um milhão de dólares. Segundo a investigação, era dinheiro do governo de Cuba para que o piquetero e ex-funcionário kirchnerista mobilizasse sua gente e outras organizações para a contra-cúpula de Mar del Plata de novembro de 2005. Quer dizer, D’Elia havia ingressado no país proveniente de Cuba, com uma bolsa de mão repleta de dinheiro sujo, e a bordo de um Air Jet de doze lugares, arrendado pelo governo da Venezuela, com o deputado kirchnerista Miguel Bonasso e vários militares cubanos como acompanhantes. As semelhanças com o Valisegate de Guido Antonini Wilson são notáveis, porém D’Elia teve mais sorte: ninguém detectou a milionária encomenda nos controles do aeroporto de Ezeiza. Do contrário, teria lavrado-lhe uma prisão por ingresso ilegal de divisas.


A un mes Después de la tragedia Del Once

Con secuelas físicas de distinta gravedad, los sobrevivientes del accidente, donde murieron 51 personas intentan recuperar sus sueños.

De Buenos Aires
Enriqueta Sollares

Sobreviviente del accidentó en la estación Once el 22 de febrero pasado, Leonardo Sarmiento uno de los dos se ríe con cada chiste que hacen sus hermanos y sus amigos. Está contento porque lo acaban de trasladar de terapia intermedia a una sala común en traumatología. Y, principalmente, porque sabe que se está recuperando. En un momento se hace un silencio, y su novia, Mónica, dice: "Tuvo un Dios aparte. Nació de vuelta. Ahora tiene que festejar dos cumpleaños"


Leonardo Sarmiento su camiseta de Boca, la angustia, la paciencia,
el trabajo de los bomberos y del SAME.

Y es así. Resulta increíble verlo charlar y sonreír ahí, acostado en la cama, rodeado de la gente que lo quiere, en una sala del Hospital Santojanni. Sobre todo después de haberlo visto en las pantallas de todos los televisores, y en la tapa de los diarios: los hierros retorcidos, medio torso fuera de la ventana, su camiseta de Boca, un cuello ortopédico, una camilla, la angustia, la paciencia, el trabajo de los bomberos y del SAME, haciendo lo imposible por sacarlo. Y finalmente su rescate, después de cuatro largas horas.


Vagón del ferrocarril los hierros retorcidos.


Leonardo viajaba en el segundo vagón del ferrocarril Sarmiento que se accidentó en la estación Once el 22 de febrero pasado, y en el que murieron 51 personas y hubo más de 700 herido. El fue uno de ellos y, a un mes de la tragedia, es uno de los dos sobrevivientes que aún están internados en hospitales públicos de la Capital Federal. La otra es Florencia Ilabaca, una joven de 23 años que se recupera de una fractura expuesta de tibia y peroné en el Hospital Pirovano. Dos historias de dolor y de lucha entre tantas que dejó aquella fatídica mañana, que llevó a la intervención estatal de la concesionaria del servicio, la empresa Trenes de Buenos Aires, y que derivó en la dimisión del entonces secretario de Transporte de la Nación, Juan Pablo Schiavi.
"Recién ahora estoy tranquilo, porque me estoy recuperando", dice Leonardo, que tiene 30 años. Lo acompañan su novia, dos de sus hermanos, un primo y un par de amigos. De esas cuatro horas que estuvo atrapado habla poco: "Al principio estaba nervioso, pero me dijeron que me quede tranquilo".
Más allá de sus palabras, Mónica Chegoriansky, su novia, asegura que en su cara pudo advertir la angustia que vivió durante esas horas. Ellos llevaban dos meses de novios cuando decidieron dar un paso más: comprometerse. Fue el día anterior al accidente. Y el jueves de esa semana tenían proyectado ir a buscar una fecha para casarse. "Apenas salga de acá nos casamos por civil y por iglesia", dice Mónica, sonriente. Los médicos le dan unas dos o tres semanas más de internación, y después llegará el tiempo de la rehabilitación. Leonardo sufrió aplastamiento de pelvis y de ambas piernas, la izquierda con una fractura expuesta de tibia y peroné. Leonardo había tomado el tren en Merlo rumbo a Once, donde tenía pautadas unas changas. La última vez que habló con su novia antes del accidente fue en la estación Caballito. Después, el accidente: el traslado en helicóptero, el shockroom con casi cincuenta personas afuera esperando novedades de su estado de salud, los días de terapia intensiva, los de terapia intermedia, y desde anteayer, una habitación en la unidad de traumatología. Ahí se mantiene ajeno a lo que dicen los diarios y la televisión. Eso sí: esa famosa imagen suya ya la vio. Fue en Internet, una noche en que su novia le había dejado el celular para que se entretuviera.
"Agradecemos a todas las personas comunes que se nos acercan a ofrecer ayuda. Pero no pedimos nada. Aunque si un especialista quiere acercarse para una interconsulta es bienvenido. El hospital está haciendo todos lo posible por salvarle la pierna, pero cuantas más visiones haya mejor", dice. También dice que a esta altura, la única justicia en la que cree es la divina..

RUA ESPERANÇA



Falar sobre a Rua Esperança é fazer um retorno ao bom da infância.Lá morava no 906, casa que pertencia a minha tia Maria, com meu pai Henrique, minha mãe Filiota e meus irmãos. No outro lado da rua, mais perto da Protásio, morava minha avó Georgina, minhas tias Duca, irmã da avó e minha tia Maria.Este era meu mundo afetivo mais perto.

Lembro nas noites de verão, o pessoal sentado na frente das casas de portas abertas, meu pai de pijama sentado numa cadeira da sala de jantar na rua, lembro a sombra das árvores contracenando com a luz dos lampiões e o clarão da lua e das estrelas.Naquela época se olhava para o céu, procurava-se o Cruzeiro do Sul, as Três Marias...

Os mais velhos conversavam, a meninada brincava alegre, despreocupada pela rua, ora correndo, ora se escondendo.

Recordo quietude. Sinto paz.

Eu jantava na casa da minha avó. Tinha talheres especiais (assim achava, pois os talheres eram sós para mim), bebia sopa com ovo, refresco. Tia Duca (cujo nome era Lucilia) me esperava quando saltava do bonde do Colégio, me comprava gibis e dava livros, e eu mostrava, orgulhoso, o cartão cor de rosa, que significa excelente comportamento e aplicação.Tia Duca que não saia lá de casa sem que todos os pirralhos estivessem dormindo, tia Duca que sempre foi à bondade personificada numa tia avó, e é assim que me recordo dela. Tia Maria que me levava aos cinemas-ao Rio Branco, ao Baltimore, ao Avenida...Até operetas assisti no Baltimore.

A casa da minha avó que era casa da minha avó, sendo minha!

Tudo isto é passado que neste momento vira presente, E esta volta no tempo, emociona, dá saudades. Volto a ser guri, descobrindo o menino grande que tenho dentro de mim.Sinto saudades da casa. Do quintal que era relativamente grande. Havia uma área lajeada, um aquário, outro aquário que se assemelhava a uma piscina, terra, pedras apontando caminhos, um galpão no fundo.

Ali era o lugar de brincar. Haviam formigas para serem operadas, bolas para se chutar, minhocas para serem colocadas em latas com areia e água.

Das árvores caiam folhas e as folhas viravam personagens deste mundo imaginário em que crianças solitárias encontravam companheiros para seus brinquedos.

Quando chovia era gostoso ouvir o barulho da chuva de encontro ao zinco do telhado do galpão. Havia muros, também, que protegiam este recanto da infância dos olhares aborrecidos dos vizinhos.

Depois do jantar, o brinquedo, a novela das 9 horas na Rádio Nacional que se ouvia mal pelas descargas elétricas do rádio e um ou outro jogo de futebol.

O Armazém do Seu Corá, a padaria Cestari, a padaria Brasil, os vizinhos, o Lauro, o Surica, o Enio, o Saul, o Abraão, o João, tudo corre rápido na lembrança...Tudo vai, nada fica, em que pese minha vontade.

Era feliz. Possuía até esperança.O nome da rua era lindo.

E nesta rua, nesta casa, à sobra destas árvores, foi que comecei a viver.

Hoje perdi tudo.

Inclusive a Esperança. A rua se chama Miguel Tostes.



Antonio Augusto Bandeira ( do livro Crônicas em Folhas Brancas)


Foi só provocar oSerginho, que ele veio puto da vida!

euqueria ter um programa de tevê pra botar o serginho brigandocom um oponente. ia ser debabaca pra fora...porque o baixinho é desbocado pra caramba. acho que aprendeu com o velho Adolpho....


Olides

Quando eu mandava,tu tinhas todas as mordomias.Ganhava passagem,hotel, comida e bajulação para escrever umas matérias muito mal feitas por sinal, na Zero Hora. Hoje não tenho mais força. Assim, espere a volta de um Brizola,para que eu possa te oferecer essas regalias que estas me pedindo. Isso é a vida...


Sergio

O CERTO É ESTRANHEZA. EXTRANHEZA ESTÁ ERRADO


O texto sobre o CIEP é uma artigo, não um tijolaço (expressão criada em função dos textos do Brizola, que li e tenho todos em meus arquivos; existe a ideia de editar um ou dois livros com os mesmos); quanto a ninguém ler, isto não me causa estranheza (a maneira correta de se escrever; não é extranheza), pois a maioria das pessoas não gosta de ler, seja lá o que tenha sido escrito.

SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS

COTAS

O sistema de cotas. É justificado, segundo os defensores, para que haja o resgate de uma dívida social, com as pessoas de raça negra, por exemplo. Exemplifiquemos: duas pessoas, uma de pele branca e outra de pele negra, integrantes da mesma classe social, nascem no mesmo bairro; estudam o ensino fundamental na mesma escola, na mesma sala, com os mesmos professores, da primeira até a oitava série; depois estudam juntas o ensino médio, também na mesma escola, na mesma sala e com os mesmos professores. Ambas, ao concluirem o ensino médio, assimilaram os mesmos conteúdos. Ou não? Aí, ao disputarem o vestibular numa Universidade pública, ou participarem de um concurso público, uma delas disputa em igualdade de condições com todos os outros, ao passo que a outra é beneficiária do sistema de cotas; por que? Tanto no vestibular, quanto no concurso, quando estes são organizados, os conteúdos mínimos exigidos são os mesmos para as duas, que estudaram nas mesmas escolas, com os mesmos conteúdos, tendo, portanto, o mesmo nível (ou a possibilidade de ter) de conhecimento.
Em todo o concurso público, por exemplo, seja em nível de ensino médio, quanto os que exigem o terceiro grau, as pessoas só podem inscrever-se se preencherem este requisito ( ter o ensino médio ou o nível superior), seja a cor da pele que tiverem e, desta forma, ao se adequarem a isto, concorrendo com os mesmos conhecimentos. Ou não ? Por que as cotas?

SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS/RS

 

Recebo docolega Goulart!

Olides:
A colega Leila Weber encontra-se internada no Hospital Militar (quarto 17) desde janeiro. Já passou por cirurgias e seu estado inspira sérios cuidados.
Abraço, Goulart

DE Brasília, por Sérgio Ros!



Olides

Estacionar o carro hoje em Brasília,ou melhor,conseguir uma vaga num estacionamento qualquer daqui,ganha um premio.
A falta de vagas e os engarrafamentos são cada vez maiores. Uma pesquisa feita e ontem liberada para os coleguinhas da imprensa,diz que o número de veículos registrados a cada ano,chega bem perto do número do dobro de
crianças que nascem na cidade.
Nos últimos anos, a media de nascimentos ficou em 54,8 mil,enquanto o o numero de carros novos circulando pelas duas de Brasilia chegou a 88,3 mil unidaddes.
As projeções para o futuro,não são nada animadoras. De acordo com o Detran-DF,circulam hoje nas nas ruas de
Brasília, 1.317.721 veículos.
Diz ainda o Detran que neste levantamento,não estão os carros emplacados nas Cidades Satelites ou mesmo de outros estados que rodam por aqui.
O Detran informa ainda, que nada pode fazer para diminuir a entrada a cada anos de novos veículos nas ruas da Capital e que pela configuração da cidade não temos mais para onde correr.
O negócio é o seguinte:o governo precisa oferecer a população mais transporte coletivos que estimulem os motoristas a deixarem seus carros em suas residências;
Eu mesmo, se for andar de onibus,preciso pegar dois coletivos para chegar ao meu trabalho.De carro,não levo mais de quinze minutos para chegar.
Olides,para que tu tenhas uma idéia,do congestionamento que estamos vivendo aqui, eu levava da do meu aprtamento que fica na zona norte até o Aeroporto,não mais do que 20 minutos. Hoje dependendo do horário,levo mais de 45 minutos e as vezes até mais de uma hora...
A verdade Olides é que os governos do DF, entregaram a empresas privadas todas as linhas de onibus.que hoje circulam no DF, Eles mandam e desmandam. Fazem o que querem e ningúem interfere. É a corrupação que corre abertamente por aqui. Mas sobre isso, te escrevo numa outra oportunidade.

Sergio

AZUL VAI OPERAR VOOS ENTRE NAVEGANTES, RIO DE JANEIRO E NORDESTE

Bom dia. Não considere Spam. Mais notícias de Santa Catarina em Brasilia em www.digitalabc.com.br

Gratos


AMIN: NOVAS REGRAS DOS ROYALTIES DEVEM VALER PARA CONTRATOS ATUAIS
Brasília - O relator do projeto sobre a partilha dos royalties do petróleo, deputado Carlos Zarattini (PT-SP), afirmou que os estados e municípios produtores não terão perda de receitas oriundas da exploração de petróleo. "Esse é o único consenso já obtido pelo grupo de trabalho que analisa a proposta", adiantou. O deputado Espiridião Amin (PP) defende que as novas regras dos royalties incidam também sobre os atuais contratos. Leia mais...
20/3/2012 21:06:00
COLOMBO PROPÕE DEBATE PONTUAL PARA POR FIM À GUERRA DOS PORTOS
Brasília - "Precisamos identificar quais são os produtos que estão prejudicando as indústrias no país e irmos corrigindo pontualmente. Estabelecer através desse projeto de resolução só vai criar mais distorções", defendeu o governador Raimundo Colombo durante o debate promovido pelo Senado Federal sobre o projeto de resolução nº 72, que estabelece em 4% a alíquota do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) em operações interestaduais para produtos importados. Leia mais...
20/3/2012 19:23:00
AZUL VAI OPERAR VOOS ENTRE NAVEGANTES, RIO DE JANEIRO E NORDESTE
Brasília - A empresa aérea Azul recebeu autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para operar voos entre os aeroportos de Navegantes, em Santa Catarina, e o de Fortaleza, no Ceará. A linha vai fazer paradas nas cidades do Rio de Janeiro (RJ), do Recife (PE) e de Natal (RN), com preços a partir de R$ 69,90 por trecho.A Azul tem três anos de operação e atualmente possui 370 voos diários. Leia mais...


Arthur Monteiro

Celia Ribeiro apresenta biografia inédita
O Jornalista Farroupilha será lançado durante a Semana de Porto Alegre

A jornalista e escritora Celia Ribeiro lança seu novo livro: O Jornalista Farroupilha, a primeira biografia de Vicente Ferreira Gomes, considerado “o patriarca do jornalismo no Rio Grande do Sul” pelo jornalista e escritor Carlos Reverbel, trisavô paterno de Celia.

Resultado de dois anos de pesquisa, o livro apresenta uma detalhada reconstituição dos costumes da época, além da cena política e cultural do Rio Grande do Sul no século XIX. Como observa o escritor e atual Secretário de Estado da Cultura Luiz Antonio de Assis Brasil, “o livro tem a virtude de contextualizar a biografia, vitalizando-a com elementos históricos de uma cidade que apenas começava a surgir.“ O Jornalista Farroupilha é o segundo trabalho histórico de autoria de Celia Ribeiro. O primeiro é sobre Fernando Gomes, um mestre do século XIX (L&PM), filho do jornalista farroupilha.

Vicente Ferreira Gomes nasceu em Porto Alegre, em 1805, onde faleceu aos 32 anos, nos primeiros tempos da Revolução Farroupilha, prisioneiro dos representantes do governo imperial. Muito popular na Capital – seu apelido era Carona –, Vicente foi funcionário público, juiz municipal, deputado provincial e jornalista. Bento Gonçalves, amigo de Vicente, convidou-o para chefe de polícia interino de Porto Alegre, durante a ocupação da Capital pelos farroupilhas, entre 1835 e 1836. Neste posto, o jovem desempenhou enérgica atuação registrada em documentos que se encontram nos arquivos públicos.

O livro também narra as origens de nossa imprensa, destacando a atuação de Vicente no Diário de Porto Alegre, primeiro jornal a circular na província, em 1827. Com o fechamento do veículo um ano depois, funda O Constitucional Rio-grandense, de perfil liberal, identificado como farroupilha.

Editada pela Libretos, a obra tem design gráfico de Clô Barcellos e assessoria do pesquisador Miguel Duarte. E recebeu o apoio cultural da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM).

O livro será lançado no dia 27 de março (terça-feira), dentro da programação do 240º Aniversário da Cidade de Porto Alegre, no Centro Municipal de Cultura Lupicínio Rodrigues (Avenida Erico Verissimo, nº 307), com entrada franca. No Palco do Teatro Renascença, às 19h, a autora de O Jornalista Farroupilha, Celia Ribeiro, recepcionada pela jornalista Cláudia Laitano, fará a apresentação do livro, integrando o evento “Mais que prosa”, promovido pela Coordenação do Livro e da Leitura, da Secretaria Municipal de Cultura, com o tema “A alvorada da Imprensa em Porto Alegre”. Logo após, haverá sessão de autógrafos no saguão do CMC.

O Jornalista Farroupilha
Celia Ribeiro
Libretos, 2012
Formato 14 cm x 21 cm | 176 páginas
Preço R$ 29,00

Assessoria de Imprensa:
Simone Lersch (51) 3029-6390 / 9803-4420

Entrevista sobre os torturadores e assassinos de 1964

Olides, já que publicas diversos texto sobre os anos de chumbo na Argentina, aqui vai uma entrevista sobre os torturadores e assassinos de 1964. Saiu no blog do Rodrigo Viana e originalmente no blog Assaz Atroz

“Quem defende torturador é monstro”, diz Capitão de Mar e Guerra
Por Ana Helena Tavares, do Assaz Atroz
Meados de 2009. O então ministro da defesa, Nelson Jobim, o ex-chefe da polícia de Lacerda, Gustavo Borges, o ex-ministro do Exército do governo Sarney, general Leônidas Pires Gonçalves, e a então ministra do STF, Ellen Gracie; se reúnem para um jantar. “O que ela estava fazendo com esse tipo de gente?”, pergunta-se Santa Rosa.
Abril de 2010. A Lei de Anistia é votada no STF (ADPF 153) e Ellen Gracie, seguindo voto do relator, Eros Grau, e de outros ministros, mantém a anistia aos torturadores.
Início de 2012. Militares da reserva, saudosos de 64 – ano em que, para eles, houve uma revolução – assinam manifesto criticando a Comissão da Verdade. Enquanto isso, dois militares legalistas, cassados em 64 – ano em que foram presos por não compactuar com um golpe – assinam carta-aberta defendendo a mesma Comissão e criticando a “insubordinação e quebra de hierarquia, inaceitáveis na vida militar” contidas no outro manifesto.
Os signatários da carta, que pode ser lida clicando aqui, são Fernando de Santa Rosa e Luiz Carlos de Souza Moreira. Ambos são advogados e militares reformados da Marinha, sendo hoje Capitães de Mar e Guerra. O Quem tem medo da Democracia? [QTMD?] conseguiu contato com os dois. Por problemas de saúde na família, Souza Moreira não pôde dar seu depoimento. Porém, disse sentir-se representado por Santa Rosa, que concedeu longa entrevista exclusiva para o QTMD?, na qual contou sobre o encontro narrado no início deste texto.
Segundo ele, o jantar foi na casa do filho do general Leônidas Pires Gonçalves. Filho este que, depois de vários bons empregos, teria enriquecido depois de ganhar o cargo de diretor financeiro da Rede Globo. Para o militar reformado, isso é o que se pode chamar de “bolsa-ditadura”.
“Mal julgados”
Como advogado, Santa Rosa atua há décadas na defesa de ex-presos políticos e acredita que todos os militantes de esquerda, que lutaram contra a ditadura, já foram investigados e punidos. “O filho de Nelson Rodrigues, que esteve preso, tratado barbaramente na prisão, tem que ser julgado de novo? Quer dizer que está mal julgado?, pergunta-se Santa Rosa. E continua: “Eles (os torturadores) é que ainda não deram a cara a tapa. Foram anistiados de quê, se não houve condenação? Só na cabeça do Peluso… Agora, se houver uma lei que anule a anterior (da Anistia), pronto… O Congresso pode fazer isso, como foi na Argentina.”
“Fruto do medo”
Ele acredita que a expressão revanchismo (muito utilizada por quem é contra a Comissão da Verdade) “é fruto do medo” e não vê conexidade entre os crimes dos dois lados, como entendeu o STF. “Não pode haver conexão entre um crime de um representante do Estado e o crime daqueles que combatem o Estado ditatorial”. Além da tortura, dentre os crimes imprescritíveis cometidos pelos agentes do Estado, está a ocultação de corpos, considerado “crime continuado” (que ainda não terminou). Santa Rosa considera que o Brasil tem que cumprir a condenação da OEA e lembra que “agora até a ONU está pressionando”.
“Comunismo”
O conhecido argumento de que os militares golpistas “livraram o Brasil de uma ditadura comunista” é completamente refutado por Santa Rosa. “Não se pode ser comunista?”, pergunta ele. “E nem todos eram! Existia naquela época o maniqueísmo. Se você não era lacerdista, você era comunista. Se você não era da direita, você era comunista. Se você era legalista, você era comunista… Porque, para ser legalista, tinha que ser anti-Lacerda… Então era o quê? Comunista! Isso não era só nas Forças Armadas. Era em tudo. Se você era nacionalista, era comunista… Mas o comunista nunca foi nacionalista… Era muito mais internacionalista… E hoje quem é internacionalista é o capital… Você vê o absurdo da história… Eu vim, em 1962, para o Rio de Janeiro. Estava fervendo a luta sindical, que não tinha nada de comunismo! O que havia era uma luta muito grande de exigências dos trabalhadores com os patrões… O capital e o trabalho… Sempre! Nunca foi diferente… Mas esses caras (os golpistas), para justificar o que fizeram, começaram a dizer que era para implantar o comunismo no Brasil.”.

Contexto histórico
Todos os principais acontecimentos que antecederam o golpe de 64 – desde a 2ª Guerra Mundial, as várias fases de Getúlio Vargas, o Marechal Henrique Teixeira Lott, que garantiu a posse de JK, a renúncia de Jânio Quadros, a Cadeia da Legalidade de Leonel Brizola até a queda de João Goulart – tudo foi detalhado por Santa Rosa, no início de nossa conversa. O QTMD? disponibiliza o áudio completo, que chega a quase duas horas sem cortes, [para assistir, clique] neste link.
Falando da campanha “O petróleo é nosso”, o Capitão de Mar e Guerra reformado citou a nossa fartura petrolífera como um exemplo de que “somos um país rico que é roubado pelos enganadores do império. Você nunca viu um general americano num tribunal internacional, né? Eles fazem e pedem desculpas… ou nem pedem”.
Mídia: “o quarto poder” [Nota AA: O primeiro deveria ser a vontade do povo]
Santa Rosa comentou que ”não deu pra entender Miriam Leitão e O Globo entrando nessa história. Quando um carro da Globo está na rua, leva pedrada, por quê? Não é à toa… É a desinformação!” Lembrou ainda que “a Folha emprestava os carros de reportagem para os torturadores” e frisou que ”a mídia no Brasil, desde sempre, representou um quarto poder”.
Sobre Carlos Lacerda, recordou que ele chamava Alzirinha, filha de Getúlio, de “prostituta pra baixo” e a acusava de promover “bacanais em Paris”. Além disso, disse que “Lacerda tinha um grupo que fazia a segurança dele, que contava com oficiais da FAB e da Marinha. Daí o caso do Major Vaz, assassinado na Rua Tonelero. O que ele estava fazendo ali? Era capanga do Lacerda!”.
Desse modo, Santa Rosa deixou claro que, desde os tempos de Vargas, parte da imprensa brasileira e empresários estrangeiros representavam a ponta civil do golpe que se concretizaria em 64. Num dado momento, “as forças armadas entraram nisso também”.
Enfatizou o “também” e detalhou: “O Brigadeiro Eduardo Gomes, remanescente dos 18 do Forte, em 1945 se candidatou à presidência e perdeu para a UDN. Eles (a UDN) nunca ganharam nada democraticamente, foram sempre golpistas. Depois, ele se candidatou em 1950 e foi fragorosamente derrotado (aí, sim, no voto) por Getúlio. Então, o Brigadeiro Eduardo Gomes levou a política para dentro da FAB (Força Aérea Brasileira) e isso repercutiu na Marinha.”
A difamação de Getúlio e outras tentativas de golpe
O atentado da Rua Tonelero aconteceu em 1954, mesmo ano em que Santa Rosa fez o “juramento à bandeira” na Escola Naval. “Getúlio esteve lá (no dia do juramento), mas não deixaram a guarda dele entrar junto. Foram os aspirantes da Escola que fizeram a segurança para poderem continuar com as agressões ao presidente da República. Isso foi em 11 de Junho, eu recebi meu espadim… Depois que Getúlio se suicidou, a primeira coisa que o comandante da Escola Naval fez foi reunir o corpo de aspirantes e dizer que a carta-testamento era mentirosa. Aí cria-se uma série de histórias para continuar a desmoralizar Getúlio…”
Nos anos JK, “houve duas tentativas de golpe, conhecidas como Aragarças e Jaquereacanga.” Segundo Santa Rosa, “muitos golpistas de 64 participaram dessas tentativas anteriores. E, em 61, quando Jânio Quadros renunciou e seu vice João Goulart precisou voltar às pressas da China, houve ameaça de abaterem o avião presidencial”. (Nota AA: Tá vendo, presidenta Dilma?]
A prisão de Santa Rosa e a concretização do golpe de 64
“Um dia, eu estava de serviço aqui no RJ e soube que o meu ex-comandante em Salvador havia sido nomeado por João Goulart como superintendente da Costeira (Companhia Nacional de Navegação Costeira). Então, eu quis dar um abraço nele. Ele morava na rua Tonelero. E me convidou para ir com ele para a Costeira. Eu fui… Estava iniciando o mês de Março de 64. No dia 13, houve o comício (de João Goulart) na Central do Brasil. Meu chefe disse: ‘Vai lá e veja como está o pessoal da Costeira’. Cheguei lá… A polícia do Exército tinha feito uma área em volta do palanque para repórteres. Eu fui para essa área e a TV Rio me deu um close… Quando chegou na Semana Santa (pertinho do golpe), os marinheiros se rebelaram, mas não com armas… Fizeram um movimento de protesto dos metalúrgicos de São Cristóvão… Aí começou o bolo… Eu era Capitão-Tenente e tinha uma função de governo: eu era assessor de confiança do superintendente da Costeira. E foram me dadas instruções para acompanhar pessoalmente a crise… Houve o último discurso de Jango e um advogado amigo meu me disse: ‘Pelo discurso, ele tá caído…’ Dia 31, fiquei na Costeira. Dia 1º, voltei pra casa, passei pela sede da UNE e estava sendo incendiada… E tinha um monte de gente com bandeiras brancas invocando Jesus… Porque a Igreja Católica apoiou o golpe, no início. Bom, aí no dia 6 eu me reapresentei na Costeira e… fui preso! Fiquei 58 dias preso no navio Princesa Leopoldina. E aí já estavam matando gente… No dia 4 de Abril, mataram, com 7 tiros pelas costas, o coronel aviador Alfeu, na base aérea de Canoas. São esses caras (que matam pelas costas) que hoje são tidos heróis… Tem um Brigadeiro Hipólito, que desde Major, na época do ‘Petróleo é Nosso’, já torturava sargentos em bases aéreas do Nordeste. Isso está na ‘História Militar do Brasil’, do general Nelson Werneck Sodré.”, contou Santa Rosa.
E nunca acontece nada com “esses caras”?
“Nada! Eles são ótimos! Os comunistas somos nós… Os terroristas… Eles não… São todos honestos! Como era o Major Albernaz… Você sabe o que esse animal fez? Animal não! Não vou xingar os animais! Esse cara é monstro! E os que defendem essa gente são monstros também! Por omissão e por adesão… O general Paiva (que deu entrevista a Miriam Leitão) falou tanta idiotice… E olha que o militar, quando chega ao posto de general, não é um bobo… Ele chega por qualidades… Mas esse general não tem consciência de coisa nenhuma, não tem nem alma! Eu tive pena da entrevista dele. Ele não respondeu nada. Eles se apoiam numa anistia escandalosa que dizem que foi negociada. Foi nada! Isso foi o general Figueiredo que impôs. A história do Frei Tito, por exemplo… O Major Albernaz pegou ele, um rapaz de 28 anos, e disse: ‘abre a boca que vai receber a hóstia sagrada’…. Com o Frei Tito já todo escangalhado, destruído, o Major meteu dois fios de eletricidade, um positivo outro negativo, e deu uma descarga elétrica na boca dele… Isso está descrito com detalhes no livro ‘Batismo de sangue’, do Frei Beto. Então, esses são os homens salvadores da pátria.”, desabafou Santa Rosa, carregando na ironia.
Ministério da Defesa: “um biombo de fascistas”
A cassação de Fernando de Santa Rosa foi publicada no Diário Oficial de 25 de Setembro de 1964. E até hoje ele não foi totalmente anistiado. “Eles procuram dificultar e interpretar toda a legislação subsequente de modo a prejudicar, principalmente, os militares cassados. Porque os civis quem está tratando disso é a Comissão de Anistia e o Ministério do Planejamento, pela Lei 10559. Quanto aos militares, cabe à Comissão de Anistia e ao Ministério da Defesa, que é um biombo de fascistas! Os milicos fascistas pululam lá e conseguiram dominar o CONJUR, a Consultoria Jurídica, que nada mais é que uma parte da AGU (Advocacia Geral da União). Já chegou ao ponto de o CONJUR do Ministério da Justiça se chocar com a do Ministério da Defesa. A obrigação que o Ministério da Defesa tem é de cumprir as decisões publicadas por portaria do Ministro da Justiça. Mas eles pressionam e querem mudar”, disse Santa Rosa.
“Eles se acham a justiça”
I Curso de Direito das Funções Militares
Santa Rosa explicou que este curso foi em 2009. Segundo ele, “o problema é que a OAB não tomou conhecimento.O curso foi dado por altos oficiais militares. O que essa gente sabe de Direito para ensinar desembargadores, magistrados e juízes como julgar? E ainda põem um cadete apresentando o espadim… Cadê o símbolo da Justiça se é um curso de Direito? Eles se acham a Justiça e tem aí um desembargador fascista (sublinhado) que só julga o que eles querem…”
A ação da OAB para revisar a Lei de Anistia (ADPF – 153)
Quem entrou com a ação, em 2009, foi o então presidente da OAB, Cezar Brito. De acordo com Santa Rosa, … “para tratar desse problema desses torturadores, genocidas, assassinos. Esse pessoal estranho que está fazendo assinaturas para virar a página… Que página que vai virar? Choque elétrico, cadeira do dragão, coroa de Cristo (um aro de metal colocado na cabeça e apertado até estourar o crânio)… Esses caras querem que esqueça porque não foi na mãe deles! Nem na esposa, nem nos irmãos, nos filhos… Foi no dos outros! Aí querem que esqueça, porque eram ‘comunistas’… Como se comunista não pudesse pensar, não pudesse existir! E (como já disse) nem todos eram… Hoje, eu sei o que é comunismo. Esses porcarias não sabem nada, porque não leem! Leem ‘Seleções’, aquela revista americana…”
“Eros Grau teve vergonha e jogou a toga pra lá”
A relatoria da ADPF-153 caiu nas mãos do então ministro do STF, Eros Grau – que foi torturado na ditadura – e votou a favor da anistia aos torturadores. Esse foi o seu último julgamento. Para Santa Rosa, “foi um fim melancólico para Eros Grau. Ele teve vergonha, jogou a toga pra lá e nunca mais deu as caras”.
“Não se faz anistia para o futuro”
Santa Rosa diz que gostaria de perguntar ao general Luiz Eduardo Rocha Paiva (que deu entrevista a Miriam Leitão defendendo a anistia aos torturadores) se a morte de D. Lida Monteiro (durante atentado à OAB em 1980) e a bomba do Riocentro (em 1981) – onde, conta Santa Rosa, “estava o Coronel Wilson, segurando as vísceras” – estão anistiadas. Foram posteriores à Lei de Anistia, de 1979, e “não se faz anistia para o futuro”, garante o advogado e militar.
O pensamento dos militares da ativa
Segundo o general da reserva disse em entrevista a Miriam Leitão, o pensamento dele reflete o do pessoal da ativa. O militar reformado Fernando de Santa Rosa discorda. “Eu frequentava o Clube Naval. Nunca mais fui lá, porque não me sinto bem. Tinha um Capitão de Fragata, da ativa, rapaz novo, muito educado… Eu sou espírita e um dia eu o encontrei num Centro. Ouvimos uma palestra muito bonita. Somos amigos e, quando saímos, ele veio falar comigo e pediu que eu falasse um pouco sobre ‘esse negócio de tortura’… Falei… E ele disse: ‘eu acredito’. Ele foi até comandante do porta-aviões São Paulo. Então, eu digo com toda certeza que eles querem fazer uma consciência chapada, à força, mas existe liberdade de pensamento. Inclusive, nas leis militares, ordem errada pode ser contestada. E existe o direito de ir ao Judiciário. Eles põem na cabeça das novas gerações militares que não pode ir e muitos se prejudicam porque têm medo de serem perseguidos lá dentro. Dizem que a Marinha é aristocrata, mas vai ver quantas assinaturas têm (no manifesto contrário à Comissão da Verdade)… Se tiver dez da Marinha é muito. Só dá verde-oliva! O dever (dos militares) é servir ao país e não ganhar o dinheiro do povo para trair o país. É o que muitos fazem desde 64 nos Clubes Militares”, frisou Santa Rosa, que diz não ter interesse em ser integrante da Comissão da Verdade e não acha que deveria haver militares entre os membros.
“Fosso de lideranças”
Para Santa Rosa, a ditadura militar “criou um fosso de lideranças. Não houve renovação. O futuro desse país se cria num Campus Universitário. Por isso, esses Campus têm que ter liberdade de troca de idéias. Não interessa se é fascista, se é comunista, se é democrata: tem que haver discussão! E o que eles fizeram na ditadura? Invadiram as faculdades, introduziram militares espiões para prenderem as lideranças. Para amedrontarem! Eu estava na Faculdade Nacional de Direito e vi lá dentro o nascimento da luta armada. Porque essa meninada não tinha mais para onde correr… Eu chegava na minha faculdade, todo dia era faculdade cercada. Perguntava: O que houve? Diziam: ‘Nada!’”
A importância para a sociedade
Santa Rosa calcula que “cerca de 70% da população brasileira de hoje não viveram a ditadura.” E, para ele, muitos destes estão “alienados pelas mentiras contadas durante mais de 25 anos. A maioria de nossa juventude se perdeu… É preciso criar consciência para que esse povo saiba a história desse país. A educação está uma tragédia, que começou com Jarbas Passarinho. Estamos pagando esse pato até hoje”.
Clique aqui e assista a Santa Rosa falando sobre a importância dessa discussão para a sociedade.
A presidente Dilma e o Congresso
Quanto à atuação de Dilma, Santa Rosa considera que ela “recebeu uma herança maldita no Congresso e está fazendo o que pode. Está difícil para ela equilibrar isso. Não temos um Congresso confiável. Tirando meia dúzia, o resto é ladrão. O PMDB não é o de Ulysses Guimarães… Isso é a quadrilha! O PMDB não lança candidato à presidência da República… Eles querem ficar atrás pra comer! Esses partidos querem dar apoio ao governo, mas a troco de ministério com porteira fechada. Parece uma fazenda… É um loteamento do dinheiro público! E tem ralo desde o governo federal, até os estaduais e os municípios. E o pior: esse tipo de político acha que o dinheiro público é um dinheiro sem dono. Como eu já vi um prefeito dizer.”
“Se ela fizer um troço malfeitinho…”
“A Dilma está toureando isso tudo e ainda tem gente de esquerda danado com essa moça… Eu me ponho no lugar dela e não queria isso para mim! Criticar é muito fácil… Quero ver dar solução… Se ela fizer um troço malfeitinho, desaba tudo e dá brecha… Não pense você que não existe conspiração… Sempre existiu! Não vejo possibilidade de novo golpe, mas em 64 também não se via… Naquela época, era a ‘casa da mãe Joana’… Hoje, ainda é, mas o Brasil está sendo respeitado pela situação econômica”, analisa Santa Rosa.
“De que barro és feito?”
Fernando de Santa Rosa declama um poema para os torturadores: “Tu comes e dormes, apesar do teu ofício? De que barro és feito, afinal, torturador?”
“Ditadura das elites”
“Não vivemos mais numa ditadura militar, mas vivemos numa ditadura das elites. E quem representa as elites é o Congresso. O político depende da consciência do povo. Se o povo pressionar, eles mudam. Eles têm medo da democracia”, conclui Fernando de Santa Rosa.
Esta entrevista é a 11ª de uma série. Clique aqui para conferir as anteriores.

Reunião discute festividades comemorativas aos 330 anos do município

A Prefeitura promoveu na manhã de terça-feira (20/03) uma reunião com diversas entidades e instituições da cidade com a finalidade de tratar sobre as festividades alusivas aos 330 anos de São Borja, comemorados este ano. Além do prefeito Mariovene Weis, que comandou as discussões, estiveram presentes os vereadores Roque Feltrin, Celso Lopes e Farelo Almeida, representantes da Emater, Polícia Federal, Brigada Militar, OAB, ACISB, USAM, Conselho do Patrimônio Histórico e Cultural, Centro Cultural, Lions Club e de outros órgãos.

O objetivo deste primeiro encontro foi debater a formação da comissão que trabalhará na promoção e execução do evento. A comissão será formada por 2 representantes de cada entidade organizada, sendo um titular e um suplente.

A comissão será formatada nos mesmos moldes da que foi formada em 1982 para organizar as comemorações do tricentenário do município. A programação dos 330 anos terá início em 21 de maio, data de aniversário da emancipação político-administrativa de São Borja.

Durante o encontro foram destacadas a importância do resgate histórico e a da valorização da cultura local. Os participantes da reunião sugeriram ainda a produção de um livro e de uma revista do evento, que servirá como registro documental para as gerações atuais e futuras. Foi proposto também que o encerramento das festividades seja realizado no dia 10 de outubro, dia do padroeiro São Francisco de Borja e também de fundação do município.

As atividades serão coordenadas pela Secretaria de Educação e Secretaria de Turismo, Cultura e Eventos, em conjunto com o Gabinete do Prefeito. Ao final da discussão, foi definido que as entidades têm até o dia 28/3 para encaminhar, via ofício, os nomes de seus representantes e que no dia 3 de abril, às 9h, será realizada a próxima reunião.

Jogo

O irmãoPaulo foi ao jogodo MOrumbi,domingo ultimo,dospfc e santos. diz que foi um jogaço!( sópq o time ganhou)


Foi um jogaço...Eu fui assistir,estava la no morumbi,valeu cada centavo do ingresso. Abraço. Paulo

atenção leitores

nas quartas. o fiol del zator está na rádio de Palmeira debatendo. O problema é que a rádio é do PP e ele se diz do PDT. como pode???

Olides !

Estarei na Rádio Difusora, a partir da 10h30min. Acesse o site:
difusora@92fm.com.br e ouça o fiol del zator !!!!!!!!!!


Um abraço.

MAURO

NO DIA QUE


A OPOSIÇÃO FOI A FORRA


AS FOTOS da agencia EDison Castêncio mostram o que foi o plenário da Assembleia Legislativa gaúcha,ontem,dia 20.03, dia da votação do Piso salarial dos professores.

Enquanto deputados da base do governo Tarso não falava, os deputados da Oposição foram a forra...Alguns retiraram do fundo da memória algumas cicatrizes do tempo que eram governo e que apanharam muito do PT!

Enfim, é um dia depois do outro !


QUEM IMAGINARIA

QUE UM DIA O PP( QUE DEFENDEU A DITADURA MILITAR) SE UNISSE AO PSTU,PSOL, COMO ACONTECEU ONTEM NO PLENÁRIO DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RS.

COMO A POLITICA PRODUZ MILAGRES...CIRCUNSTANCIAS, É CLARO!

DA CENTENÁRIA E ESPARTANA, PELO FIOL DEL ZATOR.....

( NÃO SE ATIREM MUITO NELE, PORQUE ELE DIZ ISTO PRA TODAS!!!!)

O Mafalda começou suas atividades na Tribuna Palmeirense, hoje Tribuna
da Produção, da qual fui colaborador( 1985 )Tu não sabe o que já fiz
na Palmeira centenária !!!!!!!

Uma vez em Paris, teu amigo Mafalda,visitando La Tour Eiffel( como
dizia o Telvino), pronunciou uma lapidar frase : Quem diria, Antonio
Carlos Mafalda, das barrancas( quase escrevi "barancas"-baixou o
espírito de laundeze ) do Rio Da Várzea para o mundo !!!!!!!!

Só tu desprezas a gente da Palmeira !!!!!!!!!!!como diz aquela música
vencedorade um carijo : EU TENHO ORGULHO DE SER DA PALMEIRA, TERRA
MISSIONEIRA QUE AMO E BEM DIGO, EM CADA CARIJO UM GRANDE TESOURO DE
TERRAS DE OURO DE SOJA E DE TRIGO.

UM ABRAÇO.

MAURO ROCHA

Remendão do Beira-Rio

Vi com a maior extranheza que o Remendão da Beira-Rio não será vermelhão, mas cor-de-rosa. É so olhar o anuncio da construtora que saiu no Correio do Povo de ontem, terça-feira. Ainda bem que este não é um estado de machões, senão milhares estariam rasgando as carteirinhas de sócio do clube. Gringo véio, estou enviando a imagem anexada.

Remindo Sauim

 

Remindo Sauim!

 

Quanto a candidatura do Fernando Hadad estar destinada a um fracasso, só quero avisar que a Dilma antes de começar a campanha era o maior azarão da história política do Brasil e o Lula a elegeu sem fazer muita força, contra toda a imprensa, contra as igrejas e contra os conservadores.
Apesar de votar no candidato do PT, estou achando que vão para o 2º turno o Fortunatti e a Manuela. Se o PT assume então a candidatura da moça, ela se elege, senão vamos ter a cambada do PMDB por mais 4 anos futricando na prefeitura.

Remindo Sauim

Bah, mas eu achei que o texto já tinha sido feito

....sou mesmo ingênuo. Não aprendi ainda a conhecer o fiol del zator.....

Tudo é demorado,lento( el fiol del zator no el ghe na mia pressa!!!)

OLIDES !

HOJE À NOITE FAREI O TEXTO POIS, ONTEM, NÃO ME FOI POSSÍVEL. ESTAVA
MUITO CANSADO.É O QUE dá LAURAR MASSA( DIZ UM AMIGO MEU AQUI NA
LEGENDÁRIA: O TRABALHO ENOBRECE, HENRIQUECE E EMPUTECE O
HOMEM!!!!!!!!!)QUESTO SI NO GHA VEA VOIA DE LAURAR -PRIMO DO ALDO
PINTO....TE SÉ !

UM ABRAÇO.

MAURO ROCHA

SEM PULO - TÚNEL DO TEMPO




Olá Olides,
Permita-me remeter a Sem Pulo e Túnel do Tempo
deste sábado, que escrevo na Folha Popular de Teutônia.
Abraço
Rudimar Thomas

BARRIGINHA SALIENTE


O deputado Alexandre Postal(PMDB) - atual presidente do legislativo estadual riograndese - tem se apresentado com uma barriguinha saliente....Deve ser o efeito do cargo, já que percorre o Rio Grande participando de almoços e jantares...


Mas ele já confidenciou a amigos que tem um antídoto para fazer a barriga sumir: uma pesquisa que leu numa revista norte-americana sobre um revolucionario sistema de dieta.

Postal é adepto das corridas e sempre é visto na pracinha da Encol fazendo sua corrida.

Recebo do Guto Villanova

leitor deste blog e apresentador do Sonoridades(radio da UFRGS)


Depois que tu chamou o Jerônimo Jardim de broxa a tua pergunta pro Juarez é light hahahaha
Comprei no Sindicato teu livro das cidades vizinhas e dei de presente pro meu sogro que morou numa dessas cidades antagônicas que tu falas. Também passei pra ele um Fitness junto. Amanhã vou bater o martelo com o operador lá da RU pra agendarmo uma data próxima pra a entrevista com o Juarez.
Tenho lido o teu blog e pra variar gostado bastante. Sobre o Mosquito: personagem bastante contraditório, não achas? E essas demissões na RBS? Olha tem gente que vai perder o chão, e amaldiçoar pra sempre o valioso crachá (brincadeira). Mas engraçado que não vejo empregados dos outros grupos de comunicação desfilando por aí com crachás de suas empresas, não é verdade?
Abração
Guto

Beatles em Concerto.

Sintoniza lá nos 1080 AM ou via http://www.ufrgs.br/radio/

Eles vão ao programa divulgar o concerto abaixo:
28 de Março
Beatles em Concerto
Com Ayres Potthoff, Daniel Wolff e Rodrigo Alquati
Horário: 20h
Local: Sala Álvaro Moreyra (Av. Érico Veríssimo, 307, Menino Deus)

Beatles em Concerto. Com Ayres Potthoff (flauta),Rodrigo Alquati (violoncelo) e Daniel Wolff (arranjos e violão), uma seleção de canções consagradas do quarteto de Liverpool é interpretada em linguagem e instrumentação camerística.
O repertório privilegia músicas da segunda fase do grupo, muitas delas já marcadas pela produção sofisticada feita originalmente por George Martin. Os arranjos propostos mantêm a identidade das criações originais, tão conhecidas e consagradas, e exploram novas possibilidades musicais. (...) (fonte: Studio Clio)

DEPOIS DA VEICULAÇÃO nesta quarta O programa com o pessoal do Beatles em Concerto fica disponível até o dia 28 de MARÇO NO site da RU http://www.ufrgs.br/radio/programa.html (CLICANDO EM SONORIDADES)

A história política do Nunca Mais
A análise separada de um tempo que foi marcado pela turbulência dos anos 70.

De Buenos Aires
Gelson Farias

Poucos sucumbem aos encantos de uma década que permanece ou é recriada como memórias douradas. Os anos 70, reviveu na Argentina, pelo menos, em sua primeira metade, como os sonhos políticos quase alcançados. Ou como ficou mais conhecido. “A primavera dos 49 dias”, que durou tempo existencial aguardando o retorno do seu líder no exílio. Mas os anos setenta também teve o seu segundo semestre: o terror. Deixou a sua marca pelo menos em magnitude. A história sobre esse tempo, as organizações armadas, o clima da época, a vida cotidiana, a violência, o exílio, e, claro, o peronismo, tornou-se objetos de estudo. Acabou virando ensaio, livro, trabalho de pesquisa e tese. Nos últimos anos, vários escritores argentinos tem publicado uma série de livros sobre esse momento. Mas desta vez, a história sobre o tema tem uma marca fundamental: são os trabalhos que vêm do circuíto acadêmico, historiadores, muitos deles doutores. A história política do Nunca Mais do ensaísta HugoVezzetti que também tem outros trabalhos acadêmicos sobre a violência revolucionária, passado e presente, que fala sobre a Ditadura, a Guerra e sociedade Argentina.



Tempos violentos. Três militantes ERP morto em um confronto com a polícia em Córdoba, 1974.


Um dos políticos mais importantes da América Latina, Juan Domingo Perón foi por três vezes presidente da Argentina, promovendo grandes mudanças no país. Perón nasceu no dia 8 de outubro de 1895, na província de Lobos, pertencente a Buenos Aires. Com apenas 16 anos, ingressou no Colégio Militar, aonde chegou a ser subtenente de Infantaria, e depois continuou os seus estudos na Escola Superior de Guerra, onde ficou até 1929. No ano seguinte, participou do golpe militar que derrubou o presidente argentino Hipólito Yrigoyen, sendo depois nomeado secretário particular do ministro da Guerra. Cinco anos mais tarde, trabalhou como professor na Escola Superior de Guerra e passou um ano como agregado militar no Chile. Durante este período, publicou cinco livros sobre a história militar e viajou para a Alemanha e a Itália, durante os regimes nazista e fascista, para conhecer melhor os dois sistemas políticos. Encantado com o regime implantado pelo ditador italiano Benito Mussolini, fundou na Argentina o Grupo de Oficiais Unidos (GOU). Em 1943, este grupo participou de um complô militar que retirou do poder Ramón Castilho. O regime militar assumiu o comando da política argentina nos três anos seguintes, já com uma forte influência de Perón, que foi trabalhar como secretário do Trabalho e do Bem-Estar Social e depois, em 1945, assumiu a vice-presidência da nação e tornou-se ministro da Guerra. Pouco a pouco, Perón foi ganhando respeito entre a população, principalmente entre as camadas mais baixas, chamadas de 'descamisados'. No dia 9 de outubro de 1945, Perón foi preso e destituído do seu cargo por um levante militar. A sua prisão provocou uma grande crise no governo, com uma intensa campanha popular comandada por líderes de sindicatos e por sua amante, Eva Duarte, popularmente conhecida como Evita, que exigiram a sua liberação.


Documento de um militante ( Montonero).

A pressão popular foi tamanha que no dia 17 de outubro de 1945 Perón foi libertado. Nesta noite, sobre a sacada da Casa Rosada, sede do governo argentino, Perón fez um discurso para mais de 300 mil pessoas, onde iniciou a sua campanha para subir ao poder, prometendo conduzir o povo até a vitória na eleição presidencial. Alguns dias depois, casou-se com Evita, que também já exercia uma enorme influência na população mais pobre. Com uma violenta e repressiva campanha eleitoral, Perón foi eleito presidente da Argentina em 1946, com mais de 56% dos votos. Seus seis anos de governo foram marcados por medidas de grandes transformações, com a estatização das ferrovias, empresas de telefonia, do petróleo e companhias de eletricidade. Além disso, ocorreu um grande crescimento da indústria do país, com a regulação das importações, e a fase importante do peronismo: os trabalhadores tiveram direito a aposentadoria, férias remuneradas, cobertura de acidentes de trabalho e seguro médico. As mulheres também passaram a ter direito a voto e foi permitida a reeleição eleitoral. Com relação à política externa, adotou uma postura antiamericana e antibritânica, trilhando o caminho que chamou de 'terceira posição', entre o comunismo e o capitalismo. Essas medidas populistas fizeram com que Perón fosse reeleito em 1951. O segundo mandato foi marcado pela morte de sua esposa, em 1952, por grandes dificuldades econômicas, protestos de trabalhadores e pela sua excomunhão da Igreja Católica. Em seis de setembro de 1955 as Forças Armadas, a mando do general Eduardo Lonardi, derrubam Perón e estabelecem a chamada Revolução Libertadora. Poucos dias depois o general Pedro Eugenio Aramburu tirou Lonardi do cargo, tomou a presidência e revogou a Constituição Nacional reformada em 1949. O governo militar foi assessorado por uma Junta Consultiva Nacional, integrada por todos os partidos políticos com exceção dos que apoiavam o peronismo ou o comunismo. Em 1956 o governo militar ordenou o fuzilamento de 31 militares e civis peronistas que haviam tentado dar um golpe de estado.
Montoneros foi uma organização político-militar argentina que empreendeu uma luta armada, na forma de guerrilha urbana. Suas raízes se encontram na situação política do país na década de 1960, e seus objetivos foram à desestabilização da ditadura militar governante, a autodenominada ("Revolução Argentina") (Onganía, Levingston, Lanusse / 1966 - 1973); o retorno ao poder do General Juan Domingo Perón; e a instauração na Argentina de um sistema político que denominavam Socialismo Nacional, e que consideravam como a evolução histórica natural do peronismo. A organização armada Montoneros se apresentou à sociedade em um de junho de 1970, mediante o sequestro e posterior assassinato do general Pedro Eugenio Aramburu, que foi o comandante da autodenominada Revolução Libertadora. Na prática o grupo já existia como organização política desde alguns meses, ainda que menor e quase secreto.

Militantes do Grupo Armado Montoneros, a espera de seu líder, Perón, no Ezeiza.


Durante seus primeiros anos de existência receberam o apoio do General Perón e de boa parte do movimento peronista - que mantiveram farto diálogo com a guerrilha, visto que sua lealdade lhes foi útil para pressionar e desestabilizar a ditadura militar que governava anteriormente o país - porém a partir de 1º de maio de 1974 os graves erros políticos cometidos ocasionaram o repúdio por parte do mesmo líder e dos setores sindicais e políticos do peronismo ortodoxo, motivaram o gradual isolamento e a passagem à clandestinidade do grupo que, posteriormente, foi aniquilado pela ditadura militar que derrubou a viúva de Perón, María Estela Martínez, em 24 de março de 1976. O grupo é um dos responsáveis pelo Massacre de Ezeiza, episódio em que, na volta de Perón do exílio, ocorreu a morte de dezenas de participantes. O pior atentado do grupo aconteceu em 1976, quando fizeram explodir uma bomba na Polícia Federal Argentina, com 24 mortos. Com o tempo, Montoneros passou a perder o apoio da população, isolando-se. Seu fim tornou-se claro com o chamado Processo de Reorganização Nacional, iniciado após a destituição de Isabelita Perón, viúva de Perón, da presidência. Devido às estratégias de terrorismo de Estado e investigações ilegais, o grupo foi sistematicamente perseguido pelo regime militar de Jorge Videla, tendo hoje muitos de seus ex-integrantes nas listas de Desaparecidos durante a ditadura argentina.

Perón. Volta nos braços do povo.


No dia 20 de junho de 1973, uma multidão nunca vista estimada pelos meios jornalísticos da época em dois milhões de pessoas, congregou-se no Ezeiza, localidade próxima ao aeroporto internacional para receber ao seu líder depois de 18 anos de exílio. Por ordem expressas de Perón, a segurança de todo o operativo do regresso delegou-se no Coronel Jorge Osinde, pertencente à ala mais conservadora do seu movimento político responsável natural pela segurança do país e ideologicamente próximo a Montoneros. Mesmo antes de aterrissar no aeroporto de Ezeiza, ocorreram vários confrontos - cujo saldo de talvez centenas de mortos e feridos nunca fosse determinado exatamente, nem investigado judicialmente, por parte de grupos armados, que por um lado, eram os seguranças de Perón, e outros que não desejavam que seu retorno se concretizasse. Havia centenas de homens e mulheres, trabalhadores peronistas com as suas famílias e simpatizantes do velho general, quem não entendiam o que estava ocorrendo. À tardinha, e perante as notícias provenientes de Ezeiza, a aeronave que trazia de volta a Perón finalmente foi desviada ao aeroporto de Morón. Pela noite ainda continuaram as corridas e confrontos armados em Ezeiza, enquanto a maioria da multidão tentava abandonar a área e pôr-se a salvo. Desde esse dia, os massacres continuaram. Os que eram a favor do peronismo começaram a ser eliminados, um a um. Do mesmo modo, havia membros do grupo Montoneros que faziam a chamada linha dura. Os contra o peronismo, também eram exterminados. Uma das cidades em que mais houve confronto armado entre militante, Exército e a polícia foi Córdoba. Mais de 700 pessoas morreram.


DE GRAÇA ATÉ INJEÇÃO NA TESTA


Na esquina da Carazinho com Nilo Peçanha, há um ponto de distribuição do jornal Metro...Um gringo, mal humorado - não deve ter encontrado outro tipo de emprego - distribuiu pros automóveis.

A regra é esta:

1) um pra cada leitor

2) Mas tem uma banca do jornal, onde depois de minha caminhada pego um pra mim.

3) e vejo as " dosas" - com todo respeito - ( que hoje chamam de folguista,diariasta e não sei mais o que ) pegarem o jornal pra patroa que aquela hora- 8 horas - ainda dorme em berço esplêndido.

De graça, até a burguesia do bairro Bela Vista quer...eles mandam a empregadinha buscar o jornal. Não vão porque tem vergonha de pegar de graça.


Os caras que distribuem tem uniforme, ganham 340,00 reais por m?s e uma cesta básica.

E este ponto fica bem em frente onde mora va o falecido colega LAURO SCHIRMER. ele que tinhA horror a jornal gratuito, tanto que uma vez o jornal OI, do Geraldo Canalli, ganhou um Premio ari de Jornalismo e o Lauro deu um pau danando na ZH, menosprezando o jornal dizendo que a ARI tinha dado um premio prum jornal dado de graça....como a dizer que não tinha valor.


Mas aqui se faz, aqui se paga...

A RBS mandou um executivo - Flávio Steiner - durante cinco anos no Canadá estudar como é este negócio de jornal de graça....Não se espantem se amanha ou depois a poderosa empresa de comunicação colocar um...

E Madruga Duarte,dentro do cartel dos jornais, a ANJ, sempre disse que o futuro do jornal impresso é a distribuição gratuita, pelo menos uma grande tendência. Quem viver verá....


Pelo menos o METRO, da esquina onde pego o meu, smepre esgota em pouco tempo.

Na quinta passada, dia depois da grande enchente de Porto Alegre,o jornal esgotou antes das oito na esquina. Todo mundo correu pra pegar um pra ler sobre o CAOS QUE TINHA SIDO A CIDADE NO DIA ANTERIOR.


Isto prova que tragédia vende jornal.....

O SERGINHO TÁ COM ÁGUA NA BOCA


Enquanto eu me delicio aqui lendo o saboroso livro do Flávio Tavares - o GELEIA ,como o Jundiá o chamava, não é flor, mas o cara tem um talento pra contar história que vou te contar...- o Serginho, que pagou o livro, aguarda em Brasília. E aqui eu o leio com um duplo prazer. Um veterano jornalista, que conhece bem os fatos que são narrados no livro, me assessora sempre que tenho alguma dúvida.


É OU NÃO É UM PRIVILÉGIO, COMO DIZIA O FINADO MENDES RIBEIRO!!!!

Coleguinhas

*O jornalista Marcelo Villas-Boas, superintendente de Comunicação da Assembléia Legislativa do Estado, indiciado pela Polícia Federal na Operação Solidária está contratando procurador pra defendê-lo no processo que a Justiça vai abrir contra ele.


*Sabendo da seriedade do assunto, Marcelo, discutiu, no fim de semana com a esposa e ambos decidiram até vender parte do patrimônio , uma casa na Zona Sul de Porto Alegre, se precisar pra pagar o advogado. Que nestes casos, não costuma cobrar pouco.


*Marcelo, que foi indiciado por ter abonado presenças de funcionários que segundo apuração da Operação Solidária não compareciam ao trabalho na Assembléia Legislativa do Estado, não teve nem a solidariedade do partido, no caso o PTB, pra pagamento de suas custas de defesa.

*Nesta hora amarga, é salve-se quem puder.

Colaboração de leitora

Se depender da Ana Amélia Lemos, nunca dará em nada...Na voz do Brasil ela defendeu abertamente o consumo de bebidas dizendo q ‘não se pode proibir’. No caso a proposta era sobre regular a propaganda de cervejas e outras bebidas...

de uma leitora

Projeto proíbe consumo de bebidas alcoólicas em lojas de conveniências do RS

Parlamentar está preocupado com recorrente número de acidentes causados por motoristas alcoolizados Devido ao recorrente número de acidentes de trânsito causados pela ingestão de álcool por parte dos motoristas, o deputado Dr. Basegio (PDT) protocolou o Projeto de Lei 25/2012, que proíbe o consumo de bebidas alcoólicas nas dependências de postos de combustível, lojas de conveniência, estacionamentos e congêneres instaladas em sua área de serviço, no âmbito do Estado do Rio Grande do Sul.
De acordo com a justificativa do projeto, mesmo em pequena quantidade, a ingestão de bebidas etílicas altera a psicomotricidade, desperta a sensação de euforia e o excesso de confiança que podem levar o motorista a praticar imprudências e transgressões as normas de trânsito. O abuso do consumo de álcool é coibido pelo Código Brasileiro de Trânsito (Lei Federal nº 9.503/1997), que constitui em infração gravíssima o uso acima de determinados percentuais.
Esta proposição vem ao encontro da Lei 9.996/2006, do Poder Legislativo Municipal, que proíbe o consumo nos postos de gasolina da Capital, no intuito de colaborar com a ingestão consciente de bebidas.
Conforme o deputado, “apesar das penalidades previstas no Código de Trânsito, um considerável número de condutores persiste em dirigir fora dos padrões legais, colocando em risco sua vida e a dos demais cidadãos”, explica.

recado pro charqueadas

cuidado que estes TIJOLAÇOS NG LÊ....NEM SE FOSSE TEXTO DO GABO MARQUES!

Saudade do Ciep

Por Dioclécio Campos Júnior*

Saudade não é nostalgia. Supõe emoção da perda. Evoca seres, fatos e feitos que a memória registra nos arquivos mais valiosos da mente. Embora findos na realidade circunstante, sobrevivem na essência do pensamento de quem lhes testemunhou o valor. Não é a lembrança fria do passado, mas a referência que anima o presente, ainda que de forma imperceptível. O Centro Integrado de Educação Popular, Ciep, é marco na história recente do país. Inclui-se entre as poucas ousadias do Estado brasileiro destinadas à superação do atraso, pré-requisito para o fim da desigualdade social que macula a cidadania.
Gerado no Rio de Janeiro durante o governo de Leonel Brizola, nasceu para expandir-se por todo o território nacional. Primava pelo princípio inegociável da qualidade, sem o qual a sociedade igualitária nunca deixará de ser sonho ingênuo da população, acalentado pelos embustes das elites que lhe roubam a cena. Concebido pelo talento de Darcy Ribeiro, tinha o propósito de garantir à criança pobre o direito à educação plena, instrumento libertador que lhe tem sido negado em nome de interesses mesquinhos que mantêm a ordem dominante.
Valendo-se de projeto arquitetônico de Oscar Niemeyer, cada Ciep acolhia mil alunos em espaços compatíveis com a dignidade ambiental que a educação requer. Além de salas de aula, biblioteca, quadra esportiva, era dotado de atendimento médico e odontológico, cozinha e refeitório. O conteúdo pedagógico enfatizava a escrita, a leitura e a aritmética, sem prejuízo das demais matérias. Buscava qualificar o aprendizado da linguagem a fim de que a comunicação erudita fosse também assimilada pelas classes pobres, nivelando por cima a inadiável progressão social dos excluídos. Implantada no coração de uma comunidade de despossuídos, despontava como avanço para a elevação da autoestima dos moradores, propiciando-lhes acesso a um direito que sempre privilegiou as classes ricas.
As famílias orgulhavam-se da escola pública que as tratava com distinção. Crianças e adolescentes tinham no Ciep a chance real para aprendizado lúdico, prazeroso, interativo. Trabalhavam a cognição em ambiente seguro, dignificante. Anteviam a realização de originalidades potenciais, crescendo-lhes a expectativa de vencer a humilhante segregação que os estigmatizava. Desenvolviam atividades educativas, artísticas, desportivas e culturais em tempo integral, das oito horas da manhã às cinco da tarde. Permaneciam sob os cuidados da equipe de educadores durante o período em que a maioria dos pais saía de casa para trabalhar. Recebiam alimentação, assistência à saúde, além do amparo ao organismo em fase de crescimento físico e desenvolvimento neuropsicomotor.
A educação oferecida não se restringia aos limites medíocres da escolaridade em vigor. Ia muito além. Reproduzia a visão de Winnicot, para quem educar é garantir a estimulação favorável em ambiente seguro e afetivo. Darcy Ribeiro definiu bem o projeto: "Sem essa base, a criança estará condenada à marginalidade e ao risco de cair em delinquência". E completou: "Isso é verdade, sobretudo para a criança das áreas metropolitanas, que tem mais a escola do lixo e da criminalidade do que a escolaridade mínima indispensável para se realizar pessoalmente através do trabalho e para exercer conscientemente a cidadania". O compromisso social era abrangente. Atraía crianças moradoras de rua que, motivadas, mudavam de vida. Passavam a residir na escola, onde ficavam sob os cuidados de "pais sociais" — funcionários preparados para a preciosa missão.
A construção das unidades era rápida; o custo, reduzido. Fundava-se na lógica do pré-moldado, ganhando celeridade na execução. Quinhentas delas chegaram a enriquecer o cenário educacional do Rio de Janeiro. Com o Centro Integrado de Educação Popular disseminado país afora, a sociedade já teria dado o salto para a dimensão igualitária sonhada. Infelizmente, obras que visam à igualdade social serão sempre desmontadas pelo poder econômico. O modelo Ciep foi desfeito há mais de vinte anos. Restaram os prédios precários, convertidos em escolas desqualificadas, coerentes na perpetuação da pobreza. Desativado, abriu caminho para a UPP – Unidade de Polícia Pacificadora. A desigualdade social foi assim preservada. Para os ricos, a política; para os pobres, a polícia.
O Ciep desperta saudade. É o PAC que transformaria o país. O projeto foi encerrado, mas a ideia não morreu. Os dirigentes deveriam repensar a educação nacional, sem preconceito. Experiência não falta.
*Médico, professor titular aposentado da UnB, secretário de Estado da Criança do DF, foi presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria.

PROCESSO ANDANDO!


*o PROCESSO QUE LIZIE COLARES MOVE DE UNIÃO ESTÁVEL COM O FALECIDO JORNALISTA LAURO SCHIRMER JÁ TEM DESDOBRAMENTOS. pROXIMAMENTE SERÃO OUVIDAS AS TESTEMUNHAS.

Lizie, com quem Lauro teve uma " vida pública" - fotos em poder dela provam isto - quer não os bens do falecido companheiro, mas o que ele deixou de pensão.

Formalmente, Lauro era casado com a também jornalista de ZH, Célia Ribeiro.

*Jornalista Marcello Villas Boas está contratando advogado pra se defender do indiciamento que a POlícia Federal fez dele na Operação Solidária.

Marcelo, segundo a denúncia, teria abonado presenças de funcionários da Assembléia Legislativa que conforme apuração da PF não compareciam aos gabinetes dos deputados onde estavam lotados.

*Marcelo Villas Boas recebeu na sexta última, dia que a ZH deu a matéria - duas páginas assinada por Ad riana Irion - a solidariedade de dois colegas também lotados na Assermbléia Legislativa: Carlos Bastos e Vicente Romano.

*Na quinta, ao anoitecer, o jornalista Marcello Villas Boas foi a São Valentim do Sul onde estava o presidente da Assembléia Legislativa do Estado, deputado estadual Alexandre Postal(PMDB). Marcello , que devia saber a matéria que a ZH daria no dia seguinte, disse a colegas que " não vou dormir esta noite se não falar com o presidente".

*Marcelo Villas Boas foi ouvido há cerca de seis meses atrás pela PF sobre o assunto, mas somente agora foi comunicado do indiciamento.

Coleguinhas

Julio Pacheco está de molho faz 15 dias.

Quebrou o tendão de aquiles. Não pode ir nos autografos do Flávio Ta vares que fala muito dele no livro da Legalidade recém lançado.


*Havia sim um estúdio da rádio Gaúcha,dentro da redação da UH, na sete de setembro,738(encima do cinema)


Foi lá que o o Exército, em agosto de 1961, na madrugada de um domingo,intimou a rádio Gaúcha pra não dar mais noticiais e foi fechada.

Havia neste estúdio da Gaúcha na UH programas de jornalismo, chefiados pelo João Aveline. Ali o Dilamar Machado teve um programa. Um dos redatores foi Belmiro Sauthier.

Havia o "Atualidades Vulcabrás" e o "Corresponde Wemag". Eram transmitidos boletins de jornalismo.

*E um fato raro: como apenas funcionava o jornalismo neste estúdio da Gaúcha os locutores de esporte e das telenovelas ficavam no edif icio União, no 11 andar, ...mas havia um locutor do jornalismo que muito frequentemente faltava pra ler o noticioso. João Aveline ligava pra Gaucha, no União e o jovem locutor Julio Dreyer Pacheco dava uma corrida do União(na Borges) aponto de não atrasar o horário de ler as noticias.

- Nos meus 17 anos dava um pique e lá estava pra ler o noticioso,relembra Júlio.

Recebi esta chinelada do fiol del zator só porque escrevi com X o que era CH....é que X é mais rápido....

O Ciotola, que o Mauro fala, foi nosso grande teacher de português. O recordamos com afeto e carinho, o grande mestre que foi de todos nós. Não era dado a panelas, ensinava porque gostava de ensinar. Lembro do caderno dele, onde anotava todos os radicais latinos e gregos. ali aprendi tudo o que sei de português(algum maldoso como o fiol del zator, dirá que não é muito mas eu acho que pro gasto eu sei) tanto aprendi com o ciotola- cujo túmulo sempre visito quando vou naquela coxilha melancólia, onde um dia repousarei,(espero que demore mais um bom tempo!!!!!!!!!!!!!!!!,digo isto antes que vocês fiquem alegres) e quando cheguei a porto alegre, no Clássico do Julinho, o grande e renomado EDISON DE OLIVEIRA dava aulas e eu pensava: mas sei tudo isto e mais um pouco. sim tinha estudado um ano de português com o grande Ciotola. No seu túmulo onde está no cemitério de serafina, há uma plaqueta que o homenageia: PASTOR AMADO!

Os municípes de La Undeze souberam lhe prestar esta derradeira homenagem e por acaso eu vi seu corpo chegar na tarde-noite em que veio falecido que tinha em Passo Fundo.Havia na igreja local um pequeno número de fiéis que ficaram cantando em volta do corpo pra homagear o padre mas principalmente o grande educador que ali se despedia de todos nós.


Acho que pelo destino, não por outra coisa, fui o único daquela turma de 1968, de tantos alunos brilhantes dele, como eu, o JOÃO BOLINHA, O pAULO fERNANDES( O FIOL DEL ZATOR não era dos mais brilhantes, era meio preguiçoso..)o Altamir Arroque era brilhante, mas vagabundo....e outros que ficaram na segunda época naquele ano que recordo com saudades, quando tivemos que deixar a pequena vila e vir rumo a novos horizontes. Enfim, pude ver o padre morto que se despedia dos seus municipes. Engraçado que o Ciotola deixou rastros por onde passou. Uma irmã doCesar Tasca, que estudou com ele em Sarandi, se ofereceu pra corrigir meus textos dos meus livros e disse que sabia tudo de portugues porque tinha aprendido com o ciotola.

Dele lembro com carinho que quando terminavam as aulas no ginásio, ao entardecer daqueles dias quentes de primavera, uma pequena turma continuavamos aprendendo com ele na casa canônica porque ele via que tinhamos sede de aprender e o padre adorava ensinar.

Agora o Ciotola se virou no túmulo( xegou o cartaz !!!!!!), não
acredito que o OLides, aluno exemplar do Ginásio N.S.do Rosário, tenha
cometido questa cagada !!!!!!

O cartaz chegou, meu caro jornalista( bota no teu Blog, seu gremista
juramentado, que a Andrade Gutierrez assinou com o Inter, por livre e
espontânea pressão da Presidente DILMA, colorada e mesa gaúcha, que la
zhe !!!!!

Tu só falas em futebol para puxar o saco do gremildo, tens que me
manter neutro no campo desportivo. Claro, tens que valorizar a
"renner" !!!!!!!!!

Fiz um excelente texto que tentei enviar com as fotos. Vou tentar,
hoje à noite, reproduzí-lo( eu trabalho de manhã, de tarde e à noite
também........massa laoro, em duas cidades ), não que nem estes
jornalistas que são focas sentadas, tomam cafezinho na assembléia, os
colegas mandam matérias , até do exterior. Aliás, deixa eu fazer um
reconhecimento ao teu colega que escreve de Buenos Aires. Simplesmente
ele nos coloca ao par dos acontecimentos portenhos, de forma muito
atualizada, enquanto os jornais gaúchos não olham para os platinos.

Sou fã das matérias sobre o julgamento dos milicos. Lá não tem essa de
não mexer no passado.

Algumas coisas tem que ser lembradas de forma permanente, para que
jamis se repitam, leia-se : ditaduras nas américas-de direita ou
esquerda não me servem-Chaves e outros e o HOLOCAUSTO.

Um abraço.

MAURO ROCHA

Memórias de imprensa do Rio!


*Tarso de Castro, fundador do Pasquim, frequentava a Plataforma, uma churrascaria que ficava na zona sul embaixo do Scala. E os bacanas gostavam de sentar na mesa com ele.

Tarso bebia, comia(pouco) e quando um dos bacanas ia ao banheiro, ele pegava o cartão de crédito do cara que ficava encima da mesa e pagava a conta. Assinava a nota...


*Na volta do banheiro, o bacana queria pagar e ele anunciava:

- Deixa tudo que eu já paguei...


*Arno Maciel e a repórter Bia Falpo subiram ao andar de Roberto Marinho pra cobrir a assinatura de um contrato com a presença de ministros de Estado.

*Roberto Marinho foi cumprimentar seu funcionário e este lhe deu amão esquerda.

*A repórter e colega ficou com o rosto corado de vergonha,depois,dentro do elevador quando foram descer.

- Eu era Brizolista, diz Arno. Não consegui aper tar a mão dele,dei a esquerda porque queria mostrar minha contrariedade.

Ministro dos Transportes participa de feira naval no RS

O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, participa, nesta terça-feira (20/03), dos eventos de abertura da 1ª Feira do Polo Naval, edição que acontece em Rio Grande, no Rio Grande do Sul. O ministro visitará as instalações do Centro de Oceanografia da Furg.

Às 12 horas, após visita técnica ao Polo Naval do Rio Grande, a comitiva ministerial participará da Abertura Oficial da 9ª Edição do Congresso Navegar, com cerimônia de entrega do Troféu “Porto Fiel” aos maiores clientes do Sistema Portuário Gaúcho da última década, em evento que acontecerá na Câmara de Comércio do Rio Grande.

À tarde, acontece a abertura dos Pavilhões de Expositores da Feira do Polo Naval, com palestra do ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, programada para as 15h, no Painel “O Polo Naval: uma visão multimodal”.

A Feira do Polo Naval está montada em área de 15 mil metros quadrados, no Centro Integrado de Desenvolvimento Costeiro (Cidec-Sul), e contará com cerca de 200 estandes, dois auditórios, salas para rodada de negócios, espaço para workshops e 1,5 mil vagas de estacionamento. No local serão realizados o 9º Congresso Internacional Navegar, o Navitec 2012, a 5ª Rodada de Negócios Sebrae e o Seminário de Direito.

Acompanham o ministro Paulo Sérgio Passos, nos compromissos agendados em Rio Grande, o secretário de Política Nacional de Transportes, Marcelo Perrupato, e o diretor do Departamento do Fundo da Marinha Mercante, Gustavo Sampaio.

A abertura oficial do evento será às 19h30 do dia 20 no Centro de Eventos do Cidec-Sul e o credenciamento de imprensa pode ser feito pelo seguinte endereço eletrônico: http://www.polonavalrs.com.br/feira.html.

Serviço
Ministro dos Transportes profere palestra na 1ª Feira do Polo Naval
Local: Centro de Eventos CIDEC SUL – Campos Carreiros/FURG – Auditório Oceanos
Av. Itália, Km 8 – Carreiros – Rio Grande/RS
Data e hora: Dia 20 de março, às 15 horas

Sem sapatos, mas com os pés

Por Carlos Chagas

Misto de filósofo e poeta, tendo vivido quase cem anos e viajado por todo o Oriente Médio, mais a Índia, o Egito, a Pérsia, a Etiópia e o Norte da África, Mulid ud-Din Abdala, conhecido como Sadi, inovou a literatura do Islã nos anos 1.200 por contar e cantar o óbvio. Certa feita explicou que parou de queixar-se por não ter sapatos quando conheceu um homem que não tinha pés.

O episódio se lembra a propósito da reação dos partidos da base parlamentar governista hoje em guerra com a presidente Dilma por não conseguirem mais ministérios, diretorias, nomeações e benesses como desejariam. Já conseguiram muito, mas querem sempre mais.

Queixam-se de não ser atendidos em seus pleitos e exigências e ameaçam votar contra os projetos do governo, não por discordarem ou sequer por possuírem opinião sobre os textos, mas simplesmente para conseguir sapatos.

Deveriam perceber que ainda conseguem andar, mesmo descalços, quando poderiam muito bem não ter pés. Longe de ter sido aplacado, o confronto entre o palácio do Planalto e o Congresso poderá acirrar-se esta semana.

A presidente Dilma repete não aceitar chantagens e prefere o adiamento de qualquer votação importante na Câmara e no Senado, imaginando serenarem os ânimos. Mas a turma da goela aberta mostra-se disposta a insistir. Querem derrotar o governo no Código Florestal, na Lei da Copa e em outras propostas delicadas. O risco é de não conseguirem sapatos e de perderem os pés.
SE CORRER O BICHO PEGA, SE FICAR…
Passam as semanas e a presidente Dilma, salvo manobras em segredo, não se dispõe a escolher os sete integrantes da Comissão da Verdade que terão dois anos para investigar a participação de antigos agentes do poder público na prática de torturas e crimes ainda mais graves durante os anos do regime militar.
Enquanto isso, avoluma-se o número de oficiais da reserva das forças armadas signatários do manifesto de protesto contra a lei aprovada e seus possíveis efeitos. Já passam de 150 os generais que assinaram. Mais os coronéis e outros companheiros, breve chegarão a mil.
Parece claro que punições por excessos e malfeitos permanecem fora de cogitação, dada a Lei da Anistia reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal e ainda agora reafirmada por um juiz da primeira instância, no Pará, por conta de denúncia contra o coronel Curió.
Mesmo assim, despertarão graves conseqüências a apuração e a identificação dos autores daquelas

práticas execráveis. Uma delas é de que os trabalhos da Comissão da Verdade serão expostos integralmente pela mídia, e que os acusados pretendem defender-se denunciando ações e personagens do terrorismo.
Porque também se torturou, assassinou e seqüestrou do outro lado. Nomes vão aparecer, de lá e de cá, muitos que parecem longe de estar na reserva. Em suma, um ajuste de contas que a anistia apagou, por mais doloroso que seja.

ESCLARECIMENTOS

Em resposta à matéria “Presidente do PT briga com ativista em plenário”, publicada na edição desta sexta-feira (16/03) do Jornal do Comércio, informo que, ao deixar o púlpito, o senhor Leonardo Soriano passou por mim proferindo palavras de baixo calão, provocando-me e esbarrando propositalmente. Levantei-me e me defendi, pedindo intervenção dos seguranças da casa e o uso da palavra em Plenário.
Também destaco a diferença de espaço recebido na matéria por mim e pelo cidadão envolvido, ali citado como “ativista”. Sequer fui procurado pela repórter Bárbara Gallo para dar a minha versão do ocorrido. Acredito que esta jornalista tenha passado por cima de uma das máximas da profissão: informar com isenção e exatidão, ouvindo sempre os dois lados do acontecido. Reafirmo aqui que em momento algum fui procurado pela repórter.
Por fim, apesar de Presidente do PT de Porto Alegre, na Câmara Municipal, minha função é a de vereador e não de dirigente do PT, como especificado no título da matéria e foi enquanto vereador que usei a palavra para defender-me de ofensas e do desrespeito com a Instituição na qual cumpro meu 4º mandato.

do blog do Adeli Sell

DROPS DE BRASILIA


*a PRESIDENTA DILMA ROUSSEFF costuma gravar seu boletim CONVERSA COM A PRESIDENTA aos finais das tardes de domingo. E isto provoca um corre-corre entre os assessores que vou te conta. Minha fonte neste sentido é tri quente...


*O PT estarai apenas esperando o ex-presidente Lula melhorar pra dar um chega pra lá na candidatura de Fernando Hadad, que parece não decola.


*Quem seria o plano B, a senadora Martha Suplicy???


*Josef Blatter está bem assessorado no Brasil. É um empresário, que studou no colegio Conceição, em Guaporé, junto com luminares da inteligência nacional como Serginho Ros, Nelson Assoni( o popular Janguta) entre outros. Fora de brincaceiras, os irmãos maristas não brincam em serviço.

*Este empresário teria confidenciado a um amigo desta coluna que a Copa de 2014 aqui no Babanão, como diz o Mendelski, da Guaíba , esatria por umfio....

*Tão olhando lá de fora com olhos tortos, porque dizem que a história da cerveja nos estádios - venda - o Brasil sabia que seria sssim desde que aceitou que a Copa fosse aqui.

*E parece que já estariam a fim de levar pra terra aquela onde nasceu o futebol.

*Todo fim de manhã o ministro dos Transportes, Paulinho Passos está " demitido". Mas no fim da tarde chega outra contrainformação de que a presidenta ainda não decidiu7 nada. E isto deixou os assessores dele com TPM...diária.

Coleguinhas


*Tem coleguinhas que me pediram pra atiçar a briga entre o REMINDO SAUIM e o Charqueadas. Eu não faço isto. quando eles debatem é de pura e livre vontade.


*Quem gostava de estimular uma quizilha era o finado FAGomes. que fazia aquilo com maestria. ele costuma atiçar o VIEIRINHA CONTRA O BALDI. mas depois iam todos comer pizza junto

*Outra quizilha que o FAGomes incentivava era do Frei aquele vermelhinho da paróquia de santo antônio - estes dias vi que escreve agora no DG - contra o Baldi...

*Aquele frei é um baita de uma artista. Irineu Costela é o nome dele. A Igreja não gostou de seu grande cartaz e o mandou pro interior de Caxias, durante dois anos, sem paróquia. Agora parece que ganhou uma...que castigo, hein..


*Lá em Serafina, a Igreja castigava de outro jeito. O padre dava o nome das mulheres adúlteras no púlpito da igreja...

*Parece medieval mas nos anos 60 e 70 ainda existia isto.


*Jurandir Soares estava ontem em SFrancisco na California, de onde mandou boletim. Como viaja este comentarista. Será que é tudo pago pelos " bispos"???Duvidoooooooo!!!!


*Bom era o Herbert Levy que mandava seus funcionários não aceitar nenhum toco...bom mas este podia. era dono da Gazeta Mercantil.


*Imagina se estes repórteres parerem de aceitar toco de viagem, não tem mais viagem nenhum. Porque são poucas as empresas que bancam as viagens dos seus repórteres. Os demais viajam vendendo seus patrocínios, ou seja, se empresariando.


*Ou vocês imaginam que todas as viagens pelo mundo - europa ,estados unidos - que os " cartéis" da imprensa que lida com automobilismo é pago pela empresa...que n ada. geralmente é pela indústria automobilistica mesmo...

 

De Brasília

Por Serginho Ros!


Olides
Os fotógrafos brasileiros estão de luto. É que faleceu domingo aqui em Brasília o veterano fotógrafo Renato Pinheiro,
um grande amigão de todos os "retratistas" e um grande profissional. Trabalhou por muitos anos na Presidência da República.
Em 1952, quando era fotógrafo do nosso conterrâneo Presidente Getulio Vargas, na campanha "O Petróleo é nosso", fez a famosa foto em que o Presidente aparece com as mãos sujas de petróleo (o Lula tentou repetir a foto alguns anos atrás, sem sucesso. Faltou o charme do velho GG).
Renato era de Capela (SE) e logo foi cedo para o Rio de Janeiro, onde trabalhou no então famoso DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda ). Lá, conheceu o Presidente Getúlio, que o levou para o Catete. Com a transferencia do governo para
Brasília, Renato mudou-se para cá de mala e cuia. Passou a ocupar um cargo importante no setor fotográfico do Palácio do Planalto.
Renato, que morreu de infecção generalizada, trabalhou até o início do primeiro mandato do ex-presidente Lula. Depois se
aposentou.
Em 1974 ou 1976 - não me recordo o ano certo (estou ficando idoso) - estávamos em Londres, cobrindo a visita do Presidente Geisel à Inglaterra.Tínhamos acabado de chegar. Fazia um calor pior que o de Porto Alegre. Saimos do nosso hotel e fomos procurar um "pub" que ficavava em frente a onde estavamos, para beber uma cervejinha, ,já que ninguém é de ferro. Quando fomos atravessar a rua, instintivamente olhamos para a nossa direita para ver se não vinha nada no corredor de ônibus. Quase viramos noticia. Quase fomos atropelados. Não nos demos conta de que o transito, por lá, é feito pelo lado esquerdo. Foi só um susto, esquecido depois de um quinto ou sexto inocente chopinho...

Governo lança Jirgs, Cergs e Gauchão Polar de Várzea

O Secretário Estadual do Esporte e do Lazer, Kalil Sehbe, lançou no dia 15 de março de 2012, o 1º Campeonato Escolar do RS, Cergs, os 40º Jogos Intermunicipais do RS (Jirgs) e o 1º Gauchão Polar de Várzea. O Secretário afirmou, durante a solenidade, que o objetivo é fomentar o esporte escolar e amador.
No lançamento oficial, em Porto Alegre, foram apresentados esses três grandes eventos para 120 municípios do Estado, mas o objetivo é abranger os 496 municípios. Representando Serafina Corrêa, o Diretor Sandro Marques, da Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo, esteve participando do evento, contribuindo com dados importantes e destacando a participação do município nas atividades esportivas.
Esteve presente também o campeão olímpico de vôlei Paulão, que destacou que o esporte deveria ser inserido na vida de todas as pessoas.
O jogador e bi-campeão da Libertadores Tinga afirmou que o 1º Gauchão Polar de Várzea deverá ser o maior campeonato de várzea do mundo.
Com o lançamento desses importantes eventos esportivos, as Secretarias Municipais podem iniciar a organização das equipes, incentivando a participação, a prática esportiva, a saúde e o lazer.

RECADO AL FIOL DEL ZATOR IN TELA SPARTNA E CENTENÁRIA PALMEIRA DAS MISSÕES


UM MORADOR DA PENSAO DEL ZANATTA, QUE EL ZERA RESTA LA EM 1969 TE MANDA DIR QUE LA FIOLA DE LA PARONA, - GENTE FINA PRA CARAMBA - NO LA ZE MIA ANCORA BONA COMO QUANDO TI TE VOLEVA PINCHAR-LA.....

( PRA QUEM NÃO ENTENDE DIALETO: PREZADO FULANO DE TAL....UM ANTIGO MORADOR DA PENSAO DO ZANATTA MANDA TE DIZER QUE A FILHA DA DONA NÃO É MAIS AQUELA QUE MEXEU COM TUA LIBIDO...VAMOS TRADUZIR ASSIM, OK)

Gustavo Arnhold expõe pinturas até sexta-feira



Sexta-feira (23/3) é o último dia para visitar A Pintura e o Comum, exposição de Gustavo Sossmeier Arnhold, no T Cultural Tereza Franco da Câmara Municipal de Porto Alegre (Avenida Loureiro da Silva, 255, 2º piso). Fazem parte da mostra 16 trabalhos em acrílico e nanquim sobre tela que retratam figuras humanas de feições deformadas e revelam as referências expressionistas do artista.

Arnhold pinta a partir do reconhecimento das características físicas e mentais e da distorção resultante da aparência. Suas figuras - na verdade nada comuns - são perturbadoras, remetem ao drama, ao desalento, à solidão, à confusão interior. De olhos desalinhados, às vezes elas parecem perdidas ou deslocadas, como atesta o artista. “Procuro relacionar o corpo mais com a expressão das pessoas retratadas, intensificada pelas pinceladas, e com meus sentimentos relacionados ao comportamento delas, que tento recolocar no trabalho através das deformações”, afirma.

Arnhold nasceu há 22 anos e concluiu o Bacharelado em Artes Visuais pelo Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) no ano passado. Participou de exposições e salões em São Leopoldo, onde mora, Sapiranga, Canoas e Porto Alegre. Na Capital, participou de duas coletivas na Galeria do Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae), em 2010 e 2011.
A exposição na Câmara pode ser visitada das 9 às 18 horas, de segunda a quinta-feira, e das 9 às 16 horas, na sexta-feira, com entrada franca. Informações: (51) 3220-4392, e-mail claudiah@camarapoa.rs.gov.br ou com o artista, pelo e-mail gustavoarnhold@gmail.com
Claudete Barcellos (reg. prof. 6481)

Painel

Devaneios

Antonio Augusto Bandeira
Depois de uma certa idade, é doloroso mexer no passado. Lembrar de pessoas que já morrerem, outras que sumiram, fazem as emoções dançarem na cabeça do velho.
Conversando com um amigo, assunto era o já acontecido, num momento. pensei que ele iria chorar.
Mas foi bom para ele, bom para mim, pois o importante enquanto se está vivo é continuar vivendo.
O passado passou. Os tempos rodopiam no correr dos anos, e não se dança nem salsa e nem samba.
Ele se lembrou de uma pessoa que lhe fizera um grande favor, garantindo seu emprego e que não sabia quando morrera e nem seu filho e esposa.Queria saber onde estava enterrado para ir rezar no seu túmulo.
Disse que
não adiantaria nada, o passado é passado, mas que a sua gratidão estava viva e no presente. Isto é que interessava.
E fico envolto em devaneios,sentindo a beleza da poesia, o eterno dos escritos, achando que a vida deve ser intensamente vivida. Até no turbilhão emocional.

AUTOMOBILISMO

Patrocínio de R$ 1 milhão a um neto de Fittipaldi é criticado na internet
Faz sucesso na internet uma mensagem sobre a extrema liberalidade do Ministério do Esporte no patrocínio do automobilismo internacional. E não é boato, não. O patrocínio realmente existe.
Vejam que absurdo! É o nosso dinheiro público liberado (por meio de renúncia fiscal), via Ministério dos Esportes. E a verba pública é usada para financiar a carreira de um neto de Emerson Fittipaldi, nos EUA. O Ministério do Esporte realmente aprovou projeto de R$ 1 milhão para o “Programa de Formação do Piloto Pietro Fittipaldi, na Fórmula Nascar”. É dinheiro da Lei de Incentivo ao Esporte, que já foi captado. Pietro, de 15 anos, é neto de Emerson [Fittipaldi], nasceu e mora nos Estados Unidos, onde disputa a categoria inferior do automobilismo. Um milhão para um menino de 15 anos, americano e de família rica, brincar de correr de automóveis nos Estados Unidos. Com o dinheirinho suado do povo brasileiro. Como diz o Gerson: “É brincadeira…..!!!!

SERGIO OLIVEIRA/CHARQUEADAS/RS

SAIU NA IMPRENSA

no diágio gaúcha da sexta passada, 16.03 uma boa matéria de interesse popular. a falta de consideração nas ruas de porto alegre com usuários de ônibus....

É que os caras só tão preocupados com a reforma do Beira-Rio( isto é ironia, me entendam, por favor...)

O QUE SAIU NA IMPRENSA




O Oskar Coester nunca foi engenheiro e justiça seja feita,ele nunca se apresentou como tal.

E o trecho de Jacarta não é transporte público. É um trecho dentro de um parque de turismo. Na verdade, o aeromóvel até hoje nunca foi usado pra transporte coletivo em local algum do mundo.

Toda a luta do Oskar é muito comovente, mas os fatos são estes.



Busatinho, como era chamado no antigo PMDB é o responsável pelo PACTO DO RIO GRANDE...que funcionou como um TRIANGULO DAS BERMUDAS fazendo muito coleguinha sumir de alguns veículos da imprensa. ....Lembram disto????

HISTÓRIA: CRISTINA KRCHNER SE CONSIDERA TÃO IMPORTANTE COMO ALGUNS ‘HERÓIS’ ARGENTINOS

Cristina busca legitimar a sua própria narrativa e o seu papel na história da Argentina. Nas entrelinhas, o que ela quer dizer com 'essas pessoas são importantes' é: 'como elas, eu também sou importante, diz, e os que seguirem minha opinião também serão.

De Buenos Aires
Gelson Farias
Olides.
Lendo o livro de George Orwell, que o meu filho me deu de presente quando estive na Nova Zelândia, vi que a presidente Cristina Kirchner se adaptaria como uma das personagens indelével desse romance. 1º Por que ela não se limita apenas em falsificar alguns fatos, mas em tentar transpô-los-á um governo de faz de conta; 2º Por que ela não quer somente o diálogo pelo diálogo, mas de mostrar para todos que tem o poder; e... 3º Por que tem vontade de ser parecida com os heróis argentinos... Será que ela vai querer reescrever a história? Foi por aí que comecei a fazer esta matéria!

O romance do visionário escritor e jornalista inglês George Orwell, de 1984, -- foi um dos escritores mais influentes do século XX. -- cita quatro instituições que formariam o governo da sua ficcional Oceania: o Ministério do Amor, o Ministério da Fartura, o Ministério da Paz e, por fim, o Ministério da Verdade. E, ao contrário do que o nome indica, este último não teria qualquer compromisso com a verdade: ele seria responsável pela falsificação de alguns fatos do passado, que ganhariam uma nova versão revisada pelo estado. Para além da ficção, deturpar acontecimentos e reescrever a história foi (e ainda é) realidade em muitos países. Entre os infindáveis exemplos que se pode citar, estão os vários tipos de censura praticados pela Alemanha nazista, pela Itália fascista e pelo regime de Pol Pot no Camboja. Na ex-União Soviética, durante o regime de Josef Stalin, livros escolares foram reescritos, jornais velhos foram reeditados, e os desafetos do ditador chegaram a ser apagado de fotos históricas, como o revolucionário comunista Leon Trotsky. Hoje, essas manobras ganharam um novo viés - igualmente preocupante. Na América Latina dos populistas, a nova mania dos chefes de estado é maquiar a trajetória de seus ídolos pessoais transformando em heróis do país.


Escritor e jornalista inglês George Orwell,
A última que aderiu ao grupo delirante foi a presidente argentina Cristina Kirchner, que esta semana determinou por decreto que o país terá a sua história revisada. Mas não tudo, claro, apenas alguns personagens. Os de sua preferência serão exaltados, como o marido Néstor Kirchner, morto há um ano, e Evita Perón, com quem compara sua "história de amor". Por outro lado, quem não lhe desperta nenhuma admiração terá a importância minimizada. A tentativa da chefa de estado de impor sua própria ótica ao mundo - diretamente ligada ao ego e ao apego ao poder - lembra iniciativas ainda mais autoritárias de seus colegas bolivarianos. Quem lançou a proposta de "refundar o país" foi o venezuelano Hugo Chávez, ao anunciar um plano de doutrinação embasado na reforma do currículo escolar de instituições primárias e secundárias do país, em 2007. A ideia - inspirada no autoritarismo de Fidel Castro em Cuba - foi imitada por seu pupilo Evo Morales, que inventou um "Estado Plurinacional" a fim de destacar os índios de forma excepcional na Bolívia.

Cristina com a foto do marido, a quem também pretende exaltar como seu herói.


Não é de hoje que o governo argentino tem se mostrado bastante preocupado com a imagem pública de sua gestão. E como para Cristina a imprensa local "distorce a realidade", ela decidiu agir por conta própria para dar a sua versão dos fatos, moldando o passado para que o presente pareça mais coerente. Financiado com recursos públicos, o novo instituto terá na linha de frente o historiador Mario "Pacho" O'Donnell, que coordenará uma equipe de 33 pessoas, entre historiadores, ministros, dirigentes e jornalistas - todos aliados da presidente. O objetivo da organização é "estudar, investigar e difundir a vida e a obra de personalidades e circunstâncias que não tenham recebido o reconhecimento adequado no âmbito institucional e de caráter acadêmico", diz o decreto 1880 - sem especificar o que Cristina entende por estudar e investigar.

Mario "Pacho" O'Donnell historiador de cabelos brancos.

"O revisionismo histórico de figuras e episódios importantes para o governo atual buscar olhar para o passado com os olhos do presente, ignorando qualquer rigor científico da busca por uma verdade histórica". Na semana passada, durante um encontro, apresentado pelo canal 26, o professor de Relações Internacionais da Universidade Católica Argentina (UCA), Jorge Liotti, comentou sobre este assunto. Disse ele...
“Além da falta de conexão com a realidade, reorganizar as referências históricas de um país a seu bel-prazer é também uma forma de manipular a opinião pública. Por mais que as pessoas tenham a possibilidade de decidir no que acreditar, a manobra altera de certa forma os pesos e as proporções da história. E seguindo o (mau) exemplo de Chávez, Fidel e Morales, Cristina também tenta "refundar" o seu país, sem levar em conta sequer o contexto de cada época. Essas técnicas populistas, herdadas também de seu marido Néstor, estão cada vez mais difundidas na América Latina”. Finalizou Liotti.


Professor de Relações Internacionais da Universidade Católica Argentina (UCA), Jorge Liotti,

E o professor não parou ai não com sua opinião sobre o tema.
“O problema não está na simples revisão de fatos, mas sim na alteração desordenada do curso da história pelo presidente de plantão”. "Não houve nenhum novo documento que prove essa mudança de visão", afirma Jorge Liotti.
Cristina busca, através da reformulação da narrativa histórica, legitimar a sua própria narrativa e o seu papel na história da Argentina. Nas entrelinhas, o que ela quer dizer com 'essas pessoas são importantes' é: 'como elas, eu também sou importante, e os que seguirem minha opinião também serão.
Assim, Cristina transforma a história de seu país em um campo de batalha política, na boca do povo e da oposição. Os oposicionistas dizem que isso não é algo novo no país, mas está adquirindo - nesta etapa kirchnerista - uma intenção político-ideológico mais marcada. Para eles, na prática, isso significa que quem exaltar, por exemplo, o ex-presidente Domingo Faustino Sarmiento (1868-1874) - considerado na história "o difusor da educação pública", mas que para Cristina foi um líder "europeizante" e que desprezava a cultural local - se colocará contra o governo. Por outro lado, quem admirar a figura de Juan Manuel de Rosas - um tirano para a opinião pública e o "primeiro grande nacionalista argentino" para a presidente - estará apoiando os Kirchner. E essa distorção pode até levar a um embate mais sério.
No livro, escritor e jornalista inglês George Orwell, fala sobre este tema... Diz ele.
“Uma visão equilibrada da história contribui para a tolerância política, enquanto uma interpretação que a mostra como branco e preto - ou bons e maus - só provoca intolerância”.

Vale a pena tirar um tempinho, as vezes , e espiar o blogdo Lauro Dieckmann..

Jornalismo da melhor qualidade.Fotos de porto alegre embaixo da enchente que os cascatinhas e mendelskis da vida não colocam,não sei porque????

PALESTRA

em pleno turno de trabalho!

Quem esteve no meio da tarde da quinta passada, dia 15/03 no 4 andar do prédio da avenida Ipiranga, 1075, pode ver o diretor do Grupo RBSEduardo Melzer e o presidente honorário do Grupo , Jayme Sirotsky dando uma palestra pra redação que ouvia tudo caladinha. Não se tem informação do que foi dito.

" O Melzer estava acompanhado de várias secretárias que o assessoravam com tables" conta o visitante que assistiu a cena.

Não se sabe se o assunto também tocou nas demissões do grupo que vem ocorrendo durante todo o ano passado, que atingiram a 120 jornalistas.

ENTREVISTANDO


AS MENINAS Da CARMEM


cLAUDIO BRITO, apresentador da Gaúcha, estava na semana passada numa roda contando que numa certa madrugada o apresentador da Gaucha começou a colocar no ar entrevistas com gurias do Carmens Club( um cabaré da cidade baixa).

O Pedro Ernesto Denardim, que estava no exterior, mas que estava sintonizado na rádio, ligou pra Porto Alegre e entrou no ar perguntando pra guria:

- Fulana eu sou o Pedro Ernesto, te lembras de mim...

Em casa, a esposa do presidente do grupo RBS, Nara Sirotsky ouviu aquele diálogo que passava dos limites ligou pra produção e pediu pra tirar do ar na hora as gurias da Carmen....

Histórias de Coleguinhas

REAVENDO O EMPRESTIMO!

Anos atrás, o apresentador da Gaúcha,quando era repórter , o Daniel Scola,foi a SP prumevento. Um colega do Pará, olhou no crachá do Scola e perguntou:

- Tu é do Sul, comof aço pra falar com o Faridinho( orepórter Farid Germano) ?

- Olha está lá, mas não sei onde..

Ai o coleguinha disse ao Scola que queria tentar reaver um empréstimo de 400 reais que fizera ao Faridinho quando os dois tinham estado cobrindo um jogo da seleção numa capital.

O Scola ficou quieto...

Desafiei o Mauro a escrever a história dos quatro que vinham fazer examede seleção pro Julinho em fins de 1968...

Lembro apenas da garagem que tinha na frente, acho que ainda tem, chamada Night and Day...eu não passava dali, na minha volta noturna, quando ia pegar uma fresca...

No dia do exame no Julinho,fiquei nervoso e tive uma enorme caganeira. Resultado:fui mal na prova, porque estava preparado.Mas tinha feito no Pio XII no centro e lá passei. o o gasparein(Irceu) que comia todas aquelas professoras do Julinho( bem que ele fez) me arrumou a transferencia pro Julinho...onde estudei 3 anos e onde minha vida mudou, porque ali conheci gente que me fez perder as saudades de La Undeze...

Olides !

Com certeza, noantri, quatro bauqui de laundeze, son dato Porto
Alegro( como diziam os colonos-de forma não pejorativa os colconos,
senão não me elejo na espartana)

Amanhã, sábado, vou tirar para escrever algumas histórias e não
estórios, sobre nossa triunfante chegada a POA, em dezembro de 1968.

Um abraço.

E a foto te la "renner" em minha homenagem andove?


Obrigado por interceder junto ao Bico Branco, para que tenhamos uma
rua( lá no Gramadinho, no meio do povo, compreendeu ? com op nome do
Exator."O povo de quem fui escravo, jamais será escravo de ninguém
!!!!!!!!!!"

ENCONTRO LATINO-AMERICANO POR MEMÓRIA, VERDADE E JUSTIÇA


5° ENCONTRO LATINO-AMERICANO POR MEMÓRIA, VERDADE E JUSTIÇA.
CUMPRIR COM A VERDADE
5° ENCUENTRO LATINOAMERICANO POR MEMORIA, VERDAD Y JUSTICIA.
CUMPLIR CON LA VERDAD


Porto Alegre será sede, de 30 de março a 1º de abril de 2012, do 5º Encontro Latino-Americano por Memória, Verdade e Justiça > CUMPRIR COM A VERDADE.


O Movimento de Justiça e Direitos Humanos, em conjunto com a Comissão de Anistia – Ministério da Justiça, e da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul – Comissão de Cidadania e Direitos Humanos, levará a efeito o 5° Encontro Latino-Americano por Memória, Verdade e Justiça – Cumprir com a Verdade.,

O referido Encontro representa a continuidade daqueles que já ocorreram na Argentina, no Uruguai, no Chile e na Bolívia, e que possibilitam a troca de experiências e ações, objetivando avanços na luta pela Memória, Verdade e Justiça em todo o Continente.

O 5° Encontro realizar-se-á na cidade de Porto Alegre/RS, nos dias 30 e 31 de março e 1° de abril/2012, no Plenarinho da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, localizada na Praça Marechal Deodoro, 101 - Centro Histórico. O evento contará com a participação de personalidades e organizações, representando a Argentina, o Uruguai, o Chile, o Paraguay e a Bolívia, além do Brasil.

A realização deste 5º Encontro, que será de grande importância para consolidar e estreitar os laços de irmandade latino-americana, buscando escrever a nossa verdadeira história, desfazendo mentiras na luta contra a impunidade.


Jair Krischke - Presidente
Movimento de Justiça e Direitos Humanos/Brasil.


5° ENCONTRO LATINOAMERICANO MEMÓRIA, VERDADE E JUSTIÇA
5° ENCUENTRO LATINOAMERICANO MEMORIA, VERDAD Y JUSTICIA
CUMPRIR COM A VERDADE / CUMPLIR CON LA VERDAD
Local: Plenarinho – Assembléia Legislativa – Porto Alegre/RS
- 30, 31 de março e 01 de abril -

PROGRAMA:
Sexta-feira / Viernes – 30/03/2012
09,00 hs – Credenciamento/ Acreditaciones

10,00 hs – Ato de Abertura / Acto de Apertura

12,00 hs – Tribo de atuadores Oi Nóis Aqui Traveiz
Apresenta: "Onde? Ação nº 2"
Esplanada da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul

12,30 hs – Almoço / Almuerzo

14,00 hs – Mesa 1
Conteúdo e Conseqüências das Sentenças da Corte Interamericana de Direitos Humanos / Contenido y Consequencias del Fallo de la Corte Interamericana de Derechos Humanos.
Brasil: Caso Araguaia / Uruguai: Caso Gelman.
Mediador / Moderador:
Painelistas / Panelistas: Beatriz Affonso (Cejil Brasil), Pilar Elizalde (Cejil Cone Sul /Cono Sur), Victória Grabois Olímpio (Grupo
Tortura Nunca Mais RJ/Brasil) e Macarena Gelman (vítima Argentina/Uruguay).

16,00 hs – Intervalo para café – Corte para café

16,30 hs – Mesa 2
A obrigação de adequar a legislação interna às normas da Convenção Americana sobre Direitos Humanos / La obligación de adecuar el derecho interno a las normas de la Convención Americana sobre Derechos Humanos.
Mediador / Moderador:
Painelistas / Panelistas: Miki Breier (Deputado Estadual/RS - Brasil), Remo Carlotto (Deputado Nacional, Pres. Com. Derechos
Humanos Y Garantias – Câmara Deputados - Argentina), Hugo Gutierrez (Deputado de La República –
Chile) e Luis Puig (Deputado Nacional -Uruguay), Chico Alencar (Deputado Federal – Comissão de
Direitos Humanos e Minorias– Brasil).

Sábado - 31/03/2012
10,00 hs – Mesa 3
Imprescritibilidade dos crimes de Lesa Humanidade / Imprecritibilidad de los crimenes de Lesa Humanidad.
Mediador / Moderador:
Painelistas / Panelistas: Dr. Miguel Angel Osorio (Procurador / Fiscal Federal Argentina – causa Operação Condor), Drª Ana
Maria Telechea Reck (Procuradora/Fiscal Nacional en lo Penal – Uruguay – causa Bordaberry), Dr. Ivan Cláudio Marx (Procurador/Fiscal Federal Brasil Coordenador do Grupo de Trabalho Justiça de Transição), Prof. Dr. Dani Rudnicki (MJDH – Brasil).

12,00 hs – Tribo de atuadores Oí Nois Aqui Traveiz
Apresenta: "O Amargo Santo da Purificação" - Uma visão alegórica e barroca da vida, paixão e morte do revolucionário Carlos Marighella. – Local: Frente ao Memorial do Rio Grande do Sul, Praça da Alfândega.

12,30 hs – Almoço / Almuerzo

14,00 hs – Mesa 4
Comissão da Verdade / Comisión de la Verdad
Mediador / Moderador:
Painelistas / Panelistas: Maurice Politi (Núcleo de Preservação da Memória Política/SP – Brasil), Luiza Erundina (Deputada
Federal – Comissão de Direitos Humanos e Minorias -Brasil) - Jorge Vivar (Arquivistas Sem Fronteira), Vera Vital Brasil (Coletivo RJ Memória, Verdade e Justiça), Katia Nouten (Federação Internacional de Direitos Humanos – Bélgica).

16,00 hs - Intervalo para café – Corte para café

16,30 hs – Mesa 5
Para que não se repita / Para que no se repita
Nosso compromisso com a Memória, Verdade e Justiça / Nuestro compromiso con la Memoria, Verdad y Justicia.
Mediador / Moderador: Jair Krischke (MJDH)
Painelistas / Panelistas: Roger Rodriguez (Uruguay), Olga Flores (Coord. Interinstitucional Contra
la Impunidad - Bolívia), Dr. Paulo Abrão Pires Junior (Pres. da Comissão de Anistia – Min. da Justiça -Brasil), Baldemar Toroco (Crysol – Asociación de ex Presos Políticos de Uruguay), Adela Segarra (Deputada Nacional – Argentina).

18,00 hs – Deliberação sobre o documento “Compromisso de Porto Alegre, Brasil”.


Domingo – 1° de abril de 2012
10,00 hs – Visita a Ilha Presídio e homenagem aos que lá estiveram presos / Visita a Isla Penal y homenaje a los que aí
estuvueran presos.

12,00 hs – Encerramento com almoço / Cierre con almuerzo.

Antonio Augusto Bandeira



Passei 8 dias em Cancun que me pareceram muito mais. Só ficar no hotel, curtir suas piscinas, seus bares, seus restaurantes, seus shows noturnos, conversar com russos, ingleses, americanos...até brasileiros simpáticos como o casal de São Leopoldo, o médico de Porto Alegre e sua esposa, seria um programa excelente. Deixei de fazer alguns passeios interessantes- Como ir a uma badalada casa noturna e a Praia de Carmen, entre outras atrações. Mas , se Deus permitir, pretendo voltar...
Para mim, viajar é conhecer novos lugares, ou repetir os que se gosto, conhecer pessoas, ver que o mundo parece um sonho agradável...
Voltei . Avião Panamá. Pouco tempo no Aeroporto. Não deu até para olhar as grandes lojas...Voltando para Porto Alegre. Avião lotado. Vinham muitas pessoas de diversas partes dos Estados Unidos.Muitas crianças (Orlando)...New York...
Agora imaginem a situação eu estava sentado na fila 22. Tinham casais jovens com filhos nas 19, 2O e 24 que se conheciam e não paravam de falar e passar os filhos de um para o outro lado . E uma , na 19, ajoelhada de costas na cadeira, conversando ( aquilo não era conversa eram berros!) com a da 24...E o vivente agüentando...
Mas tudo vem, Chegamos.Assim como há sonhos, existem pesadelos.
Como sempre repito, uma coisa que gosto nas minhas caminhadas, é quando volto, sentir a alegria de estar na minha cidade natal, no meu canto...
Poro Alegre.


TARDE TRIPIDANTE!!!

A tarde desta sexta, dia 16.03 tinha tudo pra ser completamente esvaziada aqui na ALE...mas não é que são 5 em punto de la tarde e o povo tá todo aqui dentro???A praça da Matriz tá tri bonita,toda tomada pelo povo em protesto contra o governo e os salários do Tarso...bandeiras do PSOL tremulando,tremulando...como diz o narrador Haroldo de Souza.

CADEIA PARA OS CHANTAGISTAS

Por Carlos Chagas

Houvesse um tribunal específico para julgar crimes políticos e os senadores do PR estariam condenados. Não dá para aceitar o comportamento do senador Blairo Maggi, que pela manhã levou à ministra Ideli Salvatti uma lista de indicados para o ministério dos Transportes, ouvindo que nenhum deles servia e, de tarde, declarou haver o partido passado para a oposição. Seus companheiros acrescentaram que se o governo voltasse atrás, entregando-lhes o ministério, na mesma hora retornariam à base parlamentar oficial.
Não há outro nome para esse episódio senão chantagem. Coisa digna do Al Capone ou do Fernandinho Beira-Mar. De que maneira a presidente Dilma poderia, agora, devolver o ministério ao Partido da República? Aliás, a decisão foi tomada ontem pela chefe do governo: “NÃO MESMO!”
Como os sete senadores e os 45 deputados do PR não devolveram ao palácio do Planalto os cargos de segundo e terceiro escalão que ainda mantém, inclusive no ministério dos Transportes, a dúvida é se serão imediatamente dispensados. Pode ser que não, para o governo evitar nivelar-se com os chantagistas.
O mesmo vexame pode estar acontecendo no PDT, por conta da reação de seus dirigentes maiores à nomeação de Leonel Brizola Neto para ministro do Trabalho. O deputado estava escolhido, ainda que não oficializado, quando começaram as contestações, em especial do presidente do partido e ex-ministro Carlos Lupi.
De toda essa novela de horror flui uma expectativa positiva: não terá chegado a hora de Dilma encerrar o capítulo da transformação de seu governo em condomínio dos partidos? Revelando-se desastrosa, essa experiência parece haver-se esgotado. PMDB, PT e penduricalhos comportam-se da mesma forma. Dispõem de feudos e estão sempre ameaçando votar contra o governo caso contrariados seus interesses. Nenhum partido da base, desde a posse da presidente, apresentou sequer um plano ou programa envolvendo políticas públicas. Limitam-se a abrir a goela para deglutir nomeações, benesses e favores. Carecem de ideologia e de doutrina em condições de sensibilizar a administração federal.

DUVIDAS CONSTITUCIONAIS
Decidiu o Tribunal Superior Eleitoral, em resolução aprovada por maioria, determinar a proibição de registro para os 21 mil políticos que tiveram suas contas rejeitadas pelos tribunais de contas, se quiserem candidatar-se às eleições de outubro.
Com todo o respeito, mas o TSE integra o Poder Judiciário, não o Legislativo, não podendo, assim, legislar. Acresce que, mesmo se pudesse, careceria de condições para atropelar a Constituição, desrespeitando o princípio de que qualquer alteração nas regras eleitorais precisa ser aprovada até um ano antes das eleições.
É nulo esse adendo à lei da Ficha Limpa, apesar de simpático. Nos partidos, despertou protestos veementes. Só por milagre o Congresso votaria um dispositivo assim, capaz de prejudicar montes de correligionários. Afinal, se muitos prefeitos, dirigentes e diretores da administração e até governadores tiveram suas contas rejeitadas em função de ilícitos administrativos e penais, também é certo que outro tanto deles terá entrado na lista por desconhecimento e ingenuidade.
A questão poderá chegar ao Supremo Tribunal Federal.
LEI EFICAZ MAS INCOMPLETA
O Senado aprovou lei que regulamenta o Direito de Resposta e a Retratação, de autoria do senador Roberto Requião. Valeu, porque desde a revogação da Lei de Imprensa estavam esses dois dispositivos constitucionais sem aplicação específica, entregues à decisão dos juízes singulares, muitas vezes discordantes.
O problema é que outras definições constitucionais antes reguladas pela extinta Lei de Imprensa continuam soltas no ar. A lei dos tempos da ditadura continha preceitos execráveis, mas, em paralelo, artigos mais do que necessários. O Supremo Tribunal Federal revogou tudo, esquecido de que antes a Constituição de 1988 fez caducar as preceitos ditatoriais, com base no princípio de que a Lei Maior revoga a lei Menor. A decisão deixou os meios de comunicação pendurados no pincel, sem escada. O capítulo dos crimes contra a honra, por exemplo, definia calúnia, difamação e injúria, estabelecendo penas para quem os praticasse através da imprensa, muito mais rigorosas do que se feitas no botequim. Agora, vale apenas o que está no Código Penal, com punições bem inferiores ao mal praticado.
A discussão começou no Congresso com razoável atraso, e, mesmo assim, por partes. Uma delas dificilmente será enfrentada, talvez nem daqui a cem anos. É a regulamentação do artigo 220 da Constituição, que determina à lei criar mecanismos para a defesa do cidadão e da família dos excessos da programação de rádio e televisão. Alguém se anima? Mesmo sabendo que censura, nunca mais, e que esses excessos serão punidos depois de levados ao ar, qual o deputado ou senador com coragem bastante para enfrentar as redes e seus barões?
UM AVESTRUZ NA COPA DO MUNDO
O tatu parece escolhido como mascote dos jogos da Copa do Mundo de 2014, mas se fosse pelo líder do governo na Câmara dos Deputados, seria o avestruz, aquele que enterra a cabeça na areia em meio à tempestade. Para não ter que enfrentar a exagerada ira da bancada evangélica, Arlindo Chinaglia retirou do texto da Lei da Copa o artigo que permitia a venda de bebidas alcoólicas nos estádios onde se realizarão os jogos. Claro, há mutreta por parte da Fifa, que imporá a venda de apenas uma marca de cerveja, aquela que patrocina a entidade. Mesmo assim, tratava-se de um compromisso assumido pelo então presidente Lula com o estranho Joseph Blatter, quando da decisão pelo Brasil.
Hoje, por coincidência, o presidente da Fifa será recebido pela presidente Dilma. Se souber da retirada, vai protestar ou pelo menos apelar.

Causos do Jornalismo
Uma correção e mais uma historinha

Acho que me atrapalhei (de tanto mencionar o Quidinho) e acabei misturando alhos com bugalhos. Ou seja, coloquei o Wilmo Medeiros e o Luiz Carlos Vaz no rol dos Subsecretários que o JC teve de contratar porque a "figurinha" não conseguia dar conta de baixar duas capas. Em vez de Wilmo Medeiros, leia-se (o recentemente falecido) Bruno Ferreira. Eram ele, Bruno, e a Moema eram quem faziam a segunda capa do JC quando o Quidinho era Secretário. Mesmo assim, ele chegava atrasado nos jantares da RBS e deixava a amada esperando com o prato vazio. Vê só!
Com o Bruno, eu tinha um esqueminha legal. Ou melhor, ele tinha comigo: na hora de fazer a contracapa, vinha me perguntar o que dava para botar de título principal. Eu mostrava um título que já tinha pronto e ele, invariavelmente, exclamava: "Ah! tá bom, me dá esse título." E lá ia o Bruno Ferreira com o meu título e eu tinha de fazer outro (por sorte, nunca tive dificuldade para fazer escrever, ao contrário de muita gente que anda por aí).
Quando ao Vaz, ele não tem nada a ver com as trapalhadas do Quidinho. Ele, o Vaz, foi Secretário por duas vezes. Numa, saiu para o CP, quando o Ribeiro reativou o jornal e recontratou pessoal. Mas, acabou se desentendendo depois de algum tempo e saiu. Quando abriu vaga no JC, voltou. Ficou até que a Enir Gregol aprontou uma para ele. Foi assim: na época, o Jarros tinha uma rádio, a Princesa (teve uma farmácia com o mesmo nome, também, mas isso é outra história), uma rádio do tipo popular, povão. Rádio que promovia o Sambasul, um festival de música que todos os anos era realizado no Gigantinho, aquele ginásio dos Colorados. O negócio era um sucesso, lotava o Gigantinho. O ruim é que o Sambasul acontecia no domingo. Ai é que encrencou. Mandaram um fotógrafo no fim da tarde, quando o evento estava começando e o Gigantinho estava com pouco público ainda. E a Enir, com aquele jeito dela que tu conheces, resolveu dar uma prensa no Vaz, para que baixasse logo a capa do jornal (com a chamada e a foto da matéria do Sambasul) com o material que tinha, louca que estava para desativar o esquema de reportagem -- ela era a Chefe de Reportagem - e se mandar para casa. Ainda mais que, metidinha como é, torcia o nariz para uma festa a festa do populacho que era o Sambasul. E o Vaz acabou, em vez de dar um chega-prá-lá na gringa, caindo na asneira de ir na conversa dela. Prá que! No outro dia, uma das filhas do patrão e que era a mandachuva da rádio, viu a capa do jornal e 'teve um filho'. Ela, que tinha visto o Gigantinho bombando de gente, ficou uma arara com a imaguem de um Gigantinho semideserto na capa do JC. Resultado: dançou o Vaz.
Se o Vaz tivesse dado uns chega-prá-la como eu dava nela, talvez estivesse no JC até hoje. A propósito, enquanto escrevia estas mal traçadas linhas, lembrei de um dos chega-prá-lá que dei na gringa. Uma tarde, cheguei na redação e quando passei pela mesa dela, que ficava logo na entrada, ela me olhou e falou: "Sabes para onde eu vou?". Respondi com a minha 'natural' sinceridade: "Não tenho o menor interesse." Havia um sujeito sentado que ela estava atendendo, o cara arregalou os 'óios" e lhe caiu o queixo. Mas a gringa não se deu por achada: "Vou para a Rússia". Depois, andava enlouquecida para conseguir uma máquina portátil (tipo Hermes Baby) para levar na viagem e "mandar matéria". Mandou? Nenhuma. Rendeu alguma matéria na volta? Nada que prestasse.
A vida é assim...

Historias de la Undeze


A ' MALDIÇÃO'

SOBRE SABINO GASPAROTTO!


Sabino Gasparotto era um dos principais " mãos de ferro" dentro do Frigorifico Ideal isto quando o mesmo era do velho Miguel Soccol.


Mandava e desmandava, principalmente aquilo que o patrão mandava ele fazer.

Quando Serafina se emancipou, ele passou a querer mandar também nos votos dos operários , o que pro município queria dizer muita coisa.


Ele,contam quem trabalhou lá sob as ordens dele, ameaçava de desemprego quem votasse nos candidatos da Oposição. O Mauro Rocha, cujo pai foi candidato do MDB naqueles anos - a turma do Frigorifico era do partido do Governo, a ARENA,, que em termos de gozação, era então chamada de RENNER....pode,se quiser,evidente, como era feita esta coação veladamente.


Não se sabe se Sabino Gasparotto tinha tanta vocação pra exercer este poder, mas em agosto de 1954, segundo a folha de pagamento do Frigorifico Ideal, ele ganhva 5 mil cruzeiros, o mais alto salário dos funcionários, perdendo apenas para o gerente João Arroque Filho( 6 mil cruzeiros por mês) e Hermann Dietrichkeit( o alemãozinho, que se não me engano era diretor industrial do frigorifico).

Os demais funcionários ganhavam todos menos que ele.


Sabino morreu alguns anos atrás...Fui colega de duas de suas filhas, Norma e Marilde, ambas gurias muito educadas,boas colegas de quem não se pode dizer um aí...

Já o Renato , um dos dois filhos que teve, matou-se num verão de fevereiro de 4 anos atrás. Contam que o Renato,separado da mulher - com quem teve três filhos - teria gastado 60 mil reais que era da poupança que ele tinha em conta conjunta com a mãe( da familia Isoton)

Um dia, a mãe, desconfiada do destino dinheiro, disse ao filho que era pra ele iniciar a compra de algumas madeiras e cimento que ela queria fazer ...Ele deu uma enrolada bacana na mãe e numa noite de muito calor, na hora que ambos se preparavam pra ir dormir, ele pediu pra mãe, com quem estava morando em Serafina - deixara Porto Alegre, onde morou muitos anos - que sentasse ao lado dele, que ele queria lhe falar...

A mãe desculpou-se dizendo que estava muito cansada e que iria deitar-se...nunca suspeitou da tragédia que ocorreria na manhã do dia seguinte, um dia útil....

Renato foi dormir e de manhã levantou-se, pegou o carro e dirigiu-se em direção a linha doze, fora da cidade. Entrou numa plantação de figos da familia Cochefviz,estacionou o carro e deu-se com o 38 do pai dele(Sabino) dois tiros certeiros. Morreu na hora.

O carro ficou ali e à medida que o calor foi aumentando - lembram os moradores de Serafina que era um dia muito quente - e os colonos quando saiam da roça, ao meio-dia,viram o carro lá ainda. De manhã,quando foram pra suas lides roceiras, os vizinhos colonos pensaram que fosse algum comprador defigos, de fora do municipio, que tivesse ir ver a qualidade das frutas...Isto era comum acontecer.

Ao meio-dia, estranharam que o carro ainda estivesse ali estacionado sob os figueiros.


Mas quando voltaram do trabalho da noite, viram de novo a mesma cena e ligaram pra Polícia.

Imediatamente, a Polícia foi pra lá e as moscas verdes já estavam em volta do carro,porque o cheiro do sangue tinha se propalado e os insetos estavam sendo atraídos pelo cheiro, devido ao forte calor.


Renato foi enterrado em Serafina e no túmulo da família.

Norma já tinha morrido alguns anos atrás e poucos meses atrás, faleceu de câncer, depois de uma longa enfermidade a Marilde.

Um dos três filhos de Renato - os três moravam na Italia - regressou no ano de 2011 e comprou a lotérica Cervieri, que era da Marina, filha do Ewaldo.

Ele trocou o nome de Lotéria Cervieri para lotérica Gasparotto.

Quando sento na barbearia na frente da lotérica,onde antes funcionava o bar e a sorveteria do NONO MENEGHIM( PAI DO BRUNO MAROCCO) lembrou-me da triste história da familia Gasparotto.

No dia do enterro da Marilde, que também foi enterrada em Serafina , notumulo da familia, - embora tenha vivido a vida toda na zona sul de Porto Alegre - a mãe dos três irmãos mortos, consolava-se no colo do último filho que teve com Sabino e que ainda vive. Mas este nunca casou.


ARGENTINA: AGORA TEM CERVEJA PERONISTA

Ficar embriagado com o peronismo não é mais uma metáfora. Isso é possível graças a quatro cervejas lançadas na capital argentina. O peronismo, que está presente em todos os âmbitos da sociedade local - em estátuas, murais e ruas -, agora virou bebida em homenagem a Juan Domingo Perón, a Evita e Cristina Kirchner.

De Buenos Aires
Gelson Farias

Enquanto no Brasil nossa mídia empresarial faz das tripas coração para desmoralizar a política e os políticos, imbecilizando amplos setores da classe média, na Argentina nossos hermanos dão uma lição de politização ao levar suas paixões partidárias não apenas para os espaços de poder, mas também para as mesas dos bares e cafés de Buenos Aires. A maioria reúne militantes, dirigentes do Partido Justicialista, da presidente Cristina Kirchner.
O badalado bar Perón Perón é um exemplo bem bacana. Há cerca de seis meses os donos do bar trabalhavam na preparação do lançamento da linha de cervejas temáticas em homenagem ao Partido Justicialista e a Evita Perón. Mas o assunto já vinha sendo divulgado de boca em boca. Uma ‘loira de nome imponente’, uma ‘preta proletária’, uma ‘ruiva revolucionária’ e uma ‘extra forte’ formam o quarteto das primeiras ‘cervejas peronistas’ da Argentina, uma criação que espera cativar os militantes justicialistas com muito sabor e humor.



Daniel Narezo, militante peronista desde criança e um dos donos do Perón Perón.

As novas cervejas artesanais foram desenvolvidas a partir de uma ideia de Daniel Narezo, militante peronista desde criança e um dos donos do Perón Perón, um bar temático do bairro boêmio de Palermo. Há alguns meses sendo vendido neste bar, o vinho El Justicialista, um tinto feito para atender o gosto militante popular, possui mercado garantido entre os discípulos de Juan Domingo Perón, três vezes presidente da Argentina. Mas, para os frequentadores deste bar, ainda faltava uma bebida elaborada especialmente para o local, onde as noites portenhas exigem um pouco de espuma nos lábios.
‘Não pretendo que essa simbologia seja muito maior porque, no final das contas, estamos falando de cerveja. Mas, nos pareceu divertido. É uma boa opção para mostrar que podemos criar bons produtos sem ser uma multinacional’, declarou à Agência Efe Narezo. A loira, uma cerveja tipo golden ale se chama Evita, em homenagem à segunda esposa de Perón e ‘chefe espiritual’ dos peronistas. A preta, uma robust porter com aromas de café e chocolate, foi batizada de 17 de Octubre, uma homenagem à mobilização de milhares de operários – conhecidos como ‘cabecitas negras’ – na Praça de Maio de Buenos Aires, em 1945.


Vinho El Justicialista, um tinto feito para atender o gosto militante popular, possui mercado garantido entre os discípulos de Juan Domingo Perón,

A vermelha, tipo pale ale, leva toques cítricos de frutos vermelhos da Patagônia e é chamada de La Montonera. Essa cerveja comemora o espírito revolucionário dos caudilhos no século 19 e dos jovens peronistas da década de 1970. Já a extra forte – uma cerveja scotch, com 7% de teor alcoólico -, é feita com malte caramelizado e tostado, deixando um sabor doce na boca. Essa cerveja se chama Doble K, em alusão ao falecido ex-presidente Néstor Kirchner (2003-2007) e sua esposa e sucessora, Cristina Fernández de Kirchner.

Cervejas peronistas.

‘A Doble K é uma cerveja poderosa, carregada. Tem a ver com esta tendência atual de Cristina, Engarrafada em vidro, com uma produção inicial de seis mil unidades, as cervejas peronistas exibem rótulos do desenhista e tatuador Maxi Espino. Como ‘elemento de coleção’, as quatro variedades também serão vendidas dentro de uma caixa de madeira com o escudo peronista e um número de série. A caixa deverá custar cerca de 90 pesos (US$ 21). No bar, a cerveja é conservada em barris e servida por uma chopeiras, fabricada a partir de quatro máquinas de costura antigas, as mesmas que Evita costumava presentear às mulheres desempregadas de sua fundação.


Alberto Castellanos, um ex-guerrilheiro e militar, mostrando a foto, em sua casa, do seu amigo e companheiro de luta na revolução cubana Ernesto Che Guevara.

Nas paredes do Perón Perón há vários cartazes divulgando essas ‘novas estrelas’ do bom bebedor justicialista. As cervejas peronistas foram apresentadas ao público no início deste mês, de janeiro em uma cerimônia que foi acompanhada por Alberto Castellanos, um ex-guerrilheiro e militar, que lutou na revolução cubana junto com Ernesto Che Guevara. Em um dos cartazes do bar justicialista, Perón aparece em uma sacada da Casa Rosada com duas cervejas na mão sob o slogan ‘o verdadeiro sabor do encontro’, uma sátira ao anúncio da marca de cerveja mais vendida da Argentina. A cerveja, que a princípio será vendida apenas no bar, é fabricada no bairro portenho de Mataderos sob-responsabilidade de Jorge Redondo, que há anos se dedica à fabricação de cerveja artesanal.
Segundo Narezo, além do folclore peronista que envolve a iniciativa, esta é uma ‘forma concreta’ de ‘apoiar um pequeno projeto de produção em mãos de argentinos’. Com seu cardápio cheio de referências ao legado peronista, o bar, o vinho e as cervejas buscam, segundo Narezo, ‘desmitificar que a política é uma palavra ruim, demonstrando que a militância pode ser exercida não só com bandeiras e cartazes’. Narezo também garante que esta proposta não agrada apenas aos peronistas, mas a todos aqueles que amam a política ou, simplesmente, querem passar um bom momento no bar e beber algo. ‘Se você tomar uma Doble K vira kirchnerista… Não, não muda nada, é sério! Mas, seria bom, não?’, diz Narezo entre gargalhadas.


Pegou no "Ai se Eu te Pego"!...

Do site Espaço Vital

O juiz Miguel de Brito Lyra Filho, da 3ª Vara Cível de João Pessoa (PB), concedeu antecipação de tutela a favor das estudantes Marcella Quinho de Ramalho, Maria Eduarda Lucena dos Santos e Amanda Borba Cavalcanti.

Elas afirmam ser as autoras da música "Ai se Eu te Pego", sucesso na voz de Michel Teló.

Pela decisão, o dinheiro arrecadado com a venda e distribuição do hit do sertanejo está bloqueado. A decisão inicial mandou citar a Editora Musical Panttanal Ltda., a cantora Sharon Acioly, o compositor Antônio Diggs, a empresa Teló Produções Ltda, o cantor Michel Teló, a Gravadora Som Livre Ltda. e a Apple Computer do Brasil Ltda. (Proc. nº 200.2012.070.075-8)

Mais detalhes

* A decisão determinou também que fossem apresentados o balanço contábil do faturamento da canção, mantendo o crédito indisponível para o julgamento da ação. A febre de "Ai se eu te pego", que se espalhou pelos gramados de futebol de todo o mundo e chegou até mesmo a soldados israelenses, fez com que Teló criasse também versões em outras línguas.

* Além disso, a liminar estabelece que as gravadoras Som Livre e Apple do Brasil informem judicialmente toda a arrecadação com operações comerciais, nacionais e internacionais, relativas à canção. O prazo para informação à Justiça é de cinco dias, depois da citação, sob pena de multa diária de R$ 50 mil. O escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) também deverá ser notificado para adotar as mesmas medidas.

* Para a apresentação do balanço financeiro das receitas e contas pretéritas pela Editora Panttanal, incluindo operações comerciais de cada um dos envolvidos, a Justiça determinou um prazo de 60 dias.

* Em dois meses, as rés também deverão apresentar à Justiça também os temos de acordo com Aline Medeiros Fonseca e Amanda Grasiele Mesquita Teixeira da Cruz, que alegadamente também seriam autoras do refrão da música, registrada pela cantora Sharon Acioly com seu parceiro Antônio Dyggs. As estudantes Marcela, Amanda e Maria Eduarda também reivindicam a coautoria do refrão de "Ai se eu te pego".

* Segundo o ação, tudo teria começado em 2006, durante viagem do grupo de amigas à Disney, quando a brincadeira foi criada. Três anos depois, ela foi levada por parte das meninas para um show de Sharon, no Axé Moi, em Porto Seguro (BA). A cantora, então, impressionada com a dança das jovens, repetiu o refrão no palco e afirmou: “Música nova, composição das minhas três backing vocals de João Pessoa”, conforme mostra um vídeo amador disponibilizado no YouTube.

* Mas não são apenas as estudantes que estão de olho no faturamento do hit. A dentista Ana Carolina Lago, ex-mulher de Michel Teló, de quem se separou depois do sucesso do cantor, também requereu - mas em uma ação de separação - a movimentação financeira do marido, no ano passado. Ela quer conhecer também o faturamento das empresas de Teló. O casal se separou no fim de 2011. Teló se casou com Ana há três anos, depois de outros quatro anos de namoro. Na época, o cantor ainda era integrante do grupo sertanejo Tradição.

PALACIO ILUMINADO

Foto: Alfonso Abraham

NA ULTIMA SEGUNDA, TAVA SAINDO AQUI DA ASSEMBLÉIA JUNTO COM O COLEGA JCTERLERA, QUE PRA VIR PRO SEU BUNKER APENAS ATRAVESSA A PRAÇA DA MATRIZ - O TERLERA ME LEMBRA O FILOSOFO EMANUEL KANT( CRITICA DA RAZÃO PURA) QUE QUANDO CRUZAVA A PRACINHA DE SUA PEQUENA ALDEIA ONDE RESIDIA NO INTERIOR DA ALEMANHA O RELÓGIO DA TORRE DAVA 4 BADALADAS SINALIZANDO QUE ERAM 4 DA TARDE - QUANDO CRUZEI PELA ALEMOA, A ESPOSA DO ESPANHOL QU ESTAVA NO CELULAR AO LADO DO SEU CARRO.

COMO A ALEMOA FAZ TRATAMENTO CONTRA UM CANCER ELA ESTÁ DE PERUCA E ISTO RECONHECI. PERGUNTEI PELO ESPANHA E ELA ME DISSE QUE ESTAVA AI NA PRAÇA DA MATRIZ, A FAMOSA PRAÇA QUE ASSISTIU CENTENAS DE MULHERES TIRAREM AS CALCINHASE JOGAREM NO JANGO PORQUE ELE NÃO DISCURSOU NA SACADA DO PALÁCIO PIRATINI QUANDO VOLTOU DA CHINA POR ACORDO QUE TINHA FEITO PRA PODER ASSUMIR NO PARLAMENTARISMO PROVANDO QUE O HOMEM ERA MOLENGA MESMO , FAZENDO FOTOS DO PALÁCIO ILUMINADO. DEVE SER PRA SEMANA DE PORTO ALEGRE,SEGURAMENTE QUE O ESPANHA NÃO QUEIMA POLVORA EM CHIMANGO.EIS A FOTO ENTÃO DO PALÁCIO ONDE HOJE O PT MANDA.

Industrializar é preciso

Flavio José Bortolotto

Desde 1841, no seu excelente livro “Sistema Nacional de Economia Política”, o economista alemão que viveu muitos anos nos USA, Georg Friedrich List, nos mostrou as grandes vantagens da industrialização.
As forças produtivas da nação, sendo ativadas na indústria, criam dinamismo multiplicador na economia como um todo, decuplicam o valor das terras, atraem capitais e principalmente talentos, trazem imigração, desenvolvem um grande comércio, uma grande Marinha, um grande setor financeiro. Multiplicam enormemente o capital e dão autonomia à Nação.
A indústria é o setor que paga os maiores salários médios, gerando uma sociedade de classe média. Isso tudo, e muito mais, “valia um grande esforço de protecionismo” para ser implantado. Protecionismo tem custo, mas bem conduzido sai muito barato.
Os USA, a Alemanha, França e Japão entre outos, no Sec. XIX, pagaram o preço e colheram/colhem os abundantes benefícios. A Inglaterra foi a pioneira na “Revolução Industrial” portanto não precisou pagar esse preço, se industrializou primeiro que todos, e escondeu ” a sete chaves” o seu segredo, que é a alma do negócio: comprar de todo mundo, produtos agrários, algodão, lã, grãos, madeiras, minérios, etc, enfim commodities, e vender para o mundo todo, a bom preço, produtos industrializados, tudo financiado pelos seus bancos/seguradoras e transportados em seus navios.
Taxa de juros e taxa de câmbio favorecendo plenamente a estratégia. Balança comercial totalmente favorável nos “visíveis” e “invisíveis”, com o grande excedente reaplicado totalmente e capitalizado na expansão da industrialização. O famoso livro do pai dos economistas Adam Smith, de 1776, “Uma Investigação acerca da Natureza e das Causas da Riqueza das Nações”, mostra que “laissez faire, laissez aller” é válido exclusivamente para o pais mais industrializado da época, por acaso a velha Inglaterra. O livro é ótimo, mas tem que se saber isso aí.
O Brasil só encarou o problema da industrialização após a Revolução de 30, quando o grande presidente Getúlio Vargas implantou as bases para nossa industrialização. O presidente JK deu bom impulso, continuado pelos bons governos autoritários, quando chegamos em 1985 a 50% de produtos industriais em nossa pauta de exportações.
Hoje estamos no nível de 1965, com 20% de produtos industriais nas exportações. E com viés de baixa. Todo esforço é pouco para reverter esse quadro, sob pena de cairmos do 3º para o 4º mundo. País de 1º mundo é país que cuida muitíssimo bem de suas crianças. E de suas indústrias.

Recebo esta delícia de texto do colega e amigo Lauro

Depois do homônimo, Schirmer, o Lauro que escreve aqui tem um dos melhores textos que conheço. Enxuto,direto. Diz ele que é escola do JB...não sei não, porque o Mitchell também do JB não tinha um texto assim tão bom. embora a Eunice Jacques(falecida) e o Alexandre Garcia, também tenham um belo texto.

O Lauro, o vivo, não o morto, poderia contar pra gente como era que o JB fazia os repórteres aprenderem a escrever...quando ter um bom texto tinha muito valor. Isto eu aprendi quando entrei na Zero em 1973. disputávamos quem tinha um bom texto embora o joão aveline dizia que meu texto era como ,desculpem a expressão chula, " um cagalhão" que ia e voltava pelo arroio Dilúvio. Pronto o nariz de cera ficou maior que o texto do Lauro, ou o caso do Lauro. Aliás, ele poderia fazer aqui um pequeno topico semanal chamado CAUSOS DO JORNALISMO! 10,15 LINHAS POR VEZ, NÃO MAIS QUE ISTO...


Causos do Jornalismo
O Secretário atrapalhado
Como diz a Janete, do Zorra Total, "não é certo isso que tu disse" que o Secretário aquele do JC " ficava se estressando com os seus editores ou colegas" e por isso chegava atrasado às festas de fim de ano da ZH, deixando a amada de prato vazio esperando pela sua chegada. O cara, na verdade, era muito atrapalhado (para dizer o mínimo). Todos os Secretários de Redação do JC fechavam as duas capas. Já o coleguinha em questão não dava conta do recado e deu um jeito do jornal criar o cargo de Sub-secretário para fazer a contracapa (Moema Bauer, Luiz Carlos Vaz, Vilmo Medeiros andaram por lá, não nesta ordem, fechando a segunda capa).
Uma trapalhada dele que eu lembro foi na Folha da Manhã (aí, eu mandava nele). Um dia, me pediu uma folga, para fazer um "frila". Deixei. No outro dia perguntei se tinha dado tudo certo. Que nada! Tinha faltado gás em casa e ele foi comprar. No caminho, houve um problema com o carro (furou pneu, ou faltou gasolina) e ele teve de abrir o porta-malas. Atrapalhado como era, acabou fechando o porta-malas COM A CHAVE DO CARRO DENTRO!!!!!!!! Aí, teve de buscar um chaveiro para abrir e pegar a chave. Resultado, perdeu a tarde inteira nesta inhanha e acabou não fazendo o "fila"...


roteiro do findi


não percam uma exposição de fotos sobre PARIS que está no sindibancários. O cara fez umas fotos tri apaixonantes e as legendas dizem o que ele gosta da CIDADE LUZ....exposição imperdível. DE GRATIS, POR CIMA....horários. não sei!

Memória da Imprensa


UM LOKO

GARANTIA QUE A CATHERINE DENEUVE

ESTAVA EM PORTO ALEGRE:

SABEM ONDE? NUM APARTAMENTO DA RUA SANTANA


O loko que entrou ontem,quinta, aqui na salinha JCTerlera, me fez lembrar um episódio que está no livro do João Aveline MACACO PRESO PRA INTERROGATÓRIO. Seguinte: entrou um maluco varrido na redação da zero - ou ligo, não lembro mais - e garantiu ao velho Aveline, chefe de reportagem, que tinha certeza que a atriz CATHERINE DENEUVE estava em Porto Alegre hospedada no bairro Santana, numa rua que ele sabia onde ficava. Queria que o velho mandasse um repórter e um fotógrafo com ele pra ir lá fazer as fotos.

Aveline em princípio queria acreditar no maluco...o cara dava até umas coordenadas de que isto era verdade....Imaginou um furo nacional, que seguramente somente a zero hora daria no dia seguinte.

Quando o Aveline estava quase acreditando no maluco, o Lauro Schirmer, diretor, viu que o sedutor do maluco estava quase conseguindo seu intento...Lauro se aproximou do Aveline, ou ele foi falar com o Lauro(alguma coisa assim) e ele foi desaconselhado de ir atrás da história do maluco...


Malucos assim frequentam a redação de jornaiis. ou frequentavam...aqui na salinha JCTerlera virou meio um antro de alguns malucos, desocupados, que não tem o que fazer ..ficam a tarde toda batendo papo, alguns completamente fora da realidade, como o que ouço agora de que o OSIRIS MARINS E FILHO DO LASIER MARTINS....


Enfim, na zero tinha um maluco chamado de Teixeirinha, cujo grande sonho era ter um PASSE LIVRE....

mas as vezes levava alguma dica quente pro jornal....os jornais e rádios costumam usar estes malucos de graça e dar-lhes alguma missão. Eles se sentem tri uteis com isto..

TUDO É PARTE DO JOGO...

CERVEJA QUILMES A MAIS POPULAR DA ARGENTINA COMPLETA 124 ANOS


De Buenos Aires
Gelson Farias

Quilmes é uma cidade localizada na província de Buenos Aires, Argentina. Com uma população de 575.642 habitantes, é a capital do Partido de Quilmes. Fica localizada a 16 km a Sul da cidade de Buenos Aires. O atual intendente é Francisco Gutiérrez.


A garota propaganda da Quilmes.


O nome da cidade provém de uma tribo indígena que vivia perto de Tucumán. No século XVII, após uma sangrenta revolta contra os colonos espanhóis, os Quilmes foram obrigados a mudar-se para uma redução perto de Buenos Aires, onde podiam ser controlados pelas autoridades. Esta viagem de 1000 km foi feita a pé, causando centenas de mortes. A redução foi abandonada em 1810, por se ter tornado uma cidade fantasma. A terra foi então dividida em parcelas e a cidade criada. No entanto os índios quilmes não desapareceram e recentemente pleiteiam junto ao governo argentino a sua volta a terra ancestral, a 'cidade sagrada', conhecida nos roteiros turísticos como 'ruínas quilmes', importante sitio arqueológico de Tucumán.

Durante a primeira invasão em 1806, as tropas inglesas provenientes de Montevidéu chegaram primeiro a Quilmes, tendo depois prosseguido para Buenos Aires.
Existem na cidade dois clubes de futebol: o Quilmes Atlético Club, fundado no século XIX pelos ingleses, e o Club Atlético Argentino de Quilmes, fundado mais tarde por argentinos que não estavam autorizados a jogar no QAC. Encontram-se ambos entre os clubes mais antigos da Argentina. A cidade dá o seu nome à famosa Cerveza Quilmes, tendo sido o primeiro local onde esta foi produzida.

Câmara se soma às homenagens pelos 240 anos

A Câmara Municipal de Porto Alegre, por iniciativa de seu presidente, vereador Mauro Zacher (PDT), está retomando, este ano, a participação do Legislativo nas festividades oficiais do aniversário da cidade. A programação se unifica à do Executivo em uma série de atividades. “As homenagens para comemorar a fundação da cidade, da qual todos nós temos o maior orgulho, estão acima da independência dos poderes”, afirma Zacher. “Nesse momento, nos unimos com um único objetivo, o de brindar os cidadãos com atividades culturais e também de discussão de temas relevantes, como o que esperamos para o futuro.”
A programação da Câmara abre com a presença da Ouvidoria na Redenção, nos dias 24 e 25 de março. Conforme Zacher, assim o Legislativo se aproxima da comunidade, permitindo aos cidadãos emitir a sua opinião sobre projetos em tramitação na Casa, apresentar sugestões, fazer críticas e conhecer informações sobre temas de relevância para a Capital, como o que prevê a alteração dos limites dos bairros, cujas audiências públicas vêm sendo realizadas pelo Executivo.
No dia 26 de março, data em que serão comemorados os 240 anos de fundação, durante a sessão ordinária, ocorre o período de Comunicações especial A Cidade e suas Expectativas para o Futuro. Durante 30 minutos, o arquiteto Alberto Lopes, falará sobre o tema. Lopes é urbanista e mestre em Organização e Gestão do Território pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e membro do quadro técnico permanente do Instituto Brasileiro de Administração Municipal (Ibam).
O palestrante atua ainda como consultor internacional em projetos promovidos pela Unidade de Planejamento do Desenvolvimento da Universidade de Londres (DPU-UCL); Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) e Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (UN-Habitat), tendo exercido também junto ao UN-Habitat a função de membro ad honorem do Grupo Regional de Especialistas para a América Latina e o Caribe da Campanha Mundial para a Segurança e a Posse da Habitação.
Dentro da programação da semana, que se encerra no dia 30, também estão previstas as exposições fotográficas Porto Alegre Antiga, com fotos de Virgílio Calegari, e Porto Alegre aos 240 anos, sob o olhar de Alexandre Godinho. Outras mostras escolares, em baners que são levados às escolas da Capital, serão apresentadas em versão atualizada, Intendentes e prefeitos: a história da administração municipal; Porto Alegre, Cidade Maldita. Cidade dos excluídos, Cidade desorganizada: a necessidade do Código de Posturas; Paisagens Silenciosas: visão da cidade através das obras da Pinacoteca Aldo Locatelli.
Da mesma forma, em parceria com a Central de Outdoors, diversos painéis serão dispostos em pontos diferentes da Capital para exaltar a força da cidadania para o desenvolvimento da cidade.

A PROGRAMAÇÃO
24/3 – Sábado - Abertura da Semana
10h30min – Instalação da Ouvidoria da Câmara Municipal em Praça Pública, com apresentação de Projetos de Interesse da Cidade, especialmente a proposta de alteração dos Bairros.
11 horas – Abertura da exposição fotográfica Porto Alegre Antiga, com homenagem a Virgílio Calegari, fotógrafo que registrou a vida urbana em Porto Alegre entre o final do século XIX e início do século XX.
Local: Parque Farroupilha (Rua José Bonifácio, nas proximidades do Monumento do Expedicionário).
25/3 – Domingo
Das 11 às 16 horas – Ouvidoria da Câmara Municipal em Praça Pública, com apresentação de projetos de interesse da cidade, especialmente a proposta de alteração dos bairros.

Das 11 às 16 horas – Exposição fotográfica Porto Alegre Antiga, com homenagem a Virgílio Calegari.
Local: Parque Farroupilha (Rua José Bonifácio, nas proximidades do Monumento do Expedicionário).
26/3 – Segunda-feira
14 horas – Homenagem ao aniversário de Porto Alegre:
- Palestra A Cidade e suas expectativas para o futuro, com o arquiteto Alberto Lopes.
- Apresentação de documentário com diversos prefeitos de Porto Alegre, em homenagem ao aniversário da cidade.
Local: Câmara Municipal - Plenário Otávio Rocha (Avenida Loureiro da Silva, 255 – Centro).
15 horas – Abertura das exposições
- Mostra fotográfica Porto Alegre aos 240 anos, de Alexandre Godinho
- Intendentes e prefeitos: a história da administração municipal;
- Porto Alegre, Cidade Maldita. Cidade dos excluídos, Cidade desorganizada: a necessidade do Código de Posturas;
- Paisagens Silenciosas: visão da cidade através das obras da Pinacoteca Aldo Locatelli.
Local: Câmara Municipal de Porto Alegre – espaços culturais (Avenida Loureiro da Silva, 255, Centro).
27/3 – Terça-feira
16 horas - Cinema na Câmara
Projeção do filme: Porto Alegre, meu canto no mundo – com a participação de seus diretores, Cícero Aragon e Jaime Lerner, que farão um debate com alunos da comunidade escolar.
Local: Câmara Municipal - Teatro Glênio Peres (Avenida Loureiro da Silva, 255 – Centro).
28/3 – Quarta-feira
14 horas - Plenária do Estudante
Abertura do Projeto Edição 2012 – Escola Municipal de Ensino Básico Liberato Salzano Vieira da Cunha
Local: Câmara Municipal - Auditório Ana Terra
29/3 – Quinta-feira

15 horas – Lançamento do Catálogo do Concurso Sioma Breitman de Fotografia 2011 e de mostra retrospectiva dos premiados em todas as edições do concurso.
Local: Câmara Municipal - Auditório Ana Terra (Avenida Loureiro da Silva, 255 – Centro).
30/3 – Sexta-feira

11 horas – Apresentação musical em homenagem a Porto Alegre.
Local: Câmara Municipal - Avenida Cultural Clébio Sória (Avenida Loureiro da Silva, 255 –Centro).
Todas as atividades da Semana de Porto Alegre promovidas pela Câmara têm entrada franca. Informações: (51) 3220-4378 ou e-mailimprensa@camarapoa.rs.gov.br
Milton Gerson (reg. prof. 6539)

ENTROU UM LOKO AQUI

NA SALINHA JCTERLERA.


Agora há pouco cinco da tarde desta quinta feira, 15 de março....

O cara viajava na maionese...com uma maquininha a tiracolo,magrão, o maluco entrou aqui perguntando se TEM ALGUEM DA GLObO AI..... e ai eu fiquei olhando...aquele cara, que a principio até achei que fosse sério...mas viajava na batatinha. Depois que ele falou com o Arno Maciel,a quem os loucos todos recorrem, ele disse que tinha uma denuncia muito grave, que envolvia o descobrimento de quem tinha matado o CELSO DANIEL....


sÓ QUERO FAZER A DENUNCIA PRA GLOBO, DIZIA O LOKO....


Me virei e sugeri que pegasse um avião e fosse direto ao NYTIMES...EM NOVA IORQUE QUE VENDERIA MAIS JORNAIS COM A DENUNCIA DELE DO QUE QUANDO MORREU O KENNEDY...

ELE ME RESPONDEU SÉRIO,ACHANDO QUE EU ESTAVA FALANDO SÉRIO.


AH, MAS NÃO É TANTO,DISSE TENTANDO FICAR HUMILDE....

Ai o Loko se deu conta que eu tava tirando sarro dele e ele se levantou e me disse batendo nas minhas costas:

- TUA IDEIA FOI BRILHANTE. VOU PROCURAR O CORRESPONDENTE DO NEY YORK TIMES....

ACHO QUE O LOKO É INTELIGENTE. ENTENDEU QUE EU TAVA TIRANDO SARRO DA CARA DELE.

ESTES LOKOS EU FAREJO DE LONGE.....

Recebo do fiol del zator

desde a centenária e espartana PALMEIRA DAS MISSÕES( TERRA DE BANDIDOS)

OLIDES !

QUE A FILHA DA DONA ODILA....ÇLA ZERA BONA.....MASSA BONA. NAMORAVA UM
MILICO,E FICAVAM TROCANDO CARÍCIAS( SE ARRETANDO NA REAL ), NA
PASSAGEM PARA OS QUARTOS. GAVEA LE GAMBE BELLA....OHHHHHHHHHHHHHHHHHHH.

AQUILO ME DEPRIMIA, DEVERAS, DO ALTO DE MEUS 16 ANOS DE IDADE E DE
REPRESSÃO SEXUAL IN LA UNDEZE, POIS LÁ NÃO SE ENCONTRAVA LE DONE PARA
PINCHAR E AS NAMORADAS....NHANCA PARLAR !!!!!!!!!!SOMENTE ALGUNS
GAIATOS CONSEGUIRAM FURAR O BLOQUEIO E TERMINARAM CASANDO COM LE
MOROSE GRÁVIDAS( LEMBRO-ME QUE NUM CURSILHO, IL PRETTI, CATIVO GA
DITO: "ESTOU CANSADO DE FAZER CASAMENTO A TRÊS, IN QUA LA UNDEZE, AO
QUE UM GAIATO AO MEU LADO DISSE, EM VOZ BAIXA: MA ENTÃO LIBERA OS CARA
PARA MONTAR UMA ZONA PRÓXIMO DO CAVASOTTO !)

RESIDI NO ZANATTA, JUNTO CONTIGO, MIRE E FRED, QUANDO FOMOS FAZER
EXAMES DE ADMISSÃO NO JULINHO E OUTROS COLÉGIOS.

A PENSÃO DO ZANATTA ERA O PORTO SEGURO DOS SERAFINENSES EM POA. UNS LÁ
MORAVAM, OUTROS SÓ ERAM COMENSAIS E OUTROS, PARAVAM LÁ , QUANDO IAM À
PORTO ALEGRE.

ESCREVEREI MAIS, NANTRA VOLTA, POIS TENHO QUE IER À SARANDI DOS
LACERDAS E COSTANEIRAS !!!!

UM ABRAÇO.

MAURO ROCHA

OFILIALIZARAM AS CATARATAS DO IGUAÇU COMO UMA DAS SETE MARAVILHAS DO M UNDO


As Cataratas do Iguaçu passará nesta quarta-feira a ser oficialmente uma das Novas Sete Maravilhas Naturais do Mundo após uma cerimônia na qual os organizadores entregarão a placa para ser colocada no Parque Nacional do Iguaçu.

De Buenos Aires
Gelson Farias


No encontro, que acontecerá às 18h na embaixada do Brasil, localizada na Rua Cerrito 1350, da Cidade de Buenos Aires, serão informados os resultados oficiais da contagem definitiva, cujos dados provisórios foram adiantados em novembro passado. Diante das autoridades argentinas e brasileiras, o presidente da New Seven Wonders (N7W), Bernard Weber, entregará o modelo da placa de bronze comemorativa que estará no Parque Nacional Iguaçu e nas outras seis atrações do planeta que se consagraram durante o concurso.


Cataratas do Iguaçu.

A cerimônia de reconhecimento oficial terá a participação de autoridades nacionais do turismo, e do governador de Misiones, Maurice Closs, que presidirá a conferência de imprensa. Também estará presentes o prefeito Marcelo Sánchez; o ministro do Turismo de Misiones, Horácio Blodek; legisladores nacionais, provinciais e outros funcionários do Gabinete provincial.

ALÔ, CARRIS! (I)

Recebi "mil" reclamações contra os péssimos serviços do T7: lotado, atrasado e muito mais.

ALÔ, CARRIS! (II)

Além disso, o T4 não atende corretamente a demanda excessiva no período entre 18:30 - 19:30 e 22h – 23h, horário de pico para os alunos da PUCRS nesse turno. As pessoas se amontoam como verdadeiros animais enjaulados em ônibus sem ar-condicionado. No ano passado, já havia cobrado da Carris, e prometeram soluções para janeiro/2012 (período de férias dos alunos, sem essa demanda toda). Pelo visto, nada fizeram. Até quando?

DESCASO COM O MERCADO PÚBLICO

"Há mais de 45 dias, a escada rolante do Mercado Público não funciona. Uso bengala por segurança, por motivo do meu joelho. Esses dias fui levar turista para almoçar no mercado e desistimos, porque um casal era de idade e seus filhos não se sujeitaram a subir a escada em um lugar turístico. E continua um cheiro também insuportável em volta do local”. --- José

do blog de Adeli Sell

ENTRE GOVERNO E PARTIDOS: A GUERRA

Por Carlos Chagas

É a guerra, que a conferência de paz de terça-feira, no Senado, não resolveu. A presidente Dilma recebeu todas as homenagens, mas depois de abater dois líderes de seu governo, e os respectivos padrinhos, deixou o Congresso disposta a não aceitar mais pressões dos partidos de sua base parlamentar. Mais ainda, decidida a mudar a correlação de forças entre Executivo e Legislativo, porque, se tem maioria, como ficar enfrentando problemas a cada votação?
Fica evidente que a chefe do governo optou pelo confronto, no caso, contra o PMDB e até o PT, sem falar nos penduricalhos. Aguarda-se a primeira batalha, com ela de um lado e, de outro, Michel Temer, José Sarney, Renan Calheiros, Henrique Eduardo Alves compondo o estado-maior adversário. Mas sem esquecer Carlos Lupi e parte da bancada do PDT, mais Alfredo Nascimento e o Partido da República. E outros. Esses batalhões mantém a estratégia de criar dificuldades para a votação de projetos de interesse do palácio do Planalto caso não se vejam atendidos em suas exigências de ocupar ministérios, nomear dirigentes de empresas estatais e ter liberadas verbas para suas emendas ao orçamento.
O Lula poderia servir de árbitro no conflito, mas o risco é de que esteja repetindo a performance do papa Pio XII durante a Segunda Guerra Mundial, se ficar encolhido, observando escaramuças e invasões sem pender para uma das partes em luta. Adiantam pouco as declarações de unidade e confiança de uns nos outros, se seus exércitos já se engajaram e continuam arregimentando forças.
CONTRATOS QUE NÃO PODEM SER HONRADOS
Os dois novos líderes do governo no Congresso, Arlindo Chinaglia e Eduardo Braga, assumiram ontem com promessas de cumprir acordos celebrados faz tempo, aliás, não escritos. Para o biênio 2013-14, PT cederia a presidência da Câmara ao PMDB, sendo verdadeira a recíproca no Senado, onde os companheiros assumiriam a presidência. Nada mais precário e ilusório do que essa projeção. Porque só por milagre o PT admitirá perder a Câmara e não conquistar o Senado. Para Henrique Eduardo Alves suceder Marco Maia, seria necessário que Jorge Viana, Martha Suplicy ou outro petista ocupasse a cadeira de José Sarney.
O problema é que a relação de forças, no Senado, surge diferente do que na Câmara. Entre os deputados, a bancada do PT é majoritária, com 81 contra 76 do PMDB. Entre os senadores, o PMDB bate o PT por 20 a 14. Mesmo divididos, os senadores do PMDB não se dispõem ao troca-troca. Assim, os deputados do PT não tem porque abrir mão de sua prevalência. Apesar de inexistir nos regimentos internos das duas casas a obrigação de o maior partido indicar o presidente, esta tem sido a praxe. O diabo são as divisões internas em cada legenda, mais o grande número de partidos menores capazes de desequilibrar contas lineares.


Em suma, os novos líderes começaram com fantasias. Arlindo Chinaglia prometendo que Henrique Eduardo Alves, do PMDB, será o novo presidente da Câmara. E Eduardo Braga jurando as bancadas do PT e do PMDB atuarão unidas no Senado.
ESTAR BEM E IR BEM
Por conta da confusão que atinge o relacionamento do governo com os partidos da base, passou despercebida importante intervenção do senador Cristóvan Buarque, do PDT, durante a exposição feita pelo ministro Guido Mantega e, depois, em discurso no plenário. Disse o ex-governador de Brasília que uma coisa é a economia nacional estar bem, mas outra bem diferente será ir bem. Em outras palavras, no presente as contas podem estar fechando, mas se não estivermos preparando o futuro, o risco será de amplo malogro. O Brasil perde para inúmeros países do mundo a corrida pelo aumento da produtividade. Na Coréia, um trabalhador que produzia 100, poucos anos atrás, está produzindo 140. Na China, mais ainda, pois a produtividade saltou de 100 para 160. Entre nós, continuamos no 100, perdendo a competitividade.
Para o senador, o governo deveria estar olhando longe e revolucionando a educação, muito mais do que destinar dinheiro ao setor.
DÁ PARA CONCORRER?
Vale insistir no vazio que vai se abrindo em termos de crescimento industrial do Brasil, pífio no ano que passou, de 2.7%. O tema vem sendo dissecado por economistas, parlamentares e diletantes, todos concordando sobre as dificuldades de concorrência com a China. A verdade é que os chineses colocam, no Brasil, quaisquer de seus produtos industriais pelo preço de um terço daqueles que são produzidos entre nós, desde escavadeiras, locomotivas e até brinquedos e badulaques. Já se identificou a razão principal desse desnível: os salários recebidos pelos trabalhadores de lá e de cá. Claro, também o aumento da produtividade e, em especial, os investimentos com que o mundo rico inundou aquele país, na busca de lucros maiores.
A saída não parece fácil, mas seria bom prevenir desde já, porque certas elites retrógradas já começam a apregoar que a solução está na compressão salarial, além da redução da carga fiscal exigida das empresas nacionais.

Brasil-China. Importamos automóveis, exportamos jegues. Viva o PT no "pudê"!


Para ‘dialogar’ com o texto do charqueadas, tem esse abaixo, mas concordo mesmo. O Brasil exporta animais, importa trigo. Uma economia burra, que vem desde a colonização, sem querer ofender os animais que nada deveriam ter com isso! Essa mania de jamais ‘ofender’ o patrão nem o rico, vem fazendo certos “negócios da China” que só prejudicam o país. A exportação de animais e de carne é um desses negócios. (e não sou eu que estou dizendo, tem estudos sobre.)

Ellen Augusta


O sacrifício de cachorros na periferia de SP e a cachorrada humana, por Ezio Flavio Bazzo

Difícil entender por que a mesma população que se arquejou de espanto e em vômitos com a descoberta de um matadouro clandestino de cães e de gatos na periferia de SP não está nem aí para os abatedouros públicos de vacas, cabras, porcos, galinhas, rãs, coelhos, faisões etc. Paradoxalmente, esses mesmos hipócritas que se escandalizaram com a natureza do negócio e com o tipo de carnificina são os mesmos que estão todos os dias em fila diante dos mercados e dos açougues para comprar peles, sangue e tripas de porcos, costelas de bezerros, coxas e corações de galinhas, miolos, fígado e língua de bois. Repito: para comprar pele, fígado e língua de bois! Ora! E, além disso, foi exatamente essa gentalha que fez escárnio e escândalo sobre o cardápio e sobre o canibalismo dos tupinambás! Outra hipocrisia, pois é evidente que quem come um pato laqueado seria capaz de comer uma criança laqueada. Que quem come um bode ou um porco no espeto, dependendo das circunstâncias, seria capaz de fazer um churrasco com um irmão, um primo, o pai ou um vizinho. Então, em quê os coreanos e os outros orientais que encomendavam e consumiam as carnes e as vísceras de cães e de gatos capturados nas ruas e assassinados, seriam mais bárbaros e mais desprezíveis do que os que devoram uma ou duas vacas por ano? Dez ou doze frangos por mês? Meio porco a cada fim de semana? Quilos e mais quilos de caranguejos a cada veraneio e dois ou três perus a cada natal? Até uma criança de cinco anos seria capaz de perceber que a voracidade patológica, a ausência de ética e o mau caráter desses personagens são exatamente os mesmos. Um idiota com quem conversava sobre o assunto me dizia: Mas não comer cachorro e nem gato é lei! Lei? A lei é mais desprezível ainda. Vejam o que diz o texto da tal lei: [Animais domésticos, aqueles de convívio do ser humano, dele dependentes, e que não repelem o jugo humano (e que não repelem o jugo humano) não podem ser criados para o consumo]. Ou seja: aquilo que não for domesticável pode ser devorado!

De São Borja!


Já tem nome a chuvarada que caiu na quarta sobre Porto Alegre. CHUVA CAPINCHO...

nEM A CHUVA, NEM O TEMPO AGUENTARAM O LETIER EM SÃO BORJA. ELE ESTÁ EM PORTO FAZENDO AQUELES CURSOS QUE ELES INVENTAM....PRA SE APRIMORAR....E O TEMPO RUIM VEIO JUNTO....

OS IGUAIS SE ATRAEM!!!!

De São Borja!


Já tem nome a chuvarada que caiu na quarta sobre Porto Alegre. CHUVA CAPINCHO...

nEM A CHUVA, NEM O TEMPO AGUENTARAM O LETIER EM SÃO BORJA. ELE ESTÁ EM PORTO FAZENDO AQUELES CURSOS QUE ELES INVENTAM....PRA SE APRIMORAR....E O TEMPO RUIM VEIO JUNTO....

OS IGUAIS SE ATRAEM!!!!

Recado pra Rosinha, esposa do colega Lauro e leitora deste blog:

1) preciso que contes como eram as subidas pra Caxias


2) Tenho um depoimento da professora Zilá Falcão de Azevedo sobre suas creches que na medida do possível vou usar.


3) O Lauro cortou teu fone fixo. Por isto não tenho mais como falar contigo.

abs o editor!

Coleguinhas


APELIDO MALDOSO

de TÃO CHATO QUE ERA - não sei se ainda é -o camera ARNO MACIEL era chamado na TV Gaucha de FENERGAM....na época - não sei hoje - era um xarope dificil de engolir.


*Grupo de coleguinhas se deram ao luxo de colecionar nomes de outros que nunca ficam mal na parada,isto é, sempre ocupam cargos " por cima"

CARLOS BASTOS, NUBIA SILVEIRA, CELITO DE GRANDI, PEDRO MACEDO, ANTONIO BAVARESCO,MARCELO VILAS BOAS....


*Exemplo de casal de colegas que não misturam amor,cama com trabalho: Kátia e Marcos Hoffmann. Ela é editora de notícias da tarde na rádio Guaíba e ele é o responsável pelo NOTICIAS NA HORA CERTA ,da rádio Gaúcha. Nunca deu problemas, por causa do seu envolvimento afetivo. Separam o que é trabalho, do resto.


*O narrador viu um belo filme na noite de quarta ultima sobre os pichadores do Rio de Janeiro. Só não fiquei pro debate porque acordo as 6 da manhã.


*o que é feito do FARRIDINHO, que tomou um pé na bunda da Record???

como diz o ditado aquele do martim fierro: quiem mucho se agacha el culo le aparece!!!!

*farridinho foi queimando o filme em todos os locais que trabalhou> Não se sabe qual é o probelma do cara. Foi o kid do Armindo Antonio Ranzolin, na Gaúcha, cria dele.


*Tens uns caras aí que surgem como meteroros, mas na verdade são um embuste...

De teses em animais e coisificação de humanos


Ellen Augusta Valer de Freitas

Nesta segunda-feira, 19 de março, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul vai sediar o primeiro Simpósio Internacional de Animais de Laboratório, ministrado em inglês, que vai tratar sobre a vivissecção. Quando trabalhei como voluntária no Comitê de Ética no Uso de Animais do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, as pesquisas de mestrado e doutorado realizadas por estudantes da Ufrgs eram enviadas ao comitê de ética do hospital, do qual era membro, para serem aprovadas. A Faculdade de Medicina da Ufrgs não realiza pesquisas com animais, mas quando estava no comitê de ética, trabalhos sobre fisiologia, medicina veterinária e outros eram enviados. Haviam pesquisas tão ultrapassadas que até um leigo perceberia.
Mas como os mestrados e doutorados seguem em ritmo frenético, é preciso cada vez mais animais e idéias para trabalhos, que serão publicados e raramente viram um remédio, uma cura, um bem para a sociedade. Mas nosso dinheiro é empregado ali, para que porcos, cães, coelhos, vacas e ratos sejam utilizados como coisas.
Ressaltando, para os desavisados, que a pesquisa em humanos sempre foi e sempre será feita, independente de antes se pesquisar em animais ou não. Mas empresas lucram muito com a venda de gaiolas, animais e apetrechos, e por isso a dificuldade em se acabar com essa barbárie.
Como a crônica objetiva um alerta e reflexão sobre a realidade, não preciso citar as inúmeras pessoas que lutam pelo bem e os inúmeros médicos, estudantes que são contrários à vivissecção, procurando alternativas e mostrando resultados efetivos sem testes em animais. Os clichês devem ser repetidos, quando se busca a mudança de algo anti ético que já começa a parecer normal. Por isso aqui estou a fazer uma reflexão sobre o que acontece todos os dias e que as pessoas normatizam, com medo de encarar a realidade.
A discussão sobre o uso de animais não humanos passa antes de tudo pela maneira especista com que as pessoas vêem o mundo. E pela coisificação, típica do nosso sistema capitalista, como já nos advertia Erich Fromm.
Este psicólogo é brilhante e sintético quando afirma que o pensamento moderno tem uma idéia limitada do que é a liberdade de escolha. Que o sistema em que vivemos nos faz crer que temos escolhas, quando na verdade, escolhemos as opções já impostas pela sociedade ‘organizada’.
Quando vejo bolsistas de iniciação científica, defendendo cegamente seus orientadores, acima da ciência, da boa ciência, que considera antes de tudo os fatos e a busca da verdade, percebo o quanto essa idéia de liberdade está distorcida no pensamento acadêmico e na sociedade em geral.
A coisificação é algo comum e corrente no dia à dia e um observador nem precisa estar muito atento para perceber na cidade, diversas manifestações claras de que o cidadão ainda não aprendeu a ver o outro e a considerar o outro.
Os deficientes são tratados como se nao tivessem vida social, já que os ônibus com acessibilidade são raros, e eles são obrigados a esperar até que um ônibus acessível, e vago, apareça, para que possa utilizá-lo.
Quando um deficiente tem um namorado (a), é comum as pessoas, antes de mais nada e de forma egocêntrica, perguntarem ‘ele (a) também é deficiente?’.
O que pensar de quem urina no chão?
Como encarar com naturalidade sujeitos que enchem a cara e colocam a vida dos outros em risco ao dirigir?
As visitas em asilos acontecem esporadicamente, com as pessoas indo apenas uma vez, mais por peso na consciência, do que efetiva vontade de ajudar. Depois nunca mais aparecem lá, deixando os idosos com aquela sensação de se sentirem como ‘animais de circo’. A expressão também é válida para quem visita zoológicos e outras ‘vitrines’ que coisificam vidas.
Muitas pessoas usam as redes sociais como válvula de escape de suas idéias reacionárias e abusam de figuras preconceituosas, gráficos distorcidos para criticar o governo, para pedir ajuda às ‘crianças carentes da África’, repassando e-mails e documentos falsificados, que as pessoas nunca leram até o fim. Apenas para desanuviar a consciência e ter a vazia e vaga sensação de ‘estar fazendo alguma coisa’.
Mas as mesmas não fazem nada de concreto para ajudar efetivamente. E estou sim, generalizando, pois conheço pessoas que fazem muito pelo próximo, pelos animais e pelo planeta. Mas estas pessoas são poucas e o trabalho é muito.
A coisificação de pessoas se mostra visível no dia à dia, na maneira das pessoas, na falta de educação vista nas ruas, no medo que as pessoas tem de pedir com licença em voz alta e de dizer muito obrigada. Parece que qualquer contato a mais, pode significar a invasão de um mundo fechado e egóico que se forma dia após dia no ser humano moderno.
A mudança deste paradigma acontecerá com pequenos passos, como por exemplo, ler este artigo até o fim, antes de sair por aí escrevendo asneiras e fazendo apontamentos pura e simplesmente por vontade de pichar o trabalho de alguém.
Quando começarmos a evitar o repasse de material preconceituoso e responder à pessoa que nos enviou, educadamente, que aquele material é falso e prejudica outras pessoas. Quando, em vez de sermos cegos admiradores de nossos professores, formos alunos de verdade, buscando o certo, doa a quem doer.
E quando a elevação do caráter humano, da ética e a busca pela educação verdadeira for prioridade pessoal.

Podes colocar, caro missivista todos meus foras...

eu lembro que fui pular a roleta do bonde, depois de fazer prova no Julinho porque não sabia que se passava na roleta e o MOTORNEIRO quase me prendeu....

lá na pensão do zanatta, eu chegava, com o calor e pedia agua fresca...eles riam daquele colono grosso perdido na cidade grande e por isto sempre lembro do querido e finado TEIXEIRINHA....NÃO RI SEU MOÇO DAQUELE COLONO GROSSO, QUE LÁ VAI PASSANDO, ELE É QUEM TRABALHA PRA TE SUSTENTAR...

É BEM O CASO MEU E DO MEU AMIGO DA LENDÁRIA E ESPARTANA PALMEIRA. EU TRABALHO PRA SUSTENTAR A ELE TAMBÉM....

NOANTRI DE LA UNDEZE, I VERI DE LA UNDEZE , I ZE TUTTI QUANTI LAORATI. NÕ COMO I PEL DURO DE SÃO CHICO DE PAULA QUE NO I GHE NA MIA VOIA.....


QUE CHOQUE LEVASTE !!!!!!!! UM DIA ESCREVO MAIS SOBRE "O IMPACTO DA
CIVILIZAÇÃO SOBRE OLIDES CANTON " RIMOU !!!, NÃO ERA MEU PROPÓSITO.

E tu que só conhecias erva-mate !!!!!!!

DEVERIAS TER FEITO UMA ADAPTAÇÃO PROGRESSIVA À CIVILIZAÇÃO. MEIO ANO
EM GUAPORÉ( QUE JÁ TE IMPPRESSIONAVA, QUANDO VISITÁVAMOS A RÁDIO
AURORA , JUNTO COM O PATROLA-1968), DEPOIS UM ANO EM CAXIAS E DOPO,
PORTO ALEGRE.

TENHO NA MEMÓRIA, DE FORMA MUITO VIVA, SOBRE NOSSO PRIMEIRO DIA EM
POA.TUA SORTE QUE FOSTES COMIGO, COM O FRED E COM O GÊNIO DO MIRE, DO
CONTRÁRIO , ESTARIAS MORTO.

VÊ SE COLOCA NO TEU BLOG, TAMBÉM TEUS FORA !!!!!!!!!

MAURO ROCHA

ALO ALO BICO BRANCO, LEITOR DESTE BLOG...

MANDA PRA ALGUM VEREADOR CUPINCHA AI( EU SUGIRO O ARNALDO PACASSA QUE EMBORA SENDO DA ' RENNER' é gente fina pra caramba) dar este nome a este cidadão tão ilustre que numa de suas candidaturas(perdeu as duas) se referiu aos colonos que levavam o talão modelo 15 na sua exatoria como cuei que spussa a can....o comentario, que até hj dizem não se produziu, teria sido uma bomba arrasa quarteirão sobre a candidatura do estrangeiro que se meteu a pato e ganso em uma terra tão laboriosa como LA UNDEZE...

mas enfim, o filho quer homenagea-lo e depois de mortos, todos somos santos. Faz este gesto de grandeza ai Bico Branco e dá este nome a uma rua de La undeze. embaixo, numa placa coloca ( O QUE PERDEU AS DUAS ELEIÇÕES NESTE MUNICIPIO QUE ATÉ ATURA OS ESTRANGEIROS DE SÃO CHICO DE PAULA) NOS OS VERDADEIROS SERAFIENSES SOMOS NOBRES DE ESPIRITO!

ESPERO QUE SEJA A DENOMINAÇÃO DE UMA RUA( QUE SEJA A MAIS SIMPLES
RUELA), COM O NOME DE MÁRIO SOARES DA ROCHA - EXATOR ESTADUAL, IN LA
UNDEZE. TU QUE TENS PRESTÍGIO COM O BICO, ASSOPRA PARA ELE SOBRE MINHA
MODESTA INTENÇÃO. ESCREVI PARA OUVIDORIA MAS NÃO DEU RESULTADO. A
PROPÓSITO, QUAL O E-MAIL DA JORNALISTA QUE ESCRREVE, POR VEZES, PARA
TEU BLOG ?

O JOÃO QUE A LULI CADORE FALA, É NOSSO COLEGA -JOÃO VADEMAR GRANDO-,
PROFESSOR APOSENTADO DA UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO, QUE MORAVA NO
GRAMADINHO( PRÓXIMO A CANTINA QUE LÁ EXISTIU).SOU FAVORÁVEL AO
ENCONTRO, MESMO EM POA. O IDEAL SERIA IN LA UNDEZE.

AGORA TIREI UM TEMPO PARA LER TEU BLOG E CORRIGIR ALGUMAS COLOCAÇÕES
FEITAS PELO ILUSTRE MORADOR DA CAPELA SAN PIERO. SEMPRE QUE TE
REFERIRES À SERAFINA, SUA GENTE E SUA GEOGRAFIA, PROCURA ALGUÉM QUE
CONHEÇA BEM A AMBOS-NÃO PRECISA SER EU, POIS SOU ESTRANGEIRO-.

A CASA REFERIDA POR TI É DO SR. EWALDO CARLOS CERVIERI, NUNCA FOI DO
NESTOR. (ALIÁS ME DEIXASTE BEM COM A CERVERIADA NAQUELA MATÉRIA SOBRE
O NESTOR !!!!!!!, MAS É VERO).

NAQUELA FOTO DA AV. JULIO CAMPOS-PARA ÓDIO DOS SERAFINENSES-HOJE
MIGUEL SOCCOL , O QUE É JUSTO-, PUDE VER O FUCA DO SR. MÁRIO,
ESTACIONADO EM FRENTE À SOCIEDADE ESTRÊLA GUAPORENSE LTDA( 1968/69,
POR ALI).RECÉM TINHAM ABERTO O MORRO.

E PARA DE DENOMINAR A ESPOSA DO FIORAVANTE DE GIGIETA, POIS ESTE ERA O
APELIDO DA GOVERNANTE DA CASA- GENTE FINA-,QUE TAMBÉM CHAMAVA-SE LUIZA.

A DONA LUIZA MARIN CERVIERI, ERA ESPOSA DO FIORAVANTE, QUE TRABALHAVA
MASSA- ESSA SIM-, E IA , DIARIAMENTE, À MISSA DAS 6 HORAS, COM CHUVA
OU SOL, INVERNO E VERÃO.

COMO SEMPRE TU NÃO TE LEMBRAS DO PASSADO !!!!!!!

UM ABRAÇO.

MAURO ROCHA

Porto Alegre alagada - Vereadores avisaram

Bancada do PT e do PSOL realizaram na tarde desta chuvosa quarta-feira (14), no plenário da Câmara de Vereadores, forte manifestação referente ao alagamento que Porto Alegre sofreu no dia de hoje.

Conforme a vereadora Sofia Cavedon, os vereadores vem alertando a Prefeitura, na tribuna e com outras ações, do caos que a cidade ficaria como demonstrado com as chuvas desta quarta, que alagou casas e parou o trânsito. “Há um bom tempo estamos mostrando o lixo acumulado na cidade, a falta de limpeza dos valões e resíduos da construção civil por toda parte. Nas 55 comunidades visitadas ano passado, através do projeto Câmara na Comunidade, a maioria tinha problemas de lixo acumulado”, destacou a vereadora.

Sofia afirmou que “nossa contundente manifestação é para mostrar que se a chuva encontra lixo, valões sem limpeza - situação que denunciamos há mais de ano - causa o drama que vivemos nesta manhã: centenas de famílias com suas casas inundadas - muito mais grave que o já lamentável colapso do trânsito e dos acidentes”.

Fotos:
alagamento 1 - Foto Felipe Dalla Valle/CMPA

alagamento 2 - Foto Elson Sempé Pedroso/CMPA

Fonte: Sofia Cavedon – 9953.7119

Porto Alegre, 14 de março de 2012.

Jorn. Marta Resing/5405
Ass. Comunicação
Verª Sofia Cavedon/PT
9677.0941

UM DRAMA HUMANO

JAQUE QUER SABER


QUEM SEU O PAI....


Nós todos que temos pai conhecido, não sabemos como é triste não saber quem é o pai da gente....Fui procurado pela Jaqueline Farias, que tem 32 anos, mora com o namorado, na no bairro Cohab Duque em São Leopoldo(RS), FORMADA EM CIENCIAS CONTÁVEIS, TRABALHA NA AMADEO ROSSI e que agora quer saber quem é seu pai.É um direito dela... A história é a seguinte:nos anos 79/80 sua mãe, Tânia Sariza Farias trabalhava na produção da empresa de Calçados Strassburger, do vice-governador Claudio Strassburger e teve um pequeno namoro com quem seria hoje o pai de Jaque.

Ela acha que pode ter sido Valdir Pedro Zanette, que era o chefe da produção de sua mãe.

Ela já fez contato com quem seria seu pai mas ele não tem retornado seus emails.


Tânia Farias casou de novo quando Jaque tinha um ano de idade e mudou-se para Tramandaí, onde teve outros 7 filhos( 4 mulheres e quatro homens ao todo).

Mas Jaque quer saber quem é seu pai( é um direito dela, creio)E está indo a luta pra tal...

Dei como dica ela procurar o setor que faz DNA no Clínicas e chamar o cidadão este que ela acha que pode ser seu pai pra fazer o exame.

Ou então procurar a Defensoria Pública e assistência juridica gratuita...

Quem sabe estahistória tenha um final feliz. A " Jaque"tem este direito....Ela trabalha , está com companheiro(ainda sem filhos) mas quer saber quem é seu pai.

Me contou que era muito triste na época do dia dos pais, principalmente nesta data, ela sentia muito.


Sorte Jaque....


Esta foto é uma " homenagem" ao FIOL DEL ZATOR ( mauro rocha)

que conhece bem como o "maior partido do Ocidente" agia no tempo da " Redentora"!

Planejamento Familiar


O Planejamento Familiar é um programa que permite que mulheres e homens escolham quando querem ter um filho, o número de filhos que querem ter e o espaçamento entre o nascimento dos filhos, o tipo de educação, conforto, qualidade de vida, condições sociais, culturais e seus níveis, conforme seus princípios. Além disso, oferece métodos contraceptivos como pílulas, preservativos, DIU e também métodos definitivos como laqueadura e vasectomia, que visam evitar uma gravidez indesejada.

Para aderir ao Programa é necessário participar de palestra, além de consulta de enfermagem, consulta médica e avaliação psicológica, para melhor entendimento e definição do método mais adequado.

A Secretaria Municipal de Saúde realizou, no dia 08 de março de 2012, uma palestra para a população, com o objetivo de esclarecer dúvidas e transmitir informações importantes em relação ao planejamento familiar.

De São Borja


GABINETE DO VEREADOR CELSO LOPES, DO PDT, QUE NA SEMANA PASSADA TEVE A "VISITA" DA POLICIA FEDERAL A PEDIDO DO MINISTERIO PUBLICO TERIA IDENTIFICADO DE ONDE TERIAM PARTIDO AS DENUNCIAS...

TERÁ SIDO FOGO AMIGO????


*pELO VISTO O EPISÓDIO FOI MUITO ABAFADO PORQUE NA TERÇA O DEPUTADO CASSIÁ CARPES, QUE É DE LÁ, NEM SABIA DO ACONTECIDO.pERGUNTEI SE NÃO TINHA LIDO A FOLHA DE SÃO BORJA E ELE ME DISSE QUE ESTE JORNAL DEMORA A CHEGAR.

OU NÃO TERÃO DADO ESTA NOTICIA???


*cASSIA CARPES COMEMORA O FATO DO RENE RIBEIRO, INIMIGO FIGADAL DO PREFEITO MARIOVANE WEIS, DO PDT, CONCORRER E POR DECISAO DO PT REGIONAL OS FUNCIONARIOS CCS DOPT QUE ESTÃO NA PREFEITURA TERÃO QUE DEIXAR OS CARGOS.

CASSIA QUER COMER O F IGADO DO MARIOVANE....E EM PICADINHOS!!!!

Coleguinhas


*Não procede o boato que correu por ai - dado me parece por um site - que o Jones Lopes teria sido demitido da zero hora.

Não sei de onde saiu tamanha idiotice. Tem que checar, coleguinhas!


*Tadeu Picinha anda pelos pagos. Não sei onde estará andando ou se a enchente de ontem o levou...


*Ontem voltou o almoço DE GRATIS da Federasul. Coleguinhas que foram reclamaram QUE CORTARAM O VINHO....


*Vai ver que a Federasul tá mal das pernas, ou então a assessoria de imprensa de lá tá sem prestígio


*TVE andou completando 38 anos....

Uma boa pergunta: de quem o prédio e o terreno onde está localizada....Porque não é proprio. Ali funcionava a TV Piratini....


*Adeli Sell quer mais grana da Record....Levou 40 quilos de alcatre. Mas vai recorrer e quer mais grana. Ungaretti o chamou de PRBS.....

 

Causos do Jornalismo!

COMO O AMOR É LINDO!

Prosseguindo na lembrança da repórter Monica Gugliano, tenho ainda a recordação de que sempre que faziam aqueles jantares de fim de ano( aos quais particularmente tinha horror) a Monica levava o Quidinho( Euclides Lisboa) e como ele era editor do JC e ficava se estressando com os seus editores ou colegas, chegava muito tarde.
E nós ali comendo um churra, bebendo e a Monica ali do lado, de prato vazio, esperando o Quidinho chegar porque ela não provava uma alface antes que seu amado sentasse na cadeira, na frente ou ao lado....


Lembro que a Monica tinha uma filha, cujo pai não era o Quidinho....

Sobre a Monica, tenho uma boa, que contei em meu livrinho PAUTA, O AVESSO DAS REDAÇÕES, NA PRIMEIRA E MODESTA EDIÇÃO CUJO PREFACIO FOI do lfv....
Foi o seguinte: havia uma denúncia que TAVAM vendendo carteiras d e motoristas na delegacia de Gravatai. a mONICA, MUiTO BOA REPORTER - FAZIA DUPLA COM A MARTHA GLEICH, HOJE DIRETORA DA "ZEAGA" FOI DESTACADA PRA IR CO M O EDITOR EUGENIO BORTOLON fazendo se passar por um casal. Durante a conversação pra dar o fraglante da compra da carteira de motorista, com um fotógrafo longe fotografando tudo, o Eugenio, muito desligado, comentou ao lado do delegado pra Monica:

- Deixa pra lá, não vai dar, vamos voltar pro JORNAL.....

Causos do Jornalismo

Por Lauro Dieckmann!


O que é o amor...
Aquele Secretário no JC que tinha um relacionamento com essa colega da ZH, que mencionas no teu saite, no fim da noite ficava horas pendurado nor telefone, conversando com a 'amada', até que ela dava um jeito de passar para qual seria o assunto da manchete da ZH no outro dia. Só então, o coleguinha vinha, muito faceiro, me dizer que já tinha a manchete do JC. Ele me deixava bem claro que havia recebido a informação da 'amada'. Como, na época, o que rendia manchete era matéria de Economia, ele pedia para ler os originais que eu estava baixando, para pegar os detalhes.
Outra coisa: teve um dia, que ou ela passou mal a dica, ou ele entendeu mal, e a ZH rodou afirmando uma coisa e o JC saiu afirmando outra, sobre o mesmo assunto (é só olhar as coleções). No dia subsequente, uma agência de propaganda teve a 'brilhante' idéia de publicar um anúncio que reproduzia as duas manchetes e atribuia a contradição "à loucura que era a economia brasileira" àquelas alturas. Achei estranhíssimo! Hoje, acho que pode ter sido uma combinação da ZH com a agência, como forma de justificar a contradição, afinal, eles são muito preocupados com essa questão da credibilidade, mesmo que a contradição se estabeleça com o inexpressivo JC.
Em tempo: para mim, a manchete da ZH é que estava certa, mas o coleguinha teimou que era como ele queria que fosse...

A MEMORIA AFETIVA DO FIOL DEL ZATOR SOBRE SERAFINA!

Esclarecendo que o rapaz de hippie era este que vos fala e sobre cujos episódios não guarda nenhum rancor. Pelo contrário, sairá desta Terra contente por ter vivido da forma que viveu....

Deixa a periferia urrar......

Olides !

Ao lado da oficina funcionou o bar do Lino e a boite de sua esposa
Carmen que, em cujo ambiente tinha "LUZ NEGRA" porém, não podia ser
acesa, sem outras quatro lâmpadas vermelhas, o fossem, de maneira
simultânea.CoisaS DE LA UNDEZE DE OUTRORA !!!!!!!!!!DE LA UNDEZE
ROMÂNTICA, melhor !
Nesta boite, que frenquentávamos sábados à noite e domingos depois
da sessão de cinema, que invariavelmente passava "películas", taxadas
de "bombas", por um dos irmãos do Dr. Oraldo, cujo nome devia ser
JOsé, numa certa ocasião, encontramos um rapaz com trajes da
época-HIPPIE", com destaque para umas sandálias amplas, com largas
tiras, logo apelidadas de "sandálias do pescador", que a tudo
contestava, num flagrante conflito cultural interno, fruto da
"metamorfose" pela qual estava passando, em função de ter saído da
Capela San Piero.

Como tu perguntaste sobre a "boite" BArbarella( cuja música estava no
auge-bombando dríamos hoje)), lembrei-me deste episódio.

Eu te tratei com naturalidade, tanto que assimilei teus trajes, gestos
largos e linguajar, entretanto, teus conservadores conterrâneos,
ficaram "estupefatos" e diziam uns aos outros : ohhhhhh, quel lá, la
ze fiol de Canton, varde-lo !!!!!!!. Ohhhhhhh.
Minha saída de Serafina não me causou tanto impacto, porquanto, já
tinha um certo convívio

Respondendo tua pergunta. O Mafaciolli, acho que era assim a grafia,
realmente, era muito amigo de meu pai.Deve ter apoiado ele, mas creio,
deve ter ido para Guaporé lá por 1972/1973, após a segunda derrota do
finado BRUNO. Gostaria de conversar com ele, até para agradecer-lhe a
apoio ao meu pai.Agora, considerando a Serafina da época(espero que
tenha mudado), a perseguição era a coisa mais natural do mundo.

O sr. Mário Rocha foi tolerado pela "renner", até que virou candidato
pelo MDB. Depois, arrumaram uma promoção( transferência ) para Santo
Antonio da Patrulha e depois CANELA, para que ficasse mais perto dos
familiares de minha mãe.Era a chamada "perseguição marrom", ou
hipocrisia velada , o que não o impediu de concorrer por duas vezes na
undeze, mesmo que tenha perdido em ambas. Perdido não.
Eufemisticamente podemos dizer; não ter sido eleito.Mas isto é uma
outra história, que pretendo te contar, de preferência, jantando no
Barrando-claro que por tua conta-.

Um abraço.


MAURO SANTO ROCHA
QUEL QUE LAORA MASSA !!!!!!!!!!!!!!!!!!NA LEGENDÁRIA PALMEIRA E NA
SARANDI DE COSTANEIRAS E LACERDAS(TE CONTO O PORQUÊ NANTRA VOLTA).


CUSTO ALTO!!!


A TVE completou 38 anos....


Foi homenageada na Assembléia Legislativa do Estado...


Mas é bom não esquecer que uma auditoria apontou que a tevê estatalcusta 500 mil dólares mensais aos cofres públicos, ou seja, ao bolso do cidadão que trabalha e paga impostos....

O livrinho do Tavares

que o Serginho Ros comprou eu estou lendo. ...com muito vagar porque ele pagou. agora não tenho pressa de ler. Mas já vi uma grande cagada do autor...que é meio chutador, como sempre desconfiei.....( muito balaqueiro pro meu gosto, não confio muito neste tipo de gente) oautor diz que o lacre da rádio Gaúcha na Legalidade deu-se dentro da ULTIMA HORA....

O lacre se deu porque o Brizola deu um discurso no meio da madrugada que a Gaúcha transmitiu...Mas que eu saiba a Gaucha sempre foi no edificio União e não na UH....onde o Serginho trabalhou. Ele pode esclarecer este grande equivoco ou CHUTAÇÃO do autor....

O MEU AMIGO PATINETE


de Buenos Aires
Gelson Farias


Olides.
Faz muitos nos que não encontro com ele. Sim é meu grande amigo. Eu conheci o Patinete, quando eu trabalhava em rádio, nos anos 70. Para quem não sabe, fui locutor da farroupilha, Gaúcha, Guaíba, Difusora, Princesa e de tantas outras emissoras de rádios em Porto Alegre e na Região Metropolitana. Naquela época, o Patinete, era divulgador da Chantecler, nem existe mais. Foi ele quem lançou a nossa Elis Regina( a história é longa e outra acosião falo sobre isso) Patinete é um sujeito fora de série. Sempre esbanjando alegria. Por onde ele passa deixa uma grande amizade. Foi por esta época que o Patinete, descobriuque havia uma cantora, de nome Berenice e que se apresentava em casas noturnas da capital, como no Gente da Noite , do nosso querido e saudoso Lupicínio Rodrigues. Havia outras casas em que a jovem cantora estava se apresentando para ganhar um cachê. Com uma voz melodiosa ela acabou sendo apresentada ao Patinete. Não deu outra. de cara, Airton batizou a jovem loira e muito bonita de 'Berê". Meses depois, berê tinha gravado dois LPs, pela Chantecler, com músicas de Lupi. Cevando o Amargo, fez grande sucesso na voz de Berê... Amigo boleia aperna/puxe o banco e vá sentando/ encoste a palha na orelha/ e o crioulo vai picando/enquanto a chaleira chia / o amargo eu vou cevando . Patinete sempre tinha auma novidade para contar. Com isso, ele tinha a desculpa de nos convidar para uma janta , ou mesmo para saborear um bom churrasco. Seu local preferido era antiga churrascaria Mosqueteiro, junto ao estádio Olímpico, de onde foi tirada esta foto. (Nesta foto: O Patinete, Berê, Miguel Pacheco e luiz Carlos Neves ,Gelson Farias). Por outro lado, quando estive em dezembro em Porto Alegre, ouvi pela gaúcha, uma entrevista do Patinete para o ' entrevista com o Ruí'. Para prencer lacunas desta matéria, lembro de muita coisa sonre a longa trajetória do meu amigo Patinete.

Airton dos Anjos ("Patinete"), 50 anos, 30 de vida artística, produtor de mais de 300 discos de artistas gaúchos - inclusive nomes hoje nacionalmente conhecidos (Borghetinho, Victor Ramil, Gaúcho da Fronteira, etc.), após vender sua etiqueta, Nova Trilha (pela qual lançou 25 discos em menos de um ano), assinou contrato com a RGE, para coordenar a produção de discos com artistas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e o Paraná. Com um notável olho artístico, capaz de apostar em artistas que de anônimos passam a campeões de vendas - como o cantador campeiro Mano Lima, que com seu elepê "Troveiro" está há três meses entre os mais vendidos no Rio Grande do Sul, Airton recebeu de Wilson Rodrigues Pozzo, executivo da RGE, carta branca para escolher os artistas que deverão gravar nos próximos meses. Entre seus projetos está fazer um disco no Paraná, motivo pelo qual virá a Curitiba para ouvir os cantores(as) e compositores da terra. Já Gilberto Carvalho, da etiqueta Quero-Quero, inaugurando o seu novo estúdio digital/laser, produziu um belo disco que revela outra face de um dos cantores mais conhecidos dos festivais nativistas: Délcio Tavares, em "Italianíssimo", registrou um repertório dos mais bem escolhidos, com Standards românticos como "Fascinação" (Marchetti), "Io che Amo Solo Te" (Sérgio Endrigo), "Lontano Dagli Occhi" (Bardotti / Endrigo), "Volare" (Domênico Modugno / Migliaci), "Champagne" (Depsa / Ladice), "Io che Non Vivo Zenze Te" (Donagio / Pallavicini), "Quando, Quando, Quando" (Testa / Renis) e "Arrivederci Roma" (Carinei / Giovanini / Renato Rascet).


Buaenas tardes, Olides. Gelson.


Gelson Farias

De Serafina

No domingo último quando estive em Serafina, novamente tive que ouvir comentários desagradáveis a meu respeito de gente que não conheço.


Com este já é o terceiro.

Este de domingo partiu de uma mulher, que caminhava na Praça Pio XII,acompanhada imagino pelo marido.

Eram lá pelas nove da manhã.


Ouvi apenas a mulher dizendo alto:

- Ah, se eu te pego...ah, se eu te pego.


Não imaginei que fosse pra mim que ela dizia.

Ai tive certeza quando ela disse ao marido(ou imagino que seja, né)

- É ele, é ele,....

como se eu fosse um senhor indesejado ali


Mas não aguentei tamanho desrespeito.

Parei e perguntei:

Algum problema minha senhora???
- Nenhum disse ela.

Gostaria de saber quem é ..e porque tamanha agressão???!!!!

INDENIZAÇÃO


TV Record RS deverá indenizar Adeli Sell em R$ 40 mil: http://migre.me/8htsS

POSSE


Paulo Ferreira assumirá a cadeira de Pepe Vargas, que agora é o novo Ministro do Desenvolvimento Agrário. A posse será hoje, às 16:30, em Brasília. Acompanhe ao vivo pelo canal 18. http://migre.me/8hwaE

Adeli Sell


HISTORIAS DE LA UNDEZE.


A GRANDE ENCHENTE.....

QUE ILHOU MUITA GENTE!


Não tenho certeza se foi nos anos 40 ou 50 do século passado, mas houve uma grande enchente em Serafina, isto quando a vila era pequena....Pouca pesquisa histórica foi feita sobre isto mas alguns remanescentes da época contam que algumas casas foram levadas pela violência e pela rapidez com que as águas do Feijão Cru subiram. Por exemplo, não se sabe - ninguém foi atrás disto pra pesquisar - se choveu muito, se foi uma chuva torrencial de algumas poucas horas....

O fato é que ficou na memória popular e nas fotografias que ainda existem e que foram preservadas fotos de gente caminhando na av. principal com meio metro de água. Foi como se diz uma enchente histórica....Diz João Arroque que até caíques que eram usados no Rio Carreiro foram trazidos pra poderem andar no centro de Serafina. Não se sabe se isto é lenda, ou se é fato....

O rio Feijão Cru transbordou e algumas casas como de Guilherme Nodari,Zanini,entre outros, foram levadas.


A casa de Lucia Massolini, mãe de Guerino Massolini,- segundo prefeito da cidade - que se vê na foto, ficou ilhada e segundo me contou no sábado passado o caminhoneiro Armando Boni, que tem 86 anos, eles tiveram que resgatar a " nona Massolini" como eles ainda a chamam pela janela. O resgate foi feito com um pequeno caminhão que o Boni tinha.Poucos que viram e viveram aquela enchente ainda vivem. Entre eles, O Boni, João Arroque,e alguns poucos.


Boni reclama que o Feijão Cruz que passava perto da casa do Miguel Soccol foi desviado para onde está agora e que ele teve prejuízos com isto ...e que nunca o pagaram.

- Pode escrever ai que o Nelson Assoni que era vice prefeito nunca me indenizou, reclama ele que é um dos moradores que foram prejudicados pelo desvio do Feijão Cru.


Na foto que publico do dia que foi feito o lançamento da pedra fundamental da nova sede do Gaúcho localizada na avenida Miguel Soccol em outubro de 1972.

Nela aparece o governador do Estado, Euclides Triches, Flávio Luis Soccol, Nelson Assoni,o padre Roberto Ciotolla,Carlos Alban(presidente do Gaúcho) João Aristides Soccol, Arthur Deitos,Ronny Soccol,o médico Zé Montanari,

 

O CLUBE DAS ELITES


data da foto 8.10.1972

local: pedra fundamental do Gremio Recreativo ESportivo Cultural Gaúcho fundado em 12.12.1938

O GAUCHO É O TIME DAS ELITES EM SERAFINA. HOJE NÃO TEM MAIS FUTEBOL, APENAS UM CLUBE DE DIVERSÃO SOCIAL.

MAS FOI UM TIME DE FUTEBOL, VINCULADO AO FRIGORIFICO IDEAL.

Toda a história do Gaúcho é vinculado às elites de Serafina.

Do" Gramadinho"- o bairro dos negros, dos pobres e dos migrantes - nunca saiu um presidente do Gaúcho. E agora venham me dizer que estou descriminando um bairro.

1931: LAS LUCES DE BUENOS AIRES
Carlos Gardel fazia muito bem a figura do machão à moda de Buenos Aires

De Buenos Aires
Gelson Farias


Olides.

Semana passada, convidei a Enriqueta para ir ao cinema, ver o filme, Las Luces de Buenos Aires. Ir ao cinema, aqui em Buenos Aires é uma experiência diferente. Explico: a primeira diferença que você vai notar é que na hora em que você compra os ingressos você já escolhe os assentos. Isso é ótimo porque você não precisa ficar naquela fila esperando a sala abrir para poder entrar e conseguir não ficar sentado na primeira fila onde você não consegue nem enxergar a tela inteira e sai da sessão com uma baita dor de pescoço. Aliás, pelo menos onde já fui eles respeitam um mínimo de distância da tela. Ao invés de ficar na fila, você pode passear pelo shopping, dar uma olhada nas livrarias, fazer um lanche, etc. e ir para a sala somente quando estiver faltando cinco minutos para começar a sessão.
Outra diferença é que os argentinos se empolgam com o filme. Ainda mais em se tratando do cantor mais famoso da Argentina, idolatrado por todos os portenhos, mesmo depois de sua morte, há 77 anos.

Lá estou eu comprando ingresso. Este é o Shopping Abasto centro aqui de Buenos Aires, onde cresceu e morou Carlos Gardel. O nome da Sala de Cinema é Imax Center Norte. A foto é da Enriqueta.


Quando aparece uma comida gostosa na tela, dizem "Ó!" ou, quando falam alguma piadinha riem pra valer ou, se aparece uma cena mais picante "Ó!" de novo e por aí vai... Confesso que eu também fiz o meu “Óóóóó”. “Não resisti à tentação de mandar um “!”, bem alto. Eu sei que estava na casa deles. E daí? Também não faça como eu e comece a rir quando no final do filme eles começaram a bater palmas. Eu prometo que não vou mais fazer isso. E agora, a diferença mais marcante: no final da sessão a sala está limpinha! Sem aquele monte de pipoca e lixo no chão.

Elenco de Las luces de Buenos Aires.


Sou de uma geração que tem uma paixão por cinema e principalmente por se tratar de um filme que tem como personagem principal este grande cantor que foi Carlos Gardel. Pena que não fizeram uma restauração das imagens e a qualidade segue um tanto comprometida. Porém a história é muito boa. Carlos Gardel fazia muito bem a figura do machão à moda de Buenos Aires. Só que neste filme ele não é um homem da capital, e sim um gaúcho. Um homem simples, de posses, mas que só quer estar em sua terra e com sua gente. Tudo começa quando o carro de um produtor teatral atola em frente a uma propriedade rural, a de D. Anselmo (Gardel), os colonos oferecem ajuda, mas o produtor teatral descobre o talento de Elvira (Sofia Bozán) e a convida para cantar em Buenos Aires. Em companhia da moça irá a sua irmã, a espevitada e divertida Rosita (Gloria Guzmán). Em alguns momentos do filme é Gloria Guzman (Rosita) que rouba a cena, Gardel aparece mais no início e um pouco mais da metade para o fim do filme. Mas as mocinhas do interior são ludibriadas pelo milionário empresário dono do teatro que quer apenas explorar o talento delas e usá-las.


A cena em que Anselmo flagra Elvira na orgia completamente bêbada


Algo que me chamou a atenção é que a sala é grande, mesmo. Talvez por esperar que essa proposta de atendimento Premium tenha criado uma expectativa de lugar pequeno e acolhedor, a surpresa foi mais do que grata ao conferir que se tratava de um cinema imponente, tal qual sua capacidade visual e sonora, mas sem perder o charme na decoração.


Anselmo busca informações sobre que tipo de festa está acontecendo na mansão


Don Anselmo (Carlos Gardel), é um fazendeiro muito querido pelas pessoas, sofre muito quando sua noiva Elvira (Sofia Bozán) o abandona e decide ir para a capital. Ela vai atrás de uma oferta feita por um famoso produtor teatral, que lhe promete conseguir um contrato e fama, como cantora em Buenos Aires. As luzes da grande cidade e o sucesso começam a ofuscá-la, arrastando-a para as más companhias e para um destino incerto. Será que Anselmo conseguirá salvá-la, retornar com seu amor para a fazenda no interior e recuperar a felicidade perdida?


Carlos Gardel, pilchado de gaúcho.

Então ,tamos conversados...

SE se livrar dos processos que responde, o prefeito ,melhor dizendo ex prefeito, polaco, vai ser candidato do PMDB a prefeitura. Pelo menos vai postular a candidatura...


Do outro lado, PP e PT parece que vão ir com os mesmos nomes. Bico Branco e Breda!

Coleguinhas


ADELI VAI RECORRER

Não contente com a indenização que ganho da Record - 40 mil - o vereador Adeli Sell (PT) vai recorrer da sentença. ESpera ganhar uma indenização maior.


O assunto foi pauta de terça e quarta na blogsfera dos jornalistas. WLADIMIR UNGARETTI,o popular CANASVIEIRAS - porque tem semelhança física com o personagem de Chico Anísio - entrou no assunto e baixou a bola, como se diz. Disse que Adeli Sell entrou pro PRBS....chi....aí que a cobra vai fumar.

Sell manteve a postura e respondeu educadamente a Wladimir, conhecido polemista que não deixa de dizer o que pensa mesmo que as vezes isto lhe custe caro.

A manifestação de Ungaretti foi entendida por alguns setores como anarquista . Outros acharam que ele depois de velho VIROU BICHO GRILO...

Quanto ao segundo item, nada de novo. Ungaretti porque Ungarretti morou um tempo numa chácara de Viamão,e acabou virando secretário da agricultura do prefeito Tapir Rocha( do PDT, como o companheiro)


Posse do Conselho Tutelar

A Prefeitura Municipal de Serafina Corrêa, através do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente convida toda a população a participar da solenidade de posse dos conselheiros tutelares do município. O evento acontecerá na próxima sexta-feira, 16 de março de 2012, às 20:00, na Câmara Municipal de Vereadores. Participe!

Inicia a obra da praça no Bairro Santin

Infraestrutura, lazer, qualidade de vida são conquistas dos moradores do Bairro Santin, em Serafina Corrêa. Nos últimos anos, percebe-se grandes avanços nas mais diversas áreas com a construção de uma Unidade Básica de Saúde, pavimentação asfáltica, calçamento, construção de passeios públicos, conclusão do Ginásio de Esportes Santin e agora com o início da obra da praça Santa Rita, ao lado do salão da comunidade.
Localizada na Rua Anibal Fornari, a Prefeitura Municipal está investindo recursos significativos para a pavimentação, mobiliário urbano, muro, cerca, pergolado, iluminação, academia de ginástica, parque infantil, vegetação e muito mais. A Praça Santa Rita está em fase de construção, sendo que a conclusão da obra está prevista para este ano.

Por: Adriana Sabadin – Assessora de Imprensa
Prefeitura Municipal de Serafina Corrêa – RS.

de ultima ora


Olides. Na noite de ontem no C5N, o ex chefe de gobirno, Alberto fernandez estava dando uma entrevista, falando mal de Cristina, e em determinado instante na entrevsiat, meia hora depois, la entrevista foi scada do ar... Colocaram otra matéria no ar... Veja que houve uma censura na televsão. Por ordem de quem???

Ontem à noite a corte ( justicia) decretou que pe valido sim o aborto( em todos os casos de violença contar as mujeres) Por otro lado a iglesia diz que
" é sim, peddo tirar uma vida inicente". O caso é polemico, si, por una serie de presupuestos. Vou ligar mais tarde para a La Chica para que ela muestre trabajo para el blog, destes factos.. Um abraço Gelson. ( estoy el medico...)


Gelson Farias

CODENE COM NOVA DIRETORIA EXECUTIVA
Conselho de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra do RS elege diretoria

A eleição para os quatro cargos da Diretoria Executiva do Conselho de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra ocorreu na tarde de terça-feira (13). Foram eleitos Presidente,Sérgio Augusto Dorneles, do Gaec Ambiental, Grupo de Apoio ao Esporte e a Cultura , de Pelotas; Vice-presidenta, Jeanice Dias Ramos, do Núcleo de Jornalistas Afro-brasileiro, do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul; Secretária, Tatiana Telles Gomes, da Secretaria de Justiça e dos Direitos Humanos; e Tesoureiro, Luiz Felipe Teixeira, da Secretaria de Segurança Pública.
O primeiro ato da nova diretoria foi marcar uma audiência com o secretário da Justiça e dos Direitos Humanos, Fabiano Pereira, tendo em vista a vinculação do Conselho a essa Secretaria, visando apresentar a proposta de trabalho da gestão do Conselho para o biênio 2012-2014, bem como dialogar sobre a Política de Promoção da Igualdade Racial desenvolvida por essa Secretaria de Estado.
A Chapa 1, vencedora da eleição, contou com 13 votos. A chapa 2 recebeu sete votos, e um voto foi anulado. O quórum total é de 24 conselheiros,três não se fizeram presentes.
O Conselho Estadual de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra foi criado em maio de 1988. É órgão público normativo, paritário, deliberativo, fiscalizador, competente para desenvolver estudos, propor medidas e políticas voltadas para a comunidade afrodescendente, visando a eliminação das discriminações que atingem a sua integração plena na vida social, econômica, política e cultural.


Jeanice Dias Ramos
Reg. Prof. 3993
Jorn. Prof. Diplomada

PALACIO ILUMINADO

NA ULTIMA SEGUNDA, TAVA SAINDO AQUI DA ASSEMBLÉIA JUNTO COM O COLEGA JCTERLERA, QUE PRA VIR PRO SEU BUNKER APENAS ATRAVESSA A PRAÇA DA MATRIZ - O TERLERA ME LEMBRA O FILOSOFO EMANUEL KANT( CRITICA DA RAZÃO PURA) QUE QUANDO CRUZAVA A PRACINHA DE SUA PEQUENA ALDEIA ONDE RESIDIA NO INTERIOR DA ALEMANHA O RELÓGIO DA TORRE DAVA 4 BADALADAS SINALIZANDO QUE ERAM 4 DA TARDE - QUANDO CRUZEI PELA ALEMOA, A ESPOSA DO ESPANHOL QU ESTAVA NO CELULAR AO LADO DO SEU CARRO.

COMO A ALEMOA FAZ TRATAMENTO CONTRA UM CANCER ELA ESTÁ DE PERUCA E ISTO RECONHECI. PERGUNTEI PELO ESPANHA E ELA ME DISSE QUE ESTAVA AI NA PRAÇA DA MATRIZ, A FAMOSA PRAÇA QUE ASSISTIU CENTENAS DE MULHERES TIRAREM AS CALCINHASE JOGAREM NO JANGO PORQUE ELE NÃO DISCURSOU NA SACADA DO PALÁCIO PIRATINI QUANDO VOLTOU DA CHINA POR ACORDO QUE TINHA FEITO PRA PODER ASSUMIR NO PARLAMENTARISMO PROVANDO QUE O HOMEM ERA MOLENGA MESMO , FAZENDO FOTOS DO PALÁCIO ILUMINADO. DEVE SER PRA SEMANA DE PORTO ALEGRE,SEGURAMENTE QUE O ESPANHA NÃO QUEIMA POLVORA EM CHIMANGO.EIS A FOTO ENTÃO DO PALÁCIO ONDE HOJE O PT MANDA.

DESINDUSTRIALIZAÇÃO


A participação da indústria no PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro recuou aos níveis de 1956, ano em que o presidente Juscelino Kubitschek (1902-1976) deu impulso à industrialização do país ao lançar seu Plano de Metas, que prometia fazer o Brasil avançar "50 anos em 5".
Desde então, jamais a fatia da indústria manufatureira do país na formação do PIB havia alcançado nível tão baixo quanto o apurado em 2011.
No ano passado, a indústria de transformação -que compreende a longa cadeia industrial que transforma matéria-prima em bens de consumo ou em itens usados por outras indústrias- representou apenas 14,6% do PIB.
Patamar menor só em 1956, quando a indústria respondeu por 13,8% do PIB. De lá para cá, a indústria se diversificou, mas seu peso relativo diminuiu. O auge da contribuição da indústria para a geração de riquezas no país ocorreu em 1985: 27,2% do PIB. Desde então, tem caído.
"Temos energia cara, spreads bancários dos maiores do mundo, câmbio valorizado, custo tributário enorme e uma importação maciça. A queda da indústria no PIB é a prova do processo de desindustrialização", afirmou Paulo Skaf, presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).
André Macedo, gerente da Pesquisa Industrial Mensal do IBGE, aponta dois fatores que explicam o declínio da indústria na formação do PIB: o avanço dos serviços e da agricultura; e o crescimento das importações.
"A importação pode modernizar o país, mas dependendo do que se importa prejudica a indústria. E esse setor é importante por ofertar boa parte dos empregos mais qualificados", disse.

É só observar a média salarial do Caged, os novos empregos, bem baixa, pois são empregos menos qualificados.

Brasil-China. Importamos automóveis, exportamos jegues. Viva o PT no "pudê"!


Em meio a tantos produtos brasileiros exportados para a China, surgiu, recentemente, um novo objeto do desejo que não faz parte das nossas riquezas naturais, nem da cultura agrícola. Trata-se do popular jegue nordestino. Há cerca de um mês, um acordo entre os dois países liberou o intercâmbio de asnos - animais também conhecidos como burros e jumentos, que são largamente utilizados na indústria de alimentos e na de cosméticos daquele país.

Os chineses pretendem importar 300 mil jumentos por ano do Nordeste, onde o animal é encontrado em abundância. Além de movimentar a economia local, a iniciativa ainda vai resolver o problema de excesso de oferta de jegues na região. Com as facilidades de financiamento, houve um crescimento muito grande do uso de motos para o transporte local e os jegues estão perdendo espaço para a concorrência.

Em junho de 2011, um grupo de empresários chineses percorreu o Nordeste, desde a Bahia até o Rio Grande do Norte, conversando com fazendeiros e políticos. Aos políticos locais, o grupo propôs um programa de garantia de compra dos burros a preços de mercado, envolvendo até linhas de crédito, por meio de um sistema batizado de Projegue. Mas o projeto ainda não deslanchou.

A China abate 1,5 milhão de burros ao ano, produzidos no país, na Índia e na Zâmbia. O processo envolve tecnologia de ponta, com melhoria genética, cuidados na produção de alimentos específicos e assistência técnica. (JC Online)

BRIGA POLITICA EM SERAFINA


PROVOQUEI O EX-PREFEITO POLACO E ELE ME DEU SUA POSIÇÃO SOBRE SE É OU NÃO CANDIDATO.

POIS AÍ ESTÁ.

caso estes comentários forem publicados gostaria de esclarecer mais uma vez
que o exemplo usado serve para os dois lados o cachorro pode vir de qualquer
lado que os fanáticos votam no cachorro portanto impossível dar uma
diferença destas, espero ter sido entendido.

RBS DEMITE

FILHO DO SÓCIO

O FILHO DO SÓCIO DA RBS, FERNANDO ERNESTO CORREA, GERALDO, QUE OCUPAVA UMA das vice-presidencias DA RBS FOI DEMITIDO da Rede Brasil de Comunicações (RBS). o sINDIJOR NÃO INFORMOU A QUANTIA QUE O DIRETOR RECEBEU COMO RESCIÇÃO.

o PRESIDENTE DO SINDIJOR, Volmir Hélio Sauer informou que a rescisão foi feita na semana retrasada, mas não soube dizer quanto tempo Geraldo Correa, que tem cerca de 50 anos, tinha de casa.

- Não era pouco, informou.


Geraldo Correa, filho de Fernando Ernesto Correa, fora vice-diretor de rádios da RBS e ultimamente vinha ocupando a vice-diretoria de jornais. Sua vaga está sendo ocupada por Cristiano Nygaard e Marcelo Rech.

Fernando Ernesto Correa foi um dos primeiros dirigentes da RBS. Ele é sócio da empresa.

Foi durante muito tempo superintendente da empresa. È o responsável pela expansão da RBS principalmente com a rede de televisões do interior, feita durante os anos 70, do século passado.

MUITOS DEMITIDOS

desde Janeiro de 2011, até a semana passada, o sindicato dos jornalistas fez cerca de 120 rescisões de jornalistas da RBS apenas do RS.

DENUNCIA: JUIZES ARGENTINOS SÃO ACUSADOS DE ADOÇÃO ILEGAL DE BÊBES

De Buenos Aires
Gelson Farias

Grupos de familiares de desaparecidos e a Secretaria de Direitos Humanos da província de Buenos Aires denunciaram o envolvimento de dois juízes e ex-funcionários da Justiça argentina por participação em sequestro e adoção ilegal de Simón Riquelo. Durante a última ditadura do país (1976-1983), muitos filhos de presos políticos eram entregues a militares ou a simpatizantes do regime. Estima-se que 500 crianças foram separadas dos pais na Argentina naquele período.


Simón Riquelo.

As novas denunciam é contra os juizes Wagner Gustavo Mitchell e José Martínez Sobrino. Sobrino, na época, secretário de Mitchell, agora pertence ao Tribunal Oral Federal, onde trabalha com julgamento de crimes cometidos durante a ditadura - entre eles, a adoção de Simón Riquelo. Mitchell, que foi titular de um Juizado de Menores, é acusado de ter entregado Simón Riquelo ao militar Osvaldo Parodi. Recentemente, o nome de Mitchell apareceu na imprensa por conta de um tema também relacionado à ditadura. Ele ordenou a suspensão dos exames de DNA que poderiam determinar se foram adotados ilegalmente os filhos de Ernestina de Noble, dona do grupo Clarín.

Felipe e Ernestina de Noble e Marcela.
Em 2002, após anos de busca, Sara Méndez encontrou o filho Simón Riquelo. Na noite de 13 de julho de 1976, quando ele tinha apenas 22 dias de vida, os dois foram separados. Sara foi sequestrada e levada à prisão clandestina Automotores Orletti, na cidade de Buenos Aires. Riquelo foi entregue, horas depois, a Osvaldo Parodi. Sara e Mauricio Gatti, pai de Riquelo, era uruguaios, membros da então ilegal FAU (Federação Anarquista do Uruguai) e militantes do Partido pela Vitória do Povo. Com a instauração da ditadura no Uruguai (1973-1985), os dois foram para Buenos Aires. Não junto com Sara, Gatti também foi sequestrado naquela época. Ele faleceu em 1991 por conta de um ataque cardíaco. Ela, por meio da Operação Condor, foi transferida da Orletti para Montevidéu, capital do Uruguai, e condenada a cinco anos de prisão pela Justiça Militar.

Em 2002, Sara soube o paradeiro de Riquelo, mas não sabia quem eram os responsáveis pela adoção ilegal de seu filho. A denúncia do envolvimento dos juízes foi encaminhada ao promotor geral Esteban Righi. Citado pela agência de notícias estatal argentina, Telám, ele afirma que o caso é grave não apenas pelo crime cometido na época, mas também pelo envolvimento dos juízes com investigações de violações das quais são acusados.
Telam.

VOCE VIU O CABEÇÃO POR AI???

EU NÃO, EU NÃO!!!!


No bailão do Darci Silva, nos anos 70, os repórteres da Folha da Manhã, da empresa jornalistica Caldas Jr.Ltda,entre eles o editor VILMO MEDEIROS( DE OCULOS) MAIS o comandante geral da BM, coronel Milton Weirich, e os repórteres Leopoldo Ruzicki, Milton Galdino, ( o " churrasquinho") Sérgio Lima( " sapatão") o comissário de polícia Irani Ferreira Martins e o repórter Roberto Hirtz( o " Beto Bironha")

uM LEITOR DESTE BLOG QUE CONHECEU O COLEGA VILMO MEDEIROS QUANDO ESTE ESTAVA EM FLORIPA MANDA PERGUNTAR NOTICIAS DO COLEGA, QUE NÃO AS TENHO. o que consegui levantar é que sua ficha no sindicato dos jornalistas continua como efetivo(ou seja, não foi dada baixa).

Vilmo é nascido em Cachoeira do Sul em 2/5.1940. Filho de Vitor Medeiros e de Seleni Medeiros. Morou na rua Dr. Félix C. Rodis, 216, no bairro Partenon...

O que os colegas gostavam era de pegar no seu pé cantando uma música muito em voga. Vilmo, que fora do DN, estava como editor de polícia da zero hora.

Vinha do tempo da Ultima Hora.

Havia uma música muita em voga naqueles anos que dizia: você viu o cabeção por aí? eu não, eu não....

Bah, mas o Vilmo se atracava no vivente....

Cumpridor de ordens dos seus superiores, tive que arcar com ele a obrigação durante uma temporada de madrugar num hotel em Tramandaí, porque ele como chefe madrugava e as sete horas da manhã já estava na sala tomando café pra dar início a jornada de trabalho.

Mas o Vilmo fechava contigo. Agora, se se magoasse por alguma coisa, adeus tia Chica.

No tempo do Grenal

das churrascarias...


o produtor musical Airton dos Anjos(" patinete"), Luis Carlos Neves,a cantora Berê,o divulgador" Pachequinho"e o repóter Gelson Farias. Nos anos 70, na churrascaria Mosqueteiro, junto ao Olimpico.

Gremio e Inter disputavam também em matéria de churrasco. No Grêmio, havia a Mosqueteiro e no Inter, a Saci.

Ficaram muito famosas e conhecidas na cidade,mas com o tempo as duas foram pro brejo.

Hoje, nem um clube, nem outro têm churrascarias. Foi-se o tempo que a dupla guerreava não apenas em estádios, em jogos de futebol, mas também em churrascarias.

 

JORNAL NACIONAL E GLOBO CANONIZAM RICARDO TEIXEIRA
Por Marco Antônio Araújo (R7)

FOTOCHARGE do JenipapoNews no Paulo Henrique Amorim e no Facebook

Em uma homenagem travestida de reportagem, a afilhada querida do poderoso padrinho fez elogios sem-fim aos seus feitos à frente da CBF.
Foram pouco mais de 3 MINUTOS e 30 SEGUNDOS de APLAUSOS.
Denúncias? UMA MINÚSCULA PARTE DAS DEZENAS DE ESCÂNDALOS DESVENDADOS PELA RECORD, durante semanas seguidas, apareceram brevemente após 2 MINUTOS e 40 SEGUNDOS e logo trataram de dizer que FORAM ARQUIVADOS.
Foram números e MARCAS POSITIVAS quase SEM-FIM, dentre elas,
A de que assumiu com apenas DOIS PATROCINADORES e deixou a entidade com R$ 271 MILHÕES EM CAIXA (?)
Este SANTO HOMEM foi injustiçado por aqueles que não compreendem o AMOR DE UM PAI POR UMA FILHA , de um padrinho por sua afilhada.

CHARGE DO JENIPAPONEWS NO CONVERSA AFIADA
http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2012/03/13/folha-nao-engole-o-sucesso-do-conversa-afiada/

RICARDO TEIXEIRA não deixou apenas o comando do futebol brasileiro nesta segunda. DEIXOU A GLOBO ORFÃ DE SEU MAIOR PADRINHO, capo de tutti capo do combalido futebol brasileiro.
E o Jornal Nacional discursou em seu VELÓRIO PÚBLICO.

Memória da Imprensa


FERRARI QUERIA CALAR


A MONICA. PELO CONTRÁRIO

A MONICA FEZ DO LIMÃO A LIMONADA

Nos anos 80,quando Pedro Simon foi governador do Estado, o secretário da Saude, Antenor Ferrari convidou pro seu gabinete de imprensa a repórter da ZH que cobria o setor de saúde, a Mônica Gugliano.

Baixinha, mignon, desbocada, mas muito sedutora, a Mon, como a chamávamos nós na redação não tinha papas na língua. Era então a companheira do colega quidinho, o Euclides Lisboa, que trabalhava,se não me engano no JC onde mandava no meu amigo Lauro Dieckman....


Ferrari estava montando sua equipe de jornalismo. Não queria lá dentro os resquícios da DITADURA que eram o LUIZ GONZAGA - cujo apelido na zero era de gonzatur, porque editava o caderno de turismo - e o VITORINO, que haviam trabalhado pro BONOW, quando governava o estado, Jair Soares.Ferrari assessorado pelos "golden boys"entre eles o hoje advogado Gladimir Chiele, começou a contratar jornalistas de primeira linha. Luis Fernando Lima, Ataides Miranda na chefia. Miranda mais na coordenação e Lima mais pra acompanhar o secretário.


Eis que Ferrari inventa de contratar pra tentar anular possíveis matérias negativas dentro da Zero a repórter Monica Gugliano( na época se tinha duplo emprego, todos tinham...)

A Monica aceitou, mas não se sabe se por uma crise de consciência, ou então porque seu lado repórter falou mais alto, ela passava o tempo todo BISBILHOTANDO matérias que interessavam a ela não a secretaria.

O Ataídes Miranda passava mais tempo escondendo noticias da Monica ali dentro do que trabalhando....

Sempre que ela chegava de manhã, Miranda tinha um xilique...

" Meu deus, agora ela vai ver isto e amanha estará na zero"

E o Ferrari putiava seu assessor direto, não a monica, a quem não queria melindrar porque ela tinha a zero nas mãos.( é assim que os politicos agem, não se espantem

Até que um dia aconteceu um grande problema. O Hospital Conceição entrou em greve e a secretaria decidiu que botaria a Brigada Militar lá dentro pra trabalhar e deixar os não grevistas irem pros seus postos , jáque as barreiras dos grevista snão os deixava chegarem ao trabalho.


Toda a operação que seria desencadeada durante a madrugada teve que ser escondida da Monica no dia anterior porque se ele descobrrisse no dia seguinte era manchete certa da zero hora, furando todo mundo e criando um grande caso dentro da imprensa.

- Conseguimos esconder da Monica a intervenção da Brigada, mas no dia seguinte, quando ela chegou na coletiva que marcamos pras 11 horas, ela estava braba e me disse: esta voces esconderam de mim...


DEMITIDA?

fERRARI queria que Ataides demitisse a Monica, mas Miranda se negou. Eu não vou criar uma inimiga dentro da zero hora, imaginou ele.

E Ferrari, como politico, jamais demitiria.Isto porque a um politico não interessa tem um inimigo dentro do principal jornal do Estadoi.

Enfim, Miranda accabou descobrindo que tinha ali do seu lado o aliado principal pra colocar as materias que ele tinha interesse que saisse na zero: o próprio LUIZ GONZAGA GONÇALVES...

Era pra ele que passava os releases de interesse da assessoria.

Este episódio mostra como geralmente os interesses entr eo repórter e a ssessor se conflitam.

 

Coleguinhas


*Manifestação do colega MOLA sobre depoimento dos 20 anos das DEGOLAS NAS RBS EM ABRIL DE 1992 mostra que o episódio deixou muitas cicatrizes.

*Nada como um dia depois do outro, já diz o ditado....


*A que leva recordar um episódio como aquele?

*Respondo com um ditado: quem dá o tapa esquece logo, quem leva demora mais!

*Claro que ao recordar um episódio TAO TRAUMATICO, pelo menos pra mim, PODE-SE incorrer em alguma injustiça. Sinceramente, não lembro de ter ido pedir emprego pro Mola, ou ter ligado. Em todos os casos, faz tanto tempo....

*Lembro que estive no Grupo Sinos sim, logo após minha demissão e que um dos donos, da família Gusmão, me mostrou toda a estrutura deles, mas foi apenas gentil. Não me convidou pra trabalhar lá.

CPI da Saúde: Pujol promete entregar parecer à CCJ no dia 21

Comissões
CPI da Saúde: Pujol promete entregar parecer à CCJ no dia 21
Durante reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) realizada nesta terça-feira (13/3) pela manhã, o vereador Reginaldo Pujol (DEM) informou que deverá entregar no próximo dia 21 o seu parecer sobre a legalidade da instalação da CPI da Saúde. Relator do processo na CCJ, Pujol manifestou intenção de se antecipar ao prazo legal para entrega do parecer, que terminaria no dia 26 de março.

O pedido de formação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), protocolado pelo vereador Pedro Ruas (PSOL), visaria a analisar denúncias de possíveis irregularidades que teriam ocorrido na Secretaria Municipal da Saúde (SMS) no período entre 2007 e 2009, quando o Instituto Sollus e a empresa Reação prestaram serviços à SMS. O Sollus foi responsável por operacionalizar o Programa de Saúde da Família (PSF) de 2007 a agosto de 2008, quando o Executivo rescindiu o convênio por suspeitas de irregularidades. Para instalação de uma CPI são necessárias 12 assinaturas de vereadores (um terço dos 36 membros da Casa).

O presidente da CCJ, vereador Luiz Braz (PSDB), acolheu pedido do vereador Pedro Ruas (PSOL) e concedeu tempo para que o parlamentar expusesse à Comissão sua defesa sobre a legalidade do pedido de instalação da CPI da Saúde a partir da obtenção da assinatura de adesão do vereador Elias Vidal (PPS). Ruas baseou seu entendimento de que o requerimento de abertura da CPI já tem as 12 assinaturas necessárias no fato de que o pedido protocolado em 2010 não foi arquivado, o que só poderia ter ocorrido se houvesse mudança de legislatura. "Portanto, o vereador Elias Vidal aderiu a um pedido já protocolado, ainda válido."

Histórico

Em janeiro de 2010, o vereador Pedro Ruas (PSOL) apresentou requerimento solicitando a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) com objetivo de examinar denúncias sobre desvios de recursos que teriam ocorrido na SMS - cerca de R$ 9,6 milhões pelo Instituto Sollus e mais de R$ 4 milhões pela empresa Reação. As denúncias foram veiculadas pela imprensa no começo de 2010 e tiveram como base a Operação Pathos da Polícia Federal, que levantou irregularidades envolvendo o Instituto Sollus, contratado pela prefeitura em 2007 sem licitação. Averiguações do Ministério Público Federal davam conta ainda de que verbas destinadas ao Programa de Saúde da Família teriam sido utilizadas para outros fins. Falhas na prestação de contas do Sollus à prefeitura também foram detectadas pelo MPF.

Na época, dez vereadores subscreveram o pedido. No dia 31 de março de 2010, a vereadora Neuza Canabarro (PDT) subscreveu a 11ª assinatura ao requerimendo. A 12ª assinatura viria a ser dada pela então vereadora Juliana Brizola (PDT), hoje deputada estadual, ainda naquele ano.

Com 12 assinaturas, o pedido de CPI foi protocolado por Pedro Ruas (PSOL) no dia 20 de dezembro de 2010. A partir disso, a CCJ foi convocada pelo então presidente da Câmara, vereador Nelcir Tessaro, a analisar o requerimento, por considerar que haveria divergências no parecer da Procuradoria da Câmara sobre a validade ou não de assinatura de vereador suplente no requerimento de abertura de CPI.

No dia 11 de março de 2011, Pedro Ruas (PSOL) declarou instalada a CPI da Saúde em Porto Alegre. O vereador Nelcir Tessaro, então no PTB, ingressa com liminar, na Justiça, questionando a legalidade do ato, mas o Tribunal de Justiça do Estado (TJE-RS) indefere o pedido no julgamento em primeiro grau. No dia 21 de março do mesmo ano, no entanto, o desembargador Armínio José Abreu Lima da Rosa, da Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, concede liminar a mandado de segurança impetrado por Tessaro e determina a suspensão das atividades da CPI na Câmara Municipal. No dia 22 de junho de 2011, a 21ª Câmara Cível do TJE-RS manteve a decisão da liminar que considerou ilegal a instalação da CPI da Saúde.

O debate sobre a instalação da CPI da Saúde foi reaberto, no entanto, no último dia 5 de março, quando o vereador Pedro Ruas (PSOL) anunciou, durante sessão ordinária da Câmara, a adesão do vereador Elias Vidal (PPS) ao pedido de instalação da Comissão. De acordo com Pedro Ruas, a assinatura de Elias Vidal seria a 12ª ao pedido de CPI da Saúde, o que cumpriria o quórum mínimo exigido. O presidente da Câmara Municipal, vereador Mauro Zacher (PDT), acatou pedido do líder do governo na Câmara, vereador João Dib (PP), que solicitou pareceres da Procuradoria da Câmara e da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa sobre a legalidade da instalação da CPI, uma vez que uma das 12 assinaturas seria a de um ex-vereador, o atual deputado Aldacir Oliboni (PT).

Carlos Scomazzon (reg. prof. 7400)

Mantida proibição de cobrança em banheiro público


O plenário da Câmara Municipal de Porto Alegre rejeitou, na tarde desta segunda-feira (12/3), veto total do Executivo em projeto do vereador Alceu Brasinha (PTB) que determina a proibição da cobrança para a utilização de banheiros em estádios esportivos, terminais rodoviários e metroviários e espaços públicos em Porto Alegre. Confome o Executivo, o veto apresentado baseava-se no fato de que os locais previstos para a proibição se constituem em áreas de concessão estadual ou federal e, portanto, a proposta estaria avançando sobre matéria de competência do Estado e da União. Com a derrubada do veto, fica mantida a proibição da cobrança por uso de banheiro público.
Aprovado pelo Legislativo municipal em novembro do ano passado, o projeto de Brasinha apresentou o argumento de que a cobrança pelo uso de banheiro, por exemplo, em rodoviárias ou no aeroporto, poderia embutir uma ilegalidade, já que o passageiro paga a taxa de embarque para usar o terminal. "Ao pagar para usar o banheiro, o cidadão estaria sendo lesado em seus direitos. Se o local é público, então temos o direito de usar, ou pelo menos garantir que pessoas pobres possam usar sem pagar”, destacou na oportunidade o vereador.


Helio Panzenhagen (reg. prof. 7154)

Indenização de R$ 40 mil para o vereador Adeli Sell

fonte http://www.espacovital.com.br/noticia_ler.php?id=26793

Sentença proferida pelo juiz Luiz Augusto Guimarães de Souza, da 3ª Vara Cível de Porto Alegre, determina que a Televisão Guaíba Ltda. - que é a razão social da TV Record RS - pague uma reparação moral de R$ 40 mil ao vereador Adeli Sell (PT-RS).

Anteriormente, uma antecipação de tutela - confirmada pela 9ª Câmara do TJRS - já proibira a emissora de divulgar o nome do vereador na campanha veiculada denominada "Fala Adeli!".

Em Juízo, o vereador afirmou que passou a ser alvo da ira do programa "Chamada Geral" e dos apresentadores Alexandre Mota e Antonio Sacomory porque, no final de 2009, se recusou a participar de campanha promovida pela ré e pela Empresa de Correios e Telégrafos para o Natal; e, depois, por se negar a dar entrevistas à demandada.

Os autos revelam que "a emissora chegou ao absurdo em divulgar a imagem feita por montagem, do vereador em calçolas e urinol, mantida no ar por mais de cinco minutos em horário de elevada audiência".

Numa das falas, um dos apresentadores disse que "o nobre vereador deve ter tido uma educação na Inglaterra, na Grã-Bretanha, em Oxford, em algum estábulo, porque o verdadeiro cavalo eu já não sei quem é". Após uma pausa, o apresentador pergunta: "Quem seria o cavalo nessa história?”

A petição inicial afirma que "a humilhação experimentada dispensa qualquer demonstração, bastando o mínimo juízo racional para que se imagine o abalo de uma pessoa que prima por sua imagem, ser chamada ao vivo, de cavalo, em horário de pico de audiência, com aproximados 470 mil telespectadores, dentre eles uma grande proporção de eleitores".

Na contestação, a Record sustenta que "nunca desbordou de seu livre direito de informar" e que "as matérias veiculadas tiveram apenas sentido crítico, jamais ofensivo". Mais: as críticas teriam sido uma reação a "agressões partidas, antes, do próprio vereador, o qual teria ofendido, em dois momentos, a equipe de reportagem; primeiro, quando de uma ligação telefônica, cujo teor foi por ela gravado e depois exibido, e, segundo, nas dependências do Legislativo Municipal".

O juiz avaliou que "essas reportagens, exibidas dia a dia, foram massacrando a paciência do requerente, que, inobstante, homem público, porquanto detentor de mandato, não tinha por que não se aborrecer ante o excesso de informações e notícias que passaram a desrespeitá-lo e a ultrajá-lo". O magistrado refere ter assistido cenas dos programas, constatando que "a veiculação do nome do requerente está o tempo todo associada de forma jocosa, desrespeitosa e injuriosa: ora associa-se o vereador a peças íntimas, ora a utensílios destinados à colheita de excrementos, ora, ainda, a objetos eróticos - deixando-se os conteúdos jornalísticos totalmente de lado ou em um segundo plano para fazer humor negro".

Cabe recurso de apelação ao TJRS. Os advogados Pedro Luiz Correa Osório e Luiz Gustavo Capitani e Silva atuam em nome do vereador. (Proc. nº 1.10.0168881-4).

Alerta por tormentas: comenzó a llover en Capital y Provincia


El área de cobertura incluye a Buenos Aires, Córdoba, La Pampa, San Luis y Santa Fe. En el conurbano ya se registran intensas lluvias y caída de granizo en algunos sectores.

Por Enriqueta sollares


Una copiosa lluvia comenzó a caer sobre Buenos Aires y Capital Federal minutos antes de las 8.30. En algunos sectores de la zona norte del conurbano estaba cayendo granizo. Desde Vialidad Nacional se recomienda "extremar las medidas de seguridad" al conducir, especialmente en autopistas y accesos a Capital, donde por estas horas se registran intensas lluvias. El Servicio Meteorológico Nacional (SMN) emitió esta mañana un alerta por "probables tormentas intensas", con posibilidad de caída de granizo, para esta capital y distintas regiones de las provincias de Buenos Aires, Córdoba, La Pampa, San Luis y Santa Fe.

Lluvia sobre Buenos Aires.

Sobre el área de cobertura prevalece una masa de aire cálido, muy húmedo y muy inestable a la que se aproximaba un frente frío, lo que provocaba áreas de lluvias y tormentas, algunas localmente fuertes o severas, especialmente sobre el centro-norte de la provincia de Buenos Aires.
"Se prevé que el área de lluvias y tormentas pueda extenderse y afectar parcialmente al resto del área, siendo algunas de las tormentas localmente fuertes o severas, acompañadas de muy intensas ráfagas de viento, abundante caída de agua y caída de granizo", indicó el SMN. Las condiciones tenderán a mejorar gradualmente de sudoeste a noreste durante la jornada de hoy. El alerta incluye Capital Federal, sudeste, centro y norte de Buenos Aires, sur de Córdoba, noreste de La Pampa, sur y centro de San Luis, sur de Santa Fe, Río de la Plata y zona marítima adyacente.

Jerônimo Jardim entrevista PT 2 no Sonoridades desta quarta

Tenho uma história boa pra contar. Já perguntei a ele mas ele negou.

Dizem que ele tava a fim de uma artista da Globo e não levava(não darei o nome porque essa gente pode se melindrar...) tá, dou a dica: foi casada com um famoso psicanalista.

No dia que ela tava a fim dele, em Curitiba, não é que o cara broxa....

Jeronimo nega peremptoriamente o fato e ri dele. Apenas assegura a amizade entre os dois. Nada mais....mas longe da esposa atual...

 

SONORIDADES DESTA QUARTA-FEIRA (07.03), 20h30min, apresenta a segunda parte de uma entrevista gravada com o lendário cantor e compositor JERÔNIMO JARDIM. Sintoniza lá nos 1080 AM ou via http://www.ufrgs.br/radio/
Na próxima quarta (21.03), oito e meia da noite, Sonoridades traz entrevista com Beatles em Concerto, que divulga seu show do dia
28 de Março
Beatles Concerto
Com Ayres Potthoff, Daniel Wolff e Rodrigo Alquati
Horário: 20h
Local: Sala Álvaro Moreyra (Av. Érico Veríssimo, 307, Menino Deus)

DEPOIS DA VEICULAÇÃO nesta quarta a segunda parte da entrevista COM O JERÔNIMO JARDIM FICARÁ DISPONÍVEL ATÉ A PRÓXIMA QUARTA-FEIRA 21 DE MARÇO NO site da RU http://www.ufrgs.br/radio/programa.html (CLICANDO EM SONORIDADES)

Visite o site do Jerônimo Jardim:
http://www.jeronimojardim.com/

Acesse em anexo um material promocional do Sonoridades
http://issuu.com/gutovillanova/docs/divulga__o_sonoridades_ano_2012

Sétimo dia


Amigos e amigas,

Obrigada pela solidariedade e pelo apoio. Um abraço carinhoso sempre ajuda nas horas difíceis.

A missa de sétimo dia em memória de nossa mãe será na quarta-feira, 14, às 18h30, na Catedral Metropolitana.

Beijos agradecidos,


Nubia

Recebo do colega MOLA sobre uma entrevista que dei ao Jornal VERSÃO!


Meu amigo Olides.

Foi com surpresa - e imensa tristeza - que li tua manifestação no jornal do Sindicato dos Jornalistas. Teu comentário sobre minha participação no episódio das demissões em massa, na gestão do Augusto Nunes, foi indevido com alguém que sempre procurou ter com seus colegas uma relação de lealdade. E paguei por isto, muito caro podes estar certo. Não fui eu quem fez "lista de dispensas e acabou sendo o primeiro a ser dispensado". Fui demitido, isto sim, e podes ter como testemunhas disto outros que citastes na reportagem, como o Ucha e o Eugênio, por não ter concordado com a política que estava sendo implementada na Redação. Todos - repito, todos - os editores-executivos na época, entre eles nosso amigo Olyr, foram instados a cumprir uma meta de demissões. Elenquei, sim, alguns nomes de pessoas que eu acreditava não estar rendendo o que deveriam. Este é o ônus de chefiar, amigo. E, nesta lista, não havia um só nome que nela não merecesse estar. Tinha gente trabalhando demais, enquanto outros só apareciam no final da tarde para fazer algumas horinhas e ir embora. Se puxares pela memória, vais lembrar de alguns destes... O meu propósito, como de outros que igualmente acabaram demitidos, era evitar o que acabou acontecendo, com o corte injusto de pessoas competentes, dedicadas, com passado, presente e futuro dentro da empresa. Tu eras uma delas.

O que mais me magoa neste episódio, Olides, é saber que tinhas esta idéia a meu respeito e não te furtastes a me ligar pedindo emprego no NH lá pelos idos de 1996, depois de eu ter saído definitivamente da RBS para onde voltei como editor-chefe do Jornal de Santa Catarina meses depois dos episódios na Zero. Durante anos me castiguei por não ter te oferecido a única vaga existente na época, no NH, por achar que o salário não condizia com a tua capacidade. Lembras que te comentei sobre isto, tempos depois em um encontro em Poa? E tu me respondestes assim: "Mola, eu estava numa situação tão precária que aceitaria qualquer salário..." Alguns amigos em comum sabem deste episódio e do quanto ele me marcou. Dona Scheila sabe quantas vezes falei sobre isto, me penalizando por não ter feito o que deveria ter feito: te oferecido o emprego, sem achar que iria te ofender. Usei este exemplo várias vezes, sem mencionar teu nome, durante reuniões com meus editores.

Tudo bem, meu amigo. Não vou querer o teu mal por aquilo que foi publicado agora. Nem vou cobrar meu devido direito de resposta, mesmo que o jornal do sindicato não tenha tido a ética de me procurar para me ouvir, já que tu me fizestes uma acusação grave. Nossa história tem muito mais valor, pelo menos pra mim, do que uma frase injusta.

Forte abraço e muita saúde,
Mola

Recebo do ex-prefeito VALCIR SEGUNDO REGINATTO
sobre comentários aqui feitos a respeito de pesquisa eleitoral em Serafina!


Amigo Olides por mais que eu respeite as informações do teu Blog e pelo

respeito e amizade que tenho pelo Bico afinal fomos companheiros de chapa

em outra eleição esta analise do suposto resultado jamais vai acontecer

pelos próximos 20 anos no minimo pela rivalidade que existe em nosso

município, para não desmerecer nem um nome ou pessoa usarei este exemplo

se colocarmos um cachoro de candidato aquela diferença não acontecerá em

pesquisa nenhuma pois sempre teremos os contra e à favor.

DE SERAFINA

UMA FOTO ORIGINAL

Olhando esta foto aí me lembrei da Serafina do meu tempo, não da atual( que eu só conheço de passagem, porque apenas vou como visitante o que é muito distinto de quem mora num local)
Anotei pra comentar o Moinho de trigo da sociedade estrela, o da esquerda quem olha a foto. tem ainda aparecendo o moinho de arroz e de milho que era de madeira. depois vê-se a casa do Nestor Cervieri, mas onde hoje vive o seu irmão Ewaldo.

Esta casa foi uma das consideradas mais luxentas de serafina. Construída quando o velho fioravante cervieri era uma potência, ela foi feita por um pedreiro de Guaporé( tudo o que vinha de Guaporé, tinha outro valor, um valor maior na ótica dos serafinenses que recém estavam se livrando do jugo político da cidade-mãe)Ao fundo a esquerda o prédio onde funcionou primeiro o Banrisul e a prefeitura original. O predio era do velho Miguel Soccol e ele o cedeu por algum tempo a prefeitura.

Vê-se toda a avenida Dr. Júlio Campos, que depois na gestão do prefeito Sérgio Massolini foi mudada pra av. Miguel Soccol, num unico caso que conheço em que os moradores aceitaram esta troca aprovada pela camara municipal.

CASO LILIAN E UNIVERSINDO DIAZ: JUSTIÇA URUGUAI VAI REVER O CASO

De Buenos Aires
Gelson Farias

A Justiça do Uruguai aceitou fazer uma revisão geral no caso dos uruguaios Universindo Díaz e Lílian Celiberti, sequestrados em novembro de 1978 na cidade de Porto Alegre, numa ação combinada de policiais do DOPS gaúcho e militares do Exército uruguaios. O caso faz parte da Operação Condor onde agentes destes dois países (Uruguai e Brasil) agiam clandestinamente nos dois territórios para prender, homens e mulheres, “opositores das ditaduras do Cone Sul” nos sangrentos e conturbados anos de 1970.

Lilian no Juizado na Ciudad Vieja de Montevidéu,
Em Porto Alegre, o casal foi preso na companhia de seus filhos, de oito e três anos. Conduzidos para o DOPS, Lilian e Universindo sofreram torturas para contar o que estariam fazendo em Porto Alegre. Trinta dias depois, foram levados para o Uruguai, onde novamente foram torturados para contar o que faziam no Brasil. Como nada conseguiram provar contra o casal, os agentes dos dois países resolveram acusar os dois de tramar ações terroristas no Brasil e no Uruguai fazendo tráfico de armas e explosivos. Lilian e Universindo ficaram presos durante cinco anos.
Ao ser libertado em 1983, pouco tempo antes do fim da ditadura no Uruguai, o casal, denunciou na justiça o sequestro e as torturas por militares uruguaios. Na época, nenhum dos agentes envolvidos no caso, compareceu à justiça. Eduardo ferro, capitão da polícia do Uruguai, e que tinha o seu QG, da sua missão no Brasil, mas precisamente no RS, foi várias vezes citado, mas nunca compareceu na justiça. No final do ano passado, por determinação do presidente José Mujica (ex-guerrilheiro preso e torturado pelo regime, mandou um decreto à Suprema Corte revogando todos os atos administrativos que impediam o julgamento de violações aos direitos humanos pela caduca ‘Ley de Caducidad’, que os militares se concederam como garantia de impunidade).
Mais de 80 casos de lesa-humanidade foram então ressuscitados, entre eles o dos sequestrados em Porto Alegre.
Durante meses, realizou-se uma garimpagem nos arquivos da Justiça para resgatar o processo ‘desaparecido’ pelo regime militar. No mês passado, Lilian Celiberti compareceu ao Juizado na Ciudad Vieja de Montevidéu, onde estão registrados os casos contra a ditadura. Lilian fez formalizar a denúncia que foi aceita pela juíza Mariana Motta.
TELAM.

HENRIQUETA

NOSSA QUERIDA COLABORADO CUMPRIU 50 ANOS NO ULTIMO SABADO. TEVE BOLO E TORTA. QUANDO ELA FICA BRABA FALA COMO CANTINFLAS AQUELE PERSONAGEM MEXICANO!

A Enriqueta leu o que escreveste no blog... para ela... "HENRIQUETA. PARABENS PELOS CUMPLEANOS 50 JA ES UNA VIECITA...AH...... ela gostou e manda dizer que agradece a manifestação de carinho de tua parte. Um abraço gelson. Olha. Não vou ligar nada. Se ele quiser me manda e-mail, ok

Gelson Farias

Prezado Serginho Ros

Estou lendo de graça o livro do tavares...

Tu pagou, que bom!

O livro é muito bom...bem escrito,r echeado de casos interessantes.

Dizem que o talento é inversamente proporcianal ao caráter....

Será????

JORNALISTA INGLÊS ROBERTO FOX VOLTA COMO COLUNISTA DO BUENOS AIRES HERALD

De Buenos Aires
Gelson Farias

Obrigado a se exilar nos Estados Unidos há mais de 30 anos por denunciar violações de direitos humanos na Argentina durante a ditadura militar (1976-1983), o jornalista inglês Robert Cox acaba de voltar ao país para trabalhar como colunista do Buenos Aires Herald.

Fox, numa momento descontraído durante entrevista.

Cox era editor-chefe do Buenos Aires Herald (jornal publicado em inglês na capital argentina) na década de 70, quando coordenou uma extensa cobertura das mortes e desaparecimentos dos oponentes do regime militar, enquanto a imprensa local permanecia em silêncio. Logo que chegou à Buenos Aires, o jornalista concedeu várias entrevistas, na qual fala sobre a realidade na Argentina, o conflito entre o governo e o grupo Clarín e a dura experiência que sofreu ao ter que deixar o país em 1979, ameaçado de morte por cobrir a guerra suja no país. Quanto ao conflito entre o Kirchner e o Clarín, Cox defendeu que “é impossível ver as ações do governo como outra coisa que não seja um ataque direto ao grupo”, mas também criticou o jornal, assim como o La Nación, por atacarem o governo “todos os dias”, o que, para ele, “desmotiva muitos leitores”.
Cox recebeu recentemente o título de cidadão ilustre de Buenos Aires em reconhecimento ao seu trabalho. Fundado em 1876, o periódico vive até hoje, tendo atuações importantes na história do país. A principal delas, talvez, tenha sido seu papel contestador na época da ditadura. O Herald porteño perguntava pelos desaparecidos e enfurecia os militares com seus editoriais, ganhando notoriedade na sociedade pelas suas denúncias de abuso dos direitos humanos.

JUSTIÇA ARGENTINA VAI INVESTIGAR O BISPO EDIR MACEDO

De Buenos Aires
Gelson Farias


A Justiça Federal argentina, abriu ação penal para investigar o brasileiro Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd), e mais três argentinos (pastores da mesma igreja) por lavagem de dinheiro, evasão de divisas e formação de quadrilha. A denúncia é do Ministério Público Federal, aqui de Buenos Aires, que também havia acusado o grupo de prática de estelionato continuado e falsidade ideológica. Segundo o que foi apurado até agora, Edir Macedo e outros membros da Igreja Universal, com sedes em todo o mundo, estaria, em Buenos Aires, acertando detalhes da compra de dois canais de televisão e mais duas redes de rádios, na província de Baía Blanca e na província de Toledo, próximo a Córdoba. Todo o dinheiro transacionado por Edir Macedo que havia sido pago como garantia na compra das emissoras, foi confiscado por ordem da Justiça federal Oral Argentina e depositado no Banco da República Argentina.



Bispo Edir Macedo

Por outro lado, a membros do Ministério Público argentino, solicitaram, através do Itamaraty, para que ficam chegar a Justiça Federal Brasileira o pedido de informações referentes a ao bispo Edir Macedo pelo fato do brasileiro, estar igualmente envolvido, no Brasil, em denuncias de irregularidades financeiras. Segundo o juiz Federal argentino, Aguerri Tosiano, no Brasil, além do bispo, foram denunciados o ex-deputado federal João Batista Ramos da Silva (que foi detido com R$ 10 milhões no Aeroporto de Brasília, em 2005), o bispo da Iurd Paulo Roberto Gomes da Conceição e a diretora financeira Alba Maria Silva da Costa. A denúncia foi oferecida no último dia 12. Existem outras informações que estão de posse do juiz Aguerre, que incluiu, como a participação de doleiros no esquema criminoso. De acordo com o magistrado argentino, o grupo cometia estelionato contra os fiéis da Iurd, oferecendo “falsas promessas e ameaças de que o socorro espiritual e econômico somente alcançaria aqueles que se sacrificassem economicamente pela igreja”. Outra denúncia contra Edir Macedo, em Buenos Aires é o fato dos pastores coletavam todo o tipo de joias dos fiéis durante os cultos e depois mandar fundir o que sobrou das joias em barras de ouro e fazer a chamada evasão de divisas.
O Ministério Público argentino denunciou os crimes ocorridos entre 1999 e 2005, período em que a igreja Universal se instalou com seus luxuosos templos aqui em Buenos Aires. No entanto, ele citou vários episódios anteriores a esse período para explicar a estruturação do grupo e como o esquema foi montado. Existem ainda outras denuncias que estão sendo investigadas, aqui em Buenos Aires, sobre As imagens que demonstram a pressão exercida sobre os pastores para que aumentem a coleta de recursos. “Esta gravação, já de posse da justiça, comandadas pelo bispo Romualdo Panceiro, “atual” número dois” na hierarquia e apontado pelo líder Edir Macedo como seu sucessor. O pastor que fatura mais alto durante o mês recebe da Universal passagem para Israel.

Coleguinhas


O radialista WIANEY CARLET da gaucha, foi recebido ontem depois do almoço pelo governador Tarso Genro.

Coleguinhas


*Ouvi ontem no final do " sala" números estrondosos sobre Ibope e a rádio Gaúcha. Olha, o que me ocorreu é que não pode a Gaúcha ter tudo aquilo e as demais juntas ter um resto.


*Alguma coisa tá errada, aí.


*Na quinta passada, assinaram sua rescisão de contrato no sindicato dos jornalistas mais 5 jornalistas da RBS TV. entre eles o consagrado repórter JOSÉ MITCHELL.


*Mitchell está tendo um fim de carreira triste.Em 1999 fechou o JB aqui no Sul, mas ele foi pra TV Com. Agora foi dispensado.


*O jornalismo gaúcho e brasileiro deve muito a José Mitchell.

“MI BUENOS AIRES QUERIDO” IMORTALIZADO POR GARDEL É DE AUTORIA DE UM ABRASILEIRO


Eles foram bem mais que colegas na música, podemos dizer que foram grandes parceiros de vida. Os dois foram parceiros de vida e de morte, pois ambos estavam no avião que sofreu um trágico acidente em Medellín, Colômbia, em junho de 1935. Essa ligação tão forte começou por volta de 1932, quando Le Pera, convidado pela Paramount, escreveu roteiros para os filmes de Gardel, em Paris. A partir desse encontro, os dois viraram grandes amigos e Alfredo Le Pera começou a fazer letras para Carlitos.

De Buenos Aires
Gelson Farias

Já imaginou o quiproquó se descobrissem que a autoria de Aquarela do Brasil fosse de um argentino? Pois algo parecido ocorre em terras portenhas. Um dos maiores hinos da música argentina, a canção Mi Buenos Aires querido - imortalizada na voz de Carlos Gardel - foi escrita por um brasileiro. O grande público ainda não sabe, mas as principais letras do cantor de tango são fruto de uma parceria com o paulistano Alfredo Le Pera, que nasceu em junho de 1900. O brasileiro é autor de outras músicas importantes como: El día que me quieras, Sus ojos se cerraron e Soledad.

Alfredo Le Pera foi o principal compositor de Gardel.
Nascido no bairro do Bexiga, na capital paulista, Alfredo Le Pera mudou-se para Buenos Aires com apenas dois anos de idade. Filho de dois imigrantes italianos, Alfonso e Maria Sorrentino Le Pera, o menino cresceu na capital argentina. Durante a juventude, o brasileiro-argentino cursou e iniciou a carreira em medicina, mas logo abandonou a profissão para se dedicar ao jornalismo. Em pouco tempo, iniciou o trabalho no mundo cultural, escrevendo legendas e roteiros para filmes. Le Pera era um misto de dramaturgo, escritor e jornalista.
“Ele cursou medicina somente para agradar aos pais, mas logo depois se entregou para as letras, que era sua maior paixão”, explica o produtor cultural da Câmara de Comércio Brasil e Argentina e estudioso Ruben Ali.
“O brasileiro era um homem que não buscava o estrelato, apaixonado por escrever canções, preferia ficar sempre atrás das luzes sobre Gardel. Outro traço de sua personalidade era o apreço pela vida noturna onde na companhia de Gardel, passavam horas em bares e casas de shows de Bueno Aires. O brasileiro pode ser definido como um boêmio de alta qualidade poética”.
“É interessante falar de Le Pera porque ele sempre foi um poeta ‘low profile’, discreto, taciturno, ao contrário de hoje em que todos querem aparecer”. Conta Ruben Ali.


O filme Norte Americano Perfume de Mulher. Al Pacino dança o tango "Por Una Cabeza".

O filme Norte Americano Perfume de Mulher de 1992 tem em sua trilha sonora uma música que nos traz a antiguidade de todo contexto. Trata-se do famoso tango "Por Una Cabeza" composto em 1935 por Alfredo Le Pera e Carlos Gardel. A letra da musica se refere a um apostador compulsivo em corridas de cavalos que compara seu vício por cavalos com sua atração por lindas mulheres. No filme, Al Pacino interpreta um reformado coronel cego completamente desiludido de sua vida e planejando seu suicídio, que resolve passar um final de semana em New York como despedida e, para isso, faz-se acompanhar de um jovem estudante (Chris O'Donnell). Durante a viagem vai aos poucos se envolvendo com os problemas enfrentados pelo rapaz e acaba esquecendo sua amarga infelicidade. Quem viu o filme jamais irá esquecer a cena em que ele dança com a belíssima Gabrielle Anwar, em um restaurante o divino tango Por Una Cabeza.

Ergo Talla, Alfredo Le Pera, Carlos Spaventa, Anita del Campillo, e Gardel, do filme, Cuesta Abajo.
Depois das gravações na Europa, o tango começou a se popularizar pelo mundo inteiro. As canções de Le Pera e a voz de Carlos Gardel fizeram com que a dança ganhasse os grandes salões do Velho Continente. A principal contribuição de Le Pera ao tango está nas letras, na escrita. O brasileiro retirou os recorrentes regionalismos portenhos das músicas de Gardel e fez com que as canções ganhassem as paradas de sucesso em outros países, principalmente os hispanofônicos. Dessa forma, o estilo musical expandiu-se e ganhou outros países, como Brasil, Chile e Espanha.
“A importância de Le Pera no tango e na vida de Gardel é fundamental, ele é o grande homem, o poeta de Gardel, um verdadeiro divulgador da música no mundo”, exalta Ruben Ali.
Carlos Gardel é uma espécie de Roberto Carlos argentino. Ícone maior da música do tango e um ídolo dos hermanos. A nacionalidade de Carlos Gardel é o centro de uma antiga polêmica. Alguns historiadores afirmam que o cantor nasceu em Tacuarembó, no norte do Uruguai. Outros, ao contrário, sustentam que ele nasceu em Toulouse, na França e que teria vindo com sua mãe para Buenos Aires no navio “Don Pedro”, em março de 1893. Quem conviveu com Gardel conta que ele sempre desconversou quando perguntado sobre o assunto.

Gardel ( foto) é o maior representante do tango e faz parte do imaginário cultural argentino. Inclusive, os hermanos adoram usar expressões com o nome dele, por exemplo: “Calma lá, você não canta como Carlitos”.
A figura de Gardel, símbolo máximo do amante latino de sua época (fato muito bem explorado pela indústria cinematográfica de Hollywood), passou a ser idolatrada, deixou inúmeras “viúvas” inconsoláveis e ficou eternizada para todo o sempre. Existem algumas lendas em torno de seu nome, como acontece com todo mito, que chegavam a negar a sua morte em tal acidente e que afirmavam que o ídolo, anônimo e desfigurado pelo desastre, continuava a cantar, solitário, pelas calles de Buenos Aires.

Samba na Gamboa com Pery


Pessoal! Tem no artigo uma passagem com o saudoso e querido José Dantas, meu cunhado. Estou mandando de novo para alguns porque dei uma guaribada no texto anterior, acrescentando algo.

Jorge Alberto Benitz
Porto alegre, 05 de março de 2012.
Brasilidades
Jorge Alberto Benitz
As terça- feiras tem um show de brasilidade na TV Brasil. O programa Samba na Gamboa com Diogo Nogueira. Eta! arvore boa esta. Já deu o grande João Nogueira e agora seu filho segue a tradição de fazer samba de qualidade. Teve um que foi reapresentado dia 28/02/2012, suponho que em homenagem a Peri Ribeiro, que é especial.
Nele são abordadas grandes rivalidades da musica brasileira. Noel Rosa e Wilson Batista e Dalva de Oliveira e Herivelto Martins, pais de Pery. Tambem, algumas das musicas são cantadas pelo próprio Pery, por Alfredo Del Penha e Diogo Nogueira. Uau, que show!
Noel e Wilson se desentenderam tendo como pivô do entrevero uma dona de cabaré que ambos disputavam. Isto era o lado visível da briga. Inconscientemente eles disputavam a primazia no samba. Além de musicas antológicas, desta luta, resultou, na minha planilha de contagem de pontos vários rounds ganhos por Noel quase por nocaute. Sem contar que Wilson Batista quando se viu perdido apelou apontando para um golpe baixo abordando a questão da feiura do Noel. O bom foi que no fim eles se reconciliaram.
Já no caso de Dalva e Herivelto a coisa foi mais pesada. Envolvia separação com toda a carga de ódio e rancor que isto acarreta. Pery vivenciou como filho este vendaval e sobreviveu.
Desta briga de egos, ganhou o mercado de musica. Ao que acrescento, ganhamos nós, ouvintes, musicas que vieram para ficar, musicas eternas, atemporais.
Sobre Pery, basta dizer que foi um grande cantor. Dono de uma bela voz. Foi o primeiro a interpretar Garota de Ipanema, lançou dez discos de bossa nova e que foi escanteado pelo pessoal deste movimento. Uns maldosos dizem que ao contrário deste pessoal ele tinha voz e isto era inaceitável. Eu não entro nesta porque gosto do estilo e da voz daqueles que como João Gilberto tinham “voz de fim de noite”, segundo Nelson Rodrigues.
Em 2006, Pery Ribeiro lançou o livro Minhas Duas Estrelas, no qual relata como foi sua vida em meio ao conturbado relacionamento dos pais Dalva de Oliveira e Herivelto Martins. A minissérie Dalva e Herivelto, exibida na TV Globo em 2010 também foi baseada nesse livro escrito por Pery Ribeiro e retratou a vida dos pais famosos do cantor e parte de sua infância e adolescência. Certa feita convidei meu cunhado José Dantas e esposa para assistir uma apresentação do Pery Ribeiro em uma casa noturna que existia no prédio onde funcionou o antigo Jóquei Club, na rua Andrade Neves. Eu sabia que o José gostava do Pery. Ele era eclético, gostava de tudo que é gênero de musica, como eu. O show estava irretocável. Ele passeava por toda a sua carreira pinçando o melhor de seu repertório. Tudo nos conformes. Uma penumbra cobria a plateia enquanto que o palco era feericamente iluminado. Nos quatro sentávamos em uma mesa que era servida por solícitos garçons. A Casa fazia o estilo do Canecão, casa noturna carioca, com a plateia distribuída em mesas partilhadas por grupos de pessoas de até 8 lugares.
Lá pelo meio do show me virei para comentar com meu cunhado sobre como estava bom o show e me deparei com ele e sua esposa de olhos fechados. Eles estavam dormindo. Incrível! Depois de me dei conta de que eles como bons interioranos dormiam cedo. Eles moravam em uma cidade no oeste catarinense. Em um primeiro momento, fiquei chateado com o que entendia ser uma desfeita com o cantor e com quem os convidou, eu e minha mulher. Eu tinha ficado todo contente de poder oportunizar uma noite especial para eles e, em troca, recebi isto. Não gostei nem um pouco do que considerei uma desconsideração. Passada esta primeira reação, levei na boa e até rimos juntos do ocorrido. Entendi que n o era o que eu inicialmente pensava e sim apenas uma decorrência de um estilo de vida diferente que não está acostumada a dormir tarde, ajudado pela média luz penumbrosa que convidava quem estivesse com sono a cair nos braços de Orfeu. Simples assim. Além do mais eles tinham feito uma longa viagem naquele dia. Segue abaixo link do programa.

TUMULO

iNTERPRETO O SILENCIO DO MAZZARINO COMO UMA DECLARAÇÃO DE GUERRA A TRABALHADORA SERAFINA. tENS 24 HORAS PRA TE MANIFESTAR.

CASO CONTRÁRIO, INVADIREMOS ENCANTADO!!!!

Pro zator( homiziado na centenária Palmeira)

1) Mandei um cartaz da festa da padroeira em maio na Undeze

2) manda a foto da centenária rodoviária

3) Inventei pro prof. Fincatto que tu tinha mandado um abraço pro homi. Tu nunca lembras dele, que é de Sarandi.


4) combinei com a Luli(esposa do Adroaldo Cadore) que faremos a festa em Porto. Ela disse que vai falar com o Grando. Quem é o Grando? Não lembro.

atenciosamente. Teu

escriba que manda coisas pelo correio, fato que tu nunca fazes.

Clarín lamenta o fato de a presidenta não ter câncer


Para o secretário-geral da presidência argentina, Oscar Parrilli, o Clarín “ultrapassou todos os limites éticos e morais, ao tentar mudar a realidade, mentir, tergiversar e difamar”. Ele acusou o jornal de ter “iniciado uma loucura” após saber que a presidenta tinha um tumor benigno e não cancerígeno. “Olhem a manchete de ontem, quase dizendo “que lástima, não era câncer”. Hoje estão vendo se colocam a culpa no governo, que mente, informa mal...”, criticou.


De Buenos Aires
Gelson Farias

Após a exitosa operação que descartou o diagnóstico de câncer de tireoide em Cristina Fernández de Kirchner, o jornal Clarín vem insistindo em colocar em dúvida a transparência e veracidade dos informes médicos da presidenta argentina. “Só falta o Clarín lamentar o fato de a presidenta não ter câncer”, disse o secretário-geral da Presidência, Oscar Parrillo, em entrevista à jornalista Viviana Canosa, para a TV canal 13 estatal, hoje pela manhã.
Em sua edição de ontem ( domingo) o Clarín fez um extenso informe onde põe em dúvida o conteúdo dos estudos histopatológicos e o rigor do Centro Diagnóstico Maipú, lugar desde onde se divulgou o primeiro estudo realizado pela presidenta Cristina Fernández e que revelou a presença de células cancerígenas. Os dardos do Clarín também foram dirigidos contra a Unidade Médica Presidencial. Para o governo argentino esta é mais uma das jogadas executadas pelo grupo midiático com quem está se enfrentando há algum tempo.

Jornalista e apresentadora Viviana Camosa e Oscar Parrilo, TV canal 13 estatal.

Cristina Fernández foi operada no dia 5 de janeiro no Hospital Austral de Buenos Aires, com o objetivo de extrair a glândula tireoide, que estaria afetada por um tumor maligno. Após a operação e os exames laboratoriais, concluiu-se que o tumor não apresentava características cancerígenas.
Para Parrilli, o Clarín “ultrapassou todos os limites éticos e morais, ao tentar mudar a realidade, mentir, tergiversar e difamar”. Ele acusou o jornal de ter “iniciado uma loucura” após saber que a presidenta tinha um tumor benigno e não cancerígeno, como havia sido anunciado antes da operação. “Olhem a manchete de ontem, quase dizendo “que lástima, não era câncer”. Hoje estão vendo se colocam a culpa no governo, que mente, informa mal...”, respondeu. Se não tivéssemos tornado tudo público, desde o início, o que teriam dito? – perguntou, referindo-se ao Clarín. Hoje pela manhã, o diretor da Unidade Médica Presidencial também se manifestou e assinalou em um comunicado que “diante das mal intencionadas publicações do diário Clarín, de domingo, em suas páginas 3, colocando em dúvida o conteúdo dos estudos histopatológicos do Centro de Diagnóstico Maipú, nos vemos na obrigação de divulgar o diagnóstico feito em 22 de dezembro de 2011, tal qual foi comunicado cinco dias mais tarde na Casa de Governo e que resultou na intervenção cirúrgica na chefe de Estado”.


Jornalista Roberto Arida, na rádio Mitre.

A presidenta não tem câncer, mas para o Clarín isso não basta. Doente ou não, algo estaria sendo ocultado. Isso ficou demonstrado com a intervenção do jornalista Roberto Arida funcionário do Clarín, em programas de rádio e televisão, que apresentou detalhes que teriam sido revelados por fontes em off de suspeitos “arranjos obscuros” por parte da Unidade Médica Presidencial. O jornalista disse em seu programa na rádio Mitre.
“houve uma médica que observou e disse mais ou menos o seguinte: eu não teria sido tão contundente, não fica tão claro que se trata de um carcinoma papilar. Eu teria utilizado a palavra neoplasia. E não teria definido se é benigno ou maligno”.
Quem é a especialista em questão. Ninguém sabe. Segundo o jornalista do Grupo Clarín, foi isso o que ocorreu, a realidade dos fatos que aconteceram. Ele diz que este fato mostra o papelão que a medicina argentina fez.
“Não tem tanto a ver com o diagnóstico do Centro Maipú, que teria dito ‘compatível’, deixando aberta a possibilidade da dúvida. Tem a ver com a administração equivocada da Unidade Médica Presidencial do tema comunicacional, porque se agiu sob o signo do medo. Depois do que fizeram, não acredito em nada que venha da Unidade Médica Presidencial. Digo isso com muita dor porque há médicos respeitáveis. Acredito em quem me deu a versão fidedigna”, concluiu o jornalista, ferrenho opositor do governo de Cristina Fernández.

Gelson Farias, de Buenos Aires

Olides. Não. Não tinha caso, pelo que entendi. Ocorre que Maria Tereza emprestou o carro um Opel verde para um amigo da família. E numa barreira o carro foi parado. O sujeito que estva dirigindo disse que o carro era emprestado da família do presidente Jango. Na delegacia, tudo terificado esclarecido com a chegada de dona Tereza. Ela confirmou quer havia sim emprestado o carro. Foideste episódio que o agente horácio ficou amigo da família do jango. Eu tenjo,ouytros depoimentos dele, para esta semana, ok. Tem mais coisa boa. tem um aparte na hisória que Jango, o autoriza a levar leite para casa, alimentar os filhos. Na fazenda de Jango tinha duas vacas Holandesas que davam muito leite por dia, cerca de 50 litros. O leite era distribuído para pessoas pobres da redondeza... Até carne d eolvelha e de gado, Horácio levava para casa para limentar afamília por ordem de Jango. Segundo ele,tomava chimarraão com o presidente e Maneco. Por alguns dias, ele viajou com Maneco, de avioneta, um Cesna de Jango, para ir até o Uruguay... Ele comta que o presidente simpatizou com ele desde o primeiro momento que se viram na fazenda de Villa, em Mecedes. Disse que o presidente era um homem marvilhoso e vaidoso, mesmo tendo um defeito físico. Por vezes, Jango também saiu com ele ( uma segurança) dirigindo o Opel verde por vários locais pela cidade de Mercedes, província de Corrientes. Conto mais depois, ok. Um abraço Gelson.

Gelson Farias

SÓ A RENOVAÇÃO LIBERTARÁ DILMA

Por Carlos Chagas

As perguntas surgem simples, as respostas é que parecem complicadas: até quando Dilma Rousseff aguentará a chantagem dos partidos de sua base parlamentar? Quando ela comporá um ministério à altura das necessidades nacionais e de seus próprios conceitos e programas?
Tem gente imaginando o limite da paciência presidencial no resultado das eleições de outubro, caso o eleitorado venha a colaborar, ou seja, se houver ampla renovação de valores. Mesmo sendo municipais, ou por isso, nada melhor para o governo do que ver surgirem lideranças novas e jovens nas capitais e principais cidades do país. Importa menos se pertencerem majoritariamente a um determinado partido. Essencial é que apareçam desvinculados das atuais chefias e direções, na demonstração de que o PT, por exemplo, voltará às origens se conseguir livrar-se de José Dirceu, Rui Falcão, Marta Suplicy, Antônio Palocci e outros. Ou que o PMDB poderá colaborar muito mais caso isole Michel Temer, Henrique Eduardo Alves, Romero Jucá e companhia. Que tal o PDT com Carlos Lupi mantido à distância, ou o PTB sem Roberto Jefferson? O PR deslocando Waldemar da Costa Netto e Alfredo Nascimento?
A renovação municipal, se acontecer, determinará o esvaziamento desses e de outros caciques, coincidentemente os que obturam o governo. Seria excelente ensaio geral para mudança mais profunda de métodos, ideais e propósitos, nas eleições gerais de 2014. Mas precisaria começar em outubro, pois dois anos a presidente Dilma já terá perdido.
O PRÓXIMO LANCE NUM XADREZ DELICADO
Parecem satisfeitos os poucos líderes que ousam botar o pescoço de fora, entre os 400 oficiais da reserva signatários do manifesto de crítica ao governo. Mais do que solidarizar-se com os presidentes dos três clubes militares, acima e além de admoestarem duas ministras e a próprias presidente Dilma, eles pretenderam posicionar-se contra a Comissão da Verdade. Mandaram um aviso a respeito dos limites que pretendem para o grupo ainda não composto. Quem sabe até contribuíram para protelar um pouco mais a designação dos sete membros que investigarão denúncias de crimes praticados por agentes do estado, durante a ditadura militar?
O próximo lance nesse delicado jogo de xadrez caberá à presidente Dilma, prevendo-se que o manifesto de rebeldia esgotou-se em si mesmo. A nomeação dos sete indigitados integrantes da Comissão da Verdade despertará polêmica, qualquer que seja. Serão pressionados tanto pelo estamento castrense quanto pelos grupos parlamentares empenhados em revolver e reviver o passado.
Fica impossível esquecer as barbaridades praticadas, tanto quanto não lembrar que subversivos e terroristas adotaram métodos semelhantes. Como também será difícil evitar que venham a público depoimentos abrangendo os execráveis excessos dos dois lados. Contestar a anistia não dá, por decisão do Supremo Tribunal Federal. Deixar de constituir a Comissão da Verdade, também não.

DE SERAFINA

EIS A BOITE

TREME TREME DE SERAFINA!


Eis a boite que fica na região central de Serafina, onde acontecem bailes principalmente frequentados por jovens. Os bailes iniciam lá pela uma da matina e terminam invariavelmente depois das cinco da matina. Pra desespero do porteiro Jorge do Hotel Ca dei Monti, que tem que atender toda a turma que vai lá depois dormir.

Após os bailes, enquanto os músicos voltam pras suas cidades de onde procederam - já tocaram bandas tri conhecidas de Porto Alegre ali como Nenhum de Nós, Acusticos e Valvulados, Comunidade Nin Jitsu( do Mano Changes) entre outras muito conhecidas - a gurizada que participou dos bailes fica bebendo até o dia clarear. Neste último domingo, estavam combinando de ir tomar um café( não sei onde teria café aquela hora da manhã, numa cidade que aquela hora dormia)ou comer um cachorro quente.mE DISSE UM HOJE CIDADÃO CASADO, RESPEITÁVEL NO MEIO SOCIAL, cumpridor de seus afazeres domésticos e pai de um guri, que muitos amassos deu naquela boite.

Hoje, enquanto os guris fervem - tudo piazada entre 15 e 20 anos -no bem sentido, o meu amigo está em casa, pronto pra levantar e ir brincar com o piá. .

Morte do presidente Jango no exílio: aprendendo com a própria história

Queremos paz com liberdade; a lei com legitimidade e a democracia não como uma palavra apenas, mas como um processo de ascensão do povo ao poder.


De Buenos Aires
Gelson Farias


Olides.

Tenho aqui uma pequena entrevista com o agente da polícia argentina, hoje aposentado, com 80 anos e muito doente. Ele resolveu falar, alguma coisa sobre o que se passou, quando o ex-presidente Jango esteve aqui, morando na fazenda de propriedade da família, a estância La Villa, em Mercedes, província de Corrientes, Argentina. Todo o envolvimento do agente Horácio Pagali, com o ex-presidente Jango, teve início, quando numa madrugada, à esposa do presidente, a senhora Maria Thereza chegou à delegacia em que Horácio trabalhava para resolve uma questão referente a um carro, de Marca Opel verde.

O agente Horácio, continua no seu relato: Acontece que uma pessoa ( um homem amigo da família do ex-presidente Jango) estava com o carro emprestado e foi detido numa barreira policial que, naquela época eram realizadas todas as noites. O homem foi levado para a delegacia e disse que o carro era emprestado. Como ele não tinha documentos do veículo para confirmar a sua versão, dois agentes foram até a fazenda Villa, em Mercedes e pediram para alguém da família comparecer na delegacia. Para a minha surpresa quem esteve na Delegacia foi à senhora Maria Thereza, esposa de Jango. Lembro que era de madrugada e ela teve de ficar por horas para ser atendida.

Durante a nossa conversa na delegacia ele me confidenciou que era a segunda vez que estava sendo detida. A primeira vez, disse ela... Seu Horácio faz uma pausa, pede água para seu filho Juan, esta cansado... Mas ele quer continuar. Diz que a senhora Maria Thereza... Ficou detida três dias no Uruguai. Lá existia a Lei da Veda, que proibia por algum tempo o comércio e o consumo de carne e sobraria mais para a exportação. Foi detida por que estava com mais de cinco quilos de carne no carro. Disse que Jango tinha um frigorífico em Maldonado e que sempre tinham carne em casa. Desta vez ela estava se dirigindo de carro para o centro de Montevidéu churrasco e quando foi parada numa barreira policial. Estava levando a carne para uma família de amigos. Tinha 6 quilos de carne no carro.
Doente com um câncer de próstata que esta levando a sua vida, Horacio continua seu relato desta vez com muita calma. Faz pausas prolongadas... Fica a olhar o nada por instantes e volta a falar.

Conta que depois do episódio da delegacia, Horacio diz que ficou amigo da família. Por muito tempo frequentou a casa grande da fazenda. Toda a vez que podia lá estava ele para saber se precisavam de algo. Conta que foi nestas idas à casa da fazenda que conheceu O Maneco, o piloto de Jango. Disse que nas proximidades da casa, havia sempre um avioneta (avião) Cessna, de propriedade de Jango, Por muitas vezes ele viu o Jango conversando com os peões e comendo churrasco de ovelha ( que era o preferido de Jango ) feito numa vala, nas proximidades de um poço próximo a casa. Por muitas vezes conversou com o ex-presidente Jango.
“Acredito que ele tinha alguma coisa tipo gastrite, pois vivia tomando chá, que ele dizia que tinha de ser bem quente igual à água do chimarrão”. “Eu o ouvia dizer uma frase que nunca mais esqueci”. “O exílio é uma invenção do demônio”.

Horácio conta que a casa da fazenda era bem grande. Tinha cerca de mil hectares com gado da raça Hereford e Braford, e algumas cabeças de Nelore. Tinha ovelha que era para o consumo da família. Disse que o ex-presidente sempre fora muito carinhoso com os filhos. Estava sempre cokm a menina no colo. Sobre a morte do ex-presidente o agente Horácio fala o seguinte:
“Eu estava de plantão naquela madrugada”. Eram cinco horas ad amanhã quando chegou à delegacia, o senhor Júlio Passos que trabalhava na fazenda de peão. Com ele estava o médico Ricardo Rafael. Os dois estavam vindos da fazenda. Foi ai que fiquei sabendo que o senhor Jango estava morto. O primeiro a falar sobre o que tinha acontecido foi o senhor Júlio Passos.
“Eram cerca de 1 h da madrugada quando ouvi gritos vindos de dentro da casa grande da Fazenda. Imaginei que alguém tinha entrado ou coisa parecida... Mas quando entrei no quarto do patrão... Imediatamente o vi com as duas mãos sobre o peito e dona Teca (apelido de Maria Thereza) sentada na beira da cama com as mãos no rosto aos prantos. Na casa estava o senhor Ulrich que imediatamente pegou o Opel e foi buscar o médico na cidade”. No final do depoimento Júlio Passos diz que não soube o que se passou dentro do quarto do casal.

Bancada ruralista

enviada pela leitora Ellen Augusta

Recado curto e grosso do Serginho(mal humorado como sempre....e isto que ele diz que tem um monte de namoradas...)

Respostas
1) teu livro está sendo lido por mim. está bem escrito.

2) Qto ao senhor que veio emagrecer aqui, quem pagou a conta. Uma empreiteira como da vez da amante com filho???

3)Vcs aí de Brasília são todos uns fofoqueiros. Só falam da vida alheia. Parece que nem Serafina, ou outra cidade pequena. Vcs aí são MIUDEIROS

4)E A BIOGRAFIA DO BRIZOLA, AQUELA QUE TU E O CHAGAS IRIAM ESCREVER LÁ NAS FAZENDAS DO BRIZOLA....AQUELE QUE FARIA O SOCIALISMO MORENO, SÓ NA TERRA DOS OUTROS....



E o meu livro??????
O dinheiro já está na tua conta hà mais de 10 dias...

O senador Renan Calheiros,passou dez dias aí no sul. Esteve em um spa em Gramado. Voltoi bem mais magro.

Depois escrevo mais. Hoje estou com o saco cheio. Bateram no meu carro.

Sergio

Shoppings e Malls


Antonio Augusto Bandeira


Estive em shoppings muito bonitos e malls em Cancun. Uma explicação para muitos desnecessária: diferença.
O que em Porto Alegre geralmente chamamos de Shoppings, exemplificando o Moinho de Ventos, na realidade é mall. Shopping é um conjunto de lojas, restaurantes, livrarias, em locais abertos. Mall estão em edifícios.
Não fui nos mais careiros.Grifes , a não ser um tênis que comprei ( marca superconhecida) feito na China...
Gostei muito da "Las Islas " e "Nova América".
Fui até o Mercado 28, mas era domingo estava quase fechando e os preços não me pareceram convidativos.
No Hotel tinham diversas Lojas ( mais caras).
Mas como quando viajo comprar não é meu objetivo, sim conhecer o desconhecido, embalar no colorido da surpresa, compras só muito ocasionais.
Gosto de camisas do local, bonés, algo que me faça lembrar o passeio realizado.
Cada um, cada qual.
Mas o passeio é interessante. Num deles no centro, em domingo, vi, com surpresa, muito mexicanos passeando com suas famílias...lembrei minha cidade.
Foi gostoso.
A surpresa é por ser Cancun uma cidade totalmente turística criada em 1970 com esta idéia.

VIDA NORMAL


Quando saí pra caminhar esta manhã, cedo, notei que a Nilo estava apinhada de carros. Já tinha esquecido a realidade de Porto...

Agora voltamos à rotina, com o fim das férias.Que,aliás eu não tive como faz 20 anos que não as tenho!

Recebo


Prezado Ernesto:

Fui colega na ZH do Vilmo Medeiros, mas depois nunca mais tive notícias dele.

Nem os colegas que conheço as tiveram.

Não sei se voltou pra Cachoeira do Sul, ou se faleceu.

Por Porto Alegre não o tenho visto.

Estes tempos um filho dele escreveu reclamando da forma como a "memória" do seu pai estava sendo tratada. Não entendi lhufas do que ele queria dizer.



Tomo a liberdade de lhe escrever, para quem sabe vc conhece uma pessoa chamada Vilmo Medeiros, que trabalhou no Zero Hora, e que na época de 80 foi para Florianopolis, trabalhar no Diário Catarinense, mas que retornou para Porto Alegre, em 95 ou 96.
Caso o Sr,.o conheça , dê este meu e-mail, me chamo Ernesto fiz amisade com ele em Florianopolis, e atualmente estou em Brasília.
Obrigado,
Um forte abraço.
Ernesto Farias

O COVIL DE

BRIZOLA EM SÃO BORJA


no Executivo Hotel, de S. Borja em 1998 ( no segundo turno da eleição para o governo do Estado,quando Olívio venceu Britto no RS. identificados: sentados José Paulo Bisol(que fora candidato ao senado e perdeu pra Pedro Simon) Leonel Brizola ,que era candidato a vice da República na chapa de Lula, o próprio(que perdeu a eleição para FHC no primeiro turno) Emilia Fernandes, candidata a deputada federal, Pompeo de Mattos, deputado federal do PDT, Edson Silva, entao presidente do PCdoB do Estado, Pedro Ruas, fora candidato ao senado pelo PDT, Florêncio Aquino Guimarães(ex-prefeito de S. Borja) Edson Arce,radialista da Cultura AM que pergunta a Brizola. no saguão do Executivo Hotel. Foto de Gaudêncio, acervo do PDT/S.Borja.


O ex-governador Leonel Brizola usava o Hotel Executivo como centro de seus encontros políticos quando estava em São Borja. E Brizola fazia 24 horas ao dia...

Liderança carismática, a passagem de Brizola pela Terra dos Presidentes daria um belo livro.

Brizola ia a São Borja desde os tempos que Getúlio estava no "exílio" ou autoexílio- a partir de 1946 quando ficava em Santos Reis ou no Itu - então é um longo convívio que manteve com a capital dos Sete Povos.

Vamos ver se o Dr. Itiberê, um pesquisador local, se entusiasma em fazer um livro contando a ligação sentimental de Brizola com São Borja.

Tenho certeza que seria um trabalho interessante!


da esq para direita, na mesa, Pedro Ruas, Percy Penalvo, Leonel Brizola, (um garção) Dr. Gastão Ponsi(advogado militante do PT sãoborjense), do outro lado, na mesa, sentados, Florêncio Aquino Guimarães, Sereno Chaise, Matheus Schmidt,aparecem ainda Lair Fontella e Aneron da Rocha.

Local; Executivo Hotel em 1998.

Ano 1998

O JN também trata na última edição

das demissões( que o editor chamou de Mudanças) da RBS!

De Serafina


AMANHECENDO

aCORDEI,HOJE, DOMINGO COM O DIA RAIANDO....Quando saía na rua, de tenis e calção o digital na Miguel Soccol, marcava 20 graus. Cravados. O sino da torre batia 6 horas da matina.

O porteiro Jorge, do Ca Dei Monti,ainda dormia, contente que a banda que tocara na Giuletta - uma boite que foi reaberta - tinha ido embora.
Botei tenis e saía a caminhar.

O engraçado foi que vi a gurizada que saía do baile, todos de porre. E umas gurias bonitas, bêbadas como cão...

Quase caindo dentro do Feijão Cru...

Como bebe esta garotada.


O hilário foi também que junto ao posto Pacassa, na Orestes Assoni, com Arthur Oscar, uma turma esperava pra ir pra algum CTG. E uma mulher, vestida de prenda, esperava seu par pra ir pra algum baile de domingo. Um dos que estavam na boite chegou e deu a noticia.

- O fulano está lá na murada, bêbado...

- Não foi pra casa tomar um banho e já vem, disse outro.


- E ele ia ser meu par, disse desapontada a mulher.


A Boite Giuleta, que quando era do Luis Carlos Fiorin chamavam de GUIULETA VENENOSA, por causa dos porres e dos amassos que se dava dentro dela, fica na famosa avenida esta dos monumentos aos italianos.

Hoje o prédio é do Maruco. Mas ele aluga prum povo de Marau.

Dizem que só tem festa uma vez por mês.


FALO RUSSO

Antonio Augusto Bandeira



No hotel, em Cancun, estavam diversos russos Uma manhã , na piscina esportiva observei quatro homens conversando em russo.
-Spassiba ,disse.Todos me olharem e comecei a conversar com eles em inglês. Eram russos mas moravam há muito anos nos Estados Unidos.
Aliás o que mais se vê em Cancun são americanos do norte."Gringos" como são chamados pelos mexicanos.
Outro dia estava na piscina principal e vi um casal de velhos e uma moça muito bonita. Falavam russo. -Spassiba (obrigado), falei. Abrindo um parêntesis quando estive na Rússia, como meu saudoso e querido amigo Guido, aprendi algumas palavras em russo:piva (cerveja) e spasiba (obrigado) destas me recordo.
A menina ( moça é feio em Portugal) deveria ter uns vinte e poucos anos, Começou a conversar comigo em inglês.
Ela e os pais morava em Moscou (Moscovo em português), e havia vindo de lá que estava doze graus negativos. Comecei a brincar com ela dizendo que as mulheres mais lindas do mundo que conhecia eram as russas- mas de São Petersburgo (existe rivalidade entre as duas grandes cidades). Ela riu, continuou a conversar e na hora da despedida me devolveu- Vou embora por estar muito frio aqui...Valeu a gozação.
Encontrei com ingleses: Stewart ( do País de Gales que conheci quando fui a Escócia e sua esposa Rya.Conversando, ele ria muito, disse que o pessoal do Pais de Gales era o mais simpático da Inglaterra ( rivalidade sempre existe,,,). Um casal de São Leopoldo, ela advogada, Juliana, ele empresário e estudante de Direito, Felipe, um casal de médicos de Porto Alegre, Henrique e Helena, que vão sempre á Cancun tirar
férias. Há 16 anos e nos últimos seis no hotel que estávamos. Compraram passagens na mesma guia turística.
Tinha de tudo; um casal de chineses gay,argentinos, chilenos,pretos, brancos, mulatos,
só não encontrei alemães.
Mas valeu.Diversas culturas e línguas diferentes num clima de paz e amizade.
O mundo deveria ser assim.
Afinal independente de religião, cor,nacionalidades, todos somos iguais.

Cristina arquitecta: remodeló la Casa Rosada con obras por $ 64 millones
En su gestión se produjo la mayor remodelación del edificio en más de un siglo.

De Buenos Aires
Enriqueta Sollares


Alguna vez se comparó con Keops, aquel faraón egipcio con vocación por las obras monumentales. Hace poco se definió a sí misma como “primera arquitecta” del Gobierno. Lo cierto es que Cristina Kirchner encaró durante su mandato la mayor remodelación de la Casa Rosada en más de un siglo. De acuerdo a los datos que surgen de las partidas presupuestarias de los últimos cinco años, para fin de 2012 se habrán gastado más de 64 millones de pesos en las obras .



Ayer, fue el turno de la inauguración de la Galería de los Ídolos Populares (ver La Presidenta...), último eslabón, sólo por ahora, de la decena de nuevos espacios que renovaron por completo el paisaje interior de Balcarce 50 y que llevaron a algunos de los viejos empleados de “la casa” a rebautizarla como “el parque temático de Cristina” .

Hay para todos los gustos. Salones y patios que se refaccionaron intentando recuperar su esplendor original. Otros, en cambio, que fueron creados a nuevo con un estilo moderno y minimalista. Algunos, son utilizados con frecuencia por la Presidenta para sus actos, como el de las Mujeres Argentinas o la Galería de los Patriotas Latinoamericanos. Otros, apenas si tienen alguna actividad muy de vez en cuando, como el de los Científicos Argentinos o el de los Pensadores y Escritores del Bicentenario , preparado para las conferencias de prensa que los funcionarios ofrecen poco y nada.
Es habitual ver a la Presidenta por los pasillos de Balcarce 50 supervisando las obras en distintos rincones junto a Oscar Parrilli y recomendando algún color para una pared o un material para el piso. Aunque en la Secretaría General no respondieron los llamados de Clarín para aclarar algunos detalles, las partidas presupuestarias que solicitó en los últimos años esa dependencia para el plan de remodelación de la Casa Rosada permite medir la magnitud económica de los reformas. En 2008, el primer año de Cristina en la Casa Rosada, la partida habilitada en el presupuesto para las reformas fue de $16.665.980; en 2009, de $ 18.050.000; en 2010, la crisis obligó a detener el ritmo y sólo se habilitaron 100 mil pesos. En 2011, las obras se retomaron a toda máquina con $ 14.556.436. Aunque en la Secretaría General no respondieron los llamados de este diario para consultar el detalle de lo ejecutado, fuentes del Gobierno aseguraron que “fue lo presupuestado y algo más”.


Este año, se inauguró la tercera etapa del plan, para el que está previsto un gasto de $ 14.656.000, con los que se transformará el despacho de los vicepresidentes en un salón de homenaje a Eva Perón y se construirá un nuevo comedor para funcionarios en el segundo piso, entre otras obras. Así, hacia fin de año se habrán gastado al menos 64.028.416 en las remodelaciones, que incluyeron la refacción de mármoles en las escaleras, las maderas de portales y mosaicos centenarios en patios y pasillos , así como la instalación de nuevos artefactos de iluminación y nuevos ascensores de cristal. Los empleados de planta tienen sentimientos encontrados respecto a las reformas. Admiten que muchos rincones de “la casa” estaban deteriorados y necesitaban refacciones. Pero lamentan que casi no se haya invertido un peso en modernizar la mayoría de las viejas oficinas , que siguen teniendo sillas y mobiliario desvencijado. Es más, la creación de algunos de los nuevos espacios obligó a algunos administrativos a abandonar sus antiguos lugares y apiñarse en otras dependencias.

De Serafina


BICO BRANCO

LARGA NA FRENTE!


Saiu aqui na ultima semana uma pesquisa eleitoral, a primeira do ano...

Os nomes que entraram na pesquisa foram Oldezez Piazza(já foi vereadora) Salete Cadore e Selma Fincatto(já foi vereadora)

Os irmãos LETA E POLACO, o segundo foi duas vezes prefeito.

O vereador Arnaldo Pacassa, do PP, também aparece na pesquisa.

Também aparecem na pesquisa os ex-prefeitos Salvi e Gueller.

Informalmente o que se comenta é que a vantagem do prefeito BICO BRANCO sobre os demais é de 40 por cento.

*Bancada do PP na camara municipal tem apenas um vereador o ARNALDO PACASSA...

*DEM está com 3 vereadores. Paulo Massolini,Facco e Zatti.


*Vão inaugurar brevemente um ginásio no Rio Carreiro.


*Carlinhos Alban, dono da Credeal, voltou a morar em Serafina. Anda num Galaxie Landau


*Salete Cadore estava em Serafina neste findi. Normalmente está mais em Caxias e Porto Alegre

SEM PULO - TÚNEL DO TEMPO

Olá Olides,
Permita-me remeter a Sem Pulo e Túnel do Tempo
deste sábado que escrevo na Folha Popular de Teutônia.
Abraço
Rudimar Thomas

Pib x Indústria

O rebaixamento da Indústria na composição do PIB brasileiro é absolutamente normal, pois os Serviços cresceram muito no mundo inteiro. E aqui no Brasil a Agropecuária também deslanchou, estes dois crescimentos acabaram de achatar a participação da Indústria Desde que o PT assumiu o governo em 2003, o PIB cresceu 3,18 vezes, passando de 1, 3 trilhões de reais para 4,3 trilhões de reais. Nos Estados Unidos, aos Serviços correspondem a 76,6% do PIB e a Indústria a 22,2%. A Agricultura que lá é fortemente subsidiada responde por apenas 1,2% do PIB, apesar desta pouca participação sua Agricultura ainda representa em valores quase o dobro da do Brasil. Até o final do segundo governo da Dilma esta diferença irá reduzir muito.

Agora,

Remindo Sauim, vermelhinho na política, azulzinho no futebol.

Tubulação no Bairro Gramadinho


A infraestrutura é fundamental para o desenvolvimento das comunidades, para o crescimento da economia e qualidade de vida da população. No Bairro Gramadinho, Loteamento Santa Lúcia II, a Prefeitura Municipal está realizando um importante projeto que diz respeito à colocação de tubulação na Rua Valentin Zanella. Estão sendo colocados cerca de 400 tubos, proporcionando infraestrutura, com segurança e desenvolvimento urbano.


Por: Adriana Sabadin – Assessora de Imprensa
Prefeitura Municipal de Serafina Corrêa – RS.

 

xcaret

Antonio Augusto Bandeira



Resumindo: um senhor passeio. Trata-se de uma palavra de origem maya.
Esta civilização indígena foi mais antiga que os astecas que se situam na cidade do México.

Este passeio que vai das sete e meia da manhã ( hora de saída com ônibus do Hotel), tem seu retorno previsto para 22,30 horas.Praticamente um dia inteiro e você contrata numa das diversas operadoras de turismo cujos representantes ficam num dos bares do hotel.

No meu conceito foi uma excelente oportunidade de conhecer um centro da cultura maya da costa oriental da Península de Yucatán.
Trata-se um parque imenso, com diferentes caminhos e diferentes atrações.
Rios subterrâneos, praias ,tartarugas marinhas,iguanas, flamingos, zonas arqueológicas,mini zoológico, construções mayas, resumindo uma série de excelentes atrações.

Você caminha bastante, toma se quiser banho de mar, entra em rios subterrâneos, passeia por cavernas, recebe uma pulseira no seu braço( colada) que deve usar todo tempo, e assiste a três excelentes shows - um de dança maya, outro de equitação e o terceiro no teatro danças e músicas e se quiser,eu quis, jantando ( só que esta refeição é paga).
Você recebe uma mapa mostrando caminhos e lugares e fica deslumbrado com a beleza do lugar.

Volta cansado mas satisfeito.

Cancun é um ´paraíso para os turistas.

Café Bertoldo - Casa de Teatro (Rua Garibaldi, 853)

Dom é uma jovem violoncelista, cantora e compositora brasileira atualmente radicada em Paris. Após estudos de violoncelo clássico em Buenos Aires e na Ecole Normale de Musique de Paris, ela colabora com diversos artistas como a Jane Birkin que acompanhou durante uma longa turnê internacional, a cantora Camille, e a atriz Jeanne Moreau, entre vários.
Hoje, Dom apresenta seu trabalho solo no qual compõe e escreve em português, espanhol e francês. Com ele, já se apresentou na Europa, nos Estados Unidos e no Brasil.
Atualmente, está trabalhando no seu primeiro disco que deverá ser lançado durante 2012, no qual assume a produção junto com o músico inglês Piers Faccini e também conta com convidados como a cantora Camille e os brasileiros Thiago Pethit e Kiko Dinucci.

De São Borja


TELEFONES MUDOS


Depois do atraque da PF na tarde da última quinta,dia 8.02 no gabinete do vereador CELSO LOPES, PDT, o advogado orientou aos funcionários não falarem nada pelo telefone do gabinete. MEDO DE GRAMPO...


*Impressinou a quem assistiu o espetáculo do atraque da PF, na operação no gabinete do vereador Celso Lopes, ex-presidente do legislativo de S. Borja, e um dos que postulavam a candidatura a prefeito pelo partido este ano.

*MP denunciou o vereador Celso Lopes de imprimir material com propaganda de sua obras com dinheiro público.

Pano pra manga...


*Chamou muito a atenção no ano passado -2011 - o grande aparato que o legislativo municipal de S.. Borja promoveu pra comemorar os 50 anos da Legalidade.

A uma palestrante, que é também escritor, e que lançara no mesmo ano um livro sobre a Legalidade, foram co mprados cerca de 200 exemplares com verba pública. Este foi o cachê que a editora do escritor exigiu para ele estar na cidade e dar palestra. Tudo com dinheiro público, é claro.

E depois este mesmo escritor vive ditando regras de boa conduta em rádios da capital e criticando os políticos.

 

ESTÃO CHUTANDO O NOSSO TRASEIRO

Por Carlos Chagas

Em termos da Lei da Copa está o governo Dilma Rousseff pendurado no pincel, sem escada. Obriga-se a presidente a sancionar o texto a ser em breve aprovado no Congresso, quase todo de acordo com as imposições da Fifa. Vetos não são previstos, apesar de possíveis, por razão muito simples: foi tudo aprovado pelo Lula, quando no poder, depois de explosões de euforia pela escolha do Brasil para sediar a Copa do Mundo de Futebol. Naquela manhã festiva, na Suíça, nenhum assessor lembrou-se de alertar o presidente da República para as exigências descabidas constantes do protocolo por ele assinado.

Agora, salvo milagre, bebidas alcóolicas estão liberadas nos estádios: uísque nas áreas VIPS, cerveja para a plebe discriminada, com o agravante de que apenas uma marca poderá ser comprada nas arquibancadas, por coincidência aquela que patrocina a entidade internacional. Da mesma forma, nas ruas e avenidas que demandam os estádios, os estabelecimentos comerciais ficam proibidos de expor em suas vitrinas e de fazer propaganda de produtos concorrentes aos apresentados pelos patrocinadores da Copa. Não só de bebidas, mas de material esportivo e até de alimentos.

Tem mais: o governo brasileiro compromete-se a rasgar a Constituição e a proibir greves e paralisações nas capitais onde se realizarão os jogos, desconsiderando o inalienável direito do trabalhador. A meia entrada estará proibida para os estudantes, assim como o tesouro nacional compromete-se a indenizar eventuais prejuízos causados às bilheterias da Fifa, até por fenômenos da natureza.

Estamos ou não sendo chutados no traseiro? A Fifa sabe muito bem que os estádios em obras ficarão prontos até o início do certame, constituindo-se em balão de ensaio as críticas a respeito do atraso. A pressão se faz, mesmo, para a aprovação pelo Congresso das regras draconianas em péssimo momento aceitas pelo Lula. Como depois dos deputados, cabe aos senadores pronunciar-se, e à presidente Dilma sancionar ou vetar a lei, convém aguardar...

CARTAS NA MESA

O vice-presidente Michel Temer não está brincando quando apóia o manifesto dos deputados do PMDB, protestando contra o tratamento preferencial que o governo dá ao PT, na máquina pública.

Também não brinca ao confirmar que Gabriel Chalita vai até o fim como candidato do partido à prefeitura de São Paulo, afastando a hipótese do apoio a Fernando Haddad, do PT. Como o governo precisa tanto ou mais do PMDB do que o PMDB do governo, vale aguardar os próximos lances, mas erra quem supuser rompimento entre eles. Só resultados inusitados das eleições municipais de outubro poderão alterar o atual equilíbrio.



RUSSOMANO INSISTE
O ex-deputado Celso Russomano insiste em que continua candidato a prefeito e festeja a pesquisa mais recente, quando permanece em segundo lugar, perdendo apenas para José Serra. Consultado por um lider do PT se não poderia aceitar a candidatura a vice-prefeito na chapa de Fernando Haddad, devolveu a proposta: que tal o ex-ministro da Educação vir a ser o seu vice?

TIRIRICA E O POVO
De bobo ele não tem nada. Fala-se do Tiririca, que acaba de responder à indagação sobre sua candidatura, dizendo depender ela do povo. Do povo e do PR, que se não receber de volta o ministério dos Transportes poderá lançar o deputado. De quem ele tomaria votos? Não será de José Serra...

Municípios gastam 30% menos com medicamentos através do Consórcio Metropolitano

Uma economia de R$ 14 milhões nas contas de 11 municípios é o resultado do pregão eletrônico para a compra de medicamentos realizado pelo Consórcio Metropolitano da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre (Granpal). O anúncio foi feito nesta sexta-feira (9) pelo coordenador executivo do consórcio, Alberto Kopittke, e pelo seu presidente e prefeito de Canoas, Jairo Jorge.

A redução média de 30% no valor dos medicamentos para as farmácias básicas das cidades foi possível através da união dos municípios e da eliminação de intermediários, propiciadas pelo consórcio. “Todos os municípios tiveram altos ganhos”, afirmou Kopittke, ressaltando que, ao contrário do esperado, mesmo as grandes cidades se beneficiaram. Porto Alegre, por exemplo, economizou 25%, enquanto Gravataí registrou uma redução de quase 35% no preço dos medicamentos.

Um total de 210 milhões de unidades de 141 remédios está sendo comprada em conjunto, o que permite que o preço final caia dos R$ 44 milhões que seriam investidos se cada cidade comprasse separadamente para R$ 30,4 milhões, uma economia que superou as expectativas dos organizadores.

Das 39 empresas que participaram do pregão eletrônico, 30 ofereceram os melhores preços e agora passarão por um processo de habilitação das propostas, que depois serão homologadas. A partir de então, será feita a compra, o que deve acontecer em cerca de 20 dias.

Quem mais ganha são os moradores dos municípios consorciados, já que “as cidades vão poder investir mais em outras áreas”, segundo o prefeito. Além da economia, a compra compartilhada também agiliza o processo, porque o consórcio se responsabiliza pela distribuição dos medicamentos, de forma unificada. Problemas no fornecimento são uma das principais causas de falta de remédios nas farmácias. Fornecedores que sofreram penalidade nos municípios consorciados não participaram do processo licitatório.

“Agora já começamos a estudar outras ações, já que tivemos sucesso. Este foi apenas o primeiro pregão, com quase 150 itens. A gente tem potencial pra fazer muito mais, com até mil itens”, comemorou Kopittke. Entre as ações a serem implementadas em breve pelo consórcio está a da cerca eletrônica, prevista para o início de abril. O sistema de segurança de inteligência já tem o acordo do governo do estado.

Cristina Rodrigues

de S. Borja


Não se sabe o nome que a PF deu a operação-tarefa no gabinete do vereador CELSO LOPES, do PDT, na última quinta. Mas um maldoso a chamou de OPERAÇÃO CAMUNDONGO.

COLEGUINHAS


Denise Nunes está com coluna em O Sul.

*Guaíba estaria terminando, por ordens vindas de SP, dos programas terceirizados. Um que pode bailar na curva é o dos italianos, nos domingos de manhã.


* Opção dos caras é ir pra Band.


*Programa sobre consumo que Gerson Anzulin estaria emplacando na Guaíba tem tudo pra não sair, pelo menos do jeito que ele gostaria.

Opção oferecida pela direção seria progrma em drops.


*Ninguém mais sabe quem foi Gustavo Motta.


*Os caras confundem sempre eles com o veículo.

Roteiro para o findi

NALANDA Acustico - Toda SEXTAS no Alfonsina

DO JA


MATERIA SOBRE O TIJOLADAS DO MOSQUITO

DO RENAN ANTUNES


EXEMPLO DE BOM JORNALISMO!

clique em todas as imagens para leitura.


De S. Borja


Depois do aparato da PF ontem,dia 8.03 atrás do vereador Celso Lopes, dificilmente ele emplaca candidatura a prefeito municipal pelo PDT.


Depois das penas espalhadas pelo vento , é difícil juntá-las de novo.

De S. Borja


EXCLUSIVO


PF BATE

NO GABINETE


DO EX-PRESIDENTE DO LEGISLATIVO MUNICIPAL

POR DENÚNCIO DO MP

Força tarefa da Polícia Federal bateu ontem no gabinete do ex-presidente do legislativo municipal. Iam por causa de uma denúncia do Ministério Público de que ele teria usado dinheiro público pra imprimir folhetos falando de suas obras.


Assunto que seguramente terá desdobramentos hoje.


08 de Março – Mulheres continuam lutando por direitos trabalhistas na RME

Desconto de dias de mulheres grávidas; falta do pagamento do abono/filho; salário família pago com atraso e pagamentos parcial de salários. Esses são alguns dos problemas que as cozinheiras, auxiliares de cozinha e auxiliares de serviços gerais, contratadas pela Cooperativa Riograndense (Cootrario) para atuar Rede Municipal de Ensino da Capital, continuam enfrentando em 2012.

Os relatos e denúncias foram apresentados a Sofia Cavedon (PT) no Dia Internacional da Mulher, quando a vereadora distribuía nas escolas municipais de Porto Alegre a cartilha “Mulheres: Por uma vida sem violência”, construída pelo seu mandato com o apoio de Cláudia Prates, da Marcha Mundial das Mulheres.

Sofia ressalta que também atraso no pagamento do vale transporte, não repasse do reajuste do Salário Mínimo Nacional, contracheque que não chegam às funcionárias e a falta de equipamentos de proteção individual (EPIs), também são reivindicados pelas trabalhadoras. “O salário que estão recebendo é de R$ 520,00 mais 20% de insalubridade. Mas o Salário Mínimo Nacional é de R$ 622,00 e o Mínimo Regional é de R$ R$ 700,00”, lembra a vereadora.

Audiência
Marcar nova reunião na Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece) da Câmara Municipal e audiência no Ministério Público do Trabalho foram os encaminhamentos que a vereadora propôs as terceirizadas. “Já solicitamos audiência no MP e estamos aguardando o retorno do Ministério”, informa Sofia, que acompanha a trajetória de luta dessas mulheres desde 2007.

Recentemente (23/02), Sofia se pronunciou na tribuna da Câmara de Vereadores solicitando a Secretaria Municipal de Educação (Smed) imediatas providências. “A Smed precisa garantir a dignidade e os direitos dessas mais de 800 trabalhadoras”, enfatizou Sofia.

Cartilha
Neste 08 de março a vereadora visitou as Escolas Municipais Liberato Salzano e Lauro Rodrigues, distribuindo às professoras e trabalhadoras em Educação, a cartilha “Mulheres: Por uma vida sem violência” (http://bit.ly/wCSbpE).

Fonte: Sofia Cavedon – 9953.7119

Porto Alegre, 08 de março de 2012.

Jorn. Marta Resing/5405
Ass. Comunicação
Verª Sofia Cavedon/PT
9677.0941

"Nas velas do tempo-Memórias de Uma repórter na Ditadura" Clevane Pessoa

"Clevane P.de Araújo Lopes " nos lembra um tempo quando tínhamos medo,mas tínhamos audácia".(L.P.Baçan) "Nas velas do tempo-Memórias de Uma repórter na Ditadura"-Clevane Pessoa

http://www.recantodasletras.com.br/e-livros/57559


Estamos no mês de março, no dia 31, quarenta e oito anos do Golpe Militar que iniciou a Ditadura no Brasil .Sempre é bom manter a memória de um povo, viva, portanto, ofereço novamente a leitura de meu e-book "Nas velas do tempo-Memórias de Uma repórter na Ditadura", no qual há um capítulo dessas vivências...

Se quiser ler depoimentos meus, busque no e-book"Nas velas do tempo-Memórias de Uma repórter na Ditadura" (capítulo de livro), down load grátis:

http://www.recantodasletras.com.br/e-livros/57559

Foi publicado na biblioteca virtual do CEN- e Baçan,o editor, hospeda-o no seu site Vila das Artes.Em seu prefácio, Lourivaldo Perez Baçan escreve:

"Clevane P.de Araújo Lopes " nos lembra um tempo quando tínhamos medo,mas tínhamos audácia".

O livro virtual é um capítulo dessas memórias que permanecem inéditas.

N:O down load é gratuito, uma pequena contribuição, em especial aos mais jovens, que querem conehcer fatos da época .Já falei, na Nona semana de Comunicação-Vestígios, da PUC Coração Eucarístico- aos jovens estudantes, na PUC de Betim-no EREL e no evento "Poesia em Cores Vivas" (debate entreos poetas Wagner Torrres, Rogério Salgado e eu, Clevane Pessoa, com os acadêmicos de Letras e professores ) e na ANELCARTES (Neves-MG), à qual pertenço, fiz uma palestra sobre minhas vivências na Ditadura, enquanto poeta e repórter, , entre outros lugares.Recentemente, no SINPRO, a convite da presidente do IMEL, a jornalista Brenda Mars, com Dalva Silveira, Marco Aurélio Lisboa e o Diretor do Sindicato dos Professores de Escolas Públicas (Na Mostra de Cinema sobre Ditadura Militar , após o filme Cabra Cega) .

Clevane Pessoa

Ver mais em meu blog:

http://hana-haruko.blogspot.com/2011/12/mostra-dde-cinema-belo-horizonte-sinpro.html


Clevane Pessoa de Araújo Lopes
Membro da REBRA_Rede Brasileira de Escritoras.
Representante do Movimento Cultural aBrace-Brasil;Uruguai
Vice Presidente do Instituto de Imersão Latina-IMEL.
Embaixadora Universal da Paz -Cercle de Ambassadeurs Univ.de la Paix-Genebra, Suiça,
Consultora de Cultura da Associação Mineira de Imprensa-AMI.
Membro da Rede Catitu de Cultura; do virArte, da ONE, da SPVA/RN, da CAPORI, da APPERJ,e do PEN Clube de Itapira.
Colaboradora da ONG Alô Vida. .
Membro Honorário de Mulheres Emergentes
Divulgadora e Pesquisadora do MUNAP_Museu Nacional da Poesia
Dama da Sereníssima Ordem da Lyra de Bronze
Acadêmica da AFEMIL-Academia Feminina de Letras; da ALB/Mariana;
Acadêmica Correspondente da ADL, ANELCARTES, ATRN, AIL, ALTO, da Academia Pre-andina de Artes, Cultura Y Heráldica; Academia Menotti del Picchia,
AILA(Itapira-SP)

LUTO


Morreu na quarta passada, de noite, a mãe da colega Núbia Salete Silveira.


Foi enterrada ontem de noite no Cemitério São Miguel e Almas.


*Mãe de jornalista sabe como é a vida "desregrada " da filha.


Ela sempre acompanhou as andanças da Núbia, por SP(EStadão)BSB(EStadão) e principalmente teve muita paciência com a filha que chegava de madrugada em casa, dirigindo o próprio carro.

Quando trabalhou na ZH, como editora de Geral, a Núbia saía da redação depois da uma da madrugada às sextas porque tinha que baixar o jornal do sábado, do domingo e parte da segunda.

E enquanto ela fazia o trecho da ZH até a Jerõnimo Coelho, onde mora e sua mãe morava com ela, o editor chefe Carlos Machado Fehlberg já tinha ligado umas 15 vezes pra casa dela(não havia celular naqueles anos) querendo trocar uma matéria na oficina, mas ele queria ouvir a editora antes.

Durma-se com um barulho destes.

Mas no sábado, a Núbia dormia até duas da tarde. Nenhum repórter tinha franquia pra ligar pra casa dela, pra falar de trabalho até este horário, porque ela estava dormindo.


E era sua mãe, que ontem foi enterrada, que lhe aprontava sempre o almoço, com muito carinho.

*Com todo o respeito vou lembrar uma historinha da Núbia. Ela entrou pra Folha da Manhã e na época era dona de um par de coxas de fazer inveja a qualquer uma. O Florianão(Florriano Correa)achava que a novel repórter era " comida " do capitão(Erasmo Nascentes)CHEFE DOS DOIS e por isto não se arriscava a avançar o sinal com a Núbia.

Coleguinhas

Pegando o gancho da morte da mãe da coleguinha(foi minha chefe e muito competente, por sinal na ZH,) Núbia Silveira,devo lembrar que anos atrás, mas bota anos nisto, ela era amiga da Vera Zílio. Um dia a Vera chegou pra ela e fez uma daquelas confidências secretas:estava apaixonada. tinha finalmente arrumado um namorado sério.

- Agora é pra valer, disse Zilio a Nubia, colega do Diário de Noticias.


O sério, no caso, era o Artur Monteiro, conhecido no meio por TADEU LOKO ,ou Tadeu Picinha, (com todo o respeito)


Os dois são pai e mãe da filha Alice, que mora em Brasília.Por grande coincidência, tanto Arthur, como a Vera( diretora da Vivo) também residem na Nova Cap, como dizia Ibraim Sued.

*E Arthur está nos pagos, onde veio passar dez dias de férias.

- Nós não temos loucos que chega no Sul, questionou um coleguinha???

 

Coleguinhas


Denise Nunes, ex-Correinho, voltou a ativa ontem na coletiva da AARS.

*Denise estaria fazendo frila pra Todt Comunicações.

Blog ela não abriu.

SOB NOVA DIREÇÃO


DEPOIS DE DUAS AUDIÊNCIAS QUE O DEPARTAMENTO COMERCIAL DA RÁDIO GAÚCHA DEU CANO NO PRESIDENTE DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO, DEPUTADO ALEXANDRE POSTAL, ELE DESISTIU. PEDIU QUE AGORA O ASSUNTO SEJA TRATADO COM O SUPERINTENTENDE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL, JORNALISTA MARCELO VILLAS BOAS.


SOB NOVA DIREÇÃO


HÁ GENTE DA ATUAL DIREÇÃO DO PODER LEGISLATIVO DO ESTADO QUE ENTENDE QUE O EX-PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA FOI MUITO BENEVOLENTE COM ALGUNS MEIOS DE COMUNICAÇÃO.

do ch

Apertada com doenças na família e dívidas de campanha, em fevereiro de 1990 já fazia um ano e meio que a então vereadora petista Irede Cardoso não pagava o “dízimo” cobrado pelo PT. Sem conseguir parcelar o débito, ela propôs entregar uma máquina de escrever como pagamento. A oferta foi prontamente recusada pelo tesoureiro do PT paulistano, Sílvio Pereira:
- A questão financeira é sagrada no PT. É um dos nossos poucos dogmas.
Quinze anos depois, Sílvio “Land Rover” Pereira seria protagonista de um escândalo de corrupção no governo Lula, que o afastou da direção do PT.

A SAÍDA: PARAR DE PAGAR IMPOSTOS

Por Carlos Chagas

Ou se transfere a capital federal de volta para o Rio ou se inaugura outra em São Paulo, em Minas, no Amazonas ou no Rio Grande do Sul. Porque continuar em Brasília é a vergonha das vergonhas. Não dá mais para a cidade continuar desgovernada como anda. Nos idos de sua inauguração era uma vez por mês, sempre que caía uma tempestade. De algumas décadas para cá passou a ser toda semana, mesmo sem chuva. Agora, sem a menor explicação, é diária a interrupção do fornecimento de energia elétrica. E atingindo mais do que alguns bairros ou subúrbios, de forma internitente, por poucos minutos, como acontecia antes. Brasília inteira fica apagada.

O apagão chegou ao centro nervoso do Distrito Federal. Terça-feira a capital parou. Permaneceram sem luz o setor comercial, a Esplanada dos Ministérios, a Avenida W-3 e tudo em volta, desde os bairros nobres ao redor do Lago até as cidades-satélites da periferia. Claro que nos palácios do Planalto, da Alvorada e do Jaburu, no Congresso e nos tribunais superiores, logo entraram em funcionamento os geradores pagos por quem paga imposto mas fica reduzido à idade das trevas. Nas residências e gabinetes dos governantes locais, a mesma coisa. Fora dlees, um caos generalizado, com o colapso dos semáforos, dos telefones fixos e celulares. Os hospitais maiores, para os ricos, também se salvaram, com geradores próprios, mas os demais ficaram no escuro, como postos de saúde, escolas, estações de metrô, rodoviárias e a parte do aeroporto destinada à plebe. Dos restaurantes, não há que falar. Com as geladeiras sem funcionar, perderam toda a sorte de alimentos, porque por uma tarde inteira e parte da noite Brasília ficou sem energia. Não raro dez, doze ou vinte horas. Como também ficamos sem informações, a não ser a abominável desculpa de não haver previsão de retorno, isso quando por milagre se conseguia comunicar com as repartições do setor.

Na década de cinqüenta, o Rio ainda era a capital e pegou fogo um dos edifícios mais badalados da Zona Sul, na confluência do Leme com Copacabana. Era o prédio da boite Vogue, carecendo os bombeiros de escadas capazes de atingir os últimos andares. Muita gente morreu queimada. O comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Saddok de Sá, deu memorável conselho aos cariocas: quem morasse em andares altos deveria comprar a sua cordinha, para chegar ao limite das possibilidades da corporação que dirigia.

Aqui, seria bom que os cidadãos não privilegiados carregassem no bolso a sua vela e uma caixa de fósforos, porque mesmo durante o dia, quando falta luz, fica difícil descer pelas escadas escuras, quando não se fica preso nos elevadores. Os trabalhos perdidos por cada profissional ou operário só ultrapassam o tempo desperdiçado pelos médicos e dentistas em seus consultórios, os advogados e contadores em seus escritórios, os estudantes inutilmente debruçados sobre seus livros.

O prejuízo para o brasiliense é enorme, imagine-se para aqueles que todos os dias demandam

Brasília para trabalhar ou resolver negócios, imaginando retornar à noite às suas origens.

Fazer o quê? Votar não adianta mais, porque tanto faz se os governadores são do PT, do PDT, do PSDB ou do PMDB. Incompetência não tem partido, mostra-se presenteem todos. Protestar pela imprensa adianta pouco, as verbas publicitárias do governo local falam mais alto.

Só tem uma saída: desobediência civil. Parar de pagar impostos, de preferência os estaduais, mas de olho também nos federais, porque a União carrega sua parcela de culpa pelo que se verifica por aqui. Uma campanha para deixar o governo local sem dinheiro para funcionar redundaria em um, de dois resultados: ou os governantes iriam embora, envergonhados, ou tomariam jeito. Deixar as coisas como estão não dá mais, e olhem que só falamos dos apagões. Fica para outro dia lembrar sermos a cidade onde mais se assalta, no caso, à mão armada, além dos cofres públicos; onde o trânsito é gerido pelo Capeta; o desemprego apresenta-se em qualquer cruzamento; a saúde pública leva o povo ao desespero e a educação diploma jovens sem oportunidades nem esperança. Para ninguém esquecer: o governador atual chama-se Agnelo Queirós, mas já foi Joaquim Roriz, Cristóvan Buarque e outros.

Diário de São Borja


COPULARAM OU

NÃO COPULARAM???

EIS A CRUEL QUESTÃO

DA TERRA DOS PRESIDENTES!


Tal qual a questão existencial de Shekespeare( o poeta inglês) - TO BE OR NOT TO BE _ ( SER OU NÃO SER) durante muito tempo não se falava de outra dúvida em São Borja a não ser se um político da capital havia ou não copulado(ato carnal entre um macho e uma fêmea) com uma fazendeira, pedetista também como ele, na época dos fatos, que se encontrava no hotel Executivo, numa noite de tantas reuniões, encontros e jantares políticos ali promovidos tendo como centro das atrações o ex-governador Leonel Brizola que sempre que podia ir a TERRA DOS PRESIDENTES, com a esfarrapada desculpa de visitar o túmulo da ex-mulher Neusa, quando já tinha outra companheira fixa, a Marilia Guilhermina Martins Pinheiro no Rio de Janeiro . O político em questão era das hostes do PDT e estava sempre em São Borja quando o Brizola estava lá. E o ato carnal teria se dado no quarto do Executivo Hotel, do centro, no hotel em que Brizola sempre fazia suas reuniões.A iniciativa, ou a sedução,t eria sido toda da mulher, porque o político em questão ou não se dava conta que ela estava a fim dele ou então tinha outro motivo qualquer de foro mais íntimo, digamos. A mulher seria uma fazendeira de São Borja, do PDT, que se deixou cair de amores pelo político relativamente jovem, barbudo, fã de Ernesto CHE Guevara e naqueles tempos de Brizola também. Hoje trocou de partido e ainda tem mandato na Câmara Municipal da capital, mas está num partido digamos mais a èsquerda do PDT.

Pois vamos aos fatos; pelo que este narrador ficou sabendo, os acontecimentos se sucederam desta forma: depois de uma noitada de muita conversa, a mulher conseguiu com o porteiro da noite a chave do quarto onde estava hospedado o político, que evidentemente não estava acompanhado.Disto ela sabia.

Enquanto os homens ainda ficaram tomando vinho tinto - que Brizola apreciava muito - e discutindo política que era o que o engenheiro fazia 24 horas por dia - ela subiu pro quarto e meteu-se dentro do armário.

Esperou um bom bocado,até que o político subiu,tomou banho e sem notar sua presença, deitou-se na cama, quando ela teria aparecido peladinha da silva pra ele.

Existem várias versões do que teria ocorrido, mas uma grande fonte do PDT local, feminina garante que houve sim COPULA.

Vai ver a mulher disse a ela que houve e pronto.

 

FORTUNATTI LANÇA

CRECHE PRA TIRAR

VOTOS DO PT

Fotógrafo Claudio Bergman


O prefeito José Fortunatti(PDT) anunciou ontem o lançamento para o próximo dia 16 de uma creche comunitária na Lomba do Pinheiro, com 120 vagas No lançamento ele le estava acompanhado da secretária da Educação,Cleci Jurachi, do PDT entre outros assessores.

O ato do lançamento foi feito durante café da manhã, no Plaza Hotel, junto da direção da Associação do Aço do RS.É que a creche é fruto de uma permuta de terreno da prefeitura com esta entidade. A prefeitura doou um terreno na av. Severo Dullius, ao lado do aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre,Lá a entidade erguirá sua sede propria - que hoje está no edificio Santa Cruz, na rua da Praia - tudo feito em metal, nada de concreto.


O prefeito negou que o lançamento desta creche, numa zona que sabidamente é um dos maiores redutos eleitorais do PT - na zona leste da capital, na divisa com Viamão, onde moram muitas diaristas que trabalham fora e nãot em onde deixar seus filhos pequenos - seja uma manobra pra tirar votos do PT e capitalizar sua candidatura a reeleição. O prefeito disse que ele apenas atendeu uma demanda de 1992, que era do Orçamento Participativo e que nunca fora feita( o que também é uma estocada no ex-partido de Fortunatti)

DE SERAFINA


BICO BRANCO


LEVA A ELEIÇÃO DE BARBADA


Com as contas não aprovadas do ex-prefeito Reginato, o Polaco, do PMDB, Bico Branco, atual prefeito - coligação PP e PT - corre solto nas próximas eleições. Não tem páreo pra ele.

O mais é papo furado pra fazer teatrinho e justificar alguma coisa.


Dá-lhe Bico Branco.Depois desta vamos a deputação estadual. Tá na hora de Serafina, com sua importância ter um deputado. Fim DO JUGO DE GUAPORÉ, FINALMENTE!

Dia Internacional da Mulher

Oito de março é o dia internacional da Mulher. Uma data que provoca reflexão, comemoração e alegria. Neste ano, a Prefeitura Municipal de Serafina Corrêa realizará uma homenagem com o objetivo de lembrar e destacar todas as Primeiras Damas, lembrando de seu papel importante e como parte da história do município. Ao lembrar as figuras de todas as Primeiras Damas, pretende-se homenagear as mulheres serafinenses.
Participe dessa comemoração no dia 08 de março de 2012, quinta-feira, às 17h, no Monumento Mausoléu. Em caso de chuva, o evento acontecerá no Centro Administrativo Amantino Lucindo Montanari.

CYBER DE LUXO JÁ ERA

Entre as restrições da salinha JCTerlera, agora que veio o tonner pra impressão: só pode imprimir assunto da casa. E tem mais: TRAZENDO O PAPEL DE CASA!

Ah, avisem a Leticia Duarte da Pagina 10 da ZH que o CYBER DE LUXO QUE ELA NOTICIOU EM JANEIRO DE 2011 ESTÁ CADA VEZ MAIS DE LUXO!

A penhora do crucifixo

Charge de Gerson Kauer


Tempos do velho Foro Cível da Rua Siqueira Campos nº 1044, em Porto Alegre, cada vara cível tinha um oficial de justiça próprio. Dentre os meirinhos, um se notabilizava pelo afeto com que tratava os advogados e, principalmente, pelas "aulas" de Direito que dava aos bacharéis iniciantes, a quem costumava dizer que "lendo Pontes de Miranda se encontra solução para tudo".

Certo dia - ante a insistência de um novel profissional da Advocacia - o oficial foi cumprir um mandado de citação e penhora numa residência no bairro Partenon. Vislumbrando um sofá rasgado, cadeiras carcomidas pelo uso, um rádio que emitia som roufenho e um televisor obsoleto, o oficial constatou que pouco ou nada tinha para penhorar.

Chamou-lhe a atenção, todavia, um crucifixo grande - com seus 60 cm. de altura - pendurado na parede principal da modesta sala. Como não queria voltar com a diligência negativa, o oficial informou ao casal devedor que estava penhorando aquele símbolo religioso, mas que deixaria os devedores como depositários do bem.

E lascou a certidão: "Dirigi-me à residência dos executados e lá - nada mais encontrando o que pudesse servir para a garantia do Juízo - penhorei um crucifixo, em material latonado amarelo, brilhante. A marca do objeto é INRI - sem número de série, em bom estado de conservação".

Recebendo os autos, o bem falante juiz da causa - que anos depois chegou à presidência do TJRS - avaliou que tinha, ao seu alcance, uma oportunidade de pilheriar com o oficial, a quem mandou chamar no gabinete.

- Veja, seu Carlos, admiro muito o seu trabalho, mas crucifixo jamais teve ou terá número de série. Ademais, INRI nunca foi marca.

E puxando da gaveta o livro "À margem do Direito", obra de Pontes de Miranda que trazia ensaios de Psicologia Jurídica, o juiz fez de conta que dali extraia a leitura professoral que, na verdade, havia decorado pouco antes de um livro de Religião. E falou convincente:

- INRI é o acrônimo de Iesus Nazarenus Rex Iudeorum; ou seja, Jesus Nazareno Rei do Judeus. Segundo os evangelhos, foi o título que Pilatos ordenou que fosse fixado na cruz onde Jesus Cristo foi morto. Conforme o Evangelho de São João, Pilatos teria feito redigir o texto em latim, grego e aramaico.

E preparava-se o magistrado para seguir explicando a "marca INRI" quando o oficial - que era conhecido também pelas mentiras que aplicava - atalhou:

- Doutor, não me crucifique! Eu já conhecia isso também de um outro livro - Tratado de Direito Privado, de Pontes de Miranda. Se não me engano isso está escrito na página 377, do tomo 1...

O oficial de justiça pediu desculpas ao juiz e saiu de fininho de sua sala, para retificar a certidão: "Penhorei um crucifixo, em material latonado amarelo, brilhante. O proprietário me disse que é banhado a ouro. A insígnia INRI ostentada pelo objeto está explicada em duas obras do jurista Pontes de Miranda".

* * * * *

Algumas semanas depois, o credor não aceitou a penhora do crucifixo. O objeto permaneceu imóvel na parede da casa dos devedores. Sem outros bens que pudessem ser constritos, o credor desistiu da execução.


Publicado pelo Espaço Vital em 27.10.06

Dirigente da OAB-RJ critica existência de crucifixo no Supremo

Do site Espaço Vital

O presidente da OAB do Rio de Janeiro, Wadih Damous, criticou nesta ontem (7) a presença de um crucifixo no plenário do STF. Para ele, "isso é inconstitucional". Wadih explicou que "a República no Brasil proclamou o Estado laico e reconheceu o direito de todos professarem a religião de sua crença, não cabendo a qualquer órgão público de qualquer esfera impor esse ou aquele símbolo religioso".

Ela ainda elogiou a decisão tomada anteontem pelo Conselho da Magistratura do Rio Grande do Sul, que acatou pedido de uma ONG de lésbicas e vai retirar crucifixos e símbolos religiosos de todas as salas do Judiciário do Estado. Uma medida semelhante já fora tomada, em 2009, pela Justiça do Rio.

A Liga de Lésbicas encaminhou ainda solicitação semelhante à Câmara Municipal de Porto Alegre.

Em São Paulo, o Ministério Público Federal ajuizou ação em 2009 pedindo a retirada de crucifixos de edifícios federais. O pedido foi negado em primeira instância porque a juíza responsável considerou "natural" a exibição do objeto em um país de "formação histórico-cultural cristã". O TJ-SP ainda não julgou a apelação.

Visita do MEC à UAB de Serafina Corrêa

No dia 29 de fevereiro de 2012, a Universidade Aberta do Brasil, Polo de Serafina Corrêa, recebeu a visita do professor Célio Juvenal Costa, representando o CAPES/MEC na realização da avaliações dos Polos da Região Sul, a fim de conhecer a realidade das unidades.
A visita teve o acompanhamento da coordenadora do Polo UAB Serafina, Professora Sandra Cervieri, servidores e autoridades do município. Conforme informações do professor Célio, após sua visita e relatório, será realizada uma avaliação por parte da CAPES, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, e, somente após essa etapa, é que serão liberados novos cursos. Esteve presente também o professor Gérson Luiz Millan, representante da UFRGS.
Para a Coordenadora da UAB de Serafina Corrêa a vistoria foi muito importante, mostrando que o Polo está bem equipado, tendo a possibilidade de receber novos cursos.

A REPORTAGEM DAS DEMISSÕES

SAIU ONTEM,DIA 7 DE MARÇO, uma boa reportagem do Jornal Versão, do sindicato dos Jornalistas.

Ela trata das recentes demissões da RBS, sobre qual tem muito tititi mas pouca informação. O colega Márcio Bueno,ajudado pelo gerente Cristiano Nunes, conseguir ouvir três pessoas que falassem do assunto, porque falar sobre demissão na RBS ninguém quer, nem mesmo quem foi demitido.

Os caras ficam com a ilusão de que um dia serão chamados de volta. Coitados! Vão ver quem é a RBS depois que estão fora dela. Mas cada um tem direito a dar ou não entrevista Não discuto isto.

Quanto a mim, me pediram um depoimento e aproveitaram parte dele, na minha opinião bem aproveitado. O essencial está ali, de um longo depoimento que dei. Respeito o editor.

assim,então aqui em primeira mão, o jornal Versão que é o único que sempre trata do lado " ruim" da RBS, porque asoutras poblicações sobre jornais e jornalistas só bajulam a empresa líder do setor.

TEM GALO DE RINHA

Vou dar meu pitaco no blog do adeli.

mas claro que tem rinhadeiro. tem um vereador do PTB que é fã de rinha de galo. Preciso dar o nome? todo mundo sabe....

Recebi denúncia de que há um criadouro de galos de rinha num terreno desocupado (mas parece que nem tanto), no fim da rua Professor Romano Reif, próximo a Nilo Peçanha.

do blog do Adeli Sell

de São Borja

Olha o carinho do capincho...com quem lançou ele CANDIDATO A VEREANÇA DA TERRA DOS PRESIDENTES( EM TEMPO. NO DIA QUE O CAPINCHO SE ELEGER VEREADOR E O CAMUNDONGO PREFEITO, EU DESFILO PELADO NA PRAÇA XV DE NOVEMBRO COM UM CAMINHÃO DE BOMBEIROS ME CARREGANDO....)


Vou mandar um ramo de urtiga pro teu velorio...

Semana que vem to ai... paga uns chopps falcatrua!

O FARO JORNALISTICO DO JULINHO PACHECO

Po, o Julinho Pacheco é também um bom repórter. Ele sabe o que é uma notícia. Também criado no meio de feras, como João Aveline, Maurício Sobrinho, Carlos Bastos, Werner Becker, Ibsen Pinheiro, Lauro Schirmer, ia querer o que. Julio conta que sempre que ele chegava no Morro Santa Tereza pra apresentar o telejornal das 11 da noite e o Lauro dizia: tudo ruim era porque não tinha noticia bombástica. Quando dizia, tudo bem, era porque tinha noticia arrasa quarteirão. Faro jornalistico vive do drama, da tragédia alheia.

Claudio Mazzoni, Valdeci Santos, Luiz Figueredo e Lauro SChirmer em 23.06.1972 durante incêndio da TV Gaúcha. No microfone, Julio Pacheco " transmite" ao vivo o que Lauro e Figueredo escrevem. No estúdio improvisado.

 

Coleguinhas


*Sindicato dos Radialistas não revela o salário do narrador José Aldo Pinheiro que foi demitido da rádio Gaucha.


*Cristiano Dartsch não foi em nenhum dos jantares do Irpapos, aquela entidade secreta da rua da praia, no ano passado. Também trinta mangos pra comer um pedacinho de carne....


*Vem novidades com restrições ao uso diário da salinha JCTerlera,aquela que outrora foi um CYBER DE LUXO.


*Saiu enfim o Jornal Versão de Março, com ampla matéria sobre demissões da RBS.

*Episódio do ano passado, em que um debate sobre imprensa na Ajuris em que a entidade não foi sequer mencionada na matéria da ZH pode ter sido um dos estopins pra troca geral do comando que o jornal sofreu um mês atrás. Altair Nobre, o editor chefe foi pra rua e Ricardo Stefanelli foi pra DC de SC.

*Um estudioso da RBS diz que Marcelo Rech é a cara da empresa. Portanto, nem pensem em sua demissão.

Coleguinhas


*Altair Nobre, ex-editor chefe de ZH, fez sua rescisão no sindicato dos jornalistas.


*Não autorizou que seu nome saísse em qualquer matéria sobre demissões na ZH.

*Altair ganhava cerca de 5 mil reais por mês na empresa da qual foi desligado.


*Também não se tem notícias do seu destino.

Heloisa Helena perde ação contra Folha

A empresa Folha da Manhã S/A e as colunistas Mônica Bérgamo e Bárbara Gancia não terão que indenizar a ex-senadora Heloísa Helena por matérias que diziam que ela mantinha relação amorosa com o então senador Luiz Estevão. A decisão é da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça, segundo informa o próprio STJ. Heloísa Helena, à época exercendo mandato de senadora, ajuizou ação de indenização contra a empresa jornalística e as colunistas alegando que as publicações – consideradas por ela inverídicas e ofensivas à sua reputação – teriam induzido o leitor/eleitor a erro quanto ao seu voto na sessão do Senado Federal que concluiu pela cassação de Luiz Estevão, bem como prejudicado a sua campanha à Presidência da República. Em primeiro grau, o pedido foi julgado improcedente. Na apelação, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal manteve a sentença, considerando que os artigos publicados encontram-se dentro dos limites da liberdade de manifestação de pensamento e informação jornalística e não atingiram ou denegriram a imagem da ex-senadora de forma a caracterizar dano moral passível de reparação.

Projeto que armazena lixo orgânico está funcionando em São Borja

DECOM – Departamento de Comunicação da Prefeitura de São Borja


Projeto que armazena lixo orgânico está funcionando em São Borja

Desde março do ano passado, a Prefeitura de São Borja contratou empresa especializada em gerenciamento de resíduos sólidos. O lixo orgânico de todas as residências passou a ser recolhido diariamente por caminhão compactador, sendo posteriormente depositado em bolsas impermeabilizadas. O depósito fica ao lado do antigo lixão de São Borja, conforme informação que a prefeitura da cidade enviou ontem ao Ministério Público Federal.

De acordo com o sistema empregado, o substrato líquido (chorume) do lixo, altamente compactado nas bolsas, é recolhido em bombonas e encaminhado à estação de tratamento de esgoto doméstico. Já as bolsas são depositadas sem contato direto com o solo, protegidas por lona plástica, abrigadas das chuvas e da exposição ao sol. Compactado, armazenado e desidratado, o lixo orgânico se transforma, dentro de um período de tempo, em adubo.

Conforme o prefeito Mariovane Weis, que encaminhou todo o demonstrativo do projeto e as provas fotográficas de sua execução ao Ministério Público Federal, “o município adotou uma solução moderna, eficiente e eficaz para resolver um problema histórico”. Acrescentou que a área do antigo lixão está totalmente cercada, com controle de acesso de animais e outros vetores. Outra providência, que brevemente entrará em funcionamento, de acordo com o prefeito, é a iniciativa adota ainda em 2009 de instituir o Consórcio Intermunicipal da Fonteira Oeste, que reúne São Borja e os municípios de Maçambará e Itaqui, tendo declarado uma área de utilidade pública de 15 hectares para implantação de depósito de resíduos sólidos.

Weis explicou que sua ação não causou a poluição ambiental noticiada pelo Ministério Público Federal, pois “não construiu, reformou ou instalou qualquer atividade poluidora sem autorização dos órgãos competentes”. O prefeito concluiu que agiu “justamente em sentido contrário, trabalhando para atenuar a poluição”.

O município possui território de 3.610 km², medindo a área urbana 11 km², com cerca de 17 mil domicílios abrigando em torno de 61 mil habitantes. Atualmente são gerados aproximadamente 11.220 toneladas por ano de resíduos sólidos urbanos de origem residencial.

Para saber mais detalhes sobre o sistema, acesse: "Estamos enfrentando e resolvendo um problema de mais de 50 anos", afima o prefeito sobre denúncia do MP.

De São Borja


A MANTA

URUGUAIA

NUNCA MAIS!!!


Pois numa das vezes que fui a São Borja, era no inverno e coincidiu que o cronista Kenny Braga estava lá num agosto pra autografar seu livro sobre o Inter.

Era muito frio e levava comigo uma manta uruguaia que não lembro como tinha chegado a mim. acho que tinha comprado em Montevideo.

Até hoje tenha saudades dela e me lembro dela em todos os invernos.


Pois eu vim embora de São Borja e quando cheguei em casa me lembrei: puta deixei a manta no hotel. Liguei na mesma hora pra Vilma no Executivo Hotel e pedi a ela que mandasse a manta pelo Kenny Braga que ainda estava no hotel, pois era um sábado e eu já estava em Porto Alegre( no sábado não tem onibus de lá pra porto alegre)

Ao invés de deixar pra pegar a manta uruguaia numa outra oportundiade pedi pra ela mandar pelo Kenny.

Adiós manta uruguaia. Nunca mais a vi. suspiro de saudades até hoje!

Final do Circuito Verão SESC em Torres

Nos dias 03 e 04 de março foram realizados os jogos finais da 11ª edição do Circuito Verão SESC de Esportes 2012 no município de Torres. Serafina Corrêa esteve representada nas categorias: Futebol de Areia Masculino, Voleibol de Areia em duplas Masculino e Feminino.
No futebol de areia, o Sete Campos passou para a segunda fase.
No voleibol masculino, a dupla formada por Paulo de Serafina Corrêa e Claiton de Nova Bassano participou da primeira fase.
No voleibol feminino, a dupla Adriana e Emeline de Veranópolis chegaram às quartas de final, perdendo para a dupla que conquistou o título.
Representando o município de Bento Gonçalves, a dupla serafinense Jairo e Motoca classificaram- se para a segunda fase.
O fim de semana ensolarado e quente foi perfeito para a prática de todas as modalidades esportivas, onde reuniram-se aproximadamente 2.500 atletas de todo o Estado num clima de amizade e integração entre as delegações.
A Prefeitura Municipal de Serafina Corrêa, através da Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Turismo, agradece ao SESC-RS de Bento Gonçalves por mais essa oportunidade, todos os atletas representantes, além dos colaboradores e que continuem participando dos eventos esportivos.


Adriana Sabadin

Cartão SUS é obrigatório

A Secretaria Municipal de Saúde informa a toda a população que através da portaria 763, de 20 de julho de 2011, o Governo institui a obrigação da apresentação do Cartão Nacional de Saúde, conhecido como Cartão SUS, para todos os atendimentos via SUS.
Através de ofício recebido da Secretaria Estadual de Saúde, a partir do dia 27 de fevereiro de 2012, é obrigatória a apresentação do cartão SUS para todo e qualquer procedimento ou consulta realizados via SUS.
A Secretaria Municipal de Saúde de Serafina Corrêa informa que os serafinenses que não possuem Cartão SUS podem se dirigir ao Centro de Saúde, setor de Exames, com documentos pessoais e comprovante de residência. Quem já possui Cartão SUS de outro município deve fazer a transferência, dirigindo-se ao Centro de Saúde com a documentação e comprovante de residência.
Pedimos a compreensão de todos, pois é uma determinação da Secretaria Estadual de Saúde. Portanto, para qualquer procedimento ou consulta realizados através do SUS é obrigatória a apresentação do Cartão SUS. Mais informações pelo telefone 3444 1330 – Ramal 25, ou no Centro Municipal de Saúde, Setor de Exames.


Adriana Sabadin

MÃO DE OBRA

NORDESTINA SUSTENTA


RESTAURANTES NO RIO E SP!

POR JOSÉ PAULO CANTON, DE RIO CLARO, SP.


Vi sim,a minha cara tava meio desanimada aquele dia,acho que o movimento tava meio ruim( ou então tava cansado,trabalhase muito nesta atividade,hoje em dia ninguem quer mais,somente o pessoal do nordeste ainda se submete a trabalhar tanto,se não fosse a mão de obra nordestina,posso te garantir,mais da metade dos restaurantes de são paulo e rio fechariam as portas por falta de mão de obra...) massa laoro porco dio...um abraço Paulo

Uma rotina em Cancun


Antonio Augusto Bandeira


Acordar cedo. Sentar na varanda do seu apartamento e ver o movimentos de pessoas indo para as piscinas e para o mar carregando toalhas.O sol aparecendo em contrate com o azul do oceano Isto por volta das seis da manha.
Descer e ir no maior restaurante tomar o café. Não conheço mais completo que o do "Riu Palace de las Américas que possui 397 habitações, cabendo por volta de 800 pessoas.
Depois ir para a piscina principal e curtir o máximo até cerca de 11 horas. Depois ir para para a outra piscina, onde existe vôlei dentro da água, mesas para ping-pong, um bar para você beber e não precisar sair dela.
Depois por volta das uma da tarde, ir para a praia, lá também os garçons vão te oferecer coisas...tudo incluído. Eu tomava Pepsi light e dizia que era para não mr "emborrachar"
Sair antes da 15,30 (hora que fecham os restaurantes para o almoço) e ir comer.
Pela tarde ir a um shopping ou ficar vendo televisão no apartamento.Depois descer e jantar num dos diversos restaurantes...
Depois ir ao show( todo o dia um diferente).
Sempre com garçons perguntado que tu vais querer beber...
Para encerrar, um sono sempre faz bem.
A tarde em Cancun, (estamos no inverno há 30 graus), começa a escurecer por cerca das 17,30 horas...
Não se aborreçam , podem achar enjoado o programa sugerido, mas que gostei, gostei demais.

DOS MEUS ARQUIVOS

PÁGINA 10 – JOSÉ BARRIONUEVO – ZERO HORA DE 11.01.2000

DILMA RENUNCIA

Secretária de Minas e Energia, Dilma Roussef nem admite examinar a idéia de permanecer no governo caso ocorra o rompimento do PDT com o PT.
- Meu cargo só existe em função do partido – comenta, preocupada com a cisão que vai ocorrer no PDT, se for confirmada a candidatura de Collares na prévia.

Ela declarou isto, mesmo?

Depois, como se viu, ela saiu do partido, permanecendo no cargo que ocupava “em função do partido”.

SERGIO OLIVEIRA/CHARQUEADAS (RS)

Morte de Jango

Quando o Gelson me ligou na noite de segunda me falando disto,tremi na base. Vi que ele tava com pão quente na mão e ele se mosqueando. Quase que o Jair Kristche, que não é bobo, toma dele este assunto. Mas aqui está ele. em primeirssima mão pra orgulho dos nossos leitores(o editor)

Olides.

Não mandei os dados ontem, por que deixei a chave no meu serviço e tive que esperar la Chica, para entrar. Depois, quando ela chegou saímos para jantar. Hoje, vou ver se consigo mandar as fotos, ok, Vou conversar com o Juan. Por hora, é isto que tenho. Gelson.

Tenho aqui, em Buenos Aires, dados sobre a morte de João Goulart. Um policial aposentado, diz que foi amigo do então piloto de Jango, Manoel Soares Leães entre 50 e 76. O nome deste argentino é Horácio Pagali, têm 87 anos, viúvo e mora aqui, em Palermo. Foi por um acaso, este encontro, no sábado de Carnaval. Ele é avô de um amigo de Enriqueta. Ele sabe tudo... Ainda esta lúcido e vai nos contar tudo o que sabe. Ele tem câncer de próstata e esta no fim. Perguntei para ele se pode nos conceder uma entrevista. Respondeu... Pero que si. Nada mas é perigoso. Conta que teve várias ameaças de morte por conta disso. Sabia que leães era irmão da maçonaria e que frequentava aqui em Buenos Aires. Olha o que ele diz...

"O que levou à morte foram interpretações erradas, exageradas do que ele falava. Fleury foi quem deu a palavra final. Em uma reunião no Uruguai, disse que Jango era um conspirador e que falaria com Geisel para dar um ponto final no assunto. Depois, em outra reunião no Uruguai, disse -não para mim, mas para um major e um general- que tinha conversado com Geisel dizendo que Jango estava complicando e que ele sabia o que deveria ser feito. E ele (Geisel) disse: "Faça e não me diga mais nada sobre Goulart". A morte não foi decidida pelo governo uruguaio, mas pelo governo do Brasil, influenciado pela CIA. A CIA pagou fortunas para saber o que Jango falava e foi responsável por muita coisa, mas não quero falar sobre isso porque tenho medo. Foi morto como resultado de uma troca proposital de medicamentos. Ele tomava Isordil, Adelfan e Nifodin, que eram para o coração. Havia um médico-legista que se chamava Carlos Milles. Ele era médico e capitão do serviço secreto. O primeiro ingrediente químico veio da CIA e foi testado com cachorros e doentes terminais. O doutor deu os remédios e eles morreram. Ele desidratava os compostos, tinha cloreto de potássio. Não posso dizer a fórmula química, porque não sei. Ele colocava dentro de um comprimido. Ele era desorganizado. Abria um frasco, tomava alguns comprimidos na fazenda abria outro. Tinha sete, oito frascos abertos. Havia um acerto entre Jango e Maneco. Era colocar um comprimido em cada frasco e espalhar os vidros ( eram mais de vinte) por toda a casa, no escritório, na fazenda, no porta-luvas do carro que Ra um Falcon, cinza, novo e também na suíte do Hotel Liberty.


Na fazenda La Vilha, município de Mercedes - Argentina, a esquerda sentado, ex-presidente João Goulart, em pé Manoel Leães (Maneco). Esta foto foi tirada pelo policial aposentado, Horácio Pagali. Ele tem outras, com ele deste encontro.

Crucifixos fora dos prédios e salas da Justiça gaúcha !

do site Espaço Vital

O Conselho da Magistratura do TJRS, em reunião realizada ontem (6) acatou o pedido de várias entidades sociais sobre a retirada dos crucifixos e símbolos religiosos nos espaços públicos dos prédios da Justiça gaúcha. A decisão, unânime, foi dos desembargadores Marcelo Bandeira Pereira, Guinther Spode, Cláudio Baldino Maciel, André Luiz Planella Villarinho e Liselena Schifino Robles Ribeiro.

Em fevereiro deste ano, a Liga Brasileira de Lésbicas protocolou na presidência do TJRS um pedido para a retirada de crucifixos das dependências do Tribunal de Justiça e foros da capital e do interior do Estado.

A Liga Brasileira de Lésbicas - LBL diz em seu saite ser "uma expressão do movimento social que se constitui como espaço autônomo e não institucional de articulação política, anticapitalista, antiracista, não lesbofóbica, não homofóbica e não transfóbica". De âmbito nacional, é uma articulação temática de mulheres lésbicas e bissexuais, "pela garantia efetiva e cotidiana da livre orientação e expressão afetivo sexual".

Em dezembro do ano passado, a antiga administração do TJRS não acolhera o pedido da entidade, por entender que "não há postura preconceituosa na colocação e permanência de crucifixos em salas de audiência e outros locais".

O voto do relator Cláudio Baldino Maciel referiu ontem (7) que "o julgamento feito em uma sala de tribunal sob um expressivo símbolo de uma igreja e de sua doutrina não parece a melhor forma de se mostrar o Estado-juiz equidistante dos valores em conflito".

Prossegue o julgado definindo que "resguardar o espaço público do Judiciário para o uso somente de símbolos oficiais do Estado é o único caminho que responde aos princípios constitucionais republicanos de um Estado laico, devendo ser vedada a manutenção dos crucifixos e outros símbolos religiosos em ambientes públicos dos prédios".

A sessão foi acompanhada por representantes de religiões e de entidades sociais. Nos próximos dias, será expedido o ato determinando a retirada dos crucifixos.

No Rio de Janeiro

Em janeiro de 2009, o então novo presidente do TJ do Rio de Janeiro, Luiz Zveiter, no primeiro dia após tomar posse - e como primeiro ato de sua gestão - determinou a retirada dos crucifixos espalhados pela corte e desativou a capela.

Zveiter, que é judeu, disse na ocasião que "a corte vai fornecer um espaço para cultos que atenda a todas as religiões - será uma capela ecumênica".

PCdoB diz que foi chantageado

Partido oficializou ontem à tarde o afastamento da base governista municipal
Créditos :: Flaubi Farias/Especial ON
Juliano Roso ao lado de Alex Necker durante coletiva à imprensa
Redação ON

Após a exoneração do secretário Alex Necker (PCdoB) da Secretaria de Desporto e Cultura pelo prefeito Airton Dipp (PDT), o PCdoB lamentou a atitude do prefeito Airton Dipp e apresentou alternativas para o pleito, agora fora da base governista. Apesar de o prefeito Dipp ter estipulado um prazo, não cumprido, para que o PCdoB definisse a sua posição de aliança para as próximas eleições, o vereador Juliano Rosso (PCdoB) definiu o movimento como “uma chantagem política aplicada pelo prefeito”. A justificativa é de que a decisão foi tomada para que o PCdoB fosse forçado a apoiar a chapa formada pelo vice-prefeito Rene Cecconello (PT) e pelo secretário de finanças César Bilibio (PDT), o que não aconteceu. O partido, então, colocou à disposição do governo todos os onze cargos que ocupava anteriormente à exoneração de Necker.

Juliano confirmou que o prefeito estava aguardando uma resposta do partido no quadro político municipal. Porém, o partido manteve-se indefinido e descontente com a forma como a chapa foi montada, de uma forma, segundo o vereador, “patrolada”, sem diálogo com quem fazia parte da base. O vereador completa que ao mesmo tempo os comunistas foram procurados pelos dois pré-candidatos da chapa majoritária e que ambos teriam pedido para que o PCdoB não tomasse uma decisão de ruptura. “A decisão do prefeito Dipp foi uma decisão tomada por ele, e nós respeitamos essa decisão. Mas entendemos que ele misturou o governo dele com a sucessão política”, responde.

Nova postura

O PCdoB deverá agora adotar uma nova postura diante o governo municipal. Juliano reconhece que a postura não será a mesma porque agora faz parte do campo de oposição. Disse manter uma postura de responsabilidade e compromisso com a cidade. “Mas não tenho mais aquela obrigação de me comportar como aliado do governo, muitas vezes tendo que, por decisão do partido, acatar determinados projetos a contragosto”, completa.

A notícia completa na edição impressa e digital do Jornal O Nacional. Assine já! www.onacional.com.br/assinaturas.

Agora também disponível para iPad e iPhone. Acesse a App Store e baixe o aplicativo grátis

BARES DE PORTO ALEGRE


O BAR DO VILA MARIA


frequentadores do BAR DO RENATO na semana passada, durante um show improvisado!
nUMA FOTO PODE-SE VER AO FUNDO, o autor deste blog.


fReQUENTO HÁ UM BOM TEMPO um "pé - sujo" ainda existente aqui ao lado da Assembléia, na rua Duque de Caxias. O Pé sujo do Renato está sendo assediado a cada dia pelos institutos de beleza que o sufocam de ambos os lados. Os caras querem aquele precioso local pra abrir mais um, mas ali continua o reduto de um povo, que seguramente vai desaparecer, quando o Renato e seu pai, o Egydio, fecharem a espelunca.

O Bar do Vila Maria - porque o renato e seu pai são de lá - não tem lá muitos recursos o que se pode ver pelas fotos, mas tem um povo especial que vai lá...

As vezes o cheiro do banheiro é de maconha, outros de merda mesmo porque alguns frequentadores não se dão ao trabalho de puxar a descarga quando o usam, o que prova o alto grau de finesse daquele povo frequentador.


frequentadores do BAR DO RENATO na semana passada, durante um show improvisado!

Mas eu gosto de lá....

Tem alguns personagens que poderiam sair de um romance...

Me contaram que de vez em quando até aquela gente da sirene dá uma olhada por lá pra ver se não tem alguém ali que estão procurando...

Mas os vizinhos convivem bem com a situação.

Um dos frequentadores que andava sempre com um periquito as costas dele, morreu ano passado. Chamado de Barão, vivia de pequenos tranbiques que buscava na fronteira.

O Barão vivia indo a Tramandaí, não sei fazer o que???

Mas ultimamemente andav amuito ensimesmado, não queria papo com ninguém, ele que era de puxar assunto com todo mundo. Era gente fina, não era um chato. E como bom tranbiqueiro via logo quem queria assunto e quem não queira. até pra isto tem que ter sensibilidade.

O Barão morreu e nunca ninguém comunicou nada. Nem no jornal, nem em lugar algum. A notícia chegou rápido ao Bar do Vila Maria, porque lá dentro todo mundo sabe da vida de todo mundo. Parece uma confraria...e tem muita fofoca também,demais pro gosto deste narrador, que não participa delas.

O INTELECTUAL DO VILA MARIA

Tem um intelectual que o frequenta. Não sou eu, não...É de São Luiz Gonzaga, ou São Luiz, como os verdadeiros nativos se autodenominam.Diz ele que conhece bem a vida do Olívio Dutra,antes de ser governador. Sei lá se não é fofoca do Bar do Vila Maria...

Estes intelectual, um magrinho, está sempre quieto, num canto tomando sua cerveja, no maior silêncio.

Há um maluco totalmente com o cerebro queimado não sei se de droga, ou de alcool mesmo. Este maluco anda sumido. Ou morreu, ou internaram. Sua caracteristica era depois de um certo tempo no bar de algumas cachaças falar alto e sozinho e dar grandes gargalhadas. Quem não conhecia o povo do bar se assustava com ele, mas no segundo dia a gente entrava no clima.

Tem um funcionário público louco de atar, que vive brigando com o dono do bar, porque os dois nunca se entendem...

Este funcionário público leva sempre o contracheque do mês pra mostrar pro Renato quanto ele ganhou e quanto tem de dívida no bar. As vezes dou um real pra ele continuar na cachaça porque o Renato não dá nada de graça, nem pro mais miserável habitante do planeta. Ele sabe como é o povo de bar...depois que não tem mais cachaça, vão todos pra outro bar igual.

Em tempo: há um tempo atrás, filmaram no bar do Renato, numa noite prum filme sobre Otávio Dutra, quando lá esteve o músico e violonista

LAMBENDO AS FERIDAS

Nos artigos publicados em ZH(28 e 29 de fevereiro ultimo) o historiador Sérgio da Costa Franco e o neto do ex-presidente Jango, Cristhopher Goulart trocaram algumas " farpas" bem pesadas.

O que me chamou a atenção :

1) Porque é tão complicado falar da fortuna do Jango

2)sempre que a gente escreve algo no calor da emoção, acaba cometendo erros,ou injustiças

3) Não houve uma anistia????


4) Isto daria um bom debate, mas civilizado, né.

Coleguinhas


O fotografo LEO GUERREIRO completou ontem 83 anos...

Foi convidado pelo Ayres Cerutti pra tomar um café no térreo da ARI.


*O " sonho" do Ayres era ser presidente da ARI. Mas seu sonho terá, como o do Serra, ficar "adormecido". Tinha mais gente na fila com o mesmo projeto.


*Depois do Batista, que todo mundo sabia que seria o próximo presidente da ARI, quem terá o sonho de ser presidente da vetusta entidade?

Ou fechará antes?


*De minha parte quero distância....

FURO FURO DO JULINHO PACHECO

QUE SEMPRE GOSTOU DO JORNALISMO!!!!


Grande Olides.
Dá uma olhada no site do Tribunal de Justiça do RS uma notícia postada há pouco. O Tribunal por solicitação da Liga Brasileira de Lésbicas determinou a retirada de crucifixos e outros símbolos religiosos de tôdos os seus prédios. Pelo que noto pode ser "furo" teu. Ninguém ainda deu nada.
Júlio César

DE SERAFINA CORREA!

clique na imagem acima para aumentar

Luta das Mulheres tem intensa programação


Neste 08 de março (quinta-feira), quando se celebra o dia internacional da luta das mulheres, a vereadora Sofia Cavedon (PT) visitará, a partir das 08h, as Escolas Municipais Liberato Salzano Vieira da Cunha, Pepita de Leão e Lauro Rodrigues, distribuindo as professoras e trabalhadoras em educação, a Cartilha que trata sobre a violência contra a mulher. Conforme a vereadora, o material é didático e ajuda a entender, identificar e romper com o circuito da violência doméstica, especialmente. Com o apoio de Cláudia Prates, da Marcha Mundial das Mulheres, a Cartilha conta ainda com vários contatos de referências para denúncias e informações.

Na sexta-feira (09), às 20h, Sofia participa do bate-papo, com outras convidadas e público, que assistiu o espetáculo teatral "Confesso que Capitu", no Teatro do SESC. O debate após o espetáculo enfocará o feminino na ótica das mulheres que fazem a cultura gaúcha acontecer. Para esse bate-papo foram convidadas mulheres com uma atividade representativa na capital que tenham relação com cultura e educação, com o objetivo de ressaltar a importância desses setores da sociedade. Confesso que Capitu é uma releitura de Dom Casmurro, estreado por Elisa Lucas, dirigido por Roberto Birindelli e trilha sonora ao vivo da cantora Adriana Deffenti. Desde 2004, o monólogo participa de temporadas em Porto Alegre A entrada é franca.

Também esta semana está para ser votada no Legislativo Municipal a proposta da vereadora Sofia Cavedon (PT), que exclui do Calendário de Datas Comemorativas e de Conscientização do Município o Dia da Dona de Casa (31 de outubro), e incluí, no dia 25 de novembro, o Dia Municipal pela Eliminação da Violência contra as Mulheres. Ela destaca que o “nosso calendário de datas não deve contemplar eventos que apontem para a manutenção de uma situação que, há muito, não existe: a mulher “dona de casa”, mas, sim, eventos que contribuam com as lutas que promovam a igualdade de gênero, cooperando com as políticas de inclusão e equidade social e de enfrentamento à violência e à discriminação”, disse a vereadora. No que se refere à inclusão do Dia Municipal pela Eliminação da Violência contra as Mulheres, o projeto pretende, ao reafirmar a luta contra a violência, somar esforços às ações que são realizadas no Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres, que é marcado mundialmente por lutas pela igualdade e pela autonomia da mulher.

No sábado, 10 de março, a vereadora, após reunião do Diretório Municipal, participará, às 12h, do Almoço Temático promovido pelo PT de Porto Alegre, que debaterá: O Feminismo no PT. O encontro será no Centro de Eventos Iole Kunze, Sede Municipal (Av. João Pessoa, 785).

E, a partir das 10h de domingo, 11 de março, Sofia estará no Brique da Redenção prestando contas do seu mandato frente à presidência da Câmara de Porto Alegre, e também distribuindo a Cartilha da Mulher.

Fonte: Sofia Cavedon – 9953.7119

Porto Alegre, 06 de março de 2012.

Jorn. Marta Resing/5405
Ass. Comunicação
Verª Sofia Cavedon/PT
9677.0941

 

Escola João Corso inicia o ano letivo

A direção, juntamente com os professores e funcionários da Escola Municipal de Ensino Fundamental João Corso de Serafina Corrêa, preparou uma calorosa recepção ao corpo discente para dar início ao ano letivo de 2012. Houve muita alegria, entusiasmo, animação, inclusive com a participação de pais.
No dia 29 de fevereiro os professores tiveram a oportunidade de fazer uma reflexão sobre a nobre missão de ser educador, através de reuniões preparatórias, ilustradas com mensagens, vídeos, sugestões de aplicabilidade de técnicas para dar início ao ano letivo.
Os alunos do 2º ano a 8ª séries do ensino fundamental foram recepcionados com um belíssimo show musical proporcionado pelo professor Adriano, encantando a todos. Os estudantes tiveram a oportunidade de cantar músicas ao som do saxofone.
Na abertura da solenidade, foi cantado o Hino Nacional com o hasteamento da Bandeira e realizadas várias atividades como a apresentação dos professores e funcionários, a explicação da implementação da Oração da Manhã e foi lida uma belíssima mensagem, além da discussão das orientações e normas necessárias para o bom andamento do ano letivo.
Após o ato cívico, os alunos assistiram a um vídeo educativo, conscientizando-os sobre a importância de ser um verdadeiro estudante e, em seguida, foram feitas reflexões sobre a mensagem do mesmo.
Nos primeiros dias de aula os professores aplicaram técnicas diversificadas para motivar os alunos e, dentre elas , uma especial, com o objetivo de conhecer a realidade de cada aluno, suas famílias, seus anseios, seus interesses, suas limitações, suas expectativas de estudantes e, a partir desse conhecimento, planejar as aulas, respeitando suas diferenças para exercer, da melhor forma possível, a nobre missão de educadores.
A direção da Escola Municipal João Corso, juntamente com os professores e funcionários, acreditam que em 2012, haveremos de ter um ótimo ano letivo!

 

Colegios de riquinhos brigam por terrenos( que bela manchete prum jornal popular)


Escolas divergem sobre abertura de rua no Boa Vista
Vereadores da Comissão de Urbanização, Transportes e Habitação (Cuthab) da Câmara Municipal de Porto Alegre visitaram, nesta terça-feira (6/3) pela manhã, a área onde estão localizados o Colégio Província de São Pedro e o Colégio Monteiro Lobato, na Rua Marechal Andrea, Bairro Boa Vista. As duas escolas divergem sobre a destinação de parte da área - uma faixa de extensão de 181 metros, gravada no Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental (PDDUA) pela Diretriz 1512 - para a abertura de uma rua que atravessa o terreno alugado pelas escolas. O proprietário do terreno, Ruy Brossard de Souza Pinto, recentemente teve o pedido de reintegração de posse da área negado pela Justiça, que manteve o contrato de locação. A rua projetada no Plano Diretor ligaria a Rua Tomaz Gonzaga às ruas Professor Angelito Asmus Aiquel, Salomão Dubin e Professor Romano Reif.

O presidente da Cuthab, vereador Paulinho Rubem Berta (PPS), e os vereadores Adeli Sell (PT) e Alceu Brasinha (PTB) foram recebidos pela diretora do Província, Lourdes Peretti, e seu diretor administrativo, Guilherme Peretti, bem como pelo presidente da Associação de Pais e Alunos do Colégio Monteiro Lobato, Arno Bauer. Também estavam presentes representantes da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

O Província de São Pedro tem cerca de 1.280 alunos, enquanto o Monteiro Lobato tem aproximadamente 800 matriculados. Em fevereiro de 2002, Ruy Brossard de Souza Pinto havia doado à prefeitura a parte do seu terreno correspondente à faixa de 181m x 18m, onde também está localizado o ginásio do Província de São Pedro. Outra parte do terreno desmembrado continua até hoje sob propriedade de Brossard. "O dono quer abrir a rua para valorizar o seu terreno", disse Peretti.

Após a visita ao local, os vereadores da Cuthab decidiram que farão uma reunião interna da Comissão para analisar o caso e tentar intermediar uma solução para o problema. "Há uma disputa comercial entre dois colégios, e o proprietário está se beneficiando disso para fazer valer seus interesses. O interesse público tem de ficar acima dos interesses particulares.", disse Adeli. "As crianças e transeuntes têm de ter prioridade em relação aos automóveis."

Rubem Berta sugeriu a formação de um grupo de trabalho com a participação das partes envolvidas para a busca de um consenso sobre a questão. "As crianças precisam ser beneficiadas." Peretti, no entanto, afirmou que um grupo de trabalho já havia discutido a questão e elaborado uma proposta que não foi aceita pelo Colégio Monteiro Lobato. Já o presidente da Associação, Arno Bauer, acusa os administradores do Província de estarem impedindo o acesso da comunidade a uma área pública.

De Serafina!


Esta situação do Hospital de Serafina ainda vai dar samba.


A um interlocutor que comentou com o prefeito Bico Branco da voracidade do administrador hospital por verba municipal, o prefeito, que de bobo nunca teve nada foi rápido no gatilho:

- Ele quer o cofre, nós entregamos.

- Como assim, perguntou quem falava com o prefeito

- MAS NÃO DAMOS A CHAVE PRA ELE ABRIR, completou Bico Branco.

Tomem nota....ainda vai ter muita encrenca a situação deste hospital, que a paróquia não quer mais pra si.

Determinada a retirada dos crucifixos
dos prédios da Justiça gaúcha

Na primeira sessão do ano do Conselho da Magistratura do TJRS, realizada nesta terça-feira (6/3), foi acatado o pedido da Liga Brasileira de Lésbicas e de outras entidades sociais sobre a retirada dos crucifixos e símbolos religiosos nos espaços públicos dos prédios da Justiça gaúcha. A decisão foi unânime.

(imagem meramente ilustrativa)
Participaram da sessão do Conselho da Magistratura, o Presidente do TJRS, Desembargador Marcelo Bandeira Pereira; o 1º Vice-Presidente, Desembargador Guinther Spode; o 2º Vice-Presidente, Desembargador Cláudio Baldino Maciel; o 3º Vice-Presidente, André Luiz Planella Villarinho; e a Corregedora-Geral da Justiça em exercício, Liselena Schifino Robles Ribeiro.
O relator da matéria foi o Desembargador Cláudio Baldino Maciel, que afirmou em seu voto que o julgamento feito em uma sala de tribunal sob um expressivo símbolo de uma Igreja e de sua doutrina não parece a melhor forma de se mostrar o Estado-juiz equidistante dos valores em conflito.
Resguardar o espaço público do Judiciário para o uso somente de símbolos oficiais do Estado é o único caminho que responde aos princípios constitucionais republicanos de um estado laico, devendo ser vedada a manutenção dos crucifixos e outros símbolos religiosos em ambientes públicos dos prédios, explicou o magistrado.

Sessão do COMAG ocorreu nesta terça-feira (6/3)
(Foto: Eduardo Osorio)
A sessão foi acompanhada por representantes de religiões e de entidades sociais.
Nos próximos dias, será expedido ato determinando a retirada dos crucifixos.
Caso
Em fevereiro deste ano, a Liga Brasileira de Lésbicas protocolou na Presidência do TJRS um pedido para a retirada de crucifixos das dependências do Tribunal de Justiça e foros do interior do Estado.
O processo administrativo foi movido em recurso a decisão de dezembro do ano passado, da antiga administração do TJRS. Na época, o Judiciário não acolheu o pedido por entender que não havia postura preconceituosa.

De São Borja

Emocionado, recebo do capincho vereador, digo VENCEDOR, este chasque.

Me garantiu uma CC,assim como o Rambo tinha garantido pra ele.

Olha se eu caio nesta. Tenho 60 anos e sou avó!!!!


Acho que semana que vem vou ai dar inicio na minha Campanha aí em Porto Alegre!!!

Quero ver quantos votos tu ira arrumar pra mim ai em POA.

Se quer CC tem que mostrar trabalho e votos!

RIO

Localizei onde foi feita a foto da minha filha com a neta na cacunda: em Ipanema. Identifiquei porque no fundo estão as ILHAS CÁGARAS....um dia conto a história delas. é tri bonita. Muita praia peguei na frente delas...


RIO 1

Estou com um pé que é um leque pra passar uma temporada lá. O problema é que não quero ficar na casa da filha. Acho isto de última....dizem que parente é como peixe. Depois de três dias vira peixe, ou seja, Fede!

Rio 2

Também não quero ir ao Rio pra fazer o ROTEIRO DA SAUDADE...OU SEJA, aquele em que o sujeito diz, aqui não sei o que...´lá foi onde nós, não sei o que. Eu quero um Rio atual....


Rio 3

O que há com o meu guru Gabeira que não vejo mais na mídia...???

Diário de São Borja

O PORTEIRO DA NOITE!


Invariavelmente,quando ia a São Borja, anos atrás, parava no Executivo, no centro. chegava sempre no onibus leito da Ouro e Prata(cortesia do seo Hugo Fleck) e pegava um táxi pro hotel.Lembro até hoje do cenário da entrada de São Borja, do posto da PRF que tem um pouco antes e da rodoviária que foi tão bem descrita pelo historiador que escreveu agora no ano passado um livro sobre o Jango.

Quem estava na portaria era um balaqueiro, de nome Portinho, que mesmo já raiando o dia o cara tava no maior papo. Queria assunto. Eu queria era dormir um pouco, porque em ônibus durmo mal... Mas o Portinho, de propósito ou não sei o que me botava sempre num mesmo quarto, no terceiro andar, subindo dois lances de escada. Eu com aquela mala cheia de livros - ia pra feira do livro, ou então para algum evento do Getulio e Brizola e sempre levava muitos livros(embora vendesse poucos) comigo. A ilusão também é um bálsamo que ajuda a sobreviver em certas épocas da vida, penso agora cá com meus botões.Sobreviví até a estes tempos.

Mas o Portinho, que nunca tinha a reserva feita, embora eu me preocupasse ligando no domingo anterior pra gastar menos com o fone, ma mandava sempre prum quarto que acho que era o 312,ou 302. Era o 312,sim. O quarto era uma espelunca braba naquele hotel do Celso, hotel de viajantes , e começava pela maçaneta que está estragada desde que são borja se criou como municipio, ou seja, há 300 anos....

A luz pelo menos acendia...

Muitas vezes tirei uma sonequinha até que amanhecesse perfeitamente e aí ia batalhar na rua,atras dos meus assuntos.

Quando descia pro café( ah, algum maldoso vai dizer que eu levava pão e presunto, num lanche, pra comer depois, o que é verdade) encontrava a atendente da portaria de dia, que já tinha assumido o comando do hotel.

Mas o Portinho, que depois virou evangélico, nunca tinha a reserva feita e me colocava sempre no pior quarto que o hotel tinha. Pura maldade.

Ainda bem que na hora de acertar a conta o Celso, dono do hotel, não sei porque milagre me dava sempre um descontinho..Dizem que o CAMUNDONGO ,não levava livre nem o Brizola, quando este resolvia não dormir na casa do seu companheiro Percy Penalvo, que ficava a 20 metros dali e se homiziava no hotel do companheiro Celso.

Muitas histórias tenho do Executivo, que acabou virando local histórico porque ali se realizaram muitos encontros importantes do pDT, liderados pelo próprio Brizola.

E vou contar uma sedução que uma senhora sãoborjense que estava a fim de um politico na época do PDT,hoje no Psol, aprontou....detalhes numa outra oportunidade...

São lembranças que me ocorrem hoje depois que o Capincho me ligou de manhã cedo e fiquei ouvindo aos fundos a música gaudéria da rádio Cultura, ou de alguma rádio de Santo Thomé. Eu falo mal de São Borja, mas gosto dela.

TRANSPORTE PÚBLICO

É verdade. Hoje, por exemplo, hj passou um T9 daqueles mais antigos já cheio, sem ar condicionado e encheu de gente (pois as pessoas não pensam, agem como rebanho e pegam o ônibus mesmo vendo que está entupido de gente), fiquei ali na parada e esperei menos de 1 minuto até vir o outro T9 em seguida, com ar condicionado, vazio. Entrei e segui o mesmo trajeto, chegando na mesma hora (até por que havia engarrafamento)...

Ellen Augusta

Serra comete gafe e diz que nome do país é Estados Unidos do Brasil


Por O Globo (opais@oglobo.com.br) | Agência O Globo – 5 horas atrás- conferir: http://br.noticias.yahoo.com/serra-comete-gafe-diz-nome-pa%C3%ADs-%C3%A9-estados-150755928.html

RIO - Pré-candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo, o ex-governador José Serra cometeu uma gafe ao participar do "Jornal da Band" na noite de quinta-feira (01). Ao responder um questionamento do apresentador Boris Casoy sobre a possibilidade de a crise econômica na Europa chegar ao país, o tucano disse que o nome completo do Brasil é Estados Unidos do Brasil, quando, na verdade, o país se chama República Federativa do Brasil desde 1967. Assista ao vídeo.
- Eles (a Europa) criaram uma moeda única na Europa sem que houvesse um país. O Brasil se chama Estados Unidos do Brasil. Os Estados Unidos se chamam Estados Unidos da América - respondia Serra, quando foi imediatamente corrigido por Boris Casoy:
- Não, o Brasil não se chama Estados Unidos do Brasi.
- Mudou? - questionou Serra.
- Se chama República Federativa do Brasil - completou o apresentador.
O tucano, então, emendou:
- O que é parecido. É federação.
Serra já foi candidato à Presidência em duas ocasiões: em 2002, quando perdeu para Luiz Inácio Lula da Silva, e em 2010, quando foi derrotado pela presidente Dilma Rousseff.

R$ 500 mil de indenização para o ex-presidente Fernando Collor

Do site Espaço Vital http://www.espacovital.com.br

A 3ª Turma do STJ condenou a Editora Abril ao pagamento de R$ 500 mil por danos morais ao senador e ex-presidente Fernando Collor. O motivo foi um artigo que ofendia o ex-presidente, veiculado na revista Veja. Além da editora, foram condenados Roberto Civita, presidente do conselho de administração e diretor editorial, e o jornalista André Petry, autor do artigo em que o ex-presidente foi tachado de “corrupto desvairado”.

O artigo de opinião intitulado “O Estado Policial”, publicado na edição impressa de março de 2006, bem como na Internet, comparava atitudes dos governos Collor e Lula – no primeiro, diante das denúncias feitas pelo motorista Eriberto França; no segundo, em relação às denúncias do caseiro Francenildo Costa. Durante as comparações, o articulista falou sobre as “traficâncias” de Collor e o chamou de “corrupto desvairado”.

Collor ajuizou ação de reparação por danos morais alegando que havia sido atingido por “uma série de calúnias, injúrias e difamações”. A sentença proferida na Justiça carioca julgou o pedido improcedente, entendendo que o objetivo do jornalista não era atingir a honra do ex-presidente, e sim criticar o modo como as denúncias do caseiro foram abafadas, o que não aconteceu com o motorista.

Além disso, o juiz destacou que Collor foi absolvido pelo Supremo Tribunal Federal apenas por questões processuais e sem apreciação dos fatos, e que “o episódio histórico que envolveu o fim do seu mandato [como presidente] ainda está marcado na mente das pessoas”. O entendimento do juízo de primeiro grau foi de que, confrontados os valores constitucionais do direito à imagem e da liberdade de imprensa, deve prevalecer a liberdade de imprensa.

Porém, na apelação, a sentença foi reformada. O TJ do Rio de Janeiro entendeu que a simples publicação da expressão “corrupto desvairado” configura dano moral, mesmo porque o ex-presidente foi absolvido das acusações. Quanto ao confronto dos dois valores constitucionais, o tribunal estadual decidiu que deveria prevalecer o direito à honra, pois estaria claro “o propósito ofensivo da matéria”. Seguindo essa opinião, o TJRJ fixou a indenização em R$ 60 mil.

No entendimento da 3ª Turma do STJ, o termo usado pela revista – “corrupto desvairado” – é, sim, ofensivo. O ministro relator lembrou que o termo ofensivo ainda foi destacado pela revista, pois aparece no “olho da matéria” – recurso de diagramação que realça uma parte do texto considerada marcante – da edição impressa e digital. É justamente essa parte de destaque que chama mais a atenção do leitor, mesmo aquele que não lê o artigo em seu conteúdo integral, ou apenas folheia a revista.

Segundo Beneti, "o termo usado não é pura crítica; é também injurioso". Por esse motivo é impossível concordar com qualquer motivo alegado pela editora, como o interesse público à informação. A injúria, de acordo com o ministro, "é a conduta mais objetiva e inescusável das três modalidades de ofensa à honra – injúria, calúnia e difamação – e, por esse motivo, não admite exceção de verdade". Na injúria, não há atribuição de fato, mas de qualidade negativa do sujeito passivo.

"Portanto, ainda que o ex-presidente Collor tenha sido absolvido apenas por questões processuais, e não por afastamento da acusação de corrupção, e que tenha sofrido impeachment, a ofensa não deixa de existir – e é injúria" - diz o julgado.

Quanto ao valor da reparação, a 3ª Turma entendeu que o desestímulo à injúria deveria ser enfatizado, pois a expressão “corrupto desvairado” poderia ter sido evitada.

O ministro Beneti e o ministro Paulo de Tarso Sanseverino se posicionaram no sentido de aumentar o valor para R$ 150 mil. No entanto, os ministros Nancy Andrighi, Massami Uyeda e Villas Bôas Cueva votaram para fixar a indenização em R$ 500 mil.

Detalhes dos recursos

* Tanto o ex-presidente quando a editora recorreram ao STJ. Para Collor, a indenização foi fixada com “excessiva parcimônia”. Para ele, o tribunal estadual não levou em consideração a qualificação das partes envolvidas, a repercussão do dano causado e o lucro da editora com a publicação do artigo.

* Segundo Collor, o tribunal estadual não levou em consideração a qualificação das partes envolvidas, a repercussão do dano causado e o lucro da editora com a publicação do artigo.

* A Editora Abril, por sua vez, queixou-se de que o TJ-RJ não havia se manifestado sobre a liberdade de expressão, nem sobre a licitude da divulgação de informação inspirada pelo interesse público (Lei de Imprensa). Para a editora, o artigo não traz mentiras ou fatos passíveis de indenização.

* A Abril ainda argumentou que Collor deveria “ter vergonha de ter sido protagonista das maiores acusações feitas contra um presidente da República, e não da divulgação desse mesmo fato pela imprensa, que apenas exerceu o seu dever constitucional de informação”.

* O ministro Sidnei Beneti, relator de ambos os recursos, destacou que, como a Lei de Imprensa não foi recepcionada pela Constituição Federal (conforme julgamento do STF), o recurso da editora ficou privado desse fundamento. A jurisprudência do STJ se firmou no sentido de que, "por conta da posição do STF, não se pode alegar violação aos dispositivos da Lei de Imprensa em recurso especial".

* No memorial fornecido pela editora ao relator, entretanto, a Lei de Imprensa não foi mais citada. A Abril sustentou que houve violação aos artigos 186 e 188, inciso I, do Código Civil. Segundo o ministro, "foi apenas no memorial que a editora sustentou expressamente a violação dos referidos artigos, e tal referência não pode suprir a omissão de invocação no recurso especial, pois o memorial não é levado ao conhecimento da parte contrária, e, portanto, o contraditório constitucional estaria infringido se o memorial fosse considerado para suprir o que não foi alegado no recurso".

* Porém, novamente sobre o não acolhimento constitucional da Lei de Imprensa, a jurisprudência do STJ entende que, nos julgamentos provindos dos tempos dessa lei, devem ser examinados os argumentos de fundo, ensejados pelo recurso. O ministro Sidnei Beneti destacou que a análise do recurso especial não seria reexame de prova, mas apenas exame valorativo com base em fato certo – no caso, o artigo escrito e publicado – para verificar se este possuiria, ou não, caráter ofensivo.

O advogado José Domingos Teixeira Neto atua em nome de Fernando Collor. (REsps nºs 1068824 e 1120971).

AARS APRESENTA BALANÇO
DO DESEMPENHO DO SETOR


O presidente da Associação do Aço do Rio Grande do Sul (AARS), José Antonio Fernandes Martins, apresentará nesta quinta-feira (8.3.12) durante café da manhã para a imprensa, às 9h, no Hotel Plaza São Rafael, o balanço do desempenho do setor em 2011 e a análise das perspectivas para 2012. Anunciará os números referentes ao consumo de aço no Estado e a situação do abastecimento do insumo para atender a demanda prevista em segmentos como a fabricação de máquinas e implementos agrícolas, carrocerias de ônibus, semi-reboques e equipamentos industriais, entre outros. Na oportunidade, a AARS também lançará o relatório Panorama do Aço de 2012. Finalmente, no mesmo evento, a Associação do Aço fará a entrega ao prefeito José Fortunati das chaves da Creche Vó Belinha, localizada na Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre.
Todt Comunicação

Tubulação no Bairro Gramadinho


A infraestrutura é fundamental para o desenvolvimento das comunidades, para o crescimento da economia e qualidade de vida da população. No Bairro Gramadinho, Loteamento Santa Lúcia II, a Prefeitura Municipal está realizando um importante projeto que diz respeito à colocação de tubulação na Rua Valentin Zanella. Estão sendo colocados dezenas de tubos, proporcionando infraestrutura, com segurança e desenvolvimento urbano.


Por: Adriana Sabadin – Assessora de Imprensa
Prefeitura Municipal de Serafina Corrêa – RS.


BARES DE PORTO ALEGRE

O SÓCIO DO BARRANCO

QUE NÃO ERA TASCA


QUANDO FOI INAUGURADO EM 1969 - ABRIL - O BARRANCO TINHA UM SÓCIO QUE NÃO ERA DOS IRMÃOS TASCA(SANTO,ALBINO,ERNESTO E VICENTE)- TODOS DA LINHA AGUSSU, INTERIOR DE BARRA FUNDA.

ESTE SÓCIO ERA OSVALDO DA SILVEIRA, QUE DEPOIS VENDEU SUA PARTE AO SANTO TASCA QUE ACABOU FICANDO COM 49 % DAS AÇÕES. AS DEMAIS ERAM DOS IRMÃOS. ALBINO, POR EXEMPLO, TINHA 33%.

DIZEM GARÇÃOS MAIS ANTIGOS, QUE AINDA VIVEM, QUE OS UNICOS FILHOS DOS DONOS QUE TINHAM ORGULHO DA CHURRASCARIA ERAM OS FILHOS DO SANTO. OS DEMAIS SENTIAM ' VERGONHA' DOS PAIS QUE TINHAM, OU SEJA, OS CONSIDERAVAM CHURRASQUEIROS.

NUNCA IAM LÁ, POR EXEMPLO.


Osvaldo Silveira,garção Juarez e os irmãos Albino e Santo Tasca(em 1969, inauguração do Barranco)


Jussara, filha de Osvaldo Silveira,Osvaldo e sua esposa Júlia. em 1969


Osvaldo da Silveira, sua esposa Júlia, Santo e Elza Tasca, em 1969, no Barranco.


Garçãos no dia da inauguração do Barranco em abril de 1969. Xerife(Luis Carlos)Osvaldo da Silveira, maitre Bahia, Palito,Alves, Dario, Fritz 1 e Fritz 2.

Fotos são do acervo de SANDRA TASCA, FILHA DE SANTO E ELZA.

 

Helena

A neta deste repórter, Helena, na cacunda da madrinha, numa praia do Rio!!!!

Coleguinhas


NO DIA QUE

O CHAVEIRINHO

FOI CONFUNDIDO COM UM BOY


No final dos anos 80, no Segundo Caderno da ZH, estavam fechando uma edição e o editor Alberto Blum precisava urgente de uma pasta ( a pasta era onde ficavam os contatos de fotografia que o editor mandava o boy buscar pra ele completar a edição com a escolha de qual foto iria ilustrar uma matéria)

Olhou em volta, e viu um baixinho, encostado num armário que havia fazendo a divisão entre a parte onde ficava o Segundo Caderno e o restante da redação do jornal.
- Vem cá, vai buscar aquela pasta pra mim, ordenou Blum

Aí ele foi alertado pelo diagramador HOFF:
- Ele é colega, não é boy

O Boy no caso viria a ser diretor de redação do jornal. Trata-se Ricardo Stefanelli.

do blog do lauro dieckmann


As previsões do Boni para a TV
O Boni, ex-manda-chuva na Rede Globo, participou do Manhattan Connection deste domingo (clique aqui para assistir). Muito bem articulado, deu gosto de assistir. Até as as puxadas de saco renderam boas respostas (sobre vinhos, culinária, restaurantes etc...). Mas o que ele falou de mais importante foi que a TV está pestes a viver profundas alterações. Não há mais sentido o freguês esperar para assistir uma novela, um show, um noticiário, no horário que a emissora quer. Pela internet, a gente tem informação e diversão instantânea, na hora que se quer, via youtube, facebook, twitter e blogs e o que mais ainda vier por aí. Até já derrubaram ditaduras a partir disso que chamam de redes sociais. O destino da TV tradicional, do ponto de vista do Boni, é se especializar em transmissões ao vivo de noticiário e esportes.
Bom, tudo indica que o destino da TV é este mesmo. Mas, nesta área, as previsões geralmente acabam se revelando furadas, pois ninguém sabe o que um 'nerd' está, neste momento, inventando para mudar tudo radicalmente? No fim, a coisa pode tomar um rumo totamente diverso. Nos meus tempos de estudante de jornalismo, os papas da Comunicação previam que a gente teria uma máquina em casa para 'imprimir' o jornal do dia. Que máquina, que imprimir o jornal do dia coisa nenhuma! Hoje o jornal do dia chega pelo computador, pelo tablete, pelo celular. Na época que eu estudava nem se imaginava que um dia pudesse existir esse troço chamado computador (embora eu trocasse idéias com meus botões sobre que bom seria se as máquinas de escrever fossem silenciosas - eu trabalhava num escritório com dezenas de datilógrafas que escreviam furiosamente e faziam um barulhão enorme).
Mais sobre a fala do Boni (a parte das futilidades) você pode ouvir clicando aqui.

DE SÃO BORJA

PETIÇÃO PÚBLICA

PRA PEGAR UMA BOQUINHA, VULGO CC,

NO GABINETE DO senhor CAPINCHO(CASO ELEITO)

pREZADO FUTURO VEREADOR CAPINCHO( LETIER CARVALHO VIVIAN)


vENHO por meio desta, mui humildemente, solicitar uma boquinha no seu futuro gabinete do Palácio Presidente Getúlio Vargas.

Sabedor desde já que as hostes pedetistas não o deixarão só( como dizia o maior líder deste país, ELLE ) JÁ tento me segurar pruma boquinha, via correspondência, no seu futuro gabinete..já que todas as vezes que fui vender livros na sua cidade, não consegui vender nem PRO FUMO, como dizia uma empregada, a Marilda, que vinha de Alvorada pra trabalhar a bordo daqueles onibus da Soul.

Pois lhe garanto que trabalharei arduamente, como fazem todos os CCs nos gabinetes dos vereadores. O sr. mesmo, seo Capincho, é um exemplo disto.

Trabalhou muito pra deputada Juliana Brizola fazer cerca de mil votos aí na terra berço do trabalhismo e depois , bom depois ....deixa pra lá...

Já lhe aviso: espelhado neste exemplo seu, não moverei uma palha pra que o senhor se eleja.Se quiser mesmo se eleger, peça pro CLEMAR DIAS, que é o maior trabalhador aí deste município que já foi o maior produtor de trigo do RS.

O Clemar, que acorda as 10 da manhã, - pra que poeta iria acordar cedo, pra se inspirar???? - leva uma hora até chegar no La Barca e mais uma hora pra voltar pra casa pro almoço. Bom, aí já é meio - dia.

Então deixa o trabalho com o Clemar.

Pra mim tá bom uma CC por correspondência mesmo.

Só terei o trabalho de ir no BB buscar minha grana, como fazem no Senado.

Sem mais, desejo que seu atual chefe, o CAMUNDONGO, consiga finalmente ser prefeito de São Borja.

Depois do Mariovane Weis, tudo é possível!!!!

COLEGUINHAS


sem impressão

Jornalistas que usam a salinhaJCTerlera não tem como imprimir documentos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Falta TONNER( QUE BIXO SERÁ??) PRA IMPRIMIR QUALQUER DOCUMENTO NA SALINHA jcteRLERA.uÉ, ELA NÃO ERA UM CYBER DE LUXO,SEGUNDO A PAGINA 10 DA ZERO HORA NUMA EDIÇÃO DO ANO PASSADO.....????

Só desembarca como turista

Carlos Chagas

A presidente Dilma mandou, o ministro Aldo Rebelo aplaudiu e cumpriu, e o secretário-geral da FIFA, Jerôme Valcke, se desembarcar no Brasil esta semana ou na próxima, será como turista. Jamais como interlocutor da entidade internacional para vistoriar obras destinadas a abrigar a Copa do Mundo de Futebol, desde estádios em construção a avenidas, transportes coletivos, hotelaria e demais setores ligados ao certame.
As referências do gringo aos preparativos que nos cabem foram consideradas impertinentes, descabidas e impróprias. Esse comportamento de M. Valcke terá reflexos na votação da Lei da Copa, pela Câmara dos Deputados, nos próximos dias. Certas exigências descabidas da FIFA serão desconsideradas, como a obrigação do governo brasileiro de proibir greves nas capitais onde os jogos se realizarão, a venda apenas da cerveja patrocinadora, nos estádios, e a proibição da exposição de produtos concorrentes no comércio próximo dos locais das partidas. Seriam inconstitucionais, essas e outras imposições.
A pergunta que se faz é sobre que reação terá o presidente Joseph Blatter. Dará razão ao secretário-geral, para quem precisaríamos levar um chute no traseiro para apressar a votação da nova lei e a conclusão das obras? Ameaçará retirar do Brasil a realização da Copa?
A FIFA tem muito mais a perder com qualquer mudança drástica, depois de haver perdido a compostura e, certamente, alguns contratos polpudos que irrigariam seus cofres, sem referir a conta bancária de seus dirigentes. O que importa, agora, é o governo manter a firmeza. Não recuar da necessária reação da presidente Dilma e do ministro do Esporte.
TODO CUIDADO É POUCO
Pelo Datafolha, José Serra disparou. Dispõe de mais de 30% das preferências paulistanas, enquanto seu concorrente real, Fernando Haddad, não passa dos 3%. Só que tem um problema: na disputa de 2010 pela presidência da República, quando confirmada a candidatura de Serra, era mais ou menos a mesma a proporção que o separava da recém-lançada candidata Dilma Rousseff, proposta pelo Lula.
Em festa, a tucanada preparava-se para reassumir o poder. Depois, foi o que se viu. Um pouco de cautela não fará mal a ninguém. Menos para o Tiririca, que se vier mesmo a ser registrado pelo Partido da República, continuará repetindo que pior não fica…
O PERIGO DAS CAMPANHAS
Em 1950 Getúlio Vargas havia sido eleito para voltar ao poder. Naqueles idos, sem toda a parafernália eletrônica de comunicação, os candidatos não eram monitorados como hoje. A posse estava marcada para 31 de janeiro do ano seguinte e Getúlio descansava na fazenda de amigos, no interior do Rio Grande do Sul.
Ignorava-se quando chegaria ao Rio para começar a compor o ministério e anunciar suas primeiras propostas de governo. Os principais jornais destacaram seus melhores repórteres para permanecer de plantão na calçada da avenida Rui Barbosa, no Flamengo, no Rio, onde o presidente eleito tinha seu apartamento particular.
Num determinado começo de noite, Getúlio sai de um táxi, junto com um amigo, espantando-se pelo grande número de jornalistas e os flashes que pipocaram à sua chegada. Ali mesmo,na calçada, concede sua primeira entrevista coletiva na antiga capital.
Recebeu todo tipo de perguntas, falando que seu ministério seria “da experiência”, para deixar desconfiados seus futuros ministros. Depois de uma hora, não havia mais o que perguntar, o presidente já se dirigia para o elevador quando nota um jovem repórter que permanecera calado o tempo todo, com uma característica especial: levava nas costas uma espécie de paraquedas, imenso como eram na época os gravadores. Tratava-se de um radio-repórter dos Diários Associados, Mário Garófalo, então começando na profissão.
“Então, meu filho, você não perguntou nada?” Décadas depois, Garófalo contava com muita graça que de tão nervoso não conseguia engrenar qualquer pergunta. Até porque, todas já haviam sido feitas. A primeira que lhe veio foi: “O que o senhor acha da campanha das Lojas Gebara para baratear o custo de vida?”
Uma indagação estapafúrdia, desconexa, que nada tinha a ver com o novo governo, publicidade que estava em todas as emissoras de rádio desde o final do ano anterior, patrocinada pela grande cadeia de lojas especializadas em vender tecidos. Getúlio espantou-se, os outros jornalistas começaram a rir. Garófalo teve ímpetos de atravessar a avenida e jogar-se no mar, ali defronte, mas ouviu a resposta:
“Acho muito boa, muito oportuna essa campanha das Lojas Gebara”. De volta à redação o jovem jornalista contava o episódio e anunciava estar deixando a profissão, por incapacidade total de segui-la, quando um diretor ia passando, ouviu e avançou para ele: “Onde está essa gravação? Dê-me, imediatamente”.
As gravações eram feitas em fio, em vastas bobinas, que passaram às mãos do diretor, sem mais uma palavra. Do dia seguinte em diante, em todas as estações de rádio a propaganda havia mudado. Com o mesmo jingle de introdução das Loja Gebara, “as que mais barato vendem”, entrava um locutor anunciando: “Agora, ELE vai falar”. Seguia-se a voz do até hoje mais popular de nossos presidentes da República: “Acho muito boa, muito oportuna essa campanha das Loja Gebara”.
Mário Garófalo continuou na profissão, tornou-se proprietário de uma emissora, das mais ouvidas em Brasília. Não recebeu um centavo sequer, pela colaboração que multiplicou o faturamento dos Diários Associados.
Toda essa história se conta a propósito de investidas nem tão ingênuas quanto as de Garófalo sobre Getúlio Vargas, mas de publicitários que pretendem vincular José Serra a uma determinada campanha de propaganda…

TRANSPORTE PÚBLICO

vou dar meu pitaco neste assunto, porque sou há 42 anos usuário do transporte coletivo em porto alegre, tanto que agora gozo da faculdade de idoso e dou-lhe carteiraço, como dizia o Diogenes de Oliveira, que por sinal entende do riscado haja visto que foi um dos que fez a encampação no tempo do Bigode, o prefeito da Bossoroca.

Acho que os onibus( que sistema, nada) são bons, limpos e muitos com ar condicionado. E tem também pros cadeirantes. Enfim, como esta gente gosta de dizer que o que presta são os outros. Que falta de autoestima!


Em resposta à nota sobre o transporte público alemão, publicada no boletim da última sexta-feira: “Já existem, em POA, diversos ônibus da Carris, rebaixados à altura das calçadas, facilitando acesso de idosos e cadeirantes. Esses ônibus, inclusive, são feitos em Caxias do Sul e exportados para diversos países. Por que nossa frota municipal não os usa em sua integralidade? --- Edison

do blog do Adeli Sell

De São Borja


O VIGARISTA

DE SÃO BORJA


oS FATOS SÃO REAIS. O nome é omitido.


nUMA DAS VEZES QUE FUI A FEIRA DO LIVRO DE SÃO BORJA,anos atrás, encontrei uma figura impagável hospedado no Hotel Executivo, no centro( não o da saída) mas o que deixa a gente mais a mão, perto de tudo...

O cara era um altão, barbudo, bem falante, com uma pinta de 171 que vou te contar. Era muito pouco provável, como sempre dizia o nosso saudoso Moacir Scyar que não o fosse. Fiquei observando e ele passava o dia dentro da sala de estar do hotel, telefonando, digitando num comptuador manual, com uma secretária, uma guria, ao seu lado.


Fiquei pensando: será um vendedor????( o hotel é procurado principalmente por esta classe)

Não era. O funcionario do hotel me deu a ficha do cara....O Roni, que é um figuraço....O cara dá cursos de auto-ajuda...Ih, pensei...

E andava pela cidade colocando anúncios na rádio Cultura do seu curso que era dado dentro do hotel mesmo.

Quando chegavam os alunos, ele mandava a secretária cobrar dos caras - não sei quanto é que cobrava - e depois dava o curso...O que ele fazia pra fingir que dava este curso, não sei porque eu tinha mais o que fazer...

Sei que numa das vezes, ele ficou pelo hotel quase uma semana e os diálogos entre ele e o Roni pagavam qualquer ingresso. Ele preparava o bote pra fugir do hotel sem pagar, mas o Celso Lopes tinha encarregado o Roni de ficar no seu pé...

E eis que numa sexta, ele preparou o bote. Depois que o banco tinha fechado, ele foi querer pagar tudo com um cheque seu...

Roni desconfiado, disse que não aceitavam de jeito nenhum que ele pagasse com cheque( já deviam saber que o cheque do cara era mais frio que a Antartida inteira)

Não sei como foi o desfecho...mas quando cheguei em Porto Alegre e comentei com o Márcio Bueno, no sindicato dos jornalistas, ele deu uma baita gargalha:
- Ih, Olides, este cara não é assim,assim,assado...

Batia perfeitamente...

Ih,disse o Márcio, esse cara é tri manjado em Varanopolis. Já andou por lá aplicando com este curso de autoajuda dele.


Em tempo: o vigarista de São Borja, como o chamei, é a cara do MIELE, o Barba, que evidentemente não era ele que estava em S. Borja,dando aulas de autoajuda.

A dura vida do presidente da OAB

do site http://www.espacovital.com.br

Por Elio Gaspari,
jornalista

Em janeiro, o procurador Ophir Cavalcante, licenciado desde 1998, custava à Viúva R$ 30.062,07 mensais

É dura a vida do presidente da Ordem dos Advogados, Ophir Cavalcante. No último ano ele condenou o tamanho da fila dos precatórios de São Paulo, a farra dos passaportes diplomáticos, as fraudes nos exames da Ordem, a atuação de advogados estrangeiros em Pindorama, o enriquecimento de Antonio Palocci e a blindagem dos "ficha suja". Defendeu a autonomia salarial do Judiciário e os poderes do Conselho Nacional de Justiça.

Como se sabe, Ophir Cavalcante é sócio de um escritório de advocacia em Belém e procurador do governo do Pará, licenciado desde 1998, quando se tornou vice-presidente da seccional da Ordem. Até aí, tudo bem, pois Raymundo Faoro era procurador do Estado do Rio, apesar de não lhe passar pela cabeça ficar 13 anos com um pé na folha da Viúva e outro na nobiliarquia da Ordem.

Em agosto do ano passado, quando o Tribunal Regional Federal permitiu que Senado pagasse salários acima do teto constitucional de R$ 26.723, Cavalcante disse o seguinte: "O correto para o gestor público é que efetue o corte pelo teto e que as pessoas que se sentirem prejudicadas procurem o Judiciário, e não o contrário".

Em tese, os vencimentos dos procuradores do Pará deveriam ficar abaixo de um teto de R$ 24.117. Seu "Comprovante de Pagamento" de janeiro passado informa que teve um salário bruto de R$ 29.800,59. O documento retrata as fantasias salariais onde a Viúva finge que paga pouco e os doutores fingem que recebem menos do que merecem. Isso não ocorre só com ele, nem é exclusividade do Ministério Público do Pará.

O salário-base do doutor é de R$ 8.230,57. Para os cavalgados é isso, e acabou-se.

No caso de Cavalcante, somam-se sete penduricalhos. Há duas gratificações, uma de R$ 6.584 por escolaridade, outra de R$ 7.095 por "tempo de serviço" (na repartição, ficou três anos, mas isso não importa); R$ 4.115 por "auxílio pelo exercício em unidade diferenciada" (a procuradoria fica em Belém, mas ele está lotado na unidade setorial de Brasília).

Esse contracheque levou uma mordida de R$ 5.196 do Imposto de Renda. Se o doutor trabalhasse numa empresa privada, com salário bruto de 29.800,59, tivesse dois dependentes e pagasse, como ele, R$ 2.141 na previdência privada, tomaria uma mordida de R$ 6.760.

Finalmente, há R$ 314 de auxílio-alimentação, o que dá R$ 15,70 por almoço.

A OAB precisa protestar: o Ministério Público paraense passa fome.

Chegada em Cancun

Antonio Augusto Bandeira

Chegamos antes das duas da tarde. Alfândega.Filas e filas,
Saímos perto das quatro...Hotel -Riu Palace de las Americas.

Lobby imenso.Na portaria recebo o número do apartamento-424. Uma pulseira me é colocada no braço, significando que está tudo incluído, comidas, bebidas.
Pergunto de existe alguma restrição para algum tipo de bebida. Resposta- nenhuma.
Logo para mim que não bebo mais vodka etc...
Temos elevadores perto da Portaria. Os meus são do outro lado e passeio pela beleza
da entrada, olhando a piscina que parece ligar com o mar, até os elevadores perto d um dos muitos restaurantes."Portal de los Arcos", onde servem no almoço comida italiana,e pela noite comida brasileira.
Salto no quarto andar. Meu apartamento é o primeiro pela esquerda.
Banheiro, entrada, armários, frigobar, quarto imenso, duas camas de solteiro maiores que as nossas de casal, degraus ( dois) uma sala com televisão e sofá, abrindo os vidros uma sacada com vista para a piscina principal e o mar...De um azul lindo.
Temperatura 30 graus.Estamos no inverno...
Estou em Cancun.
Dia 20 de fevereiro de 2012.
O guri da rua Esperança, Caminho do Meio,voltará ao México...

BENTO SÓ TINHA O BATALHÃO FERROVIÁRIO

VERANOPOLIS TINHA FABRICA DE FREIS....

ESTE TEXTO É PRA APORRINHAR O SERGINHO ROS, que anda muito quieto pro meu gosto. Acho que agora sim ele engatou,finalmente a biografia do seu lider maior, O ENGENHEIRO, como ele chama o ex-governador Leonel de mOura Brizola...

Dizem que nas antigas rivalidades entre cidades vizinhas, Veranopolis se gabava de produzir muito mais freis e padres do que Bento, terra do Serginho Ros, que tinha parreiral mas que só produzia mesmo túneis com os soldados do Exército Nacional.

(aliás, Bento é terra natal de Geisel, não Estrela, como muita gente diz...por aí)

Mas enfim estas belas fotos produzidas pelo colega Márcio e pela Ellen mostra aspectos curiosos da antiga ALFREDO CHAVES , que era como meu avó chamava a atual Veranopolis. E lembro que ele recebia almanaques do Correio Riograndense onde vinham muitas fotos dos freis barbudos e dos seminários existentes na HOJE CONHECIDA TERRA DA LONGEVIDADE...

Veranopolis também produz politicos. Vide Cesar Busato, Maria do Rosário,só pra lembrar os mais recentes, porque no passado também tinha um deputado estadual, que não lembro agora se era o Lino Zardo( ou este era de Nova Prata) ou quem?ou teria sido o Loris Reale???

Ai vão mais algumas fotos da nossa saudosa e querida ALFREDO CHAVES!AH, EM TEMPO O MST TEM UMA ESCOLA NESTA CIDADE.

Fotos Ellen Augusta e Marcio de Almeida Bueno


abrigo da APAVE, Vivânia Caser Bueno é a presidente.


carnaval de rua

SEM PULO - TÚNEL DO TEMPO

Olá Olides,
Permita-me remeter a Sem Pulo e Túnel do Tempo
deste sábado que escrevo na Folha Popular de Teutônia.
Em especial aos teus inúmeros leitores.
Abraço
Rudimar Thomas

Coleguinhas


Denise Nunes é leitora deste blog.

MOVIMENTO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS/Brasil INFORMA:
Estelionatário e torturador
ditaduras | Preso outra vez no Brasil,Claudio Vallejos pode ser extraditado
Por Lucas Azevedo – de Porto Alegre.


Bom de papo, conversa fácil e amistoso, um argentino vem fazendo, ao menos desde os anos 1990, uma série de vítimas por onde passa em boa parte do oeste catarinense. Um sete um de carteirinha, Claudio Vallejos pode ter surrupiado mais de cem mil reais realizando golpes. Entretanto, esse argentino de 53 anos tem muito a contar às autoridades de seus país e do Brasil sobre os anos de chumbo, especialmente em relação à Operação Condor, aliança militar entre as ditaduras do cone sul. Porém, parece que as autoridades da Argentina o esqueceram, ou se esforçam para esquecer.
A trajetória de Vallejos é conhecida desde quando botou os pés no Brasil, nos idos de 1980. Falastrão, vendeu em dólares entrevistas em 1986 gabando-se do status de sequestrador, assassino e torturador. Cabo da Marinha argentina – e não oficial, como se apresenta –, Vallejos foi beneficiado pelas leis do Ponto Final e da Obediência Devida, de 1986 e 1987. A primeira estabelecia o fim dos processos de todos os envolvidos em crimes durante a ditadura na Argentina. Já a segunda, um remendo, responsabilizava os militares de alto escalão e inocentava os demais, que cometeram crimes “apenas cumprindo ordens”. Em 2005, a Suprema Corte do país entendeu que as duas são inconstitucionais, já que feriam os tratados e convenções internacionais dos quais a Argentina faz parte.

Como todo 171, Vallejos sobrevive da mentira. Para o público, supervalorizou seu papel na repressão. Porém, possui ao menos duas participações importantes que já seriam suficientes para que o governo argentino pedisse sua extradição e o julgasse por crimes de lesa humanidade. Mesmo assim, permanece por quase 30 anos em solo brasileiro, sempre na mesma região do país, sem ser importunado. Sua última prisão mais uma vez foi alardeada por organismos de direitos humanos internacionais, ecoada pela imprensa e, agora, sua extradição parece tomar corpo.

Não se sabe porque ele nunca interessou a Argentina. “Claudio Vallejos é um sujeito da ESMA [Escola de Mecânica da Armada, maior centro de prisões clandestinas daquele país]. Então é alguém que tem muito a responder junto à justiça argentina”, comenta Jair Krischke, presidente do Movimento de Justiça e Direitos Humanos e autoridade no que diz respeito às ditaduras do Cone Sul.
Em 4 de julho de 1976, mesmo ano em que entrou para a Marinha, Vallejos foi um dos motoristas que conduziu à Igreja de São Patrício, em Buenos Aires, um grupo de militares que assassinaram cinco sacerdotes palotinos. Seu envolvimento foi corroborado pelo testemunho do cabo da Marinha argentina Miguel Angel Balbi, em agosto de 1985.
Além disso, Vallejos era de um grupo de tarefas da Esma, onde conviveu com oficiais do porte do então tenente Alfredo Astiz, o Anjo Loiro, um dos mais temidos agentes da ditadura argentina, e o capitão de corveta Jorge Eduardo “El Tigre” Acosta, o que por si só já renderia um olhar mais aguçado sobre sua história.

Vallejos chegou ao Brasil em meados de 1980. Diz que desembarcou no Rio de Janeiro, onde morou e teria cursado jornalismo. Dali, passou pelo Mato Grosso, até chegar em Santa Catarina. Estabeleceu-se em Chapecó, onde conheceu uma jovem doméstica grávida. Começaram um relacionamento e o argentino fez questão de registrar o filho em seu nome. Antes de o bebê nascer, por volta de 1997, se mudaram para uma pequena cidade no oeste catarinense, onde dividiram terreno com familiares da então companheira. “A gente fazia questão de não se aproximar muito dele porque era uma pessoa muito estranha. A mulher se queixava de agressão. O papel de pai até que ele fez certo, registrou a criança, mas o de esposo era uma situação bem diferente”, comentou uma parente da ex-mulher de Vallejos sob a condição de anonimato. Quando o filho fez 9 anos, o argentino foi embora. No ano passado, voltou à cidade, onde falou da guarda da criança, que vive com os tios desde que sua mãe morreu, aos 36, no início dos anos 2000.
Os parentes querem buscar na Justiça a guarda definitiva, e acreditam que a reaproximação de Vallejos seja visando uma manobra para permanecer no país. Isso porque em 21 de agosto de 2003, o argentino foi preso em Dionísio Cerqueira (SC), depois de constatado que ele havia entrado ilegalmente no Brasil após sua expulsão, em novembro de 1986. Entretanto, para evitar uma nova saída forçada, apelou à Justiça Federal argumentando que constituía “família e prole”, que dele “dependem economicamente”, conforme a apelação criminal nº 2003.72.02.003503-9/SC. A decisão unânime da 7ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região foi “declarar extinta a punibilidade do apelante”.

Desde então, Vallejos vem acumulando passagens pela polícia, sempre por estelionato, nas cidades catarinenses de Quilombo, São Miguel do Oeste, Xaxim, Faxinal dos Guedes, Dionísio Cerqueira, Águas Frias, Bom Jesus, Ipuaçu e Ouro Verde.
Suas últimas prisões ocorreram em janeiro de 2009, em Faxinal dos Guedes, e em junho de 2010, em Campo Erê. Ainda não se sabe se o argentino conseguiu fazer alguma vítima em Chapecó, onde foi preso pela última vez, em 2 de janeiro, identificado por uma ex amiga atravessando a rua Líbano, em direção à rodoviária.
Kátia Aparecida da Costa, 35, mora na cidade de Abelardo Luz, onde Vallejos desembarcou em 2007. Lá, alugou um quarto em uma pensão e rapidamente foi se apresentando pela cidade. Dizendo-se dono de uma revista, o argentino recrutou Kátia para ajudá-lo nas vendas. Na cidade, que estava prestes a completar seu cinquentenário, a ideia de uma publicação que contasse a história do município parecia excelente. Ainda mais em ano pré eleitoral. A ideia agradou os empresários e as famílias tradicionais, que começaram a investir. No dia do lançamento da revista, Vallejos sumiu. “Ele deve ter ido embora com uns 100 mil reais. Chegou na cidade sem nada e conseguiu todos os equipamentos para fazer o escritório da revista, e até um carro. Ele era muito esperto e eu o tinha como amigo”, conta Kátia, que arcou com as consequências sozinha. Segundo ela, outros quatro municípios da região caíram no mesmo golpe.
Uma das vítimas de Vallejos é Sérgio André Pollon. “Eu achava o sotaque dele muito falsificado, misturava espanhol, português em um pouco de italiano. Ele não enganava muito. Mas mesmo assim conseguiu levar até mil reais de algumas pessoas”. Mesmo desconfiado, Pollon perdeu 150 reais para o argentino.
Vallejos morou por cerca de seis meses na cidade. “Ele aparentava ser uma pessoa normal, não incomodava. Um dia simplesmente desapareceu. Ficou me devendo três meses de aluguel”, conta Walter Bertolotto, proprietário da pensão onde o forasteiro alugou um quarto.
No dia 4 de janeiro, levado ao Presídio Regional de Xanxerê, Vallejos não despertou surpresa. Não era a primeira vez que frequentava a casa prisional. “Ele foi preso em Bom Jesus há uns dois anos, e saiu do presídio com um alvará de soltura. Nunca demonstrou ser perigoso e sempre se comportou”, revela o agente Joari Rosa da Silva.

Mas dessa vez foi diferente. Com o escarcéu levantado de que um torturador argentino estava em suas dependências, os presos se exaltaram. Vallejos foi transferido dia 27 de fevereiro para o novo presídio de Lages.
Para o atual defensor, Vallejos disse ser considerado um herói de guerra na Argentina, pois foi condecorado ao ser ferido na Guerra das Malvinas, fato não comprovado. “Vou exigir para ele cela especial, já que me disse ter nível superior”, afirmou o advogado Fábio Gonçalves de Menezes, que espera a apreciação do habes corpus já remetido à Justiça.

No sábado, dia 25 de fevereiro, Vallejos recebeu a visita de representantes do Consulado da Argentina em Florianópolis, que estavam sendo procurados incessantemente pela imprensa. Depois de suas digitais terem sido enviadas à Argentina, veio a confirmação: Claudio Vallejos é Claudio Vallejos. E parou por aí. Desde então, a diplomacia do país vizinho não fala mais no caso. “Até o momento nada nos foi dito. Temos tratados formados em que nesses casos poderíamos instaurar um procedimento, mas só se tivermos uma comunicação oficial da Argentina”, explica o delegado da Polícia Federal em Florianópolis, Ildo Rosa. “Estamos surpresos com a falta de interesse. São eles que podem nos dizer o que há contra Vallejos, para que então possamos prendê-lo.”
O argentino pode ser liberado a qualquer momento, já que seu crime é considerado menos grave. “Estamos simplesmente de mãos atadas. Os argentinos nunca se referiram a ele como um terrorista ou como se tivesse matado alguém. As autoridades não confirmam nada, nem reconhecem que esse homem tem qualquer ligação com crimes em seu país.”
Procurado, o consulado da Argentina na capital catarinense foi categórico: “Não temos nada a declarar. Sem comentários a respeito”.
“Em 2009 eu estive em Buenos Aires informando que Vallejos se encontrava preso no Brasil. Mas não deram maior importância. Nos anos 1980 havia na Argentina uma busca, mas foi deixada de lado quando se soube que ele veio para o Brasil. Isso tem muito haver com a Lei da Obediência Devida e a do Ponto Final, que paralisou o trabalho que estava sendo feito. Então Vallejos foi esquecido”, explica Jair Krischke.
Na quarta-feira, dia 29, o juiz federal argentino responsável pela ação da Esma solicitou à Interpol a prisão de Vallejos. Espera-se, para os próximos dias, que o mesmo pedido seja feito pelo magistrado da ação Operação Condor, já que Vallejos é peça fundamental na elucidação de assassinatos e desaparecimentos realizados pela aliança militar.
Um dos casos mais intrigantes das ditaduras brasileira e argentina, e que ilustra bem a Operação Condor, é o sequestro e o assassinato do pianista brasileiro Francisco Tenório Cerqueira Junior, o Tenorinho, em 1976. Acompanhando Vinicius de Moraes e Toquinho em uma turnê pela capital portenha, Tenorinho desapareceu após sair do hotel para ir a uma farmácia. Seu corpo nunca foi encontrado.
Dez anos depois, no Brasil, Vallejos contou à revista Senhor ter participado do sequestro e ter visto o brasileiro morrer, assassinado por Astiz. Deu, inclusive, o endereço, no cemitério, que o corpo estava escondido. “Na época, o pessoal da revista me consultou sobre uns documentos que ele tinha apresentado. Me mandaram os papéis e vi que eram falsos. Fui a Buenos Aires, no referido endereço, e nada. Estive lá em 1986, investiguei, e é absolutamente mentira”, conta Krischke.
“Para o Brasil a extradição de Vallejos é uma lição. Crimes como assassinatos, sequestros e tortura são imprescritíveis. A Suprema Corte brasileira, na contramão da legislação internacional e da jurisprudência internacional, diz que anistiou está anistiado. Mas não é assim”, comenta Krischke.
Claudio Vallejos tem o que contar, principalmente sobre os milhares de desaparecidos argentinos e os brasileiros sequestrados e mortos em parceria com os agentes portenhos. Seu testemunho é crucial para a Comissão da Verdade, sancionada no final do ano passado, para investigar violações de direitos humanos ocorridas durante a ditadura brasileira.
Enquanto isso, o argentino que afirmou “matei pelo menos uns trinta” e “participei como agente ativo de muitas torturas” permanece em uma cela comum, no presídio de Lages, onde aguarda tranquilamente pela audiência do seu último golpe. Ele é só mais um dos vários repressores aposentados que encontraram no Brasil um refúgio tranquilo.

Coleguinhas


*Fernanda Bagatini que está na imprensa do TCE está ganhando mais do que quatro quilos de alcatre mensal...Pô que bela grana,hein


*Caco Barcellos, que hoje apresenta o Profissão Reporter, na Globo,completa 62 anos ontem...


*Vi agora a pouco,domingo, na TV Globo, a Patricia Poeta. Mas como mentem...ou omitem. Nem disseram que foi casada 5 anos com o Sérgio Martins e que ele a colocou na Band.

Da espartana Palmeira das Missões


Ontem,domingo, lá pelas 4 da tarde, quando liguei pro Mauro Rocha, ele me disse que a esposa, a Chica( que tem um pé na antiga Arena) estava passando roupa bem perto d eonde ele se encotnrava.Sabe o que pensei, na hora:

o meu amigo que fará 60 anos em novembro é um homem feliz. Hoje em dia nenhum marido tem esposa assim...

Hoje são todas feministas, atrás dos seus direitos.

Viva as Chicas da vida!

Delas que precisamos. Não de contestadoras dos direitos masculinos conquistados durante séculos

Tenho dito

HISTORIAS DE LA UNDEZE


" MALDITO NA FAMILIA" ,

NESTOR CERVIERI

NÃO TEVE COMPETENCIA NEM

PRA ACERTAR O TIRO NO CORAÇÃO

Nestor Cervieri é um dos quatro filhos homens do Fioravente Cervieri e da Luiza Marin( que chamavam pelo apelido de Guigheta) - eles tiveram ainda quatro mulheres(todos vivos ainda hoje( principalmente o Ewaldo, o mais velho,diria um maldoso ) mas conta a lenda que o Nestor, seria uma espécie de " courinho de piça" - pra usar uma expressão popular que todo mundo entende. Ou seja, o Nestor era o " culpado" de tudo quanto acontecia de errado dentro da Sociedade Estrela Guaporense que o Fioravante comandava no escritório(onde também tinha um cofre, de onde teria saído um dia o diabo...segundo uma lenda da cidade) até mesmo um dia que pagaram muito dinheiro a mais na rescisão de um funcionário e ele honesto voltou pra empresa pra devolver o que não era dele. Pra quem sobrou a culpa? Ora bolas, pro Nestor.

Mas ele também desfrutava de um certo status que os filhos do FioravAnte mostravam, um grande poder econômico pra época. O Nestor,pessoa muito simples, andava pelas festas nas capelas, encima de um rabo de peixe, o que pra época não era pouca coisa. E parava naquelas estradinhas poeriantes pra dar carona pros colonos que iam a pé até a capela pra festa, ou pra cima.

Pois o amor bateu a porta do coração do Nestor e adivinhem por quem???

Como tudo dava sempre "errado" com ele, ele se apaixonou por uma plebéia(digamos assim a história do princípe e da plebéia, pra tornar um pouco mais a novela ao gosto de novela mexicana...)
Ele se apaixonou pela Eloisa, que depois casou com o Geraldo Gamba, falecido poucos anos atrás, na casa onde este narrador nasceu e viveu até os 16 anos.

E os Cervieri não quiseram aquele romance...Fizeram de tudo pra que ele interrompese aquele romance e sabem como ele o fez???

Dando um tiro no lado esquerdo do corpo, mas diferente do fez Getúlio Vargas errou até o tiro e continua vivo até hoje.

Dizem as más línguas que depois deste tiro(que ele errou) ele tira se abalado muito e "el ze stato meio inseminiu"( teria ficado meio abobado).

Claro, como não morreu, Nestor teve que toc ar o barco adiante. Foi aí que conheceu a Noeli, ou Neli, que era de Guaporé e onde acabou contraindo núpcias, dadas pelo Pe. Corso. Neste casamento, um futuro grande personagem da cidade esteve presente, porque sua mãe era colega da noiva, no colégio Carneiro de Campos, onde ambas lecionavam.

Nestor e Neli vivem até hoje. Sempre que subo a lomba em direção ao hotelzinho de Serafina, onde fico, o Ca Dei Monti, passo na frente da casa. Estes dias o Nestor estava conversando com um transeuente e lhe perguntei se os papéis dos anos 60 da Sociedade Estrela Guaporense( aquela onde até o vinho as vezes continha uva....no resto era água e açuçar,apesar de toda a fama dos vinhos Brilhante)porque ele era o contador lá.

Ele me disse que algumas pessoas o tem procurado pra saber disto mas que agora está tudo com sua irmã, a Rosa, conhecida por BI na cidade, uma solteirona invicta que dedicou toda a sua vida a dar aulas,estudou na Sorbonne em Paris - foi secretária da Educação do municipio na gestão do Irc eu Gasparin, com quem não quis casar -
e que atualmente zela pelos fantasmas da S ociedade Estrela Guaporense. E foi graças a sua intensa energia que a cantina foi decretada patrimônio histórico do município.

Nestor enfim ficou tão maldito na cidade, que os maldosos costumam dizer que ele na vida não teve competência nem pra acertar o tiro que se deu...( com a colaboração do Mauro Santos Rocha, da centenária e espartana Palmeira das Missões,via fone,pago pelo narrador)

A PROPÓSITO DO PIG – PARTIDO DA IMPRENSA GOLPISTA

Segundo o JEG – Jornalismo da Esgotosfera Governista (com patrocínio das estatais federais), ou PIA – Partido da Imprensa Amestrada, a Globo é um dos integrantes do tal PIG.
Aí, dando uma organizada nos meus arquivos de recortes de jornais e revistas, encontrei a página 26 da revista Isto É de 23.09.92, com uma repostagem intitulada UM SAPO NA GLOBO, com uma foto em que estão:à esquerda Lula, no centro Roberto Marinho e à direita Aloisio Mercadante; segundo a reportagem, Roberto Marinho enviou, durante um ano, sinais e preparou o caminho para no dia 11 de setembro de 1992, uma sexta-feira, receber o Lula.
Da reportagem:
“Se já conversei até com generais, por que não posso falar com Roberto Marinho?”, raciocinou Lula, depois da visita, acertada durante reunião com os presidentes do PSDB, Tasso Jeiressati, e do PMDB, Orestes Qúercia.
Diálogo inaugural:
Lula: Se o ACM mudar, está liquidada a fatura. Aliás, como ele é seu amigo...
Marinho: Estamos numa conversa franca. É bom que eu diga que Antônio Carlos é amigo.
Lula: Sem o Jornal Nacional e sem o sequestro do Abilio Diniz, teríamos derrotado Collor.
Marinho: Ameaçado por você e pelo Brizola, este, raivoso, resolvi enfrentar as feras.

Este encontro fez com que Fernando Gabeira escreve um artigo intitulado O que é isso, companheiros? (mesmo nome de seu famoso livro), publicado na Folha de São Paulo (outro integrante do PIG, segundo os jornalistas da esgotosfera e seus leitores), na quarta-feira, 16.09.92.
Partes do texto:
“ ... Mas houve algo que me tocou, especialmente no seu diálogo com Marinho. Lula disse que não sabia que o PT fez demonstrações na porta da Globo na véspera das eleições. O Jornal Nacional tinha editado maquiavelicamente o debate entre os candidatos à Presidência para eleger Collor e, além disso, falava-se em pesquisa falsificada para dar o empurrão final...”
...Compreendo Lula, no auge de mil problemas de campanha, não soubesse disso. Lamentos apenas que dissesse a Marinho que não soubesse da manifestação. Esperava dele esta frase: não soube, mas aprovo. ..
Resumindo o artigo de Gabeira, utilizando parte do texto, também: Senti no diálogo entre Lula e Roberto Marinho um desanimador descaso pela noção de cidadania.

Outro texto que achei está na coluna de Bruno Ferreira, recentemente falecido, intitulada EM OFF, do Jornal do Comércio de 14.03.1994, uma segunda-feira, com o título Surpresa das surpresas, a saber:

“Denúncia do presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que se encontra na Itália, de que um partido brasileiro estaria recebendo dinheiro da máfia ou do narcotráfico parece ter abalado o candidato petista à Presidência da República. Chamou o desembargador de ”não sério e desequilibrado”. O desembargador não apontou qual o partido, no entanto, a carapuça parece que serviu... Será ? Não acreditamos que o partido que se diz dos trabalhadores tenha entrado nessa fria, mesmo porque seus dirigentes não tem perfil de meliantes. Alguns, como seu líder podem ser pouco instruídos, mas para burros não servem. Sinceramente, descartamos tal hipótese. Será, para nós, a surpresa das surpresas se a denúncia cair nos petistas. Deve ser algum partidinho sem a mínima expressão política e dirigido por inconsequentes, nada mais. Não deverá influir nas eleições de outubro.”

Isto saiu em outros jornais, mas, depois, morreu na casca.

SERGIO OLIVEIRA
CHARQUEADAS - RS/
SERÁ VERDADE?

LULA CONVENCEU RICARDO TEIXEIRA A NÃO RENUNCIAR
Um telefonema do ex-presidente Lula foi a última – e muito bem sucedida – cartada da dupla Ronaldo Nazário (muito mais fenômeno dentro de campo do que como dirigente do COL) e Andrés Sanches para convencer Ricardo Teixeira a não renunciar à presidência da CBF. Quando seus apelos não faziam mais efeito, pediram a Lula que ligasse para Teixeira. Os argumentos de Lula foram os mesmos que estavam sendo utilizados pela dupla de cartolas: renúncia seria como uma confissão de culpa. Lula foi mais bem sucedido que Ronaldo e Andrés juntos. E Ricardo Teixeira desistiu da renúncia. Pode mudar de idéia novamente. Ele sabe que a presidente Dilma Rousseff não lhe daria um telefonema nem em caso de doença, muito menos para incentivá-lo a resistir diante de denúncias de corrupção. Portanto, se estiver convencido que a renúncia será a melhor estratégia para fugir de acusações graves e e manter o poder na CBF, através de prepostos como Ronaldo, Bebeto e Andrés, sairá. Um novo telefonema de Lula, se houver, não terá efeito.

do Blog do Meno.
SERGIO OLIVEIRA/CHARQUEADAS/RS

“A presidente Cristina olha os jornais todos os dias como a um espelho, e esse espelho lhe diz que ela não é a linda”.

“Os kirchneristas são maestros do sofismo. Quando você começa a analisar, e a desconstruir, se encontra com monstros”.

De Buenos Aires
Gelson Farias


Olides.

No sábado, assisti a toda à entrevista pelo canal 26 (Todo Notícias), do empresário e fundador proprietário do Grupo Perfil, Jorge Fontevecchia. Ele foi de uma estupidez fora de qualquer propósito numa entrevista onde milhões de pessoas estão assistindo. O sujeito é desaforado mesmo. Fala o que vem na cabeça. Disse cobras e lagarto de todos os membros da família Kirchner. Utilizou de subterfúgios para falar tudo sobre o que a presidente Cristina fez com a lei dos meios, aqui em Buenos Aires.
Eis aqui a entrevista...
“A atitude agressiva do governo argentino contra os meios independentes tem sido abusiva”. Diz ele: O executivo, porém, defendeu que é necessário rever os benefícios dados pelos Kirchner ao Grupo Clarín no passado, antes que a guerra entre o governo e a imprensa começasse. Fontevecchia considera um absurdo que tenha sido autorizada, por Néstor Kirchner, no final de seu mandato, a fusão da Cablevisión com a Multicanal. E que o tamanho do grupo Clarín hoje não é compatível com o bom exercício do jornalismo. O Grupo Perfil, crítico ao governo, edita o jornal "Perfil", a revista "Caras" e a "Noticias”.



Jorge Fontevecchia, fundador e proprietário do Grupo Perfil


Segundo Fontevecchia, a fusão da Cablevisión com a Multicanal, e previamente a fusão da Cablevisión com a Videocable, fez com que a empresa hoje chamada de Cablevisión, sim, virasse um virtual monopólio de acesso à televisão na cidade de Buenos Aires e seus arredores, onde se concentra 80% da publicidade e da produção de conteúdos da Argentina. Disse que, o ex-presidente (já falecido) Néstor Kirchner permitiu a fusão quando era amigo do Clarín. Tanto o governo como o Clarín é culpado desta realidade. Sobre a Papel Prensa Fantevecchia que quem fundou a Papel Prensa foi a Abril. Cesar Civita, tio de Roberto Civita, criou a Papel Prensa para alimentar as revistas da Abril aqui na Argentina.
Só que a violência que havia nos anos 70 o assustou. Havia ameaças de bomba nas redações e tentaram sequestrar sua filha. Ele se cansou e vendeu o negócio. A segunda conexão com o Brasil são os pontos de contato entre a história da Papel Prensa e da fábrica Pisa, da qual eram donos "O Estado de São Paulo" e "O Globo". Contou também que a maior multinacional de papel norueguesa, a Norske, comprou a Pisa desses dois jornais brasileiros. A Norske também era dona, no Chile, da maior fábrica de papel chilena, que se chama Bio Bio.
Depois disso, a Norske tentou comprar a Papel Prensa do "Clarín" e do "La Nación".


Cesar Civita, tio de Roberto Civita, criou a Papel Prensa.

O empresário fez uma interrogação: “Se de fato era muito bom negócio, por que "Globo" e "O Estado de São Paulo" venderam, e o "Clarín" não?” A razão de tudo isso, segundo ele, é que no Brasil, nenhum partido tem grande maioria legislativa para que um governo possa mudar uma política de um dia para outro. Aqui sim, podem-se mudar todos os sistemas de importação ou as regras aduaneiras para importação de um insumo. "Clarín" e "La Nación" não deixaram de vender Papel Prensa por causa do negócio, pois o dinheiro oferecido era muito bom. Deixaram de vender por uma questão de segurança jurídica. Tiveram medo de um país que pode mudar de regra, que amanhã pode nos proibir de importar ou colocar travas à importação. No fundo, é porque a Argentina tem uma história de absolutismo e totalitarismo político que o Brasil não tem. É um país que tem uma cultura absolutista, tanto na ditadura como na democracia, a Argentina é maximalista.


Papel Prensa.


Para Fontevecchia o fato de o governo de Cristina Kirchner dizer que a nova lei vai declarar de interesse público a fabricação de papel e fazer com que todas as pessoas que queiram comprar papel da Papel Prensa possam fazê-lo, é uma grande mentira.
"O Grupo Clarín, se abastecem de 90% de sua produção com papel da Papel Prensa, e importam 10%. Há uma quantidade de pessoas que gostaria de comprar papel da empresa. Então o Estado diz: vamos investir para aumentar a produção da Papel Prensa para que todo o papel seja fabricado na Argentina e todos os que queiram comprar possam comprá-lo pelo mesmo preço.

A falácia aqui é a seguinte. O papel importado hoje sai 10% mais barato do que o papel que vende a Papel Prensa. Então como será possível que todos comprem da Papel Prensa, e mais barato? Só podemos concluir que o próximo passo do governo será proibir a importação de papel. Porque se não, não teria nenhuma lógica. O paradoxo é que o "papel para todos", mais barato, na verdade vai ser mais caro.

Sobre o contrato das partes interessadas... Fantevecchia disse que: “Essa é uma segunda contradição. O lógico seria que, se o Estado quer mudar as condições do contrato, deveria perguntar ao Grupo Clarín e a seus parceiros, se ambos querem permanecer na sociedade ou vender suas partes. Por que o governo não faz isso? O governo é muito criativo, se fizesse isso poderia ser acusado de estar promovendo um confisco. Então está aumentando o capital da empresa e diz que não está expropriando. Mas está mudando as condições seriamente. Por que, se o papel importado é mais barato, todos esses jornais pequenos que se queixam que a Papel Prensa não lhes vende, não compram papel importado? Aqui é preciso esclarecer o seguinte. O papel nacional custa US$ 750 a tonelada. O Grupo "Clarín dize que não afeta a ninguém porque o papel importado custa US$ 680. Só que eles estão mentindo. A US$ 680 a tonelada só podem comprar os grandes compradores como o "Grupo Clarín" e "Perfil", porque para sair com esse preço é preciso comprar 5 mil toneladas. Os pequenos jornais do interior não podem fazer isso. Então compram de um revendedor, que por sua vez compra as 5 mil toneladas e revende em partes menores para os jornais pequenos. Com isso, óbvio, acaba vendendo mais caro, a US$ 800, US$ 900. Há um 25% de intermediação. Um pequeno consumidor não pode comprar o importado mais barato que o nacional. Só as grandes empresas conseguem porque têm como arcar com os custos e possuem grandes depósitos. Agora, há necessidade de distribuir mais papel. Nesse sentido, o governo parte de um ponto justo. O grande problema não será de custo, mas sim a forma discriminatória com que se vai distribuir esse papel a meios que apoiam o governo, assim como fazem hoje com a verba para a publicidade oficial. Os jornais opositores não recebem publicidade oficial.



Sobre a causa que O Perfil ganhou uma causa na Justiça obrigando o governo de Cristina Kirchner a anunciar nas publicações do grupo, ele disse:
“Sim, há uma decisão judicial, mas o governo não está cumprindo. A Suprema Corte ordena toda semana que se cumpra e o governo não o faz. O Perfil é a única empresa na Argentina que, durante esses nove anos de kirchnerismo, nunca tiveram publicidade oficial. Nestor Kirchner, quando já tinha saído do governo, disse durante uma reunião, que não tinha problema com ninguém nos jornais, exceto com uma pessoa, que era eu. Nos primeiros anos, o " Grupo Clarín" não criticava o governo. O " Grupo Clarín" foi beneficiado pelo governo ainda teve uma atitude cautelosa. Quando a crise econômica era muito séria, o único jornal crítico era o "Perfil".

Disse que seu Grupo de jornais e revistas sempre tiveram uma atitude moderada. Já o Grupo Clarín", disse ele, quando um governo ganha, para não desagradar leitores-eleitores, amenizam o discurso. Quando o governo começa a ir mal, ficam furibundos. Contou que a Suprema Corte argentina tomou uma decisão importante.


“No caso da Lei de Meios, está amparando o "Clarín" com relação ao artigo que falta aprovar, sobre a desinversão e vendas de alguns meios. Disse que tem na justiça argentina uma esperança para equilibrar a guerra entre governo e imprensa”?

Por outro lado, o empresário Fontevecchia contou que para chegar à Suprema Corte é muito custoso. Relatou que no caso da "Perfil", nesses oito anos, foram punidos com US$ 50 milhões de dólares que perderam por não ter publicidade oficial. Fazendo uma sarcástica previsão disse que em longo prazo, estaremos todos mortos. Por isso há que pensar se é possível resistir até chegar a uma decisão favorável da Justiça. As empresas menores não podem ir à Suprema Corte, mesmo que ela seja a favor no final, porque é caro resistir até lá. Relatou Fontevecchia que toda essa história estória teve início com uma missão da SIP (Sociedade Interamericana de Prensa) que veio me pedir que iniciasse uma causa contra o governo argentino por conta da discriminação da publicidade oficial.
“Eu argumentei que sairia mais caro pagar advogados e enfrentar o processo do que aquilo que estávamos perdendo.
Mas eles me disseram que eu tinha a obrigação de fazê-lo, porque o Perfil é uma empresa que pode pagá-lo. Os pequenos jornais do interior, não. E se ganhássemos, poderíamos criar uma jurisprudência. Concluí que ele tinha razão e iniciamos o processo.
O apresentador perguntou ao empresário se o Grupo Clarín corresponderia ao poder da TV Globo, "Folha de São Paulo", jornal "O Globo" e o Uol, ai no Brasil sem contar o serviço de conectividade de banda larga.

“É preciso reforçar isso, porque quando falamos de "Clarín", em geral, pensa-se só no jornal de maior circulação na Argentina, mas o fato é que também é o maior provedor de internet e banda larga da Argentina. A fusão de Cablevisión e Multicanal não deveria ter sido permitida. Os Kirchner tem são especialista em empreender boas obras com más intenções. Os fins são nobres, mas são utilizados para outra coisa. Não deveriam ter permitido a fusão da Cablevisión com a Multicanal, pois isso permitiu o controle quase total do cabo na Argentina. Aqui, outra distinção com o Brasil. No Brasil o cabo chega a 15% da população. Na Argentina chega a 70%. É muito mais poderoso. O " Grupo Clarín" não é um monopólio tecnicamente em nenhum setor em que atua, mas em todos é o número um. Há uma equação que se faz para saber o quanto uma empresa é mais poderosa que seus concorrentes. Quantas vezes o primeiro é o segundo. A Coca-Cola é quatro vezes a Pepsi. Pois bem, o Clarín é 20 vezes o segundo colocado, que é o Perfil.
segundo ele, o ideal era que o sistema jurídico argentino funcionasse e a defesa da competição impedisse. Deveriam voltar atrás sobre essa questão da fusão, como o governo americano fez com Microsoft. Fazer cumprir a lei. Existe uma lei que impede que alguém tenha mais de 25% de share de nenhuma propriedade. Falta vontade de cumprir as leis. E tem de ser uma vontade que não seja política, que seja de Estado e que transcenda um partido. Para ele, o governo de Cristina é especialista em detectar causas nobres para usá-las para pouco nobres fins.


Sede do Grupo Clarín.

“É claro que a ideia de papel para todos parece muito razoável. Mas os kirchneristas são maestros do sofismo. Quando você começa a analisar, e a desconstruir, se encontra com monstros. Esse projeto no fim é para dar canais a seus amigos, é para impor um controle. Estava mal que " Grupo Clarín " fossem os únicos donos da Papel Prensa com benefícios que o Estado subvencionava. Mas qualquer ação que o governo toma tratando de resolver problemas, na realidade são uma máscara, um cavalo de Tróia, por detrás há uma vontade autoritária.
Minha síntese é que razão ninguém tem. Não é uma luta de bons contra maus. Aqui não há santos nem diabos. Ambos têm aspectos obscuros. Ainda assim, pessoalmente sempre prefiro que as más práticas não sejam as do Estado. Sempre vou tolerar melhor que se comporte mal o " Grupo Clarín" do que o Estado. Isso vimos na época da ditadura quando o Estado combatia o terror com o terror. Prefiro padecer das más práticas do " Grupo Clarín" do que as do governo”. Disse.

Quase ao final da entrevista o apresentador pediu ao empresário Fontevecchia fazer uma avaliação sobre o conceito de "jornalismo militante", que o governo quer incentivar!

“Quando você agrega uma palavra qualificante, está reduzindo seu valor. O jornalismo militante não é jornalismo, é propaganda. A Argentina, em matéria de controle da imprensa pelo governo, pode se aproximar da Venezuela e do Equador.
Não, creio que a nível cultural e cívico, a Argentina é superior a Equador e Venezuela. Abusos de lá não aconteceram aqui ainda. E não acredito que aconteçam. Aqui não houve até agora ninguém que tenha perdido sua licença de rádio e televisão como aconteceu na Venezuela. Não houve, como no Equador, uma decisão judicial que fizesse que o diretor de um jornal tivesse que fugir do país e pagar uma multa por um artigo contra o presidente da República. E não creio que vá acontecer no futuro. Mas de uma coisa temos a certeza”. Para o empresário o Grupo Clarín e a empresa de cabo faturam 70%. O dano econômico ao "Clarín" segundo ele se produziria desfazendo a fusão de Cablevisión e Multicanal. Conta ainda que se o governo investir contra os negócios do "Clarín" na banda larga e na TV a cabo seria um desastre para a empresa. Sintetiza dizendo que é como se à Globo tirasse o canal e deixassem apenas o jornal. Diz que, O Clarín na Argentina é uma empresa quatro vezes mais poderosa que Globo no Brasil. E o que é muito importante, a Globo é uma empresa de entretenimento. Seu principal faturamento vem das novelas. É como a Televisa no México. Uma empresa de entretenimento, somente. Conta o empresário que um político depende muito mais do Clarín na Argentina do que de Globo no Brasil. Os consumidores de imprensa escrita são parte pequena, mas para os políticos é importante porque é o espelho aonde se vem. Diz que a presidente Cristina olha os jornais todos os dias como a um espelho, e esse espelho lhe diz que ela não é a mais linda. O efeito que produz é muito maior. Lê todos os jornais e revistas e assisti noticiários na TV. Finalizou dizendo que para os políticos argentinos a importância que tem o Grupo Clarín é muito maior que a que tem a Globo.

Coleguinhas

*Pé na estrada


*Sabado à noite dia 3.03 no box da rodoviária pegando onibus da OURO E PRATA pra Carazinho o colunista ARMANDO BURD de o Sul que ia pra Carazinho. Vai transmitir a EXPO DIRETO DE NÃO ME TOQUE PRA PAMPA...


*Alguns anos atrás quem foi fazer este trabalho foi o Flávio Pereira. Mas tem gente que jura que o viram em Camobi, perto de Santa Maria...


*Antônio Goulart finalmente voltou de suas longas férias no Litoral Norte. ESpera-se que o colega mande artigos pros blogs e comece um bom trabalho cultural na ARI onde é diretor cultural.

*Atenção curiosos em geral: não foi com a Valéria Reis que deu um buchincho na salinha JCTerlera na quarta da semana passada....

APE SUJO


alguns diretores da ARI ficaram abismados com a sujeira com que se encontrava o apê onde residia a família do zelador Adolar, que agora se aposentou e se mudou pra Bahia.

Ué e o prédio em geral da ARI não estava assim até poucos anos atrás???!!!!!

Empresário critica atitude do governo argentino contra mídia independente
Os kirchneristas são maestros do sofismo. Quando você começa a analisar, e a desconstruir, se encontra com monstros.

De Buenos Aires
Gelson Farias


Para o fundador e proprietário do Grupo Perfil, Jorge Fontevecchia, a atitude agressiva do governo argentino contra os meios independentes tem sido abusiva. O executivo, porém, defendeu que é necessário rever os benefícios dados pelos Kirchner ao Grupo Clarín no passado, antes que a guerra entre o governo e a imprensa começasse. Fontevecchia considera um absurdo que tenha sido autorizada, por Néstor Kirchner, no final de seu mandato, a fusão da Cablevisión com a Multicanal. E que o tamanho do grupo Clarín hoje não é compatível com o bom exercício do jornalismo. O Grupo Perfil, crítico ao governo, edita o jornal "Perfil", a revista "Caras" e a "Noticias".




“ A presidente Cristina olha os jornais todos os dias como a um espelho, e esse espelho lhe diz que ela não é a linda. O efeito que produz é muito maior. Lê todos os jornais e revistas e assisti noticiários na TV”.



Jorge Fontevecchia, fundador e proprietário do Grupo Perfil.


Segundo Fontevecchia, a fusão da Cablevisión com a Multicanal, e previamente a fusão da Cablevisión com a Videocable, fez com que a empresa hoje chamada de Cablevisión, sim, virasse um virtual monopólio de acesso à televisão na cidade de Buenos Aires e seus arredores, onde se concentra 80% da publicidade e da produção de conteúdos da Argentina. Disse que, o ex-presidente (já falecido) Néstor Kirchner permitiu a fusão quando era amigo do Clarín. Tanto o governo como o Clarín é culpado desta realidade. Sobre a Papel Prensa Fantevecchia que quem fundou a Papel Prensa foi a Abril. Cesar Civita, tio de Roberto Civita, criou a Papel Prensa para alimentar as revistas da Abril aqui na Argentina.
Só que a violência que havia nos anos 70 o assustou. Havia ameaças de bomba nas redações e tentaram sequestrar sua filha. Ele se cansou e vendeu o negócio. A segunda conexão com o Brasil são os pontos de contato entre a história da Papel Prensa e da fábrica Pisa, da qual eram donos "O Estado de São Paulo" e "O Globo". Contou também que a maior multinacional de papel norueguesa, a Norske, comprou a Pisa desses dois jornais brasileiros. A Norske também era dona, no Chile, da maior fábrica de papel chilena, que se chama Bio Bio.
Depois disso, a Norske tentou comprar a Papel Prensa do "Clarín" e do "La Nación".

O empresário fez uma interrogação: “Se de fato era muito bom negócio, por que "Globo" e "O Estado de São Paulo" venderam, e o "Clarín" não?” A razão de tudo isso, segundo ele, é que no Brasil, nenhum partido tem grande maioria legislativa para que um governo possa mudar uma política de um dia para outro. Aqui sim, podem-se mudar todos os sistemas de importação ou as regras aduaneiras para importação de um insumo. "Clarín" e "La Nación" não deixaram de vender Papel Prensa por causa do negócio, pois o dinheiro oferecido era muito bom. Deixaram de vender por uma questão de segurança jurídica. Tiveram medo de um país que pode mudar de regra, que amanhã pode nos proibir de importar ou colocar travas à importação. No fundo, é porque a Argentina tem uma história de absolutismo e totalitarismo político que o Brasil não tem. É um país que tem uma cultura absolutista, tanto na ditadura como na democracia, a Argentina é maximalista.
Para Fontevecchia o fato de o governo de Cristina Kirchner dizer que a nova lei vai declarar de interesse público a fabricação de papel e fazer com que todas as pessoas que queiram comprar papel da Papel Prensa possam fazê-lo, é uma grande mentira.
"O Grupo Clarín, se abastecem de 90% de sua produção com papel da Papel Prensa, e importam 10%. Há uma quantidade de pessoas que gostaria de comprar papel da empresa. Então o Estado diz: vamos investir para aumentar a produção da Papel Prensa para que todo o papel seja fabricado na Argentina e todos os que queiram comprar possam comprá-lo pelo mesmo preço.

A falácia aqui é a seguinte. O papel importado hoje sai 10% mais barato do que o papel que vende a Papel Prensa. Então como será possível que todos comprem da Papel Prensa, e mais barato? Só podemos concluir que o próximo passo do governo será proibir a importação de papel. Porque se não, não teria nenhuma lógica. O paradoxo é que o "papel para todos", mais barato, na verdade vai ser mais caro.

Sobre o contrato das partes interessadas... Fantevecchia disse que: “Essa é uma segunda contradição. O lógico seria que, se o Estado quer mudar as condições do contrato, deveria perguntar ao Grupo Clarín e a seus seus parceiros, se ambos querem permanecer na sociedade ou vender suas partes. Por que o governo não faz isso? O governo é muito criativo, se fizesse isso poderia ser acusado de estar promovendo um confisco. Então está aumentando o capital da empresa e diz que não está expropriando. Mas está mudando as condições seriamente. Por que, se o papel importado é mais barato, todos esses jornais pequenos que se queixam que a Papel Prensa não lhes vende, não compram papel importado? Aqui é preciso esclarecer o seguinte. O papel nacional custa US$ 750 a tonelada. O Grupo "Clarín dize que não afeta a ninguém porque o papel importado custa US$ 680. Só que eles estão mentindo. A US$ 680 a tonelada só podem comprar os grandes compradores como o "Grupo Clarín" e "Perfil", porque para sair com esse preço é preciso comprar 5 mil toneladas. Os pequenos jornais do interior não podem fazer isso. Então compram de um revendedor, que por sua vez compra as 5 mil toneladas e revende em partes menores para os jornais pequenos. Com isso, óbvio, acaba vendendo mais caro, a US$ 800, US$ 900. Há um 25% de intermediação. Um pequeno consumidor não pode comprar o importado mais barato que o nacional. Só as grandes empresas conseguem porque têm como arcar com os custos e possuem grandes depósitos. Agora, há necessidade de distribuir mais papel. Nesse sentido, o governo parte de um ponto justo. O grande problema não será de custo, mas sim a forma discriminatória com que se vai distribuir esse papel a meios que apoiam o governo, assim como fazem hoje com a verba para a publicidade oficial. Os jornais opositores não recebem publicidade oficial.

Perguntamos para ele se de fato O Perfil ganhou uma causa na Justiça obrigando o governo de Cristina Kirchner a anunciar nas publicações do grupo.
“Sim, há uma decisão judicial, mas o governo não está cumprindo. A Suprema Corte ordena toda semana que se cumpra e o governo não o faz. O Perfil é a única empresa na Argentina que, durante esses nove anos de kirchnerismo, nunca tiveram publicidade oficial. Nestor Kirchner, quando já tinha saído do governo, disse durante uma reunião, que não tinha problema com ninguém nos jornais, exceto com uma pessoa, que era eu. Nos primeiros anos, o " Grupo Clarín" não criticava o governo. O " Grupo Clarín" foi beneficiado pelo governo ainda teve uma atitude cautelosa. Quando a crise econômica era muito séria, o único jornal crítico era o "Perfil".

Disse que seu Grupo de jornais e revistas sempre tiveram uma atitude moderada. Já o Grupo Clarín", disse ele, quando um governo ganha, para não desagradar leitores-eleitores, amenizam o discurso. Quando o governo começa a ir mal, ficam furibundos. Contou que a Suprema Corte argentina tomou uma decisão importante.

“No caso da Lei de Meios, está amparando o "Clarín" com relação ao artigo que falta aprovar, sobre a desinversão e vendas de alguns meios. Disse que tem na justiça argentina uma esperança para equilibrar a guerra entre governo e imprensa”?

Por outro lado, o empresário Fontevecchia contou que para chegar à Suprema Corte é muito custoso. Relatou que no caso da "Perfil", nesses oito anos, foram punidos com US$ 50 milhões de dólares que perderam por não ter publicidade oficial. Fazendo uma sarcástica previsão disse que em longo prazo, estaremos todos mortos. Por isso há que pensar se é possível resistir até chegar a uma decisão favorável da Justiça. As empresas menores não podem ir à Suprema Corte, mesmo que ela seja a favor no final, porque é caro resistir até lá. Relatou Fontevecchia que toda essa história estória teve início com uma missão da SIP (Sociedade Interamericana de Prensa) que veio me pedir que iniciasse uma causa contra o governo argentino por conta da discriminação da publicidade oficial.
“Eu argumentei que sairia mais caro pagar advogados e enfrentar o processo do que aquilo que estávamos perdendo.
Mas eles me disseram que eu tinha a obrigação de fazê-lo, porque o Perfil é uma empresa que pode pagá-lo. Os pequenos jornais do interior, não. E se ganhássemos, poderíamos criar uma jurisprudência. Concluí que ele tinha razão e iniciamos o processo.
Perguntamos para o empresário Fontevecchia se o Grupo Clarín corresponderia ao poder da TV Globo, "Folha de São Paulo", jornal "O Globo" e o Uol, sem contar o serviço de conectividade de banda larga.

“É preciso reforçar isso, porque quando falamos de "Clarín", em geral, pensa-se só no jornal de maior circulação na Argentina, mas o fato é que também é o maior provedor de internet e banda larga da Argentina. A fusão de Cablevisión e Multicanal não deveria ter sido permitida. Os Kirchner tem são especialista em empreender boas obras com más intenções. Os fins são nobres, mas são utilizados para outra coisa. Não deveriam ter permitido a fusão da Cablevisión com a Multicanal, pois isso permitiu o controle quase total do cabo na Argentina. Aqui, outra distinção com o Brasil. No Brasil o cabo chega a 15% da população. Na Argentina chega a 70%. É muito mais poderoso. O " Grupo Clarín" não é um monopólio tecnicamente em nenhum setor em que atua, mas em todos é o número um. Há uma equação que se faz para saber o quanto uma empresa é mais poderosa que seus concorrentes. Quantas vezes o primeiro é o segundo. A Coca-Cola é quatro vezes a Pepsi. Pois bem, o Clarín é 20 vezes o segundo colocado, que é o Perfil.
segundo ele, o ideal era que o sistema jurídico argentino funcionasse e a defesa da competição impedisse. Deveriam voltar atrás sobre essa questão da fusão, como o governo americano fez com Microsoft. Fazer cumprir a lei. Existe uma lei que impede que alguém tenha mais de 25% de share de nenhuma propriedade. Falta vontade de cumprir as leis. E tem de ser uma vontade que não seja política, que seja de Estado e que transcenda um partido. Para ele, o governo de Cristina é especialista em detectar causas nobres para usá-las para pouco nobres fins.
“É claro que a ideia de papel para todos parece muito razoável. Mas os kirchneristas são maestros do sofismo. Quando você começa a analisar, e a desconstruir, se encontra com monstros. Esse projeto no fim é para dar canais a seus amigos, é para impor um controle. Estava mal que " Grupo Clarín " fossem os únicos donos da Papel Prensa com benefícios que o Estado subvencionava. Mas qualquer ação que o governo toma tratando de resolver problemas, na realidade são uma máscara, um cavalo de Tróia, por detrás há uma vontade autoritária.
Minha síntese é que razão ninguém tem. Não é uma luta de bons contra maus. Aqui não há santos nem diabos. Ambos têm aspectos obscuros. Ainda assim, pessoalmente sempre prefiro que as más práticas não sejam as do Estado. Sempre vou tolerar melhor que se comporte mal o " Grupo Clarín" do que o Estado. Isso vimos na época da ditadura quando o Estado combatia o terror com o terror. Prefiro padecer das más práticas do " Grupo Clarín" do que as do governo”. Disse.

Pedimos para o empresário Fontevecchia fazer uma avaliação sobre o conceito de "jornalismo militante", que o governo quer incentivar!

“Quando você agrega uma palavra qualificante, está reduzindo seu valor. O jornalismo militante não é jornalismo, é propaganda. A Argentina, em matéria de controle da imprensa pelo governo, pode se aproximar da Venezuela e do Equador.
Não, creio que a nível cultural e cívico, a Argentina é superior a Equador e Venezuela. Abusos de lá não aconteceram aqui ainda. E não acredito que aconteçam. Aqui não houve até agora ninguém que tenha perdido sua licença de rádio e televisão como aconteceu na Venezuela. Não houve, como no Equador, uma decisão judicial que fizesse que o diretor de um jornal tivesse que fugir do país e pagar uma multa por um artigo contra o presidente da República. E não creio que vá acontecer no futuro. Mas de uma coisa temos a certeza”. Para o empresário o Grupo Clarín e a empresa de cabo faturam 70%. O dano econômico ao "Clarín" segundo ele se produziria desfazendo a fusão de Cablevisión e Multicanal. Conta ainda que se o governo investir contra os negócios do "Clarín" na banda larga e na TV a cabo seria um desastre para a empresa. Sintetiza dizendo que é como se à Globo tirasse o canal e deixassem apenas o jornal. Diz que, O Clarín na Argentina é uma empresa quatro vezes mais poderosa que Globo no Brasil. E o que é muito importante, a Globo é uma empresa de entretenimento. Seu principal faturamento vem das novelas. É como a Televisa no México. Uma empresa de entretenimento, somente. Conta o empresário que um político depende muito mais do Clarín na Argentina do que de Globo no Brasil. Os consumidores de imprensa escrita são parte pequena, mas para os políticos é importante porque é o espelho aonde se vem. Diz que a presidente Cristina olha os jornais todos os dias como a um espelho, e esse espelho lhe diz que ela não é a mais linda. O efeito que produz é muito maior. Lê todos os jornais e revistas e assisti noticiários na TV. Finalizou dizendo que para os políticos argentinos a importância que tem o Grupo Clarín é muito maior que a que tem a Globo.

Aeroporto do Panamá

Antonio Augusto Bandeira



Depois de uma viagem tranqüila , gostei do avião da Copa pois tinha bastante espaço, chegamos no Aeroporto Intencional do Panamá. Diferença de fuso horário -3 horas(no Brasil estávamos no horário de verão).
Hoje você usa o Panamá para ir ao México, Estados Unidos, São Domingos etc., saindo de diversas capitais brasileiras. Daí ser grande o movimento.
Ficamos esperando cerca de três horas para ir para Cancun. Deu para dar um volta no aeroporto que é bom e os preços para compras bem convidativos.
Comprei, para dar de presente, uma máquina fotográfica de 12,1, com uma ampliação, por cento e nove dólares. Considerando nossos preços, foi bastante barato.
,
Antes de viajar já tinha tentado na minha agência de viagens abrir o pacote para ver se ficava pelo menos dois dias no Panamá. Não foi possível.Assim como tentei em Cancun, recebendo a negativa como resposta, Não faz mal. Fica pra outra oportunidade.
Afinal estamos sempre começando...


A decisão de ir à Cancun


Antonio Augusto Bandeira



Depois de passar um mês no Rio de Janeiro, sentido o sol aquecer o corpo, ir agora para Cancun?
Já conhecia o México- a capital federal, Tasco, Acapulco, etc., viajar para Cancun e logo no inverno?
A Copa, uma empresa aérea do Panamá, tinha um vôo que saindo da minha capital, depois de sete horas você chegava ao aeroporto da cidade de Panamá, América Central.Depois trocando de avião mais duas horas e estava nesta praia do Caribe.
A minha agente de viagem marcou pacote. Dia 10 de fevereiro havia retornado para a minha cidade Porto Alegre. O calor era infernal, e a vontade de conhecer me impulsionava. Navegar é preciso. Assim dia 19 de fevereiro fui para o Aeroporto Salgado Fllho, lá pelas 22, 30 horas. O avião para o Panamá, sairia por volta da 1,30 do dia 20.
O tempo em Cancun , dizia á agente de turismo, apesar de ser inverno, ficava em torno de 28 graus... Tudo bem.
A vida é uma surpresa.
Sempre gostei de conhecer lugares, culturas diferentes, pessoas.
Coisas de um garoto que está sempre querendo aprender...

HISTORIAS DE LA UNDEZE

A DIASPORA DA

CAPELA SÃO PEDRO

em Rio Claro, churrascaria dos irmãos Chico e Paulo Canton, data set de 1994.

em rio Claro, churrascaria dos irmãos Chico e Paulo Canton . data setembro de 1994.

no caixa da churrascaria, um dos sócios, Paulo Canton. em setembro de 1994. em Rio Claro(SP)


dos anos 70, até o começo dos anos 80, houve uma debandada de colonos rumo as churrascaria do interior de são paulo, do paraná, ou mesmo de santa catarina.


Cansados de "la pelagra"- uma doença provocada pela falta de proteína que acometeu multidões e provocou milhares de mortes nos anos de 1800 na Italia e que por extensão quer dizer pobreza,- dezenas de colonos venderam suas terras - geralmente de 250 metros de largura por 1.000 de comprimento - e se mudaram pra restaurantes de beira de estrada pra fazer la cucanha( na verdade quer dizer pra sair da miséria, rumo a um melhor condição econômica de vida ). Uns deram certo, outros não. Alguns se enterraram na bebida, principalmente no uísque - quando não na cachaça mesmo - e morreram de cirosse be m cedo. Outros sobreviveram e trocaram o fígado, como é o caso do Ildo Meneghatti, um colono que enriqueceu no Paraná e que era vizinho quando jovem de quem escreve estas linhas.


Ildo, por sinal, é o clássico exemplo do colono que saiu da roça e prosperou, mas que depois precisava mostrar a terra onde nasceu pobre que tinha ostentado umoutro padrão de vida. Tanto que nos últimos anos quando ia ainda a Serafina - ultimamentenão se tem mais ouvido falar dele - costumava fazê-lo de avião particular, pousando em Guaporé, aolado de Serafina, onde tem aeroporto. DEpois na hora de voltar pro Paraná, ele dava um sobrevoo sobre sua terra natal e opovo lá embaixo admirava o teco-teco lá encima e dizia:

- Olha lá o avião do Ildo, olha lá....

churrascaria em Rio Claro(SP) dos irmãos Chico e Paulo Canton data set/94


Outros não enriqueceram tanto - apenas melhoraram de vida mas é fato que alguns voltaram da aventura de ser churrasqueiro no interior de SP,PR,ou mesmo Mato Grosso.

-Eu fui embora em 1982, no mês que se jogava a Copa do Mundo. Lembro disto porque quando o meu ônibus chegou em Jundiaí, o Brasil jogava com a Itália e o Paolo Rossi fez o terceiro gol bem no momento que a gente tinha parado num posto de gasolina.
Eu tinha resolvido ir embora porque naquele verão tinha dado mais uma seca daquelas brabas e nós tínhamos praticamente perdido toda a safra de milho e soja, dando um desânimo imenso, relatou-me meu irmão Paulo, que em 1982 não tinha ainda vinte anos.

Seus irmãos também ou foram depois, ou já estavam no interior de São Paulo.

CURRI EGGI, CURRI...

BEPI DE COSTA, um vizinho deste narrador,também foi embora com toda a família pro interior do Paraná colocar restaurantes. As terras foram deixadas para trás, mas Beppi, que gostava era de caçar lebres acabou voltando. E dentro do corcel velho do filho Eggi ele regressava pra o Sul em visita a terra, da qual nunca deveria ter se separado.

Na viagem, como tinha pressa de chegar, dizia pro filho,dirigindo aquele corcel caindo aos pedaços:
- CORRI EGGI, CURRI..( corre, corre meu filho!!!)

O Corcel não podia ir a mais de 60 km por hora, devido ao seu estado em petição de miséria.

BEPPI faleceu ainda nos anos 80, de um câncer de próstata, sem ainda não ter completado 70 anos.

Seu filho Eggi foi o único que não aguentou trabalhar em restaurantes como garção no interior do Paraná e voltou para as terras do seu pai, onde cria porcos e galinhas. Separado, arrumou outra companheira e hoje em dia pouco é visto. Às vezes ele deixa a casa onde mora e passa seu tempo cuidando dos bichos e da plantação e seu lazer é dar uma passeada na Praça Pio XII no centro da cidade, que é o local onde se costuma fazer este tipo de lazer.

Da capela São Pedro, onde este narrador se criou, quebrando geada com pés descalsos nas manhãs de inverno, ainda restam algumas poucas familias, como primos meus que foram embora, mas que acabaram voltando e estão todos vivendo na terra que foram do seu antepassados. É claro que todos hoje em dia estão aposentados e passam o tempo jogando cartas nas bodegas de Serafina,ou aos sábados e domingos, no salão paroquial da capela.

Também restou uma família intacta que não saiu da capela São Pedro: os Bazzo. Os dois irmãos , com mais de 80 anos, deixaram todos seus filhos morando nas terras que seus antepassados herdaram quando Serafina foi colonizada. Muitos dos antepassados vieram da Itália, outros nasceram no Brasil mesmo.

O fato é que entre 1970 e 1980 a metade da capela são pedro foi embora. As vezes, principalmente nas datas de fim de ano, alguns aparecerem para verem os fantasmas do passado. Um deles, tempos atrás, da familia de Pierin de Costa, que hoje vivem em Campinas, SP, andava atrás de um garrafão de vidro, daqueles onde os colonos guardavam a gra spa(aguardente feito do bagaço da uva) pra comprar e pra ter em casa como recordação.

Se achou, eu não fiquei sabendo!

 

 

da coluna do CH


03/2012 | 15:47
Generais que protestaram contra Dilma querem ser punidos em 31 de março
Agrava-se a crise do governo Dilma com os militares da reserva, desencadeada por um manifesto público criticando a presidenta por não questionar declarações de duas ministras contrariando a Lei da Anistia. Os 13 generais da reserva que reiteraram com outros oficiais o teor do manifesto, considerado uma “afronta” por Dilma – ela determinou a punição deles– decidiram há pouco se apresentar a suas respectivas Forças para receberem o diploma da punição. Escolheram o dia 31 de março, um sábado, quando se comemora a Revolução de 1964. O Supremo e o Código Penal Militar permitem a livre manifestação ideológica e política de militares da reserva. A decisão foi confirmada à coluna pelo general-de-brigada aposentado Iberê Mariano da Silva e engenheiro militar pós-graduado pela Ecole Nationale Supérieure de L’Aéronautique.

a praia voltou na sexta na FLORIPA dos catarinas( e dos gaúchos)!

JUSTIÇA ARGENTINA PEDIRÁ A INTERPOL PRISÃO DE EX-REPRESSOR

De Buenos Aires
Gelson Farias


A Justiça argentina vai solicitar à Interpol a detenção do ex-repressor argentino Claudio Vallejos, preso em Santa Catarina desde quatro de janeiro sob a acusação de estelionato. O argentino reside no Brasil há anos e declarou a jornalistas brasileiros e em depoimento a diplomatas suecos, em 1986, que atuou na Escola de Mecânica da Armada (ESMA) em março de 1976 quando, segundo seu relato, o ex-capitão da Marinha, Alfredo Astiz, O Ano da Morte, foi que matou com um tiro de pistola, na cabeça, o pianista brasileiro Francisco Tenório Cerqueira Junior.


Tenorinho, como era mais conhecido músico brasileiro, foi sequestrado quando se encontrava em uma turnê em Buenos Aires no grupo do poeta, compositor Vinicius de Moraes. Vallejos afirmou também ter participado de “grupos de tarefa”, bandos que sequestraram, torturaram e assassinaram milhares de pessoas entre 1976 e 1979. Segundo seu próprio depoimento, sua base de operações era a famigerada ESMA, centro de repressão clandestino durante a ditadura, onde foram “desaparecidos” e assassinados cerca de cinco mil militantes. Com sua prisão no Brasil, os juízes responsáveis pela causa ESMA querem iniciar um processo de extradição de Vallejos para a Argentina. O ex-repressor argentino já foi transferido do presídio de Xanxerê para o de Lages, também em Santa Catarina, por razões de segurança.



O pianista brasileiro Francisco Tenório Cerqueira Junior.


Inicialmente considerada uma ocorrência comum, a prisão de Vallejos já repercute também entre os organismos de defesa dos Direitos Humanos no Brasil. Rose Nogueira, do grupo Tortura Nunca Mais, defendeu a sua ida para a Comissão da Verdade.


Rose Nogueira, do grupo Tortura Nunca Mais.

“Essa confissão, de 26 anos atrás, agora pode ter toda a atualidade do mundo e pode ser tratada na Comissão da Verdade que a presidenta Dilma (Rousseff) criou. Temos na prisão o repressor que conhece e também parece que participou na desaparição de um cidadão brasileiro em Buenos Aires”, afirmou.

MOVIMENTO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS/Brasil INFORMA:

MATERIAS AGENCIA ANSA, QUINTA 1 MARCO 2012
NSA/ BRASIL-DDHH: PIDEN A INTERPOL DETENER A REPRESOR ARGENTINO
ESTA ACUSADO DE MATAR A PIANISTA BRASILEÑO CERQUEIRA EN 1976
(Programada actualizada)
(Programada actualizada) Por Darío Pignotti BRASILIA, 1(ANSA)- Argentina solicitó a Interpol la captura del ex represor Claudio Vallejos sospechado de participar en el secuestro del pianista Francisco Tenorio Cerqueira en 1976, cuando realizaba presentaciones junto a Vinicius de Moraes en Buenos Aires. "El Juzgado Nacional en lo Criminal Correcional Federal, que lleva adelante la causa ESMA (Escuela de Mecánica de la Armada) solicitó a Interpol la captura del señor Claudio Vallejos", afirmó hoy una fuente diplomática argentina a ANSA. El argentino al parecer fue miembro de los servicios de inteligencia de la Marina argentina y participó en el centro de represión instalado en la ESMA donde fueron asesinados y desaparecidos cerca de 5.000 militantes contra la dictadura argentina (1976-1983). "Vallejos está caratulado como en rebeldía por el Juzgado Federal 12 de Buenos Aires, ahora se iniciaría un trámite ante Brasil para la extradición", explicó la fuente diplomática. Claudio Vallejos de 53 años y radicado en Brasil hace casi tres décadas, estuvo preso por estafa en la cárcel de Xanxeré, estado de Santa Catarina, desde el 4 de enero pasado hasta el lunes pasado.
El ex represor ya había sido detenido años atrás por diversas maniobras dolosas tras lo cual fue expulsado de Brasil, donde tiene una hija que "podría ser adoptiva", dijo hoy Jair Krischke, titular del Movimiento de Justicia y Derechos Humanos a ANSA.
En declaraciones a la prensa brasileña en 1986 Vallejos admitió haber matado a 30 personas y torturado a otras tantas, y dio a entender que estuvo vinculado con el secuestro del pianista Francisco Tenorio Cerqueira, perpetrado por elementos de la ESMA.
El músico, que tenía 35 años en el momento de su captura, continua desaparecido. "Yo le pregunté a Vallejos si estuvo en todo lo que dicen que estuvo, si sabía algo del secuestro del pianista de Vinicuis y él me respondió afirmativamente, me dijo que en el secuestro del pianista había otras tres personas pero aclaró que él no lo mató", declaró hoy Luiz Brandielli, directivo de la cárcel de Xanxeré a ANSA. "El (Vallejos) me dijo dos cosas, que presenció el secuestro y también el asesinato del pianista, no dio nombre de los que lo mataron, y también volvió a decir que mató 30 personas o más y que torturó, hablamos el viernes pasado acá en (cárcel) Xanxeré", relató el Brandielli. "Yo conversé con él informalmente, yo estaba con un agente penitenciario, todo lo que dijo fue informal no sé si lo va a repetir ante la justicia, hablaba tranquilo, parece ser una persona astuta", acotó el funcionario. "Acá (Xanxeré) también estuvo el cónsul argentino, hablaron con Claudio (Vallejos) y el abogado de él, pero no sé muy bien de que hablaron, fue reservado entre ellos yo no participé", comentó Brandielli. El lunes pasado el detenido fue trasladado en un vehículo escoltado por otro con agentes "fuertemente armados" de Xanxeré al presidio de Lages, también en el estado de Santa Catarina, "donde hay más seguridad". El secuestro y desaparición del pianista Cerqueira en marzo de 1976, pocos días antes del golpe de Estado argentino, tuvo repercusión en Brasil, donde Vinicius de Moraes realizó un recital para colaborar con su familia, contó Francisto Tenório, uno de los hijos del músico. El director español Fernando Trueba, vencedor del Oscar al mejor filme extranjero, comenzó a rodar una película sobre Cerqueira, cuya historia fue contada en un libro publicado en Brasil por uno de los músicos que lo acompañaban en Buenos Aires. El poeta y ex diplomático Vinicius de Moraes, que fue exonerado del servicio exterior durante el gobierno militar brasileño (1964-1983) solicitó informaciones sobre el paradero del pianista Cerqueira en Argentina y en Brasil, pero nunca obtuvo respuestas de las autoridades.
"Vallejos es un asesino confeso" aseguró, por su lado, Jair Krischke, quien ha investigado el prontuario del ex miembro de la ESMA y sostiene que "hay que averiguar lo que él declaró, no sé si todo es verdad, pero su testimonio es vital para descubrir que pasó en el Plan Cóndor entre Brasil y Argentina". (ANSA).

DCP/
….
ANSA/BRASIL-DDHH: SECUESTRO DEL PIANISTA OBRA DE PLAN CONDOR
LO SOSTIENE DEFENSOR DE DERECHOS HUMANOS JAIR KRISCHKE
(Con Programada) BRASILIA
(Con Programada) BRASILIA, 1 (ANSA) - El secuestro y desaparición en Argentina del pianista brasileño Francico Tenorio Cerqueira, en 1976 cuando tocaba junto a Vinicius de Moraes, "muestra como actuaba el Plan Cóndor durante las dos dictaduras", afirmó hoy Jair Krischke, titular del Movimiento Justicia y Derechos Humanos.
"Los aparatos represivos de los dos países se movían coordinadamente, para secuestrar y matar, considera que el Caso de Tenorio es un ejemplo trágico de esa metodología, muestra como actuaba el Plan Cóndor", sostuvo Krischke, quien ha investigado también la captura de militantes argentinos en Brasil.
Argentina solicitó a Interpol la captura del ex represor argentino Claudio Vallejos, sospechado de participar en la captura del pianista y otros delitos cuando presuntamente actuó en el centro de represión de la Escuela de Mecánica de la Armada.
"El gobierno argentino dio un paso muy importante para comenzar a esclarecer los secretos del Cóndor entre los dos países, yo creo que es muy posible que Brasil autorice la extradición de Vallejos", señaló Krischke a ANSA.
"Vallejos está sospechado de desaparición que es un crimen continuado, no prescribe, creo que el Supremo Tribunal Federal autorizará la extradición como ocurrió con el represor uruguayo Manuel Cordero", que participó en el Plan Cóndor, y fue deportado a Argentina en enero de 2010.
Vallejos reiteró la semana pasada, durante una conversación informal, que participó en el rapto de Tenorio, reveló hoy un directivo de la cárcel de Xanxeré, sur brasileño, donde el argentino estuvo detenido desde el 4 de enero, acusado de estafas.
En tanto "el rito de la extradición llevará un tiempo, porque debe pasar por la Corte, la Cancillería y el Poder Ejecutivo, en ese interín es importante que el Ministerio Público Federal brasileño interrogue al reo, no sé si todo lo que dice es cierto, pero es un tesmimonio valioso", señaló Kirschke.
Por su parte Rose Nogueira, ex presa y miembro de Tortura Nunca Más, opinó que Vallejos debería ser indagado por la Comisión de la Verdad sobre la dictadura brasileña (1964-1985), creada por la presidenta Dilma Rousseff en 2011, y que debe comenzar a sesionar en los próximos meses.

(ANSA).

DCP/

RASIL: ARGENTINO DIJO QUE SECUESTRO PIANISTA DE VINICIUS
(Actualiza) BRASILIA
(Actualiza) BRASILIA, 1 (ANSA)- El director de la cárcel brasileña donde estuvo preso el ex represor argentino Claudio Vallejos, dijo hoy que el detenido reconoció haber participado en el secuestro del pianista Tenorio Cerqueira, cuando realizaba una gira junto a Vinicius de Moraes en Buenos Aires en 1976.
"Yo le pregunté a Vallejos si estuvo en todo lo que dicen que estuvo y él me respondió afirmativamente, me dijo que en el secuestro del pianista había otras tres personas pero él no lo mató", declaró Luis Brandieli a ANSA.
Vallejos actuó en un centro de represión de la Armada argentina durante la dictadura (1976-1983) y la Justicia argentina pidió su captura a Interpol, dijo hoy una fuente diplomática. "Yo conversé con él informalmente, yo estaba con un agente, todo lo que dijo fue informal no sé si lo va a repetir ante la justicia, hablaba tranquilo, parece ser una persona astuta", acotó el funcionario de Xanxeré donde Vallejso estuvo hasta el lunes, cuando fue transferido al presidio de Lage.
"Lo trasladamos por que Lage es más segura, fue llevado en un vehículo con otro escoltando y agentes fuertemente armados", dijo.
"Acá también estuvo el cónsul argentino, hablaron con Claudio (Vallejos) y el abogado de él, pero no sé muy bien de que hablaron", comentó Brandieli. (ANSA).

DCP/

MINISTÉRIO E SELEÇÃO: FALTAM CRAQUES

Por Carlos Chagas

Onde a seleção brasileira de futebol do técnico Mano Meneses e o ministério da presidente Dilma Rousseff se parecem? Na escalação. Porque jamais poderemos esperar sucesso na Copa do Mundo de 2014 com David Luiz, Marcelo, Sandro, Hernandez, Fernandinho, Hulk, Elias e outros de quem o torcedor jamais ouviu falar como craques. No reverso da medalha, chegará o governo naquele mesmo ano à vitória nas urnas, funcionando com ministros que por caridade não vamos fulanizar, mas tão deslocados em suas funções como a maioria dos integrantes do time que deu vexame diante da Bósnia-Herzegovina?
No ministério, alguns bissextos craques continuam jogando mal, como Ronaldinho, Neymar e Julio César na seleção. É preciso que cada ministro, como cada jogador, ocupe a posição com as qual se encontra familiarizado e já brilhou, tendo demonstrado capacidade em seu clube de origem.
Apenas um exemplo, que aliás vem desde a posse de Dilma: Ideli Salvatti, Luis Sérgio e agora Marcelo Crivela tem alguma coisa a ver com a pesca? Jamais seguraram um caniço ou manipularam um anzol. Tem sido escalados apenas para acomodações partidárias, sem o menor compromisso com a performance de seu ministério.
A costa atlântica e os rios que cortam o Brasil são ricos em peixes que não precisam ser cuidados, carecem de pastos, vacinas, invernadas e até galinheiros. Dariam para alimentar nossa população inteira, mas há séculos que constituem refeição cara, inacessível a muita gente. Há tudo o que fazer no ministério da Pesca, mas, com todo respeito, não será com orações.
Com as exceções de sempre, multiplique-se essa situação pela maior parte do governo. Depois, não se reclame dos resultados eleitorais, assim como do fracasso no futebol...
INVERSÃO PERIGOSA
Nos partidos da base do governo prevalece a regra de que quem decide não é votado, e quem é votado, não decide. O problema está em que a presidente Dilma obriga-se a dialogar com caciques carentes de representatividade eleitoral. Julgam-se donos das capitanias hereditárias e pressionam o Executivo por mais espaços no ministério, até chantageando o palácio do Planalto. Suas bases, no Congresso e nas Assembléias, participam cada vez menos das suas decisões. Seria bom prestar atenção.
SEM DESDOBRAMENTO
Deverão ser advertidos pelos respectivos comandantes das forças armadas os 96 oficiais que assinaram manifesto de crítica ao governo. Se ficar o episódio restrito a um carão epistolar, tudo indica que não haverá desdobramento. O problema poderá agravar-se quando começar a funcionar a Comissão da Verdade, dependendo das nomeações dos seus sete integrantes pela presidente
Dilma. Não pode ser ninguém das forças armadas, como nenhum daqueles que formaram na resistência ao regime militar e, na ocasião, foram punidos e torturados.
E AGORA, JOSÉ?
José Serra comentou estar adormecida mas não sepultada sua pretensão de candidatar-se à presidência da República, disposto a permanecer quatro anos na prefeitura de São Paulo. Falou como se já estivesse eleito sucessor de Gilberto Kassab, o que pode constituir-se num risco. Claro que mesmo sem ser candidato, vinha liderando as pesquisas, mas contar com o ovo ainda na barriga da galinha, além de prematuro, é arrogante. Tudo indica que haverá segundo turno nas eleições paulistanas, como, pela lógica, a disputa seria entre Serra e Fernando Haddad, caso não prossiga a aventura Tiririca.

DO SERPENTÁRIO


O SERPENTÁRIO NA RUA URUGUAI AINDA ANDA POUCO MOVIMENTADO, ATÉ PORQUE OS VEINHOS DO FUTEBOL TÃO TUDO AINDA NA PRAIA.


Mas já tá dando pro gasto...

Assis Hoffmann apareceu por lá estes dias e bateu um papo com o Mourinha que era o único da turma que estava lá.
O Nelson Moura tem sido um dos que tem ido de manhã. Monteirinho também vai.


*Flávio Tavares foi lá dia destes e disse que dia 7 próximo estará lançando seu livro sobre a Legalidade, na Saraiva do Praia de Belas.

A partir das 19 horas.

De São Borja!

CAPINCHO PREPARA
GABINETE


Se vier a se eleger - o que é pouco provável, - Capincho(Letier Vivian) já tem em mente quem vai convidar pra formação de seu invejável gabinete no Palácio Getúlio Vargas( em São Borja, com a "mania de grandeza" que eles tem, tudo é palácio...na verdade a cidade é um fantasma da importância que teve no seculo passado. Não por acaso, deu dois presidentes da República)
Vamos lá

1) pra chefe de gabinete o CATI...não tem outro.é meu amigo e a primeira pessoa a vir falar comigo assim que comecei a ir pra cidade pra ver se vendia algum livrinho. O Cati é daqueles que cumprimentam poste, falam com o sol( igual ao Carlos A. Koleca que às vezes interrompia suas viagens de repórter, mandava o Cafuringa parar o carro, descia, ia pro campo, acendia o cachimbo e começava a falar com as vaquinhas....e o Cafu ali esperando na estrada com o carro ligado)

Vai ver que o Cati ficou meu amgio PORQUE LOKO CONHECE LOKO e viu logo que ali tinha um semelhante.


2) Assessor de Imprensa: Capincho queria o EDSON ARCE, mas este é também candidato a vereador pelo PP. O conhecido radialista tem mais chances que o Capincho. Mas aí vai o EDUARDO BELMONTE mesmo...com aquela lata dele e tudo....mas o capincho vai colocar uma gravata nele e tudo fica igual. Afinal um pano no corpo do vivente deixa ele igual a todos os NORMAIS...

3) Local dos encontros será nA padaria, ali onde pão não se come e sim se bebe cerveja...

4) Assessor para assuntos culturais: o poeta CLEMAR DIAS....depois que voi a Mercedez na Argentina, com diárias e cachê de 100 dólares pra ser jurado de carnaval...

Clemar se credenciou a ser o titular desta CC

5) Assessor de Carnaval: o FLORENCINHO, dono do La Barca, na presidente Getulio Vargas.

Chita, como é chamado pelos amigos, porque quando ia nos bailes de carnaval no Clube Comercial,adentrava dando pulos como uma chita....

E na entrada do gabinete doCAPINCHO uma inscrição bem grande

AQUI NÃO TEM AMIGO, AQUI TEM AMIGO DA CC....

Visitas ao site

12.498 visitas em fevereiro. Muito me orgulha isto! O editor.

CRISTINA KIRCHNER DISCURSA TRÊS HORAS NA ABERTUARA DO ANO LEGISLATIVO NO CONGRESSO
Cristina quer aumentar voos de Buenos Aires para as Malvinas

De Buenos Aires
Gelson Farias


Cristina Kirchner no tradicional discurso presidencial de 1º de março, dia em que é inaugurado o ano legislativo.

Em meio a uma delicada escalada diplomática entre os governos da Argentina e do Reino Unido na eterna disputa pela soberania das Ilhas Malvinas, a presidente Cristina Kirchner defendeu nesta quinta-feira a necessidade de ampliar de dois para três, o número de voos semanais entre seu país e o arquipélago, todos partindo de Buenos Aires. Atualmente, os quatro voos mensais existentes são operados pela companhia aérea Lan, saindo da cidade chilena de Punta Arenas, com escalada em Rio Gallegos, capital da província argentina de Santa Cruz. A nova demanda argentina foi um dos pontos fortes do tradicional discurso presidencial de 1º de março, dia em que é inaugurado o ano legislativo.


— Já dei instruções a nosso chanceler (Héctor Timerman) para iniciar uma negociação — anunciou Cristina, que falou durante mais de 3 horas, um dos discursos presidenciais mais longos desde que a família Kirchner chegou ao poder, em 2003. A cerimônia foi presenciada por todos os senadores e deputados argentinos, ministros do gabinete presidencial, governadores, militantes sociais e até mesmo pelo juiz espanhol Baltazar Garzón, que se sentou ao lado de representantes das Mães e Avós da Praça de Maio.
A presidente reiterou suas críticas pela militarização das Malvinas e evitou fazer qualquer comentário sobre as gestões da ministra da Indústria argentina, Débora Giorgi, para reduzir as importações de produtos britânicos no país. A iniciativa levou o governo de David Cameron a exigir explicações do encarregado de negócios da embaixada argentina em Londres, Osvaldo Mársico.
— Não podemos permitir a existência de uma colônia em pleno século XXI — enfatizou Cristina, que voltou a negar a possibilidade de qualquer ação bélica por parte de seu governo: — Somos gente de paz, mas que também defende seus direitos.
Respeitando o rigoroso luto que veste desde a morte de seu marido e antecessor, Néstor Kirchner (2003-2007), falecido em outubro de 2010, a presidente se emocionou em vários trechos do discurso. Como de costume, Cristina improvisou sua fala, interrompida apenas para consultar alguns documentos com números sobre a evolução da economia nacional. A presidente expôs dados positivos sobre o crescimento econômico, a melhora de indicadores sociais como o desemprego, atualmente em menos de 7%, e lembrou que o governo Kirchner conseguiu acabar com o endividamento externo do país. No entanto, Cristina não fez qualquer referência às denúncias por suposta manipulação das estatísticas oficiais da Argentina contra o Indec (o IBGE local). Na hora de referir-se à recente tragédia na estação de trem Once, da linha Sarmiento, que matou 51 pessoas e resultou em 700 feridos, a presidente defendeu a política ferroviária de seu governo e não fez qualquer autocrítica. Pelo contrário, mostrou-se indignada pelos questionamentos contra sua gestão.
— Quando vejo por aí os que provocaram tanto dano a nosso país criticar com tanta facilidade e me lembro dele (Kirchner), tenho dúvidas e penso se vale a pena continuar adiante — disse Cristina, com lágrimas nos olhos.
Na plateia, a juventude kirchnerista aplaudiu e cantou um de seus cânticos mais conhecidos: “Cristina, Cristina, Cristina coração, aqui estão os garotos para sua liberação”. Dentro e fora do Parlamento, os seguidores do governo distribuíram balões com a legenda “Clarín mente”.
Aproveitando a presença de Baltazar Garzón, a presidente destacou os avanços de seu governo em matéria de direitos humanos e agradeceu, em nome de todos os argentinos, a ação do juiz espanhol em casos emblemáticos, entre eles o do ex-ditador chileno Augusto Pinochet. Cristina comentou ter lido uma recente entrevista com o ex-ditador argentino Jorge Rafael Videla na qual, segundo a presidente, o general assegurou que “os Kirchner são uma das piores coisas que já nos aconteceu”.
— Lamentei que ele (Kirchner) não pudesse ler e deixei um exemplar do jornal em sua tumba — contou Cristina, reconhecendo que “os filhos vão ficar furiosos por estar contando isso”, mas que não importa.
A presidente admitiu ter ganhado na política o que nunca sonhou, mas, que também perdeu o que nunca pensou que perderia. Cristina também defendeu a política protecionista de seu governo, que nos últimos tempos provocou atritos com importantes sócios comerciais, entre eles o Brasil, e terminou pedindo a ajuda de todos os argentinos para continuar governando.
— Não vale a pena deixar que três ou quatro monopólios controlem a agenda porque eles estão se lixando para a Argentina — enfatizou a presidente.

Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/mundo/cristina-kirchner-quer-voos-de-buenos-aires-para-ilhas-malvinas-4116533.html#ixzz1nts9qhNJ
tradicional discurso presidencial de 1º de março, dia em que é inaugurado o ano legislativo.

ATENÇAO, ISTO É UMA CONVERSA ENTRE JORNALISTAS.

ocorrida na tarde da chuvosa quarta feira na salinha JCTerlera...


- Tu anda sempre de pernas abertas sua.....( vou omitir o adjetivo usado pelo colega)


- E tu...seu vig......o que tu fez na ARI......cheirador de........


E continuaram se " elogiando" até que chegou a segurança que pediu pra baixarem a bola.


em tempo.

Ontem, nenhum dos dois compareceu ao " plenário" do debate do dia anterior.

Memória

A CIGANA ' ENTREGOU'

O SCALCO!


JBScalco foi chantageado pela cigana em Montevideo.


Lá pelos anos 80, JBScalco fazia a sucursal da revista Veja e da Placar e invariavelmente ia cobrir os jogos da seleção brasileira no Cone Sul. Uma das partidas da seleção foi em Montevideo e no dia seguinte JBScalco pegou sua mala com máquina fotografica e saiu a caminhar pela capital uruguaia indo principalmente pela avenida principal onde se aglomeram cafés e bares. Numa determinado tempo de sua caminhada começou a observar que o povo passou a olhar em sua direção e quase correr atrás dele. Quando lhe caiu a ficha viu a situação em que estava metido: a turba olhava pra ele porque uma cigana, muito esperta apontava pro fotógrafo e gritava: ha comido mi culo e no quiere pagar....Scalco, por via das dúvidas, saiu correndo e desapareceul. mais adiante entrou num café e sumiu. Nunca mais foi visto naquelas paragens.


Cristina criticó a Macri y dio marcha atrás con el retiro de la Federal del subte


Calificó de “bochornosa” la decisión del jefe de Gobierno porteño de rechazar el traspaso del servicio. “Uno no puede revolear concesiones como si fueran pares de zapatos”, disparó. Y anunció que la custodia policial seguirá por al menos 30 días.

En el marco del discurso con el que inauguró las sesiones ordinarias del Congreso, la presidenta Cristina Fernández de Kirchner cuestionó duramente la decisión del jefe de Gobierno porteño, Mauricio Macri, de rechazar el traspaso del subte luego de que la Nación ratificara que la Policía Federal dejaría de custodiar el servicio. Pero, al mismo tiempo, dio marcha atrás con esa decisión y anunció que los agentes de la Federal seguirán por al menos 30 días más. Casi de inmediato, los gremios anunciaron que reanudarán el servicio y pondrán fin al paro de hecho que durante todo el día generó un caos de tránsito en la Ciudad.

"Es un episodio bochornoso, por conferencia me quisieron devolver los subtes. Tienen que tener un asesor letrado. No se pueden revolear contratos y concesiones como si fueran zapatos", se quejó la Presidenta, al tiempo que destacó el aumento del 127 por ciento sobre la tarifa que aplicó el macrismo.

Cristina también se refirió a la disputa por la seguridad en los subtes. Al igual que la ministra de Seguridad, Nilda Garré, sostuvo que "la Metropolitana debe custodiar" las estaciones. Pero al mismo tiempo dio marcha atrás con la decisión que había ratificado ayer Garré y anunció que se prorroga el retiro de la fuerza por al menos 30 días "a ver si en tres meses (Macri) puede organizar 240 personas uniformadas".

La Presidenta habló de "cobertura mediática" y "victimización". Y destacó que la Nación sigue adelante con la extensión de la línea E, aunque se quejó porque el obrador "estaba pintado de amarillo".

Sobre la medida de fuerza de hoy, encabezada por la UTA, señaló que representantes de los Metrodelegados, enfrentados con la UTA, denunciaron que "fueron a trabajar y no los dejaron entrar". Y deslizó que la huelga podría haberse debido a un acuerdo entre Macri y Metrovías: "No quiero pensar que hay un acuerdo entre la empresa y el jefe de Gobierno".

Convite para o Lançamento do Catálogo Fotográfico Zélia Gattai

Tenho uma historinha da zélia gattai. estava de plantão na ZH no domingo 23 de março de 1986 quando morreu Josué Guimarães . Tive que ligar pra salvador pra pegar depoimento do Jorge Amado. Zelia Gattai atendeu o fone e me disse que o marido tinha ido numa chacara(ainda não havia celular) e que voltaria em 15 minutos. Liguei nos 15 minutos - nervoso, ia falar com o grande escritor comunista na juventude - e ele me deu um belo depoimento....

depois também fui atrás da Lya Luft que tinha largado o marido, Celso, pra se homiziar com o Hélio Pelegrino no Rio

A zelia comigo foi super gentil, simples, nada estrela. ao contrario de algum BBB de hoje em dia.

LUTO


Depois daquela tarde onde a salinha JCTerlera foi palco de uma discussão mais adequada a um bolicho de campnha, frequentado pelo chinaredo do que pruma sala de jornalistas com curso superior, a salinha JCTerlera parecia de luto ontem. Muito pouco foi frequentada durante todo o dia de ontem..

Ué, ressaca da baixaria???

Nunca tinha visto!!!!!!!!!!!!!!!!

Férias

Antonio Augusto Bandeira


Este ano as férias foram prolongadas. Enquanto se está vivo, deve-se buscar viver.
Estive no Rio de Janeiro de 10 de janeiro até 10 de fevereiro, Gosto muito da cidade maravilhosa e tenho um excelente grupo de amigos. Voltei á minha querida Porto Alegre para do dia 20 de fevereiro ir para Cancun,via Panamá, e retornar dia 29 de fevereiro.
Foi uma boa caminhada que pretendo escrever para vocês.
Do Rio havia escrito somente cinco crônicas, agora vou intercalar com Cancun que achei maravilhoso.
Já conhecia o México, a cidade do México, Tasco, Acapulco etc.
Cancun foi a primeira vez e se Deus quiser, pretendo repetir.
Saudades dos meus amigos sempre fico.
Um grande e fraternal abraço.

Coleguinhas

MEMORIAS

NEM SEMPRE REPORTER E FOTOGRAFO

TEM SIMPATIAS UM PELO OUTRO, OU COMO COLEGUINHAS BRIGAM NO SERVIÇO


A BUFUNFA QUE deu na quarta ultima na salinha JCTerlera - dois coleguinhas ficaram trocando " carinhos" durante uns 15 minutos - o que provocou a presença até da segurança da Assembléia Legislativa, me fez lembrar de alguns episódios de brigas entre . Não se preocupem vou contar os meus também...

1) LUIS OSCAR MATZENBACKER X LUIZ ARMANDO VAZ

oS DOIS ENCARARAM uma viagem a Antartida nos anos 80 - o que originou até um bom livrinho do Matz, o Louco, como dizem,pra ir conhecer a estação Comandante Ferraz . Estavam indo pela Zero Hora...mas ainda em Rio Grande começaram as desavenças entre os dois colegas, o que teria sido muito dificil de adminsitrar.

Chegavam boatos das brigas entre os dois colegas desde os confins da terra....parece que teriam ido as vias de fato, com o Vaz, - que até comenta carnaval no DG - acertando uma " bocha" no seu colega repórter e companheiro de aventuras.


Esta viagem rendeu tantas fofocaiadas que um dia a Núbia Silveira, chefiando a reportagem da ZERO HORA , CHEGOU PRO EDITOR CHEFE Carlos Felhberg pedindo com urgência um carro e um fotógrafo pra mandar pra Cidreira ou Pinhal onde teriam aparecido MUITOS PINGUISN MORTOS. cOMO ERA UM DOMINGO DE TARDE E O VENENOSO DO JOÃO CARLOS TERLERA ESTAVA NA REDAÇÃO FAZENDO A COLUNA DELE, ouviu a NUbia falando com o Fehlberg e não resistiu ao comentário MALEDICIENTE:

- até os PINGUUINS NÃO AGUENTARAM O MATZ NA ANTARTIDA. VIERAM MORRER EM PINHAL!

2) Uma viagem minha cobrindo 35 municipios na eleição de 1988 teve como base Caxias do Sul. O fotografo que ia comigo era um mala - não lembro do nome agora se lembrasse diria - E Numa manhã começou a me torrar o saco no

hotel aquele que ficava em pleno centro e era da familia Kalil Sebhe.

O fotografo não falava comigo. só com o motora. que era gente fina.

Eu pedia pra fazer alguma foto e ele não fazia.

Ai ele resolveu se queixar pra Nubia de uns COICES que eu lhe dei, dizendo que eu era um grosso.

Mas me estressei. Mandei ele a puta que pariu.

Ai entrou o hoje falecido DAUDT que chefiava UMA DAS PARTES DA ELEIÇÃO E SE NÃO ME ENGANO trocou o fotografo.

3)Outro grande arranca rabo entre reporter e fotografo deu-se numa ocasião em que o ASSIS HOFFMANN foi pra ISRAEL COM O FLAVIO ALCARAZ GOMES PRA COBRIR A GUERRA DOS SEIS DIAS,ISTO NOS ANOS SESSENTA. O ASSIS FOI DESLOCADO DA AFRICA DO SUL ONDE FORA COBRIR AUTOMOBILISMO PRA ISRAEL. CHEGOU LÁ E O FLAVIO COMEÇOU A DAR ORDENS, BEM AO SEU ESTILO DA EPOCA, MUITO PREPOTENTE.

ASSIS ME CONTOU QUE CHEGOU PRA ELE E DISSE:

- tu cuida do teu texto que eu cuido das minhas fotos.

DAI EM DIANTE O FLAVIO VIROU UMA DAMA....

De São Borja

capincho já tem

seu SLOGAN pra ser vereador!


RUMORES INSISTENTES JUNTO AO DIRETÓRIO DO PDT LOCAL DIZEM QUE O CAPINCHO IRÁ TENTAR A VAGA DO SEU ATUAL PATRÃO, O CELSO LOPES Á VEREANÇA LOCAL. O CAPINCHO,VULGO LETIER VIVIAN- E PARENTE DO QUE FOI PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA E DO IPE E PERTENCE AS HOSTES ARENISTAS - DONDE SE PERCEBE QUE O CAPINCHO TEM BOAS INDICAÇÕES POLITICAS.

COMO CELSO LOPES IRÁ CONCORRER A PREFEITO - PELO MENOS É O QUE ELE QUER - CAPINCHO SERÁ O HERDEIRO POLITICO DOS VOTOS QUE CELSO FAZ PRINCIPALMENTE JUNTO AS VILAS ONDE ELE COSTUMA IR BATER UMA PELADA NOS FINS DE TARDE .

e dizem que o CAPINCHO JÁ TEM ATÉ SEUS PRINCIPAIS PROJETOS QUANDO FOR VEREADOR. EIS ALGUNS QUE LEMBRO AGORA DE CABEÇA

1) construir um estatua de 10 metros de altura do LEONEL BRIZOLA
de preferencia junto a estatua do GETULIO na praça XV de Novembro

2) Todas as sextas a partir das 9 da manhã, ele leva a turma de assessores pra padaria pra tomar trago o dia inteiro tudo por sua conta

3) Uma vez por mes uma semana de folga pra todos irem pescar, tomar trago e pegar piavas num açude em são miguel

4) Dar um titulo de cidadão honorário ao SEO MUNIZ dono de um pequeno hotelzinho onde ficam os desgarrados e desgarradas da vida. O seo Muniz tem um LEMA: levai daqui até os ossos do NEGO GREGÓRIO QUE EU NÃO AGUENTO MAIS ESTA TURMA DE TRABALHISMO, NUNCA FIZERAM NADA POR SÃO BORJA

5) Proibir a entrada de jornalistas que vão na feira do livro, vindas de todos os quadrantes com A grande ilusão de que se vende alguma coisa em S. Borja.

Logo onde, tão tudo quebrado

6) E não menos importante, o último item:

TRABALHAR PRA REELEIÇÃO DA DEPUTADO JULIANA BRIZOLA, NO MINIMO CONSEGUINDO 5 MIL VOTOS PRA ELA, AGORA QUE O ADROALDO LOUREIRO NÃO ESTÁ MAIS DISPUTANDO ELEIÇÃO NA TERRA DOS PRESIDENTES

7) Mudar o slogan de São Borja pra TERRA QUE UM DIA FOI IMPORTANTE....

8) Dar um titulo honorífico ao grande batalhador e TRABALHADOR QUE É O POETA CLEMAR DIAS.

TENHO DITO

ABAIXO O SLOGAN DO CAPINCHO!


NÃO ME AMOLA!!!!!

DA CAMARA MUNICIPAL


Rumores insistentes dão conta que o vereador TODESCHINI periga na sua próxima eleição...." tá mal é o que dizem alguns colegas"


*Dos atuais 6 vereadores, o PT espera pelo menos fazer oito.

Há um vereador que lamenta muito a saída do OLIBONI, o que pode abrir um flanco pros outros partidos entraram na zona dele, que é zona leste da cidade.


*OLIBONI SEMPRE FAZIA dobradinha com Maria do Rosário. E botavam votas pra caramba na zona leste da cidade.


*Alguns vereadores ainda não sabem a que veio O CANDIDATO VILLAVERDE. HÁ DECEPÇÃO COM O ATUAL ESTADO DA CAMPANHA....

ela não está engatando...


*Com a eleição polarizada, entre o atualocupante do paço municipal e Manoela Davila,alguns vereadores temem que VILLA não tenha A GARRA DA MARIA DO ROSÁRIO que foi pras vilas e derrubou a MANOELA DAVILA NA ULTIMA ELEIÇÃO.


*Enfim, há temor nas HOSTES DO PT....

PELO JEITO, PIOR NÃO FICA

Por Carlos Chagas

Nos idos de 1978, com a candidatura João Figueiredo na rua, imposta pelo então presidente Ernesto Geisel, a oposição resolveu lançar um candidato militar alternativo, o general Euler Bentes Monteiro. Claro que não havia a menor chance de o candidato oficial perder a eleição no Colégio Eleitoral, mas Paulo Brossard produziu um dos mais profundos diagnósticos político-filosóficos da época: “o imprevisto é um Deus avulso que às vezes tem voto decisivo na assembléia dos acontecimentos”.
Vale adaptar o pensamento do ex-senador gaúcho à atualidade. O Partido Republicano confirmou ontem a chantagem explícita desenvolvida contra a presidente Dilma Rousseff: ou ela aceita a indicação de um de seus parlamentares para ministro dos Transportes ou lançarão o Tiririca como candidato à prefeitura de São Paulo.
É o imprevisto, sem tirar nem pôr, que dessa vez poderá ser decisivo na tertúlia travada por tucanos e companheiros pela cadeira de Gilberto Kassab. Porque votos, o Tiririca tem, e muitos. A candidatura dele prejudicaria sensivelmente Fernando Haddad, muito mais do que José Serra. Mas passando o ex-governador e o deputado mais votado do país para o segundo turno, em quem o PT carregaria sua frustração? Sendo assim, o imprevisto tem nome e endereço.
O que salta aos olhos é a desfaçatez com que o PR opera seu fisiologismo. Acontecerá o que, caso a presidente Dilma ceda à pressão, hipótese ontem na pauta até porque mandou chamar o atual ministro, Paulo Passos, para uma conversa reservada. De um lado, a confirmação de que o governo federal é mesmo um balcão de negócios. De outro, mais uma oportunidade perdida para a presidente Dilma afirmar-se e botar para correr as quadrilhas que se apoderaram da base parlamentar aliada.
Para demonstrar que a moda costuma pegar, quem também pressiona o governo é o PDT, da mesma forma aproveitando-se das eleições paulistanas. Carlos Lupi encontrou-se com o governador Geraldo Alckmin, abrindo a hipótese de seu partido apoiar José Serra. Parece óbvio que se for nomeado ministro do Trabalho alguém indicado pelo presidente do partido, ficará o dito pelo não dito, com o PDT apoiando Fernando Haddad, do PT.
Convenhamos, a política habita um de seus patamares mais baixos. Pelo jeito, pior não fica...
TEMPERATURA EM ELEVAÇÃO
Elevou a temperatura militar o manifesto assinado por 98 militares da reserva, entre eles 13 generais. Elos regulamentos castrenses, eles estão proibidos de manifestar-se politicamente, em especial se for contra as autoridades. Devem ter meditado muito para comprometer-se, já que poderão ser punidos, até mesmo com prisão.
Os signatários reabriram a questão iniciada pelos presidentes dos Clubes Militar, da Aeronáutica e da Marinha, que haviam protestado eletronicamente contra declarações das ministras dos Direitos Humanos e das Mulheres, favoráveis à Comissão da Verdade e à hipótese de revisão da Lei da Anistia, para a responsabilização judicial de agentes do estado envolvidos em crimes de tortura, durante o regime militar.
Dilma Rousseff exigiu do ministro da Defesa a retirada do site onde protestavam os presidentes dos clubes. Acionados, os três comandantes das forças cumpriram a determinação. Vem agora um grupo de oficiais da reserva e reitera os termos do primeiro manifesto, criticando a presidente da República e acusando as ministras de revanchismo. Citam até “o beneplácito inaceitável do atual governo”.
Estão, os signatários desse novo texto, desconfiados de que a Lei da Anistia poderá ser revogada no Congresso, permitindo a reabertura de velhas feridas. Alertam, inclusive, para o fato de estar o Brasil seguindo na mesma linha de outros países da América Latina, que depois de livres de regimes militares e apesar de leis de anistia, deram o dito pelo não dito e passaram a processar e punir antigos responsáveis por crimes de tortura. Aconteceria o mesmo entre nós?
O CONGRESSO PODE SER ULTRAPASSADO
Nos corredores do Tribunal Superior Eleitoral começa a circular a mesma conversa de anteriores anos eleitorais: já que o Congresso não resolve, deixando de votar mudanças e reformas necessárias ao bom andamento das eleições, o remédio é a Justiça Eleitoral preencher o vazio e estabelecer as normas tidas como imprescindíveis. Por exemplo: se deputados e senadores vem empurrando com a barriga a proposta do financiamento público das campanhas, caberia ao TSE dispor sobre a questão. Pelo menos para limitar as contribuições particulares dadas aos candidatos. Por que não estabelecer regras mais rígidas para a cassação dos registros de quem for flagrado em ilícitos?
Depois vem as queixas e reclamações a respeito da interferência da Justiça Eleitoral em temas da competência do Legislativo, mas como em política não há espaços vazios...
UM EXEMPLO A SER SEGUIDO?
Em 1960 o major Ney Braga era candidato ao governo do Paraná. Sucederia a Moisés Lupion, de péssima imagem local e nacional, tido como esbanjador de recursos públicos, para dizer o mínimo. Sentindo que seria eleito, Ney começou a praticar um crime, nos palanques: exortava empresários e cidadãos em geral a não pagarem os impostos devidos, porque o dinheiro iria para os cofres e até para o bolso do governador. E prometia ampla anistia fiscal assim que empossado. Foi o que aconteceu.
Guardadas as proporções, e com todo o respeito, mas bem que o exemplo do Paraná podia pegar em Brasília. Pagamos religiosamente os impostos, mas a todo momento falta energia, bairros inteiros carecem de saneamento, o trânsito virou um caos, a segurança pública é uma lástima, os transportes coletivos andam sucateados e o desemprego reúne multidões de camelôs e de pedintes em torno dos semáforos. Será para isso que pagamos impostos? Melhor seria não pagar, mas o problema é que eleições, aqui, só em 2014...

Macri rechazó el traspaso del subte y pidió una reunión con la Presidenta


Lo anunció el jefe de gobierno porteño luego de que la ministra Garre ratificara el retiro de la Policía Federal del servicio; el líder de Pro advirtió que el valor del boleto quedará a consideración del gobierno nacional; "Iremos tranquilos a la Corte. Defendemos a la gente", dijo
Por Enriqueta Sollares

Rodeado por todo su gabinete, Mauricio Macri anunció esta tarde que rechazó el traspaso del subte a la ciudad, tal como había acordado a fin de año junto al gobierno nacional. Así lo sostuvo el jefe de gobierno porteño luego de que esta tarde la ministra de Seguridad Nilda Garré ratificara que la Nación quitará a la Policía Federal como fuerza de seguridad del subte. Además, pidió una reunión con Cristina Kirchner para resolver el conflicto.

Mauricio Macri

"Así no se puede seguir. Hace falta resolver con seriedad. No podemos hacernos cargo de estos diez años de falta de inversión", aseguró Macri en la parte más encendida de su discurso. "Por eso, decidimos suspender el trabajo de la comisión en función del traspaso del subte a la ciudad", agregó.
El líder de Pro hizo hincapié en las condiciones de los subtes. "El subte es parte de la realidad del transporte en la Argentina. Ha sufrido el mismo proceso de desinversión. Hay una enorme lista de obras que por contrato que no se han hecho. La falta de inversión pone en peligro la seguridad del subte", lanzó el jefe de gobierno, apenas una semana después de la tragedia ferroviaria de Once en la que murieron 51 personas.
"Esta decisión tiene que ver con la realidad del sistema de transporte metropolitano, y la tragedia de la línea Sarmiento en Once es consecuente de la desinversión de este sistema. El gobierno de la ciudad no puede hacerse cargo de estos diez años de desinversión", agregó. El jefe de gobierno porteño se quejó por la falta de colaboración del Gobierno. "Estamos para colaborar con el gobierno nacional pero de esta manera no se pude. No da para más este tipo de convivencia. Falta generosidad y menos mezquindad. Deben hacerse cargo de sus responsabilidades", lanzó. Uno de los primeros inconvenientes que debió enfrentar la administración porteña fue la quita del presupuesto por parte del Ejecutivo nacional. Apenas unos días después, el macrismo decidió aumentar la tarifa del subte.
"Sacó el 50% del subsidio y nosotros debimos subir el precio del boleto. Si la Nación decide devolvérnoslo, se modificará el precio", dijo Macri. Y enseguida aclaró que, desde mañana, la tarifa del subte quedará a cargo del Gobierno.
Reunión con Cristina Kirchner
Más tarde, el jefe de gobierno porteño pidió una reunión con la Presidenta para "encontrar una solución" al conflicto desatado por el traspaso de los subtes.
"Me he puesto a disposición de la Presidenta pidiendo una reunión, sin flashes, una reunión de trabajo por la gente. Queremos colaborar, queremos hacer cosas porque tenemos un bueno equipo, pero necesitamos dialogar y una relación respetuosa para encontrar una solución a temas que ponen en riesgo la vida de la gente", enfatizó Macri, en diálogo con C5N. Luego de remarcar que rechazó el traspaso de los subtes debido a la falta de respuestas del gobierno nacional para trabajar en forma conjunta, el líder de Pro advirtió que llevará el asunto a la Corte Suprema de Justicia, en respuesta a las declaraciones del vicepresidente Amado Boudou.
"Iremos tranquilos a la Corte. Defendemos a la gente, tiene que viajar segura y cómoda. No puede seguir viajando de la forma que están viajando", afirmó..

Macri rechazó el traspaso del subte y pidió una reunión con la Presidenta
Lo anunció el jefe de gobierno porteño luego de que la ministra Garre ratificara el retiro de la Policía Federal del servicio; el líder de Pro advirtió que el valor del boleto quedará a consideración del gobierno nacional; "Iremos tranquilos a la Corte. Defendemos a la gente", dijo
Por Enriqueta Sollares

Rodeado por todo su gabinete, Mauricio Macri anunció esta tarde que rechazó el traspaso del subte a la ciudad, tal como había acordado a fin de año junto al gobierno nacional. Así lo sostuvo el jefe de gobierno porteño luego de que esta tarde la ministra de Seguridad Nilda Garré ratificara que la Nación quitará a la Policía Federal como fuerza de seguridad del subte. Además, pidió una reunión con Cristina Kirchner para resolver el conflicto.

Mauricio Macri

"Así no se puede seguir. Hace falta resolver con seriedad. No podemos hacernos cargo de estos diez años de falta de inversión", aseguró Macri en la parte más encendida de su discurso. "Por eso, decidimos suspender el trabajo de la comisión en función del traspaso del subte a la ciudad", agregó.
El