Noticias e comentários sobre política, Gafes, episódios e causos dos que fazem a notícia Estradas, ônibus, restaurantes e histórias familiares, são parte da literatura do autor
 

Arquivo: Janeiro de 2008



 
 

Sala de Imprensa no Salgado Filho

Um dos objetivos deste site é também recuperar a memória do jornalismo gaúcho e sem falsa modéstia, até brasileiro. Pois agora neste feriado do Carnaval/2008 vou falar da sala de imprensa que existia no Aeroporto Internacional Salgado Filho,fechada há tempos.Esta sala depois de um tempo funcionando passou  a chamar-se sala " Aldo Renato Schnmitz" em memória do colega morto lá trabalhando na década de 70.


Segundo Nelson J. Moura,que trabalhou no DAER e na Folha da Tarde,da CJCJ, esta sala de imprensa funcionou durante anos. Os jornalistas redigiam suas matérias nas máquinas que havia lá e também havia cafezinho.

As autoridades eram levadas para lá para dar entrevistas, mas alguns " sacaneavam" os colegas e davam furos.Trabalharam lá ao que se lembra Moura, Otálio Camargo,leitor deste site, Elodio Rodrigues,Odilon Camargo( cinegrafista da TV Gaúcha,) Lamaison Porto, Firmino Bimbi(presidente do Sindicato dos Jornalistas-RS 1955-1965). Os móveis teriam sido doadas pela ARI, ou por uma empresa particular.


Publicamos duas fotos da sala de imprensa. A primeira é do dia em que ela foi inaugurada, infelizmente não tenho a data. da esq. para a dir. aparecem os jornalista Cecílio Pereira(falecido) o diretor-presidente da Cintea Antônio Augusto Castelo Costa( que segundo Nelson Moura,colaborou com a sala doando o mobiliário,Firmino Bimbi, presidente do Sindicato dos Jornalistas-RS, Nelson J. Moura, da Folha da Tarde e Ismail Fernandes, do Diário de Notícias. Todos estão mortos, menos o Moura.


Um Kennedy no Salgado Filho

A segunda foto é de um furo que o Moura deu quando repórter no aeroporto Salgado Filho.Vou transcrever o que Moura já publicou sobre seu feito.

" Viajando a bordo de um jato Caravelle, da Varig,procedente do Nordeste brasileiro,em trânsito para Buenos Aires, esteve em Porto Alegre,durante duas horas,Edward Kennedy, irmão de John Kennedy,presidente dos USA.Isto foi em agosto de 1961. O jornalista Nelson J. Moura teve a oportunidade de com exclusividade palestrar com a ilustre visita. No dia seguinte publicou o " furo" na FTarde, da CJCJ. Boa pinta e bonitão,Edward chamou a atenção das moças
que circulavam pelo Salgado Filho.

No restaurante do Aurélio Ghilosso, provou a cerveja brasileira(bebeu uma antártica). O jovem TED, de apenas 29 anos, se fazia acompanhar de um escritor, que falava o espanhol e por isto Nelson Moura e o fotógrafo Alberto Etchart, da Caldas Junior, puderam lhe endereçar perguntas.Mais tarde, narra Moura, Kennedy quase perdeu o avião para B. Aires pois ficou junto a uma estande de revistas folheando distraído alguns exemplares das mesmas. Somente quando o serviço de alto-falante do Departamento de Aeronaútica Civil(DAC) repetiu seu nome foi que se deu conta que o aparelho se preparava para decolar rumo ao destino final. Moura contou-me ainda que o Kennedy desceu no Salgado Filho por causa do mau-tempo reinante.


Marcopolo promove mudanças em sua estrutura para atender
ao crescimento planejado para os próvimos anos

A Marcopolo S/A promove em Janeiro mudanças .... Veja a matéria na integra.


Rua do Perdão está de Volta
Manifestação cultural carnavalesca da década de 70 tem seu retorno


Foliões já podem comemorar a boa nova: Rua do Perdão, um espaço aberto para o povo está de volta à cidade. Um dos maiores exemplos de carnaval de rua do Estado durante o final da década de 70 e que durou até 1984 tem sua volta com força total. A atividade já está marcada para terça-feira gorda de Carnaval, dia 05 de fevereiro. Às 14 horas haverá um banho de água de cheiro para limpar a rua feito por babalorixás, ialorixás e alas de baianas das escolas de samba.  A partir das 15 horas as crianças poderão participar do grandioso baile infantil. Diversas atrações farão parte da programação, brincadeiras, bandas. Entre os que já confirmaram a sua presença para participar da Rua do Perdão estão: Cara do Samba, Ponto Z, Marcelo Kará, Jajá, Geraldo Show e Paulinho do Banjo.O endereço é o mesmo das outras edições: Rua da República, com palco montado bem em frente ao Teatro Túlio Piva. Piratas, arlequins, pierrôs, colombinas, super-heróis são esperados. O convite é para que a comunidade traga seus filhos, netos, bisnetos, sobrinhos, amigos e venham se divertir ao som do mais puro samba. De acordo com Waldemar Moura Lima, Pernambuco, coordenador do evento, "é uma forma de resgatar os antigos carnavais de rua, manifestações quase que espontâneas que existiam em Porto Alegre e que foram morrendo". O evento conta com o apoio da Associação das Entidades Carnavalescas do Rio Grande do Sul e Prefeitura Municipal de Porto Alegre.

O quê: Rua do Perdão - Baile Infantil
Onde: Rua da República
Quando: 05 de fevereiro, terça-feira de Carnaval
Hora: A partir das 15h
Jeanice Dias Ramos - Jornalista

 

Nobre alegra nosso carnaval! - Carlos Nobre e o carnaval!
As maiores datas do ano no Brasil: Carnaval( que dura três dias)
e véspera de carnaval que durou 362 dias.

O Brasil acaba de ser adiado mais uma vez - pra depois do carnaval.

Sim, o carnaval é a maior diversão desde que você não precise ir ao banheiro de alguns clubes


Marcha das Corujas, do Edgar Pozzer, vira bloco em Capão da Canoa
Neste carnaval,sairá um bloco em Capão da Canoa, patrocinado pela Sociedade Amigos Capão da Canoa(SACC)chamado de Bloco das Corujas. Foi talento do Pozzer que incentivou esta marchinhas que pegou como coqueluche.

Marcha das Corujas

AH! SÃO AS CORUJAS
O FATO NOVO QUE É ATRAÇÃO
POIS A ONDA AQUI NA PRAIA
SÃO AS CORUJAS DE CAPÃO

CHEGA DE ROLO E CONFUSÃO
AQUI NA PRAIA TODO MUNDO É IRMÃO
EU QUERO SOL E BRINCADEIRAS
SALVE AS DUNAS E AS CORUJAS-BURAQUEIRAS

AH! SÃO AS CORUJAS...

SOMOS DE PAZ E ALEGRIA
VIEMOS PRA PRAIA PRA CURTIR ESTA FOLIA
NÃO QUERO TRAQUE NEM ROJÃO
SALVE AS DUNAS E AS CORUJAS DE CAPÃOAH! SÃO AS CORUJAS...

DUNAS TEM NINHO DE QUERO-QUERO
DE TUCO-TUCO, LAGARTIXA E GAVIÃO
LARGAR FOGUETE NÃO É CERTO NÃO
EM FRENTE AO NINHO DAS CORUJAS DE CAPÃO

AH! SÃO AS CORUJAS...

SALVE A BRIGADA AMBIENTAL
SALVOU AS CORUJAS DESTE MUNDO ANIMAL
ISTO QUE É SER GAÚCHO
CUMPRINDO LEIS E AGUENTANDO O REPUXO

AH! SÃO AS CORUJAS...

UH! UH! AH! AH!
QUEM AGRIDE A NATUREZA
CEDO OU TARDE VAI PAGAR
UH! UH! AH! AH!
QUEM AGRIDE A NATUREZA
CEDO OU TARDE VAI PAGAR


Pretto Hotel era local de políticos
Volta e meia a imprensa fala do Pretto Hotel, que segundo o dentista José Nelson Gonzales, de 83 anos, funcionou na av. Salgado Filho, em frente ao atual prédio da BrasilTelecom (entre Mal.Floriano e Borges de Medeiros). O Pretto Hotel teve seu auge na década de 50 do século passado, depois que queimou o Grande Hotel.


Pretto Hotel I
No dia 22/06/2005 Flávio Alcaraz Gomes, na rádio Guaíba, ligou para o ex-senador Paulo Brossard pra saber como ele conhecera Leonel de Moura Brizola, já que o conhecido político falecera na véspera. Brossard disse a Flávio que conheceu Brizola no Pretto Hotel, agora não estou lembrado se porque ele o freqüentava, ou porque Brizola residiu nele.


Pretto Hotel II
O Governo do Estado assumiu a administração do Pretto Hotel porque o proprietário estava endividado. E vai ver que era por isto que muitos políticos influentes e que vinham do interior do Estado se hospedavam nele.


Pretto Hotel III


O capataz de Jango, Florentino Dutra, foi morto em outubro de 1954, no bar do Pretto Hotel
Na foto: Sereno Cheise, Percy Penalvo e Leonel Brizola, no túmulo de Florentino,
no Cemitério Jardim da Paz em São Borja.

Em outubro de 1954, pouco depois que Getúlio Vargas se matara, houve um grande tiroteio no bar Pretto Hotel numa manhã, onde,segundo o ex-prefeito de Porto Alegre, Sereno Chaise, acabaram mortas três pessoas. Uma delas foi o capanga de Jango Goulart Florentino Dutra que foi enterrado em S. Borja, no Cemitério Municipal Jardim da Paz. Sereno disse que o motivo destas três mortes foi que alguém ofendeu a memória de Getúlio, Florentino Dutra foi tirar satisfações e deu-se o tiroteio com 3 mortes. 


Coleguinhas
Cândido Norberto dos Santos, ex-presidente da Assembléia Legislativa do Estado, da TVE e criador do Sala de Redação na Rádio Gaúcha tem 85 anos.

Os colegas da Coletiva Net deram ontem, dia 31/01 que Simone Iglesias fora convidada para o lugar do Armando Burd no CP. Aqui já saiu há muito tempo. É uma honra que estejam nos suitando.

Um colunista de um jornal da capital, bastante conhecido, com programa em rádio, resolveu como fará para ter fotos para sua coluna já que os fotógrafos do jornal tinham dificuldades em abastecê-lo: ele mesmo fotografará com uma maquininha. Isto está cada vez mais difundido. Os fotógrafos da ZH, por exemplo, fazem uma foto pro jornal do dia seguinte e no mesmo ato
mandam pra colocar na Zero Hora.com



O senador Pedro Simon, recebe em sua casa de praia, em rainha do mar, o deputado estadual L.F. Záchia.
Foto: Agência Edison Castencio



Senador Simon completa 78 anos hoje!

Uma das principais raposas políticas do RS na metade do século passado, o caxiense  Pedro Jorge Simon, completa neste dia 31/01. Simon nasceu em Caxias do Sul e começou a carreira política em 1958 ao se eleger vereador caxiense pelo extinto Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Também pelo PTB elegeu-se deputado estadual em 1962 fazendo 7.876 votos. Em 1965 foram criados a Arena e o MDB e Pedro Simon se reelegeu deputado estadual pelo MDB sendo o segundo mais votado na sigla com 34.412 votos. Em 1970, Pedro Simon foi o deputado estadual do RS mais votado do MDB fazendo 61.944 votos. Em 1974 reelegeu-se deputado estadual pelo MDB sendo de novo o candidato mais votgado do partido com 141.883 votos.

Em 1978, Pedro Simon elegeu-se senador da República pelo MDB fazendo 1.751.469 votos, 55,96% dos votos válidos. Seus suplentes foram Alcides Saldanha (hoje presidente da Agergs) e Ivo Sprandel. Mário Bernardino Ramos, da Arena, ficou em segundo lugar com 19,82% dos votos válidos.

Em 1979 acabou o bipartidarismo no país.

Em 1982, numa eleição que o PMDB dava como ganha, Pedro Jorge Simon, seu candidato ao governo do Estado perdeu sua única eleição na vida. Foi derrotado por Jair de Oliveira Soares  que fez 22.373 votos a mais que Simon. Foram 1.294.692 contra 1.272.319. Jair elegeu-se pelo PDS e houve mais candidaturas, de Alceu Collares, pelo PDT e Olívio Dutra pelo PT. Todos que concorreram neste ano acabaram governadores e todos estão vivos.

Em 1986, Pedro Simon, aproveitando a grande popularidade do Plano Cruzado de Dilson Funaro deu ao PMDB elegeu-se governador do Estado fazendo 2.009.381 votos , 41,68% do total dos válidos.Seu vice foi Synval Guazzelli, que depois assumiu o Governo durante 9 meses,quando Simon saiu para concorrer ao Senado novamente.

Em 1990 para o Senado Simon fez 1.576.497 votos, elegendo-se com 30,17% dos votos válidos. Sanchotene Felice, representante da União por Um Novo Rio Grande(UPNRG) englobando o PDS,PL,PFL e PRN ficou em segundo lugar com 17,58% dos votos. Em 3 de outubro de 1998, Simon reelegeu-se Senador, com 54,33% dos votos,concorrendo pela Coligação Rio Grande Vencedor. Fez 2.485.111 votos( mais do que o candidato a presidente da República Luis Inácio Lula da Silva, que fazia muitos votos no RS). Em segundo lugar, ficou José Paulo Bisol, do PT, com 30,47% dos votos.

A última eleição disputada pelo senador foi em 3 de outubro de 2006 quando Pedro Simon fez 1.862.560 votos, ficando com 27,90% dos votos. Seu mandato vai até 2014.

Simon faz política da seguinte forma: " uma no cravo, outra na ferradura", diz um repórter  político que acompanha a política riograndense há muitos anos.Também não prega prego sem estopa. Em 1998, correram algumas versões de que o então possível candidato pelo PT ao Senado Tarso Genro, que nas pesquisas estava melhor que Simon, não teria concorrido, porque não queria lhe tirar a vaga. O argumento que o então possível candidato do PT usou seria este: " não vou fazer isto com o Simon que tirou meu pai da cadeia na época da ditadura militar".De uma outra feita, o radialista Lasier Martins também sonhava com o Senado. Pedro Simon teria ido até os estúdios da RBS TV e provado a Lasier que ele ganhava muito mais ficando onde está. Se non e vero, e ben trovato!




O senador Pedro Simon, em agosto de 1998, pede votos em Alvorada(RS)
Foto de Carlos A. Silva




Da esq. p/dir. O candidato ao governo do Estado, Antônio Britto Filho,
o senador Pedro Simon e o então quadro do PSDB, Antônio Hohlfeldt na convenção
da coligação em 1998. Britto e Simon romperiam mais tarde. Foto de Mauro Mattos.




Na campanha ao senado em 1998, em Silveira Martins(na região de Sta Maria),
Simon caminha pela rua central da pequena cidade. em 8.8.1998. Foto de Carlos A. Silva




Pedro Simon pede votos a agricultores em Vista Alegre do Prata
(perto de Guaporé) em 1998.Foto de Carlos A. Silva.



Frederico entrega relatório a governadora
Ontem,dia 29/01, o presidente da Assembléia Legislativa do Estado,deputado Frederico Antunes (PP)esteve no gabinete da governadora Yeda Crusius entregando o relatório de 2007.É uma cerimônia do adeus do cargo... foto é da agência edison castêncio.


Coleguinhas I
Mais um racha no barzinho da ARI. Não convidem para a mesmas mesa, o diretor de patrimônio da ARI, Verdi Fachini, e o colunista de O SUl e o representante da ARI no Conselho de Cultura do Estado Wanderley Soares.


Coleguinhas II
O escritório do advogado Marco Chagas conseguiu derrubar através de liminar conseguida junto ao TRT medida que tirava 40% do salário do ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas-RS e Sindicato dos Radialistas-RS, José Carlos Torves.Torves teve sua função gratificada cortada pela direção da TVE,instituição da qual é funcionário, cedido a atuação sindical.


Coleguinhas III
Na Justiça, o advogado de José C. Torves vai reclamar dano moral contra a TVE pela divulgação em ZH,na coluna política Página 10,  em junho de 2007, do corte da FG. O reclamante acha que teve sua imagem pública prejudicada pela divulgação da medida.


Coleguinhas IV
A defesa da TVE será basicamente calcada no fato de que não foi a Fundação quem  divulgou que o salário do seu funcionário fora rebaixado. 


Coleguinhas 1
Armando Burd fora do Correio do Povo a partir de dia 01/02. Nenhuma novidade para este site. Dei aqui muitos dias atrás que Telmo Flor havia convidado Simone Iglesias(hoje na FSP) para regressar ao CP. Só que ela foi chamada a S.Paulo, pelo jornal,ficou  uma semana em SP, e foi mantida na sucursal gaúcha.


Coleguinas 2
Onde há fumaça há fogo. No fim do ano passado, um fotógrafo do CP andava pelos corredores da Federasul dizendo que o colunista Burd " estava fora".


Coleguinhas 3
Taline Oppitz, em seis meses, será tão conhecida quanto Burd hoje.O que faz o santo é a veste e fora de um grande veículo,como o CP em pouco tempo ninguém mais sabe quem você é.


Coleguinhas 4
Como dizia o finado Melchíades Stricher, nada pessoal! Mas não brigo com notícia.Sei que isto incomoda muita gente.


Coleguinas 5
Me solidarido com o episódio do Cacau Menezes, do DC, que se quebrou numa notícia sobre a Caras em Floripa. Quem sempre dá furo, como ele, às vezes tropeça. Sempre gostei dele, lia sua coluna na década de 80 no Diário Catarinense quando veraneava lá e sem conhecê-lo via que era um cara com bala na agulha. O tempo estava a meu favor, tanto que hoje é o cara famoso que é... 


Coleguinhas 6
Carlos Bastos, que já deixou a coluna no JC, circulava dia 30/01 pela imprensa da Assembléia Legislativa do Estado. Será o novo superintendente.



Dep. L.F. Záchia entrega cargo a Delson Martini
No dia 29/01, o chefe da casa civil do Gov. do Estado, Dep. Luis F. Záchia(PMDB) passou o cargo a Delson Martini, que assumiu provisoriamente. Hoje, 30/01, Záchia assume a Sedai, no lugar de Nelson Proença(PPS) que foi para Brasília.


Suê Therezinha Duarte, quem conviveu contigo, tem saudade!

Suê Duarte (já falecida) é a que está com cigarro

Neste domingo de carnaval, se completam 7 anos da morte da colega repórter Suê Therezinha Duarte, que trabalhou muitos anos na rádio Guaíba, mas acho que também fez alguns biscates em assessorias de imprensa. A Suê morreu no domingo de carnaval do ano 2001,se não estou enganado, em casa. Nunca foi muito esclarecida a causa de seu óbito. Na segunda de carnaval, bem cedo,eu ouvia a Guaíba e escutei o convite de enterro. Fui pra lá e pasmen, era o único colega presente no Velório que foi no Cemitério São Miguel e Almas, em Porto Alegre.O marido de então da Suê estava estarrecido: ele dizia: mas ela sempre me disse que tinha muitos amigos jornalistas, não vejo ninguém aqui. E  relembrava: avisei ontem à noite o Mazzeron( Mário) pra avisar seus colegas, mas não veio ninguém.


Suê I
A verdade é que com colegas, ou sem, a Suê foi enterrada.A conheci quando militávamos em empresas diferentes. Digo militar porque a gente levava o jornalismo a sério.(não quero dizer que hoje seja diferente). Guerra era guerra. A Caldas e a RBS disputavam palmo a palmo as notícias. Eu estava na ZH, na segunda metade dos anos 70, e ela era da Guaíba. Se a gente não abrisse o olho, a Suê nos furava bonitaço,sem dó nem piedade.


Suê II
Eu particularmente a achava uma mulher atraente,não bonita. Ela fumava como uma louca.Quando cobríamos a greve dos motoristas de ônibus que pararam o Estado( foi a única greve de coletivos intermunicipais até hoje no Estado) a Suê chegava no sindicato das empresas de ônibus e sentava na escrivaninha da secretária Celanira Bopsin e usava seu telefone para passar notícias pra rádio. Não havia celular, é claro. A Celanira ficava puta, porque a Suê colocava as pernas encima da mesa e bem folgada,sentada na cadeira da secretária, gravava quantos boletins precisava. Não tava nem aí. E a Guaíba era ainda poderosa. A Caldas não tinha chegado ao fundo do poço.


Suê III
Num sábado que saímos junos do barzinho da  ARI a levei até a parada do seu ônibus pra Gravataí, no terminal da Carlos Chagas e ela me contou como conheceu a atual governadora Yeda. Disse ela que descobriu o professor Carlos Crusius, na Economia da UFRGS e com ele começou a fazer matéria da Economia. Um tempo depois, Carlos lhe disse: - Suê,de hoje em diante quem vai te dar entrevistas não sou mais eu, mas minha mulher, a Yeda.


Suê IV
Fui buscar o depoimento de quem chefiou a Suê muito tempo, no caso o Edison Maiano, hoje editor de Interior do Correio do Povo." Além de um coração enorme,disse Moiano, era solidária com os companheiros e muito competente como repórter". Era,disse-me o colega, uma repórter com " R" maiúsculo.Segundo Moiano, as entidades de classe do jornalismo deveriam recuperar a memória de jornalistas como a Suê para que sirvam de referencial para as novas gerações de jornalistas.


Suê V
Moiano, interrompendo seu trabalho no CP, ainda disse: "Ela nunca se dobrava aos poderosos. Uma vez o Paulo Maful  teve um desentendimento com ela no aeroporto, não sei nem o motivo. Numa outra vez que ele veio ao Estado,ele perguntou no Salgado Filho: " cadê aquela menina desaforada?"


Suê VI
Ficou famoso um dos tantos furos que a Suê deu. Edison Moiano era o editor do Renner, na Guaíba e a Suê descobriu um avião carregado de armamento vindo da Inglaterra,destinado às Malvinas - ou Falklands - que fez um pouso de emergência no aeroporto internacional Salgado Filho em Porto Alegre. A Guaíba, através da Suê,deu um furo monumental na concorrência, que teve que correr atrás. Perguntei ao Moiano, como que ela descobriu. Ele me disse. Foi seu feelingo de repórter.


Suê VII
Outra ex-colega da Suê, na rádio Guaíba, foi a atual editora da tarde, Kátia Hoffmann. Ela conviveu pouco com a Suê, mas dá seu depoimento sobre a colega: "Ela gostava de jornalismo investigativo. Era batalhadora, gostava de ir fundo nas investigações". O locutor Mário Mazzeron, que conviveu com Suê,não quis dar depoimento sobre a ex-colega. Indicou Moiano e a Kátia.


Suê VIII
O escritor e jornalista Taylor Diniz, que trabalhou na rádio Guaíba, disse que o episódio do avião carregado de armamentos no aeroporto internacional Salgado Filho, descoberto e divulgado pela Suê em primeira mão quase provocou um atrito diplomático do Brasil com a Argentina.Ele lembrou ainda um episódio como desdobramento que ocorreu dentro da Guaíba. Acontece que lá tinha um " faz-tudo", chamado de Piu-Piu, o seu Quinteiro, que era usado principalmente pelos profissionais da emissora pra fazer a loteria esportiva.Este Piu-Piu vivia dizendo pra todo mundo que ele perdera a grande chance de sua vida, quando não havia ido para a Argentina junto com um amigo que enriquecera no vizinho pais, com uma rede de supermercados e que hoje era um grande influente junto ao governo do Prata. Pois bem, um vendedor da rádio,ligado ao Sidney Coelho, do comercial,  o " Lalau" - que depois trabalhou na Ordem dos Músicos, cobrando as taxas quando das apresentações musicais - aplicou o seguinte: ligou pro Piu-Piu,falando em castelhano, fazendo-se passar pelo tal do amigo rico que vivia na Argentina e dizendo que o que havia no avião não eram armas, era comida que ele estava importando e pedindo ao Piu-Piu que usasse de todo seu prestígio junto à direção da Guaíba pra liberar logo o avião porque senão a comida iria apodrecer. Piu-Piu caiu na lorota do vendedor(Lalau) e entrou correndo na redação da Guaíba num dia que o Renner era praticamente todo ele sobre o avião retido no Salgado Filho. E Piu-Piu implorava ao Edison Moiano que aquilo não eram armas, ele é que sabia da verdadeira história.Ele queria porque queria "derrubar" todo o noticiário do Renner, das 13 horas, encima de um trote que haviam lhe passado. Claro que o Moiano,puta velha,  viu logo que alguém tinha enrolado o ingênuo do Piu-Piu, que bobamente, queria mostrar que sabia tudo. E Moiano nem foi atrás. Deu seu noticiário que estava certo.


Suê IX
Taylor Diniz também lembra que uma noite o seu Quinteiro, o Piu-Piu, apareceu altas horas na redação da Rádio Guaíba e pôs a repórter Nelcira Nascimento em polvorosa. Acontece que Piu-Piu estava desaparecido fazia dias. E alguém havia dito ali na rádio que o " faz-tudo" havia morrido. Quando ele se apresentou na redação quase madrugada, a Nelcira entrou em pânico,achando que era seu fantasma.


Suê X
Outa boazinha do Taylor, que trabalhou também em Santa Maria. Havia lá  o apresentador Arnaldo Souzxa,de um programa matinal, destes bem tipo " Sérgio Zambiazi" mundo cão, que apresentava o programa SABE TUDO na rádio Imembuí. E as sete da manhã, ele usava o bordão: Vamos ver quem dormiu no casarão da Valle Machado!. Queria dizer quem tinha sido preso naquela noite, já que o presídio antigo da cidade ficava nesta rua.Arnaldo foi também vereador da cidade.  


Suê(última)
Em março de 1974, o presidente da República, Emílio Garrastazu Médici, foi a Bagé despedir-se de sua terra natal como presidente. Inaugurou o ginásio Militão. E ficou hospedado no Charrua Hotel. A Suê Duarte estava lá pela Guaíba e entrou no elevador em que estava o presidente, furando a segurança. De microfone em punho, transmitindo ao vivo, " peitou" o presidente. - Bom dia, presidente. Posso lhe fazer uma pergunta? -Pode disse Médici. Suê a fez e ele ficou quieto. Suê voltou a carga. Isto tudo ao vivo. E Médici,finalmente, respondeu: - Eu disse a você que poderia fazer a pergunta, mas não afirmei que iria respondê-la.



Foto de Ellis Pinheiro
Arraial do Cabo (RJ)



Coleguinhas
O ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas - RS, José Carlos Torves está em Porto Alegre. Tem audiência esta semana na Justiça do Trabalho em ação que move contra a TVE.


Serafina

Estive na minha terra natal, S.Correa, neste “findi” (26 e 27). Afora uma virose braba, que anda botando muita gente no hospital local, me inteirei de alguns fatos que repasso aos leitores. Serafina, pra quem não sabe, é aquela cidade a 230 km de Porto Alegre,onde em julho, durante a semana do município, só se fala o dialeto vêneto.


Serafina I
Já começou a "ronha", como diz o P.Ernesto Denardim, da r. Gaúcha, da política. Este ano vão pra eleição dois ex-prefeitos. Pela Situação, irá o atual  vice, Gheller, que é casado com a Maria Amélia Arroque, secretária do turismo do Município,filha de um vice-prefeito. É uma administração que já vem há oito anos.Pela Oposição parece que vai o ex-prefeito Jacir Salvi, pelo PT, com apoio de outros partidos fortes locais como PFL e PDS. Mas cuidado, a política em Serafina é um jogo rasteiro e é melhor " ficar surdo de tanto ouvir"...


Serafina II
Fiquei muito contente na rodoviária quando descobri que meu avó José é nome de uma ruazinha na cidade. Nem sabia.


Serafina III
Fui visitar uns primos na Capela S. Pedro com quem convivi muito na infância. Deixaram de ser agricultores, embora continuem morando nas terras que herdaram dos pais. Viraram motoristas, mas a família continua produzindo leite,queijo. Os filhos é que se bandearam pra cidade, ou foram para outros estados.


Serafina IV
Estou recolhendo historietas da localidade onde nasci. Já estou com bom material e espero publicar assim que puder. O prefeito Valcir, o Poli, me prometeu patrocínio porque também é a história dos municípios.


Serafina V
Como tudo, Serafina tem gremistas e colorados, duas rádios ( as duas disputam audiência com mesmos programas)dois jornais semanais e dois partidos PFL X PMDB. Os demais são satélites na política local.


Serafina VI
Na volta, peguei um táxi na rodoviária de Porto Alegre e o motorista me contou uma bronca que teve com um brigadiano. Diz ele que os atuais policiais militares são novos e segundo ele despreparados, porque querem fazer as leis ao invés de cumpri-las. Segundo este motorista, que tem ponto na rodoviária de Porto Alegre, ele viu o brigadiano xingar um colega porque este buzinou pra mulher, depois das 10 da noite, na frente do Ritter Hotel, o que, pela lei do silêncio, não pode. Ele foi defender o colega e o brigadiano "deu nos seus dedos”. Seria o caso de uma reunião entre o responsável do ponto com o policial? Deixou a pergunta no ar


Serafina VII
O meu sonho de consumo em Serafina seria comprar uma área, da família Morandi, na capela S. Pedro. Lá os pinheiros (araucárias) nunca foram derrubadas e há centenas e centenas.Algumas com diâmetro de dois metros. Colocaria na frente uma placa dizendo: " área de preservação florestal. Não insisita. Ninguém irá derrubá-la." Mas não tenho grana pra comprar esta terra e acho que não está à venda.


Serafina VIII
No sábado, almocei com um tio que está totalmente surdo. E outra tia minha, de 84 anos, que vive em Santa Catarina, também estava em Serafina. Como vive esta gente....


Carlos Nobre pra rir!



Hoje,segunda, 28/01, semana que antecede o carnaval, vou presentear meus leitores com alguma coisa sobre Carlos Nobre, o humorista nascido  José Evaristo Villalobos Junior,em Guaíba ( por isto que ele cunhou a famosa expressão " TERRA É GUAÍBA!")no dia 7 de abril de 1929 e falecido prematuramente em 16 de dezembro de 1985. Engraçado é que neste tempo todo ninguém fez uma biografia deste humorista que divertia multidões no silêncio dos seus textos.


Nobre I
Carlos Nobre era engraçado pessoalmente. Quando queria, sabia imitar uma bicha à perfeição e o fazia pra divertir os amigos. Mas era, por paradoxal que pareça, também muito família. Em Tramandaí, onde veraneava, ficava sempre com a esposa,Virgínia e com os filhos Marquinhos e Nobrinho, por sinal ambos jornalistas.


Nobre II
Sua rotina no hotel Beira-Mar, em Tramandaí, do seu amigo, Miro Weber, onde se hospedava num dos quartos nos fundos, era de manhã cedo tomar café, redigir a coluna - sempre sozinho - e depois a entregava na redaçãozinha do jornal localizada no primeiro andar. Engraçado é que sua coluna vinha limpinha, as laudas impecáveis,sem nenhum borrão e alguma correção feita com esmero à caneta. A coluna jamais podia extraviar-se que o Nobre ia à loucura.


Nobre III
Parece que o estou vendo subindo a escada do hotel, de bermudão, camisa sempre aberta à frente e cara de palhaço. Nunca vi Nobre mal-humorado. Vai ver que quando ficava mal-humorado - estar com a Joaninha, como se diz hoje em dia - ficava sozinho. Entrava na redação, cumprimentava quem estava lá e com educação pedia pra deixar a coluna ( as laudas datilografadas) e com a foto da boazinha. Sempre tinha uma mulher pelada, que ele tirava sarro.


Nobre IV
Claro que o Nobre tinha uma agência que lhe fornecia as mulheres peladonas pra ele tirar sarro. Quando elas ficavam muito manjadas ele pedia pra secretária Vânia, da ZH, providenciar junto a uma agência paulista, as fotos das peladonas pra ele tirar sarro.


Nobre V
Depois de entregar sua coluna pro jornal no dia seguinte, ele começava sua " via-sacra" no bom sentido. Lá pelas l0h30 ia pra Taberna do Willy - que os leitores de sua coluna encheram o saco de tantos elogios que ele dava -  e abria os trabalhos. Começava a beber. E Nobre bebia... E a fumar piteira, mas principalmente não fazer nada. Parecia que ele tinha que fazer a crônica da vida dos outros, por isto estava sempre na mesa do bar, espreitando as novidades...


Nobre VI
Era muito pouco social, embora fosse uma pessoal afável. Fugia dos chatos, com uma competência sem igual, pois sabia desaparecer sem magoá-los.


Nobre VII
Depois do almoço na Taberna do Willy, na Av. Emancipação, Nobre voltava pro Beira Mar. Às vezes quando o Miro Weber preparava um almoço especial, ele filava um rango no próprio hotel junto com o Miro e a família de ambos.


Nobre VIII
A sexta era sagrada. Acordava sempre lá pelas 4 da tarde e já voltava pros bares. Mas ele sempre tinha algum tipo de compromisso social, ou seja, alguma festa em que queriam sua presença. Quando terminava seu período de veraneio, ele sumiu sem deixar rastro. Sabia-se que voltara a Porto Alegre porque não aparecia mais na redação improvisada no Beira-Mar.


Nobre IX
Miro Weber me contou no ano de 2006, que uma vez ele, Nobre, Telmo de Lima Freitas e mais alguns amigos fizeram um roteiro etílico tão grande que já madrugada alta, amanhecendo, havia chovido e Nobre, de tão bêbado, exigiu que colocassem uma tábua que servisse de pinguela pra atravessar uma sarjeta, onde havia água. Ele estava “enxergando" um grande volume de água. Era o porre. Naquela noite, segundo Miro, devem ter batido em sete ou oito casas de amigos e em todas as casas beberam.


Nobre X
Era uma pessoa terna. Uma vez estava no restaurante  Copacabana - ele ia muito neste restaurante e no Pastoriza, onde elogiava o salsichão - e seu grande amigo Chico Spina, um dos sócios, avisou que no outro dia matariam um cabrito que estava nos fundos. Nobre não deixou. O levou no fusquinha pra casa.


Nobre XI
Gremista fanático, dois anos antes de morrer, viu seu time do coração ser campeão Mundial em Tóquio. Só que de tanto medo se fechou no banheiro pra não ouvir o rádio. Seu filho, Nobrinho, que é colorado ferrenho e até funcionário do Inter é, o avisava: - Pai, sai daí, o Grêmio já ganhou. Não estás ouvindo os foguetes? E ele respondia, todo assustado, de dentro do banheiro. - Que nada meu filho. Os foguetes são dos colorados.


Nobre XII
Por fim, deixo aqui seu epitáfio:
AQUI JAZ UMA GARGALHADA CERCADA DE CHORO POR TODOS OS LADOS!


Nobre XIII
Carlos Nobre morreu de um ataque do coração e foi velado no Palácio Piratini.


Nobre XIV
Ele era muito ciumento com seu trabalho e tinha uma personalidade forte. Meu amigo Ernani Reichelt, dono do Expresso Global, conta que de uma feita o SETCERGS o contratou pra fazer um show no Clube 25 de Julho. Ele estava contando piadas, divertindo o público, quando chegou Avelino Andreiss, dono da Transportadora Sulina e da Unesul e começou a cumprimentar todo mundo em alta voz interrompendo Nobre. O humorista não gostou. Levantou-se, interrompeu o show e se retirou. Nem o cachê aceitou. 


Corujas buraqueiras
Tanto a Guaíba, no programa Rogério Mendelski, como a Band AM, no Jornal Gente, tocaram, na sexta última, dia 25/01, a música recém-lançada por Edgar Pozzer que fala do imbróglio das corujas em Capão da Canoa. Foi uma dentro do Pozzer e tanto. Deverá ser o sucesso do próximo carnaval por aquelas bandas!


Má vontade!
Não consegui ainda entender a má vontade que Rogério Mendelski tem com o globe troter Flávio Del Mese- com hotel em Flores da Cunha - que entra no ar 5 pras sete às sextas na Guaíba. Rogério o corta a toda hora. "Olha está terminado o tempo", avisa a toda hora não deixa o cara terminar o  raciocínio. Sinceramente não entendi. Se é pra ter tanta má vontade com o cara, então não deixa ele falar. Os ouvintes percebem isto, meu.


Coleguinhas
Muito boa a coluna Zapping da colega Fabíola Reipert sobre fofocas televisivas que ela publica no Bol.


Motora churrasqueiro!
Por esta eu nunca esperava. Um motorista deixa o ônibus, de linha, com passageiros e cheio de crianças, pra ir comer com o cobrador um churrasquinho em Vespasiano Correa, na Serra Gaúcha. Já vi muita coisa nestas minhas andanças mas na última sexta-feira, dia 25/01, me tocou ver mais uma. Saí  no ônibus da empresa Bento Gonçalves, placas ILT 4841, de B.Gonçalves(RS) às 18h30min da rodoviária de Porto Alegre com destino a S.Correa. Lugar 3, paguei 29,10,sem seguro.O ônibus tava quase lotado, muita gente viajando com filhos pequenos porque estamos em época de férias escolares.O ônibus parou 10 minutos no posto do Laguinho, em Estrela. O motora jantou.


Motora I
O ônibus veio vindo em direção ao destino, mas já noite entrou em Vespasiano Correa, um pequeno lugarejo. Desceu um passageiro e o motorista que já tinha pego um cobrador em Lajeado(RS) viu que uns conhecidos estavam assando um churrasco. Eram 21h25min. Ele simplesmente abandonou o ônibus e junto com o cobrador saiu dando gritos pros conhecidos, com os braços levantados, erguendo os punhos pro ar, comemorando que ia dar uma filada numa costela.Ficaram os dois cerca de 5 a 6 minutos e os passageiros soltos dentro do veículo, no meio da rua porque não tem rodoviária, na frente do barzinho onde motora e cobrador davam um talagaço na costela do dono do bar.


Motora II

Minutos depois voltaram os dois quietos, como que sem nada tivesse acontecido. Atrás de mim duas senhoras que desceram em Dois Lajeados (RS) depois apenas comentaram:" foram comer um churrasquinho". Tive vontade de protestar mas fiquei quieto, até porque o veículo estava dentro do horário.


Motora III
Em Guaporé, este motorista, já sem cobrador - ficou nesta cidade - pegou um passageiro que desceu no meio dos dois municípios, numa parada. Devia ser um agricultor que estava voltando de uma ida à cidade.Quando foi pagar o motora alegou" neste horário(eram 22h30min) é mais caro, é outro preço. " O agricultor pagou e ficou ainda devendo algum dinheiro por falta de troco.O motora embolsou o dinheiro porque não deu nenhuma passagem pro passageiro.


O parreiral do meu pai
Em S.Correa, onde reside desde que nasceu meu pai Alfredo, sempre cultivou uvas. Herdou este legado do meu avó Giuseppe, que sempre plantou uvas, na colônia que tinha na linha 11, capela S.Pedro. Meu pai mudou-se há uns 25 anos pra perto da cidade, num lugarejo que ainda tem umas terras numa encosta. Mas mesmo aos 79 anos, ele continua com mais ou menos 30 pés de parreira. E este janeiro as parreiras do meu pai estão carregadas, quase vergando de tanta uva!É verdade que nos últimos dias eles têm passado umas poucas e boas com uma virose que se espalhou na cidade. Mas acho que ainda vou ver outro inverno com meu pai vivo, preparando, em agosto, começo de setembro, as parreiras. E ele me ensinou um legado do seu pai, que aprendeu: não se tem que ter pressa em podar as parreiras, pode vir uma geada tardia e queimar os brotos do parreiral. 


Na Índia, Marcopolo e Tata Motors lançam os seus primeiros Ônibus
Dois novos modelos foram apresentados na Auto Expo 2008, em Nova Delhi

 
Caxias do Sul, 24 de janeiro de 2008 - Os dois primeiros modelos de ônibus a serem produzidos na Índia pela TATA MARCOPOLO MOTORS LIMITED, joint venture entre a Marcopolo e a Tata Motors, foram apresentados na Auto Expo 2008, principal evento automotivo realizado em janeiro, em Nova Delhi. Os veículos Starbus e o Starbus LE (Low Entry) foram expostos ao lado de outros 15 novos modelos de automóveis, utilitários e caminhões, entre os quais o TATA NANO, o carro mais barato do mundo com um preço sugerido de 2.500 dólares. O Starbus e o Starbus LE são os primeiros modelos desenvolvidos pela parceria entre a Marcopolo e a Tata Motors. Os veículos possuem chassi Tata e as carrocerias foram projetadas pelos engenheiros da fabricante brasileira, de acordo com as características do mercado local. Produzido na primeira fábrica da joint venture localizada na cidade de Lucknow, o Starbus LE já está sendo comercializado na Índia e as primeiras 100 unidades – de um total de 525 – para o novo sistema de transporte coletivo da cidade de Nova Delhi serão entregues este mês. No segundo semestre, entrará em operação a segunda unidade fabril que está sendo construída em Dharwad e terá capacidade para fabricação de 25 mil veículos/ano, onde será iniciada a produção do microônibus Starbus.

O Starbus LE possui piso baixo e ar-condicionado e foi desenvolvido para atender ao BRTS (Sistema de Trânsito Rápido de Ônibus) de Nova Delhi. O piso, com apenas 380 mm de altura em relação ao solo, e as portas largas possibilitam maior rapidez e facilidade nas operações de entrada e saída, reduzindo o tempo das paradas, encurtando a duração total da viagem e aumentando a eficiência do serviço. Internamente, o Starbus LE é equipado com cortinas de ar nas portas para manter a temperatura interna baixa e ampliar o conforto. O motor traseiro também colabora para a redução nos níveis de ruído interno. O veículo possui ainda itens de conforto e segurança como sinais sonoros para abertura e fechamento das portas, cintos de segurança, portas com controle pneumático que impede a partida enquanto abertas, rampa manual para portadores de necessidades especiais e um sistema sonoro que informa o destino e a estação de parada. Outro ponto importante na construção deste veículo é de que a frente e traseira são feitos em aço estampado. A Marcopolo e a Tata Motors prevêem fabricar mais de 1.000 unidades do Stabus LE em 2008 para atender ao BRTS de Nova Delhi e outras cidades que estão em fase de negociação. Já a produção do microônibus Starbus deverá atingir 2.000 unidades até o final do ano.

O microônibus Starbus tem estilo arrojado e capacidade para transportar 28 passageiros sentados. O modelo possui menores níveis de ruído, vibração e desconforto (NVH) da categoria e é o primeiro na Índia a oferecer um padrão superior de conforto para o passageiro, com grande espaço interno e maior capacidade para bagagens. Outros itens de segurança e conveniência são a porta com acionamento pneumático, controlada pelo motorista, e o piso antiderrapante. O veículo será o primeiro que atende as especificações da nova legislação que entrará em vigor na Índia.
Fonte: Secco Consultoria de Comunicação - Tel. 11 5641-7407 - secco@secco.com.br


Ponte do Guaíba
Qual será o critério do setor de comunicação da concessionária Concepa - que administra a BR-290 Porto Alegre-Osório, a Freeway e a ponte do Guaíba?É que pro colega Fernando Albrecht eles mandaram um livro que editaram sobre a ponte do Guaíba o que é muito útil para pesquisa. Eu solicitei um e a resposta foi que fosse comprá-lo na livraria Cultura. Será que o presidente Idenir Sanchez foi quem deu esta orientação? Não creio.


Valter Gomes Pinto

Neste domingo, dia 27/01, Valter Gomes Pinto, diretor-corporativo da Marcopolo S/A completa 76 de vida. Empresário multifacetado,no começo da vida foi ligado à propaganda onde teve uma agência junto com Pedro Carneiro Pereira, o radialista que morreu num acidente automobilístico em 1973.E antes disto foi " carrancho" do Correio do Povo. "Carrancho" era o cara que chegava pra trabalhar mas só pegava se faltasse alguém titular.Eles ficavam em volta do prédio do jornal e aí eram ou não chamados.Depois Valter foi juntar-se à equipe de Paulo Bellini e hoje é diretor e acionsita da empresa caxiense que orgulha os gaúchos.Com um talento especial para fazer "rp", uma funcionária que trabalha muito próximo a ele me disse que em muitos anos ela nunca o viu levantar a voz com um subordinado. Na Marcopolo, montou uma equipe de respeito junto à área de comunicação que sempre lhe foi afeita. E sempre pegou junto com todo mundo, mesmo quando precisava fazer " serão" que é como no passado se chamava trabalhar fazendo "hora- extra". Hoje em dia com as modernas técnicas de administração não sei nem mais como isto se chama.


Valter 1
Exímio "rp", um domingo eu estava em Caxias do Sul pra fazer uma reportagem sobre ônibus. Era um daqueles domingos de cerração baixa, de inverno,  chovia e o dia não estava nada convidativo pra sair pra rua. Ainda mais com frio,chuva e cerração. Mas o prefeito de Lima,capital do Peru, estava na cidade, porque iria encomendar uma porção de carrocerias pra empresa pública de Lima. E perto do meio-dia saímos prum pequeno roteiro turístico,antes do almoço.A esposa do prefeito de Lima gostou de um poncho, ou algo parecido numa das tantas lojas que visitamos. Mas ficou nisto. Vi quando Valter chegou pro dono da loja e comprou-a mandando entregá-la no hotel para a senhora.


Valter 2
Valter também " ajudou a limpar minha barra" junto aos demais diretores da Marcopolo, num episódio que torno público(embora isto não tenha lá muita importância) agora. Em 1992, a Marcopolo estava preparando a V Geração de Onibus, prum lançamento naquele ano. Um meio-dia liguei pra lá e me atendeu um funcionário que nunca soube quem foi. Pedi a ele como faria para tirar umas fotos de uns ônibus que eu precisava pra ilustrar uma matéria da revista " Carga e Transporte" . O cara deu com a língua nos dentes; - Fotos aqui? Aqui não entra fotógrafo. Nós estamos de "quarentena"! disse-me o desavisado. - Mas como, porquê, perguntei-lhe abelhudo? - Porque aqui tem cinco protótipos da V Geração de Ônibus. Eles estão cobertos,  mas sabe como é fotógrafo é curioso e pode quer fazer fotos.
Fiz mais umas perguntinhas bobas, o cara me "desovou" tudo e na segunda feira aproveitei para colocar uma notinha no " Informe Econômico" da ZH. Foi um rebu. Aquela notinha teve uma repercusão filha da mãe, porque os que tinham encomendado carroceriras, queriam desmarcar, queriam esperar o novo modelo de ônibus.Se é verdade que por alguns anos alguns outros sócios da Marcopolo - que involuntariamente lhe trouxe prejuízos e incomodações,tanto que o diretor Martins teve que interromper um descanso por causa disto - queriam que eu ficasse longe da empresa, o Valter nunca me reprendeu. Entendeu que eu estava no meu ofício de repórter. Muitos anos depois, ele ainda me deu uma espécie de elogio:" fostes o primeiro repórter a dar a notícia da V Geração". Esta é aliás uma barreira que hoje me pergunto: de posse de uma informação destas é ético divulgá-la ou não?


Valter 3
Como o Valter é nascido em P.Fundo, vou homenagear seu aniversário com a música Gaúcho de Passo Fundo, do finado cantor Wictor Matheus Teixeira, o " Teixeirinha".

Me perguntaram se eu sou gaúcho
Está na cara repare o meu jeito
Eu sou gaúcho lá de Passo Fundo
E trato todo mundo com o maior respeito
Mas se alguém me pisar no pala
Meu revólver fala
E o bochincho tá feito

Me perguntaram qual era a razão
De eu ter orgulho em ser passofundense
Eu respondi sou da terra do trigo
Tenho um povo amigo e quando luta vence
É um pedaço do Rio Grande amado
Orgulha o passado
E o povo riograndense

Não sou nervoso nem carrego medo
Eu me criei sem conhecer remédio
Eu meto os peito em qualquer fandango
Mas quando eu me zango até derrubo o prédio
Eu sou gaúcho e se me agride eu tundo
Sou de Passo Fundo
Do planalto médio

Já respondi a pergunta seu moço
Me dá licença vou encilhar o cavalo
Brasil a fora atravessei os estados
Troteando apressado eu fui tirando talo
Pra ver as prendas mais lindas do mundo
Chego em Passo Fundo no cantar do galo.


Os "DINDOS" do PDT
Na noite do dia 22/01 na churrascaria Barranco foram comemorados com uma galinhada os 86 anos de Leonel Brizola.Danilo Groff, que nasceu em 26.01.1934, Indio Vargas e Nei Ortiz Borges eram os únicos três remanescentes( presentes no Barranco no último dia 22/01) -melhor seria dizer sobreviventes - da famosa " Carta de Lisboa" resultado do encontro realizado na capital de Portugual quando os trabalhistas resolveram refundar o Partido Trabalhista Brasileiro(PTB) que depois passaria às mãos de Dona Ivete Vargas.O documento é de 16 de junho de 1979 (era verão no velho continente) e a Anistia no Brasil ganhava força, com músicas como " Samba do Avião" virando verdadeiros hinos da Anistia(que muitos queriam ampla,geral e irrestrita), imortalizada na voz de Elis Regina.


Os Dindos I
Brizola recém havia saído do Uruguai para Nova Iorque e lá viajara para reencontrar-se com os companheiros que foram do Brasil. Dona Ione, mulher de Danilo Groff, no último dia 22/01 no Barranco, fez apenas um comentário amargo sobre aquele encontro:" eu fiquei aqui trabalhando pra tu ires".


Os Dindos II
Isaac Ainhorn, o Isaquinho, falecido em 2006, foi um dos que esteve neste encontro. E muita gente que foi pra Lisboa foi e voltou mas quem acabou pagando a passagem foi Matheus Schmidt.


Os Dindos III
Danilo Groff ainda lembrou de trabalhistas históricos que já faleceram: nadir Rossetti e Getúlio Dias.

Patagônia Chile e Argentina

A rota alternativa, que explora turismo diferente, leva você por um tour pra locais inesquecíveis. Veja as fotos. E informe-se com a agência pra ir até lá.


Madruga Duarte
Estive com o executivo Madruga Duarte ontem, dia 22/01. Ele me disse que a família está muito abalada pelo assalto que sofreu, dia 24 de dezembro passado em sua residência na Lapa a 70 km de Curitiba.


Madruga I
Como conseqüência, Madruga e família vão mudar-se para Curitiba. A casa em lapa, um lugar histórico, fora do  ex-governador ney Braga, do Paraná. Madrugada morava lá há 7 anos.


Madruga II
Diz ele que o sítio onde residia tem pinheiros nativos e em grande quantidade e uma fonte que nunca, em 150 anos, secou.


À sombra do "Doutor" Leonel!

Durante o jantar em que o PDT homenageou a memória do ex-governador Leonel de Moura Brizola, na noite do último dia 22, no Barranco, pude ouvir Danilo Groff, um bioquimico, contar algumas passagens sobre o ex-governador gaúcho de quem ele a vida toda foi uma espécie de conselheiro e um misto de "guarda-costas". Não sei se dá para compará-lo ao famoso "Anjo Negro",o inspetor da Polícia Civil que guardou sempre a segurança de Getúlio Vargas, Gregório Fortunatto. Talvez a comparação fosse um tanto forçada.


Danilo I
A verdade é que com a morte de Brizola (21.06.2004) Danilo perdeu muito espaço dentro do PDT. Mas que ele sabe muita coisa, ah, isto sabe. Disse-me por exemplo que a maior carreata dos 60 anos em que acompanhou a vida pública de Brizola - de quem ele nunca cita o nome, só se refere a Brizola por "O Doutor" - foi em 1958 entre Camobi e a Praça Getúlio Vargas, em Sta. Maria,quando Brizola foi eleito governador. Ele disse que nunca viu tantos foguetes serem soltos. E Danilo é partidário que em carreatas políticas sempre existam foguetes...Não sei o motivo, mas ele com tanta experiência deve saber porque.


Danilo II
Danilo me explicou quem eram "os homens do Brizola". Aí vão: Em Taquara era um vereador de nome Índio: em Santa Cruz do Sul e Cachoeira do Sul, era Matheus Schmidt, em Passo Fundo e Lajeado era Danilo Groff, em Santa Maria e São Borja José Fidélis Ramos Coelho (falecido recentemente), em Porto Alegre, a capital do Estado e S. Sepé, Índio Vargas, em São Francisco de Paula, Wilson Wargas da Silveira. Sobre este último, Danilo faz uma ressalva; "ele queria o Brizolismo,sem Brizola!".


Danilo III
No jantar da noite do dia 22, realizado no Barranco, compareceram inúmeros partidários e entre as presentes a secretária municipal da Juventude de Porto Alegre, Juliana Brizola, neta do ex-governador. Ela será candidata a vereadora nas eleições deste ano na capital do Estado. E o secretário do Planejamento do município, José Fortunatti (PDT),além dos ex-vereador Arthur Zanella.


Danilo IV
Neste dia 22, ainda, foi realizada uma missa às 18 horas na Igreja S. Pedro, em memória de Brizola, que teria completado 86 anos,se vivo fosse. Dona Landa, irmã de Neusa Goulart também foi. Ela é a única dos irmãos que ainda vive.


Danilo V
O bioquímico contou ainda como foi sua prisão logo após ter dado com uma machadinha, ou picareta de alpinista no ônibus que levava o ex-presidente José Sarney. Diz ele que o SNI (Serviço Nacional de  Informações) infiltrou elementos seus dentro das hostes do PDT e aí chegaram a ele. Danilo ficou preso, mas um advogado da CUT conseguiu tirá-lo.


Danilo VI
Ele, depois da efeméride de Brfizola, quando veio fundar uma entidade de aposentados do PDT, retorna ao RJ, onde fixou residência. Foi pra lá pra ajudar na campanha de Carlos Lupi a governador carioca. Mas como Lupi agora virou ministro de Lula, Danilo deverá retornar ao RS.


Danilo VII
O " fiel escudeiro" de Brizola não tem papas na língua.E quando o chamam de " louco" nem se importa. " Sou louco mas não sou ladrão" retruca. 


Danilo VIII
O bioquímico tem histórias prum bom livro sobre os bastidores da política. Mas dificilmente vai querer contar tudo o que sabe. Só se ficar pra depois que ele morrer. 


Guerrilheiros
Engraçado. Nesta passagem do niver do Brizola, seu fiel escudeiro Danilo Groff passou o tempo todo dizendo que ele, Brizola e outros foram guerrilheiros e não guerreiros. E deu o número secreto que cada um tinha e o codinome...Será culpa ou Danilo sabe coisas que nunca foram reveladas?


Guerrilheiros I
Danilo Groff acha que em 2010 vai sair a Chapa Dilmo Rousseff-Carlos Lupi a presidência. Uma chapa,então,encabeçada, por uma ex-guerrilheira...


O esquecimento de Prestes, 110 anos depois!


Esta foto mostra o colega J.L.Prévidi em 1983, ao lado do líder comunista Luis Carlos Prestes.Era março de 1983 e o colega Prévidi era então vice-presidente  do Clube dos Repórteres Políticos (uma entidade não oficial). A foto pertence ao acervo pessoal do colega Prévidi.


Prestes I
No dia 22/01, dia dos 86 anos de Leonel de Moura Brizola, Danilo Groff contou que no último dia de Finados ele foi a única pessoa a visitar o túmulo de Prestes, no Rio de Janeiro.


PDT-RS divide-se pra comemorar os 86 de Brizola!
Enquanto Danilo Groff( e sua turma) se reuniram no diretório do PDT na Rua Felix da Cunha pra comemorar durante o dia inteiro os 86 de Leon el de Moura Brizola, a turma do deputado federal do PDT,Vieira da Cunha, fez o ato de lembrança num almoço no restaurante Copacabana, onde também foi aproveitado para ser vendido o livro sobre a Legalidade de Dione Kuhn.


PDT-RS dividido!
Nem o advogado João Affonso, nem Rubens Lahude, do diretório do PDT ficaram para o evento de Danilo Groff, que foi a fundação do Movimento de Aposentados,Pensionistas e Idosos PDT-RS. Perto do meio-dia, os dois saíram " à francesa" denotando a divisão do partido. Nem no almoço do Vieirinha( deputado federal Vieira da Cunha) no Copacabana os dois compareceram. Mas lá esteve o prefeito de Itaqui, Bruno Contursi e vários vereadores do PDT da capital.Nem o presidente estadual do partido, Matheus Schmidt compareceu a qualquer dos eventos.


PDT-RS dividido I
Na sede do PDT, Danilo Groff - que de madrugada soltou solitários foguetes na capital gaúcha para  celebrar os 86 anos do falecido Leonel Brizola -reclamava do que segundo ele era evidente má vontade dos funcionários. " Sapo",dizia ele aos berros no auditório Carlos Contursi onde foi realizada a pequena assembléia da fundação do MAPI, " me coloca o microfone aqui". Depois de alguns minutos o alto-falante foi colocado.


PDT-RS dividido II
À noite, no Barranco, a turma de Danilo Groff celebrou e lembrou o líder Brizola com uma galinhada paga pelo partido, mas de onde foram requisitados os 500,00 que Danilo Groff deu para comemorar o aníversário e lembrar o falecido Leonel Brizola.


PDT-RS dividido III
Danilo Groff no seu pronunciamento disse que tanto ele, quanto Jango,quanto Brizola foram guerrilheiros e não guerreiros. E deu inclusive os codinomes de cada um.À tarde no diretório da Félix passou um filme sobre Brizola e as 18 horas houve uma missa em memória de Brizola na Igreja S. Pedro.Danilo distribuiu 900 convites para o evento.


Coleguinhas
Francisco Paulo Santana entra em férias. Coincidência ou não, poucos dias depois de ter tido outro "racha" com o coordenador do Sala de Redação, Ruy C. Ostermann.


Brizola completaria em 22/01/2008, 86 anos!


Leonel Brizola e Percy Penalvo (ambos já falecidos) colocam flores no túmulo de Getúlio Dornelles Vargas no Cemitério Municipal Jardim da Paz, em São Borja (RS). Data cerca de 9 anos atrás.
Foto de Gaudêncio (S. Borja ) acervo do PDT - S.Borja.



Em 23/06/2004, o corpo de Leonel de Moura Brizola, escoltado  pelos cavaleiros da Brigada Militar,  passa pelo viaduto da estação rodoviária de Porto Alegre. Eram cerca de 16 horas e muita gente se acotovelou encima do viaduto pra ver o carro dos bombeiros com o esquife do ex-governador gaúcho e carioca." Mãe, mãe estou vendo o Brizola passar" este redator ouviu no dia um expectador falando pelo celular.
Foto: José Ernesto



O atestado de óbito de
Leonel de Moura Brizola diz que
o líder trabalhista morreu
de "infarto agudo do miocardio",
entre outros problemas.
Acervo do vereador do PDT de
S. Borja, Celso Lopes.

"Tio Briza", "O Chefe" ,"Caudilho", "Dr. Leonel","O engenheiro" são apenas algumas das alcunhas pelas quais o ex-governador Leonel de Moura Brizola, nascido Leonel Itagiba de Moura Brizola  há 86 anos atrás, ficou conhecido.De temperamento forte, Brizola ou era amado, ou odiado. Com ele não havia meio-termo.Foi prefeito de Porto Alegre,deputado estadual e federal  gaúcho, deputado federal pelo Rio de Janeiro e duas vezes governador carioca. Mas no final da vida, vinha perdendo muitas eleições. Seu grande sonho em 60 anos de vida pública - ser presidente da República - esteve mais próximo de ser alcançado em 1989,quando por pouco não foi ao segundo turno pra disputar a presidência com Fernando Collor de Mello.

Brizola I
"São nove horas da manhã. A parteira se prepara para mais um trabalho numa humilde casa de madeira, na localidade de CRUZINHA, próxima de São Bento e Pinheiro Marcado. É dia 22 de janeiro de 1922, época em que esses distritos pertenciam a Passo Fundo, hoje , ao município de Carazinho,região de produção agrícola, norte do Rio Grande do Sul.

A iluminação é à base de querosene. O cuidado da parteira é redobrado com dona Oniva, pois perdera o último bebê, que era para se chamar Itagiba. Ela tem 33 anos,quatro filhos - três homens e uma mulher -é dona de casa, alfabetizadora como seus antepassados, e trabalha na roça,
um dos sustentos da família.

O sossego na casa de dona Oniva só é quebrado pela agitação das crianças. E pelo barulho dos trilhos do trem que passa a 50 metros. A estação fica a uns 8 quilômetros para o lado de São bento. Neste descampado, tão perto não se encontram vizinhos. O parto acontece às dez horas, tranquilo. A criança é saudável, carrega traços de origem portuguesa e indígena, pelo materno, os Moura vindos de Nonoai, e italiana, pelo lado paterno, os Brizola vindos de São Paulo.

José de Olivedira Santos Brizola, recém-chegado de uma viagem desgastante para os lados de Cruz Alta, onde abastecia os armazéns com erva-mate,feijão e açúcar, estava orgulhoso com o quinto filho. O recém-nascido recebe o nome de Itagiba, que dona Oniva escolhera antes"( Esta reconstituição do nascimento de Brizola a tomei emprestada, ipsis literis, do livro " O Menino que se tornou Brizola, do colega Cleber Dioni, editado pela Já Editores)


Brizola II - Vida política
A vida política de Leonel de Moura Brizola - que é o que nos interessa aqui - começou em 1947 eleito deputado estadual pelo PTB.Mas antes fazia política estudantil junto ao centro acadêmico da Engenharia da URGS,onde se formou em 1949.Em 1950 desposou Neusa Goulart, irmã de outro político entrando como ele na vida partidária: João Goulart, o Jango que se elegeu pela Fronteira Oeste, mormente São Borja e Santiago.Dizem que na difícil convivência que Jango e Brizola tiveram ao longo da vida pública, num desabafo, Jango um dia, teria dito: " Brizola não seria tudo aquilo que ele pensa que é se não fosse casado com a Neusa!"


Brizola III
Em 1950,além de casar com a Neusa, Brizola se reelege deputado estadual. Em 1951 se candidata a prefeito de Porto Alegre mas perde a eleição. Em 1952, assumiu a secretaria de Obras do Governador Ernesto Dornelles e faz muitas obras, entre as quais o aeroporto internacional Salgado Filho.Em 1954, elegeu-se deputado federal pelo RS. Em 1955 chega a prefeito de Porto Alegre. Em 1958 chega a governador gaúcho. Em 1961 comanda a famosa Legalidade, que o tornou conhecido nacionalmente e para usar uma expressão gauchesca, que ele tanto gostava, " ficou marcado na paleta" pelos militares, que ele só pra provocar chamava  de " milicos".Em 1962 , com grande votação, elege-se deputado federal pela Guanabara.Em 1964 é cassado pelo golpe militar e vira o inimigo número Um do regime que se instala no poder e que haveria de ficar 21 anos(1964-1985).Quando Jango esteve em Porto Alegre, no início de abril de 1964,para exilar-se no Uruguai, houve uma reunião na casa de um comandante militar, localizada na esquina da Rua Cristóvão Colombo com Carlos Von Koseritz. Ali depois de uma madrugada de confabulações Jango teria solicitado a opinião de cada um dos presentes entre os quais Leonel Brizola, que era então deputado federal. E Brizola queria resistir. Achava que havia condições. Mas Jango não aceitou as ponderações do cunhado e deu-se ao que diz uma testemunha um diálogo áspero entre os os dois. Jango teria dito:Brizola, é por ir atrás de tuas sugestões que eu me encontro na situação em que me acho. Eu vou me retirar do país. Ao que Brizola teria respondido. Vai ´rengo´(Jango mancava de uma perna) filho da puta. Tu nunca mais vais voltar vivo a este país. Pouco depois Brizola  foge para o Uruguai num episódio que ele nunca contou bem. Uns dizem que foi travestido de mulher, outros de uniforme da Brigada Militar. O fato é que ele foi apanhado numa praia do Litoral gaúcho - Pinhal ou Quintão - e o piloto corajoso levou-o são e salvo a Montevideu. Antes sua esposa, Neusa Goulart, havia se exilado viajando num vôo da Varig, com os três filhos pequenos a tiracolo.Dizem que quando ela subiu na escada do avião, no aeroporto Salgado Filho, ela teria pedido um favor a um militar que ficara em terra e teria se dado este diálogo: Dona Neusa: por favor, me alcance  aquilo? Militar : Dona Neusa, hoje  terminaram seus privilégios!.
E ela de bate-pronto: E começaram os seus!


Brizola IV
A carreira política do caudilho prossegue. No Uruguai, em 1965, fica confinado no balneário de Atlântida. Em 1970, suas restrições no exílio começam a cessar.Mas muitos porto-alegrenses que iam e vinham a Montevidéu tinham a certeza de que o serviço de informações brasileiro espionava a vida dos cidadãos locais que iam visitar o ex-governador.Em 1977 ele é expulso do Uruguai e vai morar em Nova Iorque. Em 1976, não comparece ao enterro do cunhado Jango em São Borja, embora sua mulher tenha estado. Pouco tempo antes de morrer Jango e Brizola haviam reatado relações.Uns dizem que foi por iniciativa  de Josué Guimarães, outros de Percy Penalvo.Em 1978 Brizola vai a Portugal e em 1979(Sete de Setembro) volta do exílio por S. Borja(desce na Fazenda de João Vicente Goulart, filho de Jango).Em 1980 perde a sigla do PTB para Ivete Vargas. Em 1981 registra a sigla PDT e em 1982 elegeu-se governador do Rio de Janeiro pelo PDT numa campanha em que usou o slogan " Brizola na Cabeça", dizem que porque era apoiado pelo jogo do bicho. Tem ao seu lado neste momento o líder comunista Luis Carlos Prestes que quando houve a ameaça de roubo ou fraude na apuração o aconselha a denunciar antes o fato à imprensa internacional o que Brizola faz e dá certo.Em 1989 candidata-se a presidente da República e não vai ao segundo turno, perdendo para Luis Inácio Lula da Silva a quem aplica o feroz apelido de " sapo barbudo".Em 1990 volta eleger-se governador do Rio de Janeiro e na campanha apelida o governador Wellington Moreira Franco de " gato angorá".Em 1994 candidata-se pela segunda vez a presidente da República e perde de novo.Em 1998, candidata-se a vice-presidente da República na chapa de Lula. Em 1999 promove campanha pela renúncia do então presidente Fernando Henrique Cardoso. Em 2000 candidata-se a prefeito do Rio de Janeiro. Em 2002, candidata-se a senador pelo Rio de Janeiro e em 2004, em 21 de junho, falece no Rio de Janeiro de um enfarte do miocárdio.


Brizola V
O presidente regional do PDT gaúcho, Matheus Schmidt,andou um tempo rompido com Leonel Brizola, que ele sempre chamou de " chefe". Este rompimento nunca foi tornado público e poucos sabem os reais motivos. Mas depois num aniversário de Matheus, Brizola foi no seu apartamento cumprimentá-lo e reataram.


Brizola VI
Em 7 de abril de 2004, Leonel Brizola realizou sua última visita a S.Borja, onde costumava sempre ir muitas vezes ao ano, mas nunca falhava no aniversário de morte de sua esposa,Neusa, em começo de abril. E na casa de Percy Penalvo, seu grande " irmão",depois do almoço, o colunista da Folha de S.Borja e diretor da rádio Cultura AM, Deco, indagou-lhe onde gostaria de ser enterrado. Ele respondeu que ainda não tinha pensado nisto. Segundo o administrador do Cemitério Jardim da Paz, de S. Borja, nestas oportunidades o líder trabalhista ia lá,ficava na frente do túmulo da família Goulart e " fazia suas orações, conversava um pouco conosco, depois ia embora".


Brizola VII
Deco, colunista da F. de S.Borja, que conheceu Brizola bem perto por causa de suas visitas a S. Borja, diz que o líder quando se hospedava na casa do amigo Percy Penalvo gostava de comer "bom ensopado com mandioca regado a longas conversas".


Brizola VIII
Ernani Reichelt, que foi visitar seu compadre Divlo Araújo 11 vezes quando este estava exilado em Montevidéu, que sempre lhe pediam para levar "mandioca tipo manteiga" para Leonel Brizola porque ele gostava muito.


Brizola IX
Vários eventos estão marcados para o dia 22/01/2008 na sede do PDT, na Félix da Cunha para marcar o aniversário de Brizola.Vai haver um filme, depois os integrantes participarão de uma missa na Igreja São Pedro, localizada na Cristóvão Colombo. Tudo coordenado por Danilo Groff. 


Coleguinhas
O site do Fernando Albrecht disse, ontem,dia 21/01 que o publicitário Jesus Iglesias "morreu há cerca de 10 anos atrás." Colega, o Jesus faleceu em 17.02.2004, aos 58 anos.


Menores continuam achacando  na rodoviária
Li na coluna do JC, pagina 3, na sexta-feira últimadia 18/01, que a contratação de uma outra empresa de segurança havia tirado os menores pedintes da rodoviária de Porto Alegre. Ledo engano. Acho que colocaram a notícia sem ir conferir. Porque fui lá no sábado à tarde e no domingo à tarde e os menores continuavam achacando os passageiros ou os que descem de carros particulares. Claro que eu sei que a Veppo não tem culpa disto, nem os hotéis. Mas o problema continua lá...O que vi de novo é que estão achacando os passageiros na frente dos hotéis,agora...simplesmente passaram para o outro lado da rua. Evidente que este é um assunto complexo.


Site do Affonso Riiter foi o único que noticiou mais uma "rixa" entre o Santana e o Ruy no "Sala"!
No domingo, dia 20/01, ás 19hs, o site do colega Affonso Ritter postou a notícia de que na sexta,dia 18/01, houve outra "rixa" entre Ruy Ostermann e P. Santana, no " Sala". Diz o colega que desta vez ela foi menor do que a de novembro de 2006, que foi parar no You Tube.A sensação que se tem de fora é que o convívio entre ambos está insuportável. E depois da rixa de 2006, muita gente ouviu o Santana em um restaurante botando pra fora todas as diferenças que tem com o Ruy.


Santana x Ruy!
Se é tão difícil o convívio entre ambos, porque os dois não pedem demissão do programa. A minha opinião é que deveriam dar espaço a novos talentos para o programa do qual já fui ouvinte. E dou uma pequena contribuição: quando vão botar o David Coimbra no Sala? Acho que seria um bom quadro!


Coleguinhas


O fotógrafo Carlos Alberto Silva,quando trabalhava na Cia Jornalistica Caldas Junior, mais precisamente na Folha da Manhã, que os colegas apelidaram de "Folhinha".No detalhe, à direita, o velho telefone preto.


Compartilhando um churrasco da esq. para a dir. Jesus...; o apresentador do programa " Aconteceu", da rádio ITAÍ,de óculos; GersonFarias,da CJCJ, Edgar Escarinski" o Poste" ( já falecido) do Diário de Notícias,
Sérgio Motta e Leopoldo Russick. Local: desconhecido.


Em 1983,  no Clube Farrapos, durante um concurso de prêmios de Jornalismo da Brigada Militar.
João Paulo Trindade, de barba e óculos, Gelson Farias com colegas. Ano:1983.


Gelson Farias, numa vila do bairro Teresópolis, em Porto Alegre, quando foi fazer uma reportagem,
e encontrou também um porco. Ano de 1972.

Observação. Todas as quatro fotos são do acervo de Gerson Farias.  


Algo Errado
O associado da ARI, Danilo Groff, que está em Porto Alegre pros 86 anos de Leonel Brizola, fez DUAS tentativas pra pagar sua mensalidade na entidade.Foi lá no sábado,dia 12/01 e na quinta-feira,dia 17/01. Nas duas deu com a porta fechada.


Algo Errado I
Uma entidade que não facilita pra receber dos associados tem que no mínimo repensar sua estratégia.


Algo Errado II
José Carlos Torves, quando era presidente do Sindicato dos Jornalistas do RS, descobriu, meio sem querer, que muitos associados que não moram em Porto Alegre,procuravam a entidade pra aceretar a mensalidade entre o Natal e o Ano Novo. E davam sempre com os burros na água, porque os funcionários saíam em férias. Ele instituiu,então, um plantão de lá para cá fazendo com que a entidade sempre possa receber os pagamentos... 


Associação Riograndense de Imprensa - Nota 001/2008 - 17/Janeiro/2008
ARI isenta formandos em Jornalismo do Pagamento de Mensalidades: A Associação Riograndense de Imprensa (ARI) abre 2008 com uma iniciativa para vincular à entidade os formandos em Jornalismo de 2007.  Eles receberão isenção do pagamento de anuidades durante os primeiros seis meses após a data de colação de grau e 50% de desconto nos seis meses subseqüentes. A única despesa será o pagamento da carteira de identidade, no valor de R$12,00 (doze reais). Segundo o presidente Ercy Pereira Torma, “a ARI precisa dos novos jornalistas e estes encontrarão um espaço de discussão da realidade profissional e de troca de experiências que por certo contribuirá para a inserção no mercado de trabalho”. ESTUDANTES - Já o diretor do Departamento Universitário, Mário Rocha, acrescenta que também os estudantes do último semestre do curso receberão atenção especial: “Poderão antecipar esta integração com a ARI e inscrever-se na categoria Social igualmente com isenção da mensalidade, pagando apenas o valor da carteira”. O Departamento Universitário está iniciando um amplo intercâmbio com as direções dos cursos de Jornalismo existentes no Rio Grande do Sul. As ações conjuntas a serem propostas incluem ampliar a utilização das instalações da ARI, como o Salão Nobre Hipólito José da Costa e a Sala de Reuniões Barbosa Lima Sobrinho, para aulas isoladas, palestras, cursos e seminários. Diretoria / Departamento Universitário.
Mais informações: Secretaria Geral - Fone 51 – 3211-1555 e e-mail: ari@ari.org.br


FEPAM dispensa funcionários
Na tarde dodia 17/01, os funcionários da FEPAM (Fundação Estadual Proteção ao Ambiente Natural) foram dispensados porque faltou luz elétrica na sede da empresa, na rua Carlos Chagas, no centro de Porto Alegre. 


Coleguinhas
Ainda a troca na imprensa da Assembléia Legislativa do Estado: Carlos Bastos, colunista do JC, recebeu o convite pra ser o Supervisor através do também colega José Luis Monteiro Fuscaldo.Exegese da notícia: aí tem também o dedo  ido também colunista do JC e comentarista político da Band AM. Adão Oliveira.


Carnavais do passado

No carnaval,enquanto uns vão para o litoral,outros ficam na cidade a curtir um sambinha. Esta foto mostra uma turma se divertindo em carnavais de décadas atrás num barzinho que fica,ou ficava perto do Palácio da Polícia, na av. Ipiranga, esquina com a av. João Pessoa. A foto é de Gelson Farias, que está nela de bigode e de gravata.


Garrincha, a "alegria do povo" morreu faz 25 anos!
Parece mentira, mas dia 20 de janeiro, completa(ou) 25 anos do falecimento do Mané Garrincha, que muitos chamavam de "alegria do povo". Morreu cedo o Garrincha, com apenas 49 anos.


Garrincha I
Estava no Rio,de férias, quando veio a notícia da morte do ídolo.Era de manhã cedo e o repórter Caco Barcellos havia ingressado na TV Globo, vindo da Editora  Abril, há pouco tempo.Ele foi de manhã cedo pra tevê trabalhar e em seguida ligou pro seu pai avisando da morte de Garrincha e que iria trabalhar no assunto.  Na casa do Caco,emCopacabana ainda estavam hospedados seus pais, o Nércio(hoje falecido) e sua mãe Antoninha.


Garrincha II
Caco voltou à noite contando detalhes da morte do ponta-direita e impressionado com a pobreza com que Garrincha havia morrido.Na verdade, Mané Garrincha estava sendo sustendo pela Legião Brasileira de Assistência, por ordem do ex-presidente Médici.


Garrincha III
Nunca o vi jogar. Só escutei narrações dele, principalmente da Copa do Mundo de 1962, no Chile, quando praticamente ganhou sozinho o campeonato mundial pro Brasil, já que Pelé se machucara.


Núbia Silveira  permanece na imprensa da Assembléia
Como nosso site havia previsto em 04/01/2008! Leia mais.


Prestes completa 110 anos de nascimento quase no esquecimento!

O líder comunista - e comandante da famosa Coluna Prestes (que percorreu 25 mil quilômetros desde Santo Ângelo(RS) até o interior da Bolívia  com 1.500 homens - completou 110 anos no último dia 03/01 sem que nenhuma homenagem lhe tivesse sido prestada. Natural de Porto Alegre, Luis Carlos Prestes marcou toda uma geração de políticos,tendo sido ele eleito senador num breve período em que o Partido Comunista Brasileiro(PCB) estava legalizado.Há quem diga que Prestes,militar que foi, era mais um estrategista de guerra do que propriamente um político no sentido tradicional do termo.


Prestes I
" O Velho", " Cavaleiro da Esperança", " Senador" eram algumas das alcunhas pelas quais era conhecido. Prestes, que em 1935 veio de Moscou para comandar- junto com a sua futura esposa Olga Benário - uma revolução socialista no Brasil, deu-se mal e acabou preso durante quase dez anos. É famosa a defesa que o advogado Sobral Pinto fez dele alegando direitos dos animais.


Prestes II
Conheci pessoalmente o líder comunista numa vez,depois de 1979, quando da anistia política ele esteve em Porto Alegre pra receber uma homenagem na Câmara Municipal que lhe foi proposta pela bancada do PDT porque Prestes andava apoiando o líder trabalhista Leonel Brizola para a eleição a governador do Rio de Janeiro em 1982.Sem ser um grande orador, o " Cavaleiro da Esperança" agradeceu a homenagem que os vereadores de Porto Alegre lhe prestaram.


Prestes III
Aqui no Sul, sempre que Prestes vinha,era ciceroneado pelo agrônomo Dulphe Pinheiro Machado e se hospedava na casa do irmão dele, Antônio Pinheiro Machado Neto, o " Tonico", que residia na rua Dea Coufal, em Ipanema.No dia da homenagem na Câmara Municipal, de lá Prestes foi até a Rádio Gaúcha,na av. Ipiranga,1075 onde Flávio Alcaraz Gomes fez um longa entrevista para um programa que ele tinha. Os arquivos da Gaúcha devem conter este depoimento histórico onde ele conta inclusive detalhes da " Coluna Prestes".


Prestes IV   
Tânia Carvalho na TVE também fez numa oportunidade uma longa entrevista com o líder comunista. Mas um presidente da tevê estatal virou seu inimigo e mandou destruir este depoimento como vindita pessoal.


Prestes V
Tenho  uma história pessoal triste com o " Cavaleiro da Esperança", não por culpa sua nem minha. Pra ver como são as coisas. Prestes havia recém retornado do exílio em Moscou em 1979 ( não confundir com o " ouro de Moscou" de 1935, que o repórter William Waack provou ter existido na Intentona Comunista de 1935 no livro " Camaradas" editado em 1993 pela Cia. das Letras) e seus liderados estavam querendo reabrir o Partido Comunista Brasileiro. Reuniram-se num imóvel alugado em meu nome, em Porto Alegre, localizado na rua Dona Laura, no bairro Moinhos de Vento, sem o meu conhecimento, é claro.Só que Prestes ainda era vigiado pela então chamada " comunidade da Informação". Foram atrás de quem era o imóvel e pimba,me ficharam no III Exército. Quando o jornal em que eu trabalhava,no caso a ZH,mandou pedir uma credencial em meu nome pra inauguração da duplicação da Ponte do Guaíba, em 1984,em que participaria o presidente João Figueiredo(depois ele não veio) ela foi negada. Eu estava " fichado". Não tenho nenhum orgulho disto.


Prestes VI
O líder comunista era um homem de hábitos simples,levantava cedo. lia de cabo a rabo o Jornal do Brasil, o Globo e todos os jornais locais.Não era de tomar chimarão. Depois do banho e do café ia atender seus compromissos políticos que foi seguramente o que fez a vida toda...


Prestes VII
João Baptista Aveline - falecido em 13.10.2005 - narra  em seu (excelente) livro de memórias " Macaco Preso para Interrogatório, da ed. Age, no capítulo  " ALVORADA VERMELHA EM PORTO ALEGRE" que " Três data sempre foram rigorosamente assinaladas no calendário dos comunistas brasileiros: 3 de janeiro,aniversário de Luiz Carlos Prestes;25 de março, fundação do PCB e 7 de novembro,vitória da revolução bolchevique de 1917."


Bombou a festa do Sinborsul
  
Fotos - Claudio Bergman
Com a participação até do radialista Rogério Mendelski que nunca vai a evento social - a festa de fim de ano do Sinborsul " bombou" na noite do dia 16/01 no Barranco. Ficaria enfadonho citar todas as presenças até porque este site não é coluna social. Mas a presença de dois deputados, Ronaldo Zulke, do PT e do futuro presidente da Assembléia Legislativa(que deu uma passada por lá) mostra o prestígio do Sindicato da Borrache e sua diretoria.


Sinborsul I
Pra descontrair um pouco o jantar do Sinborsul o humorista Jair Kobe apresentou seu quadro " Guri de Uruguaiana". Não faltaram maldosos que chamaram o quadro de "o gay de Uruguaiana"...


Sinborsul II
Não sejamos hipócritas. Mas o centro das atenções no jantar do Sinborsul no Barranco foi a secretária da entidade. O presidente da entidade Geraldo Fonseca disse que já sabe que é assim mesmo...


Sinborsul III
O Barranco procou, antes do jantar propriamente dito, que tem um ótimo serviço de petiscos.


Coleguinhas
José Antônio Vieira da Cunha, o Vieirinha e José Luis Monteiro Fuscaldo, da Coletiva Net jantaram no dia 16/01 no Barranco com o deputado Alceu Moreira(PMDB) futuro presidente da
Assembléia Legislativa do Estado.


De cocheira
A vice-presidente do PMDB Mulher, Eunice Flores, deverá assumir a titularidade no lugar da ex-deputada estadual Maria Helena Sartori.


Não se bicam
O bioquimico Danilo Groff, que foi "fiel escudeiro"de Leonel Brizola e o deputado federal Vieira da Cunha, do PDT, estão em rota de colisão.Tanto que no dia 22 próximo, quando Leonel Brizola faria 86 anos, farão festas em diferentes locais. Danilo fará uma " galinhada" no Barranco e Vieirinha levará sua turma para o restaurante Copacabana.


Niver de Briza!
Danilo Groff diz que estão sendo preparadas vários eventos pra comemorar o aniversário de Leonel de Morua Brizola(falecido). Será tudo feito na sede do PDT, na Félix da Cunha,menos amissa que será rezada na Igreja São Pedro, a preferida de Brizola e de sua esposa, Neusa Goulart. Será passado um filme sobre Brizola na sede do PDT e às noite as turmas se dividirão para o jantar: a do Vierinha de um lado, do Danilo de outro.


Museu fechado
Janeiro e fevereiro nos sábados de manhã o Museu de Comunicação Social Hipólito José da Costa está fechado pra pesquisar em jornais. Mas que medida irracional esta. Não é justamente quando quem trabalha durante a semana pode ir lá?


Coleguinhas
Dia 17/01, um dia depois da festa do Sinborsul no Barranco, Danilo Ucha,do JC, e Valter Todt almoçaram juntos no Gambrinus, no Mercado Público.


Leitores
Loiva, da Biblioteca da Santa casa de Porto Alegre, manda dizer via fone que é nossa leitora diária. Obrigado. 


Carnaval vem aí e gauchada vai em peso pras praias de “Santa” !
O carnaval vem aí no começo de fevereiro e a gauchada se prepara pra debandar rumo ao Litoral de "Santa". As praias do vizinho estado preferidas durante a temporada são geralmente as de Porto Belo(SC) como Bombas, Bombinhas, Quatro Ilhas,Garopaba,Ferrugem, Rosa,Armação, Imbituba e por aí afora. Mas a própria Floripa também é muito procurada.


Carnaval vem aí!
Num carnaval destes do passado, um coleguinha quis ir com a patroa a Floripa. A patroa queria porque queria encontrar a " tchurma" pra festear...Nos dois primeiros dias de carnaval, eles percorreram todas as praias de Floripa, de carro, e nada de encontrar a companheirada...Quando estavam quase desistindo, resolveram ir até a praia da Ferrugem, ao lado de Garopaba. Qual não foi a surpresa, quando viram todos os amigos tomando trago, numa espécie de bar-fruteira. Era segunda de carnaval. A patroa do coleguinha ficou tão entusiasmada, mas tão entusiasmada, que desceu do carro, levantou a saia,  pros " países baixos" com o dedo indicador  e sentenciou:- É TODA DE  VOCÊS!!!
Até hoje os nativos da praia da Ferrugem que viram a cena lembram-se dela e sempre a relembram quando alguém chega neste boteco e diz que é de Porto Alegre.
Aí vão alguns fotos pra preparar o clima do carnaval nas praias de "Santa"


1) Praia de Bombas, em Porto Belo(SC) no carnaval de 1983.
Aparecem Ines Barbosa e Maria Siliprandi (acervo Maria Siliprandi).


2) Veranistas gaúchos na praia de Bombinhas, Porto Belo(SC) no carnaval de 1983 (acervo Maria Siliprandi)


3)Festival Hollywood de vela, na praia de Canasvieiras, em Floripa, em 1986.


No carnaval de 1986 na praia do Mole, em Floripa. da esq. para a dir. aparecem
o publicitário Emilio Chagas , o " Black ", Eloisa Gobbi e Maria Siliprandi.
Era um entardecer e vale conferir a bruma que o mar fazia levantar. (foto acervo Maria Siliprandi). 


Eleição de Tancredo criou esperanças de um Brasil Novo
A eleição,apesar de realizada no Colégio Eleitoral, do ex-governador mineiro, Tancredo Neves - que o Gal. Otávio Medeiros apelidou pejorativamente de " TANCREDO NEVER"- em 15/01 de 1985 - portanto, há 23 anos atrás - reascendeu as esperanças dos brasileiros. Morto antes de tomar posse, em 21 de abril de 1985,a família do político mineiro exigiu que na faixa presidencial que foi posta junto ao esquife estivesse escrito: PRESIDENTE ELEITO DO BRASIL"


Tancredo I
Li num livro, não lembro bem qual, que em 1982, eleito governador mineiro, a raposa política que Tancredo Neves era,numa oportunidade deu uma lição a um assessor, melhor dito, um "aspone", o famoso " assessor de porra nenhuma" que colocou Tancredo num veículo durante um comício e disse alto e bom:- Eu vou aquii com o Dr. Tancredo. O restante vai no carro detrás. Ao que imediatamente Tancredo Neves o corrigiu: - Meu caro, o restante não, os demais... 


Coleguinhas
É por isto que eu não brigo com a notícia. Vivendo e aprendendo cada vez mais. Dia 15/01, a Coletiva.Net deu que a colega Núbia Silveira permanecerá na equipe de Carlos Bastos na Assembléia Legislativa do Estado.


Coleguinhas I
No dia 04/01 este colunista foi informado de que a Núbia, que estava indo pra Câmara Municipal de Porto Alegre, teria sindo sondada pra continuar no posto da Assembléia Legislativa. E dei a notícia.


Coleguinhas II
Dois dias depois recebo telefonema da colega dizendo que ela estava na Câmara Municipal de Porto Alegre e pretendendo me desmentir. Não caí nesta. Estava certo. Como diz Martin Fierro, " el diablo sabe mas por viejo do que por diablo." Não é por nada que fiz 56 anos dia 16/01, mais trinta de jornalismo e aprendi a desconfiar sempre...


Caramba, estou ficando velho!
Hoje completo 56 anos. Como sei que tenho leitores esotéricos ou que gostam disto, aí vai meu mapa astrológico. "Nasci em 16/01/1952 às 8 horas da manhã no horário de verão,em casa, mas as 7 no horário solar em Searfina Correa(RS). Era uma quarta-feira. Com este horário o ascendente caiu em 10 graus de Aquário, o Sol na casa 12 em 25 graus de Capricórnio. A Lua na casa 8 em 11 graus de Virgem, Urano na 6 casa, 11 graus de Câncer, Mercúrio em Capricórnio na casa 11, 4 graus Vênus em Sagitário na casa 11. 16 graus, Júpiter em Áries na terceira casa, 7 graus, Saturno na 9 casa, 14 graus de Libra, Netuno, 9 casa, Libra, 21 graus, Marte na 9 casa, 28 graus de Libra, Plutão 7 casa 20 graus de Leão. O meio do céu em Escorpião. O nó lunar superior em 2 graus de Peixes,
na 2 casa e o nó Lunar inferior, 2 graus de Virgem na 8 casa.
O Sol e a Lua em signos de Terra e em casas de água(casa 12 e casa 8)


Velho?
Como dos meus 55 anos completados hoje, passei 37 em Porto Alegre ( os outros foram 16 em S.Correa e 2 em Lima, no Peru) vou deixar aos meus leitores como presente de niver o poema o MAPA, de Mário Quintana, que é uma declaração de amor a esta cidade:

O MAPA

Olho o mapa da cidade
Como quem examina um corpo
A anatomia de um corpo...
( É nem que fosse o meu corpo!)

Sinto uma dor infinita
Das ruas de Porto Alegre
Onde jamais passarei...

Há tanta esquina esquisita.
Tanta nuança de paredes
Há tanta moça bonita
Nas ruas que não andei
E há uma rua encantada
Que nem em sonhos sonhei...

Quando eu for, um dias desses,
Poeira ou folha levada
No vento da madrugada
Serei um pouco do nada
Invisível, delicioso

Que faz com que o teu ar
Pareça mais um olhar,
Suave mistério amoroso,
Cidade do meu andar
(Deste já tão longo andar!)

E talvez de meu repouso...

( do livro Apontamentos de História Sobrenatural de Mário Quintana )


Governadora Yeda  tem seu momento “ Família Feliz “
  
A gov. Yeda Crusius, seu marido Carlos e a filha Tarsila, na loja da mesma em Capão da Canoa.
Fotos: Agência Edison Castêncio
Neste domingo, 13/01 a gov. Yeda Roratto Crusius, o marido Carlos e a filha Tarsila fizeram seu "momento família feliz".  na loja da filha Tarsila  em C. da Canoa.Imaginem a inveja que as famílias com pais separados sentem nestas horas,embora a governadora não tenha culpa nenhuma disto. Capão  é,ou era, segundo o falecido humorista CARLOS NOBRE a " saida do BOM FIM para o litoral".O fotógrafo da agência Edson Castêncio como um verdadeiro paparazzo não deu tréguas a governadora neste fim de semana no litoral. Primeiro a fotografou, no sábado,12, na casa do senador Pedro Simon e Domingo na loja da filha, em Capão da Canoa.


Entra em vigor a lei, que garante acesso de todos nas agências bancárias do Rio Grande do Sul
No dia 4 de janeiro entrou em vigor a Lei 12.885 de autoria do Deputado Cassiá Carpes (Líder do PTB), que torna obrigatória nos estabelecimentos bancários, a instalação de caixas para uso preferencial de pessoas portadoras de deficiência, pessoas com mobilidade reduzida, idosos e gestantes, exceto aqueles que têm elevador e/ou atendimento em andares térreos. Os estabelecimentos tem um prazo de 15 dias úteis para se adequarem à presente lei, sob pena de advertência e multa. "Esta lei visa cada vez mais a igualdade entre os seres, pois tenho presenciado a grande dificuldade que as pessoas portadoras de deficiências, bem como idosos e gestantes, tem em serem atendidas na grande maioria dos bancos. Contamos com o apoio da sociedade e das entidades representativas para que nos ajudem na fiscalização do cumprimento desta Lei".


Indenização pela morte do Jango
O filho de Jango, o único presidente brasileiro que morreu no exílio, em 6.12.1976,em Corrientes,  na Argentina, João Vicente Goulart entrou na Procuradoria Geral da República solicitando indenização porque seu pai teria sindo "envenenado". Nos anos 70, estive em Curuzu-Cutiá, ao lado de Mercedes, onde Jango morreu e não consegui " levantar" nada sobre isto. É bem verdade que eram outros tempos.E a viúva, Maria Thereza Fontella Goulart sempre que inquerida sobre se o marido fora "assassinado" respondia que isto era uma grande bobagem, que o marido morrera mesmo de enfarte. E agora? Será que o Erário público vai arcar com mais uma polpuda indenização?


Jantar do Sinborsul é hoje à noite
É no dia 16/01 na churrascaria  Barranco, o jantar do SINBORSUL, comandado pelo colega Valter Todt e pelo presidente Geraldo Fonseca. O Todt é o terceiro da esq. para a dir.na foto. Os demais sou eu, o redator, o presidente do ABTP,Willen Manteli e o colega Mário Santarosa. O Todt é além de jornalista competente, fã do Pedro Raimundo, como bom "catarina" que é.


Governadora reúne secretariado

  
Fotos: Agência Edison Castêncio
Dia 14/01, de manhã, reunião do Conselho Político com a Governadora Yeda Crusius. Acabou o findi no litoral, agora é volta ao batente. O secretário Aod Cunha Morais até parece explicar pra Yeda onde ele irá conseguir a grana pra pagar a folha de Janeiro.


Guia de Verão
Antes da cobertura de praia, tínhamos, nos anos 70, na ZH, o Guia de Verão. Era um caderno que saía encartado sempre em dezembro, próximo do Natal, mas era preparado durante semanas por uma equipe.Sei de muitos leitores que o guardavam pra usar depois nas férias.Não sei se ainda vigora ou não. Não lembro quem bolou este produto, se foi a Otília Riet, ou quem.Mas nós repórteres saímos a camperear o Estado,( e no litoral até SC) em busca de informações.Era Gramado e Canela, a zona das águas termais, as praias do Litoral Norte, o Cassino, as praias de água doce.Um repórter, um fotógrafo e o motora, que geralmente deixava meia diária em casa pra patroa segurar as pontas e depois vinha dar uma filadinha  no restaurante o que a gente comia.Ninguém passava fome,diga-se a bem da verdade...Estas saídas dependendo do roteiro, duravam até 10 dias.


Guia de Verão I
Foi numa destas viagens que até   comi lagosta, na praia de Itapema, pescada na véspera. Num restaurantezinho de beira da praia, saiu quase de graça. Eram outros tempos no litoral de Santa Catarina. Conheci então praias paradisiacas, ainda não descobertas pelo grande público. À medida que foram saindo em jornal, embora tivessem pouca infra, foram sendo ocupadas pelos gaúchos. Uma delas é Porto Belo, outras Bombas e Bombinhas, ao norte de Floripa...E outras ainda a da Ferrugem,do Rosa e Garopaba.


Guia  de Verão II
O trabalho do repórter era esmiuçar coisas atrativas do local,entrevistar as autoridades nativas, e contar alguma coisa pitoresca, além do serviço. Hotéis,restaurantes,bares etc...A venda dos comerciais era feita por outra equipe. Não éramos nós que fazíamos. Mas muitos vendedores usavam um expediente ladino:sabiam que o repórter e fotógrafo tinha passado em tal local,vinha atrás e vendia os anúncios pro comércio, pra prefeitura. Hoje acho isto normal, até porque preciso vender meus  anúncios. Mas na época nós repórteres não podíamos nem desconfiar de que faziam isto nas nossas barbas porque haveria um levante. Tempos mais ingênuos,ou mais radicais. Mas a verdade é que o Guia sempre saía coalhado de publicidade dos comerciante, hoteleiros, prefeituras,etc...


Guia de Verão III
Numa destas viagens estive em Floripa, que eu nem conhecia, ou conhecia pouco. Fiquei admirado daquela cidade que tinha 42 praias(lembro bem até o título da matéria) e que os gaúchos começavam a descobrir, principalmente porque em fins de 70,começo de 80, muitos professores gaúchos foram lecionar na UFSC.Hospedamos no centro, perto da Felipe Schmit e de dia íamos percorrer as praias do Norte - Canasvieiras,Jurerê,até Ingleses, então um descampado com grandes ondas, muito diferente do que é hoje.Finalmente conheci o Santinho, que não era nada do que é hoje, com resort e tudo.


Guia  de Verão IV
O "Santinho" era local de agricultores e pescadores. Muita gente vinda do Sul procurava a praia porque era tida como alternativa. O pessoal subia o morro pra fumar um.E a paisagem era realmente deslumbrante, com aquele marzão, tendo ou não fumado. Na vez que estive em Floripa pelo Guia de Verão voltei recheado de material, que o velho J.B. Aveline mandava " desovar"(isto é escrever).Mas uma coisa me chamou a atenção: a capital de Santa era tão pacata que a secretaria de turismo só funcionava a partir das duas da tarde. Os funcionários me alegaram que de manhã eles pegavam uma prainha, que não eram de ferro mesmo...


Guia de Verão V
Numa das idas, tive que fazer Blumenau, como região de turismo alemão. Procurei pelo colega Arthur Tadeu Monteiro, então assessor de imprensa do prefeito Renato Viana( que depois foi deputado federal e hoje preside o BRDE).O Arthur, colega de Porto, só queria festa. Quando ele entrava numa, não sabia parar. Só que eu tinha que trabalhar no outro dia...


Guia de Verão VI
Numa das ocasiões pedi pro fotógrafo - não lembro bem que era, mas acho que foi o Arivaldo Chaves - pra encontrar uma foto diferente, alguma coisa que se destacasse do comum. Andamos,andamos e num final de tarde, em Pinhal, ou Magistério, não sei, tinha um pequeno chalé onde vi uma plaqueta magistral. Diza: " CANTINHO DA COSSASSÃO!"
Adorei aquilo. O cara era mesmo debochado...Fizemos a foto.


Governadora Yeda visita senador Simon em Rainha do Mar

Foto: Agência Edison Castêncio
Pode ter sido que a governadora Yeda Crusius (PSDB) tenha feito uma visita antecipada pra levar os parabéns ao senador Pedro Simon (PMDB) que completa 78 anos no dia 31 de janeiro próximo a que ela fez no sábado, dia 12/01 a casa de verão em Rainha do Mar. Ou pode ter sido também pra saber se o futuro chefe da Casa Civil, César Busatto vai pro PMDB ou fica no PPS. O fato é que Simon gosta de Busatto e pode sonhar em trazê-lo de volta ao seu partido. Nunca é demais também lembrar que foi pelas mãos do senador (talvez o último cacique da política estadual ainda vivo) que Yeda Crusius entrou para a política partidária.


Flávio Obino
Os amigos do ex-presidente do Grêmio e do Banrisul, Flávio Obino torcem por sua recuperção ele que foi operado no Instituto de Cardiologia,dias atrás.


Cândido Norberto
Domingo, dia 13/01, a Rádio Guaíba pedia sangue de todos os tipos para o paciente Candido Norberto dos Santos, que vem a ser o radialista Cândido Norberto. Um dos maiores talentos da comunicação gaúcha do século passado, foi também político, tendo concorrido a prefeito de Porto Alegre pelo PSB(Partido Socialista Brasileiro) e tendo sido presidente da Assembléia Legislativa do Estado. Fundador do Programa Salão de Redação, da Rádio Gaúcha, passou para a história da comunicação, por,entre outros fatos, ter "descoberto" o inspetor de polícia Francisco Paulo Santana e tê-lo deixado participar do Sala.


Os " bonequeiros" são importantes!

Estão na fotografia Lupi Martins (falecido em 2007),
Jefferson Bernardes (atual fotógrafo da gov. Yeda Crusius) e Diego Vara.

Transcorreu  dia 8/01 o "Dia  do Fotógrafo" que dentro da imprensa   importante tanto quanto o  repórter. O ex-deputado Victor Faccioni - hoje conselheiro do Tribunal de Contas do Estado - costumava dizer que ele preferia ver uma foto sua  no jornal a um longo texto que sabia poucos o leriam. Pra homenagear os colegas, publico esta foto feita no dia 26.04.2003,na Hípica de Porto Alegre,quando a Atina Onassis esteve aqui. O evento é o The Best JUMP. A Atina acho que veio competir. A foto é do fotógrafo Mathias Cramer. Dentro os conhecidos do redator, aparecem Valdir Friolin( da ZH) e Ricardo Giusti( mais conhecido por " o filho do Benito", do Correio do Povo).


Memória da Festa da Uva!
Como estamos em tempo de Festa da Uva, de Caxias,vale recordar um episódio que envolveu o ex-presidente Ernesto Geisel(falecido) e o fotógrafo da revista Manchete(extinta) Sérgio Ross. Havia um monte de seguranças da presidência por perto do Geisel. Até que o Serginho deu uma escapadela pra ir ver outras coisas fugindo da turma que rondava o presidente. Passada meia hora, os seguranças localizaram o Serginho anunciando-lhe que Geisel queria falar com ele, com urgência. Quando o Serginho chegou, o presidente apontou prum monte de uvas penduradas na parede e disse pro fotógrafo:- Sérgio, estas uvas que estão aqui são todas de BENTO!
( Geisel e Serginho são os dois nascidos em Bento).


Cobertura de Praias I
Esta história de jornalista multimídia que hoje em dia  é incensado já existia na cobertura da temporada de litoral.  Por exemplo, em cobertura de praias, os repórteres de jornal  faziam matérias e os enviados das rádios do mesmo grupo de comunicação  pegavam as laudas e  faziam seus  programas de minutos diretamente do litoral  lendo o que os repórteres da mesma empresa haviam apurado.Não vou dar nomes de radialistas que faziam isto, mas os vi fazer inúmeras vezes.


Coberturas de Praias II
Numa das apresentações do " rei" Roberto Carlos na SAT, um empresário de Porto Alegre - que fora diretor da entidade - acabou envolvido num rolo. Os fotógrafos da Cia Caldas Junior bateram fotos do cantor e a segurança de Roberto Carlos partiu pra cima deles e haja pancadaria. O empresário ficou envolvido no episódio, queriam botá-lo no camburão pra ir depor na delegacia de polícia. " Eu não, eu vou no meu carro". E foi. Dia já raiando em Tramandaí,foram todos liberados fotógrafos, o empresário(aliás muito conhecido) e foram cuidar de sua vida.


Cobertura de Praias III
Num dos verões(perdão,leitores, não lembro o ano,deve ter sido ou fim dos anos 70, ou comecinho dos anos 80) houve uma  ressaca muito grande. Chefiava a sucursal de ZH o C.A. Kolecza e o fotógrafo Antônio C. Mafalda - que Kolecza chamava de " capitão" mas que veio do interior com o apelido de " Pirulito" se dispôs a ir em busca de grandes fotos. Partiu de madrugada num bugi que ele alugou, não sei com quem nem onde.Até acho que o conseguiu com o prefeito de Tramanda, ou algo assim. O Mafalda, quando queria, era fogo. Nada era impossível.Dai ele foi sozinho,sem repórter, dirigindo o carro. Andou ao sul de Quintão, onde o diabo perdeu as botas. E não contente com a devastação do litoral que fotografou, alugou um cavalo de um pescador e andou quilômetros adiante fotografando tudo. Chegou de volta já noite, mas no dia seguinte o jornal lavou a égua de cobertura que deu da tragédia.


Cobertura de Praias IV
Pode parecer esquisito, mas eu juro que vi. O empresário Eliseu Padilha, em começo de carreira política - acho que já era prefeito de Tramandaí - ia na redaçãozinha da ZH no Hotel Beira-Mar onde batia longos papos com o Carlos Alberto Kolecza.Poucos conheciam Padinha naqueles anos.


Cobertura de Praias V
Numa das coberturas, de brincadeira,  coloquei numa matéria que redigi que o secretário de turismo de Tramandaí , Milton Hoffmeister(já é falecido) no desfile da av. Emancipação no sábado de carnaval, puxava o bloco dos foliões dando " gritinhos". Mas achei que o copy desk fosse tirar a brincadeira. Na segunda quando vi que a matéria tinha saído como havia mandado esperei que viesse bronca.  O secretário entendeu que aquilo era uma brincadeira e nunca reclamou nada.


Cobertura de Praias VI
O " Lelo" filho do hoteleiro Miro Weber, era um dos que se destacavam nas peladas de fim de tarde. Não sei se virou jogador ou não.


Cobertura de Praias VII
Nas redações  ir fazer cobertura de praia, no começo, era meio tido como "  depreciação". Com o tempo esta bobagem caiu por terra.


Coberturta de Praias VIII
No acervo do Miro Weber, no Hotel Beira, há uma bela foto feita pelo Tude Munhoz(da ZH de então) do Carlos Nobre junto ao dono do hotel.


Coleguinhas
1) Flávio Pereira, do sistema Pampa, também advoga. Agora está tentando tirar da cadeia um advogado que acabou preso em Itaqui. Mas perdeu recurso no Tribunal de Justiça.

2) O colunista de O SUL, Wanderley Soares, irá substituir o presidente Ercy Torma, da ARI, no Conselho Estadual de Cultura. É aqule conselho que decide verbas da LIC.

3)O suplente de Wanderley no Conselho Estadual de Cultura será o radialista Jayme Copstein que dia 07/01 completou 80 anos e estreou coluna em O Sul e um programa de fim de tarde na Rádio Pampa.

4) O prédio da ARI precisa,sim, de uma "copidescagem".

5)Valter Todt já mandou convite. O jantar do Simborsul do Geraldo Fonseca, será, dia 16/01 no Barranco.


Vila da Armação de GAROPABA ou simplesmente GAROPABA
Pra amenizar a canícula que tem feito nestes dias -agora está 40 graus na rua, em Porto Alegre no momento que escrevo  - só mesmo se lembrando de praia e de uma praia espetacular. Falo da Armação de Garopaba, ou só Garopaba em Santa catrina, a 80 km ao sul de Floripa. Hoje reduto da classe média gaúcha, principalmente da portoalegrense, no comecinho dos anos 70 - quando a conheci -  era freqüentada apenas por hippies, alguns estudantes de Medicina da UFRGS(que faziam doações de remédios aos pescadores) e um que outro componente da classe média. A colega Lorena Paim, por exemplo, que foi muito para lá nesta época a chamava de " Macondo" comparando-a à fantamasgórrica cidade que Gabriel Garcia Marques inventou pro seu célebre romance  "Cem Anos de Solidão" com o qual ganhou o Prêmio Nobel de Literatura. Então leitores, aí vão cinco fotos, devidamente legendadas.


A viagem pra Garopaba começava pra nós mochileiros em Viamão, na RS-040. Dali chegávamos a Osório e de lá geralmente em caminhões a Garopaba. Nesta foto está o autor deste espaço, pedindo carona. Ao fundo um posto Atlantic, e uma camionete rural estacionada. Ano de 1972. Foto de Milton Saraiva, o " Totti".


O autor já está em Garopaba. Pulseira de couro comprada dos hippies na Praça Senador Florêncio no braço esquerdo,
nesta foto estou na casa de um pescador. Vê-se ao fundo o mar de Garopaba(SC). A cerquinha de madeira dividia
a casa dos pescadores, onde geralmente dormíamos nos barcos de pesca, que eles  nos cediam sem qualquer problema. A dona da casa faz "pose" quando viu que o fotógrafo ia bater a chapa. Ano de 1972. Foto de Milton Saraiva, o " Totti".


Esta foto foi feita pelo funcionário da UFRGS, Ilton Saffer,no meio da década de 70. Foi tirada a partir da igrejinha,localizada no morro, vendo-se ao fundo as casas dos pescadores e no final o morro.Aparece o sino da igrejinha.


Outra foto feita pelo Ilton Saffer, no meio da década de 70.
Aqui vê-se a igrejinha aos fundos, o morro ainda não coberto de casas,e as redes dos pescadores num entardecer.


Garopaba no meio dos anos 80. Ainda persistem as casas dos pescadores,
mas o morro ao fundo já está meio tomado por casas feitas por veranistas.

A colega Heloiza G. Herscovitz, hoje professora de Jornalismo  na Califórnia, conheceu a Garopaba do começo dos anos 70. Este  seu depoimento nos ajuda a entender o que era esta praia naqueles anos e a " fauna" que a freqüentava:

"Garopaba. Fui a Garopaba pela primeira vez em 1972. De carona,mochila nas costas. Em outras vezes fui de ônibus, que parava na entrada,entre a BR e a estrada de terra no meio da madrugada. Ai tinha que esperar amadurecer  pra pegar outro ônibus de linha ou carona. Tinha um bar  logo no início da estrada de terra que abria cedinho. Ali eu comia um sanduíche de mortadela e tomava um Chocoleite, garrafa de vidro pequena.Só tinha em Santa Catarina na época. Durante toda a década de 70 freqüentei Garopaba com diversos amigos. Ficava no  hotel Lobo. O restaurante do hotel Lobo era uma festa no almoço e no jantar. Toda a gauchada comendo o "PF" ( prato feito, o mais barato) que era uma delícia para nosso padrão na época. Como dizia teu ex-sogro( a autora refere-se ao prof. Luis Carlos Pinheiro Machado)´tínhamos uma fome antiga´. Tinha um outro hotel,melhor, mas ali só ficava gente mais velha , profissional liberal( nota do titular do saite: o jogador Braúlio, do Inter, era um dos que se hospedavam lá). O velho Lobo era desconfiado.Ele e um bando de filhos administravam o hotel e mais umas lojinhas. Tinha gente que vendia a calça e a jaqueta jeans pros "lobinhos" ( filhos do dono do hotel) e com isso pagavam a comida e a hospedagem.Lembro de umas meninas  mais doidinhas que transavam com o "Lobão"( o dono do hotel, não o cantor) em troca de comida e hospedagem.Dormi muitas vezes nas cabanas na beira da praia onde os pescadores guardavam os barcos. Ali dormia um monte de gente e ficava todo mundo amigo. Os estudantes de medicina trocavam hospedagem com os pescadores e em troca montavam um consultório improvisado,atendiam todo mundo e distribuiam remédios. Uma única vez acampei no morro( refere-se ao morro localizado detrás da igrejinha) mas choveu e a barraca desabou na nossa cabeça. Lembro de uma noite um cara gaúcho chamado " Toninho", ruivo, declamando em espanhol Antônio Machado e eu vomitando na escadaria daquela igreja maravilhosa em frente à praça. Tenho algumas fotos da época. Também vivi uma experiência incrível lá na grande enchente  de Tubarão em março de 1974. Eu e mais uma amiga e um amigo, o escritor Ernani Sso, que era meu colega no Jornalismo da PUC-RS. Em Garopaba não chovia e achamos que dava pra encarar a estrada(BR-101) de carona.Foi um susto. A BR estava bloqueada pela chuva em vários pontos  com o asfalto quebrado. Levamos três dias para chegar a Porto Alegre.Perdemos os sapatos,ficamos sem dinheiro e atravessamos o que sobrou de estrada com água no pescoço. Nos postos de gasolina serviam um sopão de graça. Vimos cachorros em cima de telhados de casas cobertas pela água, operários fugindo ainda de capacete das empresas de Tubarão e que nos ajudaram muito, dormimos na porta de uma igrejinha na estrada e amanheci com um viralata me lambando a cara. A região ficou isolada. Morreram 200 pessoas. Quando cheguei em casa, minha família pensou que eu tinha morrido por causa das notícias no Jornal Nacional( da Rede Globo).O Ernani Rosa, hoje escritor, conhecido como Eranani Sso, deve ter escrito sobre esta aventura.

Garopaba é muito diferente hoje. A igrejinha e a escadaria estão lá. Mas os morros foram tomados desapareceram aqueles gramados que ficavam cheios de cogumelos. Dá pena de ver. Estive lá em 2005 e meu coração se encheu de tristeza. Ficaram as boas lembranças. Conheci muita gente lá, vivi muitas aventuras e pequenos romances. Até hoje lembro do cheirinho do pão quente da padaria em frente ao hotel Lobo. Ficava na porta esperando sair do forno. Tinha um pão doce fantástico. Lembra?

Cobertura de Praia I
Esta madrugada, quando levantei pra tomar chimarrão - ainda havia estrelas no céu - lembrei-me de mais duas historinhas do tempo que fazíamos cobertura de praia, como a gente chamava. Uma foi no Hotel Beira-Mar: acreditem se quiserem. Só vou omitir o nome do artista, no bom sentido. Acordei cedo,desci do segundo andar onde ficavam os aposentos dos repórteres e fotógrafos - sempre o Miro Weber nos botava em quartos cujos chuveiros davam "choque" - e entrei na cozinha porque queria tomar café já que viajaria a Porto Alegre pra assuntos particulares. Qual não foi meu espanto quando ouvi alguns  "gemidos". Virei e dei com a seguinte cena: um "pau de luz" ( carregador de iluminação pra equipe de tevê) transando com uma funcionária do Hotel Beira-Mar. Até aí, digamos, afora o horário e o local, na cozinha do hotel, tudo até compreensível. Mas o local que escolheram foi inusitado: encima do fogão. Claro que o fogão ainda não havia sido aceso.


Cobertura de Praia II
Esta não tem cena de sexo. O Lauro Schirmer(diretor de ZH) e  o João Baptista Aveline(chefe de reportagem) acharam que tinham que mandar o Vilmo Medeiros - conhecido por ser chefe durão, muitas colegas que iniciavam com ele nos primeiros dias saíam da redação chorando tais os impropérios que ele dizia sobre suas matérias - pra chefiar a turma da ZH na praia.O Vilmo foi lá e fez uma reunião com todo mundo e fechou um acordo: ninguém aqui vai apresentar relatório de porra nenhuma. Mas vamos trabalhar direitinho. As 7 da manhã os repórteres tinham que estar na sala do café tomando café pra depois ir pro batente e o Vilmo só dava pautas de buracos, como se dizia, pra fazer. Nada de ambiental,mulheres peladonas na beira da praia e por aí afora....


Cobertura de Praia III
Zé A. Zulian, um dos repórteres que estavam neste barco, "quebrou" o acordo com o Vilmo quando voltou a Porto Alegre. Contou algumas coisas ao Aveline. Quando o Vilmo Medeiros chegou de volta, depois da temporada, o Aveline lhe perguntou:
- Aí Vilmo, como foi aquela zorra lá, aquele pessoal que só queria farrear...
- Que nada disse o Vilmo,se fazendo de morto.
O pessoal é super legal, tudo direitinho.Todos trabalharam bem.
- Mas, respondeu o Aveline, o Zulian veio aqui e se queixou de ti, disto, daquilo,
que tu dava muito duro, não dava folga nem aos domingos?
- Ah é reagiu, de forma violenta, o Vilmo se sentindo traído. Então agora ele vai ver.
Vou fazer um relatório e entregar direto ao Lauro.
Aveline fez de tudo pra demover o Vilmo, mas não houve cristo. O Vilmo entregou doze laudas pro diretor da ZH botando os podres que havia encontrado antes de fechar o tal de acordo do silêncio com os repórteres. Mas o Lauro,conciliador, deixou por isto mesmo....


Cid Martins, da Rádio Gaúcha, grava boletim em Capão da Canoa
e som de banheiro vai ao ar

Segundo a Coletiva.Net, do dia 8/01, Cid Martins, da Rádio Gaúcha gravou um boletim sobre ocorrências policiais para o "Chamada Geral" e o som da descarga de um banheiro foi ouvida no ar. O apresentador Antônio Carlos Macedo, o " Macedão" no final ainda acrescentou: "com som ambiente e tudo".
Tirou sarro, de leve, do colega.


Cobertura de Praias I
O episódio acima, do Cid, me fez lembrar quando fazíamos cobertura pela ZH no Litoral Norte. Repórteres e editores eram sobrecarregados de pautas vindas da capital, porque em Porto Alegre, pouca coisa, pra não dizer nada,acontecia. Éramos dois ou três repórteres, mais um fotógrafo e um chefe pra "fechar" quatro ou cinco páginas diárias do jornal. Quando trabalhei com o C.A.Kolezca como chefe, o batente começava logo após o Renner das 9 da manhã, de onde Kolecza, já extraía alguma pauta.


Cobertura de Praias II
A mais memóravel de todas  as matérias da qual  participei no Litoral - e foram muitas - foi a da morte de um menino argentino,da região de Corrientes, de 5 anos, em 1982, durante o Mundialito jogado em Montevideo. Diego Armando MARADONA fez um golaço, o menino estava hospedado no Hotel Samburá em Imbé e desceu correndo a escada. Não viu que a porta de entrada era puro vidro e estava fechada. Cortou a jugular, ou algo assim e se esvaía em sangue quando foi socorrido. No Litoral, mais precisamente, em Tramandaí, o Pronto Socorro  não deu conta do recado, tentaram uma ambulância pra Porto Alegre, mas o menino chegou morto a Porto Alegre. A ZH fez um verdadeiro carnaval....


Cobertura de Praias III
Com este baita gancho  na mão, C.A. Kolecza e a equipe foi pra cima do então secretário da saúde Germano Bonow - ainda era o governo Jair Soares - e  provou por a mais b que as 500 mil pessoas de então que se deslocavam durante dois meses por ano ao Litoral Norte estavam completamente desasistidas em caso de uma emergência médica.Corremos de praia em praia atrás de notícias sobre serviços médicos. Não havia nada. Todos os casos eram remetidos a Tramandaí.


Cobertura de Praias IV
As primeiras vezes que fui trabalhar no Litoral pela ZH ficávamos hospedados no Hotel Sperb, na av. Emancipação, bem no fervo de Tramandaí.Depois a redação passou para o hotel do Miro Weber,- o Beira-MAR - um alemão da região do Vale dos Sinos que se mudou pra lá e fez fortuna como hoteleiro porque entendia do ramo.Piere Weber, filho de Miro, ainda recorda hoje que o C.A.Kolecza era " inimigo" dos fabricantes de cadeiras porque não as usava. Preferia sentar direto no chão.


Cobertura de Praias V
Claro que surgiam "romances" envolvendo os profissionais.Longe de casa, da patroa, alguns exageravam. Via-se a tristeza estampada no rosto de alguns fotógrafos,repórteres e cinegrafistas no final de 15 dias depois que as "equipes" trocavam. Os que estavam indo embora da temporada estavam cabisbaixos. Os que estavam chegando,alegres,prontos pra o que desse e viesse.  Alguns exageros neste particular chegaram aos ouvidos da direção da empresa,na capital. A tal ponto de num determinado ano, o dono da RBS, Maurício Sobrinho, chamar o chefe da TV Gaúcha, Florianão Correa e lhe ordenou:- Floriano, vai pra lá e moraliza aquilo lá porque tenho recebido muitas queixas aqui. Avisa a turma lá pra maneirar senão fecho tudo e vem tudo embora.


Cobertura de Praias VI
Um repórter da TV Gaúcha - que depois foi pro centro do país e ficou muito conhecido na área esportiva - por exemplo, andou se envolvendo com uma mulher casada. Quando estavam no quarto do repórter, o marido da senhora teria pintado lá. Ele teria fugido pelo telhado do Hotel Beira Mar,logrado êxito mas ganhou o apelido de " HOMEM ARANHA".


Cobertura de Praias VII
Mas houve também lances sérios. Como o de Juarez Tosi, de ZH, que numa destas coberturas de praias, conheceu sua futura esposa, que fora levada para Tramandaí,pela colega Santa Irene Araujo Lopes.Petista fanático, o " CUCUT", como o saudoso Melchíades Stricher o chamava - uma referência a CUT- Juarez quando foi apresentado a futura esposa pela Santa perguntou de pronto:- ÉS PETISTA?


Cobertura de Praias VIII
E alguns destes repórteres que fizeram estas coberturas foram felizardos. Em 1987 conheceram o famoso "da lata" que deu nas praias brasileiras, depois de jogado ao mar pelo navio que a transportava. Estes felizardos iam na piscina de um conhecido político do litoral pra desfrutar destes momentos...


Colunista Edgar Lisboa, do Jornal do Comércio comenta o site “de Olhos e Ouvidos”

Agradecemos o colunista de Brasília Edgar Lisboa, do Jornal do Comércio, que publicou uma nota comentando sobre este site. Veja sua coluna diária, clicando AQUI. Nossos cumprimentos.


Coleguinhas
1) Gilmar Eitelwin, o " Xineco" da assessoria de imprensa da Assembléia Legislativa tirou férias. Dizem que foi " acampar" numa praia de Floripa.

2) Depois de descansar em Porto Alegre, na virada do ano, o repórter Caco Barcellos, apresentador e roteirista do quadro " Profissão Repórter" na TV Globo, está descansando na praia de Cambuci, São Paulo. Dia 15 próximo interrompe as férias para viajar a Londres por motivos particulares.

3) Serginho Araujo que comandou a Publicidade da Assembléia Legislativa na gestão que finda em 3l de janeiro deste ano, ainda não sabe para onde irá.


O " saudoso" Contursi
O fotógrafo Carlos Contursi, falecido em 1998, e que empresta o nome à sala de imprensa na assembléia legislativa do RS,foi lembrado por ocasião do dia do fotógrafo, 8/01. Um antigo colega de profissão que trabalhou com ele num estúdio que tinham na rua Uruguai,l lembrou que sempre que Leonel Brizola (ex-governador) ia se encontrar com o seu fotógrafo-escudeiro, a sua esposa, dona Neusa Goulart,quando estava por perto, ironizava:- Leonel, ai vem o teu tutor!


Cobertura de Praias IX
"Macedão" que colocou no ar o boletim de Cid Martins no dia 7/01 no "Chamada Geral" conhece bem o que é fazer cobertura de praias. Na crise da Caldas Junior, em 1983,84, como a empresa estava praticamente quebrada ele ia sozinho pro Hotel Beira-Mar ficava num dos quartinhos do fundo do hotel e de lá dava conta do recado, mandando muitos  boletins pra rádio Guaíba, onde trabalhava então. Sozinho fazia frente a equipe de peso que a Gaúcha tinha lá. E de quebra Macedão ainda mandava matéria pros jornais da Caldas - Folha da Tarde, Folhinha da Manhã e Correião.E 'as vezes dava furos na concorrência.


Cobertura de Praias X
O famoso humorista Carlos Nobre era um que não dispensava trabalhar na praia. Só que nunca ia ao mar. Se hospedava no Beira-Mar e mantinha uma rotina privilegiada. De manhã cedo fazia sua coluna em laudas,entregava-as na redação pra mandá-las a Porto Alegre. Depois iniciava seudigamos assim roteiro etílico pela Taverna do Willy, onde tinha copa franca a hora que chegasse.As vezes almoçava lá, as vezes almoçava no Beira-Mar mas sempre acompanhado da esposa e dois dois filhos, o Marquinhos e o Nobrinho. Era o profissional mais família que conhecia em coberturas de praias.


Cobertura de Praias XI
João Baptista Aveline - embora eu nunca tenha trabalhado no Litoral com ele - também deixou marcas por lá. Nunca ia desfrutar um banho de mar. Ficava na redação do hotel.


Cobertura de Praias XII
Nos finais de tarde, era certa uma pelada nos fundos do hotel onde havia um campinho entre jornalistas, funcionários do Beira-Mar e jogadores profissionais, como Falcão, Tarciso,Batista, que veraneavam em Tramandaí e pintavam no hotel pra bater uma bolinha.


Cobertura de Praias XIII
O " show" maior que houve no Beira-Mar foi protagonizado pela falecida atriz Sandrea Brea, no auge de sua juventude e beleza. Ela foi fazer um show na SAT num sábado à noite junto Luis Carlos Miéle os fotógrafos ficaram na frente do Beira-Mar de plantão esperando sua chegada porque ela estava hospedada lá.Quando eram 4 da matina, já alta madrugada de sábado, ele chegou na sacada do apê onde estava, totalmente pelada e bêbada. Os fotógrafos do chão fizeram muitas fotos dela, mas nenhum foi publicada é claro.


Cobertura de Praias XIV
O " mala" de se trabalhar na Praia era o Roberto Carlos. Quando ia se apresentar na SAT não dava entrevistas, não se podia fazer fotos. Tudo tinha que ser negociado com sua produção antes.    


Assaltos
Dia 08/01 o colega Cristiano Darsch teve seu correntão de ouro arrancado por um pivete na Borges de Medeiros, em Porto Alegre. Ele diz que o assaltante bateu em porta errada porque a corrente não vale mais que 30 pilas.


Outro
A repórter Ivani Schtütz (nascida no bairro Floresta, em Porto Alegre) foi assaltada tempos atrás  na frente do edifício Condado de Porto Alegre na Rua Conde de Porto Alegre, no bairro Floresta, onde reside sua mãe. Eram por volta de 10 horas da manhã, Ivani foi descarregar compras na porta do prédio da residência da mãe.Foi assaltada por uma dupla que tripulava uma moto. O "carona" saiu,depois,dirigindo o carro roubado da repórter da RBS TV. E nenhum dos guardas da guarita se mexeu. Ela relatou a policiais militares que ainda tentou argumentar com os bandidos:- Mas eu sou da RBS TV!- E nós com isto! teriam respondido os marginais. Até dias atrás seu carro hão havia sido localizado.O gaurda da guarita do prédio anotou as placas da moto mas eram "clonadas". 


Escritor furioso
Uma editora cobrou 14 mil reais à vista para editar dois mil exemplares de um livro de memórias de um veterano jornalista.O livro foi lançado em fins de 2006.Mas ainda não rendeu grana ao escritor.Depois de muito relutar, ele conseguiu 450,00 reais da editora. E o editor debitou como despesas pro escritor até os envelopes e postagem dos convites do lançamento feito numa livraria enorme no Shopping Praia de Belas. É claro que o escritor p... da vida...


Dúvidas do verão
O sol está de matar e por isto fomos entrevistar um entendido no assunto.O dermatologista Dr. Sérgio Dornelles(fone 51.3226.2933). Diz ele que o sol é uma fonte inesgotável de energia e saúde quando bem utilizada.No Brasil,diz ele, a cultura do bronzeamento está presente no dia-a-dia das pessoas,"vendendo" a imagem de saúde e bem-estar.No entanto muitos cuidados devem ser tomados já que segundo dados fornecidos pelo Instituto Nacional do Câncer(INCA)apenas no ano de 2003 registrou-se um número de 82.155 casos novos de câncer no Brasil.Em função deste fato existe uma preocupação de todos no sentido de evitar esta doença. A orientação adequada deve ser iniciada na infância para que na adolescência e vida adulta as pessoas comecem a apresentar um comportamento mais cauteloso,quando expostos à radição ultravioleta. Perguntas comuns em consultório:

Protetor solar fator 30 a 50 precisa ser reaplicado?

- Sim. Eles não oferecem uma proteção mais duradoura que cremes com fatores menores. Portanto, devem ser reaplicados a cada 90 minutos ou após permanência em água, prática de esportes e transpiração excessiva.

Os autobronzeadores são menos perigosos que as câmaras de bronzeamento artificial?
- Sim. Os dermatologistas  não recomendam uso de nenhuma substância que promova o bronzeamento acelerado. Os únicos produtos recomendáveis são os auto-bronzeadores que produzem uma oxidação na camada superficial da pele escurecendo-a, temporariamente, sem causar danos.

É recomendado consumir cenoura,abóbora,mamão,maçã e beterraba antes da exposição ao sol para obter um bronzeado mais bonito?
Sim. O consumo destes alimentos é recomendado como forma de ajudar na prevenção contra a ação nociva do sol.O que ocorre é que os alimentos citados contêm carotenóides,pigmentos encontrados em boa parte de frutas e legumes de cor vermelha e alaranjada. Esses pigmentos se depositam nas células da pela tendo capacidade de reter as radiações ultravioletas.

Deve-se evitar exposição ao sol entre 10h e 16h?
Sim. Neste horário os raios ultravioletas- UVA e UVB - desgastam muito as estruturas das células da pele da pessoa que está exposta ao sol sem proteção. Vale ressaltar que existe algum risco para quem estiver usando filtro solar, ou seja, o excesso de exposição sempre deverá ser evitado.

Os hidratantes e maquilagens com protetor solar não têm fator de proteção adequado?
Sim. Para funcionar, bases e batons devem conter filtro solar com fator de proteção 15. A maquiagem em pó também pode ajudar, mas, em geral, a proteção é irregular e insuficiente, sendo necessário reforçar a proteção com outros produtos.No entanto, os produtos ativos para reverter os danos causados pelo sol e o envelhecimento precoce devem ser prescritos por médicos, de acordo com a necessidade de cada pessoa.

Pessoas que fizeram uso de toxina botulínica ou preenchimento com ácido hialurônico precisam ter cuidados especiais sob o sol?
Não. Tanto a toxina botulínica quanto o ácido hialurônico não sofrem nenhuma interferência direta do sol. A proteção recomendada é a mesma para as pessoas que não fizeram uso dessas técnicas de rejuvenescimento.

Deve-se evitar sol nas cicatrizes e queimaduras?
Sim. As cicatrizes e os locais de queimaduras recentes devem ser protegidos do sol para não se tornarem pigmentados. Já os locais de queimaduras antigas são mais vulneráveis a um eventual desenvolvimento de câncer de pele e é indispensável o uso de protetor solar nessas regiões por menores que sejam.


Agende-se
Quarta, 9/1,  20h30min, a visita que grupo de convidados fará ao Clube do Comércio, na Praça da Alfândega. O objetivo da visita é conhecer as reformas que serão implementadas dentro do projeto Monumenta.Convidados terão coquetel e concerto da soprano Sorrentino.O Clube do Comércio fará 111 em 2008!

Agende-se I
No Clube do Comércio viviu a mais famosa colunista social de Porto Alegre, Gilda Marinho.Depois de muitos anos morando lá, um dia foram ver porque ela não poderia continuar: descobriram que nem associada ao clube ela era. Mas ficou lá até a morte.Pelo menos é o que conta Juarez Porto em sua livro sobre a socialite. 


Coleguinhas

1) Núbia Silveira telefona informando que assumiu na Imprensa da  Câmara Municipal de Porto Alegre.Obrigado pela ligação. Isto mostra que estão lendo meu saite porque nota dada aqui dias atrás repercutiu.Não há nada pior do que se trabalhar em veículo que não repercute.Não praticamos a irresponsabilidade, mas também não chocamos notícia, duela a quien duela...como dizia nosso presidente alagoano...

2) Está longa a interinidade de Taline Oppitz na coluna Panorama Político do CP.

3) Fernando Albrecht voltou de férias no Jornal Gente, na Band AM. Osiris Marins entrou em férias e o programa é monitorado por Renato Martins.O Gente vai ao ar ás 7h30min.

4) Muitos coleguinhas estão aguardando o convite do SINBORSUL pro jantar que anualmente é coordenado pelo colega Valter Todt, diretor da Todt Comunicações. No ano passado foi dia 12 de janeiro. Este ano não vai ter?

5) Leitores do site www.previdi.com.br esperam ansiosos a sua atualização. O cara, chega de descanso  à beira mar.

6) Jayme Copstein estreou sua coluna diária no O SUL.

7) Estão imperdíveis as colunas do FAGomes sobre as praias gaúchas, principalmente sobre como era antigamente chegar ao Litoral Norte.


Serafina Correa
Estive em minha terra natal,como disse ontem, e duas coisas me chamaram a atenção: o grande número de lixo depositado na rua no fim de semana. Não há recolhimento de lixo?Ou é feito somente depois do fim de semana? Outra novidade de lá é que finalmente parece que a famlía Cervieri fará um acordo sobre a herança do pai,Fioravante. É terra que não acaba mais, valiosissima, porque no perímetro urbano da cidade.Estavam há cerca de 30 anos em litígio.



Coluna Mensal “DE OLHOS E OUVIDOS” que também é publicada no Fitness

 Dia 22/12. ARI entregou 3 títulos de “Conselheiro Honorário” e comemorou os 30 anos do Jornal Krônica, do “Barão”.

Os que ganharam o título de Conselheiro Honorário foram FAGomes (que levou toda a família, mostrando enorme AUTOESTIMA — alguns dizem que ele se acha o “papa” da comunicação) Ênio Rockenbach, e ACPorto (que nem foi receber o laurel. Estava viajando).

A ARI também entregou, na oportunidade, ao advogado Jacques Távora ALFONSIN — responsável pela mudança dos estatutos da entidade — um certificado especial. O advogado também não foi. Alegou que teria que dar uma entrevista na mesma hora. FAGomes tirou sarro — mesmo com o evento sendo transmitido ao vivo pela rádio da UFRGS.

— Estou bem sim, mas todo CAGADO, disse ele, quando lembrou o Gal. Flores da Cunha que teria dado esta resposta a alguém que elogiara sua excelente condição fisica. Aos 82 anos, FAGomes já está “encolhendo”. Há tempos não demonstra a mesma garra que o tornou famoso. Hoje se limita a mediar seu programa “Os Guerrilheiros da Notícia”. Como mudou de casa — deixou o Correio do Povo pelo O SUL — os seus fãs do interior do Estado não o lêem mais porque o seu atual jornal não tem a circulação do anterior.

A entrega dos troféus da ARI foi feita em grande estilo de camaradagem. Eram loas pra cá, loas pra lá... O que mais se manteve humilde (que vem de “húmus” que quer dizer chão, ou seja, que se manteve com os pés na realidade) foi o “Barão” que circula há 30 anos com seu jornal Krônica. Tirado a fórceps, o Krônica sempre é visto de 15 em 15 dias, nos locais onde é distribuído.

Vai ser difícil nascer outro Barão, tão cedo.

Não posso esquecer: um dos já conhecidos “papacoquetéis”, o Telmo esteve presente ao ato e assistiu à solenidade, impoluto. Estava reclamando que no dia anterior comparecera à posse do Conselheiro João Luís Vargas, no Tribunal de Contas do Estado e que “depois de 3 horas de discursos não nos deram nem uma água mineral”.

No término da solenidade, FAGomes e a família se retiraram. Não ficaram para o coquetel promovido pelo SINDIRADIO. O Dr. Ary dos Santos ficou ocupado e não pode ir, lamentou: estão aproveitando meu coquetel. FAGomes disse que “quando os bispos compraram a Caldas Júnior me perguntaram: o que eu ia fazer? Eu disse:— Vou fazer oitenta.” Cabe lembrar que o veterano radialista moveu uma ação trabalhista contra a ex-empresa, e que pelo estatuto do Idoso deveria ter logo uma sentença. FAGomes estaria “pedindo” um milhão de reais alegando vínculo empregatício.

 O fotógrafo ABELARDO MARQUES do CP vai se aposentar em 2008.

 Dia 14/12: Inauguração do “quiosque” na churrascaria Barranco. L.C. Reche e Sérgio Couto estiveram lá. Couto não parava de dizer ao dono do Barranco, Elson Furini: “entrevistei agora o João Donato”. Furini parecia nem saber de quem o radialista falava...

 L.C. Reche, neste mesmo dia colocou no ar, ao vivo, Chiquinho Tasca e Elson Furini.

 Dia 15/12: Última sessão do ano de filmes promovidos pela Sociedade Psicanalítica de POA, com debates. Agora só em maio de 2008.

 Sérgio da Costa Franco reclamou de ter que pagar o livro Pauta: “me difamam e ainda tenho que pagar”. Estava repetindo o célebre episódio da “barriga” da rádio Guaíba, quando “mataram” D. vicente Scherer e ele ligou pra lá e alguém mandou ele “a puta que pariu”. D. Vicente protestou depois a um diretor da Guaíba” me matam e ainda me mandam a puta que pariu”.

 No fim de 2007, morreu o prof. Riopardense de Macedo. Quando a Caldas Junior foi à bancarrota em 1984 ele foi nomeado por um juíz como perito do acervo fotográfico da empresa — cerca de UM MILHÃO DE NEGATIVOS — que seria dado pra pagamento de uma dívida de um credor que executava Breno Caldas. Dirceu Chiminino, chefe do arquivo, assessorava o professor Riopardense que ia lá pra dizer pro juiz quanto valia o arquivo fotográfico. Renato Ribeiro comprou o CP e então esta transferência foi estancada porque ele honrou a dívida.

Dia 26/11: depois de ganhar vários Prêmios Press, a turma da Band AM e FM foi pro Barranco comemorar. Ganhou 6 prêmios, dos 16 dados pela Press.

 Só entrava no Átrio Santander na noite do dia 26/11 quem tinha convite.

 Dia 26/11: Dep. Luciana Genro do PSOL fazia campanha na Esquina Democrática. Ela é chamada pelo público de “A Crespa”

 O Sindicato dos Jornalistas-RS encerrou o luto pela morte do seu diretor Daniel Herz ocorrido em 30-05-2006.

 Marco Aurelio Carvalho levou o ator André Damasceno pra fazer um show na entrega de um prêmio que o chargista ganhou. O chargista, por sinal, é réu em 3 processos. Um deles movido pelo Grêmio.

 Dia 29/11: Paulo Santana em virtude de doença na R. Gaúcha inventou o bordão “TALVEZ, voltaremos”. Diferente do Anonimus Gourmet, que diz “Voltaremos”.

 Dia 29/11: Renato Martins na Band AM chamou o técnico Wagner Mancini de Walter Avancini (autor de novelas). E ninguém dos colegas de bancada na hora percebeu o que prova que não prestam atenção ao que os colegas falam.

 Dia 31/12: Osiris Marins abre o Jornal GENTE na Band AM: “Bom dia neste 31 de Janeiro....

 Fernanda Zaffari, ex-RBS, voltou de Londres, mas ainda não emplacou por aqui em outro veículo.

 A Associação Riograndense de Imprensa (ARI) entra 2008 sem site. E alguns diretores estão com “uma pulga atrás da orelha” por causa de problemas de terceiros que podem ricochetear na entidade...

 Dia 21/12 presidente do Sindicato dos Jornalistas, Zé Nunes disse que congresso estadual dos jornalistas de 2008 será feito no interior do Estado.

 Dia 21/12: enquanto diretores e funcionários do Sindicato dos Jornalistas comemoravam final de ano, Renato Rossi, da Rádio Guaíba, foi buscar sua nova carteira de jornalista. E não quis participar da festinha embora convidado. Estou a caminho do aeroporto”, disse ele. O funcionário que atendeu o identificou diante dos colegas como “com cabelos caídos na frente, como os índios”.

 Dia 31/12 Hélvio Schneider, o “alemão” aposentou-se da ZH. Trabalhava lá desde 1973. Antes havia trabalhado na rádio Continental. Esteve um tempo na assessoria da SEC. Dele alguns coleguinhas diziam ser o “jornalista invisível”. Ou seja, nunca brigava com ninguém, fazia o trabalho dele e tá bom.

O outro lado famoso do “alemão” é seu pão durismo. Dizem que nunca consumiu um cafezinho no barzinho interno do jornal onde trabalhou tantos anos. Deve já estar no Rio, onde tem um apê em Copacabana e de onde só deve voltar no final do verão.

 Prêmio ARI de Jornalismo, atento a quem escreve as matérias. O juri do prêmio ARI de Jornalismo estaria tendo mais cuidado com quem inscreve as matérias no concurso. Na 49ª edição, por exemplo, na categoria de imagens de tevê ganhou o Favaro Gonçalves, da TV Record. Mas o júri achou que havia coisa melhor inscrita: a de uma cinegrafista que FLAGROU uma fraude do INSS com um cara que foi fazer perícia de muletas e foi pego pela câmera escondida ao sair e já caminhando sem muletas. O júri do Prêmio ARI resolveu não dar o prêmio a este trabalho porque ele fora inscrito no nome do chefe do cinegrafita. Isto era praxe nos prêmios ARI passados: é só dar uma olhada nos vencedores dos prêmios passados. Ali onde está registrado “Falano de Tal e equipe” é porque o chefe o inscreve no seu nome e da equipe que produziu a matéria. Pergunta-se: não é um constrangimento? Qualquer advogado tiraria daí um dano moral.


Veja a edição completa do Fitness 104


SAPA
Jesus Iglesias, publicitário, deve estar se mexendo no túmulo ou em outro lugar onde estiver. Inventou, de brincadeira, uma tal de Sociedade Amigos de Porto Algre(SAPA) e o que se tem visto de bobagens sobre isto por aí não é mole. Chegam ao cúmulo de inventar presidentes, etc e tal. Nunca fui da tal SAPA mas só sei que de sacanagem se reuniam no Chalé da Praça XV pra beber chopp e gozar dos antigos veranistas que iam com as " patroas" pro Litoral.


Maridos em Férias
Outra " instituição " dos anos 70 no verão de Porto Alegre eram os maridos em férias. Esta quem bolou foi a Rádio Continental e sua irreverência. Como não podiam falar mal do Governo porque a censura vigia, ficam inventando estes bordões que pegaram SAPA..." Maridos em Férias" etc e tal. Só que aí muita gente esperta, como os donos da churrascaria Barranco entraram na brecha e começaram a ganhar dinheiro encima disto... 


Coleguinhas
Este site foi citado dia 7/1 na coluna do colega Edgar Lisboa, no JC. Gracias Edgar!

Tarso Riccordi, ex-repórter da Folha da Manhã da CJCJ andou um tempo em Fortaleza, Ceará e agora muda-se para Vitória, no Espírito Santo.Riccordi é autor do " Tenho Dito" da editora Tchê, uma referência de livros sobre anedotários políticos...

Um colega disse num programa matinal  numa rádio  dia 7/1/ que 1968 era o ano em que praticamente tinha tudo acontecido. Até os bondes de Porto Alegre haviam sumido. Pera aí, tchê. Os bondes de Porto Alegre foram retirados de circulação em 1970.

O colega Alberto Blum anda vendendo seguros. E como safenado caminha rigorosamente na Pracinha da Encol de manhã cedo.

Marco Aurélio Carvalho,chargista de ZH, não parou de fazer sua charge diária nos últimos dias mesmo estando em viagem nos USA.

Estamos na época em que se pode chamar de " alegria dos interinos". E não se sabe se é porque o interino afinal está   nesta condição  mas a gente tem a tendência de achá-lo melhor que o títular.

Estive em minha terra natal, Serafina Correa, neste findi. E lá circulam semanalmente dois jornais: O Serafinense há mais tempo e o Gazeta Reginal que vai para seu terceiro ano.

O colega Cristiano Darsch voltou de Capão decepcionado com o "entulhamento" em que se transformaram as praias gaúchas. Bombando de placas de Buenos Aires, Montevideo e por supuesto...Imagina então o que devem estar as praias de Santa...


Mulheres na Política
Antigamente terreno masculino, as mulheres estão tomando conta da política.
Haja visto o que foi sua presença na posse de Sebastião Mello(PMDB) como presidente da Câmara Municipal de POA, no dia 03/01.

    
Prés-candidatas à prefeitura deputadas federais Manuela D'Avila/PC do B, Maria do Rosário/PT e a secretária estadual da Cultura Mônica Leal/PP. Na foto do grupo, Da esq. para a dir.: ver.Maristela Menegheti/DEM, ver. Neuza Canabarro/PDT, ver. Sofia Cavedon/PT, ver. Clênia Maranhão/PPS, dep.fed. Maria do Rosário/PT, ver.Margarete Moraes/PT, Diretora do Grupo Hospitalar Conceição Jussara Cony/PCdoB, Sec. Cultura Mônica Leal/PP,
dep.fed.Manuela D'Avila/PCdoB, ver.Maria Luiza/PTB
Fotos: Agência Edison Castêncio



Coleguinhas I 

Na última sexta,dia 4/01, circulavam rumores de que a colega Núbia Silveira teria sido convidada a permanecer na imprensa da Assembléia Legislativa.Ela estaria indo de cuia e mala para a chefia de imprensa da Câmara Municipal de Porto Alegre.


Coleguinhas II
Roberta Amaral, que já foi chefe da imprensa do secretário dos transportes, Alexandre Postal e hoje está na imprensa da Assembléia Legislativa, será nome forte na próxima legislatura do legisltivo estadual. Roberta, por sinal, fez 36 anos no dia 3/01 último. Segundo seu colega Gilmar Eitelwein ela está na " idade do segundo casamento".


Coleguinhas III
O presidente da ARI, Ercy Torma, no barzinho da entidade, lembrou de mais dois famosos pãoduros do jornalismo: Nilson Mariano e Elton Werb.


TAM começa a recuperar a imagem
A TAM que tanto pau levou da imprensa no ano de 2007 - por atrasos nos aeroportos e pelo acidente de Congonhas - patrocinou a árvore de Natal erguida por uma empresa de comunicação junto a Usina do Gazometro em Porto Alegre.


Posse na Câmara Municipal
No dia 03/01 o vereador Sebastião Melo(PMDB) tomou posse como presidente dqa Câmara Municipal de Porto Alegre. Lá estiveram muitos políticos,entre eles três ex-governadores - Alceu Collares(PDT) e Pedro Simon e Germano Rigotto(PMDB).Isto mostra o prestígio do legislativo municipal. O fotografo Edison Castêncio estava lá e registrou.

 
Prefeito de Porto Alegre José Fogaça/PMDB (esq.) cumprimenta o presidente da Câmara empossado Sebastião Melo/PMDB. Na foto 2, Ex-goverandores Pedro Simon/PMDB e Germano Rigoto/PMDB com o filho do presidente empossado da Câmara Municipal Sebastião Melo/PMDB.
Fotos: Agência Edison Castêncio


Os  "pão-duros" da História
Não é só o colega  Hélvio Schneider que é pão-duro. Há outros. No meio jornalístico, por exemplo, o José Carlos Torves é outro que atravessa o rio Guaíba com um sonrisal na mão e não se derrete. Ele não abre a mão. Não sei porque que chamam esta gente de "mão - de - vaca". Outro pão-duro no meio jornalístico é o tesoureiro da Associação Rio-grandense de Imprensa (ARI), Benito Giusti. Pra ele assinar os cheques da entidade, é um parto. Pior que ele só o Verdi, que cuida do barzinho da entidade. Este economiza amendoin...pros associados. Há um ditado em italiano que diz:" qui sparanha,gata manha" que numa tradução livre quer dizer " quem poupa o outro gasta..."


Os "pão-duros" da História I
Entre os políticos têm fama de pãodurismo, FHC, Leonel Brizola. Eu particularmente conheci um. O ex-prefeito de Caxias do Sul,Mansueto Serafini Filho. Quando ele era presidente do Trensurb, viajava,ganhava diárias e tudo, mas economizava.À noite, pra não gastar, quando os outros iam num restaurante ele ia numa sorveteria comer um picolé ou sorvete. Dizia que era pro estômago. Que nada! Era mesmo pra economizar a diária. Uma vez sua falecida esposa o fez comprar um piano. O Mansueto quase chorou.O pãodurismo do Mansueto está registrado no livro Bar Treze, de Luiz Carlos Ponzi. Diz ali:" o Mansueto de Castro Serafini Filho ( duas vezes prefeito de Caxias do Sul famoso por seu pão-durismo, tanto que,rindo, Sady de Carli lembra:' eu nunca vi a cor do dinheiro do Mansueto, pois quando ele ia lá,alguém pagava o cafezinho dele, já que ele só tomava café. Não recordo dele sacar, e no Bar, ele nunca tomou uma gota de bebida de álcool".


Porto Verão Alegre, mas não tanto...
De agora até fins de fevereiro,prepare-se quem não tem casa, um parente, ou não gosta de se torrar na beira do oceano Atlântico nos finais de semana: na segunda, sua secretária(o) vai chegar às 8 e meia e a primeira coisa que ela vai  fazer não é servi-lo de um cafezinho ou de um chimarrão ou de uma água e sim ligar para aquela amiga que ela sabia que também foi à praia para saber  se " o congestionamento da FREEWAY foi muito grande pra vocês?".Nos elevadores então papo de mulher é sempre o mesmo nas segundas de manhã deverão em Porto Alegre:  "você está bem torradinha". É a sina de quem vive nestes lados do trópico.Pior que tudo isto é ter que ouvir falar de novo falar nesta bomba de Tangos e Tragédias. É a tragédia em pessoa, ou melhor, em espetáculo...


Sebatião Mello assume na Câmara Municipal
Dia 3/02/2008 o vereador Sebastião Mello(PMDB) assumiu a presidência da Câmara Municipal de Porto Alegre, em substituição a vereadora Maria Celeste(PT). Na vice-presidência da Câmara Municipal,ficou a vereadora Clênia Maranhão(PPS). Na coordenadoria de imprensa, assumiu a colega Núbia Salete Silveira.


Hélvio Schneider se aposentou
Lendo o David Coimbra de 02/01, fiquei  sabendo que o ex-colega Hélvio Schneider se aposentou da ZH. O conheci e fomos colegas no ano de 73,quando uma turma trabalhava na editoria de Polícia. O editor era o Renatinho Pinto da Silva, o subeditor o Sérgio Becker, o " Mola" Nelson Ferrão também era da editoria de Polícia da ZH. Na mesma editoria trabalhavam o Goulart(Fernando), o " Bola" João Carlos Harres( que virou astrólogo famoso no Rio de Janeiro) o Serrinha( hoje oficial de Justiça da Justiça Federal) e o repórter mais gaiato e esperto de todos, o Milton Galdino, ou " Churrasquinho". Era uma equipe de respeito que não deixava furo a não ser quando   um faltava ao  plantão ou o José Carlos Lopes( que era da rádio Gaúcha também)aprontava alguma. Eu morava na JUC 5, na av. Venâncio Aires,esquina com Sta Terezinha. O Hélvio mandava o " Fiti" - nosso motorista da madrugada- me buscar lá pelas 11 e meia da noite, pra rendê-lo nos plantões.No fim da nossa jornada, ainda passávamos numa padaria do Cristal, que o " Fiti" conhecia o dono, e trocávamos o exemplar de ZH daquele dia por um litro de leite.


Hélvio...I
A coluna do David de 02/01 fala de leve no "pãodurismo" do Hélvio. O Gajo era fogo. Nunca ninguém viu a cor do dinheiro do Hélvio, nem no barzinho da redação, onde corria uma moeda própria que a secretária Vânia - que segundo alguns tinha mais poder na redação do que o editor Chefe e do diretor do jornal - inventou e muito menos no bar porta-larga, onde muitos colegas do Hélvio deixavam mais da metade do seu salário. Mas o Schneider aplicava bem seu dinheiro tanto assim que há anos ele passa sempre suas férias no Rio de Janeiro,enquanto alguns não vão nem a Pinhal e nem a Quintão e nem a Magistério. A última vez que falei com o ex-colega ele passara as férias no Rio de Janeiro e fora ver os jogos do Pan.Claro que quando me contou acrescentou: " fui de ônibus". O Hélvio nem sabe que existem táxis...


Mensagem para 2008

Agradeço as mensagens de boas festas e desejo o mesmo a quem as enviou. O editor.


Porto Alegre vazia nos feriadões
Um vazio de dar medo tomou conta de Porto Alegre nos últimos dias. Com Natal e Ano Novo todo mundo que pode se mandou. E o que é pior,  não se vê policiais nas ruas...


Volta ao batente
Depois de alguns dias sem atualização, este blog volta a se atualizar.
Esperamos a compreensão dos nossos leitores e queremos tê-los de volta conosco.
Sejam bem-vindos e grande 2008 para todos! O editor


Máquinas que foram de Flávio agora pertencem ao "jovem hebreu"
O livreiro Jorge Silva, mais conhecido como " a estrela de David" ou " jovem hebreu" conseguiu do Sidnei Coelho, da rádio Guaíba duas preciosidades: as duas máquinas de escrever com as quais Flávio A. Gomes e Mendes Ribeiro mandaram suas matérias desde Estocolmo, na Suécia, em 1958 e desde Santiago do Chile, em 1962 quando o Brasil se sagrou bi. O conserto das máquinas ficou com o Ebanes Flores.


Cadê o PT?
Chamou a atenção de muitos observadores, a ausência do presidente Lula das exéquias do falecido Cardel Dom Aloiso Lorscheider. Alguém lembrou que Dom Aloísio e outros bispos da linha chamada progressista da Igreja Católica foram combativos contra a ditadura militar e  foram também os responsáveis pelo nascimento do Partido dos Trabalhadores que no final da década de 70, início da década de 80 se abrigava nas Comunidades Eclesias de Base(CEB) mantidas pela Igreja Católica.Além do presidente, outros próceres do PT não foram vistos, publicamente, nos cerimoniais do passamento do cardeal Dom Aloísio. Já a governadora Yeda, o governador Serra e o senador Tasso Jereissati se fizeram presentes. Tem alguma coisa aí que não veio à tona e que também passou batido para a chamada " grande imprensa".


A foto da foto!


Acima vemos o ex-presidente Ernesto Geisel (nascido em Bento Gonçalves) fazendo sua foto oficial de presidente da República. O "alemão" como era chamado no Exército, até estava sorrindo de tão contente de ter posto aquela faixa que todo político um dia almejou.Junto de Geisel(sentado) vemos da esquerda para a direita o fotógrafo Sergio Ross( ele diz que jogou na ponta esquerda do Grêmio e do Cruzeiro, no estádio da Colina Melancólica, em Porto Alegre, e que foi noivo da Ivete Brandalise) e o todo poderoso secretário particular do presidente Geisel, Humberto Barreto, que depois foi presidente da Caixa Econômica Federal(CEF).Geisel governou o país de l974 a 1978 e foi nele que se iniciou o famoso processo de abertura política. "Lenta e gradual" dizia o presidente, que é falecido e está enterrado no Rio de Janeiro.Esta foto foi uma gentileza do Serginho Ross, que vive em Brasília e que de vez em quando vem ver sua gente em Bento Gonçalves.


A foto da foto I
Segundo Élio Gaspari, em seus livros publicados pela Cia das Letras, Humberto Barreto , teria funcionado como um "filho adotivo" de Geisel, em substituição ao filho que o presidente perdeu num acidente de trem.


A foto da foto II
O Cel. Carlos Aloiso Weber(falecido) que foi presidente da Rede Ferroviária Federal S/A sempre dizia que no tempo do presidente Geisel ninguém ousava ir pedir nada de dinheiro para os trens ao presidente porque sabiam do seu trauma com o trem devido à perda do filho. Por isto contava Weber, nos quatro anos de mandato de Geisel, a ferrovia foi tratada a pão e água no país.


Caldas Junior

A  crise na Cia Jornalística Caldas Junior no começo dos anos 80, do século passado,um grupo de jornalistas reuniu-se num sindicato do centro( nas cercanias da  própria Caldas Junior) pra discutir a situação da empresa. Como um dos palestrantes(parece que era o Geraldo Canalli se atrasou) o editor Marco Antônio Baggio abriu os trabalhos dando seu parecer da situação.Os nominados da foto são, da dir para a esq: Marco Antônio Baggio, de barba,falando ao microfone,Armando Burd,sentado,de óculos,não identificado,Rogério Mendelski,não identificado,não identificada( poderia ser a Vera Spolidoro?)Edgar Lisboa,não identificado e aos fundos, em pé, um contínuo do Correio do Povo.Gelson Farias, o dono desta foto, está sentado na platéia.


Local:Ginásio da Brigada Militar.Solenidade de entrega do espadim a um filho do repórter Roberto Hirtz. Sentados, da esq para a dir. O repórter Edgar Cavisnki (o " Poste" já falecido, foi do Diário de Notícias e do Correio do Povo)Gelson Farias(dono da foto) Roberto Hirtz, pai do homenageado,Leopoldo Rusick e Milton Carvalho, da Caldas Junior.(foto cortesia do Governo do Estado,assessoria de imprensa).Como ilustrativo, o colega Wanderley Soares, ao ver esta foto exclamou: " que turma da pesada!"


Na redação da Folha da Manhã, da Cia Jornalística Caldas Junior, editoria de polícia. Houve uma pequena comemoração. Detalhe: preste atenção no ventilador, que fazia um enorme barulho mas amenizava o calor no verão, quando as redações nem sonhavam com ar condicionado. Dadir para a esq:Marco Celso Viola, Renato Panatieri, o "Marcha Lenta" Gelson Farias, " o Biguá", Anilson Gantes da Silva, o "Cara Falsa", Wanderley Soares (editor e apelidado de " Ho Chi Min",Chico Salvatore, Celso Rosa( que era da Folha da Tarde, hoje está em S.Catarina) e
Salton (neto do fundador dos vinhos Salton).


Aniversário de Gelson Farias, comemorado na sede social do Servipol, na rua Santana, em Porto Alegre.À esq,de óculos, calvo, o editor de Polícia, Wilmo Medeiros," o Cabeção",em frente a ele, o delegado de Polícia, Wilson Muller Rodrigues( conversa com um colega que está de costas na foto)Gelson Farias, de bigode, no centro da mesa, a sua direita o delegado Gadret, já falecido,chefe do Depto de Polícia Metropolitana)a sua direita, de barba, um servidor do Juizado de Menores. também aparece o Cel Claudio, da Polícia Rodoviária Estadual(Comando Rodoviário) que prendeu o seqüestrador de seis menores no bairro Moinhos de Vento, Santino(já falecido).


Local Churrascaria Mosqueteiro, no Estádio Olímpico(Porto Alegre-RS).
Da esq para dir: Airton dos Anjos o " patinete", desconhecido, cantora "Berê", Miguelzinho da CBS (Atual Sony) e Gelson Farias. Aos fundos, um garção da Mosqueteiro.


João Gilberto Lucas Coelho e Fernando Henrique Cardoso, em Gravataí, num churrasco, num galpão. Atrás aparece o ex-deputado Edir Oliveira( que foi secretário do trabalho na cota do PTB).


Vereador João Dib está de dieta
O vereador João Dib(PP), de Porto Alegre, está seguindo rígida dieta. Já perdeu 13 kg.


Morre o ex-secretário de Minas Romeo Ramos
Morreu no domingo,dia 23, o ex-secretário de Minas e Energia do Governo Jair Soares(PDS) Romeo Ramos. Ele tinha 79 anos de idade e foi enterrado em Porto Alegre. No dia 27/12, às 18h30min, houve missa de sétimo dia. Romeu, pouca gente sabe, era parente " distante" do ex-presidente Getúlio Dornelles Vargas.


Deputado Cássia Carpes entrega abaixo assinado
contra a remoção do túmulo de Jango em São Borja



O deputado Cassiá Carpes (líder do PTB) entregou ao filho de Jango, Noé Dornelles Goulart, um abaixo-assinado com mais de 4 mil nomes de moradores de São Borja, pedindo a manutenção do túmulo do ex-presidente na cidade e impedindo que seja levado a Brasília, onde seria construído um memorial. Cassiá afirma: - Não podemos abrir mão de mantê-lo aqui. Brasília não merece João Goulart. É uma cidade fria, sem nenhuma ligação com o ex-presidente. Lá se fará uma festa momentânea e depois ele será esquecido. Se é para fazer um memorial para Jango, que façam em São Borja. Que prestigiem cultural e economicamente a cidade natal do único presidente que morreu no exílio. É preciso levar em conta os aspectos históricos, afetivos do ex-presidente com a cidade onde está sepultado, junto a GetúlioVargas e Leonel Brizola. O abaixo-assinado também será enviado aos outros dois filhos de Jango, Denise e João Vicente, que não moram no Rio Grande do Sul.


Coleguinhas
Havia um papo de que a redação da Guaíba subiria pro Morro Sta.Teresa,onde está a TV Record. Mas não. Ela ficará onde está e sofrerá reformas físicas. Não se sabe se a redação do CP também passará por reformas.


Coleguinhas da imprensa da Assembléia Legislativa se despedem da Núbia Silveira


Serviu também como despedida - porque a Núbia Silveira, que coordenava o setor  vai assumir a  imprensa da Câmara Municipal de Porto Alegre no dia 02/01/2008 - o jantar realizado na noite do dia 20/12 entre os coleguinhas que trabalham na imprensa da Assembléia Legislativa do Estado.Realizado nas dependências dos galpões dos DEPREC como são chamados, junto ao cais do porto de Porto Alegre, a preparação foi feita pela Rosa Loureiro.Foi o jantar de fim de ano de quem trabalhou duro, porque com a Núbia de chefe não tem moleza,não.

 
 



 
 
 
 



Mensagens dos leitores do Blog

Caro Olides, talvez sejas o único, até agora, a relembrar histórias de nossos colegas e a batalha diária por notícias. E tens a sensibilidade humana de lembrar colegas-sem-vitrine-de-luxo que partiram pra eternidade, mostrando suas virtudes e coragem, sempre esquecidos pela mídia, notadamente pelas chefias. A cada aniversário de um jornal, rádio ou tv sempre surgem os chamados "formadores de opiniões" etc, esquecendo-se da base: os repórteres. SUÊ foi minha amiga e colega. Quando chefe de imprensa da Secretaria do Trabalho e Ação Social-1974/75, foi-me indicada pelo Sindicato dos Jornalistas para tentar algum cargo porque um jornal da RBS não tinha decolado, etc. e tal. A entidade procurava trabalho para seus associados. Ela sempre foi competente e dedicada. Depois desse tempo tinha-se notícias dela por colegas... Registro meus cumprimentos pela tua lembrança hoje em seu qualificado Blog. Realmente, precisamos recuperar a história de muitos colegas que não estão mais entre nós. Abçs. Jorn. Otálio Camargo

Prezado Olides, conseguimos descobrir os verdadeiros amigos nos pequenos detalhes. Obrigado por incluir nosso Jornal Sierramar na lista de links de teu site. Um abraço de WB/Sierra

Olides, vi que comentastes sobre a música do Edgar Pozzer! Se quiseres ver o vídeo no Youtube, estou te enviando o link! Abs Alemão http://br.youtube.com/watch?v=Bff1NrR6A_Q

Grande Olides, parabéns pelo aniversário !! Sei que foi ontem, mas antes tarde do que nunca..hehe Saúde e Paz. Sucesso sempre. Abraço. Beto Bottega.

Caro Olides, lendo o teu blog - que está ótimo! - descobri que tu nasceste no mesma data da minha falecida mãe, Dona Elony. Ela também veio ao mundo no dia 16 de janeiro, só que de 1930, tendo falecido em maio de 1999, com 69 anos, portanto. Abração. Teu blog já tá linkado nos que recomendo. Emanuel Mattos

Olides amigo, li teu site hoje. Acho que fizeste uma interpretação errônea dos fatos. Quando te liguei não foi para negar nada. Mas para dizer que não havia, naquele momento, qualquer convite para um permanecer na Assembléia. Usaste no teu site uma conversa que ouviste na Agência de Notícias da Assembléia Legislativa, em que meus amigos e amigas faziam apenas um exercício de futurologia, me perguntando e se perguntando qual seria minha decisão se eu recebesse um convite para ficar na Assembléia. Me ouviste dizer que eu não tinha qualquer proposta, mas que para um(a) profissional elas são sempre bem-vindas. Daí deduziste que eu ficaria na Assembléia. O teu exercício de futurologia deu certo, porque depois foi confirmado para a Superintendência de Comunicação Social o nome de Carlos Bastos, um amigo de 40 anos, que acompanhou toda a minha trajetória e teve uma grande importância na minha vida profissional. Foi ele, entre outros amigos, que sempre me ajudou nas horas de baixa, de desespero, que acontecem com todos nós. Moralmente, estou impedida de dizer não a um convite do Bastos. Mas, na verdade, me custou dizer não ao presidente da Câmara, Sebastião Melo, que acreditou em mim e me convidou para coordenar a comunicação do Legislativo Municipal. Como sabes, eu ainda estava ligada à Assembléia. Assumiria na Câmara dia 2 de fevereiro, em substituição ao Vitor Bley Moraes, que estava na coordenação e com quem tenho ótimas relações. Quando colocaste a tua nota, o Bastos ainda não havia sido confirmado, nem me convidado. Portanto, eu permanecia na Câmara e te disse que uma notícia como a que deste, me traria problemas.  Só depois houve a reviravolta anunciada pela Coletiva. Portanto, não sabes mais por ser velho. Deste sorte, algo essencial para um repórter. Abraços, Núbia Silveira.

Meu grande amigo Olides Canton, que o dia 16 seja um grande dia e seja comemorado por muitos e muitos anos. Feliz Aniversário! Um abraço, Salomão Jacob Golandski

Já deixei um recado  (meio desajeitado) na secretária eletrônica.  Mas quero te desejar um FELICISSIMO ANIVERSARIO!!!!!!!!!!!! , que tudo vá acontecendo cada dia melhor para ti. Beijos Ingrid.

Olides, li o teu blog especialmente o relato da Heloiza sobre Garopaba. Conheci o Black em 72 na fila de inscrição do vestibular. Passamos uns verões pra cima e pra baixo em cinema, escutando som (Joplin e Hendrix), teatro, furando shows no Leopoldina, e acho que até apresentei ele pra Heloiza. De passagem por Porto Alegre parece que os ciclos se fecham. Fui assistir a uma apresentação do Jorge Gerhardt (íamos na casa dele na época), o Caco Barcellos apareceu na TV falando sobre o Julinho e nos tempos de PA. E agora achei teu blog falando dele. Bem, caso voce saiba onde encontrar meu velho amigo, dá um alô. Um abraço, Bia Guimarães.

Amigo Olides: Estou gostando do teu site: descontraído, sem frescuras, contando as coisas de forma simples e objetiva. Muito interessantes e oportunas as lembranças de antigas coberturas de praias em épocas de veraneios. Detalhe que vem diferenciando teu espaço de outros de coleguinhas que, neste período de vacas-magras, só apresentam matérias requentadas, de segunda mão. Continue fazendo a tua trilha e demarcando teu território. Com o abraço do colega Antônio Goulart.

Amigo Sr. Olides, na quarta feira, minha esposa apanhou o livro conforme o combinado. No mesmo dia li até a pág. 71 e na quinta pela manhã li o restante. è fora de série. É uma verdadeira enciclopédia sobre a história do transporte coletivo de POA. Você estava iluminado ao garimpar e transcrever os fatos. Transportei-me as décadas de 60 e 70 quando convivi com pessoas ali citadas como  Antonio Jorge da Silva o Balaio,, Enio Reis , Jean Vardaramatos que na época que trabalhei para ele, era dono de uns 15 carros (metade da frota) na Auto Viação Glória Gruta, e Inocêncio Michellon que não querendo desfazer os demais este foi o melhor de todos. Numa época que o dono era tudo na empresa ele era extremamente rigoroso com a qualidade do serviço oferecido a comunidade, na ocasião éramos obrigados a usar camisa social e gravata e ele mandava recolher o carro que não estivesse limpo ou o motorista ou cobrador não estivesse devidamente barbeado. Em compensação tinha um "faro"para detectar algum problema particular em um funcionário, que tratava logo de ajudar a resolver. Ele dizia que um funcionário tranquilo era mais eficiente. Sua obra prima deveria ter nova edição e divulgado amplamente. A propósito: posso indicar a outras pessoas para adquirir o xerox? Por hoje é isso. Um grande abraço e parabéns. João Antonio Pinto de Carvalho

Muito bom Olides. Em 2008, vais chegar aos 2.000 acessos mensais. Belo número.Abraço e bom final de semana. Beto Bottega. 


 
 


Olides Canton - Jornalista e Escritor


Nascido em 16 de Janeiro de 1.952 na cidade de Serafina Corrêa-RS, Olides Canton passou nesta cidade toda a sua infância e adolescência. Mudando-se para Porto Alegre, cursou a Escola Julio de Castilhos, tornando-se Bacharel em Comunicação Social pelo FABICO em 1.982. Trabalha como Jornalista desde 1970. Trabalhou na Companhia Jornalística Caldas Júnior, Jornal Zero Hora. No Jornal do Brasil e Revista Carga e Transporte atuou como free-lancer. Editor do Jornal de Bordo e Revista Fitness. Conseguiu quatro premios de Jornalismo, um do Badesul, dois do Setcergs e um da ARI. Registro no Sindicato dos Jornalistas RS: 2776 - Registro Jornalista - Mtb 4959.

Telefone: (51) 3330-6803
e-mail: contato@deolhoseouvidos.com.br

Autor de inúmeros livros, Olides Canton firmou-se como um
exímio contador de histórias contemporâneas.
Conheça agora as obras do autor


® Agosto 2007 - © De Olhos e Ouvidos - Olides Canton - Todos os direitos reservados
Os textos publicados neste site são de inteira responsabilidade de Olides Canton.


 


Alto da página


Brulars






contato@replay.com.br






LINKS
QUE RECOMENDAMOS


Coletiva.net
Política para Políticos
Sindicato dos Jornalistas
Comuniquese
Políbio Braga
Affonso Ritter
Fernando Albrecht
Percival Puggina
Blog do Noblat
Eu acho que
Felipe Vieira
Diego Casagrande
Rogério Mandelski
Gilberto Simões Pires
José Luiz Prévidi
Via Política
José Dirceu
E aí beleza?
Fernando Gabeira
Agenciafreelancer
Blog da Rosane Oliveira
Blog do Ucha
Valeria Reis
Bancada Gaúcha
College of Liberal Arts
www.estado.rs.gov.br
Brasil Imprensa Livre
Partido Progressista
Prefeitura de P.Alegre
Jornal Sierramar
Assembéia Legislativa RS


REPORTAGENS
ESPECIAIS


Exposição sobre Collares
Os sobreviventes dos Andes
São Borja pode perder Tumulo de Jango
Porque o "Rei" proibiu a biografia
Metade sul espera reflorestamento


EDIÇÕES DO FITNESS

Edição 104
Edição 103
Edição 102
Edição 101
Edição 100
Edição 99





o amplie a imagem www.marcopolo.com.br http://www.teubilhete.com.br belmar.jose@terra.com.br amplie a imagem amplie a imagem