" O blog das Novidades "

 

 

" Os regalitos" da ARI!

11ª Semana Hipólito José da Costa - Semana da Imprensa

A Semana Hipólito José da Costa, instituída pela Lei Estadual nº 11.300, de 29 de dezembro de 1998, é comemorada todos os anos a partir de 1º de junho, aludindo ao surgimento do jornal Correio Brazilense. A iniciativa, sugerida pela Associação Riograndense de Imprensa e aprovada pela Assembléia Legislativa, objetiva reverenciar a memória do primeiro jornalista brasileiro e primeiro redator político, econômico e de costumes em língua portuguesa.

O programa da também chamada Semana da Imprensa, este ano em sua 11ª edição, prevê os seguintes eventos:

Dia 30 de maio (sábado), das 10h30min às 15 horas

Locais: Salão Nobre Hipólito José da Costa e Bar Social, no 8º andar da sede da ARI, localizada no Edifício Alberto André (Av. Borges de Medeiros, 915 – POA)

Eventos

* Apresentação da Programação da Semana da Imprensa 2009

* Lançamento do site www.midiaRS.jor.br que se propõe a desenvolver a análise crítica da imprensa. Iniciativa do jornalista e professor Mário Villas-Bôas da Rocha, vinculado ao Departamento de Comunicação (Decom) da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação (Fabico) da UFRGS.

* Painel “Hipólito, o precursor”, com a participação do jornalista Lauro Schirmer, diretor do Museu de Comunicação Social Hipólito José da Costa, vinculado à Secretaria de Cultura do RS, e do pesquisador Carlos Roberto Costa Leite, do mesmo museu,

* Encontro de confraternização dos sócios e convidados.

* Transmissão ao vivo do programa “Conversa de Jornalista”, pela Rádio da Universidade (das 12h às 12h30min, freqüência 1080 AM)

Dia 1º de junho (segunda-feira), às 11 horas

Dia da Imprensa, instituído pela Lei federal 9831, de 13.09.1998

Local: Gabinete da Presidência da Câmara Municipal de Porto Alegre

Eventos:

* Assinatura de protocolo entre Câmara e ARI, envolvendo o acervo do jornalista, professor, advogado, vereador e presidente da ARI, Alberto André.

* Sede da ARI: manifestação sobre o Dia da Imprensa

Dia 3 de junho (quarta-feira), às 17 horas

Local: Bar Social da ARI:

Eventos:

* Reunião especial do Conselho Deliberativo do DEMHAB,

* Descerramento de quadro histórico,

* Coquetel de confraternização

Dia 4 de junho (quinta-feira), às 19 horas

Local: Sede da ARI – Salão Nobre

Eventos:

* Lançamento da 51ª edição dos Prêmios ARI de Jornalismo, com patrocínio exclusivo do Banrisul.

* Instalação da Comissão de Mobilização para reforma do Edifício Alberto André, integrada pelos membros titulares e suplentes do Conselho Deliberativo da ARI.

* Depoimentos de autores das “45 Reportagens que Fizeram a História”, consolidadas em livro editado por Zero Hora e lançado em 5 de maio passado.

Dia 6 de junho (sábado), das 10h30min às 15 horas

Local: Sede da ARI - Salão Nobre e Bar Social

Eventos

*Palestra “Comunicação em Tempos de Crise”, com o professor André Arnt, consultor de empresas e diretor da Coletiva

* Homenagem especial a jornalistas que completaram 80 anos e permanecem em atividade.

* Encontro de confraternização dos sócios e convidados.

* Transmissão ao vivo do programa “Conversa de Jornalista”, pela Rádio da Universidade (das 12h às 12h30min, freqüência 1080 AM).

Barzinho da ARI volta ser opção com o frio!


Em um barzinho da ARI, o autor de manta o radialista Enio Rockemback com fones de ouvido, Leila Weber e um desconhecido sentados. Faltam os famosos amendoins duros

Nesta sábado, embora os amendoins seja escassos, vale a pena ir no barzinho da ARI(funciona das 11 as 14h30min) quando o zelador Adolar " encerra os trabalhos".

Tem ceva, uísque,( 3 pilas a dose do nacional, 4 do estranja) martini...

Um tradicional frequentador dos últimos anos não estará neste sábado por motivos óbvios...

Diz a historiografia oficial que o barzinho da ARI nasceu da seguinte forma:

morreram vários jornalistas um atrás do outro( pra alegria das autoridades...)

Alberto André, o eterno presidente da entidade, chamou um cardiologista pra dar uma palestra. O médico aconselhou aos jornalsitas a descontraírem

relaxarem mais pois a profissão é estressante....

Alberto André abriu o bar que no começo tinha ceva de graça dada pelo relações públicas da Antartica, o Cora.

Depois é que esta mamata a cabou...

Nos últimos 10 anos, o barzinho ainda tem um adicional: de lá é apresentado o programa CONVERSA DE JORNALISTA da rádio da UFRGS das 12h às 12h30minutos. Os apresentadores, devidamente pagos pela universidade, são Glei Soares e Ênio Rockembach.

Outro assíduo frequentador ali foi o falecido Barão, dono do Kronica, que tinha a mania de chamar o Vanderlei Soares de Wandergay.Uma manhã, o Vanderley se estressou com ele, mas não passou disto.

Vi muitos furunchu dentro do barzinho, mas depois tudo terminava na santa paz, ou com alguns não se falando durante anos.

Minha Casa Minha Vida

O Sinduscon promoveu ontem,durante toda a tarde, debate sobre o programa Minha Casa Minha Vida do Governo Federal. Pela manhã, representantes da CEF e da CICB deram coletiva no Sinduscon sobre o novo projeto do Governo Brasileiro que prevê construção de moradias para a população pobre!

Foto: claudio bergmann

Coleguinhas

*Breno Caldas, que foi dono do Correio do Povo, costumava ter um cabide na sala e deixava lá um casaco pendurado. Sempre que era chamado ou que tinha que ir ao Palácio Piratini,ou outro evento, botava o casaco. Mas no dia a dia usava camisa comum.
Quem lembrou disto foi o arquiteto Luiz Nei Rezende da Silva, filho do Adail, que foi secretário muitos anos do Correio do Povo.

* Diz o Luiz Nei que o poeta Mário Quintana tomava seus porres e depois pegava no sono encima de sua mesa de trabalho.

* Outro personagem que foi lembrado por ele: Arquimedes Fortini. Um dia o pai de Luiz Nei,Adail, chegou no Correio e encontrou o velho Fortini chorando. O que houve,afinal?
- O Breno me mandou embora,queixou-se Fortini.

Adail foi falar com o dono do jornal.
- Não mandei ele embora, só que ele não tira férias há 30 anos e mandei ele tirar umas férias.

Luiz Nei diz que Breno sempre lhe dizia:
- Tu é o meu arquiteto.
Luiz Nei trabalha no Sinduscon.

Operadores de turismo e jornalistas peruanos chegam à Capital

Depois de receber um grupo de operadores de turismo de Portugal, que estiveram na cidade na semana passada, Porto Alegre recepciona profissionais peruanos interessados em conhecer os atrativos, as estruturas receptivas e potencialidades turísticas da capital gaúcha. Do grupo, de 11 integrantes, participam seis jornalistas dos principais veículos da imprensa peruana.

O objetivo da viagem é conhecer as cidades do Sul do Brasil, num roteiro que se iniciou por Gramado, na última segunda-feira. Denominada "Um Brasil Diferente", esta viagem de familiarização visa apresentar a região como um destino diferenciado dentro do país. O convite partiu das secretarias municipais de Turismo de Porto Alegre e da cidade serrana, das empresas Terra Turismo e Marta Rossi e Silvia Zorzanello Feiras e Empreendimentos, com o apoio da Embratur, Aerolineas Argentinas e Travel Ace Peru.

Agenda – O grupo chega a Porto Alegre e fica hospedado no Vila Ventura Hotel. Hoje, 29, Operadores e jornalistas cumprirão um roteiro intenso, que se iniciará às 9h30 na Secretaria Municipal de Turismo (SMTUR), onde serão recepcionados pelo secretário municipal de Turismo, Luiz Fernando Moraes, que em sua recente participação no 11° Salão Internacional de Turismo (SIT), ocorrido na capital peruana, de 21 a 23 de maio, acertou detalhes da visita. Na SMTUR, os visitantes terão contato com danças e músicas tradicionalistas que serão apresentadas pelo grupo Os Gaúchos.

Às 10h30, o grupo embarca no Linha Turismo para um city tour no Centro Histórico, seguido de almoço no Galpão Crioulo. À tarde, o roteiro incluirá visitas aos museus de Ciências e Tecnologia da PUC e da Fundação Iberê Camargo. No final da tarde, os peruanos conhecerão o bairro Moinhos de Vento, onde participarão de happy hour e jantar. A comitiva retorna ao Peru no dia 30 pela manhã. Na realização do roteiro a SMTUR conta com a parceria da Turis Silva, que fará o transporte do grupo na cidade, da Abrasel (Associação de Bares e Restaurantes do RS), além do Vila Ventura e dos locais que serão visitados.

Pesquisa

Alguém ai tem esta informacao? passe pra pesquisadora. O editor.

"Seu Olides!

Muito obrigada pela atenção. Entrei em contato com o Ari e ele me passará o telefone da Verinha amanhã.

Durante as minhas pesquisas - modestas em virtude do tempo - soube que uma das primeiras mulheres a trabalhar com esporte no rádio no estado foi a Eva de Mendonça, a quem chamam de Evinha.

De acordo com o seu Ary dos Santos ela ajudava o departamento de esporte da Rádio Gaúcha na década de 60.

Por acaso o senhor conheceu a Evinha ou teria alguma informação sobre o trabalho dela?

Um grande abraço e mais uma vez obrigada pela sua atenção.

Bruna - brunaprovenzano@gmail.com"

Líder do PDT manifesta apoio ao Sinttel contra demissões na Oi

As demissões na empresa de telefonia Oi, que adquiriu a Brasil Telecom, preocupam o líder da bancada do PDT na Assembleia, deputado Adroaldo Loureiro, que nessa semana esteve reunido com o presidente do Sindicato dos Telefônicos do RS (Sinttel) Flávio Silveira Rodrigues. O parlamentar garantiu apoio da bancada ao movimento da categoria pelo fim das demissões e pela reposição das vagas. Em apenas cinco meses operando no Estado, a Oi já demitiu 50 trabalhadores. No país, as demissões na empresa atingem mil pessoas.

Rodrigues diz que a empresa não está obedecendo acordos firmados no momento em que comprou a Brasil Telecom, de que os 15 mil postos de trabalho, em todo o Brasil, seriam mantidos até 2011. "Já levamos esse assunto ao ministro do Trabalho (Carlos Lupi), aos senadores gaúchos e aos deputados federais. Agora, estamos nos reunindo com os nossos deputados estaduais. Ficamos contentes com a manifestação de apoio do líder do PDT na Assembleia", comentou o presidente do Sinttel.

A intenção do sindicato é colher assinaturas para depois acionar a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), órgão responsável por regular o setor, já que as demissões comprometem a segurança do trabalho e podem ocasionar problemas sociais.

Programa de fim de semana!

Não esqueçam: tem o MAGRO DO BONFA no teatro da AMRIGS( minha filha Ana,quando pequena, ia com sua mãe na entidade e como não conseguia pronunciar a sigla correta dizia AMURIGS). Pois tem o Damasceno as 21 horas sexta e sábado e as 20 horas no domingo. Sobre o personagem MAGRO DO BONFA, o Pena Fróes sempre reinvidica pra ele a autoria do personagem, que teria sido encampada pelo André Damasceno. Mas isto são problemas deles, não meus....

O Damasceno estava dias atrás numa mesa grande na churrascaria Barranco,onde sempre está presente além de outros, o chargista Marco Aurélio.

A vida como ela é....

Personagem de Hoje...

O REVEL

Advertência: os fatos aqui narrados são mera invenção não havendo nenhuma veracidade. Qualquer semelhança com fatos reais é mera coincidência.

Um profissional com curso superior, que já militara em empresas importantes, e também em órgão público, teve no começo da década numa madrugada uma desavença com um taxista.

Não se conhece os detalhes da desavença, nem quem tinha razão ou não. O que aconteceu foi que o taxista foi baleado pelo profissional, que acabou no Presídio Central, mas em seguida foi solto.

De lá para cá o processo correu,sem que o profissional tenha apresentado a defesa. Dias atrás, o profissional foi preso em casa, quando se preparava para o trabalho. Os agentes da lei chegaram e ele ainda pensou que fosse uma mera intimação, que não iam levá-lo detido pra delegacia de Capturas.
O fato é que desde que começou a correr o processo - tentativa de homicídio - ele fora intimado mais de 30 vezes. Em nenhuma compareceu. Era revel no processo.

Quando os agentes da lei foram prendê-lo por decisão do juiz, perguntaram a sua acompanhante:
- Você o que é dele, esposa, namorada.
Ela prontamente r ebateu:
- EX-namorada.

Deixou o cara ali na hora, mas apesar de não mais se considerar namorada continuou dando-lhe assistência.

Da Delegacia de Capturas, o preso fez algumas tentativas de arrumar um advogado, mas com todos que foi possível contatar não houve resultado.Ligou pra um deles e disse:

- Preciso que me faças um habeas corpus,fulano.

Ele desculpou-se dizendo que já não podia, porque já o defendera no começo do processo.Um outro advogado contatado pelo X pelos serviço mas o profissional preso não dispunha da quantia que teria que ser paga antecipadamente.

O fato é que o profissional foi levado da Delegacia de Capturas para o Presídio Central, onde ficou aguardando um habeas corpus.

Memória Política


O dedo do senador Pedro Simon

Dedo de Simon quase foi mordido por Ignez Pinto de Moraes

Na decada de 80, o senador Pedro Simon perdeu a eleição para governador para Jair Soares por apenas 22.373 votos. Simon ficou muito " mordido" com isto e depois se preparou pra ganhar em 1986( e ganhou mesmo). Mas nas reuniões que tinha com o movimento feminino do PMDB sempre tinha rixas grandes com as mulheres que militavam no partido naquele tempo. Uma das aguerridas militantes era Ignez Pinto de Moraes, mulher do famoso pintor das locomotivas, Glauco Pinto de Moraes(de Pelotas).

E Simon nas discussões levantava seu dedo em risto. Ignez, que não era de se dobrar tão fácil, dizia pro senador:

- Simon, abaixa este teu dedo porque senão te mordo ele.

Aí o clima tenso descontraía e a conversa voltava a ser normal.Lembrei-me do episódio ao ver a foto publicada na cap a do Correinho no último domingo,dia 24/05.

Coleguinhas

* Piadinha maldosa que corre na salinha J.C. Terlera( na ALE): a Ieda Risco( repórter) nunca será carregada no colo como sua tocaia o foi dias atrás em Erechim. Sorry,periferia, como dizia o grande colunista Ibrahiam Sued..

* Outra das maldades: faz falta o Dr. Arsênico,personagem que Armando Burd tinha na sua coluna do Correinho. Hoje as colunas políticas são na sua grande parte inodoras e insípidas...Medo de processo?

*Coleguinha poderá vir a montar uma publicação com o nome de " A Voz do Cárcere" diretamente da Galeria 8, do Presídio Central.Com todo o respeito!

* Que pena que o Antoninho Gonzalez, que foi presidente da ARI e diretor da FAMECOS
não deixou suas memórias. Sabia muita coisa, principalmente por ter sido editor de Polícia da Folha da Tarde, quando o jornal tinha grande prestígio.

*Os que insistiram pra que Antoninho depusesse encontraram a seguinte barreira: sem da r os nomes, ele achava que não teria graça. E acho que tinha razão. O livro da Terezinha Irigaray ficou sem graça, porque ela não dá nome aos bois...

*O Antoninho Gonzales,quando diretor da Famecos, mostrava pro reitor da PUC, Irmão Otão,o prêmio que a Famecos sempre ganhava da revista Playboy por ser uma das melhores faculdades de jornalismo do país. E ele chegava com a revista de mulheres peladas na frente do religioso que ficava meio constrangido.
* A fotógrafa Avani Mansfield Stein está morando de novo em Porto Alegre, depois de mais de 30 anos fora daqui.Está morando na av. Alegrete. Quando saiu daqui em 1975/76 morava na av. Palmeira. Sua casa hoje é um edifício.

*Sempre digo embora isto não tenha lá sua importância: Avani foi a única mulher que vi na vida a deixar uma situação estável financeiramente pra seguir seus sentimentos. Que eu vi, foi a única....Também não sei que valor isto tem...

Rescaldos de Serafina

* Já dizem maldades sobre o novo prefeito que recém botou a bunda na cadeira. Tudo a ver com uma pintura que foi feita na ponte do rio
Carreiro, que os serafinenses agora dizem o " camping". No meu tempo de guri, era o Carreiro mesmo!

* Tem um morador do Rio Carreiro, ou do Camping, que apesar de ser negro, entra na prefeitura cumprimentando todo mundo só em talian.
É engraçado, mas este aprendeu a dançar conforme a música. No meio dos gringos, ele aprendeu a língua deles e se adaptou. É a lei da sobrevivência.

*O Mazzarino( do GUAXO) de Encantado que gosta destas Coisas do Interior:a política é uma RONHA só. Um partido não frequenta o bar do outro a churrascaria do outro.Agora em Serafina, por exemplo, os MASSOLINI, uma família tradcional( não rica) de lá cujo pai foi o segundo prefeito e um filho governou a cidade por 10 anos( Sérgio Massolini, do PFL) voltou a frequentar a prefeitura, d epois que ficaram 12 anos na Oposição. Agora estão aliados ao PP que assumiu o poder...

*A ( excelente) vereadora Lucimar Magon(PTB) por exemplo, foi "arrastada" morro abaixo na última eleição tudo porque seu marido, Nestor, que já fora preso acusado de compra de votos, foi candidato a prefeito e botou tudo a perder. Germano Rigotto sempre que vai a Serafina se hospeda no hotelzinho deles, por sinal muito bonito mas simples, chamado CA DEI MONTI.

*Mais uma da política: meses atrás, o presidente estadual do PT Olívio Dutra esteve num sábado, num seminário sobre a crise internacional no sindicato dos trabalhadores em alimentação, que é forte, por causa da Perdigão.Ao meio dia Júlia Santin e seu filho Frederico foram no almoço em que Olívio estaria porque o cunhado,Irceu,tinha comprado os convites. Na hora em que Olívio entrou, foi na mesa da Júlia e do filho e perguntou:
- Como vai esta casalzinho?
- É meu filho,respondeu a Júlio que se sentiu elogiada por causa disto.

*Diz o Julinho Pacheco, da Rede Vida de Televisão, que o único vagabundo que havia em Serafina mandaram embora anos atrás. Entendi a piada. Se referia a mim...

*A simpatia do padre atual vale a pena. Podem procurá-lo atrás da Igreja que ele está sempre com a porta da casa aberta e recebe a todos prum papinho. Além de ser um sujeito simples( natural de Nova Bassano) é muito culto, mas não esnoba por isto...

*Serafina é hoje uma Arataca( a cidade onde se criou Gabriel Garcia Marques, o escritor colombiano Prêmio Nobel de Literatura tão bem descrita em Viver para Contar-la, seu livro de memórias ).Serafina nada mais tem a ver com 40 anos atrás, quando era uma simples vila, com uma rua central e se sentia o cheirinho do pão de manhã cedo que saía da padaria do Wallar enquanto os operários, com seus macacões brancos, atravessavam silenciosos as pequenas ruelas rumo ao trabalho no Frigorífico Ideal.Serafina transformou-se numa cidade de forasteiros( muita gente de Pelotas e região em busca de emprego na Perdigão) e não dou 10 ou 15 anos pra ser uma cidade tão violenta quanto uma Bento ou Caxias. É que os forasteiros não tem raízes. Muitos dos que chegam nestas cidades que atraem pelo emprego atraem também gente que está fugindo da Polícia e da Justiça. Isto se via nos filmes de Faroeste.

* A nota triste de minha última ida a Serafina ficou por conta de saber que o professor Antenor Fincatto, uma rica criatura, está mal...

* Cést fini...

Bastidores do livro dos 45 anos de Zero Hora!

Foram Marcelo Rech e Ricardo Stefanelli respectivamente Diretor-Geral de Produto do Grupo RBS e Diretor de Redação de ZH que escolheram as reportagens que acabaram dando no livro dos 45 anos da ZH. " Predominaram as matérias feitas nos anos 90 e 2000 " disse uma fonte que está bem por dentro do processo em que passaram as matérias para serem selecionadas para comporem este livro.Coincidentemente os anos 90 e 2000 são os que Marcelo e Ricardo subiram,digamos assim, ao poder na ZH.Marcelo,que era repórter especial passou a editor-chefe nos anos 90 e Ricardo o substituiu no ano passado.

" Foram selecionadas mais de 200 matérias pra o livro, mas quem escolheu as que seriam publicadas no livro foram o Marcelo e o Ricardo" disse a mesma fonte.

Uma das matérias que acabou ficando de fora do livro dos 45 anos de ZH foi o caso do cabo uruguaio Hugo Rivas, publicada por ZH na sexta-feria 13/06/1980,assinada por Carlos Alberto Kolecza( mas na qual teve grande participação Paulo Maciel, porque foi na casa dele que ficou escondido o cabo nos quase dois meses em que permaneceu fugitivo do Uruguai esperando um passaporte para a Noruega)

Há quem ache que esta matéria não foi selecionada porque o repórter Kolecza já entra no livro com a cobertura que fez no Vietname em 1967. " Seriam então duas matérias dele" pensaram alguns.

O diretor-editor de ZH, Lauro Schirmer, que dirigiu o jornal entre 1970 e 1990 muito lutou para que a reportagem do cabo Hugo Rivas, um caderno especial de 8 páginas e que ganhou o Premio ARI de Jornalismo de 1980 entrasse no livro." O Lauro lutou muito por isto, mas a reportagem ficou de fora do livro" comentou a mesma fonte.

Seria plágio?

A famosa crônica " Há um Homem pelas Ruas....." publicada por ocasião da morte do presidente Getúlio Dornelles Vargas em 24/08/1954 e assinada por Sérgio Jockyman seria um plágio feito emcima de um texto feito por um jornalista norteamericano que a teria escrito por ocasião da morte do presidente norteamericano Lincoll.A " descoberta" do plágio teria sido feita só uns seis meses depois da publicação da crônica!


Esta cronica seria um plágio. Teria sido escrita por ocaosião da morte de Abraão Lincoln

Deputado Loureiro agraciado com prêmio!

O deputado estadual Adroaldo Loureiro(PDT)-RS foi um dos cinco deputados gaúchos agraciados com o Mérito Legislador dado pelo Instituto de Desenvolvimento Estadual Legislativo. O prêmio foi entregue na noite de terça última no Senado Federal. Os outros quatro deputados estaduais do RS que ganharam foram Berfram Rosado(PPS) Cassiá Carpes(PTB) Paulo Brum(PSDB) e Francisco Appio(PP).

SEMINÁRIO NO SINDUSCON-RS DEBATE PROGRAMA “MINHA CASA, MINHA VIDA”

Será realizado na próxima quinta-feira (28) em Porto Alegre o Seminário “Minha Casa, Minha Vida: ajustes e avanços”, numa iniciativa do Sinduscon-RS, Câmara Brasileira da Indústria da Construção – CBIC – e da Caixa Econômica Federal. O evento terá início às 14h, no Teatro Sinduscon-RS.

Na oportunidade, serão analisados pelos participantes os primeiros resultados e esclarecidos os detalhes do programa, lançado no final de março pelo governo federal que prevê a construção de 1,0 milhão de moradias para famílias com renda de até 10 salários mínimos.

O evento terá a presença do vice-presidente da CEF, Jorge Hereda e do presidente da CBIC, Paulo Safady Simão.

No primeiro painel, o tema em debate será Construção da Política Nacional da Habitação: análise do andamento dos projetos Moradia Digna (campanha nacional pela garantia de recursos permanentes para a Habitação Social) e PEC 285 (Proposta de Emenda à Constituição que redireciona, durante 30 anos ou até a eliminação do déficit habitacional do País, 2% da arrecadação de tributos e contribuições da União e 1% dos Estados e Municípios).

No segundo Painel, ocorrerá a apresentação do programa “Minha Casa, Minha Vida” e seu andamento.

Ao final, haverá debate com a participação dos parceiros do programa, representantes do Governo do Estado, dos municípios gaúchos e do setor da construção.

ÀS 11H, O VICE-PRESIDENTE DA CAIXA, JORGE HEREDA, O PRESIDENTE DA CBIC, PAULO SAFADY SIMÃO E O PRESIDENTE DO SINDUSCON-RS, CARLOS ALBERTO AITA, CONCEDERÃO ENTREVISTA COLETIVA À IMPRENSA SOBRE O “PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA”. A COLETIVA SERÁ REALIZADA NA SEDE DO SINDUSCON-RS, AV. AUGUSTO MEYER, 146. FAVOR CONFIRMAR PRESENÇA COM A TODT COMUNICAÇÃO – FONES (51) 3228.7270/3228.7261 OU E-MAIL todtcom@terra.com.br.

Rescaldo de Serafina

* Domingo passado também tinha sol em Serafina, onde este repórter estava. E vi na frente da prefeitura o programa Voce del Vêneto,da Odisséia FM sendo transmitido do vivo. Diz o Paulo Massolini, médico e vereador de lá, dono deste programa e da rádio onde ele é apresentado que agora o Talian não é mais dialeto, é língua. Bom, se ele diz, tá dito.

* Uma historiadora de Serafina me disse que este negócio de italianidade está sumindo das cidades que tiveram origem com imigrantes italianos. Filhos e netos não querem mais saber disto.Mas tem alguns moradores sinceros ainda tentando manter, outros tão mantendo isto de olho em verbas da Italia, ou de alguma viagem pra lá, com tudo pago...

* O prefeito de Serafina, Ademir Presotto,(PP) está enfrentando um processo de cassação. Teve audiência dias atrás, mas nada foi resolvido.

* Presotto, está mostrando sangue novo no município. Segunda de manhã, 7h30horas reunião do secretariado. A turma tá tendo que acordar cedo.

*Pode ser entusiasmo inicial, depois isto passa...

* Dizem ainda no município que o ex-prefeito Valcir Segundo Reginatto, o Polaco, não teria feito muito força pro seu vice, Luis Gheller, candidato do PMDB a sua sucessão, vencer a eleição. Tanto que a primeira dama de então,Rosa Helena teria passado os últimos 15 dias da campanha de 2008 em Porto Alegre, onde tem uma filha que estuda. Na última semana, o marido, Polaco, também mudou-se pra Porto Alegre.

*O PMDB tinha ficado os últimos 12 anos na prefeitura de Serafina. No começo do município, amargou 28 anos pra chegar ao poder. O município fez sua emancipação em 1960 e o PMDB só chegou ao poder com Luís Gheller em 1988.

*Estas ronhas da polí tica do interior, me fascinam:eu sei que são mesquinhas, mas são do ser humano.

* Uma outra do atual prefeito Presotto, de Serafina:está adotando o estilo Jair Soares de governar:dias atrás, ele deu uma incerta no posto do INPS e tinha lá um monte de gente pra ser atendido. E os médicos na cozinham faziam um lanche, ou uma refeição. O prefeito pediu aos médicos que façam seus lanches,sim, mas que procurem não deixar juntar muita gente no posto de saúde.

O rally da volta...

Voltei na segunda de tarde de Serafina porque de manhã tive uma reunião de trabalho. Peguei o ônibus na rodoviária da cidade, 14h45 minutos que vinha a Guaporé,cujo destino final seria Porto Alegre.

Quando comprei a passagem, a bem da verdade, fui informado que a viagem seria meio turismo. Mais rally do que turismo, propriamente dito.

Em Guaporé, ficamos parados meia hora na rodoviária, esperando o horário de 15h50 minutos pra sair. Daí descemos pela Serra, por São Valentim do Sul ( atenção historiadores das futuras biografias do Renato Portaluppi, ou Renato Gaúcho, foi aqui neste município,quase a beira do rio das Antas que o ex-jogador, hoje treinador, nasceu e não em Bento, ou Guaporé, como muita gente diz por aí....). Mais paradinha em Santa Bárbara,. já à beira do rio das Antas, descortinando uma paisagem de cinema.Aos poucos fomos deixando pra trás os grandes aviários do interior de São Valentim e fomos entrando na região dos parreiras. É impressionante nas localidades que conseguiram plantar parreiras. Numas encostas brabas, as parreiras parecem " subir" pelos morros.

Atravessamos o rio das Antas, não pela ponte aquela que é símbolo do DAER - entre Veranópolis e Bento,acho que o nome da ponte é Ernesto Dornelles - mas antes o motora deu uma paradinha numa lancheria e venda.Em cinco minutos deu pra tirar a barriga da miséria e comprei pacotes de bergamotas a 1 pila ao saquinho. Bergamotos muito boas, por sinal, mesmo que ainda não tenha dado geada, sim porque bergamota boa, gaúcha, esta que dá muito aqui no Vale do Caí é boa mesmo depois que pega uma geada...

Anoitecia quando entramos em Bento....

Bento, tchô....como dizem os gringos da Serra....

Mas depois a maratonas foi ficando cada vez mais cansativa:Garibaldi,Carlobs Barbosa, S.Sebastião do Caí, Bom Princípio, Feliz , São Leopoldo e não sei quantas paradas a beira da rodovia.

Levamos de 6 a seis horas pra chegar, porque o ônibus encostou na rodoviária da capital 20h45 minutos. Ufa, como disse um passagem. Fim do rally.

Agora que a paisagem do rio das Antas é majestosa, ah, isto é...Pegamos uns pequenos trechos de rodovia sem asfalto, mas pouca coisa.

Vergonha!

É uma vergonha, pra não dizer falta de respeito, como está a parada de ônibus da linha TV da Trevo, na Salgado Filho. O teto acabou de cair pela metade? O que faz a prefeitura, a não ser arrecadar impostos????

Coleguinhas

* Coluna da Rosane de Oliveira citou,dia 26/05, que" jornalista de Zero Hora" ouviu comentários na mesa em que jantava o vice-governador Paulo Afonso Feijó, no último sábado, no CHEZ PHILIPPE. Pô, mudaram os tempos,hein !Acabaram os tempos das vacas magras?Pros " jornalistas da Zero Hora" não pro vice-governador...

* Rogério Mendelski deu uma paulada em Germano Rigotto,dias atrás, na Guaíba. Rigotto iria fazer palestra sobre precatórios e Mendelski incluiu na notícia comentário " maldoso": " Pô,logo ele que não pagou nenhum". Pô,digo eu, não foi um comentário semelhante que acabou fazendo Mendelski bailar da Gaúcha?

* Coleguinhas estão referindo-se em programas de rádios aos sites como " coluna"...

* E o serpentário,como andará? Aquilo está mais pra cemitério de elefantes....

* Mesmo octogenário, o fotógrafo Leo Guerreiro, preferido profissional de Paulo Raimundo Gasparotto, fuma adoidado no serpentário....

*Saudades do veneno da coluna do Armando Burd no Correinho. Está tudo tão insípido nos últimos tempos...ou sem sal mesmo, como se dizia....

Acidente

Este acidente foi na noite do dia 2 de maio pra três na RS-129, na linha Nona,entre Guaporé e Serafina Correa e morreram dois jovens.

Cidadania do deficiente visual será tema de palestra em Esteio

A cidadania do deficiente visual será tema de debate no próximo dia 28, às 18 horas, na Sala de Sessões Alberto Pasqualini, na Câmara de Vereadores de Esteio. A palestra, que terá como pauta "O deficiente visual em busca da cidadania", é um pedido da presidente da Câmara, Michele Pereira (PT), com apoio da Associação de Deficientes Visuais de Canoas (Adevic) .

Painel : "O Deficiente visual em busca da cidadania"

Quando: 28 de maio, quinta-feira, às 18h
Onde: Plenário da Câmara de Vereadores de Esteio – Rua Henner de Souza Nunes, 150 - Centro
Com: Prof. Eri Domingos da Silva (Adevic), profissionais que prestam serviços na entidade.

Gabinete da presidenta da Câmara de Esteio, vereadora Michele Pereira

Contatos: 51) 3458-5013 , (51) 3458-5014

Noite em Paris

Paris sempre é uma atração principalmente para o turismo internacional! Clique aqui para ver as imagens.

ÚLTIMA SEMANA PARA USAR FICHAS E TÍQUETES NAS EMPRESAS DE ÔNIBUS QUE INTEGRAM O TEU!

A partir de 1º de junho, as tradicionais fichas e tíquetes em papel perderão a validade. Usuários poderão pagar a passagem somente através do bilhete eletrônico TEU! ou em dinheiro.

O Sistema de bilhetagem eletrônica da Região Metropolitana, o TEU!, entrará em uma nova e importante etapa a partir do próximo dia 1º de junho. Nesta data, os tíquetes e fichas, ainda em circulação, deixarão de ser aceitos para o pagamento das passagens, marcando, assim, a implantação total do cartão eletrônico. Os usuários das empresas de transporte coletivo que integram o serviço - Sogal, Sogil, Soul, Evel, Rio Guaíba, Val, Vicasa, Transcal, Viamão e Itapuã já foram informados da mudança desde o mês de abril, quando iniciou a veiculação da campanha publicitária, através de cartazes nos ônibus, jingle em rádios e anúncios em jornais.

Os usuários que ainda possuírem fichas de vale-transporte, após o dia 01/06, poderão efetuar a troca por créditos eletrônicos, mediante a apresentação do documento de compra. Esta operação será realizada exclusivamente no Posto Central do TEU!, localizado no Largo Visconde do Cairú, 12 , no Centro de Porto Alegre.

O presidente do Conselho Deliberativo do Consórcio Gestor da Bilhetagem Metropolitana, Gerson Piccoli, destaca que a iniciativa marca a consolidação do sistema de bilhetagem eletrônica, que desde o momento de sua implantação (em 2007) vem transcorrendo de maneira tranqüila e bem aceita entre os clientes. ?Até aqui podemos dizer que foi um momento de transição e que agora a totalidade das empresas e passageiros que utilizam as linhas de ônibus que integram o TEU! irão migrar definitivamente para o cartão eletrônico. Hoje, aproximadamente 90% do fluxo das viagens já é pago com o bilhete eletrônico?. O dirigente ressalta que a modernidade do sistema, como a agilidade, segurança e as facilidades que o bilhete apresenta, inclusive para a gestão e transparência do negócio, fazem desta uma tecnologia que veio para ficar.

O cartão TEU! contempla cinco categorias de clientes: trabalhadores (TEU Vale-Transporte), idosos (TEU Melhor Idade), estudantes (TEU Escolar), portadores de necessidades especiais (TEU Isento) e pessoas físicas (TEU Antecipado). O cartão Vale-Transporte é o que representa o maior volume de passageiros do sistema, com cerca de 50% dos usuários. Atualmente estão em circulação 255 mil bilhetes do TEU! somando todas as categorias de usuários.

Como aderir à bilhetagem eletrônica

As empresas empregadoras podem fazer sua adesão ao TEU! Vale-Transporte pela internet, através do site www.teubilhete.com.br,ou diretamente nos postos de venda. Economia e segurança são as principais vantagens da compra do VT eletrônico, tanto pela possibilidade de poder comprar o número exato de passagens que o funcionário irá usar em cada mês, como pelo fim da estrutura para distribuir as fichas aos trabalhadores. Além disso, oferece maior segurança tanto para empresas como funcionários, ao extinguir o vale-transporte como moeda, evitando assaltos e a venda clandestina de fichas de ônibus, além de agilizar o tempo de embarque e desembarque de passageiros, entre outras facilidades.

Todas as informações para a aquisição do TEU! Vale-Transporte e demais categorias do cartão podem ser obtidas pelo SAC: fone 3214-0404.

Mais duas rivalidades!

Esta qum me contou foi o padre Antônio Geraldo Dalla Costa,pároco de Serafina Correa:

Em P. Fundo havia a TV UM BU

Em Marau queriam por a DOIS BU

Brabinha,né....

Esta outra,então:

Em Caxias do Sul havia o Canal OITO

Em Bento, o Canal TEVEDARÉ( que traduzindo do dialeto, quer dizer, vais ver....talvez)

Estas são as briguinhas entre os municípios vizinhos....Picuinhas interioranas...

Longa Viagem:

Quando o padre Antônio estudava no seminário de Casca, pra ir pra casa, em Nova Bassano, ( que fica praticamente ao lado)tinha que pegar um ônibus que ia a Veranopolis. Ele parava em Guaporé. De lá pegava outro ônibus pra Nova Prata e de lá um terceiro pra Nova Bassano. Saía de casa de madrugada pra chegar na casa dos pais, lá pelas cinco da tarde. E o ônibus que saía de Guaporé pra Nova Prata tinha o apelido de " FICA" - porque às vezes ele atolava nos atoleiros de estrada de chão. O dono da linha e do ônibus era o Mocelin.

Violência chegou com crueldade no interior!

Passei o fim de semana em Serafina e cada vez que venho fico atordoado com o volume da violência. O Luis Carlos Fiorin, da rádio Odisséia FM se tornou o repórter mais conhecido na região porque veicula muito o cotidiano de assaltos,prisões,roubos e por aí vai de Serafina e dos arredores. Em Casca por exemplo,que alguns maldodos dizem pertencer a grande Serafina na sexta,dia 22/05, uma turma de 15 pessoa fazia um jantar quando alguém se apresentou na loja da Kaiser dizendo querer bebida. Em seguida, apareceram mais 3 pessoas e era um assalto: mais um. Levaram 5 mil reais em moeda e 60 mil em cheques que estavam no cofre.

Está assim o interior. A " bandidagem" está solta, mas também leva bala.Em Serafina existem 17 brigadianos, mas há dois anos atrás a segurança tinha chegado ao fundo do poço, conforme me disse o radialista Fiorin, que acompanha este assunto diariamente por causa do seu programa no rádio.

Coleguinhas

Clique aqui para ver uma animação com a música 'Woman', de John Lennon.

O criador da torcida COLIGAY


Erico criou a torcida coligay

Certa vez, o presidente - general João Baptista Figueiredo esteve no estádio Olímpico pra ver um jogo do Grêmio(seu time aqui no Sul) e ao entrar comentou com o presidente Irani Santana:
- Mas tem tanto veado assim na torcida do Grêmio?

Figueiredo estava se referindo a fama que a torcida Coligay do Grêmio tinha adquirido nacionalmente, nos anos 80, do século passado. Quem inventara o termo e a torcida fora justamente o plantonista de Esportes( trabalhou na rádio Alto Taquari, de Estrela, Difusora,Gaúcha,Guaíba, de Porto Alegre) Érico Guilherme Sauer.

Nascido em Estrela em 06.09.1939,filho de Orlando Sauer e de Leontina Bergesch Sauer , Érico foi zagueiro do Estrela F.C. e iniciou no jornalismo na rádio Alto Taquari, de Estrela, como repórter e plantonista.

Mas antes fora garção no bar da rodoviária de Estrela, que pertenceu a seu grande amigo porém adversário político, Eugênio Noll.
Erico foi casado com Vânia(08.10.1943) e teve os filhos Sônia Helena(20.07.1964), Sandro Roberto( 26.09.1965) Sandra Helena(20.12.1969) e Susan Helena ( 05.02.1971).

O apelido de Erico em Estrela sempre foi " BOM CABELO" mas em Porto Alegre seus colegas o conheceram sempre por MONDONGO!

Churrasqueiro do Telê Santana

Quando Telê Santana foi treinador do Grêmio, em 1977, Érico tornou-se muito amigo do mineiro que depois lhe mandava passagens pra ele ir fazer churrasco no Rio,ou em Minas.

Sua doença foi meio que um mistério: um dia seu conterrâneo, Antônio Carlos Porto, o Talo, estava julgando processos na Federação Gaúcha de Futebol(FGF) onde era juiz e lá lhe apareceu o mais famoso plantonista de esportes do Sul do país: estava magérrimo( sempre fora um homem forte e gordo) e se queixou a seu conterrâneo de estava " com sapinho na bo ca".

Porto ainda o visitou na rua Jerônimo Coelho,30/32 onde Érico residiu com a família.

Foi aliás Érico Sauer quem descobriu o talento de Sérgio Zambiazi,atual senador da República(PTB) pro rádio. Depois de levá-lo pra rádio Alto Taquari, o trouxe pra o jornalismo da rádio Difusora, dos Capuchinos, em Porto Alegre, no Morro Santo Antônio.

Ércio foi um grande radialista: ninguém teve como ele um arquivo de jogos no RS. Ele anotava a mão todo dia que tinha jornada esportiva todos os jogos e seus resultados. Quando morreu este precioso acervo ficou na rádio Gaúcha, onde Érico trabalhava quando adoeceu.

Érico Sauer, o Bom Cabelo, ou Mondongo, gostava de passar trotes . Um dia embaralhou com um trote um garção da churrascaria mais famosa do centro de Porto Alegre, a Churrasquita. Fazia passar-se por um russo e falava com dificuldade. O garção chamava o dono e quando este atendia, Érico desligava...
O rep ertório da rádio Guaíba está recheado de historinhas aprontadas pelo plantonista quando ficava lá horas e horas cuidando de colocar dados e números no ar...

Coleguinhas

* Caco Barcellos no dia 07/05 no Studio Clio não falou apenas de "amenidades" como li em algumas coberturas feitas do evento. Chegou-se a conversar sobre a liberação da maconha, que é um assunto pra lá de polêmico...

* Depois da palestra, Caco Barcellos levou uma turma de antigos amigos pro Barranco. E lá pagou a conta de todos os presentes.

* Antônio Goulart, que tem tempo pra navegar pela internet, distribuiu ontem ,dia 22/05, no Irpapos na rua da Praia, uma cópia de uma pesquisa intitulado" O pecado das posições sexuais". No mesmo folheto, dicas certas de como se relacionar corretamente sexualmente.

Eis-la,segundo o folheto do Goulart:

Posição recomendada:
" O homem e a mulher devem lavar suas partes com um litro de água corrente misturado com uma colher de vinagre e outra de sal grosso. Após isso, a mulher deve abrir as pernas e esperar o membro enrijecido do seu parceiro para iniciar a penetração. O homem, após penetrar a mulher, não deve encostar seu peito nos seios dela, pois a fêmea deve estar Orando ao Senhor para que o óvulo esteja saindo sadio ao encontrar o espermatozóide...

Depois do ato sexual:
Os dois devem orar, pedindo perdão pelo prazer do orgasmo.

Como penitência:
O açoite com vara de bambu é aceito em forma de purificação.

Galtiere(Gal.) tomou um grande porre e de porre teria declarado a Guerra das Malvinas, como ficou conhecida


Memórial Guerra das Malvinas - lhas Folklands

Uma leitora esteve agora em fevereiro passado em Ilhas FALKLANDS,ou as Malvinas, como preferem dizer los hermanos argentinos. E me trouxe fotos daquela localidade tão linda. Na medida do possível, vou publicando algumas.

As duas que publico hoje são de um memorial existente nas Ilhas Falklands e a outra e da minha leitora posando, como se diria,nas próprias Ilhas Falklands, numa pracinha onde tem grandes dentes de baleia como enfeite.

A Guerra das Malvinas tem muitas versões. Uns dizem que ela foi declarada irresponsavelmente pelo ditador-presidente da Argentina, Gal. Galtiere, que de porre, declarou a guerra que matou milhares de jovens argentinos, principalmente levados da província de Corrientes,
para lutar no gelo da Antártida.


Praça com dente de baleia.Ilhas Folklands na foto Naira Sanes

Eu x Eles - Coleguinhas


Hirano trabalhou na revista Manchete

O casal Hirano trabalhou na ZH quando ela ficava na Sete de Setembro,738!

Hajimu Hirano fotógrafo trabalhou na Zero Hora, ainda quando sua sede era na av. Sete de Setembro,738,assim que a Ultima Hora transformou-se em ZH,em maio de 1964.

Filho de Hiroshi Hirano e de Yassuko Hirano, Hajimu morou na rua da República,367. Hirano, como era mais conhecido entre os colegas, nasceu em 30.06.1944. Foi casado com a colega repórter Cecy Gloria Leite de Oliveira, que também trabalhou na Zero Hora, quando ficava na Sete de Setembro,738.
Hirano foi repórter-fotográfico da Revista Manchete. Residiu também na av. Assis Brasil, 5296/201.
O endereço da revista Manchete em Porto Alegre era na Rua Senhor dos Passos,235/8 andar. O telefone da sucursal da Manchete era 25.35.89

Os dois já não são mais marido e mulher, mas ambos tiveram esta passagem pela ZH da Sete de Setembro.


Retrato da repórter quando jovem

Cecy, que assina Cecy Hirano, nasceu em 24.04.1944, filha de João Leite de Oliveira e de Maria E. de Oliveira. Resiodiu na av. Protásio Alves, 1207/03.

Com a Cecy fomos colegas de redação na ZH, da av. Ipiranga, 1075, mas com o Hirano, nunca trabalhei. Só ouvia comentários a respeito do grande fotógrafo que era.

A Genese de uma grande reportagem

Ontem fui pesquisar a história do caderno de oito páginas de 13/6/1980 publicado por ZH sobre um soldado, o cabo Hugo Rivas, que torturou Lilian Celiberti - uma uruguaia presa aqui em Porto Alegre em novembro de 1978 - e levada para Montevideo num episódio que ficou conhecido com o sequestro dos uruguaios,- e ali está escrito que o soldado Hugo apreceu num sábado,dia 26 de abril e bateu na portaria da ZH atrás de um repórter que havia feito muitas matérias sobre a situação política do Uruguai,nos anos anteriores. O porteiro logo lembrou-se do baixinho,gordinho,metido pra caramba mas muito talentoso, de cabelos grandes e sempre de óculos escuros(diziam que era pra curar a ressaca do dia anterior) chamado Paulo Maciel.

Indicou o soldado ao Maciel.Depois que o jornal resolveu que publicaria sua história - cabo Hugo tinha torturado Lilian e agora querendo uma vida nova estava desertando do país, mas queria asilo político num país da Europa e o jornal se comprometera a consegui-lo em troca da exclusividade da reportagem . Hugo,então,sempre clandestino, regressou ao Uruguai, mais precisamente a Montevideo onde vendeu o que tinha e trouxe pra Porto Alegre sua mulher, Adriana e o filho, Marcelo. Mas achou que numa semana teria o asilo na mão. Que nada, se passaram três semanas e o Alto Comissariado das Nações Unidas não queria dar-lhe o asilo devido ao fato que fora um torturador. A cois aent~~ao encrespou.Foram 49 dias de muita angústia e no fim ZH descobriu que a VEJA tinha parte da história do soldado torturador-desertor na mão e que iria romper o acordo de silêncio e a publicaria. ZH deu-a então em 13/06/1980, numa sexta=feira, um caderno de oito páginas assinada por Carlos Alberto Kolecza( a matéria ganhou o prêmio ARI daquele ano). Mas o interessante que todas as fotos do cabo Hugo não foram assinadas. também tem no jornal uma foto dele, cabo Hugo, do Kolecza e do Paulo Maciel. Claro que foi um grande furo de ZH. Um grande furo que não consta no livro dos 45 anos do jornal que ora foi editado.

Coleguinhas

*Colegas e alguns amigos preocupados com situação do editor de um site de notícias local.

*Notícia ruim corre como rastrilho de pólvora.

* Foi o A. Goulart que me indicou o filme From Nixon. Vale como aula de jornalismo. Professores deveriam levar turmas pra ver o filme. Na sessão que o vi, tinha meia dúzia de gatos pingados e atrás de mim um expectador roncava a sono solto.

* Lauro Dickmann faz trabalho voluntário como advogado que é.

* ACEG terá enxurrada de novos associados por causa da Copa do Mundo de 2014.

* Voltei a ler com prazer o blog da Laura Peixoto.

* E o Mazzarino broxou com seu GUAXO???

* A. Goulart teve historinha de um livro seu sobre governadores gaúchos publicada no espaço do Claudio Humberto.

Meu estágio na rádio da UFRGS teve uma célebre entrevista com ELIS REGINA!!!

Em maio de 1974 ( putz faz tanto tempo.....) depois que havia viajado ao Peru, voltei a Porto Alegre e encontrei o baião( um apê nos altos do bairro Glória e Medianeira) desativado.O ( maldoso do João Aveline dizia sempre que um colega fora ver-me naquela apartamento da av. Princesa Isabel e que eu sabia apenas dizer uma frase" tengo hambre") Tive que descobrir que a turma, pelo menos alguns deles, havia se mudado pra av. Princesa Isabel, ali na Azenha. Não era mais o treme-treme anterior, mas ainda havia muitas rodadas depois que a turma voltava da Folhinha da Manhã. O Licínio Azevedo namorava, ou vivia, sei lá, com a atriz Nirce Levin , que ele conhecera quando trabalhava na ZH. Ela era da pesquisa e ele era repórter policial, ou editor de Polícia, algo assim. Estou falando de 1972/73.

O Caco Barcellos também morava naquele endereço da av. Princesa Isabel e então já namorava oficialmente a fotógrafo Avani Stein,( que lhe foi apresentada na PUC pelo Eduardo Crescente amigo de ambos) que como era casada(tinha e tem três filhos com o primeiro marido) deu um xabu daqueles....Mas não era nada clandestino, os dois haviam se assumido e como sempre digo foi o único caso de uma mulher que estava financeiramente segura que deixou o marido porque foi seguir seus sentimentos, o que geralmente costuma cobrar lá adiante uma conta muito pesada....


]Pois nesta baia da Princesa Isabel quando morei lá por alguns meses, fiz um estágio na rádio da UFRGS porque como estudante de Jornalismo da FABICO tinha direito a isto. Procurei agora junto a UFRGS o testemunho deste estágio pra fins de aposentadoria, mas não conseguiram localizar nada que tenha ficado nos registros da UFRGS.

O meu chefe na rádio da UFRGS neste estágio era o Carlos Marino Silva Urbim, hoje escritor famoso, mas então um desconhecido que se não me engano também trabalhava na Folha da Manhã. Trabalahva sim,tenho certeza. Era redator na Folhinha.

A diretora da rádio era Vacilia Derenji, com quem obviamente nunca falei.

Pois por esta época, numa tarde, me animei a ir assistir um ensaio de um show que a Elis Regina fazia no teatro da OSPA,então Leopolidina, na av. Independência. Esperei o final do ensaio e depois desci ao porão onde muito solícita a cantora,então uma das mais famosas do país, se preparou pra me receber. Me atendeu e muito bem. Gravei uma boa entrevista com ela e sinceramente não sei se esta entrevista foi ao ar, se está guardada no acervo da rádio, mas a mim me gratificou muito.

O estágio que se fazia junto a rádio da UFRGS consistia simplesmente de ir todos os dias na rádio pegar uma pauta e depois apresentá-la ao urbim. Não consigo lembrar se ganhávamos uma bolsa ou não por ele.
Naquele tempo eu vivia com tão pouco. Algumas maças no super quebravam meu galho de alimentação. Era magro, não pesava mais que 70 kg e minhas exigências eram mínimas. Uma muda de roupa me servia uma semana e vivia na Redenção pegando sol. Minha cabeça estava querendo regressar ao Peru, como de fato acabou ocorrendo em outubro de l974. Voltei pra Lima e de lá somente regressei em setembro de 1976, pouco antes de nascer minha primeira filha, concebida num parque de Miraflores, na capital Limanha, numa noite de lua cálida...

A história das maças que eu levava como lanche na rádio da UFRGS virou folclórica porque tinha uma colega lá da Fabico de nome VERA - que perdi de vista - que implicava com aquelas minhas maças. Então uma namorada aapelidou a Vera de " Vera Maçã" apelido que pegou durante anos.

Coleguinhas


NELCIRA NEVES DO NASCIMENTO JOGOU-SE DE PÁRA-QUEDAS PARA FAZER UMA REPORTAGEM

Nelcira Nascimento, repórter que sempre trabalhou junto aos mais humildes

Nelcira Neves do Nascimento formou-se na Fabico ,fez estágio na UFRGS e depois trabalhou na rádio e Televisão Gaúcha, na rádio gaúcha, na Zero Hora e na Fundação Maurício Sirostky Sobrinho.

Quando foi convidada a trabalhar na Fundação, o foi pela própria presidente, Dona Ione Pacheco que a convidou justamente porque ela sempre trabalhava com a população mais humilde e tinha experiência nisto.

Nelcira também sempre foi uma grande repórter. Uma vez na Zero hora não se intimidou e atirou-se de paraquedas num local da Grande Porto Alegre, parece que foi no município de Campo Bom pra descrever pros leitores qual era a sensação deste ato. Deu tudo certo....

Na Rádio Gaúcha primava por descobrir matérias. Sempre foi furungadora. Uma vez não conseguia che car junto ao DAER uma notícia e num feriadão pra poder entrevistar o então diretor do DAER, engenheiro Eudes Missio, pulou o muro que separava sua casa da rua. Não obteve a entrevista, mas ficou sua tentativa.

Nelcira é filha de Temistocles Euclides do Nascimento e de Eutália Viera das Neves.Nasceu em 31.10.1952.

Já residiu na rua Vicente Lopes dos Santos, 360/03.

Lembranças do rádio antigo

Por Saul Cardoso,de Floripa(SC)

Não estou de greve não! O meu estoque de "episódios relatáveis" à tona da mente é que não era muito copioso. Mas tenho acompanhado as edições do deolhoseouvidos...Estava até para te perguntar se sabias das "coordenadas" do Flávio Tavares aqui em Floripa, mas aí veio a nova informação de que ele continua em Buzios.

Outro dia até enviei umas "mal traçadas" via e-mail para a Guaíba, atendendo ao convite que foi feito no CP para depoimentos a respeito do "porque sou Guaibeiro", mas ficou uma coisa muito linear, tipo depoimento para delegacia de polícia, a não ser talvez por dois aspectos: (i) contei ter sido ouvinte da Rádio antes mesmo de ela começar a divulgar no ar que estava transmitindo em caráter experimental. Nesse período era sintonizada uma programação musical que levou a extremos o, na época, futuro bordão, aquele do "muita música e pouca palavra", dado que a transmissão entrava e saia misteriosamente ao longo do dia, sem qualquer pista sobre a origem, deixando grande curiosidade na turma lá da velha JUC, situação que deve ter perdurado por algumas semanas; (ii) enviei a foto do receptor de rádio que testemunhou esse início, dado que ainda faz parte do meu acervo de "guardados", mais de meio século depois.

Até a entrada da Guaíba no ar creio que a rádio favorita da estudantada era a Difusora, que tinha um programa chamado "Você, a noite e a música" que rolava durante a noite inteira, enquanto as outras rádios de POA encerravam as transmissões lá pela uma da matina. Outro destaque da Difusora eram as transmissões de turfe, narradas pelo Luiz Macedo (o publicitário), para mim disparado o melhor locutor de turfe que o Brasil já conheceu, ainda que os cariocas jurem que foram o Teophilo Vasconcellos e o Vespasiano da Luz, lá na Gávea.

O abandonado Gregório Fortunatto completaria aniversário neste 24 de maio!

Sempre que vou a S. Borja e visito o túmulo de Gregório Fortunatto, no cemitério municipal Jardim da Paz, vejo quanto este personagem histórico que nasceu em S. Borja em 24 de maio de 1905, descendente de ex-escravos, teve sua memória abandonada. E ele foi o chamado "Anjo Negro" do presidente Getúlio Vargas.De tantas vezes que estive no Jardim da Paz, apenas uma vez, em 21 de junho de 2008 vi um professor de História local colocar rosas no túmulo do Anjo Negro. Pelo menos a prefeitura de S. Borja lembrou de colocar atrás do túmulo uma placa indicativa de quem está ali enterrado.

No cemitério me informa o zelador, nunca ninguém foi visitar o túmulo nos últimos dez anos em que ele,zelador, cuida do cemitério. E ele não tem notícias de que algum familiar ainda viva em S. Borja(RS). Enterrada no mesmo túmulo de Gregório, está sua mulher,Juraci, com quem o Anjo Negro teve dois filhos.

Maneco Vargas sempre me disse que Gregório não era um " negro rastaquera".Maneco também afirmava que Gregório nunca fora empregado dos Vargas, ao contrário do sempre se disse.

" A importância que viria a assumir na história política brasileira foi iniciada durante o ataque ao Palácio Guanabara por integralistas disfraçados de fuzeleiros navais na noite de 11 de maio de 1938. Depois de ver frustada a tentativa de montar uma guarda pessoal pelo Exército e pela Marinha, Getúlio(Vargas) pediu a Bejo( irmão de Getúlio e o caçula dos irmãos Vargas) que formasse a guarda pessoal do presidente", escrevo em meu livro Getúlio Vargas, depoimentos de um filho, edição da EST.
Gregório Fortunato tinha tal intimidade com o presidente Vargas que dizem que durante a campanha da volta de Getúlio ao Catete ele sempre provava antes a comida que era oferecida ao presidente depois. Era pra ver se não estava envenenada. No mês de setemb ro de 1950, na cidade de Paranaguá, no litoral do estado do Paraná, um fotógrafo captou uma foto de Gregório penteando Getúlio. A foto ficou famosa e correu o Brasil.

Gregório caiu em desgraça com o atentado da rua Tonelero - em 5 de agosto de 1954 o majorda Aeronaútica Rubem Vaz foi morto quando descia de um táxi em companhia do jornalista Carlos Lacerda, ferrenho crítico de Getúlio Vargas e o atentado foi atribuído a Gregório e a Bejo Vargas .Foi condenado a 25 anos de cadeia como mandante do crime.Foi morto em dentro da cadeira em 23 de novembro de 1962. Sua filha Jurema teve um salão de beleza em S.Borja durante anos, mas agora não se tem mais notícias de seus familiares.

Memória do Jornalismo


O CASAMENTO HIPPIE DO DONO DA COLETIVA.NET EM 1972

O casamento HIPPIE de Vieirinha!

Está combina bem com o mês de maio, mês das noivas...Ora bolas...como dizia o Cid Pinheiro Cabral.

Vou repetir aqui o que a colunista Sandra Garcia escreveu na sua coluna Gente Jovem em 2 de fevereiro de 1972 na Folha da Manhã, sobre o casamento de Vieirinha( José Antônio Vieira da Cunha) e de Eliete Cheuiche.

" Pois nossos meninos estão aí se casando

José Antônio Vieira da Cunha, o gurizinho aqui da Folha da Manhã, resolveu casar.Eescolheu a Eliete Cheuiche, com quem transava desde os tempos de namoro lá em Cachoeria do Sul. Ela também tem um jeito de criança, é uma menina muito meiga.Aí os dois partiram para uma travessura: bolaram um cartão todo descontraído pra anunciar o casório, cheio de gíria e gozação. Sucesso em Cachoeira e a dona Nenê Muller, publicou o texto completo na sua coluna social. Ontem, às 11 horas em ponto, lá estavam Vieirinha e Eliete no cartório, muito sérios, cercados pelos pais, padrinhos e amigos. Pelas leis brasileiras, estão casados. Falta agora a benção da Igreja ainda mais que Eliete é sobrinha de Dom Antônio Cheuiche. A próxima etapa é agora na sexta-feira, em Cachoeira. Assim, como diz no cartão , eles seguem adiante no seu " lovistori". Para nós aqui da Folha da Manhã é bacana ver os dois, parecem umas crianças. Mas tudo fica só no parece. José Antônio, Zeca, Vieirinha, é um dos profissionais mais competentes da paróquia, um cara sério que sabe assumir as responsabilidades. E isso quem deve dizer é a Eliete, que está casando com o vencedor do Prêmio Ari de Reportagem, edição 1971."

Agora sou eu que digo:
atenção pro termo transar: tinha outra conotação, não a de hoje. Transar em 1972 significava ir pra cama.Desculpe a inconfidência, mas me lembro que o termo transar naqueles anos era isto.Hoje tudo é transa.

E não era tão comum,assim.

A não ser na Fabico!!! e na Arquitetura da UFRGS!!!

Outro dado: os padrinhos foram no cartório:

Floriano Correa, o Florianão, Núbia Salete Silveira, João Borges de Souza, Aníbal Bendatti, Carlos Urbim e Sandra Garcia, por sinal a redatora deste texto aí de cima.
Casamento mais hippie que este somente um realizado alguns anos antes, mais célebre que foi o de Caetano Veloso, com Dedé Gadelha, realizado numa praia cult em Salvador,Bahia.

Sandra Garcia, a autora da coluna social Gente Jovem, na Folha da Manhã, nasceu em 08.10.1944, filha de Tristão Garcia e de Célia Garcia. Residiu na rua João Teles, 306/307. Fazia colunismo social no Correio do Povo onde também foi repórter.

Memórias da Imprensa!

A briga de Jorginho Mendes com Rubens ( o " Rúbis") Hoffmeister

Jorginho Mendes está com 86 anos mas sua memória ainda é boa. Estes dias relembrou uma história em que teve uma briga feroz com o então todo - poderoso presidente da FGF(Federação Gaúcha de Futebol, o Rubens Hoffmeister, o denominado Rúbis, pelo falecido humorista Carlos Nobre.Rubens era um empresário lotérico e dono de postos de gasolina. Na FGF ficou anos mandando. Havia sempre o dia do Cronista, no qual havia um jogo entre times formados geralmente pela dupla Grenal e o dinheiro arrecadado era destinado a ACEG, a entidade dos cronistas esportivos de Porto Alegre.

Até que Jorginho e Rubens se "estranharam". Ficaram cinco ou seis anos sem se falar, sem nenhuma relação. Aí entraram os bombeiros de costume no meio, mas enquanto Jorginho dirigiu a ACEG não houve mais o dia dos jogos do cronista.Mudou o presidente da ACEG, mas morreu a tradição do jogo do dia do Cronista em que a grana arrecadada era sempre destinada a ACEG.

Coleguinhas

* Mariana Bortulucci, na ZH de ontem,20/05 fez correção do nome errado que publicara no dia anterior de Falcão, o comentarista esportivo.

* Morreu dia 19/05 José Onofre.

* Carlos Karnas manda seu endereço: carlos.karnas@gmail.com. Mora no interior de SP.

* No dia 18/05 estava ouvindo a rádio Gaúcha e o Túlio Millmann disse " parece mentira,hoje 18 de maio de 2010." Adiantou-se apenas em um ano!

*A. Goulart, muito bem aposentado, pode dar-se ao luxo de ir ao cinema as 3 da tarde. Indica From Nixon que passa na Casa de Cultura!

* Não sou adivinho, mas acho que esta ida do acervo de Érico Verissimo pro Rio, pro Instituto Moreira Salles tem o dedo da nova agente literária do escritor, Luis Fernando. A agente é carioca. E depois o filho tem tudo a ver com o Rio: foi lá que conheceu sua esposa, a Lúcia.

* Mário Rozzano está cheio de projetos mas diz que a grana está curta. Está dificil de arrecadar até pra arte e pra cultura.

* Kelly, que foi do jornal Gazeta Regional, a Gazetinha, é assessora do prefeito de S.Correa.

Liguem pra ela, qualquer coisa. fone da prefa 054.344411.66

* O serpentário - um café da Uruguai, onde se reúne a fina flor do jornalismo aposentado - foi apelidado por um venenoso jornalista de cemitério de elefantes. Os elefantes, pra refrescar a memória, procuram sempre um local pra morrer. Cruiz credo, que peçonha!

* Morreu dia 19/05 José Onofre.Integrou o" batalhão de choque " do editor Augusto Nunes, em 1992, no jornal ZH. Na tarde de 13 de abril de 1992, os novos editores demitiram de uma penada 46 profissionais.

Notícia que ficou de fora do livro da ZH foi produzida por equipe do jornal em 1980!

Pelos um jornalista que teve grande passagem pela ZH - vou preservar o nome porque quando ele me falou no assunto eu não o estava entrevistando e seria desonesto de minha parte usar seu nome - não entendeu como a reportagem que ganhou o prêmio ARI de Jornalismo de 1980, denominada simplesmente Sequestro, publicada em 13/06/1980, asssinada por Carlos Alberto Kolecza não foi incluída no livro dos 45 anos da ZH.Fui pesquisar esta madrugada e encontrei um texto do então editor-chefe de ZH, Carlos Machado Fehlberg, publicado no livro de Lauro Schirmer, RBS:da voz do poste à multimídia. O texto de Fehlberg sobre esta reportagem diz o seguinte:

" Problema mais sério ocorreu já em 1980, numa fase delicada nas relações do jornal com a censura federal, depois que Zero Hora apresentou em sua redação a mãe daq uruguaia Lilian Celiberti, que procurava a filha sequestrada por agentes da polícia gaúcha. Pois em função disse Zero Hora foi procurada pelo pai de um militar uruguaio, desertor do serviço de contra-informação do exército. O cabo Hugo Rivas apareceu-me num sábado, disposto a revelar denúncias, com fotos e documentos, em troca de garantia para se exilar na Europa. Enquanto o uruguaio foi mantido escondido na casa dos repórteres Paulo Maciel e Noely Lisboa, de ZH, o repórter Carlos Alberto Kolecza ia a São Paulo acertar com o Comissariado de Refugiados da ONU, Comissão de Paz eJustiça e a OAB a concessão do asilo ao fugitivo. Foi uma operação de várias semanas, que culminou com as revelações do militar uruguaio confessando ter ajudado a sequestrar e torturar Lilian Celiberti junto com policiais gaúchos.A denúncia virou um caderno especial de ZH, de 13/06/1980 que estourou como uma bomba ,provocando irritação das autoridades de segurança. Pois lembro que Maurício( o autor do texto refere-se a Maurício Sobrinho,dono do jornal ZH) ao receber um dos muitos telefonemas, acabou dizendo ao secretário Leivas Job( trata-se do Cel João Osvaldo Leivas Job): " Tudo bem, coronel, mas quero lhe dizer que estou orgulhoso do ´furo´dado por Zero Hora".

Estrela X Lajeado

A Laura Peixoto em seu blog dá uma leve estocada nas rixas entre Lajeado e Estrela. Dizem que em tempos idos era maior do que é hoje e que com a globalização,isto estaria desaparecendo.Mas tentem mexer nisto que vocês ver o que é bom pra tosse.Alias Estrela pode se orgulhar de um feito: foi lá que um político realmente foi pra cadeia e morreu nela. Aconteceu com o ex-prefeito Gabriel Mallamnn que enfrentou Geisel, ao tempo da " ditabranda". De vez em quando o Enio Rockemnach e o Talo Porto se dão umas alfinetadas no barzinho da ARI. Mas não passa disto, porque o Talo pouco tem ido lá. Enio é de Lajeado, Talo de Estrela.

* Dia 20/05 completou 18 anos da morte do fundador do Pasquim, Tarso de Castro. Diz Ib Kern, que completa 90 anos dia 11 de setembro próximo, que Tarso era um grande fazedor de manchetes de jornal.Ib Kern também foi chefe do Flávio Tavares, que segundo I b, era " homem do Perachi Barcellos".

Exposição reúne obras ecológicas de Silvia Roth

Dentro das comemorações pelo Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de Junho), a Câmara Municipal de Porto Alegre abre, às 19 horas de segunda-feira (25/5), a exposição A Transformação do Papel, de Silvia Roth. A artista apresenta esculturas moldadas em massas oriundas da reciclagem de fibras de celulose trituradas e misturadas com adesivos, argila, areia e serragem. O resultado são peças de formas orgânicas decorativas e utilitárias ultraleves, super-resistentes, inquebráveis e de "aplicações inimagináveis", como atesta Silvia.

Graduada em Artes Plásticas pela Ufrgs em 1963, Silvia Roth foi aluna dos mestres Ado Malagoli, João Fahrion, Fernando Corona e Alice Soares. Entre outros cursos, participou de oficinas de papel com Otávio Roth, Adma Corá, Celina Cabrales e Regina Escosteguy e de pintura com Fernando Baril. Desde 2006, oferece cursos em seu atelier.

Das últimas exposições, a artista destaca a realizada no Espaço Cultural do Parque Municipal de Petrópolis (RJ), em dezembro do ano passado. Entre 2007 e 2008, Silvia também expôs no Condomínio Terraville (Belém Novo), no Clube de Mães da Vila Assunção, na Academia Martins Gomes Pilates, no Clube Veleiros do Sul e na Câmara.

A mostra estará montada no T Cultural Tereza Franco da Câmara (2º piso) até 12 de junho, com visitação de segundas a quintas-feiras, das 9 às 18 horas, e às sextas-feiras, das 9 às 16 horas (até 15 horas no último dia). Informações no setor de Exposições do Memorial da Câmara (Avenida Loureiro da Silva, 255), telefone (51) 3220-4392, ou com a artista: (51) 3268-9750, 3268-9783, 9975-9815 ou e-mail silviaroth@terra.com.br.

O " Passe" do cardeal

Esta historinha foi contada na sexta-feira passada, na garagem da VTC, antes da missa pelo padre Antônio Lorenzatto, que é pároco daquelas bandas lá da Glória,Cascata,Teresópolis.

Anos atrás, quando o cardeal Vicente Scherer assumiu a chefia porque estava uma bandalheira a Santa Casa como instituição estava indo à falência - devia ter roubo que não era mole - Dom Vicente Scherer foi chamado pra por ordem na casa, e pôs. O padre Antônio Lorenzatto foi pedir um passe ao dono da VTC pois o cardeal residia,então no Hospital Divina Providência.

E Jean concedeu o passe ao ilustre passageiro e fez o seguinte comentário:

- Seguramente minha empresa é a única que vai transportar todos os dias um Cardeal na sua linha!

E era verdade.

O " imortal" é conhecida na família por MIKAS!


O "imortal" Scliar apreciava o põr-do-sol na Secretária da Saúde

Pouca gente deve saber, a não ser os que são de suas relações íntimas que o apelido dele em família é MIKAS.Scliar não é jornalista formado, é médico sanitarista e ocupou postos importantes dentro da Secretaria da Saúde do Estado, no tempo do governo de Jair Soares. Nestes tempos seu departamento ficava no edifício Coliseu e os médicos que iam tratar com ele evitavam de ir no final da tarde porque geralmente enquanto eles traziam seus problemas dos postos de saúde, Scliar olhava e prestava mais atenção no pôr-do-sol no rio Guaíba que se avistava de sua sala.

Scliar segundo quem o conhece tem profundo zelo, quase esmero pelo que escreve.E acompanha a edição dos seus textos junto às editorias pra ver se não ficou nenhuma dúvida, ou se algo precisa ser acrescentado.Ele é filho de gente humilde. José Scliar é seu pai e a mãe é Sara. Mais judeu, impossível.

Ter uma mãe Sara!!!!

Moacyr Scliar nasceu em 23.03.1937( é do signo de Áries) e como jornalista tem a credencial número 026 de colaborador.

Também consta sua profissão nos jornais como cronista. Não sabia que isto era profissão, mas vá lá...
Sua esposa se chama Judith Vivien ( 20.05.1945) e tem um filho, o Beto, fotógrafo, sobre quem falou muito durante anos nas suas crônicas.

Parece uma sina de judeu ser cronista de costumes e debochado: ele, Woody Allen e a Evelyn Berg. Eles que são judeus é que devem saber porque o judeu tem tanta ironia no seu dia-a-dia. Talvez seja uma forma de se defender como povo errante que sempre foi....

Legenda

A coluna da Mariana Bertolucci de ZH de ontem,dia 19/05 estava muito boa, a não ser por um pequeno erro na legenda da foto da Cristina Ranzolin e seu marido: foi legendado como CARLOS ALBERTO. Quando se sabe que é Paulo Roberto Falcão!

Coleguinhas

* Versão que corre dentro da rádio Guaíba. Tocou dia destes fone na central técnica. Do outro lado uma voz de homem, com chiado de carioca.
Ele queria saber como se sintonizava a rádio.
- Olha, põe no 720 AM! disse quem atendeu.

Descobriram depois. Era o presidente do grupo Record no RS, Luís Claudio Costa.!

* Um importante personagem da vida da ZH, mas bota importante nisto, que agora está fora,evidente, não entendeu como a reportagem do soldado HUGO, um Uruguaio que na segunda metade dos anos 70 fugiu e que denunciou torturas nos presos políticos, que deu um caderno de 8 páginas, não entrou na lista das melhores reportagens no livro que ora se publica.O soldado Hugo ficou esondido vários dias na casa de Paulo Maciel e Noeli Lisboa,enquanto Carlos Alberto Kolecza em S.Paulo tratava junto ao Alto Comissariado das Nações Unidas de sua ida para a Noruega,como exilado.A matéria foi assinada por Carlos Alberto Kolecza e deu prêmio ARI do ano. Choses de la vie...

O Grande Jogo da AFA contra o combinado Inter e Grêmio.

Foi em 1972 e disto Jorginho Mendes se lembra bem. Ele era o presidente da ACEG e achava que nem ia dar. Mas conseguiu. O presidente da AFA,argentina, autorizou a seleção argentina vir jogar contra um combinado do Inter e Grêmio, num noite no Beira-Rio" Foi o segundo maior público até hoje no estádio. Deu 92 mil pessoas" relembra Jorginho Mendes, que teve toda a arrecadação pra ACEG. " Paguei um monte dedívidas da sede da rua da Praia e da colônia de férias e ainda sobrou dinheiro. E isto que o Carlos Stecheman,presidente do Inter, nos cobrou tudo, até a água que os jogadores usaram pra tomar banho" lembrou Jorginho.

Depois do jogo,que terminou em 2 a 2 e não foi marmelada, lembrou Jorginho, os jogadores argentinos foram convidados a jantar no Barril. Tinha lá uma banda que tocava muito bem. Eles gostaram daquilo e saíram de lá as 6 da manha. Só mandaram buscar seus pertences no hotel e foram direto pro aeroporto pra voltgar pra argentina, contou Jorginho Foi uma grande festa,recorda o ex-presidente da ACEG,seu atual tesoureiro.

Haveria um jogo de volta,na Argentina, cuja renda também seria pra ACEG. Mas conforme Jorginho, o presidente da Federação Gaúcha de Futebol Rubens Hoffmeister(falecido) cresceu o olho porque o jogo no Beira-Rio tinha dado muita renda e não liberou os jogadores da dupla Grenal,embora os presidentes Carlos Stechamann(Inter) e Flávio Obino(Grêmio) o tivessem feito.

Assim não houve o jogo de volta, que seria em Buenos Aires.

( Amanhã vou contar a história do fim do jogo do dia do Cronista por causa de uma briga entre Hoffmeister e Jorginho Mendes)

Memória da Imprensa

IB GERME!!!!

IB KERN que já lançou " Não Há Anjos no Poder " - e não há mesmo,acrescento eu - vai lançar agora que completa 90 anos mais um livro ficcional. Na redação da ZH, nos anos 70,71 e 72 ele era subchefe de reportagem e Antônio Manoel de Oliveira o chefe de reportagem. Como IB trabalhava no Grupo Executivo da Região Metropolitana(GERM) futura Metroplan, os repórteres se vingavam de suas pautas chamando-o de IB GERME, porque as pautas do IB geralmente tinham a ver com buracos de ruas, ruas mal limpas e por aí afora. " Nos fins de semana ele costumava andar pela cidade e tirava dali sua pautas" conta um destes repórteres.

Mineiro que ajudou a fechar o Diário de Notícias


Symphronio José da Veiga reclamou que Jorginho não fotografara a mãe do sequestrador Santino

Já contei no meu livro Pauta, o Avesso das Redações a história do fotógrafo Jorginho- Jorge Mendes - que esteve com a Heyde Gherard(hoje na TVE) quando ambos trabalhavam no Diário de Notícias e foram pra Vila Niterói cobrir o caso do Santino, que sequestrara seis garotos no bairro Moinhos de Vento. O episódio ficou conhecido como o sequestro dos filhos do Rizzo, porque também havia jovens que pertenciam a esta família tradicional de construtores.O Jorginho, lá na Vila Niterói,quando a mãe do Santino apareceu foi jogado pra trás pelos outros fotógrafos e ele não trouxe pra redação do Diário de Notícias as fotos que precisava. O editor de Polícia era João Batista Marçal, mas o editor-chefe era o mineiro Symphronio José da Veiga, nascido em Itapecerica, em 31.03.1940. Veiga ao saber que Jorginho não trouxe fotos teve um ataque:
- Tu fostes antiprofissional, onde já se viu isto?
Aí o Marçal, que não tinha e não tem papas na língua, jogou sua máquina no chão e passou a defender o fotógrafo.
- Mineiro de m.... tu não vais vir aqui fazer isto com o Jorginho...
E jogou a sua máquina no chão.
Não se sabe se a quebrou ou não.
Symphronico foi mais um dos destacados pelos donos do Diário de Notícias na sua fase terminal pra tentar salvar a pátria. Fez o que pode. Ele é filho de Osório Veitga e de Cecília Tavares Veiga. Ressiu na rua Anita Garibaldi, 1717/602.

Ocupou o cargo de editor geral do DN. Sua esposa era a Regina( 23.12.1950) e tem um filho Rodrigo( 13.06.1976).

VOLARE COMEMORA 10 ANOS DO LANÇAMENTO DO ESCOLARBUS

Foto: Júlio Soares

Veículo foi o primeiro no Brasil desenvolvido para o transporte escolar

Sinônimo de veículo para o transporte escolar no Brasil, o Volare Escolarbus completa este mês 10 anos do seu lançamento. Em maio de 1999, de maneira pioneira, a marca apresentou ao então Ministro da Educação, Paulo Renato de Souza, o primeiro veículo concebido especialmente para o transporte escolar.

Naquela época, a Volare já havia detectado no mercado brasileiro a necessidade por um veículo diferenciado para a utilização escolar, principalmente em razão da segurança. "Desenvolvemos um miniônibus com características e equipamentos específicos para a aplicação, com maior segurança, conforto e visual único", explica o diretor executivo da Volare, Nelson Gehrke.

Hoje, com o sucesso do Programa Caminho da Escola, da FNDE e do Governo Federal, o Escolarbus transformou-se em referência nacional. Desde a sua cor amarelo até a configuração interna e robustez para garantir máxima segurança para os passageiros, cada detalhe é desenvolvido para melhor atender às necessidades deste novo segmento que surgiu no País e garantir para os alunos condução de suas casas até as instituições de ensino, diminuindo a evasão escolar.

Nestes dez anos, a Volare produziu mais de 4.000 Escolarbus, em cinco modelos ? V5,V6, V8, W8 e W9 -, a mais completa família do mercado. As diferentes configurações permitem que o veículo tenha capacidade para transportar até 53 passageiros (crianças até 14 anos), dependendo das necessidades de cada operador e/ou município.

A primeira vez do índio:

Um índio foi ao bordel e disse :

' Índio qué mulhé. Índio tem dinheiro ! '

A dona do bordel perguntou :

' Índio tem experiência ? Já fez antes ? '

Indio respondeu :

- ' Índio primeira vez. '

A dona do bordel ponderou :

- ' Então, índio vai no mato, procura um buraco numa árvore, aprende como se

Faz e depois Volta aqui. '

Uma semana depois, o índio voltou ao bordel :

- ' Índio qué mulhé. Índio tem dinheiro. Índio já aprendeu. '

A dona do bordel, então, mandou o índio subir para um quarto no qual já

Havia uma moça esperando por ele.

O índio subiu, entrou no tal quarto e mandou a mocinha tirar a roupa e ficar

De quatro. Depois, pegou um pedaço de pau e começou a bater na bunda dela.

Aos gritos, a dita cuja pergunta :

- ' Índio está maluco ? O que você está fazendo ? '

Ele responde :

- ' Índio tá vendo primeiro se tem abelha no buraco ! '

Coleguinhas

Ib Kern vai completar 90 anos e vai lançar um livro ficcional. Ele vem a ser tio do Luis Augusto Kern, o LAK, editor de política do Correinho.

Flavio Tavares não tem respondido os emails de Ib Kern. Kern foi seu chefe na Última Hora.

* Edgar Lisboa foi contratado por um jornal de Manaus. Já viajou pra lá pra assumir.

*O que se comenta é que investimentos publicitários do Banrisul, a partir de uma certa quantia, só com aprovação do Palácio Piratini.

* foto publicada aqui com Sérgio Ros cumprimentando o presidente Geisel é de quando ele assumiu a presidência da República. Serginho ocupava então a chefia da Revista Manchete em Brasilia.

* Pouca gente apareceu no barzinho da ARI no último sábado. E o programa de rádio foi feito direto na FABICO porque era dia de portas aberta sna UFRGS.

*Geraldo canalli andava pelo brique da Redenção no último domingo, dia 17/05

* O serpentário enterra seus mortos. Um dos frequentadores, João Luiz Barcellos Pinheiro Machado,q ue era da bancada do PDT na Assembléia Legislativa morreu dias atrás, logo depois de deixar o famoso café da Uruguai.

*Essa do pai de santo publicada ontem na coluna do Cascatinha no JC é de cabo de esquadra. Quando se apela para este tipo de " notícia" é porque a coisa tá feia mesmo..

*Brincadeira tem hora, como diria o senador Pedro Simon.

Nordestino veio ver o que podia fazer pelo Diário de Notícias


Estácio Ramos vei o Recife para enterrar Diário de Noticias

Estácio Duarte Santiago Dantes , um nordestino, nascido no Recife em 9.02.1943, entrou pra história do jornalismo gaúcho porque veio como executivo mandado pelos donos do Diário de Notícias no final dos anos 70 tentar estancar a sangria que o tão prestigioso jornal fazia naquela época. Aqui em Porto Alegre, ele ocupou a função de diretor geral dos Diários e Emissoras Associadas, que editavam o Diário de Notícias.
Depois que o Diário de Notícias fechou, nunca mais se teve notícias dele.

Filho de Flósculo Santiago Ramos e de Cemy Duarte Santiago Ramos, Estácio teve como esposa Maria Letícia( 25.11.1945) e os quatro filhos Maria Claudia( 29.10.1969), Maurício( 24.04.1972) Rachel ( 16.10.1974) e Alexandre ( 31.07.1977).

Coleguinhas


"Cabeça" Não leva ninguém pra compadre.

" Cabeça" : ameo- ou deixe-o!

Não perguntem no meio jornalístico mais adulto quem é José Luís Prévidi: todos o conhecem apenas por " Cabeça"." Cabeça" não tem meio termo: ou gostam dele, ou o detestam. Ele que não se incomode, porque pelos comentários que ouço é isto mesmo.

José Luiz Gulart Prévidi nasceu no Rio de Janeiro. Portanto é um carioUcho.Data de nascimento: 20.05.1954, portanto está de aniversário esta semana ,amanhã. Parabéns ,então "Cabeça". Trabalhou no Diário de Notícias em sua fase terminal, quando ficava na av. São Pedro.Tinha lá por chefe Estácio Ramos e Synfrônio José da Veiga, que vieram de fora para ve ro que poderiam fazer pelo jornal.Mais ou menos como contratar um maneger pra ver o que se poderia fazer pela ARI hoje em dia....Lembro até do telefone do Diário de Notícias daqueles anos: 23.66..44 É que também trabalhei lá mas nunca vi a cor do dinheiro. Eu, Erny Quaresma, Lorena Paim, o fotógrafo Baru Derquim vínhamos numa kombi velha até o centro da cidade a cata de notícias. Depois nos encontrávamos numa esquina e a kombi que passava no Beira-Rio e no Olímpico pra deixar os repórteres esportivos, nos apanhava a todos no fim de tarde e levava de volta pra avenida S. Pedro. Nossa, como diria aquele professor, como éramos idealistas....

" cabeça" é filho de Waldemar Prévidi e de Etna Gulart Prévidi. Já residiu na rua Riachuelo 1305/1601 e na e naav. Venâncio Aires,495/32. Daí deve vir a ligação do " Cabeça" com o bar Pedrini, que é de certa forma o local onde escreve suas crônicas.Não que elas tenham o brilho das de Carlinhos de Oliveira que escrevia às 10 horas da manhã na varanda do Antonio´s no Leblon.

" cabeça" já foi repórter de Política na ZH e cobria o PDT" Tinha muito boas fontes" lembra sempre dele J.C. Terlera. " Cabeça" depois foi trabalhar no Governo de Leonel Brizola no Rio de Janeiro, levado pelo " Contursi" , o fotógrafo que acompanhou a vida inteira(menos no exílio) o chefe Leonel de Moura Brizola.

" Cabeça" já lançou dois livros:" 15 mandeiras de ser Feliz" e um nos tempos do Róseo, que são histórias sobre colegas jornalistas.

Os dois ele mesmo vende o que tem se tornado um lugar comum entre os publicadores nos últimos anos.

Vou tomar a liberdade e contar uma historia do " Cabeça" e tenho certeza que ele vai levar na esportiva.

Quando era sócio do Reni Luiz Marques,. numa editora que lançava revistas sobre portos e navegação, Reni foi fazer uma viagem longa.
Ficou fora um bom tempo. Ligava do Exterior pro sócio pra saber se estava tudo em dia.
- E a tal conta, foi paga....
- Não te preocupa, fica frio, tudo em ordem

Na volta Reni descobriu que as contas estavam em aberto. Simplesmente " cabeça" resolvia o assunto de um modo original: pégava o bloqueto eo resgava pelo meio, deixando-o no cesto do lixo....

Mulher cara de´pau...

No domingo passado, lá por 18h 30 minutos,pegou o ônibus Portásio-Iguatemi pra ir pra casa,sentido centro-bairro. Na altura do Pronto Socorro subiu uma porção de passageiros. Uma mulher, de meia-idade, bem trajada com duas crianças: um guri e uma guria. Constrangeu o cobrador e fez as duas crianças pularem a roleta. O cobrador ficou com medo porque naquela parada tem fiscal da empresa.

Depois quando passamos o colégio Israelita, o guri mostrava pra todo mundo:
- Olha aqui o meu colégio.

A gente sempre diz Shalom, que quer dizer Oi....

Quer dizer, a mulher não paga a passagem dos filhos e os coloca num dos colégios mais caros da cidade. Sou eu que tenho que pagar a passagem dos filhas dela? Só não dou o número do carro porque senão arrumou um pepino pro cobrador. É apenas pra alertar como tem gente cara de pau. Depois falam dos deput ados....

Pra conhecer um pouco por dentro a Arábia Saudita:

Agora que o presidente lula esteve lá.

Em 10 de Fevereiro de 1996, a minha colega Virgínia Rigatto,casada com diplomata norte-americano, Douglas Neumann, me escreveu contando que é a terra .

" Gostamos de Jeddah, mas não sei se devemos extender por mais um ano. Inicialmente , nosso tour é de dois anos. isto é, dentro de um ano e meio retornamos para os Estados Unidos. Mas como a escola é boa, e meu emprego agradável, estamos considerando ficar por mais um ano. Nós podemos solicitar um ano extra. Por outro lado, A Arábia saudita é muito conservadora, e a vida não é fácil como na Jordânia. Outra coisa que me preocupa são os caminhões.

Agora estamos no mês de Ramadan, quando os muçulmanos jejuam durante o dia e festejam durante a noite. O comércio permanece fechado durante o dia, mas abre à noite, das 9 pm até 3 pm. Como nós, cristãos, decoramos para o Ntal, eles enfeitam toda a cidade com luzes coloridas. Os muçulmanos cozinham pratos especiais para esta ocasião, geralmente preparam um verdadeiro banquete para quebrar o jejum.

Jeddah é uma cidade linda, super elegante, repleta de shopping malls super luxuosos, promovendo marcas européias e americanas. Nunmca vi tantas perfumarias. Os saudis adoram perfumes. O Corniche, a rua ao longo do mar, me lembra do Rio de Janeiro, nos bosn tempos. O Mar Vermelho é lindo ,á água é puríssima e a cor azul turquesa. Nunca vi tantos palácios, tantos príncipes, tantas princesas.

O chato aqui são os MUTAWAS, a polícia religiosa, reinforçando o uso do véu e da lei islâmica. Eles sempre andam em dois, e quando encontram uma mulher sem abbaya, esta capa preta longa, eles obrigam a gente a comprar uma no ato. Além da abbaya, eles exigem o uso do lenço na cabeça. Um saco. Felizmente até o momento não fui confrontada pelos Mutawwas. A gente evita ir ao centro da cidade durante a noite, onde eles geralmente costumam incomodar o pessoal.

Outra coisa que ninguém gosta é da hora da reza. Cinco vezes por dia todo o comércio fecha para orações. Eles então puxam um tapetinho e , voltados para Mecca, rezam. Qualquer analogia com Cristianismo é condenado. Por exemp0lo, é proibido usar uma cruz pendfurada no pescoço. Se os Mutawwas veem que na corrente de ouro tem uma cruzinha, eles a arrancam, jogam a cruz no chaão e pisam em cima até quebrar. É até proibido dizer a palavra Christimas- Natal. E nenhum ornamento de Natal, nenhuma árvore natalina é vendida no país."

Coleguinhas

* Laura Paixoto voltou com seu blog sempre original. Gostei da viagem que foi dar em Monte Belo do Sul. Já fui num Polentaço naquela cidade e foi muito interessante porque teve o lançamento de um livro contando a história daquele povo. Meus avós vieram de lá para a Linha Onze de Guaporé, mais conhecida hoje por Serafina Correa.

* Julinho Pacheco dormiu nas palhas.Não foi vender o peixe, da Rede Vida, em Serafina , na principal romaria religiosa do ano lá. E isto que lá tem a Perdigão e a Credeal. Vai ver que a RBS de Caxias faturou um bom comercial. Tem que tirar a bunda da cadeira, seo Julinho e não ficar esperando pelas fontes que não moram mais lá. Estas nem tão aí pra Serafina.

Barraco

* Fernanda Bagatini( excelente repórter) da Guaíba se estressou,sexta-feira, de manhã cedo, com um acidente de trânsito onde havia um soldado da PM envolvido num acidente." Cuida do teu trabalho" teria dito o policial pra Fernanda, que ficou indignada.Mauro Saraiva Junior, na Gaúcha, saiu na defesa da colega. O melhor seria que não houve este tipo de ronha, mas com repórter que está em campo, isto sempre acontece.E só acontece com bom repórter, não com repórter que não tira a bunda da cadeira.

Guerra de bugios

Não convidem pro mesmo evento um secretário municipal de Porto Alegre e uma ex-diretora da parte de memória da cidade. O que ela diz é que o ex-chefe se trata de um " PUSILAMINE"!

PÔR-DO-SOL no porto

Foi lançado na quinta última, um livro sobre hidrovias gaúchas. Muita gente foi a SPH ex-DEPREC, no porto de Porto Alegre. A vista é das mais deslumbrantes e ainda mais que era a hora do pôr-do-sol, a hora que segundo Carlos Castaneda, o autor de " Erava Maldita" entre outros tantos livros, diz ser a hora dos magos.
Pois me lembrei que há anos havia um diretor do DEPREC que na hora do pôr - do- sol parava o serviço pra ver o espetáculo, que dali é realmente muito bonito.

"Advoga"

Não é só a governadora que constituiu advogado. A ex-diretora da parte de memória da cidade, Miriam Avruch constituiu advogado pra se defender de um rolo sobre a fonte Talavera, de quando ela era responsável por ela, como diretora de setor cultural da prefeitura municipal.

E u X Eles


Brizolista, o repórter Sérgio Ros,diretor da Revista Manchete,cumprimenta o presidente Ernesto Geisel, o da abertura lenta,gradual e segura, em Brasília, no ano de 1974

Sergio Ros está aprendendo ler na internet

Sérgio Ros, de Brasília, liga se mostrando mais faceiro que ganso em açude cheio. É que agora está aprendendo a ler os sites no computador. Assim terá tempo de ler mais gente, porque até pouco tempo atrás, Serginho, como é chamado pelos amigos, só lia pa pel impresso.

E me conta que quando trabalhou na Ultima Hora(UH) nos anos que o " engenheiro" Leonel Brizola era governador do Estado, ele foi cobrir um evento em Carazinho, numa época em que ali se plantava muito trigo.
E Brizola, em lá chegando, subiu na sacada da prefeitura e deu um baita discurso meio que separando o RS do resto do país, que era governado pelo cunhado, Jango Goulart.

Na volta, Brizola veio no avião dos jornalistas e Serginho foi saber mais detalhes . Brizola, matreiro, lhe cortou o embalo:

- Não, não tem coisas que a gente diz, mas não escreve.

Já na redação da UH, Serginho recebeu orientação do chefe Neu Reinert, chefe de reportagem da UH, no sentido de fazer apenas no aspecto econômico da estada de Brizola, não nos seus arroubos políticos.

Missa por um ano de falecimento de Jean Vardaramatos!

Quem entrou no meio da tarde de sexta,dia 15/05 na garagemda Viação Teresópolis Cavalhada poderia achar que estava tendo alucinações: um padre( Antônio Lorenzatto) acompanhado de uma freira rezando missa e uma porção de gente acompanhando. Não era alucinação:era a missa de um ano da morte do fundador da VTC, Jean Vardaramatos,abatido por um câncer justamente um ano atrás.

A VTC já completou 50 anos de fundação e tem 122 ônibus, perto de 600 funcionários e dela dependem cerca de duas mil pessoasl Não é pouca coisa para um imigrante grego que saiu de sua terra, com uma mão na frente e osutra atrás e lutou a vida inteira.É verdade que sempre esteve acompanhado de sua companheira , Héllene,também mãe de seus filhos.

Os dois começaram a vida trabalhando em Canoas, mas depois se mudaram para Porto Alegre.

A história de Jean está contada no meu livro Quem Diria Tudo começou assim, publicado em 1993, pela ATP( o livro está esgotado).

Resistência

Quando houve a intervenção dos ônibus em 1989 pelo governo do PT, tendo à frente o prefeito Olívio Dutra, a VTC foi uma das empresas encampadas pela administração municipal. Jean queria esperar a bala os interventores e foi convencido por colegas a não dar um tiro num deles porque poria muita coisa a perder.

Mais tarde o próprio prefeito Olívio Dutra esteve pessoalmente na garagem da VTC - onde sexta foi rezada a missa de um ano de falecimento de seu fundador - pra explicar para os empregados porque a administração municipal estava devolvendo a empresa para seu proprietário.

Na verdade houve na oportunidade uma negociação: como a Carris não tinha condições de assumir o transporte na Restinga e a população sem transporte ameaçava invadir a prefeitura, o prefeito comprometeu-se devolver as empresas sob a intervenção,entre elas Sopal,VTC, Trevo,Cambará, Gazometro,Sudeste mas os empresários teriam que assumir em pouco tempo o transporte da Restinga.Foi o que aconteceu e assim nasceu a Tinga Transportes Coletivos Ltda, que está lá até hoje realizando o transporte da região.

A viúva Hellene está agora em contato com a Cãmara Municipal, principalme nte o vereador João Antônio Dib(PP) para que seja denominada uma rua com o nome do falecido transportador. A Rua Gaurama, na Cavalhada, onde Jean começou como transportador não poderá ser porque segundo explicou Dib as ruas que têm nome não pode ser mudado.

Memória da Imprensa

A foto de Jayme Sirostsky carregando uma melancia.

Júlio Pacheco, que conheceu a RBS quando esta não era a líder em nada - os jornais eram todos da Caldas Junior, a rádio a Guaíba e a televisão a Difusora - conhece como pouca gente como a RBS cresceu.Ele foi diretor da empresa em Brasília, ao tempo de Ernesto Geisel. E me contou que o fundador, seo Maurício, " dava mijada quando tinha que dar, mas era companheiro da turma nas farras".

Júlio me disse ainda que de uma feita foram fazer uma festa numa agência de publicidade e como não podiam levar chopp pra redação da agência, levaram melância. E que Jayme Sirostsky, um dos irmãos fundadores da RBS, deixou-se fotografar com uma melancia nos ombros. Júlio diz ter esta foto.

ACEG funciona com tesoureiro que não bota os pés lá...

É uma situação surrealista esta que vive a ACEG( localizada na Rua da Praia, ao lado do sindicato dos Jornalistas). Tudo porque o tesoureiro da entidade, o veterno jornalista esportivo Jorginho Mendes( 86 anos, 25 de Jornal do Comércio) não põe há alguns anos os pés dentro da entidade. Mas ele tem que assinar a liberação de cheques, porque é o tesoureiro da entidade e nunca foi destituído.

Jorginho Mendes vai no sindicato dos Jornalistas que fica em frente e aí então um funcionário da ACEG leva os cheques e outros documentos que precisa assinar até onde está Jorginho.É que ele não põe mais os pés na entidade desde que entrou em rota de colisão com o presidente anteriorda entidade, o narrador da Gaúcha, Zé Aldo Pinheiro.

A intriga foi a seguinte: Jorginho que comparecia diariamente a ACEG onde ficava toda a tarde, um dia começou a ter problemas com um funcionário contratado para fazer os serviços de rua e atender a entidade como ir aos estádios de futebol pra liberar os jornalistas a fazerem cobertura. Sim, se você não sabe,fique sabendo: todo o jornalista esportivo pra entrar dentro do campo, temque ter a c arteirinha da ACEG. Em dias de grandes jogos a entidade vira uma romaria de repórteres atrás de sua credencial, porque sem credencial não entra.
Jorginho começou a dar ordens para o funcionário contratado por Zé Aldo Pinheiro e ele não o obedecia. Ia direto no caixa automático do banco,fazia os depósitos e ficava por isto mesmo. Só que Jorginho estava acostumado com os comprovantes de despesas tudo direitinho e o funcionário, um dia, revoltado, o chamou de " velho ranzinza".

Foi o que bastou pro Jorginho dar um ultimato ao presidente da ACEG Zé Aldo Pinheiro: ou ele, ou eu. Zé Aldo enrolou dois meses e Jorginho pediu demissão do cargo de tesoureiro da ACEG, mas não foi destituído. Continuou no cargo e então passou a não ir mais na entidade, como fazia diariamente durante anos.

Há quem diga que jorginho levou a chave do cofre consigo e a entidade não tinha mais como mexer nas suas economias.O tempo foi passando, as pessoas da ACEG conhecendo a integridade do Jorginho não fizeram nada deixaram por isto mesmo.

Zé Aldo Pinheiro deixou a presidência e assumiu outro colega da Gaúcha, Marco Antônio que também não destituiu o Jorginho. O fato é que o funcionário com que Jorginho tinha brigado foi mandado embora ainda no tempo da gestão de Zé Aldo Pinheiro e foi contratado outro pra cuidar da entidade.
Mas mesmo assim,amuado, Jorginho não foi mais na entidade. Frequenta o sindicato dos Jornalistas, que fica ao lado e quando a ACEG precisa de sua assinatura em documentos leva pra ele assinar no sindicato.

Bronca com HOFF

Em idos anos, Jorginho Mendes tivera outra bronca grande, mas esta fora com gente de fora. Sua bronca foi com o falecido presidente da Federação Gaúcha de Futebol,Rubens Hoffmeister.

Foi uma briga muito feira, que quase paralisou a cobertura dos veículos aos jogos do campeonato. Depois tudo ficou esclarecido.

Depois de 25 anos trabalhando no JC, ele se aposentou em 2001,quando passou a cuidar mais da ACEG. Jorginho Mendes cobriu pela rádio Guaíba a Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra quando o Brasil foi desclassificado nas Oitavas de Final.

Viúvo, aos 86 anos, Jorginho Mendes é uma legenda do mundo esportivo gaúcho, embora ele seja mais de bastidor, do que de aparecer propriamente.

Editora Contexto escala uma seleção com os melhores técnicos do futebol brasileiro

Segunda-feira, dia 18 de maio, a partir das 19h, acontece em Porto Alegre, o coquetel de lançamento do livro Os 11 maiores técnicos do futebol brasileiro (release abaixo), escrito pelo jornalista e comentarista da Rede Globo e SporTV Maurício Noriega. O evento será realizado na Livraria Saraiva - Praia de Belas Shopping Center (Av. Praia de Belas, 1.181 - 2º Piso - (51) 3231-6868).

O jornalista Maurício Noriega acaba de convocar um time de grandes treinadores para compor o livro Os 11 maiores técnicos do futebol brasileiro, lançamento da Editora Contexto. O autor mostra como eles ganharam importância e marcaram época no Brasil e no mundo. Histórias engraçadas e tristes, lendas e causos contados por boleiros e cartolas, relatam os bastidores e o dia a dia desses profissionais. Cada perfil é enriquecido por uma entrevista com um profissional do futebol, que teve sua carreira marcada pelo ídolo. São eles: Leivinha (Oswaldo Brandão), Dino Sani (Bela Gutman), Djalma Santos (Vicente Feola), Zito (Lula), Wanderley Luxemburgo (Zagallo), Muricy Ramalho (Rubens Minelli), Falcão (Ênio Andrade), Müller (Telê Santana), Arce (Luxemburgo) e Rogério Ceni (Muricy Ramalho). São fatos deliciosamente contados ao leitor, que conhecerá em onze capítulos as táticas e características que os tornaram os melhores do futebol brasileiro.

O primeiro técnico retratado é Oswaldo Brandão. O gaúcho de palavras e hábitos simples foi vencedor por quatro décadas e brilhou fora do país sendo reverenciado até hoje por quem jogou sobe seu comando. No segundo capítulo Noriega, resgata o húngaro Bela Gutman. O ex-treinador do mítico Honved, da Hungria, mudou a maneira de se jogar futebol no Brasil, mesmo sem falar português e com uma passagem rápida pelo São Paulo. O terceiro texto é reservado a um gorducho, bonachão, que não tinha pinta de treinador: Vicente Feola. Ele pensava futebol como um todo e dirigiu a primeira seleção brasileira campeão do mundo. No capítulo seguinte o autor repara uma grande injustiça com Lula, que comandou o maior time do mundo: o Santos de Pelé e cia. Em 776 partidas, perdeu 142, empatou 121 e venceu 513 vezes. Com certeza o quinto capítulo seria o 13º se deixassem o dono dele escolher a ordem desse livro. Zagallo é sinônimo de seleção brasileira, ganhou duas Copas como jogador, uma como técnico e outra como coordenador. Imprimiu revoluções táticas com a bola nos pés e com a prancheta na mão. Rubens Minelli, o sexto perfil relatado, é economista de formação, destacou-se pelo profundo conhecimento tático e a organização das equipes que dirigiu. É o primeiro técnico, de fato, tricampeão brasileiro.

Ênio Andrade entra em campo com a camisa sete nessa seleção. Raciocínio rápido, cordialidade e uma capacidade rara de montar grandes times fizeram esse treinador conquistar três vezes o campeonato brasileiro, uma delas de forma invicta. O oitavo capítulo é quase uma unanimidade e muitos o chamam de Mestre Telê Santana. Foi um incansável combatente da causa do futebol limpo, técnico, jogado de maneira simples, objetiva e, por isso, bonita. Inaugurando a era dos novos técnicos do futebol brasileiro, o nono capítulo traz um nome polêmico, mas muito competente: Wanderley Luxemburgo. Rápido para tomar decisões, talentoso ao montar grandes times, tem sua capacidade expressa em diversas conquistas, mas também é conhecido por colecionar inimigos e confusões. Luiz Felipe Scolari encabeça o décimo capítulo. Por trás da cara de poucos amigos se esconde um treinador parceiro dos jogadores, craque na arte da motivação e profundo conhecedor dos segredos do futebol. O último capítulo também traz uma personalidade difícil. Muricy Ramalho tinha a fama de jogador rebelde, que deu lugar a um técnico dedicado e observador. Na última década vem colecionando ao menos um título por ano.

Ao contar a história desses homens, Maurício Noriega traz para o leitor brasileiro um livro sobre futebol, mas não só para aqueles que amam esse esporte. Os 11 maiores técnicos do futebol brasileiro é uma obra sobre vencedores. Todos os perfis apresentam lances de superação e uma aula de vida. Maurício Galizia Noriega é jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero de São Paulo e mestrando em Jornalismo Digital pelo Instituto Internacional de Ciências Sociais. Em mais de 20 anos de carreira, trabalhou nos jornais Folha da Tarde, Diário Popular, A Gazeta Esportiva e Lance! e na rádio Bandeirantes. Participou de diversas coberturas internacionais, entre elas Jogos Olímpicos, Jogos Pan-americanos, Copa América, Eurocopa, gps de Fórmula 1, Atletismo e Mundiais de Vôlei e Basquete. Desde 2003 é comentarista e apresentador do canal Sportv e também comentarista de esportes do jornal Bom Dia São Paulo, da Rede Globo.

E X C L U S I V O !!!!

Possível mexe-mexe no rádio esportivo!

Atenção: o Haroldo " Audiência" de Souza foi quase parar na rádio Gaúcha, de onde ele saiu pra atual Guaíba. Minha fonte é tri fidedigna. Tanto que a rádio Guaíba tinha já convidado o Mário Lima, que está narrando na Transamérica, de Criciúma, pra substituir Haroldo, caso ele fosse pra Gaúcha.

Não se tem maiores detalhes se a Guaíba cobriu a proposta da Gaúcha, ou se o Haroldo pensou duas vezes e resolveu ficar. Mas o que alguns especialistas já notaram é que o Luis Carlos Reche, chefe de esportes da Guaíba, tem mencioando muito o nome do Mário Lima, que,segundo os entendidos do esporte, narra " parecido" com o Haroldo de Souza.

Outro detalhe do rádio esportivo:

Ruy Carlos Ostermann tem comentado muito pouco jogos na Gaúcha. Ele tem dito a conhecidos que gostaria de largar mas que não o deixam.
Não se sabe se é quente, ou se o professor está se fazendo.Os comentaristas esportivos da Gaúcha tem sido Nando Gross e Wianey Carlet.

Homenagem a Claudiomiro!

É hoje de noite, às 20 hs, na Câmara Municipal de Guaporé- Encosta Superior do Nordeste - a homenagem a Claudiomiro, o lendário centroavante do Inter.

Claudio, como é conhecido, ficou famoso pelas suas tiradas que dariam um livro:

Ao final de um Grenal, numa entrev ista agradeceu a BRAHMA pela Caixa de Polar que lhe havia mandado.

Outra dele é de quan do estava em Belém:

- Estou aqui na terra onde nasceu Jesus.

Só que o Belém dele era Belém do Pará.

Coleguinhas

*Pô,finalmente veio a sentença, melhor a notícia: o Correinho foi vendido mesmo, como diziam muitos boatos. Na Gazeta Mercantil de ontem, dia 14/05
foi dito que o ex-deputado federal Vittório Medioli, dono da editora Sempre Editora que publica o Tempo de BH comprou o Jornal Hoje em Dia de BH e o Correio do Povo de Porto Alegre.
Edir Macedo, o dono dos dois jornais, informou que investirá num grande portal de notícias e na própria TV Record.

* Achei dentro de um exemplar do Jornal Folha Universal, um cartão de um diretor da REDE PAMPA. Será paranóia minha...mas agora não tem mais novidade, o Correinho foi comprado pelo ex-deputado Vittório Medioli.

* Encontrei o Claudião Dienstmann,pesquisador, na rua: ele também teve,tempos atrás que procurar o " Gordo" Marco Campos. É que na rádio Guaíba andavam lendo uma pesquisa dele,sem dar crédito,evidente.Tocou uma a ção contra a rádia,como dizem no interior.

* Nesta história da venda do Correinho,segundo deu a Gazeta Mercantil de ontem,dia 14/05 me lembra sempre um velho ditado do jornalismo: onde há fumação, há fogo.

*Então quer dizer que se o Telmo Flor, diretor do Correinho,hoje, for remanejado pra direção da rádio Guaíba é porque querem ficar com ele. Os demais, bom, os demais vão passar por um processo horrível. Quem viveu isto dentro de uma redação,sabe o que isto significa.Não se deseja isto nem pra cachorro puto...

Livro do centenário do Inter, que tem Dienstmann como " consultor" ainda saiu...


Dienstmann sabe tudo do Inter

O projeto do livro do centenário do Inter, do fotógrafo Leonid Streliaev, o alemão UDA, que é escrito por Luis Fernando Verissimo e tem como consultor Claudio Dienstmann não saiu dentro das efemérides dos 100 anos do Inter e a mídia amiga, como diz o Mendelski, não deu uma linha sobre isto. Só deu quando era pra anunciar o livro.

Sabe-se que o marketing do Clube não se meteu no projeto.Parece que pelo contrato, o clube vai ter parte dos rendimentos que a obra proporcionar.Ficou por conta do fotógrafo Leonid, que aliás, foi quem propôs o projeto fazer o levantamento do dinheiro pra financiar a obra que por sinal entrará na Lei do Incentivo.

De consultor o livro está bem. Dienstann é seguramente o jornalista que mais tem dados sobre o Inter de há muito tempo. Pelo menos tem esta fama.Sempre que alguém procura dados históricos do Inter na Federação Gaúcha de Futebol(FGF) eles indicam o alemão Claudio.
Parece que se tudo continuar dando certo, o livro dos 100 anos do Inter irá sair em Agosto.

Dienstmann nasceu em Estrela(RS) em 04.11.1943 filho de Osvino e Amanda.
Tem um filha, que é também como ele jornalista.

Claudio residiu na Rua Andrade Neves, 121, no Rio de Janeiro, nos anos 70, quando representava lá a Cia Jornalistica Caldas Junior, nos seus áureos tempos.Eram tempos de vacas gordas na CJCJ,tanto que dizem que de uma feita, numa viagem internacional, o repórter Lauro Quadros, da rádio Guaíba, pediu um prato tão sofisticado num restaurante de Paris, que quando ele veio, apagaram-se todas as luzes do restaurante e o maitre veio entregar o prato pro Laurinho, que tinha em direção a sua mesa, uma luz pra mostrar o cliente especial. São ditos que contam do tempo que a Caldas Junior pa gava grossas diárias. Não se sabe se tudo é verdade, ou se não passam de lendas...que se formam com o tempo.

Dienstmann trabalhou também na Folha da Tarde e na Zero Hora, onde cobriu muito a Seleção Brasileira.

Era, ou é , conhecido pelo seu rigorismo nas pesquisas que faz.
Era também meio que estigmatizado pelos coleguinhas porque ia a todos os treinos da Seleção e depois não passava nada pros demais.
Claudio está agora aposentado, pelo que suponho e vive em Gravataí, mas volta e meia está no Museu de Comunicação Social, onde procura jornais antigos atrás de detalhes de episódios do passado.

Gostaria muito de ver uma biografia do Claudiomiro escrita pelo alemão Dienstmann. Não precisa pesquisar muito, só de memória sai algo.

Memória do Jornalismo


Valls escreveu a biografia do senador Brossard

Os " pais" do Jornal de Uruguaiana

Luiz Fernando Montenegro Valls

Nasceu em Porto Alegre em 07.07.1952 filho de Francisco Valls Filho e de Carolina Montenegro Valls. Na capital, já residiu na na rua Thomas Flores,107/204.
Foi casado com a falecida colega Alda Souza, com quem não teve filhos.

Foi Luiz Fernando quem escreveu a biografia do ex-senador Paulo Brossard de Souza Pinto, lançada há alguns anos atrás.Se não estou enganado, Valls casou depois com Maria Luiza Abott e com ela teria viajado a Uruguaiana,onde junto com " Joca"(João Carlos Ferreira da Silva) fundou o jornal de Uruguaiana,( a redação localizava-seou localiza-se na Rua Tiradentes,2582) atualmente vendido aos donos do jornal A Razão,de Santa Maria.Nesta época, " Joca" tinha como companheira a também jornalista Cleusa Aguiar.
Quando foram para Uruguaiana fundar o Jornal de Uruguaiana, havia lá um jornal,de propriedade do deputado do PDT,Brasil Carus, que depois foi prefeito da cidade. Carus abdicou do seu jornal para deixar os jovens jornalistas fundarem seu jornal. Depois, durante umas denúncias contra sua gestão na prefeitura local, o prefeito não foi poupado. Os donos do Jornal de Uruguaiana tinham como premissa de que não podiam deixar de divulgar os fatos.

O Jornal de Uruguaiana tinha estas coisas heróicas dos tempos do jornalismo romântico. Era feito em Uruguaiana, mas impresso em S. Borja, onde havia uma gráfica que saía mais barato. Jornalistas que se metem a donos de jornal, sabem do que estou falando.

Luis Fernando Valls atuou no Jornalismo da TV Gaúcha,antes de ir a Uruguaiana fazer o jornal local. O critério escolhido para ir a Uruguaiana foi o de ser uma cidade com mais de 50 mil habitantes onde não houvesse um veículo semanal.
Uma vez trabalhando pela ZH esti ve em Uruguaiana e vi um show do Noel Guarani junto com os colegas que morando na cidade faziam o jornal de lá. O local de encontro da cidade, ou o point, era sempre o quiosque na praça central.
O cinema onde Noel se apresentou era um cinema central.

Luis Fernando também trabalhou na Zero Hora, onde foi sub editor de Esportes e na Folha da Manhã, extinto jornal da Cia Jornalistica Caldas Junior.Luis Fernando deixou há muito tempo o RS e hoje vive em Brasília. Trabalha no Congresso Nacional.


"Joca" Fundador do Jornal de Uruguaiana

" JOCA" ou João Carlos Ferreira da Silva nasceu em Porto Alegre, em 29.07.1951 filho de Antônio de Pádua Ferreira da Silva e de Maria Montenegro Ferreira da Silva. Na capital, já residiu na rua Anita Garibaldi 1730/302. Formou-se na Fabico, assim como sua primeira esposa, a Cleusa Aguiar.
Joca trabalhou no Estadão(O Estado de S.Paulo) na sucursal gaúcha( Rua Andrade Neves) e na Folha da Manhã, na editoria de Esportes.
Tem um casal de filhos com sua primeira esposa, Cleusa Aguiar. Seu segundo casamento foi com Paula( 14.04.1976).
Passou num concurso no Congresso Nacional, no setor de imprensa e então resolveu vender o Jornal de Uruguaiana e mudar-se para o Distrito Federal.
Seus 50 anos foram comemorados anos atrás, em Porto Alegre.

Acervo do presidente André

Enquanto o acervo do escritor Erico Verissimo vai pro Rio, o do ex-presidente da ARI, Alberto André, morto em setembro de 2001, finalmente, encontrou casa. Metade dele vai pra Câmara Municipal de Porto Alegre, onde Andrémilitou(foi vereador e membro do Tribunal de Contas de lá) e a outra parte vai pra entidade que ele governou com mão de ferro por mais de 30 anos.

Esta semana, uma caravana com máquina de fotografar, máquina de filmar e tudo, o presidente da Cãmara Municipal, Sebastião Melo(PMDB) esteve na rua 11 de Agosto, onde reside a viúva de André, dona Lurdes pra buscar o acervo que se compõe de muitos livros. André era um intelectual.

Parte do acervo ficará na ARI onde alguns idealistas ainda pretendem abrir uma biblioteca.

Fazia tempo que a viúva Lurdes vinha insistindo pra ARI ir buscar o acervo do ex-presidente, mas somente agora com a parceria da Cãmara Municipal isto fo i possível.

Serafina realiza a Romaria do Santuário!

Será neste domingo,17/05/09, a Romaria de N.Senhora do Rosário. Havia duas grandes devoções
em Serafian - La Undeze,de antigamente - a de N.Sra do Rosário e a de N.Sra de Lurdes, que ficava numa gruta, na saída da cidade para Montauri.

Mas um grande temporal praticamente acabou com a devoção de Lurdes. É que num final de tarde quando os devotos rezavam, um temporal derrubou tanta água que a gruta encheu e todos tiveram que se refugiar em casas vizinhas. A partir daí, a devoção de N.Sra de Lurdes foi minguando e a do Rosário crescendo. Hoje Serafina já virou santuário . Na foto pode-se ver a torre da Igreja,construída pelos imigrantes, sob a liderança do padre Luiz Pedrazzani e do Padre Antônio Marcon.

A foto é do tempo que a vila de Serafina era apenas uma vila, ainda estava sob a jurisdição de Guaporé. No ano de 1960 ou 1961,quando ela foi emancipada.

Festa de N.Sra do Rosário!


Paraninfos e comunidade na Festa de Nossa Senhora do Rosário, com as imagens da Padroeira e de Nossa Senhora de Lourdes. Data: 1º Mandato da Administração Municipal

É neste dia 17/05 a Romaria de N.Sra do Rosário em Serafina Correa. Nesta foto, dos primeiros anos dos anos 60(primeiro mandato) vemos os festeiros na frente na av. Dr. Júlio Campos e atrás as freiras e o padre vigário Francisco Lolatto conduzindo a procissão. As santas eram,então duas: N.Sra de Lurdes e N.Sra do Rosário. A foto é do acervo de João Arroque Filho e me foi enviada pela filha, Maria Amélia.

Minha neta vai crescendo....

Minha neta Helena já está bem crescidinha. Aqui a vemos com seu pai, Leo, no Jardim Botânico, no RJ, onde nasceu e vive!
Perdão leitores por hoje falar de uma coisa íntima!

As leis da vida...

1- GUIA PRÁTICO DA CIÊNCIA MODERNA:

1. Se mexer, pertence à Biologia.
2. Se feder, pertence à Química.
3. Se não funciona, pertence à Física.
4. Se ninguém entende, é Matemática.
5. Se não faz sentido, é Economia ou Psicologia.
6. Se mexer, feder, não funcionar, ninguém entender e não fizer sentido, é INFORMÁTICA.

2- LEI DA PROCURA INDIRETA:

1. O modo mais rápido de se encontrar uma coisa é procurar outra.
2. Você sempre encontra aquilo que não está procurando.

3- LEI DA TELEFONIA:

1. Quando te ligam: se você tem caneta, não tem papel. Se tiver papel, não tem caneta. Se tiver ambos, ninguém liga.
2. Quando você liga para números errados de telefone, eles nunca estão ocupados.
Parágrafo único: Todo corpo mergulhado numa banheira ou debaixo do chuveiro faz tocar o telefone.

4- LEI DAS UNIDADES DE MEDIDA:

Se estiver escrito ‘Tamanho Único’, é porque não serve em ninguém, muito menos em você…

5- LEI DA GRAVIDADE:

Se você consegue manter a cabeça enquanto à sua volta todos estão perdendo, provavelmente você não está entendendo a gravidade da situação.

6- LEI DOS CURSOS, PROVAS E AFINS:

80% da prova final será baseada na única aula a que você não compareceu, baseada no único livro que você não leu.

7- LEI DA QUEDA LIVRE:

1. Qualquer esforço para se agarrar um objeto em queda, provoca mais destruição do que se o deixássemos cair naturalmente.
2. A probabilidade de o pão cair com o lado da manteiga virado para baixo é proporcional ao valor do carpete.

8- LEI DAS FILAS E DOS ENGARRAFAMENTOS:

A fila do lado sempre anda mais rápido.
Parágrafo único: Não adianta mudar de fila. A outra é sempre mais rápida.

9- LEI DA RELATIVIDADE DOCUMENTADA:

Nada é tão fácil quanto parece, nem tão difícil quanto a explicação do manual.

10- LEI DO ESPARADRAPO:

Existem dois tipos de esparadrapo: o que não gruda e o que não sai.

11- LEI DA VIDA:

1. Uma pessoa saudável é aquela que não foi suficientemente examinada.
2. Tudo que é bom na vida é ilegal, imoral, engorda ou engravida..

12- LEI DA ATRAÇÃO DE PARTÍCULAS:

Toda partícula que voa sempre encontra um olho aberto.

13- COISAS QUE NATURALMENTE SE ATRAEM

Mãos e seios
Olhos e bunda
Nariz e dedo
Pobre e funk
Mulher e vitrines
Homem e cerveja
Chifre e dupla sertaneja
Carro de bêbado e poste
Tampa de caneta e orelha
Jato de mijo e tampa de vaso
Leite fervendo e fogão limpinho
Político e dinheiro público
Dedinho do pé e ponta de móveis
Camisa branca e molho de tomate
Tampa de creme dental e ralo de pia
Café preto e toalha branca na mesa
Dor de barriga e final de rolo de papel higiênico
Bebedeira e mulher feia
Mau humor e segunda-feira!

A vida como ela é....

" A mãe pulou a cerca...."

No município de Serafina Correa, na Encosta Superior do Nordeste, os agricultores que não foram para o interior de S.Paulo trabalhar como garções em restaurantes, tornaram-se caminhoneiros. Trabalhavam ou geralmente para o Frigorífico Ideal, depois Perdigão,ou iam puxar arroz na Fronteira Oeste. Caminhoneiro fuça frete em qualquer canto deste chão.

O primo deste personagem havia casado em 1970. Mas seu parente, como tantos outros que tinham que ir embora, deixou o Ginásio Nossa Senhora do Rosário e mudou-se para Portinho, ou a capital. Ali começou vida nova, como soe acontecer. Nada mais queria ele saber de Serafina. Seu mundo mudara...

A vida do primo que deixara em Serafina foi seguindo seu rumo normal. Tendo filhos, trabalhando. O motorista costumava deixar a mulher sozinha - ah, isto é um perigo - Morando no interior, na mesma morada herdada do pai dele, com porão, com pés de figos no verão, com parreiral, tudo como deixara antes...
Tudo como 60 ou 70 anos atrás,quase.

A última filha do primo caminhoneiro nasceu bem morena.
Embora a mãe tenha uma cor de jambo, tem um grande charme e sempre se fez atraente, mesmo sendo agricultora. Mulher vaidosa.

Mesmo residindo numa região onde a religião católica funciona muito de forma repressora, os costumes muderam e mudaram muito. Com a entrada da televisão, da internet.,tudo isto vai influindo.

Depois de muitos anos sem se verem, o primo que mora na capital, no verão passando pelo local resolveu entrar na casa do primo agricultor e lá estavam todos sentados sob a sombra amiga de grandes árvores, tomando chimarrão, comendo melancia, sem compromisso com horários. Era um sábado de noitezinha, já.

O papo apesar de tanto tempo sem se verem, rolou tranquilo, porque além de parentes, haviam sido muito amigos na infância. Jogo de futebol, reza de terço, estas coisas do interior em município católicio.Tinham repartido bons e maus momentos. Um de uma feita foram num final de tarde de domingo roubar melâncias na casa de uma vizinha e foram por ela fraglados.
Pois neste verão deste ano de 2009,os dois primos e amigos conversavam enquanto sorviam um mate amigo e tomavam um copo de canha, quando apareceu na sacada a filha menor do primo caminhoneiro e agricultor. Ela era muito morena, pra ser filha de gringo italiano.

O primo que mora na capital, ao ver a filha, com quem não possuía qualquer intimidade,surpreendeu-se com sua cor e perguntou a queima-roupa,sem qualquer formalidade:

- Mas que morena tu és!

E a guria,sapeca e mal criada,saiu-se com esta:

- A mãe pulou a cerca.

Foi um silêncio constrangedor.

Coleguinhas

* No sábado,dia 9/05 no debate na ARI sobre o fim da Lei de Imprensa foram abordados novas situações que estão acontecendo do ponto de vista legal com a internet e com os blogs.

Por exemplo: J.L. Prévidi sofreu processo de Armando Burd por uma informação ou opinião que emitiu em seu blog. Foi processado.Prévidi contratou o especialista Marco Campos que na defesa derrubou o pedido de Burd. Não se sabe se o ofendido vai ou não recorrer.

Outra situação de internet:

O prof. Wladimir Ungaretti, da FABICO, foi processado por um fotógrafo que se sentiu injuriado com referências feitas ao seu trabalho. O juiz mandou que Wladimir retirarasse do blog as referências ao fotógrafo. Como Ungaretti achou que daria muito trabalhou, retirou, por enquanto, todo o blog.

Deduz-se daí que sua motivação,então, era criticar o trabalho deste fotógrafo, ou então optou pelo caminho menos trabalhoso...
*A salinha J. C. Terlera, na Assembléia Legislativa do Estado está com quatro terminais novos. Ufa....

Imprensa de entretenimento


Nus traseiros vendem playboy

A " poupança" vende revista!

Você imagina como a revista Playboy convida uma mulher para pousar nua?
Se não imagina, o diretor de redação dela, Edson Aran explicou na revista Imprensa de abril último como isto se dá. Preste atenção ao seu depoimento:

- " O convite da Playboy para posar nua é um " jogo de sedução". A primeira das etapas é a sondagem que é feita por uma produtora.O passo seguinte é um jantar no qual, dependendo da celebridade, o diretor( no caso ele) participa. " Fazemos um jantar, tomamos muito prosseco e aí tem esse jogo de sedução: ' Vai ser um ensaio lindo. O que você imagina? Como quer ser vista? Se a mulher ficar realmente seduzida, dái entramos na proposta(financeira), contou Aran, 46 anos,casado há mais de 20 anos com uma jornalista que conheceu na faculdade e que tem um f ilho de seis anos, o Lucas.

Todo mundo pensa que a Playboy paga fortunas para as mulheres que posam. Pois então ouça o Aran depondo para a revista Imprensa:
- Nunca se chegou a pagamento de um milhão de reais como existem boatos.
Na história da Playboy brasileira, isto nunca foi pago a nenhuma das mulheres que concordaram em tirar a roupa.

Pelo contrário, ele disse a Imprensa que já fez a capa da Playboy pela bagatela de 5 mil reais.Ele relata:
- Se o primeiro impulso for a grana, a chance de dar errado é grande.A mulher tem que estar com vontade de fazer.Não adianta ela chegar e falar:
quanto você paga?."

Neste jogo, determinar limites pode ser complicado:" A brincadeira é a seguinte: você não pode usar a Playboy como moeda de troca" sugere Aran indicando que as bebidas, o " namoro"e o tempo investido fazem, parte do processo.

Outra regra básica da Playboy é não desistir:com grandes estrelas a ne gociação pode levar alguns anos e a revista não desisite no primeiro " não".

Aran,q ue tem experiência por ter trabalhado em outras revistas, como Sexy e VIP sabe que partindo de uma mulher, um " não" pode significar um " sim".

BUNDA Vende,sim!

Aran disse a revista Imprensa que bunda na capa de revista vende sim senhor.
- Não tenho dúvida.Bund ana capa vende mais. O nosso(Playboy) maior fenômeno de venda dos últimos dois anos foi a Mulher Melancia" contou ele a Imprensa.
O diretor de redação da Playboy - está no cargo desde 2006 - contou a Imprensa que às vezes nos almoços da equipe eles falam mais de política do que de mulher. Reconhece, porém, que não há lugar melhor do que trabalhar do que na Playboy." è mais divertido trabalahr aqui do que na Gazeta Mercantil. Disso eu não tenho dúvidas" contou Aran a Imprensa.

coleguinhas


Oswaldo Carlos vai vender o Informativo do Vale?

O Informativo vai ou não ser vendido pra RBS?

Ainda não se sabe se o Informativo do Vale será ou não vendido. Dizem até que o proprietário, Oswaldo Carlos Van Leewen - conhecido ainda por pai do Paulo Alceu(repórter de TV) mandou fazer uma enquete entre os leitores pra saber deles se querem que o jornal seja entregue para um grupo poderoso, da capital, ou se ficará com o atual dono.

Osvaldo começou como diretor ou dono da Rádio Alto Taquari, de Estrela.

Depois foi dono do jornal " Conheça o Vale do Taquari" passando para o Informativo do Vale.

Osvaldo é filho de H.G. Van Leewen e Angelina B.Van Leewen. Nasceu em S. Francisco de Paula em 23.07.1930 . É casado com Ulda( 19.11.1929).

Coleguinhas

* Dica Sitoni está na Política do Correinho.Dica é de faca na bota. Uma vez ela discutiu pelo telefone com o marido, Celso Schöreder . Ela na prefa e ele no sindi. Ela largou o trabalhou, subiu a Borges de Medeiros, veio pro Sindicato,tirou ele de uma reunião pra terminar a discussão,ou melhor, " discutir melhor a relação".

* Valdomiro de Oliveira apareceu ontem na Assembléia Legislativa do Estado. Ficou anos na Fiergs. Foi ainda da Guaíba e da Band AM. Está fazendo um frila pro deputado Carlos Gomes(PPS).

* Errata: Flávio Tavares ainda reside em Buzios, RJ.

* Chegaram dois terminais novos pra salinha J.C.Terlera na Assembléia Legislativa do Estado.

* Sábado,dia 9/5 durante debate na ARI sobre o fim da Lei de Imprensa anotei alguns comentários feitos pelos colegas:

1) Wanderley Soares colunista de O SUL, - que os maldosos dizem não ter achado seu NORTE - está sendo processado por um capitão da Brigada Militar porque Wanderley escreveu que ele comprou mercadoria que fora roubada. O capitão alega que comprou na " boa fé". Wandeco, "puta véia" do jornalismo, não deu o nome do capitão, só disse o pecado, não o pecador.

2)Dr. Matheus Nageslstein comentou até um fato triste de sua vida.Ele não disse mas eu digo: foi em 1970,quando, após ofensas, ele matou um coronel do Exército. Cumpriu pena por isto.

3)Simpatizei com o dr. Mathias, eu o conhecia apenas do jornal. É uma pessoa que diz geralmente o que pensa. Por isto que deve ter se incomodado mui to na vida!

4)José Carlos Torves falava sobre a Lei de Imprensa e usava o pronome " Nós" meio que de forma imperial,sem ser autoritária. Daí o professor Mário Rocha, da Fabico, o atalhou e perguntou:
- Nós quem?
- Nós da Fenaj, respondeu tranquilamente Torves.

4)Carlos Monteiro, ou Monteirinho,sempre tido por um homem de esquerda - foi do Partidão e da Ultima Hora - aposentou-se pelo Tribunal de Constas do Estado levado para lá sob os auspícios de Victor Faccioni, um político do PDC( Partido Democrata Cristão). Pra ver como são os comunas!

5) Orlando Loureiro,que fazia os discursos de Ildo Menheghetti, foi quem intermediou a ida de Monteirinho pro Tribunal de Contas. É que os dois eram da Folha da Tarde.

6)A capa do Jornal Versão, do Sindicato dos Jornalistas, é no mínimo polêmica. Contém a foto de um fotógrafo que estaria fazendo espionagem no meio dos chamados " movimentos sociais".A autoria da foto do colega vem com uma assinatura estranha; Diz " AUTORIA PRESERVADA". Há quem diga que esta maldade foi bolada pelo gerente do sindicato, Cristiano Nunes, especialmente em " maldades".

7) Olha, muita coisa que está no Versão não é logicamente unanimidade. Mas o mérito é que ele tem sido veiculado mensalmente.

8) Ontem,dia 12/5 me ligaram da OAB(pelo menos disseram que era de lá) querendo o fone do Armando BUrd.
Dei o número da Band AM ma juro que achei que fosse processo. Inda mais agora que não tem mais Lei de Imprensa e que a Imprensa está criminalizada.

9) Cést fini! Amanhã tem mais...

Ecos da salinha

* Na salinha J.C. Terlera,ontem, uma colega chega e avisa:

Cuidado,gente, estou com a " suinica"!!!

Audiência

Ontem,12/05 estive numa audiência. As duas advogadas, duas jovens, entraram mais faceiras que ganso em dia que o açude está cheio. O juiz as recebeu e vendo aquela informalidade toda disse:
- Mais informal,só não vindo!

Enquanto a secretária do meritissimo batia alguma coisa, pra depois assinarmos - não era acordo - as duas causídicas ficaram discutindo um caso de adultério,provado, que o cornudo ainda por cima violou a correspondência do amante da esposa.
Está dando confusão e da grossa!
Estes bacharéis vivem metidos em casos que dariam grandes romances policiais...

Passe Livre em ritmo de extinção!

Um motorista da linha Protásio Iguatemi me confirmou que os ônibus de Porto Alegre não terão mais dias sem pagamento de passagem neste ano.
" O sábado de 1 de maio foi último" vibrou este motorista, que disse que os trabalhadores das empresas de ônibus detestavam o dia de Passe Livre.E informa o motivo:
- Tudo o que eles(passageiros) não faziam quando pagam, faziam no dia em que não pagavam.

Estava se referindo a destruição que segundo ele os coletivos são vítimas nos dias de passe livre, ou que eram vítimas porque pelo menos este motorista garantiu que o passe livre não mais vigorará em Porto Alegre.

O fato é que o dia de passe livre, uma vez por menos, até onde se sabe é uma lei e quem pode revogar a lei é apenas a Câmara Municipal de Porto Alegre.

Na EPTC se comenta que o Conselho Municipal de Transportes Urbanos(COMTU) irá propor a Camara Municipal a e xtinção da lei do passe livre.

Chuva deixa serpentário vazio!

Ontem, veio a chuva e a solidão no serpentário,aquele café da Rua Uruguai.

Os poucos veinhos que tiveram coragem de sair de casa com a chuva estava particularmente solitários porque os companheiros não compareceram.

A chuva, que veio em bora hora, assustou a maioria dos frequentadores.

Ontem, pelo menos o Governo em geral se viu livre dos comentários maldosos da turma de aposentados que passa a manhã e a tarde falando mal do Governo.

EXCLUSIVO!!!

Na surdina,prefeitura está terminando com o PASSE LIVRE nos ônibus!!!!!!!

Este ano de 2009 houve apenas dois dias de passe livre nos coletivos da capital: dia 02 de fevereiro,dia de N.Sra de Navegantes e Primeiro de Maio.

A lei manda que seja uma vez ao mês.Ontem fiz contato com a EPTC. O colega e assessor da casa , Claudio Furtado me informou que o assunto está afeito ao Conselho Municipal de Transportes(Comtu) cujo presidente é Jaires Maciel.

Furtado me informou ainda que o Comtu está propondo a Câmara Municipal a extinção da lei do Dia do Passe Livre Mensal.

O Passe livre foi instituido durante a gestão de Olivio Dutra na prefeitura da capital.

Era conhecido por ser um dia crítico no transporte coletivo com grandes aglomerações nos terminais,bagunças dentro dos ônibus e assaltos.

Tinha gente que não saía de casa neste dia, principal mente que usa transporte coletivo.

Ecos do ex-ouvidor

O ex-ouvidor da Segurança Pública, agora transformado em " celebridade" Adão Paiani esteve sábado último no Barzinho da ARI e ali conversou,informalmente, com alguns jornalistas. Disse que nunca escondeu da governadora Yeda Crusius que ele tem um projeto político. Lá pelo menos não disse qual.

E teceu alguns comentários, como o de que a Oposição " quer sangrar a governadora até o final do seu mandato" e não estaria interessada no seu impeachement agora porque o vice-governador Paulo Feijo,assumiria e tendo um ano e pouco de governo pela frente poderia se tornar um candidato muito forte à reeleição.

Coleguinhas


Nagelstein contou a história da Dna. Antonia e Dna. Neusa

* Wilson Romero, do programa Tambor da Aldeia, trocou tudo no sábado passado:chamou o advogado Mathias Negestein de Nereu DAvila.

* Nereu Lima, que foi anunciado pro debate sobre o fim da lei de Imprensa, na ARI deu o cano: não apareceu.

*Há profissionais que usam esta estratégia: confirmam,seu nome vai pra mídia, e depois dão o cano. E ninguém tem coragem de dizer que deram o cano....

*Domingo de manhã, as sete horas, a rádio Guaíba não leu o noticioso costumeiro. Ué,f altou notícia,ou faltou o redator...

* Enquanto isto no outro lado a Gaucha dá toda hora o Notícias na Hora Certa ao vivo....

* O Tambor da Aldeia, apresentado pelo Wilson Romero na rádio da UFRGS, não passa de um resumão do que os sites de imprensa dão durante a semana...

*E o Jornal da ARI, quando sairá ???

* Sábado foi uma surpresa: houve uma boa prsença no debate sobre o fim da Lei de Imprensa.

* Entre os estudantes trazidos para o debate sobre fim da Lei de Imprensa havia um que vem da Guiné Bissau e que lá é " príncipe". Glei Soares ficou muito impressionado que isto ainda existe.

VALTER GOMES PINTO RECEBE PRÊMIO MÉRITO INDUSTRIAL 2009


Foto: Objetiva

O empresário Valter Gomes Pinto, Diretor e Conselheiro de Administração da Marcopolo, foi um dos eleitos para receber o prêmio Mérito Industrial 2009 concedido pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs). O executivo foi nomeado pela sua atuação em atividades empresariais, principalmente, no setor automobilístico e de transporte e também pela sua forte participação nos projetos sociais da comunidade.

Em sua 36ª edição, a cerimônia de premiação será realizada no dia 22 de maio, às 20 horas, na sede da FIERGS, em Porto Alegre. Além de Gomes Pinto, a distinção também será entregue a outros três destacados empreendedores do Estado.

Para Valter Gomes Pinto, a escolha de um executivo da Marcopolo destaca a importância da empresa, no desenvolvimento e produção de veículos com alta tecnologia e qualidade. ?O Mérito Industrial é um dos principais prêmios do Rio Grande do Sul. Receber este importante reconhecimento no momento de comemoração dos 60 anos da Marcopolo, o torna ainda mais especial para nós?, comenta o executivo.

Criado em 1971, o Mérito Industrial é uma tradicional premiação concedida pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, distinguindo industriais com marcante atuação na comunidade e no meio empresarial. Os agraciados são indicados por sindicatos da indústria filiados à FIERGS e entidades associadas ao CIERGS. A escolha é feita através de uma Comissão Especial formada por premiados em edições anteriores.

Matriz e filial

Em 1986 Alceu Collares era prefeito de Porto Alegre e resolveu condecorar algumas personalidades do municipio.O salão nobre da prefeitura ficou lotado para o evento.Lá pelas tantas chegou a esposa do prefeito, Antônia, mas a secretária da educação, dona Neusa Canabarro já estava postada ao seu lado.
Mathias Nagelstein,então procurador do municípioi, tentou conter a primeira dama que furou o bloqueio e foi postar-se ao lado de Collares e de Neusa. Collares com aquela cara de pau ficou no meio das duas.

Finda a cerimônia,o apresentador do evento, Enio Rockembanch, chamou um dos agraciados, Ruben Santos pra cantar uma música . Ele também fora um dos que ganhara uma medalha.

E Santos atacou de MATRIZ E FILIAL!!!!!

Neusa, depois queria comer o fígado de Ênio.achando que fora sacanagem dele.

Ênio jura que não foi.

Fala logo...

Indio Vargas foi preso no DOPS e ficou com sequelas. De vez em quando ele tem um branco na memória e para de falar. Estava fazendo campanha pra deputado federal em São Sepé e uma multidão o ouvia . Na frente dele, um eleitor aplaudia tudo.

Até que Indio teve um branco e a palavra não lhe saía. O eleitor, curioso pra ver o que Indio iria dizer, saiu-se com esta:

_ LARGA LOGO, VEINHO!!!!

Dentro desta linha, lembrou Antônio Goulart, que de uma feita o governador Ildo Menheghetti estava num CTG em P.Fundo e junto dele a primeira dama do Estado, Judih.

Um conjunto gaudério largou uma música chamada " Égua Velha"....

Faltou assessoria?

Este repórter ouviu de pelo menos uma funcionária, no final do expediente de sexta,dia 8/05 queixa de que não teria recebido homenagem pelo Dia das Mães do presidente da Assembléia, deputado Ivar Pavan(PT). Foi isto mesmo? Se foi, faltou assessoria.

Coleguinhas

* Faleceu o pai do ex-presidente do Sindicao dos Jornalistas-RS, José Carlos Torves. Morreu em Santana do Livramento onde vivia.
Torves sempre contava que quando ele veio a Porto Alegre e voltou pra Livramento disse pro pai que estava trabalhando na Televisão. O velho, muito simplória - era frentista de posto de gasolina - disse :
- Ah, já sei. Então tu consertas aparelhos de tevê.

* Salinha J.C. Terlera da Assembléa Legislativa do Estado ainda não encontrou um modo de funcionar que não prejudique alguns. Tem gente usando de mais, outros de menos.

*Alguns anos atrás levei ao engenheiro Paulo Duhá a proposta de fazer uma parceria escrevendo a história dos portos e da navegação do interior do RS.
O tempo passou e agora vejo o convite de lançamento no dia 14/05 do livro que Duhá assina junto com Manoel Ramalho Campêlo.

*Anos atrás o fotógrafo Assis Hoffmann reuniu-se com o colega Leonid Streliaev, o Alemão UDA, pra discutirem um projeto de trabalho de fotos.
Dias depois Hoffmann procurou Paulo Amorim pra propor o trabalho

- O trabalho é muito bom,disse Amorim, mas o Leonid Streliaev já me propôs o mesmo projeto.

* Foi de Daniel Lena Souto, engenheiro da SERGS, a idéia de construir a rua 24 horas em Porto Alegre. Quando do ele se deu conta, já tinham pego sua idéia e implantado o projeto.

* Por lei, idéias não têm proteção.

*Em bom português, a turma é ligeira....

Belos e Malditos ( IV)


Zé da Gaita e seu conjunto em um baile na 1001 noites - acervo Manir Rosek

Enfurecido,Coi Lopes de Almeida demoliu a máquina fotográfica

Nos anos 60, a casa de espetáculos 1001 Noites- na av. Guaíba 4.400 - era o local para onde os maridos levavam as amantes deixando a " querida" - esposa - em casa. Como toda boa hipocrisita, não poderiam era óbvio serem fotografados com a amante.

Uma noite dançavam lá o advogado Antônio Olavo dos Santos, o Vico, o jornalsita Coi Lopes de Almeida, filho do deputado Naio Lopes de Almeida e outros amigos. Depois de muito se divertirem, alguém os avisou que havia lá dentro um fotógrafo do jornal A HORA que fotografara um bocado de gente bem agarradinha.

Coi, enfurecido, pegou na força a máquina do fotografo e a espatifou numas pedras que havia na frente do laguinho que existia na frente da casa.O fotógrafo perdeu sua máquina e as fotos que estavam dentro dela.
|F icaram,é claro, totalmente inutilizadas.

Dia das mães!

Mi mare gha 79 ani e la ze medo mal chapada( traduzindo: Minha mãe tem 79 anos e está meio aperreada).
Mas mesmo assim a fotos é para homenagear pelo dia das Mães. Diz o meu amigo César Tasca que restaurante que não enche no almoço do dia das mães pode fechar as portas que está falido.

O FIM DA LEI DE IMPRENSA TEM DEBATE SÁBADO NA ARI

No próximo sábado (09/05), na Associação Riograndense de Imprensa (Salão Nobre Hipólito José da Costa), Av. Borges de Medeiros, 915/ 8º andar), a extinta Lei de Imprensa e as situações com que a sociedade, a imprensa e os jornalistas irão se deparar, a partir de agora, serão tema de debate com entrada franca, a partir das 10h30min.

A atividade é promovida pelo Departamento Universitário da ARI, será conduzida pelo presidente da entidade, Ercy Torma, e terá a participação do presidente do Sindicato do RS, José Nunes; do advogado, Nereu Lima, e do professor da Fabico/UFRGS, Mário Rocha.

Coleguinhas

* Cristiano Darsch está de licença saúde da Secretaria da Saúde do Estado. Vai operar as vistas.

* Já há quem queira trocar o nome do café da Uruguai de serpentário pra Cemitério de elefantes...

*Descobri o paradeiro do Ayres Cerutti: Cuiabá. Diz que foi prum evento da Abrajanta,digo Abrajet...

* Sala do chimarrão,ou o cachaçódromo da ARI abriu na quarta, mesmo com o gerente Ayres viajando. Se ele se cuidar, logo vai ser destronado...

* José Onofre está hospitalizado.

* Zé Onofre é irmão de César Krob.

*Carlos Bastos foi quem apresentou Ibsen Pinheiro a Laila Lontra,na redação da Ultima Hora. Ibsen morava no Rio, trabalhava no Diário Carioca.
- Quem é este "pão" ? quis saber a Laila do colega Bastos.Foi amor à primeira vista. Na mesma noite, Ibsen desmarcou uma janta no Treviso com o Bastos pra sair com a Laila.

Em seis meses casaram.

Fruto deste amor é o redator da página 3 da ZH, Márcio.

E mais não digo, nem me foi perg untado!

*Flávio Tavares, que na redação da Ultima Hora tinha o apelido de " geléia" - porque se acomodava a qualquer ambiente - deixou Búzios, no Rio, por Floripa, em SC.

*Carlos Monteiro me garantiu que o episódio da morte do Dom Vicente Scherer - contado aqui neste blog - aconteceu nos anos 60, porque já existia a Ultima Hora e aconteceu segundo ele, " num feriado". Amir Domingues disse que foi num sábado.

* Ainda sobre o episódio: uma fonte muito fidedigna me garantiu que o autor do trote foi mesmo Flávio Tavares mas o mentor foi Werner Becker, o Bruxo. Flávio foi escolhido pra fazer o telefonema entre os dois porque sabia imitar muito bem um padre já que viera da região colonial de Lajeado.
Telefonema foi dado da lancheria Matheus e o número do fone que deram pra o Ênio Berwanger foi o da lancheria que ficou desligado justamente pra rádio Guaíba não poder confirmar a notícia.
Só que os dois autores da molec agem jamais imaginaram o estrago que aquilo iria fazer.

* Vilnei Herbstriti, do site Brasil Imprensa Livre, descobriu nos arquivos uma foto do Wellington Landerdahl.

* Floriano Bortoluzzi vai doar seu acervo sobre o Inter para Claudio Dienstmann...

Belos e Malditos(III)


Vedetes e bailarinas desfilavam na 1001 noites nos anos 60

O dia que ROBERTA CLOSE abandou o 1001 noites!

Manir Rosek havia vendido o 1001 noites para Ênio Flores que resolveu, com a ajuda do grande conhecedor da vida mundana o fotógrafo Floriano Bortoluzzi - publischer da revista Imagens News - fazer um show com a transformista Roberta Close que estava na crista da onde por aqueles anos." A Maria da Graça Beltrami foi ao Rio tratar com o irmão da Roberta Close que era seu empresário pra trazê-la pra cá" lembra Floriano.

O empresário Ênio Flores pagou, por exigência do empresário do artista, um pequeno percentual do valor que ele cobraria. Na noite do show lembrou Lourdes Ampesi, companheira de Manir Rosek " estava metade de Porto Alegre lá pro show e ele não aconteceu". Ou melhor, ele aconteceu apenas em parte, porque depois de duas pequenas entradas, Roberta Close retirou-se pro camarim e aí disse que somente voltaria ao palco se dessem o restante do cachê.

Foi um buchinco entre seguranças, Enio Flores, o irmão do travesti. Até que se negociou a seguinte saída: dariam um cheque do Manir Rosek.
O empresário de La Close também não aceitou,lembra Lourdes Ampesi.
Ênio Flores ainda tentou conciliar:ofereceu um cheque. Só que o irmão de La Close notou que o cheque era da cozinheira do 1001 noites. Também não quis. Foi uma noite memorável pelo lado negativo, porque todos os clientes foram embora sem pagar já que os garãos não puderam cobrar. " Todo mundo foi saindo levando litros de uísque embaixo do braço" ainda lamenta Lourdes Ampesi.

Floriano Bortoluzzi diz que quem pagou as passagens da transformista pra vir fazer o show que não aconteceu foi Sérgio Zammel, então dono da Marinha Magazine, e que agora tua no ramo de seguros.
( próximo episódio: o dia que Coi Lopes de Almeida quebrou a máquina do fotógrafo do jornal A Hora).

Voltaram os ingressos de pista!

Vários teleespecatadores ficaram supressos ontem,dia 7/05, quando o JA da RBS disse que não havia mais ingressos de pista(30,00 reais) e somente VIP(80,00) pro Atlântida Festival.
Muita correria as lojas dos shoppings e alguns telefonemas pra Atlântida FM. Não se sabe se foi pelos protestos, mas pouco tempo depois foram colocados à disposição do público mais 400 ingressos de pista pro evento do sábado na Fiergs.

Dia das Mães

Para homenagear o Dia das Mães posto um texto do falecido médico Mário Rigatto feito na posse da Academia Nacional de Medcina

Se o tema é mãe

É minha imprssão que à vida não apraz o deixar-se registrar. As coisas mais importantes que dizemos em nossas vidas não são escritas. Uma declaraçãode amor. Uma prece por um filho doente. Uma palavra de perdão.Raramente se escrevem.

As mais ricas cenas de nossa vida não são fotografadas. O primeiro olhar da mãe ao filho que lhe acabou de nascer. O primeiro sorriso concedidod pela mulher que nos fascina. O rubor do primeiro beijo. A surpresa no espelho diante do primeiro cabelo branco. Nada disso éfotografado.


Ao longo desta linha, sempre me pareceu que as pessoas mais importantes não figuram na história da humanidade. Ou,se figuram, parecem ocupar papéis secundários. Os destaques são todos pra os diretamente ligados a sucessos oufracassos. Mas os possibilitadores destes sucessos ou fracassos ficam na penumbra. Mais importante que Alexandre da Macedônia foi seu pai, Felipe. Que o gerou e o preparou para ser o que foi: o dono do mundo. Alexandre é de conhecimento universal. A Felipe, poucos conhecem. Os melhores livros sobre a história da humanidade não contêm qualquer referência ao criador da humanidade. Ou,seja, aco riador da história.


A festa de hoje , que nos congrega, é uma ilustração, deste fenômeno. A pessoa mais decisiva para que esta festa chegasse a se realizar não está aqui. É de poucos conhecida. Seu nome não apareceu em nenhum dos editais da reunião. Esta pessoa é minha mãe.


Foi por minha mãe, Anna Luiza, que eu cheguei a ser médico. Ao falecer meu pai, relativamente moço, a família, minha mãe e quatro filhos, ficou em situação econômica muito difícil. Mamãe era uma professora primária que,então, como hoje, ganhava pouco. Os muitos bons amigos de mau pai auxiliaram a minimizar as dívidas que haviam ficado. Mas, numa reunião com a família, aconselharam mamãe a me tirar da escola - eu tinha doze anos - e encminhar-me a um emprego.
Dos filhos homens, eu era o mais velho e a recomendação, ainda que dura,era,senão sensata, certamente realista. Mamãe tinha grande orgilho dos sucessos de seus filhos na escola. E não disse nada. Percebi que chorava baixinho. Quando os amigos saíram, reuniu os filhos,olhou para nós e disse: " não sai ninguém da escola". E começou naquele momento a mais fantástica
luta que até hoje assisti de uma mãe pela educação de seus filhos. Uma luta que negou às noites, as horas de sono; aos fins de semana, as horas de lazer, às férias anuais, o repouso merecido. Passou a lecionar em dois turnos; aceitou alunos particulares e sozinha como se um gigante fora, mantinha a casa limpa e a mesa posta. Foi uma luta terrível. Mas uma luta maravilhosa. Dela emergiram quatro diplomas universitários. Dentre eles o meu. Médico.

Anna Luiza Pillmsnn Rigatto, a dona Lili, como com carinho e admiração achamavam todos os da família, razão primeira deste momento, é a referência histórica que eunão poderia deixar de fazer."

Romaria

Clique aqui para ver o anúncio da 22ª Romaria ao Santuário de Nossa Senhora Do Rosário, em Serafina Corrêa.

A vida como ela é...

A viagem canuflada do Edison Puntel pro exterior

Numa das vezes que fui a São Paulo cobrir eventos sobre a área de transportes, o editor Edison Puntel me convidou prum show do Caetano Veloso patrocinado por uma grande montadora numa casa de shows. Mas antes passei na sua casa pra tomarmos um uísque e conversarmos um pouco.Fui muito bem acolhido no seu apartamento do Morumbi,onde vive, por sinal modestamente. Depois pegamos o carrro e na ida para a casa de espetáculos, eu lhe perguntei sobre a viagem ao Exterior se fora feita em companhia da esposa. Eu vi que a mulher dele ficou meio que chocada: estava lhe dando uma notícia. Ela nem soubera que o Edson estivera no Exterior. Sei lá o que ele disse em casa nos dias que ficou ausente. Na verdade,tinha ido aos USA, a convite de uma montadora.

Durante o tempo do show do Caetano Veloso havia um clima muito gozada, principalmente entre o Edison Puntel e a esposa. Eu nem me dei conta de nada. Depois do espetáculo fui pro meu hotel dormir. No dia seguinte, quando o Edison meu viu, veio com quatro tijolos pra cima de mim:

- CANTON,SEU FILHO DA PUTA....

Mas o que houve,meu Deus

- Você me fez passar uma noite de inferno. A mulher não me deixou dormir, disse ele.

Aí me caíu a ficha. O Edison era tinhoso mesmo.
Viajara com outra companhia pro Exterior.

No dia do seu enterro - ele morreu ainda na década de 90 - a colega Valdir dos Santos, foi ao enterro e notou que a esposa do Edison vestia uma capa que ela ajudara o colega a escolher durante uma viagem que fizeram pra Alemanha a serviço das revistas que editavam.

Grande Edison: ele foi o ganhador de um prêmio SETCERGS com uma matéria que inscreveu sobre uma viagem de caminhão,ou de ônibus, pro Chile. Ficava danado comigo....porque eu sempre aprontava pra ele com alguma pauta que ele teria que negociar com seu patrão que era um baita de um mão fechada....

Lá no céu, ou no inferno onde deve estar,seguramente está fazendo algum bico ligado a rádio,jornal ou tevê. Talvez esteja ajudando o capeta a divulgar suas " obras"!

Coleguinhas

Caco Barcellos terá chance,hoje no estúdio Clio de contar como foi matéria que derrubou 22 repórteres em 1975

É hoje de noite, dia 7/5, no studio CLIO, na José do Patrocínio,o encontro do repórter Caco Barcellos, da TV Globo, com o apresentador Ruy Carlos Ostermann. Espera-se que não seja um encontro de jogar confetes um noutro, porque aí se perderá uma bela chance de esclarecer, do ponto de vista histórico,do que aconteceu no dia 20 de outubro de 1975,quando 22 repórteres,entre eles o próprio Caco, se demitiram da Folha da Manhã, quando o diretor era Ruy Carlos Ostemann.

Valter Galvani contou dias atrás que este episódio se deu em função de uma reportagem que a Folha da Manhã publicou e que o III Exército não teria gostado." Na verdade aquela foi a terceira matéria que trouxe problemas. Foi uma seguida da outra e aquela que provocou a demissão foi o estopim de uma crise" disse-me Erny Quaresma, que trabalhou no jornal e que estava lá quando houve esta crise.

Valter Galvani contou que Ruy Carlos Ostermann chegou para o dono do complexo da Caldas Junior, um dos homens mais poderosos da co municação do país naquele ano, Breno Caldas, e lhe disse:
- Meu cargo está a sua disposição.
E que Breno teria respondido:
- Seu cargo sempre esteve a minha disposição. Eu sou o dono aqui!

Depois que 22 repórteres se demitiram neste dia - 20/10/1975, a direção da Folha da Manhã passou a ser ocupada por Valter Galvani até o jornal fechar definitivamente.

Coleguinhas

* Ana Maria Schizzi, que foi dona do jornal O Serafinense - herdou do marido Roberto Paz - passou adiante o título, mas ele não circula mais. Ela não se mudou do Brasil. Continua residindo em Porto Alegre, na av. Osvaldo Aranha.

*Ayres Cerutti está viajando.Seguramente um compromisso "sério" da Brajet.

* Rogério Mendelski errou duas ou três vezes o horário ontem no seu programa. Dava sempre uma hora antes. Deve ter sido o frio forte do ano.

* Promessa: vão chegar quatro terminais de computador novos pra salinha João Carlos Terlera.

* Diz o Adriano Mazzarino, do GUAXO, de Encantando, que a Assembléia Legislativa onde João Carlos Terleira vai todas as tardes, mesmo sendo aposentado,é o " potreiro" do coleguinha.

*Os colegas da Jennifer do NH estão contentes com sua volta ao batente. Andou fora de circulação por uns dias.

* Perguntar não ofende: a empresa Atento que cuida dos guinchos, ou que aciona os guinchos, contratou o dr. Osvaldo de Lia Pires pra defendê-la junto ao Estado. Meu Deus, que urucubaca tem este Detran?

* Pô o Espanhol lança livro a 30 mangos? Não tamos com esta bolinha toda, meu amigo.

*ZH na internet podendo ser acessada de graça está fazendo com que muitos assinantes cancelem o jorrnal pra ler no computador.

* Dia 5/5, lá pelas l6 horas. João Carlos Terlera chega no seu trabalho na assessoria de imprensa . Toca o telefone comum.Terlera atende:era Lauro Schirmer,diretor do museu de Comunicação Social José Hipólito da Costa. Lauro queria saber sobre uma entrevista de Brizola com Breno Caldas, no passado. Terlera lhe pede um tempo pra pesquisar e quer saber qual o número do telefone pra retornar a ligação. Lauro não sabe, embora seja o diretor do Museu. Dá-se o seguinte diálogo:
- Pô Lauro, nem o número daí tu sabes. Tu deves ir muito mesmo ao trabalho.

Fecha o pano....

* Assis Hoffmann apareceu ontem,dia 6/5, no "serpentuário" da Uruguai.

*Carlos Bastos e um colega foram anos atrás testemunhas de uma violenta discussão - que por pouco não foi às vias de fato - entre um casal de políticos. Bastos encontrou o parceiro de aventura dias atrás na Rua da Praia e este,esquecendo-se totalmente que Bastos também presenciara a discussão do casal, contou o episódio, mas totalmente "deformado". Pois é, às vezes tem-se que tomar cuidado com a versão dos fatos.

*Nelson Moura ficou sabendo pelo entregador do Correio do Povo que o valor do jornal popular que os " pastores" vão lançar será de 0,60. Pô,Moura, arruma uma fonte melhor. Uma vez eu contei pro Santana que o Trensurb seria azul, brincando, e no outro dia, ele escreveu isto dando como título de sua coluna. " O trem é azul".

* Blogueiros que têm banners do Banrisul preocupados. O Banrisul vai encerrar os banners nos sites.

* Já a Assembléia Legislativa do Estado nesta gestão está mantendo os blogueiros no seco. Anúncios da casa, mesma com a presidência do PT, só está indo pra grandes veículos.

Buxincho na Assembléia

Ontem,dia 6/5 durante todo o dia as funcionárias que fazem a limpeza na Assemblèia Legislativa do Estado só comentavam um assunto: uma das colegas estava "namorando" - no jargão atual ficando - com um outro funcionário de uma terceirizada da limpeza e a mulher do dito cujo a esperou na frente do Palácio Piratini e encheu de porrada a rival.]
Era o maior tititi entre as funcionários. Assunto mais comentado do que a" queda" do Pedro Parente, da RBS!

Termos urbanisticos usados durante seminário do SERGS sobre gargalos do tráfego

" indivíduos arbólicos" pra dizer árvores
" estocagem semafórica" pra dizer muita gente parada na sinaleira esperando abrir
" terminal de céu aberto" pra dizer tparadas de ônibus
"" veículos que acessam ao interior do município" pra dizer ônibus que vão aos bairros

Belos e Malditos (Parte II)

Lourdes Ampesi, companheira há 39 anos de Manir Rosek, que foi o administrador da casa de espetáculos 1001 Noites, na av. Guaíba, 4.400 conheceu o fausto quando a casa ia às mil maravilhas, em décadas passadas.." Eu era junto com o Batista (jogador do Inter, na época) a única que tinha um Puma em Porto Alegre" contou ela na última segunda,dia 4/5, na casa onde vive com o companheiro, Manir, na av. Guaiba,88.Uma casa que,por sinal, era de sua mãe.

" Uma vez eu estava em Camboriu( litoral de Santa Catarina). Pedi um dinheiro pro Manir porque inventamos de ir a Ubatuba(litoral de SãoPaulo). Ele mandou tanto dinheiro que depois em São Paulo eu tive que dormir com um travesseiro com o dinheiro dentro junto a um posto da Polícia Rodoviáira Federal já que era carnaval e não achamos hotel em São Paulo" relatou ela lembrando os tempos que a casa 1001 Noites vivia cheia e dava muito dinheiro.
Lourdes costumava frequentar o Chipp´s(na avenida Getúlio Vargas) e o Água na Boca, do Pedro Mello, na Praça Conde de Porto Alegre, nos anos 80." O Pedro Mello sempre que tinha shows no Água na Boca me mandava convite. Ganhei convite pra ver a Monique Evans,por exemplo"contou-me Lourdes. Ela contou que conheceu muitos jogadores de futebol que frequentavam a casa de Pedro Mello, nos anos 80. " Tenho um sapato com o autógrafo do jogador Falcão" diz ela, dizendo que Renato Portaluppi ia muito no Água na Boca,além de outros jogadores de futebol.

Lourdes conheceu Manir nao1001 Noites.
Ela nasceu em 1717 de janeiro de 1954,filha de pais humildes e Manir em 18 de janeiro de 1925 de família mais abastada. Quando Manir nasceu sua família morava num terreno na Andrade Newves,181, no local onde hoje está situado o " Tudo Fácil " no coração de Porto Alegre.Ele é filho de uma família que tinha posses.
Não tiveram filhos nestes 39 anos de companheirismo." Eu não quis" comentou Lourdes. Manir tem filhos do primeiro casamento. Quando conheceu Lourdes,era viúvo.

"Eu comi o pão que o diabo amassou" contou ela na frente do marido, que apenas dava risadinhas baixas enquanto ela contava estes episódios.

Isto porque,segundo Lourdes, Manir era muito " mulherengo".
" Ele c....todas estas mulheres que trabalharam na casa. E foi um dos que inaugurou a Mônica(cabaré que existiu no Cristal)",comentou a companheira de Manir, que ouvia o desabafo de Lourdes e dava apenas umas risadinhas.
( Próximo episódio...O show cancelado da transformista Roberta Close no 1001 Noites)

Postal é colorado...

A Roberta Amaral, que já foi assessora do deputado Alexandre Postal(PMDB) esclarece que seu ex-chefe é conselherio do Inter. Tá bom, Roberta, mas que na quinta passada, ele tava na festa dos gremistas de Guaporé, eu vi com estes olhos que a terra há de comer...

A vida como ela é...

Olha o carro de Leão, olha o carro de Leão

Em 1982, fui a um congresso de transportes em Recife e o assessor de imprensa Edson Puntel dava encima de todas as muheres que trabalhavam em volta da assessoria de imprensa. Mas o Edson, que é falecido, era assim: hora de trabalho, era hora de trabalho, hora de farrear, era o utra coisa.

Há dias que ele tava campanando uma das telexistas- operadoras de telex - hoje é tudo por email - e até que uma noite saíram da salinha da imprensa lá pelas 10 da noite,sozinhos.

Bom, pensou o Edson, é hoje que acontecerá.

Caminharam pela beira do mar, em direção ao centro. Tudo pela praia da Boa Viagem.Quando o Edson se preparava para o ataque, isto é, convidar a telexista pra tomar um chopp e não queria ouvir a desculpa de que não poderia, ela olha prum bar e começa a dizer alto:

- Olha o carro de Leão, olha o carro de Leão...

Mas a telexista demonstrava especial surpresa ao reconher o carro.

O Edson meio contrafeito perguntou:
- Mas quem é Leão?

- É o meu marido.

Puntel brochou na hora.Ele sabia que no Nordeste os homens estão acostumados a apagar quem dá encima de mulher casada. Isto lá ainda é levado muito a sério.
Na manhã do dia seguinte, no café da manhã, ele contou esta historieta e não parávamos de lhe dizer,depois:
-Olha o carro de Leão, olha o carro de Leão.

Ele nunca mais se meteu com a moça....

Coleguinhas

* Nelson Moura manda dizer que a Caldas Junior vai imprimir um jornal popular, a 0,60 centavos pra concorrer com o Diário Gaúcho. Que bom! Mais empregos...pra catigoria...

*Jornais pouco mandam repórteres e fotógrafos a eventos. Ontem, no encontro dos gargalos da região metropolitana da SERGS,apenas a TVE foi e o fotógrafo do Jornal do Comércio.
Escassez de repórteres ou a turma não quer mais tirar a bunda da cadeira.

* Já andou melhor de cuidados a sala J.C. Terlera na Assembléia Legislativa do Estado. Ontem,dia 5/5 de 4 terminais apenas um funcionva.Ufa!

* Estão querendo acabar com a salinha...

*Flávio Dutra e Agnese Schifini, da prefeitura municipal, foram canetear ointem de manhã no seminário sobre gargalos na região metropolitana promovido pela SERGS

Prefetiura estuda retirar ônibus da rodoviária atual

O secretário municipal do planejamento Márcio Bins Ely disse ontem,dia 5/5 durante evento da SERGS que a prefeitura municipal estuda colocar os ônibus das linhas interestaduais e internacionais num "anexo" junto ao aeroporto Salgado Filho. Isto seria feito para desafogar a atual rodoviária. Mas os ônibus que vão para o interior do RS permaneceriam, por este estudo, ainda no atual terminal.

Ely disse que atualmente chegam ao centro de Porto Alegre 30 mil viagens de ônibus por dia e que a av. Salgado Filho se constitui na maior rodoviária a céu aberto do Brasil. Segundo Bins Ely a possível construção de um trecho do aeromóvel - trem que circula em via expressa - entre a estação Aeroporto do trem metropolitano e o Salgado Filho é que possibilitaria levar parte dos atuais ônibus da rodoviária atual para o Salgado Filho. Mas avaliou que isto é apenas um pré-estudo.
O seminário realizado com o patrocínio da SERGS contou ainda com a presença do secretário de governo do município, Clóvis Magalhães.

Magalhães disse que por duas vezes o Governo Federal vetou a possibilidade da Prefeitura de Porto Alegre de conseguir financiamento no exterior para a construção dos Portais da Cidade, projeto que o prefeito José Fogaça quer colocar em vigência neste seu segundo mandato.

Drops do encontro dos engenheiros

* Longos dias têm cem anos: Ontem, 5/5,no encontro dos gargalos, dois arquiinimos do passado nem se falaram: Oskar Coester,inventor do aeromóvel e o engenheiro Cloraldino Severo que quando ministro bombardeou o invento.

* Em 2005 o RS tinha 3 milçhões e 430 mil veiculos. Em 2008, subiu para 4 milhões 140 mil.

*Em 2002 foram licenciados na região metropolitana 142 mil veiculos. Em 2008 o número de carros licenciados foi de 270.000

* A Rodovia do Parque, ou BR-448 que sai de Sapucaia do Sul e desem boca na av. Castelo Bramncoe, Porto Alegre, custará cerca de 800 milhões de reais. Vai desafogar parte da Br-116.

*A GM,em Gravataí, terá um acesso construído de 6 km nos próximos meses pelo Governo do Estadoi,isto é pelo DAER.

* Foi de 15 por cento a queda do número de carros neste último verão na Freeway por causa da Rota do Sol. A Concessionária da freeway a Concepa não tem direito a indenização por isto.

*Cerca de 10 milhões de reais foram destinados para o estudo do impacto ambiental pra construção de uma nova ponte sobre o rio Guaíba. Esta nova ponte, pelos estudos,deverá ficar acima da atual. Acima no sentido de "mais pro lado de Gravataí".

*A Aeronautica monitora a construção de uma nova ponte sobre o rio Guaíba.

*30 mil viagens são feitas por ônibus urbanos ao centro de Porto Alegre todos os dias. O projeto Portal das Cidades prevê uma redução disto.

*Engenheiro Eduardo David, do Rio,apresentou projet o de transporte por levitação. Está em estudo implantação de trecho no Rio.

* Cloraldino Severo foi convidado a participar da comissão da SERGS que estuda os gargalos nas rodovias. O ex-ministro dá consultoria ao Setcergs.

* Sérgio Neto, presidente do Setcergs, esteve no evento dos gargalos,dia 5/5. Pra se ver a importância que o assunto tem.

*Oskar Coester apresentou filmezinho do aeromóvel que funciona desde 1989 num parque em Jacarta, na Indonésia.

* Perguntei a Coester, porque Adroaldo Aumonde havia desistido da parceria que tinha com ele: pergunte a ele, me respondeu.

* Coester, depois de anos submergido, voltou à tona e está sendo novamente assunto da mídia.

* Sua presença no evento da SERGS foi importante pra ele.

* Discrição marca atuação do presidente da SERGS, eng. Newton Quites. Não faz badalação com a entidade.

* SERGS já participou de campanhas memoráveis como a construção da ponte do Guaíba e da dplicaçaão do Polo Petroquímico do RS.

Belos e Malditos(I)

ACERVO LOURDES AMPESI

MULHERES BONITAS NO "1001 NOITES"

Na av. Guaíba, 88 vive atualmente, Manir Rosek, com sua companheira Lourdes, que foi o gerente da casa Mil e Uma noite, localizada durante muitos anos na av. Guaíba, 4.400 e que foi palco de grandes shows na noite portoalgresnee. Ali apresentaram-se Cauby Peixoto, Angela Maria, a transformista Roberto Close,entre muitos outros artistas e bailarinas de projeção internacional.
Lourdes recorda que o conjunto Impacto de Jorge Salim Alem-falecido alguns anos atrás - praticamente criou-se dentro da Mil e Uma Noites.
Manir e Lourdes,quando a casa funcionava, residiam nela. Para o trabalhou, era só subir da residência que mantinha para o local onde funcionava a casa de espetáculos.
" Eu e o Batista éramos as únicas duas pessoas que tínhamos Puma em Porto Alegre" recorda Lourdes pra lembrar os tempos de fausto e muita riqueza.
Manir começou na Mil e Uma Noites em 1948.
Depois a casa virou o Clube dos Coroas, que também teve muito sucesso,até fehcar definitivamente e tornar-se um prédio, que foi feito no local.
Muitas pessoas lembram do local. " Havia um laguinha na frente" recorda o advogado Antônio Olava dos Santos, o Vico, que muito foi lá.
Vico contou que uma vez ele estava lá dançando e alguém dedurou um fotógrafo do jornal A Hora, de Porto Alegre, que havia fotografo vários dos presentes.
" O Coi( Lopes de Almeida) tirou a máquina do fotógrafo e a espatifou numa pedra que tinha junto do laguinho com todo o filme dentro" contou Vico.

Manir Rosek que foi o supervisor da casa está hoje com 84 anos.

Coleguinhas


Erraram o nome do Ministro?

Trocaram o nome do prefeito e do ministro

No caderno de Logistica do Jornal do Comércio do dia 30/04, saiu uma foto da Ana Paula Aprato cuja plaqueta de identificação diz : " MINISTRO MÁRCIO ZIMMERMAN".

Na realidade, não seria o Ministro Márcio Fortes, das Cidades?

Então misturaram o nome do prefeito de Novo Hamburgo Tarcísio Zimmermann, com o do Ministro das Cidades, Márcio Fortes.

A reunião com a minsitra Dilma, da Casa Civil, foi sobre a Rodovia do Parque. Tudo a ver....

Coleguinhas


José Ripoll - "O Dogão"

" Dogão" foi da equipe que trabalhou no DC

O colega Leopoldo Ruzicki me escreve contando que José Danter Rippol tinha como apelido entre os colegas de " Dogão" e que os dois trabalhram juntos no Diário Catarinense.
Rippol nasceu em Porto Alegre em 11.06.1943 filho de Pedro Dias Rippol e de Paulina Souza Rippol. Residiu na av. Cristóvão Colombo, 724/05.

Trabalhou no Gabinete da prefeitura municipal de Porto Alegre na assessoria de imprensa e na reportagem policial de ZH. Sua esposa é Lourdes(19.05.1940) e tem os filhos Pedro( 30.09.1965) e Daniela( 16.05.1976).
" Dogão" teve a sorte de nascer numa família abstada, o que não é comum entre jornalistas.

Jornalismo no Interior

* Méritos tem o repórter Luis Carlos Fiorin que fez um bom trabalho de jornalismo no seu programa Rede Cidade, pela Odisséia FM, entre 7h30min e 8h15 min, todos os dias. Fiorin sofreu fortes pressões durante as denúncias
da Operação Gabarito,desbaratada pelo Ministério Público Estadual, há 3 anos atrás. 50% dos seus anunciantes retiraram a propaganda o que o deixou em situação c omplicada. Mas depois que o programa conseguiu uma gravação do promotor Mauro Rockenbach provando tudo o que estava denunciando, voltou a credibilidade e voltaram os anúncios.

*O jornal O Serafinense, que tinha que circulou durante muito tempo, fechou. Quando faleceu seu diretor, Renato Paz, o jornal passou para sua viúva, mas tempos atrás encerrou suas atividades.Ana Maria, a viúva, estaria vivendo na Itália.

*Comenta-se em Serafina que o prédio que foi da cantina de vinho marca Brilhante, da Sociedade Estrela Guaporense, quer abriu processo de falência anos atrás, estaria em processo de tombamento.Cést fini!

Vão-se os anéis e ficam os dedos

São 18 horas de segunda-feira e estou chegando agora da av. Guaíba,88 onde vive com a companheira Lourdes o que foi dono da casa de espetáculos 1001 Noites, na Zona Sul da cidade. Os mais antigos se lembram dela. Os mais novos a conheceram depois quando ali funcionou o Clube dos Coroas. Dentro da 1001 Noites nasceu o conjunto Impacto, do Saslim que mais tarde teve a agência de propaganda Arauto, falecido anos atrás e que também teve casas noturnas. Pois o Manir Rosek está com 84 anos teve uma isquemia e dois AVCs mas está lúcido. Contarei na quarta-feria um pouco de sua história.

Ecos de Serafina

Passei o recente feriadão em Serafina. Nada de novo, em se tratando de um feriadão com tudo fechado, à exceção do sábado pela manhã.Nada de novo propriamente não, a não ser um acidente com dois jovens mortos - um de 22 anos (Bollis) e outro de 20 anos que morreram carbonizados na RS-129 entre Guaporé e Serafina quando se chocaram contra um ônibus que ia a Porto Alegre.O que estava no volante, o Bolis, que tinha 1m90 cm de altura ficou tão queimado que seu corpo veio do Instituto Médico Legal de P.Fundo pra onde foi levado e coube num caixãozinho de criança. O repórter Luis Carlos Fiorin, da Odisséia FM de lá esteve no local e fotografou o acidente. Seu jornal Gazeta Reginal vai publica resta semana as fotos. Mas ele também mandou fotos para o Correinho que as publicou na capa de domingo.
Mas o que me impressinou foi o estado dos campos, das árvores, dos banhados. Está tudo seco. Se não chover em 15 dias, os prejuízos sobre a produção de leite do gado e outros produtos agrículos será grave. Que pena. A governadora Yeda não tinha tido até aqui percalços com seca no RS!
No sábado,ouvi, meio de improviso, um desabafo longo do médio Ênio Massolini sobre o esquecimento que seu pai, Guerino, que foi o segundo prefeito do municipio (1964/1968) está sendo submetido.
" Meu pai fez muito mais que o Sérgio( irmão de Ênio, que foi 10 anos prefeito do município). Falam do Sérgio, mas não falam do meu pai" disse Ênio que além de médico é produtor rural.
Segundo Ênio, o prefeito Guerino fez o calçamento da didade ( não havia) fez as casas populares para os operários do Frigorífico Ideal S/A, fez ponte do rio Carreiro( na divisa com Nova Bassano)comprou o terreno na av. 25 de Julho, onde está hoje o centro administrativo do município e leva o nome do primeiro prefeito, Amanti no Lucindo Montanari,e praticamente está esquecido. Não há monumento na cidade com o seu nome.E quando inauguraram em julho de 2007 o prédio da prefeitura municipal com o nome de Amantino Montanari nenhum filho de Guerino Massolini esteve presente.O projeto que deu o nome de Amantino ao centro administrativo foi do vereador Pedro Fozza(PMDB).

É hora,digo eu, da atual administração da Câmara Municipal - onde um filho de Guerino, Paulo tem assento - dar o nome de uma importante avenida a este prefeito,então.

Churrasco de Ovelha no Sardella

Na quinta feira passada, dia 30/04, os irmãos Postal - Fernando,diretor do Banrisul e Alexandre(deputado estadual, PMDB) participaram de uma ovelha assada no bar da rodoviária de Guaporé, administrado pelo Sardela e sua esposa.

Ficou uma grande reunião dos gremistas da cidade, porque Sardela é gremistão fanático.

Lá por 22h30minutos, os irmãos Postal se retiraram da festa enquanto a cervejada corria solta. Sardela, dono do bar, ficou muito contente pela grande adesão que lotou seu bar na rodoviária de Guaporé.

Desempenho

Foram 9.430 acessos em abril. Obrigado pela preferência leitores. Domingo passado estava caminhando pra Ródoviária de Serafina Correa pra pegar o bus pra Portinho e um camarada, que eu não conheço, me gritou da calçada:
- Deolhoseouvidos!

Suspirei: ah, como é afrodisíaca a fama!

Rádio Guaíba completa 52 anos


A cobertura política é um dos fortes da Guaíba

Nos 52 anos completados dia 30/04 da rádio Guaíba, relembro aqui a grande gafe que marcou a rádio neste período todo.
Foi a chamada morte de Dom Vicente Scherer. Entrevistei Amir Domingues para esta matéria.

Amir Domingues não lembra a data com certeza, mas foi num domingo de 1957 ou 58. Havia um jogo importante no estádio dos Eucaliptos mas não era um GRENAL.
Amir dirigia o departamento de esportes e de notícias na Guaíba.
E era comentarista esportivo.
Depois do jogo, Amir, que não tinha automóvel foi para casa. Chegou em casa por volta das 19hs.Em seguida bateu na sua casa o locutor Ênio Berwanger, pálido, lívido,com uma carta de demissão na mão.

Contou a Amir que havia noticiado a morte de Dom Vicente Scherer,arcebispo de Porto Alegre.
Amir foi para a rád io e encontrou uma balbúrdia formada.
Oscar Artur Riegel Junior e José Henrique Green( mais tarde diretor do IAPI) foram os dois redatores que criaram a confusão.

Os dois escreveram cartas de demissão a Amir.

Amir botou as cartas no bolso e perguntou que providências tinham tomado: desmentimeos a notícia,disseram.
Ali na hora ele mandou preparar um Correspondente Renner emque outros dados seriam noticiados.

Oscar Riegel contou a Amir que ele recebeu uma ligação dealguém da rua se fazendo passar pelo sacristão de Dom Vicente. Imitava-o perfeitamente.Informou que Dom Vcente falecera de um mau súbito.
Um dos dois redatores correu para o telefone que ficava no departamento de Esportes para confirmar a ligação com a cúria metropolitana. O telefone da cúria estava sempre ocupado.Isto fez o redator da Guaíba pensar que o arcebispo realmente tinha morrido.
Neste tempo o locutor Ênio Berwanger chega ao departamen to de notícias que ficava do outro lado, pega a notícia redigida e para ganhar tempo a caminho do estúdio passa pelo redator que tentava uma confirmação do fato via telefone com a cúria. E perguntou:
- Confirmou?
O colega fez sinal positivo com o dedo.Só que ele estava dizendo positivo no sentido de que o telefone da cúria estava sempre ocupado.
Entenderam todos que o arcebispo estava deveras morto.

Ênio entrou rápido no estúdio fez o sonoplasta coloca rno ar a cortina musicial do Renner e leu a notícia em edição extra.

Os dois redatores se olha e um pergunta pro outro quase ao mesmo tempo:
- Confirmastes a notícia.

Eu não diz um pro outro.

Ligaram o rádio na Difusora, dos capuchinhos, que continuava com programação normal. Ascendeu-se a primeira luz de que haviam dado uma enorme barriga.
Na Difusora só tocava música popular e não fúnebre,que deveria ser caso o arcebispo tivesse fal ecido.Em seguida veio uma ligação da cúria dizendo o que não queriam ouvir. D. Vicente Vivia.

A confusão foi maior ainda porque a Guaíba tinha uma grande força.
Não a quem hoje que é pequena perto daquela época.

Na Igreja Conceição, na Independência, havia uma missa a que assistia a esposa de Breno Caldas, dona Isla Kesller Caldas.O padre ficou sabendo e já começou a orar por dom Vicente.
As rádios no interior começaram a retransmitir a morte...

Ist causou um traumatismo geral, lembrou-me Amir Domingues.
Amir redigiu uma nota contando o que acontecera e apostando que os dois redatores eram de sua confiança.
" Havia sido um acidente" avaliou ele.
No dia seguinte ele foi com Mendes Ribeiro ao Rio de Janeiro e na volta ficou sabendo que era para passar na rádio antes de ir pra casa.
Quando chegou na rádio lá estava D.Vicente Scherer pra pedir que os dois redator5es não fossem demitidos.
Amir tir ou foto junto de Dom Vicente e de Arlindo Pasqualini,fundador da Guaíba, que saiu no outro dia na Folha da Tarde. " Foi constrangedor" me resumiu ele.
É consendo geral de que o autor do trote foi Flávio Tavares. Ele me negou.

Coleguinhas

* Baiana, ou Liana Milanez, que está na TV Brasil, no Rio, andou pelos pagos no fim de semana passado.

*Felipe, filho da Baiana e do Newton Pereira, também é jornalista. Assina Felipe Milanez.

*A rádio Guaíba completou dia 30/04 52 anos de existência. E entre 8 e 9 horas todos os locutores que trabalharam lá compareceram ao estúdio.Menos os mortos,claro! Estes fizeram uma reunião no céu ou no inferno, depende de onde estiverem.

*Encontrei o engenheiro Daniel de Andrade ontem na SERGS e me deu uma notícia triste: de que sua irmã Carmen, engenheira como ele, faleceu em dezembro de 2007. De uma infecção hospitalar.

*Daniel de Andrade, que trabalha no Planejamento do Estado, volta e meia recebe visitas que na verdade estão procurando o secretário de Logistica, Daniel Andrade, que támbém despacha no centro administrativo do Estado.

Discussão sobre ecologia revela dados interessantes em Porto Alegre

Drops do encontro na SERGS do dia 30/04 com o secretários Porf. Garcia e Berfram Rosado

* Você sabia:muitos funcionários da Secretaria do Meio Ambiente e de Feplam têm medo das ONGS que dizem proteger o meio-ambiente porque elas processam os órgãos do Estado, quando liberam investimentos em tipos de árvores com as quais as ONGs não concordam. Ana Pellini, da Feplam, responde a vários processos. Quem disse isto foi Berfram Rosado.

*Porto Alegre tem um milhão 200 mil árvores

*Porto Alegre tem 579 praças e três áreas de preservação ambiental: Saint Hilaire, Morro do Osso e Lami.

*Há seis mil pedidos de poda de árovres na SMAM esperando licença. Não há gente suficiente.

* Um biólgo, um engenheiro florestal e um agrônomo da SMAM podem passar até uma tarde inteira discutindo que tipo de poda vão fazer.Haja tempo e dinheiro pra isto...

*A SMAM foi criada em 1975, tem portanto mais de 30 anos. Fo icriada pelo prefeito Villela em decorrência do maluco aquele que subiu na árvore na frente da faculdade de Economia da URGS.

*Prefeito José Fogaça chamou o vereador Prof. Garca pra ser titular da SMA e lhe pediu um objetivo: que a SMAM deixe de trancar as ruas.

*A SMAM tem 709 funcionários.

* Dois aparelhos que medem partículas inaláveis estão em Porto Alegre. Um na Salgado Filho e outro na Princesa Isabel. Mas estragaram e foram mandados pra conserto na Suíça.

*POA tem 610 mil veículos. Em cada um deles, apenas uma pessoa. Isto vai criar uma crise no trânsito, disse o prof. Garcia.

*Em 2008 540 solicitações de licenciamento junto a SMAM foram negados. A maioria por falta de documentos.

* O vereador João Pancinha esteve prestigiando a palestra do colega Prof. Grcia na SERGS.

*O assunto interessou tanto a empreendedores que lotou o café da manha do dia 30/04 da SERGS.

 

 

 
 
Arquivo do Blog

2009
             
2008
xMaix
2007            

 
 


Espaço dos Leitores

Oi, pai!
Está tudo bem por aqui.
Muito trabalho, mas felizmente com boas oportunidades.
Hoje fez um dia muito bonito de sol, apesar de ser final de maio.
Fui à praia cedo com mana e Helena. Ela adorou, principamlamente a areia.
Qualquer novidade daí, avise.
Beijo grande,
Ana.

Olides,
Faz tanto tempo que saí do RS que já virei "Memória do Jornalismo"...
Pela foto e pelos dados de publicaste a meu respeito vejo que estás com o fichário da ARI na mão.

Fui, sim, casado com a finada Alda Souza entre 1971 e 1973. Estivemos presos juntos no DOPS, em episódio que o "Operação Condor", do Luiz Cláudio Cunha detalha.
À época em que morava na Thomas Flores, (1974-1976) vivia com a Rejane Fernandes, com quem tive meu único filho, Andreu Fernandes Valls, hoje psicólogo aqui em Brasília.
Fui para Uruguaiana casado com a Maria Luisa Abbott, a Cuca, e com ela vim para Brasília, em 1985.
Atualmente ela mora em Londres, onde presta assessoria a empresas brasileiras.

Trabalho no Senado Federal, por concurso, desde 1991. Atualmente, dirijo as transmissões das sessões plenárias pela TV Senado.

É sempre um prazer ter contato contigo.
Abraço
Luiz Fernando M. Valls

Olides.
Vagabundeei com prazer, bons (ou quase) 32 anos pelo teu espaço na internet. Resgatei histórias e rostos os quais queria lembrar e surpreendi-me com os que já tinham fugido da minha memória. Desculpe-me, mas só agora decubro teu prodigioso espaço com a saudável memória do jornalismo gaúcho e das tantas histórias que nela estão impregnadas. Foi bom identificar nomes e fotos de tantos companheiros, dos vivos e dos idos. Caramba, acho que estou no lucro desta vida!

Bom saber de ti e da tua persistente jornada em alimentar um blog para contar das coisas e fatos que nos dizem respeito -- nós, "coleguinhas". Parabéns! Viajar pelo espaço que ofereces no virtual foi me alimentar de emoções e saudades no real. Alegrar-me ao rememorar passagens vividas, surpreender-me com as que desconhecia e me entristecer com os que jamais poderei encontrar novamente.

Enfim, eis meu imediato testemunho para ti, caro Sugismundo. Trabalhamos juntos, nos cruzamos muito e convivemos pouco pessoalmente. Entretanto te tenho na lembrança. É claro, as tuas fotos mais recentes me dão noções de que estás provecto, e que aquela tua imagem mais jovem, do repórter afoito, furungador, de bochechas afogueadas e bom conversador ficou mais distamte.

Meu caro, as horas que passei trilhando os teus escritos e fotos me foram importantes. Voltarei e continuarei tentando acompanhar as informações renovadas por ti. Distante há um quarto de século aí do sul maravilha, a alma teima em retornar à origem. O retorno sempre implica em resgates e na busca para ainda identificar os afins.

Um abraço e parabéns. Obrigado pela oportunidade.

Vivo num sítio - Sítio da Mata Pequena - em Caçapava, no Vale do Paraíba, interior de São Paulo. Meu recanto está às ordens. Vim parar aqui -- em São José dos Campos, mais especificamente -- há 21 anos, por conta da implantação da TV Globo Vale do Paraíba, meu último e mais consistente emprego como jornalista. Atualmene esta emissora não é mais da Globo, e sim do Boni, e se chama TV Vanguarda.
Carlos Karnas

----- Original Message -----
From: "gdld" gdld@uol.com.br
To: deolhoseouvidos1@terra.com.br
Cc:
Sent: Seg 11/05/09 20:23
Subject: Fwd: eu estava pesquisando no google sobre o rui sommer e encontrei o que está no corpo deste e-mail

isso que está aí encontra-se num trabalho que uma doutora em comunicação escreveu sobre o jornal "o pato macho", que circulou nos anos 70. o trecho que eu estou enviando faz referência à primeira defenestração do galvani, ou seja, a saída dele da folha da tarde.

Em nota publicada na página 19 do Pato Macho número 8,Odete Galvão antecipa a saída do jornalista Walter Galvani dosquadros da Caldas Júnior. Na edição seguinte do semanário, amesma repórter escreve a seguinte informação:

O Pato Macho esgotou em todas as bancas próximas à Casa de Caldas. A repercussão da notícia por Mim fornecida acabou na mesa do doutor Breno Caldas. A turma do mofo ficou imaginando coisas sobre esta pobre repórter. Mais fofocas de lá no próximo Pato.
21
GALVÃO, Odete. Sucesso. Pato Macho, Porto Alegre, 09/06/1971, Transas, n.9, p.20".

Olides:
01)- Laura peixoto voltou com seu blog.
02) - Estive em Guaporé no sábado. Era o almoço de comemoração dos 50 anos de rádio do Telmo Martins, hoje na Rádio Opção/FM.
03) - Dia 15, sexta-feira, o atleta Claudiomiro, do Inter, recebe o título de Cidadão de Guaporé.
mazzarino

olides,
pelo que estou lembrado, não foi pressão do exército que causou a 'comoção' na fm.
até onde eu sei, a origem da crise foi uma charge do santiago satirizando o breno caldas por que ele vetou ou reclamou de uma matéria que o desagradou.
o santiago, que era o chargista do jornal, fez um desenho onde aparecia uma sobra na forma do perfil do velho breno.
o qual, claro, pediu a cabeça do santiago. mas, como a época ainda era de repressão e todos estavam com 'os nervos expostos', acabou dando no que deu.
mas, nesse epidósio, dos que saíram nenhum ficou mal na vida (ao contrário de outras degolas, como a da zh no tempo do augusto nunes e da própria caldas júnior na fase do declínio, quando, aí sim, muitos coleguinhas acabaram ficando numa situação difícil).
ah! também acho que o caco não trabalhou lá nessa época. pelo que eu lembro, ele trabalhou no tempo do galvani. mas não por muito tempo. ele e o dornelles, que igualmente acabou indo para são paulo trabalhar na globo. os dois trabalharam sob o reinado do galvani na fm, tenho (quase) certeza. a conferir.
ld

quando acabaram com o bicicletário da redenção, a idéia era melhorar as condições do local.
mas, como geralmente acontece no brasil, a coisa no início funcional, porém logo degringola.
nos primeiros tempos, até que o café do lago era uma coisa bem arranjadinha e compatível com o ambiente do parque.
mas, nos últimos tempos, virou um muquifo, um mafuá.
o deque original do projeto, que era aberto e permitia uma vista agradável do lago e do entorno, ocupado por mesinhas com guarda-sóis, agora está encoberto, praticamente todo fechado.
como diria um cronista social: "um horror!".
o porto-alegrense, em especial o freqüentador do parque da redenção, não merece isso. aliás, "ninguém merece"...
ld

Olides
graaaaaaaaaaande, cara, pegaste o dono do mil e uma noites... bah! que beleza...

 

 
 


Olides Canton - Jornalista e Escritor


Nascido em 16 de Janeiro de 1952 na cidade de Serafina Corrêa-RS, Olides Canton passou nesta cidade toda a sua infância. Mudando-se para Porto Alegre, cursou a Escola Julio de Castilhos, tornando-se Bacharel em Comunicação Social pela FABICO/UFRGS em 1982. Trabalha como Jornalista desde 1970. Trabalhou na Companhia Jornalística Caldas Júnior, Jornal Zero Hora. No Jornal do Brasil e Revista Carga e Transporte atuou como free-lancer. Editor do Jornal de Bordo e Revista Fitness. Possui 9 livros publicados. Ganhou quatro prêmios de Jornalismo, um do Badesul, dois do Setcergs e um da ARI. Registro no Sindicato dos Jornalistas RS: 2776 - Registro Jornalista - Mtb 4959.

Telefone: (51) 3330-6803
e-mail: contato@deolhoseouvidos.com.br

Autor de inúmeros livros, Olides Canton firmou-se como um
exímio contador de histórias contemporâneas.
Conheça agora as obras do autor

© "de Olhos e Ouvidos"  -  Todos os direitos reservados
Os textos e imagens publicados neste site são de inteira responsabilidade de Olides Canton.

 


ALTO DA PÁGINA

101Sul
Aceg
Affonso Ritter
Agência Edison Castêncio
Agenciafreelancer
Assembéia Legislativa RS
ATM
Bancada Gaúcha
Blog das Américas
Blog do Ucha
Brasil Imprensa Livre
Capital Gaúcha
Clovis Heberle
Coletiva.net

College of Liberal Arts
Comuniquese
Crise na Ulbra
Darci Filho
Diego Casagrande
E aí beleza?
Ecoagencia.com.br
Emanuel Mattos
Enfato
Esquina Democrática
Espaço Vital
Espanhol Fotos
Eu acho que
Famurs

Felipe Vieira
Fernando Albrecht

Fernando Gabeira
Frota & Cia
Gilberto Simões Pires
Governo do Estado do RS
Ieda Risco
Jayme Copstein
Jornal A Hora
Jornal do Mercado
Jornal Panorama Regional
José Dirceu
José Luiz Prévidi

Laura Peixoto
Mirian Fichtner
Odinha Peregrina
Partido Progressista
Percival Puggina
Políbio Braga
Política para Políticos
Por outro lado
Prefeitura de P.Alegre
Prefeitura Serafina Correa
Programa.com
Ricardo Noblat
Roendo as unhas
Rogério Mendelski
Rosane Oliveira
RS Urgente
Sec Segurança Pública
Sindicato dos Jornalistas
Sup. Portos e Rodovias
Valeria Reis
Via Política
Vide Versus
Yucumã
Zero Hora
Ziptop

REPORTAGENS
ESPECIAIS


Veja em "Memória"





 

 

 



amplie a imagem amplie a imagem amplie a imagem