ARQUIVO: EDIÇÃO DE NOVEMBRO DE 2007

Historinhas do Jazz-6

O Jazz-6 tinha um compromisso em Vacaria, num domingo à noite. O ônibus com o conjunto passou na casa do L.F. Verissimo pra pegá-lo, mas a esposa do cantor-escritor, Lúcia, não queria que ele fosse porque   na segunda  ele teria que viajar a São Paulo para ir no Jô Soares junto com os irmãos Caruso.Verissimo argumentou que ele dormiria no ônibus. Partiram para Vacaria no domingo depois do almoço mas lá na cidade depois do show a volta atrasou muito porque Verissimo ficou autografando livros pra leitores. E o pior: o motora se perdeu,errou de caminho e o conjunto bateu em Porto Alegre na madrugada de segunda,clareando o dia. L.F.Verissimo viajou a S.Paulo. Dias depois, Jorge Gherard, um dos membros doJazz-6 ligou pro Verissimo pra agendar outro show. A Lúcia atendeu: - Olha Jorge, esse negócio dessas viagens do Jazz-6. E aí desabafou:
- Fui a São Paulo, o Luis Fernando quase dormiu em pé durante o show do Jô Soares e no dia seguinte eu queria passear mas ele teve que dormir.


Historinhas do Jazz-6
Jorge Gherard diz que Lúcia,mulher do Verissimo, gosta da turma do conjunto. Tanto que num dos aniversários do Verissimo seus integrantes foram convidados pra sua casa e ela fez um bolo com velhinhas e encima escrito Jazz-6.


Agende-se
No dia 11/12, 'as 20h30min, no Centro Cultural CEEE Érico Verissimo o MJDH,ARFOC-RS,UITA,SMC e Consulado Geral da Argentina  vão apresentar a Cantata PATAGÔNIA DE FOGO de Sérgio Castro. Pede-se a doação de um livro.Entrada Grátis.


Coleguinhas
O colega Affonso Ritter escreveu em seu site que está em Búzios, onde andou a Brigitte Bardot e há ali uma estátua em sua homenagem. A Janis Joplin, se não estou enganado, também andou por lá.Não fizeram " pra branquela com voz de negrona" nenhum estátua?  


Formatura da Famecos comemora 30 anos
Será no dia 15, às 20 hs, no Rest. Copacabana, na Praça Garibaldi, a comemoração dos 30 anos de formatura do Jornalismo da Famecos, da PUC. Estão organizando o evento Nikão Duarte, Roberto Rodrigues e Roberto Tavares. Mas aí vai um endereço pra alguém que queira mais dados: cfruet@terra.com.br. José Evaristo Villalobos, o Nobrinho, é um dos festejados.Seu falecido pai, Carlos Nobre não saía do Copacabana. Uma noite levou junto um cabrito que o Chico Spina, dono do restaurante, iria sacrificar. Nobre ficou com pena do animal, colocou-o no fusquinha e o levou pra casa, no apê da rua Santo Antônio.O que fizeram do cabrito só o Nobrinho poderá saber.


Nome do Coi
O nome todo do falecido colega Coi Lopes de Almeida é Carlos Ronald Goulart Lopes de Almeida.Foi um dos fundadores do Pato Macho, de Porto Alegre. Era um jornal tipo Pasquim, cuja redação,dizem os maldosos ficava no Encouraçado Butikin(boate mais famosa dos anos 60/70 de POA).


Bar da ARI
No sábado, dia 1/12, foi distribuído por uma frequentadora do barzinho da ARI um manifesto do bispo que não quer a transposição do rio São Francisco. Dá pra ver ali que o ministro da Integração, Geddel Vieira Lima terá um osso duro de roer. O bispo - com todo o respeito pelo prelado - invoca até o sacrifício de Jesus na Cruz pra  dizer que não vai arredar pé, que morrerá pela causa. Está em greve de fome. Meu santo Deus, é de se pensar até onde vão os fanatismos?E a distribuidora do manifesto arrumou bronca logo com o colega Wanderlei Soares que disse que o bispo não é cristão porque cristão não atenta contra a própria vida. A moça se mandou proutra mesa.


Coleguinhas
O colega Cristiano Darsch escreve solicitando divulgação sobre uma nota publicada neste espaço: "Nós na Imprensa na Saúde e em outras secretarias fazemos plantões nos feriados e nos finais de semana inclusive sem o direito de desligar o celular. Em compensação recebemos folgas. Um sábado e um domingo de plantão dão direito a um dia de folga. Eu já tinha três folgas acumuladas. O que fazemos nas nossas folgas  não é da conta de ninguém. Podemos ficar em casa,viajar,namorar,somos livres. No meu caso realmente aproveitei meu dia de folga e levei minha cadela a uma clínica onde ela foi castrada com a retirada de ovários e útero e também sofreu extração de cinco glândulas mamárias e 3 tumores. E a trouxe pra casa." Cristiano Darsch.


Coleguinhas I : Galdino promete livro!
Não se sabe se é só promessa mas o repórter policial,aposentado, Milton Galdino da Silva, que carregou anos o apelido de " Churrasquinho"  informa que neste momento dois advogados estão analisando os originais de  seu livro de memórias. Galdino já publicou livros de poesias, prefacionado pelo advogado criminalista Jorge Krieger de Mello.Sabe muito. Foi ele o repórter que foi ao aeroporto Salgado Filho para entrevistar o delegado Sérgio Fleury, nos anos 70, chamado ao Sul pra ajudar a desvendar a tentativa de seqüestro do cônsul norte-americano. O delegado paulista não saiu do aeroporto. Voltou de lá mesmo pra São Paulo.O fotógrafo de ZH que acompanhou Galdino chegou a fotografar Fleury. Nem a matéria foi publicada. Teria havido um princípio de rebelião do DOPS gaúcho contra a intromissão da polícia paulista no episódio?


E o livro do Fehlberg?
Outro colega que tem um livro até onde se sabe pronto é o repórter político Carlos Machado Fehlberg. O próprio senador Pedro Simon(PMDB) perguntou a este colunista, no dia de seus autógrafos na Feira do Livro , se o Fehlberg vai ou não publicá-lo. Parte das memórias de Fehlberg podem ser lidas,em tópicos, no site onde escreve.


Redação nova!
Ivo Sigger,assessor de imprensa da Santa Casa de Misericórdia voltou a sua ex-redação onde foi editor do caderno Campo e Lavoura, a ZH, dias atrás. Lá encontrou o ex-colega Nilson Mariano que lhe disse:- Stigger aqui não tem mais ninguém do nosso tempo. Eu e uns poucos,só.
- Em compensação, respondeu Stigger, lá na Sta Casa a cada semana passam dois nas macas e mereconhecem e me chamam: o Stigger, tu por aqui...


Fala pouco
Que o cronista L.F.Verissimo fala pouco todo mundo sabe. Mas estes dias alguém lembrou que uma feita Verissimo foi ver um filme com a Lúcia,sua esposa. Na saída, ela lhe perguntou:- Que achastes do filme?- Leia a minha coluna de depois de amanhã,teria respondido o cronista.


Fruki, de Lajeado, quer botar cerveja no mercado mas ainda não tem data
  
Diretor-Presidente da Bebidas Fruki, Nelson Eggers
Fotos: Valmoci Vasconcelos/Federasul

"É um sonho. Mas acho que vai por enquanto continuar como um sonho porque a Fruki está dando certo com refris, água mineral e chás" disse ao meio dia de 28/11, na Federasul, o presidente do Grupo Fruki, Nelson Eggers. Ele informou que a Fruki tem 21 acionistas, dos quais 2/3 vivem em Lajeado(RS) e 1/3 em Porto Alegre(RS).


Fruki I
A Fruki tem 83 anos. Foi fundada em 1924. Tem acionistas já da quinta geração (apenas um) da quarta, da terceira (entre os quais o presidente Nelson Eggers. Seu faturamento não foi revelado. Eggers teme a concorrência. Informou apenas que entre 65% a 70% dele vem dos refris, 10% a 11% são dos produtos energéticos e 20% da água mineral.


Fruki II
De 2006 a 2007, a Fruki, segundo Eggers, teve um crescimento no seu faturamento de 25% (sempre sem citar números). Descontados os 5% da inflação do ano, o faturamento subiu 20%. Outro dado: os produtos mais aceitos são nos refris o guaraná, a frukicola (que Eggers disse ser muito boa) laranja,limão e uva.


Fruli III

A empresa, nascida em Lajeado(RS) preocupou-se nos últimos anos em expandir-se. Dos 55 mil pontos de vendas de refris no RS, ela já se faz presente em 35 mil. A Fruki,que durante anos patinou nos 9% a 10% do mercado gaúcho, hoje está em 16% e pretende subir para 18% no ano que vem.


Fruki IV
Em 2011, a Fruki quer sair do RS.Eggers disse que a missão da Fruki é "saciar naturalmente a sede dos gaúchos" e a visão é " queremos ser a sua escolha em todos os momentos".


Mendelski chiou sobre matéria do Detran
Dia 28/11, apresentador do Bom Dia, na Guaíba, chiou que a RBS TV estava dando como exclusiva uma matéria de cobranças de taxas de guinchamento do Detran que segundo o apresentador ela já havia dado há uns 15 dias.


Vilnei pediu anúncio no ar
Enquanto dava entrevsita na Federasul, dia 28/11, o presidente do Grupo Fruki, Nelson Eggers recebeu " solicitação" de anúncio do editor do site Brasil Imprensa Livre, Vilnei Herbstrith. O mais engraçado foi ver Vilnei com seu laptop colocando no ar, no seu site, em tempo virtual, a entrevista coletiva do empresário. Tempos modernos, estes.


Ex-deputado fez corpo a corpo
Ex-deputado estadual, Edmar Schneider, o "Xinaidinha" como é chamado em Estrela fez corpo a corpo junto ao presidente do Grupo Fruki, durante coletiva, na Federasul. Diz o ditado: quem não é visto não é lembrado.


Coleguinhas
Cristiano Darsch, da Assessoria de Imprensa da Sec Est. da Saúde tirou folga no dia 28/11 pra tratar da saúde de uma de seus cachorros. Levou-o pra clínica pra ser operado.


A reportagem policial
O RS sempre produziu bons repórteres policiais. Vide dois exemplos.
Caco Barcelos que começou aqui na Folha da Manhã e Carlos Dornelles,
Najar Tubino, Erny Quaresma, Roberto Hirtz,  entre outros.
Nestas fotos vão algumas reminiscências:


No tempo da Churrascaria Mosqueteiro


Da direita pra esquerda: O cronista Paulo Santana, da RBS,o repórter Gélson Farias, a jornalista Beti Boneti. Os demais são freqüentadores da Churrascaria Mosqueteiro do Grêmio. Década de 70. Foto: Arquivo pessoal de Gélson Farias.



Conferindo uma informação. o repórter Gélson Farias na redação da Folha da Manhã da Cia Jornalística Caldas Junior. Ano 1979. Diretor da FM era Valter Galvani. Foto: Arquivo pessoal de Gélson Farias.



"Tropa de Elite" da reportagem policial: comandante geral da Brigada Militar. CEL.Milton Wairich, repórteres Leopoldo Rusick,Vilmo Medeiros("Cabeção") Gélson Farias, Milton Galdino da Silva ( " Churrasquinho") Eli, do Museu de Comunicação Social José Hipólito da Costa,Roberto Hirtz("Ovelha",ou " Beto Bironha") - com os chuchus na mão- Sérgio Motta ("Geléia) também estão na foto Sérgio Lima, Rippol Ferreira, Irani Martins. Local: Bailão do Darci Silva, na av. Assis Brasil, em PAlegre. Ano 1979. À exceção de Milton Galdino, de ZH, os demais repórteres trabalhavam na CJCJ. Foto: Arquivo pessoal de Gélson Farias.


Repórteres confraternizam com as fontes.

Da esquerda para a direita: Vilmo Medeiros, de óculos, (" Cabeça"), Roberto Hirtz("Ovelha") sentado mais ao fundo, Gélson Farias, um motorista da Cia Jornalistica Caldas Junior," Doutora Franci" (chamavam de "Dona Franci") -atuava na 10 Vara Criminal do Foro de Porto Alegre -,hoje aposentada, delegado de polícia Wilson Muller Rodrigues , atuou no "caso Daudt" e depois foi deputado federal do PDT-RS,Delegado de Polícia José Arno Apolo do Amaral,de cigarro, como Müller, que depois foi prefeito de Alvorada(RS) e mais um jornalista usando gorro de " Mar del Plata". Local do encontro: Uma churrascaria em Porto Alegre localizada nas cercanias da Gaspar Martins. Ano: entre 1979 e 1980. 
Foto: Arquivo pessoal de Gélson Farias.


Que prêmio é este,enfim?
Me perdoem os coleguinhas, mas é muito  " factóide" este prêmio sobre o qual andam falando ( os coleguinhas,claro) tanto... 


Programa do Rech, na TV Guaíba
-Record é um clone do Programa do Datena. O que é bom e faz sucesso se copia. Que mal tem...Dá pra ver no programa que o Luis Carlos Reche está fazendo na TV 2 Guaíba,.agora,TV Record. É um clone do Programa que o Datena apresenta na TV Band, nos finais de tarde....


Prisões preventivas da Operação Rodin vêm aí
Segundo rumores que circularam nas últimas horas do dia 27/11, havia pelo menos uma prisão preventiva decretada pela Justiça Federal de um dos que haviam sido detidos na Operação Rodin.Vamos aguardar...


Santorini destino de muitos turistas

Uma das praias e localidades mais badaladas do mundo, estas fotos foram enviadas pela leitora Naira Sanes que recentemente esteve lá. Agradecemos sua colaboração.
Veja mais na Interação com os Leitores


"Felipon" embaixador  do RS!
Esta notícia de que o técnico Luis Felipe Scolari pediu ao presidente Lula pra dar uma " mãozinha" ao RS fez-mer lembrar outra história envolvendo o técnico pentacampeão brasileiro. Beti Sefrin estava em Lisboa assessorando  um evento da TAP promovendo o turismo do  Rio Grande do Sul e o secretário do turismo do RS, Luis Augusto Lara perdeu o avião na véspera. Ele justamente que atenderia a imprensa de Portugual. Sefrin não teve dúvidas: chamou o conterrâneo Luis Felipe Scolari que deu conta do recado. Quem conta este episódio é o sócio da Beti,jornalista Miron Netto. 


Bairro Humaitá discute segurança
Dia 28/11 no Vitrine, do DC Navegantes,a Associação dos Empresários Humaitá/Navegantes promove almoço para discutir parcerias de segurança empresarial.Quem assessora a entidade é a coloca Ancila Ferreira.


Boazinha do rádio
Esta quem contou foi o locutor Ênio Rockenback no barzinho da ARI no sábado 24/11. Aconteceu o seguinte: numa recepção havia um radialista, de nome Camargo, que na Farroupilha transmitia uma solenidade ao vivo. E como lá estava o General Aquistapace (pai da Clarice, envolvida num episódio de uma fiança à Coojornal) o locutor Camargo saiu-se com esta ao entrevistá-lo:
- Boa Noite, general AQUIPASTASSE? Só faltou o general relinchar.


ARI com muitos trabalhos
Foram 180 os trabalhos inscritos pro Prêmio ARI de Jornalismo. A garana é boa. 3 e 2 paus pros premiados, patrocínio do Banrisul. A entrega é dia 19/12 no teatro Dante Barrone, da Assembléia Legislativa.


Fora do Ar
O programa " Diversidade" do Glei Soares, na TV Cristal saiu do ar na semana passada. Queriam trocar de horário e o Glei não topou.


Errata
Vamos ver se agora está certo. Tito Tajes e Tabajara Tajes eram irmãos,ambos jornalistas, e os dois trabalharam na Caldas Junior. O Tito é pai da Claudinha Tajes, escritora. E os dois irmãos não se davam muito, confirmando a regra de parentes que trabalham em mesma profissão.

 
Onibus de dois andares faz sucesso na Marcopolo
 
Fotos divulgação: Marcopolo

A fábrica de carrocerias Marcopolo S/A aumentou em 60% a fabricação do ônibus de dois andares, ou " Double Decker" durante o ano de 2007,informa sua diretoria. Os veiculos são fabricados na unidade industrial de Ana Rech(RS). Em 2006, foram feitos 500 destes veículos e este ano 800. Os princiapis países que estão comprando o dois andares são Argentina,Chile, Peru e Africa do Sul.


O "senador" Xuvisco!
Na capa da ZH do dia 23/11, nos fundos, sentado, com as mãos encima de uma pasta está a atual "eminência parda" do senador Pedro Simon(PMDB-RS) o jornalista Luis Fonseca, outrora chamado de " Xuvisco" e mais antigamente, no começo dos anos 70 de "Porquinho". "Xuvisco" foi assessorar o senador prum mandato tampão. Indicado pela colega Isara Marques-nenhum jornalista se acertava com Simon e Carlos Sávio havia resolvido ir morar em Imbé(RS) - Luis Fonseca acertou-se com o senador e está trabalhando com ele até hoje. São as voltas que a vida dá...


"O senador" Xuvisco I !
Luis Fonseca era, nos anos 70, " unha e carne" de outro colega de ZH,onde ambos trabalhavam, o Fernando Saes, mais conhecido entre a turma por " Diabão". Mas os dois não caíram do céu. Sob a batuta de sua chefe Otília Riet foram responsáveis por começar uma cobertura que na ZH de então era totalmente vetada, a da área sindical.A ditadura, ou para tomar emprestado um jargão do senador Pedro Simon, "o regime de arbítrio" ainda estava muito forte, a Anistia do presidente Figueiredo ainda era um sonho distante dos brasileiros e  mesmo dentro de redações de jornais a autocensura vigia. Xuvisco e Diabão tiveram a ousadia de iniciar a coberturta da área sindical, isto é, as primeiras greves de trabalhadores que se fazia no país depois de muitos anos e inclusive foram  de ônibus misturados aos trabalhadores fazer coberturas de congressos  como foi o caso da Enclat que se realizaram na Praia de Santos, em SP."Diabão" depois de trabalhar anos na EBN em Floripa aposentou-se do jornalismo.
Hoje vive na Praia do Santinho, em Floripa, onde possui um bar.


"O senador Xuvisco II"
Por coincidência, um dos três senadores presentes ao encontro da aludida foto - a liberação de recursos federais para o governo gaúcho - também começou no movimento sindical quando " Xuvisco" fazia coberturas pela ZH. Trata-se do senador Paulo Paim, do PT.


Coleguinhas I
Vera Guimarães está na agência de jornalismo de Elaine Lerner.


Coleguinhas II
Auber Lopes de Almeida - ex Secretaria dos Transportes e ex-Concepa - está no site de Políbio Braga. Foi à Holanda acompanhando a delegação que esteve lá conhecendo dias atrás a infraestrutura portuária.


Coleguinhas III
Carlos Gomes, que já tentou ser político, é do dono da TV Cristal, ou TV Urbana, onde Cristina Mazzei, Santana e Glei Soares fazem o Diversidade entre 17 e 19 horas diariamente.


Tecnoplast encerra em clima otimista
Encerrou na sexta,dia 23/11 a tecnoplast realizada no setor de exposições da Fiergs,zona norte de Porto Alegre.Na sexta, uma máquina que faz bacias plásticas fazia demonstrações práticas. Em cada minuto, ela produzia 3 bacias. Uma menina, de uma vila próxima à Fiergs, guardava estas bacias todas e dizia pra todo mundo que ia levá-las " pra comunidade".


Coleguinhas
Edith Auler e sua mãe, Marioni( que continua em grande forma e residindo em Canasvieiras,Floripa) fizeram a assessoria de imprensa da Tecnoplast que encerrou dia 23/11.


Programa sobre Justiça está no ar na Guaíba!
Desde 11 de agosto, está no ar o " Espaço Jurídico", na rádio Guaíba AM produzido por Helena Marzullo e apresentado por Gerson Anzolin. Vai ao ar diariamente às 10h13 min(duração de 1,5 minuto) e aos sábados às 11.13 com duração de 2 min. Quem quiser contato com o programa o email é : espacojuridico@radioguaiba.com.br


Demissão pelo DO!
Esta "estória" da governadora Yeda ter nomeado pra secretário de Ciência e Tecnologia Dario Azevedo(PSDB) e depois na hora no Palácio anunciar Paulo Maciel(PP) - que os jornais deram dia 22/11 - remete-se ao distante mandato do hoje senador Pedro Simon no Piratini. O secretário substituto dos transportes,Amaury Menezes vivia "corneteando" o titular, Adão Faraco, na frente de todo mundo.Não fazia segredo que ele detestava o titular.O chamava de " dr. massaroca" e por aí afora. Ambos do PMDB mas de "correntes opostas".
Mas tinha "costas quentes" na Assembléia Legislativa. Quieto,Faraco, que de bobo nunca teve nada, mexeu os pauzinhos com o governador - que dizem se queixava até de ter que decidir se o cafezinho que lhe serviam tinha que ter ou não açúcar - e demitiu pelo DO o seu interino, Amaury Menezes.Eu era repórter de ZH,cobria este setor, e lá pelas duas da tarde, liguei pro Amaury pra entrevistá-lo sobre sua demissão. Acreditem se quiserem. O homem não sabia e quase o matei do coração ao anunciar que ele estava fora. " Está no DO sua demissão" tive que lhe dizer. Ele correu pra Assembléia e resolveu parcialmente sua situação.Assim que alguma coisa houve nesta história de primeiro sair um nome pra secretário de ciência e tecnologia e depois na prática ser outro." El hombre sabe mas por viejo do que por diablo" dizia Martin Fierro. Pra mim não houve engano nenhum,tudo jogada ensaiada...


Outra do Faraco!
Só do Adão Faraco teria uma ponchada. Mas vou contar só mais uma "unzinha". Logo que ele assumiu a secretaria dos transportes, era março de 1988, e uma das primeiras medidas que tomou foi mandar um "presunto"  que estava congelado no IML pra Alegrete pra ser enterrado lá. Solicitação dos familiares.  O Serginho Araujo que trabalhava lá não me deixa mentir.O Bruno Augê Ferreira conseguiu gasolina no DEPREC pra abastecer o camburão do IML que levaria o presunto pro enterro na Fronteira Oeste. Era de manhã cedo e liberaram o cadáver. Foram pro porto pra abastecer porque Alegrete fica longe da capital. Mas Faraco não liberou o rabecão senão passassem pelo prédio do DAER,na Borges de Medeiros,1555, onde estava a Secretaria dos Transportes. Era meio-dia, o presunto já cheirava mal dentro do rabecão e o Serginho Araujo vinha do centro da capital pra passar na frente do prédio pra mostrar para o Faraco que o "presunto" realmente estava indo pra ser enterrado. E o secretário em reunião não liberava nunca o rabecão pra seguir viagem. A Denise Aruda, fotógrafa fez fotos lá do 21 andar e no outro dia colocaram no mural da secretaria com a foto aparecendo o Serginho Araujo na janela do rabecão e a seguinte legenda: " BATEDOR DE RABECÃO".


Bondes em Porto Alegre
Este nota foi enviada pela colega e amiga heloiza Herscovitz, da California-USA, onde reside:
" Olides, esse filme é novo e passou num festival em Los Angeles.
Veja este site, é da época dos bondes em Porto Alegre". Heloiza Herscovitz


Mônica Veloso em  Jurerê?

Na entrevista do dia 21/11, o presidente do Grupo Habitasul, Péricles de Freitas Druck disse não estar informado sobre o fato(divulgado dias atrás) de que a jornalista Mônica Veloso teria adquirido um imóvel em Jurerê Internacional por 2 milhões de reais. " Não sei do fato, mas no próximo verão se ela estiver por lá é porque o comprou. Ou senão ficará no nosso hotel Jurerê" disse Druck, sem perder a esportiva.


Serpentário
Um ex-senador, conhecido pela formalidade, caminha pela rua da Praia, em Porto Alegre, com um elegante chapéu panamá, pra se proteger do sol escaldante do verão. Um sujeito interrompe a caminhada e se dirige a ele como se fossem íntimos: - Senador! o que há de novo?
- Olha, disse-lhe o senador, interrompendo os passados, o que há de novo é a nossa amizade. E nada mais disse, nem lhe foi perguntado.


Errata
Tabajara Tajes trabalhou na F. da Tarde - vespertino da CJCJ - e foi pai de outro jornalista, Tito Tajes. Ambos falecidos.


Habitasul deverá faturar 600 milhões em 2007

Foto: Valmoci Vasconcelos/Federasul
O presidente do Grupo Habitasul, Péricles de Freitas Druck disse na Federasul,dia 21/11 que o grupo deverá chegar ao final do ano com faturamento de cerca de 600 milhões de reais,superior ao de 2006, que foi de 2006. Druck explicou que o grupo é formado pela Celulose Irani S.A e pela Habitasul Empreendimentos Imobiliários, que desenvolve há 27 anos o Jurerê Internacional.


Habitasul I
Péricles de Freitas Druck não fugiu a perguntas mesmo  sobre sua prisão pela Polícia Federal   no começo deste  ano em Porto Alegre pra investigações sobre crimes ambientais que teriam ocorrido no seu empreendimento de Floripa." Foi um mal-entendido lamentável" disse o empresário, lembrando, porém, que Florianópolis virou cobiça de muita gente,sendo um dos lugares mais procurados do mundo, hoje, senão o mais procurado.


Jornalistas tentam adivinhar o que ocorreu no pacote da Yeda!
No " cafezinho" do dia 20/11, alguns participantes entre os quais jornalistas e fiscais do ICMS tentavam adivinhar o que houve com o pacote da governadora que não passou na semana passada. Há de tudo o que se imagina de especulação. Nenhuma informação.
E como diria o Lauro Quadros, informação tem prioridade, professor?
O problema é que não há informação, há é muita chutação.


Professor!
Por falar em Ruy Carlos Ostermann, na sua coluna em ZH do dia 20/11, ele chamou novamente o escritor Tabajara Ruas, de Tabajara Tajes. Esta mesma confusão ele havia feito durante um debate na Feira do Livro, na presença de Tabajara Ruas e teve como testemunha o colega Antônio Goulart. Tabajara Tajes foi jornalista da Cia. Caldas Junior, irmão de outro jornalista, Tito Tajes e ambos são falecidos. São parentes próximos da escritora Claudia Tajes,
que deu notoriedade à família.


Ritter!
E o comentarista Affonso Ritter chamou, dia 20/11, no Jornal Gente, da Band AM, o deputado "Fichinha" de Fips Schneider (ex-deputado estadual do PDS e ex-prefeito de Campo Bom).


"Garganta Profunda" acerta todas!
Há um " Garganta Profunda" (alusão àquele informante da CIA que ajudou os repórteres que através de matérias num jornal derrubaram o presidente norteamericano Richard Nixon) pelos corredores da Assembléia Legislativa. Seus dossiês batem com o que sai na imprensa nos outros dias.
E ele não tem errado...


"Garganta Profunda" I
Sobre um secretário municipal que deixou o cargo há poucos dias, este " Garganta Profunda" teceu o seguinte comentário: "eu não queria estar na sua pele..."


Uma no cravo e a outra na ferradura!
O senador Pedro Jorge Simon (PMDB) diz a quem quiser ouvir que votará contra a CPMF. Mas no dia 16/11 último foi à tribuna e fez uma catilinária contra a decisão da Assembléia legislativa do RS porque derrubou o aumento de impostos.O senador inaugurou seu blog. Clique aqui e veja.


Ultima semana do Prêmio ARI
Encerram-se dia 23/11 as inscrições para o 49 edição do Prêmio ARI de Jornalismo, patrocínio do Banrisul. Os prêmios vão de 3 a 2 mil reais. As matérias que poderão ser inscritas são as que foram publicadas no período entre 1/11/2006 e 31/10/2007. Maiores dados com a própria entidade.


El adiós del "Comandante"!
O advogado Antônio Augusto Bandeira comentava, dia 19/11, no cafezinho do pós almoço que quando esteve em Cuba em 1987 o levaram à praia de Varadero e que o guia explicava que antes da revolução cubana aquela praia não era para os nativos, apenas para os estrangeiros endinheirados. "E continua" teve vontade de dizer-lhe o visitante porque pra lá só vão os que
podem pagar tudo no mercado negro.


El adiós!
Outra observação interessante de Bandeira: tudo  o que é bom em Cuba é atribuído a  El Comandante(Fidel) e tudo o que é de ruim a seu irmão Raul.


El adiós I !

Está na cara que o presidente Lula vai despedir-se de Fidel na viagem que fará para lá.


El adiós II !
Amir Domingues, antes de falecer poucos meses atrás,  contou em 2006 numa entrevista pro jornal da ARI, feita por mim e pelo colega Goulart, que a rádio Guaíba não teve sorte em entrevistar o ditador (ou presidente,como quiserem) cubano. Era 1961 e ele sobrevoaria o Rio Grande do Sul, vindo de Punta del Este, onde estivera numa conferência. Voava  num avião da Panair, e o engenheiro Homero Simon havia montado uma forma de entrevistar Fidel pra Guaíba desde o avião, quando ele sobrevoasse o território do RS. Fidel era a bola da vez, o charme da revolução cubana ainda era muito forte, lembrou o finado Amir, o que faria com que a Guaíba lavrasse um tento e tanto. Mas o que houve? El Comandante dormia quando o avião sobrevoou o RS e nenhum dos assessores teve a ousadia de acordá-lo pra ser entrevistado. Há que se dizer que a entrevista fora agendada com a assessoria de Fidel... 


Sorte de fotógrafo
O fotógrafo Nabor Goulart é o que se pode chamar de uma fotógrafo de sorte. Foi passear na festa do Pêssego este fim de semana e a deputada federal (PCdoB) Manuela D'Avila estava lá.
"Quem te avisou que eu estava aqui?" perguntou-lhe a deputada.


Prêmio ARI
Está quase terminando o prazo de inscrições para o Prêmio ARI de Jornalismo. Como o site da entidade está fora do ar, é melhor ligar para lá para informar-se.


Tango Mio
O colega Antônio Goulart, colaborador deste espaço e do boletim Fitness e sua esposa Maria do Carmo passarão a semana em Buenos Aires.A Goulart - autor de dois livros sobre política gaúcha - só lhe fiz um pedido: não ir a Bombonera ver o Boca Juniors.


Biografia
Quem se habilita escrever uma biografia sobre o ex-governador Ildo Meneghetti?


PP e Grêmio juntos no affair Detran
Segundo um conselheiro do Grêmio Foot-Ball Portoalegrense " pegou muito mal" para a instituição  - no caso o Grêmio - o fato de alguns dos envolvidos na Operação Rodin, da PF, serem dirigentes do clube.


As voltas que o mundo dá...
Quando o senhor Dorneu Maciel - que a PF acusa de enstar envolvido no caso Detran - estava por cima da carne seca  como diretor geral da Assembléia Legislativa, ouvi coleguinha em rádio mandando abraços de manhã cedo para ele, que "está lá no seu sítio em S.Chico de Paula nos ouvindo ". Um dos que seguidamente fazia isto - porque eu ouvia seu programa - hoje está em outra rádio. Se precisar dou o nome, não tem problema. 


" O jovem hebreu " está de volta!
Ao centro de Porto Alegre,claro. Jorge Silva, um dos livreiros mais conhecidos da cidade - o apelido lhe foi dado pelo Flávio Alcaraz Gomes - está com escritório no prédio do BRDE na Rua Uruguai. E fazendo aquilo que mais sabe: vender livros raros, que ele mesmo garimpa.


" O jovem Hebreu" I
Jorge tem um amigo general,aposentado que tem horror do ex-presidente Jango. Ele aproveitou o feriado de 15 de novembro pra fazer uma molecagem. Como tem um discurso do Jango, de 1963, gravado em Minas Gerais, ele ligou pra casa do militar aposentado e pediu para este se colocar em posição de sentido. O general o atendeu. E Jorge colocou a gravação do Jango no fone do aparelho pra ele ouvir...


" Olha a Federal, olha a Federal...."
Esta tem a ver com os tempos que vivemos. De Polícia Federal. Em 1977, a Polícia Federal desmantelou uma fraude que havia com o adubo que acabou sendo conhecido como o caso do " Adubo-Papel". Passo Fundo, zona de muitos fazendeiros e plantadores, era um dos focos dos implicados do escândado.No centro da cidade, há um bar chamado Oásis, onde depois do almoço os fazendeiros e outros profissionais se encontram pra falar de tudo e tomar um cafezinho. Um dia, contam os donos do Oásis, chegou um vendedor de bilhetes(de loteria) que não era conhecido no pedaço. E chegou gritando: Olha a Federal,olha a Federal. Em dois minutos não havia mais ninguém no Oásis. Todos picaram a mula achando tratar-se da Polícia que os prenderia...


Errata
O Frei Irineu Costela não está em Caxias do Sul. Está em Ijuí(RS) e tem paróquia.


Frei Irineu I
Quando ia nos Guerrilheiros da Notícia, no Canal 2, discutia fortemente com o guerrilheiro Baldi (Antônio Carlos) mas depois os dois, mas os companheiros JK, Vieirinha, iam jantar juntos no Calamares.


Barzinho da ARI faz feriadão!
Como se fosse parte do funcionalismo público que entrou em ritmo de feriadão, o barzinho da Associação Riograndense de Imprensa (ARI) vai fazer feriadão no sábado, dia 17/11.O barman Adolar não poderá assim vender suas cervejinhas que faz sempre com esmero todos os sábados.


Barzinho da ARI!
O barzinho da ARI talvez tenha uma das vistas do rio Guaíba mais amplas de Porto Alegre. Imagine então se colocassem a parede de vidro, como um arquiteto já sugeriu.Daria para ver não apenas a cidade de Guaíba, mas também toda a parte do Gazometro,inclusive a torre da chaminé.


Barzinho da ARI 1
Antigamente nada se pagava pra beber no barzinho. Hoje paga-se tudo, menos os amendoins...


Plantão no Sindi!
O Sindicato dos Jornalistas fez plantão nesta sexta-feira, dia 16/11.


Quem avisou da prisão?
A foto estampada na capa de ZH no dia seguinte à prisão do ex-presidente do Detran Flávio Vaz Netto feita por Arivaldo Chaves tem provocado muitas discussões entre jornalistas e fotógrafos. Parece que um jornal da capital foi se queixar ao delegado Ildo Gasparetto, da PF, sobre porque ele não teria a foto ao que o delegado teria respondido:"O detido desceu da viatura em via pública!"


Defensores são poucos mas não ganham mal
Os defensores públicos do Estado ganham 5.295,10 mensais. Existem 319 no RS e conforme Maria de Fátima Záchia Paludo,Defensora Pública  Geral do Estado, seriam necessários mais 100.


Defensores I

Dra. Maria de Fátima Záchia Paludo

Maria de Fátima - que é irmã do Chefe da Casa Civil, deputado Luis Fernando Záchia - fez uma brincadeira, no dia 14/11 dizendo que a mãe de ambos ainda não precisou ser acionada pra desfazer discórdias. Mas enfatizou que esta circunstância "ao invés de ajudar, atrapalha..."


Defensores II
A Defensora Pública Geral do Estado contou um fato inusitado. no Governo Germano Rigotto, os defensores iriam promover a " semana do manuscrito". " Assim o Brum Torres( secretário do Planejamento, Luis Carlos Brum Torres, o " Caçapava") nos comprou 100 computadores". Mária de Fátima considerou a Defensoria  uma espécie de  Vila Areia do Estado como um todo, lembrando o abandono social em que vivem os moradores daquela localidade de Porto Alegre. 


Assalto em bar perto da rodoviária
Na madrugada do dia 11/11 o bar Ágapio, perto da rodoviária de Porto Alegre, foi assaltado por seis homens. Dois deles amarraram o guarda e todos juntos levaram o cofre.E,segundo o proprietário, o advogado César Tasca, as câmaras filmadores colocadas no começo do ano não funcionaram.Assim, nada ficou registrado.


Balanço descontraído da 53ª. Feira do Livro

Presidente da CRL,Waldir da Silveira, explicou números da feira – Foto: Luis Ventura

Baseado em observações quase diárias nos mais diversos setores, aqui está um balanço do que foi a última Feira do Livro de Porto Alegre. Nada de oficial. É um antibalanço, se preferirem.
O livro mais comentado: Aquele que foi roubado das mãos do poeta Drummond
Os rostos mais vistos: Os dos modelos que ilustraram os cartazes, folhetos e programas da Feira
A voz mais ouvida (e a que mais encheu os freqüentadores): A da locutora oficial
A ausência mais notada: A do Anonymus Gourmet entre “os mais vendidos”
O mais solicitado para entrevistas: O prof. Luiz Augusto Fischer
O mais badalado: David Coimbra
A mais badalada: Duelo parelho entre Martha Medeiros e Cláudia Tajes
O autor mais deslumbrado: Airton Ortiz
(depois que viu seu livro nas primeiras listas dos “mais vendidos”)
O mais perdido: O historiador Sérgio da Costa Franco
(convidado para dar uma palestra, não sabia o local
A estrela invisível: Luis Fernando Veríssimo
Os maiores contestadores (saudosistas) da Feira: Os jornalistas Prévidi e Pilla Vares
A maior surpresa: O sucesso do livro “Como é bom ser gremista”. (Será mesmo?...). Segundo a constatação do editor deste boletim, Olides Canton
A maior fila de autógrafo: A do livro “As Melhores Piadas do Cafezinho”
A menor fila: Registro impossível. Muita gente  nem fila teve
O gênero mais oferecido: Poesia
O mais procurado: Piadas
Os livros mais baratos: Os oferecidos, de graça, pela barraca do Senado Federal

Colaboração: Antônio Goulart

 

Garções apavorados
No domingo à noite, dia 11/11, um tradicional freqüentador do restaurante Copacabana ficou surpreso ao ouvir os garçons da casa comentando um assunto momentoso: a Operação Rodin. " Eram nossos fregueses" lamentavam os garçons sobre os que foram detidos. "Eram",assim, no passado.


Jornalistas grampeados?
Há jornalistas que desconfiam que seus celulares estejam grampeados.


Manuela é candidata a prefeito
Pelo menos foi o que garantiu o deputado estadual do PCdoB, Raul Carrion a um grupo de jornalistas na banca da ARI na noite do último dia 11/11.


Frei Irineu volta a ter paróquia
Depois de um tempo de ostracismo,quando foi mandado pro interior do Estado e ficou sem paróquia, o frei capuchinho Irineu Costela - que se notabilizou na Paróquia Sto. Antônio, em Porto Alegre - voltou a ter uma paróquia numa vila de Caxias do Sul.


Balanço da feira

Foto: Luis Ventura

Misturado ao barulho dos operários desmanchando as barracas da 53 feira do livro de Porto Alegre na Praça da Alfândega, a diretoria - atual e o futuro presidente(se a Oposição não ganhar a eleição) manfiestaram-se dia 13/11 sobre os resultados da feira do livro.Waldir da Silveira , o presidente da CRL disse que não há como medir quantas pessoas compareceram. Mas uma pesquisa mostrou que foram vendidos 459.521 livros, 3% a menos que em 2006.


Balanço da feira I
A área internacional vendeu 35% a mais do que no ano passado. A infantil vendeu 21% a menos e a geral vendeu 4% a mais do que o ano passado.


Balanço da feira II
A Coordenadora da Área Geral,Jussara Rodrigues, disse que o livro " As melhores do Cafezinho" o mais vendido de não-ficção tirou cinco edições durante a feira. Ela não soube informar, no entanto, quantos exemplares foram comercializados nos 17 dias do evento. 


Feira do livro fechou em clima festivo

Foto: Luis Ventura

Mais uma vez sem a presença da governadora Yeda Crusius - não foi nem na abertura - que esteve  representada pela secretária Mônica Leal, da Cultura, no domingo último, dia 11/11,por volta de 21 horas começou o ritual do encerramento da 53 feira do livro de porto alegre. Fazia um friozinho incomum pra época do ano.E restavam poucos leitores junto 'as barracas que durante a tarde do domingo haviam bombado!O xerife Júlio La Porta,acompanhado do presidente da Câmara Rio-grandense do Livro(CRL), Waldir da Silveira- que se despediu do cargo - saíram do cais do porto, junto de um exército de funcionários, todos de camisetas verdes.Vieram cantando a música "Ai,ai, tá chegando a hora..." que virou um hino do fechamento das feiras do livro de porto alegre.Muito alegres, os funcionários e dirigentes comemoravam o encerramento com êxito de mais uma edição daquilo que ontem - dia 13/11 - o presidente Waldir da Silveira, chamou de
"O maior evento cultural do RS".


"Homem do tempo" não quer impostos
Dia 11/11, pela manhã, no frio domingo de primavera, no Parcão, em Porto Alegre, eram distribuídos decalcos com os dizeres: O Homem do Tempo: Dep Paulo Borges  Mais Imposto NÃO!


Airton Ortiz vai ao Vietname!
Pelo menos é o que disse o escritor Airton Ortiz numa entrevista dias atrás. Ele que já foi o criador da editora TCHÊ e que agora se dedica a escrever livros sobre países exóticos, prometeu que irá ao Vitname pra escrever um livro sobre aquele país. A justificativa de Ortiz: foi um país que lutou contra os USA e hoje o país estaria tomado pela indústria norteamericana!


Morreu Norman  Mailer!
Pertenço a uma geração que lia Norman Mailer com avidez.Foi um grande texto e escrevia com a alma, ou melhor com o fígado.Paulo Francis tinha o que se poderia chamar o " complexo de Norman Mailer" porque queria igualar-se em fama ao grande escritor da contraccultura norteamericana.


Champs Elisées
Um dos detidos para averiguação na chamada " Operação Rodin " da Polícia Federal, no RS, dia 6/11  tinha, ou ainda tem, como "desejo de consumo" um apê no Champs Elisées, um dos endereços mais caros do Planeta.


Roubaram as bombas!
Por esta ninguém que abriu a banca do IGTF na 53 Feira do Livro de Porto Alegre esperava. No último dia da feira,11/11, a funcionária estava indignada. De quatro cuias que estavam à disposição pros leitores que iam lá beber mate no começo da feira, 3 foram roubadas. Sim,roubadas. " Levaram as bombas. Pode uma coisa destas" dizia ela na tarde de domingo, último dia da feira do livro de Porto Alegre. O IGTF forneceu erva-mate e água quente durante toda a feira do livro pra quem quisesse.


Roubaram os livros!!
Ao fazer um balanço da feira do livro que encerrou dia 11/11, no programa Tempo de Livros, na rádio da UFRGS, no programa da Rejane Salvi, o presidente da Câmara Rio-Grandense do Livro(CRL) Waldir da Silveira informou que uma das próximas medidas da entidade será " criar uma comissão contra o roubo de livros". O assunto, pelo visto, é sério.


Fim de feira!
O presidente da CRL,Waldir da Silveira, finda o mandato em dezembro.Ele está à frente da CRL há quatro anos.  Haverá eleição para a entidade em dezembro. Mas desta feita, com duas chapas, uma de Oposição. A da situação é encabeçada por  João Carneiro.A nova diretoria será empossada em 02/01/2008.Na chapa de Oposição posso informar que haverá alguém da Martins Livreiro.E Waldir da Silveira anunciou que foi convidado,e,aceitou assumir o Banco Social dos Livros da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul(Fiergs).


Fim de Feira II
Será terça-feira,dia 14, às 11 horas, na Sala Jacarandá, no segundo andar do Memorial-RS a entrevista coletiva da CRL pra apresentar à imprensa os números oficiais da edição 53 do evento.


Fim de Feira III
Alguns dados já são conhecidos. Por exemplo, o Bistrô do Margs, que normalmente trabalha com 10 empregados, usou 60 durante os dias da feira.


Fim da Feira IV
Waldir da Silveira revelou no dia 11/11 que a CRL pensa em " interiorizar" a Feira do Livro de Porto Alegre. Levá-la para grandes centros do interior, como Caxias, Pelotas. " Pretendemos fortalecer pólos regionais",disse Waldir.O presidente da CRL também não sabe calcular " o impacto econômico da feira".


Fim da Feira V
No " Tempo de Feira" da rádio da UFRGS, a apresentadora Rejane Salvi levou amendoim torrado pros entrevistados. Airton Ortiz e o presidente Waldir da Silveira,da CRL, provaram e aprovaram.


A Feira do Livro e as crianças
Segundo a CRL passaram 300 mil crianças pela feira com o livro obrigatório já lido. São os leitores do futuro,comemou o presidente Waldir da Silveira. E Gabriel, O Pensador, fez sucesso entre a gurizada.


A Feira e as crianças
Entre os fatos negativos da 53 feira do livro, notou-se que os autógrafos na parte infantil ficaram fora de foco. Junto ao cais,foi uma nota negativa da feira que findou. Pra próximo, o assunto será reestudado, reconhece o presidente da CRL.


Coleguinhas
A fotógrafa Adriana Franciosi aniversariou no dia 9/11. Ele está na ZH desde 1992. Veio do O Nacional de Passo Fundo e antes da RBS, trabalhou na Cia Caldas Junior.


O  anti-balanço da Feira do Livro
Como todos os jornais( e outros veículos) publicam os balanços da feira do livro, aqui neste espaço me atrevo a fazer uma lista dos "menos".

Livro menos visto: Um sobre Serafina Correa. Só tinha um exemplar na barraca da UPF e eu o comprei no primeiro dia da feira.

Escritor menos visto: LFV. Ninguém o viu na feira.

A maior gafe da feira : Na sexta-feira, dia 9/11, o colega Antônio Goulart achou que o deputado federal do PV,Fernando Gabeira passeava pelas alamedas. Alguém foi comprimentá-lo e o senhor o recebeu com um "- Merci,Merci, trés bien... " Eram os franceses que o Juremir trouxera pros debates filosóficos dele.

O maior " esporro" da feira. Foi dado na segunda dia 5/11, pelo patrono, sobre a matéria que a ZH tinha publicado naquele dia sobre sua tarde de autógrafos que ocorrera no dia anterior.

A sessão de autógrafos mais alegre: foi no domingo, dia 4/11, a do Carbonerra, que foi regada a vinho chileno e argentino. O Carbonera oferecia vinho. "Queres um chileno ou um argentino?".Depois da sessão, ele pegou o ônibus e se mandou pra Foz do Iguaçu.

O escritor mais "distante": O Eucardio Derosso, com seu livro, Retomando o fio da meada. Enquanto os leitores o aguardavam na fila, ele estava sabe onde? em Pequim. Tinha viajado numa "missão cultural". Achou que sua sessão de autógrafos seria dia 11. Foi muito antes...

A sessão de autógrafos mais " BADALADA" : a do publicitário João Firme. Ele autografou na maior cara e coragem na barraca da Associação Riograndense de Imprensa, na noite do dia 9/11. E foram dois leitores. A dona do jornal Tal e Qual, Nina de Almeida, e o ex-deputado Victor Faccioni. O livro do João Firme é autobiográfico.Só que no meio dos autógrafos, apareceu um representante da Câmara Riograndense do Livro (CRL) e queria cassar os autógrafos do Jão Firme porque não pode ser feito em barracas. Mas o João Firme conseguiu...E quando foi embora ainda anunciou solenemente: estou me retirando, porque estou cansado. Ao que alguém lhe soletrou baixinho: deves ir embora....

O maior " marqueteiro " da feira: é um poeta que ninguém nunca viu seus livros, mas ele até candidato a patrono da feira constou nesta edição.E emplaca matérias em grandes jornais que vou te contar...

E o " mala" da feira? quem será? aí a disputa é braba.Deixo pros leitores elegerem-no. E não estou tirando o meu fora, não.

O livro mais barato da feira: aqueles dos senadores que cada leitor ganhava um exemplar sem precisar pagar.

O assunto mais comentado da feira: foi quando estourou a gatunagem do Detran. Só se ouvia falar disto.

O maior tombo da feira: Foi uma senhora que o levou no atrio do Santander no dia do coquetel da Já Editores sobre relançamento do livro do Rivadávia Severo.


Feira está chegando ao fim

A 53a. Feira do Livro de Porto Alegre está chegando ao fim depois de três fins de semana de funcionamento. É quase hora dos "balanços". Muitos autores ficaram literalmente sem leitores. A parte comestível ficou com o bar do Margs ou com a praça de alimentação. No centro da praça da alfândega, a banca de informações da feira funcionou. Algumas amizades fizeram-se durante este período. Outras desfizeram-se.Quanto aos livros, o Cafezinho da Pop Rock seguramente foi uma surpresa. Faltou na barraca da Ulbra várias vezes. Vendido a 15 pilas, com um CD, saiu que nem pastel quente em dia de carreira.Agora ninguém pode se queixar do tempo.
Só deu sol e tempo bom. Principalmente na última semana.
A Deise da barraca da LPM pode ser eleita,seguramente, a funcionária simpatia.
Era elogiada por todos os colegas das outras barracas onde ela ia levar livros da editora.
" Está sempre de alto astral, pra cima" comentou a Sirlei, da barraca da ARI.


Feira está chegando ao fim I
Na banca da ARI - que este ano quase não foi pra Praça da Alfândega - destaque-se as duas sessões do chimarão promovidas nas duas quartas em que a feira funcionou. Sempre pintou público.E a " livreira de Cabul" a escritora que veio fazer palestra para o evento da Copesul passou como um bólido por aqui.


Feira está chegando ao fim II
Seguramente o professor Luis Augusto Fischer foi quem mais deu entrevistas pra chamada " grande mídia". Mais que o próprio patrono. Fischer,autor do dicionário do Portoalegrês,apresenta há anos o Sarau Literário no Ocidente.Portanto, nada caiu do céu pra ele.


Dona Myriam esteve na sessão de autógrafos
 
Foto: Galeno Rodrigues                                          Foto: Luis Ventura
O senador Pedro Simon (PMDB-RS) autografou dois livros no dia 8/11. E dona Myriam Fonseca, sua fã número um, estava a postos, num cantinho, com o rosário na mão. Dona Myriam é um personagem sempre presente nos eventos públicos do senador, quando ele está em Porto Alegre. Ela é conhecida dos políticos e tem dois ou três táxis. Um deles é só para levá-la aos compromissos quando o senador anda pela capital ou nos arredores. O staff do senador a conhece há longos anos e a trata bem. No dia 8/11 o filho de Simon,Thomaz chegou com sua namorada e foi cumprimentar a fã do senador.


Vereador João Dib
Quando era secretário municipal dos transportes, o vereador João Antônio Dib tinha uma fã que sempre o aguardava pra cumprimentá-lo na saída do prédio da SMT,na av. Ipiranga, em Porto Alegre,em frente ao prédio da ZH.


Fotógrafo "amargou" fotos do Sereno Chaise
Numa tarde desta semana, o ex-prefeito de Porto Alegre ,Sereno Chaise, autografou sua biografia na 53 Feira do Livro de Porto Alegre.E um dos fotógrafos autônomos que ficam sempre ali pelo pavilhão fez várias fotos do Sereno autografando com leitores e com seus filhos na esperança que depois o ilustre autor lhe comprasse as fotos. Na tarde do dia 8/11 este fotógrafo mostrava as várias fotos pros colegas e comentava,amargo: - Numca vi cara mais pão-duro do que este Sereno. Não me comprou uma foto. Espero que pelo menos um dos filhos me compre,dizia,tentanto consolar-se da embuchada que tomou com as fotos do Sereno. 


Os dois rostos mais conhecidos da Feira do Livro são anônimos
 
Ela é Rafaela Spilimbergo ( idade não revelada pela agência de modelos) é estudante e nasceu em Porto Alegre. Já fez outros trabalhos em propaganda. Foi escolhida pela agência Dez Propaganda junto a agência Ford Models.O modelo é Alex Amann, é portoalegrense e tem 34 anos. Também já fez outros trabalhos. Foi escolhido junto a agência Elite Models. Segundo Hugo, assistente de produção da Dez Propaganda, a campanha foi coordenada pela produtora gráfica Marília Vargas." O trabalho foi 'startado' em 11 de setembro" informou Hugo, esclarecendo que este é o momento em que o fotógrafo parte para produzir as fotos que serão utilizadas durante a campanha.
As fotos foram feitas no Studio Mutante.
Hugo explicou que a escolha do modelo envolve uma série de fatores.

Nota: Prêmio CONASS de Jornalismo
O SUS é fruto de uma bem-sucedida ação política de longo prazo e teve sua base ideológica no movimento sanitário. Analisado temporalmente, apresenta resultados positivos e negativos, conforme demonstrado no livro SUS: avanços e desafios. O Prêmio CONASS de Jornalismo tem como objetivo estimular a publicação de matérias sobre o Sistema Único de Saúde nos veículos de comunicação social de massa, reconhecer e premiar os trabalhos jornalísticos que tornarem acessíveis ao público as informações sobre o sistema. O prêmio terá abrangência nacional e será concedido uma vez por ano. As categorias são:
Profissional Jornal / Profissional Revista / Profissional Rádio
Profissional Televisão / Profissional Internet
O vencedor receberá um troféu e um prêmio no valor de R$ 7.000,00. O regulamento e a ficha de inscrição estão disponíveis no site do Conass. Assessoria de Comunicação Social do CONASS - Conselho Nacional de Secretários de Saúde - (61) 3222-3000 


Tombo no átrio do Santander quase complica coquetel da JÁ Editores
Foi um tombo e tanto que uma senhora levou no átrio do Santander Cultural na noite de 6/11 durante coquetel de relançamento do livro de Rivadávia Severo.Tudo ia nos trinques, um familiar do falecido autor começava a falar, quando ouviu-se um verdadeiro "estrondo",alguém tinha desabado. Uma senhora que tentara subir os 3 degraus que separam um espaço do outro derrapou e caiu. Foi socorrida por equipe médica, mas parece que nada de mais houve.


"Bicões" da Feira ficam na sala da imprensa até conseguir dar uma entrevista
Conhecidos autores - alguns de livros verdadeiramente " clandestinos" como dizia o velho João Aveline - ficam perambulando pela sala de imprensa da feira do livro até que algum repórter - especialmente de ZH - o entreviste. É o que fez o poeta Luiz de Miranda em vários dias. Até que na quinta,dia 8/11, ele "colou" no repórter Gabriel Brust e o enturmou.
- Te conheço de algum lugar. Nós já nos falamos,né.
O repórter logo entendeu que o gajo queria dar uma entrevista. E a fez.
Então o poeta desandou falando mal da " feira", que ela está muito grande, que ele vai batalhar pra criar dentro da feira um espaço só pra poesia, que um artigo que ele escrevera dias atrás na própria ZH defendendo a poesia - como se ela precisasse - tivera tanta repercussão que seu imeil entupira.Dada a entrevista - que era seu objetivo final e verdadeiro - inventa um compromisso imediato e sai porta afora. A tarde está ganha. Vai conseguir um espaço precioso que muitos autores sérios não sabem como fazer porque não conhecem os canais.


Senador Simon mantém tradição de autografar na feira do livro
Sob um sol escaldante, o senador Pedro Simon(PMDB-RS) autografou dia 8/11 dois livros. Um sobre seus discursos no Senado Federal e outro chamado de Dois Mundos onde tece comentário s sobre personalidades e fatos da vida política brasileira.Uma grande quantidade de amigos e eleitores foram pegar o autógrafo do senador.

"Expedição Marcopolo"
 
Foi assim que o colunista José Barrionuevo a chamou quando ele ainda estava no CP. Uma turma de técnicos saiu em fins de março de 1988 pra ir de camionete até Antofagasta a fim de trazer um relatório ao secretário dos transportes,Adão Faraco, na gestão do Gov. Pedro Simon. Era pra detalhar como estavam as rodovias e ferrovias  de Rio Grande até  Antofagasta (norte chileno). A turma era capitaneada pelo...( Veja a matéria na íntegra no MEMÓRIA JORNALISTICA )


Os "jornalistas" da Feira !
Na sessão dedicada à imprensa na 53 Feira do Livro, pinta cada coisa que vou te contar. Uns são saiteiros, outros blogeiros,outros estudantes fazendo boletins e aí afora. Tem um chato que se diz do jornal  Boca da Rua  - de uma ONG- que é o maior pé no saco que já vi na vida. Não larga o micro a tarde inteira, fala alto pra todo mundo saber o que tá fazendo. A figura já é manjada...


Fumaça Branca!
Igual a uma eleição papal, parece que finalmente o presidente da Associação Riograndense de Imprensa, Ercy Pereira Torma, vai se definir por quem vai fazer o site da entidade.


Fumaça Branca I
O maior prêmio de jornalismo do Estado - pelo menos o mais respeitado até aqui - o Prêmio ARI de Jornalismo está sem um site pras pessoas se informarem sobre seu regulamento.


Fumaça Branca II

Muita gente que pegou anúncios com o Carlos Ubiratan, o Bira, ex-presidente do Detran que foi preso na Operação Rodin, da Polícia Federal,agora fala mal dele pelas costas. É a vida...


Coleguinhas!
Arthur Tadeu Monteiro, que trabalhou na extinta Folha da Manhã da Cia Jornalística Caldas Junior(CJCJ) e que costumava fazer algumas molecagens com suas fontes - como passar a mão no traseiro do presidente do Instituto de Carnes - está em Brasília onde assessora deputados federais e manda notícias para o estado de Santa catarina.


Ucha não vai à Feira do Livro!
Encontro o colega Danilo Ucha e ele me diz que este ano não irá à Feira do Livro de Porto Alegre. Reclama que a feira não é mais de livros. " Tem até distribuidora de gasolina lá" disse o Ucha, que, em outros tempos, era crítico literário.


Coleguinhas
Liana Milanez, a Baiana, está na rádio MEC, no RJ.


Os Sumidos da Feira!
Assim como há os que estão sempre em evidência, nesta edição da feira do livro chama a atenção o sumiço que o Anonymus Gourmet deu. Não lançou nenhum livro novo. Acho que se tocou que as pessoas já tavam de saco cheio...


Os Sumidos da Feira ! I
Outra escritor que não tá dando muito as caras é o Carlos Urbim, que , por sinal foi candidato a patrono desta edição. È como sempre digo. Esta é mais uma feira de vaidades do que de livros.


Os Sumidos da Feira ! II
Vitor Ortiz, que já foi diretor da Casa de Cultura Mário Quintana tomava sua cervejinha tranquilamente na noite de 5/11 junto ao Bar Opinião da Feira. Está trabalhyando na Bienal do Mercosul, depois de ter andado por Brasília.


O piloto que livrou Getúlio dos gafanhotos
Quando Getúlio Vargas foi apeado do poder pelos milicos na primeira vez que governou o Brasil 1930-1945, ele foi levado a São Borja e o piloto que o conduziu, num avião da VARIG, foi Ernesto Drews,junto com o comandante Pinto. Iam direto a São Borja mas pegaram pela frente uma " nuvem de gafanhotos africanos" segundo narra Ernesto Drews, hoje aposentado da Varig e residindo em Curitiba(PR).Foram obrigados a interromper a viagem em Uruguaiana.Depois de limpar as turbinas, puderam voar a São Borja. Depois veio a campanha do "queremismo" ( mais ou menos o que o presidente Lula poderá fazer com o Terceiro Mandato ) e Getúlio elegeu-se presidente da República para novo mandato. Aí sempre que ia voar com a Varig para algum lugar,
ele dizia para o dono da empresa, Ruben Berta:
- Eu quero aquele piloto dos gafanhotos! Ernesto conta que sempre que ia a São Borja levava palavras cruzadas para o presidente fazer, porque sabia que era um dos seus passatempos preferidos.


Outra do Getúlio
Esta foi assistida em Alegrete também pelo piloto Ernesto Drews.Getúlio Vargas estava lá num comício apoiando Alberto Pasqualini que era candidato pelo PTB a governador do Estado(perdeu a eleição) e Osvaldo Aranha pegou-se a falar no comício. Povo da minha terra, berrava Osvaldo. Faremos de Alegrete uma Nova Iorque. Getúlio,comedido, ouvia as bravatas do companheiro que é alegretense. Quando chegaram no hotel onde estavam hospedados,depois do comício, Getúlio chamou Osvaldo de lado e comentou:
- Osvaldo, eu achei impressionante que vais fazer de Alegrete uma Nova Iorque! Mas o que farei eu de São Borja? E deixou a pergunta no ar....


Esperteza Getuliana
Foram encontradas algumas reses com marca dentro das fazendas de Getúlio. Um dos filhos falou com ele e Getúlio logo mostrou preocupação. "Tem marca?", quis saber. "Tem"..."Então devolve logo", ordenou Getúlio. 


Grande " GUAXO"!
Uma das presenças que me emocionou no dia 3/11 nos autógrafos do meu livro Pauta, foi a do ADRIANO MAZZARINO, editor do GUAXO, de Encantado. O Mazzarino, ainda meio ingênuo, tinha ouvido de tarde um cara de Serafina Correa falando na Rádio Gaúcha." Pensei que haviam te dado uma colher" me confidenciou. Era outro serafinense como eu, o Ari,  autor de um livro sobre bichos. Só que o Ari não é propriamente de Serafina, é de Silva Jardim, " da Grande Serafina".


Grande " Guaxo"! I
Há uns dois anos atrás, era uma sexta-feira à tarde e entrou um assessor do então secretário da Agricultura do Estado, Odacir Klein, puto da vida. Brandia o GUAXO na mão e  estava particularmente indignado com uma caricatura que o GUAXO trazia do então governador Germano Rigotto.Ele pediu pra falar com o presidente do Sindicato dos Jornalistas. Por acaso o José Carlos Torves estava. "Que que o sindicato faz que não pede o fechamento de um jornal como este?" quis saber o indigando. "Aqui nós lutamos pela abertura de jornal, não de fechamento", devolveu,calmo o Torves.
O assessor foi embora, meio encabulado.


Grande "GUAXO" II
Segundo o Adriano ele está lutando com dois "processozinhos". Um está resolvido com a colocação de um plástico em volta da edição do jornal que é pra menores não verem. O outro ele teve a ajuda do comunicador Lasier Martins da Rádio Gaúcha que foi dar uma palestra no Vale do Taquari e numa altura citou o GUAXO e toda a platéia caiu na gargalhada.
Aquilo livrou um pouco a cara do MAZZARINO.


Grande "GUAXO" III
Na sua última edição o GUAXO traz além de uma entrevista(meio fria) com o Tatata Pimentel uma pesquisa interessante.Numa página inteira, MAZZARINO colocou quase todos os nomes possíveis e imagináveis para aquilo que se chama de o Buraco do Prazer. Tem cada nome ou apelido que vou te contar...Grande Mazzarino, prestando um enorme serviço à cultura nacional... 


Eu mereço, até o Faustão pintou  na feira!
Enquanto o apresentador Faustão (Fausto Silva) apareceu na 53a. Feira do Livro, o escritor João Gilberto Noll anda sumido. Ninguém o viu, ninguém sabe onde anda.
E esta é uma feira de livros ou de vaidades?


Coleguinhas
Depois de 5 meses nos Estados Unidos, a fotógrafa de ZH Adriana Franciosi está de volta.


O patrono não gostou!
O patrono da 53a. Feira do Livro de Porto Alegre não fazia segredo, dia 5/11, no meio da tarde e falava alto e bom som que não havia gostado "da matéria da ZH de hoje". A dita matéria fala da sessão de autógrafos do domingo, dia 4/11 e sugere, muito subliminarmente, que havia poucos leitores a cata dos autógrafos do patrono desta 53a. feira do livro.


Morreu o " Betão"
Meio na surdida, o " Betão" como era chamado pelos colegas morreu no domingo e ontem,dia 5/11 foi enterrado. Humberto Andreatta tinha trabalhado em muitos veículos e se não me falha a memória começou mesmo no O Interior, de Carazinho, por onde passaram outros grandes repórteres, da mesma estirpe dele, como Carlos Wagner, André Simas Pereira,Moisés Mendes,Antônio Carlos Mafalda,entre outros que não me ocorre agora. "Betão" que os motoras de ZH chamavam carinhosamente de " farol apagado" - porque tinha um olho diferente do outro - era um sujeito sério e teve grande participação na cobertura do  "Grito do Campo" aquele movimento que projetou Jarbas Pires Machado e que trouxe Tancredo Neves para o estádio Beira-Rio onde ele foi realizado. Tinha um livro  sobre o Orçamento Participativo de Porto Alegre publicado pela Secretaria Municipal da Cultura. Quem me falou da morte do ex-colega foi o Carlos A. Kolecza que também estava "chocado" pelo passamento do Humberto. " Betão" vai pro céu escrever grandes reportagens junto com outros colegas que também já tomaram a saideira...


Nota da ARI
Prêmio ARI de Jornalismo: As inscrições dos trabalhos concorrentes ao 49º Prêmio ARI de Jornalismo podem ser feitas na Secretaria da Associação Riograndense de Imprensa, na Avenida Borges de Medeiros, 915, 7º andar, durante o horário comercial. O segundo concurso mais antigo da imprensa brasileira e de execução ininterrupta desde 1958, receberá as inscrições até
o dia 23 de novembro, sexta-feira, às 18 horas.
Concorrem ao prêmio os trabalhos publicados ou divulgados, entre 1º de novembro de 2006 a 31 de outubro de 2007, por jornais, revistas e emissoras de rádio e de televisão. O Prêmio ARI destacará os melhores trabalhos em 13 categorias: Jornalismo Impresso – reportagens geral, econômica, esportiva e cultural, crônica, charge, fotojornalismo e planejamento gráfico; Radiojornalismo – reportagens geral e esportiva; Telejornalismo – reportagens geral e esportiva e imagem.
A entidade, segundo o presidente Ercy Pereira Torma, espera receber um número de inscrições próximo do registrado na edição do ano passado – 163 trabalhos disputaram a premiação. “Desejamos, igualmente, que os profissionais vinculados aos veículos de comunicação do interior do Estado participem da nossa promoção, pois existem
excelentes trabalhos publicados neste último ano”, completou o presidente da ARI.


Autógrafos na 53a. Feira do Livro
Dia 03/11 houve sessão de autógrafos do livro Pauta-O avesso das Redações.
Seguem algumas fotos.
   
Foto1: Da esq. para a direita: Carlos Alberto Kolecza, Lauro Schirmer, Maria Helena Avelino
Foto2: Caio Lustosa     Foto3: Leila Weber

   
Ayres Cerutti , Waldir da Silveira , Ivan Pinheiro Machado

   
Adriano Mazzarino e leitores


ARI lança prêmio e frusta "papa-coquetéis"
Um ato simples marcou na noite do dia 1/11 o lançamento do Prêmio ARI de Jornalismo no barzinho da entidade. Como de praxe, o presidente Ercy gravou uma entrevista pro programa "Conversa de Jornalista" da rádio da UFRGS. E quatro "papa-coquetéis" (furões de bocas-livre) entraram no barzinho, olharam em volta e como não viram garçons circulando com bandeja
bateram em retirada, furiosos.


"Papa-coquetéis" I
O ex-vereador Artur Zanella diz que não se deve desfazer dos "papa-coqueteis". Eles são o sinal de  prestígio pra quem tá dando a festa. Uma vez na sua casa, os seguranças vieram lhe avisar que havia uma turma deles querendo entrar. E um deles portando uma "carteira de jornalista". "Deixa entrar, disse o dono da casa, isto é sinal de sorte, de prestígio".


"Papa-coquetéis" II
Ayres Cerutti, editor da revista Programa, estava numa festa e na volta de ônibus encontrou um dos "papa-coqetéis" que estivera na mesma festa. Como a festa fora " mixa", ele comentou com o Ayres,desolado:- A gente entra em cada fria...


"Papa-coquetéis" III
Telmo, o rei deles todos, o que mais sabe, me prometeu um depoimento sobre sua vida de papacoquetel. Vão sair cobras e lagartos, prometo...


David Coimbra é nosso herói!

Nesta feira do livro, a 53 , o David Coimbra, que não é metido a " estrelão" - os bons geralmente são simples -está batendo records de vendas de livros. É um prata da casa...nem a famosa " livreira de Cabul" trazida a Porto Alegre a peso de ouro botou tanta gente nos autógrafos como o nosso David, nascido aqui no IAPI. Nesta foto vemos o David, mais sua fã Laura Laureano, no dias dos autógrafos dele na 53a. feira do livro de porto alegre.

A Feira dos afegãs!
Quem trabalha na sala de imprensa da Feira do Livro percebe logo que aqui na feira tudo é afegão. "Vais no debate da mulher aquela?" pergunta alguém porque ninguém sabe do nome da celebridade que vende livros sobre o " Livreiro de Cabul"?  E o outro livro dela, como chama mesmo, devolve um coleguinha a pergunta.


O patrono sem e-mail!
O patrono da 53 feira do Livro, jornalista e professor  Antônio Hohlfeldt está sem email. 


Sessão do Cafezinho "estourou a boca do balão"
A sessão de maior público desta 53 Feira do Livro de Porto Alegre nada tem a ver com "livreiras ou livreiros" de Cabul, trazidos pra cá a peso de ouro. Sim, foi com gente nossa, aqui, que se ouve todos os dias, na Pop Rock. Foi a turma do Cafezinho que botou mais gente no sábado,dia 3, quando ficou das 14horas até as 18 horas autografando no Pavilhão.
Junto com o livro vinha um CD.
Parabéns Maruo Borba,Arthur de Faria,Carlos Couto e Simone Cabral!


Cafezinho II
Os autógrafos do " As melhores do Cafezinho"(Ulbra) esgotou a edição!


Cafezinho III
A Ulbra informou no dia 4/11 que somente no dia 6/11 haverá novos exemplares de As Melhores do Cafezinho, de Mauro Borba, Arthur de Faria, Couto e Cabral que esgotou no dia dos autógrafos, 3/11. Foram vendidos, conforme a editora, hum mil exemplares do livro. Apenas no dia dos autógrafos em uma hora e meia terminaram os 400 exemplares da banca. Agora tem que esperar nova edição. O livro custa 15,00 mas vem com um CD. É bom lembrar aos desavisados que Mauro Borba é dono de outro best-seller quando trabalhava na Ipanema FM. O "Prezados Ouvintes" editado pela Artes e Ofícios vendeu como pastel em cancha reta anos atrás.

 
 
 
 






 
 
 
 
Segue a coluna mensal  "DE OLHOS E OUVIDOS " , presente no Fitness:


 Dia 02/10: Antônio C. Macedo na Rádio Gaúcha pede a demissão do Sec de Comunicação do Gov. do Estado, Paulo Fona pra economizar. Em seguida o secretário entra no ar e no dia seguinte está no Polêmica de Lauro Quadros, também da Gaúcha.

 Dia 4/10: livro “Lembra do Transasom” de Marcelo Ferla da LPM teve espaço no Gaúcha Hoje, do Macedão, no Jornal do Almoço da RBSTV no “Pretinho Básico” da Rádio Atlântica FM e no programa do Ruy Ostermann. Uma overdose! Tem tudo pra ser o best seller da 53ª Feira do Livro de POA, pelo menos em mídia.

 Dia 03/10: Elton Primaz, editor de “O Sul” sentou na mesa da diretoria da Pampa na Federasul. Largou a mesa de imprensa. Era dia dos 30 anos da TV Pampa.

 Dia 06/10: No barzinho da ARI, Glei Soares e seu auxiliar André já mandaram trago antes de iniciar o “Conversa de Jornalista”. É que fazia um CALORÓN! O supervisor dos dois, o veterano Enio Rockenbach, os repreende pelo trago e Glei se saiu com esta: “Aqui não tem lei seca do “reverendo” Mallmann.

 Dia 11/10: Renato Martins chega atrasado ao Jornal Gente, na Band. E entra “opinando”. professores que se acorrentaram foi o tema dominante.

 Barzinho da ARI supervisitado rendeu 2mil reais a entidade. Como diz o ditado: “uns economizam pros outros gastarem”.

 Dia 12/10: Osíris Marins no Jornal Gente da Band AM lâ manchete da Gazeta Mercantil. Affonso Ritter o alerta que é manchete do dia anterior, porque a Gazeta Mercantil como JC não circula em feriado.

 As fotos de A.C.Macedo pra Revista PRESS foram feitas na R. Gaúcha, por Vinicius Reis.

 Dia 16/10: No Plantão Esportivo da Rádio Guaíba, Felipe Gamba e Rogério Boelke tiveram uma “discussão acalorada”. Quem ligou pra Guaíba às 22h30 pode ouvir os berros de Boelcke com o colega enquanto iam ao ar os comerciais gravados.

 Dia 17/10: Fernando Albrecht no Band AM, Jornal Gente disse que não foi à coletiva do presidente do TJ, Desembargador Marco Bueno Barbosa Leal, por “problemas dentários” (isto é, tinha dentista). Osiris Marins não foi por problemas profissionais.

 Dia 20/10: Vitor Ramil almoçou no Gambrinus, do M. Público.

 Dia 20/10: Barzinho da ARI bombou no sábado, como não se via há muito tempo.

 Dia 22/10: Ricardo Orlandini na Guaíba usou o termo PATROPI! Era palavra da moda nos anos 70. A palavra da moda hoje é REINVENTAR!

 TV Record (Canal 2) passou de 80 pra 160 funcionários desde que novos proprietários a assumiram.

 Dia 11/10 num ato falho o colunista Adão Oliveira, na Band AM, no Jornal Gente, acabou revelando que na primeira greve dos trabalhadores da construção civil em 1979 o comandante do III Exército, Gal. Antônio Bandeira, colocou os soldados no centro de Porto Alegre pra correr com os grevistas. O então governador Amaral de Souza foi até o quartel pedir ao general que retirasse as tropas. Adão se corrigiu a tempo: dizendo que o General foi chamado ao Palácio pra ouvir a solicitação de Amaral.

 Dia 24/10: Washington Olivetto mostra na Federasul as principais campanhas das quais participou. E aparece na tela a modelo Patrícia Lucchesi estrelando a campanha do “primeiro sutiã” para a Valisére feita pela W/GGK. Um coleguinha não resiste aos encantos da moça e desabafa baixinho: “pedófilo”.


Segue também a ultima edição do FITNESS -
CLIQUE AQUI PARA VER

 
 



Interação dos Leitores

Estimado Olides, em nome dos Formados em Jornalismo pela PUC/RS  em 1977 agradeço pela divulgação. Hoje li na integra o teu Blog ao ver tantos colegas de minha época de repórter, confesso que estou saudosista demais. Grande abraço, Roberto Menezes Rodrigues.

Prezado Olides, a foto publicada sob o título "Repórteres confraternizam com as fontes.", identifica o Delegado Newton Muller Rodrigues, quando na verdade trata-se de seu irmão Wilson Muller Rodrigues, que não por acaso é meu pai. Abraço, Everton Bemfica Rodrigues.

Prezado Olides, Parabéns pela obra. Vou a Porto Alegre no próximo dia 14 e comprarei o livro.Quero saber se faço parte das histórias dos jornalistas, afinal, fui o único negro a fazer televisão na nossa terra, tenho boas histórias para contar. Obrigado pela lembrança. Roberto Menezes Rodrigues

Uma das praias e localidades mais badaladas do mundo, estas fotos foram enviadas pela leitora Naira Sanes que recentemente esteve lá. Agradecemos sua colaboração.
Veja mais clicando AQUI.


" E daí meu velho amigo, dá muita alegria orgulho quando lembro dos velhos tempos de Serafina Corrêa, lembra...? Altamir, Paulo Fernandes, Paulo Canton, Mauro Rocha, Luiz Alban, Colégio Rosário, Pe. Roberto Ciottola.... quanto tempo... Quando a gente lembra dá aquela saudade... è  a vida, tudo passou tão rápido, hoje nossa turma está no meio de sua existencia... e tudo são só lembranças. Que turma boa que deu hein.? Hoje moro em Passo Fundo, tenho uma família maravilhosa e mais cinco filhos, vivo muito bem e comercializo imóveis.Tchau, saudações e um grande abraço." Luiz Alberto Alban


Olides, me lembrei de vc no último fim de semana. a ABI promoveu em SPaulo um evento de 4 dias com jornalistas escritores. Só tinha fera: Luiz Fernando Veríssimo,Caco Barcelos, Flávio Tavares (pra citar os gaúchos), mas tinha também o Ziraldo, Eric Nepomuceno, Elaine Brum, Ignácio de Loyola Brandão, Jaguar, Ruy Castro, Mino Carta, Domingos Meirelles, enfim, muito legal.
Em alguns casos era enrista e em outros, debate.
Tinha um al claudinei Ferreira (ou Pereir, não sei nem conheço), que era um péssimo entrevistador. ele chegou a dizer pro Ziraldo, eu pergunto tudo e vc responde o que quiser. E as perguntas não eram dele, mas da platéia. Tinha muitos jornalsiutas recém-formados e estudantes até do secundário. Pra mim o pior de todos foi o Carlos Heitor Cony, tratou todo mundo com desdéem, disse que não se preocupa com a verdade porque nem Jesus Cristo sabia o que era verdade. Que não se preocupa com datas, nem números porque sempre tem alguém para corrigi-lo.
Disse que escreveu na Folha que a mãe do Bethoven deu a luz a ele com 52 anos e a Folha recebeu mais de 500 e-mails e telefonemas dando a idade coreta, 24 anos e soltou uma gargalhada. Quer deboche maior do que este?.
Disse que uma moça fez uma tese de mestrado sobre seu primeiro livro, "O Vento" e que achou muitos trechos de Machado de Assis.
Aí ele foi conferir e viu que tinha mesmo, mas ele nem sabia que tinha se "inspirado" em Memórias póstumas ..., pois gostava mesmo era de Quincas Borba. Ou seja, ele plajeou Machado e nem pediu desculpas. P/ mim ele não passa de um blefe. Eu nunca o leio na folha, e das poucas vezes ue li, achei empre uma porcaria. Livro então nunca comprei. ele contou a hisória de ter escrito um livro em nove dias porque queria ganhar um prêmio e havia descobeerto os critérios que o jurado usaria para premiar o vencedor. Já viu cara de pau maior?.
Pra não continuar ouvindo mais besteiras eu saí do auditório. 
Acho que o Jornal d ABI vai dar um resumo, pois a imprensa não cobriu , o que é outro pecado. só a TV Cultura estava lá na sexta-feira. Abração, ValdirCaro Olides: Faz já algum tempo que adicionei teu site nos meus favoritos e andei olhando as fotos da redação antiga de ZH. Quanto ao livro, claro que gostaria de lê-lo. Grande abraço, Pedro Chaves

Caro Olides, terminei de ler teu livro em apenas dois dias. Achei excelente. Já passei para o meu sogro. Muitos personagens eu conheço ou conheci. Fui aluno do Antoninho na Unisinos. Depois, trabalhei como redator na Gaúcha, em 1994. Faz 10 anos que estou na Assessoria de Imprensa do Ministério Público Estadual. Deves conhecer o Marco Aurélio Nunes, que foi comandado na ZH pelo Wanderley. É meu colega no MP. Ele tem milhares de estórias também. Faz tempo que acesso teu site. Acho que havia chegado até ele por meio do Prévidi ou do Coletiva.Net. Pela Gemma Generali, tive contato com o  "Pauta - O Avesso das Redações". Estou achando interessante. Boas lembranças do Antoninho e outros. Como fizeste a edição "do autor", pergunto se já não conheces o site www.mesadoeditor.com.br, que intermedia o contato entre autor e editora. Estou para fazer meu cadastro lá, pois tenho uma obra, mas não quero correr atrás de alguém que, muitas vezes, nem é a certa. Outra dica interessante do site é que eles aceitam lá propostas de livros. Tu escreves uma proposta e deixa postado lá. Abraços, Célio Romais. www.romais.jor.br


"Estava pesquisando no google e encontrei o teu site. Gostei muito. Achei, inclusive, notícia de uma mesa redonda que aconteceu no Instituto Estadual do Livro, por ocasião do lançamento do livro de minicontos da Ivanise Mantovani da qual participou o Antônio Goulart, que é nosso amigo. (Fomos colegas no curso de jornalismo, lembra? Até fizemos um trabalho junto com o Kolekza. Bons tempos). Vou continuar te lendo. Um abraço da Teniza Spinelli."

Muito obrigado pela referência e pelos elogios, amigo! Foste muito generoso!
Um grande abraço. David Coibra


" Adorei ter te reencontrado!!! Pois, a última vez ,estávamos muito revoltados com a morte do velho Aveline. Já comecei a me divertir com o q escreves. És mto corajoso. Aliás, sempre achei q tu eras o único nesta  cidade  a enfrentar o João Aveline, meu pai. Sempre te admirei!!! Parabéns pelo livro!!!! Um beijo." Maria Helena Aveline


Olides velho, que legal encontrar teu site na Internet. Parabéns! Acho que tu encontrou teu  lugar no mundo jornalístico. Depois de 11 anos na Florida, passei três anos no Brasil, em Florianópolis, dando aulas na UFSC (de 2003 a 2006). Mas não resisti a um convite para dar aulas na California State University de Long Beach e voltei para os braços do tio Sam, que sempre me acolheu. Na foto em anexo, Eduardo, meu marido, Barbara, que está com 13 anos, e Vivian, com 10, durante um passeio recente ao Grand Canyon, no Arizona. Um abraço, Heloiza G. Herscovitz

Canton, olhos e ouvidos sintonizados...um abraço, Cleber Dioni 

" Sr. Olides, sou Rodrigo Paludo Sandrin. Descendo de Francesco Bodanese e Carolina Biesuz, que moraram entre 1900 e 1940 na linha XII, situada há um quilometro de Serafina Corrêa. Estou escrevendo um livro sobre meus antepassados e me chamou a atenção ao ver o seu livro sobre Serafina Corrêa, onde aparece uma foto antiga de família com o mesmo fundo da que eu tenho da família de Francesco, tirada na década de 1920. Eu possuo em minha biblioteca particular o livro do prof Dino Zambenedetti e de Geraldo Cocewicz, de 1988, intitulado "Serafina Corrêa, Histórias e Estórias". Nele constam algumas referências e fotos do meu trisavô. Gostaria de saber se no seu livro existe alguma citação com referência as famílias Biesuz e Bodanese e Patussi. Por outro lado, por não ser da área jornalística, seria possível o sr me dizer quanto custa mais ou menos para editar e mandar publicar um livro como este? Somente a título de curiosidade, para quando eu for publicar o meu livro de família.
“Dobbiamo ricordare i nostri antenati, è per loro Che oggì siamo qui”. Pesquisando os sobrenomes: Sandrin, Paludo, Cobalchini, Bodanese (Modanese), Romagna, Sottili, Coser, Patussi (Patuzzi), Turrini, Bissoli, Busato, Canal, de Martin, Gobbo, Parise, Biesuz, Postingher (Postinghel), Fait Veneri, Bonomo, Pasini, Fedrizzi, Cester, Ruzzene, Broll, Storti, Spagnol, Meneguzzi, Soldera, De Carli, Caserotto, Forti, Bottura (emigrados para o Brasil a partir de 1875, estabelecidos na serra gaúcha).
Cordiais saudações, Rodrigo Paludo Sandrin - Curitiba / PR.

Meu Prezado Olides: Tive o prazer de conhecê-lo pessoalmente em duas ou três viagens ocasionais para eventos em Torres: numa, tivemos como anfitrião o saudoso colega Luiz Figueredo; noutra, fomos ao Conversando sobre Turismo, com o Justo. Creio que somos meio vizinhos de bairro/região, pois já nos encontramos aqui pela Protásio mais de uma vez (resido na Álvaro Alvim). Também já conversamos rapidamente no Bar da ARI, em companhia do Ayres. Conheci teu site nesta semana, num link através da página do Prévidi. Quero te cumprimentar pelo maravilhoso trabalho, pela riqueza de informações, conteúdo absolutamente valioso para o acompanhamento da mídia local. Estou impressionado pela abrangência com que captas tudo o que "rola" em jornal, rádio e TV, na cidade. Já me transformei em leitor diário do "de Olhos e Ouvidos". Esteja certo de que é uma página da melhor qualidade e esmero jornalístico. Adelante, bravo Olides, e um grande abraço do jornalista Vanderlei Cunha.


" Prezado Olides: Sou leitor assíduo do seu site e estarei, certamente, logo mais à noite prestigiando a sessão de autógrafos do amigo na Assembléia. Até mais." Claudio Júnior Damin


"Caro Olides: O nosso poeta Mário Quintana também foi foi grevista e participou ativamente da greve da Caldas Junior, vou te passar a foto dele na mesa principal do auditório do Sindicato dos Bancários onde eram feitas às assembléias gerais em 84. Irei te mandar a foto que é uma raridade, ele está falando no microfone é uma pérola do jornalismo, esta foto é inédita e fará parte de minha próxima exposição a qual estou organizando, "Personagens do meu Tempo".
Abraços, Espanhol"

" Prezado Jornalista  Olides Canton, acabo de conhecer seu espaço na Internet através do Coletiva.Net. O parabenizo pelo conteúdo. Faz muito tempo que leio o JC. Também já fui assinante do CP. Na velha Caldas Júnior conheci o Streck. Eu o ouvia, quando ainda residente em Porto Alegre. Certa feita um dos assuntos discutidos era a mamona. Estive na redação com ele e indiquei o Winogron que foi meu colega no Colégio Israelita. Ocorre que meu pai era imigrante alemão, vindo para nosso país em 1923. Em razão dos fatos ocorridos durante a guerra, ele decidiu nos colocar naquela escola para evitar possíveis preconceitos. Lá aprendi muito, pois é uma escola de excelência. Voltando ao assunto, quando sugeri ao Streck que podia obter maiores detalhes com o Winogron, ele olhou bem pra mim e disse: chega de judeu. Me arranja outra fonte, certo? Confesso que sai de fininho. Hoje a mamona é um excelente produto agrícola e um professor da Universidade de São Carlos desenvolveu um polímero à partir da mesma que é usado para produzir próteses ósseas, com melhor qualidade que as metálicas. Tal material, por ser orgânico, não tem problema de rejeição e as dores no pós operatório são bem menores. Me considero colaborador tanto do Ritter quanto do Albrecht. Lembro que ano passado um ilustre vereador, durante a  entrega de uma medalha municipal, em seu discurso disse textualmente: vou agora falar sobre a árvore genital de meu homenageado. Mandei para o Albrecht que dois dias depois largou em sua coluna. Foi um verdadeiro rebuliço. Penso o seguinte: disse bobagem tem que aguentar a volta. Sou Comissário de Polícia aposentado e resido em Xangri-Lá. Por mais de 4 anos, junto com o cidadão Solon Soares, participei de programa de opinião na rádio Horizonte de Capão da Canoa, de onde fomos defenestrados ano passado por pressão do Prefeito de Xangri-Lá que não admite ser criticado. Também perdemos a coluna que tínhamos no Litoral em Foco, decorrente do fato de que o Prefeito contratou o veículo. Hoje são dois belos exemplos de veículos "chapa branca". Ocorre que como sou um guri nascido em junho de 1944, criei meu próprio espaço que é www.praiadexangrila.com.br e ali não poupo o arrogante que tem o maior orçamento per capita do estado e a pior administração.Hoje mantenho coluna no portal www.litoralmania.com.br de Osório que reputo como o melhor na região. Jorge Loeffler

"Olides, parabéns pelo teu site. Que voce faça a diferença e mostre teu talento e competência . um grande abraço" Valéria Reis -JB

”Parabéns, gostei da página. Conta os bastidores dos ambientes onde as coisas acontecem e agente fica sabendo só o principal, sem os detalhes. É o caso do xixi do Sartori na Federasul. Sem querer ser fofoqueiro mas isso é bom. Quem não tem curiosidade de saber o que ¨rola¨ nesses ambientes frequentados por aqueles que decidem tudo.” Ataides Miranda


"Cara, ótimo "O avesso das redações". Você merece um troféu pelo interesse em resgatar fatos vivenciados por jornalistas. Devo dizer ainda que considero um achado a frase relativa à dedicatória do livro à memória dos colegas que já tomaram a "saideira". Maravilha. Sugiro que escreva também a biografia do Antoninho Gonzales. Pelo jeito, você é a pessoa mais indicada para fazer isso. Parabéns. Demetrio"


 
 

 
 
 
 


Olides Canton - Jornalista e Escritor


Nascido em 16 de Janeiro de 1.952 na cidade de Serafina Corrêa-RS, Olides Canton passou nesta cidade toda a sua infância e adolescência. Mudando-se para Porto Alegre, cursou a Escola Julio de Castilhos, tornando-se Bacharel em Comunicação Social pelo FABICO em 1.982. Trabalha como Jornalista desde 1970. Trabalhou na Companhia Jornalística Caldas Júnior, Jornal Zero Hora. No Jornal do Brasil e Revista Carga e Transporte atuou como free-lancer. Editor do Jornal de Bordo e Revista Fitness. Conseguiu quatro premios de Jornalismo, um do Badesul, dois do Setcergs e um da ARI. Registro no Sindicato dos Jornalistas RS: 2776 - Registro Jornalista - Mtb 4959.

® Agosto 2007 - © De Olhos e Ouvidos - Olides Canton - Todos os direitos reservados
Os textos publicados são de inteira responsabilidade do autor.


Telefone: (51) 3330-6803
e-mail: contato@deolhoseouvidos.com.br

Autor de inúmeros livros, Olides Canton firmou-se como um
exímio contador de histórias contemporâneas.
Conheça agora as obras do autor
 


Alto da página


Site desenvolvido por Brulars






contato@replay.com.br













 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


o Estradas, ônibus, restaurantes e histórias familiares, são parte da literatura do autor Noticias e comentários sobre política, Gafes, episódios e causos dos que fazem a notícia amplie a imagem www.marcopolo.com.br http://www.teubilhete.com.br belmar.jose@terra.com.br amplie a imagem amplie a imagem