" O blog das Novidades "

 

 

Coleguinhas

Foto: Luiz Abreu

E o Quevedo tomou a saideira....

Morreu domingo,dia 28/06, o colega Raul Quevedo. No sábado,ainda compartilhamos o barzinho da ARI e ele está normal, como sempre antiamericano.

Depois desci o prédio da ARI e subimos pela lomba grande do viaduto. Há tempos que quando saíamos junto das ARI e subíamos aquela lombada ele se queixava de fadiga. Era o véio coração faiando....

Pouco convivi com o Quevedo e nunca reparti uma redação com ele. O conheço do sindicato dos jornalistas e da ARI.Aos sábados, no barzinho da ARI, costumava paulear os USA...

Tudo o que era política norteamericana, o Quevedo era contra....

Um dia me irretei e lhe disse:
- Quevedo, tu estás no final da vida e continuas dando muro em ponta de faca.....

Não é que estava prognosticando sua morte.

Quevedo ficou conhecido também pela sua luta em transformar o Hipólito José da Costa, no patrono da Imprensa. Conseguiu até trocar o dia em que se comemora o dia da Imprensa. Ganhou uma página por isto da revista da Já Editores, e ainda no sábado passado,com a liberdade que tinha com ele, brinquei com o editor Bicudo, sobre o assunto.

Ontem de manhã quando cheguei ao sindicato a Mari e Nari, que atendem o público, me comunicaram que o Quevedo havia morrido.

- Como dizia meu avó, depois dos oitenta anos a gente fica aqui apenas pra dar pesso pra terra....

Tanto a Mari, como a Mara, elogiaram muito o colega que partiu. Chamaram ele principalmente de um senhor muito educado. A Mari acha que atualmente é difícil encontrar algum homem que tenha a educação do Quevedo....


Briga com Achutti.

Nos anos 2 000, quando o sindicato dos jornalistas realizou um congresso num hotel da avenida Carlos Gomes, um dos palestrantes num sábado de manhã era o fotógrafo Luis Eduardo Achutti, que falava sobre Cuba. Mas o Quevedo,presente ao ato, achava que o Achutti tava pauleando muito o reduto de Fidel Castro e cia....Pediu a palavra e começou a falar...
Achutti achou que o Quevedo estava na verdade lhe tirando o pão da boca e fazendo uma palestra paralela....

- A estrela aqui hoje sou eu, o espaço é meu e não seu...

Quevedo ficou meio boquiaberto com a intempestiva reação do Achutti mas teve que se calar. Alguns coleguinhas ficaram com pena do veterano jornalista e se retiraram do recinto....

Coleguinhas

FURO .....

* Pra orgulho deste site, nossos coleguinhas da Coletiva. NET repicaram ontem a notícia do mau estado de saúda do colega Osmar Trindade.internado no Hospital Sta Rita desde sábado,quando foi trazido de Brasília, pelos filhos Mário e Tércio.( Os dois filhos dele que estão vivos, porque dois ele perdeu)..Fazendo um blog sozinho, ainda dou de relho neles...Ah...Ah...Ah...Repicaram porque eu coloquei no ar as 10 da manhã e a Coletiva postou sua notícia ao meio dia.....Não precisa citar a fonte não tem problema, isto é do jogo....Sei que meu blog deu antes. Um amigo de Brasília leu a notícia e me ligou ainda de manhã querendo saber detalhes....

* Tinha me esquecido de registrar: o programa Conversa de Jornalista apresentado do barzinho da ARI no sábado passado foi feito com um poster publicado pela ZH do Michael Jackson. Inspirou o Glei Soares e o apresentador do Tambor da Aldeia....

* José Carlos Torves, de volta de Livramento, queixou-se ontem a este espaço que pegou um frio de renguear cusco em sua terra natal na semana passada.

* Identifiquei a guria que agitou na passeata contra o STF na quarta-feira da semana passada: é estudante da Famecos e participa do movimento de estudantes dentro do Sindicato dos Jornalistas. Que liderança que está brotando ali...espero que não abatume...

* Fotógrafa Avani Stein está de volta a sua terrinha. Mora na Alegrete, em Petrópolis. Quando a conheci era casada com Bernardo Stein e morava na rua Palmeira, onde hoje está um prédio. Quanta volta a vida dá. A Avani é polêmica....pra caramba....

* Ontem ao meio-dia José Carlos Torves foi conversar com seu colega de sindicato dos jornalistas, Celso Augusto Schoreder que no momento é o superintendente de Comunicação Social da Assembléia Legislativa do Estado(ALE).

* Sugestão pra salinha J.C. Terlera da Assembléia Legislativa: coleguinhas que recebem visitas que os atenda na rua. Costumam demorar-se , falar alto sem pensar que os demais estão trabalhando....Respeito com os outros é bom e eu gosto....
Se falta educação então que se aplique a lei do tacão...

*cantor Leonardo, ou Jader Murecy Teixeira, não apresentou o Província de S. Pedro, na rádio Guaíba, no domingo passado, dia 28/06...Foi apresentado por locutor comercial....

*Cena Urbana que presenciei no sábado,dia 27/06, pouco depois das 20 horas....Saí da rodoviária e quando cheguei na Júlio de Castilhos, na parada na frente da Igreja Universal, havia um rapaz com o rosto totalmente ensanguentado: havia sangue por vários metros no chão. O rapaz se mantinha de pé. Dois brigadianos conversavam com ele, ficavam em volta dele e havia uma viatura estacionado encima da calçada há poucos metros. Não estou dizendo que foram os brigadianos que o feriram. Só não entendi porque em 15 minutos que fiquei esperando meu ônibus, eles não tomaram a iniciativa de levar o rapaz ao HPS. Muito estranho, realmente não entendi. Isto aconteceu por assimna frente de um montão de gente que saía do culto da IURD...

* Programa Motivos de Campo, na rádio da UFRGS, apresentado por Marco C ampos,foi mudado das 11 pras 9 nas manhãs de sábado. É que os puristas lá da rádio acharam que ficava muito tempo sem tocar música clássica porque depois vem o Conversa de Jornalista. É o que não ter que fazer mesmo....

*Passe Livre nos ônibus de porto Alegre está sendo eliminado sem cerîmônia: na Câmara Municipal dizem que asusnto é do Conselho Municipal de Transportes Urbanos(Comtu) e na EPTC dizem que assunto é com Comtu. Por lei, que existe desde 1989, uma vez ao mês os ônibus têm que circular sem cobrar passagem. Este ano até agora só foram três dias....

* Rogério Mendelski deu entrevista pra TV Assembléia....

* Salinha J. C. Terlera na Assembléia Legislativa precisa ser respeitada pelos próprios coleguinhas usuários : a placa onde está escrito " nesta sala fazer silêncio" não é respeitada. Não adianta, é questão de educação com os outros mesmo....Ontem, não sei se por ser segunda, por volta do meio-dia até uma e pouco, estava um sururu....E isto que o chefe da imprensa, Marcelo Nepomuneceno cuida pessoalmente do assunto.

*Morreu Sílvio Alfonsin, grande coleguinha....

* Coleguinhas reclamando de que foi marcada coletiva prum domingo à tarde: ué, troca de profissão. Notícia não tem hora....Esse pessoal deveria ir trabalhar com a Núbia Silveira pra ver o que é bom pra tosse....

* Ontem,dia 29/06 estavam arrumando a impressora da salinha J.C. Terlera, na Assembléia Legislativa do Estado...

Coleguinhas


Osmar Trindade, o 4º da esq. pra dir. em 1981 no Presídio Madre Peletier

Colegas e amigos torcem pela saúde do Trindade

Está no quarto 326 do Hospital Santa Rita de Porto Alegre, o colega Osmar Trindade, natural de Livramento e que teve passagens por Porto Alegre, no jornal da Semana( do Grupo Sinos)Folha da Manhã, do Grupo Cia Jornalistica Caldas Junior, TV Gaúcha, do grupo RBS,atual RBSTV, e foi um dos diretores da experiência da Coojornal.

Depois que a Coojornal fechou, Osmar Trindade foi levado pra Maputo, em Moçambique, onde fez parte de um projeto de formação de comunicadores.

Voltou ao Brasil e residiu alguns anos no Amapá.Osmar estava ultimamente em Brasília,onde residia sozinho.

Estava tentando colocar junto com o colega Luiz Lanzetta um jornal...

Trindade foi um ganhadores da reportagem sobre a guerrilha do Vale da Ribeira, publicada no Coojornal, em 1981 e que deu a ele e aos colegas que a assinaram o Prêmio Esso daquele ano. Mas lhe custou uma prisão porque a Justiça Militar condenou os quatro autores. Além dele, Rafael Guimaraens, Elmar Bones da Costa(Bicudo) e Rosvita Sauressig.

O enterro do Quevedo(II)

* Bastante gente esteve ontem no velório no crematório metropolitano pra se despedir do Raul ( Hipólito) Quevedo....

* Colegas mais próximos comentavam que ninguém mais quer ser da comissão de Ética da ARI porque seu Quevedo o era....

* Esposa do Quevedo estava muito sentida, assim como filha....

* José C. Torves quando presidente do Sindicato dos Jornalistas sempre dava um papinho com seu Quevedo, que diariamente ia ao sindicato. Ele frequentava a entidade pela manhã...Lia os jornais, dava suas voltinhas...

* No sábado passado,dia 27/06 Quevedo,que sempre levava junto um texto seu, ainda pediu licença pra ler pros colegas no barzinho da ARI um texto seu,embora tivesse meia dúzia de gatos pingados. Goulart lhe aconselhou a ler um t exto curto. Ele tinha dois: um romântico e outro político.

* Eu não era íntimo dele, mas meses atrás ele se aproximou de mim. Ontem,contei pra filha dele que um dia me pegou e contou toda a vida dele, falou da sua esposa - que sempre fora uma boa companheira.
Quevedo estava preparando seu testamento...

*Quando ele me deu a foto do D. Hélder,com ele, dias atrás, ainda me advertiu: eu era jovem na época, me disse. Isto foi em 1977.

* Muita gente achava o Quevedo um " mala sem alça". Não é porque está morto que vou dizer que ele era uma unanimidade...

*João Batista Aveline teve suas cinzas jogadas no Rio de Janeiro...uma conhecida de um amigo teve suas cinzas jogadas no Beira-Rio num dia que o Inter jogou com casa cheia,dou aqui um palpite: porque não jogam as cinzas do Quevedo junto ao monumento do José Hipólito da Costa, naquela famosa Colônia do Sacramento onde ele foi tantas vezes pela ARI...

* N? ?o vi no velório do Quevedo, o Ênio Rockembach, nem o Segundo Brasileiro Reis...Os veinhos tem medo de velório...

* falando em morte o Carlos Bastos me contou uma muito boa,ontem: um dia num almoço dos executivos da RBS, ele disse ao diretor Jayme Sirotsky que a turma que eles haviam estudo em P.Fundo já tinha morrido quase toda..." estão quase todos no cemitério...."
Jayme não gostou e lhe disse que ele estava fazendo terrorismo:
- Castelhano( é como ele chama o Bastos, porque a mãe deste último é argentina) f...da p.... para de fazer terrorismo, disse Jayme.

Tempos depois, num 7 de agosto,dia do aniversário do diretor da RBS,ele esteve em P.Fundo onde foi homenageado. E quando voltou ligou pro Bastos na RBSTV
- Pô Bastos,sabe que é verdade, tá mais da metada da turma no cemitério mesmo...

* Antoninho Gonzales , ex-presidente da ARI, falecido em 08/08/1996 sempre alertava: não morram num feriadão porque seu velório será triste,vazio....

Zé Dirceu com exclusividade neste blog.

Do nosso correspondente em Brasília, Sérgio Ros

"Olides
O Chagas ontem entrevistou o Zé Dirceu para a coluna dele.
Como eu estava perto resolvi fazer algumas anotações para a tua coluna.
O Zé Dirceu disse que o terceiro mandato,chama-se Dilma Roussef e que não ha hipoteses de continuação do Presidente Lula no Governo,até porque ele rejeita qualquer articulação nesse sentido.Muito menos haverá prorrogação de um terceiro mandato.
Outra afirmação do Zéw Dirceu: ele acha que se o Serra for eleito, o PT eLula passarão o governo sem qualquer trauma... e que Dilma no próximo semestre deverá apresentar o seu plano de governo.
Zé Dirceu acha que a Dilma esta surpreendendo antecipadamente os percentuais de apoio nas pesquisas que se imaginava so seriam registradas no fim do ano...
Acha o ex chefe da Casa Civil que o empresariado ficará com a Dilma nas eleições de 2010,assim como a a massa...
Existe no momento,momento,montes de grupos e alas no PT o que o Ze Dirceu acha muito natural...O importante diz ele,que depois dos debates e discussões e tomada a decisão final,todos se unirão em torno de Dilma...Os dois movimentos que não se conformaram com o Diretorio de Partido,acabaram saindo,porque seriam expulsos. No caso o Psol e o PTB do B...
Com relação ao PMDB,concorda com Lula, sobre a necessidade do apoio do partido. Reconhece que parte do PMDB em São Paulo, inclina-se por apoiar Jose Serra.Mas que a grande maioria do partido fechara com o Governo.O Michel Temer é um nome respeitavel para compor a chapa oficial.Mas que esta questão só será dividida no devido tempo pela candidata e pelo PT.
O Zé Dirceu pensa seriamente em retorna ao Congresso, assim que ficar desempedido pelo Supremo Tribunal Federal.

Este material é para ilustrares a tua coluna.Use como quizer se voce gostou..."

Memória da Imprensa


Tarso de Castro fundou o Pasquim a 40 anos atrás.

40 anos da fundação do Pasquim!

No Correinho de sexta, foi bem apanhado: dia 26/6 completou 40 anos da fundação do Pasquim,aquele jornal que todos nós nos acostumamos a ler naqueles tempos bicudos...Ainda nos tempos acho que da Junta Militar, ou do Costa e Silva..Não sei quem me falou do Pasquim a primeira vez,talvez tenho sido o Emílio Street Fight Man Chagas ( era uma megalomania do Emílio aplicar-se no nome o título de uma música dos Rolling Stones) no Julinho...

Trabalhava na Adubos Trevo e lembro que saía pela Júlio de Castilhos atrás de uma banca que tivesse o Pasquim. Ele chegava sempre às sextas...de tardezinha. Nós aqui no Sul, de outra geração,. nem sabíamos quem havia sido o Tarso de Castro, um dos seus fundadores.

Bão, o restante da história todo mundo sabe...O jornal deu um grande salto quando entrevistou a Leila Diniz, mas a entrevista também custou caro à atriz....

De 20 mil exemplares, passou a 200 mil....Dizem, eu não vi, que o Tarso esbanjava grana...Alugava jatinhos e por aí afora. Mas dizem, sabe como é que é..

Depois teve a prisão deles, quando alguns ficaram de fora, como o Millor Fernandes. A Ditadura soube muito bem dividi-los.

Eu particularmente acho que o grande gesto de coragem do Pasquim foi ter entrevistado DOM HÉLDER CÂMARA, um nome que em 1970,quando o jornal fez a entrevista, era um dos mais perseguidos do Regime Ditatorial, só igualado a Leonel Brizola e a Luis Carlos Prestes....Depois do Pasquim, vieram outras aventuras editoriais do Tarso e dos seus colegas.

O IB KERN que trabalhou com o fundador do Pasquim, me disse que uma das virtudes jornalísticas de Tarso de Castro era saber fazer manchetes.

DICAS do PASQUIM eram um forte do jornal....

Um dos setores mais lidos do PASQUIM eram suas dicas. Aqui tenho guardado duas que eles publicaram em 1969 sobre o Encouraçado Butikin, uma boate do RUY SOMMER, na av. Indepe, em Porto Alegre. São um exemplo da irreverência e do texto claro que eles usavam naquelas dias....Tinham grande ironia e poder de síntese....

Coleguinhas

* O apresentador do boletim Tambor da Aldeia, dentro do programa Conversa de Jornalista, da rádio da UFRGS,
reclamou-me que eu disse aqui que nenhum diretor da ARI estivera na passeata contra o STF de quarta-feira passada e que ele estivera. Sinceramente, não o vi....

* Sede do Jornal JA, no Bom Fim, está passando por pinturas....

* Meia duzia de gatos pingados compareu ao barzinho da ARI neste sábado de final de mês....

* Pra tristeza dos amigos e colegas, Osmar Trindade chegou sábado passado,dia 27/04 pela manhã ao Hospital Sta Rita em Porto Algre. Está nas últimas. Câncer de fígado....

* Diretores da ARI foram na terça-feria,dia 23/06 conhecer o novo parque gráfico da ZH,inaugurado na sexta pelo presidente Lula da Silva.;

*Capa da ZH, de sábado,dia 27/06 com nova paginação contém erro de português...

* Dias atrás ZH chamou o presidente Geisel, de Ernesto FIGUEIREDO. Era Ernesto Geisel. Dois dias depois o jornal se corrigiu. Juvenilização da redação dá nisto...

* Sócio da ARI sumiu do mapa. Nem mais no barzinho aos sábados vai....

* Sérgio da Costa Franco e Bira, nomes de proa da ARI, também estão ausentes do barzinho...nos sábados...

* Ayres Cerutti não foi neste sábado na ARI. Tinha compromissos do turismo...

*Maldade de um coleguinha: diretores da ARI não foram vistos no passeatão do sindicato dos jornalistas da quarta-feria,dia 24/06,porque são baixinhos. Olha o processo....

Geada maior que a de Livramento é a de S. Borja.

Sexta pela manhã, o trovador aquele da rádio Querência que fala do tempo, o Vilmar Menezes entrou na Guaíba tremendo de frio, dizendo que tava 1 grau no cerro do não sei as quantas...pô este cara todo dia invento um cerro novo...tem tanto morro assim em Livramento. E porque estes caras de Livramento só chamam seus morrinhos de lá de Cerro. São morros e pronto....

Mas as fotos que o Juliano Jacques fez em 25/06 de matina bem temprano em S. Borja, nas cercanias da terra dos presidentes mostava uma geada muito maior do que seguramente a que tinha em Livramento. Dá-lhe S. Borja!!!!

O repórter que está no epicentro da notícia....

Fotos: Juliano Jacques

Conheci o Eduardo Belmonte em minhas ida a S. Borja. Vi aquele sujeito inquieto,sempre do lado de autoridades, querendo tocar o microfone na boca dos que estavam discursando.

Depois aprendi que ele é seguramente um dos melhores repórteres que conheci nos últimos anos. Tem no sangue a vocação da notícia. Transmite até rinha de galo, se for o caso....

Anda de motoneta pela cidade, onde quer que seja chamado pra algum acontecimento. Desde o mais oficial na prefeitura até o mais diabólico, de madrugada, durante uma apreensão de maconha feita pela Brigada Militar junto ao rio Uruguai,quando todos pensavam em tratar-se de um abigeato....

Não há fato ou evento em S. Borja e nas redondezas que o Belmonte não esteja presente. E ainda por cima anda com uma maquininha pra fotografar tudo porque cede as fotos para o colega Alberi Cogo, que é o correspondente do Correio do Povo e que como enxerga pouca não pode sair muito pra rua....

Serafina

"De: Jornal Gazeta < gazeta@net11.com.br >
Para: olidescanton < olidescanton@bol.com.br >
Assunto: Re:
Enviada: 26/06/2009 13:54

Olá.
esta foto foi feita na propriedade de uma família na Capela São Paulo - interior de Serafina Corrêa.

Eu e o Fiorin estávamos comendo bergamota
e falando sobre a beleza do lugar
e o pessoal trabalhando...
então fizemos...

abração"

Foto: Deise Cristina Meneguzzi

A vida como ela é....

Os fatos aqui narrados não são veridicos. São meras invenções. Caso haja alguma semelhança com fatos reais, é mera coincidência....

O EX-MARIDO FOI NA CASA
DA EX PEGAR O PIJAMINHA DO FILHO

E O RICARDÃO TEVE QUE SE ESCONDER NO BANHEIRO!!!

POUCOS DA MINHA GERAÇÃO AINDA ESTÃO CASADOS do primeiro casamento, bem entendido.Uns casaram várias vezes, outros que se separaram ficaram casados só temporadas . Como dizia o velho João Aveline, " vocês magros não casam, passam temporadas...."E pra isto quando eu o provocava, ele tinha sempre uma saída: mas casaram não no tribunal da burguesia e sim no TRIBUNAL DO POVO....como o velho João Batista chamava os casamentos informais....sem cartório....

Dias atrás, enquanto tomavam um cafezinho no serpentário - aquele café da rua Uruguai, este sim existe de fato - e conversavam sobre um projeto literário, dois ex- colegas remembravam tempos idos.

- Eu não me separei,cara, diz LD pro colega....SEDILO...

_ Mas LD sentiu a necessidade de contar que teve uma temporada em que ficou separado um ano da ASOR....sua esposa até hoje.

Pois neste um ano de folga o que fizestes, quis saber SEDILO...

- Ah, disse, LD, teve uma que vou te contar....

Foi Assim....

LD foi festear no BOGART, aquele bar do DIRCE RUSSI, na Indepe, nos anos 80, que era coqueluche pra dançar( o autor nunca esteve lá)e que tem até um livro das crônicas que o L.F.Verissimo escreveu sobre o bar .

LD encontrou no Bogart uma conhecida jornalista, colega do L de outras redações , a ALALAB , que lhe apresentou uma senhora,recém separada, de boa família, cujo sobrenome lembra ventiladores de teto...A família já a vendeu, mas ficou a marca.....

Bão, foram dançar as músicas - não aquelas que fizeram a sua cabeça, como o nome do programa da Ivete Brandalise, na FM Cultura - mas outras acho que dos Beatlhes, ou do Frank Sinatra, parece que foi mesmo New York, New York( houve uma época que NY estava na moda, mas acho que depois do 11 de setembro, saiu da moda, virou programa brega ). Saíram de lá altas...

LD pegou o carro e a mina,digo senhora....

Ela lhe perguntou:
- Onde estás me levando....se fazendo

- Pra minha casa.

Só que a casa de LD era aquele tipo de casa de recém separado. Tudo ainda atirado, um colchonete pelo chão, tudo desarrumado. Na verdade, os maridos tão sempre com a esperança de encontrar alguém que os carreguem prum lar já com tudo pronto. Muitos deles, profissionais de dar botes, os chamados homens chupins conseguem...outros que conseguem arrumar sua casa, fazer seu lar, dificilmen te irão juntar as escovas de dente de novo...Não há preço que pague a liberdade.

Em chegando na casa do LD, a senhora,digo mina, foi tirando a roupa.Nem se fez de rogada...O LD também tava a fim.

Só que broxou...Deve ter trabalhado muito naquele dia, muitos emoções no BOGART,enfim, isto acontece....Quem não brochou um dia? Só quem mente.

Mas a mina não levou tudo a sério e os dois passaram a se encontrar...Rolou, como dizem os jovens de hoje....ou diziam....

Pra usar uma linguagem mais atual, começaram a ficar....

Ficaram tanto que a mina começou a levar LD pra sua casa, ou apê, sei lá....Com aquele sobrenome de ventilador,devia morar bem...

Um dia o LD estava lá, já gostando daquele apê todo arrumadinho(claro as mulheres não ficam com raiva, ficam com tudo) quando tocou a porta. Era de noite. E a mina ordenou:
- Corre pro lavabo, pro dinheiro que é o meu marido....

LD trancou-se lá dentro, bem quietinho.
E ouviu quando a mina abriu a porta, o marido meio que se desculpando dizendo:
- Não tem preocupe, viemos só buscar o PIJAMINHA dele, que ele esqueceu....
O ele era o filho menor que naquela sexta iria pra casa do pai

Ah,disse a mina , por marido, o LD está aí....

Quando LD ouviu aquele confissão tremeu nas bases.
Não, mas não aconteceu nada. Ela já contara ao marido que tinha arrumado um namorado e que por sinal naquele momento estava ali, no banheiro. Mas não houve barraco....

Tempos depois LD voltou pro seu lar....

Ele resolveu voltar durante uma reveillon que se entristeceu e viu que mesmo as mulheres separadas sofrem de solidão. Uma solidão familiar,digamos assim...
E isto que o LD tem ,embora seja jornalistica de profissão, propensão a ser um sociólogo.
Não se sabe se a mina que tem sobrenome de ventilador voltou pro marido,se casou de novo, ou o que....

Detalhes da morte do frei Rovílio - E X C L U S I V O !!!!!!

O frei Rovílio Costa, chamado pela grande mídia do frei das Letras, ex-patrono da feira do livro de porto alegre, morreu trabalhando. No sábado que faleceu, ele estava atendendo um entregador de vinhos, fabricacos pela Ordem,chamados de vinhos do Frei FABIANO e que o frei Rovílio vendia na sua lojinha..... quero dizer, na sua editora, a EST....Sim porque os freis fazem juramento de pobreza mas também vendem.... A grana vai pra Ordem dos Frades ...Nada semelhante existe na face da terra do que a Igreja Católica e o Partico Comunista.Ambos arrecadam. Lutzenberger, o ecologista, costumava dizer que a diferença entre a Igreja Católica e o Partico Comunista é que um prometeu o céu aqui na terra, por isto é que se deu mal...acabou....

O frei Rovílio desceu naquela manhã de sábado, recebeu a fatura e quando subiu pro segundo andar pra ir buscar a grana, ele demorou uns 120 minutos. Como estava demorando muito, o entregador subiu pro segundo andar e o frei Rovílio estava caído, tinha batido a cabeça, mas estava morto. Pegaram no pulso dele e viram que estava parado.

Rovílio era diabético e cardíaco. Mas nada fazia supor uma morte tão rápida.

A EST vai continuar....A Ordem a que ele pertencia, a dos capuchinhos, está tentando encontrar um substituto....Mas vai peneirar até encontrar um....

Em andamento na EST havia o Naneto Pippeta, do Frei Achyles, que será publicado em sete línguas....

Coleguinhas

* Ressaca no Sindicato dos Jornalistas,ontem, dia 25/06, um dia pós passeatão contra o STF....poucos funcionários pela manhã, mas o presidente deu expediente....

*Megafone foi ponto fraco do passeatão dos jornalistas no dia 24/06 contra o STF que liberou a profissão de jornalistas....O megafone quase não funcionou. Era do sindicato dos bancários....

*Na próxima,garante Jorge Correa, diretor do sindicato dos jornalistas, será providenciado um megafone mais potente....

*Última grande passeata dos jornalistas havia sido realizada nos anos 70. Era por uma greve que deveria acontecer na ZH, que não acabou acontecendo. Uma das lideranças da época e presidente do sindicato, Antônio Manoel de Oliveira, dia 24/06, último nem deu as caras. Está na imprensa do Trensurb, depois de ter passado pelo Coojornal e ter sido " cooperante" em Moçambique...

*Tem gente que gosta muito da imprensa, sempre, que sabe usá-la muito bem, principalmente quando ela é a seu favor.Quando ela divulga fatos que não lhe interessam,aí vira o diabo. Sempre foi assim: uma vez me acusaram de ter recebido dinheiro de uma prefeitura por causa de uma matéria. Apenas difamações, nada mais...

* As voltas que a vida dá. Quando vi a Márcia Camarano, diretora do Sindicato dos Jornalistas abrindo uma faixa na esquina democrática onde dizia que Caco Barcellos era formado,sim, voltei quase 40 anos no tempo. Ali, na Borges de Medeiros, acho que em l973,ou 1974, Caco fez uma reportagem pra Folhinha da Manhã, onde ganhou um prêmio ARI. Falava justamente das crianças desvalidas, dos que tinham que dormir na rua em noites de muito frio....

* Senti saudades do velho João Batista Aveline no passeatão dos jornalistas contra o STF... Teria subido num palanque e discursado...seguramente teria começado com este bordão...." companheiros, viemos à praça pública....."

* Muita gente que não acreditou no sucesso do passeatão dos jornalistas contra o STF arrependeu-se. Ontem, o day after, relembrava que não tinha ido porque achava que seriam sempre a meia dúzia de gatos pingados de sempre....

* O presidente da ARI, Ercy Thorma e nenhum diretor esteve participando da passeata dos jornalistas contra a decisão do STF.

* Vitor Bley de Morais da Câmara Municipal de Porto Alegre, também esteve no passeatão da quarta-feira última. Foi colocado junto com outros dinossauros que estiveram lá....

* Maioria que compôs o passeatão era de estudantes....

* Chamou a atenção uma mulher, uma liderança, que andava enrolada na bandeira do RS...Eu não sei quem ela é....

* Passeatão contra decisão do STF fez sindicato dos jornalistas abrir a mão: havia lanche pra quem estava na sede...com coca-cola e tudo.... Alguns aproveitaram e tiraram a barriga da miséria...

* Jornal JA, dos bairros, já está sendo chamado por coleguinha maldoso de JAZ.....

* Jorge Papyrus, ou o jovem hebreu, assustou-se com notícias sobre o Cel Curió e saiu a telefonar de madrugada pros amigos....

* Salinha J.C. Terlera da Assembléia Legislativa está com a impressora inoperante...há dias....

* O homem do tempo de Livramento que passa pra rádio Guaíba sabe enrolar no rádio que vou te contar...fala,fala e não diz nada...só fala em índio e não sei o que mais e nos apareio dele....ainda bem que ninguém acredita nesses caras do tempo mesmo....

*Particularmente gosto do correspondente do tempo da Guaíba de Santa Maria: dá as dicas e não fica trovando, balaqueando, como o de Livramento, que já tá enchendo com a enrolação dele....

Serpentário da Uruguai frequentado por gente ilustre....

Seguramente aquecendo as turbinas pra quando for candidato a prefeito de Porto Alegre, em 2012, o presidente da Câmara Municipal de Porto Alegre, o goiano Sebastião Mello ocupava uma mesinha no serpentário,ontem,dia 25/06, tomando um cafezinho. Estava, por azar, sentado bem ao lado da mesa mais faladora do café, composta pelos fotógrafos, Leo Guerreiro, Floriano Bortoluzzi e Nelson Moura e um eventual ocupante da cadeira....Mas ontem as jararacas diante da presença do ilustre vereador maneiraram. Só o Floriano que mostrava umas fotos de mulheres peladas, bão mas isto não tem problema, pior seria se fosse de marmanjos....

Passeatão dos jornalistas...

Havia de tudo um pouco no passeatão dos jornalistas ( e outros participantes) contra decisão do STF que extinguiu o diploma pra jornalista....

Foto: Marcelo G. Ribeiro

Foto: Marcelo G. Ribeiro


A última grande passeata dos jornalistas teve a presença de João Haveline, Jussara Cony, Nereu D´avila e Milton Motini e foi realizada na rua da Praia nos anos 70

Memória da Imprensa

Cagaram a pau a equipe do Tarso de Castro....

Esta historinha é muito boa, por isto dou o crédito...quem me contou foi o Carlos Bastos....

Quando Leonel Brizola era governador do Estado do Rio abriu uma campanha contra a rede Globo de Televisão( Brizola,seguramente,achou que iria ganhar do Marinho como ganhou de Breno Caldas aqui no Sul) nos anos 60.... E a Rede Globo botou uma equipe a seguir o governador onde quer que ele fosse. Brizola ia num dos locais mais impróprios lá tava a Globo filmando. Pegaram no pé dele.... Tarso de Castro, que havia inventado lançar O Nacional, no Rio de Janeiro,seguramente com o apoio do governadorpra defender a gesão dele porque a Globo tava triturando Brizola, , mandou uma equipe sua seguir o Roberto Marinho.
De manhã, o fusquinha dos repórteres do O Nacional esperou Marinho sair de seu palacete no Cosme Velho...Na frente uma turma de seguranças. Atrás saiu o carro do todopoderoso....

Deram voltas, indo pra redação da TV Globo, e se deram conta daquelam fusquinha seguindo a turma. Começaram a desviar,entra aqui,entra ali e os seguranças tocaiaram os repórteres de O Nacional. Levaram eles pruma ruazinha bem f.... e ali desceram. O pau comeu solto nos funcionários de O Nacional...nunca mais se viu nenhum repórter de O Nacional seguir o dono da TV Globo. sumiram....quem tem, tem medo....

O PASSO, um bairro que cresceu e já fala em tornar-se município....

Foto: acervo particular

Quem for a S. Borja, ou S. Francisco de Borja, que orgulhosamente se chama de " terra dos presidentes" - a capital dos sete povos, seguramente vai ao Passo comer um peixinho.

Mas antes dos restaurantes e da remodela ção do porto, que dizem foi verba conseguida pelo deputado federal do PP, Luis Carlos Heinze, ali era onde a barca fazia a ligação entre S. Borja e Santo Thomé do lado argentino.

Esta foto que publico é de pouco tempo antes que a Ponte da Integração fosse inaugurada em 9/12/1997. Nota-se os caminhões esperando a sua vez de passar....

Mas em S. Borja já se ouve falar que o PASSO cresceu tanto que já fala em se desmembrar de S. Borja....Será possível?

Memória da Imprensa

Outra colaboração do Carlos Fernando Karnas!

" Olides.

Mais outra retrospectiva histórica. Esta é importante. Olha as fotos.

Da esquerda para a direita: Pila Vares (sentado na ponta com cigarro entre os dedos); Ibanor Tartarotti, diretor do DN; eu (Carlos Karnas); Marçal falando de pé e coçando a cabeleira; a namoradinha do Marçal; João Paulo Trindade (sentado na ponta da mesa ao fundo); não lembro mais o nome do da ponta nos fundos; Ione De Grandi, ex do Celito De Grandi. Esta foto foi tirada no anexo do Restaurante Copacabana. 1974/75, por aí.

Mesma ocasião, outra foto em ângulo diferente. Celito De Grandi discursando pro time dele do DN, nos estertores do jornal.

Melchiades falando.

Pila Vares falando. Cara, eu (Carlos Karnas) usava costeleta na época e estava ao lado do Ibanor Tartarotti e de frente pro Celito De Grandi.

Bem, Olides. Como as fotos mostram, talvez este tenha sido o último grande momento de reunião mais ou menos festiva, do último time de jornalistas do Diário de Notícias. Sob o comando do Celito de Grandi, tentávamos reerguer o jornal, mas não tinha mais jeito. Pequenos avanços e vitórias festejávamos. Esta, das fotos, foi comemoração de alguns dos pequenos ganhos que tivemos como equipe profissional. Nos reunimos e fomos festejar no Copacabana, no anexo nos fundos do restaurante que recém começarava a ser construído. O time de profissionais que ali estava era, convenhamos, de respeito na época. Dá pra ver, pelas nossas caras, que o ambiente era mais sério do que ruidoso. Sabíamos das dificuldades e lutávamos contra elas com esforço acima das nossas capacidades. Neste encontro estávamos ratificando compromisso de lealdade e de trabalho para dignificar o velho e bom Diário de Notícias, que ficava na Av. São pedro, responsável pela formação de uns quantos profissionais do jornalismo gaúcho. Na época, o Celito dirigia o jornal, o Pila Vares era o chefe de redação e eu o chefe de reportagem. Támbém faziam parte da equipe o Luiz Carlos Vaz, o Nelson Monaiar, a Núbia Silveira, a Maria da Graça Dantas Guindani (foi quando conheceu o Coi Lopes de Almeida, comn quem casou), a Helena (que casou com o Eridson), o Flávio Solon Schubert, o JK, Marçal, Melchiades, João Paulo Trindade e tantos outros. A maioria dos que aparecem nas fotos já se foram. Ficaram as lembranças de tempos heróicos, apesar de difíceis, os quais a sociedade porto-alegrense e gaúcha, bem como todo o jornalismo do Sul, devem referenciar, respeitar e honrar. Não foi nada fácil, mas foi divertido, mesmo nas lágrimas.

Carlos Karnas"

Jornalistas "choram" o leite derramado

Foi meio um choro sobre o leite derramado, mas um grupo muito grande de jornalistas, professores, alunos, reuni-se ontem , dia 24/06 , na esquina democrática no centro de Porto Alegre, pra protestar contra o fim da exigência de diploma pra jornalista.Na semana passada, por oito votos contra um, o STF votou pela não exigência do diploma pra profissão de jornalista.
Fotógrafos particulares e dos grandes jornais da capital estiveram no ato pra registrar os acontecimentos. Mas nem todos acompanharam a passeata até a rua Caldas Junior e depois até a Assembléia Legislativa do Estado, onde as direções da passeata foram recebidas pelo presidente da casa, deputado Ivar Pavan(PT). Os populares que passeavam pela rua da Praia, ou a serviço, ficavam surpresos com o ato. " É greve? " perguntou o corretor de imóveis Nestor Kras Borges. Não, não é. Ao ser informado por um planfeteiro de que agora o jornalista não precisa mais ser informado, o corretor mostrou-se surpreso. Uma outra popular que passava pela esquina democrática protestou baixinho com uma companheira:
- Pois eles tiveram tempo e dinheiro pra estudar e quem não tem ou não teve? dizia ela posicionando-se a favor da medida do STF.

Usando refrões como " Oh, Gilmar Mendes(presidente do STF) prestão atenção! tu f... com a nossa profissão" cantada em uníssono tanto por homens, mulheres, jovens e adultos e usando um boneco de palhaço no nariz, os jornalistas se agruparam primeiro na esquina democrática e depois foram em direção a Rua Caldas Junior, onde está localizada a empresa do bispo Edir Macedo. Mas não houve nenhum ato de agressividade, a não ser a interrupção do trânsito por alguns minutos porque vários manifestantes sentaram na rua, no meio da esquina da comunicação, na frente do histórico prédio da Caldas. Não se viu da parte dos populares nem papel picado - muito snem sabiam do que se tratava - e nem agressividade.

No meio da passeata dos jornalistas foram vistas principalmente bandeiras da CUT. A vereadora do PT, Sofia Cavedon era uma que portava a bandeira da central sindical. Outros políticos participaram do protesto, principalmente ligados ao PT. O deputado Adão Villaverde , do PT, chegou a pegar o microfone - que tinha pouca potência - na esquina democrática e discursar criticando a decisão do STF.
Outro deputado do PT, Dionilso Marcon,chegou correndo pra passeata, mas este vinha quando ela já andava pela metade, ou seja, quando já estava defronte a esquina da comunicaçãoentre a Caldas Junior e a rua da praia.

Respingos da passeata....

* Não se viu um incidente sequer. Ninguém foi hostilizado...nem populares, nem os passeatistas....

* Nenhum brigadiano acompanhou a passeata. Ou não sabiam, ou não quiseram interferir....

* Dinossauro do do jornalismo estiveram presentes no evento. Juarez Fonseca, Jurema Josefa,Ayres Cerutti....

* Não se viu o diretor da Fenaj, J.C. Torves, que está no Estado, na passeata. Parece que andava pela fronteira....

*A passeata foi uma mescla de jovens, com pessoas já adultas. E seguramente foi maior do que os seus organizadores imaginaram.

* Cerca de 500 pessoas passaram pela passeata....
* Agora é opinião minha: o STF com esta decisão deu no colo uma bandeira que os sindicalistas ligados a comunicação precisavam porque andavam meio apagados nos últimos anos. Vai depender do que eles vão fazer com esta bandeira....


* Uma das faixas dava nos rins do presidente do STF Gilmar Mendes: Gilmar Mendes informe-se melhor. Caco Barcellos é formado pela Famecos"

* Eu não vi mas há quem tenha ouvido o presidente do STF dizer durante o julgamento, ou melhor, dando seu voto, onde ele citou alguns ´notórios jornalistas segundo ele que não possuem diploma. E incluiu o Caco neles...

* Agora que o Caco é um sujeito de sorte, isto é....O Gilmar Mendes citá-lo só trouxe seu nome à baila....


Encontro sobre educação do PDT

O encontro sobre educação agendado pelo PDT pra dia 26/06, na Assembléia Legislativa do Estado, provavelmente nãol terá a participação dos funcionários municipais da SEC que sutilmente foram desaconselhados a participar do evento. Não é nada hostil, mas há dentro da SEC municipal a orientação de que os funcionários não participem do encontro porque em horário de expediente não pode....

Coleguinhas

* Ieda Risco conseguiu com um coronel da brigada militar, chefe da casa militar entrevistar o secretário da saúde Osmar Terra, perto das 16 horas de ontem. Isto depois que o assessor de imprensa, Paulo Burd, havia dito pra ela" ele não vai falar contigo". É quando o coronel atendeu o celular de Ieda, Osmar Terra estava justamente dando uma coletiva pra turma que estava in loco...Feito da Ieda este, E isto que ela tinha participado ao meio dia da passeata do diploma no centro da capital...repórter competente é isto aí....

* Ieda Risco, da rádio ABC, conseguiu,ontem, mostrando sua competência, alcansar o secretário da saúde, Osmar Terra, em S. Gabriel pra gravar com ele sobre agripe suína. Governo do Estado ontem mudou-se pra lá....foi também o chefe da casa civil, José Alberto Wenzel.Esta gripe suína ainda vai dar pano pra manga....

* Há quantos anos que a rodoviária de Porto Alegre não tem um assesor de imprensa. Ontem, repórteres que procuraram o gerente Giovani Luigi tinham que explicar a secretária dele as dificuldades de poder esperar muito, devido ao adiantado da hora. É que também tava todo mundo fugindo de dar entrevistas....ninguém quer se comprometer....

* Repórter de rádio se queixava ontem que a Secretaria da Saúde do Estado tinha distribuído release sobre a gripe suína e que quando ela retornou não havia fonte pra falar....Tudo a ver sobre a distribuição de máscaras pra viajar nos ônibus internacionais...O pessoal da saúde parece que foi pego meio de surpresa....


* Repórteres tiveram que recorrer a sujeito muito hábil pra falar com a imprensa: Giovani Luigi, da rodoviária de Porto Alegre que " quebrou" o galho pra falar até sobre a gripe suína....

*Repórteres se consideraram deixados na mão pela assessoria d eimprensa da Secretaria da Saúde ,ontem, dia crítico por causa da gripe suína...Giovani com o Inter aprendeu a lidar com a imprensa, mas levou muita bola nas costas....

Coleguinhas

Ubirajara Prates da Silva

Ubirajara, ou mais conhecido na ARI, por Bira, nasceu na terra de Érico Verissimo, Cruz Alta em 26.01.1935.É advogado e jornalista. Integrante da diretoria da ARI,anda afastado nos últimos tempos. O motivo oficial é este: como lá não tem nada que comer e ele precisa alimentar-se a tod ahora, teve que deixar de frequentar a entidade....Ele, Jair Soares, e Adylson Motta frequentavam os famosos Bailes da Reitoria,quando jovens e na saída iam tomar banana com leite na pensão localizada na av. Independência,772. Quando Jair passou a namorar a Dionéia( sua futura esposa) ele largou o trio. Mas os outros dias continuaram indo tomar banana com leite na pensão....

Separado de sua esposa Olenca(16.03.1939) Jair teve três filhas com ela, todas com nomes começando com J.

Joice( 26.12.1965) Jane( 31.08.1967) e Joiceane( 20.10.1969)Bira é filho de Nicanor Martins Prates e de Josefa Silva Prates. Já residiu na Rua Cariri,540, na Vila Assunção. Trabalhou no INPS, no edifício Cristaleira, no centro da cidade.

Memória da Imprensa

Teixeirinha na madrugada....

Em 1983, um PTA enviado pelo Serginho Ross de Brasília, vinha sempre seguido de um telefonema nervoso dele, com a seguinte ordem." Já te mandei o PTA. Tira no aeroporto que o Ministro - ele se referia ao ministro Cloraldino Severo, dos Transportes - tá indo pra 364 ( a BR-364 entre Porto Velho e Cuiabá) e nós vamos acompanhar "...

E lá ia eu justificar pra minha chefe, a Núbia Silveira, uma espécie de Carlos Froner, a viagem. Ainda mais com o controle que o Carlos Fehlberg fazia sobre tudo..... Lá nos confins do mundo, onde Judas perdeu as botas, mas sempre rendia boas matérias.Anos depois, já fora da ZH, este mesmo ministro disse-me que não me dariauma entrevista que lhe solicitei prum jornal de bairro porque eu " inventava muito"...Vivendo e aprendendo.Quando era pra ZH, ali sim ele tinha interesse em que se acompanhasse.

O Serginho tinha experiência de mandar, porque já tinha dirigido a Manchete e achava que um pedido seu era uma ordem...Tinha-se que correr a cumpri-la...
Mas não tenho ressentimento de nada disto. Fi-lo porque qui-lo diria o Jânio Quadros.Assim como domingo passado fui convidado a não participar de um almoço porque jornalista as vezes é muito bisbilheteiro e divulga o que não interessa. É parte da profissão. O Nelson Moura estes dias me contou que nos anos que eu ia ao pre´dio do DAER, o Serginho Araujo, lá do 17 andar, ligava pro DAER e avisava os seus subordinados:
- Cuidado que o Olides tá no prédio.

Isto pra mim é um elogio....Repórter não é RP. São coisas diferentes....

O Serginho tem se queixado a mim por carta de que eu estaria duvidando de uma informação que ele me passou: a de que o Brizola teria conceder suas memórias ao Carlos Chagas. Eu não duvidei de nada, não tava lá. Apenas publiquei que o Danilo Groff duvida disto...

Teixeirinha de madrugada...

Quando fazíamos estas indiadas na BR-364, o Serginho costuma sacanear tudo mundo colocando uma música do Teixeirinha pra acordar. Isto lá pelas 5h30,6 horas da manhã que o ministro acordava cedo pra viajar. Íamos acordando devagarinho com o Teixeirinha cantando em nossos ouvidos. Quem mais se puteava com isto era o Adão Oliveira....E pegaram no pé durante toda uma viagem de um funcionário da Radiobrás que tinha que enviar boletins desde aqueles cafundós do judas pra Brasília. Ele ganhou o saudável apelido de " MAL RONDON !".

Chuya em São Borja

" Ae Olides,

Segue umas fotos da chuva que "regou" São Borja no início da Semana, e do termômetro da Praça XV marcando 3 graus às 7horas da manhã de hoje (24).

--
Juliano Jacques
(55) 9137.8339
São Borja/RS"

Fotos: Juliano Jacques

MARCOPOLO LANÇA A GERAÇÃO 7 E INOVA NA CONCEPÇÃO DE ÔNIBUS RODOVIÁRIOS

Modelos estabelecem novos padrões de segurança, conforto e economia

24/6/2009 - Resultado de um trabalho de mais de três anos de pesquisas de campo e desenvolvimento e investimentos de cerca de R$ 30 milhões, os novos modelos da Geração 7 de ônibus rodoviários da Marcopolo foram apresentados neste dia 24 de junho, em São Paulo, e começam a sair da linha de montagem da unidade Ana Rech, em Caxias do Sul, a partir de agosto, mês de comemoração dos 60 anos da empresa.

A família, que já contava com os já tradicionais Paradiso1200 e Viaggio 1050, ganha dois novos modelos ? Paradiso 1050 e Viaggio 900 ? e cria um novo padrão de qualidade, conforto, segurança, robustez e economia. Os novos veículos foram desenvolvidos para diferentes modelos de chassis das principais montadoras.

Diferente de outros ônibus já produzidos no Brasil, os novos Marcopolo G7 foram desenvolvidos com dois focos principais: o atendimento das necessidades e demandas de passageiros e motoristas; e a redução de custos e o aumento de capacidade de transporte para os operadores. Os objetivos são valorizar o prazer de viajar de ônibus, independente do percurso ou duração, e proporcionar ganhos operacionais para os empresários.

Segundo o diretor-geral da Marcopolo, José Rubens de la Rosa, os modelos da Geração 7 vão muito além de um design bonito e futurista. ?Nossos projetistas e engenheiros trabalharam para que todas as mudanças e novidades se traduzissem em benefícios para passageiros, motoristas e frotistas. O resultado são veículos mais confortáveis, seguros e que geram redução de cerca de 10% no custo de combustível, além de menor gasto de pneus e freios e manutenção facilitada?, enfatiza de la Rosa.

No design, a identidade Marcopolo

Os primeiros estímulos visuais conferem aos veículos um padrão de acabamento e qualidade automotiva, com linhas equilibradas, fluidas e harmonia de detalhes, com destaque para os conjuntos ópticos dianteiros e traseiros com tecnologia em LEDs. Internamente, remetem às aeronaves, de estilo limpo, ?hi-tech?, com ambiente agradável, porém, sofisticado e confortável.

Externamente, os modelos G7 têm desenho inovador e forte personalidade, que consolida a nova identidade de marca, constituída por formas velozes, robustas e aerodinâmicas. Além de permitir a fácil identificação dos produtos Marcopolo em quaisquer situações, traduz as informações essenciais e valoriza a originalidade, o lettering, a logomarca e a chamada "Expressão Empática".

Segundo os designers responsáveis pela concepção dos novos ônibus, a escolha e identificação desta ?Expressão Empática? foi uma etapa-chave no processo de criação, pois essa identidade influenciou todos os demais elementos que constituem a nova família de produtos.

Conjunto óptico arrojado, grade dianteira e área envidraçada sem saliências, combinados com a fluidez de linhas ? dos espelhos externos ao parachoque traseiro ? permitiu obter, em testes práticos em túnel de vento, realizados na CTA ? Centro Tecnológico Aeroespacial, um dos menores coeficientes aerodinâmicos já alcançados por um ônibus ? cx 0,42 ? próximo dos alcançados por veículos de passeio. Este coeficiente está diretamente relacionado à redução do consumo de combustível.

Um dos aspectos que destaca a originalidade de desenho da Geração 7 é a integração da parte superior da frente e do teto, com linhas aerodinâmicas e em formato de gota. Este novo design reduz o arrasto e permite que o equipamento de ar-condicionado fique embutido, constituindo-se em um dos maiores ganhos aerodinâmicos e de redução de consumo. Os espelhos externos, que também possuem papel aerodinâmico importante, tiveram sua forma otimizada, ficando mais integrados à carroceria, com melhorias em sua fixação e visibilidade para o motorista.

Nas laterais, as novidades são os novos aros de rodas dianteiro e traseiro em peça única de alumínio estampado e as novas tampas dos bagageiros. O formato e leves saliências dos aros de rodas conferem força ao visual do veículo.

As tampas dos bagageiros receberam novos desenhos, puxadores, mecanismo de acionamento e sistema de vedação. Mais leves e com maior vão-livre de abertura, facilitam as operações de colocação e retirada de bagagens e permitem maior acesso ao compartimento. Os novos puxadores, com padrão automobilístico, têm melhor empunhadura e acionamento mais suave.

A traseira dos novos Geração 7 ganhou novo desenho, com destaque para o conjunto óptico, parachoque e tampa traseira. As novas lanternas e sinalizadores de direção com LEDs ampliam a visibilidade e a segurança.

O parachoque tem formato que acompanha o desenho da lateral e do vigia traseiro, é feito em plástico especial que, no caso de pequenas colisões, deforma, absorve impactos e volta ao formato original, diminuindo os danos causados na carroceria.

Em alumínio, a nova tampa traseira é mais leve, possui melhor vedação e utiliza o mesmo sistema de fechamento das tampas do bagageiro e porta de acesso. Isso garante acionamento mais suave e permite que o veículo tenha uma única chave para abertura de todas as fechaduras.

Menores custos e maior ocupação

Os principais diferenciais dos novos veículos da Geração 7 também estão ligados às vantagens operacionais que proporcionam para os frotistas. A Marcopolo lança dois novos modelos não disponíveis na geração anterior, o Viaggio 900 e Paradiso 1050, que foram concebidos com saias laterais mais baixas (menor bagageiro), o que reduz peso, custo operacional e aumenta a capacidade para transporte de passageiros.

?Os dois veículos ampliam as opções da linha de rodoviários e nasceram com o mesmo foco dos demais modelos da Geração 7: atender às novas características do transporte de passageiros ? menor volume de bagagens no compartimento inferior ? e proporcionar vantagens operacionais para os frotistas. O Viaggio 900 tem como aplicação o fretamento e o Paradiso 1050, o transporte rodoviário?, salienta Rubens de la Rosa

Entre os diversos itens introduzidos nos novos ônibus da Geração 7 para redução do desgaste de componentes e do custo operacional estão os kits para refrigeração de freios e pneus, instalados nas caixas de roda. O sistema utiliza a aerodinâmica (fluxo natural de circulação do ar com o veículo em deslocamento) para refrigerar esses componentes, aumentando a sua durabilidade.

Outra novidade é a normalização da tomada de ar para o filtro do motor em posição elevada (em veículos de motor traseiro). Posicionada ao lado do vigia traseiro, na coluna, permite a captação de ar mais limpo, o que deverá aumentar a vida útil dos filtros e diminuir o custo operacional.

Sustentabilidade

Os modelos da Geração 7 também foram concebidos com foco na redução dos impactos ambientais durante os processos de fabricação, com a utilização de um maior numero de matérias-primas e peças recicláveis.

A boa performance aerodinâmica contribuiu para a redução da emissão de CO2, na medida em que o ônibus utiliza menos combustível por quilômetro rodado, também com menor desgaste de componentes, como freios, pneus e outros agregados.

De acordo com ensaios de laboratório, em velocidades entre 80 e 100 quilômetros por hora o arrasto aerodinâmico representa 50% do consumo de combustível de um veiculo. Na Geração 7, as forças resultantes a esta velocidade ? 193 kgf ? são até 10% menores que nos modelos concorrentes mais eficientes em todo o mundo.

Conceito Estrutural

O desenvolvimento de um novo conceito construtivo otimizado ? já de acordo com a nova resolução 316 do Contran, publicada no final de maio e que entrará em vigor nos próximos meses é outro diferencial dos novos ônibus. Com este novo conceito e a maior utilização de materiais nobres, como o alumínio e plásticos especiais, a engenharia da Marcopolo conseguiu construir uma estrutura mais resistente e, ao mesmo tempo, cerca de 500 kg mais leve (dependendo da configuração do veículo).

O desenvolvimento do projeto da estrutura foi totalmente feito por cálculo por Elementos Finitos (FEA), com o objetivo de garantir a resistência à fadiga, detectando os pontos de maiores e menores esforços, o que possibilitou o dimensionamento adequado dos componentes estruturais para cada diferente modelo. Complementar aos cálculos teóricos, a empresa investiu em testes de campo por mais de 15 meses, garantindo assim a durabilidade da estrutura e dos componentes do veiculo.

Os principais componentes estruturais utilizam aços com ligas especiais, que possibilita reduzir o peso total do conjunto. Com isso, conforme o modelo de carroceria, no Geração 7, é possível transportar mais passageiros na mesma aplicação, em relação aos modelos comercializados atualmente.

Conjuntos óticos em LEDs

A Geração 7 passa a utilizar LEDs em substituição às lâmpadas convencionais nos indicadores de direção dianteiros e traseiros. Os veículos contam com LEDs também nas luzes traseiras de posição e freio, delimitadoras e ?brake-light?. Esta tecnologia representa um significativo avanço para o segmento brasileiro de ônibus e garante maior segurança e visibilidade, pois permite que sejam vistos a uma distância maior.

No projeto de desenvolvimento dos conjuntos ópticos dianteiros e traseiros foram investidos R$ 4,5 milhões. Os LEDs possuem vida útil maior que as lâmpadas comuns, diminuindo a frequência de manutenção e os custos, além de atenderem as normas internacionais. Outra característica inédita de conforto e segurança é a opção da luz diurna (daytime running), que amplia a segurança, mantendo os faróis acessos mesmo durante o dia.

?O resultado obtido cria um novo referencial no mercado brasileiro. O inédito desenho e formato das luzes dianteiras e traseiras de sinalização farão com que os modelos da Geração 7 sejam facilmente identificados à distância, mesmo durante a noite?, explica Edson Mainieri.

Sofisticação, modernidade e conforto

O interior dos novos Marcopolo Paradiso e Viaggio modifica os paradigmas existentes até então com relação a aliar conforto e funcionalidade, beleza e sofisticação, praticidade e fácil manutenção. O desenvolvimento dos detalhes internos teve como ponto de partida uma pesquisa etnográfica e colocou a segurança e o conforto dos passageiros e motorista como prioridades.

Levantamento estatístico de informações com esses passageiros e motoristas, a pesquisa de campo foi realizada com mais de 500 passageiros, dos mercados brasileiro e internacional. A aplicação de perguntas qualitativas e quantitativas, abordagens pessoais e estudos de observação, permitiu analisar a postura, os hábitos e o comportamento dos usuários durante as viagens.

?Isto possibilitou definir novos parâmetros para superar as expectativas e os desejos dos passageiros, em itens como tamanho e formato das poltronas, espaçamento entre as mesmas, iluminação, textura dos materiais e espaço para bagagens de mão, entre outros?, comenta Edson Mainieri, diretor de Engenharia.

?Com a pesquisa, pudemos constatar que os passageiros estão usando bagagens menores e acomodando no salão de passageiros e não no bagageiro tradicional. Por este motivo, foi aumentada a área de acesso nas escadas, a abertura da porta da parede de separação e a altura e profundidade do porta-pacotes?, explica Mainieri.

?O diferencial é que esta pesquisa não foi encomendada, os próprios projetistas, engenheiros e designers, além de profissionais de marketing da Marcopolo, fizeram o levantamento das informações, durante as viagens e em contato direto com os passageiros e motoristas?, finaliza.

Passageiro, o grande privilegiado

Os novos conceitos para a concepção do interior introduzidos com a Geração 7 transformam o passageiro no principal beneficiado. A largura e a altura internas foram ampliadas, gerando uma serie de melhorias como poltronas mais largas (1.060mm), maior altura interna (1,93m) e maior volume para os porta-pacotes.

Um dos aspectos mais relevantes da pesquisa e que levou à concepção de um salão de passageiros diferente dos atuais, foi a tendência de aumento do tamanho e volume das bagagens de mão e conseqüente diminuição do uso do bagageiro externo. Para atender a essa nova tendência, a Marcopolo concebeu um novo porta-pacotes mais amplo e profundo. Alem disso, o novo porta-pacote conta com um pega-mão incorporado o que garante mais segurança ao usuário que caminha pelo salão de passageiros.

Ao entrar nos novos modelos da Geração 7, o passageiro encontra uma nova escada, mais larga, ampla e segura, a qual convida o usuário a subir e facilita o acesso por meio de pontos de apoio bem localizados.

A nova parede de separação é outra exclusividade Marcopolo nos G7. De conceito inovador, trata-se da primeira porta deslizante com vidros temperados curvos transparentes. Possui abertura mais larga que as atuais e um inédito sistema de correr, ocupando menos espaço e preservando o posto do motorista. Com acabamentos diferenciados e grande área envidraçada, o design limpo melhora a visibilidade dos passageiros e amplia a iluminação natural do salão, complementada com o exclusivo teto solar (nos modelos com motor traseiro), com saída de emergência incorporada.

O salão de passageiros reserva outras novidades importantes. Otimizada, a iluminação interna indireta é mais forte e uniforme, sem perda do conforto visual. Isto foi conseguido graças a utilização um projeto de iluminação que privilegiou um ambiente aconchegante e ao mesmo tempo funcional, com possibilidade de escolha de diferentes cenários de iluminação de acordo com a aplicação e o serviço.

Reposicionados, os novos conjuntos de sinalização das poltronas ganharam iluminação diferenciada e numeração maior, com pictogramas de fácil identificação. As luzes de leitura passam a ser em LEDs e as saídas individuais de ventilação bem como as teclas dos porta-focus foram otimizadas.

Os novos modelos G7 possuem um exclusivo sistema de áudio e vídeo, com monitores de LCD fixos ou escamoteáveis, alem de saídas de som individuais para cada passageiro (Kit Business opcional). O sistema de som proporciona a mesma qualidade sonora em todo o ambiente, contando com alto-falantes posicionados nos porta focos e a opção de ajustes de volume; também será oferecida a opção de saídas individuais para fone de ouvido, localizadas entre as poltronas ou nos porta focos.

Poltronas para envolver o usuário

A nova família de poltronas Executiva e Semileito da Geração 7 foi totalmente desenvolvida para proporcionar mais conforto e ergonomia aos passageiros. Concebidas com base na pesquisa realizada com os usuários, apresentam inovações únicas, como a utilização de espumas especiais (visco elástico) na região da cabeça e do pescoço, novos apoios de pernas e pés, além de apoios de braço mais largos e macios.

Além da ergonomia, o novo design das poltronas merece destaque especial, tanto pelo acabamento que harmoniza com o salão de passageiros, como por apresentar novas padronagens de tecido e cortes de capas exclusivos. ?Pela pesquisa realizada, mapeamos todas as zonas da poltrona passíveis de interferência ergonômica. Isto permitiu o atendimento dos percentis extremos da população com eficácia e materiais adequados?, explica Edson Mainieri.

O trabalho da área de design e engenharia teve como objetivo ?a empatia com os passageiros? e buscou soluções inovadoras. O resultado foram novos opcionais, tais como: espumas especiais e diferenciadas, porta-copos individuais integrados às poltronas, porta-objetos, audiofones e tomada para laptop, entre outros itens.

"Um aspecto marcante e fundamental da nova família de poltronas é a criação de um conceito modular de montagem. Isso permite que, mesmo depois de fixadas no ônibus, peças e componentes possam ser substituídos sem a necessidade de remoção das poltronas do lugar. Com capas, espumas e componentes substituíveis e de fácil manutenção, as novas poltronas possibilitam ganhos operacionais para os frotistas e conforto para os passageiros", comenta Edson Mainieri.

As novas poltronas também ganharam sistema de acionamento da reclinação do encosto muito mais suave e prático, com cinco diferentes posições, descansa-braço central mais macio e largo e apoio para pés com sistema de catraca, que possibilita ajuste de posição dos pés de acordo com a altura do usuário.

As novas poltronas foram concebidas com foco na sustentabilidade. O revestimento traseiro, em peça única de plástico reciclado, melhora o acabamento e elimina processo de ?ensacamento? na fabricação. A base do assento também é feita em plástico injetado e sistema de molas que sustenta a espuma de dupla densidade.

Para o motorista, atenção especial

A cabine do motorista dos modelos Marcopolo Geração 7 recebeu atenção especial dos projetistas e designers da empresa na concepção de suas formas, na aplicação de novos e inéditos materiais e na adoção de recursos somente utilizados em automóveis. O objetivo é ampliar o conforto, a segurança e o prazer de dirigir.

A nova parede de separação garante maior privacidade e ganho de espaço para o motorista, tornando o seu posto mais ergonômico e acessível.

No painel de instrumentos está o diferencial da marca. Com sistema e formato inovadores, possui satélites laterais que podem ser aproximados ou afastados do volante, de acordo com a preferência e necessidade do motorista. Esta funcionalidade permite que o condutor regule a distância das teclas para acionamento de todos os equipamentos/sistemas e não precise desviar a atenção da estrada ou mudar de posição na poltrona.

O sistema satélite é único e incorpora um novo Multiplex, dispositivo que controla todos os sistemas do ônibus eletronicamente, com teclas de fácil alcance e ícones retroiluminados. Conta ainda com um display informativo e opcionalmente, um monitor de até 7 polegadas com imagens do salão de passageiros e/ou câmera traseira para auxílio nas manobras de marcha-ré.

A Geração 7 da Marcopolo foi criada com o objetivo de estabelecer novos referenciais para o mercado brasileiro e internacional. Os veículos proporcionam, ao mesmo tempo, vantagens para o passageiro, com maior conforto, sofisticação e praticidade, para o motorista, pela dirigibilidade e ergonomia, e para o frotista, pela maior ocupação dos veículos, menor custo operacional e manutenção facilitada.

ECATUR 2009 abre espaço para discussão sobre "Demandas para um Turismo de Qualidade"

Atualmente Santa Catarina conta com cerca de 2.750 meios de hospedagem entre hotéis, resorts, pousadas, hotéis-fazenda, albergues, hospedarias e outros. A predominância é de hotéis do tipo tradicional, com administração familiar, embora tenha crescido nos últimos anos a presença de hotéis de rede no Estado e a profissionalização das empresas do tipo familiar.

Durante o 4º Encontro Catarinense de Turismo – ECATUR, todas as entidades de turismo de Santa Catarina estarão reunidas em busca de aperfeiçoamento do setor. O Encontro acontece entre os dias 25 e 27 de junho, no Costão do Santinho Resort e SPA, na Praia do Santinho, em Florianópolis (SC). O evento engloba o 23º Encontro Catarinense de Hoteleiros (Encatho), a 21ª Exposição de Produtos para Hotéis (Exprotel), a Feira Catarinense de Agentes de Viagens (FECATUR), o 1º Simpósio de Governança Hoteleira de Santa Catarina, o 7º Seminário de Turismo e Hotelaria e o 3º Ciclo de Oficinas de Atualização.

O ECATUR vai proporcionar a discussão sobre "Demandas para um Turismo de Qualidade", visando à qualificação dos serviços e o crescimento sustentável, através da troca de experiências entre empresários e profissionais com vistas a um maior desenvolvimento do setor em Santa Catarina.

A Palestra Magna com o tema geral do evento - "Demandas para um Turismo de Qualidade", será proferida no dia 26 pelo ex-presidente da Embratur, ex-ministro do Turismo e atual presidente da SPTuris, Caio Luiz de Carvalho, considerado um dos maiores especialistas do setor.

Encontro do Trade

Além da programação de oficinas, do encontro de hoteleiros e de todas as discussões relacionadas ao setor, será realizado o Encontro do Trade, no dia 27 de junho, das 14h30 às 16h30, para discutir o tema geral "Demandas para um Turismo de Qualidade" e reforçar a necessidade de um desenvolvimento consciente.

Cada presidente de entidade vai levar para a discussão os problemas do setor, colocando em pauta a infraestrutura, o atendimento, os serviços, a recepção aos turistas, o comércio, além de discutir o papel de cada organização como entidade de turismo, promovendo troca de experiências, soluções e convergências de toda a esfera do turismo para a elaboração de um plano para o estado de Santa Catarina.

Memória da Imprensa!

Onde menos se espera,dali é que sai coisa boa...mandei uma pequena dedicatória no meu livro Pauta pro Karnas e ele me mandou estas preciosidades. É pra turma mais antiga rememorar....Muitos daqueles já tomaram a saídeira...Estou querendo escrevera historia da churrascaria Itabira,mas como será falar do Itabira sem o Coi Lopes de Almeida e o Gaguinho( José Antônio Pinheiro).Estes dias umdos donos do Ressaca -o outro foi o José Antônio Daudt medeu um depoimento sobrea noite de Porto Alegree tocou na Itabira,deleve.... Outros que muito a frequentaram hoje estão nas rodas do poder, e não gostam de tocar neste passado...digamos assim que os condena????

"Olides.

Na tua dedicatória no livro que me mandaste, pediste para eu relatar alguma memória ou históriazinha. Te mando fotos. Estás vendo estas duas aí de cima?

Velhos idos de 1967 ou 68. Bar Nordestino, nosso local de encontro que ficava no andar superior de um prédio em frente da Zero Hora (tempo em que o dono era o Ary de Carvalho), lá na 7 de Setembro, junto ao cinema (era Rex? Nem me lembro mais o nome). Ali, na primeira foto, aparece o Betinho (Roberto Hirtz) jogando sinuca, Darci Vignoli (trabalhava na Folha da Manhã) e eu (Carlos Karnas) tomando umas cevas e fumando junto ao balcão. Eu e Betinho fazíamos parte do time da Reportagem Policial de ZH, chefiada pelo Cabeção, Vilmo Medeiros. Vignoli e Betinho trabalhavam à tarde e eu fazia o plantão da madrugada. Todas as noites estávamos lá no Nordestino pr´umas e outras. O Renatinho (ZH) também fazia parte do time. Boa parte dos meus plantões da madrugada era ter que fazer a ronda carregando Vignoli e o Betnho para deixá-los pelas bocas da vida. Eu os deixava nas quebradas com as minas e ia trabalhar, fazer a ronda costumeira pelas delegacias e HPS. Já altas horas da madruga, voltava e pegava os dois para deixá-los em casa, na maioria das vezes podres de bêbados e cheio de histórias para contar. Cada história! Vez em quando os dois resolviam assar costela minga nos fundos de um pulgureiro ali na parte baixa da Rua da Praia, perto do QG da 3a. Região e da igreja das Dores. As meninas da madruga, do pedaço do centro da cidade, sempre eram convidadas. O Vignoli que me ensinou:

-- Sabe como se amacia matambre?
-- Não.
-- Sapecando a carne na bunda das meninas.

Era gozação e a gente se divertia. Tudo no maior respeito.

----

A foto aí de cima acho que foi tirada pelo Shigueru Nagasawa. O japonezinho migrou do Japão para a América do Sul. Por descuido acabou desembarcando no Brasil e veio parar em Porto Alegre, sem eira nem beira. Acho que o primeiro emprego oficial dele no Brasil, como imigrante, foi na ZH (quando Ary de Carvalho era o dono). Acabou sendo o meu companheiro na reportagem policial, como fotógrafo, nos plantões da madrugada. Shigueru mal falava o português. Era uma coisa de louco a gente se entender e conversar. Valia a conversa por sinais, uma loucura. E ainda por cima, o japonês que mal falava o português, embestou de querer aprender a falar o alemão. Vê se pode! O Shigueru todas as noites carregava um dicionário de alemão (com a versão em japoonês) e ficava folheando o livrinho a noite inteira dentro da caminhonete da reportagem, nos plantões das delegacias de polícia, no saguão do HPS e na redação do jornal, enquanto eu redigia as matérias. Caramba, naquele tempo vivíamos em casa de doidos, mas era gostgoso pra cacete.

Carlos Karnas"

Memória da Imprensa!

Carlos Karnas - que foi o único coleguinha que se lembrou que meu apelido nos anos de 1973/74 na redação da ZH,na editoria de polícia era SUGISMUNDO( mas era um apelido carinhoso dado pela Fernando Goulart porque o odioso do governo do Médici havia bolado uma campanha na TV onde apresentavam um ratinho sujo e mandavam todo mundo tomar banho e se limpar)colabora....
nesta edição comestafoto que é umareliquia...Apenas lembrando ao Karnas, o nome do restaurante era GALO e ao que estou informado já fechou...O AntônioGoulart era assíduo frequentador do Galo....

"Olides, outra.

Eu (Carlos Karnas) e Cascatinha, o Fernando Albrecht (lado a lado) no tempo em que ele ainda tinha cabelo e eu barba loura que agora é branca. A foto é de uma patota no restaurante português, lá perto do Copacabana. Uma turma de coleguinhas reunida para bebemorar e de vez em quando dar umas garfadas na comida. Nem sei mais que encontro foi esse, mas a foto é bonitinha, tem uns 40 anos ou mais. Parece que foi um encontro de jornalistas promovido por alguma entidade empresarial. Eu e Cascatinha, antes de ingressarmos no jornalismo, trabalhamos juntos no antigo Banco da Provícia, na matriz, ali no centro, na Uruguai. O Cascatinha trabalhava como assessor da diretoria, no primeiro andar, e eu no setor de cobrança, no terceito andar. Depois do Banco da Província enveredamos no jornalismo e seguimos nossas carreiras até os dias de hoje. O tempo passa.

Outra hora te conto do episódio da prisão do Frei Beto (com fotos dos bilhetes que peguei no DOPS - sim, fui eu quem descobriu a prisão do frei naqueles tempos bicudos); mais as peripécias na reportagem policial na madrugada, quando aquelas caminhonetes Rural Willys da ZH tinham tacógrafo e não podiam andar a mais de 60Km por hora; tem a história do Florianão e minha, de um encontro com um cara ligado aos Tupamaros, na estação rodoviária que ficava na Av. Conceição; mais uma campana de um navio na lancha da Receita Federal, na Lagoa dos Patos; e tem a história real de quando o Wilde Pacheco (delegado e piloto de helicóptero) nos metralhou (eu trabalhava na ZH) numa perseguição a ladrões de banco lá pros lados do Lami.

Te interessa isso?

Carlos Karnas"

Coleguinhas

Aves de má agouro....

Tem muita gente que acha jornalista ave de mau agouro. Ontem, na salinha J.C. Terlera uma coleguinhas se queixava que o seu veículo estava deprimido porque não descobrira ainda nenhum caso da gripe PORCINA,digo suína na sua região que fica no Vale dos Sinos....

Coleguinhas

* Edison Moiano,chefe da central do interior do Correinho, só aceita matéria de correspondente do interior se vier com foto junto. Senão já sabem que não será publicada....

* Sérgio Ross, que vive em Brasília, manda notícias me chamando primeiro de fofoqueiro. Vai casar,de novo. A moça é uma ex-jornalista da RBS que hoje é empresária. Ele não declina o nome....

A lua de mel será ou em Paris, Roma....Serginho acha que vai casar em Roma.....

*Maurício Juchen, que estava na Guaíba, transferiu-se para a Band AM.

* Affonso Ritter reivindicou em causa própria hoje,dia 23/06 no Jornal Gente, da Band AM.Queixou-se que faltava luz nas imediações do Olímpico(onde ele mora, na cel Gaston Mazzeron) e no Menino Deus....

Belmonte não foi se despedir do ministro] mas o assessor do prefeito tava lá....

O diligente repórter Eduardo Belmonte, da rádio Cultura AM,não foi na despedida do ministro Carlos Lupi, no aeroporto João Manoel, em S. Borja, no domingo passado, depois da ida ao túmulo de Brizola. Mas o Juliano Jacques estava lá e fraglou o prefeito Mariowane Weis e o vereador " Topo-Gigio", mais conhecido oficialmente por Celso Lopes(PDT) entre outros integrantes Surpreendeu que o Belmonte não foi porque tudo o que acontece em S. Borja não tem graça se o Belmonte não está lá...O homi acompanha até batida da brigada militar no rio Uruguai, as 3 da madrugada. Estes dias os brigadianos foram lá achando que era roubo de gado e prenderam, meio sem querer, 150 quilos de maconha, vinda dos Andes....

Fotos: Juliano Jacques, da PMSB

Serafina se apronta pra festa!

Meio ligth, como eles dizem, mas a prefeitura municipal já prepara os festejos do dia 25 de julho quando comemora 49 anos da emancipação política. O atual prefeito, Presotto, quer retomar a tradição de cultuar as origens porque nos últimos anos isto andou meio deixado de lado. As novas gerações nem mais sabem que se falava talian( solque talian, ninssuna parola em português) no dia a dia....Tempos atrás, nos anos 80, eu trabalhava na ZH e contei ao Flávio A. Gomes que na minha terra natal na semana do município até a telefonista da prefeitura atendia falando talian. Ele não acreditou e mandou ligar pra lá e fez uma bela reportagem na rádio Gaúcha.

Agora, eu acho por exemplo, que houve alguns tópicos sobre esta história de origens que houve quem exagerou. Nem sei se foi com intenções sinceras, ou com interesses de arrumar passagens pra Itália, por exemplo....Que gane tanti furbi, in La UNDEZE, gane....

O inverno da nossa roça....


O interior de Serafina Correa (cortesia Jornal Gazeta Regional)

O jornal Gazeta Regional de Serafina publicou esta foto aí que mostra a vida na Serafina profunda, como é moda dizer. Na verdade esta é a colônia, nua e crua. Me crie nela e sei o que isto quer dizer, principalmente nas tardes de chuva,vento e frio....

O inverno....(I)

Quando acordávamos de manhã e fazia um frio de renguear custo, saímos quebrando geada em tamancos. Raros eram os dias em que podíamos usar meias, mesmo as mais grossas. Elas eram escassas...

O inverno ( II)

De longe apesar de tudo, prefiro a vida na cidade. Não tenho saudades da roça onde vive 16 anos.Sei como o colono é discriminado. Quando ouço aquela música O Colono, do Teixeirinha, me passa pela cabeça como este cantor era talentoso, sabendo transmitir numa música aquela realidade nua e crua....do que sofre o colono, quando vai pra cidade....

O inverno ( III)

Apesar de ser uma letra muito bonita, quando ouço a Elis Regina cantando Eu quero uma casa no campo, sempre penso que ela quer uma casa no campo com conforto e tudo mais...Não as condições rústicas como vivem os camponeses....

O inverno ( IV)

Quem morou na roça, como eu, jamais se livrará de certos cacoetes. Parece que isto fica impregnado na pessoa. Assim como quem foi pobre um dia, dificilmente tirará a pobreza de dentro dele, mesmo que um dia ganhe muito dinheiro....

A vida como ela é....

Os fatos aqui narrados nada tem a ver com a realidade. São houver coincidência, é mera casualidade....

Café no Azulejo....

O episódio acabou conhecido naquela empresa, que trocou de donos faz pouco mais de dois anos..por " café no azulejo".....Era madrugada e alguém pediu pra falar com um sujeito que estava de plantão....a portaria que anda meio rígida não queria deixar a pessoa subir, mas a pessoa alegou que era colega, estas coisas...

Os guardas subiram pouco depois pra dar uma checada, porque ficaram descondiados....assim,aquela hora da noite...

E procura daqui, dali e não acharam ninguém...

Ué, pensaram o que foi

Deram no banheiro e ali as duas pessos que tavam meio agachadas ficaram surpresas...Como estavam agachadas alegaram que haviam derramado café no azulejo e estavam limpando....

O assunto foi encerrado por aí, mas no meio da turma de gozadores, o apelido pegou: o café no azulejo....

Labirinto Kafka volta ao Teatro Glênio Peres na quinta-feira

A Confraria dos Ritos apresenta o espetáculo teatral Labirinto Kafka às 20h30min desta quinta-feira (25/6) no Teatro Glênio Peres da Câmara Municipal de Porto Alegre (Avenida Loureiro da Silva, 255), com entrada franca. Inaugurada no dia 18 de junho, a temporada 2009 de Labirinto terá 11 encenações até agosto, sempre às 20h30min de quintas-feiras. As senhas serão distribuídas uma hora antes da peça.

Labirinto Kafka conta com co-patrocínio do Grupo Zaffari e apoio cultural de Zero Hora, Fromaggio Pizzinha, Ellera Comunicação Gráfica, Apema, Payot, Degust´Art Restaurante, Central de Tecidos e 25ª Região Tradicionalista. Além da Câmara, são parceiros da produção: Theatro São Pedro, Universidade de Caxias do Sul, Start Models, Laercio Lacerda Photodesigner e Kahek Intelecto Criativo.

Com direção, texto, encenação, cenário e figurinos do dramaturgo carioca Janssen Hugo Lage - fundador da Confraria dos Ritos -, a peça baseia-se nas obras O Processo e A Metamorfose, do escritor tcheco de língua alemã Franz Kafka (1883-1924). O elenco é formado por Rafael Franskowiak, Mariana Brum, John Robert, Anderson Ciccone, Leandro Borges, Ângela Aita e Matheus Paranhos.

Compõem a ficha técnica de Labirinto Kafka: Vicente Goulart (desenho de luz), Alexandre Montaury (trilha sonora), Laercio Lacerda (fotografia e identidade visual), Luciano Schmitt (Web), Raquel Wünsch (assessoria de imprensa), Rui Cabeleireiros (maquiagem e cabelo) e Gabriela Ramos (assistente de direção).

Desde a primeira apresentação, em janeiro deste ano, no Theatro São Pedro, Labirinto Kafka foi assistido por mais de 2.500 pessoas. O espetáculo também esteve em cartaz no Interior. Depois da apresentação desta quinta-feira (25/6), a peça volta a ser encenada no Teatro Glênio Peres nos dias 2, 9, 16, 23 e 30 de julho e 6, 13, 20 e 27 de agosto.

Informações no Memorial da Câmara, telefones (51) 3220-4187 e 3220-4318, e pelos contatos informados no site www.kafka.com.br.

Tempo ruim apressou homenagens a Leonel Brizola!

Fotos: Juliano Jacques, da PMSB

Nem os anos deletarão da memória de quem esteve domingo último, por volta de uma da tarde, no cemitério Jardim da Paz, em S. Borja na homenagem simples mas sincera de alguns amigos a Leonel Brizola, com quem por sinal nunca tive um contato na vida. Uma única vez o procurei, por um intermediário, pra ver se ele queria dar um depoimento, uma espécie de memória. Não sabia eu em que pedreira estava batendo.Perguntei a Danilo Groff, no sábado, no PDT de S. Borja,durante um picadinho de carne argentina, se seria possível que Brizola fosse depor para o jornalista Carlos Chagas,autor do livro 113 dias de angústia, sobre a agonia de Costa e Silva. Danilo acha que não...

Pra mim, Brizola mandou dizer quando lhe solicitei um depoimento - embora soubesse que sem um grande veículo por trás isto seria difícil - que ele estava "olhando pra frente, não pra trás".

Enfim, existem alguns livros já publicados sobre o polêmico criador do Grupo dos Onze, mas há de que se fazer uma grande biografia, não uma biografia oficial, mas sim uma grande biografia. Ainda é tempo, já que tem gente que conviveu com ele que está por aí....

Danilo Groff,quem se habilita a vai ouvir suas histórias???

Na frente do túmulo de Brizola, no cemitério Jardim da Paz, em S. Borja, um casal de idosos ( com todo o respeito) ouvem atentamente o deputado federal Carlos Eduardo Vieira da Cunha discursar em lembrança do líder desaparecido. São 13 horas do último domingo 21/06 e lá no fundo um torró se arma. Vierinha a toda hora, avisa os presentes de que têm que encurtar o evento, porque eles precisam retornar. Vai abreviando as falas. Um senhor, de óculos, com um pequeno boné, magro, cigarro sempre na mão, ouve Vierinha. A seu lado, sua esposa,Ione,filha de Luís Carvalho,jogador e presidente do Grêmio Portoalegrense, que sempre o acompanha na sua atividade física.

Danilo é apesar dos seus escassos 74 anos, a memória do PDT.A cada pergunta que lhe faço, ele, numa provocação, como dizendo que tem mais farinha no saco, termina de contar a história e questiona:
- Que mais queres saber?/

Danilo e dona Ione foram muito lembrados pelos jovens do PDT que se reuniram em S. Borja, no encontro da juventude( alguns ainda a chamam juventude socialista e vi um único militante com uma camiseta com Guevara estampado).Mas Danilo está querendo falar.

- Vocês tem que entrevistar ele antes que fique gagá, me advertiu tempos atrás dona Ione...

Danilo aguarda um bom repórter que tenha paciência pra ouvi-lo.
No sábado, reencontrou um antigo militante do PTB, Barleze, que havia deixado o partido e que agora está retornando. Danilo comemora:
- O Barleze está voltando.

Os dois velhos companheiros de tantas pelejas quase não trocam palavras entre si. O silêncio fala mais alto.
- Barleze, ainda tens aquele posto de gasolina, tenta quebrar o gelo entre eles D anilo.
- Não,vendi há muitos anos....

Barleze também está na homenagem a Brizola, no cemitério Jardim da Paz, com a presença do ministro Lupi( que até aqui parece ser o verdadeiro herdeiro político de Brizola).

Danilo é polêmico. Não tem papas na língua e nem meias palavras. Quem consegue acalmá-lo quando sua língua solta raios e trovões contra algum suposto inimigo é sua esposa...
- Grita menos, pede ela...

Contam uma história sobre a lealdade de Danilo( que é bioquímico formado pela UFRGS) e que trata Brizola sempre pelo adjetivo de " DOUTOR". Quando o líder trabalhista foi recompor o PDT e candidatar-se a governador do Rio, a turma que andava com ele - Neiva Moreira, Darcy Ribeiro, Bocaiuva Cunha - sugeriram a Brizola que retirasse do petit comite o Danilo.

- Vocês são loucos, desaconselhou Brizola. Se eu fizer isto, o Danilo se atira embaixo do primeiro carro na rua e eu fico com isto na consciê ncia pro resto da vida....

Coleguinhas

* Leonel Rocha que assessora o deputado federal Vieira da Cunha(PDT) em Brasília estaria voltando pra Assembléia Legislativa onde teria passado num concurso.

* Rogério Boelcke, plantonista esportivo da Guaíba, náo virou fashion coisa nenhuma como querem alguns dos seus detratores. Estava segunda feria ultima ,ontem, na chuva, pegando o protasio, pra ir pra casa, embaixo da chuva no terminal dos pobres,na praça parobé.
E correu at[e o mercado pra comprar ra;áo pro gato em casa, mas náo tinha....

* Este furo estou dando no eduardo belmonte, o melhor reporter de . Borja que trabalha na rádio cultura AM e que fotografa na rua com uma maquinhinha propria que carrega. Anda numa motoneta e tem tudo ali dentro. Domingo, o ministro carlos lupi, do trabalho, estava no aeroporto joáo manoel esperando os pilotos que tinham ido almoçar e o vereador celso lopes, do pdt local, solicitou sua intermediaçao pra reabrir o hospital são francisco daquela cidade, que est[a fechado por falta de verbas públicas.
Lupi prometeu ir com celso at[e o gabinete do ministro temporão.
Mas o prefeito mariowane weis,do pdt, presente ao encontro, sugeriu que antes seja feito contato com o secretário osmar terra, da saúde,
do Estado, pra depois náo haver "dodói"ou seja, que pense que tenham passado por cima dele...

O belmonte comeu mosca nestas. Não apareceu no aeroporto na hora do embarque do ministro de volta a porto alegre.

Os que tomaram a saídeira....

Erídison Marques Lemos morreu de um enfarte cardíaco enquanto preparava a cobertura eleitoral de uma rádio de Porto Alegre. Não estou recordado do ano, mas me lembro que era enorme a agitação naquela central de eleições. Eridison enfartou.

Foi por esta e por outras que o barzinho da ARI foi criado. Os médicos aconselharam Alberto André a criar um espaço onde os jornalistas pudessem desopilar( e não brigar por amendoins duros, como ocorre hoje em dia....)

Eridison nasceu em Giruá (RS) em 18.03.1946.Foi casado com Helena Maria ( 28.10.1946)- também jornalista - e teve os filhos Marcelo( 14.02.1972) , Mariana( 08.05. 1975) e Marília( 13.07.1978). Era filho de Valdivino Lopes Lemos e de Erothildes M. Lemos. Residiu na rua Afonso Rodrigues, 385. Trabalhou na rádio Guaíba e na Gaúcha, onde em ambas foi chefe de reportagem. Faleceu quando estava na última emissora.

Teares e Medrares

"Olides.

Fico lisonjeado com o teu pedido.

Pois esta vida dá um montão de voltas, com encontros e desencontros, com paradeiros e proscrições. Enfim, pra lá dos sessenta, minha vontade, objetivo e destino é voltar ao Sul Maravilha para poder sobreviver o que ainda me resta e poder ser enterrado às margens do Guaíba (ouvi falar que agora é lago?!). Definitivamente não morrerei em Caçapava, no Vale do Paraíba ou onde for, a não ser na minha terra. É um compromisso acertado com Deus.

Isto está, inclusive no meu blog:
http://tearesemedrares.blogspot.com/

Daí a razão de eu estar tentando me desfazer de tudo o que tenho aqui em São Paulo para voltar. Sim, moro na roça, num sítio, de onde vejo a civilização à distância, no alto do meu morro. Gosto dele e ele me dá imenso prazer (da porteira pra dentro, porque da porteira pra fora são outros quinhentos).

Portanto, meu caro, já que pedes fotos de onde vivo, o mais fácil é te mandar um Portfólio do Sítio da Mata Pequena. Segue anexo. Fica à vontade e faz bom uso das fotos que estão nele. E para tu saberes parte das minhas andanças neste mundo, segue - também anexo - algumas referências minhas que fui obrigado a construir para a Câmara Municipal de Caçapava. É que fui homenageado, em abril, no aniversário da cidade, por uns políticos loucos que acreditam que ainda tenho algum prestígio.

Tenho laços em Porto Alegre. Aí sou sócio proprietário de uma fábrica de móveis, a SantaFé Móveis, que é tocada pelo meu cunhado. No mais, sobrevivo. Ainda não sou aposentado (relaxamento) e faço meus bicos. Também escrevo: ficção e uma ou outra coisa para jornais quando me dá na veneta. Quero, na verdade, é publicar o meu livro: "Um Quarto de Mil", que participa de concursos nacionais de literatura e reúne centenas de contos, crônicas, fatos, historietas e ficções breves. Cada texto não tem mais do que 250 palavras. São meus instantes ficcionais, loucos, despudorados, maliciosos, amantes, amáveis e inconsequentes. Bersteiras.

Obrigado pela atenção.

Bom proveito e sucesso nas tuas empreitadas.

Karnas"

4º Encontro Catarinense de Turismo (Ecatur 2009) - De 25 a 27/06/2009

O Costão do Santinho Resort, em Florianópolis (SC), vai sediar, entre os dias 25 a 27 de junho, a 4ª edição do Encontro Catarinense de Turismo (Ecatur), cujo objetivo é reunir todo o trade turístico e os principais destinos turísticos do estado de Santa Catarina. O evento contará com palestras, debates e workshops, além de feira de turismo e hotelaria.

O Ecatur 2009 é promovido pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina (ABIH-SC). Considerado o principal evento do trade turístico de Santa Catarina, o Ecatur receberá cerca de seis mil participantes e visitantes, garantindo a geração de muitos negócios. Desde 2004 o encontro reúne paralelamente, no mesmo espaço, o Encontro Catarinense de Hoteleiros (Encatho), que já se encontra na 23ª edição, a Feira de Produtos para Hotéis e Restaurantes (Exprotel), realizada há 21 anos, e o Seminário de Turismo e Hotelaria.

O encontro é uma oportunidade de rever e aprimorar as estratégias de captação de turistas, além de integrar e fortalecer o setor do turismo, desenvolver a qualificação e a atualização tecnológica do setor. Em todo o mundo, a tendência é de que o turismo ocorra principalmente dentro de um raio de até dois mil quilômetros a partir da residência do viajante. Por isso, é necessário atuar fortemente nessa área.

Serviço:
O que: ECATUR 2009
Data: 25 a 27 de junho de 2009
Local: Costão do Santinho Resort & SPA – Praia do Santinho, Florianópolis, SC
Informações: Marisa Ribeiro - Assessoria de Imprensa – (51) 9703-2137

Diario de S. Borja

Fazia nove graus hoje de madrugada,quando o leito da Ouro e Prata chegou a S. Borja.
A impressão que tenho a cada vez que chego aqui é que esta é realmente uma região " deprimida".

Coleguinhas

----- Original Message -----
From: "marcelo roberto model nepomuceno" marcelo.nepomuceno@al.rs.gov.br
To: contato@deolhoseouvidos.com.br
Cc:
Sent: Sex 19/06/09 14:41
Subject: Fwd: Agradecimento

Caro Olides,

Agradeço a compreensão do colega expressa em seu blog quanto a busca por harmonizar o espaço de trabalho das tradutoras de sinais, sem gerar maior prejuízo aos jornalistas que, assim como o amigo, fazem uso da Sala JC Terlera.

Espero que os eventuais transtornos possam ser minimizados em breve.

Grande abraço,

Marcelo
---

Diario de S. Borja

( sexta-feria, dia 19/06/2009)

* Encontrei o coleguinha Eduardo Belmonte, da rádio Cultura AM de S. Borja. Me disse que ele foi quem conseguiu a declaração,dias atrás, aqui em S. Borja, do ministro da defesa, Nelson Jobim, de que os destroços encontradosno ocenao Atlântico eram parte do avião sinistrado da Air France e parte eram outros....Os milicos não queriam deixar eu chegar perto do ministro mas consegui,disse - me Belmonte. (Belmonte é um grande repórter, mas não sairá aqui de S. Borja, porque já passou muito tempo. Deveria ter partido antes. Vai ficar na história do jornalismo local. Quando Brizola vinha nos últimos anos de sua vida pra cá, o Belmonte ficava do lado do líder político até quando ele ia ao cemitério rezar junto ao túmulo da falecida mulher. E gravou algumas conversas que Brizola tinha no túmulo de sua falecida mulher.) Ato seguido, o chefe de Belmonte na Cultura AM,Arce, passou a gra vação pra rádio Gaúcha SAT, de Porto Alegre. Depois Belmonte recebeu ligações da Folha de S. Paulo, do Estadão e de outros jornais do centro do país, até de um de Pernambuco. Mas o Belmonte não cobra nada dos coleguinhas, faz tudo no mol....
Mais um lance do Belmonte....

*Eduardo Belmonte ajuda seu colega Alberi Cogo, que é correspondente do Correinho aqui em S. Borja. Como Alberi é albino e não pode pegar sol, Belmonte fotografa tudo pra ele, porque agora o Correinho só pulica matérias se
a matéria foi acompanhada de fotos.
E Belmonte conseguiu fotografar a prisão de 150 kg de maconha, provavelmente vinda da Colôm bia e que tinha entrada via Argentina. Três brigadianos foram chamados, numa madrugada fria, a atender um caso de abigeato junto a ponte. Uma clalana vinha com quatro elementos dentro, que fugiram pros matos, mas deixaram 150 kg de maconha. A Brigada Militar que fez a detenção chamou a Polícia Federal pra fazer a apreensão da droga....

Museu Getúlio Vargas

A foto que publico é de Brizola( com a cuia na mão) no dia da inauguração do Museu Getúlio Vargas, já nos anos dois mil. Foi pouco tempo antes de sua morte. Na foto aparece o deputado fedral do PP( Luiz Carlos Heinze)- de barba, primeiro da esq. para a dir., sua esposa Sandra Batista Heinze( de óculos escuros, no centro da foto), Mário Telo, ex-presidente da Associação Comercial de S. Borja, o vereador do PDT, Lautert( falecido), Leonel de Moura Brizola, com a cuia na mão e atrás dele, o deputado estadual, Vieira da Cunha(PDT>

O acervo é de Mário Telo.

É uma forma de lembrar uma das últimas vezes que o líder trabalhista esteve em S. Borja,antes de morrer. Ele vinha seguidamente aqui, até meio anônimo e gostava de se hospedar na casa do seu colega de partido e amigo Percy Penalvo.

Numa das tantas vezes que deu entrevistas locais, foi entrevistado pelo diretor da rádio Cultura,AM, Deco Almeida, que após um almoço perguntou a Brizola, onde afinal ele queria ser enterrado. Segundo um dos presentes ao almoço, Brizola não gostou do tema da pergunta e foi seco:
- Sabe Deco,disse naquele seu linguajar arrastado, que ainda não pensei....

Diário de S. Borja

Sempre fico aqui no hotel Executivo, do centro da cidade. Maas dessa vez tive azar. Quando cheguei as 6 horas da sexta, não havia reserva e isto que eu a tinha feito no domingo anterior.Com o Portinho, que me disseram depois é um porteiro que não anota nada....

Depois durante a sexta-feira, faltou água. Só veio de noite....

E aí no sábado de manhã, pedi pra me acordarem as 7h30minutos. Como no quarto que fiquei não tinha telefone, a atendente subiu três aandares no sábado e a encontrei quando eu já saía doquarto,depois das oito da manhã. Ela ainda disse:

- |Tocam , tocam o telefone o senhor não atende.

Bão,reclamei com o Ronei e com a Vilma na portaria:
- Agora só falta me botarem um marmanjo do PDT que veio pro encontro do partido no mesmo quarto, ao invés de uma das tantas gatinhas que tão por aí....

Eta tempora

Diário de S. Borja

O PDT virou reduto dos netos de Brizola ?

Por pouco a chuva não estragou a vinda do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, às homenagens dos cinco anos da morte de Leonel Brizola,prestadas ontem junto ao seu túmulo, no cemitério Jardim da Paz.Quando o avião baixou ao aeroporto João Manoel, por sinal muito usado por Brizola em vida, grossas nuvens escuras ameaçavam chuva no horizonte, o que pouco depois começou a acontecer,correndo com os políticos que estavam lembrando o líder trabalhista.


O espólio político de Brizola,afinal ficou com quem? Com o tarimbado político que é o ministro Carlos Lupi, com o deputado federal(PDT) Carlos Vieira da Cunha ou com seus netos,uma que é vereadora de Porto Aegre- Juliana Brizola- que será candidata a deputada estadual em 2010 - ou com outros netos, um gêmeo de Juliana, no Rio e um outro que é deputado federal também pelo Rio.São perg untas que o tempo há de responder.O que ocorre é que o PDT, que nunca foi grande, anda encolhendo e isto até seus mais hábeis membros sabem, embora desconversem.

Os discursos de ontem,dia 21/06,quando se completou 5 anos de sua morte -que também será lembrada hoje na Câmara Federal - à beira do túmulo informavam que o PDT está disposto a retomar a bandeira nacionalista, um legado do Brizola. Tanto que todos os atos feitos em homenagem ao líder desaparecido terminaram sempre com o público cantando o Hino da Independência, hino que Brizola sempre obrigava a cantar no encerramento dos eventos públicos dos quais participava.

O único não político que falou ontem no túmulo de Leonel Brizola - por sinal o mesmo onde está enterrado Jango Goulart, com quem Brizola não manteve relações durante 12 anos de exílio no Uruguai - foi seu filho mais velho, João Otávio,arquiteto, que residente em Montevideo.


Os outros dois filhos de Brizola - Neuzinha e João Vicente, que residem no Rio não vieram fazer uma visita sentimental ao túmulo onde estão enterrados pai e mãe, em S. Borja(RS).Neuzinha até nem mais pertence ao PD`: está no PV.

Duas novas caras

Aos eleitores vão se apresentar, no ano que vem duas novas caras de candidatos pelo PDT. Affonso Motta,executivo da RBS, com propriedade rural em Alegrete será candidato a deputado federal. Já realizou vários reuniões na Fronteira Oeste e algumas em particular na Fazenda do Itu - celebre por ter sido propriedade do ex-presidente Getúlio Vargas, que agora pertence a um comerciante de Santiago do Boqueirão,Alceu Nicola, que já promoveu encontros com lideranças do PDT da região para apoiar o candidato Motta.

Outra nova cara que vai se apresentar aos eleitores é Claudio Janta, presidente da Força Sindical no RS. Ele participou dos eventos em homenagem a Leonel Brizola e ontem no túmulo havia duas grandes bandeiras da agremiação desfraldadas junto com as bandeiras do partido.

Algumas lideranças históricas sumiram do cenário das homenagens dos cinco anos da morte de Brizola. E eram lideranças com tal força que a impressão que se tem é que não é mais o PDT que está lá. Cito o ex-governador Alceu Collares, o ex-presidente do PDT, Matheus Schmidt, entre outros.

Das lideranças identificadas com o PDT esteve aqui ontem Vieria da Cunha, deputado federal e que não pode ser descartado com um possível candidato a governador pelo PDT no ano de 2010.

Vieira da Cunha está indeciso em dar este passo maior: gostaria e isto ele disse a vereadores de S. Borja que o acompanharam ao aeroporto João Manoel, quando pegaram o avião de volta a Porto Alegre,de ser candidato a governador, mas precisaria do apoio de outros partidos, pra sentir que a candidatura é viável...

Nas bases também está muito presente a situação d a sua bancada na Assembléia Legislativa que parte apoia a criação de uma CPI para apurar corrupção no Governo do Estado e outra parte da bancada se nega a aderir.

Deputados com o pé na estrada...

Alguns deputados vieram ao encontro da Juventude do PDT que aproveitou o aniversário da morte de Leonel Brizola pra realizar um encontro em S. Borja.
Entre eles estiveram no domingo, o líder da bancada do partido na Assembléia, deputado Adroaldo Loureiro e Gérson Burmann.
Federais estiveram aqui Pompeo de Mattos - um deputado estradeiro, que toma banho em posto de gasolina,se preciso - e Vieira da Cunha que veio no domingo, no jatinho do ministro Carlos Lupi, que por sinal chegara na noite anterior de Genebra, na Suiças.

Danilo Groff, um " amigo" de Brizola


No ônibus que trouxe a juventude do PDT de Porto Alegre viajou o eterno fiel escudeiro de Leonel Brizola, Danilo Groff e sua esposa, Ione.
D anilo foi homenageado peloa juventude em vários ocasiões, e lembrado principalmente pela neta de Brizola, Juliana.

Diversas
* Vereador Celso Lopes(PDT de |S. Borja, está preocupado com fechamento do hospital S. Francisco. Vai pedir audiência ao ministro da Saúde, Temporão, pra reabri-lo.
No sábado, Celso ficou o seminário do PDT até 16 hs, depois deu uma fugidinha pra bater sua bola,como faz todos os sábados.

* Ex- presidente do PDT de S. Borja, Clair Ribas , também foi jogar sua bolinha no sábado. Esteve ausente dos acontecimentos.

* Presdidente local do PDT, Hugo Rubin esforçou-se pra que tudo saísse a contento....

Diario de S. Borja

* Museu de Jango Goulart será,finalmente inaugurado dia 6 de agosto na Presidente Vargas
Está sendo feito por um escritório de S. Luiz Gonzaga. captação de cerca de um milhão de reais pela LIC. A gozação entre os vereadores é de que o Museu de Jango( presidente da República,eleito vice pelo PTB) acabou na verdade sendo mandado fazer pela filha de um coronel que sempre defendeu a Redentora, no caso a secretária Monica Leal, cujo pai, Pedro Américo, é um dos líderes da antiga ARENA. E faz sentido.

*Encontro da Juventude do PDT, realizado no sábado, na Câmara Municipal, antecipou as homenagens a Leonel Brizola dos cinco anos de falecimento.

*Muitas críticas dos jovens na tribuna livre, quando a vereadora de Porto Alegre, Juliana Brizola,entregou o microfone pros participantes se manifestar. Um representante de Santo Angelo deu uma indireta ao deputado Pompeo de Matos(PDT) que pouco tempo antes tin ha declamado uma poesia inédita em homenagem a Brizola. " Temos mais é fazer o que Brizola fazia do que ficar lendo poemas" alfinetou o manifestante.

* Jovens presentes no encontro do sábado passado manifestaram-se pela candidatura própria dentro do PDT ao governo do Estado. Sim, mas como se o partido está definhando. Perdeu prefeituras e vereadores na última eleição....

*Clair Ribas, ex-presidente do PDT local, lembrou que no primeiro niver da morte de Brizola veio tanta gente que entupiu a cidade. Teve um palanque muito grande até o governador Ronaldo Lessa, de Alagoas esteve presente.

* Das autoridades presentes sábado no encontro da juventude, só estiveram Pompeo de Mattos,deputado federal do partido, o prefeito Mariowane Weis, do PDT local e havia,isto sim, muitos candidatos a candidatos pro ano que vem,entre eles o diretor da RBS,Affonso Motta, que sairá candidato a deputado federal pelo PDT.

* Dois netos vão d isputar a candidatura a deputação estadual no ano vem: um neto de Jango, Crhisphofer Goulart vai a deputado estadual e a atual vereadora e presidente da Juventude do PDT, Juliana Brizola, também vai. Chisthofer concorreu a vereador em 2000 em Porto Alegre e levou pau...
* Hugo Rubin, atual presidente do PDT de S. Borja, é casado com uma filha do Gal. Serafim Vargas,parente de Getúlio Vargas.

* Fernando Britto,jornalista que assessorava Brizola foi quem redigiu o discurso de Leonel brizola lido na TV Globo quando ele ganhou na Justiça um direito de resposta a um ataque que o GLOBO lhe fizera. Este espaço aparece num filme de Tabajara Ruas projetado no sábado de manhã antes dos trabalhos em S. Borja.

* O discurso de Brizola, lido no JN, da TV Globo, é de uma contundência que vou te contar...Deve ter custado muito caro a Brizola este discurso...

* Sereno Chaise diz em seu livro que tentou convencer Brizola de parar de ataq uer o dono da rede Globo. Brizola teria dito a Sereno que preferia não chegar a presidente a ter que pagar aquele preço...

* Caren Mello, coleguinha que já foi do Correinho, esteve acompanhando a vereadora Juliana Brizola com quem trabalha. Deu uma pernada da Câmara Municipal até o diretório pro almoço de sábado. Acompanhou passeata dos jovens. Estávendo que trabalhar com políticos não é moleza, como muita gente acha...principalmente com políticos que trabalham como a Juliana...

Diário de S. Borja

* Picadinho servido na sede do PDT-S. Borja, na noite de sábado último, teve carne comprado em Santo Thomé, do lado argentino.

* Fizeram vaquinha de 5 reais pra comprar cerveja pra tomar junto com o picadinho servido na sede do PDT de S. Borja, no sábado ultimo.

* No saguão da Câmara Municipal de S. Borja, no domingo, instalaram uma mini quermesse com vendas de botons e camisetas. Eram souvernirs que os jovens e gente que veio de outras localidades compraram pra levar como lembrança.

*Não se sabe se foi acaso, mas quando deputado Adroaldo Loureiro saiu do plenário da Câmara, funcionário que vendia souvenirs sumiu com a mesinha. " O que é isto?" perguntou o deputado Loureiro.
- É um camelódromo disse o funcionario. Ato contínuo, levou a mesinha...

* Homenagem na sessão solene de ontem na câmara municipal de S. Borja, terminou com execução do hino nacional do município. Funcionário que havia feito uma boa féria vendendo souvenirs assobiava contente e dizia:

- Mas que letra bonita deste hino...

* Como enviada da Câmara Municipal de Porto Alegre, a coleguinha Caren Mello acompanhou os eventos de S. Borja.Tomava nota dos discursos feitos à beira do túmulo de Brizola...

* Ministro Carlos Lupi ao entrar no cemitério Jardim da Paz,ontem, parou na frente do túmulo que foi de Getúlio Vargas e quis saber que foto foi colocada no lugar onde estava a do ex-presidente Vargas agora que seu corpo veio pra a Praça XV de Novembro e sua foto no túmulo foi retirada. Ninguém sabia.
Alguém disse que era do filho Maneco....
Não é. Maneco foi enterrado em Porto Alegre.

Diario de S. Borja

*Christopher Goulart filho de João Vicente e neto de Jango, é candidato a deputado estadual pelo PDT no ano que vem. Mas não se sabe se emplaca. Não tem no partido os padrinhos que tem,por exemplo, Juliana Brizola,sua parente, que é bem articulada dentro do PDT e tem mandato de vereadora de Porto Alegre. O neto de Jango já tentou em 2.000 eleger-se vereador da capital mas não se elegeu. E Jango está muito mais esquecido do que Brizola. Maria Tereza Goulart, viúva do ex-presidente andou se queixando tempos atrás que o PDT só fala no Brizola e muito pouco no seu falecido marido. Christopher é um estudioso dos problemas do Cone Sul e está tentando entender como ocorriam os fatos políticos da época que seu avó morreu. Uma das suas bandeiras é provar que seu avó teria sido eliminado pelo Operação Condor.

* A inauguração do Museu Jango Goulart em 6 de agosto próximo vai dar uma lembrada em sua trajetóri a.

* Ontem,quando começou a chover junto ao túmulo de Brizola, no cemitério Jardim da Paz, a vereadora Juliana,neta do homenageado puxou pra cabeça um lenço.Assessores do prefeito Mariowane Weisd providenciaram um guarda-chuva. Só que assim que chegaram, parou de chover....

* Neuza Penalvo, filha do falecido Percy Penalvo, recebe bem quem vem de fora pra S. Borja. Foi ela que ajudou o escritor José Louzeiro nas pesquisas em S. Borja pra escrever o livro sobre o Anjo Negro.

* A farmácia onde Benjamin Torres foi morto no começo do século passado e que orbigou a fuga de Bejo Vargas para Santo Thomé foi derrubada pouco tempo atrás. Ficava no centro de S. Borja ,. Vê-se a pouca preocupação das autoridades com locais históricos. Pelo menos no cemitério, nos túmulos das autoridades,há uma placa mandada colocar pela prefeitura indicando quem está enterrado lá.

* Pompeo de Mattos, deputado federal, contou que tempos atr ás no programa Conversas Cruzadas, da TV Com, deu um pau num oponente. O oponente lhe disse: vocês do PDT são um partido que de cemitério....É que no dia seguinte Pompeo viajaria a S. Borja pra ir ao cemitério lembrar um ano da morte de Brizola.

Diario de S. Borja

* Depois do evento de sábado,dia 20/6, jovens do PDT foram festear em Santo Thomé. Motora os deixou lá e foi buscá-los as seis da matina.

*Casal de jovens que veio de Gravataí trouxeram junto filho de um ano e pouco pro evento da Juventude do PDST.

* Pilotos do jatinho do ministro Carlos Lupi foram almoçar ontem. Deixaram ministro esperando no aeroporto João Manoel e isto que deputado Vieira da Cunha abreviou o quanto pode evento no cemitério por causa da chuva. Mas jatinho levantou voo....Brincadeiras diziam que os " pilotos sumiram"....

5 anos da morte do Tio Briza

Eu estava, por acaso na rodoviária de Porto Alegre, na tarde em que o corpo de Brizola vindo do Rio, passou no caminhão de bombeiros, escoltado, em direção ao Piratini. Muita gente se juntou ali no vão da rodoviária pra ver o cortejo. Me lembro do deputado Vieria da Cunha,então presidente da Assembléia Legislativa do Estado, que regressara às pressas de Pequim( onde acompanhava o governador Germano Rigotto em visita oficial) fazer os acenos pra multidão, ele que estava num carro, logo atrás do esquife de Brizola. Alguém do povo gritava: olha o Vieirinha,olha o Vieirinha. E lembro de um popular, no celular,berrando: Mãe, tou vendo o Brizola, mãe tou aqui vendo o Brizola passar....

Não sei não, mas em cinco anos, muito da memória de Brizola se foi...

Abaixo o artigo do colega Kolecza sobre este período. É a opinião dele.

"O tesouro e o mandato que Brizola nos legou

Cinco anos depois, o legado ideológico de Leonel Brizola repousa nas camadas ainda lúcidas da entrevada memória brasileira à espera de um lampejo do instinto de sobrevivência. Não pode ser incontornável a perda da consciência de dignidade de um povo.

Contra todas as expectativas agourentas, aqui estamos, obrigados à reflexão impensável de como será o trabalhismo sem Brizola. Brizola não chegou lá, mas graças à sua clarividência e determinação somos os herdeiros do maior tesouro político do Brasil, a doutrina trabalhista. Só por isso, Brizola tem direito a figurar na galeria dos patronos de formação da consciência de cidadania. Depende de nós a preservação do acervo vivo de pensamentos e sentimentos que ainda fará o Brasil acontecer como nação de todos os brasileiros.

O trabalhismo de Getúlio, Pasqualini, Jango, Brizola, Darcy e milhões de anônimos, projetou o Brasil na modernidade, e ainda pode evitar que afunde na barbárie. Há, porém, um problema além de nossas possibilidades. O patrimônio de idéias de nossos pensadores e as realizações de nossos estadistas de nada vale contra a intenção das elites de consumarem o apartheid social.

A proibição secreta

Desde 64 o trabalhismo está proibido de subir a rampa, uma das tantas decisões secretas dos operadores da “máquina de distribuição de renda para cima” (1), o sistema multissecular de privilégios e injustiças causador de um dos mais perversos índices de exclusão social do mundo. Contra o trabalhismo movem-se sempre os fantoches dos responsáveis pela desintegração social, a perda do sentido de vida coletiva. Sabem, até mais que nós, do que é capaz o trabalhismo para salvar outro tesouro em perigo, nossa identidade de povo. Além de nós, alguém mais sabe contra quem foi o golpe? Contra mais ninguém.

As forças que arrastaram Getúlio ao suicídio e derrubaram Jango apaisanaram-se e prolificaram. Em vez de metralhadoras disparam teorias recauchutadas dos canudos de seus doutorados. Nas casamatas VIPs da sapiência, fabricaram um repelente spray antipovão – o populismo - , sofisticaram o servilismo e legitimaram a exclusão. Perfumaram com fragrâncias contrabandeadas os preconceitos mais perversos e as discriminações mais iníquas. Transplantaram para os salões da política o manual de bons modos da casa-grande como prêmio à subserviência. Aposentaram os limpa-botas e promoveram a gurus os office-boys dos barões da trambicagem financeira.

Solitário, de peito aberto como sempre, Brizola desnudou o choque de neocolonização que homologou a quebra da estratégia de desenvolvimento, o retrocesso dos avanços sociais, a leiloagem do interesse nacional e a revogação do bem comum. Carta Testamento em punho, amaldiçoou a promessa sinistra de FHC do fim da Era Vargas, o desmonte peça por peça do imenso cabedal trabalhista de ações e desenvolvimento e de solidarismo. Poucos perceberam, na trama lesa-pátria, a proscrição do trabalhismo como projeto – e único – de desenvolvimento com justiça social.

Estamos proibidos de influir nas decisões porque somos inconfiáveis aos artífices do sistema informal de castas em silenciosa implantação, que rebaixa a maioria à categoria de subcidadãos. Querem nos impedir de denunciar a fabricação de ignorância e intolerância, as matérias primas da desestabilização social. O trabalhismo funde a justa indignação diante das mazelas da desigualdade e a inabalável convicção de que um país com tantos recursos tem que dar certo. A discriminação que sofre é a extensão da que aprisiona o Brasil na dependência e empurra o brasileiro para a marginalidade.

A estética da segregação

Tentam nos ferir no que temos de mais forte, a autenticidade. Sim, somos o partido dos Agenor, dos João e José, dos Silva, das Maria, Margareth e Filomena, e nos orgulhamos de filiados, militantes e eleitores tão ilustres. Não somos “meio antigos”, viemos de longe. Benditos representantes dos milhões de deserdados que confiam em nós porque ouviram falar de Getúlio, Jango e Brizola. Não podemos trair essa confiança.

De que lado estão os que gratuitamente debocham dos trabalhistas e brizolistas em nome de um código estético segregacionista? Trocaram a ética pela estética? Ou não é tão gratuitamente assim que debocham? Saibam ou não, estão do lado dos 82 coronéis do Exército que derrubaram o ministro do Trabalho em 1954 sob a alegação de que a duplicação do salário mínimo esvaziaria os quartéis. Precisam dos Agenor e das Filomena para destilar racismo social assim como os coronéis, generais em 64, necessitavam de soldados desnutridos e analfabetos para dar ordens absurdas. Em tempo, o presidente que os generais derrubaram em 64 era o ministro do Trabalho em 54: João Goulart.

Temos que ser sinceros com os que pretendem juntar-se a nós. Devem saber de nossa condição de malsinados e das provações que os esperam. Há lugar para tudo e todos no jogo jogado lá em cima, menos para um partido nacionalista. Repararam como Cristovam Buarque foi ridicularizado nas entrevistas durante a campanha presidencial? Assistiram à reprise do deboche do “candidato de uma nota só” por parte de um apresentador global? Por que a alergia da grande mídia à educação como prioridade? A direita ditabranda não tem mais pudor de mostrar a cara no jornalismo. Quem sabe não é esse o nosso caminho da roça?

A deserção da classe média

A proscrição do trabalhismo coincide com o colapso induzido da identificação da classe média com os valores brasileiros, primeiro estágio da ruptura dos laços de solidariedade social. O medo torra os neurônios e envenena os hormônios da classe média. Temerosa da perda de status com a ascensão de novos contingentes, ela se conforma com a função de massa de manobra do terrorismo emocional da grande mídia. O casamento do conservadorismo da classe média com o reacionarismo das elites turbinou a estratégia dos Estados Unidos de dizimar os movimentos de emancipação do Terceiro Mundo com golpes militares.

De lá para cá, trancafiada em sua gaiola de latão dourado, presa aos fetiches primeiro-mundistas, cega e surda ao que acontece à sua volta, a classe média impermeabilizou-se ao diálogo. Desertou do Brasil. Não sente falta de debate público e renunciou ao livre pensamento. Esconde que acredita na eficácia da tortura e na terapia de grupo dos esquadrões de morte, desde que aplicadas exclusivamente nas vilas e favelas. Não por acaso a direita semeia e colhe a superssafra da discriminação dos pobres nos espaços interditados ao trabalhismo.

Não dá pé a gosma de preconceitos e discriminações em que bóia a classe média à procura de onde se agarrar. Cúmplice e também vítima da fabricação em massa de ignorância, mete a mão em qualquer arapuca política. Vibrou com o Homem da Vassoura, atirou-se nos braços do Caçador de Marajás, encantou-se com o charme “intelectual” de FHC, por um triz não votou na governadora do Estado campeão de analfabetismo. Sempre disponível a porra-louquices, leiloaria a Amazônia em troca de uma passagem a Disneylândia.

Nacionalismo? Coisa de museu. Interesse nacional? Desde que a Rede Globo diga qual. Espírito público? O que é? Integridade? Tem a ver com propriedade? Educação acima de tudo? Desde que não se gaste com escolas e professores. Bem comum? O meu. Quinze anos antes, a classe média estava pronta para a farra da privatização em troca de um celular. A classe média é o gato que ruge contra as propostas de integração entre o Brasil Legal e o Brasil Real.

O muro da intolerância

A desgraça de brasileiro desconfiar um do outro respinga do mal-estar da classe média com o Brasil a não ser com o luxo da empregada “de preferência que durma no emprego”. Secou o sentimento de pertencimento a um mesmo destino. Ela, que deveria dar o exemplo, para cima e para baixo, deixou de se reconhecer como elo de coesão social. Camufla o racismo na reação à cota e disfarça a aprovação a campanhas genocidas contra pobres, índios e adolescentes. Qualquer idéia maluca encontra espaço no travesseiro da classe média. Após a reeleição, a análise da vantagem eleitoral de Lula no Nordeste, uma formadora de opinião global deu o bote no ar: “Não está na hora de separar?” Foi um arroto do pensamento oculto enrustido nas leis secretas do apartheid.

Brizola trombou no muro de intolerância que substituiu as grades da truculência. Nele foi personalizada, a ferro e fogo, a mesma discriminação reservada a quem carrega na pele ou na origem social a tatuagem infame da rejeição. A determinação na luta pelas idéias republicanas de igualdade foi estigmatizada como radicalismo; a capacidade de priorizar o bem comum como demagogia; a lealdade à soberania nacional como xenofobia; o espírito público como caudilhismo; o estadista como estatista. A integridade inatacável nunca inspirou um gesto de reconhecimento de seus detratores.

Assim como Getúlio e Jango, foi vilipendiado por sua fidelidade ao ideal de justiça social, não por seus defeitos ou erros.

Os fios cruzados da história

Lembra de Brizola quem acredita no Brasil e vice-versa. Brasil e Brizola estão atados um ao outro pelos fios cruzados da história. Ao se tocar em um, o outro retesa. Era o xamã de um culto cívico que devolvia instantaneamente a alegria de viver num país maravilhoso e conviver com gente boa. Batizou-nos e crismou-nos na crença de que podíamos com nossos braços e nossa inteligência colocar o Brasil nos trilhos sem pedir benção ou licença de fora. Oficiava a fé sagrada sem a qual nenhum povo constrói o direito de assentar sua originalidade entre os demais.

Parecia um ser mitológico capaz de prodígios impossível e de provar que outros tantos estavam ao nosso alcance desde que confiássemos em nós mesmos.

Olho no olho, reacendia em volta o sentimento perdido de irmandade. A reação de quem chegava era de assuntar porque ninguém mais falava coisas tão simples e verdadeiras. Com o tempo e por conta própria descobríamos que a verdade é o bem público mais escamoteado do Brasil. A película de democracia encobre a injustiça de exclusão, inclusive do trabalhismo. Não havia diferença entre o que dizia e o que fazia. Atrasava um compromisso quando nos sentia em dúvida e seus olhos faiscavam ao formar a roda de pensação.

Nasceu com um defeito – não tinha medo. Dobrou os chefes militares na Legalidade mas naquele momento os donos do poder decidiram jamais sentar-se com ele para acertar um pacto social de inclusão. A fio de baioneta, tiveram duas décadas de prazo para ossificar o imaginário da exclusão. A pirâmide social rachou de alto a baixo e a pergunta dele bate forte na consciência: por que com tanta riqueza à vista o Brasil não dá certo?

O Mandato

Já lamentamos o suficiente que ele não tenha chegado aonde queríamos. Caímos na real, perdemos o grande mensageiro, não a mensagem. O trabalhismo precisa mergulhar no caos da perda do amor próprio de nossa gente, com humildade, para entender as causas do desânimo, da indiferença, do cinismo, da agressividade, do descaso com o que é de todos. Descascou o ovo da serpente. A degeneração da política, a corrupção desenfreada, a permissividade escancarada, o que tem a ver com a transgressão de todas as normas e a banalização da violência? Que laço se rompeu na relação de confiança de baixo para cima que dilacerou valores e referências? A deslealdade de cima para baixo esfrangalhou a lealdade de um com o outro, de todos com todos.

Até que ponto nos contamina a doença maligna que corrói a alma do brasileiro, que não será debelada com donativos sociais, ainda que imprescindíveis nas atuais circunstâncias?

Não dispomos mais, a qualquer hora, dos conselhos dele mas carregamos conosco, com a legitimidade que só dele emanava, o mandato que nos delegou:

“Nós temos a nossa responsabilidade com a história. Nosso partido é o único com determinação de assumir as grandes causas nacionais. Nenhum partido é tão nacionalista quanto o nosso. Queremos um país desenvolvido, autônomo, independente. Queremos libertar o povo brasileiro em matéria de oportunidade, de acesso a uma vida digna. O trabalhismo nasceu na Revolução de 30, de uma inspiração do presidente Getúlio Vargas, que foi evoluindo de acordo com o processo social, empenhado em garantir direitos à massa dos deserdados... Nós temos genética, somos uma grande sementeira de ideias em benefício do povo brasileiro. Temos que estar sempre onde está o povo. Existimos para dar voz aos que não tem voz. Nossa ancoragem é a área deserdada da população. Nosso guia é o interesse público e o bem comum. Há muito preconceito contra nós. Podem dizer e fazer o que quiserem contra nós, mas gente de vergonha na cara nunca fica quieta quando é questionada.... Graças a Deus somos um partido pequeno. O que adianta ser grande no tamanho e não fazer nada?”

Somos fracos em quantidade e fortes em qualidade. Aprendemos com ele a não ter vergonha de ser brasileiro nem medo de povo. Notaram que povo, pátria, nação, nacionalidade, nacionalismo, são palavras que sumiram dos jornais e dos discursos? Estamos em muito boa companhia na relação dos sentimentos refugados pela patrulha ideológica da estética da exclusão.

Era de “bom tom” negar escola aos filhos dos pobres até Brizola rebentar o cadeado da discriminação. Entraria na história, lépido e faceiro, de braços com a meninada, pelo portão de milhares de brizoletas e brizolões, se mais não fizesse. E fez muito no enfrentamento de oligarquias e oligopólios. E por isso era ainda mais perigoso. A história lhe abriria as portas pelo que disse na hora em que era de “bom gosto” calar. O “bom tom” de hoje, de democratizar a ignorância, vai perdurar até surgir outro visionário trabalhista. Qualquer programa de reeducação em massa, de emergência ou permanente, será inócuo sem o selo de qualidade do trabalhismo.

O veto das elites originou-se da obstinação de Brizola com a educação. Um sonho subversivo guiava Brizola, inspirado na saga do menino pobre que rondava escolas entre um biscate e outro. Intuiu que cabe aos filhos da pobreza a missão de civilizar as elites trogloditas.

A dissolução social

Até a derrapagem mundial, avançava a economia da importação de crescimento e exportação do lucro, e regredia a ética do Brasil Legal em relação ao Brasil Real. O PIB do poder não precisou desemperrar as fronteiras sociais, a não ser nos pontos de passagem da fila de emprego. Crescer para dentro é a receita trabalhista.

A reação à cota na universidade explicitou a cumplicidade da intelectualidade com a cronificação da desigualdade. Recomeçou a pressão por reformas para trás. A cargo da grande mídia – as cadeias de jornal, rádio e TV – a agenda do apartheid desdobra pontualmente as etapas de estranhamento e animosidade entre os do meio e os de baixo. Os do meio aprendem a se alhear da realidade, a suspeitar de pobres, a se desligar do ambiente subjetivo comum e a curtir um estilo de vida exótico.

Os de baixo são ensinados a se julgar inferiores, incapazes de assimilar os códigos de compreensão da realidade. Em retribuição à aceitação da sina sem-nada podem comparar dinheiro a longo prazo e juros estratosféricos nos bancos disfarçados de lojas de eletrodomésticos. Os de cima comemoram a separação dos brasileiros.

Dia a dia, a consciência social vai embotando, a capacidade de pensar encolhendo. “Fomos perdendo a condição de país lúcido” (2). A grande mídia cozinha o caldo do diabo em fogo colorido, à espera da hora de jogar a culpa da criminalidade nos pobres. Vem aí o mega-espetáculo da guerra civil social.

Brizola detectou a conivência da monstruosa engrenagem de desinformação com a dissolução social. Sacou a manha da estratégia de desconstrução da vontade pública e implantação em seu lugar da opinião pública prefabricada. Sua última grande investida contra a ditadura da palavra ainda será reconhecida como precursora da causa da democratização da informação. Investigou a interdição do espaço público ao debate e flagrou a intimidade dos barões da imprensa com a fina flor da pilantragem financeira. Em represália, foi catalogado como um fóssil vivo da política. O muro de lá caiu, a esquerda retrocedeu em pânico e em parte se vendeu. Só Brizola continuou forcejando contra os muros intocáveis daqui, ermitão solitário pregando no deserto os mandamentos da brasilidade.

Não faz muito, nós mesmos vacilamos diante do falso dilema socialismo X trabalhismo. Não prestamos atenção quando falou que o trabalhismo é o socialismo caboclo,moreno, mulato, mestiço. Escapamos da reforma ideológica meia sola.

Do reconhecimento dos direitos sociais à montagem da infraestrutura de desenvolvimento o Brasil chegou até aqui podendo ser ainda mais pelas mãos do trabalhismo. No balaio da memória social não há outra opção à exclusão.

Não podemos esquecer que a execração que penamos tem outro destinatário – o povo brasileiro – e isso deve nos orgulhar em vez de abater. Andamos desanimados mas não podemos baixar a cabeça. Nossa melhor homenagem a Brizola nesta hora é a reflexão sobre tudo que o trabalhismo deu ao Brasil e aos brasileiros e o muito que ainda oferece como sementeira das ideias de igualdade. Estamos proibidos de subir a rampa, não de ajudar o povo a se organizar.


(1) Definição do historiador Thomas Skidmore para o modelo político-econômico histórico do Brasil.
(2) Consequência – segundo Brizola – da contínua lavagem ideológica a que a população é submetida.

Carlos Alberto Kolecza"

Coleguinhas

* O DAY AFTER da não aprovação da obrigatoriedade do diploma pra jornalistas foi meio de "luto" no sindicato dos jornalistas-rs. Foi uma longa e extenuante luta que a entidade levou junto com a Fenaj....

* Diretor de Jornalismo da Assembléia Legislativa, Marcelo Nepomuneceno está tratando do assunto da sala J.C.Terlera, que com a colocação das tradutoras não foi feita uma parede separando o atendentimento dos jornalistas com os demais setores. É que não se pode falar alto, porque durante a tradução, o serviço das profissionais não pode ser interrompido, como é óbvio, já que elas traduzem para surdos mudos os dircusos dos deputados que são transmitidos ao vivo....

* Serpentário da rua Uruguai, dava, ontem uma versão de que um juiz do STF, que julgou a obrigatoriedade do diploma para jornalistas, teria citado Caco Barcellos, da TV Globo, como não sendo formado. Se isto foi dito, não é verdade... O Caco é formado pela Famecos. Não ia muito a aula, mas isto é outra coisa....Mas se formou,sim, se não me engando em l975....

* Sobre o Caco lembro-me de outro episódio: quando ele lançou o livro Rota 66, a história da polícia que mata , em 1992,Lasier Martins disse na rádio Gaúcha que Caco fora um menino de rua, que se criara na Febem. Ouviu o galo cantar, e não sabia onde...A família ameaçou tocar um processo no Lasier e ele então fez os reparos....

* Briga dentro do PDT agora é entre grupo Pó de Giz, da área da educação e o grupo ligada a ex-vereador Neusa Goulart.
E muita gente acha que Arthur Zanella estaria com o grupo de Neusa. Ele não está...

* O PDT é como família...são as brigas intestinas as que mais fedem...

* Loir Gonçalves,fotógrafo, me reclamou que não botei fotos dele que me mandou do balonismo de Torres. Não consegui abrir os arquivos, colega....

* Um coleguinha, frequentador do Irpapus, queixou-se dia destes da escassez,digamos,assim, de comes e bebes no evento do colega Previdi de segunda passada....Ainda bem comentou ele, que o livro foi dado de graça.

* Correção: ninguém não me pediu, mas eu a faço, dou o braço a torcer: a entrada das tradutoras dos discursos dos deputados pra TV Assembléia na salinha J.C.Terlera nãotirou a privacidade dos jornalsitas que a usam, e sim da atendente da salinha. É que na nota postada antes eu dizia que os jornalistas tinham perdido a privacidade.

* Condoído com seu ex-colega de Ultima Hora, o Carlos " Nenê" Bastos me adverte: sim o Sérgio Ros, foi sim ponta esquerda do Grêmio, mas dos juvenis. Ah, bão....

Outra correção do Bastos, que diz que estou sendo injusto com o Serginho: bão esta é de muito cunho pessoal, deixa pra lá porque acho que o Serginho não superou muito até hoje.... Também, ninguém gosta, né...

* O fotógrafo Loir Gonçalves, morador de Torres, desde que se aposentou, esteve pegando sua carteirinha no sindicato dos jornalistas. Estava acompanhado do seu colega " marimbondo", ou o Valdir Friolin, que tem 30 anos de ZH.

* O Valdir Friolin é dono de uma historinha que vou ti contá: um dia a secretária da redação Vânia Weber, " inventou" um sistema de rádio pra falar com os motoristas da redação pra poder passar itinerários pra eles apanharem colegas em outros locais. Coisas de logística. Só que o Friolin, como era norma da empresa, sentou na frente e no banco colocou aquela enorme sacola encima das pernas. Mas a sacola tocou no dispositivo que acionava o rádio e ele ligou. E ele a falar mal da Vânia e ela ouvindo tudo lá da redação, de sua sala, onde tinha a central funcionando....Velho Friola, um dos mais assíduos frequentadores do Porta Larga....

* De férias do O SUL, onde volta a escrever na próxima terça,dia 23/06, o colunista Wanderley Soares, seguiu ontem para Pelotas, pra acompanhar o comgresso da AJURIS...

* ARI realizou na terça,dia 16, reunião extraordinária da diretoria para atender solicitação de audiência de um associado...

Bolinho doce com decisão amarga....

Teve até bolinho doce( muito gostoso, por sinal, eu provei) pra ver na tevê - um puta telão - a reunião do STF que derrubou a obrigatoriedade do diploma de jornalista na última quarta....

O " JOHN LENNON" da Fabico!

O professor Ricardo Schneider da Silva é a cara do John Lennon. Passou a vida toda na academia e acho que ainda não se aposentou. Trabalhou na assessoria de imprensa da UFRGS, na rua Sarmento Leite e foi a vida toda professor da Fabico, inclusive meu...

Ricardo se caracterizava pela sua paciência. Uma vez o José Paulo Bisol, aluno seu, pediu a palavra e falou 40 ou 50 minutos. Deu a aula pelo Ricardo.
Filho de João Barbosa da Silva e de Helga Schneider da Silva, o professor Ricardo já morou na rua Landel de Moura,945. Nasceu em Porto Alegre em 01.03.1950.Na imprensa da UFRGS foi técnico em comunicação social.

Ricado froi ainda diretor da Fabico e muitos alunos de várias gerações passaram por ele.

PDT rachado sobre apoio a Governadora Yeda

O PDT está meio "rachidi" quanto a apoiar ou não o governo de Yeda Crusius. Vejam o que Clair Ribas postou na REDE PDT Nacional. Clair é ex-presidente do PDT de S.Borja, o berço do trabalhismo, como dizem.

Decisão Criticada "À Rede PDT - Nacional. Lamentável a Decisão de Nosso Diretório Estadual PDT/RS, até parece que esquecemos nosso ideais, por certo se Brizola fosse vivo, não iria deixar por menos. Mas a esperamos que a Dierção Nacional do PDT, tome as providências no sentido de posicionar nossos companheiros, de que compactuar com este Governo Iêda do PSDB, é ser no mínimo conivente, com as falcatruas que estão escancaradas. Parabéns aos Deputados Estaduais do PDT GAÚCHO, que não foram 'Frouchos' e que ainda defendem nossos ideais e de Leonel Brizola" * Clair S. Fialho Ribas, ex-presidente do PDT de São Borja-RS, 'Berço Nacional do Trabalhismo'

Rescaldo da passagem de Ciro Gomes

* Ieda Risco, da rádio ABC de NH, fez um boletim pra uma rádio de São Paulo.O que eles queriam em Sampa era o deputado federal dizendo que era candidato a presidente da república....Boletim da Ieda foi com sonora e tudo....Dá-lhe Ieda...

* Ciro Gomes, na coletiva da quarta-feira,16/06, na Federasul, cansou-se da insistência do colega Sérgio Bueno, do Valor Econômico, que só queria saber se ele era ou não candidato a governador de Sampa. " Você só pensa nisto" disse,de bom humor, o deputado mais votado do país...

* Ciro Gomes disse ainda que é dono de 11 milhões de votos que fez numa das vezes que foi candidato a presidente...

* Ciro também mostrou um dado estarrecedor: a metade sul do RS é a parte do país que mais empobreceu nos últimos 20 anos no país....

Di[ario de S'ao Borja...

Estou escrevendo da sala VIP da Ouro e Prata na rodov i[aria de Porto Alegre....
Sigo agora 22h30min pelo leito pra terra dos presidentes...(S. Borja).

[E o 5 ano da morte do Brizola e domingo vai ter fuzu"e...

Al[em do mais vai ter um encontro da juventyude do PDT,de todo o Estado. Segunda voc"es v'ao ter not[icias do que foi o evento...

Sala VIP da Ouro e Prata [e algo in[edito em transporte rodovi[ario, quando as pessoas geralmente ficam acantonadas nas rodovi[arias....

aqui,tem internet, banheiros, embora o funcion[ario na entrada, n'ao muito simp[atico venha logo advertindo?

- cuide de sua bagagem porque isto n'ao [e comigo....

Vai ver [e colorado e eu n'ao sabia....

Est[a despentelhado....

PDT promove 1o Encontro Estadual de Educadores

Com objetivo de aprofundar filosoficamente a concepção da escola de turno integral, a Bancada do PDT na Assembleia Legislativa, a Executiva Estadual do partido e o Movimento Educação-Já-RS promovem, no próximo dia 26, o 1o Encontro Estadual de Educadores do PDT.

O líder da bancada, deputado Adroaldo Loureiro, ressalta que o debate visa contribuir com a organização e o fortalecimento partidário, por meio de uma ampla reflexão sobre as práticas pedagógicas. ?A educação é nossa bandeira histórica. Precisamos estar em permanente atualização e discussão sobre as experiências que vem sendo desenvolvidas nos municípios?, destaca o deputado.

O 1o Encontro Estadual de Educadores começa às 9 horas, no auditório da sede do PDT-RS, em Porto Alegre, com a seguinte programação:

- 9h - Credenciamento
- 10h ? Concepção e fundamentos da Escola de Turno Integral (painelistas Laurinda de Miranda Barbosa, historiadora da Fundação Darcy Ribeiro/RJ; e Herb Carlini, secretário de educação de Santa Bárbara do Oeste/SP). Mediação de Jurema Garzella, especialista em Educação.
- 12h ? Almoço
- 13h ? Pocket show com cantor Pedro Guisso
- 14h ? Experiências que aproximam escola da comunidade (painelistas José Fortunati, vice-prefeito de Porto Alegre; e professor Ricardo Queiroz, diretor de Ensino de Taboão da Serra/SP). Mediação da educadora Alda Souza.
- 15h30 ? O educador na sociedade, seu papel e comprometimento (painelistas Rita Gattiboni, mestre em história; e Neiff Sant Alan, da UFPEL). Mediação do sociólogo Luz Moura.

Queremos os nomes....

Um frequentador do serpentário andou dizendo lá que foi entregue à imprensa da capítal, por um juiz( não sei o nome dele) a lista de apadrinhados de pessoas públicas e influentes - entre eles gente da Câmara Alta, de Brasília - cujos parentes ganharam bolsas de estudo na Ulbra....

BUQUIMEDI

Tá sendo realizado um pra saber como afinal de que formas morreu o frei Rovílo Costa.Uns dizem que a morte o encontrou enquanto alguém levava vinho lá - faz sentido porque o frei vendia também vinhos - outros dizem que morreu na cama. Duvido, porque Rovílio acordava cedo...A versão é de que teria falecido as 8h30minutos do sabado passado...

* Quando morreu o João Aveline, inventaram uma historinha da carrochinha. De que morreu na cama, com a revista VEJA do lado, não sei como.,...

Historinha: o velho foi achado caído no chão da sala, com o celular na mão, no mínino tentando pedir socorro....

* Lembro-me de uma figura pública do passado que morreu durante aquilo do bem bão numa garconiere, com uma mulher casada com um homem de muita projeção pública,como se diria antigamente.No centro de Porto Alegre. Os caras(médicos) chamados tiraram o corpo de lá e levaram pruma instituição públic a pra passar a versão de que morrera no serviço. Ora bolas...

O JORNALISMO BRASILEIRO VAI MELHORAR

A não obrigatoriedade do diploma de jornalista para o exercício profissional está decidida pelo Supremo Tribunal Federal. A polêmica de décadas poderá continuar, mas concluo que o jornalismo brasileiro vai melhorar. Novos tempos, novos rumos e novas tendências surgirão a partir de agora, com a participação de novas inteligências e pluralidade intelectual formada em áreas diversificadas do conhecimento humano. Tal diversificação, bem-vinda, poderá reoxigenar, dar maior consistência e credibilidade à nobre atividade profissional, pois o ofício do jornalista jamais morrerá. Há campo aberto e livre para que surjam e se identifiquem os verdadeiros jornalistas.

A legislação, os veículos, as universidades e nós jornalistas, somos os responsáveis pela discussão fermentada e pelo final estabelecido. As faculdades de jornalismo, dos meios de comunicação social, não conseguiram evoluir adequadamente para a competente formação de jornalistas profissionais ao longo desses anos. O ensino básico brasileiro, igualmente, contribuiu para isso, à medida que disponibilizou, às universidades, calouros com sérias deficiências de conhecimento da língua portuguesa, incapazes de construir uma frase correta, carentes de conhecimento das ciências humanas ou outras quaisquer, sem evolução crítica por não saberem noções históricas, filosóficas, sociológicas e outras mais. Foram despejados no mercado de trabalho levas de bacharéis sem competência intelectual, carentes de qualidades. Os veículos absorveram os melhores e a maioria ainda passou por peneiras de treinamento mais qualificado nos centros de formação montados pelas próprias empresas jornalísticas.

O jornalismo brasileiro, engessado pela obrigatoriedade de um diploma específico, perdeu e emagreceu. Teve seus altos e baixos, mas deixou de oferecer à sociedade e aos leitores, ouvintes e telespectadores, informação mais nobre, mais crítica, intelectual, fundamentada. Verdadeira. O ofício de jornalista profissional é nobre, tem dignidade, é indiscutível. Entretanto, cabe ao profissional ter grandeza, conquistar conhecimento até as últimas consequências, para competentemente poder e saber desencavar notícia e conteúdo qualificado para os que consomem informação. Deve-se ter aptidão para veicular informação. O universo editorial é cada vez maior e com diversidade inimaginável. Daí a necessidade de talentos, de jornalistas talentosos, o que o diploma não outorga. Na história do jornalismo, os profissionais expressivos e célebres não ostentaram ou ostentam o diploma de jornalista. Grande parte foi formada em outras áreas do conhecimento humano, não na faculdade de jornalismo. E o jornalismo brasileiro deixou de ganhar no descaminho. Salvou-se, diversificando sua área editorial e fazendo crescer os espaços para articulistas, colunistas e especialistas, com outras formações superiores, que ajudaram alguns veículos a qualificar a informação ou criar nichos no jornalismo especializado. Novas tecnologias impeliram as tendências e os leitores buscam segmentações.

Agora surgirão novos paradigmas. Os cursos de jornalismo não desaparecerão, mas deverão mudar e melhorar. Deixarão de ser genéricos. Os futuros jornalistas deverão se esforçar e investir mais na sua própria formação. Deverão deter conhecimento total e integral do que é informação e da complexa engrenagem empresarial jornalística. Não poderão ficar passíveis, confortáveis nas redações, redigindo notícias em português precário e manipulando informação desqualificada. Eles deverão ter atitude, honestidade, crítica, assumir novas posturas profissionais e alimentar seus questionamentos para que a sociedade ganhe com isso. Deverão estar atentos e dominar todas as novas tecnologias da informação. Está aberta a livre caça aos jornalistas talentosos para o bem de todos. Ganharemos, democraticamente. Digo isso como jornalista profissional há 40 anos, com diploma universitário e que já exerceu a cátedra em diversas faculdades de jornalismo no país.

Carlos Karnas
RG 4007214986 ? SSP-RS
Estrada Municipal Professora Olívia Alegri, 1875
Jardim das Palmeira
Bairro Caçapava Velha
12283-516 ? Caçapava ? SP
(12) 9128-9982

Coleguinhas

A dança das Cadeiras....

Exclusivo!

Claudio Thomas está saindo do DIARIO CATARINENSE(RBS) e assumindo o lugar de Alexandre BACH, comoe ditor chefe do DG(Diario Gaucho). Thomss era do Jornal Pioneiro,antes de ir pra Floripa....Grande Thomas....

Seminário

O evento da Famurs, dos 33 anos, no Galpão Criollo da Estância da Harmonia....

O evento ficou famoso devido ao acidente de trânsito protagonizado pelo prefeito Velho, de S. José dos Ausentes. Ele tentou subir a Gal. Portinho,quando ela só desce.O evento foi patrocinado pelo Arroz Amigo e por isto o prefa de Ausentes foi encontrado ainda de avental. Fato que ninguém sabia explicar de manhã nas rádios, principalmente o Ticiano Kessler da rádio Guaíba.

O acidente ocorreu lá pelas 11 da noite de segunda, dia 15,dia da festa. O prefa devia estar regressando a Ausentes,depois do festerê...

Não foi noticiado quem estava com ele no carro. Ficou ainda famoso este acidente por causa do fato do prefa Velho negar-se, oufugir do bafômetro....

Enfim, a festa ficou famosa por causa do envolvimento do acidente de prefeito, mais do que a festa em si....

Arraial no DC Shopping com música e folclore do norte ao sul do Brasil

O DC Shopping prepara para este domingo, dia 21, a partir das 14 horas, uma festa de São João com intensa programação cultural. A idéia é aproveitar o espaço a céu aberto do shopping, com apresentações e brincadeiras que fazem parte da cultura popular brasileira.

A atração principal fica por conta do grupo paulista Cia Cabelo de Maria, que apresenta com exclusividade o show São João do Carneirinho, com músicas que integram o CD, com mesmo nome, gravado no inicio deste ano. O repertório traz canções juninas, com base em pesquisas no folclore popular de diversas localidades do país. Ritmos como Coco, Xote, baião e marchinhas vão alegrar a garotada nesta tarde. Clássicos como “Farofa fa”, “Severina Xique Xique” e “São João do Carneirinho”, do rei do baião Luiz Gonzaga, prometem animar a festa que só vai parar quando o sanfoneiro cansar. Também sobe ao palco o músico gaúcho Zezinho Furquim que vai interpretar canções nativistas.

A diversão segue com direito a quadrilha, casamento na roça fogueira e muitas brincadeiras coordenadas por Raquel Grabauska, diretora do Grupo Cuidado que Mancha, que tem como sede o Casarão Verde, localizado na entrada principal do DC Shopping. Guloseimas e comidas típicas como pipoca, pinhão e quentão estarão nas bancas coordenadas pelos lojistas da praça de alimentação do DC.

O evento tem entrada franca e em caso de chuva será transferido para a Praça de Alimentação do shopping. Informações fone: 3374.1414.

O que: Arraial do DC Shopping
Quando: Domingo dia 21 de junho a partir das 14horas
Onde: Rua Frederico Mentz, 1561-Bairro Navegantes
Entrada Franca

A Cia Cabelo de Maria é formada por: Renata Mattar (voz, sanfona e direção geral), Lucilene Silva (voz), Gustavo Finkler (violão, viola caipira, arranjos e direção musical), Felipe Dias (violino), Roberto Guluga (baixo) e Pixú Flores (percussão).

Fones para contato: 11 9184 3104 Gustavo e 11 9182 5157 Renata ou gustavofinkler@uol.com.br.

Ciro lança Beto a governador!

Foto: Agência Edison Castêncio

Os repórteres que estiveram na Federasul,ontem,dia 17/06, só queriam saber de uma coisa: se Ciro seria mesmo candidato a governador de S.Paulo. Ciro,negou, é claro e aproveitou pra lançar Beto Albuquerque(PSB) - deputado federal - a governador gaúcho em 2010.

Sempre com seu estilo sem meias palavras, Ciro falou sobre vários temas da atualidade do Brasil.Disse que Dilma Roussef deverá chegar em setembro nas pesquisas aos 25 por cento, mas que subir depois é que são elas.

Ciro Gomes não criticou o presidente Lula. Informou,porém, que algumas pesquisas apontam que caso sua candidatura a presidência seja retirada, a grande maioria dos seus eleitores irão para José Serra, o candidato do PSDB.

Ciro Gomes admitiu que está conversando com personalidades da política sobre a possibilidade de ele se candidatar a go vernador em S.Paulo. Citou entre elas, Márcio França, do PSB, Aldo Rebelo, PCdoB, Paulo Pereira da Silva, PDT e Cândido Vacareza(PT).

Ciro muda de opinião!

Há um ano atrás, eu ouvi uma palestra do deputado federal Ciro Gomes(PSB) onde negava que seria candidato a presidência da República. Ontem, na Federasul, disse que é candidato,sim. Negou que o seja a governador de S.Paulo.

Opinião minha: será candidato a governador de S.Paulo!

Jogo Duro

O repórter Valmaro Paz esteve ontem cobrindo a comissão de Economia da Assembléia Legislativa pela própria e assistiu quando o lobista ,ou será sindicalista, Lélio Falcão, da chamada Força Verde,ligada a Força Sindical, peitou o deputado Paulo Azeredo(PDT) porque ele assinara a lista dos deputados que querem a comissão parlamentar de inquérito pra tratar da corrupção no Estado.Falcão ameaçava tirar o deputado Azeredo da comissão do Mercosul da própria Assembléia Legislativa que viajará a Montevideo.Em tempo: Valmaro trabalha na assessoria de imprensa da casa, como indicação do PT.

Coleguinhas

* Luta pela obrigatoriedade do diploma de jornalista pra trabalhar,que vem de longe, está deixando as entidades que lutam por ela EXAUSTAS...

* Salinha J.C. Terlera da Assembléia Legislativa perdeu a privacidade dos jornalistas. É que colocaram as tradutoras( nada contra elas) da tevê Assembléia e não colocaram uma parede pra separar o trabalho de um lado com o de outro.

* Muita pouca gente no almoço da Federasul com o presidencial Ciro Gomes. Não sócio pagava 65,00 e sócio 44,00.

* Coletiva de Ciro Gomes foi bem concorrida. Coletiva de presidenciável, embora seja clara a sensação de que ele não chegará lá....

* Ciro disse que num segundo turno, apoiará a candidata Dilma Roussef, do PT...

Estetética

O ex-vereador Arthur Zanella operou as pálpebras. Como diria o Mendelski, da Guaíba, vai ficar mais fashion....

Serpentário

O serpentário ontem,andava, meio Jururu...

Um Rímoli, frequentador, queria lembrar o nome de " um radialista que tinha um programa de musica na madrugada". Depois lembrou-se . Era Júlio Rosemberg....

Julinho Pacheco, da Rede Vida, depois de um longo silêncio, voltou a ligar....
Vou trazer-lhe um " mimo" da fronteira Oeste, de S. Borja...

Já teve um médico que me encomendou dois potes de um talquinho que ele usa pra botar nos pés....

Viagra...

Havia um coleguinha que depois do governo Olívio Dutra voltou pra S.Borja, onde tem terras,herdadas dos parentes...

Encontrei-o numa das vezes que fui pra lá e perguntei:
- O que tais fazendo aqui fulano...

- Comprando Viagra pro sicrano, que vive me pedindo, porque em Santo Thomé é muito barato...

Toing...

Ainda Ciro Gomes

O deputado federal do PSB, Ciro Gomes, exibia,ontem, a aliança que carrega pelo casamento com a atriz Patrícia Pillar. E informou que a aliança foi feita pelos índios ticunas, do Alto Solimões.

Prefa que se perdeu na cidade grande....

E esta do prefeito Velho, de S.José dos Ausentes, que saiu da festa(janta) da Famurs e se envolveu em acidente de trânsito. Isto acontece. Virou notícia em tudo o que era rádio ontem de manhã.

Famurs, jantares e mais jantares....

Sobre isto estou me lembrando que um primo meu reclamou que o novo prefeito de S. Correa, Ademir A. Presotto, está se ausentando até no jogo de cartas que toda sexta-feira comparecia no clube dos motoristas. Muito serviço, muito serviço

Coleguinhas

A Agência Edison Castêncio tem como objetivo informar a sociedade, principalmente a gaúcha, sobre as ações dos parlamentares do Sul no Congresso Nacional. No Senado Federal e na Câmara dos Deputados a Agência Edison Castêncio está presente acompanhando as ações dos deputados e senadores e divulgando-as no site: www.agenciaedisoncastencio.com.br

Contato: 8435-3651 (Edison)

Fotos: Agência Edison Castêncio

Irpapus ferve de maldades....

N ão é apenas o serpentário da Uruguai que se move de fel. O Irpapus - grupo de conhecidos que se reúnem para falar mal dos outros e uma vez ao mês jantar - também fervia,ontem,apesar da chuva. Um dos seus líderes, estranhamamente não estava. Era o " Paulinho quarta-feira" que por ser quarta-feria, não tinha comparecido ao local de encontros. Um outro dos integrantes, cujo sobrebnome lembra uma marca de tintas, estava no pedaço mas uma companhia passou lá e o levou consigo....

Ah, sim, ontem o " SABETUDO" não foi. O que terá havido?

Algum encontro secreto com alguma fonte...

Já " Nelson CRT" se deliciava com as maldades principalmente quando elas incriminam um colega conhecido como " vacaria".

A trajetória de Mário Sada!!!


Mario Sada voltando de Paris em 1948 com a esposa Georgete

Pesquisando sobre a casa 1001 Noites,descobri que o fundador, Mário Salomão Sada, um comerciante libanês, nascido naquele país, ainda vive, apesar de já estar na casa dos 95 anos.


Mario Sada a esposa Georgete e as irmãs Isabel e Daicy ano 2000

E estes dias me recebeu na sua casa, de manhã, pra lermos em conjunto um texto que es crrevi sobre a casa 1001 noites, que funcionou na zona sul de Porto alegre, no sidos anos de 40,50 e 60.


Mario Sada e a comenda Dom Pedro I

Publico aqui algumas fotos que mostram sua longa trajetória. Ele é um dos sócios da Antiga Casa X, ali na Mal. Floriano, onde,quando ele começou, era uma alfaiataria.


A construção da 1001 noites em 30/06/1948

Quando sair meu livro sobre a noite de Porto Alegre, o público terá oportunidades de saber mais detalhes sobre a casa 1001 Noites, da qual Mário Sada foi um dos donos, de 1948 a l952.


Mario Sada o irmão Antonio e o sobrinho Emílio Lemes

Coleguinhas

* Wanderley Soares, de férias da Coluna de O SUL, curtia,ontem após o meio dia, um trago com amigos no TUIM, na rua da Ladeira.

* Armando BURD, no jornal da Band AM,ontem,dia 16/06, usou o termo " uma paranga"...sabe tudo, o Armando,hein, quem diria....

* Entre os coleguinhas mais aintigos, havia o Juca Paranga, ou nome completo de batismo, Juarez Haase.

* Rogério Böllcke, plantonista de esportes da Guaíba, está morando numa cobertura da rua Itaqui. Foi o que bastou pro Mendelski, no Bom Dia, pegar no seu pé.,...

*O Jornal Gente, da BAND AM,outrora um bom programa jornalístico, está emtupido de propaganda....Isto não é apenas um comentário meu, é de outros colegas que também observam a cena local do rádio...
* Eles não m publicamente, mas integrantes deste jornal - Jornal Gente - na Band AM, gostam mais quando está o interino...é que o titular "SABETUDO"...

*Um dos apresentadores do programa Hora Israelita, apresentado nos domingos de manhã, entre 8h e 8h30minutos, na Band AM, de nome Fábio, trabalha na assessoria de imprensa da secretária de Cultura doEstado, Mônica leal. O correspondente deste
Hora Israelita, apresentado nos domingos, na BAND AM, tivera uma construtora em Porto Alegre e como ela faliu, mudou-se pra Tel Aviv.Lá cicceronea va os portoalegrenses que iam fazer turismo. De uma feita foi pra lá o dono de cartório Flávio Pinto Soares e Arthur Zanella. Ele os levou pra uma zona de guerra e lá no meio dos tanques, com balas dos palestinos comendo solta, Flávio Pinto Soares, que era um grande gozador da vida,sentenciou:
- Meu cartório lá em Porto Alegre sozionho e eu aqui no meio destas balas todas.

Pingódromo!!!!!!!!!!

Pinga a vontade em dias de chuva(óbvio) no Mercado Público Central. Os garçons do Gambrinus não sabem mais o que dizer aos clientes em dias de chuva. Acho que vão ter que colocar uma lona pra colocar os comensais embaixo...que reforma do mercado foi esta???

São Borja

Como estou de mochila pronta pra ir pra fronteira - se Deus quiser e ele há de querer, como lembrava sempre o finado Jorge Alberto Beck Mendes Ribeiro - aí vai um poema do Apparício Silva Rillo, de S. Borja, que é propriamente pra onde este vivente embarca no leito da Ouro e Prata na noite do próximo dia 18.

Museu de Estância

( Apparício Silva Rillo)

Repositório dos trates

da gaúcha procedência

é um pedaço da Querêncai

que a si própria se retrata.

Galpão cheirando a fumaça,
carne gorda e picumã

fortim campeiro do clã

que construiu este Estado

renascido do passado

para os olhos do amanhã.


Parou no tempo a carreta

e há quem nem se lembre dela,

como também das gamelas,

da cambona e do pilão.

Os dentes da evolução< br />lhes vai roendo a memória

e hoje são nomes na história

do pago em transformação.


Há muita gente de hoje

que não conhece um bordizo

nunca viu o lombo liso
de um palmo de sovador;

desconhece o marcador,

maneia e descornadeira,
e o cheiro bom da madeira

serrada a distorciador.......


Quem não sabe de onde veio

perde seu próprio caminho.

Ninguém se orienta sozinho.

Sem mão que ampare e aponte.

Só assim, nesse reponte

que vem de trás para diante,

o coração vai avante

na direção do horizonte.

Não há ninguém que se plante

sem que beba água da fonte...

Eassim se conta a história

de um sonho que floresceu,

nosso e vosso, meu e seu,

pois não o fizemos sós.

Nele, herança dos avós, nele, o apoio dos amigos,

e um sabor de pães de trigo na alma de todos nós.

A vida como ela é....

Os fatos aqui narrados são ficção. Não possuem nenhum fundameento com a realidade. Qualquer coincidência com fatos reais é mera casualidade.

O " Pura Pose"!!!!

De pose, ele entendia. Ou como diz aquela socióloga, que há anos se sustenta na bolsa-família da filha, isto quer dizer, da pensão que a filha recebe do paí, ele não tinha merda no cu pra cagar. E não tinha mais,mesmo....

Mas a pose era algo que vou ti....

Nas férias de verão andou por praias de Santa Catarina. Com uma namorada. Em lá chegando, ela achou que tudo seria por conta dele, ou que pelos menos dividiriam as despsas.O máximo que dividiram foi a cama.

Que nada. o pura pose, andava numa merda federal....

Tempos depois, andando por aí, num pedágio, descobriram que o carro que dirigia já estava com as prestações atrasadas v ários meses e estava sendo procurado pra ser recuperado...O carro ficou ali no pedágio.

E um familiar o ficou esperando numa praia pra festa de niver....

Lembrei-me ao lembrar destes fatos de outro "pura pose"
que andou festeando naavenida Farrapos, largou uns cheques naquelas casas e quando viram os cheques voavam,voavam,voavam.Era tudo voador...

Um dia este outro "pura-pose"- ou seria o pura-pose II ? - acordou

e foi saindo de casa.Três " postes " o aguardavam na saída do prédio.
- O sr. é o fulano?
- Sou!
- Tens uns heques aqui pra acertar
- Ah,tentou alegar, fica pra depois.
- Não. É agora mesmo....
Ele tentou desvencilhar-se, mas os "postes" o fizeram entender que não estavam ali brincando.
E ele arrumou a grana, com amigos, pra pagar o que tinha gasto com as putas, só que os chqeues que passou não tinham fundos....
Este pura-pose II deixou um colega pagando a prestaç? ?o de um empréstimo porque junto a uma instituição financeira que já não existe. O avalista paga até hoje....

Praia deserta no inverno!

O Lauro Dickmann se mandou nof eriadão pra Torres e lhe deu uma pauta, que ele fez que nem o Delmar Marques quando ganhou o Prêmio Esso na ZH nos anos 70: viu que minha pauta era uma merda e a desdobrou. O Delmar, falecido, no caso disse pro Aveline: esta pauta( êxodo rural) - por acaso era pauta do Políbio Braga - é uma merda mas eu deu um desdobre nela....

Pois o Lauro deu um desdobre na minha pauta - que era contar aqui pros leitores como é o local mais quente do RS durante o inverno. Se alguém observa com atenção, como eu faço, quando há massa polar, Torres sempre tem a maior temperatura do Estado. Então, além de ser a mais bela praia do Rio Grande, é também o local mais quente do Estado durante as friagens que nos tormentam nos invernos gelados do Sul.

O lauro deu um desdobre na minha pauta e mandou isto que está aí. Bom proveito, leitores. O editor

----- Original Message -----
From: "gdld" gdld@uol.com.br
To: deolhoseouvidos1@terra.com.br
Cc:
Sent: Sex 12/06/09 19:38
Subject: Fwd: o tempo na praia e o tempo da praia

olides,

respondendo a teu e-mail: não, por aqui o tempo esta bem firme. nublado, mas não chove. muito frio.

em anexo seguem fotos. mas, como a praia está fraquinha para fotos, mando fotos diferentes. são do braço-morto do passo de torres, que 'nasceu' quando o andreazza resolveu fixar a barra do rio mampituba, rio que faz a divisa do rs com sc.

o rio mampituba, nesta parte, é cheio de curvas. bem aqui no passo de torres, quase na praia, ele virava para o norte ia desaguar no que hoje de chama 'barra velha'.

a barra do mampituba, tanto quanto a do tramandaí, eram barras de difícil acesso em decorrência do assoreamento natural (o mesmo acontecia na barra de rio grande, que foi retificada no início dos século passado, com a construção dos molhes que estão lá até hoje).

no caso do mampituba ocorreu uma curiosidade: a turma do andreazza resolveu abrir um caminho direto para o mar, desprezando a volta que o rio fazia para o norte. assim, o trecho que ia para a barra velha transformou-se no braço-morto, que continua ligado ao rio, sim, através de um sistema de escoamento sob uma passagem de carros e pedestres.

outra curiosidade é que, com o 'corte' que o andreazza deu no rio, uma parte do rio grande do sul acabou virando santa catarina. essa parte, que é chamada pelos locais de 'pasargada', fica entre o braço-morto e o mar.

'por lei', a divisa entre os estados e o rio. quando rio muda de lugar, a fronteira também muda. foi o que aconteceu.

outro detalhe: como sempre no brasil, as obras são feitas pela metade. apesar do andreazza ter sido famoso pelo seu dinamismo empreendedor (as obras dele eram bem mais ágeis que as do pac da dilma), as barras dos molhes que fixam tanto as barras do mampituba quanto do tramandaí ficaram pela metade.

no caso do passo, isso causa sérios problemas para o acesso dos barcos de pescadores quando o tempo está ruim. nos primeiros anos aconteceram vários naufrários é até morreu gente (a veadagem politicamente-correta escreveria 'houve vítimas fatais'), mas os pescadores dos barcos logo se tornaram prudentes e evitam aventuras quando o tempo está ruim. mesmo assim, volta e meia acontece um ou outro problema, pois o mar é mesmo traiçoeiro.

há planos da prefeitura aqui do passo e de torres para complementarem a obra que ficou pela metade, num projeto que tem alguns penduricalhos para favorecer o lazer e o turismo (vem muita gente pescar aqui nas margens do rio).

pelo memos esta obra das prefeituras não deve enfrentar tantos problemas quando as da ponte que liga torres ao passo há dois anos, pois as duas prefas estão tocando os projetos em conjunto.

também dá para notar que, apesar 'da crise', os negócios andam bons por aqui. constata-se isso pela quantidade de obras de prédios novos ou reformas que estão sendo tocados. tempos atrás o panorama era desolador: tudo parado, os prédios se deteriorando, os terrenos abandonados. mas a situação já mudou. só aqui perto de onde temos casa, desde a última vez que viemos (em maio) já surgiram três novas obras.

bom, por enquanto é isso.
abraço

lauro dieckmann

Coleguinhas

* Jornais fechando(GM) e outros minguando: JB,Estadão,.Folhão,( já tiveram um milhão de tiragem e estão com 300 mil) são assuntos que preocupam a categoria dos jornalistas.

* O serpentário regurgitava de maldade,ontem,dia 15/06. E diziam que um dos integrantes de uma das mesas onde a maldade é maior, tinha ido a Sampa participar da passeata Gay. cruiz credo,quanta maldade....

* Wanderley Soares, colunista de O SUl, completou 70 anos,ontem. E escreveu uma coluna sobre si próprio no jornal, no domingo, antes de tirar uma semana de férias...

*Flávio A. Gomes sempre dizia na rádio Guaíba que o texto de Wanderley é o melhor de Porto. Eu acho o do Lauro Schirmer, mas gostos são gostos.

*Nelson Moura não compra livros dos colegas nem que coloquem uma foto sua....nesta eu marchei,ou como disse uma vez aquele papacoquetel pro Ayres Cerutti, depois de ir num festerê e dar com os burros na água: " agente entra em cada fria".

Morreu o frei das letras e da pesquisa....


FREI ROVILIO COSTA FALECIDO NO SÁBADO PASSADO, SENTADO ÚLTIMO À DIREITA EM 06/02/2006 NA PIZZARIA SPINA

Frei Rovílio Costa foi enterrado no domingo de manhã,depois de uma missa realizada por vários padres. O colega Nelson Moura foi na missa e disse que e o ato foi de muita solenidade, com vários padres encomendando o nome do frei Rovílio...
É que tava sendo enterrado,ali, um frei graúdo, de nome que chegou a ser patrono da feira do Livro de Porto Alegre....

Pouco conheci o frei Rovílio, se o vi duas ou três vezes foi muito...Sempre foi na EST da editora,onde levava meus livros para editoriar.Falo lá mais com o Antônio Suliani.

O frei Rovílio aceitou escrever a orelha do meu livro Família Spina que foi editado em 2006.Numa quente noite de fevereiro, foi convidado pelo Rocco Spina pra ir lá comer uma massinha. O Rovílio apareceu, fez o que tinha que fazer e depois retirou-se.Ainda lembro que insistiram em levá-lo pra casa, mas ele quis pegar um táxi...

Alguém disse que,livre, o frei iria dar umas voltinhas na noite....

Quando foi patrono da Feira do Livro de Porto Alegre,em 2005 deu uma declaração no começo do evento que pegou mal....Não estou bem recordado do que ele disse, se foi um tumulto com uma repórter, ou o que...só sei que dias depois eu andava por lá e uma colega, bem mais jovem do que eu, comentou:
- Este frei, não sei não....

Mas Rovílio se desculpou pelo que dissera,talvez num momento de irritação.

Rovílio dedicou-se nos últimos anos a pesquisar sobre negros. Ele fez o levantamento sobre a escravidão da capital. Não lembro se isto foi ou não publicado...

Casamento!(social)

Quando os sobrinhos casam ( no caso, o Fernando Canton) e os netos começam a nascer é sinal de que envelhecemos.

Serpentário...

O fotógrafo Leo Guerreiro, que tem um colunista social de Portinho muito fã do seu trabalho, ficou insistindo além da conta,ontem, no serpentário querendo saber se o Correinho foi ou não vendido. Já vi que um participante daquela mesa fofoqueira lê o blog e no dia aprazado da leitura vai lá e repete como papagaio tudo o que leu aqui....como se fosse informação dele....

Serpentário ( I )

* O costume de ouvir em rádio,tevê e jornal e depois repetir pros outros é tão véio que eu já pergunto: onde ouviistes isto?

Isto me faz lembrar um dia em que um engenheiro do DAER foi no programa do Alcaraz Gomes na Guaíba. O engenheiro, dizendo uma sumidade, dizia que tinha a solução pras estradas gaúchas. Evidente, que não disse qual. Guardo a carta na manga. Outro participante da discussão era o Juca Paiva,então diretor-geral do DAER.
O engenheiro sabichão falou,falou, dispendou toda sua sabedoria...E o Flávio louco pruma intriga, perguntou no final:
- E aí dr. Paiva, o que o sr. acha...
- Flávio, eu acho que esta solução nós já temos. É o pedágio....

O Azarino

Pois na sexta-feira, passada,dia 12/06, lá pelas oito da noite, meu telefone tocou. O fixo. Não tenho celular.Pensie comigo: vai ver que é alguma amiga me convidando pra tomar uma cerveja. Afinal, uma boa noite pra isto....

Não, não era...

Era o Jovem hebreu ( Jorge Augusto, o livreiro) que queria discutir o futuro do jornalismo:oimpresso ou de computador.

Va-lhe Deus...como tou mal na foto....

A vida como ela é....

Perdeu a noiva por causa da reportagem

Um " mala" que me liga todos os domingos desde Brasília, onde vive há muitos anos me ligou ontem encomendando um monte de livros do Grêmio. Depois ele veio com mais uma das suas estórias. Desta vez foi quando ele perdeu uma noiva. Ele trabalhava como fotógrafo na Ultima |Hora foi pro Rio pra acompanhar dois jogos do Grêmio contra o Fluminense( a coincidência é que domingo o Grêmio também tinha jogado contra o time carioca, o pó-de-arroz,).
Como eu ia dizendo,o " mala-mor" brasiliense,me contou que depois de 15 dias fora de Porto, no Rio, ele chegou num sábado de noite a Porto Alegre. Subiu pro andar da UH, encontrou o chefão de lá, Nei Reunert que o mandou ali mesmo pra B.Aires. Ele ainda alegou que tava sem roupa limpa, estava chegando de viagem.

Tinha havido um rebu, estourado mais uma revolução daquelas da argentina e ele foi pra lá.

Quando voltou a noiva " cinco minutos com..." já tinha dado um baita de um fora no sujeito. Já tinha arrumado outro, um colega de teatro que por sinal se constituiu numa relação duradoura....

Adivinhem quem são estes personagens??

Ele não quer que eu dê os nomes....
Tem medo do marido atual da mulher....

A caminho do filme, na manhã ciznenta e umida de Porto, havia o pastel do MUKIFU´S

Sim senhores, tem um pequeno boteco, ali na esquina da Espirito Santo com aquela rua que vai na Cientec, acho que é a Washington Luiz, que tem este original apelido. na manhã umida e cinzenta de Porto Alegre, do sábado passado, estava me deslocando para a Câmara Municipal de Porto, pra ver o filme Jango, uma promoção da Umespa( meia dúzia de piralhos, mas todos com muita fé no Brasil, e a presidente é uma guria batalhadora) quando vi que o Mukifu´s estava aberto. Parei pra comer dois pastéis dele: perguntei pra atendente:
- Este pastel é de hoje?

- Claro, mentiu ela, o patrão ficou brabo se a gente não vende tudo num dia...,.

Fiz que acreditei e engoli os pastéis com um café ....1,25 centavos o pastel, até que não é caro. O segundo já tava meio azedo, ou era a fome que tinh a passado...

Na Câmara,. quando cheguei, nem a portaria sabia do filme.Mas depois chegou a guria que se paresentou :
- Eu sou a presidente da Umespa, que é a entidade de jovens que estão promovendo o circuito de cinema na Camara Municipal.

Chegaram uns 20 piralhos e juro que acho que ninguém ali sabia quem tinha sido o Jango. Não fiquei pros debates finais, mas levei fé nestes guris que saem de casa num sábado horrível destes pra ver um filme sobre o Jango....

Ah, tri simpático.
Na saída,depois do filme, ele deixaram bolachinhas com café preto e chá pra todos se servirem à vontade.
Voltaremos, como diz o cozinheiro aquele que aprendeu tudo nas receitas da mãe, dona Circe Gomes....

Frei Rovílio....

A morte do Frei Rovílio Costa não me surpreendeu. Sabia há tempos que ele andava adoentado, só não tive notícias de sua gravidade. Sabia ainda que ele iria pros USA, uma coisa assim...

Mas que vinha desativando sua editora, a EST, isto eu sabia,tanto que o Antônio Suliani, seu parceiro de editoração, criou sua própria editora, a Vida, se não me engano....

Com seu desaparecimento, termina ainda uma confusão que sempre se criava com o advogado serafinense, Rovílio de Costa. Dava muito confusão0, porque os nomes são os mesmos...Uma era de Veranópolis, o outro de La ÙNDEZE

Coleguinhas

* A rádio Guaíba não irá transmitir a copa das confederações, que será disputada na África do Sul que começa hoje,segunda-feira, dia 15/06.

* Nas matérias selecionadas pro livro dos 45 anos de ZH, não entrou a matéria de 1971, um puta furo nacional, que o J.B.Aveline deu quando os astronautas russos morreram durante a famosa corrida do espaço, dentro de uma sonda astronautica. Na verdade, quem descobriu que os astronauticas tinham morrido foi o contínuo TEIXEIRINHA que lá pelas duas da manhã, viu que no aparelho do telex um Churrio de notícias entrava rompendo o silêncio da redação na madrugada. Eram as redações das agências internacionais se mexendo e mandando pro mundo a novidade. . J.Aveline, um apaixonado do jornalismo,parou as máquinas na que já rodavam o jornal daquele dia Deu a manchete com o próprio telex. ZH foi o único jornal daquele dia que circulou com aquela manchete, e um outro jornal, do Rio, o Globo, deu também uma pequena nota dentro. Pois este feito não consta no livro dos 45 anos de ZH!

* Estava meio chocho, ou jururu o "clima" no barzinho da ARI neste último sábado. Não digo hostil, meio brocha, sabe como é que é....

* Há muitos dias um computador, dos quatro que estão à disposição dos usuários, na sala J.C. Terlera,na Assembkléia Legislativa do Estado, está estragado....E os usuários estão cumprindo à risca o tempo determinado que está sendo disponibilizado....
* Júlio Ribeiro, da revista Press, está embarcando pra Cannes, pro festival da propganda.

*Márcio Bueno, que faz o Jornal Versão, teve que adiar seus 15 dias de férias por causa da suspensão da votação pelo STF da obrigatoriedade do diploma pra jornalista.

* Sobre este assunto, é muito fácil: eu tenho diploma, não tem problema nenhum. Mas a maioria dos melhores jornalsitas que conheci, nunca tinham entrado numa faculdade de jornalismo...
jornalismo não se aprende em bancos de faculdade...se aprende fazendo.

Coleguinhas

A repórter que perguntava muito....

Lilian Bem David, já falecida,foi uma repórter que perguntava muito. Também foi uma das colegas que ajudou a organizar a Já Editores,quando esta ficava na rua Francisco Ferrer e publciava vários jornais de bairro.

Ela nasceu em Porto Alegre em 08.12.1955 filha de Elias Bem David e Karin Fritz Bem David. Residiu na rua Hilário Ribeiro 121/302.

Trabalhou na TV Guaíba e foi assessora de imprensa da Federasul,quando Mauro Knijnik foi presidente da entidade.

Uma vez quando ela era repórter da também já falecida Gazeta Mercantil fomos juntos para uma visita a Refinaria Ipiranga em Rio Grande e oq ue ela perguntou pro diretor não foi mole...Quase matou o cara no cansaço...O diretor não podia mais...

Morreu de um câncer,anos atrás. Na Já EDitores, uma vez a vi reclamando: " eu quero meus dividentos" dizia a Lilian....

A " nervosa" tarde da quarta,passada,dia 10/6

No sindicato dos jornalistas, pra quarta passada, até uma telonha foi instalada na sala da direção pra assistir o julgamento no STF,em Brasília, da obrigatoriedade de diploma de jornalista. Um malicioso coleguinha já disse que a telona é um avant-premiere doque será a copa do mundo! Ela vai ficar lá e enquanto a copa não vem, principalmente o diretor Jorge Correa, vai usufrui-la pra ver seu colorado...

Mas como ia dizendo, já no meio da tarde, os diretores se concentraram pra ver o julgamento. o presidente Zé Nunes não estava, pois estava na capital federal, como se dizia antigamente. Belacap, não, porque Bela cap se dizia pro Rio de Janeiro,quando era lá que tudo funcionava, isto é,quando não se ia a praia...

Anoitecia e veio a decepão:mais uma vez o STF preferia um tema muito mais midiático, no caso o menino cujo pai é no rteamericano, do que decidir se jornalista tem ou não que fazer faculdade. Santo Deus!

E no final do expediente, todos juntinhos,concentrados, pra foto que irá sair no Versão, mostrando que todos comportadinhos ficaram atentos a tarde toda de quarta, esperando o julgamento no STF.
Até o redator do Versão foi convocado pra encher a sala da diretoria...
Ele protestou:
- Os outros tem que ir também. O Olides também tem que ir....

Eu já me preparava pra sair porque o colega Lauro Dickmann queria conversar comigo pois que estamos fazendo um trabalho a "quatro mãos" como se dizia antigamente....

Mas no final,depois da foto, tinha-se que decidir a manchete que seria postada: Jorge Correa e Neusa Nunes, mais do que rápidos, disseram quase que ao mesmo tempo: O IMPASSE CONTINUA...

Continua até quando cara-pálida?

" Prefiro o cheiro do cavalo que do povo" declarou-se Figueiredo!

Morreu dias atrás o jornalista Getúlio Bittencourt que se notabilizou em 1978,pouco antes de João Batista Figueiredo assumir a presidência da República. Figueiredo deu uma entrevista bombástica,para Getúlio Bittencourt que foi publicada no jornal Gazeta Mercantil - coincidentemente fechado dias atrás, praticamente junto da morte do colega - onde,entre outros disparates, o general-presidente usou de sua sinceridade e disse que prefeira o cheiro das estrebarias dos cavalos do que do povo...

Só que o notável nisto tudo foi que Getúlio Bittencourt arrancou a entrevista de Figueiredo depois de muito negociar e o que é mais notável ainda, não escreveu uma virgula, durante a conversa, anotou tudo na memória depois foi pra lauda e desovou tudo, dando mais de uma página de matéira com a qual ganhou o prestigioso Prêmio ESSO de Jornalismo daquele ano...
Mas havia um outro colega nesta façanha que no momento não lembro o nome...
Getúlio Bittencourt depois também passou a ficar conhecido porque fazia o mapa astral de suas fontes. Não sei se usava isto como vantagem antes de fazer suas entrevistas, mas dizem que ele tinha um banco de mais de mais de 14 mil mapas astrais.

Bittencourt, que morreu aos 57 anos, era mineiro,de Uberaba, e trabalhou em veículos de grande prestígio como Veja, FSPaulo, Gazeta Mercantil.ambém prestou serviços ao ex-presidente da República José Sarney.

O amor é lindo

A vida como ela é....

Os fatos são verídicos e os nomes são verdadeiros.

Ontem,feriado, dia 11/06, o meu octogenário amigo José Nelson Gonzalez, de 83 anos, aproveitou o feriado - embora pra ele todos os dias sejam feriado - pra levar a companheira passear no camelódromo de Porto Alegre( atenção senhores dias atrás o empresário Helinho Wolfrid, aquele que foi sócio do deputado José Antônio Daudt no Ressaca) me disse que foi dele a idéia do camelodromo de Porto Alegre e que ninguém até agora tinha divulgado. Não sei se estou dando um furo, mas pode ser....

Pois como ia dizendo o Nelson Gonzalez levou a namorada, mais jovem que ele, pra passear no camelodromo. " Tomamos cafezinho no camelodromo. E comprei um par de luvas pra minha sogra. Paguei só cinco pila". Sim,senhores, o Nelson não está blefando. Ele tem sogra viva, completou 100 anos no ano passado, tá velhinha coitadinha, mas resiste ao tempo. Sua memória já é parca....
Aqui do meu lado, a jair raraca.... da Ieda Risco, quando ouviu esta história,soltou seu veneno:

- Cuidado, que ela vai enterrar ele....

É pode ser!

Dia dos Namorados

Mais um dia dos namorados, o dia 13/06, também dia de Santo Antônio - o falecido Wellington Landerdhal passava este dia na Igreja Santo Antônio, ao lado de sua casa, porque neste dia o frei Irineu Costela distribuía pãezinhos de graça - mas do que me lembro mesmo é de uma historinha que o José Carlos Torves sempre contava lá no sindicato dos jornalistas. Diz o Torves que de uma feita ele e o colega Leo Nunes, estavam na Famecos, na PUC num 13 de junho. Ficaram até tarde da noite discutindo matérias e depois tinham que conversar mais um assunto. Mas o Torves adiantou-se rápido:

- Leo, por favor, hoje não vamos a nenhum bar. Hoje é o dia dos Namorados. Senão se alguém nos deda, o que vamos dizer em casa?

Coleguinhas

* Grande agito no sindicato dos jornalistas na quarta,dia 10/06 pro julgamento no STF.Mas movimento começou mesmo após meio dia que foi quando o tribunal se preparava pra julgar.

" Bicudo" ( Elmar Bones da Costa) estaria botando o pijame?

A editora Já lançou neste ano apenas um título.E se prepara pra lançar um novo livro do Kenny Braga sobre o Inter, haja visto que este ano é seu centenário.

Na terça-feira,dia 9/06, vi o nervosismo em que o editor Elmar Bones da Costa se encontra: aposentado, ele não sabe se continua com seu empreendimento, ou se pendura as chuteiras....

Caminhava nervosamente pela sala de sua editora, localizada agora na rua Augusto Pestana, e meditava em voz alta: perdi um grande amigo dias destes, falei com ele um dia antes, íamos fazer um projeto juntos...refletia Bicudo, sobre o que vai fazer daqui pra frente,agora que está com 66 anos.

Bicudo - o apelido vem do fato dele fazer um bico quando toca violão - nasceu em Cacequi em 23.01.1944. É seguramente um dos mais brilhantes jornalistas gaúchos de sua geração. Mas teve altos e baixos....

Vencedor de inúmeros prêmios ARI de jornalismo, é também detentor de um prêmio ESSO, junto com outros três colegas com uma matéria publicada no Coojornal, sobre a Guerrilha do Vale da Ribeira( muita gente acha que a matéria que deu
cana pros quatro repórteres foi sobre o Araguaia, não foi, foi sobre o Vale da Ribeira e o capitão Carlos Lamarca).

Este é apenas um detalhe:

O detalhe é que Bicudo não sabe se continua na luta ou não...Tem alguns estagiários trabalhando com ele, que atualizavam o site do Jornal Já. " Fiquei dois dias sem vir aqui e nada andou" queixou-se ele pra mim.
O jornal Já existe enquanto existir seu editor, que é o Elmar, depois seguramente vai fechar as portas, assim como fehcou as portas o Kronica do Barão.

Conheci o Bicudo, ,na Folha da Manhã
e com ele aprendi uma liçãozinha básica do jornalismo: não se fala sobre uma matéria, se a escreve.
Eu tinha ido cobrir o reboque de um navio encalhado e quando cheguei na redação comecei a falar.
Elmar que era o secretário de redação do jornal, me ensinou que não se fala, se escreve logo a matéria.
Elmar Bones da Costa já trabalhou em jornais como Gazeta Mercantil,Veja, Folha da Manhã.Ele foi um dos fundadores da revista Amanhã,quando ela iniciou como house da FIERGS. Nunca trabalhou na RBS.Deve ser um dos poucos jornalistas de sua geração que não estiveram na RBS. Ou eles não gostam dele, ou ele não gosta da RBS.

Processos

Atuando num jornalismo de alto risco, Elmar , que eu saiba, respondeu a um processo de origem militar em l981,onde acabou preso, junto com outros três colegas - Osmar Trindade, Rosvita Sauressing, e Rafael Guimaraens - e agora responde a outro desde 2001 impetrado contra uma matéria que assinou no Jornal Já, - que por sinal deu prêmio da ARI - chamada Dossiê Rigotto. Quem o processa é Julieta Vargas Rigotto, mãe de Teti Rigotto, falecido durante um assalto na boite Ibiza, em Atlântida(RS).
" Não costuma me defender pelos jornais durante um processo. Quando ele terminar, talvez eu fale" disse Elmar. Segundo ele, em 24 anos de existência, o Jornal Já teve apenas o processo da mãe do ex-governador Germano Rigotto, dona Julieta Vargas.

Bicudo é um colega polêmico. Disto não se tem dúvida,alguma.Pra se fazer o jornalismo de qualidade que ele exige, precisa-se de bastante dinheiro e de pessoal de qualidade. Juntar as duas coisas com pouca grana, só ele as vezes consegue. Mas isto deixa coleguinhas desiludidos, que pensam que a editora Já é "socialista" ( repartiria os lucros com os funcionários ou colaboradores).

" O problema do Bicudo é que quando ele ganha uma grana, vai pro Santinho..." desabafava dias atrás um repórter investigativo que trabalhou com Bicudo, na Coojornal.Santinho é onde o Elmar Bones da Costa tem uma casa, em Florianópolis.

Coleguinhas

Um comentarista sóbrio mas não queira comprar uma briga com ele....

Edgar Pashoal Schmidt é conhecido pela seriedade que emprega em seus comentários esportivos. Sempre foi ligado a Caldas Junior, desde que veio de Cachoeira do Sul, onde começou na Rádio Cachoeira do Sul.Trabalhou como repórter esportivo nos veículos da Caldas,quando era de Breno Caldas. Trabalhou na Folha da Manhã, no Correio do Povo e na rádio Guaíba, primeiro como repórter,depois como comentarista esportivo.

Saiu da Caldas, mas voltou em 1986,tendo portanto 23 anos somente na segunda volta de casa. Edegar Schmidt é filho de Oscar Schmidt e de Miraci Paschoal Schmidt.

Foi casado com Maristela Bairros,com quem tem um casal de filhos.

POsse!!

O escritor César Pires Machado tomou posse na quarta,dia 10/06 na Academia Militar de Letras, no Colégio Militar de Porto Alegre. Ele é autor de Chananeco. Também ganhou esta posse o jornalista José A. Severo,autor da biografia do Mal. Osório.

Cine Clube Umespa apresenta documentário sobre Jango

Jango, de Sílvio Tendler, é o filme escolhido para a quinta sessão do Cine Clube Umespa, que será realizada às 9 horas deste sábado (13/6) no Teatro Glênio Peres da Câmara Municipal de Porto Alegre (Avenida Loureiro da Silva, 255), com entrada franca. O Cine Clube é uma promoção da União Metropolitana dos Estudantes Secundários de Porto Alegre apoiada pelo Memorial da Câmara.

Com 117 minutos de duração, o documentário Jango foi lançado em 1984. Retrata a vida política brasileira dos anos 60, tendo como fio condutor a biografia do gaúcho João Goulart (1919-1976), presidente do país de 1961 até 1964, quando foi deposto pelo Golpe Militar. O filme é um dos 21 que serão exibidos até outubro no Teatro Glênio Peres, dentro do tema De Getúlio a Lula. Informações com a presidente da Umespa, Carolina Alencar, pelo e-mail carolina.ninaumespa@gmail.com.br ou celular (51) 8494-3264.

PRÓXIMAS ATRAÇÕES (sábados, às 9 horas, no Teatro Glênio Peres)

13/6
Jango
Silvio Tendler (1984), 117 min
A vida política brasileira dos anos 60, tendo como fio condutor a biografia do presidente João Goulart, reconstituída a partir de material de arquivo e de entrevistas com personalidades como Afonso Arinos de Melo Franco, Raul Ryff, General Antonio Carlos Muricy, Leonel Brizola, Celso Furtado e Frei Betto, entre outros.

20/6
O Desafio
Paulo César Saraceni (1965), 90 min
O filme narra a história de um jovem jornalista, que, a partir de desilusões políticas e amorosas, vê-se sem perspectivas em relação à vida. Primeira resposta do Cinema Novo ao golpe de 1964, marcada pela adesão à tese do esgotamento do nacional-desenvolvimentismo.

27/6
Amante muito louca
Denoy de Oliveira (1973), 95 min
Amâncio, um típico classe média brasileiro, casado e pai de dois filhos, gerente de câmbio vive tranquilo com a família, mesmo tendo um caso com uma vedete de teatro, Brigite, mulher temperamental. Num determinado momento ela se vê no direito de compartilhar prazeres que somente a família de Amâncio tem e arma um escândalo em frente a casa do amante.

4/7
Vai trabalhar, vagabundo
Hugo Carvana (1973), 100 min
Típico malandro carioca ganha a liberdade, depois de passar algum tempo na cadeia. Ele está sem nenhum e para ganhar dinheiro, conta com sua sorte e seu talento para golpes e trambiques.

11/7
Lamarca, coração em chamas
Sérgio Rezende (1994), 114 min
Os dois últimos anos da vida de capitão Carlos Lamarca, desde o momento em que decide fazer uma opção radical pela revolução, deixando o Exército em janeiro de 1969 para integrar-se à luta armada contra a ditadura.

18/7
Zuzu Angel
Sérgio Rezende (2006), 103 min
Zuzu Angel, uma mãe que travou uma luta contra tudo e todos na busca pelo seu filho Stuart. Os anos 70 viram o mundo de pernas para o ar. No Brasil, a carreira de Zuzu Angel como estilista começa a deslanchar enquanto seu filho Stuart ingressa no movimento estudantil, contrário à ditadura militar então vigente no País.

25/7
Eles não usam black-tie
Leon Hirzman (1981), 134 min
Durante o ano de 1980, enquanto a a organização política e sindical da classe operária avança, um operário engravida a namorada e decide casar-se. A empresa onde ele trabalha entra em greve e ele resolve furar o movimento para garantir o emprego, entrando em confronto com o próprio pai, velho militante sindical.

1º/8
Dois Córregos
Carlos Reichenbach (1999), 107 min
Em 1969, ex-integrante da luta armada vive clandestinamente no sítio da irmã, na cidade de Dois Córregos, onde convive com três mulheres: a sobrinha adolescente, uma amiga, filha de militar influente, e a caseira, envolvida com capitão do Exército.

8/8
A Céu Aberto
João Batista de Andrade (1985), 78 min
O documentário nos leva ao Brasil de 1985. Tancredo Neves acaba de ser eleito Presidente da República, depois de duas décadas de ditadura militar. A escolha por um civil acaba por coroar o término do regime de exceção.

15/8
O Baiano Fantasma
Denoy de Oliveira (1984), 100 min
O paraibano Lambusca chega a São Paulo à procura do conterrâneo Antenor e acaba se envolvendo com uma quadrilha que "vende proteção". Prêmios de Melhor Filme, Diretor, Ator (José Dumont) e Menção Honrosa (Rafael de Carvalho) no 12º Festival do Cinema Brasileiro de Gramado.

22/8
Que filme tu vai fazer?
Denoy de Oliveira (1991), 46 min
Num cemitério, um cineasta contempla as lápides da Embrafilme e da reserva de mercado, extintas por Collor no início de seu governo. O cineasta segue seu caminho, entrevistando o público e outros cineastas que falam de seus sonhos e projetos. O documentário deu a Denoy o prêmio de melhor diretor no Festival de Gramado, em 1992.

29/8
Pega ladrão
Denoy de Oliveira (1995), 30 min
Estudantes e trabalhadores lutam nas ruas de São Paulo e Belo Horizonte contra as privatizações. Prêmio de Melhor Vídeo Educativo na 21ª Jornada Internacional de Cinema da Bahia.

5/9
Querô
Carlos Cortez (2007), 90 min
Abandonado pela mãe e criado nas ruas de Santos, Querô não tem medo da opressão nem da violência. Em sua briga pela sobrevivência, ele vai de encontro ao inferno vivido na Febem e procura sua própria justiça.

12/9
Sábado
Hugo Georgetti, (1994), 85 min
Uma equipe de publicidade ocupa o saguão do antigo Edifício das Américas para a gravação de um comercial. Mas um elevador quebrado obriga os moradores a dividirem o mesmo espaço com a fauna de aderentes ao neoliberalismo tupiniquim que compõem a equipe.

19/9
Boleiros - Era uma vez o futebol
Hugo Georgetti (1998), 93 min
Em um típico bar paulistano com fotos de jogadores de futebol espalhadas pelas paredes, um grupo de homens ali sentados tem algo muito forte em comum. São todos boleiros: profissionais (aposentados ou ainda na ativa) do futebol. Eles costumam reunir-se regularmente para relembrar fatos vividos e fazer comentários sobre jogos, atletas, times e juízes. Entre uma cerveja e outra eles vão alinhavando observações que os remetem a algum caso curioso e inesquecível do passado.

26/9
A terceira morte de Joaquim Bolívar
Flávio Cândido (1997), 104 min
Joaquim Bolívar descobre um golpe imobiliário do Coronel Gaudêncio, na construção de uma hidroelétrica, que deveria ser a redenção da cidade de Burruchaga. O conflito, se inicia em 1964 e atravessa 35 anos da nossa história recente.

3/10
Entreatos
João Moreira Salles (2004), 117 min
De 25 de setembro a 27 de outubro de 2002 a equipe de filmagem acompanhou a campanha de Luís Inácio Lula da Silva à Presidência da República.

Fonte: www.umespa.org.br

Local ainda não escolhido

Dado com exclusividade neste site, o novo posto de gasolina da Petrobrás que vai atender apenas motoqueiro ainda não tem local definido. Isto porque o primeiro local escolhido, não foi aprovado.Aguardemos,então.

Coleguinhas

Grande movimento ontem,dia 9/6 no sindicato dos jornalistas.Muita movimentação, funcionário colocando uma tevê pra diretoria poder ver o julgamento no STF da obrigatoriedade do diploma de jornalistas.

*Bicudo, ou Elmar B. da Costa, aposentado pelo INSS não sabe se vai continuar na luta ou não!Ontem,durante uma pequena conversa, achei o Bicudo meio que jogando a toalha. Talvez parte para fazer outras coisas....

* Bicudo disse-me que em 24 anos de JOrnal Já o único processo que o respondeu como editor chefe do jornal foi o da mãe do ex-governador Germano Rigotto, Julieta. Bicudo está sendo processado por causa de matéria sobre Teti Rigotto. Processo já dura quase oito anos....

* Kenny Braga não compareceu dias atrás a uma reunião agendada com Clóvis Tramontina, todo poderoso dono da Tramontina, de Carlos Barbosa. Adoeceu!

* Direção do Correio do Povo colocou nota ao lado do cartão-ponto negando a venda do veículo. Mas que tanto desmentem?

* A Secretaria Extraordinária da Copa, criada na prefeitura de Porto Alegre,criou 21 CCs. Destes três foram para jornalistas. Um agraciado foi o comentarista esportivo Vinicius Sinoti( rádio Guaíba)- que teve a força do colega Haroldo de Souza pra indicação, a outra vaga coube a Claudio Dienstmann e uma terceria seria uma indicação da ACEG. Mas já tá tudo com taxímetro ligado, ou seja, já estão recebendo e trabalhando...

*Rogério BÖEHLKE, plantonista esportivo da rádio Guaíba move ação trabalhista contra a TV Record. A ação tem uns 3 anos, é do tempo que ainda era TV Guaíba

* Boelcke paga duas pensões alimentíceas...Quando a Record comprou a Rádio Guaíba, ele teve um aumento " espontâneo" em seu salário de 1.000,00

* Diretora Valéria do Grupo Record, veio de BH. Coleguinhas daqui, da rádio Guaíba, vasculharam com coleguinhas da rádio Itatiaia de BH pra saber mais sobre ela, mas só descobriram que ela fora diretora de uma rádio FM." rádio corredor" quer saber tudo,sempre!

Coleguinhas

Cardone pode ver a força de uma notícia no Correião!

Em 1974, o repórter do Correio do Povo Paulo Cardone pode ver a força e a credibilidade do velho Correião! Ele recebeu do chefe de reportagem Paulo Poli a pauta de ir no Tribunal Regional Eleitoral(TRE) para ver os preparativos do órgão para as eleições a deputado que se realizariam naquele ano.
Paulo Cardone entrevistou o coordenador das eleições, Paulinho Burlamaqui e colocou na matéria por sua conta e risco(sem ser informação da fonte) que os presidentes das mesas deveriam estar no domingo seguinte às 8 horas da manhã na frente do TRE para uma reunião. Às 8 horas da manhã daquele dia de domingo, na frente do TRE, não havia mais local pra ninguém, de tanta gente que apareceu. Ninguém foi do TRE simplesmente porque não havia nada a fazer lá.

Na segunda, Paulo Cardone se apre sentou ao secretário da redação, Adail Borges Fortes da Silva,achando que seria posto pra rua. Adail só disse isto:
- Meu filho, nunca mais faz uma destas.

Paulo Tomás Velho Cardone nasceu em Porto Alegre em 02.01.1950. Filho de Italo Wolf Cardone e de Maria Clara Velho Cardone. Já residiu na rua Thomaz Flores, 234/03 e na av. Osvaldo Aranha,1091/24.

Trabalhou na Prefeitura Municipal, no Correio do Povo e na ZH.

Coleguinhas

No Estadão, em Sampa, reclamaram ao Tomas Pereira que um coleguinha de Porto "escrevia mal" ....

Nos anos 70, numa rodinha de colegas, o repórter de economia Tomás Irineo da Luz Pereira contou que estava ele na sede do prestigioso veículo em São Paulo quando alguém de lá trocando assunto com ele comentou que havia na sucursal de Porto Alegre um colega que " escrevia mal". Tomás disse na rodinha quem era, eu não vou dizer....
Tomás na hora quando ouviu os comentários teve a ficha caída e lembrou-se de quem era...O coleguinha fazia política, circulava muito pelos corredores da Assembléia Legislativa do Estado...Este coleguinha ia pro telex( não era tempos de computador) e despachava rapidamente as matérias para a sede do jornalzão paulista, que como se sabe,sempre foi muito exigente em termos de texto. Tinha tanta frescura com isto que os donos, os Mesquita, chegavam a importar jornalsitas de Portugual porque achavam que os brasileiros não sabiam escrever, ou não tinham um texto à altura do que eles queriam....
Tomás Irieneo Pereira nasceu em 25/02/1950 filho de Waldemar Hugo Pereira e de Dorvalina da Luz. Trabalhou nas grandes sucursais de Porto Alegre, como o Globo( rua dos Andradas) Gazeta Mercantil, Folha da Manhã( da CJCJ).Sempre como repórter. Foi casado com o colega diagramadora Julieta.

Tomás foi um dos jornalistas que teve que trabalhar na épcoa da ditadura miltiar, quando exercer a profissão não era mole.Cobria especialmente aárea de Economia.

No meu livro Pauta, o avesso das redações conto que de uma feita Thomaz Irineo da Luz Pereira estava no aeroporto Salgado Filho como repórter da Folha da Manhã esperando uma autoridade. Lá estavam também pelo Estadão, Rogério Mendelski, e Arthur Tadeu Monteiro,Apareceu por lá um repórter " foca".Arthur e Mendelski combinaram que Thomas daria uma entrevista como como presidente da ASCAR( espécie de antiga Emater).. No dia seguinte, no jornal do " foca" saiu a entrevista do Thomas como presidente da entidade ligada a agricultores.

Prefeito assina projeto de lei para regular turismo náutico na Capital

O prefeito José Fogaça assinará nesta quarta-feira, 10, às 11h30, no Paço Municipal, projeto de lei que propõe a criação do Turismo Aquaviário em Porto Alegre. A medida tem o objetivo de conferir um marco regulatório à atividade dos proprietários de barcos que fazem passeios turísticos no Lago Guaíba visando a sua padronização e maior segurança. Os passeios de barco são realizados há mais de três décadas sendo intensificados nos últimos 15 anos com a operação de novas embarcações, concentradas especialmente na área da Usina do Gasômetro.

A iniciativa de dar um ordenamento à atividade náutica de interesse turístico para a cidade partiu da Secretaria Municipal de Turismo (SMTUR), que buscou a mediação do Ministério Público Estadual. Por meio da Promotoria de Justiça de Habitação e Defesa da Ordem Urbanística foi aberto um inquérito cível que concluiu pela competência do município em legislar sobre a matéria. Em todo o processo houve a participação dos proprietários das embarcações, hoje organizados na Associação do Turismo Náutico do RS (ATUN). Pelo projeto de lei, caberá a SMTUR regular a atividade visando a qualificar o serviço para usuários locais e turistas, além de ampliar as potencialidades para o turismo náutico na Capital.

Coleguinhas

Onde anda o Tude? Alguém viu o Tude por aí????

Sábado,último,dia 6/06 findo o barzinho da ARI o Espanhol me convidou pra passar no bar do Vila Maria, na Duque e tomar um vinho. Quando cheguei o Espanhol tava sentado com uns sujeitos que eu não conheço, mas a magra da mesa - magra é como o saudoso jornalista João Aveline chamava nos anos 70 as colegas repórteres mais jovens - queria saber notícias de dois fotógrafos: Tude Munhoz, que segundo ela estaria lhe devendo 100 reais e acho que ela quer localizá-lo porque precisa do picho. Outro fotógrafo que ela queria notícias era o Damião Ribas. Bom, o Damião já foi pra aquele local de onde ninguém nunca voltou...

Sobre o Tude, o que sei dele é o que ela já sabia: estaria num sítio em Viamão....

Tude Munhoz foi um dos fotógrafos mais irrequietos que conheci na redaçã o da ZH nos anos 70. Estava sempre d ebom astral o gajo, pelo menos é o que lembro dele...Manda uma rama, que vou ti....

Mas bom fotógrafo, Trabalhou na Veja em Brasília, um tempo.

Tude nasceu em 14.04.1953 em Dom Pedrito, filho de Luiz Carlos Munhoz. O fotógrafo residiu uns tempos na rua Anita Garibaldi,2581/403 no bairro Auxiliadora.
Foi ou é casado com Dulce Elaine( 19.01.1961) e tem o filho Luiz Carlos( 25.04.1981).

Uma historia do Tude que não esqueço foi a seguinte: ele fez uma foto de um ônibus da Ouro e Prata que se acidentou no interior. E havia um concurso de fotos cujas fotos concorrentes ficaram expostas na frente da Prefeitura Municipal. Todo mundo que passava ali dava uma paradinha pra dar uma olhada nas fotografias.

O velho Willy Fleck, dono da Ouro e Prata ficou sabendo que seu ônibus sinistrado estava ali: mandou chamar o Tude e lhe perguntou:
- De quanto é este prêmio que estás concorrendo?
- É tanto...
- Vai tira a foto da frente da prefeitura e me traz ela aqui.
Dito e feito.

ativismo

Tude foi um dos primeiros fotógrafos que vi na ZH entusiasmado pelo movimento nativista. Sempre que viajávamos cantava a música Tempo de Tosquia, do Telmo de Lima Freitas. Foi com o Tude que aprendi a gostar do Telmo de Lima Freitas, um grande poeta....

O Tude por esta época também falava muito do Borghetinho,quando este nem era conhecido.

Tude frequentava a casa do futuro famoso cantor, onde participava de suas tertúlias ´musiciais.

Uma hora destas o colega reaparece pra recordarmos aqueles tempos....

Coleguinhas

* Encontrei o " frei" Elvino Remussi: foi assaltado dias atrás, levaram seu siena, na frente de casa. ao meio-dia, na Vila Ipiranga. Ainda bem que não fizeram nada pro "frei". Ficou devendo 40 mil pra Via Porto e não tem seguro. Vai ter que comprar um novo carro. Como se diz na gíria, vão os anéis e ficam os dedos...

*Liguei pro Serginho Ross, no sábado passado: estava montado num porco por casua do que escrevi dele, duvidando da entrevista do Brizola.Nunca duvidei,camarada, mas vários jornalistas que tentaram não levaram. Bão, se o Briza ia falar pro Carlos Chagas, não sou eu agora que vai ficar duvidando. Não ganho nada com isto...

*Acabou a semana do José Hipólito da Costa na ARI. E agora José? Pelo menos o prédio vai aos poucos sendo ocupado por inquilinos.

*Zé Nunes e Milton Simas vão viajar hoje a Brasília pra assistir amanhã no STF o julgamento da ação de obrigatoriedade do diploma de jornalistas. Que luta longa, esta,camaradas...

* Vivemos numa capital de passagens de õnibus TRI caras....Ontem,peguei 4 e no final do dia tinha gastado 9,20...Putsgrila....

* IB KERN vai lançar um livro ficcional no dia 11 de setembro quando completa 90 anos. " Ele passa o dia escrevendo" disse-se sua esposa, Vera na sexta passada...

*Inscrevi-me pruma bolsa na Folha de S.Paulo pra escrever a história da Tribuna Gaúcha, do PCB. Vamos ver?

* Foi " probido" o ORKUT na salinha J.C. Terlera, da ALE.

" Tráfego de Mulheres"


Jorge Edemar Ruwer

Eta assuntinho mais véio este:
Ontem de manhã,8/06, um repórter da \Guaíba, entrou no Bom Dia dizendo que a PF tinha libertado 20 mulheres presas,segundo ele, pelo dono de um bordel, cheias de dívidas, em Garibaldi, na saída da cidade onde se localiza esta casa de tolerância. Elas deviam os tubos pro dono. E o dono foi levado em cana pela PF: as mulheres , sua grande maioria, foram mandadas de volta pra suas cidades de origem, que são catarinenses.

Mendelski, apresentador do programa, aproveitou pra lembrar que em 1970, junto com o repórter Edemar Ruwer( mais tarde assassinado em Passo Fundo) e o fotógrafo João Batista Scalco, aquele do sequestro dos uruguaios, que morreu em 1983, ganharam um prêmio ari de Jornalismo jsutamente com uma matéria sobre tráfego de mulheres. No caso, as mulheres eram levadas por taxistas de P.Fundo para Blumenau, SC.A matéria,denominada " Denúncia: Tráfico de Menores" foi publicada na Folha da Tarde, mas pelo manual da ARI, publicado neste ano, o prêmio foi conquistado apenas por Edemar Ruwer. Não cita o nome do Mendelski, não sei se por omissão, por descaso, ou o que.
Até onde estou informado, Rogério Mendelski trabalhava nesta ocasião no Estadão( O Estado de S.Paulo) e a matéria foi publicada tanto no Estadão, como na Folha da Tarde,com as assinaturas dos dois porque a Caldas Junior e o Estadão, naquele tempo já, resolveram dividir o custo da viagem dos repórteres.

A Corda arrebenta no lado mais fraco....

Ontem, dia 8/6, funcionárioas da limpeza da empresa Gussil estavam sem salário e até sem fichinhas pra ir pra Assembléia Legislativa do Estado, onde prestam serviços. O que houve? Faltou pagamento da Assembléia pra Gussil, ou o que?

A verdade é que várias funcionárias não foram trabalhar porque não tinham passagem...

Moinhos

A Saraiva do Moinhos Shopping informa que, desde outubro, "Moinhos de Vento - Histórias de um bairro de Porto Alegre" é o livro mais vendido da loja. E já está na segunda edição.

Turismo: Inscrição gratuita para associados em nível nacional de entidades parceiras do Ecatur 2009

A inscrição deverá ser feita antecipadamente pelo site www.ecatur.tur.br pois as vagas são limitadas. Estudantes possuem valor diferenciado e, demais interessados não associados as entidades do trade turístico tem o custo de R$ 150,00.

Todos os associados no Brasil das entidades parceiras do 4º Encontro Catarinense de Turismo (ECATUR 2009) que acontece de 25 a 27 de junho, no Costão do Santinho Resort, em Florianópolis, SC, têm inscrição gratuita para participar no evento. A informação é do presidente da ABIH-SC (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis), João Eduardo Amaral Moritz. Poderão participar associados de todo o país tanto das ABIH´s como da ABRASEL (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), ABEOC (Associação Brasileira de Empresas de Eventos), ABAV (Associação Brasileira de Agências de Viagens), FHORESC (Federação de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Estado de SC), ABRAJET (Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo), Skal Club e FCVB-SC (Federação de Conventions e Visitors Bureaux do Estado de Santa Catarina) através dos filiados dos Conventions Bureaux. A inscrição deverá ser feita antecipadamente pelo site www.ecatur.tur.br pois as vagas são limitadas.

A entrada na Feira Catarinense de Agentes de Viagens (Fecatur 2009), que vai mostrar as novidades do turismo para os profissionais do setor num espaço exclusivo para atender aos agentes de viagens, operadores e convidados, é gratuita e aberta ao público. A entrada nas oficinas, para os associados e as entidades promotoras – em nível nacional – também é gratuito. Estudantes possuem valor diferenciado e, demais interessados não associados as entidades do trade turístico tem o custo de R$ 150,00.

O Ecatur 2009 engloba, ainda, o 23º Encontro Catarinense de Hoteleiros (Encatho), a 21ª Exposição de Produtos para Hotéis (Exprotel), a, o 1º Simpósio de Governança Hoteleira de Santa Catarina e o 7º Seminário de Turismo e Hotelaria. O encontro é organizado pela ABIH/SC (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis), ABAV/SC (Associação Brasileira de Agências de Viagens), ABEOC/SC (Associação Brasileira de Empresas de Eventos), ABRASEL/SC (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), FHORESC (Federação de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Estado de SC), ABRAJET/SC (Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo), FC&VB (Federação de Conventions e Visitors Bureaux do Estado de Santa Catarina), além de contar com o apoio da FCDL/SC (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina) e o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, SANTUR e Prefeitura Municipal de Florianópolis.

Programação Geral do Evento

Dia 25/06 - quinta-feira
17h - Abertura do ECATUR 2009 (Cerimonial, Apresentação do Trade, Homenagens e Fala do Governador de SC, Luiz Henrique da Silveira)
18h30 - Abertura da EXPROTEL e da FECATUR com Coquetel

Dia 26/06 - sexta-feira
08h às 16h – 1º Simpósio de Governança Hoteleira de Santa Catarina – Hotel Praiatur
09h às 11h – Auditório: Reunião dos Hoteleiros
Sala 1 - Oficina ABIH-SC: Desmistificando o Planejamento - Luiz Gonzaga de Souza Fonseca
Sala 2 - Oficina ABIH-SC / ABRAJET-SC: Práticas de Comunicação Empresarial - Zeni Rates
Sala 3 - Oficina ABAV-SC: Linhas de Crédito para o Setor de Turismo
14h30 às 16h30 – Auditório: PALESTRA MAGNA: "Demandas para um Turismo de Qualidade" - Caio de Carvalho - Ex-ministro do Turismo e atual presidente da SPTuris
16h30 às 17h30 – Auditório: Oficina ABAV-SC: A Importância dos Receptivos nos Aeroportos - Julio Verna
Sala 1 - Oficina ABIH-SC: Agregando valor através do Serviço de Alimentação
Sala 2 - Oficina ABIH-SC: Expectativas do Cliente de Eventos
Sala 3 - Oficina ABEOC-SC: Lei Geral do Turismo
17h30 às 18h30 - Sala 1 - Oficina ABIH-SC: Ações Práticas para Venda de Hospedagem - Pedro Barros
Sala 2 - Oficina ABIH-SC / FCDL-SC: A Importância do Comércio para um Turismo de Qualidade - Sergio de Oliveira

Dia 27/06 – sábado
09h às 10h30 – Auditório: Seminário de Turismo e Hotelaria
10h30 às 11h – Auditório: Mesa Redonda com Hoteleiros e Acadêmicos
11h às 12h - Sala 1 - Oficina FC&VB: Taxas de Turismo: Room Tax, Table Tax e Car Tax
Sala 2 - Oficina ABIH-SC / ABG Nacional: Por que a Governança é tão importante? - Maria José Dantas
Sala 3 - Oficina ABIH-SC / ABEOC-SC: A Importância de um Organizador de Eventos - Maria Lucia Camargo Silva
Sala 4 - Oficina ABAV-SC: Cobrança de Serviços: Riscos e Verdades - Julio Verna
14h30 às 16h30 - ENCONTRO DO TRADE: "Demandas para um Turismo de Qualidade"
16h30 às 19h – Auditório: Painel ABAV-SC: Legislação do Transporte Turístico
16h30 às 17h30 - Sala 1 - Oficina ABIH-SC: Como o hoteleiro pode se beneficiar do jornalismo de turismo
Sala 2 - Oficina ABIH-SC: A relação comercial com Operadoras, do ponto de vista do Hoteleiro - Eduardo Melo
Sala 3 - Oficina FHORESC: Direito Trabalhista na área A&B e Hotelaria - Dr. Neilor Schimitz
17h30 às 18h30 - Sala 1 - Oficina ABIH-SC: A Estratégia da Venda - Paulo Mélega
Sala 2 - Oficina ABIH-SC: A relação comercial com Hoteleiros, do ponto de vista da Operadora
Sala 3 - Oficina ABRASEL-SC: As Delícias do Vinho Catarinense

1º Simpósio de Governança Hoteleira de Santa Catarina
Dia 26/06 - sexta-feira - Hotel Praiatur

08h00 – Apresentação da Associação Brasileira de Governantas e Profissionais de Hotelaria – ABG – Maria José Dantas – Presidente Nacional da ABG
08h30 – Competências do Gestor da Área de Governança - Maria José Dantas – Presidente Nacional da ABG
11h00 – Gestão de Custos para o Setor de Governança – Margareth Ausier
14h00 – A profissionalização do Setor de Governança - Maria José Dantas – Presidente Nacional da ABG

Serviço:
O que: ECATUR 2009
Data: 25 a 27 de junho de 2009
Local: Costão do Santinho Resort & SPA – Praia do Santinho, Florianópolis, SC
Informações: Marisa Ribeiro - Assessoria de Imprensa – (51) 9703-2137

"A nossa gatinha gostou das laudas onde transcrevestes as entrevistas, ela está querendo COMER o papel..."

A gata do Lauro quer comer as laudas onde coloquei todo meu esforço! Pô, eu me mato transcrevendo entrevistas, ou seja, decupando entrevistas e a gata do Lauro Dickemann senta encima numa nice....Pô que baita sacanagem,esta. Fica aqui a minha indignação.

Coleguinhas


Lícinio da Silveira

O " gajo" completou 58 anos no dia 27 de maio último!

Lá por 72 ou 73, mas acho que foi 73, do século passado, nunca imaginávamos que seríamos jornalistas. Éramos uma turma de amigos,sonhadores, líamos muito, isto é verdade. Um era bancário, um publicitário, um ainda nem era da turma, outros faziam artesanato pra vender na Praça na frente da Santa Casa.

Entre esta turma estava Lícinio da Silveira que junto com dois amigos foi ao Uruguai, apaixonou-se por uma menor e a engravidou.Fugiram romcabolescamente pro Brasil, mas aqui a Interpol pegou ele, que tinha que prestar contas, porque a família dela deu queixas. Isto tudo ficou pra trás porque Licínio e Viviana, este o nome da menor, assumiram a vida como gente grande. Não sei como Licínio foi parar na ZH que naquela época pegava todo mundo que passasse na frente, laçava e botava a trabalhar. O grande must era a Caldas Junior.

Licinio mostrou-se logo disciplinado - tinha que sustentar a mulher e a filha, que nasceu em 18 de fevereiro de 1978, na Beneficiência Portuguesa - mas aí quando a Clarice nasceu, ele já era editor de Polícia da Folha da Manhã. Antes,porém, me convidou um dia pra ir na ZH,conhecer o Renatinho Pinto e acho que acabei " empregado" naquele dia. Me deram uma pauta e eu fui pruma delegacia de polícia fazer matéria.

Deste tempo lembro de um grande rebu que o Licinio aprontou pra cima do seu chefe, Geraldo Canalli: como o Maurício Sobrinho,dono da ZH,queria ficar bem com os municípios do interior, e Palmeira das Missões tava fazendo aniversário, oue ntão era uma festa de erva-mate, mandaram o Licínio ( tri rebelde ) pra lá fazer uma matéria que deveria ser um regalito( coisa meio oficiosa) mas que o cara voltou dando um pau danado, dizendo que os caras se matavam mais que bichos.

Deu um puta problemão. O Geraldo Canalli,então chefe de reportagem segurou o pepino do Licínio, porque a lembrança que eu tenho é de que o lauro Schirmer, então diretor do jornal, queria demitir a todos os rebeldes que viiam aprontando lá dentro. Um deles era o Licínio que chamava por pura implicância o diretor de " XIMIA"..

O Licinio foi embora , trabalhou na Folhinha, onde editou polícia e anos depois virou "cooperante " em Maputo, Moçambique, onde vive até hoje e se tornou um cineasta famoso, depois de publicar vários livros.

Mas ao que eu sei, continua meio rebelde. Dias atrás esteve em João Pessoa, num festival de cinema e como seu filme não foi o primeiro colocado largou o seminário e voltou antes pra Maputo.
Foi colega de Caco Barcellos em grandes matérias que os dois fizeram pela América Central, que está contado num livro que a professora Sandra Moura publicou no ano passado sobre Caco.

Dia 27 último, Licínio ligou pra mãe, em Porto Alegre e disse que estava tomando banho na piscina de sua casa - sim tem uma puta casa em Maputo - com sua filhinha de 4 anos, a Nais, que ele teve junto com uma médica, a Conceição.
Acho muito difícil que o " gajo" - como passaram a chamá-lo depois que foi pra Moçambique - deixe seus ossos por aqui pelo RS. Acho que vai deixá-los mesmo lá pela terra de Moçambique, na África. Quando completou 50 anos os comemorou aqui em Portinho e muitos de seus antigos amigos foram lá comemorar com ele.

Tem pintado cada vez menos por aqui.
A foto que ora publico é do Licínio quando quando era repórter da Folha da Manhã, em 1973/74. Na ZH, uma vez, numa página de domingo, publicaram uma foto dele como se fosse Jesus Cristo. Sua mãe, dona Dalila, a Bila, guarda como relíquia esta ZH dominical.

Grande Gajo! sem querer, ou querendo, me botou neste ofício, porque foi ele que me levou um dia na redação da ZH, ali na Ipiranga. Embora eu já fizesse alguma coisa pro Diário de Notícias, só passei a ter carteira do trabalho assinada, foi ali na av. Ipiranga, onde passei quase 20 anos de minha vida....e onde criei minhas duas filhas....

Coleguinhas

* Descobri como se faz a coluna de maior sucesso do O SUl desde sua fundação, as dos aniversariantes( que alguns apresentadores de rádio usam pra faturar porque vendem o espaço comercial e anunciam nomes tirando da coluna deste jornal....) eles fazem assim: ligam pras entidades de classe, pedem a lista dos associados(aí vem junto a data do nascimento) ligam pro sujeito, pedem se quer sair de graça no SUL - todo mundo quer, de graça até injeção na BUNDA - e depois colocam no jornal. Barbinha J.H.Santos, como se dizia antigamente. Mas 'as vezes, como aconteceu com seo Ernani Reichelt que faleceu no ano passado, botaram de novo sua foto no dia 290 de março passado. Tem que conferir também quem morreu nos cartórios, mas aí dá um trabalho,danado, e isto ninguém quer....

*Há quem se queixe que no tempo de dona Zaida o JC era feito com mais esmero. Como dizem no interior, é o OLHO DO DONO QUE ENGORDA O BOI....

* Eu sei que por orgulho a Núbia Silveira não vai tomar meu depoimento sobre o Breno Caldas. Ela, mais o Celito de Grandi e o João Borges de Souza tão fazendo um livro sobre o véio Breno.

Mas fui eu que num domingo fui cobrir a chegada do cadáver do Breno ao cemitério da santa Casa.

Tava de plantão, o Cândido Norberto ligou pra ZH avisando que o véio Breno tinha sucumbido no Instituto de Cardiologia e me toquei pro cemitério. Tinha 3 pessoas esperando pela chegada do cadáver pro velório. A esposa, Ilse, tinha ido em casa trocar de roupa. É assim, rei morto,rei posto....

*Adriano Mazzarinbo,se ainda leres esta coluna, manda jornais aí do Vale do Taquari. Ou um guaxo...

* Mazzarino, que entende e gosta do interior - embora ande muito aqui na capital visitando algumas casas noturnas de boa fama - diz que o Terlera tem seu local de trabalho, no caso a imprensa da ALE do EStado como seu " potreiro". Nunca vi uma definição mais inteligente!

* Noticia não tem hora: edição do Versão que iria pra gráfica na sexta última, foi na verdade pra cesta do lixo.Foi derrrubada pelo julgamento que o STF vai fazer dia 10/6 do assunto do diploma.

* Márcio Bueno, que faz o Versão, teve até que cancelar férias. Isto em jornalismo é mais véio que mijar em poste....

* O Márcio teria que trabalhar um tempo com a Núbia Silveira pra ver o que é bom pra tosse.Uma sexta-feira, nove da noite, eu tive que voltar até perto do Iguatemi pra ver um detalhe de uma enxurrada que tinha dado e que matara uma médica ....a Núbia em bom português era foda....

* Derrubar a edição de um jornal não é nada....E o Carlos Fehlberg,então, que ligava cinco vezes pra Núbia no curto espaço de tempo que separava ela sair da redação da ZH e chegar em casa. Naqueles anos não havia celular,amiguinhos....

* Disse-me a Adélia Porto que foda mesmo era o Élio Gaspari,quando dirigia a Veja. Ligava pra casa dos repórteres, na sexta, já madrugada, pra que conferissem um detalhe que ele ficara com dúvidas. E de-lhe a ligar pro Marchezan, pro Simon, pro Brossard, mesmo de madrugada....

* Uma vez esta história de ligar pra casa das pessoas terminou numa bruta confusão: A Eleonora Rizzo, que chamávamos de " Chamadinha" porque fazia as manchetes pra TV Gaúcha do que a ZH daria no dia depois, deu a seguinte chamada" Concordata na TREVO". Lá pelas 10 da noite muita gente começou a ligar pra redação pra saber que TREVO era afinal: a dos ônibus ou dos adubos( era dos adubos...) A Otilia Riet, chefe de reportagem conseguiu o fone da casa do Jarbas Haag,secretário municipal dos transportes e ligou pra lá.
Pra que... O Jarbas montou num porco...A mãe dele,idosa, achou que era notícia ruim que ele não queria lhe contar...
No outro dia, o Jarbas foi falar com o Madruga Duarte,diretor comercial de ZH, mas tudo foi abafado....Não havia celular,então se acordava as pessoas tarde da noite....

* Já arrumei um apelido pro Márcio Bueno que ia entrar em férias e precisou adiar: " Sofrenildo", o saudoso personagem que morreu junto com SAMPAULO. O IOTTI não chega nem aos pés....
* O coleguinha J.L.Prévidi, popularmente chamado de " cabeça" pela " catigoria" entra no assunto dos processos. Eu acho o seguinte: o Poder Judiciário está aí pra isso...Não tenho nada contra, nada a favor. Já fui processado e estou processando....

Mérito Industrial

No dia 22 de maio passado, Valter Gomes Pinto foi agraciado na Fiergs com o Mérito Industrial!Parabéns a ele.

PERFIL DA HOTELARIA DE SANTA CATARINA

Em decorrência do potencial de desenvolvimento de Santa Catarina e da estabilidade de sua economia, aliado à qualidade de vida e ao crescimento do turismo de negócios, a capacidade da rede hoteleira cresceu de 165 mil leitos para 275 mil nos últimos quatro anos.

NÚMEROS DO SETOR HOTELEIRO EM SC

Atualmente Santa Catarina conta com cerca de 2.750 meios de hospedagem entre hotéis, resorts, pousadas, hotéis-fazenda, albergues, hospedarias e outros. A predominância é de hotéis do tipo tradicional, com administração familiar, embora tenha crescido nos últimos anos a presença de hotéis de rede no Estado e a profissionalização das empresas do tipo familiar. Os hotéis catarinenses têm em média, 40 Unidades Habitacionais (UHs), num total de 110.000 mil UHs que somam cerca de 275 mil leitos. Desse universo, 40% são pousadas e pequenos hotéis, com até 30 UHs; 54% são hotéis com 30 a 80 UHs, e 6% são hotéis com mais de 80 Uhs.
O capital investido é de aproximadamente R$ 8 bilhões, calculando-se o valor médio de R$70.000,00 por Unidade Habitacional. O setor hoteleiro é hoje um grande gerador de emprego e renda, sendo responsável pela geração de 220 mil empregos, sendo 55.000 empregos diretos e 165.000 indiretos. A média é de 0,5 colaborador por Unidade Habitacional e, a cada vaga direta, corresponde a criação de três indiretas. As despesas com Folha de
Pagamento correspondem a 25% do faturamento das empresas que têm uma taxa média de ocupação de 45% anual, e um faturamento de cerca de R$ 1bilhão e 200milhões anuais. As despesas com Folha correspondem a R$ 220 milhões mensais.
As despesas com impostos diretos correspondem a 15% do faturamento das empresas, totalizando gastos de R$180 milhões ao ano. Já os gastos com despesas públicas correspondem a 12% do faturamento, totalizando despesa de R$144 milhões ao ano. Os investimentos na área de propaganda e marketing correspondem a cerca de
3% do faturamento, num total de R$ 36 milhões anuais.

Serviço:
O que: ECATUR 2009
Data: 25 a 27 de junho de 2009
Local: Costão do Santinho Resort & SPA – Praia do Santinho, Florianópolis, SC
Informações: Marisa Ribeiro - Assessoria de Imprensa – (51) 9703-2137

CASSETA & PLANETA

Nota de esclarecimento do Casseta & Planeta aos Deputados...

Veja a noticia...
Depois leia a resposta do pessoal do Casseta e Planeta ao Deputados...
A Nota de Esclarecimento realmente é digna dos Cassetas.

É O MÁXIMO!!!
,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.,.

O Globo (Brasília):

Câmara se queixa do 'Casseta & Planeta'

Pressionada por deputados, a Procuradoria da Câmara vai reclamar junto à Rede Globo pelas alusões feitas no programa
'Casseta & Planeta' exibido terça-feira passada.
Os parlamentares reclamaram especialmente do quadro em que foram chamados de ' deputados de programa '.
Nele, uma prostituta fica indignada quando lhe perguntam se ela é deputada?
O quadro em que são vacinados contra a ' febre afurtosa'
também provocou constrangimento.
Na noite de quarta-feira, um grupo de deputados esteve na
Procuradoria da Câmara para assistir à fita do programa.
Segundo o procurador Ricardo Izar (PMDB-SP), duas parlamentares choraram(coitadinhas). Izar se encontrará segunda-feira com representantes da emissora, para tentar um acordo, antes de recorrer à Justiça.

O presidente da Câmara tabém se disse indignado:
- O programa passou dos limites.
Eles têm talento suficiente para fazer graça sem desqualificar a
instituição (que instituição???), que garante a liberdade para que façam graça.

O diretor da Central Globo de Comunicação, Luís Erlanger, disse que a rede só se pronuncia sobre ações judiciais, depois de serem efetivadas.
Os humoristas do Casseta & Planeta não quiseram falar sobre o assunto, dizendo não querer "dar importância à concorrência".

NOTA DE ESCLARECIMENTO

'Foi com surpresa que nós, integrantes do Grupo CASSETA & PLANETA, tomamos conhecimento, através da imprensa, da intenção do presidente da Câmara dos Deputados de nos processar por causa de uma piada veiculada em nosso programa de televisão.
Em vista disso, gostaríamos de esclarecer alguns pontos:

1.. Em nenhum momento tivemos a intenção de ofender as prostitutas .
O objetivo da piada era somente de comparar duas categorias
profissionais que aceitam dinheiro para mudar de posição.

2.. Não vemos nenhum problema em ceder um espaço para o
direito de Resposta dos deputados.
Pelo contrário, consideramos o quadro muito adequado e condizente com a linha do programa.

3.. Caso se decidam pelo direito de resposta, informamos que nossas gravações ocorrem às segundas-feiras, o que obrigará os deputados a 'interromper seu descanso'.

Equipe do Casseta & Planeta

Raul Quevedo, " mala" ou " santo"?


RAUL QUEVEDO E DOM HELDER CÂMARA EM 1977

Depende do prisma que se olhe. Pra alguns o colega Raul Quevedo - o descobridor do José Hipólito da Costa - não passaria de um grande " mala". Pra outros, é um abnegado, que entrou pra história do jornalismo gaúcho.

Entre as muitas lendas que cercam o já veterano jornalista, uma delas conta que anos atrás uma delegação da ARI foi a Montevideo prum evento. Sabe cumé, uma viajenzinha não faz mal a ninguém, nem que seja de bus...Todos saíram de noite, e o cronista Kenny Braga que cumpunha a delegação, estava no hotel. Depois de um trago pela tarde, de noite foi procurar seus amigos pra sair e conhecer,enfim, a noite de Montevideo, que é rica, especialmente em casas de tanto e boleros....

- Quando vi só ainda tinha o Raul Quevedo pra ser meu companheiro de farro notívaga,contou Kenny tempos depois no barzinho da ARI. E o Kenny ainda explicava: que que eu ia fazer com o Quevedo na noite de Montevideo?

Com seu jeito de " songa monga" - pra tomar emprestado um termo que o saudoso João Batista Aveline usava muito - Raul Quevedo vai conqusitando a todos. Chega sempre com um xerox embaixo do braço. Podes crer, aí vem o Quevedo pra te mostrar um artigo que ele publicou muitos anos atrás...em algum jornal, principalmente jornais ligados ao cooperativismo.

O Quevedo se envolveu num grande lio, acho que foi 2002 ou 2003 durante o congresso dos jornalistas que foi realizado num hotel na av. Carlos Gomes. Aconteceu o seguinte. O fotógrafo Luis Achutti falava sobre Cuba, porque lá morara, ou estivera fazendo fotos. O Quevedo, que é conhecido como homem de esquerda, que defende Cuba,pediu a palavra e perorou por alguns minutos,sempre dentro da tese de defesa do regime cubano.
- Cara o palco aqui hoje é meu, você peça espaço num outro evento pra dar suas opiniões, reagiu Achutti, de modo bastante chucro o que chocou muito gente que assistia a conferência e esta atitude fez com que muitos assistenstes abandonassem o local da palestra do Achutti.

Membro da Academia Pelotense de Letras, Raul Quevedo gaba-se de ter entrevistado Erico Verissimo pela última vez, pouco antes deste escritor morrer em 28 de novembro de 1975. " era uma época em que o regime militar ainda estava muito forte e a chamada grande imprensa não o procurava,ou não falava dele. Eu o procurei pra fazer uma entrevista prum jornal cooperativo, do interior. Primeiro ele me atendeu de modo muito tímido, mas depois foi se abrindo e falamos principalmente sobre os livros que ele estava escrevendo" contou-se ontem de manhã no sindicato dos jornalistas,local onde Quevedo é grande assíduo e é sempre bem tratado pelas funcionárias que atendem seus pedidos de lidar com o computador, seus textos, porque de informática ele entende pouco.

Em 1977, Quevedo esteve no Recife prum encontro de jornais de cooperativismo e aproveitou pra visitar o seu ídolo mor, dom Hélder Câmara, que este ano completaria 100 anos de nascimento( mas já é falecido).Quevedo foi conversar com o bispo mais temido pelo regime militar de então, já que ele denunciou,corajosamente, a tortura que vicejava dentro das prisões brasileiras,enquanto outra parte da hierarquia da Igreja Católica ficava bem quietinha, ou até concordava com esta prática.No meio jornalistico Quevedo tornou-se mais conhecido nos últimos anos após intensa luta pra mudar o dia da Imprensa( o que o autor destas linhas particularmente acha uma grande bobagem, o que importa que seja num dia ou noutro ou que nem tenha dia da imprensa)....

Coleguinhas

* da coluna do Ancelmo Góis,dias atrás no Globo:

" Zé Dirceu atua nos bastidores para formar uma espéice de rede de imprensa simpática ao PT,que incluiria os jornais Hoje em Dia e Correio do Povo(ambos da IURD) e um terceiro do Rio...." E agora, durma-se com um barulho destes???

* Repórter do ABC Domingo pegou uma ronha: pauta do patrão: TETO SALARIAL os maiores salários nos serviços públicos do Estado, tipo Assembléia, autarquias, Polícia Civil, Brigada Militar,Justiça,Ministério Público. Não vai ser fácil levantar esta bola....

*Alguns coleguinhas se melindram por tudo: não dá nem pra fazer uma brincadeira, um deboche. O Carlos Wagner me chamou de "pé" - por causa de meu pé grande a vida toda e nunca me imcomodei. O Fernando Goulart me chamava de Sugismundo, nunca me incomodei.Estes dias escrevi aqui que acho a coluna do Mendelski, no Correinho, aos domingos " preguiçosa" - e acho mesmo, o Mendelski se acomodou, no meu entender - e mesmo assim estes dias passei uma nota pro programa dele de manhã, e ele deu a nota, falando quem a tinha passado. Pronto: coleguinhas que se imagiman grandes estrelas, na verdade são ególatras, nada mais do que isto, passam o dia todo na frente do espelho( no caso a tela do seu site) dizendo-se deus meu,existe alguém mais talentoso do que eu? E também tem a turma dos pucha-sacos, que passam o dia mandando emails, elogiando-os, passando vaselina no ego do camarada....Tenho Dito!

" Banquete dos Mendigos" o quadro pintado por Ivan Pinheiro Machado

Nesta foto, guardada por uma zelosa filha do fundador do Barranco, Santo Tasca, nos fundos do que chamavam o " salão velho" - é que havia um outro, o novo, aberto do lado oposto,- aparece o famoso quadro pintado, por encomenda dos donos de então ao então estudante de arquitetura Ivan Pinheiro Machado que retrata a capa do disco Banquete dos Mendigos , dos Rolling Stones. O garção Felipe que trabalhou 15 anos na casa,desde o começo com os dois fundadores, Osvaldo da Silveira ( cuja filha arquiteta fez o projeto do Barranco) e Santo Tasca, chama o quadro de " Banquete dos Pobres" e tem plena lembrança deles. Estes dias no seu restaurante Metropolis, localizado ali na praça Antônio João, ao lado do Olímpico,Felipe lembrou que este quadro poderia ter sido guardado, mas que acabou gasto pela fumaça dos cigarros( hoje não se fuma mais ali, mas já se fumou muito)e jogado nos fundos da churrascaria, onde acabou apodrecendo. Mas pelo menos a foto guarda a lembrança que um dia ele existiu.

O Barranco completou em 11 de abril último 40 anos. Hoje está em mãos de outros donos, um deles da familia fundadora e outro que entrou lá como funcionário, em 1971 e que acabou comprando as partes dos irmãos Tasca.

Outra lembrança do garção Felipe é de que os filhos, ou filhas de um dos fundadores, Albino Tasca, " tinham vergonha" do local e nunca iam lá naqueles primeiros anos.

Coleguinhas


Sergio Vargas Ross

Sergio Ross,agora, diz que iriam escrever a biografia do Brizola

Pra começo de conversa: você não pode deixar o Sérgio Ross falar porque ele é bom de lábia: quando assessorava o Cloraldino Severo, na dita Redentora, ele me ligava e dizia simplesmente: TEU PTA está no aeroporto. Vamos pra Rondônia....Eu tinha que me virar, deslocar com a Núbia, minha chefe, a licença pra viajar.
Uma vez tive que fazer isto num domingo.Mas tudo pela causa....Um dia conto aqui a história do mal Rondon, um fotógrafo da Radiobrás que tinha que parar no meio do caminho da BR-364 pra mandar boletins pra Brasília. Acabou com o apelido de MAL RONDON.
Pois o Serginho ao invés de ir pra Arraial do Judas, onde uma filha tem pousada - nela já ficou até o Robert de Niro, do Touro Indomável - fica torrando o saco dos colegas. Almoça todo dia com o Carlos Chagas, o " bateu-levou" Claudio Humberto e outros colegas. Ali fofoqueiam de tudo. Deve ser o serpentário de Brasília. A última lorota que ele quer me passar é de que foi ele que levou pro Carlos Chagas a idéia de que o LULA, nosso presidente, iria querer um terceiro mandato, o que virou pauta da imprensa nacional.

Mas ontem que fazia um frio de cão em Porto Alegre o Serginho me ligou contando a última lorota que ele bolou. Diz ele que antes de morrer Brizola tinha combinado com ele e o Chagas de passarem 15 dias na sua fazenda( do Brizola) no Uruguai pra ele ditar as memórias.Ora, isto não pode ser verdade, ou o Brizola estava blefando. Conheço muita gente que tentou arrancar as memórias do Brizola e ele não falou pra ninguém. Parece que a entrevista mais cumprida quem arrancou dele foi a Dione Kuhn, da ZH, mas assim mesmo com um assunto pontual, a Legalidade.

Pois o Serginho agora quer me vender a idéia de que tava tudo acertado pra eles irem a Montevideo, de lá pra fazendo do tia Briza e ali ele daria o depoimento. Sergio assegura que já tinha comprado os caniços porque iria pescar na fazendo do Briza já que caçar o dono já tinha dito que não deixava. Nãose sabe se isto é verdade. Briza não tá mais aí pra confirmar. " Poucos dias depois que a gente tinha acertado isto, ele morreu" disse o Serginho.

Outra lorota que ele me vendeu foi a de que jogou no Grêmio. Ontem pelo menos disse que jogou sim no EXPRESSINHO do Grêmio. E que uma vez foram a Lajeado jogar. Pararam no meio do caminho. Todo mundo foi mijar. Aparício Viana e Silva era ot reinador. Entrou no ônibus e mandou o Serginho mijar. Claro que ele desocnfiou que tinha sacanagem. É que o banheiro dos homens era tão alto que o Serginho teria que se levantar pra alcansar o mijódromo. E todos ficaram rindo e goazando da cara dele.

Sérgio Ros é de uma família tradicional de Bento,tchô. Seu pai, Miguel, era médico e conhecido do Ernesto Geisel. Quando o presidente foi fazer a foto oficial do seu governo, chamou a equipe da Manchete. " Ele tem apenas 15 minutos pra vocês" avisou Humberto Barreto, um faz tudo de Geisel. Depois que Sergio disse que era filho de Miguel, Geisel descontraiu-se e ficou seis horas na biblicoteca do Palácio da Alvorada jogando conversa fora, lembrando dos tempos de Bento....

Poder

Sérgio Ros teve muito poder nas mãos. E sabe disto...
Era o diretor da Manchete em Brasília, quando a revista tinha muito prestígio nacional.

Quando Ernesto Geisel decidiu liberar o Polo Petroquímico para o RS, o governador Synval Guazzelli foi a Brasília e veio pra cá trazendo a notícia.
Sergio chamou o deputado federal Aluizio Paraguassu, que andava sempre com uma sandália franciscana e um uniforme de safari,e quis sabotar a chegada triunfal de Guazzelli em Porto Alegre.
- Vai a Porto Alegre no mesmo avião do Guazzelli, chega no aeroporto e diz pros repórteres plantonistas de lá que tu também é candidato a governador pelo PMDB e não só o Simon. Vais ver o rebu que vai dar...
E deu...
Só que o deputado Paraguassu queria continuar nesta, mas aí o Serginho, esperto e com visão nacional da coisa, pediu pro seu amigo parar de dar entrevista.
Como todos sabemos, Jair Soares ganhou de todos eles a primeira eleição pra governador, pós ditadura. Serginho Ros nasceu em Bento, como já disse em 03/11/1933 . Já é bisavó. E viúvo de sua mulher, Iara, uma pelotense. Quando ele casou, num clube super fino de Pelotas, o Carlos Bastos e o Tarso de Castro,(falecido) foram ao casamento porque eram seus colegas da Última Hora, do Samuel Wainer.Entregaram pra ele um presente que queria dizer que sua mulher já não era virgem. Não recordo bem agora o que era, mas esta era a finalidade. As brincadeiras dos colegas sempre neste sentido....

Sérgio Ross vive me dizendo que foi " noivo" da Ivete Brandalise. Não sei se é verdade, ou se é mais uma de suas tantas lorotas....
Mas é um grande companheiro.

Quando viajávamos pros grotões acompanhando obras do Ministério dos transportes, nunca vi deixar um coleguinha no meio do caminho. E tem gente que faz, e outros que faziam....

A vida como ela...é....

Os fatos aqui narrados não tem nada de real. São invenções minhas. Se houver semelhança com fatos reais é mera causalidade.

" Cachoeira" ligou a cobrar pro amigo, o " Vacaria"

- cumé que é, minha namorada não veio?
Vem me buscar que tá muito frio....

" Cachoeira" tinha sido guardado naquele lugar que ninguém quer ir, nem ele, mas foi.

Depois de vários dias na batalha, conseguiu um habeas, feito por um " cachimbo" amigo. Se fosse pelos outros " cachimbos" que ele contatou, apodreceria lá onde ninguém quer ir....

No último domingo, já de fora daquele lugar onde ninguém quer ir, fazia uma frieira em Porto Alegre que vou te contar....todos lembram principalmente do vento que açoitava e que vinha do rio Guaíba. Inverno rigoroso, como costumam dizer as manchetes de jornais.


O habeas do " Cachoeira " tinha sido dado pelo juiz na quinta passada,ainda. Mas demorou. Sabe cumé que é. Trâmites burocráticos...

E o " Cachoeira" finalmente conseguiu ligar de novo pro seu Vacaria. Ligou seis vezes em pouco tempo. É que o vento estava açoitando demais naquele morro daquele lugar onde ninguém quer ir...E havia um problemão. Ele nem com a chave do apê onde morava ficara, as chaves haviam ficado com ela... Mesmo se pegasseum ônibus, que foi o que ele pensou fazer, ele ficaria assim mesmo na rua. Teria uma salvação: ir na " Picanha" ver o Inter jogar que naquele momento jogava no Beira-Rio, mesmo com aaquela sensação térmica.

Ele pensou em pegar um ônibus porque a namorada, que mantivera o episódio num super sigilo pra nem a família, nem a empresa saber, não chegava nunca.

O amigo que " Cachoeira" ligava, fez um contato na casa da namorada. O " cachoeira" diretamente não podia ligar senão queimaria totalmente o filme da namorada na sua própria casa, principalmente com a mãe....
A mãe da namorada do " Cachoeira" pelo visto nem sabia que a filha fora busca-lo naquele local onde ninguém quer ir...
porque disse pro Vacaria:
- Ah, ela foi ali comprar alguma coisa e já volta!

Como as mães são ingênuas e não conhecem as próprias filhas, ou como as filhas enganam as mães, tudo por amor....

Mas finalmente, num táxi, a namorada do " Cachoeira" chegou na frente daquele lugar onde ninguém quer ir e o apanhou....

"Cachoeira" voltava enfim a sua vida nova....
E como é ligado em computadores, já na segunda, no dia seguinte, mandou MSNs pra vários pessoas:
- Estou na ativa...disse na mensagem exultante.

Mas ficou um pouco abatido: o que diria pras pessoas dos dias que tinha sumido?

Coleguinhas

* Frio de renguear cusco...( 1)

Apesar do frio que fazia ontem, dia 03/06,dois coleguinhas caminhavam às 8 horas na Pracinha da Encol: Marcelo Rech,diretor da RBS e Darci Filho da rádio Pampa.

* Frio de renguear cusco ( 2 )

Sirlei Pastore, produtora do Bom Dia, na rádio Guaíba,apresentado por Rogério Mendelski e Wladimir de Oliveira, até 15 pras sete da manhã de ontem estava quase desesperada: apenas o tempo de Rio Grande e de Caxias tinha entrado( é que é gravado, não é ao vivo, como muita gente pensa)." Não consigo contato, não atendem" desesperava-se ela. Depois ainda conseguiu o correspondente de Bom Jesus. Também com um firo destes, não é fácil derrubar os cobertores.

* Frio de renguear cusco ( 3)

Vilmar da rádio de Santana do Livramento que vive se gabando de que acorda 5 horas, ontem não entrou. Vai ver tava dormindo, devido ao frio que fazia na terra das cidades irmãs. É como diz o ditado: cachorro que muito late, não morde.

* Frio de renguear cusco ( 4 )

Quem conhece frio mesmo é o zelador do sindicato dos jornalistas-RS, seo João. Ontem ele me disse que quando criança esquentava os pés encima dos buchos das vacas e bois que eram abatidos nas charqueadas de Livramento e de Uruguaiana.Era esta a forma que gurizada da campanha fazia pra fugir do frio nos pés, porque as meias deviam ser escassas. Depois disto, como vai se sentir frio em Porto Alegre, na rua da Praia, apesar do ventinho frio que de vez em quando sopra?

* Frio de renguear cusco ( 5)

Atribuem esta frase ao pesquisador Paixão Cortes. Vai ver é mais uma das que ele pegou no interior e cunhou seu nome. Paixão ia pro interior e aproveitava sua lida de agrônomo pra fazer as pesquisas folclóricas. Era( ainda é mas está aposentado) agronômo do Estado.

* Vi quando o fotógrafo Mauro Schaffer, do JC, fez a fotos do neto do deputado Marco Peixoto(PP) publicadas na coluna do Cascatinha no JC de ontem. Foi durante o Grande Expediente da terça última. Era uma homenagem a Viação Ouro e Prata e a Planalto. O Mauro entrou no plenário e lhe chamou a atenção um guri sentado no lugar dos deputados. Isto não é comum. O Mauro passou a clicar o garoto. Eu estava nas galerias assistindo ao Grande Expediente.

* Na homenagem que a Assembléia prestou pra Ouro e Prata lembrei o depoimento de Rogério,atual diretor-executivo do sindicato da indústria de Suínos o SIP-RS. Ele foi trabalhar em Santa Rosa e como era de Bom Retiro do Sul quando vinha visitar a família a volta pra Santa Rosa era feita desde REVERSA, em Mariante. Ali pegavam o ônibus da Ouro e Prata as 3 da tarde e viajavam a noite toda pra amanhecer em Santa Rosa." Perto da meia-noite davam uma parada em Soledade, quando se fazia um lanche mais forte." relembrou ele. Depois ia parando em tudo que era rodoviária que ele lembrou como Selbach, Soledade, Espumoso, Não Me Toque, Ibirubá,Giruá e finalmente Santa Rosa.

* Rosane de Oliveira dá entender na Pág. 10 de ZH de ontem, dia 3/06 que o salário da esposa do deputado Nelson Marchezan Jr(PSDB), Nadine Dubal, ex-vereadora de S. Borja, é alto.

* E o Dr Arsênico na coluna Política do Correinho não voltará? Atualmente é um light só...

* O serpentário anda em polvorosa com as mortes que tem ocorrido por lá....Mas alguns dos integrantes mais fiéis,assim mesmo, não largam o cigarro.

* Na casa de Cultura Mário Quintana, uma leitora - conhecida pela alcunha de " Maria Bethânia" - não consegue acessar este site. " Ele cai" queixou-se ela a mim. É que botaram dispositivo contra saites pornográficos. Mas este aqui não é desta laia, este aqui é mais puro que anjo. Só tem uns p alavrões devezemquando...

* " Estou na ativa" avisou pelo MSN o coleguinha que estava fora de circulação a " Maria Bethania" nesta última segunda-feira.

Jaimar Cabral foi pelo Palácio filmar uma ponte sendo reconstruída no interior

mas encheu tanto o saco do assessor de imprensa da Rede Ferroviária Federal que o Luiz Carlos Vaz mandou um carro de linha levá-lo desde Jaguari,ou S.Pedro do Sul,onde estávamos junto a via férrea, até Santa Maria pra ele pegar o ônibus e voltar. Este episódio aconteceu no meio dos anos 80, depois de uma grande enchente no RS quando choveu durante 10 dias. Ninguém mais aguentava ver S. Pedro mandar água. As pontes pequenas do interior foram todas destruídas pelos rios que subiram além da conta.Quando parou de chover, o Exército c omeçou a reconstrução onde dava. E eu fui destacado pela ZH a acompanhar um mutirão do Exército no interior da região de Santa Maria que foi fazer uma ponte ferroviária em ritmo de urgência porque os trens não estavam passando.A RFFSA levou alguns colegas junto e o Jaimar foi pelo Palácio pra filmar tudo. Mas não sei o que deu no baixinho que depois de fazer as filmagens ele entrou num parafuso e começou a encher tanto o saco do Luiz Carlos Vaz que o Vaz não aguentou duas horas. Pegou um carro de linha - era um carro que a Rede tinha pra andar nos trilhos - e o mandou levar a Santa Maria pra que parasse de torrar e voltasse a Porto Alegre. Assim foi feito.

Jaimar Cabral Botelho era o cinegrafista preferido do governador Amaral de Souza,segundo o colega A.Goulart porque como os dois são b aixinhos, - não costumo usar o politicamente correto, não ia dizer de baixa estatura porque parece ridículo - Cabral o pegava da mesma altura. Os outros cinegrafistas sacaneavam o Amaral e o filmavam meio que de cima deixando mal na foto.

Cabral também vive dizendo pra todo mundo que foi ele que lançou a comentarista econômica Ana Amélia Lemos na TV Difusora. A colega está aí e pode confirmar ou desmentir. Cabral sustenta que uma vez que ela começou a fazer comentários lá, ele como cinegrafista caprichava deixando a " Meméia" sempre numa boa. Pode ser, este é o poder que um cinegrafista tem.

Cabral também fez suas proezas. Quando os milicos mandavam no país, ele foi chamado pra uma missão especial num sábado de manhã , na rua da Praia. De um prédio de cima, ali na esquina com a rua Uruguai, tinha que filmar um sujeito. Vestiram-no com roupas de uma empresa de mudança pra ninguém, desconfiar que ele estava era filmando um sujeito na ru Uruguai. Só que alguns meses depois ficou sabendo que o sjueito que ele filmara se tratava do capitão Carlos Lamarca da VPR que andava em Porto Alegre para ter um encontro com um companheiro. O Serviço Secreto do III EXército tinha levantado a informação e conseguiu que Cabral filmasse o guerrilheiro - desertor do próprio Exército - quando estava aqui na Uruguai, encontrando- se com compaheiros

Cabral é nascido em 11.07.1942 e atualmente está aposentado. Mora no bairro Partenon, em Portinho.

Filho de Ramão Botelho e de Jacila Cabral Botelho tem como esposa Doroti(22.07.1947) ainda é casado com ela, porque Cabral é do jeito antigo, não passa temporadas com mulheres, como fazem os magros mais jovens.

Tem a filha Lucimar(6.9.1968) e a filha Eliane( 5.3.1970).

Apesar de ter prestado muito trabalhou pro III Exército no tempo da " Redentora" nunca ouvi comentários de que ele passasse do limite profissional de fazer seu trabalho de filmagem. Em bom português quero dizer que nunca ouvi ninguém dizer que ele entregasse coleguinhas.

Cabral ficou conhecido como grande cinegrafista na TV Difusora, que foi uma televisão que teve muita força no RS.

Exposição

O Espanha vai fazer uma exposição sobre fotos de colonos. Aí vai uma prévia.

Tragédias aéreas...

1) detesto este negócio de entrevistar gente que fugiu do vôo....

2) Nunca passei por uma,graças a Deus. Só um suto uma vez que pegou fogo numa asa de um avião da VARIG indo pra Floripa e vi o quanto despreparados são os aeroportos. Quando descemos não tinha um caminhão de bombeiros,se precisasse. Como diz sempre um conhecido: a sociedade tá é completamente desprotegida.

3) Entrevistei o advogado Antônio Olavo dos Santos, o VICO, que em 23/09/1981( seu depoimento está no fitness que está neste site, quem quiser ler é só clicar no fitness e achar a matéria que fala datragédia dos Irmãos Santos) viveu,como cunhado dos dois, a agonia dos familiares no episódio dos dois irmãos Santos Fábio e Félix que morreram no mesmo dia, em aviões diferentes, indo para o mesmo evento...

4)Também assisti dois anos atrás um depoimento de dois dos sobreviventes dos Andes, que caíram nos Andes em 1971. Seus depoimentos também estão no arquivo deste blog. É só procurar. Me lembro que a pergunta que tive coragem de fazer a um deles é se a tragédia manda recado. Ele me disse que não, apenas no momento dela, eles perceberam. Mas o outro lembrou que uma namoradinha que foi ao aeroporto no dia do embarque fez um prognóstico sombrio: " este avião se vá a caer" disse ela, como bom urubu...

5) Uma vez peguei um avião da VARIG, num sábado de manhã, indo pra Floripa. Lembro que no avião estava também um colega de imprensa, o Jayme Copstein. Saímos do Salgado Filho tudo ok, dia lindo, mas no meio o avião teve umas quedas que vou te contar.Coisa feia...Quando chegamos tentei saber o que fora, e ninguém deu lhufas de explica. Apenas alguém disse que fora uma turbulência não detectada pelo radar. Muito simples,né....
6) E no avião da Varig que teve fogo numa das asas que tava indo pra Floripa, lá no começo dos anos 90, ninguém avisou nada que havia fogo numa das asas. O comandante deu um pau, não serviram nada de comida, nem café da manhã, nem nada. Quando estávamos encima do aeroporto Hercílio Luz avisaram do perigo a bordo. Colocaram as escadas inflamadas e descemos todos correndo. Tiramos os sapatos. Vi gente desmaiando. Eu corri mil metros achando que o avião ia explodir. Era um sábado de manhã de um final de ano,tava todo mundo desligado e no aeroporto Hercílio Luz não havia nem bombeiros. Sábado domingo de praia, imagina quem estava a fim de basquete, na véspera de um feriadão. Aí eu vi o abandono de nossos vôos....

CAIXA PRETA

" É uma luta contra o tempo.Olhos aflitos. Bocas Secas. Corações aos saltos.Há os que choram. Muda solidariedade parece então tecer laços entre pessoas que nunca se viram. Só mesmo quem já se viu preso num avião,esperando que o tempo dite sua sentença - vida ou morte? - é capaz de avaliar o que são esses eternos segundos de desespero, angústia e medo...e esperança. Mais forte que tudo,ainda esperança. É numa viagem assim - tensa, única,inesquecível - que o leitor se lançara ao longo deste livro"

Esta é a abertura do livro Caixa Preta, do pesquisar Ivan Santana, lançado em 2000 pela Objetiva( e que eu recomendo) que narra três tragédias aéreas brasileiras: o RG-820 que se incendiou nas imediações de Paris( sempre o destino Paris a atrair as tragédias aéreas) em 1973, o VP-375,sequestrado em 1988 entre BH e RJ e o RG - 254 que caiu na selva amazônica em 1989.

Um fotógrafo com cunho social:

José Carlos Leite sempre fez fotos dos desvalidos. Nestas duas fotos ele mostra o aspecto cruel da miséria do campo!


Em 1983 a foto dos colonos acampados


Em 1981 manifestações de colono sem terras

Coleguinhas

* Marco Martinelli, que foi diretor da Record quando esta se instalou no Sul, assumiu assessoria de imprensa da prefa de Canoas.

* Este site teve 9.432 acessos em maio. Nada mal pra quem chuta a bola no escanteio e corre pra cabecear....

* Coleguinha Patrícia, do Correinho, fez competente entrevista,ontem,dia 2/6 com o diretor executivo do SIP/RS, Rogério Kerber. Bota a fazer perguntas nisto. Assisti por acaso a entrevista.

* Conheci uma grande repórter(já falecida) que era da Gazeta Mercantil, e que também perguntava muito. Chegava à chatice de tanto perguntar...

* Gazeta Mercantil, que deixou de circular desde o dia 1/06/09.

* Rogério Kerber é uma grande fonte pros jornalistas de Economia na área da suinocultura. Tem experiência porque trabalhou no frigorífico Santa Rosa.

*Natural de B.Retiro do Sul, o diretor-executivo do sindicato da suinocultura-RS foi para Santa Rosa, em 1965, quando " aquilo era tudo mato de lado a lado da rodovia que viajávamos" relata ele.

*Kerber conheceu por aquelas bandas do Rio Grande o futuro deputado estadual Elvino Bohn Gass, hoje deputado do PT e então sindicalista da área rural.

* A Viação Ouro e Prata completou 70 anos este ano. É de 1939 e foi fundada pelos irmãos Willy e Raimundo Fleck.Começou com uma linha de ônibus em Crissiumal.

*Ouro e Prata e Planalto foram homenageadas,ontem, na Assembléia Legislativa do Estado, no Grande Expediente, por proposição do deputado estadual (PDT) Gerson Burmann.

Desgauchização de empresas de ônibus é ameaça,adverte Postal

Ontem,dia 2/06, o deputado estadual Alexandre Postal(PMDB) aproveitou a homenagem que o colega Gerson |Burmann(PDT) prestou no grande expediente da Assembléia sobre os 70 anos da Ouro e Prata e os 60 anos da Planalto pra dizer que grandes grupos de transportadores " com mais de mil ônibus" querem entrar no Rio Grande do Sul e pegar o filé do transporte de passageiros,deixando o osso com as transportadoras gaúchas." Eu vou defender as empresas gaúchas aqui neste plenário quando este debate se fizer" advertiu Postal.

Também se manifestaram homenagenado as duas empresas o deputado Adroaldo Loureiro(PDT) e Iradir Pietroski (PTB).
Gerson Burmann lembrou que a Ouro e Prata foi criada em setembro de 1939 em Crissiumal pelos dois irmãos Willi Eugênio Fleck e Raimundo Fleck. Já a Planalto nasceu fazendo transporte entre Santo Angelo e Joia e Santa Maria em 2 de novembro de 1948.

A Ouro e Prata atinge hoje 150 cidades do Rio Grande do Sul e estados fora do RS também,o mesmo ocorrendo com a Planalto.
Entre os que compareceram ao ato estiveram o presidente da Ouro e Prata, Hugo Fleck e a diretora finacneira da Planalto, Maria Consuleo Teixeira Dal Ponte,além de diretores de ambas as empresas homenageadas e funcionários.

Basta lembrar que a empresa Gol, do Grupo Nene Constantino, comprou há alguns anos atrás a Caxiense e tinha como meta comprar mais 3 ou 4 empresas gaúchas. Comenta-se muito nos bastidores que entre elas estariam a empresa Bento, Expresso Azul,de Lajeado. Mas até agora não houve a concretização destes negócios.

Tragédias Aéreas!

1) No meu blog tem matéria dos sobreviventes dos andes, e do caso da morte dos irmãos Santos, em l981( pra quem gosta deste tipo de assunto, está no Fitness).

2) Os irmãos Santos - Félix e Fábio - morreram em 1981, indo pro mesmo evento(inauguração de uma loja da J.H.Santos) no Oeste de Sta. catarina. Em aviões diferentes.

3)Há um livro muito bom sobre tragédias aéreas.O Caixa Preta, de Ivan Santana, lançado pela Objetiva em 2000.

Ele narra três acidentes com aviões brasileiros:o RG-820 que incendiou perto de Paris, em 1973, o VP-375,sequestrado em 1988 entre BH e RJ e o RG- 254 que caiu na selva amazônica.

Um pequeno trecho do livro: " É uma luta contra o tempo.Olhos aflitos. Bocas secas.Corações aos saltos.Há os que choram.Muda solidariedade parece,então,tecer entre pessoas que nunca se viram. Só mesmo quem já se viu preso num avião, esperando que o tempo dite sua sentença - vida ou morte - é capaz de avaliar o que são esses eternos segundos de desespero,angústia,medo e...esperança. Mais forte que tudo,ainda esperança."

4) Uma vez aconteceu uma coisa feia comigo: estava indo a Floripa passar um feriadão de fim de ano num avião da Varig e incendiou uma das turbinas. Não serviram café, e quando vi já estávamos sobre o mar perto de Floripa. Quando descemos, o fizemos pela escada inflável que largaram. Corri mil metros até parar. Com medo do incêndio da aeronave. Vi gente chorando pelos cantos.

5) No aeroporto de Floripa, naquela véspera de fim de ano, não havia um bombeiro de plantão. Chegaram muito tempo depois. Isto que apavora...o despreparo de certas instituições.
6) Numa outra feita, também indo a Floripa, pegamos uma turbulência em dia de tempo lindo. O avião jogou que não foi mol..."Turbulência não detectada pelo radar" explicaram,depois. Explicação fajuta, é claro. Quando é hora de morrer, morre-se e pronto.

Covil da " maldade"!


O bar 13 de Caxias é o covil da maldade

Conversei,ontem,domingo, com o ex-prefeito de Caxias, Mansueto Serafini. Hoje, ele está no PTB.Aposentado,vive em Caxias,depois de ter sido prefeito de sua cidade por duas vezes e presidente da Trensurb,quando estava no então PFL,hoje DEM.

Como quem vai a Roma tem que conhecer o Papa, quem vai a Caxias tem que conhecer o Bar TREZE ou o Galeto Alvorada. Conhecido também entre os políticos por " soneca" Serafini contou-se que uma vez passou por Caxias um líder espiritualista. E quando ele foi passar na frente do Bar TREZE, desmaiou de tanta MALDADEque saía lá de dentro.

O BAR TREZE fica no centro de Caxias e foi lá que se criou o " Mala do ANO"!

Mau Humor

Diziam ontem alguns coleguinhas que a queda do avião da Air France tinha "derrubado" a pauta da segunda....

Coleguinhas

*Licinio Silveira de Azevedo, que era o editor de Polícia da Folha da Manhã, em 1975, quando 22 funcionários do jornal se demitiram por causa de uma reportagem do Caco Barcellos - policiais jogavam bola com a cabeça de um preso, numa delegacia de Alvorada(RS) - fez 58 anos último dia 17 de maio morando em Maputo, Moçambique desde 1977.
Segundo sua mãe Dalila,que mora em Portinho, ele ligou e disse que estava na piscina com sua filha de 3 ou 4 aninhos, a Nais.

Licínio seguramente ficará por Maputo, onde se tornou um cineasta conhecido. Esteve dias atrás em João Pessoa, num festival de cinema, mas regressou a Maputo, antes do previsto, porque teve seu filme desclassificado.

*Dois papacoquetel estiveram no sábado,dia 30/05 na ARI, no barzinho. Seguramente achavam que iria ter algum coquetel. E um deles, o Telmo, está proibido de beber álcool por causa dos remédios que está tomando. Mas quando o Antônio Goulart se levantou da mesa, ele sentou e deu uma leve beliscada no vinho do Goulart, que nem viu. Goulart matou o vinho,depois.

* O Telmo teria que escreve um livro contando tudo o que sabe da noite de Porto Alegre, principalmente dos coqueteis.

*Serpentário da rua Uruguai está em polvorosa. Morreu mais um integrante da turma da maldade. " Morreu como o camelinho,de repente" disse um tradicional frequentador, apavorada com as sucessivas mortes dos frequentadores da famosa casa de café, onde a maldade é o que mais pratica, ou seja, falar mal dos outros.

* O falecido chargista Sampaulo frequentava vários bares dos hotéis do centro de Porto Alegre. Um dia se borrou todo porque andaram morrendo vários colegas de bebedeiras daqueles bares. Ele chegou em casa e disse pra esposa,Eneida:

- Negrinha, agora só vou no Dona Maria.
Não tinha ainda morrido ninguém que ele conhecesse que só ia lá.

* O dona Maria, por sinal, era o local mais frequentado por um colunista atual, que é curado do álcool. Este mesmo colunista chegava as 3 da tarde de sexta-feira,entrava torto na redação da ZH pra fazer suas colunas de sábado e segunda.

*Imperdível mesmo é a coluna do L.C. RECHE no Correinho dos domingos. O Mendelski que me desculpe, mas sua coluna anda um tanto "preguiçosa".
* Ontem,dia 1/6, a Gaúcha,de manhã, deu um banho no assunto do avião desaparecido no mar. A Guaíba só lia oq ue tinha na internet, não entrevistou ninguém do meio, a Band pelo menos tinha os boletins do Milton Blay, de Paris, mas a Gaúcha deu um show entrevistando autoridades do assunto e do meio...

*Manchetes de Correinho e ZH, de sábado,dia 30/05 parecem feitas pelo mesmo editor: Correinho: Sexta-Feira trágica. Na ZH, uma chamada com fotos dizia: Sexta-feira trágica nas estradas.

*O violoncelista Pedro Augusto Hüff que se apresentou domingo passado no Santander é filho do Geraldo, que foi presidente da Câmara Riograndense do Livro e hoje está na Art MED.

Por onde anda....

O excelente fotógrafo José Carlos Leite, nascido em Porto Alegre, em 17/04/1957. É filho de Anselmo A. Leite e de Niza Di Marco Leite. Já foi repórter fotográfico de ZH. José Carlos fazia,ou faz muito fotos dos desvalidos.

* Eu cantei esta pedra: ou como diz o ditado, el diablo sabe por viejo, não por ser diablo. A salinha J.C. Terlera para alguns frequentadores virou point...Não local de trabalho....

* Hoje, dia 2/6 a Assembléia Legislativa homenageia os 60 anos da Planalto Transportes e os 70 da Viação Ouro e Prata. Junto com a Unesul, são chamadas no meio de " AS TRÊS MARIAS" do transporte. Há muitos boatos de que a Gol estaria comprando uma delas, já que teria o objetivo de comprar várias no Sul. Já adquiriu o Expresso Caxiense, anos atrás.

Muito Barulho pra pouca chuva

A saída de uma importante diretora da área cultural do município de Porto Alegre, no começo da nova gestão de Fogaça, foi porque o secretário titular da pasta, Sergius Gonzaga, teria achado que ela fazia muito barulho pra pouca chuva....se é assim...

A morte de Gabriel Mallmann

O ex-prefeito de Estrela morreu,sim,dentro da cadeia. No caso da cadeia de Lajeado,onde ele apenas ia para dormir.
Faz cerca de 11 ou 12 anos. Mallmann devia ter então entre 57 e 58 anos.

Foi um dos poucos políticos brasileiros que se sabem que morreram presos. Na cadeia, ele teve um enfarte do coração.

Em 1976, fui na casa do senador Pedro Simon, em Rainha do Mar, e vi o senador comentando com colegas do MDB que o prefeito de Estrela precisaria de um bom advogado.

Mallmann teve problemas com a Justiça, ao que parece, por causa do envolvimento com o Estrela F.C. que ele super protegia.

Memória da Imprensa!

" O dotorzinho é muito bom, me trata bem...."

Vou ser indiscreto e contar esta história dando os nomes aos bois. Espero que os envolvidos não se melindrem. Não tem graça contar o pecado e não o pecador. O J.B. Aveline fez um excelente livro - Macaco Preso para Interrogatório - mas pecou porque muitos dos lances ele omite os nomes.

A Terezinha Irigaray fez um livro bom, mas ficou encalhado: não deu nome de ninguém.

A história que pretendo contar é a seguinte:
O Florianão Correa uma vez me contou que o Carlos Fehlberg,quando repórter de um dos jornais que trabalhou, havia deixado uma mulher presa dentro de um apartamento três dias sem comida. Alguma coisa assim. Fui tirar a limpo com o Carlos Bastos a história que me disse que ela aconteceu da seguinte forma,segundo ele:

O Fehlberg tinha uma namorada e a levava prum apartamento que eles tinham na Bento Martins, perto da Rua da Praia.A mulher ficou adoentada e foi ficando por lá e o Fehlberg, desligado, só levava pra ela sanduíches, coisas rápidas para se alimentar.

A mulher foi ficando,estava se curando de sua doença temporária...Um dia o Bastos chegou lá e perguntou se ele estava se alimentando :

- Sim, o dotorzinho tá me tratando bem,disse ela.

Bastos então foi até a padaria,ou lancheria Mar del Plata e comprou uma comida substanciosa, não apenas lanche pra mulher se alimentar.

A versão que o Florianão me contara era que o Fehlberg havia ido ao Palácio Piratini fazer uma matéria , e de lá viajado direto ao interior do Estado acompanhando o governador Perachi Barcellos e teria deixado a companheira três dias fechada sem comida dentro do apê que na verdade era a garconiere do Bastos e do Fehlberg e se não me engano também do Synval Guazzelli. Eram sócios no apê de encontros. Naqueles anos não hvia motéis, era assim que se resolviam as coisas....

Semana da Imprensa

“A passagem do Dia da Imprensa, neste 1º de junho, serve para reflexões sobre a importância do Jornalismo para a sociedade brasileira e os grandes desafios que vêm sendo enfrentados pelas empresas e profissionais de comunicação, como o advento de novas tecnologias de informação e o retorno de iniciativas que visam censurar a atividade dos jornalistas.” A afirmativa foi feita, hoje, pelo presidente da Associação Riograndense de Imprensa, Ercy Pereira Torma, logo após ter participado de reunião de lideranças partidárias na Câmara Municipal de Porto Alegre.

No encontro, ao qual compareceu acompanhado por diretores da ARI, Ercy Torma apresentou ao presidente da Câmara, vereador Sebastião Melo, e aos demais líderes de bancada, um breve histórico sobre a vida do Patrono da Imprensa Brasileira. Afirmou que o Dia da Imprensa é uma data estabelecida com legislação específica - a Lei Federal nº 9.831, de 13 de setembro de 1999 - para o que contribuiu campanha iniciada em 1972 pela ARI: alterar o Dia da Imprensa de 10 de setembro (data, em 1808, do surgimento do jornal monarquista Gazeta do Rio de Janeiro) para o 1º de junho, aludindo ao surgimento do Correio Braziliense, redigido em Londres por Hipólito da Costa.

ACERVO ALBERTO ANDRÉ - Na Câmara, as diretorias da ARI e do Legislativo Municipal procederam a assinatura de documento que visa à divisão do acervo do jornalista, ex-vereador e ex-presidente da ARI, Alberto André. O material referente à comunicação social será preservado na Casa do Jornalista, sede da ARI, enquanto a documentação referente a Porto Alegre e livros jurídicos seguirão para a Câmara Municipal.

Ercy Torma mencionou aos vereadores a falta que faz, na imprensa atual, de um profissional especializado nas questões referentes a Porto Alegre. “Alberto André - disse o presidente da ARI - conhecia o Plano Diretor a fundo e, como jornalista e como vereador, atuou muitas vezes em benefício da cidade”. Após a retirada da documentação, que se encontra na casa da viúva do jornalista falecido há oito anos, senhora Lourdes Cafruni André, ela será catalogada e preparada para consulta de estudantes e profissionais.

SEMANA DA IMPRENSA - A programação alusiva à Semana Hipólito da Costa segue nesta quinta-feira, às 19 horas, no Salão Nobre da ARI, quando será lançada a 51ª edição do Prêmio ARI de Jornalismo. Também será instalada a Comissão de Mobilização para reforma do Edifício Alberto André, integrada pelos membros titulares e suplentes do Conselho Deliberativo da ARI.

Barzinho da ARI

* Apesar do sábado horroroso que fazia - chuva,vento e frio - teve bastante gente no barzinho da ARI no sábado passado,dia 30/05.

*Lauro Schirmer e o Beto, do Museu Hipólito foram falar sobre projetos do Museu de Comunicação Hipólito da Costa. Na verdade, o Museu está bem melhor de uns tempos pra cá...

* Jaimar Cabral,cinegrafista, também apareceu no barzinho da ARI.Segundo A. Goulart, Jaimar era o cinegrafista que Amaral de Souza,quando governador, gostava que o filmasse. Como os dois têm o mesmo tamanho, Jaimar não sacaneava, porque os outros o mostravam sempre baixinho.

*Jaimar contou uma historinha do falecido Aparício Viana e Silva, que foi cronista de esporte da Folha da Tarde e treinador da seleção gaúcha de futebol. Aparício era um grande garfo, segundo Jaimar. E quando eles iam ao interior cobrir jogos de futebol, comia um boi inteiro. Na volta, entrava no táxi aéreo, e começava:
- Ah tou com dor de barriga, tou me sentindo mal.

Mexia-se daqui, mexia-se dali e pum....aquilo mesmo...

Um fedor em todo o táxi aéreo.

Sempre que viajavam com o Aparício,na volta, isto acontecia, lembrou o Jaimar.

Um dia conto a historinha do Jaimar no interior de S.Pedro do Sul,quando ele torrou o saco do Luiz Carlos Vaz, da Rede Ferroviária que teve que mandar um carro de linha levá-lo até Santa Maria, já que Jaimar queria porque queria voltar a Porto Alegre naquela mesma noite....

* A " Picanha" na Rua Lima e Silva, deverá ter em breve a volta de um de seus mais tradicionais fregueses...

EXCLUSIVO!

Abacaxi grande nas mãos de Duda Kroefff

Além dos pepinos grandes que tem pra resolver com jogadores, uma importante pessoa pública muito conhecida na cidade por ser notória gremista estaria lhe trazendo um enorme problema. É que com grande influênca e muito popular, esta pessoa teria usado a catraca número 16 , ou o portão numero 16 do último jogo do Grêmio no Olímpico pra botar 200 gremistas dentro de graça. E o guarda da catraca - um brigadiano em férias,ou já aposentado - teria aceito o carteiraço desta pessoa, mas levado o assunto ao presidente do clube. Bom, as câmaras agora vão dizer se entraram ou não de graça no Olímpico....

O Aeromóvel é sério ou midiático?

Sempre me contaram que quando Jair Soares era governador do Estado olhava pela janela do Palácio Piratini e esbravejava:

- Olha,foram colocar aquela d....logo ali na minha vista,deviam ter colocado nos cafundós do judas...

Não se é isto literalmente que o governador dizia, mas durante seu governo, o projeto do aeromóvel não andou. Ficou ali na av. Loureiro da Silva à espera de investimento.

Agora surgem notícias de que o aeromóvel terá trechos dentro do estacionamento da pUC. " Ver para crer" como se diria....
A primeira linhazinha do aeromóvel - foi onde o conheci - surgiu na estrada da Serraria, na zona sul de Porto Alegre.

"O Francisconi( Jorge Guilherme Francisconi,então presidente da EBTU) foi lá pra conhecer o projeto e me disse: tenho cinco minutos pra ti. Ficou lá quatro conversando depois...lembrou Oscar Coester, o inventor do aeromóvel, dias atrás.

Foi com verbas oficiais que foi construído o trajeto da Loureiro da Silva, que tanto irritava o governador Jair Soares, porque ao fazê-lo à vista de todo mundo ele se obrigava a dar seguimento à obra.

Na verdade, o aeromóvel já foi motivo de espionagem industrial, ou tentativa de . " Uma vez vieram uns japoneses que ficavam com câmaras escondidas em prédios vizinhos fotogrando o aeromóvel quando este fazia os testes" contou-se a jornalista Ana Elusa, que foi assessora de imprensa de Coester nos anos 80 e 90.
Agora, ao lado da academia - PUC e UFRGS - pode ser que o invento decole.

Mas e o acidente que houve com ele no dia da inauguração de um trecho dentro de um parque em Jacarta, capital da Indonésia?

As agências internacionais deram grande destaque ao fato porque no trem estava o ditador da Indonésia e muita gente pensou tratar-se na verdade de uma tentado. " Foi uma manobra errada do piloto" disse Coester que estava sentado ao lado do presidente da Indonésia no dia do acidente.

Ele foi acordado de madrugada no hotel pelas agências internacionais como UPI, France Press, pra que explicasse que invento era aquele.

Aqui em Porto Alegre e no Brasil em geral, não temos nenhum trecho do aeromóvel, a não ser aquela experimental da Loureiro da Silva.

MAU Humor!

Lembrei-me,ontem,dia 29/05 de uma certa feita que o colega Ivo Stigger pegou o avião em São Paulo e dentro dele encontrou que vinha do Rio a secretária da redação de ZH, Vânia Weber.

Sentaram juntos e vieram no maior papo até Porto. Depois a Vânia ainda deu carona ao Stigger." Estranhei o bom humor dela naquele dia"conta Stigger. No dia seguinte, ele foi pra redação e a primeira coisa que fez foi entrar na sala pra falar com a colega. Levou um puta corridão na hora....A Vânia, diz Stigerr,tinha voltado ao seu " normal".

Pois eu quinta feira passada liguei pra Cristina Pinto, no Trensurb. Batemos um bom papo, a Cristina estava tri legal...Mas na sexta,hoje, liguei pra complementar o papo e a Cristina parecia a estação que se aproxima, o inverno: um dia de chuva,vento e frio açoitando os lombos da gente. Estava sem humor e em dois segundos " cortou" a conve rsa. Assim são as pessoas cujo humor muda todo dia....

Patagônia

Ainda pros leitores se deliciarem nesta segunda com as fotos que a leitora Naira mandou de sua última viagem a Patagônia, realizada em fevereiro passado.Há uma do vulcão Osorno, que fica no Chile e as demais também da região. Um primor...

os Municípios e seus habitantes

Quem nasce em Boa Vista do Cadeado o que é?

Quem nasceu em Pau Fincado o que é?

Quem nasce em Não Me Toque o que é?

Quem nasce em Anta Gorda o que é?

Causos de rodoviárias (I)

Prefeito bom este?

Único político brasileiro que se saiba que morreu preso, Gabriel Mallmann, era um notívago por excelência e tinha o hábito de somente ir dormir de madrugada.Antes lia os jornais e escutava o rádio.E antes que o sono o tombasse, ele tinha o hábito de lá pelas cinco horas da manhã ir até a rodoviária de Estrela - da qual, por sinal é emérito - tomar um mate junto com seu particular amigo Eugênio Noll.Eugênio era o único conhecido e amigo que àquela hora em Estrela poderia estar à disposição.
Sempre que chegava na rodoviária de Estrela, Noll o recebia com uma cuia de erva fresquinha e água quente na térmica.

Numa destas madrugadas em que o prefeito e o concessionário conversavam animadamente, chegou um padre na rodoviária para comprar uma passagem.Quando o padre entrou no recinto onde estavam Mallmann e Noll, o prefeito justamente estava se levantando pra ir dormir.
- Bem,agora vou pro trabalho,disse ele ao padre!
O padre ficou pensando naquilo e perguntou ao concessionário quem era o cidadão.
- Ah, este é o nosso prefeito, o Sr. Gabriel Mallmann.
- Bah, exclamou o padre. E acrescentou:
- É de um prefeito assim que precisamos lána minha cidade.

O Revel e " Maria Bethânia" ( parte II)

Os fatos aqui narrados são invenção. Qualquer coincidência com a realidade é mera casualidade.

Pois o profissional que acabou preso cautelarmente tinha o costume de frequentar um grupo de colegas durante uma noite da semana em que se conversava de tudo, principalmente de política e futebol.Tinha lá uns rolos de vezemquando, mas tudo acabava num lugar que tinha um nome inglês pelo centro, mas que o profissional chamara de " A Picanha". Lá este profissional era conhecido, podia pendurar, às vezes a conta, tinha copa franca com o dono porque ambos eram, ou melhor são, de Cachoeira do Sul. Tanto que o profssional tinha o apelido meio que dado a revel de sua preferência de Cachoeira. Tudo pra ele tinha de ser de Cachoeira, tudo o que era de Cachoeira era melhor do que o dos outros...

O profissional acabou preso e dias atrás o novo encontro dos colegas aconteceu. Sem sua presença, evidente. Mas a " Maria Bethãnia" embora ninguém tenha contado pra ela, acabou descobrindo pelo MSN que o profissional tinha sumido. Ela só não sabia pra onde , nem porque. É que ela mandou um MSN durante a tarde daquele dia - ela fora detido no dia anterior - e a resposta não veio. Ficou um silêncio....

- Ih, tem alguma coisa, desconfiou " Maria Bethânia".

Aí ela entrou no site do Ministério Público Estadual,digitou o nome do profissional e veio lá tudo.... uma extensão lista de citações e intimações.

Ela, por conta própria, descobriu que o profissional tinha contas a ajustar com a Justiça.

Mas foi mesmo com os colegas daquele dia da semana que ela desabafou:

- Diz\ pra ela que eu sei tudo, manda dizer que a " Maria Bethânia" já sabe de tudo.

 

 

 
 
Arquivo do Blog

2009
             
2008
xMaix
2007            

 
 


Espaço dos Leitores

Olides,vou ter que pedir para o Chagas escrever alguma coisa numa das colunas dele sobre esta hitoria do Brizola.Eu convivo pelo menos 12 horas por dia com ele.Ele jamais se ofereceria para alguem, para escrever uma biografia.Eu sou testemunha ocular da historia.Eu vi e ouvi o Brizola pedir para o Chagas escrever a biografia dele.Agora,eu te pergunto,quem é o Danilo Greff para duvidar do Chagas? Agora estou em casa,brincando com o meu Notebook,mas amanha cedo,vou mostrar para o Chagas o teu e-mail. E tu acaba com esta zorra...acredite ou não. Um dia eu vou te contar quem é o Danilo.Ele é do meu tempo de PUC.Conheço bem a fera. Tchau que eu vou conversar com a minha namorada o que é muito melhor. Pô,estou uma fera no computador...
Sergio Ross

eu tenho uma historinha legal com o Shigueru Nagasawa como personagem e que pega esse lado da dificuldade dele de se comunicar em português, conforme menciona o karnas. na minha época, na zh (71/74) ele ainda trabalhava lá e o pessoal chamava de "brasileiro amarelinho". e ele não gostava. a historinha é a seguinte: certa madrugada, o plantão da reportagem policial (nem lembro se era eu mesmo) fez uma matéria sobre uma mulher que foi estuprada na vila teodora (que não existe mais) ali perto do que hoje é o dcnavegantes. pois o shigueru fez as fotos e identificou assim o envelope dos negativos e contatos (coisa que também já não existe mais): "maça ser viciada na vila teodora". o que ele queria dizer (ou escrever) era 'moça seviciada na vila teodora'. abraço
lauro dieckmann

Olides. Olha só!
Recebi o "Pauta - O avesso das redações". Obrigado. Viste como eu não moro na roça tão assim no fim do mundo?
No teu livro, belos e maravilhosos registros pinçados da nossa história, dos coleguinhas, companheiros e amigos. Há tanto tempo fora do RS, surpreendi-me com o rol dos que já passaram por aqui e agora nos olham de um outro plano. Concluo que estou no lucro.
Surprendi-me e fiquei contente em figurar no teu livro (página 102), pelo menos na hora do meu casamento. A data está correta e os fatos relativos âs minhas premiações no jornalismo, àquela época, idem. O que posso te revelar sobre esta tua nota publicada sobre mim, é que aqueles prêmios foram responsáveis pelo meu casamento naquele ano de 71, justo no dia da Bandeira (e data de aniversário da Núbia). Sonia (o nome correto dela é Sonia Mara, e não Nara), com quem casei, depois de anos de namoro descobriu o saldo da minha conta corrente no banco, avolumado com a grana dos prêmios de jornalismo que ganhei. Aí, não teve jeito. Ela me prensou e me deu ultimato para o casório. Ela era muito querida na redação da Folha da Manhã e, talvez, a única autorizada a sentar na cadeira do saudoso Capitão Erasmo Nascentes. Nossos padrinhos de casamento foram sorteados entre todos os colegas da redação: Florianinho (Floriano Fidélis Correa) foi o meu e João Borges de Souza o dela. Dos colegas de redação ganhamos uma geladeira de presente. No dia do casório trabalhei até às 4 da tarde. Depois saí, fui ao apê na rua Gen. Portinho, botei uma beca e com Sonia fui para o Cartório na Riachuelo. Lá estavam nossos padrinhos, o Florianão (Floriano Hengist Correa), a Núbia Silveira, o Carlos Marino Urbim, a Laila Lontra Pinheiro (esposa do Ibsen Pinheiro) e mais alguns poucos da Folhinha. Capitão Erasmo ainda me deu uma puteada antes de eu ir para o casório. Era uma sexta-feira às 5 da tarde e ele reclamou que não iria poder estar lá porque alguém tinha que ficar na redação para o fechamento do jornal e do Correspondente Renner na Guaíba. Foi assim que aconteceu. Depois do sim, meu e da Sonia, saimos todos nos divertindo pela Riachuelo. Foi a primeira e única vez que nós, e os amigos presentes, estávamos de terno e gravata, aprumadinhos como só vendo. Juntos, caminhamos pelo centro da cidade como se estivéssemos numa cena de filme do Fellini. Parecia saída de casamento italiano. Eheheheh! Sonia foi para o nosso apê e eu fui pegar o ônibus para ir fazer as últimas três provas de conclusão da faculdade na Famecos-PUC. Só depois, na volta da faculdade, é que houve a comemoração do casório. Só nós, o casal, participamos, num restaurante italiano que existia na Andrade Neves. Sandra Garcia (falecida), colunista social da Folhinha, foi a responsável pelas notas que saíram antes e depois sobre o meu casório. Os pais da noiva ficaram sabendo, em Erechim, onde moravam, do nosso casamento pelo jornal, depois do acontecido. Um auê. Ah! Até hoje não tenho fotos do casamento (ou os negativos). O espanhol José Abraham foi quem fez as nossas fotos. Os negativos, se existirem, ainda estão no arquivo da Caldas Jr. Restaram-me uma 4 ou 5 fotos que José Abraham ampliou e me deu de presente, como flagrante histórico da minha vida particular e que foi exposto nos veículos da Calda Jr. Depois disso, reuni a turma da Folhinha para um jantar no apê dos recém casados. Compareceu um mundo de gente querida. Florianão, com seu peso, conseguiu quebrar a única cama de reserva que tínhamos na nossa precária vivenda. Eheheheh!
Valeu, cara!
Carlos Karnas

Olides Gostei do que tu escrevestes sobre a tua viagem a São Borja e Brizola.Só acho que ele merecia mais atenção dos companheiros do antigo PTB.Mas tudo bem,Rei morto,Rei posto... Se nao encontrares os meus livros nos proximos dez dias,não te preocupes,pois vou viajar no proximo dia 9 de julho para Paris e Roma.Acho que vou casar em Roma.A moça (não vou te dizer o nome,pois tu es muito fofoqueiro)é uma ex jornalista da RBS e agora,empresaria... que mora aqui emBrasilia. Quando eu voltar,volto a te ligar.Agora que sou profissional em e-mail é muito mole para mim. Sergio Ross

oi olides tu querias o nome beneficDOS COM BOLSA ESTUDOS DA ULBRA.correirinho publicou.mas sao os filos deputados enio,baci,germano bonow,verador luiz braz.senador sergio zambiasi.osmar terra, eliseu padilha etc.etc.correio do dia l9 de junho.o juiz l da vara canoas encaminhou ao procurador da republica em canoas abs
ne
lson moura

estava organizando a minha pasta de fotos do ano e encontrei as que estou enviando em anexo. referem-se àquela pauta descobre do passo de torres. são do plano para completar e melhorar o que o andreazza deixou pela metade.
gdld

São Borja, 18 de junho de 2009
Prezado Amigo
Jornalista OLIDES CANTON
No dia de ontem, enviei - via correio uma missiva, acusando o recebimento do teu apreciado jornal FITNESS, de abril. Enviei junto, um exemplar da Folha de São Borja, contendo a programação sobre as homenagens a Brizola. Pois o amigo me disse quando me enviou o jornal em 18 de maio, que virá a São Borja, no dia 21.
Talvez que o amigo receba hoje ou amanhã, esse material que te enviei.
Na missiva, digo sobre o teu jornal que está cada vez melhor. Apreciei muito o artigo do Jornalista JOSÉ NELSON GONZALEZ sobre o DYONÉLIO MACHADO, um dos maiores nomes da LITERATURA do RIO GRANDE DO SUL. Quando ele(nosso amigo comum, GONZALEZ) respondeu a ENTREVISTA, disse-me que iria me enviar através do amigo, uma fita, gravada com Teixeirinha. Não esqueça em me trazer essa relíquia.
Então, quando o amigo chegar me ligue, que estarei lá na Câmara de Vereadores, para batermos um papo. Com um grande abraço do amigo.
ISRAEL LOPES
escritor.israellopes@bol.com.br
E.T.: Pois agora estou com E-MAIL.

Porra Olides
Amigo como tu, eu nao preciso ter inimigo...
Po cara,sou eu que ligo todos os fins de semana...Aos domingo de madrugada.Isso tu não diz,não e´...
Agora,tenho aqui um monte de informações,mas não vou te mandar porra nenhuma.
Vou começar a tirar dos meus arquivos as cagadas que fazias quando viajava conosco no Ministerio...
Mesmo assim um abraço e não esqueça dos livros do Gremio que eu pedi...
Sergio Ross

só faltou dizer que as matérias que o 'repórter que não sabia escrever' mandava para o estadão eram os releases que ele simplesmente copiava direto no telex e assinava como se fossem dele. a graça da coisa é essa.
gdld

Prezado Gringo!
01) - Te leio sempre.
02) - Os jornais te mandarei até o final de semana. Parei pois os teus
vizinhos ou o Correio não te entregavam.
03) - Não mandei mais notícias pois estou correndo com algumas coisas que
receberás futuramente.
04) - O Guaxo deve sair dentro de 60 dias.
05) - Viva Serafina!
mazzarino

o quevedo é MALA, malão, mala do século no jornalismo gaúcho. é o 'hipólito josé da costa' dos malas do jornalismo no rgs, o mala pioneiro, o fundador da malice no jornalismo pampeano.
mas é uma boa alma...
ld

 
 


Olides Canton - Jornalista e Escritor


Nascido em 16 de Janeiro de 1952 na cidade de Serafina Corrêa-RS, Olides Canton passou nesta cidade toda a sua infância. Mudando-se para Porto Alegre, cursou a Escola Julio de Castilhos, tornando-se Bacharel em Comunicação Social pela FABICO/UFRGS em 1982. Trabalha como Jornalista desde 1970. Trabalhou na Companhia Jornalística Caldas Júnior, Jornal Zero Hora. No Jornal do Brasil e Revista Carga e Transporte atuou como free-lancer. Editor do Jornal de Bordo e Revista Fitness. Possui 9 livros publicados. Ganhou quatro prêmios de Jornalismo, um do Badesul, dois do Setcergs e um da ARI. Registro no Sindicato dos Jornalistas RS: 2776 - Registro Jornalista - Mtb 4959.

Telefone: (51) 3330-6803
e-mail: contato@deolhoseouvidos.com.br

Autor de inúmeros livros, Olides Canton firmou-se como um
exímio contador de histórias contemporâneas.
Conheça agora as obras do autor

© "de Olhos e Ouvidos"  -  Todos os direitos reservados
Os textos e imagens publicados neste site são de inteira responsabilidade de Olides Canton.

 


ALTO DA PÁGINA

101Sul
Aceg
Affonso Ritter
Agência Edison Castêncio
Agenciafreelancer
Assembéia Legislativa RS
ATM
Bancada Gaúcha
Blog das Américas
Blog do Ucha
Brasil Imprensa Livre
Capital Gaúcha
Clovis Heberle
Coletiva.net

College of Liberal Arts
Comuniquese
Crise na Ulbra
Darci Filho
Diego Casagrande
E aí beleza?
Ecoagencia.com.br
Emanuel Mattos
Enfato
Esquina Democrática
Espaço Vital
Espanhol Fotos
Eu acho que
Famurs

Felipe Vieira
Fernando Albrecht

Fernando Gabeira
Frota & Cia
Gilberto Simões Pires
Governo do Estado do RS
Ieda Risco
Jayme Copstein
Jornal A Hora
Jornal do Mercado
Jornal Panorama Regional
José Dirceu
José Luiz Prévidi

Laura Peixoto
Mirian Fichtner
Odinha Peregrina
Partido Progressista
Percival Puggina
Políbio Braga
Política para Políticos
Por outro lado
Prefeitura de P.Alegre
Prefeitura Serafina Correa
Programa.com
Ricardo Noblat
Roendo as unhas
Rogério Mendelski
Rosane Oliveira
RS Urgente
Sec Segurança Pública
Sindicato dos Jornalistas
Sup. Portos e Rodovias
Valeria Reis
Via Política
Vide Versus
Yucumã
Zero Hora
Ziptop

REPORTAGENS
ESPECIAIS


Veja em "Memória"





 

 

 



amplie a imagem amplie a imagem amplie a imagem